Você está na página 1de 3

01 - Componentes do sistema nervoso periférico - nervos

01 – Quais são os componentes do sistema nervoso periférico?


Os componentes do sistema nervoso periférico são os nervos, gânglios e terminações nervosas.

02 – O que é mielina?
Desde el punto de vista bioquímico está constituido por material lipoproteico que constituye algunos sistemas de bicapas
fosfolipídicas. Se encuentra en el sistema nervioso de los vertebrados, formando una capa gruesa alrededor de los axones
neuronales que permite la transmisión de los impulsos nerviosos a distancias relativamente largas gracias a su efecto isolante. Este
recubrimiento se conoce como «vaina de mielina».

Os oligodendrócitos produzem as bainhas de mielina que servem de isolantes elétricos para os neurônios do sistema nervoso central.
Astrócitos podem interagir com oligodendrócitos e influenciar a renovação da mielina, tanto em condições normais como em
patológicas. Figura 9 .13 Bainha de mielina do sistema ne1V010 central. Um único oligodendrócito, por seus prolongamentos, forma
bainhas de mielina para diversas fibras nervosas. O nódulo de Ranvier, no sistema nervoso central, pode ser recoberto por
prolongamentos de outras células da neuróg lia ou ficar exposto ao meio extracelular. Na parte superior esquerda da figura aparece
uma vista da superfície externa do oligodendrôcito.
Quando cortados, o cérebro, o cerebelo e a medula espinal mostram regiões brancas (substância branca) e regiões acinzentadas
(substância cinzenta). A distribuição da mielina é responsável por essa diferença de cor, que é visíve l a fresco.

As células de Schwann têm a mesma função dos oligodendrócitos, porém se localizam em volta dos axônios do sistema
nervoso periférico. Cada célula de Schwann forma mielina em torno de um segmento de um único axônio. A Figura 9.25 mostra como
a membrana da célula de Schwann se enrola em volta do axônio. É uma estrutura multilaminar formada por membranas plasmáticas
(células de Schwann) que rodeiam com seu citoplasma os axônios dos neurônios, criando, além de outras funções, uma proteção.

Há casos de deterioração dessa bainha e o impulso não se transmite com suficiente velocidade ou se detém na metade dos axônios.
São as enfermidades autoimunes: esclerose múltipla e leucodistrofia.
Na esclerose múltipla, as bainhas de mielina são destruídas por mecanismo ainda não completamente esclarecido, causando
diversos distúrbios neurológicos. Nessa doença, os restos de mielina são removidos pela mícróglia, cujas células se tornam
morfologicamente semelhantes aos macrófagos. Os restos de mielina fagocitados por essas células são digeridos pelas enzimas dos
lisossomos.

03 – O que é uma fibra nervosa?

As fibras nervosas são constituídas por um


axônio e suas bainhas envoltórias. Grupos
de fibras nervosas formam os feixes ou
tratos do SNC e os nervos do SNP.
Os nervos são feixes de fibras nervosas
envolvidas por tecido conjuntivo.

Axônios (fibras nervosas com ou sem mielina) mantêm o diâmetro constante ao longo de seu comprimento. Os dendritos tornam -se
mais finos à medida que se ramificam, como os galhos de uma árvore (Figura 9.4).

04 – Caracterize uma fibra mielínica do sistema nervoso periférico.


Nas fibras mielínicas do sistema nervoso periférico, a membrana plasmática da célula de Schwann se enrola em volta do axônio
(Figuras 9.25, 9.26 e 9.28). Essa membrana enrolada se funde, dando origem à mielina, um complexo lipoproteico branco que é
parcialmente removido pelas técnicas histológicas. Assim, a mielina é constituída por diversas camadas de membrana celular
modificada. Essa membrana tem maior proporção de lipídios do que as membranas celulares em geral.
A bainha de mielina se interrompe em intervalos regulares, formando os nódulos de Ranvier, que são recobertos por expansões
laterais das células de Schwann (Figuras 9 .26).

05 – O que é uma fibra amielínica?


Tanto no sistema nervoso central como no periférico nem todos os axônios são recobertos por mielina. As fibras amielínicas
periféricas são também envolvidas pelas células de Schwann, mas nesse caso não ocorre o enrolamento em espiral.
Uma única célula de Schwann envolve várias fibras nervosas (Figura 9.24), cada fibra tendo o seu próprio mesaxônio (zona
de comunicação entre a Célula de Schwann e o Axónio).

Nas fibras amielínicas não existem nódulos de Ranvier, pois nelas as células de Schwann formam urna bainha contínua. No
SNC os axônios amielínicos são mais numerosos.
No encéfalo e na medula espinal, esses axônios ficam livres entre os outros elementos neurais e os prolongamentos das
células da glia. Axônios de pequeno diâmetro são envolvidos por uma única dobra da célula envoltória, constituindo as fibras
nervosas amielínicas.

06 – Defina nervos.
Dado um feixe de feixe de fibras nervosas. No SNP, esses feixes de fibras nervosas envolvidas por tecido conjuntivo, formarão
nervos.
Atenção: não há nervo no sistema nervoso central. Ali os grupos de fibras nervosas formam os feixes ou tratos do SNC.

Devido ao seu conteúdo em mielina e colágeno, os nervos são esbranquiçados, exceto os raros nervos muito finos formados
somente por fibras amielínicas.

Os nervos periféricos partem do encéfalo ou da medula


espinal. Nervos não existem dentro do SNC. Partem a partir
deles. Nervos e gânglios compõem o sistema periférico.

07 – O que é o epineuro?
O tecido de sustentação dos nervos (Figuras 9.30 a 9.34) é constituído por uma camada fibrosa mais externa de tecido conjuntivo
denso, o epineuro, que reveste o nervo e preenche os espaços entre os feixes de fibras nervosas.

08 –

09 –

10 –

11 –

12 –

13 –

14 –