Você está na página 1de 8

Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.12, n.1, p.

81-87, 2010 81
ISSN 1517-8595

FERMENTAÇÃO EM ESTADO SÓLIDO DE DIFERENTES RESÍDUOS PARA


A OBTENÇÃO DE LIPASE MICROBIANA

Érica Mara Dantas 1 Luciana Cristina Lins de Aquino2

RESUMO

A fermentação em estado sólido destaca-se no aproveitamento de resíduos agroindustriais para a


síntese de diversos compostos de interesse industrial e de elevado valor agregado. O objetivo
deste trabalho foi avaliar o potencial de resíduos agroindustriais (torta de mamona, torta de
babaçu, sementes de abóbora, casca de abacate e borra de café) para a obtenção de lipase
microbiana utilizando o microrganismo Aspergillus niger. Nos experimentos fermentativos
estudou-se a influência do teor de agua do substrato (35 a 65%b.u.) e avaliou-se a cinética de
produção de lipase. O extrato enzimático obtido nos processos foi avaliado quanto ao efeito do
pH (entre 2,0 e 8,0) e da temperatura (entre 30 e 70 oC) na atividade lipolítica. Maior produção
de lipase (24,6 U g-1) foi obtida quando utilizado como fonte de carbono a torta de babaçu
contendo um teor de água de 45%b.u. durante 168 horas de fermentação. A lipase obtida a partir
deste resíduo obteve maior atividade enzimática (3278 U g-1) em pH 2,0 e temperatura de 30 °C.
Através deste trabalho verificou-se que os resíduos: sementes de abóbora, cascas de abacate,
torta de babaçu, torta de mamona e borra de café demonstraram potencial para a obtenção de
lipase microbiana acídica.

Palavras-chave: Lipase, Fermentação em estado sólido, Resíduo agroindustrial.

SOLID STATE FERMENTATION OF DIFFERENT RESIDUES TO OBTAIN


MICROBIAL LIPASE

ABSTRACT

The solid state fermentation have been used agroindustrial residues for the synthesis of various
high value compounds. The objective of this study was to evaluate the potential of
agroindustrial residues (castor oil cake, babassu oil cake, pumpkin seeds, avocado rind and
coffee grounds) to obtain microbial lipase using the microorganism Aspergillus niger. In the
fermentations was evaluated the effect of moisture content in the substrate (35 to 65% w.b.) and
the kinetics of lipase production. It was evaluated the effect of pH (between 2.0 and 8.0) and
temperature (between 30 and 70 °C) on the hydrolytic activity of enzymatic crude extract. The
higher production of lipase (24.6 U g-1) was obtained when used babassu cake, as a carbon
source, containing 45% w.b. of moisture content for 168 hours of fermentation. A lipase
presented higher enzymatic activity (3278 U g-1) at pH 2.0 and temperature of 30 °C. Through
this work it was found that the waste: pumpkin seeds, avocado rind, babassu oil cake, castor
bean cake and coffee grounds have shown potential for obtaining acidic microbial lipase.

Keywords : Lipase, Solid state fermentation, Agroindustrial residue.

Protocolo 103.039 de 12/09/2009


1
Graduado em Engenharia de Alimentos, Universidade Federal de Sergipe, Av. Marechal Rondon, s/n, Jardim Rosa Elze, CEP 49000-000,
São Cristóvão, Se. Email: em_cv@hotmail.com
2
Professora Doutora do Curso de Engenharia de Alimentos, Universidade Federal de Sergipe, Av. Marechal Rondon, s/n, Jardim Rosa Elze,
CEP 49000-000, São Cristóvão, Se. Email: aquinoluciana@hotmail.com
82 Fermentação em estado sólido de diferentes resíduos para a obtenção de lípase microbiana Dantas &Aquino

INTRODUÇÃO glicoamilases microbianas (Wang et al., 2008).


Resíduos provenientes da produção de
As atividades agropecuárias e de biodiesel, tais como torta de pinhão manso e de
processamento de produtos agropecuários têm mamona também tem sido aproveitada para a
proporcionado sérios problemas de poluição no obtenção de lipases e proteases microbianas
solo, em águas superficiais e em águas (Mahatan et al., 2008; Godoy et al., 2009).
subterrâneas. Os resíduos sólidos de As lipases (triglicerol acil-hidrolases,
agroindústrias (bagaços, tortas, restos de frutas E.C. 3.1.1.3), são enzimas de origem animal,
e hortaliças, etc.) são provenientes de usinas vegetal ou microbiana, definidas como
sucro-alcooleiras, matadouros, indústrias do hidrolases de ésteres contendo ácidos graxos de
processamento de carnes (vísceras e carcaça de cadeia longa, saturados ou insaturados, com
animais), frutas e hortaliças (bagaço, tortas, doze ou mais átomos de carbono. Dependendo
refugo e restos), indústria da celulose e papel da fonte, podem ter massa molecular variando
(resíduos da madeira, lodo do processo de entre 20 a 75 kDa, atividade enzimática em pHs
produção e do tratamento de águas residuárias), entre 4,0 a 9,0 e em temperaturas variando
curtumes (aparas de couro e lodo do processo e desde a ambiente até 70 °C (Coelho et al.,
tratamento de águas residuárias) e outros. 2001). As lipases microbianas constituem um
Muitos frutos comestíveis são processados para importante grupo de enzimas biotecnológica-
fabricação de sucos naturais, sucos mente valiosas, principalmente, pela
concentrados, doces em conserva, polpas e versatilidade de suas propriedades e fácil
extratos, os quais possuem sementes que são, produção de massa. Essas enzimas são
muitas vezes, descartadas e poderiam ser diversificadas na suas propriedades enzimáticas
utilizadas para minimizar o desperdício de e especificidade a substratos tornando-se muito
alimentos (Vargas, 2004). atrativas para aplicações industriais na obtenção
O descarte de resíduos representa um de vários produtos tais como: alimentos,
crescente problema devido ao aumento da detergentes, produtos farmacêuticos,
produção. Os maiores impactos ambientais cosméticos, produtos têxteis e fábricas de papel
provocados por resíduos sólidos orgânicos são (Sharma et al., 2001; Pelizer et al., 2007). Neste
decorrentes da fermentação do material, contexto, o presente trabalho teve como
podendo ocasionar a formação de ácidos objetivo avaliar o potencial de vários resíduos
orgânicos (“chorume” – líquido de elevada agroindustriais para a obtenção de lipase
DBO formado com a degradação do material microbiana através de fermentação em estado
orgânico e a lixiviação de substâncias tóxicas) sólido (FES) utilizando o microrganismo
com geração de maus odores e diminuição do Aspergillus niger
oxigênio dissolvido em águas superficiais
(Graminha et al., 2008). MATERIAIS E MÉTODOS
Devido a quantidade de nutrientes
disponíveis nos resíduos sólidos agroindustriais O microrganismo Aspergillus niger foi
estes podem ser convertidos em produtos adquirido da coleção de culturas do Instituto
comerciais ou matérias-primas para processos Oswaldo Cruz (Rio de Janeiro, Brasil), mantido
secundários. Neste contexto a fermentação em sob refrigeração (4 ºC) em tubos de ensaio
estado sólido (FES) desempenha um papel de inclinados contendo meio BDA (ágar batata
destaque no aproveitamento de resíduos sólidos dextrose). Os resíduos utilizados foram:
visando a síntese de diversos compostos de alto sementes de abóbora (35% de lipídeos), cascas
valor agregado e de grande interesse industrial. de abacate (11% de lipídeos), torta de babaçu
A FES é aplicada para produção de alimentos, (2,6% de lipídeos), torta de mamona (0,6% de
biopesticidas, e substâncias químicas diversas. lipídeos) e borra de café (15% de lipídeos).
O grande potencial é principalmente na Estes foram secados em estufa a 80 ºC por 24
produção de enzimas através de fungos horas, posteriormente triturados e armazenados
filamentosos, os quais têm recebido a maioria até sua utilização.
das atenções nas pesquisas, pois apresentam As fermentações foram realizadas em
capacidade de crescimento em baixos níveis de placas de petri contendo os resíduos (100 g) e 1
água (Couto e Sanroman, 2006; Rodriguez et mL de suspensão de esporos (7,2 x 106 células
al., 2006; Pinheiro, 2006; Graminha et al., mL-1), mantidos à temperatura em torno de
2008; Sun e Xu, 2008 ). Recentemente alguns 30°C. Inicialmente para avaliar a influência do
pesquisadores utilizaram resíduos de alimentos teor de água na produção da enzima lipase
provenientes de restaurantes para a produção de realizou-se experimentos com cada resíduo
Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.12, n.1, p.81-87, 2010
Fermentação em estado sólido de diferentes resíduos para a obtenção de lípase microbiana Dantas &Aquino 83

contendo teores de água de 35%, 45%, 55% e oliva comercial e tampões na concentração de
65% b.u. durante 96 horas de fermentação. A 100 mM, em diferentes valores de pH (2,0; 3,0;
enzima produzida foi extraída com água 4,0; 5,0; 6,0; 7,0 e 8,0). As soluções foram
destilada, centrifugada durante 10 min e o mantidas à temperatura de aproximadamente 30
extrato bruto enzimático (EBE) foi utilizado °C, sob agitação (130 rpm), durante 60 min e a
para a determinação da atividade enzimática. atividade enzimática foi calculada. Para avaliar
A cinética de produção de lipase foi o efeito da temperatura, a solução contendo
realizada através de fermentações utilizando extrato bruto enzimático (EBE), óleo de oliva e
cada resíduo no teor de água pré-determinado. tampão (onde se obteve maior atividade
De tempos em tempos retirou-se uma amostra lipolítica) foi mantida sob agitação em
do material com água destilada e determinou-se temperaturas de 30 °C; 40 °C; 50 °C; 60 °C e
a atividade enzimática. O extrato bruto 70 °C durante 60 min. A atividade enzimática
enzimático (EBE) obtido nestes processos foi foi determinada como descrito anteriormente.
utilizado para os experimentos subseqüentes de
caracterização bioquímica. RESULTADOS E DISCUSSÃO
A determinação da atividade enzimática
foi realizada através da mistura de 1 mL do Inicialmente avaliou-se a influência do
extrato bruto enzimático, 1 g de óleo de oliva e teor de água dos substratos, entre 35% e 65%,
4 mL tampão fosfato de sódio (pH 6,0, 50 mM), na produção de lipase através da FES. O teor de
mantendo-se sob agitação à 130 rpm, água é um fator bastante significativo nas
temperatura de 30ºC durante 60 min. A reação propriedades físicas do substrato. Elevado teor
foi paralisada pela adição 15 mL de de água causa a diminuição da porosidade do
acetona:etanol (1:1 em volume) e a atividade substrato, diminuindo assim a troca de gases.
foi medida pela titulação dos ácidos graxos Por outro lado baixo teor de água pode acarretar
liberados com solução de KOH 50mM usando na diminuição do crescimento microbiano e
fenolftaleína como indicador. Um branco conseqüente menor produção de enzima
contendo o mesmo meio reacional sem o (Mahanta et al., 2008). Os resultados obtidos
extrato enzimático foi titulado para a estão apresentados na Figura 1.
determinação da quantidade pré-existente de O teor de água dos substratos influenciou
ácidos graxos livres no substrato empregado. A de maneira significativa a atividade hidrolítica
atividade enzimática foi calculada segundo a do EBE ao longo da fermentação. Foi
Equação 1 (Pinheiro et. al., 2006). verificado que houve maior produção de lipase
quando empregado cascas de abacate (10 U g-1)
e sementes de abóbora (24 U g-1 ) com teor de
U=
[(Va − Vb ) × M × 1000 × Vd ] ÷ Vc × t água de 35% e torta de babaçu (25 U g-1) e
m borra de café (13 U g-1) com teor de água de
(1) 45%. Quando utilizado torta de mamona como
Onde: substrato obteve-se máxima atividade
U - Atividade enzimática da lipase (Ua g-1); enzimática (19 U g-1) nos resíduos contendo
Va- Volume final de KOH gasto para titular teor de água de 35% e 45% b.u. .
apenas os ácidos graxos liberados do óleo A cinética de produção de enzima foi
de oliva, após a reação de verificada durante a fermentação dos resíduos
transesterificação enzimática usando o cascas de abacate, torta de babaçu e torta de
extrato bruto enzimático (mL); mamona contendo teor de água de 35% b.u.; e
Vb- Volume de KOH gasto para titular os sementes de abóbora e borra de café contendo
ácidos graxos pré existentes encontrados teor de água de 45% b.u.. Os resultados estão
no óleo de oliva (0,2 mL); encontram-se na Figura 2.
M - Concentração da solução de KOH utilizada As fermentações dos resíduos foram
na titulação (M); conduzidas até ser observado a queda ou
t - tempo de reação (min); estabilidade da atividade hidrolítica no EBE.
Vc - Volume de óleo de oliva utilizado (mL); No processo fermentativo utilizando torta de
Vd- Volume de solução de extração (mL); mamona obteve-se máxima atividade
m - Massa do substrato (g). enzimática em 96 horas de fermentação (23 U
g-1). Nas fermentações com cascas de abacate e
Para avaliar a influência do pH na sementes de abóbora obteve-se máxima
atividade da enzima, preparou-se soluções atividade enzimática de 15,5 U g-1 e 20 U g-1
contendo o extrato bruto enzimático, óleo de respectivamente, em 144 horas de fermentação.
Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.12, n.1, p.81-87, 2010
84 Fermentação em estado sólido de diferentes resíduos para a obtenção de lípase microbiana Dantas &Aquino

Quando utilizados como torta de babaçu e borra de 25 U g-1 e 20 U g-1, respectivamente, em 168
de café obteve-se máxima atividade hidrolítica horas de fermentação.

30

Atividade hidrolítica (U g-1) 25

20 Borra de café
Torta de babaçu
15
Torta de mamona
10 Semente de abóbora
Casca de abacate
5
30 40 50 60 70
Teor de agua (% base seca)

Figura 1. Influência do teor de água do substrato na produção da enzima lipase

25
Atividade hidrolítica (U g-1)

20

Borra de café
15 Torta de babaçu
Torta de mamona
10 Semente de abóbora
Casca de abacate
5
0 50 100 150 200 250
Tempo (horas)

Figura 2. Cinética de produção enzimática através de FES utilizando diferentes resíduos


agroindustriais

Através dos resultados constatou-se que o Em comparação com pesquisadores que


tempo de fermentação variou significativamente utilizaram resíduos para a produção de lipase
com o tipo de substrato utilizado. Apesar da verificou-se que Ul-Haq et al. (2002) obtiveram
torta de babaçu conter 2,6% de lipídeos, obteve- máxima atividade enzimática de 26,0 U g-1
se maior atividade hidrolítica (24,6 U g-1) utilizando farelo de trigo e o fungo Rhizopus
quando empregado este resíduo como substrato. oligosporous e Gombert et al. (1999) obtiveram
Uma hipótese para este resultado seria que a máxima atividade enzimática de
presença de outros nutrientes pode ter aproximadamente 6,0 U g-1 utilizando torta de
contribuído para o crescimento do babaçu e Penicillium restrictum. Os resíduos
microrganismo. Além disso, como o teor de testados neste trabalho demonstraram potencial
agua do substrato é um fator importante para o para a produção de lipase.
crescimento microbiano em fermentação em Experimentos foram realizados para
estado sólido, pode ter ocorrido maiores perdas determinar o pH ótimo de atividade enzimática
de água durante a fermentação dos demais do EBE obtido através da FES dos diferentes
resíduos testados neste trabalho. resíduos. As reações foram realizadas em

Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.12, n.1, p.81-87, 2010
Fermentação em estado sólido de diferentes resíduos para a obtenção de lípase microbiana Dantas &Aquino 85

diferentes tampões com pHs variando entre 2,0 Apesar disto, alguns autores têm
e 8,0. Os resultados obtidos estão apresentados produzido lipase microbiana com caráter
na Figuras 3 e 4. acídico, tais como Mahadik et al., 2002 os quais
obtiveram lipase a partir de farelo trigo
utilizando Aspergillus niger, com máxima
atividade enzimática em pH 2,5, Mahadik et al.,
3500 2004 obtiveram lipase acídica por fermentação
Atividade hidrolítica (U g-1)

3000 Torta de submersa em pH 5,5 utilizando Aspergillus


2500 babaçu niger e Mehtra et al., 2009 obtiveram lipase por
Torta de fermentação submersa utilizando Aspergillus
2000 mamona niger com máxima atividade enzimática em pH
1500 Casca de 2,5 e temperatura de 50 °C.
1000 abacate Definido o pH onde obteve-se máxima
500 atividade lipásica, a etapa seguinte foi avaliar a
0 influência da temperatura. A mistura reacional
1 3 5 7 9 EBE, óleo de oliva e tampão acetato de sódio
pH 2,0 foi mantida sob agitação em diferentes
pH temperaturas variando entre 30 °C e 70 °C
durante 60 min e a atividade hidrolítica foi
Figura 3. Influência do pH na atividade
determinada com descrito anteriormente. Os
hidrolítica do EBE obtido a partir de torta de
resultados estão demonstrados nas Figuras 5 e
babaçu, torta de mamona e cascas de abacate.
6.
Os resultados demonstraram que a
atividade hidrolítica do extrato bruto enzimático 3500
Atividade hidrolítica (U g-1)

(EBE) produzido a partir dos resíduos


agroindustriais diminuiu com o aumento do pH, 3100
sendo o valor máximo obtido em pH 2,0, o que
demonstrou o caráter acídico da enzima. Os 2700
EBEs obtidos a partir de borra de café, torta de Borra de café
babaçu, torta de mamona, sementes de abóbora 2300 Torta de babaçu
e cascas de abacate demonstraram máxima Casca de abacate
atividade hidrolítica (em pH 2,0) de 2000 U g-1, 1900
3278 U g-1; 789 U g-1 e 2603 U g-1,
25 45 65
respectivamente. De maneira geral os Temperatura (°C)
pesquisadores têm obtido lipases microbianas Figura 5. Influência da temperatura na
com máxima atividade enzimática em pH atividade hidrolítica do EBE obtido a partir de
próximo a neutralidade (Kamini et al, 1998; borra de café, torta de babaçu e cascas de
Hiol et al., 2000; Abbas et al., 2002; Diaz et al., abacate.
2006).
3500
Atividade hidrolítica (U g-1)

3000
Atividade hidrolítica (U g-1)

2500 3000
Borra de café 2500
2000
Semente de 2000
1500 Torta de mamona
abóbora 1500
1000
1000 Semente de abóbora
500
500
0
25 45 65
1 6
Temperatura (°C)
pH
Figura 4. Influência do pH na atividade
hidrolítica do EBE obtido a partir de borra de Figura 6. Influência da temperatura na
café e sementes de abóbora. atividade hidrolítica do EBE obtido a partir de
torta de mamona e sementes de abóbora.
Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.12, n.1, p.81-87, 2010
86 Fermentação em estado sólido de diferentes resíduos para a obtenção de lípase microbiana Dantas &Aquino

O EBE obtida a partir da borra de café, Boletim do Ceppa, v. 19, n. 01, p. 3342,
torta de mamona, cascas de abacate, sementes 2001.
de abóbora e torta de babaçu demonstrou Couto, S. R.; Sanroman, M. A. Application of
máxima atividade enzimática (em pH 2,0) nas solid-state fermentation to food industry—
temperaturas de 40 °C; 50 °C; 40 °C; 70 °C e A review. Journal of Food Engineering, v.
30 °C, respectivamente. Os resultados estão em 76, p. 291–302, 2006.
acordo com outros pesquisadores, os quais
obtiveram lipases microbianas com máxima Diaz, J. C. M.; Rodrıguez, J.A.; Roussos, S.;
atividade enzimática em temperaturas de 35 °C Cordova, J.; Abousalham, A.; Carriere, F.;
(Hiol et al., 2000); 30 °C (Ul-Haq et al., 2002); Baratti, J. Lipase from the thermotolerant
37 °C (Kamine et al., 1998); 45 °C (Mahadik et fungus Rhizopus homothallicus is more
al, 2002) e 50 ºC (Koblitz e Pastore, 2006). thermostable when produced using solid
state fermentation than liquid fermentation
CONCLUSÕES procedures. Enzyme and Microbial
Technology, v. 39, p.1042–1050, 2006.
Apesar de serem produzidas na maioria Godoy, M.G.; Gutarra, M.L.E; Maciel, F.M.;
das pesquisas lipases com caráter básico, nas Shayany P.F.; Bevilaqua, J.V.; Machado,
condições propostas neste trabalho, a enzima O.L.T.; Freire, D.M.G. Use of a low-cost
produzida a partir dos resíduos sementes de methodology for biodetoxification of castor
abóbora, cascas de abacate, torta de babaçu, bean waste and lipase production. Enzyme
torta de mamona e borra de café, apresentou and Microbial Technology, v. 44, p. 317–
maior atividade hidrolítica em pH 2,0, o que 322, 2009.
caracterizou a provável produção de lipase Gombert, A. K.; Pinto, A.L.; Castilho, L.R.;
acídica. Maior produção enzimática (25 U g-1) Freire, D.M.G. Lipase production by
foi obtida na fermentação em estado sólido de Penicillium restrictum in solid-state
torta de babaçu contendo um teor de água de fermentation using babassu oil cake as
45% durante 168 horas. Dentre os resíduos substrate. Process Biochemistry, v. 35, p.
testados, a lipase obtida a partir de torta de 85–90, 1999.
babaçu foi a que apresentou maior atividade Graminha, E.B.N.; Gonçalves, A.Z.L.; Pirota,
hidrolítica (3278 U g-1) em pH 2,0 e R.D.P.B.; Balsalobre, M.A.A; Gomes,
temperatura de 30 °C. Os resíduos E.R.S. Enzyme production by solid-state
agroindustriais, sementes de abóbora, cascas de fermentation: Application to animal
abacate, torta de babaçu, torta de mamona e nutrition. Animal Feed Science and
borra de café, os quais tradicionalmente são Technology, v. 144, p. 1–22, 2008.
descartados em lixos ou solo apresentaram Hiol, A.; Jonzo, M.D.; Rugani, N.; Druet, D.;
potencial para a obtenção de lipase acídica. Sarda, L.; Comeau, L.C. Purification And
Com exceção da torta de mamona e da torta de Characterization Of An Extracellular lipase
babaçu (provenientes do processamento de from a thermophilic Rhizopus oryzae strain
biodiesel e de indústrias de refino de óleos), não isolated from palm fruit. Enzyme and
há relatos na literatura consultada do emprego Microbial Technology, v. 26, p. 421–430,
dos demais resíduos testados neste trabalho 2000.
como substrato para a obtenção de lipase Ul-Haq, I.; Idrees, S.; Rajoka M. I. Production
microbiana. of lipases by Rhizopus oligosporous by
solid-state fermentation. Process
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Biochemistry, v. 37, p. 637–641, 2002.
Kamini, N. R.; Mala, J. G. S.; Puvanakrishnan,
Abbas, H.; Hiol, A.; Deyris, V.; Comeau, L. R. Lipase production from Aspergillus
Isolation and characterization of an niger, by solid-state fermentation using
extracellular lipase from Mucor sp strain gingelly oil cake. Process Biochemistry, v.
isolated from palm fruit. Enzyme and 33, n. 05, p. 505-511, 1998.
Microbial Technology, v. 31, p. 968–975, Koblitz, M. G. B.; Pastore, G. M. Purification
2002. and biochemical characterization of an
Coelho, M. A. Z.; leite, S. G. F.; Rosa, M. D. extracellular lipase produced by a new
F.; Furtado, A. A. L. Aproveitamento de strain of rhizopus sp. Ciência Agrotécnica,
resíduos agroindustriais: produção de v. 30, n. 03, p. 494-502, 2006.
enzimas a partir da casca de coco verde. Mahadik, N. D.; Puntambekar, U. S.;
Bastawde, K. B.; Khire, J. M.; Gokhale, D.
Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.12, n.1, p.81-87, 2010
Fermentação em estado sólido de diferentes resíduos para a obtenção de lípase microbiana Dantas &Aquino 87

V.;. Production of Acidic Lipase By de redução do impacto ambiental. Journal


Aspergillus niger in Solid State of Technology Management and
Fermentation. Process Biochemistry, v. Innovation, v. 02, n. 01, 2007.
38, p.715, 2002. Rodriguez, J. A.; Mateos, J.C.; Nungaray, J.;
Mahadik, N.D.; Bastawde, K.B.; Puntambekar, Gonza´Lez, V.; Bhagnagar, T.; Roussos, S.;
U.; Khire, J.M.; Gokhale, D.V. Production Cordova, J.; Baratti, J. Improving lipase
of acidic lipase by a mutant of Aspergillus production by nutrient source modification
niger NCIM 1207 in submerged using Rhizopus homothallicus cultured in
fermentation. Process Biochemistry, v.39, solid state fermentation. Process
p. 2031–2034, 2004. Biochemistry, v. 41, p. 2264–2269, 2006.
Mahanta, N.; Gupta, A.; Khare, S. K. Sharma, R.; Chistib, Y.; Banerjee, U. C.
Production of protease and lipase by solvent Production, purification, characterization,
tolerant Pseudomonas aeruginosa PseA in and applications of lipases. Biotechnology
solid-state fermentation using Jatropha Advances, v. 19, p. 627–662, 2001.[
curcas seed cake as substrate. Bioresource Sun, S. Y.; Xu, Y. Solid-state fermentation for
Technology, v. 99, p.1729–1735, 2008. whole-cell synthetic lipase production from
Mhetras, N. C.; Bastawde, K. B.; Gokhale, D. Rhizopus chinensis and identification of the
V. Purification and characterization of functional enzyme. Process Biochemistry,
acidic lipase from Aspergillus niger NCIM v. 43, p.219–224, 2008.
1207. Bioresource Technology, v. 100, Vargas, G. D. L. P. Estudo da produção de
p.1486–1490, 2009. lipase por Penicillium simplicissimum
Pinheiro, T. L. F. Produção de lipases por utilizando torta de soja como substrato,
fermentação em estado sólido e Universidade Regional Integrada do Alto
fermentação submersa utilizando Uruguai e das Missões –Rio Grande do Sul.
Penicillium verrucosum como 2006. (Dissertação de Mestrado).
microorganismo. Universidade Regional Wang, Q.; Wang, X.; Wang, X.; Ma, H.
Integrada do Alto Uruguai e das Missões – Glucoamylase production from food waste
Rio Grande do Sul. 2006. (Dissertação de by Aspergillus niger under submerged
Mestrado). fermentation. Process Biochemistry, v. 43,
Pelizer, L. H.; Pontieri, M. H.; Moraes, I. O. p.280–286, 2008.
Utilização de resíduos agro-industriais em
processos biotecnológicos como perspectiva

Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.12, n.1, p.81-87, 2010
88

Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.12, n.1, p.88, 2010