Você está na página 1de 4

AlfaCon Concursos Públicos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
ÍNDICE
Reconhecimento de Pessoas e Coisas����������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Acareações��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Documentos�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
1
AlfaCon Concursos Públicos

Reconhecimento de Pessoas e Coisas


É o meio de prova que tem por finalidade identificar se determinada pessoa ou objeto teve algum
tipo de ligação com o crime apurado no processo. Sendo assim, alguma pessoa que já tenha visto a
pessoa ou o objeto, será chamado a identificá-lo.
Natureza: meio de prova.
Reconhecimento de Pessoas: por meio deste expediente, busca-se identificar não somente o
infrator, mas em alguns casos, até mesmo a vítima e as testemunhas.
Procedimento (Art. 226, CPP):
• A pessoa que tiver de fazer o reconhecimento será convidada a descrever a pessoa que deva
ser reconhecida.
• A pessoa, cujo reconhecimento se pretender, será colocada, se possível, ao lado de outras
que com ela tiverem qualquer semelhança, convidando-se quem tiver de fazer o reconheci-
mento a apontá-la.
• Se houver razão para recear que a pessoa chamada para o reconhecimento, por efeito de
intimidação ou outra influência, não diga a verdade em face da pessoa que deve ser reco-
nhecida, a autoridade providenciará para que esta não veja aquela.
• Do ato de reconhecimento lavrar-se-á auto pormenorizado, subscrito pela autoridade, pela
pessoa chamada para proceder ao reconhecimento e por duas testemunhas presenciais.
CUIDADO! O disposto no III deste artigo não terá aplicação na fase da instrução criminal ou em
plenário de julgamento.
Se várias forem as pessoas chamadas a efetuar o reconhecimento de pessoa ou de objeto, cada uma fará
a prova em separado, evitando-se qualquer comunicação entre elas.
Reconhecimento de objetos: se for necessário proceder ao reconhecimento de objetos que
tenham algum tipo de vínculo com o crime, se adotará o mesmo procedimento realizado para reco-
nhecimento pessoal.
Art. 227 do CPP: “No reconhecimento de objeto, proceder-se-á com as cautelas estabelecidas no artigo
anterior, no que for aplicável”.
É possível o reconhecimento de pessoas por meio de fotografias como também por meio da voz
(modalidade de provas inominadas).

Acareações
Acarear ou acaroar é colocar pessoas frente a frente para dirimir ponto de dúvida sempre que
houver divergências. Ocorre entre testemunhas, acusados e ofendidos.
Natureza jurídica: meio de prova.
Procedimento: as pessoas serão colocadas frente a frente e reperguntadas para que expliquem
ponto de divergência no processo, podendo modificar ou afirmar informação colhida em um depoi-
mento prévio. Ainda existe a acareação por precatória.
Art. 229. A acareação será admitida entre acusados, entre acusado e testemunha, entre testemunhas,
entre acusado ou testemunha e a pessoa ofendida, e entre as pessoas ofendidas, sempre que divergirem, em
suas declarações, sobre fatos ou circunstâncias relevantes.
Parágrafo único. Os acareados serão reperguntados, para que expliquem os pontos de divergências, redu-
zindo-se a termo o ato de acareação.
Art. 230. Se ausente alguma testemunha, cujas declarações divirjam das de outra, que esteja presente, a
esta se darão a conhecer os pontos da divergência, consignando-se no auto o que explicar ou observar. Se

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
2
AlfaCon Concursos Públicos

subsistir a discordância, expedir-se-á precatória à autoridade do lugar onde resida a testemunha ausente,
transcrevendo-se as declarações desta e as da testemunha presente, nos pontos em que divergirem, bem
como o texto do referido auto, a fim de que se complete a diligência, ouvindo-se a testemunha ausente, pela
mesma forma estabelecida para a testemunha presente. Esta diligência só se realizará quando não importe
demora prejudicial ao processo e o juiz a entenda conveniente.

Documentos
Consideram-se documentos quaisquer escritos, instrumentos ou papéis, PÚBLICOS OU PAR-
TICULARES. À fotografia do documento, devidamente autenticada, se dará o mesmo valor do
original. As cartas particulares, interceptadas ou obtidas por meios criminosos, não serão admitidas
em juízo. No entanto, vale dizer que as cartas poderão ser exibidas em juízo pelo respectivo destina-
tário, para a defesa de seu direito, AINDA QUE NÃO HAJA CONSENTIMENTO do signatário.
Momento de apresentação: qualquer momento do processo, de forma espontânea ou provocada.
Art. 231. Salvo os casos expressos em lei, as partes poderão apresentar documentos em qualquer fase do
processo.
Se o juiz tiver notícia da existência de documento relativo a ponto relevante da acusação ou da
defesa, providenciará, independentemente de requerimento de qualquer das partes, para sua
juntada aos autos, se possível.
CUIDADO! A letra e a firma dos documentos particulares serão submetidas a exame pericial,
quando contestada a sua autenticidade.
Os documentos em língua estrangeira, sem prejuízo de sua juntada imediata, serão, se neces-
sário, traduzidos por tradutor público, ou, na falta, por pessoa idônea nomeada pela autoridade. As
públicas-formas só terão valor quando conferidas com o original, em presença da autoridade.
Os documentos originais, juntos a processo findo, quando não exista motivo relevante que justi-
fique a sua conservação nos autos, poderão, mediante requerimento, e ouvido o Ministério Público,
ser entregues à parte que os produziu, ficando traslados nos autos.
Exercícios
01. A acareação no processo penal é admitida entre acusados ou entre estes e testemunhas,
sendo legalmente vedado tal procedimento entre acusado ou testemunha e a pessoa
ofendida.
Certo ( ) Errado ( )
02. Para os fins de prova documental a ser formalizada na ação penal, consideram-se docu-
mentos apenas os escritos, instrumentos ou papéis públicos cuja originalidade possa ser
oficialmente comprovada.
Certo ( ) Errado ( )
03. Após realização do reconhecimento pessoal, deve ser lavrado auto pormenorizado, subs-
crito pela autoridade, pela pessoa chamada para proceder ao reconhecimento e por duas
testemunhas presenciais.
Certo ( ) Errado ( )
Gabarito
01 - Errado
02 - Errado
03 - Certo

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
3
AlfaCon Concursos Públicos

Referências Bibliográficas
LOPES JR, Aury. Direito Processual Penal. 13. ed. São Paulo: Saraiva, 2016.
TÁVORA, N.; ALENCAR, R.R. Curso de Direito Processual Penal. 12. ed. Salvador: JusPodivm, 2017.
CAPEZ, Fernando. Curso de Direito Processual Penal. 23. ed. São Paulo: Saraiva, 2016.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
4

Você também pode gostar