Você está na página 1de 2292

Caderno Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região

DIÁRIO ELETRÔNICO DA JUSTIÇA DO TRABALHO


PODER JUDICIÁRIO REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

Nº2789/2019 Data da disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019. DEJT Nacional

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região PROCESSO TRT - ED-ROT-0010189-04.2016.5.18.0017

Desembargador Paulo Sérgio Pimenta


Presidente

Desembargador Daniel Viana Júnior


Vice-Presidente

Rua T 29 nº 1403
Setor Bueno
Goiânia/GO
CEP: 74215901
Tendo em vista a possibilidade de os Embargos de Declaração
Telefone(s) : (62) 3222-5000 opostos possuírem efeito modificativo, em observância ao princípio

do contraditório, determino a intimação do embargado, para que,

caso queira, manifeste-se no prazo legal.


GAB. DES. DANIEL VIANA JÚNIOR
Despacho
Despacho
Processo Nº ROT-0010189-04.2016.5.18.0017
Relator DANIEL VIANA JUNIOR Após, voltem os autos conclusos.
RECORRENTE EVELYNNE LIMA ARANTES
ADVOGADO JOAO VICTOR AMARAL
SANTIAGO(OAB: 33369/GO)
RECORRENTE ADVOCACIA BELLINATI PEREZ
ADVOGADO CRISTIANE BELINATI GARCIA
LOPES(OAB: 19937/PR)
ADVOGADO PATRICIA PONTAROLI
JANSEN(OAB: 33825/PR)
RECORRIDO EVELYNNE LIMA ARANTES
ADVOGADO JOAO VICTOR AMARAL
SANTIAGO(OAB: 33369/GO)
RECORRIDO ADVOCACIA BELLINATI PEREZ
ADVOGADO CRISTIANE BELINATI GARCIA GOIANIA, 15 de Agosto de 2019
LOPES(OAB: 19937/PR)
ADVOGADO PATRICIA PONTAROLI
JANSEN(OAB: 33825/PR)
DANIEL VIANA JUNIOR

Intimado(s)/Citado(s):
- ADVOCACIA BELLINATI PEREZ Desembargador Federal do Trabalho

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO GAB. DES. ELVECIO MOURA DOS SANTOS


Despacho
Despacho
Processo Nº ROT-0010274-70.2018.5.18.0291
Relator ELVECIO MOURA DOS SANTOS
RECORRENTE COMPANHIA NACIONAL DE
ABASTECIMENTO CONAB

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 2
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ADVOGADO ALLAN MATHEUS ALVES DE


VASCONCELOS(OAB: 23928/PB)
RECORRIDO GUSTAVO GONCALVES DE
OLIVEIRA
ADVOGADO RODRIGO CHAFIC CINTRA EL- Todavia, a Reclamada CONAB se constitui em uma empresa
AOUAR(OAB: 29567/GO)
pública, sendo que o art. 790-A da CLT dispõe que são isentos do
ADVOGADO THYAGO PARREIRA BRAGA(OAB:
21004/GO) pagamento de custas a União, os Estados, o Distrito Federal, os
ADVOGADO LORENA CINTRA EL AOUAR(OAB:
25155/GO) Municípios e respectivas autarquias e fundações públicas que não

explorem atividade econômica, não estando abrangidas pelo


Intimado(s)/Citado(s):
dispositivo legal as sociedades de economia mista e as empresas
- COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO CONAB
públicas, como é o caso da Agravante.

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO
Assim, considerando que a Reclamada não se beneficia da isenção

do recolhimento de custas previsto no art. 790-A da CLT, deverá a

Recorrente ser intimada para provar o recolhimento das custas

processuais (R$ 1.800,00 - fls. 223), no prazo de 5 (cinco) dias, sob

pena de não conhecimento do recurso.

PROCESSO TRT - RO - 0010274-70.2018.5.18.0291

RELATOR : JUIZ CONVOCADO ISRAEL BRASIL ADOURIAN


Intime-se.

RECORRENTE : COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO

CONAB

ADVOGADO : ALLAN MATHEUS ALVES DE VASCONCELOS Após, voltem conclusos.

RECORRIDO : GUSTAVO GONÇALVES DE OLIVEIRA

ADVOGADO : LORENA CINTRA EL-AOUAR

ORIGEM : VARA DO TRABALHO DE PALMEIRAS DE GOIÁS

JUIZ : CLEIDIMAR CASTRO DE ALMEIDA

GOIANIA, 15 de Agosto de 2019

ISRAEL BRASIL ADOURIAN

Vistos os autos.
Juiz do Trabalho Convocado

O MM. Juiz a quo isentou a Reclamada (CONAB) do recolhimento

de custas processuais, com fundamento no art. 790-A, da CLT (fls. GAB. DES. KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
223). ALBUQUERQUE
Decisão Monocrática

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 3
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Decisão Monocrática Prossegue afirmando que "A despeito da declaração prestada pelo
Processo Nº MSCiv-0010729-98.2019.5.18.0000
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE Juízo a quo suspendendo as penhoras por meio do Bacenjud, tal
ALBUQUERQUE
ato não cessou, sendo realizadas penhoras quase que diárias na
IMPETRANTE PATRICIA DAHER
ADVOGADO ALEXI CECILIO DAHER conta-salário nº 17.487-4, na agência 4198-X do Banco do Brasil,
JUNIOR(OAB: 38902/DF)
em desprezo a decisão proferida por este Tribunal (Documentos 05
IMPETRADO Juízo da 8ª Vara do Trabalho de
Goiânia a 09)".
IMPETRADO Almerinda da Silva Félix Franco
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO

Intimado(s)/Citado(s):
Também sustenta que "Apesar do reiterados pedidos de
- PATRICIA DAHER
desbloqueio do valor bloqueado, o Juízo de origem manteve-se

silente após o despacho proferido em 16/07/2019 (documentos 15 e

10), desembocando na transferência do valor penhorado


PODER JUDICIÁRIO
indevidamente à conta judicial, como se comprova pela tela obtida
JUSTIÇA DO TRABALHO
no sítio deste Tribunal, exibindo a movimentação processual

(Documento 10)".

Vistos os autos. Entendendo estarem presentes o fumus boni iuris e o periculum in

mora requer aconcessão da liminar com "a determinação urgente ao

Juízo da Oitava Vara do Trabalho de Goiânia/GO, para que tome as

providências necessárias ao envio à conta-salário da Impetrante do

PATRÍCIA DAHER impetra Mandado de Segurança em face de valor penhorado indevidamente em conta-salário em 17/06/2019 e

decisão proferida pela Exma. Juíza da 8ª Vara do Trabalho de transferido para a conta judicial, no importe de R$ 642,31

Goiânia que, nos autos da RT-0042900-75.2005.5.18.0008, (seiscentos e quarenta e dois reais e trinta e um centavos), haja

penhorou valores em sua conta-salário. vista tratar-se de restituição do imposto de renda - pessoa física -

em nome de Patrícia Daher, CPF nº 185.561.671-87, conta-salário

nº 17.487-4, agência 4198-X, do Banco do Brasil - 001 (Documentos

07 a 09)".

Informa que a Sra. Almerinda da Silva Félix Franco figura como

reclamante nesses referidos autos principais.

Também requer Justiça Gratuita.

Narra que "Em decorrência de penhora realizada em 03/05/2016 na

conta-salário da ora Impetrante, esta impetrou Mandado de

Segurança, nº 0010240-66.2016.5.18.0000 a época dos fatos, Pois bem.

sendo determinado ao Juízo da Oitava Vara do Trabalho de

Goiânia/GO, a imediata interrupção dos bloqueios na conta-salário

nº 17.487-4, na agência 4198-X, do Banco do Brasil em nome da

Sra. Patrícia Daher, na Execução Trabalhista nº RT-0042900- Esta relatora tem entendimento de, em regra, não ser possível a

75.2005.5.18.0008". penhora de salários, ainda que relativa a apenas um percentual.

Aplicação do entendimento contido na Súmula 14 deste Tribunal.

Situação apenas excepcionada nas hipóteses em que as

importâncias excedam a 50 (cinquenta) salários-mínimos mensais.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 4
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

É inequívoco que a conta-salário da impetrante sofreu bloqueio Outro ponto digno de nota é que a impetrante acusou a existência

judicial em 17.6.2019 (documentos de ids b91ba37 e b91ba37). de "penhoras quase que diárias na conta-salário", mas provou

Tratou-se da penhora e transferência para conta judicial de apenas aquele único bloqueio de R$642,58. Essas outras penhoras

R$642,58, proveniente da restituição do Imposto de Renda, não foram indicadas, tampouco aparecem nos extratos bancários. É

conforme informado pela impetrante. preciso ter em mente que o mandado de segurança é um processo

de cognição sumária e as provas devem ser pré-constituídas. Como

são inexistentes essas provas e como não se cogita a concessão de

prazo para que a impetrante sane as irregularidades apontadas

É também é inequívoco que esse bloqueio foi proveniente de (súmula nº 415 do TST), mister se faz concluir que houve apenas

determinação da autoridade apontada como coatora, conforme aquele único bloqueio já retratado.

apurado por esse juízo no despacho exarado em id 5e9c31d.

Considerando que a impetrante declarou o estado de necessidade e

Ocorre que exatamente nesse despacho exarado em id 5e9c31d, o provou receber salário de R$2.047,94 (ids bf4c346 e ff689fc),

juízo apontado como autoridade coatora determinou o seguinte: concedo os benefícios da justiça gratuita, nos termos do parágrafo

"devolvam o valor bloqueado à parte ré PATRÍCIA DAHER, da 3º do artigo 790 da CLT.

maneira mais célere possível e retirem este Processo do

SABB".

Ante às digressões expendidas, INDEFIRO A LIMINAR.

Essa decisão foi fielmente atendida e, no dia 16.7.2019, certificou-

se a interrupção das pesquisas bacenjud automatizadas em nome

da executada e ora impetrante. Oficie-se a autoridade impetrada para que preste as informações

que achar necessárias no prazo de 10 (dez) dias, remetendo-se

cópia da inicial e documentos.

Ou seja, ainda que a penhora realizada na conta-salário fosse

abusiva, o juízo de origem já refluiu de qualquer ato dessa natureza

e determinou a imediata devolução do valor bloqueado e a Notifique-se o litisconsorte, ALMERINDA DA SILVA FÉLIX

cessação de novos ataques a essa conta. FRANCO, no endereço indicado na petição inicial da reclamatória

trabalhista (Rua Rubi, quadra 02, lote 29, residencial Serra das

Brisas, Aparecida de Goiânia-GO, CEP 74.947-815), para,

querendo, integrar a lide, no prazo de 15 (quinze) dias.

Quanto ao argumento de silêncio do Juízo de origem após o

despacho proferido em 16.07.2019, compulsando os autos

principais vejo que a última movimentação da executada, naqueles

autos, deu-se em data bastante próxima ao despacho que

determinou a devolução dos valores, aos 22.7.2019 (apenas três

dias úteis). De tal sorte, eventual demora da disponibilidade do

crédito desbloqueado não pode ser atribuída ao juízo, que já tomou

as medidas cabíveis.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 5
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

GOIANIA, 16 de Agosto de 2019

KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE

Desembargadora Federal do Trabalho

GOIANIA, 15 de Agosto de 2019

Decisão Monocrática KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE


Processo Nº ROT-0010186-80.2019.5.18.0005
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
Desembargadora Federal do Trabalho
RECORRENTE RICARDO VITORIO RODRIGUES
ADVOGADO NABSON SANTANA CUNHA(OAB:
16909/GO)
RECORRENTE COMPANHIA DE URBANIZACAO DE
GOIANIA - COMURG Decisão Monocrática
ADVOGADO APARECIDA DE FATIMA SIQUEIRA Processo Nº ROT-0010186-80.2019.5.18.0005
LESSA(OAB: 7232/GO) Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
RECORRIDO RICARDO VITORIO RODRIGUES
RECORRENTE RICARDO VITORIO RODRIGUES
ADVOGADO NABSON SANTANA CUNHA(OAB:
16909/GO) ADVOGADO NABSON SANTANA CUNHA(OAB:
16909/GO)
RECORRIDO COMPANHIA DE URBANIZACAO DE
GOIANIA - COMURG RECORRENTE COMPANHIA DE URBANIZACAO DE
GOIANIA - COMURG
ADVOGADO APARECIDA DE FATIMA SIQUEIRA
LESSA(OAB: 7232/GO) ADVOGADO APARECIDA DE FATIMA SIQUEIRA
LESSA(OAB: 7232/GO)
Intimado(s)/Citado(s): RECORRIDO RICARDO VITORIO RODRIGUES
ADVOGADO NABSON SANTANA CUNHA(OAB:
- RICARDO VITORIO RODRIGUES 16909/GO)
RECORRIDO COMPANHIA DE URBANIZACAO DE
GOIANIA - COMURG
ADVOGADO APARECIDA DE FATIMA SIQUEIRA
LESSA(OAB: 7232/GO)
PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO Intimado(s)/Citado(s):


- COMPANHIA DE URBANIZACAO DE GOIANIA - COMURG

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO
Vistos os autos.

O recurso ordinário das partes devolve a este Tribunal a análise da

matéria tratada no Tema 1022: Dispensa imotivada de empregado Vistos os autos.

de empresa pública e de sociedade de economia mista admitido por

concurso público.

Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art. O recurso ordinário das partes devolve a este Tribunal a análise da

313, VIII do CPC. matéria tratada no Tema 1022: Dispensa imotivada de empregado

de empresa pública e de sociedade de economia mista admitido por

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 6
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

concurso público.
PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO
Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.

313, VIII do CPC.

Vistos os autos.

Os recursos ordinários devolvem a este Tribunal a apreciação da

validade das normas coletivas que preveem pagamento de tempo

de deslocamento de 1 hora diária para o trabalhador,

GOIANIA, 15 de Agosto de 2019 independentemente da quantidade de horas laboradas no dia.

KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE Tendo em vista a ARE nº 1121633 (Tema nº 1046), o STF

determinou o sobrestamento de todos os recursos que versem

Desembargadora Federal do Trabalho sobre a "Validade de norma coletiva de trabalho que limita ou

restringe direito trabalhista não assegurado constitucionalmente",

até o julgamento do aludido recurso.

Decisão Monocrática
Processo Nº ROT-0011336-91.2017.5.18.0191
Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE 313, VIII do CPC.
RECORRENTE SINEIR RODRIGUES ROSA
ADVOGADO MARIO CELSO DE OLIVEIRA(OAB:
76432/MG)
RECORRENTE BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA
DE ENERGIA RENOVAVEL
ADVOGADO FLAVIA GOULART SILVA(OAB:
48210/GO)
ADVOGADO DENISE CABRAL GARCIA
NOGUEIRA(OAB: 13082/GO)
ADVOGADO MARIA JOSE CABRAL GARCIA(OAB:
18137/GO)
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
RECORRIDO BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA
DE ENERGIA RENOVAVEL
ADVOGADO FLAVIA GOULART SILVA(OAB:
48210/GO)
GOIANIA, 15 de Agosto de 2019
ADVOGADO DENISE CABRAL GARCIA
NOGUEIRA(OAB: 13082/GO)
ADVOGADO MARIA JOSE CABRAL GARCIA(OAB:
18137/GO) KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
RECORRIDO SINEIR RODRIGUES ROSA Desembargadora Federal do Trabalho
ADVOGADO MARIO CELSO DE OLIVEIRA(OAB:
76432/MG)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Decisão Monocrática
Processo Nº ROT-0011336-91.2017.5.18.0191
Intimado(s)/Citado(s): Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
- SINEIR RODRIGUES ROSA ALBUQUERQUE
RECORRENTE SINEIR RODRIGUES ROSA
ADVOGADO MARIO CELSO DE OLIVEIRA(OAB:
76432/MG)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 7
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RECORRENTE BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA


DE ENERGIA RENOVAVEL
ADVOGADO FLAVIA GOULART SILVA(OAB:
48210/GO)
ADVOGADO DENISE CABRAL GARCIA
NOGUEIRA(OAB: 13082/GO)
ADVOGADO MARIA JOSE CABRAL GARCIA(OAB:
18137/GO)
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
RECORRIDO BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA
DE ENERGIA RENOVAVEL
ADVOGADO FLAVIA GOULART SILVA(OAB:
48210/GO)
GOIANIA, 15 de Agosto de 2019
ADVOGADO DENISE CABRAL GARCIA
NOGUEIRA(OAB: 13082/GO)
ADVOGADO MARIA JOSE CABRAL GARCIA(OAB:
18137/GO) KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
RECORRIDO SINEIR RODRIGUES ROSA Desembargadora Federal do Trabalho
ADVOGADO MARIO CELSO DE OLIVEIRA(OAB:
76432/MG)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Decisão Monocrática
Processo Nº ROT-0012186-33.2017.5.18.0002
Intimado(s)/Citado(s): Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
- BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA DE ENERGIA ALBUQUERQUE
RENOVAVEL RECORRENTE Universidade Federal de Goiás
RECORRENTE GUARDIA ADMINISTRACAO E
SERVICOS LTDA
ADVOGADO NELSON WILIANS FRATONI
RODRIGUES(OAB: 128341/SP)
PODER JUDICIÁRIO ADVOGADO FABRINY MARQUES DA SILVA
MENDES(OAB: 25633/GO)
JUSTIÇA DO TRABALHO
RECORRENTE SANDRA OTTO NEVES DE OLIVEIRA
ADVOGADO DECIO ALVES PEREIRA(OAB:
24008/GO)
RECORRIDO SANDRA OTTO NEVES DE OLIVEIRA
ADVOGADO DECIO ALVES PEREIRA(OAB:
24008/GO)
RECORRIDO GUARDIA ADMINISTRACAO E
SERVICOS LTDA
Vistos os autos. ADVOGADO NELSON WILIANS FRATONI
RODRIGUES(OAB: 128341/SP)
ADVOGADO FABRINY MARQUES DA SILVA
MENDES(OAB: 25633/GO)
RECORRIDO Universidade Federal de Goiás
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
Os recursos ordinários devolvem a este Tribunal a apreciação da TRABALHO

validade das normas coletivas que preveem pagamento de tempo Intimado(s)/Citado(s):


de deslocamento de 1 hora diária para o trabalhador, - SANDRA OTTO NEVES DE OLIVEIRA
independentemente da quantidade de horas laboradas no dia.

Tendo em vista a ARE nº 1121633 (Tema nº 1046), o STF


PODER JUDICIÁRIO
determinou o sobrestamento de todos os recursos que versem
JUSTIÇA DO TRABALHO
sobre a "Validade de norma coletiva de trabalho que limita ou

restringe direito trabalhista não assegurado constitucionalmente",

até o julgamento do aludido recurso.

Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.

313, VIII do CPC. Vistos os autos.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 8
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RECORRIDO Universidade Federal de Goiás


CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
A análise dos recursos ordinários devolvem a este Tribunal a

apreciação da validade de norma coletiva que negociou a Intimado(s)/Citado(s):


desnecessidade de pagar, em dobro, o trabalho efetuado em feriado - GUARDIA ADMINISTRACAO E SERVICOS LTDA
em jornada 12x36.

Tendo em vista a ARE nº 1121633 (Tema nº 1046), o STF


PODER JUDICIÁRIO
determinou o sobrestamento de todos os recursos que versem
JUSTIÇA DO TRABALHO
sobre a "Validade de norma coletiva de trabalho que limita ou

restringe direito trabalhista não assegurado constitucionalmente",

até o julgamento do aludido recurso.

Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.

313, VIII do CPC. Vistos os autos.

A análise dos recursos ordinários devolvem a este Tribunal a

apreciação da validade de norma coletiva que negociou a

desnecessidade de pagar, em dobro, o trabalho efetuado em feriado

em jornada 12x36.

Tendo em vista a ARE nº 1121633 (Tema nº 1046), o STF

determinou o sobrestamento de todos os recursos que versem

GOIANIA, 15 de Agosto de 2019 sobre a "Validade de norma coletiva de trabalho que limita ou

restringe direito trabalhista não assegurado constitucionalmente",

KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE até o julgamento do aludido recurso.

Desembargadora Federal do Trabalho Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.

313, VIII do CPC.

Decisão Monocrática
Processo Nº ROT-0012186-33.2017.5.18.0002
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
RECORRENTE Universidade Federal de Goiás
RECORRENTE GUARDIA ADMINISTRACAO E
SERVICOS LTDA
ADVOGADO NELSON WILIANS FRATONI
RODRIGUES(OAB: 128341/SP)
ADVOGADO FABRINY MARQUES DA SILVA
MENDES(OAB: 25633/GO)
RECORRENTE SANDRA OTTO NEVES DE OLIVEIRA
ADVOGADO DECIO ALVES PEREIRA(OAB:
24008/GO)
RECORRIDO SANDRA OTTO NEVES DE OLIVEIRA GOIANIA, 15 de Agosto de 2019
ADVOGADO DECIO ALVES PEREIRA(OAB:
24008/GO)
RECORRIDO GUARDIA ADMINISTRACAO E KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE
SERVICOS LTDA
ADVOGADO NELSON WILIANS FRATONI
RODRIGUES(OAB: 128341/SP) Desembargadora Federal do Trabalho
ADVOGADO FABRINY MARQUES DA SILVA
MENDES(OAB: 25633/GO)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 9
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Decisão Monocrática KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE


Processo Nº RORSum-0010296-38.2019.5.18.0051
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
Desembargadora Federal do Trabalho
RECORRENTE CONSORCIO GC AMBIENTAL
ADVOGADO RICARDO GONCALEZ(OAB:
19301/GO)
RECORRIDO MARIA AUXILIADORA DA SILVA
ADVOGADO DAVID SOARES DA COSTA Decisão Monocrática
JUNIOR(OAB: 25515/GO) Processo Nº RORSum-0010296-38.2019.5.18.0051
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ADVOGADO HUGO HENRIQUE DE MELO ALBUQUERQUE
OLIVEIRA(OAB: 33913/GO)
RECORRENTE CONSORCIO GC AMBIENTAL
PERITO JOSE TIAGO NOGUEIRA FILHO
ADVOGADO RICARDO GONCALEZ(OAB:
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO 19301/GO)
TRABALHO
RECORRIDO MARIA AUXILIADORA DA SILVA
Intimado(s)/Citado(s): ADVOGADO DAVID SOARES DA COSTA
JUNIOR(OAB: 25515/GO)
- CONSORCIO GC AMBIENTAL ADVOGADO HUGO HENRIQUE DE MELO
OLIVEIRA(OAB: 33913/GO)
PERITO JOSE TIAGO NOGUEIRA FILHO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
PODER JUDICIÁRIO
JUSTIÇA DO TRABALHO Intimado(s)/Citado(s):
- MARIA AUXILIADORA DA SILVA

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO
Vistos os autos.

O recurso ordinário da reclamada discute a validade da norma

coletiva que reduz o percentual do adicional de insalubridade. Vistos os autos.

Tendo em vista a ARE nº 1121633 (Tema nº 1046), o STF

determinou o sobrestamento de todos os recursos que versem

sobre a "Validade de norma coletiva de trabalho que limita ou O recurso ordinário da reclamada discute a validade da norma

restringe direito trabalhista não assegurado constitucionalmente", coletiva que reduz o percentual do adicional de insalubridade.

até o julgamento do aludido recurso.

Tendo em vista a ARE nº 1121633 (Tema nº 1046), o STF

Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art. determinou o sobrestamento de todos os recursos que versem

313, VIII do CPC. sobre a "Validade de norma coletiva de trabalho que limita ou

restringe direito trabalhista não assegurado constitucionalmente",

até o julgamento do aludido recurso.

Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.

313, VIII do CPC.

GOIANIA, 15 de Agosto de 2019

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 10
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

sobre a "Validade de norma coletiva de trabalho que limita ou

restringe direito trabalhista não assegurado constitucionalmente",

até o julgamento do aludido recurso.

GOIANIA, 15 de Agosto de 2019

KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.

313, VIII do CPC.

Desembargadora Federal do Trabalho

GDKMBA/11

Decisão Monocrática
Processo Nº ROT-0010122-31.2018.5.18.0191
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
RECORRENTE CLAUDINEI LUIS TEIXEIRA
ADVOGADO MARCUS HENRIQUE FERREIRA
NAVES(OAB: 26787/GO)
RECORRENTE BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA
DE ENERGIA RENOVAVEL
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
RECORRIDO BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA GOIANIA, 31 de Julho de 2019
DE ENERGIA RENOVAVEL
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE
RECORRIDO CLAUDINEI LUIS TEIXEIRA
ADVOGADO MARCUS HENRIQUE FERREIRA
NAVES(OAB: 26787/GO)
Desembargadora Federal do Trabalho

Intimado(s)/Citado(s):
- CLAUDINEI LUIS TEIXEIRA
Decisão Monocrática
Processo Nº ROT-0010122-31.2018.5.18.0191
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
PODER JUDICIÁRIO RECORRENTE CLAUDINEI LUIS TEIXEIRA
JUSTIÇA DO TRABALHO ADVOGADO MARCUS HENRIQUE FERREIRA
NAVES(OAB: 26787/GO)
RECORRENTE BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA
DE ENERGIA RENOVAVEL
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
RECORRIDO BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA
DE ENERGIA RENOVAVEL
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
Vistos os autos. 14443/BA)
RECORRIDO CLAUDINEI LUIS TEIXEIRA
ADVOGADO MARCUS HENRIQUE FERREIRA
NAVES(OAB: 26787/GO)

Intimado(s)/Citado(s):
O recurso ordinário da reclamada discute, dentre outras matérias, a - BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA DE ENERGIA
RENOVAVEL
validade de norma coletiva que limita as horas in itinere (vide tópico

"6.3" do apelo patronal).

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO
Tendo em vista a ARE nº 1121633 (Tema nº 1046), o STF

determinou o sobrestamento de todos os recursos que versem

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 11
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

- SINDICATO DO COM VAREJ DE FEIRANTES E VEND AMBUL


EST GO

Vistos os autos.

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

O recurso ordinário da reclamada discute, dentre outras matérias, a

validade de norma coletiva que limita as horas in itinere (vide tópico

"6.3" do apelo patronal).

Vistos os autos.

Tendo em vista a ARE nº 1121633 (Tema nº 1046), o STF

determinou o sobrestamento de todos os recursos que versem

sobre a "Validade de norma coletiva de trabalho que limita ou O recurso ordinário do sindicato autor discute a matéria tratada no

restringe direito trabalhista não assegurado constitucionalmente", tema 10 do Incidente de Resolução de Demandas Repetitivas

até o julgamento do aludido recurso. (IRDR) deste Regional: "CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA.

LANÇAMENTO DO CRÉDITO. NOTIFICAÇÃO PESSOAL (CTN,

ART. 145). PUBLICAÇÃO EDITALÍCIA (CLT, ART. 605).

NECESSIDADE OU NÃO DE INDICAÇÃO DO NOME DO

Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art. DEVEDOR E VALOR DO CRÉDITO".

313, VIII do CPC.

GDKMBA/11
Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.

313, VIII, do CPC.

GOIANIA, 31 de Julho de 2019

KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE GOIANIA, 23 de Julho de 2019

Desembargadora Federal do Trabalho KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE

Desembargadora Federal do Trabalho

Decisão Monocrática
Processo Nº RORSum-0010739-15.2019.5.18.0010
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE Decisão Monocrática
RECORRENTE SINDICATO DO COM VAREJ DE Processo Nº RORSum-0010559-08.2019.5.18.0007
FEIRANTES E VEND AMBUL EST GO Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ADVOGADO DANILLO TELES CANDINE(OAB: ALBUQUERQUE
39785/GO) RECORRENTE SINDICATO DO COM VAREJ DE
RECORRIDO SONIA PIRES FILHO FEIRANTES E VEND AMBUL EST GO
ADVOGADO DANILLO TELES CANDINE(OAB:
39785/GO)
Intimado(s)/Citado(s):

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 12
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RECORRIDO IVONE MARIA DE FARIA ROSA RECORRENTE A NACIONAL VIGILANCIA E


SEGURANCA LTDA
Intimado(s)/Citado(s): ADVOGADO CASSIUS FERNANDO DE
OLIVEIRA(OAB: 18978/GO)
- SINDICATO DO COM VAREJ DE FEIRANTES E VEND AMBUL RECORRIDO A NACIONAL VIGILANCIA E
EST GO SEGURANCA LTDA
ADVOGADO CASSIUS FERNANDO DE
OLIVEIRA(OAB: 18978/GO)
RECORRIDO GERSON PEREIRA DE ARAUJO
ADVOGADO FERNANDA ESCHER DE OLIVEIRA
PODER JUDICIÁRIO XIMENES(OAB: 19674/GO)
JUSTIÇA DO TRABALHO
Intimado(s)/Citado(s):
- GERSON PEREIRA DE ARAUJO

PODER JUDICIÁRIO
Vistos os autos.
JUSTIÇA DO TRABALHO

O recurso ordinário do sindicato autor discute a matéria tratada no

tema 10 do Incidente de Resolução de Demandas Repetitivas


Vistos os autos.
(IRDR) deste Regional: "CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA.

LANÇAMENTO DO CRÉDITO. NOTIFICAÇÃO PESSOAL (CTN,

ART. 145). PUBLICAÇÃO EDITALÍCIA (CLT, ART. 605).

NECESSIDADE OU NÃO DE INDICAÇÃO DO NOME DO


A análise do recurso ordinário do Autor devolve a este Tribunal a
DEVEDOR E VALOR DO CRÉDITO".
apreciação da validade de norma coletiva que negociou a igualdade

entre o trabalho noturno e diurno para o trabalhador submetido ao

regime 12x36.

Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.


Tendo em vista a ARE nº 1121633 (Tema nº 1046), o STF
313, VIII, do CPC.
determinou o sobrestamento de todos os recursos que versem

sobre a "Validade de norma coletiva de trabalho que limita ou

restringe direito trabalhista não assegurado constitucionalmente",

até o julgamento do aludido recurso.

Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.

313, VIII do CPC.


GOIANIA, 23 de Julho de 2019

Notifique-se as partes.
KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE

Desembargadora Federal do Trabalho

Decisão Monocrática
Processo Nº ROT-0010294-31.2013.5.18.0002
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
RECORRENTE GERSON PEREIRA DE ARAUJO
ADVOGADO FERNANDA ESCHER DE OLIVEIRA
XIMENES(OAB: 19674/GO)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 13
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Desta feita, determino o sobrestamento do feito, com fulcro no art.

GOIANIA, 16 de Agosto de 2019 313, VIII do CPC.

KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE Notifique-se as partes.

Desembargadora Federal do Trabalho

Decisão Monocrática
Processo Nº ROT-0010294-31.2013.5.18.0002
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
RECORRENTE GERSON PEREIRA DE ARAUJO
ADVOGADO FERNANDA ESCHER DE OLIVEIRA
XIMENES(OAB: 19674/GO)
RECORRENTE A NACIONAL VIGILANCIA E
SEGURANCA LTDA
ADVOGADO CASSIUS FERNANDO DE
OLIVEIRA(OAB: 18978/GO) GOIANIA, 16 de Agosto de 2019
RECORRIDO A NACIONAL VIGILANCIA E
SEGURANCA LTDA
ADVOGADO CASSIUS FERNANDO DE KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE
OLIVEIRA(OAB: 18978/GO)
RECORRIDO GERSON PEREIRA DE ARAUJO
ADVOGADO FERNANDA ESCHER DE OLIVEIRA Desembargadora Federal do Trabalho
XIMENES(OAB: 19674/GO)

Intimado(s)/Citado(s):
- A NACIONAL VIGILANCIA E SEGURANCA LTDA Edital
Edital
Processo Nº MSCiv-0010251-90.2019.5.18.0000
Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
PODER JUDICIÁRIO IMPETRANTE ALCEU PEREIRA LIMA NETO
JUSTIÇA DO TRABALHO ADVOGADO RENATO SIQUEIRA DE PAULA(OAB:
50469/GO)
ADVOGADO MARIA TEREZA CAETANO LIMA
CHAVES(OAB: 20620-A/GO)
ADVOGADO MAYARA DA PAIXAO
GONCALVES(OAB: 51970/GO)
IMPETRADO Juízo da Vara do Trabalho de Inhumas
- Dra. ALCIANE MARGARIDA DE
CARVALHO
Vistos os autos. TERCEIRO ANTONIO FERNANDES DE
INTERESSADO OLIVEIRA
TERCEIRO AILTON CASTRO DOS PASSOS
INTERESSADO
TERCEIRO ANTONIO CORREIA DA SILVA
INTERESSADO
TERCEIRO VANDERICO ANGELO LUCIO DA
A análise do recurso ordinário do Autor devolve a este Tribunal a INTERESSADO SILVA
apreciação da validade de norma coletiva que negociou a igualdade TERCEIRO DAVINA DE JESUS MARQUES
INTERESSADO CERQUEIRA
entre o trabalho noturno e diurno para o trabalhador submetido ao TERCEIRO RICARDO CHAGAS DOS SANTOS
INTERESSADO
regime 12x36.
TERCEIRO ADEIR FREIRE DE ANDRADE
INTERESSADO
TERCEIRO COSMO PEDRO DA SILVA
Tendo em vista a ARE nº 1121633 (Tema nº 1046), o STF INTERESSADO
determinou o sobrestamento de todos os recursos que versem TERCEIRO VALDISON EUGENIO DOS SANTOS
INTERESSADO
sobre a "Validade de norma coletiva de trabalho que limita ou TERCEIRO GLAUBER MARQUES DA SILVA
INTERESSADO
restringe direito trabalhista não assegurado constitucionalmente",
TERCEIRO OSMAR FRANCISCO CAETANO
até o julgamento do aludido recurso. INTERESSADO
TERCEIRO OLIMPIO FRANCISCO JULIO
INTERESSADO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 14
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

TERCEIRO ANTONIO SILVA


INTERESSADO
TERCEIRO RAIMUNDO JOVENTINO A Doutora KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE,
INTERESSADO
TERCEIRO ELIAS NATAL DE ABREU Desembargadora Federal do Trabalho, no uso das atribuições que
INTERESSADO
lhe confere a Lei, FAZ SABER a quantos virem o presente EDITAL,
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO ou dele tiverem conhecimento, que, por intermédio deste, fica
TERCEIRO CELIO LOPES DE ANDRADE
INTERESSADO CITADO o litisconsorte ANTONIO CORREIA DA SILVA,
TERCEIRO ANTONIO MARCOS PEREIRA DOS atualmente em lugar incerto e não sabido, do presente mandado de
INTERESSADO SANTOS
TERCEIRO RAIMUNDO CANTANHEIDE DE segurança, para, querendo, responder a lide, no prazo de 15
INTERESSADO SOUSA
(quinze) dias.
ADVOGADO HENDERSON DOS REIS ESPINDOLA
JUNIOR(OAB: 34211/GO)
TERCEIRO RAMIRO MARTINS DOS SANTOS
INTERESSADO E para que chegue ao conhecimento do litisconsorte ANTONIO
TERCEIRO DIVINO JACINTO DA SILVA CORREIA DA SILVA é mandado publicar o presente Edital.
INTERESSADO
TERCEIRO DION LIMA DA SILVA
INTERESSADO
Dado e passado nesta cidade de Goiânia/GO, a 16 de agosto de
TERCEIRO PABLO PEREIRA DE FARIA
INTERESSADO 2019. Eu, Joice Morais de Castro, analista judiciário, digitei e assinei
TERCEIRO PATRICIA DE LIMA MACHADO
INTERESSADO SOUZA o presente.
TERCEIRO PAULO DEVANIE MENDES DIAS Edital
INTERESSADO
Processo Nº MSCiv-0010251-90.2019.5.18.0000
ADVOGADO RAQUEL LUIZA CARDOSO(OAB: Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
15066/GO) ALBUQUERQUE
TERCEIRO RONIVON DOS SANTOS LISBOA IMPETRANTE ALCEU PEREIRA LIMA NETO
INTERESSADO
ADVOGADO RENATO SIQUEIRA DE PAULA(OAB:
TERCEIRO JOSE BRUNO NUNES RIBEIRO 50469/GO)
INTERESSADO
ADVOGADO MARIA TEREZA CAETANO LIMA
CHAVES(OAB: 20620-A/GO)
Intimado(s)/Citado(s): ADVOGADO MAYARA DA PAIXAO
- ANTONIO CORREIA DA SILVA GONCALVES(OAB: 51970/GO)
IMPETRADO Juízo da Vara do Trabalho de Inhumas
- Dra. ALCIANE MARGARIDA DE
CARVALHO
TERCEIRO ANTONIO FERNANDES DE
INTERESSADO OLIVEIRA
PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TERCEIRO AILTON CASTRO DOS PASSOS
INTERESSADO
TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – 18ª REGIÃO TERCEIRO ANTONIO CORREIA DA SILVA
INTERESSADO
TERCEIRO VANDERICO ANGELO LUCIO DA
GABINETE DESEMBARGADORA KATHIA MARIA BOMTEMPO INTERESSADO SILVA
TERCEIRO DAVINA DE JESUS MARQUES
DE ALBUQUERQUE INTERESSADO CERQUEIRA
TERCEIRO RICARDO CHAGAS DOS SANTOS
INTERESSADO
TERCEIRO ADEIR FREIRE DE ANDRADE
INTERESSADO
TERCEIRO COSMO PEDRO DA SILVA
INTERESSADO
TERCEIRO VALDISON EUGENIO DOS SANTOS
EDITAL DE CITAÇÃO INTERESSADO
TERCEIRO GLAUBER MARQUES DA SILVA
INTERESSADO
TERCEIRO OSMAR FRANCISCO CAETANO
INTERESSADO
TERCEIRO OLIMPIO FRANCISCO JULIO
INTERESSADO
TERCEIRO ANTONIO SILVA
MS 0010251-90.2019.5.18.0000 INTERESSADO
IMPETRANTE: ALCEU PEREIRA LIMA NETO TERCEIRO RAIMUNDO JOVENTINO
INTERESSADO
IMPETRADO: JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE INHUMAS TERCEIRO ELIAS NATAL DE ABREU
INTERESSADO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
TERCEIRO CELIO LOPES DE ANDRADE
INTERESSADO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 15
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

TERCEIRO ANTONIO MARCOS PEREIRA DOS


INTERESSADO SANTOS atualmente em lugar incerto e não sabido, do presente mandado de
TERCEIRO RAIMUNDO CANTANHEIDE DE segurança, para, querendo, responder a lide, no prazo de 15
INTERESSADO SOUSA
ADVOGADO HENDERSON DOS REIS ESPINDOLA (quinze) dias.
JUNIOR(OAB: 34211/GO)
TERCEIRO RAMIRO MARTINS DOS SANTOS
INTERESSADO E para que chegue ao conhecimento do litisconsorte ANTONIO
TERCEIRO DIVINO JACINTO DA SILVA
INTERESSADO FERNANDES DE OLIVEIRA é mandado publicar o presente Edital.
TERCEIRO DION LIMA DA SILVA
INTERESSADO
TERCEIRO PABLO PEREIRA DE FARIA Dado e passado nesta cidade de Goiânia/GO, a 16 de agosto de
INTERESSADO
2019. Eu, Joice Morais de Castro, analista judiciário, digitei e assinei
TERCEIRO PATRICIA DE LIMA MACHADO
INTERESSADO SOUZA o presente.
TERCEIRO PAULO DEVANIE MENDES DIAS
INTERESSADO Edital
ADVOGADO RAQUEL LUIZA CARDOSO(OAB: Processo Nº MSCiv-0010251-90.2019.5.18.0000
15066/GO) Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
TERCEIRO RONIVON DOS SANTOS LISBOA
INTERESSADO IMPETRANTE ALCEU PEREIRA LIMA NETO
TERCEIRO JOSE BRUNO NUNES RIBEIRO ADVOGADO RENATO SIQUEIRA DE PAULA(OAB:
INTERESSADO 50469/GO)
ADVOGADO MARIA TEREZA CAETANO LIMA
CHAVES(OAB: 20620-A/GO)
Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO MAYARA DA PAIXAO
- ANTONIO FERNANDES DE OLIVEIRA GONCALVES(OAB: 51970/GO)
IMPETRADO Juízo da Vara do Trabalho de Inhumas
- Dra. ALCIANE MARGARIDA DE
CARVALHO
TERCEIRO ANTONIO FERNANDES DE
INTERESSADO OLIVEIRA
PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TERCEIRO AILTON CASTRO DOS PASSOS
INTERESSADO
TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – 18ª REGIÃO
TERCEIRO ANTONIO CORREIA DA SILVA
INTERESSADO
TERCEIRO VANDERICO ANGELO LUCIO DA
GABINETE DESEMBARGADORA KATHIA MARIA BOMTEMPO INTERESSADO SILVA
DE ALBUQUERQUE TERCEIRO DAVINA DE JESUS MARQUES
INTERESSADO CERQUEIRA
TERCEIRO RICARDO CHAGAS DOS SANTOS
INTERESSADO
TERCEIRO ADEIR FREIRE DE ANDRADE
INTERESSADO
TERCEIRO COSMO PEDRO DA SILVA
INTERESSADO
EDITAL DE CITAÇÃO TERCEIRO VALDISON EUGENIO DOS SANTOS
INTERESSADO
TERCEIRO GLAUBER MARQUES DA SILVA
INTERESSADO
TERCEIRO OSMAR FRANCISCO CAETANO
INTERESSADO
TERCEIRO OLIMPIO FRANCISCO JULIO
INTERESSADO
MS 0010251-90.2019.5.18.0000 TERCEIRO ANTONIO SILVA
INTERESSADO
IMPETRANTE: ALCEU PEREIRA LIMA NETO TERCEIRO RAIMUNDO JOVENTINO
INTERESSADO
IMPETRADO: JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE INHUMAS
TERCEIRO ELIAS NATAL DE ABREU
INTERESSADO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
TERCEIRO CELIO LOPES DE ANDRADE
INTERESSADO
TERCEIRO ANTONIO MARCOS PEREIRA DOS
INTERESSADO SANTOS
A Doutora KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE,
TERCEIRO RAIMUNDO CANTANHEIDE DE
Desembargadora Federal do Trabalho, no uso das atribuições que INTERESSADO SOUSA
ADVOGADO HENDERSON DOS REIS ESPINDOLA
lhe confere a Lei, FAZ SABER a quantos virem o presente EDITAL, JUNIOR(OAB: 34211/GO)
ou dele tiverem conhecimento, que, por intermédio deste, fica TERCEIRO RAMIRO MARTINS DOS SANTOS
INTERESSADO
CITADO o litisconsorte ANTONIO FERNANDES DE OLIVEIRA,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 16
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

TERCEIRO DIVINO JACINTO DA SILVA


INTERESSADO MARCOS PEREIRA DOS SANTOS é mandado publicar o presente
TERCEIRO DION LIMA DA SILVA Edital.
INTERESSADO
TERCEIRO PABLO PEREIRA DE FARIA
INTERESSADO
Dado e passado nesta cidade de Goiânia/GO, a 16 de agosto de
TERCEIRO PATRICIA DE LIMA MACHADO
INTERESSADO SOUZA 2019. Eu, Joice Morais de Castro, analista judiciário, digitei e assinei
TERCEIRO PAULO DEVANIE MENDES DIAS
INTERESSADO o presente.
ADVOGADO RAQUEL LUIZA CARDOSO(OAB: Edital
15066/GO)
Processo Nº MSCiv-0010251-90.2019.5.18.0000
TERCEIRO RONIVON DOS SANTOS LISBOA Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
INTERESSADO ALBUQUERQUE
TERCEIRO JOSE BRUNO NUNES RIBEIRO IMPETRANTE ALCEU PEREIRA LIMA NETO
INTERESSADO
ADVOGADO RENATO SIQUEIRA DE PAULA(OAB:
50469/GO)
Intimado(s)/Citado(s): ADVOGADO MARIA TEREZA CAETANO LIMA
- ANTONIO MARCOS PEREIRA DOS SANTOS CHAVES(OAB: 20620-A/GO)
ADVOGADO MAYARA DA PAIXAO
GONCALVES(OAB: 51970/GO)
IMPETRADO Juízo da Vara do Trabalho de Inhumas
- Dra. ALCIANE MARGARIDA DE
CARVALHO
PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TERCEIRO ANTONIO FERNANDES DE
INTERESSADO OLIVEIRA
TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – 18ª REGIÃO TERCEIRO AILTON CASTRO DOS PASSOS
INTERESSADO
TERCEIRO ANTONIO CORREIA DA SILVA
GABINETE DESEMBARGADORA KATHIA MARIA BOMTEMPO INTERESSADO
TERCEIRO VANDERICO ANGELO LUCIO DA
DE ALBUQUERQUE INTERESSADO SILVA
TERCEIRO DAVINA DE JESUS MARQUES
INTERESSADO CERQUEIRA
TERCEIRO RICARDO CHAGAS DOS SANTOS
INTERESSADO
TERCEIRO ADEIR FREIRE DE ANDRADE
INTERESSADO
TERCEIRO COSMO PEDRO DA SILVA
EDITAL DE CITAÇÃO INTERESSADO
TERCEIRO VALDISON EUGENIO DOS SANTOS
INTERESSADO
TERCEIRO GLAUBER MARQUES DA SILVA
INTERESSADO
TERCEIRO OSMAR FRANCISCO CAETANO
INTERESSADO
TERCEIRO OLIMPIO FRANCISCO JULIO
MS 0010251-90.2019.5.18.0000 INTERESSADO
IMPETRANTE: ALCEU PEREIRA LIMA NETO TERCEIRO ANTONIO SILVA
INTERESSADO
IMPETRADO: JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE INHUMAS TERCEIRO RAIMUNDO JOVENTINO
INTERESSADO
TERCEIRO ELIAS NATAL DE ABREU
INTERESSADO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
TERCEIRO CELIO LOPES DE ANDRADE
INTERESSADO
A Doutora KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE, TERCEIRO ANTONIO MARCOS PEREIRA DOS
INTERESSADO SANTOS
Desembargadora Federal do Trabalho, no uso das atribuições que
TERCEIRO RAIMUNDO CANTANHEIDE DE
lhe confere a Lei, FAZ SABER a quantos virem o presente EDITAL, INTERESSADO SOUSA
ADVOGADO HENDERSON DOS REIS ESPINDOLA
ou dele tiverem conhecimento, que, por intermédio deste, fica JUNIOR(OAB: 34211/GO)
CITADO o litisconsorte ANTONIO MARCOS PEREIRA DOS TERCEIRO RAMIRO MARTINS DOS SANTOS
INTERESSADO
SANTOS, atualmente em lugar incerto e não sabido, do presente TERCEIRO DIVINO JACINTO DA SILVA
INTERESSADO
mandado de segurança, para, querendo, responder a lide, no prazo
TERCEIRO DION LIMA DA SILVA
de 15 (quinze) dias. INTERESSADO
TERCEIRO PABLO PEREIRA DE FARIA
INTERESSADO
E para que chegue ao conhecimento do litisconsorte ANTONIO TERCEIRO PATRICIA DE LIMA MACHADO
INTERESSADO SOUZA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 17
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

TERCEIRO PAULO DEVANIE MENDES DIAS


INTERESSADO Edital
ADVOGADO RAQUEL LUIZA CARDOSO(OAB: Processo Nº MSCiv-0010251-90.2019.5.18.0000
15066/GO) Relator KATHIA MARIA BOMTEMPO DE
ALBUQUERQUE
TERCEIRO RONIVON DOS SANTOS LISBOA
INTERESSADO IMPETRANTE ALCEU PEREIRA LIMA NETO
TERCEIRO JOSE BRUNO NUNES RIBEIRO ADVOGADO RENATO SIQUEIRA DE PAULA(OAB:
INTERESSADO 50469/GO)
ADVOGADO MARIA TEREZA CAETANO LIMA
CHAVES(OAB: 20620-A/GO)
Intimado(s)/Citado(s):
ADVOGADO MAYARA DA PAIXAO
- RAMIRO MARTINS DOS SANTOS GONCALVES(OAB: 51970/GO)
IMPETRADO Juízo da Vara do Trabalho de Inhumas
- Dra. ALCIANE MARGARIDA DE
CARVALHO
TERCEIRO ANTONIO FERNANDES DE
INTERESSADO OLIVEIRA
PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TERCEIRO AILTON CASTRO DOS PASSOS
INTERESSADO
TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – 18ª REGIÃO
TERCEIRO ANTONIO CORREIA DA SILVA
INTERESSADO
TERCEIRO VANDERICO ANGELO LUCIO DA
GABINETE DESEMBARGADORA KATHIA MARIA BOMTEMPO INTERESSADO SILVA
DE ALBUQUERQUE TERCEIRO DAVINA DE JESUS MARQUES
INTERESSADO CERQUEIRA
TERCEIRO RICARDO CHAGAS DOS SANTOS
INTERESSADO
TERCEIRO ADEIR FREIRE DE ANDRADE
INTERESSADO
TERCEIRO COSMO PEDRO DA SILVA
INTERESSADO
EDITAL DE CITAÇÃO TERCEIRO VALDISON EUGENIO DOS SANTOS
INTERESSADO
TERCEIRO GLAUBER MARQUES DA SILVA
INTERESSADO
TERCEIRO OSMAR FRANCISCO CAETANO
INTERESSADO
TERCEIRO OLIMPIO FRANCISCO JULIO
INTERESSADO
MS 0010251-90.2019.5.18.0000 TERCEIRO ANTONIO SILVA
INTERESSADO
IMPETRANTE: ALCEU PEREIRA LIMA NETO TERCEIRO RAIMUNDO JOVENTINO
INTERESSADO
IMPETRADO: JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE INHUMAS
TERCEIRO ELIAS NATAL DE ABREU
INTERESSADO
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
TERCEIRO CELIO LOPES DE ANDRADE
INTERESSADO
TERCEIRO ANTONIO MARCOS PEREIRA DOS
INTERESSADO SANTOS
A Doutora KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE,
TERCEIRO RAIMUNDO CANTANHEIDE DE
Desembargadora Federal do Trabalho, no uso das atribuições que INTERESSADO SOUSA
ADVOGADO HENDERSON DOS REIS ESPINDOLA
lhe confere a Lei, FAZ SABER a quantos virem o presente EDITAL, JUNIOR(OAB: 34211/GO)
ou dele tiverem conhecimento, que, por intermédio deste, fica TERCEIRO RAMIRO MARTINS DOS SANTOS
INTERESSADO
CITADO o litisconsorte RAMIRO MARTINS DOS SANTOS, TERCEIRO DIVINO JACINTO DA SILVA
INTERESSADO
atualmente em lugar incerto e não sabido, do presente mandado de
TERCEIRO DION LIMA DA SILVA
segurança, para, querendo, responder a lide, no prazo de 15 INTERESSADO
TERCEIRO PABLO PEREIRA DE FARIA
(quinze) dias. INTERESSADO
TERCEIRO PATRICIA DE LIMA MACHADO
INTERESSADO SOUZA
E para que chegue ao conhecimento do litisconsorte RAMIRO TERCEIRO PAULO DEVANIE MENDES DIAS
INTERESSADO
MARTINS DOS SANTOS é mandado publicar o presente Edital.
ADVOGADO RAQUEL LUIZA CARDOSO(OAB:
15066/GO)
TERCEIRO RONIVON DOS SANTOS LISBOA
Dado e passado nesta cidade de Goiânia/GO, a 16 de agosto de INTERESSADO
2019. Eu, Joice Morais de Castro, analista judiciário, digitei e assinei TERCEIRO JOSE BRUNO NUNES RIBEIRO
INTERESSADO
o presente.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 18
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Intimado(s)/Citado(s): ADVOGADO CLAUDIO ROGERIO TEODORO DE


OLIVEIRA(OAB: 34067/PR)
- RAIMUNDO JOVENTINO
RECORRENTE EMBREPAR DISTRIBUIDORA DE
PECAS LTDA
ADVOGADO CLAUDIO ROGERIO TEODORO DE
OLIVEIRA(OAB: 34067/PR)
RECORRIDO JANIELMA LIMA SOUSA
PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO ADVOGADO MAURICIO SANTANA CORREA(OAB:
28740/GO)
TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO – 18ª REGIÃO PERITO RACHEL CAMPELO FERES
PERITO MARIANA DALILA OLIVEIRA
SILVERIO
GABINETE DESEMBARGADORA KATHIA MARIA BOMTEMPO
Intimado(s)/Citado(s):
DE ALBUQUERQUE
- EMBREPAR DISTRIBUIDORA DE PECAS LTDA
- EMBREPAR DO BRASIL - EIRELI
- JANIELMA LIMA SOUSA

EDITAL DE CITAÇÃO
PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

Fundamentação

MS 0010251-90.2019.5.18.0000 DECISÃO

IMPETRANTE: ALCEU PEREIRA LIMA NETO

IMPETRADO: JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE INHUMAS Tendo em vista a homologação do acordo entabulado entre as

partes no CEJUSC 2º GRAU GOIÂNIA, nos termos da minuta

anexada sob o ID. 68ab364, fica prejudicada a apreciação do

recurso ordinário interposto pelas reclamadas (ID. 3c7e39c).

A Doutora KATHIA MARIA BOMTEMPO DE ALBUQUERQUE, Sendo assim, remetam-se os autos à Vara do Trabalho de origem,

Desembargadora Federal do Trabalho, no uso das atribuições que para que sejam tomadas as providências pertinentes.

lhe confere a Lei, FAZ SABER a quantos virem o presente EDITAL,

ou dele tiverem conhecimento, que, por intermédio deste, fica À Secretaria da 2ª Turma, para os fins.

CITADO o litisconsorte RAIMUNDO JOVENTINO, atualmente em

lugar incerto e não sabido, do presente mandado de segurança,

para, querendo, responder a lide, no prazo de 15 (quinze) dias. Assinatura

GOIANIA, 16 de Agosto de 2019

E para que chegue ao conhecimento do litisconsorte RAIMUNDO EUGENIO JOSE CESARIO ROSA

JOVENTINO é mandado publicar o presente Edital. Desembargador Federal do Trabalho


Decisão
Processo Nº ROT-0011558-62.2018.5.18.0017
Dado e passado nesta cidade de Goiânia/GO, a 16 de agosto de Relator EUGENIO JOSE CESARIO ROSA
2019. Eu, Joice Morais de Castro, analista judiciário, digitei e assinei RECORRENTE JANIELMA LIMA SOUSA
ADVOGADO MAURICIO SANTANA CORREA(OAB:
o presente. 28740/GO)
RECORRIDO EMBREPAR DISTRIBUIDORA DE
PECAS LTDA
GABINETE DO JUIZ EUGENIO JOSE CESARIO ADVOGADO CLAUDIO ROGERIO TEODORO DE
OLIVEIRA(OAB: 34067/PR)
ROSA
RECORRIDO EMBREPAR DO BRASIL - EIRELI
Decisão Monocrática ADVOGADO CLAUDIO ROGERIO TEODORO DE
OLIVEIRA(OAB: 34067/PR)
Decisão
Processo Nº RORSum-0011077-02.2018.5.18.0017
Relator EUGENIO JOSE CESARIO ROSA Intimado(s)/Citado(s):
RECORRENTE EMBREPAR DO BRASIL - EIRELI - EMBREPAR DISTRIBUIDORA DE PECAS LTDA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 19
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

- EMBREPAR DO BRASIL - EIRELI


(ID. 8002165). Prazo de 05 (cinco) dias.
- JANIELMA LIMA SOUSA

Este despacho, publicado no DEJT, vale como intimação.

PODER JUDICIÁRIO
Após, conclusos.
JUSTIÇA DO TRABALHO

Fundamentação Assinatura

GOIANIA, 16 de Agosto de 2019

DECISÃO EUGENIO JOSE CESARIO ROSA

Desembargador Federal do Trabalho

Tendo em vista a homologação do acordo entabulado entre as Despacho


Processo Nº ROT-0011816-29.2014.5.18.0012
partes no CEJUSC 2º GRAU GOIÂNIA, nos termos da minuta de ID. Relator EUGENIO JOSE CESARIO ROSA
RECORRENTE MARLENE ALVES DA SILVA
8059241, fica prejudicada a apreciação dos recursos ordinários
ADVOGADO CARMEN MAGDA DE MELO(OAB:
interpostos (ID. 11ec3a4 e ID. b51bbdd). 2997/GO)
RECORRIDO CELG DISTRIBUICAO S.A. - CELG D
ADVOGADO EDMAR ANTONIO ALVES
Sendo assim, remetam-se os autos à Vara do Trabalho de origem, FILHO(OAB: 31312/GO)

para que sejam tomadas as providências pertinentes.


Intimado(s)/Citado(s):
- CELG DISTRIBUICAO S.A. - CELG D
À Secretaria da 2ª Turma, para os fins. - MARLENE ALVES DA SILVA

Assinatura

GOIANIA, 16 de Agosto de 2019


PODER JUDICIÁRIO
EUGENIO JOSE CESARIO ROSA
JUSTIÇA DO TRABALHO
Desembargador Federal do Trabalho
Despacho Fundamentação

Despacho
Processo Nº AP-0011034-94.2017.5.18.0051
DESPACHO
Relator EUGENIO JOSE CESARIO ROSA
AGRAVANTE LETICIA ARLANA DA SILVA
CARDOSO
Em observância ao disposto na OJ 142 da SBDI 1 do col. TST,
ADVOGADO carlos antonio souza(OAB: 13383/GO)
AGRAVADO COMPANHIA DE BEBIDAS DAS intime-se a reclamante para, querendo, manifestar-se sobre os
AMERICAS - AMBEV
embargos de declaração opostos pela reclamada em 05.08.2019
ADVOGADO MOZART VICTOR RUSSOMANO
NETO(OAB: 29340/DF) (ID. 43720c4). Prazo de 05 (cinco) dias.

Intimado(s)/Citado(s):
- COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMERICAS - AMBEV Este despacho, publicado no DEJT, vale como intimação.
- LETICIA ARLANA DA SILVA CARDOSO

Após, conclusos.

PODER JUDICIÁRIO Assinatura

JUSTIÇA DO TRABALHO GOIANIA, 16 de Agosto de 2019

EUGENIO JOSE CESARIO ROSA


Fundamentação
Desembargador Federal do Trabalho
Despacho
DESPACHO Processo Nº ROT-0011067-61.2018.5.18.0015
Relator EUGENIO JOSE CESARIO ROSA
RECORRENTE ALDAIRES ALVES LIMA
Abre-se vista à executada para, querendo, manifestar-se acerca dos ADVOGADO LUAN DA ROCHA MACHADO
MAZZA(OAB: 50125/GO)
embargos de declaração opostos pela exequente em 06.08.2019
RECORRENTE INSTITUTO GERIR

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 20
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RECORRIDO INSTITUTO GERIR


RECORRIDO ALDAIRES ALVES LIMA
ADVOGADO LUAN DA ROCHA MACHADO Após a obtenção do endereço, reitere-se a intimação, desta feita por
MAZZA(OAB: 50125/GO)
mandado, para que a reclamada comprove o recolhimento das
Intimado(s)/Citado(s): custas.
- ALDAIRES ALVES LIMA

Caso infrutífera a intimação, ou não sendo identificado o atual

endereço da ré, reitere-se a intimação por edital.

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO Intime-se o reclamante.

Fundamentação
Assinatura
PROCESSO TRT PJE-RO - 0011067-61.2018.5.18.0015
GOIANIA, 16 de Agosto de 2019

EUGENIO JOSE CESARIO ROSA

Desembargador Federal do Trabalho


Por meio da petição de fl. 855, o autor busca seja declarada a

deserção do recurso da reclamada, sob a alegação de que ela não


SECRETARIA DO TRIBUNAL PLENO
comprovou o recolhimento das custas no prazo legal.
Acórdão
Acórdão
A reclamada pleiteou a concessão da gratuidade da justiça quando Processo Nº MSCiv-0010346-57.2018.5.18.0000
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
da interposição do recurso ordinário.
IMPETRANTE RUBENS MIRANDA DA SILVA
ADVOGADO ARTENIO BATISTA DA SILVA
JUNIOR(OAB: 35707/GO)
Por meio do despacho de fls. 837/840, foi indeferido referido pleito
IMPETRANTE SANDRA HELENA DE CARVALHO
porque não houve comprovação da alegada dificuldade financeira MIRANDA
ADVOGADO ARTENIO BATISTA DA SILVA
da ré que a impeça de proceder ao recolhimento das custas. JUNIOR(OAB: 35707/GO)
IMPETRADO Juízo da 7ª Vara do Trabalho de
Goiânia
De conseguinte, determinou-se a intimação da reclamada para TERCEIRO CLEONE PEREIRA DOS SANTOS
INTERESSADO
comprovar o recolhimento das custas, no prazo de 5 dias, sob pena
ADVOGADO WILLIAN DE MORAIS LOPES(OAB:
de não conhecimento do recurso por deserto. 40562/GO)
CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Ocorre que, logo após foi juntada petição dos advogados da ré,
Intimado(s)/Citado(s):
informando a renúncia deles ao instrumento de mandato, consoante
- CLEONE PEREIRA DOS SANTOS
fls. 841 e seguintes.

No despacho de fl. 850, determinou-se a exclusão nos autos do


PODER JUDICIÁRIO
nome dos advogados da ré e, ato contínuo, a intimação daquela
JUSTIÇA DO TRABALHO
para regularizar sua representação processual, no prazo de 15 dias.

Não obstante, referida intimação não atingiu sua finalidade, tendo

sido devolvida pelos Correios com a informação de que a reclamada

mudou-se, fl. 857.

Uma vez que não foi implementada a intimação da ré, não há falar, PROCESSO TRT - MS - 0010346-57.2018.5.18.0000
por ora, em não conhecimento do recurso por deserção.

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS


Desta forma, determino seja feita pesquisa mediante os convênios

existentes neste Regional, com vistas a obter o atual endereço da IMPETRANTE : SANDRA HELENA DE CARVALHO MIRANDA
reclamada.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 21
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Ademais, a restrição não impede o direito de ir e vir, uma vez que a

ADVOGADO : ARTENIO BATISTA DA SILVA JUNIOR parte pode utilizar-se de outros meios de para locomover-se.

Mandado de segurança a que se nega provimento" (MS-0010837-

IMPETRANTE : RUBENS MIRANDA DA SILVA 98.2017.5.18.0000; TRT 18ª Região; Tribunal Pleno; Relator

Desembargador Eugênio José Cesário Rosa; DEJT nº 2475/2018,

ADVOGADO : ARTENIO BATISTA DA SILVA JUNIOR de 16/05/2018).

IMPETRADO : JUÍZO DA 7ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA

LITISCONSORTE : CLEONE PEREIRA DOS SANTOS

ADVOGADO : WILLIAN DE MORAIS LOPES

CUSTOS LEGIS : MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

RELATÓRIO

EMENTA

SANDRA HELENA DE CARVALHO MIRANDA e RUBENS

MIRANDA DA SILVA impetraram mandado de segurança, com

pedido liminar, em face de ato do Juízo da 7ª Vara do Trabalho de

Goiânia-GO, proferidos na RT-0010190-53.2015.5.18.0007,

consistente na determinação de "suspensão e apreensão,

respectivamente, da carteira nacional de habilitação e passaporte,

"MANDADO DE SEGURANÇA. SUSPENSÃO DE CNH DE registrados em nome" dos impetrantes.

DEVEDOR TRABALHISTA. APLICAÇÃO DO ART. 139, III DO

CPC. INEXISTÊNCIA DE ATO ILEGAL E DE VIOLAÇÃO DO

DIREITO DE IR E VIR. A determinação de suspensão e apreensão

da CNH dos sócios executados, depois de exauridas, em face da O pedido liminar foi parcialmente deferido.

empresa e dos sócios, todas as tentativas de satisfação do débito

executado, não constitui ato ilícito. A matéria está disciplinada no

art. 139,III do CPC, dispositivo aplicado subsidiariamente ao

processo de execução trabalhista tanto por força do art. 15 do CPC Cientificado do teor da decisão liminar, o Juízo Impetrado não

quanto do art. 3º, III da Instrução Normativa nº 39/2016 do c. TST. prestou informações.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 22
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Cabível a ação mandamental, tendo em vista que o ato em questão

não pode ser atacado por outro meio processual eficaz e rápido.

O litisconsorte, devidamente citado, manifestou-se nos autos.

Assim, preenchidos os pressupostos legais, admito.

Parecer do Ministério Público do Trabalho pela "admissão do

mandamus e, no mérito, pela concessão parcial da segurança, nos

termos da decisão que deferiu parcialmente a liminar".

VOTO

MÉRITO

CABIMENTO

APREENSÃO E SUSPENSÃO DE CNH E PASSAPORTE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 23
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

SANDRA HELENA DE CARVALHO MIRANDA e RUBENS

MIRANDA DA SILVA impetraram mandado de segurança, com

pedido liminar, em face de ato do Juízo da 7ª Vara do Trabalho de

Goiânia-GO, proferidos na RT-0010190-53.2015.5.18.0007, "Esta Relatora, inicialmente, verificou que o ato do Juízo Impetrado

consistente na determinação de "suspensão e apreensão, estava em desacordo com o entendimento atual e majoritário deste

respectivamente, da carteira nacional de habilitação e passaporte, Regional, conforme se extraía do julgamento do MS-0010755-

registrados em nome" dos impetrantes. 67.2017.5.18.0000, julgado pelo Tribunal Pleno e relatado pelo

Exmo. Desembargador Paulo Pimenta, cujos fundamentos pedia

vênia para adotar como razões de decidir. Em uma análise

perfunctória, autorizada em sede preliminar, ante a exiguidade de

Alegaram ter havido violações a direitos líquidos e certos, ante a prazo conferida a tal mister, constatei a princípio que os impetrantes

execução se consumar apenas "sobre o patrimônio do devedor", "e tinham razão, pois presentes o fumus boni iuris e o periculum in

não sobre a sua[s] pessoa[s]". Dizem que "o processo de execução mora.

tem como escopo a satisfação do crédito do autor e não

simplesmente a punição do devedor". Portanto, concedi a liminar para suspender imediatamente o ato do

Juízo Impetrado, liberando as CNH's e passaportes dos

impetrantes.

Ressaltaram que a "limitação ao Direito de Ir e Vir é algo tão grave Ocorre que os membros do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª

quanto a própria limitação da Liberdade, razão pela qual é Região, por maioria, refluindo sobre a matéria, passaram a entender

necessário, apenas pelo quanto aqui arguido, seja reconhecida a que a 'determinação de suspensão e apreensão da CNH dos sócios

abusividade da Ordem". executados, depois de exauridas, em face da empresa e dos sócios,

todas as tentativas de satisfação do débito executado, não constitui

ato ilícito'. Com efeito, a razão da mencionada

suspensão/apreensão - para a maioria do Tribunal Pleno do TRT da

Afirmaram ter demonstrado a existência dos requisitos necessários 18ª Região - resta autorizada pelo art. 139 do CPC, sem que tal

para o deferimento da liminar pretendida neste mandamus, no restrição impeça 'o direito de ir e vir, uma vez que a parte pode

sentido de cassar imediatamente a decisão do Juízo Impetrado, utilizar-se de outros meios para locomover-se' (MS-0010837-

ante a presença do fumus boni juris, caracterizado pela lesão a 98.2017.5.18.0000, de relatoria do Exmo. Desembargador Eugênio

direito líquido e certo (demonstrada de plano, acima de toda José Cesário Rosa). Desse entendimento esta Relatora passou a

dúvida), e do periculum in mora decorrente do prejuízo irreparável compartilhar, inclusive em virtude de decisão recente proferida pelo

que a prática do ato atacado acarreta. STJ (HABEAS CORPUS Nº 411.519 - SP 2017/0198003-7; Relator

Ministro Moura Ribeiro).

Com efeito, o artigo 139, IV, do CPC, estabelece:

Ao final, requereram a confirmação da liminar, com a concessão da

segurança em definitivo. 'Art. 139. O juiz dirigirá o processo conforme as disposições deste

Código, incumbindo-lhe:

(...)

Pois bem.

IV - determinar todas as medidas indutivas, coercitivas,

mandamentais ou sub-rogatórias necessárias para assegurar o

cumprimento de ordem judicial, inclusive nas ações que tenham por

Esta Relatora deferiu parcialmente o pedido liminar, ante os objeto prestação pecuniária;'.

seguintes fundamentos, in verbis:

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 24
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

A Instrução Normativa nº 39/2016 do TST (aprovada pela quanto do art. 3º, III da Instrução Normativa nº 39/2016 do c. TST.

Resolução nº 203/2016 do TST), embora reconheça a aplicabilidade Ademais, a restrição não impede o direito de ir e vir, uma vez que a

do artigo 139, IV, do CPC/2015 ao processo do trabalho, ressalta: parte pode utilizar-se de outros meios de para locomover-se.

Mandado de segurança a que se nega provimento" (MS-0010837-

'Art. 1° Aplica-se o Código de Processo Civil, subsidiária e 98.2017.5.18.0000; TRT 18ª Região; Tribunal Pleno; Relator

supletivamente, ao Processo do Trabalho, em caso de omissão e Desembargador Eugênio José Cesário Rosa; DEJT nº 2475/2018,

desde que haja compatibilidade com as normas e princípios do de 16/05/2018).

Direito Processual do Trabalho, na forma dos arts. 769 e 889 da

CLT e do art. 15 da Lei nº 13.105, de 17.03.2015'.

Neste aspecto, embora entenda ser indevida a determinação de Assim, ratifico a decisão liminar e, em definitivo, concedo

apreensão/suspensão dos passaportes, por violar o direito de ir e vir parcialmente a segurança, suspendendo os efeitos da determinação

dos executados, a meu ver, a determinação de exarada pelo Juízo Impetrado apenas quanto à

apreensão/suspensão das CNH's não importa violação ao direito de apreensão/suspensão dos passaportes dos executados, mantendo,

ir e vir. por outro lado, a determinação de suspensão/apreensão das CNH's

dos impetrantes/executados Rubens Miranda da Silva e Sandra

Nessa senda, em que pese o entendimento inicial desta Relatora Helena de Carvalho Miranda.

sobre o tema, mas atenta às recentes decisões plenárias e em

prestígio à segurança jurídica, reconsidero a decisão de fls. 40/44 e

defiro parcialmente a liminar, suspendendo os efeitos da

determinação exarada pelo Juízo Impetrado apenas quanto à

apreensão/suspensão dos passaportes dos executados, mantendo,

por outro lado, a determinação de suspensão/apreensão das

CNH's".

Constato que não surgiu nenhum fato novo ou importante, após o

deferimento da segurança, em sede liminar, apto a alterá-lo.

Transcrevo, por oportuno, a ementa do julgado citado na decisão CONCLUSÃO

liminar, verbis:

"MANDADO DE SEGURANÇA. SUSPENSÃO DE CNH DE

DEVEDOR TRABALHISTA. APLICAÇÃO DO ART. 139, III DO

CPC. INEXISTÊNCIA DE ATO ILEGAL E DE VIOLAÇÃO DO

DIREITO DE IR E VIR. A determinação de suspensão e apreensão

da CNH dos sócios executados, depois de exauridas, em face da Admito o presente mandamus e, no mérito, concedo parcialmente a

empresa e dos sócios, todas as tentativas de satisfação do débito segurança pleiteada, nos termos da fundamentação expendida.

executado, não constitui ato ilícito. A matéria está disciplinada no

art. 139,III do CPC, dispositivo aplicado subsidiariamente ao

processo de execução trabalhista tanto por força do art. 15 do CPC

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 25
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Custas processuais, pela União, no valor de R$20,00, calculadas convocado César Silveira, que juntará razões, os quais concediam a

sobre R$1.000,00, valor dado à causa, isenta. segurança. Vencidos in totum os Excelentíssimos

Desembargadores Mário Sérgio Bottazzo, que juntará as razões de

seu voto, e Rosa Nair da Silva Nogueira Reis, que denegavam a

segurança.

Participaram do julgamento presencial, presidido pelo

Excelentíssimo Desembargador Paulo Pimenta (Presidente do

Tribunal), os Excelentíssimos Desembargadores Daniel Viana

Júnior (Vice-Presidente e Corregedor), Kathia Maria Bomtempo de

Albuquerque, Gentil Pio de Oliveira, Mário Sérgio Bottazzo, Geraldo

Rodrigues do Nascimento, Eugênio José Cesário Rosa, Iara

Teixeira Rios, Welington Luis Peixoto, Silene Aparecida Coelho,

Rosa Nair da Silva Nogueira Reis e os Excelentíssimos Juízes

convocados César Silveira (em substituição no gabinete do

Excelentíssimo Desembargador Platon Teixeira de Azevedo Filho),

Celso Moredo Garcia (em substituição no gabinete do

Excelentíssimo Desembargador Aldon do Vale Alves Taglialegna) e

Israel Brasil Adourian (em substituição no gabinete do

Excelentíssimo Desembargador Elvecio Moura dos Santos).

Representou o Ministério Público do Trabalho, a Excelentíssima

Procuradora Cirêni Batista Ribeiro. Goiânia, 06 de agosto de 2019.

Acórdão

Vistos, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os membros

do egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em IARA TEIXEIRA RIOS

sessão plenária presencial hoje realizada, por unanimidade, em

admitir a ação mandamental e, no mérito, por maioria, conceder Desembargadora Relatora

parcialmente a segurança postulada apenas quanto aos

passaportes, denegando-a quanto às CNH's, nos termos do voto da

relatora. Vencidos parcialmente os Excelentíssimos

Desembargadores Welington Luis Peixoto, Gentil Pio de Oliveira e

Geraldo Rodrigues do Nascimento e o Excelentíssimo Juiz

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 26
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

(art. 5º, incisos XV e LIV). Acerca da liberdade de locomoção,

Manoel Gonçalves Ferreira Filho destaca ser o 'direito de ir, vir e

também de ficar - jus manendi, ambulandi, eundi ultro citroque -

primeira de todas as liberdades, sendo condição de quase todas as

demais. Consiste em poder o indivíduo deslocar-se de um lugar

para outro, ou permanecer cá ou lá, segundo lhe convenha ou bem

lhe pareça' (FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Curso de direito

constitucional. 38. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 264). No mesmo

rumo, a lição de Ingo Sarlet, Luiz Guilherme Marinoni e Daniel

Mitidiero: (...) Nessa senda, ainda que a sistemática do código de

Voto vencido 2015 tenha admitido a imposição de medidas coercitivas atípicas,

não se pode perder de vista que a base estrutural do ordenamento

jurídico é a Constituição Federal, que resguarda de maneira

absoluta o direito de ir e vir, em seu art. 5º, XV. Não bastasse isso,

como antes assinalado, o próprio diploma processual civil de 2015

cuidou de dizer que, na aplicação do direito, o juiz não terá em mira

apenas a eficiência do processo, mas também os fins sociais e as

exigências do bem comum, devendo ainda resguardar e promover a

dignidade da pessoa humana, observando a proporcionalidade, a

MS - 0010346-57.2018.5.18.0000 razoabilidade e a legalidade. Destarte, o fato de o legislador,

quando da redação do art. 139, IV, dispor que o juiz poderá

determinar todas as medidas indutivas, coercitivas, mandamentais

ou subrogatórias, não pode significar franquia à determinação de

medidas capazes de alcançar a liberdade pessoal do devedor, de

forma desarrazoada, considerado o sistema jurídico em sua

VOTO VENCIDO totalidade. Assim, entendo que a decisão judicial que, no âmbito de

ação de cobrança de duplicata, determina a suspensão do

passaporte do devedor e, diretamente, impede o deslocamento do

atingido, viola os princípios constitucionais da liberdade de

Quanto à apreensão dos passaportes dos devedores, antes do locomoção e da legalidade, independentemente da extensão desse

mais, ressalto que a Quarta Turma do STJ já decidiu, nos termos do impedimento. Na verdade, segundo penso, considerando-se que a

voto do relator Min. Luis Felipe Salomão, no já citado HC 97.876-SP medida executiva significa restrição de direito fundamental de

em 05/06/2016, que a apreensão do passaporte do devedor viola caráter constitucional, sua viabilidade condiciona-se à previsão legal

seu direito de ir e vir. Transcrevo: específica, tal qual se verifica em âmbito penal, firme, ademais, no

que dispõe o inciso XV do artigo 5° da Constituição Federal,

"No caso dos autos, observada a máxima vênia, quanto à segundo o qual 'é livre a locomoção no território nacional em tempo

suspensão do passaporte do executado/paciente, tenho por de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar,

necessária a concessão da ordem, com determinação de restituição permanecer ou dele sair com seus bens'. A meu juízo, raciocínio

do documento a seu titular, por considerar a medida coercitiva ilegal diverso pode conduzir à aceitação de que medidas coercitivas, que

e arbitrária, uma vez que restringiu o direito fundamental de ir e vir por natureza voltam-se ao 'convencimento' do coagido ao

de forma desproporcional e não razoável. Com efeito, não é difícil cumprimento da obrigação que lhe compete, sejam transformadas

reconhecer que a apreensão do passaporte enseja embaraço à em medidas punitivas, sancionatórias, impostas ao executado pelos

liberdade de locomoção do titular, que deve ser plena, e, enquanto descumprimentos, embaraços e indignidades cometidas no curso

medida executiva atípica, não prescinde, como afirmado, da do processo. Nesse passo, cumpre ressaltar que, no caso dos

demonstração de sua absoluta necessidade e utilidade, sob pena autos, não foi observado o contraditório no ponto, nem tampouco a

de atingir indevidamente direito fundamental de índole constitucional decisão que implementou a medida executiva atípica apresentou

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 27
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

qualquer fundamentação à grave restrição de direito do executado. JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO PACIENTE: HERBERT

De fato, a decisão de fl. 30 limitou-se a deferir o pedido feito pelo GAUSS JUNIOR DECISÃO 1. Mário de Oliveira Filho, Ricardo Calil

exequente de suspensão do passaporte e CNH, sem preocupar-se Haddad Atala, Paulo Henrique dos Santos e Maristela Assis dos

com a demonstração de sua necessidade e utilidade. Conforme Santos impetram habeas corpus em favor do paciente H. G. J.,

defende M. Y. Minami, tratando sobre o tema aqui debatido, 'as contra ato praticado pelos Desembargadores que compõem a 1ª

decisões devem ser obedecidas como regra e o emprego da força Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São

estatal contra os teimosos ou de mecanismos que os obriguem a Paulo, assim ementado: (...). Aduzem que o paciente é devedor em

cumprir seus débitos será apenas a exceção', bem como, porque ação de reparação de danos em fase de cumprimento de sentença

'(...) não se admite a aplicação de uma medida de coerção ou sub- iniciada em meados do ano de 2013. Constatado que não possuía

rogação sem que a decisão justifique a razão da medida escolhida'. bens nem meios suficientes para realizar o pagamento da dívida, a

(Breves apontamentos sobre a generalização das medidas de exequente requereu ao juízo de 1º grau a apreensão do passaporte

efetivação no CPC 2015: do processo para além da decisão. In: e da carteira nacional de habilitação, assim como o cancelamento

Coleção novo cpc doutrina selecionada. PEIXOTO, Ravi [et tal]. v. dos cartões de crédito e débito do paciente. Informam que, em

5. 2. ed. rev. e atual. Salvador: JusPodivm, 2016, p. 323). Na exata março de 2017, sobreveio decisão do juízo de piso indeferindo o

linha, mesmo os que defendem a possibilidade de apreensão de pedido por falta de amparo legal. A credora, então, interpôs agravo

documentos, a bem da satisfação da obrigação, por todos, cito de instrumento, julgado parcialmente provido, consoante registra a

Daniel Amorim Assumpção Neves, reconhecem que, em processo ementa acima, para o fim de apreender o passaporte, a carteira

de execução de obrigação de pagar quantia, para que o julgador se nacional de habilitação, bem como bloquear os cartões de crédito

utilize de meios executivos atípicos, a decisão deve ser do paciente. Consignam que a referida decisão viola o direito de ir e

fundamentada e sujeita ao contraditório, demonstrando-se a vir do paciente, atingindo o princípio da dignidade da pessoa

excepcionalidade da medida adotada em razão da ineficácia dos humana e impedindo o gozo de diversos direitos básicos da vida

meios executivos típicos, sob pena de configurar-se como sanção cotidiana, sendo cabível, portanto, a impetração do presente writ.

processual, afastando-se de seu desiderato (NEVES, Daniel Salientam que o art. 139, IV, do CPC/2015, embora permita ao juiz

Amorim Assumpção. Medidas executivas atípicas na execução de adotar todas as medidas indutivas, coercitivas, mandamentais ou

obrigação de pagar quantia certa: art. 139, IV, do novo CPC. sub-rogatórias necessárias para assegurar o cumprimento de ordem

Revista de Processo, v. 42, n. 265, mar. 2017, p. 13). No rumo judicial, não pode mitigar direitos e garantias fundamentais

desse raciocínio, uma vez mais, Minami é quem adverte que 'a

utilização de medidas não previstas apenas deve acontecer quando previstos na Constituição Federal e em tratados internacionais. Em

aquelas já previstas se mostrarem ineficientes e/ou o devedor se sede liminar, registram que estão presentes os pressupostos para a

valer de ardis para não realizar a prestação devida' (Idem)." concessão da tutela provisória, pois, além de as violações

apontadas demonstrarem a probabilidade do direito invocado, há

efetivo perigo de dano, visto que o paciente possui viagem ao

exterior, em compromisso pré-agendado e inadiável, marcado entre

Contudo, o próprio Min. Luis Felipe Salomão já decidiu os dias 11/5 e 20/5. Requerem, por fim, a concessão da ordem de

monocraticamente no HC 443.348 - SP em 09/04/2018 no sentido habeas corpus, para cassar o acórdão proferido pela 1ª Câmara de

de que a apreensão dos passaportes não resulta em violação do Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, evitando-se,

direito de ir e vir do devedor. Transcrevo : em consequência, o cerceamento do direito de ir e vir do paciente.

É o relatório. Decido. 2. Inicialmente, impende consignar que a

"HABEAS CORPUS Nº 443.348 - SP (2018/0073134-9) RELATOR: Corte de origem determinou a retenção do passaporte do paciente,

MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO IMPETRANTE: MARISTELA ao fundamento de ausência de bens para garantir os atos

ASSIS DOS SANTOS E OUTROS ADVOGADOS: MÁRIO DE executórios, conforme se divisa na transcrição de parte do acórdão,

OLIVEIRA FILHO - SP054325 RICARDO CALIL HADDAD ATALA - litteris: (...) Os impetrantes salientam que tal medida é

SP214749 desproporcional, por violar o direito de ir e vir, em virtude de dívida

civil. Informam, ainda, que o paciente possui viagem internacional

PAULO HENRIQUE DOS SANTOS - SP287897 MARISTELA previamente agendada, razão pela qual se materializa evidente

ASSIS DOS SANTOS - SP338705 IMPETRADO: TRIBUNAL DE ofensa ao direito de locomoção, apta a ser sanada pela via do

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 28
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

presente writ. Não obstante os argumentos engendrados, não se à dilação probatória, tampouco admite aprofundada análise de

vislumbra, na hipótese vertente, efetiva violação ao direito de ir e vir. provas e fatos controvertidos.

Com efeito, muito embora os impetrantes sustentem a

desproporcionalidade da medida de retenção do passaporte, Dessa forma, deveriam os impetrantes trazer originariamente aos

deixam de apontar o efetivo valor da dívida civil, com o desiderato autos as informações completas, bem como as respectivas provas

de apurar-se a razoabilidade da coerção imposta pela Corte de necessárias à comprovação do suposto direito subjetivo violado,

origem. Veja-se que o art. 139, IV, do CPC/2015 permite ao máxime porque, conforme salientado amiúde, não é possível

magistrado determinar todas as medidas indutivas, coercitivas, diligenciar acerca do arcabouço probatório a título de impetração do

mandamentais ou sub-rogatórias necessárias para assegurar o remédio heroico."

cumprimento da ordem judicial, inclusive nas ações que tenham por

objeto a prestação pecuniária. Deve-se ressaltar que a novel

codificação optou por não especificar, no referido artigo, quais são

as medidas indutivas, coercitivas, mandamentais ou sub-rogatórias Dito isso, é certo que o direito de ir e vir dos executados é violado

passíveis de determinação, mesmo porque nenhum elenco seria quando seus passaportes são apreendidos. Contudo, houve a

capaz de exauri-las. Em síntese, o que verdadeiramente importa é violação de direitos trabalhistas do reclamante e os direitos

que as providências sejam adequadas para a concretização do trabalhistas estão inseridos no rol dos direitos e garantias

comando judicial, proporcionais à finalidade perseguida. (MACIEL, fundamentais da Constituição da República Federativa do Brasil.

Daniel Baggio. Comentários ao código de processo civil. (Angélica

Arruda Alvim, Araken de Assis, Eduardo Arruda Alvim e George Há, no caso dos autos, portanto, conflito entre direitos

Salomão Leite coords.) São Paulo: Saraiva, 2016, p. 214) Dessa fundamentais.

forma, não se considera ilegal, em análise adstrita à cognição

sumária, a retenção de passaporte, notadamente quando a própria Os direitos fundamentais não são absolutos e no caso de conflito

parte interessada, ao defender a desproporcionalidade da medida, entre eles, um deve ser relativizado para que um prevaleça sobre o

deixou de apontar o valor devido, limitando-se a registrar que é outro que se mostra mais adequado ao caso concreto.

devedor em ação de reparação de danos em fase de cumprimento

de sentença. Ora, não é possível perquirir eventual Por ponderação, no caso dos autos o direito fundamental de ir e vir

desproporcionalidade sem cotejar-se as premissas do caso, do executado deve ser relativizado diante do desrespeito aos

concretizadas pela retenção do passaporte e do valor devido em direitos fundamentais trabalhistas.

sede de reparação por danos. Em outras palavras, não é possível

extrair a síntese, o resultado, a conclusão de possível Ressalto, por fim, que se o executado não têm como solver a dívida,

irrazoabilidade, quando a própria parte não informa os dados presumivelmente também não têm recursos para viagens

necessários para a realização do juízo de valor. Ademais, apenas internacionais. E se tiverem recursos para realizarem viagens

na fundamentação do pedido de liminar, os impetrantes apontam internacionais, poderão quitar a dívida, o que torna a medida

que o paciente possui viagem ao exterior, agendada entre os dias coercitiva eficaz.

11.5.2018 e 20.5.2018, em compromisso pré-agendado e inadiável.

Não obstante, não há qualquer registro ou informação sobre o Do exposto, denego totalmente, inclusive quanto aos passaportes.

motivo da viagem. Em tais casos, há diferença em viagem, por

exemplo, para o tratamento de saúde e viagem de férias, Destaco que a divergência do juiz César Silveira é importante, e há

notadamente quando o paciente sofre atos de natureza executória. decisão recente do STJ no mesmo sentido (REsp Nº 1.782.418 -

Além disso, os impetrantes não colacionaram sequer o comprovante RJ, Rel. Min. Nancy Andrighi), mas os impetrantes não alegaram

de viagem. Na verdade, o documento de fls. 47-49 não é suficiente incapacidade de pagar. Nem alegaram justo motivo que impeça a

para comprovar o efetivo e prévio agendamento, até porque não suspensão do direito de viajar ao exterior.

consta a própria data compra da passagem. Ao contrário, o

mencionado documento apenas traz um itinerário com destino a Los Admito e denego totalmente.

Angeles, a ser, possivelmente, realizado por 4 (quatro) pessoas. É

sabido que o habeas corpus, possuindo cognição sumária, é infenso

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 29
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

deferimento das “medidas indutivas, coercitivas, mandamentais ou

sub-rogatórias necessárias” ao cumprimento da obrigação.

MÁRIO SÉRGIO BOTTAZZO Ante os fundamentos acima expostos, concedo integralmente a

segurança, revogando não apenas a a preensão/suspensão do

Desembargador passaporte, mas também a da CNH dos impetrantes.

VOTO VENCIDO

DIVERGÊNCIA PARCIAL CÉSAR SILVEIRA

Juiz do Trabalho

É certo que há permissivo legal para adoção de medidas atípicas,

com o objetivo de garantir a prestação jurisdicional, a teor do artigo

139, inciso IV, do CPC. Acórdão


Processo Nº MSCiv-0010346-57.2018.5.18.0000
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
Isso não obstante, entendo que tal dispositivo não pode ser IMPETRANTE RUBENS MIRANDA DA SILVA
ADVOGADO ARTENIO BATISTA DA SILVA
interpretado de forma isolada, sendo necessário sopesá-lo com as JUNIOR(OAB: 35707/GO)
regras e os princípios infraconstitucionais e constitucionais que IMPETRANTE SANDRA HELENA DE CARVALHO
MIRANDA
norteiam o ordenamento jurídico, a exemplo do artigo 8º do CPC, ADVOGADO ARTENIO BATISTA DA SILVA
JUNIOR(OAB: 35707/GO)
segundo o qual, ao aplicar a lei, "o juiz atenderá aos fins sociais e
IMPETRADO Juízo da 7ª Vara do Trabalho de
às exigências do bem comum, resguardando e promovendo a Goiânia
TERCEIRO CLEONE PEREIRA DOS SANTOS
dignidade da pessoa humana e observando a proporcionalidade, a INTERESSADO
razoabilidade, a legalidade, a publicidade e a eficiência”, e do artigo ADVOGADO WILLIAN DE MORAIS LOPES(OAB:
40562/GO)
5º da Constituição Federal, que assegura a inviolabilidade dos CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
direitos fundamentais a todos os brasileiros e estrangeiros

residentes no país. Intimado(s)/Citado(s):


- RUBENS MIRANDA DA SILVA

Deste modo, entendo que a apreensão de CNH é razoável apenas

quando restar evidenciado nos autos que, a despeito de se negar a

quitar suas dívidas trabalhistas, o devedor dela se utiliza para


PODER JUDICIÁRIO
deleite pessoal, ostentando riqueza ao dirigir veículos de luxo, entre
JUSTIÇA DO TRABALHO
outras situações. Contudo, não há nos autos elementos de

convicção nesse sentido.

Se por um lado pode-se entender que o devedor, eventualmente,

utilize sua carteira de habilitação para deleite, a presunção inversa

também pode ocorrer, entendendo-se o documento como

instrumento para trabalho, situação que poderia, inclusive, auxiliá-lo PROCESSO TRT - MS - 0010346-57.2018.5.18.0000

a se desincumbir de suas obrigações financeiras.


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

Tenho que, sem esses elementos, a apreensão de eventual CNH,

caracteriza ofensa à dignidade da pessoa humana e afronta direitos IMPETRANTE : SANDRA HELENA DE CARVALHO MIRANDA

fundamentais. Alguns devem porque não querem pagar. Outros, no

entanto, devem porque não têm como pagar. A situação concreta, ADVOGADO : ARTENIO BATISTA DA SILVA JUNIOR

caso a caso, deveria ser levada em consideração para o

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 30
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

IMPETRANTE : RUBENS MIRANDA DA SILVA 98.2017.5.18.0000; TRT 18ª Região; Tribunal Pleno; Relator

Desembargador Eugênio José Cesário Rosa; DEJT nº 2475/2018,

ADVOGADO : ARTENIO BATISTA DA SILVA JUNIOR de 16/05/2018).

IMPETRADO : JUÍZO DA 7ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA

LITISCONSORTE : CLEONE PEREIRA DOS SANTOS

ADVOGADO : WILLIAN DE MORAIS LOPES

CUSTOS LEGIS : MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

RELATÓRIO

EMENTA

SANDRA HELENA DE CARVALHO MIRANDA e RUBENS

MIRANDA DA SILVA impetraram mandado de segurança, com

pedido liminar, em face de ato do Juízo da 7ª Vara do Trabalho de

Goiânia-GO, proferidos na RT-0010190-53.2015.5.18.0007,

consistente na determinação de "suspensão e apreensão,

respectivamente, da carteira nacional de habilitação e passaporte,

"MANDADO DE SEGURANÇA. SUSPENSÃO DE CNH DE registrados em nome" dos impetrantes.

DEVEDOR TRABALHISTA. APLICAÇÃO DO ART. 139, III DO

CPC. INEXISTÊNCIA DE ATO ILEGAL E DE VIOLAÇÃO DO

DIREITO DE IR E VIR. A determinação de suspensão e apreensão

da CNH dos sócios executados, depois de exauridas, em face da O pedido liminar foi parcialmente deferido.

empresa e dos sócios, todas as tentativas de satisfação do débito

executado, não constitui ato ilícito. A matéria está disciplinada no

art. 139,III do CPC, dispositivo aplicado subsidiariamente ao

processo de execução trabalhista tanto por força do art. 15 do CPC Cientificado do teor da decisão liminar, o Juízo Impetrado não

quanto do art. 3º, III da Instrução Normativa nº 39/2016 do c. TST. prestou informações.

Ademais, a restrição não impede o direito de ir e vir, uma vez que a

parte pode utilizar-se de outros meios de para locomover-se.

Mandado de segurança a que se nega provimento" (MS-0010837-

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 31
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

O litisconsorte, devidamente citado, manifestou-se nos autos.

Assim, preenchidos os pressupostos legais, admito.

Parecer do Ministério Público do Trabalho pela "admissão do

mandamus e, no mérito, pela concessão parcial da segurança, nos

termos da decisão que deferiu parcialmente a liminar".

VOTO

MÉRITO

CABIMENTO

APREENSÃO E SUSPENSÃO DE CNH E PASSAPORTE

SANDRA HELENA DE CARVALHO MIRANDA e RUBENS

Cabível a ação mandamental, tendo em vista que o ato em questão MIRANDA DA SILVA impetraram mandado de segurança, com

não pode ser atacado por outro meio processual eficaz e rápido. pedido liminar, em face de ato do Juízo da 7ª Vara do Trabalho de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 32
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Goiânia-GO, proferidos na RT-0010190-53.2015.5.18.0007, "Esta Relatora, inicialmente, verificou que o ato do Juízo Impetrado

consistente na determinação de "suspensão e apreensão, estava em desacordo com o entendimento atual e majoritário deste

respectivamente, da carteira nacional de habilitação e passaporte, Regional, conforme se extraía do julgamento do MS-0010755-

registrados em nome" dos impetrantes. 67.2017.5.18.0000, julgado pelo Tribunal Pleno e relatado pelo

Exmo. Desembargador Paulo Pimenta, cujos fundamentos pedia

vênia para adotar como razões de decidir. Em uma análise

perfunctória, autorizada em sede preliminar, ante a exiguidade de

Alegaram ter havido violações a direitos líquidos e certos, ante a prazo conferida a tal mister, constatei a princípio que os impetrantes

execução se consumar apenas "sobre o patrimônio do devedor", "e tinham razão, pois presentes o fumus boni iuris e o periculum in

não sobre a sua[s] pessoa[s]". Dizem que "o processo de execução mora.

tem como escopo a satisfação do crédito do autor e não

simplesmente a punição do devedor". Portanto, concedi a liminar para suspender imediatamente o ato do

Juízo Impetrado, liberando as CNH's e passaportes dos

impetrantes.

Ressaltaram que a "limitação ao Direito de Ir e Vir é algo tão grave Ocorre que os membros do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª

quanto a própria limitação da Liberdade, razão pela qual é Região, por maioria, refluindo sobre a matéria, passaram a entender

necessário, apenas pelo quanto aqui arguido, seja reconhecida a que a 'determinação de suspensão e apreensão da CNH dos sócios

abusividade da Ordem". executados, depois de exauridas, em face da empresa e dos sócios,

todas as tentativas de satisfação do débito executado, não constitui

ato ilícito'. Com efeito, a razão da mencionada

suspensão/apreensão - para a maioria do Tribunal Pleno do TRT da

Afirmaram ter demonstrado a existência dos requisitos necessários 18ª Região - resta autorizada pelo art. 139 do CPC, sem que tal

para o deferimento da liminar pretendida neste mandamus, no restrição impeça 'o direito de ir e vir, uma vez que a parte pode

sentido de cassar imediatamente a decisão do Juízo Impetrado, utilizar-se de outros meios para locomover-se' (MS-0010837-

ante a presença do fumus boni juris, caracterizado pela lesão a 98.2017.5.18.0000, de relatoria do Exmo. Desembargador Eugênio

direito líquido e certo (demonstrada de plano, acima de toda José Cesário Rosa). Desse entendimento esta Relatora passou a

dúvida), e do periculum in mora decorrente do prejuízo irreparável compartilhar, inclusive em virtude de decisão recente proferida pelo

que a prática do ato atacado acarreta. STJ (HABEAS CORPUS Nº 411.519 - SP 2017/0198003-7; Relator

Ministro Moura Ribeiro).

Com efeito, o artigo 139, IV, do CPC, estabelece:

Ao final, requereram a confirmação da liminar, com a concessão da

segurança em definitivo. 'Art. 139. O juiz dirigirá o processo conforme as disposições deste

Código, incumbindo-lhe:

(...)

Pois bem.

IV - determinar todas as medidas indutivas, coercitivas,

mandamentais ou sub-rogatórias necessárias para assegurar o

cumprimento de ordem judicial, inclusive nas ações que tenham por

Esta Relatora deferiu parcialmente o pedido liminar, ante os objeto prestação pecuniária;'.

seguintes fundamentos, in verbis:

A Instrução Normativa nº 39/2016 do TST (aprovada pela

Resolução nº 203/2016 do TST), embora reconheça a aplicabilidade

do artigo 139, IV, do CPC/2015 ao processo do trabalho, ressalta:

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 33
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Mandado de segurança a que se nega provimento" (MS-0010837-

'Art. 1° Aplica-se o Código de Processo Civil, subsidiária e 98.2017.5.18.0000; TRT 18ª Região; Tribunal Pleno; Relator

supletivamente, ao Processo do Trabalho, em caso de omissão e Desembargador Eugênio José Cesário Rosa; DEJT nº 2475/2018,

desde que haja compatibilidade com as normas e princípios do de 16/05/2018).

Direito Processual do Trabalho, na forma dos arts. 769 e 889 da

CLT e do art. 15 da Lei nº 13.105, de 17.03.2015'.

Neste aspecto, embora entenda ser indevida a determinação de Assim, ratifico a decisão liminar e, em definitivo, concedo

apreensão/suspensão dos passaportes, por violar o direito de ir e vir parcialmente a segurança, suspendendo os efeitos da determinação

dos executados, a meu ver, a determinação de exarada pelo Juízo Impetrado apenas quanto à

apreensão/suspensão das CNH's não importa violação ao direito de apreensão/suspensão dos passaportes dos executados, mantendo,

ir e vir. por outro lado, a determinação de suspensão/apreensão das CNH's

dos impetrantes/executados Rubens Miranda da Silva e Sandra

Nessa senda, em que pese o entendimento inicial desta Relatora Helena de Carvalho Miranda.

sobre o tema, mas atenta às recentes decisões plenárias e em

prestígio à segurança jurídica, reconsidero a decisão de fls. 40/44 e

defiro parcialmente a liminar, suspendendo os efeitos da

determinação exarada pelo Juízo Impetrado apenas quanto à

apreensão/suspensão dos passaportes dos executados, mantendo,

por outro lado, a determinação de suspensão/apreensão das

CNH's".

Constato que não surgiu nenhum fato novo ou importante, após o

deferimento da segurança, em sede liminar, apto a alterá-lo.

Transcrevo, por oportuno, a ementa do julgado citado na decisão CONCLUSÃO

liminar, verbis:

"MANDADO DE SEGURANÇA. SUSPENSÃO DE CNH DE

DEVEDOR TRABALHISTA. APLICAÇÃO DO ART. 139, III DO

CPC. INEXISTÊNCIA DE ATO ILEGAL E DE VIOLAÇÃO DO

DIREITO DE IR E VIR. A determinação de suspensão e apreensão

da CNH dos sócios executados, depois de exauridas, em face da Admito o presente mandamus e, no mérito, concedo parcialmente a

empresa e dos sócios, todas as tentativas de satisfação do débito segurança pleiteada, nos termos da fundamentação expendida.

executado, não constitui ato ilícito. A matéria está disciplinada no

art. 139,III do CPC, dispositivo aplicado subsidiariamente ao

processo de execução trabalhista tanto por força do art. 15 do CPC

quanto do art. 3º, III da Instrução Normativa nº 39/2016 do c. TST. Custas processuais, pela União, no valor de R$20,00, calculadas

Ademais, a restrição não impede o direito de ir e vir, uma vez que a sobre R$1.000,00, valor dado à causa, isenta.

parte pode utilizar-se de outros meios de para locomover-se.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 34
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

seu voto, e Rosa Nair da Silva Nogueira Reis, que denegavam a

segurança.

Participaram do julgamento presencial, presidido pelo

Excelentíssimo Desembargador Paulo Pimenta (Presidente do

Tribunal), os Excelentíssimos Desembargadores Daniel Viana

Júnior (Vice-Presidente e Corregedor), Kathia Maria Bomtempo de

Albuquerque, Gentil Pio de Oliveira, Mário Sérgio Bottazzo, Geraldo

Rodrigues do Nascimento, Eugênio José Cesário Rosa, Iara

Teixeira Rios, Welington Luis Peixoto, Silene Aparecida Coelho,

Rosa Nair da Silva Nogueira Reis e os Excelentíssimos Juízes

convocados César Silveira (em substituição no gabinete do

Excelentíssimo Desembargador Platon Teixeira de Azevedo Filho),

Celso Moredo Garcia (em substituição no gabinete do

Excelentíssimo Desembargador Aldon do Vale Alves Taglialegna) e

Israel Brasil Adourian (em substituição no gabinete do

Excelentíssimo Desembargador Elvecio Moura dos Santos).

Representou o Ministério Público do Trabalho, a Excelentíssima

Procuradora Cirêni Batista Ribeiro. Goiânia, 06 de agosto de 2019.

Acórdão

Vistos, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os membros

do egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em IARA TEIXEIRA RIOS

sessão plenária presencial hoje realizada, por unanimidade, em

admitir a ação mandamental e, no mérito, por maioria, conceder Desembargadora Relatora

parcialmente a segurança postulada apenas quanto aos

passaportes, denegando-a quanto às CNH's, nos termos do voto da

relatora. Vencidos parcialmente os Excelentíssimos

Desembargadores Welington Luis Peixoto, Gentil Pio de Oliveira e

Geraldo Rodrigues do Nascimento e o Excelentíssimo Juiz

convocado César Silveira, que juntará razões, os quais concediam a

segurança. Vencidos in totum os Excelentíssimos

Desembargadores Mário Sérgio Bottazzo, que juntará as razões de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 35
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

primeira de todas as liberdades, sendo condição de quase todas as

demais. Consiste em poder o indivíduo deslocar-se de um lugar

para outro, ou permanecer cá ou lá, segundo lhe convenha ou bem

lhe pareça' (FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Curso de direito

constitucional. 38. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 264). No mesmo

rumo, a lição de Ingo Sarlet, Luiz Guilherme Marinoni e Daniel

Mitidiero: (...) Nessa senda, ainda que a sistemática do código de

Voto vencido 2015 tenha admitido a imposição de medidas coercitivas atípicas,

não se pode perder de vista que a base estrutural do ordenamento

jurídico é a Constituição Federal, que resguarda de maneira

absoluta o direito de ir e vir, em seu art. 5º, XV. Não bastasse isso,

como antes assinalado, o próprio diploma processual civil de 2015

cuidou de dizer que, na aplicação do direito, o juiz não terá em mira

apenas a eficiência do processo, mas também os fins sociais e as

exigências do bem comum, devendo ainda resguardar e promover a

dignidade da pessoa humana, observando a proporcionalidade, a

MS - 0010346-57.2018.5.18.0000 razoabilidade e a legalidade. Destarte, o fato de o legislador,

quando da redação do art. 139, IV, dispor que o juiz poderá

determinar todas as medidas indutivas, coercitivas, mandamentais

ou subrogatórias, não pode significar franquia à determinação de

medidas capazes de alcançar a liberdade pessoal do devedor, de

forma desarrazoada, considerado o sistema jurídico em sua

VOTO VENCIDO totalidade. Assim, entendo que a decisão judicial que, no âmbito de

ação de cobrança de duplicata, determina a suspensão do

passaporte do devedor e, diretamente, impede o deslocamento do

atingido, viola os princípios constitucionais da liberdade de

Quanto à apreensão dos passaportes dos devedores, antes do locomoção e da legalidade, independentemente da extensão desse

mais, ressalto que a Quarta Turma do STJ já decidiu, nos termos do impedimento. Na verdade, segundo penso, considerando-se que a

voto do relator Min. Luis Felipe Salomão, no já citado HC 97.876-SP medida executiva significa restrição de direito fundamental de

em 05/06/2016, que a apreensão do passaporte do devedor viola caráter constitucional, sua viabilidade condiciona-se à previsão legal

seu direito de ir e vir. Transcrevo: específica, tal qual se verifica em âmbito penal, firme, ademais, no

que dispõe o inciso XV do artigo 5° da Constituição Federal,

"No caso dos autos, observada a máxima vênia, quanto à segundo o qual 'é livre a locomoção no território nacional em tempo

suspensão do passaporte do executado/paciente, tenho por de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar,

necessária a concessão da ordem, com determinação de restituição permanecer ou dele sair com seus bens'. A meu juízo, raciocínio

do documento a seu titular, por considerar a medida coercitiva ilegal diverso pode conduzir à aceitação de que medidas coercitivas, que

e arbitrária, uma vez que restringiu o direito fundamental de ir e vir por natureza voltam-se ao 'convencimento' do coagido ao

de forma desproporcional e não razoável. Com efeito, não é difícil cumprimento da obrigação que lhe compete, sejam transformadas

reconhecer que a apreensão do passaporte enseja embaraço à em medidas punitivas, sancionatórias, impostas ao executado pelos

liberdade de locomoção do titular, que deve ser plena, e, enquanto descumprimentos, embaraços e indignidades cometidas no curso

medida executiva atípica, não prescinde, como afirmado, da do processo. Nesse passo, cumpre ressaltar que, no caso dos

demonstração de sua absoluta necessidade e utilidade, sob pena autos, não foi observado o contraditório no ponto, nem tampouco a

de atingir indevidamente direito fundamental de índole constitucional decisão que implementou a medida executiva atípica apresentou

(art. 5º, incisos XV e LIV). Acerca da liberdade de locomoção, qualquer fundamentação à grave restrição de direito do executado.

Manoel Gonçalves Ferreira Filho destaca ser o 'direito de ir, vir e De fato, a decisão de fl. 30 limitou-se a deferir o pedido feito pelo

também de ficar - jus manendi, ambulandi, eundi ultro citroque - exequente de suspensão do passaporte e CNH, sem preocupar-se

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 36
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

com a demonstração de sua necessidade e utilidade. Conforme Santos impetram habeas corpus em favor do paciente H. G. J.,

defende M. Y. Minami, tratando sobre o tema aqui debatido, 'as contra ato praticado pelos Desembargadores que compõem a 1ª

decisões devem ser obedecidas como regra e o emprego da força Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São

estatal contra os teimosos ou de mecanismos que os obriguem a Paulo, assim ementado: (...). Aduzem que o paciente é devedor em

cumprir seus débitos será apenas a exceção', bem como, porque ação de reparação de danos em fase de cumprimento de sentença

'(...) não se admite a aplicação de uma medida de coerção ou sub- iniciada em meados do ano de 2013. Constatado que não possuía

rogação sem que a decisão justifique a razão da medida escolhida'. bens nem meios suficientes para realizar o pagamento da dívida, a

(Breves apontamentos sobre a generalização das medidas de exequente requereu ao juízo de 1º grau a apreensão do passaporte

efetivação no CPC 2015: do processo para além da decisão. In: e da carteira nacional de habilitação, assim como o cancelamento

Coleção novo cpc doutrina selecionada. PEIXOTO, Ravi [et tal]. v. dos cartões de crédito e débito do paciente. Informam que, em

5. 2. ed. rev. e atual. Salvador: JusPodivm, 2016, p. 323). Na exata março de 2017, sobreveio decisão do juízo de piso indeferindo o

linha, mesmo os que defendem a possibilidade de apreensão de pedido por falta de amparo legal. A credora, então, interpôs agravo

documentos, a bem da satisfação da obrigação, por todos, cito de instrumento, julgado parcialmente provido, consoante registra a

Daniel Amorim Assumpção Neves, reconhecem que, em processo ementa acima, para o fim de apreender o passaporte, a carteira

de execução de obrigação de pagar quantia, para que o julgador se nacional de habilitação, bem como bloquear os cartões de crédito

utilize de meios executivos atípicos, a decisão deve ser do paciente. Consignam que a referida decisão viola o direito de ir e

fundamentada e sujeita ao contraditório, demonstrando-se a vir do paciente, atingindo o princípio da dignidade da pessoa

excepcionalidade da medida adotada em razão da ineficácia dos humana e impedindo o gozo de diversos direitos básicos da vida

meios executivos típicos, sob pena de configurar-se como sanção cotidiana, sendo cabível, portanto, a impetração do presente writ.

processual, afastando-se de seu desiderato (NEVES, Daniel Salientam que o art. 139, IV, do CPC/2015, embora permita ao juiz

Amorim Assumpção. Medidas executivas atípicas na execução de adotar todas as medidas indutivas, coercitivas, mandamentais ou

obrigação de pagar quantia certa: art. 139, IV, do novo CPC. sub-rogatórias necessárias para assegurar o cumprimento de ordem

Revista de Processo, v. 42, n. 265, mar. 2017, p. 13). No rumo judicial, não pode mitigar direitos e garantias fundamentais

desse raciocínio, uma vez mais, Minami é quem adverte que 'a

utilização de medidas não previstas apenas deve acontecer quando previstos na Constituição Federal e em tratados internacionais. Em

aquelas já previstas se mostrarem ineficientes e/ou o devedor se sede liminar, registram que estão presentes os pressupostos para a

valer de ardis para não realizar a prestação devida' (Idem)." concessão da tutela provisória, pois, além de as violações

apontadas demonstrarem a probabilidade do direito invocado, há

efetivo perigo de dano, visto que o paciente possui viagem ao

exterior, em compromisso pré-agendado e inadiável, marcado entre

Contudo, o próprio Min. Luis Felipe Salomão já decidiu os dias 11/5 e 20/5. Requerem, por fim, a concessão da ordem de

monocraticamente no HC 443.348 - SP em 09/04/2018 no sentido habeas corpus, para cassar o acórdão proferido pela 1ª Câmara de

de que a apreensão dos passaportes não resulta em violação do Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, evitando-se,

direito de ir e vir do devedor. Transcrevo : em consequência, o cerceamento do direito de ir e vir do paciente.

É o relatório. Decido. 2. Inicialmente, impende consignar que a

"HABEAS CORPUS Nº 443.348 - SP (2018/0073134-9) RELATOR: Corte de origem determinou a retenção do passaporte do paciente,

MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO IMPETRANTE: MARISTELA ao fundamento de ausência de bens para garantir os atos

ASSIS DOS SANTOS E OUTROS ADVOGADOS: MÁRIO DE executórios, conforme se divisa na transcrição de parte do acórdão,

OLIVEIRA FILHO - SP054325 RICARDO CALIL HADDAD ATALA - litteris: (...) Os impetrantes salientam que tal medida é

SP214749 desproporcional, por violar o direito de ir e vir, em virtude de dívida

civil. Informam, ainda, que o paciente possui viagem internacional

PAULO HENRIQUE DOS SANTOS - SP287897 MARISTELA previamente agendada, razão pela qual se materializa evidente

ASSIS DOS SANTOS - SP338705 IMPETRADO: TRIBUNAL DE ofensa ao direito de locomoção, apta a ser sanada pela via do

JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO PACIENTE: HERBERT presente writ. Não obstante os argumentos engendrados, não se

GAUSS JUNIOR DECISÃO 1. Mário de Oliveira Filho, Ricardo Calil vislumbra, na hipótese vertente, efetiva violação ao direito de ir e vir.

Haddad Atala, Paulo Henrique dos Santos e Maristela Assis dos Com efeito, muito embora os impetrantes sustentem a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 37
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

desproporcionalidade da medida de retenção do passaporte, Dessa forma, deveriam os impetrantes trazer originariamente aos

deixam de apontar o efetivo valor da dívida civil, com o desiderato autos as informações completas, bem como as respectivas provas

de apurar-se a razoabilidade da coerção imposta pela Corte de necessárias à comprovação do suposto direito subjetivo violado,

origem. Veja-se que o art. 139, IV, do CPC/2015 permite ao máxime porque, conforme salientado amiúde, não é possível

magistrado determinar todas as medidas indutivas, coercitivas, diligenciar acerca do arcabouço probatório a título de impetração do

mandamentais ou sub-rogatórias necessárias para assegurar o remédio heroico."

cumprimento da ordem judicial, inclusive nas ações que tenham por

objeto a prestação pecuniária. Deve-se ressaltar que a novel

codificação optou por não especificar, no referido artigo, quais são

as medidas indutivas, coercitivas, mandamentais ou sub-rogatórias Dito isso, é certo que o direito de ir e vir dos executados é violado

passíveis de determinação, mesmo porque nenhum elenco seria quando seus passaportes são apreendidos. Contudo, houve a

capaz de exauri-las. Em síntese, o que verdadeiramente importa é violação de direitos trabalhistas do reclamante e os direitos

que as providências sejam adequadas para a concretização do trabalhistas estão inseridos no rol dos direitos e garantias

comando judicial, proporcionais à finalidade perseguida. (MACIEL, fundamentais da Constituição da República Federativa do Brasil.

Daniel Baggio. Comentários ao código de processo civil. (Angélica

Arruda Alvim, Araken de Assis, Eduardo Arruda Alvim e George Há, no caso dos autos, portanto, conflito entre direitos

Salomão Leite coords.) São Paulo: Saraiva, 2016, p. 214) Dessa fundamentais.

forma, não se considera ilegal, em análise adstrita à cognição

sumária, a retenção de passaporte, notadamente quando a própria Os direitos fundamentais não são absolutos e no caso de conflito

parte interessada, ao defender a desproporcionalidade da medida, entre eles, um deve ser relativizado para que um prevaleça sobre o

deixou de apontar o valor devido, limitando-se a registrar que é outro que se mostra mais adequado ao caso concreto.

devedor em ação de reparação de danos em fase de cumprimento

de sentença. Ora, não é possível perquirir eventual Por ponderação, no caso dos autos o direito fundamental de ir e vir

desproporcionalidade sem cotejar-se as premissas do caso, do executado deve ser relativizado diante do desrespeito aos

concretizadas pela retenção do passaporte e do valor devido em direitos fundamentais trabalhistas.

sede de reparação por danos. Em outras palavras, não é possível

extrair a síntese, o resultado, a conclusão de possível Ressalto, por fim, que se o executado não têm como solver a dívida,

irrazoabilidade, quando a própria parte não informa os dados presumivelmente também não têm recursos para viagens

necessários para a realização do juízo de valor. Ademais, apenas internacionais. E se tiverem recursos para realizarem viagens

na fundamentação do pedido de liminar, os impetrantes apontam internacionais, poderão quitar a dívida, o que torna a medida

que o paciente possui viagem ao exterior, agendada entre os dias coercitiva eficaz.

11.5.2018 e 20.5.2018, em compromisso pré-agendado e inadiável.

Não obstante, não há qualquer registro ou informação sobre o Do exposto, denego totalmente, inclusive quanto aos passaportes.

motivo da viagem. Em tais casos, há diferença em viagem, por

exemplo, para o tratamento de saúde e viagem de férias, Destaco que a divergência do juiz César Silveira é importante, e há

notadamente quando o paciente sofre atos de natureza executória. decisão recente do STJ no mesmo sentido (REsp Nº 1.782.418 -

Além disso, os impetrantes não colacionaram sequer o comprovante RJ, Rel. Min. Nancy Andrighi), mas os impetrantes não alegaram

de viagem. Na verdade, o documento de fls. 47-49 não é suficiente incapacidade de pagar. Nem alegaram justo motivo que impeça a

para comprovar o efetivo e prévio agendamento, até porque não suspensão do direito de viajar ao exterior.

consta a própria data compra da passagem. Ao contrário, o

mencionado documento apenas traz um itinerário com destino a Los Admito e denego totalmente.

Angeles, a ser, possivelmente, realizado por 4 (quatro) pessoas. É

sabido que o habeas corpus, possuindo cognição sumária, é infenso

à dilação probatória, tampouco admite aprofundada análise de

provas e fatos controvertidos.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 38
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

MÁRIO SÉRGIO BOTTAZZO Ante os fundamentos acima expostos, concedo integralmente a

segurança, revogando não apenas a a preensão/suspensão do

Desembargador passaporte, mas também a da CNH dos impetrantes.

VOTO VENCIDO

DIVERGÊNCIA PARCIAL CÉSAR SILVEIRA

Juiz do Trabalho

É certo que há permissivo legal para adoção de medidas atípicas,

com o objetivo de garantir a prestação jurisdicional, a teor do artigo

139, inciso IV, do CPC. Acórdão


Processo Nº MSCiv-0010346-57.2018.5.18.0000
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
Isso não obstante, entendo que tal dispositivo não pode ser IMPETRANTE RUBENS MIRANDA DA SILVA
ADVOGADO ARTENIO BATISTA DA SILVA
interpretado de forma isolada, sendo necessário sopesá-lo com as JUNIOR(OAB: 35707/GO)
regras e os princípios infraconstitucionais e constitucionais que IMPETRANTE SANDRA HELENA DE CARVALHO
MIRANDA
norteiam o ordenamento jurídico, a exemplo do artigo 8º do CPC, ADVOGADO ARTENIO BATISTA DA SILVA
JUNIOR(OAB: 35707/GO)
segundo o qual, ao aplicar a lei, "o juiz atenderá aos fins sociais e
IMPETRADO Juízo da 7ª Vara do Trabalho de
às exigências do bem comum, resguardando e promovendo a Goiânia
TERCEIRO CLEONE PEREIRA DOS SANTOS
dignidade da pessoa humana e observando a proporcionalidade, a INTERESSADO
razoabilidade, a legalidade, a publicidade e a eficiência”, e do artigo ADVOGADO WILLIAN DE MORAIS LOPES(OAB:
40562/GO)
5º da Constituição Federal, que assegura a inviolabilidade dos CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
direitos fundamentais a todos os brasileiros e estrangeiros

residentes no país. Intimado(s)/Citado(s):


- SANDRA HELENA DE CARVALHO MIRANDA

Deste modo, entendo que a apreensão de CNH é razoável apenas

quando restar evidenciado nos autos que, a despeito de se negar a

quitar suas dívidas trabalhistas, o devedor dela se utiliza para


PODER JUDICIÁRIO
deleite pessoal, ostentando riqueza ao dirigir veículos de luxo, entre
JUSTIÇA DO TRABALHO
outras situações. Contudo, não há nos autos elementos de

convicção nesse sentido.

Se por um lado pode-se entender que o devedor, eventualmente,

utilize sua carteira de habilitação para deleite, a presunção inversa

também pode ocorrer, entendendo-se o documento como

instrumento para trabalho, situação que poderia, inclusive, auxiliá-lo PROCESSO TRT - MS - 0010346-57.2018.5.18.0000

a se desincumbir de suas obrigações financeiras.


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

Tenho que, sem esses elementos, a apreensão de eventual CNH,

caracteriza ofensa à dignidade da pessoa humana e afronta direitos IMPETRANTE : SANDRA HELENA DE CARVALHO MIRANDA

fundamentais. Alguns devem porque não querem pagar. Outros, no

entanto, devem porque não têm como pagar. A situação concreta, ADVOGADO : ARTENIO BATISTA DA SILVA JUNIOR

caso a caso, deveria ser levada em consideração para o

deferimento das “medidas indutivas, coercitivas, mandamentais ou IMPETRANTE : RUBENS MIRANDA DA SILVA

sub-rogatórias necessárias” ao cumprimento da obrigação.


ADVOGADO : ARTENIO BATISTA DA SILVA JUNIOR

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 39
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

IMPETRADO : JUÍZO DA 7ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA

LITISCONSORTE : CLEONE PEREIRA DOS SANTOS

ADVOGADO : WILLIAN DE MORAIS LOPES

CUSTOS LEGIS : MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

RELATÓRIO

EMENTA

SANDRA HELENA DE CARVALHO MIRANDA e RUBENS

MIRANDA DA SILVA impetraram mandado de segurança, com

pedido liminar, em face de ato do Juízo da 7ª Vara do Trabalho de

Goiânia-GO, proferidos na RT-0010190-53.2015.5.18.0007,

consistente na determinação de "suspensão e apreensão,

respectivamente, da carteira nacional de habilitação e passaporte,

"MANDADO DE SEGURANÇA. SUSPENSÃO DE CNH DE registrados em nome" dos impetrantes.

DEVEDOR TRABALHISTA. APLICAÇÃO DO ART. 139, III DO

CPC. INEXISTÊNCIA DE ATO ILEGAL E DE VIOLAÇÃO DO

DIREITO DE IR E VIR. A determinação de suspensão e apreensão

da CNH dos sócios executados, depois de exauridas, em face da O pedido liminar foi parcialmente deferido.

empresa e dos sócios, todas as tentativas de satisfação do débito

executado, não constitui ato ilícito. A matéria está disciplinada no

art. 139,III do CPC, dispositivo aplicado subsidiariamente ao

processo de execução trabalhista tanto por força do art. 15 do CPC Cientificado do teor da decisão liminar, o Juízo Impetrado não

quanto do art. 3º, III da Instrução Normativa nº 39/2016 do c. TST. prestou informações.

Ademais, a restrição não impede o direito de ir e vir, uma vez que a

parte pode utilizar-se de outros meios de para locomover-se.

Mandado de segurança a que se nega provimento" (MS-0010837-

98.2017.5.18.0000; TRT 18ª Região; Tribunal Pleno; Relator O litisconsorte, devidamente citado, manifestou-se nos autos.

Desembargador Eugênio José Cesário Rosa; DEJT nº 2475/2018,

de 16/05/2018).

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 40
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Assim, preenchidos os pressupostos legais, admito.

Parecer do Ministério Público do Trabalho pela "admissão do

mandamus e, no mérito, pela concessão parcial da segurança, nos

termos da decisão que deferiu parcialmente a liminar".

VOTO

MÉRITO

CABIMENTO

APREENSÃO E SUSPENSÃO DE CNH E PASSAPORTE

SANDRA HELENA DE CARVALHO MIRANDA e RUBENS

Cabível a ação mandamental, tendo em vista que o ato em questão MIRANDA DA SILVA impetraram mandado de segurança, com

não pode ser atacado por outro meio processual eficaz e rápido. pedido liminar, em face de ato do Juízo da 7ª Vara do Trabalho de

Goiânia-GO, proferidos na RT-0010190-53.2015.5.18.0007,

consistente na determinação de "suspensão e apreensão,

respectivamente, da carteira nacional de habilitação e passaporte,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 41
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

registrados em nome" dos impetrantes. 67.2017.5.18.0000, julgado pelo Tribunal Pleno e relatado pelo

Exmo. Desembargador Paulo Pimenta, cujos fundamentos pedia

vênia para adotar como razões de decidir. Em uma análise

perfunctória, autorizada em sede preliminar, ante a exiguidade de

Alegaram ter havido violações a direitos líquidos e certos, ante a prazo conferida a tal mister, constatei a princípio que os impetrantes

execução se consumar apenas "sobre o patrimônio do devedor", "e tinham razão, pois presentes o fumus boni iuris e o periculum in

não sobre a sua[s] pessoa[s]". Dizem que "o processo de execução mora.

tem como escopo a satisfação do crédito do autor e não

simplesmente a punição do devedor". Portanto, concedi a liminar para suspender imediatamente o ato do

Juízo Impetrado, liberando as CNH's e passaportes dos

impetrantes.

Ressaltaram que a "limitação ao Direito de Ir e Vir é algo tão grave Ocorre que os membros do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª

quanto a própria limitação da Liberdade, razão pela qual é Região, por maioria, refluindo sobre a matéria, passaram a entender

necessário, apenas pelo quanto aqui arguido, seja reconhecida a que a 'determinação de suspensão e apreensão da CNH dos sócios

abusividade da Ordem". executados, depois de exauridas, em face da empresa e dos sócios,

todas as tentativas de satisfação do débito executado, não constitui

ato ilícito'. Com efeito, a razão da mencionada

suspensão/apreensão - para a maioria do Tribunal Pleno do TRT da

Afirmaram ter demonstrado a existência dos requisitos necessários 18ª Região - resta autorizada pelo art. 139 do CPC, sem que tal

para o deferimento da liminar pretendida neste mandamus, no restrição impeça 'o direito de ir e vir, uma vez que a parte pode

sentido de cassar imediatamente a decisão do Juízo Impetrado, utilizar-se de outros meios para locomover-se' (MS-0010837-

ante a presença do fumus boni juris, caracterizado pela lesão a 98.2017.5.18.0000, de relatoria do Exmo. Desembargador Eugênio

direito líquido e certo (demonstrada de plano, acima de toda José Cesário Rosa). Desse entendimento esta Relatora passou a

dúvida), e do periculum in mora decorrente do prejuízo irreparável compartilhar, inclusive em virtude de decisão recente proferida pelo

que a prática do ato atacado acarreta. STJ (HABEAS CORPUS Nº 411.519 - SP 2017/0198003-7; Relator

Ministro Moura Ribeiro).

Com efeito, o artigo 139, IV, do CPC, estabelece:

Ao final, requereram a confirmação da liminar, com a concessão da

segurança em definitivo. 'Art. 139. O juiz dirigirá o processo conforme as disposições deste

Código, incumbindo-lhe:

(...)

Pois bem.

IV - determinar todas as medidas indutivas, coercitivas,

mandamentais ou sub-rogatórias necessárias para assegurar o

cumprimento de ordem judicial, inclusive nas ações que tenham por

Esta Relatora deferiu parcialmente o pedido liminar, ante os objeto prestação pecuniária;'.

seguintes fundamentos, in verbis:

A Instrução Normativa nº 39/2016 do TST (aprovada pela

Resolução nº 203/2016 do TST), embora reconheça a aplicabilidade

do artigo 139, IV, do CPC/2015 ao processo do trabalho, ressalta:

"Esta Relatora, inicialmente, verificou que o ato do Juízo Impetrado

estava em desacordo com o entendimento atual e majoritário deste 'Art. 1° Aplica-se o Código de Processo Civil, subsidiária e

Regional, conforme se extraía do julgamento do MS-0010755- supletivamente, ao Processo do Trabalho, em caso de omissão e

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 42
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

desde que haja compatibilidade com as normas e princípios do de 16/05/2018).

Direito Processual do Trabalho, na forma dos arts. 769 e 889 da

CLT e do art. 15 da Lei nº 13.105, de 17.03.2015'.

Neste aspecto, embora entenda ser indevida a determinação de Assim, ratifico a decisão liminar e, em definitivo, concedo

apreensão/suspensão dos passaportes, por violar o direito de ir e vir parcialmente a segurança, suspendendo os efeitos da determinação

dos executados, a meu ver, a determinação de exarada pelo Juízo Impetrado apenas quanto à

apreensão/suspensão das CNH's não importa violação ao direito de apreensão/suspensão dos passaportes dos executados, mantendo,

ir e vir. por outro lado, a determinação de suspensão/apreensão das CNH's

dos impetrantes/executados Rubens Miranda da Silva e Sandra

Nessa senda, em que pese o entendimento inicial desta Relatora Helena de Carvalho Miranda.

sobre o tema, mas atenta às recentes decisões plenárias e em

prestígio à segurança jurídica, reconsidero a decisão de fls. 40/44 e

defiro parcialmente a liminar, suspendendo os efeitos da

determinação exarada pelo Juízo Impetrado apenas quanto à

apreensão/suspensão dos passaportes dos executados, mantendo,

por outro lado, a determinação de suspensão/apreensão das

CNH's".

Constato que não surgiu nenhum fato novo ou importante, após o

deferimento da segurança, em sede liminar, apto a alterá-lo.

Transcrevo, por oportuno, a ementa do julgado citado na decisão CONCLUSÃO

liminar, verbis:

"MANDADO DE SEGURANÇA. SUSPENSÃO DE CNH DE

DEVEDOR TRABALHISTA. APLICAÇÃO DO ART. 139, III DO

CPC. INEXISTÊNCIA DE ATO ILEGAL E DE VIOLAÇÃO DO

DIREITO DE IR E VIR. A determinação de suspensão e apreensão

da CNH dos sócios executados, depois de exauridas, em face da Admito o presente mandamus e, no mérito, concedo parcialmente a

empresa e dos sócios, todas as tentativas de satisfação do débito segurança pleiteada, nos termos da fundamentação expendida.

executado, não constitui ato ilícito. A matéria está disciplinada no

art. 139,III do CPC, dispositivo aplicado subsidiariamente ao

processo de execução trabalhista tanto por força do art. 15 do CPC

quanto do art. 3º, III da Instrução Normativa nº 39/2016 do c. TST. Custas processuais, pela União, no valor de R$20,00, calculadas

Ademais, a restrição não impede o direito de ir e vir, uma vez que a sobre R$1.000,00, valor dado à causa, isenta.

parte pode utilizar-se de outros meios de para locomover-se.

Mandado de segurança a que se nega provimento" (MS-0010837-

98.2017.5.18.0000; TRT 18ª Região; Tribunal Pleno; Relator

Desembargador Eugênio José Cesário Rosa; DEJT nº 2475/2018,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 43
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Participaram do julgamento presencial, presidido pelo

Excelentíssimo Desembargador Paulo Pimenta (Presidente do

Tribunal), os Excelentíssimos Desembargadores Daniel Viana

Júnior (Vice-Presidente e Corregedor), Kathia Maria Bomtempo de

Albuquerque, Gentil Pio de Oliveira, Mário Sérgio Bottazzo, Geraldo

Rodrigues do Nascimento, Eugênio José Cesário Rosa, Iara

Teixeira Rios, Welington Luis Peixoto, Silene Aparecida Coelho,

Rosa Nair da Silva Nogueira Reis e os Excelentíssimos Juízes

convocados César Silveira (em substituição no gabinete do

Excelentíssimo Desembargador Platon Teixeira de Azevedo Filho),

Celso Moredo Garcia (em substituição no gabinete do

Excelentíssimo Desembargador Aldon do Vale Alves Taglialegna) e

Israel Brasil Adourian (em substituição no gabinete do

Excelentíssimo Desembargador Elvecio Moura dos Santos).

Representou o Ministério Público do Trabalho, a Excelentíssima

Procuradora Cirêni Batista Ribeiro. Goiânia, 06 de agosto de 2019.

Acórdão

Vistos, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os membros

do egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em IARA TEIXEIRA RIOS

sessão plenária presencial hoje realizada, por unanimidade, em

admitir a ação mandamental e, no mérito, por maioria, conceder Desembargadora Relatora

parcialmente a segurança postulada apenas quanto aos

passaportes, denegando-a quanto às CNH's, nos termos do voto da

relatora. Vencidos parcialmente os Excelentíssimos

Desembargadores Welington Luis Peixoto, Gentil Pio de Oliveira e

Geraldo Rodrigues do Nascimento e o Excelentíssimo Juiz

convocado César Silveira, que juntará razões, os quais concediam a

segurança. Vencidos in totum os Excelentíssimos

Desembargadores Mário Sérgio Bottazzo, que juntará as razões de

seu voto, e Rosa Nair da Silva Nogueira Reis, que denegavam a

segurança.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 44
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

lhe pareça' (FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Curso de direito

constitucional. 38. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 264). No mesmo

rumo, a lição de Ingo Sarlet, Luiz Guilherme Marinoni e Daniel

Mitidiero: (...) Nessa senda, ainda que a sistemática do código de

Voto vencido 2015 tenha admitido a imposição de medidas coercitivas atípicas,

não se pode perder de vista que a base estrutural do ordenamento

jurídico é a Constituição Federal, que resguarda de maneira

absoluta o direito de ir e vir, em seu art. 5º, XV. Não bastasse isso,

como antes assinalado, o próprio diploma processual civil de 2015

cuidou de dizer que, na aplicação do direito, o juiz não terá em mira

apenas a eficiência do processo, mas também os fins sociais e as

exigências do bem comum, devendo ainda resguardar e promover a

dignidade da pessoa humana, observando a proporcionalidade, a

MS - 0010346-57.2018.5.18.0000 razoabilidade e a legalidade. Destarte, o fato de o legislador,

quando da redação do art. 139, IV, dispor que o juiz poderá

determinar todas as medidas indutivas, coercitivas, mandamentais

ou subrogatórias, não pode significar franquia à determinação de

medidas capazes de alcançar a liberdade pessoal do devedor, de

forma desarrazoada, considerado o sistema jurídico em sua

VOTO VENCIDO totalidade. Assim, entendo que a decisão judicial que, no âmbito de

ação de cobrança de duplicata, determina a suspensão do

passaporte do devedor e, diretamente, impede o deslocamento do

atingido, viola os princípios constitucionais da liberdade de

Quanto à apreensão dos passaportes dos devedores, antes do locomoção e da legalidade, independentemente da extensão desse

mais, ressalto que a Quarta Turma do STJ já decidiu, nos termos do impedimento. Na verdade, segundo penso, considerando-se que a

voto do relator Min. Luis Felipe Salomão, no já citado HC 97.876-SP medida executiva significa restrição de direito fundamental de

em 05/06/2016, que a apreensão do passaporte do devedor viola caráter constitucional, sua viabilidade condiciona-se à previsão legal

seu direito de ir e vir. Transcrevo: específica, tal qual se verifica em âmbito penal, firme, ademais, no

que dispõe o inciso XV do artigo 5° da Constituição Federal,

"No caso dos autos, observada a máxima vênia, quanto à segundo o qual 'é livre a locomoção no território nacional em tempo

suspensão do passaporte do executado/paciente, tenho por de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar,

necessária a concessão da ordem, com determinação de restituição permanecer ou dele sair com seus bens'. A meu juízo, raciocínio

do documento a seu titular, por considerar a medida coercitiva ilegal diverso pode conduzir à aceitação de que medidas coercitivas, que

e arbitrária, uma vez que restringiu o direito fundamental de ir e vir por natureza voltam-se ao 'convencimento' do coagido ao

de forma desproporcional e não razoável. Com efeito, não é difícil cumprimento da obrigação que lhe compete, sejam transformadas

reconhecer que a apreensão do passaporte enseja embaraço à em medidas punitivas, sancionatórias, impostas ao executado pelos

liberdade de locomoção do titular, que deve ser plena, e, enquanto descumprimentos, embaraços e indignidades cometidas no curso

medida executiva atípica, não prescinde, como afirmado, da do processo. Nesse passo, cumpre ressaltar que, no caso dos

demonstração de sua absoluta necessidade e utilidade, sob pena autos, não foi observado o contraditório no ponto, nem tampouco a

de atingir indevidamente direito fundamental de índole constitucional decisão que implementou a medida executiva atípica apresentou

(art. 5º, incisos XV e LIV). Acerca da liberdade de locomoção, qualquer fundamentação à grave restrição de direito do executado.

Manoel Gonçalves Ferreira Filho destaca ser o 'direito de ir, vir e De fato, a decisão de fl. 30 limitou-se a deferir o pedido feito pelo

também de ficar - jus manendi, ambulandi, eundi ultro citroque - exequente de suspensão do passaporte e CNH, sem preocupar-se

primeira de todas as liberdades, sendo condição de quase todas as com a demonstração de sua necessidade e utilidade. Conforme

demais. Consiste em poder o indivíduo deslocar-se de um lugar defende M. Y. Minami, tratando sobre o tema aqui debatido, 'as

para outro, ou permanecer cá ou lá, segundo lhe convenha ou bem decisões devem ser obedecidas como regra e o emprego da força

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 45
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

estatal contra os teimosos ou de mecanismos que os obriguem a Paulo, assim ementado: (...). Aduzem que o paciente é devedor em

cumprir seus débitos será apenas a exceção', bem como, porque ação de reparação de danos em fase de cumprimento de sentença

'(...) não se admite a aplicação de uma medida de coerção ou sub- iniciada em meados do ano de 2013. Constatado que não possuía

rogação sem que a decisão justifique a razão da medida escolhida'. bens nem meios suficientes para realizar o pagamento da dívida, a

(Breves apontamentos sobre a generalização das medidas de exequente requereu ao juízo de 1º grau a apreensão do passaporte

efetivação no CPC 2015: do processo para além da decisão. In: e da carteira nacional de habilitação, assim como o cancelamento

Coleção novo cpc doutrina selecionada. PEIXOTO, Ravi [et tal]. v. dos cartões de crédito e débito do paciente. Informam que, em

5. 2. ed. rev. e atual. Salvador: JusPodivm, 2016, p. 323). Na exata março de 2017, sobreveio decisão do juízo de piso indeferindo o

linha, mesmo os que defendem a possibilidade de apreensão de pedido por falta de amparo legal. A credora, então, interpôs agravo

documentos, a bem da satisfação da obrigação, por todos, cito de instrumento, julgado parcialmente provido, consoante registra a

Daniel Amorim Assumpção Neves, reconhecem que, em processo ementa acima, para o fim de apreender o passaporte, a carteira

de execução de obrigação de pagar quantia, para que o julgador se nacional de habilitação, bem como bloquear os cartões de crédito

utilize de meios executivos atípicos, a decisão deve ser do paciente. Consignam que a referida decisão viola o direito de ir e

fundamentada e sujeita ao contraditório, demonstrando-se a vir do paciente, atingindo o princípio da dignidade da pessoa

excepcionalidade da medida adotada em razão da ineficácia dos humana e impedindo o gozo de diversos direitos básicos da vida

meios executivos típicos, sob pena de configurar-se como sanção cotidiana, sendo cabível, portanto, a impetração do presente writ.

processual, afastando-se de seu desiderato (NEVES, Daniel Salientam que o art. 139, IV, do CPC/2015, embora permita ao juiz

Amorim Assumpção. Medidas executivas atípicas na execução de adotar todas as medidas indutivas, coercitivas, mandamentais ou

obrigação de pagar quantia certa: art. 139, IV, do novo CPC. sub-rogatórias necessárias para assegurar o cumprimento de ordem

Revista de Processo, v. 42, n. 265, mar. 2017, p. 13). No rumo judicial, não pode mitigar direitos e garantias fundamentais

desse raciocínio, uma vez mais, Minami é quem adverte que 'a

utilização de medidas não previstas apenas deve acontecer quando previstos na Constituição Federal e em tratados internacionais. Em

aquelas já previstas se mostrarem ineficientes e/ou o devedor se sede liminar, registram que estão presentes os pressupostos para a

valer de ardis para não realizar a prestação devida' (Idem)." concessão da tutela provisória, pois, além de as violações

apontadas demonstrarem a probabilidade do direito invocado, há

efetivo perigo de dano, visto que o paciente possui viagem ao

exterior, em compromisso pré-agendado e inadiável, marcado entre

Contudo, o próprio Min. Luis Felipe Salomão já decidiu os dias 11/5 e 20/5. Requerem, por fim, a concessão da ordem de

monocraticamente no HC 443.348 - SP em 09/04/2018 no sentido habeas corpus, para cassar o acórdão proferido pela 1ª Câmara de

de que a apreensão dos passaportes não resulta em violação do Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, evitando-se,

direito de ir e vir do devedor. Transcrevo : em consequência, o cerceamento do direito de ir e vir do paciente.

É o relatório. Decido. 2. Inicialmente, impende consignar que a

"HABEAS CORPUS Nº 443.348 - SP (2018/0073134-9) RELATOR: Corte de origem determinou a retenção do passaporte do paciente,

MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO IMPETRANTE: MARISTELA ao fundamento de ausência de bens para garantir os atos

ASSIS DOS SANTOS E OUTROS ADVOGADOS: MÁRIO DE executórios, conforme se divisa na transcrição de parte do acórdão,

OLIVEIRA FILHO - SP054325 RICARDO CALIL HADDAD ATALA - litteris: (...) Os impetrantes salientam que tal medida é

SP214749 desproporcional, por violar o direito de ir e vir, em virtude de dívida

civil. Informam, ainda, que o paciente possui viagem internacional

PAULO HENRIQUE DOS SANTOS - SP287897 MARISTELA previamente agendada, razão pela qual se materializa evidente

ASSIS DOS SANTOS - SP338705 IMPETRADO: TRIBUNAL DE ofensa ao direito de locomoção, apta a ser sanada pela via do

JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO PACIENTE: HERBERT presente writ. Não obstante os argumentos engendrados, não se

GAUSS JUNIOR DECISÃO 1. Mário de Oliveira Filho, Ricardo Calil vislumbra, na hipótese vertente, efetiva violação ao direito de ir e vir.

Haddad Atala, Paulo Henrique dos Santos e Maristela Assis dos Com efeito, muito embora os impetrantes sustentem a

Santos impetram habeas corpus em favor do paciente H. G. J., desproporcionalidade da medida de retenção do passaporte,

contra ato praticado pelos Desembargadores que compõem a 1ª deixam de apontar o efetivo valor da dívida civil, com o desiderato

Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São de apurar-se a razoabilidade da coerção imposta pela Corte de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 46
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

origem. Veja-se que o art. 139, IV, do CPC/2015 permite ao máxime porque, conforme salientado amiúde, não é possível

magistrado determinar todas as medidas indutivas, coercitivas, diligenciar acerca do arcabouço probatório a título de impetração do

mandamentais ou sub-rogatórias necessárias para assegurar o remédio heroico."

cumprimento da ordem judicial, inclusive nas ações que tenham por

objeto a prestação pecuniária. Deve-se ressaltar que a novel

codificação optou por não especificar, no referido artigo, quais são

as medidas indutivas, coercitivas, mandamentais ou sub-rogatórias Dito isso, é certo que o direito de ir e vir dos executados é violado

passíveis de determinação, mesmo porque nenhum elenco seria quando seus passaportes são apreendidos. Contudo, houve a

capaz de exauri-las. Em síntese, o que verdadeiramente importa é violação de direitos trabalhistas do reclamante e os direitos

que as providências sejam adequadas para a concretização do trabalhistas estão inseridos no rol dos direitos e garantias

comando judicial, proporcionais à finalidade perseguida. (MACIEL, fundamentais da Constituição da República Federativa do Brasil.

Daniel Baggio. Comentários ao código de processo civil. (Angélica

Arruda Alvim, Araken de Assis, Eduardo Arruda Alvim e George Há, no caso dos autos, portanto, conflito entre direitos

Salomão Leite coords.) São Paulo: Saraiva, 2016, p. 214) Dessa fundamentais.

forma, não se considera ilegal, em análise adstrita à cognição

sumária, a retenção de passaporte, notadamente quando a própria Os direitos fundamentais não são absolutos e no caso de conflito

parte interessada, ao defender a desproporcionalidade da medida, entre eles, um deve ser relativizado para que um prevaleça sobre o

deixou de apontar o valor devido, limitando-se a registrar que é outro que se mostra mais adequado ao caso concreto.

devedor em ação de reparação de danos em fase de cumprimento

de sentença. Ora, não é possível perquirir eventual Por ponderação, no caso dos autos o direito fundamental de ir e vir

desproporcionalidade sem cotejar-se as premissas do caso, do executado deve ser relativizado diante do desrespeito aos

concretizadas pela retenção do passaporte e do valor devido em direitos fundamentais trabalhistas.

sede de reparação por danos. Em outras palavras, não é possível

extrair a síntese, o resultado, a conclusão de possível Ressalto, por fim, que se o executado não têm como solver a dívida,

irrazoabilidade, quando a própria parte não informa os dados presumivelmente também não têm recursos para viagens

necessários para a realização do juízo de valor. Ademais, apenas internacionais. E se tiverem recursos para realizarem viagens

na fundamentação do pedido de liminar, os impetrantes apontam internacionais, poderão quitar a dívida, o que torna a medida

que o paciente possui viagem ao exterior, agendada entre os dias coercitiva eficaz.

11.5.2018 e 20.5.2018, em compromisso pré-agendado e inadiável.

Não obstante, não há qualquer registro ou informação sobre o Do exposto, denego totalmente, inclusive quanto aos passaportes.

motivo da viagem. Em tais casos, há diferença em viagem, por

exemplo, para o tratamento de saúde e viagem de férias, Destaco que a divergência do juiz César Silveira é importante, e há

notadamente quando o paciente sofre atos de natureza executória. decisão recente do STJ no mesmo sentido (REsp Nº 1.782.418 -

Além disso, os impetrantes não colacionaram sequer o comprovante RJ, Rel. Min. Nancy Andrighi), mas os impetrantes não alegaram

de viagem. Na verdade, o documento de fls. 47-49 não é suficiente incapacidade de pagar. Nem alegaram justo motivo que impeça a

para comprovar o efetivo e prévio agendamento, até porque não suspensão do direito de viajar ao exterior.

consta a própria data compra da passagem. Ao contrário, o

mencionado documento apenas traz um itinerário com destino a Los Admito e denego totalmente.

Angeles, a ser, possivelmente, realizado por 4 (quatro) pessoas. É

sabido que o habeas corpus, possuindo cognição sumária, é infenso

à dilação probatória, tampouco admite aprofundada análise de

provas e fatos controvertidos.

Dessa forma, deveriam os impetrantes trazer originariamente aos MÁRIO SÉRGIO BOTTAZZO

autos as informações completas, bem como as respectivas provas

necessárias à comprovação do suposto direito subjetivo violado, Desembargador

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 47
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

VOTO VENCIDO

DIVERGÊNCIA PARCIAL CÉSAR SILVEIRA

Juiz do Trabalho

É certo que há permissivo legal para adoção de medidas atípicas,

com o objetivo de garantir a prestação jurisdicional, a teor do artigo

139, inciso IV, do CPC. Acórdão


Processo Nº MSCiv-0010868-84.2018.5.18.0000
Relator ROSA NAIR DA SILVA NOGUEIRA
REIS
Isso não obstante, entendo que tal dispositivo não pode ser
IMPETRANTE MARIA MIQUEZINHA ROSA
interpretado de forma isolada, sendo necessário sopesá-lo com as CAVALCANTE
ADVOGADO JESSICA PAINKOW ROSA
regras e os princípios infraconstitucionais e constitucionais que CAVALCANTE(OAB: 7417/TO)
norteiam o ordenamento jurídico, a exemplo do artigo 8º do CPC, ADVOGADO LEONARDO MATHEUS BARNABE
BATISTA(OAB: 7004/TO)
segundo o qual, ao aplicar a lei, "o juiz atenderá aos fins sociais e IMPETRANTE AMADO OLIMPIO ROSA
às exigências do bem comum, resguardando e promovendo a ADVOGADO JESSICA PAINKOW ROSA
CAVALCANTE(OAB: 7417/TO)
dignidade da pessoa humana e observando a proporcionalidade, a ADVOGADO LEONARDO MATHEUS BARNABE
BATISTA(OAB: 7004/TO)
razoabilidade, a legalidade, a publicidade e a eficiência”, e do artigo
IMPETRADO Juízo da Vara do Trabalho de Uruaçu
5º da Constituição Federal, que assegura a inviolabilidade dos CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
direitos fundamentais a todos os brasileiros e estrangeiros
TERCEIRO UNIÃO FEDERAL (AGU)
residentes no país. INTERESSADO
TERCEIRO JOSE WILTON GOMES DAMASCENA
INTERESSADO
Deste modo, entendo que a apreensão de CNH é razoável apenas ADVOGADO ELLIONAY RODRIGUES DE
PAULA(OAB: 27585/GO)
quando restar evidenciado nos autos que, a despeito de se negar a

quitar suas dívidas trabalhistas, o devedor dela se utiliza para Intimado(s)/Citado(s):


- AMADO OLIMPIO ROSA
deleite pessoal, ostentando riqueza ao dirigir veículos de luxo, entre

outras situações. Contudo, não há nos autos elementos de

convicção nesse sentido.

PODER JUDICIÁRIO
Se por um lado pode-se entender que o devedor, eventualmente, JUSTIÇA DO TRABALHO
utilize sua carteira de habilitação para deleite, a presunção inversa

também pode ocorrer, entendendo-se o documento como

instrumento para trabalho, situação que poderia, inclusive, auxiliá-lo

a se desincumbir de suas obrigações financeiras.

PROCESSO TRT - MS 0010868-84.2018.5.18.0000


Tenho que, sem esses elementos, a apreensão de eventual CNH,

caracteriza ofensa à dignidade da pessoa humana e afronta direitos


RELATORA : DESEMBARGADORA ROSA NAIR DA SILVA
fundamentais. Alguns devem porque não querem pagar. Outros, no
NOGUEIRA REIS
entanto, devem porque não têm como pagar. A situação concreta,

caso a caso, deveria ser levada em consideração para o


IMPETRANTE(S) : AMADO OLIMPIO ROSA
deferimento das “medidas indutivas, coercitivas, mandamentais ou

sub-rogatórias necessárias” ao cumprimento da obrigação.


IMPETRANTE(S) : MARIA MIQUEZINHA ROSA CAVALCANTE

Ante os fundamentos acima expostos, concedo integralmente a


ADVOGADO(S) : JESSICA PAINKOW ROSA CAVALCANTE
segurança, revogando não apenas a a preensão/suspensão do

passaporte, mas também a da CNH dos impetrantes.


IMPETRADO(S) : JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE URUAÇU

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 48
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

LITISCONSORTE : JOSE WILTON GOMES DAMASCENA

AMADO OLIMPIO ROSA e MARIA MIQUEZINHA ROSA

CAVALCANTE ajuízam mandado de segurança contra ato do Juízo

da Vara do Trabalho de Uruaçu/GO que, nos autos de nº 0000305-

15.2015.5.18.0201, e diante do requerimento do exequente,

EMENTA determinou a instauração do incidente de desconsideração da

personalidade jurídica (IDPJ), trazendo à lide a pessoa dos sócios.

Explicam, in verbis - com destaques originais e nossos:

"(...) JOSE WILTON GOMES DAMASCENA, aponta como prova de

'preocupante situação econômica', documentos apresentados nos

TUTELA PROVISÓRIA. CAUTELAR DE ARRESTO. 'PERICULUM autos pela empresa para comprovação de hipossuficiência para

IN MORA'. MERAS DIFICULDADES FINANCEIRAS. NÃO arcar com custas judiciárias e demais despesas processuais como

CONFIGURAÇÃO. NECESSIDADE DE TENTATIVA MALICIOSA recolhimento recursal imediato e satisfazer ao mesmo tempo

DE FRUSTRAÇÃO DA EXECUÇÃO. Para a configuração do dívidas de capital líquido e necessidade imediata, como pagamento

'periculum in mora' necessário à concessão de tutela provisória que da folha de empregados e de financiamentos. E alega em síntese

determina bloqueio de bens, portanto arresto, é insuficiente o que:

estado de dificuldades financeiras do desfavorecido pela medida,

sendo necessária a demonstração de tentativa maliciosa de 'a executada deixa claro sua preocupante situação econômica,

frustração da execução." (MS-0010977-35.2017.5.18.0000, Rel. onde, dentre outros, revela a contratação de alguns empréstimos

Des. Paulo Pimenta, j. 08/05/2018) bancários não pagos, a existência de diversas execuções fiscais,

relatórios de prestação de contas para renegociação de dívida junto

ao Goiás Fomento (...)

1.3. E após inúmeras ilações em mesmo sentido, sem demonstrar

indícios de dilação patrimonial ou mesmo o exaurimento das

vias possíveis para a obtenção de bens suficientes, o

exequente suscitou o IDPJ frente aos sócios ativos e retirantes

da empresa executada.

1.4. O pedido suscitado fora acolhido pela Autoridade Coatora

RELATÓRIO em 27 de agosto de 2018, direcionando a execução em face dos

sócios: 'a) AMADO OLÍMPIO ROSA (CPF nº 018.742.411-04); b)

MARIA MIQUEZINHA ROSA CAVALCANTE (CPF nº 485.874.781-

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 49
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

68); c) BELMA MARIA ROSA CAVALCANTE (CPF nº 467.270.941 execução aos sócios/impetrantes à ex-sócia.

-87).'"

2.11. E além disso, não há comprovação de quaisquer indícios de

falência, de insolvência, do encerramento ou inatividade da pessoa

jurídica. (...)"

Acrescentam que:

Dizem mais, que o "ato coator que inicia IDPJ, com bloqueio

"2.4. Pois bem, para demonstrar o preenchimento dos pressupostos bancário concedido em cautelar, sem antes, esgotar todas as vias

legais específicos da desconsideração da personalidade jurídica, o possíveis para a obtenção de bens suficientes à execução,

suscitante asseverou como pressuposto que: 'até o presente tumultua o processo e constrange sócios e ex-sócios da

momento, não se vislumbrou êxito' nas tentativas de penhora de empresa."

valores das contas da reclamada via BACENJUD.

2.5. Em seguida, o suscitante apontou como prova de 'estado de

insolvência' da empresa executada, documentos apresentados pela Anexando jurisprudência em abono à sua tese e creditando

Executada para comprovação de hipossuficiência em pedido presentes o fumus boni iuris e o periculum in mora, pedem

específico, já denegado pelo juízo exequente. concessão de liminar "para que seja determinada a suspensão dos

atos de constrição em face dos impetrantes, bem como o

2.6. Adiante, concluiu que: desbloqueio de valores já constritos, até que sobrevenha decisão

transitada em julgado sobre o IDPJ suscitado nos autos do proc. Nº

'tal cenário não se vislumbra capacidade econômica suficiente da 0000305-15.2015.5.18.0201."

Executada para que suporte a penhora de mais uma execução, bem

como oferte bens livres, desembaraçados e de sua propriedade

para a garantia do Juízo.'

No mérito, pedem "seja concedida a segurança para cassar a

decisão que iniciou o IDPJ" e a "confirmação da segurança

requerida em sede liminar, confirmando a ilegalidade do dispositivo

"(...) 2.8. A ilegalidade da decisão consubstancia-se cautelar que determinou atos de constrição em face dos

inicialmente pela falta de preenchimento dos requisitos para impetrantes."

abertura do IDPJ. Neste caso, a teoria da substanciação, assim

como o princípio da adstrição, aceitos e aplicáveis na Justiça do

Trabalho (ver TST Recurso de Revista nº RR - 74300-

98.2008.5.04.0006), vinculam o ato coator aos requisitos legais Com amparo no art. 10 da Lei nº 12.016/09, a petição inicial foi

(art.134, §4º do CPC) suscitados para abertura do IDPJ. indeferida e extinto o processo sem resolução do mérito, nos termos

do art. 485, I, do CPC.

2.9. Preliminarmente, deve-se constar que, até o momento foram

realizados vários bloqueios bancários (BACENJUD) certificados nos

autos do processo nº 0000305-15.2015.5.18.0201, e embora não

tenham garantido por completo a execução, não houve tentativa Inconformados, os impetrantes AMADO OLIMPIO ROSA e MARIA

de quaisquer outros meios de constrição patrimonial da MIQUEZINHA ROSA CAVALVANTE apresentaram agravo

empresa executada. regimental.

2.10. Por si só, a falta do exaurimento de diligências visando a

satisfação da execução, impossibilita o direcionamento da

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 50
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Manifestou-se o Parquet pelo "conhecimento e não provimento do

agravo regimental, mantendo-se a decisão agravada pelos seus

próprios fundamentos." (fls. 541/542)

VOTO

No entanto, em sessão de julgamento, que tomou lugar na data

recente de 19/03/2019, o Pleno desta Corte Regional, por maioria,

conheceu e deu provimento ao agravo regimental para admitir a

ação mandamental, em voto cuja redatoria designada coube ao

Exmo. Desembargador Geraldo Rodrigues do Nascimento. (fls.

559/569)

Deferida a liminar.

ADMISSIBILIDADE

A autoridade dita coatora apresentou informações e o litisconsorte

passivo se manifestou.

Em seguida, os autos retornaram ao Parquet, para análise e

parecer, que oficiou pela revogação da liminar deferida e pela

denegação da segurança, em definitivo.

Resta superada a questão do cabimento do remédio heroico no

caso, com o julgamento do agravo regimental interposto pelos

É o relatório. Impetrantes.

A fim de facilitar a leitura da presente decisão, as folhas aqui Conheço.

mencionadas referem-se ao arquivo eletrônico obtido pelo

descarregamento integral dos presentes autos, via PJe, com a

marcação de todas as caixas de seleção, até o último documento

juntado, observada a "Cronologia" crescente.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 51
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

promover a justiça.

No presente caso, verifico que a empresa executada foi

devidamente citada para pagar ou garantir a execução, no

entanto, permaneceu inerte, configurando-se, portanto, a

inadimplência.

MÉRITO Assim, levando-se em consideração que a nomeação de bens

ou a garantia da execução no prazo legal se trata de um dever

processual do(a) executado(a) decorrente da boa-fé

processual, instauro, com fulcro nas disposições contidas nos

arts. 50 do CC, do art. 28 da Lei 8.078/90, arts. 133 a 137 do

CPC, art. 878 da CLT e art. 6º da IN nº 39/2016 do TST, o

incidente de desconsideração da personalidade jurídica da

Executada, direcionando a execução em face dos sócios:

a) AMADO OLIMPIO ROSA ID. a7a1949 - Pág. 18

b) MARIA MIQUEZINHA ROSA CAVALCANTE ID. a7a1949 - Pág.

18

c) BELMA MARIA ROSA CAVALCANTE ID. a7a1949 - Pág. 18

Para perfeita contextualização, colham-se as decisões que

ensejaram o manejo do writ - in verbis, com destaques originais e Deverá a Secretaria proceder à inclusão, na autuação, dos sócios

nossos: no polo passivo.

Ressalto que a prévia notificação do presente incidente

certamente poderá comprometer o resultado útil do processo,

'DECISÃO com possibilidade de evasão ou transferência de recursos

financeiros, assim, com fulcro específico no §2º do art. 6º da IN

Trata-se de Execução liquidada em R$ 356.636,83, cujas tentativas nº 39/2016 do TST e no artigo 301 do CPC, concedo, ex officio,

de constrição do patrimônio da Executada restaram infrutíferas. tutela provisória de urgência cautelar a fim de determinar o

imediato bloqueio de numerário, via Bacen-Jud, em relação aos

Razão pela qual, o Exequente requer a desconsideração da sócios acima, cujos valores deverão ser mantidos à disposição

personalidade jurídica e o prosseguimento da execução em face do juízo até posterior decisão definitiva sobre o incidente.

dos sócios-proprietários.

Obtendo-se sucesso no bloqueio de qualquer quantia, com ou sem

Atos constitutivos juntados. garantia integral da execução, citem-se os sócios para as

finalidades do art. 135 do CPC, estipulando-se 15 dias para a

Pois bem. manifestação cabível."

O ordenamento jurídico é claro ao dispor que a pessoa jurídica não URUAÇU, 20 de Setembro de 2018

se confunde com a pessoa física ou com a figura dos sócios.

Entretanto, há casos em que a autonomia da pessoa jurídica se põe MANIA NASCIMENTO BORGES DE PINA

como obstáculo à execução (§5º, do artigo 28, da Lei 8.078/90),

sendo imprescindível a aplicação da desconsideração a fim de se Juiz Titular de Vara do Trabalho

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 52
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

objetivo resguardar um direito, ou o resultado útil de um processo.

(fls. 15/16 - ID. 8cdb81c)

A medida cautelar tem como principal escopo conferir instrumentos

que garantam a eficácia do provimento jurisdicional principal.

O novo ato tido como coator foi assim desenvolvido (fls. 586/587 - Possui nítido caráter instrumental, não-satisfativo e sumário. Seu

ID. 8403B07, com destaques originais e nossos): propósito é eliminar os inconvenientes da demora, seja antes ou

durante a tramitação da demanda principal.

Segundo a doutrina, constituem o próprio mérito da pretensão

"DECISÃO cautelar o perigo da demora, ou periculum in mora (como medida de

urgência, a cautelar destina-se a resguardar um direito que não

Conclusos estes autos, em fase de execução, no valor de R$ pode esperar a regular tramitação do processo), e a plausibilidade

356.636,83. do direito a ser resguardado (fumus boni iuris).

Atualmente o processo se encontra suspenso, aguardando o A sumariedade da tutela cautelar deve ser analisada sob os

desenlace de incidente de desconsideração da personalidade aspectos material e formal.

jurídica instaurado pela decisão de fls. 480/481, dos autos do

sistema PJe. A sumariedade formal é representada pelo procedimento

sumarizado. A material, pela suficiência da cognição sumária.

O decisum em questão direcionou a execução em face dos sócios

AMADO OLIMPIO ROSA, MARIA MIQUEZINHA ROSA Com efeito, a tutela de natureza cautelar é concedida diante da

CAVALCANTE e BELMA MARIA ROSA CAVALCANTE, todos mera probabilidade de existência do direito material alegado. Sua

qualificados nos contratos sociais acostados ao processo. concessão funda-se em juízo de verossimilhança, ou probabilidade,

não se exigindo um juízo de certeza. Em verdade, é exigência que

A tentativa de citação dos sócios, para manifestação e decorre da própria urgência, incompatível com uma cognição

requerimento das provas cabíveis, resultou infrutífera. exauriente.

O Exequente foi instado a declinar diretrizes objetivas ao Esse aspecto é realçado pelo requisito do periculum, que, no âmbito

seguimento do feito. do poder geral de cautela, autoriza proteção jurisdicional voltada a

afastar, no caso concreto, o risco de ineficácia do resultado final da

Por meio de petição interlocutória, o Credor forneceu novos pretensão definitiva, funcionando, assim, como aspecto concreto da

endereços para citação, e requereu o deferimento de tutela garantia constitucional de inafastabilidade da tutela jurisdicional.

provisória de urgência de natureza cautelar, para determinação de

arresto de bens imóveis de propriedade dos sócios. Insta frisar, ainda, que o novo CPC não mais prevê cautelares

típicas, mas em seu art. 301, estabelece que a tutela de urgência de

O Exequente providenciou a juntada das certidões de inteiro teor natureza cautelar pode ser efetivada mediante arresto, sequestro,

das matrículas dos imóveis apontados, todas expedidas na data de arrolamento de bens, registro de protesto contra alienação de bem e

18/12/2018 pelo 2º Tabelionato de Notas e Registros de Imóveis de qualquer outra medida idônea para asseguração do direito, somado

Mara Rosa-GO. ainda ao que dispõe o art. 139 do CPC e art. 765 da CLT.

Ao exame. Pois bem.

A tutela cautelar, mais conhecida, no CPC anterior, como medida Examinando sumariamente os autos, verifico que o Autor

cautelar, integra o gênero das tutelas provisórias de urgência indicou as reclamações trabalhistas cujas teceduras de

(CPC/2015). É providência eminentemente acautelatória, tendo por eventos lastrearam a presunção de que a Executada enfrenta

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 53
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

situação econômica desfavorável. (fls. 648/653 daqueles autos).

O temor de dissipação patrimonial possui, portanto, fundo

probante mínimo, apto a desvelar um receio concreto de

ineficácia do resultado final, um perigo real a afastar a Encampando entendimento capitaneado pelo Exmo.

possibilidade de se aguardar a regular tramitação do processo, Desembargador Mário Sérgio Bottazzo, passei a assumir que cabe

sob pena de grave prejuízo ao direito a ser tutelado, ou de ação mandamental "contra ato judicial no processo do trabalho,

tornar-se inútil o resultado final. mesmo existindo recurso com efeito diferido, se o diferimento

implicar perigo de dano ou risco ao resultado útil do processo"

Isto posto, defiro o pedido de tutela cautelar de arresto inaudita (Processo TRT - AgR-0010836-16.2017.5.18.0000, j. em

altera par, com fulcro no art. 300, caput, do CPC, aplicável 06/02/2018). A propósito, o TST já sedimentou o entendimento de

subsidiariamente. que "no caso de a tutela provisória haver sido concedida ou

indeferida antes da sentença, cabe mandado de segurança, em

Intime-se o oficial de registro do 2º Tabelionato de Notas e face da inexistência de recurso próprio" (Súmula 414, II).

Registros de Imóveis de Mara Rosa-GO, a fim de que proceda à

averbação de arresto no valor de R$ 356.636,83 nos registros

dos imóveis cujas certidões de inteiro teor das matrículas

foram juntadas aos autos pelo Exequente. In casu, conforme destacado, a autoridade impetrada fundamentou

a decisão liminar de arresto no artigo 300, caput, do CPC e no fato

As referidas certidões foram expedidas pelo próprio 2º Tabelionato de que "o Autor indicou as reclamações trabalhistas cujas teceduras

de Mara Rosa-GO, na data de 18/12/2018. de eventos lastrearam a presunção de que a Executada enfrenta

situação econômica desfavorável. O temor de dissipação

Friso que o art. 425, inciso VI, do CPC, estatui que as reproduções patrimonial possui, portanto, fundo probante mínimo, apto a

digitalizadas de qualquer documento público ou particular juntadas desvelar um receio concreto de ineficácia do resultado final, um

aos autos por advogados fazem a mesma prova que os originais, perigo real a afastar a possibilidade de se aguardar a regular

ressalvada a alegação motivada e fundamentada de adulteração. tramitação do processo, sob pena de grave prejuízo ao direito a ser

tutelado, ou de tornar-se inútil o resultado final. Isto posto, defiro o

Por fim, efetuem-se as citações dos sócios nos novos pedido de tutela cautelar de arresto inaudita altera par, com fulcro

endereços fornecidos pelo Exequente." no art. 300, caput, do CPC, aplicável subsidiariamente."

(sublinhamos)

Consoante já alinhavado quando da análise da liminar perseguida,

os sócios impetrantes foram atingidos na fase executória embora Entretanto, venia concessa, a mera "presunção" de que a

não constassem como devedores no título executivo judicial e, executada enfrenta situação econômica desfavorável, em razão do

ainda assim, sem terem sido citados para a execução, revelando- ajuizamento de reclamações trabalhistas, não é suficiente para o

se, assim, e ao momento, presente a fumaça do bom direito. acolhimento do pedido de tutela de urgência.

E mais, compulsando-se os autos de origem (nº 0000305- Por certo, embora a autoridade impetrada tenha fundamentado que,

15.2015.5.18.0201), vê-se que ainda pende de solução o incidente repise-se, "o Autor indicou as reclamações trabalhistas cujas

de desconsideração da personalidade jurídica formalizado, sendo teceduras de eventos lastrearam a presunção de que a Executada

certo que o último andamento ali aposto refere-se à manifestação enfrenta situação econômica desfavorável. O temor de dissipação

de AMADO OLIMPIO ROSA e MARIA MIQUEZINHA ROSA patrimonial possui, portanto, fundo probante mínimo, apto a

CAVALCANTE (ora impetrantes), no aspecto - data de 22/05/2019 desvelar um receio concreto de ineficácia do resultado final", não

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 54
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

apontou nenhum ato concreto praticado que nos induza a esta

conclusão. CONCLUSÃO

Vale ressaltar que a exigência de fundamentação é constitucional,

"sob pena de nulidade" (CRFB, art. 93, IX) e a restrição de bens

determinada com fulcro nos arts. 300 e 301 do CPC deve ser

concedida quando necessariamente "houver elementos que

evidenciem a probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco

ao resultado útil do processo".

Admito a ação mandamental e, no mérito, concedo a segurança,

nos termos da decisão que deferiu a liminar.

A propósito:

Custas pela União, de cujo recolhimento está isenta, nos termos do

"TUTELA PROVISÓRIA. CAUTELAR DE ARRESTO. 'PERICULUM art. 790-A, inciso I, da CLT.

IN MORA'. MERAS DIFICULDADES FINANCEIRAS. NÃO

CONFIGURAÇÃO. NECESSIDADE DE TENTATIVA MALICIOSA

DE FRUSTRAÇÃO DA EXECUÇÃO. Para a configuração do

'periculum in mora' necessário à concessão de tutela provisória que É o meu voto.

determina bloqueio de bens, portanto arresto, é insuficiente o

estado de dificuldades financeiras do desfavorecido pela medida,

sendo necessária a demonstração de tentativa maliciosa de

frustração da execução." (MS-0010977-35.2017.5.18.0000, Rel.

Des. Paulo Pimenta, j. 08/05/2018):

Firme nessa linha de raciocínio, ratifico a liminar anteriormente

deferida para conceder, em definitivo, a segurança.

ACÓRDÃO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 55
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ROSA NAIR DA SILVA NOGUEIRA REIS

Relatora

Vistos, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os membros

do egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em

sessão plenária presencial hoje realizada, por unanimidade, em Acórdão


Processo Nº MSCiv-0010868-84.2018.5.18.0000
admitir a ação mandamental e, no mérito, conceder a segurança Relator ROSA NAIR DA SILVA NOGUEIRA
REIS
postulada, nos termos do voto da relatora. Sustentou oralmente pelo
IMPETRANTE MARIA MIQUEZINHA ROSA
litisconsorte o advogado Ellionay Rodrigues de Paula. Presente na CAVALCANTE
ADVOGADO JESSICA PAINKOW ROSA
tribuna pelos impetrantes o advogado Leonardo Matheus Barnabé CAVALCANTE(OAB: 7417/TO)
Batista. ADVOGADO LEONARDO MATHEUS BARNABE
BATISTA(OAB: 7004/TO)
IMPETRANTE AMADO OLIMPIO ROSA
ADVOGADO JESSICA PAINKOW ROSA
CAVALCANTE(OAB: 7417/TO)
ADVOGADO LEONARDO MATHEUS BARNABE
BATISTA(OAB: 7004/TO)
Participaram do julgamento, presidido pelo Excelentíssimo
IMPETRADO Juízo da Vara do Trabalho de Uruaçu
Desembargador Paulo Pimenta (Presidente do Tribunal), os CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Excelentíssimos Desembargadores Daniel Viana Júnior (Vice-
TERCEIRO UNIÃO FEDERAL (AGU)
Presidente e Corregedor), Kathia Maria Bomtempo de Albuquerque, INTERESSADO
TERCEIRO JOSE WILTON GOMES DAMASCENA
Gentil Pio de Oliveira, Mário Sérgio Bottazzo, Geraldo Rodrigues do INTERESSADO
Nascimento, Eugênio José Cesário Rosa, Iara Teixeira Rios, ADVOGADO ELLIONAY RODRIGUES DE
PAULA(OAB: 27585/GO)
Welington Luis Peixoto, Silene Aparecida Coelho, Rosa Nair da

Silva Nogueira Reis e os Excelentíssimos Juízes convocados César Intimado(s)/Citado(s):


- MARIA MIQUEZINHA ROSA CAVALCANTE
Silveira (em substituição no gabinete do Excelentíssimo

Desembargador Platon Teixeira de Azevedo Filho), Celso Moredo

Garcia (em substituição no gabinete do Excelentíssimo

Desembargador Aldon do Vale Alves Taglialegna) e Israel Brasil PODER JUDICIÁRIO


Adourian (em substituição no gabinete do Excelentíssimo JUSTIÇA DO TRABALHO
Desembargador Elvecio Moura dos Santos). Representou o

Ministério Público do Trabalho, a Excelentíssima Procuradora Cirêni

Batista Ribeiro. Goiânia, 06 de agosto de 2019.

PROCESSO TRT - MS 0010868-84.2018.5.18.0000

RELATORA : DESEMBARGADORA ROSA NAIR DA SILVA

NOGUEIRA REIS

IMPETRANTE(S) : AMADO OLIMPIO ROSA

IMPETRANTE(S) : MARIA MIQUEZINHA ROSA CAVALCANTE

ADVOGADO(S) : JESSICA PAINKOW ROSA CAVALCANTE

IMPETRADO(S) : JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE URUAÇU

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 56
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

LITISCONSORTE : JOSE WILTON GOMES DAMASCENA

AMADO OLIMPIO ROSA e MARIA MIQUEZINHA ROSA

CAVALCANTE ajuízam mandado de segurança contra ato do Juízo

da Vara do Trabalho de Uruaçu/GO que, nos autos de nº 0000305-

EMENTA 15.2015.5.18.0201, e diante do requerimento do exequente,

determinou a instauração do incidente de desconsideração da

personalidade jurídica (IDPJ), trazendo à lide a pessoa dos sócios.

Explicam, in verbis - com destaques originais e nossos:

"(...) JOSE WILTON GOMES DAMASCENA, aponta como prova de

TUTELA PROVISÓRIA. CAUTELAR DE ARRESTO. 'PERICULUM 'preocupante situação econômica', documentos apresentados nos

IN MORA'. MERAS DIFICULDADES FINANCEIRAS. NÃO autos pela empresa para comprovação de hipossuficiência para

CONFIGURAÇÃO. NECESSIDADE DE TENTATIVA MALICIOSA arcar com custas judiciárias e demais despesas processuais como

DE FRUSTRAÇÃO DA EXECUÇÃO. Para a configuração do recolhimento recursal imediato e satisfazer ao mesmo tempo

'periculum in mora' necessário à concessão de tutela provisória que dívidas de capital líquido e necessidade imediata, como pagamento

determina bloqueio de bens, portanto arresto, é insuficiente o da folha de empregados e de financiamentos. E alega em síntese

estado de dificuldades financeiras do desfavorecido pela medida, que:

sendo necessária a demonstração de tentativa maliciosa de

frustração da execução." (MS-0010977-35.2017.5.18.0000, Rel. 'a executada deixa claro sua preocupante situação econômica,

Des. Paulo Pimenta, j. 08/05/2018) onde, dentre outros, revela a contratação de alguns empréstimos

bancários não pagos, a existência de diversas execuções fiscais,

relatórios de prestação de contas para renegociação de dívida junto

ao Goiás Fomento (...)

1.3. E após inúmeras ilações em mesmo sentido, sem demonstrar

indícios de dilação patrimonial ou mesmo o exaurimento das

vias possíveis para a obtenção de bens suficientes, o

exequente suscitou o IDPJ frente aos sócios ativos e retirantes

da empresa executada.

1.4. O pedido suscitado fora acolhido pela Autoridade Coatora

RELATÓRIO em 27 de agosto de 2018, direcionando a execução em face dos

sócios: 'a) AMADO OLÍMPIO ROSA (CPF nº 018.742.411-04); b)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 57
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

MARIA MIQUEZINHA ROSA CAVALCANTE (CPF nº 485.874.781- satisfação da execução, impossibilita o direcionamento da

68); c) BELMA MARIA ROSA CAVALCANTE (CPF nº 467.270.941 execução aos sócios/impetrantes à ex-sócia.

-87).'"

2.11. E além disso, não há comprovação de quaisquer indícios de

falência, de insolvência, do encerramento ou inatividade da pessoa

jurídica. (...)"

Acrescentam que:

Dizem mais, que o "ato coator que inicia IDPJ, com bloqueio

"2.4. Pois bem, para demonstrar o preenchimento dos pressupostos bancário concedido em cautelar, sem antes, esgotar todas as vias

legais específicos da desconsideração da personalidade jurídica, o possíveis para a obtenção de bens suficientes à execução,

suscitante asseverou como pressuposto que: 'até o presente tumultua o processo e constrange sócios e ex-sócios da

momento, não se vislumbrou êxito' nas tentativas de penhora de empresa."

valores das contas da reclamada via BACENJUD.

2.5. Em seguida, o suscitante apontou como prova de 'estado de

insolvência' da empresa executada, documentos apresentados pela Anexando jurisprudência em abono à sua tese e creditando

Executada para comprovação de hipossuficiência em pedido presentes o fumus boni iuris e o periculum in mora, pedem

específico, já denegado pelo juízo exequente. concessão de liminar "para que seja determinada a suspensão dos

atos de constrição em face dos impetrantes, bem como o

2.6. Adiante, concluiu que: desbloqueio de valores já constritos, até que sobrevenha decisão

transitada em julgado sobre o IDPJ suscitado nos autos do proc. Nº

'tal cenário não se vislumbra capacidade econômica suficiente da 0000305-15.2015.5.18.0201."

Executada para que suporte a penhora de mais uma execução, bem

como oferte bens livres, desembaraçados e de sua propriedade

para a garantia do Juízo.'

No mérito, pedem "seja concedida a segurança para cassar a

decisão que iniciou o IDPJ" e a "confirmação da segurança

requerida em sede liminar, confirmando a ilegalidade do dispositivo

"(...) 2.8. A ilegalidade da decisão consubstancia-se cautelar que determinou atos de constrição em face dos

inicialmente pela falta de preenchimento dos requisitos para impetrantes."

abertura do IDPJ. Neste caso, a teoria da substanciação, assim

como o princípio da adstrição, aceitos e aplicáveis na Justiça do

Trabalho (ver TST Recurso de Revista nº RR - 74300-

98.2008.5.04.0006), vinculam o ato coator aos requisitos legais Com amparo no art. 10 da Lei nº 12.016/09, a petição inicial foi

(art.134, §4º do CPC) suscitados para abertura do IDPJ. indeferida e extinto o processo sem resolução do mérito, nos termos

do art. 485, I, do CPC.

2.9. Preliminarmente, deve-se constar que, até o momento foram

realizados vários bloqueios bancários (BACENJUD) certificados nos

autos do processo nº 0000305-15.2015.5.18.0201, e embora não

tenham garantido por completo a execução, não houve tentativa Inconformados, os impetrantes AMADO OLIMPIO ROSA e MARIA

de quaisquer outros meios de constrição patrimonial da MIQUEZINHA ROSA CAVALVANTE apresentaram agravo

empresa executada. regimental.

2.10. Por si só, a falta do exaurimento de diligências visando a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 58
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Manifestou-se o Parquet pelo "conhecimento e não provimento do

agravo regimental, mantendo-se a decisão agravada pelos seus

próprios fundamentos." (fls. 541/542)

VOTO

No entanto, em sessão de julgamento, que tomou lugar na data

recente de 19/03/2019, o Pleno desta Corte Regional, por maioria,

conheceu e deu provimento ao agravo regimental para admitir a

ação mandamental, em voto cuja redatoria designada coube ao

Exmo. Desembargador Geraldo Rodrigues do Nascimento. (fls.

559/569)

Deferida a liminar.

A autoridade dita coatora apresentou informações e o litisconsorte ADMISSIBILIDADE

passivo se manifestou.

Em seguida, os autos retornaram ao Parquet, para análise e

parecer, que oficiou pela revogação da liminar deferida e pela

denegação da segurança, em definitivo.

É o relatório. Resta superada a questão do cabimento do remédio heroico no

caso, com o julgamento do agravo regimental interposto pelos

Impetrantes.

A fim de facilitar a leitura da presente decisão, as folhas aqui

mencionadas referem-se ao arquivo eletrônico obtido pelo

descarregamento integral dos presentes autos, via PJe, com a Conheço.

marcação de todas as caixas de seleção, até o último documento

juntado, observada a "Cronologia" crescente.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 59
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Pois bem.

O ordenamento jurídico é claro ao dispor que a pessoa jurídica não

se confunde com a pessoa física ou com a figura dos sócios.

Entretanto, há casos em que a autonomia da pessoa jurídica se põe

como obstáculo à execução (§5º, do artigo 28, da Lei 8.078/90),

sendo imprescindível a aplicação da desconsideração a fim de se

promover a justiça.

No presente caso, verifico que a empresa executada foi

devidamente citada para pagar ou garantir a execução, no

entanto, permaneceu inerte, configurando-se, portanto, a

inadimplência.

MÉRITO

Assim, levando-se em consideração que a nomeação de bens

ou a garantia da execução no prazo legal se trata de um dever

processual do(a) executado(a) decorrente da boa-fé

processual, instauro, com fulcro nas disposições contidas nos

arts. 50 do CC, do art. 28 da Lei 8.078/90, arts. 133 a 137 do

CPC, art. 878 da CLT e art. 6º da IN nº 39/2016 do TST, o

incidente de desconsideração da personalidade jurídica da

Executada, direcionando a execução em face dos sócios:

a) AMADO OLIMPIO ROSA ID. a7a1949 - Pág. 18

b) MARIA MIQUEZINHA ROSA CAVALCANTE ID. a7a1949 - Pág.

18

c) BELMA MARIA ROSA CAVALCANTE ID. a7a1949 - Pág. 18

Para perfeita contextualização, colham-se as decisões que

ensejaram o manejo do writ - in verbis, com destaques originais e Deverá a Secretaria proceder à inclusão, na autuação, dos sócios

nossos: no polo passivo.

Ressalto que a prévia notificação do presente incidente

certamente poderá comprometer o resultado útil do processo,

'DECISÃO com possibilidade de evasão ou transferência de recursos

financeiros, assim, com fulcro específico no §2º do art. 6º da IN

Trata-se de Execução liquidada em R$ 356.636,83, cujas tentativas nº 39/2016 do TST e no artigo 301 do CPC, concedo, ex officio,

de constrição do patrimônio da Executada restaram infrutíferas. tutela provisória de urgência cautelar a fim de determinar o

imediato bloqueio de numerário, via Bacen-Jud, em relação aos

Razão pela qual, o Exequente requer a desconsideração da sócios acima, cujos valores deverão ser mantidos à disposição

personalidade jurídica e o prosseguimento da execução em face do juízo até posterior decisão definitiva sobre o incidente.

dos sócios-proprietários.

Obtendo-se sucesso no bloqueio de qualquer quantia, com ou sem

Atos constitutivos juntados. garantia integral da execução, citem-se os sócios para as

finalidades do art. 135 do CPC, estipulando-se 15 dias para a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 60
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

manifestação cabível." Mara Rosa-GO.

URUAÇU, 20 de Setembro de 2018 Ao exame.

MANIA NASCIMENTO BORGES DE PINA A tutela cautelar, mais conhecida, no CPC anterior, como medida

cautelar, integra o gênero das tutelas provisórias de urgência

Juiz Titular de Vara do Trabalho (CPC/2015). É providência eminentemente acautelatória, tendo por

objetivo resguardar um direito, ou o resultado útil de um processo.

(fls. 15/16 - ID. 8cdb81c)

A medida cautelar tem como principal escopo conferir instrumentos

que garantam a eficácia do provimento jurisdicional principal.

O novo ato tido como coator foi assim desenvolvido (fls. 586/587 - Possui nítido caráter instrumental, não-satisfativo e sumário. Seu

ID. 8403B07, com destaques originais e nossos): propósito é eliminar os inconvenientes da demora, seja antes ou

durante a tramitação da demanda principal.

Segundo a doutrina, constituem o próprio mérito da pretensão

"DECISÃO cautelar o perigo da demora, ou periculum in mora (como medida de

urgência, a cautelar destina-se a resguardar um direito que não

Conclusos estes autos, em fase de execução, no valor de R$ pode esperar a regular tramitação do processo), e a plausibilidade

356.636,83. do direito a ser resguardado (fumus boni iuris).

Atualmente o processo se encontra suspenso, aguardando o A sumariedade da tutela cautelar deve ser analisada sob os

desenlace de incidente de desconsideração da personalidade aspectos material e formal.

jurídica instaurado pela decisão de fls. 480/481, dos autos do

sistema PJe. A sumariedade formal é representada pelo procedimento

sumarizado. A material, pela suficiência da cognição sumária.

O decisum em questão direcionou a execução em face dos sócios

AMADO OLIMPIO ROSA, MARIA MIQUEZINHA ROSA Com efeito, a tutela de natureza cautelar é concedida diante da

CAVALCANTE e BELMA MARIA ROSA CAVALCANTE, todos mera probabilidade de existência do direito material alegado. Sua

qualificados nos contratos sociais acostados ao processo. concessão funda-se em juízo de verossimilhança, ou probabilidade,

não se exigindo um juízo de certeza. Em verdade, é exigência que

A tentativa de citação dos sócios, para manifestação e decorre da própria urgência, incompatível com uma cognição

requerimento das provas cabíveis, resultou infrutífera. exauriente.

O Exequente foi instado a declinar diretrizes objetivas ao Esse aspecto é realçado pelo requisito do periculum, que, no âmbito

seguimento do feito. do poder geral de cautela, autoriza proteção jurisdicional voltada a

afastar, no caso concreto, o risco de ineficácia do resultado final da

Por meio de petição interlocutória, o Credor forneceu novos pretensão definitiva, funcionando, assim, como aspecto concreto da

endereços para citação, e requereu o deferimento de tutela garantia constitucional de inafastabilidade da tutela jurisdicional.

provisória de urgência de natureza cautelar, para determinação de

arresto de bens imóveis de propriedade dos sócios. Insta frisar, ainda, que o novo CPC não mais prevê cautelares

típicas, mas em seu art. 301, estabelece que a tutela de urgência de

O Exequente providenciou a juntada das certidões de inteiro teor natureza cautelar pode ser efetivada mediante arresto, sequestro,

das matrículas dos imóveis apontados, todas expedidas na data de arrolamento de bens, registro de protesto contra alienação de bem e

18/12/2018 pelo 2º Tabelionato de Notas e Registros de Imóveis de qualquer outra medida idônea para asseguração do direito, somado

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 61
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ainda ao que dispõe o art. 139 do CPC e art. 765 da CLT.

E mais, compulsando-se os autos de origem (nº 0000305-

Pois bem. 15.2015.5.18.0201), vê-se que ainda pende de solução o incidente

de desconsideração da personalidade jurídica formalizado, sendo

Examinando sumariamente os autos, verifico que o Autor certo que o último andamento ali aposto refere-se à manifestação

indicou as reclamações trabalhistas cujas teceduras de de AMADO OLIMPIO ROSA e MARIA MIQUEZINHA ROSA

eventos lastrearam a presunção de que a Executada enfrenta CAVALCANTE (ora impetrantes), no aspecto - data de 22/05/2019

situação econômica desfavorável. (fls. 648/653 daqueles autos).

O temor de dissipação patrimonial possui, portanto, fundo

probante mínimo, apto a desvelar um receio concreto de

ineficácia do resultado final, um perigo real a afastar a Encampando entendimento capitaneado pelo Exmo.

possibilidade de se aguardar a regular tramitação do processo, Desembargador Mário Sérgio Bottazzo, passei a assumir que cabe

sob pena de grave prejuízo ao direito a ser tutelado, ou de ação mandamental "contra ato judicial no processo do trabalho,

tornar-se inútil o resultado final. mesmo existindo recurso com efeito diferido, se o diferimento

implicar perigo de dano ou risco ao resultado útil do processo"

Isto posto, defiro o pedido de tutela cautelar de arresto inaudita (Processo TRT - AgR-0010836-16.2017.5.18.0000, j. em

altera par, com fulcro no art. 300, caput, do CPC, aplicável 06/02/2018). A propósito, o TST já sedimentou o entendimento de

subsidiariamente. que "no caso de a tutela provisória haver sido concedida ou

indeferida antes da sentença, cabe mandado de segurança, em

Intime-se o oficial de registro do 2º Tabelionato de Notas e face da inexistência de recurso próprio" (Súmula 414, II).

Registros de Imóveis de Mara Rosa-GO, a fim de que proceda à

averbação de arresto no valor de R$ 356.636,83 nos registros

dos imóveis cujas certidões de inteiro teor das matrículas

foram juntadas aos autos pelo Exequente. In casu, conforme destacado, a autoridade impetrada fundamentou

a decisão liminar de arresto no artigo 300, caput, do CPC e no fato

As referidas certidões foram expedidas pelo próprio 2º Tabelionato de que "o Autor indicou as reclamações trabalhistas cujas teceduras

de Mara Rosa-GO, na data de 18/12/2018. de eventos lastrearam a presunção de que a Executada enfrenta

situação econômica desfavorável. O temor de dissipação

Friso que o art. 425, inciso VI, do CPC, estatui que as reproduções patrimonial possui, portanto, fundo probante mínimo, apto a

digitalizadas de qualquer documento público ou particular juntadas desvelar um receio concreto de ineficácia do resultado final, um

aos autos por advogados fazem a mesma prova que os originais, perigo real a afastar a possibilidade de se aguardar a regular

ressalvada a alegação motivada e fundamentada de adulteração. tramitação do processo, sob pena de grave prejuízo ao direito a ser

tutelado, ou de tornar-se inútil o resultado final. Isto posto, defiro o

Por fim, efetuem-se as citações dos sócios nos novos pedido de tutela cautelar de arresto inaudita altera par, com fulcro

endereços fornecidos pelo Exequente." no art. 300, caput, do CPC, aplicável subsidiariamente."

(sublinhamos)

Consoante já alinhavado quando da análise da liminar perseguida,

os sócios impetrantes foram atingidos na fase executória embora Entretanto, venia concessa, a mera "presunção" de que a

não constassem como devedores no título executivo judicial e, executada enfrenta situação econômica desfavorável, em razão do

ainda assim, sem terem sido citados para a execução, revelando- ajuizamento de reclamações trabalhistas, não é suficiente para o

se, assim, e ao momento, presente a fumaça do bom direito. acolhimento do pedido de tutela de urgência.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 62
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Por certo, embora a autoridade impetrada tenha fundamentado que,

repise-se, "o Autor indicou as reclamações trabalhistas cujas

teceduras de eventos lastrearam a presunção de que a Executada

enfrenta situação econômica desfavorável. O temor de dissipação

patrimonial possui, portanto, fundo probante mínimo, apto a

desvelar um receio concreto de ineficácia do resultado final", não

apontou nenhum ato concreto praticado que nos induza a esta

conclusão.

CONCLUSÃO

Vale ressaltar que a exigência de fundamentação é constitucional,

"sob pena de nulidade" (CRFB, art. 93, IX) e a restrição de bens

determinada com fulcro nos arts. 300 e 301 do CPC deve ser

concedida quando necessariamente "houver elementos que

evidenciem a probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco

ao resultado útil do processo".

A propósito: Admito a ação mandamental e, no mérito, concedo a segurança,

nos termos da decisão que deferiu a liminar.

"TUTELA PROVISÓRIA. CAUTELAR DE ARRESTO. 'PERICULUM

IN MORA'. MERAS DIFICULDADES FINANCEIRAS. NÃO Custas pela União, de cujo recolhimento está isenta, nos termos do

CONFIGURAÇÃO. NECESSIDADE DE TENTATIVA MALICIOSA art. 790-A, inciso I, da CLT.

DE FRUSTRAÇÃO DA EXECUÇÃO. Para a configuração do

'periculum in mora' necessário à concessão de tutela provisória que

determina bloqueio de bens, portanto arresto, é insuficiente o

estado de dificuldades financeiras do desfavorecido pela medida, É o meu voto.

sendo necessária a demonstração de tentativa maliciosa de

frustração da execução." (MS-0010977-35.2017.5.18.0000, Rel.

Des. Paulo Pimenta, j. 08/05/2018):

Firme nessa linha de raciocínio, ratifico a liminar anteriormente

deferida para conceder, em definitivo, a segurança.

ACÓRDÃO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 63
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ROSA NAIR DA SILVA NOGUEIRA REIS

Relatora

Vistos, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os membros

do egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em

sessão plenária presencial hoje realizada, por unanimidade, em

admitir a ação mandamental e, no mérito, conceder a segurança Acórdão


Processo Nº MSCiv-0010868-84.2018.5.18.0000
postulada, nos termos do voto da relatora. Sustentou oralmente pelo Relator ROSA NAIR DA SILVA NOGUEIRA
REIS
litisconsorte o advogado Ellionay Rodrigues de Paula. Presente na
IMPETRANTE MARIA MIQUEZINHA ROSA
tribuna pelos impetrantes o advogado Leonardo Matheus Barnabé CAVALCANTE
ADVOGADO JESSICA PAINKOW ROSA
Batista. CAVALCANTE(OAB: 7417/TO)
ADVOGADO LEONARDO MATHEUS BARNABE
BATISTA(OAB: 7004/TO)
IMPETRANTE AMADO OLIMPIO ROSA
ADVOGADO JESSICA PAINKOW ROSA
CAVALCANTE(OAB: 7417/TO)
Participaram do julgamento, presidido pelo Excelentíssimo ADVOGADO LEONARDO MATHEUS BARNABE
BATISTA(OAB: 7004/TO)
Desembargador Paulo Pimenta (Presidente do Tribunal), os
IMPETRADO Juízo da Vara do Trabalho de Uruaçu
Excelentíssimos Desembargadores Daniel Viana Júnior (Vice- CUSTOS LEGIS MINISTÉRIO PÚBLICO DO
TRABALHO
Presidente e Corregedor), Kathia Maria Bomtempo de Albuquerque,
TERCEIRO UNIÃO FEDERAL (AGU)
Gentil Pio de Oliveira, Mário Sérgio Bottazzo, Geraldo Rodrigues do INTERESSADO
TERCEIRO JOSE WILTON GOMES DAMASCENA
Nascimento, Eugênio José Cesário Rosa, Iara Teixeira Rios, INTERESSADO
Welington Luis Peixoto, Silene Aparecida Coelho, Rosa Nair da ADVOGADO ELLIONAY RODRIGUES DE
PAULA(OAB: 27585/GO)
Silva Nogueira Reis e os Excelentíssimos Juízes convocados César

Silveira (em substituição no gabinete do Excelentíssimo Intimado(s)/Citado(s):


- JOSE WILTON GOMES DAMASCENA
Desembargador Platon Teixeira de Azevedo Filho), Celso Moredo

Garcia (em substituição no gabinete do Excelentíssimo

Desembargador Aldon do Vale Alves Taglialegna) e Israel Brasil

Adourian (em substituição no gabinete do Excelentíssimo PODER JUDICIÁRIO


Desembargador Elvecio Moura dos Santos). Representou o JUSTIÇA DO TRABALHO
Ministério Público do Trabalho, a Excelentíssima Procuradora Cirêni

Batista Ribeiro. Goiânia, 06 de agosto de 2019.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 64
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

PROCESSO TRT - MS 0010868-84.2018.5.18.0000

RELATORA : DESEMBARGADORA ROSA NAIR DA SILVA

NOGUEIRA REIS

IMPETRANTE(S) : AMADO OLIMPIO ROSA

IMPETRANTE(S) : MARIA MIQUEZINHA ROSA CAVALCANTE

ADVOGADO(S) : JESSICA PAINKOW ROSA CAVALCANTE

IMPETRADO(S) : JUÍZO DA VARA DO TRABALHO DE URUAÇU RELATÓRIO

LITISCONSORTE : JOSE WILTON GOMES DAMASCENA

AMADO OLIMPIO ROSA e MARIA MIQUEZINHA ROSA

CAVALCANTE ajuízam mandado de segurança contra ato do Juízo

da Vara do Trabalho de Uruaçu/GO que, nos autos de nº 0000305-

EMENTA 15.2015.5.18.0201, e diante do requerimento do exequente,

determinou a instauração do incidente de desconsideração da

personalidade jurídica (IDPJ), trazendo à lide a pessoa dos sócios.

Explicam, in verbis - com destaques originais e nossos:

"(...) JOSE WILTON GOMES DAMASCENA, aponta como prova de

TUTELA PROVISÓRIA. CAUTELAR DE ARRESTO. 'PERICULUM 'preocupante situação econômica', documentos apresentados nos

IN MORA'. MERAS DIFICULDADES FINANCEIRAS. NÃO autos pela empresa para comprovação de hipossuficiência para

CONFIGURAÇÃO. NECESSIDADE DE TENTATIVA MALICIOSA arcar com custas judiciárias e demais despesas processuais como

DE FRUSTRAÇÃO DA EXECUÇÃO. Para a configuração do recolhimento recursal imediato e satisfazer ao mesmo tempo

'periculum in mora' necessário à concessão de tutela provisória que dívidas de capital líquido e necessidade imediata, como pagamento

determina bloqueio de bens, portanto arresto, é insuficiente o da folha de empregados e de financiamentos. E alega em síntese

estado de dificuldades financeiras do desfavorecido pela medida, que:

sendo necessária a demonstração de tentativa maliciosa de

frustração da execução." (MS-0010977-35.2017.5.18.0000, Rel. 'a executada deixa claro sua preocupante situação econômica,

Des. Paulo Pimenta, j. 08/05/2018) onde, dentre outros, revela a contratação de alguns empréstimos

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 65
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

bancários não pagos, a existência de diversas execuções fiscais, como o princípio da adstrição, aceitos e aplicáveis na Justiça do

relatórios de prestação de contas para renegociação de dívida junto Trabalho (ver TST Recurso de Revista nº RR - 74300-

ao Goiás Fomento (...) 98.2008.5.04.0006), vinculam o ato coator aos requisitos legais

(art.134, §4º do CPC) suscitados para abertura do IDPJ.

1.3. E após inúmeras ilações em mesmo sentido, sem demonstrar

indícios de dilação patrimonial ou mesmo o exaurimento das 2.9. Preliminarmente, deve-se constar que, até o momento foram

vias possíveis para a obtenção de bens suficientes, o realizados vários bloqueios bancários (BACENJUD) certificados nos

exequente suscitou o IDPJ frente aos sócios ativos e retirantes autos do processo nº 0000305-15.2015.5.18.0201, e embora não

da empresa executada. tenham garantido por completo a execução, não houve tentativa

de quaisquer outros meios de constrição patrimonial da

1.4. O pedido suscitado fora acolhido pela Autoridade Coatora empresa executada.

em 27 de agosto de 2018, direcionando a execução em face dos

sócios: 'a) AMADO OLÍMPIO ROSA (CPF nº 018.742.411-04); b) 2.10. Por si só, a falta do exaurimento de diligências visando a

MARIA MIQUEZINHA ROSA CAVALCANTE (CPF nº 485.874.781- satisfação da execução, impossibilita o direcionamento da

68); c) BELMA MARIA ROSA CAVALCANTE (CPF nº 467.270.941 execução aos sócios/impetrantes à ex-sócia.

-87).'"

2.11. E além disso, não há comprovação de quaisquer indícios de

falência, de insolvência, do encerramento ou inatividade da pessoa

jurídica. (...)"

Acrescentam que:

Dizem mais, que o "ato coator que inicia IDPJ, com bloqueio

"2.4. Pois bem, para demonstrar o preenchimento dos pressupostos bancário concedido em cautelar, sem antes, esgotar todas as vias

legais específicos da desconsideração da personalidade jurídica, o possíveis para a obtenção de bens suficientes à execução,

suscitante asseverou como pressuposto que: 'até o presente tumultua o processo e constrange sócios e ex-sócios da

momento, não se vislumbrou êxito' nas tentativas de penhora de empresa."

valores das contas da reclamada via BACENJUD.

2.5. Em seguida, o suscitante apontou como prova de 'estado de

insolvência' da empresa executada, documentos apresentados pela Anexando jurisprudência em abono à sua tese e creditando

Executada para comprovação de hipossuficiência em pedido presentes o fumus boni iuris e o periculum in mora, pedem

específico, já denegado pelo juízo exequente. concessão de liminar "para que seja determinada a suspensão dos

atos de constrição em face dos impetrantes, bem como o

2.6. Adiante, concluiu que: desbloqueio de valores já constritos, até que sobrevenha decisão

transitada em julgado sobre o IDPJ suscitado nos autos do proc. Nº

'tal cenário não se vislumbra capacidade econômica suficiente da 0000305-15.2015.5.18.0201."

Executada para que suporte a penhora de mais uma execução, bem

como oferte bens livres, desembaraçados e de sua propriedade

para a garantia do Juízo.'

No mérito, pedem "seja concedida a segurança para cassar a

decisão que iniciou o IDPJ" e a "confirmação da segurança

requerida em sede liminar, confirmando a ilegalidade do dispositivo

"(...) 2.8. A ilegalidade da decisão consubstancia-se cautelar que determinou atos de constrição em face dos

inicialmente pela falta de preenchimento dos requisitos para impetrantes."

abertura do IDPJ. Neste caso, a teoria da substanciação, assim

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 66
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Com amparo no art. 10 da Lei nº 12.016/09, a petição inicial foi A fim de facilitar a leitura da presente decisão, as folhas aqui

indeferida e extinto o processo sem resolução do mérito, nos termos mencionadas referem-se ao arquivo eletrônico obtido pelo

do art. 485, I, do CPC. descarregamento integral dos presentes autos, via PJe, com a

marcação de todas as caixas de seleção, até o último documento

juntado, observada a "Cronologia" crescente.

Inconformados, os impetrantes AMADO OLIMPIO ROSA e MARIA

MIQUEZINHA ROSA CAVALVANTE apresentaram agravo

regimental.

Manifestou-se o Parquet pelo "conhecimento e não provimento do

agravo regimental, mantendo-se a decisão agravada pelos seus

próprios fundamentos." (fls. 541/542)

VOTO

No entanto, em sessão de julgamento, que tomou lugar na data

recente de 19/03/2019, o Pleno desta Corte Regional, por maioria,

conheceu e deu provimento ao agravo regimental para admitir a

ação mandamental, em voto cuja redatoria designada coube ao

Exmo. Desembargador Geraldo Rodrigues do Nascimento. (fls.

559/569)

Deferida a liminar.

A autoridade dita coatora apresentou informações e o litisconsorte ADMISSIBILIDADE

passivo se manifestou.

Em seguida, os autos retornaram ao Parquet, para análise e

parecer, que oficiou pela revogação da liminar deferida e pela

denegação da segurança, em definitivo.

É o relatório. Resta superada a questão do cabimento do remédio heroico no

caso, com o julgamento do agravo regimental interposto pelos

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 67
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Impetrantes.

'DECISÃO

Conheço. Trata-se de Execução liquidada em R$ 356.636,83, cujas tentativas

de constrição do patrimônio da Executada restaram infrutíferas.

Razão pela qual, o Exequente requer a desconsideração da

personalidade jurídica e o prosseguimento da execução em face

dos sócios-proprietários.

Atos constitutivos juntados.

Pois bem.

O ordenamento jurídico é claro ao dispor que a pessoa jurídica não

se confunde com a pessoa física ou com a figura dos sócios.

Entretanto, há casos em que a autonomia da pessoa jurídica se põe

como obstáculo à execução (§5º, do artigo 28, da Lei 8.078/90),

sendo imprescindível a aplicação da desconsideração a fim de se

promover a justiça.

No presente caso, verifico que a empresa executada foi

devidamente citada para pagar ou garantir a execução, no

entanto, permaneceu inerte, configurando-se, portanto, a

inadimplência.

MÉRITO

Assim, levando-se em consideração que a nomeação de bens

ou a garantia da execução no prazo legal se trata de um dever

processual do(a) executado(a) decorrente da boa-fé

processual, instauro, com fulcro nas disposições contidas nos

arts. 50 do CC, do art. 28 da Lei 8.078/90, arts. 133 a 137 do

CPC, art. 878 da CLT e art. 6º da IN nº 39/2016 do TST, o

incidente de desconsideração da personalidade jurídica da

Executada, direcionando a execução em face dos sócios:

a) AMADO OLIMPIO ROSA ID. a7a1949 - Pág. 18

b) MARIA MIQUEZINHA ROSA CAVALCANTE ID. a7a1949 - Pág.

18

c) BELMA MARIA ROSA CAVALCANTE ID. a7a1949 - Pág. 18

Para perfeita contextualização, colham-se as decisões que

ensejaram o manejo do writ - in verbis, com destaques originais e Deverá a Secretaria proceder à inclusão, na autuação, dos sócios

nossos: no polo passivo.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 68
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Ressalto que a prévia notificação do presente incidente requerimento das provas cabíveis, resultou infrutífera.

certamente poderá comprometer o resultado útil do processo,

com possibilidade de evasão ou transferência de recursos O Exequente foi instado a declinar diretrizes objetivas ao

financeiros, assim, com fulcro específico no §2º do art. 6º da IN seguimento do feito.

nº 39/2016 do TST e no artigo 301 do CPC, concedo, ex officio,

tutela provisória de urgência cautelar a fim de determinar o Por meio de petição interlocutória, o Credor forneceu novos

imediato bloqueio de numerário, via Bacen-Jud, em relação aos endereços para citação, e requereu o deferimento de tutela

sócios acima, cujos valores deverão ser mantidos à disposição provisória de urgência de natureza cautelar, para determinação de

do juízo até posterior decisão definitiva sobre o incidente. arresto de bens imóveis de propriedade dos sócios.

Obtendo-se sucesso no bloqueio de qualquer quantia, com ou sem O Exequente providenciou a juntada das certidões de inteiro teor

garantia integral da execução, citem-se os sócios para as das matrículas dos imóveis apontados, todas expedidas na data de

finalidades do art. 135 do CPC, estipulando-se 15 dias para a 18/12/2018 pelo 2º Tabelionato de Notas e Registros de Imóveis de

manifestação cabível." Mara Rosa-GO.

URUAÇU, 20 de Setembro de 2018 Ao exame.

MANIA NASCIMENTO BORGES DE PINA A tutela cautelar, mais conhecida, no CPC anterior, como medida

cautelar, integra o gênero das tutelas provisórias de urgência

Juiz Titular de Vara do Trabalho (CPC/2015). É providência eminentemente acautelatória, tendo por

objetivo resguardar um direito, ou o resultado útil de um processo.

(fls. 15/16 - ID. 8cdb81c)

A medida cautelar tem como principal escopo conferir instrumentos

que garantam a eficácia do provimento jurisdicional principal.

O novo ato tido como coator foi assim desenvolvido (fls. 586/587 - Possui nítido caráter instrumental, não-satisfativo e sumário. Seu

ID. 8403B07, com destaques originais e nossos): propósito é eliminar os inconvenientes da demora, seja antes ou

durante a tramitação da demanda principal.

Segundo a doutrina, constituem o próprio mérito da pretensão

"DECISÃO cautelar o perigo da demora, ou periculum in mora (como medida de

urgência, a cautelar destina-se a resguardar um direito que não

Conclusos estes autos, em fase de execução, no valor de R$ pode esperar a regular tramitação do processo), e a plausibilidade

356.636,83. do direito a ser resguardado (fumus boni iuris).

Atualmente o processo se encontra suspenso, aguardando o A sumariedade da tutela cautelar deve ser analisada sob os

desenlace de incidente de desconsideração da personalidade aspectos material e formal.

jurídica instaurado pela decisão de fls. 480/481, dos autos do

sistema PJe. A sumariedade formal é representada pelo procedimento

sumarizado. A material, pela suficiência da cognição sumária.

O decisum em questão direcionou a execução em face dos sócios

AMADO OLIMPIO ROSA, MARIA MIQUEZINHA ROSA Com efeito, a tutela de natureza cautelar é concedida diante da

CAVALCANTE e BELMA MARIA ROSA CAVALCANTE, todos mera probabilidade de existência do direito material alegado. Sua

qualificados nos contratos sociais acostados ao processo. concessão funda-se em juízo de verossimilhança, ou probabilidade,

não se exigindo um juízo de certeza. Em verdade, é exigência que

A tentativa de citação dos sócios, para manifestação e decorre da própria urgência, incompatível com uma cognição

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 69
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

exauriente.

Por fim, efetuem-se as citações dos sócios nos novos

Esse aspecto é realçado pelo requisito do periculum, que, no âmbito endereços fornecidos pelo Exequente."

do poder geral de cautela, autoriza proteção jurisdicional voltada a

afastar, no caso concreto, o risco de ineficácia do resultado final da

pretensão definitiva, funcionando, assim, como aspecto concreto da

garantia constitucional de inafastabilidade da tutela jurisdicional. Consoante já alinhavado quando da análise da liminar perseguida,

os sócios impetrantes foram atingidos na fase executória embora

Insta frisar, ainda, que o novo CPC não mais prevê cautelares não constassem como devedores no título executivo judicial e,

típicas, mas em seu art. 301, estabelece que a tutela de urgência de ainda assim, sem terem sido citados para a execução, revelando-

natureza cautelar pode ser efetivada mediante arresto, sequestro, se, assim, e ao momento, presente a fumaça do bom direito.

arrolamento de bens, registro de protesto contra alienação de bem e

qualquer outra medida idônea para asseguração do direito, somado

ainda ao que dispõe o art. 139 do CPC e art. 765 da CLT.

E mais, compulsando-se os autos de origem (nº 0000305-

Pois bem. 15.2015.5.18.0201), vê-se que ainda pende de solução o incidente

de desconsideração da personalidade jurídica formalizado, sendo

Examinando sumariamente os autos, verifico que o Autor certo que o último andamento ali aposto refere-se à manifestação

indicou as reclamações trabalhistas cujas teceduras de de AMADO OLIMPIO ROSA e MARIA MIQUEZINHA ROSA

eventos lastrearam a presunção de que a Executada enfrenta CAVALCANTE (ora impetrantes), no aspecto - data de 22/05/2019

situação econômica desfavorável. (fls. 648/653 daqueles autos).

O temor de dissipação patrimonial possui, portanto, fundo

probante mínimo, apto a desvelar um receio concreto de

ineficácia do resultado final, um perigo real a afastar a Encampando entendimento capitaneado pelo Exmo.

possibilidade de se aguardar a regular tramitação do processo, Desembargador Mário Sérgio Bottazzo, passei a assumir que cabe

sob pena de grave prejuízo ao direito a ser tutelado, ou de ação mandamental "contra ato judicial no processo do trabalho,

tornar-se inútil o resultado final. mesmo existindo recurso com efeito diferido, se o diferimento

implicar perigo de dano ou risco ao resultado útil do processo"

Isto posto, defiro o pedido de tutela cautelar de arresto inaudita (Processo TRT - AgR-0010836-16.2017.5.18.0000, j. em

altera par, com fulcro no art. 300, caput, do CPC, aplicável 06/02/2018). A propósito, o TST já sedimentou o entendimento de

subsidiariamente. que "no caso de a tutela provisória haver sido concedida ou

indeferida antes da sentença, cabe mandado de segurança, em

Intime-se o oficial de registro do 2º Tabelionato de Notas e face da inexistência de recurso próprio" (Súmula 414, II).

Registros de Imóveis de Mara Rosa-GO, a fim de que proceda à

averbação de arresto no valor de R$ 356.636,83 nos registros

dos imóveis cujas certidões de inteiro teor das matrículas

foram juntadas aos autos pelo Exequente. In casu, conforme destacado, a autoridade impetrada fundamentou

a decisão liminar de arresto no artigo 300, caput, do CPC e no fato

As referidas certidões foram expedidas pelo próprio 2º Tabelionato de que "o Autor indicou as reclamações trabalhistas cujas teceduras

de Mara Rosa-GO, na data de 18/12/2018. de eventos lastrearam a presunção de que a Executada enfrenta

situação econômica desfavorável. O temor de dissipação

Friso que o art. 425, inciso VI, do CPC, estatui que as reproduções patrimonial possui, portanto, fundo probante mínimo, apto a

digitalizadas de qualquer documento público ou particular juntadas desvelar um receio concreto de ineficácia do resultado final, um

aos autos por advogados fazem a mesma prova que os originais, perigo real a afastar a possibilidade de se aguardar a regular

ressalvada a alegação motivada e fundamentada de adulteração. tramitação do processo, sob pena de grave prejuízo ao direito a ser

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 70
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

tutelado, ou de tornar-se inútil o resultado final. Isto posto, defiro o frustração da execução." (MS-0010977-35.2017.5.18.0000, Rel.

pedido de tutela cautelar de arresto inaudita altera par, com fulcro Des. Paulo Pimenta, j. 08/05/2018):

no art. 300, caput, do CPC, aplicável subsidiariamente."

(sublinhamos)

Firme nessa linha de raciocínio, ratifico a liminar anteriormente

deferida para conceder, em definitivo, a segurança.

Entretanto, venia concessa, a mera "presunção" de que a

executada enfrenta situação econômica desfavorável, em razão do

ajuizamento de reclamações trabalhistas, não é suficiente para o

acolhimento do pedido de tutela de urgência.

Por certo, embora a autoridade impetrada tenha fundamentado que,

repise-se, "o Autor indicou as reclamações trabalhistas cujas

teceduras de eventos lastrearam a presunção de que a Executada

enfrenta situação econômica desfavorável. O temor de dissipação

patrimonial possui, portanto, fundo probante mínimo, apto a

desvelar um receio concreto de ineficácia do resultado final", não

apontou nenhum ato concreto praticado que nos induza a esta

conclusão.

CONCLUSÃO

Vale ressaltar que a exigência de fundamentação é constitucional,

"sob pena de nulidade" (CRFB, art. 93, IX) e a restrição de bens

determinada com fulcro nos arts. 300 e 301 do CPC deve ser

concedida quando necessariamente "houver elementos que

evidenciem a probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco

ao resultado útil do processo".

A propósito: Admito a ação mandamental e, no mérito, concedo a segurança,

nos termos da decisão que deferiu a liminar.

"TUTELA PROVISÓRIA. CAUTELAR DE ARRESTO. 'PERICULUM

IN MORA'. MERAS DIFICULDADES FINANCEIRAS. NÃO Custas pela União, de cujo recolhimento está isenta, nos termos do

CONFIGURAÇÃO. NECESSIDADE DE TENTATIVA MALICIOSA art. 790-A, inciso I, da CLT.

DE FRUSTRAÇÃO DA EXECUÇÃO. Para a configuração do

'periculum in mora' necessário à concessão de tutela provisória que

determina bloqueio de bens, portanto arresto, é insuficiente o

estado de dificuldades financeiras do desfavorecido pela medida, É o meu voto.

sendo necessária a demonstração de tentativa maliciosa de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 71
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Welington Luis Peixoto, Silene Aparecida Coelho, Rosa Nair da

Silva Nogueira Reis e os Excelentíssimos Juízes convocados César

Silveira (em substituição no gabinete do Excelentíssimo

Desembargador Platon Teixeira de Azevedo Filho), Celso Moredo

Garcia (em substituição no gabinete do Excelentíssimo

Desembargador Aldon do Vale Alves Taglialegna) e Israel Brasil

Adourian (em substituição no gabinete do Excelentíssimo

Desembargador Elvecio Moura dos Santos). Representou o

Ministério Público do Trabalho, a Excelentíssima Procuradora Cirêni

Batista Ribeiro. Goiânia, 06 de agosto de 2019.

ACÓRDÃO

ROSA NAIR DA SILVA NOGUEIRA REIS

Relatora

Vistos, relatados e discutidos estes autos, ACORDAM os membros

do egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em

sessão plenária presencial hoje realizada, por unanimidade, em

admitir a ação mandamental e, no mérito, conceder a segurança

postulada, nos termos do voto da relatora. Sustentou oralmente pelo COORDENADORIA DA 1ª TURMA JULGADORA
litisconsorte o advogado Ellionay Rodrigues de Paula. Presente na Acórdão
tribuna pelos impetrantes o advogado Leonardo Matheus Barnabé Acórdão
Processo Nº ROT-0000998-88.2010.5.18.0131
Batista. Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE ZELIA MOREIRA DOS SANTOS
RESENDE
ADVOGADO GUSTAVO VARELA(OAB: 20897/DF)
RECORRIDO FRIGOCARNES - INDUSTRIA E
COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA -
Participaram do julgamento, presidido pelo Excelentíssimo ME
RECORRIDO JC - COMPRA E VENDA DE
Desembargador Paulo Pimenta (Presidente do Tribunal), os SUBPRODUTOS ANIMAIS LTDA - ME
Excelentíssimos Desembargadores Daniel Viana Júnior (Vice- RECORRIDO EDUARDO FELICIO
RECORRIDO CLAUDIO ANTONIO FELICIO
Presidente e Corregedor), Kathia Maria Bomtempo de Albuquerque,

Gentil Pio de Oliveira, Mário Sérgio Bottazzo, Geraldo Rodrigues do Intimado(s)/Citado(s):


Nascimento, Eugênio José Cesário Rosa, Iara Teixeira Rios, - ZELIA MOREIRA DOS SANTOS RESENDE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 72
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

EMENTA

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

"PROCESSO DE EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO


PROCESSO TRT : RO-0000998-88.2010.5.18.0131
ORDINÁRIO. INADEQUAÇÃO. A interposição de recurso ordinário,

no processo do trabalho, tem suas hipóteses previstas,


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS
taxativamente, no artigo 895 da CLT. A sua interposição para atacar

decisão proferida na fase de execução, constitui erro grosseiro, que


RECORRENTE(S) : ZELIA MOREIRA DOS SANTOS RESENDE
impede a aplicação do princípio da fungibilidade, ou

conversabilidade, porquanto contra decisão na fase de execução há


ADVOGADO(S) : GUSTAVO VARELA
texto expresso de lei prevendo o recurso adequado, qual seja, o

agravo de petição, a teor do artigo 897, 'a', da CLT" (AP-0151000-


RECORRIDO(S) : CLAUDIO ANTONIO FELICIO
20.1997.6.5.18.0004, Rel. Desembargador Aldon do Vale Alves

Taglialegna, 1ª Turma, julgado em 20/03/2019).


RECORRIDO(S) : EDUARDO FELICIO

RECORRIDO(S) : FRIGOCARNES - INDUSTRIA E COMERCIO

DE ALIMENTOS LTDA - ME

RECORRIDO(S) : JC - COMPRA E VENDA DE SUBPRODUTOS

ANIMAIS LTDA - ME

ORIGEM : VARA DO TRABALHO DE LUZIÂNIA

JUIZ(ÍZA) : ROSANA RABELLO PADOVANI MESSIAS

RELATÓRIO

A Exma. Juíza do Trabalho Gislaine de Castro Araújo Almeida, em

exercício na egrégia Vara do Trabalho de Luziânia-GO, por meio da

v. decisão juntada sob id 666fb5a, decretou a prescrição

intercorrente da execução que ZELIA MOREIRA DOS SANTOS

RESENDE movia em face de FRIGOCARNES - INDÚSTRIA E

COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA-, JC - COMPRA EM VENDA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 73
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

DE SUBPRODUTOS ANIMAIS LTDAS - ME, EDUARDO FELÍCIO e

CLÁUDIO ANTÔNIO FELÍCIO.

Inconformado, o exequente interpõe recurso ordinário (id fd67bc5).

Em síntese, destaca que, em razão da ordem de reunião das

diversas execuções em face dos devedores a presente execução VOTO

estava sendo promovida nos autos tombados sob o n° 0001000-

58.2010.5.18.0131 e que, nestes, aguardava-se o desfecho de

penhora levada a efeito no rosto dos autos do inventário em trâmite

na 2ª Vara de Órfãos e Sucessões de Brasilia-DF.

Acrescenta que as penhoras realizadas no rosto daqueles autos

foram transferidas para os autos da execução "em março do

corrente ano" e que os valores "transferidos não foram suficientes

para satisfazer os débitos de todas as ações."

No mais, sustenta que "não se pode dizer que os autos sofreram a ADMISSIBILIDADE

paralisação imposta pelo art. 11-A § 1º da CLT, ou pelo art. 161 do

PGC/TST 18, uma vez que os autos se encontravam aguardando o

envio dos valores penhorados no rosto dos autos de Inventário dos

genitores dos executados."

Intimados os executados, estes não ofereceram resposta ao

recurso. O recurso é tempestivo e a representação encontra-se regular. Não

obstante, o apelo não merece conhecimento diante uma vez que, ao

interpor recurso ordinário em processo que se encontra na fase de

execução, o exequente elegeu via inadequada.

Não houve remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho.

Por medida de economia processual, adoto como razão de decidir,

É o relatório. os fundamentos exarados no acórdão proferido nos autos do RO-

0001297-84.2014.5.18.0241, da minha lavra, em cujo julgamento

acolhi divergência do eminente Desembargador Aldon do Vale

Alves Taglialegna no seguinte sentido:

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 74
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

"[...]

"Art. 897 - Cabe agravo, no prazo de 8 (oito) dias:

Ora, na Justiça do Trabalho, as hipóteses de cabimento do recurso

ordinário estão taxativamente previstas no artigo 895 da CLT, que a) de petição, das decisões do Juiz ou Presidente, nas execuções;"

dispõe:

Desse modo, não se aplica o princípio da fungibilidade, haja vista

"I - das decisões definitivas ou terminativas das Varas e Juízos, no que o presente caso não se enquadra em nenhuma das hipóteses

prazo de 8 (oito) dias; e (Incluído pela Lei nº 11.925, de 2009). prevista no artigo 895 da CLT, e há previsão legal expressa de

recurso próprio para a pretensão do recorrente/credor,

caracterizando, a meu ver, erro grosseiro.

II - das decisões definitivas ou terminativas dos Tribunais Regionais,

em processos de sua competência originária, no prazo de 8 (oito)

dias, quer nos dissídios individuais, quer nos dissídios coletivos. Nesse sentido, vale transcrever as seguintes jurisprudências

(Incluído pela Lei nº 11.925, de 2009). encontradas no Código de Processo Civil e Legislação e Processual

em vigor, de autoria de THEOTONIO NEGRÃO, JOSÉ ROBERTO

F. GOUVÊA e LUIS GUILERME A BONDIOLI, 42a Edição, ano

2010, pg. 593:

(...)".

"Para que seja aplicado o princípio da fungibilidade recursal é

In casu, o reclamado/exequente interpôs "recurso ordinário" contra necessário que o recorrente não tenha incidido em erro grosseiro"

a decisão que extinguiu a execução, nos termos do art. 924, II, do (RSTJ 37/64) e este "se configura pela interposição de recurso

CPC/15, em razão da ausência de manifestação do reclamante impertinente, em lugar daquele expressamente previsto em norma

sobre a habilitação e recebimento de seu crédito nos autos do jurídica própria" (RTJ 132/1.374)." (in tópico da nota 11 ao artigo

processo de recuperação judicial, presumindo o recebimento de tal 496)

crédito perante o Juízo Universal.

Por oportuno, vale, também, destacar o entendimento a lição do

Portanto, a via processual eleita pelo reclamado revela-se ilustre processualista Manoel Antonio Teixeira Filho (Sistema dos

inadequada, uma vez que ele não se insurge contra decisão de 1º Recursos Trabalhistas, Ed. LTr, 10ª Ed. p. 156):

grau na fase de conhecimento, mas, sim, contra decisão proferida

em execução, que extinguiu o feito.

"a fungibilidade, contudo, somente será possível quando se tratar de

erro sanável, assim entendido aquele que não compromete a

À hipótese, o recurso adequado é o previsto no artigo 897, "a", da logicidade e a estrutura do sistema recursal. Sendo erronia na

CLT, que dispõe: interposição daquelas insanável (erro grosseiro), não deverá adotar

nenhuma providência salvadora do remedido inadequado, cujo

consequência será a sua inadmissibilidade, já pelo próprio juízo a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 75
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

quo."

"EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO ORDINÁRIO. ERRO

GROSSEIRO. INAPLICABILIDADE DO PRINCÍPIO DA

Com efeito, a jurisprudência e a doutrina entendem que só aplica-se FUNGIBILIDADE. O artigo 897 da CLT dispõe que o recurso cabível

o princípio da fungibilidade, ou conversabilidade, nos casos em que contra as decisões proferidas nas execuções é o agravo de petição.

não se pode afirmar com certeza qual o recurso cabível. Portanto, a interposição de recurso ordinário na fase de execução,

em autos de embargos de terceiro, trata-se de erro grosseiro, pois

não há dúvida objetiva a respeito do recurso cabível, o que

impossibilita a aplicação do princípio da fungibilidade, impondo-se o

Nesse sentido é a lição do douto Luiz Guilherme Marinoni, in não conhecimento do recurso, por inadequação da via eleita." (RO-

Processo de Conhecimento. Editora RT. 6ª edição. 2007, p. 0010046-89.2018.5.18.0002, Rel. Desembargador Gentil Pio de

504/505: Oliveira, Julgamento em 21.08.2018).

"A dúvida deve ser objetiva, e não subjetiva. Deseja-se dizer, com "PROCESSO DE EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO

isto, que a dúvida não pode ter origem na insegurança pessoal do ORDINÁRIO. INADEQUAÇÃO. A interposição de recurso ordinário,

profissional que deve interpor o recurso, ou mesmo sua falta de no processo do trabalho, tem suas hipóteses previstas,

preparo intelectual, mas sim no próprio sistema recursal. taxativamente, no artigo 895 da CLT. A sua interposição para atacar

decisão proferida na fase de execução, constitui erro grosseiro, que

impede a aplicação do princípio da fungibilidade, ou

conversabilidade, porquanto contra decisão na fase de execução há

(...) texto expresso de lei prevendo o recurso adequado, qual seja, o

agravo de petição, a teor do artigo 897, "a", da CLT." (AP-0151000-

20.1997.6.5.18.0004, Rel. Desembargador Aldon do Vale Alves

Taglialegna, 1ª Turma, julgado em 20/03/2019).

Como já dito, o princípio da fungibilidade não se presta a legitimar a

atividade do advogado mal formado, incapaz de atuar com os

mecanismos processuais adequados. Serve para tornar o sistema

operacional, mediante a admissão do recurso inadequado, desde Portanto, havendo previsão legal do recurso para insurgir contra

que a falta seja fundada em dúvida objetiva e não tenha origem e decisão proferida na fase de execução, não conheço do recurso

erro grosseiro." ordinário". (Acórdão publicado no DEJT do dia 05/04/2019).

Por fim, o fato de o Exmo. Juiz a quo ter recebido o recurso

ordinário como agravo de petição, aplicando o princípio da

fungibilidade, não tem o condão de vincular o juízo de A estes fundamentos, não conheço do recurso ordinário interposto

admissibilidade ad quem. pelo exequente.

Nesse sentido, mutatis mutandis, cito os seguintes precedentes

desta Eg. Turma:

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 76
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Acórdão

CONCLUSÃO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, não conhecer do recurso, nos termos do voto da

Não conheço do recurso ordinário, nos termos da fundamentação relatora.

expendida.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

É o voto. (Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 77
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

AGRAVANTE(S) : ATVOS AGROINDUSTRIAL S/A E RIO CLARO

AGROINDUSTRIAL S/A - AMBAS EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL

ADVOGADO(S) : MARCOS RENATO GELSI DOS SANTOS

MYLENA VILLA COSTA

AGRAVADO : EDNALDO RODRIGUES DA SILVA MOURA

ADVOGADO(S) : GABRIEL BIANCO DE PAULA

IARA TEIXEIRA RIOS

RENAN BAPTISTUSSI FERREIRA DE MENDES

Desembargadora Relatora

ORIGEM : VT DE QUIRINOPOLIS

JUIZ : ROSANE GOMES DE MENEZES LEITE

Acórdão
Processo Nº AP-0000956-69.2015.5.18.0129
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE RIO CLARO AGROINDUSTRIAL S.A.
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
AGRAVANTE ATVOS AGROINDUSTRIAL S.A
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
AGRAVADO EDNALDO RODRIGUES DA SILVA
MOURA
ADVOGADO RENAN BAPTISTUSSI FERREIRA DE
MENEZES(OAB: 277334/SP)
ADVOGADO GABRIEL BIANCO DE PAULA(OAB:
114163/MG)

Intimado(s)/Citado(s):
EMENTA
- RIO CLARO AGROINDUSTRIAL S.A.

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

"LIBERAÇÃO DO DEPÓSITO RECURSAL. EMPRESA EM

RECUPERAÇÃO JUDICIAL. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA

PROCESSO TRT : AP-0000956-69.2015.5.18.0129 COMUM ESTADUAL. CONSOANTE ENTENDIMENTO DO

COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. A jurisprudência

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS do Superior Tribunal de Justiça firmou-se no sentido de que os atos

de execução dos créditos promovidos contra empresas falidas ou

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 78
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

em recuperação judicial, sob a égide do Decreto-Lei 7.661/45 ou da

Lei 11.101/05, bem como os atos judiciais que envolvam o

patrimônio dessas empresas, devem ser realizados pelo juízo As executadas manejam agravo de petição (ID. 9794f3d - Págs.

universal, incluindo a deliberação acerca da destinação dos valores 1/13), alegando que "o crédito em discussão está sujeito à

atinentes aos depósitos recursais feitos em reclamações Recuperação Judicial".

trabalhistas, ainda que efetivados anteriormente à decretação da

falência ou ao deferimento da recuperação. (...) Os valores

eventualmente constritos pelo JUÍZO DA VARA DO TRABALHO

relativos ao patrimônio das sociedades em recuperação deverão ser O exequente não apresenta contraminuta.

colocados à disposição do juízo universal, a quem competirá

analisar eventual pedido de levantamento." (STJ - CONFLITO DE

COMPETÊNCIA Nº 152.839 - GO-2017/0144957-1, Relator Ministro

PAULO DE TARSO SANSEVERINO.) (AP - 0010479- É o relatório.

58.2016.5.18.0101, Relator Desembargador Eugênio José Cesário

Rosa)

VOTO

RELATÓRIO

A Exma. Juíza do Trabalho ROSANE GOMES DE MENEZES

LEITE, titular da egrégia Vara do Trabalho de Quirinópolis, por meio

da r. decisão exarada sob ID. af40e30 - Págs. 1/2, deferiu o ADMISSIBILIDADE

requerimento formulado por EDNALDO RODRIGUES DA SILVA

MOURA de levantamento do depósito recursal existente nos autos

da execução promovida pelo obreiro em face das empresas ATVOS

AGROINDUSTRIAL S/A e RIO CLARO AGROINDUSTRIAL S/A -

ambas em recuperação judicial.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 79
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

O juízo a quo, "considerando que os valores depositados nos autos

já haviam sido desligados do patrimônio da reclamada, porquanto

Presentes os pressupostos de admissibilidade, conheço do agravo depositados previamente ao deferimento da recuperação", autorizou

de petição interposto pelas executadas. a liberação do depósito recursal ao reclamante/exequente.

As reclamadas/executadas agravam de petição alegando, em suma,

que "D. Juízo a quo AUTORIZOU a liberação do DEPÓSITO

RECURSAL ao Reclamante, sob o fundamento de que os valores

depositados nos autos já haviam sido desligados do patrimônio da

Reclamada previamente ao pedido/deferimento da recuperação.

Ocorre que a decisão agravada incorre em ofensa ao art. 6º, §2º da

Lei 11.101/2019, pelo qual, as ações de natureza trabalhista serão

processadas perante a Justiça do Trabalho até a apuração do

respectivo crédito. Após, deve ser expedida certidão para inscrição

do crédito no quadro-geral de credores nos autos da Ação de

Recuperação Judicial".

Logo, requerem "a reforma/revogação do despacho de ID d3dd082,

para determinar: I - A REVOGAÇÃO DA ORDEM DE LIBERAÇÃO

DO DEPÓSITO RECURSAL AO RECLAMANTE, uma vez que tal

crédito deve ser transferido para o Juízo Falimentar, a fim de

integrar o patrimônio a ser contabilizado para a o plano

recuperacional; II - Que o débito proveniente da presente execução

MÉRITO seja remetido em sua integralidade ao Juízo universal da

Recuperação Judicial, mediante Certidão de Crédito a ser expedida

para tal fim; III - requer por fim, seja determinado que o D. Juízo a

quo se abstenha de praticar atos de expropriação ou constrição

quanto aos bens e valores da Reclamada, uma vez que os atos de

execução não dependem da data da constituição do crédito, mas

sim, da vigência da recuperação judicial, como acima demonstrado,

devendo ser cumprido o quanto decidido pelo Tema nº 90 do STF".

Examino.

LEVANTAMENTO DE DEPÓSITO RECURSAL. EXECUTADAS EM

RECUPERAÇÃO JUDICIAL De antemão, destaco ser irrelevante o momento em que ocorreu o

depósito visando à garantia do juízo, isto é, se ocorreu antes ou

depois da assembleia que aprovou o plano ou da homologação

deste pelo juízo competente.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 80
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

em recuperação judicial, sob a égide do Decreto-Lei 7.661/45 ou da

Lei 11.101/05, bem como os atos judiciais que envolvam o

patrimônio dessas empresas, devem ser realizados pelo juízo

No caso, as reclamadas encontram-se em recuperação judicial universal, incluindo a deliberação acerca da destinação dos valores

desde 29 de maio de 2019 e é o quanto basta para inviabilizar o atinentes aos depósitos recursais feitos em reclamações

levantamento dos créditos existentes nos autos pelo exequente. trabalhistas, ainda que efetivados anteriormente à decretação da

falência ou ao deferimento da recuperação. (...) Os valores

eventualmente constritos pelo JUÍZO DA VARA DO TRABALHO

relativos ao patrimônio das sociedades em recuperação deverão ser

Destarte, uma vez deferido o pedido de recuperação judicial, a colocados à disposição do juízo universal, a quem competirá

competência da Justiça do Trabalho, na fase de execução, fica analisar eventual pedido de levantamento." (STJ - CONFLITO DE

restrita à fixação do quantum debeatur, haja vista que a satisfação COMPETÊNCIA Nº 152.839 - GO-2017/0144957-1, Relator Ministro

do crédito há de ser feita perante o juízo da recuperação. PAULO DE TARSO SANSEVERINO.) (AP - 0010479-

58.2016.5.18.0101, Relator Desembargador Eugênio José Cesário

Rosa)

Neste sentido, os seguintes arestos deste Regional:

A estes fundamentos, entendo que o depósito recursal deve ser

colocado à disposição do juízo universal e não liberado diretamente

"EMPRESA EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL. DEPÓSITO ao exequente.

RECURSAL. DESTINAÇÃO. MOMENTO DE CONSTITUIÇÃO DO

CRÉDITO. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. A jurisprudência atual

está sendo firmada no sentido de que o crédito trabalhista,

decorrente de serviços prestados antes do pedido de recuperação Na confluência do exposto, reformo a decisão para determinar que

judicial, deve ser habilitado no Juízo Universal da recuperação, o crédito relativo ao depósito recursal seja colocado à disposição do

ainda que a sentença que defina tal crédito tenha sido proferida em juízo universal.

momento posterior. Assim, a competência desta Justiça

Especializada restringe-se à liquidação e acertamento do título

executivo. Deste modo, o depósito recursal e demais valores que

vierem a ser efetuados nos autos, pela executada, deverão ser Dou provimento.

transferidos para Juízo Universal da recuperação, por ser

incompetente a Justiça do Trabalho para prosseguir com os atos

executórios, pelo que não se mostra possível a liberação do valor

do depósito ao exequente. Recurso a que se nega provimento." (AP

-0010620-53.2016.5.18.0012, Relatora Desembargadora Iara

Teixeira Rios).

"LIBERAÇÃO DO DEPÓSITO RECURSAL. EMPRESA EM

RECUPERAÇÃO JUDICIAL. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA

COMUM ESTADUAL. CONSOANTE ENTENDIMENTO DO

COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. A jurisprudência

do Superior Tribunal de Justiça firmou-se no sentido de que os atos CONCLUSÃO

de execução dos créditos promovidos contra empresas falidas ou

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 81
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

Conheço do agravo de petição interposto pelas executadas e, no por unanimidade, conhecer do agravo de petição para, no mérito,

mérito, dou-lhe provimento, nos termos da fundamentação dar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora.

expendida.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão
Processo Nº AP-0000956-69.2015.5.18.0129
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE RIO CLARO AGROINDUSTRIAL S.A.
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
Acórdão AGRAVANTE ATVOS AGROINDUSTRIAL S.A
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
AGRAVADO EDNALDO RODRIGUES DA SILVA
MOURA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 82
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ADVOGADO RENAN BAPTISTUSSI FERREIRA DE


MENEZES(OAB: 277334/SP)
ADVOGADO GABRIEL BIANCO DE PAULA(OAB:
114163/MG)

Intimado(s)/Citado(s):
EMENTA
- ATVOS AGROINDUSTRIAL S.A

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

"LIBERAÇÃO DO DEPÓSITO RECURSAL. EMPRESA EM

RECUPERAÇÃO JUDICIAL. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA

COMUM ESTADUAL. CONSOANTE ENTENDIMENTO DO


PROCESSO TRT : AP-0000956-69.2015.5.18.0129
COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. A jurisprudência

do Superior Tribunal de Justiça firmou-se no sentido de que os atos


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS
de execução dos créditos promovidos contra empresas falidas ou

em recuperação judicial, sob a égide do Decreto-Lei 7.661/45 ou da


AGRAVANTE(S) : ATVOS AGROINDUSTRIAL S/A E RIO CLARO
Lei 11.101/05, bem como os atos judiciais que envolvam o
AGROINDUSTRIAL S/A - AMBAS EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL
patrimônio dessas empresas, devem ser realizados pelo juízo

universal, incluindo a deliberação acerca da destinação dos valores


ADVOGADO(S) : MARCOS RENATO GELSI DOS SANTOS
atinentes aos depósitos recursais feitos em reclamações

trabalhistas, ainda que efetivados anteriormente à decretação da


MYLENA VILLA COSTA
falência ou ao deferimento da recuperação. (...) Os valores

eventualmente constritos pelo JUÍZO DA VARA DO TRABALHO


AGRAVADO : EDNALDO RODRIGUES DA SILVA MOURA
relativos ao patrimônio das sociedades em recuperação deverão ser

colocados à disposição do juízo universal, a quem competirá


ADVOGADO(S) : GABRIEL BIANCO DE PAULA
analisar eventual pedido de levantamento." (STJ - CONFLITO DE

COMPETÊNCIA Nº 152.839 - GO-2017/0144957-1, Relator Ministro


RENAN BAPTISTUSSI FERREIRA DE MENDES
PAULO DE TARSO SANSEVERINO.) (AP - 0010479-

58.2016.5.18.0101, Relator Desembargador Eugênio José Cesário


ORIGEM : VT DE QUIRINOPOLIS
Rosa)

JUIZ : ROSANE GOMES DE MENEZES LEITE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 83
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RELATÓRIO

A Exma. Juíza do Trabalho ROSANE GOMES DE MENEZES

LEITE, titular da egrégia Vara do Trabalho de Quirinópolis, por meio

da r. decisão exarada sob ID. af40e30 - Págs. 1/2, deferiu o ADMISSIBILIDADE

requerimento formulado por EDNALDO RODRIGUES DA SILVA

MOURA de levantamento do depósito recursal existente nos autos

da execução promovida pelo obreiro em face das empresas ATVOS

AGROINDUSTRIAL S/A e RIO CLARO AGROINDUSTRIAL S/A -

ambas em recuperação judicial.

As executadas manejam agravo de petição (ID. 9794f3d - Págs. Presentes os pressupostos de admissibilidade, conheço do agravo

1/13), alegando que "o crédito em discussão está sujeito à de petição interposto pelas executadas.

Recuperação Judicial".

O exequente não apresenta contraminuta.

É o relatório.

VOTO

MÉRITO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 84
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Recuperação Judicial, mediante Certidão de Crédito a ser expedida

para tal fim; III - requer por fim, seja determinado que o D. Juízo a

quo se abstenha de praticar atos de expropriação ou constrição

quanto aos bens e valores da Reclamada, uma vez que os atos de

execução não dependem da data da constituição do crédito, mas

sim, da vigência da recuperação judicial, como acima demonstrado,

devendo ser cumprido o quanto decidido pelo Tema nº 90 do STF".

Examino.

LEVANTAMENTO DE DEPÓSITO RECURSAL. EXECUTADAS EM

RECUPERAÇÃO JUDICIAL De antemão, destaco ser irrelevante o momento em que ocorreu o

depósito visando à garantia do juízo, isto é, se ocorreu antes ou

depois da assembleia que aprovou o plano ou da homologação

deste pelo juízo competente.

O juízo a quo, "considerando que os valores depositados nos autos

já haviam sido desligados do patrimônio da reclamada, porquanto

depositados previamente ao deferimento da recuperação", autorizou

a liberação do depósito recursal ao reclamante/exequente. No caso, as reclamadas encontram-se em recuperação judicial

desde 29 de maio de 2019 e é o quanto basta para inviabilizar o

levantamento dos créditos existentes nos autos pelo exequente.

As reclamadas/executadas agravam de petição alegando, em suma,

que "D. Juízo a quo AUTORIZOU a liberação do DEPÓSITO

RECURSAL ao Reclamante, sob o fundamento de que os valores Destarte, uma vez deferido o pedido de recuperação judicial, a

depositados nos autos já haviam sido desligados do patrimônio da competência da Justiça do Trabalho, na fase de execução, fica

Reclamada previamente ao pedido/deferimento da recuperação. restrita à fixação do quantum debeatur, haja vista que a satisfação

Ocorre que a decisão agravada incorre em ofensa ao art. 6º, §2º da do crédito há de ser feita perante o juízo da recuperação.

Lei 11.101/2019, pelo qual, as ações de natureza trabalhista serão

processadas perante a Justiça do Trabalho até a apuração do

respectivo crédito. Após, deve ser expedida certidão para inscrição

do crédito no quadro-geral de credores nos autos da Ação de Neste sentido, os seguintes arestos deste Regional:

Recuperação Judicial".

"EMPRESA EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL. DEPÓSITO

Logo, requerem "a reforma/revogação do despacho de ID d3dd082, RECURSAL. DESTINAÇÃO. MOMENTO DE CONSTITUIÇÃO DO

para determinar: I - A REVOGAÇÃO DA ORDEM DE LIBERAÇÃO CRÉDITO. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. A jurisprudência atual

DO DEPÓSITO RECURSAL AO RECLAMANTE, uma vez que tal está sendo firmada no sentido de que o crédito trabalhista,

crédito deve ser transferido para o Juízo Falimentar, a fim de decorrente de serviços prestados antes do pedido de recuperação

integrar o patrimônio a ser contabilizado para a o plano judicial, deve ser habilitado no Juízo Universal da recuperação,

recuperacional; II - Que o débito proveniente da presente execução ainda que a sentença que defina tal crédito tenha sido proferida em

seja remetido em sua integralidade ao Juízo universal da momento posterior. Assim, a competência desta Justiça

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 85
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Especializada restringe-se à liquidação e acertamento do título

executivo. Deste modo, o depósito recursal e demais valores que

vierem a ser efetuados nos autos, pela executada, deverão ser Dou provimento.

transferidos para Juízo Universal da recuperação, por ser

incompetente a Justiça do Trabalho para prosseguir com os atos

executórios, pelo que não se mostra possível a liberação do valor

do depósito ao exequente. Recurso a que se nega provimento." (AP

-0010620-53.2016.5.18.0012, Relatora Desembargadora Iara

Teixeira Rios).

"LIBERAÇÃO DO DEPÓSITO RECURSAL. EMPRESA EM

RECUPERAÇÃO JUDICIAL. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA

COMUM ESTADUAL. CONSOANTE ENTENDIMENTO DO

COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. A jurisprudência

do Superior Tribunal de Justiça firmou-se no sentido de que os atos CONCLUSÃO

de execução dos créditos promovidos contra empresas falidas ou

em recuperação judicial, sob a égide do Decreto-Lei 7.661/45 ou da

Lei 11.101/05, bem como os atos judiciais que envolvam o

patrimônio dessas empresas, devem ser realizados pelo juízo

universal, incluindo a deliberação acerca da destinação dos valores

atinentes aos depósitos recursais feitos em reclamações

trabalhistas, ainda que efetivados anteriormente à decretação da

falência ou ao deferimento da recuperação. (...) Os valores

eventualmente constritos pelo JUÍZO DA VARA DO TRABALHO Conheço do agravo de petição interposto pelas executadas e, no

relativos ao patrimônio das sociedades em recuperação deverão ser mérito, dou-lhe provimento, nos termos da fundamentação

colocados à disposição do juízo universal, a quem competirá expendida.

analisar eventual pedido de levantamento." (STJ - CONFLITO DE

COMPETÊNCIA Nº 152.839 - GO-2017/0144957-1, Relator Ministro

PAULO DE TARSO SANSEVERINO.) (AP - 0010479-

58.2016.5.18.0101, Relator Desembargador Eugênio José Cesário

Rosa)

A estes fundamentos, entendo que o depósito recursal deve ser

colocado à disposição do juízo universal e não liberado diretamente

ao exequente.

Na confluência do exposto, reformo a decisão para determinar que

o crédito relativo ao depósito recursal seja colocado à disposição do

juízo universal.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 86
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão
Processo Nº AP-0000956-69.2015.5.18.0129
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE RIO CLARO AGROINDUSTRIAL S.A.
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
Acórdão AGRAVANTE ATVOS AGROINDUSTRIAL S.A
ADVOGADO MYLENA VILLA COSTA(OAB:
14443/BA)
AGRAVADO EDNALDO RODRIGUES DA SILVA
MOURA
ADVOGADO RENAN BAPTISTUSSI FERREIRA DE
MENEZES(OAB: 277334/SP)
ADVOGADO GABRIEL BIANCO DE PAULA(OAB:
114163/MG)

Intimado(s)/Citado(s):
- EDNALDO RODRIGUES DA SILVA MOURA

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,


PODER JUDICIÁRIO
por unanimidade, conhecer do agravo de petição para, no mérito,
JUSTIÇA DO TRABALHO
dar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d. PROCESSO TRT : AP-0000956-69.2015.5.18.0129


representante do Ministério Público do Trabalho.

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS


(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

AGRAVANTE(S) : ATVOS AGROINDUSTRIAL S/A E RIO CLARO

AGROINDUSTRIAL S/A - AMBAS EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL

ADVOGADO(S) : MARCOS RENATO GELSI DOS SANTOS

MYLENA VILLA COSTA

AGRAVADO : EDNALDO RODRIGUES DA SILVA MOURA

ADVOGADO(S) : GABRIEL BIANCO DE PAULA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 87
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

analisar eventual pedido de levantamento." (STJ - CONFLITO DE

RENAN BAPTISTUSSI FERREIRA DE MENDES COMPETÊNCIA Nº 152.839 - GO-2017/0144957-1, Relator Ministro

PAULO DE TARSO SANSEVERINO.) (AP - 0010479-

ORIGEM : VT DE QUIRINOPOLIS 58.2016.5.18.0101, Relator Desembargador Eugênio José Cesário

Rosa)

JUIZ : ROSANE GOMES DE MENEZES LEITE

RELATÓRIO

EMENTA

A Exma. Juíza do Trabalho ROSANE GOMES DE MENEZES

LEITE, titular da egrégia Vara do Trabalho de Quirinópolis, por meio

da r. decisão exarada sob ID. af40e30 - Págs. 1/2, deferiu o

"LIBERAÇÃO DO DEPÓSITO RECURSAL. EMPRESA EM requerimento formulado por EDNALDO RODRIGUES DA SILVA

RECUPERAÇÃO JUDICIAL. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA MOURA de levantamento do depósito recursal existente nos autos

COMUM ESTADUAL. CONSOANTE ENTENDIMENTO DO da execução promovida pelo obreiro em face das empresas ATVOS

COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. A jurisprudência AGROINDUSTRIAL S/A e RIO CLARO AGROINDUSTRIAL S/A -

do Superior Tribunal de Justiça firmou-se no sentido de que os atos ambas em recuperação judicial.

de execução dos créditos promovidos contra empresas falidas ou

em recuperação judicial, sob a égide do Decreto-Lei 7.661/45 ou da

Lei 11.101/05, bem como os atos judiciais que envolvam o

patrimônio dessas empresas, devem ser realizados pelo juízo As executadas manejam agravo de petição (ID. 9794f3d - Págs.

universal, incluindo a deliberação acerca da destinação dos valores 1/13), alegando que "o crédito em discussão está sujeito à

atinentes aos depósitos recursais feitos em reclamações Recuperação Judicial".

trabalhistas, ainda que efetivados anteriormente à decretação da

falência ou ao deferimento da recuperação. (...) Os valores

eventualmente constritos pelo JUÍZO DA VARA DO TRABALHO

relativos ao patrimônio das sociedades em recuperação deverão ser O exequente não apresenta contraminuta.

colocados à disposição do juízo universal, a quem competirá

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 88
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

É o relatório.

VOTO

MÉRITO

ADMISSIBILIDADE

LEVANTAMENTO DE DEPÓSITO RECURSAL. EXECUTADAS EM

RECUPERAÇÃO JUDICIAL

O juízo a quo, "considerando que os valores depositados nos autos

já haviam sido desligados do patrimônio da reclamada, porquanto

Presentes os pressupostos de admissibilidade, conheço do agravo depositados previamente ao deferimento da recuperação", autorizou

de petição interposto pelas executadas. a liberação do depósito recursal ao reclamante/exequente.

As reclamadas/executadas agravam de petição alegando, em suma,

que "D. Juízo a quo AUTORIZOU a liberação do DEPÓSITO

RECURSAL ao Reclamante, sob o fundamento de que os valores

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 89
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

depositados nos autos já haviam sido desligados do patrimônio da competência da Justiça do Trabalho, na fase de execução, fica

Reclamada previamente ao pedido/deferimento da recuperação. restrita à fixação do quantum debeatur, haja vista que a satisfação

Ocorre que a decisão agravada incorre em ofensa ao art. 6º, §2º da do crédito há de ser feita perante o juízo da recuperação.

Lei 11.101/2019, pelo qual, as ações de natureza trabalhista serão

processadas perante a Justiça do Trabalho até a apuração do

respectivo crédito. Após, deve ser expedida certidão para inscrição

do crédito no quadro-geral de credores nos autos da Ação de Neste sentido, os seguintes arestos deste Regional:

Recuperação Judicial".

"EMPRESA EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL. DEPÓSITO

Logo, requerem "a reforma/revogação do despacho de ID d3dd082, RECURSAL. DESTINAÇÃO. MOMENTO DE CONSTITUIÇÃO DO

para determinar: I - A REVOGAÇÃO DA ORDEM DE LIBERAÇÃO CRÉDITO. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. A jurisprudência atual

DO DEPÓSITO RECURSAL AO RECLAMANTE, uma vez que tal está sendo firmada no sentido de que o crédito trabalhista,

crédito deve ser transferido para o Juízo Falimentar, a fim de decorrente de serviços prestados antes do pedido de recuperação

integrar o patrimônio a ser contabilizado para a o plano judicial, deve ser habilitado no Juízo Universal da recuperação,

recuperacional; II - Que o débito proveniente da presente execução ainda que a sentença que defina tal crédito tenha sido proferida em

seja remetido em sua integralidade ao Juízo universal da momento posterior. Assim, a competência desta Justiça

Recuperação Judicial, mediante Certidão de Crédito a ser expedida Especializada restringe-se à liquidação e acertamento do título

para tal fim; III - requer por fim, seja determinado que o D. Juízo a executivo. Deste modo, o depósito recursal e demais valores que

quo se abstenha de praticar atos de expropriação ou constrição vierem a ser efetuados nos autos, pela executada, deverão ser

quanto aos bens e valores da Reclamada, uma vez que os atos de transferidos para Juízo Universal da recuperação, por ser

execução não dependem da data da constituição do crédito, mas incompetente a Justiça do Trabalho para prosseguir com os atos

sim, da vigência da recuperação judicial, como acima demonstrado, executórios, pelo que não se mostra possível a liberação do valor

devendo ser cumprido o quanto decidido pelo Tema nº 90 do STF". do depósito ao exequente. Recurso a que se nega provimento." (AP

-0010620-53.2016.5.18.0012, Relatora Desembargadora Iara

Teixeira Rios).

Examino.

"LIBERAÇÃO DO DEPÓSITO RECURSAL. EMPRESA EM

RECUPERAÇÃO JUDICIAL. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA

De antemão, destaco ser irrelevante o momento em que ocorreu o COMUM ESTADUAL. CONSOANTE ENTENDIMENTO DO

depósito visando à garantia do juízo, isto é, se ocorreu antes ou COLENDO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. A jurisprudência

depois da assembleia que aprovou o plano ou da homologação do Superior Tribunal de Justiça firmou-se no sentido de que os atos

deste pelo juízo competente. de execução dos créditos promovidos contra empresas falidas ou

em recuperação judicial, sob a égide do Decreto-Lei 7.661/45 ou da

Lei 11.101/05, bem como os atos judiciais que envolvam o

patrimônio dessas empresas, devem ser realizados pelo juízo

No caso, as reclamadas encontram-se em recuperação judicial universal, incluindo a deliberação acerca da destinação dos valores

desde 29 de maio de 2019 e é o quanto basta para inviabilizar o atinentes aos depósitos recursais feitos em reclamações

levantamento dos créditos existentes nos autos pelo exequente. trabalhistas, ainda que efetivados anteriormente à decretação da

falência ou ao deferimento da recuperação. (...) Os valores

eventualmente constritos pelo JUÍZO DA VARA DO TRABALHO

relativos ao patrimônio das sociedades em recuperação deverão ser

Destarte, uma vez deferido o pedido de recuperação judicial, a colocados à disposição do juízo universal, a quem competirá

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 90
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

analisar eventual pedido de levantamento." (STJ - CONFLITO DE

COMPETÊNCIA Nº 152.839 - GO-2017/0144957-1, Relator Ministro

PAULO DE TARSO SANSEVERINO.) (AP - 0010479-

58.2016.5.18.0101, Relator Desembargador Eugênio José Cesário

Rosa)

A estes fundamentos, entendo que o depósito recursal deve ser

colocado à disposição do juízo universal e não liberado diretamente

ao exequente.

Na confluência do exposto, reformo a decisão para determinar que

o crédito relativo ao depósito recursal seja colocado à disposição do

juízo universal.

Dou provimento.

Acórdão

CONCLUSÃO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

Conheço do agravo de petição interposto pelas executadas e, no por unanimidade, conhecer do agravo de petição para, no mérito,

mérito, dou-lhe provimento, nos termos da fundamentação dar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora.

expendida.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 91
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE PROCESSO TRT : RO-0001007-50.2010.5.18.0131

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho. RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

(Goiânia, 14 de agosto de 2019) RECORRENTE(S) : CLAUDIONOR RIBEIRO DOS SANTOS

ADVOGADO(S) : GUSTAVO VARELA

RECORRIDO(S) : CLAUDIO ANTONIO FELICIO

RECORRIDO(S) : EDUARDO FELICIO

RECORRIDO(S) : FRIGOCARNES - INDUSTRIA E COMERCIO

DE ALIMENTOS LTDA - ME

IARA TEIXEIRA RIOS RECORRIDO(S) : JC - COMPRA E VENDA DE SUBPRODUTOS

ANIMAIS LTDA - ME

Desembargadora Relatora

ORIGEM : VARA DO TRABALHO DE LUZIÂNIA

JUIZ(ÍZA) : ROSANA RABELLO PADOVANI MESSIAS

Acórdão
Processo Nº ROT-0001007-50.2010.5.18.0131
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE CLAUDIONOR RIBEIRO DOS
SANTOS
ADVOGADO GUSTAVO VARELA(OAB: 20897/DF)
RECORRIDO JC - COMPRA E VENDA DE
SUBPRODUTOS ANIMAIS LTDA - ME
RECORRIDO EDUARDO FELICIO
RECORRIDO CLAUDIO ANTONIO FELICIO
RECORRIDO FRIGOCARNES - INDUSTRIA E
COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA -
ME

Intimado(s)/Citado(s):
- CLAUDIONOR RIBEIRO DOS SANTOS

EMENTA

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 92
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Inconformado, o exequente interpõe recurso ordinário (id 2804d6b).

Em síntese, destaca que, em razão da ordem de reunião das

"PROCESSO DE EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO diversas execuções em face dos devedores a presente execução

ORDINÁRIO. INADEQUAÇÃO. A interposição de recurso ordinário, estava sendo promovida nos autos tombados sob o n° 0001000-

no processo do trabalho, tem suas hipóteses previstas, 58.2010.5.18.0131 e que, nestes, aguardava-se o desfecho de

taxativamente, no artigo 895 da CLT. A sua interposição para atacar penhora levada a efeito no rosto dos autos do inventário em trâmite

decisão proferida na fase de execução, constitui erro grosseiro, que na 2ª Vara de Órfãos e Sucessões de Brasilia-DF.

impede a aplicação do princípio da fungibilidade, ou

conversabilidade, porquanto contra decisão na fase de execução há

texto expresso de lei prevendo o recurso adequado, qual seja, o

agravo de petição, a teor do artigo 897, 'a', da CLT" (AP-0151000- Acrescenta que as penhoras realizadas no rosto daqueles autos

20.1997.6.5.18.0004, Rel. Desembargador Aldon do Vale Alves foram transferidas para os autos da execução "em março do

Taglialegna, 1ª Turma, julgado em 20/03/2019). corrente ano" e que os valores "transferidos não foram suficientes

para satisfazer os débitos de todas as ações."

No mais, sustenta que "não se pode dizer que os autos sofreram a

paralisação imposta pelo art. 11-A § 1º da CLT, ou pelo art. 161 do

PGC/TST 18, uma vez que os autos se encontravam aguardando o

envio dos valores penhorados no rosto dos autos de Inventário dos

genitores dos executados."

Intimados os executados, estes não ofereceram resposta ao

RELATÓRIO recurso.

Não houve remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho.

É o relatório.

A Exma. Juíza do Trabalho Gislaine de Castro Araújo Almeida, em

exercício na egrégia Vara do Trabalho de Luziânia-GO, por meio da

v. decisão juntada sob id 40b5e99, decretou a prescrição

intercorrente da execução que CLAUDIONOR RIBEIRO DOS

SANTOS movia em face de FRIGOCARNES - INDÚSTRIA E

COMÉRCIO DE ALIMENTOS LTDA-, JC - COMPRA EM VENDA

DE SUBPRODUTOS ANIMAIS LTDAS - ME, EDUARDO FELÍCIO e

CLÁUDIO ANTÔNIO FELÍCIO.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 93
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

VOTO

"I - das decisões definitivas ou terminativas das Varas e Juízos, no

prazo de 8 (oito) dias; e (Incluído pela Lei nº 11.925, de 2009).

II - das decisões definitivas ou terminativas dos Tribunais Regionais,

em processos de sua competência originária, no prazo de 8 (oito)

dias, quer nos dissídios individuais, quer nos dissídios coletivos.

(Incluído pela Lei nº 11.925, de 2009).

ADMISSIBILIDADE (...)".

In casu, o reclamado/exequente interpôs "recurso ordinário" contra

a decisão que extinguiu a execução, nos termos do art. 924, II, do

CPC/15, em razão da ausência de manifestação do reclamante

sobre a habilitação e recebimento de seu crédito nos autos do

processo de recuperação judicial, presumindo o recebimento de tal

O recurso é tempestivo e a representação encontra-se regular. Não crédito perante o Juízo Universal.

obstante, o apelo não merece conhecimento diante uma vez que, ao

interpor recurso ordinário em processo que se encontra na fase de

execução, o exequente elegeu via inadequada.

Portanto, a via processual eleita pelo reclamado revela-se

inadequada, uma vez que ele não se insurge contra decisão de 1º

grau na fase de conhecimento, mas, sim, contra decisão proferida

Por medida de economia processual, adoto como razão de decidir, em execução, que extinguiu o feito.

os fundamentos exarados no acórdão proferido nos autos do RO-

0001297-84.2014.5.18.0241, da minha lavra, em cujo julgamento

acolhi divergência do eminente Desembargador Aldon do Vale

Alves Taglialegna no seguinte sentido: À hipótese, o recurso adequado é o previsto no artigo 897, "a", da

CLT, que dispõe:

"[...]

"Art. 897 - Cabe agravo, no prazo de 8 (oito) dias:

Ora, na Justiça do Trabalho, as hipóteses de cabimento do recurso

ordinário estão taxativamente previstas no artigo 895 da CLT, que a) de petição, das decisões do Juiz ou Presidente, nas execuções;"

dispõe:

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 94
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Desse modo, não se aplica o princípio da fungibilidade, haja vista

que o presente caso não se enquadra em nenhuma das hipóteses Nesse sentido é a lição do douto Luiz Guilherme Marinoni, in

prevista no artigo 895 da CLT, e há previsão legal expressa de Processo de Conhecimento. Editora RT. 6ª edição. 2007, p.

recurso próprio para a pretensão do recorrente/credor, 504/505:

caracterizando, a meu ver, erro grosseiro.

"A dúvida deve ser objetiva, e não subjetiva. Deseja-se dizer, com

Nesse sentido, vale transcrever as seguintes jurisprudências isto, que a dúvida não pode ter origem na insegurança pessoal do

encontradas no Código de Processo Civil e Legislação e Processual profissional que deve interpor o recurso, ou mesmo sua falta de

em vigor, de autoria de THEOTONIO NEGRÃO, JOSÉ ROBERTO preparo intelectual, mas sim no próprio sistema recursal.

F. GOUVÊA e LUIS GUILERME A BONDIOLI, 42a Edição, ano

2010, pg. 593:

(...)

"Para que seja aplicado o princípio da fungibilidade recursal é

necessário que o recorrente não tenha incidido em erro grosseiro"

(RSTJ 37/64) e este "se configura pela interposição de recurso Como já dito, o princípio da fungibilidade não se presta a legitimar a

impertinente, em lugar daquele expressamente previsto em norma atividade do advogado mal formado, incapaz de atuar com os

jurídica própria" (RTJ 132/1.374)." (in tópico da nota 11 ao artigo mecanismos processuais adequados. Serve para tornar o sistema

496) operacional, mediante a admissão do recurso inadequado, desde

que a falta seja fundada em dúvida objetiva e não tenha origem e

erro grosseiro."

Por oportuno, vale, também, destacar o entendimento a lição do

ilustre processualista Manoel Antonio Teixeira Filho (Sistema dos

Recursos Trabalhistas, Ed. LTr, 10ª Ed. p. 156): Por fim, o fato de o Exmo. Juiz a quo ter recebido o recurso

ordinário como agravo de petição, aplicando o princípio da

fungibilidade, não tem o condão de vincular o juízo de

admissibilidade ad quem.

"a fungibilidade, contudo, somente será possível quando se tratar de

erro sanável, assim entendido aquele que não compromete a

logicidade e a estrutura do sistema recursal. Sendo erronia na

interposição daquelas insanável (erro grosseiro), não deverá adotar Nesse sentido, mutatis mutandis, cito os seguintes precedentes

nenhuma providência salvadora do remedido inadequado, cujo desta Eg. Turma:

consequência será a sua inadmissibilidade, já pelo próprio juízo a

quo."

"EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO ORDINÁRIO. ERRO

GROSSEIRO. INAPLICABILIDADE DO PRINCÍPIO DA

Com efeito, a jurisprudência e a doutrina entendem que só aplica-se FUNGIBILIDADE. O artigo 897 da CLT dispõe que o recurso cabível

o princípio da fungibilidade, ou conversabilidade, nos casos em que contra as decisões proferidas nas execuções é o agravo de petição.

não se pode afirmar com certeza qual o recurso cabível. Portanto, a interposição de recurso ordinário na fase de execução,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 95
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

em autos de embargos de terceiro, trata-se de erro grosseiro, pois

não há dúvida objetiva a respeito do recurso cabível, o que

impossibilita a aplicação do princípio da fungibilidade, impondo-se o

não conhecimento do recurso, por inadequação da via eleita." (RO-

0010046-89.2018.5.18.0002, Rel. Desembargador Gentil Pio de

Oliveira, Julgamento em 21.08.2018).

"PROCESSO DE EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO

ORDINÁRIO. INADEQUAÇÃO. A interposição de recurso ordinário,

no processo do trabalho, tem suas hipóteses previstas,

taxativamente, no artigo 895 da CLT. A sua interposição para atacar

decisão proferida na fase de execução, constitui erro grosseiro, que

impede a aplicação do princípio da fungibilidade, ou

conversabilidade, porquanto contra decisão na fase de execução há

texto expresso de lei prevendo o recurso adequado, qual seja, o

agravo de petição, a teor do artigo 897, "a", da CLT." (AP-0151000-

20.1997.6.5.18.0004, Rel. Desembargador Aldon do Vale Alves

Taglialegna, 1ª Turma, julgado em 20/03/2019).

CONCLUSÃO

Portanto, havendo previsão legal do recurso para insurgir contra

decisão proferida na fase de execução, não conheço do recurso

ordinário". (Acórdão publicado no DEJT do dia 05/04/2019).

Não conheço do recurso ordinário, nos termos da fundamentação

expendida.

A estes fundamentos, não conheço do recurso ordinário interposto

pelo exequente.

É o voto.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 96
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão
Processo Nº AP-0001009-58.2012.5.18.0128
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
Acórdão AGRAVANTE TRANSHONORIO DIESEL LTDA
ADVOGADO JOAO DOMINGOS DA COSTA
FILHO(OAB: 7181/GO)
ADVOGADO Leandro Marmo Carneiro Costa(OAB:
35021/GO)
AGRAVADO EDNA PERPETUA MENDES SILVA
ADVOGADO EVANIO APARECIDO
TEODORO(OAB: 19170/GO)

Intimado(s)/Citado(s):
- TRANSHONORIO DIESEL LTDA

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária, PODER JUDICIÁRIO


por unanimidade, não conhecer do recurso, nos termos do voto da JUSTIÇA DO TRABALHO
relatora.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE


PROCESSO TRT - AP-0001009-58.2012.5.18.0128
ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho.


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)


AGRAVANTE(S) : TRANSHONORIO DIESEL LTDA

ADVOGADO(S) : JOÃO DOMINGOS DA COSTA FILHO

ADVOGADO(S) : LEANDRO MARMO CARNEIRO COSTA

AGRAVADO(S) : EDNA PERPETUA MENDES SILVA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 97
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ADVOGADO(S) : EVANIO APARECIDO TEODORO

RELATÓRIO

TERCEIRO INTERESSADO(S) : ALGLECIO DA SILVA

TERCEIRO INTERESSADO(S) : PETROBRAS DISTRIBUIDORA S

ORIGEM : VARA DO TRABALHO DE GOIATUBA

JUIZ(ÍZA) : MARIA APARECIDA PRADO FLEURY BARIANI

Trata-se de agravo de petição interposto pela executada

TRANSHONÓRIO DIESEL LTDA. em face da decisão de Id

31d8f36, que não conheceu da exceção de pré-executividade

apresentada nos autos da execução promovida por EDNA

PERPÉTUA MENDES SILVA em desfavor da agravante e de

outros.

O exequente apresentou contraminuta (Id 09167c7).

EMENTA

Dispensada a remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho,

nos moldes regimentais.

AGRAVO DE PETIÇÃO. DECISÃO QUE NÃO CONHECE DA

EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. NATUREZA

INTERLOCUTÓRIA. Nos termos da Súmula 15, II, deste Eg.

Tribunal, a decisão que rejeita exceção de pré-executividade tem

natureza meramente interlocutória e, de consequência, é irrecorrível

de imediato. Agravo de petição que não se conhece.

VOTO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 98
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Não fosse isso o suficiente, percebe-se que as questões veiculadas

na exceção de pré-executividade oposta pela demandada não são

de ordem pública.

Registre-se que este Eg. Regional, por meio da Súmula nº 15, já

ADMISSIBILIDADE pacificou seu entendimento de que 'na exceção de pré-

executividade é admissível apenas a arguição de matérias de

ordem pública ou nulidades absolutas'.

Assim, ante a ilegitimidade da parte, a teor do art. 18 do NCPC c/c

769 da CLT, e a não pertinência da matéria versada na presente

exceção de pré-executividade, deixo de conhecê-la.

Prejudicada a análise do pedido cautelar".

O agravo de petição interposto é adequado, tempestivo e a

representação processual está regular (Id 8a98f1e, pág. 1).

Sucede que a decisão que não conhece de exceção de pré-

executividade tem natureza interlocutória, sendo irrecorrível de

Todavia, o recurso não preenche pressuposto objetivo de imediato, nos termos do artigo 893, §1º da CLT.

admissibilidade.

Este Eg. Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região já consagrou

A decisão agravada não conheceu da exceção de pré-executividade o entendimento quanto à natureza interlocutória da manifestação

oposta pela executada, sob os seguintes fundamentos: judicial que não acolhe a exceção de pré-executividade, não sendo,

portanto, recorrível de imediato, conforme orientação contida em

sua Súmula 15, item II, transcrevo:

"(...) A executada pretende desconstituir a penhora sobre 50% do

imóvel matrícula 6.904, de propriedade de seus sócios, alegando

irregularidades no procedimento. Aponta a impenhorabilidade do "SÚMULA Nº 15

imóvel em questão, por se tratar de bem necessário e útil ao

exercício profissional, com fulcro no art. 833, V, do CPC/2015. EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. ADMISSIBILIDADE.

RECORRIBILIDADE.

Pois bem.

I - Na exceção de pré-executividade é admissível apenas a arguição

Nos termos do art. 18 do Código de Processo Civil, 'ninguém poderá de matérias de ordem pública ou nulidades absolutas, desde que

pleitear, em nome próprio, direito alheio, salvo quando autorizado haja prova pré-constituída.

pelo ordenamento jurídico'.

II - A decisão que acolhe a exceção de pré-executividade tem

No caso, a executada discute penhora sobre parte de bem imóvel natureza terminativa e comporta o manejo de agravo de petição,

de propriedade de terceiros. Todavia, não há previsão legal que a ficando vedada a rediscussão da matéria em sede de embargos à

legitime a deduzir pretensão em nome de outrem, ainda que se trate execução. Ao contrário, a decisão que rejeita a exceção de pré-

de seus sócios. executividade tem natureza interlocutória, sendo, portanto,

irrecorrível de imediato, conforme art. 893, § 1º, da CLT".

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 99
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Nesse sentido, cito também os seguintes precedentes:

"AGRAVO DE PETIÇÃO. DECISÃO QUE NÃO CONHECE DA

EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. NATUREZA

INTERLOCUTÓRIA. A decisão que rejeita exceção de pré-

executividade é meramente interlocutória, não sendo recorrível de

imediato (nova redação do item II, da Súmula nº 15 deste Regional).

Agravo de petição não conhecido". (TRT18, AP-0011330-

59.2014.5.18.0007, Rel. Des. Daniel Viana Júnior, 3ª Turma, julgado

em 03-06-2019)

"AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA.

EXECUÇÃO. EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. REJEIÇÃO.

DECISÃO DE NATUREZA INTERLOCUTÓRIA. A sentença que

rejeita a exceção de pré-executividade se reveste de natureza

interlocutória, sendo, portanto, irrecorrível de imediato, consoante o

disposto no artigo 893, § 1º, da Consolidação das Leis do Trabalho.

Portanto, a decisão recorrida que não conheceu do agravo de

petição está em sintonia com o entendimento pacificado desta Corte

Superior. É dever processual da parte recorrente, ao interpor seu

recurso, fazê-lo em estrita observância aos requisitos legais CONCLUSÃO

exigidos, já que o cabimento de recursos nesta Justiça

Especializada está condicionado necessariamente ao

preenchimento de pressupostos extrínsecos e intrínsecos de

admissibilidade, os quais devem ser respeitados. Nesses termos,

não há falar em ofensa aos dispositivos da Constituição Federal.

Agravo de instrumento conhecido e não provido". (TST - AIRR-

1082003820025150051, Rel. Min. Dora Maria da Costa, Data de

Julgamento: 08/02/2017, 8ª Turma, Data de Publicação: DEJT 10-

02-2017) Não conheço do agravo de petição interposto pela executada, nos

termos da fundamentação acima expendida.

Por tais fundamentos, não conheço do agravo de petição, por ser

incabível o recurso aviado. É o meu voto,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 100
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão
Processo Nº AP-0001009-58.2012.5.18.0128
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE TRANSHONORIO DIESEL LTDA
ADVOGADO JOAO DOMINGOS DA COSTA
FILHO(OAB: 7181/GO)
ADVOGADO Leandro Marmo Carneiro Costa(OAB:
35021/GO)
AGRAVADO EDNA PERPETUA MENDES SILVA
Acórdão ADVOGADO EVANIO APARECIDO
TEODORO(OAB: 19170/GO)

Intimado(s)/Citado(s):
- EDNA PERPETUA MENDES SILVA

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, não conhecer do agravo de petição, nos termos

do voto da relatora.

PROCESSO TRT - AP-0001009-58.2012.5.18.0128


Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS
o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE


AGRAVANTE(S) : TRANSHONORIO DIESEL LTDA
ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho.


ADVOGADO(S) : JOÃO DOMINGOS DA COSTA FILHO

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)


ADVOGADO(S) : LEANDRO MARMO CARNEIRO COSTA

AGRAVADO(S) : EDNA PERPETUA MENDES SILVA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 101
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ADVOGADO(S) : EVANIO APARECIDO TEODORO

RELATÓRIO

TERCEIRO INTERESSADO(S) : ALGLECIO DA SILVA

TERCEIRO INTERESSADO(S) : PETROBRAS DISTRIBUIDORA S

ORIGEM : VARA DO TRABALHO DE GOIATUBA

JUIZ(ÍZA) : MARIA APARECIDA PRADO FLEURY BARIANI

Trata-se de agravo de petição interposto pela executada

TRANSHONÓRIO DIESEL LTDA. em face da decisão de Id

31d8f36, que não conheceu da exceção de pré-executividade

apresentada nos autos da execução promovida por EDNA

PERPÉTUA MENDES SILVA em desfavor da agravante e de

outros.

O exequente apresentou contraminuta (Id 09167c7).

EMENTA

Dispensada a remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho,

nos moldes regimentais.

AGRAVO DE PETIÇÃO. DECISÃO QUE NÃO CONHECE DA

EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. NATUREZA

INTERLOCUTÓRIA. Nos termos da Súmula 15, II, deste Eg.

Tribunal, a decisão que rejeita exceção de pré-executividade tem

natureza meramente interlocutória e, de consequência, é irrecorrível

de imediato. Agravo de petição que não se conhece.

VOTO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 102
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Não fosse isso o suficiente, percebe-se que as questões veiculadas

na exceção de pré-executividade oposta pela demandada não são

de ordem pública.

Registre-se que este Eg. Regional, por meio da Súmula nº 15, já

ADMISSIBILIDADE pacificou seu entendimento de que 'na exceção de pré-

executividade é admissível apenas a arguição de matérias de

ordem pública ou nulidades absolutas'.

Assim, ante a ilegitimidade da parte, a teor do art. 18 do NCPC c/c

769 da CLT, e a não pertinência da matéria versada na presente

exceção de pré-executividade, deixo de conhecê-la.

Prejudicada a análise do pedido cautelar".

O agravo de petição interposto é adequado, tempestivo e a

representação processual está regular (Id 8a98f1e, pág. 1).

Sucede que a decisão que não conhece de exceção de pré-

executividade tem natureza interlocutória, sendo irrecorrível de

Todavia, o recurso não preenche pressuposto objetivo de imediato, nos termos do artigo 893, §1º da CLT.

admissibilidade.

Este Eg. Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região já consagrou

A decisão agravada não conheceu da exceção de pré-executividade o entendimento quanto à natureza interlocutória da manifestação

oposta pela executada, sob os seguintes fundamentos: judicial que não acolhe a exceção de pré-executividade, não sendo,

portanto, recorrível de imediato, conforme orientação contida em

sua Súmula 15, item II, transcrevo:

"(...) A executada pretende desconstituir a penhora sobre 50% do

imóvel matrícula 6.904, de propriedade de seus sócios, alegando

irregularidades no procedimento. Aponta a impenhorabilidade do "SÚMULA Nº 15

imóvel em questão, por se tratar de bem necessário e útil ao

exercício profissional, com fulcro no art. 833, V, do CPC/2015. EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. ADMISSIBILIDADE.

RECORRIBILIDADE.

Pois bem.

I - Na exceção de pré-executividade é admissível apenas a arguição

Nos termos do art. 18 do Código de Processo Civil, 'ninguém poderá de matérias de ordem pública ou nulidades absolutas, desde que

pleitear, em nome próprio, direito alheio, salvo quando autorizado haja prova pré-constituída.

pelo ordenamento jurídico'.

II - A decisão que acolhe a exceção de pré-executividade tem

No caso, a executada discute penhora sobre parte de bem imóvel natureza terminativa e comporta o manejo de agravo de petição,

de propriedade de terceiros. Todavia, não há previsão legal que a ficando vedada a rediscussão da matéria em sede de embargos à

legitime a deduzir pretensão em nome de outrem, ainda que se trate execução. Ao contrário, a decisão que rejeita a exceção de pré-

de seus sócios. executividade tem natureza interlocutória, sendo, portanto,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 103
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

irrecorrível de imediato, conforme art. 893, § 1º, da CLT".

Nesse sentido, cito também os seguintes precedentes:

"AGRAVO DE PETIÇÃO. DECISÃO QUE NÃO CONHECE DA

EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. NATUREZA

INTERLOCUTÓRIA. A decisão que rejeita exceção de pré-

executividade é meramente interlocutória, não sendo recorrível de

imediato (nova redação do item II, da Súmula nº 15 deste Regional).

Agravo de petição não conhecido". (TRT18, AP-0011330-

59.2014.5.18.0007, Rel. Des. Daniel Viana Júnior, 3ª Turma, julgado

em 03-06-2019)

"AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA.

EXECUÇÃO. EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. REJEIÇÃO.

DECISÃO DE NATUREZA INTERLOCUTÓRIA. A sentença que

rejeita a exceção de pré-executividade se reveste de natureza

interlocutória, sendo, portanto, irrecorrível de imediato, consoante o

disposto no artigo 893, § 1º, da Consolidação das Leis do Trabalho.

Portanto, a decisão recorrida que não conheceu do agravo de

petição está em sintonia com o entendimento pacificado desta Corte

Superior. É dever processual da parte recorrente, ao interpor seu

recurso, fazê-lo em estrita observância aos requisitos legais CONCLUSÃO

exigidos, já que o cabimento de recursos nesta Justiça

Especializada está condicionado necessariamente ao

preenchimento de pressupostos extrínsecos e intrínsecos de

admissibilidade, os quais devem ser respeitados. Nesses termos,

não há falar em ofensa aos dispositivos da Constituição Federal.

Agravo de instrumento conhecido e não provido". (TST - AIRR-

1082003820025150051, Rel. Min. Dora Maria da Costa, Data de

Julgamento: 08/02/2017, 8ª Turma, Data de Publicação: DEJT 10-

02-2017) Não conheço do agravo de petição interposto pela executada, nos

termos da fundamentação acima expendida.

Por tais fundamentos, não conheço do agravo de petição, por ser

incabível o recurso aviado. É o meu voto,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 104
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão
Processo Nº AP-0002350-37.2011.5.18.0005
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE CELG DISTRIBUICAO S.A. - CELG D
ADVOGADO PATRICIA DE MOURA UMAKE(OAB:
27473/GO)
ADVOGADO EDMAR ANTONIO ALVES
FILHO(OAB: 31312/GO)
ADVOGADO PAULO ROBERTO IVO DE
REZENDE(OAB: 9362/GO)
Acórdão
AGRAVADO JOAO ROCHA SOBRINHO
ADVOGADO THIAGO ROMER DE OLIVEIRA
SILVA(OAB: 32342/GO)
ADVOGADO Wilian Fraga Guimarães(OAB:
11293/GO)

Intimado(s)/Citado(s):
- CELG DISTRIBUICAO S.A. - CELG D

PODER JUDICIÁRIO
ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio
JUSTIÇA DO TRABALHO
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, não conhecer do agravo de petição, nos termos

do voto da relatora.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA PROCESSO TRT - AP-0002350-37.2011.5.18.0005


(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d. RELATOR(A) : DESEMBARGADOR(A) IARA TEIXEIRA RIOS
representante do Ministério Público do Trabalho.

AGRAVANTE(S) : CELG DISTRIBUICAO S.A. - CELG D


(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

ADVOGADO(S) : EDMAR ANTONIO ALVES FILHO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 105
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ADVOGADO(S) : PATRICIA DE MOURA UMAKE

AGRAVADO(S) : JOAO ROCHA SOBRINHO

ADVOGADO(S) : THIAGO ROMER DE OLIVEIRA SILVA

ADVOGADO(S) : WILIAN FRAGA GUIMARãES RELATÓRIO

ORIGEM : 5ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA

JUIZ(ÍZA) : JOÃO RODRIGUES PEREIRA

O Exmo. Juiz do Trabalho, João Rodrigues Pereira, titular da

egrégia 5ª Vara do Trabalho de Goiânia-GO, pela v. decisão

identificada pelo código 35691d7, não conheceu dos embargos

opostos pela empresa CELG DISTRIBUIÇÃO S.A. - CELG D nos

autos da execução promovida em face da recorrente por JOÃO

ROCHA SOBRINHO.

EMENTA

Inconformada, a executada opõe agravo e petição (id b844516)

alegando que, ao opor os embargos, o fez observando a atual

jurisprudência deste Regional.

Intimado para oferecer resposta ao recurso (id dd15d59), o

PRESCRIÇÃO. INDENIZAÇÃO PELA SUPRESSÃO DE HORAS agravado quedou-se inerte.

EXTRAS HABITUAIS. SÚMULA Nº 291 DO TST. A indenização

pela supressão das horas extras prestadas com habitualidade deve

considerar todo o período do contrato de trabalho em que houve o

labor extraordinário, e não apenas o período não prescrito, sob O feito foi convertido em diligência para prestação de

pena de ofensa à Súmula nº 291/TST. Precedentes desta Corte. esclarecimentos pela Contadoria.

Òbice do art. 896, § 4º, da CLT e da Súmula nº 333 do TST. Agravo

de instrumento conhecido e não provido.' (TST, 8ª Turma, AI-

55440/2007-0058-15.40, Relatora Ministra Dora Maria da Costa,

DJE 30/04/2010. A Contadoria se manifestou, ratificando os critérios adotados na

liquidação do título exequendo.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 106
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

É o relatório.

VOTO

MÉRITO

ADMISSIBILIDADE DA TEMPESTIVIDADE DOS EMBARGOS OPOSTOS PELA

EXECUTADA

A v. decisão recorrida não conheceu dos embargos opostos pela

executada pelos fundamentos reproduzidos adiante:

"Na decisão interlocutória de fls. 63/66, que apreciou a impugnação

Preenchidos os pressupostos de admissibilidade, conheço do aos cálculos de liquidação e homologou a conta, determinou a

agravo de petição interposto pela executada. citação da executada para garantia integral do juízo.

A executada, no dia 25/10/2018 efetuou o depósito para garantir

integralmente o juízo (depósito de fl. 79).

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 107
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Com isso e considerando que a impugnação decidida foi em razão

da insurgência da executada, não concordando com tal decisão de Destaca que, sendo esse o entendimento deste Regional, "requereu

liquidação, poderia ter renovar suas argumentações dos embargos queu o Agrvo de Petição interpoto no ID Num. 587474B - Pág. 1/6

à execução, nos termos do art. no momento 884, § 4º da CLT. fosse recebido como embargos à execução [...]".

E nesse sentido decidiu o Eg. Tribunal quando do exame do recurso Assim, pugna pugna pelo conheciento dos embargos.

de agravo de petição.

O que se observa do exame dos autos é que, iniciado o

E assim, a executada teria até o dia 05/11/2018, ante os feriados de procedimento de liquidação do título exequendo em julho/2018,

finados, para apresentar embargos à execução nos ternos do art. observou-se o procedimento estabelecido no art. 879m § 2º, da

884 da CLT. CLT, com a abertura do prazo de 8 dias para as partes se

manifestarem sobre a conta de liquidação.

Contudo, ao invés de opor embargos à execução, a executada

interpôs recurso de agravo de petição. A executada ofereceu impugnação na qual alegou excesso de

execução (id f3cb3f2), e que foi rejeitada pela v. decisão exarada

sob id 6e65eb3. Ato contínuo, a executada interpôs agravo de

petição, ponderendo que, no caso de o juízo não entender cabível a

O Eg. Tribunal não o conheceu sob o fundamento de que a decisão referida medida, fosse outorgada à recorrente oportunidade para

que rejeitou a impugnação aos cálculos possui natureza posterior apresentação de embargos. (id 587474b, lauda 1).

interlocutória, sendo irrecorrível de imediato e que a discordância

poderá ser discutida em eventual embargos à execução e posterior

agravo de petição.

Eis em que termos, expressou-se a agravante:

Ocorre que para isto, deve os embargos à execução estar

tempestivos, contudo, esse não é o caso dos autos, pois os "Ad cautelam, caso se entenda incabível a interposição de Agravo

embargos foram interpostos a quase três meses após a garantida de Petição nesta oportunidade, protesta pela apresentaçaõ posterior

do juízo, que ocorreu em 25/10/2018 (fl. 79). Portanto, de embargos à execução e/ou reuer seja o presente recebido como

intempestivos." embargos à execução."

A agravante entende que a v. decisão recorrido é está equivocada a Após a manifestação do credor, o recurso então inteposto pela

medida que, de acordo com recente entendimento desta Corte, "não exucutada foi recebido pelo juízo de origem e enviado a esta Corte,

cabe agravo de petição contra a decisão que aprecia a impugnação tendo a egrégia manifestado o entendimento de que o recurso não

aos cálculos de liquidação, pois trata-se de decisão interlocutória, era cabível em razão do caráter interlocutório da v. decisão que

irrecorrível de imediato [...]". apreciou a impugnação ao cálculo.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 108
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

decisório homologatório, incidindo a aplicação do art. 893, § 1º,

da CLT, verbis:

Transitado em julgado o referido acórdão, foram os cálculos

atualizados e deduzido o valor incontroverso já liberado ao credor.

Verificada, pelo juízo a quo, a existência de de depósito no valor de § 1º. Os incidentes do processo são resolvidos pelo próprio Juízo ou

R$55.703,85 (despacho, id acc455e), determinou-se a liberação do Tribunal, admitindo-se a apreciação do merecimento das decisões

crédito do exequente, como também a intimação da "Executada interlocutórias somente em recursos da decisão definitiva."

para pagar a execução, em relação a difernça dos encargos sociais,

no valor de R$ 1.506,68, no prazo de 05 (cinco) dias."

Assim, por coerência com os fundamentos exarados no referido

acórdão, dou provimento ao apelo da executada para conhecer dos

No dia 07/02/2019, a executada depositou, a título de garantia, o embargos.

saldo remanescente da execução (id 42f1ce5) e no dia 14/02/2109

protocolizou os embargos que não foram conhecidos pelo juízo de

1º grau.

Considerando que a matéria veiculada nos embargos é a mesma

que foi arguida na impugnação ao cálculo e sobre a qual o d. juiz de

1º grau já deu o seu veredito e levando em conta, ainda, que trata-

Pois bem. se de matéria de direito, passo ao imediato julgamento do mérito do

recurso.

O entendimento manifestado pela egrégia 2ª Turma no julgamento

do primeiro agravo de petição interposto pela executada, conforme DA INDENIZAÇÃO PELA SUPRESSÃO DAS EXTRAS - ERRO DE

se vê no acórdão (id 940f7ad), foi no sentido não conhecer do CÁLCULO

recurso por ter como objeto decisão interlocutória.

Alega a agravante que o valor correto da execução é R$21.423,27 e

No presente contexto, a recorrente está com inteira razão quanto ao não aquele apurado pela Contadoria (R$97.976,50). Destaca que a

pleito no sentido de que sejam conhecidos os embargos opostos no interpretação que ressai da sentença é que o credor "faz jus à

dia 14/02/2019 pois o v. acórdão proferido no primeiro agravo a par quantidade de 05 parcelas de indenização, de acordocom a média

de entender que a decisão não era recorrível de imediato, encontrada no último ano em quelabvorou em horas extras de

resguardou o direito da devedora de questionar o mérito da prontidão" e não 24 parcelas como entendeu o contador.

liquidação após decisão definitiva.

Razão não assiste à recorrente.

É o que se infere da seguinte passagem do acórdão:

Inicialmente, cumpre destacar que o direito à indenização pela

"Em conclusão, a decisão agravada é irrecorrível de imediato, supressão das horas extras foi reconhecido pela segunda instância

podendo posteriormente a agravante se insurgir quanto ao ato não pelo juízo de 1º grau.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 109
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

média das horas suplementares e de prontidão nos últimos 12

(doze) meses anteriores à mudança, multiplicada pelo valor da hora

extra/de prontidão do dia da supressão. Deve ser levado em

E diversamente do que sustenta a recorrente, no acórdão consideração todo o período do pacto laboral em que houve o labor

exequendo, não há nenhum comando do qual se extraia que a extraordinário e em regime de protidão, nos termos da

condenação limitar-se-ia a 5 parcelas (1 parcela em cada ano). jurisprudência do ST e do TST, in verbis:

Senão vejamos o que constou do acórdão: "[...]

"No caso em tela, os contracheques de fls. 53/71 (relativos ao 'INDENIAÇÃO PELA SURPESSÃO DE HORAS EXTRAS

período de janeiro de 2006 a abril de 2007) comprovam que o HABITUAIS. PRESCRIÇÃO QUINQUENAL. ALCANCE. Não há

reclamane percebeu a remuneração de horas extras em janeiro, confundir o período alcançado pela prescrição dentro do qual são

fevereiro, março, julho, agosto, outubro, novembro e dezembro de inexigíveis quaisquer pretensões, com o período utilizado para

2006, bem como fevereiro, março e abril de 2007; e que nesse calcular o valor de pretensões reclamadas dentro do

período percebeu o pagamento de hroas de sobreviso nos meses quinquênio legal. Assim, no tocante à indenização pela supressão

de janeiro, fevereiro, março, julho, agosto, setembro de 2006 e em das horas extras prestadas com habitualidade, desde que postulada

fevereiro, março e abril de 2007. antes do decurso de cinco anos do ato impugnado, deve-se

considerar todo o período do contrato em que houve o trabalho

extraordiário. Precedentes desta Corte. (STF, 1ª Turma, ARE

657321 PA, Relator Min. Luiz Fuz, Dje-043, 01-02-2012).

Ou seja, no período de 12 meses anteriores à supressão do

pagmento de horas extras e horas de prontidão, é possível concluir

que o reclamante trabalhou em sobrejornada e em regime de

prontidão com habitualidade, já que por um período igual ou

superior a seis meses.

PRESCRIÇÃO. INDENIZAÇÃO PELA SUPRESSÃO DE HORAS

EXTRAS HABITUAIS. SÚMULA Nº 291 DO TST. A indenização

pela supressão das horas extras prestadas com habitualidade deve

Verifico, outrossim, que no ano de 2005 (fls. 151), de igual forma, considerar todo o período do contrato de trabalho em que

houve a prestaçaõ habitual de horas extras e labor em regime de houve o labor extraordinário, e não apenas o período não prescrito,

prontidão. sob pena de ofensa à Súmula nº 291/TST. Precedentes desta

Corte. Òbice do art. 896, § 4º, da CLT e da Súmula nº 333 do TST.

Agravo de instrumento conhecido e não provido.' (TST, 8ª Turma, AI

-55440/2007-0058-15.40, Relatora Ministra Dora Maria da Costa,

De tal sorte, o reclamantre faz jus ao pagamento indenizçaão pela DJE 30/04/2010."

supressão do pagametno de hroas extras e dehoras de prontidão

equivalente a 01 (um) mês de tais horas supriidas para cada ano ou

fração igual ou superior a seis meses.

Como se vê, a pretensão veiculada nos embargos e reiterada no

agravo não encontra albergue no título exequendo.

Para o cálculo das indenizações deve observar, respectivametne, a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 110
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Agravo improvido.

Acórdão

CONCLUSÃO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Conheço do agravo de petição interposto pela executada; no mérito, Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

nego-lhe provimento nos termos da fundamentação supra. por unanimidade, conhecer do agravo de petição para, no mérito,

negar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

Custas, pela agravante, no importe de R$44,26. GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

É o voto. representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

IARA TEIXEIRA RIOS

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 111
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Desembargador(a) Relator(a)

Acórdão
Processo Nº AP-0002350-37.2011.5.18.0005
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE CELG DISTRIBUICAO S.A. - CELG D
ADVOGADO PATRICIA DE MOURA UMAKE(OAB:
27473/GO)
ADVOGADO EDMAR ANTONIO ALVES
FILHO(OAB: 31312/GO)
ADVOGADO PAULO ROBERTO IVO DE
REZENDE(OAB: 9362/GO)
EMENTA
AGRAVADO JOAO ROCHA SOBRINHO
ADVOGADO THIAGO ROMER DE OLIVEIRA
SILVA(OAB: 32342/GO)
ADVOGADO Wilian Fraga Guimarães(OAB:
11293/GO)

Intimado(s)/Citado(s):
- JOAO ROCHA SOBRINHO

PODER JUDICIÁRIO
PRESCRIÇÃO. INDENIZAÇÃO PELA SUPRESSÃO DE HORAS
JUSTIÇA DO TRABALHO
EXTRAS HABITUAIS. SÚMULA Nº 291 DO TST. A indenização

pela supressão das horas extras prestadas com habitualidade deve

considerar todo o período do contrato de trabalho em que houve o

labor extraordinário, e não apenas o período não prescrito, sob

pena de ofensa à Súmula nº 291/TST. Precedentes desta Corte.

Òbice do art. 896, § 4º, da CLT e da Súmula nº 333 do TST. Agravo

PROCESSO TRT - AP-0002350-37.2011.5.18.0005 de instrumento conhecido e não provido.' (TST, 8ª Turma, AI-

55440/2007-0058-15.40, Relatora Ministra Dora Maria da Costa,

RELATOR(A) : DESEMBARGADOR(A) IARA TEIXEIRA RIOS DJE 30/04/2010.

AGRAVANTE(S) : CELG DISTRIBUICAO S.A. - CELG D

ADVOGADO(S) : EDMAR ANTONIO ALVES FILHO

ADVOGADO(S) : PATRICIA DE MOURA UMAKE

AGRAVADO(S) : JOAO ROCHA SOBRINHO

ADVOGADO(S) : THIAGO ROMER DE OLIVEIRA SILVA

ADVOGADO(S) : WILIAN FRAGA GUIMARãES RELATÓRIO

ORIGEM : 5ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA

JUIZ(ÍZA) : JOÃO RODRIGUES PEREIRA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 112
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

VOTO

O Exmo. Juiz do Trabalho, João Rodrigues Pereira, titular da

egrégia 5ª Vara do Trabalho de Goiânia-GO, pela v. decisão

identificada pelo código 35691d7, não conheceu dos embargos

opostos pela empresa CELG DISTRIBUIÇÃO S.A. - CELG D nos

autos da execução promovida em face da recorrente por JOÃO

ROCHA SOBRINHO.

Inconformada, a executada opõe agravo e petição (id b844516)

alegando que, ao opor os embargos, o fez observando a atual

jurisprudência deste Regional.

ADMISSIBILIDADE

Intimado para oferecer resposta ao recurso (id dd15d59), o

agravado quedou-se inerte.

O feito foi convertido em diligência para prestação de

esclarecimentos pela Contadoria.

Preenchidos os pressupostos de admissibilidade, conheço do

agravo de petição interposto pela executada.

A Contadoria se manifestou, ratificando os critérios adotados na

liquidação do título exequendo.

É o relatório.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 113
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

E assim, a executada teria até o dia 05/11/2018, ante os feriados de

MÉRITO finados, para apresentar embargos à execução nos ternos do art.

884 da CLT.

Contudo, ao invés de opor embargos à execução, a executada

interpôs recurso de agravo de petição.

O Eg. Tribunal não o conheceu sob o fundamento de que a decisão

que rejeitou a impugnação aos cálculos possui natureza

interlocutória, sendo irrecorrível de imediato e que a discordância

poderá ser discutida em eventual embargos à execução e posterior

DA TEMPESTIVIDADE DOS EMBARGOS OPOSTOS PELA agravo de petição.

EXECUTADA

A v. decisão recorrida não conheceu dos embargos opostos pela

executada pelos fundamentos reproduzidos adiante: Ocorre que para isto, deve os embargos à execução estar

tempestivos, contudo, esse não é o caso dos autos, pois os

embargos foram interpostos a quase três meses após a garantida

do juízo, que ocorreu em 25/10/2018 (fl. 79). Portanto,

"Na decisão interlocutória de fls. 63/66, que apreciou a impugnação intempestivos."

aos cálculos de liquidação e homologou a conta, determinou a

citação da executada para garantia integral do juízo.

A agravante entende que a v. decisão recorrido é está equivocada a

medida que, de acordo com recente entendimento desta Corte, "não

A executada, no dia 25/10/2018 efetuou o depósito para garantir cabe agravo de petição contra a decisão que aprecia a impugnação

integralmente o juízo (depósito de fl. 79). aos cálculos de liquidação, pois trata-se de decisão interlocutória,

irrecorrível de imediato [...]".

Com isso e considerando que a impugnação decidida foi em razão

da insurgência da executada, não concordando com tal decisão de Destaca que, sendo esse o entendimento deste Regional, "requereu

liquidação, poderia ter renovar suas argumentações dos embargos queu o Agrvo de Petição interpoto no ID Num. 587474B - Pág. 1/6

à execução, nos termos do art. no momento 884, § 4º da CLT. fosse recebido como embargos à execução [...]".

E nesse sentido decidiu o Eg. Tribunal quando do exame do recurso Assim, pugna pugna pelo conheciento dos embargos.

de agravo de petição.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 114
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

O que se observa do exame dos autos é que, iniciado o No dia 07/02/2019, a executada depositou, a título de garantia, o

procedimento de liquidação do título exequendo em julho/2018, saldo remanescente da execução (id 42f1ce5) e no dia 14/02/2109

observou-se o procedimento estabelecido no art. 879m § 2º, da protocolizou os embargos que não foram conhecidos pelo juízo de

CLT, com a abertura do prazo de 8 dias para as partes se 1º grau.

manifestarem sobre a conta de liquidação.

Pois bem.

A executada ofereceu impugnação na qual alegou excesso de

execução (id f3cb3f2), e que foi rejeitada pela v. decisão exarada

sob id 6e65eb3. Ato contínuo, a executada interpôs agravo de

petição, ponderendo que, no caso de o juízo não entender cabível a O entendimento manifestado pela egrégia 2ª Turma no julgamento

referida medida, fosse outorgada à recorrente oportunidade para do primeiro agravo de petição interposto pela executada, conforme

posterior apresentação de embargos. (id 587474b, lauda 1). se vê no acórdão (id 940f7ad), foi no sentido não conhecer do

recurso por ter como objeto decisão interlocutória.

Eis em que termos, expressou-se a agravante:

No presente contexto, a recorrente está com inteira razão quanto ao

pleito no sentido de que sejam conhecidos os embargos opostos no

dia 14/02/2019 pois o v. acórdão proferido no primeiro agravo a par

"Ad cautelam, caso se entenda incabível a interposição de Agravo de entender que a decisão não era recorrível de imediato,

de Petição nesta oportunidade, protesta pela apresentaçaõ posterior resguardou o direito da devedora de questionar o mérito da

de embargos à execução e/ou reuer seja o presente recebido como liquidação após decisão definitiva.

embargos à execução."

É o que se infere da seguinte passagem do acórdão:

Após a manifestação do credor, o recurso então inteposto pela

exucutada foi recebido pelo juízo de origem e enviado a esta Corte,

tendo a egrégia manifestado o entendimento de que o recurso não

era cabível em razão do caráter interlocutório da v. decisão que "Em conclusão, a decisão agravada é irrecorrível de imediato,

apreciou a impugnação ao cálculo. podendo posteriormente a agravante se insurgir quanto ao ato

decisório homologatório, incidindo a aplicação do art. 893, § 1º,

da CLT, verbis:

Transitado em julgado o referido acórdão, foram os cálculos

atualizados e deduzido o valor incontroverso já liberado ao credor.

Verificada, pelo juízo a quo, a existência de de depósito no valor de § 1º. Os incidentes do processo são resolvidos pelo próprio Juízo ou

R$55.703,85 (despacho, id acc455e), determinou-se a liberação do Tribunal, admitindo-se a apreciação do merecimento das decisões

crédito do exequente, como também a intimação da "Executada interlocutórias somente em recursos da decisão definitiva."

para pagar a execução, em relação a difernça dos encargos sociais,

no valor de R$ 1.506,68, no prazo de 05 (cinco) dias."

Assim, por coerência com os fundamentos exarados no referido

acórdão, dou provimento ao apelo da executada para conhecer dos

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 115
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

embargos. "No caso em tela, os contracheques de fls. 53/71 (relativos ao

período de janeiro de 2006 a abril de 2007) comprovam que o

reclamane percebeu a remuneração de horas extras em janeiro,

fevereiro, março, julho, agosto, outubro, novembro e dezembro de

Considerando que a matéria veiculada nos embargos é a mesma 2006, bem como fevereiro, março e abril de 2007; e que nesse

que foi arguida na impugnação ao cálculo e sobre a qual o d. juiz de período percebeu o pagamento de hroas de sobreviso nos meses

1º grau já deu o seu veredito e levando em conta, ainda, que trata- de janeiro, fevereiro, março, julho, agosto, setembro de 2006 e em

se de matéria de direito, passo ao imediato julgamento do mérito do fevereiro, março e abril de 2007.

recurso.

Ou seja, no período de 12 meses anteriores à supressão do

DA INDENIZAÇÃO PELA SUPRESSÃO DAS EXTRAS - ERRO DE pagmento de horas extras e horas de prontidão, é possível concluir

CÁLCULO que o reclamante trabalhou em sobrejornada e em regime de

prontidão com habitualidade, já que por um período igual ou

superior a seis meses.

Alega a agravante que o valor correto da execução é R$21.423,27 e

não aquele apurado pela Contadoria (R$97.976,50). Destaca que a

interpretação que ressai da sentença é que o credor "faz jus à Verifico, outrossim, que no ano de 2005 (fls. 151), de igual forma,

quantidade de 05 parcelas de indenização, de acordocom a média houve a prestaçaõ habitual de horas extras e labor em regime de

encontrada no último ano em quelabvorou em horas extras de prontidão.

prontidão" e não 24 parcelas como entendeu o contador.

De tal sorte, o reclamantre faz jus ao pagamento indenizçaão pela

Razão não assiste à recorrente. supressão do pagametno de hroas extras e dehoras de prontidão

equivalente a 01 (um) mês de tais horas supriidas para cada ano ou

fração igual ou superior a seis meses.

Inicialmente, cumpre destacar que o direito à indenização pela

supressão das horas extras foi reconhecido pela segunda instância

não pelo juízo de 1º grau. Para o cálculo das indenizações deve observar, respectivametne, a

média das horas suplementares e de prontidão nos últimos 12

(doze) meses anteriores à mudança, multiplicada pelo valor da hora

extra/de prontidão do dia da supressão. Deve ser levado em

E diversamente do que sustenta a recorrente, no acórdão consideração todo o período do pacto laboral em que houve o labor

exequendo, não há nenhum comando do qual se extraia que a extraordinário e em regime de protidão, nos termos da

condenação limitar-se-ia a 5 parcelas (1 parcela em cada ano). jurisprudência do ST e do TST, in verbis:

Senão vejamos o que constou do acórdão: "[...]

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 116
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

'INDENIAÇÃO PELA SURPESSÃO DE HORAS EXTRAS CONCLUSÃO

HABITUAIS. PRESCRIÇÃO QUINQUENAL. ALCANCE. Não há

confundir o período alcançado pela prescrição dentro do qual são

inexigíveis quaisquer pretensões, com o período utilizado para

calcular o valor de pretensões reclamadas dentro do

quinquênio legal. Assim, no tocante à indenização pela supressão

das horas extras prestadas com habitualidade, desde que postulada

antes do decurso de cinco anos do ato impugnado, deve-se

considerar todo o período do contrato em que houve o trabalho

extraordiário. Precedentes desta Corte. (STF, 1ª Turma, ARE Conheço do agravo de petição interposto pela executada; no mérito,

657321 PA, Relator Min. Luiz Fuz, Dje-043, 01-02-2012). nego-lhe provimento nos termos da fundamentação supra.

Custas, pela agravante, no importe de R$44,26.

PRESCRIÇÃO. INDENIZAÇÃO PELA SUPRESSÃO DE HORAS

EXTRAS HABITUAIS. SÚMULA Nº 291 DO TST. A indenização

pela supressão das horas extras prestadas com habitualidade deve É o voto.

considerar todo o período do contrato de trabalho em que

houve o labor extraordinário, e não apenas o período não prescrito,

sob pena de ofensa à Súmula nº 291/TST. Precedentes desta

Corte. Òbice do art. 896, § 4º, da CLT e da Súmula nº 333 do TST.

Agravo de instrumento conhecido e não provido.' (TST, 8ª Turma, AI

-55440/2007-0058-15.40, Relatora Ministra Dora Maria da Costa,

DJE 30/04/2010."

Como se vê, a pretensão veiculada nos embargos e reiterada no

agravo não encontra albergue no título exequendo.

Agravo improvido.

Acórdão

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 117
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

AGRAVADO CARLOS ROBERTO DE MELO & CIA


LTDA - ME
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO BARBOSA
JUNIOR(OAB: 35414/GO)
ADVOGADO SANDRO DE PAULA GOMES(OAB:
31977/GO)
AGRAVADO CARLOS ROBERTO DE MELO
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO BARBOSA
JUNIOR(OAB: 35414/GO)
AGRAVADO ELIANA LOPES DE MELO

Intimado(s)/Citado(s):
- ROMARIO MARQUES DA SILVA
ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, conhecer do agravo de petição para, no mérito,

negar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora. PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho.


PROCESSO TRT - AP-0001675-43.2012.5.18.0101

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

AGRAVANTE(S) : ROMARIO MARQUES DA SILVA

ADVOGADO(S) : TERESA APARECIDA VIEIRA BARROS

AGRAVADO(S) : ELIANA LOPES DE MELO

AGRAVADO(S) : CARLOS ROBERTO DE MELO

ADVOGADO(S) : JOSE RAIMUNDO BARBOSA JUNIOR


IARA TEIXEIRA RIOS

AGRAVADO(S) : CARLOS ROBERTO DE MELO & CIA LTDA -


Desembargador(a) Relator(a)
ME

ADVOGADO(S) : SANDRO DE PAULA GOMES

Acórdão
Processo Nº AP-0001675-43.2012.5.18.0101 ADVOGADO(S) : JOSE RAIMUNDO BARBOSA JUNIOR
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE ROMARIO MARQUES DA SILVA
ORIGEM : 1ª VARA DO TRABALHO DE RIO VERDE
ADVOGADO GUSTAVO BARBOSA GÖRGEN(OAB:
35643/GO)
ADVOGADO JOURDAN ANTONIO BARROS
CRUVINEL(OAB: 31294/GO) JUIZ(ÍZA) : PEDRO HENRIQUE BARRETO MENEZES
ADVOGADO LILIANE ALVES DE MOURA(OAB:
30679/GO)
ADVOGADO MARCEL BARROS LEAO(OAB:
29482/GO)
ADVOGADO TERESA APARECIDA VIEIRA
BARROS(OAB: 11841/GO)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 118
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Trata-se de agravo de petição interposto pelo Exequente em face

da decisão que indeferiu expedição de ofício ao INSS para penhora

de parte do benefício previdenciário.

Os executados não apresentaram contraminuta.

EMENTA

Dispensada a remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho,

nos moldes regimentais.

"AGRAVO DE PETIÇÃO. ADOÇÃO DE MEDIDAS

APARENTEMENTE IMPRODUTIVAS. VEDAÇÃO. Cabe ao

Magistrado condutor do feito autorizar as medidas hábeis à

constrição de bens do devedor, a fim de garantir a execução,

podendo indeferir aquelas aparentemente improdutivas, ou cujo

resultado pode ser obtido de outro modo. Agravo de petição

conhecido e improvido". (TRT18, AP - 0017600-23.2005.5.18.0102,

Rel. PLATON TEIXEIRA DE AZEVEDO FILHO, 2ª TURMA,

09/05/2019)

VOTO

RELATÓRIO

ADMISSIBILIDADE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 119
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

O juízo a quo indeferiu a expedição de ofício ao INSS para penhora

de parte de benefício previdenciário por considerar a medida

inócua.

Presentes os pressupostos de admissibilidade, conheço do agravo

de petição. O Exequente pugna pela reforma da decisão por entender que

medidas atípicas são abarcadas pela execução trabalhista.

Passo à análise.

A decisão agravada consigna: "Indefiro o pedido de expedição de

oficio ao INSS para a penhora de parte do benefício previdenciário,

pois inócua a medida, tendo em vista que de todo modo haverá a

penhora dos valores do benefício previdenciário através da penhora

online. Registra-se que por meio do sistema SABB, as penhoras via

BacenJud são realizadas diariamente" (ID. 0176225).

Nesse sentido, já se pronunciou a Eg. 2ª Turma deste Regional, em

voto de relatoria do Des.or PLATON TEIXEIRA DE AZEVEDO

FILHO, em caso análogo, no AP-0017600-23.2005.5.18.0102:

MÉRITO

"Sem embargo à provável discussão que se formará, quanto à

possibilidade ou não de penhora de benefícios previdenciários,

certo é que o inconformismo obreiro não merece guarida.

(...)

Não é demais esclarecer que o sistema BACENJUD hoje em dia

está equipado com uma ferramenta denominada SAAB, por meio da

qual as contas bancárias são permanentemente monitoradas.

Assim, tão logo apresentem saldo positivo, o sistema é acionado

para bloqueio do numerário pré-programado.

EXPEDIÇÃO DE OFÍCIO Nesse sentido, ao contrário do que sugere o exequente, a medida

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 120
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

requerida mostra-se improdutiva".

Pelo exposto, mantenho a decisão.

Ademais, ainda que a autarquia previdenciária informasse que os

executados fossem titulares de benefício previdenciário, isto nada

aproveitaria o recorrente à medida que a teor do art. 833, inciso IV,

do CPC, as verbas pagas pelo INSS a título de pensão ou

aposentadoria são impenhoráveis.

Nego provimento.

Acórdão

CONCLUSÃO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, conhecer do agravo de petição para, no mérito,

negar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

Conheço do agravo de petição interposto pelo Exequente e, no GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

mérito, nego-lhe provimento, nos termos da fundamentação o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

expendida. (Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 121
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

AGRAVANTE(S) : ROMARIO MARQUES DA SILVA

ADVOGADO(S) : TERESA APARECIDA VIEIRA BARROS

Iara Teixeira Rios AGRAVADO(S) : ELIANA LOPES DE MELO

Desembargadora Relatora AGRAVADO(S) : CARLOS ROBERTO DE MELO

ADVOGADO(S) : JOSE RAIMUNDO BARBOSA JUNIOR

AGRAVADO(S) : CARLOS ROBERTO DE MELO & CIA LTDA -

ME

ADVOGADO(S) : SANDRO DE PAULA GOMES


Acórdão
Processo Nº AP-0001675-43.2012.5.18.0101
Relator IARA TEIXEIRA RIOS ADVOGADO(S) : JOSE RAIMUNDO BARBOSA JUNIOR
AGRAVANTE ROMARIO MARQUES DA SILVA
ADVOGADO GUSTAVO BARBOSA GÖRGEN(OAB:
35643/GO) ORIGEM : 1ª VARA DO TRABALHO DE RIO VERDE
ADVOGADO JOURDAN ANTONIO BARROS
CRUVINEL(OAB: 31294/GO)
ADVOGADO LILIANE ALVES DE MOURA(OAB: JUIZ(ÍZA) : PEDRO HENRIQUE BARRETO MENEZES
30679/GO)
ADVOGADO MARCEL BARROS LEAO(OAB:
29482/GO)
ADVOGADO TERESA APARECIDA VIEIRA
BARROS(OAB: 11841/GO)
AGRAVADO CARLOS ROBERTO DE MELO & CIA
LTDA - ME
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO BARBOSA
JUNIOR(OAB: 35414/GO)
ADVOGADO SANDRO DE PAULA GOMES(OAB:
31977/GO)
AGRAVADO CARLOS ROBERTO DE MELO
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO BARBOSA
JUNIOR(OAB: 35414/GO)
AGRAVADO ELIANA LOPES DE MELO

Intimado(s)/Citado(s):
- CARLOS ROBERTO DE MELO & CIA LTDA - ME

EMENTA

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

PROCESSO TRT - AP-0001675-43.2012.5.18.0101 "AGRAVO DE PETIÇÃO. ADOÇÃO DE MEDIDAS

APARENTEMENTE IMPRODUTIVAS. VEDAÇÃO. Cabe ao

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 122
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Magistrado condutor do feito autorizar as medidas hábeis à

constrição de bens do devedor, a fim de garantir a execução,

podendo indeferir aquelas aparentemente improdutivas, ou cujo

resultado pode ser obtido de outro modo. Agravo de petição

conhecido e improvido". (TRT18, AP - 0017600-23.2005.5.18.0102,

Rel. PLATON TEIXEIRA DE AZEVEDO FILHO, 2ª TURMA,

09/05/2019)

VOTO

RELATÓRIO

ADMISSIBILIDADE

Trata-se de agravo de petição interposto pelo Exequente em face

da decisão que indeferiu expedição de ofício ao INSS para penhora

de parte do benefício previdenciário.

Os executados não apresentaram contraminuta.

Presentes os pressupostos de admissibilidade, conheço do agravo

de petição.

Dispensada a remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho,

nos moldes regimentais.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 123
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

pois inócua a medida, tendo em vista que de todo modo haverá a

penhora dos valores do benefício previdenciário através da penhora

online. Registra-se que por meio do sistema SABB, as penhoras via

BacenJud são realizadas diariamente" (ID. 0176225).

Nesse sentido, já se pronunciou a Eg. 2ª Turma deste Regional, em

voto de relatoria do Des.or PLATON TEIXEIRA DE AZEVEDO

FILHO, em caso análogo, no AP-0017600-23.2005.5.18.0102:

MÉRITO

"Sem embargo à provável discussão que se formará, quanto à

possibilidade ou não de penhora de benefícios previdenciários,

certo é que o inconformismo obreiro não merece guarida.

(...)

Não é demais esclarecer que o sistema BACENJUD hoje em dia

está equipado com uma ferramenta denominada SAAB, por meio da

qual as contas bancárias são permanentemente monitoradas.

Assim, tão logo apresentem saldo positivo, o sistema é acionado

para bloqueio do numerário pré-programado.

EXPEDIÇÃO DE OFÍCIO Nesse sentido, ao contrário do que sugere o exequente, a medida

requerida mostra-se improdutiva".

Pelo exposto, mantenho a decisão.

O juízo a quo indeferiu a expedição de ofício ao INSS para penhora

de parte de benefício previdenciário por considerar a medida

inócua.

Ademais, ainda que a autarquia previdenciária informasse que os

executados fossem titulares de benefício previdenciário, isto nada

aproveitaria o recorrente à medida que a teor do art. 833, inciso IV,

O Exequente pugna pela reforma da decisão por entender que do CPC, as verbas pagas pelo INSS a título de pensão ou

medidas atípicas são abarcadas pela execução trabalhista. aposentadoria são impenhoráveis.

Passo à análise. Nego provimento.

A decisão agravada consigna: "Indefiro o pedido de expedição de

oficio ao INSS para a penhora de parte do benefício previdenciário,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 124
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Acórdão

CONCLUSÃO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, conhecer do agravo de petição para, no mérito,

negar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

Conheço do agravo de petição interposto pelo Exequente e, no GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

mérito, nego-lhe provimento, nos termos da fundamentação o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

expendida. (Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

Iara Teixeira Rios

Desembargadora Relatora

Acórdão
Processo Nº AP-0001675-43.2012.5.18.0101
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE ROMARIO MARQUES DA SILVA
ADVOGADO GUSTAVO BARBOSA GÖRGEN(OAB:
35643/GO)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 125
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ADVOGADO JOURDAN ANTONIO BARROS


CRUVINEL(OAB: 31294/GO) JUIZ(ÍZA) : PEDRO HENRIQUE BARRETO MENEZES
ADVOGADO LILIANE ALVES DE MOURA(OAB:
30679/GO)
ADVOGADO MARCEL BARROS LEAO(OAB:
29482/GO)
ADVOGADO TERESA APARECIDA VIEIRA
BARROS(OAB: 11841/GO)
AGRAVADO CARLOS ROBERTO DE MELO & CIA
LTDA - ME
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO BARBOSA
JUNIOR(OAB: 35414/GO)
ADVOGADO SANDRO DE PAULA GOMES(OAB:
31977/GO)
AGRAVADO CARLOS ROBERTO DE MELO
ADVOGADO JOSE RAIMUNDO BARBOSA
JUNIOR(OAB: 35414/GO)
AGRAVADO ELIANA LOPES DE MELO

Intimado(s)/Citado(s):
- CARLOS ROBERTO DE MELO

EMENTA

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

"AGRAVO DE PETIÇÃO. ADOÇÃO DE MEDIDAS


PROCESSO TRT - AP-0001675-43.2012.5.18.0101
APARENTEMENTE IMPRODUTIVAS. VEDAÇÃO. Cabe ao

Magistrado condutor do feito autorizar as medidas hábeis à


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS
constrição de bens do devedor, a fim de garantir a execução,

podendo indeferir aquelas aparentemente improdutivas, ou cujo


AGRAVANTE(S) : ROMARIO MARQUES DA SILVA
resultado pode ser obtido de outro modo. Agravo de petição

conhecido e improvido". (TRT18, AP - 0017600-23.2005.5.18.0102,


ADVOGADO(S) : TERESA APARECIDA VIEIRA BARROS
Rel. PLATON TEIXEIRA DE AZEVEDO FILHO, 2ª TURMA,

09/05/2019)
AGRAVADO(S) : ELIANA LOPES DE MELO

AGRAVADO(S) : CARLOS ROBERTO DE MELO

ADVOGADO(S) : JOSE RAIMUNDO BARBOSA JUNIOR

AGRAVADO(S) : CARLOS ROBERTO DE MELO & CIA LTDA -

ME

ADVOGADO(S) : SANDRO DE PAULA GOMES

ADVOGADO(S) : JOSE RAIMUNDO BARBOSA JUNIOR


RELATÓRIO

ORIGEM : 1ª VARA DO TRABALHO DE RIO VERDE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 126
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ADMISSIBILIDADE

Trata-se de agravo de petição interposto pelo Exequente em face

da decisão que indeferiu expedição de ofício ao INSS para penhora

de parte do benefício previdenciário.

Os executados não apresentaram contraminuta.

Presentes os pressupostos de admissibilidade, conheço do agravo

de petição.

Dispensada a remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho,

nos moldes regimentais.

VOTO

MÉRITO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 127
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

qual as contas bancárias são permanentemente monitoradas.

Assim, tão logo apresentem saldo positivo, o sistema é acionado

para bloqueio do numerário pré-programado.

EXPEDIÇÃO DE OFÍCIO Nesse sentido, ao contrário do que sugere o exequente, a medida

requerida mostra-se improdutiva".

Pelo exposto, mantenho a decisão.

O juízo a quo indeferiu a expedição de ofício ao INSS para penhora

de parte de benefício previdenciário por considerar a medida

inócua.

Ademais, ainda que a autarquia previdenciária informasse que os

executados fossem titulares de benefício previdenciário, isto nada

aproveitaria o recorrente à medida que a teor do art. 833, inciso IV,

O Exequente pugna pela reforma da decisão por entender que do CPC, as verbas pagas pelo INSS a título de pensão ou

medidas atípicas são abarcadas pela execução trabalhista. aposentadoria são impenhoráveis.

Passo à análise. Nego provimento.

A decisão agravada consigna: "Indefiro o pedido de expedição de

oficio ao INSS para a penhora de parte do benefício previdenciário,

pois inócua a medida, tendo em vista que de todo modo haverá a

penhora dos valores do benefício previdenciário através da penhora

online. Registra-se que por meio do sistema SABB, as penhoras via

BacenJud são realizadas diariamente" (ID. 0176225).

CONCLUSÃO

Nesse sentido, já se pronunciou a Eg. 2ª Turma deste Regional, em

voto de relatoria do Des.or PLATON TEIXEIRA DE AZEVEDO

FILHO, em caso análogo, no AP-0017600-23.2005.5.18.0102:

"Sem embargo à provável discussão que se formará, quanto à

possibilidade ou não de penhora de benefícios previdenciários,

certo é que o inconformismo obreiro não merece guarida. Conheço do agravo de petição interposto pelo Exequente e, no

mérito, nego-lhe provimento, nos termos da fundamentação

(...) expendida.

Não é demais esclarecer que o sistema BACENJUD hoje em dia

está equipado com uma ferramenta denominada SAAB, por meio da

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 128
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

Iara Teixeira Rios

Desembargadora Relatora

Acórdão
Processo Nº ROT-0001030-93.2010.5.18.0131
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE JOSE HUMBERTO DE SOUZA
ADVOGADO GUSTAVO VARELA(OAB: 20897/DF)
RECORRIDO EDUARDO FELICIO
Acórdão RECORRIDO CLAUDIO ANTONIO FELICIO
RECORRIDO FRIGOCARNES - INDUSTRIA E
COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA -
ME
RECORRIDO JC - COMPRA E VENDA DE
SUBPRODUTOS ANIMAIS LTDA - ME

Intimado(s)/Citado(s):
- JOSE HUMBERTO DE SOUZA

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio PODER JUDICIÁRIO

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária, JUSTIÇA DO TRABALHO

por unanimidade, conhecer do agravo de petição para, no mérito,

negar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA


PROCESSO TRT : RO-0001030-93.2010.5.18.0131
(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS
representante do Ministério Público do Trabalho.

RECORRENTE(S) : JOSE HUMBERTO DE SOUZA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 129
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

conversabilidade, porquanto contra decisão na fase de execução há

ADVOGADO(S) : GUSTAVO VARELA texto expresso de lei prevendo o recurso adequado, qual seja, o

agravo de petição, a teor do artigo 897, 'a', da CLT" (AP-0151000-

RECORRIDO(S) : CLAUDIO ANTONIO FELICIO 20.1997.6.5.18.0004, Rel. Desembargador Aldon do Vale Alves

Taglialegna, 1ª Turma, julgado em 20/03/2019).

RECORRIDO(S) : EDUARDO FELICIO

RECORRIDO(S) : FRIGOCARNES - INDUSTRIA E COMERCIO

DE ALIMENTOS LTDA - ME

RECORRIDO(S) : JC - COMPRA E VENDA DE SUBPRODUTOS

ANIMAIS LTDA - ME

ORIGEM : VARA DO TRABALHO DE LUZIÂNIA

JUIZ(ÍZA) : ROSANA RABELLO PADOVANI MESSIAS

RELATÓRIO

A Exma. Juíza do Trabalho Gislaine de Castro Araújo Almeida, em

exercício na egrégia Vara do Trabalho de Luziânia-GO, por meio da

v. decisão juntada sob id c9e3bf4, decretou a prescrição

intercorrente da execução que JOSÉ HUMBERTO DE SOUZA

movia em face de FRIGOCARNES - INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE

ALIMENTOS LTDA-, JC - COMPRA EM VENDA DE

EMENTA SUBPRODUTOS ANIMAIS LTDAS - ME, EDUARDO FELÍCIO e

CLÁUDIO ANTÔNIO FELÍCIO.

Inconformado, o exequente interpõe recurso ordinário (id 4d7224f).

Em síntese, destaca que, em razão da ordem de reunião das

diversas execuções em face dos devedores a presente execução

estava sendo promovida nos autos tombados sob o n° 0001000-

"PROCESSO DE EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO 58.2010.5.18.0131 e que, nestes, aguardava-se o desfecho de

ORDINÁRIO. INADEQUAÇÃO. A interposição de recurso ordinário, penhora levada a efeito no rosto dos autos do inventário em trâmite

no processo do trabalho, tem suas hipóteses previstas, na 2ª Vara de Órfãos e Sucessões de Brasilia-DF.

taxativamente, no artigo 895 da CLT. A sua interposição para atacar

decisão proferida na fase de execução, constitui erro grosseiro, que

impede a aplicação do princípio da fungibilidade, ou

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 130
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Acrescenta que as penhoras realizadas no rosto daqueles autos

foram transferidas para os autos da execução "em março do

corrente ano" e que os valores "transferidos não foram suficientes

para satisfazer os débitos de todas as ações."

ADMISSIBILIDADE

No mais, sustenta que "não se pode dizer que os autos sofreram a

paralisação imposta pelo art. 11-A § 1º da CLT, ou pelo art. 161 do

PGC/TST 18, uma vez que os autos se encontravam aguardando o

envio dos valores penhorados no rosto dos autos de Inventário dos

genitores dos executados."

O recurso é tempestivo e a representação encontra-se regular. Não

Intimados os executados, estes não ofereceram resposta ao obstante, o apelo não merece conhecimento diante uma vez que, ao

recurso. interpor recurso ordinário em processo que se encontra na fase de

execução, o exequente elegeu via inadequada.

Não houve remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho.

Por medida de economia processual, adoto como razão de decidir,

os fundamentos exarados no acórdão proferido nos autos do RO-

0001297-84.2014.5.18.0241, da minha lavra, em cujo julgamento

É o relatório. acolhi divergência do eminente Desembargador Aldon do Vale

Alves Taglialegna no seguinte sentido:

"[...]

Ora, na Justiça do Trabalho, as hipóteses de cabimento do recurso

ordinário estão taxativamente previstas no artigo 895 da CLT, que

dispõe:

VOTO

"I - das decisões definitivas ou terminativas das Varas e Juízos, no

prazo de 8 (oito) dias; e (Incluído pela Lei nº 11.925, de 2009).

II - das decisões definitivas ou terminativas dos Tribunais Regionais,

em processos de sua competência originária, no prazo de 8 (oito)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 131
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

dias, quer nos dissídios individuais, quer nos dissídios coletivos. Nesse sentido, vale transcrever as seguintes jurisprudências

(Incluído pela Lei nº 11.925, de 2009). encontradas no Código de Processo Civil e Legislação e Processual

em vigor, de autoria de THEOTONIO NEGRÃO, JOSÉ ROBERTO

F. GOUVÊA e LUIS GUILERME A BONDIOLI, 42a Edição, ano

2010, pg. 593:

(...)".

"Para que seja aplicado o princípio da fungibilidade recursal é

In casu, o reclamado/exequente interpôs "recurso ordinário" contra necessário que o recorrente não tenha incidido em erro grosseiro"

a decisão que extinguiu a execução, nos termos do art. 924, II, do (RSTJ 37/64) e este "se configura pela interposição de recurso

CPC/15, em razão da ausência de manifestação do reclamante impertinente, em lugar daquele expressamente previsto em norma

sobre a habilitação e recebimento de seu crédito nos autos do jurídica própria" (RTJ 132/1.374)." (in tópico da nota 11 ao artigo

processo de recuperação judicial, presumindo o recebimento de tal 496)

crédito perante o Juízo Universal.

Por oportuno, vale, também, destacar o entendimento a lição do

Portanto, a via processual eleita pelo reclamado revela-se ilustre processualista Manoel Antonio Teixeira Filho (Sistema dos

inadequada, uma vez que ele não se insurge contra decisão de 1º Recursos Trabalhistas, Ed. LTr, 10ª Ed. p. 156):

grau na fase de conhecimento, mas, sim, contra decisão proferida

em execução, que extinguiu o feito.

"a fungibilidade, contudo, somente será possível quando se tratar de

erro sanável, assim entendido aquele que não compromete a

À hipótese, o recurso adequado é o previsto no artigo 897, "a", da logicidade e a estrutura do sistema recursal. Sendo erronia na

CLT, que dispõe: interposição daquelas insanável (erro grosseiro), não deverá adotar

nenhuma providência salvadora do remedido inadequado, cujo

consequência será a sua inadmissibilidade, já pelo próprio juízo a

quo."

"Art. 897 - Cabe agravo, no prazo de 8 (oito) dias:

Com efeito, a jurisprudência e a doutrina entendem que só aplica-se

a) de petição, das decisões do Juiz ou Presidente, nas execuções;" o princípio da fungibilidade, ou conversabilidade, nos casos em que

não se pode afirmar com certeza qual o recurso cabível.

Desse modo, não se aplica o princípio da fungibilidade, haja vista

que o presente caso não se enquadra em nenhuma das hipóteses Nesse sentido é a lição do douto Luiz Guilherme Marinoni, in

prevista no artigo 895 da CLT, e há previsão legal expressa de Processo de Conhecimento. Editora RT. 6ª edição. 2007, p.

recurso próprio para a pretensão do recorrente/credor, 504/505:

caracterizando, a meu ver, erro grosseiro.

"A dúvida deve ser objetiva, e não subjetiva. Deseja-se dizer, com

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 132
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

isto, que a dúvida não pode ter origem na insegurança pessoal do ORDINÁRIO. INADEQUAÇÃO. A interposição de recurso ordinário,

profissional que deve interpor o recurso, ou mesmo sua falta de no processo do trabalho, tem suas hipóteses previstas,

preparo intelectual, mas sim no próprio sistema recursal. taxativamente, no artigo 895 da CLT. A sua interposição para atacar

decisão proferida na fase de execução, constitui erro grosseiro, que

impede a aplicação do princípio da fungibilidade, ou

conversabilidade, porquanto contra decisão na fase de execução há

(...) texto expresso de lei prevendo o recurso adequado, qual seja, o

agravo de petição, a teor do artigo 897, "a", da CLT." (AP-0151000-

20.1997.6.5.18.0004, Rel. Desembargador Aldon do Vale Alves

Taglialegna, 1ª Turma, julgado em 20/03/2019).

Como já dito, o princípio da fungibilidade não se presta a legitimar a

atividade do advogado mal formado, incapaz de atuar com os

mecanismos processuais adequados. Serve para tornar o sistema

operacional, mediante a admissão do recurso inadequado, desde Portanto, havendo previsão legal do recurso para insurgir contra

que a falta seja fundada em dúvida objetiva e não tenha origem e decisão proferida na fase de execução, não conheço do recurso

erro grosseiro." ordinário". (Acórdão publicado no DEJT do dia 05/04/2019).

Por fim, o fato de o Exmo. Juiz a quo ter recebido o recurso

ordinário como agravo de petição, aplicando o princípio da

fungibilidade, não tem o condão de vincular o juízo de A estes fundamentos, não conheço do recurso ordinário interposto

admissibilidade ad quem. pelo exequente.

Nesse sentido, mutatis mutandis, cito os seguintes precedentes

desta Eg. Turma:

"EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO ORDINÁRIO. ERRO

GROSSEIRO. INAPLICABILIDADE DO PRINCÍPIO DA

FUNGIBILIDADE. O artigo 897 da CLT dispõe que o recurso cabível

contra as decisões proferidas nas execuções é o agravo de petição.

Portanto, a interposição de recurso ordinário na fase de execução,

em autos de embargos de terceiro, trata-se de erro grosseiro, pois

não há dúvida objetiva a respeito do recurso cabível, o que

impossibilita a aplicação do princípio da fungibilidade, impondo-se o

não conhecimento do recurso, por inadequação da via eleita." (RO-

0010046-89.2018.5.18.0002, Rel. Desembargador Gentil Pio de

Oliveira, Julgamento em 21.08.2018).

"PROCESSO DE EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 133
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Acórdão

CONCLUSÃO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, não conhecer do recurso, nos termos do voto da

Não conheço do recurso ordinário, nos termos da fundamentação relatora.

expendida.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

É o voto. (Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 134
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Acórdão
Processo Nº ROT-0001014-42.2010.5.18.0131
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE WOLNEY DE SOUSA ARAUJO
ADVOGADO GUSTAVO VARELA(OAB: 20897/DF)
RECORRIDO CLAUDIO ANTONIO FELICIO
RECORRIDO FRIGOCARNES - INDUSTRIA E
COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA -
ME
RECORRIDO EDUARDO FELICIO
RECORRIDO JC - COMPRA E VENDA DE
SUBPRODUTOS ANIMAIS LTDA - ME
EMENTA
Intimado(s)/Citado(s):
- WOLNEY DE SOUSA ARAUJO

PODER JUDICIÁRIO
JUSTIÇA DO TRABALHO

"PROCESSO DE EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO

ORDINÁRIO. INADEQUAÇÃO. A interposição de recurso ordinário,

no processo do trabalho, tem suas hipóteses previstas,

taxativamente, no artigo 895 da CLT. A sua interposição para atacar


PROCESSO TRT : RO-0001014-42.2010.5.18.0131
decisão proferida na fase de execução, constitui erro grosseiro, que

impede a aplicação do princípio da fungibilidade, ou


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS
conversabilidade, porquanto contra decisão na fase de execução há

texto expresso de lei prevendo o recurso adequado, qual seja, o


RECORRENTE(S) : WOLNEY DE SOUSA ARAUJO
agravo de petição, a teor do artigo 897, 'a', da CLT" (AP-0151000-

20.1997.6.5.18.0004, Rel. Desembargador Aldon do Vale Alves


ADVOGADO(S) : GUSTAVO VARELA
Taglialegna, 1ª Turma, julgado em 20/03/2019).

RECORRIDO(S) : CLAUDIO ANTONIO FELICIO

RECORRIDO(S) : EDUARDO FELICIO

RECORRIDO(S) : FRIGOCARNES - INDUSTRIA E COMERCIO

DE ALIMENTOS LTDA - ME

RECORRIDO(S) : JC - COMPRA E VENDA DE SUBPRODUTOS

ANIMAIS LTDA - ME

ORIGEM : VARA DO TRABALHO DE LUZIÂNIA


RELATÓRIO

JUIZ(ÍZA) : ROSANA RABELLO PADOVANI MESSIAS

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 135
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Não houve remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho.

É o relatório.

A Exma. Juíza do Trabalho Gislaine de Castro Araújo Almeida, em

exercício na egrégia Vara do Trabalho de Luziânia-GO, por meio da

v. decisão juntada sob id ed7d139, decretou a prescrição

intercorrente da execução que WOLNEY DE SOUSA ARAÚJO

movia em face de FRIGOCARNES - INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE

ALIMENTOS LTDA-, JC - COMPRA EM VENDA DE

SUBPRODUTOS ANIMAIS LTDAS - ME, EDUARDO FELÍCIO e

CLÁUDIO ANTÔNIO FELÍCIO.

Inconformado, o exequente interpõe recurso ordinário (id 74147a4). VOTO

Em síntese, destaca que, em razão da ordem de reunião das

diversas execuções em face dos devedores a presente execução

estava sendo promovida nos autos tombados sob o n° 0001000-

58.2010.5.18.0131 e que, nestes, aguardava-se o desfecho de

penhora levada a efeito no rosto dos autos do inventário em trâmite

na 2ª Vara de Órfãos e Sucessões de Brasilia-DF.

Acrescenta que as penhoras realizadas no rosto daqueles autos

foram transferidas para os autos da execução "em março do

corrente ano" e que os valores "transferidos não foram suficientes

para satisfazer os débitos de todas as ações."

ADMISSIBILIDADE

No mais, sustenta que "não se pode dizer que os autos sofreram a

paralisação imposta pelo art. 11-A § 1º da CLT, ou pelo art. 161 do

PGC/TST 18, uma vez que os autos se encontravam aguardando o

envio dos valores penhorados no rosto dos autos de Inventário dos

genitores dos executados."

O recurso é tempestivo e a representação encontra-se regular. Não

Intimados os executados, estes não ofereceram resposta ao obstante, o apelo não merece conhecimento diante uma vez que, ao

recurso. interpor recurso ordinário em processo que se encontra na fase de

execução, o exequente elegeu via inadequada.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 136
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

grau na fase de conhecimento, mas, sim, contra decisão proferida

Por medida de economia processual, adoto como razão de decidir, em execução, que extinguiu o feito.

os fundamentos exarados no acórdão proferido nos autos do RO-

0001297-84.2014.5.18.0241, da minha lavra, em cujo julgamento

acolhi divergência do eminente Desembargador Aldon do Vale

Alves Taglialegna no seguinte sentido: À hipótese, o recurso adequado é o previsto no artigo 897, "a", da

CLT, que dispõe:

"[...]

"Art. 897 - Cabe agravo, no prazo de 8 (oito) dias:

Ora, na Justiça do Trabalho, as hipóteses de cabimento do recurso

ordinário estão taxativamente previstas no artigo 895 da CLT, que a) de petição, das decisões do Juiz ou Presidente, nas execuções;"

dispõe:

Desse modo, não se aplica o princípio da fungibilidade, haja vista

"I - das decisões definitivas ou terminativas das Varas e Juízos, no que o presente caso não se enquadra em nenhuma das hipóteses

prazo de 8 (oito) dias; e (Incluído pela Lei nº 11.925, de 2009). prevista no artigo 895 da CLT, e há previsão legal expressa de

recurso próprio para a pretensão do recorrente/credor,

caracterizando, a meu ver, erro grosseiro.

II - das decisões definitivas ou terminativas dos Tribunais Regionais,

em processos de sua competência originária, no prazo de 8 (oito)

dias, quer nos dissídios individuais, quer nos dissídios coletivos. Nesse sentido, vale transcrever as seguintes jurisprudências

(Incluído pela Lei nº 11.925, de 2009). encontradas no Código de Processo Civil e Legislação e Processual

em vigor, de autoria de THEOTONIO NEGRÃO, JOSÉ ROBERTO

F. GOUVÊA e LUIS GUILERME A BONDIOLI, 42a Edição, ano

2010, pg. 593:

(...)".

"Para que seja aplicado o princípio da fungibilidade recursal é

In casu, o reclamado/exequente interpôs "recurso ordinário" contra necessário que o recorrente não tenha incidido em erro grosseiro"

a decisão que extinguiu a execução, nos termos do art. 924, II, do (RSTJ 37/64) e este "se configura pela interposição de recurso

CPC/15, em razão da ausência de manifestação do reclamante impertinente, em lugar daquele expressamente previsto em norma

sobre a habilitação e recebimento de seu crédito nos autos do jurídica própria" (RTJ 132/1.374)." (in tópico da nota 11 ao artigo

processo de recuperação judicial, presumindo o recebimento de tal 496)

crédito perante o Juízo Universal.

Por oportuno, vale, também, destacar o entendimento a lição do

Portanto, a via processual eleita pelo reclamado revela-se ilustre processualista Manoel Antonio Teixeira Filho (Sistema dos

inadequada, uma vez que ele não se insurge contra decisão de 1º Recursos Trabalhistas, Ed. LTr, 10ª Ed. p. 156):

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 137
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ordinário como agravo de petição, aplicando o princípio da

fungibilidade, não tem o condão de vincular o juízo de

admissibilidade ad quem.

"a fungibilidade, contudo, somente será possível quando se tratar de

erro sanável, assim entendido aquele que não compromete a

logicidade e a estrutura do sistema recursal. Sendo erronia na

interposição daquelas insanável (erro grosseiro), não deverá adotar Nesse sentido, mutatis mutandis, cito os seguintes precedentes

nenhuma providência salvadora do remedido inadequado, cujo desta Eg. Turma:

consequência será a sua inadmissibilidade, já pelo próprio juízo a

quo."

"EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO ORDINÁRIO. ERRO

GROSSEIRO. INAPLICABILIDADE DO PRINCÍPIO DA

Com efeito, a jurisprudência e a doutrina entendem que só aplica-se FUNGIBILIDADE. O artigo 897 da CLT dispõe que o recurso cabível

o princípio da fungibilidade, ou conversabilidade, nos casos em que contra as decisões proferidas nas execuções é o agravo de petição.

não se pode afirmar com certeza qual o recurso cabível. Portanto, a interposição de recurso ordinário na fase de execução,

em autos de embargos de terceiro, trata-se de erro grosseiro, pois

não há dúvida objetiva a respeito do recurso cabível, o que

impossibilita a aplicação do princípio da fungibilidade, impondo-se o

Nesse sentido é a lição do douto Luiz Guilherme Marinoni, in não conhecimento do recurso, por inadequação da via eleita." (RO-

Processo de Conhecimento. Editora RT. 6ª edição. 2007, p. 0010046-89.2018.5.18.0002, Rel. Desembargador Gentil Pio de

504/505: Oliveira, Julgamento em 21.08.2018).

"A dúvida deve ser objetiva, e não subjetiva. Deseja-se dizer, com "PROCESSO DE EXECUÇÃO. INTERPOSIÇÃO DE RECURSO

isto, que a dúvida não pode ter origem na insegurança pessoal do ORDINÁRIO. INADEQUAÇÃO. A interposição de recurso ordinário,

profissional que deve interpor o recurso, ou mesmo sua falta de no processo do trabalho, tem suas hipóteses previstas,

preparo intelectual, mas sim no próprio sistema recursal. taxativamente, no artigo 895 da CLT. A sua interposição para atacar

decisão proferida na fase de execução, constitui erro grosseiro, que

impede a aplicação do princípio da fungibilidade, ou

conversabilidade, porquanto contra decisão na fase de execução há

(...) texto expresso de lei prevendo o recurso adequado, qual seja, o

agravo de petição, a teor do artigo 897, "a", da CLT." (AP-0151000-

20.1997.6.5.18.0004, Rel. Desembargador Aldon do Vale Alves

Taglialegna, 1ª Turma, julgado em 20/03/2019).

Como já dito, o princípio da fungibilidade não se presta a legitimar a

atividade do advogado mal formado, incapaz de atuar com os

mecanismos processuais adequados. Serve para tornar o sistema

operacional, mediante a admissão do recurso inadequado, desde Portanto, havendo previsão legal do recurso para insurgir contra

que a falta seja fundada em dúvida objetiva e não tenha origem e decisão proferida na fase de execução, não conheço do recurso

erro grosseiro." ordinário". (Acórdão publicado no DEJT do dia 05/04/2019).

Por fim, o fato de o Exmo. Juiz a quo ter recebido o recurso

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 138
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

A estes fundamentos, não conheço do recurso ordinário interposto

pelo exequente. É o voto.

Acórdão

CONCLUSÃO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, não conhecer do recurso, nos termos do voto da

Não conheço do recurso ordinário, nos termos da fundamentação relatora.

expendida.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 139
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e PROCESSO TRT - AIRO-0010032-26.2019.5.18.0211

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE RELATOR(A) : DESEMBARGADOR(A) IARA TEIXEIRA RIOS

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho. AGRAVANTE(S) : LISANDRA GOMES OLIVEIRA

(Goiânia, 14 de agosto de 2019) ADVOGADO(S) : FELIPE DOUGLAS DA SILVA CARVALHO

AGRAVADO(S) : GTO COMERCIO ATACADISTA DE

CONFECÇÕES E CALÇADOS LTDA

ADVOGADO(S) : RUBENS CURCINO RIBEIRO

ORIGEM : VARA DO TRABALHO DE FORMOSA

JUIZ(ÍZA) : KLEBER MOREIRA DA SILVA

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão EMENTA
Processo Nº AIRO-0010032-26.2019.5.18.0211
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE LISANDRA GOMES OLIVEIRA
ADVOGADO FELIPE DOUGLAS DA SILVA
CARVALHO(OAB: 58456/DF)
AGRAVADO GTO COMERCIO ATACADISTA DE
CONFECCOES E CALCADOS LTDA
ADVOGADO RUBENS CURCINO RIBEIRO(OAB:
22517/DF)

Intimado(s)/Citado(s):
- LISANDRA GOMES OLIVEIRA

RECURSO ORDINÁRIO. INTEMPESTIVIDADE. SÚMULA 197 DO

TST. Estando as partes cientes da data de publicação da sentença,

é a partir desta data que começa a fluir o prazo recursal, nos termos
PODER JUDICIÁRIO
da Súmula 197 do TST.
JUSTIÇA DO TRABALHO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 140
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

VOTO

RELATÓRIO

O juízo de 1º grau rejeitou totalmente os pedidos formulados por

LISANDRA GOMES OLIVEIRA em face de GTO COMERCIO

ATACADISTA DE CONFECÇÕES E CALÇADOS LTDA, nos termos

da sentença.

ADMISSIBILIDADE

Dia 30 de abril de 2019 foi certificado nos autos o trânsito em

julgado da sentença.

A reclamante, dia 06 de maio de 2019, interpôs recurso ordinário,

que não foi conhecido pelo juízo de origem por intempestivo. Atendidos os requisitos legais, conheço do agravo de instrumento

interposto pela reclamante.

A reclamante apresenta o presente agravo de instrumento

pugnando pelo conhecimento do recurso ordinário ante a ausência

de intimação na pessoa do advogado indicado nos autos.

Os autos não foram remetidos ao Ministério Público do Trabalho.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 141
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

decisão, 15.04.19, ela já estava disponível nos autos virtuais.

MÉRITO Desse modo, o prazo para a interposição de recurso ordinário

iniciou-se em 16.04.2019 e exauriu-se em 30.04.2019, nos termos

do art. 834 da CLT e da Súmula 197 do TST, que dispõem:

"Art. 834 - Salvo nos casos previstos nesta Consolidação, a

publicação das decisões e sua notificação aos litigantes, ou a seus

patronos, consideram-se realizadas nas próprias audiências em que

forem as mesmas proferidas".

"SÚMULA 197 - PRAZO. O prazo para recurso da parte que,

RECURSO ORDINÁRIO INTEMPESTIVO intimada, não comparecer à audiência em prosseguimento para a

prolação da sentença conta-se de sua publicação".

O prazo para interposição de recurso ordinário começa a fluir a

partir do momento em que as partes tomam ciência do teor da Ocorre que a peça recursal da reclamante foi protocolizada

sentença. eletronicamente somente em 06.05.2019 (ID. f2a7b53), ou seja, fora

do prazo para interposição do recurso.

No presente caso, quando da audiência de prosseguimento,

realizada no dia 03.04.2019, o juízo de 1º grau suspendeu a Convém destacar que houve uma certidão, assinada pela servidora

audiência e designou o dia 15.4.2019, às 17h10min para publicação da Vara, ID. c75b542, datada de 02.05.2019, no sentido de que a

da SENTENÇA no sistema Processo Judicial Eletrônico - PJe, nos sentença havia transitado em julgado.

moldes da Súmula nº 197 do TST.

Destarte, o recurso é intempestivo.

Ressalto que ambas as partes compareceram à audiência de

prosseguimento acompanhadas de seus respectivos advogados,

demonstrando inteira ciência de seu teor, sem manifestarem

qualquer ressalva ou protestos por qualquer razão no que tange à Neste sentido, cito os arestos abaixo colacionados:

data indicada para o proferimento e ciência da sentença.

"RECURSO ORDINÁRIO. PARTES CIENTES DA DATA DE

A sentença foi assinada eletronicamente em 14.04.2019 e, assim, PUBLICAÇÃO DA SENTENÇA. TERMO INICIAL DO PRAZO

no dia designado pelo julgador de origem para publicação da RECURSAL. SÚMULA 197 DO TST. Cientes as partes da data de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 142
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

publicação da sentença, flui desta o prazo para interposição de

recurso, a teor da Súmula 197 do TST." (RO - 0011321-

04.2013.5.18.0017. JUIZ MARCELO NOGUEIRA PEDRA. Sessão

da Terceira Turma do dia 05 de junho de 2014).

"RECURSO ORDINÁRIO. INTEMPESTIVIDADE. SÚMULA 197 DO

TST. Estando as partes cientes da data de publicação da sentença,

é a partir desta data que começa a fluir o prazo recursal, nos termos

da Súmula 197 do TST." (RO - 0001458-85.2012.5.18.0008. Juiz

LUCIANO SANTANA CRISPIM. Sessão da Terceira Turma do dia

11 de junho de 2013).

Por todo o exposto, mantenho a decisão de primeiro grau que não

conheceu do recurso ordinário, por intempestivo.

Nego provimento.

Acórdão

CONCLUSÃO ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, conhecer do agravo de instrumento para, no

mérito, negar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

Conheço do agravo de instrumento interposto pela reclamante e ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

nego-lhe provimento, nos termos da fundamentação expendida. representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 143
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

CONFECÇÕES E CALÇADOS LTDA

ADVOGADO(S) : RUBENS CURCINO RIBEIRO

ORIGEM : VARA DO TRABALHO DE FORMOSA

JUIZ(ÍZA) : KLEBER MOREIRA DA SILVA

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão EMENTA
Processo Nº AIRO-0010032-26.2019.5.18.0211
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE LISANDRA GOMES OLIVEIRA
ADVOGADO FELIPE DOUGLAS DA SILVA
CARVALHO(OAB: 58456/DF)
AGRAVADO GTO COMERCIO ATACADISTA DE
CONFECCOES E CALCADOS LTDA
ADVOGADO RUBENS CURCINO RIBEIRO(OAB:
22517/DF)

Intimado(s)/Citado(s):
- GTO COMERCIO ATACADISTA DE CONFECCOES E
CALCADOS LTDA
RECURSO ORDINÁRIO. INTEMPESTIVIDADE. SÚMULA 197 DO

TST. Estando as partes cientes da data de publicação da sentença,

é a partir desta data que começa a fluir o prazo recursal, nos termos
PODER JUDICIÁRIO da Súmula 197 do TST.
JUSTIÇA DO TRABALHO

PROCESSO TRT - AIRO-0010032-26.2019.5.18.0211

RELATOR(A) : DESEMBARGADOR(A) IARA TEIXEIRA RIOS

AGRAVANTE(S) : LISANDRA GOMES OLIVEIRA


RELATÓRIO

ADVOGADO(S) : FELIPE DOUGLAS DA SILVA CARVALHO

AGRAVADO(S) : GTO COMERCIO ATACADISTA DE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 144
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

O juízo de 1º grau rejeitou totalmente os pedidos formulados por

LISANDRA GOMES OLIVEIRA em face de GTO COMERCIO

ATACADISTA DE CONFECÇÕES E CALÇADOS LTDA, nos termos

da sentença.

ADMISSIBILIDADE

Dia 30 de abril de 2019 foi certificado nos autos o trânsito em

julgado da sentença.

A reclamante, dia 06 de maio de 2019, interpôs recurso ordinário,

que não foi conhecido pelo juízo de origem por intempestivo. Atendidos os requisitos legais, conheço do agravo de instrumento

interposto pela reclamante.

A reclamante apresenta o presente agravo de instrumento

pugnando pelo conhecimento do recurso ordinário ante a ausência

de intimação na pessoa do advogado indicado nos autos.

Os autos não foram remetidos ao Ministério Público do Trabalho.

VOTO

MÉRITO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 145
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

"Art. 834 - Salvo nos casos previstos nesta Consolidação, a

publicação das decisões e sua notificação aos litigantes, ou a seus

patronos, consideram-se realizadas nas próprias audiências em que

forem as mesmas proferidas".

"SÚMULA 197 - PRAZO. O prazo para recurso da parte que,

RECURSO ORDINÁRIO INTEMPESTIVO intimada, não comparecer à audiência em prosseguimento para a

prolação da sentença conta-se de sua publicação".

O prazo para interposição de recurso ordinário começa a fluir a

partir do momento em que as partes tomam ciência do teor da Ocorre que a peça recursal da reclamante foi protocolizada

sentença. eletronicamente somente em 06.05.2019 (ID. f2a7b53), ou seja, fora

do prazo para interposição do recurso.

No presente caso, quando da audiência de prosseguimento,

realizada no dia 03.04.2019, o juízo de 1º grau suspendeu a Convém destacar que houve uma certidão, assinada pela servidora

audiência e designou o dia 15.4.2019, às 17h10min para publicação da Vara, ID. c75b542, datada de 02.05.2019, no sentido de que a

da SENTENÇA no sistema Processo Judicial Eletrônico - PJe, nos sentença havia transitado em julgado.

moldes da Súmula nº 197 do TST.

Destarte, o recurso é intempestivo.

Ressalto que ambas as partes compareceram à audiência de

prosseguimento acompanhadas de seus respectivos advogados,

demonstrando inteira ciência de seu teor, sem manifestarem

qualquer ressalva ou protestos por qualquer razão no que tange à Neste sentido, cito os arestos abaixo colacionados:

data indicada para o proferimento e ciência da sentença.

"RECURSO ORDINÁRIO. PARTES CIENTES DA DATA DE

A sentença foi assinada eletronicamente em 14.04.2019 e, assim, PUBLICAÇÃO DA SENTENÇA. TERMO INICIAL DO PRAZO

no dia designado pelo julgador de origem para publicação da RECURSAL. SÚMULA 197 DO TST. Cientes as partes da data de

decisão, 15.04.19, ela já estava disponível nos autos virtuais. publicação da sentença, flui desta o prazo para interposição de

recurso, a teor da Súmula 197 do TST." (RO - 0011321-

04.2013.5.18.0017. JUIZ MARCELO NOGUEIRA PEDRA. Sessão

da Terceira Turma do dia 05 de junho de 2014).

Desse modo, o prazo para a interposição de recurso ordinário

iniciou-se em 16.04.2019 e exauriu-se em 30.04.2019, nos termos

do art. 834 da CLT e da Súmula 197 do TST, que dispõem:

"RECURSO ORDINÁRIO. INTEMPESTIVIDADE. SÚMULA 197 DO

TST. Estando as partes cientes da data de publicação da sentença,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 146
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

é a partir desta data que começa a fluir o prazo recursal, nos termos

da Súmula 197 do TST." (RO - 0001458-85.2012.5.18.0008. Juiz

LUCIANO SANTANA CRISPIM. Sessão da Terceira Turma do dia

11 de junho de 2013).

Por todo o exposto, mantenho a decisão de primeiro grau que não

conheceu do recurso ordinário, por intempestivo.

Nego provimento.

Acórdão

CONCLUSÃO ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, conhecer do agravo de instrumento para, no

mérito, negar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

Conheço do agravo de instrumento interposto pela reclamante e ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

nego-lhe provimento, nos termos da fundamentação expendida. representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 147
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

IARA TEIXEIRA RIOS ADVOGADO(S) : HENRIQUE CÉSAR SOUZA

Desembargadora Relatora ADVOGADO(S) : MAYKON FERREIRA ABOULHOSN

ORIGEM : 12ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA

JUIZ(ÍZA) : ALEXANDRE VALLE PIOVESAN

Acórdão
Processo Nº ROT-0010071-09.2017.5.18.0012
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE MSA BUTEKO DO CHAGUINHA
EIRELI - ME
ADVOGADO FABIANO DA SILVA BILIO(OAB:
45843/GO)
ADVOGADO LUCIANO DA SILVA BILIO(OAB:
35874/DF)
ADVOGADO CLEUDOMAR RIBEIRO DE
OLIVEIRA(OAB: 33937/GO)
RECORRIDO SINDICATO DOS EMPREG NO COM
HOT E SIMIL DO EST DE GOIAS
ADVOGADO HENRIQUE CÉSAR SOUZA(OAB:
32322/GO)
ADVOGADO MAYKON FERREIRA
ABOULHOSN(OAB: 31475/GO)

Intimado(s)/Citado(s):
EMENTA
- MSA BUTEKO DO CHAGUINHA EIRELI - ME

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

GORJETAS. ÔNUS DA PROVA. REFLEXOS. A reclamada, ao

alegar o correto pagamento das gorjetas a seus empregados, atraiu

PROCESSO TRT - RO-0010071-09.2017.5.18.0012 para si o ônus da prova, por se tratar de fato impeditivo do direito do

autor (artigos 818 da CLT e 373 do NCPC), sendo que desse ônus

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS se desincumbiu satisfatoriamente, haja vista a prova oral produzida.

RECORRENTE(S) : MSA BUTEKO DO CHAGUINHA EIRELI - ME

ADVOGADO(S) : CLEUDOMAR RIBEIRO DE OLIVEIRA

ADVOGADO(S) : FABIANO DA SILVA BILIO

ADVOGADO(S) : LUCIANO DA SILVA BILIO

RECORRIDO(S) : SINDICATO DOS EMPREG NO COM HOT E

SIMIL DO EST DE GOIAS

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 148
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RELATÓRIO

ADMISSIBILIDADE

O juízo de 1º grau julgou procedentes em parte os pedidos

formulados pelo SINDICATO DOS EMPREG NO COM HOT E

SIMIL DO EST DE GOIÁS em face de MSA BUTEKO DO

CHAGUINHA EIRELI - ME, conforme decisão de fls. 1743/1750.

A reclamada interpõe recurso ordinário às fls. 1760/1772. O recurso é adequado, tempestivo, a representação processual está

regular e o reclamado realizou o devido preparo. Portanto, conheço.

O Sindicato-autor apresenta contrarrazões às fls. 1783/1792.

Os autos não foram remetidos ao Ministério Público do Trabalho.

VOTO

MÉRITO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 149
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

nos contracheques e "por fora", ao fundamento de que a reclamada

não se desincumbiu do seu ônus de provar o correto pagamento.

Inconformada, recorre a reclamada sustentando, em síntese, que

restou exaustivamente comprovado que o pagamento de gorjeta

pelos clientes é facultativo e que não há provas de que a recorrente

não lança o valor integral nos contracheques de seus empregados.

GORJETAS. DIFERENÇAS. REFLEXOS

Pois bem.

O Sindicato-autor informou na petição inicial que os substituídos

não estão recebendo as gorjetas corretamente. Afirmou que a

reclamada cobra taxa de serviço no percentual de 10% de seus

clientes compulsoriamente, conforme constam dos cupons de Ressalto, inicialmente que o juízo singular aplicou corretamente as

pagamento na rubrica "acréscimo". Acrescenta que dos valores regras relativas ao ônus da prova (artigos 818 da CLT e 373 do

arrecadados a título de taxa de serviço, 30% ficam retidos em favor CPC) quanto às diferenças de gorjetas, haja vista que a reclamada,

da empresa e os 70% são repassados aos empregados, sendo que ao admitir o pagamento correto da parcela, atraiu para si o ônus da

destes 70% uma parte consta dos contracheques e outra parte é prova, por se tratar de fato impeditivo do direito do Sindicato-autor.

paga extra-folha. Por conseguinte, requereu o pagamento da

diferença de gorjetas retidas por mês de trabalho de cada

substituído no valor de R$685,00, bem como os reflexos relativos ao

valor pago "por fora" (R$800,00) e ao valor pago nos contracheques A 1ª testemunha conduzida pela reclamada, Marcus Sanderson

nos 13ºs salários, férias + 1/3, FGTS, parcelas vencidas e Xavier Cabral, ouvido apenas como informante, diante da condição

vincendas (fls. 11/14). de substituído, declarou:

Contestando, a reclamada alegou que o pagamento de gorjetas "Depoimento: Que trabalhou para a reclamada em períodos

pelos seus clientes é opcional, conforme se verifica das placas diferentes e atualmente é seu empregado há cerca de 5 anos,

afixadas no estabelecimento e em seus cardápios; que seus período sempre trabalhado na função de garçom; que a

garçons são instruídos a perguntar se podem incluir a gorjeta reclamada não faz cobrança compulsória da taxa de 10%, sendo

quando do fechamento das contas; que essa situação indica que essa de pagamento opcional pelo cliente, que disso é informado por

não há pagamento de gorjetas em todas as contas pagas; que placas no salão do restaurante e por dizeres no cardápio; que

acontece de o cliente pagar diretamente ao garçons outros valores estima que 50% dos consumidores não pagam a taxa de 10%; que

e não os exatamente 10% a esse título; que não existem o depoente faz anotações pessoais das mesas atendidas que

pagamentos "por fora"; e, que os valores apontados na inicial não os clientes pagaram a taxa para poder conferir no final do mês

correspondem à verdade dos fatos. o pagamento da gorjeta; que a reclamada faz a apuração do

pagamento da taxa de 10% e para isso a responsável pelo caixa

separa as notas de consumo das mesas em que houve o

pagamento da taxa; que a reclamada não apresenta no final da

O juízo singular condenou a reclamada ao pagamento dos valores jornada nenhum documento de apuração das gorjetas pagas no dia;

das gorjetas requeridos na peça vestibular (retidos e reflexos), bem que no dia 1º ou 2 do mês subsequente cada garçom é

como as incidências reflexas sobre os valores dessa parcela pagos chamado a conversar individualmente com a Sra. Thaís, que é a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 150
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

encarregada do pagamento dos funcionários, que apresenta o apura as gorjetas e paga os valores sem qualquer dedução ou

garçom um relatório manuscrito ou às vezes impresso da retenção; que a planilha elaborada pela depoente é feita em Excel

apuração das gorjetas por dia e a totalização final; que o mas ela não mantêm os arquivos respectivos após enviar a cópia

garçom faz a conferência a partir de suas anotações e após para o contador; que não tem conhecimento se o contador mantêm

isso a Sra. Thaís envia referido relatório para o contador gerar arquivadas as planilhas referidas; Reperguntas da reclamada: não

o contracheque; que o depoente aufere mensalmente gorjetas houve; Reperguntas do reclamante: Que quando os

em valores que variam de R$1.500,00 a R$2.000,00; que na contracheques são apresentados pelo contador a depoente faz

ocasião do pagamento, assinatura e recebimento do a conferência do valor das gorjetas neles lançado com os

contracheque o valor integral das gorjetas recebidas está relatórios de apuração e, uma vez não encontrado o erro nos

lançado corretamente no documento; Reperguntas da contracheques, logo descarta os arquivos Excel; que as

reclamada: Que os garçons são orientados a nada falarem para os planilhas de apuração do mês de agosto ainda estão

clientes sobre o pagamento ou não das gorjetas por eles; que a arquivadas no computador da depoente. Nada mais." (grifei, fl.

reclamada não faz retenção de nenhum percentual das 1696).

gorjetas, mesmo quando as contas são pagas com cartão de

crédito; Reperguntas do reclamante: Que com o depoente

ocorreu apenas uma vez a divergência de suas anotações com

o relatório de apuração mensal da reclamada, mas em valor O Sindicato-autor não conduziu testemunha.

pequeno, de cerca de R$100,00,que foi considerado pela

reclamada e acrescentado para pagamento; que no geral

havendo divergências a reclamada acolhe as anotações do garçom

e corrige o valor a ser pago de gorjeta. Nada mais." (grifei, fls. A partir da prova oral, concluo que a reclamada se desincumbiu de

1695/1696). seu ônus de provar que não havia retenção dos valores pagos pelos

clientes a título de gorjetas, que a taxa de serviço era opcional, bem

como que não havia diferença entre o valor devido a esse título e o

valor pago nos contracheques.

A 2ª testemunha conduzida pela reclamada, Thais Reis Camilo,

declarou:

Convém salientar, por oportuno, que o fato de a reclamada não ter

promovido a juntada integral dos relatórios individuais de apuração

"Que trabalha para a reclamada há 8 anos, inicialmente como de gorjetas determinada pelo juízo em audiência, fl. 1696, não tem o

caixa e desde 2013 como auxiliar administrativo; que a condão de fragilizar as declarações constantes dos depoimentos

depoente é encarregada de efetuar a apuração e conferência prestados pelas testemunhas.

das gorjetas para pagamento aos garçons; que quando o

cliente faz o pagamento da gorjeta o garçom passa para a

depoente a nota respectiva (folha de conferência) e com base

nelas a depoente faz um relatório individualizado de cada Nesse contexto, concluo que a prova oral corroborou a tese de

garçom totalizando as gorjetas; que finalizado o mês, no dia 1º defesa, quanto à inexistência de retenção, bem como ao pagamento

ou 2 do seguinte, o garçom individualmente é chamado a fazer "por fora".

a conferência das gorjetas junto com a depoente utilizando

para isso as anotações pessoais por ele feitas; que 'raramente'

ocorrem divergências entre as anotações dos garçons e a

apuração feita pela depoente; que concluída a conferência a Observo, ainda, que os recibos de pagamento demonstram que as

depoente envia uma via da planilha para o proprietário da gorjetas integraram a base de cálculo do FGTS, por exemplo às fls.

reclamada, que faz a conferência do serviço da depoente, e outra 403/704.

para o contador gerar o contracheque do mês; que a reclamada

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 151
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Ademais, o Sindicato-autor ao se manifestar sobre a defesa e sobre

os documentos juntados, não apontou, sequer por amostragem, a

existência de diferenças relativas aos reflexos das gorjetas pagas.

Ante o expendido, reformo a sentença para excluir da condenação o

pagamento dos valores requeridos na peça vestibular e suas

incidências reflexas, bem como os reflexos dos valores pagos a

título de gorjetas.

Dou provimento.

CONCLUSÃO

Acórdão

Conheço do recurso ordinário interposto pelo reclamado e, no

mérito, dou-lhe provimento, nos termos da fundamentação acima ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

expendida. Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, conhecer do recurso para, no mérito, dar-lhe

provimento, nos termos do voto da relatora.

Inverto o ônus da sucumbência. Custas pelo Sindicato-autor, no Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

valor de R$800,00, calculadas sobre o valor atribuído à causa, GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

R$40.000,00, dispensado seu recolhimento, haja vista o o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

deferimento do pedido de assistência judiciária gratuita (fl. 1748). (Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 152
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho. PROCESSO TRT - RO-0010071-09.2017.5.18.0012

(Goiânia, 15 de agosto de 2019) RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

RECORRENTE(S) : MSA BUTEKO DO CHAGUINHA EIRELI - ME

ADVOGADO(S) : CLEUDOMAR RIBEIRO DE OLIVEIRA

ADVOGADO(S) : FABIANO DA SILVA BILIO

ADVOGADO(S) : LUCIANO DA SILVA BILIO

RECORRIDO(S) : SINDICATO DOS EMPREG NO COM HOT E

IARA TEIXEIRA RIOS SIMIL DO EST DE GOIAS

Desembargadora Relatora ADVOGADO(S) : HENRIQUE CÉSAR SOUZA

ADVOGADO(S) : MAYKON FERREIRA ABOULHOSN

ORIGEM : 12ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA

JUIZ(ÍZA) : ALEXANDRE VALLE PIOVESAN

Acórdão
Processo Nº ROT-0010071-09.2017.5.18.0012
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE MSA BUTEKO DO CHAGUINHA
EIRELI - ME
ADVOGADO FABIANO DA SILVA BILIO(OAB:
45843/GO)
ADVOGADO LUCIANO DA SILVA BILIO(OAB:
35874/DF)
ADVOGADO CLEUDOMAR RIBEIRO DE
OLIVEIRA(OAB: 33937/GO)
RECORRIDO SINDICATO DOS EMPREG NO COM
HOT E SIMIL DO EST DE GOIAS
ADVOGADO HENRIQUE CÉSAR SOUZA(OAB:
32322/GO)
ADVOGADO MAYKON FERREIRA
ABOULHOSN(OAB: 31475/GO)

Intimado(s)/Citado(s):
EMENTA
- SINDICATO DOS EMPREG NO COM HOT E SIMIL DO EST
DE GOIAS

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

GORJETAS. ÔNUS DA PROVA. REFLEXOS. A reclamada, ao

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 153
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

alegar o correto pagamento das gorjetas a seus empregados, atraiu

para si o ônus da prova, por se tratar de fato impeditivo do direito do

autor (artigos 818 da CLT e 373 do NCPC), sendo que desse ônus

se desincumbiu satisfatoriamente, haja vista a prova oral produzida.

VOTO

RELATÓRIO

ADMISSIBILIDADE

O juízo de 1º grau julgou procedentes em parte os pedidos

formulados pelo SINDICATO DOS EMPREG NO COM HOT E

SIMIL DO EST DE GOIÁS em face de MSA BUTEKO DO

CHAGUINHA EIRELI - ME, conforme decisão de fls. 1743/1750.

A reclamada interpõe recurso ordinário às fls. 1760/1772. O recurso é adequado, tempestivo, a representação processual está

regular e o reclamado realizou o devido preparo. Portanto, conheço.

O Sindicato-autor apresenta contrarrazões às fls. 1783/1792.

Os autos não foram remetidos ao Ministério Público do Trabalho.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 154
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

pelos seus clientes é opcional, conforme se verifica das placas

afixadas no estabelecimento e em seus cardápios; que seus

garçons são instruídos a perguntar se podem incluir a gorjeta

quando do fechamento das contas; que essa situação indica que

não há pagamento de gorjetas em todas as contas pagas; que

acontece de o cliente pagar diretamente ao garçons outros valores

e não os exatamente 10% a esse título; que não existem

pagamentos "por fora"; e, que os valores apontados na inicial não

correspondem à verdade dos fatos.

MÉRITO

O juízo singular condenou a reclamada ao pagamento dos valores

das gorjetas requeridos na peça vestibular (retidos e reflexos), bem

como as incidências reflexas sobre os valores dessa parcela pagos

nos contracheques e "por fora", ao fundamento de que a reclamada

não se desincumbiu do seu ônus de provar o correto pagamento.

Inconformada, recorre a reclamada sustentando, em síntese, que

restou exaustivamente comprovado que o pagamento de gorjeta

pelos clientes é facultativo e que não há provas de que a recorrente

não lança o valor integral nos contracheques de seus empregados.

GORJETAS. DIFERENÇAS. REFLEXOS

Pois bem.

O Sindicato-autor informou na petição inicial que os substituídos

não estão recebendo as gorjetas corretamente. Afirmou que a

reclamada cobra taxa de serviço no percentual de 10% de seus

clientes compulsoriamente, conforme constam dos cupons de Ressalto, inicialmente que o juízo singular aplicou corretamente as

pagamento na rubrica "acréscimo". Acrescenta que dos valores regras relativas ao ônus da prova (artigos 818 da CLT e 373 do

arrecadados a título de taxa de serviço, 30% ficam retidos em favor CPC) quanto às diferenças de gorjetas, haja vista que a reclamada,

da empresa e os 70% são repassados aos empregados, sendo que ao admitir o pagamento correto da parcela, atraiu para si o ônus da

destes 70% uma parte consta dos contracheques e outra parte é prova, por se tratar de fato impeditivo do direito do Sindicato-autor.

paga extra-folha. Por conseguinte, requereu o pagamento da

diferença de gorjetas retidas por mês de trabalho de cada

substituído no valor de R$685,00, bem como os reflexos relativos ao

valor pago "por fora" (R$800,00) e ao valor pago nos contracheques A 1ª testemunha conduzida pela reclamada, Marcus Sanderson

nos 13ºs salários, férias + 1/3, FGTS, parcelas vencidas e Xavier Cabral, ouvido apenas como informante, diante da condição

vincendas (fls. 11/14). de substituído, declarou:

Contestando, a reclamada alegou que o pagamento de gorjetas "Depoimento: Que trabalhou para a reclamada em períodos

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 155
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

diferentes e atualmente é seu empregado há cerca de 5 anos, caixa e desde 2013 como auxiliar administrativo; que a

período sempre trabalhado na função de garçom; que a depoente é encarregada de efetuar a apuração e conferência

reclamada não faz cobrança compulsória da taxa de 10%, sendo das gorjetas para pagamento aos garçons; que quando o

essa de pagamento opcional pelo cliente, que disso é informado por cliente faz o pagamento da gorjeta o garçom passa para a

placas no salão do restaurante e por dizeres no cardápio; que depoente a nota respectiva (folha de conferência) e com base

estima que 50% dos consumidores não pagam a taxa de 10%; que nelas a depoente faz um relatório individualizado de cada

o depoente faz anotações pessoais das mesas atendidas que garçom totalizando as gorjetas; que finalizado o mês, no dia 1º

os clientes pagaram a taxa para poder conferir no final do mês ou 2 do seguinte, o garçom individualmente é chamado a fazer

o pagamento da gorjeta; que a reclamada faz a apuração do a conferência das gorjetas junto com a depoente utilizando

pagamento da taxa de 10% e para isso a responsável pelo caixa para isso as anotações pessoais por ele feitas; que 'raramente'

separa as notas de consumo das mesas em que houve o ocorrem divergências entre as anotações dos garçons e a

pagamento da taxa; que a reclamada não apresenta no final da apuração feita pela depoente; que concluída a conferência a

jornada nenhum documento de apuração das gorjetas pagas no dia; depoente envia uma via da planilha para o proprietário da

que no dia 1º ou 2 do mês subsequente cada garçom é reclamada, que faz a conferência do serviço da depoente, e outra

chamado a conversar individualmente com a Sra. Thaís, que é a para o contador gerar o contracheque do mês; que a reclamada

encarregada do pagamento dos funcionários, que apresenta o apura as gorjetas e paga os valores sem qualquer dedução ou

garçom um relatório manuscrito ou às vezes impresso da retenção; que a planilha elaborada pela depoente é feita em Excel

apuração das gorjetas por dia e a totalização final; que o mas ela não mantêm os arquivos respectivos após enviar a cópia

garçom faz a conferência a partir de suas anotações e após para o contador; que não tem conhecimento se o contador mantêm

isso a Sra. Thaís envia referido relatório para o contador gerar arquivadas as planilhas referidas; Reperguntas da reclamada: não

o contracheque; que o depoente aufere mensalmente gorjetas houve; Reperguntas do reclamante: Que quando os

em valores que variam de R$1.500,00 a R$2.000,00; que na contracheques são apresentados pelo contador a depoente faz

ocasião do pagamento, assinatura e recebimento do a conferência do valor das gorjetas neles lançado com os

contracheque o valor integral das gorjetas recebidas está relatórios de apuração e, uma vez não encontrado o erro nos

lançado corretamente no documento; Reperguntas da contracheques, logo descarta os arquivos Excel; que as

reclamada: Que os garçons são orientados a nada falarem para os planilhas de apuração do mês de agosto ainda estão

clientes sobre o pagamento ou não das gorjetas por eles; que a arquivadas no computador da depoente. Nada mais." (grifei, fl.

reclamada não faz retenção de nenhum percentual das 1696).

gorjetas, mesmo quando as contas são pagas com cartão de

crédito; Reperguntas do reclamante: Que com o depoente

ocorreu apenas uma vez a divergência de suas anotações com

o relatório de apuração mensal da reclamada, mas em valor O Sindicato-autor não conduziu testemunha.

pequeno, de cerca de R$100,00,que foi considerado pela

reclamada e acrescentado para pagamento; que no geral

havendo divergências a reclamada acolhe as anotações do garçom

e corrige o valor a ser pago de gorjeta. Nada mais." (grifei, fls. A partir da prova oral, concluo que a reclamada se desincumbiu de

1695/1696). seu ônus de provar que não havia retenção dos valores pagos pelos

clientes a título de gorjetas, que a taxa de serviço era opcional, bem

como que não havia diferença entre o valor devido a esse título e o

valor pago nos contracheques.

A 2ª testemunha conduzida pela reclamada, Thais Reis Camilo,

declarou:

Convém salientar, por oportuno, que o fato de a reclamada não ter

promovido a juntada integral dos relatórios individuais de apuração

"Que trabalha para a reclamada há 8 anos, inicialmente como de gorjetas determinada pelo juízo em audiência, fl. 1696, não tem o

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 156
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

condão de fragilizar as declarações constantes dos depoimentos

prestados pelas testemunhas.

Nesse contexto, concluo que a prova oral corroborou a tese de Conheço do recurso ordinário interposto pelo reclamado e, no

defesa, quanto à inexistência de retenção, bem como ao pagamento mérito, dou-lhe provimento, nos termos da fundamentação acima

"por fora". expendida.

Observo, ainda, que os recibos de pagamento demonstram que as Inverto o ônus da sucumbência. Custas pelo Sindicato-autor, no

gorjetas integraram a base de cálculo do FGTS, por exemplo às fls. valor de R$800,00, calculadas sobre o valor atribuído à causa,

403/704. R$40.000,00, dispensado seu recolhimento, haja vista o

deferimento do pedido de assistência judiciária gratuita (fl. 1748).

Ademais, o Sindicato-autor ao se manifestar sobre a defesa e sobre

os documentos juntados, não apontou, sequer por amostragem, a

existência de diferenças relativas aos reflexos das gorjetas pagas.

Ante o expendido, reformo a sentença para excluir da condenação o

pagamento dos valores requeridos na peça vestibular e suas

incidências reflexas, bem como os reflexos dos valores pagos a

título de gorjetas.

Dou provimento.

CONCLUSÃO

Acórdão

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 157
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Intimado(s)/Citado(s):
- BRF S.A.

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, conhecer do recurso para, no mérito, dar-lhe

provimento, nos termos do voto da relatora.

Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores PROCESSO TRT - AP-0010022-21.2019.5.18.0101


GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS
(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d. AGRAVANTE(S) : BRF S.A.


representante do Ministério Público do Trabalho.

ADVOGADO(S) : RAFAEL LARA MARTINS


(Goiânia, 15 de agosto de 2019)

AGRAVADO(S) : JOSÉ GREGÓRIO MOREIRA

ADVOGADO(S) : VANESSA ANTUNES DE BRITTO

ORIGEM : 1ª VARA DO TRABALHO DE RIO VERDE

JUIZ(ÍZA) : SAMARA MOREIRA DE SOUSA

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão EMENTA
Processo Nº AP-0010022-21.2019.5.18.0101
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE BRF S.A.
ADVOGADO RAFAEL LARA MARTINS(OAB:
22331/GO)
AGRAVADO JOSE GREGORIO MOREIRA
ADVOGADO VANESSA ANTUNES DE
BRITTO(OAB: 31003/GO)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 158
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. BENEFÍCIO DE ORDEM. Contraminuta pelo exequente.

TEORIA DA DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE

JURÍDICA. FALÊNCIA DA DEVEDORA PRINCIPAL. A declaração

de falência constitui reconhecimento judicial da presunção de

insolvência da empresa devedora. A responsabilidade subsidiária Dispensada a remessa dos autos à Procuradoria Regional do

da empresa tomadora constitui benefício em favor do credor, tanto Trabalho, nos moldes regimentais.

quanto a desconsideração da personalidade jurídica de uma

empresa. Assim, os sócios do devedor principal são, também,

devedores subsidiários, assim como o agravante, razão pela qual

entre eles não há ordem de preferência. Reconhecida a

responsabilidade subsidiária da agravante, a teoria da

desconsideração da personalidade jurídica, em relação à devedora

principal, somente é aplicável após o esgotamento de todos os

meios para a execução dos devedores constantes do título,

justamente porque o objetivo principal da lei é a satisfação da dívida

por parte das empresas beneficiadas pela força de trabalho do

obreiro. Recurso a que se nega provimento.

VOTO

RELATÓRIO

ADMISSIBILIDADE

Trata-se de agravo de petição interposto por BRF S.A, contra a

decisão proferida pelo juízo da execução (fls. 230/234), que rejeitou

os embargos à execução apresentados pela agravante nos autos da

execução promovida por JOSE GREGORIO MOREIRA em face da

agravante e de ALLES ENGENHARIA EIRELI - ME, BRF S.A.,

GUARDIANS ADMINISTRACAO JUDICIAL - ME.

O agravo de petição é adequado, tempestivo, possui regular

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 159
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

representação processual e a matéria foi delimitada, não havendo (MASSA FALIDA) por meio de habilitação e inscrição nos quadros

impugnação aos valores executados. Portanto, conheço. gerais de credores. Requer a desconsideração da personalidade

jurídica da 1ª executada e frisa que sua responsabilidade é

subsidiária e somente se opera após esgotados todos os meios

executivos contra a 1ª reclamada.

Sem razão.

A decretação da falência da 1ª executada (ALLES ENGENHARIA

EIRELI - ME) é fato incontroverso.

A declaração de falência constitui reconhecimento judicial da

presunção de insolvência da empresa devedora, gerando incerteza

quanto à suficiência de recursos hábeis a garantir a execução da

dívida trabalhista.

MÉRITO

Considerando a natureza alimentar do crédito trabalhista e a

existência de título exequendo que reconhece a responsabilidade

subsidiária da agravante, não cabe compelir o obreiro a se habilitar

como credor perante o Juízo Falimentar, conforme pretende o

agravante.

Não se pode obrigar o trabalhador, que obteve sentença

condenatória também contra o tomador dos seus serviços, ainda

que de forma subsidiária, a aguardar a satisfação de seu crédito no

Juízo Falimentar. Isto em observância à garantia constitucional de

razoável duração do processo, sob pena de ser retirada a

RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. DIRECIONAMENTO DA efetividade e celeridade necessárias às decisões sobre créditos

EXECUÇÃO. DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE trabalhistas, que possuem natureza alimentícia.

JURÍDICA. JUÍZO COMPETENTE PARA A EXECUÇÃO CONTRA

A MASSA FALIDA

Por outro lado, a responsabilidade subsidiária da empresa tomadora

constitui benefício em favor do credor, tanto quanto a

Sustenta a agravante que não deve arcar com o valor executado desconsideração da personalidade jurídica de uma empresa. Com

antes de exauridas as tentativas de penhora contra a 1ª executada efeito, os sócios do devedor principal são, também, devedores

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 160
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

subsidiários, assim como a agravante, razão pela qual entre eles AIRR - 210132-69.2012.5.21.0013, Relator Ministro: Mauricio

não há ordem de preferência. Godinho Delgado, Data de Julgamento: 9-5-2018, 3ª Turma, Data

de Publicação: DEJT 11-5-2018).

Aliás, havendo na sentença o reconhecimento da responsabilidade

subsidiária da agravante, a teoria da desconsideração da Descabida, também, argumentação no sentido de que o novo

personalidade jurídica, quanto à devedora principal, somente é Código de Processo Civil impõe a instauração de incidente de

aplicável após o esgotamento de todos os meios para a execução desconsideração da personalidade jurídica da 1ª reclamada. Ora,

dos devedores constantes do título, justamente porque o objetivo exige-se a instauração do incidente para que seja desconsiderada a

principal da lei é a satisfação da dívida por parte das empresas personalidade, e não para a negativa de utilização do instituto.

beneficiadas pela força de trabalho do obreiro.

Vale destacar, ainda, que a responsável subsidiária poderá se valer

Além do mais, a agravante (devedora subsidiária) sequer de ação de regresso em face da empregadora para resgatar os

demonstrou perante o juízo de 1º grau a existência de bens da haveres quitados.

executada principal ou de seus sócios para garantir a dívida e para

justificar o pretendido direcionamento da execução.

Por fim, quanto ao pedido de expedição de certidão para habilitação

do crédito exequendo no Juízo Universal da Falência, convém

Aliás, este é o entendimento adotado pelo TST, conforme salientar que, no presente caso, não há possibilidade de

demonstrado a seguir: adimplemento rápido pela 1ª executada, massa falida, sendo inócua

providência requerida.

"AGRAVO. AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE

REVISTA. PROCESSO SOB A ÉGIDE DA LEI 13.015/2014 E Nego provimento.

ANTERIOR À LEI 13.467/2017. EXECUÇÃO.

RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. BENEFÍCIO DE ORDEM.

DESNECESSIDADE. ÓBICE DO ART. 896, § 2º, DA CLT C/C

SÚMULA 266 DO TST. Para que o cumprimento da condenação

recaia sobre o devedor subsidiário, mister, apenas, que tenha ele

participado da relação processual e que seu nome conste do título

executivo judicial, somado ao fato de não se mostrarem frutíferas as

tentativas de cobrança do devedor principal. Não há, portanto, que

se falar em benefício de ordem ou instituto a ele assemelhado.

Reitere-se que, em execução, a admissibilidade do recurso de

revista condiciona-se à demonstração inequívoca de violação direta

e literal de norma da Constituição Federal, como disposto no § 2º do

art. 896 da CLT e na Súmula 266 do TST, o que não ocorreu na

presente hipótese. Assim sendo, a decisão agravada foi proferida CONCLUSÃO

em estrita observância às normas processuais (art. 557, caput, do

CPC/1973; arts. 14 e 932, IV, 'a', do CPC/2015), razão pela qual é

insuscetível de reforma ou reconsideração. Agravo desprovido" (Ag-

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 161
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

por unanimidade, conhecer do agravo de petição para, no mérito,

Conheço do agravo de petição oposto pela 2ª executada (BRF S. negar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora.

A.) e, no mérito, nego-lhe provimento, nos termos da

fundamentação expendida. Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

Custas pela executada, no importe de R$44,26, fixadas conforme ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

previsão do art. 789-A, IV, da CLT. representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão Acórdão
Processo Nº AP-0010022-21.2019.5.18.0101
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
AGRAVANTE BRF S.A.
ADVOGADO RAFAEL LARA MARTINS(OAB:
22331/GO)
AGRAVADO JOSE GREGORIO MOREIRA
ADVOGADO VANESSA ANTUNES DE
BRITTO(OAB: 31003/GO)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 162
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Intimado(s)/Citado(s):
- JOSE GREGORIO MOREIRA

RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. BENEFÍCIO DE ORDEM.

TEORIA DA DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE


PODER JUDICIÁRIO
JURÍDICA. FALÊNCIA DA DEVEDORA PRINCIPAL. A declaração
JUSTIÇA DO TRABALHO
de falência constitui reconhecimento judicial da presunção de

insolvência da empresa devedora. A responsabilidade subsidiária

da empresa tomadora constitui benefício em favor do credor, tanto

quanto a desconsideração da personalidade jurídica de uma

empresa. Assim, os sócios do devedor principal são, também,

devedores subsidiários, assim como o agravante, razão pela qual

PROCESSO TRT - AP-0010022-21.2019.5.18.0101 entre eles não há ordem de preferência. Reconhecida a

responsabilidade subsidiária da agravante, a teoria da

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS desconsideração da personalidade jurídica, em relação à devedora

principal, somente é aplicável após o esgotamento de todos os

AGRAVANTE(S) : BRF S.A. meios para a execução dos devedores constantes do título,

justamente porque o objetivo principal da lei é a satisfação da dívida

ADVOGADO(S) : RAFAEL LARA MARTINS por parte das empresas beneficiadas pela força de trabalho do

obreiro. Recurso a que se nega provimento.

AGRAVADO(S) : JOSÉ GREGÓRIO MOREIRA

ADVOGADO(S) : VANESSA ANTUNES DE BRITTO

ORIGEM : 1ª VARA DO TRABALHO DE RIO VERDE

JUIZ(ÍZA) : SAMARA MOREIRA DE SOUSA

RELATÓRIO

EMENTA Trata-se de agravo de petição interposto por BRF S.A, contra a

decisão proferida pelo juízo da execução (fls. 230/234), que rejeitou

os embargos à execução apresentados pela agravante nos autos da

execução promovida por JOSE GREGORIO MOREIRA em face da

agravante e de ALLES ENGENHARIA EIRELI - ME, BRF S.A.,

GUARDIANS ADMINISTRACAO JUDICIAL - ME.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 163
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

representação processual e a matéria foi delimitada, não havendo

impugnação aos valores executados. Portanto, conheço.

Contraminuta pelo exequente.

Dispensada a remessa dos autos à Procuradoria Regional do

Trabalho, nos moldes regimentais.

VOTO

MÉRITO

ADMISSIBILIDADE

RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. DIRECIONAMENTO DA

EXECUÇÃO. DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE

JURÍDICA. JUÍZO COMPETENTE PARA A EXECUÇÃO CONTRA

A MASSA FALIDA

Sustenta a agravante que não deve arcar com o valor executado

O agravo de petição é adequado, tempestivo, possui regular antes de exauridas as tentativas de penhora contra a 1ª executada

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 164
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

(MASSA FALIDA) por meio de habilitação e inscrição nos quadros subsidiários, assim como a agravante, razão pela qual entre eles

gerais de credores. Requer a desconsideração da personalidade não há ordem de preferência.

jurídica da 1ª executada e frisa que sua responsabilidade é

subsidiária e somente se opera após esgotados todos os meios

executivos contra a 1ª reclamada.

Aliás, havendo na sentença o reconhecimento da responsabilidade

subsidiária da agravante, a teoria da desconsideração da

personalidade jurídica, quanto à devedora principal, somente é

Sem razão. aplicável após o esgotamento de todos os meios para a execução

dos devedores constantes do título, justamente porque o objetivo

principal da lei é a satisfação da dívida por parte das empresas

beneficiadas pela força de trabalho do obreiro.

A decretação da falência da 1ª executada (ALLES ENGENHARIA

EIRELI - ME) é fato incontroverso.

Além do mais, a agravante (devedora subsidiária) sequer

demonstrou perante o juízo de 1º grau a existência de bens da

A declaração de falência constitui reconhecimento judicial da executada principal ou de seus sócios para garantir a dívida e para

presunção de insolvência da empresa devedora, gerando incerteza justificar o pretendido direcionamento da execução.

quanto à suficiência de recursos hábeis a garantir a execução da

dívida trabalhista.

Aliás, este é o entendimento adotado pelo TST, conforme

demonstrado a seguir:

Considerando a natureza alimentar do crédito trabalhista e a

existência de título exequendo que reconhece a responsabilidade

subsidiária da agravante, não cabe compelir o obreiro a se habilitar

como credor perante o Juízo Falimentar, conforme pretende o "AGRAVO. AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE

agravante. REVISTA. PROCESSO SOB A ÉGIDE DA LEI 13.015/2014 E

ANTERIOR À LEI 13.467/2017. EXECUÇÃO.

RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. BENEFÍCIO DE ORDEM.

DESNECESSIDADE. ÓBICE DO ART. 896, § 2º, DA CLT C/C

Não se pode obrigar o trabalhador, que obteve sentença SÚMULA 266 DO TST. Para que o cumprimento da condenação

condenatória também contra o tomador dos seus serviços, ainda recaia sobre o devedor subsidiário, mister, apenas, que tenha ele

que de forma subsidiária, a aguardar a satisfação de seu crédito no participado da relação processual e que seu nome conste do título

Juízo Falimentar. Isto em observância à garantia constitucional de executivo judicial, somado ao fato de não se mostrarem frutíferas as

razoável duração do processo, sob pena de ser retirada a tentativas de cobrança do devedor principal. Não há, portanto, que

efetividade e celeridade necessárias às decisões sobre créditos se falar em benefício de ordem ou instituto a ele assemelhado.

trabalhistas, que possuem natureza alimentícia. Reitere-se que, em execução, a admissibilidade do recurso de

revista condiciona-se à demonstração inequívoca de violação direta

e literal de norma da Constituição Federal, como disposto no § 2º do

art. 896 da CLT e na Súmula 266 do TST, o que não ocorreu na

Por outro lado, a responsabilidade subsidiária da empresa tomadora presente hipótese. Assim sendo, a decisão agravada foi proferida

constitui benefício em favor do credor, tanto quanto a em estrita observância às normas processuais (art. 557, caput, do

desconsideração da personalidade jurídica de uma empresa. Com CPC/1973; arts. 14 e 932, IV, 'a', do CPC/2015), razão pela qual é

efeito, os sócios do devedor principal são, também, devedores insuscetível de reforma ou reconsideração. Agravo desprovido" (Ag-

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 165
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

AIRR - 210132-69.2012.5.21.0013, Relator Ministro: Mauricio

Godinho Delgado, Data de Julgamento: 9-5-2018, 3ª Turma, Data

de Publicação: DEJT 11-5-2018).

Conheço do agravo de petição oposto pela 2ª executada (BRF S.

Descabida, também, argumentação no sentido de que o novo A.) e, no mérito, nego-lhe provimento, nos termos da

Código de Processo Civil impõe a instauração de incidente de fundamentação expendida.

desconsideração da personalidade jurídica da 1ª reclamada. Ora,

exige-se a instauração do incidente para que seja desconsiderada a

personalidade, e não para a negativa de utilização do instituto.

Custas pela executada, no importe de R$44,26, fixadas conforme

previsão do art. 789-A, IV, da CLT.

Vale destacar, ainda, que a responsável subsidiária poderá se valer

de ação de regresso em face da empregadora para resgatar os

haveres quitados.

Por fim, quanto ao pedido de expedição de certidão para habilitação

do crédito exequendo no Juízo Universal da Falência, convém

salientar que, no presente caso, não há possibilidade de

adimplemento rápido pela 1ª executada, massa falida, sendo inócua

providência requerida.

Nego provimento.

Acórdão

CONCLUSÃO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 166
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RECORRENTE EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA


DE SEGURANCA E VIGILANCIA
LTDA.
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio
RECORRENTE EMPRESA BRASILEIRA DE
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária, SERVICOS GERAIS LTDA
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
por unanimidade, conhecer do agravo de petição para, no mérito, 207753/SP)
negar-lhe provimento, nos termos do voto da relatora. RECORRENTE RITA DE CASSIA GARRUTTE
MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores
RECORRENTE WAGNER MARTINS
GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA
RECORRENTE EMBRASE SERVICOS GERAIS LTDA
(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.
RECORRIDO MARCELO RODRIGUES DE LARA
representante do Ministério Público do Trabalho. ADVOGADO SYRLENIA MARIA COUTINHO
BEZERRA(OAB: 33087/GO)

(Goiânia, 14 de agosto de 2019) Intimado(s)/Citado(s):


- EMBRASE SERVICOS GERAIS LTDA

PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO

PROCESSO TRT - RO-0010050-11.2018.5.18.0008

IARA TEIXEIRA RIOS


RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora
RECORRENTE(S) : EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRENTE(S) : EMBRASE SERVIÇOS GERAIS LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

Acórdão RECORRENTE(S) : EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS


Processo Nº ROT-0010050-11.2018.5.18.0008
GERAIS LTDA
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE VIVIAN MARTINS BENEDETTO
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB: ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
207753/SP)
RECORRENTE LUIS CARLOS MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB: RECORRENTE(S) : LUIS CARLOS MARTINS
207753/SP)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 167
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI incluído pela Lei 13.467/2017, é possível a concessão dos

benefícios da justiça gratuita ao empregador, pessoa física ou

RECORRENTE(S) : RITA DE CASSIA GARRUTTE MARTINS jurídica, mediante comprovação inequívoca da alegada insuficiência

econômica desfavorável, o que não ocorreu no presente caso.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI Ausente o recolhimento do preparo, não se conhece do recurso, por

deserto.

RECORRENTE(S) : VIVIAN MARTINS BENEDETTO

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRENTE(S) : WAGNER MARTINS

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRIDO(S) : MARCELO RODRIGUES DE LARA

ADVOGADO(S) : SYRLENIA MARIA COUTINHO BEZERRA

ORIGEM : 8ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA

RELATÓRIO

JUIZ(ÍZA) : CLEUZA GONÇALVES LOPES

A Exma. Juíza Cleuza Gonçalves Lopes, da Eg. 8ª Vara do

Trabalho de Goiânia-GO, proferiu sentença (fls. 286-293), julgando

extinto sem resolução do mérito os pedidos formulados na ação

trabalhista ajuizada por MARCELO RODRIGUES DE LARA em face

dos reclamados WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA

GARRUTTE MARTINS, LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN

EMENTA MARTINS BENEDETTO, e procedentes os pedidos formulados em

face dos reclamados EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE

SERVIÇOS GERAIS LTDA., e de EMBRASE SERVIÇOS GERAIS

LTDA.

Os reclamados interpõem recurso ordinário (fls. 309-318), arguindo

RECURSO ORDINÁRIO. ADMISSIBILIDADE. JUSTIÇA o deferimento da recuperação judicial; pugnando pela concessão

GRATUITA. EMPREGADOR. PROVA DA INSUFICIÊNCIA dos benefícios da justiça gratuita; e pela reforma da r. sentença

ECONÔMICA. DESERÇÃO. Nos termos do art. 790, § 4º, da CLT, quanto aos honorários advocatícios.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 168
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Devidamente intimada, a parte autora não apresentou

contrarrazões.

O recurso foi interposto em conjunto pelos reclamados, mostrando-

se adequado, tempestivo (considerando-se as certidões de

Dispensada a remessa dos autos ao d. Ministério Público do devolução de mandado de fls. 375-381), e com regular

Trabalho, em face do que dispõe o art. 25 do Regimento Interno representação processual (fls. 326, 348-351).

deste Eg. Regional.

Contudo, não conheço do recurso quanto aos reclamados

É o relatório. WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA GARRUTTE MARTINS,

LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN MARTINS BENEDETTO, por

ausência de interesse recursal, pois a d. julgadora extinguiu o

processo sem resolução do mérito quanto a eles, com fulcro no art.

485, VI, do CPC, determinado a sua exclusão do polo passivo da

reclamatória.

Ademais, o recurso não supera o crivo da admissibilidade quanto

aos demais reclamados, por estar deserto.

VOTO Os reclamados, ao interporem o recurso, não efetuaram o seu

preparo. Porém, requereram a concessão dos benefícios da justiça

gratuita.

Com fulcro no art. 99, § 7º, do CPC/2015, bem como em

observância aos entendimentos consubstanciados na OJ 269, da

SDI-1, do TST, apreciei o pedido de concessão de gratuidade da

justiça, formulado no recurso. Indeferi o pleito e determinei a

abertura de prazo para a reclamada efetuar o preparo, nos

seguintes termos (fls. 392-394):

ADMISSIBILIDADE "(...) A decisão de fls. 319-322 comprova que, em 05-09-2018, foi

deferido o processamento da recuperação judicial das reclamadas

EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE SEGURANÇA E

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 169
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

VIGILÂNCIA LTDA., EMBRASE SOLUÇÕES EM SEGURANÇA

ELETRÔNICA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS

GERAIS LTDA. pela 4ª Vara Cível de Duque de Caxias-RJ, nos

autos do processo nº 0043514-08.2018.8.19.0021. Não foram juntados balancetes financeiros ou comprovantes atuais

de receitas e despesas para comprovar, concretamente, a alegada

situação financeira deficitária e, consequentemente, a total

impossibilidade de recolhimento dos valores relativos ao preparo

Dispõe o artigo 899 da CLT: recursal.

"Art. 899 - Os recursos serão interpostos por simples petição e terão Convém salientar, ademais, que o fato de uma empresa reclamada

efeito meramente devolutivo, salvo as exceções previstas neste encontrar-se em recuperação judicial, por si só, não a dispensa de

Título, permitida a execução provisória até a penhora. recolher as custas processuais por ocasião da interposição de

recurso, por falta da previsão legal.

(...) § 10. São isentos do depósito recursal os beneficiários da

justiça gratuita, as entidades filantrópicas e as empresas em

recuperação judicial" (negritei).

Não comprovada a alegada condição de hipossuficiência dos

reclamados, incabível o deferimento dos benefícios da justiça

gratuita. Indefiro.

Como se vê, as empresas em recuperação judicial são isentas do

recolhimento do depósito recursal, mas não do recolhimento das

custas processuais.

Ante o exposto, suspendo o processo e designo o prazo de 8 (oito)

dias para as reclamadas comprovarem o recolhimento das custas e

do depósito recursal, este último dispensado para as reclamadas

Os reclamados, em que pesem aleguem fazer jus aos benefícios da que se encontram em recuperação judicial, em atenção ao disposto

justiça gratuita, não comprovaram a alegação com os documentos no art. 899, § 10, da CLT, incluído pela Lei nº 13.467/17, incidente

contábeis pertinentes. na espécie, sob pena de não conhecimento do recurso ordinário

interposto.

À reclamada pessoa jurídica não basta a mera alegação de

insuficiência econômico-financeira, sendo exigida a apresentação Intimem-se os reclamados".

de prova exaustiva da miserabilidade alegada. Esse é o

entendimento cristalizado na Súmula nº 463, II, do c. TST, segundo

a qual "no caso de pessoa jurídica, não basta a mera declaração: é

necessária a demonstração cabal de impossibilidade de a parte Devidamente intimados, os reclamados quedaram-se inertes.

arcar com as despesas do processo".

Deste modo, ausente o preparo, o recurso ordinário não se mostra

No caso, a referida exigência não restou atendida, uma vez que os passível de conhecimento.

reclamados não fizeram nenhuma prova nesse sentido, limitando-se

a dizer que estão em recuperação judicial.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 170
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

aos demais, por deserção, nos termos da fundamentação

Não conheço. expendida.

É o meu voto,

Acórdão

CONCLUSÃO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Não conheço do recurso ordinário interposto pelos reclamados, por Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

ausência de interesse recursal quanto aos reclamados WAGNER por unanimidade, não conhecer do recurso, nos termos do voto da

MARTINS, RITA DE CÁSSIA GARRUTTE MARTINS, LUÍS relatora.

CARLOS MARTINS e VIVIAN MARTINS BENEDETTO e, quanto

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 171
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RECORRIDO MARCELO RODRIGUES DE LARA


Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores ADVOGADO SYRLENIA MARIA COUTINHO
BEZERRA(OAB: 33087/GO)
GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA Intimado(s)/Citado(s):


(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE - EMPRESA BRASILEIRA DE SERVICOS GERAIS LTDA
ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

representante do Ministério Público do Trabalho.

PODER JUDICIÁRIO
(Goiânia, 14 de agosto de 2019)
JUSTIÇA DO TRABALHO

PROCESSO TRT - RO-0010050-11.2018.5.18.0008

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

IARA TEIXEIRA RIOS RECORRENTE(S) : EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA.

Desembargadora Relatora
ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRENTE(S) : EMBRASE SERVIÇOS GERAIS LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRENTE(S) : EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS

Acórdão GERAIS LTDA


Processo Nº ROT-0010050-11.2018.5.18.0008
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE VIVIAN MARTINS BENEDETTO ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE LUIS CARLOS MARTINS RECORRENTE(S) : LUIS CARLOS MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
DE SEGURANCA E VIGILANCIA
LTDA.
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB: RECORRENTE(S) : RITA DE CASSIA GARRUTTE MARTINS
207753/SP)
RECORRENTE EMPRESA BRASILEIRA DE
SERVICOS GERAIS LTDA
ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE RITA DE CASSIA GARRUTTE
MARTINS RECORRENTE(S) : VIVIAN MARTINS BENEDETTO
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE WAGNER MARTINS ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE EMBRASE SERVICOS GERAIS LTDA RECORRENTE(S) : WAGNER MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 172
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRIDO(S) : MARCELO RODRIGUES DE LARA

ADVOGADO(S) : SYRLENIA MARIA COUTINHO BEZERRA

ORIGEM : 8ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA

RELATÓRIO

JUIZ(ÍZA) : CLEUZA GONÇALVES LOPES

A Exma. Juíza Cleuza Gonçalves Lopes, da Eg. 8ª Vara do

Trabalho de Goiânia-GO, proferiu sentença (fls. 286-293), julgando

extinto sem resolução do mérito os pedidos formulados na ação

trabalhista ajuizada por MARCELO RODRIGUES DE LARA em face

dos reclamados WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA

GARRUTTE MARTINS, LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN

EMENTA MARTINS BENEDETTO, e procedentes os pedidos formulados em

face dos reclamados EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE

SERVIÇOS GERAIS LTDA., e de EMBRASE SERVIÇOS GERAIS

LTDA.

Os reclamados interpõem recurso ordinário (fls. 309-318), arguindo

RECURSO ORDINÁRIO. ADMISSIBILIDADE. JUSTIÇA o deferimento da recuperação judicial; pugnando pela concessão

GRATUITA. EMPREGADOR. PROVA DA INSUFICIÊNCIA dos benefícios da justiça gratuita; e pela reforma da r. sentença

ECONÔMICA. DESERÇÃO. Nos termos do art. 790, § 4º, da CLT, quanto aos honorários advocatícios.

incluído pela Lei 13.467/2017, é possível a concessão dos

benefícios da justiça gratuita ao empregador, pessoa física ou

jurídica, mediante comprovação inequívoca da alegada insuficiência

econômica desfavorável, o que não ocorreu no presente caso. Devidamente intimada, a parte autora não apresentou

Ausente o recolhimento do preparo, não se conhece do recurso, por contrarrazões.

deserto.

Dispensada a remessa dos autos ao d. Ministério Público do

Trabalho, em face do que dispõe o art. 25 do Regimento Interno

deste Eg. Regional.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 173
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Contudo, não conheço do recurso quanto aos reclamados

É o relatório. WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA GARRUTTE MARTINS,

LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN MARTINS BENEDETTO, por

ausência de interesse recursal, pois a d. julgadora extinguiu o

processo sem resolução do mérito quanto a eles, com fulcro no art.

485, VI, do CPC, determinado a sua exclusão do polo passivo da

reclamatória.

Ademais, o recurso não supera o crivo da admissibilidade quanto

aos demais reclamados, por estar deserto.

VOTO Os reclamados, ao interporem o recurso, não efetuaram o seu

preparo. Porém, requereram a concessão dos benefícios da justiça

gratuita.

Com fulcro no art. 99, § 7º, do CPC/2015, bem como em

observância aos entendimentos consubstanciados na OJ 269, da

SDI-1, do TST, apreciei o pedido de concessão de gratuidade da

justiça, formulado no recurso. Indeferi o pleito e determinei a

abertura de prazo para a reclamada efetuar o preparo, nos

seguintes termos (fls. 392-394):

ADMISSIBILIDADE "(...) A decisão de fls. 319-322 comprova que, em 05-09-2018, foi

deferido o processamento da recuperação judicial das reclamadas

EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE SEGURANÇA E

VIGILÂNCIA LTDA., EMBRASE SOLUÇÕES EM SEGURANÇA

ELETRÔNICA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS

GERAIS LTDA. pela 4ª Vara Cível de Duque de Caxias-RJ, nos

autos do processo nº 0043514-08.2018.8.19.0021.

O recurso foi interposto em conjunto pelos reclamados, mostrando-

se adequado, tempestivo (considerando-se as certidões de Dispõe o artigo 899 da CLT:

devolução de mandado de fls. 375-381), e com regular

representação processual (fls. 326, 348-351).

"Art. 899 - Os recursos serão interpostos por simples petição e terão

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 174
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

efeito meramente devolutivo, salvo as exceções previstas neste encontrar-se em recuperação judicial, por si só, não a dispensa de

Título, permitida a execução provisória até a penhora. recolher as custas processuais por ocasião da interposição de

recurso, por falta da previsão legal.

(...) § 10. São isentos do depósito recursal os beneficiários da

justiça gratuita, as entidades filantrópicas e as empresas em

recuperação judicial" (negritei).

Não comprovada a alegada condição de hipossuficiência dos

reclamados, incabível o deferimento dos benefícios da justiça

gratuita. Indefiro.

Como se vê, as empresas em recuperação judicial são isentas do

recolhimento do depósito recursal, mas não do recolhimento das

custas processuais.

Ante o exposto, suspendo o processo e designo o prazo de 8 (oito)

dias para as reclamadas comprovarem o recolhimento das custas e

do depósito recursal, este último dispensado para as reclamadas

Os reclamados, em que pesem aleguem fazer jus aos benefícios da que se encontram em recuperação judicial, em atenção ao disposto

justiça gratuita, não comprovaram a alegação com os documentos no art. 899, § 10, da CLT, incluído pela Lei nº 13.467/17, incidente

contábeis pertinentes. na espécie, sob pena de não conhecimento do recurso ordinário

interposto.

À reclamada pessoa jurídica não basta a mera alegação de

insuficiência econômico-financeira, sendo exigida a apresentação Intimem-se os reclamados".

de prova exaustiva da miserabilidade alegada. Esse é o

entendimento cristalizado na Súmula nº 463, II, do c. TST, segundo

a qual "no caso de pessoa jurídica, não basta a mera declaração: é

necessária a demonstração cabal de impossibilidade de a parte Devidamente intimados, os reclamados quedaram-se inertes.

arcar com as despesas do processo".

Deste modo, ausente o preparo, o recurso ordinário não se mostra

No caso, a referida exigência não restou atendida, uma vez que os passível de conhecimento.

reclamados não fizeram nenhuma prova nesse sentido, limitando-se

a dizer que estão em recuperação judicial.

Não conheço.

Não foram juntados balancetes financeiros ou comprovantes atuais

de receitas e despesas para comprovar, concretamente, a alegada

situação financeira deficitária e, consequentemente, a total

impossibilidade de recolhimento dos valores relativos ao preparo

recursal.

Convém salientar, ademais, que o fato de uma empresa reclamada

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 175
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Acórdão

CONCLUSÃO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Não conheço do recurso ordinário interposto pelos reclamados, por Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

ausência de interesse recursal quanto aos reclamados WAGNER por unanimidade, não conhecer do recurso, nos termos do voto da

MARTINS, RITA DE CÁSSIA GARRUTTE MARTINS, LUÍS relatora.

CARLOS MARTINS e VIVIAN MARTINS BENEDETTO e, quanto

aos demais, por deserção, nos termos da fundamentação Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

expendida. GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

É o meu voto, representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 176
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

PROCESSO TRT - RO-0010050-11.2018.5.18.0008

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

IARA TEIXEIRA RIOS

RECORRENTE(S) : EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

Desembargadora Relatora SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRENTE(S) : EMBRASE SERVIÇOS GERAIS LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

Acórdão RECORRENTE(S) : EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS


Processo Nº ROT-0010050-11.2018.5.18.0008
Relator IARA TEIXEIRA RIOS GERAIS LTDA
RECORRENTE VIVIAN MARTINS BENEDETTO
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP) ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
RECORRENTE LUIS CARLOS MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP) RECORRENTE(S) : LUIS CARLOS MARTINS
RECORRENTE EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA
DE SEGURANCA E VIGILANCIA
LTDA. ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE EMPRESA BRASILEIRA DE RECORRENTE(S) : RITA DE CASSIA GARRUTTE MARTINS
SERVICOS GERAIS LTDA
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
RECORRENTE RITA DE CASSIA GARRUTTE
MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP) RECORRENTE(S) : VIVIAN MARTINS BENEDETTO
RECORRENTE WAGNER MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP) ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
RECORRENTE EMBRASE SERVICOS GERAIS LTDA
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP) RECORRENTE(S) : WAGNER MARTINS
RECORRIDO MARCELO RODRIGUES DE LARA
ADVOGADO SYRLENIA MARIA COUTINHO
BEZERRA(OAB: 33087/GO) ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

Intimado(s)/Citado(s):
RECORRIDO(S) : MARCELO RODRIGUES DE LARA
- EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE SEGURANCA E
VIGILANCIA LTDA.

ADVOGADO(S) : SYRLENIA MARIA COUTINHO BEZERRA

ORIGEM : 8ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA


PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO
JUIZ(ÍZA) : CLEUZA GONÇALVES LOPES

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 177
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

A Exma. Juíza Cleuza Gonçalves Lopes, da Eg. 8ª Vara do

Trabalho de Goiânia-GO, proferiu sentença (fls. 286-293), julgando

extinto sem resolução do mérito os pedidos formulados na ação

trabalhista ajuizada por MARCELO RODRIGUES DE LARA em face

dos reclamados WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA

GARRUTTE MARTINS, LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN

EMENTA MARTINS BENEDETTO, e procedentes os pedidos formulados em

face dos reclamados EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE

SERVIÇOS GERAIS LTDA., e de EMBRASE SERVIÇOS GERAIS

LTDA.

Os reclamados interpõem recurso ordinário (fls. 309-318), arguindo

RECURSO ORDINÁRIO. ADMISSIBILIDADE. JUSTIÇA o deferimento da recuperação judicial; pugnando pela concessão

GRATUITA. EMPREGADOR. PROVA DA INSUFICIÊNCIA dos benefícios da justiça gratuita; e pela reforma da r. sentença

ECONÔMICA. DESERÇÃO. Nos termos do art. 790, § 4º, da CLT, quanto aos honorários advocatícios.

incluído pela Lei 13.467/2017, é possível a concessão dos

benefícios da justiça gratuita ao empregador, pessoa física ou

jurídica, mediante comprovação inequívoca da alegada insuficiência

econômica desfavorável, o que não ocorreu no presente caso. Devidamente intimada, a parte autora não apresentou

Ausente o recolhimento do preparo, não se conhece do recurso, por contrarrazões.

deserto.

Dispensada a remessa dos autos ao d. Ministério Público do

Trabalho, em face do que dispõe o art. 25 do Regimento Interno

deste Eg. Regional.

É o relatório.

RELATÓRIO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 178
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Ademais, o recurso não supera o crivo da admissibilidade quanto

aos demais reclamados, por estar deserto.

VOTO Os reclamados, ao interporem o recurso, não efetuaram o seu

preparo. Porém, requereram a concessão dos benefícios da justiça

gratuita.

Com fulcro no art. 99, § 7º, do CPC/2015, bem como em

observância aos entendimentos consubstanciados na OJ 269, da

SDI-1, do TST, apreciei o pedido de concessão de gratuidade da

justiça, formulado no recurso. Indeferi o pleito e determinei a

abertura de prazo para a reclamada efetuar o preparo, nos

seguintes termos (fls. 392-394):

ADMISSIBILIDADE "(...) A decisão de fls. 319-322 comprova que, em 05-09-2018, foi

deferido o processamento da recuperação judicial das reclamadas

EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE SEGURANÇA E

VIGILÂNCIA LTDA., EMBRASE SOLUÇÕES EM SEGURANÇA

ELETRÔNICA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS

GERAIS LTDA. pela 4ª Vara Cível de Duque de Caxias-RJ, nos

autos do processo nº 0043514-08.2018.8.19.0021.

O recurso foi interposto em conjunto pelos reclamados, mostrando-

se adequado, tempestivo (considerando-se as certidões de Dispõe o artigo 899 da CLT:

devolução de mandado de fls. 375-381), e com regular

representação processual (fls. 326, 348-351).

"Art. 899 - Os recursos serão interpostos por simples petição e terão

efeito meramente devolutivo, salvo as exceções previstas neste

Contudo, não conheço do recurso quanto aos reclamados Título, permitida a execução provisória até a penhora.

WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA GARRUTTE MARTINS,

LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN MARTINS BENEDETTO, por (...) § 10. São isentos do depósito recursal os beneficiários da

ausência de interesse recursal, pois a d. julgadora extinguiu o justiça gratuita, as entidades filantrópicas e as empresas em

processo sem resolução do mérito quanto a eles, com fulcro no art. recuperação judicial" (negritei).

485, VI, do CPC, determinado a sua exclusão do polo passivo da

reclamatória.

Como se vê, as empresas em recuperação judicial são isentas do

recolhimento do depósito recursal, mas não do recolhimento das

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 179
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

custas processuais.

Ante o exposto, suspendo o processo e designo o prazo de 8 (oito)

dias para as reclamadas comprovarem o recolhimento das custas e

do depósito recursal, este último dispensado para as reclamadas

Os reclamados, em que pesem aleguem fazer jus aos benefícios da que se encontram em recuperação judicial, em atenção ao disposto

justiça gratuita, não comprovaram a alegação com os documentos no art. 899, § 10, da CLT, incluído pela Lei nº 13.467/17, incidente

contábeis pertinentes. na espécie, sob pena de não conhecimento do recurso ordinário

interposto.

À reclamada pessoa jurídica não basta a mera alegação de

insuficiência econômico-financeira, sendo exigida a apresentação Intimem-se os reclamados".

de prova exaustiva da miserabilidade alegada. Esse é o

entendimento cristalizado na Súmula nº 463, II, do c. TST, segundo

a qual "no caso de pessoa jurídica, não basta a mera declaração: é

necessária a demonstração cabal de impossibilidade de a parte Devidamente intimados, os reclamados quedaram-se inertes.

arcar com as despesas do processo".

Deste modo, ausente o preparo, o recurso ordinário não se mostra

No caso, a referida exigência não restou atendida, uma vez que os passível de conhecimento.

reclamados não fizeram nenhuma prova nesse sentido, limitando-se

a dizer que estão em recuperação judicial.

Não conheço.

Não foram juntados balancetes financeiros ou comprovantes atuais

de receitas e despesas para comprovar, concretamente, a alegada

situação financeira deficitária e, consequentemente, a total

impossibilidade de recolhimento dos valores relativos ao preparo

recursal.

Convém salientar, ademais, que o fato de uma empresa reclamada

encontrar-se em recuperação judicial, por si só, não a dispensa de

recolher as custas processuais por ocasião da interposição de

recurso, por falta da previsão legal.

Não comprovada a alegada condição de hipossuficiência dos

reclamados, incabível o deferimento dos benefícios da justiça

gratuita. Indefiro.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 180
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Acórdão

CONCLUSÃO

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Não conheço do recurso ordinário interposto pelos reclamados, por Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

ausência de interesse recursal quanto aos reclamados WAGNER por unanimidade, não conhecer do recurso, nos termos do voto da

MARTINS, RITA DE CÁSSIA GARRUTTE MARTINS, LUÍS relatora.

CARLOS MARTINS e VIVIAN MARTINS BENEDETTO e, quanto

aos demais, por deserção, nos termos da fundamentação Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

expendida. GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

É o meu voto, representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 181
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RECORRENTE(S) : EMBRASE SERVIÇOS GERAIS LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRENTE(S) : EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS


Acórdão GERAIS LTDA
Processo Nº ROT-0010050-11.2018.5.18.0008
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE VIVIAN MARTINS BENEDETTO ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE LUIS CARLOS MARTINS RECORRENTE(S) : LUIS CARLOS MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
DE SEGURANCA E VIGILANCIA
LTDA.
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP) RECORRENTE(S) : RITA DE CASSIA GARRUTTE MARTINS
RECORRENTE EMPRESA BRASILEIRA DE
SERVICOS GERAIS LTDA
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB: ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
207753/SP)
RECORRENTE RITA DE CASSIA GARRUTTE
MARTINS RECORRENTE(S) : VIVIAN MARTINS BENEDETTO
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE WAGNER MARTINS ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE EMBRASE SERVICOS GERAIS LTDA RECORRENTE(S) : WAGNER MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRIDO MARCELO RODRIGUES DE LARA ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
ADVOGADO SYRLENIA MARIA COUTINHO
BEZERRA(OAB: 33087/GO)
RECORRIDO(S) : MARCELO RODRIGUES DE LARA
Intimado(s)/Citado(s):
- WAGNER MARTINS
ADVOGADO(S) : SYRLENIA MARIA COUTINHO BEZERRA

ORIGEM : 8ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA


PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO JUIZ(ÍZA) : CLEUZA GONÇALVES LOPES

PROCESSO TRT - RO-0010050-11.2018.5.18.0008

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

RECORRENTE(S) : EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI


EMENTA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 182
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

face dos reclamados EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE

SERVIÇOS GERAIS LTDA., e de EMBRASE SERVIÇOS GERAIS

LTDA.

Os reclamados interpõem recurso ordinário (fls. 309-318), arguindo

RECURSO ORDINÁRIO. ADMISSIBILIDADE. JUSTIÇA o deferimento da recuperação judicial; pugnando pela concessão

GRATUITA. EMPREGADOR. PROVA DA INSUFICIÊNCIA dos benefícios da justiça gratuita; e pela reforma da r. sentença

ECONÔMICA. DESERÇÃO. Nos termos do art. 790, § 4º, da CLT, quanto aos honorários advocatícios.

incluído pela Lei 13.467/2017, é possível a concessão dos

benefícios da justiça gratuita ao empregador, pessoa física ou

jurídica, mediante comprovação inequívoca da alegada insuficiência

econômica desfavorável, o que não ocorreu no presente caso. Devidamente intimada, a parte autora não apresentou

Ausente o recolhimento do preparo, não se conhece do recurso, por contrarrazões.

deserto.

Dispensada a remessa dos autos ao d. Ministério Público do

Trabalho, em face do que dispõe o art. 25 do Regimento Interno

deste Eg. Regional.

É o relatório.

RELATÓRIO

A Exma. Juíza Cleuza Gonçalves Lopes, da Eg. 8ª Vara do VOTO

Trabalho de Goiânia-GO, proferiu sentença (fls. 286-293), julgando

extinto sem resolução do mérito os pedidos formulados na ação

trabalhista ajuizada por MARCELO RODRIGUES DE LARA em face

dos reclamados WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA

GARRUTTE MARTINS, LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN

MARTINS BENEDETTO, e procedentes os pedidos formulados em

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 183
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

observância aos entendimentos consubstanciados na OJ 269, da

SDI-1, do TST, apreciei o pedido de concessão de gratuidade da

justiça, formulado no recurso. Indeferi o pleito e determinei a

abertura de prazo para a reclamada efetuar o preparo, nos

seguintes termos (fls. 392-394):

ADMISSIBILIDADE "(...) A decisão de fls. 319-322 comprova que, em 05-09-2018, foi

deferido o processamento da recuperação judicial das reclamadas

EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE SEGURANÇA E

VIGILÂNCIA LTDA., EMBRASE SOLUÇÕES EM SEGURANÇA

ELETRÔNICA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS

GERAIS LTDA. pela 4ª Vara Cível de Duque de Caxias-RJ, nos

autos do processo nº 0043514-08.2018.8.19.0021.

O recurso foi interposto em conjunto pelos reclamados, mostrando-

se adequado, tempestivo (considerando-se as certidões de Dispõe o artigo 899 da CLT:

devolução de mandado de fls. 375-381), e com regular

representação processual (fls. 326, 348-351).

"Art. 899 - Os recursos serão interpostos por simples petição e terão

efeito meramente devolutivo, salvo as exceções previstas neste

Contudo, não conheço do recurso quanto aos reclamados Título, permitida a execução provisória até a penhora.

WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA GARRUTTE MARTINS,

LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN MARTINS BENEDETTO, por (...) § 10. São isentos do depósito recursal os beneficiários da

ausência de interesse recursal, pois a d. julgadora extinguiu o justiça gratuita, as entidades filantrópicas e as empresas em

processo sem resolução do mérito quanto a eles, com fulcro no art. recuperação judicial" (negritei).

485, VI, do CPC, determinado a sua exclusão do polo passivo da

reclamatória.

Como se vê, as empresas em recuperação judicial são isentas do

recolhimento do depósito recursal, mas não do recolhimento das

Ademais, o recurso não supera o crivo da admissibilidade quanto custas processuais.

aos demais reclamados, por estar deserto.

Os reclamados, em que pesem aleguem fazer jus aos benefícios da

Os reclamados, ao interporem o recurso, não efetuaram o seu justiça gratuita, não comprovaram a alegação com os documentos

preparo. Porém, requereram a concessão dos benefícios da justiça contábeis pertinentes.

gratuita.

À reclamada pessoa jurídica não basta a mera alegação de

Com fulcro no art. 99, § 7º, do CPC/2015, bem como em insuficiência econômico-financeira, sendo exigida a apresentação

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 184
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

de prova exaustiva da miserabilidade alegada. Esse é o

entendimento cristalizado na Súmula nº 463, II, do c. TST, segundo

a qual "no caso de pessoa jurídica, não basta a mera declaração: é

necessária a demonstração cabal de impossibilidade de a parte Devidamente intimados, os reclamados quedaram-se inertes.

arcar com as despesas do processo".

Deste modo, ausente o preparo, o recurso ordinário não se mostra

No caso, a referida exigência não restou atendida, uma vez que os passível de conhecimento.

reclamados não fizeram nenhuma prova nesse sentido, limitando-se

a dizer que estão em recuperação judicial.

Não conheço.

Não foram juntados balancetes financeiros ou comprovantes atuais

de receitas e despesas para comprovar, concretamente, a alegada

situação financeira deficitária e, consequentemente, a total

impossibilidade de recolhimento dos valores relativos ao preparo

recursal.

Convém salientar, ademais, que o fato de uma empresa reclamada

encontrar-se em recuperação judicial, por si só, não a dispensa de

recolher as custas processuais por ocasião da interposição de

recurso, por falta da previsão legal.

Não comprovada a alegada condição de hipossuficiência dos

reclamados, incabível o deferimento dos benefícios da justiça

gratuita. Indefiro.

Ante o exposto, suspendo o processo e designo o prazo de 8 (oito)

dias para as reclamadas comprovarem o recolhimento das custas e

do depósito recursal, este último dispensado para as reclamadas

que se encontram em recuperação judicial, em atenção ao disposto

no art. 899, § 10, da CLT, incluído pela Lei nº 13.467/17, incidente

na espécie, sob pena de não conhecimento do recurso ordinário

interposto.

CONCLUSÃO

Intimem-se os reclamados".

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 185
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio

Não conheço do recurso ordinário interposto pelos reclamados, por Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária,

ausência de interesse recursal quanto aos reclamados WAGNER por unanimidade, não conhecer do recurso, nos termos do voto da

MARTINS, RITA DE CÁSSIA GARRUTTE MARTINS, LUÍS relatora.

CARLOS MARTINS e VIVIAN MARTINS BENEDETTO e, quanto

aos demais, por deserção, nos termos da fundamentação Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

expendida. GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

É o meu voto, representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão
Processo Nº ROT-0010050-11.2018.5.18.0008
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE VIVIAN MARTINS BENEDETTO
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
Acórdão RECORRENTE LUIS CARLOS MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 186
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RECORRENTE EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA


DE SEGURANCA E VIGILANCIA ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
LTDA.
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP) RECORRENTE(S) : RITA DE CASSIA GARRUTTE MARTINS
RECORRENTE EMPRESA BRASILEIRA DE
SERVICOS GERAIS LTDA
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB: ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
207753/SP)
RECORRENTE RITA DE CASSIA GARRUTTE
MARTINS
RECORRENTE(S) : VIVIAN MARTINS BENEDETTO
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE WAGNER MARTINS
ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE EMBRASE SERVICOS GERAIS LTDA
RECORRENTE(S) : WAGNER MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRIDO MARCELO RODRIGUES DE LARA
ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
ADVOGADO SYRLENIA MARIA COUTINHO
BEZERRA(OAB: 33087/GO)

Intimado(s)/Citado(s): RECORRIDO(S) : MARCELO RODRIGUES DE LARA

- RITA DE CASSIA GARRUTTE MARTINS


ADVOGADO(S) : SYRLENIA MARIA COUTINHO BEZERRA

ORIGEM : 8ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA


PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO
JUIZ(ÍZA) : CLEUZA GONÇALVES LOPES

PROCESSO TRT - RO-0010050-11.2018.5.18.0008

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

RECORRENTE(S) : EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

EMENTA
RECORRENTE(S) : EMBRASE SERVIÇOS GERAIS LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRENTE(S) : EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS

GERAIS LTDA

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECURSO ORDINÁRIO. ADMISSIBILIDADE. JUSTIÇA


RECORRENTE(S) : LUIS CARLOS MARTINS GRATUITA. EMPREGADOR. PROVA DA INSUFICIÊNCIA

ECONÔMICA. DESERÇÃO. Nos termos do art. 790, § 4º, da CLT,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 187
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

incluído pela Lei 13.467/2017, é possível a concessão dos

benefícios da justiça gratuita ao empregador, pessoa física ou

jurídica, mediante comprovação inequívoca da alegada insuficiência

econômica desfavorável, o que não ocorreu no presente caso. Devidamente intimada, a parte autora não apresentou

Ausente o recolhimento do preparo, não se conhece do recurso, por contrarrazões.

deserto.

Dispensada a remessa dos autos ao d. Ministério Público do

Trabalho, em face do que dispõe o art. 25 do Regimento Interno

deste Eg. Regional.

É o relatório.

RELATÓRIO

A Exma. Juíza Cleuza Gonçalves Lopes, da Eg. 8ª Vara do VOTO

Trabalho de Goiânia-GO, proferiu sentença (fls. 286-293), julgando

extinto sem resolução do mérito os pedidos formulados na ação

trabalhista ajuizada por MARCELO RODRIGUES DE LARA em face

dos reclamados WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA

GARRUTTE MARTINS, LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN

MARTINS BENEDETTO, e procedentes os pedidos formulados em

face dos reclamados EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE

SERVIÇOS GERAIS LTDA., e de EMBRASE SERVIÇOS GERAIS

LTDA.

Os reclamados interpõem recurso ordinário (fls. 309-318), arguindo

o deferimento da recuperação judicial; pugnando pela concessão ADMISSIBILIDADE

dos benefícios da justiça gratuita; e pela reforma da r. sentença

quanto aos honorários advocatícios.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 188
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

VIGILÂNCIA LTDA., EMBRASE SOLUÇÕES EM SEGURANÇA

ELETRÔNICA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS

GERAIS LTDA. pela 4ª Vara Cível de Duque de Caxias-RJ, nos

autos do processo nº 0043514-08.2018.8.19.0021.

O recurso foi interposto em conjunto pelos reclamados, mostrando-

se adequado, tempestivo (considerando-se as certidões de Dispõe o artigo 899 da CLT:

devolução de mandado de fls. 375-381), e com regular

representação processual (fls. 326, 348-351).

"Art. 899 - Os recursos serão interpostos por simples petição e terão

efeito meramente devolutivo, salvo as exceções previstas neste

Contudo, não conheço do recurso quanto aos reclamados Título, permitida a execução provisória até a penhora.

WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA GARRUTTE MARTINS,

LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN MARTINS BENEDETTO, por (...) § 10. São isentos do depósito recursal os beneficiários da

ausência de interesse recursal, pois a d. julgadora extinguiu o justiça gratuita, as entidades filantrópicas e as empresas em

processo sem resolução do mérito quanto a eles, com fulcro no art. recuperação judicial" (negritei).

485, VI, do CPC, determinado a sua exclusão do polo passivo da

reclamatória.

Como se vê, as empresas em recuperação judicial são isentas do

recolhimento do depósito recursal, mas não do recolhimento das

Ademais, o recurso não supera o crivo da admissibilidade quanto custas processuais.

aos demais reclamados, por estar deserto.

Os reclamados, em que pesem aleguem fazer jus aos benefícios da

Os reclamados, ao interporem o recurso, não efetuaram o seu justiça gratuita, não comprovaram a alegação com os documentos

preparo. Porém, requereram a concessão dos benefícios da justiça contábeis pertinentes.

gratuita.

À reclamada pessoa jurídica não basta a mera alegação de

Com fulcro no art. 99, § 7º, do CPC/2015, bem como em insuficiência econômico-financeira, sendo exigida a apresentação

observância aos entendimentos consubstanciados na OJ 269, da de prova exaustiva da miserabilidade alegada. Esse é o

SDI-1, do TST, apreciei o pedido de concessão de gratuidade da entendimento cristalizado na Súmula nº 463, II, do c. TST, segundo

justiça, formulado no recurso. Indeferi o pleito e determinei a a qual "no caso de pessoa jurídica, não basta a mera declaração: é

abertura de prazo para a reclamada efetuar o preparo, nos necessária a demonstração cabal de impossibilidade de a parte

seguintes termos (fls. 392-394): arcar com as despesas do processo".

"(...) A decisão de fls. 319-322 comprova que, em 05-09-2018, foi No caso, a referida exigência não restou atendida, uma vez que os

deferido o processamento da recuperação judicial das reclamadas reclamados não fizeram nenhuma prova nesse sentido, limitando-se

EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE SEGURANÇA E a dizer que estão em recuperação judicial.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 189
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

Não conheço.

Não foram juntados balancetes financeiros ou comprovantes atuais

de receitas e despesas para comprovar, concretamente, a alegada

situação financeira deficitária e, consequentemente, a total

impossibilidade de recolhimento dos valores relativos ao preparo

recursal.

Convém salientar, ademais, que o fato de uma empresa reclamada

encontrar-se em recuperação judicial, por si só, não a dispensa de

recolher as custas processuais por ocasião da interposição de

recurso, por falta da previsão legal.

Não comprovada a alegada condição de hipossuficiência dos

reclamados, incabível o deferimento dos benefícios da justiça

gratuita. Indefiro.

Ante o exposto, suspendo o processo e designo o prazo de 8 (oito)

dias para as reclamadas comprovarem o recolhimento das custas e

do depósito recursal, este último dispensado para as reclamadas

que se encontram em recuperação judicial, em atenção ao disposto

no art. 899, § 10, da CLT, incluído pela Lei nº 13.467/17, incidente

na espécie, sob pena de não conhecimento do recurso ordinário

interposto.

CONCLUSÃO

Intimem-se os reclamados".

Devidamente intimados, os reclamados quedaram-se inertes.

Deste modo, ausente o preparo, o recurso ordinário não se mostra Não conheço do recurso ordinário interposto pelos reclamados, por

passível de conhecimento. ausência de interesse recursal quanto aos reclamados WAGNER

MARTINS, RITA DE CÁSSIA GARRUTTE MARTINS, LUÍS

CARLOS MARTINS e VIVIAN MARTINS BENEDETTO e, quanto

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 190
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

aos demais, por deserção, nos termos da fundamentação Participaram do julgamento os Excelentíssimos Desembargadores

expendida. GENTIL PIO DE OLIVEIRA (Presidente) e IARA TEIXEIRA RIOS e

o Excelentíssimo Juiz convocado CELSO MOREDO GARCIA

(Gabinete do Excelentíssimo Desembargador ALDON DO VALE

ALVES TAGLIALEGNA). Acompanhou a sessão de julgamento o d.

É o meu voto, representante do Ministério Público do Trabalho.

(Goiânia, 14 de agosto de 2019)

IARA TEIXEIRA RIOS

Desembargadora Relatora

Acórdão
Processo Nº ROT-0010050-11.2018.5.18.0008
Relator IARA TEIXEIRA RIOS
RECORRENTE VIVIAN MARTINS BENEDETTO
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
Acórdão RECORRENTE LUIS CARLOS MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA
DE SEGURANCA E VIGILANCIA
LTDA.
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE EMPRESA BRASILEIRA DE
SERVICOS GERAIS LTDA
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)
RECORRENTE RITA DE CASSIA GARRUTTE
MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
ISTO POSTO, acordam os membros da 1ª Turma do Egrégio 207753/SP)
Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região, em sessão ordinária, RECORRENTE WAGNER MARTINS
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
por unanimidade, não conhecer do recurso, nos termos do voto da 207753/SP)
relatora. RECORRENTE EMBRASE SERVICOS GERAIS LTDA
ADVOGADO THIAGO BRESSANI PALMIERI(OAB:
207753/SP)

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 191
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

RECORRIDO MARCELO RODRIGUES DE LARA


ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI
ADVOGADO SYRLENIA MARIA COUTINHO
BEZERRA(OAB: 33087/GO)

Intimado(s)/Citado(s): RECORRIDO(S) : MARCELO RODRIGUES DE LARA

- LUIS CARLOS MARTINS


ADVOGADO(S) : SYRLENIA MARIA COUTINHO BEZERRA

ORIGEM : 8ª VARA DO TRABALHO DE GOIÂNIA


PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO
JUIZ(ÍZA) : CLEUZA GONÇALVES LOPES

PROCESSO TRT - RO-0010050-11.2018.5.18.0008

RELATORA : DESEMBARGADORA IARA TEIXEIRA RIOS

RECORRENTE(S) : EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

EMENTA
RECORRENTE(S) : EMBRASE SERVIÇOS GERAIS LTDA.

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRENTE(S) : EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS

GERAIS LTDA

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECURSO ORDINÁRIO. ADMISSIBILIDADE. JUSTIÇA


RECORRENTE(S) : LUIS CARLOS MARTINS GRATUITA. EMPREGADOR. PROVA DA INSUFICIÊNCIA

ECONÔMICA. DESERÇÃO. Nos termos do art. 790, § 4º, da CLT,


ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI incluído pela Lei 13.467/2017, é possível a concessão dos

benefícios da justiça gratuita ao empregador, pessoa física ou


RECORRENTE(S) : RITA DE CASSIA GARRUTTE MARTINS jurídica, mediante comprovação inequívoca da alegada insuficiência

econômica desfavorável, o que não ocorreu no presente caso.


ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI Ausente o recolhimento do preparo, não se conhece do recurso, por

deserto.
RECORRENTE(S) : VIVIAN MARTINS BENEDETTO

ADVOGADO(S) : THIAGO BRESSANI PALMIERI

RECORRENTE(S) : WAGNER MARTINS

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 192
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 16 de Agosto de 2019

É o relatório.

RELATÓRIO

A Exma. Juíza Cleuza Gonçalves Lopes, da Eg. 8ª Vara do VOTO

Trabalho de Goiânia-GO, proferiu sentença (fls. 286-293), julgando

extinto sem resolução do mérito os pedidos formulados na ação

trabalhista ajuizada por MARCELO RODRIGUES DE LARA em face

dos reclamados WAGNER MARTINS, RITA DE CÁSSIA

GARRUTTE MARTINS, LUÍS CARLOS MARTINS e VIVIAN

MARTINS BENEDETTO, e procedentes os pedidos formulados em

face dos reclamados EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE

SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA., EMPRESA BRASILEIRA DE

SERVIÇOS GERAIS LTDA., e de EMBRASE SERVIÇOS GERAIS

LTDA.

Os reclamados interpõem recurso ordinário (fls. 309-318), arguindo

o deferimento da recuperação judicial; pugnando pela concessão ADMISSIBILIDADE

dos benefícios da justiça gratuita; e pela reforma da r. sentença

quanto aos honorários advocatícios.

Devidamente intimada, a parte autora não apresentou

contrarrazões.

O recurso foi interposto em conjunto pelos reclamados, mostrando-

se adequado, tempestivo (considerando-se as certidões de

Dispensada a remessa dos autos ao d. Ministério Público do devolução de mandado de fls. 375-381), e com regular

Trabalho, em face do que dispõe o art. 25 do Regimento Interno representação processual (fls. 326, 348-351).

deste Eg. Regional.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 138940


2789/2019 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região