Você está na página 1de 69

Instituto Industrial e de Computação Armando Emílio Guebuza

Manutenção Industrial Mecânica

Ramo de Estruturas Metálicas.

Módulo: MDMCSM-: Montar e Desmontar Máquinas,


Conjuntos e Subconjuntos de Montagem

Formador: Eng. Arnaldo Tovele


Tópicos

Introdução a elementos de Máquinas

• Elementos de Fixação;

• Elementos de apoio;

• Elementos de vedação;

• Elementos de transmissão;

• Elementos Elásticos.

• .

2
Introdução a elementos de Máquinas
Elementos de Máquinas são componentes que possuem funções como fixar, apoiar
outras peças ou componentes, transmitir potência, realizar vedações ou conferir certa
elasticidade aos componentes mecânicos.

Os elementos de Máquinas são classificados pela sua função, podendo dividir-se em:
• Elementos de fixação;
• Elementos de apoio;
• Elemento de vedação;
• Elementos de transmissão e
• Elementos elásticos.

3
Introdução a elementos de Máquinas
• Elementos de Fixação

4
Introdução a elementos de Máquinas
• Elementos de Apoio

5
Introdução a elementos de Máquinas
• Elementos de Vedação

6
Introdução a elementos de Máquinas
• Elementos de Transmissão

7
Introdução a elementos de Máquinas
• Elementos Elásticos

8
Introdução a elementos de Máquinas
Exemplo de um motor trifásico em vista explodida contendo diversos
elementos de máquinas

9
Elementos de fixação
Os elementos de fixação são usados para unir pecas ou componentes, mantendo suas
posições relativas. A união pode ser desmontável ou não desmontável.
No tipo de união desmontável, os elementos de fixação podem ser colocados ou
retirados do conjunto sem causar qualquer dano às peças que foram unidas. É o
caso, por exemplo, de uniões feitas com parafusos, porcas, chavetas e arruelas. No
tipo de união não desmontável (permanente), os elementos de fixação, uma vez
instalados, não podem ser retirados sem que fiquem inutilizados ou sem que haja
destruição de pelo menos uma das pecas unidas. É o caso, por exemplo, de uniões
feitas com rebites e soldas.

10
Elementos de fixação
• Parafusos
São elementos de fixação empregados na união não permanente de peças, isto é, as
peças podem ser montadas e desmontadas facilmente, bastando apertar e desapertar
os parafusos que as mantem unidas. O corpo do parafuso pode ser cilíndrico ou
cônico, totalmente roscado ou parcialmente roscado.

11
Elementos de fixação
• Parafusos Passantes Parafusos não Passantes
Esses parafusos atravessam, de lado a São parafusos que não utilizam porcas e
lado, as peças a serem unidas, passando usados quando não se pode ter acesso a outro
livremente nos furos. Dependendo do lado da peça. O papel de porca é
serviço, esses parafusos, além das porcas,
utilizam arruelas e contra porcas como desempenhado pelo furo roscado, feito numa
acessórios. Os parafusos passantes das peças a ser unida.
apresentam-se com cabeça ou sem cabeça.

12
Elementos de fixação
Parafusos de Pressão Parafusos Prisioneiro
Esses parafusos são fixados por meio de São parafusos sem cabeça com rosca em ambas
pressão. A pressão é exercida pelas pontas as extremidades, sendo recomendados nas
dos parafusos contra a peça a ser fixada. situações que exigem montagens e
Os parafusos de pressão podem apresentar desmontagens frequentes. As roscas dos
cabeça ou não. parafusos prisioneiros podem ter passos
diferentes ou sentidos opostos, isto é, um
horário e o outro anti-horário.

13
Elementos de fixação
Parafuso Sexta-vada Onde:
• Esse tipo de parafuso tem a cabeça d = diâmetro do parafuso;
sextavada externa e é utilizado em k = altura da cabeça (0,7 d);
uniões em que se necessita de um forte s = medida entre as faces paralelas do
aperto da chave de boca. sextavado (1,7 d);
e = distância entre os vértices do
sextavado (2 d);
L=comprimento útil dos parafusos
(medidas padronizadas);
l-= comprimento da rosca
b = comprimento da rosca (medidas
padronizadas);
R= raio de arredondamento da
extremidade do corpo do parafuso.
14
Elementos de fixação
• Parafusos com sextavado interno /
Parafuso Allen onde:
A = d = altura da cabeça do
Possui um furo hexagonal de aperto na
cabeça, que é geralmente cilíndrica e parafuso;
recartilhada. Para o aperto, utiliza-se uma e = 1,5 d = diâmetro da
chave especial: a chave Allen. Os parafusos cabeça;
Allen são utilizados sem porcas e suas t = 0,6 d = profundidade do
cabeças são encaixadas num rebaixo na
peça fixada. Em geral, esse tipo de parafuso encaixe da chave;
é utilizado para travar elementos de s = 0,8 d = medida do
máquinas. sextavado interno;
d = diâmetro do parafuso

15
Elementos de fixação
• Parafusos de cabeça com fenda Onde:
São fabricados em aço, aço inoxidável, Diâmetro da cabeça do
inox, cobre, latão, etc. Esse tipo de parafuso parafuso = 2 d;
é muito empregado em montagens que Largura da fenda = 0,18 d;
não sofrem grandes esforços e onde a Profundidade da fenda =
cabeça do parafuso não pode exceder a 0,29 d;
superfície da peça. Medida do ângulo do
escareado = 90º

16
Elementos de fixação
• Parafuso de cabeça redonda com fenda Onde:
• Esse tipo de parafuso é também muito `Diâmetro da cabeça do
empregado em montagens que não parafuso = 1,9 d;
sofrem grandes esforços. Possibilita Raio da circunferência da
melhor acabamento na superfície. São cabeça = d;
fabricados em aço, cobre e ligas, como Largura da fenda = 0,18 d;
latão. Profundidade da fenda =
0,36 d.

17
Elementos de fixação
• Parafuso cabeça escareada boleada com onde:
fenda Diâmetro da cabeça do
• São geralmente utilizados na união de parafuso = 2 d;
elementos cujas espessuras sejam finas e Raio da cabeça do parafuso
quando é necessário que a cabeça do = 2 d;
parafuso fique embutida no elemento. Largura da fenda = 0,18 d;
Permitem um bom acabamento na Profundidade da fenda = 0,5
superfície. São fabricados em aço, cobre d.
e ligas como latão.

18
Elementos de fixação
• Parafuso auto-atarraxante
Esse tipo de parafuso elimina a necessidade de um furo roscado ou de uma
porca, pois corta a rosca no material a que é preso. Sua utilização principal é na
montagem de peças feitas de folhas de metal de pequena espessura, peças
fundidas macias e plásticas.

19
Elementos de fixação
• Porcas
Porca é uma peça de forma prismática ou cilíndrica geralmente
metálica, com um furo roscado no qual se encaixa um parafuso,
ou uma barra roscada. A porca está sempre ligada a um parafuso.
As porcas são fabricadas de diversos materiais: aço, bronze,
latão, alumínio, plástico. Há casos especiais em que as porcas
recebem banhos de galvanização, zincagem para protegê-las
contra oxidação. Para aperto manual são mais usados os tipos de
porca borboleta, recartilhada alta e recartilhada baixa.

20
Elementos de fixação Porcas Recartilhadas
Porcas Sextavadas
Utilizadas para o aperto manual
Utilizadas para segurar a carga no sistema.Usos
diversos, em automóveis, residências e indústrias.

Porcas Borbuleta
Porcas Quadradas Empregado quando a montagem e a
Usos diversos, em automóveis, residências e desmontagem das peças são
necessárias e frequentes
indústrias.

21
Elementos de fixação
Porcas Sextavadas Porcas de castelo
Nesse tipo de porca, uma das extremidades do A porca castelo é uma porca
furo rosqueado é encoberta, ocultando a ponta do
parafuso. A porca cega pode ser feita de aço ou hexagonal com seis entalhes radiais,
latão, é geralmente cromada e possibilita um coincidentes dois a dois, que se
acabamento de boa aparência.
.
alinham com um furo no parafuso, de
modo que uma cupilha possa ser
passada para travar a porca.
Porca de Auto-travamewnto
Essa porca possui nylon em seu interior,
que trava a porca no parafuso.

22
Elementos de fixação
Anilhas
As anilhas são usadas como elementos de trava e tem a função de evitar o
afrouxamento no aperto do parafuso em virtude das vibrações, para alem de
distribuir igualmente a força de aperto entre a porca, o parafuso e as partes
montadas. Os materiais mais utilizados na fabricação das arruelas são aço-
carbono, cobre e latão.
.

23
Elementos de fixação
Anilha Plana Anilha de Pressão
A anilha lisa por não ter elemento de trava, A arruela de pressão é utilizada na
é utilizada em órgãos de máquinas que montagem de conjuntos mecânicos,
sofrem pequenas vibrações. submetidos a grandes esforços e
grandes vibrações. É, ainda, muito
empregada em equipamentos
que sofrem variação de
Anilha Ondulada temperatura (automóveis, prensas
É indicada, especialmente, para superfícies etc.)
pintadas, evitando danificação do acabamento.

24
Elementos de fixação
Anilha dentada Anilha de travamento com orellha
Muito empregada em equipamentos Utiliza-se esta arruela dobrando-se a
sujeitos a grandes vibrações, mas com
pequenos esforços, como, eletrodomésticos, orelha sobre um canto vivo da peça.
painéis automotivos, equipamentos de Em seguida, dobra-se uma aba da
refrigeração etc. Os dentes inclinados das
arruelas formam uma mola quando são orelha envolvendo um dos lados
pressionados e se encravam na cabeça do chanfrado do conjunto
parafuso.
porca/parafuso.

25
Elementos de fixação
Anilha para perfilado
• É uma arruela muito utilizada em montagens que envolvem cantoneiras ou
perfis em ângulo. Devido ao seu formato de fabricação, este tipo de
arruela compensa os ângulos e deixa perfeitamente paralelas as superfícies
a serem parafusadas.

26
Elementos de fixação
Anéis elásticos
O anel elástico é um elemento usado em eixos ou furos, tendo como principais
funções: evitar deslocamento axial de peças ou componentes. Posicionar ou
limitar o curso de uma peça ou conjunto deslizante sobre o eixo.
Fabricado de aço-mola, tem a forma de anel incompleto, que se aloja em um
canal circular construído conforme normalização.

27
Elementos de fixação
Anéis elásticos Externo Anel elástico Interno
Aplicação: para eixos com diâmetro entre 4 e Aplicação: para furos com diâmetro entre
1 000 mm. Trabalha externamente: 9,5 e 1 000 mm. Trabalha internamente
Norma DIN 471. • Norma DIN 472

28
Elementos de fixação
Pinos, cavilhas e contra-pinos
Pinos
Os pinos e cavilhas tem a finalidade de alinhar
ou fixar os elementos de máquinas, permitindo
uniões mecânicas, ou seja, uniões em que
se juntam duas ou mais peças, estabelecendo,
assim, conexão entre elas. Os pinos são usados
em junções resistentes a vibrações

29
Elementos de fixação
Cavilha
As cavilhas, também, são chamadas
pinos pinos ranhurados .A diferenciação
entre pinos e cavilhas leva em conta o
formato dos elementos e suas
aplicações.

30
Elementos de fixação
Chavetas
As chavetas são elementos de máquinas utilizados tanto para fixação de peças
como para a transmissão de movimento entre peças. Os exemplos típicos de
peças unidas por chavetas são veios e cubos de polias, engrenagens, uniões de
veios, volantes e outros. As chavetas e as ligações por elas constituídas
transmitem momentos torsores (às vezes forças axiais) por meio de contacto
entre as superfícies da chaveta e as das peças, na presença de uma certa pressão
mútua que tende a causar o esmagamento das peças da ligação

31
Elementos de fixação
Chavetas Prismáticas Chavetas em meia lua
As chavetas prismáticas têm faces As chavetas Woodruff são constituídas por
paralelas. São as mais divulgadas. Neste um segmento de cilindro e são usadas para
tipo de chavetas o torque é transmitido transmitir cargas com pequenos valores. É
pelas faces laterais. comumente empregada em eixos cônicos
por facilitar a montagem e se adaptar à
conicidade do fundo do rasgo do elemento
externo

32
Elementos de fixação
Chavetas cilíndricas ou pinos Chavetas em forma de cunha
longitudinais As chavetas em forma de cunha estão a
As chavetas cilíndricas são usadas para cair em desuso pois entortam as peças
fixar peças nas extremidades dos veios. unidas causando descentragens Por outro
Para este tipo de chavetas, o furo na lado, a ranhura cuneiforme que é feita no
ligação cubo/veio é feita depois de se cubo é difícil de fabricar (por causa da
montar o cubo sobre o veio. necessidade de garantir um certo ângulo
de inclinação).

33
Elementos de fixação
Rebites
A fixação por rebites é um meio de união permanente. O rebite compõe-se de um corpo
em forma de eixo cilíndrico e de uma cabeça. A cabeça pode ter vários formatos. Os
rebites são peças fabricadas em aço, alumínio, cobre ou latão. Unem rigidamente peças
ou chapas, principalmente, em estruturas metálicas, de reservatórios, caldeiras,
máquinas, navios, aviões, veículos de transporte e treliças.

34
Elementos de fixação
Rebites
Os rebites são também usados na industria têxtil como forma de evitar rasgos nas calças.
A preferência pelos rebites em relação a soldadura justifica-se pelo facto da solda
produzir calor e causar alterações na superfície das peças e das barras devido suas
espessuras.
Rebitagem a quente e a frio
Tanto a rebitagem manual como a mecânica podem ser feitas a quente ou a
frio
A rebitagem a quente é indicada para rebites com diâmetro superior a 6,35
mm, sendo aplicada, especialmente, em rebites de aço.
A rebitagem a frio é feita por martelamento simples, sem utilizar qualquer
fonte de calor. É indicada para rebites com diâmetro de até 6,3 mm, se o
trabalho for mão, e de 10 mm, se for à máquina.
35
Elementos de Vedação
Vedação
Vedação é o processo usado para impedir a passagem, de maneira
estática ou dinâmica, de líquidos, gases e sólidos particulados (pó) de um
meio para outro. É importante que o material do vedador seja compatível com
o produto a ser vedado, para que não ocorra uma reação química entre
eles. Se houver reação química entre o vedador e o produto a ser
vedado, poderá ocorrer vazamento e contaminação do produto. Os exemplos
de aplicação dos vedantes podem ser: tampas, bombas, eixos, cabeçotes de
motores, válvulas, etc.

Os materiais usados como elementos de vedação são: juntas de borracha,


papelão, anéis de borracha ou metálicos, juntas metálicas, retentores,
gaxetas, selos mecânicos, etc.
36
Elementos de Vedação
Vedação

Muitas vezes, a vedação requer atenção aos seguintes aspectos:


Temperatura
no caso de se trabalhar em ambiente com temperatura muito elevada, a vedação
torna-se mais difícil;
Acabamento das peças
uma boa vedação requer bom acabamento das superfícies a serem vedadas;
Pressão
quanto mais elevada for a pressão do fluido, tanto maior será a possibilidade de
escapamento, ou seja, a vedação torna-se mais difícil;
Estado físico dos fluidos
Os fluidos líquidos são mais fáceis de serem vedados do que os
fluidos em estado gasoso.
37
Elementos de Vedação
Juntas de Borracha
São vedações empregadas em partes estáticas, muito usadas em equipamentos,
flanges etc.

Juntas de Papelão
São empregadas em partes estáticas de máquinas ou equipamentos como, por exemplo,
nas tampas de caixas de engrenagens.

38
Juntas Metálicas
São destinadas à vedação de
Elementos de Vedação equipamentos que operam com
altas pressões e altas
Anéis de Borracha ( O’ ring) temperaturas. São geralmente
São vedadores usados em partes estáticas ou fabricadas em aço de baixo
dinâmicas de máquinas ou equipamentos. Os teor de carbono, em alumínio,
anéis de borracha ou anéis da linha ring são cobre ou chumbo. São
bastante utilizados em vedações dinâmicas de normalmente aplicadas em
cilindros hidráulicos e pneumáticos que flanges de grande aperto ou de
operam à baixa velocidade. aperto limitado.

39
Elementos de Vedação
Junta de Tefnon Juntas de Cortiça
Material empregado na vedação de Material empregado em
produtos como óleo, ar e água. As vedações estáticas de produtos
juntas de teflon suportam temperaturas como óleo, ar e água
de até 260ºc submetidos a baixas pressões.
As juntas de cortiça são
muito utilizadas nas vedações
de tampas de cárter, em caixas
de engrenagens.

40
Elementos de Vedação
Retentor
A função primordial de um retentor é
reter óleo, graxa e outros produtos que
devem ser mantidos no interior de uma
máquina ou equipamento.
O retentor é sempre aplicado entre duas
peças que executam movimentos
relativos entre si, suportando variações
de temperatura.

41
Elementos de Apoio
Os apoios são elementos de máquinas usados para suportar cargas axiais e radiais nos
veios, posicionar os eixos giratórios e veios, e também para posicionar os eixos de
rotação dos veios. Há duas maneiras principais de classificar os apoios: quanto ao tipo
de atrito e quanto a direcção das cargas suportadas.

Segundo o tipo de atrito, distinguem-se os seguintes tipos de apoios:


• Deslizantes ( ou de deslizamento)
• Rolantes (ou de rolamento)

Quanto à direcção das cargas suportadas distinguem-se os seguintes tipos:


• Radiais-suportam cargas radiais ( perpendiculares aos eixos do veios)
• Axiais -suportam cargas paralelos aos eixos dos veios
• Radiais-axiais- suportam tanto cargas paralelas quanto perpendiculares aos eixos
dos veios.
42
Elementos de Apoio
Guias
A guia é um elemento de máquina que mantém, com certo rigor, a trajetória de
determinadas peças em determinadas direções . Por exemplo, numa janela corrediça,
seu movimento de abrir e de fechar é feito dentro de trilhos. Esses trilhos evitam que o
movimento saia da direção. A guia tem a mesma função desses trilhos. Numa máquina
industrial, como uma serra de fita, a guia assegura a direção da trajetória da serra.
Geralmente, usa-se mais de uma guia em máquinas. Normalmente, se usa um conjunto
de guias com perfis variados, que se denomina barramento (normalmente fabricado de
ferro fundido)
Guias prismáticas para movimento retilíneo

43
Elementos de Apoio
Guias
As guias podem ser de deslizamento quanto de rolamento. As guias de deslizamento
podem ser:

As guias de rolamento são usados quando se necessita pouco atrito, permitem


combinar cargas axiais-radias, dissipam esforços sobre os trilhos e são aplicados
para cargas medias e pesadas, em especial nas maquinas CNC.
Guias em V com vias de rolos

44
Guias em V com vias de rolos
Elementos de Apoio
Buchas e Mancais deslizantes
O movimento rotativo entre as rodas e os eixos, ocasiona
problema de atrito que, por sua vez, causa desgaste tanto dos
eixos como das rodas. Para evitar esse problema nas rodas
modernas, surgiu a ideia de se colocar um anel de metal entre o
eixo e a roda. Esse anel de metal é chamado bucha.

As buchas são elementos de máquinas de forma cilíndrica ou


cônica.
Servem para apoiar eixos e guiar brocas e alargadores. Nos casos
em que o eixo desliza dentro da bucha, deve haver lubrificação.
Podem ser fabricadas de metal antifricção ou de materiais
plásticos. Normalmente, a bucha deve ser fabricada com material
menos duro que o material do eixo. 45
Elementos de Apoio
Buchas
As buchas podem ser classificadas quanto ao tipo de solicitação, podendo ser de
fricção radial para esforços radiais ( suportam eixos em posição horizontal), de fricção
axial para esforços axiais ( suportam eixos em posição vertical) e cônicas para esforços
nos dois sentidos.

46
Elementos de Apoio
O mancal pode ser definido como suporte ou guia em que se apoia o eixo. No ponto de
contato entre a superfície do eixo e a superfície do mancal, ocorre atrito.
Dependendo da solicitação de esforços, os mancais podem ser de
deslizamento ou de rolamento.

Mancais de Deslizamento
Geralmente, os mancais de deslizamento são
constituídos de uma bucha fixada num suporte.
Esses mancais são usados em máquinas pesadas
ou em equipamentos de baixa rotação, porque a
baixa velocidade evita superaquecimento dos
componentes expostos ao atrito

47
Elementos de Apoio
Mancais de Deslizamento
O uso de lubrificantes nas buchas permite reduzir esse atrito e melhorar a rotação do
eixo. As buchas são, em geral, corpos cilíndricos ocos que envolvem os eixos,
permitindo-lhes uma melhor rotação. São feitas de materiais macios, como o
bronze e ligas de metais leves

48
Elementos de Apoio
Rolamentos e Mancais de Rolamentos
Quando necessitar de mancal com maior velocidade e menos atrito, o mancal de
rolamento é o mais adequado. Quando necessitar de mancal com maior velocidade e
menos atrito, o mancal de rolamento é o mais adequado.

49
Elementos de Apoio
Rolamentos
Os tipos de rolamentos a ser utilizado, depende dos seus elementos rolantes e dos
esforços que o rolamento esta sofrendo.

Elementos Rolantes Elementos de rolamento de esferas

50
Elementos de Apoio Rolamento de contato angular de
Rolamentos de uma carreira de esferas uma carreira de esferas
É o mais comum dos rolamentos. Suporta Admite cargas axiais somente em
cargas radiais e é apropriado para rotações um sentido e deve sempre ser
mais elevadas. montado contra outro rolamento
que possa receber a carga axial no
sentido contrário

Rolamentos de Rolos cilíndricos


apropriado para cargas radiais elevadas.
Seus componentes são separáveis, o que
facilita a montagem e desmontagem.

51
Elementos de Apoio
Rolamentos de Rolos cilíndricos Rolamentos autocompensador de
Apropriado para cargas radiais elevadas. duas carreiras de rolos
Seus componentes são separáveis, o que Tem grande capacidade de carga
facilita a montagem e desmontagem. radial e distribuem a carga de forma
uniforme

52
Elementos de Apoio
Rolamento de rolos cônicos Rolamentos de Agulhas
Além de cargas radiais, os rolamentos de Os rolamentos de agulhas são rolamentos
rolos cônicos também suportam cargas de rolos com alta capacidade de carga mas
axiais em um sentido. Como só admitem com dimensões radiais reduzidas. São
cargas axiais em um sentido, torna-se utilizados para construções compactas e
necessário montar os anéis aos pares, um leves.
contra o outro.

53
Elementos de Transmissão
Elementos de transmissão são que tem a função de transferir potência, Torque e
movimento a um outro sistema. Dentre eles destacam-se os eixos, transmissão
por correia, transmissão por cadeia, engrenagens e acoplamentos.

54
Elementos de Transmissão
Eixos e Veios
os eixos e veios são membros giratórios, normalmente com secção transversal
circular, que suportam vários tipos de elementos de máquinas tais como rodas
dentadas, polias, tambores, rodas estreladas, cames, volantes e outros. Os veios
transmitem momentos de torção de uma peça à outra, ao passo que os eixos não
transmitem momentos de torção. Em geral, os veios fabricam-se de aços ao
carbono e aços de liga.

Em certos casos, os veios são


integrais com alguns órgão de
trabalhos. Por isso eles são feitos
do material do órgão, quer seja
um plástico, um aço de alta
qualidade, um material não
ferroso ou outro. 55
Elementos de Transmissão
Polias e correias
As transmissões por correia pertencem ao grupo de transmissões por meio do atrito.
Nas transmissões por correia o movimento do elemento motor é transmitido ao
elemento movido por intermédio de um elemento flexível chamado "correia". As
transmissões por correia podem ser utilizadas quando os eixos dos elementos motor e
movido estão a uma distância tal que o contacto directo entre estes é impossível. Os
elementos motor e movido abraçados pela correia designam-se "polias". As correias
mais populares são as trapezoidais e as planas.

Os principais componentes da transmissão por correias são:


Polia motriz – órgão que cede energia à correia;
Polia movida –órgão receptor da energia mecânica da correia;
Correia – elemento flexível que une as polias e transmite o movimento entre elas.
56
Elementos de Transmissão
Polias e correias
As correias são elementos flexíveis feitos de diversos materiais. Usam-se correias de
couro (para velocidades até 40 m/s), telas de algodão (para velocidades até 25 m/s),
tecidos de lã (para velocidades até 30 m/s) e várias substâncias sintéticas ou naturais.
As polias são fabricadas de diversos materiais, destacando-se o aço, o ferro-fundido,
ligas leves e plásticos. As polias de ferro-fundido permitem velocidades até 30 m/s e
as de aço permitem velocidades até 60 m/s. As ligas leves e os plásticos usam-se
quando se pretendem construções com peso reduzido.

57
Elementos de Transmissão
Polias plana Polias trapezoidais
As polias para correias planas têm coroas planas A polia em “V” recebe o nome de
ou ligeiramente abauladas. O abaulamento das trapezoidal porque a superfície na qual
polias facilita a auto-centragem das correias. a correia se assenta apresenta a forma
de trapézio ou de uma letra V. Essas
polias possuem um canal que permite a
melhor centragem das correias em
relação as polias planas.

58
Elementos de Transmissão
Transmissao por Correia Dentada
A correia dentada em união com a roda dentada correspondente permitem uma
transmissão de força sem deslizamento.

59
Elementos de Transmissão
Transmissao por Correia Dentada
A transmissão por cadeia é constituida pela roda estrelada mandante (motriz ou motora) e
roda(s) estrelada(s) mandada(s) (movida). Estas rodas são circundadas por uma cadeia
(ou corrente) que engrena com os dentes das rodas estreladas. As transmissões por cadeia
podem ser utilizadas numa vasta gama de parâmetros de trabalho, com potências até 150
kW . As transmissões por cadeia utilizam-se amplamente nas máquinas agrícolas,
transportadores, plataformas de petróleo, motorizadas, bicicletas e automóveis.

60
Elementos de Transmissão
Transmissao por engrenagem
As engrenagens, também chamadas rodas dentadas, são elementos
básicos na transmissão de potência entre árvores. Elas permitem
a redução ou aumento do momento torsor, com mínimas perdas de
energia, e aumento ou redução de velocidades, sem perda nenhuma
de energia, por não deslizarem. A mudança de velocidade e torção
é feita na razão dos diâmetros primitivos. Aumentando a
rotação, o momento torsor diminui e vice-versa. Assim, num par de
engrenagens, a maior delas terá sempre rotação menor e transmitirá
momento torsor maior. A engrenagem menor tem sempre rotação
mais alta e momento torsor menor. a roda dentada com menor
número de dentes ou menor diâmetro chama-se "pinhão" ou
"carreto". A outra chama-se simplesmente "roda" ou "coroa".
61
Elementos de Transmissão
Engrenagem cilindrica com dentes rectos
Os dentes são dispostos paralelamente entre si
e em relação ao eixo. É o tipo mais comum de
engrenagem e o de mais baixo custo. É
usada em transmissão que requer mudança
de posição das engrenagens em serviço, pois é
fácil de engatar. É mais empregada na
transmissão de baixa rotação do que na de
alta rotação, por causa do ruído que produz.

62
Elementos de Transmissão
Engrenagem cilindrica Helicoidais
São usados para rotações elevadas devido ao funcionamento suave e silencioso.
Serve para transmissão de eixos paralelos entre si e também que formam um angulo
qualquer entre si ( normalmente 60 a 90 graus)

63
Elementos de Transmissão
Pinha Cremalheira
A cremalheira pode ser considerado coroa dentada com diâmetro primitiva
infinitamente grande e é usado para transforme movimento rotativo é linear

64
Elementos de Transmissão
Engrenagens conicas com dentes rectos
É empregada quando as os eixos se cruzam; o ângulo de interseção é geralmente
90º, podendo ser menor ou maior. A engrenagem cônica é usada para mudar a rotação e
direção da força, em baixas velocidades.

65
Elementos de Transmissão
Transmissao por parafuso sem fim
A transmissão de parafuso sem-fim/coroa é constituida pelo
parafuso sem-fim , ou seja, uma rosca com perfil trapezoidal
(ou similar) e pela coroa (ou roda-coroa), que é uma roda
dentada com dentes helicoidais (inclinados), obtida por
conjugação mútua com os filetes do parafuso. A transmissão de
parafuso sem-fim/coroa faz parte das transmissões dentadas-
roscadas tendo características tanto de transmissões dentadas
como de transmissões roscadas. Usam-se quando se pretende
grandes relacoes de transmissao, A relação de transmissão
varia, geralmente, entre 8 e 63...80. Porém, em alguns casos
(como, por exemplo, no accionamento de mesas de grandes
diâmetros nas máquinas-ferramentas), a relação de transmissão
pode ir até 1000. 66
Elementos de Transmissão
Acoplamentos
Em geral, os acoplamentos usados na construção de máquinas para unir extremidades de
veios, Absorver choques e vibrações; Compensar desalinhamentos; Transmitir torque, atuar
como fusível.

Acoplamentos 67
Elementos de Transmissão
Acoplamentos Rigidos .
Os acoplamentos fixos servem para unir árvores de tal maneira que funcionem
como se fossem uma única peça, alinhando os eixos de forma precisa. São
aplicados para transmitir elevadas potência em baixas velocidades; Conectar
eixos longos.

68
Elementos de Transmissão
Acoplamentos Flexiveis .
Esses elementos tornam mais suave a transmissão do movimento em árvores que
tenham movimentos bruscos, e permitem o funcionamento do conjunto com
desalinhamento paralelo, angular e axial entre as árvores.
Acoplamento elástico de fita de aço

Acoplamento elástico de pinos Acoplamento perflex

69