Você está na página 1de 5

As casas brancas, o tempo e o ataque

P: Quais são os objetivos básicos deste forte avanço de abertura?


Ele reivindica de imediato uma casa central chave, e5, ao mesmo tempo que ataca outra
importante casa: c5. O lance desobstrui a diagonal do Bispo de casas negras, além de
fornecer à Dama algum espaço ao longo da expansível coluna d. Quando for oportuno,
as brancas imediatamente jogarão e4, estabelecendo o centro clássico de peões. As
Negras tanto podem impedir (ou desencorajar) as Brancas de fazer isso como podem
permitir que elas criem o centro de peões para, em seguida, tentar miná-lo, uma
abordagem contemporânea popular. Antigamente, os jogadores de ataque preferiam
começar com 1.e4 enquanto os jogadores posicionais começavam com 1.d4, porque a
estrutura formada após o lance 1.d4 era de natureza mais lenta e oferecia maior
oportunidade de manobras. Atualmente, porém, muitos jovens russos de alto quilate estão
transformando os sistemas baseados em 1.d4 em afiadas armas de ataque, desafiando a
lógica tradicional.
KERES: Em nosso tempo, quase todo mestre faz um estudo completo dos esquemas de
abertura que são populares e usados com frequência nos torneios modernos. Essas
variações geralmente estendem-se até o meio do jogo, com quase todas as possibilidades
previamente analisadas nos estudos caseiros. Desta forma, os jogadores têm pouco ensejo
para criar ao tabuleiro, eles apenas repetem a análise caseira. Seria uma pena se, nos
torneios modernos, o jogo de xadrez só começasse realmente com o meio-jogo.

BOTVINNIK: A abertura só é importante se for o prelúdio de uma obra chamada "meio-


jogo". É de pouca ajuda ganhar o jogo se o plano do meio-jogo estiver apenas fracamente
ligado à abertura.

Os grandes mestres russos são dogmáticos e muitas vezes divergem entre si. Eles têm
uma abordagem dinâmica do xadrez, retratada em sua disposição de defender os dois
lados de uma posição equilibrada.

As Negras respondem 1...Cf6


Q: Qual é o plano defensivo das Negras?
Superficialmente, esta jogada das Negras visa impedir o lance 2.e4, que estabeleceria um
forte centro para as Brancas (o centro clássico de peões). Um esforço mais antigo e mais
direto visando impedir que o peão-e das Brancas avance duas casas é a resposta 1. . .d5,
que desde logo proporciona duas defesas para o peão da Dama. Embora 1. . .Cf6 não seja
realmente melhor do que 1. . .d5, é mais flexível, pois não compromete a estrutura de
peões das Negras a uma formação definida, como 1 ... d5 claramente o faz. As Negras
são menos reveladoras ao jogar 1...Nf6 porque, independente do sistema defensivo que
venham a escolher, elas provavelmente desenvolverão o seu Cavalo para f6 de qualquer
maneira. Mas elas não devem colocar seu peão em d5 (e sim em d6). Portanto, o
movimento inicial do peão-d revela mais sobre suas intenções do que o desenvolvimento
imediato do Cavalo. Outro ponto: depois do lance 1...Nf6 (em lugar de 1...d5) as Brancas
ainda não sabem como as Negras pretendem desenvolver seu Bispo de Rei. Irão
desenvolvê-lo através do centro, movendo o peão-e, ou leva-lo para o flanco, jogando um
subsequente ...g6? O dissimulado lance 1...Nf6 das Negras é, portanto, o mais plausível
primeiro lance em resposta ao 1.d4 das Brancas.

As Brancas prosseguem com 2.Cf3.


P: Esta é a jogada mais comum aqui?
Não. O mais frequente é o lance 2.c4, aumentando o espaço das Brancas no flanco da
Dama bem como o acesso da sua Dama a esse mesmo setor. O peão em c4 pressiona a
casa d5 e aumenta as chances de uma troca de peões, abrindo a coluna-c. O lance 2.Cf3
das Brancas é um pouco evasivo também, já que elas provavelmente desenvolveriam seu
Cavalo para a casa f3 de qualquer maneira. As Brancas, da mesma forma poderiam
flanquear seu Bispo de Rei ou desenvolvê-lo através do centro depois de mover seu peão-
e.
As Negras jogam 2. . . e6.
P: O que isso revela sobre o desenvolvimento do Bispo de rei das Negras?
Principalmente que as Negras não irão jogar uma linha
de defesa com fianqueto do Bispo de rei, e sim
desenvolver o Bispo ao longo da diagonal a3-f8. Agora
já não é mais provável que o Bispo seja flanqueado, pois
isso implicaria mover um peão mais, o peão-g. Nesse
caso, as Negras teriam movido dois peões (o peão-e e o
peão-g), um deles desnecessariamente. Se para liberar a
saída do Bispo de Rei basta mover apenas um peão, o
avanço de um segundo de peão seria um desperdício.
Além disso, depois de jogar tanto ...e6 como ...g6, as
casas pretas do flanco do Rei ficariam enfraquecidas,
sobretudo a casa-f6, que nunca mais poderia ser protegida por um peão negro. As Brancas
então poderiam ocupar tais casas pretas sem serem forçadas a recuar pelos peões
opositores. O lance 2...e6, portanto, conduz as Negras a uma franca linha de defesa sem
o fianqueto do Bispo do rei.

Resposta das Brancas: 3.c4.


P: O que essa jogada faz?
Como indicado anteriormente, ela é bastante útil. Proporciona às Brancas maior espaço
para a ação das Torres e da Dama atrás do peão avançado. A Dama Branca talvez pudesse
se posicionar em a4, b3 ou c2. Em a4 ela pode mordiscar pela ala da dama; em b3 ela
ataca b7 e d5; em c2 ela controla a coluna-c e a casa e4, apoiando o avanço do peão do
rei. Além disso, 3.c4 também reforça o futuro avanço d5, que amplia o espaço das Brancas
e restringe o das Negra.
CONCEITO: Na maioria das aberturas dos peões da Dama, nenhum jogador quer
bloquear seu peão-c com um Cavalo. Geralmente é melhor mover primeiro o peão-c antes
de desenvolver o Cavalo para c3. Mover o peão-c abre linhas, aumenta o espaço e
aumenta as possibilidades de ataque central.
P: Como saber quando se está com uma vantagem espacial? Existem duas maneiras de
determinar isso. Em jogos abertos, onde peças podem circular livremente pelo centro,
você provavelmente tem uma vantagem espacial se suas peças ocuparem e guardarem
mais casas na metade do tabuleiro do seu oponente do que as peças dele na sua - isto é,
se você controlar uma porção maior do tabuleiro. Já nos jogos fechados, onde o centro
está bloqueado por peões, você tende a ter mais espaço se seus peões estiverem mais
avançados. Isso dá a você mais espaço atrás das linhas, e suas peças podem se
reposicionar e manobrar com maior facilidade que as de seus oponentes.
As Negras respondem 3...c5
P: Por que esse lance?
Primeiro, as Negras preveem a troca do seu peão-c pelo peão-d das Brancas, obtendo
assim uma vantagem de dois peões centrais contra um das Brancas. Quando se tem uma
maioria de peões no centro, há melhores chances de se controlar essa região do
tabuleiro, bem como o próprio rumo da partida. Além disso, as Negras também
desenvolvem um contra jogo na ala da Dama, ao mesmo tempo que abrem linhas para
suas peças, como fizeram as Brancas ao jogarem 3.c4.
CONCEITO: Tente conquistar uma maioria de peões no Centro trocando peões-c ou
peões-f por peões-d ou peões-e, respectivamente.

O branco avança com 4.d5


P: Isso não desperdiça tempo, mover algo que já foi movido? As Brancas não
deveriam usar esse tempo para desenvolver outra peça?
Cada decisão tomada no xadrez exige uma ponderação
do que se está obtendo em contraste com aquilo do qual
de abdica. As Brancas precisam gastar outro tempo para
mover o peão-d, mas, de que outra forma elas poderiam
evitar sua troca pelo peão-c negro? E, embora percam
um pequeno de tempo, ganham em compensação uma
vantagem mais valiosa de espaço. Seu peão em d5 vai
restringir severamente as Negras, e isso será uma
compensação mais do que suficiente para equilibrar o
tempo extra necessário para levar o peão à 5ª posição.
Não se pode obter algo por nada no xadrez. É necessário
ceder para receber alguma vantagem.

CONCEITO: Esteja preparado para trocar um tipo de vantagem por outra (por
exemplo, espaço por tempo) se isso melhora de uma maneira geral a sua posição.
As Negras atacam: 4...b5
P: As Brancas agora não podem ganhar um peão?
Se as Brancas fossem inconsequentes a ponto de tomar
um peão à força com 5.cxb5, deixariam seu próprio peão-
d exposto à captura. Elas poderiam, ao invés disso, jogar
5. dxe6 e, depois de 5. . . fxe6, (capturando em direção
ao centro para aumentar o número de peões no local e
ganhar o controle dessa região), as brancas ficam com
um peão a mais (jogando 6.cxb5). Mas isso realmente
não faz ganhar nada. Elas apenas estariam aceitado o
presente de grego que as Negras lhes ofereceram.
Depois de um subsequente ...d5, as pretas terão o poder
máximo no centro e possibilidades substanciais de
ataque. O caos ameaça os bispos destacados em b7 e d6, que visam o reinado branco atrás
de uma armada central de peões. Além disso, os peões centrais conectados que Black
recebe terão um enorme potencial de expansão, limpando uma grande quantidade de
território. Portanto, White, se aceitasse o lance, teria que atenuar o ataque das pretas e
chegar ao final do jogo um peão para o bem. As pretas oferecem ao peão acreditando que
ele pode avançar decisivamente muito antes do final do jogo. Quem joga melhor
provavelmente vencerá.
Então White, se aceitasse o gambit, teria que

Atenuar o ataque preto e chegar ao final de um peão para

O bom. Preto oferece o peão acreditando que ele pode quebrar

Decisivamente muito antes do final do jogo. Quem joga

Melhor provavelmente vai ganhar.

O grande crisol da maioria das aberturas contemporâneas é o

Lutar pela iniciativa. Quem pode agarrar e manter

Possui a superioridade superior em uma posição de xadrez. O

A escola soviética, agora liderada por um brilhante círculo de jogadores do tipo comando,
infundiu a fase inicial do jogo

Com extrema tensão, na qual a menor distração é fatal.


Abaixe a guarda por um instante e o jogo inteiro pode

Virar irreversivelmente contra você.

O branco ignora o lance do preto e joga 5