Você está na página 1de 40

||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

• De acordo com o comando a que cada um dos itens a seguir se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo
designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com o código E, caso julgue o item ERRADO.
A ausência de marcação ou a marcação de ambos os campos não serão apenadas, ou seja, não receberão pontuação negativa.
Para as devidas marcações, use a folha de respostas, único documento válido para a correção das suas provas objetivas.
• Nos itens que avaliam conhecimentos de informática, a menos que seja explicitamente informado o contrário, considere que todos
os programas mencionados estão em configuração-padrão, em português, que o mouse está configurado para pessoas destras, que
expressões como clicar, clique simples e clique duplo referem-se a cliques com o botão esquerdo do mouse e que teclar corresponde
à operação de pressionar uma tecla e, rapidamente, liberá-la, acionando-a apenas uma vez. Considere também que não há restrições
de proteção, de funcionamento e de uso em relação aos programas, arquivos, diretórios, recursos e equipamentos mencionados.

CONHECIMENTOS BÁSICOS
1 Leio que a ciência deu agora mais um passo definitivo. 1 Todos nós, homens e mulheres, adultos e jovens,
É claro que o definitivo da ciência é transitório, e não por passamos boa parte da vida tendo de optar entre o certo e o
deficiência da ciência (é ciência demais), que se supera a si errado, entre o bem e o mal. Na realidade, entre o que
4 consideramos bem e o que consideramos mal. Apesar da longa
4 mesma a cada dia... Não indaguemos para que, já que a própria
permanência da questão, o que se considera certo e o que se
ciência não o faz — o que, aliás, é a mais moderna forma de considera errado muda ao longo da história e ao redor do globo
objetividade de que dispomos. 7 terrestre.
7 Mas vamos ao definitivo transitório. Os cientistas Ainda hoje, em certos lugares, a previsão da pena de
afirmam que podem realmente construir agora a bomba limpa. morte autoriza o Estado a matar em nome da justiça. Em outras
Sabemos todos que as bombas atômicas fabricadas até hoje são 10 sociedades, o direito à vida é inviolável e nem o Estado nem
ninguém tem o direito de tirar a vida alheia. Tempos atrás era
10 sujas (aliás, imundas) porque, depois que explodem, deixam tido como legítimo espancarem-se mulheres e crianças,
vagando pela atmosfera o já famoso e temido estrôncio 90. 13 escravizarem-se povos. Hoje em dia, embora ainda se saiba de
Ora, isso é desagradável: pode mesmo acontecer que o próprio casos de espancamento de mulheres e crianças, de trabalho
13 país que lançou a bomba venha a sofrer, a longo prazo, as escravo, esses comportamentos são publicamente condenados
consequências mortíferas da proeza. O que é, sem dúvida, uma 16 na maior parte do mundo.
sujeira. Mas a opção entre o certo e o errado não se coloca
apenas na esfera de temas polêmicos que atraem os holofotes
16 Pois bem, essas bombas indisciplinadas, 19 da mídia. Muitas e muitas vezes é na solidão da consciência de
mal-educadas, serão em breve substituídas pelas bombas n, que cada um de nós, homens e mulheres, pequenos e grandes, que
cumprirão sua missão com lisura: destruirão o inimigo, certo e errado se enfrentam.
19 sem riscos para o atacante. Trata-se, portanto, de uma fabulosa 22 E a ética é o domínio desse enfrentamento.
Marisa Lajolo. Entre o bem e o mal. In: Histórias sobre
conquista, não? a ética. 5.ª ed. São Paulo: Ática, 2008 (com adaptações).
Ferreira Gullar. Maravilha. In: A estranha vida
banal. Rio de Janeiro: José Olympio, 1989, p. 109.
A partir das ideias e das estruturas linguísticas do texto acima,
julgue os itens que se seguem.
No que se refere aos sentidos e às estruturas linguísticas do texto
8 No texto, a expressão “pequenos e grandes” (R.20) não se
acima, julgue os itens a seguir.
refere a tamanho, podendo ser interpretada como equivalente
1 A forma verbal “podem” (R.8) está empregada no sentido de à expressão “adultos e jovens” (R.1), ou seja, em referência a
faixas etárias.
têm autorização.
9 O trecho “Tempos atrás era tido como legítimo espancarem-se
2 A oração introduzida por “porque” (R.10) expressa a razão de mulheres e crianças, escravizarem-se povos” (R.11-13) poderia
as bombas serem sujas. ser corretamente reescrito da seguinte forma: Há tempos,
considerava-se legítimo que se espancassem mulheres e
3 Mantendo-se a correção gramatical e a coerência do texto,
crianças, que se escravizassem povos.
a conjunção “e”, em “e não por deficiência da ciência” (R.2-3),
10 Infere-se do texto que algumas práticas sociais são
poderia ser substituída por mas. absolutamente erradas, ainda que o conceito de certo e errado
4 O objetivo do texto, de caráter predominantemente seja variável do ponto de vista social e histórico.
dissertativo, é informar o leitor a respeito do surgimento da 11 Dado o fato de que nem equivale a e não, a supressão da
“bomba limpa” (R.8). conjunção “e” empregada logo após “inviolável”, na linha 10,
manteria a correção gramatical do texto.
5 Tendo a oração “que se supera a si mesma a cada dia” (R.3-4)
12 Devido à presença do advérbio “apenas” (R.18), o pronome
caráter explicativo, o vocábulo “que” poderia ser corretamente
“se” (R.17) poderia ser deslocado para imediatamente após a
substituído por pois ou porque, sem prejuízo do sentido forma verbal “coloca” (R.17), da seguinte forma: coloca-se.
original do período. 13 Sem prejuízo para o sentido original do texto, o trecho “esses
6 A visão do autor do texto a respeito das “bombas n” (R.17) é comportamentos são publicamente condenados na maior parte
positiva, o que é confirmado pelo uso da palavra “lisura” (R.18) do mundo” (R.15-16) poderia ser corretamente reescrito da
para se referir a esse tipo de bomba, em oposição ao emprego seguinte forma: publicamente, esses comportamentos
consideram-se condenados em quase todo o mundo.
de palavras como “indisciplinadas” (R.16) e “mal-educadas”
14 No trecho “o que consideramos bem” (R.3-4), o vocábulo “que”
(R.17) em referência às bombas que liberam “estrôncio 90”
classifica-se como pronome e exerce a função de complemento
(R.11), estas sim consideradas desastrosas por atingirem da forma verbal “consideramos”.
indistintamente países considerados amigos e inimigos. 15 Infere-se do período “Mas a opção (...) da mídia” (R.17-19) que
7 O emprego do acento nas palavras “ciência” e “transitório” nem todos “os temas polêmicos” recebem a atenção dos meios
justifica-se com base na mesma regra de acentuação. de comunicação.

Cargo: Policial Rodoviário Federal –1–


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Considerando que uma equipe de 30 operários, igualmente RASCUNHO

produtivos, construa uma estrada de 10 km de extensão em 30 dias,


julgue os próximos itens.

16 Se a tarefa estiver sendo realizada pela equipe inicial de 30


operários e, no início do quinto dia, 2 operários abandonarem
a equipe, e não forem substituídos, então essa perda ocasionará
atraso de 10 dias no prazo de conclusão da obra.

17 Se, ao iniciar a obra, a equipe designada para a empreitada


receber reforço de uma segunda equipe, com 90 operários
igualmente produtivos e desempenho igual ao dos operários da
1
equipe inicial, então a estrada será concluída em menos de
5
do tempo inicialmente previsto.

Gráfico para os itens de 18 a 22

número de acidentes nas estradas brasileiras


no período de 2005 a 2011
(em milhares)
183 189
159
141
129
110 111

2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011

Considerando os dados apresentados no gráfico, julgue os itens


seguintes.

18 A média do número de acidentes ocorridos no período de 2007


a 2010 é inferior à mediana da sequência de dados apresentada
no gráfico.

19 Os valores associados aos anos de 2008, 2009 e 2010 estão em


progressão aritmética.

20 O número de acidentes ocorridos em 2008 foi, pelo menos,


26% maior que o número de acidentes ocorridos em 2005.

Considere que, em 2009, tenha sido construído um modelo linear


para a previsão de valores futuros do número de acidentes ocorridos
nas estradas brasileiras. Nesse sentido, suponha que o número de
acidentes no ano t seja representado pela função F(t) = At + B, tal
que F(2007) = 129.000 e F(2009) =159.000. Com base nessas
informações e no gráfico apresentado, julgue os itens a seguir.

21 A diferença entre a previsão para o número de acidentes em


2011 feita pelo referido modelo linear e o número de acidentes
ocorridos em 2011 dado no gráfico é superior a 8.000.

22 O valor da constante A em F(t) é superior a 14.500.

Cargo: Policial Rodoviário Federal –2–


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Julgue os itens subsequentes, relativos aos direitos e garantias


g\L fundamentais previstos na CF.
3 concentração de álcool no sangue (g/L)
30 Consideram-se brasileiros naturalizados os nascidos no
2
estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe brasileira, desde que
sejam registrados em repartição brasileira competente ou
venham a residir na República Federativa do Brasil e optem,
1
em qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela
nacionalidade brasileira.
t0 t1 t2 t 31 No caso de iminente perigo público, a autoridade competente
poderá usar de propriedade particular, assegurada ao
Considere que o nível de concentração de álcool na corrente proprietário indenização ulterior, se houver dano.
sanguínea, em g/L, de uma pessoa, em função do tempo t, em horas, 32 O estrangeiro condenado por autoridades estrangeiras pela
seja expresso por N = !0,008(t – 35t + 34). Considere, ainda, que
2 prática de crime político poderá ser extraditado do Brasil se
houver reciprocidade do país solicitante.
essa pessoa tenha começado a ingerir bebida alcoólica a partir de
33 Aos que comprovem insuficiência de recursos é assegurada a
t = t0 (N(t0) = 0), partindo de um estado de sobriedade, e que tenha gratuidade na prestação de assistência jurídica integral pelo
parado de ingerir bebida alcoólica em t = t1, voltando a ficar sóbria Estado.
em t = t2. Considere, por fim, a figura acima, que apresenta o 34 Somente aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país é
gráfico da função N(t) para t 0 [t0, t2]. Com base nessas informações assegurado o direito de petição em defesa de direitos ou contra
ilegalidade ou abuso de poder.
e tomando 24,3 como valor aproximado de 589 , julgue os itens
RASCUNHO
que se seguem.

23 O nível de concentração mais alto de álcool na corrente


sanguínea da referida pessoa ocorreu em t = t1 com t1 > 18
horas.
24 O nível de concentração de álcool na corrente sanguínea da
pessoa em questão foi superior a 1 g/L por pelo menos 23
horas.
25 O valor de t2 é inferior a 36.

No que se refere aos princípios fundamentais da Constituição


Federal de 1988 (CF) e à aplicabilidade das normas constitucionais,
julgue os itens a seguir.

26 O mecanismo denominado sistema de freios e contrapesos é


aplicado, por exemplo, no caso da nomeação dos ministros do
Supremo Tribunal Federal (STF), atribuição do presidente da
República e dependente da aprovação pelo Senado Federal.
27 A liberdade de exercer qualquer trabalho, ofício ou profissão,
atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer,
é um exemplo de norma constitucional de eficácia limitada.
28 Decorre do princípio constitucional fundamental da
independência e harmonia entre os poderes a impossibilidade
de que um poder exerça função típica de outro, não podendo,
por exemplo, o Poder Judiciário exercer a função
administrativa.
29 No que se refere às relações internacionais, a República
Federativa do Brasil rege-se pelos princípios da igualdade
entre os Estados, da cooperação entre os povos para o
progresso da humanidade e da concessão de asilo político,
entre outros.

Cargo: Policial Rodoviário Federal –3–


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

A respeito da organização político-administrativa do Estado e da


administração pública, julgue os itens que se seguem.

35 O Distrito Federal (DF) é ente federativo autônomo, pois


possui capacidade de auto-organização, autogoverno e
autoadministração, sendo vedado subdividi-lo em municípios.
36 Conforme o STF, a responsabilidade civil das empresas
prestadoras de serviço público é objetiva, mesmo em relação
a terceiros não usuários do serviço público.
37 Os atos de improbidade administrativa importarão ao agente
a suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública,
a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na
forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal
cabível. Tendo como referência a figura acima, que ilustra uma janela do
38 Em se tratando de matéria para a qual se preveja a BrOffice.org Writer com um texto em edição, julgue os itens a
competência legislativa concorrente, a CF autoriza os estados seguir.
a exercerem a competência legislativa plena para atenderem
a suas peculiaridades se inexistir lei federal sobre normas
46 Na situação da janela apresentada, para se criar um novo
gerais.
documento, em branco, é suficiente clicar, com o botão
No que concerne ao Poder Executivo e ao Poder Judiciário, julgue
os itens subsecutivos. esquerdo do mouse, o botão , que está localizado logo
39 Compete originariamente ao Superior Tribunal de Justiça abaixo do menu .
(STJ) julgar o litígio entre Estado estrangeiro ou organismo
internacional e a União, os estados ou o DF. 47 Na situação mostrada na figura, para se aplicar negrito à
40 Compete privativamente ao presidente da República conceder palavra “valores”, é suficiente aplicar, com o botão esquerdo
indulto e comutar penas, ouvidos, se necessário, os órgãos
instituídos em lei. do mouse, um clique duplo sobre a palavra, pressionar e

A respeito da ética no serviço público, julgue os itens subsequentes. manter pressionada a tecla § e teclar B.

41 Considere que os usuários de determinado serviço público


tenham formado longas filas à espera de atendimento por
determinado servidor que, embora responsável pelo setor, não
viabilizou o atendimento. Nessa situação, segundo dispõe a
legislação de regência, a atitude do servidor caracteriza
conduta contrária à ética e ato de desumanidade, mas não grave
dano moral aos usuários do serviço.
42 O elemento ético deve estar presente na conduta de todo
servidor público, que deve ser capaz de discernir o que é
honesto e desonesto no exercício de sua função.
No que se refere aos deveres do servidor público, previstos no
Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder
Executivo Federal, julgue os próximos itens.

43 Os registros que consistiram em objeto de apuração e aplicação


de penalidade referentes à conduta ética do servidor devem Considerando a figura acima, que ilustra uma janela do Broffice.org
ficar arquivados junto à comissão de ética e não podem ser Calc com uma planilha em edição, julgue o item abaixo.
fornecidos a outras unidades do órgão a que se encontre
vinculado o servidor. 48 Na planilha em questão, as células E3 e F4 serão preenchidas
44 Estará sujeito à penalidade de censura, a qual é aplicada pela com os valores 7 e 17, respectivamente, após a execução da
comissão de ética, mediante parecer assinado por todos os
seus integrantes, o servidor que violar algum de seus deveres seguinte sequência de ações: clicar a célula E3; digitar =B2+C3
funcionais. e, em seguida, teclar «; clicar novamente a célula E3; clicar
45 A publicidade de ato administrativo, qualquer que seja sua
natureza, constitui requisito de eficácia e moralidade. o botão ; clicar a célula F4; e clicar o botão .

Cargo: Policial Rodoviário Federal –4–


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Tendo como referência a figura acima, que mostra uma janela do Google Chrome, julgue os itens subsequentes, a respeito de redes de
computadores e segurança da informação.
49 Ao contrário de um vírus de computador, que é capaz de se autorreplicar e não necessita de um programa hospedeiro para se propagar,
um worm não pode se replicar automaticamente e necessita de um programa hospedeiro.

50 Na situação mostrada na figura, ao se clicar o botão , todos os arquivos com extensão .doc que estivem na área de transferência
do Windows serão armazenados em nuvem (cloud storage).

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
Nos itens que avaliam conhecimentos específicos, a sigla PRF, sempre que empregada, refere-se à Polícia Rodoviária Federal ou a policial
rodoviário federal, conforme o contexto.

Um PRF, ao desviar de um cachorro que surgiu No que concerne ao regime jurídico do servidor público federal,
inesperadamente na pista em que ele trafegava com a viatura de julgue os próximos itens.
polícia, colidiu com veículo que trafegava em sentido contrário, o
57 Anulado o ato de demissão, o servidor estável será reintegrado
que ocasionou a morte do condutor desse veículo.
ao cargo por ele ocupado anteriormente, exceto se o cargo
Com base nessa situação hipotética, julgue os itens a seguir. estiver ocupado, hipótese em que ficará em disponibilidade
até aproveitamento posterior em cargo de atribuições e
51 Em razão da responsabilidade civil objetiva da administração, vencimentos compatíveis.
o PRF será obrigado a ressarcir os danos causados à 58 O servidor público federal investido em mandato eletivo
administração e a terceiros, independentemente de ter agido municipal somente será afastado do cargo se não houver
com dolo ou culpa. compatibilidade de horário, sendo-lhe facultado, em caso de
52 Não poderá ser objeto de delegação a decisão referente a afastamento, optar pela sua remuneração.
recurso administrativo interposto pelo PRF contra decisão que 59 Não é possível a aplicação de penalidade a servidor inativo,
lhe tiver aplicado penalidade em razão do acidente. ainda que a infração funcional tenha sido praticada
53 Ainda que seja absolvido por ausência de provas em processo anteriormente à sua aposentadoria.
penal, o PRF poderá ser processado administrativamente por 60 A nomeação para cargo de provimento efetivo será realizada
eventual infração disciplinar cometida em razão do acidente. mediante prévia habilitação em concurso público de provas ou
de provas e títulos ou, em algumas situações excepcionais, por
A respeito da organização do Departamento de Polícia Rodoviária livre escolha da autoridade competente.
Federal e da natureza dos atos praticados por seus agentes, julgue
os itens que se seguem. No que se refere ao regime jurídico administrativo, julgue os itens
subsecutivos.
54 Praticado ato ilegal por agente da PRF, deve a administração
61 Somente são considerados atos de improbidade administrativa
revogá-lo.
aqueles que causem lesão ao patrimônio público ou importem
55 Por ser órgão do Ministério da Justiça, a PRF é órgão do Poder enriquecimento ilícito.
Executivo, integrante da administração direta.
62 A administração não pode estabelecer, unilateralmente,
56 Os atos praticados pelos agentes públicos da PRF estão obrigações aos particulares, mas apenas aos seus servidores e
sujeitos ao controle contábil e financeiro do Tribunal de aos concessionários, permissionários e delegatários de serviços
Contas da União. públicos.

Cargo: Policial Rodoviário Federal –5–


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Com relação aos princípios, institutos e dispositivos da parte geral 73 Em se tratando do crime de furto mediante fraude, a vítima,
do Código Penal (CP), julgue os itens seguintes. ludibriada, entrega, voluntariamente, a coisa ao agente. No
63 Havendo conflito aparente de normas, aplica-se o princípio crime de estelionato, a fraude é apenas uma forma de reduzir
da subsidiariedade, que incide no caso de a norma descrever a vigilância exercida pela vítima sobre a coisa, de forma a
várias formas de realização da figura típica, bastando a permitir a sua retirada.
realização de uma delas para que se configure o crime.
74 Considera-se crime hediondo o homicídio culposo na condução
64 Considere a seguinte situação hipotética. de veículo automotor, quando comprovada a embriaguez do
Joaquim, plenamente capaz, desferiu diversos golpes de facão
condutor.
contra Manoel, com o intuito de matá-lo, mas este, tendo sido
socorrido e levado ao hospital, sobreviveu. No que concerne às disposições preliminares do Código de
Nessa situação hipotética, Joaquim responderá pela prática de Processo Penal (CPP), ao inquérito policial e à ação penal, julgue
homicídio tentado, com pena reduzida levando-se em conta a
os próximos itens.
sanção prevista para o homicídio consumado.
65 O princípio da legalidade é parâmetro fixador do conteúdo das 75 Tratando-se de lei processual penal, não se admite, salvo para
normas penais incriminadoras, ou seja, os tipos penais de tal beneficiar o réu, a aplicação analógica.
natureza somente podem ser criados por meio de lei em sentido
76 Após regular instrução processual, mesmo que se convença da
estrito.
falta de prova de autoria do crime que inicialmente atribuíra ao
66 A extra-atividade da lei penal constitui exceção à regra geral
de aplicação da lei vigente à época dos fatos. acusado, não poderá o Ministério Público desistir da ação
penal.
67 Considere que um indivíduo penalmente capaz, em total estado
de embriaguez, decorrente de caso fortuito, atropele um 77 O Ministério Público pode oferecer a denúncia ainda que não
pedestre, causando-lhe a morte. Nessa situação, a embriaguez disponha do inquérito relatado pela autoridade policial.
não excluía imputabilidade penal do agente.
78 É condicionada à representação da vítima a ação penal por
68 O ordenamento jurídico brasileiro prevê a possibilidade de
crime de dano praticado contra ônibus de transporte coletivo
ocorrência de tipicidade sem antijuridicidade, assim como de
antijuridicidade sem culpabilidade. pertencente a empresa concessionária de serviço público.

69 Em relação ao concurso de pessoas, o CP adota a teoria A respeito das espécies de prisão e do habeas corpus, julgue os
monista, segundo a qual todos os que contribuem para a itens que se seguem.
prática de uma mesma infração penal cometem um único
crime, distinguindo-se, entretanto, os autores do delito dos 79 O habeas corpus pode ser impetrado, perante qualquer
partícipes. instância do Poder Judiciário, por qualquer pessoa do povo em
No que se refere aos delitos previstos na parte especial do CP, favor de outrem, podendo, ainda, a autoridade judicial
julgue os itens de 70 a 74. competente concedê-lo de ofício.

70 Considere a seguinte situação hipotética. 80 O juiz poderá substituir a prisão preventiva por prisão
Pedro e Marcus, penalmente responsáveis, foram flagrados domiciliar sempre que a agente for gestante.
pela polícia enquanto subtraíam de Antônio, mediante ameaça
81 A prisão temporária só poderá ser decretada mediante
com o emprego de arma de fogo, um aparelho celular e a
importância de R$ 300,00. Pedro, que portava o celular da representação da autoridade policial ou a requerimento do
vítima, foi preso, mas Marcus conseguiu fugir com a Ministério Público, vedada sua decretação de ofício pelo juiz.
importância subtraída.
Com base no disposto no CPP e na jurisprudência do Superior
Nessa situação hipotética, Pedro e Marcus, em conluio,
praticaram o crime de roubo tentado. Tribunal de Justiça, julgue os seguintes itens.

71 Considere a seguinte situação hipotética. 82 A prova declarada inadmissível pela autoridade judicial por
Aproveitando-se da facilidade do cargo por ele exercido em ter sido obtida por meios ilícitos deve ser juntada em autos
determinado órgão público, Artur, servidor público, em
apartados dos principais, não podendo servir de fundamento à
conluio com Maria, penalmente responsável, subtraiu dinheiro
da repartição pública onde trabalha. Maria, que recebeu parte condenação do réu.
do dinheiro subtraído, desconhecia ser Artur funcionário público. 83 Em processo por crime de responsabilidade de funcionário
Nessa situação hipotética, Artur cometeu o crime de peculato público, o juiz pode rejeitar a denúncia oferecida pelo
e Maria, o delito de furto.
Ministério Público caso se convença, após análise dos
72 O crime de concussão configura-se com a exigência, por documentos apresentados pelo acusado em resposta à
funcionário público, de vantagem indevida, ao passo que, para
denúncia, da inexistência do crime apurado.
a configuração do crime de corrupção passiva, basta que ele
solicite ou receba a vantagem, ou, ainda, aceite promessa de 84 Compete à justiça federal processar e julgar a contravenção
recebê-la. penal praticada em detrimento de bens e serviços da União.

Cargo: Policial Rodoviário Federal –6–


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

No que concerne ao abuso de autoridade e ao Estatuto do Com fundamento na lei que cria mecanismos para coibir a
Desarmamento, julgue os itens a seguir. violência doméstica e familiar contra a mulher — Lei Maria
da Penha — e na Lei dos Crimes Ambientais, julgue os
85 Supondo que determinado cidadão seja responsável pela próximos itens.
segurança de estrangeiros em visita ao Brasil e necessite de
93 Responderá por crime contra a flora o indivíduo que cortar
porte de arma, a concessão da respectiva autorização será de
árvore em floresta considerada de preservação permanente,
competência do ministro da Justiça.
independentemente de ter permissão para cortá-la, e, caso a
86 Considere que um PRF aborde o condutor de um veículo por tenha, quem lhe concedeu a permissão também estará sujeito
este trafegar acima da velocidade permitida em rodovia às penalidades do respectivo crime.
federal. Nessa situação, se demorar em autuar o condutor, o
94 Considerando que, inconformado com o término do namoro de
policial poderá responder por abuso de autoridade, ainda que mais de vinte anos, José tenha agredido sua ex-namorada
culposamente. Maria, com quem não coabitava, ele estará sujeito à aplicação
A respeito das contravenções penais e da lei que institui o Sistema da lei de combate à violência doméstica e familiar contra a
Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas, julgue os itens mulher, conhecida como Lei Maria da Penha.

subsequentes. Com fundamento na legislação que define os crimes de tortura e de


tráfico de pessoas, julgue os itens a seguir.
87 Caso uma pessoa injete em seu próprio organismo substância
entorpecente e, em seguida, seja encontrada por policiais, 95 O crime de tráfico de pessoas poderá ser caracterizado ainda
ainda que os agentes não encontrem substâncias entorpecentes que haja consentimento da vítima.
em poder dessa pessoa, ela estará sujeita às penas de 96 Para que um cidadão seja processado e julgado por crime de
advertência, prestação de serviço à comunidade ou medida tortura, é prescindível que esse crime deixe vestígios de ordem
educativa de comparecimento a programa ou curso educativo. física.

88 Considere que determinado cidadão esteja usando No que concerne às práticas policiais no espaço público e à
publicamente uniforme de PRF, função pública que ele não administração institucional de conflitos no espaço público, julgue
exerce. Nessa situação, para que esse cidadão responda por os itens seguintes.
contravenção penal, é necessário que sua conduta cause efetivo 97 Ainda que, durante manifestação que resulte no bloqueio de
prejuízo para o Estado ou para outra pessoa. rodovia federal, os manifestantes entrem em conflito com
Julgue os itens seguintes, relativos à lei do crime organizado e a motoristas que trafeguem nessa rodovia, o PRF responsável
pela segurança no local não poderá efetuar, a título de
crimes resultantes de preconceitos de raça e cor.
advertência, disparos de arma de fogo para o alto.
89 Constitui crime o fato de determinado clube social recusar a 98 Caso um veículo em movimento desrespeite bloqueio feito pela
admissão de um cidadão em razão de preconceito de raça, PRF em determinada rodovia federal, ainda que esse fato não
salvo se o respectivo estatuto atribuir à diretoria a faculdade de represente risco imediato de morte ou de lesão grave aos
recusar propostas de admissão, sem declinação de motivos. agentes de segurança pública ou a terceiros, o PRF que estiver
atuando no bloqueio poderá, para paralisar o veículo, empregar
90 Durante o inquérito policial, é necessária a autorização judicial
arma de fogo.
para que um agente policial se infiltre em organização
criminosa com fins investigativos. Acerca dos direitos de cidadania e do pluralismo jurídico, julgue os
itens que se seguem.
Acerca do Estatuto do Idoso e dos juizados especiais criminais,
julgue os itens subsecutivos. 99 No Brasil, o pluralismo jurídico configura-se, por exemplo,
quando da aplicação de regras criadas por membros de
91 Os atos processuais dos juizados especiais criminais poderão organizações criminosas, distintas das regras jurídicas
ser realizados nos finais de semana, à exceção dos domingos estabelecidas pelo Estado.
e feriados.
100 Os direitos de cidadania são, no Estado democrático de direito,
92 Se alguém deixar de prestar assistência a idoso, quando for todos aqueles relativos à dignidade do cidadão, como sujeito
possível fazê-lo sem risco pessoal, em situação de iminente de prestações estatais, e à participação ativa na vida social,
perigo, cometerá, em tese, crime de menor potencial ofensivo. política e econômica do Estado.

Cargo: Policial Rodoviário Federal –7–


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Considerando o disposto na Constituição Federal de 1988 (CF), Com base na legislação da PRF, julgue os itens que se seguem.
julgue os itens a seguir, relativos aos direitos humanos.
109 Considere a seguinte situação hipotética.
101 A possibilidade de extensão aos estrangeiros que estejam no Durante uma abordagem de rotina feita pela PRF em
Brasil, mas que não residam no país, dos direitos individuais
determinada rodovia federal, foram apreendidos
previstos na CF deve-se ao princípio da primazia dos direitos
aproximadamente cem quilos de entorpecentes, entre crack,
humanos nas relações internacionais do Brasil.
haxixe e cocaína. O motorista, único ocupante do veículo onde
102 Equivalem às normas constitucionais originárias os tratados
estavam as drogas, confessou a prática do delito, tendo
internacionais sobre direitos humanos aprovados, em cada casa
afirmado, ainda, que adquirira as drogas para revendê-las e
do Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos dos
que as estava transportando para um depósito em local seguro.
votos dos respectivos membros.
Nessa situação, cabe à chefia do distrito regional da PRF
No que se refere à fundamentação dos direitos humanos e à sua do estado em que ocorreu a apreensão formalizar o auto de
afirmação histórica, julgue os itens subsecutivos.
prisão em flagrante do autor do delito e comunicar a prisão à

103 A expressão direitos humanos de primeira geração refere-se autoridade judiciária competente.

aos direitos sociais, culturais e econômicos. 110 Compete à PRF o patrulhamento das rodovias federais

104 Conforme a teoria positivista, os direitos humanos privatizadas, mesmo tendo havido, com o processo de
fundamentam-se em uma ordem superior, universal, imutável concessão, a transferência a particulares das atividades
e inderrogável. administrativas referentes aos trechos terceirizados.

Julgue os próximos itens, relativos aos direitos humanos, à 111 Se, durante a execução de obra ao longo de uma rodovia
responsabilidade do Estado e à Política Nacional de Direitos
federal, a empresa responsável pela obra interromper a
Humanos.
circulação de veículos e a movimentação de cargas em uma

105 A aplicação das normas de direito internacional humanitário das faixas de rolamento sem a prévia permissão do órgão de

e de direito internacional dos refugiados impossibilita a trânsito competente, a PRF deverá interditar a obra e aplicar as

aplicação das normas básicas do direito internacional dos penalidades civis e multas decorrentes da infração cometida
direitos humanos. pela empresa.

106 A Política Nacional de Direitos Humanos contempla medidas 112 Comete infração de trânsito gravíssima, punível com multa, o
voltadas à proteção dos direitos civis, tais como os projetos
condutor que não reduz a velocidade do veículo de forma
que tratam da parceria entre pessoas do mesmo sexo e da
compatível com a segurança do trânsito, quando se aproxima
obrigatoriedade de atendimento do aborto legal pela rede
de passeatas, manifestações populares e aglomerações.
pública de saúde.
113 A autoridade de trânsito, na esfera de suas atribuições, poderá
107 Caso o Poder Judiciário, ao fundamentar decisão em lei ou
aplicar, quando cabível, penalidade consistente na frequência
norma constitucional interna, descumpra normas internacionais
de direitos humanos, o Estado não poderá ser responsabilizado obrigatória em curso de reciclagem, sem prejuízo das punições

no plano internacional por essa decisão. originárias de ilícitos penais decorrentes de crimes de trânsito.

108 O sistema global de proteção dos direitos humanos foi 114 É permitido ao PRF portar arma de fogo somente em serviço,
instaurado pela Carta Internacional dos Direitos Humanos. sendo a licença apenas de caráter funcional.

Cargo: Policial Rodoviário Federal –8–


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Considerando que um veículo com massa igual a 1.000 kg se mova O fenômeno de redução na frequência do som emitido pela buzina
de um veículo em movimento, observado por um ouvinte, é
em linha reta com velocidade constante e igual a 72 km/h, e
denominado efeito Doppler. Essa diferença na frequência deve-se
considerando, ainda, que a aceleração da gravidade seja igual a ao deslocamento no número de oscilações por segundo que atinge
10 m/s2, julgue os itens a seguir. o ouvido do ouvinte. Os instrumentos utilizados pela PRF para o
controle de velocidade se baseiam nesse efeito. A respeito do efeito
Doppler, julgue o item abaixo.
115 Quando o freio for acionado, para que o veículo pare, a sua
120 Considere que um PRF, em uma viatura que se desloca
energia cinética e o trabalho da força de atrito, em módulo,
com velocidade igual a 90 km/h, se aproxime do local de
deverão ser iguais. um acidente onde já se encontra uma ambulância parada,
cuja sirene esteja emitindo som com frequência de 1.000 Hz.
116 Antes de iniciar o processo de frenagem, a energia mecânica Nesse caso, se a velocidade do som no ar for igual a 340 m/s,
do veículo era igual a 200.000 J. a frequência do som da sirene ouvido pelo policial será
superior a 1.025 Hz.

RASCUNHO

v h

Uma bala de revólver de massa igual a 10 g foi disparada,


com velocidade v, na direção de um bloco de massa igual a 4 kg,
suspenso por um fio, conforme ilustrado na figura acima. A bala
ficou encravada no bloco e o conjunto subiu até uma altura h igual
a 30 cm.

Considerando essas informações e assumindo que a aceleração da


gravidade seja igual a 10 m/s2, julgue o item abaixo.

117 Se toda a energia cinética que o conjunto adquiriu


imediatamente após a colisão fosse transformada em energia
potencial, a velocidade do conjunto após a colisão e a
velocidade com que a bala foi disparada seriam,
respectivamente, superiores a 2,0 m/s e a 960 m/s.

Considerando que um corpo de massa igual a 1,0 kg oscile em


movimento harmônico simples de acordo com a equação
⎡ π⎤
x (t ) = 6,0 cos ⎢3π t + ⎥ , em que t é o tempo, em segundos, e x(t)
⎣ 3⎦
é dada em metros, julgue os itens que se seguem.

118 A força resultante que atua no corpo é expressa por


F(t) = !(3π)2 x(t).

119 O período do movimento é igual a 0,5 s.

Cargo: Policial Rodoviário Federal –9–


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

PROVA DISCURSIVA
• Nesta prova, faça o que se pede, usando, caso deseje, o espaço para rascunho indicado no presente caderno. Em seguida, transcreva
o texto para a FOLHA DE TEXTO DEFINITIVO DA PROVA DISCURSIVA, no local apropriado, pois não serão avaliados
fragmentos de texto escritos em locais indevidos.
• Qualquer fragmento de texto que ultrapassar a extensão máxima de linhas disponibilizadas será desconsiderado.
• Na folha de texto definitivo, identifique-se apenas na primeira página, pois não será avaliado o texto que apresentar qualquer
assinatura ou marca identificadora fora do local apropriado.
• Ao domínio do conteúdo serão atribuídos até 20,00 pontos, dos quais até 1,00 ponto será atribuído ao quesito apresentação e
estrutura textual (legibilidade, respeito às margens e indicação de parágrafos).

Nas regiões brasileiras de fronteira, o crime de contrabando, tipificado no art. 334 do Código Penal,
no capítulo referente aos crimes praticados por particular contra a administração geral, ao lado do tráfico
de entorpecentes e drogas afins, é o que mais importuna a atividade dos poderes públicos, tanto de
prevenção e fiscalização quanto de repressão ou apuração das responsabilidades penais. O Brasil tem uma
peculiaridade em relação a esse crime, devido ao fato de possuir milhares de quilômetros de fronteira seca,
muito difíceis de fiscalizar.

Enivaldo Pinto Pólvora. Internet: <www.ambito-juridico.com.br> (com adaptações).

Considerando que o fragmento de texto acima tem caráter unicamente motivador, redija um texto dissertativo que atenda, necessariamente,
ao que se pede a seguir:

< defina o crime de contrabando e indique, em linhas gerais, as circunstâncias que integram esse tipo penal; [valor: 4,00 pontos]
< comente acerca das principais mercadorias e cargas contrabandeadas no território brasileiro; [valor: 3,00 pontos]
< explane a respeito dos problemas decorrentes do contrabando de mercadorias e cargas para a economia nacional e para a saúde
pública; [valor: 6,00 pontos]
< sugira medidas e ações efetivas das forças públicas para o combate ao contrabando de mercadorias e cargas no país.
[valor: 6,00 pontos]

Cargo: Policial Rodoviário Federal – 10 –


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

RASCUNHO
1

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

Cargo: Policial Rodoviário Federal – 11 –


MINISTÉRIO DA JUSTIÇA
DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL
CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA
NO CARGO DE POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL
EDITAL Nº 1 – PRF – POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL, DE 11 DE JUNHO DE 2013

Aplicação: 11/8/2013

Cargo: Policial Rodoviário Federal

DPRF13_001_01

GABARITOS OFICIAIS DEFINITIVOS


0

Obs.: ( X ) item anulado.

Item 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
Gabarito E C C E E E C C C C E E E C C E E E E C

Item 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40
Gabarito E C E C C C E E C E C E C E C C C C E C

Item 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60
Gabarito E C E C E C X C E X E C C E C C E E E E

Item 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80
Gabarito E E E C C C E C C E C C E E E C C E C E

Item 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100
Gabarito C E C E E E E E E C E C E C C C C E C C

Item 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120
Gabarito C E E E E C E C E C E C C E C C C C E C

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

GABARITO COMENTADO
CONHECIMENTOS BÁSICOS

mente dissertativo, é informar o leitor a respeito


do surgimento da “bomba limpa” (ℓ. 8).
Errado.
Embora o texto tenha natureza dissertativa, visto que
seu objetivo é discorrer sobre um tema, o objetivo não
é informar, mas argumentar criticamente acerca da
“bomba limpa”.

5 Tendo a oração “que se supera a si mesma a


cada dia” (ℓ. 3-4) caráter explicativo, o vocábulo
“que” poderia ser corretamente substituído por
pois ou porque, sem prejuízo do sentido original
do período.

Errado.
Ainda que seja estruturalmente possível fazer a subs-
tituição, a alteração dos conectivos geraria mudança
nas relações sintáticas entre as orações e, consequen-
temente, no sentido da frase. Ressalte-se que a oração
subordinada adjetiva explicativa qualifica tão somente o
No que se refere aos sentidos e às estruturas lin- substantivo a que se refere, ao passo que a oração co-
guísticas do texto acima, julgue os itens a seguir. ordenada explicativa (como sugerido) traria esclareci-
mento acerca de toda a informação da oração anterior.
1 A forma verbal “podem” (ℓ. 8) está empregada no
sentido de têm autorização. 6 A visão do autor do texto a respeito das “bombas
n” (ℓ. 17) é positiva, o que é confirmado pelo uso
Errado. da palavra “lisura” (ℓ. 18) para se referir a esse
O verbo poder é empregado, no texto, no sentido de tipo de bomba, em oposição ao emprego de pa-
ser possível, ter a possibilidade de. lavras como “indisciplinadas” (ℓ. 16) e “mal-edu-
cadas” (ℓ. 17) em referência às bombas que libe-
2 A oração introduzida por “porque” (ℓ.10) expressa ram “estrôncio 90” (ℓ. 11), estas sim consideradas
a razão de as bombas serem sujas. desastrosas por atingirem indistintamente países
considerados amigos e inimigos.
Certo.
A conjunção causal “porque” expressa a causa, a ra- Errado.
zão do fato expresso na oração anterior: “[...] as bom- A tônica do texto – em especial a pergunta que o en-
bas atômicas fabricadas até hoje são sujas (aliás, cerra – demonstra que o autor critica o uso de qual-
imundas) [...]”. quer tipo de bomba.

3 Mantendo-se a correção gramatical e a coerência 7 O emprego do acento nas palavras “ciência” e


do texto, a conjunção “e”, em “e não por defici- “transitório” justifica-se com base na mesma re-
ência da ciência” (ℓ. 2-3), poderia ser substituída gra de acentuação.
por mas.
Certo.
Certo. Ambas as palavras são paroxítonas terminadas em di-
No contexto, a conjunção “e” introduz oração cuja tongo crescente, o que possibilita, também, considerá-
ideia se contrapõe à da oração anterior; portanto, tal -las proparoxítonas aparentes.
conjunção apresenta valor adversativo e admite sua
substituição por mas.

4 O objetivo do texto, de caráter predominante-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 1


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

mente condenados na maior parte do mundo.” permi-


te concluir que, na percepção da autora, tais práticas
são, em si, absolutamente erradas. Tanto é assim que
são considerados excepcionalidades os casos a elas
associados, os quais são, em regra, naturalmente re-
pudiados no mundo todo praticamente.

11 Dado o fato de que “nem” equivale a “e não”,


a supressão da conjunção “e” empregada logo
após “inviolável”, na linha 13, manteria a corre-
ção gramatical do texto.

Errado.
A conjunção “nem” equivale a “e não” notadamente
quando conecta duas orações de sentido negativo, e
esse não é o caso do texto, uma vez que a oração an-
terior (linhas 9 e 10) é afirmativa. Além disso, a conjun-
ção e, no contexto, apresenta valor conclusivo e não
pode ser retirada sem que se ajuste a pontuação.
A partir das ideias e das estruturas linguísticas do
texto acima, julgue os itens que se seguem.
12 Devido à presença do advérbio “apenas” (ℓ. 18), o
8 No texto, a expressão “pequenos e grandes” (ℓ. pronome “se” (ℓ. 17) poderia ser deslocado para
20) não se refere a tamanho, podendo ser inter- imediatamente após a forma verbal “coloca” (ℓ.
pretada como equivalente à expressão “adultos 17), da seguinte forma: coloca-se.
e jovens” (ℓ. 1), ou seja, em referência a faixas
etárias. Errado.
Na linha 17, o termo “não” é fator que obriga a próclise.
Certo.
De fato, a expressão “pequenos e grandes” apresenta 13 Sem prejuízo para o sentido original do texto, o
um período que, em boa medida, traça paráfrase do trecho “esses comportamentos são publicamente
período inicial do texto. Em ambos, a autora faz refe- condenados na maior parte do mundo” (ℓ. 15-16)
rência a faixas etárias. poderia ser corretamente reescrito da seguinte for-
ma: publicamente, esses comportamentos consi-
9 O trecho “Tempos atrás era tido como legítimo deram-se condenados em quase todo o mundo.
espancarem-se mulheres e crianças, escraviza-
rem-se povos” (ℓ. 11-13) poderia ser corretamente Errado.
reescrito da seguinte forma: Há tempos, conside- A reescrita do texto altera o sentido passivo de “são
rava-se legítimo que se espancassem mulheres [...] considerados” para sentido reflexivo em “conside-
e crianças, que se escravizassem povos. ram-se”.

Certo. 14 No trecho “o que consideramos bem” (ℓ. 3-4), o


A reescrita apresentada está correta (pontuação, corre- vocábulo “que” classifica-se como pronome e
lação entre os verbos, colocação pronominal e concor- exerce a função de complemento da forma verbal
dância). Ressalte-se que o item não faz referência ao “consideramos”.
sentido original do texto, conquanto ele seja mantido.
Certo.
10 Infere-se do texto que algumas práticas sociais O termo “que” é pronome relativo. Veja-se que é possí-
são absolutamente erradas, ainda que o conceito vel reescrever o trecho pertinente deste modo: Na reali-
de certo e errado seja variável do ponto de vista dade, entre aquilo o qual consideramos bem... Além dis-
social e histórico. so, o verbo considerar, cujo sujeito é desinencial (nós),
é transitivo direto e utiliza o relativo com objeto direto.
Certo.
O trecho “Hoje em dia, embora ainda se saiba de 15 Infere-se do período “Mas a opção (...) da mídia”
casos de espancamento de mulheres e crianças, de (ℓ. 17-19) que nem todos “os temas polêmicos”
trabalho escravo, esses comportamentos são publica- recebem a atenção dos meios de comunicação.

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 2


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Certo. Média do período de 2007 a 2010 = 129 + 141 + 159 +


O trecho “na esfera dos temas polêmicos que atraem 183 = 612 / 4 = 153.
os holofotes da mídia” apresenta oração adjetiva res- Mediana (termo central) = 141
tritiva, o que permite afirmar que nem todo tema polê- 153 > 141
mico é atraente para a mídia.
19 Os valores associados aos anos de 2008, 2009 e
2010 estão em progressão aritmética.
Considerando que uma equipe de 30 operários,
igualmente produtivos, construa uma estrada de 10 Errado.
km de extensão em 30 dias, julgue os próximos itens. 2008 = 141; 2009 = 159; 2010 = 183

16 Se a tarefa estiver sendo realizada pela equipe 2009 - 2008 = 159 - 141 = 18.
inicial de 30 operários e, no início do quinto dia, 2010 - 2009 = 183 - 159 = 24.
2 operários abandonarem a equipe, e não forem
substituídos, então essa perda ocasionará atraso Não forma uma PA
de 10 dias no prazo de conclusão da obra.
20 O número de acidentes ocorridos em 2008 foi,
Errado.
pelo menos, 26% maior que o número de aciden-
Como os dois operários saíram no 5º dia, significa que
tes ocorridos em 2005.
os 30 trabalharam juntos durante 4 dias. Vamos des-
cobrir quantos quilômetros eles fizeram em 4 dias.
Certo.
10 km ------------ 30 dias
110-------------100%
X km ------------ 04 dias
141------------- x
X = 4/3 km
x= 128%. Logo, 128 - 100% = 28%
Quilômetros que ainda faltam: 10 – 4/3 = 26/3 km
30 op. 10 km 30 dias
28 op. 26/3 km X dias Considere que, em 2009, tenha sido construído
x = 28 dias um modelo linear para a previsão de valores futuros
do número de acidentes ocorridos nas estradas brasi-
Logo, foram gastos 28 dias + 4 dias = 32 dias. leiras. Nesse sentido, suponha que o número de aci-
dentes no ano t seja representado pela função F(t) =
At + B, tal que F(2007) = 129.000 e F(2009) =159.000.
17 Se, ao iniciar a obra, a equipe designada para
Com base nessas informações e no gráfico apresen-
a empreitada receber reforço de uma segunda
tado, julgue os itens a seguir.
equipe, com 90 operários igualmente produtivos
e desempenho igual ao dos operários da equipe
21 A diferença entre a previsão para o número de
inicial, então a estrada será concluída em menos
acidentes em 2011 feita pelo referido modelo li-
de 1/5 do tempo inicialmente previsto.
near e o número de acidentes ocorridos em 2011
dado no gráfico é superior a 8.000.
Errado.
30 op.                     10 km                 30 dias
Errado.
120 op.      10 km                  X dias
Como o modelo é linear, o crescimento é constante.
X = 7,5 dias.
2007: 129.000 acidentes,
2009: 159.000 acidentes
1/5 de 30 = 6
159.000 – 129.000 = 30.000 acidentes a mais.
7,5 > 6
Em 2011, o modelo certamente vai ter 30.000 aciden-
tes a mais, ou seja:
Considerando os dados apresentados no gráfico, F(2011) = 159.000 + 30.000 = 189.000 acidentes
julgue os itens seguintes. Não há diferença entre a previsão feita pelo modelo e
o número obtido no gráfico.
18 A média do número de acidentes ocorridos no
período de 2007 a 2010 é inferior à mediana da
22 O valor da constante A em F(t) é superior a
sequência de dados apresentada no gráfico.
14.500.

Errado.

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 3


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Certo. 26 O mecanismo denominado sistema de freios e


Como a variação foi de 30.000 em 2 anos, em 1 ano a contrapesos é aplicado, por exemplo, no caso da
variação é de 15.000. nomeação dos ministros do Supremo Tribunal Fe-
1.500 > 14.500 deral (STF), atribuição do presidente da República
e dependente da aprovação pelo Senado Federal.
Considere que o nível de concentração de álcool
Certo.
na corrente sanguínea, em g/L, de uma pessoa, em
O artigo 2º da Constituição Federal traz a regra da se-
função do tempo t, em horas, seja expresso por N
paração dos Poderes. Eles devem ser independentes
= -0,008(t² – 35t + 34). Considere, ainda, que essa
e harmônicos, e nenhum pode se sobrepor ao outro.
pessoa tenha começado a ingerir bebida alcoólica a
Todos desempenham funções principais, chamadas
partir de t = t0 (N(t0) = 0), partindo de um estado de
de típicas, e também acessórias, que recebem o nome
sobriedade, e que tenha parado de ingerir bebida alco-
de atípicas.
ólica em t = t1, voltando a ficar sóbria em t = t2. Consi-
O Brasil adotou a ideia de Montesquieu do mecanismo
dere, por fim, a figura acima, que apresenta o gráfico
dos freios e contrapesos (check and balances).
da função N(t) para t 0 [t0, t2]. Com base nessas infor-
Um exemplo sempre lembrado é exatamente a no-
mações e tomando 24,3 como valor aproximado de
meação para Ministros do Superior Tribunal Federal
√589, julgue os itens que se seguem.
(Judiciário), pois a indicação cabe ao Presidente da
República (Executivo), mas é necessária a aprovação
23 O nível de concentração mais alto de álcool na
do nome pelo Senado Federal (Legislativo).
corrente sanguínea da referida pessoa ocorreu
Outro exemplo: a iniciativa para propositura de projeto
em t = t1 com t1 > 18 horas.
de lei que reajuste a remuneração de servidores da
Câmara dos Deputados cabe à própria Casa (Legisla-
Errado.
tivo), mas a lei precisa ser sancionada pelo Presidente
da República (Executivo), podendo ainda ser declara-
da inconstitucional pelo Judiciário.
17,5 < 18 Portanto, o item está certo.

24 O nível de concentração de álcool na corrente 27 A liberdade de exercer qualquer trabalho, ofício


sanguínea da pessoa em questão foi superior a 1 ou profissão, atendidas as qualificações profis-
g/L por pelo menos 23 horas. sionais que a lei estabelecer, é um exemplo de
norma constitucional de eficácia limitada.
Certo.
Devemos igualar a função a 1: Errado.
-0,008(t² -35t +34) = 1 As normas de eficácia limitada nascem com aplicabi-
-8t² + 280t - 272 = 1000 lidade indireta, mediata e reduzida. Para produzirem
-8t² + 280t - 1272 = 0 :(8) todos os seus efeitos, precisam da edição de norma
-t² + 35T - 159 = 0 regulamentadora, a cargo do legislador ordinário.
x1 = 5,35 É o que acontece com o direito de greve do servidor
x2 = 29, 65 público. Isso porque o artigo 37, VII, da Constituição
dispõe que o servidor poderá exercer o direito de gre-
Intervalo x1 – x2 = 29,65 - 5,35 = 24,3 ve nos termos e limites fixados em lei específica. Ou
seja, seria necessária a edição de lei ordinária para
25 O valor de t2 é inferior a 36. regulamentar e limitar o direito.
Nas normas de eficácia contida (restringível ou redutí-
Certo. vel), acontece exatamente o inverso: as normas nas-
Vamos calcular o zero da função: cem com aplicabilidade direta e imediata, mas pode vir
- 0,008(t² - 35t + 34) = 0 (x 1000) outra norma (de igual hierarquia ou inferior) e reduzir
- 8(t² - 35t + 34) = 0 : (- 8) sua aplicabilidade.
t² - 35t + 34 = 0 Exemplificando, o artigo 5º, XIII, da Constituição dispõe
t0 = 1 ou t2 = 34 que é livre o exercício de qualquer ofício, trabalho ou
profissão, atendidas as qualificações que a lei exigir.
Repare que, sem a parte sublinhada, nós teríamos
No que se refere aos princípios fundamentais da uma norma plena, com o livre direito. No entanto, pode
Constituição Federal de 1988 (CF) e à aplicabilidade haver uma lei exigindo qualificações específicas. É o
das normas constitucionais, julgue os itens a seguir. que acontece, por exemplo, com a Lei n. 8.906/1994,

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 4


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

que exige o diploma de bacharel em Direito, além de compõem o rol de princípios que regem o Brasil nas
aprovação no Exame de Ordem para aqueles que relações internacionais, previsto no artigo 4º da Cons-
querem exercer a advocacia. tituição – norma programática.
Portanto, o item está errado, pois a norma em questão
é de eficácia contida, e não limitada.
Julgue os itens subsequentes, relativos aos direi-
tos e garantias fundamentais previstos na CF.
28 Decorre do princípio constitucional fundamental
da independência e harmonia entre os poderes 30 Consideram-se brasileiros naturalizados os nas-
a impossibilidade de que um poder exerça fun- cidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe
ção típica de outro, não podendo, por exemplo, o brasileira, desde que sejam registrados em re-
Poder Judiciário exercer a função administrativa. partição brasileira competente ou venham a re-
sidir na República Federativa do Brasil e optem,
Errado. em qualquer tempo, depois de atingida a maiori-
Voltando ao tema que comentamos no primeiro item, dade, pela nacionalidade brasileira.
é certa a afirmação de que o Poder emana do povo.
No entanto, visando a um melhor funcionamento da Errado.
máquina pública, Montesquieu desenvolveu a teoria O item está errado, porque a situação ali colocada ca-
da separação dos poderes, desdobrando-os em três: racteriza a condição de brasileiro nato.
Executivo, Legislativo e Judiciário. Repare que será nato o filho de pai ou de mãe brasilei-
Cada um deles exerce uma função principal, chamada ra, nascido no exterior (critério sanguíneo), desde que:
de típica, bem como funções secundárias, as atípicas. a) seja registrado em repartição brasileira competente; ou
b) venha a residir no Brasil e opte, a qualquer tempo,
Poder Função típica Funções atípicas após a maioridade, pela nacionalidade brasileira.
Preste atenção a um fato: a pessoa pode optar a qual-
1 Legislar: por exemplo, ao
editar uma medida provisória quer tempo (após a maioridade) e sua opção surtirá
ou um decreto autônomo. efeitos retroativos ao nascimento.
2 Julgar: julgamentos Ou seja, o cidadão será brasileiro nato desde o nasci-
Administrar feitos pelo CADE acerca da mento. Então, eventual pedido de extradição formula-
Executivo possível formação de cartéis
(executar) do por outro país, mesmo por crimes praticados antes
ou outras formas de violação
da concorrência. Ainda, os da opção pela nacionalidade brasileira, não serão de-
julgamentos feitos pelo CARF, feridos pelo Brasil.
órgão envolvido na Operação
Zelotes. Dito isso, o item está errado.

1 Legislar: elaboração de
Regimentos Internos. 31 No caso de iminente perigo público, a autoridade
Judiciário Julgar 2 Administrar: “cuidar” de competente poderá usar de propriedade particu-
seus servidores. Ex.: conceder lar, assegurada ao proprietário indenização ulte-
férias.
rior, se houver dano.
1 Julgar: processar e julgar
as autoridades indicadas pela
CF/88 (art. 52). Ex.: Pres. da
Certo.
Legislativo
Legislar e República. Item sem maior grau de complexidade, que repete o
fiscalizar
2 Administrar: “cuidar” inciso XXV do artigo 5º da Constituição.
de seus servidores. Ex.: Sobre o direito de propriedade, aproveito para desta-
concessão de horas extras. car que o tema é tratado em diferentes pontos da CF.
De um lado, há a previsão no sentido de ser assegura-
Logo, o item está errado, porque o Judiciário pode do o direito de propriedade.
exercer função administrativa (atípica) quando, por No entanto, dentro da ideia de inexistência de direito
exemplo, concede férias a seus servidores e membros. absoluto, em algumas situações, poderia haver a de-
sapropriação e, em outras, a expropriação.
29 No que se refere às relações internacionais, a Re- Duas são as hipóteses:
pública Federativa do Brasil rege-se pelos princí-
pios da igualdade entre os Estados, da cooperação a) Se for para atender à necessidade/utilidade pública
entre os povos para o progresso da humanidade e ou ao interesse social, desapropriação deverá ser in-
da concessão de asilo político, entre outros. denizada previamente e em dinheiro, ressalvados os
casos previstos na Constituição;
Certo. b) Se a propriedade não estiver atendendo sua função
O item está certo, porque todos os princípios citados social, poderá haver a desapropriação-sanção. Trata-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 5


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

-se, como o próprio nome deixa transparecer, de uma Expropriação


punição. Nesse caso, a indenização paga em títulos das glebas
onde forem
da dívida pública ou títulos da dívida agrária, resgatá- localizadas
veis em até 10 ou 20 anos, respectivamente. culturas ilegais
de plantas
psicotrópicas
ou exploração
O tema relativo à intervenção do Estado na proprie- de trabalho
dade está sempre caindo nas provas, especialmente escravo – EC
n. 81/2014.
de direito administrativo. Então, é bom lembrar que a Expropriação (Serão NÃO há
União.
desapropriação é apenas umas das formas de inter- confiscatória destinadas indenização.
ao assento
venção. Além dela, há também previsão de servidão de colonos,
para o cultivo
administrativa, ocupação temporária, limitações admi- de produtos
nistrativas, tombamento e a requisição temporária. alimentícios e
medicamentos
Em relação à requisição temporária, está previsto que E/OU a
programas
o poder público pode usar a propriedade particular em de habitação
casos de iminente perigo público, devendo indenizar popular – EC n.
81/2014).
se houver prejuízo (não é sempre que se indeniza).
Há também a possibilidade de expropriação, contida
no artigo 243 da CF. Nela, não haverá qualquer in- 32 O estrangeiro condenado por autoridades estran-
denização, podendo o proprietário responder criminal- geiras pela prática de crime político poderá ser
mente por sua conduta. São duas as hipóteses de ex- extraditado do Brasil se houver reciprocidade do
propriação: terras nas quais se cultivem substâncias país solicitante.
psicotrópicas (no caso do Brasil, maconha e haxixe,
essencialmente) e terras nas quais se utilize mão de Errado.
obra escrava, introduzida pela EC n. 81/2014, e fruto O brasileiro nato nunca pode ser extraditado! Essa fra-
da “PEC do Trabalho Escravo”. se é correta, mas depende de que ponto de vista. Veja:
Ainda sobre o tema, há previsão de que a pequena ele nunca será extraditado pelo Brasil, obviamente
propriedade rural, desde que trabalhada pela família, (extradição passiva). Em outras palavras, o Brasil não
não será objeto de penhora para pagamento de débi- enviará o seu cidadão para outro país, para lá ser pro-
tos decorrentes de sua atividade produtiva. cessado.
Contudo, pode, perfeitamente, ser extraditado para o
DESAPROPRIAÇÃO/EXPROPRIAÇÃO Brasil, por outra nação, a pedido de nosso país (extra-
MODALIDADE ESPÉCIE INDENIZAÇÃO COMPETÊNCIA dição ativa). É o caso do famoso banqueiro Salvatore
Cacciola, enviado pelo Principado de Mônaco para o
Desapropriação
por utilidade ou
Indenização Brasil.
Desapropriação PRÉVIA, Todos os entes
necessidade
pública ou
ordinária. JUSTA e em federados. Outro ponto relevante: caso um brasileiro, voluntaria-
dinheiro.
interesse social mente, opte por outra nacionalidade, ele perderá a
Refere-se condição de brasileiro. Em consequência, poderá ha-
ao imóvel Indenização ver a extradição.
localizado na em títulos da
área urbana dívida pública, Essa situação, aliás, aconteceu na vida real e chegou
Desapropriação Municípios
que não atende resgatáveis em
urbanística
à respectiva até 10 anos –
e DF. ao Superior Tribunal Federal (STF).
função social. autorização do No caso concreto, uma brasileira optou pela cidadania
Possui caráter Senado.
subsidiário. norte-americana, mas, depois de matar seu compa-
nheiro nos Estados Unidos da América (EUA), fugiu
Indenização
Imóvel rural que em títulos da
União (objetivo para o Brasil.
Desapropriação único de
rural
não atende à dívida agrária,
implementar
Os EUA pediram a extradição, mas a defesa da acusa-
função social. resgatáveis em
até 20 anos.
a reforma da alegava que isso não seria possível, devido à sua
agrária).
condição de brasileira nata, na medida em que nenhu-
ma manifestação do governo brasileiro tinha existido
até então.
O STF entendeu pela possibilidade de extradição,
pontuando que a natureza da decisão que reconhe-
ce a perda da nacionalidade era declaratória. Assim,
reconhecia algo que já existiu em data retroativa (mo-
mento da opção voluntária por outra nacionalidade).
Na prática, equivaleria a dizer que nós estávamos ex-
traditando um estrangeiro, pois a pessoa deixou de
ser brasileira no momento em que pediu, voluntaria-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 6


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

mente e fora das hipóteses constitucionais de manu- sendo ele residente no Brasil. Isso acontece porque o
tenção da nacionalidade, para ser nacional de outro registro de ocorrência policial nada mais é do que uma
país (STF, MS 33.864). das formas do exercício do direito de petição.
Já o brasileiro naturalizado pode ser extraditado em O caput do artigo 5º dispõe menos do que deveria. É
duas hipóteses, quais sejam: a) crime comum prati- que ele assegura a inviolabilidade dos direitos à vida,
cado antes da naturalização; e b) envolvimento com à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade
o tráfico ilícito de entorpecentes, antes ou depois da aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país.
naturalização. Já o STF entende que essa inviolabilidade vale para
Por fim, o estrangeiro, em regra, pode ser extraditado. todos os que estejam no país.
Entretanto, tratando-se de crime político ou de opi-
nião, além de não haver extradição, poderá o Brasil
A respeito da organização político-administrativa
conceder asilo político (artigo 4º da CF/1988).
do Estado e da Administração Pública, julgue os itens
Logo, o item está errado.
que se seguem.

33 Aos que comprovem insuficiência de recursos é 35 O Distrito Federal (DF) é ente federativo autôno-
assegurada a gratuidade na prestação de assis- mo, pois possui capacidade de auto-organização,
tência jurídica integral pelo Estado. autogoverno e autoadministração, sendo vedado
subdividi-lo em municípios.
Certo.
Vendo as provas atuais e comparando-as com a que Certo.
estou comentando, dá para perceber um avanço notá- A União, os estados, o DF e os municípios compõem a
vel no grau de complexidade. República Federativa do Brasil (RFB). A RFB é dotada
Digo isso porque, uma vez mais, cobrou-se o texto li- de soberania, já os entes possuem autonomia tríplice:
teral da Constituição, repetindo-se o inciso LXXIV do financeira, administrativa e política (FAP).
artigo 5º, o que torna o item certo. Diferentemente dos estados e dos territórios federais
Avançando, atualmente o conhecimento da lei seca (se criados), o DF não pode ser dividido em município,
continua sendo fundamental, mas as bancas têm tri- o que torna o item certo.
lhado pela necessidade de interpretar situações-pro- Outra coisa: a autonomia do DF é parcialmente tutela-
blema apresentadas ou ainda exigir conhecimento so- da pela União, pois é ela quem organiza e mantém a
bre a jurisprudência do STF e do STJ, especialmente PMDF, a PCDF, o CBMDF, o TJDFT e o MPDFT.
as súmulas desses Tribunais.
Fique de olho, pois a próxima prova virá mais difícil.
36 Conforme o STF, a responsabilidade civil das em-
É por meio da Defensoria Pública (instituição dotada
presas prestadoras de serviço público é objetiva,
de autonomia administrativa, funcional e orçamentá-
mesmo em relação a terceiros não usuários do
ria) que o Estado presta a assistência jurídica aos ne-
serviço público.
cessitados.
Certo.
34 Somente aos brasileiros e aos estrangeiros resi- Há alguns anos, o STF (RE 591.874) modificou a sua
dentes no país é assegurado o direito de petição jurisprudência e, de lá para cá, entende que as per-
em defesa de direitos ou contra ilegalidade ou missionárias e concessionárias prestadoras de servi-
abuso de poder. ço público respondem objetivamente em relação aos
danos causados tanto a usuários quanto a terceiros
Errado. não usuários do sistema. Isso torna o item correto.
A Constituição dispõe que tanto o direito de certidão
quanto o direito de petição são assegurados a todos,
37 Os atos de improbidade administrativa importa-
independentemente do pagamento de taxas.
rão ao agente a suspensão dos direitos políticos,
Pelo próprio texto constitucional, já se vê que não há
a perda da função pública, a indisponibilidade
restrição aos brasileiros e estrangeiros residentes no
dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e
país, mas um exemplo pode deixar as coisas ainda
gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação
mais claras.
penal cabível.
Imagine a seguinte situação: um turista norte-america-
no visita o Rio de Janeiro e é assaltado no calçadão
Certo.
de Copacabana.
Está na Constituição a previsão segundo a qual o
Pergunta: nesse caso, ele pode registrar uma ocorrên-
agente que praticar atos de improbidade administra-
cia policial na delegacia mais próxima?
tiva sofrerá a suspensão de direitos políticos, a perda
Não há dúvidas de que a resposta é sim, mesmo não
da função pública, a indisponibilidade de bens e a im-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 7


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

posição de ressarcimento do erário. Só isso já torna ção por quebra de decoro, a ser julgada na respectiva
correto o item, mas vou avançar. Casa, além da LIA. Aliás, foi essa a razão de se ter
É sempre bom lembrar que a ação de improbidade ad- mantido decisão do TJDFT que suspendeu os direitos
ministrativa não tem caráter penal. As punições pos- políticos da então Deputada Federal Jaqueline Roriz
suem natureza administrativa. Porém, nada impede a (STF, Reclamação 18.183).
responsabilização também na esfera criminal, caso os
fatos se amoldem a alguma conduta penalmente típica.
38 Em se tratando de matéria para a qual se pre-
Regulamentando o preceito constitucional, foi editada
veja a competência legislativa concorrente, a CF
a Lei n. 8.429/1992 – Lei de Improbidade Administrati-
autoriza os estados a exercerem a competência
va (LIA), de grande incidência nas provas.
legislativa plena para atenderem a suas peculiari-
Ela distingue os atos de improbidade administrativa
dades se inexistir lei federal sobre normas gerais.
em quatro espécies: a) atos que importam enriqueci-
mento ilícito (artigo 9º); b) atos que causam prejuízo
Certo.
ao erário (artigo 10); c) atos decorrentes da conces-
Somente a União, os estados e o DF têm competência
são ou aplicação indevida de benefício financeiro ou
concorrente. Assim, ficam de fora os municípios e os
tributário (artigo 10-A); e d) atos que atentam contra os
territórios.
princípios da Administração Pública (artigo 11).
Nessa competência, a União estabelece normas ge-
Cabe ressaltar que a terceira hipótese apresentada foi
rais, enquanto os estados e o Distrito Federal estabe-
acrescentada pela Lei Complementar n. 157, de 2016.
lecem normas suplementares.
Avançando, no artigo 12 da LIA, há a previsão de
Eu costumo pensar que a União faz a cabeça, deixan-
punições, em uma evidente gradação das condutas.
do o corpo para os estados e o DF.
Exemplificando:
“Tá, mas e se a União não faz a norma geral?”
A suspensão dos direitos políticos pode variar entre
Eu aprendi que não pode haver mula sem cabeça.
três patamares: 3 a 5 anos; 5 a 8 anos; e 8 a 10 anos.
Nessa hipótese, os estados e o DF poderão fazer tan-
Há um ponto que tira o sossego de muitos(as)
to as normas gerais quanto as suplementares, ocasião
concurseiros(as): estou falando do julgamento de
em que possuirão a chamada competência plena.
agentes políticos por atos previstos na LIA.
Mas, assim como não pode existir mula sem cabeça,
Nesse ponto, há dois questionamentos fundamentais:
também não pode haver bicho de duas cabeças.
1) a incidência – ou não – da LIA para as autoridades
É exatamente por isso que, se posteriormente a União
sujeitas aos Crimes de Responsabilidade; 2) em situ-
editar as normas gerais que lhe cabiam, aquela feita
ação de resposta positiva no primeiro caso, a quem
pelos estados ou pelo DF ficará com sua eficácia sus-
caberia o julgamento.
pensa, na parte em que for contrária.
Há alguns anos, no STF, houve um julgamento que
pontuava a não incidência da LIA às autoridades sub-
metidas à Lei n. 1.079/1950. Usava-se, inclusive, uma No que concerne ao Poder Executivo e ao Poder
frase de sucesso: “quem vai por responsabilidade não Judiciário, julgue os itens subsecutivos.
vai por improbidade” (STF, RCL 2.138).
Hoje não é mais assim! 39 Compete originariamente ao Superior Tribunal de
Ao contrário! O STF e o STJ entendem que os agentes Justiça (STJ) julgar o litígio entre Estado estran-
políticos estão submetidos à dupla sujeição: eles res- geiro ou organismo internacional e a União, os
pondem tanto ao regime de responsabilização política, estados ou o DF.
mediante impeachment (Lei n. 1.079/1950), quanto
por ato de improbidade administrativa, previsto na LIA Errado.
(STF, AC 3.585). Fique atento para um diferencial importante: os pro-
Ainda, se considerado o possível cometimento tam- cessos que envolvem Estado Estrangeiro ou Organis-
bém de crime comum, poderíamos falar em tripla res- mo Internacional podem começar diretamente no STF
ponsabilização. ou no Juiz Federal de primeiro grau.
Então, exemplificando, um governador de estado ou do O que define se a causa será julgada lá em cima (STF)
DF poderia responder por crime comum (no STJ), por ou lá embaixo (JF de 1º grau) é quem está do outro
crime de responsabilidade (perante um Tribunal Espe- lado.
cial, previsto na Lei n. 1.079/1950) e por ação de im- Se for a União, os estados, o Distrito Federal ou os
probidade administrativa, perante Juiz de 1ª instância. territórios, a competência será do STF.
Já no caso dos prefeitos, haveria a submissão à LIA, Por outro lado, se envolver pessoa (natural ou jurídi-
além da responsabilização política e criminal esta- ca) ou município, o julgamento do caso caberá ao Juiz
belecida no Decreto-Lei n. 201/1967 (STJ, RESP Federal de 1º grau.
1.470.579). Nesse último caso (EE ou OI x Pessoa ou Município),
Quanto aos parlamentares, incidiria a responsabiliza- quem quiser recorrer deve ir ao STJ usando um recur-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 8


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

so ordinário (RO). Certo.


Vamos sistematizar? Veja que o Decreto dispõe que “II – O servidor público
EE ou OI contra U, E, DF e T >>> julgamento no STF. não poderá jamais desprezar o elemento ético de sua
EE ou OI contra Pessoa ou M > julgamento pelo Juiz conduta. Assim, não terá que decidir somente entre o
Federal, com RO para o STJ. legal e o ilegal, o justo e o injusto, o conveniente e o
inconveniente, o oportuno e o inoportuno, mas princi-
palmente entre o honesto e o desonesto”.
40 Compete privativamente ao presidente da Repú-
blica conceder indulto e comutar penas, ouvidos,
se necessário, os órgãos instituídos em lei. No que se refere aos deveres do servidor público,
previstos no Código de Ética Profissional do Servidor
Certo. Público Civil do Poder Executivo Federal, julgue os
O item está certo, porque cabe ao Presidente da Re- próximos itens.
pública conceder a graça (perdão individual), o indulto  
(perdão coletivo) e a comutação (perdão coletivo, mas 43 Os registros que consistiram em objeto de apu-
parcial). Por outro lado, a anistia é concedida pelo Po- ração e aplicação de penalidade referentes à
der Legislativo. Se a anistia envolver crimes, só pode conduta ética do servidor devem ficar arquiva-
ser dada pelo Congresso Nacional, pois compete à dos junto à comissão de ética e não podem ser
União legislar sobre direito penal. Já nos casos de pu- fornecidos a outras unidades do órgão a que se
nição administrativa, a anistia também pode ser feita encontre vinculado o servidor.
por Assembleia Legislativa.
Avançando, lembro que a concessão de indulto e a Errado.
comutação de penas são atribuições do Presidente Veja que a comissão de ética pode fornecer informa-
da República que podem ser delegadas aos Minis- ções a respeito dos registros éticos do servidor para
fundamentar decisões de órgãos que cuidem da gestão
tros de Estado, à Advocacia-Geral da União (AGU) e
da carreira dos servidores. Inciso XVIII: “À Comissão de
à Procuradoria-Geral da República (PGU) – artigo 84,
Ética incumbe fornecer, aos organismos encarregados
parágrafo único, da Constituição.
da execução do quadro de carreira dos servidores, os
registros sobre sua conduta ética, para o efeito de ins-
A respeito da ética no serviço público, julgue os truir e fundamentar promoções e para todos os demais
itens subsequentes. procedimentos próprios da carreira do servidor público”.

41 Considere que os usuários de determinado serviço


44 Estará sujeito à penalidade de censura, a qual é
público tenham formado longas filas à espera de
aplicada pela comissão de ética, mediante pare-
atendimento por determinado servidor que, embora
cer assinado por todos os seus integrantes, o ser-
responsável pelo setor, não viabilizou o atendimen-
vidor que violar algum de seus deveres funcionais.
to. Nessa situação, segundo dispõe a legislação de
regência, a atitude do servidor caracteriza conduta
Certo.
contrária à ética e ato de desumanidade, mas não Veja o inciso XXII: “A pena aplicável ao servidor públi-
grave dano moral aos usuários do serviço. co pela Comissão de Ética é a de censura e sua fun-
damentação constará do respectivo parecer, assinado
Errado. por todos os seus integrantes, com ciência do faltoso”.
O Decreto n. 1171/1994 deixa claro que permitir a for-
mação de longas filas constitui, sim, dano moral ao
usuário dos serviços públicos. Veja o inciso X: “Deixar 45 A publicidade de ato administrativo, qualquer que
o servidor público qualquer pessoa à espera de solu- seja sua natureza, constitui requisito de eficácia
ção que compete ao setor em que exerça suas fun- e moralidade.
ções, permitindo a formação de longas filas, ou qual-
quer outra espécie de atraso na prestação do serviço, Errado.
não caracteriza apenas atitude contra a ética ou ato de Veja que o inciso já começa com as exceções. “VII –
Salvo os casos de segurança nacional, investigações
desumanidade, mas principalmente grave dano moral
policiais ou interesse superior do Estado e da Admi-
aos usuários dos serviços públicos”.
nistração Pública, a serem preservados em processo
previamente declarado sigiloso, nos termos da lei, a
42 O elemento ético deve estar presente na conduta publicidade de qualquer ato administrativo constitui re-
de todo servidor público, que deve ser capaz de quisito de eficácia e moralidade, ensejando sua omis-
discernir o que é honesto e desonesto no exercí- são comprometimento ético contra o bem comum, im-
cio de sua função. putável a quem a negar”.

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 9


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Considerando a figura acima, que ilustra uma


janela do Broffice.org Calc com uma planilha em
edição, julgue o item abaixo.

48 Na planilha em questão, as células E3 e F4 serão


preenchidas com os valores 7 e 17, respectiva-
mente, após a execução da seguinte sequência
de ações: clicar a célula E3; digitar =B2+C3 e,
em seguida, teclar ; clicar novamente a célu-
la E3; clicar o botão ; clicar a célula F4; e clicar
o botão .
Tendo como referência a figura acima, que ilustra
uma janela do BrOffice.org Writer com um texto em Certo.
edição, julgue os itens a seguir. Temos em E3 = B2+C3, ou seja, 1+6 total 7. Como to-
das as referências da fórmula “=B2+C3” são relativas,
46 Na situação da janela apresentada, para se criar ao mudar uma coluna para direita e uma linha para
um novo documento, em branco, é suficiente cli- baixo (copiar de E3 para F4), as respectivas referên-
car, com o botão esquerdo do mouse, o botão , cias irão mudar na mesma proporção (B2 – Coluna
que está localizado logo abaixo do menu . “B”+1 -» Linha “2”+1 -» 3 – nova referência “C3”) e
(C3 – Coluna “C”+1 -» “D” – Linha “3”+1 -» 4 – nova
Certo. referência “D4”). Ou seja, quando colamos a fórmula
É muito comum que a banca Cespe cobre botões dos (=B2+C3), que está na célula “E3”, na célula “F4”, ela
programas, bem como seus atalhos e a maneira de fica assim =C3+D4 =6+11, total 17.
executá-los (passo a passo). Nesse caso, o atalho
para abrir um novo documento é o CTRL+N.

47 Na situação mostrada na figura, para se aplicar


negrito à palavra “valores”, é suficiente aplicar,
com o botão esquerdo do mouse, um clique du-
plo sobre a palavra, pressionar e manter pressio-
nada a tecla e teclar.

Anulado.
Justificativa da banca Cespe: Deferido com anula-
ção. Na redação do item, o termo “clicar B” seria utili- Tendo como referência a figura acima, que mostra
zado caso o programa estivesse em inglês. Entretanto, uma janela do Google Chrome, julgue os itens subse-
o comando da prova especifica que todos os progra- quentes, a respeito de redes de computadores e segu-
mas devem estar com padrões na língua portuguesa. rança da informação.
Portanto, opta-se pela anulação do gabarito.
Comentário: O argumento para anulação é totalmen- 49 Ao contrário de um vírus de computador, que é
te sem nexo, uma vez que o programa, mesmo em capaz de se autorreplicar e não necessita de um
português do Brasil, usa o referido atalho. programa hospedeiro para se propagar, um worm
não pode se replicar automaticamente e necessi-
ta de um programa hospedeiro.

Errado.
Vírus precisa de um arquivo hospedeiro, precisa ser
executado para iniciar a contaminação e pode criar
cópias de si mesmo. Já o worm não usa arquivo hos-
pedeiro, não precisa ser executado, pode criar cópias
de si mesmo e propaga-se pela rede, explorando vul-
nerabilidades.

50 Na situação mostrada na figura, ao se clicar o bo-


tão , todos os arquivos com extensão .doc que
estivem na área de transferência do Windows se-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 10


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

rão armazenados em nuvem (cloud storage). versão atual desse navegador, o botão está assim:
). Para realizar o que está descrito na questão,
Anulado. seria necessário fazer o upload (envio) do arquivo
Justificativa da banca Cespe: A grafia da palavra utilizando um programa instalado na máquina (MS
“estivem” pode ter induzido os candidatos ao erro, mo- OneDrive, Dropobox etc.), ou diretamente por um na-
tivo pelo qual se opta pela anulação do item. vegador, por exemplo, para um dos serviços citados.
O botão apresentado dá acesso a um menu chama-
do "Personalizar e Controlar o Google Chrome" (e, na

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
Nos itens que avaliam conhecimentos específicos, a sigla PRF, sempre que empregada, refere-se a Policia Rodoviária Federal ou a policial
rodoviário federal, conforme o contexto.

51 Em razão da responsabilidade civil objetiva da Assim, um dos atos impassíveis de delegação é a


administração, o PRF será obrigado a ressarcir apreciação de recursos administrativos. Para entender
os danos causados à administração e a tercei- isso melhor, imagine o seguinte: uma autoridade qual-
ros, independentemente de ter agido com dolo ou quer toma uma decisão que tenha sido potencialmen-
culpa. te prejudicial a um particular, em um processo admi-
nistrativo. O particular então recorre (há uma nuance
Errado. interessante no andamento do recurso administrativo
A responsabilidade civil ocorre quando alguém cau- que veremos mais para frente). O recurso administra-
sa prejuízos a outrem. Na Constituição Federal (CF), tivo é encaminhado, então, pela via hierárquica para
encontra-se a seguinte disposição (§ 6º do artigo 37): a autoridade. Suponha que essa autoridade superior
pudesse delegar a competência para a apreciação do
As pessoas jurídicas de direito público e as de recurso. Resultado: a autoridade hierárquica superior
direito privado prestadoras de serviços públicos poderia delegar a apreciação da matéria para a au-
responderão pelos danos que seus agentes, nes- toridade que adotou a decisão administrativa inicial,
sa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o
decisão esta que o potencial prejudicado quer ver re-
direito de regresso contra o responsável nos casos
formulada. Daí, há uma grande chance de “não valer
de dolo ou culpa.
nada” o recurso, pois este seria apreciado pelo mes-
mo responsável pela apreciação inicial.
Note que quem responde pelo prejuízo é a PESSOA
Sendo assim, CORRETO O ITEM: não é possível a de-
JURÍDICA com a qual o agente público mantém o vín-
legação para apreciação de recursos administrativos.
culo. No caso do item, quem responderá será a União,
já que a Polícia Rodoviária é órgão desta. O PRF será
acionado, se for o caso, mediante ação regressiva (re- 53 Ainda que seja absolvido por ausência de provas
leia o dispositivo transposto acima), não devendo ser em processo penal, o PRF poderá ser processa-
acionado diretamente, a princípio. do administrativamente por eventual infração dis-
ciplinar cometida em razão do acidente.
52 Não poderá ser objeto de delegação a decisão
Certo.
referente a recurso administrativo interposto pelo
Tema: Independência das Esferas – Responsabiliza-
PRF contra decisão que lhe tiver aplicado penali-
ção do Servidor – Agentes Públicos
dade em razão do acidente.
A absolvição penal negando a autoria do crime ou afir-
Certo.
mando a inexistência do fato interfere nas outras duas
Tema: Processo Administrativo (Lei n. 9.784/1999)
esferas (civil e administrativa). Nesse sentido, estabe-
Comentário:
lece a Lei n. 8.112/1990:
A Lei n. 9.784/1999 estabelece normas gerais sobre os
processos administrativos federais. Nesse contexto,
Art. 126. A responsabilidade administrativa do ser-
registra o aludido normativo (destaque feito por nós): vidor será afastada no caso de absolvição criminal
que negue a existência do fato ou sua autoria.
Art. 13. Não podem ser objeto de delegação:
I – a edição de atos de caráter normativo;
Por que a esfera criminal repercute nas demais? Bom,
II – a decisão de recursos administrativos;
basicamente isso se deve à apreciação das provas
III – as matérias de competência exclusiva do ór-
na esfera criminal, que, em tese, é muito mais ampla,
gão ou autoridade.
mais minudente. De fato, o Juiz criminalista é o mais
cuidadoso possível na condução do processo de sua

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 11


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

competência e na aplicação da pena de sua alçada. É rio da Administração. A revogação do ato opera da data
que as penas “capitais” em nosso país, praticamente, em diante, ou seja, tem efeitos ex nunc (proativos).
vêm da esfera criminal. Com efeito, não há prisão por Pois bem, no caso de anulação, o que ocorre é que
dívida/civil no Brasil, salvo aquele caso “bobo” que o o ato estava eivado de vício. E, por isso, precisa ser
examinador não coloca mais em prova: não pagamen- retirado do mundo jurídico com efeitos ex tunc (re-
to de pensão alimentícia. E, na esfera administrativa, troativos). O item examinado mistura os conceitos:
as penalidades são bem menos gravosas que a priva- quando um ato ilegal é praticado, sua extinção se dá
ção de liberdade. por ANULAÇÃO, e não por revogação. Por isso, está
De toda forma, se, na esfera criminal, houve a absol- ERRADO!
vição por insuficiência de provas, o resultado não
interfere nas demais instâncias, nas quais se poderia
55 Por ser órgão do Ministério da Justiça, a PRF é
muito bem aplicar punições ao servidor infrator. Um
órgão do Poder Executivo, integrante da adminis-
pequeno exemplo ajuda muito para o entendimento do
tração direta.
que se fala. Vejamos.
Suponhamos que haja desaparecido um notebook em
Certo.
uma instituição pública. Feita a denúncia criminal e
(Conforme legislação atual de fevereiro de 2018, o
instaurado o processo judicial, o juiz responsável ab-
item se torna ERRADO.)
solve o potencial infrator, pela falta de provas cabais
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) é órgão do Poder
que levem à conclusão de que aquele servidor seria,
Executivo, integrante da administração direta. Porém,
efetivamente, o culpado. A situação, que não é tão
deve-se ficar atento ao Ministério, pois, após o MP
rara, ocorre, no essencial, por conta de dois princípios:
821, de fevereiro de 2018, a PRF passa a ser órgão
em dúvida, em benefício do réu; e todos são inocentes
do Ministério Extraordinário da Segurança Pública.
até que se PROVE o contrário. Desse modo, havendo
dúvida se o servidor seria, ou não, culpado, resta ao
juiz absolvê-lo. 56 Os atos praticados pelos agentes públicos da
Pois bem, instaurado um processo administrativo (de PRF estão sujeitos ao controle contábil e finan-
natureza disciplinar, ressalte-se), a Administração ceiro do Tribunal de Contas da União.
estaria impedida de aplicar uma punição ao faltoso?
NÃO. Por exemplo: adverti-lo, em razão de não ter Certo.
guardado o equipamento em local adequado, no qual Tema: Tribunais de Contas – Controle da Administração
ficasse fora do alcance de pessoas mal-intenciona-
das. Em suma: é possível punição administrativa Todos que têm, sob sua guarda, valores públicos têm
no caso de absolvição criminal POR INSUFICIÊN- o dever de prestar contas (parágrafo único do artigo
CIA DE PROVAS, até em razão mesmo da natureza 70 da Constituição Federal). Nesse contexto, dispõe
das punições administrativas, bem mais “leves” nossa CF:
que as criminais.
Art. 71. O controle externo, a cargo do Congresso
Nacional, será exercido com o auxílio do Tribunal
A respeito da organização do Departamento de Polícia de Contas da União, ao qual compete:
Rodoviária Federal e da natureza dos atos praticados [...]
por seus agentes, julgue os itens que se seguem. IV – realizar, por iniciativa própria, da Câmara dos
Deputados, do Senado Federal, de Comissão téc-
54 Praticado ato ilegal por agente da PRF, deve a nica ou de inquérito, inspeções e auditorias de
administração revogá-lo. natureza contábil, financeira, orçamentária, opera-
cional e patrimonial, nas unidades administrativas
dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, e
Errado.
Tema: Revogação – Atos Administrativos demais entidades referidas no inciso II.

Na Revogação do ato administrativo, ocorre a extin- Como os policiais rodoviários são servidores federais,
ção deste por razões de oportunidade e de conveni- o controle de suas ações, em termos de despesas, é
ência. Na revogação, um ato administrativo, legítimo e feito pelo TCU.
eficaz (gerador de efeitos) é suprimido pela Adminis-
tração – e somente por ela – por não mais lhe convir No que concerne ao regime jurídico do servidor
sua existência. público federal, julgue os próximos itens.
A revogação pressupõe, portanto, um ato legal e perfei-
to, mas que se tornou inconveniente ao interesse pú- 57 Anulado o ato de demissão, o servidor estável
blico, sendo certo que é inerente ao poder discricioná- será reintegrado ao cargo por ele ocupado an-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 12


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

teriormente, exceto se o cargo estiver ocupado, juízo da remuneração do cargo eletivo, e, não ha-
hipótese em que ficará em disponibilidade até vendo compatibilidade, será aplicada a norma do
aproveitamento posterior em cargo de atribui- inciso anterior.

ções e vencimentos compatíveis.


São dois os mandatos políticos municipais envolvidos:
Errado. o de prefeito e o de vereador. No caso do primeiro,
Tema: Reintegração – Agentes Públicos o servidor deverá se afastar do cargo; no caso do
segundo, poderá acumular, se houver compatibilidade
De imediato, vejamos o que dispõe a Lei n. 8.112/1990: de horários. Agora, releia o comando do item: perce-
beu o erro? No caso de servidor eleito para o cargo
Art. 28. A reintegração é a reinvestidura do servi- de prefeito, deverá haver, necessariamente, o afasta-
dor estável no cargo anteriormente ocupado, ou mento do cargo.
no cargo resultante de sua transformação, quando
invalidada a sua demissão por decisão adminis-
59 Não é possível a aplicação de penalidade a ser-
trativa ou judicial, com ressarcimento de todas as
vantagens.
vidor inativo, ainda que a infração funcional tenha
§ 1º Na hipótese de o cargo ter sido extinto, o servi- sido praticada anteriormente a sua aposentadoria.
dor ficará em disponibilidade, observado o disposto
nos arts. 30 e 31. Errado.
§ 2º Encontrando-se provido o cargo, o seu eventu- Tema: Penalidades – Agentes Públicos
al ocupante será reconduzido ao cargo de origem,
sem direito à indenização ou aproveitado em outro De início, vejamos o que dispõe a Lei n. 8.112/1990,
cargo, ou, ainda, posto em disponibilidade. Estatuto dos Servidores Públicos Federais:

A primeira parte do item está OK: quando uma demis- Art. 127. São penalidades disciplinares:
são é anulada, o servidor deve ser REINTEGRADO. O [...]
problema é a parte final: se o cargo do servidor reinte- IV - cassação de aposentadoria ou disponibilidade;

grado estiver ocupado, o eventual ocupante da vaga,


ou seja, quem está no lugar do reintegrado, é quem Perceba que aposentados, então, podem ser punidos
ficará em disponibilidade, até o adequado aproveita- sim. Em complemento, estabelece a referida lei:
mento. O item faz confusão entre as situações e, por
Art. 134. Será cassada a aposentadoria ou a dis-
isso, está ERRADO.
ponibilidade do inativo que houver praticado, na
atividade, falta punível com a demissão.
58 O servidor público federal investido em mandato
eletivo municipal somente será afastado do cargo Portanto, as conclusões a que se chegam são as se-
se não houver compatibilidade de horário, sen- guintes:
do-lhe facultado, em caso de afastamento, optar I. aposentados podem ser punidos sim; e,
pela sua remuneração. II. para isso, devem ter cometido, na atividade, faltas
puníveis com a demissão.
Errado. Sendo assim, o item está ERRADO, uma vez que dis-
Tema: Acumulação de cargos – Agentes Públicos põe não ser possível punir servidores aposentados.

As regras básicas quanto à acumulação de cargos po-


líticos são extraídas da própria CF. Vejamos (desta- 60 A nomeação para cargo de provimento efetivo
ques da nossa parte): será realizada mediante prévia habilitação em
concurso público de provas ou de provas e títulos
Art. 38. Ao servidor público da administração dire- ou, em algumas situações excepcionais, por livre
ta, autárquica e fundacional, no exercício de man- escolha da autoridade competente.
dato eletivo, aplicam-se as seguintes disposições
I – tratando-se de mandato eletivo federal, estadual Errado.
ou distrital, ficará afastado de seu cargo, emprego Tema: Nomeação – Agentes Públicos
ou função;
II – investido no mandato de Prefeito, será afastado
Para verificar o erro do item, vamos à Constituição Fe-
do cargo, emprego ou função, sendo-lhe facultado
deral (artigo 37, com destaques da nossa parte):
optar pela sua remuneração;
III – investido no mandato de Vereador, havendo
II – a investidura em cargo ou emprego público de-
compatibilidade de horários, perceberá as vanta-
pende de aprovação prévia em concurso público
gens de seu cargo, emprego ou função, sem pre-
de provas ou de provas e títulos, de acordo com a

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 13


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

natureza e a complexidade do cargo ou emprego, 62 A administração não pode estabelecer, unilateral-


na forma prevista em lei, ressalvadas as nomea- mente, obrigações aos particulares, mas apenas
ções para cargo em comissão declarado em lei de aos seus servidores e aos concessionários, per-
livre nomeação e exoneração. missionários e delegatários de serviços públicos.

A livre escolha por parte da autoridade, portanto, Errado.


não se refere à nomeação para cargos efetivos, mas Tema: Legalidade
sim para cargos comissionados.
Claro que a Administração pode estabelecer obriga-
No que se refere ao regime jurídico administra- ções aos particulares – mesmo que unilateralmente.
tivo, julgue os itens subsecutivos. Isso ocorre, por exemplo, nos atos decorrentes do
exercício do poder de polícia. Contudo, algo é funda-
61 Somente são considerados atos de improbida- mental: que as ações da Administração estejam am-
de administrativa aqueles que causem lesão ao paradas na lei, já que ninguém pode ser obrigado a
patrimônio público ou importem enriquecimento fazer ou deixar de fazer algo, senão em virtude de lei!
ilícito.
Com relação aos princípios, institutos e disposi-
Errado. tivos da parte geral do Código Penal (CP), julgue os
Tema: Improbidade Administrativa itens seguintes.

Item relativamente tranquilo. 63 Havendo conflito aparente de normas, aplica-


Basta ver o que dispõe a Lei de Improbidade Adminis- -se o princípio da subsidiariedade, que incide no
trativa (Lei n. 8.429/1992): caso de a norma descrever várias formas de rea-
lização da figura típica, bastando a realização de
Art. 9° Constitui ato de improbidade administrativa uma delas para que se configure o crime.
importando enriquecimento ilícito auferir qualquer
tipo de vantagem patrimonial indevida em razão
Errado.
do exercício de cargo, mandato, função, emprego
Quando a norma descreve várias formas de realização
ou atividade nas entidades mencionadas no art. 1°
desta lei, e notadamente:
da figura típica, bastando a realização de uma delas
[...] para que se configure o crime, estará sendo aplicado
Art. 10. Constitui ato de improbidade administra- o princípio da alternatividade.
tiva que causa lesão ao erário qualquer ação ou
omissão, dolosa ou culposa, que enseje perda
64 Considere a seguinte situação hipotética. Joa-
patrimonial, desvio, apropriação, malbaratamento
quim, plenamente capaz, desferiu diversos gol-
ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades
referidas no art. 1º desta lei, e notadamente:
pes de facão contra Manoel, com o intuito de
[...] matá-lo, mas este, tendo sido socorrido e levado
Art. 10-A. Constitui ato de improbidade adminis- ao hospital, sobreviveu. Nessa situação hipotéti-
trativa qualquer ação ou omissão para conceder, ca, Joaquim responderá pela prática de homicídio
aplicar ou manter benefício financeiro ou tributário tentado, com pena reduzida, levando-se em conta
contrário ao que dispõem o caput e o § 1º do art. a sanção prevista para o homicídio consumado.
8º-A da Lei Complementar nº 116, de 31 de julho
de 2003. Certo.
Art. 11. Constitui ato de improbidade administrativa
A tentativa ocorre quando o agente inicia a execução
que atenta contra os princípios da administração
do delito, mas ele não se consuma por circunstâncias
pública qualquer ação ou omissão que viole os de-
alheias à vontade do agente. Conforme o artigo 14,
veres de honestidade, imparcialidade, legalidade,
e lealdade às instituições, e notadamente:
parágrafo único, do Código Penal, em caso de crime
tentado, o agente responderá pela pena do homicídio
Há, portanto, quatro tipos de atos de improbidade. consumado com a diminuição de pena de um terço a
EM TEMPO: no tempo de aplicação da prova, ain- dois terços.
da não existia o tipo previsto no artigo 10-A. De todo
modo, a questão ainda assim seria errada, pois o co- 65 O princípio da legalidade é parâmetro fixador do
mando não considerou a existência dos atos de im- conteúdo das normas penais incriminadoras, ou
probidade que atentam contra princípios da Adminis- seja, os tipos penais de tal natureza somente po-
tração Pública. dem ser criados por meio de lei em sentido estrito.

Certo.

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 14


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Conforme o artigo 5º, XXXIX, da Constituição Federal, Certo.


e o artigo 1º do Código Penal, não há crime sem lei an- O artigo 29 do Código Penal, ao tratar do concurso de
terior que o defina, ou seja, pelo princípio da legalida- agentes, adota a teoria monista ao determinar que to-
de, somente lei em sentido estrito pode criar normas dos aqueles que concorrem para o crime responderão
penais incriminadoras no Brasil. pelo mesmo delito. No entanto, o artigo 29, § 1º, do refe-
rido código traz diferenciação para a figura do partícipe.
66 A extra-atividade da lei penal constitui exceção
à regra geral de aplicação da lei vigente à época No que se refere aos delitos previstos na parte
dos fatos. especial do CP, julgue os itens de 70 a 74.

Certo. 70 Considere a seguinte situação hipotética. Pedro e


A regra geral é a aplicação da lei penal vigente à épo- Marcus, penalmente responsáveis, foram flagrados
ca dos fatos, sendo certo que, em caso de sucessão pela polícia enquanto subtraíam de Antônio, me-
de leis no tempo, a norma penal mais branda terá for- diante ameaça com o emprego de arma de fogo,
ça retroativa e ultra-ativa, ou seja, força extra-ativa. um aparelho celular e a importância de R$ 300,00.
Pedro, que portava o celular da vítima, foi preso,
mas Marcus conseguiu fugir com a importância sub-
67 Considere que um indivíduo penalmente capaz,
traída. Nessa situação hipotética, Pedro e Marcus,
em total estado de embriaguez, decorrente de
em conluio, praticaram o crime de roubo tentado.
caso fortuito, atropele um pedestre, causando-
-lhe a morte. Nessa situação, a embriaguez não
Errado.
exclui a imputabilidade penal do agente.
Para a consumação do crime de roubo, basta a sub-
tração do patrimônio mediante o emprego da violência
Errado.
ou grave ameaça. Desse modo, tanto Pedro quanto
Conforme o artigo 28, § 1º, do Código Penal, a em-
Marcus responderão por roubo consumado, conforme
briaguez completa proveniente de caso fortuito exclui
súmula 582 do STJ, que assim dispõe: “Consuma-se o
a imputabilidade penal. Assim dispõe o artigo 28, § 1º:
crime de roubo com a inversão da posse do bem me-
“É isento de pena o agente que, por embriaguez com-
diante emprego de violência ou grave ameaça, ainda
pleta, proveniente de caso fortuito ou força maior, era,
que por breve tempo e em seguida à perseguição ime-
ao tempo da ação ou da omissão, inteiramente inca-
diata ao agente e recuperação da coisa roubada, sendo
paz de entender o caráter ilícito do fato ou de determi-
prescindível a posse mansa e pacífica ou desvigiada”.
nar-se de acordo com esse entendimento”.

71 Considere a seguinte situação hipotética. Apro-


68 O ordenamento jurídico brasileiro prevê a possi-
veitando-se da facilidade do cargo por ele exerci-
bilidade de ocorrência de tipicidade sem antiju-
do em determinado órgão público, Artur, servidor
ridicidade, assim como de antijuridicidade sem
público, em conluio com Maria, penalmente res-
culpabilidade.
ponsável, subtraiu dinheiro da repartição pública
onde trabalha. Maria, que recebeu parte do di-
Certo.
nheiro subtraído, desconhecia ser Artur funcioná-
O conceito analítico de crime define que o crime é
rio público. Nessa situação hipotética, Artur come-
formado de fato típico, antijurídico (ilícito) e culpável.
teu o crime de peculato, e Maria o delito de furto.
Dessa forma, para que o crime esteja perfeito, deve-
-se configurar, inicialmente, o fato típico e, se presente
Certo.
alguma causa excludente da ilicitude, ter-se-á apenas
O crime praticado por Artur foi o de peculato furto pre-
fato típico e não antijuridicidade. Da mesma forma, se
visto no artigo 312, § 1º, do Código Penal, que assim
presentes o fato típico e a antijuridicidade e estiver
dispõe: “Aplica-se a mesma pena, se o funcionário pú-
presente alguma excludente de culpabilidade (inimpu-
blico, embora não tendo a posse do dinheiro, valor ou
tabilidade, por exemplo), haverá fato típico e antijuridi-
bem, o subtrai, ou concorre para que seja subtraído,
cidade e não culpabilidade.
em proveito próprio ou alheio, valendo-se de facilida-
de que lhe proporciona a qualidade de funcionário”.
69 Em relação ao concurso de pessoas, o CP ado- Para que Maria respondesse por peculato, ela deve-
ta a teoria monista, segundo a qual todos os que ria saber da condição de funcionário público de Artur
contribuem para a prática de uma mesma infração e, desse modo, teria aplicação o artigo 30 do Código
penal cometem um único crime, distinguindo-se, Penal. Como ela não tinha conhecimento, responderá
entretanto, os autores do delito dos partícipes. por crime comum de furto.

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 15


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

72 O crime de concussão configura-se com a exi- to do qual a analogia não pode ser utilizada em prejuízo
gência, por funcionário público, de vantagem do réu, na esfera processual penal ela goza de ampla
indevida, ao passo que, para a configuração do aplicação. Todavia, deve-se interpretar com reservas a
crime de corrupção passiva, basta que ele solici- admissibilidade da analogia quando se trata da restrição
te ou receba a vantagem, ou, ainda, aceite pro- cautelar da liberdade, ou quando importe em flexibiliza-
messa de recebê-la. ção de garantias, o que seria intolerável à luz da Cons-
tituição Federal" TAVORA, Nestor. ALENCAR, Rosmar.
Certo. Curso de Direito Processual Penal. pag 39. 2010.
Os crimes de concussão e corrupção passiva estão Art. 3º do Código de Processo Penal (CPP): A lei
previstos nos artigos 316 e 317 do Código Penal, que processual penal admitirá interpretação extensiva
preveem as seguintes condutas: “Art. 316. Exigir, para e aplicação analógica, bem como o suplemento dos
si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que princípios gerais de direito.
fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão
dela, vantagem indevida”; “Art. 317. Solicitar ou rece-
76 Após regular instrução processual, mesmo que
ber, para si ou para outrem, direta ou indiretamente,
se convença da falta de prova de autoria do crime
ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas
que inicialmente atribuíra ao acusado, não pode-
em razão dela, vantagem indevida, ou aceitar promes-
rá o Ministério Público desistir da ação penal.
sa de tal vantagem”.
Certo.
73 Em se tratando do crime de furto mediante frau- O Ministério Público (MP) não pode desistir da ação
de, a vítima, ludibriada, entrega, voluntariamen- penal por conta do princípio da indisponibilidade (inde-
te, a coisa ao agente. No crime de estelionato, a sistibilidade) da ação penal pública, do processo penal
fraude é apenas uma forma de reduzir a vigilân- já iniciado. Isso não quer dizer que seja obrigatório o
cia exercida pela vítima sobre a coisa, de forma a pedido de condenação e, uma vez que se convença
permitir a sua retirada. da falta de prova de autoria do crime que inicialmente
atribuíra ao acusado, pode o MP, por exemplo, pedir a
Errado. absolvição de réu.
A questão confunde os conceitos de furto qualificado Logo, no caso concreto, o MP deverá continuar com
por fraude e estelionato. No estelionato, a vítima, lu- o regular processamento da ação penal para, ao final,
dibriada, entrega, voluntariamente, a coisa ao agente; pedir a absolvição do réu.
e, no crime de furto qualificado pela fraude, a fraude Isso porque a desistência acarretaria a extinção do
é uma forma de reduzir a vigilância da vítima sobre a processo sem julgamento de mérito, fazendo a deci-
coisa. são coisa julgada formal, o que permitiria a abertura
de um novo processo caso aparecesse, no futuro, a
prova da autoria.
74 Considera-se crime hediondo o homicídio culpo-
A melhor decisão para o réu é aquela que faz coisa jul-
so na condução de veículo automotor, quando
gada material, por meio de uma sentença absolutória,
comprovada a embriaguez do condutor.
impedindo que seja julgado novamente pelo mesmo fato.
Errado.
Art. 42 do CPP: O Ministério Público não poderá de-
O crime de homicídio culposo, em quaisquer de suas
sistir da ação penal.
modalidades, não é considerado crime hediondo por
não estar previsto na Lei n. 8.072/1990 (Lei dos Cri-
mes Hediondos). 77 O Ministério Público pode oferecer a denúncia
ainda que não disponha do inquérito relatado
pela autoridade policial.
75 Tratando-se de lei processual penal, não se ad-
mite, salvo para beneficiar o réu, a aplicação ana-
Certo.
lógica.
Uma das características do inquérito policial é que ele
é dispensável. Isso quer dizer que, caso o titular da
Errado.
ação penal tenha elementos suficientes de autoria e
Em se tratando de norma processual penal, admite-
materialidade para propositura da ação penal, sem
-se a interpretação extensiva e a aplicação analógica,
que haja a necessidade de sustentar seu convenci-
independentemente de se beneficiar ou não o réu.
mento no inquérito policial, este tornar-se-á dis-
A questão quer induzir o candidato a erro justamente
pensável.
por querer confundir as regras de direito processual
Dessa forma, se o MP pode oferecer denúncia sem
penal com as regras do direito penal.
um inquérito policial, quiçá com um inquérito policial
“Ao contrário do que acontece no direito penal, no âmbi-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 16


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

que não esteja relatado. 79 O habeas corpus pode ser impetrado, perante
qualquer instância do Poder Judiciário, por qual-
Art. 39 [...] quer pessoa do povo em favor de outrem, po-
§ 5º do CPP: O órgão do Ministério Público dispen- dendo, ainda, a autoridade judicial competente
sará o inquérito, se com a representação forem ofe- concedê-lo de ofício.
recidos elementos que o habilitem a promover a ação
penal, e, neste caso, oferecerá a denúncia no prazo Certo.
de quinze dias. Conforme dispõe o artigo 654, caput e § 2º, do CPP, o
habeas corpus pode ser impetrado, perante qualquer
instância do Poder Judiciário, por qualquer pessoa do
78 É condicionada à representação da vítima a ação
povo em favor de outrem, podendo, ainda, a autorida-
penal por crime de dano praticado contra ônibus
de judicial competente concedê-lo de ofício. Além do
de transporte coletivo pertencente a empresa
mais, não se exige capacidade postulatória (ser advo-
concessionária de serviço público.
gado) para impetrar habeas corpus. Logo, pode ser
feito por qualquer pessoa.
Errado.
Nesse caso, a ação será pública incondicionada.
Art. 654 do CPP: O habeas corpus poderá ser im-
O artigo 167 do Código Penal (CP) dispõe que serão
petrado por qualquer pessoa, em seu favor ou de ou-
de ação penal privada somente os tipos penais previs-
trem, bem como pelo Ministério Público.
tos no artigo 163, caput (dano simples), e dano quali-
§ 2º Os juízes e os tribunais têm competência para
ficado por motivo egoístico ou com prejuízo conside-
expedir de ofício ordem de habeas corpus, quando no
rável para a vítima (inc. IV do art. 163). Nos demais
curso de processo verificarem que alguém sofre ou
casos, a ação penal segue a regra geral, ou seja, ação
está na iminência de sofrer coação ilegal.
penal pública incondicionada.
Dessa forma, como o dano qualificado, por ser prati-
cado contra ônibus de transporte coletivo pertencente 80 O juiz poderá substituir a prisão preventiva por
a empresa concessionária de serviço público, não se prisão domiciliar sempre que a agente for gestan-
inclui na exceção acima, ele se enquadra na regra ge- te. (QUESTÃO DESATUALIZADA)
ral, ação penal pública incondicionada.
Por outro lado, também podemos justiçar o gabarito, Errado. (O gabarito permanece inalterado, mesmo
considerando o disposto no artigo 24, § 2º, do CPP. com a mudança legislativa e jurisprudencial.)
Comentário: Essa questão é do ano de 2013. Nes-
Dano sa época, a questão estava errada porque não havia
Art. 163. Destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia: previsão legal para o juiz substituir a prisão preven-
Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa. tiva pela domiciliar quando o agente fosse gestante.
Dano qualificado Isso porque essa previsão legal só veio com a Lei n.
Parágrafo único. Se o crime é cometido: 13.257, de 2016, que incluiu as gestantes como bene-
III – contra o patrimônio da União, de Estado, do Distri- ficiárias desse benefício, conforme se verifica abaixo:
to Federal, de Município ou de autarquia, fundação pú-
blica, empresa pública, sociedade de economia mista Art. 317. A prisão domiciliar consiste no recolhimento
ou empresa concessionária de serviços públicos; do indiciado ou acusado em sua residência, só poden-
(Redação dada pela Lei nº 13.531, de 2017) do dela ausentar-se com autorização judicial.
IV – por motivo egoístico ou com prejuízo considerável Art. 318. Poderá o juiz substituir a prisão preventiva
para a vítima: pela domiciliar quando o agente for:
Pena – detenção, de seis meses a três anos, e multa, I – maior de 80 (oitenta) anos;
além da pena correspondente à violência. II – extremamente debilitado por motivo de doença
Ação penal grave;
Art. 167. Nos casos do art. 163, do inciso IV do seu III – imprescindível aos cuidados especiais de pessoa
parágrafo e do art. 164, somente se procede mediante menor de 6 (seis) anos de idade ou com deficiência;
queixa. IV – gestante; (Redação dada pela Lei n.
13.257/2016)
Art. 24 [...] V – mulher com filho de até 12 (doze) anos de idade
§ 2º do CPP: Seja qual for o crime, quando praticado incompletos; (Incluído pela Lei n. 13.257/2016)
em detrimento do patrimônio ou interesse da União, VI – homem, caso seja o único responsável pelos
Estados ou Municípios, a ação penal será pública cuidados do filho de até 12 (doze) anos de idade
incondicionada. incompletos. (Incluído pela Lei n. 13.257/2016)
Parágrafo único. Para a substituição, o juiz exigirá
prova idônea dos requisitos estabelecidos neste artigo.

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 17


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Com as alterações legislativas acima, a questão conferida ao artigo 318, IV e V, do CPP, que prevê:
passou a estar CERTA, já que o artigo 318, IV, do
CPP, prevê que o juiz poderá substituir a prisão Art. 318. Poderá o juiz substituir a prisão preventiva
preventiva por prisão domiciliar sempre que a pela domiciliar quando o agente for:
agente for gestante. IV – gestante;
V – mulher com filho de até 12 (doze) anos de idade
Ocorre que, recentemente, o STF (2ª Turma. HC incompletos;
143641/SP. Rel. Min. Ricardo Lewandowski, julgado Os critérios para a substituição de que tratam esses
em 20/02/2018 (Info 891)) trouxe novo entendimento incisos devem ser os seguintes:
sobre o tema e passou a excepcionar alguns casos REGRA. Em regra, deve ser concedida prisão domici-
em que, mesmo a mulher estando grávida, não deve liar para todas as mulheres presas que sejam
ser autorizada a prisão domiciliar: 1) a mulher tiver – gestantes;
praticado crime mediante violência ou grave ameaça; 2) – puérperas (que deu à luz há pouco tempo);
a mulher tiver praticado crime contra seus descenden- – mães de crianças (isto é, mães de menores de até
tes (filhos e/ou netos); 3) em outras situações excep- 12 anos incompletos); ou
cionalíssimas, as quais deverão ser devidamente fun- – mães de pessoas com deficiência.
damentadas pelos juízes que denegarem o benefício. EXCEÇÕES:
Não deve ser autorizada a prisão domiciliar se:
Dessa forma, como regra, o juiz poderá substituir 1) a mulher tiver praticado crime mediante violência
a prisão preventiva por prisão domiciliar quando a ou grave ameaça;
agente for gestante. Mas a questão, diante desse 2) a mulher tiver praticado crime contra seus des-
novo quadro, passa a estar ERRADA por conta da cendentes (filhos e/ou netos);
palavra SEMPRE, já que há as exceções informa- 3) em outras situações excepcionalíssimas, as quais
das acima. deverão ser devidamente fundamentadas pelos juízes
que denegarem o benefício.
Resumo:
O STF reconheceu a existência de inúmeras mulheres Obs. 1: O raciocínio acima explicado vale também
grávidas e mães de crianças que estavam cumprindo para adolescentes que tenham praticado atos infracio-
prisão preventiva em situação degradante, privadas nais.
de cuidados médicos pré-natais e pós-parto. Além dis- Obs. 2: A regra e as exceções acima explicadas tam-
so, não havia berçários e creches para seus filhos. bém valem para a reincidente. O simples fato de a mu-
Também se reconheceu a existência, no Poder Judi- lher ser reincidente não faz com que ela perca o direito
ciário, de uma “cultura do encarceramento”, que sig- à prisão domiciliar.
nifica a imposição exagerada e irrazoável de prisões STF. 2ª Turma. HC 143641/SP. Rel. Min. Ricardo
provisórias a mulheres pobres e vulneráveis, em de- Lewandowski, julgado em 20/02/2018 (Info 891).
corrência de excessos na interpretação e aplicação
da lei penal e processual penal, mesmo diante da
81 A prisão temporária só poderá ser decretada me-
existência de outras soluções, de caráter humanitário,
diante representação da autoridade policial ou a
abrigadas no ordenamento jurídico vigente.
requerimento do Ministério Público, vedada sua
A Corte admitiu que o Estado brasileiro não tem con-
decretação de ofício pelo juiz.
dições de garantir cuidados mínimos relativos à ma-
ternidade, até mesmo às mulheres que não estão em
Certo.
situação prisional.
A prisão temporária não tem previsão no Código de
Diversos documentos internacionais preveem que de-
Processo Penal, e sim na Lei n. 7.960, de 1989. Ela
vem ser adotadas alternativas penais ao encarcera-
e a prisão preventiva e em flagrante são espécies de
mento, principalmente para as hipóteses em que ainda
prisões cautelares, processuais ou provisórias. A pri-
não haja decisão condenatória transitada em julgado.
são temporária não pode ser decretada para qualquer
É o caso, por exemplo, das Regras de Bangkok.
delito, e sim para aqueles previstos no artigo 1º da Lei
Os cuidados com a mulher presa não se direcionam
n. 7.960, de 1989. Outra característica dessa espécie
apenas a ela, mas igualmente aos seus filhos, os quais
de prisão é que ela não pode ser decretada de ofí-
sofrem injustamente as consequências da prisão, em fla-
cio pelo juiz, pois ela somente ocorre no curso das
grante contrariedade ao artigo 227 da Constituição Fede-
investigações do inquérito policial, e não no processo.
ral (CF), cujo teor determina que se dê prioridade absoluta
à concretização dos direitos das crianças e adolescentes.
Art. 2° da Lei n. 7.960/1989: A prisão temporária será
Diante da existência desse quadro, deve-se dar estrito
decretada pelo Juiz, em face da representação da
cumprimento do Estatuto da Primeira Infância (Lei n.
autoridade policial ou de requerimento do Ministério
13.257/2016), em especial da nova redação por ele

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 18


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Público, e terá o prazo de 5 (cinco) dias, prorrogável contravenção penal praticada em detrimento de
por igual período em caso de extrema e comprovada bens e serviços da União.
necessidade.
Errado.
A competência para processar e julgar a contravenção
82 A prova declarada inadmissível pela autoridade
penal praticada em detrimento de bens e serviços da
judicial por ter sido obtida por meios ilícitos deve
União é da justiça estadual (Juizados Especiais Crimi-
ser juntada em autos apartados dos principais,
nais), conforme se observa no artigo 109, IV, da CF e
não podendo servir de fundamento à condena-
na Súmula 38 do STJ.
ção do réu.

STJ, Súmula 38: Compete à Justiça Estadual Co-


Errado.
mum, na vigência da Constituição de 1988, o proces-
As provas obtidas por meios ilícitos não serão junta-
so por contravenção penal, ainda que praticada em
das aos autos, e sim desentranhadas (retiradas dos
detrimento de bens, serviços ou interesse da União ou
autos). Logo, ao ser desentranhada e depois inutiliza-
de suas entidades.
da (destruída) por decisão judicial, ela perde a capaci-
dade de influenciar posteriormente o julgador.
CF, Art. 109: Aos juízes federais compete processar
e julgar:
Art. 157 do CPP: São inadmissíveis, devendo ser de-
IV – os crimes políticos e as infrações penais pratica-
sentranhadas do processo, as provas ilícitas, assim
das em detrimento de bens, serviços ou interesse da
entendidas as obtidas em violação a normas constitu-
União ou de suas entidades autárquicas ou empresas
cionais ou legais.
públicas, excluídas as contravenções e ressalvada
§ 3º Preclusa a decisão de desentranhamento da pro-
a competência da Justiça Militar e da Justiça Federal.
va declarada inadmissível, esta será inutilizada por
decisão judicial, facultado às partes acompanhar o
incidente. No que concerne ao abuso de autoridade e ao
Estatuto do Desarmamento, julgue os itens a seguir.
Art. 5º [...]
LVI da CF: são inadmissíveis, no processo, as provas 85 Supondo que determinado cidadão seja respon-
obtidas por meios ilícitos; sável pela segurança de estrangeiros em visita
ao Brasil e necessite de porte de arma, a conces-
são da respectiva autorização será de competên-
83 Em processo por crime de responsabilidade de
cia do ministro da Justiça.
funcionário público, o juiz pode rejeitar a denún-
cia oferecida pelo Ministério Público caso se con-
Errado.
vença, após análise dos documentos apresen-
Conforme artigo 9º do Estatuto do Desarmamento,
tados pelo acusado em resposta à denúncia, da
“compete ao Ministério da Justiça a autorização do
inexistência do crime apurado.
porte de arma para os responsáveis pela segurança
de cidadãos estrangeiros em visita ou sediados no
Certo.
Brasil e, ao Comando do Exército, nos termos do re-
A questão trata do momento do recebimento da de-
gulamento desta Lei, o registro e a concessão de porte
núncia de processo e de julgamento dos crimes de
de trânsito de arma de fogo para colecionadores, ati-
responsabilidade de funcionários públicos (crimes
radores e caçadores e de representantes estrangeiros
funcionais: artigos 312 a 327 do CP). Nesse procedi-
em competição internacional oficial de tiro realizada
mento, antes do recebimento da denúncia, é facul-
no território nacional”. Conforme se denota do artigo,
tado ao acusado a apresentação de defesa prévia
a competência é do Ministério da Justiça, e não do
(no prazo de 15 dias), para que só então o juiz de-
ministro da Justiça.
cida pelo recebimento ou não da denúncia. Lem-
brando que esse rito especial só é cabível para crimes
afiançáveis cometidos por funcionários públicos. Os 86 Considere que um PRF aborde o condutor de
crimes inafiançáveis seguem o rito ordinário comum. um veículo por este trafegar acima da velocidade
permitida em rodovia federal. Nessa situação, se
Art. 516 do CPP: O juiz rejeitará a queixa ou denún- demorar em autuar o condutor, o policial poderá
cia, em despacho fundamentado, se convencido, pela responder por abuso de autoridade, ainda que
resposta do acusado ou do seu defensor, da inexistên- culposamente.
cia do crime ou da improcedência da ação.
Errado.
Os crimes de abuso de autoridade, previstos nos arti-
84 Compete à justiça federal processar e julgar a

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 19


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

gos 3º e 4º da Lei n. 4.898/1965, não admitem a mo- n. 7.716/1989, o fato de determinado clube social re-
dalidade culposa. cusar a admissão de um cidadão em razão de precon-
ceito de raça, mesmo se o respectivo estatuto atribuir
A respeito das contravenções penais e da lei que à diretoria a faculdade de recusar propostas de admis-
institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre são, sem declaração de motivos.
Drogas, julgue os itens subsequentes.
90 Durante o inquérito policial, é necessária a autori-
87 Caso uma pessoa injete em seu próprio organis- zação judicial para que um agente policial se infiltre
mo substância entorpecente e, em seguida, seja em organização criminosa com fins investigativos.
encontrada por policiais, ainda que os agentes
não encontrem substâncias entorpecentes em Certo.
poder dessa pessoa, ela estará sujeita às penas Conforme artigo 10 da Lei n. 12850/2013 (Lei de Or-
de advertência, prestação de serviço à comuni- ganização Criminosa), “a infiltração de agentes de
dade ou medida educativa de comparecimento a polícia em tarefas de investigação, representada pelo
programa ou curso educativo. delegado de polícia ou requerida pelo Ministério Públi-
co, após manifestação técnica do delegado de polícia
Errado. quando solicitada no curso de inquérito policial, será
O uso da substância entorpecente em si não é con- precedida de circunstanciada, motivada e sigilosa
siderado conduta criminosa, na medida em que o autorização judicial, que estabelecerá seus limites.”
artigo 28 da Lei n. 11.343/2006 (Lei de Drogas) não
prevê o verbo “usar”. Dessa forma, o uso pretérito de
substância entorpecente, por não restar comprovada 91 Os atos processuais dos juizados especiais cri-
a materialidade dos verbos “adquirir, guardar, tiver em minais poderão ser realizados nos finais de se-
depósito consigo, transportar, trouxer consigo” drogas mana, à exceção dos domingos e feriados.
para consumo pessoal, não serão aplicadas as san-
ções previstas no artigo 28 da supracitada lei. Errado.
Conforme artigo 64 da Lei dos Juizados Especiais Cri-
minais, “os atos processuais serão públicos e poderão
88 Considere que determinado cidadão esteja usan-
realizar-se em horário noturno e em qualquer dia da
do publicamente uniforme de PRF, função públi-
semana, conforme dispuserem as normas de organi-
ca que ele não exerce. Nessa situação, para que
zação judiciária”.
esse cidadão responda por contravenção penal,
é necessário que sua conduta cause efetivo pre-
juízo para o Estado ou para outra pessoa. Acerca do Estatuto do Idoso e dos juizados espe-
ciais criminais, julgue os itens subsecutivos.
Errado.
Para a configuração da contravenção penal do uso in- 92 Se alguém deixar de prestar assistência a idoso,
devido de uniforme, prevista no artigo 46 da Lei das quando for possível fazê-lo sem risco pessoal,
Contravenções Penais, não é necessário que a con- em situação de iminente perigo, cometerá, em
duta cause prejuízo ao Estado ou à terceira pessoa. tese, crime de menor potencial ofensivo.
Caso o agente use o uniforme e pratique condutas que
causem prejuízo ao Estado, o agente estará usurpan- Certo.
do a função pública e responderá pelo delito previsto Aquele que deixar de prestar assistência a idoso,
no artigo 328 do Código Penal. quando for possível fazê-lo sem risco pessoal, prati-
cará crime previsto no artigo 97 da Lei n. 10.741/2003
Julgue os itens seguintes, relativos à lei do crime (Estatuto do Idoso), crime esse punido com detenção
organizado e a crimes resultantes de preconceitos de de 06 (seis) meses a 01 (um) ano e multa. Portanto,
raça e cor. trata-se de uma infração de menor potencial ofensivo
por não ter pena máxima superior a 02 (dois) anos.
89 Constitui crime o fato de determinado clube social
recusar a admissão de um cidadão em razão de Com fundamento na lei que cria mecanismos para
preconceito de raça, salvo se o respectivo estatu- coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher
to atribuir à diretoria a faculdade de recusar pro- — Lei Maria da Penha — e na Lei dos Crimes Ambien-
postas de admissão, sem declinação de motivos. tais, julgue os próximos itens.

Errado. 93 Responderá por crime contra a flora o indivíduo


Será crime de preconceito, previsto no artigo 9º da Lei que cortar árvore em floresta considerada de pre-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 20


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

servação permanente, independentemente de ter soa, mediante grave ameaça, violência, coação, fraude
permissão para cortá-la, e, caso a tenha, quem ou abuso, com a finalidade de”. Desse modo, como é
lhe concedeu a permissão também estará sujeito elementar do tipo que o crime seja praticado mediante
às penalidades do respectivo crime. ameaça, violência, coação, fraude ou abuso, o consen-
timento do ofendido tornaria o fato atípico.
Errado.
Conforme artigo 39 da Lei n. 9.605/1998 (Lei dos Cri-
96 Para que um cidadão seja processado e julgado
mes Ambientais), será crime ambiental cortar árvores
por crime de tortura, é prescindível que esse cri-
em floresta considerada de preservação permanente,
me deixe vestígios de ordem física.
sem permissão da autoridade competente.
Certo.
94 Considerando que, inconformado com o término A tortura pode ser praticada mediante violência ou
do namoro de mais de vinte anos, José tenha grave ameaça, causando sofrimento físico ou mental.
agredido sua ex-namorada Maria, com quem não Portanto, a tortura psicológica (sofrimento mental) não
coabitava, ele estará sujeito à aplicação da lei de exige que o agente sofra lesão e, com isso, será pres-
combate à violência doméstica e familiar contra cindível (dispensável) os vestígios de ordem física.
a mulher, conhecida como Lei Maria da Penha.
No que concerne às práticas policiais no espaço
Certo.
público e à administração institucional de conflitos no
As hipóteses de aplicação da Lei Maria da Penha es-
espaço público, julgue os itens seguintes.
tão previstas no artigo 5º da Lei n. 11.340/2006 (Lei
Maria da Penha), a saber: “Art. 5º  Para os efeitos des-
97 Ainda que, durante manifestação que resulte no
ta Lei, configura violência doméstica e familiar contra a
bloqueio de rodovia federal, os manifestantes en-
mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero
trem em conflito com motoristas que trafeguem
que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexu-
nessa rodovia, o PRF responsável pela seguran-
al ou psicológico e dano moral ou patrimonial: I – no
ça no local não poderá efetuar, a título de adver-
âmbito da unidade doméstica, compreendida como
tência, disparos de arma de fogo para o alto.
o espaço de convívio permanente de pessoas, com
ou sem vínculo familiar, inclusive as esporadicamente
Certo.
agregadas; II – no âmbito da família, compreendida
Apesar de posterior à questão, a Lei n. 13.060/2014,
como a comunidade formada por indivíduos que são
que disciplina o uso dos instrumentos de menor poten-
ou se consideram aparentados, unidos por laços na-
cial ofensivo pelos agentes de segurança pública, em
turais, por afinidade ou por vontade expressa; III – em
todo território nacional, dispõe, em seu artigo 2º, pará-
qualquer relação íntima de afeto, na qual o agressor
grafo único: “Não é legítimo o uso de arma de fogo: I –
conviva ou tenha convivido com a ofendida, indepen-
contra pessoa em fuga que esteja desarmada ou que
dentemente de coabitação.”
não represente risco imediato de morte ou de lesão
Em relação ao ex-namorado, a Lei Maria da Penha
aos agentes de segurança pública ou a terceiros; e II
será aplicada conforme o artigo 5º, III, da lei.
– contra veículo que desrespeite bloqueio policial em
via pública, exceto quando o ato represente risco de
Com fundamento na legislação que define os morte ou lesão aos agentes de segurança pública ou
crimes de tortura e de tráfico de pessoas, julgue os a terceiros.”
itens a seguir. Dessa forma, somente é legítimo o uso de arma de
fogo nessas duas hipóteses, não sendo legítima a re-
95 O crime de tráfico de pessoas poderá ser carac- alização do fogo de advertência.
terizado ainda que haja consentimento da vítima.
98 Caso um veículo em movimento desrespeite blo-
Certo.
queio feito pela PRF em determinada rodovia fe-
A questão estava de acordo com a previsão anterior so-
deral, ainda que esse fato não represente risco
bre o tráfico de pessoas, inclusive com previsão no arti-
imediato de morte ou de lesão grave aos agentes
go 2º, § 7º, do anexo ao Decreto n. 5948/2006, a saber:
de segurança pública ou a terceiros, o PRF que
“O consentimento dado pela vítima é irrelevante para a
estiver atuando no bloqueio poderá, para parali-
configuração do tráfico de pessoas”. No entanto, com
sar o veículo, empregar arma de fogo.
o advento da Lei n. 13.344/2016, o tráfico de pessoas
foi reinserido no artigo 149-A do Código Penal, preven-
Errado.
do como crime a conduta de “agenciar, aliciar, recrutar,
Apesar de posterior à questão, a Lei n. 13.060/2014, que
transportar, transferir, comprar, alojar ou acolher pes-
disciplina o uso dos instrumentos de menor potencial

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 21


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

ofensivo pelos agentes de segurança pública, em todo te circunstancial”, ou seja, o fato de um estrangeiro
território nacional, dispõe, em seu artigo 2º, parágrafo estar ou não residindo no Brasil não é motivo para
único: “Não é legítimo o uso de arma de fogo: II – contra deixar de reconhecer direitos fundamentais a ele (RE
veículo que desrespeite bloqueio policial em via pública, 215.267 / HC 97.147). Acrescenta-se que a extensão
exceto quando o ato represente risco de morte ou lesão dos direitos fundamentais aos estrangeiros não resi-
aos agentes de segurança pública ou a terceiros”. dentes decorre do princípio da primazia (prevalência)
dos direitos humanos nas relações internacionais do
Brasil (art. 4º, II, da CF/88). Deve-se conjugar, desse
Acerca dos direitos de cidadania e do pluralismo
modo, o artigo 5º, caput, com o artigo 4º, II, CF/88.
jurídico, julgue os itens que se seguem.

99 No Brasil, o pluralismo jurídico configura-se, por 102 Equivalem às normas constitucionais originárias
exemplo, quando da aplicação de regras criadas os tratados internacionais sobre direitos huma-
por membros de organizações criminosas, distin- nos aprovados, em cada casa do Congresso Na-
tas das regras jurídicas estabelecidas pelo Estado. cional, em dois turnos, por três quintos dos votos
dos respectivos membros.
Certo.
Entende-se por pluralismo jurídico a existência de dois Errado.
ou mais sistemas jurídicos, dotados de eficácia, con- O erro da questão está em afirmar que os tratados de
comitantemente em um mesmo ambiente espaçotem- direitos humanos, aprovados em cada casa do Con-
poral. Logo, se temos a aplicação de regras que foram gresso Nacional, em dois turnos, por três quintos dos
criadas por membros de organização criminosa, dis- votos dos respectivos membros, equivalem às normas
tintas das regras jurídicas estabelecidas pelo Estado, constitucionais originárias. De acordo com o artigo 5º,
temos pluralismo jurídico.  § 3º, da CF/88, esses tratados serão equivalentes às
emendas constitucionais, que são normas constitucio-
nais derivadas. Lembre-se: as normas constitucionais
100 Os direitos de cidadania são, no Estado demo-
originárias advêm do Poder Constituinte Originário (Po-
crático de direito, todos aqueles relativos à dig-
der que elabora uma nova Constituição); já as normas
nidade do cidadão, como sujeito de prestações
constitucionais derivadas são aquelas que advêm da
estatais, e à participação ativa na vida social, po-
manifestação do Poder Constituinte Derivado (Poder
lítica e econômica do Estado.
que altera a Constituição). Fique atenta(o): esse quorum
previsto no artigo 5º, § 3º, da CF/88 é quorum mínimo
Certo.
de aprovação.
Os direitos de cidadania são todos aqueles relacionados
com a dignidade do cidadão, como alguém digno de ser
assistido pelas políticas estatais, participando ativamen- 103 A expressão direitos humanos de primeira gera-
te na vida social, política e econômica do Estado. ção refere-se aos direitos sociais, culturais e eco-
nômicos.
101 A possibilidade de extensão aos estrangeiros que
Errado.
estejam no Brasil, mas que não residam no país,
O erro da questão está em afirmar que os direitos so-
dos direitos individuais previstos na CF deve-se
ciais, culturais e econômicos são direitos de primeira
ao princípio da primazia dos direitos humanos
geração. Esses direitos são de segunda geração. Os
nas relações internacionais do Brasil.
direitos de primeira geração (também chamados de
direitos negativos) são os direitos civis e políticos.
Certo.
Já os direitos de terceira geração são os direitos tran-
Do artigo 5º, caput, da Constituição Federal de 1988
sindividuais (direitos que transcendem o indivíduo), a
(CF/88), decorre que, aos brasileiros e aos estrangei-
exemplo da proteção ao meio ambiente e da proteção
ros residentes no Brasil, garante-se a inviolabilidade
ao consumidor.
do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança
e à propriedade, nos termos dos incisos enumerados.
Da leitura literal desse dispositivo, decorreria o enten- 104 Conforme a teoria positivista, os direitos huma-
dimento de que os estrangeiros que estejam no Bra- nos fundamentam-se em uma ordem superior,
sil, mas que não residam aqui, não poderiam usufruir universal, imutável e inderrogável.
desses direitos. O Superior Tribunal Federal (STF), no
entanto, em mais de um julgado, já se posicionou no Errado.
sentido de que “a garantia de inviolabilidade dos direi- Há teorias que justificam o fundamento dos Direitos
tos fundamentais da pessoa humana não comportaria Humanos, entre as quais se destacam as teorias: jus-
exceção baseada em qualificação subjetiva puramen- naturalista, positivista e moralista (ou de Perelman).

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 22


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

A definição dada nessa questão refere-se à teoria 107 Caso o Poder Judiciário, ao fundamentar decisão
jusnaturalista, e não à positivista, sendo esse o erro em lei ou norma constitucional interna, descum-
da questão. Alexandre de Moraes explica que essas pra normas internacionais de direitos humanos, o
três teorias se completam, devendo coexistir, “pois Estado não poderá ser responsabilizado no plano
somente a partir da formação de uma consciência internacional por essa decisão.
social (teoria de Perelman), baseada principalmente
em valores fixados por uma ordem superior, universal Errado.
e imutável (teoria jusnaturalista) é que o legislador O Estado brasileiro poderá vir sim a ser responsabili-
ou os tribunais (...) encontram substrato político e so- zado, no plano internacional, se a decisão de um juiz
cial para reconhecerem a existência de determinados se fundamentar em decisão de lei ou norma constitu-
direitos humanos fundamentais como integrantes do cional interna que descumpra normas internacionais
ordenamento jurídico (teoria positivista)”. de direitos humanos. A norma interna não pode ser um
obstáculo a se cumprir, uma norma internacional, mor-
105 A aplicação das normas de direito internacional mente de direito internacional de direitos humanos. A
humanitário e de direito internacional dos refugia- Convenção de Viena sobre Direitos dos Tratados, no
dos impossibilita a aplicação das normas básicas artigo 27, dispõe, inclusive, que “uma parte não pode
do direito internacional dos direitos humanos. invocar as disposições de seu direito interno para jus-
tificar o inadimplemento de um tratado”.
Errado.
Há três vertentes da proteção internacional da pessoa 108 O sistema global de proteção dos direitos huma-
humana: direitos humanos, direito humanitário e direi- nos foi instaurado pela Carta Internacional dos
to dos refugiados, cada qual com sua especificidade. A Direitos Humanos.
aplicação de normas de um desses direito não exclui a
aplicação do outro. Desse modo, a aplicação do direito Certo.
internacional humanitário e de direito internacional dos A Carta Internacional dos Direitos Humanos é com-
refugiados NÃO impossibilita a aplicação das normas posta pela Declaração Universal dos Direitos Huma-
básicas do direito internacional dos direitos humanos, nos, de 1948; e pelos Pacto Internacional de Direitos
sendo este, portanto, o erro da questão. Civis e Políticos (1ª Geração) e Pacto Internacional de
Direitos Econômicos, Sociais e Culturais (2ª Geração),
106 A Política Nacional de Direitos Humanos contem- ambos de 1966. Esses três documentos inauguraram
pla medidas voltadas à proteção dos direitos ci- o sistema global de proteção desses direitos humanos.
vis, tais como os projetos que tratam da parceria
entre pessoas do mesmo sexo e da obrigatorie- Com base na legislação da PRF, julgue os itens
dade de atendimento do aborto legal pela rede que se seguem.
pública de saúde.
109 Considere a seguinte situação hipotética.
Certo. Durante uma abordagem de rotina deita pela PRF
O atual Programa Nacional de Direitos Humanos em determinada rodovia federal, foram apreendi-
(PNDH-3), contemplado na Política Nacional de Direi- dos aproximadamente cem quilos de entorpecen-
tos Humanos, trata das medidas enumeradas na ques- tes, entre crack, haxixe e cocaína. O motorista,
tão. O Anexo I do PNDH-3, aprovado pelo Decreto n. único ocupante do veículo onde estavam as dro-
7.037, de 21 de dezembro de 2009, traz seis eixos gas, confessou a prática do delito, tendo afirmado,
orientadores. Esses eixos são divididos em diretrizes.
ainda, que adquirira as drogas para revendê-las
Na Diretriz 7 (Garantia dos Direitos Humanos de forma
e que as estava transportando para um depósito
universal, indivisível e interdependente, assegurando
em local seguro. Nessa situação, cabe à chefia do
a cidadania plena) do Eixo Orientador III (Universalizar
distrito regional da PRF do estado em que ocor-
direitos em um contexto de desigualdades), encontra-
reu a apreensão formalizar o auto de prisão em
-se a previsão de que o aborto é tema de saúde públi-
flagrante do autor do delito e comunicar a prisão à
ca, devendo garantir o acesso aos serviços de saúde,
autoridade judiciária competente.
em se tratando de aborto legalmente autorizado. Já
na Diretriz 10 (Garantia da igualdade na diversidade),
Errado.
também do Eixo Orientador III, encontra-se a ação
A chefia do Distrito Regional da Polícia Rodoviária Fe-
programática no sentido de apoiar projeto de lei que
deral (PRF) não tem competência para formalizar o
disponha sobre a união civil entre pessoas do mesmo
auto de prisão em flagrante, pois a competência para
sexo. Esses dois direitos inserem-se nos direitos civis,
formalizá-lo é da autoridade policial (Delegado de Po-
direitos de primeira geração.
lícia), conforme artigos 304 a 310 do Código de Pro-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 23


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

cesso Penal (CPP). 113 A autoridade de trânsito, na esfera de suas atri-


buições, poderá aplicar, quando cabível, pena-
110 Compete à PRF o patrulhamento das rodovias
lidade consistente na frequência obrigatória em
federais privatizadas, mesmo tendo havido, com curso de reciclagem, sem prejuízo das punições
o processo de concessão, a transferência a parti- originárias de ilícitos penais decorrentes de cri-
culares das atividades administrativas referentes mes de trânsito.
aos trechos terceirizados.
Certo.
Certo. Conforme artigo 256, inciso VII, do CTB, descrito abai-
Conforme o artigo 20 do Código de Trânsito Brasileiro xo:
(CTB) e do Decreto Federal n. 1.655/1995, a PRF re-
Art. 256. A autoridade de trânsito, na es-
aliza o patrulhamento ostensivo nas rodovias federais,
fera das competências estabelecidas neste
sejam elas privatizadas ou não.
Código e dentro de sua circunscrição, deverá
aplicar, às infrações nele previstas, as se-
Art. 20. Compete à Polícia Rodoviária Fede-
guintes penalidades:
ral, no âmbito das rodovias e estradas fe-
VII – frequência obrigatória em curso de re-
derais:
ciclagem.
I – (....)
§ 1º A aplicação das penalidades previstas
II – realizar o patrulhamento ostensivo, exe-
neste Código não elide as punições originá-
cutando operações relacionadas com a segu-
rias de ilícitos penais decorrentes de crimes
rança pública, com o objetivo de preservar a
ordem, incolumidade das pessoas, o patri- de trânsito, conforme disposições de lei.

mônio da União e o de terceiros.


114 É permitido ao PRF portar arma de fogo somente
111 Se, durante a execução de obra ao longo de uma em serviço, sendo a licença apenas de caráter
rodovia federal, a empresa responsável pela obra funcional.
interromper a circulação de veículos e a movi-
mentação de cargas em uma das faixas de rola- Errado.
mento sem a prévia permissão do órgão de trân- O porte de arma é permitido em serviço e fora dele,
sito competente, a PRF deverá interditar a obra e conforme artigo 2º do Decreto Federal n. 1.655/1995,
aplicar as penalidades civis e multas decorrentes descrito abaixo:
da infração cometida pela empresa.
Art. 2° O documento de identidade funcional
Errado. dos servidores policiais da Polícia Rodoviária
Federal confere ao seu portador livre porte
Não há previsão na legislação vigente (CTB, De-
de arma e franco acesso aos locais sob fis-
creto n. 1.655/1995, Decreto n. 6061/2007 e Lei n.
calização do órgão, nos termos da legislação
9.654/1998) para a PRF aplicar PENALIDADES CIVIS
em vigor, assegurando-lhes, quando em ser-
À EMPRESA. A PRF aplica somente penalidades ad-
viço, prioridade em todos os tipos de trans-
ministrativas (veja art. 20, inciso VI, art. 95 e art. 256
porte e comunicação.
do CTB.)

Considerando que um veículo com massa igual a


112 Comete infração de trânsito gravíssima, punível
1.000 kg se mova em linha reta com velocidade cons-
com multa, o condutor que não reduz a velocida-
de do veículo de forma compatível com a segu- tante e igual a 72 km/h, e considerando, ainda, que a
rança do trânsito, quando se aproxima de passe- aceleração da gravidade seja igual a 10 m/s² , julgue
atas, manifestações populares e aglomerações. os itens a seguir.

Certo. 115 Quando o freio for acionado, para que o veículo


Conforme artigo 220, inciso I, do CTB, descrito abaixo: pare, a sua energia cinética e o trabalho da força
de atrito, em módulo, deverão ser iguais.
Art. 220. Deixar de reduzir a velocidade do
veículo de forma compatível com a seguran- Certo.
ça do trânsito: O teorema do trabalho e da energia cinética dispõe
I – quando se aproximar de passeatas, aglo- que o trabalho é igual à variação da energia cinética.
merações, cortejos, préstitos e desfiles:
Infração – gravíssima;
Penalidade – multa. 116 Antes de iniciar o processo de frenagem, a ener-
gia mecânica do veículo era igual a 200.000 J.

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 24


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

Certo. no início do movimento (massa da bala )


A energia mecânica é igual à soma da energia cinética e depois da colisão (massa total: 4,01 kg com veloci-
e uma potencial. Nesse caso, só tem energia cinética, dade de 2,4 m/s):
logo (72 km/h é 20 m/s no Sistema Internacional de
Medidas):

Considerando que um corpo de massa igual a 1,0


kg oscile em movimento harmônico simples de acordo

com a equação , em que t é o


tempo, em segundos, e x(t) é dada em metros, julgue
os itens que se seguem.

118 A força resultante que atua no corpo é expressa


por .

Certo.
A função horária nos diz que a velocidade angular é de
3π. A força resultante é dada por:

Uma bala de revólver de massa igual a 10 g foi


disparada, com velocidade v, na direção de um bloco
de massa igual a 4 kg, suspenso por um fio, conforme
ilustrado na figura acima. A bala ficou encravada no
bloco e o conjunto subiu até uma altura h igual a 30 119 O período do movimento é igual a 0,5 s.
cm. Considerando essas informações e assumindo
que a aceleração da gravidade seja igual a 10 m/s2 , Errado.
julgue o item abaixo. Para calcular o período:

117 Se toda a energia cinética que o conjunto ad-


quiriu imediatamente após a colisão fosse trans-
formada em energia potencial, a velocidade do
conjunto após a colisão e a velocidade com que
a bala foi disparada seriam, respectivamente, su-
periores a 2,0 m/s e a 960 m/s.

Certo.
Levando em consideração o momento da colisão, toda
T= 0,6 s
energia cinética será igual à energia potencial gravita-
cional, logo:
O fenômeno de redução na frequência do som
emitido pela buzina de um veículo em movimento,
observado por um ouvinte, é denominado efeito Dop-
pler. Essa diferença na frequência deve-se ao deslo-
camento no número de oscilações por segundo que
atinge o ouvido do ouvinte. Os instrumentos utilizados
pela PRF para o controle de velocidade se baseiam
nesse efeito. A respeito do efeito Doppler, julgue o
item abaixo.

120 Considere que um PRF, em uma viatura que se


Para descobrir a velocidade antes da colisão, uti-
desloca com velocidade igual a 90 km/h, se apro-
lizamos a conservação da quantidade de movimento
xime do local de um acidente onde já se encontra
uma ambulância parada, cuja sirene esteja emi-

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 25


||DPRF13_001_01N962067|| CESPE/UnB – PRF/2013

tindo som com frequência de 1.000 Hz. Nesse


caso, se a velocidade do som no ar for igual a
340 m/s, a frequência do som da sirene ouvido
pelo policial será superior a 1.025 Hz.

Certo.
A velocidade da viatura é de 25 m/s. Com a fonte em
repouso, usaremos a seguinte equação:

Cargo: Polícia Rodoviária Federal 26