Você está na página 1de 12

RLM | Profª: Marluce Coutinho

1
Sumário.

Raciocínio Lógico Matemático 4


Proposição ................................................................................................................................. 4
Proposição aberta e proposição fechada: ............................................................................. 4
Tipos de proposições ............................................................................................................. 4
Representação de proposições: ............................................................................................ 4
Valor Lógico de uma proposição: .......................................................................................... 4
Princípios que regem o estudo de proposições .................................................................... 5
Operadores lógicos ................................................................................................................... 5
Tabela Verdade ..................................................................................................................... 5
Negação:................................................................................................................................ 5
Conjunção:............................................................................................................................. 6
Disjunção inclusiva: (ou) v ..................................................................................................... 6
Disjunção Exclusiva: (ou exclusivo: ou... ou...) ...................................................................... 6
Condicional ou Implicação: (Se, então)  ............................................................................ 6
Condição Necessária e Condição Suficiente.......................................................................... 7
Bicondicional (Dupla implicação): (Se e somente se ) ..................................................... 7
Leis de De Morgan..................................................................................................................... 8
Primeira lei de De Morgan: ................................................................................................... 8
Segunda lei de De Morgan .................................................................................................... 8
Operações Lógicas ..................................................................................................................... 9
Conjunção:............................................................................................................................. 9
Disjunção: (ou) v .................................................................................................................... 9
Disjunção Exclusiva: (ou exclusivo: ou... ou...) ..................................................................... 9
Condicional: (se, então)......................................................................................................... 9
Bicondicional: (se e somente se) ......................................................................................... 10
Tautologia, contradição e contingência: ................................................................................. 11
Tautologia:........................................................................................................................... 11

2
Contradição: ........................................................................................................................ 11
Contingência (ou Indeterminadas):..................................................................................... 11
Proposições equivalentes ou Equivalência Lógica: ................................................................. 11
Proposições categóricas: ......................................................................................................... 12
Quantificadores Lógicos: ..................................................................................................... 12
Negações de Quantificadores: ............................................................................................ 12

3
 x é um número ímpar.
Raciocínio Lógico Matemático {Se x for da forma x = 2k +1, é
verdadeira, caso contrário, é falsa}
Proposição
Conjunto de palavras, frase, que exprime
um sentido completo e que é possível
atribuir valor lógico: verdadeiro ou falso. Atenção! Não são proposições:

Exemplos: S - Sem verbos: Um trabalho digno de elogios.

 1 é par. E – Exclamativas: Que legal esse carrinho!


 Quem nasce no Rio Grande do Sul é
I – Interrogativas: Será que chove amanhã?
gaúcho.
 O computador é uma máquina e O – Optativa: Deus te acompanhe.
não tem sentimentos. (são usadas para exprimir um desejo, uma ordem,
 2+5=3 sentimento...)

Proposição aberta e proposição fechada:


Proposição Fechada: é aquela que
Tipos de proposições
podemos garantir como sendo verdadeira Proposição simples: aquela formada por
ou falsa. apenas uma proposição.
Exemplos:
Exemplo: Unificado é um bom curso.
 5 é um número primo. Proposição composta: aquela formada
 Mumbai é um país da África. pela combinação de duas ou mais
 Dilma Roussef é a atual presidente proposições simples ligadas por conectivos
do Brasil. lógicos
 2-7=-5
Exemplo: Unificado é um bom curso ou
Proposição Aberta: é aquela que contém João é estudioso.
uma variável, um elemento desconhecido,
e, portanto não podemos garantir que seja Representação de proposições:
verdadeira ou falsa. Simples: letras minúsculas em ordem
alfabética. Ex: p, q, r, s
Exemplo:
Compostas: letras maiúsculas em ordem
 Aquela cidade é a capital da alfabética. Ex.: P, Q, R, S
Inglaterra.
 O país x é desenvolvido
tecnologicamente.
Valor Lógico de uma proposição:
 Ela é famosa.
Verdade: a proposição é verdadeira.
 2.x = 6
 Eu sou gaúcho(a). Falsidade: a proposição é falsa.
{depende de quem ler essa
afirmação ela poderá ser
verdadeira ou falsa}

4
Princípios que regem o estudo de Princípio da Não-Contradição: Uma
proposições proposição não pode ser verdadeira e falsa
Princípio da Identidade: Uma proposição simultaneamente.
Verdadeira é Verdadeira, e uma proposição
Falsa é Falsa Operadores lógicos
Os operadores lógicos, conectivos, são
Princípio do Terceiro Excluído: Uma utilizados para conectar duas ou mais
proposição ou é verdadeira ou falsa não proposições simples, formando as
existindo uma terceira possibilidade. proposições compostas.

Operador Conectivo Estrutura Lógica Exemplo

Negação ~ ou ¬ (não) Não p O lápis não é vermelho.


Conjunção ^ (e) peq Eu estudei e fui aprovado.
Ana é professora ou Maria é
Disjunção inclusiva v (ou) p ou q
policial
Ou Ana é professora ou Maria
Disjunção exclusiva v (ou... ou...) Ou p ou q
é policial
Implicação ou Se chover então eu levo
 (se... então) Se p então q
Condicional guarda chuva.
Dupla implicação ou  (se e somente Eu levo o guarda chuva se e
p se e somente se q
Bicondicional se) somente se chover

Tabela Verdade p q p^q


É um dispositivo utilizado para determinar V V V
o valor lógico de uma proposição V F F
composta, analisando as possíveis F V F
combinações de cada uma das suas F F F
proposições.

O número de linhas da tabela-verdade Negação:


dependerá do número de proposições A negação de uma proposição consiste em
simples que compõe a proposição negar o que foi dito na proposição.
composta e será sempre: 2n linhas
Ex: p: Marcos é feio.
{Porquê? É necessário julgar cada valor
~p: Marcos não é feio.
lógico de cada proposição (V ou F) e fazer
todas as combinações com as demais {A negação não será o inverso, o oposto,
proposições.} mas sim todos os casos diferentes do que
está sugerindo. Não podemos dizer Marcos
O valor lógico da proposição dependerá do
é bonito.}
conectivo que está sendo usado na
proposição. O valor lógico da negação de uma
proposição é o inverso do valor da
Ex.: Comprei laranjas e maçãs.
proposição.
p: Comprei laranjas.
p ~p
q: Comprei maças. V F
F V

5
OBS: Para negar uma proposição, p: O presente de natal será uma meia
acrescentamos o não na proposição. q: O presente de natal será uma camiseta

Para negar uma negação, excluímos o não. p q pvq


V V V
Ex.: p: Malu é morena.
V F V
~p: Malu não é morena. F V V
F F F
~(~p): Malu é morena.

A negação de uma negação é uma OBS: cuidado com a linguagem coloquial!


afirmação. Comumente usa-se o “ou” para
representar a escolha de uma das opções.
O “ou” lógico vale para uma opção, outra
Conjunção: opção e as duas opções.
A conjunção de duas (ou mais) proposições
induz a ideia de simultaneidade da
veracidade das proposições. É utilizado o Disjunção Exclusiva: (ou exclusivo: ou... ou...)
conectivo “e” e pode ser representado A disjunção exclusiva de duas (ou mais)
pelo símbolo “ ^ ” . proposições induz a ideia de veracidade de
Seu valor lógico é a verdade quando ambas apenas uma das proposições. É utilizado o
forem verdadeiras e a falsidade nos demais conectivo “ou... ou...” e pode ser
casos. representado pelo símbolo “ v ” .

Ex.: Eu estudei e fui aprovado. Seu valor lógico é a verdade quando


apenas uma das proposições for verdadeira
p: Eu estudei. e a falsidade quando ambas forem falsas
ou ambas verdadeiras (ou seja, tiverem o
q: Eu fui aprovado.
mesmo valor lógico).
p q p^q
Ex.: Ou eu compro um carro ou eu compro
V V V
uma moto.
V F F
F V F p: Eu compro um carro.
F F F
q: Eu compro uma moto.

Disjunção inclusiva: (ou) v p q pvq


A disjunção inclusiva de duas (ou mais) V V F
V F V
proposições induz a ideia de veracidade de,
F V V
pelo menos, uma das proposições. É
F F F
utilizado o conectivo “ou” e pode ser
representado pelo símbolo “ v ” .

Seu valor lógico é a verdade quando Condicional ou Implicação: (Se, então) 


alguma delas for verdadeiras e a falsidade A condição (ou implicação) entre
quando ambas forem falsas. proposições induz a ideia de dependência
entre elas. Assim, a validade da primeira é
Ex.: O presente de natal será uma meia ou condição para a verificação da validade da
uma camiseta. segunda. São utilizados os conectivos “Se,

6
então” e pode ser representado pelo OBS: Dada uma proposição condicional
símbolo “  ” . p  q, temos que:

Seu valor lógico é a falsidade somente RECÍPROCA: q  p


quando a primeira proposição é verdadeira
e a segunda é falsa. Nos demais casos, é CONTRÁRIA OU INVERSA: ~p  ~q
verdadeira.

Ex.: Se chover então eu levo o guarda- Bicondicional (Dupla implicação):


chuva. (Se e somente se ) 
p: Chover. A bicondicional (ou dupla implicação) entre
(Condição suficiente) proposições também estabelece uma ideia
de dependência entre as proposições.
q: Levar guarda-chuva. Contudo, o valor lógico é verdadeiro
(Condição necessária) sempre que ambas possuírem o mesmo
p q pq valor lógico. Ou seja: é verdadeiro quando
V V V ambas forem falsas ou ambas forem
V F F verdadeiras.
F V V São utilizados os conectivos “Se e somente
F F V se” e pode ser representado pelo símbolo “
”.
Qual a única forma de me chamar de Ex.: Eu irei para a praia se e somente se eu
mentiroso? tirar férias no verão.
Choveu e eu saí sem guarda-chuva! p: Irei para a praia q: tirar férias
no verão.

Casos em que p é falso: Eu não posso p q pq


afirmar nada caso a minha primeira V V V
proposição seja falsa. Ou seja, eu posso V F F
“levar o guarda-chuva” ou não. A lógica diz F V F
que, se uma condição nunca se cumpre, F F V
então não se podem verificar suas
consequências. Se a hipótese for falsa (p),
A dependência é para as duas proposições:
o valor lógico da proposição sempre será
verdadeiro. Se eu tirei férias no verão, então fui para a praia.
OBS: em alguns casos, a vírgula substitui o SE eu fui para a praia, então tirei férias no verão.
“então”: Se chover, levo o guarda-chuva.

Obs: Uma Bicondicional pode ser escrita


Condição Necessária e Condição Suficiente como duas condicionais. Podemos
p  q: p é condição SUFICIENTE para q “separar” as setas e ambas as condições
(basta p acontecer para que q aconteça). têm que ser verdadeiras. Ou seja:

q é condição NECESSÁRIA para p (basta p  q  (p  q) ^ (q  p)  Essas


ocorrer q para saber que aconteceu p). sentenças são equivalentes, possuem o
mesmo valor lógico.

7
Resumindo:

Proposição
Verdadeira se... Falsa se...
composta
E (conjunção) p^q Ambas são V Pelo menos uma for F
OU (disjunção) pvq Pelo menos uma for V Ambas são F
OU... OU... pvq Apenas uma for V Ambas for V ou F
Se, então Quando não for falsa
pq p=Veq=F
(condicional) (nos outros três casos)
Se e somente se Possuírem valores
Pq Ambas V ou ambas F
(bicondicional) lógicos diferentes

Leis de De Morgan Não (Antônio não é


baiano) OU Não (Antônio não é cearense).
Quando trabalhamos com expressões
lógicas muito grandes, pode ser necessário Neste caso, os nãos se anulam e a frase
substituir uma expressão por uma pode ser transformada para
logicamente equivalente (isto é, cujos
Antônio é baiano ou cearense.
elementos possam ser reordenados de tal
forma que possam produzir o mesmo  “Pedro sofreu acidente de trabalho e
resultado lógico- VERDADEIRO ou FALSO). Pedro está aposentado.”:
As Leis de De Morgan permitem fazer esta Não (Pedro sofreu acidente de trabalho) OU
substituição de forma simples através dos Não (Pedro está aposentado) que é:
seguintes pressupostos:
Ou Pedro não sofreu acidente de trabalho,
 A negação da conjunção equivale a ou Pedro não está aposentado.
disjunção.
[Não (X E Y) = Não (X) Ou Não (Y)]
 A negação da disjunção equivale a Segunda lei de De Morgan
conjunção. De maneira informal:
[Não (X Ou Y) = Não (X) E Não (Y)]
“negar duas frases ligadas com ou é igual
a negar duas frases e ligá-las com e “

Primeira lei de De Morgan:


De maneira informal: Ou logicamente:
“negar duas frases ligadas com e é igual a “não (p ou q) é igual a (não p) e (não q)”.
negar duas frases e ligá-las com ou“
Desta forma:
Ou logicamente:
~(p v q)  (~p) ^ (~q)
“não (p e q) é igual a (não p) ou (não q)”.
Exemplo:
Desta forma:
Como negar a frase: Caso ou compro uma
~ (p ∧ q)  (~p) ∨ (~q) bicicleta.
Exemplos:
Não (caso) e não (compro uma bicicleta).
 “João não é baiano e João não  Não caso e não compro uma bicicleta.
é cearense.”:

8
Operações Lógicas Ex.: Ou eu compro um carro ou eu compro
Negações: Precisamos avaliar cada uma moto.
proposição de acordo com o conectivo p: Eu compro um carro.
lógico que está sendo empregado.
q: Eu compro uma moto.
Conjunção:
Segundo a lei de De Morgan, a negação de ~(p v q) = p ^ q ou ~p ^ ~q
uma conjunção (e) é a disjunção (ou) da Eu comprei um carro e uma moto.
negação de cada uma das proposições.
Eu não comprei um carro e nem comprei
Ou seja: ~ (p ^ q)  ~p v ~q uma moto.
Ex.: Eu estudei e fui aprovado p q pvq ~ ( p v q)
p: Eu estudei q: Eu fui aprovado V V F V
V F V F
~(p^q) = Eu não estudei ou não fui F V V F
aprovado F F F V
p q p^q ~(p^q) ~p ~q ~p v ~q
V V V F F F F Condicional: (se, então)
V F F V F V V Para negar uma condicional, troca-se a
F V F V V F V afirmação por uma conjunção (e),
F F F V V V V mantendo a primeira proposição e
negando a segunda.
Disjunção: (ou) v Ou seja: ~ (p  q)  p ^ ~q
Segundo a lei de De Morgan, a negação de
uma disjunção (ou) é a conjunção (e) da Ex.: Se chover então eu levo o guarda-
negação de cada uma das proposições. chuva.

Ou seja: ~ (p v q)  ~p ^ ~q p: Chover.
(Condição suficiente)
Ex.: O presente de natal será uma meia ou
uma camiseta. q: Levar guarda-chuva.
(Condição necessária)
p: O presente de natal será uma meia
q: O presente de natal será uma camiseta ~ (p  q) = Choveu e eu não levei guarda-
chuva.
~(p v q) = O presente de natal não será
uma meia e não será uma camiseta. p q pq ~ (pq) p ~q p ^ ~q
V V V F V F F
p q pvq ~ ( p v q) ~p ~q ~p^~q V F F V V V V
V V V F F F F F V V F F F F
V F V F F V F F F V F F V F
F V V F V F F
F F F V V V V
OBS: Cuidado com a contrapositiva:

Disjunção Exclusiva: p  q  ~ q  ~ p . Ela apresenta o


(ou exclusivo: ou... ou...) mesmo valor lógico da primeira
Para negar a disjunção exclusiva (ou... proposição.
ou...) devemos pensar no caso “inverso”.

9
Ex: Se chover então eu levo o guarda- Bicondicional: (se e somente se)
chuva. Para negar uma bicondicional, usa-se a
disjunção exclusiva (ou... ou...)
Contrapositiva: ~q  ~p
Ou seja: ~ (p  q)  p v q
Se não levo guarda-chuva então não
choveu. Ex.: Eu irei para a praia se e somente se eu
tirar férias no verão.
p q pq ~q ~p ~q  ~p
V V V F F V p: Irei para a praia
V F F V F F
F V V F V V q: Tirar férias no verão.
F F V V V V ~ (p  q): Ou irei para a praia ou vou tirar
férias no verão.
Mais exemplos:
p q pq ~ (p  q) pvq
Se as aves voam, então a galinha voa. V V V F F
V F F V V
A estrutura lógica é dada por:
F V F V V
p→q F F V F F

A negação da condicional é dada pelo uso


do E e se nega apenas a segunda parte da Alguns cuidados:
estrutura. Assim:
 A negação de era o mais jovem não
~ (p → q) = p ∧ ~q é era o mais velho e sim não era o mais
jovem.
Por exemplo:
 A negação de futebol me dá
 A negação de “Se as aves voam então
alegria não é futebol me dá tristeza e
a galinha voa” é dada por: sim futebol não me dá alegria.
(As aves voam) E Não (a galinha voa),  Alguns termos são equivalentes. Por
Que pode ser convertido para exemplo, “nem” significa “e não”:

As aves voam e a galinha não voa, Não gosto de praia nem de cinema.

ou ainda, É igual a:

As aves voam, mas a galinha não voa. Não gosto de praia e não gosto de cinema.

Resumindo:

Proposição composta Negação


E (conjunção) p^q ~p v ~q
OU (disjunção) pvq ~p ^ ~q
OU... OU... pvq p ^ q ou ~p ^ ~q
Se, então (condicional) pq p ^ ~q
Se e somente se (bicondicional) Pq pvq

10
Tautologia, contradição e o símbolo ≡ para representar a
equivalência.
contingência:
Exemplo:
Tautologia:
O valor lógico da proposição é sempre Se eu estudo, então 7 não é primo.
verdade, independente do valor lógico das
Verificar a equivalência:
proposições componentes.
p q ≡ p q p q ≡ ~(p ~q)
Ex. João estuda ou ele não estuda.

p p p q ~p ~q ~p v q pq p ^ ~q ~(p^~q)


V V F F V V F V
p ~p p  p V F F V F F V F
V F V F V V F V V F V
F V V F F V V V V F V

Contradição:  p  q : Eu não estudo ou 7 não é primo.


O valor lógico da proposição é sempre
~(p ^ ~q): Nego que eu estudo e 7 é primo.
falso, independente do valor lógico das
proposições componentes.
Ex. João estuda e não estuda. Equivalências importantes:
p p 1. p  q  ~ q  ~ p (Contrapositiva)
p ~p p  p
2. pq ~pvq
V F F
F V F Ex: Se chover então eu levo o guarda-
chuva.

Contingência (ou Indeterminadas): ~q  ~p :


Não são Tautologias nem Contradição. Ou
Se não levo guarda-chuva então não
seja, todas aquelas que o resultado pode choveu.
ser V ou F dependendo do valor lógico das
proposições que a compõem. ~pvq:

p p Não choveu ou eu levo guarda-chuva.

p ~p p  p p q pq ~q ~p ~q~p ~p v q


V F F V V V F F V V
F V V V F F V F F F
F V V F V V V
F F V V V V V
Proposições equivalentes ou
Equivalência Lógica: Obs: Para saber qual equivalência utilizar,
São proposições equivalentes (ou deve-se analisar o enunciado da questão. A
logicamente equivalentes) aquelas contrapositiva (1) transforma um “Se,
formadas pelas mesmas proposições então” em outro; já a segunda equivalência
simples e os resultados das tabelas (2) transforma um “Se, então” em “OU”.
verdades são iguais. Podemos dizer que
proposições equivalentes são maneiras
diferentes de dizer a mesma coisa. Usa-se

11
Proposições categóricas: Negações de Quantificadores:
Proposições categóricas são aquelas que Ex.: Todo homem é esperto.
contêm quantificadores lógicos (Algum, Negação:
todo, nenhum...) Algum homem não é esperto.

Para negar essa proposição, basta


Quantificadores Lógicos: encontrar pelo menos um homem que não
Universais: Expressa a ideia de todo, é esperto. Troca o quantificador e nega o
totalidade. restante da proposição.
Símbolo: x
(para todo x; para qualquer elemento x;
qualquer que seja x) Ex.: Existe número primo par.
(algum número primo é par)
Ex.: Todo homem é esperto.
Negação:
Existenciais: Expressa a ideia de existência. Todo número primo não é par.
Afirma que, pelo menos um elemento tem
aquela característica. Para negar essa proposição, precisamos
Símbolo:  x garantir que tudo seja negado, pois a
(Existe x tal que, para algum elemento x, afirmação diz que pelo menos um número
para algum x) primo é par. Então, para negar, precisamos
afirmar que todos os primos não são pares.
Ex.: Existe número primo par. Troca o quantificador e nega o restante da
proposição.

Resumindo:

Quantificador Negação Equivalência Diagrama


Algum p não é q
Pelo menos um p não
Todo p é q Nenhum p não é q.
éq
Existe p que não é q
Algum p é q
Nenhum p é q Pelo menos um p é q Todo p não é q.
Existe p que é q

Nenhum p é q Pelo menos um p é q


Algum p é q
Não existe p que é q Existe p que é q

Algum p não é q Todo p é q

12