Você está na página 1de 6

BATE-PAPO E-MAIL NOTÍCIAS HORÓSCOPO BUSCA

Procurar no site...

Disciplinas Pesquisa Escolar Vestibular ENEM Infantil Exercícios

Simpli que processos e agilize a gestão


do seu negócio

Você está aqui Mundo Educação Física Termologia Transformação adiabática

Transformação adiabática Enem 2019 Videoaulas

A transformação adiabática ocorre quando um gás sofre expansão ou compressão muito


rapidamente, sem que haja tempo suficiente para transferências de calor. Geometria
Confira um roteiro com os c
: Transformação adiabática - Mund dessa área da matemática
Curtir 1 Compartilhar Tweetar
0:00 06:19

Músicas em Inglês
Aprenda a interpretar músic
Transformações adiabáticas são processos não errar na prova. Acesse
termodinâmicos nos quais não ocorrem comentadas!
transferências de calor entre um sistema e suas
vizinhanças. As únicas trocas de energia Anúncio

possíveis durante um processo adiabático são


decorrentes da realização de trabalho
termodinâmico. A palavra “adiabática” deriva
do grego adiabato, que significa impenetrável
ou intransponível.

O que é transformação adiabática?


A transformação adiabática ocorre quando um gás expande-se ou sofre compressão
com velocidade rápida o suficiente para que as trocas de calor entre ele e suas
vizinhanças sejam desprezíveis. Durante uma transformação adiabática, os gases
podem sofrer variações de temperatura, por exemplo, ao apertarmos um spray
aerosol, o gás que está confinado em alta pressão é expelido em alta velocidade. Sua
temperatura, então, cai bastante em virtude da enorme queda de pressão que o gás
sofre ao deixar seu recipiente.
De acordo com a 1ª lei da Termodinâmica, também conhecida como conservação da
energia, podemos dizer que, para qualquer sistema físico:
 

Q – calor
ΔU – variação da energia interna
τ – trabalho termodinâmico

A expressão mostrada acima diz que a quantidade de calor (Q) fornecida a um


sistema pode ser parcialmente transformada em trabalho (τ). O restante da
quantidade de calor será transformada em um acréscimo de energia interna desse
corpo (ΔU), causando, como consequência, um aumento em sua temperatura.
Veja também: 1ª lei para processos adiabáticos
Nas transformações adiabáticas, não há trocas de calor. Dessa forma, a 1ª lei da GSX-S75
Termodinâmica indica que toda variação de energia interna de um gás durante um Com IPV
processo adiabático deve ser igual ao trabalho realizado pelo ou sobre o gás:
  2019 Gr
Suzuki Motos do Brasil

GSX-S750 AB
Sistema de Co
No caso do aerosol, como o gás sofre uma expansão e empurra as moléculas do ar de Tração com
atmosférico à sua volta, ele mesmo consome parte de sua energia interna realizando Modos. A par
trabalho. R$37.875

Nos processos adiabáticos, as únicas trocas de energia possíveis entre um sistema e


suas vizinhanças ocorrem por meio da realização de trabalho.
Veja também: Trabalho de um gás ABRIR

Compressão e expansão adiabática


Compressões e expansões adiabáticas são comuns em motores de combustão interna,
como motores movidos a gasolina, os quais funcionam a partir do ciclo Otto. Esse
ciclo é composto por quatro etapas:
Admissão isobárica: há um grande aumento no volume do gás sob pressão
constante.
Compressão adiabática: há um grande aumento na pressão do gás e uma
diminuição de seu volume sem que haja trocas de calor.
Expansão adiabática: há um grande aumento no volume do gás e uma diminuição
da pressão sem que haja trocas de calor.
Expansão isobárica: há um aumento no volume do gás sob pressões constantes.

A compressão adiabática ocorre, portanto, quando um gás sofre uma diminuição em


seu volume e, consequentemente, um aumento em sua pressão sem que se realizem
trocas de calor com suas vizinhanças.
A expansão adiabática, por sua vez, é caracterizada por um aumento repentino no
volume do gás e uma grande queda de sua pressão. Dessa forma, a temperatura do
gás tende a cair rapidamente, mesmo sem haver trocas de calor entre o gás e o meio.
Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Uma nova linha para quem não quer abrir


mão de pratos Gostosos nem de uma dieta
Natural!
Saber Mais >

Pressão e volume nas transformações adiabáticas


É possível relacionar a pressão e o volume de um gás durante uma transformação
adiabática por meio da seguinte equação:
Pi – pressão inicial
PF – pressão final
Vi – volume inicial
VF – volume final
γ – coeficiente de expansão adiabática

Na equação acima, γ representa o coeficiente de expansão adiabática, uma grandeza


adimensional definida pela razão entre o calor específico molar a pressão constante
(CP) e o volume constante (CV). Observe:
 

CP – calor específico molar a pressão constante


CV – calor específico molar a volume constante

Para gases ideais monoatômicos, o coeficiente γ tem valor igual a 5/3. Já para gases
ideais diatômicos, seu valor é de 7/5. A relação entre calor específico de pressão
constante e volume constante é chamada de relação de Mayer. Observe:
 

R – constante universal dos gases perfeitos (0,082 atm.L/mol.K ou 8,31 J/mol.K)

Gráfico das transformações adiabáticas


Os ciclos termodinâmicos são apresentados em forma de gráficos, os quais,
geralmente, relacionam as grandezas pressão e volume. Dessa forma, é necessário
que saibamos identificar a curva relativa às transformações adiabáticas nesse tipo de
gráfico:

As curvas relacionadas às transformações adiabáticas são mais acentuadas que as curvas isotérmicas.

Fórmulas da transformação adiabática


As principais fórmulas utilizadas para o estudo das transformações adiabáticas são:
 

A equação acima pode ser reescrita em termos da pressão e temperatura. Confira:


 
Além disso, existe uma fórmula para calcularmos o coeficiente de expansão
adiabática:
 

Para determinarmos a relação entre CP e CV:


 

Exemplos resolvidos sobre transformação adiabática


Um gás ideal de volume V1 e temperatura inicial T1 sofre uma expansão adiabática até
que seu volume final seja 9 vezes maior que seu volume inicial, sua pressão final P2 e
sua temperatura final T2. Sendo CP/CV = 3/2 para esse gás, determine:
a) a razão entre as pressões iniciais e finais desse gás.
b) a razão entre as temperaturas finais e iniciais desse gás.

Resolução
a) Para encontrarmos as relações entre as pressões P1 e P2 do gás, podemos utilizar a
equação a seguir:
 

Como informa o exercício, o volume final do gás (V2) é 9 vezes maior que o volume
inicial V1. Portanto, V2 = 9V1:
 

b) Para calcularmos a relação entre as temperaturas do gás, podemos utilizar a lei


geral dos gases ideais:
 
Os gases pressurizados dentro das latas de aerosóis são expelidos em velocidades tão altas que não há trocas de calor
com o ambiente.

Publicado por: Rafael Helerbrock

Compartilhe! Curtir 1 Compartilhar Tweetar

Assuntos Relacionados
A primeira lei para processos adiabáticos
Veja aqui como se comporta a primeira lei da termodinâmica para processos adiabáticos, ou seja, processos durante os
quais não há transferência de calor.

Trabalho de um gás
Veja aqui como você pode calcular o trabalho de um gás durante uma transformação isobárica.

Funcionamento do Motor de Combustão Interna


Conheça os estágios de funcionamento do motor de combustão interna e entenda como a gasolina faz o carro andar.

Anúncio
Make it in Germany - Working, studying, living in Germany

Sítios atingidos pelo rompimento da barragem de Mariana recupera...


Fundação Renova

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Produtos Promocionais Para Veja como currais, chiqueiros e Veja por que lama do desastre de
Eventos e Utilidades que pastos estão sendo recuperados Mariana não impediu a procriação
promovem sua Empresa após rompimento de barragem das tartarugas marinhas
Patrocinado Fundação Renova Fundação Renova
ALUNOS ONLINE BIOLOGIA NET BRASIL ESCOLA ESCOLA KIDS HISTÓRIA DO MANUAL DA PO
MUNDO QUÍMICA

Política de Privacidade Termos de Uso Quem Somos Anuncie Fale Conosco

Resolução mínima de 1024x768. Copyright © 2019 Rede Omnia - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução comercial sem autorização (Inciso I do Artigo 29 Lei 9.610/98).