Você está na página 1de 107

Instruções de manutenção

e
Lista de peças sobresselentes

JM 806
JM 907
JM 1108
JM 1206
JM 1208
JM 1312
S 050.012 pt
1 Regras de Segurança S 222.071 pt
S 222.032.04 pt

Instalação operação Informação geral S 000.001 pt


e manutenção
2 Informações Gerais S 222.065 pt MB-124

Jawmaster
806
907
3 Instalação e Operação S 222.066 pt MB-124

1108
1206
1208
4 Lubrificação S 222.067 pt MB-124

1312 Manutenção S 222.068 pt MB-124

2002-09-12
5 Medidor de Aberturas para Britadores
S 222.069 pt I-83
de Mandibulas

6 Lista de Peças S 222.070 pt MB-124

7 Atestado de concordância S 058.045

8 Equipamento adicional

9 Instruções para motores elétricos

10 Desenho de instalação

11

12
Regras de segurança geral S 050.012.02 pt 1 (10)

2003-01-16

Conteúdo Página

Introdução 2

Medidas adicionais de segurança 3

Medidas de segurança geral 4

Segurança do pessoal
Segurança no local de trabalho

Segurança com equipamento eléctrico 6

Segurança com materiais inflamáveis contaminantes 6

Segurança com sistemas de ar comprimído e hidráulicos 8

Segurança com trabalhos de soldagem 9

Dez regras de segurança 10


Regras de segurança geral S 050.012.02 pt 2 (10)

2003-01-16

Antes de iniciar a instalação do equipamento, deve-se estudar


Perigo !!! minuciosamente este manual. Se se negligem as instrucções, há
risco de acidentes graves e/ou avarias sérias na máquina.

Introdução
A Sandvik Rock Processing fabrica britadores, crivos e alimentadores, bem como
britadores móveis e estações de triagem, para as indústrias mineira e de construção civil.
Nas fases de desenho e fabricação das maquinas, pôsse um ênfase especial nos aspectos de
sanidade e de segurança para evitar riscos.

Dado que as máquinas de Sandvik Rock Processing são


Perigo !!! utilizadas para o tratamento de minerais e outros materiais que
podem ser prejudiciais à saúde de pessoas e animais, é da
responsabilidade do utente que sejam observadas as normas e
leis vigentes para impedir os riscos inerentes, tais como asbesto,
quartzite, rádon, etc.

As máquinas da Sandvik Rock Processings serão sempre utilizadas como componentes em


usinas de trituração e classificação. Por conseguinte, resulta-nos quase impossível, como
fabricantes dar instrucções de operação para todas as configurações possíveis do sistema
de comando, na usina em que a máquina trabalhará.

Este manual contém instrucções de segurança para a instalação, manejo e manutenção.


Não é um manual detalhado para uma máquina determinada, senão que pretende informar
clientes, operadores e técnicos de manutenção sobre os diferentes perigos que podem
apresentarse numa usina de trituração e classificação.

As nossas instrucçõs de manejo e manutenção das diferentes máquinas contêm informação


mais detalhada. Mesmo assim, pode ser necessária formação complementária pela Sandvik
Rock Processings. A nossa organização de serviço pode contribuir para a formação.

A experiência demonstra que a maioría dos acidentes numa usina de trituração e


classificação se produzem durante os trabalhos de manutenção; por exemplo, na inspecção
de peças móveis e ao limpar atravancamentos. Este manual comtém normas de segurança
para este tipo de trabalhos.
Regras de segurança geral S 050.012.02 pt 3 (10)

2003-01-16

Aspectos importantes para evitar riscos:

- Estudo e seguimento das instrucções.


- Formação contínua do pessoal em manejo e segurança.
- Seguimento das normas de segurança; gerais e locais.
- Colocação de letreiros de advertência em lugares perigosos
- Dispôr de equipamentos e ferramentas adequados
- O proprietário e a direcção da empresa, devem elaborar programas e normas de
segurança efectivos, e assegurar o seu cumprimento por parte de todo o pessoal.

Medidas adicionais de segurança


As nossas instrucções contêm informação importante que todos os usuários deverão
conhecer e compreender antes de utilizar o equipamento. Para destacar a informação
directamente relacionada com a SEGURANÇA DE MANEJO e a prevenção de
problemas com o EQUIPAMENTO, utilizaremos nas nossas instrucçõesos os seguintes
termos e símbolos:

Informação importante que adverte sobre uma situação que pode


Perigo !!! provocar acidentes graves ou a morte, se as instrucções não
forem seguidas.

Informação importante que descreve a forma de impedir danos


Cuidado !! nas máquinas e equipamento, ou de evitar uma situação que
pode provocar acidentes.

Conselhos sobre o funcionamento, manejo e manutenção de


Nota ! máquinas e equipamento.
Regras de segurança geral S 050.012.02 pt 4 (10)

2003-01-16

Medidas de segurança geral


A seguinte lista sobre medidas de segurança deve ser
Perigo !!! considerada como directivas recomendativas. Podem ocorrer
outras condições e variações no funcionamento do equipamento
que não são cobertas por estas. A intenção destas directivas, é
fazer todo o pessoal consciente dos riscos e situações perigosas,
existentes em redor do equipamento e zonas de trabalho.

Segurança do pessoal

1. Leia e assimíle todos os avisos, medidas de precaução e instruções do livro de


instruções de manobra. Leia também, e aprenda o significado de todos os letreiros
que há no equipamento e em redor. Se tem dúvidas, trate de arranjar resposta para
todas as perguntas antes de o trabalho começar.

2. Particípe todos os incidentes e acidentes ao superior responsável. Consulte tão rápido


quanto possível o médico ou outro pessoal hospitalar se tiver havido lesões pessoais.

3. Mantenha uma lista de números de emergência, bem visível perto do telefone, e


informe todo o pessoal, de onde estes se encontram.

4. Não trabalhe nas instalações se estiver sob o efeito do alcoól, medicamentos fortes,
calmantes ou outras drogas que o possam pôr menos atento ou afectar o seu juizo.

5. Quando se mover na máquina ou em redor, use pegas, resguardos, escadas e outros


dispositivos de segurança. Use cinturão com corda de segurança se for necessário.

6. Tome medidas de segurança de forma a que o cabelo ou roupas folgadas, não se


prendam em peças móveis ou comandos.

7. Use sempre óculos de protecção, tão depressa haja risco de particulas minerais,
lascas, poeiras ou outros objectos voantes que possam ferir os olhos, e quando as
normas de segurança o exijam. Tenha cuidado com os seus olhos!

8. Use sempre, se possível, luvas protectoras para defender as mãos e dedos de golpes,
escoriações, queimaduras e diluentes.

9. Use sempre capacete e sapatos protectores em trabalhos que assim o exijam.


Aquando de, e durante pontos de transporte, por exemplo entre o transportador
alimentador e a trituradora pode haver risco de queda de pedras. Certifique-se de que
há protecção e letreiros.

10. Tire anéis, relógios, pulseiras e fios de pescoço antes de começar a trabalhar na
instalação.
Regras de segurança geral S 050.012.02 pt 5 (10)

2003-01-16

11. Use protecção de ouvidos em zonas de trabalho com alto nível de ruído.

12. Use máscara de respiração quando trabalhar em meios que lhe possam afectar a
saúde, por exemplo, aquando de pintura e uso de diluentes, quimicos e outras
substâncias perigosas. Pense também no risco de silicose quando há poeiras de
quartzo.

13. Não faça alevantamentos desnecessários ou perigosos que lhe possam lesar as costas,
senão que, use dispositivos auxiliares. Use as pernas e não as costas quando é
obrigado a alevantar coisas.

Segurança no local de trabalho

1. Mantenha a zona de trabalho limpa e livre de materiais acumulados.Não deixe pedra


ou outros materiais acumularem-se em passagens, plataformas, escadas e sob
transportadores.

2. Não permita que pessoas não autorizadas permaneçam na zona de trabalho ou


arredores. Tenha sempre controle total sobre quem lá estiver. Se necessário tome
nota das pessoas.

3. Superficies que são tocadas com as mãos ou pés têm que ser mantidas limpas e livres
de óleo e gorduras.

4. Guarde peças e ferramentas nos sitios a isso destinados quando não estão a uso.

5. Guarde equipamento de segurança nos sitios a isso destinados, e asse-gure-se de que


o pessoal na zona de trabalho sabe onde esse se encontra e de como usá-lo
correctamente.

6. Faça um controle diário do sistema de alarme e equipamento de aviso na zona de


trabalho, e certifiquese que cada unidade independente funciona satisfatóriamente,
antes do uso do equipamento.

7. Não esteja embaixo de equipamento içado ou suspenso, nem permita que alguém o
faça. Use gancho de segurança ou gancho com fecho de segurança quando içar e use
calços for necessário.

8. Imformese dos limítes de peso das travessas e guindastes, e da zona livre de


movimento exigida por esses.

9. Não sobrecarregue as passagens. Essas são destinadas a pessoal de serviço.

10. Esteja atento ás condições que possam dificultar o controle visual na zona de
trabalho e em redor.
Regras de segurança geral S 050.012.02 pt 6 (10)

2003-01-16

11. Durante a manutenção da máquina, o motor da mesma tem que estar desligado
e deve ser impossível pô-lo a trabalhar inadvertidamente.

12. A máquina e a área de trabalho devem estar bem iluminadas.

Segurança com equipamento eléctrico


1. Consinta apenas pessoal qualificado e competente a
Perigo !!! trabalhar com componentes eléctricos na instalação ou
equipamento.

2. Parta sempre do principio que o equipamento eléctrico está conductivo, até se


constatar por meio de teste correctamente efectuado, que o não está.

3. Bloqueie o interruptor de segurança/interruptor principal e ponha letreiros de aviso


com ”Trabalhos em curso” antes de iniciar qualquer inspecção, serviço de
manutenção, lubrificação ou ajuste à máquina.

4. Repare ou substitua coductores eléctricos, cabos ou ligações que estejam gastos ou


danificados.

5. Certifique-se que cabos de terra, fichas de contacto e ligações de cabos de alta


potência estão ligados como deve ser e com segurança, antes de o equipamento
arrancar.

6. Providencíe para que todos os conductores de alta potência e cabos subterrâneos


sejam localizados e conhecidos. Seja extremamente cuidadoso durante trabalhos
nessas zonas. Informese donde estão caixas eléctricas com os interruptores dos
conductores principais.

7. Nunca trabalhe com equipamento eléctrico em recintos húmidos ou quando está na


água ou superfície molhada, a não ser que saiba que a corrente está cortada.

8. Seja cauteloso quando trabalhar perto de, ou com eléctricidade. Particípe


imediatamente ao seu superior, se houver risco ou suspeita de avaría no sistema
eléctrico.
Regras de segurança geral S 050.012.02 pt 7 (10)

2003-01-16

Segurança com materiais inflamáveis


contaminantes
1. Guarde productos fácilmente inflamáveis, incendiáveis e perigosos em local seguro e
a isso destinado. Esses, estarão marcados nitidamente segundo as normas em vigôr.

2. Armazene desperdício usado e sujo, em contentores a isso destinados, segundo as


normas vigentes e regras locais existentes. Esse contentores deverão estar afastados
de substâncias fácilmente inflamáveis e incendiáveis.

3. Não guarde productos fácilmente inflamáveis, incendiáveis ou perigosos na


proximidade de máquinas, caixas de electricidade e recintos de pessoal.

Não autorize fumar, fogo ou chama aberta na próxi-midade de


Cuidado !! depósitos de combustível e óleo ou outros productos
inflamáveis.

4. Coloque o equipamento extintor em locais convenientes. Providencíe para que todo o


pessoal saiba onde os extintores se encontram e como se usam. Tenha-os acessíveis
aquando de enchimento de combustíveis e aquando de manejo de outros materiais
inflamáveis. Controle regularmente, segundo as normas vigentes que os extintores
estão cheios e funcionam.

5. Páre todos os motores aquando de enchimento de depósitos de óleo e combustível,


ou de transporte de substâncias inflamáveis, combustíveis e perigosas. Siga as
normas e recomendações vigentes aquando de manejo dessas substâncias.

6. Coloque os depósitos de substâncias combustíveis em recintos ou zonas bem


ventilados e longe de equipamento que possa provocar faíscas e con-sequentemente
risco de ignição de substâncias perigosamente inflamáveis. São especialmente
arriscados o enchimento e esvaziamento de depósitos.

7. Aquando do enchimento de substâncias inflamáveis ou combustíveis de-verão a


boquilha ou o funíl de enchimento estar ligados à terra, para que eléctricidade
estáctica e consequentemente faíscas não possam ocorrer.

8. Nunca arranque um motor diesel ou de gazolina num recinto fechado, se este não
estiver correctamente ventilado.

Gazes perigosos podem matar!


Perigo !!!

9. Não use substâncias altamente inflamáveis e/ou combustíveis tais como gasolina,
petróleo ou gasóleo para limpar peças, a menos que as instruções de manutenção as
recomendem especificamente. Use sempre diluentes não altamente inflamáveis,
destinados a limpeza.
Regras de segurança geral S 050.012.02 pt 8 (10)

2003-01-16

10. Quando usar materiais baseados em resina epoxy, deverá seguir as recomendações
do fabricante e normas vigentes.

A mistura e endurecimento de materiais epoxy, devem ser


Perigo !!! executados em meios abertos ou bem ventilados. Não queime
resinas endurecidas, sem ventilação correcta. Evite contacto de
pele com material resinoso epoxy, não endurecido.

11. Controle e enchimento de baterias, deve ser feito em meios abertos e bem ventilados.
Não permita fumar ou chama aberta, na próximidade de baterias. Quando trabalhar
com baterias, siga sempre as normas vigentes.

Não esqueça que há gaz explosivo dentro das baterias.


Perigo !!!

12. O transporte e manuseamento de detritos, líquidos, materiais perigosos, etc, devem


ser executados de uma forma correcta do ponto de vista ecológico e de acordo com
as normas e directivas vigentes. Trate de sabêlas.

13. Use roupa adequada e equipamento de protecção, e siga as rutinas recomendadas em


trabalho com materiais inflamáveis, combustíveis e perigosos.

Segurança com sistemas de ar comprimído e


hidráulicos
1. Não execute manutenção de componentes em sistemas
Cuidado !! hidráulicos e de ar comprimido, sem primeiro ter
descomprimído o sistema.

2. Não execute controles internos em sistemas hidráulicos e de ar comprimi-do, sem


primeiro descomprimir o sistema.O óleo e o ar sobre pressão podem ser perigosos se
se libertar a pressão de forma errónea. O óleo e o ar podem ficar muito quentes
durante o funcionamento. Espere até o sistema ter arrefecido antes de executar o
trabalho.

3. Não desmonte cilindros de ar comprimido ou hidráulicos das respectivas ligações,


antes de descomprimir os sistemas.

4. Não tenha o sistema de pressão em funcionamento, com mangueiras, válvulas ou


isolamentos desgastados ou danificados. Substitua os compo-nentes danificados
antes de pôr o sistema a funcionar novamente.

5. Não tente desmontar cilindros hidráulicos ou de ar comprimido se não for


qualificado para tais trabalhos.
Regras de segurança geral S 050.012.02 pt 9 (10)

2003-01-16

6. Nunca ajuste a afinação de pressão em sistemas de ar


Cuidado !! comprimido ou hidráulicos, acima do valor recomendado.

7. No sistema de pressão, siga as instruções de controle e manutenção recomendadas


pelo fabricante, para assegurar que existam condições de segurança aquando de
funcionamento.

8. Seja especialmente cauteloso quando trabalhar no, ou com


Perigo !!! acumuladores hidráulicos. Estes, nunca devem ser sujeitos
a aquecimento, soldagem ou violência mecânica.

Segurança com trabalhos de soldagem


1. Aquando de soldagem e corte a maçarico, só se deverá utilizar soldadores
experientes, com conhecimento do equipamento de soldadura e do material a soldar.

2. Tome todas as medidas de segurança necessárias, para evitar que faíscas e fagulhas
atinjam o pessoal; e também a banda de transporte, mangueiras, depósitos e outras
partes incendiáveis de equipamento. Nunca esqueça o perigo de incêndio.

3. Fixe o cabo de terra, tão próximo do sitio de soldadura


Cuidado !! quanto possível, para evitar o risco de lesões no pessoal e
equipamento.

4. Aquando de dúvidas consulte sempre o fabricante do equipamento maquinário a ser


soldado, antes da soldagem ser começada.

5. Nunca solde em depósitos e tubos que estejam sob pressão.

6. O eventual telecomando sem fios, inclusive a antena, deve ser desconectado durante
os trabalhos de soldadura para evitar danos no equipamento de TSF.
Regras de segurança geral S 050.012.02 pt 10 (10)

2003-01-16

Dez regras de segurança


1. Apoie todos os esforços para fazer o seu local de trabalho seguro e saudável.

2. Actue com responsabilidade e diligência àcerca da segurança própria e alheia.

3. Controle regularmente todas as ferramentas e equipamento protector de forma a que


funcionem com segurança.

4. Informe-se a sí e aos outros, àcerca dos riscos ligados ao trabalho, de forma a estes
poderem ser evitados com segurança.

5. Para o evitar de ferimentos, informe-se àcerca dos riscos e questões de segurança,


àcerca dos quais sinta não ter suficientes conhecimentos.

6. Inumére os possíveis riscos de acidentes e lesões antes de começar um novo trabalho.


Desenvolva medidas de segurança ponderadas, para protecção própria e alheia.
Reconsidereas periódicamente e faça os melhoramentos necessários.

7. Avise outros àcerca de possiveis riscos e possibilidade de ferimentos, se os vir a


trabalhar de forma arriscada ou a criar situações perigosas.

8. Esteja atento a alterações de situação e processo de trabalho.

9. Particípe imediatamente procedimentos arriscados e situações perigosas ao seu


superior. Não parta do pricípio que alguma outra pessoa o fará.

10. Mantenha o seu local de trabalho limpo. Junte ferramentas e material depois do uso,
e guardeos nos sitios a isso destinados.
Instruções de manutenção S 000.001.04 pt 1 (2)

Informação geral 2001-11-15

Condições gerais de cuidado e manutenção


Aquele que cuide e faça o serviço de manutenção a esta máquina tem de ter bons
conhecimentos sobre ela.

O responsável pela operação tem de conhecer bem a máquina e saber como e quando se
devem efectuar ajustes, bem como saber as sobrecargas permitidas por ela.

Por isso queira ler estas instruções de manutenção e estudar a lista de peças sobressalentes
com os respectivos desenhos, antes de instalar e usar a máquina. Assegure-se também de
que as instruções estão acessíveis para o responsável pela manutenção da máquina.

É especialmente importante que sejam lidas as normas de segurança incluídas nas


instruções de manutenção.

Princípios referentes a garantia e a peças sobressalentes


Princípios referentes a garantia

Além do que foi indicado nas Condições gerais de entrega, queremos salientar o seguinte:

A garantia de Sandvik Rock Processing sobre as máquinas por nós fornecidas é válida
desde que:

- o defeito seja devido a defeito de construção, material ou de fabrico.

- o defeito seja relatado a Sandvik Rock Processing ou a algum dos seus


representantes, dentro do prazo da garantia.

- o produto seja usado apenas segundo as condições de operação indicadas nas


instruções de manutenção e em aplicações para as quais a máquina foi concebida.

- os trabalhos de assistência e reparação sejam efectuados por pessoal aprovado pela


Sandvik Rock Processing.

- sejam usadas peças genuínas Sandvik Rock Processing.

A responsabilidade não abrange defeitos causados pelo uso de peças não genuínas, por má
manutenção, instalação incorrecta, reparação feita incorrectamente e desgaste normal.

Sandvik Rock Processing não assume quaisquer responsabilidades por danos para além do
referido acima, quer sejam lesões pessoais, materiais ou de propriedade.

Como nós efectuamos esforços contínuos de desenvolvimento e aperfeiçoamento,


reservamo-nos o direito de realizar a
lterações de modelos e especificações sobre os nossos produtos.
Instruções de manutenção S 000.001.04 pt 2 (2)

Informação geral 2001-11-15

Princípios referentes a peças sobressalentes

Para se obter uma segurança operativa e económica ideal durante toda a vida útil da
máquina, devem usar-se apenas peças sobressalentes genuínas Sandvik Rock Processing.

Através do uso exclusivo de peças genuínas Sandvik Rock Processing obtém-se


automaticamente o acesso ao aperfeiçoamento de qualidade regularmente introduzido pela
Sandvik Rock Processing.

Sandvik Rock Processing garante o fornecimento de peças sobressalentes durante um


prazo mínimo de 10 anos após a cessação de produção desta máquina.

Para assegurar um fornecimento correcto de peças sobressalentes, queira ver na lista


respectiva e indicar o seguinte, no acto da encomenda:

* tipo de máquina

* número de fabrico / número SW

* designação, número de artigo e quantidade

Serviço de assistência

Serviço ou pessoal de assistência podem ser encomendados através do representante,


agente ou vendedor mais próximo da Sandvik Rock Processing (neste folheto: Sandvik
Rock Processing) ou directamente pela:

Sandvik SRP AB Tel. +46 40 40 90 00


Secção de Assistência Fax +46 40 40 92 64
S-233 81 SVEDALA
SUÉCIA
S 222.065.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 2 1(6)
2001-11-22

2. INFORMAÇÕES GERAIS

INTRODUÇÃO ......................................................................................................... ............ 2

TRANSPORTE DO BRITADOR .......................................................................................... 2

PROTEÇÃO DURANTE A ESTOCAGEM............................................................................ 2

PEÇAS DE SERVIÇO........................................................................................................... 3

FERRAMENTAS PARA INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO........................... 4


RECOMENDAÇÕES PARA O MANUSEIO DE PEÇAS ..................................................... 4
S 222.065.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 2 2(6)
2001-11-22

INTRODUÇÃO

Apresentamos aqui mais um britador de mandíbulas SANDVIK ROCK PROCESSING. Com


cuidados e atenção razoáveis ele prestará longos anos de serviço sem problemas. Uma
combinação de materiais de alta qualidade e uma desenvolvida engenharia fazem do Jawmaster
uma máquina de simples instalação e operação.

O arranjo das peças facilita a manutenção e inspeção, desta maneira qualquer mecânico pode
operar e manter o britador, depois que esteja familiarizado com o mesmo.

Este Manual contém instruções sobre a maneira mais fácil e prática de instalar, operar e manter o
seu britador. Leia-o com cuidado antes de instalar ou operar a máquina e conserve-o sempre à
mão para eventuais consultas futuras.

Sobre quaisquer problemas operacionais, entre em contato SANDVIK ROCK PROCESSING.

TRANSPORTE DO BRITADOR

O britador de mandíbulas de um eixo tipo JAWMASTER, quando possível, é fornecido ao cliente


totalmente montado. Porém, se o cliente assim o desejar, ou por necessidades de transporte, o
britador será enviado em subconjuntos facilmente montáveis.

VERIFIQUE QUANTO A DANOS OU PERDAS NO TRANSPORTE

O britador foi exaustivamente inspecionado e cuidadosamente preparado para o transporte antes


de ser entregue à empresa transportadora.

Não obstante, é possível que maquinária e peças sejam avariadas ou perdidas durante o
transporte. Verifique cada um dos itens, comparando-os com a lista de embarque. Se constatar
danos ou falta de qualquer peça, leve-o ao conhecimento do transportador imediatamente.
Certifique-se de que o transportador anote a ocorrência, com todos os detalhes, na nota do
transporte apropriada. Isto ajudará a evitar quaisquer controvérsias quanto à queixa e facilitará uma
reparação rápida e eficiente.

PROTEÇÃO DURANTE A ESTOCAGEM

Deve-se tomar medidas especiais de proteção dos componentes do britador quando este for
estocado por um longo período de tempo. Aqui estão algumas recomendações gerais para a
estocagem dos componentes:

1. Peças com superfícies usinadas: Tais superfícies devem ser cobertas com um protetor anti-
ferrugem. Quando possível, as peças devem ser estocadas dentro de galpões. Se a estocagem
for ao ar livre, coloque as peças sobre pranchas de madeira ou outro tipo de suporte, e nunca
diretamente sobre o chão. Cubra as peças com lonas impermeáveis, para protegê-las contra
intempéries e sol.

2. Rolamentos: Deixe-os em recintos fechados, acondicionados na própria embalagem com o


protetor original, e adequadamente suportados.
3. Vedações de borracha: A não ser que inteiramente protegidas contra calor e oxidação, as
vedações de borracha endurecerão e perderão a sua eficiência de vedar. Cubra-as com óleo de
preservação e mantenha-as num recinto fresco e seco.
4. O britador montado: Se o britador montado ficar parado durante um extenso período, ou se a
instalação for atrasada, certifique-se de que os rolamentos estejam perfeitamente protegidos
contra a corrosão, cobrindo o equipamento com lona de proteção.
S 222.065.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 2 3(6)
2001-11-22

Certifique-se de que os rolamentos estejam cheios com a quantidade correta do lubrificante


recomendado (veja a seção 4). Para assegurar que os rolamentos estejam sempre cobertos de
lubrificante, dê um giro completo no eixo uma vez por mês. Além disso, cubra todas as superfícies
usinadas com um preventivo anti-corrosivo.

Seja extremamente cuidadoso para não causar danos às partes do britador durante o manuseio e a
estocagem. Visto que as condições climáticas variam, recomendamos contatar um fornecedor local
de produtos de proteção, ele conhece melhor os produtos mais adequados para as condições
específicas que possam ser encontradas.

Inspecione periodicamente os produtos estocados para certificar-se de que as coberturas


protetoras estejam intatas e que não haja danos às peças. SANDVIK ROCK PROCESSING não
pode assumir qualquer responsabilidade sobre o êxito dessas medidas de proteção.

Antes de proceder à utilização de uma peça, retire o protetor contra corrosão de todas as
superfícies usando um solvente adequado. Inspecione inteiramente todos os componentes quanto
à corrosão ou avarias que possam prejudicar a operação da máquina.

USANDO OS NÚMEROS DE CATÁLOGO E DESENHOS DE REFERÊNCIA:

Todas as peças do britador estão relacionadas nas listas de peças, nas figuras e no texto deste
manual, e designadas através de referências numéricas, chamadas "números de catálogo". Uma
lista de peças com números de catálogo e desenhos de referência está também incluída.

O manual de peças é enviado em separado, depois do despacho do britador. Ele é organizado


conforme conjuntos e subconjuntos, e mostra as quantidades e os "números da peça" específicos
de cada item usado no britador. Números de peça, números de catálogo, desenhos de referência,
listas de peças e os manuais de peças são fornecidos para seu uso quando da encomenda de
peças sobressalentes ou de reposição.

PEÇAS DE SERVIÇO

Qualquer peça de desgaste ou de reposição para o britador de mandíbulas de um eixo


JAWMASTER HD é mantida em estoque pela SANDVIK ROCK PROCESSING.

Quando emitir pedidos de peças, inclua a seguinte informação:

1. Tamanho do britador (modelo).

2. O número de série do britador - procure a chapa do número de série fixada à carcaça do


britador. O número de série se encontra, também, na folha de capa do seu manual de peças.

3. A descrição da peça por nome, junto com os números de catálogo e número da peça.

4. Quantidade de cada peça requerida, e

5. Informações adicionais sobre a remessa, incluindo local e meio de envio.


S 222.065.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 2 4(6)
2001-11-22

FERRAMENTAS PARA INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

Descrição 806 907 1206 1108 1208 1312

Soquete sextavado para parafuso da tampa do volante (mm) 30


Chave para parafuso do contrapeso do volante (mm) 30 30 30 30 30 30
Chave para parafusos das cunhas laterais (mm) 36 36 36 36 36 36
Chave para tirantes (mm) 55 55 65 65 65 80
Soquete sextavado para proteção de borracha e abanadeira 19 19 19 19 19 19
(mm)
Chave para fixação do cilindro hidráulico (mm) 19 19 19 19 19 19
Soquete sextavado para flanges do mancal (mm) 24 24 30 30 30 30
Chave para cunhas de fixação (mm) 50 50 50 50 50 65
Chave para trava da abanadeira (mm) 30 30 30 36 36 36
Chave para parafusos dos mancais (mm) 65 65 65 65 65 65
Chave para placa de encosto (mm) 30 30 30 30 30 46
Olhal para içar mancal (metric) M16 M16 M20 M20 M20 M20
Chave para sextavado interno - montagem do ring feder (mm) 12
Chave para sextavado interno - extração do ring feder (mm) 14

RECOMENDAÇÕES PARA O MANUSEIO DE PEÇAS

Tome estas precauções quando manusear peças de britador:

GERAL

• Quando içar ou remover peças, use guincho com capacidade suficiente para que o manuseio
fique seguro. Os pesos dos conjuntos são listados nos desenhos de assentamento dos
britadores para usar quando selecionar talhas, macacos hidráulicos, etc.
• Limpe e lubrifique as peças com cuidado. Verifique quanto a quaisquer danos ou imperfeições
que deveriam ser removidos antes da montagem.

PESOS DOS PRINCIPAIS COMPONENTES

MODELO
DESCRIÇÃO 806 HD 907 HD 1206 HD 1108 HD 1208 HD 1312 HD

kg lb kg lb kg lb kg lb kg lb kg lb
Conjunto queixo * 3127 6880 3749 8265 6300 13900 5843 12881 8340 18386 16300 35980
Cj.carcaça(Soldada) 3905 6810 4098 9034 5765 12709 7493 17399 7733 17048 16560 36508
Abanadeira 112 247 162 357 220 485 244 538 308 679 435 959
Suporte da calha 43 95 59 130 78 172 91 201 109 240 130 287
Mandíbula 640 1411 865 1907 1180 2601 1390 3064 1436 3166 2880 6349
Cunha Lateral (maior) 90 198 157 346 157 346 157 346 392 864 392 864
Volante 565 1246 729 1607 720 1587 1200 2646 1200 2646 1732 3818
Peso Total: 9850 21700 13200 29000 16950 37300 21700 47700 24400 53800 41500 91400
* Conj. queixo = queixo + eixo + flanges + mancais e rolamentos (sem volantes, com mandíbula)
S 222.065.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 2 5(6)
2001-11-22

SUPERFÍCIES USINADAS OU DE MANCAIS

• Tome cuidados especiais para não danificar peças com superfícies usinadas ou de mancais.

• Proteja as superfícies usinadas ou de mancais com óleo protetor ou um produto protetor contra
corrosão se a peça será exposta a intempéries durante um período prolongado.

• Coloque as superfícies usinadas sobre pranchas de madeira ou sobre outros suportes


adequados, NUNCA direto no chão.

• Nunca monte uma superfície de mancal sem antes eliminar quaisquer imperfeições e sem
aplicar um lubrificante.

PEÇAS SOBRESSALENTES E DE REPOSIÇÃO RECOMENDADAS

Número Descrição Número Descrição


Catálogo Catálogo

1103-0 Cunha Lat. Inferior 2316-0 Placa de Proteção do


Queixo
1103-1 Cunha Lat. Superior 2321-0 Cabeça do tirante*
1205-0 Placa de Encosto 2321-1 Tirante*
1208-0 Mandíbula Fixa 5000-2 Calço de Regulagem
1209-0 Cunha de Fixação 5000-3 Calço de Regulagem
1210-0 Parafuso Cab. Sextavada 5000-4 Calço de Regulagem
1221-0 Parafuso* 5003-0 Suporte da Calha
2012-0 Rolamento 5005-0 Calha
104-0 Rolamento 5006-0 Abanadeira
2306-0 Placa de Encosto 7003-1 Garfo do Tirante
2309-0 Mandíbula Móvel 7003-9 Haste do Tirante
2310-0 Cunha de Fixação 7004-0 Mola
2311-0 Parafuso Cab. Sextavada

(*) Aplicados somente ao Jawmaster 1312HD.


S 222.065.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 2 6(6)
2001-11-22

Fig. 2.1 - Corte do britador JAWMASTER HD


S 222.066.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 3 1(5)
2001-11-22

3. INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MONTAGEM ......................................................................................................................... 2

SERVIÇOS DE SOLDAGEM ................................................................................................ 3

PARTIDA INICIAL ................................................................................................................ 4

VERIFICAÇÕES DURANTE A OPERAÇÃO ....................................................................... 4


Geral ................................................................................................................................. 4
Alimentação ...................................................................................................................... 5
Rolamentos....................................................................................................................... 5
S 222.066.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 3 2(5)
2001-11-22

INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO
GENERALIDADES

Para cada britador fornecemos um desenho dimensional, uma tabela de pesos e um desenho
esquemático da instalação.

Esses desenhos e a tabela informam sobre o espaço necessário para desmontagem e manuseio, e
sobre os componentes mais pesados. Instale equipamentos de içamento adequados para a carga
mais pesada, usando uma disposição (“layout”) que possibilite a execução rápida da montagem e
remoção das peças de desgaste. Assegure que haja espaço suficiente no chão para as peças de
desgaste na hora de reposição.

O protetor contra pedras não deve ser aberto durante a operação. Use
Cuidado!!! óculos de proteção e capacete de segurança. Isto é especialmente
importante quando pedras e fragmentos de pedras podem ser
arremessados para fora do britador

Antes de qualquer pessoa entrar em baixo do britador, certifique-se que todas


Cuidado!!! as chaves relevantes de isolamento tenham sido travadas na posição aberta.
Certifique-se que nenhuma pedra possa cair - de um alimentador, por
exemplo. Use capacete de segurança e luvas de proteção.

Se girar o eixo principal utilizando o motor de acionamento, isto só pode ser


Cuidado!!! feito sob a direção de um supervisor qualificado.

MONTAGEM

1. Instale o britador sobre a sua fundação. Use um nível de bolha para verificar que a máquina
esteja horizontal, especialmente no sentido transversal, colocando o nível sobre o volante liso.

2. Instale o motor de acionamento e as correias em V. Quando o acionamento estiver instalado


corretamente, o topo do volante girará na direção da câmara de britagem. O britador é enviado
da fábrica com acionamento no sentido à direita. O sentido do acionamento é determinado do
lado da alimentação, olhando o britador na direção do fluxo de material. O sentido de
acionamento pode ser alterado à esquerda intercambiando os dois volantes. Verifique o
alinhamento do acionamento pelas correias em V. Certifique-se de que os eixos do motor e do
britador estejam paralelos, e que a polia do motor esteja alinhada com o volante com canais.

3. Instale todas as proteções de correias.

ATENÇÃO

Não opere o britador sem ter uma proteção adequada do acionamento, em conformidade com os
regulamentos locais, no seu devido lugar.

4. Instale os outros equipamentos auxiliares.


S 222.066.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 3 3(5)
2001-11-22

SERVIÇOS DE SOLDAGEM

Quando houver necessidade de se fazer soldas durante a instalação ou para reparos, certifique-se
de que a área de trabalho esteja corretamente ligada à terra.

IMPORTANTE

A corrente de solda nunca deve passar por um rolamento ou um mancal simples. Quando
soldar na mandíbula móvel, por exemplo, não prenda o cabo-terra na carcaça ou nos volantes,
pois faria com que a corrente forçosamente passasse pelos rolamentos. Fazendo a ligação-
terra no lado errado de um rolamento poderia causar sérios danos, obrigando à troca dos
mesmos.

Quando fixar uma peça por solda no britador, prenda o cabo-terra na própria peça. Se executar a
solda num componente da máquina, fixe o cabo-terra tão próximo quanto possível da área de
solda.

BICA DE ALIMENTAÇÃO

Um dos fatores mais importantes para um desgaste por igual das mandíbulas, e portanto para os
mais baixos custos operacionais possíveis, é um projeto do arranjo da alimentação que deixa o
material distribuído por igual sobre a largura da boca de alimentação e que mantém a câmara de
britagem sempre cheia. Se tiver qualquer dúvida em relação aos arranjos de alimentação e
descarga, entre em contato com a SANDVIK ROCK PROCESSING.

O sistema de alimentação deve ser amplamente dimensionado para que


Nota! o britador receba uma quantidade suficiente de material. O material deve
ser aproximadamente nivelado com as bordas superiores das
cunhas laterais.

Um detetor de metais deve ser instalado, se possível, para impedir a


entrada de materiais não britáveis no britador.

Deve ser instalado um monitor de nível na tremonha de alimentação para


parar a alimentação ao britador se o nível subir demais.

O sistema de alimentação deve ser eletricamente conectada de tal


Cuidado!! maneira que não seja possível ligá-lo antes de o britador e o seu sistema
de descarga estejam operando.

Britando com um britador de mandíbulas é inevitável que - mais cedo ou


Atenção!!! mais tarde - uma pedra grande obstrua a abertura de alimentação. É,
também, possível que ocorra a formação de uma “ponte” (Ingl.
“hang”) dentro da câmara de britagem.
Para remediar uma situação dessas numa maneira rápida e segura, para o
pessoal da instalação, recomendamos que um martelo hidráulico (“rammer”)
seja incluído na instalaçàso já no estágio de planejamento. O “rammer”
deve ser usado somente para quebrar cantos e bordas das pedras, e para
“cutucar” as pedras quando aconteça formação de “ponte”.
S 222.066.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 3 4(5)
2001-11-22

Para facilitar trabalhos em volta do britador devem existir plataformas com


corrimãos em volta da abertura de alimentação.

O uso de cunhas etc. para desobstruir uma “ponte” é muito perigoso.


Nunca usar explosivos dentro do britador.

O nível de ruído perto do britador excede 95 dB (A) quando a máquina está


britando. Use proteções auriculares.

PARTIDA INICIAL

1. Verifique que todas as junções roscadas estejam bem apertadas.


2. Verifique que todos os rolamentos e mancais estejam lubrificados.
3. Acione o britador com a câmara vazia. Certifique-se que não haja ruídos anormais e que os
mancais não esquentem excessivamente. Aperte os tirantes conforme as recomendações. Na
partida inicial recomenda-se que o britador seja acionado sem carga até que as temperaturas
dos mancais se estabilizem, e depois deixe as temperaturas baixarem antes de voltar a acionar
para iniciar a britagem. Este método de partida é, também, sugerida depois de uma troca de
rolamentos.
4. Verifique a velocidade do britador, esta não deve superar o valor dado na tabela abaixo.

NOTA

Outras rotações podem ser recomendadas pela SANDVIK ROCK PROCESSING para aplicações
especiais.

BRITADOR ROTAÇÃO DO EIXO


EXCÊNTRICO (RPM)

806 HD 300

907 HD 270

1206 HD 240

1108 HD 270

1208 HD 240

1211 HD 225

1312 HD 225

1513 HD 200

1511 HD 200

Depois do amaciamento, reaperte as junções roscadas e os outros dispositivos de fixação, e


verifique a tensão das correias em V.

VERIFICAÇÕES DURANTE A OPERAÇÃO


GERAL

Verifique que não haja ruídos anormais quando o britador está operando. Investigue imediatamente
as fontes dos ruídos, e tome medidas corretivas.
S 222.066.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 3 5(5)
2001-11-22

Cuidado!!! O britador deve estar parado quando se faz os ajustes.

NOTA

Todos os parafusos e porcas devem ser freqüentemente verificados quanto a aperto adequado.
Qualquer afrouxamento deve ser corrigido.

ALIMENTAÇÃO

Alimente o britador uniformemente para atingir a capacidade ótima de britagem. Uma grelha com a
taxa de alimentação controlada é recomendada para a maioria das aplicações. Regule a taxa de
alimentação para evitar cobrir a parte superior da mandíbula fixa.

O maior material alimentado deve ser umas 3 a 4 polegadas menor do que a distância entre as
cunhas superiores das mandíbulas.

CUIDADO

Nunca use explosivos para remover blocos de rocha que porventura fiquem encunhados na câmara
de britagem.
O impacto da explosão será transmitido aos rolamentos e outros componentes vitais, e causará
sérios danos.

Não exceda a potência máxima recomendada para o motor, como medida através da corrente
indicada num amperímetro. Evite sobrecargas da máquina que poderiam resultar de:

1. Formação de cavidades na mandíbula.


2. Mandíbulas gastas.
3. A abertura de descarga pequena demais, ou
4. Uma proporção demasiada de finos na alimentação.

ROLAMENTOS:

Verifique regularmente as temperaturas dos rolamentos. Investigue imediatamente as causas das


temperaturas altas incomuns acima de 80oC (176F) dos mancais, e tome medidas corretivas.

A lubrificação de rolamentos por graxa é crítica, considerando que um rolamento pode aquecer
demais, ou por falta de lubrificante, ou devido a uma quantidade excessiva de lubrificante. A graxa
em excesso é purgada através das vedações de labirinto, e com base na observação das
vedações, o procedimento de lubrificação deve ser modificado de acordo com a ocorrência de uma
temperatura anormal dos rolamentos. A temperatura dos rolamentos deve ser rigorosamente
monitorada quando se altera o procedimento de lubrificação.
S 222.067.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 4 1(3)
2001-11-22

4. LUBRIFICAÇÃO

LUBRIFICAÇÃO POR GRAXA ............................................................................................ 2


S 222.067.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 4 2(3)
2001-11-22

GERAL

No britador padrão de mandíbulas de um eixo JAWMASTER HD, os rolamentos do eixo (2104-0


e 2012-0) montados nos mancais (9909-1 e 9909-2) da carcaça e no queixo (2013-0), são os
únicos itens que requerem de lubrificação. Os britadores são equipados com vedações por
labirintos que permitem uma certa purgação de graxa velha dos rolamentos.

Veja as Fig. 4.1 e 4.2 sobre os pontos de lubrificação. São fornecidas graxeiras para a introdução
manual de graxa para dentro dos rolamentos.

Para o desempenho e a vida útil dos rolamentos é essencial que os lubrificantes sejam de alta
qualidade. Seja muito cuidadoso para não permitir a entrada de contaminadores nos rolamentos.

LUBRIFICAÇÃO POR GRAXA

Todos os rolamentos são lubrificados por graxa na fábrica. Graxeiras (1115-1, 2020-0) são
montadas para cada um dos quatro rolamentos. Antes de dar partida em uma máquina nova,
adicione a quantidade de graxa indicada na tabela 1 em cada rolamento. Esta mesma quantidade
deve ser adicionada depois de cada 50 a 80 horas de ciclo de operação. Algum vazamento de
graxa das vedações é normal, e tem o efeito benéfico de purgar graxa contaminada das vedações
e dos mancais.

OBSERVE

Antes de adicionar graxa aos rolamentos, limpe as graxeiras e a ponta do injetor para impedir a
entrada de sujeira nos rolamentos.

Fig. 4.1 - Pontos de lubrificação


S 222.067.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 4 3(3)
2001-11-22

Fig. 4.2 - Pontos de Lubrificação

Use uma graxa de alta qualidade de consistência NLGI No. 2 e uma penetração trabalhada a 25oC
de 265-295. A graxa deve ter uma taxa de carga Timken mínima de 40 lbs. e conter um aditivo para
extrema pressão. Produtos típicos que obedecem essas especificações incluem:

IPIRANGA = ISAFLEX No 2
ESSO = BEACON EP-2
SHELL = ALVANIA EP-2
MOBIL OIL = MOBIL FLEX 48
TEXACO = MULTIFAK EP-2
ATLANTIC = LITHOLINE GREASE EP-2
PETROBRÁS = GMA 2-EP
CASTROL = EPL 2 GREASE
PETROMASA = PETROFAX EP-2

Tabela 1
BRITADOR QUANTIDADE DE GRAXA POR ROLAMENTO POR CICLO DE 50 A 80
HORAS
GRAMAS LIBRAS
806HD 260 0,570
907HD 260 0,570
1206HD 300 0,660
1108HD 300 0,660
1208HD 340 0,750
1312HD 400 0,880
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 1(25)
2001-11-22

5. MANUTENÇÃO

REGULAGEM DA SAÍDA..................................................................................................... 2
Geral ................................................................................................................................. 2
Regulagem da abertura de saída ..................................................................................... 3

MANDÍBULAS ...................................................................................................................... .4
Remoção da mandíbula.................................................................................................... .7
• Remoção da placa de proteção do queixo ......................................................... .7
• Instalação da placa de proteção do queixo ........................................................ .7
Instalação da mandíbula................................................................................................... .8

REPOSIÇÃO DAS CUNHAS LATERAIS............................................................................. .9

ABANADEIRA E CALHAS................................................................................................... .9
Geral ................................................................................................................................. .9
Reposição da abanadeira e calhas .................................................................................. .9
Remoção da abanadeira .................................................................................................. 10
Remoção da calha............................................................................................................ 11
Instalação da calha........................................................................................................... 11
Instalação da abanadeira ................................................................................................. 12

MONTAGEM DOS CONJUNTOS DE MANCAIS DO EIXO ................................................. 12


Geral ................................................................................................................................. 12

REMOÇÃO DO CONJUNTO DO QUEIXO........................................................................... 17

REMOÇÃO DO MANCAL DA CARCAÇA E DA VEDAÇÃO............................................... 18

REMOÇÃO DO ROLAMENTO DO QUEIXO E DA VEDAÇÃO ........................................... 19

MONTAGEM DO ROLAMENTO DO QUEIXO E DA VEDAÇÃO......................................... 19

MONTAGEM DO ROLAMENTO DA CARCAÇA E DA VEDAÇÃO .................................... 20

MONTAGEM DO QUEIXO PARA DENTRO DA CARCAÇA ............................................... 22

INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO DE ROTINA ....................................................................... 23

ANEXO: Instrução I-83 (Medidor de Aberturas para Britadores de Mandibulas)


S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 2(25)
2001-11-22

REGULAGEM DA SAÍDA
Geral

A abertura de saída é a distância na posição fechada (APF), entre as mandíbulas (1208-0 e 2309-
0) tomada na secção de saída do material no fundo da câmara de britagem (Veja a Fig. 5.1). O
valor correto desta distância é a dimensão do diâmetro do maior círculo que tangencie
simultaneamente a mandíbula fixa e a mandíbula móvel no seu instante mais avançado (britador
fechado) (Veja a Fig. 5.5). Este círculo é a simulação da secção da pedra que tendencialmente tem
forma esférica ou ovalóide. Para a medição deste valor, utilize o medidor de aberturas fornecido
com o equipamento e a instrução I-83 no final deste capítulo.

A abertura de saída pode ser ajustada adicionando-se ou retirando-se calços (5000-n) atrás do
suporte da calha (5003-0). A adição de um calço de 25 mm fecha a abertura aproximadamente 50
mm.

OBSERVE
Uma abertura de saída demasiadamente pequena pode causar compactação ou uma demanda
excessiva de potência. A sobrecarga do britador pode resultar em uma avaria custosa.

Fig. 5.1 - As dimensões da câmara de britagem


S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 3(25)
2001-11-22

Fig. 5.2 - Suporte da calha e os ajustes

REGULAGEM DA ABERTURA DE SAÍDA

A abertura de saída só deve ser modificada com o britador parado. Faça os ajustes como segue:

1. Alivie os tirantes (7003-9), comprimindo as molas (7004-0) mediante o macaco hidráulico (6000-
0), e retraindo as porcas (7006-0). Veja a Fig. 2.1.

2. Solte os calços (5000-n), movendo o suporte da calha com o macaco hidráulico (6000-1).

3. Adicione ou retire calços (5000-n), conforme a necessidade do ajuste.

4. Alivie a pressão do macaco hidráulico (6000-1). A falta deste alívio danificará o macaco.

5. Aperte as porcas (7006-0) dos tirantes e alivie a pressão do macaco hidráulico (6000-0).
Certifique-se de que o prato de mola esteja alinhado com o ressalto na chapa do suporte do
macaco, quando o britador está na posição APA (o eixo excêntrico na posição inferior), como
mostra a Fig. 5.3. Corrija, se for necessário, assegurando o tensionamento certo das molas.

6. O canal do suporte da calha (5003-0) onde se monta a calha é usinado fora de centro. O
britador deve operar de forma que o canal fique na posição inferior, conforme figura (5.2). Em
casos especiais, sob orientação da SANDVIK ROCK PROCESSING, o suporte da calha pode
ser invertido, aumentando o movimento do queixo na região inferior.

7. Verifique que o tirante não se apoie na carcaça (prato de molas fixo) durante o movimento do
britador.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 4(25)
2001-11-22

Nunca comprima as molas a tal ponto que haja risco de perderem a


Cuidado!! flexibilidade durante a operação.

Os tirantes e as molas sofrem tensão, de fadiga e portanto devem ser


Atenção!!! substituídas após 2-3 anos. Esta é uma medida de segurança visto que a
quebra de uma mola ou tirante pode causar sérios danos.

Fig. 5.3 - Tensionamento das molas

MANDÍBULAS
Geral

Os britadores JAWMASTER HD são equipados com duas mandíbulas com perfil dentado ou liso.
As mandíbulas podem ser invertidas, podem trocar de lado e serem usadas tanto no queixo
(móvel), como na carcaça (fixa).
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 5(25)
2001-11-22

Fig. 5.4 - O desgaste de mandíbulas

Fig. 5.5 - Medição da abertura de saída


S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 6(25)
2001-11-22

O desgaste das mandíbulas e os ajustes têm uma grande influência sobre a capacidade do
britador. Se as mandíbulas estiverem muito gastas em uma ponta, o ângulo de britagem pode ficar
grande demais quando inverter as mandíbulas, e a "pega" do material será reduzida. Verifique
regularmente a configuração do desgaste, e proceda conforme Fig. 5.4 para inverter, trocar de
posição ou substituir as mandíbulas. A Fig. 5.6 mostra o efeito do desgaste excessivo sobre o
ângulo de britagem. Em geral quanto mais freqüente a inversão das mandíbulas, tanto mais
uniforme o desgaste, e menor o efeito sobre o ângulo de britagem.

Fig. 5.6 - Se o desgaste em baixo for extremo nas duas mandíbulas, invertendo-as poderia reduzir
a capacidade devido ao aumento do ângulo de britagem. Recomendação: troque as duas
mandíbulas.

CUIDADO

Se olhais de içamento forem soldados às peças em aço manganês (exemplo: mandíbulas,


cunhas laterais, cunhas, etc), tenha certeza de que os olhais são amplamente dimensionados e
que a solda é adequada ao aço manganês.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 7(25)
2001-11-22

REMOÇÃO DA MANDÍBULA

ADVERTÊNCIA
Segure a placa de proteção do queixo ao olhal do queixo com um cabo. Veja a Fig. 5.7.

Remova a cunha de fixação (1209-0, 2310-0) para liberar a ponta superior da mandíbula (1208-0,
2309-0). Incline a ponta superior da mandíbula um pouco para frente para poder inserir um cabo no
canal fundido de içamento que se encontra no verso da mandíbula. Levante a mandíbula, com
cuidado, do britador. Depois da remoção das mandíbulas, inspecione todas as superfícies quanto
ao desgaste ou amassamento. Esmerilhe quaisquer pontos altos ou outras irregularidades (veja
Fig. 5.7). Nunca use cabos danificados.

REMOÇÃO DA PLACA DE PROTEÇÃO DO QUEIXO

1. Apoie a placa de proteção com uma eslinga de cabo de aço.


2. Corte a trava de segurança com maçarico. Elas estão soldadas no topo da placa de proteção
do queixo. Veja a Fig. 5.7.
3. Afaste a parte inferior da placa de proteção para fora do queixo. Depois disto, a placa de
proteção está livre para ser içada com um cabo.

Fig. 5.7 - Remoção da placa de proteção do queixo.

INSTALAÇÃO DA PLACA DE PROTEÇÃO DO QUEIXO.

1. Levante a placa de proteção usando seus olhais embutidos.


2. Encoste a superfície angular (o topo da placa) no queixo.
3. Automaticamente, o canal na parte inferior da placa de proteção vai travar com a saliência no
queixo, Veja a Fig. 5.7.
4. Para mais segurança, solde a trava de segurança na placa de proteção, para evitar uma soltura
acidental da placa de proteção quando a cunha de fixação for removida, veja a Fig. 5.7. As
travas combinadas com a face angular devem formar um “rabo de andorinha”.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 8(25)
2001-11-22

INSTALAÇÃO DA MANDÍBULA

Posicione a mandíbula em cima da placa de suporte (1205-0). Veja a Fig. 6.1.

Posicione a mandíbula fixa para que fique centrada entre as cunhas laterais. Posicione a
mandíbula do queixo para que as cavidades na parte traseira engatem com as chavetas na face do
queixo.

Certifique-se de que a chaveta não prejudique o completo apoio da mandíbula.

Instale a cunha de fixação e os seus parafusos e monte as arruelas de borracha (1212-0, 2313-0).
Aperte os parafusos da cunha de fixação até que a mandíbula fique firmemente no lugar. A cunha
de fixação não deve assentar contra a carcaça ou o queixo; isto impediria a fixação adequada da
mandíbula. Se um desgaste excessivo da cunha provoca um assentamento indevido, reponha a
cunha ou instale um calço de espessura conveniente entre a placa de suporte e a mandíbula. Veja
a Fig. 5.8.

Instale e aperte os parafusos de fixação centrais da mandíbula (1221-0 e 2321-0), quando


aplicável.

As mandíbulas se deformam (crescem) levemente durante a operação. É importante que as cunhas


de fixação (1209-0, 2310-0) possam mover-se para fora para compensar este "crescimento".
Arruelas de borracha são fornecidas para permitir algum movimento dos parafusos das cunhas,
sem rompimento. As chavetas no queixo impedirão a mandíbula para se mover lateralmente, para
não provocar interferência com as cunhas laterais.

Durante os primeiros dias de operação as cabeças dos parafusos e as faces de contato vão se
assentar. Verifique todas as porcas quanto ao aperto adequado. As mandíbulas continuarão
"crescendo" durante toda a sua vida operacional. Verifique a tensão dos parafusos regularmente.

Fig. 5.8 - Instalação da mandíbula


S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 9(25)
2001-11-22

REPOSIÇÃO DAS CUNHAS LATERAIS

As superfícies internas das laterais da carcaça são protegidas contra desgaste pelas cunhas
laterais substituíveis (1103-0, 1103-1). As cunhas laterais são divididas em partes superior e
inferior. As cunhas são fixadas no lugar por parafusos (1106-0). Para repor uma cunha lateral
gasta, prenda-a com um dispositivo de içamento, remova os parafusos da cunha, e levante a cunha
verticalmente para cima e fora do britador. Para instalar uma cunha lateral nova, simplesmente
baixe-a para dentro do britador até que os furos da cunha coincidam com os furos correspondentes
da carcaça. Instale os parafusos e aperte bem. O torque aplicado deve ser 665 Nm. As cunhas
laterais inferiores gastam mais rápido, e exigirão uma reposição mais freqüente, comparando com
as superiores.

ABANADEIRA E CALHAS
Geral

Se o britador for submetido a uma sobrecarga perigosa, por exemplo, quando um objeto não
britável for alimentado para dentro da câmara de britagem, a abanadeira pode oferecer uma certa
proteção contra avarias do britador.

IMPORTANTE
Nunca reforçar a abanadeira!
REPOSIÇÃO
DA ABANADEIRA E DAS CALHAS

Inspecione a abanadeira (5006-0) e as calhas (5004-0, 5005-0) em intervalos convenientes para


evitar interrupções da operação. Reponha peças gastas para que o queixo (2013-0) ou o suporte
da calha (5003-0) não sofram danos que implicam reparos caros. Verifique o alinhamento entre a
abanadeira e as calhas, e substitua peças gastas. É melhor substituir a abanadeira e as calhas no
mesmo tempo, para assegurar alinhamento e confiabilidade ótimos. Se decidir repor só uma ou
outra, esmerilhe as superfícies gastas do componente usado para assegurar um alinhamento e
contato adequados.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 10(25)
2001-11-22

REMOÇÃO DA ABANADEIRA

1. Remova a proteção de borracha (5009-0) do queixo.

2. Verifique se os parafusos (5010-0) do suporte da calha estão bem apertados.

3. Alivie as molas (7004-0) do tirante.

4. Prenda a abanadeira a um dispositivo de içamento.

5. Coloque o apoio do macaco (7007-0) entre as duas porcas (7006-0) de cada tirante (7003-9) e
tão próximo ao macaco hidráulico (6000-0) quanto possível. A haste do macaco deve estar toda
para dentro do cilindro (totalmente recolhida). Veja a Fig. 5.9.

6. Mova o queixo para frente usando o macaco hidráulico (6000-0). Remova a abanadeira. Em
alguns casos será necessário colocar calços de ajuste atrás do suporte da calha (isto é, fechar
a abertura do britador) para poder soltar a abanadeira.

Fig. 5.9 - Remoção da abanadeira


S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 11(25)
2001-11-22

REMOÇÃO DA CALHA

As calhas substituíveis (5004-0, 5005-0) se encaixam em canais usinados no queixo e no suporte


da calha (5003-0). Veja a Fig. 5.10.

Para remover a calha (5005-0) do queixo:

1. Remova a abanadeira do britador.

2. Remova a calha do queixo, extraindo-a com uma alavanca. A calha não está fixada ao queixo,
mas está restringida no sentido transversal por uma placa de trava em cada ponta. Uma
abertura no lateral da carcaça dá acesso à calha do queixo.

Para remover a calha (5004-0) da carcaça:

1. Remova a abanadeira do britador ou suporte-a com um dispositivo de içamento.

2. Mova o queixo para frente usando o macaco hidráulico

3. Remova uma das travas (5015-0) do suporte da calha. A trava inclui uma pequena orelha que
impede a calha de cair fora quando a abanadeira é removida.

4. Retire a calha do suporte da calha, usando uma alavanca.

INSTALAÇÃO DA CALHA

1. Inspecione o canal usinado no queixo e no suporte da calha, e esmerilhe qualquer aresta ou


irregularidade. Veja a Fig. 5.10.

2. Para os britadores 907HD e 1206HD somente, monte o calço (5016-0) e parafusos (5017-0) na
posição superior do rasgo, conforme Fig. 5.10.

3. Limpe a calha e instale-a no canal, usando uma barra de suporte de comprimento igual à
largura do britador, se for necessário. A calha é simétrica e pode ser instalada com qualquer
lado para cima.

4. Aparafuse a trava (5015-0) no seu lugar no suporte da calha. Instale a pequena orelha da trava
no lado interior, para que ela impeça a calha de cair fora do suporte da calha, conforme Fig.
5.10.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 12(25)
2001-11-22

Fig. 5.10 - A remoção e instalação da calha

A INSTALAÇÃO DA ABANADEIRA

1. Limpe todas as superfícies de deslizamento da abanadeira e das calhas.

2. Empurre o queixo para a frente com os tirantes, se instalados, ou puxe com um cabo.
* Em reposições de abanadeiras, os tirantes estão instalados e o queixo na posição correta pela
desmontagem.
* Em instalaçào inicial do queixo, usar o cabo para movê-lo.

3. Levante a abanadeira para a sua posição. Tome cuidado, mantendo as superfícies de


deslizamento livres de sujeira.

4. Gire o queixo de volta para a sua posição.

5. Reponha a proteção de borracha (5009-0) e a barra chata (5008-0) no queixo. Veja a Fig. 6.1.

6. Instale os tirantes (caso não estejam montados) e regule as molas dos tirantes para a abertura
correta.

CONJUNTO DO EIXO
Geral

No eixo (2010-0) são montados os rolamentos autocompensadores (2012-0, 2104-0), tanto nas
posições do queixo quanto nas posições dos mancais da carcaça. Há um arranjo com vedações
com labirintos para excluir sujeira e reter o lubrificante nos rolamentos. Sempre que este conjunto
for submetido a serviços de manutenção, é essencial que se utilize somente mecânicos
qualificados, e que se disponha de ferramentas corretas. Seja extremamente cuidadoso, para
manter contaminadores fora do rolamento e das cavidades da vedação. A contaminação reduzirá
muito a vida útil destes componentes.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 13(25)
2001-11-22

Tabela - Ajustes do Rolamento do Queixo


Tamanho do Britador Ajuste de Interferência entre anel Ajuste de folga entre rolamento e
interno e o eixo queixo

0,050mm a 0,109mm 0,00mm a 0,097mm


806HD &
907HD
0,0020in a 0,0043in 0,00in a 0,0038in

0,056mm a 0,123mm 0,00mm a 0,108mm


1206HD &
1108HD
0,0022in a 0,0048in 0,00in a 0,0043in

0,062mm a 0,148mm 0,00mm a 0,12mm


1208 HD

0,0024 in. a 0,0058 in. 0,00in a 0,0047in

0,062mm a 0,173mm 0,00mm a 0,155mm


1312 HD

0,0024in a 0,0068in 0,00in a 0,0061in

REMOÇÃO DOS VOLANTES

Os volantes esquerdo e direito podem ser invertidos para o correto posicionamento do


acionamento.

Jawmaster 1206HD somente:

1. Retire os parafusos (2209-0) e a tampa do volante (2208-0).

2. Retire o conjunto de travamento cubo/eixo (ring feder) (2220-0).

Os Conjuntos de Travamento não são auto-travados. A conicidade dos anéis individuais é tal que
os anéis interno e externo se afastarão quando o ultimo parafuso for solto.

As arruelas abaixo das cabeças de parafuso pintadas, protegem as roscas auxiliares (de extração)
contra danos; essas arruelas devem ser repostas após usadas várias vezes.

Se for necessário usar força relativamente grande para extrair um Conjunto de Travamento cujos
parafusos já foram soltos (por exemplo, se for necessário empurrar o Conjunto de Travamento
contra o peso de qualquer componente pesado), qualquer dispositivo de remoção pode ser usado,
mas os parafusos só devem ser afrouxados e não desparafusados demais. Enquanto seguir esta
instrução, não há restrição nenhuma contra o uso de um dispositivo de remoção, desde que as
forças aplicadas forem pequenas.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 14(25)
2001-11-22

As roscas auxiliares têm somente 3-5 filetes efetivos e não são passantes.
Não use esses furos para parafusos de extração.

1 Anel traseiro de pressão


2 Anel externo
3 Anel interno
4 Anel frontal de pressão
5 Arruela
6 Parafuso de travamento

Figura 5.11-A Conjunto de Travamento

Fig. 5.11-B

Fig. 5.11-C

Figura 5.11-B Figura 5.11-C

Se o anel traseiro não se soltar Se o anel frontal emperrar, ele será solto de
automaticamente, os parafusos serão maneira similar. Os parafusos pintados serão
desparafusados por uns poucos filetes. removidos para expor as roscas auxiliares do
Umas tapas leves nas cabeças dos anel frontal.
parafusos fará o anel traseiro se soltar. O anel frontal pode ser solto, e um Conjunto
de Travamento que se encontra no fundo do
furo do cubo pode ser retirado mediante
parafusos correspondentes.

3. Retire o volante e as buchas (2218-0) e (2222-0).

CUIDADO

Verifique a capacidade da talha antes do içamento.

Demais britadores, exceto 1206HD:

1. Retire a tampa do volante (2208-0).

2. Faça a sustentação do volante a ser retirado com um cabo adequado e talha.


S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 15(25)
2001-11-22

3. Remova o volante forçando-o para fora do eixo, com macaco hidráulico (50T) ou com a porca
hidráulica montada na rosca final do eixo. Quatro roscas M30 foram previstas no volante para
facilitar a instalação de um dispositivo. O eixo é cônico, e a chaveta também ficará livre.

Fig. 5.11 - Remoção do volante

MONTAGEM DO VOLANTE

Jawmaster 1206HD somente:

Considerando que a força é transmitida por pressão de contato e atrito entre superfícies funcionais,
as condições das superfícies de contato e o aperto adequado dos parafusos de travamento são
muito importantes (veja o ponto 1).

1. Limpar e lubrificar levemente.

Todas as superfícies de contato, incluindo as roscas dos parafusos e as superfícies de apoio


das cabeças dos parafusos, devem ser limpas e levemente lubrificadas. Nesta condição o eixo,
o cubo e os Conjuntos de Travamento devem ser montados.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 16(25)
2001-11-22

2. Montar as buchas (2218-0) e (2222-0) e o volante no eixo, observando a posição dos furos
definidos na fig. 5.11-E.

3. Instale o conjunto de travamento (2220-0) (ring feder).

Aperte levemente os parafusos de travamento e faça o alinhamento do cubo.

4. Aperte os parafusos por igual numa seqüência de pontos diametralmente opostos, e faça isto
em dois ou três etapas até atingir o torque 150Nm (110 lbs.ft) de aperto.

5. Verifique o torque de aperto mais uma vez aplicando-o a todos os parafusos na volta toda.
Quando nenhum parafuso girar mais, a montagem está completa.

6. Instale a tampa do volante (2208-0).

IMPORTANTE

Não use lubrificantes na base de Molibdênio nas superfícies de contato.

Conjuntos de Travamento sujos ou usados devem ser desmontados e limpos antes da montagem.
Para re-montagem recomenda-se a seqüência conforme a figura 5.11-A.

Os parafusos com cabeças pintadas são montados com arruelas para proteger as roscas auxiliares
do anel de fixação frontal. Em todos os outros aspectos eles têm a mesma função que os outros
parafusos. A pintura só serve para identificar as posições das roscas auxiliares (para os parafusos
de extração).

Figura 5.11-E

O furo “A” deve ser alinhado com o furo “B”. Se os furos fiquem desalinhados devido a uma
sobrecarga do britador, remova a tampa para que haja acesso ao conjunto de travamento, o qual
deve ser solto. Verifique o estado da bucha especial e reponha-a se necessário. O volante deve ser
girado até que o furo “A” (no volante) se alinhe com o furo “C” no eixo e com o centro do eixo.
Reaperte, com cuidado, o conjunto de travamento até o torque requerido. Acione o britador e
verifique que o volante gire corretamente. Se haver um “bamboleio” lateral excessivo, solte o
conjunto, corrija e reaperte. Quando a situação for satisfatória, reponha a tampa à maneira de
deixar o furo “B” alinhado com o furo “A”.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 17(25)
2001-11-22

Demais britadores, exceto 1206HD:

1. Limpe bem as superfícies do cubo, eixo e chaveta.

2. Instale a chaveta no eixo.

3. Introduza o volante no eixo e aperte ligeiramente a porca para evitar folgas.

4. Rosqueando a porca (2216-0), aperte o volante contra o eixo cônico até que o mesmo se
movimente a dimensão definida na tabela abaixo.

5. Trave a porca com a arruela de segurança, dobrando a lingueta da mesma no rasgo da porca.

6. Aplique graxa nas partes para proteção contra oxidação.

7. Monte a tampa no volante.

Máquina Deslocamento do Volante


806HD 0.9mm – 1.1mm 0.035in – 0.043in
907HD 0.9mm – 1.1mm 0.035in – 0.043in
1206HD - -
1108HD 0.9mm – 1.1mm 0.035in – 0.043in
1208HD 0.9mm – 1.1mm 0.035in – 0.043in
1312HD 1.4mm – 1.6mm 0.055in – 0.063in

REMOÇÃO DO CONJUNTO QUEIXO

1. Limpe cuidadosamente todas as superfícies em volta dos rolamentos, para evitar que sujeira
entre durante a desmontagem. Isto é de suma importância se os rolamentos forem
reaproveitados.

2. Remova a proteção de borracha (5009-0) e os tirantes (7003-0) do queixo.

3. Empurre o queixo para frente e remova a abanadeira.

4. Remova os volantes para redução de peso, se necessário.

5. Remova os parafusos (9912-0) e os prisioneiros do mancal (9910-0) do mancal da carcaça.

6. Levante cuidadosamente o conjunto do queixo para fora do britador. Observe a capacidade do


guincho conforme tabela de pesos.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 18(25)
2001-11-22

REMOÇÃO DO MANCAL DA CARCAÇA E DA VEDAÇÃO

1. a) Britadores 1208 e menores = dobre para trás a lingüeta da arruela de segurança (2107-0).
Solte as porcas de fixação (2108-0) e remova-as (e as arruelas de segurança) do eixo.

b) Britadores 1312 e maiores = retire a trava da porca de fixação (2107-1). Ela é parafusada na
própria porca. Solte as porcas de fixação (2108-0) e remova-as do eixo.

2. Remova a contra flange externa do mancal (2106-0) e a flange externa do mancal (2101-0) do
eixo.

3. Retire as buchas cônicas (2105-0) do rolamento, aparafusando a porca de extração em cada


bucha até que seja solta e removível. Uma porca hidráulica, comercializada pelos fabricantes
de rolamentos, simplificará a tarefa.

4. Remova os mancais (9909-1 e 9909-2) do eixo, junto com os rolamentos da carcaça .

5. Remova o rolamento da carcaça do mancal da carcaça.

6. Puxe a contra flange interna do mancal (2100-0) para fora do eixo.

Fig. 5.12 - Rolamento da carcaça e a vedação.


S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 19(25)
2001-11-22

REMOÇÃO DO ROLAMENTO DO QUEIXO E DA VEDAÇÃO

1. Solte os parafusos das flanges do queixo (2015-0) e remova-os do conjunto queixo, junto com
as contra flanges do queixo (2014-0).

2. Empurre o eixo, com os rolamentos do eixo no lugar, para fora do queixo. O anel externo dos
rolamentos têm um leve ajuste de folga no queixo.

3. Remova os rolamentos do queixo (2012-0) do eixo. Os rolamentos têm um ajuste de


interferência no eixo, e devem ser empurrados para fora do eixo com muito cuidado. Se o
rolamento não for reutilizado, ele pode ser tirado por corte de maçarico. Porém, tome extremo
cuidado para não danificar o eixo.

MONTAGEM DO ROLAMENTO DO QUEIXO E DA VEDAÇÃO

1. Monte os rolamentos do queixo (2012-0) no eixo. O anel interno do rolamento tem um ajuste de
interferência no eixo. Antes da montagem, aqueça o rolamento em óleo para 121oC.

CUIDADO

Tome extremo cuidado quando aquecer o óleo e quando manusear os


componentes aquecidos.

Depois do resfriamento não deve haver nenhuma folga entre o anel interno do rolamento e o
ressalto do eixo. Mantenha o rolamento no lugar colocando um espaçador entre a porca de fixação
(2108-0) e o rolamento.

2. Encha os rolamentos de graxa conforme a especificação no Capítulo 4 página 3(3). Encha o


rolamento para mais ou menos 50% cheio, isto é, encha os vãos alternadamente..

IMPORTANTE

Monte o eixo com os rolamentos para dentro do queixo (2013-0). Observe que o
eixo tem lados distintos esquerdo e direito identificados. O anel externo do
rolamento tem um ajuste de folga leve no queixo. Cuidadosamente alinhe o anel
externo e empurre o rolamento no queixo.

3. Monte as flanges do queixo (2015-0) no queixo, e aparafuse-as no lugar. Monte os parafusos


(2018-0) da flange. Esses parafusos devem ser substituídos por novos após 5 vezes
desmontados e remontados garantindo, assim, sua qualidade auto-travante (Nylock).

4. Instale o anel “V” ring (2102-0) na contra flange do queixo.

5. Encha os canais dos labirintos da flange com graxa, e depois monte a contra flange do queixo
(2014-0) no eixo, até que ela encostar no anel interno do rolamento do queixo.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 20(25)
2001-11-22

MONTAGEM DO ROLAMENTO DA CARCAÇA E DA VEDAÇÃO

1. Instale o anel “V” ring (2102-1) na contra flange interna do mancal.

2. Monte a contra flange interna do mancal (2100-0) no eixo.

3. Verifique a folga diametral inicial de cada rolamento. Veja a Fig. 5.13. A folga diametral inicial
pode ser determinada da seguinte maneira: Use a menor lâmina do espessímetro (0,04 mm).
Coloque o rolamento na posição vertical, com os anéis interior e exterior alinhados. Coloque os
polegares no anel interior, oscilando o anel interior duas ou três vezes, sempre pressionando
firme para baixo. Esta ação assenta o anel inferior e os elementos rolantes. Posicione os
conjuntos de rolos de modo que um rolete fique no topo do anel interior nos dois lados do
rolamento. Force os dois rolos no topo para dentro para assegurar que eles estejam em contato
tanto com a flange central quanto com as pistas de rolamento do anel interno. Com os rolos na
posição correta, insira uma lâmina fina do espessímetro entre os rolos. Movimente a lâmina
com cuidado para dentro do espaço entre o rolo e a pista do anel externo. Repita o processo,
cada vez com lâminas progressivamente mais espessas, até que achar uma que não passe. A
espessura da lâmina que precedia a lâmina "Não Passa" é a medida da folga diametral inicial.
Lubrifique levemente, com óleo, a parte cônica do anel interno antes da montagem.

4. Monte o rolamento da carcaça (2104-0) no mancal.

Fig. 5.13 - Verifique a folga inicial do rolamento


S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 21(25)
2001-11-22

5. Encha os canais dos labirintos da contra flange do mancal (2100-0) de graxa, e depois monte o
mancal com o rolamento.

6. Monte a bucha cônica (2105-0) no eixo.

7. Instale a contra flange externa do mancal (2106-0) e a porca de fixação (2108-0). Não instale a
flange externa do mancal (2101-0), uma vez que esta impediria o acesso ao rolamento para
medir a folga. Veja a Fig. 5.14.

8. Aperte a porca de fixação até que a folga diametral correta seja atingida. Uma chave de 360o
com quatro saliências para engatar nos quatro rasgos da porca, e uma haste comprida para dar
golpes facilitarão o aperto desta porca. Uma porca hidráulica, que pode ser adquirida de um
fabricante de rolamentos, simplificará esta tarefa. Proteja o rolamento para que não entre
sujeira durante a montagem. A ação de aperto empurra a bucha cônica para dentro do
rolamento, resultando na redução da folga diametral inicial. Reduza a folga diametral pelo valor
dado na Tabela I. Durante a montagem, verifique a folga do rolo não carregado. Se este estiver
na parte inferior, certifique-se de que o rolo seja levantado para assentar firmemente no anel
interno e contra a flange guia central.

9. Uma vez obtida a folga diametral certa nos rolamentos da carcaça, solte a porca de fixação e
remova-a e o espaçador do eixo.

Fig. 5.14 - Medição da folga diametral


S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 22(25)
2001-11-22

10. Preencha 50% dos espaços vazios entre os roletes do rolamento (alternadamente) com a graxa
especificada no capítulo 4.

11. Encha os canais dos labirintos da flange externa do mancal (2101-0) de graxa e instale-a junto
com a contra flange externa do mancal (2106-0) no eixo.

12. a) Para britadores 1208 e menores monte a arruela de segurança (2107-0) e a porca de fixação
(2108-0).

b) Para britadores 1312 e maiores monte a porca de fixação (2108-0).

13. a) Para britadores 1208 e menores aperte a porca de fixação firmemente e depois avance a
porcao suficiente para alinhar uma das lingüetas da arruela com um rasgo na porca, e
depois dobre a lingüeta.

b) Para britadores 1312 e maiores aperte a porca de fixação firmemente e depois avance a
porca o suficiente para alinhar uma das roscas da porca com o rasgo do eixo. Monte,
então, a trava da porca (2107-1).

Diâmetro Interno do
Modelo Redução da Folga Diametral
Rolamento (Carcaça)
mm inch mm inch
806HD&
907HD 220 8.661 0.100 - 0.140 0.0039 - 0.0055

1206HD &
1108HD 260 10.236 0.120 - 0.170 0.0047 - 0.0067

1208HD 320 12.598 0.150 - 0.210 0.0059 - 0.0083

1312HD 380 14.961 0.170 - 0.230 0.0067 - 0.0090

Tabela 1 - Redução da folga diametral do rolamento da carcaça

MONTAGEM DO QUEIXO PARA DENTRO DA CARCAÇA

1. Limpe completamente o assento do mancal da carcaça.

2. Cuidadosamente baixe o conjunto queixo para dentro da carcaça, mantendo os mancais o mais
distante possível um do outro. Isto facilitará a montagem.

3. Lubrifique os prisioneiros e monte-os com as porcas da fixação do mancal, conforme indicado


abaixo:

Verifique se as porcas internas estão bem travadas no mancal, de modo a não girarem durante o
aperto.
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 23(25)
2001-11-22

Para isto, posicione a borda da porca contra o mancal ou, então, trave-a com um suporte, como
ilustrado abaixo:

4. Aperte conforme os seguintes passos:

a) Dê um pré-aperto com torque de 300Nm em todas as porcas externas.

b) Marque estas posições como originais em relação à carcaça.

c) Reaperte as porcas com uma chave de impacto, de modo a girarem de 60º a 75º.

5. Instale os volantes (2205-0 e 2206-0).

6. Monte as tampas (2208-0) nas pontas do eixo.

7. Injete a quantidade de graxa em cada um dos quatro rolamentos, conforme indicado na tabela 1
do cap. 4.

8. Instale os tirantes (7003-1 + 7003-9) e as molas (7004-0).

9. Empurre o queixo para frente e instale a abanadeira (5006-0).

10. Instale a proteção de borracha (5009-0) e a barra chata (5008-0) na parte traseira do queixo.
Veja a Fig. 6.1.

11. Ajuste a abertura de descarga e a tensão das molas conforme descrito na seção anterior.

Parafusos da Parafusos das


Modelo Parafusos do Tampa do volante flanges e dos Parafusos do
Contrapeso mancais ring feeder
Nm (ft lbf)
Nm (ft lbf) Nm (ft lbf) Nm (ft lbf)

806HD 385 (284) 197 (145)

907HD 385 (284) 197 (145)

1206HD 385 (284) 385 (284) 385 (284) 150 (111)

1108HD 385 (284) 385 (284)

1208HD 385 (284) 385 (284)

1312HD 385 (284) 385 (284)

Tabela 2 - Valores de torque para JAWMASTER HD


S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 24(25)
2001-11-22

INSPEÇÃO E MANUTENÇÃO DE ROTINA

Todo britador deve ser sujeito a verificações regulares e sistemáticas. Isto


Nota! resultará em menos e menores reparos, menos paradas e assim custos
totais mais baixos de operação.

Considerando que os britadores trabalham sob condições as mais


diversas, fica impossível recomendar um roteiro de inspeção e
manutenção que atenda a todos os britadores. Porém, algum tipo de
inspeção regular é necessário, por exemplo como aquele descrito no
roteiro da próxima página.

Uma nova máquina deve ser inspecionada pela primeira vez depois de
um período relativamente curto de operação. O intervalo entre inspeções
pode depois ser aumentado até que se acha uma freqüência adequada.

Um diário escrito deve ser mantido. As condições de operação do


britador, dados importantes e detalhes referentes aos ajustes feitos, e
quaisquer reparos efetuados, devem ser notados
S 222.068.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5 25(25)
2001-11-22

EXEMPLO DE ROTINA DE MANUTENÇÃO PARA JAWMASTER HD

Intervalo Medidas a serem tomadas Observações Capítulo

Diário Verifique as temperaturas dos Faça as verificações quando o 3


rola-mentos e a carga do motor britador esteja trabalhando sob
de acionamento. carga. A temperatura do mancal
não deve passar de 800C.
Verifique que haja graxa no
reservatório do lubrificador.

40 horas de Lubrifique todos osquatro Lubrifique quando o britador 4


operação mancais. esteja operando em vazio e
apresente temperatura normal
de operação.
Verifique o grau de aperto de 5
todos os parafusos. Aperte se for necessário.

Verifique as pré-cargas das


molas de tensionamento. Sempre verifique após o ajuste
da abertura de saída.
Verifique o desgaste das
mandíbulas e das cunhas Desgaste excessiva pode causar
laterais. capacidade reduzida.

Inspecione as vedações contra a


entrada de poeira.

80 Inspecione a abanadeira e as Remova com jato de ar a sujeira 5


horas de calhas quanto a desgaste ou das superfícies de contato da
operação danos. abanadeira e das calhas.

120 Inspecione o acionamento de Verifique desgaste, a tensão da


horas de correias em V. correia e o alinhamento.
operação

Depois de Lubrifique os rolamento com 4


um longo uma bomba de lubrificação antes
período de de dar partida.
inatividade
S 222.069.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 1(2)
2001-11-22

1. DEFINIÇÃO DA ABERTURA DA POSIÇÃO FECHADA (APF)

É considerado como APF o menor diâmetro do círculo inscrito entre as mandíbulas quando
estas se encontram em posição fechada, conforme apresentado no desenho abaixo:

2. CONSTRUÇÃO DO MEDIDOR

O dispositivo é muito simples. É composto de um jogo de 11 discos de borracha com diâmetros


de 75mm (3") até 203mm (8"), uma haste com ponta rosqueada com porcas e arruelas de
fixação de discos e uma linha de nylon para içamento do medidor.

A partir de 15.08.95, o medidor estará incluído no fornecimento de todos os britadores


Jawmaster, como também pode ser usado em qualquer outro britador de mandíbulas.

O conjunto de peças, dentro de uma caixa metálica, é denominado pelo número da peça 53-
467-707-500.

MEDIDOR DA MALHA DE ABERTURA


S 222.069.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 2(2)
2001-11-22

3. INSTRUÇÕES DE USO

Com o britador funcionando sem carga pela parte superior da câmara de britagem, introduz-se
o medidor com o disco de borracha de valor correspondente à abertura desejada, suspenso
pelo fio, de forma que, apoiado entre os dentes da mandíbula fixa e na posição horizontal,
possa descer até a ponta inferior da mandíbula, observando-se a distância entre a mandíbula
móvel e o disco de borracha.

O britador estará regulado com a APF (abertura da posição fechada) de mesmo valor que o
diâmetro do disco, quando o movimento do queixo fizer com que a mandíbula móvel tangencie
o disco em sua posição mais avançada (posição fechada).

USO DO MEDIDOR

Recomendação: Descer o medidor pela mandíbula fixa.


MANUAL DE
PEÇAS

JAWMASTER
MODELO 1312HD:06

R 222.283.00 pt
MB-295
Rev.00 Nov/01
R 222.283.00 pt 1(4)
JAWMASTER MB-295
MODELO 1312HD:06 2001-11-28

INDICE

Pagina

LISTA DE PEÇAS .................................................................................. .......... 2 a 4

LISTA DE REFERÊNCIA NÚMERO DE CATÁLOGO


. Desenho nº 53.374.841.401 Rev.00
R 222.283.00 pt 2(4)
JAWMASTER MB-295
MODELO 1312HD:06 2001-11-28

LISTA DE PEÇAS

NÚMERO DESCRIÇÃO NÚMERO QUANT.


CATALOGO DA PEÇA

1000-0 Carcaça - Conjunto 53.173.782.500 1


1010-0 Tampa 53.367.229.500 2
1103-0 Cunha Lateral Inferior 10.214.352.000 2
1103-1 Cunha Lateral Superior 10.214.351.000 2
1106-0 Paraf.Cab.Sext. M24 x 160 00.920.144.338 22
1107-0 Arruela lisa A24 x 45 mm 00.921.307.024 22
1108-0 Porca Sext. c/Nylok M24 00.921.204.024 22
1109-0 Arruela Lisa Especial 53.473.562.000 22
1110-0 Arruela de Plastiprene 53.472.099.000 22
1115-0 Graxeira Reta 1/4 BSP 00.938.901.017 2
1205-0 Placa de Encosto 10.314.356.000 1
1206-0 Parafuso Cabeça Sext. M30 x 220 00.920.142.373 7
1207-0 Porca Sextavada M30 00.921.203.030 14
1207-1 Arruela Lisa 00.921.320.030 7
1208-0* Mandíbula Fixa 10.114.353.000 1
1208-0* Mandíbula Fixa 10.144.608.000 1
1208-0* Mandíbula Fixa 10.114.692.000 1
1208-0* Mandíbula Fixa 10.114.753.002 1
1208-0* Mandíbula Fixa 10.114.860.000 1
1209-0 Cunha de Fixação 10.214.355.000 2
1210-0 Parafuso Cabeça Sext. M42 x 580 53.166.604.201 4
1211-0 Arruela Lisa Especial 89.442.690.011 12
1212-0 Arruela 53.468.758.000 6
1214-0 Porca Sextavada M42 00.921.203.042 6
1215-0 Contra Porca Sext. M42 00.921.224.142 6
1221-0 Parafuso 53.366.632.501 2
1300-0 Chapa de Proteção 53.466.616.000 1
2010-0 Eixo 53.267.239.000 1
2012-0 Rolamento FAG/SKF 23180 CA/W33/C3 00.930.547.190 2
2013-0 Queixo 10.114.458.500 1
2013-1 Trava da Mandíbula 17.106.423.001 2
2014-0 Contra Flange do Queixo 33.402.330.200 2
2015-0 Flange do Queixo 32.402.330.100 2
2018-0 Parafuso Sext. c/ Nylon Patch M24 x 60 00.920.167.823 48
2019-0 Arruela Lisa A24 x 44 00.921.320.024 48
2020-0 Graxeira 1/4 BSP 00.938.901.017 2
2021-0 Bujão Cabeça Quadrada 1PL BSP 00.973.101.015 1
2100-0 Flange Interna do Mancal 32.402.396.700 2
2101-0 Flange Externa do Mancal 32.402.419.900 2
2102-0 Anel V Ring D405 x 25 00.923.203.405 4
2102-1 Anel V Ring D405 x 25 00.923.203.405
2104-0 Rolamento 23176 CAK/W33/C3 00.930.595.128 2
2105-0 Bucha Cônica AOH 3176 00.930.915.176 2
2106-0 Contra Flange Externa do Mancal 32.402.396.900 2
2108-0 Porca e Trava de Fixação 00.930.920.100 2
2205-0* Volante Liso (∅ 2170 mm) 10.114.460.001 1
R 222.283.00 pt 3(4)
JAWMASTER MB-295
MODELO 1312HD:06 2001-11-28

NÚMERO DESCRIÇÃO NÚMERO QUANT.


CATALOGO DA PEÇA

2205-0* Volante Liso (∅ 1600 mm) 10.214.629.001 1


2206-0* Volante c/ Canais (5x8V) (∅ 2170 mm) 10.114.460.002 1
2206-0* Volante c/ Canais (10x5V) (∅ 2170 mm) 10.114.460.003 1
2206-0* Volante c/ Canais (8xSPC) (∅ 2170 mm) 10.114.460.004 1
2206-0* Volante c/ Canais (10xSPC) (∅ 1600 mm) 10.214.629.002 1
2207-0 Chaveta 59.425.421.007 2
2208-0 Tampa 53.367.215.500 2
2209-0 Parafuso Cabeça Sext. M12 x 25 00.920.142.661 6
2210-0 Contrapeso 53.366.391.002 2
2211-0 Contrapeso 53.366.391.001 2
2213-0 Parafuso Cabeça Sext. M20 x 60 00.920.144.761 4
2214-1 Arruela Lisa - D20 mm 00.921.305.020 4
2214-2 Arruela de Pressão D20mm 00.921.349.020 4
2215-0 Anel Espeçador 53.467.216.000 2
2216-0 Porca de Fixação 00.930.920.052 2
2217-0 Arruela de Segurança 00.930.925.090 2
2300-0 Chapa de Proteção 53.466.616.000 1
2306-0 Placa de Encosto 10.314.356.000 1
2307-0 Parafuso M30 x 260 00.920.142.344 7
2308-0 Porca Sextavada M30 00.921.203.030 14
2308-1 Arruela Lisa Especial 00.921.320.030 7
2309-0* Mandíbula Móvel 10.114.353.000 1
2309-0* Mandíbula Móvel 10.114.608.000 1
2309-0* Mandíbula Móvel 10.114.693.000 1
2309-0* Mandíbula Móvel 10.114.752.002 1
2310-0 Cunha de Fixação 10.214.355.000 2
2311-0 Parafuso Cabeça Sext. M42 x 1020 17.104.245.006 4
2312-0 Arruela Lisa Especial 89.442.690.011 12
2313-0 Arruela 53.468.758.000 6
2314-0 Contra Porca Sext. M42 00.921.224.142 6
2315-0 Porca Sextavada M42 00.921.203.042 6
2316-0 Placa de Proteção do Queixo 10.114.354.000 1
2317-0 Chaveta de Segurança 53.467.202.000 2
2318-0 Trava da Mandíbula 17.106.423.001 2
2321-0 Tirante da Mandíbula 53.366.926.000 2
2321-1 Cabeça de Fixação 53.466.927.000 2
5000-2 Calço de Regulagem 9,5mm 53.367.228.001 1
5000-3 Calço de Regulagem 12,5mm 53.367.228.002 2
5000-4 Calço de Regulagem 16mm 53.367.228.003 1
5000-5 Calço de Regulagem 19mm 53.367.228.004 1
5000-6 Calço de Regulagem 25mm 53.367.228.005 3
5003-0 Suporte da Calha 10.314.500.000 1
5004-0 Calha 17.201.650.001 1
5005-0 Calha 17.201.650.001 1
5006-0* Abanadeira (755 mm) 10.214.535.000 1
5006-0* Abanadeira (720 mm) 10.214.755.000 1
5007-0 Parafuso Cabeça Sext. M12 x 25 00.920.144.661 7
5008-0 Barra Chata 17.201.577.001 1
R 222.283.00 pt 4(4)
JAWMASTER MB-295
MODELO 1312HD:06 2001-11-28

NÚMERO DESCRIÇÃO NÚMERO QUANT.


CATALOGO DA PEÇA

5009-0 Proteção de Borracha 17.201.578.001 1


5013-0 Parafuso Cabeça Sext. M24 x 120 00.920.144.334 4
5014-0 Mola Prato 00.927.101.140 8
5015-0 Trava 17.201.552.501 2
6000-0 Macaco Hidráulico 53.368.317.502 1
6000-1 Macaco Hidráulico 53.368.317.502 1
6002-0 Parafuso Cabeça Sext. M12 x 30 00.920.144.662 2
6002-1 Parafuso Cabeça Sext. M12 x 30 00.920.144.662 2
6004-0 Haste do Macaco 53.366.615.500 1
6015-0 Arruela de Pressão D12 00.921.349.012 2
6015-1 Arruela de Pressão D12 00.921.349.012 2
7000-0 Pino do Tirante 17.106.668.001 2
7001-0 Anel de Retenção D50 x 3 00.921.402.550 2
7002-0 Arruela Lisa d54 x D92 x 8 17.501.329.213 2
7003-1 Garfo do Tirante 53.466.629.500 2
7003-6 Porca Sextavada M52 00.921.203.052 2
7003-9 Haste do Tirante 53.466.415.002 2
7004-0 Mola 17.202.876.001 2
7005-0 Prato de Mola 53.366.624.500 1
7006-0 Porca Sextavada M52 00.921.203.052 4
7007-0 Apoio do Macaco 53.366.627.500 1
9909-1 Mancal Direito 10.115.285.500 1
9909-2 Mancal Esquerdo 53.173.769.500 1
9910-0 Prisioneiro do Mancal 53.473.796.001 22
9911-0 Porca Sextavada M42 59.942.601.000 24
9913-0 Arruela Lisa Especial 53.468.857.000 24
9913-1 Porca Dupla 53.373.766.000 10

* OPÇÃO CONFORME FORNECIMENTO


S 222.070.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 1(6)
2001-11-22

6. PEÇAS DO BRITADOR

LISTA DE PEÇAS .......................................................................................................... 2


S 222.070.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 2(6)
2001-11-22

P E Ç A S D O B R I T A D O R

Número Descrição Número Descrição


Catálogo Catálogo
1000-0 Carcaça - Conjunto 2306-0 Placa de Encosto
1010-0 Tampa 2307-0 Parafuso
1103-0 Cunha Lat. Inferior* 2308-0 Porca Sextavada
1103-1 Cunha Lat. Superior 2308-1 Arruela Lisa
1106-0 Parafuso Cabeça Sextavada 2309-0 Mandíbula Móvel
1107-0 Arruela Lisa 2310-0 Cunha de Fixação
1108-0 Porca Sextavada 2311-0 Parafuso Cab. Sextavada
1115-0 Graxeira Reta 2312-0 Arruela Lisa Especial
1205-0 Placa de Encosto 2313-0 Arruela de Borracha
1206-0 Parafuso Cabeça Sextavada 2314-0 Arruela de Borracha
1207-0 Porca Sextavada 2315-0 Porca Sextavada
1207-1 Arruela Lisa 2316-0 Placa de Proteção do Queixo
1208-0 Mandibula Fixa 2317-0 Chaveta de Segurança
1209-0 Cunha de Fixação 2321-0* Tirante fixação de Mandíbula
1210-0 Parafuso Cabeça Sextavada 2321-1* Cabeça de Fixação
1211-0 Arruela Lisa Especial 5000-2 Calço de Regulagem 9,5mm
1212-0 Arruela de Borracha 5000-3 Calço de Regulagem 12,5mm
1214-0 Porca Sextavada 5000-4 Calço de Regulagem 16mm
1215-0 Arruela de Borracha 5000-5 Calço de Regulagem 19mm
1221-0* Parafuso Cabeça Sextavada 5000-6 Calço de Regulagem 25mm
1300-0 Chapa de Proteção 5003-0 Suporte da Calha
2010-0 Eixo 5004-0 Calha
2012-0 Rolamento 5005-0 Calha
2013-0 Queixo 5006-0 Abanadeira
2013-1 Chaveta 5007-0 Parafuso Cabeça Sextavada
2014-0 Contra Flange Queixo 5008-0 Barra Chata
2015-0 Flange do Queixo 5009-0 Proteção de Borracha
2018-0 Parafuso Cabeça Sextavada 5010-0 Parafuso Cabeça Sextavada
2019-0 Arruela Lisa 5010-1 Porca Sextavada
2020-0 Graxeira Reta 5011-0 Parafuso Sextavada
2021-0 Bujão Cabeça Quadrada 5013-0 Parafuso Cabeça Sextavada
2100-0 Contra Flange Int.Mancal 5014-0 Mola Prato
2101-0 Flange Externa Mancal 5015-0 Trava
2102-0 Anel V Ring 6000-0 Macaco Hidráulico
2102-1 Anel V Ring 6000-1 Macaco Hidráulico
2102-2 Anel V Ring 6002-0 Parafuso Cab. Sextavada
2104-0 Rolamento 6002-1 Parafuso Cab. Sextavada
2105-0 Bucha Cônica 6003-0 Porca Sextavada
2106-0 Contra Flange Ext.Mancal 6003-1 Porca Sextavada
2107-0* Arruela Segurança 6004-0 Haste do Macaco
2107-1 Trava da Porca de Fixação 6015-0 Arruela de Pressão
2108-0 Porca de Fixação 6015-1 Arruela de Pressão
2205-0 Volante Liso 7000-0 Pino do Tirante
2206-0 Volante c/ Canais 7001-0 Anel Retenção
2207-0 Chaveta 7002-0 Arruela Lisa
2208-0 Tampa 7003-1 Garfo do Tirante
2209-0 Parafuso Cab.Sextavada 7003-6 Porca Sextavada
2210-0 Contrapeso 7003-9 Haste do Tirante
2211-0 Contrapeso 7004-0 Mola
2213-0 Parafuso Sextavado 7005-0 Prato de Mola
2214-0 Arruela Pressão 7006-0 Porca Sextavada
2215-0*** Anel Espeçador 7007-0 Apoio do Macaco
2216-0*** Porca de Fixação 7008-0 Arruela Lisa
2217-0*** Arruela de Segurança 9909-1 Mancal Esquerdo
2218-0** Bucha 9909-2 Mancal Direito
2219-0** Parafuso 9910-0 Prisioneiro do Mancal
2220-0** Ringfeder 9911-0 Porca Sextavada
2221-0** Pino 9912-0 Parafuso Cabeça Sextavada
2222-0** Bucha 9913-0 Arruela Lisa
2300-0 Chapa de Proteção
* Somente JAWMASTERS 1312HD/1513HD ** Somente JAWMASTERS 1206HD
*** Não aplicável ao 1206HD
S 222.070.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 3(6)
2001-11-22

Fig. 6.1 - Seção do britador JAWMASTER HD


S 222.070.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 4(6)
2001-11-22

Fig. 6.2 - Vista e secção transversal do


JAWMASTER HD
S 222.070.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 5(6)
2001-11-22

Fig.6.3-Vista e secção transversal da parte traseira da carcaça do JAWMASTER HD


S 222.070.00
JAWMASTER HD
BRITADOR DE MANDÍBULAS DE UM EIXO Chap 6(6)
2001-11-22

Fig. 6.4 - O arranjo das vedações dos rolamentos

Fig. 6.6 - Mancal com parafusos

Fig. 6.5 - O arranjo das molas dos tirantes


MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

12. Introdução O motor é aparafusado nos trilhos e posicionado na fundação. A polia


motora é então alinhada de forma que seu centro esteja no mesmo plano da
polia a ser movida e, os eixos do motor e da máquina estejam paralelos. A
correia não deve ser demasiadamente esticada, (ver figura 13.10).
Máquinas elétricas devem ser instaladas em locais de fácil acesso para Após o alinhamento, os trilhos são fixados, conforme mostrados abaixo:
inspeção e manutenção.
Se a atmosfera ambiente for úmida, corrosiva ou contiver substâncias ou
partículas deflagráveis é importante assegurar o correto grau de proteção.
A instalação de motores onde existam vapores, gases ou poeiras inflamáveis
ou combustíveis, oferecendo possibilidade de fogo ou explosão deve ser
feita de acordo com as Normas IEC 60079-14, NBR 5418, VDE 165,
NFPA - Art. 500, UL-674.
Em nenhuma circunstância os motores poderão ser cobertos por caixas ou
outras coberturas que possam impedir ou diminuir o sistema de ventilação
e/ou a livre circulação do ar durante seu funcionamento.
A distância recomendada entre a entrada de ar do motor (para motores com
ventilação externa) e a parede, deve ficar em torno de 1/4 do diâmetro da
abertura da entrada de ar. Figura 13.2 - Posicionamento dos trilhos para alinhamento do motor
0 ambiente, no local de instalação, deverá ter condições de renovação do ar
da ordem de 20m3 por minuto para cada 100 kW de potência da máquina, b) Chumbadores
considerando temperatura ambiente de até 40°C e altitude de até 1000 m. Dispositivos para a fixação de motores diretamente na fundação quando os
mesmos requerem acoplamento elástico. Este tipo de acoplamento é
caracterizado pela ausência de esforços sobre os rolamentos e de custos
reduzidos.
13. Aspectos mecânicos Os chumbadores não devem ser pintados nem estar enferrujados pois isto
13.1 Fundações seria prejudicial à aderência do concreto e provocaria o afrouxamento dos
A fundação onde será colocado o motor deverá ser plana e isenta de vibrações. mesmos.
Recomenda-se, portanto, uma fundação de concreto para motores acima de
100 cv. O tipo de fundação dependerá da natureza do solo no local da
montagem, ou da resistência dos pisos em edifícios.
No dimensionamento da fundação do motor, deverá ser considerado o fato
de que o motor pode, ocasionalmente, ser submetido a um torque maior que
o torque nominal. Baseado na figura 13.1, os esforços sobre a fundação
podem ser calculados pelas equações:

F1 = 0.5 . g . G - (4 . Cmáx / A)
F2 = 0.5 . g . G + (4 . Cmáx / A)

Figura 13.3 - Motor montado em base de concreto com chumbadores

c) Base metálica
Conjunto motogeradores são montados e testados na fábrica antes do envio.
Contudo, antes de entrar em serviço no local definitivo, o alinhamento dos
acoplamentos deve ser cuidadosamente verificado, pois a configuração da
base pode ter se alterado durante o transporte em decorrência de tensões
Figura 13.1 - Esforços sobre a base internas do material.
A base pode se deformar ao ser rigidamente fixada a uma fundação não
Onde : adequadamente plana.
Fl e F2 - Esforços de um lado As máquinas não devem ser removidas da base comum para alinhamento;
INSTALAÇÃO

g - Aceleração da gravidade (9.8 m/s2) a base deve ser nivelada na própria fundação, usando níveis de bolha (ou
G - Peso do motor (Kg) outros instrumentos niveladores).
Cmáx - Torque máximo (Nm) Quando uma base metálica é utilizada para ajustar a altura da ponta do eixo
A - Obtido do desenho dimensional do motor (m) do motor com a ponta de eixo da máquina, esta deve ser nivelada na base de
concreto. Após a base ter sido nivelada, os chumbadores apertados e os
Chumbadores ou bases metálicas devem ser usadas para fixar o motor na acoplamentos verificados, a base metálica e os chumbadores são
fundação. concretados.

13.2 Tipos de bases 13.3 Alinhamento


a) Bases deslizantes A máquina elétrica deve estar perfeitamente alinhada com a máquina
Em acionamento por polias, o motor deve estar montado sobre bases acionada, especialmente nos casos de acoplamento direto.
deslizantes (trilhos), de modo a garantir que as tensões sobre as correias Um alinhamento incorreto pode causar defeito nos rolamentos, vibração e
sejam apenas o suficiente para evitar o deslizamento durante o funcionamento mesmo, ruptura do eixo.
e também para não permitir que trabalhem enviesadas, o que provocaria A melhor forma de se conseguir um alinhamento correto é usar relógios
danos aos encostos do mancal. comparadores, colocados um em cada semi-luva, um apontando radialmente
O trilho mais próximo da polia motora é colocado de forma que o parafuso de e outro axialmente. Assim é possível verificar simultaneamente o desvio de
posicionamento fique entre o motor e a máquina acionada. paralelismo (figura 13.4) e o desvio de concentricidade (figura 13.5), ao
O outro trilho deve ser colocado com o parafuso na posição oposta como dar-se uma volta completa nos eixos. Os mostradores não devem ultrapassar
mostra a figura 13.2. a leitura de 0,03mm.

E-3
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

Figura 13.7 - Dispositivo para a remoção de polias

Deve ser evitado o uso de martelos na montagem de polias e rolamentos


para evitar marcas nas pistas dos rolamentos. Estas marcas, inicialmente
Figura 13.4 - Desvio de paralelismo são pequenas, crescem durante o funcionamento e podem evoluir até danificar
totalmente. O posicionamento correto da polia é mostrado na figura 13.8.
Figura 13.8 - Posicionamento correto da polia no eixo

Figura 13.5 - Desvio de concentricidade

13.4 Acoplamento
a) Acoplamento direto
Deve-se sempre preferir o acoplamento direto, devido ao menor custo,
reduzido espaço ocupado, ausência de deslizamento (correias) e maior
segurança contra acidentes. FUNCIONAMENTO: Deve-se evitar esforços radiais desnecessários nos
No caso de transmissão com redução de velocidade, é usual também o mancais, situando os eixos paralelos entre si e as polias perfeitamente
acoplamento direto através de redutores. alinhadas (figura 13.9).

CUIDADOS: Alinhar cuidadosamente as pontas de eixos, usando acoplamento


flexível, sempre que possível, deixando folga mínima de 3mm entre os
acoplamentos (GAP).

b) Acoplamento por engrenagens


Acoplamento por engrenagens mal alinhadas dão origem a solavancos que
provocam vibrações na própria transmissão e no motor.
É imprescindível, portanto, que os eixos fiquem em alinhamento perfeito,
rigorosamente paralelos no caso de engrenagens retas e, em ângulo certo
em caso de engrenagens cônicas ou helicoidais.
O engrenamento perfeito poderá ser controlado com inserção de uma tira de
papel, na qual apareça após uma volta, o decalque de todos os dentes.

c) Acoplamento por meio de polias e correias


Quando uma relação de velocidade é necessária, a transmissão por correia
é a mais freqüentemente usada. Figura 13.9 - Correto alinhamento das polias
INSTALAÇÃO

Montagem de polias: para a montagem de polias em pontas de eixo com


rasgo de chaveta e furo roscado na ponta, a polia deve ser encaixada até na
metade do rasgo da chaveta apenas com esforço manual do montador.
Para eixos sem furo roscado, recomenda-se aquecer a polia cerca de 80°C
ou o uso de dispositivos como mostrado na figura 13.6.

Figura 13.10 - Tensões na correia


ATENÇÃO: Testar com o motor desligado.

Correias que trabalham lateralmente enviesadas, transmitem batidas de


sentido alternante ao rotor, e poderão danificar os encostos do mancal.
O escorregamento da correia poderá ser evitado com aplicação de um
Figura 13.6 - Dispositivo para montagem de polias material resinoso, como o breu, por exemplo.
A tensão na correia deverá ser apenas suficiente para evitar o escorregamento
no funcionamento.
E-4
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

Deve ser evitado o uso de Tabela 13.1a - Diâmetro primitivo mínimo de polias
polias demasiadamente
ROLAMENTO DE ESFERAS
pequenas porque estas
provocam flexões no eixo MEDIDA X ( mm )
do motor, devido ao fato Carcaça Rolamentos
20 40 60 80 100 120
de que a tração na correia
aumenta a medida que 63 6201-ZZ 40 — — — — —
diminui o diâmetro da 71 6203-ZZ 40 40 — — — —
polia. 80 6204-ZZ 40 40 — — — —
As tabelas 13.1a, 13.1b e 90 6205-ZZ 63 71 80 — — —
13.1c, determinam o
100 6206-ZZ 71 80 90 — — —
diâmetro mínimo das
polias, e as tabelas 13.2a, 112 6307-ZZ 71 80 90 — — —
13.2b e 13.2c fazem 132 6308-ZZ — 100 112 125 — —
referência aos esforços 160 6309 — 140 160 180 200 —
máximos admitidos sobre 180 6311 — — 160 180 200 224
os mancais dos motores 200 6312 — — 200 224 250 280
até a carcaça 355.

Tabela 13.1b Tabela 13.1c


ROLAMENTO DE ESFERAS ROLAMENTO DE ROLOS
MEDIDA ( mm ) MEDIDA ( mm )
Carcaça Pólos Rolamentos Carcaça Pólos Rolamentos
50 80 110 140 50 80 110 140 170 210
II 6314 190 200 212 224 II NU 314 50 50 65 80 —— ——
225 225
IV-VI-VIII 6314 250 265 280 300 IV-VI-VIII NU 314 77 80 110 136 —— ——
II 6314 224 233 250 265 II NU 314 63 66 69 84 —— ——
250 250
IV-VI-VIII 6314 375 400 425 450 IV-VI-VIII NU 314 105 115 145 175 —— ——
II 6314 300 315 335 355 II NU 314 95 100 105 110 —— ——
280 280
IV-VI-VIII 6316 500 530 560 600 IV-VI-VIII NU 316 135 140 170 210 —— ——
II 6314 —— —— —— —— II NU 314 170 175 180 185 —— ——
315 315
IV-VI-VIII 6319 —— —— —— —— IV-VI-VIII NU 319 —— 170 185 225 285 ——
II 6314 310 300 290 285 II NU 314 —— —— 225 295 340 390
355 355
IV-VI-VIII 6322 —— —— —— —— IV-VI-VIII NU 322 —— —— 345 410 455 565

Tabela 13.2a - Carga máxima radial admissível (kgf) Tabela 13.2b - Carga máxima radial admissível (kgf)
CARGA MÁXIMA RADIAL ADMISSÍVEL (Kgf) - ROLAMENTO DE ESFERAS CARGA MÁXIMA RADIAL (Kgf) - ROLAMENTO DE ESFERAS - F = 60Hz
Motores IP 55 - F = 60 Hz
Motores NEMA 56
Carcaça Polaridade
Força Radial (Kgf)
II IV VI VIII
Carcaça Polaridade
63 25 30 —— ——
II IV VI VIII
71 30 40 —— ——
56 A 25 35 —— ——
90 40 55 60 70
56 B 30 35 —— ——
100 60 80 90 100
56 D 35 45 —— ——
112 106 130 150 170
MOTOSSERRA
132 130 160 190 200
80 S - MS 100 —— —— ——
INSTALAÇÃO

160 160 200 230 260


80 H - MS 100 —— —— ——
180 210 270 310 350
80 L - MS 100 —— —— ——
200 240 320 370 420
90 L - MS 130 160 —— ——-
225 310 420 450 510
250 290 380 440 490
Tabela 13.2c - Carga máxima radial admissível (kgf)
280 360 460 520 580
Motores IP55 / Freqüência 60Hz / Rolamento de rolos
315 340 500 580 660
355 —— 1570 1570 1570 Polaridade
Carcaça
II IV VI VIII
160 – 387 386 385
180 – 616 612 611
200 – 868 865 864
225 – 863 862 860
250 – 1036 1034 1030
280 – 1589 1570 1569
315 – 1781 1754 1750
PARA ESTES CÁLCULOS CONSIDERAMOS A DISTÂNCIA X= A COTA “E”, PONTA DE EIXO. Não é
aconselhado o uso de rolamento de rolos em motores dois pólos, fornecimento mediante consulta à engenharia.

E-5
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

Com relação aos motores fracionários abertos NEMA 48 e 56, os mesmos - Normas: NEMA MG - 1
apresentam as seguintes características mecânicas: - Tensão: monofásico - 110 / 220 V
trifásico - 220 / 380 V
- Rotor de gaiola - Freqüência: 60 Hz; 50 Hz sob consulta
- Tipo: aberto à prova de pingos
- Isolamento: classe “B” (130ºC) NBR 7094 Demais características que não foram citadas poderão ser obtidas diretamente
- Ventilação: interna com a Fábrica, Setor de Assistência Técnica, WEG Motores Ltda.
- Mancais: rolamentos de esfera

Tabela 13.3a - Carga máxima axial admissível (kgf)

CARGA MÁXIMA AXIAL ADMISSÍVEL (Kgf) - F = 60 Hz


MOTORES TOTALMENTE FECHADOS IP 55
POSIÇÃO / FORMA CONSTRUTIVA

C
A
R
C
A
Ç
A

II IV VI VIII II IV VI VIII II IV VI VIII II IV VI VIII


63 28 37 43 — 28 37 43 — 27 35 42 — 27 35 42 —
71 30 41 48 54 37 50 59 66 29 39 46 53 36 49 57 65
80 36 49 57 65 48 66 77 86 34 46 54 62 47 63 74 84
90 46 63 76 85 50 68 84 94 43 58 72 80 47 64 79 89
100 49 67 81 92 70 95 115 130 44 60 74 85 65 89 109 123
112 69 93 113 130 122 166 201 227 62 84 104 121 116 157 191 218
132 85 118 141 160 145 202 241 271 72 103 123 139 133 186 222 250
160 122 168 192 221 208 280 324 369 97 141 159 192 183 253 291 340
180 — 222 254 287 — 379 439 494 — 186 203 236 — 344 388 445
200 170 225 271 310 319 421 499 566 122 161 208 252 271 355 436 508
225 406 538 632 712 406 538 632 712 340 454 540 620 340 454 540 620
250 397 528 617 696 397 528 617 696 319 425 497 576 319 425 497 576
280 382 608 721 814 382 608 721 814 259 451 541 636 259 451 541 636
315 349 567 675 766 349 567 675 766 161 327 400 493 161 327 400 493
355 318 638 748 846 318 638 748 846 46 215 249 271 46 215 249 271

Tabela 13.3b

CARGA MÁXIMA AXIAL ADMISSÍVEL (Kgf) - F = 60 Hz


POSIÇÃO / FORMA CONSTRUTIVA
INSTALAÇÃO

C
A
R
C
A
Ç
A

II IV II IV II IV II IV
56 A 30 40 37 50 28 38 35 48
56 B 30 40 36 49 28 37 35 47
56 D 28 39 47 65 26 36 45 62

E-6
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

13.5 Gráficos
Carcaça 71
Os esforços radiais máximos são determinados, para cada carcaça, através
de gráficos.

INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DOS GRÁFICOS

Carcaça 90

Carcaça 80

1. Carga máxima radial sobre o eixo


2. Carga máxima radial sobre os rolamentos
Onde: X - Metade da largura da polia (mm)
Fr - Força máxima radial em função do diâmetro e da largura da polia

Linha azul: Curva falha do eixo


Linha preta: Curva falha do rolamento

Exemplo:
Verificar se o motor 4cv, II pólos, 60Hz, suporta um esforço radial de 50kgf,
sendo a largura de polia de 100mm.

Carcaça : 90L
Fr : 50Kgf
X : 50mm
1. Marca a distância X
2. Encontrar a linha n = 3.600 do rolamento:
Verificar-se que este rolamento suporta uma carga radial de 60kgf. Carcaça 90

Carcaça 63

INSTALAÇÃO

E-7
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

Carcaça 100 Carcaça 160

Carcaça 112 Carcaça 180

Carcaça 132 Carcaça 200


INSTALAÇÃO

E-8
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

Carcaça 225 Carcaça 315

Carcaça 250 Carcaça 355

Carcaça 280

INSTALAÇÃO

E-9
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

13.6 Vibração Tabela 13.5 - Limites recomendados para severidade de vibração, conforme
A vibração de uma máquina elétrica está intimamente relacionada com sua NBR 11.390 e IEC 60.034-14
montagem e por isso é geralmente desejável efetuar as medições de vibração
nas condições reais de instalação e funcionamento. Contudo, para permitir Velocidade Máximo valor eficaz da velocidade de
a avaliação do balanceamento e da vibração de máquinas elétricas girantes, Grau vibração para a altura H do eixo
é necessário efetuar tais medições, com a máquina desacoplada, sob de
condições de ensaio determinadas conforme itens 13.7 a 13.9 de forma a Vibração rpm 56 a 132 160 a 225 250 a 400
permitir a reprodutividade dos ensaios e obtenção de medidas comparáveis. da
máquina mm/s mm/s mm/s
600 ≤ V ≤ 1800
1 )
13.7 Suspensão livre N 1,8 1,8 (2,8) 2,8 (3,5)
Esta condição é obtida pela suspensão da máquina por uma mola ou pela (normal) 1800 < V ≤ 3600 1,8 2,8 4,5
montagem desta máquina sobre um suporte elástico (molas, borrachas, R 600 ≤ V ≤ 1800 0,71 1,12 1,8
etc.). A deformação da base elástica em função da rotação da máquina deve (reduzida) 1800 < V ≤ 3600 1,12 1,8 2,8
ser no mínimo igual aos valores da tabela 13.4, e no máximo igual a 50%
S 600 ≤ V ≤ 1800 0,45 0,71 1,12
da altura total da base.
(especial) 1800 < V ≤ 3600 0,71 1,12 1,8
A massa efetiva do suporte elástico não deve ser superior a 1/10 daquela da
máquina, afim de reduzir a influência da massa e dos momentos de inércia
1) Os valores entre parênteses referem-se à IEC 60.034-14
das partes do suporte elástico sobre o nível de vibração medido.
A tabela 13.6 abaixo indica os valores para a máxima velocidade de vibração
Tabela 13.4
para as carcaças NEMA 42 a 587, com balanceamento normal conforme
Rotação nominal (rpm) Deformação da base elástica (mm) norma NEMA MG1-7.08 (1998).
3600 1,0 Tabela 13.6
1800 4,5
Rotação nominal (rpm) Máximo valor eficaz da
1200 10 velocidade de vibração (mm/s)
900 18
3600 2,7
1800 2,7
13.8 Chaveta 1200 2,7
Para o balanceamento e medição da severidade de vibração de máquinas
com o rasgo de chaveta na ponta de eixo, este rasgo deve ser preenchido 900 2,1
com meia chaveta, recortada de maneira a preenchê-lo até a linha divisória 720 1,6
entre o eixo e o elemento a ser acoplado.
600 1,4
Nota: Uma chaveta retangular de comprimento idêntico ao da chaveta
utilizada na máquina em funcionamento normal e meia altura normal (que Notas:
deve ser centrada no rasgo de chaveta a ser utilizado) são aceitáveis como 1 - Para valores de pico, multiplicar os valores das tabelas por √ 2.
práticas alternativas. 2 - Os valores da tabela acima são válidos para medições realizadas com
a máquina a vazio e desacoplada, funcionando na freqüência e tensão
13.9 Pontos de medição nominais.
As medições da severidade de vibração devem ser efetuadas sobre os 3 - Para máquinas que giram nos dois sentidos, os valores das tabelas se
mancais, na proximidade do eixo, em três direções perpendiculares, com a aplicam a ambos os sentidos.
máquina funcionando na posição que ocupa sob condições normais (com 4 - As tabelas acima não se aplicam a máquinas montadas no local de
eixo horizontal ou vertical). instalação, motores trifásicos com comutador, motores monofásicos,
A localização dos pontos de medição e as direções a que se referem os motores trifásicos com alimentação monofásica ou a máquinas
níveis da severidade de vibração estão indicadas na figura 13.11. acopladas a suas máquinas de acionamento ou cargas acionadas.

ENSAIO DE VIBRAÇÃO
13.10 Balanceamento
13.10.1 Definição
Conforme a NBR-8008, balanceamento é o processo que procura melhorar
a distribuição de massa de um corpo, de modo que este gire em seus
mancais sem forças de desbalanceamento.
INSTALAÇÃO

13.10.2 Tipos de balanceamento


As principais aplicações por tipo de balanceamento, são apresentadas na
tabela 13.7.

Tabela 13.7 - Tipos de balanceamento
Balanceamento Tipo de máquina
Normal  Máquinas sem requisitos especiais, tais como:
(N) Máquinas gráficas, laminadores, britadores, bombas
centrífugas, máquinas têxteis, transportadores, etc.
Reduzido  Máquinas de precisão para trabalho sem vibração,
Figura 13.11 - Pontos de medição de vibração (R) tais como: Máquinas a serem instaladas sobre funda-
mento isolado à prova de vibração, mandriladoras
e fresadoras de precisão, tornos, furadeiras
A tabela 13.5 indica valores admissíveis para a máxima velocidade de
de coordenadas, etc.
vibração para as carcaças IEC 56 a 400, dentro dos graus de qualidade de
vibração: normal, reduzido e especial. Especial  Máquinas para trabalho de alta precisão, tais como:
(S) retíficas, balanceadoras, mandriladora de
coordenadas, etc.

E-10
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

14. Aspectos elétricos mais próximo, acima do calculado, de 269A. A distância a ser
considerada deve ser a maior entre as citadas, ou seja, 60m. Portanto
para a tensão de 220V, I = 269A e a distância de 60m, fazendo-se a
intersecção de tensão /distância com a linha correspondente de I =
É de grande importância observar a correta alimentação de energia elétrica. 269A, encontramos a bitola mínima de 120 mm2.
A seleção dos condutores, sejam os dos circuitos de alimentação dos
motores, sejam os dos circuitos terminais ou dos de distribuição, deve ser 3) Um elevador apresenta tempo de serviço normal de 15min e utiliza um
baseada na corrente nominal dos motores, conforme norma ABNT – NBR motor de 15cv, 220V, IV pólos, com corrente nominal de 38A. A
5410. distância deste motor ao quadro de comando é de 50m. Qual o condutor
As tabelas 14.1, 14.2 e 14.3 indicam as bitolas mínimas dos condutores, a ser utilizado, considerando condutor em eletroduto não metálico?
dimensionados pelos critérios da máxima capacidade de corrente e pela
máxima queda de tensão, em função da distância do centro de distribuição Solução:
ao motor e do tipo de instalação( aérea ou em eletrodutos). O serviço é do tipo intermitente, com tempo de serviço de 15 minutos.
As tabelas acima mencionadas consideram isolação tipo PVC com Deve-se então multiplicar o valor da corrente pelo fator de ciclo 0,85
temperatura de 70°C no condutor, em temperatura ambiente de 30°C. da tabela 14.4 .
Nos casos de temperaturas acima da especificada e/ou agrupamentos de
vários circuitos devem ser verificados os fatores de correção indicados na I = In x 0,85
norma ABNT - NBR 5410/1997. I = 38 x 0,85
I = 32,3 A
Procede-se da seguinte maneira para determinar
a seção do condutor de alimentação: O valor correspondente na tabela 14.3 é de 36A. Assim, para a tensão
Para a determinação da corrente do condutor, conforme a norma ABNT -NBR de 220V, 50m, I = 36A fazendo-se a intersecção de tensão/distância
5410/1997, deve ser utilizada a corrente de placa do motor, ou a corrente com a linha correspondente de I= 36A encontra-se a bitola mínima de
de placa do motor multiplicada pelo fator de serviço (FS) quando existir, e 10 mm2.
localizar este valor na tabela correspondente.
• Se o condutor alimentar mais de um motor, o valor a ser localizado na 4) Tem-se um motor trifásico 60cv, VIII pólos, 220/380V, com corrente
tabela deve ser igual ao somatório das correntes de cada motor, utilizando nominal de 156A em 220V, instalados a 80m do ponto de tomada de
o fator de serviço (FS) naqueles que existirem. energia da rede. Qual deverá ser o condutor usado para alimentar este
NOTA: A norma NBR 7094 exige a indicação do fator de serviço(FS) na motor sabendo-se que a instalação será feita por condutores aéreos e
placa do motor, quando o mesmo é diferente de 1,0, ou seja,quando FS este está operando em regime de serviço contínuo(S1)?
é igual a 1,0 poderá ser omitido da placa de identificação do motor.
Solução:
Observação: I = 156 x 1,0 =156A
Caso o valor calculado não se encontre nas tabelas 14.1, 14.2 ou 14.3, o
valor a ser usado deverá ser o primeiro valor superior ao calculado.
• No caso de motores com várias velocidades, deve ser considerado o Assim temos: I = 156A, d = 80m , devemos então ir até a tabela
valor mais alto dentre as correntes nominais dos motores. 14.2, localizando primeiro o ponto da tensão e a distância, em seguida
localizar o valor da corrente mais próximo do calculado, que neste
Quando o regime de utilização do motor não for contínuo, os condutores caso, é 192A. Indo para a direita e cruzando com a coluna, distância e
devem ter uma capacidade de condução igual ou superior ao produto de sua tensão, chegaremos ao condutor que é de 120mm2.
corrente nominal pelo fator de ciclo de serviço na tabela 14.4 .

Exemplos: 14.1 Proteção dos motores


Localizar na parte superior da tabela correspondente, a tensão nominal do A proteção térmica dos motores é fator determinante para o bom desempenho
motor e a coluna da distância do mesmo à rede de alimentação. dos mesmo e para o aumento de sua vida útil. Deve ser dimensionada de
acordo com o motor e o tipo de carga, assegurando um trabalho contínuo e
1) Dimensionar os condutores para um motor de 15cv, IV pólos, trifásico, uma maior vida útil de todo equipamento. Maiores informações, favor
220V, corrente nominal de 40A FS 1,15, localizado a 60m da rede de consultar item 5.2 – Proteção térmica de motores elétricos.
alimentação e operando em regime de serviço contínuo(S1), com
instalação dos condutores em eletrodutos não metálicos.

Solução:
a) Corrente a ser localizada: 40 x 1,15= 46A
b) Valor na tabela 14.3 Þ 50A (primeiro valor superior a 46A)
INSTALAÇÃO

c) Bitola mínima: 16 mm2.

Com estes valores da distância de 60m e corrente de 50A, levados na


tabela 14.3 encontra-se como bitola do condutor o valor de 16 mm2.

2) Tem-se três motores trifásicos, IV pólos com freqüência de 60Hz, de


10cv, 30cv e 50cv, que apresentam corrente nominal em 220V de
27A, 74A, 123A, respectivamente os motores10 e 30cv tem fator de
serviço 1,15 e o motor de 50cv não tem fator de serviço infomado, ou
seja, é igual a 1,0. Estes motores serão instalados a 20m, 45m e 60m
do ramal. Qual deve ser a bitola do condutor a ser utilizado para
alimentar os motores para o caso de instalação aérea sabendo que este
opera em regime de serviço contínuo(S1)?

Solução:
Fazendo o cálculo da corrente : (27 x 1,15 +74 x 1,15 + 123=
239,15A) e verificando na tabela 14.2, chega-se ao valor de corrente

E-11
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

Tabela 14.1 - Bitola de fios e cabos (PVC - 70ºC), para alimentação de motores monofásicos em temperatura ambiente de 30ºC, instalados em eletrodutos não
metálicos (Queda de tensão < 4%)

Tensão (V) Distância do motor ao centro de distribuição ( metros )

110 10 15 20 25 30 40 50 60 70 80 90 100 125 150


220 20 30 40 50 60 80 100 120 140 160 180 200 250 300
380 35 50 70 80 100 140 170 200 240 280 310 350 430 520
440 40 60 80 100 120 160 200 240 280 320 360 400 500 600

Corrente (A) Bitola do fio ou cabo ( condutor em mm2 )

5 1,5 1,5 1,5 1,5 1,5 2,5 2,5 2,5 4 4 4 6 6 6


10 1,5 1,5 2,5 2,5 2,5 4 4 6 6 10 10 10 10 16
13,5 1,5 2,5 2,5 4 4 6 6 10 10 10 10 16 16 25
17,5 1,5 2,5 4 4 6 6 10 10 10 16 16 16 25 25
24 2,5 4 4 6 6 10 10 16 16 25 25 25 35 35
32 4 4 6 10 10 16 16 25 25 25 25 35 35 50
41 6 6 10 10 10 16 25 25 25 35 35 50 50 70
57 10 10 10 16 16 25 25 35 35 50 50 70 70 95
76 16 16 16 16 25 35 35 50 70 70 70 95 120 150
101 25 25 25 25 35 60 50 70 70 95 95 120 150 240
125 35 35 35 35 35 50 70 95 95 120 120 150 240 300
151 50 50 50 50 50 70 95 95 120 185 185 240 300 500
192 70 70 70 70 70 95 120 150 185 240 240 400 X X
232 95 95 95 95 95 120 150 185 240 300 400 X X X
269 120 120 120 120 120 120 185 240 300 400 X X X X
309 150 150 150 150 150 150 240 300 500 X X X X X
353 185 185 185 185 185 185 300 400 X X X X X X
415 240 240 240 240 240 240 400 X X X X X X X
473 300 300 300 300 300 400 X X X X X X X X
566 400 400 400 400 400 500 X X X X X X X X
651 500 500 500 500 500 X X X X X X X X X

Tabela 14.2 - Bitola de fios e cabos (PVC - 70ºC) para alimentação de motores trifásicos em temperatura ambiente de 30ºC, instalados com condutores aéreos
(Queda de tensão < 4%)

Tensão (V) Distância do motor ao centro de distribuição ( metros )

110 15 20 25 30 40 50 60 70 80 90 100 125 150 200


220 30 40 50 60 80 100 120 140 160 180 200 250 300 400
380 50 70 80 100 140 170 200 240 280 310 350 430 520 690
440 60 80 100 120 160 200 240 280 320 360 400 500 600 800

Corrente (A) Bitola do fio ou cabo ( condutor em mm2 )

13,5 1,5 2,5 2,5 4 4 6 6 10 10 10 16 16 25 25


17,5 2,5 2,5 4 4 6 10 10 10 16 16 16 25 25 35
24 4 4 6 6 10 10 16 16 16 25 25 35 35 70
INSTALAÇÃO

32 6 6 10 10 16 25 25 25 35 35 50 70 95 120
41 10 10 16 16 25 25 35 50 50 70 70 95 150 185
57 10 10 16 16 25 25 35 50 50 70 70 95 150 185
76 16 16 16 25 35 50 50 70 95 95 120 185 240 300
101 25 25 25 35 50 95 95 95 120 150 185 400 500 X
125 35 35 35 35 70 95 120 150 185 240 300 X X X
151 50 50 50 50 95 120 150 240 300 400 500 X X X
192 70 70 70 70 120 185 240 400 X X X X X X
232 95 95 95 95 150 300 500 X X X X X X X
269 120 120 120 120 240 400 X X X X X X X X
309 150 150 150 150 300 X X X X X X X X X
353 185 185 185 240 500 X X X X X X X X X
415 240 240 240 300 X X X X X X X X X X
473 300 300 300 500 X X X X X X X X X X
566 400 400 500 X X X X X X X X X X X
651 500 500 X X X X X X X X X X X X

E-12
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

Tabela 14.3 - Bitola de fios e cabos (PVC - 70ºC) para a alimentação de motores trifásicos em temperatura ambiente de 30ºC, instalados em eletrodutos não
metálicos (Queda de tensão < 4%)

Tensão (V) Distância do motor ao centro de distribuição ( metros )

110 25 30 35 40 50 60 70 80 90 100 125 150


220 50 60 70 80 100 120 140 160 180 200 250 300
380 85 100 120 140 170 210 240 280 310 350 430 500
440 100 120 140 160 200 240 280 320 360 400 500 600

Corrente (A) Bitola do fio ou cabo ( condutor em mm2 )

12 2,5 2,5 4 4 6 6 6 10 10 10 16 16
15,5 4 4 4 6 6 10 10 10 10 16 16 25
21 4 6 6 6 10 10 16 16 16 16 25 25
28 6 6 10 10 10 16 16 16 25 25 35 35
36 10 10 10 10 16 16 25 25 25 35 35 50
50 10 16 16 16 25 25 35 35 35 50 70 70
68 16 16 25 25 25 35 50 50 70 70 95 95
89 25 25 25 35 35 50 70 70 70 95 120 120
110 35 35 35 35 50 70 70 95 95 120 150 185
134 50 50 50 50 70 70 95 120 120 150 185 300
171 70 70 70 70 95 95 120 150 185 240 300 500
207 95 95 95 95 95 120 150 185 240 300 500 X
239 120 120 120 120 120 150 185 240 300 400 X X
272 150 150 150 150 150 185 240 400 500 X X X
310 185 185 185 185 185 240 300 500 X X X X
364 240 240 240 240 240 400 500 X X X X X
419 300 300 300 300 300 500 X X X X X X
502 400 400 400 400 500 X X X X X X X
578 500 500 500 500 X X X X X X X X

Tabela 14.4 - Fator de ciclo de serviço

Tempo de serviço 30 a
nominal do 5min 15min 60min Contínuo
motor
Classificação

Curto (operação de válvulas, 1,10 1,20 1,50


atuação de contatos, etc)

Intermitente (elevadores de 0,85 0,85 0,90 1,40


passageiros ou carga, ferramentas,
bombas, pontes-rolantes, etc)

Periódico (laminadores, máquinas 0,85 0,90 0,95 1,40


de mineração, etc)

Variável 1,10 1,20 1,50 2,00


INSTALAÇÃO

E-13
INSTRUÇÕES GERAIS

Todos os profissionais que realizam serviços em


equipamentos elétricos, seja na instalação,
operação ou manutenção, deverão ser
permanentemente informados e atualizados
sobre as normas e prescrições de segurança, que
regem o serviço e, aconselhados a seguí-las. Cabe
ao responsável certificar-se antes do início do
trabalho, de que tudo foi devidamente observado,
e alertar seu pessoal para os perigos inerentes à
tarefa proposta.
Recomenda-se que este serviço seja efetuado por
pessoal qualificado.
Como medida de segurança, os equipamentos
para combate a incêndios e avisos sobre
primeiros socorros, não deverão faltar no local de
trabalho; deverão estar sempre em locais bem
visíveis e de fácil acesso.

Fornecimento
Os motores antes de serem expedidos, são
balanceados e testados na fábrica, garantindo o
seu perfeito funcionamento.
Ao recebê-los, recomendamos cuidados e
inspeção, verificando a existência de eventuais
danos provocados pelo transporte.
Caso eles tenham ocorrido, notificar
imediatamente à empresa transportadora e o
representante WEG mais próximo.
MANUTENÇÃO
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

15. Manutenção Tabela 17.1a - Rolamentos por tipo de motor (IEC)

Rolamentos
Carcaças Forma
A manutenção dos motores elétricos, adequadamente aplicados, resume-se construtiva Dianteiro Traseiro
numa inspeção periódica quanto a níveis de isolamento, elevação de Motores totalmente fechados com ventilador externo
temperatura, desgastes excessivos, correta lubrificação dos rolamentos e
eventuais exames no ventilador, para verificar o correto fluxo de ar. A 63 6201 ZZ 6201 ZZ
freqüência com que devem ser feitas as inspeções, depende do tipo de 71 6203 ZZ 6202 ZZ
motor e das condições do local de aplicação do motor.
80 6204 ZZ 6203 ZZ
16. Limpeza 90 S 6205 ZZ 6204 ZZ
Os motores devem ser mantidos limpos, isentos de poeira, detritos e óleos.
Para limpá-los, deve-se utilizar escovas ou panos limpos de algodão. Se a 90 L 6205 ZZ 6204 ZZ
poeira não for abrasiva, deve-se utilizar o jateamento de ar comprimido,
100 L 6206 ZZ 6205 ZZ
soprando a poeira da tampa defletora e eliminando toda acumulação de pó
contida nas pás do ventilador e nas aletas de refrigeração. 112 M 6307 ZZ 6206 ZZ
Em motores com proteção IP55, recomenda-se uma limpeza na caixa de
ligação. Esta deve apresentar os bornes limpos, sem oxidação, em perfeitas 132 S 6308 ZZ 6207 ZZ
condições mecânicas e sem depósitos de pó nos espaços vazios. Em 132 M 6308 ZZ 6207 ZZ
ambiente agressivo, recomenda-se utilizar motores com grau de proteção
IPW55. 160 M T 6309-C3 6209 Z-C3
160 L O 6309-C3 6209 Z-C3
17. Lubrificação
Os motores até a carcaça 160 não possuem graxeira, enquanto que para 180 M D 6311-C3 6211 Z-C3
motores da carcaça 160 até a carcaça 200 o pino graxeira é opcional. 180 L A 6311-C3 6211 Z-C3
Acima desta carcaça (225 à 355) é normal de linha a presença do pino
graxeira. A finalidade de manutenção, neste caso, é prolongar o máximo 200 L S 6312-C3 6212 Z-C3
possível, a vida útil do sistema de mancais. A manutenção abrange: 200 M 6312-C3 6212 Z-C3
a) observação do estado geral em que se encontram os mancais;
b) lubrificação e limpeza; 225 S/M 6314-C3 6314-C3
c) exame minucioso dos rolamentos. 250 S/M 6314-C3 6314-C3
O controle de temperatura num mancal também faz parte da manutenção de
rotina. Sendo o mancal lubrificado com graxas apropriadas, conforme 280 S/M 6314-C3 ** 6314-C3
recomendado no item 17.2, a temperatura de trabalho não deverá ultrapassar 6316-C3 6316-C3
∆T de 60°C num ambiente de 40°C.. A temperatura poderá ser controlada
permanentemente com termômetros, colocados do lado de fora do mancal, 315 S/M 6314-C3 ** 6314-C3
ou com termoelementos embutidos. 6319-C3 6316-C3
Os motores WEG são normalmente equipados com rolamentos de esfera ou
de rolos, lubrificados com graxa. 355 M/L 6314-C3 ** 6314-C3
Os rolamentos devem ser lubrificados para evitar o contato metálico entre NU 322-C3 6319-C3
os corpos rolantes e também para proteger os mesmos contra a corrosão e
desgaste. ** Somente para motores II pólos.
As propriedades dos lubrificantes deterioram-se em virtude de envelhecimento NOTA:Motores equipados diretamente à carga devem utilizar
e trabalho mecânico, além disso, todos os lubrificantes sofrem contaminação preferencialmente rolamentos de esferas
em serviço, razão pela qual devem ser completados ou trocados
periodicamente.

17.1 Intervalos de relubrificação


A quantidade de graxa correta é sem dúvida, um aspecto importante para
uma boa lubrificação.
A relubrificação deve ser feita conforme os intervalos de relubrificação
especificados na placa de identificação.
Para uma lubrificação inicial eficiente, em um rolamento é preciso observar
o Manual de instruções do motor ou pela Tabela de Lubrificação. Na ausência
destas informações, o rolamento deve ser preenchido com a graxa até a
metade de seu espaço vazio (somente espaço vazio entre os corpos girantes).
Na execução destas operações, recomenda-se o máximo de cuidado e
limpeza, com o objetivo de evitar qualquer penetração de sujeira que possa
causar danos no rolamento.
MANUTENÇÃO

F-5
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

Tabela 17.1b - Rolamentos por tipo de motor (NEMA T)

Rolamentos
Carcaças Forma
construtiva Dianteiro Traseiro
Motores totalmente fechados com ventilador externo
143 T 6205 ZZ 6204 ZZ
145 T 6205 ZZ 6204 ZZ
182 T 6307 ZZ 6206 ZZ
184 T 6307 ZZ 6206 ZZ
213 T 6308 ZZ 6207 ZZ
215 T 6308 ZZ 6207 ZZ
254 T 6309-C3 6209 Z-C3
256 T 6309-C3 6209 Z-C3
284 T e TS 6311-C3 6211 Z-C3
286 T e TS 6311-C3 6211 Z-C3
324 T e TS T 6312-C3 6212 Z-C3
326 T e TS O 6312-C3 6212 Z-C3
364 T e TS D 6314-C3 6314-C3
365 T e TS A 6314-C3 6314-C3
404 T S 6314-C3 6314-C3
405 TS 6314-C3 6314-C3
444 T 6316-C3 6316-C3
444 TS 6314-C3 ** 6314-C3
445 T 6316-C3 6316-C3
445 TS 6314-C3 ** 6314-C3
504 Z 6319-C3 6316-C3
505 U 6314-C3 ** 6314-C3
505 Z 6319-C3 6316-C3
586 T NU 322-C3 6319-C3
587 T NU 322-C3 6319-C3

** Somente para motores II pólos

Tabela 17.1c - Rolamentos para motosserra

Rolamentos
Motosserra Forma
construtiva Dianteiro Traseiro
80 S MS 6207 ZZ 6207 ZZ
80 M MS B3 6307 ZZ 6207 ZZ
80 L MS 6307 ZZ 6207 ZZ
90 L MS 6308 ZZ 6208 ZZ

Tabela 17.1d Rolamentos para motores carcaça NEMA

Rolamentos
Carcaças Forma
NEMA construtiva Dianteiro Traseiro
Motores abertos a prova de pingos
48 B T 6203 ZZ 6202 ZZ
MANUTENÇÃO

56 A O 6204 ZZ 6203 ZZ
56 B D 6204 ZZ 6203 ZZ
56 D A 6204 ZZ 6203 ZZ
56 H S 6204 ZZ 6203 ZZ

F-6
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

Tabela 17.2a - Intervalos de lubrificação e quantidade de graxa para rolamentos.


Rolamentos fixos de uma carreira de esferas - Séries 62/63

Intervalo de relubrificação (horas de funcionamento)


Rolamento II pólos IV pólos VI pólos VIII pólos X pólos XII pólos Graxa
60Hz 50Hz 60Hz 50Hz 60Hz 50Hz 60Hz 50Hz 60Hz 50Hz 60Hz 50Hz (g)
6209 18400 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 9
Série 62

6211 14200 16500 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 11
6212 12100 14400 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 13
6309 15700 18100 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 13
6311 11500 13700 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 18
Série 63

6312 9800 11900 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 21
6314 3600 4500 9700 11600 14200 16400 17300 19700 19700 20000 20000 20000 27
6316 - - 8500 10400 12800 14900 15900 18700 18700 20000 20000 20000 34
6319 - - 7000 9000 11000 13000 14000 17400 17400 18600 18600 20000 45
6322 - - 5100 7200 9200 10800 11800 15100 15100 15500 15500 19300 60

Tabela 17.2b - Intervalos de lubrificação e quantidade de graxa para rolamentos.


Rolamentos fixos de rolos - Série NU 3

Intervalo de relubrificação (horas de funcionamento)


Rolamento II pólos IV pólos VI pólos VIII pólos X pólos XII pólos Graxa
60Hz 50Hz 60Hz 50Hz 60Hz 50Hz 60Hz 50Hz 60Hz 50Hz 60Hz 50Hz (g)
NU 309 9800 13300 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 13
NU 311 6400 9200 19100 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 18
NU 312 5100 7600 17200 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 20000 21
Série NU 3

NU 314 1600 2500 7100 8900 11000 13100 15100 16900 16900 19300 19300 20000 27
NU 316 - - 6000 7600 9500 11600 13800 15500 15500 17800 17800 20000 34
NU 319 - - 4700 6000 7600 9800 12200 13700 13700 15700 15700 20000 45
NU 322 - - 3300 4400 5900 7800 10700 11500 11500 13400 13400 17300 60
NU 324 - - 2400 3500 5000 6600 10000 10200 10200 12100 12100 15000 72

OBSERVAÇÃO:
Os rolamentos ZZ que vão de 6201 ao 6307 não necessitam ser relubirficados pois sua vida útil está em torno de 20.000 horas, ou seja, no período da
sua substituição.
As tabelas 17.2A e 17.2B se destinam ao período de relubrificação para temperatura do mancal de 70°C (para rolamentos até 6312 e NU 312) e
temperatura de 85°C (para rolamentos 6314 e NU 314 e maiores).
Para cada 15°C de elevação, o período de relubrificação se reduz à metade.
Os períodos citados nas tabelas acima, são para o uso de graxa Polyrex e não servem para aplicações especias.
Os motores, quando utilizados na posição vertical, têm seu intervalo de relubrificação em 50% em relação aos motores utilizados na posição horizontal.
MANUTENÇÃO

F-7
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

17.2 Qualidade e quantidade de graxa Antes da colocação do rolamento novo, se faz necessário verificar se o
É importante que seja feita uma lubrificação correta, isto é, aplicar a graxa encaixe no eixo não apresenta sinais de rebarba ou sinais de pancadas. Os
correta e em quantidade adequada, pois uma lubrificação deficiente tanto rolamentos não podem receber golpes diretos durante a montagem. 0 apoio
quanto uma lubrificação excessiva, trazem efeitos prejudiciais. A lubrificação para prensar ou bater o rolamento deve ser aplicado sobre o anel interno.
em excesso acarreta elevação de temperatura, devido a grande resistência Após a limpeza, proteger as peças aplicando uma fina camada de vaselina
que oferece ao movimento das partes rotativas e acaba por perder ou óleo nas partes usinadas a fim de evitar a oxidação.
completamente suas características de lubrificação. Tomar o cuidado quanto as batidas e/ou amassamento dos encaixes das
Isto pode provocar vazamento, penetrando a graxa no interior do motor e tampas e da carcaça e na retirada da caixa de ligação, evitando quebras ou
depositando-se sobre as bobinas ou outras partes do motor. rachaduras na carcaça.
Graxas de base diferente nunca deverão ser misturadas.
IMPREGNAÇÕES:
Tabela 17.3 - Graxas para utilização em motores normais Proteger as roscas da carcaça colocando parafusos apropriados e os encaixes
de apoio da caixa de ligação, cobrindo com esmalte anti-aderente (ISO 287
- ISOLASIL).
0 esmalte de proteção das partes usinadas deve ser retirado logo após a
Tipo Fabricante Carcaça Temperatura cura do verniz de impregnação. Esta operação deve ser feita com a mão,
sem uso de ferramentas cortantes.
Polyrex EM Esso 63 - 355 -30 a 170
MONTAGEM:
Fazer inspeção de todas as peças visando detectar problemas como: trincas
17.3 Instruções para lubrificação nas peças, partes encaixadas com incrustações, roscas danificadas, etc.
Injeta-se aproximadamente metade da quantidade total estimada da graxa e Montar fazendo uso de martelo de borracha e bucha de bronze, certificando-
coloca-se o motor a girar durante aproximadamente 1 minuto a plena rotação, se de que as partes encaixam entre si perfeitamente.
em seguida desliga-se o motor e coloca-se o restante da graxa. Os parafusos devem ser montados com as respectivas arruelas de pressão,
A injeção de toda a graxa com o motor parado pode levar a penetração de sendo apertadas uniformemente.
parte do lubrificante no interior do motor.
É importante manter as graxeiras limpas antes da introdução da graxa a fim TESTES:
de evitar a entrada de materiais estranhos no rolamento. Girar o eixo com a mão, observando problemas de arraste nas tampas e
Para lubrificação use exclusivamente pistola engraxadeira manual. anéis de fixação.

ETAPAS DE LUBRIFICAÇÃO DOS ROLAMENTOS MONTAGEM DA CAIXA DE LIGAÇÃO:


1. Limpar com pano de algodão as proximidades do orifício da graxeira. Antes da montagem da caixa de ligação, deve-se proceder a vedação das
2. Com o motor em funcionamento, adicionar a graxa por meio de uma janelas de passagem de cabos na carcaça utilizando espuma auto- extinguível
pistola engraxadeira até ter sido introduzida a quantidade de graxa (1ª camada), e em motores à prova de explosão existe ainda uma segunda
recomendada nas tabelas 17.2a, 17.2b e 17.2c. camada composta de mistura de resina Epoxi ISO 340 com pó de quartzo.
3. Deixar o motor funcionando durante o tempo suficiente para que se O tempo de secagem da referida mistura é de 2 (duas) horas, período
escoe todo o excesso de graxa. durante o qual a carcaça não deve ser movimentada, devendo permanecer
com as janelas (saída dos cabos) virada para cima.
17.4 Substituição de rolamentos Após a secagem, observar se houve uma perfeita vedação das janelas,
A desmontagem de um motor para trocar um rolamento somente deverá ser inclusive na passagem dos cabos.
feita por pessoal qualificado. Montar a caixa de ligação e pintar o motor.
A fim de evitar danos aos núcleos, será necessário, após a retirada da
tampa do mancal, calçar o entreferro entre o rotor e o estador, com cartolina
de espessura correspondente.

Figura 17.1 - Extrator de rolamentos

A desmontagem dos rolamentos não é difícil, desde que sejam usadas


ferramentas adequadas (extrator de rolamentos).
As garras do extrator deverão ser aplicadas sobre a face lateral do anel
interno a ser desmontado, ou sobre uma peça adjacente.
MANUTENÇÃO

É essencial que a montagem dos rolamentos seja efetuada em condições de


rigorosa limpeza e por pessoal qualificado, para assegurar um bom
funcionamento e evitar danificações.
Rolamentos novos somente deverão ser retirados da embalagem no momento
de serem montados.

F-8
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

RECOMENDAÇÕES GERAIS
 Qualquer peça danificada (trincas, amassamento de
partes usinadas, roscas defeituosas) deve ser
substituída, não devendo em hipótese alguma ser
recuperada.
 Quando se tratar de reparos em motores à prova de
explosão IPW55, os retentores deverão
obrigatoriamente ser trocados na montagem do
mesmo.

17.5 MOTOFREIO TRIFÁSICO


Descrição Geral
O motofreio consiste de um motor de indução acoplado a um freio monodisco,
formando uma unidade integral compacta e robusta.
O motor de indução é totalmente fechado com ventilação externa, com as D - Ponte Retificadora
mesmas características de robustez e desempenho da linha de motores. L - Bobina do eletroimã
0 freio é construído com poucas partes móveis, que assegura longa duração K - Contator
com o mínimo de manutenção. A dupla face das pastilhas forma uma grande
superfície de atrito, que proporciona pequena pressão sobre as mesmas, Figura 17.2 - Esquema de ligação para frenagem lenta
baixo aquecimento e mínimo desgaste.
Além disso, o freio é resfriado pela própria ventilação do motor.
A bobina de acionamento do eletroimã, protegida com resina epoxi, funciona
continuamente com tensões de 10% acima ou abaixo da nominal. b) Frenagem média
Sua alimentação é por corrente continua, fornecida por uma ponte retificadora Neste caso, intercala-se um contato para interrupção da corrente de
composta de diodos de silício e varistores, que suprimem picos indesejáveis alimentação da ponte retificadora no circuito de CA.
de tensão e permitem um rápido desligamento da corrente. A alimentação É essencial que este seja um contato auxiliar NA do próprio contator ou
em corrente continua proporciona maior rapidez e uniformidade de operação chave magnética do motor, para garantir que se ligue ou desligue o freio
do freio. simultaneamente com o motor.

APLICAÇÕES
O motofreio é geralmente aplicado em:
máquinas-ferramenta, teares, máquinas de embalagem, transportadores,
máquinas de lavar e engarrafar, máquinas de bobinar, dobradeiras, guindastes,
pontes-rolante, elevadores, ajustes de rolos de laminadores e máquinas
gráficas. Enfim, em equipamentos onde são exigidos paradas rápidas por
questões de segurança, posicionamento e economia de tempo.

FUNCIONAMENTO DO FREIO
Quando o motor é desligado da rede, o controle também interrompe a
corrente da bobina e o eletroimã pára de atuar.
As molas de pressão empurram a armadura na direção da tampa traseira do
motor. As pastilhas, que estão alojadas no disco de frenagem, são
comprimidas entre as duas superfícies de atrito, a armadura e a tampa,
freiando o motor até que ele pare.
A armadura é atraída contra a carcaça do eletroimã, vencendo a resistência
das molas. As pastilhas ao ficarem livres deslocam-se axialmente em seus
alojamentos ficando afastadas das superfícies de atrito. Assim, termina a D - Ponte Retificadora
ação de frenagem, deixando o motor partir livremente. L - Bobina do eletroimã
K - Contator
Opcionalmente será fornecido disco de frenagem de lonas. S1- Contator auxiliar NA

INSTALAÇÃO Figura 17.3 - Esquema de ligação para frenagem média


O motofreio pode ser montado em qualquer posição, desde que o freio não
fique sujeito à penetração excessiva de água, óleo, poeiras abrasivas, etc,
através da entrada de ar.
Quando montado na posição normal, o conjunto motofreio obedece o grau de
proteção lP55 da ABNT.

ESQUEMAS DE LIGAÇÃO
O motofreio WEG admite três sistemas de ligações, proporcionando frenagem
lentas, médias e rápidas.

a) Frenagem lenta
A alimentação da ponte retificadora da bobina do freio é feita diretamente
MANUTENÇÃO

dos terminais do motor, sem interrupção, conforme figura a seguir:

F-9
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

c) Frenagem rápida CONJUGADO DE FRENAGEM


Intercala-se o contato para interrupção diretamente num dos fios de Pode-se obter uma parada mais suave do motor diminuindo o valor do
alimentação da bobina, no circuito CC. É necessário que este seja um conjugado de frenagem, pela retirada de parte das molas de pressão do
contato auxiliar NA do próprio contator ou chave magnética do motor. freio.

IMPORTANTE
As molas devem ser retiradas de maneira que as restantes permaneçam
simetricamente dispostas evitando que continue existindo fricção mesmo
após acionado o motor, e desgaste desuniforme das pastilhas.

MANUTENÇÃO DO FREIO
Por serem de construção simples, os motofreios praticamente dispensam
manutenção, a não ser a ajustagem periódica do entreferro.
Recomenda-se proceder uma limpeza interna, quando houver penetração de
água, poeiras, etc, ou por ocasião da manutenção periódica do motor.

Ajustagem do entreferro
Os motofreios são fornecidos com o entreferro inicial, ou seja, a separação
entre a armadura e a carcaça com o freio aplicado, pré-ajustado na fábrica
em seu valor mínimo indicado na tabela 17.5.
D - Ponte retificadora
L - Bobina do eletroimã Tabela 17.5
K - Contator
S1 - Contato auxiliar NA Entreferro Entreferro
Carcaça inicial máximo
Figura 17.4 - Esquema de ligação para frenagem rápida (mm) (mm)
71 0,2 - 0,3 0,6
ALIMENTAÇÃO DA BOBINA DO FREIO 80 0,2 - 0,3 0,6
Os sistemas de frenagem média e rápida permitem duas alternativas de 90S - 90L 0,2 - 0,3 0,6
alimentação:
100L 0,2 - 0,3 0,6
a) Pelos terminais do motor 112M 0,2 - 0,3 0,6
 Motor 220/380 V: ligar os terminais 2 e 6 do motor aos terminais 1 e
2 da ponte retiticadora. 132S - 132M 0,3 - 0,4 0,8
Motor 220/380/440/760 V: ligar os terminais 1 e 4 do motor aos 160M -160L 0,3 - 0,4 0,8
terminais 1 e 2 da ponte retiticadora.
 Motor dupla polaridade 220 V:
 Alta rotação: ligar os terminais 4 e 6 do motor aos terminais 1 e 2 Com o desgaste natural das pastilhas, o entreferro aumenta gradativamente,
da ponte retiticadora. não afetando o bom funcionamento do freio até que ele atinja o valor máximo
 Baixa rotação: ligar os terminais 1 e 2 do motor aos terminais 1 e indicado na tabela 17.5. Para reajustar o entreferro a seus valores iniciais,
2 da ponte retiticadora. Procede-se como segue:
 Motor 440 V: ligar dois dos terminais do motor aos terminais 1 e 2 da a) Retirar os parafusos de fixação e remover a tampa defletora.
ponte retiticadora. b) Remover a cinta de fixação.
c) Medir o entreferro em três pontos, próximos aos parafusos de ajustagem,
b) Alimentação independente a qual é feita com um jogo de lâminas padrão ( espião ).
Para motores de outras tensões, ligar os terminais da bobina do freio a fonte d) Se a medida encontrada for maior ou igual ao valor máximo indicado, ou
independente de 24 Vcc, porém sempre com interrupção simultânea com a se as três leituras forem diferentes entre si, prosseguir a ajustagem da
alimentação do motor. Com alimentação independente, é possível fazer seguinte maneira:
eletricamente o destravamento do freio, conforme figura 17.5. 1. soltar as contraporcas e os parafusos de ajustagem
2. ajustar o entreferro ao seu valor inicial indicado na tabela 17.5,
apertando por igual os três parafusos de ajustagem. 0 valor do
entreferro deve ser uniforme nos três pontos de medição e ser de
tal forma, que a lâmina padrão correspondente ao limite interior,
penetre livremente em toda a volta, e a lâmina correspondente ao
limite superior não possa ser introduzida em nenhum ponto.
3. apertar os parafusos de travamento até que sua ponta fique apoiada
na tampa do motor. Não apertar em demasia.
4. apertar firmemente as contraporcas.
5. fazer verificação final do entreferro, procedendo as medições
conforme o item 2.
6. recolher a cinta de proteção.
7. recolocar a tampa defletora, fixando com os parafusos.

Intervalos para inspeção e reajustagem do entreferro


D - Ponte retificadora 0 intervalo de tempo entre as reajustagens periódicas do entreferro, ou seja,
L - Bobina do eletroimã o número de operações de frenagem até que o desgaste das pastilhas leve
K - Contator o entreferro ao seu valor máximo, depende da carga, das condições de
MANUTENÇÃO

S1 - Contato auxiliar NA serviço, das impurezas do ambiente de trabalho, etc.


S2 - Chave de destravamento elétrico 0 intervalo ideal poderá ser determinado pela manutenção, observando-se o
comportamento prático do motofreio nos primeiros meses de funcionamento,
Figura 17.5 - Esquema de ligação para alimentação independente nas condições reais de trabalho. O desgaste das pastilhas depende do
momento de inércia da carga acionada.

F-10
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

17.6 Placa de identificação Os mancais e o lubrificante merecem importantes cuidados durante o período
A placa de identificação contém as informações que determinam as de armazenagem.
características normais e de desempenho dos motores; que são definidas Permanecendo o motor inativo, o peso do eixo do rotor tende a expulsar a
pela NBR-7094. graxa para fora da área entre as superfícies deslizantes do rolamento,
removendo a película que evita o contato metal-com-metal.
Codificação - LINHA WEG MOTORES LTDA. Como prevenção contra a formação de corrosão por contato nos rolamentos,
A codificação do motor elétrico WEG é expressa na 1ª linha de placa de os motores não deverão permanecer nas proximidades de máquinas que
identificação. provoquem vibrações, e os eixos deverão ser girados manualmente pelo
menos uma vez por mês.

Recomenda-se na armazenagem de rolamentos:


 O ambiente deverá ser seco, umidade relativa não superior a 60 %;
 Local limpo, com temperatura entre 10 °C e 30 °C;
 Empilhamento máximo de 5 caixas;
 Longe de produtos químicos e canalização de vapor, água ou ar
comprimido;
 Não depositá-los sobre estrados de madeira verde, encostá-los em
parede ou chão de pedra;
 Fazer rodízio de estoque; os rolamentos mais antigos devem ser utilizados
primeiro;
 Rolamento de dupla blindagem não podem permanecer por mais de dois
anos em estoque.

Com relação a armazenagem de motores:


 Para motores montados e em estoque, devem ter seus eixos
periodicamente girados pelo menos uma vez por mês para renovar a
graxa na pista do rolamento.
 Com relação à resistência de isolamento, é difícil prescrever regras
fixas para seu valor real uma vez que ela varia com o tipo, tamanho,
tensão nominal, qualidade e condições do material isolante usado,
método de construção e os antecedentes da construção da máquina.
Recomenda-se que sejam feitos registros periódicos que serão úteis como
referência para se tirar conclusões quanto ao estado em que a máquina se
encontra.

Figura 17.6 - Placa de identificação

Exemplo: ~3 90L 0399 FB90702

Nº de fases

Carcaça

Mês e ano de fabricação

Número de série

17.7 Armazenagem
Os motores não devem ser erguidos pelo eixo, mas sim pelo olhal de
suspensão localizados na carcaça. O levantamento ou depósito deve ser
suave, sem choques, caso contrário, os rolamentos podem ser danificados.
Se os motores não forem imediatamente instalados, devem ser armazenados
MANUTENÇÃO

em local seco, isento de poeira, gases, agentes corrosivos, dotados de


temperatura uniforme, colocando-os em posição normal e sem encostar
neles outros objetos.
Motores armazenados por um período prolongado, poderão sofrer queda da
resistência de isolamento e oxidação nos rolamentos.

F-11
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

17.8 Falhas em motores elétricos


Análise de causas e defeitos de falhas em motores elétricos

DEFEITO POSSÍVEIS CAUSAS

- Graxa em demasia
- Excessivo esforço axial ou radial da correia
- Eixo torto
- Conexão errada
MOTOR NÃO CONSEGUE PARTIR - Numeração dos cabos trocada
- Carga excessiva
- Platinado aberto
- Capacitor danificado
- Bobina auxiliar interrompida

- Ligação interna errada


- Rotor falhado ou descentralizado
BAIXO TORQUE DE PARTIDA - Tensão abaixo do normal
- Freqüência abaixo ou acima da nominal
- Capacitância abaixo da especificada
- Capacitores ligados em série ao invés de paralelo

- Rotor falhado ou descentralizado


CONJUGADO MÁXIMO BAIXO - Rotor com inclinação de barras acima do especificado
- Tensão abaixo da nominal
- Capacitor permanentemente abaixo do especificado

- Entreferro acima do especificado


- Tensão acima do especificado
- Freqüência abaixo do especificado
- Ligação interna errada
CORRENTE ALTA A VAZIO - Rotor descentralizado ou arrastando
- Rolamentos com defeito
- Tampas com muita pressão ou mal encaixadas
- Chapas magnéticas sem tratamento
- Capacitor permanente fora do especificado
- Platinado/centrífugo não abrem

- Tensão fora da nominal


- Sobrecarga
CORRENTE ALTA EM CARGA - Freqüência fora da nominal
- Correias muito esticadas
- Rotor arrastando no estator

- Isolantes de ranhura danificados


- Cabinhos cortados
RESISTÊNCIA DE ISOLAMENTO BAIXA - Cabeça de bobina encostando na carcaça
- Presença de umidade ou agentes químicos
- Presença de pó sobre o bobinado

- Excessivo esforço axial ou radial da correia


AQUECIMENTO DOS MANCAIS - Eixo torto
MANUTENÇÃO

- Tampas frouxas ou descentralizadas


- Falta ou excesso de graxa
- Matéria estranha na graxa

F-12
MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

DEFEITO POSSÍVEIS CAUSAS

- Ventilação obstruída.
- Ventilador menor
- Tensão ou freqüência fora do especificado
- Rotor arrastando ou falhado
SOBREAQUECIMENTO DO MOTOR - Estator sem impregnação
- Sobrecarga
- Rolamento com defeito
- Partidas consecutivas
- Entreferro abaixo do especificado
- Capacitor permanente inadequado
- Ligações erradas

- Desbalanceamento
- Eixo torto
- Alinhamento incorreto
- Rotor fora de centro
ALTO NÍVEL DE RUÍDO - Ligações erradas
- Corpos estranhos no entreferro
- Objetos presos entre o ventilador e a tampa defletora
- Rolamentos gastos
- Combinação de ranhuras inadequadas
- Aerodinâmica inadequada

- Rotor fora de centro, falhado, arrastando ou desbalanceado


- Desbalanceamento na tensão da rede
- Rolamentos desalinhados, gastos ou sem graxa
- Ligações erradas
VIBRAÇÃO EXCESSIVA - Mancais com folga
- Eixo torto
- Folga nas chapas do estator
- Uso de grupos fracionários em bobinagem de motor monofásico de capacitor
permanente

C N ICA
C I A TÉ
S I S TÊN
AS
Ao adquirir um motor elétrico WEG você está obtendo,
também um incomparável “know-how” desenvolvido ao longo
dos anos de existência da empresa. E passa a contar, durante
toda a vida útil do motor, com os nossos serviços autorizados.
São cerca de 300 oficinas autorizadas, cuidadosamente
selecionadas e racionalmente distribuídas pelo território
brasileiro, e em mais de cinqüenta países.
Os Assistentes Técnicos Autorizados WEG possuem
MANUTENÇÃO

peças originais para reposição. São profissionais treinados


em nossas unidades fabris, para garantir a eficiência e o
elevado padrão de qualidade do seu motor elétrico WEG.

F-13
ASSISTÊNCIA TÉCNICA
REDE NACIONAL DE ASSISTENTES TÉCNICOS

Rede Nacional de Assistentes


Técnicos
WEG MOTORES

ACRE ITABUNA (45600-000) ESPÍRITO SANTO


RIO BRANCO (69903-470)  Comatel Com. de Matl. Elétrico Ltda. ARACRUZ (29190-000) 
* Eleacre - Eng. e Com. Ltda. Rua São Francisco, 292 Fátima * Estel Maqs. e Servs. Inds. Ltda.
Av. Ceará, 3321 Est. Experimental Tel. (73) 211-5913, Fax (73)211-5913 Rua Luiz Musso, 240 Vila Nova
Tel. (68) 226-3772, Fax (68) 226-1157 E-MAIL: comatelbahia@bol.com.br Tel (27) 3256-1711, Fax (27) 3256-3138
E-MAIL: eleacre@mdnet.com.br E-MAIL: estel@estel.com.br
SALVADOR (41280-000)
ALAGOAS Manutécnica Manut. Eletromec. Máqs. Equips. CACHOEIRO DO ITAPEMIRIM (29300-500)
Rua Vicente Celestino, 39 Nicolau Bolzan Eletromotores Ltda.
ARAPIRACA (57300-470)
Tel. (71) 246-2873, Fax (71)246-1339 Av. Jones dos Santos Neves, 78
A.E. Nascimento - ME
E-MAIL: manutecnica@svn.com.br Tel. (27) 3521-0155, Fax (27) 3521-0287
Rua Prof. Domingos Rodrigues, 161
Tel. (82) 521-1044, Fax (82) 521-1044 E-MAIL: nbolzan@spponline.com.br
SALVADOR (40310-100)
* Staummaq Serv. Téc. Automação Mot. e Máq. Ltda. CARIACICA (29140-502)
MACEIÓ (57035-420)
Rua “G”, 16 Jardim Eldorado Elétrica Barros Ltda.
* Ema Eletro Motores de Alagoas Ltda.
Tel. (71) 381-1978/1172 Fax (71) 382-2636 Rod. BR-262, km 4,5 Campina Grande
Av. Dr. Júlio Marques Luz, 1890
E-MAIL: staummaq@lognet.com.br Tel. (27) 3336-9534, Fax (27) 3336-9534
Tel. (82) 327-4068, Fax (82) 327-4068
E-MAIL: emaeletromotores@uol.com.br
SALVADOR (40310-100) COLATINA (29700-500)
* Synotec Motores Elétricos e Engenharia Ltda Elétrica Andrade Ltda.
SÃO MIGUEL DOS CAMPOS (57240-000)
Travessa Japeaçú, 107 - Dias D’Ávila Rua Joaquim Lucas Sobrinho, 12
Motormáquinas Ltda.
Tel. (71) 625-2661, Fax (71) 625-1844 Tel. (27) 3722-4091, Fax (27) 3722-4091
Av. João Soriano Bomfim, 602-Sen. Rui Palmeira
E-MAIL: synotek@bol.com.br E-MAIL: eletrica.andrade@bol.com.br
Tel. (82) 271- 4826, Fax (82) 271- 4826
E-MAIL: mml@motomaquinas.com.br
TEIXEIRA DE FREITAS (45995-000) GUAÇUÍ (29560-000)
* João Sandro Martins Rodrigues – ME Eletro São Miguel Ltda.
AMAZONAS Av. Pres. Getúlio Vargas, 324 – Trevo Av. José Alexandre, 536
MANAUS (69065-030) Tel. (73) 292-6399, Fax (73) 292-5066 Tel. (27) 553-1748, Fax (27) 553-2677
* Coml. & Instl. Sarah Ltda. E-MAIL: eletrweg@uol.com.br
Av. Borba, 904 Cachoeirinha
LINHARES (29902-100)
Tel. (92) 234-2030, Fax (92) 234-5128 VITÓRIA DA CONQUISTA (45100-000) Denclair Games Martins – ME
E-MAIL: sarah-cis@osite.com.br Volfil Volmar Filadelfo Prado & Cia. Ltda. Av. Samuel Batista Cruz, 2617
Av. Santos Dumont, 413 Tel. (27) 371-1370
BAHIA Tel. (77) 422-3249, Fax (77) 422-3249
BARREIRAS (47800-000) SÃO MATEUS (29930-000)
* Elétrica Raposo Ltda. CEARÁ Eletrolima Eletrifs. Lima Ltda.
Rua Prof. José Seabra, 22 CRATO (63100-000)  Rod. BR-101, km 65 Norte
Tel. (77) 811-1812 Fax (77) 811-6149 * Vicente Mangueira Rolim Com. de Matl. Elétrico Tel. (27) 763-1786, Fax (27) 763-1786
E-MAIL: eletricaraposo@uol.com.br Ltda E-MAIL: eletrolima@escelsa.com.br
Av. Padre Cícero, 1110 – B. São Miguel
LUIZ EDUARDO MAGALHÃES (47813-000) Tel. (88) 521-2350, Fax (88) 521-2350 SERRA (29164-030)
* Elétron Volt Serviço de Eletricidade Ltda. E-MAIL: oficinamangueira@bol.com.br * Luvam Eletromecânica Ltda
Rua José Cardoso de Lima s/n° Quadra 17, lote 06 Rua Castelo, 935
Tel. (77) 628-1076 Fax (77) 628-1076 FORTALEZA (60325-330) Tel.(27) 3328-3026, Fax (27) 3328-8936
Iselétrica Ltda. E-MAIL: luvam1997@aol.com
CRUZ DAS ALMAS (44380-000) Av. José Bastos, 933
* José Carlos Gomes de Moura Tel. (85) 281-7177, Fax (85) 281-5681 SERRA (29176-970)
Av. Getúlio Vargas, 558 – Centro E-MAIL: adm@iseletrica.com.br * Tereme Tec. Recup. Máqs. Eletricas Ltda.
Tel. (75) 721-1820, Fax (75) 721-1820 Rua D, 100 – Novo Horizonte
E-MAIL moelge@cdlmma.com.br IGUATU (63500-000) Tel.(27) 3228-2320, Fax (27) 3328-1755
Home Page: www.cruzdasalmas.com.br/moelge Francisco J. Amaral Araujo – ME E-MAIL: tereme@zaz.com.br
Rua Cel. Mendonça, 100 Home Page: www. tereme.com.br
EUNÁPOLIS (45825-000) Tel. (88) 581-2569, Fax (88) 581-2569
Laura Fracalossi Bobbio E-MAIL: asteca@baydejbc.com.br VENDA NOVA DO IMIGRANTE (29375-000)
Av. Santos Dumont, 122 Pequi * C.G.C. Nascimento ME
Tel. (73) 281-2773, Fax (73) 281-2773 LIMOEIRO DO NORTE (62930-000)  Av. Lorenzo Zandonade, 297 - Vl. Betania
* Eletrovale Serviços de Engenharia Ltda. Tel. (27) 546-1361, Fax (27) 546-1361
FEIRA DE SANTANA (44072-490) Av. Dom Aureliano Matos, 1363 - Centro E-MAIL: cgcnascimento@escelsa.com.br
Elétrica Ferman e Peças Ltda. Tel. (88)423-4043, Fax (88)423-4043
Praça Dr. Jackson do Amauri, 108 Centro E-MAIL: eletrovale@secrel.com.br GOIÁS
Tel. (75) 221-0060, Fax (75)223-0329
ACREÚNA (75960-000) 
E-MAIL: casastoantonio@ig.com.br MARACANAÚ (61900-000) * Aildo Borges Cabral
*PW Eletrotécnica Com. e Serviços Ltda ME Rua Amaury Pires Caetano, nº 117 - Centro
FEIRA DE SANTANA (44050-220) Av. Mendel Steinbruch, 2807 – Lojas B e C Tel. (62) 645-1491, Fax (62) 645-1491
Reniedson Mattos de Borges Tel. (85)297-2443, Fax (85)297-2443 E-MAIL: acabral@dgmnet.com.br
Av. Eduardo Fróes da Mota, 2359 E-MAIL: pweletrotecnica@secrel.com.br
Tel. (75) 625-5486 Fax.(75)625-5262
ANÁPOLIS (75001-970) 
E-MAIL: reniedson@ig.com.br SOBRAL (62010-010) * Delmar Gomes da Silva
Sabino Patrocínio Rod. BR-153/60, km 51, n1 455
GUANAMBI (46430-000) Rua Floriano Peixoto, 228 Tel. (62) 314-1499, Fax (62) 314-1267
Eugênio J. de Araújo Tel. (88) 611-2398 E-MAIL: centroeletrico@uol.com.br
Rua Dr. José Humberto Nunes, 142
Tel. (77) 451-1216, Fax (77) 451-1216
DISTRITO FEDERAL CATALÃO (75709-230)
E-MAIL: eletromotores@micks.com.br
BRASILIA (71215-200)  * Erotildes Ferreira Costa
* Eletro Cometa Motores e Ferramentas Av. Portugal Porto Gumarães, 417
IRECÊ (44900-000)
SOF/SUL - Quadra 3 - Conj.A - Lote 76 Tel. (64) 411-1082, Fax (64) 411-1082
Joaquim de Carvalho Neto - Emaquel
Tel. (61)234-1786, Fax (61)234-5359 E-MAIL: efcengel@innet.psi.br
Av. Tertuliano Cambuí, 126
E-MAIL: eletro.cometa@terra.com.br
Tel. (74) 641-1567, Fax (74) 641-3727
GOIÂNIA (74435-190) 
E-MAIL: emaquel@plug.com.br
TAGUATINGA (72110-045) * Ajel Service Ltda.
Eletro Enrol. Máqs. e Equips. Ltda. Rua 12, 206 Quadra 17 Lote 34/2 – Bairro dos
C.N.A. 04 - Lote 11 - Loja 01/04 Aeroviários
Tel. (61) 561-0688, Fax (61) 351-7660 Tel. (62) 295-3188, Fax (62) 295-1890
E-MAIL: ajel@terra.com.br

G-3
ASSISTÊNCIA TÉCNICA

REDE NACIONAL DE ASSISTENTES TÉCNICOS

ITUMBIARA (75503-970) DOURADOS (79810-110) DIVINÓPOLIS (35500-229)


* Central de Mots. Eléts. e Transformadores Ltda. José Inácio da Silva Motelétrica Ltda.
Av. Celso Maeda, 311 - Jardim Liberdade Rua Mato Grosso, 1674 Rua do Ferro, 165 Niterói
Tel. (64) 3430-3222, Fax (64) 3430-3222 Tel. (67) 421-7966, Fax (67)421-0403 Tel. (37) 3221-5247, Fax (37) 3221-5247
E-MAIL: centralm@netmaxi.com.br E-MAIL: eletricabrasil@aol.com.br
ELÓI MENDES (35030-210) 
RIO VERDE (75908-570)  PONTA PORÃ (79900-000) * C.P. Engenharia Elétrica Ltda.
* Ajel Motores Elétricos e Serviços Ltda. Comercial Eletromotores Radar Ltda. Av. Dom Pedro II, 305/307 Centro
Av. Pres. Vargas, nº 46-A – B. Vitória Régia Rua Mal. Floriano, 1213 Tel. (35) 3264-1622, Fax (35) 3264-1562
Tel. (64) 662-1020, Fax (64) 662-3028 Tel. (67) 431-3492, Fax (67) 431-3492 E-MAIL: cp@uaipontal.com.br
E-MAIL: ajel@ubconnect.com.br E-MAIL: eletroradar@uol.com.br
GOVERNADOR VALADARES (35030-210)
RIO VERDE (75901-520) TRÊS LAGOAS (79601-011) ANG Equipamentos Ltda
Aurecido Guimarães Teixeira & Freitas Ltda. Av. JK, 516
Rua Major Oscar Campos, 405 Centro Rua João Carrato, 1066 Tel. (33) 3272-2337, Fax (33) 3272-3343
Tel. (64) 621-1441, Fax (64) 621-4022 Tel. (67) 521-4531, Fax (67) 521-4531 E-MAIL: angequip@uol.com.br
E-MAIL: rogeriog@dgmnet.com.br E-MAIL: eletrojupia@terra.com.br
GOVERNADOR VALADARES (35032-180)
MARANHÃO MINAS GERAIS Karina Enrolamentos Ltda.
IMPERATRIZ (65900-480) ARAXÁ (38180-000) Rua Israel Pinheiro, 4210
Elétrica Franpesa Ltda. * MVM Administração de Negócios Ltda. Tel. (33) 3221-1925, Fax (33) 3221-4605
Av. Alagoas, 828 - Centro Rua João Paulo, 1185
Tel. (98)523-2990 Tel. (34) 3662-5557, Fax (34) 3662-5557 GUAXUPÉ (37800-000)
E-MAIL: franpesa@uol.com.br E-MAIL: mvm.aax@zaz.com.br * Pasqua Coml. e Servs. Ltda.
Rua Aparecida, 638
IMPERATRIZ (65903-270) ARCOS (35588-000) Tel. (35) 3551-5699, Fax (35) 3551-5699
M.L. de Aquino Fernandes Eletromec. Gomide Ltda. E-MAIL: pasquacomercial@usual.com.br
R. Ceara, 615 - Centro Rua Jacinto da Veiga, 147 Centro
Tel. (99) 524-1182, Fax (98) 524-1859 Tel. (37) 3351-1709, Fax (37) 3351-2507 ITABIRA (35900-444)
E-MAIL: gomide@gomide.com.br Bobinadora Líder Ltda.
SÃO LUIZ (65031-410)  Rua Tabelião Hildelbrano Martins Costa, 68-Água
*Elétrica Visão Com. e Repres. Ltda. BARÃO DE COCAIS (35970-000) Fresca
Rua 06 Quadra L, s/n - Bairro Forquilha Batista Manutenção Com. e Ind. Ltda. Tel. (31) 3834-4133, Fax (31) 3834-4133
Tel. (98) 245-4500, Fax (98) 245-1246 R. Guilherme O. Moreira, 675 -SagradaFamília
E-MAIL: eletrica.visao@elo.com.br Tel. (31) 3837-2874, Fax (31) 3837-1685 ITAÚNA (35680-060)
Eletro Silva Itaúna Ltda.
MATO GROSSO BELO HORIZONTE (30664-020)  Rua Serjobes Augusto Faria, 25-Centro
* Data Engenharia Ltda. Tel. (37) 3241-3273, Fax (37) 3241-3273
CUIABÁ (78070-200)
Rua lecy Gomes Barbosa, 365 E-MAIL: eletrosilvaatweg@nwnet.com.br
Ind.Eletromec. São Paulo Ltda.
Avenida Beira Rio, 1070 B. Coxipó Tel. (31)3385-8320, Fax (31)3388-0756
E-MAIL: data@dataengenharia.com.br JOÃO MONLEVADE (35930-000)
Tel. (65)634-4100, Fax (65)634-1553
Afere Consultoria Manutenção Ltda.
E-MAIL: abrme@uol.com.br
BELO HORIZONTE (30710-010)  Rua Josue Henrique Dias, 35 – Belmonte
* Duarte Motores Ltda. Tel. (31) 3851-5086, Fax (31) 3851-5086
RONDONÓPOLIS (78700-000)
Av. Dom Pedro II, 777- B.Carlos Prates E-MAIL: afere@robynet.com.br
*Eletroluzmen Com. de Materiais Elétricos Ltda.
Av. Tiradentes, 1110 - Centro Tel. (31) 3201-1633, Fax (31) 3201-1299
E-MAIL: duartemo.bh@zaz.com.br JUIZ DE FORA (36080-350)
Tel. (66) 423-1650, Fax (66) 423-1650
Home Page: www.zazbh.com.br * Acima Eletro Mecânica Ltda.
E-MAIL: eletroluzmen@terra.com.br
Av. Olavo Bilac, 667
BELO HORIZONTE (31150-570)  Tel. (32) 3225-4833, Fax (32) 3225-4833
SINOP (78550-000)
* Leopoldo e Silva Ltda. E-MAIL: acima@artnet.com.br
*Eletrotécnica Pagliari Ltda.
Rua Macapá, 63 Bairro Industrial Rua Caldas da Rainha, 1340 - São Francisco
Tel. (31) 3491-1076, Fax (31) 3492-8944 JUIZ DE FORA (36045-200)
Tel. (65) 515-9420, Fax (65) 515-9233
E-MAIL: lsltda@net.em.com.br Answer Ltda.
E-MAIL: pagli@terra.com.br
Rua Ewbanck da Câmara, 418
SARZEADO (32450-000)  Tel. (32) 3215-9197, Fax (32) 3215-9197
TANGARÁ DA SERRA (78300-000)
Valter Antonio Fernandes & Cia. Ltda. * MPC Comércio e Serviços Elétricos Ltda.
Rua São Judas Tadeu,144 - Distrito Indl. JUIZ DE FORA (36006-020)
Rua José Alves de Souza, 68-N
Tel. (31) 3577-7766, Fax (31) 3577-7002 Casa Faísca Ltda.
Tel. (65) 326-1037, Fax (65) 326-1037
E-MAIL: anaclaudia@mpcservice.com.br Av. Brasil, 2784 - Centro
Tel. (32) 3215-1569, Fax (32) 3215-7282
MATO GROSSO DO SUL E- MAIL: casafaisca@aol.com
BELO HORIZONTE (31255-110)
CAMPO GRANDE (79006-600)
Nash Eletromecânica Ltda
*Bergo Eletricidade Com. de Servs. Ltda. JUIZ DE FORA (36088-370)
Rua Major Delfino, 1985 B.São Francisco
Rua Brigadeiro Tobias, 415 Chama Manutenção Indl. Ltda.
Tel. (31) 3441-9855, Fax (31) 3441-9865
Tel. (67)731-3362, Fax (67)731-3362 Av. Luíza Vitória Fernandes, nº2 –B. Nova Era
E-MAIL: nashi@net.em.com.br
E-MAIL: bergms@bol.com.br Tel. (32) 3222-6438, Fax (32) 3222-6438
BETIM (32660-000) E-MAIL: chama@powerline.com.br
CAMPO GRANDE (79071-390)
Mecânica C.H.R. Ltda.
Eletromotores e Acionamentos Ltda. MANHUAÇU (36900-000)
Av.Campos de Ourique,1282 Jd.das Alterosas
Av. Costa e Silva, 3574 Eletro Centro Soares Ltda.
Tel. (31) 3592-1933, Fax (31) 3592-1933
Tel. (67)787-9648, Fax (67)787-3682 Av. Saline Nacif, 266
E-MAIL: mchr@terra.com.br
E-MAIL: eletromotores@zaz.com.br Tel. (33) 3331-1206, Fax (33) 3331-3064
CARANDAÍ (36280-000)
CORUMBÁ (79301-100) MATOZINHOS (35720-000) 
Jumacele do Brasil Ltda.
Eletromecânica Bavemar Ltda. * Sotorelli Sociedade Torno Elétrica Ltda.
Rua Cônego Cota, 123
Av. Porto Carreiro, 370 Rua Fernando Pezzini, 758 Centro
Tel. (32) 3361-1234, Fax (32) 3361-1234
Tel. (067)231-0080 Tel. (31) 3712-1033, Fax (31) 3712-1394
E-MAIL: jumacele@net-rosas.com.br
E-MAIL: sameltda@uai.com.br
COXIM (79400-000)
CARATINGA (35300-000)
Jose Luiz Rette – ME MONTES CLAROS (39400-207)
Elétrica Manocha Ltda.
Av. Virginia Ferreira, 543 – B. Flávio Garcia Mendes Eletromecânica Ltda.
Av. Catarina Cimini, 72
Tel. (67)291-1151, Fax (67)291-1151 Av. Feliciano Martins de Freitas, 10
Tel. (33) 3321-6557, Fax (35) 3321-2105
E- MAIL: c.eletric@viapantanal.com.br Tel. (38) 3223-1737, Fax (38) 3223-7909
CONTAGEM (32280-070)  E-MAIL: mendes@mail.conect.com.br
DOURADOS (79800-000)
* Gentil Equips.Industriais Ltda
*Ávila da Cruz & Cia. Ltda. - ME MONTES CLAROS (39400-292)
Rua Rio Comprido, 1213 - Riacho das Pedras
Av. Marcelino Pires, 7120 Torque Engenharia e Manutenção Ltda.
Tel (31) 3355-1849, Fax (31) 3352-0643
Tel. (67) 424-4132, Fax (67) 424-2468 Av. Geraldo Athayde, 862 - Alto São João
E-MAIL : uriasweg@terra.com.br E-MAIL: gentil@maisnet.com.br
Tel. (38) 3215-2039, Fax (38) 3215-7233

G-4
ASSISTÊNCIA TÉCNICA
REDE NACIONAL DE ASSISTENTES TÉCNICOS

MURIAÉ (36880-000) CORNÉLIO PROCÓPIO (86300-000)


Elétrica Campos Porto Ltda. UBERABA (38040-500) Eletrotrafo Produtos Elétricos Ltda.
Av. Dr. Passo, 23 * Julio Afonso Bevilacqua – ME Av. Dr. Francisco Lacerda Jr., 1551
Tel. (32) 3722-5133, Fax (32) 3721-5007 Av. Deputado José Marcus Cherém,1265 Tel. (43) 524-2416,Fax (43) 524-2560
Tel. (34) 3336-2875, Fax (34) 3336-2875 E-MAIL: info@eletrotrafo.com.br
OURO PRETO (35400-000) E-MAIL: bevil@terra.com.br
Ram Engenharia Ltda. CURITIBA (81610-020) 
Av. Americo Rene Jianetti, 1479 UBERLÂNDIA (38406-059)  * C.O. Mueller Com. de Mots. e Bombas Ltda.
Tel. (31) 3551-2365, Fax (31) 3551-1873 * Eletro Mecânica Renovoltec Ltda. Rua Anne Frank, 1134
E-MAIL: rameng@barroco.com.br Av. Brasil, 2658 Tel. (41) 276-9041, Fax (41) 276-0269
Tel. (34) 3211-9199, Fax (34) 3211-6833 E-MAIL: comueller2@mps.com.br
PARÁ DE MINAS (35661-084) E-MAIL: renovoltec@uber.com.br
Eletro Indl. Motores e Acionamentos Ltda. CURITIBA (81730-050)
Av. Prof. Mello Cancado, 1037 – Vila Sinhô PARÁ * Eletro Positivo Ltda.
Tel. (37) 3231-6355, Fax (37) 3232-1622 BELÉM (66113-010) Rua das Carmelitas, 4184
E-MAIL: eima@mwm.com.br Eletrotécnica Wilson Ltda. Tel. (41) 286-7755 Fax: (41) 344-7892
Travessa Djalma Dutra, 682 E-MAIL: eletropositivo@convoy.com.br
PASSOS (37900-000) Tel. (91) 244-4131, Fax (91) 244-5191
S.O.S. Eletromotores Ltda. CURITIBA (81130-310) 
Rua dos Brandões, 168 MARABÁ (68505-240) * Eletrotécnica Jaraguá Ltda.
Tel. (35) 3521-2434, Fax (35) 3521-2434 *Rebobinadora Circuito Ltda. - ME Rua Laudelino Ferreira Lopes, 2399
E-MAIL: soseletro@minasnet.psi.br Av. VP-7 - Folha 21, Quadra 10, Lote 32 Tel. (41) 248-2695, Fax (41) 248-2585
Tel. (94) 322-2307, Fax (94) 322-4140 E-MAIL: jaragua@onda.com.br
PATROCÍNIO (38740-000) E-MAIL: circuitoltda@bol.com.br
Eletromecânica Patrocínio Ltda. FOZ DO IGUAÇU (85852-010)
Rua Cezário Alvim, 1459 PARAGOMINAS (68625-130) Osvaldo José Rinaldi
Tel. (34) 3831-1445, Fax (34) 3831-4769 *Eletrotécnica Delta Peças e Serviços Ltda. Rua Castelo Branco, 764
E-MAIL: cilau@telenet.com.br Av. Presidente Vargas, 411 Tel. (45) 574-5939, Fax (45) 572-1800
Tel. (91) 3011-0245, Fax (91) 3011-0245 E-MAIL: rimers.foz@uol.com.br
PIUMHÍ (37925-000)
* Senezomar de Faria Neto - Eletromarzinho SANTARÉM (68020-650) FRANCISCO BELTRÃO (85601-190) 
Av. Francisco Machado, 223 Eletromotores Ltda. * Flessak Eletro Indl. Ltda.
Tel. (37) 3371-3000, Fax (37) 3371-3242 Av. Curuá-Una, Km 04 Rua Duque de Caxias, 282 Trevo Alvorada
E-MAIL: marzinho@netpiumhi.com.br Tel. (91) 524-3764, Fax (91) 524-1400 Tel. (46) 524-1060, Fax (46) 524-1060
E-MAIL: eletromotores@stm.interconect.com.br E-MAIL: ilson@flessak.com.br
POÇOS DE CALDAS (37706-264)
* Eletriman Máq. El. Refr. Ind. Com. Repres. Ltda. PARAÍBA GUARAPUAVA (85035-000)
Rua Zirconio, 600/A – Jd. Kennedy * Carlos Beckmann
CAMPINA GRANDE (58101-470)
Tel. (35) 3722-6540, Fax (35) 3712-5233 Rua Sao Paulo,151
Motortrafo Eng0 Ind. e Com. e Repres. Ltda.
E-MAIL: eel@pcs.matrix.com.br Tel. (42) 723-3893, Fax (42) 723-3893
Rua Vigário Calixto, 210B - Caloté
Tel. (83) 3337-1718, Fax (83) 3337-1718 E-MAIL: beckmann@ieg.com.br
POUSO ALEGRE (37550-000)
E-MAIL: mteng@zaz.com.br
Luiz Germiniani Filho LONDRINA (86070-020) 
Av. Vereador Antônio da Costa Rios, 383 * Hertz Power Eletromecânica Ltda.
JOÃO PESSOA (58011-200)
Tel. (35) 3425-0222, Fax (35) 3425-0222 Av. Brasília, 1702
G.M.S Serviços e Comércio Ltda.
Rua Índio Piragibe, 410-418 Tel. (43) 348-0506 / 338-3921, Fax: Ramal 24
POUSO ALEGRE (37550-000) E-MAIL: hpmotores-weg@onda.com.br
Tel. (83) 241-2620, Fax (83) 241-2620
* Técnicas de Manutenção Geral P.A.Ltda.
E-MAIL: gmsltda@uol.com.br
Av. Pref. Olavo Gomes de Oliveira, 4827-Bela Vista MARECHAL CÂNDIDO RONDON (85960-000) 
Tel. (35) 3422-3020, Fax (35) 3422-3020 * Auto Elétrica Romito Ltda.
PATOS (58700-220)
E-MAIL: tecnicas@uol.com.br Rua Ceará, 909
Valfrido Alves de Oliveira
Rua Horácio Nobrega, 247-J Tel. (45) 254-1664, Fax (45) 254-1664
SÃO JOÃO DEL REI (36300-000) E-MAIL: aeromito@oel.com.br
Tel. (83) 421-1108, Fax (83) 421-2316
Sociedade Mercantil Lombardi Ltda.
Rua Quintino Bocaiúva, 76 PARANAGUÁ (83206-250)
Tel. (32) 3371-7095, Fax (32) 3371-8563 PARANÁ *Proelman Eletromecânica Ltda.
E-MAIL: lombardi@mgconecta.com.br APUCARANA (86813-250)  Rua Maneco Viana, 2173 - Bairro Laia
* Namba & Cia. Ltda. Tel. (41) 422-2434, Fax (41) 422-2607
SETE LAGOAS (35702-153)  Av. Minas Gerais, 2705 E-MAIL: proelman@bol.com.br
* Bobinadora Clarina Ltda. Tel. (43) 423-6551, Fax (43) 423-6551
Av. Otavio Campelo, 4095 – Eldorado E-MAIL: kaioseletrica@uol.com.br PARANAVAÍ (87704-100)
Tel. (31) 3773-4916, Fax (31) 3773-2271 Coml. Motrs. Elétricos Noroeste Ltda.
E-MAIL: clarina@uai.com.br CAMPO MOURÃO (87306-120) Av. Paraná, 655
Eletrotécnica Campo Mourão Ltda. Tel. (44) 423-4541, Fax (44) 422-4595
SETE LAGOAS (35700-007)  Rua dos Gauchos, 434 - Parque industrial E-MAIL: eletricanoroeste@uol.com.br
* Enselli Enrols. Sete Lagoas Ltda. Tel. (44) 524-2323, Fax (44) 524-1475
Rua Teófilo Otoni, 126 E-MAIL: eletromeg@uol.com.br PATO BRANCO (85501-070) 
Tel. (31) 3771-3310, Fax (31) 3771-3053 * Patoeste Eletro Instaladora Ltda.
E-MAIL: enselli@terra.com.br CAPANEMA (85760-000) Rua Tamoio, 355
Feine & Cia. Ltda. Tel. (46) 225-5566, Fax (46) 225-3882
TIMÓTEO (35180-000) Av. Pedro V. Parigot Souza, 661 E-MAIL: patoeste@whiteduck.com.br
Eletroman Proj. Elét. Inds. Ltda. Tel. (46) 552-1537, Fax (46) 552-1537
Av. Acesita, 701 – Olaria II PONTA GROSSA (84001-970) 
Tel. (31) 3849-1725, Fax (31) 3849-1725 CASCAVEL (85812-170) * S.S. Motores Elétricos Ltda.
E-MAIL: eletroma@uai.com.br Eletro Ugolini Ltda. Av. Ernesto Vilela, 537-F
Rua Pedro Ivo, 1479 Tel. (42) 222-2166, Fax (42) 222-2374
TRÊS CORAÇÕES (37410-000)  Tel. (45) 3037-4921, Fax (45) 30307-4921 E-MAIL: eletrocometa@uol.com.br
* Coml. Elétrica Três Corações Ltda. E-MAIL: eugolini@terra.com.br
Av. Nestlé, 280 Santa Tereza TOLEDO (85900-020)
Tel. (35) 3234-1555, Fax (35) 3234-1555 CASCAVEL (85804-260)  Eletro Refrigeração Toledo Ltda.
E-MAIL: cetrec@tricor.com.br *Hércules Componentes Elétricos Ltda. Rua Almirante Barroso, 2515
Av. Tancredo Neves, 2398-Alto Alegre Tel. (45) 252-1560, Fax (45) 252-1560
TRÊS Marias (39205-000) Tel. (45)226-5010, Fax (45)226-5010 E-MAIL: ertoledo@onda.com.br
* MTP - Manutenção Elétrica Ltda E-MAIL: hercules@herculescomponentes.com.br
Av. Campos Gerais, 03 - Bairro Diadorim HOME PAGE: www.herculescomponentes.com.br UNIÃO DA VITÓRIA (84600-000)
Tel. (38) 3754-2476, Fax (38) 3754-2476 * Eletrotécnica Porto Iguaçu Ltda.
E-MAIL: mtp@progressnet.com.br CIANORTE (87200-000)  Rua Prof. Amazília, 65
*Seemil Eletromecânica Ltda. Tel. (42) 522-3093, Fax (42) 522-1459
UBÁ (36500-000) Av. Paraíba, 1226 - Zona 4 E-MAIL:portoiguacu@uol.com.br
Motormax Ltda. Tel. (44) 631-5665, Fax (44) 631-5665
Rua José Gomes Braga, 36 E-MAIL: seemil@uol.com.br
Tel. (32) 3532-3073, Fax (32) 3532-1307
E-MAIL: motormax@uai.com.br

G-5
ASSISTÊNCIA TÉCNICA

REDE NACIONAL DE ASSISTENTES TÉCNICOS

PERNAMBUCO NATAL (59030-050)


ARCO VERDE (56500-000) NOVA FRIBURGO (28605-020) * Laux Bobinagem de Motores Ltda - ME
L. Sampaio Galvão Nibra - Com. Repr. Máqs. Mats. Agrícs. Ltda. Rua Dr. Luís Dutra, 353 Alecrim
Av. Severino José Freire, 174 Rua 7 de Setembro, 38 Tel. (84) 213-1252, Fax (84) 213-3785
Tel. (87) 3821-0022, Fax (87) 3821-0022 Tel. (24) 2522-4200, Fax (24) 2522-4355 E-MAIL: eletromecanica@transnor.com.br
E-MAIL: lsgweg@bol.com.br E-MAIL: nibra@nibra.com.br
PARNAMIRIM (59150-000)
CARUARÚ (55000-000) NOVA IGUAÇU (26255-320)  * Eletromatec Ltda.
José da Silva Motores - ME * C.G. Bruno Rua Rio Amazonas, 260 Loteamento Exposição
Rua Visconde de Inhaúma, 460 Av. Abílio Augusto Távora, 397 Centro Tel. (84) 272-1927, Fax (84) 272-5033
Tel. (81) 3721-4343 Tel.(21) 2667-2226, Fax (21) 2767-1001 E-MAIL: eletromatec@ig.com.br
E-MAIL: cgbruno@globo.com
GARANHUS (55290-000) RIO GRANDE DO SUL
José Ubirajara Campelo PETRÓPOLIS (25660-002) BENTO GONÇALVES (95700-000)
Rua Melo Peixoto, 187 Eletrotécnica Dallas Ltda. Eletro Collemaq Ltda.
Tel. (87) 3761-3085, Fax (81) 3761-3085 Rua Bingen, 846 Rua Livramento, 395
Tel. (24) 2242-0315, Fax (24) 2242-0315 Tel. (54) 451-3370
PETROLINA (56300-000)
Eletrovasf Eletrotécnica Vale do São Francisco RESENDE (27520-171) CARAZINHO (99500-000)
Av. Nilo Coelho, 380 – Gercino Coelho *J. Marcelo B. da Silva Erci Penz & Cia. Ltda.
Tel. (81) 3861-3556, Fax (81) 3861-5233 Av. Gal. Affonseca, 205 Rua Cristóvão Colombo, 233
E-MAIL: eletrovasf@uol.com.br Tel. (24) 3354-2466, Fax (24) 3354-2466 Tel. (54) 331-1033, Fax (54) 331-1033
E-MAIL: oficina.união@zaz.com.br E-MAIL: ercipenz@annex.com.br
RECIFE (50090-000)
* J.M. Comércio e Serviços Ltda. RIO DE JANEIRO (20911-290)  CAXIAS DO SUL (95099-190)
Rua Imperial, 1645/49 São José * Elétrica Tempermar Ltda. * Magelb Bobinagem e Manutenção Ltda.
Tel. (81) 3428-1288, Fax (81) 3428-1669 Rua Dom Helder Câmara, 186 Benfica Rua General Mallet, 275 Rio Branco
E-MAIL: lmg@nlink.com.br Tel. (21) 3890-1500, Fax (21) 3890-1788 Tel. (54) 226-1455, Fax (54) 226-1962
E-MAIL: tempermar@tempermar.com.br E-MAIL: magelb@zaz.com.br
RECIFE (51350-670) 
* Motomaq Comercial Ltda. RIO DE JANEIRO (20911-281) ERECHIM (99700-000)
Av. Recife, 2240 - IPSEP Elmoto Mots. Aparelhos Elétricos Ltda. Valmir A. Oleksinski
Tel. (81) 3471-7373, Fax (81) 3471-7785 Rua Senador Bernardo Monteiro, 185 Rua Aratiba, 480
E-MAIL: motomaq@motomaq.com.br Tel. (21) 2568-8341, Fax (21) 2568-2816 Tel. (54) 522-1450, Fax (54) 522-1450
E-MAIL: elmoto@msm.com.br E-MAIL: oleksinski@via-rs.net
VITÓRIA DE SANTO ANTÃO (55600-000)
Eletrotécnica Vitória Ltda. RIO DE JANEIRO (21040-170) ESTÂNCIA VELHA (93600-000)
Rua Melo Verçosa, 171 * Motor Pumpen Com. e Serviços Ltda. A.B. Eletromecânica Ltda.
Tel. (081) 3523-4582 Rua da Regeneração , 75 Rua Anita Garibaldi, 128 Centro
Tel. (21) 2290-5012, Fax (21) 2290-5012 Tel. (51) 561-2189, Fax (51) 561-2160
PIAUÍ E-MAIL: motorpumpen@aol.com.br E-MAIL: abeletromecanica@sinos.net
TERESINA (64000-370)
Itamar Fernandes RIO DE JANEIRO (21040-170)  FLORES DA CUNHA (95270-000)
Rua Coelho de Resende, 480-S * Riopumpen Com. e Repres. Ltda. * Beto Materiais Elétricos Ltda.
Tel. (86) 222-2550, Fax (86) 221-2392 Rua da Regeneração, 84 Bonsucesso Rua Severo Ravizzoni, 2105
E-MAIL: ilfconsertos@ig.com.br Tel. (21) 2590-6482, Fax (21) 2564-1269 Tel. (54) 292-5080, Fax (54) 292-1841
E-MAIL: riopumpen@aol.com.br E-MAIL: betho@vscomp.com.br
TERESINA (64018-200)
Rede Máquinas e Ferramentas Ltda. RIO DE JANEIRO (21020-280)  FREDERICO WESTPHALEN (98400-000)
Av. Pedro Freitas, 1567 - São Pedro * Tecnobre Com. e Repres. Ltda. N.Paloschi e Cia Ltda.
Tel. (86) 221-0811, Fax (86) 221-0811 Rua Jacurutã, 900 - Penha Rua Alfredo Haubert, 798
E-MAIL: rede@redespectrum.com.br Tel. (21) 3976-9595, Fax (21) 3976-9574 Tel. (55) 744-1480, Fax (55) 744-1480
E-MAIL: tecnobre@openlink.com.br
IJUÍ (98700-000)
RIO DE JANEIRO
SÃO JOÃO MERETI (25555-440)  Eletromecânica Ltda.
BARRA MANSA (27345-470)
* Eletro Julifer Ltda. Av. Cel. Dico, 190 - Centro
* Eletromecânica Netuno Ltda.
Rua Senador Nereu Ramos, Lt.06 Qd.13 Tel. (55) 332-7740
Rua José Hipólito, 179 Cotiara
Tel.(21) 2751-6846, Fax (21) 2751-6996
Tel. (24)3323-3018, Fax (24)3323-3018
E-MAIL: julifer@julifer.com.br LAJEADO (95900-000) 
E-MAIL: eletronetuno@uol.com.br
* Eletrovale Equips. e Mats. Elétricos Ltda.
TERESÓPOLIS (25975-000) Rua Pedro Kreutz, 170 - Terreo Caixa Pos. 365
CAMPOS DOS GOITACAZES (28035-100)
* Eletromec de Teresópolis Eletromecânica Ltda. Tel. (51) 714-1177, Fax (51) 714-1891
* Eletro Sossai Ltda.
Av. Delfim Moreira, 2024 - B. Vale do Paraíso E-MAIL: eletrovale@bewnet.com.br
Av. XV de Novembro, 477
Tel. (21) 2742-1177 Fax: (21) 2742-3904
Tel. (24) 2732-4008, Fax (24) 2732-2577
E-MAIL: eletromc@terenet.com.br NOVO HAMBURGO (93410-160)
E-MAIL: eletrosossai1@terral.com.br
Laux Bobinagem de Motores Ltda. - ME
VOLTA REDONDA (27273-011)  Rua Alberto Torres, 53 - Ouro Branco
CORDEIRO (28540-000)
* T & F Serviços Industriais Ltda. Tel. (51) 587-2272, Fax (51) 587-2272
* Romaq 160 Manutenção Elétrica Ltda.
Av. Alm. Adalberto de Barros Nunes, 3650- Belmonte E-MAIL: laux@laux.com.br
Rodovia RJ 160, 330 - Jardim de Aláh
Tel. (24) 3347-5799 Fax: (24) 3341-0417 Home Page: www.laux.com.br
Tel. (22) 2551-0735, Fax (22) 2551-0735
E-MAIL: tratorf@zaz.com.br
E-MAIL: romaq@brasilvision.com.br
PAROBÉ (95630-000)
RIO GRANDE DO NORTE * D.M. Moraes e Cia. Ltda.
DUQUE DE CAXIAS (25020-150)
AÇU (59650-000) Rua Guarani, 360 - Bairro das Rosas
Reparadora Elétrica Ltda.
Rematec Recup. Manut. Téc. Ltda. - ME Tel. (51) 543-1239, Fax (51) 543-3166
Rua Pastor Belarmino Pedro Ramos, 60
Rua João Rosado de Franca, 368 Vertentes E-MAIL: d.m.motores@tca.com.br
Tel. (21) 2771-9556, Fax: (21) 2771-9556
Tel. (84) 331-2225, Fax (84) 331-2225
PASSO FUNDO (99064-000)
MACAÉ (27910-230) 
MOSSORÓ (59600-190) * D.C. Secco e Cia. Ltda.
* Eletro Sossai Ltda.
* Eletro Técnica Interlagos Ltda. Av. Presidente Vargas, 3444 - São Cristovão
Rua Euzébio de Queiroz, 625
Rua José de Alencar, 319 - Centro Tel. (54) 315-2623, Fax (54) 315-2644
Tel. (22) 2762-4124, Fax (22) 2762-7220
Tel. (84) 316-4097, Fax (84) 316-2008 E-MAIL: automasul@automasulpf.com.br
E-MAIL: eletrosossai@terra.com.br
E-MAIL: interlagos@nextway.com.br
Home Page: www.nextway.com.br/interlagos/index.html PASSO FUNDO (99010-190)
NITERÓI (24310-340)
* Eletromecânica Almeida Ltda.
* Braumat Equipamentos Hidráulicos Ltda.
NATAL (59012-390) Rua Gal. Prestes Guimarães, 34 - Centro
Est. Francisco da Cruz Nunes, 495
Armando Moura Filho Tel. (54) 313-1577, Fax (54) 313-1577
Tel. (21) 2616-1146, Fax(21) 2616-1344
Rua Câmara Cascudo, 224 Ribeira E-MAIL: almeida.weg@pas.matrix.com.br
E-MAIL: motores@braumat.com.br
Tel. (84) 222-2976, Fax (84) 201-1277
NITERÓI (24030-060) E-MAIL: sobombas@uol.com.br
Hilmar & Altair Ltda.
Rua Mal. Deodoro, 194
Tel. (21) 2719-6177, Fax(21) 2717-2285

G-6
ASSISTÊNCIA TÉCNICA
REDE NACIONAL DE ASSISTENTES TÉCNICOS

PELOTAS (96020-380) JOINVILLE (89222-061)


Cem Constrs. Elétrs. e Mecânicas Ltda. SANTA CATARINA * Eletro Rebobinadora Lider Ltda.
Rua Santos Dumont, 409 - Centro BLUMENAU (89012-020)  Rua Piratuba, 84 - Iririú
Tel. (53) 225-8699, Fax (53) 225-4119 * Eletro Mecânica Standard Ltda. Tel. (47) 437-1363, Fax (47) 437-1363
E-MAIL: cemweg@bol.com.br Rua Tocantins, 77 E-MAIL: lider@expresso.com.br
Tel. (47) 340-1999, Fax (47) 322-6273
PELOTAS (96020-480) E-MAIL: standard@braznet.com.br JOINVILLE (89218-500) 
Ederson Barros & Cia Ltda HOME-PAGE: www.emstandard.com.br * Merko Motores Ltda.
Rua Marcilio Dias, 2348 Rua Guilherme, 1545 B. Costa e Silva
Tel. (53) 227-0777, Fax (53) 227-0727 BLUMENAU (89012-001) Tel. (47) 425-4794, Fax (47) 425-4794
E-MAIL: barroseletro@aol.com * Ind. Com. e Import. Junker Ltda. E-MAIL: merkomot@zaz.com.br
Rua São Paulo, 281 - Victor kender
PORTO ALEGRE (90230-200) Tel. (47) 322-4692, Fax (47) 322-4692 JOINVILLE (89204-250)
* Dumont Equips. Elétrs. Com. Manut. Ltda. E-MAIL: junker.e@terra.com.br Nilso Zenato
Rua do Parque, 480 Rua Blumenau, 1934 América
Tel. (51) 3346-3822, Fax (51) 3222-8739 BRAÇO DO NORTE (88750-000) Tel. (47) 435-2373, Fax (47) 435-4225
E-MAIL: dumont.weg@terra.com.br Eletro-Jô Materiais Elétricos Ltda. E-MAIL: zenato@netivision.com.br
Praça Coronel Collaço, 123
PORTO ALEGRE (90200-001)  Tel. (48) 658-2539, Fax (48) 658-3102 LAGES (88514-431)
* Jarzynski & Cia. Ltda. E-MAIL: eletrojo@matrix.com.br * Eletromecânica CA Ltda.
Av. dos Estados, 2215 Av. Caldas Júnior, 1190 – Sta. Helena
Tel. (51) 3371-2133, Fax (51) 3371-1449 BRUSQUE (88353-320) Tel. (49) 222-4500, Fax (49) 222-4500
E-MAIL: jarzynski@zaz.com.br * Eletro Mecânica Cadori Ltda. E-MAIL: eletromecanicaca@matrix.com.br
Rua Joaquim Reis, 125 Cx.P. 257
PORTO ALEGRE (90240-005) Tel (47) 350-1115, Fax (47) 350-0317 LUZERNA (89609-000) 
Oficina Eletromecânica Sulina Ltda. E-MAIL: eletrocadori@terra.com.br * Automatic Ind. Com. Equips. Elétricos Ltda
Av. Pernambuco, 2277 Rua Rui Barbosa, 564 esq. Hercílio Luz
Tel. (51) 3222-8805 Fax (51) 3222-8442 Caçador (89500-000) Tel. (49) 523-1033, Fax (49) 523-1033
E-MAIL: oficinasulina@ig.com.br * Automatic Ind. Com. Equips. Elétricos Ltda E-MAIL: automatic@automatic.com.br
Rua Altamiro Guimarães, 101
RIO GRANDE (96200-400)  Tel (49) 563-0806, Fax (49) 563-0806 RIO DO SUL (89160-000) 
* Crizel Construções Elétricas Ltda. E-MAIL: cacador@automatic.com.br * Nema Eletrotécnica Ltda.
Rua General Osório, 521/527 - Centro Rua 15 de Novembro, 1122 - Laranjeiras
Tel. (53) 231-4044, Fax (53) 231-4033 CHAPECÓ (89809-000) Tel. (47) 521-1137, Fax (47) 521-1333
E-MAIL: crizel@mikrus.com.br * Eletropar Com. de Peças e Rebob. Mots. Eletrico E-MAIL: nema@nema.com.br
Av. Senador Atilio Fontana, 2961 Bairro EFAPI
SANTA MARIA (97015-070) Tel. (49) 329-4060, Fax (49) 328-7125 RIO NEGRINHO (89295-000)
José Camillo E-MAIL: eletropar@desbrava.com.br Oficina e Loja Auto Elétrica Ltda.
Av. Ângelo Bolson, 680 Rua Willy Jung, 157 - Centro
Tel. (55) 221-4862, Fax (55) 221-4862 CHAPECÓ (89802-111) Tel. (47) 644-2460, Fax (47) 644-3868
E-MAIL: camillo1@zaz.com.br Oficina Eletrotec. de Luiz Innocente
Rua Fernando Machado, 828-D Centro SÃO BENTO DO SUL (89290-000)
SANTO ANTONIO DA PATRULHA (95500-000) Tel. (49) 322-0724, Fax (49) 322-0724 Eletro São Bento Ltda.
Segmundo Hnszel & Cia. Ltda. E-MAIL: ofeli@cco.matrix.com.br Rua Nereu Ramos, 475
Rua Cel. Vítor Villa Verde, 581 Tel. (47) 633-4349, Fax (47) 633-4349
Tel. (51) 662-1967, Fax (51) 662-5646 CONCÓRDIA (89700-000) E-MAIL: thiemann@creativenet.com.br
E-MAIL: s.hnszel@pro.via-rs.com.br José Irio Santin – ME
Rua Delfino Paludo, 220 – B. Sunti SÃO JOSÉ (88101-250)
SÃO BORJA (97670-000) Tel. (49) 444-1365, Fax (49) 1365 Francisco João Martins Habkost ME
Aguay Com. Repres. Prods. para Lavoura Ltda. E-MAIL: easantin@netcon.com.br Av. Brigadeiro Silva Paes, 808
Rua Martinho Luthero, 1481 Tel.(48) 241-1592, Fax (48) 241-1592
Tel. (55) 431-2933, Fax (55) 431-2933 CORREIA PINTO (88535-000)
Keep Eletro Motores Ltda. SÃO MIGUEL DO OESTE (89900-000)
SÃO LEOPOLDO (93020-250)  Av. Tancredo Neves, 305 A.S. Júnior – Materiais de Construções Ltda.
* MVM Rebobinagem de Motores Ltda. Tel. (49) 243-1377, Fax (49) 243-1377 Rua Santos Dumont, 376
Rua Cristopher Irvalley, 2700 - São Borja Tel. (49) 622-1224, Fax (49) 622-1224
Tel. (51) 592-8213 , Fax (51) 589-7776 CRICIÚMA (88801-240) E-MAIL: loja@asjunior.com.br
E-MAIL: mvmreb@bol.com.br Célio Felipe & Cia. Ltda.
Rua Felipe Schmidt, 124 – Centro SIDERÓPOLIS (88860-000)
URUGUAIANA (97505-190) Tel.: (48)433-1768, Fax (48)433-7077 * Ino Inocêncio Ltda.
Marjel Eng. Elétrica Ltda. E-MAIL: celiomotoreseletrico@terra.com.br Rua Família Inocêncio, 57 - Centro
Rua Dr. Marcos Azambuja, 383 Tel. (48) 435-3088, Fax (48) 435-3160
Tel. (55) 413-1016, Fax (55) 413-1016 IMBITUBA (88780-000) E-MAIL: ino@ino.com.br
E-MAIL: marjelee@uol.com.br * Sérgio Cassol Bainha – ME
Rua Nereu Ramos, 124 TIJUCAS (88200-000) 
VACARIA (95200-000) Tel.(48)255-1738, Fax (48)255-2618 * Gigawatt Sistemas e Mats. Eletromecânicos
Eletromecânica Vacaria Ltda. E-MAIL: scassol@terra.com.br Rua Athanázio A. Bernardes, 1060
Rua General Paim Filho, 95 - Jd. dos Pampas Tel. (48) 263-0605, Fax (48) 263-0605
Tel. (54) 231-2556 ITAJAÍ (88303-040) E-MAIL: gigawatt@unetvale.com.br
E-MAIL: icoburatto@uol.com.br * Eletro Mafra Com. Repres. Mots. Ltda.
RONDÔNIA Rua Almirante Barroso, 257 - Centro TUBARÃO (88702-100)
ARIQUEMES (78932-000) Tel. (47) 348-2915, Fax (47) 348-2915 Sérgio Botega – ME
João Guiomar Moraes Prestes E-MAIL: eletromafra@iai.matrix.com.br Rua Altamiro Guimarães, 1085 – B. Oficinas
Av. Jamari, 2334 - Setor 1- Areas Comerciais Tel. (48) 622-0567, Fax (48) 622-0567
Tel. (69) 535-2382, Fax (69) 535-2382 ITAJAÍ (88309-400)
Eletro Volt Com. e Instalações Ltda. VIDEIRA (89560-000) 
JI-PARANÁ (78958-000) Rua Nilson Edson dos Santos. 85-B São Vicente * Videmotores Ind. Com. Ltda.
Alves e Paula Ltda. Tel. (47) 241-2222, Fax (47) 241-2222 Rod. SC 453, Km 53,5
Av. Transcontinental, 2211 - Riachuelo E-MAIL: eletrovol@matrix.com.br Tel. (49) 566-0911, Fax (49) 566-4627
Tel. (69) 421-1813, Fax (69) 421-1813 E-MAIL:videmotores@videmotores.com.br
JARAGUÁ DO SUL (89251-610)
PORTO VELHO (78915-100) Instaladora Elétrica Conti XANXERÊ (89820-000)
Schumann & Schumann Ltda. Rua Guillherme Weege, 111 Deonildo de Zanetti
Av. Amazonas, 1755 Tel. (47) 275-4000, Fax (47) 275-4000 Rua Irineu Bornhausen, 560
Tel. (69) 224-3974, Fax (69) 224-1865 E-MAIL:jconti@netuno.com.br Tel. (49) 433-0799, Fax (49) 433-0799
E-MAIL: schumannmotoreletrico@bol.com.br E-MAIL: dezanetti@netbig.com.br
JARAGUÁ DO SUL (89251-600)
VILHENA (78995-000) Oficina Elétrica Leitzke Ltda. SÃO PAULO
Comitel Com. de Materiais Elétricos Ltda Rua Reinoldo Rau, 116 ADAMANTINA (17800-000)
Av. Presidente Nasser, 204 – Jd. América Tel. (47) 275-0050, Fax (47) 371-7100 *Oliveira & Gomes de Adamantina Ltda. ME
Tel. (69) 322-2220, Fax (69) 322-2013 E-MAIL: oficinaleitzke@netuno.com.br Alameda Dr. Armando de Salles Oliveira, 1079
Tel. (18) 521-4712, Fax (18) 521-4712
E-MAIL: eo.adt@zaz.com.br

G-7
ASSISTÊNCIA TÉCNICA

REDE NACIONAL DE ASSISTENTES TÉCNICOS

ARAÇATUBA (16045-150) CATANDUVA (15805-160)  JAÚ (17202-120)


Irmãos Bergamo Motores Eletrs. Ltda. - ME * Macias Eletrotécnica Ltda. Eletrotécnica Zago Ltda.
Rua Marcílio Dias, 1277 Rua Rosa Cruz,130 - Jd. Caparroz Rua Quintino Bocaiúva, 865
Tel. (18) 623-2804, Fax (18) 623-2804 Tel. (17) 522-8421, Fax (17) 522-8421 Tel. (14) 3626-5000, Fax (14) 3626-5000
E-MAIL: macias@zup.com.br E-MAIL: zago@netsite.com.br
ARARAS (13600-220) 
* Eletro Guimarães Ltda. COTIA (067700-197) JUNDIAÍ (13202-620) 
Rua Cond. Álvares Penteado, 90 *MTM – Métodos em Tecnologia de Manut. Ltda. * Elétrica Cypriano Diani Ltda.
Tel. (19) 541-5155, Fax (19) 541-5155 Rua São Paulo das Missões, 364 - Granja Carolina Rua Regente Feijó, 176
E-MAIL: guima-at@siteplanet.com.br Tel. (11) 4614-0561, Fax (11) 4614-0561 Tel. (11) 4587-8488, Fax (11) 4587-8489
Home-Page: www.eletroguimaraes.com.br E-MAIL: mtmnet@mtmnet.com.br E-MAIL: cyprianodiani@uol.com.br

ARUJÁ (07400-000)  DIADEMA (09920-720) JUNDIAÍ (13211-410) 


* Prestotec Tecnologia em Manut. Indl. Ltda. * M.K.M. Com. e Serviços Ltda. * Revimaq Assist. Técn. Máqs. e Com. Ltda.
Rua Bahia, 414 - Cx. P. 80 Rua Alzira, 97 - Vila Mariana Av. Comend. Gumercindo Barranqueiros, 20-A
Tel. (11) 4655-2899, Fax (11) 4655-1024 Tel. (11) 4043-2033, Fax (11) 4043-4665 Tel. (11) 4582-8080 Fax (11) 4515-1128
E-MAIL: prestotec@uol.com.br E-MAIL: mario@mkmmotores.com.br E-MAIL: revimaq@revimaq.com.br
Home-Page: www.mkmmotores.com.br Home Page: www.revimaq.com.br
ASSIS (19800-000) 
* Eletro Brasilia de Assis Ltda. EMBÚ (06833-080) LIMEIRA (13484-316) 
Av. Dom Antonio, 1250 - Vila Orestes * S.O.S. Máquinas Assesoria Industrial Ltda * Gomes Produtos Elétricos Ltda
Tel. (18) 3322-8100, Fax (18) 3322-8100 Estrada do Gramado, 90n - Bairro Gramado Rua Pedro Antonio de Barros, 314
E-MAIL: elbrasil@semanet.com.br Tel. (11) 4781-0688, Fax (11) 4781-5403 Tel. (19) 3451-0909, Fax (19) 3442-7403
E-MAIL: sosmotores@ig.com.br E-MAIL: gomes@gomes.com.br
AVARÉ (18700-080) Home page: www.gomes.com.br
Motortec Com. de Bombas e Mots. Elétrs. Ltda. FRANCA (14406-081)
Rua Domiciano Santana, 807 Benedito Furini LINS (16400-000)
Tel. (14) 3733-2104, Fax (14) 3733-5525 Av. Santos Dumont, 1110 – Santos Dumont Onivaldo Vargas de Lima - ME
E-MAIL: motortec@motortecweg.com.br Tel. (16) 3720-2376, Fax (16) 3720-2376 Av. São Paulo, 631
Tel. (14) 522-3718, Fax (14) 522-3718
BAURU (17060-050) )  FRANCA (14400-005)
* Eletrotécnica Andreoli Ltda. Paulo Sérgio Pires Franca LORENA (12600-000)
Rua São Paulo, 1-11 Av. Dr. Antonio Barbosa Filho, 1116 Oficina Eletro Mecânica São Marcos Ltda.
Tel. (14) 232-3973, Fax (14) 232-4769 Tel. (16) 3721-1093, Fax (16) 3721-1945 Av. Marechal Argolo, 936
E-MAIL: andreoli.blv@terra.com.br E-MAIL: cenrolador@francanet.com.br Tel. (12) 553-1058, Fax (12) 552-3253

BEBEDOURO (14700-000) GUARULHOS (07220-000) MATÃO (15990-000)


* Recon Motores e Transformadores Ltda. EPP * Elétrica Vitale Ltda. * Waldemar Primo Pinotti Cia. Ltda.
Rua Alcidio Paganelli, 196 - Jardim Canadá Rua Santos Dumont, 1541 - Cumbica Rua Narciso Baldan, 135
Tel. (17) 3342-6055, Fax (17) 3342-7207 Tel. (11) 6481-2495, Fax (11) 6481-2495 Tel. (16) 282-1142, Fax (16) 282-2450
E-MAIL: recon.motores@ipco.com.br E-MAIL: eletricavitale@aol.com.br E-MAIL: wpp@process.com.br

BOTUCATU (18607-660)  GUARULHOS (07043-010)  MOGI DAS CRUZES (08745-000) 
* Coml. e Elétrica Lutemar Rodrigues Ltda. * Watertec Bombas e Motores Ltda. * Elétrica Dhalander Ltda.
Av. Dr. Vital Brasil, 1571 – Bairro Jd. Bom Pastor Rua Brasileira, 255 – Itapegica Av. Francisco Ferreira Lopes, 4410
Tel. (14) 6821-1819, Fax (14) 6824-7517 Tel. (11) 6421-9001, Fax (11) 6421-7172 Tel. (11) 4727-2526, Fax. (11) 4727-2526
E-MAIL: luis@lutemar.com.br E-MAIL: watertec@hipernet.com.br E-MAIL: dhalande@dhalander.com.br

BRAGANÇA PAULISTA (12900-060) INDAIATUBA (13330-000)  MOGI DAS CRUZES (08820-370)
* Eletrotécnica Kraft Ltda. * Carotti Eletricidade Indl. Ltda. * Omega Coml. Indl. Man. Inst. Elétrica Ltda.
R. São Pedro, 49 - Vila São Francisco Av. Visconde de Indaiatuba, 969 - Jd. América Av. Ver. Antonio Teixeira Muniz, 160
Tel. (11) 4032-2662, Fax (11) 4032-3710 Tel. (19) 3875-8282, Fax (19) 3875-8282 Tel. (11) 4761-8366, Fax. (11) 4761-8366
E-MAIL: eletrokaft@uol.com.br E-MAIL: carotti@carotti.com.br E-MAIL: omega@netmogi.com.br

CAMPINAS (13070-150)  ITAPETININGA (18200-000)  MOGI GUAÇU (13840-000) 
* Dismotor Com. de Mots. Eletrs. Ltda. * João Tadeu Malavazzi Lima & Cia. Ltda. * Eletrosilva Enrolamentos de Motores Ltda.
Av. Gov. Pedro de Toledo, 910 -B.Bonfim Rua Padre Albuquerque, 490 Rua Ulisses Leme, 1426 – Parque Guainco
Tel. (19) 3241-3655, Fax (19) 3243-2398 Tel. (15) 272-4156, Fax (15) 272-4446 Tel. (19) 3861-0972 , Fax (19) 3861-2931
E-MAIL: dismotor@sigmabbs.com.br E-MAIL: malavazzi@iw.com.br E-MAIL: eletrosilva@eletrosilva.com.br

CAMPINAS (13036-321)  ITU (13300-000)  OSASCO (06293-030)


* Eletromotores Badan Ltda. * Lorenzon Manutenção Industrial Ltda. Bomeq Bombas Motores e Equips. Ltda.
Rua Fernão Pompeu de Camargo, 2122/30 Av. Dr. Octaviano P. Mendes, 1243 - Centro Rua Jandaia, 561 - Jd Marieta
Tel. (19) 3278-0462, Fax (19) 3278-0372 Tel. (11) 4023-0605, Fax (11) 4023-0605 Tel. (11) 3656-3398, Fax (11) 3687-0505
E-MAIL: badan@lexxa.com.br E-MAIL: industrial@grupolorenzon.com.br E-MAIL: bomeq@uol.com.br

CAMPINAS (13045-610)  JABOTICABAL (14870-000)  OSASCO (06273-080)


* Eletrotécnica Caotto Ltda. * Elétrica Re-Voltis Ltda. Mega-Rome Comércio e Manut. Técnica Ltda
Rua Abolição, 1067 - Jd. Ponte Preta Rua Orestes Serranone, 213 - Cidade Jardim Rua Pero Vaz de Caminha, 277 - Jd. Platina
Tel. (19) 3231-5173, Fax (19) 3232-0544 Tel. (16) 3202-3711, Fax (16) 3202-3711 Tel. (11) 3601-6053, Fax (11) 3601-6053
E-MAIL: caotto@sigmanet.com.br E-MAIL: revoltis@netsite.com.br E-MAIL:comercial@megarome.com.br
Home- Page: www.netsite.com.br/revoltis
CAMPINAS (13026-330) OURINHOS (19900-000)
* K2 Service Ltda. JACAREÍ (12300-000) * Nathaniel Romani
Rua Serra da Mantigueira, 207 Jd. Proença * José Roberto Cápua & Cia. Ltda. Rua Expedicionários, 2340
Tel. (19) 3232-9892, Fax (19) 3232-9892 Av. Adhemar Pereira de Barros, 246 Tel. (14) 3322-1776, Fax (14) 3322-1776
E-MAIL: k2service@terra.com.br Tel. (12) 3952-2376, Fax. (12) 3951-4903
E-MAIL: capua@capua.com.br PIRACICABA (13414-036)
CAMPINAS (13050-470)  * Eletro Técnica Rezende de Piracicaba Ltda.
* Motofer - Mots. e Fermts. Elétricas Ltda. JALES (15700-000) Av. Primavera 349 - V. Resende
Av. Mirandópolis, 525 - V.Pompéia CMC Comercial Ltda. Tel. (19) 3421-4410, Fax (19) 3421-3522
Tel. (19) 3227-3077, Fax (19) 3227-3077 Rua Aureo Fernandes de Faria, 237 Distr. Indl.II E-MAIL: eletrotecnicarezende@terra.com.br
E-MAIL: motofer@lexxa.com.br Tel. (17) 632-3536, Fax. (17) 632-3536
PIRACICABA (13400-770)
CAPIVARI (13360-000)  JANDIRA (06618-010) * Enrolamentos de Motores Piracicaba Ltda.
* Eletro Técnica MS Ltda. Thema Ind. Com. Assessoria e Manut. Elet. Ltda. Rua do Vergueiro, 183 – Centro
Av. Faustina Franchi Annicchino,96 Rua Manoel Alves Garcia, 130 - Vila Marcia Tel. (19) 3422-8142, Fax (19) 3422-3864
Tel. (19) 3491-5599, Fax (19) 3491-5613 Tel. (11) 4789-2999, Fax (11) 4789-2999 E-MAIL: emp@imagenet.com.br
E-MAIL: eletrotecnicams@eletrotecnicams.com.br E-MAIL: thema@originet.com.br

G-8
ASSISTÊNCIA TÉCNICA
REDE NACIONAL DE ASSISTENTES TÉCNICOS

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO (15015-500)


PORTO FERREIRA (13660-000)  Praconi & Frassato Ltda. SERTÃOZINHO (14160-000) 
* José Maria Foratini - EPP Rua Cel. Spínola de Castro, 3046 * Tese Comercial Elétrica Ltda.
Rua Urbano Romano Meirelles, 696 Tel. (17) 232-0586, Fax (17) 234-3827 Rua Antônio Maria Miranda, 131
Tel. (19) 581-3124, Fax (19) 581-3124 Tel. (16) 645-6400, Fax (16) 645-1425
E-MAIL: weg@siteplanet.com.br SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (12235-220)  E-MAIL: tese@netsite.com.br
* Fremar Com. e Repres. de Mat. Elét. Ltda.
PRESIDENTE PRUDENTE (19050-000) Rua Serra dos Pirineus, 59 - Jd. Anhembi SOROCABA (18043-004)
Eletrotécnica Continental Ltda. Tel. (12) 3934-1477, Fax (12) 3934-7180 * Manoel Montoro Navarro & Cia. Ltda.
Rua Dr. José Foz, 3142 E-MAIL: fremar@iconet.com.br Av. Gal. Carneiro, 1418
Tel. (18) 222-2866, Fax (18) 224-4557 Tel. (15) 221-6595, Fax (15) 221-4044
E-MAIL: continental@stetnet.com.br SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (12245-031)  E-MAIL: mmontoro@terra.com.br
* J.R. Fernandes Mots. Máqs. Elétricas
PRESIDENTE PRUDENTE (19013-000) Rua Miguel Couto, 32 - Jd. São Dimas SUMARÉ (13171-120) 
* Eletrotécnica Yoshimura Ltda. Tel. (12) 3922-4501, Fax (12) 3922-4501 * Eletro Motores J S Nardy Ltda.
Av. Brasil, 1818 E-MAIL: jrmotores@hotmail.com Av. Joaquim Ferreira Gomes, 303
Tel. (18) 222-4264, Fax (18) 222-4544 Tel. (19) 3873-9766, Fax (19) 3873-9766
E-MAIL: Yoshimura@stetnet.com.br SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (12238-480)  E-MAIL: jsnardy@uol.com.br
* Tecmag Componentes Eletromecânicos Ltda.
RIBEIRÃO PRETO (14075-610)  Rua Guaçuí, 31 SUZANO (08674-080) 
* Tese Ribeirão Preto Motores Elétricos Ltda. Tel. (12) 3933-1000, Fax (12) 3934-1000 * Eletromotores Suzano Ltda.
Av. Costa e Silva, 3365 - B.Tanquinho E-MAIL: tecmag@tecmag.com.br Rua Barão de Jaceguai, 467
Tel. (16) 628-1800, Fax (16) 628-5824 Tel. (11) 4748-3770, Fax (11) 4748-3770
E-MAIL: teserp@netsite.com.br SÃO PAULO (03055-000)  E-MAIL: emsvendas@uol.com.br
* Eletro Buscarioli Ltda. Home Page: www.emsmotores.com.br
RIO CLARO (13500-160) Rua São Leopoldo, 243/269 - Belém
Edison A. Alves de Lima & Irmãos Ltda. Tel. (11) 6618-3611, Fax (11) 6692-3873 TAUBATÉ (12031-001) 
Rua Três, 1232 E-MAIL: buscarioli@uol.com.br * Hima Hidr. Mascarenhas Ltda.
Tel. (19) 534-8577,Fax (19) 534-8394 Home-Page: www.buscarioli.com.br Av. Independência, 1022 - Fundos
E-MAIL: eletrolima@eletrolimarc.com.br Tel. (12) 281-4366, Fax (12) 281-4104
Home - Page: www.eletrolimarc.com.br SÃO PAULO (03303-000)  E-MAIL: hima3@hima.com.br
* Eletromecânica Balan Ltda.
SANTA BÁRBARA D’OESTE (13456-134) Rua Padre Adelino, 676 - Belém VOTORANTIM (18114-001)
* J.H.M. Motores e Equipamentos Ind. Ltda. - ME Tel. (11) 292-7844, Fax (11) 292-1340 * Carlota Motores Ltda
Rua João Covolan Filho, 352 - Distrito Indl. E-mail: balan@balan.com.br Av. Luiz do Patrocinio Fernandes, 890
Tel. (19) 463-6055, Fax (19) 463-6055 Home-Page: www.balan.com.br Tel. (15) 243-3672, Fax (15) 243-3672
E-MAIL: jhm@jhmotores.com.br E-MAIL: carlota@splicinet.com.br
Home Page: www.jhmmotores.com.br SÃO PAULO (05303-000)
Eletromecânica Jimenez Ltda. VUTUPORANGA (15500-030)
SANTO ANDRÉ (09111-410)  Rua Carlos Weber 534/542 Vl. Leopoldina * Alberto Bereta ME
* Manutronik Com. Servs. Mots. Elétricos Ltda Tel. (11) 3834-6369, Fax (11) 3834-6369 Rua Pernambuco, 2323 - Pq. Brasília
Av. São Paulo, 330 Parque Marajoara II E-MAIL: em.jimenez@uol.com.br Tel. (17) 421-2058, Fax (17) 421-2058
Tel. (11) 4978-1677, Fax (11) 4978-1680
E-MAIL: manutronik@uol.com.br SÃO PAULO (02111-031) 
Home- Page: www.manutronik.com.br * Yamada Assist. Técnica em Motores Ltda SERGIPE
Rua Itaúna, 1099/1111 Vila Maria ARACAJU (49055-620)
SANTOS (11013-152)  Tel. (11) 6955-6849, Fax (11) 6955-6709 Clinweg Ltda
* Eletro Técnica LS Ltda. E-MAIL: eletrotec.yamada@uol.com.br Rua São Cristóvão, 1828 - B. Getúlio Vargas
Rua Amador Bueno, 438 - Paquetá Tel. (79) 222-7677, Fax (79) 222-7677
Tel. (13) 3234-1886, Fax (13) 3235-8091 SÃO PAULO (04366-000)  E-MAIL: climotor@bol.com.br
E-MAIL: ls@eletrotecnicals.com.br * Eletrotécnica Santo Amaro Ltda.
Home - Page: www.eletrotecnicals.com.br Av. Cupecê, 1678 - Jd. Prudêncio LAGARTO (49400-000) 
Tel. (11) 5562-8866, Fax (11) 5562-6562 * Casa dos Motores Ltda. - ME
SÃO BERNARDO DO CAMPO (09715-030) E-MAIL: esa@esa.com.br Av. Contorno, 28
* Bajor Motores Eletricos Ltda. Home page:www.esa.com.br Tel. (79) 631-3854, Fax (79) 631-3854
Rua Dr. Baeta Neves, 413 - Bairro Neves E-MAIL: cdml@infonet.com.br
Tel. (11) 4125-2933, Fax (11) 4125-2933 SÃO PAULO (05501-050) 
E-MAIL: bajor@nutecnet.com.br * Hossoda Máqs. e Mots. Industriais Ltda. TOCANTINS
Rua Lemos Monteiro, 88/98 GURUPI (77402-970)
SÃO BERNARDO DO CAMPO (09715-030) Tel. (11) 3812-3022, Fax (11) 3031-2628 Rua 7, A,232 - Trevo Oeste
* E.R.G. Eletromotores Ltda E-MAIL: hossoda@terra.com.br Tel. (63) 313-1193, Fax (63) 313-1820
Rua Luíza Viezzer Finco, 175
E-MAIL: centraleletrica@aol.com
Tel. (11) 4354-9259, Fax (11) 4354-9886 SÃO PAULO (02407-050) 
E-MAIL: erg@erg.com.br * N. Nascimento Distr. Motores Elétricos Ltda. PALMAS (77100-020)
Rua Rafael de Oliveira, 310 Mandaqui Eletro Cometa Motores e Ferramentas Ltda.
SÃO BERNARDO DO CAMPO (09844-150) Tel. (11) 6950-5699, Fax (11) 267-7717 Rua SE 11 – ACSE II – Conj. IV – Lote 37
* Hristov Eletromecânica Ltda E-MAIL:n_nascimento@terra.com.br Tel. (63) 215-3068, Fax (63) 215-4465
Estrada marco Pólo, 601 - Batistini
E-MAIL: cometapalmas@uol.com.br
Tel. (11) 4347-0399, Fax (11) 4347-0251 SÃO PAULO (03223-060)
E-MAIL: hristoveletromec@uol.com.br * Semel - Projetos Instalações Elétricas Ltda.
Rua Marcelo Müller, 644 Jd. Independência
SÃO BERNARDO DO CAMPO (09735-520)  Tel. (11) 6918-9755, Fax (11) 271-3368
* Yoshikawa Com. Manut. Máqs. Equips. Ltda

ÉCNICOS
E-MAIL: semelprojetos@ig.com.br
Rua Assahi, 28 Rudge Ramos
Tel. (11) 4368-4955, Fax (11) 4368-0697 SÃO PAULO (03043-010)  T
E-MAIL: yoshikawa@yoshikawa.com.br
ENTES
ASSIST
* Tec Sulamericana Equips. Inds. Ltda.
AS
5 ESTREL
Rua da Alegria, 95
SÃO CARLOS (13574-040) Tel. (11) 3277-0100, Fax (11) 3270-0342
Jesus Arnaldo Teodoro E-MAIL : tecsul@tecsulweg.com.br
Av. Sallum, 1359 - Bela Vista Home page: www.tecsulweg.com.br
Tel. (16) 275-2155, Fax (16) 275-2099
E-MAIL: escmelet@linkway.com.br SÃO PAULO (03024-010)
Home - Page: www.eletrotecnica-são - * Waldesa Motomercantil Ltda
carlos.com.br Rua Capitão mor Passos, 50
Tel. (11) 6695-8840, Fax (11) 6697-2919 * Assistentes Técnicos à Prova de Explosão
SÃO JOSÉ DO RIO PARDO (13720-000) E-MAIL : waldesamotomercantil@terra.com.br
Del Ciampo Eletromec. Ltda. Motores à Prova de Explosão devem ser
Rua Alberto Rangel, 655 SERRA NEGRA (13930-000) recuperados em Assistentes Técnicos
Tel. (19) 680-4259, Fax (19) 680-4259 Antônio Fernando Marchi - ME Autorizados à Prova de Explosão
Rua Maestro Ângelo Lamari, 22-A
Tel. (19) 892-3706, Fax (19) 892-3706
E-MAIL: marchi@dglnet.com.br
Setembro/2002

G-9