Você está na página 1de 11

LIÇÃO 1 - UMA IGREJA AMEAÇADA PELA HERESIA III

Colossenses 2:16-26

ESBOÇO DA LIÇÃO

I - Introdução
II - Heresia - Conceito
III - Falsos Profetas e Falsos Doutores - uma realidade tanto no passado como no
presente
IV - Heresias no Novo Testamento
V - Heresias no Antigo Testamento VI - Conclusão
I - Introdução

Neste Trimestre estaremos estudando a Epístola Aos Colossenses. Nossa primeira


Lição versa sobre Uma Igreja ameaçada pelas Heresias.
Vamos, nesta oportunidade, procurar entender o que é uma heresia e tentar
identificarmos as causas que levam a Igreja de Colossos, bem como as Igrejas, em
nossos dias, a ficarem expostas a tais ameaças. Queremos nos permitir discorrer
sobre cada uma daquelas heresias na Lição nº06 que versará sobre O Cuidado com
as Falsas Doutrinas e, sobre o culto aos anjos, na Lição nº07 que tratará,
especificamente, sobre tal assunto.

II - HERESIA - CONCEITO

“Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evitá-o, sabendo que
esse tal está pervertido e peca, estando já em si mesmo condenado”- Tito 2:10-
11.
Perceba a gravidade que representa uma Heresia.
O herege é aquele homem que embora conhecendo a verdade, desvia-se dela,
abraçando uma doutrina falsa, ou uma doutrina contrária àquela revelada pela Bíblia
Sagrada.
A heresia é uma obra da carne - “Porque as obras da carne são manifestas, as
quais são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades,
porfias, emulação, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios,
bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas...os que cometem tais
coisas não herdarão o Reino de Deus”. Gálatas 5:19-21.
Contemplando e avaliando a galeria onde as heresias estão colocadas e a sentença de
que o herege não herdará o Reino de Deus não se pode deixar de considerar o
perigo que uma heresia representa para “uma Igreja”, e o porque Paulo, falando
sobre o herege, disse - “evita-o”.

Heresia vem da expressão grega “háiresis”, que pode ser entendida como uma
escolha que resulta numa separação.
Vamos tentar entender bem este assunto, tomando o seguinte exemplo: o Brasil tem
um Sistema Federativo de Governo. Embora formado por 27 Estados, tem um único
Presidente e é regido por uma só Constituição.
Cada um dos 27 Estados tem sua própria constituição e pode fazer suas próprias leis.
Há, porém, um limite para estas legislações - as Constituições e as Leis Estaduais
precisam estar de acordo com a Constituição Federal. Esta representa a Lei
Maior e não pode ser violada.

Assim, a Bíblia Sagrada é a Constituição, ou a Lei Maior que rege a Igreja do


Senhor que está aqui na terra. Cada Igreja Local, bem como cada Denominação
Evangélica, à semelhança dos Estados brasileiros, pode ter sua organização própria,
seu governo, suas leis - desde que estas estejam de acordo com a Bíblia
Sagrada.
Assim, só será considerada uma Igreja Evangélica aquela que estiver de acordo com
as Doutrinas Bíblicas. Elas podem ter diversas diferenças, entre si, assim como cada
Estado tem seus próprios costumes, embora a língua oficial seja a mesma, há diferença
de pronuncias, variam os sotaques em cada região, há diferenças alimentares,
climáticas, etc, etc. Tudo é permitido desde que a Constituição Federal seja obedecida.
Caso um Estado passe a legislar de forma contrária à Constituição Federal, e persista
em continuar no erro - será considerado um Estado rebelde e estará sujeito as
sansões penais.

Assim é uma Heresia. Heresia não é uma Denominação, ou Igreja Evangélica.


Heresia é rebelião contra Doutrinas Bíblicas. O herege não é um cristão.
Uma Heresia tem suas próprias doutrinas e estas são sempre contrárias às
verdades bíblicas
Os seguidores de uma determinada heresia formam o que chamamos de SEITA. Daí,
biblicamente, não podemos confundir uma Denominação, ou Igreja Evangélica com
uma Seita. Uma Seita é sempre regida por uma doutrina anti-biblica.

III - FALSOS PROFETAS E FALSOS DOUTORES- UMA REALIDADE TANTO NO


PASSADO COMO NO PRESENTE.

“E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá
também falsos doutores...”- II Pedro 2:1.
Eles haviam chegado na Igreja que estava em Colossos, e, como dissera Pedro -
“...introduzirão encobertamente heresias de perdição...”- II Pedro 2:1.
O Senhor Jesus advertira sobre a vinda deles, dizendo - “Acautelai-vos, porém, dos
falsos profetas, que vem até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente
são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se
uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos?”- Mateus 7:15-16.

“Heresias de perdição” estavam sendo introduzidos na Igreja de Colossos por


esses falsos Profetas e Doutores.
O Senhor Jesus prevenira - “Acautelai-vos”. Acautelar significa estar de sobreaviso,
prevenir-se.
O Senhor Jesus disse mais - “que vem até vós”- ou seja, que se introduzirão no
vosso meio. Crer em alguém que está lá fora é mais difícil; crer em alguém que está
entre nós, e que, externamente, parece-se conosco, é mais fácil.
Segundo afirmou Jesus esses falsos Obreiros não procurariam revelar suas identidades,
mas viriam “vestidos como ovelhas”.

Falariam em seu Nome e até fariam “muitas maravilhas”’ - “Muitos me dirão naquele
dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não
expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E
então lhes direi abertamente: nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que
praticais a iniqüidade”- Mateus 7:22-23.

Pelo relato feito por Jesus percebe-se que estes enganadores, chamados por Jesus de
“Falsos Profetas” não estão entre aqueles crentes chamados de “crentes de
banco”, mas, são lideres, são os chamados falsos obreiros.

Eles já estavam na Igrejas de Colossos; eles poderão chegar até nós, conforme
advertiu Pedro- “E houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá
falsos doutores...”. Considerando que Deus não mudou, que Satanás continua o
mesmo e que também a natureza humana é a mesma, conhecendo-se os Falsos
Profetas do passado, como surgiram e como agiam, podemos, também, hoje,
identificar os falsos doutores, se, porventura, chegarem até nós.

1 - Pela Bíblia podemos identificar três tipos de Falsos Profetas.

A - O falso Profeta que já foi um Profeta Verdadeiro.


B - O Profeta Verdadeiro que ficou velho e perdeu a unção.
C - O falso Profeta que nunca foi Profeta Verdadeiro.

A - O Falso Profeta que j[á foi um Profeta Verdadeiro

Balaão é um exemplo - Números 22. Ele era um Profeta Verdadeiro; era um homem de
Deus. Ele falava com Deus e Deus falava com ele - disse Balaão aos enviados de
Balaque - “...passai aqui esta noite, e vos trarei a resposta como o Senhor me
falar...”. “E veio Deus a Balaão, e disse...”- Números 22:8-9. Balaão falava com Deus
e Deus falava com Balaão.
Pela leitura dos Capítulos 22 a 25 de Números, podemos afirmar que Balaão era um
Verdadeiro Profeta; um Homem de Deus.
Num primeiro momento ele teve e demonstrou a firmeza de um profeta - “Então
Balaão levantou-se pela manhã, e disse aos Príncipes de Balaque: ide à vossa
terra, porque o Senhor recusa deixar-me ir convosco”- Números 22. “Então
Balaão respondeu, e disse aos servos de Balaque: ainda que Balaque me desse
a sua Casa cheia de prata e ouro, eu não poderia traspassar o mandado do
Senhor meu Deus”, ou como diz A Bíblia, na linguagem de Hoje - “...eu não poderia
fazer coisa alguma grande ou pequena, que fosse contra as ordens do Senhor,
meu Deus”- Números 22:18.
Perceba as palavras firmes de um homem de Deus! Ele conhecia a Palavra de Deus e já
sabia qual era a sua vontade! Assim, depois destas belas palavras deveria ter
despedido os enviados de Balaque, não permitindo, sequer, que entrassem em sua
casa.
Um homem de Deus, que conhece a Palavra de Deus, que sabe qual é a sua vontade -
não pode tentar a Deus - Foi o que o Senhor Jesus disse a Satanás - “...Não
tentarás o Senhor teu Deus”- Mateus 4:7.

Porém, as promessas de riquezas, de honrarias, de prestigio, fama e poder - subiram à


sua cabeça. O brilho da prata e do ouro enviados por Balaque, ofuscou sua visão
espiritual... ele não resistiu. Amou o “premio da injustiça”- Judas 11; perdeu a unção
do Espírito, mas, continuou falando como se ainda fosse um Profeta Verdadeiro.

Ele era um homem de Deus, um Verdadeiro Profeta, quando estava em “...Petor,


que está junto ao rio, na terra dos filhos de seu povo...”- Números 22:5.
Mas, agora, ele está em Moabe, ao lado de Balaque, Rei dos Moabitas, inimigos
do povo de Deus, correndo atrás de riquezas, de honrarias, de glórias humanas. Ele é
um Falso Profeta procurando negociar as coisas de Deus, em beneficio próprio.

“E também houve entre o povo falsos profetas...”. Sabemos, portanto, que o


falso profeta pode ter sido um profeta verdadeiro, e que o Senhor Jesus advertiu -
“Acautelai-vos ...dos falsos profetas...”. Sabemos, ainda, que uma das causas
desta mudança é o envolvimento com “os negócios deste mundo”, como riquezas,
glórias, honrarias.

“...como entre vós haverá falsos doutores”. Estes “falsosdoutores”, ou “falsos


Obreiros”, podem ter sido grandes homensde deus, homens que, verdadeiramente
Deus usava quando ainda estavam em “...Petor,que está junto ao rio, na terra dos
filhos de seu povo...”.
Mas, se agora, por terem se envolvidos com “os negócios deste mundo”, se fizeram
aliança com Balaque, rei dos Moabitas, se estão torcendo a Palavra de Deus,
procurando introduzir “heresias de perdição”, tal como qualquer forma de idolatria,
como culto, ou adoração aos anjos, como estava acontecendo em Colossos, então,
biblicamente, podem ser considerados como os “falsos doutores” dos quais falou
Pedro, ou como os “falsos profetas”, dos quais o Senhor Jesus advertiu, dizendo -
“Acautelai-vos”.

Lembre-se - um homem de deus tem que ser julgado pelo que ele é, e pelo que
ele faz - e não apenas pelo que foi e pelo que fez. O Senhor Jesus disse: “...Por
seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros ou
figos dos abrolhos?.

B - O Profeta Verdadeiro que ficou velho e “perdeu” a unção

“E também houve entre o povo falsos profetas...” “Acautelai-vos porém, dos


falsos profetas...”.
O falso Profeta pode ter sido um profeta verdadeiro que se tornou falso. Agora,
aqui, vamos considerar outra hipótese em que o Profeta Verdadeiro pode se tornar
falso. Neste caso a causa não é o amor ao “premio da injustiça”, como aconteceu
com Balaão, mas, o caso do Profeta que se torna velho.
Um Velho Profeta pode ser uma bênção; um Profeta Velho pode ser uma desgraça.
Aqui não estamos falando do envelhecimento físico, ou da idade cronológica; estamos
falando do envelhecimento espiritual, por falta de renovação.

Em I Reis 13:11, a Bíblia fala de um Profeta velho. A Bíblia diz que ele era Profeta - “E
morava em Betel um profeta velho...”. Ela não diz um velho Profeta!
Este Profeta se tornou velho, mas continuou usando sua “credencial vencida”, de
Profeta. Certamente, por falta de renovação espiritual, o Senhor Deus não tinha
condições de usá-lo.
Tendo uma missão a realizar na terra daquele Profeta Velho, o Senhor teve que ir
buscar um outro Profeta, em Judá - “E eis que um homem de Deus veio de Judá
com a palavra do Senhor a Betel...”- I Reis 13:1.
Cumprida sua missão, o homem de Deus estava retornando para sua terra, pois, esta
era a ordem que ele tinha de Deus - “...ali nem comerás pão, nem beberás água;
nem tornarás a ir pelo caminho por que foste”.
Porém, o Profeta Velho foi ao seu encontro, e disse-lhe - “...vem comigo à casa e
come pão... E ele lhe disse: também eu sou profeta como tu, e um anjo me
falou pela palavra do Senhor, dizendo: faze-o voltar contigo a tua casa, para
que coma pão e beba água. Porém, mentiu-lhe”.
Um Profeta Velho ...e mentiroso!

O homem de Deus conhecia a Palavra de Deus. O Profeta Velho lhe disse que - “um
anjo me falou”.
Quem tem, e conhece a Palavra de Deus, não pode dar ouvido à palavra de anjo
algum, que venha contrariar aquilo que foi dito pelo Senhor.

O Jovem Profeta, porque não obedeceu à Palavra do Senhor, caiu nas garras do
leão...e morreu... “...um leão o encontrou no caminho, e o matou. O cadáver do
profeta ficou estendido no caminho ...”-I Reis 13:24.

Um Jovem Profeta, um homem de Deus, um homem que conhecia e cumpria a Palavra


de Seu Deus- deixou-se enganar por um Profeta Velho, desviado, invejoso e mentiroso.
Um Profeta Verdadeiro que se tinha transformado num Falso Profeta.
“E também houve entre o povo falsos profetas...”. Sabemos,portanto, que o falso
profeta pode ter sido um ProfetaVerdadeiro, e que o SenhorJesus advertiu -
“Acautelai-vos...dos falsos profetas...”. Sabemos,ainda, que uma das causas desta
mudança pode ser o envolvimentocom os “negóciosdo mundo”, que podem levar o
Profeta Verdadeiro à negligênciaespiritual, incapacitando-o como instrumento nas
mãos de Deus.

“...como entre vós haverá falsos doutores”. Estes “falsos doutores”, ou falsos
Obreiros, podem ter sido grandes homens nas mãos de Deus, podem ter sido usados
para realizarem grandes obras... mas, negligenciaram a fé, a santificação, envolveram-
se com os “negócios deste mundo”, e “perderam” a unção. Porém, continuaram
usando suas “Credenciais de Profetas”, embora com validade vencida, induzindo
jovens Profetas ao engano, à desobediência a Palavra de Deus, à morte ministerial, e
espiritual.

C - O Falso Profeta que nunca foi um Profeta Verdadeiro

Estes são realmente falsos. Fizeram da Profecia, uma Profissão, tal como aqueles
que estavam a serviço do Rei Acabe e de Jezabel. Eram Profetas palacianos, que
comiam na mesa do Rei - “...E traze os quatrocentos e cinqüenta profeta de Baal
e os quatrocentos profetas de Asera, que comem da mesa de Jezabel”- I Reis
18:19. Profetas Profissionais, Profetas Palacianos, Profetas que comem da mesa do Rei.
Estes são, de fato, Profetas do Rei, ou Falsos Profetas. São homens sem
compromisso com Deus e com Sua Palavra. São Profissionais da “Fé”.

“E também houve entre o povo falsos profetas...”. Estes nuncaforam Profetas.


Deles o Senhor diz - “...Os profetas profetizam falsamenteem meu nome; nunca
os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei...”- Jeremias14:14.

“...como entre vós haverá falsos doutores...”. Pedrodisse que haveria, e,


certamente, há. São homens sem a experiênciado Novo Nascimento, sem temor de
Deus, sem chamada Ministerial, homens cujo “Deus é oventre”- Filipenses 3:19. São
os Profissionais da Fé. Deles,Pedro disse - “E muitos seguirão suas
dissoluções,pelos quais será blasfemado o caminho da verdade: e, por
avareza, farãode vós negócios com palavras fingidas...”- IIPedro 2:2.

2 - Uma advertência feita por Jesus.

“Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como
ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores”- Mateus 7:15.
Acautelar significa ficar de sobreaviso, prevenido, para não ser pego de surpresa. O
Senhor Jesus sabia que eles viriam, por isto afirmou - “que vêm até vós”. Ele não
disse “que poderão vir”. Ele afirmou que eles veriam. E... vieram! Chegaram em
Colossos e estavam semeando heresias naquela Igreja. Estão, também, presentes,
em nossos dias, com certeza!
Pedro disse que - “...introduzirão encobertamente heresias de perdição”.
O Senhor Jesus disse - “que vêm até vós vestidos como ovelhas”.
Esta é a tática dos falsos Profetas e dos falsos Doutores. Não agir como lobos, mas,
fingir-se de ovelhas. Não procurar matar, mas, enfraquecer e dividir. Não denunciar o
pecado, mas, falar o que o Povo gosta e quer ouvir. Não contrariar interesses. Com voz
mansa e cheia de sabedoria carnal e diabólica, semeiam o joio, as heresias, corrompem
os bons costumes, adulteram a Doutrina Bíblica.

3 - Como identificar os Falsos Mestres

“Por seus frutos os conhecereis...” - Mateus 7:16, foi o que disse o Senhor Jesus. O
instrumento usado pelo “falso profeta” é a palavra. Então, uma das maneiras de
identificá-lo será pela palavra que sair da sua boca. O falso profeta ensina Doutrina
Falsa.

A falsa Doutrina, ou “heresia de perdição” tem que ser combatida com a


Verdadeira Doutrina, o ensino falsificado, com o ensino verdadeiro. É exatamente
aqui que as Denominações Evangélicas têm falhado. Por falta de Conhecimento da
Palavra de Deus, seus Obreiros não conseguem identificar os Falsos Mestres. Assim, a
Doutrina Bíblica vai sendo substituída pelas heresias, e os bons costumes estão sendo
substituídos pelos maus costumes.
O Espírito Santo vai sendo empurrado para fora das Igrejas, enquanto o mundo, o
diabo e a carne vão ocupando e preenchendo os lugares que vão ficando vazios.

Por falta de conhecimento da Palavra de Deus, muitos crentes, embora bem


intencionados -“...seguirão suas dissoluções, pelas quais será blasfemado o
caminho da verdade”.
Os Falsos Mestres só poderão ser identificados se a Palavra de Deus for ensinada ao
povo por quem a conhece e tenha chamada de Deus para o ministério do Ensino.

Crentes de Beréia não se deixam enganar - “Ora estes foram mais nobres do que
os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a Palavra,
examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim”- Atos 17:11.
Crentes que examinam as Escrituras não são enganados pelos Falsos Profetas,
ou Falsos Doutores. PENSE NISSO!

IV - HERESIAS NO NOVO TESTAMENTO


1.1 - Aconteceu no Ministério de Epafras

Pela declaração de Paulo - “Como aprendestes de Epafras, nosso amado


conservo, que para vós é um fiel ministro de Cristo”- Colossenses 1:7. tem-se,
como certo, que Epafras foi o fundador da Igreja de Colossos e que era o seu atual
Pastor.
Percebe-se que ele era um homem de coração e um Obreiro fiel. Porém, para ser
um Obreiro, para dirigir uma Igreja, não basta ser um homem fiel e de oração: é
preciso, também, ter conhecimento doutrinário e autoridade de Deus para ensinar
os crentes bem intencionados e impor a disciplina bíblica aos rebeldes, aos
hereges.

Um homem fiel, um homem de oração; uma Igreja que ora... porém, faltando ao
homem de Deus o conhecimento doutrinário e faltando à Igreja o ensino bíblico -
então essa Igreja pode se tornar uma Igreja ameaçada pelas Heresias.
Aconteceu em Colossos, tem acontecido em nossos dias. Hoje, existem Denominações
Evangélicas que oram muito, mas, que não têm o necessário ensino da Palavra de
Deus. Tornam-se presas fáceis das “doutrinas” de homens, das heresias, do fanatismo.

Ao que parece, faltou a Epafras o conhecimento bíblico necessário não apenas para
identificar o erro, como também para ensinar a verdade à Igreja de Colossos; ao
que parece, faltou ainda a Epafras autoridade espiritual para disciplinar os Falsos
Mestres que estavam introduzindo “heresias de perdição” naquela Igreja.
Afirmamos isto pelo fato dele ter ido à Roma levar ao conhecimento de Paulo sobre o
perigo que pairava sobre a igreja de Colosso - Uma Igreja ameaçada pelas
Heresias.

É claro que é louvável a atitude de um homem de Deus quando ele procura a ajuda, a
orientação de um homem de Deus com mais experiências Ministeriais; quando,
humildemente, reconhece a necessidade de aprender e procura quem seja “apto para
ensinar”. Porém, ao que parece, naquele momento, a Igreja de Colossos não podia
ficar sem o seu Pastor, se, de fato, ele era o Pastor daquela Igreja.
Para dirigir uma Igreja, não basta ser um homem de oração - é preciso,
também, ter autoridade de Deus e ser “apto para ensinar”. PENSE NISSO!

1.2 - Não aconteceu no Ministério de Timóteo

Timóteo foi um Obreiro completo. Paulo escrevendo a ele, disse - “Esta é uma
palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente coisa deseja. Convém
pois que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, sóbrio, honesto,
hospitaleiro, apto para ensinar”- I Timóteo 3:1-2.
Sabemos que ninguém poderá ser “apto para ensinar” se antes não aprender, então
Paulo o admoestou, dizendo - “Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá...
Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina...”- I Timóteo 4:13-16. “Procura
apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se
envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”- II Timóteo 2:15.

Ainda como instrução ministerial Paulo recomenda para que ele não tivesse pressa, ou
não se precipitasse em separar alguém para o Ministério, dizendo - “ A ninguém
imponhas precipitadamente as mãos...”- II Timóteo 5:22.
As mãos devem ser impostas em homens com experiência espiritual - “Não neófitos,
para que ensoberbecendo-se não caia na condenação do diabo”- I Timóteo 3:6.

Obreiro Neófito, obreiro sem experiência, obreiro sem conhecimento


doutrinário - ele próprio pode introduzir heresias na Igreja.

Certamente que, se Epafras tivesse a formação ministerial que Timóteo recebeu de


Paulo, muitos crentes de Colossos não teriam embarcado no “barco furado dos Piratas
da Fé”, que fizeram da Igreja de Colossos Uma Igreja ameaçada pelas Heresias.
Aconteceu no Ministério de Epafras - não aconteceu no Ministério de Timóteo.

V - HERESIAS NO ANTIGO TESTAMENTO

1.1 - No Antigo Testamento - aconteceu, também, com Arão

Arão era um homem de Deus - porém, faltou-lhe autoridade de Deus para


combater os Hereges, e rebeldes.
“Mas vendo o povo que Moisés tardara em descer do monte, ajuntou-seo povo
a Arão, e disseram-lhe: levanta-te, faze nos deuses, que vãoadiante de nós...”-
Êxodo 32:1. Era uma ordem! Quando os lideradosdão ordens ao superior, trata-se de
insurreição, ou rebelião.
É certo que o povo não se mobiliza se não houver uma liderança.Ali, na frente do Povo,
estava um grupo de rebeldes, com certeza. Aquele seriao momento de Arão exercitar a
autoridade de Deus que estava sobre ele.Ele era um homem chamado por Deus -
quando Deus chama alguém para o Ministério,Deus reveste esse alguém com o
Seu Poder e Sua Autoridade.
Paulo, escrevendo a um Obreiro, disse - “Fala disto, e exorta, e repreende com
toda autoridade, ninguém te despreze”- Tito 2:15.

Ali no deserto, Arão estava, naquele momento, na liderança do Povo. Sua autoridade
estava sendo contestada, e ele, desprezado! Arão era um homem de Deus, tinha
experiências com Deus, vira o que Deus fizera no Egito e no Mar Vermelho, vira as
águas de Mara serem curadas, e tantas outras operações de Deus; sabia que Deus
estava com ele, embora Moisés estivesse ausente.
Arão conhecia A palavra de Deus, dada ali mesmo no Monte Sinai, e que dizia - “Não
terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura...”-
Êxodo 20:3-4.
Evitar que o Povo cometesse aquela odiosa heresia, bem como punir os lideres
rebeldes, era uma obrigação do homem de Deus.
Pela experiência que Arão tinha, devia saber que qualquer atitude sua em defasa do
cumprimento da Palavra de Deus, teria o apoio de Deus - Sempre que um homem de
Deus tomar posição ao lado e na defesa da Palavra, ele será honrado e
protegido por Deus, pois, ele disse - “...porque eu velo sobre a minha palavra
para a cumprir”- Jeremias 1:12. CREIA NISTO!

Mas, por um momento, Arão esqueceu-se de tudo isto. Sentiu medo! Vacilou entre
mostrar ao Povo qual era a Vontade de Deus, a necessidade de obedecer e cumprir Sua
Palavra - Arão conhecia a Palavra de Deus - e a de fazer a vontade daquele grupo
de rebeldes.
É certo que sua vida corria perigo, mas, ele poderia ter feito suas aspalavras que muito
tempo depois foram ditas por Paulo - “...em nada tenhoa minha vida por preciosa,
contudo que cumpra com alegria a minha carreira, eo Ministério que recebi do
Senhor Jesus”- Atos20:24.
Mas, Arão não teve a firmeza de Paulo... e cedeu aos desejos pecaminosos e heréticos
do povo.
Arão vacilou entre ficar com a Palavra de Deus, que dizia - “Não terás outros deuses
diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura...”- Êxodo 20:3-4, ou
atender o pedido daquele grupo de rebeldes no sentido de introduzir aquela heresia em
Israel.
Arão teve seu momento de fraqueza...e cedeu

Aplicar, com segurança, A Palavra de Deus, defender a Sã Doutrina ou deixar que os


falsos Mestres introduzam na Igreja suas heresias, porque isto é do agrado do povo,
pode ser, ainda hoje, o dilema que alguns Obreiros estejam vivendo.

1.2 - Não aconteceu com Moisés

Porém, Moisés, não viveu este dilema - Moisés aplicou e fez cumprir a Palavra
de Deus. Não perdeu o seu Cargo, por isto. Quando o homem de Deus faz a
vontade de Deus e aplica, com sabedoria, a Sua Palavra, Deus se responsabiliza pelo
seu cumprimento.
Moisés usou a autoridade que Deus lhe dera e não tremeu diante do Povo - “E
tomou o bezerro que tinham, e queimou-o no fogo, moendo-o até que se
tornou em pó; e o espargiu sobre as águas, e deu-o a beber aos filhos de
Israel”. Literalmente, Moisés enfiou no Povo, “goela à baixo”, o objeto da idolatria, ou
daquela odiosa heresia que se estava implantando em Israel.
E fez mais - sem nenhum receio de reação por parte do povo, mandou executar todos
os responsáveis por aquele ato pecaminoso - “E os filhos de Levi fizeram conforme
à palavra de Moisés; e caíram do povo aquele dia uns três mil homens”- Êxodo
32: 19-29.

Assim, pela fraqueza de um homem de Deus - Arão - as portas se abriram para


entrada de uma heresia; porém, pela firmeza de outro homem de Deus - Moisés -
aquela heresia foi exterminada.

O Senhor Jesus, inconformado com a contaminação da Casa de Deus, teve, também,


uma reação semelhante àquela de Moisés - “E achou no templo os que vendiam
bois, e ovelhas, e pombos e os cambiadores assentados. E, tendo feito um
azorrague de cordas, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas;
e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derribou as mesas. E disse aos que
vendiam pombos: tirai daqui estes, e não façais da casa de meu Pai casa de
venda”- João 2:14-16.

Certamente que, foi por falta de homens de Deus com a coragem e o zelo de Moisés, e
de Jesus, que os meios evangélicos foram, e estão, sobremodo invadidos, e
contaminados por tantas formas de Heresias.

2.1 - Aconteceu com o Sacerdote Urias - um homem que perdeu a autoridade


espiritual por estar comprometido com seus interesses pessoais e materiais.

Arão abriu as portas de Israel para a entrada e prática de uma heresia porque teve
medo do povo. Esta é uma das causas da entrada de muitas heresias nos meios
evangélicos - a falta de autoridade espiritual e o medo que muitos lideres têm da
reação do Povo.

Porém, no caso do Sacerdote Urias a causa foi outra. Ele, como Sacerdote, também
conhecia A Palavra de Deus; mas, era amigo do Rei, e tinha seus interesses
materiais ligados ao Palácio Real.
Esta pode ser outra razão pela qual alguns homens de Deus abriram e continuam
abrindo as portas para a entrada das mais variadas heresias, fundadas em
“Doutrinas de Homens”, no meio do povo de Deus.

Aconteceu em Israel - o Sacerdote Urias colocou o “altar do rei” na Casa de


Deus.

“Então o rei Acaz foi a Damasco, a encontrar-se com Tiglate-Pilezer, rei da


Assíria; e, vendo um altar que estava em Damasco, o rei Acaz enviou ao
Sacerdote Urias a semelhança do altar, e o modelo conforme toda a sua obra”.
Se Urias fosse um Sacerdote fiel, ele não faria a vontade de um rei, ímpio, pois, do rei
Acaz está escrito que - “...não fez o que era reto aos olhos do Senhor seu
Deus...”- II Reis 16:2.

O “Altar de Damasco” podia ser mais bonito! Aparentemente o rei Acaz estava bem
intencionado!
Mas, o “Altar de Damasco”, o altar da idolatria, contrariava A Palavra de Deus - o
próprio Deus foi quem deu o modelo para o seu Altar, o Altar do Templo de Jerusalém
- Êxodo 27:1-8.
Nenhum outro, embora mais bonito e até feito com material mais caro poderia
substituir aquele cujo modelo foi dado pelo próprio Deus.

Toda e qualquer inovação doutrinária que contrariar A Palavra de Deus, será


uma heresia, e terá que ser rejeitada, venha de onde vier.

Um Altar mais bonito e mais caro! Paulo talvez diria - “as quais têm na verdade,
alguma aparência de sabedoria...mas não são de valor algum, senão para
satisfação da carne”- Colossenses 2:23.

Urias - um Sacerdote comprometido com o rei

“E Urias, o Sacerdote, edificou um altar conforme tudo o que o rei Acaz tinha
ordenado de Damasco; assim o fez o Sacerdote Urias, antes que o rei Acaz
viesse de Damasco”- II Reis 16:11.
Uma heresia introduzida em Israel por um Sacerdote interessado em fazer a vontade
do rei embora sabendo que estava contrariando A Palavra de Deus.

“Vindo pois o rei de Damasco, o rei viu o altar; e o rei se chegou ao altar, e
sacrificou nele”.
O rei estava contente com a obediência e subserviência do Sacerdote - porém,
certamente, Deus não podia concordar com tudo aquilo- o Sacerdote havia introduzido
uma contaminação na Casa do Senhor.
Agora o rei tinha o seu próprio altar, conforme ele afirmou - “...porém o altar de
cobre será para mim, para inquirir dele”- II Reis 16:15. O rei mudou, também, o
Altar do Senhor, de lugar.
O “altar do rei”, por certo era menor, pois ele chamou o Altar do Senhor de “grande
altar”- II Reis 16:15. Um altar especial para o rei - e um altar - o grande altar - para os
sacrifícios do Povo. “E fez Urias, o Sacerdote, conforme tudo quanto o rei Acaz
ordenara”- II Reis 16:16.

Uma Religião com dois altares - um, menor e mais bonito, para servir ao rei; outro,
maior, para os sacrifícios do Povo. Uma Religião que concede privilégios a ricos, e
poderosos; uma Religião que sobrecarrega o Povo; Uma Religião discriminatória e que
fez acepção de pessoas - é, sem dúvidas, uma heresia. Esta heresia foi introduzida
pelo próprio Sacerdote, aquele que tinha o dever de exigir, inclusive do rei, obediência
À palavra de Deus!

2.2 - Não aconteceu com o Sacerdote Azarias - Azarias não estava


comprometido com o Rei

De acordo com A Palavra de Deus, queimar incenso era função dos Sacerdotes; o Rei
não podia queimar - Porém, o Rei Uzias resolveu introduzir esta heresia, em Israel -
“Mas, havendo-se já fortificado, exaltou-se o seu coração até se corromper; e
transgrediu contra o Senhor, seu Deus, porque entrou no templo do Senhor
para queimar incenso no altar do incenso”.
Se o Sacerdote fosse Urias, o Sacerdote comprometido com o Rei, então o Rei
queimaria incenso - porém - o Sacerdote era Azarias, e Azarias não era um
homem comprometido com o Rei - “...o Sacerdote Azarias entrou após ele, e,
com ele, oitenta Sacerdote do Senhor, varões valentes. E resistiram ao rei
...Então, Uzias se indignou e tinha o incensário na sua mão para queimar
incenso; indignando-se ele, pois, contra os Sacerdotes, a lepra lhe saiu à
testa... Assim ficou leproso o rei Uzias até ao dia da sua morte...”- II Crônicas
26:16-21.

Quando um homem de Deus faz uso da autoridade que Deus lhe deu, as heresias não
prosperam na Casa de Deus.

VI - CONCLUSÃO

Pelo que vimos, por outras passagens que poderiam ser vistas, podemos conhecer
algumas causas das Heresias - dentre elas: falta de conhecimento da Palavra de
Deus; falta de coragem, ou de autoridade espiritual para aplicar A Palavra de Deus,
quando conhecida; preocupação em não contrariar os interesses e a vontade do Povo,
embora pecaminosa; desejo de ficar “ao lado do rei”, por interesses pessoais e
materiais.

Colaboração para o Portal EscolaDominical : Prof. Antonio Sebastião da Silva