Você está na página 1de 9

Licenciatura em Sociologia Pós-Laboral

Laboratório de Indicadores e Fontes Estatísticas

Ano Letivo de 2018/2019

Instruções
Leiam o enunciado com atenção antes de responderem!

O documento deve ser-me reenviado com as perguntas


incluídas!

Gravem o trabalho com alguma frequência e numa pasta


conhecida para evitar percalços que podem ser evitados!

Para facilitar a correção, escrevam as respostas a AZUL!

Desejo-vos um bom trabalho!

Exercício Temático 4 – Participação política e cívica

IDENTIFICAÇÃO DOS MEMBROS DO GRUPO:

Cláudia Gomes N89000

Matias Lúcio N87701

1
Parte I – Participação política
Observem o quadro seguinte:

Quadro 1 – Evolução da proporção de votos nulos


nas eleições legislativas (%), em Portugal, 1975-
2015
Anos Votos nulos

1975 6,95

1976 4,7

1979 2,01

1980 1,71

1983 1,83

1985 1,67

1987 1,3

1991 1,10

1995 1,14

1999 0,95

2002 0,96

2005 1,14

2009 1,35

2011 1,42

2015 1,66
Fonte: CNE, Resultados eleitorais 1975-2015
(www.cne.pt)

2
1.1. A partir da consulta ao sítio da CNE, definam o conceito de voto nulo. Indiquem os passos que
seguiram até encontrar a definição do conceito neste sítio da administração eleitoral. Atenção: não é
admissível a pesquisa em motores de busca. (2 valores)
No site CNE, clicamos em perguntas frequentes. Procuramos por “voto em branco e nulo” e clicamos
na linha “autárquica geral”. E o voto nulo é definido por aquele que :
“-Tenha sido assinalado mais de um quadrado; haja dúvidas sobre qual o quadrado assinalado;
- Tenha sido assinalado o quadrado correspondente a uma candidatura que tenha sido rejeitada ou
desistido das eleições;
- Tenha sido feito qualquer corte, desenho ou rasura;
- Tenha sido escrita qualquer palavra.”

1.2. Completem o quadro, preenchendo as células em branco. (1 valor)

Feito no quadro

1.3. Atendendo ao símbolo existente junto à informação relativa a 1979, refiram se é possível analisar
comparativamente os dados desta série estatística. Justifiquem a vossa resposta, evidenciando o
motivo da existência do símbolo. (1 valor)

Sim, contundo existe uma quebra de dados.

1.4. Construam um gráfico relativo à informação disponibilizada. (1,5 valores)

Evolução da proporção de votos nulos nas


eleições legislativas (%), em Portugal, 1975-2015
8
7
6
5
4
3
2
1
0
1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005 2010 2015 2020

Fonte: CNE, Resultados eleitorais 1975-2015

3
Observem o quadro seguinte:

Quadro 2 – Taxa de abstenção (%) em alguns países europeus nas eleições legislativas no período entre 2010 e
2019
Países Anos
2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019
Albânia 46,5 53,2
Bélgica 12,8 11,5
Dinamarca 12,3 14,2
Espanha 31,1 30,3 24,2
França 42,8 51,3
34,9 36,1
Grécia
37,5 43,4
Islândia 18,6 20,8 18,8
Itália 24,8 27,1
Lituânia 47,1 49,4
Luxemburgo 8,6 10,3
Noruega 22,0 21,8
Polónia 51,1 49,1
Portugal 41,9 44,1
Roménia 58,2 60,2
Suécia 15,4 14,2 12,9
Fonte: Cálculos efetuados a partir dos dados da participação eleitoral obtidos em Parties and Elections in
Europe (www.parties-and-elections.eu)

2.1. A partir da leitura do texto que vos foi sugerido, definam o conceito de abstenção, abordando as
várias dimensões que comporta. (1 valor)

2.2. Indiquem a fórmula de cálculo da taxa de abstenção. (1 valor)


Numero de abstémios / Total de eleitores * 100

2.3. Completem o quadro, preenchendo as células sombreadas. (1 valor)

4
2.4. Do quadro ressalta que os vários países que nele constam podem ser agrupados de acordo com os
diferentes níveis de abstenção registados. Com base nesses níveis, construam uma nomenclatura (ou
classificação), dando uma designação a cada uma das categorias que a integrarem. Indiquem os países que
incluem em cada uma das categorias. (2 valores)

Observem o quadro seguinte:

Quadro 3 – Proporção dos mandatos femininos na Assembleia da República, por partido político (%) entre
2005 e 2015

BE CDS-PP PAN PCP PEV PPD-PSD PS


2005 50,0 8,3 0,0 16,7 50,0 8,0 28,9
2009 37,5 19,0 0,0 15,4 50,0 27,2 28,9
2011 50,0 20,8 0,0 14,3 50,0 28,7 24,3
2015 31,6 38,9 0,0 40,0 50,0 32,6 31,4
Média
26,9
Total

Fonte: Assembleia da República

3.1. Apurem o valor médio dos dados presentes no quadro. (1 valor)

5
Feito no quadro

3.2. Construam um gráfico que inclua a média dos valores e interpretem-no. (2,5 valores)

Proporção dos mandatos femininos na Assembleia da


República, por partido político (%) entre 2005 e 2015
60

50

40

30

20

10

0
BE CDS-PP PAN PCP PEV PPD-PSD PS

2005 2009 2011 2015 Média Total

Fonte: Assembleia da República

A partir do gráfico conseguido através dos dados representados no quadro 3, conseguimos analisar
os valores percentuais dos mandatos femininos na Assembleia da República dos anos 2005, 2009,
2011 e 2015, juntamente com a média dos dados por partido político.

Comparando as proporções dos mandatos femininos entre os partidos, podemos salientar em


primeiro lugar os valores do PAN e do PEV, acontece serem quem contém os valores que mais
chamam a atenção. No caso do PAN (Pessoas-Animais-Natureza) observamos a completa inexistência
de mulheres candidatas à frente deste partido, em todos os anos analisados. Em contrapartida temos
um PEV (Partido Ecologista os Verdes) que apresenta um valor contínuo ao longo dos anos
examinados de 50%, atribuído à quantidade de mulheres candidatas à frente do mesmo.

Observando agora os restantes partidos, temos por analisar o BE, o CDS-PP, o PCP, o PPD-PSD e o PS.
Começando pelo fim, encontramos o PPD-PSD com o valor mais baixo em 2005 seguido de um
notável crescimento em cerca de 20% para o ano 2009 e não pareceu variar muito ate 2015, ano em
que chega a ultrapassar os 30%. Quanto ao PS, contém um registo que ronda os 25% e 30%.

O BE chega também, em 2005 e 2011, aos 50% de mandatos femininos, tendo uma quebra em 2015
onde se encontra nos 30%. Inferior a este, observamos o CDS-PP e o PCP, cujos valores apenas
ultrapassam os 20% no ano de 2015.

6
Parte II – Participação cívica
Observem o quadro seguinte:

Quadro 4 – Proporção de inquiridos do European Social Survey que afirmaram ter participado em manifestações
legais em alguns países europeus (%) entre 2008 e 2012

2008 2010 2012


Alemanha - 8,3 9,1
Bélgica 7,4 6,4 5,2
Bulgária - 2,6 5,5
Dinamarca 9,3 7,7 4,3
Espanha 15,9 18,2 25,9
Finlândia 2,5 1,4 1,5
França 15,3 17,1 -
Grécia 6,1 10,3 -
Holanda 3,3 2,5 3
Irlanda - 6,5 10,5
Noruega 7,2 9,6 9,8
Polónia 1,5 2,1 2,4
Portugal 3,7 3 7,4
Reino Unido 3,8 2,4 3,5
República Checa 4,5 4,6 6,7
Suécia 6,4 4,9 7,3
Fonte: ESS – European Social Survey (2008-2012) – n=34 311 (2008); 34 622 (2010); 39 081 (2012)

4.1. Procedam a uma leitura comparativa do quadro, situando Portugal no contexto europeu quanto à
participação em manifestações legais. (2 valores)

No quadro acima representado, podemos observar a proporção de inquiridos pelo ESS, que afirmam
ter participado em manifestações, em países europeus nos anos de 2008, 2010 e 2012.

Passando a uma leitura do quadro, percebemos que, no ano de 2010 todos os países apresentam
dados, contrariamente aos anos de 2008 e 2012 onde existe uma falta de informação de cerca de 5
países (Alemanha, Bulgária, França, Grécia e Holanda).

Portugal, como indicado no quadro, apresenta valores significativamente baixos, comparando este a
uma Espanha ou uma frança que apresentam valores proporcionais acima dos 15. Contudo, ainda com
um menor número de manifestantes do que em Portugal, temos a Finlândia e a Polónia, cujo número
de manifestantes não excede os 3%.

7
Acedam ao sítio http://www.uva-aias.net/en/ictwss

5.1. Procurem o codebook da base de dados ICTWSS e pesquisem nele a definição de “taxa de
sindicalização” (“union density rate”). Definam este indicador (em português) e apresentem a
respetiva fórmula de cálculo. (2 valores)

Taxa de sindicalização, é a adesão à União líquida como proporção de assalariados no emprego.

Formula: Num*100/WSEE

5.2. Pesquisem agora a base de dados na sua versão mais recente. Nela procurem os dados relativos à
taxa de sindicalização para Portugal, a partir de 1978; para a Espanha, a partir de 1977; para a Itália e
para a França. Construam um gráfico e interpretem-no. (2 valores)

taxa de sindicalização (%)


70

60

50

40

30

20

10

0
2005

2008
1977
1983
1989
1995
2001
2007
2013
1981
1987
1993
1999

2011
1979
1985
1991
1997
2003
2009
1978
1984
1990
1996
2002

2014

Espanha Portugal Itália França

Fonte: ICTWSS, Database 5.1, September 2016 in SPSS

No gráfico construido apartir dos dados retirados da base fornecida de SPSS podemos observar em
Espanha um decréscimo de valores a partir do ano de 1983, mas uma continuidade dos valores. Em
Portugal, mesmo que apresente os valores de uma forma decrescente, consegue números mais elevados

8
que nos outros países. Itália, ao contrario dos restantes, possui valores muito semelhantes ao longo dos
anos, nas casas dos 30/40. França encontra-se a decrescer, como o pais com os níveis mais baixos.