Você está na página 1de 24

PSICOEDUCAÇÃO

Depressão e Distorções Cognitivas


O QUE É DEPRESSÃO?
• “Tudo parece tão desesperador”, disse Karen. Enquanto olhava para as próprias
mãos, as lágrimas começaram a cair. “É difícil me levantar de manhã. Eu ajusto o
despertador, mas não tenho vontade de sair da cama. Meu coração fica apertado
quando penso em ir para o trabalho. Eu tenho medo das manhãs. Eu não tenho
mais nada para esperar.” Todos os dias, Karen se acordava de madrugada e sentia
uma tristeza avassaladora. Ficava sentada na cama, sozinha, pensando em como
sua vida era ruim. Por que eu sou assim? Eu não faço nada direito. Esses
pensamentos tristes e pesados inundavam sua mente, fazendo-a achar que não
havia motivos para seguir em frente. Logo iria amanhecer, e ela havia começado
outro dia infeliz. “Eu me pego chorando sem nenhum motivo”, disse-me ela. “Eu
queria poder voltar a dormir – para sempre.”

• Trecho do livro “Vença a depressão antes que ela vença você” de Robert L. Leahy
Energia
Perda de interesse e reduzida/fadiga Concentração e
Humor deprimido
prazer aumentada/atividade atenção reduzidas
diminuída

Diminuição da
Ideias de culpa e Visões desoladas e Ideias ou atos lesivos
autoestima e
inutilidade pessimistas do futuro de suicídio
autoconfiança

Diminuição ou
Problemas de sono
aumento de apetite

CID-10
Como a Terapia Cognitiva pode ajudar?
• Ajudando você a descobrir novas formas de pensar, agir e de estar com os
outros.
• Poderá descobrir – para sua surpresa – que, escondida dentro de você, existe a
coragem para abrir uma nova porta em sua vida, atravessá-la e construir uma
vida que valha a pena ser vivida.
• Como?
• Avaliar pensamentos
• Testá-los contra a realidade
• Encontrar novas formas de pensar sobre as coisas
• Considerar novos pensamentos específicos para que você possa experimentar.
TRÍADE
COGNITIVA-
BECK

A tríade cognitiva da depressão: a pessoa deprimida tem uma visão


negativa de si mesma, do mundo e do futuro.
• VISÃO NEGATIVA DE SI MESMO = (defeituoso,
inadequado, doente, carente, etc). Exemplo: Sou inútil; Sou
péssima mãe; Não presto; Devo ser tratada desse jeito
mesmo.
• VISÃO NEGATIVA DE MUNDO = (mundo fazendo
exigências exorbitantes sobre si mesmo e apresentando
Conceito de obstáculos insuperáveis para atingir suas metas de vida).
Tríade Cognitiva Exemplo: As pessoas são más; as pessoas me usam; as
pessoas não gostam do meu trabalho.
• VISÃO NEGATIVA DE FUTURO (projeções a longo prazo –
dificuldades, frustrações e privações incessantes). Exemplo:
Ninguém irá gostar de mim; Nunca serei feliz; Não serei bom
profissional; Nunca sararei da depressão.
O que vem primeiro – o pensamento ou a
depressão?
• Naverdade, tudo – esses pensamentos negativos levam à depressão, a
mantêm e a prolongam e, normalmente, são o resultado da depressão.
O importante é capturá-los, testá-los e modificá-los.
• Essanegatividade dominante é expressa em vieses específicos no seu
pensamento. Em terapia cognitiva, chamamos tais vieses de
“pensamentos automáticos”. Existem pensamentos automáticos que
chegam até você espontaneamente; eles lhe parecem plausíveis e
verdadeiros e estão associados a sentir-se deprimido. São as
DISTORÇÕES COGNITIVAS.
DISTORÇÕES
COGNITIVAS
• São simplesmente maneiras que
a nossa mente arranja,
convencendo-nos de algo que
não é realmente verdade.
• Estes pensamentos imprecisos
são normalmente utilizados para
reforçar o pensamento e/ou
emoções negativas, dizendo-nos
coisas (nosso diálogo interno)
que parecem racionais e
precisas, mas na verdade só
servem para fazer-nos sentir mal
acerca de nós mesmos.
Personalização:
• Atribuição pessoal geralmente de caráter negativo sem considerar outras
explicações
• Exemplos:
• “Meu chefe está bravo porque devo ter feito alguma coisa errada.”
• “O namoro terminou por minha culpa”.
Supergeneralização:

Tendência a considerar que um evento ou desempenho negativo ocorrerá outras


vezes
• Exemplos:
• “Sempre faço as escolhas erradas”
• “Nada dá certo no meu trabalho”
• Os pensamentos recorrem a: sempre, nunca, as pessoas são ou o mundo é.
Abstração Seletiva:

Tendência de prestar atenção em um ou em poucos detalhes, ignorando outras


características significativas, não conseguindo ver o quadro como um todo.
• Exemplos:
• Meu chefe apontou um erro no meu trabalho, então, posso ser despedido (sem
considerar os elogios do chefe)
• Não consigo esquecer aquela palavra que falei errado na palestra
(desconsiderando o sucesso, comentário positivos sobre a palestra)
Catastrofização
• Pensar que o pior de uma situação vai ocorrer, sem levar em consideração outros
desfechos.
• Exemplos:
• Perder o emprego será o fim da minha carreira.
• Não suportarei o fim do meu relacionamento.
• Se eu perder o controle será meu fim.
Filtro mental
• Assimilar somente a informação que diz ou confirma as expectativas (geralmente
negativas). A informação que não se encaixa tende a ser ignorada.
• Exemplos:
• A Maria preparou um prato para um jantar e convidou nove amigas. Quase todas
adoram a refeição da Maria, à excepção da Cristina, que disse que o prato estava um
pouco salgado. Maria sente-se mal por isso e passa a achar que cozinha terrivelmente
mal.
• O João terminou com a Sonia depois de dois anos e meio de relação. A Sónia
pensa “ninguém vai gostar de mim”, “nunca mais encontrarei alguém que queira ficar
comigo”.
Inferência Arbitrária
• Conclusão a partir de evidências contraditórias ou na ausência de evidências.
• Exemplo:
• Uma mulher com medo de elevador é solicitada a prever as chances de um
elevador cair com ela dentro. Elas responde que as chances são de 30% ou mais de
o elevador despencar e ela se machucar, mesmo que as chances de um acidente
catastrófico sejam pequenas.
Maximização e minimização
• A importância de um atributo, evento ou sensação é exagerada ou minimizada.
• Exemplos:
• Uma mulher com transtorno de pânico começa a sentir tonturas durante o início
de um ataque de pânico pensa: "Vou desmaiar; posso ter um ataque cardíaco ou
um derrame“
• “Eu tenho um ótimo emprego, mas todo mundo tem”
• “Obter notas boas não quer dizer que sou inteligente, os outros obtêm notas
melhores do que as minhas”
Personalização
• Assumir responsabilidade excessiva ou culpa por eventos negativos falhando em
ver que outras pessoas e fatores também estão envolvidos nos acontecimentos.
• Exemplos:
• O chefe estava nervoso e de cara feia, e a secretária pensa: “Devo ter feito algo
errado”
• O marido separando-se da esposa, pensa: “Não consegui manter meu casamento,
ele acabou por minha causa.”
Pensamento absolutista
• Os julgamentos sobre si mesmo, as experiências pessoais ou com os outros são
separados em duas categorias: totalmente mau ou bom, total fracasso ou sucesso,
completamente perfeito ou cheio de defeitos.
• Exemplos:
• As pessoas te amam ou te odeiam.
• Culpado ou inocente.
• Preto ou branco
Raciocínio emocional
• Presumir que sentimentos são fatos = “Sinto, logo existo”
• Pensar que algo é verdadeiro porque tem um sentimento (na verdade um pensamento)
muito forte a respeito
• Deixar os sentimentos guiarem a interpretação da realidade
• Exemplos:
• “Eu sinto que minha mulher não gosta mais de mim.”
• “Sinto que meus colegas riem às minhas costas”.
• “Sinto que estou tendo um enfarto, então deve ser verdadeiro.”
• “Sinto-me desesperado, então a situação deve ser desesperadora.”
Adivinhação
• Prever o futuro
• Antecipar problemas que talvez não venham a ocorrer.
• Expectativas negativas = como fatos.
• Exemplos:
• “Não irei gostar da viagem.”
• “Ela não aprovará meu trabalho.”
• “Dará tudo errado.”
Leitura mental
• Presumir, sem evidências, que sabe o que os outros estão pensando
desconsiderando outras hipóteses possíveis.
• Exemplos:
• “Ela não está gostando da minha conversa”
• “Ele está me achando inoportuna”
• “Ele não gostou do meu projeto”
Rotulação
• Colocar um rótulo global, rígido em si mesmo, numa pessoa ou situação, em vez
de rotular a situação ou o comportamento específico.
• Exemplo:
• “Sou incompetente.”
• “Ele é uma pessoa má.”
• “Ela é burra.”
Desqualificando o positivo
• Experiências positivas e qualidades que entram em conflito com a visão negativa são
desvalorizadas porque “não contam” ou são triviais.
• Exemplos:
• “O sucesso obtido naquela tarefa não importa, porque foi fácil.”
• “Isso é o que esposas devem fazer, portanto, ela ser legal comigo não conta.”
• “Eles só estão elogiando meu trabalho porque estão com pena.
IMPERATIVOS “deveria” e “tenho que”
• Interpretar eventos em termos de como as coisas deveriam ser, em vez de
simplesmente considerar as coisas como são
• Afirmações absolutistas na tentativa de prover motivação ou modificar um
comportamento Demandas feitas a si mesmo, aos outros e ao mundo.
Exemplos:
• “Eu tenho que ter controle sobre todas as coisas.”
• “Eu devo ser perfeito em tudo que faço.”
• “Eu não deveria ter ficado incomodado com meu amigo.”
Questionalização (E SE?)
• Focar o evento naquilo que poderia ter sido e não foi.
• Culpar-se pelas escolhas do passado e questionar-se por escolhas futuras.
Exemplos:
• “Se eu tivesse aceitado o outro emprego, estaria melhor agora.”
• “E se o novo emprego não der certo?”
• “Se eu não tivesse viajado, isso não teria acontecido