Você está na página 1de 142

Efésios

mm Imim niininniim nnm mim i mim iinm m m ii nm nniiniim m ii m im imim nm m iim ii i mm i mini mum mm nm nii niiiim m m iiiiiiiiiiiiimm im iiiiih iiiiiiii iiii

.........IIIIIHI....II..........I................... mi .....i l l .... mim. . . . . . . . . . . . . . . . . I... I... mumm ...................mi .......... minium. . . . .. . . . . . . . . . . . .

miiiimiiiiimiiiimiimmiimiiiiiiiiimimiiiiimiiiiimiimiimmmmmiiimiimmmimimmiimmmimmmmmimmmmimmmmmmmmmmmmmmimmiiiii

Ary
Yelloso
iiin iiiiiiitiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiif

lÍ1[^[5Í|[^[5Tll^[^[^[^[5l1[^[^[^Íl[5Í1[5Í1[5Í1[5Í1[5Tl[5Íl[5Í1[^Í][5j
I II 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 lllllllllllllllllillllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllMIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII
Pr. Ary Velloso

Estudo de
Efésios
pela Internet
(2011)
SOBRE O AUTOR

Na sala de casa, A ry Velloso da Silva fundou no fim dos


anos 70 uma igreja. Com o tempo, o núm ero de
frequentadores pulou dos cinco iniciais para 15. Com
500, as reuniões ocorriam num hotel.
A igreja batista passou ainda p o r uma escola de São
Paulo antes de ocupar a atual sede no Morumbi, na
zona sul da cidade, onde recebe até cerca de 5.000
pessoas.
Ary, filho de um militar, nasceu na mineira Congonhas
do Campo e cresceu em Belo Horizonte. M udou-se para São Paulo para estudar. Na
PUC, formou-se em letras.
O mestrado em teologia ele fez nos EUA. Voltou ao Brasil em 1968, já como pastor.
N o ano seguinte, em Bauru, conheceu Carolina, uma pianista norte-americana que
tinha vindo a São Paulo para se apresentar. Ela retornou ao seu país, mas os dois
ficaram noivos p o r telefone.
Em 1970, A ry foi a Califórnia casar-se na igreja dela. Após oficializarem a união, o
casal veio viver no Brasil
O pastor criou igrejas em Campinas, Vinhedo, São Bernardo do Campo,
Florianópolis e Granja Viana. Em 2004, saiu da do M orum bi para criar mais uma
em Londrina.
Segundo o pastor Lisânias Moura, o amigo modificou a forma dos cultos, tornando-
os informais (sem a necessidade de paletó e gravata). Usava músicas e contava piadas
-palmeirense, sempre tirava sarro do Corinthians.
Como conta a mulher, o marido vivia com base no versículo “para mim, o viver é
Cristo, e o m orrer élucro”.
Nos últimos 13 anos, viveu com um coração transplantado. M orreu no dia 25 de
abril de 2012; aos 77, de problemas cardíacos. Teve dois filhos e três netos.
Estudo de Efésios pela Internet

Atenção!
Não faça este estudo juntamente com o estudo de Romanos,
dedique-se a apenas um de cada vez!
O aproveitamento que você terá de Efésios será proporcional ao tempo que
investir no estudo.

Olá! Quero desafiá-lo(a) a estudar a carta de EFÉSIOS da seguinte forma:

S Você receberá as lições semanalmente por e-mail - gratuitamente.

S Você responderá a várias perguntas durante o estudo, porém NÃO as enviará


para mim. Será um processo de auto-avaliação!

S Você terá que se compromissar a fazer as tarefas pedidas, e “pagar o preço”


de investir tempo nisto!

S A qualquer momento você poderá parar o estudo, reiniciá-lo ou retroceder


algumas lições, para isto basta nos informar.

Este estudo pela internet tem se tornado uma benção muito grande na vida de
muitos, já são mais de 3.000 participantes em 28 países. É impossível estudar
Efésios e ser a mesma pessoa! O Reino lucrará muito com sua participação e
você também!

Não se sinta constrangido(a) caso não queira, ou não possa aceitar este desafio
no momento. Temos novos grupos iniciando semanalmente.

Aceitando o desafio, entre em contato


somente após realizar
a primeira tarefa:

ler os capítulos 1, 2, 3 e 4 - duas vezes


da seguinte forma...

Leia

Isto pode parecer óbvio, mas muitos “leitores” são apenas folheadores, viram as
páginas da mesma maneira com que trocam os canais no aparelho de televisão,
procurando algo que lhes desperte o interesse.
A Palavra de Deus não se presta a este tipo de abordagem, ela requer um
esforço consciente e concentrado, sendo assim, leia as mesmas porções da
Bíblia repetidas vezes, quanto mais você as ler, mais claras se tornarão.

Registre

Anote o que vê no texto, mantenha um registro de suas opiniões e dúvidas. Você


pode até pensar que o que tem a escrever “não é muito bom”, mas comece onde
está, mesmo com as coisas mais elementares, mas... certifique-se de escrever.

Use um bloquinho ou caderno para registrar com suas próprias palavras o que
vê, resuma suas observações e opiniões para que mais tarde venham à sua
mente. Isso o ajudará a lembrar-se do que descobriu e a usá-lo.

Reflita

Reserve algum tempo para pensar sobre o que viu.

Pergunte a si mesmo:
S O que está acontecendo nesta passagem?
S O que ela está me dizendo sobre Deus?
S E sobre mim?
S O que preciso fazer, baseado no que estou lendo?

A reflexão é vital para entender e aplicar a Palavra de Deus!

Você gostaria de começar a aproveitar melhor o seu tempo nas Escrituras?


Cultive estes três hábitos que aumentarão sua produtividade. Use-os todas as
vezes que abrir sua Bíblia.

Trecho do excelente livro “Vivendo na Palavra”- Howard e William Hendricks - Editora Batista Regular

Assim que terminar de ler os capítulos 1, 2, 3 e 4 - duas vezes, entre em


contato através do e-mail efesios@ ibm orum bi.com .br com os seguintes dados:

Nome completo:
E-mail:
Estado e país onde reside:

Em Cristo, Ary Velloso


LIÇAO 1

EFÉSIOS

TESTE INICIAL

Meu propósito é guiá-lo num estudo pessoal deste precioso livro que certamente
será uma benção para você e os seus. Estudando Efésios sua vida nunca mais
será a mesma... você se tornará uma pessoa cada vez melhor!

As lições serão enviadas semanalmente, porém não há um tempo determinado


para você terminar cada uma delas, faça e refaça conforme sua possibilidade.
O aproveitamento que você terá de Efésios será proporcional ao tempo que
investir no estudo.

Quero lembrá-lo que não poderei responder suas perguntas.


Grato por acompanhar-me neste estudo.

VAMOS À LIÇÃO...

Aqui está um teste para você avaliar o seu conhecimento de Efésios, assim você
estará consciente do quanto já sabe ou não.

O objetivo deste é levá-lo a se empenhar com mais dedicação ao estudo.

S Não consulte a Bíblia, dicionário ou qualquer livro.

S Não tente adivinhar, responda se tiver convicção.

S Não me envie seu teste, pois não haverá correção ou gabarito.

Responda, imprima e guarde para no decorrer do estudo você ver o quanto


melhorou...
TESTE INICIAL

A. Complete

Efésios foi escrita p o r_______________ enquanto estava preso em


no ano d e ______________ .
Sua mensagem central é “para o louvor d a _____________________ ”

(0,5 para cada resposta certa. Total = 2).

B. Cite os capítulos relacionados seguindo o exemplo...


Capítulo 4: Nossa vocação
Capítulo Somos “selados em Cristo”
Capítulo Jesus o nosso Redendor
Capítulo “pedra angular” ou “pedra da esquina”
Capítulo A igreja - noiva de Cristo
Capítulo Deus nos escolheu
Capítulo Armadura de Deus
Capítulo Marido modelo
Capítulo O “mistério de Cristo”
Capítulo Unidade dos crentes
Capítulo Diversidade de dons
Capítulo Andar na luz
Capítulo Vida no lar
Capítulo Largura, comprimento, altura e profundidade
Capítulo Analogia do vinho
Capítulo Bênçãos espirituais
Capítulo Analogia do corpo
Capítulo Pais e filhos
Capítulo Nova vida em Cristo
Capítulo Salvação é pela graça
Capítulo “Vivam como filhos da luz”

(0,2d para cada resposta certa. Total = d).

C. Sintetize numa frase o tema central de...

Capítulos 1 a 3 - ______________________
Capítulos 4 a 6 - ______________________

(0,75 para cada resposta certa. Total = 1,5)


D. Defina sem consultar o dicionário.

1. Vocação

2. Reconciliação

3. Submissão

4. Redenção

5. Mistério

(0,3 para cada resposta certa. Total = 1,5).

Como você se saiu?


Se tirou 10, eu gostaria de aprender Efésios com você!

Será que você precisa estudar mais? Se tirou nota baixa não se preocupe, até o
final você vai brilhar... dependendo da sua dedicação ao estudo!

Depois de salvar as lições em seu computador, imprima uma cópia e arquive,


assim você terá uma apostila no final do curso.

Quem sabe você irá ensinar Efésios muitas e muitas vezes...


Não diga como Moises: “Quem sou eu?!”

Em Cristo,
Ary
LIÇÃO 2

EFÉSIOS

INTRODUÇÃO E ESBOÇO

Estou feliz que você esteja pronto para estudar Efésios!


Minha oração por você é aquela do Salmo 119:18...
"Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua lei"

Se você já acompanhou nosso estudo de Romanos, notará muitas semelhanças


com o livro de Efésios! Eles nos dão... “uma visão privilegiada do pensamento de
Paulo” (Bíbliade Genebra)■Veremos também em detalhes o plano perfeito de Deus para
a redenção do homem.

Há também muitas semelhanças com o livro de Colossensses. “Paulo adotou


aqui uma abordagem devocional e de oração à medida que contemplava o
significado eterno e universal da igreja e Cristo, continuando assim as suas
reflexões sobre o assunto que dominou a sua correspondência com os
Colossensses - o significado eterno e universal do próprio Cristo. ” (BíbliadeGenebra).

Perceba que assim como em Romanos e Colossesses, neste livro há uma divisão
bem clara entre teoria e prática. Os três primeiros capítulos são doutrinários,
profundamente teológicos, e só então Paulo nos pede...
“Rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação que receberam.” - Ef.4:1

Éfeso era um importante porto da Ásia Menor, localizado perto da atual Izmir.
O mundo naqueles dias era marcado por grande violência e perversidade, e a
humanidade vivia sem esperança. Veja Ef. 2:2 e Rm 1:18-32.
Alguma semelhança com nossos dias?!

Enquanto estava preso e aguardando julgamento em Roma por volta de 60-64


dC, Paulo escreveu esta carta (além de Filipenses, Colossenses e Filemom),
para ser lida por várias congregações, com o objetivo de...
s expressar que sua fé estava centrada em Cristo
s fortalecê-los com a Graça de Deus para com a igreja, a fim de que pudessem
ser fonte de bênção para o mundo
s prepará-los para permanecer unidos frente aos ataques externos e distorções
internas

Embora já houvesse passado por Éfeso antes, Paulo foi para lá em 55dC onde
ficou ministrando por dois anos, período em que desenvolveu um profundo
relacionamento com aqueles irmãos. Sua mensagem de despedida a eles é uma
das passagens mais emocionantes da Bíblia. Você a encontra em Atos 20.17-38.
Esboço de Efésios

Fomos
1 Eleitos

Nossa Posição em Cristo


DOU TRIN A
Fomos
2 Aproximados

Fomos
3 Vocacionados

Devemos ser
4

Nosso Caminhar com Cristo


Obedientes

DEVERES
Devemos ser
5 Submissos

Devemos ser
6a Fortalecidos
DEFESA
em Cristo

Nossa

6b Armadura

Tarefa...

1. Aprenda decor os temas de cada capítulo.

2. Guarde as referências como aparece no gráfico, assim você terá todo o


Esboço do livro de Efésios na ponta da língua.

Não se preocupe! No final do estudo o esboço fará sentido.


Futuramente você saberá o gráfico inteiro!

Bom estudo, Ary.


LIÇAO 3

EFÉSIOS 1

FOMOS ELEITOS

Estou partindo do ponto que você já leu o livro todo e agora está se concentrando
nos 3 primeiros capítulos.

s Você já decorou o esboço de Efésios?


S Quais são as 2 grandes divisões?
S Qual o assunto do capítulo 2? E do 4? E do 6? É preciso saber todos!
Agora confira com o Esboço. Como você se saiu?

Lembre-se que como em qualquer estudo, o aproveitamento que você terá de


Efésios será proporcional ao tempo que investir!

Tenha um caderno para você ir tomando notas. Bombardeie o texto com


perguntas como Quem? Como? Aonde? Por quê? Quando?

Veja o esboço do capítulo 1...

I - Apresentação - vs. 1-2

II - Escolhidos pelo Pai - vs. 3-6


a) abençoados "em Cristo" - v. 3
b) para quê Deus nos escolheu? - v.4
c) para quê Deus nos adotou - vs. 5-6

III - Redimidos pelo Filho - v s .7 -12


a) Jesus nos redimiu - vs.7-8
b) todas as coisas convergem nEle - vs. 9-10
c) para quê fomos redimidos? - vs. 11-12

IV - Selados pelo Espírito Santo - vs.13-14


a) a palavra da verdade - v. 13a
b) para quê fomos selados? - vs.13b-14

V - Oração de gratidã o- vs.15-23


a) pelo quê Paulo ora? - vs. 15-18a
b) a esperança do chamado de Deus - vs.18b
c) a glória da herança de Deus - v.18c
d) a grandeza do poder de Deus - vs. 19-23
Vamos ao estudo.

As bençãos espirituais estão disponíveis para mim e para você, e é aqui, nesta
carta de Efésios que as encontramos! Elas se dividem em torno de três pessoas
da Santíssima Trindade...

S todas as bênçãos do Espírito


S são dadas pelo Pai
S se estamos no Filho

Conforme a expressão de Charles Hodge: “Essas bênçãos são espirituais não


apenas por pertencerem à alma, mas sim por derivarem do Espírito Santo, cuja
presença e influência são a grande bênção outorgada por Cristo.”

Todas essas bençãos acontecem não em algum tempo ou lugar no futuro, mas
acontecem aqui e agora, numa dimensão absolutamente verdadeira que Paulo
chama de "regiões celestiais", isto é, a realidade invisível de nossas vidas hoje.

Tenha em seu coração que estes princípios não são meramente doutrinários ou
teológicos, “mas são as verdades sólidas que nos sustentam em cada momento
da vida cristã. Elas são tão confiáveis quanto as leis da natureza, e funcionam
independentemente de como nos sentimos a respeito delas.” (RayStedman)

I - Apresentação - vs. 1-2

Versículo 1a...
“Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus”

Paulo se descreve como um apóstolo, isto é, um mensageiro, uma voz de Deus.


Como ele mesmo nos diz em Gálatas 1:11-16, o Senhor Jesus apareceu a ele
diretamente, então ele não conhecia o evangelho por debatê-lo com outros
apóstolos, mas por recebê-lo diretamente de Jesus Cristo!

Note que ele não oferece outras credenciais, não se refere à sua formação aos
pés de Gamaliel, nem a sua privilegiada origem hebréia (veja Atos 22:3 e
Filipenses 3:4-6). “Seu apostolado viera da vontade de Deus e da escolha e
comissão de Jesus Cristo” (JohnStott)

Versículo 1b...
“aos santos e fiéis em Cristo Jesus que estão em Éfeso”

santos

Os santos do Novo Testamento eram pessoas como nós, que lutavam com
problemas em suas famílias e locais de trabalho, os mesmo problemas
emocionais e espirituais que eu e você temos, porém... tomaram a decisão de
viver de maneira diferente: para Deus.

Você já tomou esta decisão, estudante?! O que “move” a sua vida?

fiéis
O adjetivo fiel, no grego “pistos”, pode ter dois significados...
S ter fé, confiar
S fidedigno, digno de fé, que merece crédito

E você estudante, tem sido fiel nos dois sentidos?!


Certamente é difícil imaginar um - verdadeiro - crente que não o seja.
Se ainda tem dúvidas, veja esta canção infantil que explica a fidelidade de forma
muito simples e clara...

“Seja um cristão de verdade


Em palavra e ação mostre que Jesus Está em seu coração

Eu tenho um recado muito importante pra você que é o tipo de cristão falante
Se o que você vive é diferente do que diz
Então, meu amado, é melhor ficar calado ou então mude de vida.
Arrependa-se, peça perdão e mude de vida agora mesmo.

Não queremos mais ouvir ”lorota”, sua vida é o que mais importa
Esse tipo de cristão tá por fora, é melhor mudar de vida agora!”
’’C ristão de V e rd a d e ” - C D V am o s C om partilhar - Ministério C rianças D iante do Trono

Versículo 2...
“A vocês, graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo. ”

Embora esta era fosse uma saudação comum nas cartas cristãs gregas e
hebraicas da época, temos que ter sempre em mente que nada do que está
escrito na Bíblia é meramente convencional.

As duas grandes heranças dos cristãos são graça e paz, e você pode tê-las
sempre, não importa as circunstâncias.

II - A origem da benção é Deus Pai - vs. 3-6

a) a fonte de toda benção - v.3a


“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”

Paulo começa com quem está por trás de toda benção: o Deus e Pai de nosso
Senhor Jesus Cristo. Esse é o ponto de partida dele, e... é o seu também?!
Ray Stedman nos lembra que “o grande problema é não começamos nosso
pensamento com Deus, ao invés disto, nos baseamos em nossas experiências e
circunstâncias (que são apenas uma visão parcial da verdade), e acabamos com
uma idéia distorcida do que Deus está fazendo em nossas vidas e no mundo.”

Através de Efésios podemos ver que tudo ocorre "para o louvor da glória de
Deus", ou seja, a fim de que Ele seja louvado. Deus quer que o coração do Seu
povo fique tão maravilhado que reflita automaticamente louvor e glória à Ele!

b) as bençãos são "em C risto" - v.3b...


“que nos abençoou com todas as bençãos espirituais nas regiões celestiais em
Cristo. ”

“Anteriormente estávamos em Adão, pertencendo à antiga humanidade caída;


agora estamos em Cristo, pertencendo à nova humanidade redimida. É em Cristo
que Deus nos abençoou no tempo e nos escolheu na eternidade!” (JohnStott)

Estas bençãos fazem com que a vida valha a pena! Sem elas a vida se torna
desoladora, maçante e, em última análise insustentável. Não podemos produzir
essas bençãos por nós mesmos, só podemos recebê-las de Deus, em Cristo.

nos abençoou

Note que esta não é uma promessa a ser cumprida, Deus já nos abençoou!
As bençãos de Deus não são baseadas em obras humanas, mas no amor dEle e
Sua graça! É algo que só Deus pode dar, o que Ele já fez!

bençãos espirituais

Paulo quer ressaltar que “as bençãos distintivas da nova aliança são espirituais,
não materiais.” (John Stott). Estas estão disponíveis "aos justos e injustos" (veja
Mateus 5:45), mas o espírito interior do homem pode ser curado apenas em
Cristo. Não há outro caminho!

regiões celestiais

Como já vimos, as “regiões celestiais” mencionadas em Efésios e outras


passagens da Bíblia são na verdade o mundo invisível da realidade espiritual,
onde as coisas são intensamente reais e verdadeiras, mas que não se pode ver
nem tocar no momento; no entanto desempenham um papel importante em
nossas vidas.

É a isto que Paulo se refere em II Cor. 4:18...


"Então, nós fixamos os olhos sobre o que não é visto, mas sobre aquilo que é
invisível. Para o que é visto é temporário, mas o que é invisível é eterno”.
Veja uma poderosa ilustração das regiões celestiais no Antigo Testamento
através da história de Eliseu e seu servo. Leia II Reis 6:15-17.

John Stott nos explica que “os cinco usos da expressão “regiões celestiais” que
encontramos em Efésios, indicam que são...
S a esfera em que os principados e potestades continuam a operar (3:10; 6:12)
S a esfera em que Cristo reina supremo e seu povo reina com Ele (1:20; 2:6)
S e onde, portanto, Deus nos abençoa com toda benção espiritual em Cristo
(1:3)”

em Cristo

Tudo isto está disponível a nós através da pessoa e obra do Senhor Jesus Cristo!
Este fato é salientado repetidas vezes em toda a carta aos Efésios, não há duas
palavras que aparecem mais frequentemente do que "em Cristo" ou "por Ele."
Não se pode pretender receber as bençãos de Deus sem reconhecer a
centralidade de Cristo em nossas vidas! Não há outra forma!

Cuidado!

Se você estiver envolvido em um grupo que deixa de lado o Senhor Jesus Cristo
e tenta ir "diretamente a Deus" para reivindicar as grandes promessas espirituais
do Novo Testamento, você está sendo conduzido a um reino espiritual de fraude!

Deus só concede suas bençãos espirituais - em Cristo.

Estudante, no decorrer do estudo desta grande carta inspirada por Deus vamos
pedir a Ele que nos ajude a pensar profundamente sobre estas incalculáveis
bençãos espirituais que nos deu, a fim de que a nossa vida reflita a tremenda
realidade que Deus é e o que Ele está fazendo no nosso mundo!

Vamos pedir a Deus para que abra nossos olhos, a fim de que possamos ver Sua
realidade!

Em Cristo, Ary
LIÇAO 4

EFÉSIOS 1

FOMOS ELEITOS

I - Apresentação - vs. 1-2

II - A origem da benção é Deus Pai - vs. 3-6


a) a fonte de toda benção - v.3a
b) as bençãos são "em Cristo" - v.3b

Paulo agora vai nos dar uma lista de todas as bençãos espirituais.

Existe uma estrutura nesta passagem que notamos no original grego: os versos 3
a 14 foram compostos como uma única frase ininterrupta, e preenchida com
muitos adjetivos para ampliar e enriquecer a nossa compreensão das bençãos de
Deus em Cristo!

Pegue uma caneta e sublinhe todos os verbos, você irá notar que todos eles se
referem à Deus e Sua ação.

c) Deus nos escolheu - v.4a


“Porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo”

João Calvino (1509) foi o homem que desenvolveu o sistema teológico que mais
tarde recebeu o seu nome. Contudo a doutrina Calvinista, doutrina da eleição ou
predestinação existiria independente dele, talvez tivesse tido outro nome como
“Paulina”, porque é uma teologia bíblica, calcada na Soberania de Deus, no fato
de que Deus nos escolheu antes mesmo do mundo existir para sermos seus.

Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus!


Quão insondáveis são os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos!
“Quem conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro?
“Quem primeiro lhe deu, para que ele o recompense?
Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre!
Amém. - Romanos 11:33-36

O Calvinismo nasce de uma visão clara de Deus como o Criador e Rei do


Universo, é a maneira teocêntrica de pensar e aceitar, que toda a vida, todas as
folhas e flores, assim como todos os acontecimentos, dos maiores aos menores,
estão sob a direção e controle de Deus. Nada o surpreende. Em outros termos, é
a doutrina bíblica que reconhece total soberania de Deus sobre a sua criatura e
criação.

“Lembrem-se das coisas passadas, das coisas muito antigas! Eu sou Deus, e não
há nenhum outro; eu sou Deus, e não há nenhum como eu. Desde o início faço
conhecido o fim, desde tempos remotos, o que ainda virá. Digo: Meu propósito
permanecerá em pé, e farei tudo o que me agrada. Do oriente convoco uma ave
de rapina; de uma terra bem distante, um homem para cumprir o meu propósito.
O que eu disse, isso eu farei acontecer; o que planejei, isso farei.” Isaias 46:9-11

Através dos séculos, homens como Agostinho, Martinho Lutero, Zwinglio, João
Knox, C. H. Spurgeon (o maior pregador batista de todos os tempos), J. I. Packer,
John Stott, David Gomes e Dr Criswell, e tantos outros sustentaram e ainda
vivem o Calvinismo.

O ponto desta doutrina que mais produz controvérsia entre os evangélicos de


modo geral é o que se refere a salvação. Consideremos, então, alguns pontos...

1. Nós calvinistas concordamos com o profeta Jonas...


“A salvação pertence ao Senhor” (Jonas 2:9).

2. Possui o homem livre arbítrio ou é um títere, um fantoche impelido para lá e


pára cá pelas forças do acaso? Claro que não! O homem não é um robô.
O significado de arbítrio é “decisão que depende da própria vontade da pessoa”
Sim! O homem pode fazer escolhas como o time de futebol que vai torcer, por
exemplo.

3. O ponto central do calvinismo é que depois da queda (Gênesis 3), o homem


caiu numa depravação total (Romanos 1:18-32; 3:9-18; Efésios 2:1-3)

Note bem! Depravação total NÃO significa...


S que todo homem (ou mulher) já deu total vasão a sua depravação
S que ele não tenha uma noção de Deus
S que todo homem tenha que se envolver com toda a sorte de pecados pormais
sórdidos que sejam
S que na sua “depravação” ele não faça “boas obras” aos olhos dos homens

Depravação total significa que o mal corrompe e permeia todo o ser humano,
obscurece a mente, corrompe os sentimentos, torce a verdade, cega a
consciência e aflige o corpo. Não há absolutamente nada no homem que o
recomende diante de Deus.

S o homem é fraco, ímpio, pecador e inimigo de Deus (Romanos 5),


S o homem está morto em delito e pecado (Efésios 2:1);
S então Deus, na Sua misericórdia e graça, decidiu salvar alguns (Ef. 1:13-14;
II Tess 2:13),
S e assim os elegeu antes da fundação do mundo. Estes eleitos serão salvos
porque o mesmo Deus predestinou também os meios e modos para que eles
alcancem a salvação: esta salvação é incondicional, isto é, nem a fé da
pessoa, nem o fato dela crer, são causas da salvação, mas sim conseqüências
da eleição (Ef. 2:8-9; At 13:48)

Algumas obieções ao calvinismo

1. Isto cheira a fatalismo


Não! O fatalismo não dá margem para qualquer tipo de liberdade por parte
do homem. Atrás do “fatalismo” está o acaso, a sorte, o destino, a cegueira.
Fatalismo é impessoal.
Atrás da “eleição” está um Deus sábio, soberano, amoroso, pessoal, que
nunca cometeu um erro.

2. Esta doutrina mata a motivação para se pregar o evangelho


Não! Primeiro pregamos porque Ele mandou (Mat 28:18-20), segundo
porque aumenta a motivação e nos leva a oração sabendo que para Deus
não há coração duro (Deut 32:39)

3. Pode alguém que queira a salvação ser salvo?


Claro! Se a pessoa quer ser salva é o grande sinal que é uma eleita, pois é
Deus quem opera este querer (Fil 1:23; Rom 3)

4. Deus não estava sendo injusto?


Não! Quem somos nós para acusar a Deus de injustiça?!
Veja o que Paulo diz em Romanos 9 e pense sobre isto.

5. Deus nos escolheu por causa da sua onisciência, isto é, Ele viu os que iriam
crer e a estes Ele predestinou?
Não! Isto centralizaria a salvação no homem. Qual a vantagem de Deus me
escolher se eu já iria escolhê-lo? Veja novamente que “crer” é uma
conseqüência, e não a causa para “eleição” ou predestinação (At. 13:48)

6. Deus não estaria fazendo acepção de pessoas? (Tg 2:1-9; At 10:34; Rom 2:11)
Não! Estes textos falam em acepção no sentido dela ser rica ou pobre, judia
ou gentia.

7. O crente que canta, prega, vive na igreja e depois esfria, afasta e morre num
bordel, não estaria perdido?
Não! Se ele é de fato um crente NÃO perde a sua salvação.
Ele foi eleito pela graça de Deus e esta graça redentora em Cristo é que o
leva para a glória. Se não fosse assim, o que seria dos que morrem dentro
das igrejas cheios de inveja, amargura ou adultério mental?!
Implicações práticas

S Forte consciência de nossa pecaminosidade - Efésios 2:1-4


S Forte experiência da graça e do perdão - Tito 3:4-7; Efésios 2:8-9
S Forte sentimento de rendição - Romanos 12:1-2; II Coríntios 5:14-15

O significado da eleição e da predestinação para o crente...

1. Mostra que a sua salvação, do princípio ao fim, pertence exclusivamente a


Deus, e é fruto da soberana misericórdia Dele.

2. Assegura o crente da vida eterna e remove toda a base para temor e


desânimo (Rom 8:31-39)

3. Ao contrário do que muitos pensam, esta preciosa doutrina impulsiona o


crente não para a libertinagem, mas para uma vida séria com Deus em
santificação e grande gozo. A pessoa que utiliza esta doutrina como desculpa
para uma vida de baixos padrões éticos é porque não é salva ou nunca
entendeu o que é eleição no sentido bíblico.

4. Esta preciosa doutrina afasta do crente qualquer direito de vanglória ou


presunção, e deve produzir nele um profundo sentimento de humildade e
gratidão.

Estudante, dobre seus joelhos no temor e humildade perante este amor eterno de
um Deus que não está confinado pelo passado ou futuro e que determina todas
as coisas pela Sua vontade.

Você vê como é que este fato eleva a sua identidade como um filho de Deus?
Não existem cidadãos de segunda classe do corpo de Cristo, fomos todos
escolhidos do Pai, selecionados como membros de Sua família para sempre!

“Em consequência, devemos ser de um lado santos e irrepreensíveis perante Ele


(v.4), e de outro, para o louvor da sua gloriosa graça” (v.6) ” (JohnStott)

Em Cristo,

Ary
LIÇAO 5

EFÉSIOS 1

FOMOS ELEITOS

I - Apresentação - vs. 1-2

II - A origem da benção é Deus Pai - vs. 3-6


a) a fonte de toda benção - v.3a
b) as bençãos são "em Cristo" - v.3b
c) Deus nos escolheu - v.4a

d) para quê fez isto? - v.4b


“para sermos santos e irrepreensíveis em Sua presença. ”

“Isto mostra que quando Deus nos escolheu em sua mente, éramos ímpios e
culpados, e que não merecíamos a adoção, mas sim o julgamento” (JohnStott)

É tão impactante que até causa temor acreditar que literalmente se aplica a nós!

santos

A razão pela qual achamos difícil acreditar nisto é que a nossa compreensão da
palavra santidade é distorcida. Vamos pegar um exemplo usado por Ray
Stedman para nos ajudar...

Aqui neste texto a palavra “santos” significa “plenos”. Assim como atingimos a
integridade física quando todo o nosso corpo funciona da forma correta, quando
todos os órgãos, membros e sistemas cumprem suas funções; da mesma forma
atingimos a plenitude espiritual quando todo o nosso ser cumpre sua função de
acordo com o propósito de Deus, isto é...

“Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo” para sermos restaurados a
fim de atingir o propósito original para o qual fomos criados.

irrepreensíveis

Isto não significa que devemos ser sem pecado, porque como Romanos 3:23 diz:
“todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus. ”

Irrepreensível aqui significa “fidedigno” - alguém que é digno na fé, digno na vida,
digno daquilo que compreendeu e creu acerca do evangelho.
em Sua presença

O que Deus deseja para nós hoje, estudante?!

Não é uma santidade que pode ser medida pela frequência aos cultos, por
exemplo, mas uma santidade na presença de Deus, isto é, em tempo integral;
não só na presença de líderes religiosos ou irmãos em Cristo.

e) Deus nos adotou - v. 5a


“Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos, por meio de Jesus
Cristo”

Aqui está uma explicação parcial de como Deus cuida de todos os fracassos e da
vergonha do nosso passado, para nos tornar um cristão que é santo e sem culpa.
Deus realiza esta mudança em nós através de um novo relacionamento familiar,
Ele nos adota e recebe como seus próprios filhos, nos dando também uma nova
imagem, a imagem de Cristo! (Rm 8:29)

Imagine só... Uma criança está no orfanato e então chega um milionário e a adota
como filho, ela recebe seu sobrenome, passa a viver na abundância de sua
riqueza - e não mais no sofrimento da vida de órfão - e ela pode inclusive dizer
na intimidade: “Oi Pai” !

Assim somos nós, que como diz o salmista...


“Ele me tirou de um poço de destruição, de um atoleiro de lama; pôs os
meus pés sobre uma rocha e firmou-me num local seguro.” - Sl 40:2
...podemos clamar “Aba, Pai!” (a palavra Aba no aramaico significa pai no
diminutivo, isto é, paizinho)

Embora humanos e sujeitos à tentação da raça adâmica, deixamos de ser


escravizados pela morte e pelo pecado. Fomos transferidos para uma nova
família e recebemos então uma nova identidade! Pela obra de Jesus Cristo
somos transformados em filhos de Deus para o glorificar.

Paulo tinha a plena consciência de que tudo que lhe acontecia era um
instrumento para transformá-lo... de escravo para um filho que se parece com o
Pai!

Estudante, Deus te escolheu, mas até então você adquiriu muitos vícios de
escravo do pecado, e agora Deus vai trabalhar em sua vida até que as pessoas
ao teu redor possam dizer: “Veja! Ele é a “cara do Pai!”

Mas... John Stott nos lembra que “filiação também subentende responsabilidade.
O Pai celestial não estraga os seus filhos, pelo contrário, “Deus nos disciplina
para o nosso bem, para que participemos da sua santidade” (Hb 12:10)
f) por quê fez isto? - vs.5b-6
Por que razão o infinito Deus do universo escolheu criaturas fracas, cheias de
falhas, propensas ao pecado - como você e eu - para fazerem parte do seu
plano final?

“...conforme o bom propósito da sua vontade, para o louvor da sua gloriosa graça,
a qual nos deu gratuitamente no Amado”

Isso deixa claro que não temos qualquer motivo para nos sentir importantes por
termos sido escolhidos por Deus, pelo contrário, devemos nos humilhar diante
desta verdade! A escolha de Deus não se baseie no nosso mérito, mas sim em
Seu caráter e atributos!

Tudo foi determinado e feito por Deus. Ele se agrada em nos salvar para cumprir
Seu propósito, e o resultado final da sua escolha é o louvor - todo o universo
responde com alegria, louvando Deus em toda a criação.

III - A esfera da benção é Jesus Cristo - vs.7-

Quando Jesus entra em nossa vida a Sua luz dissipa a escuridão do nosso
pecado. Veja em João 8:11 o que Ele disse à mulher que foi pega em adultério:
“Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado”.

Como este Homem pode perdoar os pecados dos outros?


Por que razão Ele pode colocar nossa culpa de lado e mandar “seguir em frente”?

a) Jesus nos redimiu - vs.7-8

Versículo 7a...
“Nele temos a redenção por meio de seu sangue, o perdão dos pecados”

Paulo usa a redenção para descrever a obra de Jesus para cumprir o bom
propósito da vontade de Deus Pai. Redenção (apolutrõsis) significa livramento
mediante o pagamento de um preço, e era aplicada especialmente no resgate de
escravos.

É o ato de comprar um escravo e tirá-lo do mercado, assim ele não estará mais à
venda, não haverá mais negócio. Jesus fez isto, nos comprou e libertou do
cativeiro, Ele pagou um alto preço com a sua morte na cruz.

Para nós a redenção é de graça, mas para Ele custou muito!


Seu sangue derramado sobre a cruz da vergonha colocou a nossa culpa de lado.
Esta foi a obra do Filho.
Versículos 7b-8...
“de acordo com as riquezas da graça de Deus, a qual ele derramou sobre nós
com toda a sabedoria e entendimento. ”

A graça de Deus inunda as almas dos seus filhos com sabedoria e discernimento.

“Sabedoria é a capacidade de aplicar o conhecimento para melhor proveito, e


discernimento é o resultado de pôr a mente na revelação redentora de Cristo, o
mistério de Sua vontade.” (W.Hendriksen)

b) todas as coisas convergem nEle - vs.9-10

Versículo 9...
“E nos revelou o mistério da Sua vontade, de acordo com o seu bom propósito
que Ele estabeleceu em Cristo,

A palavra mistério nos dias de hoje tem uma conotação de algo enigmático, como
nos filmes de suspense, porém no Novo Testamento ela simplesmente se refere
a um segredo, doutrina ou verdade anteriormente escondida, mas que agora é
revelada. É como algo atrás de uma cortina que agora aberta nos é revelado.
Veja I Cor.2:7; Efésios 3:3-4; Romanos 11:25; 16:25.

O que Paulo nos diz aqui é que foi da vontade do Pai que o mais sublime segredo
fosse desvendado abertamente: o plano de Deus para a salvação através de
Jesus Cristo que encarnou e viveu entre nós!
Falaremos mais sobre isto no capítulo 3.

Versículo 10...
“isto é, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, celestiais ou terrenas, na
dispensação da plenitude dos tempos”

“Cristo já é a cabeça da igreja, mas um dia todas as coisas (o universo que Cristo
criou e que sustenta) reconhecerão a Sua autoridade. No tempo presente ainda
há discórdia no universo, mas na plenitude do tempo esta cessará, e aquela
unidade pela qual ansiamos virá com o domínio de Jesus Cristo.” (JohnStott)

Tudo isto acontecerá na “dispensação da plenitude dos tempos”, isto é, no tempo


apropriado para Deus, “quando o tempo voltar a fundir-se na eternidade” (JohnStott).
Para entender verdadeiramente estas poderosas palavras, precisamos começar a
ver o mundo que nos rodeia ao longo da história, do tempo e do espaço, pois
“nada é sem significado ou propósito, tudo está caminhando para um alvo
glorioso!” (JohnStott).
A esta altura, estudante, devemos parar para refletir o quanto precisamos
desenvolver a perspectiva de Paulo... apesar dele ser um prisioneiro em Roma
seu coração e sua mente estavam na eternidade!

Vou tomar emprestadas as inspiradas palavras de John Stott...

“Quanto a nós, quão bitolada é a nossa visão comparada com a de Paulo, quão
pequena é a nossa mente, quão estreitos são os nossos horizontes! De modo tão
fácil e natural deslizamos para uma preocupação qualquer com nossos assuntos
mesquinhos. Devemos, porém, ver o tempo à luz da eternidade, e nossos atuais
privilégios e obrigações à luz da nossa eleição no passado e da nossa perfeição
no futuro.

Então, se compartilhássemos da perspectiva do apóstolo, também


compartilharíamos do seu louvor. A vida se transformaria em adoração e
bendiríamos a Deus constantemente por nos ter abençoado tão ricamente em
Cristo”

c) fom os escolhidos em Cristo - vs. 11-12


“Nele fomos - eu, Paulo e você estudante - também escolhidos e, tendo sido
predestinados conforme o plano daquele que faz todas as coisas segundo o
propósito da sua vontade, a fim de que nós, os que primeiro esperamos em Cristo
(temos nossa esperança centrada em Cristo), sejamos para o louvor da sua
glória. ”

Sim! O soberano Deus que nos escolheu nos permite passar por situações
adversas (devemos assumir que muitas delas são consequências de nossos
próprios atos), mas não podemos nos esquecer que Seu plano vai muito além
dos nossos problemas, dores e fracassos. As circunstâncias não podem mudar o
caráter de Deus! As riquezas da Sua graça se manifestam em nossas vidas
enquanto aprendemos responder às adversidades da mesma maneira que Jesus!

Dia após dia, momento por momento, Deus está a destruir o “velho homem” em
nós e nos transformar numa “nova criatura”, nos trazendo a plenitude e unidade
em Cristo, conforme à semelhança do Filho.

Quanto mais compreendermos este processo maior será a nossa alegria por ver
o propósito supremo de Deus se cumprindo em nossas vidas: nossa
transformação a fim de que nos assemelhemos mais e mais com o caráter de
Cristo, para o louvor da glória de Deus Pai!

Bom estudo!

Ary
LIÇAO 6

EFÉSIOS 1

FOMOS ELEITOS

I - Apresentação - vs. 1-2


II - A origem da benção é Deus Pai - vs. 3-6
III - Jesus Cristo e Sua obra - vs. 7-12

IV - A natureza da benção é do Espírito Santo - vs.13-14

O evangelista D. L. Moody disse certa vez...


"Eu acredito que o momento em que nosso coração está vazio de orgulho,
egoísmo, ambição, e tudo o que é contrário à lei de Deus, o Espírito Santo habita
cada esquina dele. Mas se nosso coração está cheio de orgulho, presunção,
ambição, e valores do mundo, não há lugar para o Espírito de Deus.
Temos que nos esvaziar antes que possamos ser cheios!"

a) a palavra da verdade - v.13a


“Quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os
salvou”

O mundo em que Paulo viveu era cheio de idéias distorcidas e filosofias erradas a
respeito de Deus, assim como o nosso mundo hoje. O evangelho nos traz então
de volta à realidade, é verdade, é o fim da ilusão. Por exemplo...

“O evangelho descreve o verdadeiro estado do coração humano. Ele desvenda


nosso falso e enganoso desejo de insistir em que não há nada errado com nossa
maneira de viver e hábitos pecaminosos. O evangelho “esfrega em nossos
narizes” a nossa condição ruim, desesperada, e que foram os nossos pecados
(meus e seus, viu estudante!) que literalmente pregaram o Filho de Deus numa
cruz!” (Ray Stedman)

Note que há duas áreas de destaque que sempre são encontradas juntas nas
Escrituras: a Palavra de Deus e o Espírito Santo. Ambos são absolutamente
essenciais, não há nenhuma salvação sem um destes instrumentos do propósito
eterno de Deus. É sempre um erro enfatizar um e excluir o outro.

Algumas pessoas ou grupos cristãos exaltam o Espírito e ignoram a Bíblia. Eles


dizem... "Não precisamos da Palavra, tudo o que precisamos é o Espírito Santo.
Temos apenas que confiar em nossos sentimentos e na direção em que o
Espírito nos levar”
Cuidado! Este é um caminho certo para a heresia!

As pessoas que se afastam da verdade revelada na Bíblia estão propensas a


entrarem em todo tipo de confusão! Muitos cristãos começaram com seriedade e
caíram sob a mágica de um falso messias, que alegou falar em nome do Espírito
de Deus, mesmo contrariando o claro ensino da Sua Palavra.

No entanto, também há um grande perigo em seguir a Palavra e rejeitar o


ministério do Espírito Santo! Há muitas igrejas ortodoxas em sua adesão à
Palavra, mas completamente desprovidas da frescura e vitalidade do Espírito. Em
tais igrejas o culto se torna mecânico, estéril, sem vida, onde as pessoas
cumprem seu "dever cristão" sem demonstrar motivação, satisfação, amor,
carinho, ou alegria.

Note que o Espírito interpreta a Palavra, e a Palavra se torna fresca e vital


quando o Espírito de Deus está presente...

s é através do Espírito Santo que Jesus Cristo transpõe as páginas da Bíblia e


permanece como uma presença viva em nossas vidas. Essa é a missão do
Espírito: tornar vivas as páginas da Bíblia em nossa experiência cotidiana.

s é a Palavra de Deus identifica o Espírito e valida Sua voz dentro de nós. O


Espírito de Deus jamais vai nos indicar algo que viola o ensino da Palavra de
Deus!

Paulo deixa muito claro que não devemos apenas ouvir a palavra da verdade,
mas também temos de agir em conformidade a ela. Segundo Ray Stedman
“Crença resulta em mudança em si mesmo, conforme à realidade daquilo que
você acredita.”

b) somos selados pelo Espírito - vs.13b-14

Versículo 13b...
“...vocês foram selados em Cristo com o Espírito Santo da promessa”

Ray Stedman nos explica que “esta é uma referência à antiga prática de selagem
de cartas ou outros objetos com um fecho oficial de cera. A utilização deste tipo
de selo denotava três conceitos: autenticidade, apropriação e preservação.”

Da mesma forma, ao sermos selados pelo Espírito Santo fica claro que a nossa
vida pertence a Deus! Veja I Cor. 6:19-20 e Rom. 8:16.

Estudante, Deus quer você para sempre! E resolveu marcar a sua vida
mostrando que você é posse Dele.
E como fez isto? Derramando um pouco da porção da Sua própria essência em
você! O Espírito Santo!
Versículo 14a...
“...que é a garantia da nossa herança até a redenção daqueles que pertencem a
Deus”

”Paulo usa o conceito do Espírito Santo como “garantia”, que no grego “arrhabon”
significa um pequeno depósito ou primeira parcela. É o que acontece, por
exemplo, quando ao comprar um carro você assina um papel e faz um depósito
de pequeno valor (dá uma “entrada”) para garantir a negociação.” (RayStedman)

O fruto que o Espírito Santo nos concede hoje “amor, alegria, paz, paciência,
amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio” (Gl 5:22-23) e a
maravilhosa certeza da salvação (II Pe 1:3-11), é a primeira parcela do que está
por vir! O Espírito Santo é o “depósito” de uma muito maior, ampla e rica
experiência com Deus quando estaremos no céu com Ele por toda a eternidade!

O Espírito Santo é apenas o início das bênçãos que você irá receber em Cristo
na consumação de todas as coisas, em Sua segunda vinda!

Versículo 14b...
“para o louvor da Sua glória. ”

Quando vemos a ação os benefícios que cada uma das Pessoas da Santíssima
Trindade têm realizado em nossas vidas, não nos resta nada a fazer a não ser
glorificar a Deus!

Além disto, “viver para o louvor da glória de Deus não é somente adorá-lo com
nossas palavras e ações, mas também levar outros a vê-lO e adorá-lO!” (JohnStott).

Estudante! Deveríamos acordar todas as manhãs e dizer a nós mesmos...

"Eu sou um filho de Deus!


Meus pecados foram perdoados e fui aceito na família Dele!
Ele pôs seu Espírito dentro de mim!
Estou preparado para enfrentar o que vier pela frente no dia de hoje!”

S Essa é a verdade que transforma nossas vidas.

S É onde encontramos os recursos para enfrentar os problemas que nos cercam


a cada dia!

S Isto não é mera teologia!

Bom estudo, Ary


LIÇAO 7

EFÉSIOS 1

FOMOS ELEITOS

I - Apresentação - vs. 1-2


II - A origem da benção é Deus Pai - vs. 3-6
III - A esfera da benção é Jesus Cristo - vs.7-12
IV - A natureza da benção é do Espírito Santo - vs.13-14

V - Oração de gratidã o- vs.15-23

Paulo agora deixa a passagem doutrinária onde nos ensinou princípios


fundamentais da fé, e passa a falar a respeito do papel crucial da oração na
experiência cristã.

a) pelo quê Paulo ora? - vs.15-18a

Versículos 15-16...
“Por essa razão, desde que ouvi falar da fé que vocês têm no Senhor Jesus e do
amor que demonstram para com todos os santos, não deixo de dar graças por
vocês (reconhecendo Deus como o autor destas duas qualidades), mencionando-
os em minhas orações.

Paul começa com as palavras: "por esta razão" porque ele está olhando para
trás, para a passagem que já estudamos nos vs.3-14, isto é...

“Por esta razão”...


S porque fomos escolhidos pelo Pai
s para receber a redenção e perdão através do Filho e fomos então
s selados pelo Espírito que é a garantia da nossa herança em Cristo.
... que oro por vocês, porque é preciso que vocês verdadeiramente entendam
estas verdades!

Versículo 17...
“Peço que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o glorioso Pai, lhes dê espírito
de sabedoria e de revelação, no pleno conhecimento Dele. ”

O que Paulo está dizendo?!


Ele já não tinha reconhecido que estes cristãos tinham o Espírito Santo?!
Sim! Ele já disse que eles foram selados com o Espírito Santo da promessa,
portando Paulo aqui...
s não está orando para que eles recebam uma “segunda benção”;
s não está orando para que eles recebam uma “nova porção” do Espírito Santo;
s não está orando para que sejam “batizados” pelo Espírito;
...mas está pedindo para que Deus abra os olhos destes irmãos - e os nossos
olhos - para que entendamos plenamente as bençãos dos versículos 3 a 14!

Em Isaías 11:2 vemos que o Espírito Santo de Deus é “o Espírito que dá


sabedoria e entendimento, o Espírito que traz conselho e poder, o Espírito que dá
conhecimento e temor do Senhor.”. Isto não significa que há sete Espíritos Santo,
mas que o Espírito Santo age amplamente na iluminação do nosso coração nos
concedendo vários dons.

Citando John Stott: “Crescer no conhecimento de Deus é indispensável para a


santidade, e tal conhecimento é impossível sem a revelação do Espírito Santo”

Estudante, podemos e devemos orar pedindo a Deus sabedoria e revelação que


só o Espírito de Deus pode proporcionar. É isso que Paulo nos ensina aqui!

Versículo 18a...
“Oro também para que os olhos do coração de vocês sejam iluminados, a fim de
que vocês conheçam...”

John Stott nos explica que “na linguagem bíblica, o coração é o completo eu, que
consiste da mente bem como da emoção. Portanto, os olhos do coração são
simplesmente nossos “olhos interiores”, que precisam ser abertos ou iluminados
antes de podermos compreender a verdade de Deus.”

“Fora da obra do Espírito Santo os olhos do coração são cegos. Veja Is. 9:2; Jo
9:39-41; I Co 2:14-16. Desta forma os homens com esta espécie de cegueira
necessitam de duas coisas: do evangelho e da percepção espiritual” (W.Hendriksen)

Estudante! Leia em sua Bíblia (não tenha preguiça!) algumas das orações de
Paulo nos seguintes textos...

Ef. 3:16; Filip.1:9; Filemon 1:6; Colos.1:9; II Cor.13:7; II Tess.1:11

s O que você observou?


s Estas orações se parecem com as suas?
s O que você pede à Deus quando se refere aos seus filhos? E pelo seu cônjuge?
s E pela sua própria vida?!

Citando o Pr. Ricardo Barbosa...


“Deus, as minhas orações nascem daquilo que eu sou.
Eu peço que as tuas respostas façam de mim o que eu devo ser”
“Muitas vezes nos tornamos adultos, mas com a alma de uma criança mimada, cheia de
vontades, exigindo de Deus que seja “assim ou assado”. Não é este o caminho!

A oração é muito mais para que nós sejamos preparados, e nossos corações
transformados para entender e aceitar aquilo que Deus está fazendo; do que uma forma
de manipulação dos propósitos de Deus.”

Paulo sabia das oscilações na fé que os cristãos estão sujeitos, ele conhecia o
perigo - que eu e você corremos - de perder a motivação no meio da luta cristã.
Às vezes nossa paixão por Cristo se esfria e nossos espíritos se tornam apáticos,
por isto a oração de Paulo reflete uma profunda compreensão das necessidades
de todos os que lêem essa carta!

Ele agora, “mais especificamente, ora para que conheçam a esperança do


chamamento de Deus, a glória (até mesmo a riqueza da glória) da sua herança, e
a grandeza (até mesmo a suprema grandeza) do seu poder” (JohnStott).

b) a esperança do chamado de Deus - vs.18b


“...a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, ”

O chamado de Deus nos faz relembrar o início da nossa vida cristã...


“E aos que predestinou, também chamou; aos que chamou, também justificou” -
Rm 8:30.

“Deus nos chamou para Cristo e para a santidade, para a liberdade e para a paz,
para o sofrimento e para a glória. Simplificando, trata-se de uma chamada para a
vida totalmente nova em que conhecemos, amamos, obedecemos e servimos a
Cristo, desfrutamos da comunhão com Ele e uns com os outros, e olhamos além
do nosso presente sofrimento para a glória que um dia será revelada.” (JohnStott).

Esta é a esperança para a qual Ele nos chamou. Paulo ora para que nossos
olhos sejam abertos para conhecê-la. Dê uma pausa e leia Romanos 8:18-25.
Mas a nossa esperança não será concretizada apenas na ressurreição quando
Cristo voltar, mas está se realizando neste momento, pois estamos gradualmente
nos transformando em novas criaturas Cristo!

Veja o que Paulo nos diz em II Coríntios 4:16-18...


“Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos,
interiormente estamos sendo renovados dia após dia, pois os nossos sofrimentos
leves e momentâneos estão produzindo para nós uma glória eterna que pesa
mais do que todos eles. Assim, fixamos os olhos, não naquilo que se vê, mas no
que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno. ”

Agora estudante - abra a sua Bíblia - e leia II Cor. 11:23-27 porque é muito
importante que você saiba o que Paulo chama de “sofrimentos leves e
momentâneos”, que ele mesmo tinha experimentado... Todas estas coisas, diz
ele, trabalham em nosso favor, preparando-nos para uma glória eterna!

Ray Stedman nos lembra que “todos os problemas que enfrentamos estão nos
preparando para lidar com a pressão, nos ensinando sobre a paciência, estão
construindo em nós o caráter de Cristo! Um pneu furado, a promoção que você
perdeu, uma discussão com seu cônjuge, um diagnóstico inesperado, um
fracasso comercial, o coração quebrado pela perda de um amor - todas estas
coisas trabalham em conjunto para o seu crescimento...

Deus não causa estas dores em sua vida, mas Ele sabe usá-las para o seu bem,
para sua transformação! Se você aprender a olhar para a vida dessa forma,
nunca perderá a esperança de seu chamado em Cristo!”

c) a glória da herança de Deus - v.18c


“as riquezas da gloriosa herança dele nos santos”

Como vimos, o chamado de Deus aponta para o início da nossa vida cristã, agora
a herança de Deus aponta para o fim, para aquela herança final da qual o Espírito
Santo é a garantia.

Você se lembra que estudamos isto na lição passada, não é!

d) a grandeza do poder de Deus - vs.19-23


“e a incomparável grandeza do seu poder para conosco, os que cremos,
conforme a atuação da Sua poderosa força. ”

“Somente o poder de Deus pode cumprir a expectativa que pertence ao seu


chamado e nos trazer com segurança às riquezas da glória da herança final que
nos dará no cé u "(JohnStott).

Como conheceremos a suprema grandeza do poder de Deus?


Ele já nos deu uma demonstração pública!...

Versículos 20-23...
“Esse poder Ele exerceu em Cristo, ressuscitando-o dos mortos e fazendo-o
assentar-se à sua direita, nas regiões celestiais, muito acima de todo governo e
autoridade, poder e domínio, e de todo nome que se possa mencionar, não
apenas nesta era, mas também na que há de vir.
Deus colocou todas as coisas debaixo de seus pés e o designou cabeça de todas
as coisas para a igreja, que é o seu corpo, a plenitude daquele que enche todas
as coisas, em toda e qualquer circunstância. ”
John Stott nos leva a reflexão quando diz...

“Quanto sabemos acerca do poder de Deus, que ressuscitou Jesus dentre os


mortos e Lhe deu a vitória sobre o mal?
É verdade que o mesmíssimo poder de Deus nos ressuscitou juntamente
com Jesus da morte espiritual, e nos entronizou com Jesus nos lugares
celestiais, conforme Paulo passará a mostrar no cap. 2:1-10.

Mas quanto disto é teoria e quanto é experiência?


Não é difícil pensar na nossa fraqueza humana: nossa língua ou nosso
gênio, nossa malícia e cobiça, nosso ciúme ou nosso orgulho, estas coisas
certamente estão além da nossa capacidade de controle, e precisamos ser
humildes para reconhecer este fato.

Mas as nossas fraquezas estão além do poder de Deus?


Paulo logo nos assegurará que Deus é capaz de fazer infinitamente mais do que
pedimos ou pensamos “conforme o Seu poder que atua em nós” (Ef. 3:20), e
passará a nos exortar a sermos “fortalecidos no Senhor e no Seu forte poder” (Ef.
6:10).”

Estudante! Este é o poder de Deus que ressuscitou Jesus dentre os mortos!

Ray Stedman nos lembra que...


“O poder da ressurreição funciona melhor em um cemitério!
Se tudo está indo bem, o barco funcionando perfeitamente, o mar tranquilo, a
brisa agradável e o céu azul, você não precisa de um bote salva-vidas.
É quando tudo está perdido que você precisa ser salvo.”

É quando você enfrenta a morte, trevas e desespero, que pode experimentar o


poder da ressurreição!

Louvado seja Deus, que disponibiliza para nós hoje o Seu poder! Deus continua a
operar seus milagres de transformação, silenciosamente, fazendo surgir a luz da
vida onde há apenas a escuridão da morte!

Em Cristo

Ary
LIÇAO 8

EFÉSIOS 2

FOMOS APROXIMADOS

I - Nós, por natureza - vs. 1-3

II - Nós, pela graça - vs. 4-10


a) “mas Deus...” - vs.4-7
c) a base para a salvação - vs. 8-10

III - Nossa humanidade em Cristo - vs.11 -22


a) O que éramos - vs.11-12
b) o que Cristo fez - vs. 13-18
c) o retrato do que nos tornamos - vs. 19-22

Vamos ao estudo...

I - Nós, por natureza - vs. 1-3

Estes três primeiros versículos resumem os três primeiros capítulos de Romanos.

De toda a verdade expressa na Escritura, a que encontramos no início deste


capítulo de Efésios 2 é o que a humanidade tem mais dificuldade de ouvir,
acreditar, e aceitar. Não temos uma visão realista sobre o verdadeiro desespero
da nossa condição sem Cristo - e esta só nos é revelada por Deus ao abrir nosso
entendimento para a Sua Palavra.

Versículo 1...
“Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados”

Aqui está a raiz do nosso grande problema...


s não estamos “um pouco” errados
s não somos culturalmente desfavorecidos
s não estamos enganados em nosso pensamento
s a solução para a condição humana não é melhorar a educação, oferecer um
programa social ou reforçar a auto-estima
O nosso grande problema é decisivo e desesperador: sem Deus estamos mortos!

É extremamente difícil acreditar que estamos mortos quando podemos gozar a


vida, curtir a família, investir numa carreira, ir ao cinema e fazer exercícios, não é!
Então, o que isto significa?
Abra a sua mente e veja como a morte é a descrição exata da nossa condição!
Existem duas características básicas que imediatamente associamos à morte...

degradação
os cadáveres tendem a deteriorar-se rapidamente, vão se decompondo,
perdendo a sua consistência.

O pecado causa uma gradual e progressiva deterioração em nossas vidas, e é


por isso que ele está relacionado com a morte.
Há pecados que, no início, seriam horríveis e repudiados por nós; mas quando se
infiltram em nossas vidas, gradualmente começam a deteriorar nossa moral e
valores. Isto é um sinal de morte!

impotência
uma pessoa morta é totalmente impotente, não podendo fazer nada para mudar
sua condição.

Esta é a análise que Paulo faz da minha - e da sua - condição, não há saída!
Sem Deus não temos um Salvador e estamos todos mortos em nossas
transgressões e pecados.

Versículo 2...
“...nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo
e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na
desobediência”

presente ordem deste mundo


Isto é, “todo um sistema de valores sociais que está alienado de Deus” (J.Stott)
Independente da época em que vivemos, seremos sempre pressionados a
aprovar determinados padrões, ética moral, e alvos adotados pelo mundo. Tudo
nos leva em direção à conformidade! Este é o motivo pelo qual o mundo odeia o
verdadeiro cristianismo, sempre e onde quer que seja praticado, porque este não
segue conforme à sociedade.

príncipe do poder do ar
Esta metáfora é uma referência ao fato de que, como o ar está presente em
nosso ambiente e ainda assim é invisível para nós, também Satanás e os seus
anjos invisível nos rodeiam, invadem as nossas mentes e manipulam as ações da
raça humana, com o objetivo de gerar e multiplicar desobediência contra Deus.

Observe como Paulo rompe as fachadas do nosso mundo visível e desmascara


as forças maléficas que há por trás da história trágica e vergonhosa da
humanidade.
Versículo 3...
“Anteriormente, todos nós também vivíamos entre eles, satisfazendo as vontades
da nossa carne, seguindo os seus desejos e pensamentos.
Como os outros, éramos por natureza merecedores da ira. ”

A base da concupiscência da carne foi nos dada para nosso benefício, bem-estar
e sobrevivência. Entre esses desejos estão fome e sede, o desejo de comunhão
e de atenção, o desejo de alcançar e adquirir, bem como o desejo de lazer,
incluindo prazer sexual (e não há nada de errado com asatisfaçãodestes
desejos dentro da proporção e padrões de Deus); mas fora destes padrões eles
se tornam os pecados da gula, alcoolismo, preguiça, egoísmo, obsessão por
dinheiro e poder, avareza, fornicação e adultério.

É importante lembrar:
Todos nascemos com a natureza carnal por causa do pecado dos nossos pais,
conforme Gênesis 3, Salmo 51:5 e Rom. 5:12-14.
Como convertidos podemos viver ainda segundo a carne, ou viver segundo o
Espírito Santo. A escolha é nossa!

Mas não se esqueça:


Não é através de uma determinação firme que iremos superar o mal, a carne, o pecado
em nossa vida. Tudo começa nas grandes e pequenas coisas quando de coração
podemos dizer “miserável homem/mulher que sou”, ou seja, quão incapaz somos para
enfrentar o dia a dia, para mudar de cidade, de emprego, para ser submissa ao meu
marido, para amar a minha esposa, para ser o pai que devo ser, para ser professor da
escola dominical, para ser uma verdadeira testemunha do meu Jesus no trabalho, etc.

Leia Romanos 1:18-32 e veja em detalhes que a ira de Deus se manifesta porque
o homem:
s detém a verdade pela injustiça s deifica a criatura de Deus
s despreza os atributos de Deus s deleita-se na imoralidade
s desliga-se de Deus s vive em depravação total

A condição humana é universal, ninguém escapa. Não é uma questão de raça ou


sexo, opção política ou posição sócio-econômica. Não existe nenhuma
escapatória, exceto por duas pequenas palavras: "Mas Deus..."

Elas nos trazem esperança de uma vida maravilhosa para além desta condição
de morte em que nascemos.
Sim! Somos merecedores da ira.
Sim! Estamos mortos em nossas transgressões e pecados,
"Mas Deus..."

Como cristãos devemos estar preocupados com nossos parentes, amigos e


vizinhos que ainda permanecem debaixo da ira de Deus! Esta era a nossa
situação! Devemos colocar em nossas cabeças e corações que as pessoas sem
Cristo estão perdidas (mesmo que sejam boas, íntegras e honestas)!
II - Nós, pela graça - vs. 4-10

a) “ mas Deus...” - vs.4-6

Versículo 4...
” Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos
amou”

Paulo tem todo o cuidado de nos informar qual a motivação de Deus em mover­
nos da morte à vida, das trevas à luz: Sua Misericórdia! Isto não é apenas teoria
teológica, mas trata-se de uma poderosa e prática verdade para as nossas vidas.
Somente depois de entender o que Deus fez por nós, e as riquezas que são
nossas em Jesus Cristo, temos o segredo de uma vida feliz!

O amor de Deus por nós é uma decisão, uma escolha expressa em ação: o ato
de enviar e sacrificar Jesus para o nosso bem. Ele veio, chorou e sofreu, se
tornou o mais pobres dos pobres, suportou a tortura e a vergonha da cruz, tomou
nossos pecados sobre Si mesmo, e fez tudo isso por nós, mesmo quando
estávamos mortos em nossas transgressões e pecados.

Como é que sabemos que Deus nos amou? Porque, como João 3:16 nos diz,
"Porque Deus amou o mundo que deu o seu Filho unigênito..."
Essa é a marca inconfundível do amor de Deus.

Versículos 5-6...
“...deu-nos vida com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões -
pela graça vocês são salvos. Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez
assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus”.

“Nada merecíamos nas mãos de Deus a não ser o julgamento por causa dos
nossos delitos e pecados: somente a graça poderia salvar-nos do que
merecíamos, pois a graça é o favor imerecido”(J. Stott)

Nossa salvação depende 100% Deus, e 0% de nós.


Não se pode acrescentar coisa alguma ao que Deus já fez!

Assim como Jesus comparou o processo de conversão a um novo nascimento,


Paulo compara a experiência de conversão com a ressurreição, onde nós que
estamos mortos recebemos vida em Jesus, nos tornando capazes de suportar o
insuportável, de perdoar o imperdoável, de amar quem não é amável.
Esse é o poder da ressurreição em nossas vidas!

Ray Stedman chama nossa atenção ao fato que todos os verbos nesta passagem
estão no passado. Isso é algo que já aconteceu, não é algo que vai acontecer.
Já é certo, e cada cristão vive essa experiência.
Versículo 7.
“...para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza de sua graça,
demonstrada em sua bondade para conosco em Cristo Jesus. ”

Paulo aqui aborda o propósito redentor de Deus para com a humanidade, e nos
dá a resposta para as perguntas:
s por que Deus decidiu entrar em nossas vidas?
s por que Ele nos ressuscitou com Cristo?
s por que Ele nos fez assentar nos lugares celestiais?

“Nós, portanto, como testemunhas vivas da Sua bondade, exibiremos às pesoas


de fora, sem chamar a atenção para nós mesmos, Aquele a quem devemos a
nossa salvação... Deus quer que o seu povo seja ummodelo visual do
evangelho, a fim de demonstrar diante das pessoas as boas novas da
reconciliação” (J.Stott).

Cada um de nós é uma demonstração nítida da graça e de Deus e seu caráter!


A glória de Deus se torna visível através dos seus filhos, especialmente
manifestada pela incomensurável riqueza da Sua graça para conosco em Cristo
Jesus.

Veja Tito 3:4-6...

“Mas quando, da parte de Deus, nosso Salvador, se manifestaram a bondade e o


amor pelos homens, não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas
devido à sua misericórdia, Ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do
Espírito Santo, que ele derramou sobre nós generosamente, por meio de Jesus
Cristo, nosso Salvador. ”

Estudante!

Minha oração é que este estudo da Palavra de Deus seja um “divisor de águas”
em sua vida. É impossível aprender a profundidade destas verdades e continuar
a mesma pessoa!

s Que impacto tudo isto tem causado em sua vida?!

s De que forma seu testemunho diário comprova isto?

Pergunte à Deus em oração.

Ary
LIÇAO 9

EFÉSIOS 2

SOMOS APROXIMADOS

I - Nós, por natureza - vs. 1-3

II - Nós, pela graça - vs. 4-10


a) “mas Deus...” - vs.4-7

b) a base para a salvação - vs.8-10

Versículos 8-9...
“Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é
dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie. ”

Paulo salienta o fato que não há nada que você possa fazer para obter a sua
salvação. A decisão e a ação são de Deus! Não se trata de obras humanas,
qualquer ato de religião ou caridade. Não somos apenas incapazes ou fracos
para provê-la, somos mortos em nossas transgressões e pecados.
Quem, então, merece o louvor e glória de sua salvação? Certamente não é você!

“Nunca devemos pensar na salvação como sendo um tipo de transação entre


Deus e nós, onde Ele contribui com a graça e nós contribuímos com a fé.
Estávamos mortos, e teríamos que ser vivificados para podermos crer”. (J.Stott)

São estas verdades que devem direcionar sua vida espiritual:

s Você não precisa correr atrás de novas teologias, livros, igrejas ou“apóstolos”.
s Você não precisa buscar uma nova experiência espiritual.
s Não! Você só precisa de agarrar às riquezas da graça de Deus que estão em
Cristo Jesus!

“A única esperança para os mortos acha-se numa ressurreição, mas o Deus vivo
é o Deus da ressurreição. Mais ainda, Ele é o Deus da criação.
As duas metáforas indicam a necessidade indispensável da graça divina.
A ressurreição, pois, é dentre os mortos, e a criação é do nada.
Este é o verdadeiro significado da salvação”. (JStott)

Versículo 10...
“Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas
obras, as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos. ”
Observe como Paulo coloca as "boas obras" na perspectiva correta:

s as obras são importantes para o cumprimento do propósito de Deus para nós.


s não podemos obter qualquer coisa de Deus através da realização de um
trabalho para Ele.
s nunca alcançaremos o merecimento da salvação - a única coisa que
merecemos é julgamento.

“As boas obras são indispensáveis para a salvação - não como sua base ou
meio, mas sim como sua consequência e evidência” Stott)

A palavra grega traduzida aqui por "criação" significa poema, isto é, somos obra
de arte, obra-prima de Deus! Ele nos ensina, nos molda, nos leva a parecer cada
dia mais e mais com Cristo, a fim de que sejamos uma exposição de Sua
sabedoria, força, amor, caráter e alegria, através de boas obras de bondade,
amor, misericórdia, compaixão, perdão e serviço.

Isto me lembra o texto de Romanos 8:28-29...


“Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam,
dos que foram chamados de acordo com o seu propósito. Pois aqueles que de
antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de
seu Filho”

Estudante!

Estas verdades devem lhe trazer uma nova perspectiva de vida!


Ore e peça à Deus que abra os olhos do seu coração para vivê-las!
Ou... você está fazendo este estudo apenas para obter conhecimento intelectual?

Quais são as boas obras que Deus tem preparado especificamente para você?
Imagine a indescritível satisfação e emoção de realizá-las!

III. Nossa humanidade em Cristo - vs.11-22

a) O que éramos - vs.11-12

”Portanto, lembrem-se de que anteriormente vocês eram gentios por nascimento


e chamados incircuncisão pelos que se chamam circuncisão, feita no corpo por
mãos humanas, e que naquela época vocês estavam sem Cristo, separados da
comunidade de Israel, sendo estrangeiros quanto às alianças da promessa, sem
esperança e sem Deus no mundo. ”

Paulo aqui está se referindo as vantagens do judeu perante o gentio:


circuncisão
é a marca distintiva dos judeus como um povo especial, exclusivo, pertencente a
Deus.

alianças da promessa
é uma referência a primeira aliança de Deus com Abraão, mas também suas
múltiplas renovações e elaborações dadas a Isaque, Jacó, Moisés e Davi. - (Êx.
24:8; II Sm 23:5)

Os judeus ocupavam uma posição vantajosa, pois Deus confiou a eles a sua
revelação escrita, ainda que parcial. Além do mais foram constantemente alvo do
amor de Deus (veja os livramentos que Ele lhes concedeu).
Eles tinham esperança!

Estudante, amigo religioso, que é batista, é presbiteriano, é metodista, etc


...você que tem tido vários privilégios e vantagens...

s a Bíblia em várias traduções


s uma igreja onde a Bíblia é ensinada
s acesso a este estudo e bons livros
s pequenos grupos para viver a igreja na prática

Você tem esperança? Que diferença então isto faz em sua vida?

s você leva Deus e sua Palavra a sério?


s é honesto em seus negócios e relacionamentos?
s Jesus Cristo é de fato Salvador e Senhor da sua vida?
s será que você é apenas um "esquenta banco"?
s está fazendo o seu melhor com o que tem? Pergunte a Deus em oração.

Ray Stedman comenta que arqueólogos escavaram cemitérios do primeiro século


em vários lugares da Grécia e Roma, e encontraram muitas lápides com
inscrições em latim ou grego que diziam: "Sem esperança”.

Como isto é triste! Imagine viver a sua vida inteira sem esperança!
Imagine morrer sem esperança!
Os pagãos olham para o futuro e não vêem absolutamente nenhum significado.
Suas vidas revelam as trevas, o vazio, a desesperança de seus corações.

VOCÊ pode saber as histórias sobre Cristo, pode ensinar na escola dominical
sobre o Seu amor, você pode admirar Sua coragem e compaixão - mas até que
você tenha confiança em Jesus para a sua salvação e O conheça de uma
maneira pessoal, ainda estará morto em suas transgressões e pecados. Esta é a
condição final de quem não tem Cristo: "sem esperança e sem Deus no mundo".

Mas esse não é o fim da história! Veja...


b) o que Cristo fez - vs.13-18

Versículo 13...
“Mas agora, em Cristo Jesus, vocês, que antes estavam longe, foram
aproximados mediante o sangue de Cristo. ”

Esta é a maravilha da graça de Deus!


No meio da nossa violência e ódio, Ele envia Sua misericórdia e amor.
No meio do nosso pecado, Ele envia Sua pureza.
No meio das nossas trevas, Ele envia Sua luz.
No meio da nossa morte e a corrupção, Ele envia Sua ressurreição e a vida!

”Aqui está um dos grandes e belos paradoxos da nossa fé:


Nós, que estávamos mortos agora vivemos por causa da morte de seu Filho.
Seu sangue nos torna limpos.
Nós já não estamos no escuro. Nós somos filhos da luz!” (RayStedman)

Na próxima lição estudaremos a partir do versículo 14.

Bom estudo,

Ary
LIÇAO 10

EFÉSIOS 2

SOMOS APROXIMADOS

I - Nós, por natureza - vs. 1-3


II - Nós, pela graça - vs. 4-10

III. Nossa humanidade em Cristo - vs.11-22


a) O que éramos - vs.11-12

b) o que Cristo fez - vs.13-18

Versículo 14...
“Pois ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um e destruiu a barreira, o muro de
inimizade”

“Embora todos os seres humanos estivessem separados de Deus por causa do


pecado, os gentios também estavam separados do povo de Deus, e Jesus Cristo
destruiu estas duas inimizades.” (J.Stott)

John Stott nos conta que o prédio do templo em Jerusalém era construído sobre
uma plataforma e ao redor, no mesmo nível, haviam três pátios: dos sacerdotes,
de Israel e das mulheres. Muito abaixo havia um muro, uma barreira de pedra
que separava o pátio dos gentios, de onde eles podiam ver o templo, porém sem
aproximar-se dele. Nesta barreira havia advertências em grego e latim que
diziam: “os que ultrapassarem a barreira serão mortos!”. Esta era a situação
histórica e cultural na época em que Paulo escreveu este texto.

“Historicamente, a barreira só foi derrubada em 70 d.C., portanto ainda cercava o


templo quando Paulo escrevia esta carta, porém espiritualmente havia sido
destruída em 30 d.C., aproximadamente, quando Jesus morreu na cruz”. (J.Stott)

Paulo está falando sobre o fim do grande conflito entre os judeus e os gentios da
sua época, ele diz que a primeira coisa que Jesus fez foi destruir o muro de
separação e inimizade entre eles e criar plenitude e unidade, que produzem a
paz.

Ray Stedman nos dá dois exemplos práticos disto:

”Trata-se de paz quando dois amigos que se envolveram numa guerra de


palavras, finalmente decidem simplesmente evitar-se mutuamente e relacionar-se
de forma civilizada, mas fria e distante um do outro?
Não de acordo com a definição de Deus.
Quando uma igreja aparentemente mantém seus rituais e programas, mas
interiormente está cheia de divisões, desconfiança e ressentimento, é uma igreja
pacífica? Não de acordo com a definição de Deus.”

Depois que nossos corações encontram a paz em Cristo e colocamos as


questões nas mãos do Senhor, passamos a compreender os problemas de forma
mais clara e enxergamos soluções práticas e inteligentes para as situações que
resultarão em verdadeira paz e harmonia.

Há uma profunda verdade prática no fato de que Cristo é a nossa paz!

Como é que Jesus Cristo destruiu o muro de inimizade entre judeus e gentios,
entre nós e Deus, e entre nós e os outros? Estes obstáculos podem parecer
impenetráveis, mas o apóstolo afirma que Jesus Cristo sabe como removê-los...

Versículo 15a...
“Anulando em seu corpo a Lei dos mandamentos expressa em ordenanças”

Os judeus desprezavam os gentios porque se consideravam melhores do que


eles, e diziam:
- "Temos a Lei de Moisés”
- "A Lei é justa e verdadeira e reflete o caráter de Deus. Vocês não tem a Lei".

E em sua arrogância eles pensavam que estavam cumprindo esta Lei porque não
praticavam algumas coisas que a Lei proibia e praticavam outras que ela
ordenava. Os gentios, por outro lado, odiavam os judeus por suaarrogância e
hipocrisia. Então, havia intensa hostilidade entre eles.

“Jesus aboliu tanto os regulamentos da lei cerimonial como a condenação da lei


moral. Ambas eram divisórias. Ambas foram deixadas de lado pela cruz”. (J.Stott)

Veja o que diz Romanos 2:28-29...


“Não é judeu quem o é apenas exteriormente, nem é circuncisão a que é
meramente exterior e física. Não! Judeu é quem o é interiormente, e circuncisão é
a operada no coração, pelo Espírito, e não pela Lei escrita”.

Tornar-se um cristão é algo que acontece no interior, em secreto; por outro lado,
circuncisão, ou seja, ritos como culto, batismo, extrema-unção, reuniões,ofertas,
acontece na carne e não no coração (Dt. 10:16; Jr. 4:4).

“O que é nascido do Espírito é espírito” - João 3:6 - É isto que Jesus chamou de
Novo Nascimento! Veja que a palavra Espírito que aparece em primeiro lugar
está com letra maiúscula (Espírito Santo), e a outra com letra minúscula,
significando o espírito humano que estava morto.

E então estudante! Sua confiança está nos ritos ou em Jesus Cristo que é “o
Caminho, a Verdade e a Vida"?
Jesus era a única solução para anular a Lei e substituí-la por aquilo que tanto
judeus e gentios realmente necessitavam: graça e do perdão. Dando a judeus e
gentios a tolerância e o perdão, Ele removeu todos os motivos para inimizade.

S O que isto tem a ver comigo e você?


s Qual a aplicação deste texto para os nossos dias?

Famílias têm obtido a paz quando os pais começaram a pedir desculpas ao


cometerem erros, quando se livram da obsessiva necessidade de serem vistos
como impecáveis e infalíveis, quando finalmente se permitem ser humanos na
frente de seus filhos. Este mesmo princípio acontece entre amigos de trabalho,
entre os líderes de igreja, entre relacionamentos de negócios, etc.

Casais que experimentam a renovação em seu casamento dizem:


"Desde que eu parei de tentar julgar o meu cônjuge, juntos reconhecemos que
ambas precisamos de Deus e seu perdão. Nós descobrimos um novo
relacionamento que nunca sonhamos ser possível".

Através de Cristo, um novo e unificado relacionamento pode ser edificado, algo


que nunca existiu antes!

Versículos 15b-16...
“O objetivo dele era criar em si mesmo, dos dois, um novo homem, fazendo a
paz, e reconciliar com Deus os dois em um corpo, por meio da cruz, pela qual ele
destruiu a inimizade. ”

Aqui em Efésios, quando Paulo diz "novo homem" e “um corpo” está se referindo
a igreja, que é um retrato da ação de Jesus Cristo. Na igreja, não há nem judeu
nem gentio, o gentio não tem que se tornar judeu ou vice-versa. Há uma nova
união.

Na igreja de hoje não vemos a divisão entre judeus e gentios, mas temos outras
divisões: entre brancos, negros e outras raças, entre ricos e pobres, entre os
diferentes líderes da igreja, entre as diferentes filosofias de ministério, etc.

A paz se torna presente em uma igreja quando as barreiras são derrubadas e


enfim se descobre o que significa ser uma unidade, um grupo de homens e
mulheres que demonstrem a mesma graça, amor e perdão, que foi ensinado a
eles por seu Senhor e Salvador Jesus.

Quando reconhecemos que estamos todos no mesmo nível perante Deus, aos
pés da cruz, e que todos nós necessitamos da mesma graça e perdão, as
inimizades terminam.
Versículos 17-18...
”Ele veio e anunciou paz a vocês que estavam longe e paz aos que estavam
perto, pois por meio dele tanto nós como vocês temos acesso ao Pai, por um só
Espírito.”

Aqui vemos a trindade - Pai, Filho e Espírito Santo - agindo em conjunto para
levar-nos a um relacionamento mais próximo possível com Deus!

É onde encontramos a paz e alegria que toda a humanidade tem buscado desde
o início. A inimizade acabou, os muros de separação foram derrubados,
finalmente podemos ter comunhão com Deus e uns com os outros.
Somos levados ao cumprimento do que fomos predestinados a ter e ser por
intermédio do Seu Filho Jesus.

c) o retrato do que nos tornam os - vs.19-22

Versículo 19...
“Portanto, vocês já não são estrangeiros nem forasteiros, mas concidadãos dos
santos e membros da família de Deus”

Um estrangeiro pode até estar bastante familiarizado com o país em que vive,
mas não dispõe de plenos direitos e vantagens de um cidadão.

Cuidado! Muitos membros de igreja são como estrangeiros - freqüentam


regularmente, sabem as músicas decor, estão familiarizados com a Bíblia e o
linguajar cristão, mas por não terem entregue suas vidas a Jesus Cristo não se
tornaram ainda cidadãos do reino de Deus!

Versículos 20-22...
“...edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, tendo Jesus
Cristo como pedra angular, no qual todo o edifício é ajustado e cresce para
tornar-se um santuário santo no Senhor. Nele vocês também estão sendo
edificados juntos, para se tornarem morada de Deus por seu Espírito. ”

“Conforme já vimos, o templo de Jerusalém era um edifício exclusivamente


judaico, no qual todos os gentios eram proibidos de entrar. Agora, porém, não
somente lhes é permitida a entrada como eles mesmos são partes integrantes do
templo de Deus”. (J.Stott)

apóstolos e profetas
“Não é um termo genérico para os missionários ou implantadores de igrejas,
bispos ou outros líderes da igreja. Pelo contrário, denota aquele grupo pequeno e
especial que Jesus escolheu, chamou e autorizou a ensinar em seu nome, e que
consistia nos Doze, mais Paulo e Tiago... a palavra profetas também indica
mestres inspirados que transmitiam a Palavra fielmente a outros”. (J. Stott)
John Stott continua.

“A igreja fica em pé ou cai, conforme sua dependência leal às verdades


fundamentais que Deus revelou aos seus apóstolos e profetas, e que agora são
preservadas no Novo Testamento”

pedra angular
Ao começar a construção de um edifício você primeiramente deve estabelecer
um alicerce sólido e estável, uma “pedra angular”, e todas as medições para a
construção serão tomadas a partir dessa base. O apóstolo descreve Jesus como
tendo esse relacionamento conosco.

Na carta aos Efésios vemos que tudo está "em Cristo", "nEle", "por Ele", "por
meio dE", "através do Seu sangue", "por Sua morte", e assim por diante.
Se você não tem Jesus, a “pedra angular”, então não pode fazer parte deste
“edifício espiritual (a família de Deus e uma comunidade inter-racial), que abrange
tanto gentios como judeus, e tem alcance mundial (todos os membros do povo de
Deus).” (J.Stott)

Esse é o retrato que Paulo nos dá de como Deus trabalha conosco: Ele acerta
nossas ásperas arestas, nos molda, até que estejamos prontos para ser
colocados em Sua morada eterna! Deus é o construir de um templo santo, um
belo e magnífico edifício, e somos Seus materiais de construção, seus blocos.

O processo de nos lapidar e moldar para o Seu serviço é muitas vezes doloroso,
mas o resultado será glorioso! É esta compreensão que traz sentido para as
nossas vidas!

Estudante!

Tenha a convicção de que tudo o que acontece no mundo, desde as grandes


guerras e catástrofes naturais até as pequenas frustrações em nossa própria vida
diária fazem parte do processo de construção Deus.

Ele está preparando o Seu povo para se tornar Sua morada, a Igreja de Jesus
Cristo!

Bom estudo

Ary
LIÇAO 11

EFÉSIOS 3

FOMOS VOCACIONADOS

Veja o esboço do capítulo 3...

I - O m istério concedido a Paulo - vs 1-6


a) um prisioneiro de Cristo - v.1
b) a revelação do mistério - vs. 2-3
c) Jesus Cristo é o cerne - vs.4-6

II - O m inistério de cada crente - vs. 7-13


a) comissão divina a Paulo - vs. 7-9
b) a centralidade da igreja na vida cristã - v.10
c) Jesus Cristo é o cerne - vs.11-13

III - O apóstolo da oração - vs.14-21


a) introdução à oração - vs.14-15
b) o conteúdo da oração - vs. 16-19
c) conclusão - vs.20-21

Vamos ao estudo...

I - O m istério concedido a Paulo - vs 1-6

O primeiro parágrafo do Efésios 3, em muitos aspectos é a chave para todo o


capítulo. Aqui Paulo começa a descrever o grande mistério da nossa fé.

a) um prisioneiro de Cristo - v.1

Versículo 1a...
“Por essa razão, eu, Paulo, sou prisioneiro de Cristo Jesus”

Na tradução para o português fica difícil notar a real estrutura do argumento de


Paulo. Na verdade Paulo começa o pensamento no v.1 com a frase:
"Por essa razão"
e continua o argumento no v.13:
“peço-lhes que não desanimem por causa das minhas tribulações em seu
favor, pois elas são uma glória para vocês.”

Tudo o que ele escreve entre "Por esta razão" e o v.13 é um parênteses!
No v.1 ele começa a dizer algo, mas então é apreendido por outra verdade, e
depois volta ao seu pensamento original no v.13.

Esta compreensão dá-nos um quadro geral do que Paulo está realmente dizendo
neste intervalo: ele queria que os cristãos entendessem porque ele estava
passando por perseguição e prisão. Ele escreveu esta num quarto onde vivia sob
prisão domiciliária, vigiado dia e noite por um soldado romano. Certamente os
amigos dele se perguntavam como Deus permitia que um grande missionário
ficasse confinado, tendo seu ministério reduzido a escrever cartas sozinho.

Sua primeira declaração então foi a de proclamar-se um prisioneiro - não um


prisioneiro do governo romano, mas de Cristo! Paulo não se via como um
prisioneiro de César, aguardando a sentença de Nero. Não! Ele se via como um
prisioneiro de seu Senhor, debaixo do julgamento apenas de Deus.

Citando Ray Stedman: “Penso que a prisão de Paulo deu-lhe tempo para
escrever esta e outras cartas que mudaram o curso da história. Portanto, pode
ser que um motivo do Senhor Jesus ter permitido que ele permanecesse preso foi
para produzir algumas das grandes epístolas do Novo Testamento.”

Versículo 1b...
“...por amor de vocês, gentios

John Stott comenta que...


“O que levou Paulo a prisão à prisão em Jerusalém, à prisão em Cesaréia, aos
sucessivos julgamentos e ao apelo subsequente a César, e que acabou levando-
o a Roma, foi a oposição fanática dos judeus à sua missão aos gentios. Lucas,
seu amigo médico e companheiro de viagens, esva com ele na ocasião, e
registrou fielmente os pormenores na narrativa de Atos.”

b) a revelação do m istério - vs. 2-3

Versículo 2...
“Certamente vocês ouviram falar da responsabilidade imposta a mim em favor de
vocês pela graça de Deus”

Paulo queria também que os cristãos de Éfeso entendessem que ele estava
passando por essas experiências porque Deus tinha lhe dado uma grande
responsabilidade: a de ser um comissário da graça de Deus. Veja a declaração
dele em I Coríntios 4:1...

“Portanto, que todos nos considerem como servos de Cristo e encarregados dos
mistérios de Deus. ”
Estudante!

Paulo está dizendo aqui que todos nós somos mordomos dos mistérios de Deus.
Você e eu! Nós recebemos o evangelho, que nos permite resolver o enigma da
nossa existência. Esta responsabilidade foi dada a nós por Deus, e Ele quer que
transmitamos esse segredo para todos aqueles que estão ao nosso redor.

Versículo 3...
“...isto é, o mistério que me foi dado a conhecer por revelação, como já lhes
escrevi em poucas palavras”

Conforme nos explica John Stott...


“As palavras em português e grego não significam a mesma coisa. Em português
um “mistério” é algo obscuro, oculto, secreto, enigmático, no entanto a palavra
grega se referia a uma verdade que esteve oculta ao conhecimento ou
entendimento humanos, mas que atualmente está desvendada pela revelação de
Deus.”

Estudante! Preste bastante atenção!

“No cristianismo não há “mistérios” esotéricos reservados para uma elite


espiritual. Pelo contrário, os “mistérios” cristãos são verdades que, embora sejam
além da compreensão humana, foram reveladas por Deus e, portanto, agora
pertencem abertamente a toda a igreja.” (J.Stott)

c) Jesus Cristo é o cerne - vs.4-6

Versículos 4-5...
“Ao lerem isso vocês poderão entender a minha compreensão do mistério de
Cristo. Esse mistério não foi dado a conhecer aos homens de outras gerações,
mas agora foi revelado pelo Espírito aos santos apóstolos e profetas de Deus”

No Velho Testamento os profetas tinham apenas um lampejo, uma idéia do que


seria no futuro... mas é no Novo Testamento que os apóstolos tiveram uma
revelação clara dada pelo Espírito de Deus.

Ao redor do mundo as pessoas procuram uma resposta para o mistério da vida.


Buscam soluções para problemas como aquecimento global, pobreza, ameaças
de guerra, violência, etc., mas estes são apenas prolongamentos de um problema
central que tem atormentado a humanidade desde o início: o pecado; e a chave
para a solução é o que Paulo chama de “o mistério de Cristo.”

Veja também Colossensses 4:3.


Versículos 6.
“significando que, mediante o evangelho, os gentios são co-herdeiros com Israel,
membros do mesmo corpo, e co-participantes da promessa em Cristo Jesus. ”

O mistério diz respeito a Cristo e ao seu único povo, judeu e gentio. Esse mistério
é que os gentios através do evangelho são herdeiros em conjunto com Israel,
membros de um órgão conjunto, e compartilharão juntos na promessa em Cristo
Jesus.

”Os maiores homens de Deus no Antigo Testamento não compreenderam este


mistério. Eles podem ter entendido muito do plano de Deus - na medida em que
Ele o revelou a eles - mas este mistério só foi desdobrado por meio de Jesus
Cristo. O próprio Senhor Jesus começou a manifestá-lo.” (RayStedman)

Em Mateus 13:34-35 temos estas surpreendentes palavras sobre Jesus:


”Jesus falou todas estas coisas à multidão por parábolas. Nada lhes dizia sem
usar alguma parábola, cumprindo-se, assim, o que fora dito pelo profeta: “Abrirei
minha boca em parábolas, proclamarei coisas ocultas desde a criação do
mundo”.

”Desde o início Deus preparou a humanidade para a revelação deste presente


secreto, através de rituais e símbolos do Antigo Testamento - a lei e os sacrifícios
- o que ajudou a humanidade a compreender que todo ser humano tem algo
intrinsecamente errado. Mesmo assim, Deus não tinha revelado plenamente este
mistério. Um pouco foi revelado, no passado, mas o grande segredo foi mantido
oculto ” (RayStedman)

Nos últimos versos do livro de Romanos há uma afirmação muito clara sobre este
mistério: ”Ora, àquele que tem poder para confirmá-los pelo meu evangelho e
pela proclamação de Jesus Cristo, de acordo com a revelação do mistério oculto
nos tempos passados, mas agora revelado e dado a conhecer pelas Escrituras
proféticas por ordem do Deus eterno, para que todas as nações venham a crer
nele e a obedecer-lhe; sim, ao único Deus sábio seja dada glória para todo o
sempre, por meio de Jesus Cristo. Amém. ”

Estudante! Lembremos disso...

O conhecimento de Deus e de Sua vontade NÃO é “alcançado” pelo


descobrimento humano, por uma mente brilhante e perspicaz, mas sim (e
somente) pela Revelação Divina. Nossa oração ao lermos as Escrituras tem que
ser a do Salmista...

“Desvenda Senhor os meus olhos, para que eu contemple as maravilhas da tua


lei.” -Salm o 119:18
s Volte na aplicação do versículo 2 e medite bem nela.

s Você já tem certeza absoluta que é da família de Deus?!


Nem todos são filhos de Deus. Todos nós somos criaturas Dele, mas
somente aqueles que foram alcançados pela maravilhosa Graça de Deus
são filhos de Deus. (Veja João 1:11-12)

Em Cristo,

Ary
LIÇAO 12

EFÉSIOS 3

FOMOS VOCACIONADOS

I - O m istério concedido a Paulo - vs 1-6

II - O m inistério de cada crente - vs. 7-13

a)comissão divina a Paulo - vs. 7-9

Versículos 7-8...
“Deste evangelho me tornei ministro pelo dom da graça de Deus, a mim
concedida pela operação de seu poder. Embora eu seja o menor dos menores de
todos os santos, foi-me concedida esta graça de anunciar aos gentios as
insondáveis riquezas de Cristo. ”

Devemos estar atentos ao fato de que Paulo não se fez ministro ou apóstolo pelo
seu próprio querer! Outra tradução diz: “Fui constituído ministro conforme o dom
da graça de Deus”.
S Tenha em mente o texto de Tiago 3:1... “Meus irmãos, não sejam muitos de
vocês mestres, pois vocês sabem que nós, os que ensinamos, seremos
julgados com maior rigor. ”
S E... tome muito cuidado com quem vai se constituindo “ministro”(a),
“apóstolo”(a) ou “profeta” (profetisa).

“Na medida em que Paulo começou a compreender a revelação plena do mistério


que está em Jesus Cristo, a clareza do seu conhecimento deu-lhe uma visão de
si mesmo e de sua própria fraqueza. É por isso que ele poderia dizer, com toda a
sinceridade, sem falsa modéstia: “Sei que nada de bom habita em mim, isto é, em
minha carne. Porque tenho o desejo de fazer o que é bom, mas não consigo
realizá-lo.” (Rm 7:18). Sem dúvida esta é uma avaliação precisa do nosso
verdadeiro estado humano!” (RayStedman)

Estudante! A cada dia deve aumentar a consciência do nosso próprio pecado e


fraqueza, produzindo assim a verdadeira humildade de Cristo em nós. Hoje no
mundo evangélico é o contrario, cada um - com brilhantes exceções - quer
aparecer mais e mais.

“O que é necessário, portanto, para a recuperação do zelo evangelístico na igreja


é a mesma convicção de Paulo a respeito do evangelho. Uma vez que tenhamos
a certeza de que o evangelho é tanto a verdade da parte de Deus, quanto
riquezas para a humanidade, ninguém conseguirá silenciar-nos!” (J. Stott)
Versículo 9...
“...e esclarecer a todos a administração deste mistério que, durante as épocas
passadas, foi mantido oculto em Deus, que criou todas as coisas. ”

”Paulo sabia que o verdadeiro segredo do prazer e satisfação nesta vida, surge
apenas quando o evangelho tem permeado nossa vida. Assim, ele se mostrou
exultante pelo privilégio de propagar esta brilhante luz na escuridão do mundo
pagão do primeiro século. Este maravilhoso mistério foi guardado por Deus até
que o mundo estivesse pronto para ele. Todas as épocas da história antes da
vinda de Cristo foram gastos preparar o mundo para o desdobramento do
mistério, para a revelação de Jesus Cristo. Não há nada em todo o mundo como
este grande segredo - e Deus estava preparando a humanidade para recebê-lo.”
(Ray Stedman)

Segundo o cientista cristão Dr. Arthur Custance...


“Os processos da história tem significado especial porque a crucificação não
poderia ser simplesmente um evento isolado ocorrido em alguma época de
anarquia e barbárie, ou em algum canto do mundo onde pareceria ter sido um
acidente. Este acontecimento precisava ser realizado de forma jurídica, tendo o
consentimento da sentença pela humanidade como um todo. Ele tinha de ocorrer
num momento em que o evento em si seria suficientemente público, jamais
podendo haver alguma dúvida sobre o fato ter acontecido. Deveria ocorrer
quando houvessem meios suficientes para que a notícia corresse de forma muito
ampla... e o Império Romano garantia, pelo menos por um breve tempo, um
mundo ideal para esta definição.”

Isto é o que Paulo queria dizer quando escreveu: “Mas, quando chegou a
plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo
da Lei, a fim de redimir os que estavam sob a Lei, para que recebêssemos a
adoção de filhos.” (Gálatas 4:4-5). Este foi o início do desdobramento deste
mistério, que rege as vidas humanas.

b) a centralidade da igreja na vida cristã - v.10

Versículo 10a...
“A intenção dessa graça era que agora, mediante a igreja, a multiforme sabedoria
de Deus...”

A palavra “multiforme” literalmente significa “multicolorido”.


Desta forma a igreja, como uma comunidade multi-racial e multi-cultural, é como
uma magnífica pintura, uma “obra de arte”, com sua infinita diversidade que
resplandece beleza da sabedoria de Deus.

John Stott comenta que.


s “seus membros vêm de uma vasta gama de situações singulares,
s nenhuma outra comunidade humana se assemelha a ela,
s sua diversidade e sua harmonia são sem igual,
s é a nova sociedade de Deus
Desta forma a comunhão multicolorida da igreja é uma reflexão da sabedoria
multicolorida (ou multiforme) de Deus!

Por causa disto, “a história da igreja cristã fica sendo uma escola superior para os
anjos” (Mackay)

Cuidado!

Estudante, a principal lição que aprendemos aqui é a centralidade bíblica da


igreja!

Algumas pessoas erroneamente querem viver um cristianismo que consiste


inteiramente em um relacionamento pessoal com Jesus Cristo, porém totalmente
independente do compromisso com uma igreja local.

Isto não é bíblico!

Versículo 10b...
“...se tornasse conhecida dos poderes e autoridades nas regiões celestiais”

Estamos rodeados por um reino espiritual invisível composto de anjos e


demônios - como Paulo irá nos explicar em maiores detalhes em Efésios 6.
É como se estivéssemos no palco de um grande teatro, com estes "poderes e
autoridades nas regiões celestiais” reunidos ao redor, assistindo o que acontece
aqui na vida dos crentes.

Assim, a revelação do mistério é a revelação do amor de Deus, de forma a


surpreender e instruir os anjos (principalmente os anjos caídos - os demônios).
Eles vêem a nós, seres humanos que nunca vimos a Deus, tendo nossos medos,
raiva, vida pecaminosa transformados, e como aprendemos a amar e confiar em
Deus e a obedecê-lo.

“A multiforme sabedoria de Deus é vista na igreja como um todo quando esta se


empenha ardentemente em viver para a glória de Deus”. É vista também em cada
crente individualmente, arrebatando-os das trevas e integrando-os na
maravilhosa luz de Deus. Recebemos os vislumbres dela agora, quando
estudamos a Escritura ou quando refletimos acerca da providência divina em
nossas próprias vidas!(W.Hendriksen)
Estudante!

Se a igreja é central no propósito de Deus, certamente deve ser central para as


nossas vidas. Assim como o apóstolo Paulo, devemos estar prontos a orar e a
trabalhar em favor da igreja de Cristo! Este é o ministério reservado por Deus
para cada um de nós!

c) Jesus Cristo é o cerne - vs.11-13

Versículos 11-12...
“...de acordo com o seu eterno plano que ele realizou em Cristo Jesus, nosso
Senhor, por intermédio de quem temos livre acesso a Deus em confiança, pela fé
nele. ”

Paulo nunca nos deixa esquecer que a fonte deste grande mistério é o nosso
Senhor Jesus Cristo.

“Acesso” é a tradução de uma palavra grega que pode ser entendida como...
S termo usado para introduzir alguém na presença de um Rei
(Jesus nos introduz pela Graça na presença de Deus)
S termo usado para referir-se ao porto onde os navios ancoram
(entramos por Jesus no porto da Graça de Deus)

Estudante! Imagine que Jesus tendo justificado você, lhe toma pela mão e
apresenta ao Deus Pai dizendo...

“Este é o(a)________ (coloque seu nome). Rom. 5:1


Agora ele(a) é um dos teus filhos e co-herdeiro(a) comigo!”

Versículo 13...
“Portanto, peço-lhes que não desanimem por causa das minhas tribulações em
seu favor, pois elas são uma glória para vocês. ”

Paulo está escrevendo para os cristãos em Éfeso com a finalidade de garantir-


lhes que tudo está acontecendo exatamente como deveria ser. Há um propósito e
um fim para seus sofrimentos.

E você, estudante! Também tem esta convicção?!

Deus está criando uma obra-prima de louvor em nossas vidas!


Se perseverarmos até o fim daremos louvor e honra a Deus!

Não desanime! Em Cristo, Ary.


LIÇAO 13

EFÉSIOS 3

FOMOS VOCACIONADOS

I - O m istério concedido a Paulo - vs 1-6


II - O m inistério de cada crente - vs. 7-13

III - O apóstolo da oração - vs.14-21

“Uma das melhores maneiras de descobrir as principais ansiedades e ambições


do crente é analisar o conteúdo de suas orações e a intensidade com que as faz.”
(J. Stott)

Paulo entendia claramente o valor da oração intercessória, pois estava presente


em todas as suas cartas. Nesta oração ele deixa claro que os cristãos em Éfeso
precisavam não só motivação, mas precisam de perseverança para manterem-se
firmes, para continuar até ao fim.

Estudante! Não é exatamente o que você e eu precisamos também?


Precisamos mais de perseverança para continuar do que motivação para
começar. Precisamos de perseverança para...
s ter como prioridade diária um tempo de estudo bíblico e oração;
s assumir o compromisso de participar de uma Escola Bíblica semanalmente;
s permanecer fiel em seu casamento mesmo quando suas expectativas são
constantemente frustradas;
s disciplinar biblicamente seus filhos, pela fé, mesmo quando não se enxerga os
resultados;
s continuar servindo a Deus quando aparecem em nosso caminho obstáculos
que nos desestimulam;
s continuar mostrando o amor e a bondade de Cristo às pessoas que nos
rodeiam, especialmente àquelas que não gostamos, difíceis de se relacionar;
s lidar com os problemas e as dores que sugam nosso entusiasmo, e que
parecem nunca ter fim - e alguns realmente nunca terão!
s trabalhar honestamente mesmo quando sua conta bancária “pede” que você
faça o contrário.

Paulo então escreve para nos incentivar e motivar a permanecer firmes, e o


resultado final - você verá - é louvor à Deus!
a) introdução à oração - vs.14-15

Versículo 14...
“Por essa razão, ajoelho-me diante do Pai”

Que “razão” Paulo tem em mente? O que o leva a orar?


s a obra reconciliadora de Cristo
s a sua compreensão desta obra (que lhe foi especialmente revelada)
Essas são as convicções que sustentam sua oração.

Versículo 15...
“do qual recebe o nome toda a família nos céus e na terra”

Que família é esta? Toda a família dos crentes, a igreja de Cristo.

John Stott nos explica que...


“O acréscimo de “nos céus e na terra” indica que a igreja militante na terra e a
igreja triunfante no céu, embora sejam separadas pela morte, são apenas duas
partes da única grande família de Deus.”

b) o conteúdo da oração - vs.16-19

Versículos 16-17a...
“Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu
ser com poder, por meio do seu Espírito, para que Cristo habite no coração de
vocês mediante a fé”

Note que este não é apenas um lembrete que o Espírito Santo habita no interior
do crente. A idéia aqui é que o próprio Criador pode infundir Sua força em nosso
interior, através do Espírito Santo!

Você se lembra do que Paulo fala em II Coríntios 4:16?!


“Por isso não desanimamos.
Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos
sendo renovados dia após dia”
Paulo diz que apesar do nosso “homem exterior” estar em decadência,
envelhecendo, se deteriorando; existe uma parte de nós - nosso homem interior -
que está se tornando melhor, mais forte, a cada dia.
Este é o motivo de não desanimarmos!

Estudante! Sua fé está começando a falhar?

Se você é de fato um crente, lembre-se que Jesus Cristo vive em você e nunca
irá te deixar. Você pertence a Ele que o fortalece dia após dia (se você se
alimentar da Palavra e não ficar ocioso. Deus não fortalece preguiçoso!)
Atenção! Sabemos que Cristo habita mediante o Seu Espírito...
s em todo crente
S no momento de sua conversão (I Cor. 12:13)

John Stott ressalta que, pelo fato de Paulo estar orando em favor de cristãos,
para alguns esta petição “para que Cristo habite no coração de vocês”, pode
trazer dúvidas do tipo:
“Se Cristo habita no coração de todo crente, então como Paulo pode pedir
Cristo habite no coração deles? Cristo já não estava lá?”
Stott então explica... “A habitação de Cristo na pessoa é questão de intensidade,
assim também é o fortalecimento no interior segundo o Espírito Santo.”

O que Paulo está pedindo em favor de seus leitores é que “dentro destes
corações uma influência controladora seja dinamizada de tal maneira que sejam
fortalecidos mais e mais pelo poder do Espírito Santo que lhes foi outorgado [no
momento da conversão]; que todos os resplendentes atributos de Deus sejam
ricamente aplicados em seu progresso espiritual.” (W.Hendriksen)

Vejamos então qual o propósito de Paulo ao pedir que o coração dos cristãos
sejam fortalecidos ...

Versículos 17b-19a...
“...e oro para que, estando arraigados e alicerçados em amor, vocês possam,
juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura
e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento”

Somente, quando temos raízes e alicerces profundos no amor de Cristo, estando


solidamente fixados e fundamentados Nele, é que temos força para amar e poder
para compreender o amor de Cristo. “É amando que em parte ficamos sabendo o
significado do amor de Cristo!” (J.Stott)

Quando cristãos levam a sério a ordem de Deus para amar uns aos outros e viver
em estreita comunhão, a Igreja se torna uma força propulsora de transformação
em um mundo de alienação, solidão e isolamento. John Stott diz que “Precisa-se
da totalidade do povo de Deus para entender a totalidade do amor de Deus,
todos os santos juntos, judeus e gentios, homens e mulheres, jovens e velhos,
pretos e brancos, [palmeirenses e corintianos], com toda sua diversidade e
experiências.”

Estudante! É claro que devemos manter nossa privacidade, porém é de vital


importância para todo cristão (inclusive para mim, Ary) ter um grupo de amigos
cristãos - que levem Deus e Sua Palavra à sério - com quem possa ser aberto,
sincero e transparente para compartilhar - e prestar contas... e com quem
comece a experimentar a altura, profundidade, comprimento e largura do amor de
Cristo!
Por que Paulo descreve o amor de Cristo nestes quatro dimensões?

s Comentaristas antigos viam nelas uma ilustração da cruz.


s Segundo John Stott “o amor de Cristo é suficientemente largo para abranger a
totalidade da humanidade, suficiente comprido para durar por toda a
eternidade, suficientemente profundo para alcançar o pecador mais
degradado, e suficientemente alto para levá-lo ao céu”
s Para Leslie Mitton há um paralelo com Romanos 8:37-39, ou seja, “onde quer
que se vá, para frente ou para trás, subindo até as alturas ou descendo às
profundezas, nada nos separará do amor de Cristo”
s Ao modo de ver de William Hendriksen “não se deve separar esta expressão,
de modo que a cada um dessas dimensões sejam atribuídos significados
distintos”
s Na visão de Ray Stedman estas dimensões referem-se a elementos
abordados em Efésios: largura (a esperança para a qual Deus nos chamou -Ef
1:18); comprimento (a gloriosa riqueza estendida aos gentios - Ef 1:27); altura
(a nossa posição nos lugares celestiais em Cristo - Ef 2:6); profundidade (a
morte tal como é descrita em Efésios 2).

s Particularmente, eu - Ary - acho difícil de entender este versículo, mas fico


com a idéia de que Paulo queria dizer que este amor é inesgotável, tão
grande, tão maravilhoso que por mais conhecimento que dele temos, mais há
para ser conhecido.

De qualquer forma, estamos certos de que “o amor de Cristo é tão inescrutável


quanto suas riquezas são insondáveis. Sem dúvida passaremos a eternidade
explorando as riquezas inesgotáveis da graça e do amor de Cristo” (J.Stott)

Versículo 19b...
para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus. ”

John Stott nos explica que “a preposição grega usada aqui é eis, que indica que
devemos ser cheios não com a plenitude de Deus, mas sim até ela. É então a
plenitude ou perfeição de Deus o padrão ou nível até o qual oramos para sermos
enchidos” Veja I Pedro 1:15-16; Mateus 5:48 e Efésios 5:1-2.

c) conclusão - vs.20-21

“Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou
pensamos, [com base na Palavra de Deus e não em interesses egoístas, é claro!]
...de acordo com o seu poder que atua em nós, a ele seja a glória na igreja e em
Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!”
Não somos capazes de promover transformação alguma em nossas vidas... mas
Deus, vivendo em nós e enchendo-nos com Seu Espírito, é capaz de fazer muito
mais do que nós podemos sequer pensar em lhe pedir em nossas orações!
Sim! Devemos levar tudo à Deus em oração (Fl 4:6), antes porém devemos
passá-las pela “peneira” dos textos de João 15:7 e I João 5:14!

Quais são suas metas para este dia, para este ano, para a sua vida, estudante?
Deus pode exceder os seus sonhos... se você entregá-los a Ele, com o mais
sincero, verdadeiro e profundo propósito em seu coração: que tudo o que venha a
acontecer em sua vida, seja para promover o Reino de Deus e glorificar o nome
Dele!

ATENÇÃO! Sempre que você vir este texto ser usado fora de contexto, de
maneira mentirosa, para “fundamentar” a heresia que podemos...
s “exigir” ou “cobrar” algo de Deus, ou
s pedir uma coisa qualquer, para puro deleite.
FUJA! Isto é diabólico!

Aliás! Todos nós precisamos tomar muito cuidado com o que lemos e ouvimos -
mesmo partindo do púlpito de nossas próprias igrejas - e também com os
comentários bíblicos e livros cristãos de autores renomados.

Fique atento! Leia a Bíblia sempre que possível em mais de uma versão, pois isto
amplia o entendimento, e... mais importante que tudo o mais.... leia a Bíblia em
oração, para que Deus lhe dê sabedoria e discernimento para entender a Sua
Palavra.

“Não temos autoridade alguma para orar por qualquer coisa que Deus não
revelou (na Bíblia) ser sua vontade. É por isto que a leitura da Bíblia e a oração
devem caminhar sempre juntas. É nas escrituras que Deus revelou a sua
vontade, e é na oração que pedimos que Ele a realize.” (J.Stott)

Lembrando sempre que a nossa doutrina é que determina o nosso


comportamento.

Em Cristo, Ary
LIÇÃO 14

“ Procure apresentar-se a Deus [não ao Ary],


como obreiro aprovado que não tem do que se envergonhar,
e que maneja corretamente a palavra da verdade"
II Timóteo 2:15

TESTE PARA AUTO-AVALIAÇÃO


não envie para mim

Responda sem consultar suas anotações, apostila, ou Bíblia e depois confira as


respostas nas lições anteriores.

Parte I - Esboço Geral

1. Efésios foi escrita por ________________ enquanto estava preso em


________ , no ano d e ______________ .
Sua mensagem central é “para o louvor d a _____________________ ”

2. Quais as sete palavras-chave do esboço geral?

3. Quais as duas grandes divisões desta carta?

1
Parte II - Capítulos 1 e 2

1. Qual o sentido da palavra “santos” no Novo Testamento?

2. O que significa redenção?

3. A que se refere a palavra mistério no Novo Testamento?

4. Qual a relação que há entre o Espírito Santo e a Palavra de Deus?

5. De que forma as pessoas sem Deus estão “mortas”?

6. Por que as pessoas salvas são testemunhas da bondade de Deus?

7. Que diferença isto faz na sua vida?

8. Qual a relação entre as boas-obras e a salvação?

9. De que forma Jesus anulou a Lei?

10. Qual o sentido de Paulo referir-se a Cristo como “pedra angular?

Olá Estudante!

s Você tem feito este estudo apenas como um exercício intelectual, ou também
como algo prático, relevante e real na sua vida diária?

s Se é assim, em que sua vida foi mudada?

Lembre-se que isto é entre você e Deus, mas os que estão perto de você hão de
perceber que houve mudança!

Em Cristo, Ary
LIÇAO 15

EFÉSIOS 4

DEVEMOS SER OBEDIENTES

Veja o esboço do capítulo 4...

I - Unidade e diversidade na Igreja - vs.1-16


a) porque a Igreja existe - vs 1-3
b) nossa unidade no Espírito - vs 4-6
c) a diversidade dos dons - vs 7-12
d) maturidade em Cristo - vs. 13-16

II - Novos padrões da nova sociedade de Deus - vs.17-32


a) base doutrinária - vs 17-24
b) exemplos concretos - vs 25-32

Vamos ao estudo...

Nos três primeiros capítulos que já estudamos “Paulo desenvolveu para os seus
leitores o desenrolar do propósito eterno de Deus na História”(J- Stott). Agora ele se
move da grande, fundamental e verdadeira doutrina, para a realidade da nossa
existência cotidiana. Ele relaciona o eterno desígnio de Deus com o nosso viver
diário.

I - Unidade e diversidade na Igreja - vs.1-16

Nestes versos Paulo expõe o objetivo da igreja e ministério no mundo em cada


século, e não apenas o primeiro, ele nos chama de volta aos grandes propósitos
de Deus para os quais a Igreja foi estabelecida. Esta passagem, então, é
aplicável a nossa vida hoje como era na vida dos cristãos a quem ele escreveu.

a) porque a Igreja existe - vs 1-3

Versículo 1...
“Como prisioneiro no Senhor, rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação
que receberam”

Como já dissemos no verso 3:1, é importante notar que Paulo sabia que estava
na cadeia por divino propósito, e por este motivo não se considerava “prisioneiro”
de nenhum imperador, mas do Senhor.
A Igreja não é uma organização “independente”, que subsiste através da sua
própria força, como meras organizações humanas; e sua principal tarefa não é
ser uma “prestadora de serviços”, promovendo o “bem-estar” das pessoas -
servir aos outros é importante, mas não é o aspecto central da nossa vocação.

Aliás... você sabe o que significa vocação? Segundo o dicionário, é o mesmo que
chamamento, eleição, escolha, predestinação.
“Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo
exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das
trevas para a sua maravilhosa luz.” - I Pedro 2:9
Este é o objetivo da igreja, esta é a vocação de cada um de nós!

Portanto, o que Paulo está dizendo é que nossa principal resposta a esta tão
grande e inigualável vocação deve ser um viver totalmente voltado para o louvor
e a glória de Deus!

Estamos nós vivendo de maneira digna, levando Deus e sua Palavra a sério?

Versículos 2-3...
“Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns
aos outros com amor. Façam todo o esforço para conservar a unidade do Espírito
pelo vínculo da paz. ”

Nós, como Paulo, somos prisioneiros do Senhor, e estas são as Suas ordens
dadas a nós também! Devemos cumpri-las com alegria, mantendo a unidade do
Espírito no vínculo da paz.

Observe que Paulo não está dizendo que somos nós quem produzimos esta
unidade, mas que devemos manter uma unidade que já foi produzida pelo
Espírito Santo; existe uma unidade que já existe por força da própria existência
da igreja, porque o Espírito Santo é o elo que a mantém. “A igreja pode ser
dividida organizacionalmente, mas o corpo de Cristo não pode ser
desarticulado”(RayStedman).

A Igreja é aqui convocada a demonstrar uma mudança de vida originada pelo


encontro com Cristo vivo, através de uma vida altruísta de amor, perdão e serviço
aos outros. Nossa vocação, a nossa razão de ser como Igreja de Jesus Cristo é o
de demonstrar o caráter Dele em nossas vidas; a unidade do Espírito é portanto o
testemunho que damos ao mundo da nossa nova vida em Cristo.

Ray Stedman ressalta que “este chamamento é sempre dirigido ao indivíduo


cristão. É surpreendente notar que a Igreja nunca é tratada como um corpo nas
Escrituras, mas sempre como unidades individuais dentro de um corpo. Portanto,
a responsabilidade de cumprir esta vocação da Igreja pertence a todo verdadeiro
cristão: somos todos chamados - individualmente.”
b) nossa unidade no Espírito - vs 4-6

Versículo 4...
“Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês
foram chamados é uma só; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só
Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos. ”

Aqui Paulo descreve a verdadeira unidade do corpo de Cristo com base nas três
Pessoas da Trindade - o Pai, o Filho e o Espírito Santo. São sete elementos
essenciais da fé cristã que abrangem a comunhão dos santos em um corpo, a
esperança de salvação, verdades doutrinárias da fé e o batismo.

c) a diversidade dos dons - vs 7-12

Estudante...

s Você sabe qual é o seu dom?


s Saberia como desenvolvê-lo ao descobrir qual é o seu?
s Alguma vez já perguntou a si próprio:
"O que o Senhor quer que eu faça para Ele?"
A eficácia da Igreja a própria alegria e satisfação de um cristão depende de suas
respostas a estas perguntas!(RayStedman).

Versículo 7...
”E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por
Cristo"

Paulo é enfático ao dizer que não há exceções a esta distribuição de dons.


Se você é um cristão, um membro do Corpo de Cristo, então você tem um dom
espiritual! Não importa se você é idoso ou jovem, rico ou pobre, bonito ou feio,
simples ou erudito, popular ou desconhecido - em virtude de ter recebido Jesus
Cristo como seu Senhor e Salvador você tem um dom espiritual!

“Ao conhecer e exercer seu dom você contribuirá para a vitalidade da Igreja...
caso contrário você estará diminuindo a medida do impacto e influência que Deus
destinou que Sua Igreja tenha no mundo. Por isso, é extremamente importante
que você entenda, reconheça, e exerça o seu dom.” (RayStedman)

Paulo chama as habilidades divinamente concedidas para servir, de “charismata”


(manifestações específicas de “charis”, isto é, graça) e nós temos diferentes
dons, de acordo com a graça que nos foi dada. Eu gosto desse termo para dons
porque indica algo sobre eles: dons são graciosos! Algo gracioso nos é prazeroso
fazer, e esta é a primeira verdade sobre um dom espiritual.
Um dom espiritual se cumpre quando você o exercita, e é algo que você faz com
prazer porque é uma “graça” de Deus dada à você. Não é uma coisa dura ou
dolorosa a se fazer; mas é algo que você se deleita em fazer, e você pode
aprimorá-lo! Conseqüentemente é uma das coisas que farão sua vida fazer
sentido, que lhe atrai e se cumpre em você.

Assim que você começar a...


- buscar descobrir qual é o seu dom
- fazer um exame dos seus desejos, do que mais gosta de fazer
- perguntar à outras pessoas o que elas vêem em você
- e então buscar oportunidades para fazê-lo,
...você estará ativando, exercitando seu dom, para que este não fique “apagado” !
Veja II Tm 1:6a.

Meu desejo é que você descubra seu dom e o ponha em prática, vivendo sua
vida com o propósito que Deus tem para você. Talvez neste momento você
precise renovar outra vez seu pedido à Deus para que Ele o conduza na busca
de seu dom espiritual, e no exercício diário de coloca-lo em prática HOJE, nas
suas atuais circunstâncias.

E... cuidado! É muito fácil cair na tentação de buscar os chamados “dons


espetaculares”, como cura e línguas, e ao não recebê-los ser tentado a forjá-los.
Você já pediu o dom da liberalidade?

Versículos 8-10...
“Por isso é que foi dito:
“Quando ele subiu em triunfo às alturas, levou cativos muitos prisioneiros, e
deu dons aos homens”.
(Que significa “ele subiu”, senão que também havia descido às profundezas da
terra? Aquele que desceu é o mesmo que subiu acima de todos os céus, a fim de
encher todas as coisas.)”

Ray Stedman nos explica que que...


“Paulo associa o dom de Deus com a descida de Cristo, encarnação, e
novamente subida ao trono do poder depois da sua ressurreição. Tudo isso foi
necessário para que você pudesse receber o seu dom!
Todo o mistério e maravilha da encarnação e ressurreição de Jesus estão
envolvidos no fato de recebermos um dom espiritual de Deus.”

Atenção! Muitas pessoas confundem dons espirituais com talentos naturais.


A maioria das pessoas têm um ou outro tipo de talento, sejam elas cristãs ou não,
mas apenas os cristão têm dons espirituais, ou seja, aqueles que produzem uma
vida espiritual verdadeira. Talentos nos levam a grandes realizações, mas
somente o dom espiritual produz resultado espiritual.
Stedman continua... “Você não precisa do poder da ressurreição para operar um
talento natural, mas não é possível operar um dom espiritual sem este poder.
Os dons espirituais não podem ser interrompidos por mera vontade humana, é
por isso que Paulo, mesmo quando preso por Roma, não considerou que seu
dom estava limitado ou inativo.”

Estudante!

O único limite que temos no exercício dos nossos dons espirituais é o limite da
nossa própria fé para acreditar que Deus está disposto e é capaz de trabalhar
através de nós.

Em Cristo, Ary
LIÇAO 16

EFÉSIOS 4

DEVEMOS SER OBEDIENTES

I - Unidade e diversidade na Igreja - vs.1-16


a) porque a Igreja existe - vs 1-3
b) nossa unidade no Espírito - vs 4-6

c) a diversidade dos dons - vs 7-12

Na lição passada estudamos até o versículo 10, vamos agora dar continuidade a
este sub-item...

“Alguns cristãos têm medo de olhar para o seu dom espiritual por temer que
possa encontrá-lo!” (Ray Stedman). Estes não querem descobrir - e exercitar - seus
dons por medo de que então o propósito de Deus para suas vidas venha a
interferir seus planos pessoais de segurança e conforto!

Cada um de nós um dia estará diante do Senhor Jesus, e Ele então não irá
perguntar quanto dinheiro juntamos ou quanto status e fama adquirimos aqui
nesta vida temporal. Ele certamente irá nos perguntar:
"O que você fez com o dom que eu te dei?”
E o que você irá responder, estudante?!

Paulo deixa claro que o ministério da igreja NÃO pertence a uma minoria, mas a
todos os membros do corpo de Cristo, essa intenção é de Deus. Uma visão de
igreja que vê os pastores como executantes e os membros como espectadores é
uma trágica distorção da visão de Deus que encontramos na Bíblia.

Lamentavelmente muitas igrejas se parecem com um jogo de futebol...


"há onze homens em campo com uma necessidade desesperada de
repouso, cercado por cinco mil pessoas assistindo com uma necessidade
desesperada de exercício."
Mas esta não é a visão que Paulo tem da Igreja, muito menos Deus!

Versículos 11-12...
E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para
evangelistas, e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos
para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado”
Temos aqui somente uma lista parcial dos dons, há outros mencionados em I
Coríntios 12, I Pedro 4 e Romanos 12. É necessário juntá-los para obter uma lista
mais completa (porém não exaustiva) dos dons a nós disponíveis, mas o ponto
principal é este: é Deus quem os dá!

Em meio às muitas questões debatidas a respeito dos dons espirituais, no Novo


Testamento, três certezas podem ser afirmadas:

I - Um dom espiritual é uma habilidade para expressar, celebrar, demonstrar, e


portanto, comunicar Cristo que um modo que edifique e fortaleça a fé em outros
cristãos e faça a igreja crescer.

II - Os dons podem ser classificados de modo geral e dois grupos: habilidades


para falar e habilidades para prestar ajuda prática em amor. Por mais diferentes
que sejam como formas de atividades humanas, todas elas são de igual
dignidade, quando usadas adequadamente.

III - Não há cristão que não tenha algum dom (I Cor 12:7). É de cada crente a
responsabilidade de descobrir, desenvolver e usar plenamente quaisquer sejam
as capacidades para o serviço que Deus lhe deu.

O Corpo de Cristo (a Igreja) cresce para a maturidade da fé e do amor “na


medida em que cada parte realiza a sua função” (Ef. 4:16), exercendo sua forma
peculiar de serviço, como é concedido pela graça de Deus. (I Cor 12:1)

Pelo fato do dom de Profecia ser muito discutido e também muitas vezes
abusado, deixo com você 3 pontos de vista, porque em nenhum lugar no Novo
Testamento há uma definição clara do que seja.

Sabemos porém, que não é como no Velho Testamento porque o Cânon das
Escrituras está fechado, a Bíblia está completa!

I - Geoffrey B. Wilson - Comentário de Romanos


“A instrução clara de Paulo aos que têm o dom da profecia indica sua
subordinação à autoridade apostólica (veja I Cor. 14:37). Eles não devem ir
além de seu papel, nem deixar de cumprir sua comissão. Este princípio
permanece válido se “profecia” se refere aos dons miraculosos que
floresciam na Igreja Primitiva; tanto quanto, como prefere Calvino, se “ele se
refere simplesmente a dons comuns que permanecem sempre na igreja.
Em qualquer caso, nenhuma revelação ou exposição é válida quando se
afasta do padrão infalível estabelecido pelo apostolado. Toda afirmação
humana é sujeita a, e deve ser julgada pela autoridade suprema da
Escritura.”
II - O grande expositor da Bíblia, Ray Stedman, com quem eu estudei e muito
aprendi durante nove meses, falando sobre este assunto diz:
“É o dom de expor as Escrituras, fazendo-a tornar-se viva. Vem da raiz da
palavra grega que significa “fazer ou causar brilho, iluminar. Refere-se
àquela habilidade de tomar o texto bíblico e fazê-lo brilhar, tornar o texto
bíblico claro e então todos percebem o que devem fazer e para onde devem
ir.” (veja 2 Pedro 1:19)

João Calvino (séc. XVI) diz a mesma coisa sobre isto:


“O dom de profecia é capacidade peculiar de expor as Escrituras”.

III - Concluímos com as palavras da Bíblia de Estudo de Genebra


“Profetizar é falar a palavra de Deus, mas a natureza da profecia, no Novo
Testamento, em parte alguma é definida, e é muito debatida.”

Cuidado! Muito cuidado! Pois temos hoje em dia muita “profetada” e pouca
exposição e ensino das Escrituras.

Não busque profetisas ou profetas, busque entender a Palavra de Deus!

Muita vezes eu - Ary - fui atrás de profecias para ouvir coisas como: “meu servo
eu estou com você”, porém eu não precisava de profeta algum me dizer isto, pois
Jesus já dissera: “Eis que EU estou convosco até a consumação dos séculos.”
Mateus 28:20b.

Cuidado, muito cuidado!!!

d) maturidade em Cristo - vs.13-16

Versículos 13-14...
“...até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de
Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo.
[este é o alvo que, como a Igreja, havemos de chegar um d ia ](J.Stott)
O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para
outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e
pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro. ”

“O alvo da Igreja é alcançar a perfeição no sentido de maturidade na unidade, e


isso provém de conhecer a Cristo e de confiar nEle” (J. Stott). O propósito supremo
de Deus para cada um de nós é que atinjamos a maturidade, isto é, nada menos
que “a medida da plenitude de Cristo”. Deus deseja que cresçamos e nos
tornemos responsáveis, completos e bem ajustados, absolutamente como Cristo.

Esta análise exige uma boa dose de cautela, pois todos somos dotados de uma
enorme capacidade de auto-engano, não é! Frequentemente nos comparamos
com as pessoas ao nosso redor e nos asseguramos que há muito já passamos
da fase da imaturidade... porém devemos nos comparar somente com Cristo,
para então vermos o quão longe estamos do que verdadeiramente devemos ser.
Veja o que Paulo nos adverte em II Coríntios 10:12.

Há de existir uma nítida progressão na vida cristã de toda pessoa


verdadeiramente salva em Cristo Jesus, e esta maturidade é marcada pela
inexistência, ou pelo menos, considerável e constante diminuição de duas
características: inconstância e falta de discernimento.

inconstância
Cristãos imaturos estremecem a cada nova mania religiosa, têm mais interesse
em ler os últimos lançamentos sobre espiritualidade do que a própria Palavra de
Deus. Correm de um lado para o outro atrás de seminários e conferências que
prometem desvendar as “chaves” do “celeiro de bençãos” de Deus, enquanto
aparecem esporadicamente nos cultos e estudos bíblicos de suas próprias
igrejas.

falta de discernimento
Da mesma forma, crentes imaturos parecem ignorar os perigos espirituais à sua
volta e, por vezes, são alvos destas armadilhas. Eles não confrontam com as
Escrituras tudo o que ouvem. Sua confiança não está em Deus e Sua Palavra,
mas em qualquer palavra que “soe bem”, vinda de pregadores e professores
humanos.

Em contraste com a instabilidade doutrinária, que é uma marca da imaturidade


espiritual, devemos...

Versículos 15-16...
“Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a
cabeça, Cristo. Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as
juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte
realiza a sua função. ”

A fim de crescermos para a maturidade, devemos ser verdadeiros em amor,


sempre mantendo, vivendo e praticando a verdade.

John Stott comenta que “há na Igreja aqueles que estão decididos a defender e
sustentar a verdade revelada - a Bíblia - mas que às vezes revelam uma falta
notável de amor. Outros cometem o erro oposto: estão resolutos e sustentar e
demonstrar o amor fraternal, mesmo que para isto sacrifiquem até mesmo as
verdades centrais da Bíblia. Estas duas tendências são antibíblicas e
desequilibradas.”
Cristãos maduros sabem que não podem viver uma vida cristã saudável e
produtiva, se estiverem sozinhos, por isto procuram desenvolver profunda
comunhão com outros irmãos. A maturidade reconhece a necessidade mútua,
uns dos outros.

Ray Stedman ressalta que “pode haver irmãos em sua igreja que você considere
difíceis de amar, mas... Deus sabe exatamente o tipo de exercício que você
precisa para se tornar mais maduro em Cristo. Todos no corpo de Cristo são
indivíduos únicos, com personalidades e dons diferente e que à sua própria
maneira estão crescendo em direção à maturidade também. Portanto, não rejeite
os instrumentos que Deus estabeleceu para trabalhar em sua vida!”

E você, estudante:

Pode até ser um cristão já há anos ou décadas, mas... apresenta sinais de


maturidade? Ou ainda é instável e ingênuo espiritualmente?

Tomando emprestadas as palavras de Ray Stdman...

“Talvez depois deste estudo você possa estar pensando...


“Como eu posso ser como Cristo?
Ele é o Filho de Deus e eu sou um simples ser humano.
Ele é perfeito e eu sou um fracasso, propenso ao pecado.
Se a perfeição de Jesus é o padrão, então eu deveria simplesmente
desistir, pois nunca serei como Ele. ”

Não desanime! Observe que não alcançamos a maturidade em um único “flash”


de santidade, mas através de um processo gradual de crescimento.”

Em Cristo,

Ary
LIÇAO 17

Estudantes D
EFÉSIOS 4

DEVEMOS SER OBEDIENTES

I - Unidade e diversidade na Igreja - vs.1-16

II - Novos padrões da nova sociedade de Deus - vs.17-32

a) base doutrinária - vs 17-24

Apesar de já terem se passado dois mil anos, o mundo em que vivemos é


impressionantemente semelhante ao que era na época em que viveu o apóstolo
Paulo! Ele agora nos mostrará então como um cristão deve viver em meio a um
mundo incrédulo, e suas palavras são tão fortes e aplicáveis para nós hoje como
era então.

Versículo 17a...
“Assim, eu lhes digo, e no Senhor insisto...”

Paulo já começa deixando claro que não é apenas ser humano - falível -
oferecendo conselhos, mas que compartilhará conosco... “uma parte da
revelação da mente de Deus que lhe foi dada (o que ele chama de visões e
revelações do Senhor - veja II Coríntios 12:1), quando o Senhor Jesus apareceu
a Paulo e encarregou-o de transmitir a mensagem para a Igreja.” (RayStedman)

Versículo 17b...
“...que não vivam mais como os gentios, que vivem na inutilidade dos seus
pensamentos. ”

Note que ao referir-se aos gentios, Paulo não está tratando da diferença cultural
entre judeus e gentios, mas da distinção espiritual entre aqueles que estão em
Cristo (você e eu como cristãos) e aqueles que não têm cristo.

O cristianismo não é apenas uma filosofia que aborda uma maneira diferente de
olhar as coisas... Não! Trata-se de uma revolucionária mudança de visão de
mundo e - principalmente - da maneira de viver. Paulo declara que o pensamento
do mundo é vazio e inútil, e que contrasta radicalmente com os valores de Deus!

Esta é a razão porque...


S o cristão não pode amar o mundo e a Deus ao mesmo tempo
S a “amizade com o mundo é inimizade com Deus” -T ia g o 4:4
S o próprio Jesus disse: "Aquilo que tem muito valor entre os homens é
detestável aos olhos de Deus" - Lucas 16:15

Vale ressaltar que as pessoas que não estão em Cristo, isto é, que não são
convertidas, não precisam se “esforçar” para viverem na futilidade dos seus
pensamentos, porque o estilo de vida delas naturalmente segue este caminho.

Versículos 18-19...
“Eles estão obscurecidos no entendimento e separados da vida de Deus por
causa da ignorância em que estão devido ao endurecimento do seu coração.
Tendo perdido toda a sensibilidade, eles se entregaram à depravação,
cometendo com avidez toda espécie de impureza.”

Paulo declara que o pensamento humano é inútil por ser sombreado pela
ignorância. A mente do homem decaído é obscurecida, cega, e não vê as coisas
como elas realmente são; ignora a óbvia verdade da condição humana e persiste
em uma falsa esperança que a humanidade está se tornando cada vez melhor.
Percebemos claramente isto no relativismo moral e "tolerância" para a perversão
sexual e promiscuidade, que são propagados abertamente.

A humanidade diz que “crê” em Deus, mas vive como se não estivesse nem aí,
como se Ele não tivesse estabelecido nenhum padrão. Vive com o seu próprio
padrão, que muitas vezes é caracterizado por um relativismo completo. Vive
como se a Bíblia não existisse... “Além do mais, visto que desprezaram o
conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável,
para praticarem o que não deviam.” (Romanos 1:28). Tudo começou com o
homem detendo, sufocando a verdade e desligando-se de Deus (Rm 1:18-20).
Como conseqüência, o homem caiu numa depravação total (Rm 1:21-32).

Paulo, guiado pelo Espírito, nos mostra uma lista de pecados que assolam a
humanidade... estou certo que você se enquadrará em pelo menos um... eu me vejo em
vários deles! Richard Peace em seu livro “Romanos” - Ed. Sepal, os define de
maneira bem prática. Encontre-os em Romanos 2:28-32.

1. ______________ - O oposto de honestidade: as pessoas se apossam de


tudo que pertence a Deus e ao próximo.

2. ______________ - Desejam deliberadamente prejudicar e corromper.


Pessoas assim, além de serem conscientemente más, querem que todos se
tornem iguais a elas.

3. - Se apoderam de tudo sem se preocupar com os direitos


alheios.
4. ______________ - Esse é o termo mais genérico que há para definir
maldade, uma pessoa viciada e desprovida de qualquer qualidade ou
sentimento bom.
5. - Ressentimento e relutância em aceitar a felicidade e o
sucesso dos outros.

6. _______________ - Jesus ensinou que as pessoas devem remover da


mente e do coração todo e qualquer sentimento de ódio que possa conduzir
a esse ato ( Mt. 5:21-26 )

7. _______________ - Confronto originado pela inveja.

8. _______________ - Dolo, aquela atitude de ludibriar alguém, executada para


lograr o próximo.

9. _______________ - Literalmente, significa natureza má, ruim; pensamento


permanente voltado para imaginar as piores coisas sobre as demais
pessoas.

10. ________________- O bisbilhoteiro espalha informações maldosas sem que a


pessoa afetada saiba, enquanto, o caluniador, acusa abertamente.

11. - Odeiam a Deus, pois consideram-no um obstáculo aos


_

seus prazeres.

12. _______________ - Pessoas orgulhosas que desafiam a Deus com


arrogância (soberba) e ofendem as pessoas pelo simples prazer de fazê-lo.

13. - Designação para aqueles que querem impressionar as


_

pessoas por se acharem melhores que elas, fanfarrão.

14. _________________ - Criam novas formas de pecar.

15. ________________ -Tanto para os judeus, como para os romanos, a


obediência aos pais era de uma importância extrema.

16. _________________- Aqueles que não aprendem as lições trazidas pela


experiência.

17. _________________ - Os que não honram o que foi acordado.

18. _________________ - Não amam seus familiares.

19. _________________ - Aqueles que agem impiedosamente; ofendem, ferem e


matam sem pensar.

A boa notícia é que “Mas agora se manifestou uma justiça que provém de Deus”
(Rm 3:21), e o evangelho de Deus atinge até estas pessoas, isto é, nós mesmos!
Ao invés de julgar a mente vazia e cega daqueles que nos rodeiam, é preciso
lembrar que nós também estávamos mortos em nossas transgressões e pecados
e compartilhávamos da mesma visão sobre a vida. Veja o que diz Col.1:21-22.

Versículos 20-21...
“Todavia, não foi isso que vocês aprenderam de Cristo. De fato, vocês ouviram
falar dele, e nele foram ensinados de acordo com a verdade que está em Jesus. ”

A versão Revista e Atualizada diz: “Mas, não foi assim que aprendestes a Cristo”,
ou seja, o seu conhecimento de Cristo não leva você a um comportamento como
o do pagão.

Em Jesus Cristo encontramos a verdade sobre a vida, sobre nós mesmos, sobre
o mundo, sobre a composição da ciência e da natureza, sobre o comportamento
humano, etc. Encontramos “O Único”, no qual “estão escondidos todos os
tesouros da sabedoria e do conhecimento", como Paulo nos diz em Col. 2:3.

Ray Stedman comenta que... “Está em voga afirmar que nada pode ser
conhecido com certeza. O Diabo divulgou a mentira de que não existe preto ou
branco - que não há absolutos morais - apenas confusos tons de cinza. Se não
há respostas definitivas nem derradeiro conhecimento, então as pessoas não
precisam redirecionar as suas vidas de acordo com o Deus da verdade.”

O quanto esta mentirosa persuasão tem afetado sua vida, estudante?!

Faço minhas as palavras de Ray Stedman...


s A verdade de Jesus é superior à “verdade” dos grandes pensadores, como
Arquimedes, Einstein, Nietzsche, Platão, Darwin, etc.
s A verdade de Jesus é superior aos grandes teólogos e pregadores, como
Agostinho, Lutero, Moody, Billy Graham, etc.
s A verdade de Jesus é certamente muito superior a você, a mim e tudo o que
eu tenha a dizer. Eu prefiro a verdade de Jesus do que minhas próprias
suposições, com base na minha própria compreensão inadequada e deficiente
dos dados.

Jesus, por si só, é a autoridade sobre toda a verdade!

Versículos 22-24...
“Quanto à antiga maneira de viver, vocês foram ensinados a despir-se do velho
homem, que se corrompe por desejos enganosos, a serem renovados no modo
de pensar e a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em
justiça e em santidade provenientes da verdade. ”

Veja do que o velho homem precisa se despir em Colossenses 3:5-11.


Atenção! Logo de início Paulo reconhece que nossa velha natureza pode
encontrar o seu caminho de volta às nossas vidas através de desejos enganosos.

Portanto, estudante, devemos...

S estar atentos a fugir da nossa antiga mentalidade, nossas antigas atitudes e


desejos corruptos, sabendo que aquele que está em Cristo, é nova criação.
S lembrar que nossa velha natureza foi crucificada na cruz com Cristo.
Veja II Cor 5:21 e Rom 6:6.

A nossa oração NÃO deve ser:


"Senhor, tire a velha natureza de dentro de mim”
Pois em certo sentido todo crente já se despiu do “velho homem” e se vestiu do
“novo homem” no ato de sua conversão, porém... esta conversão “básica” deve
ser seguida de uma conversão diária! Veja o que diz Filipenses 2:12...
“Ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor”

Nossa oração então deve ser:


"Senhor, ajuda-me a viver a verdade que meu “velho homem” já está
pregado na cruz!”
Mesmo o crente tendo se tornado uma nova criatura no ato de sua conversão,
sempre permanecerá um pecador até o momento de sua morte... “A velha
natureza com a qual estivemos intimamente ligados por tantos anos, não se
desfaz tão facilmente” (w. Hendriksen)

“Se a degradação dos pagãos é devida à futilidade das suas mentes, a retidão
cristã depende da constante renovação da nossa mente... Aprender de Cristo é
compreender a nova criação que Ele tornou possível, e a vida inteiramente nova
que dela resulta. É nada menos do que tirar a nossa velha humanidade como
uma roupa podre, e vestir - como uma roupa nova - a nova humanidade criada
na imagem de Deus.” (J.Stott)

Em Cristo,

Ary
LIÇAO 18

Estudantes D
EFÉSIOS 4

DEVEMOS SER OBEDIENTES

I - Unidade e diversidade na Igreja - vs.1-16

II - Novos padrões da nova sociedade de Deus - vs.17-32


a) base doutrinária - vs 17-24

b) cristianism o prático - vs. 25-32

O objetivo da fé cristã nunca foi nos tornar religiosos, mas transformar


radicalmente nossa forma de pensar e dirigir nossas vidas.

Religião envolve rituais dominicais como culto, batismo, ofertas, que acontecem
na carne e não no coração (Dt. 10:16; Jr. 4:4); mas a fé permeia nossa
obediência diária em meio às reais situações vividas em nossa família, trabalho,
escola, igreja, lazer, etc. Isto é cristianismo!

Você sabe a diferença entre religião e cristianismo, estudante?


S religião: é um esforço humano para se conectar com Deus, vem do latim e
significa “religare”.
S cristianismo: é Deus descendo até o homem na pessoa de Jesus Cristo para
conectar o homem com Ele.

Vimos na lição passada que devemos “ser renovados no modo de pensar e


revestir-nos do novo homem” (vs.23-24). Paulo agora aplicará este princípio em
áreas específicas da nossa vida. Antes... vale salientar que ele não está se
dirigindo às pessoas em geral, mas àqueles que foram nascidos de novo e
regenerados.

Versículo 25...
“Portanto, cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu
próximo, pois todos somos membros de um mesmo corpo. ”

Você precisou ir à escola para aprender a mentir? Claro que não!


Mentir é a característica mais básica do velho homem, porque seus traços estão
diretamente ligados ao diabo, de quem éramos escravos.

Jesus disse: "O diabo... foi homicida desde o princípio e não se apegou à
verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois
é mentiroso e pai da mentira" - João 8:44b
“A velha natureza geralmente fala a verdade para evitar ser apanhada, em outras
palavras, para evitar problemas e consequências, mas os cristãos têm uma
motivação diferente: paramos de mentir porque nos despimos do velho homem
que foi totalmente crucificado na cruz.” (RayStedman)

Você vê como isso é prático, estudante? Ao rejeitar a mentira e fazer um


compromisso de falar a verdade - mesmo que isso lhe doa - você estará andando
no Espírito e vivendo em novidade de vida!

Pr Marcos Granconato comenta que...

”O Dr. Tomás de Aquino estava mergulhado em seus livros quando foi


abruptamente interrompido por um aluno que gritava:
“Mestre, venha até aqui. Há uma vaca voando lá fora!”
O Dr. Tomás levantou-se depressa, foi correndo até a janela e olhou para o céu.
No mesmo instante o jovem soltou uma sonora gargalhada e disse em tom
zombeteiro:
“Como pode alguém acreditar que uma vaca está voando?”
Então, Tomás de Aquino fitou-o gravemente e respondeu:
“É mais fácil crer que uma vaca está voando do que acreditar que um
cristão está mentindo. ”

Fujamos, pois, da mentira, seja qual for a forma em que se apresente. Nem vacas
voadoras formariam um quadro tão absurdo quanto um grupo de crentes
mentirosos”

Versículo 26a...
“Quando vocês ficarem irados, não pequem”.

Jesus Cristo se irou? Sim! Então Ele pecou? Não!


Como sabemos então, estudante, quando a ira é justa e quando se torna
pecaminosa?

“Quando nos iramos porque nosso orgulho foi ferido, porque nos sentimos
desprezados ou insultados, isto é pecado. Por outro lado, podemos - e devemos
- nos irar contra a injustiça, o ódio, a criminalidade, o racismo, a imoralidade,
blasfêmia, e outros pecados contra pessoas inocentes ou contra Deus.” (RayStedman)

Vejamos a vida do nosso Senhor Jesus Cristo, que não é apenas um exemplo a
ser seguido por nós, mas para ser vivido através de nós!

s Ele se irou com os fariseus que se opuseram às suas curas no sábado


(Marcos 3:5).
s Ele se irou quando os discípulos quiseram manter as crianças longe dele
(Marcos 10:14).
s Ele se irou com o comércio de cambistas no templo, desonrando a casa de
Seu Pai (Mateus 21:12, Marcos 11:15, João 2:15).

Mas vemos também em I Pedro 2:23 que quando Jesus foi aviltado, quando foi
atacado pessoalmente, Ele não manifestou nenhuma ira em sua auto-defesa.
“Quando insultado, não revidava; quando sofria, não fazia ameaças, mas
entregava-se àquele que julga com justiça. ”

E Paulo nos ensina em Romanos 12:19...


“Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está
escrito: “Minha é a vingança; eu retribuirei”, diz o Senhor. ”

Versículo 26b-27...
“Apaziguém a sua ira antes que o sol se ponha, e não dêem lugar ao Diabo. ”

Ray Stedman nos lembra que... “é óbvio que Paulo NÃO está dizendo aqui que
se explodirmos de raiva às 7 horas da manhã podemos pensar:
"Bem, ainda faltam doze horas até o pôr do sol, então eu tenho um dia
inteiro para alimentar este rancor antes que eu tenha que resolvê-lo"

Paulo na verdade está dando um aviso relativo à ira: se você não lidar
prontamente com ela, dará uma oportunidade ao diabo para que seja criada
amargura em sua própria vida e na dos outros. O escritor aos Hebreus coloca
desta forma: “Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus; que nenhuma
raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando muitos” Heb 12:15.

Versículo 28...
“O que furtava não furte mais; antes trabalhe, fazendo algo de útil com as mãos,
para que tenha o que repartir com quem estiver em necessidade. ”

À primeira vista, somos tentados a pensar:


"Bem, esta é uma ordem muito estranha para ser dada a cristãos!
Não há ladrões profissionais na minha igreja!"

Mas Paulo aqui não está tratando apenas de ladrões profissionais, está se
dirigindo aos “amadores” também. E... quem são estes cristãos?!

s é aquele “habilidoso driblador” de declaração do imposto à receita federal


s é quem altera “apenas um pouco” o recibo do táxi para receber o reembolso
da empresa
s é a pessoa que contrai empréstimos sabendo que não terá como pagar
s é quem não diz nada quando o balconista erra ao lhe dar um troco de maior
valor
s é o pequeno empresário que embeleza sua publicidade com "excesso de
entusiasmo", isto é, falsas alegações.
s é a pessoa que esconde os defeitos da casa ou carro que está vendendo e,
em seguida racionaliza a sua ação com a frase: “O comprador deveria ter
prestado mais atenção”

E por que Paulo - e Deus - consideram estes cristãos como ladrões também?

Ray Stedman nos explica: “porque todos os roubos...


(não importa se for um desfalque de um bilhão de dólares pela internet
ou fazer cópias não autorizadas na xerox do seu trabalho)
...são uma expressão do antigo, caído, egocêntrico homem que foi crucificado na
cruz. É a velha ganância por um ganho imerecido, um olhar afoito por qualquer
atalho que o leve à riquezas.

Mas... Paulo nos adverte que simplesmente não roubar, não é suficiente.
É necessário que tenhamos uma genuína preocupação e compaixão para com os
menos favorecidos. Ao nos revestirmos do novo homem, nossa motivação há de
ser transformada! “Deus ama quem dá com alegria” - II Coríntios 9:7

Versículo 29...
Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para
edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a
ouvem. ”

No original grego, Paul literalmente diz: "Não deixe que palavras podres saiam da
sua boca.". Não há espaço na vida cristã para palavrões, obscenidades, fofocas,
piadas “sujas”, espalhar boatos, etc. Isto tudo faz parte da velha natureza, que
deve ser abandonada para que então o cristão se revista da nova vida em Cristo.

Estudante!

Que diferença prática fará este estudo da Palavra de Deus - e não do Ary - em
sua vida?

Uma escolha a ser feita...

“Há palavras que ferem como espada, mas...


A língua dos sábios traz a cura” - Pv 12.18

“A resposta calma desvia a fúria, mas...


A palavra ríspida desperta a ira” - Pv 15.1
Um dos riscos que corremos...

“Melhor é viver num canto sob o telhado do que repartir a casa comuma mulher
(ou homem, ou pai, mãe, irmão, tio, filha) briguenta” - Pv 21:9

“Melhor é viver no deserto do que com uma mulher (ou homem,ou pai, mãe,
irmão, tio, filha) briguenta e amargurada” - Pv 21:19

Nossa única saída...

“O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; todos os que cumprem os seus


preceitos revelam bom senso” - Sl 111:10

“Pois o Senhor é quem dá sabedoria; de sua boca procedem o conhecimento e o


discernimento... então você entenderá o que é justo, direito e certo, e aprenderá
os caminhos do bem” - Pv 2:6;9

Uma palavra aos pais...

“Quando a disciplina torna-se uma ocasião em que os pais manipulam seus filhos
através de explosões de ira, a criança aprende o temor ao homem, e não o temor
a Deus. Podem até mostrar um melhor comportamento, mas isto não trará retidão
bíblica!

A correção não é mostrar ira pela ofensa de seus filhos, é lembrá-los que seu
comportamento pecaminoso ofende a Deus e então conduzi-los a Jesus, o Único
capaz de transformar seus corações!” (TeddTripp)

“Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se,
pois a ira do homem não produz a justiça de Deus. - Tg 1:19-20

Em Cristo,

Ary
LIÇAO 19

EFÉSIOS 4

DEVEMOS SER OBEDIENTES

I - Unidade e diversidade na Igreja - vs.1-16

II - Novos padrões da nova sociedade de Deus - vs.17-32


a) base doutrinária - vs 17-24

b)cristianism o prático - vs. 25-32

Versículo 30...
“Não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para
o dia da redenção. ”

“Fica evidente aqui que o Espírito Santo é plenamente pessoal, pois somente as
pessoas podem sentir dor, tristeza e aflição.” (J Stott)

Mas... você sabe o que O entristece, estudante?

Ele é entristecido por toda a falta de santidade, visto que Ele é o Espírito Santo!

fomos selados
já estudamos no versículo 1:13 que o selo do Espírito Santo se refere a habitação
Dele em nós, como garantia de sermos propriedade de Deus.

dia da redenção
embora já tenhamos a redenção no sentido de perdão (v. 1:7), Paulo leva-nos a
olhar para o futuro quando nosso corpo será redimido

“Desta maneira “selagem” e “redenção” referem-se ao início e fim do processo de


salvação. Entre estes dois pontos terminais devemos crescer em nossa
semelhança a Cristo, e tomar cuidado para não entristecer o Espírito Santo, que
odeia o pecado... e todo crente cheio Dele deseja dar-lhe prazer, e não dor” (J.Stott)

Paulo nos dará agora uma lista de pecados “sutis” que entristecem o Espírito
Santo de Deus. São aquelas atitudes pecaminosas que cultivamos em nosso
interior, onde outros não podem ver, e que podem ser facilmente mascaradas por
um falso sorriso.
Vale salientar que as outras pessoas podem não ver nosso coração, mas o
salmista nos adverte que... “Antes mesmo que a palavra me chegue à língua, tu
já a conheces inteiramente, Senhor.” - Salmo 139:4

Versículos 31-32...
“Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de
toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros,
perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo. ”

Neste momento, estudante, você pode estar pensando...


“Perdoar?! Mas Ary, você não sabe o que aquela pessoa fez para mim! “

Veja então os dois passos práticos que Paulo nos dá para vivermos o perdão...

Primeiramente
...é necessário lidar com a amargura, raiva e calúnia em sua própria vida.
É isto mesmo! Antes de tudo você tem que lidar com o seu próprio pecado!

Mas não é por aí que costumamos começar, não é? Voltamos nossa atenção
para a outra pessoa, para a irritação, dor e humilhação que ela tem nos causado.

Mas Deus diz...


"Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão e não se dá
conta da viga que está em seu próprio olho?" (Mat. 7:3-4 e Lucas 6:41-42)

Comece avaliando a si mesmo e os seus próprios pecados...


“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as
minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo te ofende, e dirige-me
pelo caminho eterno.” - Salmo 139:23-24

Esse é o primeiro passo a ser dado, estudante, só então você será capaz de
partir para a...

Segunda etapa: perdão

E como devemos perdoar, então?! Paulo mesmo nos responde em Col. 3:13...
“Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de
profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência.
Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra
os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou. ”

“O nosso padrão de perdão deve ser o mesmo dAquele que nos perdoou!
Isto é, o mesmo perdão que Jesus concedeu...
S à mulher pega em adultério (João 8),
S ao paralítico (Mateus 9, Marcos 2, Lucas 5),
S e àqueles que o crucificaram (Lucas 23:34)
...perdão instantâneo, abundante, e completo!
Esse é o padrão que Jesus fixou para você e para mim.” (RayStedman)

Note que Jesus não os perdoou como costumamos fazer: nos assegurando
primeiramente que a outra pessoa tenha sofrido e se arrependido o suficiente,
não é mesmo, estudante?! O perdão de Jesus foi uma libertação imediata da
condenação de um pecador.

Você se esqueceu de como Deus lhe perdoou em Cristo, estudante?

Ele te perdoou antes de haver qualquer sinal de arrependimento da sua parte,


não é mesmo?! No momento em que virou-se para Deus, arrependido, você
descobriu que o Seu perdão já estava lá (antes mesmo da criação do mundo -
Ef. 1:4-5), te escolhendo e movendo seu coração em direção a Ele.

“Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-
nos vida com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões” - Ef.
2:4-5

Encare a realidade, estudante! Deus te perdoou de uma vida de pecado e


rebelião que causou a morte na cruz, de Jesus, Seu Filho! Mas mesmo assim
Deus não se voltou contra você... Ele te perdoou, te ama e quer abraçá-lo como
seu filho.

“Se quando éramos inimigos de Deus fomos reconciliados com ele mediante a
morte de seu Filho, quanto mais agora, tendo sido reconciliados, seremos salvos
por sua vida!” - Rm 5:10

Citando Ray Stedman...

“Essa é a essência do cristianismo!


Essa é a natureza do Espírito Santo em nós!
Quanto mais nos entregamos ao controle do Espírito Santo, mais bondosos,
compassivos, perdoadores autênticos - e mais cristãos (isto é, semelhantes a
Cristo) nos tornamos!”

Em Cristo,

Ary
LIÇAO 20

EFÉSIOS 5

DEVEMOS SER SUBMISSOS

Veja o esboço do capítulo 5...

I - Vivendo como filhos da luz - vs.1-14


a) imitando a Deus - vs. 1-2
b) a certeza do julgamento - vs. 3-7
c) o fruto da luz - vs. 8-14

II - Vivendo em comunidade - vs.15-21


a) agindo com sabedoria - vs. 15-17
b) andando no Espírito - vs. 18-20
c) rendendo-se em submissão - v. 21

III - Deveres conjugais - vs. 22-33


a) das esposas - vs. 22-24
b) dos maridos - vs. 25-32
c) conclusão - v. 33

Vamos ao estudo...

I - Vivendo como filhos da luz - vs.1-14

a) imitando a Deus - vs. 1-2

Sim! Somos salvos pela graça através da fé em Jesus Cristo, mas como
devemos lidar com esta vida e todo o seu stress e pressão, a tentação e
sedução, dore sofrimento, confusão e medo?!

A resposta, é claro, está na Bíblia, e Paulo vai nos ensinar agora o grande
segredo da vida cristã...

Versículo 1...
“Portanto, sejam imitadores de Deus, como filhos amados”

Deus nos ama e quer que ansiemos em imitá-lo. Como nosso Pai, Deus quer
ouvir de nós, seus filhos amados: “Eu quero ser como você!”.
Estamos limitados por nossa humanidade, mas podemos - devemos - imitar Seu
caráter. Mas como viver isto na prática?!
Versículo 2...
“...e vivam em amor, como também Cristo nos amou e se entregou por nós como
oferta e sacrifício de aroma agradável a Deus. ”

Quando começamos a amar verdadeiramente, amamos as pessoas não por suas


qualidades ou benefícios que podem nos trazer, mas simplesmente porque são
filhos de Deus, feitos à Sua imagem.

”Nós, como Cristo, devemos entregar-nos ao amor. Semelhante entrega de si


mesmo em prol dos outros é agradável a Deus.” (J.Stott)
Esse é o padrão que devemos imitar.

b) a certeza do julgam ento - vs. 3-7

Nossa sociedade hoje é muito semelhante a encontrada no primeiro século dC,


quando as cartas de Paulo estavam sendo escritas. Em Romanos capítulo 1,
Paulo descreve a sociedade sórdida e obscena em que viveu.

Estudante! Abra a sua Bíblia e leia - agora - Romanos 1:18 e 1:24-32.

Na cidade de Éfeso havia um templo dedicado a uma deusa pagã, cujo culto era
conduzido por prostitutas, e toda a cidade aprovava atos sexuais sórdidos como
uma forma de adoração e dedicação religiosa. Assim, a admoestação de Paulo
sobre a imoralidade sexual contrariava diretamente a cultura na qual os cristãos
de Éfeso estavam inseridos, pois deixava claro que... “a imoralidade sexual e o
cristianismo não se misturam, pois a intenção de Deus para o homem é o
casamento - com plena fidelidade ao parceiro - ou a abstinência total de sexo. A
Bíblia não permite terceira opção.” (RayStedman)

Versículos 3-4...
“Entre vocês não deve haver nem sequer menção de imoralidade sexual como
também de nenhuma espécie de impureza e de cobiça; pois essas coisas não
são próprias para os santos. Não haja obscenidade, nem conversas tolas, nem
gracejos imorais, que são inconvenientes, mas, ao invés disso, ações de graças. ”

s Impureza se refere a qualquer coisa que seja suja ou obscena.


s Cobiça, ganância ou luxúria refere-se à cobiça pelo corpo de outra pessoa.
Não apenas a prática destes atos são proibidas, Paulo diz que essas coisas não
devem nem ao menos ser mencionadas entre os cristão, assim como a exposição
a piadas, filmes, revistas, internet, de natureza sexual perversa.

“Paulo NÃO está dizendo que nunca devemos falar sobre sexo, mas sim de
conversas a respeito de imoralidade sexual. Afinal, se você ler a Bíblia do
começo ao fim verá que muito é dito abertamente sobre sexo, deixando claro que
o sexo dentro do casamento é belo, saudável e aprovado por Deus; porém
qualquer outra expressão sexual é uma violação da moral cristã.” (Ray Stedman)

Note que os versos 3-4 contrastam o verso 2, pois Paulo está dizendo que
qualquer imoralidade sexual é uma violação do amor cristão!
Muitas vezes ouvimos a desculpa de que o sexo fora do casamento é justificado
enquanto o amor está presente, mas Paulo diz que isto é impossível!

Ray Stedman salienta que... “uma desculpa comum é a necessidade de


experimentar o sexo antes do casamento para se certificar de que este dará
certo. Este equívoco é baseado na falsa premissa de que a união física do sexo é
o pilar central de um casamento, que não é. Além disso, é impossível testar o
casamento dessa forma porque as condições essenciais que compõem o
casamento não estão lá.

Stedaman continua... "Testar" o casamento com o “sexo antes do casamento” é


como "testar" um pára-quedas ao saltar de uma escada. Esta não lhe dá espaço
suficiente para abrir um pára-quedas, e a prática sexual antes do casamento não
lhe dá o tempo suficiente para realmente testar a sua durabilidade. Você só pode
provar a durabilidade de uma união a longo prazo, fazendo um compromisso
diante de Deus, e então trabalhar no cumprimento desse compromisso, desta
aliança, diariamente, um dia de cada vez.”

Versículo 5...
“Porque vocês podem estar certos disto: nenhum imoral, ou impuro, ou
ganancioso, que é idólatra, tem herança no Reino de Cristo e de Deus.”

A idéia central aqui, é que este não é o estilo de vida de um cristão. Mas apesar
disto, um verdadeiro cristão pode acabar cometendo pecados sexuais.

Na Bíblia temos o relato de Davi que, depois de anos como um crente fiel, como
um homem segundo o coração de Deus, caiu no pecado de adultério, mas o que
Paulo deixa claro aqui é que nenhum cristão pode fazer isso repetidamente,
desafiadoramente, sem sentir vergonha, e ser realmente um cristão autêntico.

“O verdadeiro cristão, ao cometer este tipo de loucura, vai constranger-se e odiar


o seu pecado. Vai arrepender-se e abandoná-lo. A pessoa que defende, justifica,
encontra desculpas para esse tipo de atitude, ou mesmo se orgulha dela como
um sinal de liberdade pessoal, dá provas de que o cristianismo professado é uma
farsa ” (Ray Stedman)

MAS isso não significa que essa pessoa está fora do alcance da graça de Deus!

Ray Stedman nos lembra que...


“em I Coríntios 6:9-10 Paulo enumera uma série de pecados, inclusive o
homossexualismo e outros pecados sexuais, e em seguida, acrescenta:
"Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram
santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no
Espírito de nosso Deus."

A graça de Deus se estende até mesmo para aqueles que praticam esses
pecados, ao se arrependerem e voltarem para Cristo. Mas ninguém que professa
a Cristo pode continuar cometendo estes pecados, porque por seus atos estarão
negando o fato de serem um cristão.”

Como sabemos que não perdemos a salvação, isto é, se realmente já fomos


salvos por Jesus Cristo? Há tantas pessoas que são membros de igreja, têm o
rótulo, conhecem até a “linguagem bíblica” como salvação, novo nascimento, etc.,
mas que nunca foram salvos.

A pessoa verdadeiramente salva, não perde a sua salvação. Por quê?

S Porque fomos eleitos antes da fundação do mundo - Efésios 1:4-12

s Porque Jesus garante: “Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão;
ninguém as poderá arrancar da minha mão” -J o ã o 10:28

S Porque Jesus afirma em João 5:24... “Eu lhes asseguro: Quem ouve a minha
palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não será
condenado, mas já passou da morte para a vida. ”

Uma vez filho, sempre seremos filhos (veja Lucas 15:11-32). Isto quer dizer que
uma vez salvo e sabendo que não perderei a salvação poderei “cair na gandaia”,
viver como eu queira? Claro que não!

Quem pensa assim nunca provou da maravilhosa graça! E, se é salvo e está


vivendo uma vida de pecado, que se cuide! - “Quem insiste no erro depois de
muita repreensão, será destruído, sem aviso e irremediavelmente” - Prov. 29:1

Cuidado! “Acumular pecado” é extremamente perigoso!

No momento em que aceitamos a Cristo como nosso Salvador, Ele perdoou


todos os nossos pecados do passado, presente e futuro. Sim! Todos os pecados
que uma pessoa salva venha a cometer ao longo da sua vida já foram perdoados.
Então por que precisamos confessá-los ao Senhor conforme I João 1:9?
É para restaurar a comunhão que perdemos quando pecamos.

Confessar significa reconhecer, concordar com Deus que fizemos algo errado e
admitir nosso pecado específico. Quando você ouvir aquela oração que diz:
"Senhor! Perdoa a multidão dos nossos pecados"
...saiba que quem está orando tem pouca ou nenhuma noção do que está falando
e principalmente do seu pecado.
Se guardarmos pecado não confessado em nossas vidas, ou seja, se temos um
"pecadinho de estimação", corremos o perigo NÃO de perder a salvação, mas de
perder a comunhão, de gozar a paz e ter uma vida com propósito e significado
conforme João 10:10 e podemos ser severamente castigados pelo Senhor
conforme Prov. 29:1.

Veja o que diz Salmo 66:18...


"Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria"

Quanto ao verdadeiro arrependimento, Stormie Omartian em seu livro “O poder


da mulher que ora” comenta que...

“Uma coisa é reconhecer que você fez algo de errado e desobedeceu às leis de
Deus, outra é entristecer-se profundamente por seu pecado e mudar de rumo.
Isto não significa necessariamente que você jamais vá cometer aquele pecado
outra vez, mas que não tem a intenção de cometê-lo novamente.
Arrepender-se significa mudar de idéia, dar meia volta e ir para o outro lado.

Assim, se você se pegar confessando o mesmo pecado outra vez depois de tê-lo
confessado há pouco tempo e se arrependido dele, prossiga com a sua
confissão! Não deixe que o inimigo coloque o laço da culpa em seu pescoço e
grite palavras de fracasso em seu ouvido. Não alimente pensamentos como:
“Certamente Deus não vai me perdoar de novo pela mesma coisa que confessei
semana passada. ”

Peça a Deus diariamente que lhe mostre em que pontos seu coração não está
puro e reto diante dele. “Quem esconde os seus pecados não prospera, mas
quem os confessa e os abandona encontra misericórdia.” - Prov. 28:13”

Versículos 6-7...
“Ninguém os engane com palavras tolas, pois é por causa dessas coisas que a
ira de Deus vem sobre os que vivem na desobediência.
Portanto, não participem com eles dessas coisas. ”

O mundo em que vivemos sutilmente quer manter nossa mente focada em


imoralidade e sexo ilícito, e nos fazer pensar que os padrões morais de Deus
estão ultrapassados, MAS o cristão sabe que o pecado sexual desperta a ira de
Deus contra a sociedade que permite ou incentiva a imoralidade.

Estudante! Observe que Paulo não deixa espaço para mal-entendido ou


racionalização. Você NÃO pode ser um cristão e conscientemente,
deliberadamente, praticar sexo fora do casamento!
Sugiro a leitura do livro “O clamor de um desviado” - M. Lloyd Jones - Ed. Pes

Em Cristo, Ary
LIÇAO 21

EFÉSIOS 5

DEVEMOS SER SUBMISSOS

I - Vivendo como filhos da luz - vs.1-14


a) imitando a Deus - vs. 1-2
b) a certeza do julgamento - vs. 3-7

c) o fruto da luz - vs. 8-14

Versículo 8...
“Porque outrora vocês eram trevas, mas agora são luz no Senhor. ”

Note que Paulo NÃO diz que eles “estavam nas trevas” e agora “estão na luz”,
mas o que ele escreve é ainda mais notável: eles que eram trevas...
(as trevas da ignorância do conhecimento de Deus, da depravação, do
desespero, do erro e do mal),
...eles mesmos agora eram luz!

“Suas vidas - e não apenas o ambiente em que viviam - tinham sido


transformados de trevas em luz, e esta transformação radical tinha acontecido
pela união com Aquele que declara ser a luz do mundo! - João 8:12” (J.Stott)

E qual a aplicação prática disto em nossas vidas, estudante?!

Versículos 9-10...
“Vivam como filhos da luz, pois o fruto da luz consiste em toda bondade, justiça e
verdade; e aprendam a discernir o que é agradável ao Senhor. ”

Porque nos tornamos luz no Senhor, devemos andar como filhos da luz,
demonstrando um comportamento que corresponda a esta nova identidade,
vivendo em bondade, justiça e verdade, que é o fruto da luz.
É a isto que Paulo se refere em Romanos 12:1...
“Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam
em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus”

Assim, viver de forma que agrade ao Senhor é, entre outras coisas...


s rejeitar a imagem de sucesso que o mundo oferece e ter como alvo supremo
de vida buscar as riquezas de Cristo
s levar a vida de segunda a sábado, da mesma forma que vivemos aos
domingos
s aplicar os princípios cristãos em nossos negócios, nas amizades, nos
relacionamentos familiares, e em tudo mais em nossa vida.

“Nossa nova conduta deve refletir a Luz do mundo - Jesus Cristo - assim como a
lua reflete a luz do sol” (W-Hendriksen)-

Versículos 11-13...
“Não participem das obras infrutíferas das trevas; antes, exponham-nas à luz.
Porque aquilo que eles fazem em oculto, até mencionar é vergonhoso.
Mas, tudo o que é exposto pela luz torna-se visível, pois a luz torna visíveis todas
as coisas. ”

As “obras das trevas” aqui citadas: imoralidade sexual, impureza, obscenidade,


conversação sem proveito, etc... “são incompatíveis com a fé cristã, porque o
cristão é ordenado a expor o verdadeiro caráter do pecado sexual. A Igreja de
Jesus Cristo é dirigida pelo Espírito Santo para ser uma fonte de verdade bíblica
sobre as questões do sexo.” (RayStedman)

Em I Timóteo 3:15, Paulo chama a igreja de “coluna e fundamento da verdade".


Portanto, não devemos apenas evitar a imoralidade - o que Paulo chama de
"obras infrutíferas das trevas", mas somos ordenados a desmascarar esta onda
de propaganda sexual destinada a minar os alicerces da moralidade e da fé cristã
e revelar a verdade de Deus e Seu plano perfeito para o casamento e a
sexualidade humana.

Paulo conclui com um alerta...

Versículo 14...
“Por isso é que foi dito:
“Desperta, ó tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e Cristo
resplandecerá sobre ti”.

Deixe sua luz brilhar, estudante! Viva e diga a verdade corajosamente! Sim! Fale
sobre sexo - o tipo de vida sexual que Deus projetou para cada um de nós.
Exponha a escuridão!
Como EU posso fazer isto?! - Talvez você se pergunte
Brilhando a verdade de Deus para este mundo moralmente escuro. Deus não nos
chama para sermos ermitões ou vivermos na reclusão de um mosteiro, mas para
viver e expor os valores morais e cristãos da sexualidade em um mundo pagão e
perverso.

Como Paulo nos diz em Filipenses 2:15-16...


“...venham a tornar-se puros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis no meio
de uma geração corrompida e depravada, na qual vocês brilham como estrelas
no universo, retendo firmemente a palavra da vida.”
II - Vivendo em comunidade - vs.15-20

Essa passagem é uma revisão de tudo o que Paulo nos ensinou até este ponto...
s não devemos mais viver como os gentios
s devemos nos despir da velha natureza e revestir-se da nova

A grande questão aqui não é somente onde devemos ou não andar - este é um
problema relativamente fácil - mas saber como devemos aplicar os princípios
cristãos para cada momento de nossas vidas...

a) agindo com sabedoria - vs.15-17

Versículos 15-16...
“Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como
insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade,
porque os dias são maus. ”

Que oportunidades são estas, estudante?


De viver de maneira digna da vocação que recebemos! Ef 4:1

“Mostrando por meio de nossas vidas e conduta o poder e a glória do evangelho,


desmascarando assim o mal, enriquecendo-se de boas obras, fortalecendo a
comunhão, conquistando o próximo para Cristo e glorificando a Deus através de
todas estas coisas. A oportunidade perdida jamais voltará!” (W Hendriksen)

Estudante! Ao estar sob pressão ou em meio a uma crise, aproveite ao máximo


esse tempo manifestando a superação da graça de Deus em sua vida!

“O cristão sábio sabe como tirar proveito do mal, a fim de avançar o reino de
D eus” (Ray Stedman)

Versículo 17...
“Portanto, não sejam insensatos, mas procurem compreender qual é a vontade
do Senhor. ”

Só depois de conhecermos a Deus, aprendermos seus valores e a enxergar a


vida de acordo com os “seus óculos”, é que nos tornamos capazes de deleitar na
vontade de Deus que é sempre boa, sempre agradável, sempre perfeita e que dá
uma profunda paz no coração e gozo no viver. Veja Rm 12:2

b) andando no Espírito - vs. 18-20


... e vivendo a vida em Seu poder e presença transbordantes!
Versículo 18...
“Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher
pelo Espírito”

Aqui Paulo contrasta dois tipos opostos de influência em nossas vidas, e é


interessante notar os paralelos, bem como os contrastes entre o ser embriagado
com vinho e ser cheio do Espírito Santo...

Sob a influência do vinho, as pessoas


perdem suas inibições e ganham confiança, mas perdem o controle.
Sob a influência do Espírito, as pessoas
ganham ousadia sob o controle de Deus.

As mesmas pressões na vida, os mesmos problemas e demandas...


s levam algumas pessoas a beber,
s e conduzem outras a encher-se do Espírito.

“Ao nos tornarmos cristãos, fomos selado pelo Espírito Santo e Ele passou a
habitar em nós - mas ainda precisamos estar constantemente, repetidamente,
nos enchendo do Espírito Santo, e isto não tem nada a ver com sentimentos ou
uma "experiência religiosa" (Ray Stedman)... ”Não há maior segredo para a santidade
do que ser repleto daquele cuja própria natureza e nome são santos” (J. Stott)

Quero ressaltar que...

“Muitos cristãos acham que beber vinho é pecado e que a Bíblia proíbe seu uso
mesmo com moderação, outros erradamente identificam o beber vinho com
bebedeira. Mas, sendo que Paulo usa o beber vinho como exemplo do tipo de
coisa que o cristão está livre para fazer, exceto se ofender outros, fica evidente
que isto não é em si uma violação da lei de Deus, e portanto não é pecado.”
(Geoffrey B. Wilson)

Mas... veja bem...

s embriagar-se é pecado, ofenda ou não aos irmãos


s beber vinho não é errado, exceto se resultar em bebedeira levar outros a
tropeçar

Nunca se esqueça...

“O Senhor é o Espírito e, onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade” 2Cor3:i7


“Contudo, tenham cuidado para que o exercício da liberdade de vocês não
se torne uma pedra de tropeço para os fracos. ” - 1 Coríntios 8:9

“Tudo me é permitido”, mas nem tudo convém. “Tudo me é permitido”, mas eu


não deixarei que nada me domine.”-1 Coríntios 6:12
“Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos.” - Romanos 12:17b
“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo
para a glória de Deus. Não se tornem motivo de tropeço, nem para judeus, nem
para gregos, nem para a igreja de Deus.” - 1 Coríntios 10:31-32

Versículos 19-20...
“...falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando
de coração ao Senhor, dando graças constantemente a Deus Pai por todas as
coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. ”

Paulo nos mostra três resultados encontrados na vida de um cristão que anda no
Espírito...
s conversas edificantes que revelam amor pela Palavra de Deus
s louvor autêntico vindo do coração
s ação de graças

Faça agora um paralelo com sua vida, estudante...


s Estas características poderiam ser usadas para descrevê-lo como cristão?
s As palavras que saem de sua boca são edificantes, remetem à Deus e Sua
Palavra ou são repletas de conversas fúteis e imorais?
s Você convidaria Jesus para sentar-se ao seu lado todas as vezes que se
reúne com os amigos - inclusive fora da igreja?
s Você costuma louvar à Deus como resposta autêntica por Seu amor, graça e
perdão ou só canta na igreja repetindo as letras que sabe decor, enquanto sua
mente divaga em coisas “mais importantes”?
s Você tem convicção de um propósito de Deus para tudo o que acontece em
sua vida e portanto dá graças por todas as coisas ou vive reclamando e
murmurando das circunstâncias adversas da vida?
s O estudo da Palavra de Deus através destas lições de Efésios (espero que
esta não seja sua única fonte) tem feito diferença substancial em sua vida ou
só lhe acrescentou conhecimento intelectual?

Estudante! ”Como cooperadores de Deus, insistimos com vocês para não


receberem em vão a graça de Deus.” - II Cor 6:1

c) rendendo-se em subm issão - v. 21


”Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo. ”

Não é errado buscar felicidade e satisfação, o problema surge quando duas


pessoas que têm o mesmo objetivo se encontram em rota de colisão...
s duas pessoas que querem a mesma promoção ou cargo em uma empresa
s dois líderes de igreja que buscam a liderança para o mesmo ministério (uma
história tão antiga quanto a Paulo e Barnabé)
s dois irmãos que disputam o amor e a atenção de um pai (como Esaú e Jacó).

A principal preocupação para o cristão deve ser: "O que Cristo quer que eu faça?"

“Paulo nos lembra que Cristo está no meio de todos os nossos relacionamentos -
e dos nossos conflitos também! Quando não reconhecemos Sua presença fica
difícil nos submeter aos outros, pois temos a tendência obstinada que querer
vencer a qualquer custo. Mas quando olhamos para Cristo...
s Aquele que deu Sua vida para pôr fim ao conflito entre a humanidade e Deus,
s Aquele que nos reconciliou com Deus quando ainda éramos pecadores,
...podemos nos submeter aos outros por causa de Jesus, em resposta ao amor e
perdão Ele nos deu, porque como Paulo escreveu em 2 Coríntios 5:14 "o amor de
Cristo nos constrange" .(RayStedman)

O mundo está nos assistindo e esperando para ver uma demonstração desta
verdade fundamental. Os incrédulos não podem apreender a realidade deste
princípio, até vê-lo em ação entre os cristãos.

Em Cristo, Ary
LIÇAO 22

EFÉSIOS 5

DEVEMOS SER SUBMISSOS

I - Vivendo como filhos da luz - vs.1-14


II - Vivendo em comunidade - vs.15-21

III - Deveres conjugais - vs. 22-33

Vimos na lição anterior que devemos nos submeter uns aos outros por temor a
Cristo. Agora, nos versículos restantes de Efésios 5, Paulo aplica este princípio
fundamental na relação específica entre maridos e esposas, levando em conta
que provavelmente não há relacionamento que tenha maior potencial de conflito
do que o casamento.

Vale ressaltar que...


S esta é uma aplicação do princípio aprendido em Efésios 5:21, portanto a
submissão é recíproca, o marido deve submeter-se à mulher, tanto quanto ela
ao seu marido.
S existem diferentes formas de submissão no casamento porque os papéis de
marido e mulher são diferentes.

a) das esposas - vs. 22-24

Em uma dança de salão, quando um vai para frente, o outro vai para trás.
Portanto... se o homem vai para frente, a mulher tem que ir para trás.
Isto não lhe parece óbvio?!

Para muitas mulheres isto pode parecer injusto...


“Por que é que EU tenho que ir para trás?
Posso até entender que os dois não podem ir para frente, pois certamente
acabarão batendo um no outro. Mas... por que eu?”

Resposta: porque é assim que Deus queria que fosse desde o começo!

O fracasso de 1 entre 2 casais na atualidade prova que o método do Séc XXI não
está funcionando muito bem, não é?! A humanidade está fazendo escolhas
erradas e cometendo muitos erros e um deles é “atropelar” o papel do marido
como líder!
Versículo 22...
”Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor”

“A esposa não está sujeita ao seu marido por ele ser um ser humano maravilhoso
e perfeito, mas porque ela tem um relacionamento prévio com o seu Senhor.
A frase "como ao Senhor" não significa que a mulher deve adorar a seu marido
como se ele fosse o Senhor, mas sim que ela deve submeter-se ao seu marido
para agradar ao seu Senhor, Jesus Cristo... um sentido mais exato da palavra
submissão seria "colocar-se voluntariamente sob a autoridade de alguém".
(Ray Stedman)

Submissão não quer dizer que você tem que ficar por aí dizendo:
“Sim querido, tudo o que você disser será feito, querido. ”
Significa que, quando marido e esposa NÃO estão de acordo em uma decisão, a
esposa submete-se à direção do marido.
“Mas, e se eu estiver certa?” - você pode perguntar.
Nesse caso, obedeça à Deus. Afinal essa é a sua responsabilidade para com Ele!
Quanto ao marido, ele vai prestar contas a Deus da liderança que lhe foi
confiada.

Pode ser difícil, às vezes, deixar que o marido seja o chefe da casa, mas foi para
isto que Deus o fez. E quando seguimos o plano de Deus para o casamento, quer
o entendamos ou não, temos mais possibilidades de vivermos felizes!

Talvez você esteja pensando...


Estamos no Séc. XXI, e não na Idade Média!
Esta época já passou há muito tempo!
Está certo! Voltemos, então, ao tempo da criação e perguntemos ao Criador, ao
autor do casamento! Ele o projetou, e sabe como fazê-lo funcionar de modo
eficiente, você não acha?! Vejamos o que Deus diz...
“Então o SENHOR Deus declarou: “Não é bom que o homem esteja só;
farei para ele alguém que o auxilie (que o torne completo) e lhe
corresponda”.- Gn 2:18

“Não é para a esposa ser rival ou escrava de seu marido. Ela deve ser sua
parceira fiel e leal, para trabalharem juntos e alcançar os objetivos e metas que
estabeleceram para a sua vida... juntos! O marido tem um papel de liderança,
mas isso em nada diminui o valor da mulher. Ele é incompleto sem ela, e é
exercendo este seu papel de parceira do marido que a esposa encontra sua
realização.” (Ray Stedman)

Submissão é uma obediência inteligente com uma atitude bonita e cristã que
nada tem a ver com inferioridade. É preciso ser uma mulher madura para vivê-la.

Lysa Terkeurst em seu livro: “O livro das virtudes da mulher”, comenta que a mulher tem
três opções:
s Submeter-se com amor ao seu marido e apóia-lo em sua liderança.

s Submeter-se com má vontade ao seu marido, tendo atitudes como “fazer bico”,
mau-humor, indiferença, hostilidade não-verbal e aquela generosidade do tipo:
“Eu não disse!?”, caso a decisão tomada não tenha dado certo.

s Não se submeter, “vencendo a batalha”, mas minando e destruindo o alicerce


do casamento.

Versículo 23...
“...pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja,
que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. ”

Sim! Deus tinha planos especiais para a mulher, mas ser a chefe da casa não era
um deles. O plano de Deus está claramente determinado também em I Coríntios
11:3...“Quero, porém, que entendam que o cabeça de todo homem é Cristo, e o
cabeça da mulher é o homem, e o cabeça de Cristo é Deus”.

Isso de modo algum está baseado em um estado de inferioridade da mulher, mas


na estrutura funcional dada por Deus para a família e para a igreja, porque...
s homem e mulher são essencialmente iguais aos olhos de Deus (Gn 1.27),
s mas possuem diferentes funções (1Tm 2.12-15).

Veja bem: a mulher nunca está num lugar inferior quando ela está no lugar que
Deus determinou para ela!

Versículo 24...
“Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo
sujeitas a seus maridos. ”

Sim! As mulheres devem submeter-se a seus maridos em tudo, mas isso NÃO
quer dizer que não há exceções a essa regra, pois infelizmente há maridos que...
s abusam de drogas ou álcool, e portanto representam um perigo para a sua
esposa e filhos.
s cometem violência contra a sua esposa e filhos.
s exigem que a sua esposa faça coisas que são moralmente erradas, como
mentir.

Lembre-se: a mulher deve submeter-se a Cristo em primeiro lugar e sua


obediência a Ele e sua liderança moral de prevalecer. Sempre!
Três razões para a mulher submeter-se ao seu marido:

1. Porque é uma ordem de Deus (I Pedro 3:1).


“Do mesmo modo, mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, a fim de que, se
ele não obedece à palavra, seja ganho sem palavras, pelo procedimento de sua
mulher, observando a conduta honesta e respeitosa de vocês. ”

2. Para que o homem possa ser homem, ou seja, desempenhar seu papel
masculino na família.
S Liderança é parte da masculinidade dele instituída por Deus.
S Ele não pode liderar se você não for submissa.

3. Para que a mulher possa ser mulher, desempenhando o papel instituído por Deus.
Não conheço uma mulher liderando que esteja realmente feliz.

10 Mandamentos para a esposa


1. Aprenda o verdadeiro significado do amor.
2. Desista de seus sonhos de um casamento perfeito e lute por um bom
casamento.
3. Descubra as necessidades pessoais e singulares de seu esposo e tente
satisfazê-las.
4. Abandone a tendência de ser possessiva e ciumenta.
5. Abandone toda esperança de mudar seu marido através da crítica e ataque.
6. Faça elogios e mostre apreciação.
7. Viva dentro do orçamento dele.
8. Não “pregue” para o seu marido, mas o auxilie com base nas Escrituras.
9. Vença o complexo de Cinderela (ou de Princesa).
10. Abandone qualquer idéia preconcebida de como os homens são e descubra
como o seu marido é.

Seja sincera, estudante! Muitas vezes...

As mulheres são tão insistentes que seus maridos cedem aos seus desejos.
Elas então se sentem vitoriosas por conseguir as coisas do seu jeito?
Talvez por uns 20 segundos... até perceberem que estão roubando dos seus
maridos o papel que Deus lhe deu como o chefe da casa.

Em Cristo, Ary
LIÇÃO 23

EFÉSIOS 5

DEVEMOS SER SUBMISSOS

I - Vivendo como filhos da luz - vs.1-14


II - Vivendo em comunidade - vs.15-21

III - Deveres conjugais - vs. 22-33


a) das esposas - vs. 22-24

b)dos maridos - vs. 25-32

Já estudamos no verso 5:21 a ordem expressa de Deus: ”Sujeitem-se uns aos


outros, por temor a Cristo.”; e isto se aplica ao casamento também!

“Homem e mulher devem submeter-se ao seu cônjuge em conformidade com o


seu papel específico dentro do casamento. A forma de apresentação é diferente
porque os papéis são diferentes, mas o princípio é o mesmo: submissão mútua.”
(Ray Stedman)

Versículo 25...
“Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e
entregou-se por ela”

s Esta NÃO é uma opção, mas uma ordem para ser obedecida.

s Este amor NÃO está condicionado à beleza, atitude ou comportamento da esposa.

s Este AMOR É altruísta, desprendido, que sacrifica seus próprios interesses


para atender ou satisfazer as necessidades de sua esposa.

Para que o marido cumpra seu papel no casamento é necessário que aprenda a
se entregar para sua esposa... e como ele faz isso?

O marido se entrega ao compartilhar suas alegrias e decepções, emoções e


sonhos com sua esposa. Não há nada que faça uma mulher mais feliz do que
saber que está plenamente inserida na vida do marido podendo auxiliá-lo,
cumprindo assim o desígnio de Deus para ela na vida dele.

O exemplo de Cristo é o nosso modelo como maridos cristãos. Assim, veremos


que Ele se entregou à Igreja de uma forma deliberada e proposital, com
determinados objetivos que se aplicam também ao casamento:
Versículos 26-27...
“...para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, e
para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou
coisa semelhante, mas santa e inculpável.”

John Stott explica estes versos da seguinte forma...

“O propósito do sacrifício pessoal de Jesus Cristo não era impor uma identidade
estranha sobre a igreja, mas libertá-la das manchas e rugas que estragam a sua
beleza, e demonstrá-la na sua verdadeira glória.

O marido cristão deve mostrar uma solicitude semelhante: sua liderança nunca
deve ser usada para oprimir a esposa, pelo contrário, ele anseia por vê-la liberta
de tudo quanto estraga sua identidade feminina verdadeira e crescendo rumo à
perfeição da personalidade realizada que será o destino final de todas as
pessoas redimidas por Cristo.

Com este propósito, Cristo entregou-se a Si mesmo.


Com este propósito, também, o marido entrega-se em amor!”

Versículos 28-30...
“Da mesma forma, os maridos devem amar cada um a sua mulher como a seu
próprio corpo. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo.
“Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e
dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu
corpo.

Novamente Paulo nos traz o exemplo de Cristo: “Ele nos ama e entrega a Si
mesmo por nós porque pertencemos a ele. Nós, que somos cristãos, somos parte
do Seu Corpo neste mistério surpreendente.” (RayStedman)

O marido deve...
S alimentar: ser o provedor de seu lar
s cuidar: mostrar afeição e carinho, que é uma das necessidades básicas de sua
esposa

Para fundamentar sua tese, Paulo cita o texto que está em Gênesis 2:24:

Versículos 31-32...
“Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois
se tornarão uma só carne. ”
Este é um mistério profundo; refiro-me, porém, a Cristo e à igreja”

“O que se quer dizer aqui por mistério, ou seja, pelo segredo que teria
permanecido oculto se não fosse revelado?
Evidentemente Paulo quer dizer que o mistério é a comparação do matrimônio
com a união entre Cristo e a igreja.” (Robertson)

William Hendriksen comenta...


“O fato de que este maravilhoso amor, esta ditosa relação Cristo-igreja se acha
realmente refletida aqui na terra na união do marido e sua esposa, que é agora
capaz de funcionar mais gloriosamente, trazendo a ambos suprema felicidade,
benção à humanidade e glória à Deus, então isto é deveras o Supremo Mistério!

c) obediência unilateral - v. 33
“Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a
mulher trate o marido com todo o respeito. ”

Repare que Paulo deixa claro que cada pessoa no relacionamento conjugal deve
cumprir a sua responsabilidade devida à Cristo, independentemente do que o
outro cônjuge faça. Essa é a chave!
Não devemos deixar de obedecer até que o outro cônjuge o faça!

Temos que obedecer a estes princípios, assim como Cristo foi obediente ao Pai,
amando e entregando-se à igreja, mesmo quando ainda estávamos distantes
dEle. Este é o padrão que nos foi dado por nosso Senhor Jesus Cristo.

Aprendendo a amar de maneira prática...

O que não fazer

s Nunca, jamais chame a atenção dela, ou ria de algo que ela não possa
modificar. Nariz torto, dedo feio, cabelo crespo, liso, etc.

s Nunca, jamais a critique em público.

s Nunca, jamais e sob hipótese alguma (dia ou noite), você a diminuirá diante de
alguém. Diante da família (dela ou sua), diante dos amigos ou inimigos. Nem
por brincadeira, piada, palavras ou risadinha.

s Nunca, jamais a compare desfavoravelmente com outras mulheres. Você


nunca poderá melhorá-la comparando-a com outras!

s Nunca, jamais quando ela estiver chorando interna ou externamente, muito ou


pouco, seja qual for o motivo, nunca a abandone. Lágrimas pedem carinho.

s Nunca, jamais coloque a sua mão nela, a não ser em amor.


O que fazer

S Aprenda a demonstrar afeição


- mulher gosta de pequenas coisas... flores, presentinhos, etc
- dê atenção a ela ao voltar do trabalho
- diga a ela diariamente que você a ama

S Gaste tempo com ela


- de vez em quando, planeje uma noite só para vocês dois
- uma vez por mês, leve-a para fazer algo especial

S Desenvolva maneiras especiais para demonstrar como ela é importante


- abra a porta do carro
- abra a porta de casa, elevador, etc., e deixe que ela entre primeiro
-num a festa, verifique se ela está bem, e dê sempre um flerte com ela
- dê um telefonema do trabalho
- escreva quando estiver em viagem
- não responda as perguntas que forem dirigidas a ela

S Ao apresentá-la a alguém, diga sempre algo de bom e bonito sobre ela


Não diga: “Esta é minha esposa, Filomena, que teve a felicidade de casar-se
comigo!!!!!!”

10 Mandamentos para o marido

1. Trate sua esposa com firmeza e gentileza.


2. Seja pródigo no louvor e admiração (elogie verbalmente).
3. Defina as responsabilidades.
4. Lembre-se da importância das pequenas coisas.
5. Reconheça a necessidade dela de estarem juntos.
6. Dê-lhe sentimento de segurança.
7. Reconheça a legitimidade dos estados de espírito dela.
8. Colabore com ela em todo esforço para melhorar seu casamento.
9. Descubra as necessidades individuais e particulares dela e tente satisfazê-las.
10. Participe da vida comum do lar.

Estudante! A prova de uma boa liderança é o que os outros são e fazem como
resultado daquilo que você é e faz.

Em Cristo, Ary.
LIÇAO 24

EFÉSIOS 6 - parte A

DEVEMOS SER SUBMISSOS

Veja o esboço do capítulo 6 (parte A)...

I - Deveres de pais e filhos - vs.1-4


a) dos filhos - vs. 1-3
b) dos pais - v. 4

II - Deveres de escravos e senhores - vs.5-9


a) dos escravos - vs. 5-8
b) dos senhores - v. 9

Vamos ao estudo...

I - Deveres de pais e filhos - vs.1-4

Tedd Tripp em seu excelente livro “Pastoreando o coração da criança”, sabiamente


afirma que...

“Nosso único guia seguro é a Bíblia. Ela é a revelação de um Deus que tem
conhecimento infinito e, portanto, pode nos oferecer a verdade absoluta. Deus
nos deu uma revelação suficiente e completa que apresenta um quadro exato e
compreensível a respeito de filhos, pais, vida familiar, valores, treinamento,
desenvolvimento, disciplina - tudo o que precisamos para estar equipados, a fim
de executar a tarefa de criar filhos.

Deus nos chama, através de sua Palavra e exemplo, a exercermos autoridade


nas vidas de nossos filhos, NÃO para mantê-los debaixo do nosso poder, mas
para capacitá-los a serem pessoas auto-controladas que vivem livremente sob a
autoridade de Deus. Somos agentes de Dele, portanto NÃO devemos orientar
nossos filhos segundo nossos próprios interesses e conveniência, precisamos
orientá-los segundo os padrões de Deus.”

Estudante, veja que Paulo continua nos ensinando a respeito da ordem de Deus
expressa em Efésios 5:21: ”Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo”.

Nos versículos 5:22-33 ele aplicou este princípio no casamento, agora falará da relação
entre pais e filhos...
a) aos filhos - vs. 1-3

Versículo 1...
“Filhos, obedeçam a seus pais no Senhor, pois isso é justo. ”

Esta não é uma simples exortação para que as crianças obedeçam a seus pais.
Da mesma forma que as mulheres devem se submeter aos maridos como ao Senhor, e
os maridos devem amar suas esposas, a exemplo do Senhor, assim é também com os
filhos: eles devem obediência a seus pais por causa de Jesus.

Ray Stedman nos explica que... “a palavra “obedecer" em grego literalmente significa
"estar sob", estar debaixo de uma autoridade, e é usada em muitos lugares nas
Escrituras como um termo militar aplicada a um soldado que deve obediência à seu
superior. O desenvolvimento do traço de caráter da obediência na criança é uma
questão crucial.”

Pr Davi Merkh em seu site http://www.palavraefamilia.org.br disponibiliza vários


estudos bíblicos a respeito da família, e falando de filhos obedientes ensina que...

“Se a insensatez está ligada ao coração do filho (Pv 22:15), os pais precisam
ensiná-lo a obedecer! Obediência é uma importante faceta de um caráter
verdadeiramente cristão e não são os filhos que demoram tanto em aprender a
seguir o padrão bíblico de obediência, mas os pais. As crianças aprendem muito
rápido a alcançar o alvo que os pais consistentemente ensinam e exemplificam.

Vejamos três facetas da obediência que Deus espera dos filhos e que os pais
devem ensiná-los. Tudo isso, é claro, pressupõe um contexto de amor, de
expressões freqüentes de carinho e encorajamento por parte dos pais, pois
regras sem relacionamento leva a rebeldia!

1. Obediência Imediata (Números 14:6-9; 39-45)

Deus mandou o povo de Israel entrar na Terra Prometida, mas eles se tornaram
rebeldes e desobedientes. O resultado foi uma disciplina severa, envolvendo a
morte de toda aquela geração e 40 anos vagueando no deserto.

É interessante notar que, assim como muitas crianças hoje fazem, na hora que
Deus declarou a disciplina, o povo “se arrependeu”, e insistiu em entrar na Terra
assim mesmo, desafiadoramente. Este foi um segundo ato de rebeldia e rejeição
da disciplina do Senhor, e já era tarde demais. Veja Nm 14:44

2. Obediência Inteira (1 Samuel 15:19-20; 22)

Para não correr o risco do povo de Deus se contaminar com o pecado dos
Amalequitas, o profeta Samuel (representando Deus) mandou o rei Saul
exterminar totalmente este povo idólatra, imoral e violento, porém Saul teve uma
“idéia melhor”: poupar o rei Agague e o melhor de suas posses.

A Bíblia Anotada chama esse episódio “Obediência Parcial”, mas o fato é que aos
olhos de Deus não existe “obediência parcial”, isto é inaceitável para Ele.
Pais que não ensinam a obediência inteira aos seus filhos, estão treinando-os a
pecar, e eles mesmos estão em pecado. Obediência parcial = rebeldia total!

3. Obediência Interna

Os pais precisam - acima de tudo - atingir o coração dos filhos. Caso contrário,
mesmo que consigam transmitir o padrão de obediência imediata e inteira,
provavelmente criarão filhos fariseus e legalistas, com corações distantes dos
pais - e de Deus! É isso que Provérbios nos ensina em dois textos fundamentais
para pais e filhos: Pv 4:23 e Pv 23:26.

Obediência interna quer dizer sem desafio, sem reclamação, de boa vontade e
com alegria (Fl 2:14). Que padrão alto! Sem dúvida, esse padrão exigirá muito
tempo para avaliar atitudes, questionar, conversar, sondar, refletir, confessar,
perdoar e orar. Os pais terão que correr atrás não somente de atitudes, mas do
que está no coração.

Versículos 2-3...
“Honra teu pai e tua mãe” este é o primeiro mandamento com promessa “para que tudo
te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra”.

“Aqueles que estão preocupados com a conduta dos seus filhos, devem se
lembrar que, conforme a Bíblia, as palavras e ações fluem do coração. E este
deve ser o verdadeiro alvo na educação de nossos filhos!” (Tedd Tripp)

Aqui Paulo nos diz que o importante não é somente obedecer, mas é necessário
obedecer de tal modo a honrar os pais. Veja bem, as ações exteriormente podem até
estar corretas, mas interiormente, no coração, a criança pode estar apenas esperando
uma oportunidade para se rebelar e revoltar.

”Deus aqui promete que a obediência contente, com uma atitude de honra e respeito,
cria as condições que tendem a produzir uma vida longa, saudável e feliz. Filhos
obedientes vivem de forma construtiva e produtiva, e são menos propensos a serem
vítimas de tentações e ciladas auto-destrutivas como alcoolismo, uso de drogas,
criminalidade, preguiça e outras formas de loucura e rebelião.” (Ray Stedman)

Aprender a obedecer e honrar os pais é a preparação necessária para aprender a


obedecer e respeitar as autoridade mais tarde na vida. Quanto mais cedo uma criança
aprende esta lição, melhor será sua vida futura.
Atenção pais! Veja o que diz Tedd Tripp

“A tarefa fundamental de treinar o coração dos filhos nos caminhos da sabedoria


de Deus é uma rica interação, mais do que simplesmente dizer ao seu filho o que
fazer e pensar. Envolve investir sua vida em seu filho, através de uma
comunicação aberta e honesta que expõe o significado e o propósito da vida,
sendo o exemplo de uma vida dedicada integralmente a Deus e sua família.

O treinamento acontece SEMPRE que você está com seus filhos, ao acordar,
andar, comer, conversar ou descansar, O TEMPO TODO você precisa estar
envolvido em ajudar seu filho a entender a vida, a si mesmo e as suas
necessidades, a partir da perspectiva bíblica (Dt 6:6-7). Os pais têm a
responsabilidade de ajudar os filhos a entender o padrão de Deus para o
comportamento deles, ensiná-los que são pecadores por natureza e apontar-lhes
a graça e misericórdia de Deus, demonstradas na vida e morte de Cristo em favor
dos pecadores.”

Agora é com você, estudante!

Responda diante de Deus estas perguntas... não para sentir-se culpado ou


fracassado, mas para ajudá-lo a apresentar diante Dele suas necessidades e
deficiências. Então... “em tudo isto você precisa orar, pedindo que Deus trabalhe
em - e ao redor - de seus esforços e das reações de seus filhos, em direção ao
conhecimento e ao serviço de Dele.” (TeddTripp)

s Você e seu cônjuge separam tempo para orar a Deus a fim de que Ele se
revele a seus filhos?

s Você já pensou profundamente sobre o que está fazendo como pai/mãe?


Já sujeitou à crítica bíblica as coisas que você diz e faz em relação aos seus
filhos?

s Quais são os valores ensinados em sua casa?


Quais são as coisas que mais importam para você?
O que motiva sua vida?
s A idéia de “viver para a glória de Deus” pulsa dentro de você ou é apenas uma
idéia religiosa banal?

s O que constitui sucesso ou fracasso em seu lar? Como seu filho completaria
esta frase: “O que papai e mamãe esperam de mim é...”?
s Que coisas você pode fazer para manter sua disciplina focalizada em trazer
seus filhos aos caminhos do Senhor?

s As regras familiares em seu lar (faladas ou não-pronunciadas), são


consistentes com a verdadeira espiritualidade, estimulam o viver para a glória
de Deus?

s Quais as questões de santificação que você teria que tratar a fim de conduzir
seus filhos à Deus?

s A confissão dos seus pecados, quando apropriada, é uma parte regular de sua
comunicação com seus filhos?

s Como você mantém seu filho focalizado no fato de que a obediência aos pais
baseia-se na ordem de Deus?
Às vezes, você fundamenta suas exigências simplesmente em sua vontade e
desejos?

“Portanto, vão e façam discípulos... ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes


ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” - Mt 28:19-20

Em Cristo, Ary
LIÇAO 25

EFÉSIOS 6 - parte A

DEVEMOS SER SUBMISSOS

I - Deveres de pais e filhos - vs.1-4


a) dos filhos - vs. 1-3

b) dos pais - v. 4

William Barclay em seu artigo “Patria Potestas” nos dá um panorama da paternidade na


época em que Paulo escreveu Efésios... “O pai romano tinha autoridade total sobre sua
família. Poderia vendê-la como escrava ou fazer os membros trabalhar em seus
campos; poderia tomar a lei nas suas próprias mãos, pois a lei assim lhe permitia; e
podia castigar como queria, até mesmo aplicando a pena de morte ao seu filho, se
quisesse.”

Comentando a respeito, John Stott diz que... “O pai cristão era completamente
diferente, especialmente ao lembrar-se daquilo que Paulo escrevera anteriormente: que
sua paternidade era derivada de “um só Deus e Pai de todos (Ef. 3:14-15; 4:6). Aqui, ao
instruir os pais como devem comportar-se com os filhos, Paulo não os conclama a
desenvolver sua autoridade, mas sim a contê-la!”

Você se lembra, estudante, que ainda estamos dentro do princípio ensinado por Paulo
em Efésios 5:21: ”Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo?!
Mas então de que forma os pais estão sujeitos aos seus filhos?

Stedman nos explica... “Por detrás deste refrear da autoridade dos pais há o claro
reconhecimento que, embora os filhos devam obedecer aos seus pais no Senhor, não
deixam de ter uma vida e personalidade só deles. De modo algum devem ser
desrespeitados, explorados, manipulados ou humilhados por seus pais”

Versículo 4a...
"Pais, não irritem seus filhos”

Apesar da palavra original “pateres” aqui traduzida incluir tanto o pai como a mãe, não
se pode esquecer que é sobre o homem, cabeça de sua família, que principalmente
repousa a responsabilidade da educação dos filhos! Segundo Hendriksen... “Essa é
uma questão importante que cada pai deve considerar: as mães podem aplicar as
políticas e regras que regem a casa, mas é tarefa do pai defini-la."

"A palavra traduzida aqui por irritar ou exasperar, vem de uma palavra grega que
significa "a raiva que resulta em rebelião". Paulo está alertando os pais para que evitem
ações que, ao longo do tempo, tendem a produzir uma natureza claramente irritada,
frustrada e rebelde em uma criança.”(RayStedman).

Certamente há atitudes que levam à irritação, pois fazem com que as crianças se
sintam indesejadas e inseguras:
s indulgência (condescendência, tolerância exacerbada, falta de limites)
s excesso de proteção (tende a privar as crianças de confiança)
s favoritismo entre irmãos
s desestímulo
s aspereza, uso de palavras ásperas ou crueldade física

Versículo 4b...
"...antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor.”

s instrução: uma disciplina equilibrada em amor e limites.


s conselho do Senhor: exortação e ensino, ou como o original grego sugere, "colocar
na mente as coisas do Senhor".

“Por detrás dos pais que ensinam e disciplinam seus filhos há o propósito do Senhor.
Certamente a preocupação predominante dos pais não é apenas que seus filhos se
submetam à autoridade mas, sim, que através disto cheguem a conhecer o Senhor e a
obedecer-lhe. Há muito regozijo e ações de graças sempre o ensino e a disciplina de
um lar cristão levam naturalmente - não artificialmente - à aceitação pela criança do
ensino e da disciplina do próprio Senhor Jesus"(J.Stott)

Dr. Howard Hendricks resumiu em sete pontos os princípios para apaternidade


piedosa, isto é, baseada no amor e respeito à Deus:
1. Providencie um clima acolhedor no lar
Isto é, uma atmosfera que promova a construção de uma relação pessoal com seus
filhos, isso significa gastar - investir - tempo com eles até que você os conheça e eles
conheçam você.
2. Seja um bom exemplo
Viva as convicções transmitidas por você e admita quando cometer erros, mostrando
assim que a graça de Deus está trabalhando em nós. Seus filhos precisam ver que você
é humano, e grande o suficiente para aceitar a graça e perdão.
3. Permita uma emancipação gradual
Comece ainda cedo a dar-lhes responsabilidade fazendo depois uma avaliação dos
resultados, então ajuste a liberdade de acordo com a capacidade de cada um.
4. Proporcione um ambiente descontraído e informal
Gaste tempo criando um bom relacionamento, isto fará com que os seus conselhos
sejam ouvidos e talvez aceitos.
5. Estabeleça limites
As crianças querem e precisam da segurança de fronteiras e restrições, porém não
aceitarão seus limites a menos que saibam que são amados - não só por palavras -
mas através de seu tempo, atenção e interesse genuíno.

6. Aplique a lei das conseqüências naturais


Discuta com seus filhos os prós e contras, e deixe que eles tomem suas próprias
decisões e vivam os resultados. Em alguns casos é saudável que as crianças cometam
erros e aceitem as consequências - contanto que estas não causem danos graves ou
permanentes.
7. Cerque seus filhos com uma fortaleza de oração
Ore confiando no Espírito de Deus para fazer por seus filhos o que Ele tem feito por
você.

Ray Stedman resume estes princípios da seguinte forma...

“Estes são os princípios para criar os filhos em uma relação de submissão mútua:
Nossa tarefa como pais é o de nos . assim como a tarefa dos nossos
submeter aos nossos filhos, filhos é a de se submeterem - em
dedicando-nos ao processo de amar, atitudes e no coração - a nossa
orientar, formar, ensinar e orar por ^ autoridade firme, mas delicada.”
eles...

Aprendendo a disciplinar em amor de maneira prática...

Disciplina é ensino e não castigo! Quando somos incoerentes, a disciplina torna-se uma
força bruta para levar os filhos a se adaptarem à nossa disposição. Isto fortalece a
resistência dos filhos à autoridade e assim são provocados à ira e irritação.

O que não fazer

s Nunca, jamais faça comparação com seus filhos. Exemplo: “no meu tempo...”
s Nunca, jamais critique as áreas de fraqueza dele.
s Nunca, jamais use condições. Exemplo: “Se fizer isso, ganha...”
s Nunca, jamais humilhe seu filho na frente dos outros.
s Nunca, jamais use promessas de galardão e presentes como condição para tarefas
obrigatórias.
s Nunca, jamais discipline quando estiver com raiva ou zangado.
s Nunca espere perfeição.

O que fazer
s Comunique que desobediência é contra Deus e que nós pais estamos sujeitos à
disciplina de Dele. (Hebreus 12)
s Comunique ao seu filho uma expectativa positiva de obediência
s Ajude o filho a avaliar a sua desobediência (prepare uma situação melhor para que
ele possa ser testado novamente).
s Permita à criança expressar seu ponto de vista.
s Restaure a comunicação depois de discipliná-lo fisicamente
s Lembre que o objetivo da obediência não é uma conformidade exterior, mas uma
condição interior.
s Reduza ao mínimo os mandamentos.
s Separe qualidade de tempo para seus filhos
s Para cada crítica faça 10 elogios

Perguntas mais frequentes...

1. Quais são os motivos para a disciplina?


Falta de respeito. Veja Êxodo 20:12
Falta de obediência. Veja Colossensses 3:20
Falta de responsabilidade. Veja Lam. 3:27

2. Quando começar?
Quando deliberadamente a criança se rebela.

3. Como começar agora, já que você vinha usando outros métodos.


Peça perdão e comunique o novo método a ser usado.

4. Quais os passos práticos para a disciplina?

1° - Ensino: Para saber se a criança compreendeu faça-a repetir a instrução.

2° - Advertência: Não provoque a criança. É necessário que ela saiba que o próximo
passo é a correção.

3° - Correção: Prov. 22:15; 23:13 e 14


s Pergunte: “O que você fez está certo?”. Não pergunte: “Por que você fez isto?”, pois
a criança culpará outros.
s Leve a criança a um lugar a sós, onde ela não se sinta envergonhada.
s Esclareça calmamente que você não se alegra em discipliná-lo (Deus também não
se alegra em corrigir os Seus filhos. Lamentações 3:31-33).
s Explique que é só por amor que os pais se dispõem a corrigir os filhos. Prov. 13:24
s Discipline com vara ou objeto neutro (Pv. 23:13). Discipline para doer (Pv. 20:30).
s Discipline pouco (Pv. 19:18). Discipline no lugar certo (Col. 3:21).
s Deixe a criança chorar (chorar não é gritar). Explique que você sabe que está
doendo e compreende o seu choro.

Atenção!
- Nã O discipline com a mão ou em qualquer parte do corpo
- NÃO discipline na presença dos outros
- NÃO comente na frente da criança que a disciplinou
- NÃO deixe para quando o pai chegar (salvo se a rebelião foi quanto à ordem do pai)
- NÃO deixar se chantagear “Perdão, eu não faço mais”. Veja II Samuel 22:15
- NÃO deixe de reconhecer se estiver errado e peça perdão.
Às vezes seu erro pode ser a maneira de falar ou de disciplinar. Peça perdão!

4. Consolo: Jó 5:17 e 18
s Pegue a criança no colo ou deite sua cabeça no seu colo.
s Comunique a ela que você não a deixará até que a dor passe.
s Assim que o choro diminuir, pergunte a ela se já está em condições de orar.
s Ore com a criança e depois saiam juntos do quarto.
s Se a criança se mantém rebelde, discipline-a novamente

“ Para um retorno eterno, invista hoje na poupança do seu filh o !” (Davi Merkh)

“Os limites da disciplina piedosa são como paredes porque às vezes podem ser
frustrantes e confinantes, mas elas têm um propósito benéfico: simbolizam a segurança
e proteção. Paredes nos fazem sentir seguros quando a noite cai, quando os cães
uivam lá fora e sopra o vento. Uma criança que momentaneamente se rebela contra a
parede durante um período de disciplina, um dia será grata pela segurança e o
sentimento de amor que aquelas paredes que fornecem uma base consistente, ano
após ano, durante a infância e adolescência.” (RayStedman)

E você estudante...

s Tem sempre atitude serena diante do filho?


s Organizou, para seu filho, um plano de atividade diária?
s Trata o filho com excessiva autoridade?
s Procura responder, com naturalidade, sem mentira, as perguntas?
s Ouve o filho antes de castigá-lo?
s Briga com o cônjuge na presença do filho?
s Mantém conversas amistosas com o filho?
s Repreende ou humilha o filho na presença de estranhos?
s Leva para casa as preocupações do trabalho?
s Para a mesma falta usa sempre o mesmo castigo?
s Comenta com estranhos as atitudes do filho estando ele presente?
s Sabe com quem anda seu filho?
s Procura orientar a curiosidade natural do filho?
s Acompanha a evolução do filho não o tratando sempre como bobo?
s Entende que a criança tem necessidades e interesses próprios e respeita-os?
s Faz as lições para o filho quando ele tem dificuldade?
s Vale-se de gratificações para conseguir a cooperação do filho nas tarefas
domésticas?
s Procura estimular o filho quando ele vai mal nos estudos?
s Esforça-se para conquistar o amor e a confiança do filho?
s Sabe que o filho poderá julgá-lo futuramente?
s Faz prevalecer sempre a sua autoridade, mesmo quando o filho tem razão?
s Elogia o filho, quando ele merece?
s Ameaça o filho para ser obedecido?

Estudante, medite nos seguintes textos de Provérbios e veja como Deus nos ensina a
disciplinar nossos filhos: 13:24; 19:18; 22:6; 22:15; 23:13-14; 29:15; 29:17.

A luta maior é com você mesmo para fazer o que Deus manda?!

Em Cristo, Ary
LIÇAO 26

EFÉSIOS 6

DEVEMOS SER SUBMISSOS

I - Deveres de pais e filhos - vs.1 -4

II - Deveres de servos e senhores - vs.5-9

”Na época em que Paulo escreveu a carta aos Efésios, estima-se que metade da
população do Império Romano consistia de escravos e muitos destes eram
cristãos, havia também muitos senhores, proprietários de escravos, alcançados
pelo evangelho. Como estes cristãos reuniam-se juntos em adoração, eles
aprenderam que em Cristo não há escravo nem livre, não há distinção de classe,
raça ou sexo, e que todos estão nivelados ao pé da cruz!” (RayStedman)

Porém... ao término das reuniões, tanto os escravos como seus senhores


retornavam às suas casas e seu trabalho, e naturalmente surgiu a pergunta:
“Bem, e agora? Somos irmãos apenas no domingo?”
“Qual deve ser nosso relacionamento de segunda a sábado?”
A solução deste problema encontra-se mais uma vez na ordem única e simples
do apóstolo em Efésios 5:21:”Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo”.

Paulo estabelece então princípios que se aplicam não apenas a escravos e


senhores, mas também na relação entre empregado e empregador, e é por isto
que este texto se aplica a todos nós nos dias de hoje, seja você um grande
empresário, uma “simples” dona-de-casa ou um pastor em tempo integral.

”O problema humano principal nas disputas entre os empresários e os


trabalhadores é que cada lado concentra-se em obter seus próprios direitos e em
induzir o outro lado a fazer seus deveres. Paulo, no entanto, inverte a ênfase:
instrui cada lado a concentrar-se nas suas responsabilidades, não nos seus
direitos” (J.Stott)

a) dos servos - vs. 5-8

Segundo a legislação romana antiga, os escravos eram “apenas bens móveis


sem direitos, aos quais o seu senhor podia tratar como quisesse”(Salmon), a
crueldade sobre eles era generalizada.

Ray Stedman comenta que...


“É significativo que uma parte da obra clássica de Edward Gibbon “O Declínio e
Queda do Império Romano”, inicia-se com estas palavras:
“Enquanto que o Império Romano foi invadido pela violência aberta ou
prejudicado pela lenta decadência, uma religião pura e humilde gentilmente
insinuou-se na mente dos homens, cresceu no silêncio e na obscuridade, derivou
novo vigor a partir da oposição e, finalmente, erigiu a bandeira vitoriosa da cruz
sobre as ruínas da capital.”

Stedman continua... “Essa foi a forma com a qual o cristianismo livrou o Império
Romano da escravidão: não por um cerco de violência, mas pela propagação do
amor de Cristo e os atos de submissão mútua humildade. É interessante notar
que não só neste texto, mas em nenhum lugar do Novo Testamento encontramos
alguma palavra que incite os escravos a levantar-se contra seus senhores,
organizar sindicatos, ou fazer pressão política sobre a sociedade. Apesar deste
fato, a história mostra que o cristianismo tem sido uma força libertadora no
mundo.”

Versículos 5-7...
“Escravos, obedeçam a seus senhores terrenos com respeito e temor, com
sinceridade de coração, como a Cristo. Obedeçam-lhes, não apenas para
agradá-los quando eles os observam, mas como escravos de Cristo, fazendo de
coração a vontade de Deus. Sirvam aos seus senhores de boa vontade, como
servindo ao Senhor, e não aos homens”

Sob a visão de John Stott... “A cristocentricidade da instrução dada por Paulo aos
escravos cristãos é muito marcante:
s a perspectiva dos escravos alterou-se
s seus horizontes se alargaram
s foram libertos da escravidão de agradar aos homens para a liberdade de servir
a Cristo
s suas tarefas deste mundo foram absorvidas numa preocupação mais alta: a
vontade de Deus”

Paulo está dizendo que todos nós devemos trabalhar com a mesma intensidade e
cuidado, independente de estarmos sendo observados ou não! Esta deve ser
atitude de todo cristão íntegro, que leva Deus e Sua Palavra a sério, e em todas
as áreas da vida, estudante! Veja as palavras de Paulo em Romanos 13:5...
“É necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da
possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência”

s Não devemos obedecer às leis apenas porque tememos ser presos ou


punidos de alguma forma.
s Não devemos manter o limite de velocidade somente porque há um radar ou
guarda à vista.
s Não devemos pagar nossos impostos apenas porque sabemos que corremos
o risco de cair na “malha fina”.
A maioria das pessoas segue às leis por causa disto, mas esta não deve ser a
conduta de um cristão! A razão para o cristão obedecê-las é porque isto é correto
perante Deus e sua consciência deve estar limpa perante Ele. Portanto
estudante, seja você um motoboy, uma comissária, um advogado, uma executiva
de uma grande empresa ou aposentado: faça o seu trabalho como para Cristo -
seja qual for sua atividade - sua preocupação suprema deve ser a lealdade a Ele.

Quando é a Deus quem você está tentando agradar, pode fazer seu trabalho com
alegria e qualidade - mesmo tendo um chefe ranzinza e rabugento. Você nunca
ficará entediado com seu trabalho - mesmo sendo dona-de-casa - enquanto
reconhecer que está fazendo tudo sob o olhar atento do Senhor!
Mas... você ainda pode estar se perguntando...

"Mas no meu trabalho eu nunca sou recompensado”, ou


“O trabalho que faço e muito desanimador e humilhante”, ou
“Como eu posso ficar motivado em meu trabalho se eu nunca recebo qualquer
incentivo?”

Esta questão Paulo nos responde no versículo seguinte...

Versículo 8...
"...que vocês sabem que o Senhor recompensará cada um pelo bem que praticar,
seja escravo, seja livre. ”

Não importa se você realiza o seu trabalho no escritório de uma grande


corporação ou se passa o dia todo lavando pratos, Deus vai recompensá-lo por
um trabalho bem feito em obediência ao evangelho.

Veja bem, estudante! Deus não promete mudar suas condições de trabalho ou
que seu chefe será bonzinho com você. William Hendriksen nos explica...

“É verdade que nenhum bem é feito em vão. Há somente uma vida sobre a terra
e esta logo passará. Só aquilo que se faz para Cristo permanecerá.
Que Deus, em sua atribuição de Juiz, recompensará os serviços a Ele prestados
em amor e obediência, é o claro ensinamento de tantas passagens da Escritura.
Essa recompensa, no entanto, é inteiramente de graça, não meritória. Assim
como em razão do pecado todos os homens se acham condenados diante de
Deus (Rm 3:22-23), assim também em razão da graça, todos os crentes, sejam
escravos ou livres, receberão uma recompensa pelo bem que fizerem.”

b) dos senhores - v. 9

“Vocês, senhores, tratem seus escravos da mesma forma. Não os ameacem,


uma vez que vocês sabem que o Senhor deles e de vocês está nos céus, e ele
não faz diferença entre as pessoas. ”
Na passagem paralela, em Colossenses 4:1, Paulo diz assim...
“Senhores, dêem aos seus escravos o que é justo e direito, sabendo que vocês
também têm um Senhor nos céus”

Isto significa que os chefes devem ser sensíveis às necessidades de seus


empregados e promover o bem estar deles, da mesma forma que esperam ser
tratados.

“Lembre-se que você também tem um Senhor, e Ele não demonstra favoritismo
em relação a você e seus empregados, diante Dele todos estão em pé de
igualdade. E mais... você vai prestar contas à Deus pela forma com que trata
aqueles que Ele confiou aos seus cuidados e mordomia. Então, ouça e valorize
seus empregados. Honre a imagem de Deus que se reflete em cada um deles.
Sim! Se alguém não está qualificado para fazer o trabalho, siga os procedimentos
corretos e demita-o, mas não ameace constantemente ou intimide-o no trabalho.
Isso é errado aos olhos de Deus. A gestão que aprendemos com Ele é baseada
no respeito mútuo e submissão, e não no medo e intimidação.” (RayStedman)

Paulo nesta passagem anula completamente os comentários que,


lamentavelmente, ouvimos muitas vezes em nossos dias:
"Eu não misturo negócios e religião", ou
"A igreja é uma coisa, mas negócio é negócio", ou
"Hoje em dia, você tem que fazer essas coisas para a empresa sobreviver."

Ray Stedman comenta esta atitude na vida de em alguns “cristãos”...

“Que tolice! Jesus é o Senhor de sua semana de trabalho, assim como é o


Senhor de sua adoração aos domingos. Se você O tirar de seu negócio de
segunda-feira a sexta-feira, então, como se atreve a chamá-lo de "Senhor" no
domingo?”

Atenção! Mesmo que você ocupe o nível mais baixo de hierarquia na sua
empresa, já esteja aposentado, seja dona-de-casa ou ainda é adolescente, esta
exortação de Paulo é para você também! Quer ver só?!...

s Como é tratada a faxineira que limpa sua casa?


s E o garçom que o atende numa lanchonete?
s De que forma você fala com o frentista que abastece seu carro?
s Como você trata o caixa do supermercado que está em treinamento?

Jovem! Caso você tenha na escola um professor que não executa bem o seu
trabalho, o fato de seus pais (ou você) pagarem a mensalidade e/ou os impostos
públicos - e portanto o salário do professor - não lhe dá o “direito” de tratá-lo mal!
Efésios 6:5-9 chama a todos nós...
s senhores e escravos,
s patrões e trabalhadores,
s prestadores de serviços e quem paga por eles
...para um único foco: a submissão mútua, sob a autoridade de Jesus Cristo.
Todos servimos ao mesmo Senhor e estamos nivelados ao pé da cruz!

Termino com uma exortação de Paulo...

“Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses
dos outros. Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus. ” - Filipenses 2:4-5

Em Cristo,

Ary
LIÇAO 27

EFÉSIOS 6

DEVEMOS SER SUBMISSOS

I - Deveres de pais e filhos - vs.1 -4

II - Deveres de servos e senhores - vs.5-9

”Na época em que Paulo escreveu a carta aos Efésios, estima-se que metade da
população do Império Romano consistia de escravos e muitos destes eram
cristãos, havia também muitos senhores, proprietários de escravos, alcançados
pelo evangelho. Como estes cristãos reuniam-se juntos em adoração, eles
aprenderam que em Cristo não há escravo nem livre, não há distinção de classe,
raça ou sexo, e que todos estão nivelados ao pé da cruz!” (RayStedman)

Porém... ao término das reuniões, tanto os escravos como seus senhores


retornavam às suas casas e seu trabalho, e naturalmente surgiu a pergunta:
“Bem, e agora? Somos irmãos apenas no domingo?”
“Qual deve ser nosso relacionamento de segunda a sábado?”
A solução deste problema encontra-se mais uma vez na ordem única e simples
do apóstolo em Efésios 5:21:”Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo”.

Paulo estabelece então princípios que se aplicam não apenas a escravos e


senhores, mas também na relação entre empregado e empregador, e é por isto
que este texto se aplica a todos nós nos dias de hoje, seja você um grande
empresário, uma “simples” dona-de-casa ou um pastor em tempo integral.

”O problema humano principal nas disputas entre os empresários e os


trabalhadores é que cada lado concentra-se em obter seus próprios direitos e em
induzir o outro lado a fazer seus deveres. Paulo, no entanto, inverte a ênfase:
instrui cada lado a concentrar-se nas suas responsabilidades, não nos seus
direitos” (J.Stott)

a) dos servos - vs. 5-8

Segundo a legislação romana antiga, os escravos eram “apenas bens móveis


sem direitos, aos quais o seu senhor podia tratar como quisesse”(Salmon), a
crueldade sobre eles era generalizada.

Ray Stedman comenta que...


“É significativo que uma parte da obra clássica de Edward Gibbon “O Declínio e
Queda do Império Romano”, inicia-se com estas palavras:
“Enquanto que o Império Romano foi invadido pela violência aberta ou
prejudicado pela lenta decadência, uma religião pura e humilde gentilmente
insinuou-se na mente dos homens, cresceu no silêncio e na obscuridade, derivou
novo vigor a partir da oposição e, finalmente, erigiu a bandeira vitoriosa da cruz
sobre as ruínas da capital.”

Stedman continua... “Essa foi a forma com a qual o cristianismo livrou o Império
Romano da escravidão: não por um cerco de violência, mas pela propagação do
amor de Cristo e os atos de submissão mútua humildade. É interessante notar
que não só neste texto, mas em nenhum lugar do Novo Testamento encontramos
alguma palavra que incite os escravos a levantar-se contra seus senhores,
organizar sindicatos, ou fazer pressão política sobre a sociedade. Apesar deste
fato, a história mostra que o cristianismo tem sido uma força libertadora no
mundo.”

Versículos 5-7...
“Escravos, obedeçam a seus senhores terrenos com respeito e temor, com
sinceridade de coração, como a Cristo. Obedeçam-lhes, não apenas para
agradá-los quando eles os observam, mas como escravos de Cristo, fazendo de
coração a vontade de Deus. Sirvam aos seus senhores de boa vontade, como
servindo ao Senhor, e não aos homens”

Sob a visão de John Stott... “A cristocentricidade da instrução dada por Paulo aos
escravos cristãos é muito marcante:
s a perspectiva dos escravos alterou-se
s seus horizontes se alargaram
s foram libertos da escravidão de agradar aos homens para a liberdade de servir
a Cristo
s suas tarefas deste mundo foram absorvidas numa preocupação mais alta: a
vontade de Deus”

Paulo está dizendo que todos nós devemos trabalhar com a mesma intensidade e
cuidado, independente de estarmos sendo observados ou não! Esta deve ser
atitude de todo cristão íntegro, que leva Deus e Sua Palavra a sério, e em todas
as áreas da vida, estudante! Veja as palavras de Paulo em Romanos 13:5...
“É necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da
possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência”

s Não devemos obedecer às leis apenas porque tememos ser presos ou


punidos de alguma forma.
s Não devemos manter o limite de velocidade somente porque há um radar ou
guarda à vista.
s Não devemos pagar nossos impostos apenas porque sabemos que corremos
o risco de cair na “malha fina”.
A maioria das pessoas segue às leis por causa disto, mas esta não deve ser a
conduta de um cristão! A razão para o cristão obedecê-las é porque isto é correto
perante Deus e sua consciência deve estar limpa perante Ele. Portanto
estudante, seja você um motoboy, uma comissária, um advogado, uma executiva
de uma grande empresa ou aposentado: faça o seu trabalho como para Cristo -
seja qual for sua atividade - sua preocupação suprema deve ser a lealdade a Ele.

Quando é a Deus quem você está tentando agradar, pode fazer seu trabalho com
alegria e qualidade - mesmo tendo um chefe ranzinza e rabugento. Você nunca
ficará entediado com seu trabalho - mesmo sendo dona-de-casa - enquanto
reconhecer que está fazendo tudo sob o olhar atento do Senhor!
Mas... você ainda pode estar se perguntando...

"Mas no meu trabalho eu nunca sou recompensado”, ou


“O trabalho que faço e muito desanimador e humilhante”, ou
“Como eu posso ficar motivado em meu trabalho se eu nunca recebo qualquer
incentivo?”

Esta questão Paulo nos responde no versículo seguinte...

Versículo 8...
"...que vocês sabem que o Senhor recompensará cada um pelo bem que praticar,
seja escravo, seja livre. ”

Não importa se você realiza o seu trabalho no escritório de uma grande


corporação ou se passa o dia todo lavando pratos, Deus vai recompensá-lo por
um trabalho bem feito em obediência ao evangelho.

Veja bem, estudante! Deus não promete mudar suas condições de trabalho ou
que seu chefe será bonzinho com você. William Hendriksen nos explica...

“É verdade que nenhum bem é feito em vão. Há somente uma vida sobre a terra
e esta logo passará. Só aquilo que se faz para Cristo permanecerá.
Que Deus, em sua atribuição de Juiz, recompensará os serviços a Ele prestados
em amor e obediência, é o claro ensinamento de tantas passagens da Escritura.
Essa recompensa, no entanto, é inteiramente de graça, não meritória. Assim
como em razão do pecado todos os homens se acham condenados diante de
Deus (Rm 3:22-23), assim também em razão da graça, todos os crentes, sejam
escravos ou livres, receberão uma recompensa pelo bem que fizerem.”

b) dos senhores - v. 9

“Vocês, senhores, tratem seus escravos da mesma forma. Não os ameacem,


uma vez que vocês sabem que o Senhor deles e de vocês está nos céus, e ele
não faz diferença entre as pessoas. ”
Na passagem paralela, em Colossenses 4:1, Paulo diz assim...
“Senhores, dêem aos seus escravos o que é justo e direito, sabendo que vocês
também têm um Senhor nos céus”

Isto significa que os chefes devem ser sensíveis às necessidades de seus


empregados e promover o bem estar deles, da mesma forma que esperam ser
tratados.

“Lembre-se que você também tem um Senhor, e Ele não demonstra favoritismo
em relação a você e seus empregados, diante Dele todos estão em pé de
igualdade. E mais... você vai prestar contas à Deus pela forma com que trata
aqueles que Ele confiou aos seus cuidados e mordomia. Então, ouça e valorize
seus empregados. Honre a imagem de Deus que se reflete em cada um deles.
Sim! Se alguém não está qualificado para fazer o trabalho, siga os procedimentos
corretos e demita-o, mas não ameace constantemente ou intimide-o no trabalho.
Isso é errado aos olhos de Deus. A gestão que aprendemos com Ele é baseada
no respeito mútuo e submissão, e não no medo e intimidação.” (RayStedman)

Paulo nesta passagem anula completamente os comentários que,


lamentavelmente, ouvimos muitas vezes em nossos dias:
"Eu não misturo negócios e religião", ou
"A igreja é uma coisa, mas negócio é negócio", ou
"Hoje em dia, você tem que fazer essas coisas para a empresa sobreviver."

Ray Stedman comenta esta atitude na vida de em alguns “cristãos”...

“Que tolice! Jesus é o Senhor de sua semana de trabalho, assim como é o


Senhor de sua adoração aos domingos. Se você O tirar de seu negócio de
segunda-feira a sexta-feira, então, como se atreve a chamá-lo de "Senhor" no
domingo?”

Atenção! Mesmo que você ocupe o nível mais baixo de hierarquia na sua
empresa, já esteja aposentado, seja dona-de-casa ou ainda é adolescente, esta
exortação de Paulo é para você também! Quer ver só?!...

s Como é tratada a faxineira que limpa sua casa?


s E o garçom que o atende numa lanchonete?
s De que forma você fala com o frentista que abastece seu carro?
s Como você trata o caixa do supermercado que está em treinamento?

Jovem! Caso você tenha na escola um professor que não executa bem o seu
trabalho, o fato de seus pais (ou você) pagarem a mensalidade e/ou os impostos
públicos - e portanto o salário do professor - não lhe dá o “direito” de tratá-lo mal!
Efésios 6:5-9 chama a todos nós...
s senhores e escravos,
s patrões e trabalhadores,
s prestadores de serviços e quem paga por eles
...para um único foco: a submissão mútua, sob a autoridade de Jesus Cristo.
Todos servimos ao mesmo Senhor e estamos nivelados ao pé da cruz!

Termino com uma exortação de Paulo...

“Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses
dos outros. Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus. ” - Filipenses 2:4-5

Em Cristo,

Ary
LIÇAO 28

EFÉSIOS 6

ARMADURA EFICAZ

Veja o esboço do capítulo 6 (parte B)...

I - A estratégia satânica - vs. 10-13

II - Conhecendo nossas armas - vs. 14-17


a) armas de defesa - vs. 14-17a
b) arma de defesa e ataque - v. 17b

III - Oração - vs. 18-20

IV - Conclusão - vs.21 -24

Vamos ao estudo...

I - A estratégia satânica - vs. 10-13

Uma das verdades fundamentais que a Bíblia nos apresenta é que, por trás da
fachada deste mundo há uma feroz batalha invisível, e cada ser humano neste
planeta, consciente ou não, é forçado a tomar posição de um lado ou de outro
nessa grande guerra cósmica. Não há espaço para a neutralidade.

Paulo agora nos dá a chave para a vitória em nossa guerra espiritual, colocando
os planos do diabo - a estratégia satânica - em nossas mãos.

Versículos 10-11...
“Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder. Vistam toda a
armadura de Deus, para poderem ficar firmes contra as ciladas do Diabo”

Jesus veio ao mundo "para destruir as obras do diabo" (l João 3:8). Paulo diz que
Deus, através de Cristo, "nos libertou do império das trevas e nos transportou
para o reino do seu Filho amado" (Colossenses 1:13).

“A paz que Deus fez através da cruz de Cristo deve ser experimentada somente
em meio a uma luta sem tréguas contra o mal. E, para ela, a força do Senhor e a
a armadura de Deus são indispensáveis... Alguns cristãos são tão autoconfiantes
que imaginam que podem defender-se sozinhos sem a força e a armadura do
Senhor.
Outros são tão desconfiados de si mesmos que imaginam que nada têm para
contribuir para a vitória na guerra espiritual. Ambos estão enganados. Paulo
expressa uma combinação apropriada de capacitação divina e cooperação
humana: o poder realmente é do Senhor, e sem a força do Seu poder falharemos
e cairemos mas, mesmo assim [de forma ativa] precisamos nos fortalecer Nele e
na Sua força” (J.Stott)

ciladas do diabo

Ao ler o Antigo Testamento você verá que quase todos os santos, profetas,
patriarcas, grandes reis de Israel, quase todos eles foram derrotados em um
momento ou outro pelo diabo. O único que já derrotou o diabo de forma
consistente, não só na vida, mas na morte, é o Senhor Jesus Cristo!

Somos todos absolutamente incapazes de derrotar o diabo por nossas próprias


forças, mas não estamos sem esperança... a Bíblia nos diz que podemos ser
vitoriosos sobre Satanás. "Resisti ao diabo, e ele fugirá de vós", diz Tiago 4:7.
Pense nisso! Este estrategista diabolicamente brilhante, que detém o mundo nas
cadeias por séculos, fugirá quando você estiver alerta às suas ciladas.

O diabo exerce as suas táticas pela mentira, distorção, falsificação e engano para
atrair os seres humanos a sua destruição. Isto é o que Paulo chama de "as
ciladas do diabo." Ele ataca a raça humana tanto direta quanto indiretamente, e
destas duas formas mantém o seu controle em todo o mundo sobre a raça
humana.

ataque direto

O ataque demoníaco direto é o que a Bíblia chama de possessão demoníaca, isto


é, o controle puro e simples de uma personalidade humana pelo poder de um
espírito maligno. Isto também se estende a atividades como adivinhação,
ocultismo, espiritismo, magia negra, vudu, inclusive astrologia. É isto mesmo
estudante, estou me referindo ao horóscopo!

Embora existam muitas fraudes e charlatanismos praticados nestas áreas


enganando as pessoas para obter ganho desonesto, há também os praticantes
de magia negra genuína - e essas pessoas estão ligadas a espíritos demoníacos.

A Bíblia nos adverte contra estas práticas porque qualquer envolvimento com o
reino das trevas é perigoso, podendo abrir caminho, muitas vezes, a possessão
demoníaca definitivas. Ao passo que o nosso mundo se torna mais ateu e
secularizado, estamos percebendo um aumento de manifestação demoníaca
varrendo a nossa cultura. Hoje, a bruxaria e o ocultismo são comumente
considerados “religiões alternativas”, bem ao lado o cristianismo e o judaísmo.
ataque indireto

Certamente a grande maioria dos ataques satânicos contra os cristãos são


indiretos, são armadilhas cheias de desonestidade, engano e subterfúgios. Um
ataque direto do diabo em cima de uma vida humana é uma coisa óbvia, mas
muito mais comum é o ataque astuto, sutil, enganoso, quase indetectável, que
nos atinge principalmente através do que a Bíblia chama de "o mundo" e "a
carne". Reveja na Lição 8 o que aprendemos em Efésios 2:1-3 a este respeito.

O melhor antídoto à influência venenosa do mundo é imergir nossas mentes na


Palavra de Deus. Ao invés de ficar em frente à televisão durante duas ou três
horas todas as noites (e absorver valores e crenças do mundo), deveríamos
gastar tempo na Palavra, tanto em estudo individual, em família e em grupo, e
oração com outros crentes. A mentalidade do mundo é um vírus oportunista que
visa assumir as nossas mentes e emoções, e a Bíblia é a vacina de Deus contra
ele.

Cuidado com o extremismo!

O diabo ainda promove o extremismo em relação à sua própria pessoa


procurando fazer as pessoas (incluindo cristãos)...
s serem extremamente obcecadas com ele, de modo que ficam procurando
continuamente por manifestações demoníacas
s se tornarem tão racionais e céticas de que eles simplesmente eliminam a idéia
de um diabo pessoal, sem nunca investigar os fatos bíblicos e
contemporâneos a sobre ele.

Versículo 12...
“...pois a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e
autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças
espirituais do mal nas regiões celestiais. ”

Em outras palavras, nossa luta não é contra seres humanos. “Os governantes
deste mundo de trevas são dirigidos pelo diabo, quem a Bíblia diz ser um anjo
caído do poder malévolo e astúcia. Essa não é a reivindicação de uma passagem
isolada da Bíblia, mas o ensinamento consistente do começo ao fim, do Gênesis
ao Apocalipse - especialmente em Gênesis e Apocalipse, de fato!” (RayStedman)

Nossa batalha é contra as forças do mal que têm três características: são
poderosos, malignos e astutos. “Odeiam a luz e se retraem diante dela. As trevas
da falsidade e do pecado são sua habitação natural, mas... o mundo invisível em
que eles nos atacam e nós nos defendemos é o próprio mundo em que Cristo
reina e nós reinamos com Cristo. Quando Paulo nos conclama a fazer uso do
poder, da força e fortaleza do Senhor Jesus, usa exatamente o mesmo trio de
palavras que usou em 1:19 com relação à obra de Deus em ressuscitar Jesus
dentre os mortos” (J.Stott)
Versículo 13...
“Por isso, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir no dia mau
e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo. ”

Há épocas na vida em que as pressões são mais intensas, quando os problemas


são mais insolúveis, quando tudo parece vir em cima de nós de uma vez.

Ray Stedman comenta diz que... “Costumamos sempre esperar dias bons e ver
os dias maus como intrusões abusivas em nossas vidas perfeitamente
ordenadas. O fato é que o mal é devido ao pecado, e todo o bem que recebemos
é um dom da graça de Deus, da qual devemos ser continuamente gratos. Em vez
de reclamar sobre os dias maus, devemos reconhecer - com o realismo do
apóstolo Paulo - que a vida é uma luta constante, variando em intensidade ao
longo do tempo, mas que se estende do berço ao túmulo. Essa é a realidade.”

“Cristãos instáveis que não tem os pés firmes em Cristo são uma presa fácil para
o diabo. Paulo deseja ver os cristãos tão fortes e estáveis que permaneçam
firmes até mesmo no dia mau, ou seja, num tempo de pressão especial. Para tal
estabilidade, tanto de caráter como na crise, a armadura de Deus é essencial.”
(J. Stott)

Perguntas mais frequentes...

1. O que fazer frente a uma possessão demoníaca?

Quando os cristãos são confrontados com o que eles suspeitam ser possessão
demoníaca, a única coisa que a Bíblia ensina fazer para ajudar essas pessoas é
orar. A oração é a terapêutica recomendada em qualquer caso deste tipo, e nós
devemos nos ater à oração e nada mais.

2. O cristão pode “amarrar” o poder das trevas?

Alguns cristãos crêem que devem "amarrar" Satanás antes de fazer qualquer
coisa de natureza espiritual. Antes de abrir uma reunião, por exemplo, oram para
“prender” os poderes das trevas daquele lugar. Conheço outros que atribuem
todos os problemas da vida humana a alguma manifestação de atividade
demoníaca.

Não há nenhuma razão no Novo Testamento para tal atitude, vemos que os
apóstolos muito raramente mencionam o ataque direto de Satanás contra os
seres humanos. Em nenhuma passagem você lê que os cristãos são instruídos a
sair por aí “amarrando” os poderes das trevas, nem somos instruídos a ver os
problemas comuns como o resultado das atividades demoníacas. Somente no
final é que Satanás será amarrado de fato (Apoc.20), e até lá tome cuidado,
porque ele anda bramando como leão...
3. Pode um cristão ser possesso por um demônio?

Alguém que é nascido de novo, verdadeiramente convertido, não poderá jamais


ser possuído pelo Demônio, porque nele habita o Espírito Santo, e este não iria
conviver com o espírito maligno no mesmo corpo. Leia Romanos 8:9;16.
No caso de possessão demoníaca há então duas possibilidades:

s se tratar de uma pessoa doente e um bom médico poderia diagnosticar melhor


a situação. É importante notar que os casos de possessão demoníaca bíblica
não estão em conformidade com o padrão clínico de doença mental.

s ser realmente uma possessão demoníaca em uma pessoa que professa


conhecer a Cristo, mas que na verdade nunca passou pelo Novo Nascimento,
não é salva... então é necessário levá-la a Cristo em primeiro lugar.

Em Cristo, Ary
LIÇAO 29

EFÉSIOS 6

ARMADURA EFICAZ

I - A estratégia satânica - vs. 10-13

II - Conhecendo nossas armas - vs. 14-17

É verdade que o diabo nunca pode totalmente derrotar aqueles que são
verdadeiramente do Senhor, que nasceram de novo, que foram salvos por Jesus
Cristo. Estes, o diabo jamais poderá levar de volta para a posição de controle
inconsciente, como ele faz durante o resto do mundo. Sim! Fomos transportados
das trevas para o Reino da Luz, com toda a segurança. Veja Col. 1:13-14.

Mas... o diabo pode desmoralizar os cristãos. Ele pode nos assustar, pode nos
fazer infelizes, pode tornar-nos fracos e ineficazes como instrumentos no
propósito eterno de Deus, pelo menos por um período de tempo. Por este motivo
devemos nos preparar para esta batalha nos blindando por todos os lados, não
deixando nenhuma parte da nossa alma ou espírito expostos ao inimigo,
lembrando que...

“Nossa armadura é feita e fornecida por Deus. No Antigo Testamento é o próprio


Deus que é retratado como um guerreiro lutando para vindicar seu povo:
“Usou a justiça como couraça, pôs na cabeça o capacete da salvação” - Is 59:17
Até hoje as armas e a armadura continuam sendo Dele, mas agora as
compartilha conosco. Temos de vestir a armadura, pegar em armas, e ir à guerra
contra as potestades do mal” (J.Stott)

Vale salientar que Paulo vai usar de linguagem figurada, isto é, a “armadura de
Deus” é apenas uma ilustração, uma metáfora derivada da armadura do soldado
romano que partia fortemente armado para o campo de batalha; e não um
conjunto de equipamentos invisíveis, místicos ou espirituais, que estão à nossa
disposição.

“Alguns cristãos chegam a fazer orações pedindo ao Senhor que lhes entregue
tais equipamentos invisíveis. Outros fazem gestos de “apropriação”, como se
estivessem vestindo sua armadura. Há quem chegue ao extremo de produzir
espadas de plástico para distribuição nos cultos. Sabemos que nada disso faz o
menor sentido.” (AnisioAndrade)
a) armas de defesa - vs. 14-17a

“Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a


couraça da justiça e tendo os pés calçados com a prontidão do evangelho da paz.
Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as
setas inflamadas do Maligno. Usem o capacete da salvação”

O cinto da verdade

’’Usualmente feito de couro, o cinto do soldado pertencia mais à sua roupa de


baixo do que à armadura, mesmo assim era essencial, pois prendia a túnica e
também segurava a espada...além de deixar as pernas livres e prontas para a
ação. Isto é o mesmo que "cingir os lombos", e simboliza uma prontidão para
lutar.

’Alguns comentaristas dizem que a “verdade” significava a revelação de Deus em


Cristo e nas escrituras, outros comentaristas, no entanto, entendem que Paulo
esteja se referindo à verdade no sentido de sinceridade ou integridade” (J Stott).
Quanto a isto, Gurnall escreve: “Uns querem dizer uma verdade de doutrina,
outros querem que seja a verdade do coração, penso que é melhor juntar as
duas... uma não bastará sem a outra”

A couraça da justiça

A couraça cobria o corpo do pescoço até as coxas, e consistia de duas partes


que protegiam a frente e as costas. Quanto ao seu significado, Stott diz...

“Justiça nas cartas de Paulo significa frequentemente “justificação”, ou seja, a


iniciativa graciosa de Deus em fazer com que os pecadores fiquem de bem
consigo através de Cristo. Certamente nenhuma proteção espiritual é maior do
que um relacionamento justo com Deus (Rm 8:1;33-34), e é uma forte couraça
para nos proteger contra as acusações satânicas. Por outro lado, em II Cor 6:7 e
em Ef 4:24 e 5:9, Paulo usou a mesma palavra no sentido de justiça moral. Desta
forma, a couraça do cristão pode ser a justiça de caráter e conduta, retidão.”

Podemos então combinar os dois sentidos, visto que um deles invariavelmente


leva ao outro. Como G. Findlay expressa: “A qualidade completa do perdão para
delitos passados e a integridade de caráter que pertencem à vida justificada
estão tecidas juntas numa malha impenetrável.”

Pés calçados com a prontidão do evangelho da paz

Feitas de couro, as sandálias equipavam o soldado “para marchas longas e para


tomar posição firme... embora não impedissem a sua mobilidade, evitavam que o
pé deslizasse” (Barth)
Stott nos explica que por uma questão gramatical, pode haver dois significados:
“Uma certa firmeza ou qualidade inabalável que o evangelho dá àqueles que nele
crêem ou o entusiasmo para anunciar as boas notícias de paz. De qualquer
maneira, o diabo odeia o evangelho por ser o poder de Deus para salvar as
pessoas da sua tirania”

O escudo da fé

“O escudo romano era grande o suficiente para cobrir o corpo todo; era feito de
madeira, coberto de pele de animal fixado com ferro no topo e na base. Quando
mergulhado em água antes da batalha, podia apagar as flechas incendiárias, às
quais se ateava fogo depois de mergulhadas em piche.” (B.deEstudodeGenebra)

Quais são então as “setas inflamados do maligno“ de que Paulo fala?


Segundo Ray Stedman, estas podem ser reconhecidas por duas características:

1. Parecem surgir de nossos próprios pensamentos, dentro de nós, então


dizemos: "Que pensamento chocante! Como pode haver uma coisa dessas na
minha mente?" Mas é realmente o diabo sussurrando para nós, tentando nos
influenciar, sob a forma de angústia mental, tensão emocional, confusão e
tensão, lascívia, cobiça, vaidade, orgulho, etc. É importante que reconheçamos a
fonte de tais pensamentos.

2. Parecem sempre atacar a nossa posição em Cristo, insinuando dúvidas sobre


a realidade ou a confiabilidade de nosso relacionamento com Deus. Leia a Bíblia
do começo ao fim e você verá esta estratégia satânica todo o tempo.

Usar o escudo da fé é se recusar a acreditar na mentira do diabo e refugiar-se na


verdade de Deus - é isto é o que a Bíblia chama de resistir ao diabo (Tiago 4:7) -
e então ele fugirá de você! Resista aos pensamentos malignos quando eles
surgirem em seu caminho, se recuse a ceder, e mais cedo ou mais tarde esses
pensamentos vão se esclarecer, seus sentimentos vão mudar, os ataques vão
cessar.

O capacete da salvação

O capacete do soldado romano era feito de ferro ou bronze, além de um forro de


feltro ou esponja a fim de tornar seu peso tolerável.

Paulo não está falando aqui sobre a salvação da alma, não está se referindo à
salvação como regeneração ou conversão. Ele está falando de uma salvação que
é um evento futuro, e é a isto que ele se refere também em outras passagens,
especialmente Romanos 8:18-25... “É a expectativa confiante da plena salvação
no último dia (inclusive a glória da ressurreição e a semelhança a Cristo no céu),
não há dúvida de que o poder salvador de Deus é a nossa única defesa contra o
inimigo das nossas almas.” (J.Stott)
b) arma de defesa e ataque - v. 17b
“a espada do Espírito, que é a palavra de Deus.”

Paulo se refere aqui a uma espada curta usada pelo soldado num ataque pessoal
bem próximo.

“Ainda hoje a espada é de Deus porque o Espírito ainda a emprega para cortar as
defesas das pessoas, ferir suas consciências e despertá-las espiritualmente com
sua ação penetrante. Mesmo assim, o Senhor também coloca a Sua espada em
nossas mãos, de modo que a possamos usar não somente para resistir à
tentação (conforme Jesus fez) mas também na evangelização.”(J.Stott)

Ray Stedman salienta que Paulo aqui não se refere à Bíblia completa, que
chamamos comumente de "a Palavra de Deus"; mas que ao empregar a palavra
grega “rhema” o apóstolo tem em mente uma determinada palavra de Deus, uma
passagem ou um versículo que tem aplicação especial para uma situação
imediata. Em outras palavras, “rhema” é a palavra de Deus aplicada a nossa
experiência prática.

Estudante, alguma vez você já...


s ouviu ou leu uma passagem da Bíblia e pensou: "Deus está falando
diretamente para mim!" ?
s ao ter um pensamente maligno veio em sua mente um versículo para exortá-lo
ou encorajá-lo a permanecer firme?
Esta é uma resposta do Espírito para o ataque do diabo, que vem para nos
desencorajar, enganar e derrotar. Isso é a Palavra de Deus aplicada
especificamente em sua vida e em uma situação específica.

Obviamente, quanto mais você se expor as Escrituras, mais o Espírito poderá


usar essa espada poderosa em sua vida. Se você nunca lê ou estuda a sua
Bíblia, está terrivelmente exposto à derrota.

Atenção! Um texto fora de contexto torna-se um pretexto para o erro!

Não é suficiente alguém citar um versículo da Bíblia para você, surgir um texto
em sua mente ou abrir aleatoriamente a Bíblia numa página qualquer. Em todas
as situações compare o versículo/texto com a Bíblia e veja se significado foi
distorcido por isolá-lo do restante da Palavra de Deus. A espada do Espírito é
uma arma poderosa. Use-a sabiamente, com cuidado, e em oração.

Existem dois “métodos” de estudo da Bíblia:

s Estudo Indutivo: a partir do que a bíblia diz claramente, aplica-se as suas


verdades ao homem e sua vida. Há muitas coisas que não são claras.
Veja Deut. 29:29.
S Estudo Dedutivo: a partir do homem e sua vida, parte-se para “encontrar” na
Bíblia algo que o justifique, ou explique seu comportamento - e isto é muito
perigoso!

Leia a Bíblia sempre que possível em mais de uma versão, isto amplia o nosso
entendimento, e... mais importante que tudo o mais.... leia em oração, para que
Deus dê sabedoria e discernimento para entender a Sua Palavra.

Em Cristo, Ary
LIÇÃO 30

\ií Estudantes Dedicados

Antes de entrarmos nesta última lição, ^ ___________


quero que todos os alunos saibam que
tanto a realização do curso de Efésios, quanto o de Romanos,
só foi possível pela grande, incalculável e graciosa ajuda da
minha dedicada e brilhante secretária, ANDRÉA, que no meio de
muitas lutas e provações levou esta tarefa até o fim.

Andréa, que Deus a recompense. Hebreus 6:10. Abraço, Ary Velloso.

EFÉSIOS 6

ARMADURA EFICAZ

I - A estratégia satânica - vs. 10-13


II - Conhecendo nossas armas - vs. 14-17

III - Combatendo de joelhos - vs. 18-20

Finalmente, Paulo acrescenta a oração que deve permear toda a nossa guerra
espiritual... “Equipar-nos com a armadura de Deus não é uma operação
mecânica, pois é em si mesma uma expressão da nossa dependência a Deus,
isto é, denota a necessidade da oração.” (J.Stott)

a) oração no Espírito - v. 18a


“Orem no Espírito”

A “oração no Espírito” é induzida e guiada por Ele, assim como a Palavra de


Deus é “a espada do Espírito” que ele mesmo emprega. Deste modo as
escrituras e a oração permanecem juntas como as duas armas principais que o
Espírito coloca em nossas mãos” (J.Stott)

Este é um ponto de grande mal-entendido sobre a oração, pois muitos entendem


erroneamente o que é “orar no Espírito” e pensam ser necessário emoção para
que a oração seja eficaz. Certamente a oração muitas vezes envolve nossas
emoções em um nível profundo, mas não é o emocionalismo na oração a “chave”
para torná-la eficaz.

Orar no Espírito significa orar de acordo com as promessas refletidas no caráter


de Deus que o Espírito nos deu a conhecer explicitamente na Bíblia.
Deus responde a estas orações sempre e sem parcialidade, Ele não faz acepção
de pessoas no que tange à oração. No âmbito das nossas necessidades
pessoais, isto é, sabedoria, força, paciência, graça ou força, Deus promete
responder às nossas orações.

b) os quatro “todos” da oração - v.18b


“Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso
em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos”

s devemos orar em todo tempo


(tanto regular quanto constantemente)
s com toda oração e súplica
(porque são necessárias muitas formas variadas)
s com toda a perseverança
(porque precisamos, como bons soldados, ficar vigiando, nunca esmorecendo
nem adormecendo)
s fazendo súplica por todos os santos
(já que a unidade da nova sociedade de Deus, que tem sido a preocupação
constante nesta carta de Efésios, deve ser refletida em nossas orações)

“A maioria dos cristãos ora alguma vez, e com algum grau de perseverança, por
alguns dentre o povo de Deus. Mas substituir “alguns” por “todos” em cada uma
destas expressões seria introduzir-nos em uma nova dimensão de oração” (J.Stott)

c) intercessão - vs.19-20
“Orem também por mim, para que, quando eu falar, seja-me dada a mensagem a
fim de que, destemidamente, torne conhecido o mistério do evangelho, pelo qual
sou embaixador preso em correntes. Orem para que, permanecendo nele, eu fale
com coragem, como me cumpre fazer. ”

Ray Stedman nos lembra que... “a oração não é apenas algo que fazemos por
nós mesmos, precisamos apoiar os outros na batalha espiritual. Nós não estamos
sozinhos nesta batalha de dúvida, medo, confusão, ansiedade e tentação, assim
temos de lutar esta batalha juntos em oração. É claro que não podemos vestir a
armadura de Deus por outras pessoas, mas podemos orar por elas. Podemos
chamar reforços quando nossos irmãos ou irmãs são atacados pelo inimigo.”

“Paulo era suficientemente sábio para saber da sua própria necessidade de força
para ficar firme contra o inimigo, e era também suficientemente humilde para
pedir que seus amigos orassem com ele e por ele. As forças das quais precisava
não eram apenas para a sua confrontação pessoal com o diabo, mas sim para o
seu ministério evangelístico pelo qual procurava libertar as pessoas do domínio di
diabo...
...Esta tinha sido parte da sua comissão original quando o Senhor Jesus
ressurreto o mandou converter as pessoas “das trevas para a luz e da potestade
de Satanás para Deus” (Atos 26:18). Daí o conflito espiritual do qual Paulo tinha
consciência.” (J.Stott)

Stott continua... “O que mais preocupava Paulo não era que seus pulsos fossem
libertos das cadeias, mas que a sua boca fosse aberta em testemunho. Não que
ele fosse liberto, mas sim que o evangelho viesse a ser difundido livremente e
sem impedimento. É por isto, pois, que ele orou, e que pediu que os efésios
orassem também. Contra esta oração, os principados e potestades não teriam
qualquer poder”

IV - Conclusão - vs. 21 -24

Paulo deu aos crentes de Éfeso uma mensagem poderosa sobre a prática da
vida cristã, concluindo com um apelo às armas e um desafio para se preparar
para a maior batalha da história. Então ele encerra a carta com algumas notas
pessoais para seus amigos queridos que lá moravam...

Versículo 21-22...
“Tíquico, o irmão amado e fiel servo do Senhor, lhes informará tudo, para que
vocês também saibam qual é a minha situação e o que estou fazendo. Enviei-o a
vocês por essa mesma razão, para que saibam como estamos e para que ele os
encoraje.

“O que fica claro, tenha sido Tíquico escriba de Paulo, ou não, é que Paulo confia
a carta de Efésios a ele para ser entregue juntamente com a carta aos
Colossensses. (Col. 4:7-8). É evidente, então, que o apóstolo tem completa
confiança no seu colega mais jovem.” (J.Stott)

Versículo 23-24...
“Paz seja com os irmãos, e amor com fé da parte de Deus Pai e do Senhor Jesus
Cristo. A graça seja com todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo com
amor incorruptível. ”

O apóstolo começou a carta desejando aos seus leitores “graça e paz”, agora
termina-a com uma referência semelhante à graça e à paz. Nenhuma dupla de
palavras poderia resumir de modo mais sucinto a mensagem da carta aos
Efésios.

Confinado pelo imperador romano, mas considerando-se um prisioneiro de Jesus


Cristo, Paulo estava vivendo em prisão domiciliar, dia e noite, acorrentado a um
soldado. Tudo o que ele podia fazer era escrever cartas - mas que cartas, hein!
A carta aos Efésios foi distribuída ao redor da Ásia Menor e mais além... foi
copiada e reproduzida, lida de igreja em igreja. Em última instância, foi proferida a
você e a mim! Através de Efésios e outras cartas que escreveu, o ministério de
Paulo irradiava para fora daquele quarto abafado em Roma, e repercutiu por todo
o mundo e através dos tempos.

s O que estava por trás do ministério deste poderoso apóstolo?


s Por que tem perdurado dois mil anos?
s O que lhe abria as portas e dava acesso inclusive ao trono do imperador
César?

Paulo diria que era por causa das orações dos cristãos em favor dele.

Como já estudamos, a vida é uma batalha e Paulo vê a oração como uma


maneira da lutar nesse combate. Ela é uma grande arma que pode fechar portas
e abrir outras, remover obstáculos, suportar a pressão e forças tremendas, além
de levantar pessoas e sustentá-las em pé!

Estudante! Minha oração por você é nada menos do que a oração de Paulo por
seus irmãos e irmãs de Éfeso: “Paz seja com os irmãos e a graça seja com
todos”

SOLI DEO GLORIA

Estudante Dedicado

Sou grato à Deus pelo privilégio de ter sido um instrumento Dele em sua
vida! Foi um grande prazer direcioná-lo neste estudo esmiuçado do livro de
Efésios, meu desejo é que esta experiência o estimule a continuar neste
infindável deleite na Palavra do Senhor.

Não sei se você se lembra, mas quando o convidei para esta jornada, avisei
que: “É impossível estudar Efésios e ser a mesma pessoa!”
Você concorda?!

Então compartilhe conosco seu testemunho através do e-mail


efesios@ ibmorumbi.com.br

Minha oração é que sua vida tenha sido transformada, e que você seja uma
testemunha viva de Jesus Cristo aonde quer que vá!

Terminamos por aqui,


antes porém...
TESTE FINAL
(não me envie pois não haverá correção ou gabarito)

I - PARTE TEÓRICA (responda sem consultar a Bíblia ou lições anteriores)

A. Complete

Efésios foi escrita p o r_______________ enquanto estava preso em


no ano d e ______________ .
Sua mensagem central é “para o louvor d a _____________________ ”

(0,5 para cada resposta certa. Total = 2).

B. Cite os capítulos relacionados seguindo o exemplo...


Capítulo 4: Nossa vocação
Capítulo Somos “selados em Cristo”
Capítulo Jesus o nosso Redentor
Capítulo “pedra angular” ou “pedra da esquina”
Capítulo A igreja - noiva de Cristo
Capítulo Deus nos escolheu
Capítulo Armadura de Deus
Capítulo Marido modelo
Capítulo O “mistério de Cristo”
Capítulo Unidade dos crentes
Capítulo Diversidade de dons
Capítulo Andar na luz
Capítulo Vida no lar
Capítulo Largura, comprimento, altura e profundidade
Capítulo Analogia do vinho
Capítulo Bênçãos espirituais
Capítulo Analogia do corpo
Capítulo Pais e filhos
Capítulo Nova vida em Cristo
Capítulo Salvação é pela graça
Capítulo “Vivam como filhos da luz”

(0,2d para cada resposta certa. Total = d).

C. Sintetize numa frase o tema central de...

Capítulos 1 a 3 - ______________________
Capítulos 4 a 6 - ______________________

(0,75 para cada resposta certa. Total = 1,5)


D. Defina sem consultar o dicionário.

1. Vocação

2. Reconciliação

3. Submissão

4. Redenção

5. Mistério

(0,3 para cada resposta certa. Total = 1,5).

Como você se saiu?


Será que precisa estudar mais?!

Quem sabe você irá ensinar Efésios muitas e muitas vezes...


Não diga como Moises: “Quem sou eu?!”

II - PARTE PRÁTICA

Esta, dedicado estudante, é entre você e Deus!

Em Cristo, Ary Velloso

Você deseja participar do Estudo de Romanos?


Inscreva-se através do link http://www.ibmorumbi.com.br/romanos/ Participe!