Você está na página 1de 4

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Centro de Ciências Exatas e da Terra


Departamento de Física Teórica e Experimental
Laboratório de Mecânica

Relatório 3: Determinação da Aceleração da


Gravidade Local

Nathane Vitória de Lima e Souza


Natal, 2019
1. Introdução

O presente trabalho tem como objetivo descrever e analisar o experimento


realizado para determinar a gravidade local, através de cálculos prévios, como:
desvio padrão, média de cálculos e diversas coletas de dados experimentais.
Esse procedimento experimental (determinação da aceleração da gravidade
local), possibilitou que nós, discentes, pudéssemos compreender a importância
dos modelos científicos. Além disso, também foi possível aplicar os
conhecimentos adquiridos anteriormente, sobre erros experimentais, à uma
situação real. Os objetivos do procedimento foram os seguintes: analisar uma
situação onde uma partícula realiza movimento retilíneo, com aceleração
constante, e determinar experimentalmente a aceleração da gravidade através
da altura de queda de uma esfera de aço e seu respectivo tempo de queda.
Ademais, o desvio padrão e o erro relativo foram calculados, para que as
medidas pudessem ser verificadas.

2. Movimento Retilíneo Uniformemente Variado


O modelo analisado durante a aula descrevia a queda de um objeto de massa
m percorrendo uma altura h. O Sensor Phywe em conjunto com o programa
Measure calcularam o tempo de queda t deste corpo. É importante lembrar que
o movimento feito pela esfera foi uniformemente acelerado (sem variação na
aceleração) e a resistência do ar foi desprezada. A primeira parte da teoria
consistiu em calcular o valor de g para este corpo, sabendo-se sua altura h.
Conhecendo a equação (1), mostrada abaixo, é possível deduzir que: se a altura
final e a velocidade inicial forem iguais à zero e a aceleração da gravidade for
–g (devido ao referencial adotado), é possível usar a equação (2) para
determinar o valor de g.
𝑎𝑦𝑡 2
𝑌 = 𝑌0 + 𝑉0𝑡 + (1)
2

1
0 = ℎ + 0 – 𝑔𝑡𝑞2
2
2ℎ
𝑔= (2)
𝑡2

3. Procedimento Experimental
Com o computador ligado, foi aberto o programa Measure. Esse
software ́é capaz de calcular o tempo de queda do objeto de massa m,
percorrendo uma altura h, inserido no aparato;
Em seguida, mediu-se a altura do gatilho, com o auxílio de uma régua;
Para cada altura, os seguintes passos foram repetidos: a esfera de aço
foi inserida no gatilho e solta através do liberador, dez vezes. Os intervalos
de tempo da queda foram dados pelo Measure e registrados em uma planilha,
para que fosse analisados posteriormente;
Em seguida, os valores da gravidade para cada tempo, em função das
suas respectivas alturas, foram calculados, utilizando a equação (2);
Após esse cálculo, as médias do valor de g, para cada altura, foram
obtidas, através da equação (3):
∑𝑛
𝑖=1 𝑥𝑖
𝑥= (3)
𝑛
Utilizando as médias, os desvios-padrão, em cada altura, foram
determinados, a partir da equação (4):

∑𝑛
𝑖=1(𝑥𝑖 −𝑥)
2
𝜎=√ (4)
𝑛−1

Por fim, os valores das médias de g foram somadas aos seus respectivos
desvios-padrão, para que o resultado pudesse ser expressado da seguinte
forma:

𝑔 = 𝑔 ± 𝜎𝑔 (5)

3.1 Material Utilizado


Encontram-se abaixo a imagem do aparato utilizado no experimento e a lista
de todos os materiais necessários para a prática.

(1) Régua;
(2) Fios Diversos;
(3) Sensor Phywe (Basic Unit/Phywe—Cobra3);
(4) Sensor de chegada da esfera (receptáculo);
(5) Esfera de aço;
(6) Liberador da esfera de aço;
(7) Gatilho da queda livre;
(8) Tripé e suporte;
(9) Computador - não mostrado na figura.

4. Resultados e Discussão
Segue abaixo a tabela com os dados obtidos durante o experimento.
5. Conclusão
6. Referências Bibliográficas

1- TAKEYA, Mário; MOREIRA, José A. Apostila de Física Experimental I.


Natal; UFRN/DFTE, 2010. Disponível em:
http://dfte.ufrn.br/arquivos/apostilas/fis0315.pdf. Acesso em: 37/08/2019.