Você está na página 1de 47

O galo que logrou a raposa

Um velho galo matreiro, percebendo a aproximação da raposa, empoleirou-se numa árvore. A raposa,
desapontada, murmurou consigo: “...Deixa estar, seu malandro, que já te curo!...” E em voz alta:
-Amigo, venho contar uma grande novidade: acabou-se a guerra entre os animais. Lobo e cordeiro, gavião e
pinto, onça e veado, raposa e galinha, todos os bichos andam agora aos beijos, como namorados. Desça
desses poleiros e venha receber o meu abraço de paz e amor.
-Muito bem! –exclamou o galo. Não imagina como tal notícia me alegra! Que beleza vai ficar o mundo, limpo
de guerras, crueldades e traições! Vou já descer para abraçar a amiga raposa, mas... como lá vem vindo três
cachorros, acho bom esperá-los, para que eles também tomem parte da confraternização.
Ao ouvir falar em cachorros, dona raposa não quis saber de histórias, e tratou de pôr-se a fresco, dizendo:
- Infelizmente, amigos Có-ri-có-có, tenho pressa e não posso esperar pelos amigos cães. Fica para outra vez a
festa, sim? Até logo.
E rapou-se.
Com esperteza, - esperteza e meia.

1. Na frase: “ E rapou-se”. Entende-se que o personagem:


a) Foi embora devagar.
b) Saiu correndo.
c) Raspou a mesa.
d) Sentou-se.

2. O tema do texto é:
a) O galo que recebeu a raposa.
b) O galo que logrou a raposa.
c) O galo que casou com a raposa.
d) O galo que bicou a raposa.

3. Para fugir da raposa, o galo foi empoleirar-se:


a) Em um galho quebrado.
b) Em um tronco.
c) Em uma árvore.
d) Em uma parreira.

4. Por que a raposa resolveu desistir da confraternização com o galo?


a) A raposa ficou com medo do galo.
b) A raposa lembrou que tinha outro compromisso.
c) A raposa tem medo de cachorros
d) A raposa ficou com raiva do galo.

6. Qual a opinião do autor desse texto a respeito da raposa é:


a) Um animal dorminhoco.
b) Um animal preguiçoso.
c) Um animal lento.
d) Um animal esperto.

7. Qual é o gênero textual apresentado?


a) Fábula.
b) Receita.
c) Carta.
d) Convite.

8. Qual a finalidade desse texto?


a) Dar uma idéia.
b) Dar os parabéns.
c) Dar uma lição de moral.
d) Dar uma informação.
9. De acordo com a imagem, o galo demonstra:
a) Acreditar na proposta da raposa.
b) Não acreditar na proposta da raposa.
c) Que ele já estava lá quando a raposa apareceu.
d) Que ele vai descer para abraçá-la.

11. Qual foi o motivo pelo qual o galo recebeu a raposa, empoleirado?
a) Para ficar mais imponente.
b) Para se sentir seguro.
c) Para cantar mais alto.
d) Para bicar os frutos da árvore.

16.Por quem e contado essa historia?


a) Pelo galo.
b) Pela raposa.
c) Pela raposa e o galo.
d) Pelo narrador.
Propaganda

(Nova. Junho de 2003)

1-qual o gênero do texto que você leu?

2-Para que serve as propagandas?

3-qual o animal usada nessa propaganda?

4- O que rende tanto nessa propaganda?

5- qual o produto anunciada nessa propaganda?

6-Na frase Rende tanto que só fome de elefante para dar conta, a expressão grifada significa que o
molho de tomate

(A) dá para fazer muitos pratos.


(B) é muito saboroso.
(C) tem um sabor muito forte.
(D) pode ser usado em qualquer receita.

7. Observando imagem e texto da propaganda, pode-se afirmar que o molho de tomate pode ser usado

(A) apenas em macarrão.


(B) em poucos pratos.
(C) apenas em carnes.
(D) em diversas receitas.

8- O objetivo dessa propaganda é

(A) incentivar as pessoas a se alimentarem melhor.


(B) aumentar o consumo de massas.
(C) vender molho de tomate.
(D) vender gibis da Turma da Mônica.
Sem casa

Tem gente que não tem casa,


mora ao léu, debaixo da ponte.
No céu a lua espia
Esse monte de gente na rua,
Como se fosse papel
Gente tem que ter onde morar,
Um canto, um quarto, uma cama
Para no fim do dia guardar o corpo
Cansado, com carinho, com cuidado,
Porque o corpo é a casa dos pensamentos.

(MURRAY, Roseana. Casas. São Paulo: Formato Editorial)

1-qual o gênero do texto que voceleu?


2- Para que serve os poemas?
3- Qual o titulo do poema?
4. O texto trata de gente que

(A) gosta de morar na rua.


(B) mora em um só quarto.
(C) não gosta de palácio.
(D) não tem onde morar.

5. O trecho “um canto, um quarto, uma cama” (linha 07) (A) uma casa bonita.
(B) um lugar para morar.
(C) uma casa grande.
(D) um lugar para visitar.

6=. De acordo com a seqüência do texto, guardar o corpo é o mesmo que

(A) empacotar o corpo.


(B) descansar o corpo.
(C) esconder o corpo.
(D) acarinhar o corpo.

7-O que significa morar ao leu?

8-Segundo o poema o que é considerado a casa dos pensamentos?

9- Você conhece alguém que não tem onde morar?

Você gosta da casa onde vocêmora? Por que?


Sou eu que vou seguir você
Do primeiro rabisco até o bê-a-bá
Em todos os desenhos coloridos vou estar
A casa, a montanha, duas nuvens no céu
E um sol a sorrir no papel.

Sou eu que vou ser seu colega


Seus problemas ajudar a resolver
Te acompanhar nas provas bimestrais você vai ver
Serei de você confidente fiel
Se seu pranto molhar meu papel.

Sou eu que vou ser seu amigo


Vou lhe dar abrigo se você quiser
Quando surgirem seus primeiros raios de mulher
A vida se abrirá num feroz carrossel
E você vai rasgar meu papel.

O que está escrito em mim, comigo


Ficará guardado se lhe dá prazer
A vida segue sempre em frente, o que se há de fazer
Só peço a você um favor, se puder
Não me esqueça num canto qualquer.

Toquinho e Mutinho
1- O texto que você é ?
2. O caderno do texto é:
( ) um diário
( ) um caderno de aulas

3. Por que o caderno “sofre” nas provas bimestrais com o dono?


4. “Seus primeiros raios de mulher”. Isso se diz quando a menina:
( ) começa a se pintar
( ) começa a sentir mudanças no corpo
( ) passa dos dez anos
( ) começa a tingir os cabelos com reflexos dourados
5. Por que você acha que o caderno pede para não ser esquecido num canto qualquer? Será
que acontece isso? Você tem seus cadernos dos primeiros anos escolares?

6. Narrador é quem conta uma história. No texto, quem é o narrador?


7- O que significa ser confidente?
8. Para você, como o caderno pode ser um confidente fiel?

9. Muitas pessoas tem diário, que é um caderno especial para registrar alguns fatos da vida de cada um. Você tem diário? O que
você escreve nele?
O PRIMEIRO PELO

Elias, aquele pedacinho de gente, com a cara mais atrevida deste mundo, plantou-se diante do pai, que lia o jornal.
- Pai, eu já sou um homem!
Como o pai não desse sinal de ter ouvido, repetiu:
- Pai, eu já sou um homem!
- Você sempre foi, meu filho. Desde que nasceu – respondeu, afinal o pai.
- Isso eu sei. Quero dizer, agora já sou grande.
- Não me parece que você tenha crescido muito de ontem para hoje ... – disse o pai, olhando o garoto de alto a baixo.
- É que eu sou ... eu sou ...
- Já sei. Você quer dizer que se tornou adulto.
- É, é isso mesmo.
- E por que o senhor meu filho acha que se tornou adulto de ontem para hoje?
- O senhor está vendo aqui? – E apontava um pontinho preto no queixo. – Está vendo?
- Não vejo nada. Venha mais perto. Ahnn! Será que estou vendo um pelinho aí?
- É o meu fio de barba, pai. Eu já sou um homem.
- Ora, meu filho! É apenas um fio, e um fio não faz uma barba toda. Aliás, lembra-se de sua avó, minha mãe? A vovó
tinha uma verruguinha no queixo e três fios de barba. Veja bem: três fios. Nem por isso ela dizia que era homem!
- Mas eu já sou um adul... Isso que o senhor disse. Por isso, preciso de aumento de mesada, quero chegar tarde em
casa e levar a chave da porta.
- É uma pena, é uma pena ... lamentou o pai, balançando a cabeça.
- Pena porque ia dar-lhe um presente agora que você completa doze anos. Mas ... Preciso mudar de presente.
- Mudar, pai?
- Claro, quando você era menino, ia ganhar uma bicicleta dessas que você sempre quis. Mas, sendo um homem, vou
dar a você um aparelho de barba.
O garoto apoiou-se num pé, depois no outro, profundamente pensativo. Ah! Ia perder aquela sonhada bicicleta!
Resolveu:
- Pai, vamos fazer uma coisa. Eu deixo pra ficar homem mais tarde e o senhor me dá a bicicleta, certo?
- Certo – concordou o pai. – E peça à sua mãe para tirar esse pelinho daí com uma pinça. Não fica bem um menino
com barba de homem.

Mário Donato
1) O texto conta uma conversa entre duas pessoas. Quais são elas?

2) Para afirmar que já é um homem, Elias dirige-se ao pai com segurança, com humildade ou com medo?
3) Ao responder que o filho era homem desde que nasceu, o pai referia a que?

4) Por que Elias achava que já era adulto?

5) O fato de ser adulto, segundo Elias, dava-lhe alguns direitos. Quais?

6) Por que Elias resolveu “deixar para ficar homem mais tarde”?

7-Elias achava que já era adulto porque tinha nascido um pelinho de barba. E para você, o que é ser adulto?

8-O que você pensa dos adultos? O que eles fazem que lhe agrada? O que eles fazem que não lhe agrada?

9) Você tem vontade de ser adulto? Por quê?

10- quando Elias foi procurar seu pai o que ele estava lendo?

11- Para que serve os jornais?

12- Quantos anos Elias tem?


O porquinho feio

Era uma vez uma mamãe pata que tinha cinco filhotes. Quatro deles eram os patinhos mais lindinhos, fofinhos
e amarelinhos que você pode imaginar.
Mas o quinto era cor de rosa, tinha focinho e um rabinho enrolado.
“Ele é muito crescido para a sua idade”, pensava mamãe pata. “Será que ele é um filhote de peru como todos
dizem?”
Mamãe pata levou seus filhotes para a aula de natação no lago. Todos os patinhos pularam logo na água, até o
cor de rosa, apesar de ele não nadar tão bem como seus irmãos.
“Bem, aquele patinho com certeza não é um peru!”, pensou sua mãe.
No dia seguinte, chegou a hora de grasnar. Mamãe pata soltou um QUAC e cada um de seus filhotes a imitou.
Mas, quando chegou a vez do patinho cor de rosa, no lugar de QUAC, ouviu-se ÓINC!
―Ele não é um pato! –gritaram todos. ―Ele é um porquinho feio, e não pertence ao nosso meio!
E, assim dizendo, enxotaram o porquinho dali.
Cansado, faminto e abandonado, o porquinho feio vagou durante vários dias em busca de um novo lar.
Mas nem o passarinho lhe dava atenção.
―Suma daqui, seu porquinho feio! – gritavam, assim que o viam.
Um dia, o porquinho feio chegou a uma fazenda, e viu alguns porcos.
Aproximando deles falou:
― Eu sei que sou um porquinho feio, mas será que posso ficar aqui, morando com vocês?
― Um porquinho feio?! – eles exclamaram.
―Você é o porco mais lindo que já vimos!
E, daquele dia em diante, ele viveu feliz para sempre.

(Sugald Steer – São Paulo: Brinque-Book,1999)

Interpretação do texto

1 – Quem são os personagens da história?


2- Quantos filhotes mamãe pata tinha?
3-O texto que você leu e?
4-Como a mamãe pata descobriu que aquele animal não era seu filho?
5-O que os animal fizeram quando descobriram que aquele aniamlnao era seu irmão?
6- o que significa enxotar?
7 Qual foi a primeira lição que a mamãe pata ensinou a seus filhotes?
8-Quando foi que a mamãe pata descobriu que o porquinho não era um pato?Por quê?
9– O que a mamãe e os patinhos fizeram co o porquinho depois da descoberta?
( ) Ensinaram o porquinho a ser como um pato.
( ) Mandaram o porquinho embora.

10 – Quanto tempo o porquinho vagou à procura de um novo lar?


11– Em que momento da história o porquinho conseguiu ser feliz?
12- o que você achou da atitude dos patinhos em relação ao porquinho?
13- o porquinho conseguiu ser feliz? Como?
14-o que significa descriminar alguém?
15- Você já se sentiu descriminado alguma vez?
Sua casa ficava no pé da roseira azul, e era muito arrumadinha.

No inverno fez tanto frio, mas tanto frio, que a minhoquinha fechou as portas e as
janelas da casa e foi pra caminha.

Cobriu-se com todos os cobertores que tinha e ficou tão quentinha, mas tão quentinha,
que acabou dormindo o inverno inteiro.

Foi-se o inverno e veio a primavera. As flores do jardim se abriram para o sol e a vida
ficou mais feliz. As abelhas vieram colher o pólen das flores. As formigas saíram do
formigueiro para pegar folhas verdinhas. Os passarinhos cantavam nas árvores e
faziam seus ninhos.

Foi quando Titi, o beija-flor, sentiu falta da minhoquinha.

- Onde está a Larissa? – perguntou ele.

Mas ninguém tinha visto ainda a minhoquinha nessa primavera.

Titi foi até a casa dela e viu portas e janelas fechadas.

Então Titi teve uma idéia: fazer uma serenata para acordar a minhoquinha.

Combinou tudo com os amigos do jardim. O grilo trouxe o violino. A borboleta trouxe a
trombeta. O castor trouxe o tambor. E o beija-flor cantou uma linda música.

A minhoquinha acordou, se espreguiçou, saiu da cama e foi ver o que era aquilo.
Quando abriu a janela o sol entrou em sua casa e ela pode ouvir a linda cantoria da
primavera.

Autor: Emílio Carlos

Atividades de Interpretação de texto

1 - Qual é o nome da minhoquinha da história?


2 - Onde ela morava?
3 - O que a minhoquinha fez no inverno?
4 - Quem sentiu a falta da minhoquinha?
5 - Titi, o beija-flor, teve uma grande ideia para acordar a minhoquinha Larissa. Qual
foi?
6 - A ideia de Titi teria dado certo sem a ajuda dos amigos? Por quê?
7 - Quando a minhoquinha acordou, já era que estação do ano?
8 – A minhoquinha Larissa acordou “pode ouvir a linda cantoria da primavera”.

Chapeuzinho Amarelo
Era a Chapeuzinho Amarelo.
Amarelada de medo.
Tinha medo de tudo, aquela Chapeuzinho.
Já não ria.
Em festa, não aparecia.
Não subia escada, nem descia.
Não estava resfriada, mas tossia.
Ouvia conto de fada, e estremecia.
Não brincava mais de nada, nem de amarelinha.
Tinha medo de trovão.
Minhoca, pra ela, era cobra.
E nunca apanhava sol, porque tinha medo da sombra.
Não ia pra fora pra não se sujar.
Não tomava sopa pra não ensopar.
Não tomava banho pra não descolar.
Não falava nada pra não engasgar.
Não ficava em pé com medo de cair.
Então vivia parada, deitada, mas sem dormir, com medo de pesadelo.
Era a Chapeuzinho Amarelo…

Chico Buarque. Chapeuzinho Amarelo.


Rio de Janeiro: José Olympio 1997.

1 – Chapeuzinho Amarelo tinha muito medo.Quais os itens fazem parte de seu medo.
a) Minhoca, sorvete, trovão
b) Sonho, pesadelo, bicicleta
c) Minhoca, trovão, pesadelo
d) Bicicleta, trovão, sorvete

2 – O texto trata de uma menina que:


a) brincava de amarelinha
b) gostava de festas
c) subia e descia escadas
d) tinha medo de tudo

3 – Chapeuzinho Amarelo ouvia conto de fada e estremecia. A palavra estremecia indica que
Chapeuzinho Amarelo:
a) ficava resfriada com a história
b) não dormia pra não fazer xixi na cama
c) tremia de medo com a história
d) dormia a noite inteira porque a história era boa

4 - Hollanda, Chico Buarque de é:


a) o pai da Chapeuzinho Amarelo
b) o avô da Chapeuzinho Amarelo
c) o autor do texto
d) o leitor do texto
5-por que chapeuzinho amarelo tinha medo de ficar em pé?

6-Qual o assunto principal do texto?

7-Por que chapeuzinho amarelo tinha medo deminhoca?

8- E você tem medo de que? Por que?


O PORQUINHO FEIO
ERA UMA VEZ UMA MAMÃE PATA QUE TINHA CINCO FILHOTES. QUATRO DELES ERAM OS
PATINHOS MAIS LINDINHOS, FOFINHOS E AMARELINHOS QUE VOCÊ PODE IMAGINAR.
MAS O QUINTO ERA COR DE ROSA, TINHA FOCINHO E UM RABINHO ENROLADO.
“ELE É MUITO CRESCIDO PARA A SUA IDADE”, PENSAVA MAMÃE PATA. “SERÁ QUE ELE É UM
FILHOTE DE PERU COMO TODOS DIZEM?”
MAMÃE PATA LEVOU SEUS FILHOTES PARA A AULA DE NATAÇÃO NO LAGO. TODOS OS PATINHOS
PULARAM LOGO NA ÁGUA, ATÉ O COR DE ROSA, APESAR DE ELE NÃO NADAR TÃO BEM COMO SEUS
IRMÃOS.
“BEM, AQUELE PATINHO COM CERTEZA NÃO É UM PERU!”, PENSOU SUA MÃE.
NO DIA SEGUINTE, CHEGOU A HORA DE GRASNAR. MAMÃE PATA SOLTOU UM QUAC E CADA UM
DE SEUS FILHOTES A IMITOU.
MAS, QUANDO CHEGOU A VEZ DO PATINHO COR DE ROSA, NO LUGAR DE QUAC, OUVIU-SE ÓINC!
―ELE NÃO É UM PATO! –GRITARAM TODOS. ―ELE É UM PORQUINHO FEIO, E NÃO PERTENCE AO
NOSSO MEIO!
E, ASSIM DIZENDO, ENXOTARAM O PORQUINHO DALI.
CANSADO, FAMINTO E ABANDONADO, O PORQUINHO FEIO VAGOU DURANTE VÁRIOS DIAS EM
BUSCA DE UM NOVO LAR.
MAS NEM O PASSARINHO LHE DAVA ATENÇÃO.
―SUMA DAQUI, SEU PORQUINHO FEIO! – GRITAVAM, ASSIM QUE O VIAM.
UM DIA, O PORQUINHO FEIO CHEGOU A UMA FAZENDA, E VIU ALGUNS PORCOS.
APROXIMANDO DELES FALOU:
― EU SEI QUE SOU UM PORQUINHO FEIO, MAS SERÁ QUE POSSO FICAR AQUI, MORANDO COM
VOCÊS?
― UM PORQUINHO FEIO?! – ELES EXCLAMARAM.
―VOCÊ É O PORCO MAIS LINDO QUE JÁ VIMOS!
E, DAQUELE DIA EM DIANTE, ELE VIVEU FELIZ PARA SEMPRE.
(SUGALD STEER – SÃO PAULO: BRINQUE-BOOK,1999)
INTERPRETAÇÃO DO TEXTO
1 – QUEM SÃO OS PERSONAGENS DA HISTÓRIA?

2 – QUAL FOI A PRIMEIRA LIÇÃO QUE A MAMÃE PATA ENSINOU A SEUS FILHOTES?

3 – QUANDO FOI QUE A MAMÃE PATA DESCOBRIU QUE O PORQUINHO NÃO ERA UM PATO?POR QUÊ?

4 – O QUE A MAMÃE E OS PATINHOS FIZERAM CO O PORQUINHO DEPOIS DA DESCOBERTA? ASSINALE A


RESPOSTA CORRETA:
( ) ENSINARAM O PORQUINHO A SER COMO UM PATO.
( ) MANDARAM O PORQUINHO EMBORA.

5 – QUANTO TEMPO O PORQUINHO VAGOU À PROCURA DE UM NOVO LAR?

6 – EM QUE MOMENTO DA HISTÓRIA O PORQUINHO CONSEGUIU SER FELIZ?

7 – A HISTÓRIA CONTA QUE NEM UM PASSARINHO QUIS LHE DAR ATENÇÃO. COPIE DA HISTÓRIA O QUE O
PASSARINHO DISSE A ELE.
GIRASSOLINA
SERAFINA JÁ TINHA SIDO UM GIRASSOL. E O GIRASSOL SERAFINA, A
GIRASSOLINA, VIROU A CARA PRO SOL. RESOLVEU SE ESTICAR BASTANTE, FICOU
COM O CABO BEEEEEM COMPRIDO E COMEÇOU A GIRAR EM VOLTA DA LUA. O
QUE ELA QUERIA MESMO ERA DAR UM MERGULHO NO MAR DA TRANQÜILIDADE ...
ESTAVA LOUQUINHA PRA VER COMO É QUE ERA ESSE LUGAR QUE DIZIAM
EXISTIR LÁ NA LUA.
SÓ QUE UMA NOITE, A MESMA NUVEM QUE CHOVEU EM GIRAFINA, NÃO
DEIXOU QUE A LUA APARECESSE. E GIRASSOLINA FICOU TATEANDO PERDIDA NA
ESCURIDÃO.
QUANDO O RABO DE UM COMETA, QUE PASSOU POR ELA FEITO UM RAIO,
ARRANCOU UMA DE SUAS PÉTALAS AMARELAS, GIRASSOLINA ACHOU MELHOR
VOLTAR A SER SERAFINA DE NOVO.
(PORTO, CRISTINA.SE...SERÁ,SERAFINA.SÃO PAULO:EDITORA ÁTICA,1987)

1. QUAL É O TÍTULO DO TEXTO?


(A) SE... SERÁ, SERAFINA. (C) GIRASSOLINA
(B) SERAFINICES (D) SERAFINA GIRASSOL
2.PARA QUE GIRASSOLINA VIROU A CARA?
(A) PARA O MAR (C) PRO SOL
(B) PARA A LUA (D) PARA AS ESTRELAS
3.QUAL ALTERNATIVA COMPLETA A FRASE:
RESOLVEU SE ESTICAR BASTANTE, FICOU COM O CABO BEEEEEM COMPRIDO E
COMEÇOU A GIRAR EM VOLTA ...
(A) DA RUA (C) DO SOL
(B) DA LUA (D) DE UM COMETA
4.GIRASSOLINA QUERIA MESMO MERGULHAR NA ONDE?
(A) NO MAR DA ALEGRIA
(C) NO MAR DA TRANQÜILIDADE
(B) NO MAR DA TRISTEZA
(D) NO MAR DO ESQUECIMENTO
5.QUEM ARRANCOU UMA DE SUAS PÉTALAS AMARELAS?
(A) UM FOGUETE (C) UM COMETA
(B) UM ASTRONAUTA (D) UM CIENTISTA
Inferir uma informação implícita em um texto.

O Cachorro e sua Sombra

Um cão que carregava um pedaço de carne roubada na boca estava


atravessando um rio quando viu sua imagem refletida na água.

Então, pensando que estava vendo outro cachorro, ele tentou abocanhar o
reflexo para roubar a carne dele, mas, quando abriu a boca, deixou cair no rio o
pedaço que tinha roubado.
Adaptação da fábula de Esopo.

1-O texto que você leu é ?


2- Para que servem as fabulas?
3-De onde era a carne que o cão levava na boca?
4-O que significa ter aimagem refletida na água?
5-O que o cao viu na agua ? seu reflexo ou outro cão
6-Qual poderia ser a moral dessa história?

( ) A -Quem ama o feio, bonito lhe parece.

( ) B -A pressa é inimiga da perfeição.

( ) C -Quem tudo quer tudo perde.

( ) D -Cachorro velho não aprende truque novo.


O leão e o camundongo

O leão ficou satisfeito depois de uma caçada e foi descansar embaixo de uma sombra de árvore.
O camundongo para escapar do gavião,
escondeu na savana e sem perceber caiu na cabeça do leão.
Muito assustado, o camundongo quis sair dali correndo, mas o leão acordou e o agarrou pelo rabo.
O leão estava pronto para devorá-lo, quando o camundongo implorou:
___ Por favor, senhor rei da floresta, poupe minha vida e um dia irei retribuir.
O leão riu com desprezo e pensou:
___ Como um pobre e pequeno camundongo poderia retribuir sua vida a um leão?
___ Ele é tão fracote!
Resolveu deixá-lo ir quando de repente...
O leão urrou e percebeu que uma armadilha de caça caiu sobre ele. A rede era tão forte que o leão não conseguiu
escapar.
Os urros do leão foram tão altos que o camundongo ouviu de longe. Rapidamente, ao ver o leão preso na rede
começou as cordas e logo salvou o leão.
O leão agradeceu ao camundongo e os dois amigos perceberam que poderiam viver como dois grandes amigos, pois
jamais deveriam desfazer de alguém pela aparência.

1- Responda

a) Qual é o título do texto?


( ) O rato e o leão malvado ( ) O leão e o camundongo

b) Quais são os personagens?


( ) O camundongo e a corda ( ) O camundongo e o leão

c) Onde o leão caiu?


( ) Ele caiu em uma rede ( ) O leão não caiu

d)O texto que você leu e?


A Raposa e o Lenhador

Esopo

Uma raposa era perseguida por uns caçadores, quando viu um lenhador e suplicou que ele a escondesse. O homem
então lhe aconselhou que entrasse em sua cabana.

De imediato chegaram os caçadores, e perguntaram ao lenhador se havia visto a raposa.

Com a voz ele disse que não, mas com sua mão disfarçadamente mostrava onde havia se escondido. Os caçadores não
compreenderam os sinais da mão e se confiaram no que disse com as palavras.

A raposa, ao vê-los irem, saiu sem dizer nada. O lenhador a reprovou porque, apesar de tê-la salvo, não agradecera, ao
que a raposa respondeu:

— Agradeceria se tuas mãos e tua boca tivessem dito o mesmo.

Moral da história: Não negues com teus atos, o que pregas com tuas palavras.

1) O nome da fábula é _

2-qual e o autor da fábula é

2) Os personagens da fábula são

3) O que o homem (lenhador) aconselhou à raposa?

4) Qual foi a pergunta que os caçadores fizeram para o lenhador?

5) O que você entendeu com a moral da história?

6- O homem foi honesto com a raposa? Por que?

7-
O louco e o pingüim

O louco acorda de manhã e encontra um pingüim no quintal. O vizinho do louco, que estava espiando pelo
muro, faz uma sugestão:
- Por que você não leva o pingüim para o zoológico?
- Boa idéia! Vou levar.
No dia seguinte, o vizinho encontra o louco com o pingüim no colo.
- Ué!? Você não levou o pingüim para o zoológico?
- Levei, sim. Hoje vou levá-lo ao parque de diversões e amanhã vamos ao shopping center.

Fonte: “Meu primeiro livro de piadas”; Fizetto, Ângela - Editora Todo livro.

1- Qual o gênero do texto que você Leu?

2- Oque o louco encontrou em seu quintal?

3-- Leia novamente o trecho : “- Por que você não leva o pingüim para o zoológico?”

Ao dizer isso ao louco, o vizinho sugeria que:

(a ) O levasse para passear no zoológico.


(b ) O levasse para ver outros pingüins no zoológico.
(c ) O levasse para ser deixado aos cuidados do zoológico.
(d ) O levasse para brincar com outros animais no zoológico.

4- Por que o vizinho ficou supresso ao encontrar o louco com o pingüim no colo?

(a ) Porque não se coloca pingüim no colo.


(b ) Porque ele não gostou de ir ao zoológico.
(c ) Porque ele não levou o pingüim para passear no zoológico.
(d ) Porque o louco não entendeu o que ele tinha sugerido.

5- A função desse texto é:

(a ) Informar como divertir um animal na cidade.


(b ) Fazer o leitor rir.
(c ) Instruir como cuidar de um pingüim.
(d ) Informar o leitor sobre onde levar um pingüim para passear.
- O lobo e a cabra

Um lobo, tendo visto uma cabra pastando numa montanha escarpada, e como não pudesse
chegar até lá, pediu-lhe que descesse, pois, sem perceber, ela poderia cair de lá de cima.
Disse ainda que o pasto onde ele estava era melhor, que a relva estava florida. Mas a cabra
lhe respondeu : “ Não é em meu benefício que me chamas para o pasto, mas porque tu
próprio estás sem alimento”.

Esopo: Fábulas completas. Tradução, introdução e notas de


Neide Cupertino de Castro Smolka. São Paulo: Moderna, 1994, p. 125.

1- De acordo com o texto, em relação ao lobo, pode-se afirmar que:

( A ) podia chegar até a montanha.


( B ) queria acompanhar a cabra.
( C ) estava sem alimento.
( D ) queria ajudar a cabra.

2– A cabra não atendeu a sugestão do lobo porque:

( A ) fingiu que não ouviu o lobo.


( B ) não concordou que o pasto era melhor.
( C ) percebeu que o lobo falava de uma coisa, mas queria outra.
( D ) ela não conseguiu descer do monte.
O cão e seu reflexo

Um cão estava se sentindo muito orgulhoso de si mesmo. Achara um enorme pedaço de


carne e a levava na boca, pretendendo devorá-lo em paz em algum lugar.

Ele chegou a um rio e começou a cruzar a estreita ponte que o levava para o outro lado. De
repente, parou e olhou para baixo. Na superfície da água, viu seu próprio reflexo brilhando.

O cão não se deu conta que estava olhando para si mesmo. Julgou estar vendo outro cão
com um pedaço de carne na boca.

Opa! Aquele pedaço de carne é maior que o meu, pensou ele. Vou pegá-lo e correr. Dito e
feito. Largou seu pedaço de carne para pegar o que estava na boca do outro cão.

Naturalmente, seu pedaço caiu na água e foi parar bem no fundo, deixando-o sem nada.

MORAL: Quem tudo quer tudo perde.


1- O texto acima é:

( A ) Fábula
( B ) Conto de fadas
( C ) Propaganda
( D ) Notícia

2- O texto foi escrito com o objetivo principal :

( A ) anunciar um produto.
( B ) dar instruções.
( C ) transmitir ensinamento.
( D ) mostrar pesquisa.

3- O texto trata principalmente da:

( A ) coragem do cão.
( B ) fome do cão.
( C ) ambição do cão.
( D ) sabedoria do cão.

4- O cão largou seu pedaço de carne porque:

( A ) atravessou um rio procurando alguma coisa.


( B ) deixou que o pedaço menor fosse levado pelo rio.
( C ) ficou privado dos dois pedaços de carne.
( D ) julgou que o outro cão tinha um pedaço maior.

5-O que significa a moral da historia : Quem tudo quer tudo perde.
Isso não está me cheirando bem

Imagine uma bolinha de neve no topo de uma montanha e quando ela chegar lá embaixo, vai ter virado um imenso
bolão, não é? Isso é o que acontece com o lixo.
Cada um de nós, brasileiros, produz mais ou menos 500 gramas de lixo todos os dias. Parece pouco, mas é só fazer as
contas. Todos os dias, esse lixo vira um bolão de milhões de toneladas! Só na cidade de São Paulo, são produzidas 12
mil toneladas por dia.
Para resolver esse problemão, a reciclagem é uma grande idéia! Na reciclagem, o lixo é tratado e será reaproveitado
para fazer novos produtos.
Para reciclar, é preciso primeiro separar os tipos de lixo feitos de plástico, papel metal e vidro, que são materiais
reaproveitáveis. É por isso que em alguns lugares a gente encontra aquelas lixeiras coloridas.

Suplemento “O Estadinho”, agosto/2006.

1- O texto foi escrito para:

(A) Informar as pessoas.


(B) Divertir as pessoas.
(C) Promover um produto.
(D) Dar um recado

2- Segundo o texto, cada brasileiro produz por dia:

(A) 200 g de lixo


(B) 300 g de lixo
(C) 500 de lixo.
(D) 1 kg de lixo.

3- Para solucionar este problema é preciso:

(A) Separar o lixo para reciclagem.


(B) Jogar o lixo nos lixões.
(C) Limpar o lixo dos rios.
(D) Produzir mais lixo.

4- De acordo com as informações do texto, o grande problema nas cidades é:

(A) A separação do lixo.


(B) A reciclagem do lixo.
(C) A produção de lixo.
(D) Decomposição do lixo.
O MACHADO

UM HOMEM FOI Á FLORESTA E PEDIU ÁS ÁRVORES QUE LHES DOASSEM UM CABO PARA SEU MACHADO. O
CONSELHO DAS ÁRVORES CONCORDOU COM SEU PEDIDO E DEU A ELE UMA JOVEM ÁRVORE PARA ESTE
FIM.LOGO QUE O HOMEM COLOCOU O NOVO CABO NO MACHADO COMEÇOU A USÁ-LO EM POUCO
TEMPO HAVIA DERRUBADO COM SEUS POTENTES GOLPES AS MAIS NOBRE E MAIORES ÁRVORES DA
FLORESTA. UM VELHO CARVALHO, LAMENTANDO A DESTRUIÇÃO,DISSE Á ÁRVORE QUE ESTAVA AO SEU
LADO:
___SE NÓS NÃO TIVÉSSEMOS ATENDIDO AO LENHADOR,DANDO-LHE MADEIRA PARA O CABO DO SEU
MACHADO,VIVERÍAMOS AINDA CENTENAS DE ANOS.

QUEM QUER PROTEÇÃO, PROTEJA SEU PRÓXIMO.


FÁBULA DO ESOPO

1-RESPONDA:

A) QUAL O NOME DO TEXTO?


B) QUE TIPO DE TEXTO É ESSE?
C) O QUE O LENHADOR QUERIA DAS ÁRVORES
D)O QUE O HOMEM FEZ COM SEU MACHADO?
E)POR QUE O HOMEM DERRUBAS ARVORES?
F)ATE QUANTOS ANOS PODEM VIVER UMA ARVORE?
G)QUAIS OS BENEFÍCIOS DAS ARVORES PARA NOS?
H) O QUE SIGNIFICA QUEM QUER PROTEÇÃO, PROTEJA SEU PRÓXIMO.
SEVERINO FAZ CHOVER

Severino era um menino magrinho, moreno e cabeludo. Na terra onde ele morava nunca chovia. Severino fez muitas
coisas para ver se chovia. Vamos ver o que ele e os amiguinhos fizeram certo dia.
Aí Severino resolveu mandar uma carta para as nuvens.
Mas ele não sabia escrever. Nem os amiguinhos dele.
Fizeram então uma porção de desenhos para mandar. Desenharam a terra seca, desenharam a chuva, desenharam a
terra molhada, bonita, com as plantas e os bichos bem felizes.
Agora, que os desenhos já estavam prontos, era preciso entregar.
Então, Severino teve uma ideia: amarrou os desenhos na perninha de um pombo-correio.
O pombo subiu e sumiu lá em cima, nas nuvens.
Depois ele desceu sem os desenhos dos meninos.
As nuvens devem ter gostado, porque, de repente começou a chover . . .
No começo foi devagarinho. Um pingo aqui, outro ali.
Todo mundo sentia um cheirinho bom de terra molhada.
Depois foi aumentando. Caía água que era uma beleza.
A água formou poças e riozinhos, onde os meninos soltavam barquinhos de papel.
A chuva durou uma porção de dias.
Todo mundo ficou muito contente.
Mas ninguém estava tão contente como Severino.

(Ana Maria Machado,Severino faz chover e outras histórias,Editora Abril)

1) FALE

a) o nome da autora:
b) o título da obra:
c) o título do texto:

2) Responda:

a) Como era a terra que Severino morava?


b) O que Severino e os amigos fizeram certo dia?
c) O que fizeram com os desenhos prontos?
d) Quem levou os desenhos até as nuvens?
e) As nuvens gostaram dos desenhos? Porque?
3) Marque a ideia principal do texto:

( ) O rio que ficou cheio de água e de peixes;

( ) Severino e os amigos que queriam mandar uma carta para as nuvens para chover;

( ) As crianças ficaram tristes porque a chuva durou muitos dias.

4 Complete:
a) O personagem principal do texto é
b) Os outros personagens que participam da história são

6) Responda:
a) Como Severino era fisicamente (seu corpo)?

5) fale:
a) Qual foi a reação de Severino e os amigos para tentar fazer chover?
b) O que você achou da reação deles?
O VELHO BURRINHO

Certa vez, uns homens tinham de fazer uma longa viagem e havia muita carga para ser levada pelos burros.
Resolveram, então, deixar que cada burro escolhesse o que queria carregar. O mais velho dos burros, que foi o
primeiro a escolher, decidiu carregar o balaio maior, o mais pesado de todos, aquele que levava a comida dos homens.
Os outros burros caíram na risada:
_ Mas que burro! Quanto mais velho, mais burro...
E lá se foi o burrinho velho com todo aquele peso às costas e, ainda por cima, ouvindo a gozação dos companheiros.
Mas, à medida que a viagem seguia a cada parada os homens serviam-se da comida do balaio do velho burro. Assim,
em poucos dias, andava ele muito feliz e folgado, com seu balaio quase vazio. Enquanto isso, os outros burros ainda
suavam com o peso de suas cargas, que não tinham diminuído nem um pouquinho!

Pedro Bandeira.

1. Leia o texto e responda:


a. No início da viagem, os burros mais novos fizeram gozação com o mais velho. Por quê?
B. Em poucos dias como andava o burro velho?
C. O que você acha que este texto pode ensinar para as pessoas?

D-O que significa cair na rizada?

E-A cada parada o que os homens faziam?

F- Quem levou a melhor no final da viagem? Explique.

Ate aqui imprmido


A Galinha e os Ovos de Ouro

Um camponês e sua esposa possuíam uma galinha, que todo dia sem falta, botava um ovo de
ouro. Supondo que dentro dela deveria haver uma grande quantidade de ouro, eles então a
sacrificam, para enfim pegar tudo de uma só vez. Então, para surpresa dos dois, viram que a
ave, em nada era diferente das outras galinhas. Assim, o casal de tolos, desejando enriquecer
de uma só vez, acabam por perder o ganho diário que já tinham assegurado.
Autor: Esopo
Moral da História: Quem tudo quer, tudo perde.

Fábulas Ilustradas: A Galinha e os Ovos de Ouro - © Copyright 1998-2009 http://www.sitededicas.com.br

Questões Sobre a Fábula

1- O texto que você leu e?


2- Para que seve as fabulas?
3- O que significa sacrificar um animal?4
4. Que tipo de benefício proporcionava a Galinha todos os dias para seus donos?
5. Por que os camponeses resolveram sacrificar a Galinha? Eles lucraram com isso?
6. Você é capaz de dizer qual o sentimento que motivou os camponeses a sacrificarem o animal?
7. Você seria capaz de descrever, com suas palavras, o significado da Moral da Fábula?

Quem tudo quer, tudo perde.


A Formiga e a Pomba

Uma Formiga foi à margem do rio para beber água, e sendo arrastada pela forte correnteza,
estava prestes a se afogar. Uma Pomba, que estava numa árvore sobre a água observando a
tudo, arranca uma folha e a deixa cair na correnteza perto da mesma. Subindo na folha a
Formiga flutua em segurança até a margem. Eis que pouco tempo depois, um caçador de
pássaros, oculto pelas folhas da árvore, se prepara para capturar a Pomba, colocando visgo
no galho onde ela repousa, sem que a mesma perceba o perigo. A Formiga, percebendo sua
intenção, dá-lhe uma ferroada no pé. Do susto, ele deixa cair sua armadilha de visgo, e isso
dá chance para que a Pomba desperte e voe para longe, a salvo.
Autor: Esopo
Moral da História: Nenhum ato de boa vontade ou gentileza é coisa em vão.

Questões Sobre a Fábula

1-O texto que vocêleu e uma fabula. Para que servem as fabulas?
2. Por que a Pomba resolveu ajudar a Formiga? Como foi que ela ajudou?
3. O que a Formiga fez para retribuir o favor recebido? O que aconteceu depois?
4-Qual a armadilha do caçador para pegar a pomba?
5-Por que a pomba não percebeu a presença do caçador?
6-O que significa ficar oculto?
7-com o que o homem se assustou?
8- qual o final da historia?
A MENINA QUE FEZ A AMÈRICA

Eu vou morrer um dia, porque tudo que nasce também morre: bicho, planta, mulher, homem. Mas
histórias podem durar depois de nós. Basta que sejam postas em folhas de papel e que suas letras mortas
sejam ressuscitadas por olhos que saibam ler. Por isso, aqui está para vocês o papel da minha história: uma
vida-menina para as meninas-dos-seus-olhos.

Vou contar…

Eu nasci no ano de 1890, numa pequena aldeia da Calábria, ao sul da Itália. E onde fica a Itália?… É só
olhar um mapa da Europa e procurar uma terra em forma de bota, que dá um pontapé no Mar
Mediterrâneo e um chute de calcanhar no Mar Adriático.

É lá.

Lá, nessa terra entre mares, foi que eu nasci num dia de inverno, quando as flores silvestres que
perfumavam o ar puro dos campos da minha aldeia estavam à espera do florescer da primavera. Saracema:
este era o nome do lugar pequenino onde eu nasci. Eu disse “era”, embora o lugar ainda existia e tenha
crescido, como eu também cresci. Mas, como nunca mais voltei para lá, acho que não pode se mais o
mesmo que conheci e onde vivi até os dez anos de idade. A Saracena de 1890 era aquela sem a comunicação
do telefone, os sons do rádio e as imagens da televisão nas casas; sem o eco dos carros e das motocicletas
nas estradas ou o ronco dos aviões sobre telhados. A música que andava no ar, nos tempos da minha
infância, vinha do canto dos pássaros, do chiar das rodas das carroças, das batidas dos cascos dos cavalos, do
burburinho do risco das crianças e do lamento dos sinais das igrejas. Essa era a voz da terra onde começava
a minha vida e terminava o meu mundo.

Nunca cheguei a conhecer meu pai, Domenico Gallo. Só em retrato: um homem alto, bonito, de finos
bigodes. Dizem que ele ficou muito feliz quando eu e meu irmãozinho Caetano nascemos. Ah, esqueci de
dizer que meu nome é Fortunata e que, quando menina, me chamavam de Fortunatella.

(Laurito, Ilka Brunhilde. A menina que fez a América. São Paulo, FTD)

2) Quando e onde a menina nasceu?

3) Até que idade ele viveu em Saracena?

4) Como a menina se chamava? Como a menina era chamada quando pequena?

5) Quem era Caetano e Domenico?

6) De que modo Fortunata conhecia seu pai?

7) Você acha que a menina teve uma infância feliz? Por quê?

8) Se você tivesse de dar outro título ao texto, qual seria? Por quê?
O PULO DO GATO

A raposa andava maluca para pegar o gato. Mas ela sabia como todo mundo sabe, que o gato é o maior
mestre pulador e nem adiantava tentar agarrá-lo. Com um salto de banda, o danado sempre se safava.
Decidiu então a raposa usar da esperteza. Chegou-se para o gato e propôs a paz: - Chega de correr atrás um
do outro, mestre gato. Vamos agora viver em paz! - Não é bem assim, comadre raposa - corrigiu o gato. -
Não é um que corre atrás do outro, é uma que corre atrás do outro,é a "uma", que é a senhora, que corre
atrás do "outro", que sou eu... - Bom, de qualquer forma, vamos fazer as pazes, amigo gato. Como o senhor
é mestre em pulos, proponho que, para celebrar nosso acordo de amizade, o senhor me dê um curso de
pulos, para eu ficar tão puladora como o senhor. Pago-lhe cada lição com os mais saborosos filés de rato que
o senhor já experimentou! O gato aceitou e começaram as lições no mesmo dia. A raposa era aluna dedicada
e o gato ótimo professor. Ensinou o salto de banda, o salto em espiral, a cambalhota simples, a cambalhota-
com-pirueta, o duplo-mortal, o triplo-mortal e até o saca-rolha-composta. A raposa todos eles aprendia,
praticava depois das aulas e, logo, já estava tão mestre em pulos quanto o gato. Decidiu então que já era
chegada a hora de colocar em prática seu plano sinistro. No começo de outra aula, esgueirou-se por trás do
gato e deu um bote, caprichando no salto mais certeiro que o mestre lhe tinha ensinado! E o gato? Deu um
volteio de banda, rolou no ar, e a raposa passou chispando por ele, indo esborrachar-se num toco de
aroeira. Ainda tonta da queda, a raposa voltou-se para o gato e protestou: - Mas mestre gato, esse pulo o
senhor não me ensinou!
-Não ensinei, nem ensino! -riu-se o gato. -Esse é o segredo que me salva de malandros como a senhora,
comadre raposa. Esse é o pulo do gato!
BANDEIRA,Pedro. Nova Escola,nº48.

Interpretação

1- De acordo com o texto, a raposa fez ao gato a seguinte proposta:


A( ) viver em paz.
B( ) brigar para sempre.
C( ) dividir os filés de rato.
D( ) viver cada um no seu canto.

2- O texto mostra que tanto a raposa, quanto o rato sempre demonstraram ser:
A( ) lentos.
B( ) amigos.
C( ) espertos.
D( ) medrosos.

3- A raposa tornou-se aluna do gato para:


A( ) distrair-se com ele.
B( ) fazer as pazes com ele.
C( ) brincar, pois se sentia sozinho.
D( ) conseguir uma chance de devora-lo.

4- O plano da raposa fracassou porque ela:


A( ) confiou demais em sua esperteza.
B( ) era uma aluna desatenciosa.
C( ) errou os pulos ensinados.
D( ) agiu sem pensar.
Texto: A coruja e a águia

Coruja e águia depois de muita briga, resolveram fazer as pazes.


-Basta de guerra!-disse a coruja. –O mundo é grande, e tolice maior que o mundo é andarmos a comer os filhotes uma
da outra.
-Perfeitamente-respondeu a águia. -Também eu, não quero outra coisa.
-Nesse caso, combinemos isto: de agora em diante não comerás nunca os meus filhotes.
-Muito bem. Mas como posso distinguir os teus filhotes?
-Coisa fácil! Sempre que encontrares uns borralhos lindos, bem feitinhos de corpo, alegres, cheios de uma graça
especial que não existe em filhotes de nenhuma outra ave, já sabes, são os meus.
-Está feito!-concluiu a águia.
Dias depois, andando à caça, a águia encontrou um ninho com três monstrengos dentro, que piavam de bico muito
aberto.
-Horríveis bichos!-disse ela. -Vê-se logo que não são os filhos da coruja e comeu-os.
Mas eram os filhos da coruja. Ao regressar à toca, a triste mãe chorou amargamente o desastre e foi justar contas com
a rainha das aves.
-Quê?! –disse esta admirada. –Eram teus filhos aqueles monstrenguinhos? Pois olha, não se pareciam nada, nada, com
o retrato que deles me fizeste...

Para retrato de filho, ninguém acredite em pintor pai.


Lá diz o ditado: “Quem o feio ama, bonito lhe parece”...

Responda oralmente:
1- Qual foi o acordo feito pela coruja e a águia?
2- A águia respeitou esse acordo?
3- Qual foi o ditado citado por Monteiro Lobato no final da fábula?
4- Escreva com suas palavras o que esse ditado vem nos ensinar.
O rato do campo e o rato da cidade
"Era uma vez um rato que morava na cidade que foi visitar um primo que vivia no campo."
O rato do campo era um pouco arrogante, mas gostava muito do primo e recebeu-o com muita
satisfação. Ofereceu-lhe o que tinha de melhor: feijão, toucinho, pão e queijo. O rato da cidade
torceu o nariz e disse:- Não posso entender primo, como consegues viver com estes pobres
alimentos. Naturalmente, aqui no campo, é difícil obter coisa melhor. Vem comigo e eu te
mostrarei como se vive na cidade. Depois que passares lá uma semana ficarás admirado de ter
suportado a vida no campo.
Os dois puseram-se, então, a caminho. já era noite quando chegaram à casa do rato da
cidade. - Certamente que gostarás de tomar um refresco, após esta caminhada, disse ele
polidamente ao primo. Conduziu-o até à sala de jantar, onde encontraram os restos de uma
grande festa. Puseram-se a comer geleias e bolos deliciosos. De repente, ouviram rosnados e
latidos. - O que é isto? Perguntou assustado, o rato do campo. - São, simplesmente, os cães da
casa, respondeu o da cidade. - Simplesmente? Não gosto desta música, durante o meu
jantar.
Neste momento, a porta abriu-se e apareceram dois enormes cães. Os ratos tiveram que
fugir a toda pressa. - Adeus, primo, disse o rato do campo. Vou voltar para minha casa no
campo. - Já vais tão cedo? Perguntou o da cidade. - Sim, já vou e não pretendo voltar, concluiu
o primeiro.

Moral da história:
Mais vale uma vida modesta com paz e sossego que todo o luxo do mundo com perigos e
preocupações.
Fábula de Esopo

1-Qual é o gênero textual do texto que você leu:

( ) Notícia ( ) Fábula ( ) Haicai ( ) Reportagem

2. Fale das características dos personagens da história:

Rato do campo Rato da cidade

3. Como o rato do campo recebeu o primo em sua casa?

4. Como era a vida do rato da cidade?

5. A moral indica que:

( ) Você tem que ser educado com seus parentes.


( ) Mais vale o pouco certo, do que o muito duvidoso.
( ) Se você não correr perigo, nada valerá a pena.
( ) Se você é rico não pode conversar com os pobres.
OS DIREITOS DAS CRIANÇAS SEGUNDO RUTH ROCHA

Mas criança também tem


O direito de sorrir.
Correr na beira do mar,
Ter lápis de colorir...

Ver uma estrela cadente,


Filme que tenha robô,
Ganhar um lindo presente,
Ouvir histórias do avô.

Descer no escorregador,
Fazer bolha de sabão,
Sorvete, se faz calor,
Brincar de adivinhação.

1) Qual o título do poema?


2) Quem é o autor (a) do poema?
3-Para que serve os poemas?
4) Você concorda com estes direitos que a autora descreve no seu poema? Você acrescentaria mais alguns direitos?
Quais?

5-Qual o assunto principal desse texto?

 As brincadeiras das crianças


 Os direitos das crianças
 Os deveres das crianças
 O direito da criança de brincar
DE QUE COR É?
(Luciana de Almeida)

Abra os olhos ... olhe bem a sua volta...


Quantas cores você viu? Amarelo, alaranjado, verde, azul, anil...
Tudo nesse mundo tem cor!
A gema do ovo da ema é amarela como o sol no céu.
A pena da cauda do pavão é da cor de cada momento:
VERMELHA, quando está com raiva;
AZUL, quando está contente; AMARELA, quando está cansada;
VIOLETA, quando está por um triz. MULTICOLORIDA, quando está feliz!

1)- Estudando o texto:


a)- Título:
b)- Autora:
c)- A autora diz que cada momento tem a sua cor. Por quê?

2)- De que cor você pintaria:


a)- a saudade?
b)- a dor?
c)- o amor?
d)- a tristeza?
e)- a preguiça?

3- qual a cor da cauda do pavão quando ele esta contente?

4-Como esta o pavão quando esta multicolorida?

5-O que significa multicolorida?

6- quando alguém esta com muito medo que cor ele fica?
O MÉDICO FANTASMA

Esta história tem sido contada de pai para filho na cidade de Belém do Pará. Tudo começou numa noite de lua cheia de
um sábado de verão.
Dois garotos conversavam sentados na varanda da casa de um deles.
— Você acredita em fantasma? — perguntou o mais novo.
— Eu não! — disse o outro.
— Acredita sim! — insistiu o mais novo.
— Pode apostar que não — replicou o outro.
— Tudo bem. Aposto minha bola de futebol que você não tem coragem de entrar no cemitério à noite.
— Ah, é? — disse o garoto que fora desafiado. Pois então vamos já para o cemitério, que eu vou provar minha
coragem.
Assim, os dois garotos foram até a rua do cemitério. O portão estava fechado. O silêncio era profundo. Estava tão
escuro... Eles começaram a sentir medo.
Para ganhar a aposta, era preciso atravessar a rua e bater a mão no portão do cemitério. O garoto que tinha topado o
desafio correu. Parou na frente do portão e começou a fazer careta para o amigo. Depois se encostou ao portão e
tentou bater a mão nele. Foi quando percebeu que ela estava presa.
— Socorro! Alguém me ajude! — ele gritou, desmaiando em seguida.
Nisso apareceu um velhinho vindo do fundo do cemitério, abriu o portão e chamou o outro menino.
— Seu amigo prendeu a manga da camisa no portão e desmaiou de medo. Coitadinho, pensou que algum fantasma o
estivesse segurando.
O garoto reparou que o velhinho era muito magro, quase transparente.
— Obrigado. Como é que o senhor se chama?
— Eu sou o médico daqui. Vou acordar seu amigo.
O velhinho passou a mão na cabeça do menino desmaiado e ele despertou na mesma hora.
— Vão pra casa, meninos — ele disse. Já passou da hora de dormir.
E foi assim que os meninos perceberam que tinham conhecido um fantasma e entenderam que não precisavam ter
medo de fantasmas, pois esses, apesar de misteriosos, são do bem.

Heloísa Prieto. “Lá vem história outra vez: contos do folclore mundial”. São
Paulo. Cia das letrinhas, 1997 (texto adaptado para fins didáticos).

INTERPRETANDO O TEXTO

a) No início do texto, onde estavam os personagens?


( )Os garotos estavam na escola, brincando no recreio.
( )Os garotos estavam na porta do cemitério.
( ) Os garotos estavam sentados na varanda na casa de um deles.

b) Por que os meninos decidem ir ao cemitério?


( ) Para acompanhar um enterro.
( ) Devido a uma aposta que fizeram valendo uma bola de futebol.
( ) devido a uma aposta que fizeram valendo uma bola de basquete.

c) O que era necessário para ganhar a aposta?


( ) Atravessar a rua e bater a mão no portão do cemitério.
( ) Atravessar a rua e entrar no cemitério.
( ) Atravessar a rua e chamar pelos fantasmas pelo portão do cemitério.
d) Depois de se encostar no portão, o que aconteceu ao garoto?
( ) Sua mão ficou presa no portão, mas ele conseguiu se soltar rapidamente.
( ) Sua mão ficou presa, ele gritou e desmaiou em seguida.
( ) Sua mão ficou presa, ele ficou mudo e desmaiou em seguida.

2) O médico fantasma é uma história sobre medo, um “Conto de assombração”. Descreva o momento mais assustador
da história.

3) Você ficou com medo? Por quê?

4) Como os meninos perceberam que o velhinho era um fantasma?

5) Por que será que o desafio era ter que ir ao cemitério à noite? Você aceitaria este desafio?Por que?

6) Você já passou por uma situação assustadora? Era um medo real ou imaginário? Conte aqui a sua história.
A ÁRVORE

A ÁRVORE TEM UM AMIGO MUITO ESPECIAL, O PASSARINHO.


CERTO DIA, A ÁRVORE AO VER O PASSARINHO FALOU:
___ AMIGO PASSARINHO, VOCÊ É MUITO IMPORTANTE PARA MIM. VOCÊ CARREGA AS SEMENTES E COME OS BICHOS
QUE ESTRAGAM AS MINHAS FOLHAS.
O PASSARINHO PIOU E DISSE:
___ ÁRVORE AMIGA, EU LHE DEVO MINHA VIDA. AQUI EU FAÇO O MEU NINHO. AQUI EU PEGO A MINHA COMIDA,
AQUI EU FICO SEGURO DOS PERIGOS.
A ÁRVORE LOGO DISSE:
___ NESSA VIDA, UM AMIGO AJUDA O OUTRO.

RESPONDA:

A) QUAIS SÃO OS PERSONAGENS DESTA HISTÓRIA?

B) QUEM É O AMIGO ESPECIAL DA ÁRVORE ?

C) QUAL É A IMPORTÂNCIA DAS ÁRVORES PARA NÓS?

D) VOCÊ TAMBEM TEM UM AMIGO ESPECIAL? QUEM?

E)QUAL O SOM QUE O PINTINHO FAZ?

F)o QUE ESTREGAM AS FOLHAS DAS ARVORES?

G)ONDE O PASSARO FAZ SEU NINHO?

H) COMO E CHAMADA A CASA DOS PASSAROS?

I)QUAIS SÃO GERALMENTE OS PERIGOS QUE AMEAÇAM OS PÁSSAROS?


j) VOCÊ JÁ AJUDOU ALGUÉM? ESCREVA COMO FOI ESSA AJUDA.
A PORTA

VINÍCIUS DE MORAES

EU SOU FEITA DE MADEIRA


MADEIRA, MATÉRIA MORTA
MAS NÃO HÁ COISA NO MUNDO
MAIS VIVA DO QUE UMA PORTA.

EU ABRO DEVAGARINHO
PRA PASSAR O MENININHO
EU ABRO COM CUIDADO
PRA PASSAR O NAMORADO
EU ABRO BEM PRAZENTEIRA
PRA PASSAR A COZINHEIRA
EU ABRO DE SUPETÃO
PRA PASSAR O CAPITÃO.

SÓ NÃO ABRO
PRA ESSA GENTE QUE DIZ
QUE SE UMA PESSOA É BURRA
É BURRA COMO UMA PORTA.

EU SOU MUITO INTELIGENTE!


EU FECHO A FRENTE DA CASA
FECHO A FRENTE DO QUARTEL
FECHO TUDO NESSE MUNDO
SÓ VIVO ABERTA NO CÉU.

RESPONDA:

1-O texto que você leu e?


Para que servem os poemas?
3- DE QUAL MATERIAL A PORTA É FEITA?
4-QUEM PASSA PELA PORTA QUANDO ELA É ABERTA DEVAGARINHO?

5- COM QUAL ANIMAL ALGUMAS PESSOAS COMPARAM UMA PORTA?


( ) UM CACHORRO
( ) UM CAVALO
( ) UM BURRO

4) QUAL É A QUALIDADE DA PORTA CITADA NO TEXTO?

5) EM QUAL LOCAL A PORTA VIVE ABERTA?


O que fazer com a fábrica de mamona?

Numa cidade do interior de São Paulo existe uma fábrica de óleo de mamona.
O óleo de mamona é muito usado como lubrificante.
A fábrica fica numa cidade pequena, de aproximadamente 8 mil habitantes, onde 2 mil desses trabalham de alguma
forma com a mamona, seja na lavoura, na fábrica ou na comercialização.
Acontece que a fumaça que sai das chaminés dessa fábrica deixa o ar contaminado.
O único hospital da cidade não dá conta de atender as pessoas com problemas respiratórios e alérgicos que por lá
aparecem diariamente.
O prefeito da cidade tem muitas dúvidas sobre o que fazer, pois se ele proibir a fábrica de funcionar, estará
promovendo desempregos, mas se a fábrica continuar funcionando desse jeito, mais pessoas ficarão doentes.
O prefeito então, decidiu consultar os vereadores, que lhe apresentaram as seguintes sugestões:
1)Exigir que os donos das fábricas coloquem filtros nas chaminés e multa-los em caso de desobediência.
2)Exigir que a fábrica mude para uma área industrial a ser construída num bairro distante da área urbana da cidade.
3)Construir mais hospitais para atender os doentes com problemas respiratórios.
4)Exigir que a fábrica diminua a produção, diminuindo assim, a poluição na cidade.
5)Exigir que toda a população use máscaras contra a poluição.

Interpretação

1- Que problema ambiental o texto de refere?


2- Por que o prefeito tinha dúvidas sobre o que fazer com a situação
3- Que doenças esse problema ambiental estava causando na população da cidade
4- No que a mamona é transformada na fábrica?
5- Das sugestões dadas pelos vereadores, qual você acha que deve ser aprovada pelo prefeito? Justifique sua resposta.
QUE SÃO DINOSSAUROS?

MUITO TEMPO ANTES DE O HOMEM APARECER NA TERRA, QUEM REINAVA NO PLANETA ERAM OS
DINOSSAUROS.
ESSES GRANDES RÉPTEIS, QUE VIVERAM HÁ 220 MILHÔES DE ANOS, TINHAM PELE RÍGIDA E ESCAMOSA,
GARRAS PODEROSAS E COLOCAVAM OVOS PARA SE REPRODUZIR.
ALGUNS CIENTISTAS ACREDITAM QUE ELES POSSUÍAM SANGUE QUENTE. OU SEJA, NÃO DEPENDIAM DO
MEIO AMBIENTE E DO CLIMA PARA FICAREM AQUECIDOS.
OS DINOSSAUROS CAMINHAVAM COM AS PATAS EMBAIXO DO CORPO, COMO MAMÍFEROS, SOBRE DUAS
OU QUATRO PATAS. ALGUNS ERAM BEM LENTOS, MAS OUTROS CORRIAM BEM RÁPIDO. TAMBÉM SE
ALIMENTAVAM DE MODO DIFERENTE: UNS GOSTAVAM DE PLANTAS (OS HERBÍVOROS), OUTROS PREFERIAM
CARNE (OS CARNÍVOROS) E UM TERCEIRO GRUPO, TANTO DE PLANTAS QUANTO DE CARNE (OS ONÍVOROS).

TUDO SOBRE...DINOSSAUROS. SÃO PAULO, DCL, 2006.

1- RESPONDA:
1-QUEM REINAVA NA TERRA ANTES DOS HOMENS?
2-COMO OS DINOSSAUROS SE REPRODUZIAM?

3-QUE TIPO DE ANIMAL ERAM OS DINOSSAUROS?


( ) MAMÍFEROS ( ) ANFÍBIOS ( ) RÉPTEIS

4-COMO ERAM OS DINOSSAUROS?

5-O QUE SIGNIFICA POSSUIR “SANGUE QUENTE”?

6-VOCE ACHA QUE AINDA EXISTEM DINOSSAUROS?ONDE?


TEXTO – A LAGARTIXA DA AREIA
(ADAPTADO DE CIÊNCIA HOIJE DAS CRIANÇAS, N° 65, DEZ 1996)

A lagartixa-da-areia é pequenininha, sua cor é cinza, e ela vive em algumas praias do Rio de Janeiro.
A lagartixa-da-areia está em perigo! Além do lixo que está sendo jogado nas praias, as pessoas destroem a vegetação
onde ela se esconde. E, se a vegetação acabar, a lagartixa-da-areia vai sumir!
A lagartixa-da-areia tem um papel muito importante na Natureza. Como ela só consegue viver em lugares limpos, sem
poluição, toda vez que nós encontramos uma lagartixa-da-areia na praia podemos ter certeza de que o lugar está
limpo. Por isso, os lugares onde ela vive precisam ser preservados.
Você pode ajudar. Proteja a vegetação das praias, não arranque plantas nem pise nelas, e só jogue lixo nas latas e
sacos feitos para lixo.

Responda

1-como é a lagartixa-da-areia:
2) Onde ela vive?
3) Por que a lagartixa-da-areia está ameaçada de desaparecer?
4) Qual é o papel da lagartixa-da-areia na natureza?
5) O que devemos fazer para proteger os animais que estão em perigo?
6-O texto que você leu é
7-como sao os lugares que a lagartixa-da-areia vive?
Texto: A onça-pintada

A onça-pintada é considerada como o símbolo da coragem. É muito temida por todos os


animais.
Move-se, silenciosamente, com a cabeça baixa. É difícil perceber quando vai atacar porque
seu pelo, cheio de manchas, confunde-se com o mato.
Ela nada nos rios e riachos.

RESPONDA EM SEU CADERNO


1-Como a onça pintada é considerada?
2-A onça pintada é temida por todos os animais. Isso quer dizer que:

( ) É uma ótima caçadora e muito feroz.


( ) É um animal calmo.
( ) Ela nada nos rios e riachos.

3-Por que é difícil perceber a sua presença?

4-Por que ela pode desaparecer do planeta?

5-de que fala o texto


( ) Informações sobre a onça
( ) O desaparecimento das onças.
O CADERNO
Sou eu que vou seguir você
do primeiro rabisco até o bê-a-bá
em todos os desenhos coloridos vou estar
a casa, a montanha, duas nuvens no céu
e um sol a sorrir no papel
Sou eu que vou ser seu colega,
seus problemas ajudar a resolver
te acompanhar nas provas bimestrais, você vai ver
Serei de você confidente fiel,
se seu pranto molhar meu papel.
Sou eu que vou ser seu amigo,
Vou lhe dar abrigo, se você quiser
Quando surgirem seus primeiros raios de mulher
A vida se abrirá num feroz carrossel
E você vai rasgar meu papel.
O que está escrito em mim comigo
Ficará guardado, se lhe dá prazer
A vida segue sempre, o que se há de fazer
Só peço a você um favor, se puder
Não me esqueça num canto qualquer.
Toquinho. CD Casa de Brinquedos. Polygran, 1995

Interpretando o Texto

1- Identifique os pares de rimas presentes.

2-O texto O caderno está organizado em 4 estrofes com 5 versos cada. Agora responda: que tipo de texto é?

3-Quem é o personagem principal do texto?

4-Encontre no texto trechos que revelem os seguintes sentimentos ou atitudes: companheirismo, solidariedade,
tristeza, amizade e fidelidade.
5- Se o seu caderno pudesse falar, o que você acha que ele lhe diria?

6- E você, o que responderia para ele?


1. Quando uma pessoa lê a primeira página de um jornal, encontra,
com certeza, várias notícias.
a) Para que serve uma notícia?

b) Além do jornal, quais outros meios de comunicação em que você


pode encontrar uma notícia?

2.A notícia que você leu foi publicada num jornal.


a) Em que jornal foi publicada essa notícia?
b) Quem é a autora da notícia?
3. Toda notícia fala sempre a respeito de alguém ou de alguma coisa
e informa também o que aconteceu.
a) De quem fala a notícia?
b) O que aconteceu?

4. Uma notícia informa onde aconteceu o fato.


a) Onde aconteceu o fato apresentado pela notícia que você leu?

b) A notícia usa várias palavras para informar ao leitor exatamente o


lugar em que aconteceu o fato. Enumere esses lugares começando
do geral para chegar ao lugar mais específico:
( ) Rua Álvaro Gomes
( ) São Paulo
( ) Santana
( ) abacateiro de galhos secos
( ) Zona norte

5. Resuma a notícia informando, numa única frase;

Quem participa do que aconteceu?


O que aconteceu?
Onde aconteceu?

6. Toda notícia tem sempre um título. O título de uma notícia chama-se


Manchete.
a) Copie a manchete da notícia que você leu.
b) Se você comparar a manchete com o resumo que você fez da notícia, o que
existe em comum entre eles?

7. A manchete procura também chamar atenção do leitor para o fato.


a) Você acha que essa manchete consegue isso? Por quê?
b) Se você fosse o jornalista que escreveu essa notícia, que outro título você
criaria para esta notícia?

8. “Cingapura” é o nome de um conjunto de prédios populares construído


pela Prefeitura de São Paulo.
a) Por que a autora da notícia usou essa palavra entre aspas?

b) “Prédios” e “salão de festas” também estão entre aspas. Qual é o sentido


que essas palavras normalmente têm e qual o sentido que elas têm no texto?

9. “Numa metrópole como São Paulo não são apenas as pessoas que têm
problemas de espaço e habitação.”Você sabe o que é uma metrópole? Tente
explicar.
10. A notícia fala de dois problemas de uma metrópole. Você sabe quais são
esses problemas?

FUNCIONÁRIO "ADOTA" BEIJA-FLOR

Quem mora no bairro do Jaçanã, na cidade de São Paulo, certamente poderá ver o funcionário público Gerônimo
Márcio Coraci ( 46 anos), passeando com seu beija-flor de estimação empoleirado em uma varinha de madeira.
O passarinho foi resgatado por Coraci há três meses, logo depois de uma enxurrada. Não tinha nem penas quando
Coraci e seus colegas o encontraram todo molhado.
A sala das telefonistas serviu de primeira casa para o bichinho que logo recebeu o apelido de BARNABÉ.
A ave aprendeu a matar a fome com o mel que vinha em uma seringa.
Além do mel, Barnabé passou a se alimentar de pólen fresco. Nos passeios que dá com seu dono, o pássaro nem
precisa fazer esforço. É Coraci quem levanta o braço para que Barnabé encoste seu bico na flor. O folgado beija-flor
tem até as suas flores preferidas.
Coraci dá dois passeios diários com Barnabé. Um às 6h30 e outro às 17 horas na volta do trabalho.
O dono do bichinho diz que tem que se preparar para a tristeza que vai sentir no dia em que Barnabé resolver voar e
partir.

(Adaptado do jornal " O Estado de São Paulo" - 25 de março de 2004)

1- O texto que você leu é:


( A ) Uma história de um beija-flor.
( B ) Uma notícia sobre um beija-flor.
( C ) Uma poesia sobre beija-flor.

2- Funcionário “adota” beija-flor é:


( A ) Uma notícia.
( B ) Uma manchete.
( C ) O título de uma história.

3- O fato contado no texto acontece onde?


( A ) No bairro dos beija-flores.
( B ) No bairro Barnabé.
( C ) No bairro do Jaçanã, na cidade de São Paulo.

4- O texto fala sobre:


( A ) Um beija-flor que nasceu no bairro do Jaçanã.
( B ) Um beija-flor que não gosta de flores.
( C ) Um beija-flor que foi resgatado de uma enxurrada por um funcionário público.

5- Sobre o dono do passarinho, podemos tirar as seguintes informações do texto:


a) NOME COMPLETO: _______________________________________________________________
b) IDADE: _________________________________________________________________________
c) PROFISSÃO: ______________________________________________________________________
d) HORÁRIO QUE VOLTA DO TRABALHO : ____________________________________________
6- Sobre o beija-flor, podemos tirar do texto as seguintes informações:
a) APELIDO: ______________________________________________

b) COMO ESTAVA AO SER ENCONTRADO :


_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

c) QUEM O “ADOTOU” :
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

d) COMO APRENDEU MATAR SUA FOME?


_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

e) COMO PASSOU A SE ALIMENTAR?


_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

f) SUA PRIMEIRA CASA FOI


_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

7)Quantos passeios Coraci faz com seu beija-flor e quais os horários?


_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________

8 ) Qual atitude demonstra que o Barnabé é “folgado”?


( A ) O fato dele não gostar de mel
( B ) O fato do dono ( Coraci) precisar levantar o braço para que o bichinho encoste seu bico na flor
( C ) O fato de Barnabé passear duas vezes por dia

9) Circule os outros modos como o beija-flor foi tratado no texto:


CORACI – BARNABÉ – AVE – MEL – BICHINHO – PÁSSARO- FLORES- PASSARINHO

10) De onde foi retirada a notícia lida?


_____________________________________________________________________________________

11) Qual a data da notícia lida?


_____________________________________________________________________________________

12) “ 17 horas” refere-se a qual horário?


( A ) Cinco horas da tarde
( B) Cinco horas da manhã
( C ) Meio dia

A lenda das borboletas.

Isso aconteceu quando Jesus ainda era menino.


Um dia, ele saiu bem cedo para apanhar água no bosque.
Era primavera e o bosque estava coberto de flores: margaridas do campo, jasmim, madressilvas, miosótis...
Jesus parou para admirar o colorido das flores quando a brisa soprou mais forte. E o sopro da brisa carregou várias
florezinhas que, despetaladas, caíram aqui e ali. Algumas bem próximas de Jesus.
Os olhos do menino encheram – se de lágrimas. Ele pensava: daqui a pouco, elas murcham e nunca mais enfeitam o
bosque.
Então Ele abaixou – se e, delicadamente, foi erguendo as pétalas e soprando – as de leve para o alto.
Ao sopro mágico, as pétalas foram se transformando em aveludadas e coloridas asas, que saíram a bailar entre as
ramagens, beijando as plantas em que haviam nascido.
E foi assim que surgiram as borboletas.

Vocabulário:
lenda – fábula, tradição popular, fato da imaginação do povo ou dom autor.
brisa – vento brando e fresco, aragem
ramagem – ramos de uma planta

Interpretação:

1- Responda com frases completas:

a) Em que estação do ano se passa a


história?______________________________________________________________

b) Como estava o bosque naquela ocasião?_____________________________________________________________

c) O que fez Jesus quando viu as flores?


____________________________________________________________________

2 – Numere na ordem dos acontecimentos:

( ) As florezinhas caíram despetaladas.


( ) Jesus parou para admirar as flores.
( ) Jesus transformou as flores em borboletas.
( ) A brisa soprou mais forte.

3 - Complete, esclarecendo por que aconteceram os fatos:•


a) Os olhos do menino encheram – se de lágrimas
porque_______________________________________________________________

_____________________________________________________________________

b) As borboletas surgiram porque _____________________________________________________________________

_____________________________________________________________________

4 - Numere a 2ª coluna de acordo com a 1ª:

( 1 ) lenda ( ) ramos de uma planta


( 2 ) brisa ( ) tradição popular
( 3 ) ramagem ( ) vento fresco

5 – Substitua as palavras sublinhadas por outra com o mesmo sentido:

a) Ontem à noite senti uma brisa muito gostosa.


_____________________________________________________________________

b) A tradição popular conta que o saci pererê existe. Mas não acredito niss

Era uma vez um sol.


Ele era muito medroso. Tinha um medo sem fim!
- O inverno é tão perigoso!
Daí, chegou o verão e o sol tomou coragem. Mostrou a sua cara dourada.
O mundo ficou quente, lindo. Todas as coisas ficaram iluminadas!
E o medo?
O medo bobeou, foi dar uma voltinha na cidade vizinha.
(Sônia Robatto)

1. Marcar com um (x) a resposta certa:


a) O sol achava o inverno:
( ) muito gelado!
( ) muito perigoso!
( ) tão manhoso!

b) O sol mostrou sua cara dourada:


( ) no inverno.
( ) na primavera.
( ) no verão.

2. Responder:
a) Que título você deu para o texto?
___________________________________________________________________
b) Quem escreveu este texto?
___________________________________________________________________
c) Quem é o personagem principal do texto?
___________________________________________________________________
d) Do que o sol tinha medo?
___________________________________________________________________
e) O que aconteceu com o medo do sol quando o verão chegou?

FÁBULA COM INTERPRETAÇÃO - A LEBRE E A TARTARUGA


A LEBRE E A TARTARUGA
A lebre vivia a se gabar de que era o mais veloz de todos os animais. Até o dia em que encontrou a tartaruga.
Eu tenho certeza de que, se apostarmos uma corrida, serei a vencedora - desafiou a tartaruga A lebre caiu em
gargalhada.
- Uma corrida ? Eu e você ? Essa é boa !
- Por acaso você está com medo d perder ? - perguntou a tartaruga.
- É mais fácil um leão cacarejar do que eu perder uma corrida para você - respondeu a lebre. No dia seguinte a raposa
foi escolhida para ser a juíza da prova. Bastou dar o sinal da largada para a
lebre disparar na frente a toda velocidade. A tartaruga nato se abalou e continuou na disputa. A lebre
estava tão certa da vitória que resolveu tirar uma soneca.
"Se aquela molenga passar na minha frente, é só correr um pouco que eu a ultrapasso" - pensou. A lebre dormiu tanto
que não percebeu quando a tartaruga, em sua marcha vagarosa e constante,
passou. Quando acordou, continuou a correr com ares de vencedora. Mas, para sua surpresa, â tartaruga^
que não descansara um só minuto, cruzou a linha de chegada em primeiro lugar. Desse dia em diante, a lebre tornou-
se o alvo das chacotas da floresta. Quando dizia que em o animal mais veloz, todos lembravam-na de uma certa
tartaruga....

MORAL: que segue devagar sempre chega na frente^

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO

l) Quem são as personagens do texto ?


2) O que elas apostaram ?
3) Por que a lebre caiu na gargalhada ?
4) Assinale quem foi escolhido para ser juiz:
(__) leão (__) raposa (__) tartaruga
5) Quem cruzou a linha de chegada em primeiro lugar ?
6) Por que a lebre não venceu a corrida ?

A ÁRVORE

A ÁRVORE TEM UM AMIGO MUITO ESPECIAL, O PASSARINHO.


CERTO DIA, A ÁRVORE AO VER O PASSARINHO FALOU:
___ AMIGO PASSARINHO, VOCÊ É MUITO IMPORTANTE PARA MIM. VOCÊ CARREGA AS SEMENTES E COME OS BICHOS
QUE ESTRAGAM AS MINHAS FOLHAS.
O PASSARINHO PIOU E DISSE:
___ ÁRVORE AMIGA, EU LHE DEVO MINHA VIDA. AQUI EU FAÇO O MEU NINHO. AQUI EU PEGO A MINHA COMIDA,
AQUI EU FICO EGURO DOS PERIGOS.
A ÁRVORE LOGO DISSE:
___ NESSA VIDA, UM AMIGO AJUDA O OUTRO.

RESPONDA:

A) QUAIS SÃO OS PERSONAGENS DESTA HISTÓRIA?

B) QUEM É O AMIGO ESPECIAL DA ÁRVORE ?

C) QUAL É A IMPORTÂNCIA DAS ÁRVORES PARA NÓS?

D) VOCÊ JÁ AJUDOU ALGUÉM? ESCREVA COMO FOI ESSA AJUDA.

A PORTA

VINÍCIUS DE MORAES

EU SOU FEITA DE MADEIRA


MADEIRA, MATÉRIA MORTA
MAS NÃO HÁ COISA NO MUNDO
MAIS VIVA DO QUE UMA PORTA.

EU ABRO DEVAGARINHO
PRA PASSAR O MENININHO
EU ABRO COM CUIDADO
PRA PASSAR O NAMORADO
EU ABRO BEM PRAZENTEIRA
PRA PASSAR A COZINHEIRA
EU ABRO DE SUPETÃO
PRA PASSAR O CAPITÃO.

SÓ NÃO ABRO
PRA ESSA GENTE QUE DIZ
QUE SE UMA PESSOA É BURRA
É BURRA COMO UMA PORTA.

EU SOU MUITO INTELIGENTE!


EU FECHO A FRENTE DA CASA
FECHO A FRENTE DO QUARTEL
FECHO TUDO NESSE MUNDO
SÓ VIVO ABERTA NO CÉU.
RESPONDA:

1 ) DE QUAL MATERIAL A PORTA É FEITA?


R:____________________________________________

2) QUEM PASSA PELA PORTA QUANDO ELA É ABERTA DEVAGARINHO?


R: ______________________________.

3) COM QUAL ANIMAL ALGUMAS PESSOAS COMPARAM UMA PORTA?

( ) UM CACHORRO
( ) UM CAVALO
( ) UM BURRO

4) QUAL É A QUALIDADE DA PORTA CITADA NO TEXTO?

5) EM QUAL LOCAL A PORTA VIVE ABERTA?

6) SE UMA CASA TEM 14 CÔMODOS E APENAS 3 NÃO TEM PORTAS, QUANTAS PORTAS TEM ESTA CASA?