Você está na página 1de 7

Trabalho de Conclusão de Curso

Comparação em simulação computacional de técnicas


de geração das correntes de referência para filtros
ativos de potência em paralelo sobre sistema à quatro
fios.

Renato Vallerini Barbosa

Jataí
24/9/2019

1
Trabalho de Conclusão de Curso
Tema
Compensação de harmônicos de corrente, desequilíbrio e potência reativa.

Resumo (máximo 300 palavras)


Este trabalho trata do estudo e da construção de um compensador automático de desequilíbrio e
potência reativa, que utiliza um sistema de controle digital embarcado, fundamentado na teoria de potência
instantânea. E conjuntamente a ele, um filtro passivo para compensação de harmônicas advindas da
performance do SVC. A validação dos resultados será baseada em três etapas: desenvolvimento teórico,
simulação computacional e resposta dos ensaios experimentais obtidos através da elaboração do protótipo de
controle atuando no SVC já existente, juntamente ao protótipo do filtro passivo. Os resultados finais do
trabalho de conclusão de curso devem demonstrar a contribuição efetiva da proposta na área de qualidade de
energia elétrica, sobretudo nas aplicações industriais.

Palavras-chaves: Desequilíbrio. Fator de deslocamento. SVC. Potência instantânea. Filtro sintonizado.

Justificativa (máximo 3 páginas)

Na atual conjuntura, com a expansão e desenvolvimento de cargas cada vez mais potentes e com o
crescente aumento da demanda energética, o tema qualidade de energia e eletrônica de potência tem sido de
suma importância para o aprimoramento e evolução dos equipamentos e cargas utilizadas, em sua maior
parte, em indústrias e comércios diversos. Estas unidades consumidoras demandam um excesso de reativos
nas redes de distribuição, acarretando em diminuição de eficiência, perturbações e, inclusive, prejuízos à
concessionária e aos próprios consumidores (DECKMANN; POMILIO, 2017). Além disso, a má distribuição das
cargas entre as fases, visto que grande parte são monofásicas e bifásicas, causa desequilíbrio de corrente de
carga entre as fases. Pode-se caracterizar como desequilíbrio de cargas em sistemas trifásicos, a ocorrência
de diferentes amplitudes para cada fase no mesmo instante de tempo (KAGAN, 2008), conjuntamente, ou não,
à defasagem diferente de 120⁰ entre as tensões ou correntes de fase (ANEEL, 2017).
Cargas trifásicas desbalanceadas, sejam estas, equipamentos com instabilidades no modo de
operação, como por exemplo fornos a arco e máquinas de solda, ou motores trifásicos durante a partida, são
os principais causadores de desigualdade de corrente entre as fases devido ao alto consumo de potência
(TEODORO, 2005). As diferentes impedâncias por fase, em geradores e motores elétricos, devido suas
propriedades intrínsecas, ou decorrente de sobreaquecimento irregular do estator, são fatores relevantes que
acarretam em desequilíbrio. Transformadores, também, possuem diferentes permeabilidades de núcleo para
cada ramo trifásico, gerando, portanto, diferentes correntes de magnetização, ou seja, diferentes correntes
fluindo para a carga.
Segundo Teodoro (2005), rompimento de fusíveis e condutores, ou fase aberta por qualquer outra
falha, fissuras ou imperfeições no isolamento de equipamentos e banco de capacitores com ramo em aberto,
são irregularidades, que sozinhas, representam cerca de 5% dos desiquilíbrios. De forma geral, em sua maior
parte, desequilíbrios ocorrem no Sistema de Distribuição de Energia Elétrica (SDEE). Contudo, redes elétricas
de transmissão não transpostas, ou transpostas de forma irregular provocam reatâncias capacitivas e indutivas
distintas por fase, resultando em um desequilíbrio significativo de tensão no final do barramento.
O desequilíbrio causa falhas e complicações no SDEE e em equipamentos instalados nesta,
principalmente motores, causando sobreaquecimento e, consequentemente perdas por efeito joule, redução da
vida útil de equipamentos e condutores, má operação dos sistemas de proteção e controle e até mesmo
saturação de transformadores (CUTRI, 2004).
Para garantir a eficiência energética e a Qualidade de Energia Elétrica (QEE), a Agência Nacional de
Energia Elétrica (ANEEL), na resolução normativa n⁰ 794/2017, denominada Procedimentos de Distribuição de
Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional (PRODIST), módulo 8-QEE, estabelece que os limites para
desequilíbrios de tensão não devem ultrapassar o valor máximo de 2%, para tensões nominais entre 1kV e
230kV, e 3% para tensões nominais menores, ou igual, a 1kV. Compativelmente, a European Standard (EN
50160) estipula também um limite de 2% para 95% da Tensão de Leitura (TL), que integraliza leituras de
tensão eficaz a cada 10 minutos durante uma semana e 3% para algumas localidades especiais.
No intuito de eliminar, ou minimizar o desequilíbrio de tensão, ocasionado prioritariamente pelo
desequilíbrio nas cargas, pesquisadores da área tem apresentado uma variedade de topologias de
compensadores. Segundo WATANABE (2008), compensadores em derivação, são ideais para o aumento da
capacidade de transferência de potência ativa e elevação da margem de estabilidade, possuem

2
comportamento de fonte de corrente (HINGORANI,2000), possibilitam a inserção de corrente reativa
capacitiva, reativa indutiva, ou uma combinação de corrente ativa e reativa no sistema. Logo, são capazes de
compensar demanda de energia reativa da rede e são excelentes reguladores de tensão. Apesar de
comumente serem utilizados com esta finalidade em linhas de transmissão de energia elétrica, podem operar
como compensadores de desequilíbrios de carga (WATANABE et al., 1998).
O presente trabalho visa a construção de um compensador shunt, denominado Compensador
Estático de Reativos (SVC), sigla inglesa de Static VAR Compensator. O SVC é constituído por um Capacitor
Fixo (CF) paralelo a um Reator Controlado à Tiristor (RCT), capaz de compensar reativos capacitivos e
indutivos no barramento onde é conectado em derivação. O que possibilita o dinamismo de seu modo de
operação são os tiristores que funcionam como chaves controladas por um ângulo de disparo (α).
Apresentando o comportamento de impedância variável, ao realizar a leitura da tensão, o SVC funciona com
fonte de corrente controlada. Em conjunto, propõe-se a implementação e incorporação de filtros passivos com
o objetivo de mitigar componentes harmônicas advindas da operação do SVC.
Para que o SVC funcione como compensador de desequilíbrio, é necessário que cada fase opere
individualmente. Os tiristores de cada fase comutam com ângulos de disparo distintos entregando uma
impedância equivalente específica por fase, assim a corrente de compensação que depende diretamente da
impedância, quando somada com as correntes desequilibradas da carga, resulta em correntes de fase iguais
em amplitude e defasadas em 120 graus no sistema.
Os tiristores são dispositivos eletrônicos não lineares, portanto, capaz de controlar o valor eficaz de
corrente no indutor a partir do recorte desta, consequentemente, as correntes que saem do RCT são
distorcidas. Essa distorção é denominada por Distorção Harmônica Total de Corrente (DHTi), que é
caracterizada pelo índice de deformação da forma de onda da corrente quando comparado com o padrão
senoidal. A forma de onda distorcida pode ser decomposta em componentes de frequências múltiplas da
frequência da rede (fundamental), essas componentes são conhecidas por componentes harmônicas
(MARTINS et al., 2003). Para minimizar tal efeito é necessário a utilização de filtros de potência capazes de
mitigar as componentes harmônicas citadas, os quais podem ser classificados como ativos ou passivos. Os
filtros ativos apresentam boas vantagens em relação aos passivos como pré-regulação de filtragem,
flexibilidade, baixo peso e volume, porém os passivos apresentam maior robustez, confiabilidade e menor
custo (MARTINS et al., 2003). Este trabalho apresentará estudos das diferentes topologias de filtros passivos e
será verificado, através de simulações e cálculos, qual melhor satisfaz a atenuação das componentes
harmônicas causadas pela performance do SVC.

Objetivos (máximo 1 página)


Objetivo Geral

O trabalho de conclusão de curso proposto apresenta como objetivo principal o estudo e a


construção de um compensador automático de desequilíbrio e de fator de deslocamento de cargas, que utiliza
um sistema de controle digital baseado na teoria de potência instantânea. E conjuntamente a ele, um filtro
passivo para compensação de harmônicas.

Objetivos Específicos

Os objetivos específicos, pressupostos para a obtenção do objetivo geral, são destacados nos
tópicos a seguir:
 Analisar matematicamente e via simulação computacional o comportamento do SVC operando
de forma assimétrica, como fonte de corrente controlada por fase, e responsável por anular as
componentes de sequência negativa da corrente resultante da carga;
 Implementar um sistema de controle digital, baseado na teoria de potência instantânea, que seja
capaz de proporcionar as correntes e susceptâncias de compensação do SVC e obter, desta
forma, os ângulos de disparo dos tiristores do SVC;
 Estudar, comparar e projetar topologias de filtros sintonizados, responsáveis pela mitigação de
parte do conteúdo harmônico de corrente provocado pela operação do SVC;
 Realizar testes experimentais para o protótipo operando em malha fechada;
 Comparar resultados experimentais e de simulações, a fim de evidenciar a eficácia do protótipo
em compensar desequilíbrios e fator de deslocamento de um conjunto de cargas.

3
Metodologia (máximo 5 páginas)

Uma revisão bibliográfica é crucial para dar início ao desenvolvimento do trabalho, embasando-se em
estudos de causas e consequências de desequilíbrio de correntes de cargas e as harmônicas advindas do
funcionamento do SVC, além disso, estudos aprofundados sobre teoria de potência instantânea e filtros
passivos, dentre eles, os sintonizados, duplamente sintonizados e passa-altas. O levantamento bibliográfico
ocorrerá através de artigos, dissertações, teses, revistas científicas e livros. Em seguida, serão realizadas
simulações via Matlab/Simulink do SVC operando em malha fechada utilizando a teoria de potência
instantânea para que este seja capaz de compensar potência reativa e desequilíbrio. Será investigado também
as componentes harmônicas produzidas pelo chaveamento dos tiristores. Após os testes realizados via
simulação, haverá dados para iniciar o projeto e dimensionamento dos filtros sintonizados para mitigação de
componentes harmônicas e simultaneamente ao projeto dos filtros, a programação do μCU F28069M via
descrição em linguagem C do algoritmo de controle simulado. Com o sistema de controle implementado, serão
realizados testes com conexão de cargas de modo a provocar desequilíbrio, o qual o SVC seja capaz de
compensar. E por último um ensaio experimental do SVC operando como compensador de desequilíbrio
juntamente a operação dos filtros sintonizados. Este trabalho utilizará três métodos para validação de seus
resultados: estruturação teórica, comprovação teórica intermediado por ensaios no software Matlab/Simulink e
conferência prática através da construção dos protótipos, um de controle implementado no protótipo do SVC já
existente no Instituto Federal de Goiás – Câmpus Jataí e outro dos filtros sintonizados. Dessa forma é possível
comparar e discutir os resultados com mais eficácia.

4
Cronograma de Execução
MESES
01ºAb 02º 03º 07ºOu 10ºJa
Atividades 04ºJul 05ºAg 06ºSet 08ºNo 09ºDe
Ma jun
Capítulo de Introdução- Revisão Bibliográfica
sobre o tema da pesquisa
(estado da arte), organizada em
seções com os conteúdos:
- Causas e efeitos/consequências dos
desequilíbrios de corrente
(carga) e de tensão no sistema
de distribuição de energia
elétrica;
- Normas técnicas nacionais ou internacionais X X X
quanto à regulação de desequilíbrio em sistemas
de distribuição;
- Soluções/medidas para atenuar ou eliminar as
causas/efeitos dos desequilíbrios de carga no
sistema de distribuição de energia elétrica:
medidas operacionais, aplicação de
equipamentos /compensadores de
desequilíbrios. Quanto aos compensadores,
levantar os possíveis equipamentos comerciais
disponíveis no mercado.
SVC operando como compensador de
desequilíbrio/fator de
deslocamento:
X X
desenvolvimento de um sistema
de controle baseado na teoria
de potência instantânea.
Simulação do compensador via Software
Matlab/Simulink. Programação
do μCU F28069M via descrição X X
em linguagem C do algoritmo de
controle simulado.
Projeto, especificação e simulação de filtros
sintonizados para mitigação de
componentes harmônicas. X X
Especificação e compra de
componentes.
Ensaios experimentais preliminares do protótipo
do SVC operando como
X X X
compensador de desequilíbrio e
de fator de deslocamento.
Ensaios experimentais para a operação do
compensador de desequilíbrio e
X X
de fator de deslocamento + filtro
sintonizado.
Redação do TCC segundo normas brasileiras. X X X X X X X
Preparação e realização da defesa do TCC X
Preparação de artigo para submissão futura em
congressos da área (CBQEE)
X
ou reunião de iniciação
científica.

5
Discriminação Orçamentária
MESES
Fonte
F
i
n
a
n
Valor Total c Elemento de
nº Descrição Quant. Valor (R$)
i
a
d
o
r
a
1

1 Indutores dos Filtros Passivos 9 350 3150 Recurso Próprio Equipamento


2 Capacitores dos Filtros Passivos 9 200 1800 Recurso Próprio Equipamento
Recurso da
U
n
i
d
a
d
e
3 SVC 1 4500 4500 Equipamento
d
e

E
n
s
i
n
o
4 Módulos Tiristores Semikron 6 70 420 Recurso Próprio Equipamento
... Total 9870
1
No item “Fonte financiadora”, identificar a fonte como: a) recurso próprio; b) recurso externo (empresas,
outras instituições de ensino/pesquisa, instituições de fomento); c) recurso da Unidade de Ensino.
2
No item “Elemento de despesa”, identificar como: a) material de consumo; b) equipamento; c) serviço de
terceiros e encargos diversos; d) diárias e passagens; e) outros

Referências Bibliográficas (máximo 3 páginas)

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA (ANEEL). Procedimentos de Distribuição de Energia


Elétrica no Sistema Elétrico Nacional (PRODIST). Módulo 8, resolução normativa n⁰ 794, 2017.
ALMEIDA, Felipe A. F. de; GONÇALVES, Flávio A. S.; MARAFÃO, Fernando P.; LIBERADO, Eduardo V.
Controle de Tensão de um Compensador Estático de Reativos Conectado a uma Rede de Baixa Tensão.
Revista Interdisciplinar de Tecnologias e Educação. São Paulo: IFSP Câmpus Boituva, 2016.
CUTRI, Rodrigo. Compensação de Desequilíbrios de Carga empregando Conversor Estático Operando
com Modulação em Largura de Pulso. Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas –
Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (EPUSP), São Paulo, 2004. HINGORANI, N. G.; GYUGYI, L.
“Understanding Facts: Concepts and Technology of Flexible AC Transmission Systems”. IEEE Series
on Power Engineering Society; Mohamed E. El-Hawary, Series Editor, 2000.
KAGAN, Nelson; GOUVÊA, Marcos R.; TAHAB, Carlos M. V. Análise de Desequilíbrios em Redes de Baixa
Tensão. Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas – Escola Politécnica da Universidade
de São Paulo (EPUSP), São Paulo, 2008.
MARTINS, Júlio S.; COUTO, Carlos; AFONSO João L. Qualidade de Energia Elétrica. 3º Congresso Luso-
Moçambicano de Engenharia, Moçambique, 2003.
POMILIO, José A.; PAREDES, Helmo K. M.; DECKMAN, Sigmar M. Eletrônica de Potência para Geração,

6
Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica. Departamento de Sistemas e Energia – Universidade
Estadual de Campinas, São Paulo, 2017.
TEODORO, Ricardo G. Metodologia para Compensação de Desequilíbrio em Redes Elétricas. 2005.
Dissertação de Mestrado (Mestre em Engenharia Elétrica) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita
Filho, São Paulo, 2005. [Orientador: Prof. Luís Carlos Origa de Oliveira].
WATANABE, Edson H.; BARBOSA, Pedro G.; ALMEIDA, Katia C.; TARANTO, Glauco N. Tecnologia FACTS –
Tutorial. SBA Controle & Automação. Vol. 9 n°. 1 / jan. 1998.