Você está na página 1de 36

Unidade ​li ​Cinemática ​ Capítulo ​

1​ livre. Galilei ​l ​Teoria,

seus criadores, sua prática ​A Cinemática começou a se desenvolver com Galileu (1564-1642), que estudou o fenômeno da
queda

Cinemática escalar
Torricelli (1608-1647) e Viviani (1622-1703) contri· buíram
​ estudando e resolvendo problemas relacionados com o movimento da
ciclóide.
O-Alembert(l 717-1783).Euler(l 707-1783)eCamot (1796-1832) elaboraram a teoria geométrica do movi- mento. Mas foi Ampére
(1775-1836) quem batizou o estudo dos movimentos. sem se preocupar com as causas, de Cinemática em sua obra P ​ hílosophte des
Sciences. d
​ e 1834, clareando os contornos dessa ciência especial e situando-a no estudo da Mecânica.
A Cinemática evoluiu muito no século XIX; chegou-se até o estudo dos movimen· tos da luz e do som.
O estudo das relações de espaço pertence a Geometria Euclidiana, mas. quando introduzimos a variavel tempo, entramos no campo da
Cinemática. Assim. o espaço percorrido, o ângulo descrito. variáveis conhecidas em Geometria, com a intervenção do tempo, passam
para outras variáveis tais como velocidade. aceleração. velocidade angular e aceleração angular.
Os movimentos podem ser estudados do ponto de vista analítico (Cinemática Escalar) e gráfico (Cinemática Vetorial).
Nesta unidade você encontrará resposta para vários termos que não compreen· deu até aqui e também para questôes que surgem no
dia-a-dia.
14
• Por que vejo primeiro ​O ​1 • ​d . ​do mesmo local? c arao e um trovao e depois ouço o ruído se ambos provêm

• Como uma nave espac· ​1 ​d ​1 ​E . 1​​ se es oca no espaço? Que tipo de movimento realiza?
a​
• pos po~~eiros de um relógio? O menor tem menor velocidade angular que o maior? ​or que. ·

• Quanto tempo um auto · ​11 ​d ​sei . , . ​move eva para ultrapassar um caminhão? Que distância e le percorre e e o m1c10 até o final

da ultrapassagem? ​• ​As ​vezes, ao ultrapassar um t • ​1 ​1.​ ​. d . au omove , 1camos ao seu lado e a impressão que temos e e que os

ve1culos estão parados. Por quê?


• Você lança verticalmente · · · ​para cima uma pedra. Desprezando a res1stênc1a do ar ​podemos dizer.que o tempo que a pedra leva

para subir é igual ao tempo que ela le~ ​para descer ate o ponto de onde foi lançada?

• Quando um avião lança uma bomba, deve abandoná-la sobre o alvo ou antes de estar ​sobre ele?

• Como funcionam duas engrenagens de uma máquina com diâmetros diferentes que ​trabalhem acopladas?

Enfim, essas questões e outras mais você terá condiçôes de responder ao final desta ​unidade.
Ponto material e corpo extenso
Consideremos um navio fazendo uma viagem do Rio de Janeiro até a Itália. Como as dimensões do navio (comprimento, largura e
altura) são muito pequenas, quando comparadas com a distância do Rio de Janeiro até a Itália, ele pode ter suas dimensões
desprezadas. Neste caso, dizemos que o navio é um p​ onto material, ​uma p​ artícula ​ou um m
​ óvel.
Ponto material é todo corpo cujas dimensões não interferem no estudo de um determinado fenômeno.

Observamos que o ponto material tem massa; o que é desprezível é o seu tamanho. ​15
objeto se movimenta ou está em repouso. Observe que os
► conceitos de repouso e movimento são relativos isto é d d

do referencial adotado. • • epen em


Suponhamos, agora, o mesmo navio entrando num porto.
Neste caso, suas dimensões não ​po· ​dem ser desprezadas, 16
quando compara- das com a largura e o comprimento do 4 Trajetória
porto; então o navio ​é ​denominado um ​corpo extenso.

A foto ao lado mostra um esquiador ​em movimento. A ​


marca que ele deixa na neve, e que representa o caminho
percorrido pelo esquiador em relação a uma pes· soa parada
no solo, ​é ​denominada t​ rajetória.

Corpo extenso ​é ​todo corpo cujas dimensões interferem no


estudo de um determinado fenômeno.

"'J ​Repouso, movimento e referencial


Trajetória ​é a​ ​linha determinada pelas diversas posições que
Consideremos uma pessoa ​A ​dentro de um carro que anda um corpo ocupa no decorrer do tempo.
para a direita, e uma outra pessoa B em pé, no acostamento.

A trajetória depende do referencial adotado. Por exemplo,


suponha um avião voando com velocidade constante. ​Se
F
F
p
p
p

num certo instante ele abandonar uma bomba, ela cairá


segundo uma ​trajetória vertical ​em relação às pessoas do
avião. Porém, para um observador parado no solo, vendo de

t
Tomando a pessoa B como referência, verificamos que a

distàncla entre ela e ​A ​varia com o tempo.

Neste caso. dizemos que A está em movimento em relação lado o avião, a trajetória da bomba será ​parabólica. ​
a B. Supondo, agora. que B esteja junto com A no carro, e
tomando novamente B como referência. verificamos que a
distància entre elas não varia com o tempo.
Neste caso. dizemos que A está em repouso em relação a B.
O corpo B. que tomamos como referência nos dois
exemplos. ​é ​denominado ​referencial.

O re!.erenc'.al ​é ​i_~dispensável para determinar a posição Quando sabemos a forma da trajetó· ria de um ​corpo,
de um objeto e também necessá110 par<1 venf1car se um
podemos determinar sua posição no decorrer do tempo
através de um único número chamado ​abscissa do corpo.
Exemplo: Consideremos um corpo movimen· !ando-se
sobre a trajetória da figura

17
De ​acordo com a trajetória, os movimentos recebem os seguintes nomes: ​movimento retilíneo: a​ trajetória é uma rela. ​movimento
curvilíneo: ​a trajetória é uma curva.

Posição escalar

1 ​i ​
r: ​i( ​ '​)​
n​1
Para localizarmos esse corpo num determinado instante, adotamos arbitrari- amente um ponto O sobre a trajetória, ao ​qual

_, ​
chamaremos ​origem das ​posições, e orientamos a trajetória positivamente, por exemplo, para a direita a partir de ​O. ​ o

lõfõ1 ​
p

Para conhecer a posição do corpo, isto é, sua abscissa, num certo instante, precisamos conhecer sua distância em relação ao
ponto ​O.
Costumamos representar a posição de um corpo num instante dado pela letras. Essa posição será positiva se o corpo estiver ​à
direita da origem e negá tiva se estiver à​ ​esquerda.
Na trajetória a seguir temos:
l • ​l 1 ​-4 -3 -2 -1 O ~
h ​t•2h ​~I ​ ​2 3 4 5
a posição do corpo no instante t = 1 h és= ​-4 ​km ​a posição do corpo no instante t = 2 h é s = 3 ​km ​a posição do corpo na
origem é s = ​O
(km)
Posição escalar de um corpo é a medida da distância do corpo até a origem das posições, num determinado ins.tante. ,
6 Deslocamento e caminho percorrido
Consideremos uma pessoa que sai do
y(m) ​ponto A e passa pelos pontos B, C e D, onde pára, seguindo a trajetória indicada na figura. ​B.,._ ______ ​400m
C
Podemos calcular o caminho percor- rido pela pessoa efetuando a soma dos segmentos:
caminho percorrido = AB ​+ ​BC ​+ ​CD
100m ​A

caminho percorrido = 100 ​+ ​400 ​+ ​400 = 900 m


18
400m
D
x (ml

i.l ​
i'​
l
Já o deslocamento ​é ​a medida do. segmento que representa a distância en- tre a posição inicial e a posição final da pessoa.

y(m) ​
BL------c
Utilizando o teorema de Pitágoras, teremos: ​d2​ ​= ​400​2 ​+ ​300​2
100m ​posi~o ​inicial

A ​400m
300m
2​
d​ = ​160 000 ​+ ​90 000 d= 500 m
Se a trajetória ​é ​curva, o deslocamen- to não coincide com o caminho percorri- do pelo corpo.
Na figura, o deslocamento do corpo ao passar do ponto A para o ponto B é a medida do segmento AB, e o ~minho percorrido
é ​a medida do arco AB.
D ​posição ​
deslocamento ​ final
x (m)
trajetória
Quando a trajetória ​é ​uma reta e o corpo se movimenta sempre no mesmo sentido, o deslocamento e o caminho percorrido
coincidem.
Se houver inversão de sentido, eles não serão iguais.
l ​Um garoto percorre os lados de um terreno retangu·

lar de dimensões 40 me 80 m. ​1 ​/A lL---____.~--​~ \​ "


D ​f f​ ' C ​a) Qual a distância percorrida pelo garoto em duas voltas completas? ​b) Qual a distância percorrida e o deslocamento no
percurso ABC? ​2 ​Uma ​pessoa ​sai do ponto A e caminha passando pelos pontos B, C e D. onde pára. Com base na figura a seguir,
calcule o deslocamento e o caminho percorrido pela ​pessoa ​nos trechos: a) AB b)ABCD

​ ​. \.1~
o ​10, ​1, ​r __ 80 ​ ​x (ml ​. 3​ ​Consideremos um carro percorrendo uma pista circular de raio 80 metros. Determine odeslocamen· to e
o espaço percorrido pelo carro durante: a) um quarto de volta; b) meia volta; c) uma volta. ​4 ​A distância da TerraaoSolédecercade
149milhôes de quilômetros. Qual o espaço percorrido, em km. pela Terra durante urna volta na sua órbita? Suponha a órbita circular.
Faça l​ l ​= ​3,14.
19

l
Velocidade escalar ​Consideremos um carro ​origem_ das ​-.:b1====s;;=,==~li!======~~;::oa:.

pos,çoes ,... ​- --- ​percorrendo ​média ​- ​

•​ --=--- ​s, ​a trajetória ​--- ​indicada ​- -+ ​na figura. ​o tempo Suponhamos


​ ​M ​".' ​t2​ ​-

que, t​1​• ​para percorrer a variação de espaço õs ​= ​s​2 -​ s​ ​1​• ​o carro leve ​grandeza Define-se
​ ​vm ​dada como
​ ​por: velocidade
​ escalar

ru ​--
​ _o_s:gr:ro, ​: entre
média Q ​ os instantes t ​1 ​e t ​2 .​ a ​r---- ​! ​
!​ 1 ​_ ​V= - ​

​ _ 1 ​m ​
=-2 ​s-s _ ​ - t.'._ '​ ​.J
-~ t- ​1⁄2 ~

indica ​. . A unidade ​por m/s.


de velocidade no Sistema Intemacfónal é o metro por segundo e se Podemos, também, utilizar o quilômetro por hora, que se
indica km/h. Observações: ​1 ​~) ​Se o carro se movimentar no sentido positivo da trajetória, tere~os:
2~) ​Se ​teremos:

o carro se movimentar no sentido contrário ao positivo da trajetória. ​S​2 ​< ​S1 ​


= lls​ ​< ​Ü ​:. ​vm <​ ​0
3P) ​Quando dizemos que a velocidade média de um corpo durante um certo
!ntervalo de tempo é de 70 km/h, isto não quer dizer que durante todo esse intervalo de tempo o corpo ​teve s​ empre esta
velocidade.
Velocidade escalar instantânea ​Consideremos que você esteja dirigin- ​do um carro numa estrada. Suponhamos

também que você anote a velocidade do can·o no decorrer do tempo, obtendo a tabela ao lado.
O valor da velocidade do carro num detenninado instante denomina-se ​velo- cidade escalar instantânea.
20

L r-​ ​instante ​- ----


​ ​- ​- ​ 1 ​-- ​7h ​- - 1​ ​ 7 h 15 ​min ​
1​ 1​
-​
~
velocidade em km/h

1 ​60
! 8​ 0 ​l ​_, ​
​ 1 ​1

7 h ​40 ​Sh min ​- ​50 ​20 1​ ​


​ _ _J
i· ​ l ​l ​j ​1 ​
), ​
l 1​ ​ 1 ​I · ​r
i ​J ​

.1

Exemplo: Às 7 h o velocímetro estava marcando 60 km/h. Isto significa que no instante t ​= ​7 h a velocidade do carro era 60
km/h, isto é, o carro percorreria 60 ​km ​em uma hora se mantivesse a velocidade assinalada naquele instante.
Como o velocímetro do automóvel não indica se ele está se movimentando no mesmo sentido ou em sentido contrário ao

positivo da trajetória, estabelecemos a convenção: ​sentido sinal ​- - ​.


trajetória ô
​ ​
​ ​(posiliva) ​velocidade
V ​> Ü mesmo da ​
"'~

movimento progressivo escalar ​1 ​- i​ nstantânea ​


v< O(negali ​
contrário ao ​
ô​ _.,,11 ​ va) ​
da trajetória movimento retrógrado

Se a velocidade escalar instantânea de um móvel num dado instante for ​v ​= ​-6 m/s, isto significa que, no instante dado, o móvel
caminha em sentido contrário ao positivo da trajetória.

Problemas de Aplicação
' Um ônibus percorre uma distância de 180 km em 2 h 30 min. Calcular a velocidade escalar média do ônibus em m/s, durante esse
percurso.
lT​ ransformar:
.is= 180 km= 180 000 m ​
Resolução: ​Dados: ​ {​ut,= 2 h​ ​30 min = 9​ ​000 s
V ​m ​= ​~ .​ lt ​⇒ V​ ​m ​= 180 9​ ​000 000 ​⇒ V​ ​= 20 m/s
m ​Resposta: ​20 m/s

a) 108 km/h em m/s; b​ ) ​20 m/s em km/h. R ​ esolução: ​a) Como 1 km =​ ​1 000 m e 1 h​ ​= 60 min =​ ​3 600 s. temos:
1 ​ = 108 . 1000 ​ m = ​ 108 m/s ​= ​30 m/s ​
108 k m /​ i ​ 3600s ​ 3,6 ​ b) ​Como l​ ​111 ​= ​1 O~O
​ ​km e​ ​1 s =​ ​3 6​~​0 h,
​ ​então:
1​
_ l_ km ​20 ​m/s = ​ ​20 • ​ 3600 OOO
​ ​ ​20 · 3.6 km/h ​= 7​ 2 ​km/h ​h Note
​l = ​ ​ ue ​para transformar km/h em m/s ​diuide·se ​por 3,6 e para
q
transformar m/s em km/h ​multiplica·se ​por 3,6. R ​ esposta: ​a) 30 m/ s b) 7​ 2 ​km/h
21
i​
.\
3 ​Uma partícula percorre uma trajetória retilínea AB. onde M é o ponto médio, sempre no mesmo sentido e com velocidade constante em

cada um dos trechos ​AM ​e ​MB. A ​velocidade da partícula no trecho ​A AM


​ ​e ​8. é​ de 6 m/s e no trecho ​MB ​é de 3 m/s. Calcular a

velocidade média da partícula entre os pontos ​i\S1 •X R


​ esolução: ​A,..' _ ___ õ_r_,. _ _ _ ....,__ _ _ _ _ õ_r, _ __ ___.,;
'MB
v, • 6m/s
Nos trechos ​AM ​e ​MB. ​temos:

​~ ​3 ​= - ​At, X​ ​~ ​At 2​ ​X ​3 ô​ ​Resposta: ​4 ​m/s


​ -​ ​At, X​ ​~ ​At 1​ ​= -​ ​6 X​ ​--=
v, - -​ ​AI ~​ ​, ​~ ​6 = ​ <-:;.- ​v. · ​= -· ​At, t..s.
(!C, ​ ​
​ ransfonne:
5T
a) 90 km/h em m/s; b) 15 m/ s em km/h.
6 ​(ESPM-SP) Qual a velocidade em km/h que um avião deve atingir para igualar a velocidade de pro- ​
ex~ ​ lp
​ agação do som

no ar, supondo que esta seja de .~Om/ s? ​A ​passa de ​instante ​uma pelo estrada ponto ​11 ​= ​2 ​B.
s retilínea um automóvel e. no instante passa pelo t​2 ponto
​ ​ ​7 ​s,
=

A ​B ó​ ​100m ​300m ​Calcule a velocidade escalar média do automóvel nesse trecho.


8 ​Um ​COJ1'edor ​peroorre ​100 metros ​em ​10 ​segurx.los.
Determine ​sua~ ​média ​em km/h.
tp m automobilista percorre três voltas de um circuito de comprimento 4 ,5 km. empregando em cada volta os seguintes tempos: 10 min.

12mine 12min30s. ​Calcule em m/s: ​a) a velocidade média· do automobilista em cada ​volta; ​b) a velocidade média no percurso total. ​1 O
(ESPM-SP)Uma estrela está a uma distância de 4,5· 10​9 ​km da Terra. Sabendo-se que a velocidade da luz é de 300 000 km/s. qual o
tempo gasto pela luz da estrela para atingir a Terra?
11 ​Certa pessoa 1fojava em um automóvel cujo veloci·
22
v, =3m/s ​ó S =2X ​No percurso total ​AB, ​temos:

​ S​
V= ​m ​AI Ó ⇒ ​. ​V=~⇒ ​At ​1
+At ​' ​V ​ =~ ​6+3
m​

XX​ ⇒ ​V ​ =4m/s m​

!I ​1

metro não funcionava. Desejando saber qual a velocidade escalar média do automóvel e sabendo que os postes da rede elétrica dispostos
à ​margem da estrada distam 60 m um do outro, a pessoa começou a marcar o tempo no instante em que passou em frente de um certo
poste (chamemos a este de ​19​ ​poste) e constatou que transcorreram 45,6 s até o instante em que passou diante do 20o poste. Detennine a
velocidade escalar media do automóvel, em km/h. constatada no intervalo de tempo durante o qual se deslocou do l​ 2 ​ao 20• poste.
12 ​(ESPM-SP) ​A ​disiãncia da faculdade ​até ​a zona leste da cidade é de 24 km. Considerando a velocidade máxima pennitida de 80 km/h,
quantos minutos. no mínimo, uma pessoa deve gastar no percurso em trânsito completamente livre?

1 3 ​Duas cidades ​A ​e ​B ​distam 600 km. Um carro parte de ​A ​às 8 h 15 min 30 s e chega a ​B ​às 14 h 32 min 20 s. ​
e​ ;~ a) Qual o

tempo gasto na viagem?

b) Qual a velocidaq,e escalar média do carro na \~agem? Dê a resposta em ​km/h. ​25 ​yma km. linha Sa~ndo de ônibus que um u_rbano

ombus percorre tem um. esse tr~jeto trajeto de em


​ 85 minutàs, calcule sua velocidade escalar média em km/h.
1 ​5 (​ Unesp-SP) Num caminhão-Ianque em movimen- to. uma torneira mal fechada goteja ​à ​razão de 2 gotas por segundo. Detem1ine a

velocidade do ​
·I ​i
' ​·~ ' ​1 ​\ ​;J
J ​1 •​ ,

caminhão, ​sabendo que a distância entre marcas a) Qual a velocidade (média) dos clientes ao longo sucessivas deixadas pelas gotas no
​ ma escada rolante de ​6 m
asfalto é de da fila? 2,5 metros. b) Quanto tempo ​um ​cliente gasta na fila? ​16 U ​ de altura e 8 m de ​base

transporta uma ​pessoa ​da base até o topo da escada . --------. · ​c) ​Se ​quantos ​um dos ​metros ​caixas ​a ​e ​se ​fila ​_ ​retirar aumenta?
​ ​-::-:---..
por trinta minutos. num intervalo de tempo de 20 s. _ ​18 ​UJll ​carro perco~e ​~O ​km a~ O ​km~ ​e, em ​segui- ​Determine a velocidade
média dessa ​pessoa. ​~ ​---·&,\j_0 ​~ii!l ​20 km/h:·Deterrninea velocidade média
Bm
17 ​(Unicamp·SP)<_.E_lrasi/eir~~e] Numa tarde de sexta-feira, a fila única de clientes de ​um ​banco tem comprimento médio de 50 ​m.
Em ​média, a distância entre as pessoas na fila é de 1,0 ​m. ​Os clientes são atendidos por Ires caLxas. Cada caixa leva cerca de 3.0 min
para atender um cliente. Pergunta~:
9 ​Movimento uniforme
a) ​Definição

​ ​,!Ama carro
(g -'{o ​ ​patrulha durante
​ ​rodoviária tcxlo
​ o percurso. ​mede o tempo que cada ._,,
​ veículo leva para percorrer ​ um ​trecho

de ​400 metros da estrada. Um automóvel percorre a primeira ​me- ​-tadedõírecho deve de-80 ​ ser-~ ​k!n/h ·​ maior a com velocidade
velocidade velocidade máxiinãpe~tldà, de média 140 ​km/h. ​do carro Sêndo qual ​ria ​segunda metade do trecho para evitar a multa? ​20
Um menino sai de sua casa e caminha para a escola. dando, em média, um passo por segundo. O tama- nho médio de seu passo é
de._Q;rm e ele gasta 5 minutos no trajeto. Qual a díslânciá entre ​sua casa e ​a escola? ​r,
Suponha que você esteja dirigindo um carro de tal forma que o ponteiro do velocímetro fique sempre na mesma posição,
por exemplo. 50 ​km/h, ​no decorrer do ​tempo. Nessa
​ condição você irá percorrer 50 ​km ​a cada hora, isto é, se em 1 hora

você ​percorre 50 ​km, ​em 2 horas percorrerá 100 ​km, ​e assim por diante.
Ou seja, você percorrerá dis!âncias iguais em intervalos de tempo iguais. Para que isto ocorra, a velocidade escalar
instantânea deve ser igual ​à ​velocidade escalar média em qualquer intervalo de tempo.
O movimento descrito nessa situação é denominado ​mouimento uniforme ​(MU).
movimento uniforme ​ç::> ​v ​= ​v ​m ​= ​cte ​,te O
1​ ​

Podemos citar alguns exemplos: uma gota d'água descendo por um tubo cheio de óleo, um ciclista em velocidade
constante, a viagem de uma nave interplanetária, a subida ou descida de uma escada rolante etc.
Na prática, os movimentos não são perfeitamente uniformes. Se a trajetória for retilínea, o movimento é dito ​mouimento
retilíneo e uniforme (​ MRU).

:"\ ​
~ ​.-. ​ ' ​1 ​
-​ ,..:.,.) \​ ​1 •,

23

r
b) ​Função horária das posições ​O estudo da Cinemática restringe-se ​à ​escolha de um referencial e ao registro, em termos
matemáticos, das sucessivas posições ocupadas por um corpo no decorrer do tempo.
Portanto, partindo da ​posição atual d​ o corpo, num determinado referencial, pode-se determinar a sua ​posição futura ​no mesmo
referencial.
Assim, dados o ​aqui ​e o ​agora ​do corpo - posição e instante iniciais - para um dado observador, podemos prever o ali e o ​depois ​do
corpo em relação ao mesmo observador.
Para isso, considere um corpo percorrendo com velocidade constante v a trajetória da figura. ​1​1 a​
0 ​r, ​= ​r ​Sejam:
o ​origem ​posições ​das ​..
s​0​: ​a posição do corpo no instante inicial ​1​0 ​= ​O ​(posição inicial) s: a posição do corpo no instante ​1. ​Temos:
S​= ​50 ​+ ​vi
A função horária das posições de um movimento uniforme ​é ​a fórmula matemática que fornece a posição do corpo no decorrer do
tempo sobre uma determinada trajetória.

Problemas de Aplicação
24
Um corpo movimenta-se sobre uma trajetória retilínea obedecendo ​à ​função horária s = 20 + 41 (no ​SO. ​Determinar: a) sua posição
inicial e sua velocidade; b) sua posição no instante 5 s; c) a variação de espaço entre os instantes 2 s e 7 s; d) o instante em que o ponto
material passa pela posição 60 m. R​ esolução: ​a) Como a função horária das posições é​ ​do 1​2 ​grau em relação ao
s ​ =:zo:+:fi: ​ {s ​ =20m
tempo, o corpo realiza um movimento uniforme: logo: . ​ s ​ =:.~Q_:+ ​: : : ​:~_t: ​: ​⇒ ​ o ​v ​
= ​4m/s
b) s ​= ?​ quando t ​= ​5 s
​ ​40 m
​ 20 + 4 · 5 ​⇒ ​s​5 =
S = 20 + 4t ​⇒ ​s​5 =
c) Para t = 2 s
s=20+4t ⇒ ​ ​Para t ​= ​7 s
s​2​=28m
s= 20+4t ​⇒ ​s​7​=48m
t • 2 ​s

s(m)

• ​.. ​'
A ​variação de espaço ​é ​igual ​a: ​& ​= ​S​7 ​- S ​2 ​⇒ ​& ​= ​48 - 28 ​⇒ ​& ​= ​20 ​m ​d)t=?quandos=60m
S ​= 20 + 41 ​⇒ ​60 ​e ​20 + 4t ​⇒ ​t ​= ​10 ​S ​Resposta: ​a) s​0 ​= 20 me v = 4 m/s b) 40 m c) 20 m d) 10 s

{i) D​ ois móveis partem simultaneamente de dois pontos de uma reta, separados por ​uma ​distância de 15 metros, percorrendo-a na
mesma direção e em sentidos contrários, com velocidades constantes e iguais a 2 m/s e 3 m/s. a) Em qual instante, após a partida, se
verifica o encontro? b) Qual a posição do encontro? ​Resolução: ​a) Esquema
o •is ​sfm)
tt)(ando a origem onde se encontra o móvel A ​ , ​temos as seguintes funções horárias: SA = S + V​ A ​1 ⇒ ​ ​SA = 0 + 21 ​⇒ ​SA ​= 21 S​ ,, ​= SOA +
​ ​S​8 =
V​8​t ⇒ ​ 1_5 - 31 No encontro, temos: s, = S​ 8​ ⇒ 2
​ 1 = 15 - 31 ​ ⇒ t
​ = 3 S b) ​ A p
​ osição do encontro em relação à​ ​origem é​ :
SE ​= ​2t ⇒​ ​SE ​= ​2 · 3 =
​ ​6 m R
​ esposta: ​a) ​3 ​s ​b) 6 ​m

​ ​) Um trem de 200 metros de comprimento tem velocidade escalar constante de 72 ​km/h. ​Determinar
'3 ,'1
o tempo gasto para passar uma ponte de 50 metros de comprimento. ​Resolução: ​Dado: v, = 72 ​km/h ​= 20 m/s Esquema . ​1 • ​200 ​m ​•1
A ~ ​mic1o da ​:";;Jl;IIJ:J;l•:ll•~====~~m~~~~~~m ​50m ​ultrapassagem : ​ --....--....--....--....--....--....--....--....--....--....--....--....--....--....--...."° ​;ongcm

ultropassogem ​termtnoda :~ ​:
.A.
A ​função horária das posições para o ponto ​A (​ traseira do trem) no início da ultrapassagem ​é: ​SA =SOA ​+vAt ⇒ sA= ​O ​+20t ⇒sA ​= 201
Quando termina a ultrapassagem, temos s, ​= ​250 m. s, ​=20t ⇒ 250=20t ⇒ t= 1​ 2,5s ​Resposta: ​12,5 s
25
1 d​ ​,1 ​
il ​!i ​' ​ 'i ​.i ​'/ ​'/
'/ ​

1-@n ​carro movimenta-se segundo a função horária ' s • 50 ​+ ​St (no ​50. ​a) Qual a posição inicial e a velocidade do ​carro? ​b) Qual
​ ​Em ​que instante o carro ​passa ​pela posição
a posição do carro no instante 20 s? c)

650m? d) Que distância o carro percorre durante o 10' ...-"' segundo? ​/ ​ ' : ​2 2
​ ​_Um corpo movimenta-se sobre urna trajetória retilínea
'){ ​

·-·obedecendo ​à ​função horárias = 60 - lOt (no ​SI).


Determine: a) sua posição inicial e sua velocidade; b) sua posição no instante 3 s; c) o instante em que passa pela origem das posi·

ções; ​d) a distãncia percorrida no intervalo de 1 s a 1 O s. ​. ​.......__ ​. ​


{23 μ​ m corpo se movimenta sobre a trajetória retilinea ​':•. ​·'da
figura, obedecendo à função horária
, _s·=-4 ​+ ​21 ​(no ​50.
-4 ​-3 ​-2 ​- 1 ​o ​1 ​'·2 ​3 4 ​*Si ​6 ​7 ​s(m)
a) Qual a posição do corpo no instante 5 s? b) Determine o instante em que ele passa pelo
ponto A ​14 ​Em ​uma estrada observam-se um caminhão e um jipe, ambos correndo no mesmo sentido. Suas velo-, cidades são.
respectivamente, 54 ​km/h ​e 72 ​km/h. ​Na data zero. o jipe está atrasado 100 metros em relação ao caminhão. Determine: a) o instante em
que o jipe alcança o caminhão; .,...--...._ b) o caminho percorrido pelo jipe até alcançar o
·, caminhão ​\ ​25 ​~ois corredores partem, em sentidos opostos e no ~ mesmo instante, dos extremos de urna pista retilinea de 600 m de
comprimento. Sabendo que suas
26
velocidades são iguais a 8,5 m/s e 6,5 m/ s, calcule depois de quanto tempo a distância entre eles ​é ​de 450 m. ​.26 ​Um batalhão de
infantaria sai do quartel para uma marcha de exercido às 5 horas da manhã, ao passo de ​5 ​km/h. ​Depois de uma hora e meia, um ordenan·
ça ​sai do quartel de jipe para levar uma informação ao comandante da marcha, ao longo da mesma estrada e a 80 ​km/h. ​Quantos minutos o
ordenança levará para alcançar o batalhão? ​21 ​(UnB-DF) Qual ​é ​o tempo gasto para que uma composição de metrô de 200 m a uma
velocidade de 180 ​km/h ​atravesse um túnel de 150 m? Dê sua resposta em segundos. ​23 ​Uma composição Íerroviária com 19 vagões e
uma locomotiva desloca-se a 20 m/s Sendo de 10 mo comprimento de cada elemento da composição, qual ​é ​o tempo que o trem gasta para
ultrapassar: a) u​ m ​sinaleiro? ~
​ b) ​uma ponte de 100 m de comprimento?
~ m trem de comprimento L =​ ​200 m, em trajetória retilínea, tem velocidade escalar constante vr =​ 2​ 0 m/s. Um automóvel de comprimento
​ ​2 m está em uma trajetória paralela à​ ​do trem. - .com velocidade escalar constante v,, caminhando ,,. no mesmo sentido do trem, e vai
L' =

ultrapassá-lo. ​....... ~​ ​O intervalo de tempo decorrido desde o inicio até o fim


​ da ultrapassagem completa do trem ​é d​ e 1 ​O, ​1 s. Calcule v,.
30 ​Um caçador dá um tiro e ouve o eco 6 s após o disparo. Sabendo que a velocidade de propagação do som no ar é de 340 m/s, calcule a
que distância do alvo se encontra o caçador.
1 O Gráficos do movimento uniforme
A Matemática, através da teoria das funções, nos fornece meios para relacionar as grandezas que dizem respeito ao movimento:

posição, uelocidade ​e ​tempo. ​cas sao P_odemos


​ ​chamadas ​também ​diagramas.
relacionar essas grandezas graficamente. Essas relações gráfi- ~este item vamos estudar as duas etapas mais usadas para descrever
e prever os movimentos: a ​construção e​ a ​interpretação d​ os gráficos do movimento uniforme.

a) ​Posição em função do tempo [s ​= ​f(t)I ​representado ​Como a função ​por uma ​s ​= ​reta.

​ ​vt ​é ​do 1 ​o ​grau em relação ao tempo, o seu gráfico ​é ​Temos dois casos, que veremos a seguir. caminha
s​0 +
\e,,'/
Neste 1 ​o c​ aso: no caso sentido velocidade as posições positivo positiva crescem da trajetória. (v ​> ​O)
algebricamente O gráfico representativo com o tempo, ​é: ​isto ​é, ​o corpo

'.:-, ​ '"' ​~ ​) ​ .​ \o _\;:., ​t

representação sobre a trajetória

lz ​0 ​----~..ac='3L..------+• ​o ​s,, ,.​ ​2o caso: velocidade negativa (v < 0)


Neste caso as posições decrescem algebricamente com o tempo. isto é, o corpo caminha no sentido contrário ao positivo da
trajetória. O gráfico representativo é:
o
Observações: 1 ​!) ​A ordenada em que a reta corta o
eixo s representa o valor de s​0​• ​A abscissa em que a reta corta o eixo ​t ​representa o instante em que o móvel passa pela origem.
representação sobre a trajetória
o
o
27

r​ 1​
1 ​1

2~) No gráfico s ​= ​f(t) a tg ​a ​é ​nwnericamente igual ​à ​velocidade.


3 1​​ ) ​Quando movimento, o corpo não estiver em./·

isto ​é, ​v ​= ​O, a posi-· ção do móvel ​é ​sempre a mesma. ​_r'..:: ​S-:-- ​- ​S::'.Ji _,,
​ ​o)-f.\ ​~, s:Y-1J-1c
​ ·​ ​ç ​-"._/ ~
​ ​- ​1 ​,,.,,,..,,.,.-·

s, ​o

I ​r ​V ​= ​0 ​(repouso)

​ ​Problema
íf. IÍ de .​ ​ 1
Um ponto material em movimento sobre uma trajetória retilínea tem ​
:' ​\,,,Aplicaçã_9
posição em função do tempo dada pelo gráfico ao lado. Determinar: s(km)
50 ​30
·r
/ :" I

28
a) a posição inicial do ponto material; b) sua velocidade: ​e) ​a posição do ponto material no instante ​7 ​h. · ·
Resolução: ​a) Quando ​t ​= ​O ​temos s​0 =
​ ​30 ​km. ​b)
o ​2 ​1 ​(h) ​e) A função horária das posições ​é:
S ​= ​s​0 +
​ ​vi ⇒ ​S ​= ​30 ​+ ​101
​ 0 - 30 ​= ​20 km ​ót ​=
Lis ​= 5 2 - O= 2 h

tg ​a= ​v ​⇒v ​= ​ót ós


​ ​V= ​20 ​2 V=
​ ​lQ ​km/h

Logo, ​s ​= ​30 ​a ​+ ​posição ​lOt ​⇒ ​s ​no ​= ​30 ​instante ​+ ​10 · ​t ​7 ​= ​'-​~?J ​7 h ​é ​igual ​70 ​a:
= ​100 km ​Resposta: ​a) 30 km b) 10 ​km/h ​}'l'.'.'100 km
i,
·J

:; 1 ​Um móvel realiza um movimento retilíneo e unifor- me obedecendo à função horária ​ s ​= ​40 - 1 ​0t (no ​SO. ​Construa o·grá/ico dessa
função-no-intervaÍo de O a 4 s. ,,.. '-, ~​ . ​~ ​, ,._ A ​figura representa a posição de um corpo, em movimento
​ retilíneo, como função do
tempo.
s (rn)
t ​(s)

a) Detennine a função hor,&ria das ~sições 1esse móvel. ​S~ ​·SU ​{-~í - ​s ​~1,qut1 ​instante o corpo passa pela posição
1_80 ~ ​'.' ​3 ​O ​gráfico indica a posição de ​um c​ orpo no decorrer do tempo. Qual a posição do corpo no instante ​12 ​s​7
s (m)

10 ​ 5 ​t ​(s)
o​
3 ​Uma nave espacial em movimento rem sua posição no decorrer do tempo, num trecho do movimento, dada pelo gráfico abaixo.
s(km) ​3 500
2500
1500

500 ​ 2 ​3 1​ ​(h)
o​
a) Qual a velocidade da nave? b) Onde estará a nave após 8 h de movimento a
partir do instante t ​= ​O?
35 ​Dois ​mísseis em treinamento de interceptação deslo- cam-se em movimento retilíneo e uniforme numa mesma direção e sentido. O
gráfico representa o movimento desses misseis.
s (m)
300 ​·-r---....,
a) Qual o instante em que o míssil B intercepta o
míssil A? b) Qual a distãncia do ponto de interceptação ao
ponto de lançamento?
3 ​6 ​Nos gráficelS indicados. temos as posições as,inala- das durante o movimento simultãneo de dois carros, ​A e​ ​B, ​sobre uma mesma

trajetória retilínea. ​a) ​


s(;:1-------------- ​ B

14 - --- -----

2​
o ​b) ​s(mi
10
3 ​4 t ​(s)
A
5 : 7 ​t ​(s)
-20 -32 ----------------' B
Determine. em cada caso, o instante e a posição do encontro desses carros.
29

p
b) ​Velocidade em função do tempo [v ​= f​ (t)I ​A ​velocidade de um corpo em movimento uniforme ​é ​sempre constante e
diferente de zero. Portanto, o gráfico representativo da velocidade ​é ​uma reta paralela ao eixo dos tempos.
Temos dois casos:
• velocidade positiva • velocidade negativa
V

Ve--------
Ve--------

Observação: V​ ​No gráfico da velocidade em função ​do tempo, a área A da figura representa numericamente
​ o espaço
percorrido pelo móvel entre os instantes 1​1 ​e t​2​.
A

Problema de Aplicação
V ​(km/h)

70r-------.

35 ​ ··········q
A,
o ​2 3​ ​l ​(h)
30
O ​movimento de ​um ​carro em uma estrada está representado na figura
v(km/h) ​
70.------,

A, ​35 .......... --, ​ '


:​
A,

o ​2 3 ​t (​ h) ​a) Qual o espaço percorrido pelo carro nas primeiras ​3 ​h de movi-


mento? ​b) ​Qual a velocidade média do carro no intervalo de ​O ​a ​3 ​h? ​Resolução: ​a) ​O ​espaço percorrido é dado pela área total

assinalada na figura ao ​lado.


âs ​= ​A​1 +
​ A​2 ⇒
​ ​âs ​= ​2 · 70 + 1 · 35 ​⇒ ​ru; ​= ​175 ​km ​b) A ​velocidade média é dada por:

Vm= - t.s
​ ​t.t ​⇒ ​Vm= - 175
​ ​3 ​⇒ ​Vm= ​58,3 km/h Resposta:
​ a​ ) ​175 ​km b) ​= ​58,3 km/h

1​
i
40 ​3 ​7 ​Em cada caso, represente graficamente a velocidade
Um automóvel faz uma viagem em ​4 ​horas e sua escalar em função do tempo dos seguintes velocidade escalar varia em função ​do

tempo apro- ​movimentos:


ximadamente como mostra o gráfico ​a) s ​= ​1 O ​+ ​2t ​(no SI)
Calcule a velocidade escalar média do automóvel na ​b) ​s ​= ​6 - 4t ​(no SI)
viagem. c)s= -​ 70+ ​lOt(noS0
3 8 ​Um móvel tem velocidade em função do tem podada
V ​(km/h)

pelo gráfico seguinte.


80 ------, ​Calcule o espaço percorrido pelo móvel no intervalo de ​O ​a ​5 ​s.
40 --········ · · · .....-----.
V ​(m/s) ​O' ​2 2.5 ​4 ​r ​(h)

101-----------,
4 1 ​(PUC-SP) ​A ​tabela abaixo fornece os dados de uma viagem feita por um móvel em ​três ​intervalos inde·
o ​5 ​l ​(s)
pendentes e na seqüência ​L 2 ​e ​3.
3 9 ​O ​gráfico indica a velocidade adquirida por um móvel
duração do velocidade
intervalo ​
intervalo {h) ​{km/h) ​no decorrer do tempo. Determine o espaço percorrido pelo móvel no inter- valo de ​O ​a ​4 ​s.
1 ​0.10 20 2 0.40 60 ​3 ​0.20 20
v(m/s) ​a) Construa o gráfico da velocidade ​(km/h) ​em

​ ​2:
o 1, ​
3, . 4 , ​1 ​(s)

função do tempo ​(h). ​b) ​Calcule a distância lotai percorrida pelo móvel. ​'
c) Indique no gráfico o tempo que o móvel gasta ​-7
​ s ​primeiros ​11 ​km.
para percorrer o
11 Aceleração escalar média
Em quase todos os movimentos de um corpo a velocidade muda de valor no decorrer do tempo.
Para fazermos um estudo mais profundo do movimento de um corpo, precisamos saber o quanto a velocidade varia em

cada unidade de tempo, em cada segundo, por ​exemplo.


A grandeza física responsável pela variação rápida ou lenta da velocidade ​é ​denominada ​aceleração. P
​ ara estudarmos a

aceleração, consi· ​<leremos um ponto material percorrendo · a​ trajetória da figura ao lado.


o
31

Sejam ainda: .1t .1v vv​2 ​1 ​= ​= ​ = ​velocidade tvelocidade


-​
​ v​2 ​2 ​- ​- ​no ​no instante
​ ​instante ~; 1​​ 1​;

​ ​= ​intervalo variação de de tempo velocidade;


t​1 v​ 1​ =
na variação ​.1v.

dada ​Define-se ​por:

como ​aceleração escalar média e​ ntre os instantes t​1 e​ ​1z a​ grandeza a,,,, ​1 ​f ​a ​= -​ -= ​õV _​ ​V 2​ _ ​- ​_ ​V ​1 ​1 ​--------​---- ​
1 ​m ​.1t ​~ ​- t ​1

quadrado No Sistema e se indica Internacional por m/s​2​.

a unidade de aceleração é​ ​o metro por segundo ao Podemos


​ utilizar também a unidade ​km/h:.

tempo Aceleração
​ ​gasto nessa é​ ​a ​variação. grandeza
​ que relaciona a variação da velocidade com ​0 2
​ Aceleração
escalar instantânea
A ​aceleração Instantânea é​ ​a que corresponde a um instante dado ​prox1n10 ​. ~ara ​de ​tanto ​zero. ​devemos r​ eduzir cada vez
mais o intervalo de tempo, tomando-o ​32 ​A definição matemática ​é:

​ .. ​fim ​.\1 · • ​a ​O ​m ​= ​fim \1​ ​-o 6v


i la ​ \t -​ ➔ ​O (lé·se: ót tende a zero)
​ ..
​ Ã(
Em ​que a ​é ​a aceleração escalar instantãnea.

, ​Problema de· .. ​'-. ​Aplicação ​·


A ​sua velocidade
​ ​aceleraçoo de
​ ​Resolução: ​Dados: { :~ : ​escalar um
​ ​ ~o:~s
corpo ​média ​\'aru, ​de ​5 rn/s para 20 rn/s cm 3 s. Cllcubr ​.li• ​3 ​s

​ ​a ​41 ​~ v,
am ​~ ​- hv ​ ​20 - ​ 3 ​ 5 ​ 2. ​3 l​ • ​- ​5 m
​ - ​.lt v 2 ​- ​ -​ -​ ​ / s: Resposta:
​ 5​ ​m1s2
• ?. ​Calcule a aceleração ​média ​de ​wn ​carro, sabendo

que ​2 ​s .

sua velocidade ​varia ​de 4 m/s ​para ​12 m/s em ​"'4 ​U ​carro parte ​do ​repouso e atinge a velocidade ​de ​m/s em ​5 ​s. Ache sua aceleração

média nesse
in1er11alo ​de ​tempo. ​l .( ​Um ​velocidade ​trenó ​15 ​tem m/s v​ elocidade ​no instante v​0 9​ ​no s. Sabendo instante 4 s e que a aceleraçAo

de ​2 escalar
​ ​média ​m/s​2​, ​calcule v​0 .​ ​no ​intervalo ​de 4 s a 9 s ​foi ​l ​=- ​Tipos de movimento
a) ​Movimento acelerado ​É ​aquele no qual o módulo da velocidade aumenta no decorrer do tempo. Para que isso ocorra

devemos ter a velocidade e a aceleração ​


i​ '----- ​
movimento ------
​ ​acelerado -​

e:=> ​v ​· ​a ​> ​O ​
j​ com o mesmo sinal. Como exemplo podemos ter um móvel percorrendo a trajetória da figura e o

motorista pisando no acelerador.


7oj90-·
~ ​1 ' .. ​
. ​' t​ ​(h) ​o ​1 ​2 ​3 ​1 ​4 ​ll>O v-0
​ ​ ​(km/h) ​10 ​30 ​.. ​50 ​- ​
​-=v · a > O V

--·--
hl ​Movimento retardado ​Ê ​aquele no qual o módulo da velocidade diminui no decorrer do tempo. Nesse caso, devemos ter
a velocidade e a aceleração com sinais contrários.
m~~~~nto reta~;do_: v -:-~~ ~]
Como exemplo podemos ter um carro freando ao se aproximar de uma pessoa.

tfíliilln, ​ g
​ ​~ v·a<
V> ​a<O 0

0​
---------
t ​(h) ​V ​(km/h)
l -​ ​I
i j​
/​

.1

33
'! • ​Movimento uniformemente variado
​ a natureza, na maior parte dos movimentos, a velocidade varia no decorrer do tempo.
a) ​Definição N
Neste caso, o movimento é denominado ​movimento uariado. S​ e ​no movimento de um corpo em intervalos de tempo iguaís
ele sofrer a mesma variação da velocidade escalar, dizemos que realiza um ​movimento uniformemente variado.
Para que isso ocorra em qualquer intervalo de tempo, a acelera~o escalar média deve Jser c?nstante, diferente de zero e
igual ​à ​acelera~o escalar instantãnea.

​ ,~ ​'Ã.J.​ _J"v f ​f ,11. ~_J.Ç_jJ.L ​


rC 0​

​ (1 , ​► • ​---- ​
,-- ._, • μl ​.:...:-. :, ​\. , -.:_..,;,\ ​
---~- _​ __ a.:'..'. = a = ​cte ;​ t, O
​ ​ (--:-1.::. ​
l
J. ​

I​ b) F
JI.- ​ ​ unções horárias ​l ') Velocidade em função do tempo fv ​= ​f(t)) ​Consideremos um móvel percorren- do, com movimento

uniformemente vari- ​ado, a trajetória da figura. ​i.-o


34
Sejam: v: ​vo: ​a a velocidade velocidade do do móvel móvel no no instante instante ​t.
t​0 ​= ​O (velocidade inicial);

A acelera~o ​am ​=---o=>a=---o v-v


​ ​t ​- ​t ​o média
​ do móvel no intervalo de tempo .1t ​= t​ ​- ​v-v ​t

( ​am =a= ​cte ​) t​​ 0 =


​ ​t ​é:

V - V​0 ​
= ​at =​ > ,​ _ ​V ​- ​= _​ ​V ​_o ​+ Q​ Í ​••
Problema de ​Aplicacão ​'
Um ​expressao po~to
​ ​v material
​ ​= ​20 ​- em
​ ​41 (no ​movimento ​SO. ​Pede-se: adquire
​ velocidade que obedece ​à ​a) a velocidade inicial e a

a​ c​
aceleração; b) a velocidade no instante ​2 ​s; ​d) e)
​ ​8​ o ​ s.

ass1f1caçao ​ do movimento (acelerado ou retardado) ​ no instante ​


instante ​1 ​ · · ​em ​- ​que o ponto material muda de sentid . ​ o, ​ Resolução: ​a)

uniformemente A ​ f​ unção ​·20 ​: :,


​ ​V ​v- ​- = ​ ​.--- ​• ​V D-
​ ;​ ​
​ ​v ​4 ​; :​ ​• ​.. a​ ​•• =​ ​• ​, ​f ;​ ​: ​va t​ ​⇒ 20
·- ;​ + ​ por comparação·
​ 0​ é​ ​do ​1 ​o o,
​ ​n ​•ad -​ ​o. a= ​v​Log 4t

= ​20 ​m/s

-4 ​m/s2

9 ​rau ​• ​portanto ​. m
​ ovimento

l
​ .» ,, ~ • ​. ·' • ​) •​ -/ ​I
;,l V
v​0​m ​20 ​m/s; a ​~ ​-4 ​m/s​2 ​b) Quando ​t ​= ​2 s:
v - ​20 - ​4t ​⇒ ​v ​= ​20 - 4​ · ​2 ​⇒ ​v ​= ​12 ​m/ s c) O ponto material muda de sentido quando ​v ​= ​O:
V= ​20 - ​4t ​⇒ ​0 ​= ​20 - ​41 ​⇒ ​1 ​= ​5 ​S
Observe o quadro:

t (s) ​o 1​ ​2 ​3 v​ ​(m/ s) ​20 16 12 ​8 ​4 4 ​5 ​o


6 ​1 ​
​ -4 ​1 ​/-s 7​ • ​j ​-----~------'~,-----.--,
mesmo sentido ​do ​positivo ​da ​trajetória ​(v ​> ​O}
muda ​de ​contrário ao posim.o ​sentido ​da ​trajetória (v ​< ​O)
d) ​Quando ​t =
​ ​8 ​s:
v ​= 2​ 0 - ​41 ​⇒ ​v ​= 2​ 0 - ​4 · ​8 ​⇒ ​v ​= - ​12 ​m/s e a ​= ​-4 m/s​2
Portanto: v ​< ​O { ​movimento acelerado
​ ​O ​(velocidade e aceleração tem sinais iguais)
a<
Resposta: ​d) ​a) acelerado

v​0 =
​ 2​ 0 ​m/s; a ​= ​- 4 m/s​2 ​b) ​12 ​m/s ​e) ​5 ​s
.- À ​função da velocidade de ​um ​móvel em movimento relifineo ​é ​dada por ​V ​= ​50 -. 4! ​(no ​50. ​a) Qual a velocidade inicial e a aceleração

do móvel?
b) ​Qual ​a velocidade do móvel no instante ​5 ​s?
c) ​Em ​que instante a velocidade do ​móvel é​ ​igual a
JOOmfs?
Um ponto material em movimento retilíneo adquire velocidade ​que ​obedece ​à ​lunçãov= ​40-​IOt(noS0. Determine: a) ​a ​velocidade inicial;
b) ​a ​aceleração; c) a velocidade no instante ​5 ​s; d) o instante em ​que ​o ponto material muda de
sentido: e) a classificação do movimento (acelerado ou retar·
dado) nos instantes ​2 ​e ​6 ​s.
A velocidade de ​um ​móvel ​no ​decorrer do tempo ​é ​indicada pela tabela seguinte .
t(s) ​o 2​ ​4 6 ​8 ​10 ​v(m/s) ​5 ​9 ​13 ​17 21 ​25
Calcule a função horána da velocidade desse móvel.
Um móvel parte com velocidade de 4 m/s de ​um ​ponto de uma trajetória retilínea com ​aceleração ​constante de ​5 ​m/s2. Ache sua

velocidade no ​instan- ​te ​16 ​s. '​ ; O ​maquinista ​aciona os freios de ​um trem, reduzindo ​sua velocidade de 80 ​km/h ​para 6​ 0 ​km/h ​no
intervalo de ​1 ​minuto. Determine, ~o-a cons· lante, a aceleração do ​trem ​nesse intervalo. ​Dê ​a ​resposta ​em ​km/h​2​• ​'.i J ​Um automóvel,
correndo com velocidade de ​90 ​km/h, ​é f​ reado com ​uma ​aceleração constante e ​pára ​em ​5 ​s. Qual a aceleração introduzida pelos freios?
​ ​Um corpo percorre uma trajetória retilínea com aceleração constante de 4 m/s2. No instante inicial o movimento ​é ​retardado e ​sua
51
velocidade ​em ​módulo ​é ​de ​20 ​m/s. Determine a velocidade do corpo no instante ​30 ​s.
35
2') Posição em função do tempo [s .. f(t)) ​5 ​Consideremos um corpo percorren- do, com movimento uniformemente va- riado, a
trajetória da figura.

:•--g ​ o​1♦ - - ---- - -- -- --- -------~ ​S,, ​1 ​O t.=0 ​vs​0 ​0 = ​ ​O (posição velocidade do corpo no
​ ​= ​posição do corpo no instante ​fo =

instante ​fo =​ ​O
inicial)
a = aceleração v ​= ​velocidade do corpo no instante t s ​= ​posição do corpo no instante t
A partir do gráfico da função horária da velocidade podemos demonstrar que a posição do corpo, no decorrer do tempo, sobre a
trajetória da figura é dada por:
​ celeração em função do tempo [a ​= ​f(t)] ​~m mó_vel ~ue re~iza um movimento uniformemente variado sofre acréscimos de
3') A
velocidade 1gua1s em intervalos de tempo iguais.
Para que isso ocorra a aceleração do corpo deve ser constante e diferente de zero.

Problemas de Aplicação
36

a= cte ​ * ​O
i ​Um corpo desloca-se sobre uma trajetória retilínea obedecendo ​à
função horária s = 6,5 + ?t - 31​2 ​(no ​SO. P
​ ede-se:
a) a posição inicial, a velocidade e a aceleração do corpo; b) a função horária da velocidade; c) o instante em que o móvel passa pela
origem das posições.

Resolução: ​a) ​s ​Por ​ ~-il: ​comparação:


S​ =65m
+ ​( 2·: ​1 - 312 ​s "\ '​ ​. ​so -​ ​,, ​: '​ ​+ '​ ​: ​ vo; ​ 1 ​+ ​J_ ​at2 ​2 b)v
~​ ;​
​ =vo+at =>v= 2 - 61 ​ v​0 ​
0​
1​
= ​2 ​m/s ​ 1⁄2a "' ​-3 ⇒ a ​= -6m/s​2

l
c) Quando o corpo ​passa ​pela origem das posições temos s ​= ​O; logo:

0=65+21-3i2 ​⇒ ​Em ​Cinemática ​só ​trabalhamos ​{

I"=* ​ t' ​= ​5s ​com tempo p​ ositivo, ​portanto 1​ ​= ​5 ​s. ​Resposta: ​a) 65 m, 2 m/s e - 6 m/s2 b) v ​= ​2 - 61 c) 5 s

2 ​Um automóvel está parado diante de um semáforo. Imediatamente após ​o ​sinal ter aberto, um caminhão o ultrapassa com velocidade
constante de 20 m/s. ​Nesse e​ xato instante, o motorista do automóvel arranca com uma aceleração de ​4 ​m/ s​2 ​em perseguição ao
caminhão. a) ​Após ​quanto tempo o automóvel alcançará o caminhão? b) Quanto terá percorrido o automóvel? ​Resolução: a​ ) ​As ​funções
horárias do movimento são:
automóvel (​ MUV) ​s, ​= ​s​0​, ​+ v​0​,t +la/=> ​2 ​sA = O+ O + ​..!. · ​4 · ​t2​ ​=> s, = 2t​2
2

​ Vel => Se = O + 201 => Se ​= ​201 Quando o automóvel alcança o caminhão, temos: SA = Se => 21​ = 201
2​
caminhão (​ MU) ​Se = So ​e +
(t _ ​lO) ​
21​2 ​- ​201 21 ​ = ​o

J ​t = O (não ​
=​
0​ 7​ t ​= ​10 ​s ​
satisfaz) ​
b) s, ​= ​21​2 ​=> ​s, = 2 · 10​2 ​=> sA = 200 m

Resposta: ​a) 10 s b) 200 m


.. ./' ​J. ​1 , _ . /.)

J ​! ​)

.)​ ().C\. ​ •l
J

•}
' ​)
(​ ~,
t. ​; ​.' Í...J
r) ​ ​ ,_j \​ Í r​ :.JJ.}.'
J1

37

I
~- . Considere as seguintes funções horárias da posição,
.' Num teste de corrida, um carro consegue atingir a ​a) ​onde ​s ​= ​velocidade de 40 m/ s em 5 segundos. Sabendo que o movimento ​é
uniformemente acelerado, e que ele parte do repouso, calcule a distância percorrida durante 14 segundos.
bG ​Partindo do repouso no instante t =​ ​O, ​um ponto material possui aceleração escalar constante e igual material a 2 ​ /sentre 2​​ • ​Qual
​ ,0 m

os instantes a distância ​t​1 percorrida


​ ​ se t​2 =
​= 1 ​ elo ​2 ​s?
​ p
ponto
A 1 ​Um carro viajando ​com v​ elocidade escalar de ​72 k​ m/h breca repentinamente e consegue parar em 4 segundos. Considerando a

desaceleração uni- ​
c/l ​~'J!,m ​esses forme,
​ ​ponto 4 qual
​ ​segundos? rriaterial a​ distância ​parte percorrida
​ ​do repouso pelo
​ ​com

carro ​aceleração durante


​ ​ a ​aceleração do ponto material; ​b) ​a
constante e 10 s após encontra-se a 40 m da posição ​miCJal. Determine: a)
velocidade do ponto material no instante ​I O ​s.
1​ 1 ​ 12 ​
. • Um_ ​ciclista ​executa ​um ​movimento u​ niformemente ,s variado • .​ ~ - ​ obedecendo ​+ ​2 ​ (no SO. Determine ​à ​função horária o

instante e a ​mento. posiçao em que o ciclista muda o sentido do movi- s​ ​é ​medido em ​1 ​O ​+ ​41 ​+ ​31​2 ​metros e ​1, ​em segundos: ​c) s ​= ​1 - ​12​

b) ​s ​= ​-8 + ​t ​- ​51​2 ​d) ​s ​= ​4t​2 ​, ​delas. Ache


​ a função horária ​da ​velocidade para cada uma Um ​corpo d​ esloca-se sobre uma trajetória retilínea
2​
obedecendo ​â ​função horária s​ ​= ​-40 - 21 ​+ 2​ 1​ (no Sij. Pede-se: ​do a)
​ a ​corpo; posição
​ inicial, a velocidade inicial e a aceleração ​b) ​a
/unção horária da velocidade·

​ ​pela origem das ​l ​Um móvel desloca-se sobre uma trajetória retilínea
​ o instante em que o ​corpo ~
posições. c)
(no SO. ​
Determine: obedecendo à​ ​função horárias =​ ​6 - St +​ ​t​2 ​ a) a posição do móvel no instante 5 s​ ; ​b) ​tes 0​ ​caminho ​4 ​se 6​ percorrido
​ ​s;

pelo móvel ​entre os ​instan- c) ​56 ​o instante ​m. em


​ ​,
que o móvel passa pela posição ​~ ​3 U
​ m ciclista A inicia uma corrida a partir do repouso
acelerando 0,50 m/s' . Nesse instante passa por el~ um c1cl1sta B, com velocidade constante -de 5,0 m/ s e no mesmo sentido que o

ciclista ​A. ​a) Depois de quanto tempo após a largada o ciclista ​A ​alcança o ciclista B?

' ace Um ​1 ​eraçao ​móvel ​. ​posiçao metr~s de no parte ​com v​ elocidade constante de 6 uma instante trajetória ​12 s​ egundos. retilínea. m/s2

​ ​20 b)
​ ​/ ​sua se
da ​Determine de posição 1 ​O m ​ ​ciclista Qual
​ ​ velocidade
a B? ​ do ciclista ​A ​ao alcançar ​0 ~
​ ​nsta

Umcarropercorreumaestradaa45km/h. ​quer ​ultra ​passar um outro formemente, até atingir 90 km/h a)


​ Qual ​segundos?

fo, a aceleração do ​carro carro


​ ​em e 10 ​acelera nesses
​ segundos. ​O ​mo uni- 10
​ ​1 ​o- b)
​ ​segundos? Qual
​ ​a distância percorrida pelo carro

nesses ​1 O ​·" , ​d Um
​ trem ​pa rt
​ ​e d
​ ​O ​repouso, da origem .​ ​das po · -

d: ~ma/t~ietóría ​m s. retilínea'
​ com aceleração con::= a) ​b) ​Que Que distAncia velocidade percorreu tem após em 1 ​O ​ /o ​ 7 ?​ ​c) d) Qual

Qual a ​sua 1​ 0 ve a ​é ​s? ​I ​oc ​dis!Ancia sua ​id ​a velocidade d​ ​e ​atinge percorrida 60 me · m/ ​d' ​at. ​ia ​s. e ​7 ​no ​O ​s. mstante . mlervalo em de

que ​O
38
8
(VDeumacidadeA parte, do repouso, para uma cidade B um carro em movimento uniformemente acelera- parte do de de aceleração ​

​ a mesma direção, um outro carro com velocidade constante de ​25 k​ m/h. ​A ​distância ​a) ​entr~
para ​A, 12 km/h2. Nesse exato ​momento n

o instante ​as cidades ​do encontro· ​A ​e B ​é ​de 469 km. Determine: ​b) ​a ​posição do encontro.•
6 ​5 (​ Metodista-SBC) No grande prêmio do Japão de automobilismo, ​10 ​segundos antes de Prost e Senna se chocarem, ​a ​disliincia entre

​ upondo que nesse instante as velocidades ​1 e​ ​ambos eram iguais e que o piloto que vinha na rente2 manti~ha ​pi
eles era de ​100 ​:etros. S

1 ​~Is ​oto nes~ '​ ​


t​ qual ​. (01
​ ​intervalo ​
lt a​ aceleração uma ​-----~
de ​aceleração ​tempo? ​desenvolvida ​. constante de pelo ​outro ​ 1 ​:---100 ​
​ p. ​ m-'. ​ ) ​l
•​

Equação de TorriceUi
É ​a equação que relaciona a velocidade com o espaço percorrido pelo corpo num ​movimento uniformemente variado.
Podemos obter essa equação da s~uinte forma:
Isolando o valor de t na segunda equação e substituindo na primeira, temos:

De\9 ​fr>'I ​⇒ ​t ​=-- ​


V-​ V​
a​ -o Substituindo
​ na equação(D:

S = So +Vo ( ​ ----;--2 V​ - V ) ​+r 1​ ( ​-;;;-o-


V-V)2

/. ​- ​: ​' ​-
Eliminando os parênteses e reduzindo ao mesmo denominador, obtemos:

v​2 ​= ​vii+ 2a (s - soJ ​⇒ 1 ​v2​ ​=_vf +3_a ​6s_ ---​ 7​ ​J

Problema de
-~plicação ​'
Um avião, ​na ​decolagem, percorre, a ​partir ​do ​repouso e sobre a ​pista. ​900 ​m com aceleração escalar constante de ​50 ​m/s2. Calcular a

velocidade de decolagem do avião. ​1 ​Resolução: Esquema



o
v2 ​= ​~+ ​2a6.s ​⇒ ​v2 ​~ ​02​ ​+ ​2 · 50 · 900
v2 ​= ​90 000 ​v ​= ​300 ​m/ s ​Resposta: ​300 ​m/s
​ ​
900 1 39

r ​ L. 1. ​

69 ​1​66 ​Uma bicicleta tem velocidade ​inicial ​de ​4,0 ​m/s e

adquireumaaceleraçãoconstantede l ,8m/s2. ​Qual ​é ​sua velocidade após percorrer ​50 ​m? ​


,.,. ,:,​ ​# ​·-~:;v 6.1'1
​ ​D .​ ​\ ​movimento

​ ​introduzida ​repouso após


Um Calcule
​ ​ ​ciclista carro
Quando rm ​ a ​freado, aceleração
​ corre ​uniformemente parte ​pára a​ ​do uma

velocidade ​variado. percorrer do pelos


​ ​ponto percorre de ​ ​A ​metros. a km/h.
​ ​freios. ​50 72 ​ ​e, pista em ​@ retilínea indicada na figura.
Sabe-se ​que ​20 ​s após a ​partida ​ele ​passa ​pelo ponto ​B ​com velocidade 8 m/s.
Um trem corre a uma velocidade de 90 ​km/h, ​
quando frente. ​Calcule ​O maquinista
​ ​ ódulo obstáculo da aceleração ​125
​O ​menor ​vê ​um m
m ​à ​sua ​de ​retardamento a ser imprimida ao trem para que não ​haja ​choque. um automóvel que anda com velocidade escalar ​de ​72 ​km/h
é freado de ​tal ​fonna ​que, ​6,0 ​s após o início da freada, sua velocidade escalar é de ​a) 8,0m/s.
​ ​Qual ​o tempo gasto pelo móvel até parar?
b) ​Qual ​a distância percorTida pelo móvel até parar?
a) ​Qual ​a medida ​de ​ÃB? ​b) ​Qual ​a velocidade do ciclista ao ​passar ​pelo ​ponto
C? ​71 ​Uma composição ​de ​metrô parte ​de ​uma ​estação ​e percorre 100 metros com aceleração constante, atingindo ​20 ​m/s. Determine a

aceleração e a duração do processo. ​7 2 ​Um móvel com velocidade inicial ​de ​19 ,8 ​km/h ​A (O) ​B ​e (​ 180 ​m) ​s ​(ml
​ etermine a velocidade e o espaço percorTido pelo móvel ​15 ​s após ter recebido a
adquire uma aceleração constante de 2,4 m/s​7​• D
aceleração.
1 6 Gráficos do movimento uniformemente variado
Neste item vamos relacionar graficamente a posição, a velocidade e a aceleração ​com o tempo.

a) ​Velocidade em função do tempo [v ​= ​f(t)) ​v = ​ ​v​0 ​+ ​função ​at. ​horária da velocidade no movimento uniformemente
​ A
variado é ​reta. Esta
​ função é do 1​2 ​grau em relação ao tempo e o gráfico representativo é uma ​Podemos ter os casos:
• aceleração positiva (a ​> ​O)
VV​
V

o ​o ​o ​v, ​Neste caso, a função é crescente.


40
• aceleração negativa (a ​< ​O)
V
V ​V ​

ooo
Vo ​

Neste caso, a função é decrescente.

​ instantes O e t ​1 é​ igual ao
1 ​!) ​A ​área limitada pelo gráfico representativo e pelos eixos coor:cJenados entre os
Propl"Íedades ​

valor numérico do espaço percomdo pelo corpo entre esses instantes.


V​
V​
,,
o
dS
dS

l ​área do trapézio ​= ​65 ​<~


o ​;- área do trapézio ​= 6​ 5 ​> ​O 1​ - ​

2!) A tangente do ângulo ​<X ​representa numericamente a aceleração.


V​
v,
' ​:&v ​• ​Vz • ​V​ v, ​---- ' - ​_a,_ ​- - - - - - ​~ ​61 • ​t, · ​t1 ​:
1​

o ​t, ​t,

tg ​ a ​= ​~ ⇒ ​1 ​tg ​a ​= ​a ​l ​~t
41
' ​i ​1 ​{ ​!

Problemas de
.​

Aplicação
, ​A ​velocidade d​ ​e um corpo
no decorrer do tempo ​é ​dada pelo gráfico. ​v (m/s) ​5 ​O 3 Achar
​ a velocidade do corpo no instante 10 s. ​v(m/s)
Resolução: ​17 ---------·
Do gráfico obtemos: ​;,w - 12 ​5 _ ​a. ____ .. ; ​ót•3 ,

​ ​12 ​3 =>
tg ​a ​= ​llv ​.!li = ​ ​a ​= 4​ m/s' ​v​0 =​ ​5 ​m/s
t ​(s)

o ​3 t​ (s) ​Logo: ​Resposta: ​V ​= ​v0​ ​+ ​ai ​=> ​V ​= ​5 ​+ ​41 ​=> V​ ​= 5​ ​+ ​4 · 10


45 m/s ​=> v​ ​= ​45 m/s ,-
​ Dois móveis, A e B, partem da origem dos espaços, no mesmo trajetória retilínea. As suas velocidades variam ​v
(m/s)
instante t​0 ​= ​O. seguindo a mesma
com o tempo de acordo com o gráfico da figura.
10
o ​10 ​t ​(s)
Calcule a distância entre eles após ​10 ​s de movimento. ​
Resolução: ​No gráfico v ​= ​f(t) a área sob a reta fornece numericamente o espaço percorrido: logo:
v(m/s)
50 1-------'A......,
o ​10
v(m/s) ​50 ​10
t ​(s) ​O

​ rea do retângulo ​=> ​i.\sA ​= ​10 · 50 ​=> ó​ sA =


i.\sA ​= á ​ 00 m ​i.\5​8 ​= á​ rea do trapézio=> ​i.\5​8 ​= (​ 50 ​+ ​10) • 10 ​2
​ 5
=> ​65​8 =
​ 3​ 00 m
10 ​t ​(s)
Como ambos partem da origem (mesmo ponto), a distância entre eles ​é ​dada por: d ​= i​ .\sA ​- ​Á5a ​=> ​d ​= 5​ 00 - 300 ​= 2​ 00 ​m ​Resposta: ​200
m
42
í ​Um ponto material em movimento retilíneo tem velocidade dada por v ​= ​4 ​+ ​2 ​t (no ​SI). ​Construa ​o gráfico dessa função.
A função horária da velocidade de um ​corpo ​em movimento ​é ​v ​= ​40 - ​101 ​(no ​50. ​Construa o gráfico ​V ​= ​f(t). ​Em c​ ada ​caso, ​dade:

''Qr ​ , determine ​: ​2 ​' '​ ​t ​(s) ​

.":fr' ​ 10 ​a função horária ​6 :​ ​' ​' da


​ veloci-

t ​(s)

c) • v(m/s) ​d) ​~(m/s ) ​2 ~ ​,o ​L,,


- :,
O gráfico representa a velocidade de um ponto material em função do tempo.

v(m/s) ​
o ​6 t​ ​(s)
​ ​â
​ ​o espaço percorrido de ​CJ ​a ​8 ~; ​c) a ​velocidade média ​do móvel ​r.o in!er.-alo ​c!e O
Calcule: ​a) a ​função ​horária da \~loodade; b)
8 ​s.
• .... Um ponto material ​fTlO';imen~ ​sobre ​ria ​retilínea e ​sua ​velocidade ​""ria ​com ​uma ​o ​terr.p,:: ​L~ }et& ​ce ​acordo ​com ​o diagrama a

seguir:
​ ​1 ​...
v (m/s) ​o 2​ 4 5

Determine a ​distãncia ​percorrida ​pelo ​ponto rr ​z=~ a​ l ​entre os instantes ​O ​e ​5 ​s. '
, (Unicamp-SP) ​A ​tabela ​mostra os \'alores ​da ​\ie'.:x:i- ​dade de um alleta da São Síi\'estre ​e:n ​h.cxã:i ​éo ​tempo. nos segundos iniàais da
corrida.

i​ ​ .0 ​5.0 ​v(m/ s) ​! ​O.O · 1.8 3.6 ' 5.4 7.2 9.0


t(s) ​ 0,0 1.0 2.0 3.0 ​i 4
a) Esboce ​um ​gráfico da ​velocidade ​do ​a:!-.:ia c:n
função ​do tempo. ​b) ​Calcule a aceleração do atlera nos primei.os ​5
segundos da corrida. a) Ache a velocidade do ponto material no instante ​! \ ​10 ​s. ​b) Determine o instante em que a velocidade do ponto
É ​dado o gráfico de um ponto material qL'e ​:e ​
movimenta numa ​trajetória ​retilínea. material ​é ​de 80 m/ s.
Um móvel realiza um MUV e sua velocidade varia com o tempo de acordo com o gráfico.
a) ​Qual ​a aceleração do ponto material nos ir.ter\:?·
losde0 a 3 sede3 sa !Os? b) ​Qual ​a velocidade escalar ​méd.a n​ o inten'c!o ​~
O a 10 s?
v (m/s) ​v (m/s) ​21 · ... · . . · . . · .. · . . ​7 4​

5 ​o 8​ ​t ​(s) ​ 3 ​10 ​t ​(s)


o​
43
t, ​2 ​No instante ​t ​= ​O, ​um mówl está com velocidade variado escalar ​v​até ​0 •​ ​Continua atingir o em repouso. movimento ​A ​figura

uniformemente representa, parcialmente, o gráfico da ​velocidade ​escalar do ​móvel e​ m ​função do tempo ​t. ​v(m/s) ​
!: ----~
4 ​o 4​ ​t (s) a)
​ b​ ) ​Determine ​ ​o a ​2 ​valor distância ​s ​até de ​parar.
Determine ​partir ​de ​t =
v​0​percorrida ​.
pelo móvel a
b) ​Posição em função do tempo [s ​= f​ (t)J ​A ​função horária das posições do movimento uniformemente variado ​é: ​s ​= s​ ​0 +

v​0​t + ​~ ​at2.

e _​ ​uma Como
​ ​parábola. esta
​ ​ 4 ​$ · ​Dois ​mólleis, ​A ​e
função ​é ​do ​2o g​ rau em relação ao tempo, o seu gráfico representativo 4

B, ​partem simultaneamente ​de ​um ​mesmo ​ponto ​e deslocam-se numa mesma ​trajetória ​com ​,l?locidades ​dadas p​ elo ​gráfico.

v (m/s) ​20 ​o
A

!0r-----''- ​ .​ ,30 ​-8

t ​(s)

30 Determine
​ s​ ​de movimento. a​ distância que separa os móveis após ​ Problemas de
Aplicação
1 ​Um móvel realiza um ​MUV ​sobre uma trajetória retilínea obedecendo

e à​ ​função ​efetuar horárias=


​ ​um estudo 5
​ ​do -​ 6t ​movimento. +
​ t2(noSJ). Construir o gráfico dessa função ​Resolução: ​Tabelando a
função, temos:

s ​(m) ​o 1​ ​s 5​ ​raiz ​da ​funç.\o ​+:í ​o ​- ​: d​ ovértice ​abscissa ​+ ' '.​ ​f ​2 ​__ ​· _·​-3
4 ·​ ​, ​'+ ​dovértice ​ordenada ​~~ ​..:f
___ ​ ​4 ​ -3
o​

oõ_·:
Lemdbre:se de que a abscissa e a ordenada do vértice da função ​qua rálica Y = ax​2 ​+ bx + c são dadas por:

​ e ~ ​ (s)
~~ ~ t​

Estudo do movimento:
​ ​m/.s2).
• A ​parábola tem a concavidade voltada para ​cima ​porque a aceleração ​é ​positiva ​(a ​= 2

• ​inicial ​O ​móvel ​-6 parte


​ ​m/s. ​da posição igual a ​5 ​m, ​caminha ​contra o ​ix>sítivo ​da ​trajetória com velocidade • ​algebricamente ​No

intervalo de ​com ​O ​a ​o ​3 ​tempo. ​s o movimento é retardado (v ​< ​O ​e a ​> ​O). ​As posições decrescem ​• ​isto ​O ​móvel ​é, ​quando muda ​v
de ​= ​sentido ​O.
quando t = 3 s,
• No intervalo t ​> ​3 s as posições crescem algebricamente com o tempo (v ​> ​O) ​e o movimento ​é ​acelerado.
• O ​móvel passa pela origem das posições (s = O ​ ) ​nos instantes 1​ ​s e 5 s.
Resposta: ​Vide resolução.

w​ t •​ ​1 ​s ​
o ç;:oI
​ ​t - ​o ​5 ​s(m)
t • ​Ss
s (m)

" A ​função horária das posições de um ponto material sobre uma trajetória retilínea é s ​= - ​42 ​+ ​2Ot -21​2 ​(no S0. Construir o gráfico
dessa função e efetuar ​um ​estudo ​do ​ITIO\.imento. ​Resolução: ​Na tabela colocaremos somente os valores ​O ​(zero), as raizes da função
e a abscissa do ​vértice. ​Cálculo da abscissa e da ordenada do vértice:

​ 5 ​s(m) ​Yv ​= ​_ ​_Q =​


><v= - ~= ​2a -​ ~ ​2 (​ -2) =
4a
1 ​s ​3 s​
-4
t -​ ​3 ​s
(400-336) = ​8
4 (- 2) ​Cálculo das raizes:

- 2! 2​ ​+2Ot - 42=O⇒
Logo: ​I ​s

O ​- 42 ​3 O ​5 ​7
t ​(s)
t' ​= ​3s {​
t" ​= ​7 s

8​
o
-42
Estudo do movimento:
• A parábola tem a concavidade voltada para baixo porque a aceleração ​é ​negativa (a = -4 m/s2).
• O ​ponto material parte da posição inicial igual a -42 me caminha a favor do sentido positivo da trajetória com velocidade inicial de 20
m/s.
​ ​e a ​< ​O). ​As posições crescem algebricamente como tempo.
• No intervalo de ​O ​a 5 s o movime~to é​ ​retardado (v ​> O
​ s.
• O ​ponto material muda de sentido (v = 0) quando t ​= 5
• Para t ​> ​5 s o movimento ​é ​acelerado ​(v ​< ​O e​ a ​< ​0). As posições decrescem algebricamente com o tempo.
​ ) ​nos instantes ​t ​= 3 s e ​t ​= ​7 s. ​Resposta: ​Vide resolução.
• O ​ponto material ​passa ​pela origem das posições (s ​= O
45
Para um móvel que parte do repouso temos o gráfico de sua posição em função do tempo.
s(m)
16 - -- - ------

8,5 ​6 ​
o ​2 ​t ​(s)
Determine a função horária das posições desse movimento.
O ​gráfico representa a posição de ​um ​móvel em movimento retilíneo de aceleração constante.

s(m) ​
16 12 ​-·e----.-..... ​o 5​ ​t ​(s) ​a) Determine a função horária das posições desse
movimento. b) Ache a velocidade desse móvel no instante ​3 ​s.

e) ​Aceleração em função do tempo [a = ​f(t)] ​diferente Sabemos


​ ​de zero.
que no movimento uniformemente variado a aceleração ​é ​constante e Portanto o gráfico tem as formas:
a ​a
a> 0
o
o ​a<0
46
Um móvel realiza MUV sobre uma trajetória retilínea obedecendo ​à ​função horárias= 12 - 8t ​+ ​t2​​ (noSI). Construa o gráfico dessa função e

efetue ​wn ​estudo ​do movimento.


Um corpo realiza MUV sobre ​uma ​trajetória retilínea obedecendo à função horária s ; ​30 ​+ ​9t - ​3t2 ​(no SO. Construa o gráfico dessa
função e efetue um estudo ​do ​movimento.
O gráfico representativo da posição de um corpo em MUV sobre uma trajetória retilínea é indicado na ​figura ​abaLxo. Determine: ai a
posição inicial do corpo; b) o instante em que o corpo muda de sentido; c) os i11Stantes em que ​passa ​pela origem; d) e​ m ​qual inteivalo de
tempo o movimento ​é ​acelerado.
s (m)
0,25
t ​(s)
- 20

Propdcdade No gráfico da aceleração, ​de velocidade entre os ​a ​instantes área


​ ​t​1 e​ A, ​ tz.
hachurada, mede numericamente a variação ​a ​a
a​1------,---- t,​
A
o

Problema de ​Aolicacão ​,
o ​A
A ​= 6​ v(6v ​< ​O)
Um móvel em movimento sobre uma ​trajetória ​retilínea tem acelera- ção em função de tempo dada pelo gráfico.

a (m/s~ ​
gL--------
t ​(s) ​
o ​5 ​ Detennine a variação da velocidade do m6vel nos primeiros ​5 ​s ​do movimento. ​Resolução:
A área A ​é ​igual ​à ​variação ~e velocidade entre O e 5 ​s. ​Logo:
a(m/s')
A=t.v ⇒ Av~ ​5 · 8
Av- ​40 ​m/s
sL------,---
A
o ​5
Resposta: ​40 ​m/ s
t ​(s)
47
i ​i ,​ ​1 I ​i ​ : ​i ,. ' / / , ​! ​ d​ .''​ e ​'1 ​l , ( ​1 movimento de subida ou de descida que os corpos
1 ​I,\ ​ t1\I/. ​ "~ ​ •\. ​ ✓, ​

Os co~s ~o atraídos pela Terra porque em tomo dela há realizam no uócuo, nas proX1m1dades da superfície da

uma região chamada ​campo grav1tac1ona/ ​exercendo Terra. ​Podemos também desprezar a resistência que o
ar exerce ao movimento dos corpos, durante a subida
atração sobre eles. ~enomina-se
​ ​queda livr~ ​~
ou a descida, e , neste caso, considerá-los como em
movimento de subida ou de descida que os corpos
queda ​livre. Estudando o movimento de um corpo em
realizam no uócuo, nas proX1m1dades da superfície da
queda livre, Galileu Galilei chegou ​às ​seguintes
Terra. Podemos
​ também desprezar a resistência que o
ar exerce ao movimento dos corpos, durante a subida conclusões:
ou a descida, e , neste caso, considerá-los como em Os co~s ~o atraídos pela Terra porque em tomo dela há

queda ​livre. Estudando o movimento de um corpo em uma região chamada ​campo grav1tac1ona/ ​exercendo

atração sobre eles. ~enomina-se


​ ​queda livr~ ​~
queda livre, Galileu Galilei chegou ​às ​seguintes
movimento de subida ou de descida que os corpos
conclusões:
1'18 ​A aceleração de ​um ​corpo ​é ​dada pelo gráfico. Calcule a realizam no uócuo, nas proX1m1dades da superfície da
variação da velocidade do corpo nos primeiros ​5 s​ egundos.
Terra. Podemos
​ também desprezar a resistência que o
a (m/s') ​71-------~ ar exerce ao movimento dos corpos, durante a subida
ou a descida, e , neste caso, considerá-los como em

queda ​livre. Estudando o movimento de um corpo em


o ​5 ​t (s)

I! ​9 ​Um ponto material tem velocidade inicial de ​40 ​m/s e queda livre, Galileu Galilei chegou ​às ​seguintes
aceleração dada pelo gráfico. Ache a ​velocidade ​do ponto
conclusões:
material no instante 8 ​s.
Os co~s ~o atraídos pela Terra porque em tomo dela há

a (m/s') ​ : 8 t ​(s)
o​ uma região chamada ​campo grav1tac1ona/ ​exercendo
9 O ​O gráfico ​da ​aceleração de um móvel em movi-
atração sobre eles. ~enomina-se
​ ​queda livr~ ​~
mento retilíneo ​é ​dado na figura.
movimento de subida ou de descida que os corpos

realizam no uócuo, nas proX1m1dades da superfície da


a (m/s') ​4 ​
o ​s: ​ 10 ​15 ​2() ​t (​ s)
Terra. Podemos
​ também desprezar a resistência que o
-3 ------~· ______ _, ar exerce ao movimento dos corpos, durante a subida
ou a descida, e , neste caso, considerá-los como em

queda ​livre. Estudando o movimento de um corpo em

Sabendo que sua velocidade ​inicial ​é ​zero, determi- ​ne: ​a) ​a


queda livre, Galileu Galilei chegou ​às ​seguintes
aceleração média no intervalo ​O ​H ​20 s;
Os co~s ~o atraídos pela Terra porque em tomo dela há conclusões:
Os co~s ~o atraídos pela Terra porque em tomo dela há
uma região chamada ​campo grav1tac1ona/ ​exercendo
uma região chamada ​campo grav1tac1ona/ ​exercendo
atração sobre eles. ~enomina-se
​ ​queda livr~ ​~
atração sobre eles. ~enomina-se
​ ​queda livr~ ​~ em percorrê-las, isto é, a função horária das ​posições é
movimento de subida ou de descida que os corpos
do ​2o ​grau.
realizam no uócuo, nas proX1m1dades da superfície da
•Todos os corpos, independentemente de sua massa,
Terra. ​Podemos também desprezar a resistência que o
ar exerce ao movimento dos corpos, durante a subida forma ou tamanho, caem ​com aceleração constante e
ou a descida, e , neste caso, considerá-los como em
igual.
queda ​livre. Estudando o movimento de um corpo em •Todos os corpos, independentemente de sua massa,

queda livre, Galileu Galilei chegou ​às ​seguintes forma ou tamanho, caem ​com aceleração constante e

conclusões: igual.
Os co~s ~o atraídos pela Terra porque em tomo dela há

uma região chamada ​campo grav1tac1ona/ ​exercendo


- 5 1--------~ '​ 1
​ 7 Queda dos corpos
atração sobre eles. ~enomina-se
​ ​queda livr~ ​~ b) o gráfico ​da ​velocidade em f​ unção ​do tempo.
movimento de subida ou de descida que os corpos

realizam no uócuo, nas proX1m1dades da superfície da

Terra. Podemos
​ também desprezar a resistência que o
certa Qaluando
​ ​lura e ​lança~os ​depois cai ~ ​
​ porque
ar exerce ao movimento dos corpos, durante a subida
ou a descida, e , neste caso, considerá-los como em corpo verticalmente ​é atraído pela para
​ ​Terra. cima

Dala ​ mesma
queda ​livre. Estudando o movimento de um corpo em verificamos que ele sobe até na d a ​ lura ​
form~ ​ observamos ​ que um
queda livre, Galileu Galilei chegou ​às ​seguintes porque ​ e atraído ​ pela Terra. ​
corpo cai ao ser abandonado de determi- ​
conclusões: 48
A aceleração constante de um corpo em queda livre é
• As distâncias percorridas por um corpo em queda denominada ​aceleração da ​gravidade e​ é representada
livre são proporcionais ao quadrado dos tempos gastos
pela letra g.
em percorrê-las, isto é, a função horária das ​posições é
A aceleração constante de um corpo em queda livre é
do ​2o ​grau. denominada ​aceleração da ​gravidade e​ é representada
• As distâncias percorridas por um corpo em queda
livre são proporcionais ao quadrado dos tempos gastos pela letra g.
em percorrê-las, isto é, a função horária das ​posições é
Conclusão: ​Se ​a aceleração da gravidade ​é ​constante e
do ​2o ​grau. a função horária das posições ​é ​do 2​2 ​grau, decorre que
• As distâncias percorridas por um corpo em queda a queda livre é um MRUV e, portanto, valem todas as
livre são proporcionais ao quadrado dos tempos gastos funções e conceitos desse movimento.
A aceleração da gravidade diminui com a altitude, e ao
em percorrê-las, isto é, a função horária das ​posições é
nível do mar tem o valor aproximado de 9,8 m/s​2​•
do ​2o ​grau. Apesar disso costuma-se, p​ ara ​efeito de cálculos,
• As distâncias percorridas por um corpo em queda ​ ​10 m
considerar g = ​ /s2. ​A aceleração da gravidade
livre são proporcionais ao quadrado dos tempos gastos ​ ​9,78
varia também quando se passa do Equador ​(g =
​ ,83 m/s2).
m/s2) para o pólo ​(g ​= 9 tempo. '
Para estudar a queda dos corpos vamos considerar dois
casos: lançamento vertical para cima e lançamento
vertical para baixo.

a) Lançamento vertical para cima ​Um corpo lançado


verticalmente para cima realiza durante a subida um
movimen- to retilíneo uniformemente retardado, pois o 49
módulo de sua velocidade di,:ninui no decorrer do

,
50

P ​f ​O bl
​ ​A ​p ​emas ​Ji ​caça ​d~

~ ​o ​
Um corpo ​é ​lançado do solo verticalmente para cima, com velocidade ​Jniclal de 30 m/s. Desprezando a resistência do ar e admitindo

g "' ​10 m/52, calcular: a) o tempo gasto pelo corpo para atingir a altura máxima;
b) ​a altura máxima atingida em relação ao solo; c) o tempo gasto pelo corpo para retomar ao solo; d) a velocidade ao chegar ao solo; e) a
​ esolução: ​a) Adotando a trajetória indicada, temos:
construção ​dos ​gráficos s ​= ​f(t) e ​v ​= ​f(t). R

v, • ​30 ​m/s ​
or' ​posições

• Funções horárias:
s • f(t) ​⇒ s​ = ​5o ​+vol ​+ ​...!_ ​gt2 ​⇒ s​ = 0 ​+ ​30t ​+..!. ​(- 10)1​2
22
s = 30t - 5t​2 ​v ​= ​f(t) ​⇒ ​v =
​ Vo + gt ​⇒ ​v ​= 30 - !Ot Na altura máxima ​v ​= ​O: logo: V= 30 - lOt ​⇒ ​0 = 30 - lOt ​⇒ ​101 ​z ​30 ​⇒ ​t ​= ​3 ​S ​b) s = ?
quando t = 3 s
s =​ ​30t - 5t​2 ​⇒ ​s = 30 · 3 - 5 · 3​2 ​⇒ ​s = 90 - 45 ​⇒ ​s = 45 m c) No solo s = O

5 ​"' ​
30t - ​51​2​⇒ ​O= 30t - ​51​2​⇒0 ​= 5t (6 - ​t)⇒t ​= O(nãosatisfaz)
​ ​s ​d)v=?quandot=6s
t ​= 6

V= 30- 10 t ​⇒ ​V= 30 - 10 · 6 ​⇒ V= ​30 - 60 v= - 30m/s ​Observe que:


• o tempo de subida ​é ​igual ao tempo de descida:
• a ​velocidade ​de ​saída ​é ​igual ​à velocidade de chegada (em módulo).
e)

s(m~ ​45 --
! ​6 ​t ​(s)
v (m/s) ​30 ​ -30
o​
3 ​;6 t​ ​(s)
'
Resposta: ​a) 3 s b) 45 m e) 6 s d) -30 m/s e) Vide resolução.
2 ​Uma pedra ​é ​lançada verticalmente para ​cima, ​do alto de ​um ​edifício, ​com ​velocidade ​inicial de 19,6 m/s. Decorridos 6,0 s do
lançamento, ela atinge o solo. Sendog ​a ​9,8 m/52, determinar a altura do ponto de lançamento. Desprezar a resistência ​do ​ar. ​Resolução:

~ô ​ I; ​~ ​g • ​- 9,8 ​m/s'

or' ​ posições

Resposta: ​58,8 ​m
, Um móvel ​é ​lançado do solo verticalmente com velocidade inicial ​de ​40 m/ s. Desprezando a resis- tência do ar e adotando g ​= ​10 m/s2,
calcule: a) o tempo gasto pelo corpo para atingir a altura
máxima; b) a altura máxima em relação ao solo; c) o tempo gasto pelo corpo para retornar ao
solo; d) a velocidade ao tocar o solo; e) a construção dos gráficos s = f(t) e v =​ ​f/tJ.
'' Um jogador de beisebol imprime uma velocidade v​ ​Que ​0 ​= 30,48 altura m/sa máxima uma bola, atingirá que sobe a verticalmente. bola?
Adote g= 9,8m/s2.
:';, Uma bola ​é ​lançada de baixo para cima de uma altura
de 20 25 m/s. metros Adotando em relação g ​= ​10 ao ​mN-, ​solo, com ​calcule:
velocidade de
a) o tempo de subida; b) a altura máxima em relação ao solo; c) o tempo gasto para atingir o solo; d) o tempo gasto ao ​passar ​pela posição
35 m
durante a descida. ​94 ​Um móvel ​é ​lançado do solo verücalmente ​para ​cima e retoma ao local de lançamento após 12
segundos. Adotando g ​= ​1 O m/s2, calcule: a) a velocidade ​de ​lançamento;
No solo s ​= ​O; logo:

S ​= ​5o ​+ ​v​0​t ​+ ​}gt​2


O= h + 19,6 · 6 ​+ ​l(-9,8) ​2
· ​62​
O= ​h ​+ ​117,6 - 176,4 ​h ​= ​58,8 ​m
b) a altura máxima atingida em relação ao solo.
'i 5​ U
​ m corpo ​é ​lançaclo do solo verticalmente para cima, no vácuo, com ​urna ​velocidade ​inicial ​de 50 ​m/s, ​num l​ ocal ​onde ​g ​= ​1 O ​m/s2.
​ m balão que ​possui ​a velocidade
Em que instante ​da ​descida o corpo ​passa ​por um ponto ​da ​trajetória situado a 45 m do solo? ​iõ U
ascendente de 10 m/s, ao ​passar ​pela altura de 50 m, larga um corpo. Considere g ​= ​10 m/s2.
​ ual ​o tempo gasto pelo corpo para atingir o
a) Q
solo? b) Qual a velocidade do corpo ao chegar ao solo?
J:J7 D​ etermine com que velocidade devemos lançar um móvel verticalmente para cima para que atinja a altura de 500 metros em 20
segundos. Adote g • 10 m/s2.
9~ Um malabarista ​de ​circo d​ eseja ​ter três bolas no ar em todos os instantes. ​Ele ​arremessa uma ​bola ​a cada 0,40 s. Adote g • 10 ​m/s2. ​a)
Quanto tempo ​cada ​bola fica no ar? b) Com que velocidade inicial deve o malabarista
atirar ​cada ​bola para cima? c) A que altura se elevará ​cada ​bola acima de suas
mãos?
51

1​ ..
100 ​No vácuo, ​supõe-se ​um corpúsculo que seja lança- do verticalmente para cima. Supondo que ​g ​= ​10 m/s'-, ​qual ​a menor velocidade
escalar ​para
b) ​Lançamento vertical para baixo ​. Um corpo lançado verticalmente para baixo realiza um movimento retilíneo

acelerado, pois o módulo de sua velocidade aumenta no decorrer do ​


tempo. uniformemente
​ Problema de
Aplicação
Abandona-se um corpo do alto de uma torre de ​80 ​metros de altura. Desprezando a resistência do ​ar ​e adotando g ​= ​10 m/s​2​, ​determinar:

a) o tempo gasto pelo corpo para atingir o solo; ​b) ​a velocidade do corpo ao atingir o solo. ​Resolução: ​a) Adotando a trajetória ​
o
indicada, temos: ​(corpo abandonado ​80m v, -O)
• (origem ​posições)

das ​!g • ​ 10 ​m/s'

S ​= f​ (t) ​⇒ S
​ ​= S​ o + Vot + ​ 1⁄2 ​gt2 ​⇒ ​S ​= ​0 ​+ ​0 ​+ ​_!_ . 1​ 012 ​s ​= ​St​ 2 V​ ​
2​ z​ ​ 0 ​m
f(t) ​⇒ V = ​Vo + ​gt ​⇒ V= ​o+ ​lOt ​⇒ V= ​lOt ​No solo s ​= 8

​ t2 ​⇒ ​80 ​= ​s12 ​⇒ ​12 ​= ​16 ​lOt ​⇒ v​ ​= 1​ 0 . 4 ​⇒ ​v ​= 4​ 0 m/s ​⇒ t​ - ​-± 4​ ​.. .​ ​t=4s Resposta:
b) ​v ​= s​ ​= S ​ ​a) ​4 ​s ​b) 40 ​m/s

1 ​O ​2 ​Abandona-se ​um ​corpo do alto de ​uma ​montanha de 180 metros de altura. Desprezando a resistência ​aJ do
​ ​O ar
​ ​tempo e​ adotando

géNO ​peh ​g ​= ​capo 10


​ m/s2, ​para ​determine· ​atiajr ​ soÍo,
103 ​Um corpo ​é ​.. ,_ ​ ​o verticalmente .​ ​para ​baixo de de uma ​8 a​ ltura m/s. Dado de ​112 ​g metros ​= ​1 ​o m
​ ​nça d ​ /s2 e com ​calcul
​ a velocidade ​do ​corpo ao atingir o ;lo. '
velocidade ​. ​ini c ial b)
52

b) ​al!WJX:6i;ooem ​!UI • ​...,_,J_ J . ​~ ​no ​rea;oo lllSlante


​ ​- ​oo ​d>, ​do ​item ​' ​m ​instante ​anterior;

e. ​3 ​s;
99 ​Um elevador sobe e no instante em que se encon- tra a 30 metros do solo sua llelocidade ​escalar ​é ​5 ​m/s. Nesse mesmo instante
rompe-se o cabo de sustentação e o elevador fica livre ​de ​qualquer resistência. Adotando g ​= ​10m/s​2​, ​determine o tempo ​que ​ele gasta
para ​atingir o ​solo.
que o referido corpúsculo atinja a altura de ​180 ​m acima do ponto inicial? ​1 O 1 ​Duas ​bolinhas são lançadas verticalmente ​para ​cima, a
partir de uma mesma altura, com mesma velocidade inicial de ​15 ​m/s, mas com intervalo de tempo de ​0,5 ​s entre os lançamentos. ​Qual
o instante do encontro em relação ao lançamento da primeira? Adote g ​= ​10 ​m/ s​2​•

-
c) sua velocidade ao tocar o solo; d) o instante em que ele se encontra a ​7 ​6 m do
solo.
104 ​Um gato consegue sair i​ leso ​de muitas ​quedas. ​Suponha que a maior velocidade com a ​qual ​ele pode atingir o solo ​sem ​se
machucar seja de ​8 ​m/s. Desprezando a resistência do ar e adotando g =​ ​10 ​m/s2, calcule a altura máxima de queda ​para ​que o gato nada
sofra.
1 ​C S ​Um corpo, abandonado ​de ​uma altura ​H, l​ eva ​7 ​segundos para chegar ao solo. Dado g = ​ v's2, ​calcule ​H.
​ ​9$ n
1 06 ​Uma pedra cai do telhado de ​uma casa ​e percorre a altura de uma janela, colocada 19,6 m abaixo, no tempo de ​O, 1 ​s. Determine a
altura h da janela. Adote g​ = ​9,8m/s2.
Capítulo ​1 Vetor
l ​O 7 ​(ITE ​ m ​corpos ​são ​lançados
- ​Bauru) Dois ​neamente ​de u simulta- ​mesmo ponto, de cima para ​baixo, com velocidades,

respectivamente, ​24,85 ​9, ​7 ​m/s2. m/se Calcule lOm/s. as ​distAncias ​Aaceleraçãodegravidadeé percorridas pelos dois corpos, quando a

velocidade do primeiro se torna ​ o dobro da do segundo.


1 08 ​Uma pedra ​cai ​em um poço e o observador ouve o som ​da ​pedra no fundo após ​9 ​s. ​Admitindo ​uma ​aceleração de gravidade ​igual ​a
10 ​m/s2 e a velocidade d​ o ​som no a​ r ​de ​320 ​m/s, determine a profundidade do poço. 1 ​ 09 ​(UFPE)Umpequenoobjetoélargadodo l​ 5​9​andar
de u​ m ​edifício e c​ ai, ​com atrito do ar desprezível, sendo visto ​1 ​s após o lançamento ​passando ​em frente à​ ​janela do ​14​2 ​andar. ​Em ​frente
à ​janela ​de ​qual andar ele ​passará ​2 ​s após o lançamento? Admita ​g ​= ​10 ​m/s​2​• ​11 O ​(UFPAJ ​Em u
​ m local onde a aceleração ​da ​gravi-
​ 25 ​m, em direção ao solo. Dois segundos depois, uma segunda
dade vale 10 m/s​2​, ​deixa-se cair livremente uma ​pedra ​de uma altura de 1
pedra é atirada da mesma altura, verticalmente, para baixo. Sabendo que ​essas ​duas pedras atingem o solo ao ​mesmo ​tempo, ​calcule ​a

velocidade com ​que ​a segunda pedra ​foi ​atirada. ​


Cinemática ​ 2
É o símbolo matemático utilizado para representar o módulo, a direção e o sentido de uma grandeza física vetorial .

Representamos um vetor por meio de uma seta. ​ vetorial


Indicamos: ​v ​= ​OP ​= ​P - O.
53
Todo vetor tem três caracteristicas:
/
r(retasuporte)
\}

\}

~​ • módulo ​I ​v ​1 ​= ​v ​= ​3u;
• direção da reta ​r;
• sentido de O para P.
O módulo de ​um ​vetor é a medida da seta que o representa. Na representação anterior o módulo do vetor ​i.i ​é igual a três
unidades de medida.
.:2 ​Operações com vetores
a) Adição de dois vetores concorrentes ​Dados os vetores ​ã ​e ​b ​vamos obter o vetor soma ​R, ​tal que ​R ​= ​ã ​+ ​6.
6 ​B
Tracemos pela extremidade de cada vetor uma paralela ao outro vetor.
B

​ ​uetor soma ​das ​ou ​duas resultante


paralelogramo. ​de cruzamento O ​ ​
paralelas ​ ​traçadas tem
R ​ ori ​g ​· em
​ ​Est e no metodo

~onto ​ ? ​e chamado e extremidade de ​método n​ o ponto ​do


54
~ a-​ ​ R ​' ​ :' ​O-'------::------,' ​O vetor soma ​R ​t em as seguintes . ​ caracteristicas:
a​ :​ b​

B ​, ​di~o módulo ​~ ~ ​ ​= ​reta ✓


​ ​da R ​ ​b2 + ​2ab cosa ​sentido ​~ ​de O · para p
​ ​a​ OP +
2​

-
A expressão do módulo do vetor ​R p​ ode ​ser ​demonstrada a partir ​da ​lei dos cos- senos no triângulo OBP.
Se os vetores ​ã ​e ​6 f​ orem perpendiculares, para achar o módulo do vetor soma basta aplicar o teorema de Pitágoras.
6 ​Eí
R'=✓ ​a2 ​+ ​b2
Observação:
O vetor soma ​R p​ ode ser representado pelo segmento orientado cuja origem coincide com a origem do primeiro e cuja
extremidade coincide com a extremidade do segundo.
Este método é chamado ​regra do polígono.

Problema de Aplicação
Detenninar o módulo do vetor soma de dois vetores ​que ​formam entre ​si Resoluça​
​ um lingulo ​ _​ o~ ​de =​

60o ​e cujos módulos valem ​6 ​m e 8 m.

m 6 ​Dados ​
1​ b-8m ​ex= ​60o

2​
​ 6​ + ​8​2 ​+ ​2 · 6 · 8 · ​cos ​6()o ​R ​= ​✓36 ​+ ​64 ​+ ​96 · ​L ​2_ R
R ​= ​✓a​ + ​b​2 ​+ ​2ab ​cos a ​R ​= ✓
2​
​ ​= ​✓148 ​m ​ou ​R - ​2 ​✓37 ​m

Resposta: ​2 ​.../37 m
55
i ​l 4 ​Na ​fi!μa, ​os vetores ​ã ​e ​6 r​ epresentam ​desloca-
médtlo ​mentos ​do ​~ ​vetor ​ê ​= ​de ​ã ​+ ​um 6
​ .
corpo. ​Determine ​o

1 ​a ​..,"- ​1 ​im ​1 ​I ​~r--1> ​l'-h. ​l ​1

1 ​li ​1 1
​ ​I ​1 1​ ​1 1​ 1

1 l ​5 ​Podem-secombinardoisvetoresdemódulosiguais ​para que ​se tenha uma resultante nula? ​E ​três ​vetores de ​módulos ​iguais 7​
Consideremos ​

o-'-​ os ​vetores ​ã ​= ​A - O e ​b ​= ​B - O, que ​formam ​B ​O ​ ~​ ​ ​i ​e ​Determine ​6 ​= ​1


6 11

O ​on. o ​módulo ​em ​cada ​do ​caso: vetor soma de ​ã ​= ​14 ​on

a) ​b) ​Dado: ​
1⁄4.~ ​ cos ​li ​30' ​= ​0,8. ​Daoo: ​cos150' ​li ​= ​-0,8. 112
​ ​Ache ​o ​móckJlo do ​vetor soma ​dos ​vetores ​ã ​e ​6 i​ n-

dicâ::los ​na ​
lil
figura. ​Dados: ​a ​= ​6 ​me ​b ​= ​8 ​m. ​li 11 ​J ​vetor ​Dados ​R ​a= ​= ã​ ​12 ​+ ​entre ​si ​um ​ângulo ​a. ​B

O ​vetor diferença iid ​= ​ã - ​b ​~ ​on ​6. ​Dado: ​e ​b ​= ​8 ​cos ​on, ​120' ​calcule ​= ​-1 ​2
o módulo ​. ​do
b) ​Subtração ​entre dois vetores
​ é​ ​dado por: ​
iid ​= ​ã - 6
iid ​= ​(A - 0) - ​(B - ​O) i​ i=A-8

d​! ----~
extremidade
Algebricamente, o vetor iid ​é ​dado por:
2​
, módulo: vd ​= ​✓a​ + ​b2​ ​- ​direção: ​da ​reta ​AB ​2ab c​ os a ​1 ​J
~ ntido: de B para ​A
56
l --• - -- - -

SE
Problema de
São ​dados ​os ​vetores ​a e ​6 d​ e ​módulos ​4 ​m e ​6 ​m. respectiva.onente. ​ Aplicação

i​ 6
Calcular ​Resolução: ​Dados ​ ! ​ :::: ​ o módulo ​ do ​vetor ​(ã - ​6J. ​cos ​60o ​= l​ _ ​2 v, 2​
​ ​= ​✓a​ + ​b2 - 2ab ​cos ​a ​~

Resposta; ​2 ​-f7 ​m

' =​ ​✓ ​4​ + ​62 - 2 · 4 · 6 · ​2 1​ ​v, =​ 2 ​-.fi;


2​
V​

l l ​6 ​fm ​cada ​caso, ​ache ​o ​módulo ​do ​vetor ​(ã - ​b), 117 ​Ache ​o ​módulo ​do ​vetor ​fÕ - ​ã1 ​dos ​\-etores ​da
sabendo ​que ​a= ​6 ​on e ​b ​= ​10 ​on. ​figura.
a)
6 6 ​b)
cos45" = 0.7

57

,. ​ ~ ​. ​.

e) ​Produto de um número por um vetor ​Quando multiplicamos um número a por um vetor\\, obtemos um outro vetor ​v t​ al
que: ​2•

intensidade: v​2 ​= ​a · v​1 ​direção: a mesma de ​i;\ s​ entido: { se a > ​O, ​o mesmo de ​,1i ​se a< O
​ , ​contrário ao de 0​1
Exemplo: Dado o vetor v ​ , ​indicado na figura, temos:

~​
V​
ffi
3, ​/ ​1/ ​/ /
·i.(_;-: ​ i·i ~ - --::~: ​>​ -~-i-.~·tfi>;"
~ ​, 3 Sejam os vetores da figura.

r- 1 ​
,_ ​~L!-
"' ​
-​ -​
1​ ...- ​1 ​ -- ​' ​ -

-​
1​
~ -​ ​6 -​ ​~ ​ - ​- ​ 1'\.. -​ -​- ​ - ~​ - ​-- -​ - ​- - -
{​ L_ ​

·····-·--f-. ​1---- ​
__ J._1~J-- a

'

Determine geometricamente os seguintes vetores: ​alA=a+ti+éi clM =2â+3c b)B=btc+d d)íl =2btc - 4êl
58

---
\ ​I

3 Vetor oposto

rísticas:

Denominamos ​- v​ etor oposto d​ e um vetor ao vetor -a com ​a


l

mesmo mesma sentido direção contrário módulo de de ao ​a ​a ​de ​a ​ffl


l ​l ​, ​' ​as seguintes ​i ​& ​l 1​
1 - ​t ' ​caracte- Observações: ​1 ) ​Se ​dois vetores têm a mesma direção e o mesmo sentido, o vetor resultante ​será:

ã ​~ ​
6

... - . - - . ​E_. ​--. ​-►: ​Em ​módulo: ​IR"' ​a+ ​bj


2!) Se dois vetores têm a mesma direção e sentidos contrários, o vetor resultante
será:
3 ​i
6 ~-
​ --- ​R ·----
​ ​6
Em módulo: ​ R- =-a---b'I
, -1 ​

,\_\ \ ​~-~)';~){)~·)' 11', }.

Em cada caso ache o. oposto do vetor ​ã. ​a) ​b) ​e) ​ íll:F□ ;g

11.0 ​Represente ​

•1- ​ ~- o vetor ​R ​a ​

​ m cada caso. ​1 21 ​Dados caso, ​a) ​


ã ​+ ​li e

39.
m​ o os vetor vetores ​R ​= ​da 2x figura, ​t- ​represente. em cada

b) ​
§il​ ~l-1-+--H ​ 7 ​ ; ​ 59 -j ​ i​ _j ​