Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA
PROGRAMA DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL

ANDRÉ KAZUHIRO SHIOTANI

ESTRUTURAS DE CONTENÇÃO
ATIVIDADE 1: PARAMÊTROS DO SOLO
CORRELACIONADOS AO SPT

Professor: Nelci Helena Maia Gutierrez

MARINGÁ
2019
LISTA DE FIGURAS

Figura 1 – Relatório de campo da sondagem de simples reconhecimento com SPT, SP41


Figura 2 – Perfil Individual da Sondagem de simples reconhecimento com SPT, SP4 ... 2

LISTA DE TABELAS

Tabela 1 – Correlação entre NSPT e Coesão Não Drenada, SP4 ....................................... 3


Tabela 2 – Correlação entre NSPT e Ângulo de Atrito Interno, SP4 ................................. 4
Tabela 3 – Peso específico de solos argilosos .................................................................. 5
Tabela 4 - Correlação entre NSPT e a Consistência e Peso Específico, SP4 ..................... 5
Tabela 5 – Tensão admissível do solo em função do NSPT ............................................... 6
Tabela 6 - Correlação entre NSPT e a Tensão Admissível, SP4 ........................................ 7
Tabela 7 – Valores do parâmetro α................................................................................... 7
Tabela 8 – Valores do parâmetro K .................................................................................. 7
Tabela 9 - Correlação entre NSPT e o Módulo de Deformabilidade, SP4 ......................... 8
SUMÁRIO

1 SONDAGEM DE SIMPLES RECONHECIMENTO .......................................... 1


2 CORRELAÇÃO DO ENSAIO SPT COM OUTROS PARÂMETROS .............. 3
2.1 COESÃO NÃO DRENADA ................................................................................ 3
2.2 ÂNGULO DE ATRITO INTERNO ..................................................................... 3
2.3 PESO ESPECÍFICO ............................................................................................. 5
2.4 TENSÃO ADMISSÍVEL ..................................................................................... 6
2.5 MÓDULO DE ELASTICIDADE......................................................................... 7
1 SONDAGEM DE SIMPLES RECONHECIMENTO

Uma campanha de sondagem de simples reconhecimento dos solos com SPT foi
realizada num terreno localizado na zona 07 da cidade de Maringá- PR, visando obter
informações necessárias à elaboração do projeto de fundações de um edifício residencial.
O relatório de ensaio fora preenchido com as informações obtidas durante sua
execução e são apresentados na Figura 1.

Prof. Ensaio N° golpes Prof. Tipo Penetr.


Amostra Tipo de Solo
Inicial Final 1º 2º 3º Revest. Amostrador 1º
1 1,00 1,460 1 / 20,0 1 / 14,0 1 / 12,0 TH 0,0 AB 1 / 20,0 Argila siltosa
2 2,00 2,520 1 / 21,0 1 / 19,0 1 / 12,0 TH 1,0 AB 1 / 21,0 Argila siltosa
3 3,00 3,460 2 / 22,0 1 / 8,0 2 / 16,0 TH 1,0 AB 1 / 11,0 Argila siltosa
4 4,00 4,490 1 / 16,5 2 / 19,5 2 / 13,0 TH 1,0 AB 1 / 16,5 Argila siltosa
5 5,00 5,440 1 / 14,0 2 / 14,0 3 / 16,0 TH 1,0 AB 1 / 14,0 Argila siltosa
6 6,00 6,455 2 / 19,5 2 / 14,0 2 / 12,0 TH 1,0 AB 1 / 12,0 Argila siltosa
7 7,00 7,465 3 / 14,0 5 / 17,0 5 / 15,5 TH 1,0 AB 1 / 4,0 Argila siltosa
8 8,00 8,470 2 / 20,0 2 / 14,0 2 / 13,0 TH 1,0 AB 1 / 9,0 Silte areno-argiloso
9 9,00 9,450 3 / 15,0 4 / 14,0 6 / 16,0 TH 1,0 AB 1 / 5,0 Silte areno-argiloso
10 10,00 10,433 5 / 15,5 9 / 14,5 10 / 15,5 TH 1,0 AB 1 / 6,0 Silte areno-argiloso
11 11,00 11,470 6 / 15,5 8 / 15,5 11 / 16,0 TH 1,0 AB 1 / 4,0 Silte areno-argiloso
12 12,00 12,450 8 / 15,0 10 / 15,0 13 / 15,0 CA 10,0 AB 1 / 2,0 Silte areno-argiloso
13 13,00 13,455 5 / 15,0 9 / 16,0 12 / 14,5 CA 10,0 AB 1 / 2,0 Silte areno-argiloso
14 14,00 14,450 6 / 14,5 9 / 16,5 10 / 14,0 CA 10,0 AB 1 / 2,5 Silte areno-argiloso
15 15,00 15,450 8 / 14,5 18 / 15,5 19 / 15,0 CA 10,0 AB 1 / 1,5 Silte areno-argiloso
16 16,00 16,450 8 / 14,0 15 / 16,0 17 / 15,0 CA 10,0 AB 1 / 1,5 Silte areno-argiloso
17 17,00 17,435 9 / 15,0 16 / 15,0 25 / 13,5 CA 10,0 AB 1 / 2,0 Silte areno-argiloso
18 18,00 18,445 4 / 14,5 9 / 15,0 11 / 15,0 CA 10,0 AB 1 / 4,0 Silte areno-argiloso
19 19,00 19,450 9 / 15,0 17 / 15,0 26 / 15,0 CA 10,0 AB 1 / 1,5 Silte areno-argiloso
20 20,00 20,450 8 / 16,0 15 / 14,0 21 / 15,0 CA 10,0 AB 1 / 2,0 Silte areno-argiloso
21 21,00 21,440 7 / 14,0 13 / 16,0 17 / 14,0 CA 10,0 AB 1 / 1,5 Silte areno-argiloso
22 22,00 22,380 14 / 15,0 20 / 14,0 16 / 9,0 CA 10,0 AB 1 / 1,0 Silte areno-argiloso
23 23,00 23,185 35 / 15,0 15 / 3,5 CA 10,0 AB 1 / 0,5 Silte areno-argiloso

Figura 1 – Relatório de campo da sondagem de simples reconhecimento com SPT, SP4

1
O perfil individual de Sondagem à Percussão (SP4), considerando os dados
contidos nas folhas de anotações de campo é apresentado na Figura 2.

Figura 2 – Perfil Individual da Sondagem de simples reconhecimento com SPT, SP4

2
2 CORRELAÇÃO DO ENSAIO SPT COM OUTROS PARÂMETROS

2.1 COESÃO NÃO DRENADA

Na ausência de resultados laboratoriais, Teixeira e Godoy (1996) propõem a


seguinte equação para a determinação da coesão não drenada:
𝐶 =10.N Equação 1
Assim, os valores das coesões do solo da sondagem SP4 foram calculadas e são
apresentadas na Tabela 1.
Tabela 1 – Correlação entre NSPT e Coesão Não Drenada, SP4
Coesão Não Drenada (Cu) (KPa)
Nspt
Amostra Teixeira e Godoy (1996)
1º M. 2º M. 3º M. 1º M. 2º M. 3º M.
1 2,3 2,2 2,0 23,08 21,77 20,36
2 1,9 1,9 1,5 19,35 18,53 15,49
3 3,8 3,5 3,5 37,50 35,19 35,11
4 3,7 3,6 3,0 36,92 36,10 30,14
5 5,0 5,0 4,4 50,00 50,25 43,57
6 4,6 4,4 4,1 46,15 43,88 41,04
7 9,2 9,2 8,9 92,31 92,44 89,03
8 4,4 4,2 4,1 44,44 42,19 40,71
9 10,0 10,0 8,6 100,00 100,00 85,71
10 19,0 18,8 18,5 190,00 188,47 184,72
11 18,1 18,0 15,4 180,95 179,94 154,19
12 23,0 23,0 20,0 230,00 230,00 200,00
13 20,7 20,7 16,9 206,56 206,56 168,75
14 18,7 18,7 16,4 186,89 187,27 164,29
15 36,4 36,4 35,1 363,93 364,19 351,43
16 31,0 31,1 28,5 309,68 310,63 284,91
17 43,2 43,2 32,0 431,58 431,58 320,00
18 20,0 20,0 18,2 200,00 200,34 181,62
19 43,0 43,0 34,0 430,00 430,00 340,00
20 37,2 36,5 31,6 372,41 365,00 315,71
21 30,0 30,2 24,7 300,00 301,94 246,88
22 47,0 47,0 42,9 469,57 469,57 428,57
23 128,6 128,6 128,6 1285,71 1285,71 1285,71

2.2 ÂNGULO DE ATRITO INTERNO

Godoy (1983), propõe a seguinte equação empírica para a determinação do ângulo


de atrito interno utilizando o NSPT:

3
∅=28°+0,4.N Equação 2
Já Teixeira (1996), propõe:
∅=√24. 𝑁+15° Equação 3
Assim, os valores dos ângulos de atrito do solo da sondagem SP4 foram calculados
e são apresentados na Tabela 2Tabela 1.
Tabela 2 – Correlação entre NSPT e Ângulo de Atrito Interno, SP4
Ângulo de Atrito (φ) (°)
Nspt
Amostra Godoy (1983) Teixeira (1996)
1º M. 2º M. 3º M. 1º M. 2º M. 3º M. 1º M. 2º M. 3º M.
1 2,3 2,2 2,0 29° 29° 29° 22° 22° 22°
2 1,9 1,9 1,5 29° 29° 29° 22° 22° 21°
3 3,8 3,5 3,5 30° 29° 29° 24° 24° 24°
4 3,7 3,6 3,0 29° 29° 29° 24° 24° 24°
5 5,0 5,0 4,4 30° 30° 30° 26° 26° 25°
6 4,6 4,4 4,1 30° 30° 30° 26° 25° 25°
7 9,2 9,2 8,9 32° 32° 32° 30° 30° 30°
8 4,4 4,2 4,1 30° 30° 30° 25° 25° 25°
9 10,0 10,0 8,6 32° 32° 31° 30° 30° 29°
10 19,0 18,8 18,5 36° 36° 35° 36° 36° 36°
11 18,1 18,0 15,4 35° 35° 34° 36° 36° 34°
12 23,0 23,0 20,0 37° 37° 36° 38° 38° 37°
13 20,7 20,7 16,9 36° 36° 35° 37° 37° 35°
14 18,7 18,7 16,4 35° 35° 35° 36° 36° 35°
15 36,4 36,4 35,1 43° 43° 42° 45° 45° 44°
16 31,0 31,1 28,5 40° 40° 39° 42° 42° 41°
17 43,2 43,2 32,0 45° 45° 41° 47° 47° 43°
18 20,0 20,0 18,2 36° 36° 35° 37° 37° 36°
19 43,0 43,0 34,0 45° 45° 42° 47° 47° 44°
20 37,2 36,5 31,6 43° 43° 41° 45° 45° 43°
21 30,0 30,2 24,7 40° 40° 38° 42° 42° 39°
22 47,0 47,0 42,9 47° 47° 45° 49° 49° 47°
23 128,6 128,6 128,6 79° 79° 79° 71° 71° 71°

4
2.3 PESO ESPECÍFICO

Godoy (1972) propõe valores aproximados para o peso específico efetivo do solo
em função da consistência da argila e da compacidade da areia. Os estados de consistência
de solos finos e de compacidade de solos grossos são dados em função do NSPT.
Tabela 3 – Peso específico de solos argilosos
Peso Específico
NSPT Consistência
(kN/m³)
≤2 Muito mole 13
3–5 Mole 15
6 – 10 Média 17
11 – 19 Rija 19
≥ 20 Dura 21

Assim, as consistências e os pesos específicos solo da sondagem SP4 foram


determinados e são apresentados na Tabela 4.
Tabela 4 - Correlação entre NSPT e a Consistência e Peso Específico, SP4
Peso Específico (γ) (kN/m³)
Nspt
Amostra Godoy (1972)
1º 2º 3º
1º M. 2º M. 3º M. Consist.
M. M. M.
1 2,3 2,2 2,0 Muito Mole 13 13 13
2 1,9 1,9 1,5 Muito Mole 13 13 13
3 3,8 3,5 3,5 Mole 15 15 15
4 3,7 3,6 3,0 Mole 15 15 15
5 5,0 5,0 4,4 Mole 15 15 15
6 4,6 4,4 4,1 Mole 15 15 15
7 9,2 9,2 8,9 Média 17 17 17
8 4,4 4,2 4,1 Mole 15 15 15
9 10,0 10,0 8,6 Média 17 17 17
10 19,0 18,8 18,5 Rija 19 19 19
11 18,1 18,0 15,4 Rija 19 19 19
12 23,0 23,0 20,0 Dura 21 21 21
13 20,7 20,7 16,9 Dura 21 21 19
14 18,7 18,7 16,4 Rija 19 19 19
15 36,4 36,4 35,1 Dura 21 21 21
16 31,0 31,1 28,5 Dura 21 21 21
17 43,2 43,2 32,0 Dura 21 21 21
18 20,0 20,0 18,2 Dura 21 21 19
19 43,0 43,0 34,0 Dura 21 21 21
20 37,2 36,5 31,6 Dura 21 21 21
21 30,0 30,2 24,7 Dura 21 21 21
22 47,0 47,0 42,9 Dura 21 21 21
23 128,6 128,6 128,6 Dura 21 21 21

5
2.4 TENSÃO ADMISSÍVEL

A determinação da tensão admissível pode ser feita, de maneira prévia, utilizando


a Equação 4 a seguir , dado em kgf/cm² (REBELLO, 1949).
𝜎 =√𝑁 − 1 Equação 4
Apesar de simples, a expressão acima não considera o tipo de solo. Considerando
isso, Rebello (1949) propõem as seguintes expressões para a determinação da tensão
admissível para solos coesivos, em kgf/cm².
 Argila pura:
𝑁
𝜎 = Equação 5
4
 Argila siltosa:
𝑁
𝜎 = Equação 6
5
 Argila areno-siltosa:
𝑁
𝜎 = Equação 7
7,5

Rebello (1949) recomenda, ainda, a adoção da tabela a seguir para a obtenção de


valores mais precisos.
Tabela 5 – Tensão admissível do solo em função do NSPT
Taxa do Solo
Tipo de Solo NSPT
(kgf/cm²)
0a4 0a1
5a8 1a2
Areia e Silte
9 a 18 2a3
19 a 40 ≥4
0a2 0 a 0,25
3a5 0,5 a 1
Argila 6 a 10 1,5 a 3
11 a 19 3a4
≥ 19 ≥4

Assim, as tensões admissíveis da argila siltosa da sondagem SP4 foram


determinadas pela Equação 6 e são apresentadas na Tabela 4.

6
Tabela 6 - Correlação entre NSPT e a Tensão Admissível, SP4
Tensão Admissível (kg/cm²)
Nspt
Amostra Moraes (1978)
1º M. 2º M. 3º M. 1º M. 2º M. 3º M.
1 2,3 2,2 2,0 0,462 0,435 0,407
2 1,9 1,9 1,5 0,387 0,371 0,310
3 3,8 3,5 3,5 0,750 0,704 0,702
4 3,7 3,6 3,0 0,738 0,722 0,603
5 5,0 5,0 4,4 1,000 1,005 0,871
6 4,6 4,4 4,1 0,923 0,878 0,821
7 9,2 9,2 8,9 1,846 1,849 1,781

Para a determinação da tensão admissível da camada de Silte Areno-argiloso, foi


utilizado a Tabela 5 e o NSPT médio na camada (Nméd). Assim tem-se:
Nméd = 29,7 golpes → σadm ≥ 4 kgf/cm²

2.5 MÓDULO DE ELASTICIDADE

Na ausência de ensaios laboratoriais e prova de carga sobre placas para a


determinação do módulo de elasticidade do solo (Es), a equação a seguir pode ser utilizada
para obter uma estimativa do parâmetro.
𝐸 = ∝. 𝐾. 𝑁 Equação 8
Onde os coeficientes α e K são obtidos nas tabelas a seguir.
Tabela 7 – Valores do parâmetro α
Solo α
Areia 3
Silte 5
Argila 7

Tabela 8 – Valores do parâmetro K


Solo K (MPa)
Areia com pedregulhos 1,10
Areia 0,90
Areia siltosa 0,70
Areia argilosa 0,55
Silte arenoso 0,45
Silte 0,35
Argila arenosa 0,30
Silte argiloso 0,25
Argila siltosa 0,20

7
Assim, os módulos de deformabilidade do solo da sondagem SP4 foram
determinados e são apresentados na Tabela 9.
Tabela 9 - Correlação entre NSPT e o Módulo de Deformabilidade, SP4
Módulo de Elasticidade (Es) (MPa)
Nspt
Amostra Teixeira e Godoy (1996)
1º M. 2º M. 3º M. 1º M. 2º M. 3º M.
1 2,3 2,2 2,0 3,231 3,048 2,850
2 1,9 1,9 1,5 2,710 2,595 2,168
3 3,8 3,5 3,5 5,250 4,927 4,916
4 3,7 3,6 3,0 5,169 5,053 4,220
5 5,0 5,0 4,4 7,000 7,034 6,100
6 4,6 4,4 4,1 6,462 6,144 5,746
7 9,2 9,2 8,9 12,923 12,941 12,465
8 4,4 4,2 4,1 10,000 9,492 9,161
9 10,0 10,0 8,6 22,500 22,500 19,286
10 19,0 18,8 18,5 42,750 42,406 41,561
11 18,1 18,0 15,4 40,714 40,486 34,694
12 23,0 23,0 20,0 51,750 51,750 45,000
13 20,7 20,7 16,9 46,475 46,475 37,969
14 18,7 18,7 16,4 42,049 42,136 36,966
15 36,4 36,4 35,1 81,885 81,944 79,073
16 31,0 31,1 28,5 69,677 69,891 64,105
17 43,2 43,2 32,0 97,105 97,105 72,000
18 20,0 20,0 18,2 45,000 45,076 40,865
19 43,0 43,0 34,0 96,750 96,750 76,500
20 37,2 36,5 31,6 83,793 82,125 71,036
21 30,0 30,2 24,7 67,500 67,936 55,547
22 47,0 47,0 42,9 105,652 105,652 96,429
23 128,6 128,6 128,6 289,286 289,286 289,286