Você está na página 1de 74

$ a

Caderno de Práticas Pedagógicas


x
FORMAÇÃO
m
L NGUAGEM
1
0 .
MAISPAIC
CETRAMENTO
É
@ M TEMÁTICO

6 20 19 Y e CIENTÍFIC

ù
1º ano - Língua Portuguesa e Matemática
j

VOL. I1

äB }
+ C
C
C
6b
PRENDER
v Qualificando a ação escolar
Governador
Camilo Sobreira de Santana

Vice-Governadora
Maria Izolda Cela de Arruda Coelho

Secretária da Educação
Eliana Nunes Estrela

Secretário Executivo de Cooperação com os Municípios


Márcio Pereira de Brito

Coordenadora de Cooperação com os Municípios para Desenvolvimento da Aprendizagem na


Idade Certa
Ana Gardennya Linard Sírio Oliveira

Orientadora da Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental


Francisca Rosa Paiva Gomes

Equipe do Eixo do Ciclo de Alfabetização e 3º ano - SEDUC


Rakell Leiry Cunha Brito - Gerente
Bruna Alves Leão
Mayara Rodrigues Braga

Colaboradores
Dra. Maria Cilvia Queiroz - Consultora Língua Portuguesa
Dra. Maria José Costa dos Santos - Consultora Matemática

Autores
Bruna Alves Leão
Mayara Rodrigues Braga
Felipe Kokay Farias
Francisca Rosa Paiva Gomes
Rakell Leiry Cunha Brito

Revisão de Texto
Bruna Alves Leão
Mayara Rodrigues Braga
Felipe Kokay Farias
Rakell Leiry Cunha Brito

Organização Gráfica
Felipe Kokay Farias
Mayara Rodrigues Braga
Raimundo Elson Mesquita Viana
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 1

Prezado professor (a),

É com grande satisfação que apresentamos o caderno de atividades do Ciclo de


Alfabetização. Este caderno tem como objetivo auxiliá-lo nas suas atividades diárias com
os alunos em sala de aula, facilitando o processo de ensino-aprendizagem, ao propor
tarefas lúdicas e dinâmicas, por meio de jogos e exercícios de consolidação. Há ainda
uma preocupação com uma linguagem adequada ao universo dos alunos da educação
infantil.
Este material propõe práticas significativas que poderão contribuir para a efetivação
da aprendizagem dos educandos, a partir da leitura, reflexão, discussão e prática de
produção de textos. Cabe destacar que para a efetiva consolidação do conhecimento, é
necessário levar em consideração as experiências já vivenciadas pelo aluno e o contexto
no qual ele está inserido, sendo assim, o professor está livre para adequar as práticas
sugeridas ao contexto vivenciado em sala de aula.
Para cada atividade, propomos orientações metodológicas que nortearão o
trabalho do professor no momento de execução dos exercícios sugeridos. Ressaltamos
que tais práticas, apenas quando bem apreendidas, é que favorecerão a aprendizagem
dos alunos e alcançarão os objetivos propostos.
Esperamos que o uso deste material seja proveitoso e que ele possa auxiliá-lo no
aperfeiçoamento das suas práticas didáticas e proporcionar experiências exitosas dentro
da sua caminhada no magistério.

Bom trabalho!
A equipe organizadora.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 2

SÚMARIO

Apresentação do Caderno de Práticas ........................................................................... 03

Orientações para as Atividades de Língua Portuguesa ................................................. 14

Atividades de Língua Portuguesa ................................................................................... 22

Oficinas ........................................................................................................................... 44

Sequência Didática ......................................................................................................... 45

Suporte Teórico .............................................................................................................. 48

Orientações para as Atividades de Matemática ............................................................. 54

Atividades de Matemática ............................................................................................... 61

Avaliação do Caderno de Práticas Pedagógicas ............................................................ 79

Referências ......................................... ........................................................................... 80


Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 3

CICLO DE ALFABETIZAÇÃO

O ano letivo de 2019 já iniciou e, visando cooperar com os municípios no processo


ensino aprendizagem, a Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental
disponibiliza um conjunto de ações para contribuir com o fazer pedagógico, realizando
desde as formações continuadas para todos os formadores municipais à produção e
distribuição de materiais que auxiliem o professor no seu dia a dia em sala.
Para o Ciclo de Alfabetização, além do material estruturado que entregamos a
todos os professores e alunos da rede pública de ensino, oferecemos o Caderno de
Práticas Pedagógicas que se encontra organizado da seguinte forma: rotinas, atividades
e orientações aos professores, textos teóricos para estudo e uma avaliação das
atividades dos cadernos, proporcionando um leque maior de opções de trabalho ao
professor.
Para efetivar a utilização dos mesmos, precisamos fazer o acompanhamento
constante do processo de ensino e aprendizagem dos alunos, do uso dos materiais e,
principalmente, das rotinas neles estabelecidas. Esta ação passa pelo acompanhamento
da equipe da CECOM, através dos gerentes, que disseminam as orientações para as
SMEs e que deverão reunir os responsáveis dos municípios de cada série, para
acompanhar o trabalho, garantindo assim a aprendizagem de todos.
Seguem abaixo, algumas orientações referentes ao material estruturado e ao
Caderno de Práticas Pedagógicas, explicando cada material, apresentando: etapas,
conteúdos, rotinas, acompanhamentos e registros de avaliação dos alunos,
proporcionando as equipes apropriar-se de forma mais produtiva, possibilitando um
diálogo permanente entre o material pedagógico do aluno, o professor e a gestão do
processo ensino-aprendizagem.

CADERNO DE REGISTRO

O Caderno de Registro do 1º ano é o principal instrumento de acompanhamento da


aprendizagem dos alunos em Língua Portuguesa. Nele, o professor encontra uma tabela
que relaciona as habilidades e as competências que a criança deverá consolidar mês a
mês, portanto é muito importante o acompanhamento mensal.
O Caderno de Registro está organizado em: QUADRO I – Avaliação da Leitura;
QUADRO II – Avaliação da Escrita (Psicogênese da Escrita); QUADRO III – Psicogênese
da Escrita de Palavras; QUADRO IV – Avaliação da cópia, escrita e reescrita.
Esse acompanhamento deverá ser feito pelo professor e por toda a equipe gestora
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 4

(coordenador pedagógico, SMEs), mantendo feedback constante sobre os processos e


consolidação das habilidades, garantindo um diálogo permanente de mobilização e
intervenções a serem realizadas em cada turma.

ROTINAS PEDAGÓGICAS

A rotina é compreendida como um organizador do tempo e do ambiente,


articulando diversas propostas e formas garantindo a aprendizagem das crianças.
O acompanhamento da rotina, pelas equipes gestoras, se faz necessário, como
forma de garantir e articular o trabalho de ensino aprendizagem. O Material Estruturado,
como também os Cadernos de Práticas Pedagógicas, traz de forma articulada e
direcionada a ROTINA, que orienta o trabalho com as crianças, e que deverá ser seguida
pelo professor, e acompanhada pelas equipes gestoras (coordenador pedagógico, SMEs).

CADERNO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

O Estado oferece além do material estruturado, o Caderno de Práticas


Pedagógicas de Língua Portuguesa e Matemática para o Ciclo de Alfabetização, que
orienta o trabalho do professor, alinhado ao material – VAMOS PASSEAR NA ESCRITA e
traz sugestões de rotina a serem seguidas pelo professor articulando-se com a literatura.
É importante lembrar, também, que todos os materiais ofertados devem ser
analisados pelos professores e coordenadores pedagógicos em seus planejamentos para
definição da melhor utilização destes no ambiente escolar.
As equipes gestoras das SMEs deverão articular com as SMEs a reprodução
destes cadernos, como também fazer a avaliação presente no final dele para consolidar e
alimentar no SAAP, pois o Caderno de Práticas Pedagógicas será qualificado a partir da
avaliação do professor em cada formação.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 5

ROTINAS
PEDAGÓGICAS
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 14

ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS
LÍNGUA PORTUGUESA

ATIVIDADE 1 - 1ª semana - 2ª etapa


Campo de Campo da vida cotidiana
atuação Campo artístico-literário
Gênero textual Canção (A barata diz que tem...)
Protocolos de leitura
Objetos de Decodificação/Fluência leitora
conhecimento Estratégia de leitura
(leitura/escrita/ Formação do leitor literário
análise Apreciação estética/estilo
linguística) Escrita autônoma e compartilhada
Construção do sistema alfabético
Descritor D3, D4, D6, D7, D8, D9, D10, D11, D13, D14
(EF01LP01) Reconhecer que textos são lidos e escritos da esquerda
para a direita e de cima para baixo da página. (EF12LP01) Ler
palavras novas com precisão na decodificação, no caso de palavras
de uso frequente, ler globalmente, por memorização.
(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e
frases de forma alfabética – usando letras/grafemas que representem
fonemas.
(EF01LP03) Observar escritas convencionais, comparando-as às suas
produções escritas, percebendo semelhanças e diferenças.
(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos.
(EF15LP04) Identificar o efeito de sentido produzido pelo uso de
recursos expressivos gráfico-visuais em textos multissemióticos.
Habilidade (EF02LP15) Cantar cantigas e canções, obedecendo ao ritmo e à
BNCC melodia.
(EF12LP18) Apreciar poemas e outros textos versificados, observando
rimas, sonoridades, jogos de palavras, reconhecendo seu
pertencimento ao mundo imaginário e sua dimensão de encantamento,
jogo e fruição.
(EF12LP19) Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades,
jogos de palavras, palavras, expressões, comparações, relacionando-
as com sensações e associações.
(EF01LP19) Recitar parlendas, quadras, quadrinhas, trava-línguas,
com entonação adequada e observando as rimas. (EF02LP26) Ler e
compreender, com certa autonomia, textos literários, de gêneros
variados, desenvolvendo o gosto pela leitura.
Atenção: Observe a progressão da habilidade
Professor, apresente para seus alunos a Cantiga de roda com
Comentário
ludicididade, trazendo os ritmos e sons, com palmas.

ATIVIDADE 2 - 2ª semana - 2ª etapa


Campo de Campo da vida cotidiana
atuação Campo artístico-literário
Gênero textual Parlenda (Hoje é domingo...), Tirinha
Objetos de Protocolos de leitura
conhecimento Decodificação/Fluência leitora
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 15

(leitura/escrita/ Correspondência fonema-grafema


análise Construção do sistema alfabético/convenções da escrita
linguística) Formação do leitor literário
Apreciação estética/estilo
Escrita autônoma e compartilhada
Descritor D3, D6, D10, D13
(EF01LP01) Reconhecer que textos são lidos e escritos da esquerda
para a direita e de cima para baixo da página. (EF12LP01) Ler
palavras novas com precisão na decodificação, no caso de palavras
de uso frequente, ler globalmente, por memorização.
(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e
frases de forma alfabética – usando letras/grafemas que representem
fonemas.
(EF01LP03) Observar escritas convencionais, comparando-as às suas
produções escritas, percebendo semelhanças e diferenças.
(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos.
(EF02LP15) Cantar cantigas e canções, obedecendo ao ritmo e à
melodia.
(EF12LP18) Apreciar poemas e outros textos versificados, observando
rimas, sonoridades, jogos de palavras, reconhecendo seu
pertencimento ao mundo imaginário e sua dimensão de encantamento,
Habilidade jogo e fruição.
BNCC (EF12LP19) Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades,
jogos de palavras, palavras, expressões, comparações, relacionando-
as com sensações e associações.
(EF12LP19) Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades,
jogos de palavras, palavras, expressões, comparações, relacionando-
as com sensações e associações.
(EF01LP19) Recitar parlendas, quadras, quadrinhas, trava-línguas,
com entonação adequada e observando as rimas.
(EF01LP25) Produzir, tendo o professor como escriba, recontagens
de histórias lidas pelo professor, histórias imaginadas ou baseadas em
livros de imagens, observando
a forma de composição de textos narrativos (personagens, enredo,
tempo e espaço).
(EF02LP26) Ler e compreender, com certa autonomia, textos literários,
de gêneros variados, desenvolvendo o gosto pela leitura.
Atenção: Observe a progressão da habilidade.
Professor, apresente para seus alunos a Parlenda, brinque com eles,
trazendo os ritmos e sons, com palmas;
Comentário
Faça uma roda de leitura de Tirinhas, chamando a atenção dos alunos
para as características desse gênero literário.

ATIVIDADE 3 - 3ª semana - 2ª etapa


Campo de Campo da vida cotidiana
atuação Campo artístico-literário
Gênero textual Trava-língua (O doce...), Repentes
Objetos de Protocolos de leitura
conhecimento Decodificação/Fluência leitora
(leitura/escrita/ Formação do leitor literário
análise Apreciação estética/estilo
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 16

linguística) Escrita autônoma e compartilhada


Construção do sistema alfabético
Descritor D2, D3, D10, D6, D8, D13
(EF12LP01) Ler palavras novas com precisão na decodificação, no
caso de palavras de uso frequente, ler globalmente, por memorização.
(EF12LP02) Buscar, selecionar e ler, com a mediação do professor
(leitura compartilhada), textos que circulam em meios impressos ou
digitais, de acordo com as necessidades e interesses.
(EF01LP03) Observar escritas convencionais, comparando-as às
suas produções escritas, percebendo semelhanças e diferenças.
(EF01LP06) Segmentar oralmente palavras em sílabas.
(EF02LP15) Cantar cantigas e canções, obedecendo ao ritmo e à
melodia.
(EF12LP18) Apreciar poemas e outros textos versificados, observando
rimas, sonoridades, jogos de palavras, reconhecendo seu
pertencimento ao mundo imaginário e sua dimensão de encantamento,
Habilidade
jogo e fruição.
BNCC
(EF12LP19) Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades,
jogos de palavras, palavras, expressões, comparações, relacionando-
as com sensações e associações.
(EF01LP19) Recitar parlendas, quadras, quadrinhas, trava-línguas,
com entonação adequada e observando as rimas.
(EF01LP25) Produzir, tendo o professor como escriba, recontagens de
histórias lidas pelo professor, histórias imaginadas ou baseadas em
livros de imagens, observando
a forma de composição de textos narrativos (personagens, enredo,
tempo e espaço).
(EF02LP26) Ler e compreender, com certa autonomia, textos literários,
de gêneros variados, desenvolvendo o gosto pela leitura.
Atenção: Observe a progressão da habilidade.
Professor, apresente para seus alunos a Parlenda, brinque com eles e
chame atenção para as rimas;
Comentário
Faça uma roda de leitura utilizando Repentes, chamando a atenção
dos alunos para as características desse gênero literário.

ATIVIDADE 4 - 1ª semana - 2ª etapa


Campo de Campo da vida cotidiana
atuação Campo artístico-literário
Gênero textual Trava-língua (O sapo...)
Protocolos de leitura
Objetos de
Decodificação/Fluência leitora
conhecimento
Formação do leitor literário
(leitura/escrita/
Apreciação estética/estilo
análise
Escrita autônoma e compartilhada
linguística)
Construção do sistema alfabético
Descritor D3, D6, D10, D11, D13
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 17

(EF12LP01) Ler palavras novas com precisão na decodificação, no


caso de palavras de uso frequente, ler globalmente, por memorização.
(EF12LP02) Buscar, selecionar e ler, com a mediação do professor
(leitura compartilhada), textos que circulam em meios impressos ou
digitais, de acordo com as necessidades e interesses.
(EF01LP03) Observar escritas convencionais, comparando-as às
suas produções escritas, percebendo semelhanças e diferenças.
(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos.
(EF15LP04) Identificar o efeito de sentido produzido pelo uso de
recursos expressivos gráfico-visuais em textos multissemióticos
(EF02LP15) Cantar cantigas e canções, obedecendo ao ritmo e à
melodia.
(EF12LP18) Apreciar poemas e outros textos versificados,
observando rimas, sonoridades, jogos de palavras, reconhecendo seu
Habilidade
pertencimento ao mundo imaginário e sua dimensão de encantamento,
BNCC
jogo e fruição.
(EF12LP19) Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades,
jogos de palavras, palavras, expressões, comparações, relacionando-
as com sensações e associações.
(EF01LP19) Recitar parlendas, quadras, quadrinhas, trava-línguas,
com entonação adequada e observando as rimas.
(EF01LP25) Produzir, tendo o professor como escriba, recontagens de
histórias lidas pelo professor, histórias imaginadas ou baseadas em
livros de imagens, observando
a forma de composição de textos narrativos (personagens, enredo,
tempo e espaço).
(EF02LP26) Ler e compreender, com certa autonomia, textos literários,
de gêneros variados, desenvolvendo o gosto pela leitura.
Atenção: Observe a progressão da habilidade.
Professor, apresente para seus alunos o trava-língua, brinque com
eles, observando a pronúncia das palavras com bastante atenção;
Comentário
Faça uma roda de leitura de Trava-línguas, chamando a atenção dos
alunos para as características desse gênero literário.

ATIVIDADE 5 - 5ª semana - 2ª etapa


Campo de Campo da vida cotidiana
atuação Campo artístico-literário
Gênero textual Adivinhas
Protocolos de leitura
Objetos de Decodificação/Fluência de leitura
conhecimento Formação de leitor
(leitura/escrita/ Correspondência fonema-grafema
análise Conhecimento do alfabeto do português do Brasil
linguística) Construção do sistema alfabético e da ortografia
Construção do sistema alfabético/Convenções da escrita
Descritor D2, D3, D4, D10, D11, D13, D14
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 18

(EF12LP01) Ler palavras novas com precisão na decodificação, no


caso de palavras de uso frequente, ler globalmente, por memorização.
(EF01LP01) Reconhecer que textos são lidos e escritos da esquerda
para a direita e de cima para baixo da página.
(EF12LP02) Buscar, selecionar e ler, com a mediação do professor
(leitura compartilhada), textos que circulam em meios impressos ou
digitais, de acordo com as necessidades e interesses.
(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e
frases de forma alfabética – usando letras/grafemas que representem
fonemas.
(EF01LP03) Observar escritas convencionais, comparando-as às suas
produções escritas, percebendo semelhanças e diferenças.
(EF12LP03) Copiar textos breves, mantendo suas características e
voltando para o texto sempre que tiver dúvidas sobre sua distribuição
Habilidade gráfica, espaçamento entre as palavras, escrita das palavras e
BNCC pontuação.
(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos. (EF01LP04)
Distinguir as letras do alfabeto de
outros sinais gráficos.
(EF01LP05) Reconhecer o sistema de escrita alfabética como
representação dos sons da fala.
(EF01LP06) Segmentar oralmente palavras em sílabas.
(EF01LP07) Identificar fonemas e sua representação por letras
(EF02LP15) Cantar cantigas e canções, obedecendo ao ritmo e à
melodia.
(EF01LP19) Recitar parlendas, quadras, quadrinhas, trava-línguas,
com entonação adequada e observando as rimas.
(EF02LP26) Ler e compreender, com certa autonomia, textos literários,
de gêneros variados, desenvolvendo o gosto pela leitura.
Atenção: Observe a progressão da habilidade.
Professor, apresente para seus alunos várias Adivinhas. Dê pistas
para que descubram as respostas;
Comentário Faça um campeonato de adivinhas. Divida a turma em dois grupos.
Cada grupo tenta descobrir a resposta da adivinha apresentada pelo
competidor. Ganha o grupo que acertar mais.

ATIVIDADE 6 - 6ª semana - 2ª etapa


Campo de Campo da vida cotidiana
atuação Campo artístico-literário
Gênero textual Canção (Cai, cai balão)
Protocolos de leitura
Decodificação/Fluência de leitura
Objetos de
Formação de leitor
conhecimento
Correspondência fonema-grafema
(leitura/escrita/
Construção do sistema alfabético e da ortografia
análise
Construção do sistema alfabético/Convenções da escrita Apreciação
linguística)
estética/estilo
Escrita autônoma e compartilhada
Descritor D3, D10, D11, D12, D14
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 19

(EF01LP01) Reconhecer que textos são lidos e escritos da esquerda


para a direita e de cima para baixo da página. (EF12LP01) Ler
palavras novas com precisão na decodificação, no caso de palavras
de uso frequente, ler globalmente, por memorização.
(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e
frases de forma alfabética – usando letras/grafemas que representem
fonemas.
(EF01LP03) Observar escritas convencionais, comparando-as às suas
produções escritas, percebendo semelhanças e diferenças.
(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos.
(EF15LP04) Identificar o efeito de sentido produzido pelo uso de
recursos expressivos gráfico-visuais em textos multissemióticos.
(EF02LP11) Formar o aumentativo e o diminutivo de palavras com os
Habilidade sufixos -ão e -inho/-zinho.
BNCC (EF02LP15) Cantar cantigas e canções, obedecendo ao ritmo e à
melodia.
(EF12LP18) Apreciar poemas e outros textos versificados,
observando rimas, sonoridades, jogos de palavras, reconhecendo seu
pertencimento ao mundo imaginário e sua dimensão de encantamento,
jogo e fruição.
(EF12LP19) Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades,
jogos de palavras, palavras, expressões, comparações, relacionando-
as com sensações e associações. (EF01LP19) Recitar parlendas,
quadras, quadrinhas, trava-línguas, com entonação adequada e
observando as rimas.
(EF02LP26) Ler e compreender, com certa autonomia, textos literários,
de gêneros variados, desenvolvendo o gosto pela leitura.
Atenção: Observe a progressão da habilidade
Professor, apresente para seus alunos a Parlenda, brinque com eles,
trazendo os ritmos e sons, com palmas;
Comentário
Pergunte se conhecem outras canções. Sugira que socializem para a
turma.

ATIVIDADE 7 - 7ª semana - 2ª etapa


Campo de Campo da vida cotidiana
atuação Campo artístico-literário
Gênero textual Canção (Jacaré foi à feira...)
Protocolos de leitura
Decodificação/Fluência de leitura
Objetos de
Formação de leitor
conhecimento
Correspondência fonema-grafema
(leitura/escrita/
Construção do sistema alfabético e da ortografia
análise
Construção do sistema alfabético/Convenções da escrita Apreciação
linguística)
estética/estilo
Escrita autônoma e compartilhada
Descritor D3, D6, D10, D13, D14
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 20

(EF01LP01) Reconhecer que textos são lidos e escritos da esquerda


para a direita e de cima para baixo da página. (EF12LP01) Ler
palavras novas com precisão na decodificação, no caso de palavras
de uso frequente, ler globalmente, por memorização.
(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e
frases de forma alfabética – usando letras/grafemas que representem
fonemas.
(EF01LP03) Observar escritas convencionais, comparando-as às suas
produções escritas, percebendo semelhanças e diferenças.
(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos.
(EF15LP04) Identificar o efeito de sentido produzido pelo uso de
recursos expressivos gráfico-visuais em textos multissemióticos.
Habilidade (EF02LP15) Cantar cantigas e canções, obedecendo ao ritmo e à
BNCC melodia.
(EF12LP18) Apreciar poemas e outros textos versificados, observando
rimas, sonoridades, jogos de palavras, reconhecendo seu
pertencimento ao mundo imaginário e sua dimensão de encantamento,
jogo e fruição.
(EF12LP19) Reconhecer, em textos versificados, rimas, sonoridades,
jogos de palavras, palavras, expressões, comparações, relacionando-
as com sensações e associações. (EF01LP19) Recitar parlendas,
quadras, quadrinhas, trava-línguas, com entonação adequada e
observando as rimas.
(EF02LP26) Ler e compreender, com certa autonomia, textos
literários, de gêneros variados, desenvolvendo o gosto pela leitura.
Atenção: Observe a progressão da habilidade
Professor, apresente para seus alunos a canção, brinque com eles,
Comentário trazendo os ritmos e sons, com palmas;
Faça uma roda para socializarem outras canções.

ATIVIDADE 8 - 8ª semana - 2ª etapa


Campo de
Campo artístico-literário
atuação
Gênero textual Adivinha (O papagaio)
Protocolos de leitura
Decodificação/Fluência de leitura
Objetos de
Formação de leitor
conhecimento
Correspondência fonema-grafema
(leitura/escrita/
Construção do sistema alfabético e da ortografia
análise
Construção do sistema alfabético/Convenções da escrita Apreciação
linguística)
estética/estilo
Escrita autônoma e compartilhada
Descritor D3, D5, D10, D13, D14
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 21

EF12LP01) Ler palavras novas com precisão na decodificação, no


caso de palavras de uso frequente, ler globalmente, por memorização.
(EF01LP01) Reconhecer que textos são lidos e escritos da esquerda
para a direita e de cima para baixo da página.
(EF01LP02) Escrever, espontaneamente ou por ditado, palavras e
frases de forma alfabética – usando letras/grafemas que representem
fonemas.
(EF12LP02) Buscar, selecionar e ler, com a mediação do professor
(leitura compartilhada), textos que circulam em meios impressos ou
digitais, de acordo com as necessidades e interesses.
(EF01LP03) Observar escritas convencionais, comparando-as às
suas produções escritas, percebendo semelhanças e diferenças.
Habilidade (EF12LP03) Copiar textos breves, mantendo suas características e
BNCC voltando para o texto sempre que tiver dúvidas sobre sua distribuição
gráfica, espaçamento entre as palavras, escrita das palavras e
pontuação.
(EF15LP03) Localizar informações explícitas em textos.
(EF15LP04) Identificar o efeito de sentido produzido pelo uso de
recursos expressivos gráfico-visuais em textos multissemióticos.
(EF01LP05) Reconhecer o sistema de escrita alfabética como
representação dos sons da fala.
(EF01LP06) Segmentar oralmente palavras em sílabas.
(EF01LP07) Identificar fonemas e sua representação por letras.
(EF02LP26) Ler e compreender, com certa autonomia, textos literários,
de gêneros variados, desenvolvendo o gosto pela leitura.
Atenção: Observe a progressão da habilidade
Professor, apresente para seus alunos palavras que já conhecem
escritas ao contrário ou com as letras embaralhadas. Solicite que
Comentário descubram as palavras.
A seguir, apresente o título do texto para que descubram as palavras.
Depois, leia o texto. Possibilite que brinquem de inventar palavras.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 22

ATIVIDADES –
LÍNGUA
PORTUGUESA
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 23

ATIVIDADE 1 - 1º semana - 2ª etapa

ANALISANDO O TEXTO

LEIA O TEXTO E CANTE COM SEUS AMIGUINHOS.

A BARATA DIZ QUE TEM

A BARATA DIZ QUE TEM SETE SAIAS DE FILÓ


É MENTIRA DA BARATA, ELA TEM É UMA SÓ
AH RA RA, IÁ RO RÓ, ELA TEM É UMA SÓ !

A BARATA DIZ QUE TEM UM SAPATO DE VELUDO


É MENTIRA DA BARATA, O PÉ DELA É PELUDO
AH RA RA, IU RU RU, O PÉ DELA É PELUDO !

A BARATA DIZ QUE DORME NUMA COLCHA DE CETIM


É MENTIRA DA BARATA, ELA DORME É NO CAPIM
AH RA RA, RIM RIM RIM, ELA DORME É NO CAPIM!

A BARATA DIZ QUE USA PERFUME DE MARGARIDA


É MENTIRA DA BARATA, ELA USA INSETICIDA
AH RA RA, IA RO RÓ, ELA USA INSETICIDA!

A BARATA DIZ QUE TEM UM ANEL DE FORMATURA


É MENTIRA DA BARATA, ELA TEM É CASCA DURA
AH RA RA , IU RU RU, ELA TEM É CASCA DURA!

A BARATA DIZ QUE TEM O CABELO CACHEADO


É MENTIRA DA BARATA, ELA TEM COCO RASPADO
AH RA RA, IA RO RÓ, ELA TEM COCO RASPADO!

A BARATA DIZ QUE MORA NUMA CASA ENFEITADINHA


É MENTIRA DA BARATA, ELA MORA É NA COZINHA
AH RA RA, IA RO RÓ, ELA MORA É NA COZINHA!
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 24

A BARATA DIZ QUE TEM HIDROMASSAGEM NA BANHEIRA


É MENTIRA DA BARATA, TOMA BANHO DE GOTEIRA
AH RA RA, IA RO RÓ, TOMA BANHO DE GOTEIRA!

A BARATA DIZ QUE FOI NUM LUGAR MUITO MANEIRO


É MENTIRA DA BARATA, ELA FOI É NO BANHEIRO
AH RA RA, IA RO RÓ, ELA FOI É NO BANHEIRO!

A BARATA DIZ QUE TEM UMA COROA DE RAINHA


É MENTIRA DA BARATA, ELA SÓ TEM ANTENINHA
AH RA RA, IA RO RÓ, ELA SÓ TEM ANTENINHA!

A BARATA DIZ QUE TEM UMA CAPA DE BOLINHA


É MENTIRA DA BARATA, A CAPA É DA JOANINHA
AH RA RA, IA RO RÓ, A CAPA É DA JOANINHA!

A BARATA DIZ QUE TEM UM SAPATO DE FIVELA


É MENTIRA DA BARATA, O SAPATO É DA MÃE DELA
AH RÁ RÁ, OH RÓ RÓ, O SAPATO É DA MÃE DELA!
Domínio público

01. PARA VOCÊ QUAL A PRINCIPAL CARACTERÍSTICA DA BARATA NO


TEXTO? VOCÊ CONCORDA COM ESSA CARACTERÍSTICA? POR QUÊ?

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 25

ANALISANDO O TEXTO

02.LIGUE A BARATA AOS OBJETOS QUE QUE ELA TEM DE VERDADE

03. RELEIA O TEXTO, IDENTIFIQUE AS PALAVRAS QUE RIMAM E PINTE-

AS.

PENSANDO NA LÍNGUA

04. DESEMBARALHE AS SÍLABAS E DESCUBRA AS PALAVRAS.

BA TA RA ___________________________

LU VE DO ____________________________

TI MEN RA ___________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 26

05. FAÇA A DIVISÃO AS PALAVRAS EM SÍLABAS.

CAPIM ______________ PÉ ______________

BARATA _____________ INSETICIDA ___________

06. REESCREVA AS FRASES DANDO OS ESPAÇAMENTOS


ADEQUADOS.

ABARATADIZQUETEMUMACOROADERAINHA

________________________________________________________________________

ABARATADIZQUETEMUMSAPATODEFIVELA.

_____________________________________________________________

ABARATADIZQUETEMOCABELOCACHEADO.

________________________________________________________________________

SUA VEZ DE ESCREVER

07.FAÇA UMA LISTA COM ALGUMAS COISAS QUE A BARATA TEM E NÃO
TEM.

A BARATA TEM A BARATA NÃO TEM

_______________________ _________________________

_______________________ _________________________

_______________________ _________________________

_______________________ _________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 27

ATIVIDADE 2 - 2ª etapa – 2º semana

ANALISANDO O TEXTO

HOJE É DOMINGO
PÉ DE CACHIMBO
O CACHIMBO É DE BARRO
QUE BATE NO JARRO
O JARRO É DE OURO
QUE BATE NO TOURO
O TOURO É VALENTE
BATE NA GENTE
A GENTE É FRACO
E CAI NO BURACO
O BURACO É FUNDO
ACABOU-SE O MUNDO!
Domínio público

PENSANDO NA LÍNGUA

01. LEIA O TEXTO E PINTE A RESPOSTA CORRETA.

DE ACORDO COM A PARLENDA CACHIMBO É DE?

BARRO BARCO BRAÇO

QUEM BATE NO TOURO?

JATO JAMBO JARRO

QUEM É VALENTE?

TORTO TOURO TRONCO


Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 28

02. RETIRE DO TEXTO, PALAVRAS QUE RIMAM COM AS PALAVRAS


ABAIXO.

FINO ____________________________________________________

FUNDO ___________________________________________________

JARRO ___________________________________________________

TOURO __________________________________________________

SUA VEZ DE ESCREVER

03. AGORA SUA VEZ, CRIE UMA TIRINHA COM A HISTÓRINHA


PRESENTE NA PARLENDA. CRIE UMA ARTE BEM BONITA!!!
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 29

ATIVIDADE 3 - 2ª etapa – 3º semana

LEIA A PARLENDA E RESPONDA O QUE SE PEDE.

DOCE
O DOCE PERGUNTOU PARA O DOCE
QUAL O DOCE MAIS DOCE
DO QUE O DOCE DE BATATA – DOCE?
O DOCE RESPONDEU PARA O DOCE
QUE O DOCE MAIS DOCE
É O DOCE DE BATATA-DOCE.
Domínio público

PENSANDO NA LÍNGUA

01.DIVIDA AS PALAVRAS EM SÍLABAS E CONTE A QUANTIDADE DE


SÍLABAS PRESENTES NELAS

BATATA Qnt:

DOCE Qnt:

02.AGORA CONTE A QUANTIDADE DE LETRAS.

BATATA DOCE

03.PINTE AS SÍLABAS DAS PALAVRAS


TA BA
DO SE
DOCE CE DU
BATATA CE TA
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 30

SUA VEZ DE ESCREVER

04. AS PARLENDAS SÃO UM TIPO DE TEXTO QUE FAZ PARTE DA


TRADIÇÃO ORAL, EM SUA MAIORIA DE DOMÍNIO PÚBLICO, E SÃO
BREVES, RIMADAS E REPETITIVAS, NEM SEMPRE COM SIGNIFICADO
LÓGICO.

OUTRO GÊNERO COM ESTAS CARACTERÍSTICAS, MAS PRODUZIDO


DE FORMA ORAL É O REPENTE OU EMBOLADA. NELE UMA DUPLA DE
" ” M M VERSOS BASTANTE, RÁPIDOS E
IMPROVISADOS A DUPLA COM VERSOS RIMADOS.

-EM DUPLAS, CRIE UM REPENTE, LEMBRE-SE QUE SUA PRODUÇÃO


DEVE TER FRASES OU PALAVRAS QUE RIMAM. POR FIM, ESCREVA O
QUE VOCÊS CRIARAM AQUI.

-APÓS O PROCESSO DE PRODUÇÃO, OBSERVE COMO É


APRESENTADO O REPENTE, APRESENTE PARA A TURMA SEU
REPENTE, LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO AS CARACTERÍSTICAS DO
GÊNERO.

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 31

ATIVIDADE 4 - 2ª etapa – 4º semana

ANALISANDO O TEXTO

OLHA O SAPO
OLHA O SAPO DENTRO
DO SACO
O SACO COM O SAPO DENTRO
O SAPO BATENDO PAPO E O PAPO DO SAPO
SOLTANDO VENTO.
Domínio público

PENSANDO NA LÍNGUA

02. APÓS LER O TEXTO COMPLETE OS ESPAÇOS ABAIXO.

OLHA O DENTRO

DO SACO

O COM O SAPO DENTRO

O SAPO BATENDO PAPO E O PAPO DO SAPO

SOLTANDO .

03. INTERLIGUE AS SÍLABAS, FORMANDO AS PALAVRAS DAS FIGURAS.

SA PO

VEN CO

AS TO
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 32

SUA VEZ DE ESCREVER

04. PENSE NOS TRAVA-LÍNGUAS QUE VOCÊ CONHECE E REPRODUZA


AQUI. APÓS ESCREVEREM NESTE ESPAÇO, APRESENTEM PARA OS
COLEGAS OS TRAVALÍNGUAS QUE VOCÊS LEMBRARAM.
________________________________________________________________________

________________________________________________________________________

________________________________________________________________________

05. AGORA É SUA VEZ! CRIE COM OS COLEGAS UM TRAVA-LÍNGUAS


DA TURMA E ESCREVA AQUI. LEMBRANDO QUE AO CRIAR OS TRAVA-
LÍNGUAS, DEVE-SE UTILIZAR PALAVRAS PARECIDAS E QUE CAUSEM
DIFICULDADE AO SEREM FALADAS. EX) TRÊS PRATOS DE TRIGO PARA
TRÊS TIGRES TRISTES.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 33

ATIVIDADE 5 - 2ª etapa – 5º semana

ANALISANDO O TEXTO

01.LEIA AS ADIVINHAS COM SEUS COLEGAS PENSE NA RESPOSTA


CORRETA.

TEXTO 1 TEXTO2

COLOCA NA MESA NÃO É PELO DE MACACO


CORTA, E NÃO É PATA DE CÃO
MAS NÃO SE COME É O CABELO DO LEÃO
É A _______________________ É A ___________

02 ESCREVA OS NOMES A SEGUIR, MAS PINTE SOMENTE A RESPOSTA


PARA A ADIVINHA DO TEXTO 1.

______________________ ___________________ ____________________


02. ESCREVA OS NOMES A SEGUIR, MAS PINTE SOMENTE A
RESPOSTA PARA A ADIVINHA DO TEXTO 2.

_______________ _________________ __________________


Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 34

03. VOCÊ GOSTA DE ADIVINHAS? RELATE A SUA FAVORITA PARA


SEUS COLEGAS E ESCREVA AQUI.
________________________________________________________________________

________________________________________________________________________

________________________________________________________________________

PENSANDO NA LÍNGUA

04 RESOLVA AS ADIVINHAS PARA RESPONDER AS CRUZADINHAS.


1. ESTÁ NO CÉU E ESCREVE COM L. ___________________
2. ESCREVE COM R E VOCÊ MORA NELA ________________
3. É DOCE E ESCREVE COM B ___________________

4. É DE VIAJAR E ESCREVE COM M ___________________

3 4

2 A

1 L
A

SUA VEZ DE ESCREVER

AGORA É SUA VEZ DE ESCREVER ADIVINHAS, ESCOLHA UM COLEGA


PARA CRIAR AS ADIVINHAS, COISAS QUE VOCÊ E SEUS COLEGAS
CONHEÇAM BEM, COMO BRINCADEIRAS OU OBJETOS QUE SEJAM DA
ESCOLA.

ADIVINHA:
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 35

LEMBRE-SE DE CRIAR DUAS OU TRÊS PISTAS SOBRE O QUE VOCÊ


QUER QUE SEU COLEGA ADIVINHE.

DICAS:
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

APÓS A CRIAÇÃO DA ADIVINHA E DAS PISTAS. DESAFIE OS SEUS


COLEGAS, ELES TERÃO 3 CHANCES DE ACERTAR A ADIVINHA, CASO
ELE ERRE, DÊ UMA DAS DICAS.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 36

ATIVIDADE 6 - 2ª etapa – 6º semana

ANALISANDO O TEXTO

LEIA E CANTE COM OS COLEGAS.

CAI CAI BALÃO


CAI CAI BALÃO, CAI CAI BALÃO
AQUI NA MINHA MÃO
NÃO CAI NÃO, NÃO CAI NÃO, NÃO CAI NÃO
CAI NA RUA DO SABÃO

CAI CAI BALÃO, CAI CAI BALÃO


AQUI NA MINHA MÃO
NÃO VOU LÁ, NÃO VOU LÁ, NÃO VOU LÁ
TENHO MEDO DE APANHAR!
Domínio público

01. LEIA O TEXTO E CONVERSE COM OS COLEGUINHAS E


PROFESSORA E RESPONDA,
- O BALÃO DA CANTIGA É O MESMO BALÃO DAS FESTAS DE
ANIVERSÁRIO?
-O QUE PODE ACONTECER CASO O BALÃO CAIA?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________

02.DESEMBARALHE AS PALAVRAS PARA FORMAR FRASES


RETIRADAS DO TEXTO.

NA MINHA AQUI MÃO


________________________________________________________
DO CAI RUA NA SABÃO
_________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 37

03.ALGUMAS PALAVRAS POSSUEM O ÃO E OUTRAS RECEBEM O


ÃO PARA VIRAR AUMENTATIVO, PINTE AS PALAVRAS QUE ESTÃO
NO AUMENTATIVO.

BALÃO CORAÇÃO GRANDÃO


BONITÃO MÃO BEBEZÃO

04.DESVENDE O CÓDIGO PARA FORMAR PALAVRAS.

IR
MA LI
MÃO

A) B)

_____________________ _________________________

C) D)

______________________ _________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 38

SUA VEZ DE ESCREVER

05.PENSE E CRIE COM SEUS COLEGUINHAS E PROFESSORES UMA


MÚSICA SOBRE AS LETRINHAS ÃO, VOCÊ PODE CRIAR A MÚSICA
PENSANDO COMO ELAS SE CONHECERAM OU COMO ELAS PODEM
TRANSFORMAR PALAVRAS AO TORNA-LAS AUMENTATIVO. DÊ ASAS A
SUA IMAGINAÇÃO.
LEMBRE-SE QUE AO CRIAR A MÚSICA, VOCÊ DEVE PENSAR NAS
RIMAS. QUE SÃO PALAVRAS COM SONS PARECIDOS.

__________________________________________

__________________________________________

__________________________________________

__________________________________________

__________________________________________

__________________________________________

__________________________________________

__________________________________________

__________________________________________

__________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 39

ATIVIDADE 7 - 2ª etapa – 7º semana

ANALISANDO O TEXTO

LEIA O TEXTO COM SEUS COLEGAS

JACARÉ FOI AO MERCADO!

NÃO SABIA O QUE COMPRAR

COMPROU UMA CADEIRINHA

PARA COMADRE SE SENTAR.

A COMADRE SE SENTOU

A CADEIRINHA ESBORRACHOU

JACARÉ CHOROU, CHOROU

O DINHEIRO QUE GASTOU.

01.LEIA O TEXTO, CONVERSE COM OS COLEGAS E PROFESSORA E


RESPONDA O QUE SE PEDE.
QUEM COMPROU A CADEIRINHA?
______________________________________________________________
POR QUE O JACARÉ CHOROU?
_____________________________________________________________
POR QUE A CADEIRINHA ESBORRACHOU, QUANDO A COMADRE
SENTOU?
_____________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 40

02. CRIE UMA LISTA COM O QUE O JACARÉ FEZ. POR ORDEM DE
ACONTECIMENTO NO TEXTO.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

PENSANDO NA LÍNGUA

03.RELEIA E PESQUISE NO TEXTO, QUAIS PALAVRAS RIMAM COM

COMPRAR:____________________________________________________

SENTOU: ___________________________________________________________

04.REESCREVA DO TEXTO AS PALAVRAS QUE POSSUEM ENCONTRO

CONSONANTAL. EXEMPLO: COMPRAR

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

SUA VEZ DE ESCREVER

RELEIA O TEXTO COM SEUS COLEGAS, FAÇA UM FINAL PARA O


JACARÉ, COMENTE O QUE ACONTECEU COM ELE E COMO A DONA
COMADRE CONSOLOU O JACARÉ.
_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 41

ATIVIDADE 8 - 2ª etapa – 8º semana

ANALISANDO O TEXTO

OIAGAPAP

PICO, BICO, PICO, REPICO, COM MEU BICO E MEXERICO. PATO


ÁGUIA, PICA-PAU OU FALCÃO. ADIVINHA QUEM EU SOU. POSSO SER
UM DELES OU ATÉ NENHUM, VAMOS VER.
(...)
JÁ SABES QUEM EU SOU? MAIS UMA DICA VOU TE DAR: UMA OU
MUITAS CORES POSSO TER. AMARELO, AZUL, VERDE. PENAS?
TENHO MUITAS. NEM TE DESAFIO A CONTAR. MAS DE MIM NÃO TENHA
PENA. COMIGO MUITAS GARGALHADAS VAIS SOLTAR. ATÉ A BARRIGA
PODE DOER DE TANTO GARGALHAR.
MAS LOGO VAI PASSAR. QUANDO PASSAS POR MIM, OLÁ DIGO E
ATÉ ASSOVIO. SÓ QUERO MESMO É IMITAR E BRINCAR. ADIVINHA
QUEM EU SOU. VOU DIZER AO CONTRÁRIO OU MELHOR DE TRÁS
PARA A FRENTE. VOU BRINCAR COM O ABECEDÁRIO: OIAGAPAP

EU SOU O __________________________________
Texto de Susana Pinheiro. Retirado de: https://bmp.cmporto.pt/Imagilandia_atelier_Dados_de_Adivinhas_2016
(adaptado)

PENSANDO NA LÍNGUA

01.LEIA O TEXTO COM OS COLEGAS E COMENTE. LENDO APENAS O


PRIMEIRO PARAGRÁFO, QUAL ANIMAL VOCÊ IMAGINA QUE POSSA
SER O ABORDADO NO TEXTO?
_____________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 42

02 A PARTIR DE QUAL DICA VOCÊ DESCOBRIU QUAL ANIMAL ERA


ABORDADO NO TEXTO?
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

03. O PAPAGAGIO CRIOU OUTRAS ADIVINHAS SOBRE SÍLABAS E


LETRAS. TENTE DESVENDAR O MÁXIMO QUE PUDER.

QU É, QU É QU M M M “M ”?

_____________________________________________________________

O QUE É,O QUE É QUE O GARFANHOTO TEM NA FRENTE E A


FORMIGA TEM ATRÁS?

_____________________________________________________________

O QUE É, O QUE QUE A GOIABA TEM NA QUINTA E O ABACAXI TEM


NA SEGUNDA?

_____________________________________________________________

O QUE É,O QUE É PRECISO PARA O GATO VIRAR RATO ?

_____________________________________________________________

O QUE É, O QUE É QUE A MAMÃE TEM DOIS E O PAPAI NÃO TEM


NENHUM?

_____________________________________________________________

O QUE É, O QUE É PRECISO PARA O MÊS DE MAIO FICAR MAIOR?

_____________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 43

SUA VEZ DE ESCREVER

REÚNA AS ADIVINHAS DA AULA ANTERIOR PARA CRIARMOS UM LIVRO.

1º PASSO: PENSE EM UM TÍTULO PARA SEU LIVRO.

_____________________________________________________________

2º PASSO: PROCURE IMAGENS PARA SEU LIVRO DE ADIVINHAS.

3º PASSO: FAÇA UMA PESQUISA DAS ADIVINHAS QUE VOCÊ IRÁ


COLOCAR EM SEU LIVRO. VOCÊ PODE PESQUISAR ALGUMAS, CRIAR
OUTRAS E PEGAR ALGUMAS QUE SEUS COLEGAS FIZERAM. USE
ESSE ESPAÇO PARA LISTAR AS ADIVINHAS QUE VOCÊ ESCOLHEU.

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

4º PASSO: DESENHE OU RECORTE IMAGENS QUE LEMBREM A


ADIVINHA QUE VOCÊ CRIOU, ELAS PODERÃO DAR DICAS DAS
RESPOSTAS PARA ADIVINHA E É MUITO IMPORTANTE QUE CADA
ADIVINHA CONTENHA AO MENOS UMA IMAGEM.

5º PASSO: PENSE NAS DICAS DAS ADIVINHAS QUE VOCÊ CRIOU ESTE
É O ÚLTIMO CAPÍTULO DO SEU LIVRO E DEVERÁ FICAR DE CABEÇA
PARA BAIXO PARA NÃO FACILITAR AS RESPOSTAS PARA QUEM FOR
DESAFIADO.

6º PASSO: CONFECIONANDO O LIVRO, VOCÊ UTILIZARÁ 5 FOLHAS DE


PAPEL OFÍCIO OU ALMAÇO E UMA FOLHA DE PAPEL 40 QUILOS.
DOBRE AS FOLHAS DE OFÍCIO PARA TER O MIOLO DO SEU LIVRO,
TRANSCREVA AS ADIVINHAS QUE ESCOLHEU.
FAÇA A ARTE DA CAPA NA FOLHA DE 40 QUILOS E TRANSCREVA O
TÍTULO QUE VOCÊ ESCREVEU.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 44

OFICINAS

OFICINA 1

Criando o alfabeto

Objetivos: Consolidar algumas letras e desenvolver com os estudantes os processos de


apropriação de sílabas e palavras
Incluir na prática pedagógica alunos com baixa visão, cegos e autistas.
Justificativa: A criação de um alfabeto sensorial, construído pelos próprios alunos,
usando imagens do seu cotidiano (A de anzol, B de barco, C de canoa, de cais, etc.),
ilustrado com figuras simbólicas dessa cultura local, dá aos educadores oportunidades de
trabalharem esse universo cheio de significação, não apenas para as crianças, mas
também para seus familiares, como pais, mães e avós, que, motivados pelas
circunstâncias, buscaram na memória, vivências e conhecimentos que foram sendo
repassados às crianças ao longo das atividades.

Metodologia: Divida a sala em grupos produtivos, o ideal é que una os alunos com maior
proficiência com os alunos os alunos de menor proficiência.
Passo 2: Sorteie as letras para cada dupla, se possível dívida as letras em V/F P/B e M/N,
letras que podem causar ainda dúvidas no processo de consolidação, ou traga as letras
que está trabalhando, mas o ideal é que ao fim da oficina todo o alfabeto esteja
contemplado.
Passo 3: Com as duplas, visite a escola pedindo que os alunos procurem objetos de seu
ambiente que iniciem ou contenham a letra predestinada para sua dupla.
Passo 4: Traga papel mache ou massinha de modelar para os alunos criarem as letras e
destinadas. Caso seja possível produza com os alunos o papel mache ou a massinha.
Peça também para que os alunos criem os objetos referentes as letras destinadas a eles.
Poe exemplo: F de formiga, V de ventilador.
Passo 5: Após as peças secarem, faça um círculo com os alunos e ponham as letras e
objetos no centro, com as letras criem palavras referentes ao objeto.
Passo 6: Faça a exposição com os alunos dos objetos e as letras criadas, elabore com
eles um convite para a exposição e os cartazes de divulgação do evento. Traga modelos
de convites e cartazes para que eles compreendam a estrutura do gênero.
Passo 7: Peça para que eles entreguem os convites e aficione os cartazes de divulgação
criados pelos estudantes.

Professor, em caso de dúvida, análise o material deste link: https://psicosol.com/alfabeto-


sensorial/

OFICINA 2
Jogo das sílabas

Painel com letras e imagens


Justificativa: Com a associação das letras e formas ou iluminação, o aluno irá consolidar
o processo de criação de palavras e compreender melhor a estrutura de silabas
canônicas. esta atividade é de consolidação para alunos que estão entre os níveis
silábicos e silábicos- alfabéticos.
Ao utilizar formas e/ ou luzes você estará trazendo para alunos surdos a possibilidade de
assimilar melhor a concepção de sílaba que não está presente nas palavras em Libras,
você também poderá criar fichas com os sinais de Libras para que a partir deste sinal o
aluno crie a palavra em Língua Portuguesa. Tornando assim a atividade inclusiva também
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 45

podendo também integrar seus alunos.


Metodologia:
Passo 1: Construir o material usando 1 caixa de papelão e tampas de margarina,
professor, você pode cortar as tampas em formatos diferentes para que a brincadeira
também trabalhe formas.
Obs: Caso queira deixar a brincadeira mais instigante para o aluno, instale na tampinha
da resposta um sensor de aproximação e luzes de led na caixa que irão acender quando
a tampa correta encaixar no espaço. Poderá também criar um interruptor que você possa
acionar quando o aluno acertar as sílabas. lembrando que este passo é opcional.
Passo 2: Na caixa recorte 3 espaços semelhantes as formas da tampa, e produza tampas
com várias sílabas para que os estudantes criem palavras, você pode fazer mais de uma
caixa para que os alunos criem frases, se em sua turma já tiver alguns alunos alfabéticos.
Passo 3: O jogo. Apresente as fichas do material estruturado para os estudantes, a partir
do desenho apresentado, eles deverão criar as palavras, você pode dividir as turmas em
grupos que pontuaram ao acertar.
Passo 4 Antes dos alunos iniciarem o jogo, apresentem as regras do jogo e peçam para
que eles escrevam elas a sua maneira em uma folha, é importante apresentar o gênero e
a estrutura textual para os alunos antes de produzir o texto com os alunos.

Professor, esta oficina foi baseada no material criado neste vídeo


https://www.youtube.com/watch?time_continue=136&v=nl9eXjkBO8I Caso haja dúvidas,
você poderá acessa-lo para compreender como produzir o material.

SEQUÊNCIA DIDÁTICA

Sequência didática - A revolta das tirinhas


Público alvo: 1º ano
Tempo estimado: dois meses

Objetivos:
 Participar ativamente das discussões propostas colaborando para o desenvolvimento do tema
em questão;

 Participar de dramatizações de histórias ampliando seus processos criativos;

 Demonstrar compreensão das analogias da estória entre o conto e a realidade;

 Apresentar seu posicionamento crítico ao analisar a postura dos personagens;

 Ampliar seu repertório literário através do contato contos da literatura infantil;

 Perceber as particularidades do gênero literário proposto;

Conteúdos:
 Leitura e interpretação oral;
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 46

 Gênero Textual: Contos.

Materiais necessários:
Livros, cadernos, lápis, tesoura, alfinetes caixa, ilustrações, boneco e máquina fotográfica.
Desenvolvimento:
Utilize uma máquina fotográfica para registrar todas as etapas.

1ª etapa – Roda de Conversa – 30 minutos


Faça uma roda de conversa com os alunos criando um ambiente bem amistoso e pergunte o
que eles como eles imaginam que as palavras podem ser criadas. Perguntem aos estudantes como
quais línguas são faladas em outros países. Pergunte também qual língua falamos no Brasil e como
ela chegou aqui. Pergunte se eles conhecem ou já viram alguém falando uma língua estrangeira ou
diferente do português. Após esse momento de predição, faça um relato de como o português
surgiu, conte que as línguas como o inglês, francês, português e espanhol vieram do latim, uma
língua muito antiga que hoje está quase morta. Conte também que antes da vinda dos portugueses
para cá, falávamos diversas outras línguas, como o Tupi.

2ª etapa – A revolta das letras


Deixe as fichas com as letras e palavras com os estudantes, deixe que eles experienciem as letras
antes da leitura do livro, observe o título e imagens da capa, perguntando quais expectativas eles
têm acerca da leitura da obra. Ao ler o título pergunte a eles se eles imaginam o porquê das letrinhas
estarem revoltadas. Realize a leitura exemplo com os estudantes.

3ª etapa – . Familiarizar-se com o gênero


Explique para as crianças que a história discutida trata-se de um conto e pergunte para elas
o que conhecem sobre o gênero em questão. Deixe as crianças terem contato com diversos livros de
contos da literatura infantil afim de familiarizarem-se com suas características.
Explique algumas particularidades do gênero como personagens, cenários, forma
introdutória, desfecho, complicações, clímax e narrador.

4ª etapa – Interpretação das imagens


Estimule o reconto da história através das ilustrações e promova uma discussão das imagens
do livro, incentivando a observação atenta dos desenhos, o olhar dos personagens, o lugar em que se
encontram, suas expressões e intensões buscando as mensagens que as ilustrações tentam transmitir
ao leitor.
Destacar a ilustração da figura em que as letrinhas são coladas nos livros, por que elas
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 47

ficaram tão felizes quando voltaram ao livro.

5ª etapa – Quem conta um conto ...


Com as fichas do material estruturado ou com moldes de EVA, divida os alunos em grupos e
peça que os estudantes dramatizem fuga das letras, cada um poderá fazer um teatrinho com a letra e
dar continuidade para a história de cada letra, para onde foram, como passaram a viver, como o
garoto as encontrou.

6ª etapa – Refletindo na História.


A partir das predições realizadas antes da estória e da leitura realizada, observe com eles de como
algumas palavras podem mudar de localidade para localidade como a ata retratada no livro que
pode ser chamada de fruta do conde em outros estados do Brasil. Comente que as mudanças
regionais são normais, principalmente devido ao tamanho variedade cultural, e social do pais.
Peça para que eles realizem pesquisa de como são chamadas as seguintes palavras no restante do
país:
MACAXEIRA – JERIMUM – DINDIM - ESPILICUTE

7ª etapa – Dicionário Mural


Divida os alunos em duplas e deixe cada um responsável por uma letra do alfabeto, apresente para
eles como se estrutura um dicionário, como é organizado a ordem alfabética e como as definições
são dispostas no dicionário.
Posteriormente, peça para que eles pesquisem palavras próprias do Ceará como por exemplo:
Abirobado, babau e etc.
Peça também para que eles deem o significado da palavra como em um verbete de dicionário.
Por fim, peçam para que eles passem o pesquisado no caderno para um mural que será exposto
como dicionário cearenses da turma.

Avaliação:
A avaliação consiste na análise da compreensão e do posicionamento crítico do aluno
mediante as reflexões sobre a obra e na participação e interesse das crianças nas discussões e
atividades propostas.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 48

SUPORTE TEÓRICO

Aprendizagem inicial da língua escrita: o que ensinar e como ensinar

Prof.ª Maria Cilvia Queiroz

Para início de conversa...

As controvérsias sobre métodos de alfabetização que se arrastam desde o final do


século XIX, derivam de concepções sobre o objeto da alfabetização, ou seja, sobre o
que se ensina. e acordo com Magda oares (2018, 32), “o que se ensina na
alfabetização é estudado e investigado de modo fracionado em suas diferentes funções e
facetas, cada uma delas assumida, isoladamente, como objeto de estudo de
determinadas ciências”. A Linguística (fonética e fonologia, Psicolinguística,
Sociolinguística, Linguística textual, Pragmática), volta-se para a investigação das
características da língua como objeto linguístico e as implicações dessas características
para a aprendizagem. A Psicologia cognitiva e a Psicologia do desenvolvimento focam no
processo por meio do qual a criança aprende: a primeira nas operações cognitivas da
aprendizagem, e a segunda, nos estágios ou fases pelos quais as crianças passam em
sua progressiva aquisição e domínio da língua escrita.

As concepções de aprendizagem da língua escrita, segundo Soares p. 28)


Diferenciam-se pela faceta do processo de aprendizagem,
consequentemente, diferenciam-se pela faceta do processo que elegem
como objeto da aprendizagem; consequentemente, diferenciam-se as
competências que cada concepção estabelece como objetivos a perseguir,
ou seja: distinguem-se os métodos de alfabetização – de forma ampla, e
talvez mais adequadamente, os métodos de orientação da aprendizagem
inicial da língua escrita.

É importante lembrar que, a aprendizagem inicial da língua escrita é um processo


extremamente complexo, envolve duas funções da língua que é ler e escrever - iguais em
alguns aspectos e diferentes em outros – e, de acordo com Soares (2018) envolve três
facetas: a linguística, a interativa e a sociocultural (SOARES, 2018).
Cada faceta se constitui de objetos de conhecimento que correspondem domínios
cognitivos e linguísticos distintos, portanto, demandam estratégias especificas de ensino e
de aprendizagem. Assim, as facetas possuem competências e habilidades a serem
desenvolvidas, explicitadas, inclusive, na Base Nacional Curricular Comum – BNCC
(correspondentes às práticas de linguagem: oralidade, leitura/escuta, produção (escrita e
semiótica) e análise linguística/semiótica).
Para Soares !2018), a faceta linguística tem como objeto de conhecimento a
apropriação do sistema de escrita alfabético-ortográfico e das convenções da
escrita; a faceta interativa tem como objeto a compreensão e produção de textos; a
faceta sociocultural tem como objeto a inserção da criança na cultura escrita –
eventos sociais e culturais que envolvem a escrita.

A questão histórica dos métodos

Magda oares, em sua obra “ lfabetização: a questão dos métodos (2018)”,


destaca que o método de alfabetização sempre foi uma questão na história do
ensino inicial da língua escrita. Trata inclusive, a palavra “questão” em dois
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 49

sentidos: - Assunto a discutir – dificuldade a resolver; controvérsia, polêmica – objeto de


desacordos.
No Brasil, o debate sobre a aprendizagem da leitura e da escrita, data
aproximadamente dos anos 50 do século XX, quando a ideia era expandir a escola para
todos - crianças pertencentes às camadas populares, socioeconômica e culturalmente
diferenciadas das crianças provenientes das camadas privilegiadas que já frequentavam a
escola. Ocorre que essa escola para todos, ainda, não conseguiu cumprir com a sua
função – ensinar as crianças a ler e escrever –, tampouco, manter todas as crianças na
escola.
Então, a partir de 1950, quando começa o processo de democratização do ensino
público que propiciasse às crianças o domínio da leitura e da escrita, surge a questão dos
métodos. Uma questão a resolver, porém, surgem também as controvérsias.
Método de alfabetização como um “conjunto de procedimentos que,
fundamentados em teorias e princípios orientam a aprendizagem inicial da leitura e da
escrita – alfabetização” ( oares, 2018).

Antes das últimas décadas do XIX, a questão dos métodos não era relevante

Aprender a ler dependia de aprender os nomes das letras; depois combinar


consoantes e vogais, formando silabas, para finalmente chegar a palavras e frases
(MÉTODO DA SOLETRAÇÃO), com apoio das CARTAS DE ABC, dos Abecedários e dos
Silabários. A aprendizagem era centrada na escrita – não consideravam que as letras
representam os sons da língua.
Em Portugal, Antônio Feliciano Castilho estabelece um método para o ensino da
leitura e da escrita, denominado de leitura repentina, no qual o ensino da leitura começa
pelo reconhecimento do som – método fônico (sintético). Ainda em Portugal, João de
Deus rejeita a alternativa de Castilho, propondo o ensino da leitura pela identificação da
palavra - método analítico.

O método fônico daria o tom do debate pedagógico até os anos 70 do mesmo século XIX,
quando – ainda em Portugal – João de Deus rejeita a alternativa de Castilho, que começara
a ensinar a ler pelo reconhecimento do som. Para João de Deus, isso estaria errado. Havia
de se iniciar o processo do ensino da leitura pela identificação da palavra. Um partia do
reconhecimento da leitura pelo som, entendendo que a alfabetização é, sobretudo, auditiva.
O outro partia da identificação da palavra, à luz da concepção de que o processo da
alfabetização é fundamentalmente visual – método analítico. (Carlota Boto, professora da
Faculdade de Educação da USP. Jornal da USP 03/05/2019).

Entre as últimas décadas do século XIX (1880) e início do século XX (1930) – duas
vias de evolução no campo dos métodos e alternaram-se na prática até 1980. Vale
ressaltar que, as alternâncias entre métodos “inovadores” e “tradicionais” atravessaram o
século XX e ainda persistem.

Os métodos

a) Métodos fônicos e silábicos (sintéticos) – a prioridade é o valor sonoro das letras e


sílabas. Hilário Ribeiro, autor da CARTILHA NACIONAL, escrita nos anos 1880, com
edições sucessivas até 1930, afirmava: “ omo a arte da leitura é a análise da fala,
levemos desde logo o aluno a conhecer os valores fônicos das letras, porque é com o
valor que há de ler e não com o nome delas.” ( B , 1936, apud M ,
2000).
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 50

b) Método da palavração (analíticos) - considerando a realidade psicológica da criança,


tornando a aprendizagem significativa. Partia da palavra para chegar ao valor sonoro
das sílabas e letras. Para João de Deus que introduzira, no Brasil em 1880, a
LH M L: “É fictícia a soletração, em que se reúnem nomes absurdos
exigindo em seguida valores [...]; definitiva a palavração, em que se lê desde logo a
palavra [...]. como aprendemos a falar?” (Silva Jardim 1884, apud MORTATTI, 2000).

Resumindo

Métodos sintéticos Métodos analíticos


Fônico – silabação Palavração – Sentenciação – Global
Foco na percepção auditiva –
Foco na percepção visual – percepção das
correspondência entre o oral e o
correspondências entre escrito e o oral
escrito

- Propostas metodológicas fundamentadas na Psicologia cognitiva


- São orientados pelo mesmo pressuposto: a aprendizagem do sistema de escrita
depende de estímulos externos (associativismo)
- Se inserem no mesmo paradigma pedagógico e psicológico: associativismo
- Alfabetização se reduz a escolha do método
- O ensino prevalece sobre a aprendizagem
- Professor detentor do poder
- Criança aprendiz passivo
- A criança aprende por estratégias perceptivas
- O ensino é transmitido por meio do método e do material escrito: cartilhas ou pré-
livros (elaborados para atender ao método)
- Frases sem sentidos como pretexto para ensinar
- Domínio do sistema de escrita é condição e pré-requisito para o desenvolvimento
da habilidade de uso da leitura e da escrita (primeiro aprender a ler e a escrever)

A controvérsia entre métodos sintéticos e analíticos. De 1880 até ...

- Ora opção pelo princípio da síntese – dos fonemas, das sílabas – em direção às
unidades maiores – à palavra, à frese, ao texto (MÉTODO FÔNICO E MÉTODO
SILÁBICO);

- Ora pelo princípio da análise – das unidades maiores, portadoras de sentido – a palavra,
a frase, o texto – em direção às unidades menores (método da palavração, método da
sentenciação, método global).

Há ainda, os métodos ecléticos/Mistos – englobam, tanto o princípio de síntese


como o de análise.

Como diz Soares, um assunto a discutir, dificuldade a resolver; Controvérsias,


polêmica, objeto de desacordos.
Então, se o(a) professor(a) escolhe um ou outro método está amparado, consciente
ou não, em determinados pressupostos teóricos. Conforme sua escolha, pode privilegiar
apenas uma função da língua ou uma faceta da alfabetização. Desconsiderando a
importância do todo (práticas de linguagem, apropriação do sistema de escrita, oralidade,
leitura e escrita) na aprendizagem inicial da língua.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 51

Elevado índice de analfabetismo – muitas justificativas e críticas

 Livros importados ou produzidos no Sul e sudeste do país;


 Turmas heterogêneas e numerosas
 Merenda escolar;
 Família (classe socioeconômica não favorecia)

Mudanças de paradigmas no ensino da leitura e da escrita

- No sec. XIX, primeira ruptura metodológica entre a soletração e os métodos (síntese e


análitico);
- No sec. XX (cem anos depois), paradigma cognitivista – epistemologia genética de
Piaget (construtivismo).
- A partir de 1980 – cognitivismo piagetiano – psicogênese da língua escrita (Emília
Ferreiro e Ana Teberosky).

Uma revolução conceitual...

De um lado, os métodos “tradicionais”, do outro a “desmetodização”.

O construtivismo não método, trata-se de uma teoria da gênese e do desenvolvimento


do conhecimento – uma teoria da aprendizagem. Essa teoria compreende;
 Uma nova fundamentação teórica e conceitual do processo de alfabetização e de
seu objeto, a língua escrita;
 Prevalência da aprendizagem sobre o ensino;
 Esclarecimento do processo de aprendizagem da língua escrita: construção
progressiva do principio alfabético, do conceito de língua como um sistema de
representação dos sons da fala por sinais gráficos;
 Construção do princípio alfabético (escrita representa os sons da fala) - por meio
da interação entre materiais reais de leitura e de escrita – textos de diferentes
gêneros e em diferentes portadores;
 Foco no aluno e não no professor.

O professor, nesse processo, tem papel fundamental na aprendizagem da criança.


Desenvolve uma prática pedagógica de estímulo, acompanhamento e orientação da
aprendizagem, respeitadas as peculiaridades do processo de cada criança, o que torna
inadmissível um método único e predefinido.

E no MAISPAIC?

 O que ensinar no processo inicial de alfabetização para garantir todos os alunos na


escola, alfabetizados e letrados até o 2º ano do ensino fundamental?
 Qual o conceito de alfabetização e letramento para o MAISPAIC?

MÉTODOS SÃO UMA QUESTÃO, NÃO SÃO A QUESTÃO


Magda Soares

Inserida no campo da educação escolar, a aprendizagem inicial da escrita sofre a


influência dos fatores que condicionam, e podem até determinar, esse campo: fatores
sociais, culturais, econômicos, políticos; é ilusório supor que métodos atuem
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 52

independentemente da interferência desses fatores. Assim, a fim de evitar que, nos


capítulos que se seguem, seja atribuído um valor absoluto ou independente aos métodos
sugeridos em decorrência de princípios e teorias que são temas dos capítulos que se
seguem, destaca –se aqui aspectos que, atuando sobre eles, evidenciam outras questões
que interferem em sua prática e relativizam seu poder como fator determinante da
alfabetização.
Métodos para a aprendizagem inicial da língua escrita, segundo o conceito adotado
neste livro, são conjuntos de procedimentos que, com base em teorias e princípios
linguísticos e psicológicos, orientam essa aprendizagem, em cada uma de suas facetas.
No entanto, métodos não atuam autonomamente, sem limitações ou obstáculos;
constituídos de procedimentos de interação entre alfabetizador (a) e alfabetizandos,
efetivam-se na inter-relação entre participantes diferenciados, em situação de
aprendizagem coletiva, em um contexto escolar inserido em determinada comunidade
socioeconômica e cultural. Ou seja: métodos não constroem um processo linear, mas,
como consequência de muitos e vários fatores intervenientes, configuram-se como um
processo de grande complexidade.
De um lado, o (a) alfabetizador (a) se distingue por características pessoais, tais
como classe social, gênero, traços de personalidade, idade, variante linguística, e por
experiências profissionais, como formação inicial e continuada, experiência no magistério,
motivação e aptidão para o ensino, particularmente para a alfabetização.
De outro, os alfabetizando também se distinguem por características pessoais –
entre outras, classe social, gênero, idade, traços de personalidade, contexto familiar,
domínio da língua oral, variante linguística – e por experiências de aprendizagem prévia –
convívio, ou não, com a língua escrita no ambiente da família e da comunidade,
habilidades, conhecimentos, atitudes desenvolvidas em relação à escola e à língua
escrita. Destaque-se, ainda, o impacto, em situação de aprendizagem coletiva, das
diferenças individuais entre os alfabetizandos tanto em relação às características
pessoais quanto em relação às experiências de aprendizagem anteriores à alfabetização.
Essas peculiaridades de alfabetizador (a) e alfabetizandos afetam a interação que
entre eles ocorre e intervêm na prática dos métodos, que procuram fazer a mediação
entre ensino e aprendizagem se se considera que ela ocorre inserida em determinado
contexto escolar e em determinada comunidade.
Em primeiro lugar, ela ocorre em uma sala de aula com certo número de alunos,
número que pode ser adequado, ou não, às necessidades e às possibilidades dos
métodos de alfabetização, com espaço suficiente e adequado, ou não, de material
didático e recursos necessários à prática dos métodos.
Em segundo lugar, a sala de aula em que se desenvolve a aprendizagem está
inserida em uma escola que é de determinado tamanho, tem determinadas condições
físicas e materiais, orienta-se por certo currículo e certa organização do tempo, é dirigida
por determinado gestor, está sujeita a interferências positivas ou negativas de órgãos
externos da administração educacional (distribuição de livros didáticos, paradidáticos, de
literatura avaliações externas da aprendizagem dos alunos) e em que impera a
determinado “clima”, que possibilita e facilita, ou não, ações e iniciativas, e incentiva, ou
não, alfabetizadores (as) e alfabetizandos.
Finalmente, a escola se situa em determinada comunidade, com certa composição
social e étnica, um certo nível econômico, um grau maior ou menor de inserção da cultura
letrada, determinadas expectativas em relação à escola e à escolarização.
São, pois, numerosos e complexos os fatores que podem intervir na prática de
métodos de alfabetização – eles constituem outras questões que se acrescentam à
questão dos métodos.
Assim, os métodos que, na concepção adotada neste livro, são de certa forma,
proposições decorrentes de teorias, alteram-se na prática do(a) alfabetizador(a) – afinal,
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 53

quem alfabetiza não são os métodos, mas o(a) alfabetizador(a), sendo ele/ela quem é,
com o uso específico que faz dos métodos e com tudo que acrescenta a eles, e sendo os
alfabetizandos aqueles que são, ocorrendo o processo nos contextos e nas condições em
que ocorre. Sedundo Allan Luke (1998:312), em texto em que discute a questão de
métodos de alfabetização, “um ensino eficiente não depende apenas da aprendizagem de
um conjunto de métodos fundamentados cientificamente”, e acrescenta: “isso só ocorreria
se assumíssemos o axioma da lógica de ‘todas as coisas permanecendo iguais’”, mas,
conclui ele, “nas escolas do cidente pós- industrial, ‘todas as coisas nunca permanecem
iguais’”.
No entanto, a existência dessas outras questões não implica a invalidação ou
desvalorização dos métodos. No quadro de uma concepção do processo de introdução da
criança à escrita como ensino e aprendizagem de um conjunto de competências
distribuídas por diferentes facetas da língua escrita, elucidadas por estudos e pesquisas
na área das ciências linguísticas e relacionadas a diferentes domínios cognitivos por
estudos e pesquisas na área da Psicologia, os métodos, fundamentados nesses vários
estudos e pesquisas, mantêm, a despeito da interferência de fatores externos a eles, sua
validade, se são solidamente construídos sobre o alicerce da análise do objeto a ser
aprendido, a língua escrita, e dos processos cognitivos de aprendizagem desse objeto:
métodos têm a importante função de propiciar ao ensino substrato científico e pedagógico
que fundamente a prática: ao mesmo tempo que pode ser corrigido por ela, e de oferecer
critérios para encaminhamentos e correção de rumos. Precisam, sim, adaptar-se à
interferência dos fatores externos, de modo a respeitá-los ou a superá-los, mas não
podem ser negados por causa deles. Retomando e ampliando o conceito anteriormente
proposto: métodos de alfabetização são conjuntos de procedimentos fundamentados em
teorias e princípios linguísticos e psicológicos, mas suficientemente flexíveis para que, na
prática pedagógica, possam superar as dificuldades interpostas por fatores externos que
interfiram na aprendizagem dos alfabetizandos.
Assim reconhecendo que métodos não são a questão mas uma das questões na
aprendizagem inicial da língua escrita, e ainda que métodos devem fundamentar-se em
pesquisas e teorias sobre essa aprendizagem, este livro, com o objetivo de esclarecer a
questão dos métodos, apresenta uma revisão de alicerces teóricos de que se podem
interferir métodos de alfabetização, insto é, métodos que orientem o desenvolvimento e a
aprendizagem da faceta linguística da alfabetização, recorte essencial da aprendizagem
inicial da língua escrita e da introdução da criança à cultura letrada.

Lendo e refletindo!
a) Base Nacional Curricular Comum – BNCC (P. 89 – 91)
b) PROPOSTA DIDÁTICA PARA ALFABETIZAR LETRANDO 1º E 2º ANO;
c) MAGDA SOARES: Capítulo I: Alfabetização: a Questão dos métodos. São Paulo:
Contexto, 2018.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 54

ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS
MATEMÁTICA
Cara professora, a sala de aula emerge como um espaço público de debates em
que professores desafiam os alunos com situações-problema, e os alunos são
encorajados a apresentar suas soluções para seus colegas e o professor. Nessa
perspectiva, a sala de aula torna-se o espaço de encontros entre professores e alunos, ou
seja, espaço de encontros, de indivíduos que intervêm, transformam, sonham,
apreendem, sofrem e esperam juntos. (RADFORD, 2016). Portanto, faz-se necessário
nesse cenário, uma metodologia que vise a superação do ativismo docente, e coloque
em primeiro plano a reflexão sobre o papel do aluno nas atividades em sala.
Apresentamos a Sequência Fedathi, como uma metodologia voltada à melhoria dos
processos pedagógicos, com foco na postura adequada do professor em sala de aula, a
partir de ações que coloquem o aluno em situação de aprendizagem. (SANTOS, 2018).

ATIVIDADE 01
TOMADA DE POSIÇÃO – FASE 1: consiste na apresentação de uma situação
desafiadora que pode ser apresentada na forma escrita, verbal, por meio de jogos, ou de
outro modo, podendo ser realizado em grupo ou individualmente.

Professor(a) sugerimos que nesse momento seja lançado um questionamento sobre as


concepções que os alunos possuem sobre contagem. Faça perguntas como: Vocês
sabem o porquê contamos as coisas? Quem criou os números? Será que nesse período,
desde a criação ate agora, algo mudou? Após esse momento de discussão, apresente
alguns exemplos. As situações nessa atividade serão apresentadas a partir de um jogo. O
desenvolvimento de atividades lúdicas, como jogos, auxilia na construção do
conhecimento do aluno, pelo prazer de executar a ação lúdica.
Obs.: Sugerimos que faça uma pesquisa antes para poder responder os
questionamentos e novos que por ventura possam surgir.

MATURAÇÃO – FASE 2: representa o momento em que o estudante busca identificar e


compreender as variáveis envolvidas na situação-problema. Nessa ocasião, o professor
pode mediar pedagogicamente levantando algumas questões que ajudarão o aprendiz no
levantamento das hipóteses e entendimento do problema. As questões podem ser: O que
é pedido no problema? Quais são os dados fornecidos? É importante que o professor
conheça bem o que o problema solicita, pois lhe possibilitará elaborar perguntas
esclarecedoras, estimuladoras e reflexivas.

Agora, pergunte aos seus alunos se eles compreendem o que está sendo pedido nos
exemplos. Faça uso de materiais concretos para trabalhar os exemplos.

SOLUÇÃO – FASE 3: sinaliza o momento em que o aprendiz representa e organiza


esquemas para encontrar a resposta.

Solicite que alguns alunos apresentem suas respostas no quadro e expliquem como
chegaram aos resultados. Diante das soluções apresentadas, ofereça contraexemplos e
contraperguntas, promovendo desequilíbrios cognitivos no estudante, mas não como
sujeitos cognitivos simples, como assinala Radford (2016), mas com o intuito de promover
conhecimentos e esclarecimentos das hipóteses, ora levantadas.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 55

PROVA – FASE 4: delineia a etapa em que o estudante faz a verificação/validação da


solução encontrada confrontando o resultado com os dados apresentados. Na ocasião, o
professor deve fazer uma analogia com os modelos científicos preexistentes, a fim da
formalização do conhecimento construído pelo aluno.

Agora, explore o jogo com os alunos, permitindo que eles formulem novas concepções
sobre o assunto abordado ate agora. Por fim, faça uma avaliação de sua aula.

ATIVIDADE 02
TOMADA DE POSIÇÃO – FASE 1: consiste na apresentação de uma situação
desafiadora que pode ser apresentada na forma escrita, verbal, por meio de jogos, ou de
outro modo, podendo ser realizado em grupo ou individualmente.

Professor(a) sugerimos que nesse momento seja lançado um questionamento aos alunos
sobre adição. Pergunte para a turma: Conhecem o significado da palavra adição? Quais
palavras podem ser usadas para representar adição? E o significado de subtração? Quais
palavras podem ser usadas para representar subtração? Olhando para a atividade 1,
apresente a quarta questão aos alunos.

MATURAÇÃO – FASE 2: representa o momento em que o estudante busca identificar e


compreender as variáveis envolvidas na situação-problema. Nessa ocasião, o professor
pode mediar pedagogicamente levantando algumas questões que ajudarão o aprendiz no
levantamento das hipóteses e entendimento do problema. As questões podem ser: O que
é pedido no problema? Quais são os dados fornecidos? É importante que o professor
conheça bem o que o problema solicita, pois lhe possibilitará elaborar perguntas
esclarecedoras, estimuladoras e reflexivas.

Agora, pergunte aos seus alunos se eles compreendem o que está sendo pedido na
questão. Utilize algo mais concreto para que eles possam manipular e compreenderem o
processo, por exemplo, sugerimos livros ou bolinhas de papel.

SOLUÇÃO – FASE 3: sinaliza o momento em que o aprendiz representa e organiza


esquemas para encontrar a resposta.

Solicite que os alunos apresentem suas respostas e expliquem como chegaram aos
resultados. Diante das soluções apresentadas, ofereça contraexemplos e
contraperguntas, promovendo desequilíbrios cognitivos no estudante, mas não como
sujeitos cognitivos simples, como assinala Radford (2016), mas com o intuito de promover
conhecimentos e esclarecimentos das hipóteses, ora levantadas. Converse com os
alunos sobre as respostas apresentadas, em caso de erro, deve-se propor outras
atividades, para que o aluno possa ele mesmo reconstrua suas respostas.

PROVA – FASE 4: Delineia a etapa em que o estudante faz a verificação/validação da


solução encontrada confrontando o resultado com os dados apresentados. Na ocasião, o
professor deve fazer uma analogia com os modelos científicos preexistentes, a fim da
formalização do conhecimento construído pelo aluno.

Agora, explore um pouco o conhecimento aprendido e, a fim de consolidar e ampliar o


conceito matemático proponha outra atividade envolvendo o assunto abordado até agora.
Solicite que as demais questões da atividade sejam resolvidas, em grupo ou sozinhos.
Por fim, faça uma avaliação de sua aula. Reflita sobre o que deu certo, e o que pode ser
melhorado. Se pergunte: Eu atingi meu objetivo de ensino? Os alunos aprenderam?
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 56

ATIVIDADE 03
TOMADA DE POSIÇÃO – FASE 1: consiste na apresentação de uma situação
desafiadora que pode ser apresentada na forma escrita, verbal, por meio de jogos, ou de
outro modo, podendo ser realizado em grupo ou individualmente.

Professor(a) sugerimos que nesse momento seja retomado os questionamentos da


atividade 1, agora com foco no nosso sistema decimal (base 10). Após esse momento de
discussão, apresente alguns exemplos. As situações nessa atividade serão apresentadas
a partir de um jogo. O desenvolvimento de atividades lúdicas, como jogos, auxilia na
construção do conhecimento do aluno, pelo prazer de executar a ação lúdica.
Obs.: Sugerimos que faça uma pesquisa antes para poder responder os
questionamentos e novos que por ventura possam surgir.

MATURAÇÃO – FASE 2: representa o momento em que o estudante busca identificar e


compreender as variáveis envolvidas na situação-problema. Nessa ocasião, o professor
pode mediar pedagogicamente levantando algumas questões que ajudarão o aprendiz no
levantamento das hipóteses e entendimento do problema. As questões podem ser: O que
é pedido no problema? Quais são os dados fornecidos? É importante que o professor
conheça bem o que o problema solicita, pois lhe possibilitará elaborar perguntas
esclarecedoras, estimuladoras e reflexivas.

Agora, pergunte aos seus alunos se eles compreendem o que está sendo pedido nos
exemplos. Faça uso de materiais concretos para trabalhar os exemplos.

SOLUÇÃO – FASE 3: sinaliza o momento em que o aprendiz representa e organiza


esquemas para encontrar a resposta.

Solicite que alguns alunos apresentem suas respostas no quadro e expliquem como
chegaram aos resultados. Diante das soluções apresentadas, ofereça contraexemplos e
contraperguntas, promovendo desequilíbrios cognitivos no estudante, mas não como
sujeitos cognitivos simples, como assinala Radford (2016), mas com o intuito de promover
conhecimentos e esclarecimentos das hipóteses, ora levantadas.

PROVA – FASE 4: delineia a etapa em que o estudante faz a verificação/validação da


solução encontrada confrontando o resultado com os dados apresentados. Na ocasião, o
professor deve fazer uma analogia com os modelos científicos preexistentes, a fim da
formalização do conhecimento construído pelo aluno.

Agora, explore o jogo com os alunos, permitindo que eles formulem novas concepções
sobre o assunto abordado ate agora. Por fim, faça uma avaliação de sua aula.

ATIVIDADE 04
TOMADA DE POSIÇÃO – FASE 1: consiste na apresentação de uma situação
desafiadora que pode ser apresentada na forma escrita, verbal, por meio de jogos, ou de
outro modo, podendo ser realizado em grupo ou individualmente.

Professor(a) sugerimos que nesse momento seja lançado um questionamento sobre a


concepção que os alunos possuem sobre formas geométricas. Perguntar aos alunos: A
folha do livro de vocês possui qual formato? O relógio da sala possui qual formato? As
rodas do ônibus da escola possui qual formato? Vocês já virão algum triângulo sem ser
nos livros? Após esse momento de discussão, apresente a primeira questão da atividade
4.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 57

MATURAÇÃO – FASE 2: representa o momento em que o estudante busca identificar e


compreender as variáveis envolvidas na situação-problema. Nessa ocasião, o professor
pode mediar pedagogicamente levantando algumas questões que ajudarão o aprendiz no
levantamento das hipóteses e entendimento do problema. As questões podem ser: O que
é pedido no problema? Quais são os dados fornecidos? É importante que o professor
conheça bem o que o problema solicita, pois lhe possibilitará elaborar perguntas
esclarecedoras, estimuladoras e reflexivas.

Agora, pergunte aos seus alunos se eles compreendem o que está sendo pedido na
questão. Utilize algo mais concreto para que eles possam manipular e compreender o
processo. Sugerimos uma folha de papel quadriculada. Também leve para sala de aula
embalagens com formatos diversos, e trabalhe a planificação dessas embalagens, a fim
de que os alunos percebam em que a planificação das embalagens se assemelham ou se
diferenciam da embalagem da questão.

SOLUÇÃO – FASE 3: sinaliza o momento em que o aprendiz representa e organiza


esquemas para encontrar a resposta. Todo o trabalho de desenvolvimento do conceito
deve ser realizado pelo aluno, embora o professor tenha como papel mediar as atividades
para propiciar a aprendizagem.

Cara professora solicite que os alunos apresentem suas respostas e expliquem como
chegaram aos resultados. Diante das soluções apresentadas, ofereça contraexemplos e
contraperguntas, promovendo desequilíbrios cognitivos no estudante, mas não como
sujeitos cognitivos simples, como assinala Radford (2016), mas com o intuito de promover
conhecimentos e esclarecimentos das hipóteses, ora levantadas.

PROVA – FASE 4: delineia a etapa em que o estudante faz a verificação/validação da


solução encontrada confrontando o resultado com os dados apresentados. Na ocasião, o
professor deve fazer uma analogia com os modelos científicos preexistentes, a fim da
formalização do conhecimento construído pelo aluno.

Agora, explore um pouco o conhecimento aprendido e proponha que os alunos trabalhar


mais questões envolvendo o assunto abordado até agora. Solicite que as demais
questões da atividade sejam resolvidas, em grupo ou sozinhos. Por fim, faça uma
avaliação de sua aula. Pensar sobre sua ação pedagógica, e reinvestir no processo são
importantes para o sucesso na aprendizagem.

ATIVIDADE 05
TOMADA DE POSIÇÃO – FASE 1: consiste na apresentação de uma situação
desafiadora que pode ser apresentada na forma escrita, verbal, por meio de jogos, ou de
outro modo, podendo ser realizado em grupo ou individualmente.

Professor(a) sugerimos que nesse momento seja lançado um questionamento sobre as


concepções que os alunos possuem sobre adição, retomando a tomada de posição da
atividade 2, quarta questão. Após esse momento de discussão, apresente novos
exemplos. As situações nessa atividade serão apresentadas a partir de um jogo. O
desenvolvimento de atividades lúdicas, como jogos, auxilia na construção do
conhecimento do aluno, pelo prazer de executar a ação lúdica.
MATURAÇÃO – FASE 2: representa o momento em que o estudante busca identificar e
compreender as variáveis envolvidas na situação-problema. Nessa ocasião, o professor
pode mediar pedagogicamente levantando algumas questões que ajudarão o aprendiz no
levantamento das hipóteses e entendimento do problema. As questões podem ser: O que
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 58

é pedido no problema? Quais são os dados fornecidos? É importante que o professor


conheça bem o que o problema solicita, pois lhe possibilitará elaborar perguntas
esclarecedoras, estimuladoras e reflexivas.

Agora, pergunte aos seus alunos se eles compreendem o que está sendo pedido nos
exemplos. Faça uso de materiais concretos para trabalhar os exemplos.

SOLUÇÃO – FASE 3: sinaliza o momento em que o aprendiz representa e organiza


esquemas para encontrar a resposta.

Solicite que alguns alunos apresentem suas respostas no quadro e expliquem como
chegaram aos resultados. Diante das soluções apresentadas, ofereça contraexemplos e
contraperguntas, promovendo desequilíbrios cognitivos no estudante, mas não como
sujeitos cognitivos simples, como assinala Radford (2016), mas com o intuito de promover
conhecimentos e esclarecimentos das hipóteses, ora levantadas.

PROVA – FASE 4: delineia a etapa em que o estudante faz a verificação/validação da


solução encontrada confrontando o resultado com os dados apresentados. Na ocasião, o
professor deve fazer uma analogia com os modelos científicos preexistentes, a fim da
formalização do conhecimento construído pelo aluno.

Agora, explore o jogo com os alunos, permitindo que eles formulem novas concepções
sobre o assunto abordado ate agora. Por fim, faça uma avaliação de sua aula.

ATIVIDADE 06
TOMADA DE POSIÇÃO – FASE 1: consiste na apresentação de uma situação
desafiadora que pode ser apresentada na forma escrita, verbal, por meio de jogos, ou de
outro modo, podendo ser realizado em grupo ou individualmente.

Professor(a) sugerimos que nesse momento seja lançado um questionamento sobre a


concepção que os alunos possuem sobre dinheiro e suas representações. Pergunte: O
que você entende por troco? Já foi a um mercado fazer compras com seus pais? Você
pagou as compras? Como foi? Você costuma receber dinheiro de seus responsáveis?
Quanto de dinheiro já ganhou? Com que gastou? Após esse momento de discussão,
apresente a primeira questão da atividade 6.

MATURAÇÃO – FASE 2: representa o momento em que o estudante busca identificar e


compreender as variáveis envolvidas na situação-problema. Nessa ocasião, o professor
pode mediar pedagogicamente levantando algumas questões que ajudarão o aprendiz no
levantamento das hipóteses e entendimento do problema. As questões podem ser: O que
é pedido no problema? Quais são os dados fornecidos? É importante que o professor
conheça bem o que o problema solicita, pois lhe possibilitará elaborar perguntas
esclarecedoras, estimuladoras e reflexivas.

Agora, pergunte aos seus alunos se eles compreendem o que está sendo pedido na
questão. Sugerimos que monte na sala de aula um minimercado, com objetos da própria
sala de aula (material escolar, jogos), leve cédulas e moedas impressas para essa
atividade. Nesse momento, divida a turma em grupos, entre os que vão comprar e os que
vão vender.

SOLUÇÃO – FASE 3: sinaliza o momento em que o aprendiz representa e organiza


esquemas para encontrar a resposta.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 59

Solicite que os alunos apresentem suas respostas e expliquem como chegaram aos
resultados da situação proposta. Diante das soluções apresentadas, ofereça
contraexemplos e contraperguntas, sempre com o intuito de promover conhecimentos e
esclarecimentos das hipóteses, levantadas. Esse momento é muito importante, pois os
alunos expõem para o professor sua linguagem matemática, seu raciocínio, as
habilidades desenvolvidas.

PROVA – FASE 4: delineia a etapa em que o estudante faz a verificação/validação da


solução encontrada confrontando o resultado com os dados apresentados. Na ocasião, o
professor deve fazer uma analogia com os modelos científicos preexistentes, a fim da
formalização do conhecimento construído pelo aluno.

Após os alunos exporem suas soluções, o professor em conjunto com eles apresenta a
culminância de todo o trabalho realizado. Em seguida, deve fortalecer esse aprendizado
propondo outra questão envolvendo o assunto abordado. Solicite que as demais questões
da atividade sejam resolvidas, em grupo ou sozinhos. Por fim, faça uma avaliação de sua
aula, observando as dificuldades enfrentadas, bem como, os avanços alcançados.

ATIVIDADE 07
TOMADA DE POSIÇÃO – FASE 1: consiste na apresentação de uma situação
desafiadora que pode ser apresentada na forma escrita, verbal, por meio de jogos, ou de
outro modo, podendo ser realizado em grupo ou individualmente.

Professor(a) sugerimos que nesse momento seja lançado um questionamento sobre as


concepções que os alunos possuem sobre subtração. Faça perguntas como: Vocês já
perdeu algo? Você já deu algo para alguém? Qual é mesmo o significado de subtração?
Após esse momento de discussão, apresente alguns exemplos. As situações nessa
atividade serão apresentadas a partir de um jogo. O desenvolvimento de atividades
lúdicas, como jogos, auxilia na construção do conhecimento do aluno, pelo prazer de
executar a ação lúdica.

MATURAÇÃO – FASE 2: representa o momento em que o estudante busca identificar e


compreender as variáveis envolvidas na situação-problema. Nessa ocasião, o professor
pode mediar pedagogicamente levantando algumas questões que ajudarão o aprendiz no
levantamento das hipóteses e entendimento do problema. As questões podem ser: O que
é pedido no problema? Quais são os dados fornecidos? É importante que o professor
conheça bem o que o problema solicita, pois lhe possibilitará elaborar perguntas
esclarecedoras, estimuladoras e reflexivas.

Agora, pergunte aos seus alunos se eles compreendem o que está sendo pedido nos
exemplos. Faça uso de materiais concretos para trabalhar os exemplos.

SOLUÇÃO – FASE 3: sinaliza o momento em que o aprendiz representa e organiza


esquemas para encontrar a resposta.

Solicite que alguns alunos apresentem suas respostas no quadro e expliquem como
chegaram aos resultados. Diante das soluções apresentadas, ofereça contraexemplos e
contraperguntas, promovendo desequilíbrios cognitivos no estudante, mas não como
sujeitos cognitivos simples, como assinala Radford (2016), mas com o intuito de promover
conhecimentos e esclarecimentos das hipóteses, ora levantadas.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 60

PROVA – FASE 4: delineia a etapa em que o estudante faz a verificação/validação da


solução encontrada confrontando o resultado com os dados apresentados. Na ocasião, o
professor deve fazer uma analogia com os modelos científicos preexistentes, a fim da
formalização do conhecimento construído pelo aluno.

Agora, explore o jogo com os alunos, permitindo que eles formulem novas concepções
sobre o assunto abordado ate agora. Por fim, faça uma avaliação de sua aula.

ATIVIDADE 08
TOMADA DE POSIÇÃO – FASE 1: consiste na apresentação de uma situação
desafiadora que pode ser apresentada na forma escrita, verbal, por meio de jogos, ou de
outro modo, podendo ser realizado em grupo ou individualmente.

Professor(a) sugerimos que nesse momento seja lançado um questionamento sobre a


concepção que os alunos possuem sobre contagem e soma. Pergunte: O que você
aprendeu sobre contagem? E sobre adição? Você se sente capaz de resolver uma
questão sozinho? Após esse momento de discussão, apresente a primeira questão da
atividade 6.

MATURAÇÃO – FASE 2: representa o momento em que o estudante busca identificar e


compreender as variáveis envolvidas na situação-problema. Nessa ocasião, o professor
pode mediar pedagogicamente levantando algumas questões que ajudarão o aprendiz no
levantamento das hipóteses e entendimento do problema. As questões podem ser: O que
é pedido no problema? Quais são os dados fornecidos? É importante que o professor
conheça bem o que o problema solicita, pois lhe possibilitará elaborar perguntas
esclarecedoras, estimuladoras e reflexivas.

Agora, pergunte aos seus alunos se eles compreendem o que está sendo pedido na
questão. Sugerimos que nesse momento o aluno realize pequenas contagens para que
possa verificar o seu avanço. Leve material concreto para facilitar e estimular a
aprendizagem dos alunos.

SOLUÇÃO – FASE 3: sinaliza o momento em que o aprendiz representa e organiza


esquemas para encontrar a resposta.

Solicite que os alunos apresentem suas respostas e expliquem como chegaram aos
resultados da situação proposta. Diante das soluções apresentadas, ofereça
contraexemplos e contraperguntas, sempre com o intuito de promover conhecimentos e
esclarecimentos das hipóteses, levantadas. Esse momento é muito importante, pois os
alunos expõem para o professor sua linguagem matemática, seu raciocínio, as
habilidades desenvolvidas.

PROVA – FASE 4: delineia a etapa em que o estudante faz a verificação/validação da


solução encontrada confrontando o resultado com os dados apresentados. Na ocasião, o
professor deve fazer uma analogia com os modelos científicos preexistentes, a fim da
formalização do conhecimento construído pelo aluno.

Após os alunos exporem suas soluções, o professor em conjunto com eles apresenta a
culminância de todo o trabalho realizado. Em seguida, deve fortalecer esse aprendizado
propondo outra questão envolvendo o assunto abordado. Solicite que as demais questões
da atividade sejam resolvidas, em grupo ou sozinhos. Por fim, faça uma avaliação de sua
aula, observando as dificuldades enfrentadas, bem como, os avanços alcançados.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 61

TEMA I – Interagindo com os Números e Funções


(NÚMEROS E ÁLGEBRA)
ATIVIDADES MATEMÁTICA
ATIVIDADE LUDOPEDAGÓGICA 01
CARO(A) PROFESSOR(A), ESSE MOMENTO DEVE SER TRABALHADO COMO
O ESPAÇO PARA A CONSTRUÇÃO DE VÍNCULOS ENTRE A TEORIA E PRÁTICA
PEDAGÓGICA DESPERTANDO NOS ALUNOS O INTERESSE PELA DESCOBERTA.

JOGO BASE 3
NÚMERO DE PARTICIPANTES: EQUIPES DE QUATRO ALUNOS.
OBJETIVO DO JOGO: AUXILIAR O ALUNO A COMPREENDER O PRINCIPIO DA BASE
NUMÉRICA (BASE 3).
OBJETIVO ENSINO: AUXILIAR O ALUNO A COMPREENDER O SIGNIFICADO DA
BASE NUMÉRICA.
OBJETIVO DE APRENDIZAGEM: ESTIMULAR A PARTICIPAÇÃO E CURIOSIDADE DO
ALUNO SOBRE CONTAGEM, JÁ QUE ELE PRÓPRIO CONSTRUIRÁ O MATERIAL
UTILIZADO NA AULA E A INTRODUÇÃO EMPÍRICA DO CONCEITO DE SOMA DE
UNIDADES E MUDANÇA DE ORDEM.

MATERIAL NECESSÁRIO:
 15 FICHA VERMELHAS, 15 FICHAS AZUIS E 5 FICHA AMARELA POR EQUIPE.
 DEZ CARTELAS DE CADA NÚMERO: 0, 1 E 2, PARA CADA EQUIPE.
REGRAS DO JOGO:
 AS FICHAS COLORIDAS FICAM À DISPOSIÇÃO DAS CRIANÇAS SOBRE A
MESA.
 CADA FICHA VERMELHA VALE 1 PONTO, CADA FICHA AZUL, 3 PONTOS, E
CADA FICHA AMARELA, 9 PONTOS.
 AS CARTELAS NUMERADAS DEVERÃO ESTAR EM UM MONTE
EMBARALHADO NO CENTRO DA MESA.
 CADA CRIANÇA RETIRA UMA CARTELA NUMERADA DO MONTE E PEGA A
QUANTIDADE DE FICHAS VERMELHAS CORRESPONDENTE AO NÚMERO.
 AO AGRUPAR TRÊS FICHAS VERMELHAS, ELAS A TROCA POR UMA AZUL.
 AO AGRUPAR TRÊS FICHAS AZUIS, TROCA POR UMA AMARELA.
 VENCE QUEM CONSEGUIR DUAS FICHAS AMARELAS PRIMEIRO.

AVALIAÇÃO:
NA UTILIZAÇÃO DO JOGO “BASE 3”, O(A) PROFESSOR(A) PODERÁ DAR
INÍCIO A SUAS AVALIAÇÕES LOGO NO INÍCIO DA APRESENTAÇÃO DO MATERIAL,
JÁ QUE SEUS ALUNOS DEVERÃO COMPREENDER COMO DEVEM CHEGAR AS
TROCAS, A PARTIR DE TRÊS UNIDADES POR UMA OUTRA, CHEGANDO ASSIM AO
CONCEITO DE BASE 3. ALÉM DISSO, O PROFESSOR TERÁ A OPORTUNIDADE DE
ANALISAR SE AS TROCAS REALIZADAS FORAM ADEQUADAS. NO DECORRER DAS
JOGADAS, É POSSÍVEL TAMBÉM, O PROFESSOR ACOMPANHAR QUAIS SÃO AS
HABILIDADES UTILIZADAS PELOS ALUNOS PARA IDENTIFICAR AS POSSÍVEIS
TROCAS.
JOGO ADAPTADO E DISPONÍVEL EM:
https://www.soescola.com/2016/08/baixe-em-pdf-e-word-apostila-jogos-do.html
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 62
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 63
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 64

ATIVIDADE 02
Identificar figuras geométricas planas pela forma, nomeando-as (triângulo, quadrado e
retângulo).

01. ESCREVA O NOME DAS FORMAS GEOMETRICAS.

Associar a quantidade de objetos de uma coleção a um número natural e vice-versa.

02. PINTE O NUMERAL QUE INDICA A QUANTIDADE DE CADA


CONJUNTO:

6 2

5 8
A) B) C)

Completar sequência numérica com intervalo igual a 1.

03. COMPLETE O QUADRO ABAIXO COM OS NÚMEROS QUE ESTÃO


FALTANDO.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 65

Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição ou subtração com


apoio de imagens.

04. FABIANA POSSUI 3 BALÕES E GANHOU MAIS 3 BALÕES DE SEU


IRMÃO. COM QUANTOS BALÕES FABIANA FICOU?

Fonte adaptada: https://www.unifesp.br/reitoria/dci/edicao-atual-entreteses/item/2209-enxaqueca-em-criancas-esta-


associada-a-deficit-de-atencao
_________________________________________________________

Identificar localização ou movimentação de pessoas ou objetos no espaço (esquerda/direita, frente/atrás,


acima/abaixo, perto/longe) tomando como referência o próprio corpo.

05. MARQUE COM UM X NA BICICLETA QUE ESTÁ A SUA DIREITA E


CIRCULE A QUE ESTÁ A SUA ESQUERDA.

Ler e localizar informações e dados apresentados em tabelas simples.

06. A PROFESSORA DO 1 º ANO FEZ UMA PESQUISA PARA


DESCOBRIR A FRUTA PREFERIDA DA TURMA E REGISTROU NA
TABELA.

FRUTA
ESCOLHIDA
NÚMERO DE
ESCOLHAS 6 8 5 7

A) A FRUTA MAIS ESCOLHIDA FOI A


___________________________________________________________

B) QUANTAS CRIANÇAS ESCOLHERAM A BANANA?


___________________________________________________________

C) PINTE A FRUTA MENOS ESCOLHIDA.


Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 66

ATIVIDADE LUDOPEDAGÓGICA 03
CARO(A) PROFESSOR(A), ESSE MOMENTO DEVE SER TRABALHADO COMO
O ESPAÇO PARA A CONSTRUÇÃO DE VÍNCULOS ENTRE A TEORIA E PRÁTICA
PEDAGÓGICA DESPERTANDO NOS ALUNOS O INTERESSE PELA DESCOBERTA.

JOGO TROCA 10 POR 1


NÚMERO DE PARTICIPANTES: EQUIPES DE QUATRO ALUNOS.
OBJETIVO DO JOGO: AUXILIAR O ALUNO A COMPREENDER O PRINCIPIO DA BASE
10 (DECIMAL).
OBJETIVO ENSINO: AUXILIAR O ALUNO A COMPREENDER O SIGNIFICADO DA
BASE 10.
OBJETIVO DE APRENDIZAGEM: ESTIMULAR A PARTICIPAÇÃO E CURIOSIDADE DO
ALUNO SOBRE CONTAGEM, JÁ QUE ELE PRÓPRIO CONSTRUIRÁ O MATERIAL
UTILIZADO NA AULA E A INTRODUÇÃO EMPÍRICA DO CONCEITO DE SOMA DE
UNIDADES E MUDANÇA DE ORDEM.

MATERIAL NECESSÁRIO:
• MATERIAL DOURADO OU TAMPINHA OU CARTOLINA PARA A CONSTRUÇÃO
DO MATERIAL DOURADO (UNIDADES E DEZENAS);
• FOLHA DE CONTROLE QUADRO DE VALOR DE DUAS ORDENS (DEZENAS E
UNIDADES).

COMO JOGAR:
PARA QUE OS ALUNOS TENHAM OPORTUNIDADE DE REALIZAR PEQUENAS
INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS, O PROFESSOR PODERÁ DAR INÍCIO À
ATIVIDADE DIRECIONANDO AOS ALUNOS ALGUMAS PERGUNTAS COMO:
• QUANTAS UNIDADES SÃO NECESSÁRIAS PARA TERMOS UMA DEZENA?
• SE A QUANTIDADE FOR UM POUCO MAIOR QUE A NECESSÁRIA PARA
TRANSFORMAMOS UMA DEZENA, O QUE ACONTECE?
• CINQUENTA UNIDADES EQUIVALEM A QUANTAS DEZENAS?
• DUAS DEZENAS EQUIVALEM A QUANTAS UNIDADES?
DICA: O PROFESSOR PODE APROVEITAR ESSA OPORTUNIDADE PARA
ANALISAR DE QUE FORMAS OS ALUNOS ESTÃO AGINDO PARA CHEGAR ÀS
RESPOSTAS: SE MANIPULANDO AS PEÇAS E SOBREPONDO OU SE ESTÃO
REALIZANDO OS CÁLCULOS MENTAIS A PARTIR DAS PERGUNTAS
FORMULADAS.

OBS.: PARA ESSE JOGO, O PROFESSOR DEVERÁ CONSTRUIR UM DADO GRANDE


PARA QUE ELES POSSAM JOGAR JUNTOS E DISTRIBUIR UMA FOLHA COM AS
DUAS CLASSES PARA QUE ELES UTILIZEM DURANTE O JOGO.

DANDO CONTINUIDADE, O PROFESSOR DEVERÁ APRESENTAR AOS


ALUNOS AS SEGUINTES REGRAS DO JOGO:
 OS ALUNOS DEVERÃO ORGANIZAR-SE EM GRUPOS, COM NO MÁXIMO
QUATRO INTEGRANTES, COLOCANDO A FOLHA COM AS ORDENS SOBRE A
MESA.
 GRUPO A GRUPO VÃO JOGANDO O DADO. A FACE QUE FICAR PARA CIMA
INDICA A QUANTIDADE DE UNIDADES QUE A EQUIPE GANHA.
 CADA GRUPO JOGARÁ O DADO 5 VEZES.
 O OBJETIVO DO JOGO, EM PRIMEIRO LUGAR, É REALIZAR TROCAS. PARA
TANTO, PODERÃO FAZER TROCAS SEMPRE QUE POSSÍVEL. POR
EXEMPLO, TROCAR DEZ UNIDADES POR UMA BARRINHA DA DEZENA.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 67

 GANHA O JOGO QUEM TIVER COMPOSTO O MAIOR NÚMERO DE TROCAS,


EM CASO DE EMPATE, VENCE A EQUIPE COM MAIOR QUANTIDADE DE
UNIDADES.
EM UM PRIMEIRO MOMENTO, PARA QUE OS ALUNOS SE FAMILIARIZEM
COM O JOGO É SUGERIDO QUE ELES JOGUEM UMA PARTIDA ATÉ UMA EQUIPE
REALIZAR A PRIMEIRA TROCA.
AO FINAL DE CADA PARTIDA COM REGISTROS, CONVIDE OS ALUNOS A
EXPLICAREM SUAS TROCAS, JUSTIFICANDO O REGISTRO UTILIZADO.

AVALIAÇÃO:
NA UTILIZAÇÃO DO JOGO “TROCA 3 POR 1”, O(A) PROFESSOR(A) PODERÁ
DAR INÍCIO A SUAS AVALIAÇÕES LOGO NO INÍCIO DA APRESENTAÇÃO DO
MATERIAL, JÁ QUE SEUS ALUNOS DEVERÃO COMPREENDER COMO DEVEM
CHEGAR AS TROCAS, A PARTIR DE DEZ UNIDADES POR UMA DEZENA,
CHEGANDO ASSIM AO CONCEITO DE DECIMAL. ALÉM DISSO, FAZ PARTE DAS
REGRAS DO JOGO, OS ALUNOS REGISTRAREM SUAS JOGADAS E TROCAS
REALIZADAS NO DECORRER DO JOGO, PARA QUE ASSIM, O PROFESSOR TENHA
OPORTUNIDADE DE ANALISAR SE AS TROCAS REALIZADAS FORAM ADEQUADAS.
NO DECORRER DAS JOGADAS, É POSSÍVEL TAMBÉM, O PROFESSOR
ACOMPANHAR QUAIS SÃO AS HABILIDADES UTILIZADAS PELOS ALUNOS PARA
IDENTIFICAR AS POSSÍVEIS TROCAS.
JOGO ADAPTADO E DISPONÍVEL EM:
https://www.youtube.com/watch?v=yJI8_TwPUV4

RODADAS UNIDADES DEZENAS






Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 68

ATIVIDADE 04
Identificar figuras geométricas planas pela forma, nomeando-as (triângulo, quadrado e
retângulo).

01. VEJA A FIGURA E RESPONDA.

A) O NOME DO ANIMAL REPRSENTADO NA


FIGURA É ________________________

B) NA FIGURA TEM QUANTOS CIRCULOS?


_________________________________

C) PINTE BEM COLORIDO A FIGURA.

Relacionar atividades do cotidiano a períodos do dia.

02. RELACIONE AS ATIVIDADES QUE VOCÊ REALIZA A NOITE E


DURANTE O DIA.

Comparar grupos de objetos utilizando diferentes estratégias para quantifica-los


(pareamento, contagem).

03. COMPARE OS OBJETOS E DEPOIS PINTE OS GRUPOS IGUAIS DE


VERDE.
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 69

Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição ou subtração com


apoio de imagens.

04. DOUGLAS COMPROU 10 DOCINHOS. SUA MÃE COMEU 3


DOCINHOS NA HORA DO ALMOÇO. COM QUANTOS DOCINHOS
DOUGLAS FICOU?

Fonte adaptada: https://br.pinterest.com/pin/832251206112044355/


_________________________________________________________

Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição ou subtração com


apoio de imagens.

05. PINTE A FORMA GEOMETRICA QUE HÁ EM MAIOR QUANTIDADE

A) QUAL FOI A FORMA GEOMETRICA QUE VOCÊ PINTOU?

___________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 70

ATIVIDADE LUDOPEDAGÓGICA 05
CARO(A) PROFESSOR(A), ESSE MOMENTO DEVE SER TRABALHADO COMO
O ESPAÇO PARA A CONSTRUÇÃO DE VÍNCULOS ENTRE A TEORIA E PRÁTICA
PEDAGÓGICA DESPERTANDO NOS ALUNOS O INTERESSE PELA DESCOBERTA.

JOGO QUE NÚMERO EU SOU


NÚMERO DE PARTICIPANTES: 4 PARTICIPANTES.
OBJETIVO DO JOGO: IDENTIFICAR QUANTIDADES E REALIZAR CONTAGENS.
OBJETIVO DE APRENDIZAGEM: ESTIMULAR A PARTICIPAÇÃO E CURIOSIDADE DO
ALUNO SOBRE CONTAGEM, RESOLVER ADIÇÕES MENTALMENTE E IDENTIFICAR
O ANTECESSOR DE UM NÚMERO.

MATERIAL:
 2 DADOS COMUNS;
 4 TABULEIROS INDIVIDUAIS COM NÚMEROS DE 1 A 11 (UM LARANJA, UM
AZUL, UM LILÁS E UM VERMELHO);
 44 CARTÕES COLORIDOS (11 CARTÕES LARANJA, 11 AZUIS, 11 LILÁS E 11
VERMELHOS);

REGRAS
 CADA CRIANÇA ESCOLHE UMA COR: LARANJA, AZUL, LILÁS OU VERMELHO.
 ASSIM QUE ESCOLHER A COR, A CRIANÇA PEGA O SEU TABULEIRO E OS
11 CARTÕES DA MESMA COR.
 OS 4 TABULEIROS INDIVIDUAIS DEVEM SER ORGANIZADOS PARA O JOGO,
CONFORME MOSTRA A FIGURA.
 CADA JOGADOR LANÇA, NA SUA VEZ, OS DOIS DADOS SIMULTANEAMENTE
E CALCULA A SOMA DAS DUAS QUANTIDADES QUE SAÍRAM NOS DADOS.
 O JOGADOR COBRE COM UM DOS CARTÕES, NO SEU TABULEIRO, O
NÚMERO ANTECESSOR AO RESULTADO DA SOMA OBTIDA.
 O PRÓXIMO JOGADOR PROCEDE DA MESMA FORMA E ASSIM
SUCESSIVAMENTE.
 CASO O ANTECESSOR DO NÚMERO OBTIDO NA SOMA JÁ ESTEJA
COBERTO, O JOGADOR PASSA A VEZ PARA O PRÓXIMO.
 VENCE O JOGO QUEM COBRIR PRIMEIRO TODOS OS NÚMEROS DO SEU
TABULEIRO.

AVALIAÇÃO:
NA UTILIZAÇÃO DO JOGO “QUE NÚMERO EU SOU”, O(A) PROFESSOR(A)
PODERÁ DAR INÍCIO A SUAS AVALIAÇÕES LOGO NO INÍCIO DA APRESENTAÇÃO
DO MATERIAL, JÁ QUE SEUS ALUNOS DEVERÃO COMPREENDER COMO DEVEM
JOGAR, A PARTIR DA SOMA DOS RESULTADOS NOS DADOS, CHEGANDO ASSIM
AO CONCEITO DE ANTECESSOR. ALÉM DISSO, FAZ PARTE DAS REGRAS DO
JOGO, OS ALUNOS COBRIREM OS NÚMEROS NO TABOLEIRO. O PROFESSOR
TERÁ OPORTUNIDADE DE ANALISAR SE AS JOGADAS REALIZADAS FORAM
ADEQUADAS. NO DECORRER DO JOGO, É POSSÍVEL ACOMPANHAR QUAIS SÃO
AS HABILIDADES UTILIZADAS PELOS ALUNOS PARA IDENTIFICAR AS JOGADAS.

Jogo adaptado e disponível em:


https://www.soescola.com/2016/08/baixe-em-pdf-e-word-apostila-jogos-do.html
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 71
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 72

ATIVIDADE 06
Identificar as cédulas e moedas do Sistema Monetário Brasileiro.

01. VEJA O VALOR DOS BRIQUEDOS

R$ 15,00 R$ 12,00 R$ 9,00

A) DESENHE OS BRINQUEDOS QUE PODEM SER COMPRADOS COM


CADA QUANTIA DE DINHEIRO.

Utilizar termos como: menor, maior, médio, alto, baixo, comprido, curto, estreito, largo,
longe, perto, cheio e vazio.

02. PINTE A PALAVRA QUE MELHOR COMPLETA AS FRASES.

A) FELIPE É MAIS _______________ QUE AÉCIO.

ALTO

BAIXO
FELIPE AÉCIO
Fonte adaptada: https://pt.pngtree.com/freepng/cartoon-hand-painted-smiling-boy_2945062.html
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 73

B) Val mora na casa 1 que possui a porta mais __________________.

LARGA

ESTREITA
CASA 1 CASA 2

Associar a quantidade de objetos de uma coleção a um número natural ou vice-versa.

03. VEJA A IMAGEM E ESCREVA A QUANTIDADE DE CADA OBJETO


NA TABELA.

BRINQUEDO
CARRO LIVRO BOLA AVIÃO
DE PELÚCIA

A) QUE OBJETO TEM EM AMIOR QUANTIDADE? _________________;

B) TEM AMIS CARRO OU BOLA? ______________________________;

C) A QUENTIDADE DE LIVROS E BOLA JUNTOS? _________________;

D) QUE BRINQUEDO TEM A MESMA QUATIDADE? _______________;


Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 74

Identificar figuras geométricas tridimensionais, nomeando-as. (cubo, esfera e


paralelepípedo)

04. PEDRO COMPROU UM PRESENTE PARA SUA FILHA QUE IRÁ


COMPLETAR 5 ANOS DE IDADE.

CIRCULE A FIGURA QUE REPRESENTA O PRESENTE

CUBO ESFERA PARALELEPÍPEDO

Comparar grupos de objetos utilizando diferentes estratégias para quantificá-los


(pareamento, contagem).
Ler e localizar informações e dados apresentados em tabelas simples.

05. ESCREVA A QUANTIDADE DE FRUTAS EM CADA QUADRO

FRUTAS

NÚMERO
DE FRUTAS

06. AGORA DE ACORDO COM A TABELA RESPONDA.

A) QUAL FRUTA APARECE EM MAIOR QUANTIDADE?

___________________________________________________________

B) QUAL FRUTA APARECE EM MENOR QUANTIDADE?

___________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 75

ATIVIDADE LUDOPEDAGÓGICA 07
CARO(A) PROFESSOR(A), ESSE MOMENTO DEVE SER TRABALHADO COMO
O ESPAÇO PARA A CONSTRUÇÃO DE VÍNCULOS ENTRE A TEORIA E PRÁTICA
PEDAGÓGICA DESPERTANDO NOS ALUNOS O INTERESSE PELA DESCOBERTA.

JOGO SUBTRAÇÃO LEGAL


NÚMERO DE PARTICIPANTES: 4 PESSOAS.
OBJETIVO DO JOGO: IDENTIFICAR QUANTIDADES E REALIZAR CONTAGENS.
OBJETIVO DE APRENDIZAGEM: PERCEBER A DIFERENÇA ENTRE DUAS
QUANTIDADES E CALCULAR SUBTRAÇÕES COM O AUXILIO DE IMAGENS E
OBJETOS.

MATERIAIS:
 2 DADOS COMUNS.
 1 TABULEIROS COM NÚMEROS DE ZERO A 5 (COM AS CORES VERMELHO,
AZUL, VERDE E AMARELO).
 24 CARTÕES COLORIDOS (6 VERMELHOS, 6 AZUIS, 6 VERDES E 6
AMARELOS).
 6 TAMPINHAS PARA SUPORTE NAS OPERAÇÕES.

REGRAS DO JOGO:
 CADA CRIANÇA ESCOLHE UMA COR: AMARELA, VERDE, VERMELHA OU
AZUL.
 ASSIM QUE ESCOLHER A COR, A CRIANÇA DEVERÁ SE POSICIONAR EM
FRENTE À COR ESCOLHIDA JUNTAMENTE COM AS FICHAS DA COR
ESCOLHIDA.
 CADA JOGADOR LANÇA, NA SUA VEZ, OS DOIS DADOS SIMULTANEAMENTE
E CALCULA A DIFERENÇA ENTRE AS DUAS QUANTIDADES QUE SAÍRAM
NOS DADOS (USE AS TAMPINHAS PARA FACILITAR AS CONTAS).
 O JOGADOR COBRE, COM UM DOS SEUS CARTÕES, NO SEU TABULEIRO, O
NÚMERO CORRESPONDENTE À DIFERENÇA OBTIDA.
 O PRÓXIMO JOGADOR PROCEDE DA MESMA FORMA E ASSIM
SUCESSIVAMENTE.
 CASO O NÚMERO CORRESPONDENTE À DIFERENÇA JÁ ESTEJA COBERTO,
O JOGADOR PASSA A VEZ PARA O PRÓXIMO.
 VENCE O JOGO QUEM COBRIR PRIMEIRO TODOS OS NÚMEROS DO SEU
TABULEIRO.

AVALIAÇÃO:
NA UTILIZAÇÃO DO JOGO “SUBITRAÇÂO LEGAL”, O(A) PROFESSOR(A)
PODERÁ DAR INÍCIO A SUAS AVALIAÇÕES LOGO NO INÍCIO DA APRESENTAÇÃO
DO MATERIAL, JÁ QUE SEUS ALUNOS DEVERÃO COMPREENDER COMO DEVEM
JOGAR, A PARTIR DA SUBTRAÇÃO DOS RESULTADOS NOS DADOS, CHEGANDO
ASSIM AO RESULTADO. ALÉM DISSO, FAZ PARTE DAS REGRAS DO JOGO, OS
ALUNOS COBRIREM OS NÚMEROS NO TABOLEIRO. O PROFESSOR TERÁ
OPORTUNIDADE DE ANALISAR SE AS JOGADAS REALIZADAS FORAM
ADEQUADAS E SE OS ALUNOS ESTÃO FAZENDO USO DAS TAMPINHAS PARA
RESOLVER A OPERAÇÃO. NO DECORRER DO JOGO, É POSSÍVEL ACOMPANHAR
QUAIS SÃO AS HABILIDADES UTILIZADAS PELOS ALUNOS PARA REALIZAR AS
JOGADAS.
Jogo adaptado e disponível em:
https://www.soescola.com/2016/08/baixe-em-pdf-e-word-apostila-jogos-do.html
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 76
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 77

ATIVIDADE 08
Utilizar termos como: menor, maior, médio, alto, baixo, comprido, curto, estreito, largo,
longe, perto, cheio e vazio.

01. VAMOS ANALISAR O DESENHO.

IZABELLE GUTO LAÍS MÁRCIO

A) QUEM É A CRIANÇA MAIS ALTA? ____________________________


B) QUEM É A CRIANÇA MAIS BAIXA? ___________________________
C) QUEM ESTÁ MAIS LONGE DA IZABELLE? _____________________
D) QUEM ESTÁ MAIS PERTO DE IZABELLE? ____________________

Relacionar atividades do cotidiano a períodos do dia.

02. CIRCULE O QUE ESTÁ RELACIONADO À NOITE.

Ler informações e dados apresentados em gráficos pictóricos ou de colunas.

03. OBSERVE O GRÁFICO DA PREFERÊNCIA DE QUATRO ALUNOS


SOBRE QUEM PREFERE MAIS SORVETE.

A) Quem gosta mais de sorvete? ________________________________

B) Quem não gosta de sorvete? _________________________________


Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 78

Comparar grupos de objetos utilizando diferentes estratégias para quantifica-los


(pareamento, contagem).

04. CIRCULO O GRUPO MAIOR. SE ELES FOREM IGUAIS PINTE OS


DOIS.

A) B)

Completar sequência numérica com intervalo igual a 1.

05. COMPLE COM OS NÚMEROS QUE FALTA.

Fonte adaptada: https://br.pinterest.com/marcioerosangel/desenho-sapo/

Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição ou subtração ou


subtração com o apoio de imagens.

06. VAMOS SABER QUANTAS FRUTAS POLY COMPROU EM CADA


BANCA NA FEIRA.

A) BANCA DAS BANANAS.

B) BARRACA DOS ABACAXIS.

C) QUANTAS FRUTAS POLY COMPROU NO TOTAL?

___________________________________________________________
Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 79

AVALIAÇÃO DO CADERNO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS – 2019


LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMATICA – 1º ANO

De acordo com a escala crescente de 1 a 5, marque um (x) no valor que melhor expressa sua
avaliação, sendo: 1 (Não atende), 2 (Insuficiente), 3 (Suficiente), 4 (Muito bom) e 5 (Excelente).

MARQUE UMA OPÇÃO


1 2 3 4 5
Quanto à Rotina:
A proposta das rotinas é exequível?
A organização dos tempos é adequada à turma?
A rotina garante a qualidade do tempo pedagógico?
A rotina sugerida oportunizou a consolidação da alfabetização?
Quanto às Atividades Dirigidas:
As atividades são condizentes com a experiência vivida pelos alunos?
Os enunciados são de fácil interpretação?
As atividades colocam o aluno como protagonista do processo de
aprendizagem?
As atividades e os jogos contemplam tanto o desenvolvimento individual,
quanto o desenvolvimento coletivo?
Há atividades que contemplam as habilidades dos eixos da Proposta
Curricular?
As atividades possibilitam um olhar multidisciplinar?
Quanto às Orientações Metodológicas do Professor:
O conteúdo está de acordo com a Proposta Curricular?
As orientações metodológicas trazem propostas interessantes de abordagem
do conteúdo?
O referencial teórico sugerido é compatível com a demanda de professores
do 1° ano do fundamental?
A metodologia utilizada para a apresentação do conteúdo desperta o
interesse do aluno?
A metodologia utilizada para a apresentação das atividades é adequada para
a faixa etária?

Este espaço é para você se manifestar com sugestões, críticas, elogios, etc.
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________

Obrigado pela parceria!


Célula de Fortalecimento da Alfabetização e Ensino Fundamental - 80

REFERÊNCIAS

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Base Curricular


Comum. Brasília: MEC, 2017.

CEARÁ. Proposta didática para alfabetizar letrando- 1o e 2o ano. Fortaleza: Secretaria


da Educação, 2018.

______. Proposta Curricular de Língua Portuguesa Estado do Ceará. Fortaleza:


Secretaria da Educação, 2014.

______. Proposta Curricular de Matemática para o 1º, 2º, 3º, 4º e 5º anos do Ensino
Fundamental do Estado do Ceará. Fortaleza: Secretaria da Educação, 2013.

KLEIMAN, A. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. Campinas: Pontes, 1997.

KOCH, I. V. Ler e compreender: os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2012.

LIBERATO, Y.; FULGÊNCIO, L. É possível facilitar a leitura: um guia para escrever claro.
São Paulo: Contexto, 2007.

PULIEZI, Sandra. Fluência e compreensão da leitura textos: um estudo com crianças


do 4º ano do Ensino Fundamental. Tese de Doutorado – São Paulo, 2015.

SMITH, F. Compreendendo a leitura: uma análise psicolinguística da leitura e do aprender


a ler. Porto Alegre: Artmed, 2003.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. Porto Alegre: Artmed, 1998.

CARRAHER, T. N.; CARRAHER, D.; SCHLIEMANN, A. Na vida dez, na escola zero. 16a
ed. São Paulo: Cortez, 2011.

CASTRO, J. B.; CASTRO-FILHO, J. A. Desenvolvimento do pensamento estatístico com


suporte computacional. Educação Matemática Pesquisa. São Paulo, v.17, n.5, pp. 870 –
896, 2015.

DUVAL, R. Ver e ensinar a matemática de outra forma: entrar no modo matemático de


pensar: os registros de representações semióticas. 1. Ed. São Paulo: PROEM, 2011.

SMOLE, K. S.; DINIZ, M. I. (Org.). Materiais manipulativos do sistema de numeração


decimal. Porto Alegre: Penso, 2016. (Coleção Mathemoteca; v. 1).

SOARES, Magda. Alfabetização. A Questão dos Métodos, Contexto, 1ª edição 2016.

ANTUNES, Irandé. Análise de textos – Fundamentos e práticas. São Paulo, 2010