Você está na página 1de 880

Documentação do software hyperMILL/hyperMILL Shop Viewer

Documentação do software
Essa documentação do software aplica-se ao hyperMILL e ao hyperMILL SHOP Viewer. O conteúdo desse documento e o
respectivo software são propriedade da OPEN MIND Technologies AG. Qualquer forma de reprodução exigirá o consenti-
mento prévio da OPEN MIND Technologies AG.

Todos os direitos reservados.

Uma vez que trabalhamos de forma contínua em novos desenvolvimentos, reservamo-nos o direito de implementar altera-
ções.
Última revisão: setembro de 2017.

OPEN MIND Technologies AG


Argelsrieder Feld 5
82234 Wessling
Germany

Telefone:+ 49 (0) 8153 933 -500


Fax:+ 49 (0) 8153 933 -501
E-mail: Sales.Europe@openmind-tech.com

Web: http://www.openmind-tech.com

Símbolos usados
Em toda a documentação OPEN MIND, as seções de texto estão identificadas por símbolos para o ajudar a encontrar infor-
mações mais rápido. Podem ser usados os seguintes símbolos:

Notas especiais e informações de antecedentes.

Indicação de possíveis fontes de erro.

hyperMILL
1 O que há de novo na versão 2018.1

2 Interface de usuário
Visão Geral ......................................................................................................................................................................... 2-2

hyperMILL e programa CAD .............................................................................................................................................. 2-4


Navegador do hyperMILL ................................................................................................................................................... 2-9

Caixas de diálogos de definição de tarefas ...................................................................................................................... 2-14

Selecionar elementos ....................................................................................................................................................... 2-16

3 Noções básicas
Do modelo até ao programa NC ........................................................................................................................................ 3-2

Especificar configurações básicas ..................................................................................................................................... 3-9


Sistema e quadros NC ..................................................................................................................................................... 3-16

Transformações ............................................................................................................................................................... 3-23

Definir ferramentas ........................................................................................................................................................... 3-33

Preparar geometria de fabricação .................................................................................................................................... 3-42

Estruturar projetos CAM ................................................................................................................................................... 3-51

Preparações de verificação de colisão ............................................................................................................................. 3-72

Calculando os percursos da ferramenta e simulando a usinagem .................................................................................. 3-79

Funções adicionais do hyperMILL .................................................................................................................................... 3-95

Utilitários CAD ................................................................................................................................................................ 3-105

Produzir eletrodos .......................................................................................................................................................... 3-108

4 Tecnologia de funcionalidades e macros


Vantagens da tecnologia de funcionalidades ..................................................................................................................... 4-2

Interface de usuário ............................................................................................................................................................ 4-2

FuncionalidadeCatálogo ................................................................................................................................................... 4-10


Criar funcionalidades ........................................................................................................................................................ 4-32

Usar funcionalidade .......................................................................................................................................................... 4-54

Tecnologia de macros ...................................................................................................................................................... 4-60

5 Medição
Ciclos de usinagem disponíveis ......................................................................................................................................... 5-2

Medição de pontos 3D ....................................................................................................................................................... 5-2

Medição retangular ............................................................................................................................................................. 5-4

Medição circular ................................................................................................................................................................. 5-5


Medição dependente do eixo ............................................................................................................................................. 5-8

6 Torneamento
Ciclos de usinagem disponíveis ......................................................................................................................................... 6-2

Desbaste ............................................................................................................................................................................ 6-3

hyperMILL
Torneamento paralelo ao contorno .................................................................................................................................. 6-13
Acabamento ..................................................................................................................................................................... 6-22

Torneamento Rollfeed ..................................................................................................................................................... 6-33

Desbaste simultâneo 3X .................................................................................................................................................. 6-41

Acabamento simultâneo 3X ............................................................................................................................................. 6-48

Torneamento de canais ................................................................................................................................................... 6-56

Abertura de canais ........................................................................................................................................................... 6-65

Acabamento de canais .................................................................................................................................................... 6-72

Torneamento Canal na face ............................................................................................................................................ 6-81

Profundidade do canal na face ........................................................................................................................................ 6-89

Acabamento Canal na face .............................................................................................................................................. 6-96

Separação ...................................................................................................................................................................... 6-105

Corte de rosca ............................................................................................................................................................... 6-110

7 Furação
Ciclos de usinagem disponíveis ......................................................................................................................................... 7-2

Ferramenta ........................................................................................................................................................................ 7-2

Contornos .......................................................................................................................................................................... 7-2


Otimização ......................................................................................................................................................................... 7-5

Parâmetros ...................................................................................................................................................................... 7-12

Limite ............................................................................................................................................................................... 7-17

Centragem ....................................................................................................................................................................... 7-17

Furação simples ............................................................................................................................................................... 7-18

Furação com quebra-cavacos ......................................................................................................................................... 7-19


Furação com micro parada .............................................................................................................................................. 7-19

Alargamento ..................................................................................................................................................................... 7-20

Tarraxar ........................................................................................................................................................................... 7-20

Mandrilamento ................................................................................................................................................................. 7-21

Furação profunda ............................................................................................................................................................. 7-21

Furação helicoidal ............................................................................................................................................................ 7-23

Fresamento rosqueado .................................................................................................................................................... 7-25

Cavidade Circular ............................................................................................................................................................ 7-30

Furação profunda otimizada ............................................................................................................................................ 7-30

Furação helicoidal 5X (MAXX Machining) ........................................................................................................................ 7-34

8 Usinagem 2D
Ciclos de usinagem disponíveis ......................................................................................................................................... 8-2

Informações Gerais ............................................................................................................................................................ 8-2

Ferramentas ....................................................................................................................................................................... 8-2

hyperMILL
Contornos ........................................................................................................................................................................... 8-2
Parâmetros ......................................................................................................................................................................... 8-5

Macros ................................................................................................................................................................................ 8-7

Configurações .................................................................................................................................................................... 8-8

Fresamento de cavidade .................................................................................................................................................... 8-9


Fresamento de Contorno ................................................................................................................................................. 8-23

Fresamento de contorno em modelo 3D .......................................................................................................................... 8-33

Corte de ranhura em T em modelo 3D ............................................................................................................................. 8-51

Fresamento de chanfradura em modelo 3D ..................................................................................................................... 8-62

Contorno inclinado ........................................................................................................................................................... 8-65


Realização de cavidades inclinadas ................................................................................................................................ 8-66

Cavidade Retangular ........................................................................................................................................................ 8-66

Usinagem residual ............................................................................................................................................................ 8-68

Faceamento ..................................................................................................................................................................... 8-70

Fresamento de reprodução .............................................................................................................................................. 8-73

Fresamento em mergulho ................................................................................................................................................ 8-75

9 Usinagem 3D
Ciclos de usinagem disponíveis ......................................................................................................................................... 9-2

Verificação de colisão 3D ................................................................................................................................................... 9-2


Parâmetros de usinagem ................................................................................................................................................... 9-3

Parâmetros de estratégia ................................................................................................................................................... 9-5

Limite .................................................................................................................................................................................. 9-6

Macros .............................................................................................................................................................................. 9-12

Configuração .................................................................................................................................................................... 9-15

Desbaste arbitrário de peça em bruto .............................................................................................................................. 9-21

Desbaste otimizado .......................................................................................................................................................... 9-39

Acabamento de perfis ...................................................................................................................................................... 9-48

Acabamento de nível Z .................................................................................................................................................... 9-67

Acabamento de compensação da forma .......................................................................................................................... 9-78


Usinagem Iso ................................................................................................................................................................... 9-82

Fresamento de Percurso Livre ......................................................................................................................................... 9-89

Usinagem de planos ......................................................................................................................................................... 9-94

Acabamento completo ...................................................................................................................................................... 9-97

Acabamento equidistante ............................................................................................................................................... 9-101

Cavidade de formato ...................................................................................................................................................... 9-106

Fresamento por Lápis .................................................................................................................................................... 9-111

Usinagem de material residual automático .................................................................................................................... 9-115

Usinagem de reprocessamento ..................................................................................................................................... 9-129

hyperMILL
Usinagem de estria/canal .............................................................................................................................................. 9-131
Borda de corte ............................................................................................................................................................... 9-136

10 5X usinagem
Informações gerais .......................................................................................................................................................... 10-2

Ciclos de cavidade ........................................................................................................................................................... 10-3

Ciclos de Superfície ....................................................................................................................................................... 10-34

Ciclos de tubo ................................................................................................................................................................ 10-77

Ciclos de lâmina ............................................................................................................................................................. 10-82

Ciclos multi-lâmina ....................................................................................................................................................... 10-103

11 Banco de dados de ferramentas OPEN MIND


Introdução ........................................................................................................................................................................ 11-2

Iniciar o banco de dados de ferramentas OPEN MIND ................................................................................................... 11-3

Interface de usuário ......................................................................................................................................................... 11-3


Definir ferramentas .......................................................................................................................................................... 11-6

Definir ferramentas NC .................................................................................................................................................. 11-45

Armazéns ....................................................................................................................................................................... 11-54

Trocar dados com outros bancos de dados ................................................................................................................... 11-55

Funções adicionais ........................................................................................................................................................ 11-56

Interfaces ....................................................................................................................................................................... 11-58

Ícones do navegador do banco de dados ...................................................................................................................... 11-60

12 hyperVIEW
Interface de usuário ......................................................................................................................................................... 12-3

Fluxos de trabalho importantes ........................................................................................................................................ 12-3

Funções de menu ............................................................................................................................................................ 12-8


Funções do navegador do hyperVIEW .......................................................................................................................... 12-15

Barras de ferramentas ................................................................................................................................................... 12-36

13 Anexo
Configurações do Aplicativo ............................................................................................................................................ 13-2

ReportDesigner ................................................................................................................................................................ 13-3


Perguntas frequentes/Entrar em contato com seu parceiro OPEN MIND ..................................................................... 13-10

Marcas registradas ........................................................................................................................................................ 13-17

14 Third Party Software Terms

hyperMILL
1 O que há de novo na versão 2018.1

O que há de novo na versão 2018.1


Assistente de Projeto
Utilize o Assistente de Projeto para criar um projeto de fresamento ou MillTurn passo a
passo e de um modo simples e claro. Informações na seção Criação de um projeto de fresa-
mento/projeto MillTurn com o Assistente de Projeto.

Padrão de nomes para tarefas e comentários


Define os nomes de tarefas ou comentários individual e automaticamente selecionando os
parâmetros de tarefa. Informações na seção Utilização de padrões de nomes para tarefas e
comentários.

Informações rápidas sobre o percurso de ferramenta


As informações estão disponíveis para o seguinte através das informações rápidas (dica de
ferramenta): quadro, ID da tarefa, nome da tarefa, comentário, tipo de tarefa, tarefa vincu-
lada, ID da ferramenta e nome da ferramenta. Para obter mais informações, consulte a
seção Informações sobre percursos de ferramenta calculados.

Novo ciclo: torneamento rollfeed


Usine peças de torneamento rolando o inserto da ferramenta no contorno do componente.
Informações na seção Torneamento Rollfeed.

Fresamento de contorno 2D em modelo 3D


Definição de contorno através da seleção de uma superfície. Informações na seção Fresa-
mento de contorno em modelo 3D.

Desbaste otimizado 3D
Usinagem otimizada de cavidades adaptáveis com lateral grande, mas alimentação vertical
pequena e avanço elevado.
• Cálculo automático da alimentação lateral com base na altura de crista definida.
• Também é possível definir a altura de crista para a detecção do nível do plano.
• Fresamento suave da ferramenta na área adaptativa da cavidade.
Informações na seção Estratégia.
Redução do avanço durante o corte total também está disponível agora para Desbaste 3D
Otimizado. Informações na seção Estratégia.

Usinagem dependente de declives


Utilize a opção Sobreposição suave para otimizar a qualidade da superfície na área de tran-
sição entre áreas lisas e íngremes com pequenos movimentos de retração da ferramenta.
Disponível para os seguintes ciclos:
• Acabamento de Perfil 3D
• Acabamento Completo 3D
• Acabamento Z-Level de Perfil 3D
• Acabamento em Nível Z 3D
Informações na seção Estratégia.

Tecnologia da funcionalidade
Funcionalidade de contorno: a opção Ponto agora também está disponível como parâmetro
de contorno (tipo). Isso oferece automação aprimorada durante a medição da usinagem.
Informações na seção Contorno.

1-2 hyperMILL
O que há de novo na versão 2018.1
1
Banco de dados de ferramentas

Gerenciamento ampliado de refrigeração


Defina até sete refrigerações a mais além das refrigerações padrão. Uma ID exclusiva e
consecutiva é alocada para cada refrigeração. Isso possibilita a avaliação durante a execu-
ção do pós-processador. Informações adicionais (propriedades da refrigeração, tipo de refri-
geração) podem ser alocadas a uma refrigeração. Informações na seção Definir líquidos de
refrigeração.

Acoplamentos
O acoplamento superior não +e mais definido para a ferramenta, mas agora é definido para
a alça. O acoplamento permanece visível para a ferramenta, mas não pode ser editado.
O tipo de acoplamento Adaptador agora também pode ser combinado com as alças e exten-
sões das alças da ferramenta.

Nova ferramenta: ferramenta de torneamento do rolamento


O novo tipo de ferramenta Ferramenta de torneamento do rolamento está disponível no
novo ciclo de Torneamento Rollfeed. Quatro tipos diferentes de insertos estão disponíveis
para a ferramenta de torneamento do rolamento para garantir um rolamento ideal do inserto
da ferramenta no contorno do componente. Informações na seção Ferramenta de tornea-
mento.

Novos insertos
Quatro novos tipos de inserto podem ser definidos para a ferramenta de torneamento do
rolamento:
• Torneamento completo do rolamento X
• Torneamento curto do rolamento X
• Torneamento completo do rolamento T
• Torneamento curto do rolamento T
Informações na seção Inserir parâmetros de geometria.

Configuração de comprimento X/Z para ferramentas de torneamento


Exibição melhorada de ferramentas de torneamento na área gráfica do banco de dados da
ferramenta ao exibir a Configuração de comprimento x e a Configuração de comprimento z
para ferramentas de torneamento. Informações na seção Ferramenta de torneamento.

Simulação

Simulação externa
Suporte de PROTEÇÃO CONTRA COLISÃO como um programa de simulação externa.
Informações na seção Simulação externa.

Exibição melhorada de material residual


O material residual agora é exibido em quatro etapas durante a simulação de usinagem. As
etapas são definidas com base no valor do material residual máximo permissível.
Exemplo: material residual máximo = 1. Primeira etapa = <0,25, segunda etapa = < 0,5, ter-
ceira etapa = < 0,75, quarta etapa = > 0,75.

hyperMILL 1-3
1 O que há de novo na versão 2018.1

1-4 hyperMILL
2 Interface de usuário
Visão Geral hyperMILL: Aplicativo CAM integrado

Interface de usuário
Visão Geral
O presente guia do usuário abrange as funções de edição CAM. Para obter informações
sobre as funções CAD, consulte os diversos textos de ajuda online (disponíveis a partir do
menu Ajuda).

hyperMILL: Aplicativo CAM integrado


A solução CAM do hyperMILL CAM exige que você tenha instalado uma versão funcional de
um aplicativo CAD ou o Motor Geométrico do hyperMILL, no qual está totalmente integrada.
Esse é utilizado na criação de programas NC 2D, 3D, de 5 eixos e torneamento para cons-
trução de modelos e moldes. O hyperMILL está disponível na forma de aplicativo integrado
para os seguintes sistemas CAD:
• hyperCAD-S
• hyperCAD
• Autodesk Inventor
• SolidWorks
Leve em conta que algumas das funções descritas no presente guia não estão disponíveis
na instalação. O conjunto de funções depende das licenças obtidas e da configuração do
software adquirido.

hyperMILL SHOP Viewer


O hyperMILL SHOP Viewer permite a você exibir, analisar e registrar dados CAD/CAM pro-
cessados. O software funciona com base no hyperCAD-S e hyperMILL. A seguinte docu-
mentação do software explica todas as funcionalidades do hyperMILL. As funções descritas
poderão não estar disponíveis ou poderão eventualmente não estar disponíveis conforme
descrito no hyperMILL SHOP Viewer.
Para obter mais informações sobre as funções do hyperMILL SHOP Viewer, consulte a
seção correspondente na documentação do produto para hyperCAD-S.

Formatos CAD suportados


As interfaces CAD suportam um vasto conjunto de formatos de geometria (p. ex. DXF,
DWG, IGES, VDA) que permitem trocas de dados com a maioria dos programas CAD de
construção. A conversão de dados é executada no plano de fundo enquanto o modelo está
carregando.
Durante a conversão, é apresentada uma janela de log com informações de status. O
arquivo de log (*.log) correspondente pode ser aberto e visualizado mais tarde no diretório
do arquivo do modelo associado.

As interfaces diretas são fornecidas na forma de módulos para os seguintes


formatos de dados: CATIA V4, CATIA V5, PTC CREO, Siemens NX, Parasolid
e SolidWorks. Entre em contato com seu revendedor. Para obter mais informa-
ções, consulte a documentação do produto relativa a interfaces diretas OPEN
MIND.

2-2 hyperMILL
Interface de usuário
Formatos CAD suportados Visão Geral 2
São suportados os seguintes formatos para salvar dados de modelos e executar edições
CAM:
• *.hmc: formato de documento hyperCAD-S
• *.hcplain: formato de documento descompactado hyperCAD-S
• *.hmct: formato hyperCAD-S para salvar uma geometria como um modelo para um
novo documento
• *.Hmcgeom: formato nativo hyperCAD-S. Contém apenas dados geométricos e topoló-
gicos, dados no formato binário, descompactado, incluindo informações sobre sólidos
e malhas, mas não sobre cores, atributos, etc.
• *.e2 ou *.e3: hyperMILL/hyperMILL em hyperCAD
• *.ipt: hyperMILL em Autodesk Inventor
• *.sldprt e *.sldasm: hyperMILL para SolidWorks

Salvamento de dados do hyperMILL SHOP Viewer


Ao salvar os dados no formato *.hmc, as seguintes opções podem ser habilitadas e incluí-
das como componentes no arquivo na caixa de diálogo de Configuração: dados da peça em
bruto, entidades do percurso da ferramenta, configuração de pós-processadores, geometria
preparada.

Dados *.e3 para o hyperMILL no hyperCAD-S


Deve ter sido armazenado um arquivo *.e3 com uma versão 2009.2 ou mais recente do
hyperMILL uma sessão ativa do hyperMILL para garantir que todas as seleções efetuadas
no hyperMILL possam ser restauradas no hyperCAD-S.
Estão disponíveis mais informações sobre trocas de dados no manual CAD correspondente.

hyperMILL 2-3
2 Interface de usuário
hyperMILL e programa CAD Iniciar a edição CAM

hyperMILL e programa CAD


O hyperMILL é um módulo CAM completamente integrado no programa CAD e é utilizado
na criação de programas 2D, 3D, de 5 eixos, fresamento e torneamento. Os passos de usi-
nagem individuais (tarefas) são criados com base em ciclos de usinagem a partir do modelo
CAD aberto na forma de uma ou mais programações de trabalho (listas de tarefas).
Todas as funções do kit de ferramentas do hyperMILL, além de todas as páginas, menus e
programas de entrada que podem ser abertos com ícones também podem ser acessadas
através de comandos do teclado e repetidos utilizando <return> (consulte a seção Coman-
dos de teclado).

Iniciar a edição CAM

hyperMILL no hyperCAD-S
Quando você abrir um documento hyperCAD-S, o navegador do hyperMILL abre automati-
camente. É possível acessar todas as funcionalidades CAM através da entradahyperMILL
da barra de menus do hyperCAD-S.

Ícone Função Nota explicativa

Navegador Inicie o navegador do hyperMILL.

Conversores Crie um modelo para verificação de colisões.

Assistente de Projeto Cria um projeto de fresamento ou projeto Mill-


Turn com o Assistente de Projeto

Tarefa Selecionar um ciclo de processamento e definir


uma tarefa.

Desfazer Desfaça um passo da tarefa.

Excluir percursos de ferra- Excluir percursos de ferramentas.


mentas

Ler percurso da ferramenta Importar percurso da ferramenta do arquivo


*.pof.

Ferramentas >

Análise Abrir a ferramenta de análise do hyperMILL.

Conversores Exibir superfícies convertidas incorretamente.


Exibir erros de superfícies

Remover imagem Remover imagem de feedback.

2-4 hyperMILL
Interface de usuário
Iniciar a edição CAM hyperMILL e programa CAD 2
Ícone Função Nota explicativa

Importar OMX Importar arquivos *.omx.

Exportar OMX Exportar arquivos *.omx.

Sistemas TDM Importe e exporte ferramentas no banco de


Ferramentas dados de ferramentas do TDM Systems.

WinTool Importe ferramentas do banco de dados de fer-


Importar ferramentas ramentas do WinTool.

WinTool Importe ferramentas para o banco de dados de


Exportar ferramentas ferramentas WinTool.

ZOLLER Importe ferramentas do banco de dados de fer-


Importar ferramentas ramentas Zoller.

ZOLLER Importe ferramentas para o banco de dados de


Exportar ferramentas ferramentas Zoller.

Compensação de contorno Criar uma compensação de contorno.

Ligação automática do con- Criar um contorno para limitar a usinagem.


torno

Invólucro de shell lateral Revista ou desfaça o invólucro de um rótulo


para um shell lateral. Para obter mais informa-
ções, consulte a documentação do hyperCAD-
S.

Invólucro de rosca Revista ou desfaça o invólucro de um padrão de


perfil. Para obter mais informações, consulte a
documentação do hyperCAD-S.

Executar >

hyperVIEW Iniciar o software hyperVIEW.

Configuração >

Configuração Abre a caixa de diálogo de configurações hyper-


MILL para configurar o hyperMILL.

SHOP Viewer Abre a caixa de diálogo para definir as configu-


rações de salvamento do SHOP Viewer.

hyperMILL 2-5
2 Interface de usuário
hyperMILL e programa CAD Iniciar a edição CAM

Ícone Função Nota explicativa

Gerenciador de exibição Controlar a visibilidade das guias do navegador


do hyperMILL.

Ajustar caminhos Ajustar os caminhos de arquivos às configura-


ções padrão atuais.

Informação >

Ajuda Abrir a ajuda do hyperMILL.

Sobre o hyperMILL Abra as informações de versão do hyperMILL.

hyperMILL no hyperCAD/thinkdesign, hyperMILL para SolidWorks


Depois que o programa estiver em execução, a barra de ferramentas de edição CAM será
exibida.

hyperMILL no hyperCAD/thinkdesign: se a barra de ferramentas não estiver


exibida, use a função do menu de atalho Ajustar (clique com o botão direito na
área de construção) para iniciar a janela da barra de ferramentas e na janela
Barras de ferramentas, habilite o kit de ferramentas do hyperMILL.

hyperMILL no Inventor
Depois que o programa estiver em execução, a barra de menu do aplicativo CAD exibirá o
menu do hyperMILL.

Comandos do teclado dos sistemas CAD


Os comandos de teclado apresentados na seguinte tabela aplicam-se ao hyperMILL/hyper-
MILL no hyperCAD. Esses comandos devem que ser inseridos diretamente na linha de
comando do aplicativo CAD.
Os ícones na coluna Ícone representam a respectiva função. Esses ícones se aplicam a
todas as plataformas CAD, com exceção da hyperMILL no Inventor. Os ícones apresenta-
dos na coluna Nota explicativa indicam a disponibilidade de funções adicionais para a res-
pectiva plataforma CAD. Explicação:

hyperMILL/hyperMILL em hyperCAD

hyperMILL no Autodesk Inventor

hyperMILL para o SolidWorks

Ícone Comando de Nota explicativa


teclado

hmbrowse Inicie o navegador do hyperMILL.

2-6 hyperMILL
Interface de usuário
Iniciar a edição CAM hyperMILL e programa CAD 2
Ícone Comando de Nota explicativa
teclado

hmnewjob Criar uma nova tarefa.

hmu Desfaça um passo da tarefa.

convdef Preparar um modelo para a verificação de colisões.

omdel Excluir percursos de ferramentas.

omanalyse Abrir a ferramenta de análise do hyperMILL.

hmverif70 Iniciar o software hyperVIEW.

nshift Iniciar o software nightSHIFT.

hmsetup Abre a caixa de diálogo de configurações hyperMILL para


configurar o hyperMILL.

hmpaths Ajustar os caminhos de arquivos às configurações padrão


atuais.

hmhelp Abrir a ajuda do hyperMILL.

hmappinfo Abrir as informações de versão do hyperMILL.

Funções adicionais

omanalyse Abrir a ferramenta de análise do hyperMILL.

omomxout Salvar dados de geometria em formatos específicos OPEN


MIND.

omomxin Importar dados de geometria no formato específico OPEN


MIND.

cntoffset Gerar contornos especificando dimensões de compensação


para limitar a área de usinagem.

hyperMILL 2-7
2 Interface de usuário
hyperMILL e programa CAD Iniciar a edição CAM

Ícone Comando de Nota explicativa


teclado

cntautolink Para associar contornos adjacentes que não se cruzem a


100%.

hmgrid2curve Converter Grade na Curva-NURBS (B-splines racionais não


uniformes)

findbnd Selecionar contornos externos de qualquer número de super-


fícies.

searchdouble Reconhecer qualquer número de elementos duplos.

searchsmall- Reconhecer qualquer número de superfícies pequenas.


surf

circarcex Extrair círculos e arcos de contornos.

om3dfstl Converter arquivos 3DF para o formato STL.

ModelCom- Comparar dois modelos entre si.


pare

hmreadpof Ler e mostrar percursos das ferramentas.

Excluir gráficos temporários do hyperMILL.

2-8 hyperMILL
Interface de usuário
Layout do navegador Navegador do hyperMILL 2
Navegador do hyperMILL
O navegador do hyperMILL é utilizado na definição de listas de tarefas, sistemas de usina-
gem (quadros) e funcionalidades.

Layout do navegador
O navegador do hyperMILL consiste dos seguintes elementos:

Guias (1) Tarefas, Ferramentas, Quadros, Modelos, Funcionalidades e Macros.


Janela do navegador (2) com os elementos definidos (parcialmente em uma estrutura de
árvore).
Barra de ferramentas (3) com as funções para edição e cálculo dos elementos.

Abre a entrada selecionada (tarefa/lista de tarefas) para edição.

Exclui a entrada selecionada (tarefa/lista de tarefas).

Exibe mensagens para a entrada selecionada (tarefa/lista de tarefas).

Exibe o percurso da ferramenta para a entrada selecionada (tarefa/lista de tare-


fas).

Abre o banco de dados da ferramenta para selecionar uma ferramenta NC.

Exibe o modelo de modo transparente na área de gráficos.

Mostra o material removido automaticamente quando uma tarefa tiver sido sele-
cionada.

hyperMILL 2-9
2 Interface de usuário
Navegador do hyperMILL Configurar navegador

Verifica o status dos percursos das ferramentas para a entrada selecionada


(tarefa/lista de tarefas).

Calcula os percursos das ferramentas para a entrada selecionada (tarefa/lista de


tarefas).

Configurar navegador
As guias podem ser dispostas em qualquer local do navegador ou desencaixadas da janela
do navegador. Para isso, clique na guia e mova-a para o local desejado, mantendo pressio-
nado o botão esquerdo do mouse. As posições de desencaixe possíveis são indicadas atra-
vés de um feedback gráfico na forma de áreas azuis transparentes. Encaixe ou desencaixe
a guia do navegador clicando duas vezes (botão esquerdo do mouse) na barra de título do
navegador.

Mostre ou oculte uma guia. Clique com o botão direito na guia e habilite ou desabilite a fun-
ção respectiva no menu de atalho.

Gerenciador de exibição:
Use o Gerenciador de visualização para controlar a visibilidade das guias do navegador no
hyperMILL.

Para iniciar o Gerenciador de visualização, clique em Configuração > Gerenciador de


visualização no menu do hyperMILL.
Por padrão, todas as guias são mostradas no navegador. Para ocultar uma guia, desabilite
a respectiva opção. Use Repor layout para restaurar as configurações padrão.

Guia Tarefas
A seção superior do navegador exibe as listas de tarefa e as tarefas, e a seção inferior exibe
as áreas de fresamento e os modelos de peça em bruto. Uma entrada destacada em verme-
lho é um pré-requisito para uma entrada destacada em azul. Uma entrada destacada em

2-10 hyperMILL
Interface de usuário
Configurar navegador Navegador do hyperMILL 2
azul depende de uma entrada destacada em vermelho. A marcação da entrada no navega-
dor indica se uma definição de tarefa está completa e correta.

Definição livre de erros/avisos. Calcule a tarefa utilizando esses parâmetros.

Definição livre de erros/avisos. Definição livre de erros/avisos, status de cálculo


atualmente desconhecido (pode ser verificada explicitamente utilizando o
comando Verificação de status do percurso da ferramenta).

Definição livre de erros/avisos. A tarefa tem que ser calculada.

A definição contém avisos. Definição livre de erros/avisos, status de cálculo atual-


mente desconhecido (pode ser verificada explicitamente utilizando o comando
Verificação de status do percurso da ferramenta).

A definição contém avisos, a tarefa tem que ser calculada.

O elemento (percurso da ferramenta/modelo de peça em bruto) não existe.

O elemento (percurso da ferramenta/modelo de peça em bruto) é calculado e


oculto. Clique no ícone para mostrar o elemento.

O elemento (percurso da ferramenta/modelo de peça em bruto) é calculado e


mostrado. Clique no ícone para ocultar o elemento. Faça duplo clique no ícone
para exibir automaticamente o percurso da ferramenta quando o nome da tarefa
for clicado.

Exiba o percurso da ferramenta automaticamente. Clique no nome da tarefa para


mostrar automaticamente o percurso da ferramenta para esta tarefa. Faça duplo
clique no ícone para desativar a exibição automática do percurso da ferramenta.

Guia Ferramentas
A janela do navegador consiste das áreas de ferramenta de fresamento, ferramenta de fura-
ção e ferramentas de torneamento.

Guia Quadros
A janela do navegador consiste das áreas de sistemas de coordenadas (seção superior) e
de transformações (seção inferior).

hyperMILL 2-11
2 Interface de usuário
Navegador do hyperMILL Configurar navegador

Guia Modelos
A janela do navegador contém as áreas de fresamento e torneamento na seção superior e
de modelos de peça em bruto na seção inferior. Uma entrada destacada em vermelho é um
pré-requisito para uma entrada destacada em azul. Uma entrada destacada em azul
depende de uma entrada destacada em vermelho. A marcação da entrada no navegador
indica se uma tarefa está completa e correta.

A área de fresamento não apresenta nenhuma falha ou aviso

A área de fresamento apresenta avisos

A área de fresamento tem que ser recalculada ou redefinida

A área de torneamento não apresenta nenhuma falha ou aviso

A área de torneamento apresenta avisos

A área de torneamento tem que ser recalculada ou redefinida

A peça em bruto fechada não apresenta nenhuma falha ou aviso

A peça em bruto fechada apresenta avisos

A peça em bruto fechada tem que ser recalculada ou redefinida

A peça em bruto aberta não apresenta nenhuma falha ou aviso

A peça em bruto aberta apresenta avisos

A peça em bruto aberta tem que ser recalculada ou redefinida

Peça em bruto muito grande

Peça em bruto composta

Peça em bruto criada manualmente a partir de uma cadeia de tarefas

O elemento (percurso da ferramenta/modelo de peça em bruto) está oculto.

O elemento (percurso da ferramenta/modelo de peça em bruto) é mostrado.

O elemento (percurso da ferramenta/modelo de peça em bruto) não existe,


deve ser calculado

Os percursos das ferramentas das tarefas compostas são mostrados parcial-


mente

Guia Funcionalidades
A janela do navegador contém as listas de funcionalidades na seção superior e as funciona-
lidades na seção inferior.

2-12 hyperMILL
Interface de usuário
Configurar navegador Navegador do hyperMILL 2
Guia Macros
As macros aplicadas são exibidas na janela do navegador.

Comandos de teclado

Comando de Guia Descrição


teclado
n/N Tarefas Novo: criar uma nova entrada.
Quadros n = Criar uma nova tarefa. N = Criar
Modelos uma nova lista de tarefas.

(Áreas de Fresamento/Tornea-
mento)
e/E Tarefas Editar: alterar definições para a
Quadros entrada da guia selecionada.

Modelos
(Áreas de Fresamento/Tornea-
mento)
m/M Tarefas Mensagem: exibir mensagens (noti-
Quadros ficações, erros e avisos) referentes
à entrada selecionada.
Modelos
(Áreas de Fresamento/Tornea-
mento)
(Modelos de peça em bruto)
c/C Tarefas Calcular: refaz o cálculo dos percur-
sos de ferramenta.
u/U Tarefas Atualizar: atualiza o arquivo do per-
curso de ferramenta e transfere as
definições de tarefa modificadas.
v/V Tarefas Exibir: inicia o programa de simula-
ção do hyperVIEW.
r/R Tarefas Ler: lê os percursos de ferramenta.
t/T Tarefas Iniciar a simulação interna.
P Tarefas Verificar o status do percurso de
ferramenta.
h Tarefas Ocultar percursos selecionados:
oculta os percursos de ferramenta
das tarefas selecionadas.
H Tarefas Ocultar todos os percursos: oculta
todos os percursos de ferramenta
exibidos na área de gráficos.
s Tarefas Mostrar percursos selecionados:
oculta os percursos de ferramenta
das tarefas selecionadas.
S Tarefas Mostrar todos os percursos: mostra
todos os percursos de ferramenta.
A Mostrar automaticamente: mostra
automaticamente os percursos de
ferramenta das tarefas seleciona-
das.

hyperMILL 2-13
2 Interface de usuário
Caixas de diálogos de definição de tarefas Configuração de controle das caixas de diálogo

Caixas de diálogos de definição de tarefas

Configuração de controle das caixas de diálogo


Define o controle da caixa de diálogo na página de diálogo Configuração > Caixa de diálogo
Configurações, Aplicativo

Caixas de diálogo
Janela restrita: as caixas de diálogos de introdução contêm ícones de função gerais. Para
obter mais informações, consulte a seção Funções de controle da caixa de diálogo. Não é
possível alternar rapidamente as exibições entre tarefas diferentes.
Sem janela restrita: as caixas de diálogos de introdução não contêm nenhum ícone de fun-
ção geral. É possível alternar rapidamente as exibições entre tarefas diferentes (consulte
Posicionamento da caixa de diálogo).
As funções de controle de caixas de diálogo podem ser acessadas através do menu de ata-
lho apresentado no cabeçalho da caixa de diálogo de introdução. As caixas de diálogo de
introdução podem ser fixadas em qualquer posição escolhida, clicando em um pino apre-
sentado no cabeçalho. As tarefas podem ser calculadas quando a caixa de diálogo está
aberta
Nesse modo, todas as configurações são aplicadas imediatamente e são sempre salvas
quando a caixa de diálogo é fechada. Não é possível sair sem salvar as alterações.
Texto: as guias da caixa de diálogo contêm texto e exibem o conteúdo. Caso existam ciclos
com um número elevado de parâmetros de definição, as diferentes guias não podem ser
exibidas lado a lado.
Ícones: as guias da caixa de diálogo contêm ícones que exibem o conteúdo. Mesmo se
existirem ciclos com um número elevado de parâmetros de definição, todas as guias podem
ser exibidas lado a lado.

Funções de controle da caixa de diálogo


As funções gerais de controle de caixas de diálogo podem ser acessadas através de ícones
(apenas no modo Janela restrita) ou através do menu de atalho.
Menu de atalho: posicione o ponteiro do mouse na metade esquerda do cabeçalho da caixa
de diálogo de introdução e a seguir, clique no com o botão direito do mouse. O conteúdo
depende da caixa de diálogo de introdução e do modo selecionado relativo ao controle de
caixas de diálogo (janela restrita/sem janela restrita).

Ícone Função Descrição

Calcular Calcula os percursos das ferramentas


(tarefa) ou cria arquivos 3DF (Conversor
hyperMILL).
Salvar como padrão: Salva as entradas como configurações
padrão definidas pelo usuário no espaço
de trabalho global como metric.cfg ou
inch.cfg.

Repor Descarta as entradas; a caixa de diálogo


permanece aberta.

Ajuda Abre a ajuda on-line.

Ok Salva as entradas e feche a caixa de diá-


logo.

Cancelar Descarta as entradas e feche a caixa de


diálogo.

Mensagens Exibe as informações de tarefa e cálculo.

2-14 hyperMILL
Interface de usuário
Configuração de controle das caixas de diálogo Caixas de diálogos de definição de tarefas 2
Configura o plano de trabalho Define o plano de trabalho atual como
para plano de folga plano de folga.

Simulação interna/Simulação de Inicia a simulação interna ou simulação


usinagem interna da máquina.

Repor plano de trabalho Repões o plano de trabalho original.

Feedback permanente/temporá- Controla o feedback do gráfico durante a


rio definição de tarefa.

Posicionamento da caixa de diálogo


No modo de controle de caixas de diálogo Sem janela restrita, todas as caixas de diálogo de
entrada abertas através do navegador apresentam um pino que permite fixar a caixa de diá-
logo em qualquer local da tela. As janelas de mensagens apresentam sempre esse pino
independentemente do modo de caixa de diálogo definido.

Caixa de diálogo não está fixada: a janela da caixa de diálogo atual irá fechar quando
você passar para outra caixa de diálogo ou para o navegador.

Fixar caixa de diálogo: a fixação permite exibir simultaneamente caixas de diálogos


diferentes para uma tarefa (p.ex. definição de ferramenta e quadro, além das janelas de
mensagens). Quando você seleciona uma entrada diferente da lista de tarefas, a exibição
passa para as definições da entrada de lista selecionada atualmente. Isso significa que você
pode verificar rapidamente todas as definições de uma tarefa. Os conteúdos da janela de
mensagens aberta são atualizados automaticamente quando você efetuar edições noutras
janelas de diálogo.

Cores de campos de entrada


Valor de entrada em preto: o valor está correto.
Valor de entrada em vermelho: a tarefa pode ser calculada com esse valor, mas podem
ocorrer colisões. Leia o aviso apresentado na janela de mensagens. Altere os valores ade-
quados se necessário ou verifique a tarefa em simulação após calcular o percurso da ferra-
menta.
Campo de entrada com plano de fundo vermelho: o valor de entrada está incorreto (por
exemplo, a parte inferior está mais alta do que a parte superior). A tarefa não pode ser cal-
culada. Abra a janela de mensagens e edite o valor de acordo com as mensagens.

Valores dos campos de entrada


Existem várias maneiras de inserir valores para parâmetros:
• Entrada direta do valor necessário no campo de entrada.
• Usar parâmetros de ciclo local predefinidos.
• Definição de variáveis do utilizador.
• Definição utilizando expressões aritméticas.

Os parâmetros locais e as variáveis do usuário podem ser combinados em


uma única expressão. Você também pode introduzir qualquer um dos valores
diretamente no campo de entrada.

Parâmetros locais de ciclo


Dependendo do ciclo e da caixa de diálogo de entrada, você também poderá usar parâme-
tros locais de ciclo predefinidos.

Clique no ícone para selecionar um parâmetro diretamente no menu de atalho (J:). Todas
as entradas realizadas diretamente no campo de entrada podem ser efetuadas sem o pre-
fixo J: (desde que não existam variáveis definidas pelo usuário com o mesmo nome). Não é
feita nenhuma distinção entre maiúsculas e minúsculas.

hyperMILL 2-15
2 Interface de usuário
Selecionar elementos Selecionar no hyperCAD-S

Variáveis do usuário

Clique no ícone para definir uma variável de usuário e selecione a opção .... A janela
Variável do Usuário se abre. Clique com o botão direito e em seguida selecione Novo....
Introduza os dados necessários nos campos Código, Valor e Descrição. Você também pode
introduzir expressões aritméticas predefinidas no campo Valor. Clique duas vezes na linha
correspondente de uma variável do usuário para alterar sua definição. As variáveis utiliza-
das mais recentemente são exibidas no terço médio do menu de atalho (são exibidas no
máximo 5 variáveis). Todos os dados que você introduzir diretamente no campo de entrada
têm que ser inseridos exatamente da mesma maneira definida na variável. Não é possível
definir livremente letras maiúsculas e minúsculas.

Expressões aritméticas
As operações aritméticas básicas e parênteses são permitidos na forma de expressões arit-
méticas em todos os campos de entrada.

Para definir expressões aritméticas, clique no ícone e defina a fórmula utilizando os ele-
mentos de forma permitidos.

Selecionar elementos
Os elementos são selecionados de forma interativa no modelo. Adequadas às necessida-
des dos respectivos ciclos, os seguintes elementos podem ser selecionados:
Pontos (pontos de mergulho, pontos de furação),
Contornos e contornos de ajuda (fronteiras, curvas dianteiras, linhas),
Superfícies (superfícies de parada, superfícies de geração 3DF etc).
As funções para selecionar elementos são dependentes do sistema CAD utilizado.

Selecionar no hyperCAD-S

Ponto, selecione ponto de alinhamento.

Selecione o contorno, contorno fechado, círculo, curvas únicas, curvas


dentro de um perfil, bordas de um sólido, perfis e limite.

Selecione a linha, normal de um plano ou curva.

Selecione a superfície de um modelo/sólido fechado.

Confirme sua seleção.

Editar seleção.

Especifique diretamente as coordenadas Z para profundidade (1), superfície


(2) e plano de folga (3) com um clique duplo em visualização gráfica. A visuali-
zação gráfica aumenta (4). Defina o valor Z diretamente no campo de entrada
(5) ou utilize o ponto de arrastar (6) tpra mover a visualização gráfica para cima
ou para baixo. Disponível apenas para hyperMILL em hyperCAD-S.

2-16 hyperMILL
Interface de usuário
Selecionar grupo de elementos no hyperCAD-S Selecionar elementos 2

Selecionar grupo de elementos no hyperCAD-S

Elementos podem ser combinados no hyperCAD-S para formar grupos. Se


essa função estiver ativada, os grupos de elementos podem ser selecionados.
Um grupo é dividido em duas entidades individuais quando for transferido para
o hyperMILL. As alterações subsequentes da entidade em um grupo não são
encaminhadas automaticamente para o hyperMILL.

Selecionar no Inventor

Selecione um ponto.
Pontos: selecione quaisquer pontos únicos de um modelo.
Arcos/círculos de esboços: selecione quaisquer arcos/círculos de esboços.
Arcos/círculos de bordas: selecione quaisquer arcos/círculos de bordas.
Todos os arcos/círculos de esboços: todos os arcos/círculos do esboço selecionado são
automaticamente selecionados.
Todos os arcos/círculos de faces: todos os arcos/círculos da face selecionada são automa-
ticamente selecionados.
Todos os pontos de esboços: todos os pontos de um esboço são automaticamente selecio-
nados.
Filtros: todos os elementos geométricos a serem selecionados podem ser especificados
com grandes detalhes com o uso de filtros.
Geometria: marque os elementos geométricos que você deseja selecionar.
Diâmetro: defina o diâmetro para o tamanho dos elementos a serem selecionados.
Nenhum: não é aplicado nenhum filtro de diâmetro.
Valor: use os operadores (=, <=, >=) para definir o valor para o diâmetro.
Área: todos os elementos são selecionados dentro do intervalo de valores.
Confirmar seleção: confirme a seleção ao adicionar elementos e clicar em OK.
Se você deseja rejeitar a seleção realizada, clique em Cancelar ou remova a marcação na
caixa de seleção. Para excluir uma seleção anterior, clique em Remover.

Selecione o contorno:
Curva de esboço encadeada automaticamente: seleção automática de curvas parciais vin-
culadas de um esboço.
Curva de esboço encadeada manualmente: seleção de um ou mais curvas parciais de um
esboço (que deve representar uma curva vinculada).

hyperMILL 2-17
2 Interface de usuário
Selecionar elementos Seleção em SolidWorks

Bordas encadeadas automaticamente: seleção de uma ou mais bordas especificadas no


modelo.
Bordas encadeadas manualmente: seleção de um ou mais bordas especificadas no modelo
(que devem representar uma curva vinculada).
Confirmar seleção: confirme a seleção ao adicionar elementos e clicar em OK.
Se você deseja rejeitar a seleção realizada, clique em Cancelar ou remova a marcação na
caixa de seleção. Para excluir uma seleção anterior, clique em Remover.

Selecione a face.
Faces individuais: selecione quaisquer faces de um modelo.
Selecione faces que pertencem a uma funcionalidade: seleção automática de todas as fun-
cionalidades para a face selecionada dentro do escopo das respectivas funcionalidades que
pertençam às faces.

Você pode selecionar as funcionalidades diretamente no navegador do pro-


grama CAD.
Ao fazer isso, várias seleções são possíveis.

Confirmar seleção: confirme a seleção ao adicionar elementos e clicar em OK.


Se você deseja rejeitar a seleção realizada, clique em Cancelar ou remova a marcação na
caixa de seleção. Para excluir uma seleção anterior, clique em Remover.

Seleção em SolidWorks

Selecione um ponto.
Podem ser selecionados como elementos geométricos os seguintes: Pontos, Pontos de ali-
nhamento e Curvas (apenas ciclos de furação). As Curvas podem ser especificadas com
maiores detalhes com o uso dos filtros de Geometria. Podem ser filtrados os seguintes ele-
mentos: círculo, arco, círculos e arcos, diversos.
Em Diâmetro, determine o valor mín./máx. para os elementos filtrados definidos.
Além disso, a Seleção automática está disponível. Utilize as opções Selecionar todos os
pontos ou Selecionar todas as curvas para copiar todos(as) os pontos/curvas das faces e
esboços selecionados para a seleção, de acordo com as configurações dos filtros.
Ao definir os pontos da parte superior, parte inferior, inicial, final e de mergulho, é possível
selecionar os Pontos de alinhamento como elementos da geometria. Esses pontos de ali-
nhamento podem ser especificados em maiores detalhes.
Ponto final: o ponto final da curva marcada é selecionado.
Ponto central: o ponto central da curva marcada é selecionado.
Ponto central do círculo: o ponto central do círculo do círculo marcado é selecionado.
Próximo: o próximo ponto da curva/face é selecionado.

Selecione o contorno:
As Bordas, Segmentos de esboço (incluindo segmentos conectados automaticamente)
assim como os Contornos de esboço podem ser selecionados.

Selecione a face.
Superfícies, Corpo de superfície, Sólido e Funcionalidade podem ser selecionados como
elementos geométricos. A Seleção automática também está disponível, o que pode ser utili-
zada para selecionar todas as superfícies visíveis.

2-18 hyperMILL
Interface de usuário
Selecionar com ligação Selecionar elementos 2
Selecionar com ligação
Os elementos selecionados são combinados para formar uma cadeia. Para isso, clique com
o botão direito no ícone e selecione a opção desejada.

Selecionar com ligação >>


Opções de ligação
Alterar com ligação >>
Selecionar sem ligação >>
Alterar sem ligação >>
As opções Selecionar/Alterar com ligação >> e Selecionar/Alterar sem ligação >> aplicam-
se apenas a uma seleção.
Opções de ligação > Distância máxima: defina a distância máxima entre dois contornos par-
ciais adjacentes. Se os contornos parciais selecionados possuírem uma distância maior,
eles não são combinados.

Criar percurso de reprodução


Crie um contorno utilizando reprodução. Para fazer isso, clique com o botão direito no ícone.

Criar percurso de reprodução

O contorno é criado pela movimentação do mouse. O Fresamento de reprodução é ade-


quado para realizar trabalhos de fresamento simples (por exemplo, Fresamento de face) de
uma maneira rápida e flexível. Para obter mais informações, consulte a seção Fresamento
de reprodução.

hyperMILL 2-19
2 Interface de usuário
Selecionar elementos Criar percurso de reprodução

2-20 hyperMILL
3 Noções básicas
Especificar configurações básicas

Noções básicas
Do modelo até ao programa NC
A estrutura modular do hyperMILL cria um fluxo de trabalho flexível do modelo até ao pro-
grama NC. Elementos importantes deste fluxo de trabalho incluem:

Sistema CAM/CAD

Especificar configurações básicas

Definir origem e estrutura(s) da peça de tra- Definir ferramentas


balho

Preparar geometria de fabricação Estruturar projetos CAM


(contornos, superfícies, modelo de peça em bruto) (Lista de tarefas, tarefa composta, tarefa)

Preparações de verificação de colisão

Calcular percursos das ferramentas

Simular percursos das ferramentas

Gerar programa NC

Especificar configurações básicas


Definir o sistema de medição e os diretórios de armazenamento para os dados do hyper-
MILL. Configurar o controle de diálogo, configurar o banco de dados de macros e ferramen-
tas e definir outras configurações básicas. Informações na seção Especificar configurações
básicas.

Definir origem e estrutura(s) da peça de trabalho


Com o sistema de referência de origem (sistema NC), estabeleça uma conexão com o sis-
tema de coordenadas da máquina. Para obter informações sobre o sistema NC, consulte a
seção Sistema e quadros NC.
Usando uma estrutura, defina o lado e a direção de usinagem atuais. Consulte as informa-
ções na seção Sistema e quadros NC.
Para áreas de componentes de máquina idênticos, use transformações para reproduzir e
posicionar os percursos das ferramentas conforme for necessário. Consulte as informações
na seção Transformações.

3-2 hyperMILL
Noções básicas
Definir ferramentas 3
Use as origens para controlar a saída NC e aplique as origens ao definir as transformações.
Consulte as informações na seção Origens.

Definir ferramentas
Defina uma nova ferramenta ou aplique uma ferramenta a partir do banco de dados de fer-
ramentas. Consulte as informações na seção Definir uma ferramenta no navegador do
hyperMILL.

Preparar geometria de fabricação (contornos, superfícies, modelo de peça em bruto)


Ambos os contornos 2D e modelos CAD podem ser utilizados para usinagem 2D. Para obter
informações sobre a seleção de contorno, consulte a seção Selecionar elementos.
As tarefas de torneamento 3D e de 5 eixos são baseadas em um modelo CAD. Para obter
informações sobre o modelo CAD, consulte a seção Modelo CAD.
Um modelo de peça em bruto pode ser definido para várias operações de usinagem. Infor-
mações na seção Definição de modelos de peça em bruto.

Estruturar projetos CAM


Definir tarefa e lista de tarefas. Consulte as informações nas seções Definição de uma
tarefa e Definição de uma lista de tarefas.
Use tarefas compostas para estruturar o fluxo de trabalho em uma lista de tarefas. Para
obter informações sobre tarefas compostas, consulte a seção Tarefas compostas.

Preparações de verificação de colisão


Especifique uma área de fresamento ou uma área de torneamento para definir a peça de
colisão verificada do modelo CAD. Consulte as informações nas seções Definir área de fre-
samento e Definir área de torneamento.
Defina a área de colisão verificada do dispositivo de grampeamento para fixar firmemente a
peça de trabalho durante a usinagem. Consulte as informações na seção Definição da área
do dispositivo de grampeamento.

Calcular percursos das ferramentas


Diretamente na definição da tarefa (para uma tarefa individual) ou no navegador do hyper-
MILL (para uma tarefa individual, várias tarefas ou todas as tarefas em uma lista de tarefas).
Consulte as informações na seção Calcular percursos das ferramentas.

Simular percursos das ferramentas


Use a simulação interna do hyperVIEW, a simulação de usinagem interna ou um programa
de simulação externa (por exemplo, VERICUT).
Consulte as informações na seção Simulando a usinagem.

Gerar programa NC
Gere um programa NC através do menu de atalho Gerar arquivos NC no navegador do
hyperMILL ou usando o hyperVIEW.
Consulte as informações nas seções Funções no menu de atalho: Lista de tarefas/Tarefas e
Gerar programa NC.

hyperMILL 3-3
3 Noções básicas
Criação de um projeto de fresamento/projeto MillTurn com o

Criação de um projeto de fresamento/projeto MillTurn com o Assistente de Projeto


Use o Assistente de Projeto para criar um projeto de fresamento ou projeto MillTurn em uma
sequência de etapas pré-definidas. Os itens a seguir são definidos em etapas individuais:
• Tecnologia de modelo e usinagem
• Orientação NCS
• Tamanho da peça em bruto e distâncias de tolerância
• Posição NCS
• Usinagem de quadros
• Nomes para lista de tarefas, área de fresamento/torneamento, peça em bruto, bem
como material e máquina.
As etapas podem estar em qualquer ordem. Use Próximo para ir para a próxima página de
diálogo e Anterior para ir para a página de diálogo anterior. Clique em OK para aplicar as
configurações que você definiu. Clique em Cancelar para fechar o Assistente de Projeto
sem salvar as configurações.

Iniciar o Assistente de Projeto


Acesse a guia Tarefas, clique com o botão direito do mouse e selecione a função Novo >
Assistente de Projeto ... .

Em alternativa, use o menu hyperMILL Assistente de Projeto para iniciar o Assis-


tente de Projeto.

Definição da tecnologia de usinagem

Modelo e Processo: selecione a tecnologia Fresamento para criar um projeto de fre-


samento ou a tecnologia MillTurn para configurar um projeto MillTurn.
Use Superfícies para selecionar as superfícies ou sólidos a serem usinados.

Definição da orientação do NCS

Orientação NCS: define a orientação do NCS.


Use uma das opções fornecidas para fresamento: Plano de trabalho, Superfície ou 3 Pon-
tos.
Inverta a direção do Eixo Z da NCS (1) usando Inverter > Direção z.
Selecione um elemento (linha, borda do modelo) em Direção X > Selecionar para definir a
direção do eixo X. Em alternativa, use a opção 2 Pontos/Ponto para alinhar o eixo X.

Gire o Eixo X no sentido horário no ângulo definido (2).

Gire o Eixo X no sentido anti-horário no ângulo definido (3).

3-4 hyperMILL
Noções básicas
Criação de um projeto de fresamento/projeto 3

Use uma das opções fornecidas para MillTurn: Plano de trabalho, Superfície ou Linha.
Inverta a direção do Eixo Z da NCS (1) usando Inverter > Direção z.
Selecione um elemento (linha, borda do modelo) em Direção X > Selecionar para definir a
direção do eixo X. Em alternativa, use a opção 2 Pontos ou Ponto para alinhar o eixo X.

Gire o Eixo X no sentido horário no ângulo definido (2).

Gire o Eixo X no sentido anti-horário no ângulo definido (3).

hyperMILL 3-5
3 Noções básicas
Criação de um projeto de fresamento/projeto MillTurn com o

Definição da peça em bruto e modelo

Peça em bruto: defina o tamanho da peça em bruto.


Fresamento: comprimento do modelo largura do modelo e altura do modelo são exibidas.
Defina o comprimento da peça em bruto, largura da peça em bruto e altura da peça em
bruto. O tamanho da peça em bruto é calculado automaticamente a partir dos valores defini-
dos para Compensação X+/Compensação X-, Compensação Y+/Compensação Y- e Com-
pensação Z+/Offset Z-.
A compensação é exibida. (1) Compensação na direção X, (2) Compensação na direção Y,
(3) Compensação na direção Z.

MillTurn: o comprimento do modelo e diâmetro do modelo são exibidos. Defina o compri-


mento da peça em bruto e o diâmetro da peça em bruto. O tamanho da peça em bruto é cal-
culado automaticamente a partir dos valores definidos para Compensação Z+/
Compensação Z- e Compensação radial.
A compensação é exibida. (1) Compensação na direção Z, (2) Compensação radial.

Clique no ícone para travar um valor de modo que não possa mais ser alterado.

Clique no ícone para destravar um valor de modo que possa ser alterado.

3-6 hyperMILL
Noções básicas
Criação de um projeto de fresamento/projeto 3
Definição da posição do NCS

Posição NCS: define a posição do NCS.


Modo: selecione se o NCS deve ser posicionado em uma das Posições básicas pré-defini-
das ou em uma posição Definida pelo usuário.
Use Posições básicas para selecionar uma posição Relativa ao modelo (1) ou Relativa à
peça em bruto.
Em Definido pelo usuário, selecione a Origem diretamente no sistema CAD.
Fresamento: posição NCS relativa ao modelo (1), posição NCS relativa à peça em bruto (2).

MillTurn: posição NCS relativa ao modelo (1), posição NCS relativa à peça em bruto (2).
Posições básicas disponíveis são localizadas no eixo giratório (3), o centro da superfície de
torneamento. O eixo giratório corresponde ao eixo Z do NCS.
(A) Posição NCS = Z-, (B) Posição NCS = Z+.

hyperMILL 3-7
3 Noções básicas
Criação de um projeto de fresamento/projeto MillTurn com o

Definição dos quadros de usinagem

Quadros: define os quadros da usinagem.


Plano de folga global: define a altura do plano de folga global (1).
Use a função Criar quadros ortogonais para criar um quadro para cada lado da usinagem.
Se a função não estiver habilitada, uma entrada será criada somente para o NCS no nave-
gador do hyperMILL.
Defina se os quadros devem ser criados Relativos ao modelo ou Relativos à peça em bruto.

Definição de nomes, seleção de material e máquina

Finalizar configuração: defina os nomes para Lista de tarefas, Área de fresamento/


Área de torneamento e Peça em bruto. Selecione Material e Máquina na lista. A área de tor-
neamento é calculada com uma precisão de 0,005 mm/0,0002 pol.
Novos elementos são criados no navegador do hyperMILL com base nas definições. As
configurações mais usadas recentemente são aplicadas.

3-8 hyperMILL
Noções básicas
Documento Especificar configurações básicas 3
Especificar configurações básicas
No menu hyperMILL Configuração > Configurações.
A caixa de diálogo Configuração hyperMILL é usada para especificar as configurações bási-
cas que são válidas para todas as ações e definições subsequentes no hyperMILL. A caixa
de diálogo contém as seguintes páginas: Documento, Aplicação, hyperCAD-S, Banco de
dados, Manutenção e Pneu (disponível somente com a licença de produto respectiva para
usinagem de pneu).

Documento
Unidades
Sistema métrico/Sistema imperial: o sistema de unidades selecionado se aplica a todos os
valores de entrada e saída.

Não altere o sistema de medição durante a programação CAM, caso contrário


os valores de definição que já foram criados não serão convertidos.
Não é permitida a cópia de tarefas entre os documentos do hyperMILL com
diferentes sistema de medição.

Diretórios
Projeto: crie diretórios específicos do projeto para armazenar seus arquivos gerados.
Use Caminho para selecionar uma pasta de projeto. Todos os arquivos gerados são arma-
zenados em subpastas.
Se você selecionar Caminho do modelo, todos os arquivos gerados serão armazenados em
subpastas relativas ao arquivo do modelo.
Subdiretórios específicos para listas de tarefas: são utilizados subdiretórios com os nomes
das listas de tarefas para armazenar os arquivos criados.
Espaço de trabalho global: todos os arquivos gerados são armazenados no caminho padrão
configurado na caixa de diálogo Configuração hyperMILL, em Aplicativo.

Feedbacks
Em Feedbacks, visualize percursos de ferramenta, início e fim de usinagem na direção ver-
tical (superior, inferior), plano de folga, ferramenta ou sistema de coordenadas.
Tamanho: insira o fator solicitado (tamanho da visualização).
Cores: abra a caixa de diálogo Cores, depois abra a caixa de diálogo de Seleção de cor e
defina a cor desejada ao clicar nela.

Configuração de cor

Cores do percurso da ferramenta


Defina as cores para os movimentos G0 e G1, colisões, eixo de ferramenta e percursos de
ferramenta cortados.

Cores de feedback
Defina as cores para o feedback visual dos elementos disponíveis.

Cores para a visualização da lista


Defina as cores para a exibição da lista (listas de funcionalidades).
Usado pelo mapeamento de funcionalidades: cores usadas para as listas de funcionalida-
des do mapeamento de funcionalidades.
Feedbacks (padrão do navegador): ative se quiser que os feedbacks sejam exibidos por
padrão ao criar uma tarefa nova (menu de atalho da tarefa: feedbacks).

hyperMILL 3-9
3 Noções básicas
Especificar configurações básicas Documento

Função
Número máx. de origens: limita o número máximo de origens permitido. Informações na
seção Origens.
Use o plano de folga global: selecione esta opção para usar o plano de folga global do qua-
dro ao invés do plano de folga da definição de tarefa. O valor da fórmula para o plano de
folga global será, portanto, firmemente vinculado ao parâmetro Plano de folga para a defini-
ção de tarefa (acinzentada).
Para usinar com um plano de folga relacionado à tarefa, adapte o parâmetro de tarefa Plano
de folga clicando com o botão direito e em seguida clicando em Desvincular no menu de
atalho.
Dar preferência ao quadro lista de funcionalidades: ative para copiar o quadro atribuído a
uma funcionalidade para a tarefa.
Requisito: durante o mapeamento de funcionalidades (furo), a função Usar listas de funcio-
nalidades é ativada e o tipo de criação de quadro é definido para 2D.
Se a função Dar preferência ao quadro lista de funcionalidades não estiver ativada, o NCS é
atribuído à tarefa se sua orientação for idêntica à orientação do quadro do feature.
Utilizar parâmetro: esta função deve ser ativada quando os parâmetros de ciclo local ou as
variáveis do usuário forem usadas como parte da definição de tarefa (consulte também a
seção Valores dos campos de entrada).

Cálculo
Essas configurações se aplicam à criação de percursos da ferramenta.
Mostrar gráficos temporários: os percursos de ferramentas temporários criados durante o
cálculo são mostrados na tela no provisório e depois são substituídos pelos percursos de
ferramentas finais.
Mostrar percursos das ferramentas: os percursos das ferramentas criados são apresenta-
dos graficamente na tela.
Apagar percursos de ferramentas existentes: da próxima vez que uma tarefa for calculada,
o percurso da ferramenta é excluído. Os novos percursos das ferramentas criados são apre-
sentados graficamente na tela.
Verificar geometria automaticamente: depois que uma geometria usinada foi modificada, os
dados de geometria desatualizados são excluídos do cache antes de cada cálculo, e a geo-
metria modificada é convertida novamente.

Essa função deve estar sempre habilitada (está ativa por predefinição) de
modo a evitar cálculos incorretos.

Notificar alteração de geometria: uma mensagem é gerada para a geometria a ser usinada
antes que a tarefa seja recalculada para notificar o usuário que os dados de geometria
modificada foram encontrados e que os dados armazenados serão excluídos.
Apagar arquivos temporários: exclui os arquivos temporários (*.tmp) criados durante o cál-
culo da lista de tarefas. Não selecione esta opção se estiver com problemas com um com-
ponente que necessite da assistência de seu revendedor OPEN MIND.
Preservar relatórios: salva o arquivo do seu relatório na pasta definida na página de diálogo
Aplicação da caixa de diálogo Configuração hyperMILL (caminhos padrão).

Verificar status do percurso da ferramenta


Verificar geometria: quando as alterações da geometria são realizadas, o sistema verifica se
o percurso da ferramenta ainda está atualizado.

Depois da verificação de status do percurso da ferramenta, a geometria modificada é


exibida no navegador do hyperMILL. Por padrão, essa função está desabilitada pois
apresenta um tempo de processamento muito elevado.

3-10 hyperMILL
Noções básicas
Documento Especificar configurações básicas 3
Bloqueando
Use a opção Bloquear > Habilitar para desabilitar elementos de modo que eles não possam
ser alterados. As seguintes ações podem ser evitadas:
• Exclusão
• Exclusão e alteração de geometria
• Exclusão, geometria e alteração de atributos

Aplicativo
Caixas de diálogo
Defina o modo de controle de caixas de diálogo (Janela restrita/Sem janela restrita) assim
como o modo de exibição das guias de caixas de diálogo (texto/ícones). Para saber mais
detalhes, consulte a seção Funções de controle da caixa de diálogo.
Mostrar dicas de ferramenta: exibe as dicas de ferramenta..

Modo de mensagem
Especifique as informações a serem exibidas como mensagens durante a definição de
tarefa. Essas configurações não estão relacionadas com janelas de mensagens que você
solicita manualmente. Cada modo de mensagem (Erros graves, Erros, Avisos graves, Aler-
tas, Informações) inclui automaticamente o respectivo "nível" seguinte.

Verificação de modelo
Automático: as alterações no modelo CAD desencadeiam uma verificação de consistência
imediata entre as tarefas definidas e o modelo CAD. Se a verificação de modelo automática
estiver desligada, ela poderá ser realizada separadamente para cada tarefa através do
menu de atalho tarefa ou lista de tarefas. Independentemente dessa configuração, é sem-
pre executada uma verificação de modelo antes da criação de percursos de ferramentas.

Licenciamento
Status de licença: mostra o estado de suas licenças do hyperMILL.
Todos os produtos: são exibidos produtos bloqueados e licenciados.
Produtos trancados: apenas são exibidos produtos trancados.
Produtos licenciados: somente produtos disponíveis (e licenciados) são mostrados.
Se você trabalha com licenças de rede, você pode reservar licenças específicas para seu
computador quando iniciar o hyperMILL. Selecione o produto que pretende trancar e habilite
a opção Trancar ao iniciar.
Para obter mais informações sobre instalações de rede, consulte o guia de instalação de
seu produto.
Mostrar apenas produtos bloqueados: quando você cria uma nova tarefa, somente esses
produtos que estão disponíveis para seu computador (produtos bloqueados) são exibidos.

Compatibilidade 2D
Limitar tarefas 2D para o NCS: você não pode selecionar quadros em tarefas 2D. Selecione
essa configuração se você apenas programar no NCS (ponto zero do programa) e seu pós-
processador não for adequado para a indexação múlti eixo.

Caminhos padrão
Caminhos para salvar arquivos criados com o hyperMILL. Utilize os seguintes ícones para
efetuar alterações.

Adicionar/remover diretório.

Alterar caminho.
Espaço de trabalho global: local para armazenamento de todos os dados criados pelo
hyperMILL (percursos das ferramentas, modelos, bancos de dados, etc.). As alterações são
possíveis somente através do SettingsWizard do hyperMILL (hmInit.exe).

hyperMILL 3-11
3 Noções básicas
Especificar configurações básicas Documento

Caminho de pesquisa hyperMILL: os diretórios são predefinidos, mas podem ser alte-
rados, se necessário. Assim que os caminhos tenham sido configurados corretamente aqui,
apenas o nome de cada arquivo deve ser introduzido para todos os processos posteriores.
Arquivos temporários: apenas arquivos temporários necessários no programa incluindo, por
exemplo, arquivos de limites (.bnd), arquivos de perfis (.prf) e arquivos de cálculos para
ciclos individuais (.omx).
Arquivos de configuração: configurações padrão específicas do usuário.
nightSHIFT: caminho para o programa nightSHIFT.
Projetos: os arquivos serão armazenados neste diretório se você tiver selecionado a opção
Diretórios do projeto na página de diálogo Documento da caixa de diálogo Configuração
hyperMILL.
Arquivos 3DF: os arquivos de poliedro (modelos de colisão matemática para cálculo de per-
cursos de ferramenta).
Arquivos hmrep: diretório para arquivos de geometria temporários.
Arquivos de peças em bruto: diretório para arquivos de peças em bruto no formato *.STL ou
*.VIS.
Percursos das ferramentas: diretório para percursos de ferramenta com informações que
são necessárias para gerar um programa NC.
Arquivos de backup: diretório para arquivos de backup *.hyperMILL.
Arquivos de relatório: diretório para arquivos de relatório com geração de mensagens a par-
tir do programa durante o cálculo do percurso da ferramenta (mensagens de erro, alertas e
assim por diante).
Arquivos NC: diretório para arquivos NC (execução do pós-processador).
Arquivos de exportação/importação: diretório para as tarefas exportadas ou importadas de
uma lista de tarefas.
Macros: diretório para arquivos de macro.
Arquivos CPF: diretório para arquivos da Funcionalidade de Processo Personalizado.
AddIns: atualmente não são utilizados.

Desempenho
Utilizar todos os recursos do CPU para o ciclo de computação: a maioria dos ciclos suporta
processadores multi-core e efetua cálculos em paralelo. Se essa opção for selecionada,
todos os recursos do CPU de seu computador serão utilizados para o ciclo de computação.
Leve em conta que a utilização simultânea do hyperMILL em trabalhos interativos durante
um cálculo pode tornar o sistema mais lento.
Se a opção não for selecionada, uma parte dos recursos da CPU do seu computador ficará
disponível durante o ciclo de computação para uso simultâneo do hyperMILL, o que pode
atrasar o cálculo do percurso da ferramenta.

Backup
A opção Ativar permite que o hyperMILL crie cópias de backup dos arquivos do modelo
CAD utilizado (*.hmc/*.e3). Cada arquivo de backup criado desse modo contém os seguin-
tes nomes de arquivo:
[Nome do arquivo original]_ [n].hmc.hyperMILL
Para abrir um arquivo de backup no hyperMILL, mude a extensão do arquivo para *.hmc/
*.e3.
Número de cópias de backup por documento: especifica o número de cópias de backup por
arquivo de modelo CAD. De momento, você pode criar até 999 cópias de backup. De cada
vez que você salva o arquivo do modelo, é criada uma cópia de backup. Assim que o
número máximo de cópias de backup for alcançado, a cópia de backup criada em primeiro
lugar é substituída.
Salvar backup na pasta definida pelo usuário: os arquivos de backup são salvos em um
diretório definido pelo usuário. Esse diretório é o diretório apresentado nos Caminhos
padrão > Arquivos de backup ou (se a opção Diretórios de projeto tiver sido habilitada na
página de diálogo Documento) o diretório de projeto correspondente.

3-12 hyperMILL
Noções básicas
Documento SolidWorks Especificar configurações básicas 3
Salvar o backup na mesma pasta do original: os arquivos de backup são salvos na mesma
pasta que o arquivo original.

Documento hyperCAD-S
(Apenas para hyperMILL em hyperCAD-S)

Exibição do percurso da ferramenta


No campo de entrada Tamanho do eixo da ferramenta, especifique o tamanho do eixo da
ferramenta. No campo de entrada Tamanho do ponto de colisão, especifique o tamanho dos
pontos de colisão exibidos.

Exibição do arquivo STL


Utilize o valor para o tamanho máx. de arquivo STL para especificar o tamanho máx. (MB)
do arquivo de peça em bruto (STL/VIS) que pode ser exibido no navegador do hyperMILL.

Documento hyperCAD
Apenas para hyperMILL em hyperCAD:

Exibição do eixo da ferramenta


Tamanho: determina o tamanho exato do eixo da ferramenta.

Feedbacks
Retirar largura da linha do sistema CAD: habilite essa opção caso pretenda utilizar a largura
de linha padrão no sistema CAD para o feedback.

Documento SolidWorks
Apenas hyperMILL para SolidWorks:

Exibição da trajetória da ferramenta


No campo de entrada Tamanho do eixo da ferramenta, especifique o tamanho do eixo da
ferramenta.
No campo de entrada Tamanho do ponto de colisão, especifique o tamanho dos pontos de
colisão exibidos.

Exibição do arquivo STL


Utilize o valor para o Tamanho máx. de arquivo STL para especificar o tamanho máximo
(MB) do arquivo de peça em bruto (STL/VIS) que pode ser exibido no navegador do hyper-
MILL.

Alterações de modelo
Habilite a opção Avisar caso o modelo tenha sido alterado para receber uma mensagem do
hyperMILL informando você sobre quaisquer alterações de modelo.

Banco de dados
Assistente de Configurações/gerenciar projetos de banco de dados: abre o Assistente de
configurações do hyperMILL para gerenciar projetos do banco de dados. Um projeto de
banco de dados consiste sempre em um banco de dados de ferramenta, uma macro e cor.
Na página de diálogo Banco de dados, você também pode especificar se pretende trabalhar
com um projeto de banco de dados de aplicativo, um projeto de banco de dados global ou
um projeto de banco de dados de usuário.
Os projetos de banco de dados global ou de usuário definidos no Assistente de Configura-
ções do hyperMILL podem ser selecionados na página de diálogo Banco de dados. Os pro-
jetos de banco de dados global são identificados pelo sufixo <G>.
A ferramenta e banco de dados de macros e a tabela de cores utilizados são exibidos na
área inferior da caixa de diálogo.

hyperMILL 3-13
3 Noções básicas
Especificar configurações básicas Manutenção

Atualizar estado da ferramenta na inicialização: habilite depois de abrir um documento se


for necessário atualizar o status de todas as ferramentas externas.

Editar tabela de cores: especifique as cores das roscas, ajustes ISO e cavidades utili-
zando elementos de amostra. As informações serão avaliadas durante o Mapeamento de
funcionalidades (furo) e o reconhecimento de cavidade. Para obter mais informações, con-
sulte a seção Usar tabela de cores.

Crie uma nova tarefa.

Adote a definição de cor do elemento de exemplo através de seleção de superfícies a


partir do modelo CAD.
Rosca: selecione o tipo, defina o nome e a classe de funcionalidade. Habilite a opção diâ-
metro nominal, se for necessário utilizar o diâmetro de rosca interno.
Ajustes-ISO: selecione a descrição, defina o nome e a classe de funcionalidade.
Cavidades: quando for necessário, habilite a opção tolerância e especifique o valor para a
tolerância superior e inferior. Defina o tipo desejado com inferior, lado ou plano. Defina o
nome e a classe de funcionalidade.

Manutenção
Cache para dados de cálculo
Limpar tudo: todos os dados de geometria são excluídos do cache. A totalidade da geome-
tria é convertida novamente antes do cálculo seguinte.
Limpar geometria alterada: todos os dados de geometria alterados são excluídos do cache.
Esta função cumpre o mesmo objetivo de atualizar cache automaticamente, consulte o capí-
tulo Documento.

Diretório para arquivos temporários


Excluir: todos os arquivos temporários criados pelo hyperMILL na pasta configurada são
excluídos (Configuração hyperMILL > página de diálogo Aplicativo).

Padrões definidos pelo usuário


Excluir: todas as configurações padrão salvas com o comando Salvar como padrão (con-
sulte Funções de controle da caixa de diálogo) são excluídas.

Diretório dos arquivos de backup


Arquivos de backup criados pelo hyperMILL na pasta configurada: você pode limpar todos
os backups ou limpar apenas backups de modelo atuais. Para definição de um diretório,
consulte a página de diálogo Aplicativo > Caminhos padrão > Arquivos de backup.

Pneu
Apenas disponível com a licença relevante. Consulte as informações na documentação da
usinagem de pneus.

SHOP Viewer

Configurações do SHOP Viewer


No menu Configuração hyperMILL: especifique as configurações para salvar os dados do
SHOP Viewer.

Configurações do Shop Viewer


Salvar dados do SHOP Viewer: habilitado por padrão. Quando você salva um documento
hyperCAD-S (*.hmc), os dados do SHOP Viewer também são salvos.
Sempre perguntar: desabilitado por padrão. Quando você salva um documento hyperCAD-
S (*.hmc), sempre será perguntado se você deseja salvar os dados do SHOP Viewer.

3-14 hyperMILL
Noções básicas
Ajustar caminhos Especificar configurações básicas 3
Responda Sim à pergunta Salvar dados do SHOP Viewer?” se os dados do SHOP Viewer
também tiverem que ser salvos no arquivo *.hmc.
Responda Não à pergunta “Salvar dados do SHOP Viewer?” se nenhum dado do SHOP
Viewer tiver que ser salvo no arquivo *.hmc.
Não mostrar esta mensagem novamente: selecione esta opção se o arquivo .hmc tiver que
ser salvo sem qualquer confirmação, como é definido para Salvar dados.
Se você abrir um arquivo hyperCAD-S que também contenha dados do SHOP Viewer, você
será perguntado se esses dados devem ser usados. Clique em Sim para manter os dados
do SHOP Viewer ou em Não para excluir os dados.

Salvar dados
Especifique quais dados do SHOP Viewer devem ser salvos no arquivo *.hmc:
• Dados de peças em bruto
• Elementos de percurso da ferramenta
• Configuração do pós-processador
• Geometria preparada

Ícone para arquivos *.hmc que contêm os dados do SHOP Viewer.

Ajustar caminhos
(Apenas para hyperMILL em hyperCAD-S)

No menu Configuração do hyperMILL: adapte os caminhos salvos para arquivos de


percurso da ferramenta, 3DF e NC às configurações atuais. Para especificar as alterações,
acesse Caminhos padrão na página de diálogo Aplicação da caixa de diálogo Configuração
hyperMILL.

hyperMILL 3-15
3 Noções básicas
Sistema e quadros NC Sistema NC

Sistema e quadros NC

Sistema NC
O sistema NC define a posição da origem e a orientação da peça de trabalho dos eixos de
usinagem (XYZ).
A origem da peça de trabalho deve corresponder ao ponto de referência da peça de traba-
lho na máquina.
O hyperMILL calcula todos os percursos de ferramenta no sistema NC. O sistema NC se
aplica a uma lista de tarefas completa ao mesmo tempo.

Quadro
Um quadro define o lado de usinagem e a orientação atuais. Na indexação múlti eixo, um
quadro tem que ser definido para cada lado de usinagem. A atribuição do quadro a uma
tarefa acontece na definição de tarefa.
Sistema NC (1)
Quadros (2-4)

Todos os quadros devem ser definidos antes da geração dos percursos da fer-
ramenta. O posterior movimento ou rotação implicará a necessidade de recal-
cular todos os percursos da ferramenta afetados pela alteração. Se o sistema
NC for modificado, então toda a lista de tarefas terá que ser recalculada. Se os
quadros forem modificados, as tarefas afetadas devem ser recalculadas.

A definição correta da tarefa e, consequentemente, a usinagem apenas podem ser conse-


guidas se o sistema de coordenadas da ferramenta estiver na posição e orientação corretas
para a tarefa, porque:
Todas as definições para a área de usinagem vertical estão em relação ao quadro (superior,
inferior), à distância de folga, ao plano XY e ao passo lateral horizontal.
O quadro compartilha a responsabilidade pela verificação de colisões durante a usinagem.
As superfícies que não podem ser reconhecidas a partir da perspectiva do eixo da ferra-
menta (1) não são usinadas.

3-16 hyperMILL
Noções básicas
Definir quadros Sistema e quadros NC 3

No hyperMILL, o primeiro ponto de um percurso de ferramenta também pode ficar abaixo do


nível dado pela altura do lado de usinagem na direção z+. Isso geralmente significa ficar
abaixo do ponto mais elevado no modelo. Os movimentos de posicionamento realizados
pelos eixos da máquina até esse primeiro ponto não são representados no percurso da fer-
ramenta, mas definidos pelo pós-processador. Um pós-processador OPEN MIND posiciona
primeiro os eixos rotacionais e só depois segue para o primeiro ponto do percurso da ferra-
menta ao longo dos eixos lineares. Isso precisa ser particularmente levado em conta
durante a programação 5X, por exemplo ao vincular com a opção Modo de folga > Radial ou
vincular percursos de ferramenta triaxiais com quadros orientados de formas diferentes.

Definir sistema NC
Quando é aberta uma nova (vazia) lista de tarefas, o NC se alinha com o plano de trabalho
global. Antes que uma lista de tarefas seja definida, o sistema NC deve ser adaptado às
condições de usinagem. Essas alterações podem ser realizadas através da lista de tarefas
(página de diálogo Configuração) ou da definição de quadro.

Definir quadros
1. No navegador do hyperMILL, vá para a guia Quadros e use o menu de atalho Novo
quadro ou

2. clique no ícone na definição de tarefa na página de diálogo Ferramenta


A caixa de diálogo Definir quadro consiste das páginas de diálogo Definição e Geral.

Definição

Sistema de referência
As coordenadas de origem do quadro são dependentes do sistema de referência definido
aqui.

Mover
Mover: move a origem do quadro.

Alinhar
Referência, Plano de trabalho: a origem e orientação do quadro são adotadas a partir do
sistema de referência ativo ou do plano de trabalho.
3 Pontos: especifica a orientação do quadro com três pontos. Ponto 1 = origem, Ponto 2 =
direção X, Ponto 3 = direção Y.

MillTurn
Selecione a orientação solicitada (1) e/ou configure a rotação em torno dos eixos X, Y ou Z
(2).

hyperMILL 3-17
3 Noções básicas
Sistema e quadros NC Definir quadros

Ângulo
A, B, C: o ângulo resultante (ângulo de Euler) é exibido e pode ser modificado.

Ponto zero
A, B, C: a origem do quadro resultante é exibida e pode ser modificada.

Vetores
eixo X, eixo Y, eixo Z: mostra os componentes do vetor dos eixos lineares.
Selecionar: disponível somente para hyperMILL para SolidWorks. Vários elementos podem
ser usados para definir um quadro.
Face, Plano, Esboço, Sistema de coordenadas: selecione o elemento solicitado diretamente
na janela de gráficos.

Exibir
Disponível somente para hyperMILL para SolidWorks:
Configurar quadro: configura o quadro para a visualização atual.

Definir quadro
Definir sistema de coordenadas: selecione um elemento na janela de gráficos e especifique
a origem do sistema de coordenadas.

Inverta a direção do respectivo eixo.


Editar sistema de coordenadas

Movimente a origem do sistema de coordenadas ou projete o sistema de


coordenadas na direção dos eixos X, Y, Z.
Caixa delimitadora
Posicione o sistema de coordenadas usando uma caixa delimitadora. Clique no botão Exibir
para mostrar a caixa delimitadora atual.
A cor da caixa delimitadora corresponde à cor padrão do modelo de peça em bruto (Caixa
de diálogo Configuração, Documento > Página de diálogo Cores).

Introduza a compensação da caixa delimitadora diretamente na linha de


entrada ou utilize as teclas de direção para definir a compensação.
Utilize os ícones na área Alterar sistema de coordenadas para posicionar o sistema de coor-
denadas na localização desejada.

Posição de grampeamento
A página de diálogo Posição de grampeamento está disponível somente através da caixa
de diálogo Definir quadro na lista de tarefas (Página de diálogo Configurações > NCS).
Utilize a Posição de grampeamento para especificar o ponto zero para a simulação. O ponto
médio da borda superior da tabela do modelo da máquina serve como referência.

O eixo Z da posição de grampeamento sempre deve ser definido paralela-


mente ao eixo Z de NCS. Se a rotação for necessária, utilize a função Transfor-
mação NCS na configuração da máquina.

Exemplos:

3-18 hyperMILL
Noções básicas
Definir quadros Sistema e quadros NC 3
1. A opção Posição de grampeamento não está habilitada O modelo e o dispositivo de
grampeamento estão colocados no meio da tabela no modelo da máquina utilizado na
simulação.
2. A opção Posição de grampeamento está habilitada, e nenhum movimento está defi-
nido.
Ponto zero: X = 0, Y = 0, Z = 0.
A lista de tarefas sistema NC está colocada no meio da tabela no modelo da máquina utili-
zado na simulação.
3. A opção Posição de grampeamento está habilitada e um movimento está definido.
Ponto zero: X = -100, Y = -100, Z = -218.
A lista de tarefas sistema NC está colocada de acordo com o movimento definido em rela-
ção ao ponto de referência médio da borda superior da tabela do modelo da máquina utili-
zado na simulação.

Limite de quadros
A página de diálogo Limite de quadros está disponível somente através da caixa de diálogo
Definir quadro na lista de tarefas (Página de diálogo Configurações > NCS).
Utilizando o Limite de quadros, as tarefas com funcionalidades de furo podem ser automati-
camente atribuídas a uma lista de tarefas (função Aplicar macro). A atribuição é baseada na
direção das funcionalidades de furo utilizadas na tarefa, que podem ser definidas utilizando
um limite de ângulo de eixos A/B e C ou utilizando normais do plano.

Limite de quadros
Nenhum: as funcionalidades de furo podem estar em todas as direções.
Alcance 3D de Limite: especifique o alcance máximo permitido do ângulo dos eixos A/B e C.
Aqui, os eixos A/B correspondem à direção X/Y e o eixo C, à direção Z do sistema de coor-
denadas selecionado.
Limite em planos: usa os normais dos planos selecionados como limites. Uma visualização
do gráfico (1) mostra o limite de quadros definido. O seguinte se aplica à opção Alcance 3D
de Limite:
Amarelo: todas as tarefas com uma direção de funcionalidade de furo dentro da área mar-
cada de amarelo serão combinadas na lista de tarefas correspondente.
Verde: todas as tarefas com uma direção de funcionalidade de furo dentro da área marcada
de verde serão combinadas em uma lista de tarefas criada adicionalmente.

hyperMILL 3-19
3 Noções básicas
Sistema e quadros NC Definir quadros

O seguinte exemplo descreve a aplicação da função Limite de quadros.

Aplicativo
Todos os furos com direções dentro do limite do ângulo definido devem ser combinados em
uma lista de tarefas única.

Procedimento
1. Crie as listas de tarefa correspondentes e defina o Limite de quadros necessário para o
respectivo Sistema NC através da especificação do intervalo do ângulo máximo permi-
tido para os eixos de rotação (consulte a descrição acima).
2. Utilize a função Mapeamento de funcionalidades. Habilite a função Usar apenas furo
genérico para esse fim. O hyperMILL cria uma lista de Furos genéricos que correspon-
dem às condições de mapeamento definidas.
3. Depois selecione todos os Furos genéricos com o mesmo diâmetro e selecione a fun-
ção Aplicar macro a partir do menu de atalho.
4. No banco de dados de macros, selecione a lista de tarefas com o limite de quadros
desejado, habilite a opção Verificar quadro e clique em Aplicar.

Resultado
Todas as tarefas cuja orientação da funcionalidade fica dentro do intervalo de ângulo
máximo definido serão incluídas na lista de tarefas selecionada.
Será criada uma nova lista de tarefas para todas as tarefas cuja orientação da funcionali-
dade fica fora do limite de quadros definido.

Geral

Informações de quadro
Insira Nome, ID (número da ID) e, se necessário, um Comentário. Todas as entradas tam-
bém podem ser alteradas posteriormente na estrutura de árvore da lista de quadros.
Plano de folga global: plano de folga do quadro. Para alterar o valor padrão, insira um novo
valor, clique com o botão direito no lado esquerdo do cabeçalho da caixa de diálogo e sele-
cione a opção Salvar como padrão no menu de atalho.

3-20 hyperMILL
Noções básicas
Definir quadros Sistema e quadros NC 3

Se você modificar um quadro no futuro, verifique novamente todas as tarefas


que usam o quadro.
Um quadro não se move de acordo com as especificidades das tarefas. Ao
invés disso, as operações de tradução para o quadro são adotadas na defini-
ção de quadro e portanto em todas as tarefas que usam o quadro.

Origens
Influencie sua saída NC ao definir as origens.
Realize correções de precisão ou tolerância para uma área específica da peça a ser usi-
nada, bem como ajustes precisos de posição.
Cada ponto zero é identificado por uma única ID. A ID é traduzida para instruções NC
durante o pós-processamento utilizando uma tabela de origem.
Para mais informações sobre esse ponto, entre em contato com seu parceiro OPEN MIND.

Defina uma origem


1. Na página de diálogo Configuração para a lista de trabalhos, selecione a opção Permi-
tir várias origens.
2. No navegador hyperMILL, mude para a página de diálogo Quadros e selecione a
opção Nova origem no menu de atalho. Especifique o Sistema de referência e o Ponto
zero.
3. Na página de diálogo Geral, defina o Nome e a ID. Salve suas entradas.
A nova origem aparece como uma entrada no navegador do quadro. Se essa origem estiver
atribuída a uma tarefa como uma origem ativa, também será exibida na caixa de diálogo de
tarefa (página de diálogo Transformação).
Utilize o Número máx. de origens (página de diálogo de documento da caixa de diálogo de
configuração hyperMILL) para definir o número máx. permitido de origens.

Atribuir uma origem a uma tarefa


1. Na Definição de tarefas, mude para a página de diálogo Transformação.
2. Selecione a origem solicitada na lista em Origem de saída ou clique no ícone (1) para
definir uma nova origem ou no ícone (2) para editar uma origem.

Origem de saída

A Origem de saída ativa é exibida como feedback gráfico na janela CAD.

Exemplo de utilização
Fresamento de contorno em modelo 3D - Transformações
Para usinar um contorno em quatro lados diferentes de um cubo em uma tarefa, por exem-
plo, você apenas tem que programar isso em um lado. Os outros três lados do cubo são usi-
nados automaticamente por transformação. Para fazer isso na definição de tarefa, proceda
do seguinte modo:
1. Crie uma origem para cada lado a ser usinado. Em seguida crie um quadro para cada
origem usando o menu de atalho Novo quadro a partir da origem.
2. Crie as configurações necessárias em cada uma das caixas de diálogo de tarefa. Cer-
tifique-se de que o quadro correto (definido para o contorno) está configurado na área
Ferramenta > Quadro. Em seguida, mude para a página de diálogo Transformação.

hyperMILL 3-21
3 Noções básicas
Sistema e quadros NC Funções no menu de atalho: sistemas de coordenadas

3. Defina um Padrão geral em que você especifica cada um dos quadros definidos ante-
riormente (com base na origem) como o sistema de referência alvo. Mude para a
página de diálogo Transformação da definição de tarefas, defina a transformação para
Ativo, desabilite a opção Manter tarefa original e selecione a opção Usar quadro de
tarefa em Referência inicial.
No cálculo seguinte, o hyperMILL transforma o contorno definido em um dos lados do cubo
para os outros três lados do cubo e desse modo permite a usinagem completa de todos os
lados do cubo em uma única tarefa.

Leve em consideração que você necessita de uma licença especial para utilizar
essa função. Entre em contato com seu revendedor OPEN MIND.

Saída NC

O NCS e o quadro ficam em um plano


Utilizando o hyperMILL, é possível criar uma Saída NC nessas situações sem mudar os pla-
nos de trabalho mesmo ao utilizar pós-processadores de indexação.
Todos os pontos do percurso da ferramenta (coordenadas) se referem à origem/NCS ativa.
Além disso, os eixos Z do NCS e o quadro da tarefa devem ter a mesma direção.
Se você pretende ter esse tipo de saída NC, entre em contato com seu parceiro OPEN
MIND, que terá todo o prazer em ajudar você a habilitar essa nova saída.

Mudar de planos de trabalho para transformações no plano


Utilizando o hyperMILL, é possível forçar as tarefas com transformações para alternar para
um plano de trabalho diferente para cada tarefa criada por uma transformação se todas
essas transformações estiverem no mesmo plano que o quadro da tarefa.
Se o quadro da tarefa e o NCS estiverem no mesmo plano e uma saída NC já tiver sido
habilitada para o NCS, então essa opção não estará disponível. Entre em contato com seu
parceiro OPEN MIND para tratar esse assunto.
Para obter informações adicionais sobre transformações, consulte a seção Transformações.

Funções no menu de atalho: sistemas de coordenadas


Novo quadro: cria um novo quadro.
Nova origem: cria uma nova origem.
Nova origem a partir do quadro: cria uma nova origem baseada no quadro atual.
Editar...: edita o sistema de coordenadas selecionado.
Copiar, Cortar, Colar, Excluir: as entradas são gerenciadas no modo padrão do Windows.
Configurar plano de trabalho: configura o plano de trabalho para o quadro/a origem atual.
Configurar plano de trabalho de torneamento: configura o plano de trabalho para o quadro/a
origem atual para tarefas de torneamento.
Gerar entidades gráficas: gera elementos CAD não associativos para exibição do sistema
de coordenadas (por exemplo, para esboços 2D). Se o quadro for alterado, os elementos
devem ser excluídos manualmente e gerados novamente.
Mensagens: exibe mensagens (notificações, erros e avisos) referentes à entrada selecio-
nada.
Utilização:: exibe tarefas em que o elemento selecionado é usado.
Configuração hyperMILL: abre a caixa de diálogo para inserção das configurações básicas
do hyperMILL.
Feedbacks/Nenhum feedback: ativa/desativa o feedback para o sistema de coordenadas
selecionado atualmente.

3-22 hyperMILL
Noções básicas
Noções básicas Transformações 3
Transformações
Reprodução e posicionamento de percurso de ferramenta para fabricação de peças idênti-
cas ou semelhantes.

Noções básicas
Uma transformação é um movimento relativo dentro de um sistema de coordenadas de refe-
rência. O ponto inicial é uma referência de início (um sistema de coordenadas inicial) e o
ponto final é uma referência alvo (um sistema de coordenadas alvo). O movimento pode
incluir um movimento de rotação e/ou linear.

Rotação ao redor do eixo X: 45°,


Referência alvo rotação ao redor do eixo Z: - 45°

Movimento nas direções X, Y e Z com rotação


do eixo

Referência de início

Vantagens
• Tempos de programação significativamente menores em geometrias idênticas e/ou
semelhantes
• Associação da transformação quando a geometria é alterada
• Flexibilidade como resultado da desativação parcial da conexão direta entre o ele-
mento base e o elemento transformado
• Nenhuma limitação para usinagem 2D, 3D e 5X
O hyperMILL suporta os padrões espelhamentos, linear, circular e geral.

É possível utilizar funções de controle NC (p. ex. deslocamentos do ponto zero,


subprogramas, etc.). Contudo, essas funções precisam que o pós-processador
seja ajustado especificamente. Entre em contato com seu revendedor OPEN
MIND.

As transformações adicionam uma regra de transformação ao percurso da ferramenta cal-


culado. O hyperMILL não desloca nem copia o percurso da ferramenta para a posição alvo
mas apresenta as tarefas resultantes e as tarefas copiadas na forma de feedback gráfico.

hyperMILL 3-23
3 Noções básicas
Transformações Exemplos

O controle NC é apresentado exatamente do mesmo modo como se as tarefas


tivessem sido criadas normalmente e tivesse sido utilizado um quadro indepen-
dente para cada uma. Como resultado, os movimentos de posicionamento
podem ocasionalmente ocorrer em máquinas de 5 eixos durante a utilização de
eixos de rotação.

Exemplos
Padrão circular no plano com pós-processador 3D (sem pós-processador de índice)
O pós-processador mapeia o sistema de quadro de todas as cópias do NCS e cria vínculos
rápidos no plano de folga das tarefas.
Padrão circular no plano com pós-processador de 5 eixos
Dependendo das configurações, o pós-processador apresenta uma orientação de mesa/
cabeça diferente para cada posição, se necessário. Entre todas as cópias ocorrem movi-
mentos adicionais que correspondem a uma lógica de posicionamento seguro da máquina.

Os movimentos de vinculação criados pelo pós-processador não são verifica-


dos quanto a colisões relativamente ao modelo 3D. Por essa razão, você tem
que garantir que o plano de folga está acima de todos os elementos relevantes
para a colisão.

Usar ID de quadros para pós-processadores


Se o seu pós-processador exigir que você defina uma ID ou um comentário para um quadro,
o seu pós-processador é incompatível com os percursos das ferramentas criados com a
função Transformação do hyperMILL.
Por esta razão, use apenas percursos de ferramentas sem transformações para estes pós-
processadores.
Estruturação de saídas NC
Relativamente a percursos de ferramentas recorrentes que tenham sido criados usando
transformações, normalmente não são fornecidas saídas NC simplificadas (por exemplo, na
forma de subprograma ou do subprograma que se repete).
Se você pretender uma saída NC simplificada adequada, entre em contato com seu reven-
dedor OPEN MIND. Leve também em consideração que poderá ser necessário o paga-
mento de uma taxa para melhoramentos do pós-processador.

Para percursos das ferramentas geradas por uma transformação, apenas será
realizada uma verificação de segurança com uma tolerância de 0,05 mm. As
colisões com uma sobreposição suficientemente pequena podem não ser reco-
nhecidas em determinadas circunstâncias. Verifique cuidadosamente as condi-
ções geométricas e os parâmetros da transformação cantes da usinagem. Esta
restrição não se aplica ao espelhamento.

Definição de transformações
As transformações são definidas em dois passos:
Etapa 1: defina os parâmetros básicos.
Etapa 2: defina os parâmetros de fabricação.

Definir parâmetros base:


No navegador do hyperMILL, mude para a guia Quadros e selecione a transformação dese-
jada no menu de atalho da área Transformação.

Definição dos parâmetros de fabricação


Aplique uma transformação na tarefa. Para isso, acesse a página de diálogo Transformação
na definição de tarefa e marque a caixa de seleção Ativar.

3-24 hyperMILL
Noções básicas
Exemplos Transformações 3
Seleção: selecione o tipo de transformação, depois selecione uma transformação.

(1) Selecione uma transformação.

(2) Crie uma nova transformação.

Para os percursos de ferramenta gerados por uma transformação, nenhuma


verificação de segurança precisa será executada.
As colisões com uma sobreposição suficientemente pequena não podem ser
reconhecidas em determinadas circunstâncias.
Verifique cuidadosamente as condições geométricas e os parâmetros da trans-
formação antes da usinagem.

Padrão linear
Utilize um padrão linear em uma tarefa, tarefa composta ou tarefa de vinculação.

Geral
Especifique um Nome e Comentário.

Padrão
Direção X/Direção Y: define a direção do padrão.
Estrutura: se a opção Distância fixa estiver selecionada, o Número de elementos definidos e
a Distância especificada entre cada elemento serão levados em conta ao criar uma transfor-
mação. Se a opção Ajustar elementos for selecionada, o Número de elementos definidos
será ajustado ao Comprimento de todo o padrão.

Definição dos parâmetros de fabricação


Referência inicial
Aqui, você pode especificar o sistema de coordenadas inicial utilizado como base para o
movimento relativo da transformação (consulte também a seção Noções básicas).
Se pretender utilizar o quadro da tarefa como referência de início, habilite a opção Usar qua-
dro de tarefa. É exibido o quadro em utilização.
Se você desabilitar a opção Usar quadro de tarefa, você poderá utilizar quadros e origens
como referência.
Referência alvo
Aqui, você especifica o sistema de coordenadas alvo utilizado como base para o movimento
relativo da transformação (consulte também a seção Noções básicas).
Se pretender utilizar a referência de início como uma referência alvo de base, habilite a
opção Usar referência de início. É exibido o quadro em utilização.

Exemplos de utilização
Exemplo 1:
O gráfico abaixo apresenta um exemplo de utilização de um padrão linear para o qual a
referência de início corresponde à referência alvo de base. Consequentemente, a progra-
mação ocorre no mesmo local da usinagem posterior.
Ciclo: fresamento de cavidade 2D, padrão: direção X, estrutura: distância fixa, número de
elementos: 3, distância: 50, parâmetros de fabricação: a referência alvo corresponde à refe-
rência inicial.

hyperMILL 3-25
3 Noções básicas
Transformações Exemplos

A opção Número de elementos leva sempre em conta o elemento base. Por


outras palavras, 2 transformações e 1 elemento base = 3 elementos.

Exemplo 2:
O gráfico abaixo apresenta um exemplo de utilização de um padrão linear para o qual a
referência alvo de base não corresponde à referência de início. Consequentemente, a pro-
gramação não ocorre no mesmo local da usinagem posterior.
Ciclo: fresamento de cavidade 2D, padrão: direção X, estrutura: distância fixa, número de
elementos: 3, distância: 50, parâmetros de fabricação: a referência alvo (2) não corresponde
à referência inicial (1).

Padrão circular

Você pode um padrão circular em uma tarefa, tarefa composta ou tarefa de vin-
culação.

3-26 hyperMILL
Noções básicas
Exemplos Transformações 3
Definir parâmetros base

Geral
Especifique um Nome e Comentário.

Padrão
Para definir um padrão especifique primeiro o tipo de eixo. Para o fazer, estão disponíveis
as opções Pontos (ponto inicial e ponto final), Eixo do cilindro ou Linha.
A seguir, determine o layout do padrão. Se você selecionar a opção Ajustar para ângulo
total, o percurso da ferramenta é reproduzido como um padrão circular, levando em conta o
número de elementos e o ângulo total. Se você selecionar a opção Ângulo de passo fixo, o
percurso da ferramenta é reproduzido como um padrão circular, levando em conta o ângulo
do passo definido e o número de elementos.

Definição dos parâmetros de fabricação


Para obter informações sobre os parâmetros Referência inicial e Referência alvo, consulte a
seção Definição dos parâmetros de fabricação.

Exemplo de utilização
O gráfico abaixo apresenta um exemplo de utilização de um padrão circular para o qual a
referência inicial corresponde à referência alvo. Consequentemente, a programação ocorre
no mesmo local da usinagem posterior.
Ciclo: fresamento de cavidade 2D, padrão: ajustar para o ângulo total, número de elemen-
tos: 6, ângulo total: 360, parâmetros de fabricação: a referência alvo corresponde à referên-
cia inicial, (1) ponto inicial (eixo), (2) ponto final (eixo).

Padrão geral

Você pode utilizar um padrão geral em uma tarefa, tarefa composta ou tarefa
de vinculação.

Geral
Especifique um Nome e Comentário.

hyperMILL 3-27
3 Noções básicas
Transformações Exemplos

Padrão
Adicionar sistema de referência de alvos.

(1) Defina a referência alvo por quadro.

(2) Defina a referência alvo por plano.


Referência alvo 1: especifique um nome para a referência alvo.
Se necessário, mais tarde você pode:

(1) Alterar as orientações dos eixos X e Z.

(2) Alterar a origem.

(3) Alterar o quadro.

,
(1) Mova a referência alvo para o início da sequência de usinagem
(2) Mova a referência alvo para cima da sequência de usinagem
(3) Exclua a referência alvo
(4) Mova a referência alvo para baixo da sequência de usinagem
(5) Mova a referência alvo para o fim da sequência de usinagem

Definição dos parâmetros de fabricação


Manter tarefa original: o percurso da ferramenta no qual a transformação se baseia não se
altera. Para obter informações sobre a referência de início, consulte a seção Definição dos
parâmetros de fabricação.

Exemplo de utilização
O gráfico abaixo apresenta um exemplo de utilização de um padrão geral para o qual a refe-
rência de início não corresponde à referência alvo de base. Consequentemente, tal como a
usinagem posterior, a programação ocorre em outro local.
Ciclo: fresamento de contorno 2D no modelo 3D, (1) referência inicial, (2) referência alvo 1,
(3) referência alvo 2.

3-28 hyperMILL
Noções básicas
Exemplos Transformações 3

Grampeamento múltiplo/Usinagem com cubos de grampeamento


As transformações do hyperMILL suportam usinagem com cubos de grampeamento e
grampeamento múltiplo desde que a saída de dados NC possa ser referenciada em uma
origem comum (NCS) ou em uma origem de usinagem comum.
Se pretender que tabelas de origem ou outras funções de controle sejam suportadas, entre
em contato com seu parceiro OPEN MIND. De maneira a suportar essas funções precisa-
mos organizar uma conferência especial, definir um cubo de grampeamento adaptado e
modificar o pós-processador.

Espelhamento
Esse tipo especial de transformação espelha a geometria base. O pré-requisito para uma
utilização de espelhamento apropriada no hyperMILL corresponde à simetria da peça em
utilização.
Em seguida o hyperMILL calcula novos percursos de ferramenta com base na geometria
espelhada.
Vantagens
• Associação total entre a geometria base e o elemento espelhado (tarefa, tarefa com-
posta ou lista de tarefas)
• Nenhuma limitação para usinagem 2D, 3D e 5X
• Flexibilidade como resultado da desativação parcial da associação direta entre o ele-
mento base e o elemento espelhado
• Retenção de parâmetros de tecnologia (como subida automática, macros automáticas
ou movimentos de vinculação otimizados) no espelhamento
• Possibilidade de combinação de padrões

O espelhamento das tarefas de torneamento não é mais possível a partir da


Versão 2017.2 devido a um risco de colisão. Isso também se aplica ao modo
de furação Torneamento em ciclos de furação.

Você pode usar um espelhamento em uma tarefa, tarefa composta ou lista de tarefas.
Durante o espelhamento de usinagens de curva nos ciclos Fresamento de Contorno 2D,
Fresamento de Percurso Livre 3D e Torneamento 5X, é desenhado um elemento de distin-
ção quer a usinagem ocorra para o lado do contorno (opções: esquerda/direita) quer no
contorno (opção: No contorno).

hyperMILL 3-29
3 Noções básicas
Transformações Exemplos

Quando a usinagem é executada no contorno, a curva é espelhada com a inclusão do ponto


inicial para garantir uma remoção de material geometricamente simétrica; consulte a figura
(1).
Quando a usinagem é executada no lado do contorno, a direção do contorno é invertida
durante o espelhamento para garantir uma subida igual para o contorno na usinagem espe-
lhada; consulte a figura (2).

Definir parâmetros base

Geral
Introduza um nome e, se necessário, um comentário adequado.

Espelhamento
Você pode utilizar as opções Nível, Três pontos ou Linha e Ponto para definir um espelha-
mento.

Selecione os elementos geométricos.

Inverta a normal para face.

Definição dos parâmetros de fabricação


Habilite a opção Copiar para criar um espelhamento do elemento original (tarefa, tarefa
composta ou lista de tarefas). No navegador do hyperMILL é criada uma cópia espelhada
do elemento original, sendo essa associada ao original.
Consequentemente, todos os parâmetros passam a apresentar uma tonalidade cinza nas
tarefas espelhadas e não podem ser editados diretamente.
Como resultado da vinculação (associação) direta entre a tarefa original e a cópia espe-
lhada, todas as alterações à tarefa original também são levadas em conta na cópia durante
a execução do novo cálculo.

Em processos de usinagem espelhados (página de diálogo Transformação >


Parâmetros de fabricação > Copiar), você pode anular a associação de todos
os parâmetros com a tarefa original e ajustá-los individualmente!
Clique com o botão direito do mouse na localização adequada da caixa de diá-
logo sombreada e selecione Desvincular.

3-30 hyperMILL
Noções básicas
Exemplos Transformações 3
O parâmetro agora pode ser editado diretamente na cópia da tarefa. A associação entre as
duas tarefas é restaurada utilizando a função Vincular.

Exemplos de utilização
Exemplo 1:
O gráfico abaixo apresenta um exemplo de utilização de um espelhamento. Aqui, um com-
ponente é espelhado em uma peça. O espelhamento é definido em uma ou mais tarefas em
uma lista de tarefas.
Ciclo: usinagem residual 3D, (1) tarefa original, (2) plano de espelhamento, (3) tarefa espe-
lhada.

Exemplo 2:
O gráfico abaixo apresenta também um exemplo de utilização de espelhamento. Contudo,
esse gráfico apresenta uma peça totalmente espelhada. O espelhamento é definido no nível
da lista de tarefas.
(1) peça, (2) peça espelhada (3) plano de espelhamento, (4) dispositivos de fixação

Os comentários de listas de tarefas são transferidos para uma nova lista de


tarefas espelhada quando é criado um espelhamento.

hyperMILL 3-31
3 Noções básicas
Transformações Exemplos

Espelhamentos e modelos de peças em bruto


Modelos de peça em bruto que devem ser refletidos têm que estar no formato *. . Espelha-
mento de listas de tarefas que utilizam modelos de peças em bruto:
1. Na página de diálogo Espelhamento da lista de tarefas, selecione o plano de espelha-
mento e habilite a opção Copiar para criar uma cópia (espelhada) da lista de tarefas já
definida por você.
2. Na página de diálogo Dados de modelo da lista de tarefas espelhadas, defina o modelo
de peça em bruto que deseja utilizar para o espelhamento. Para isso, use o modelo de
peça em bruto resultante da lista de tarefas original.
3. Atribua esse modelo de peça em bruto à primeira tarefa apresentada na lista de tarefas
e habilite a opção Gerar peça em bruto resultante. Para obter informações sobre a defi-
nição de uma peça em bruto, consulte a seção Definição de modelos de peça em
bruto.
4. Verifique o status de tarefa das tarefas apresentadas na lista de tarefas e calcule a lista
de tarefas espelhada.

Espelhar peça em bruto resultante


A peça em bruto resultante também é espelhada (lista de tarefas > espelhar) durante o
espelhamento se a função Parâmetro de fabricação > Copiar estiver ativada.

Espelhar cadeia de peça em bruto


Uma cadeia de peça em bruto também é espelhada (lista de tarefas > espelhar) durante o
espelhamento se a função Parâmetro de fabricação > Copiar estiver ativada.

Funções no menu de atalho: transformações


Novo espelhamento: define um novo espelhamento.
Novo padrão linear, Novo padrão circular, Novo padrão geral: crie um novo padrão linear,
circular ou geral.
Editar...: editar as definições para a entrada selecionada atualmente.
Copiar, Cortar, Colar, Excluir: as entradas são gerenciadas no modo padrão do Windows.
Mensagens: exibe mensagens (notificações, erros e avisos) referentes à entrada selecio-
nada.
Utilização:: exibe tarefas em que o elemento selecionado é usado.
Configuração hyperMILL: abre a caixa de diálogo para inserção das configurações básicas
do hyperMILL.
Feedbacks/Nenhum feedback: ativa/desativa o feedback para a transformação selecionada.

3-32 hyperMILL
Noções básicas
Ferramentas externas Definir ferramentas 3
Definir ferramentas
Estão disponíveis um banco de dados externo e um banco de dados de documentos para
gerenciar ferramentas. As ferramentas armazenadas no banco de dados externo têm o
nome de ferramentas externas. As ferramentas armazenadas no banco de dados de docu-
mentos têm o nome de ferramentas de documentos.

Ferramentas externas
As ferramentas padrão relativas a tarefas de fabricação são armazenadas no banco de
dados de ferramentas OPEN MIND externo em conjunto com todos seus dados específicos
como, por exemplo, número da ferramenta, tipo de usinagem, etc. Durante a definição de
ferramentas na programação CAM, você pode acessar o banco de dados de ferramentas
OPEN MIND em qualquer altura para importar as ferramentas adequadas para o documento
atual. O banco de dados de ferramentas OPEN MIND externo é exibido na caixa de diálogo
Configurações hyperMILL, página de diálogo Banco de dados. Esse pode ser um banco de
dados de aplicativos ou um bancos de dados de usuários/global. Também é possível encon-
trar informações associadas na seção Banco de dados e no manual de instalação. Para
obter mais informações sobre o banco de dados de ferramentas externo, consulte o capítulo
Banco de dados de ferramentas OPEN MIND.

Ferramentas de documentos
Se o banco de dados externo não contiver uma ferramenta de que você necessite, pode
defini-la como uma nova ferramenta de documento no documento atual (arquivo de
modelo). As ferramentas de documento são armazenadas em lista na página de diálogo
Ferramentas do navegador do hyperMILL, nas seções Ferramentas de fresamento, Ferra-
mentas de furação e Ferramentas de torneamento.
Clique na página de diálogo Ferramentas para mostrar todas as guias disponíveis do nave-
gador do hyperMILL. Habilita as opções de visualização desejadas.

Ícones no navegador de ferramentas:

Ocultar ferramentas (ferramentas de fresamento, furação, torneamento) como


uma lista no navegador.

Mostrar ferramentas (ferramentas de fresamento, furação, torneamento) como


uma lista no navegador.

Ferramenta de documento (local)

A ferramenta é vinculada ao banco de dados externo e atualizada.

A ferramenta é vinculada ao banco de dados externo. Atualização necessária.

Vínculo quebrado com o banco de dados de ferramentas externo.

Essa ferramenta apresenta um aviso.

Selecione a ferramenta NC no banco de dados de ferramentas externo.

Todas as ferramentas são identificadas por uma ID exclusiva. Certifique-se de


atribuir uma ID exclusiva a cada nova ferramenta NC definida.

hyperMILL 3-33
3 Noções básicas
Definir ferramentas Ferramentas de documentos

Definir uma ferramenta no navegador do hyperMILL


Passe para a guia Ferramentas e escolha Novo > [Tipo de ferramenta] no menu de atalho.
Defina todos os parâmetros necessários na caixa de diálogo de introdução Editar [tipo de
ferramenta]. Certifique-se de que a ferramenta apresenta uma ID exclusiva (seção Geral).
Clicar nas linhas Fuso, Suporte, Extensão ou Ferramenta habilita as funções de seleção e
edição dos componentes. Feche a caixa de diálogo quando todas as entradas tiverem sido
efetuadas. A ferramenta é apresentada na lista de Ferramentas de documentos e pode ser
selecionada durante a definição de tarefas.
Edite ícones na caixa de diálogo do tipo de ferramenta:

Exporte ferramenta NC, ferramenta, fuso ou suporte para o banco de dados de


ferramentas externo.

Edite a ferramenta.

Especifique a geometria dos componentes (Fuso, Suporte, Extensão) no sis-


tema CAD utilizando a função Seleção de contornos.

Selecione o fuso ou suporte a partir do banco de dados de ferramentas


externo.

Selecione o suporte da ferramenta a partir do banco de dados de ferramentas


externo.

Selecione a ferramenta no banco de dados de ferramentas externo.

Selecione a extensão no banco de dados de ferramentas externo.

Insira a extensão no banco de dados de ferramentas externo.

Defina o suporte ou a extensão no hyperMILL TOOL Builder.

Edite a geometria de um componente (fuso, suporte, extensão) no editor de


geometria. Para obter informações sobre o Editor de geometria, consulte a
seção O editor de geometria

Remova o componente do conjunto.

Desvincule a ferramenta do banco de dados de ferramenta externo.

Vincule a ferramenta novamente ao banco de dados de ferramenta externo.

Atualize o estado da ferramenta.

Mostre a diferença entre a ferramenta local e a ferramenta no banco de dados


de ferramenta externo.

Atualize a ferramenta com dados do banco de dados de ferramenta externo.

Edite líquidos refrigerantes

3-34 hyperMILL
Noções básicas
Ferramentas de documentos Definir ferramentas 3

Você pode editar e salvar ferramentas de documentos no documento mesmo


que não tenha definido um banco de dados externo (válido).

Definir uma ferramenta no navegador do hyperMILL


Na guia Ferramentas apresentada na seção abaixo (Ferramentas de torneamento), clique
com o botão direito do mouse e escolha Novo > [Tipo de ferramenta] no menu de atalho. Na
caixa de diálogo Nova ferramenta de torneamento:

Selecione um Inserto no banco de dados de ferramentas externo ou defina um


novo.

Selecione um Suporte de ferramenta no banco de dados de ferramentas


externo ou defina um novo.

Conjuntos de parâmetro e configuração do ponto de corte (ferramentas de


torneamento)
Especifique os parâmetros de ferramentas para ferramentas de torneamento como Ângulo
da ferramenta, Referência da Ferramenta e Posição de corte selecionando os conjuntos de
parâmetros solicitados. Para obter mais informações, consulte a seção Configuração do
ponto de corte (ferramentas de torneamento).

Se posição da borda de corte e a posição no arquivo NC tiverem que ser saída,


o pós-processador deve ser ajustado. Entre em contato com seu parceiro
OPEN MIND.

Defina todos os parâmetros necessários na caixa de diálogo Editar ferramenta de tornea-


mento. Certifique-se de que a ferramenta apresenta uma ID exclusiva (seção Geral).
Feche a caixa de diálogo quando todas as entradas tiverem sido efetuadas. A ferramenta é
apresentada na lista de Ferramentas de documentos e pode ser selecionada durante a defi-
nição de tarefas.
Informações sobre:

Parâmetros de geometria das ferramentas NC consulte a seção Parâmetros de geome-


tria
Parâmetros de tecnologia das ferramentas NC consulte a seção Parâmetros de tecno-
logia
Configuração do ponto de corte das ferramentas no capítulo Configuração do ponto de
de torneamento corte (ferramentas de torneamento)

Definir uma ferramenta em uma tarefa


Acesse a guia Tarefas, crie uma tarefa e depois acesse a página de diálogo Ferramentas.

Ferramenta
Selecione o Tipo de ferramenta (1) e uma Ferramenta definida (2).

hyperMILL 3-35
3 Noções básicas
Definir ferramentas Ferramentas de documentos

Ícones na caixa de diálogo de ferramentas:

Selecione a ferramenta NC no banco de dados de ferramentas externo.

Criar uma nova ferramenta de documento

Editar uma ferramenta de documento

Habilitar a visualização 3D para a ferramenta

Mostrar geometria de ferramenta definida livremente

Definir o quadro

Alterar o quadro

Limite de velocidade do fuso.

Definir os parâmetros de tecnologia usando uma fórmula

Perfil de corte
Os parâmetros do perfil de corte estão definidos no banco de dados de ferramentas externo,
na página de diálogo Tecnologia. Informações na seção Dados de tecnologia.
Uso: se o material definido no Perfil de corte da ferramenta for diferente daquele na lista de
tarefas, então os valores predefinidos serão usados para os parâmetros de corte (Inva-
riante).
Se o mesmo material for definido da forma como está na lista de tarefas e vários usos forem
definidos, então esses usos serão selecionados no Perfil de corte.
Usar fórmula: se os parâmetros de tecnologia estiverem definidos para ferramentas de
documentos através de Fórmula, a fórmula e o valor de parâmetro pertinente são exibidos e
salvos.

Localização
Para ferramentas de torneamento com Nome, selecione a localização desejada. Uma locali-
zação abrange um conjunto dos seguintes parâmetros: ângulo da ferramenta, referência da
ferramenta, posição da borda de corte e ângulo de referência. Consulte as informações na
seção Configuração do ponto de corte (ferramentas de torneamento).
Considerar raio de canto: função não habilitada (1). A distância de alimentação é baseada
no diâmetro total da ferramenta. Ao trabalhar com fresas de esferas, podem permanecer
arestas de material. Função habilitada (2): a distância de alimentação baseia-se na haste
interna da ferramenta (diâmetro da haste - 2x raio do ângulo). Arestas de material são evita-
das.

3-36 hyperMILL
Noções básicas
Ferramentas de documentos Definir ferramentas 3

Referência da ferramenta
Habilitar: marque a caixa de seleção e selecione um ponto de referência definido em Nome.
Aplica-se apenas para ferramentas de ranhura em T, para as quais dois pontos de referên-
cia (Extremidade e Parte superior do disco) estão disponíveis por padrão. Para obter infor-
mações sobre pontos de referência para ferramentas de ranhura em T, consulte a seção
Ferramenta.
Referência da ferramenta: o ponto de referência definido na caixa de diálogo da ferramenta
será exibido, mas não poderá ser editado.

Quadro
Informações na seção Sistema e quadros NC.
Ângulo livre: define o ângulo mínimo que deve ser mantido entre a inserção da ferramenta e
o percurso da ferramenta calculado (1). A definição de um ângulo livre calcula automatica-
mente o ângulo de mergulho da ferramenta. (2) Contorno de torneamento, (3) modelo de
torneamento.

Geometria livre
Usar geometria de extremidade livre para verificação de colisão: habilite se a geometria da
extremidade livre (1) e não a geometria da extremidade paramétrica (2) deve ser utilizada
para calcular o percurso da ferramenta para verificação e simulação de colisões.
(A) Função não habilitada. A geometria da ferramenta está em colisão com a geometria do
modelo.
(B) Função habilitada. Nenhum percurso de ferramenta foi criado devido à colisão da geo-
metria do modelo com a geometria da ferramenta.

hyperMILL 3-37
3 Noções básicas
Definir ferramentas Ferramentas de documentos

Importar ferramentas do banco de dados externo


No navegador do hyperMILL, mude para a guia Ferramentas/Tarefas, ou acesse a página
de diálogo Ferramenta na definição de tarefa.

Selecione a ferramenta NC no banco de dados de ferramentas externo.

Selecione a ferramenta de que necessita no navegador do banco de dados de ferramentas


OPEN MIND externo. Manter a tecla CTRL e o botão esquerdo do mouse apertados simul-
taneamente permite a você selecionar mais do que uma ferramenta ao mesmo tempo.

Na visualização de ferramenta NC do banco de dados de ferramentas externo,


todos os campos de entrada que não pertencem diretamente à ferramenta NC
são protegidos contra gravação.

Se necessário, utilize um filtro para restringir a exibição das ferramentas. Para isso,
defina as condições de filtro adequadas nas áreas Geral, Ferramenta, Suporte e Tecnolo-
gia. Clique com o botão direito do mouse, selecione Transferir para o hyperMILL no menu
de atalho e feche a caixa de diálogo.

A Ferramenta NC é exibida na lista de ferramentas de documentos e está vinculada ao


banco de dados de ferramentas OPEN MIND externo. Durante a importação de ferramentas
através do navegador do hyperMILL, é possível criar novas ferramentas na caixa de diálogo
Importar. Isso não é possível durante a importação através da definição de tarefas. Durante
a importação de ferramentas através da definição de tarefas e quando a caixa de diálogo
Importar é aberta sucessivamente, a ferramenta definida previamente já se encontra pré-
selecionada. Se, com base numa ID exclusiva, o hyperMILL ID) reconhecer que essa ferra-
menta já foi importada, será perguntado a você se pretende atualizar a ferramenta em ques-
tão.

Exportar ferramenta para o banco de dados externo


No navegador do hyperMILL, passe para a guia Ferramentas, realce a ferramenta e escolha
Exportar para o banco de dados de ferramentas no menu de atalho. Se já existir uma ID da
ferramenta no banco de dados externo, é apresentada uma caixa de diálogo (Violação de
Restrições); aqui, a ID realçada em vermelho tem que ser corrigida. A ferramenta será
depois definida de novo no banco de dados externo. Se a ferramenta contiver componentes
que já se encontrem no banco de dados externo, esses não são criados de novo. O sistema

3-38 hyperMILL
Noções básicas
Ferramentas de documentos Definir ferramentas 3
verifica se existe uma correspondência exata dos parâmetros. Se não existir uma corres-
pondência exata, as diferenças serão apresentadas numa caixa de diálogo.

É preciso uma senha quando forem executadas exportações para um banco de


dados protegido por senha. O banco de dados continua protegido por senha
após uma exportação bem-sucedida. Para uma nova exportação, você precisa
inserir a senha de novo.

Remover a vinculação ao banco de dados externo


No navegador do hyperMILL, passe para a guia Ferramentas e realce a(s) ferramenta(s).
Desvincular/Desvincular todas as ferramentas: função do menu de atalho. Desvincula o vín-
culo com o banco de dados externo. Todas as alterações posteriores à definição de ferra-
mentas serão armazenadas no banco de dados de documentos. Como alternativa ao menu

de atalho: clique duas vezes na ferramenta e clique em Status> na caixa de diálogo fer-
ramenta.

Restaurar a vinculação ao banco de dados de ferramentas externo

No caso de uma ferramenta externa no navegador de ferramentas ter sido desvincu-


lada do atual documento (função do menu de atalho Desvincular/Desvincular todas as ferra-
mentas), a vinculação ao banco de dados externo pode ser recuperada (função do menu de
atalho Vincular novamente).
Não foi transferido nenhum dado do banco de dados externo. Utilize a função de menu de
atalho atualizar a ferramenta/todas as ferramentas para isso.
Vincular novamente todas as ferramentas: vincula novamente todas as ferramentas desvin-
culadas listadas no navegador de ferramentas ao banco de dados externo.

Editar uma ferramenta no navegador do hyperMILL


No navegador do hyperMILL, passe para a guia Ferramentas. Abra a caixa de diálogo Fer-
ramenta clicando duas vezes na entrada de lista ou através do menu de atalho Editar.

Ferramenta de documento Ferramenta externa

Efetue as alterações pretendidas no


campo Geometria/Tecnologia. Clique em Geral > para atualizar ferra-
menta no banco de dados externo.

São sempre adicionados componentes Efetue as alterações pretendidas no campo


(Fuso, Suporte, Extensão) através da Geometria/Tecnologia.
sua importação do banco de dados As alterações se aplicam à ferramenta salva
externo. no documento e à ferramenta vinculada ao
banco de dados externo.

Status da ferramenta: Status da ferramenta

Editar ferramenta externa no documento

Clique em Status > para desvincular a ferramenta externa NC. Efetue as alterações
pretendidas nos campos Geometria/Tecnologia. As alterações se aplicam apenas à ferra-
menta armazenada no documento.

Atualizar ferramenta externa


No navegador do hyperMILL, passe para a guia Ferramentas e realce a(s) ferramenta(s).
Atualizar estado/Atualizar todos os estados: função no menu de atalho que atualiza o
estado da ferramenta vinculada. Esse processo também verifica se a ferramenta vinculada

hyperMILL 3-39
3 Noções básicas
Definir ferramentas Ferramentas de documentos

ainda se encontra no banco de dados externo e se a definição de ferramentas está atuali-


zada. Não é efetuada nenhuma alteração na definição de ferramentas.
Ferramenta/Atualizar todas as ferramentas: função no menu de atalho que atualiza a ferra-
menta vinculada com os dados do banco de dados de ferramentas externo. Como parte
desse processo, os dados da ferramenta vinculada são alterados caso seja necessário para
correspondência com a ferramenta do banco de dados externo. O status da ferramenta vin-
culada é depois atualizado.

A seleção de outro tipo de ferramenta pode provocar problemas em tarefas de


referência. Por esse motivo, o tipo básico de uma ferramenta NC não pode ser
modificado posteriormente.

Para obter mais informações sobre

Materiais, Materiais de Corte consulte a seção Definir material

Atribuir materiais de corte a materiais consulte a seção Atribuir materiais de corte a materiais

Tipos de ferramentas consulte a seção Definir ferramentas

Ferramentas NC consulte a seção Definir ferramentas NC

Funções no menu de atalho: ferramentas


Novo: criar uma nova ferramenta.
Editar: edita a ferramenta selecionada.

Copiar/Colar: copia a ferramenta selecionada e cola em outro documento. Se o


Número NC ou ID já existir, ele é incrementado automaticamente em 1.

Excluir: exclui a ferramenta selecionada no documento atual. Se existir uma vincula-


ção a um banco de dados externo, a ferramenta vinculada não será excluída do banco de
dados externo.
Atualizar estado / Atualizar todos os estados: atualiza o status da ferramenta selecionada
ou todas as ferramentas do documento.
Ferramenta/Atualizar todas as ferramentas: atualiza a ferramenta selecionada ou todas as
ferramentas com os dados do banco de dados de ferramenta.
Atualizar tecnologia: atualiza a ferramenta selecionada com os dados de tecnologia do
banco de dados de ferramenta. São realizadas as seguintes atualizações: registros de tec-
nologia, perfis de corte, material de corte, direção do fuso e bordas de corte.
Desvincular/Desvincular todas as ferramentas: desvincula a ferramenta selecionada ou
todas as ferramentas do documento a partir do banco de dados externo.
Vincular novamente/Vincular novamente todas as ferramentas: vincula a ferramenta sele-
cionada ou todas as ferramentas do documento com o banco de dados.
Diferença: mostre a diferença entre a ferramenta local e do banco de dados (externo). As
diferenças são destacadas com cor. Utilize os dois botões anterior e seguinte para navegar
entre as diferenças.
Exportar para o banco de dados de ferramentas: exporte as ferramentas selecionadas para
o banco de dados externo.
Carregar do arquivo: importe ferramentas de um arquivo de texto no formato *.tst ou *.xml
no documento atual do hyperMILL.
Exportar.../Exportar tudo...: exporta as ferramentas selecionadas ou todas as ferramentas
de um documento para um arquivo XML.
Mensagens... : exibição de aviso(s) armazenado(s) relativo(s) à ferramenta. Esses também
são apresentados como dicas de ferramenta na coluna Status da Lista de ferramentas.
Utilização... : exibição da ID da tarefa e do Nome da tarefa. Abra a definição de tarefas cli-
cando duas vezes.

3-40 hyperMILL
Noções básicas
Outras funções Definir ferramentas 3
O hyperMILL calcula automaticamente o comprimento correspondente da ferramenta
quando a opção de ferramenta de teste e as opções para reduzir/ampliar a ferramenta são
habilitadas (consulte a página de diálogo Configuração). O comprimento calculado da ferra-
menta é exibido na caixa de diálogo utilização.
Configuração hyperMILL...: abre a caixa de diálogo Configurações hyperMILL.
Feedback/Nenhum Feedback: mostrar/ocultar o feedback da ferramenta.
Posição de feedback: definir o ponto base relativo ao feedback no modelo CAD.

Outras funções

Definir precisão de exibição: define a precisão de exibição dos valores numéricos na


guia Ferramentas do navegador do hyperMILL. Abra o banco de dados de ferramentas
externo e selecione a entrada Precisão no menu de atalho. A precisão de exibição se aplica
a ferramentas de documentos e ferramentas externas.

hyperMILL 3-41
3 Noções básicas
Preparar geometria de fabricação Usinagem 2D

Preparar geometria de fabricação

Usinagem 2D
Você pode selecionar os seguintes contornos:
• linhas, círculos, polilinhas, splines, gráficos carregados em formato omx (fresamento
de contorno, fresamento de cavidade e furação helicoidal).
• Pontos (posições de furação)

Gerar contornos a partir dos percursos de ferramentas


As curvas extraídas a partir de percursos das ferramentas calculados anteriormente podem
ser utilizadas para os contornos 2D e como contornos de ajuda para usinagem 3D ou de 5
eixos. Para obter informações sobre a seleção de contorno, consulte a seção Selecionar
elementos.

Usinagem 3D e 5 eixos
As usinagens 3D e de 5 eixos são baseadas em um modelo CAD. Contém:
• Todas as áreas para usinagem.
• Áreas adjacentes que não destinadas à usinagem para otimizar a usinagem e a verifi-
cação de colisão.
• Linhas 2D ou 3D, contornos de limitação (limites), curvas dianteiras para perfis.

Modelo CAD
A base para a criação de um programa NC para usinagem 3D é o modelo CAD criado no
programa CAD e que consiste em superfícies e/ou superfícies e sólidos. Contém todas as
áreas que devem ser usinada, tal como áreas adjacentes que não são para usinagem de
forma a otimizar o procedimento de usinagem e a verificação de colisões. Linhas 2D ou 3D
usadas como contornos de limitação ou curvas dianteiras para perfis que são usadas no
curso da definição da tarefa.

Espaços na superfície
Certifique-se de que a criação de modelos entre superfícies adjacentes ou entre superfícies
e sólidos não contém espaços de grandes dimensões. Os espaços de grandes dimensões
na superfície podem causar mergulhos indesejados da ferramenta durante a usinagem. Os
espaços com um tamanho inferior ao raio da ferramenta utilizado não são graves.

Superfícies sobrepostas
As superfícies sobrepostas podem dar origem a áreas de material residual indesejadas.
Essas áreas não podem ser removidas pelo ciclo de Material residual automático uma vez
que não são o resultado de diâmetros de ferramenta demasiado grandes mas sim de super-
fícies que se cruzam.

3-42 hyperMILL
Noções básicas
Verificação de colisões Preparar geometria de fabricação 3

Durante e depois da criação de ciclos de usinagem, o modelo CAD não deve


ser movimentado nem deve ser alterada a sua posição espacial.

Área de usinagem

Modelo de peça em bruto: informações gerais


Um modelo de peça em bruto no formato * STL (Stereo Lithography) ou * VIS (Visicut) pode
ser definido para várias operações de usinagem. São recomendados modelos de peça em
bruto no formato *.VIS caso você necessite de maior precisão e deseje utilizar os modelos
de peça em bruto que são gerados em cálculos de modelo de peça em bruto adicionais (atu-
alização do modelo de peça em bruto).

Se um modelo de peça em bruto formatado para STL estiver sendo utilizado


para uma atualização de modelo de peça em bruto, tem que ser um sólido
fechado. Para obter informações sobre como gerar sólidos fechados para atua-
lização de modelo de peça em bruto, consulte a seção A caixa de diálogo
Modelo de Peça em bruto.
Tenha em consideração que o hyperMILL não pode exibir arquivos de peças
em bruto maiores do que 25 MB.

Verificação de colisões
O modelo de peça em bruto atualizado é verificado quanto a colisões. Isso garante que
tanto os modelos de peça em bruto localizados como calculados são sempre verificados
quanto a colisões.

Definição de modelos de peça em bruto


1. No navegador do hyperMILL, acesse a guia Tarefas e faça duplo clique para abrir a
lista de tarefas necessária. Na página de diálogo Dados do modelo, selecione a opção
Definido e selecione um modelo de peça em bruto.

2. Clique no ícone para definir um novo modelo de peça em bruto ou

3. clique no ícone para modificar um modelo de peça em bruto existente.


Como alternativa, abra a caixa de diálogo através da Definição de tarefa na página de diá-
logo Configuração ou usando o menu de atalho Nova peça em bruto na área inferior do
navegador do hyperMILL na página de diálogo Modelos.

A caixa de diálogo Modelo de Peça em bruto

Geral
Nome/Comentário: você só tem que especificar um nome se o modelo de peça em bruto se
destinar a ser criado por extração ou rotação. Um comentário descritivo pode ajudar você a
identificar o modelo de peça em bruto posteriormente.

Modo
Em geral, as seguintes opções são fornecidas para criação de modelos de peça em bruto:
Extração, Rotação, Superfícies, A partir da tarefa, Arquivo, Geometria delimitadora, A partir
da cadeia de tarefas.
Extrusão: define um modelo de peça em bruto (fechado) com base em um contorno e uma
compensação (positiva/negativa). Pode ser usado para cálculo do modelo de peça em bruto
e atualização do modelo de peça em bruto.

hyperMILL 3-43
3 Noções básicas
Preparar geometria de fabricação Definição de modelos de peça em bruto

Extrusão
Resolução: define a exatidão da resolução da curva.

Perfil: seleciona o contorno.

Compensação 1/Compensação 2: especifica a altura do modelo de peça em bruto na


direção Z (+/-).

Modo
Rotação: define um modelo de peça em bruto (fechado) com base em um contorno (aberto)
entre o ponto inicial e final ao longo do eixo de rotação. Pode ser usado para cálculo do
modelo de peça em bruto e atualização do modelo de peça em bruto.

Rotação

Perfil: seleciona um contorno aberto.


Resolução: defina a exatidão da resolução da curva.
Modo
Superfícies: define um modelo de peça em bruto em qualquer superfície selecionável a par-
tir de um modelo CAD. O modelo de peça em bruto não pode ser usado para atualização do
modelo de peça em bruto porque não é fechado.

Superfícies

Superfícies: seleciona as superfícies.

Fechar bruto e gerar uma referência de um arquivo VIS


Após a seleção da superfície, clique no ícone para usar a peça em bruto para uma atualiza-
ção do modelo de peça em bruto. O modelo de peça em bruto é fechado e um arquivo VIS
correspondente é criado. Essa função também está disponível no modo arquivo. Selecione
Modo > Arquivo e em seguida selecione o arquivo *.stl que você deve ser convertido para o
formato VIS.
Modo
A partir da tarefa: define um modelo de peça em bruto baseado no modelo de peça em bruto
fechado de uma tarefa de referência (atualização do modelo de peça em bruto). Para obter
informações sobre cálculo de modelo de peça em bruto, consulte a seção Cálculo do
modelo de peça em bruto: pré-requisito para atualização do modelo de peça em bruto.

Tarefa de referência

Selecionar tarefa de referência: clique no ícone para selecionar uma tarefa de refe-
rência. A descrição da tarefa de referência selecionada é utilizada como nome do modelo de
peça em bruto.
Selecione mm ou polegada para especificar o sistema de unidades.
Resolução: define a exatidão da resolução da curva.
Modo
Arquivo: seleciona qualquer arquivo *.STL ou *.VIS. A descrição do arquivo selecionado é
utilizada como o nome do modelo de peça em bruto.

Se o arquivo aqui selecionado tiver que ser utilizado no cálculo do modelo de


peça em bruto, o modelo de peça em bruto tem que ser um sólido fechado.

3-44 hyperMILL
Noções básicas
Definição de modelos de peça em bruto Preparar geometria de fabricação 3
O seguinte se aplica a arquivos STL que foram criados usando o Mecanismo geométrico ou
o hyperCAD: se o arquivo for usado para definir um modelo de peça em bruto, defina o
plano de trabalho para WKS antes de salvar o arquivo (Plano de trabalho > Configurar para
o mundo).
Modo
Geometria delimitadora: define um modelo de peça em bruto baseado em um modelo CAD
existente. Você pode utilizar o perfil do modelo CAD, uma caixa ou cilindro como base para
criar um modelo de peça em bruto.

Geometria delimitadora
Perfil: o perfil do modelo CAD ativo que será usado como geometria delimitadora. Nesse
caso, as superfícies existentes são giradas em torno do eixo Z do quadro selecionado. Você
pode definir uma compensação (opcional).
Caixa/Cilindro: é criada uma caixa/cilindro baseado no limite exterior do modelo carregado.
Faça duplo clique na linha Distância de tolerância para especificar uma compensação livre-
mente definível.
Em modelos de peça em bruto cúbicos, a compensação poderá ser definida para a direção
do quadro (+/-) X, Y e Z. Em modelos de peças em bruto cilíndricas, a compensação pode
ser definida como superior, inferior e shell. Quando você define um modelo de peça em
bruto cilíndrica, você também pode especificar o diâmetro externo e a altura da peça em
bruto.
Compensação global: selecione esta opção se a compensação deve ser aplicada ao
modelo de peça em bruto inteiro.
Compensação de moldagem: cria um modelo de peça em bruto de moldagem com base no
modelo CAD atual.

Superfícies: clique no ícone para selecionar as superfícies ou o sólido a ser utilizado


como base para a criação do modelo de peça em bruto de moldagem. Se necessário, defina
uma compensação.
Selecionar quadro: ao criar um modelo de peça em bruto, o quadro da lista de tarefas ou
tarefa é utilizado por padrão. Você também pode usar outro quadro ou definir um novo qua-
dro.
Calcular: inicia o cálculo do modelo de peça em bruto.
Resolução: exatidão da resolução da curva.
Depois que o cálculo é realizado, o local de armazenamento (Percurso), o sistema de medi-
ção (mm/polegadas) e a Resolução são exibidos na área do Arquivo. Você também pode
alterar esses elementos. É feita uma entrada correspondente no navegador da peça em
bruto e o modelo de peça em bruto do molde está disponível para usinagem posterior em
todos os ciclos que suportem modelos de peça em bruto.

Os modelos de peça em bruto de modelagem são sempre criados no formato


*.vis.

Modo
Tornear: selecione essa opção se o modelo de peça em bruto se destinar ao uso para Tor-
neamento e defina o modo de criação de modelo de peça em bruto.

O hyperMILL permite que você crie um modelo de peça em bruto para tarefas
de torneamento a partir de um modelo de peça em bruto para tarefas de fresa-
mento e vice-versa.

Rotação: define um perfil e eixo de torneamento (fechado) diretamente na janela de gráfico,


a partir de um modelo de peça em bruto ou de um arquivo existente.

hyperMILL 3-45
3 Noções básicas
Preparar geometria de fabricação Definição de modelos de peça em bruto

Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Criar peça em bruto de torneamento a
partir de um modelo de peça em bruto.

Opções
Peça em bruto: seleciona um modelo de peça em bruto.
Arquivo: selecione qualquer arquivo de geometria no formato *.omx ou *.stl e define o sis-
tema de medição (mm/polegada).
Quadro para eixo de torneamento: selecione o quadro para o eixo de torneamento. O eixo Z
do quadro selecionado corresponde ao eixo de torneamento da peça em bruto de tornea-
mento. Defina a resolução e uma compensação, se necessário.

Modo
A partir da tarefa: define um modelo de peça em bruto baseado no modelo de peça em bruto
de uma tarefa de referência.

Tarefa de referência

Selecionar tarefa de referência: clique no ícone para selecionar uma tarefa de refe-
rência. A descrição da tarefa de referência selecionada é utilizada como nome do modelo de
peça em bruto.
Geometria delimitadora: use uma geometria delimitadora para criar um modelo de peça em
bruto para uma tarefa de torneamento. Você pode selecionar as seguintes opções:
Perfil: o perfil do poliedro atual é utilizado para criar uma peça em bruto de torneamento
além de levar em conta qualquer compensação definida.
Cilindro: levando em conta uma compensação definida, é criada uma peça em bruto cilín-
drica com base no poliedro atual. Depois do cálculo, o tamanho da peça em bruto atual e o
tamanho da peça em bruto mínimo são apresentados na exibição da lista.
Tubo: levando em conta uma compensação definida, é criada uma peça em bruto de torne-
amento em forma de tubo com base no poliedro atual. Depois do cálculo, o tamanho da
peça em bruto atual e o tamanho da peça em bruto mínimo são apresentados na exibição
da lista.
Compensação global: selecione esta opção se a compensação deve ser aplicada ao
modelo de peça em bruto inteiro.
Se não, especifique a compensação para o superior, inferior, shell e shell interno. Defina o
diâmetro do shell interior e o diâmetro do shell exterior.

(1) Peça em bruto de torneamento, (2) Contorno de torneamento (3) Área de torneamento

3-46 hyperMILL
Noções básicas
Definição de modelos de peça em bruto Preparar geometria de fabricação 3
Modo
A partir da cadeia de tarefas: adapta a resolução para um modelo de a partir de uma cadeia
de tarefas.
Parâmetros
Define o modelo de peça em bruto inicial, o formato e a resolução do modelo de peça em
bruto resultante.

Modelo de peça em bruto inicial


Arquivo: clique em Caminho para selecionar qualquer arquivo no formato *.STL ou *.VIS.
Use a opção Peça em bruto para selecionar um modelo de peça em bruto na lista como um
modelo de peça em bruto inicial.

Modelo resultante
Selecione a opção STL (Stereo Lithography) ou VIS (Visicut) para especificar o formato do
modelo resultante e defina a resolução necessária. Os modelos de peça em bruto no for-
mato *.VIS são recomendados se você quiser uma maior precisão.
Histórico
Exibe informações sobre o modo de criação e resolução do modelo de peça em bruto criado
nas áreas Parâmetros e Cadeia de tarefas.

Cálculo do modelo de peça em bruto: pré-requisito para atualização do modelo de


peça em bruto
Os cálculos do modelo de peça em bruto podem ser realizados para listas de tarefas ou
tarefas individuais. O modelo de peça em bruto resultante é calculado com base no modelo
de peça em bruto definido previamente. Um modelo de peça em bruto resultante pode ser
reutilizado como a base para usinagem subsequente (atualização do modelo de peça em
bruto).

Cálculo do modelo de peça em bruto na definição de tarefa


Na página de diálogo Configuração da definição de tarefas, defina o modelo e o modelo de
peça em bruto e selecione a opção Gerar peça em bruto resultante.
Execução de corte negativo: prevenção de percursos vazios desnecessários nas áreas de
cortes negativos durante a indexação multieixo de peças em bruto.

Cálculo do modelo de peça em bruto através do menu de atalho


No navegador do hyperMILL, selecione a lista de tarefas ou a tarefa na guia Tarefas e use a
função Utilitários > Criar modelo de peça em bruto no menu de atalho.
A caixa de diálogo Cálculo de modelo de peça em bruto é aberta.

Peça em bruto
Arquivo: seleciona um modelo de peça em bruto fechado como peça em bruto base.
Clique em Caminho para selecionar o arquivo solicitado no formato *.STL ou *.VIS. O nome
do caminho e do arquivo são exibidos.
A partir do modelo de peça em bruto: selecione um modelo de peça em bruto definido na
lista ou defina um novo modelo de peça em bruto.

Modelo resultante
Clique em Caminho para selecionar o arquivo solicitado no formato *.STL ou *.VIS. O nome
do caminho e do arquivo são exibidos.
STL/VIS: especifique o formato de arquivo e a tolerância para o cálculo. Para precisão
média, a resolução padrão de 0,5 é adequada.
Criar modelo de peça em bruto: selecione esta opção para criar uma entrada no navegador
do hyperMILL para o modelo de peça em bruto.
Criação de modelo de peça em bruto otimizado na usinagem 5X

hyperMILL 3-47
3 Noções básicas
Preparar geometria de fabricação Definição de modelos de peça em bruto

O pré-requisito para a criação de modelos de peça em bruto otimizado é a definição do


parâmetro de comprimento de corte na definição da ferramenta da tarefa subjacente. Os
seguintes tipos de ferramenta não estão sujeitos a esse requisito: lollipop, ferramenta cilín-
drica, ferramenta de ranhura em T e ferramenta para rasgo de chaveta.
O seguinte aplica-se a ferramentas cônicas e não cônicas: se não for definido um compri-
mento de corte (o valor é 0), é utilizado o parâmetro comprimento da extremidade. O
seguinte aplica-se a fresas de topo arredondado e de esferas: se o comprimento de corte for
inferior ao raio do ângulo, é utilizado o raio do ângulo.
Cálculo rápido de peça em bruto: selecione esta opção se você precisar da criação acele-
rada de um modelo de peça em bruto.

Leve em consideração que os modelos criados dese modo não apresentam


uma exibição realista dos resultados de fresamento. Por essa razão, a opção
deve ser utilizada preferencialmente com modelos grandes, caso contrário, a
criação desses modelos de peça em bruto iria demorar muito tempo.
Essa opção não é recomendada durante a usinagem de componentes prismá-
ticos (usinagem 2.5D).

Espelhar peça em bruto


Cada espelhamento de peça em bruto é baseado em uma peça em bruto existente e na
definição de um espelhamento. Você pode espelhar os modelos de peça em bruto individu-
ais no navegador de peça em bruto ou em todos os modelos de peça em bruto em uma lista
de tarefas.

Espelhamento de modelos de peça em bruto individuais no navegador de peça em


bruto
Para espelhar ummodelo de peça em bruto:
1. Selecione o modelo de peça em bruto que você deseja espelhar no navegador de peça
em bruto e escolha a função Espelhar peça em bruto no menu de atalho.
2. Especifique o espelhamento de que necessita ou defina um novo espelhamento na
caixa de diálogo Espelhar peça em bruto. Para obter mais informações sobre a defini-
ção de espelhamentos, consulte a seção Espelhamento.
O modelo de peça em bruto espelhada é exibida no navegador de peça em bruto da
seguinte forma: <Nome da peça em bruto[espelhada]>

Espelhamento de todas as peças em bruto em uma lista de tarefas


Quando você espelha uma lista de tarefas você também tem a opção de espelhar as peças
em bruto relacionadas.
Para espelhar todos os modelos de peça em bruto de uma lista de tarefas:
1. Faça clique duplo na entrada da lista de tarefas e passe para a página de diálogo
Espelhamento.
2. Defina a função de espelhamento para Ativo e habilite a opção Copiar para os Parâme-
tros de fabricação.
3. Responda à pergunta Pretende que as peças em bruto sejam espelhadas? com Sim.
São criadas peças em bruto espelhadas para todas as peças em bruto utilizadas na lista de
tarefas. Estas são exibidas no navegador da peça em bruto da seguinte forma: <Nome da
peça em bruto[espelhada]>

3-48 hyperMILL
Noções básicas
Definição de modelos de peça em bruto Preparar geometria de fabricação 3

Leve em consideração: as peças em bruto no formato *.vis (consulte a caixa de


diálogo Peça em bruto > Arquivo) não podem ser espelhadas, como é o caso
da peça em bruto resultante, da compensação do molde e da peça em bruto
composta.
Os modelos de peça em bruto resultantes de espelhamentos (= peça em bruto
espelhada) não são associativas, por outras palavras, se a peça em bruto origi-
nal ou o plano de espelhamento for alterado, os modelos de peça em bruto não
são atualizadas.

Criar peça em bruto composta


Se você desejar usinar vários componentes em conjunto em que cada um tenha um modelo
de peça em bruto separado, você poderá mesclar os modelos de peça em bruto para formar
uma Peça em bruto composta . Um componente pode ser usinado e verificado com uma
peça em bruto composta ao mesmo tempo.
Para criar um modelo de peça em bruto composta:
1. Clique com o botão direito no navegador de peças em bruto e selecione Nova peça em
bruto composta.
2. Depois selecione as peças em bruto necessárias na lista de modelos de peça em bruto
disponíveis e confirme sua seleção.

Editar peça em bruto (dividir e limpar)


A função Editar peça em bruto pode ser utilizada para processar posteriormente a peça em
bruto resultante do cálculo de peça em bruto anterior.
1. Selecione o modelo de peça em bruto que pretende processar posteriormente e
2. selecione a função Editar peça em bruto a partir do menu de atalho.
Estão disponíveis duas funções na caixa de diálogo Editar peça em bruto.
A função Dividir peça em bruto divide o modelo de peça em bruto selecionado em escopos
independentes que surgem como resultado de uma tarefa de usinagem precedente (con-
sulte a seção Cálculo do modelo de peça em bruto: pré-requisito para atualização do
modelo de peça em bruto). Cada escopo é criado como uma nova entrada de peça em bruto
no navegador da peça em bruto (Stock[Split1].vis, Stock[Split2].vis, entre outros).
A função Limpar peça em bruto cria esses escopos de peça em bruto associados à área de
fresamento selecionada como uma nova entrada de peça em bruto no navegador da peça
em bruto (Stock[Cleaned].vis).

Criar cadeia de peça em bruto


Utilize a função Criar cadeia de peça em bruto para criar um modelo de peça em bruto resul-
tante para qualquer tarefa em uma sequência de etapas de usinagem, com base no modelo
de peça em bruto da tarefa precedente e no percurso da ferramenta da tarefa atual. Essa
função está disponível para listas de tarefas, qualquer tarefa em uma lista de tarefas, uma
tarefa individual ou tarefas compostas.
Requisitos: um modelo de peça em bruto inicial deve estar presente. Todos os percursos
das ferramentas das tarefas para as quais o modelo de peça em bruto deve ser criado
devem ter sido calculados.
Procedimento:
1. No navegador do hyperMILL, selecione as tarefas para as quais você deseja criar uma
cadeia de peça em bruto.
2. Selecione a função Peça em bruto > Criar cadeia de peça em bruto no menu de atalho.

O hyperMILL cria um objeto de peça em bruto no navegador da peça em bruto


para cada tarefa selecionada.
3. Para calcular os modelos de peça em bruto, use a função Peça em bruto > Calcular
(atualizar) no menu de atalho.

hyperMILL 3-49
3 Noções básicas
Preparar geometria de fabricação Funções no menu de atalho: Tarefas (modelos de peça em

O hyperMILL calcula os modelos de peça em bruto para cada objeto de peça em


bruto gerado. Os modelos de peça em bruto são indicados por um ícone correspondente no
navegador da peça em bruto.

Funções no menu de atalho: Modelos (modelos de peça em bruto)


Nova peça em bruto/Nova peça em bruto composta: cria um novo modelo de peça em bruto
(composto).
Espelhar peça em bruto: cria um novo modelo de peça em bruto ao espelhar o modelo de
peça em bruto selecionado.
Nova peça em bruto através de transformação: cria um novo modelo de peça em bruto ao
transformar o modelo de peça em bruto selecionado.
Editar peça em bruto: dividir ou limpar o modelo de peça em bruto selecionado.
Salvar arquivo da peça em bruto como: salva o modelo de peça em bruto selecionado no
formato *.vis.
Exibição do material residual: mostra o material residual do modelo de peça em bruto sele-
cionado.
Editar: abre a caixa de diálogo Modelo de peça em bruto e edita o modelo de peça em bruto
selecionado.
Excluir: exclui o modelo de peça em bruto selecionado.
Calcular: calcula o modelo de peça em bruto selecionado.

Mostrar interno: exibe o modelo de peça em bruto selecionado na janela de gráfi-


cos.

Mostrar apenas uma peça em bruto: mostra somente o modelo de peça em bruto
selecionado na janela de gráficos (oculta todos os outros modelos de peça em bruto).

Ocultar tudo: oculta todos os modelos de peça em bruto na janela de gráficos.


Mostrar com hyperVIEW: exibe o modelo de peça em bruto selecionado no hyperVIEW.
Mostrar somente com hyperVIEW: exibe o modelo de peça em bruto selecionado no hyper-
VIEW.
Mensagens: exibe mensagens (notificações, erros e avisos) referentes à entrada selecio-
nada.
Utilização:: exibe tarefas em que o elemento selecionado é usado.
Configuração hyperMILL: abre a caixa de diálogo Configuração hyperMILL com as configu-
rações básicas do hyperMILL.
Feedbacks/Nenhum feedback: ativa/desativa a exibição do feedback para o modelo de peça
em bruto selecionado.

Funções no menu de atalho: Tarefas (modelos de peça em bruto)


Salvar arquivo da peça em bruto como: salva o modelo de peça em bruto atual no formato
*.vis.
Calcular: calcula o modelo de peça em bruto selecionado.
Mensagens: exibe mensagens (notificações, erros e avisos) referentes à entrada selecio-
nada.
Utilização:: exibe tarefas em que a entrada selecionada (modelo de peça em bruto, modelo,
dispositivo de fixação) é usada.
Configuração hyperMILL: abre a caixa de diálogo para inserção das configurações básicas
do hyperMILL.
Feedbacks/Nenhum feedback: ativa/desativa o feedback para a área de fresamento/o
modelo de peça em bruto selecionado.

3-50 hyperMILL
Noções básicas
Lista de tarefas Estruturar projetos CAM 3
Estruturar projetos CAM
Estruture projetos CAM no navegador hyperMILL.

Lista de tarefas
O nível mais elevado de administração no navegador de tarefas do hyperMILL. Se os proje-
tos apresentarem uma estrutura simples, a lista de tarefas (programação de trabalhos) é
normalmente suficiente para incluir todas as tarefas necessárias para usinar uma peça na
sequência correta. É possível atribuir diversas listas de tarefas a um modelo CAD. Uma lista
de tarefas pode ser transferida para outros modelos CAD que possuam uma sequência de
usinagem similar.
Para obter informações sobre listas de tarefas, consulte as seguintes seções: Definição de
uma lista de tarefas, Exportar/Importar uma lista de tarefas e Configurações da lista de tare-
fas.

Tarefa
O nível mais baixo de administração no navegador de tarefas do hyperMILL. Uma tarefa do
hyperMILL é uma etapa normal da usinagem em uma lista de tarefas. As seguintes estraté-
gias de usinagem estão disponíveis para definição de tarefas: sondagem, torneamento,
furação, fresamento 2D, fresamento 3D, fresamento de 5 eixos.
Para obter informações gerais sobre definição de tarefas, consulte a seção Definição de
uma tarefa.
Para obter informações sobre as várias estratégias de usinagem, consulte as seguintes
seções: Medição, Torneamento, Furação, Usinagem 2D, Usinagem 3D e 5X usinagem.

Tarefa composta
Organize suas listas de tarefas com tarefas compostas e estruture claramente os projetos
CAM extensos. Utilize tarefas compostas para estruturar transformações ou atribuir transfor-
mações individuais a várias tarefas. Ao contrário das listas de tarefas, que permitem apenas
espelhamentos, as tarefas compostas também permitem padrões lineares e padrões circu-
lares, além de espelhamentos.
Para obter informações sobre tarefas compostas, consulte a seção Tarefas compostas.

Tarefa de vinculação
Vincule tarefas umas às outras de uma maneira que os movimentos de aproximação e retra-
ção para toda a sequência de usinagem e todos os movimentos de vinculação entre as tare-
fas individuais possam ser otimizados e monitorados para evitar colisões.
Para obter informações sobre vinculação de tarefas, consulte a seção Tarefa de vinculação.

Eventos NC
Estruture sua programação, independentemente de listas de tarefas e tarefas, com funções
e comandos específicos de controle que foram encaminhados diretamente para o pós-pro-
cessador.
Para obter informações sobre o evento NC, consulte a seção Evento NC.

Definição de uma lista de tarefas


As listas de tarefas são criadas automaticamente quando solicita um ciclo de usinagem para
uma definição de tarefa.
Para criar outra lista de tarefas no navegador hyperMILL, alterne para a guia Tarefas, clique
com o botão direito em Novo > selecione Lista de tarefas.
As configurações da lista de tarefas podem ser definidas separadamente para cada lista de
tarefas. Você tem que efetuar a configuração antes de calcular os percursos das ferramen-
tas.
Para editar, faça duplo clique na lista de tarefas ou selecione a função Editar no menu de
atalho.

hyperMILL 3-51
3 Noções básicas
Estruturar projetos CAM Exportar/Importar uma lista de tarefas

Exportar/Importar uma lista de tarefas


Salve uma lista de tarefas com todos os seus parâmetros e configurações no formato *.jst e
transfira para outros modelos CAD.
Vantagens: o arquivamento de tarefas é independente dos desenhos, da rápida programa-
ção de procedimentos ocorridos frequentemente, da transferência de tarefas para peças de
trabalho com as mesmas peças de desenho, quando a sequência de usinagem for a
mesma.

Exportar
1. Selecione lista de tarefas, em seguida selecione a função Exportar no menu de atalho.
2. Especifique as opções de exportação necessárias, bem como o nome e caminho (loca-
lização do armazenamento) do arquivo.
Incluir ferramentas/Incluir geometria/Incluir quadros: ferramentas, geometrias (limites, per-
fis) e quadros também são exportados juntamente com os parâmetros de usinagem.
Incluir referências de área de fresamento/Incluir referências de peça em bruto/Incluir refe-
rências de funcionalidades: áreas de fresamento, modelos de peça em bruto e funcionalida-
des também são exportados.

Importar
1. Use a função Novo > Carregar do arquivo no menu de atalho do navegador.
2. Selecione o arquivo *.jst e habilite as opções de importação.

As funções Exportar e Importar também estão disponíveis para as tarefas indi-


viduais em uma lista de tarefas.

Transferência direta de tarefas


Você também pode transferir as listas de tarefas ou as tarefas selecionadas diretamente
para outros modelos CAD usando as funções Copiar e Colar no menu de atalho. Ao colar
em uma lista de tarefas, selecione as opções de importação (Incluir ferramentas/Incluir geo-
metria):
Todas as ferramentas ou geometrias definidas (limites e perfis) atribuídas à tarefa são
importadas em conjunto com os parâmetros de usinagem.

3-52 hyperMILL
Noções básicas
Exportar/Importar uma lista de tarefas Estruturar projetos CAM 3
Configurações da lista de tarefas
A caixa de diálogo Lista de tarefas consiste das duas páginas de diálogo seguintes: Confi-
guração, Comentários, Dados do modelo, Espelhamento e Pós-processador.

Configuração

Lista de tarefas
Nome: Insira o nome solicitado para a lista de tarefas.

Percurso da ferramenta
Verifique o nome e o percurso padrões; altere-os se necessário.

NCS
Você tem que especificar o ponto zero do programa antes de criar o percurso da ferra-
menta. A deslocação posterior do NCS invalida os percursos de ferramenta criados anterior-
mente. Para obter informações sobre Orientação NCS, consulte a seção Sistema e quadros
NC.

Especifique o ponto zero do programa na caixa de diálogo Definir quadro.

Cálculo
Percurso central compensado: aplica-se somente ao fresamento de contorno 2D, fresa-
mento de contorno 2D em modelo 3D e aos ciclos de contorno inclinado. Consulte as infor-
mações na seção Parâmetros.

Origens
Permitir várias origens: selecione esta opção se você solicitar várias origens para usinagem
para, por exemplo, usinar um contorno nos quatro lados diferentes de um cubo com a ajuda
de transformações.

Comentários
Informações gerais sobre um projeto do hyperMILL transferido para o programa NC como
um comentário NC. Você também pode adicionar mais informações ao arquivo CAD ou na
máquina CNC para o arquivo NC definindo um prólogo na caixa de diálogo Definição da
máquina no hyperVIEW. Para obter mais informações, consulte a seção Arquivos NC.

Dados de modelo

Modelo de peça em bruto


Definição de um modelo de peça em bruto que está disponível para várias tarefas em uma
lista de tarefas. Para obter informações sobre a definição de uma peça em bruto, consulte a
seção Modelo de peça em bruto: informações gerais.

Modelo
Definição de uma área de fresamento que está disponível para tarefas múltiplas em uma
lista de tarefas. As definições são aplicáveis na visualização dos dados do modelo no hyper-
VIEW. Para obter mais informações sobre a criação de áreas de fresamento, consulte o
capítulo Área de fresamento, Área de torneamento, Área de grampeamento.

Material
A opção Definido é ativada por predefinição ao criar uma nova lista de tarefas. Na lista, sele-
cione o material que necessita para a usinagem.
Para obter mais informações sobre o modo de definição de material e material de corte no
banco de dados de ferramentas da OPEN MIND, consulte o capítulo Definir material e o
capítulo Definir utilizações da tecnologia.
Se importar uma ferramenta do banco de dados de ferramentas OPEN MIND para a defini-
ção de tarefas e se o material definido na lista de tarefas estiver também atribuído a essa

hyperMILL 3-53
3 Noções básicas
Estruturar projetos CAM Exportar/Importar uma lista de tarefas

ferramenta, defina a opção Modelo do perfil de corte em Utilização para usar os parâmetros
de tecnologia associados a essa ferramenta.

Dispositivos de grampeamento
Habilite para atribuir uma área de grampeamento a uma lista de tarefas ou para definir uma
nova área de grampeamento.

Clique no ícone para definir uma nova área de grampeamento. Para obter mais infor-
mações, consulte a seção Definição da área do dispositivo de grampeamento.

Espelhamento
Defina um espelhamento para todas as tarefas/tarefas compostas da lista de tarefas. Para
isso, marque a caixa de seleção respectiva na linha Ativo e em Seleção, escolha o espelha-
mento que você deseja.

Clique no ícone para definir um novo espelhamento.


Os comentários de listas de tarefas são transferidos para uma nova lista de tarefas espe-
lhada quando é criado um espelhamento. Para obter mais informações sobre a definição
deespelhamentos, consulte o capítulo Espelhamento.

Pós-processador
Configurações de definição de máquinas e administração de máquinas e para criar arquivos
NC no hyperMILL. Para obter mais informações sobre a criação de arquivos NC files hyper-
VIEW, consulte o capítulo Gerar programa NC.

Arquivos NC
Máquina; habilitar.

Clique no ícone para selecionar ou especificar uma nova máquina.


Diretório NC: selecione esta opção para adaptar o diretório NC para salvar os programas
NC criados para o diretório do projeto. O caminho é exibido e não pode ser alterado.
Use as configurações de documentos: habilitado por predefinição se o diretório NC estiver
selecionado. As configurações de documentos aplicam-se ao diretório NC para salvar os
programas NC criados (Configuração hyperMILL, Documento, página de diálogo Espaço de
Trabalho Global).

Desabilite a opção para definir o caminho para o diretório NC clicando no ícone.


Para obter informações sobre o diretório do projeto e o Espaço de Trabalho Global, consulte
o capítulo Documento.
Nome do arquivo NC: habilite e selecione o método de nomeação dos arquivos NC (Modo
único/Modo de pacote).
Modo único: cria um arquivo NC para cada tarefa na lista de trabalhos. Se esta opção não
estiver selecionada, as configurações da definição da máquina serão usadas.
As seguintes variáveis estão disponíveis para definir claramente um nome de arquivo:
Nome da lista de tarefas.
Nome da tarefa.
ID da tarefa.
Posição da tarefa na lista de tarefas hyperVIEW.
As tarefas e os componentes de tarefas que não devem ser pós-processados são ignorados
durante a determinação do valor de <CONTADOR>. Isso se aplica a tarefas para as quais a
opção Gerar arquivos NC na página de diálogo Geral está desabilitada ou a tarefas com-
postas que não têm qualquer tarefa para criação de NC. As tarefas para as quais a opção
gerar arquivos NC está desabilitada não estão incluídas na simulação do hyperVIEW.
Autorizar criação de nome do arquivo: por predefinição, o nome de arquivo do arquivo NC é
composto pelos seguintes elementos: Jobname_Job ID.

3-54 hyperMILL
Noções básicas
Exportar/Importar uma lista de tarefas Estruturar projetos CAM 3
Incremento para ID de Tarefa: este valor é adicionado à ID da tarefa.
Modo de pacote: todos os dados NC para a lista de tarefas selecionadas estão gravados em
um arquivo. O nome da lista de tarefas é utilizado como o prefixo do arquivo.
Início do Contador: contadores que o programa pode produzir para os nomes dos arquivos
NC. Os nomes de arquivos NC criados no modo único são numerados em sequência.
A tarefa composta é uma tarefa única: apenas disponível no modo único. Se a função esti-
ver habilitada, todas as tarefas de uma tarefa composta são salvas em um único arquivo
NC. O nome da tarefa composta é utilizado para o espaço reservado <TAREFA> do arquivo
NC.
Interpolação fina do vetor: habilitado por predefinição. A definição de uma alteração máxima
permitida do ângulo permite que a interpolação fina do vetor controlar os movimentos da
máquina no caso de mudanças no vetor.
Se você habilitar a função, o hyperMILL irá introduzir pontos intermediários no percurso da
ferramenta para evitar qualquer interpolação diferente da máquina a partir do percurso da
ferramenta calculado.
(1) Interpolação fina do vetor desabilitada. (2) Interpolação fina do vetor habilitada com o
Ângulo máx. de 5.

A OPEN MIND recomenda sempre a ativação dessa função, particularmente


em relação a máquinas sem uma grande interpolação de círculo.

Modo rápido
Padrão: movimentos de ferramenta rápidos ocorrem, como definido no ciclo.
Otimizado: selecione esta opção para evitar uma possível passagem de polo e alta acelera-
ção do eixo C para obter movimentos de deslocação rápida de usinagem 5X. De maneira
geral, os movimentos da máquina são mais suaves, mais rápidos e mais previsíveis.

hyperMILL 3-55
3 Noções básicas
Estruturar projetos CAM Exportar/Importar uma lista de tarefas

Definição de uma tarefa


Uma tarefa (passo de usinagem) contém diferentes páginas de diálogo, dependendo da
estratégia em uso. A tabela a seguir oferece uma visão geral das páginas de diálogo.

Visão Geral Resumo dos parâmetros em que os parâmetros da cópia asso-


(somente cópia asso- ciativa da tarefa diferem dos da tarefa original. Para obter infor-
ciativa de tarefa) mações sobre a cópia associativa da tarefa, consulte a seção
Cópia associativa de tarefas.

Ferramenta Defina uma nova ferramenta para usinagem ou selecione uma


ferramenta no banco de dados de ferramentas. Consulte as
informações na seção Definir ferramentas.

Contornos Defina os contornos, partes superior, inferior e os pontos inicial


e final para usinagem (Fresamento 2D) e especifique as posi-
ções de furação (Furação).

Otimização Otimize os caminhos de usinagem. Depende da estratégia de


(somente furação) furação selecionada. Consulte as informações na seção Otimi-
zação.

Estratégias de usina- Atribua a estratégia de usinagem.


gem

Parâmetros Defina os valores de alimentação, partes superior e inferior, dis-


tância de folga, plano de folga e modo de alimentação.

Limite Especifique o limite horizontal da área de usinagem (se não for


definido por uma seleção de contorno).

Macros Especificar estratégias de aproximação, retração e (se aplicá-


vel) de mergulho

5 eixos Defina estratégias e parâmetros para usinagem de 5 eixos.

Configuração Defina um modelo para a verificação de colisões. Defina um


modelo de peça em bruto para estratégias de desbaste. Especi-
fique parâmetros para verificações de ferramenta e outros parâ-
metros NC.

Funcionalidade Atribua ou defina uma nova funcionalidade. Consulte as infor-


mações na seção Criar funcionalidades.

Transformação Transformação de percursos de ferramentas para peças simé-


tricas. Consulte as informações na seção Transformações.

Geral Introduzir nome e comentários da tarefa. Configurações especí-


ficas para a tarefa para apresentar a ferramenta durante a exe-
cução pelo computador ou a simulação. Consulte as
informações na seção Caixa de diálogo de introdução: geral.

NC Defina o texto NC (instruções de controle para a máquina e


assim por diante) mais os parâmetros de máquina livre. Con-
sulte as informações na seção Caixa de diálogo de entrada: NC.

1. Para criar uma nova tarefa, use a função Novo no menu de atalho do navegador.
2. Selecione a tarefa que você deseja e especifique as configurações necessárias em
todas as páginas de diálogo.

3. Clique no ícone para salvar suas configurações e feche a definição de tarefa.


Para obter informações sobre a barra de ferramentas da caixa de diálogo Tarefa, con-
sulte a seção Funções de controle da caixa de diálogo.
Os usuários que ainda não se encontrem familiarizados com as funções dos vários ciclos
podem proceder da seguinte forma para criar uma nova tarefa:

3-56 hyperMILL
Noções básicas
Exportar/Importar uma lista de tarefas Estruturar projetos CAM 3
1. Selecione a função Nova > Tarefa... no menu de atalho do navegador.
2. Selecione o ciclo que você deseja solicitar na janela de seleção.
A parte inferior da janela oferece uma descrição curta com informações sobre como o res-
pectivo ciclo funciona. No lado direito da caixa de diálogo, uma imagem fornece informa-
ções sobre a função.

Textos em caixas de diálogo que não possam ser exibidos totalmente devido
ao seu comprimento são apresentados com reticências no final. É exibida uma
dica de ferramenta apresentando o texto completo.

Transferir parâmetros de uma definição de tarefas


Você pode transferir os parâmetros de uma tarefa definida para outra tarefa. Para isso, use
as funções Copiar e Colar no menu de atalho. Os parâmetros que não possam ser transferi-
dos logicamente são simplesmente ignorados.

Caixa de diálogo de introdução: geral


Defina os detalhes específicos da tarefa para finalidades de identificação e exibição.

Informações de tarefas
Defina o nome da tarefa.
Nome, Comentário: insira um nome e, se necessário, um comentário.
ID: o número de identificação é definido pelo sistema não muda mesmo quando a sequên-
cia de tarefas é alterada. Clique em Definir IDs das tarefas no menu de atalho da lista de
tarefas para definir novos números de ID de tarefa.

Utilização de padrões de nomes para tarefas e comentários


Utilize qualquer parâmetro de tarefas para criar padrões de nomes para nomeação de tare-
fas e comentários. Proceda da seguinte maneira:

1. Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Definir um padrão de nome e habilite
a função Usar padrão.

2. Clique no ícone em Padrão do nome para selecionar uma entrada nas áreas
Tarefa, Quadro, Ferramenta, Usinagem ou Parâmetro.
Qualquer combinação de parâmetros e texto livre é possível. As entradas selecionadas são
exibidas em uma visualização na linha Visualização.
Os valores do parâmetros que são usados alteram-se dinamicamente.
Qualquer outro parâmetro de tarefa estão disponíveis além dos parâmetros padrão disponí-
veis.

Utilização de qualquer parâmetro de tarefa no padrão de nome


Proceda da seguinte maneira para usar de qualquer parâmetro de tarefa no padrão de
nome:
1. Selecione o parâmetro na definição de tarefas.
2. Tecla CTRL + botão direito do mouse.
3. Use a função Copiar nome da propriedade para a área de transferência no menu de
atalho.
4. Na caixa de diálogo Usar padrão do nome , use a função Parâmetros > Colar nome da
propriedade a partir da área de transferência para usar o parâmetro no padrão do
nome.

hyperMILL 3-57
3 Noções básicas
Estruturar projetos CAM Exportar/Importar uma lista de tarefas

Clique no ícone para salvar o padrão do nome para esta tarefa. Você também
pode salvar um padrão de nome como padrão, consulte Funções de controle da caixa de
diálogo.
Gerar arquivos NC: habilitado por padrão. Um arquivo NC é gerado para o ciclo se a função
Gerar arquivos NC for usada no menu de atalho da tarefa no hyperMILL ou no hyperVIEW.
Desative a função se você não desejar que um arquivo NC seja gerado para o ciclo de refe-
rência respectivo em combinação com os ciclos de Usinagem de reprocessamento 3D e 5X.

Feedback da ferramenta
Se a exibição de feedback estiver ativada, a ferramenta, o suporte de ferramentas e a
cabeça da ferramenta serão exibidos por predefinição
• no ponto zero do Sistema de Coordenadas Global se a ferramenta estiver definida no
navegador.
• quadro selecionado se a ferramenta for definida diretamente na caixa de diálogo de
tarefas.
Para fins de verificação, a posição da ferramenta poderá ser realocada com base nas espe-
cificidades da tarefa. Para isso, mude para a página de diálogo Geral na caixa de diálogo de
entrada da definição de tarefas.
Ponto base: posição da extremidade da ferramenta.
Suporte de ferramentas: se estiverem definidos, a cabeça da ferramenta e o suporte da fer-
ramenta são exibidos em conjunto com a ferramenta. O feedback da ferramenta também
pode ser posicionado em qualquer local.

Clique com o botão direito no ícone e selecione Ponto e direção. O Ponto base sele-
cionado determina a posição. O ponto no eixo selecionado define a orientação da ferra-
menta.

Cores
Usar cores globais: use as definições de cores globais da caixa de diálogo Configurações
hyperMILL (Documento > Feedbacks > Cores). Desabilite essa opção se outras cores
devem ser usadas para a tarefa.
G0/G1/Colisão/Eixo da ferramenta: configure cores para movimentos rápidos de ferramenta
(G0), movimentos de alimentação (G1), eixo de ferramenta e colisões. A Configuração de
colisões só é possível para usinagens 3D e de 5 eixos.
Mostrar percursos cortados: mostra as peças dos percursos da ferramenta que estão em
colisão (cortadas). Especifique as cores para as áreas cortadas.

Tamanho da visualização
Colisão/eixo da ferramenta: especifique o tamanho da visualização do eixo da ferramenta e
do feedback visual para colisões.

Caixa de diálogo de entrada: NC

NC
Utilize esta função para introduzir blocos de texto definidos pelo usuário como instruções de
controle ou parâmetros semelhantes. Essa função exige um pós-processador devidamente
configurado.
Como o hyperMILL não realiza qualquer verificação de sintaxe ou colisão nas informações,
a função deve ser usada somente se a máquina usada puder interpretar os dados correta-
mente.
Posição: posição do texto NC no programa NC. Habilite a posição necessária e insira seu
texto diretamente na janela à direita. Use Carregar arquivo para importar informações de um
arquivo de texto para a localização selecionada. Selecione Salvar arquivo para salvar o
texto NC de todas as posições especificadas em um arquivo de texto. Selecione Editar
externo para abir um editor em que você insere seu texto NC.

3-58 hyperMILL
Noções básicas
Exportar/Importar uma lista de tarefas Estruturar projetos CAM 3
Parâmetros
Introduza mais parâmetros conforme necessário.
Exemplos:

Fim da tarefa Antes da troca de ferramentas


(Grampo final 1) (Observação: execute ciclo de medição da fer-
M0 ramenta)

(Continuar com grampo 2) (Se o diâmetro da ferramenta estiver abaixo


da tolerância, substitua-a por uma nova).

hyperMILL 3-59
3 Noções básicas
Estruturar projetos CAM Definir uma tarefa composta

Tarefas compostas
Tarefas compostas possibilitam que as listas de tarefas sejam estruturadas claramente.
Pode combinar todas as tarefas 2D, 3D ou 5X em umatarefa composta. Por exemplo, você
pode combinar uma seção de usinagem (desbaste, acabamento) em uma tarefa composta.

Tarefas Ferramentas Quadros

Workpiece_001_AM08
Desbaste
Acabamento de nível Z
Usinagem descendente
Usinagem ascendente
Usinagem de material residual

Definir uma tarefa composta


1. Use a função Novo > Tarefas compostas no menu de atalho do navegador ou
2. selecione as tarefas a serem incluídas em tarefas compostas e use a função Adicionar
às tarefas compostas no menu de atalho.
3. Especifique um nome e umcomentário para a tarefa composta.
Você também pode pressionar a tecla SHIFT para mover as tarefas para tarefas compostas.

3-60 hyperMILL
Noções básicas
Definir uma tarefa composta Estruturar projetos CAM 3
Tarefa de vinculação
Uma tarefa de vinculação contém outras tarefas que podem ser vinculadas umas às outras
de uma maneira que os movimentos de aproximação e retração para toda a sequência de
usinagem e todos os movimentos de vinculação entre as tarefas individuais possam ser oti-
mizados e monitorados para evitar colisões.

Vantagens
• Tempos de usinagem menores.
• Opção para realizar tarefas de usinagem complexas.
• Flexibilidade dos produtos aprimorada.

Requisitos
Para combinar várias tarefas em uma vinculação de tarefas, as seguintes condições devem
ser atendidas:

Usinagens 2D/3D:
• Todas as subtarefas usam a mesa ferramenta.
• São permitidos apenas espelhamentos nas tarefas secundárias, e não padrões linea-
res ou circulares.

Tarefas de torneamento
• Todas as subtarefas usam a mesa ferramenta.
• O ângulo da ferramenta e a orientação da ferramenta (Inverter ferramenta) são os
mesmos para todas as tarefas secundárias.
• São possíveis as seguintes combinações do parâmetro lado de corte nas tarefas
secundárias (consulte a página de diálogo Estratégia):

Lado de corte Usinagem Usinagem Usinagem


externa interna de planos
Usinagem externa x x
Usinagem interna x x
Usinagem de planos x x x

Usinagem 3D/5X
• Todas as subtarefas usam a mesa ferramenta.
• São permitidos apenas espelhamentos nas tarefas secundárias, e não padrões linea-
res ou circulares.

A usinagem de furação não pode ser combinada com uma tarefa de vincula-
ção.

Definição de vinculação de tarefas


Clique com o botão direito e selecione a função Novo > Vinculação de tarefas/Vinculação de
tarefa de torneamento.

Adicionar uma tarefa de vinculação a uma tarefa


Selecione a(s) tarefa(s) e depois selecione a função Adicionar à vinculação de tarefas no
menu de atalho ou pressione a tecla SHIFT para mover as tarefas para a vinculação de
tarefas criada anteriormente.

Ferramenta
Todas as tarefas combinadas em uma tarefa de vinculação têm que conter a mesma ferra-
menta. Isso também se aplica ao modo 2D e ao modo 5X.

hyperMILL 3-61
3 Noções básicas
Estruturar projetos CAM Definir uma tarefa composta

Parâmetros

Modo de vinculação
Podem ser usados os seguintes métodos de vinculação:
2D: vinculação de tarefas 2D, 3D, de furação e de torneamento.
5X: vinculação de tarefas 3D e de 5 eixos. Também é possível vincular os ciclos 2D Fresa-
mento de cavidades e Usinagem residual no modo 5X.

Rápidos
Especifique o modo para os movimentos de deslocação rápida (rápidos) de tarefas individu-
ais vinculadas.
Pular primeiro e último: pule o primeiro movimento de aproximação e o último movimento de
retração de subtarefas individuais.
Manter todos os rápidos: mantenha todos os movimentos de alimentação e retração de sub-
tarefas na tarefa de vinculação.

Condições
Usar dist. mín. G0: os movimentos entre as tarefas são executados como um vínculo direto
entre pares de pontos de contorno em G1.
Distância G0 mín.: distância entre duas áreas de usinagem, que podem ser cruzadas – sem
contato da ferramenta – próximo da superfície com velocidade de alimentação de usinagem
(G1).

Modo de folga
Planar/Radial: especifique como os percursos de ferramentas das tarefas secundárias vin-
culadas são vinculados. (1) Planar, (2) Radial.

Vinculação de tarefa de torneamento

Como na Versão 2017.1, em Vinculação de tarefa de torneamento, apenas


tarefas com ferramentas que incluem a configuração do ponto de corte podem
ser combinadas.
Uma vinculação de tarefa criada com uma versão anterior do hyperMILL pode
ser aberta na Versão 2017.1. A vinculação de tarefa pode ser utilizada se a
verificação de consistência for bem-sucedida. Do contrário, uma nova vincula-
ção deve ser criada.

Folga
Raio de folga X: raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).

3-62 hyperMILL
Noções básicas
Definir uma tarefa composta Estruturar projetos CAM 3
Plano de folga Z: raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2).
Distância de folga: distância da ferramenta para a peça na direção X durante os movimen-
tos de vinculação (3).

Modo de retração/Folga
Informações sobre

Plano de folga, distância de folga no capítulo Segurança


Modo de produção, folga axial e lateral no capítulo Parâmetros

Alisamento rápido
Disponível para o modo de retração Distância de folga. Habilite a opção Velocidade elevada
para ativar o Alisamento rápido (1).

Durante a usinagem no modo 5X, os movimentos de vinculação são definidos sem altera-
ções repentinas da direção. O Fator de alisamento afeta a forma do movimento alisado
como uma relação do comprimento da linha de ligação (2) de acordo com a "altura" neces-
sária do movimento (3). Se o fator de alisamento selecionado conduzir possivelmente a uma
colisão, o movimento é renderizado automaticamente livre de colisões.
O modo de retração Distância de folga tem que estar ativo. O Movimento de vinculação com
o Limite do ângulo de distância (página de diálogo Configuração) tem que corresponder ao
alisamento rápido.

hyperMILL 3-63
3 Noções básicas
Estruturar projetos CAM Definir uma tarefa composta

Configuração
Informações sobre

Modelo consulte a seção Caixa de diálogo Área


de torneamento
Verificar ferramenta consulte a seção Verificar ferramenta
Movimentos de vinculação consulte a seção Configurações
Tolerância de usinagem, Ângulo máx. de incre- consulte a seção Parâmetros NC
mento

Peça em bruto
Habilitar peça em bruto: marque esta caixa de seleção para definir um modelo de peça em
bruto verificado quanto a colisões e garanta que os movimentos de vínculo rápido entre as
subtarefas não possam colidir com a peça em bruto.

Transformação

As transformações são apenas permitidas no modo de vinculação 5X.


Esta função precisa de um pós-processador e máquina simultâneos 5 eixos.

A transformação atual é executada através do cálculo da tarefa de vinculação, sendo que


todas as cópias são vinculadas aos movimentos rápidos de vinculação verificados quanto a
colisões. É produzido um arquivo NC compatível com 5 eixos.
Informações sobre

Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade


Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

Exemplo de utilização
A usinagem completa de uma cavidade fechada com paredes inclinadas no modo de vincu-
lação 5X sem uma troca de ferramenta. As tarefas seguintes são combinadas em uma
tarefa de vinculação:
• Fresamento de percurso livre 3D,
• Usinagem residual 5X, Acabamento de perfil 3D e
• Corte com eixo variável 5X 1 Curva.

3-64 hyperMILL
Noções básicas
Definir uma tarefa composta Estruturar projetos CAM 3
Evento NC
Use eventos NC para estruturar claramente o fluxo do programa e influencie a programação
inserindo comandos, listas de tarefas e tarefas.

Criação de evento NC
1. Use a função Novo > Evento NC no menu de atalho do navegador.
2. Defina o Tipo de evento e insira o respectivo comando em Comando de evento.
Os eventos NC podem ser movidos livremente no navegador de tarefas. Para isso, sele-
cione o evento NC com o botão esquerdo do mouse e mova-o para a posição necessária
enquanto pressiona o botão do mouse. Os conteúdos do Evento NC mantêm-se sempre
intactos. As funções e comandos específicos de controle são encaminhados diretamente
para o pós-processador pelo Evento NC.

Os eventos NC não podem ser simulados nem verificados quanto a possíveis


colisões (por exemplo durante movimentos de cruzamento). Utilizando Eventos
NC, o pós-processamento é apenas possível no modo de pacote (consulte-
Lista de tarefas > Pós-processador).

Indexação Múlti Eixo


Pré-requisitos para indexação múlti eixo:
• Uma máquina com eixo C e/ou cabeça de fresamento giratória (usinagem de 5 eixos).
• Um desenho na forma de um modelo 3D.
A programação é sempre executada no plano de trabalho G17:
• Alimentação na direção Z (negativa); o eixo Z é perpendicular ao lado de usinagem
• Usinagem na direção XY.
Consequentemente, na usinagem por múlti eixo, você tem que definir primeiro o sistema de
coordenadas e o quadro relativos a cada lado de usinagem. Consulte as informações na
seção Sistema e quadros NC.

Definir ciclos de usinagem


A sequência de tarefas é basicamente arbitrária. Se for necessária uma alteração de ferra-
menta otimizada, a definição deve ser realizada uma página de cada vez (menor tempo de
cálculo).

hyperMILL 3-65
3 Noções básicas
Estruturar projetos CAM Definir uma tarefa composta

Página de usinagem 1:
Quadro 1

Página de usinagem 2:
Quadro 2

Página de usinagem 3:
Quadro 3

Para isso, abra o ciclo de usinagem, defina o quadro necessário na caixa de diálogo de
entrada Configuração e defina os parâmetros de usinagem da tarefa.
Em um determinado momento, apenas o quadro atual está visível no esquema CAD. Ape-
nas é possível selecionar os contornos que se encontram no plano XY do quadro.

Otimização de Troca de Ferramentas


Antes de gerar os percursos de ferramenta, é possível otimizar alterações de ferramentas
através da ordenação de tarefas individuais de acordo com vários critérios. As listas de tare-
fas macro para furos têm que ser expandidas para tarefas individuais antes da otimização
de troca de ferramentas. Para isso, use a função Detalhar no menu de atalho.
É possível ordenar por diferentes critérios. Use a função da sua solicitação no menu de ata-
lho da lista de tarefas.
Classificar por ferramenta: começando pela primeira ferramenta da lista de tarefas ampliada
(ciclos de furação ampliados para furações individuais), as tarefas são classificadas por
número de ferramenta, em ordem ascendente, independentemente do quadro da tarefa. A
sequência de tarefas também pode ser classificada mais uma vez manualmente.

Classificar por quadro: as tarefas são classificadas por número de quadro. A sequência de
tarefas e ferramentas já definida para cada quadro é retida.

3-66 hyperMILL
Noções básicas
Definir uma tarefa composta Estruturar projetos CAM 3

Edição global
Edite os parâmetros de definição de tarefa para várias tarefas ao mesmo tempo.
1. No navegador do hyperMILL, selecione a guia Tarefas e selecione todas as tarefas
para as quais os parâmetros comuns devem ser determinados.

2. Para editar, clique no ícone ou clique com o botão direito em Editar.


3. A janela de introdução Edição global é exibida. Aqui você pode especificar as defini-
ções nas seguintes áreas para vários trabalhos.

Ferramenta Consulte Definir ferramentas

Geometria Consulte Limite

Parâmetros Consulte Parâmetros de usinagem

Configuração Consulte Configuração

Verificar ferramenta Consulte Verificar ferramenta

Quadro Consulte Quadro

Modelo Consulte Área de fresamento, Área de torneamento, Área


de grampeamento

Funcionalidade Consulte Tecnologia de funcionalidades e macros

Transformações Consulte Transformações

NC Consulte Caixa de diálogo de entrada: NC

Edite um parâmetro fazendo clique duplo na linha correspondente. Se você passar o mouse
por cima de um parâmetro na coluna da esquerda, as tarefas que utilizam esse parâmetro
são exibidas como uma dica de ferramenta.

Se forem definidos valores diferentes para um parâmetro nas tarefas a serem


editadas em conjunto, esse parâmetro é destacado em amarelo e pode ser
ajustado em conformidade.

Se você pretender ajustar valores diferentes para um parâmetro, clique na linha realçada
em amarelo.

Clique no sinal de adição para exibir valores diferentes e editar os parâmetros.

Cópia associativa de tarefas


Copie uma tarefa na qual todos os parâmetros correspondem aos parâmetros da tarefa ori-
ginal. Uma cópia de tarefa é vinculada de forma associativa com a tarefa original. Se um

hyperMILL 3-67
3 Noções básicas
Estruturar projetos CAM Definir uma tarefa composta

parâmetro for alterado na tarefa original, então esse parâmetro também será alterado na
cópia associativa de tarefa. Os parâmetros não podem ser editados. Exceção: transforma-
ções e contornos.

Criar uma cópia associativa de tarefa


Selecione a tarefa na lista de tarefas no navegador do hyperMILL, clique com o botão direito
do mouse e selecione a função Cópia associativa de tarefa no menu de atalho.
Desvincule a tarefa copiada e a tarefa original: selecione a tarefa copiada no navegador do
hyperMILL e selecione a função Desvincular cópia associativa no menu de atalho.

Visão Geral
Todas as alterações à tarefa original são resumidas nesta página de diálogo.

A cópia associativa de tarefa corresponde à opção Copiar quando utilizar um


espelhamento em uma definição de tarefa (página de diálogo Transformação).
Se definir um espelhamento no nível de lista de tarefas e tiver habilitado a
opção Copiar, é criada uma cópia associativa espelhada da tarefa original a
partir de todas as tarefas da lista de tarefas com os parâmetros e configura-
ções da tarefa original.

Para desativar a associação entre a tarefa original e a cópia associativa de tarefa para parâ-
metros individuais, clique com o botão direito nos parâmetro relevante e selecione Desvin-
cular.
As alterações a esse parâmetro na tarefa original já não afetam a cópia associativa de
tarefa. Em contrapartida, o parâmetro pode agora ser editado diretamente na cópia de
tarefa sem que produza efeito algum na tarefa original. A associação entre as duas tarefas é
restaurada utilizando a função Vincular.
Se recalcular uma tarefa para a qual já exista uma cópia associativa de tarefa, você pode
também recalcular a cópia de tarefa.

Funções no menu de atalho: Lista de tarefas/Tarefas


Novo >
Assistente de Projeto: inicia o Assistente de Projeto.
Cria uma nova entrada (lista de tarefas, tarefa, tarefas compostas, vinculação de tarefa,
evento NC).
Fresamento de eletrodo: abre a caixa de diálogo Fresamento de eletrodo para gerar os
dados para a programação NC (lista de tarefas, área de fresamento, peça em bruto,
grampo, sistema NC e funcionalidade do eletrodo).
Abre uma caixa de diálogo de definição de tarefa nas seguintes áreas: Medição, Tornea-
mento, Furação, Fresamento 2D, Fresamento 3D, Fresamento avançado 3D, Fresamento
de cavidade 5X, Fresamento de superfície 5X, Fresamento de tubo 5X, Fresamento de tur-
bina 5X, Fresamento de multi-lâmina 5X, Fresamento dental 5X.
Macros >
Aplicar macros: abre a caixa de diálogo Aplicar macros.
Nova macro a partir da tarefa: abre a caixa de diálogo Nova macro e cria uma nova macro
com base na tarefa selecionada.
Substituir por: substitui a tarefa selecionada por outra tarefa.
Cópia associativa de tarefa: cria uma cópia associativa de tarefa a partir da tarefa selecio-
nada atualmente.
Adicionar às tarefas compostas: cria novas tarefas compostas e adiciona a tarefa selecio-
nada às tarefas compostas.
Adicionar à vinculação de tarefas: cria uma nova vinculação de tarefas e adiciona a tarefa
selecionada à vinculação de tarefas.
Desvincular cópia associativa: desvincula a tarefa e a cópia associativa de tarefas.

3-68 hyperMILL
Noções básicas
Definir uma tarefa composta Estruturar projetos CAM 3
_________________________________________________________________________________
Editar: edita o elemento atual. Se várias tarefas ou listas de tarefas forem selecionadas, os
parâmetros poderão ser editados juntos (consulte Edição global).
Copiar/Cortar/Excluir: as entradas são gerenciadas no modo padrão do Windows.
_________________________________________________________________________________
Peça em bruto >
Criar cadeia de peças em bruto: cria uma cadeia de peças em bruto para as tarefas selecio-
nadas. Você pode selecionar qualquer tarefa em uma lista de tarefas ou em tarefas compos-
tas.

Um objeto de peça em bruto é criado para cada tarefa no navegador do hyperMILL.


Para calcular os modelos de peças em bruto, use a função Peça em bruto > Atualizar no
menu de atalho Tarefas ou a função Calcular no menu de atalho para a entrada do modelo
de peça em bruto. Os modelos de peça em bruto são calculados com base no modelo de
peça em bruto precedente e o percurso da ferramenta da tarefa atual.
Remover cadeia de peça em bruto: exclui todos os modelos de peça em bruto não usados
na cadeia de peça em bruto. A peça em bruto original permanece intacta.
Criar: inicia a caixa de diálogo de cálculo do modelo de peça em bruto para criar um novo
modelo de peça em bruto. Consulte as informações na seção Cálculo do modelo de peça
em bruto: pré-requisito para atualização do modelo de peça em bruto.
Atualizar: atualiza os modelos de peça em bruto para as tarefas selecionadas.
_________________________________________________________________________________
Calcular: calcula o arquivo de percursos das ferramentas.
Atualizar: atualiza o arquivo de percursos das ferramentas transferindo os parâmetros de
tarefa modificados para ele.
_________________________________________________________________________________
Estatísticas...: o comprimento e a duração dos movimentos G0, G1 e G2/G3, bem como os
tempos de espera e o número de alterações de ferramenta serão mostrados para as tarefas
selecionadas.
_________________________________________________________________________________
Simulação interna: inicia a simulação interna.
Simulação interna da máquina: inicia a simulação interna da máquina.
_________________________________________________________________________________
Gerar arquivos NC: realiza a execução do pós-processador para a entrada selecionada
(tarefa/lista de tarefas).
_________________________________________________________________________________
Visualização da tarefa >
Mensagens: exibe mensagens (notificações, erros e avisos) referentes à entrada selecio-
nada.
Exibir informações de cálculo: exibe informações sobre o cálculo atual.
Selecionar tarefas a calcular / Selecionar todas as tarefas / Selecionar tarefas a verificar:
seleciona as tarefas a calcular, todas as tarefas ou as tarefas para verificar em uma lista de
tarefas.
Abrir / Expandir tudo: abre a visualização detalhada da tarefa selecionada ou de todas as
tarefas em uma lista de tarefas no navegador do hyperMILL.
Recolher / Recolher tudo: fecha a visualização detalhada da tarefa selecionada ou de todas
as tarefas em uma lista de tarefas no navegador do hyperMILL.
Expandir vinculação de tarefas/Expandir tarefas compostas: exibe as tarefas secundárias
da vinculação de tarefas ou das tarefas compostas.
Classificar por quadro e ferramenta/Classificar por quadro/Classificar por ferramenta/Classi-
ficar por IDs de tarefa:Classificar as tarefas em uma lista de tarefas para, por exemplo, rea-
lizar a otimização da alteração de uma ferramenta. Consulte as informações na seção
Otimização de Troca de Ferramentas.

hyperMILL 3-69
3 Noções básicas
Estruturar projetos CAM Definir uma tarefa composta

_________________________________________________________________________________
Utilitários >
hyperVIEW...: inicia o programa de simulação hyperVIEW.
Relatório do hyperVIEW: cria um relatório com as informações sobre os parâmetros de fer-
ramentas e tarefas. O hyperVIEW será iniciado e logo em seguida você pode selecionar
qual relatório deve ser criado (lista de tarefas, lista de ferramentas com gráficos ou lista de
ferramentas). Para isso, selecione o arquivo de modelo desejado no formato *.xsl.
Relatório hyperMILL: crie um relatório diretamente a partir do hyperMILL com informações
sobre os parâmetros da ferramenta e da tarefa. Selecione qual relatório deve ser criado
(lista de tarefas, lista com gráficos ou lista de ferramentas). Para isso, selecione o arquivo
de modelo desejado no formato *.xsl. Atualmente, os gráficos de tarefas não são suportados
no relatório da lista de tarefas.
Exibição de material residual: simula a remoção do material para a tarefa e exibe o material
restante. Consulte as informações na seção Simulação da remoção do material.
Análise: inicia a caixa de diálogo de análise com funções para análise de superfície. Con-
sulte as informações na seção Análise.
TOOLPATH.EDIT... : inicia o programa TOOLPATH.EDIT para percursos das ferramentas
de usinagem.
VERICUT ... / NCSIMUL ...:/ COLLISION SAFEGUARD ... Inicia um programa de simulação
externo (VERICUT /NCSIMUL / COLLISION SAFEGUARD). Informações na seção Simula-
ção externa.
Exportar: salva uma tarefa ou uma lista de tarefas em um arquivo externo (formato do
arquivo: *.jst para tarefas, *.xml para ferramentas). Você pode importar os dados para outra
lista de tarefas ou para outro modelo usando a função do menu de atalho Novo > Carregar
do arquivo.
Variáveis do usuário: abre a caixa de diálogo das variáveis do usuário para definir uma vari-
ável de usuário. Utilize as variáveis do usuário para especificar os valores de parâmetro na
definição da tarefa.
Variáveis do usuário do eletrodo: abra a caixa de diálogo variáveis de usuário para verificar
ou exibir os parâmetros relevantes para a produção (espaço de faísca) (parâmetros CAD,
parâmetros de fresamento).
Verificar modelo: verificar a consistência dos contornos atribuídos à tarefa.
_________________________________________________________________________________
Detalhar: expande as programações de trabalho de macro relativos a tarefas de furação
para tarefas individuais.
_________________________________________________________________________________
Percursos das ferramentas >
Verificar status do percurso da ferramenta: verifica se a entrada (tarefa/lista de tarefas) foi
calculada utilizando a definição atual ou se deve ser recalculada.
Excluir caminhos de ferramentas-arquivos: exclui os caminhos de ferramentas das tarefas
ou listas de tarefas selecionadas.
Mostrar ferramenta: disponível somente para o ciclo Edição de percurso da ferramenta.
Exibe a ferramenta que é utilizada atualmente no ciclo.
Mostrar / Ocultar / Mostrar automaticamente / Leitura / Excluir: mostra, oculta, exibe auto-
maticamente, lê ou exclui os caminhos de ferramentas da tarefa atual.
Mostrar tudo / Tudo desligado / Excluir tudo: mostra, exclui ou exclui todos os caminhos de
ferramentas do modelo atual.
Mostrar G0 apenas / Mostrar G1 apenas: exibe somente os movimentos G1 e G0 dos per-
cursos das ferramentas.
Leitura: lê os percursos de ferramenta calculados. Mais informações na seção
________________________________________________________________________________
Configuração hyperMILL: abre a caixa de diálogo Configuração hyperMILL com as configu-
rações básicas do hyperMILL.
Abrir diretório > abre o diretório para o espaço de trabalho, modelo ou projeto global.

3-70 hyperMILL
Noções básicas
Definir uma tarefa composta Estruturar projetos CAM 3
Feedbacks / Nenhum feedback: ativa/desativa o feedback (quando o ponteiro do mouse
está na janela do navegador).

hyperMILL 3-71
3 Noções básicas
Preparações de verificação de colisão Área de fresamento, Área de torneamento, Área de

Preparações de verificação de colisão

Área de fresamento, Área de torneamento, Área de grampeamento

Informações gerais
A Área de fresamento ou Área de torneamento define a área do modelo CAD a ser usinada,
que é verificada quanto a colisões ao mesmo tempo. A Área de fixação também é verificada
quanto a colisões; isso inclui as áreas do modelo CAD utilizadas para fixar a peça durante a
usinagem.
O hyperMILL gera automaticamente um modelo de poliedro (Formato 3DF) a uma alta reso-
lução de superfície (precisão) para a Área de fresamento, Área de torneamento ou Área do
dispositivo de grampeamento. Para esse fim, o modelo CAD está subdividido em áreas de
usinagem separadas, como requerido pela função de verificação de colisões.
Todas as subáreas do modelo que não estejam dentro da área de fresamento, área de tor-
neamento ou área de grampeamento não são verificadas quanto a colisões. Dentro da área
de fresamento/área de torneamento, você pode excluir áreas da usinagem (com a ajuda das
superfícies de parada, por exemplo).
A área de usinagem é definida dentro da área de fresamento
• ao definir um limite (possível para todos os ciclos 3D e 5X) ou
• ao definir as superfícies de fresamento (possível para os seguintes ciclos: Acabamento
de perfil 3D/5X, Acabamento de nível Z 3D/5X, Acabamento de forma nível Z 3D e Usi-
nagem residual 3D/5X).

Definir área de fresamento


1. No navegador do hyperMILL, faça clique duplo para abrir a lista de tarefas. Na página
de diálogo Dados do modelo, selecione a opção Definido e selecione uma área de fre-
samento.

2. Clique no ícone para definir uma nova área de fresamento ou

3. clique no ícone para modificar uma área de fresamento.


Como alternativa, abra a caixa de diálogo através da definição de tarefa na página de diá-
logo Configuração ou usando o menu de atalho Nova área de fresamento no navegador do
hyperMILL na página de diálogo Modelos.

Caixa de diálogo Área de fresamento


A caixa de diálogo consiste das páginas de diálogo Definição e Área de fresamento.
Na página de diálogo Definição, defina os elementos que pertencem à área de fresamento.
Na página de diálogo Área de fresamento, defina o nome e o local de armazenamento para
a área de fresamento.

Página de diálogo Definição

Modo
Defina o modo para a definição de área de fresamento.
Seleção de superfícies: o hyperMILL calcula automaticamente a resolução para as áreas de
fresamento selecionadas dependendo da tolerância de usinagem. Você pode selecionar um
total de cinco grupos de superfícies com diferentes resoluções e distâncias de tolerância da
peça em bruto.
Arquivo: clique no botão Caminho para selecionar um arquivo 3DF ou STL.

3-72 hyperMILL
Noções básicas
Área de fresamento, Área de torneamento, Área de Preparações de verificação de colisão 3

Não é possível utilizar um arquivo de poliedro externo para definir a área de fre-
samento para os seguintes ciclos: Acabamento de Perfil 3D, Acabamento de
perfil 5X, Acabamento em nível Z 3D, Acabamento de nível Z 5X, Usinagem
residual automática 3D e Usinagem residual 5X.

Seleção atual
Nome do grupo: especifique o nome do Grupo de superfícies. Uma superfície pode ser alo-
cada somente a um Grupo de superfícies. Você atribui os grupos na definição de tarefas.

Superfícies: clique em um dos ícones para selecionar as superfícies a serem


convertidas.

Definindo um filtro
Use um filtro para definir os elementos geométricos.

1. Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Definição de filtro, marque a caixa
de seleção Ativo e habilite a opção de filtro solicitada (Cores, Camada, Etiqueta).

2. Clique nos ícones para definir um novo filtro e

3. clique no ícone para selecionar uma superfície cuja cor será usada para a defini-
ção de filtro ou

4. clique no ícone para selecionar uma camada que será usada para a definição de
filtro.

5. Clique no ícone para atualizar a definição de filtro.


Para excluir um filtro, clique na linha Cor, Camada ou Classe de etiqueta e use a função
Excluir no menu de atalho.

Não está disponível nenhuma função de filtro para o hyperMILL no Inventor.


Apenas o filtro de cor está disponível para o hyperMILL no SolidWorks.

Distância da tolerância: altura da distância de tolerância que será utilizada nos ciclos com
várias distâncias de tolerância. O valor é adicionado à distância de tolerância definida no
ciclo.

Guia: Área de fresamento

Informação da área de fresamento


Nome: define o nome da área de fresamento. Este é o mesmo que o nome especificado no
navegador do hyperMILL.
Comentário: se necessário, insira um comentário.

Configurações do arquivo
Caminho: define a localização de armazenamento da área de fresamento. Corresponde ao
valor definido na caixa de diálogo Configuração hyperMILL, na guia Aplicação (caminhos
padrão).
Prefixo do arquivo: parte do nome de arquivo do arquivo 3DF calculado. Estrutura do nome
do arquivo: Arquivo prefixo-$-resolução.3df.

hyperMILL 3-73
3 Noções básicas
Preparações de verificação de colisão Área de fresamento, Área de torneamento, Área de

Cálculo do arquivo 3DF


Desde que todas as entradas na caixa de diálogo da Área de fresamento tenham sido feitas
corretamente, um arquivo 3DF é criado automaticamente quando a tarefa é calculada.

Definir área de torneamento


1. No navegador do hyperMILL, acesse a guia Tarefas e abra a tarefa necessária fazendo
duplo clique nela. Na guia Configuração, selecione a opção Verificação de colisão e

2. clique no ícone para definir uma nova área de torneamento ou

3. clique no ícone para modificar uma área de torneamento.


Como alternativa, abra a caixa de diálogo através do menu de atalho Nova área de tornea-
mento no navegador do hyperMILL na guia Modelos.

Caixa de diálogo Área de torneamento

Geral
Nome/Comentário: especifique um nome e, se necessário, um comentário para a área de
torneamento.

Área de torneamento

Contorno: selecione um contorno (fechado) para definir a área de torneamento veri-


ficada quanto a colisões.

Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir de
modelo.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.

Superfícies
Resolução: define a (exatidão da) resolução da área de torneamento.

Selecione superfícies ou um sólido. O hyperMILL cria automaticamente um con-


torno de torneamento que define a área de torneamento. Uma entrada é criada no navega-
dor do hyperMILL e uma funcionalidade de Contorno no Navegador de funcionalidade.

Definição da área do dispositivo de grampeamento


1. No navegador do hyperMILL, acesse a guia Tarefas e abra a lista de tarefas necessá-
ria fazendo duplo clique nela. Na guia Dados da peça, selecione a opção Definido e
selecione um dispositivo de fixação.

2. Clique no ícone para definir uma nova área de grampeamento ou editar uma
área de grampeamento existente.
Como alternativa, abra a caixa de diálogo através do menu de atalho Nova área de grampe-
amento no navegador do hyperMILL na guia Modelos.

Caixa de diálogo Área do dispositivo de grampeamento


Guia: Definição

3-74 hyperMILL
Noções básicas
Área de fresamento, Área de torneamento, Área de Preparações de verificação de colisão 3
Modo
Seleção de superfícies: selecione as superfícies que você pretende usar como dispositivos
de fixação.
Arquivo: clique no botão Caminho para selecionar um arquivo 3DF ou STL.

Seleção atual

Superfícies: clique em um dos ícones para selecionar as superfícies a serem


usadas como dispositivos de fixação.

Definindo um filtro
Use um filtro para definir os elementos geométricos.

1. Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Definição de filtro, marque a caixa
de seleção Ativo e habilite a opção de filtro solicitada (Cores, Camada, Etiqueta).

2. Clique nos ícones para definir um novo filtro e

3. clique no ícone para selecionar uma superfície cuja cor será usada para a defini-
ção de filtro ou

4. clique no ícone para selecionar uma camada que será usada para a definição de
filtro.
Para excluir um filtro, clique na linha Cor, Camada ou Classe de etiqueta e use a função
Excluir no menu de atalho.
Distância de tolerância: define a distância de tolerância para o dispositivo de grampea-
mento.

A distância de tolerância definida para a área de fixação não pode ser inferior a
0,1 mm (0,004 polegadas). Os valores entre 0,1mm (0,004 polegadas) e 0,5
mm (0,02 polegadas) podem levar a longos tempos cálculo se a verificação de
colisão estiver ativada e a tolerância de parada/recorte for pequena.
A verificação de colisão em comparação com a área de grampeamento defi-
nida não é suportada para tarefas com as seguintes ferramentas:
Fresa Chanfrada, ferramenta de Ranhura em T, ferramenta para rasgo de cha-
veta, ferramenta cilíndrica, ferramenta de torneamento, ferramenta de rebaixa-
mento, ferramenta de rebaixamento axial e ferramenta de rosqueamento.

Guia: Área de fixação

Informação sobre área do dispositivo de fixação


Especifique um Nome e um Comentário para o dispositivo de fixação.

Configurações do arquivo
Disponível somente se o dispositivo de fixação tiver sido definido no modo Seleção de
superfícies.
Clique no botão Caminho para definir a localização do armazenamento.
Prefixo do arquivo: define o nome do dispositivo de fixação.

A área do dispositivo de fixação pode ser definida apenas para a lista de tare-
fas e não para uma tarefa individual.

hyperMILL 3-75
3 Noções básicas
Preparações de verificação de colisão Área de fresamento, Área de torneamento, Área de

Funções no menu de atalho: Áreas de fresamento/torneamento


Nova área de fresamento/Nova área de torneamento/Nova área do dispositivo de fixação:
cria uma nova área de fresamento, área de torneamento ou área do dispositivo de fixação.
Editar... : alterar definições de entrada da guia selecionada atualmente.
Copiar/Cortar/Colar/Excluir: as entradas são gerenciadas no modo padrão do Windows.
Mensagens: exibe mensagens (notificações, erros e avisos) referentes à entrada selecio-
nada.
Utilização:: exibe tarefas em que o elemento selecionado é usado.
Configuração hyperMILL: abre a caixa de diálogo Configuração hyperMILL com as configu-
rações básicas do hyperMILL.
Feedbacks/Nenhum feedback: ativa/desativa a exibição do feedback para a entrada sele-
cionada.

Verificação de colisão com o Conversor hyperMILL


Uma verificação de colisão também pode ser realizada ao definir áreas de fresagem no
navegador do hyperMILL ou usando o Conversor hyperMILL (modelo de poliedro). As áreas
do modelo localizadas em camadas desabilitadas não são convertidas.
Você tem que criar pelo menos um arquivo 3DF (modelo de poliedro) para cada modelo
CAD. As áreas com uma precisão diferente e distâncias de tolerância da peça em bruto
podem ser introduzidas em um arquivo 3DF.
São necessários vários arquivos 3DF para modelos CAD que excedam o alcance de movi-
mentos da máquina e por essa razão precisam ser movidos e grampeados novamente
durante a usinagem.
Recomendação: converta sempre o máximo de superfícies e sólidos possíveis em um só
processo. A conversão de áreas individuais com uma resolução mais elevada deve sempre
incluir superfícies adjacentes.

Todos os arquivos 3DF pertencentes a um modelo tornam-se inválidos se o


modelo mudar de posição, se for girado ou dimensionado no sistema de coor-
denadas.

Use o menu do Conversor hyperMILL para iniciar o Conversor.

Caixa de diálogo Conversor hyperMILL

Guia: Configuração
Arquivo 3DF: seleciona a localização do armazenamento para o arquivo 3DF. Defina a loca-
lização de armazenamento padrão na caixa de diálogo ConfiguraçõeshyperMILL O nome do
modelo com a extensão de arquivo *.3df é usado como nome do arquivo.

Resolução
Resolução matemática: especifique a resolução de segmentos de curva em comprimentos
G1, atribuindo a máxima altura cordal. Defina a resolução da superfície para ser ligeira-
mente mais fina que a precisão dimensional necessária em produção.
Recomendação: desbaste de 0,5 a 0,1 mm, acabamento de 0,05 a 0,01 mm, usinagem
HSC de 0,005 a 0,001 mm.
Comprimento máx. de faceta: controla o comprimento máximo de faceta no modelo 3DF.
Pode ser definido para cada grupo nas definições do grupo.

3-76 hyperMILL
Noções básicas
Área de fresamento, Área de torneamento, Área de Preparações de verificação de colisão 3

Se não for possível alcançar uma definição suficientemente precisa usando a


função Resolução matemática (por exemplo com superfícies que sejam ape-
nas ligeiramente curvadas), pode ser definido um limite.

Opções de seleção
Todos os sólidos, Todas as superfícies, Tudo: selecione uma dessas opções caso não
venha a ser utilizada nenhuma seleção especifica do usuário e as áreas selecionadas
venham a ser todas convertidas com a mesma resolução matemática.
Definido pelo usuário

Superfícies: selecione os sólidos ou as superfícies a serem convertidas. A


mesma resolução matemática se aplica a todas as superfícies/sólidos selecionados.

Grupos
Definição do grupo: selecione essa opção se você desejar converter áreas com resoluções
matemáticas diferentes e/ou distâncias de tolerância de peça em bruto diferentes para, por
exemplo, definir áreas de colisão e áreas protegidas diferentes. Uma resolução larga é sufi-
ciente para áreas de desbaste. Uma resolução mais fina deve ser definida para diferentes
processos de usinagem fina.

A definição do grupo é relevante para: Acabamento de perfil, Acabamento


equidistante, Usinagem ISO, Fresamento de percurso livre.

Guia: Grupos

Grupos
Um arquivo 3DF pode conter até cinco grupos de superfícies e/ou sólidos com resoluções
matemáticas diferentes e distâncias de tolerância da peça em bruto diferentes. Uma superfí-
cie pode ser alocada somente a um Grupo de superfícies.

Seleção atual
Nome do grupo: nome da(s) superfície(s)

Superfícies: selecione os sólidos ou as superfícies a serem convertidos.


Resolução matemática: resolução da superfície do modelo.

hyperMILL 3-77
3 Noções básicas
Preparações de verificação de colisão Área de fresamento, Área de torneamento, Área de

Distância de tolerância: material restante na peça. Se forem necessários mais de cinco gru-
pos para usinar um modelo, crie o número respectivo de arquivos 3DF com nomes diferen-
tes. Você atribui os arquivos 3DF na definição de tarefas.
Comprimento máx. de faceta: comprimento máximo de faceta das superfícies de um grupo.

Guia: Opções

Modo de conversão
Novo arquivo 3DF: os objetos selecionados serão convertidos na resolução matemática
definida e um novo arquivo 3DF será criado.
Adicionar a arquivo 3DF existente: os objetos selecionados serão convertidos na resolução
matemática definida e adicionados ao arquivo 3DF existente. Desse modo, várias áreas
com resoluções matemáticas diferentes podem ser combinadas em um arquivo 3DF e
podem ser incluídas modificações posteriores ao modelo.
Não se aplica a definições de grupo.

Salvar arquivo 3DF existente


Sim: ao adicionar superfícies, o arquivo 3DF existente que o processo de conversão atual
irá expandir pode ser salvo em uma cópia de backup com um nome diferente.
Salvar como: selecione o caminho e o nome do arquivo para salvar o arquivo 3DF existente.
Não: um arquivo 3DF existente é salvo em um caminho existente com um nome de arquivo
existente com a adição das novas superfícies/sólidos para serem convertidos.

3-78 hyperMILL
Noções básicas
Pré-requisitos para cálculo dos percursos das
Calculando os percursos da ferramenta e simulando a 3
Calculando os percursos da ferramenta e simulando a usinagem
Pré-requisitos, informações e opções para cálculo dos percursos das ferramentas.
Exclusão, leitura e atualização dos percursos das ferramentas.

Pré-requisitos para cálculo dos percursos das ferramentas


1. Sequência de tarefas correta: a sequência de tarefas da lista de tarefas corresponde à
ordem de usinagem.
2. Definição de tarefas correta: antes de calcular um percurso da ferramenta, verifique as
tarefas que possuem uma notificação de erro ou aviso. Para isso, use a função Mensa-
gens no menu de atalho. Se elas não forem verificadas manualmente, todas as mensa-
gens serão exibidas antes do cálculo do percurso da ferramenta.
3. Quanto à usinagem 3D e de 5 eixos, será essencial uma área de fresamento para cal-
cular um percurso de ferramenta.

As tarefas cuja usinagem tenha terminado com um erro devem ser pós-proces-
sadas somente depois de uma verificação ampliada.

Configurações gerais
O sistema de unidades foi definido como válido para o cálculo do percurso da ferramenta.
As alterações ao sistema de medição não são permitidas depois que as tarefas, as ferra-
mentas e os quadros forem definidos. Configurações relevantes para cálculo dos percursos
das ferramentas são especificados na caixa de diálogo Configurações hyperMILL, na guia
Cálculo. Consulte as informações na seção Documento.

Configurações específicas da lista de tarefas


Os seguintes elementos são definidos de acordo com as especificidades das tarefas:
• Para saber sobre o nome e caminho dos percursos de ferramentas, consulte as infor-
mações na seção Configuração.
• Para saber sobre o NCS (programa ponto zero), consulte as informações na seção
Definir sistema NC.
• Para saber sobre peça em bruto original (se necessário) e modelo, consulte as infor-
mações na seção Dados de modelo.
• Para saber sobre as configurações específicas do pós-processador, consulte as infor-
mações na seção Pós-processador.

O NCS tem que ser igual para todas as tarefas de uma lista de tarefas. Se o
NCS for movido, as tarefas calculadas anteriormente tornam-se inválidas.

Configurações específicas da tarefa


O quadro é definido de acordo com as especificidades das tarefas. Consulte as informações
na seção Quadro.
As cores e tamanhos de exibição para a apresentação de percursos de ferramentas e coli-
sões também podem ser definidos de acordo com as especificidades das tarefas.

Calcular percursos das ferramentas


Diretamente na definição da tarefa (para uma tarefa individual) ou no navegador do hyper-
MILL (para uma tarefa individual, várias tarefas ou todas as tarefas em uma lista de tarefas).
Na definição de tarefa

Calcular: o objetivo principal desse método de criação do percurso da ferramenta é


permitir uma verificação rápida das etapas de uma tarefa individual.

hyperMILL 3-79
3 Noções básicas
Calculando os percursos da ferramenta e simulando Excluir Percursos de Ferramentas

No navegador do hyperMILL
Selecione as tarefas ou lista de tarefas necessárias e em seguida selecione a função Calcu-
lar no menu de atalho.

Durante o cálculo/atualização de uma ou mais tarefas de vinculação, o sistema


exibe uma mensagem perguntando se você pretende recalcular todas as tare-
fas secundárias. Se você selecionar Não, é recalculada apenas a tarefa de vin-
culação, mas não suas tarefas secundárias.

Antes do cálculo, as mensagens armazenadas para as tarefas ou listas de tarefas a serem


calculadas são exibidas.
Ignorar: ignora as mensagens e calcula a tarefa.
Ignorar tudo: ignora todas as mensagens e calcula todas as tarefas.
Cancelar: cancela o cálculo.
Editar: abre a caixa de diálogo (Tarefa/Lista de tarefas) e edita as configurações.
Durante o cálculo, a janela de mensagem exibe as informações sobre o status do cálculo. O
cálculo pode ser controlado da seguinte maneira:

Cancelar o cálculo do percurso da ferramenta.

Parar o cálculo do percurso da ferramenta.

Continuar o cálculo do percurso da ferramenta.

Exibir percursos de ferramentas


Caso esteja especificado nas configurações da lista de tarefas, os percursos de ferramentas
criados são adicionados continuamente ao arquivo CAD.

Percursos de Ferramentas Temporários


Relativamente a alguns ciclos de usinagem, são exibidos inicialmente percursos de ferra-
mentas temporários que correspondem à sequência de cálculo. Quando o cálculo da tarefa
é concluído, a estratégia de usinagem final é exibida em conformidade.

Colisões
Se o sistema identificar colisões durante o cálculo dos percursos de ferramentas, essas
também são exibidas graficamente.

Informações Sobre Cálculos


As informações sobre o processo de cálculo são exibidas na janela que é apresentada ao
mesmo tempo. Além disso, dependendo das configurações da sua lista de tarefas, é possí-
vel visualizar diversas mensagens no arquivo de relatório.
Por predefinição, o arquivo de relatório (*.rep) é armazenado no espaço de trabalho global.
Para obter mais informações, consulte a seção Documento.

Excluir Percursos de Ferramentas

Exclua todos os percursos das ferramentas usando o menu Excluir percursos das fer-
ramentas do hyperMILL ou o menu de atalho Percursos das ferramentas > Excluir tudo.
Exclua os percursos das ferramentas de uma ou várias tarefas via Percursos das ferramen-
tas > Excluir no menu de atalho.

Ler percursos de ferramentas


Lê os percursos das ferramentas e exibe no sistema CAD.
Você deve diferenciar o seguinte:

3-80 hyperMILL
Noções básicas
Atualizar percursos de ferramentas calculados
Calculando os percursos da ferramenta e simulando a 3
1. Leitura de percursos das ferramentas para uma tarefa (por exemplo após a exclusão)
através do menu de atalho Percursos das ferramentas > Leitura.

2. Leitura de qualquer percurso da ferramenta (por exemplo para fins de análise)


através do menu Ler percurso da ferramenta hyperMILL. Abra a caixa de diálogo do
menu de atalho da lista de tarefas ou da tarefa.

Propriedades de percurso da ferramenta


Usar configurações de tarefa: tire as cores para os movimentos G0 e G1 e o eixo de ferra-
menta da tarefa. Desabilite essa opção se outras cores devem ser usadas. Defina a exibi-
ção do eixo da ferramenta (Desligado, Pequeno, Normal, Grande).
Mostrar percursos cortados: mostra as peças dos percursos da ferramenta que estão em
colisão (cortadas). Especifique as cores para as áreas cortadas.

Atualizar percursos de ferramentas calculados


Alterações na velocidade de alimentação, RPM de fuso ou comentário não requerem um
novo cálculo completo da tarefa para os seguintes ciclos.
- todos os ciclos 3D, exceto De cavidade
- todos os ciclos de cavidade 5X, exceto de desbaste de nível Z e bordas de corte
- todos os ciclos de superfície 5X
- Fresamento de topo de lâmina 5X
- Point Milling Impeller 5X
Para alterar o RPM de fuso ou a velocidade de alimentação da ferramenta, escolha uma das
seguintes opções:
1. Altere o valor relativo diretamente apenas a essa tarefa na guia Ferramenta da defini-
ção de tarefas. Para isso, selecione o comando Desvincular do menu de atalho RPM
do fuso/Velocidade de alimentação na seção Perfil de corte. Insira o valor diretamente
na caixa de diálogo.
2. Altere o valor relativo à ferramenta na guia Tecnologia da definição de tarefas.

Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Editar ferramenta e insira as altera-
ções desejadas na guia Tecnologia.
Depois atualize o arquivo de percursos das ferramentas no navegador do hyperMILL
usando o menu de atalho Atualizar.

Informações sobre percursos de ferramenta calculados


As informações estão disponíveis para o seguinte através das informações rápidas (dica de
ferramenta): quadro, ID da tarefa, nome da tarefa, comentário, tipo de tarefa, tarefa vincu-
lada, ID da ferramenta e nome da ferramenta.
Configure as informações exibidas no menu hyperCAD Arquivo > Opções > Conteúdo da
dica de ferramenta. Para isso, mova os elementos da área TAGs disponíveis para a área
Conteúdo da dica de ferramenta.

Funções no menu de atalho


As seguintes funções do hyperMILL estão disponíveis no menu de atalho de um percurso
de ferramenta calculado:
Simulação interna: inicia a simulação interna e simula a tarefa calculada.
Simulação interna da máquina: inicia a simulação interna da máquina e simula a Tarefa cal-
culada.
Ocultar: oculta o percurso da ferramenta.
Mostrar G0 apenas: exibe somente os movimentos G0 do percurso da ferramenta.
Mostrar G1 apenas: exibe somente os movimentos G1 do percurso da ferramenta.
Mostrar tudo: exibe o percurso de ferramenta completo.

hyperMILL 3-81
3 Noções básicas
Calculando os percursos da ferramenta e simulando Funções no menu de atalho

Ciclo de Edição de percurso da ferramenta


O ciclo de Edição de percurso da ferramenta possibilita excluir determinadas seções em
percursos de ferramentas já calculados de maneira fácil e segura utilizando um limite e vin-
cular as partes restantes.
Todas as macros de aproximação e retração resultantes e todos os percursos de vinculação
são verificados automaticamente relativamente a colisões. A função está disponível para
todos os Ciclos 3D (excetoDesbaste arbitrário de peças em bruto e Cavidades de formato) e
para todos os Ciclos de cavidade 5X (excetoDesbaste de nível Z e Bordas de corte).
A verificação de colisões está atualmente disponível para os seguintes tipos de ferramenta:
Fresa de esferas, Fresa de topo, Fresa de topo arredondada. É apresentada uma mensa-
gem de aviso correspondente se a usinagem relativa a um ciclo for executada com uma fer-
ramenta diferente.
A tarefa a editar e o ciclo de edição representam uma unidade gerenciada em conjunto,
sendo que as alterações à tarefa original são reproduzíveis com as mesmas configurações
do ciclo de edição.
Para editar percursos das ferramentas utilizando um limite, selecione a tarefa a editar no
Navegador do hyperMILL e selecione Novo > Edição do percurso da ferramenta.

Parâmetros

Condições
Usar dist. min. G0: os movimentos rápidos de vinculação desnecessários são evitados. Se
eles descerem abaixo do valor especificado, os percursos das ferramentas no limite definido
são vinculados à velocidade de alimentação de usinagem. Assim, é possível aumentar a
segurança de processos e reduzir tempos de funcionamento da máquina. Para obter mais
informações, consulte Parâmetros NC.

Modo de retração/folga
Consulte as informações nas seções Modo de retração e Segurança.

Limites
O limite é sempre projetado da posição definida no sistema CAD para o percurso da ferra-
menta.
(1) Tarefa original, (2) Percurso da ferramenta editado utilizando limites

Para obter mais informações sobre as páginas de diálogo

Parâmetros Nas seções Parâmetros NC, Modo de retração e Segurança.

3-82 hyperMILL
Noções básicas
Funções no menu de atalho Calculando os percursos da ferramenta e simulando a 3
Limite no capítulo Limites
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral

Simulando a usinagem
Para isso, estão disponíveis as seguintes opções:
1. O programa hyperVIEW.
2. Uma simulação interna e uma simulação interna da máquina.
3. Um programa de simulação externa (por exemplo VERICUT)

Simulação no hyperVIEW
Abrir o programa a partir do menu de atalho do navegador. Os seguintes dados são usados
para simulação no hyperVIEW: área de fresamento, modelo de peça em bruto e percursos
das ferramentas.
Você pode transferir tarefas individuais em uma lista de tarefas ou a lista de tarefas com-
pleta para o hyperVIEW. Para obter informações sobre simulação de tarefas compostas,
consulte a seção Simulação de tarefas compostas. Para obter mais informações sobre
simulações com o hyperVIEW, consulte a seção hyperVIEW.

Não é possível solicitar o hyperVIEW a partir do hyperMILL se uma caixa de


diálogo restrita estiver esperando a introdução em um hyperVIEW aberto.

Para obter informações sobre simulação no hyperVIEW, consulte a seção hyperVIEW.

Simulação Interna
A simulação interna exibe sucessivamente os percursos de ferramentas calculados, corres-
pondendo à sua ordem de usinagem. Não é executada nenhuma remoção de material. Se
não for necessária a remoção de material, use a simulação de usinagem.
Para iniciar a simulação interna, selecione a lista de tarefas ou a tarefa necessária e sele-
cione a opção Simulação interna no menu de atalho.
Status da tarefa: indica a tarefa que está sendo simulada atualmente.
Quadro: exibe o quadro da tarefa simulada.
Ferramenta/Origem: exibe a ferramenta e a origem da tarefa simulada.
Velocidade: define a velocidade da simulação utilizando 50 passos.
Ferramenta: configura a exibição da ferramenta.

Exibe o suporte de ferramentas (desabilitada por padrão).

Exibe uma geometria de ferramenta definida livremente (desabilitada por


padrão).

Cria uma imagem da ferramenta na posição atual. Para excluir a imagem, use
o menu de atalho.

Inicia o visualizador do percurso da ferramenta. O visualizador do percurso de


ferramentas exibe o percurso completo da ferramenta em passos G0/G1. Cada
entrada corresponde a um passo do percurso da ferramenta. Os níveis Z e os
movimentos macro são exibidos de forma independente. Isso significa que
você pode localizar e analisar os movimentos de ferramentas individuais de
forma muito precisa. Para abordar diretamente uma posição da ferramenta,
faça clique duplo na linha respectiva.

Abre a caixa de diálogo para definir as condições de parada.

hyperMILL 3-83
3 Noções básicas
Calculando os percursos da ferramenta e simulando Funções no menu de atalho

Parar na alteração de tarefa: se você simular várias tarefas de uma lista de tarefas, a
simulação para a cada alteração de tarefa.

Controle da simulação

Simulação para o início da primeira tarefa

Iniciar simulação invertida

Retroceder

Iniciar simulação

Parar simulação

Avançar

Simulação para o final da última tarefa

Definir ferramenta para o ponto selecionado

Tecnologia: exibe movimentos e velocidades de alimentação G0 bem como informações


sobre a velocidade do fuso e do líquido de refrigeração.
Coordenadas do eixo: exibe as coordenadas dos eixos linear e de rotação.
Quadro: exibe as coordenadas do eixo em relação ao quadro da tarefa atual. Se a opção
estiver desmarcada, a exibição das coordenadas do eixo irão se referir ao NCS.
Mostrar caminhos de ferramenta/Ocultar percursos das ferramentas: essa função (clique
com o botão direito do mouse na parte superior da caixa de diálogo) é utilizada para mostrar
ou ocultar os percursos das ferramentas durante a simulação.

Simulação de máquina interna


Verifique os percursos das ferramentas quanto à colisão usando modelos de máquina.
Todos os modelos de máquina registrados e sua cinemática são levados em consideração.
Para obter mais informações sobre a configuração de uma máquina, consulte a seção Defi-
nir máquinas.
Para iniciar a simulação interna de máquina, selecione a lista de tarefas exigidas ou tarefa
exigida e selecione a opção Simulação de máquina interna no menu de atalho.

Controle da Simulação

Para obter informações sobre os ícones do Visualizador de percursos de ferramentas


e do controle de simulação, consulte a seção Simulação Interna.

Abra a caixa de diálogo para definir as condições de parada.


Parar na alteração de tarefa: se você simular várias tarefas de uma lista de tarefas, a simu-
lação para a cada alteração de tarefa.
Parar na troca de ferramenta: a simulação para caso ocorra uma troca de ferramentas.
Parar em caso de colisão: a simulação para se for detectada uma colisão. As opções Confi-
gurar verificação de colisões ativadas no diálogo serão consideradas.

3-84 hyperMILL
Noções básicas
Funções no menu de atalho Calculando os percursos da ferramenta e simulando a 3

Pare a simulação na primeira colisão encontrada. Se a função Parar em caso de coli-


são estiver habilitada e a verificação de colisão estiver ativada, a simulação será interrom-
pida assim que a primeira colisão for detectada. Os componentes da ferramenta e/ou da
máquina em colisão são exibidos em vermelho, assim como o botão de controle da simula-
ção.

Simulação para o final da última tarefa. Clique no botão para exibir a caixa de diálogo
Resultados da verificação de colisões. Os elementos em colisão e a posição de um ponto
de colisão são mostrados.

Use a função Selecionar posição para mover a máquina para o ponto de colisão sele-
cionado.
A caixa de diálogo Resultados da verificação de colisões também é exibida caso não seja
detectada nenhuma colisão.

Se a função Parar em caso de colisão não estiver habilitada e a verificação de


colisão estiver ativada, a simulação não será interrompida na primeira colisão encontrada,
mas os componentes da ferramenta em colisão ainda estarão em vermelho durante a coli-
são. A caixa de diálogo Simulação de usinagem é ampliada pela entrada Colisão detectada
exibida na área inferior da caixa de diálogo. O número de colisões identificadas é exibido.

Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Resultados da verificação de colisões


com uma exibição exata dos respectivos pontos de colisão.
Parar no final do limite da máquina: a simulação para quando o limite da máquina for atin-
gido.
Parar em M0: a simulação para em caso de uma parada do programa.
Parar no número de linha: a simulação para assim que o número de linha especificado (con-
sulte o Visualizador de percursos de ferramentas) é alcançado.
Para obter informações sobre os ícones do controle de simulação e a tecnologia, consulte a
seção Simulação Interna.
Coordenadas do eixo
As coordenadas são exibidas em relação ao NCS da lista de tarefas. Se a opção Quadro
estiver selecionada, as coordenadas do ponto de contato da ferramenta (X, Y, Z) são exibi-
das em relação ao quadro da tarefa. Os ângulos dos eixos A e C do modelo de máquina uti-
lizado são exibidos.
Quando são utilizadas máquinas com 6 eixos (3 dos quais são eixos rotativos), o eixo B é
alinhado de acordo com o quadro definido mediante as seguintes condições:
• O quadro e o NCS estão virados um para o outro
• São possíveis várias orientações relativamente aos eixos de rotação (eixo B) sem
limite de ângulo
• Na configuração do pós-processador, o parâmetro infiniteAxisFollowsFrame (tipo:
número inteiro) está configurado para 1.

Simulação da remoção do material


A simulação da remoção de material é utilizada na simulação da remoção total de material
relativamente ao passo de usinagem (tarefa) em questão, tendo como base a peça em
bruto calculada ou atribuída atualmente.

Inicia a simulação de remoção de material. Nesse procedimento, o hyperMILL analisa


se um cálculo anterior criou um modelo de peça em bruto resultante e utiliza-o como o
modelo de peça em bruto inicial. Se não existir nenhum modelo de peça em bruto para um
ou mais cálculos anteriores, a caixa de diálogo Cálculo de peças em bruto será apresentada
primeiro, antes de a simulação de material removível começar.

Na área Configuração, defina primeiro a Peça em bruto e a Tolerância a ser usada na simu-
lação da remoção do material.

hyperMILL 3-85
3 Noções básicas
Calculando os percursos da ferramenta e simulando Funções no menu de atalho

Ative a opção Cálculo rápido de peças em bruto caso pretenda acelerar a criação de peças
em bruto.
Tenha em consideração que os modelos criados desse modo não apresentam uma exibição
realista dos resultados de fresamento. Portanto, essa opção deve ser utilizada preferencial-
mente com modelos grandes, caso contrário, a criação desses modelos de peça em bruto
iria demorar muito tempo.
Essa opção não é recomendada durante a usinagem de componentes prismáticos (Usina-
gem 2,5D).
Além disso, você pode definir, na seção Tarefas a calcular, para todas as tarefas para as
quais não tenha sido calculado nenhum modelo de peça em bruto resultante, se elas devem
ser calculadas antes da simulação da remoção da peça em bruto e utilizadas depois como o
modelo de peça em bruto inicial. Para o fazer, ative a tarefa correspondente na lista de tare-
fas exibidas.

Mostrar o modelo definido na lista de tarefas.

Mostrar o dispositivo de fixação definido.

Criar um corte através do modelo de peça em bruto na posição atual da ferra-


menta.

Abrir a caixa de diálogo Exibição de material residual.

Abrir a caixa de diálogo Medir

Separar a janela de simulação e a janela de gráficos do sistema CAD ou encai-


xar a janela de simulação na janela de gráficos do sistema CAD.

A função Exibição de material residual pode ser utilizada para exibir materiais residuais res-
tantes após a usinagem.
Realce a tarefa pretendida apresentada na lista de tarefas e selecione Utilitários > Exibição
de material residual no menu de atalho.
Depois, na caixa de diálogo Cálculo de peças em bruto, defina o modelo de peça em bruto
que deve ser utilizado na exibição de material residual. Para obter mais informações, con-
sulte a seção Simulação de máquina interna.
O modelo resultante será apresentado e a caixa de diálogo Exibir material residual será exi-
bida após o cálculo ter sido executado. Especifique aqui os parâmetros de exibição do
material residual.
A análise de material residual também está disponível em Simulação de máquina interna!
Distância de tolerância: distância de tolerância a levar em consideração durante a exibição
de material residual.
Material residual máx.: peças em bruto residuais máximas (material residual) que poderão
ser levadas em consideração durante a exibição de material residual. O material residual é
exibido em quatro etapas que são definidas com base no valor do material residual máximo
permissível. Exemplo: material residual máximo = 1.
Primeira etapa = <0,25, segunda etapa = < 0,5, terceira etapa < 0,75, quarta etapa > 0,75.
Subdivisão aleatória de modelos: precisão da exibição de modelos (Normal, Fino, Muito
fino).
Após um cálculo bem-sucedido, as cores utilizadas na exibição serão apresentadas como
um gradiente de cores (amarelo > verde > azul) na área inferior esquerda da caixa de diá-
logo.
A Distância de tolerância é representada pela cor amarela e o Material residual máx. defi-
nido é representado pela cor azul.

3-86 hyperMILL
Noções básicas
Funções no menu de atalho Calculando os percursos da ferramenta e simulando a 3
Tolerância de comparação: soma da Tolerância do modelo e da Peça em bruto (Tolerância
de simulação).
Tolerância do modelo: precisão do modelo utilizado.
Tolerância de simulação: precisão da simulação da remoção de material.

Medição
Medição da distância entre dois pontos de seleção nas superfícies ou de duas superfícies e
o ângulo entre duas superfícies. Para efetuar medições, clique com o botão esquerdo em
uma localização do elemento a medir (Modelo, Peça em bruto, Dispositivo de fixação,
Modelo de máquina). Siga esse procedimento para especificar o primeiro ponto. Depois, cli-
que novamente com o botão esquerdo para especificar o segundo ponto. Os resultados de
medição são exibidos como:

Duas faces de informação


Ângulo (1): ângulo entre superfície A e superfície B.
Distância da superfície (2): distância entre a superfície clicada primeiro (aqui B) ao segundo
ponto clicado.
Ponto 2 da distância da superfície (3): distância entre o ponto clicado primeiro ao segundo
ponto clicado (aqui A).
Distância do ponto (4): distância entre dois pontos clicados.

Distância do ponto detalhado para NCS


Distância do ponto X/Y/Z: distância do ponto a partir do eixo X/Y/Z do NCS definido
Distância do ponto XY: distância do ponto a partir do nível XY do NCS definido
Ao habilitar a respectiva função de medição, os resultados da medição são exibidos na visu-
alização gráfica.

Exibir peça em bruto/modelo/dispositivo de fixação.

Exibir a máquina definida.

Exibir o modelo de peça em bruto definido de forma transparente.

Exibir o modelo definido de forma transparente.

hyperMILL 3-87
3 Noções básicas
Calculando os percursos da ferramenta e simulando Funções no menu de atalho

Configuração da máquina

1 Alterar variante de usinagem


Altere as variantes de configuração da máquina para 5 eixos ou usinagem inclinada.

Se um pós-processador adequado (com modelo de máquina apropriado) for


usado, a solução usada é mostrada nos arquivos NC.

O seguinte se aplica a máquinas com eixos rotativos que não giram infinita-
mente:
Se for realizada a execução de um pós-processador com uma seleção de solu-
ção armazenada, nenhum retrocesso é mostrado no arquivo NC.

1 Abrir a caixa de diálogo Estrutura da máquina.


Configuração
Na caixa de diálogo Estrutura da máquina, especifique o Plano para o eixo C do ângulo de
rotação relativo a tarefas de torneamento.

Se estiver utilizando a máquina com interpolação de formas cônicas na simulação, você


pode utilizar a opção Habilitar a interpolação de formas cônicas da máquina para garantir
que esse tipo de interpolação também é utilizado na simulação.
A ferramenta irá se deslocar entre a sua orientação inicial e final ao longo de uma superfície
de forma cônica caso existam saltos de vetor (através da unidade). Em relação a máquinas
com acessórios rotativos da mesa, a posição da ferramenta também pode ser alcançada
através do torneamento do acessório.
Você também pode utilizar essa caixa de diálogo para definir os componentes da máquina
(Fuso, Mesa e Corpo) que devem ser exibidos durante a simulação.

3-88 hyperMILL
Noções básicas
Funções no menu de atalho Calculando os percursos da ferramenta e simulando a 3

Se você utilizar um modelo de máquina que contenha um contrasuporte (con-


tracabeçote) variável, você pode mover, manual ou automaticamente, a posi-
ção de grampeamento (opção: Ajuste automático) ao longo de 3 eixos. Com
posicionamento automático, o dispositivo de fixação é sempre colocado no
modelo de peça em bruto definido. O modelo de máquina precisa ser ajustado
antes de você poder usar a função.

1 Abra a caixa de diálogo Configurar verificação de colisões.

Habilitar verificações
Especifique quais elementos (Ferramenta, Suporte e Modelo) são verificados durante a
simulação. As verificações de colisões em relação à peça de grampeamento também estão
disponíveis para tarefas de torneamento. Quando são simuladas tarefas de torneamento, o
dispositivo de fixação é rotacionado automaticamente e exibido como um sólido transpa-
rente.

Ferramenta em comparação com o modelo


Se essa opção estiver habilitada, apenas a parte não cortante da ferramenta
será levada em conta, a qual é definida utilizando o parâmetro Comprimento de
corte da ferramenta. Se o Comprimento de corte apresentar o valor 0, supõe-se
que toda a ferramenta efetua cortes.

A definição correta do comprimento de corte pode aumentar significativamente o desempe-


nho durante a simulação da remoção da peça em bruto de usinagens 5X.

Habilitar verificações de peças em bruto


A cabeça e o suporte da ferramenta bem como a área não cortante da ferramenta podem
ser verificados relativamente a colisões com a peça em bruto. Se você selecionar a opção
Colisão da peça em bruto G0, todos os componentes da ferramenta serão verificados
quanto a colisões no modo de usinagem rápida. Essa função apenas está disponível para
tarefas de fresamento.

Modelos de colisão
Tolerância: precisão da superfície da área de fresamento para ser utilizado na verificação
de colisões.
Compensação da cabeça/Dispositivo de fixação: distância de tolerância levada em conside-
ração para a verificação de colisão.

hyperMILL 3-89
3 Noções básicas
Calculando os percursos da ferramenta e simulando Funções no menu de atalho

Opções
Verificar sempre a área não cortante: esta opção é habilitada por padrão. Na simulação da
remoção de material, os respectivos componentes da ferramenta são exibidos em cores
diferentes, conforme apresentado nas figuras: (1) Área não cortante, (2) Borda de corte da
ferramenta. Caso ocorra uma colisão com a área não cortante (Comprimento da ferramenta
- Comprimento de corte), ela será exibida em vermelho durante a remoção do material.

Durante a simulação de uma tarefa sem um modelo de máquina, a verificação


de colisões é executada apenas em relação ao suporte de ferramentas. A
haste da ferramenta e o fuso apenas podem ser verificados relativamente a
colisões durante o cálculo do arquivo do percurso da ferramenta (consulte a
guia Configurar > Verificar ferramenta).

1 Abra a caixa de diálogo Simulação de configuração

Configurar
Tolerância de simulação: precisão do cálculo de elementos utilizados na simulação.
Modo de ferramenta: por predefinição, a ferramenta utilizada na criação do arquivo do per-
curso da ferramenta (ferramenta do arquivo do percurso da ferramenta) é utilizada na simu-
lação.
Contudo, você pode alterar a definição da ferramenta (sem recalcular o arquivo do percurso
da ferramenta) e utilizar a ferramenta trocada na simulação (Ferramenta da tarefa). Para
isso, clique na Linha da ferramenta e altere os parâmetros necessários da ferramenta (por
exemplo comprimento da ferramenta). Depois, escolha a opção Ferramenta da tarefa para o
modo de ferramenta.
Se você pretender utilizar alguma ferramenta da lista de todas as ferramentas já definidas
para o modelo da simulação, selecione a opção Ferramenta da lista de ferramentas. Sele-
cione depois a ferramenta pretendida na lista apresentada em Ferramenta.
Ferramenta: a ferramenta utilizada na tarefa é exibida e pode ser editada.

Clique no ícone para abrir o banco de dados da ferramenta.

3-90 hyperMILL
Noções básicas
Funções no menu de atalho Calculando os percursos da ferramenta e simulando a 3

A substituição da ferramenta na simulação de máquina destina-se apenas à


análise. Depois, a tarefa tem que ser recalculada de maneira a criar um arquivo
de percurso de ferramenta válido.

Modo de ponto de configuração


Centragem automática: o modelo CAD é colocado automaticamente no centro da mesa de
usinagem.
Manual: especifique o ponto de configuração para o modelo.
Para isso, clique na linha Ponto de configuração e selecione o ponto necessário direta-
mente na janela de gráficos (ícone 1) ou insira os valores das coordenadas. Clique no ícone
2 para abrir a caixa de diálogo Atributo do ponto de modo a alterar a orientação e definir
uma distância de tolerância.

Exibir percursos de ferramenta : o percurso de ferramenta atual é exibido ou ocultado.


Fixar máquina: fixa a máquina. O modelo é movido durante a simulação.
Simular apenas tarefas NC: ativa somente para simular tarefas para as quais um arquivo
NC foi criado previamente.

Cor
Define as cores para os elementos que são exibidos na simulação de remoção do material
(modelo, fixação, modelo de peça em bruto), para o plano de fundo da tela, colisões detec-
tadas e corte de corrente.

Cores de tarefas
Usar cores de tarefa: a remoção de material é apresentada na cor exibida para a respectiva
tarefa. Se a função não estiver habilitada, a remoção de material é exibida na cor especifi-
cada em Cor de corte atual.

Modelo/Peça em bruto/Ferramenta/Dispositivo de fixação/Máquina


Habilite a opção correspondente para exibir os elementos de maneira transparente. É possí-
vel especificar livremente a transparência. As bordas também podem ser exibidas. Relativa-
mente a modelos e dispositivos de fixação, também é possível transferir as cores originais,
sendo que isso irá substituir as definições da seção Cor.
Permitir ajustes no comprimento da ferramenta: a ferramenta é exibida encurtada ou
ampliada quando a função Calcular comprimento é habilitada.
Exibir renderizado: os elementos são exibidos de uma maneira otimizada e mais realística.

Mostra a máquina definida na lista de tarefas e/ou caixa de diálogo Configurar máquina
durante a simulação.

Ativa a verificação de colisões. Os elementos ativados na caixa de diálogo Configurar


verificação de colisões são verificados. Os resultados da verificação de colisões são exibi-
dos na caixa de diálogo Resultados da verificação de colisões.
Espaço de trabalho

hyperMILL 3-91
3 Noções básicas
Calculando os percursos da ferramenta e simulando Funções no menu de atalho

(1) Pontos inicial e final máx. que foram atingidos na simulação atual
(2) Espaço de trabalho definido
(3) Posição atual da ferramenta
(4) Infração do espaço de trabalho

Simulação externa
Se você usar o programa de simulação, você pode especificar várias configurações sua uti-
lização nessa caixa de diálogo. Leve em consideração que é necessária uma licença para
utilizar a funcionalidade da interface. Entre em contato com seu revendedor.

Ativar VERICUT/COLLISION SAFEGUARD


1. Primeiro abra o programa Configurações da aplicação.
2. Clique em Novo em Aplicações registradas.
3. Selecione a entrada VERICUT em Chave, depois vá até Programa, navegue até à
pasta correta na sua instalação VERICUT e escolha vericut.bat.
4. Confirme selecionando OK.

Configurar VERICUT/COLLISION SAFEGUARD


1. Na guia Pós-processador da lista de tarefas, selecione a opção Máquina.

2. Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Administração da máquina.


3. Defina uma máquina cuja saída NC você deseje verificar utilizando o VERICUT.
4. Ative a simulação desejada na seção Geral > Simulação externa.

5. Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo de configuração.

Máquina
Selecione um modelo de máquina (formato do arquivo: *.mch/*.xmhc).

Controlador
Selecione um controlador (formato do arquivo: *.ctl/*.xctl).

Projeto
Selecione um arquivo de projeto. Esse é um arquivo modelo no qual está definida a configu-
ração inicial do VERICUT (incluindo a visualização de janelas, tolerâncias, verificação de
colisões, etc.). Para alterar a configuração, abra o arquivo de projeto em VERICUT e depois
salve suas alterações.

Opções
Lista de correção padrão: esse valor será usado se já não tiver sido definido no hyperMILL
(definição da tarefa, guia Ferramenta). Valores numéricos (números inteiros), variáveis
(números de ferramenta) e opções de cálculo (tais como T:No+10) podem ser usados.

3-92 hyperMILL
Noções básicas
Funções no menu de atalho Calculando os percursos da ferramenta e simulando a 3
ID ponto de referência da ferramenta: definição do nome exclusivo da ferramenta (com
suporte de fórmula). Pré-requisito para uma alteração de ferramentas correta.
Anexar a: especifica se os componentes devem ser colocados automaticamente (opção
Automático). A interface VERICUT procurará então automaticamente a posição de grampe-
amento pretendida.
Posição: especifica a posição manualmente. O nome do elemento do VERICUT no qual as
peças serão colocadas tem que ser definido.
Modelo: Fechar STL especifica se deve ser criado um sólido fechado para os arquivos STL
do modelo.
A opção Fechar dispositivo de fixação STL cria um sólido fechado para os arquivos STL da
peça de grampeamento.
Fechar os arquivos pode evitar problemas de exibição no VERICUT.
Fechar dispositivo de fixação STL: especifica se a interface do VERICUT move Automatica-
mente o ponto zero do programa ou se a configuração é importada do Modelo do projeto.
Isso conclui as configurações necessárias para utilização da interface do VERICUT.

Iniciar o VERICUT
Selecione a função Utilitários > VERICUT na lista de tarefas ou no menu de atalho da tarefa.

Configurar VERICUT/COLLISION SAFEGUARD


Especifique várias configurações na caixa de diálogo Interface VERICUT/COLLISION
SAFEGUARD interface.
Lista de tarefas: selecione a lista de tarefas para a qual foram realizadas as seguintes confi-
gurações. Também é possível transferir simultaneamente listas de tarefas múltiplas de
maneira que cada lista de tarefas corresponda a um único grampo.
Máquina, Controle e Modelo de projeto exibem as configurações especificadas na caixa de
diálogo Configuração VERICUT/COLLISION SAFEGUARD.
Posição de fixação automática: todos os componentes utilizados para a simulação (modelo,
modelo de peça em bruto, dispositivo de fixação, entre outros) são colocados automatica-
mente no ponto zero definido no modelo de máquina.
Posição de grampeamento NCS: use a NCS definida no quadro do hyperMILL para colocar
os componentes usados (modelo, modelo de peça em bruto, fixação, entre outros) no
modelo de máquina.

Projeto de saída
Defina o diretório e o nome do arquivo de projeto VERICUT (*.vcproject). Esse arquivo é uti-
lizado na troca de informações entre o hyperMILL e o VERICUT. O OPEN MIND suporta a
versão 7.0 e superiores do VERICUT.
Gerar arquivos NC: enquanto você cria os dados de projeto do VERICUT, a execução do
pós-processador é desencadeada automaticamente e é criado um arquivo NC.
Gerar dados de projeto: gera os dados do projeto VERICUT sem iniciar posteriormente o
VERICUT.
Executar VERICUT: gere os dados de projeto VERICUT e inicie o VERICUT.

Pasta de saída
Defina o diretório para gerar os dados do projeto COLLISION SAFEGUARD.
ID do projeto: define a ID do projeto desejado.
Nome do projeto: exibe o nome do projeto COLLISION SAFEGUARD (nome do diretório). O
projeto que é gerado contém os seguintes elementos:
• Arquivo NC
• Arquivo de fixação: .stl
• Arquivo de modelo: .stl
• Arquivo de peça em bruto: .stl
• Arquivo de ferramenta: .tls

hyperMILL 3-93
3 Noções básicas
Calculando os percursos da ferramenta e simulando Funções no menu de atalho

• Arquivo de projeto: .vcproject


Gerar dados de projeto: gera os dados de projeto COLLISION SAFEGUARD.

3-94 hyperMILL
Noções básicas
Análise Funções adicionais do hyperMILL 3
Funções adicionais do hyperMILL

Tenha em consideração que nem todas as funções adicionais do hyperMILL


estão disponíveis em todas as plataformas. Para obter mais informações, con-
sulte as tabelas na seção hyperMILL e programa CAD.

Análise

Inicialize através do menu Ferramentas do hyperMILL > Análise ou através do menu


de atalho Utilitários > Análise da tarefa ou da lista de tarefas. Se você iniciar a função de
análise a partir do menu de atalho, tanto o Quadro quanto a Ferramenta serão obtidos dire-
tamente a partir da tarefa utilizando a função Testar posição da ferramenta.

Clique no ícone para iniciar a Análise. Outras funções adicionais estão disponíveis
através dos ícones correspondentes. Clique no respectivo ícone e pressione o botão do
mouse.

Analisar uma/duas superfícies

Exibe o modelo no modo transparente.

Quadro: primeiro selecione o quadro que você pretende utilizar para a análise.
Na janela de gráficos, clique na(s) superfície(s) que pretende analisar. A análise do plano do
hyperMILL começa automaticamente. A caixa de diálogo contém informações diferentes,
dependendo do tipo de superfície.
Você pode analisar os seguintes tipos de superfícies: plano, arredondamento, toro, cone e
superfície e furo de forma livre.

Retirar resultados da análise


Você pode salvar o feedback gráfico das dimensões em uma camada especificável livre-
mente.

Clique no ícone para definir a camada e insira o nome com o qual o feedback deve
ser salvo. Em seguida determine a cor da camada clicando na superfície colorida.

Análise do raio/análise do plano


Você utiliza a análise do raio para analisar os raios de todas as superfícies ou de superfícies
individuais de um modelo CAD. Você utiliza a análise de plano para analisar o modelo CAD
quanto aos planos desse mesmo modelo.

Exiba o modelo no modo transparente.

Mostre os planos
Informações do raio/superfície

Selecione as superfícies que você pretende utilizar para a análise.

Selecione o quadro que você pretende utilizar para a análise.


A análise do raio/análise do plano começa automaticamente. Todos os raios/planos encon-
trados são combinados em grupos em uma exibição da lista.

hyperMILL 3-95
3 Noções básicas
Funções adicionais do hyperMILL Análise

Utilize o Raio mín./máx. para especificar o tamanho mínimo ou máximo dos raios a serem
reconhecidos. Você utiliza o Ângulo mín./máx. para especificar o ângulo mínimo ou máximo
dos planos a serem reconhecidos. Você utiliza o valor passo para especificar os incremen-
tos para o tamanho do grupo respectivo.

Se você alterar posteriormente um desses parâmetros e premir Devolver, o


hyperMILL realiza automaticamente um novo cálculo que engloba os parâme-
tros modificados.

Filtro
Você utiliza as opções Mostrar raios côncavos/convexos/de corte negativo para especificar
os raios que são reconhecidos. No modelo CAD, a cada grupo de raios/grupo de planos é
atribuída uma cor (consulte a exibição da lista, coluna C) e cada grupo pode ser exibido ou
ocultado. Para ocultar um grupo de raios, desmarque a caixa de seleção na coluna V.
Para mostrar ou ocultar todos os grupos, clique com o botão direito na exibição da lista e
selecione Tudo ligado/Tudo desligado. Para mostrar ou ocultar todos os grupos seleciona-
dos, clique com o botão direito na exibição da lista e selecione Tudo selecionado ligado/
Tudo selecionado desligado.

Se você selecionar a linha relevante para um grupo de raios ou grupo de pla-


nos na exibição da lista, todos os raios ou planos nesse grupo são apresenta-
dos em vermelho no modelo CAD.

Gravar planos/raios em camadas separadas


Use essa função no menu de atalho da lista de resultados para salvar os raios/planos das
análises em camadas separadas. Se você clicar duas vezes em uma entrada na exibição da
lista, os raios/superfícies combinados e apresentados nesse grupo serão ampliados (indivi-
dualmente) na janela de gráficos e combinados em uma lista especial (Ampliar elemento).
Você pode selecionar os elementos nessa lista individualmente ou pode utilizar as teclas de
direção para navegar pela lista. Você pode alterar a cor de cada grupo de raios ou Grupo de
superfícies na exibição da lista clicando duas vezes no símbolo da cor relevante na coluna
C.

O modelo é apresentado de forma transparente. Em todos os casos, é utilizada a pri-


meira cor transparente definida no programa CAD.

O modelo é exibido na cor padrão para a exibição da ferramenta (consulte também


Configurações do hyperMILL > Documento > Cores > Ferramenta).
Os raios reconhecidos são exibidos nas cores para a exibição da lista (consulte Configura-
ções do hyperMILL > Documento > Cores > Cores para a exibição da lista).

O modelo é exibido na cor padrão para a exibição da ferramenta (consulte também


Configurações do hyperMILL > Documento > Cores > Ferramenta).
Os planos reconhecidos são exibidos nas cores para a exibição da lista (consulte hyperMILL
Configurações > Documento > Cores > Cores para a exibição da lista).
Para a análise do raio e análise do plano, você pode salvar o feedback gráfico relativo aos
parâmetros exibidos em uma camada de sua preferência. Para informações sobre esse pro-
cedimento, consulte Analisar uma/duas superfícies.

3-96 hyperMILL
Noções básicas
Análise Funções adicionais do hyperMILL 3
Testar posição da ferramenta
Você pode utilizar a função Testar posição da ferramenta para determinar o melhor quadro
para um tipo particular de usinagem.

Configuração
Clique na linha Ferramenta/Quadro para especificar o quadro e a ferramenta.
Máquina: especifica o modelo da máquina a ser usado para análise.
Mostrar máquina: habilite essa função para exibir o modelo da máquina na janela de gráfi-
cos.
Configuração

1 Para obter informações sobre as caixas de diálogo Configurar verificação de


colisões e Estrutura da máquina, consulte a seção Controle da Simulação.
Modo de ponto de configuração: use Centragem automática para pôr o modelo CAD auto-
maticamente no centro da tabela da máquina. Selecione Manual para especificar o ponto de
configuração para o modelo.

Para isso, clique na linha Ponto de configuração e selecione o ponto necessário dire-
tamente na janela de gráficos (ícone 1) ou insira os valores das coordenadas.

Clique no ícone 2 para abrir a caixa de diálogo Atributo do ponto de modo a alterar a
orientação e definir uma distância de tolerância.
Se você habilitar a opção verificação de colisão e definir uma área de fresamento, a ferra-
menta será exibida em vermelho caso esteja em colisão.
Orientação da ferramenta: você pode alinhar a ferramenta no quadro atualmente definido ou
no normal da superfície. Utilize o botão esquerdo do mouse para posicionar a ferramenta
onde pretender no modelo CAD.
Inclinação da ferramenta por mouse: É possível utilizar a visualização gráfica dos três eixos
(A, B e C) para especificar (diretamente na ferramenta) a inclinação da ferramenta para
cada eixo separadamente. Para isso, clique na visualização relevante e utilize o mouse para
mover a ferramenta. Depois clique novamente quando a ferramenta estiver posicionada cor-
retamente.
Exibição da posição (quadro): exibe os ângulos atuais para os eixos B eC, assim como as
coordenadas do ponto de contato da ferramenta (X, Y, Z), que é baseado no quadro defi-
nido emFerramenta e quadro. Você pode introduzir diretamente o posicionamento na linha
correspondente ou controlar a entrada utilizando ícones.

Alterar a posição da ferramenta


com base no sistema de coordenadas exibido.

Alterar a posição
da ferramenta com base no quadro atualmente definido.
A precisão é definida utilizando o valor de incremento.

Otimizar o comprimento da ferramenta: o hyperMILL calcula o comprimento da ferra-


menta ideal para qualquer posição da ferramenta.

Transparente: o modelo é apresentado de forma transparente. Em todos os casos, é


utilizada a primeira cor transparente definida no programa CAD.

Quadro: o hyperMILL salva a posição atual da ferramenta como um quadro. Se você


utilizar uma máquina que suporte serrilhado, (consulte a Lista de tarefas), o quadro criado é
sempre automaticamente compatível com o respectivo serrilhado.

hyperMILL 3-97
3 Noções básicas
Funções adicionais do hyperMILL Remover imagem

Otimização do comprimento da ferramenta de resultados

O Comprimento de ferramenta exigido (incluindo a Extensão da ferramenta) e a


Folga do suporte calculada são exibidos diretamente na caixa de diálogo.
Novo comprimento de ferramenta: especifique aqui como você pretende utilizar os resulta-
dos de otimização do comprimento da ferramenta. Estão disponíveis as seguintes opções:
Alterar comprimento de ferramenta: a ferramenta utilizada na tarefa é ajustada em conformi-
dade. Leve também em consideração o efeito em outras tarefas que utilizam a mesma ferra-
menta.
Criar nova ferramenta: uma nova ferramenta com uma nova ID é criada utilizando os dados
da ferramenta atual levando em conta os resultados de otimização.
Melhor ferramenta do banco de dados

Busca por uma ferramenta mais adequada no banco de dados. Altera os parâ-
metros correspondentes na seção Diâmetro da ferramenta e clique no ícone Pesquisar fer-
ramenta com os parâmetros alterados. Você pode especificar um intervalo de tolerância
para o Diâmetro da ferramenta e para o Raio do Ângulo, que é levado em consideração
durante a pesquisa.
Resultado

A ferramenta alterada/nova é exibida na caixa de diálogo em Resultados. Clique


no ícone para copiar a ferramenta para a tarefa. A ferramenta também é salva no banco de
dados de ferramentas OPEN MIND.

Clique no ícone para definir uma ferramenta nova/alterada.

Conversor - exibir erros de superfície


Exibir superfícies convertidas incorretamente.

Inicie a partir do menu Ferramentas do hyperMILL.


Os erros de superfície são exibidos na guia Visibilidade > TAGs > Conversor. Se nenhum
erro de superfície for encontrado, exiba o modelo novamente habilitando a ETIQUETA
Complementar.

Remover imagem
Remover imagem de feedback.

Inicie a partir do menu Ferramentas do hyperMILL.

Dados OMX
OMX é o formato de dados de geometria interno do hyperMILL. Você pode transferir dados
de geometria como limites ou posições de furação de uma lista de tarefas para outra utili-
zando as funções adicionais Exportar OMX e Importar OMX.

Importar OMX
Carregar dados de geometria com formato omx para um modelo.

Inicie a partir do menu Ferramentas do hyperMILL.


Arquivo: especifique o arquivo de origem.

Cor/Camada: defina a cor e a camada.

3-98 hyperMILL
Noções básicas
Importar ferramentas WinTool Funções adicionais do hyperMILL 3
Exportar OMX
Salve os dados de geometria selecionados em um arquivo *.omx separado.

Inicie a partir do menu Ferramentas do hyperMILL.


Se você pretende utilizar essa função para exportar um suporte/fuso de ferramentas defi-
nido livremente como um contorno para o banco de dados de ferramentas OPEN MIND,
habilite a opção Dados na área de transferência. Para obter mais informações sobre a
importação de um suporte de ferramentas ou fuso de ferramenta definidos livremente, con-
sulte a seção O editor de geometria.

Contornos: selecione os contornos que pretende salvar no arquivo *.omx.


Tolerância aprox.: tolerância aproximada. Valor padrão para converter contornos 2D com
arcos elípticos ou splines em um conjunto de linhas conectadas (para curvas de perfil ou
limites).

Arquivo: introduza o caminho e o nome do arquivo OMX que você pretende criar.
Gravar dados na área de transferência: essa função permite que você transfira dados de
geometria diretamente para o hyperVIEW.

Ferramentas do TDM Systems

Troca de dados entre o TDM Systems e o hyperMILL.

Importar ferramentas WinTool


Troca de dados entre o WinTool e o hyperMILL durante a qual as IDs das ferramentas são
verificadas. Ao importar ferramentas do WinTool, o hyperMILL atribui números NC automati-
camente. O número NC seguinte é o número mais alto existente + 1.

Inicie a partir do menu Ferramentas do hyperMILL.

Exportar ferramentas WinTool

Inicie através do menu Ferramentas do hyperMILL.

hyperMILL 3-99
3 Noções básicas
Funções adicionais do hyperMILL Importar ferramentas Zoller:

Importar ferramentas Zoller:


Troca de dados entre o sistema de gerenciamento de ferramenta Zoller e o hyperMILL. As
ferramentas importadas são inseridas automaticamente na lista de ferramentas do atual
documento.

Inicie a partir do menu Ferramentas do hyperMILL.

Exportar ferramentas ZOLLER


Exporta todas as ferramentas usadas no documento para o banco de dados Zoller. Se o
documento contiver várias listas de tarefas, é criada uma lista de utilização para cada lista
de tarefas do documento.

Inicie a partir do menu Ferramentas do hyperMILL.

Compensação de contorno
Para obter configurações de limite ideais para a área de usinagem, altere o tamanho dos
limites. Se o contorno ainda não tiver sido criado, você também pode selecionar bordas da
superfície e compensá-las ao mesmo tempo.

Inicie a partir do menu Ferramentas do hyperMILL.

Opção
Tolerância: introduza o valor de tolerância desejado. Esse valor define:
• As distâncias máximas entre elementos individuais que podem ser fechados durante a
junção de pontos ou linhas a curvas ou elementos de malha.
• Distâncias mínimas entre as bordas da superfície para que sejam reconhecidas como
contornos separados.

Cor: a cor do contorno criado recentemente.

Camada: camada sobre a qual é armazenado o contorno criado recentemente.

Seleção

Contornos: selecione os contornos que pretende editar. Para obter informa-


ções sobre a seleção de contorno, consulte a seção Selecionar elementos.

3-100 hyperMILL
Noções básicas
Exportar ferramentas ZOLLER Funções adicionais do hyperMILL 3
Compensação
Valor: distância do novo contorno a partir do contorno original.
Incremento: o valor aqui definido é adicionado (ou subtraído) ao valor de distância de tole-
rância da peça em bruto especificado.
Sistema de coordenadas: a direção para a qual o contorno criado recentemente é movido.

Clique no ícone para selecionar um quadro ou especificar um novo quadro.


Projetar no plano de trabalho: projeta o contorno criado com a função Compensação de
contorno no plano de trabalho atual.
Aplicar: cria um novo contorno com os dados que você tiver introduzido anteriormente.
Cancelar: sai da caixa de diálogo de entrada.

Autoconexão de Contorno
Vincule os contornos adjacentes que não se cruzem exatamente. O sistema corta pequenas
sobreposições e fecha pequenos espaços dentro da tolerância especificada. Os contornos
resultantes podem ser utilizados para usinagem.

Inicie a partir do menu Ferramentas do hyperMILL.

Opção
Tolerância: insira o valor de tolerância desejado.
Tol. aprox.: exatidão da resolução da curva: valor padrão para converter contornos 2D com
arcos elípticos ou splines em um conjunto de linhas conectadas.

Cor/Camada: informações na seção Compensação de contorno.


Remover curvas originais: exclui a curva original.
Feedback de contorno: ativa a exibição do feedback gráfico.

Seleção
Curva: selecione a(s) curva(s) a usinar.
Superfície: selecione a(s) superfície(s) de usinagem cujos contornos de limite você pretende
utilizar em usinagens posteriores.
Calcular: todos os elementos selecionados são combinados em um contorno utilizando o
valor definido em Tolerância.
Desfazer: desfaça uma seleção ou cálculo que tenha sido executado.
Ponto inicial/Ponto final: apenas os elementos que ficam entre os pontos inicial e final são
combinados para formar um contorno.

hyperMILL 3-101
3 Noções básicas
Funções adicionais do hyperMILL Invólucro de shell lateral

Distância de tolerância: utilizando um valor de distância de tolerância da peça em bruto,


pode ser criado um novo contorno para um contorno calculado com o hyperMILL ou criado
em um programa CAD.
Incremento: o valor aqui definido é adicionado (ou subtraído) ao valor de distância de tole-
rância da peça em bruto especificado.
Aplicar: cria um novo contorno com os dados que você tiver introduzido anteriormente.

Invólucro de shell lateral

Revista ou desfaça o invólucro de um rótulo para um shell lateral. Para obter mais
informações, consulte a documentação do hyperCAD-S.

Invólucro de rosca

Revista ou desfaça o invólucro de um padrão de perfil. Para obter mais informações,


consulte a documentação do hyperCAD-S.

3-102 hyperMILL
Noções básicas
Reconhecimento de limite Funções adicionais do hyperMILL 3
Converter grade para NURBS

Somente hyperCAD. Converta as grades criadas no hyperMILL (por exemplo percur-


sos de ferramentas) em curvas NURBS (curvas B-splines racionais não uniformes) para usi-
nagem posterior.

Reconhecimento de limite

Somente hyperCAD. Selecionar contornos externos de qualquer número de superfí-


cies.
Tolerância: são combinadas superfícies cuja distância entre si seja menor que o valor de
tolerância.
Camada: especifica a camada onde o novo contorno calculado é armazenado.
Tipo de entidade:: Superfície/Face Sólida: seleciona superfícies cujo contorno externo você
pretende calcular.

Pesquisar entidades duplas

Somente hyperCAD. Reconhecer qualquer número de elementos duplos.


Tolerância: seleciona elementos cuja distância do espaço é inferior ao valor de tolerância.
Os duplos são movidos em camada: os elementos reconhecidos como duplos são armaze-
nados nessa camada.
Tipo de entidade: Curva/Superfície: selecione o tipo de elementos a reconhecer.

Pesquisar superfícies pequenas

Somente hyperCAD. Reconhecer qualquer número de superfícies pequenas.


Área mínima: são reconhecidas as superfícies menores que o valor aqui especificado.
Camada: as superfícies selecionadas são armazenadas nessa camada.

Extrair círculos e arcos

Somente hyperCAD. É possível utilizar esse utilitário na extração de círculos ou arcos


de contornos (por exemplo, limites e furos de superfícies e sólidos). Os círculos e arcos
extraídos podem ser utilizados em ciclos de furação e cavidades circulares. A caixa de diá-
logo está dividida nas seguintes seções:

Seleção
Curvas/Superfícies: utilize esses botões para selecionar curvas e superfícies (incluindo
faces sólidas) nas quais devem ser reconhecidos círculos e arcos.

Reconhecer
Círculos/Arcos: aqui você pode especificar se os círculos e/ou arcos devem ser reconheci-
dos.
Tolerância: especifique a tolerância que deve ser aplicada.
Sistema de coordenadas: especifique o sistema de coordenadas. Os círculos criados são
armazenados em planos paralelos ao plano XY pertencendo ao sistema de coordenadas
especificado.

Filtro
Usar filtro: os diâmetros para círculos e arcos a serem reconhecidos pode ser limitado aqui.
Usar filtro ampliado: é possível combinar dois filtros.

hyperMILL 3-103
3 Noções básicas
Funções adicionais do hyperMILL Ler percurso da ferramenta

Resultado
Aqui, você especifica a forma como os resultados do reconhecimento devem ser armazena-
dos (por exemplo, os novos círculos e/ou arcos criados).
Inserir altura > Absoluto: : especifica interativamente um valor absoluto para a altura da pas-
tilha no modelo CAD. Se esse valor for zero, todos os círculos e arcos criados irão residir no
plano XY do sistema de coordenadas selecionado.
Parte superior do contorno/Parte inferior do contorno: as referências da parte superior do
contorno/parte inferior do contorno também podem ser usadas. Nesse caso, os círculos e
arcos criados são armazenados em planos paralelos ao plano XY. Os valores Z desses pla-
nos são compensados pelo valor inserido para a parte superior ou parte inferior dos contor-
nos originais.
Cor/Camada: aqui você pode definir a cor e a camada para os círculos e/ou arcos.

3DF para STL

Somente hyperCAD. Converter arquivos 3DF para o formato STL. Defina os caminhos
do arquivo e selecione a cor e o formato conforme necessário.

Observe que os sólidos gerados com essa função adicional não são fechados
e, por essa razão, não podem ser utilizados para a atualização do modelo de
peça em bruto (cálculo do modelo de peça em bruto).

Comparar modelos

Somente hyperCAD. Compare dois modelos que tenham sido criados no mesmo pro-
grama CAD.

Comparação de modelos
Modelo atual: O modelo na janela ativa.
Modelo de referência: Selecione o modelo de referência aqui.

Opções
Tolerância: Configuração padrão baseada na tolerância de superfície definida.

Mostrar resultado
Cor para superfícies alteradas: Todas as alterações são mostradas na cor definida.
Mover superfícies alteradas para camada: quaisquer superfícies com alterações são salvas
na camada especificada.
Copiar faces sólidas alteradas em camada: são criadas cópias para as faces sólidas altera-
das e salvas na camada especificada.

Ler percurso da ferramenta

Lê os percursos das ferramentas a partir das tarefas que já tenham sido calculadas.

Excluir dados gráficos dohyperMILL


Somente o hyperMILL em Excluir todos os dados gráficos do hyperMILL (gráficos de ferra-
mentas temporários e assim por diante) do Inventor.

3-104 hyperMILL
Noções básicas
hyperCAD Utilitários CAD 3
Utilitários CAD
Prepare os modelos CAD para usinagem com o hyperMILL.

hyperCAD
Os seguintes utilitários CAD estão disponíveis para o hyperCAD:

Colocar superfícies errôneas em uma camada

O hyperMILL executa uma verificação de plausibilidade nas superfícies seleciona-


das antes de cada reconhecimento de áreas de fresamento. Se forem reconhecidas uma ou
mais superfícies com erros, você poderá utilizar essa função para salvar as superfícies com
erros encontradas em uma camada.
Se você iniciar a função, a janela Erro de superfície é apresentada mostrando todas as
superfícies com erros. Introduza o número da camada ou nome da camada na qual as
superfícies são salvas no campo de entrada no canto inferior direito.
Clique no botão Mover e Sair para salvar as superfícies na camada definida e terminar a
função. Para analisar as superfícies com erros, mostre apenas esta camada. Você pode
reparar as superfícies (por exemplo, reconstruir) ou remover essas superfícies da área de
fresamento se não forem relevantes para a edição CAM.

Superfícies fechadas

Você pode utilizar essa função para fechar as (sub)superfícies de um modelo CAD
cujos limites fiquem dentro de uma superfície. Se você solicitar a função, as novas superfí-
cies criadas mudam para a cor definida como ativa no programa CAD e são armazenadas
na primeira camada vazia disponível.

Dividir sólidos

Utilize a função Dividir sólido para dividir sólidos ao longo de curvas. Os sólidos
resultantes continuam como sólidos únicos.
Primeiro selecione o Sólido para ser cortado. Depois selecione a(s) curva(s) que você pre-
tende utilizar como bordas de corte. Por fim, tudo o que você precisa fazer é selecionar a
superfície sólida (superfície de base) cuja normal irá definir a direção de corte (direção: Nor-
mal). Se você não pretender utilizar o normal da superfície da superfície de base como a
direção de corte, você também pode definir a direção de corte através de Dois pontos. Você
também pode definir cores e camadas para os sólidos resultantes (opcional).

Alterar propriedades da entidade

Você pode utilizar essa função para alterar as propriedades (camada e cor) de qual-
quer elemento (superfícies e curvas). Primeiro, selecione os elementos (superfícies/curvas)
que pretende alterar. Depois selecione as propriedades que pretende alterar (Camada, Cor
ou ambas) e feche a caixa de diálogo.

Aumentar a espessura de planos

Essa função permite que você aumente a espessura de qualquer plano no modelo
CAD. Em Entrada, selecione primeiro o tipo de definição de objeto. Você pode aumentar a
espessura de todos os planos de uma certa cor ou camada ou selecionar os planos manual-
mente (opção: Selecionar). Depois disso, defina a altura e camada de saída do plano a ser
alterado.

hyperMILL 3-105
3 Noções básicas
Utilitários CAD hyperMILL no Inventor

Exportar parâmetro

Com essa função, você pode alterar modelos CAD parametrizados através da
exportação de uma lista de parâmetros. Escolha um percurso e nome de arquivo de modo a
salvar o conteúdo de uma lista de parâmetros. Consequentemente, o nome e valor de cada
parâmetro são salvos.

Importar parâmetro

Utilize essa função para importar alterações de um modelo CAD parametrizado


como um lista de parâmetros. Escolha o Percurso e o Nome do arquivo para a lista de parâ-
metros atual e clique em Abrir.

hyperMILL no Inventor
Mostrar superfícies com erros

O hyperMILL executa uma verificação de plausibilidade nas superfícies seleciona-


das antes de cada reconhecimento de áreas de fresamento. Se forem reconhecidas uma ou
mais superfícies com erros, você pode utilizar essa função para salvar as superfícies com
erros encontradas em uma camada. Você pode reparar as superfícies (por exemplo,
reconstruir) ou remover essas superfícies da área de fresamento se não forem relevantes
para a edição CAM.

Ocultar superfícies com erros

Você pode utilizar essa função para ocultar todas as faces que não tenha sido possí-
vel converter corretamente durante a criação do poliedro.

Limpar informação sobre superfícies com erros

Você pode utilizar essa função para excluir as informações sobre faces que não
tenha sido possível converter corretamente durante a criação do poliedro.

hyperMILL para o SolidWorks


Os seguintes utilitários CAD estão disponíveis para o hyperMILL para SolidWorks:

Superfícies convertidas incorretamente

O hyperMILL executa uma verificação de plausibilidade nas superfícies seleciona-


das antes de cada reconhecimento de áreas de fresamento. Se forem reconhecidas uma ou
mais superfícies com erros, você pode utilizar essa função para salvar as superfícies com
erros encontradas em uma camada.
Você pode reparar as superfícies (por exemplo, reconstruir) ou remover essas superfícies
da área de fresamento se não forem relevantes para a edição CAM.

Ampliar tudo: amplia todas as faces convertidas incorretamente na janela CAD


atual.

Ampliar seleção: amplia as faces convertidas incorretamente que tenham sido sele-
cionadas em uma lista na janela CAD atual.

3-106 hyperMILL
Noções básicas
hyperCAD-S Utilitários CAD 3

Tudo desligado: oculta todas as faces convertidas incorretamente na janela CAD


atual.

Mostrar tudo: exibe todas as faces convertidas incorretamente na janela CAD atual.

Mostrar selecionadas: mostra as faces convertidas incorretamente que tenham sido


selecionadas em uma lista na janela CAD atual.

Excluir tudo: exclui todas as faces convertidas incorretamente na janela CAD atual e
exclui essas faces da lista de faces incorretas.

Mover tudo para a lista de faces excluídas: se as faces convertidas incorreta-


mente forem faces de que você não necessita para a usinagem, você pode excluir essas
faces da seleção. Você deve, em seguida, converter as faces novamente, de modo que o
poliedro seja criado corretamente.

Atualizar
As alterações na geometria do modelo são enviadas para o hyperMILL.

hyperCAD-S
Conversor - exibir erros de superfícies
Exibir superfícies convertidas incorretamente.

Inicie a partir do menu Ferramentas do hyperMILL.


Os erros de superfície são exibidos na guia Visibilidade > TAGs > Conversor > guia Erros de
superfície. Se nenhum erro de superfície for encontrado, exiba o modelo novamente habili-
tando a ETIQUETA Complementar.

As etiquetas Complementar e Erros de superfície também são criadas quando


ocorrem erros ao atualizar o cache de geometria.

hyperMILL 3-107
3 Noções básicas
Produzir eletrodos Preparando a programação NC de fresamento

Produzir eletrodos
O eletrodo hyperCAD-S oferece funções para desenho, gerenciamento, programação e
documentação de eletrodos de ferramentas completos com suportes de eletrodos e infor-
mações do fabricante do produto para o die-sinking EDM com o comportamento de erosão
de faísca. Programe eletrodos totalmente para fresamento com base no hyperMILL com a
funcionalidade do eletrodo e programação macro.

Preparando a programação NC de fresamento


Várias tarefas preparadas devem ser realizadas. Prepare a biblioteca do suporte de ele-
trodo. Determine as configurações padrão. Leia a paleta de cores do eletrodo e atribua as
cores aos eletrodos. Desenhe e mapeie os eletrodos e produza os relatórios dos eletrodos.
Informações detalhadas sobre este trabalho podem ser encontradas na documentação de
software do hyperCAD-S

Padrões para a programação NC


Na caixa de diálogo hyperCAD-S Arquivo > Opções > Opções de eletrodo > Referência com
Nome do eletrodo e Incremento para nomes, defina o nome da geometria do eletrodo e do
projeto de fresamento para produzir um eletrodo.
Exemplo:

Nome do eletrodo Incremento para nomes Geometrias derivadas do ele-


trodo/projetos de fresamento

Eletrodo 10 Electrode_10.hmc
Electrode_20.hmc

Transferindo dados relacionados à produção para o hyperMILL


As informações relacionadas à produção, como submedida, tamanho da peça em bruto,
material, áreas da geometria do eletrodo e a referência da posição são mapeadas durante o
desenho do eletrodo. As informações no hyperMILL são avaliadas e fornecidas para progra-
mação.

Programação NC
A programação NC é realizada semiautomaticamente. Lista de tarefas, área de fresamento,
peça em bruto, dispositivo de fixação e funcionalidade do eletrodo são automatiamente cria-
dos na caixa de diálogo Novo > Fresamento de eletrodo no menu de atalho do navegador
da tarefa. A vinculação da funcionalidade do eletrodo e da tarefa, a criação de macros e a
vinculação das funcionalidades do eletrodo e da macro são intuitivamente conduzidas pelo
usuário.

Diretório do projeto de fresamento


Na caixa de diálogo hyperCAD-S Arquivo > Opções > Opções de eletrodo > Diretórios,
defina o diretório do projeto de fresamento. No diretório do projeto de fresamento os dados
para programação NC são salvos, entre outros itens:
• o(s) eletrodo(s) mapeado(s) (1, 2): [Electrode_10.hmc], no subdiretório [Electrode_10],
[Electrode_20.hmc] no subdiretório [Electrode_20],
(os dados são gerados com a função hyperCAD-S Eletrodos > Mapear e fresar ou Ele-
trodos > Fresar),
• para cada geometria de eletrodo: a área de fresamento [Electrode10_Milling area], no
subdiretório [3DF], a peça em bruto [Electrode10_stock] no subdiretório [STOCK] e o
dispositivo de grampeamento [Electrode10_clampl] no subdiretório [CLAMP]
(os dados são gerados para ativar as funções do hyperMILL Área de fresamento, Peça
em bruto e Dispositivo de grampeamento na caixa de diálogo Fresamento do eletrodo).

3-108 hyperMILL
Noções básicas
Programação NC Produzir eletrodos 3

ELETRODOS > MAPA


electrode_10.hmc
electrode_20.hmc

FRESAMENTO DE ELETRODO

Geral Macros Configuração


Lista de ta-
Nome

Modelo
Área de fresa- Electrode10_Milling_Area
Electrode_10
Peça em bruto Electrode10_stock
Projeto de fre-
Dispositivos de fi- Electrode10_Fixtures
samento
Máquina

Electrode_20

Para produzir eletrodos, são oferecidas duas opções no menu Eletrodos do hyperCAD-S:
1. Use a função Mapear e fresar para selecionar a geometria do eletrodo, gerar uma
pasta no diretório do projeto de fresamento, em que os eletrodos são salvos como
arquivo CAD, iniciar uma nova instância do hyperCAD-S, em que o eletrodo selecio-
nado é exibido, e iniciar a caixa de diálogo Fresamento do eletrodo para programação
NC.
2. Com a função Fresamento, inicie a caixa de diálogo Fresamento do eletrodo para pro-
gramação NC (a caixa de diálogo também pode ser iniciada através do menu de atalho
Novo > Fresamento do eletrodo através do navegador de tarefas do hyperMILL).

Caixa de diálogo Fresamento do eletrodo


Os dados para programação NC (lista de tarefas, área de fresamento, peça em bruto, dispo-
sitivo de grampeamento e funcionalidade do eletrodo) são automaticamente criados na
caixa de diálogo Fresamento de eletrodo. A usinagem subsequente dos dados não é possí-
vel através dessa caixa de diálogo.
A caixa de diálogo compreende as páginas de diálogo Geral, Macros e Configuração.

Geral

Lista de tarefas
O Nome da lista de tarefas é copiado a partir da designação do eletrodo.
Plano de folga global: definido por padrão como 10.000.

Modelo
A área de fresamento e a peça em bruto são criadas no navegador do hyperMILL, se as fun-
ções Área de fresamento e Peça em bruto estiverem ativadas. Os dados geométricos são
copiados a partir do eletrodo selecionado.
Um dispositivo de grampeamento é criado como um elemento no navegador do hyperMILL
se a função Dispositivo de grampeamento estiver ativada. Os dados geométricos são copia-
dos a partir do suporte do eletrodo selecionado.
Ative a função Máquina e selecione a máquina desejada. Ao fazer isso, a função Máquina é
ativada na lista de tarefas e a máquina selecionada é transferida.

hyperMILL 3-109
3 Noções básicas
Produzir eletrodos Programação NC

NCS
Use o NSC (sistema NC) para definir a posição do ponto zero. As posições possíveis do
ponto zero incluem:
(1) Parte superior do eletrodo
(2) Parte superior do contorno de referência
(3) Parte superior do suporte do eletrodo
(4) Referência zero do sistema de grampeamento
Com base na posição do ponto zero selecionada, o ponto zero e o quadro são criados como
elementos no navegador do hyperMILL.

Macros
Macros disponíveis e macros selecionadas são exibidas na página de diálogo. Para usar
uma macro durante a programação, mova-a para a área Macros selecionadas. Gere a
macro desejada antes. Isso é feito com base na funcionalidade do eletrodo gerado utili-
zando a função Nova macro de funcionalidade.
Use a função Permitir aplicação múltipla para ativar múltiplos usos das macros baseadas
em feature.
Para obter informações sobre a criação de macros baseadas em feature, consulte a seção
Criando macros baseadas em funcionalidades.

Configuração
Na página de diálogo, o diretório do projeto de fresamento é exibido para produzir um ele-
trodo. Com os comentários fornecidos, as informações relacionadas à produção são ofereci-
das para as tarefas. A função Cálculo é usada para criar percursos de ferramentas.

Salvar arquivo
O diretório do projeto de fresamento é exibido.

Lista de tarefas
Comentário 1-10: cria comentários opcionais. Os comentários são copiados para a lista de
tarefas criadas como comentários da lista de tarefas.

Insira os comentários usando um editor de texto. Cada linha no editor de texto cor-
responde a um comentário na lista de tarefas.

Opções
Cálculo: os caminhos da ferramenta são calculados.

Lista de tarefas e funcionalidade do eletrodo

Uma lista de tarefas e um Funcionalidade do eletrodo são criados se a caixa de diá-


logo Fresamento do eletrodo for fechada com OK. Na lista de tarefas, as funções peça em

3-110 hyperMILL
Noções básicas
Programação NC Produzir eletrodos 3
bruto, modelo e dispositivo de grampeamento são ativadas e os elementos criados anterior-
mente são selecionados.
Na funcionalidade do eletrodo, os elementos relacionados à produção da geometria do ele-
trodo, como área de erosão, extensão, etc. e a geometria da peça em bruto são salvos
como parâmetros de feature.

Estratégia de fresamento e programação de macro


Na próxima etapa, a funcionalidade do eletrodo pode ser vinculado com uma estratégia de
fresamento através da função Nova tarefa com funcionalidade (menu de contexto da funcio-
nalidade do eletrodo). Na página de diálogo Funcionalidade (Conector da tarefa de funcio-
nalidade) da definição de tarefa, ative a geometria mapeada pela funcionalidade do
eletrodo.
Para otimizar a produção de vários eletrodos, vincule a estratégia de fresamento e a funcio-
nalidade do eletrodo através da função Nova macro de funcionalidade.
Se a macro for salva no banco de dados de macros, Fresamento de eletrodo > Macros é
exibido na caixa de diálogo.

Calcular percursos das ferramentas


Os percursos das ferramentas para produzir o eletrodos são calculados se:
• As opções Área de fresamento e Calcular estiverem ativadas na caixa de diálogo Fre-
samento do eletrodo.
• Uma macro for selecionada na Área de macros usadas da caixa de diálogo Fresa-
mento do eletrodo
• A caixa de diálogo Fresamento do eletrodo é fechada com OK.

Variáveis do usuário do eletrodo


Os dados relacionados à produção são exibidos como variáveis do usuário na caixa de diá-
logo Aplicativos > Variáveis do usuário do eletrodo (menu de atalho do navegador da tarefa)
e podem ser usadas para programação na definição da tarefa. A caixa de diálogo está divi-
dida nas áreas: espaço de faísca, parâmetros CAD e parâmetros de fresamento.

Espaços de faísca
Verifique o tamanho do espaço de faísca para tarefas de usinagem Desbaste, Redesbaste,
Pré-acabamento e Acabamento e ajuste, se necessário.. O tamanho do espaço de faísca
corresponde à submedida na produção NC (valor negativo).
As variáveis do usuário nas áreas de parâmetro CAD e parâmetro de fresamento são ape-
nas exibidas e não podem ser alteradas.

Parâmetros CAD
Distância mínima de peça em bruto (1): menor distância entre o ponto superior da superfície
do eletrodo e a peça em bruto.

hyperMILL 3-111
3 Noções básicas
Produzir eletrodos Programação NC

Ângulo C (1): rotação da peça em bruto em torno do eixo C para obtenção do melhor
encaixe possível dos eletrodos.

3-112 hyperMILL
Noções básicas
Programação NC Produzir eletrodos 3
Parâmetros de fresamento
Todos os parâmetros de fresamento são baseados no ponto zero (A) da usinagem (aqui:
parte superior do suporte do eletrodo).
(1) Parte superior da área de usinagem
(2) Parte inferior da área de usinagem
(3) Parte superior da área de erosão
(4) Parte inferior da área de erosão
(5) Parte inferior do quadro de medição
(6) Altura total da usinagem
(7) Altura do eletrodo
(8) Distância mín. de varredura linear (para várias estrias)
(9) Distância máx. de varredura linear (para várias estrias)

hyperMILL 3-113
3 Noções básicas
Produzir eletrodos Programação NC

A sequência de usinagem em resumo

ELETRODO hyperCAD-S ELETRODOS

Determinar configurações padrão,ler a paleta de cores do eletro- Criar sistema de referência


do, Criar
Criar definido pelo usuário
Imprimir eletrodos
Importar cores

ELETRODO hyperCAD-S ELETRODOS


Mapear e fresar
Criar e selecionar eletrodos para fresamento
Fresamento

FRESAMENTO DE ELETRODO
hyperMILL: TRABALHO DE PREPARAÇÃO Geral: área de fresamento, peça em
Gerar lista de trabalho, área de fresamento, peça em bruto, definir bruto, ativar ponto zero
ponto zero
VARIÁVEIS DE USUÁRIO DO ELETRO-
Verifique o espaço de faísca para
Desbaste, Redesbaste, Pré-acaba-
FUNCIONALIDADE DO ELETRODO mento e Acabamento
Superfícies para área de erosão, tangencial, extensão linear Exibir parâmetros CAD e parâme-
Quadro de medição, base e peça em bruto tros de fresamento

FUNCIONALIDADE DO ELETRODO
CONECTAR FUNCIONALIDADE E TAREFA DO ELETRODO Nova Tarefa com feature
Desbaste otimizado 3D
DESBASTE OTIMIZADO 3D ...
Acabamento completo 3D
Ativar parâmetro de funcionalidade

FUNCIONALIDADE DO ELETRODO
SALVAR FUNCIONALIDADE E TAREFA DO ELETRODO COMO MA- Nova macro de funcionalidade
F: Desbaste do eletrodo,
F: Acabamento do eletrodo... BANCO DE DADOS DE MACRO

FRESAMENTO DE ELETRODO
APLICAR MACRO
Macros: seleção
Calcular percursos das ferramentas Configuração: ativar cálculo

3-114 hyperMILL
Noções básicas
Programação NC Produzir eletrodos 3

hyperMILL 3-115
3 Noções básicas
Produzir eletrodos Programação NC

3-116 hyperMILL
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Vantagens da tecnologia de funcionalidades Navegador de funcionalidade

Tecnologia de funcionalidades e macros


Vantagens da tecnologia de funcionalidades
A tecnologia de funcionalidades processa as informações da geometria presentes no
modelo CAD para a programação CAM de uma forma que reduz significativamente o
esforço de programação. Além da geometria atribuída, as funcionalidades também contêm
informações relevantes para a fabricação, como valores de tolerância ou ajustes.
A derivação automática das geometrias de fabricação torna possível transferir dados direta-
mente de uma funcionalidade para a definição de tarefa (Conector da tarefa de funcionali-
dade) para uso nas tarefas e listas de tarefas.
Adicionalmente, as Funcionalidades do processo personalizado permitem definir os padrões
de fábrica para geometrias similares, aumentando ainda mais a automação da programa-
ção. Nesse processo, os processos de trabalho são definidos e armazenados como tecnolo-
gias macro, as quais podem ser aplicadas a tarefas de usinagem similares.
A tecnologia de funcionalidades coloca ao seu dispor um enorme potencial para aumentar a
eficiência e economizar tempo na fabricação.

Interface de usuário
A interface de usuário do módulo de funcionalidade abrange
• O Navegador de funcionalidade (guia Funcionalidade no navegador do hyperMILL)
com representação das listas de funcionalidades e funcionalidades,
• O Editor de funcionalidade (caixa de diálogo Funcionalidade) para definição de parâ-
metros de funcionalidade e
• O Conector de tarefas de funcionalidade (página de diálogo Funcionalidade da defini-
ção de tarefa) para seleção e uso de funcionalidades em uma tarefa.

Navegador de funcionalidade
A guia Funcionalidade no navegador do hyperMILL é conhecida como Navegador de fun-
cionalidade. O Navegador de funcionalidade abrange
• O intervalo superior com listas de funcionalidades e funções do menu de atalho (1),
• O intervalo inferior com funcionalidade e funções do menu de atalho (2),
• Uma barra de ferramentas com funções de filtro e funções para controlar a visibilidade
das funcionalidades (3).

4-2 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Navegador de funcionalidade Vantagens da tecnologia de funcionalidades 4
Controle da visibilidade e representação de funcionalidades
Para controlar a visibilidade das funcionalidades, as seguintes opções estão disponíveis:

1.V- ao mostrar ou ocultar as funcionalidades de uma lista de funcionalidades.

Ative (mostrar funcionalidades) ou desative (ocultar


funcionalidades) a função na área superior do nave-
gador de funcionalidade.

2. Usar filtros de funcionalidades.

Abra o filtro de funcionalidade clicando no ícone da


barra de ferramentas. Uma lista de filtros de funcio-
nalidades disponíveis é exibida na coluna Nome do
filtro.

Selecione o tipo de elementos geométricos para a


definição de filtro e em seguida selecione o elemento
desejado/elemento desejado diretamente no modelo
CAD.
Em alternativa, insira um valor na linha correspon-
dente. Um filtro só fica ativo se a função Feedback
de funcionalidades estiver ativada.
Mover para a lista de funcionalidades > Novo: crie
uma lista de funcionalidades com todas as funciona-
lidades que correspondem às condições do filtro.
Mover para a lista de funcionalidades > [L1]..., [L2]...:
selecione uma lista de funcionalidades para incluir as
funcionalidades que correspondem às condições do
filtro.

(1) Filtro habilitado, (2) Filtro marcado, (3) Filtro desabilitado.

3. Através da lista suspensa à direita da barra de ferramentas

Mostrar somente a funcionalidade marcada.

Mostrar todas as funcionalidades.

Ocultar todas as funcionalidades.

4. Através do menu de atalho do navegador de funcionalidades na área superior

hyperMILL 4-3
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Vantagens da tecnologia de funcionalidades Navegador de funcionalidade

Mostrar tudo Mostrar todas as funcionalidades.

Ocultar tudo Ocultar todas as funcionalidades.

Mostrar seleção/Mostrar Mostrar as funcionalidades da lista de funcionalida-


apenas seleção des marcada.

5. Através do menu de atalho do navegador de funcionalidades na área inferior

Ampliar Amplia uma funcionalidade selecionada na janela de


gráficos.

Ativar ampliação Automá- Sempre amplia automaticamente em uma funcionali-


tica dade selecionada na janela de gráficos.
A função ampliar permanece ativada até ser desati-
vada (consulte Desativar ampliação automática).

Exibir o modelo de forma transparente

Atribuir a cor transparente ao modelo com a representação destacada da fun-


cionalidade. É utilizada a primeira cor transparente disponível do sistema
CAD.

Defina a cor do feedback.

C- Código de cores do feedback de funcionalidades em uma lista de funcionali-


dades.

Altere a cor para o feedback de funcionalidades da lista de funcionalidades


fazendo clique duplo no ícone. O Feedback para todas as funcionalidades
dessa lista de funcionalidades é colorido em conformidade no modelo.

Armazena as visualizações definidas do modelo.

B- Cria um indicador visual.

Armazena as visualizações definidas do modelo. Um indicador visual pode ser


atribuído a uma lista de recursos ou a uma funcionalidade e mitigar o trabalho
com um grande número de funcionalidades.
Para definir um novo indicador visual, defina a visualização de modelo desejada,
marque a funcionalidade ou a lista de funcionalidades e selecione a função Novo
indicador visual no menu de atalho ao fazer duplo clique no ícone Indicador
visual

Atribuir um quadro a uma lista de funcionalidades

Atribua um quadro à lista de funcionalidades fazendo duplo clique no ícone.

Altere o quadro da lista de funcionalidades fazendo duplo clique no ícone.

Se uma funcionalidade dessa lista de funcionalidades for utilizada para a definição de


tarefa, o quadro da lista de funcionalidades será analisado. Não são analisados quadros
associados a características individuais.
Edite um quadro com a função Editar no menu de atalho.
Exclua um quadro com a função Excluir no menu de atalho.

4-4 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Navegador de funcionalidade Vantagens da tecnologia de funcionalidades 4
Classificar funcionalidades no navegador de funcionalidades
Use o menu suspenso à esquerda para classificar as funcionalidades no navegador de
acordo com Tipo, Nome ou Número. Se você selecionar a opção Nenhum, as funcionalida-
des serão classificadas de acordo com a ordem de criação.

Mais funções no navegador de funcionalidades


Crie uma nova lista de funcionalidades, use a função Lista de funcionalidades no menu de
atalho.
Exclua uma lista de funcionalidades com a função Excluir no menu de atalho.
Altere o nome de uma lista de funcionalidades fazendo clique duplo e editando diretamente.
Para obter informações sobre mais funções no menu de atalho do navegador de funcionali-
dades, consulte a seção Funções no menu de atalho: funcionalidades.

N- Número de funcionalidades das listas de funcionalidades/Número de funcionali-


dades visíveis.

hyperMILL 4-5
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Vantagens da tecnologia de funcionalidades Navegador de funcionalidade

O Editor de Funcionalidades
A caixa de diálogo para definição de parâmetros de funcionalidades é chamada de editor de
funcionalidade. O editor de funcionalidade abrange
• uma área de entrada com parâmetros de funcionalidades (1),
• uma visualização 3D com funções de ampliação e rotação (2),
• uma barra de ferramentas para salvar entradas e consultar a ajuda online (3).

Definição de parâmetros de funcionalidades usando elementos geométricos


Os parâmetros de funcionalidades são vinculados associativamente à funcionalidade e
podem ser definidos selecionando os elementos geométricos no modelo CAD. Se um ele-
mento geométrico for alterado no modelo CAD, a alteração será copiada para a funcionali-
dade.
Definição de parâmetros de funcionalidades usando os seguintes elementos geométricos:

Ponto de alinhamento, ponto, ponto central de um círculo, parte superior/inferior


de um cilindro.

Normal de um plano, normal de uma curva, linha eixo do cilindro, quadro.

Contorno fechado

Contorno

Linha, diâmetro de um círculo, diâmetro de um cilindro, comprimento de um cilin-


dro, raio do arredondamento, distância de duas linhas/dois planos

Ângulo do cone.

Superfície, plano

4-6 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Navegador de funcionalidade Vantagens da tecnologia de funcionalidades 4
Definição de atributos para elementos geométricos

Clique no ícone para alterar elementos geométricos com atributos.

Ponto: orientação (X, Y, Z), compensação (na direção da orientação definida),

Vetor: rotação, comprimento:escala (o valor inserido é multiplicado pelo valor do


comprimento)

Limite: compensação.

Contorno: superior, inferior, ponto inicial, ponto final, ponto de mergulho, compen-
sação, inversão, sobreposição.

Comprimento: fator da escala

Superfície, plano: trocar parâmetros UV, Usar normal do sólido, Inverter normal
da face, ignorar limite interno.

A compensação para Contorno 2D, Contorno 3D e limite é considerada como


perpendicular para a orientação definida.

Para obter informações sobre os atributos de contorno, consulte a seção Contornos.

hyperMILL 4-7
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Vantagens da tecnologia de funcionalidades Navegador de funcionalidade

Conector de tarefas de funcionalidade


A página de diálogo Funcionalidade da definição de tarefas é conhecida como Conector da
tarefa de funcionalidade. É usada para vincular funcionalidades com a tarefa atual e
abrange
• os ícones para selecionar funcionalidades (1),
• A área superior com a lista de funcionalidades vinculadas (2),
• A área inferior com representação dos parâmetros de funcionalidades (3).

Funcionalidades conectadas
Funcionalidades vinculadas à tarefa são listadas no Conector da tarefa de funcionalidade. O
número de funcionalidades é exibido.

Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Selecionar funcionalidade


para vincular uma funcionalidade à tarefa atual.

As funcionalidades que devem ser usadas nas tarefas podem ser movi-
das para a janela à direita fazendo clique duplo ou clicando no botão (1).

As funcionalidades que não devem ser usadas nas tarefas podem ser
movidas para a janela à esquerda fazendo clique duplo ou clicando no
botão (2).

4-8 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Navegador de funcionalidade Vantagens da tecnologia de funcionalidades 4
Funcionalidade derivada: os parâmetros de funcionalidades relacionados à produção são
representados na área inferior do Conector da tarefa de funcionalidade. Um parâmetro de
funcionalidade, cujo status está definido para ativo, é usado na definição da tarefa para fins
de cálculo. Se o status for inativo, o parâmetro não será usado.
Fórmula: vários parâmetros geométricos: Furo simples, Furo de alojamento, Furo definido
livremente, cavidade (para uso em ciclo de fresamento de contorno) e planos podem ser
definidos utilizando-se uma fórmula. Todas as operações de cálculo básicas são permitidas
como expressões aritméticas para fins de definição da formula. Nesse caso, o parâmetro da
funcionalidade pode ser usado como uma variável.
Desconectar: desativa a vinculação entre a tarefa e todas as funcionalidades.
Para obter informações sobre o uso do conector da tarefa de funcionalidade para as defini-
ções de tarefa, consulte a seção Usar funcionalidade.

hyperMILL 4-9
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

FuncionalidadeCatálogo
A funcionalidade de catálogo do hyperMILL inclui as seguintes funcionalidades:

Contorno Curva estratégica

Grupo de superfícies Plano

Rasgo Tt Cavidade genérica

Furo genérico

Funcionalidade OPEN MIND

Furo simples Furo de alojamento

Furo definido livremente Superfície

Cavidade Funcionalidade composta

Funcionalidade de Turbomachinery

Lâmina Multi-lâmina

Funcionalidade de Processo Personalizado (CPF)

São necessárias licenças especiais para usar a Funcionalidade de Processo


Personalizado. Entre em contato com seu parceiro OPEN MIND.

As funcionalidades podem ser combinadas utilizando a lista do navegador de funcionalida-


des. Dependendo da funcionalidade e do ciclo de usinagem, vários dados geométricos são
usados na definição da tarefa: fronteiras, contornos, perfis, superfícies.

Informações gerais
Defina o Nome da funcionalidade. O tipo é definido automaticamente.
Se necessário, defina um Nome para a classe da funcionalidade e estruture o trabalho com
classes e funcionalidades da funcionalidade. As funcionalidades que são usadas para editar
uma área do modelo e podem ser combinadas em uma Classe de funcionalidade e selecio-
nadas rapidamente e reutilizadas ao criarem-se Macros utilizando filtros.
Para alocar a funcionalidade a uma Classe de funcionalidade, insira o nome da classe de
funcionalidade na linha Classe de funcionalidade. O nome é definido livremente e pode
refletir uma sequência de usinagem usual, por exemplo. É exibido no navegador de funcio-
nalidades e no banco de dados de macros.

Exemplo

Furo simples <D5 Através Indexação Múlti Eixo 1>

Nome da funcionali- <Nome do parâmetro Nome da classe de funcionali-


dade dade>

Para alocar um recurso a uma Classe de funcionalidade, abra a caixa de diálogo Sele-
cionar classe de funcionalidades e selecione a classe de funcionalidade correspondente. O
tipo de funcionalidade e o uso da funcionalidade são exibidos. Se a opção Verificar tipo de
funcionalidade estiver habilitada, somente os tipos de funcionalidade são exibidos, o que
corresponde à funcionalidade selecionada atualmente.

4-10 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4

Se a funcionalidade estiver vinculada a uma macro, o vínculo será salvo no


banco de dados de macros. Isso permite que o parâmetro Classe de funcionali-
dade deve ser usado como um filtro, independentemente do modelo ao se utili-
zarem macros.
Essa função facilita, portanto, a reutilização de funcionalidades e classes de
funcionalidade que já estão definidas.

Parâmetros de Funcionalidades

Contorno
O contorno da funcionalidade contém os seguintes tipos de funcionalidade: contorno 2D (1),
contorno 3D (2), Contorno da ranhura (3) e Ponto (4).
As informações geométricas para os tipos de funcionalidades contorno 2D, contorno 3D,
ranhura T e Ponto podem ser usadas dentro do escopo da definição de tarefa para 2D, 3D e
Usinagem 5X, bem como durante o torneamento e sondagem.

Parâmetros dos tipos de funcionalidades contorno 2D, contorno 3D, ranhura T e Ponto:
Orientação: introduza os valores das coordenadas ou determine o vetor de orientação do
sistema CAD.
Tipo: selecione o tipo de funcionalidade.
Contornos: especifique os contornos no sistema CAD.
Para obter informações sobre a seleção de contorno, consulte a seção Selecionar elemen-
tos. Para obter informações sobre definição de elementos geométricos, consulte a seção
Definição de atributos para elementos geométricos.

Curva estratégica
Os dados geométricos da funcionalidade Curva estratégica podem ser utilizados para os
ciclos 2D, 3D e 5X na definição de tarefa.

hyperMILL 4-11
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

Os seguintes parâmetros podem ser definidos:


Orientação: introduza os valores das coordenadas ou determine o vetor de orientação do
sistema CAD.
Tipo de estratégia: Limite (1), Perfil único (2), Perfis de par (3), Curva de inclinação (4),
Linhas de sincronização (5). Especifique os contornos no sistema CAD.
Para obter informações sobre a seleção de contorno, consulte a seção Selecionar elemen-
tos.
Para obter informações sobre definição de elementos geométricos, consulte a seção Defini-
ção de atributos para elementos geométricos.

Grupo de superfícies
Os dados geométricos da funcionalidade Grupo de superfícies podem ser utilizados para os
ciclos de furação 2D, 3D e 5X na definição de tarefa.

Os seguintes parâmetros podem ser definidos:


Superfícies: especifique as superfícies no sistema CAD.
Tipo de estratégia: defina as superfícies de usinagem e superfícies adicionais, se necessá-
rio. Você pode especificar quantos pontos de referência forem necessários.
Para alterar atributos para superfícies separadas, você pode combinar várias funcionalida-
des de superfície em uma Funcionalidade composta.
Para obter informações sobre a seleção de superfície, consulte a seção Selecionar elemen-
tos.

4-12 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4
Para obter informações sobre definição de elementos geométricos, consulte a seção Defini-
ção de atributos para elementos geométricos.

Plano
Os dados geométricos da funcionalidade Plano podem ser utilizados para os ciclos 2D, 3D e
5X na definição de tarefa.

Os seguintes parâmetros podem ser definidos:


Plano: defina o(s) plano(s) no sistema CAD.
Limite manual: ative para definir o limite manualmente e use Limite para definir um contorno
fechado no sistema CAD. Caso contrário, o limite da superfície selecionada será utilizado.
Parte superior/Parte inferior: insira valores ou derive do sistema CAD. Quando a funcionali-
dade é utilizada na definição de tarefas, determine o intervalo de usinagem vertical.
Quadro associativo: permite que você mova o modelo para uma posição diferente ao usar o
recurso na definição de tarefa. O quadro utilizado em uma tarefa associada ao modelo tam-
bém será movido se a função Aplicação - Verificação de modelo, no menu de atalho Tarefa,
for utilizada.
Para obter informações sobre a seleção de contorno e superfície, consulte a seção Selecio-
nar elementos.
Para obter informações sobre definição de elementos geométricos, consulte a seção Defini-
ção de atributos para elementos geométricos.

Rasgo T
As informações geométricas sobre a funcionalidade Rasgo T podem ser usadas nos seguin-
tes ciclos: fresamento de Rasgo T no Modelo 3D e Fresamento de cavidades.
Parâmetros da funcionalidade Rasgo T:
Altura do rasgo (1), largura do rasgo (2), altura da garganta (3), largura da garganta (4), tole-
rância de altura superior (5), tolerância de altura inferior (6), tolerância lateral superior (7),
tolerância lateral inferior (8),

hyperMILL 4-13
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

Tipo de acesso unilateral (9), tipo de acesso bilateral (10), tipo de canto superior (11), tipo
de canto inferior (12), tipo de canto afiado (13), tipo de canto arredondado (14), fresamento
de tipo de canto (15), raio do canto (16), ângulo do chanfro (17), comprimento do chanfro
(18),

Superfície de contorno da garganta (19), profundidade do contorno da garganta (20), perfil


do rasgo (21), perfil da parede (22), posição da face (23), profundidade da posição da face
(24), Posição superior da posição da face (25),

4-14 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4
Cavidade genérica
As Cavidades genéricas podem ser utilizadas universalmente e estão estruturadas de
acordo com elementos de fabricação e propriedades relacionadas.

As Cavidades genéricas oferecem vantagens significativas durante a utilização


de usinagem macro. A OPEN MIND recomenda a utilização exclusiva de furos
genéricos, em particular na configuração de um banco de dados de macros
com regras de macros.

Os dados geométricos podem ser utilizados para os ciclos de furação 2D, 3D e 5X na defini-
ção de tarefa. Os parâmetros genéricos são copiados automaticamente para uso na defini-
ção da tarefa.

Parâmetros da Cavidade genérica


Altura (1), tolerância: superior (2), tolerância: inferior (3), formas de cavidade: geral (4),
retângulo (5), círculo (6), canal (7), cavidade retangular: centro (8) comprimento (9) largura
(10),

Cavidade circular: centro (11), raio (12), canal: perfil de canal (13), largura de canal (14),
diâmetro máx. da ferramenta (15): diâmetro máximo da ferramenta permitido para usinar a
cavidade. Isso também é apresentado como feedback gráfico na conexão com Reconheci-
mento de cavidade.

Número de ilhas (16), parâmetros inferiores da cavidade: tipo inferior: liso (17), tipo inferior
através (18), tipo inferior liso: superfície inferior (19), limite (20)

hyperMILL 4-15
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

Borda inferior: afiado (21), arredondamento (22), chanfradura (23), arredondamente: raio do
ângulo (24), chanfradura: ângulo da chanfradura (25), comprimento da chanfradura (26),
tipo inferior através: orientação (27), contorno (28), compensação inferior (29)

Parede lateral – tolerância lateral: inferior (30), superior (31), parede lateral: borda aberta
(32), parede lateral: raio mínimo (33): raio menor ocorrendo na parede da cavidade.

Furo genérico
Furos genéricos são aplicáveis universalmente, desde Furos simples até furos alargados
complexos. Furos genéricas estão estruturadas de acordo com elementos de fabricação e
propriedades relacionadas.
Os Furos genéricos foram desenvolvidos para substituir a médio prazo os tipos de funciona-
lidades furo simples, furo de alojamento e furo definido livremente.

Os Furos genéricos oferecem vantagens significativas durante a utilização de


usinagem macro. A OPEN MIND recomenda a utilização exclusiva de furos
genéricos, em particular na configuração de um banco de dados de macros
com regras de macros.

4-16 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4
Os bancos de dados de macros criados utilizando funcionalidades de furo anteriores não
suportam os novos Furos genéricos. As funcionalidades de furo anteriores ainda são supor-
tadas como opção no Mapeamento de funcionalidades.
Os dados geométricos da funcionalidade Cavidade genérica podem ser utilizados para os
ciclos 2D, 3D e de furação na definição de tarefa.

Parâmetros do Furo genérico


Efetuamos a diferenciação entre os seguintes tipos básicos: Alargamento (1), Escarea-
mento (2), Furação (3), Alojamento de forma (4), Alargamento cônico (5), Toroidal (6) e
Corte negativo (7).

Um Furo genérico pode consistir em, respectivamente, até 15 alojamentos, um furo e até 15
alojamentos traseiros.
A figura abaixo exibe os tipos básicos, sendo cada um deles composto por um Alojamento
(1), um Furo (2) e um Alojamento traseiro (3).
As transições entre os alojamentos individuais e também entre o furo e o alojamento podem
ser compostas pelo tipo de borda arredondamento (A), afiado (B) ou chanfradura (C).

hyperMILL 4-17
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

Os furos e alojamentos podem conter cada um uma mancha superior e inferior, assim como
uma rosca ou ajuste ISO.
São possíveis os seguintes tipos de parte inferior para o Furo genérico: Furo de passagem
(A), Furo cego (B), Furo de extremidade (C), Furo de passagem oculta (D) e Furo esférico
(E):

Os seguintes parâmetros devem ser definidos:


Tipo de parte inferior de furo de passagem
Compensação para parte inferior: alarga o furo de acordo com a medida especificada (con-
sulte 1 na figura).
Tipo de parte inferior de furo de passagem
Direção de usinagem preferida: especifica a direção preferida para usinar o Furo genérico.
Tipo de parte inferior furo de extremidade

4-18 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4
Ângulo da extremidade: define a forma da extremidade do furo (consulte 2 na figura).
Tipo de parte inferior furo de passagem oculta
Compensação para parte inferior: alarga o furo de acordo com a medida especificada (con-
sulte 3 na figura).
Tipo de parte inferior furo esférico
Raio da parte inferior: define a forma do fim do furo (consulte 4 na figura).

Usar apenas furo genérico: durante a atribuição de informações de funcionali-


dades a partir do modelo CAD, os Furos simples, Furos de alojamento e Furos
definidos livremente serão transferidos diretamente para o navegador de fun-
cionalidade como Furos genéricos.

Funcionalidade OPEN MIND

Furo simples
Os dados geométricos da funcionalidade Furo simples podem ser utilizados para os ciclos
de furação 2D, 3D e 5X na definição de tarefa.
É feita uma distinção entre os três tipos básicos seguintes (tipo de parte inferior) de um Furo
simples: Através (1), Liso (2) e Extremidade (3), além de Passagem oculta (4).

Dependendo do tipo básico que escolher, você pode definir os seguintes parâmetros para o
Furo simples:
Orientação (1): introduza os valores das coordenadas ou determine o vetor de orientação do
sistema CAD.
Grupo: não se nenhum grupo tiver que ser usado. Sim se um grupo tiver que ser usado.
Posição (2): defina o(s) ponto(s) no sistema CAD.
Chanfradura: selecione essa opção (se for necessária uma chanfradura).
Profundidade da chanfradura (3): insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD.
Diâmetro (4), Profundidade (5): insira valores ou derive-os a partir do sistema CAD.
Chanfradura inferior: selecione essa opção (se for necessária chanfradura inferior) e especi-
fique a profundidade da chanfradura inferior.
Tipo de parte inferior: furo de passagem, furo cego, furo de extremidade, consulte a figura:
tipos básicos de furos simples.
Parte inferior de compensação (apenas tipo de parte inferior: furo de passagem). Insira o
valor ou derive-o a partir do sistema CAD.

hyperMILL 4-19
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

Ângulo da extremidade (6): insira o ângulo para a parte inferior do furo da extremidade ou
derive-o a partir do sistema CAD.
Ajuste ISO: sim se o ajuste ISO for necessário. Não se o ajuste ISO não for necessário.
Valor de ajuste (norma): defina o valor de tolerância de acordo com a norma (DIN ISO 286-
2).
Comprimento de ajuste: insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD.
Rosca: sim se a rosca for necessária. Não se a rosca não for necessária.
Designação da rosca: insira o nome da rosca. Ele será parte do nome da funcionalidade da
seguinte maneira: Nome da funcionalidade<Nome da rosca>.
Diâmetro da rosca (7), Comprimento da rosca (8): insira valores ou derive-os a partir do sis-
tema CAD.

Passo da rosca (9): insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD.

Você pode substituir a funcionalidade Furo simples pela funcionalidade Furo de alojamento.
1. Selecione a funcionalidade desejada e clique com o botão direito do mouse.
2. Selecione Substituir por furo de alojamento e insira o diâmetro e a profundidade do alo-
jamento.

Você tem que renomear a funcionalidade manualmente depois de sua substi-


tuição.

4-20 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4
Furo de alojamento
Os dados geométricos da funcionalidade Furo de alojamento podem ser utilizados para os
ciclos de furação 2D e 3D na definição de tarefa.
É feita uma distinção entre os três tipos básicos seguintes: Alargamento (1), Escareamento
(2) e Furação (3). Furo do núcleo (4).

Dependendo do tipo básico que escolher, você pode definir os seguintes parâmetros de
Furo de alojamento:
Orientação, grupo e posição: para obter mais informações, consulte a seção Furo simples.
Chanfradura: selecione essa opção (se for necessária uma chanfradura). Profundidade (1):
insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD.
Diâmetro do furo do núcleo (2), Profundidade do furo do núcleo (3): introduza o valor ou
derive-o a partir do sistema CAD.
Tipo de parte inferior: furo de passagem, furo cego, furo de extremidade, consulte a figura:
tipos básicos de furos simples.
Parte inferior de compensação: somente o tipo de parte inferior com furo de passagem.
Insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD.
Ângulo da extremidade: somente o tipo de parte inferior com furo de extremidade.
Ajuste ISO: Sim, se o ajuste ISO for necessário. Não, se o ajuste ISO não for necessário.
Valor de ajuste: defina o valor de tolerância de acordo com a norma (DIN ISO 286-2). Com-
primento de ajuste: insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD.
Rosca: para obter a descrição, consulte a seção Furo simples. Diâmetro (4), Comprimento
(5): insira valores ou derive-os a partir do sistema CAD. Passo (9): insira o valor ou derive-o
a partir do sistema CAD.

hyperMILL 4-21
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

Direção de usinagem preferida: selecione a direção de usinagem: de baixo para cima. De


cima para baixo
Tipo de alojamento: Alargamento, Escareamento, Furação (consulte a figura: Tipos básicos
de furos de alojamento) com os seguintes parâmetros:
Diâmetro (6), Profundidade (7): insira valores ou derive-os a partir do sistema CAD.
Ângulo da extremidade (8): somente furação. Insira o valor ou derive-o a partir do sistema
CAD.

Chanfradura: Sim, se a chanfradura for necessária. Não, se a chanfradura não for necessá-
ria. Profundidade (10): insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD. Ângulo (11):
Somente escareamento: insira valores ou derive-os a partir do sistema CAD.

4-22 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4

Podem ser definidos atributos para os parâmetros associativos da funcionalidade Furo


de alojamento (para obter mais informações, consulte a seção Definição de atributos para
elementos geométricos).

Furo definido livremente


Os dados geométricos da funcionalidade Furo definido livremente podem ser utilizados para
os ciclos 2D, 3D e de furação na definição de tarefa.

Diferenciamos entre os tipos básicos Furo de passagem (1), Furo cego (2), Furo de extremi-
dade (3) e Furo de passagem oculta (4).

hyperMILL 4-23
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

Dependendo do tipo básico de furo escolhido, você pode definir os seguintes parâmetros
para a funcionalidade Furo definido livremente:
Comentário: se necessário, insira um comentário.
Orientação, grupo, posição: para obter mais informações, consulte a seção Furo simples.
Ajuste ISO: Sim, se o ajuste ISO for necessário. Não, se o ajuste ISO não for necessário.
Valor de ajuste: defina o valor de tolerância de acordo com a norma (DIN ISO 286-2).
Compensação de ajuste ISO: insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD. Compri-
mento de ajuste: insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD.
Rosca: designação, diâmetro, comprimento, inclinação: para obter mais informações, con-
sulte a seção Furo simples.
Compensação de rosca: insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD.
Tipo de parte inferior: furo de passagem, furo cego, furo de extremidade, furo de passagem
oculta (consulte a figura: tipos básicos de furos definidos livremente). Parte inferior de com-
pensação: Insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD.
Número de passos: podem ser definidos até 32 passos.
Passo: tipo: cilindro, cone, raio, recorte. Diâmetro (1): insira o valor ou derive-o a partir do
sistema CAD. Profundidade (2): insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD. Ângulo
(3): somente para o tipo Cone. Insira o valor ou derive-o a partir do sistema CAD.

4-24 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4
Superfície
Os dados geométricos da funcionalidade Superfície podem ser utilizados para os ciclos de
furação 2D, 3D e 5X na definição de tarefa.

Os seguintes parâmetros podem ser definidos:


Superfície: especifique a superfície no sistema CAD.
Tipo de estratégia: defina a superfície como uma superfície de usinagem ou superfície adi-
cional.

Cavidade
Os dados geométricos da funcionalidade Cavidade podem ser utilizados para os ciclos 2D,
3D e 5X na definição de tarefa.

Os seguintes parâmetros podem ser definidos:


Orientação (1): introduza os valores das coordenadas ou determine o vetor de orientação do
sistema CAD.
Contorno (2): especifique o contorno no sistema CAD.
Ângulo da parede (3): introduza o ângulo da parede da cavidade ou derive-o a partir do sis-
tema CAD.
A altura da cavidade é definida utilizando as propriedades dos contornos selecionados.

hyperMILL 4-25
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

Para áreas de contorno individual, é possível definir diferentes valores Z (Parte


superior/Profundidade).

Funcionalidade composta
Os dados geométricos da Funcionalidade composta podem ser utilizados para os ciclos de
furação 2D, 3D e 5X na definição de tarefa. Os seguintes parâmetros também podem ser
definidos:
Quadro: Sim, se o quadro uniforme for necessário. Quando essa opção está selecionada,
são utilizadas apenas as subfuncionalidades com o mesmo sistema de quadro dentro da
Funcionalidade composta. Não, se o quadro uniforme não for necessário.
Origem do quadro: introduza os valores das coordenadas ou determine o vetor de orienta-
ção do sistema CAD.
Orientação do quadro: introduza os valores das coordenadas ou determine o vetor de orien-
tação do sistema CAD.
Subfuncionalidades: selecione as funcionalidades definidas anteriormente. As funcionalida-
des existentes podem ser adicionadas a uma Funcionalidade composta diretamente no
navegador de funcionalidades. Para fazer isso, selecione a funcionalidade e utilize a função
Funcionalidade composta no menu de atalho.
As subfuncionalidades de uma Funcionalidade composta podem ser selecionadas direta-
mente no navegador de funcionalidades e podem ser movimentadas livremente ou reorde-
nadas (operações de arrastar e soltar). Uma Funcionalidade composta consiste em
subfuncionalidades referenciadas. As alterações a uma ou mais subfuncionalidades são
passadas automaticamente para a Funcionalidade composta.

Funções no menu de atalho


Ponto de otimização: o hyperMILL otimiza os percursos a serem percorridos entre os furos
da Funcionalidade composta. Para fazer isso, selecione a funcionalidade e depois selecione
a função Ponto de otimização no menu de atalho. A sequência de usinagem é indicada
pelas setas. O primeiro passo é indicado por uma seta azul.

Quando uma das funcionalidades do furo dentro de uma Funcionalidade com-


posta já consiste em vários furos, essas funcionalidades têm que ser divididas
primeiro para que os pontos sejam otimizados de forma eficaz. Para isso, sele-
cione a funcionalidade e depois selecione a função Explodir no menu de ata-
lho. Em seguida otimize os pontos como descrito acima.

Sequência inversa: utilize essa função para inverter a sequência de usinagem para os furos
em uma Funcionalidade composta.
Importar furo/Exportar furo: importe ou exporte todos os parâmetros definidos para um furo
em formato *.hmf. Isso se aplica às funcionalidades de Furo simples, Furo de alojamento ou
Furo definido livremente.
Quadro de referência: é possível selecionar um quadro de referência enquanto exporta
furos. Dessa forma, todos os furos serão exportados com suas coordenadas de quadro rela-
tivas. Se essa opção não estiver ativada, as coordenadas do WCS são utilizadas durante a
exportação de furos. Caso a posição do modelo tenha sido alterada, os furos serão correta-
mente importados se o mesmo Quadro de referência estiver selecionado.
Usar lista de funcionalidades: durante a importação de furos, habilite a opção Usar lista de
funcionalidades para manter a atribuição de Funcionalidades para as Listas de funcionali-
dade.

Funcionalidade de turbomáquinas
Após serem atribuídas apenas uma vez, as Funcionalidades de turbomáquinas permitem
que os elementos de geometria de lâminas de turbinas, rotores e discos de lâminas sejam
reutilizados de maneira fácil e flexível com estratégias de usinagem diferentes. As defini-
ções de filtros simplificam a usinagem automatizada e a programação de macros.

4-26 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4
Lâmina
Em Geral, especifique o Nome requerido da funcionalidade.

Na área Parâmetro de funcionalidade, selecione os elementos geométri-


cos.
(1) Superfícies da lâmina, (2) Plano inferior, (3) Curva do fundo, (4) Superfície de revesti-
mento

(5) Curva do revestimento, (6) Borda traseira da curva, (7) Borda dianteira da curva, (8)
Superfícies de avanço

Multi-lâmina
Em Geral, especifique o Nome requerido e, se necessário, aClasse da funcionalidade.

Na área Parâmetro de funcionalidade, selecione os elementos geométri-


cos.

Definição de filtro/Atualização de filtro: definição automática de elementos geo-


métricos com a ajuda de vários filtros. Para obter mais informações, consulte a seção
seguinte Funcionalidade de Processo Personalizado (CPF).

Funcionalidade de Processo Personalizado (CPF)


Ao usar uma funcionalidade de processo personalizado, tarefas de usinagem recorrentes
podem ser amplamente resolvidas de forma automática ao vincular informações geométri-

hyperMILL 4-27
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

cas relevantes com o modo de usinagem e os parâmetros de tecnologia e definir manual-


mente a estrutura de uma CPF.

Pré-requisitos para uso


Para utilizar uma CPF para modelos de usinagem de uma família de peças desenhadas de
forma semelhante, as seguintes condições devem ser cumpridas:
1. Os modelos possuem características geométricas comuns.
2. A sequência de usinagem está especificada na lista de tarefas.
3. Os elementos geométricos da CPF estão vinculados aos parâmetros de tarefa.

Usinagem de cavidade de exemplo


1. Utilizando características geométricas comuns: Perfis (1), Plano inferior (2) e Superfí-
cies laterais (3), outras cavidades de uma família de peças, como cavidades hexago-
nais ou octagonais, lisas ou profundas, pequenas ou grandes, também podem ser
descritas.

2. Sequência de usinagem na lista de tarefas:

Passo de usinagem Tarefa/Ciclo


1. Desbaste da cavidade Desbaste Arbitrário de Peça em Bruto 3D
2. Acabamento da superfície do Desbaste Arbitrário de Peça em Bruto 3D
fundo (Deteção do nível do plano > Otimizada - apenas pla-
nos)
3. Acabamento das paredes late- Acabamento de Perfil 3D
rais

3. Atribuição dos elementos de geometria (CPF) a parâmetros de tarefa:

Elemento de geometria (CPF) Parâmetros de tarefas


1. Orientação Quadro
1. e 2. Grupo de superfícies Superfícies de fresamento (Superfícies laterais e do
fundo)
1. Grupo de perfil Limite (Limite de superfície do fundo)
Área de fresamento/peça em bruto Área de fresamento/peça em bruto

Definição da estrutura da CPF


1. No navegador do hyperMILL, passe para a guia Funcionalidade

4-28 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4
2. Clique com o botão do lado direito e selecione Novo > Funcionalidade de Processo
Personalizado > Objeto de usinagem.
É apresentada a caixa de diálogo Funcionalidade de Processo Personalizado.
3. Atribua o nome à CPF de acordo com a usinagem planeada.
4. Especifique os elementos da CPF para utilizar na área Selecionar.
5. Selecione 1 para o Número de orientações.

6. Clique no ícone para exibir mais opções. Deixe as configurações padrão de Quadro
para Utilização na tarefa e W (“escrever”) para Modo.
Ícones na caixa de diálogo Funcionalidade de processo personalizado:

Inserir gráfico a partir de um arquivo

Colar o gráfico a partir de uma área de transferência

Excluir gráfico.

Renomeie os parâmetros conforme necessário (por exemplo: Orientação 1 >


Cavidade de quadro). Para fazer isso, introduza simplesmente o nome que pre-
tende no lado direito da linha.
Atribuir um gráfico explicativo
Além disso, você pode atribuir um gráfico a cada parâmetro que mostre clara-
mente os elementos geométricos que constituem o parâmetro. Isso simplifica a
seleção manual de elementos geométricos no modelo CAD.

7. Selecione 2 para Número de grupos de superfícies, clique no ícone e use as confi-


gurações pré-definidas.

Ao definir um filtro, especifique como os elementos serão reconhecidos no


modelo CAD. Após isso, a atribuição manual utilizando o mouse já não é
necessária. Isso aumenta o grau de automação durante a utilização da CPF.

8. Para definir um filtro, clique na entrada Definição de filtro.

9. Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Definição de filtro.


10. Ative o filtro marcando a caixa de seleção.
11. Habilite a opção Usar filtro de camada.
12. Através da seleção direta de elementos de amostra de um modelo CAD, especifique os
elementos de geometria que serão utilizados durante a posterior utilização da CPF. No
caso de superfícies na [Camada 2], as pesquisas CPF na tarefa por superfícies que
estão na [Camada 2].

Para a leitura automática dos elementos de geometria trabalhar corretamente


utilizando filtros, os modelos CAD devem ser criados de acordo com a defini-
ção de filtro.

13. Selecione 1 para o Número do grupo de perfil.

14. Clique no ícone e selecione Limite para Uso na tarefa e W para Modo.
15. Habilite as opções Área de fresamento e Peça em bruto e nomeie.
16. Agora confirme a definição da CPF.

hyperMILL 4-29
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
FuncionalidadeCatálogo Informações gerais

A estrutura da CPF agora está completamente definida e a CPF recém-criada aparece em


uma entrada na lista em Funcionalidade de Processo Personalizado.

Utilização da CPF
O objetivo da utilização da CPF é automatizar os processos de usinagem extensos. Antes
de ser possível utilizar o CPF, os dados de um modelo CAD devem ser atribuídos. A vincu-
lação entre o modelo CAD e a CPF disponibiliza uma tarefa com a informação necessária
durante a utilização da CPF.

Vinculação da CPF a dados CAD


Para vincular dados CAD de um modelo para a CPF, proceda da seguinte forma:
1. Clique com o botão direito do mouse no navegador de funcionalidade e abra a caixa de
diálogo CPF.
2. Selecione Novo > Funcionalidade de Processo Personalizado > [Nome da CPF]. É
criada uma entrada correspondente na parte inferior do navegador de funcionalidades
[nome da CPF] e todos os elementos de geometria definidos anteriormente são exibi-
dos na caixa de diálogo da CPF.
3. Para a Orientação 1, selecione o Quadro desejado para usinagem.
4. Selecione as superfícies laterais e de fundo da cavidade para as superfícies 1 e 2.
5. Selecione o limite da superfície de fundo para Perfis 1.
6. Finalmente, defina a Área de fresamento e Peça em bruto.
Se todos os parâmetros da CPF forem nomeados de forma clara e se os dados correspon-
dentes do modelo CAD forem atribuídos, a CPF pode ser utilizada na definição de tarefas. A
tarefa e a CPF são vinculadas no Conector de Tarefa de Funcionalidade.

Utilização da CPF na definição de tarefas


Uso de uma CPF definida usando o exemplo de desbaste de uma cavidade. Isso é baseado
no pressuposto que
• todas as tarefas necessárias para usinagem são criadas na lista de tarefas na sequên-
cia correta e
• todos os parâmetros de tarefa, que não sejam obtidos a partir da CPF, são definidos
corretamente.
Para utilizar uma CPF na definição de tarefa, proceda da seguinte forma:
1. Na definição de tarefas, alterne para a página de diálogo Funcionalidade e selecione a
CPF correspondente.
2. O ciclo reconhece que o perfil (fronteira), assim como o quadro, a área de fresamento e
a peça em bruto podem ser utilizados a partir da CPF para desbaste e os define auto-
maticamente para ativo. Ao mesmo tempo, os parâmetros correspondentes são "acin-
zentados" na definição de tarefa e por isso não podem ser usinados manualmente.
3. Desative os parâmetros da CPF que não são usados na definição de tarefa. Para isso,
faça clique duplo na entrada na área inferior do Conector de tarefa de funcionalidade.
O estado muda de Ativo para Desativado.

4. A definição de tarefa está livre de erros e avisos e a tarefa não é calculada.

Reutilização do CPF no novo modelo CAD


Para reutilizar o CPF e a sequência de usinagem com dados CAD modificados, proceda da
seguinte forma:
1. Salve o arquivo CAD sem o modelo atual. Salve a lista de tarefas, as tarefas e a CPF
somente como o arquivo de modelo.
2. Utilize o menu hyperCAD Inserir > A partir do arquivo para inserir o novo modelo CAD,
que inclui todos os elementos utilizados na CPF.
(1) Modelo para a atribuição de elementos na CPF e (2) apresenta a utilização da CPF na
definição de tarefas.

4-30 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Informações gerais FuncionalidadeCatálogo 4

Caso tenha definido filtros na CPF, o modelo deve ser construído de acordo
com a definição de filtro de maneira que os dados possam ser lidos correta-
mente.

3. Selecione a CPF no navegador de funcionalidades, clique com o botão do lado direito e


selecione Atualizar definição/definições de filtro. Todos os elementos da CPF para a
qual os filtros estão definidos são atualizados. Isso também se aplica a filtros que não
sejam diretamente definidos na CPF (tais como filtros para a área de fresamento).
Ao atualizar o filtro, os dados são lidos a partir do modelo e transferidos para as tarefas atra-
vés da CPF.

Os dados na CPF foram definidos corretamente e podem ser calculados.

As Funcionalidades de Processo Personalizados (CPF) criadas utilizando


novas versões do hyperMILL (2011 e posteriores) são salvas como arquivos
UTF-8 codificados com a extensão *.omcpf e já não podem ser utilizados com
versões anteriores do hyperMILL.
Os arquivos de CPF anteriores (com a extensão * .omt) não serão alterados
pelo hyperMILL.

hyperMILL 4-31
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

Criar funcionalidades
Uma funcionalidade pode ser criada da seguinte maneira:
1. Na definição de tarefas, selecionando contornos, limites, superfícies de fresamento,
superfícies de parada ou superfícies adicionais. Na primeira etapa, defina o elemento
geométrico, em seguida ative a função (Criar funcionalidade de contorno, Criar funcio-
nalidade de gruo de superfícies, Criar estratégia de funcionalidade de curva).
2. Manualmente no navegador de funcionalidades e editor de funcionalidades. Consulte
as informações na seção Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de
funcionalidades..
3. Automaticamente no navegador de funcionalidades ao copiar as funcionalidades de
furo a partir de um modelo CAD utilizando Funcionalidade de mapeamento (furo).
4. Automaticamente no navegador de funcionalidades através da cópia facilitada de fun-
cionalidades (furos, cavidades, planos, limites) a partir de um modelo CAD utilizando
Reconhecimento de funcionalidade.

Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de funcionalidades.


Para realizar a criação manual de uma funcionalidade no navegador do hyperMILL, alterne
para a guia Funcionalidade, na área superior do navegador de funcionalidades, selecione a
funcionalidade desejada através do menu de atalho, no Editor de funcionalidades, defina os
parâmetros necessários. Consulte o capítulo O Editor de Funcionalidades para obter mais
informações sobre editor de funcionalidades.

Funcionalidade de mapeamento (furo)


Atribuição automática de informações geométricas de funcionalidade a partir do modelo
CAD (sólido) a uma funcionalidade do hyperMILL.
Para iniciar o mapeamento de funcionalidades no navegador do hyperMILL, alterne para a
guia Funcionalidade e, na área superior do navegador de funcionalidades, no menu de ata-
lho, selecione a função Mapeamento de funcionalidades (furo).

Configurações gerais
Tolerância: especifique o nível de precisão para a transferência de dados geométricos a
partir do modelo CAD.

Opções
Verificar ranhura: habilite essa opção se for necessário o reconhecimento de ranhuras.
Tolerância da ranhura: tolerância para a distância axial entre furos parciais concêntricos
com o mesmo diâmetro. Consulte as informações na seção Reconhecimento de furo único.
Ranhura como elemento do furo: uma ranhura é considerada como parte de um furo. Furos
parciais são combinados em um furo de multi-passo definido livremente, sendo que a área
da ranhura é definida como um através (B).
Se essa opção estiver desabilitada, os furos parciais que atravessam uma ranhura (depen-
dendo da tolerância definida) serão reconhecidos como Furos simples ou Furos de aloja-
mento.
(A) Função não habilitada: (1) Furo simples, (2) Furo simples.
(B) Função habilitada: furo definido livremente, composto por três passos: cilindro (1), atra-
vés (2), cilindro (3)

4-32 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4

Detectar profundidade da mancha: as funcionalidades reconhecidas são verificadas quanto


a manchas e qualquer mancha existente é apresentada em conformidade. A profundidade
da mancha (1) é apresentada na lista de parâmetros de funcionalidades.

Verificar parte inferior: as funcionalidades reconhecidas também são verificadas quanto a


manchas da parte inferior e qualquer mancha existente é apresentada em conformidade.
Tolerância de espaço: as funcionalidades reconhecidas são verificadas quanto a espaços e
assinaladas em conformidade (consulte a figura). A profundidade da mancha (3) é apresen-
tada na lista de parâmetros de funcionalidades.
(1) Tolerância de espaço < coluna, (2) Tolerância de espaço > coluna

Limite do diâmetro: habilite essa opção quando for necessário um limite de diâmetro para os
furos.

hyperMILL 4-33
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

Diâmetro máx.: as funcionalidades são criadas apenas para furos com diâmetros iguais ou
inferiores ao diâmetro máximo.
Usar direção de usinagem preferida: todos os furos que podem ser usinados a partir da dire-
ção definida são combinados em uma lista única de funcionalidades.
Ângulo de compensação (grau): alcance do ângulo em que a direção de usinagem preferen-
cial é verificada. Padrão = 0,5°.
Exemplo:
(1) A direção de usinagem preferencial não está ativada > Direção da usinagem (A) de
todos os furos inalterada.
(2) A direção da usinagem preferencial é ativada, Ângulo de compensação (grau): padrão
(0,5) > A direção da usinagem (A) de um furo é revertida.
(3) A direção da usinagem preferencial é ativada, Ângulo de compensação (grau): 45° > A
direção da usinagem (A) de todos os furos é revertida.

Essa característica é avaliada com a aplicação da funcionalidade em uma


macro inteligente.

Verificar alojamento: é realizada uma verificação para perceber se o alojamento pode ser
usinado a partir da direção definida. No exemplo, a direção de usinagem preferida é definida
utilizando o quadro.
Exemplo:
(1) Verificar alojamento está ativado.
(2) Verificar alojamento não está ativado.
Todas as funcionalidades são combinadas em uma lista de funcionalidades e são apresen-
tadas em turquesa.
Detecção da usinagem (3): defina a direção da usinagem.

Clique no ícone e selecione um elemento geométrico (linha, normal de uma superfí-


cie, quadro...) ou insira os vetores manualmente.
Posição de feedback (4): defina a origem do feedback gráfico para a direção de usinagem
preferencial.

Clique no ícone e selecione um elemento geométrico (ponto de alinhamento, ponto...)


ou insira os valores das coordenadas manualmente (com referência à origem do feedback
gráfico).

4-34 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4

Mais Opções
Compensação para parte inferior: as funcionalidades baseadas em furos de passagem são
criadas com a compensação da parte inferior aqui especificada.
Usar lista de funcionalidades: se essa opção estiver habilitada, as furações são salvas como
funcionalidades em listas de funcionalidades existentes. A atribuição de funcionalidades
acontece em referência aos quadros atribuídos às listas de funcionalidades. As listas de
funcionalidades que não contenham quadros são ignoradas.
Modo de criação de quadro
2D: é criada uma lista de funcionalidades para cada orientação do furo e é atribuído um
quadro a cada lista de funcionalidades.
5X: todas as funcionalidades reconhecidas são combinadas em uma lista de funcionalida-
des mas não é atribuído nenhum quadro a essa lista.
Misto: se vários furos possuírem a mesma orientação, é criada uma lista de funcionalidades
para essa orientação e é atribuído um quadro à lista de funcionalidades. Todos os outros
furos são combinados em uma lista de funcionalidades, mas não é atribuído nenhum quadro
a essa lista.
Dividir pelo diâmetro: no caso de furos multi-passo, o diâmetro dos passos individuais é
levado em conta durante a organização de funcionalidades na lista de funcionalidades (B).
A direção de usinagem (4) é incluída.
Se, a partir da direção de usinagem, o diâmetro de um passo posterior for superior ao diâ-
metro do passo anterior, o uro será dividido em dois ou mais Furos simples (3) e Furos de
alojamento (2).
Se a função dividir pelo diâmetro estiver desabilitada (A), esse furo multi-passo é incluído na
lista de funcionalidades como um furo definido livremente (1).

hyperMILL 4-35
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

Verificar a usinabilidade: se essa função estiver habilitada (B), apenas os furos que estão
em áreas acessíveis são reconhecidos como funcionalidade e são apresentados. Na figura
(A) a função está desabilitada; (1) apresenta a direção de usinagem.

Usar tabela de cores


Durante a importação de informações de funcionalidades de um modelo CAD, o hyperMILL
também reconhece propriedades de funcionalidades como rosca, ajustes ISO ou classes de
funcionalidades, se essas propriedades estiverem definidas em uma tabela de cores.
O hyperMILL avalia a atribuição de informações de cor a propriedades de funcionalidades
durante a criação de funcionalidades e incorpora o parâmetro correspondente diretamente
na funcionalidade. Ao mesmo tempo, esse parâmetro também é incluído no nome da funcio-
nalidade e fica dessa forma disponível para seleção durante a criação e utilização de
macros.
Para ler informações de uma tabela de cores, habilite a opçãoUsar tabela de cores na caixa
de diálogo Mapeamento de funcionalidades, selecione um arquivo (no formato *.xml) (Sele-
cionar tabela de cores) e confirme suas entradas. Observação sobre o conteúdo do arquivo
XML: para que o hyperMILL consiga reconhecer corretamente as propriedades das funcio-
nalidades Rosca e Ajustes, essas propriedades têm que ser definidas da seguinte maneira:
Exemplo:

<Color_Table>

<Color_Machining_Definition R="128" G="64" B="64"


FitDesignation="H7" ThreadDesignation="Mx" FeatureClass="Special FC"
UseThreadNominalDiameter="1"/>

<Color_Machining_Definition R="128" G="0" B="128"


FitDesignation="H12"ThreadDesignation="M;G"
UseThreadNominalDiameter="0" />

</Color_Table>

4-36 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4
Aos identificadores R (Vermelho), G (Verde) e B (Azul), podem ser atribuídos valores de cor
entre 0 e 255.
O tipo de entidade FitDesignation pode assumir designações de ajuste (exemplo H7), e o
tipo de entidade ThreadDesignation os valores M = Inclinação Larga Métrica, Mx = Inclina-
ção Fina Métrica, W = Whitworth e G = Gas Uni.
Os vários tipos de rosca são separados por ‘;’, sendo que a ordem da lista determina a
ordem da pesquisa.
O tipo de elemento Classe de funcionalidade pode aceitar designações de classes de fun-
cionalidades definidas (para obter informações sobre classe de funcionalidades, consulte a
seção Informações gerais).
O UseThreadNominalDiameter pode assumir os valores 0 e 1. 0 = O valor de referência é o
diâmetro do núcleo da rosca, 1 = O valor de referência é o diâmetro nominal da rosca.
Para obter informações sobre o uso de macros baseadas em funcionalidades, consulte a
seção Aplicar macros baseadas em funcionalidades.
Usar apenas furo genérico: durante a atribuição de informações de funcionalidades a partir
do modelo CAD, os Furos simples, Furos de alojamento e Furos definidos livremente serão
transferidos diretamente para o navegador de funcionalidade como Furos genéricos.
Ângulo mínimo da extremidade: defina a partir de que ângulo os furos podem ser reconheci-
dos como uma extremidade ou através de um tipo de furo. Se o ângulo definido da extremi-
dade for maior que o ângulo no furo, esses furos serão reconhecidos como do tipo furo de
passagem. Se o ângulo da extremidade for menor, os furos serão reconhecidos como do
tipo furo da extremidade.
Exemplo:
(1) Ângulo mín. da extremidade = 75°. Furos 50°/60° = Passagem, furo 90° = Extremidade.
(2) Ângulo mín. da extremidade = 55°. Furos 50° = Passagem, furos 60°/90° = Extremidade.
(3) Ângulo mín. da extremidade = 45°. Furos 50°/60°/90° = Extremidade

Criar ponto de associação: exiba e edite coordenadas de pontos de funcionalidades de


furos relacionados a um quadro selecionado.
Funcionalidades de agrupamento: funcionalidades com a mesma geometria são resumidas
para uma funcionalidade para cada quadro. 1) A função não está habilitada, 2) A função
está habilitada.

hyperMILL 4-37
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

Resultado do Mapeamento de funcionalidades

Todos os furos que cumpram as condições de mapeamento aqui definidas e


que, além disso, sejam furados na mesma direção, são compilados em uma
funcionalidades na lista de funcionalidades.

Um novo quadro é criado para uma lista de funcionalidades se existirem pelo menos dois
furos com a mesma direção de furação. Todas as outras funcionalidades são combinadas
em outra lista de funcionalidades sem um quadro.
Uma funcionalidade do hyperMILL é apresentada como uma nova entrada na lista de fun-
cionalidades e pode ser utilizada na definição de tarefas. Para obter mais informações, con-
sulte a seção Usar funcionalidade.

4-38 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4
Reconhecimento de funcionalidade
O Reconhecimento de funcionalidades descreve a detecção interativa de informações geo-
métricas da funcionalidade de um modelo CAD (superfície). Os seguintes módulos estão
disponíveis no hyperMILL:
• Reconhecimento de furo único
• Reconhecimento de plano
• Reconhecimento de cavidade/rasgo T
• Reconhecimento de Boundary
Procedimento
1. No navegador do hyperMILL, passe para a guia Funcionalidade
2. e selecione a função desejada a partir do menu de atalho na área superior do navega-
dor.

Reconhecimento de furo único


As informações geométricas são reunidas a partir dos furos em um modelo em dois passos:
ao definir um furo de amostra e buscar por furos (de comparação), cujos parâmetros são
comparados com o furo de base (=furo de amostra).

Furo de amostra
Os parâmetros do Furo de amostra formam sempre a base para o reconhecimento de um
furo.

Estratégias de Usinagem
Reconhecimento automático: selecione somente a superfície do furo de base. Todas as
outras superfícies são reconhecidas automaticamente.
Definição manual: selecione todas as superfícies do furo de base.
Funcionalidade de referência: os parâmetros de uma funcionalidade de referência são utili-
zados como a base da criação de Furos genéricos baseados em pontos/círculos em super-
fícies. Na página de diálogo Pesquisa, utilize a opção Pontos e superfícies e selecione as
superfícies/os pontos que serão utilizados na criação das funcionalidades de furos. A orien-
tação das funcionalidades dos furos recém-criadas segue as normais da superfície da área
dos pontos selecionados.
Utilize a função Mover para a lista de funcionalidades para selecionar uma lista de funciona-
lidades à qual serão atribuídas as funcionalidades. Com a opção Novo, uma nova lista de
funcionalidades pode ser criada.

Seleção

Selecione as superfícies do furo.


Pesquisa de amostra: inicie o reconhecimento do furo de amostra.
Direção inversa: inverta a direção do furo de amostra.
Utilize a estratégia Funcionalidade de referência para selecionar uma funcionalidade a partir
da lista como funcionalidades de referência.

Parâmetros

Lista de parâmetros reconhecidos do furo de base.

Mais parâmetros podem ser definidos se necessário. Consulte as informações nas


seções Furo simples e Furo definido livremente.
Nome: defina um nome para o furo. O nome é copiado automaticamente para a lista de fun-
cionalidades.
Rosca: Sim, se você desejar usar uma Rosca.

hyperMILL 4-39
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

Rosca: Padrão: selecione uma forma de rosca a partir das Opções Padrão oferecidas para
a forma de rosca Inclinação larga métrica, Inclinação fina métrica ou Whitworth. Para definir
uma forma de rosca individual,
1. Selecione Usuário, defina a designação e
2. especifique os valores para Diâmetro, Inclinação, Tipo e Comprimento.

Pesquisa
Aqui você pode determinar as superfícies do furo que devem ser comparadas com o furo de
base. Como resultado da comparação são encontrados furos com os mesmos parâmetros
do furo de base.

Seleção de grupo
Usuário: selecione os furos desejados, cujos parâmetros devem ser comparados com os
parâmetros do furo de base.

Você também pode pesquisar furos utilizando a função Seleção de janela no


programa CAD. Isso é particularmente útil com modelos muito complexos, para
os quais o Reconhecimento de funcionalidades é apenas parcialmente rele-
vante.

Modelo completo: todos os furos no modelo com os mesmos parâmetros do furo de base
são automaticamente reconhecidos.
Início: inicia o reconhecimento automático dos furos. Todos os furos reconhecidos são apre-
sentados no Resultado na apresentação de uma lista. Os número significam:
Exemplo: 3 (2)
(3) Número de direções
(2) Número de furos nessa direção

Furos reconhecidos são transferidos para uma lista de funcionalidades como


Furo genérico ou Funcionalidade composta.

Furos com os mesmos parâmetros (direção, profundidade) são recolhidos em


uma funcionalidade. Leve em consideração que o furo básico definido também
é sempre incluído como um componente da funcionalidade.

Filtro
Use um filtro para limitar os furos a serem reconhecidos.
Mesma cor: são reconhecidos apenas os furos da mesma cor que o furo de base.
Mesma camada: são reconhecidos apenas os furos com a mesma camada que o furo de
base.
Mesma orientação: são reconhecidos apenas os furos na mesma orientação que o furo de
base.
Limite de quadros: define um limite de quadros (ângulo) para o processo de reconheci-
mento.
Quadro: define o quadro a ser usado para o limite do quadro. Informações na seção Sis-
tema e quadros NC.
Eixo B/Eixo C: use os dois eixos rotativos da ferramenta para limitar o ângulo para o pro-
cesso de reconhecimento do furo. O eixo B corresponde à direção X/Y, e a eixo C corres-
ponde à direção Z do quadro definido.

4-40 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4

O limite de ângulo definido em cada direção é apresentado em cores em uma


esfera rotativa. Amarelo = área usinável (direções a partir dos furos são reco-
nhecidas). Cinza = área não usinável (direções a partir dos furos não são reco-
nhecidas).
Exemplo: eixo do ângulo B: de 0° a 90°, eixo do ângulo C: de 0° a 90°.

Mesma profundidade: são reconhecidos apenas os furos da mesma profundidade que o


furo de base.
Limite da profundidade: somente os furos são reconhecidos, o que corresponde ao limite da
profundidade (de/para).
Remover furo: marque o furo e, no menu de atalho, selecione a função Remover.
Inverter direção do furo: marque o furo e, no menu de atalho, selecione a função Inverter.
Se Funcionalidade de referência estiver selecionado como a Estratégia, as seguintes fun-
ções serão disponibilizadas:

Seleção de grupo
Pontos e superfícies: selecione as superfícies/os pontos que devem ser usados para criar
as funcionalidades do furo. A orientação das funcionalidades dos furos recém-criadas segue
as normais da superfície da área dos pontos selecionados.
Utilize a função Mover para a lista de funcionalidades para selecionar uma lista de funciona-
lidades à qual serão atribuídas as funcionalidades. Como alternativa, crie uma nova lista de
funcionalidades (opção: Novo).
Círculos: selecione os círculos que devem ser usados para criar as funcionalidades do furo.
A orientação das funcionalidades dos furos recém-criadas segue as normais da superfície
da área dos círculos selecionados.
Direção inversa: inverta a direção da funcionalidade do furo recém-criada.

Configuração
Tolerância: tolerância necessária da resolução da curva para os furos. Para obter mais
informações, consulte a seção Compensação de contorno.

hyperMILL 4-41
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

Tolerância da ranhura: tolerância para a distância axial (1) entre furos parciais concêntricos
com o mesmo diâmetro. Aplica-se a seguinte regra: se a distância for menor que a tolerân-
cia, é reconhecido um furo (A); se a distância for maior que a tolerância, são reconhecidos
dois furos (B).
Usar informações do sólido: se a opção estiver ativada, será realizada uma tentativa para
copiar a direção das funcionalidades do furo a partir do modelo CAD (sólido). Se a opção
não for ativada, a direção das funcionalidades do furo será calculada (com base nas infor-
mações da superfície).
Use somente o Furo genérico: como resultado do reconhecimento, somente os furos gené-
ricos serão criados.

4-42 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4
Reconhecimento de plano

Seleção
Usuário: o Reconhecimento de plano é realizado com base nas superfícies definidas. Sele-
cione as superfícies a serem usadas para o reconhecimento.
Automático: o Reconhecimento de planos é realizado automaticamente com base no
modelo CAD completo.

Filtro
Estão disponíveis várias funções de filtro.
Usar quadro: quando essa opção está habilitada, apenas são reconhecidos os planos que
tenham a mesma orientação que o quadro selecionado.
Parte superior/Parte inferior: especifica o intervalo (direção Z) relevante para o Reconheci-
mento de plano.
Ignorar planos circulares: Habilite essa opção quando os planos circulares (de furos) devem
ser excluídos do reconhecimento.
Iniciar: inicia o processo de reconhecimento.

Resultado
Os planos reconhecidos são mostrados na apresentação de uma lista. Use a função Inver-
são no menu de atalho para os planos reconhecidos para reverter a direção das normais da
superfície (direção da usinagem) dos planos reconhecidos. Use Inverter tudo para inverter
as normais de todas as superfícies. Selecione Excluir para excluir a funcionalidade para um
plano reconhecido.
Parte superior/Parte inferior: define a altura superior e inferior para os planos reconhecidos.
Os valores são transferidos como parâmetros para a caixa de diálogo Funcionalidade.
Aplicar: cria uma funcionalidade a partir dos planos reconhecidos. Todos os planos reco-
nhecidos são transferidos como funcionalidades para uma lista de funcionalidades.

hyperMILL 4-43
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

Reconhecimento de cavidade/rasgo T
O modelo utilizado deve ser um sólido (estático). Os sólidos fechados oferecem a maior
garantia de que todas as superfícies inferiores (normais da superfície) serão reconhecidas
corretamente. Em sólidos abertos, os espaços da superfície podem significar que algumas
informações topológicas estão ausentes e consequentemente produzem resultados incorre-
tos. Além disso, em casos raros pode ser necessário verificar os normais da superfície
manualmente.

Funcionamento
São reconhecidas as cavidades com partes inferiores, cavidades de passagem, cavidades
abertas e fechadas e rasgos T. O reconhecimento é realizado através da utilização de sele-
ções de superfície manuais ou automáticas.
A caixa de diálogo Cavidades compreende as páginas de diálogo Cavidade de amostra,
Pesquisa e Configuração.
Cavidade de amostra: defina o tipo de cavidade que deve ser reconhecida. Selecione as
superfícies de uma cavidade de amostra. Defina as opções de pesquisa e os critérios de fil-
tro. Superfícies de partes inferiores e cavidades reconhecidas são apresentadas em uma
lista.
Pesquisa: para cavidade(s) de comparação baseada(s) em cavidade(s) de amostra defini-
das. Limite a pesquisa para cavidades de amostra a uma seção do modelo (definida pelo
usuário) ou pesquise o modelo inteiro (modelo completo). As cavidades reconhecidas são
mostradas em uma lista.
Configuração: limite a pesquisa usando critérios de filtro. Defina os parâmetros de compara-
ção para a pesquisa. Defina as condições para acessibilidade das cavidades e a criação
das listas de funcionalidades.

Exemplo de cavidade

Opção
Tipo de cavidade: defina um tipo de cavidade para fins de reconhecimento. Você deve dife-
renciar o seguinte:
Cavidade com parte inferior: são reconhecidas cavidades com uma parte inferior.
Rasgo T: são reconhecidos rasgos T.
Cavidades com parte inferior e rasgos T: são reconhecidas cavidades com parte inferior e
rasgo T.
Cavidade de passagem: são reconhecidas cavidades de passagem.
Tolerância: a tolerância necessária da resolução da curva para a funcionalidade selecio-
nada.
Nome: defina um nome para as cavidades. Ele é utilizado no Navegador de funcionalidades
do hyperMILL; também contém o menor raio na cavidade. Esse nome também é utilizado
durante a busca de uma ferramenta no banco de dados de macros.
Exemplo: Número Nome <abrir R3,0>
Se uma cavidade tiver esse nome, pode ser usinada utilizando ferramentas com um raio de
3 mm ou menor.
Se desejar que cavidades com fundos sejam reconhecidas, utilize as seguintes opções para
especificar as cavidades de amostra com maior precisão:
Suprimir chanfraduras/planos: habilite se pretende excluir planos e chanfraduras do reco-
nhecimento. Nesse caso, o seguinte será excluído do reconhecimento
• Planos (partes inferiores de cavidades) que não tenham nenhuma parede de cavidade
e
• Planos que tenham sido reconhecidos como chanfraduras (consulte a página de diá-
logo Configuração).
Redução de cavidade aberta: habilite essa opção para reduzir o número de cavidades aber-
tas que são reconhecidas. Se existirem vários planos adjacentes que possam potencial-
mente ser utilizados como superfícies inferiores, o maior plano (em área) (1) é utilizado
como a parte inferior da cavidade.

4-44 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4

Combine cavidades
Habilite-o se cavidades individuais de um modelo devem ser combinadas automaticamente
em uma cavidade complexa.
Ao ser utilizado em uma tarefa, as cavidades combinadas são processadas com mais efici-
ência do que as cavidades individuais
É possível combinar o seguinte: cavidades com partes inferiores (1), cavidades de passa-
gem (2) e cavidades abertas (2) e fechadas (3). As cavidades devem ter uma borda comum
(4) e o mesmo quadro para serem combinadas.

As cavidades conectadas umas às outras através de uma cavidade aberta (5)


não são consideradas para uma combinação automática.

Se as cavidades possuírem chanfraduras ou arredondamentos, os valores relacionados aos


parâmetros do raio do ângulo (arredondamento) ou do ângulo de chanfradura e da altura da
chanfradura devem ser idênticos. Não é possível combinar chanfraduras e arredondamen-
tos.
As cavidades reconhecidas individualmente, as cavidades combinadas e a cavidade gené-
rica são exibidas no navegador de funcionalidades como um resultado do Reconhecimento
de cavidade.

hyperMILL 4-45
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

Combine cavidades manualmente


As Cavidades genéricas podem ser combinadas manualmente pelo navegador de funciona-
lidade através do menu de atalho ou utilizando a tabela de cores. As cavidades devem ter
uma borda comum e o mesmo quadro para serem combinadas manualmente.
1. Realce as cavidades que serão combinadas no navegador de funcionalidade e sele-
cione a função Combinar cavidades.

2. Use a Configuração hyperMILL (página de diálogo Banco de dados) para abrir a


caixa de diálogo Tabela de cores. Defina as cores que serão usadas para a combina-
ção no capítulo Cavidades. A cor da superfície do fundo é importante para cavidades
com fundos e a cor da superfície da parede é relevante para cavidades de passagem.

3. Alternativamente, clique no ícone para selecionar um elemento de amostra (super-


fície), cuja cor será usada. Habilite a opção Usar tabela de cores na página de diálogo
Configuração do Reconhecimento da cavidade e desabilite a opção Usar todas as
cores.
Para cavidades combinadas usando o menu de atalho Combine cavidades no navegador da
funcionalidade, uma nova lista de funcionalidades é criada, ou seja, é marcada com a nota-
ção [Combinado].

Parte inferior
Selecionar tudo: pesquisa por cavidades em todo o modelo.

Superfícies: selecione as superfícies a serem reconhecidas como superfícies infe-


riores da cavidade.
Parte inferior: as superfícies inferiores reconhecidas são apresentadas em uma lista.
Inversão: com sólidos fechados, a direção correta é normalmente detectada automatica-
mente. No caso de sólidos ambíguos ou superfícies individuais, inverta a direção manual-
mente. Para isso:
1. Faça clique duplo ou selecione um item da lista.
2. Clique com o botão direito e selecione Inversão se deseja inverter a direção da superfí-
cie inferior ou selecione
3. Inverter tudo se deseja inverter a direção de todas superfícies inferiores.

Quando a direção de uma superfície é invertida, as cavidades que já tenham


sido reconhecidas serão removidas da lista e o Reconhecimento de cavidade
deve ser repetido a partir do início.

Cavidade
As cavidades reconhecidas são mostradas em uma lista. Além disso, os parâmetros Aberto/
Fechado, Altura, Tipo de borda (Chanfradura/Arredondamento), Raio/Altura e Ângulo da
chanfradura da respectiva cavidade serão apresentados.
Para cada cavidade reconhecida, as funções Fechar ângulos e espaços e Fechar ranhuras
também estão disponíveis no menu de atalho.
Fechar ângulos e espaços (A): os contornos de limite das cavidades (1) cujos furos inter-
rompem o contorno (2) são fechados.
Fechar ranhuras (B): os contornos de limite das cavidades tipo ranhuras do mesmo compri-
mento e paralelos entre si (1) são fechados em um semicírculo (2).

4-46 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4

Durante o Reconhecimento de cavidades, também é realizada automaticamente uma verifi-


cação para perceber se uma cavidade reconhecida cumpre as condições para uma ranhura.
Se esse for o caso e o contorno da cavidade tiver um ponto inicial e final, então o perfil da
ranhura pode ser usado como um contorno durante o fresamento do contorno (exemplo 1) e
as pontas da ranhura podem ser utilizadas como pontos de furação durante a furação
(exemplo 2).
Exemplo 1: Modelo (1), Funcionalidade da cavidade (2) e Perfil da ranhura como contorno
(3).

hyperMILL 4-47
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

Exemplo 2: Modelo (1), Funcionalidade da cavidade (2) e Extremidade da ranhura como


ponto de furação (3). As Funcionalidades de cavidade criadas dessa maneira possuem a
designação Ranhura no nome da funcionalidade.

Exemplo 3: Cavidade genérica <Fechado R10 Ranhura> com Perfil da ranhura (1) e Lar-
gura da ranhura (2).

Os parâmetros de funcionalidades Ranhura, Perfil da ranhura e Largura da ranhura são


apresentados no editor de funcionalidade. Proceda da seguinte forma para usinar a ranhura
reconhecida:
1. Crie uma nova tarefa (Fresamento de contorno 2D) através da utilização da Funcionali-
dade de cavidade correspondente.
2. Defina o diâmetro da ferramenta de acordo com a largura da ranhura e especifique a
opção No contorno, como a posição da ferramenta.
3. Selecione a opção Apenas ativar no menu de atalho do perfil de ranhura na página de
diálogo Funcionalidade.
4. Defina todos os outros parâmetros.
Se desejar que cavidades de passagem sejam reconhecidas, utilize as seguintes opções
para especificar as cavidades de amostra com maior precisão:
Compensação inferior: as funcionalidades baseadas em cavidades de passagem são cria-
das com a compensação da parte inferior aqui especificada.

4-48 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4
Tipo de cavidade: cavidade de passagem

Cavidade
Modelo completo: se você selecionar essa opção, o hyperMILL pesquisa em todo o modelo
possíveis cavidades de passagem, enquanto leva em conta o Quadro selecionado. Inicie a
pesquisa por cavidades clicando em Início.
Definido pelo usuário: selecione manualmente as paredes da cavidade para o Reconheci-
mento de cavidade.
Paredes da cavidade: selecione as superfícies da parede da cavidade.
Encadear paredes automaticamente: o hyperMILL liga automaticamente as superfícies de
parede ausentes a uma cavidade de passagem, desde que a orientação do quadro possa
ser determinada a partir das superfícies selecionadas.
Normalmente, esse é o caso se, a partir da vista do quadro, você selecionar: duas superfí-
cies de parede uniformes não paralelas (A) ou uma superfície de parede não uniforme (B).

Recorte: o hyperMILL também reconhece cavidades de passagem abertas. Leve em consi-


deração o seguinte para a seleção de superfícies:

hyperMILL 4-49
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

• Você deve sempre selecionar duas superfícies de parede que representem o início e
fim da cavidade aberta (A).
• Se as bordas das superfícies apresentarem um perfil de linha paralelo relativo à orien-
tação do quadro, selecione outra superfície uniforme cuja borda possua um perfil não
paralelo relativo ao quadro (B).

Para a seleção de superfícies definida pelo usuário, você pode selecionar


quaisquer superfícies de parede (consulte o gráfico 3); aqui, se aplicam as con-
dições referidas acima para o início e fim da cavidade e para o paralelismo das
superfícies da borda.

Inicie a pesquisa por cavidades clicando em Início.

Resultado
O número de cavidades reconhecidas é exibido. As cavidades reconhecidas são mostradas
na apresentação de uma lista. Além disso, os parâmetros Aberto/Fechado, Altura, Tipo de
borda (Chanfradura/Arredondamento), Raio/Altura e Ângulo da chanfradura da respectiva
cavidade serão apresentados.

Configuração

Filtros de cavidade
Diâmetro da ferramenta: limite o tamanho da cavidade usando o diâmetro da ferramenta.
Somente cavidades que atendam os seguintes critérios serão reconhecidas: o diâmetro
superior não deve se ajustar à cavidade, enquanto o diâmetro inferior deve ainda se ajustar.
Limite de cavidade circular: essa opção pode ser utilizada para evitar o reconhecimento de
furos como cavidades circulares através da definição de um limite de diâmetro. São reco-
nhecidas apenas as cavidades que estejam dentro do limite definido.
Altura da chanfradura/Raio do arredondamento: altura da chanfradura ou do raio do arre-
dondamento entre a superfície inferior e a parede da cavidade
Ângulo do chanfro: limite inferior/superior para o ângulo da chanfradura entre a superfície
inferior e a parede da cavidade.
Tipos de parede permitidos: especifique o tipo de parede que deve ser reconhecido. A
opção Perpendicular corresponde ao eixo Z do quadro, definido na página de diálogo Exem-
plo de cavidade.

4-50 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4
Parâmetro de comparação da cavidade
Esses dois parâmetros estão relacionados com a comparação entre a cavidade de amostra
e as cavidades que devem ser reconhecidas (consulte a página de diálogo Comparação).
Limite de escala: o limite de escala mínimo/máximo define o reconhecimento de cavidades
no modelo com base em parâmetros geométricos característicos.
Tolerância de comparação: o grau de precisão com o qual os parâmetros geométricos
característicos (consulte Limite de escala) de uma ou mais cavidades de amostra são com-
parados com as cavidades para reconhecimento.
O Reconhecimento de cavidades pode ser limitado a certas cavidades através do Filtro de
cavidades utilizando funcionalidades geométricas.

Todos os filtros de cavidade estão ativos quando a cavidade de amostra é defi-


nida. Se estiverem ativadas, as opções em Verificação de acessibilidade serão
eficazes na pesquisa de cavidades de comparação.

Acessibilidade
Uma vez que nem todas as cavidades estão diretamente acessíveis e podem ser processa-
das, as condições para a acessibilidade de uma cavidade podem ser definidas aqui.
Verificação de acessibilidade: a acessibilidade é verificada na direção dos normais de
superfície das respectivas superfícies inferiores e na direção oposta.
Comprimento de aproximação (1): define a distância mínima entre um plano inferior poten-
cial e outra superfície que possa impedir o acesso ao plano inferior.

Compensação do poliedro (2): a acessibilidade do plano inferior (parte inferior da cavidade)


é determinada com base nessa distância de tolerância do contorno sobre uma superfície de
extrusão. Isso deve ser sempre superior ao valor para a tolerância do poliedro.

hyperMILL 4-51
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar funcionalidades Manualmente no Navegador de funcionalidades/Editor de

Tolerância do poliedro: precisão da representação do poliedro para a verificação de acessi-


bilidade (facetamento do modelo).
Todas as cavidades reconhecidas são transferidas como funcionalidade de Cavidade gené-
rica (fechada/aberta) para uma lista de funcionalidades. As cavidades com a mesma direção
Z são combinadas em uma lista (quadro). As cores das listas de funcionalidades criadas por
você são definidas nas configurações do hyperMILL (consulte Documento > página de diá-
logo Cores).

Criação de lista de funcionalidades


Usar lista de funcionalidades: se essa opção estiver habilitada, as cavidades são salvas
como funcionalidades em listas de funcionalidades existentes. A atribuição de funcionalida-
des acontece em referência aos quadros atribuídos às listas de funcionalidades. As listas de
funcionalidades que não contenham quadros são ignoradas.
Usar tabela de cores: durante a leitura das informações de funcionalidade, as partes inferio-
res da cavidade com um valor de cores específico (valor RGB) são reconhecidas automati-
camente e as funcionalidades respectivas são atribuídas a uma classe de funcionalidade
correspondente. Para esse objetivo, tanto o valor de cor como o nome da classe de funcio-
nalidade são definidos em um arquivo XML. O nome e localização do arquivo XML pode ser
selecionado livremente.
Exemplo:

<Color_Table>

<Color_Machining_Definition R="214" G="214" B="214"


IsPocketBottom="1" FeatureClass="Special Pocket"/>

</Color_Table>

Para ler essas informações, ative a opção Usar tabela de cores, selecione o Arquivo corres-
pondente (formato: *.xml) e confirme suas entradas. A funcionalidade de Cavidade criada
possui a designação da classe de funcionalidade no nome da funcionalidade.
Exemplo: Cavidade genérica <Fechado R10 Funcionalidade Especial> A classe de funcio-
nalidade é apresentada no editor de funcionalidade (seção: Geral).

4-52 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Manualmente no Navegador de funcionalidades/ Criar funcionalidades 4
Utilizar todas as cores: mesmo as partes inferiores da cavidade cujas cores não estejam
contidas no arquivo XML serão reconhecidas. No entanto, as cavidades reconhecidas não
são atribuídas a uma classe de funcionalidade.
Se a função estiver desativada, serão reconhecidas apenas as partes inferiores da cavidade
(ou as cavidades correspondentes) que correspondam a uma cor no arquivo XML.
Os arquivos XML também podem ser utilizados na área Mapeamento de Funcionalidade
para ler nas informações de funcionalidade. Para obter mais informações, consulte a seção
Mais Opções.

Reconhecimento de limite
Extraia livremente bordas e curvas da superfície de um sólido e gere um limite a partir delas.

Seleção
Defina os elementos geométricos (curva/superfície) com os quais pretende criar um limite.
Borda inicial: defina a primeira parte da fronteira.
Superfícies: defina as superfícies a partir das quais a fronteira deve ser gerada.
Único: o elemento de contorno que tiver sido realçado com feedback visual é adicionado à
seleção e o seguinte elemento de contorno é realçado.
Automático: o elemento de contorno que tiver sido realçado com feedback visual é automa-
ticamente adicionado à seleção e o elemento de contorno seguinte é realçado. O elemento
de contorno seguinte a ser realçado é sempre o que tiver a maior alteração na direção
(ângulo) para o elemento atualmente selecionado.
Alterar: Clique nesse botão para realçar os outros elementos de contorno disponíveis (para
adição à seleção de contorno no passo seguinte).
Desfazer: o último passo de seleção é desfeito e o último elemento selecionado é realçado
com feedback visual

Resultado
Especifique a funcionalidade que será salva no navegador de funcionalidades como resul-
tado da seleção.
Criar curvas CAD: uma curva CAD é gerada a partir do limite selecionado. Essa curva é
retida quando as superfícies de um sólido são desagrupadas.
Funcionalidade: selecione as opções para gerar uma funcionalidade do hyperMILL. Você
pode criar uma Funcionalidade de estratégia (limite/perfil) ou uma Funcionalidade de con-
torno (2D/3D) a partir do limite selecionado.
Aplicar: crie uma funcionalidade do hyperMILL que é criada como uma entrada no navega-
dor de funcionalidades. Os contornos que não estão fechados também são gerados como
fronteiras. Os pontos de início e fim do contorno são simplesmente ligados a uma linha reta.

hyperMILL 4-53
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Usar funcionalidade Da funcionalidade para a tarefa

Usar funcionalidade
Uma funcionalidade definida no hyperMILL é apresentada como uma entrada no Navegador
do hyperMILL e está diretamente disponível durante a definição de tarefas. Estão disponí-
veis duas opções básicas para utilizar uma funcionalidade durante a definição de tarefas: da
funcionalidade para a tarefa ou da tarefa para a funcionalidade.

Da funcionalidade para a tarefa


1. Abra o navegador do hyperMILL, acesse a guia Funcionalidade e selecione a funciona-
lidade que deseja utilizar na definição de tarefas.
2. Clique com o botão direito do mouse e selecione Nova tarefa com funcionalidade.
É apresentada uma lista com os ciclos nos quais você pode utilizar a funcionalidade selecio-
nada.
3. Selecione o ciclo necessário e acesse a página de diálogo Funcionalidade.
4. A funcionalidade atualmente ligada à tarefa e o estado dos dados geométricos são
apresentados no Conector de tarefa de funcionalidade.
Para obter informações sobre a estrutura do conector de tarefa de funcionalidade, consulte
a seção Conector de tarefas de funcionalidade.
Para editar uma funcionalidade, proceda da seguinte forma:
1. Selecione a funcionalidade, clique com o botão direito do mouse e selecione Editar.
2. Faça as alterações desejadas no editor Funcionalidade e feche o editor.
Para selecionar funcionalidades adicionais,

1. Clique no ícone para abrir o Seletor de funcionalidade.


2. Arraste a funcionalidade desejada para a janela da direita e confirme com OK.

Em ciclos 2D, podem ser adicionadas apenas as funcionalidades com o


mesmo quadro da funcionalidade já em utilização em uma tarefa.

Para alterar o estado da geometria de uma funcionalidade, selecione a geometria a ser alte-
rada na janela da direita, clique com o botão direito do mouse e selecione Ativa ou Inativa.
Se houver várias geometrias no Conector de tarefa de funcionalidade, mas somente uma
delas deve estar ativa, selecione na janela da direita a geometria a ser alterada , clique com
o botão direito do mouse e selecione Apenas ativa.

Da tarefa para a funcionalidade


1. Inicie o navegador do hyperMILL, acesse a guia Tarefas e selecione o ciclo desejado.
2. Especifique as configurações necessárias e acesse a página de diálogo Funcionali-
dade.

3. Clique no ícone para abrir a caixa de diálogo Selecionar funcionalidade, arraste a


funcionalidade para a janela da direita e confirme com OK.
Para definir uma nova funcionalidade a uma tarefa, clique com o botão direito do mouse na
janela da esquerda do Conector de tarefa de funcionalidade e selecione Novo > [Nome da
funcionalidade]. Selecione a funcionalidade desejada a partir de uma lista de possíveis fun-
cionalidades que podem ser vinculadas à tarefa em questão.

Inverter direção
Se você utilizar uma funcionalidade na definição de tarefas, a orientação correta da funcio-
nalidade é importante. Você pode inverter a orientação da funcionalidade diretamente no
navegador de funcionalidades para furos de passagem e cavidades de passagem. Para
isso, selecione a funcionalidade e escolha a função Inverter furo ou Inverter cavidade no
menu de atalho.

4-54 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Da tarefa para a funcionalidade Usar funcionalidade 4
Se a orientação da funcionalidade não for idêntica à orientação do quadro da lista de funcio-
nalidades correspondente, a funcionalidade será assinalada com um ponto de exclamação
e uma mensagem correspondente.

Desconectar: desativa a vinculação entre a tarefa e a funcionalidade. O con-


torno que tiver sido derivado da funcionalidade é retido como um elemento
CAD e pode ser utilizado para a definição de tarefas.

Crie um novo quadro em funcionalidade


Para criar um novo quadro com a funcionalidade selecionada, selecione a funcionalidade na
janela da esquerda do Conector de tarefa de funcionalidade, clique com o botão direito do
mouse e selecione Novo quadro em funcionalidade. O novo quadro é apresentado no nave-
gador do hyperMILL (guia Modelo).

Substituir Furo único por Furo de alojamento


Substituir por Furo de alojamento: disponível apenas para a funcionalidade Furo simples.
Substitua Furo simples por Furo de alojamento. Defina o Diâmetro de alojamento e a pro-
fundidade. O nome da funcionalidade original permanece.

Substituir furo de alojamento por rosca


Substituir por rosca: disponível apenas para a funcionalidade Furo de alojamento, adiciona
uma rosca a um Furo de alojamento. Aqui, o diâmetro de alojamento e a profundidade são
transferidos para a rosca.

Ajustar furo ao modelo de peça em bruto


Ajustar furo ao modelo de peça em bruto (1): ajusta um furo a uma geometria de modelo de
peça em bruto existente ou modificada. Selecione as funcionalidades do furo para ajuste no
navegador de funcionalidades do hyperMILL e selecione a função Ajustar furo ao modelo de
peça em bruto no menu de atalho (clique com o botão direito do mouse). As manchas tam-
bém serão levadas em conta.

Seleção
Automático: ajusta todas as funcionalidades de furo selecionadas para o modelo de peça
em bruto selecionado. Perceba que você pode ter que desagrupar funcionalidades combi-
nadas se isso for necessário para ajustar a geometria do modelo de peça em bruto (para
obter mais informações, consulte a opção Tolerância).
Manual: defina como ajustar as funcionalidades do furo para a geometria do modelo de
peça em bruto. Nesse momento não é possível uma distância de tolerância da peça em
bruto negativa. As alterações associadas à opção Manual são relativas apenas à parte
superior do furo (origem).

hyperMILL 4-55
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Usar funcionalidade Da tarefa para a funcionalidade

Ajustar cones: ajusta a chanfradura de um Furo simples, o alojamento de um Furo de aloja-


mento ou o cone de um Furo definido livremente à parte superior da geometria do modelo
de peça em bruto, de acordo com o ângulo definido (1).

Apenas topo (1): ajusta a parte superior do furo à área de fresamento.

Tolerância: especifique um valor de tolerância superior para evitar que as funcionalidades


de furo de um grupo sejam desagrupadas. Se o valor de tolerância for superior às distâncias
entre as funcionalidades menores e maiores em um grupo para o modelo de peça em bruto
utilizado, as funcionalidades continuam sendo agrupadas.
Funcionalidades de furo são comparadas com base nos parâmetros existentes (exceção:
posição) e, se possível, são agrupadas para formar novas funcionalidades.
Verificar área de fresamento: quando a funcionalidade de furo é gerada, a área de fresa-
mento é verificada e a funcionalidade de furo é adaptada à área de fresamento. Função
desabilitada (1), função habilitada (2).

4-56 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Da tarefa para a funcionalidade Usar funcionalidade 4

Use a função Ajustar furo ao modelo de peça em bruto para gerar uma nova funcionalidade
no navegador de funcionalidades. Habilite a opção Remover furo original se você desejar
excluir as funcionalidades que foram originalmente selecionadas para a função.
Use a função Salvar como padrão para salvar o valor para a tolerância do modelo como
valor padrão.

Localizar furos de interseção


Localize furos de interseção e compile-os em uma funcionalidade na lista de funcionalidade.
Ao assumir um Furo genérico (1), utilize a função Localizar furos de interseção para encon-
trar todos os furos que se cruzam diretamente com o Furo genérico (2) e combine-os em
uma funcionalidade.
Ao assumir um Furo genérico (1), utilize a função Localizar furos de interseção (3) para
encontrar todos os furos que se cruzam em um modelo e combine-os em uma funcionali-
dade.

Funções no menu de atalho: listas de funcionalidades


Lista de funcionalidades: cria uma nova lista de funcionalidades.
Mapeamento de funcionalidades (Furos): inicia o mapeamento de funcionalidades para
furos.
Reconhecimento de furo único: inicia a caixa de diálogo Reconhecimento de furo único.
Cavidade/Reconhecimento de ranhura em T: abre a caixa de diálogo Cavidade/Reconheci-
mento de ranhura em T.

hyperMILL 4-57
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Usar funcionalidade Funções no menu de atalho: funcionalidades

Reconhecimento de plano: inicia a caixa de diálogo Reconhecimento de plano.


Reconhecimento de limite: inicia a caixa de diálogo Reconhecimento de limite.
Contorno: cria a funcionalidade Contorno.
Curva estratégica: cria uma Estratégia de funcionalidade de curva.
Grupo de superfícies: cria uma funcionalidade de Grupo de superfícies.
Plano: cria uma funcionalidade de Plano.
Ranhura em T: cria uma funcionalidade de ranhura em T.
Cavidade genérica: cria uma funcionalidade de Cavidade genérica.
Furo genérico: cria uma funcionalidade de Furo genérico.
Funcionalidade OPEN MIND >
Cria uma funcionalidade de Furo simples, Furo de alojamento, Furo definido livremente,
Superfície ou Cavidade ou uma Funcionalidade composta.
Importar furo: importa um furo simples, furo de alojamento ou furo definido livremente no for-
mato *.hmf.
Funcionalidade de turbomáquinas: cria uma funcionalidade de Turbomáquinas.
Funcionalidade de processo personalizado >
Objeto de usinagem: cria uma funcionalidade de processo personalizado.
Adicionar quadro: adicionar um quadro à lista de funcionalidades selecionada. O nome do
quadro será parte do nome da lista de funcionalidades: Lista de funcionalidades <Nome do
quadro>.
Editar quadro/Remover quadro: editar o quadro na lista de funcionalidades ou excluir.
Ocular seleção: oculta as funcionalidades da lista de funcionalidades selecionada na janela
de gráficos.
Mostrar apenas seleção: mostra somente as funcionalidades da lista de funcionalidades
selecionada na janela de gráficos.
Tudo desligado: oculta todas as funcionalidades na janela de gráficos.
Verificar modelo: verificar a consistência dos contornos atribuídos à tarefa.
Configuração hyperMILL: abre a caixa de diálogo para inserção das configurações básicas
do hyperMILL.

Funções no menu de atalho: funcionalidades


Ativar ampliação automática: amplia automaticamente uma funcionalidade selecionada na
janela de gráficos.
Ampliar: amplia uma funcionalidade selecionada na janela de gráficos.
_________________________________________________________________________________
Editar...: edita a(s) funcionalidade(s) selecionada(s).
Copiar/Colar/Excluir/Recortar: as entradas são gerenciadas no modo padrão do Windows.
_________________________________________________________________________________
Criar funcionalidade composta: cria uma nova Funcionalidade composta com a funcionali-
dade selecionada.
_________________________________________________________________________________
Exportação de contorno OMX: função no menu de atalho de funcionalidade de contorno
para exportar contornos no formato OMX. Para arquivo, introduza o caminho e o nome do
arquivo para exportar. Se necessário, determine o quadro de referência ao qual as coorde-
nadas se referem. Por padrão, são utilizadas as coordenadas do sistema mundial. Se os
pontos inicial e/ou final estiverem definidos, o contorno será cortado nesses pontos e a dire-
ção será ajustada conforme definido.
Ocultar funcionalidades referenciadas: oculta as funcionalidades referenciadas de uma Fun-
cionalidade composta.
Selecionar funcionalidades referenciadas: seleciona a funcionalidade referenciada em uma
Funcionalidade composta.
Combine cavidades: combina Cavidades genéricas manualmente em uma cavidade.

4-58 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Funções no menu de atalho: funcionalidades Usar funcionalidade 4
Exportar furo/Importar furo: exporta ou importa um ou vários furos no formato *.omx.
Inverter furo: inverte a direção de um Furo simples ou Furo de alojamento.
Substituir por Furo de alojamento/Substituir por rosca: converte uma funcionalidade de Furo
simples em uma funcionalidade de Furo de alojamento ou uma funcionalidade de Furo de
alojamento em uma funcionalidade de rosca.
Ajustar furo ao modelo de peça em bruto: ajusta um furo a uma geometria de modelo de
peça em bruto existente ou modificado.
Aplicar macros: aplicar a(s) macro(s) vinculada(s) à funcionalidade.
Nova macro de funcionalidade: cria uma nova macro baseada na funcionalidade selecio-
nada.
Ver banco de dados de macros: abre o banco de dados de macros.
_________________________________________________________________________________
Novo quadro em funcionalidade: cria um novo quadro baseado na funcionalidade selecio-
nada.
Nova Tarefa com funcionalidade: cria uma nova tarefa baseada na funcionalidade selecio-
nada.
_________________________________________________________________________________
Definir IDs de funcionalidade: define os IDs da nova funcionalidade para os elementos sele-
cionados, começando com ID1.
_________________________________________________________________________________
Utilização:: exibe, em uma janela separada, as tarefas em que o elemento selecionado é
usado.
Verificar modelo: verificar a consistência dos contornos atribuídos à tarefa.
Configuração hyperMILL: abre a caixa de diálogo para inserção das configurações básicas
do hyperMILL.

hyperMILL 4-59
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Tecnologia de macros Vantagens e utilizações

Tecnologia de macros
As macros vinculam estratégias e ferramentas de usinagem para geometrias (= funcionali-
dades) caraterísticas de usinagem e portanto reduzem consideravelmente as despesas
durante a produção.

Vantagens e utilizações
• Automação e reciclagem de fluxos de trabalho: os fluxos de trabalho podem ser auto-
matizados e reciclados utilizando macros. Isso reduz significativamente os tempos de
programação, particularmente no que diz respeito a produção de peças 2,5D.
• Gerenciamento eficiente de macro: suas macros residem em um banco de dados de
macros. Isso oferece uma base de conhecimento de produção gerenciada de modo efi-
ciente e fácil.
• Atualização de fluxos de trabalho: você pode modificar suas macros existentes, a qual-
quer momento, para garantir a correspondência com as novas exigências de produção
específicas do usuário à medida que elas surjam.
• Maior graus de automação graças a macros “inteligentes”: ao utilizar macros “inteligen-
tes”, as operações que antes foram atribuídas manualmente a uma funcionalidade
podem ser vinculadas automaticamente. São definidas regras e condições para permi-
tir que o hyperMILL decida automaticamente qual usinagem deve ser aplicada. Esse
método pode, portanto, reduzir o número de macros necessárias para usinar um
modelo completo.

Criar macros
Uma macro inclui funcionalidades e informações da tarefa. Ela é criada com base em uma
tarefa ou em funcionalidades

Criar macros baseadas em tarefas


Para criar macros em uma tarefa
1. Abra o navegador do hyperMILL e selecione a guia Tarefas.
2. Realce a tarefa que deseja associar à macro e selecione Macros > Nova macro para a
tarefa. A janela Nova macro é aberta.

Criando macros baseadas em funcionalidades


Para criar macros em uma funcionalidade
1. Abra o navegador do hyperMILL e selecione a guia Funcionalidade.
2. Realce a funcionalidade cujas informações pretende utilizar.
3. Clique com o botão direito na entrada e selecione Nova Macro de Funcionalidade.
A caixa de diálogo Nova Macro é aberta.

A caixa de diálogo Nova Macro

Macro
Nome: o nome da funcionalidade fonte. Isso é parte do nome da macro. O nome é gravado
no banco de dados de macros quando a macro é salva. O nome também é usado para pes-
quisas automáticas de macros. Os nomes de macros baseados em funcionalidades contêm
o prefixo F; os nomes de macros baseados em tarefas contêm o prefixo J.
Comentário: insira também um comentário para identificar macros de forma mais fácil.

Grupo de macros: cada macro tem que ser atribuída a um grupo de macros
específica. Os grupos de macros permitem que você combine macros que são
típicas para uma situação de usinagem específica, por exemplo.

Defina um novo grupo de macros.

4-60 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar macros Tecnologia de macros 4

Modifique um grupo de macros.


Grupo de máquinas/Grupo de materiais: habilite se a nova macro for usada apenas em uma
máquina específica ou em um grupo de materiais.

Defina um novo grupo de máquinas/grupo de materiais.

Modifique um grupo de máquinas/grupo de materiais.

Tarefas de macro
A seção inferior da caixa de diálogo exibe as tarefas vinculadas à funcionalidade selecio-
nada e aos seus parâmetros de ferramenta principais. Clique em OK para salvar a macro no
banco de dados.

Aplicar uma macro

Aplicar macros baseadas em tarefas


No navegador de tarefas do hyperMILL, utilize a função Macros > Aplicar macros no menu
de atalho para a tarefa.

Aplicar macros baseadas em funcionalidades


No navegador de funcionalidades do hyperMILL, utilize a função Aplicar macros no menu de
atalho para a funcionalidade.

A caixa de diálogo Aplicar macro


Especifique quais macros devem ser aplicadas na caixa de diálogo Aplicar macro. Utilize fil-
tros para restringir ou aumentar o número de macros exibidas. Os filtros diferem depen-
dendo do fato de vir a ser utilizada uma macro baseada em funcionalidades ou tarefas.

Opções
Usar macros de funcionalidade: quando macros baseadas em tarefas são utilizadas, são
exibidas todas as macros baseadas em funcionalidades.
Verificar parâmetros de geometria: quando macros baseadas em tarefas são utilizadas, são
exibidas somente funcionalidades que correspondam aos parâmetros da geometria da fun-
cionalidade selecionada.
Verificar parâmetros de geometria: são exibidas somente funcionalidades que forem aloca-
das na mesma classe da funcionalidade selecionada.
Verificar regra: Somente macros baseadas em funcionalidade são exibidas, o que corres-
ponde às regras definidas.
Verificar quadro: ao usar macros baseadas em funcionalidade, as únicas macros usadas
são aquelas que correspondem ao quadro definido.
Selecionar lista de tarefas: disponível se a função Verificar quadro estiver ativada. A lista de
tarefas alvo é aplicada à função Verificar quadro.
Usar ferramentas do depósito: disponível para macros baseadas em tarefas e em funciona-
lidades.

Selecione o depósito. O sistema pesquisa por ferramentas adequadas com a seguinte


prioridade ao realizar uma pesquisa de ferramenta: 1.) Ferramenta do depósito, 2.) Ferra-
menta de referência (a ferramenta utilizada na macro) e 3.) Ferramenta mais curta livre de
colisões do banco de dados de ferramentas
Permitir aplicação múltipla: use uma macro baseada em funcionalidade várias vezes.
O parâmetro Inverter direção preferida de usinagem habilita a direção de usinagem da fun-
cionalidade aplicada à macro a ser invertida.

hyperMILL 4-61
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Tecnologia de macros Criar macros

Macros
Funcionalidades de agrupamento: agrupa várias funcionalidades com parâmetros idênticos.
Grupo de materiais /Grupo de máquinas: limita a exibição a macros que estão alocadas ao
grupo de materiais ou máquinas correspondente. O lado esquerdo da caixa de diálogo
difere se for usada uma macro baseada em tarefa ou em funcionalidade.
Se for utilizada uma macro baseada em tarefa, serão exibidos o grupo de macros para o
qual a macro foi atribuída e o número de macros contidas nesse grupo de macros.
Se for utilizada uma macro baseada em funcionalidade, serão exibidos a funcionalidade na
qual a macro foi criada e o número de macros disponíveis para a funcionalidade.
A seção direita da caixa de diálogo exibe uma lista de todas as macros disponíveis. Habilite
(marque a caixa de seleção) ou desabilite (desmarque a caixa de seleção) as macros indivi-
duais, conforme necessário.
Se necessário, selecione o grupo de máquinas e o grupo de materiais. Clique em Aplicar
para aplicar a macro. É criada no navegador da macro uma nova entrada contendo as fun-
cionalidades e tarefas associadas.
Exemplo:

1: Nomedamacro [F D8 Cego]

Tarefadamacro 1
Tarefadamacro 2
1: Aplicativo (cópia com numeração)

12: Funcionalidade <D8 Cego> (funcionalidade utilizada na macro)

1: T3 Tarefa 1 (tarefa utilizada na macro)


2: T5 Tarefa 2 (tarefa utilizada na macro)

As tarefas contidas na macro também são atribuídas à lista de tarefas atual no navegador
de tarefas. Essa tarefas são associativas à tarefa da macro. As alterações na tarefa da
macro irão atualizar automaticamente as tarefas na (navegador de macro) e no navegador
de tarefas.

Editar tarefas de macros


Para editar uma tarefa de macro, faça clique duplo na tarefa correspondente do navegador
de macro ou clique com o botão direito do mouse e selecione Editar.

Editar tarefas aplicadas


Para editar uma tarefa aplicada, faça duplo clique na tarefa correspondente do navegador
de macro ou clique com o botão direito e selecione Editar. As alterações efetuadas não pro-
duzem nenhum efeito na tarefa de macro associada.

Desvincular as tarefas de macro e as tarefas aplicadas


Para desativar a vinculação entre a tarefa de macro e a tarefa aplicada, selecione a tarefa
aplicada, clique com o botão direito e escolha Desvincular.

Exibição de navegadores de macros


Existem vários modos de exibição de macros e das suas tarefas de macro e tarefas aplica-
das associadas.

Clique no botão + ou selecione a função Visualizar > Expandir no menu de atalho da

macro para mostrar todas as tarefas de macro aplicadas de uma macro.


Selecione a função Visualizar > Expandir tudo no menu de atalho da macro para mostrar
todas as tarefas de macro aplicadas e todas as tarefas aplicadas de uma macro.

4-62 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar macros Tecnologia de macros 4
Banco de dados de macros
O banco de dados de macros é criado no Assistente de configurações do hyperMILL. Para
obter informações, consulte o guia de instalação.
Você pode gerenciar e configurar suas macros no banco de dados de macro. O banco de
dados fornece as seguintes funções de gerenciamento:
• Salvar DB (consulte as informações na seção Salvar o banco de dados).
• Importar/Exportar macros (consulte as informações na seção Importar/exportar
macros).
• Editar funcionalidade e parâmetros de tarefa depois (consulte as informações na seção
Editar o banco de dados).
• Pesquisa automática por macro (consulte as informações na seção Pesquisa automá-
tica de macros) e
• Otimize as macros (informações na seção Otimização de macros).
• Especificação de regras para modos de usinagem (consulte as informações na seção
Macros inteligentes)
Abrir bancos de dados existentes
1. Abra a guia Macros do navegador do hyperMILL.
2. Clique com o botão direito e selecione Exibir BD de macros.
O BD de Macros é aberto.

Layout do banco de dados de macros


O banco de dados de macros é composto por três seções com modos de exibição de lista
diferentes.

1. A seção superior (janela à esquerda) exibe os grupos de macros definidos bem como o
número de macros contidas nesses grupos (janela à direita).
2. A janela do canto superior direito lista as macros contidas nesses grupos de macros.
3. A seção inferior exibe as Tarefas de macro vinculadas às macros individuais em con-
junto com seus parâmetros de ferramenta mais importantes.
Grupo de macros
Você pode controlar a exibição das macros contidas no grupo de macros habilitando/desa-
bilitando os grupos de macros individuais. A coluna Número exibe o número de macros con-
tidas em cada grupo de macros.
Macros

hyperMILL 4-63
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Tecnologia de macros Criar macros

O modo de exibição de lista apresenta o nome da macro individual, o qual é composto pelos
parâmetros de funcionalidade ou tarefa abreviados com o sufixo correspondente para a fun-
cionalidade (F) ou para a tarefa (J) .
Tarefas de macro
Essa lista exibe apenas as tarefas de macros relativas à macro realçada atualmente na
janela de macros superior.

Salvar o banco de dados


Clique em Salvar para salvar um banco de dados recém-criado ou atualizado. As macros
contidas no banco de dados são salvas no formato *.mdb na pasta /mac da instalação do
seu hyperMILL.

Importar/exportar macros
Exporte macros únicas ou todas as macros de um banco de dados ou importe macros para
o banco de dados de outro banco de dados.
Para exportar todas as macros para um banco de dados de macros
1. Clique em Exportar tudo e introduza um nome de arquivo ou
2. clique em Arquivo e selecione um arquivo *.omx (formato de troca OPEN MIND) exis-
tente.
Para exportar macros únicas de um banco de dados
1. Destaque as macros respectivas na janela à direita e clique em Exportar selecionadas,
2. introduza um nome de arquivo ou
3. clique em Arquivo e selecione um arquivo *.omx (formato de troca OPEN MIND) exis-
tente.
Importar macros de outro banco de dados
1. Clique em Importar macros e
2. selecione o respectivo arquivo *.omx (Formato de troca OPEN MIND).

Editar o banco de dados


Os seguintes parâmetros podem ser alterados subsequentemente no banco de dados de
macros: os nomes do grupo de macros, vários parâmetros de macros e vários parâmetros
de tarefas. Com essas opções de edição, você pode reagir de forma rápida e flexível a alte-
rações nos requisitos de tarefas.
Grupo de macros: para alterar o nome de um grupo de macros, clique duas vezes na
entrada de lista correspondente.
Parâmetro da macro: ao clicar duas vezes na entrada da macro na lista, os parâmetros prin-
cipais da macro são exibidos em uma janela de visão geral independente. Clique duas
vezes nos valores/parâmetros da funcionalidade exibidos nessa janela para os editar.
Parâmetros da tarefa: para alterar os parâmetros da tarefa, realce a tarefa de macro dese-
jada na janela inferior do banco de dados e clique em Editar ou faça clique duplo na entrada
da lista correspondente.

Confirme suas alterações e feche a caixa de diálogo.

Até você clicar em Salvar para atualizar o banco de dados, as alterações não
produzirão efeitos.
As alterações das macros do banco de dados não afetam as macros já aplica-
das ao navegador de tarefas ou de macros.

Em contrapartida, editar as macros aplicadas não produz nenhum efeito nas macros arma-
zenadas no banco de dados.

4-64 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar macros Tecnologia de macros 4
Criar novos grupos de macros
Para criar um novo grupo de macros, clique com o botão direito do mouse na janela à
esquerda e selecione Novo.

Excluir grupos de macros


Para excluir um grupo de macros, clique com o botão direito no grupo de macros que deseja
excluir na janela à esquerda e selecione Excluir.

Excluir uma macro


Para excluir uma macro, clique com o botão direito do mouse na macro que deseja excluir
na janela à direita e selecione Excluir.

Copiar macros
Para copiar uma macro, clique com o botão direito na macro que deseja copiar na janela à
direita e selecione Copiar.

Mover macros para outro grupo de macros


Para mover uma macro, clique com o botão direito na macro que deseja mover na janela à
direita, selecione Mover para...>, em seguida selecione o grupo de macros para o qual
deseja mover a macro.

Copiar e colar tarefas de macro


Utilize a função Tarefa/Copiar todos os trabalhos para a área de transferência no menu de
atalho da tarefa de macro para copiar um ou todas as tarefas de macro de uma macro. Uti-
lize a função Colar trabalho/Colar todos os trabalhos no menu de atalho da tarefa de macro
para colar trabalho/trabalhos em uma outra macro.

Ferramentas do BD de Macros
A coluna Dados de ferramenta do modo de exibição de lista indica como foram criadas as
ferramentas utilizadas. Você deve diferenciar o seguinte:
Macro: a ferramenta foi definida diretamente na macro (ou tarefa) sem ter sido efetuada
uma pesquisa no banco de dados de ferramentas.
DB: a ferramenta utilizada para a tarefa foi retirada do banco de dados de ferramentas (fer-
ramenta NC numerada).
DB+Auto: aplica-se apenas a tarefas de furação 2D. Como no BD, sendo que hyperMILL
pesquisa também o banco de dados de ferramentas utilizando os parâmetros tipo de ferra-
menta e comprimento mín. Todas as ferramentas sugeridas são livres de colisões.
DB+Auto+: Pesquisa automática de ferramenta, que levam em consideração o diâmetro de
furação. Todas as ferramentas sugeridas são livres de colisões.

Pesquisa automática de macros


Quando executando uma pesquisa automática de macros, o hyperMILL pesquisa o banco
de dados procurando macros que correspondam à funcionalidade selecionada, aplicando-
as depois.

Otimização de macros
As tarefas que podem ser usinadas utilizando a mesma ferramenta são processadas em
sequência (otimização de troca de ferramentas).

Macros inteligentes
Estratégias de vinculação de macro (usinagem) e ferramentas com informações geométri-
cas. Macros inteligentes incluem regras que avaliam as informações geométricas e definem
quando uma estratégia de usinagem é executada. As macros inteligentes estão disponíveis
para todos os tipos de funcionalidades.

hyperMILL 4-65
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Tecnologia de macros Criar macros

Situação inicial: a peça a ser usinada contém vários furos de diversas profundidades, diâ-
metros e tipos de alojamento. Um procedimento típico da produção pode portanto apresen-
tar as seguintes características:
1. Usando o Mapeamento de funcionalidades, essas geometrias de furação são reconhe-
cidas automaticamente e salvas sob a forma de funcionalidade.
2. A atribuição dos métodos de usinagem dessas funcionalidades (tarefas) e a gravação
sob a forma de macro são inicialmente realizadas manualmente.
3. As regras agora são definidas no passo seguinte. As regras determinam que parte de
uma macro será executada mediante condições específicas.

Definir regras para macros


Como definir regras para macros inteligentes:
1. Abra o banco de dados de macros e selecione a macro para a qual você pretende defi-
nir uma regra.
2. Clique com o botão direito na macro e selecione Parâmetro de funcionalidade livre.
3. Usando a caixa de diálogo posterior, selecione os parâmetros que pretende liberar.
Desse modo, a vinculação dos parâmetros de funcionalidades com as macros corres-
pondentes é separada de maneira que eles possam ser utilizados de acordo com a
definição de regras.
Uma parte do nome da macro é depois apresentada entre colchetes (exemplo: F:D8[Atra-
vés]). Isso indica que os parâmetros de funcionalidades foram liberados.
4. Agora abra a tarefa para a qual você deseja atribuir uma regra fazendo clique duplo na
entrada da tarefa na área inferior do banco de dados da macro (tarefas da macro). Na
caixa de diálogo Regra, clique na entrada Tarefa ativa e, em seguida, clique no
ícone .
5. Defina as condições para habilitar um modo de usinagem (de uma tarefa) baseado em
simples regras SE-ENTÃO.

Furo simples

Regulado

Regras

Tarefa ativa
Regulado
Comentário

Parâmetros de funcionalidades
Furo: profundidade

Tarefa Ativo

Parâmetros de funcionalidades e fórmulas podem ser utilizados para definir regras de


macros.

Com a ajuda das fórmulas, estão disponíveis parâmetros de ferramentas


(como T:Rad, T:Len, T:GageLen, T:TipAng etc.) e variáveis de usuário (como
F:H, F:R, F:LD etc.) para a definição de regras.

Depois de confirmar suas entradas, a tarefa será assinalada no banco de dados de macros
com [R] = Regra. Exemplo: [R] Furação simples
Se todas as geometrias do modelo e estratégias necessárias à usinagem tiverem sido espe-
cificadas como parte das regras e caso as macros correspondentes tenham sido salvas no

4-66 hyperMILL
Tecnologia de funcionalidades e macros
Criar macros Tecnologia de macros 4
banco de dados de macros, essas estarão disponíveis para aplicação de modelo transver-
sal.
Durante a aplicação das macros, o hyperMILL fornece automaticamente para cada geome-
tria a sequência de usinagem correta e habilita, consequentemente, a usinagem automática
dos modelos a usinar.

Copiar/colar regras de macro


Utilize as funções Copiar regra para a área de transferência/Colar regra no menu de atalho
da macro para copiar e colar regras de macro entre tarefas de macro diferentes.

Funções no menu de atalho: macros


Atualizar macro a partir do banco de dados: atualiza a macro selecionada com os parâme-
tros do banco de dados da macro.
Salvar alterações no banco de dados: salva os parâmetros da macro selecionada para o
banco de dados da macro.
Ver banco de dados de macros: exibe o banco de dados de macros.
Calcular: calcula o(s) percurso(s) da(s) ferramenta(s) para a(s) tarefa(s) selecionada(s).
Simulação interna... : simula o(s) percurso(s) da(s) ferramenta(s) usando a simulação
interna.
Configurar status do percurso da ferramenta: verifica se o percurso da ferramenta ainda é
atual para a geometria.
Percursos das ferramentas >
Mostrar/Ocultar/Mostrar automaticamente/Excluir: mostra, oculta, exibe automaticamente
ou exclui os percursos das ferramentas da tarefa selecionada.
Verificar modelo: verificar a consistência dos contornos atribuídos à tarefa.
Excluir: exclui a macro selecionada.
Ver >
Expandir/Recolher: oculta ou mostra as tarefas vinculadas à macro selecionada.
Expandir tudo/Recolher tudo: mostra ou oculta todas as tarefas no navegador da macro.

hyperMILL 4-67
4 Tecnologia de funcionalidades e macros
Tecnologia de macros Criar macros

4-68 hyperMILL
5 Medição
Ciclos de usinagem disponíveis Ferramentas

Medição
Ciclos de usinagem disponíveis
Medição de pontos 3D: mede as coordenadas de quaisquer pontos 3D para mediar a preci-
são de uma tarefa de usinagem.
Medição retangular: mede o tamanho e a localização de saliências e cavidades retangula-
res para medir a precisão de uma tarefa de usinagem. Opcionalmente, uma ferramenta de
referência pode ser ajustada e a origem definida.
Medição circular: mede o tamanho e a localização dos cilindros e furos para medir a preci-
são de uma tarefa de usinagem. Opcionalmente, uma ferramenta de referência pode ser
ajustada e a origem definida.
Medição dependente do eixo: mede a localização dos pontos dependendo dos eixos X, Y e
Z do quadro de usinagem para medir a precisão de uma tarefa de usinagem. Opcional-
mente, uma ferramenta de referência pode ser ajustada e a origem definida.

Medição de pontos 3D

Ferramentas
Os tipos de ferramentas permitidos são ferramentas de medição. Os parâmetros de geome-
tria correspondem aos parâmetros de geometria do tipo de ferramenta lollipop. Os pontos
de referência da ferramenta possíveis são Extremidade e Centro. Para obter mais informa-
ções, consulte Ferramenta de fresamento.

Contornos
Modo de sondagem
Automático (1): selecione quando a direção de medição tiver que ser detectada automatica-
mente.
Manual (2): a direção de medição pode ser definida manualmente para pontos de medição
individual. Para isso, em Atributos de contorno, ative os pontos necessários e a opção Inver-
são.

Seleção de contornos/faces

Selecione pontos e superfícies. Os pontos a serem medidos têm que


estar localizados nas superfícies selecionadas.

5-2 hyperMILL
Medição
Parâmetros Medição de pontos 3D 5
Parâmetros
Alimentação
Comprimento da alimentação (1): comprimento do percurso da ferramenta à velocidade de
alimentação para o contato com a superfície da esfera da ferramenta de medição.
Comprimento de alimentação adicional: acrescentado ao comprimento de alimentação na
direção do componente para garantir que a sonda entre em contato com o componente.
Isso deve ser usado em particular nos casos com compensação negativa (usinagem de ele-
trodo).

Modo de retração
Define o nível Z onde os movimentos de retração são executados.
Distância de segurança/plano de folga: todos os movimentos de retração são executados
através da distância de folga/plano de folga. .

Folga
Plano de segurança: especifique o nível do plano de segurança.
Folga axial/folga lateral: distância mínima em uma direção axial ou lateral da superfície do
modelo.

Configuração
Consulte as informações na seção Configuração.

Funcionalidade
Para obter informações sobre a página da caixa de diálogo Funcionalidade, consulte a
seção Tecnologia de funcionalidades e macros.

Transformação
Consulte as informações na seção Transformações.

Geral, NC
Informações na seção Caixa de diálogo de introdução: geral e seção Caixa de diálogo de
entrada: NC.

hyperMILL 5-3
5 Medição
Medição retangular Ferramentas

Medição retangular
Utilizando o ciclo Medição retangular, o tamanho e a localização de saliências e cavidades
retangulares podem ser medidos e a precisão da usinagem pode ser avaliada. Opcional-
mente, uma ferramenta de referência pode ser ajustada e a origem definida.

Ferramentas
Os tipos de ferramentas permitidos são ferramentas de medição. Os parâmetros de geome-
tria correspondem aos parâmetros de geometria do tipo de ferramenta lollipop. Os pontos
de referência da ferramenta possíveis são Extremidade e Centro. Para obter mais informa-
ções, consulte Ferramenta de fresamento.

Contornos e parâmetros
Seleção de contorno

Os seguintes elementos podem ser selecionadas como um contorno: retângulo, retân-


gulo com raio do ângulo, ponto, centro do arco e ponto de alinhamento. As entidades de
contorno têm que estar niveladas com o eixo Z do quadro de usinagem.

Atributos de contorno
Selecione retângulo. Centro (1) relativo ao quadro de usinagem e comprimento do contorno
(2) são exibidos nas direções X e Y.
Selecione ponto, centro de arco ou ponto de alinhamento e especifique o comprimento do
contorno (2) nas direções X e Y. O centro (1) é exibido com relação ao quadro de usinagem.

O comprimento do contorno deve ser maior do que o diâmetro da ferramenta


de medição.

Medir posição: utilize a parte Interior ou Exterior para especificar se a medição deve ser na
parte interior ou exterior. A distância de tolerância (3) é adicionada a cada lado do compri-
mento na direção X ou Y (Usinagem exterior) ou subtraída da (Usinagem interior)

Profundidade da medição (4): corresponde à profundidade do contorno. A profundi-


dade de medição é medida no centro da esfera da ferramenta de sondagem. Ela é especifi-
cada com relação ao contorno (opção: Relativo ao contorno) ou como um valor absoluto
relacionado ao quadro da tarefa (opção: Absoluto (quadro de tarefas)).

Alimentação
Comprimento da alimentação (5): percurso da ferramenta (à velocidade de alimentação) até
o contato da ferramenta de medição com o contorno (+ distância de tolerância).

Modo de retração/Folga

Especifique o nível do plano de segurança. A verificação de colisão é realizada com


um retângulo com o tamanho do retângulo que será medido + 2*diâmetro da ferramenta +
2*comprimento de alimentação.

5-4 hyperMILL
Medição
Estratégia Medição circular 5

Estratégia
Modo de sondagem
Medição: medição das entidades retangulares.
Medida e ajuste: medição das entidades retangulares e ajuste da ferramenta de acordo com
as configurações da máquina.
Definir origem: especifique a origem que deve ser definida ou ajustada de acordo com as
configurações da máquina. Para essa finalidade, selecione a ID desejada.

Tarefa de referência
defina a ferramenta de referência para o ajuste da opção Medir e ajustar através da tarefa
de referência. Os ciclos de Medição de pontos 3D, Medição retangular, Medição circular e
Medição dependente do eixo não podem ser selecionadas como tarefas de referência.

Configuração
Para obter informações sobre a página da caixa de diálogo Configuração, consulte a seção
Configuração.

Funcionalidade
Para obter informações sobre a página da caixa de diálogo Funcionalidade, consulte a
seção Tecnologia de funcionalidades e macros.

Geral, NC
Informações na seção Caixa de diálogo de introdução: geral e seção Caixa de diálogo de
entrada: NC.

Medição circular
Utilizando o ciclo Medição circular, o tamanho e a localização de cilindros e furos retangula-
res podem ser medidos e a precisão da usinagem pode ser avaliada. Opcionalmente, uma
ferramenta de referência pode ser ajustada e a origem definida.

Ferramentas
Os tipos de ferramentas permitidos são ferramentas de medição. Os parâmetros de geome-
tria correspondem aos parâmetros de geometria do tipo de ferramenta lollipop. Os pontos
de referência da ferramenta possíveis são Extremidade e Centro. Para obter mais informa-
ções, consulte Ferramenta de fresamento.

hyperMILL 5-5
5 Medição
Medição circular Contornos e parâmetros

Contornos e parâmetros
Seleção de contorno

As entidades seguintes podem ser selecionadas como um contorno: círculo, arco e


ponto de alinhamento. As entidades de contorno têm que estar niveladas com o eixo Z do
quadro de usinagem.

Atributos de contorno
Selecione círculo ou arco. Centro (1) relativo ao quadro de usinagem e diâmetro do con-
torno (2) são exibidos.
Selecione o ponto de alinhamento e especifique o diâmetro do contorno (2). O centro é exi-
bido com relação ao quadro de usinagem.

O diâmetro do contorno deve ser maior do que o diâmetro da ferramenta de


medição.

Medir posição: utilize a parte Interior ou Exterior para especificar se a medição deve ser na
parte interior ou exterior. A distância de tolerância (3) é adicionada (Exterior) ou subtraída
(Interior).

Profundidade da medição (4): corresponde à profundidade do contorno. A profundi-


dade de medição é medida no centro da esfera da ferramenta de sondagem. Ela é especifi-
cada com relação ao contorno (opção: Relativo ao contorno) ou como um valor absoluto
relacionado ao quadro da tarefa (opção: Absoluto (quadro de tarefas)). O Número de pontos
de medição pode ser especificado como 3 ou 4.
Ângulo inicial (5): especifique o ângulo para determinar a localização do primeiro ponto de
sondagem no contorno selecionado, começando no centro do contorno.
Incremento do ângulo (6): especifique o valor do aumento incremental do ângulo para deter-
minar a localização de outros pontos de sondagem no contorno selecionado, começando no
centro do contorno.

Alimentação
Comprimento da alimentação (7): percurso da ferramenta (à velocidade de alimentação) até
o contato da ferramenta de medição com o contorno (+ distância de tolerância).

Modo de retração / Folga

Especifique o nível do plano de segurança. A verificação de colisão é realizada com


uma superfície circular do tamanho do elemento circular que será medida + 2*diâmetro da
ferramenta + 2*comprimento de alimentação.

5-6 hyperMILL
Medição
Estratégia Medição circular 5

Estratégia
Modo de sondagem
Medição: medição das entidades circulares.
Medida e ajuste: medição das entidades circulares e ajuste da ferramenta de acordo com as
configurações da máquina.
Definir origem: especifique a origem que deve ser definida ou ajustada de acordo com as
configurações da máquina. Para essa finalidade, selecione a ID desejada.

Tarefa de referência
defina a ferramenta de referência para o ajuste da opção Medir e ajustar através da tarefa
de referência.

Configuração
Para obter informações sobre a página da caixa de diálogo Configuração, consulte a seção
Configuração.

Funcionalidade
Para obter informações sobre a página da caixa de diálogo Funcionalidade, consulte a
seção Tecnologia de funcionalidades e macros.

Geral
Para obter informações sobre as configurações na página de diálogo Geral, consulte a
seção Caixa de diálogo de introdução: geral.

Geral, NC
Informações na seção Caixa de diálogo de introdução: geral e seção Caixa de diálogo de
entrada: NC.

hyperMILL 5-7
5 Medição
Medição dependente do eixo Ferramentas

Medição dependente do eixo


O ciclo da Medição dependente do eixo pode medir a localização dos pontos dependendo
dos eixos X, Y e Z do quadro de usinagem para medir a precisão de uma tarefa de usina-
gem. Opcionalmente, uma ferramenta de referência pode ser ajustada e a origem definida.

Ferramentas
Os tipos de ferramentas permitidos são ferramentas de medição. Os parâmetros de geome-
tria correspondem aos parâmetros de geometria do tipo de ferramenta lollipop. Os pontos
de referência da ferramenta possíveis são Extremidade e Centro. Para obter mais informa-
ções, consulte a documentação do produto.

Contornos e parâmetros
Seleção de contorno

As seguintes entidades podem ser selecionadas como um contorno: ponto, centro de


arco e ponto de alinhamento.

Atributos de contorno
A posição do ponto da entidade selecionada (1) é exibida com relação ao quadro de usina-
gem (2).
Utilize Eixo de medição para especificar a direção da medição (+/-/nenhum) para os eixos X,
Y e Z do quadro de usinagem (2).

Profundidade de medição (XY) (3): a profundidade de medição é medida no centro da


esfera da ferramenta de sondagem. Ela é especificada com relação ao contorno (opção:
Relativo ao contorno) ou como um valor absoluto relacionado ao quadro da tarefa (opção:
Absoluto (quadro de tarefas)).
Utilize a Mudança de Posição (4) para especificar um valor para mover o ponto a ser
medido para o eixo X e/ou Y em uma direção positiva ou negativa (valor positivo/negativo).
Além disso, é possível definir uma distância de tolerância (5) até o ponto a ser medido na
direção de X, Y e Z.

Alimentação
Comprimento da alimentação (6): percurso da ferramenta (à velocidade de alimentação) até
o contato da ferramenta de medição com o contorno (+ distância de tolerância).

5-8 hyperMILL
Medição
Estratégia Medição dependente do eixo 5
Modo de retração/Folga

Especifique o nível do plano de segurança. A verificação de colisão é realizada com


uma superfície circular do tamanho do elemento circular que será medida + 2*diâmetro da
ferramenta + 2*comprimento de alimentação.

Estratégia
Modo de sondagem
Medição: medição dos pontos.
Medida e ajuste: medição dos pontos e ajuste da ferramenta de acordo com as configura-
ções da máquina.
Definir origem: meça os pontos e especifique a origem a ser definida ou adaptada de acordo
com os parâmetros da máquina selecionando a ID desejada.

Tarefa de referência
defina a ferramenta de referência para o ajuste da opção Medir e ajustar através da tarefa
de referência.

Configuração
Para obter informações sobre a página da caixa de diálogo Configuração, consulte a seção
Configuração.

Funcionalidade
Para obter informações sobre a página da caixa de diálogo Funcionalidade, consulte a
seção Tecnologia de funcionalidades e macros.

Geral, NC
Informações na seção Caixa de diálogo de introdução: geral e seção Caixa de diálogo de
entrada: NC.

hyperMILL 5-9
5 Medição
Medição dependente do eixo Geral, NC

5-10 hyperMILL
6 Torneamento
Definição

Torneamento
Ciclos de usinagem disponíveis
Desbaste: desbaste de uma peça em bruto de torneamento de qualquer forma, axialmente
ou radialmente ao contorno.
Torneamento paralelo ao contorno: desbaste de uma peça em bruto de torneamento de
qualquer forma paralela ao contorno.
Acabamento: acabamento paralelo ao contorno de peças de forma com base em uma ope-
ração de desbaste precedente.
Torneamento Rollfeed: usinagem de peças de trabalho rolando o inserto da ferramenta no
contorno do componente, garantindo uma qualidade de superfície bastante elevada.
Desbaste simultâneo 3X: desbaste de peças de trabalho com um eixo giratório simultâneo.
Acabamento simultâneo 3X: acabamento de peças de trabalho com um eixo giratório simul-
tâneo.
Torneamento de canais: desbaste axial de peças de trabalho com ranhuras ou ombros.
Abertura de canais: desbaste radial de peças de trabalho com ranhuras ou ombros.
Acabamento de canais: acabamento radial de peças de torneamento com ranhuras ou
ombros.
Torneamento Canal na face: desbaste radial de peças de trabalho com ranhuras ou ombros
axialmente orientados. As ferramentas utilizadas normalmente têm três bordas de corte.
Profundidade do canal na face: desbaste axial de peças de trabalho com ranhuras ou
ombros axialmente orientados. As ferramentas utilizadas normalmente têm três bordas de
corte.
Acabamento Canal na face: acabamento de peças de trabalho com ranhuras ou ombros
axialmente orientados.
Separação: usinagem radial para separar o componente a partir da barra estoque, opcional-
mente com chanfro. A separação pode ser efetuada na parte da frente ou de trás da peça
de trabalho.
Corte de rosca: Criação de roscas de início único ou múltiplo, cilíndricas ou cônicas, exter-
nas ou internas com inclinação constante. A alimentação pode ser executada com uma
seção de cavacos constante ou com um valor X constante.

Definição
O torneamento é um processo de produção para fabricação de superfícies internas e exter-
nas rotacionalmente simétricas através da remoção de madeira de peças em bruto de torne-
amento com qualquer forma. A forma externa de uma peça é criada através da opção
Exterior e a forma interna é criada utilizando a opção Interior.
O módulo millTURN permite a combinação de tarefas de fresamento e torneamento em uma
lista de tarefas.
Modelo de peça em bruto para tarefas de usinagem subsequentes: assim como com tarefas
de fresamento, um modelo de peça em bruto também pode ser gerado para operações de
torneamento subsequentes (peça em bruto resultante).
Arquivos NC: os arquivos NC criados com o módulo millTURN podem ser utilizados em tare-
fas de fresamento e torneamento.

6-2 hyperMILL
Torneamento
Ferramenta Desbaste 6
Desbaste

Ferramenta
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.
Ângulo livre: define o ângulo mínimo que deve ser mantido entre a inserção da ferramenta e
o percurso da ferramenta calculado (1). A definição de um ângulo livre calcula automatica-
mente o ângulo de mergulho da ferramenta. (2) Contorno de torneamento, (3) modelo de
torneamento.

Contornos
Seleção de contornos
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Estes podem corresponder
ao contorno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.
Inversão: inverta a direção de usinagem do contorno selecionado.

Estratégia
Estratégia
Desbaste axial (1): a usinagem é executada paralelamente ao eixo da superfície de tornea-
mento.
Desbaste radial (2): a usinagem é executada perpendicularmente ao eixo da superfície de
torneamento.

hyperMILL 6-3
6 Torneamento
Desbaste Contornos

Lado de corte
Exterior (1)/Interior (2): a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a
forma interna através da opção Interior.
Plano (3): a usinagem da face superior da peça é executada perpendicularmente ao eixo da
superfície de torneamento.

Direção de alimentação
Para a esquerda (1)/Para a direita (2): a usinagem é executada da direita para a esquerda
ou da esquerda para a direita na direção do eixo da superfície de torneamento.
De fora para dentro (3)/De dentro para fora (4): a usinagem é executada perpendicular-
mente ao eixo da superfície de torneamento (na direção X) de fora para dentro ou de dentro
para fora.

6-4 hyperMILL
Torneamento
Contornos Desbaste 6

Opções
Percurso de acabamento: remove as marcas de usinagem durante o desbaste axial.
Contornos inclinados permitidos: os contornos na direção X podem ser usinados (1). Fun-
ção desabilitada (2).

Limite radial/Limite axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada na direção radial
ou axial.

Parâmetros
Alimentação
Alimentação radial/axial para o plano de usinagem seguinte.
Constante (1): profundidade de alimentação constante em toda a área de usinagem.
Ascendente (2): com base em uma alimentação inicial (a) o valor de alimentação é aumen-
tado em um valor por corte. A Profundidade máxima de corte (b) impede a ocorrência de
profundidades de alimentação que podem causar a interrupção da ferramenta.
Descendente (3): com base em uma alimentação inicial (a) o valor de alimentação é aumen-
tado em um valor por corte. A Profundidade máxima de corte (b) impede a ocorrência de
profundidades de alimentação muito pequenas.

hyperMILL 6-5
6 Torneamento
Desbaste Contornos

Rampa (4): a alimentação alterna entre cônica e horizontal. Ao definir a alimentação (a) e a
profundidade mínima de corte (b), o ângulo da rampa passa a ser calculado automatica-
mente de acordo com o contorno.

Utilizando as opções Unidirecional para cima, Unidirecional para baixo e


Rampa é possível reduzir o desgaste da ferramenta na borda de corte devido
ao fato de o ponto de introdução do corte de inserção no material nunca ser o
mesmo. Esse fato é particularmente importante relativamente a pastilhas de
cerâmica.
As opções estão disponíveis para todas as estratégias de desbaste do ciclo
Torneamento em conjunto com todas as opções de Lado de corte.

Quebra-cavaco Z: habilite esta opção para controlar a quebra de cavacos e a remoção de


lascas em combinação com o Tempo de espera ou os parâmetros de Rotações.
Especifique o comprimento do movimento de alimentação na direção Z (1) depois do qual a
ferramenta para, e defina a Unidade para a parada da ferramenta em tempo de espera ou
rotações.
Disponível para: usinagem externa, interna e plana.
Vantagem: ajuste flexível a materiais de diferentes durezas.
Pré-requisito: opção Contornos inclinados permitidos desabilitada.
Usar seções: habilite se a usinagem deve ser feita em seções (2).
Alimentação na direção Z = Quebra-cavaco Z * número de seções.
Vantagem: maior estabilidade para peças longas.
Exemplo:
a) Quebra-cavaco Z = 20, Usar seções = desabilitado
b) Quebra-cavaco Z = 20, Usar seções = 1
b) Quebra-cavaco Z = 20, Usar seções = 2

6-6 hyperMILL
Torneamento
Contornos Desbaste 6

Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.

hyperMILL 6-7
6 Torneamento
Desbaste Contornos

Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).
Plano de folga (Z): plano para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2). Apenas
disponível para as opções Usinagem interna e Plano.

Plano de retração Z: a ativação da opção Limite radial/axial (caixa de diálogo Estratégia) em


combinação com os parâmetros do Plano de retração (Z) permite retirar a ferramenta das
áreas de corte negativo. O Plano de retração (Z) é exibido na forma de feedback gráfico (1).

6-8 hyperMILL
Torneamento
Contornos Desbaste 6
Modo de transição: define um Ângulo rápido para o movimento rápido, de aproximação, de
retração ou de aproximação e retração.
Ângulo rápido utilizando o exemplo de Usinagem exterior (1)/interior (2).

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em Z (2): distância de tolerância na direção Z.
Sobremetal adicional em X (3): distância de tolerância na direção X.

Macros
Macro de aproximação/Macro de retração
Movimento adicional durante a alimentação para o primeiro percurso ou durante a retração
após o último percurso.
Radial (1): defina o comprimento.
Tangencial (2): defina o comprimento tangencial.
Circular (3): defina o raio e o ângulo do arco.
Rampa (4): Defina o comprimento e o ângulo da rampa.

hyperMILL 6-9
6 Torneamento
Desbaste Contornos

O ângulo da rampa (1) refere-se ao eixo de torneamento (2), levando em consideração a


direção de alimentação. (3) Direção de alimentação para a esquerda, (4) = direção de ali-
mentação para a direita. (5) Comprimento da rampa.

Cortar peça em bruto DIREITA/Cortar peça em bruto ESQUERDA


O corte da peça em bruto pode ser definida separadamente para os lados direito e
esquerdo.
Axial (1): o corte começa no ponto final do contorno e é executado paralelamente ao eixo da
peça. Defina o Comprimento (3).
Tangencial (2): o corte é executado em uma tangente ao contorno. Defina o Comprimento
(3).

6-10 hyperMILL
Torneamento
Contornos Desbaste 6
Configuração

Os modelos e modelos de peças em bruto para ciclos de torneamento são


sempre apresentados em uma exibição 2D por motivos de clareza.

Modelo de torneamento
Um modelo de torneamento é definido com base em um contorno fechado e planar locali-
zado no plano X-Z do quadro de torneamento.
Verificação de colisão: se esta opção estiver selecionada, o suporte da ferramenta usada é
verificado permanentemente quanto a possíveis colisões em relação ao modelo de peça em
bruto atual (modelo de peça em bruto rastreado) e ao modelo de torneamento atual.

Abra a caixa de diálogo Área de torneamento. Especifique um nome e, se neces-


sário, um comentário para a área de torneamento.

Crie uma área de torneamento selecionando um contorno fechado.

Abra a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir do modelo para criar uma
área de torneamento de superfícies ou sólidos.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.

Superfícies
Resolução: define a (exatidão da) resolução da área de torneamento.

Selecione superfícies ou um sólido. O hyperMILL cria automaticamente um con-


torno de torneamento que define a área de torneamento. Uma entrada é criada no navega-
dor do hyperMILL e uma funcionalidade de Contorno no Navegador de funcionalidade.

Peça em bruto de torneamento


Uma peça em bruto de torneamento é definida com base em um contorno fechado e planar
localizado no plano X-Z do quadro de torneamento e o eixo de torneamento associado no
plano X-Z.

Abra a caixa de diálogo Peça em bruto. Especifique um nome e, se necessário, um


comentário para a área de torneamento de peça em bruto. Habilite um modo que é utilizado
para criar a peça em bruto de torneamento. Para obter informações sobre as opções dispo-
níveis, consulte o capítulo Modo.
Gerar peça em bruto resultante de torneamento: crie um modelo de peça em bruto para
tarefas de torneamento posteriores com base na tarefa de torneamento atual. O modelo de
peça em bruto é nomeado após o trabalho que foi utilizado para criá-lo.
Gerar peça em bruto resultante de fresamento: crie um modelo de peça em bruto para tra-
balhos de fresamento subsequentes com base na tarefa de torneamento atual ou em uma
combinação de tarefas de fresamento e de torneamento.
A partir de peças em bruto de fresamento existentes: selecione a peça em bruto de base a
partir da qual uma peça em bruto resultante de fresamento deverá ser criada.

hyperMILL 6-11
6 Torneamento
Desbaste Contornos

A partir de peças em bruto de fresamento existentes: deverá ser utilizada ape-


nas se as seguintes condições forem cumpridas:
Pré-requisito: usinagem de furação/fresamento com remoção não rotacional-
mente simétrica.
A tarefa de fresamento começa quando a tarefa de torneamento é concluída.
Se essas condições não forem cumpridas, os tempos de cálculo poderão
aumentar devido à existência de várias resoluções durante o rastreamento de
peças em bruto.

Para obter mais informações, consulte A caixa de diálogo Modelo de Peça em bruto.
Criar peça em bruto de fresamento a partir de peça em bruto de torneamento: qualquer
peça em bruto de torneamento representada por uma entrada no navegador de modelos do
hyperMILL pode ser usada para criar um modelo de peça em bruto de fresamento.
Realce o modelo de peça em bruto de torneamento correspondente no navegador e sele-
cione a função Criar peça em bruto de fresamento no menu de atalho. Especifique a resolu-
ção necessária e clique em OK para confirmar. O modelo de peça em bruto de fresamento
aparece como uma entrada no navegador de modelos do hyperMILL.

Quadro: o eixo Z do quadro de usinagem deve ser igual ao eixo rotativo da ferramenta.
A área de torneamento (modelo de torneamento) e a peça em bruto de torneamento têm
que ficar no plano X-Z.

Para obter informações sobre transformações, consulte a seção Sistema e quadros NC.
Informações sobre as páginas de diálogo:

Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade


Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

6-12 hyperMILL
Torneamento
Ferramenta: Torneamento paralelo ao contorno 6
Torneamento paralelo ao contorno

Ferramenta:
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.
Ângulo livre: define o ângulo mínimo que deve ser mantido entre a inserção da ferramenta e
o percurso da ferramenta calculado (1). A definição de um ângulo livre calcula automatica-
mente o ângulo de mergulho da ferramenta. (2) Contorno de torneamento, (3) modelo de
torneamento.

Contornos
Seleção de contorno
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Estes podem corresponder
ao contorno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.
Inversão: inverta a direção de usinagem do contorno selecionado.

Estratégia
a usinagem é executada paralelamente ao contorno de usinagem definido.

hyperMILL 6-13
6 Torneamento
Torneamento paralelo ao contorno Contornos

Lado do corte
Interior (1)/Exterior (2): a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a
forma interna através da opção Interior.
Plano (3): a usinagem da face superior da peça é executada perpendicularmente ao eixo da
superfície de torneamento.

Direção da alimentação
Para a esquerda (1)/Para a direita (2): a usinagem é executada da direita para a esquerda
ou da esquerda para a direita na direção do eixo da superfície de torneamento.
De fora para dentro (3)/De dentro para fora (4): a usinagem é executada perpendicular-
mente ao eixo da superfície de torneamento (na direção X) de fora para dentro ou de dentro
para fora.

6-14 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento paralelo ao contorno 6
Opções
Contornos inclinados permitidos: os contornos na direção X podem ser usinados (1). Fun-
ção desabilitada (2).

Limite radial/Limite axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada na direção radial
ou axial.

Parâmetros
Alimentação
Alimentação radial/axial para o plano de usinagem seguinte.
Constante (1): profundidade de alimentação constante em toda a área de usinagem.
Ascendente (2): com base em uma alimentação inicial (a) o valor de alimentação é aumen-
tado em um valor por corte. A Profundidade máxima de corte (b) impede a ocorrência de
profundidades de alimentação que podem causar a interrupção da ferramenta.
Descendente (3): com base em uma alimentação inicial (a) o valor de alimentação é aumen-
tado em um valor por corte. A Profundidade máxima de corte (b) impede a ocorrência de
profundidades de alimentação muito pequenas.
Rampa (4): a alimentação alterna entre cônica e horizontal. Ao definir a alimentação (a) e a
profundidade mínima de corte (b), o ângulo da rampa passa a ser calculado automatica-
mente de acordo com o contorno.

hyperMILL 6-15
6 Torneamento
Torneamento paralelo ao contorno Contornos

Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.

6-16 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento paralelo ao contorno 6
Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).
Plano de folga (Z): plano para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2). Apenas
disponível para as opções Usinagem interna e Plano.

Plano de retração (Z): a ativação da opção Limite radial/Limite axial (página de diálogo
Estratégia) em combinação com o parâmetro Plano de retração (Z) permite retirar a ferra-
menta das áreas de corte negativo. O Plano de retração (Z) é exibido na forma de feedback
gráfico (1).

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em Z (2): distância de tolerância na direção Z.
Sobremetal adicional em X (3): distância de tolerância na direção X.

hyperMILL 6-17
6 Torneamento
Torneamento paralelo ao contorno Contornos

Modo de transição: define um Ângulo rápido para o movimento rápido, de aproximação, de


retração ou de aproximação e retração.
Ângulo rápido utilizando o exemplo da usinagem Exterior(1)/Interior (2).

Macros
Macro de aproximação/Macro de retração
Movimento adicional durante a alimentação para o primeiro percurso ou durante a retração
após o último percurso.
Radial (1): defina o comprimento.
Tangencial (2): defina o comprimento tangencial.
Circular (3): defina o raio e o ângulo do arco.
Rampa (4): Defina o comprimento e o ângulo da rampa.

6-18 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento paralelo ao contorno 6

O ângulo da rampa (1) refere-se ao eixo de torneamento (2), levando em consideração a


direção de alimentação. (3) Direção de alimentação para a esquerda, (4) = direção de ali-
mentação para a direita, (5) Comprimento da rampa.

Cortar peça em bruto DIREITA/Cortar peça em bruto ESQUERDA


O corte da peça em bruto pode ser definido separadamente para os lados direito e
esquerdo.
Axial (1): o corte começa no ponto final do contorno e é executado paralelamente ao eixo da
peça. Defina o Comprimento (3).
Tangencial (2): o corte é executado em uma tangente ao contorno. Defina o Comprimento
(3).

hyperMILL 6-19
6 Torneamento
Torneamento paralelo ao contorno Contornos

Configuração

Os modelos e modelos de peças em bruto para ciclos de torneamento são


sempre apresentados em uma exibição 2D por motivos de clareza.

Modelo de torneamento
Um modelo de torneamento é definido com base em um contorno fechado e planar locali-
zado no plano X-Z do quadro de torneamento.
Verificação de colisão: se esta opção estiver selecionada, o suporte da ferramenta usada é
verificado permanentemente quanto a possíveis colisões em relação ao modelo de peça em
bruto atual (modelo de peça em bruto rastreado) e ao modelo de torneamento atual.

Abra a caixa de diálogo Área de torneamento. Especifique um nome e, se neces-


sário, um comentário para a área de torneamento.

Crie uma área de torneamento selecionando um contorno fechado.

Abra a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir do modelo para criar uma
área de torneamento de superfícies ou sólidos. Defina o quadro, a cor e a camada do con-
torno do torneamento.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.

Superfícies
Resolução: define a (exatidão da) resolução da área de torneamento.

Selecione superfícies ou um sólido. O hyperMILL cria automaticamente um con-


torno de torneamento que define a área de torneamento. Uma entrada é criada no navega-
dor do hyperMILL e uma funcionalidade de Contorno no Navegador de funcionalidade.

Peça em bruto de torneamento


Uma peça em bruto de torneamento é definida com base em um contorno fechado e planar
localizado no plano X-Z do quadro de torneamento e o eixo de torneamento associado no
plano X-Z.

Abra a caixa de diálogo Peça em bruto. Especifique um nome e, se necessário, um


comentário para a área de torneamento de peça em bruto. Habilite um modo que é utilizado
para criar a peça em bruto de torneamento. Para obter informações sobre as opções dispo-
níveis, consulte o capítulo Modo.
Gerar peça em bruto resultante de torneamento: crie um modelo de peça em bruto para
tarefas de torneamento posteriores com base na tarefa de torneamento atual. O modelo de
peça em bruto é nomeado após o trabalho que foi utilizado para criá-lo.
Gerar peça em bruto resultante de fresamento: crie um modelo de peça em bruto para tra-
balhos de fresamento subsequentes com base na tarefa de torneamento atual ou em uma
combinação de tarefas de fresamento e de torneamento.
A partir de peças em bruto de fresamento existentes: selecione a peça em bruto de base a
partir da qual uma peça em bruto resultante de fresamento deverá ser criada.

6-20 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento paralelo ao contorno 6

A partir de peças em bruto de fresamento existentes: deverá ser utilizada ape-


nas se as seguintes condições forem cumpridas:
Pré-requisito: usinagem de furação/fresamento com remoção não rotacional-
mente simétrica.
A tarefa de fresamento começa quando a tarefa de torneamento é concluída.
Se essas condições não forem cumpridas, os tempos de cálculo poderão
aumentar devido à existência de várias resoluções durante o rastreamento de
peças em bruto.

Para obter mais informações, consulte A caixa de diálogo Modelo de Peça em bruto.
Criar peça em bruto de fresamento a partir de peça em bruto de torneamento: qualquer
peça em bruto de torneamento representada por uma entrada no navegador de modelos do
hyperMILL pode ser usada para criar um modelo de peça em bruto de fresamento.
Realce o modelo de peça em bruto de torneamento correspondente no navegador e sele-
cione a função Criar peça em bruto de fresamento no menu de atalho. Especifique a resolu-
ção necessária e clique em OK para confirmar. O modelo de peça em bruto de fresamento
aparece como uma entrada no navegador de modelos do hyperMILL.

Quadro: o eixo Z do quadro de usinagem deve ser igual ao eixo rotativo da ferramenta.
A área de torneamento (modelo de torneamento) e a peça em bruto de torneamento têm
que ficar no plano X-Z.

Para obter informações sobre transformações, consulte a seção Sistema e quadros NC.
Informações sobre as páginas de diálogo:

Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade


Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

hyperMILL 6-21
6 Torneamento
Acabamento Ferramenta:

Acabamento

Ferramenta:
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.
Ângulo livre: define o ângulo mínimo que deve ser mantido entre a inserção da ferramenta e
o percurso da ferramenta calculado (1). A definição de um ângulo livre calcula automatica-
mente o ângulo de mergulho da ferramenta. (2) Contorno de torneamento, (3) modelo de
torneamento.

Contornos
Seleção de contorno
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Estes podem corresponder
ao contorno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.
Inversão: inverta a direção de usinagem do contorno selecionado.

Segmentos
Atribua a segmentos de um contorno uma velocidade de corte e velocidade de alimentação
para reduzir o desgaste da ferramenta e melhorar a qualidade da superfície.
Selecione o contorno desejado e utilize Editar segmentos para abrir a caixa de diálogo Seg-
mentos.
Adicionar através de três pontos: selecione o ponto inicial, o ponto final e um outro ponto no
contorno.
Adicionar através de curvas: selecione uma curva. O ponto inicial e o ponto final são calcu-
lados automaticamente.
Os valores da tecnologia da Velocidade de corte e da Velocidade de alimentação depen-
dem da utilização e podem ser modificados manualmente ou com base em fatores.
Alterar manualmente: selecione o segmento e clique no ícone elo (1) referente à velocidade
de corte ou velocidade de alimentação. O ícone muda (2). Introduza a valor necessário.

Velocidade de corte Velocidade de corte

6-22 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento 6
Alteração com base em fatores: selecione o segmento, clique no ícone elo e introduza dire-
tamente o fator necessário.

Velocidade de corte

A Velocidade de corte e o Avanço aplicam-se à utilização definida na página de diálogo Fer-


ramenta em Perfil de corte. Os valores são exibidos para cada segmento de contorno.

Comportamento em ângulos acentuados


Ângulo (1): ângulo entre dois elementos de contorno para permitir a chanfradura e o arre-
dondamento.
Freio de ângulo automático: habilite quando os ângulos acentuados de um contorno tiverem
que ser automaticamente arredondados ou chanfrados. Defina o comprimento da chanfra-
dura (2) e o ângulo da chanfradura (3) para chanfradura (A); para o arredondamento (b),
defina o raio de arredondamento (4).

hyperMILL 6-23
6 Torneamento
Acabamento Contornos

Um contorno pode ser chanfrado ou arredondado em um único passo. Se tanto a chanfra-


dura como o arredondamento ocorreram, defina o passo duas vezes e combine ambos os
passos em uma tarefa de vinculação.
A função Freio de ângulo automático está disponível para extremidades externas do con-
torno de torneamento. Os arredondamentos ou chanfraduras de extremidades internas já
deverão estar incluídos no modelo de rotação.

Estratégia
usinagem fina na qual é removido o material deixado por operações de desbaste anteriores.

Lado do corte
Interior (1)/Exterior (2): a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a
forma interna através da opção Interior.
Plano (3): a usinagem da face superior da peça é executada perpendicularmente ao eixo da
superfície de torneamento.

Direção da alimentação
Para a esquerda (1)/Para a direita (2): a usinagem é executada da direita para a esquerda
ou da esquerda para a direita na direção do eixo da superfície de torneamento.
De fora para dentro (3)/De dentro para fora (4): a usinagem é executada perpendicular-
mente ao eixo da superfície de torneamento (na direção X) de fora para dentro ou de dentro
para fora.

6-24 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento 6

Opções
Contornos inclinados permitidos: os contornos na direção X são usinados (1). Função desa-
bilitada (2).

Limite radial/axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada na direção radial ou


axial.
Habilitar compensação de percurso: quando esta opção está habilitada, a compensação de
percurso é executada pelo controlador, ou seja, o raio de corte é calculado pelo controlador
(G41 e G42). Se essa opção não estiver habilitada, o raio de corte é calculado previamente
no hyperMILL.

Modo de usinagem
Usinagem limite para áreas selecionadas.
As áreas lisas e íngremes são separadas entre si por um ângulo de declive. 0° corresponde
ao paralelo ao eixo de torneamento e 90° é perpendicular ao eixo de torneamento.
Desligado: as áreas íngremes e lisas do contorno definido são usinadas (1).
Desligado: apenas as áreas íngremes do contorno definido são usinadas (2).
Desligado: apenas as áreas lisas do contorno definido são usinadas (3).

hyperMILL 6-25
6 Torneamento
Acabamento Contornos

Comportamento da borda
O comportamento da borda da ferramenta pode ser controlado.
Selecione a opção Rolar (padrão) se pretende rolar a borda. Isso resulta em ângulos arre-
dondados (1). Selecione a opção Alargar se você pretende mover a ferramenta ao redor das
bordas com alargamento tangencial. Isso produz ângulos arredondados com bordas afiadas
(2).

6-26 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento 6
Parâmetros
Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.

Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).
Plano de folga (Z): plano para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2). Apenas
disponível para as opções Usinagem interna e Plano.

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em Z (2): distância de tolerância na direção Z.
Sobremetal adicional em X (3): distância de tolerância na direção X.

hyperMILL 6-27
6 Torneamento
Acabamento Contornos

Modo de transição: define um Ângulo rápido para o movimento rápido, de aproximação, de


retração ou de aproximação e retração.
Ângulo rápido utilizando o exemplo de Usinagem exterior (1)/interior (2).

Macros
Macro de aproximação / Macro de retração
Movimento adicional durante a alimentação para o primeiro percurso ou durante a retração
após o último percurso.
Radial (1): defina o comprimento.
Tangencial (2): defina o comprimento tangencial, o ângulo do arco, o raio do arco e o alar-
gamento tangencial.
Circular (3): defina o raio e o ângulo do arco.
Rampa (4): Defina o comprimento e o ângulo da rampa.

6-28 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento 6

O ângulo da rampa (1) refere-se ao eixo de torneamento (2), levando em consideração a


direção de alimentação. (3) Direção de alimentação para a esquerda, (4) = direção de ali-
mentação para a direita, (5) Comprimento da rampa.

Para obter uma conexão mais suave das áreas com acabamento parcial, as macros tangen-
cial de aproximação (A) e de retração (B) relacionadas ao acabamento podem ser definidas
com opções adicionais. Comprimento tangencial (1), ângulo do arco (2), raio do arco (3),
alargamento tangencial (4).

Cortar peça em bruto DIREITA/Cortar peça em bruto ESQUERDA


O corte da peça em bruto pode ser definido separadamente para os lados direito e
esquerdo.

hyperMILL 6-29
6 Torneamento
Acabamento Contornos

Axial (1): o corte começa no ponto final do contorno e é executado paralelamente ao eixo da
peça. Defina o Comprimento (3).
Tangencial (2): o corte é executado em uma tangente ao contorno. Defina o Comprimento
(3).

Configuração

Os modelos e modelos de peças em bruto para ciclos de torneamento são


sempre apresentados em uma exibição 2D por motivos de clareza.

Modelo de torneamento
Um modelo de torneamento é definido com base em um contorno fechado e planar locali-
zado no plano X-Z do quadro de torneamento.
Verificação de colisão: se esta opção estiver selecionada, o suporte da ferramenta usada é
verificado permanentemente quanto a possíveis colisões em relação ao modelo de peça em
bruto atual (modelo de peça em bruto rastreado) e ao modelo de torneamento atual.

Abra a caixa de diálogo Área de torneamento. Especifique um nome e, se neces-


sário, um comentário para a área de torneamento.

Crie uma área de torneamento selecionando um contorno fechado.

Abra a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir do modelo para criar uma
área de torneamento de superfícies ou sólidos. Defina o quadro, a cor e a camada do con-
torno do torneamento.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.

Superfícies
Resolução: define a (exatidão da) resolução da área de torneamento.

6-30 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento 6

Selecione superfícies ou um sólido. O hyperMILL cria automaticamente um con-


torno de torneamento que define a área de torneamento. Uma entrada é criada no navega-
dor do hyperMILL e uma funcionalidade de Contorno no Navegador de funcionalidade.

Peça em bruto de torneamento


Uma peça em bruto de torneamento é definida com base em um contorno fechado e planar
localizado no plano X-Z do quadro de torneamento e o eixo de torneamento associado no
plano X-Z.

Abra a caixa de diálogo Peça em bruto. Especifique um nome e, se necessário, um


comentário para a área de torneamento de peça em bruto. Habilite um modo que é utilizado
para criar a peça em bruto de torneamento. Para obter informações sobre as opções dispo-
níveis, consulte o capítulo Modo.
Gerar peça em bruto resultante de torneamento: crie um modelo de peça em bruto para
tarefas de torneamento posteriores com base na tarefa de torneamento atual. O modelo de
peça em bruto é nomeado após o trabalho que foi utilizado para criá-lo.
Gerar peça em bruto resultante de fresamento: crie um modelo de peça em bruto para tra-
balhos de fresamento subsequentes com base na tarefa de torneamento atual ou em uma
combinação de tarefas de fresamento e de torneamento.
A partir de peças em bruto de fresamento existentes: selecione a peça em bruto de base a
partir da qual uma peça em bruto resultante de fresamento deverá ser criada.

A partir de peças em bruto de fresamento existentes: deverá ser utilizada ape-


nas se as seguintes condições forem cumpridas:
Pré-requisito: usinagem de furação/fresamento com remoção não rotacional-
mente simétrica.
A tarefa de fresamento começa quando a tarefa de torneamento é concluída.
Se essas condições não forem cumpridas, os tempos de cálculo poderão
aumentar devido à existência de várias resoluções durante o rastreamento de
peças em bruto.

Para obter mais informações, consulte A caixa de diálogo Modelo de Peça em bruto.
Criar peça em bruto de fresamento a partir de peça em bruto de torneamento: qualquer
peça em bruto de torneamento representada por uma entrada no navegador de modelos do
hyperMILL pode ser usada para criar um modelo de peça em bruto de fresamento.
Realce o modelo de peça em bruto de torneamento correspondente no navegador e sele-
cione a função Criar peça em bruto de fresamento no menu de atalho. Especifique a resolu-
ção necessária e clique em OK para confirmar. O modelo de peça em bruto de fresamento
aparece como uma entrada no navegador de modelos do hyperMILL.

Quadro: o eixo Z do quadro de usinagem deve ser igual ao eixo rotativo da ferramenta.
A área de torneamento (modelo de torneamento) e a peça em bruto de torneamento têm
que ficar no plano X-Z.

hyperMILL 6-31
6 Torneamento
Acabamento Contornos

Para obter informações sobre transformações, consulte a seção Sistema e quadros NC.
Informações sobre as páginas de diálogo:

Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade


Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

6-32 hyperMILL
Torneamento
Ferramenta Torneamento Rollfeed 6
Torneamento Rollfeed
Usinagem de peças de trabalho rolando o inserto da ferramenta no contorno do compo-
nente, garantindo uma qualidade de superfície bastante elevada.

Ferramenta
Tipo de ferramenta permitido: ferramenta de torneamento do rolamento

Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de


uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.

Contornos
Seleção de contornos
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Estes podem corresponder
ao contorno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.
Inversão: inverta a direção de usinagem do contorno selecionado.

Segmentos
Atribua a segmentos de um contorno uma velocidade de corte e velocidade de alimentação
para reduzir o desgaste da ferramenta e melhorar a qualidade da superfície.
Selecione o contorno desejado e utilize Editar segmentos para abrir a caixa de diálogo Seg-
mentos.
Adicionar através de três pontos: selecione o ponto inicial, o ponto final e um outro ponto no
contorno.
Adicionar através de curvas: selecione uma curva. O ponto inicial e o ponto final são calcu-
lados automaticamente.
Tipo de perfil: para marcar os elementos de contorno, utilize as opções Torneamento (1)
Rolamento lateral (2) ou Rolamento inferior (3).

hyperMILL 6-33
6 Torneamento
Torneamento Rollfeed Contornos

Insertos adequados para os tipos de perfil são:


Tipo de perfil: Rolamento lateral (2): Torneamento completo do rolamento T (A), Tornea-
mento curto do rolamento T (B)
Tipo de perfil: Rolamento inferior (3): Torneamento completo do rolamento X (C), Tornea-
mento curto do rolamento X (D)

Estratégia
Lado de corte
Interior (1)/Exterior (2): a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a
forma interna através da opção Interior.

Direção de alimentação
Para a esquerda (1)/Para a direita (2): a usinagem é executada da direita para a esquerda
ou da esquerda para a direita na direção do eixo da superfície de torneamento.

6-34 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento Rollfeed 6

Opções
Limite radial/axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada na direção radial ou
axial.

Comportamento da borda
O comportamento da borda da ferramenta pode ser controlado.
Selecione a opção Rolar (padrão) se pretende rolar a borda. Isso resulta em ângulos arre-
dondados.

Parâmetros
Parâmetro de contato
Defina a área de contato permitida do inserto com o modelo.
Para ferramentas de torneamento do rolamento com os insertos Torneamento completo do
rolamento X (1) e Torneamento curto do rolamento X (2), defina a área de contato do inserto
usando os parâmetros Contato inicial do rolamento (0) e Contato final do rolamento (1).
Para ferramentas de torneamento do rolamento com os insertos Torneamento completo do
rolamento T (3) e Torneamento curto do rolamento T (4), defina a área de contato do inserto
usando os parâmetros Contato inicial do rolamento lateral (0) e Contato final do rolamento
lateral (1).

Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.

hyperMILL 6-35
6 Torneamento
Torneamento Rollfeed Macros

Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).
Plano de folga (Z): plano para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2).

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em Z (2): distância de tolerância na direção Z.
Sobremetal adicional em X (3): distância de tolerância na direção X.
A distância de tolerância do modelo e a distância de tolerância adicional podem apresentar
valores positivos ou negativos.

Macros
Macro de aproximação/Macro de retração
Movimento adicional durante a alimentação para o primeiro percurso ou durante a retração
após o último percurso.
Radial (1): defina o comprimento.
Tangencial (2): defina o comprimento tangencial.
Circular (3): defina o raio e o ângulo do arco.

6-36 hyperMILL
Torneamento
Macros Torneamento Rollfeed 6
Rampa (4): Defina o comprimento e o ângulo da rampa.

O ângulo da rampa (1) refere-se ao eixo de torneamento (2), levando em consideração a


direção de alimentação. (3) Direção de alimentação para a esquerda, (4) = direção de ali-
mentação para a direita. (5) Comprimento da rampa.

Cortar para peça em bruto: corte da peça em bruto de acordo com o contorno selecionado.

Cortar peça em bruto direita/Cortar peça em bruto esquerda


O corte da peça em bruto pode ser definido separadamente para os lados direito e
esquerdo.
Axial (1): o corte começa no ponto final do contorno e é executado paralelamente ao eixo da
peça. Defina o Comprimento (3).
Tangencial (2): o corte é executado em uma tangente ao contorno. Defina o Comprimento
(3).

hyperMILL 6-37
6 Torneamento
Torneamento Rollfeed Macros

Configuração

Os modelos e modelos de peças em bruto para ciclos de torneamento são


sempre apresentados em uma exibição 2D por motivos de clareza.

Modelo de torneamento
Um modelo de torneamento é definido com base em um contorno fechado e planar locali-
zado no plano X-Z do quadro de torneamento.
Verificação de colisão: se esta opção estiver selecionada, o suporte da ferramenta usada é
verificado permanentemente quanto a possíveis colisões em relação ao modelo de peça em
bruto atual (modelo de peça em bruto rastreado) e ao modelo de torneamento atual.

Abra a caixa de diálogo Área de torneamento. Especifique um nome e, se neces-


sário, um comentário para a área de torneamento.

Crie uma área de torneamento selecionando um contorno fechado.

Abra a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir do modelo para criar uma
área de torneamento de superfícies ou sólidos. Defina o quadro, a cor e a camada do con-
torno do torneamento.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.

Superfícies
Resolução: define a (exatidão da) resolução da área de torneamento.

Selecione superfícies ou um sólido. O hyperMILL cria automaticamente um con-


torno de torneamento que define a área de torneamento. Uma entrada é criada no navega-
dor do hyperMILL e uma funcionalidade de Contorno no Navegador de funcionalidade.

6-38 hyperMILL
Torneamento
Macros Torneamento Rollfeed 6
Peça em bruto de torneamento
Uma peça em bruto de torneamento é definida com base em um contorno fechado e planar
localizado no plano X-Z do quadro de torneamento e o eixo de torneamento associado no
plano X-Z.

Abra a caixa de diálogo Peça em bruto. Especifique um nome e, se necessário, um


comentário para a área de torneamento de peça em bruto. Habilite um modo que é utilizado
para criar a peça em bruto de torneamento. Para obter informações sobre as opções dispo-
níveis, consulte o capítulo Modo.
Gerar peça em bruto resultante de torneamento: crie um modelo de peça em bruto para
tarefas de torneamento posteriores com base na tarefa de torneamento atual. O modelo de
peça em bruto é nomeado após o trabalho que foi utilizado para criá-lo.
Gerar peça em bruto resultante de fresamento: crie um modelo de peça em bruto para tra-
balhos de fresamento subsequentes com base na tarefa de torneamento atual ou em uma
combinação de tarefas de fresamento e de torneamento.
A partir de peças em bruto de fresamento existentes: selecione a peça em bruto de base a
partir da qual uma peça em bruto resultante de fresamento deverá ser criada.

A partir de peças em bruto de fresamento existentes: deverá ser utilizada ape-


nas se as seguintes condições forem cumpridas:
Pré-requisito: usinagem de furação/fresamento com remoção não rotacional-
mente simétrica.
A tarefa de fresamento começa quando a tarefa de torneamento é concluída.
Se essas condições não forem cumpridas, os tempos de cálculo poderão
aumentar devido à existência de várias resoluções durante o rastreamento de
peças em bruto.

Para obter mais informações, consulte A caixa de diálogo Modelo de Peça em bruto.
Criar peça em bruto de fresamento a partir de peça em bruto de torneamento: qualquer
peça em bruto de torneamento representada por uma entrada no navegador de modelos do
hyperMILL pode ser usada para criar um modelo de peça em bruto de fresamento.
Realce o modelo de peça em bruto de torneamento correspondente no navegador e sele-
cione a função Criar peça em bruto de fresamento no menu de atalho. Especifique a resolu-
ção necessária e clique em OK para confirmar. O modelo de peça em bruto de fresamento
aparece como uma entrada no navegador de modelos do hyperMILL.

Quadro: o eixo Z do quadro de usinagem deve ser igual ao eixo rotativo da ferramenta.
A área de torneamento (modelo de torneamento) e a peça em bruto de torneamento têm
que ficar no plano X-Z.

hyperMILL 6-39
6 Torneamento
Torneamento Rollfeed Macros

Para obter informações sobre transformações, consulte a seção Sistema e quadros NC.
Informações sobre as páginas de diálogo:

Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade


Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

6-40 hyperMILL
Torneamento
Ferramentas Desbaste simultâneo 3X 6
Desbaste simultâneo 3X
• Desbaste com um eixo giratório simultâneo.
• Contornos com plexos de usinagem com uma única ferramenta.
• Superfície de alta qualidade.
• Desgaste da ferramenta reduzido.
• Usinagem de cabeçote de pistão, lâminas de turbina, discos de máquina e assim por
diante.

Ferramentas
São permitidos somente ferramentas com um inserto arredondado e referência de ferra-
menta.
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.

Contornos
Seleção de contornos
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Podem corresponder ao con-
torno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.
Inversão: inverta a direção de usinagem do contorno selecionado.

hyperMILL 6-41
6 Torneamento
Desbaste simultâneo 3X Estratégia

Sincronizar percursos de ferramenta


Use Linhas de sincronização (1) para definir o perfil de movimento do eixo B.

Ângulo de compensação: se o inserto usado não estiver alinhado paralelamente ao suporte


da ferramenta, use o Ângulo de compensação para adaptar a orientação do inserto ao eixo
do suporte da ferramenta. Isso garante que as linhas de sincronização sempre se referem
ao eixo do suporte da ferramenta.

Estratégia
Estratégia
Desbaste axial (1): a usinagem é executada paralelamente ao eixo da superfície de tornea-
mento.
Desbaste radial (2): a usinagem é executada perpendicularmente ao eixo da superfície de
torneamento.

6-42 hyperMILL
Torneamento
Estratégia Desbaste simultâneo 3X 6
Lado de corte
Exterior (1)/Interior (2): a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a
forma interna através da opção Interior.
Plano (3): a usinagem da face superior da peça é executada perpendicularmente ao eixo da
superfície de torneamento.

Direção de alimentação
Para a esquerda (1)/Para a direita (2): a usinagem é executada da direita para a esquerda
ou da esquerda para a direita na direção do eixo da superfície de torneamento.
De fora para dentro (3)/De dentro para fora (4): a usinagem é executada perpendicular-
mente ao eixo da superfície de torneamento (na direção X) de fora para dentro ou de dentro
para fora.

Saída NC
Use a opção Suave para definir uma sequência de movimentos mais suave para o eixo B.
São necessárias mais linhas de sincronização.
Selecione a opção Direto se você desejar que o eixo B siga diretamente o curso das linhas
de sincronização. São necessárias menos linhas de sincronização.

Opções
Percurso de acabamento: remove as marcas de usinagem durante o Desbaste axial.

hyperMILL 6-43
6 Torneamento
Desbaste simultâneo 3X Estratégia

Contornos inclinados permitidos: os contornos.direção X podem ser usinados (1). Função


desabilitada (2).

Limite radial/Limite axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada na direção radial
ou axial.

Parâmetros
Alimentação
Alimentação radial/axial para o plano de usinagem seguinte.
Constante: profundidade de alimentação constante (1) em toda a área de usinagem.

6-44 hyperMILL
Torneamento
Estratégia Desbaste simultâneo 3X 6
Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.

Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).
Plano de folga (Z): plano para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2). Apenas
disponível para as opções Usinagem interna e Plano.

Plano de retração Z: a ativação da opção Limite radial/axial (caixa de diálogo: Estratégia)


em combinação com os parâmetros do Plano de retração (Z) permite retirar a ferramenta
das áreas de corte negativo. O Plano de retração (Z) é exibido na forma de feedback gráfico
(1).

hyperMILL 6-45
6 Torneamento
Desbaste simultâneo 3X Estratégia

Use Ângulo B mín. e Ângulo B máx. para definir o alcance permitido do ângulo para inclina-
ção do eixo B. Linhas de sincronização que excedam o alcance permitido do ângulo são
ajustadas automaticamente. Padrão: ângulo B mín. = 0°, ângulo B máx. = 180°.

6-46 hyperMILL
Torneamento
Estratégia Desbaste simultâneo 3X 6
Modo de transição: define um Ângulo rápido para o movimento rápido, de aproximação, de
retração ou de aproximação e retração.
Ângulo rápido utilizando o exemplo de Usinagem exterior (1)/interior (2).

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em Z (2): distância de tolerância na direção Z.
Sobremetal adicional em X (3): distância de tolerância na direção X.

Informações sobre as guias de caixas de diálogo:

Macros no capítulo Macros


Configuração no capítulo Configuração
Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade
Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

hyperMILL 6-47
6 Torneamento
Acabamento simultâneo 3X Ferramentas

Acabamento simultâneo 3X
• Acabamento com um eixo giratório simultâneo.
• Contornos com plexos de usinagem com uma única ferramenta.
• Superfície de alta qualidade.
• Desgaste da ferramenta reduzido.
• Usinagem de cabeçote de pistão, lâminas de turbina, discos de máquina e assim por
diante.

Ferramentas
O ciclo requer um inserto arredondado com uma referência de ferramenta de centro.
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.

Contornos
Seleção de contorno
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Podem corresponder ao con-
torno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.
Inversão: inverta a direção de usinagem do contorno selecionado.

6-48 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento simultâneo 3X 6
Sincronizar percursos de ferramenta
Use Linhas de sincronização (1) para definir o perfil de movimento do eixo B.

Estratégia
Usinagem fina na qual é removido o material deixado por operações de desbaste anteriores.

Lado de corte
Interior (1)/Exterior (2): a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a
forma interna através da opção Interior.
Plano (3): a usinagem da face superior da peça é executada perpendicularmente ao eixo da
superfície de torneamento.

hyperMILL 6-49
6 Torneamento
Acabamento simultâneo 3X Contornos

6-50 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento simultâneo 3X 6
Direção de alimentação
Para a esquerda (1)/Para a direita (2): a usinagem é executada da direita para a esquerda
ou da esquerda para a direita na direção do eixo da superfície de torneamento.
De fora para dentro (3)/De dentro para fora (4): a usinagem é executada perpendicular-
mente ao eixo da superfície de torneamento (na direção X) de fora para dentro ou de dentro
para fora.

Opções
Contornos inclinados permitidos: os contornos na direção X são usinados (1). Função desa-
bilitada (2).

Limite radial/axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada na direção radial ou


axial.

Modo de usinagem
Usinagem limite para áreas selecionadas.
As áreas lisas e íngremes são separadas entre si por um ângulo de declive. 0° corresponde
ao paralelo ao eixo de torneamento e 90° é perpendicular ao eixo de torneamento.
Desligado: as áreas íngremes e lisas do contorno definido são usinadas (1).
Desligado: apenas as áreas íngremes do contorno definido são usinadas (2).
Desligado: apenas as áreas lisas do contorno definido são usinadas (3).

hyperMILL 6-51
6 Torneamento
Acabamento simultâneo 3X Contornos

Comportamento da borda
Controle o comportamento da borda da ferramenta.
Selecione a opção Rolar (padrão) se pretende rolar a borda. Isso resulta em ângulos arre-
dondados (1). Selecione a opção Alargar se você pretende mover a ferramenta ao redor das
bordas com alargamento tangencial. Isso produz ângulos arredondados com bordas afiadas
(2).

Parâmetros
Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.

6-52 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento simultâneo 3X 6

Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).
Plano de folga (Z): plano para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2). Apenas
disponível para as opções Usinagem interna e Plano.

hyperMILL 6-53
6 Torneamento
Acabamento simultâneo 3X Contornos

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em Z (2): distância de tolerância na direção Z.
Sobremetal adicional em X (3): distância de tolerância na direção X.

Use Ângulo B mín. e Ângulo B máx. para definir o alcance permitido do ângulo para inclina-
ção do eixo B. Linhas de sincronização que excedam o alcance permitido do ângulo são
ajustadas automaticamente. Padrão: ângulo B mín. = 0°, ângulo B máx. = 180°.

6-54 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento simultâneo 3X 6
Modo de transição: define um Ângulo rápido para o movimento rápido, de aproximação, de
retração ou de aproximação e retração.
Ângulo rápido utilizando o exemplo de Usinagem exterior (1)/interior (2).

Informações sobre as guias de caixas de diálogo:

Macros no capítulo Macros


Configuração no capítulo Configuração
Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade
Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

hyperMILL 6-55
6 Torneamento
Torneamento de canais Ferramenta

Torneamento de canais

Ferramenta
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão. .
É possível aumentar a velocidade de alimentação de retração para todas as estratégias de
usinagem nas quais ocorre a retração sem um movimento de rampa (consulte a página de
diálogo Estratégia).

Contornos
Seleção de contorno
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Estes podem corresponder
ao contorno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.
Inversão: inverta a direção de usinagem do contorno selecionado.

Estratégia
Estratégia
Desbaste axial (1): a usinagem é executada paralelamente ao eixo da superfície de tornea-
mento.
Desbaste axial com rampa (2): desbaste axial com mergulho em rampa da ferramenta no
modelo de peça em bruto (disponível somente para orientação Constante).

6-56 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento de canais 6
Ângulo da rampa (1): ângulo da rampa durante o mergulho no modelo de peça em bruto ou
na transição entre planos de alimentação (disponível apenas para Desbaste axial com
rampa).

Lado do corte
Interior (1)/Exterior (2): a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a
forma interna através da opção Interior.

Direção de alimentação
Para a esquerda (1)/Para a direita (2): a usinagem é executada da direita para a esquerda
ou da esquerda para a direita na direção do eixo da superfície de torneamento.

hyperMILL 6-57
6 Torneamento
Torneamento de canais Contornos

Modo de corte
Unidirecional: usinagem em orientação constante.
Zigzag: usinagem com orientação alternada.

Opções
Limite radial/axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada na direção radial ou
axial.

Compensação radial
Pré-mergulho: durante o acabamento, a ferramenta é mergulhada na transição do contorno
definido desde a direção axial até a direção radial. A remoção de material neste local
impede que a ferramenta utilize os dois lados da pastilha ao mesmo tempo no passo de usi-
nagem seguinte. A opção Pré-mergulho também suporta pequenos movimentos de retra-
ção.

6-58 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento de canais 6

Valor de compensação radial (1): derivação radial do contorno do modelo no acabamento


final. O valor de compensação radial é necessário devido à deflexão da ferramenta, que é
afetada pelos seguintes fatores: velocidade de alimentação (f), profundidade de corte (ap),
geometria da ferramenta, velocidade de corte (Vc) e material da ferramenta.

Parâmetros
Alimentação radial (1): alimentação na direção radial (profundidade de corte).
Profundidade máx. de alimentação (2): a profundidade máxima da remoção de material na
direção radial.
A combinação de parâmetros habilita a usinagem nível a nível e sendo assim, as ranhuras
que excedem o comprimento da ferramenta utilizada também podem ser usinadas.

hyperMILL 6-59
6 Torneamento
Torneamento de canais Contornos

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em Z (2): distância de tolerância na direção Z.
Sobremetal adicional em X (3): distância de tolerância na direção X.
A distância de tolerância do modelo e a distância de tolerância adicional podem apresentar
valores positivos ou negativos.

Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga: movimento de folga à velocidade de alimentação antes do início do movi-
mento rápido.

6-60 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento de canais 6
Macros
Macro de retração
Defina o Ângulo da rampa (1) e o Comprimento da rampa (5) para a macro de retração
Rampa. O ângulo da rampa refere-se ao eixo de torneamento (2), levando em consideração
a direção de alimentação. (3) Direção de alimentação para a esquerda, (4) direção de ali-
mentação para a direita.

Cortar peça em bruto DIREITA/Cortar peça em bruto ESQUERDA


O corte da peça em bruto pode ser definida separadamente para os lados direito e
esquerdo.
Axial (1): o corte começa no ponto final do contorno e é executado paralelamente ao eixo da
peça. Defina o Comprimento (3).
Tangencial (2): o corte é executado em uma tangente ao contorno. Defina o Comprimento
(3).

hyperMILL 6-61
6 Torneamento
Torneamento de canais Contornos

Configuração

Os modelos e modelos de peças em bruto para ciclos de torneamento são


sempre apresentados em uma exibição 2D por motivos de clareza.

Modelo de torneamento
Um modelo de torneamento é definido com base em um contorno fechado e planar locali-
zado no plano X-Z do quadro de torneamento.
Verificação de colisão: se esta opção estiver selecionada, o suporte da ferramenta usada é
verificado permanentemente quanto a possíveis colisões em relação ao modelo de peça em
bruto atual (modelo de peça em bruto rastreado) e ao modelo de torneamento atual.

Abra a caixa de diálogo Área de torneamento. Especifique um nome e, se neces-


sário, um comentário para a área de torneamento.

Crie uma área de torneamento selecionando um contorno fechado.

Abra a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir do modelo para criar uma
área de torneamento de superfícies ou sólidos. Defina o quadro, a cor e a camada do con-
torno do torneamento.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.

Superfícies
Resolução: define a (exatidão da) resolução da área de torneamento.

Selecione superfícies ou um sólido. O hyperMILL cria automaticamente um con-


torno de torneamento que define a área de torneamento. Uma entrada é criada no navega-
dor do hyperMILL e uma funcionalidade de Contorno no Navegador de funcionalidade.

6-62 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento de canais 6
Peça em bruto de torneamento
Uma peça em bruto de torneamento é definida com base em um contorno fechado e planar
localizado no plano X-Z do quadro de torneamento e o eixo de torneamento associado no
plano X-Z.

Abra a caixa de diálogo Peça em bruto. Especifique um nome e, se necessário, um


comentário para a área de torneamento de peça em bruto. Habilite um modo que é utilizado
para criar a peça em bruto de torneamento. Para obter informações sobre as opções dispo-
níveis, consulte o capítulo Modo.
Gerar peça em bruto resultante de torneamento: crie um modelo de peça em bruto para
tarefas de torneamento posteriores com base na tarefa de torneamento atual. O modelo de
peça em bruto é nomeado após o trabalho que foi utilizado para criá-lo.
Gerar peça em bruto resultante de fresamento: crie um modelo de peça em bruto para tra-
balhos de fresamento subsequentes com base na tarefa de torneamento atual ou em uma
combinação de tarefas de fresamento e de torneamento.
A partir de peças em bruto de fresamento existentes: selecione a peça em bruto de base a
partir da qual uma peça em bruto resultante de fresamento deverá ser criada.

A partir de peças em bruto de fresamento existentes: deverá ser utilizada ape-


nas se as seguintes condições forem cumpridas:
Pré-requisito: usinagem de furação/fresamento com remoção não rotacional-
mente simétrica.
A tarefa de fresamento começa quando a tarefa de torneamento é concluída.
Se essas condições não forem cumpridas, os tempos de cálculo poderão
aumentar devido à existência de várias resoluções durante o rastreamento de
peças em bruto.

Para obter mais informações, consulte A caixa de diálogo Modelo de Peça em bruto.
Criar peça em bruto de fresamento a partir de peça em bruto de torneamento: qualquer
peça em bruto de torneamento representada por uma entrada no navegador de modelos do
hyperMILL pode ser usada para criar um modelo de peça em bruto de fresamento.
Realce o modelo de peça em bruto de torneamento correspondente no navegador e sele-
cione a função Criar peça em bruto de fresamento no menu de atalho. Especifique a resolu-
ção necessária e clique em OK para confirmar. O modelo de peça em bruto de fresamento
aparece como uma entrada no navegador de modelos do hyperMILL.

Quadro: o eixo Z do quadro de usinagem deve ser igual ao eixo rotativo da ferramenta.
A área de torneamento (modelo de torneamento) e a peça em bruto de torneamento têm
que ficar no plano X-Z.

hyperMILL 6-63
6 Torneamento
Torneamento de canais Contornos

Para obter informações sobre transformações, consulte a seção Sistema e quadros NC.
Informações sobre as páginas de diálogo:

Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade


Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

6-64 hyperMILL
Torneamento
Ferramenta Abertura de canais 6
Abertura de canais

Ferramenta
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.
Para todas as estratégias de usinagem nas quais ocorre retração sem um movimento de
rampa.

Contornos
Seleção de contorno
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Estes podem corresponder
ao contorno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.
Inversão: inverta a direção de usinagem do contorno selecionado.

Estratégia
A usinagem é executada perpendicularmente ao eixo da superfície de torneamento.

Lado do corte
Interior (1)/Exterior (2): a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a
forma interna através da opção Interior.

hyperMILL 6-65
6 Torneamento
Abertura de canais Contornos

Direção de alimentação
Para a esquerda (1)/Para a direita (2): a usinagem é executada da direita para a esquerda
ou da esquerda para a direita na direção do eixo da superfície de torneamento.
Central (3): a usinagem (na direção Z) começa no ponto de mergulho definido (4), indicado
por uma seta vermelha (feedback).

Opções
Limite radial/axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada na direção radial ou
axial.

Parâmetros
Alimentação
Alimentação axial (1): alimentação na direção axial (profundidade de corte).
Profundidade máx. de alimentação (2): profundidade máxima da remoção de material na
direção axial.
Profundidade radial (3): profundidade máxima da remoção de material na direção radial.
Detecção do nível do plano (4): um passo intermediário com um valor de alimentação axial
menor é inserido nas superfícies planares se a alimentação axial definida for superior à dis-
tância entre duas superfícies da peça.

6-66 hyperMILL
Torneamento
Contornos Abertura de canais 6

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em Z (2): distância de tolerância na direção Z.
Sobremetal adicional em X (3): distância de tolerância na direção X.
A distância de tolerância do modelo e a distância de tolerância adicional podem apresentar
valores positivos ou negativos.

Tempo de espera
Especifique o tempo de espera da ferramenta e da unidade através da utilização de revolu-
ções do modelo(rot.) ou unidades de tempo (seg.).

Micro parada
Para evitar danificar a ferramenta ou a peça e remover cavacos com mais eficácia, a ferra-
menta é mergulhada de acordo com a profundidade de mergulho e retraída de acordo com
o valor de retração definido de forma alternada até que a alimentação radial total seja alcan-
çada.

Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.

hyperMILL 6-67
6 Torneamento
Abertura de canais Contornos

Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.

Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).
Plano de folga (Z): plano para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2). Apenas
disponível para as opções Usinagem interna e Plano.

Macros
Macro de aproximação / Macro de retração
Movimento adicional durante cada alimentação. Defina o Ângulo da rampa e o Comprimento
da rampa para a Macro de aproximação/Macro de retração. O ângulo da rampa (1) refere-se
ao eixo de torneamento (2), levando em consideração a direção de alimentação. (3) Direção
de alimentação para a esquerda, (4) = direção de alimentação para a direita. (5) Compri-
mento da rampa.

6-68 hyperMILL
Torneamento
Contornos Abertura de canais 6

Cortar peça em bruto DIREITA/Cortar peça em bruto ESQUERDA


O corte da peça em bruto pode ser definido separadamente para os lados direito e
esquerdo.
Axial (1): o corte começa no ponto final do contorno e é executado paralelamente ao eixo da
peça. Defina o Comprimento (3).
Tangencial (2): o corte é executado em uma tangente ao contorno. Defina o Comprimento
(3).

hyperMILL 6-69
6 Torneamento
Abertura de canais Contornos

Configuração

Os modelos e modelos de peças em bruto para ciclos de torneamento são


sempre apresentados em uma exibição 2D por motivos de clareza.

Modelo de torneamento
Um modelo de torneamento é definido com base em um contorno fechado e planar locali-
zado no plano X-Z do quadro de torneamento.
Verificação de colisão: se esta opção estiver selecionada, o suporte da ferramenta usada é
verificado permanentemente quanto a possíveis colisões em relação ao modelo de peça em
bruto atual (modelo de peça em bruto rastreado) e ao modelo de torneamento atual.

Abra a caixa de diálogo Área de torneamento. Especifique um nome e, se neces-


sário, um comentário para a área de torneamento.

Crie uma área de torneamento selecionando um contorno fechado.

Abra a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir do modelo para criar uma
área de torneamento de superfícies ou sólidos. Defina o quadro, a cor e a camada do con-
torno do torneamento.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.

Superfícies
Resolução: define a (exatidão da) resolução da área de torneamento.

Selecione superfícies ou um sólido. O hyperMILL cria automaticamente um con-


torno de torneamento que define a área de torneamento. Uma entrada é criada no navega-
dor do hyperMILL e uma funcionalidade de Contorno no Navegador de funcionalidade.

Peça em bruto de torneamento


Uma peça em bruto de torneamento é definida com base em um contorno fechado e planar
localizado no plano X-Z do quadro de torneamento e o eixo de torneamento associado no
plano X-Z.

Abra a caixa de diálogo Peça em bruto. Especifique um nome e, se necessário, um


comentário para a área de torneamento de peça em bruto. Habilite um modo que é utilizado
para criar a peça em bruto de torneamento. Para obter informações sobre as opções dispo-
níveis, consulte o capítulo Modo.
Gerar peça em bruto resultante de torneamento: crie um modelo de peça em bruto para
tarefas de torneamento posteriores com base na tarefa de torneamento atual. O modelo de
peça em bruto é nomeado após o trabalho que foi utilizado para criá-lo.
Gerar peça em bruto resultante de fresamento: crie um modelo de peça em bruto para tra-
balhos de fresamento subsequentes com base na tarefa de torneamento atual ou em uma
combinação de tarefas de fresamento e de torneamento.
A partir de peças em bruto de fresamento existentes: selecione a peça em bruto de base a
partir da qual uma peça em bruto resultante de fresamento deverá ser criada.

6-70 hyperMILL
Torneamento
Contornos Abertura de canais 6

A partir de peças em bruto de fresamento existentes: deverá ser utilizada ape-


nas se as seguintes condições forem cumpridas:
Pré-requisito: usinagem de furação/fresamento com remoção não rotacional-
mente simétrica.
A tarefa de fresamento começa quando a tarefa de torneamento é concluída.
Se essas condições não forem cumpridas, os tempos de cálculo poderão
aumentar devido à existência de várias resoluções durante o rastreamento de
peças em bruto.

Para obter mais informações, consulte A caixa de diálogo Modelo de Peça em bruto.
Criar peça em bruto de fresamento a partir de peça em bruto de torneamento: qualquer
peça em bruto de torneamento representada por uma entrada no navegador de modelos do
hyperMILL pode ser usada para criar um modelo de peça em bruto de fresamento.
Realce o modelo de peça em bruto de torneamento correspondente no navegador e sele-
cione a função Criar peça em bruto de fresamento no menu de atalho. Especifique a resolu-
ção necessária e clique em OK para confirmar. O modelo de peça em bruto de fresamento
aparece como uma entrada no navegador de modelos do hyperMILL.

Quadro: o eixo Z do quadro de usinagem deve ser igual ao eixo rotativo da ferramenta.
A área de torneamento (modelo de torneamento) e a peça em bruto de torneamento têm
que ficar no plano X-Z.

Para obter informações sobre transformações, consulte a seção Sistema e quadros NC.
Informações sobre as páginas de diálogo:

Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade


Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

hyperMILL 6-71
6 Torneamento
Acabamento de canais Ferramenta

Acabamento de canais

Ferramenta
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.
É possível aumentar a velocidade de alimentação de retração para todas as estratégias de
usinagem nas quais ocorre a retração sem um movimento de rampa (consulte a página de
diálogo Estratégia).

Contornos
Seleção de contorno
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Estes podem corresponder
ao contorno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.
Inversão: inverta a direção de usinagem do contorno selecionado.

Segmentos
Atribua a segmentos de um contorno uma velocidade de corte e velocidade de alimentação
para reduzir o desgaste da ferramenta e melhorar a qualidade da superfície.
Selecione o contorno desejado e utilize Editar segmentos para abrir a caixa de diálogo Seg-
mentos.
Adicionar através de três pontos: selecione o ponto inicial, o ponto final e um outro ponto no
contorno.
Adicionar através de curvas: selecione uma curva. O ponto inicial e o ponto final são calcu-
lados automaticamente.
Os valores da tecnologia da Velocidade de corte e da Velocidade de alimentação depen-
dem da utilização e podem ser modificados manualmente ou com base em fatores.
Alterar manualmente: selecione o segmento e clique no ícone elo (1) referente à velocidade
de corte ou velocidade de alimentação. O ícone muda (2). Introduza a valor necessário.

Velocidade de corte Velocidade de corte

Alteração com base em fatores: selecione o segmento, clique no ícone elo e introduza dire-
tamente o fator necessário.

Velocidade de corte

A Velocidade de corte e o Avanço aplicam-se à Utilização definida na página de diálogo


Ferramenta em Perfil de corte. Os valores são exibidos para cada segmento de contorno.

6-72 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento de canais 6

Comportamento em ângulos acentuados


Ângulo (1): ângulo entre dois elementos de contorno para permitir a chanfradura e o arre-
dondamento.
Freio de ângulo automático: habilite quando os ângulos acentuados de um contorno tiverem
que ser automaticamente arredondados ou chanfrados. Defina o comprimento da chanfra-
dura (2) e o ângulo da chanfradura (3) para chanfradura (A); para o arredondamento (b),
defina o raio de arredondamento (4).

Um contorno pode ser chanfrado ou arredondado em um único passo. Se tanto a chanfra-


dura como o arredondamento ocorreram, defina o passo duas vezes e combine ambos os
passos em uma tarefa de vinculação.
A função Freio de ângulo automático está disponível para extremidades externas do con-
torno de torneamento. Os arredondamentos ou chanfraduras de extremidades internas já
deverão estar incluídos no modelo de rotação.

Estratégia
Acabamento: usinagem fina na qual é removido o material deixado por operações de des-
baste anteriores.

hyperMILL 6-73
6 Torneamento
Acabamento de canais Contornos

Lado do corte
Interior (1)/Exterior (2): a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a
forma interna através da opção Interior.

Direção de alimentação
Para a esquerda (1)/Para a direita (2): a usinagem é executada da direita para a esquerda
ou da esquerda para a direita na direção do eixo da superfície de torneamento.

6-74 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento de canais 6
Opções
Limite radial/axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada na direção radial ou
axial.
Habilitar compensação de percurso: quando esta opção está habilitada, a compensação de
percurso é executada pelo controlador, ou seja, o raio de corte é calculado pelo controlador
(G41 e G42). Se essa opção não estiver habilitada, o raio de corte é calculado previamente
no hyperMILL.
Alterar lado de referência: o lado de referência das alterações da ferramenta de rebaixa-
mento (esquerdo/direito) durante a usinagem. Apenas disponível se a compensação de per-
curso estiver habilitada.

Modo de usinagem
Usinagem limite para áreas selecionadas.
As áreas lisas e íngremes são separadas entre si por um ângulo de declive. 0° corresponde
ao paralelo ao eixo de torneamento e 90° é perpendicular ao eixo de torneamento.
Desligado: as áreas íngremes e lisas do contorno definido são usinadas (1).
Desligado: apenas as áreas íngremes do contorno definido são usinadas (2).
Desligado: apenas as áreas lisas do contorno definido são usinadas (3).

Compensação radial
Pré-mergulho: durante o acabamento, a ferramenta é mergulhada na transição do contorno
definido desde a direção axial até a direção radial. A remoção de material neste local
impede que a ferramenta utilize os dois lados da pastilha ao mesmo tempo no passo de usi-
nagem seguinte. A opção Pré-mergulho também suporta pequenos movimentos de retra-
ção.

hyperMILL 6-75
6 Torneamento
Acabamento de canais Contornos

Tipo de corte
Acabamento em uma direção: o material é removido através de movimentos para cima e
para baixo. Devido ao fato de movimentos ascendentes em paredes verticais poderem con-
duzir a possíveis colisões entre o suporte de ferramentas e a geometria do modelo de peça
em bruto, nem todas as geometrias podem ser usinadas.

Descendente: o material é removido apenas com movimentos descendentes.


Distância de tolerância lateral (1): distância de tolerância na direção Z.
Sobreposição (2): uma sobreposição de percursos para evitar colisões com paredes per-
pendiculares (peças em bruto residual). O valor de sobreposição deve ser sempre ligeira-
mente maior do que o raio da ferramenta.

Parâmetros
Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.

6-76 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento de canais 6
Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em Z (2): distância de tolerância na direção Z.
Sobremetal adicional em X (3): distância de tolerância na direção X.
A distância de tolerância do modelo e a distância de tolerância adicional podem apresentar
valores positivos ou negativos.

Macros
Macro de aproximação/Macro de retração
Movimento adicional durante a alimentação para o primeiro percurso ou durante a retração
após o último percurso.
Radial (1): defina o comprimento.
Tangencial (2): defina o comprimento tangencial, o ângulo do arco, o raio do arco e o alar-
gamento tangencial.
Circular (3): defina o raio e o ângulo do arco.

hyperMILL 6-77
6 Torneamento
Acabamento de canais Contornos

Rampa (4): Defina o comprimento e o ângulo da rampa.

O ângulo da rampa (1) refere-se ao eixo de torneamento (2), levando em consideração a


direção de alimentação. (3) Direção de alimentação para a esquerda, (4) = direção de ali-
mentação para a direita. (5) Comprimento da rampa.

6-78 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento de canais 6
Para obter uma conexão mais suave das áreas com acabamento parcial, as macros tangen-
cial de aproximação (A) e de retração (B) relacionadas ao acabamento podem ser definidas
com opções adicionais. Comprimento tangencial (1), ângulo do arco (2), raio do arco (3),
alargamento tangencial (4).

Cortar para peça em bruto: corte da peça em bruto de acordo com o contorno selecionado.

Cortar peça em bruto DIREITA/Cortar peça em bruto ESQUERDA


Cortar para peça em bruto: corte da peça em bruto de acordo com o contorno selecionado.
O corte da peça em bruto pode ser definido separadamente para os lados direito e
esquerdo.
Axial (1): o corte começa no ponto final do contorno e é executado paralelamente ao eixo da
peça. Defina o Comprimento (3).
Tangencial (2): o corte é executado em uma tangente ao contorno. Defina o Comprimento
(3).

Configuração

Os modelos e modelos de peças em bruto para ciclos de torneamento são


sempre apresentados em uma exibição 2D por motivos de clareza.

hyperMILL 6-79
6 Torneamento
Acabamento de canais Contornos

Modelo de torneamento
Um modelo de torneamento é definido com base em um contorno fechado e planar locali-
zado no plano X-Z do quadro de torneamento.
Verificação de colisão: se esta opção estiver selecionada, o suporte da ferramenta usada é
verificado permanentemente quanto a possíveis colisões em relação ao modelo de peça em
bruto atual (modelo de peça em bruto rastreado) e ao modelo de torneamento atual.

Abra a caixa de diálogo Área de torneamento. Especifique um nome e, se neces-


sário, um comentário para a área de torneamento.

Crie uma área de torneamento selecionando um contorno fechado.

Abra a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir do modelo para criar uma
área de torneamento de superfícies ou sólidos. Defina o quadro, a cor e a camada do con-
torno do torneamento.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.

Superfícies
Resolução: define a (exatidão da) resolução da área de torneamento.

Selecione superfícies ou um sólido. O hyperMILL cria automaticamente um con-


torno de torneamento que define a área de torneamento. Uma entrada é criada no navega-
dor do hyperMILL e uma funcionalidade de Contorno no Navegador de funcionalidade.

Peça em bruto de torneamento


Uma peça em bruto de torneamento é definida com base em um contorno fechado e planar
localizado no plano X-Z do quadro de torneamento e o eixo de torneamento associado no
plano X-Z.

Abra a caixa de diálogo Peça em bruto. Especifique um nome e, se necessário, um


comentário para a área de torneamento de peça em bruto. Habilite um modo que é utilizado
para criar a peça em bruto de torneamento. Para obter informações sobre as opções dispo-
níveis, consulte o capítulo Modo.
Gerar peça em bruto resultante de torneamento: crie um modelo de peça em bruto para
tarefas de torneamento posteriores com base na tarefa de torneamento atual. O modelo de
peça em bruto é nomeado após o trabalho que foi utilizado para criá-lo.
Gerar peça em bruto resultante de fresamento: crie um modelo de peça em bruto para tra-
balhos de fresamento subsequentes com base na tarefa de torneamento atual ou em uma
combinação de tarefas de fresamento e de torneamento.
A partir de peças em bruto de fresamento existentes: selecione a peça em bruto de base a
partir da qual uma peça em bruto resultante de fresamento deverá ser criada.

A partir de peças em bruto de fresamento existentes: deverá ser utilizada ape-


nas se as seguintes condições forem cumpridas:
Pré-requisito: usinagem de furação/fresamento com remoção não rotacional-
mente simétrica.
A tarefa de fresamento começa quando a tarefa de torneamento é concluída.
Se essas condições não forem cumpridas, os tempos de cálculo poderão
aumentar devido à existência de várias resoluções durante o rastreamento de
peças em bruto.

Para obter mais informações, consulte A caixa de diálogo Modelo de Peça em bruto.

6-80 hyperMILL
Torneamento
Ferramenta Torneamento Canal na face 6
Criar peça em bruto de fresamento a partir de peça em bruto de torneamento: qualquer
peça em bruto de torneamento representada por uma entrada no navegador de modelos do
hyperMILL pode ser usada para criar um modelo de peça em bruto de fresamento.
Realce o modelo de peça em bruto de torneamento correspondente no navegador e sele-
cione a função Criar peça em bruto de fresamento no menu de atalho. Especifique a resolu-
ção necessária e clique em OK para confirmar. O modelo de peça em bruto de fresamento
aparece como uma entrada no navegador de modelos do hyperMILL.

Quadro: o eixo Z do quadro de usinagem deve ser igual ao eixo rotativo da ferramenta.
A área de torneamento (modelo de torneamento) e a peça em bruto de torneamento têm
que ficar no plano X-Z.

Para obter informações sobre transformações, consulte a seção Sistema e quadros NC.
Informações sobre a página de diálogo:

Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade


Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

Torneamento Canal na face

Ferramenta
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.
Para todas as estratégias de usinagem nas quais ocorre retração sem um movimento de
rampa Lista de correção: número de lista do controlador/máquina com os valores de com-
pensação da ferramenta. O sistema efetua a distinção entre os lados esquerdo e direito
(esquerdo/direito) de ferramentas de rebaixamento.

Contornos
Seleção de contorno
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Estes podem corresponder
ao contorno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.

hyperMILL 6-81
6 Torneamento
Torneamento Canal na face Contornos

Estratégia
Estratégia
Desbaste radial (1): a usinagem é executada perpendicularmente ao eixo da superfície de
torneamento.
Desbaste radial com rampa (2): desbaste radial com mergulho em rampa da ferramenta no
modelo de peça em bruto. Defina Ângulo da rampa (3).

Direção de alimentação
Inferior (1): a alimentação ocorre de cima para baixo na direção do eixo da peça em bruto de
torneamento. Superior (2): a alimentação ocorre na direção ascendente do eixo da peça em
bruto de torneamento.

Modo de corte
Unidirecional (1): usinagem em orientação constante.
Zigzag (2): usinagem com orientação alternada.

6-82 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento Canal na face 6

Lado esquerdo/lado direito


Para a esquerda: usinagem do lado direito da peça em bruto de torneamento.
Para a direita: usinagem do lado esquerdo da peça em bruto de torneamento.

Opções
Limite radial/axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada nas direções radial e
axial.
Plano de retração Z: a ativação da opção Limite radial/axial (caixa de diálogo Estratégia) em
combinação com os parâmetros do Plano de retração (Z) permite retirar a ferramenta das
áreas de corte negativo. O Plano de retração (Z) é exibido na forma de feedback gráfico (1).

Compensação axial
Pré-mergulho: a ferramenta é mergulhada na transição do contorno definido desde a dire-
ção axial até a direção radial. A remoção de material neste local impede que a ferramenta
utilize os dois lados da pastilha ao mesmo tempo no passo de usinagem seguinte. A opção
Pré-mergulho também suporta pequenos movimentos de retração.

hyperMILL 6-83
6 Torneamento
Torneamento Canal na face Contornos

Valor de compensação axial (1): derivação axial do contorno do modelo. O valor de com-
pensação axial é necessário devido à deflexão da ferramenta, que é afetada pelos seguin-
tes fatores: velocidade de alimentação (f), profundidade de corte (ap), geometria da
ferramenta, velocidade de corte (Vc) e material da ferramenta.

6-84 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento Canal na face 6
Parâmetros
Alimentação
Alimentação radial (profundidade de corte) (1): alimentação na direção radial (paralela-
mente ao eixo da superfície do torneamento).
Profundidade máx. de alimentação (2): profundidade máxima da remoção de material na
direção radial.

Tempo de espera
Tempo de espera: especifique o tempo de espera da ferramenta e da unidade através da
utilização de rotações (rot.) ou unidades de tempo (seg.).

Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.

hyperMILL 6-85
6 Torneamento
Torneamento Canal na face Contornos

Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).
Plano de folga (Z): plano para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2). Apenas
disponível para as opções Usinagem interna e Plano.

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em X (2): distância de tolerância na direção X.
Sobremetal adicional em Z (3): distância de tolerância na direção Z.

Macros
Macro de retração
Rampa: utilize uma rampa para modificar o comportamento de retração, se necessário.
Defina o Ângulo da rampa e o Comprimento da rampa.

Cortar peça em bruto DIREITA/Cortar peça em bruto ESQUERDA


O corte da peça em bruto pode ser definida separadamente para os lados direito e
esquerdo.

6-86 hyperMILL
Torneamento
Contornos Torneamento Canal na face 6
Axial (1): o corte começa no ponto final do contorno e é executado paralelamente ao eixo da
peça. Defina o Comprimento (3).
Tangencial (2): o corte é executado em uma tangente ao contorno. Defina o Comprimento
(3).

Configuração

Os modelos e modelos de peças em bruto para ciclos de torneamento são


sempre apresentados em uma exibição 2D por motivos de clareza.

Modelo de torneamento
Um modelo de torneamento é definido com base em um contorno fechado e planar locali-
zado no plano X-Z do quadro de torneamento.
Verificação de colisão: se esta opção estiver selecionada, o suporte da ferramenta usada é
verificado permanentemente quanto a possíveis colisões em relação ao modelo de peça em
bruto atual (modelo de peça em bruto rastreado) e ao modelo de torneamento atual.

Abra a caixa de diálogo Área de torneamento. Especifique um nome e, se neces-


sário, um comentário para a área de torneamento.

Crie uma área de torneamento selecionando um contorno fechado.

Abra a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir do modelo para criar uma
área de torneamento de superfícies ou sólidos. Defina o quadro, a cor e a camada do con-
torno do torneamento.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.

Superfícies
Resolução: define a (exatidão da) resolução da área de torneamento.

hyperMILL 6-87
6 Torneamento
Torneamento Canal na face Contornos

Selecione superfícies ou um sólido. O hyperMILL cria automaticamente um con-


torno de torneamento que define a área de torneamento. Uma entrada é criada no navega-
dor do hyperMILL e uma funcionalidade de Contorno no Navegador de funcionalidade.

Peça em bruto de torneamento


Uma peça em bruto de torneamento é definida com base em um contorno fechado e planar
localizado no plano X-Z do quadro de torneamento e o eixo de torneamento associado no
plano X-Z.

Abra a caixa de diálogo Peça em bruto. Especifique um nome e, se necessário, um


comentário para a área de torneamento de peça em bruto. Habilite um modo que é utilizado
para criar a peça em bruto de torneamento. Para obter informações sobre as opções dispo-
níveis, consulte o capítulo Modo.
Gerar peça em bruto resultante de torneamento: crie um modelo de peça em bruto para
tarefas de torneamento posteriores com base na tarefa de torneamento atual. O modelo de
peça em bruto é nomeado após o trabalho que foi utilizado para criá-lo.
Gerar peça em bruto resultante de fresamento: crie um modelo de peça em bruto para tra-
balhos de fresamento subsequentes com base na tarefa de torneamento atual ou em uma
combinação de tarefas de fresamento e de torneamento.
A partir de peças em bruto de fresamento existentes: selecione a peça em bruto de base a
partir da qual uma peça em bruto resultante de fresamento deverá ser criada.

A partir de peças em bruto de fresamento existentes: deverá ser utilizada ape-


nas se as seguintes condições forem cumpridas:
Pré-requisito: usinagem de furação/fresamento com remoção não rotacional-
mente simétrica.
A tarefa de fresamento começa quando a tarefa de torneamento é concluída.
Se essas condições não forem cumpridas, os tempos de cálculo poderão
aumentar devido à existência de várias resoluções durante o rastreamento de
peças em bruto.

Para obter mais informações, consulte A caixa de diálogo Modelo de Peça em bruto.
Criar peça em bruto de fresamento a partir de peça em bruto de torneamento: qualquer
peça em bruto de torneamento representada por uma entrada no navegador de modelos do
hyperMILL pode ser usada para criar um modelo de peça em bruto de fresamento.
Realce o modelo de peça em bruto de torneamento correspondente no navegador e sele-
cione a função Criar peça em bruto de fresamento no menu de atalho. Especifique a resolu-
ção necessária e clique em OK para confirmar. O modelo de peça em bruto de fresamento
aparece como uma entrada no navegador de modelos do hyperMILL.

Quadro: o eixo Z do quadro de usinagem deve ser igual ao eixo rotativo da ferramenta.
A área de torneamento (modelo de torneamento) e a peça em bruto de torneamento têm
que ficar no plano X-Z.

6-88 hyperMILL
Torneamento
Ferramenta Profundidade do canal na face 6

Para obter informações sobre transformações, consulte a seção Sistema e quadros NC.
Informações sobre as páginas de diálogo:

Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade


Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

Profundidade do canal na face

Ferramenta
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.
É possível aumentar a velocidade de alimentação de retração para todas as estratégias de
usinagem nas quais ocorre a retração sem um movimento de rampa (consulte a página de
diálogo Estratégia).

Contornos
Seleção de contorno
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Estes podem corresponder
ao contorno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.

Estratégia
Estratégia
A abertura de canais é executada paralelamente ao eixo da peça em bruto de torneamento.

hyperMILL 6-89
6 Torneamento
Profundidade do canal na face Contornos

Lado de corte
Interior/Exterior: a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a forma
interna através da opção Interior.

Direção de alimentação
Inferior (1): a alimentação ocorre de cima para baixo na direção do eixo da peça em bruto de
torneamento.
Superior (2): a alimentação ocorre de baixo para cima.
Central (3): a usinagem começa no ponto de mergulho definido (4), indicado por uma seta
vermelha (feedback).

Opções
Limite radial/axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada nas direções radial e
axial.
Plano de retração Z: a ativação da opção Limite radial/axial (caixa de diálogo Estratégia) em
combinação com os parâmetros do Plano de retração (Z) permite retirar a ferramenta das
áreas de corte negativo. O Plano de retração (Z) é exibido na forma de feedback gráfico (1).

6-90 hyperMILL
Torneamento
Contornos Profundidade do canal na face 6

Lado esquerdo/lado direito


Para a esquerda (1): usinagem do lado direito da peça em bruto de torneamento.
Para a direita (2): usinagem do lado esquerdo da peça em bruto de torneamento.

Parâmetros
Alimentação
Alimentação radial (1): alimentação na direção radial (profundidade de corte).
Profundidade máx. de alimentação (2): profundidade máxima da remoção de material na
direção radial.
Profundidade axial (3): profundidade máxima da remoção de material na direção axial.
Detecção do nível do plano (4): um passo intermediário com um valor de alimentação radial
menor é inserido nas superfícies planares se a alimentação radial definida for superior à dis-
tância entre duas superfícies da peça.

hyperMILL 6-91
6 Torneamento
Profundidade do canal na face Contornos

Tempo de espera
Especifique o tempo de espera da ferramenta e da unidade através da utilização de revolu-
ções do modelo(rot.) ou unidades de tempo (seg.).

Micro parada
Para evitar danificar a ferramenta ou a peça e remover cavacos com mais eficácia, a ferra-
menta é mergulhada de acordo com a profundidade de mergulho e retraída de acordo com
o valor de retração definido de forma alternada até que a alimentação radial total seja alcan-
çada.

Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.
Distância de folga: movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início do
movimento rápido.

6-92 hyperMILL
Torneamento
Contornos Profundidade do canal na face 6
Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).
Plano de folga (Z): plano para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2). Apenas
disponível para as opções Usinagem interna e Plano.

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em X (2): distância de tolerância na direção X.
Sobremetal adicional em Z (3): distância de tolerância na direção Z.

Macros
Macro de aproximação / Macro de retração
Movimento adicional durante cada alimentação até o plano seguinte. Defina o Comprimento
da rampa (1) e o Ângulo da rampa (2) para a macro de aproximação/retração de Rampa.

hyperMILL 6-93
6 Torneamento
Profundidade do canal na face Contornos

Cortar peça em bruto DIREITA/Cortar peça em bruto ESQUERDA


O corte da peça em bruto pode ser definido separadamente para os lados direito e
esquerdo.
Axial (1): o corte começa no ponto final do contorno e é executado paralelamente ao eixo da
peça. Defina o Comprimento (3).
Tangencial (2): o corte é executado em uma tangente ao contorno. Defina o Comprimento
(3).

Configuração

Os modelos e modelos de peças em bruto para ciclos de torneamento são


sempre apresentados em uma exibição 2D por motivos de clareza.

Modelo de torneamento
Um modelo de torneamento é definido com base em um contorno fechado e planar locali-
zado no plano X-Z do quadro de torneamento.

6-94 hyperMILL
Torneamento
Contornos Profundidade do canal na face 6
Verificação de colisão: se esta opção estiver selecionada, o suporte da ferramenta usada é
verificado permanentemente quanto a possíveis colisões em relação ao modelo de peça em
bruto atual (modelo de peça em bruto rastreado) e ao modelo de torneamento atual.

Abra a caixa de diálogo Área de torneamento. Especifique um nome e, se neces-


sário, um comentário para a área de torneamento.

Crie uma área de torneamento selecionando um contorno fechado.

Abra a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir do modelo para criar uma
área de torneamento de superfícies ou sólidos. Defina o quadro, a cor e a camada do con-
torno do torneamento.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.

Superfícies
Resolução: define a (exatidão da) resolução da área de torneamento.

Selecione superfícies ou um sólido. O hyperMILL cria automaticamente um con-


torno de torneamento que define a área de torneamento. Uma entrada é criada no navega-
dor do hyperMILL e uma funcionalidade de Contorno no Navegador de funcionalidade.

Peça em bruto de torneamento


Uma peça em bruto de torneamento é definida com base em um contorno fechado e planar
localizado no plano X-Z do quadro de torneamento e o eixo de torneamento associado no
plano X-Z.

Abra a caixa de diálogo Peça em bruto. Especifique um nome e, se necessário, um


comentário para a área de torneamento de peça em bruto. Habilite um modo que é utilizado
para criar a peça em bruto de torneamento. Para obter informações sobre as opções dispo-
níveis, consulte o capítulo Modo.
Gerar peça em bruto resultante de torneamento: crie um modelo de peça em bruto para
tarefas de torneamento posteriores com base na tarefa de torneamento atual. O modelo de
peça em bruto é nomeado após o trabalho que foi utilizado para criá-lo.
Gerar peça em bruto resultante de fresamento: crie um modelo de peça em bruto para tra-
balhos de fresamento subsequentes com base na tarefa de torneamento atual ou em uma
combinação de tarefas de fresamento e de torneamento.
A partir de peças em bruto de fresamento existentes: selecione a peça em bruto de base a
partir da qual uma peça em bruto resultante de fresamento deverá ser criada.

A partir de peças em bruto de fresamento existentes: deverá ser utilizada ape-


nas se as seguintes condições forem cumpridas:
Pré-requisito: usinagem de furação/fresamento com remoção não rotacional-
mente simétrica.
A tarefa de fresamento começa quando a tarefa de torneamento é concluída.
Se essas condições não forem cumpridas, os tempos de cálculo poderão
aumentar devido à existência de várias resoluções durante o rastreamento de
peças em bruto.

Para obter mais informações, consulte A caixa de diálogo Modelo de Peça em bruto.
Criar peça em bruto de fresamento a partir de peça em bruto de torneamento: qualquer
peça em bruto de torneamento representada por uma entrada no navegador de modelos do
hyperMILL pode ser usada para criar um modelo de peça em bruto de fresamento.

hyperMILL 6-95
6 Torneamento
Acabamento Canal na face Ferramenta

Realce o modelo de peça em bruto de torneamento correspondente no navegador e sele-


cione a função Criar peça em bruto de fresamento no menu de atalho. Especifique a resolu-
ção necessária e clique em OK para confirmar. O modelo de peça em bruto de fresamento
aparece como uma entrada no navegador de modelos do hyperMILL.

Quadro: o eixo Z do quadro de usinagem deve ser igual ao eixo rotativo da ferramenta.
A área de torneamento (modelo de torneamento) e a peça em bruto de torneamento têm
que ficar no plano X-Z.

Para obter informações sobre transformações, consulte a seção Sistema e quadros NC.
Informações sobre as páginas de diálogo:

Funcionalidade no capítulo Conector de tarefas de funcionalidade


Transformações consulte a seção Definição de transformações
Geral no capítulo Caixa de diálogo de introdução: geral
NC no capítulo Caixa de diálogo de entrada: NC

Acabamento Canal na face

Ferramenta
Para obter informações sobre a seleção de ferramentas e a definição dos parâmetros de
uma ferramenta, consulte a seção Selecionar ferramenta, fuso, suporte e extensão.
É possível aumentar a velocidade de alimentação de retração para todas as estratégias de
usinagem nas quais ocorre a retração sem um movimento de rampa (consulte a página de
diálogo Estratégia).

Contornos
Seleção de contorno
Contornos: defina contornos para operações de torneamento. Estes podem corresponder
ao contorno do modelo de torneamento.

Atributos de contorno
Ponto inicial/Ponto final: defina os pontos inicial e final de usinagem selecionando um ponto
ou inserindo coordenadas.

Estratégia
Acabamento: usinagem fina na qual é removido o material deixado por operações de des-
baste anteriores.

6-96 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento Canal na face 6

Lado de corte
Interior (1)/Exterior (2): a forma externa de uma peça é criada através da opção Exterior e a
forma interna através da opção Interior.

Direção de alimentação
Inferior (1): a alimentação ocorre de cima para baixo na direção do eixo da peça em bruto de
torneamento.
Superior (2): a alimentação ocorre de baixo para cima.

Opções
Limite radial/axial: limita a área de usinagem da ferramenta utilizada nas direções radial e
axial.
Plano de retração Z: a ativação da opção Limite radial/axial (caixa de diálogo Estratégia) em
combinação com os parâmetros do Plano de retração (Z) permite retirar a ferramenta das
áreas de corte negativo. O Plano de retração (Z) é exibido na forma de feedback gráfico (1).

hyperMILL 6-97
6 Torneamento
Acabamento Canal na face Contornos

Habilitar compensação de percurso: quando esta opção está habilitada, a compensação de


percurso é executada pelo controlador, ou seja, o raio de corte é calculado pelo controlador
(G41 e G42). Se essa opção não estiver habilitada, o raio de corte é calculado previamente
no hyperMILL.
Alterar lado de referência: o lado de referência das alterações da ferramenta de rebaixa-
mento (esquerdo/direito) durante a usinagem. Apenas disponível se a compensação de per-
curso estiver habilitada.

Lado esquerdo/lado direito


Para a esquerda: usinagem do lado direito da peça em bruto de torneamento.
Para a direita: usinagem do lado esquerdo da peça em bruto de torneamento.

Modo de usinagem
Usinagem limite para áreas selecionadas.
As áreas lisas e íngremes são separadas entre si por um ângulo de declive. 0° corresponde
ao paralelo ao eixo de torneamento e 90° é perpendicular ao eixo de torneamento.
Desligado: as áreas íngremes e lisas do contorno definido são usinadas (1).
Desligado: apenas as áreas íngremes do contorno definido são usinadas (2).
Desligado: apenas as áreas lisas do contorno definido são usinadas (3).

6-98 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento Canal na face 6

Compensação axial
Pré-mergulho: a ferramenta é mergulhada na transição do contorno definido desde a dire-
ção axial até a direção radial. A remoção de material neste local impede que a ferramenta
utilize os dois lados da pastilha ao mesmo tempo no passo de usinagem seguinte. A opção
Pré-mergulho também suporta pequenos movimentos de retração.

Valor de compensação axial (1): derivação axial do contorno do modelo. O valor de com-
pensação axial é necessário devido à deflexão da ferramenta, que é afetada pelos seguin-
tes fatores: velocidade de alimentação (f), profundidade de corte (ap), geometria da
ferramenta, velocidade de corte (Vc) e material da ferramenta.

hyperMILL 6-99
6 Torneamento
Acabamento Canal na face Contornos

Tipo de corte
Para cima e Para baixo: o material é removido através de movimentos para cima e para
baixo. Devido ao fato de movimentos ascendentes em paredes verticais poderem conduzir a
possíveis colisões entre o suporte de ferramentas e a geometria do modelo de peça em
bruto, nem todas as geometrias podem ser usinadas.
Descendente: o material é removido apenas com movimentos descendentes.
Distância de tolerância lateral (1): distância de tolerância na direção Z.
Sobreposição (2): uma sobreposição de percursos para evitar colisões com paredes per-
pendiculares (peças em bruto residual). O valor de sobreposição deve ser sempre ligeira-
mente maior do que o raio da ferramenta.

Parâmetros
Tempo de espera
Especifique o tempo de espera da ferramenta e da unidade através da utilização de revolu-
ções do modelo(rot.) ou unidades de tempo (seg.).

Folga
Folga da macro: distância mínima da ferramenta para a área de torneamento durante os
movimentos de aproximação e retração. Se a ferramenta estiver mais próxima da área de
torneamento, uma macro será criada automaticamente, garantindo que a ferramenta não
toque na área de torneamento para movimentos de aproximação e retração em G0.
Distância de folga (1): movimento de folga a uma velocidade de alimentação antes do início
do movimento rápido.

6-100 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento Canal na face 6
Raio de folga (X): raio para movimentos rápidos da ferramenta na direção X (1).
Plano de folga (Z): plano para movimentos rápidos da ferramenta na direção Z (2). Apenas
disponível para as opções Usinagem interna e Plano.

Modelo de torneamento
Distância de tolerância do modelo (1): Tolerância global no modelo.
Sobremetal adicional em X (2): distância de tolerância na direção X.
Sobremetal adicional em Z (3): distância de tolerância na direção Z.

Macros
Macro de aproximação / Macro de retração
Movimento adicional durante a alimentação para o primeiro percurso ou durante a retração
após o último percurso.
Axial (1): defina o comprimento.
Tangencial (2): defina o comprimento tangencial, o ângulo do arco, o raio do arco e o alar-
gamento tangencial.

hyperMILL 6-101
6 Torneamento
Acabamento Canal na face Contornos

Circular (3): defina o raio e o ângulo do arco.


Rampa (4): Defina o comprimento e o ângulo da rampa.

Para obter uma conexão mais suave das áreas já acabadas, as macros tangenciais de
aproximação (A) e de retração (B) relacionadas ao acabamento podem ser definidas atra-
vés de opções adicionais. Comprimento tangencial (1), ângulo do arco (2), raio do arco,
alargamento tangencial (4).

Cortar para peça em bruto: corte da peça em bruto de acordo com o contorno selecionado.

Cortar peça em bruto DIREITA/Cortar peça em bruto ESQUERDA


O corte da peça em bruto pode ser definida separadamente para os lados direito e
esquerdo.
Axial (1): o corte começa no ponto final do contorno e é executado paralelamente ao eixo da
peça. Defina o Comprimento (3).
Tangencial (2): o corte é executado em uma tangente ao contorno. Defina o Comprimento
(3).

6-102 hyperMILL
Torneamento
Contornos Acabamento Canal na face 6

Configuração

Os modelos e modelos de peças em bruto para ciclos de torneamento são


sempre apresentados em uma exibição 2D por motivos de clareza.

Modelo de torneamento
Um modelo de torneamento é definido com base em um contorno fechado e planar locali-
zado no plano X-Z do quadro de torneamento.
Verificação de colisão: se esta opção estiver selecionada, o suporte da ferramenta usada é
verificado permanentemente quanto a possíveis colisões em relação ao modelo de peça em
bruto atual (modelo de peça em bruto rastreado) e ao modelo de torneamento atual.

Abra a caixa de diálogo Área de torneamento. Especifique um nome e, se neces-


sário, um comentário para a área de torneamento.

Crie uma área de torneamento selecionando um contorno fechado.

Abra a caixa de diálogo Criar área de torneamento a partir do modelo para criar uma
área de torneamento de superfícies ou sólidos. Defina o quadro, a cor e a camada do con-
torno do torneamento.

Quadro para o eixo de torneamento


Selecione um quadro para o eixo de torneamento na lista.
Defina a Cor e a Camada do contorno de torneamento. Selecione Usar cores do modelo
para adotar as cores atuais a partir do modelo.