Você está na página 1de 26

Designação da UFCD.

Som/áudio - captação, registo e edição.

Código.
0145

Carga Horária.
50H

Objetivos.
Captar e editar áudio em plataforma digital utilizando software de captura
e edição de som.

Conteúdos.
1- Áudio digital.
2- Fontes de som.
3- Tratamento áudio.
4- Midi.
5-Master final.
ÁUDIO DIGITAL.

Som como elemento acústico e de comunicação.

A acústica é o ramo da física que estuda o som.

O som é o fenómeno de propagação de ondas longitudinais


ou transversais mecânicas, causado pelos mais diversos
objetos.

Essa propagação é feita através dos diferentes estados


físicos da matéria.

Meios de propagação.
Sólido - Líquido - Gasoso
O som não se propaga no vazio

A acústica está dividida entre:


- Geradores de som
-Meios de transmissão
-Propagação
-Receptores.
A acústica refere meios, cria instrumentos, tabelas, etc, por forma a fornecer os dados
necessários aos mais diversos ramos da ciência para a utilização dos sons, dos seus meios
de propagação e dos seus efeitos.
ÁUDIO DIGITAL.

Velocidade de propagação do som.

Um som transmite-se melhor em ambientes sólidos, do que em ambientes líquidos e final-


mente, em ambientes gasosos.

Quanto melhor for a transmissão de um som, maior é a velocidade do som nesse meio material.

A velocidade de propagação do som calcula-se dividindo a distância percorrida pelo tempo


que o som levou a percorrê-la.

v = distância percorrida
intervalo de tempo

v= d
Dt
ÁUDIO DIGITAL.

Frequências audiveis pelo homem.

Dependendo da fonte, as ondas sonoras podem apresentar diversas frequências:

Os seres humanos, só conseguem ouvir ondas sonoras cujas frequências estejam compreendi-
das entre 20 Hz e 20.000 Hz.

Ondas sonoras que possuem frequências abaixo de 20 Hz são denominadas INFRASSONONS e


as ondas que possuem frequências superiores a 20.000 Hz são denominadas ULTRASSONS.

Existem alguns animais, como os morcegos, os cães e os gatos, que possuem ouvidos sensíveis
aos ultrassons. Já os elefantes e os hipopótamos, possuem ouvidos sensíveis ao infrassom.
ÁUDIO DIGITAL.

Ondas sonoras.

As ondas sonoras no ar resultam da compressão e rarefacção alternada das partícu-


las do meio.
As ondas podem produzir-se de dois modos:

Ondas longitudinais – produzem-se quando se comprime e estica uma mola (origi-


nando zonas de compressão e de rarefacção).

Ondas transversais – produzem-se quando se oscila verticalmente a extremidade de


uma corda (originando cristas e vales)
ÁUDIO DIGITAL.

Ondas sonoras.

As ondas sonoras podem ser representadas por uma curva que indica a compressão e a rare-
facção das partículas do ar.

COMPRESSÃO

RAREFACCÇÃO

As ondas são caracterizadas por:

Comprimento de onda, l – distância mínima entre duas partículas com o mesmo


estado de vibração. (m)

Período, T – tempo de uma vibração completa. (s)

Frequência, f – número de vibrações por segundo. (Hz)

Amplitude, A – afastamento máximo em relação à posição de equilíbrio. (m)

Velocidade de propagação, v – distância percorrida pela onda num segundo. (m/s)


ÁUDIO DIGITAL.

Ondas sonoras.
ÁUDIO DIGITAL.

Ondas sonoras.

Quanto maior for o comprimento de onda, menor é a frequência de vibração.

v=λ×f
ÁUDIO DIGITAL.

Características do som.

ALTURA – Permite distinguir sons agudos de sons graves.


A altura do som está relacionada com a frequência das ondas sonoras.

GRAVES

MÉDIOS

AGUDOS

ATENÇÃO NÃO CONFUNDIR ALTURA DO SOM COM VOLUME DO SOM


ÁUDIO DIGITAL.

Características do som.

INTENSIDADE / VOLUME – Permite distinguir sons fortes de sons fracos.


A intensidade sonora está relacionada com a amplitude das ondas sonoras.

A intensidade sonora mede-se em dB (deciBell) e diminui à medida que a distância à


fonte sonora aumenta.

A intensidade sonora está associada à energia


transferida pelas ondas sonoras.

SOM FORTE – transporta mais energia e é ouvido a


grande distância da fonte sonora.
SOM FRACO – transporta menos energia e é ouvido
a pequena distância da fonte sonora.
ÁUDIO DIGITAL.

Características do som.

INTENSIDADE / VOLUME
ÁUDIO DIGITAL.

Características do som.

TIMBRE – permite distinguir sons com a mesma altura, intensidade e duração,


produzidos por fontes sonoras diferentes.

Um som puro é o som de um diapasão. Tem só uma frequência.


Um som complexo (nota musical) é constituído por ondas sonoras com uma mistu-
ra de diferentes frequências.
ÁUDIO DIGITAL.

Elemento de comunicação.
ÁUDIO DIGITAL.

Hardware para tratamento de som.

ESCOLHA DA PLACA DE SOM.


A escolha de uma placa de áudio é mais
simples do que à partida possamos imaginar,
tudo depende da utilização que pretendemos dar à placa.

Dois tipos de utilização possível:


- Home Studio
- Professional Studio

HOME STUDIO.
Para quem deseja fazer gravações para registo de ideias, com alguma qualidade,
existem alguns interfaces com dois canais passíveis de ser utilizados com baixo custo e
com uma qualidade superior à obtida quando comparado com a ligação directa ao
computador.
ÁUDIO DIGITAL.

Hardware para tratamento de som.


ESTILOS DE CONEXÕES.
ÁUDIO DIGITAL.

Hardware para tratamento de som.


IN & OUT
ÁUDIO DIGITAL.

Hardware para tratamento de som.

16 bits VS 24 bits.
Vamos falar sobre bit depth e sample rate e sobre a forma como estas se traduzem em
requisitos de armazenamento.

Quando eu me aventurei pela primeira vez em áudio digital,


era um mundo muito mais simples. Os produtos que
registavam e geravam áudio digital eram todos de 16 bits.

Os CD´s eram o principal método de distribuição de música, com um bit depth de 16


bits e uma sample rate de 44,1 kHz.

Aos poucos, os produtos começaram a aparecer com uma profundidade de bits maior -
uma "drum machine" de 18 bits passou para 20, depois apareceram processadores de
efeitos de 24 bits.

Os gravadores deram um salto para 24 bit!!


ÁUDIO DIGITAL.

Hardware para tratamento de som.

DEFINIÇÃO DE BIT DEPTH E SAMPLE RATE.


Primeiro estamos a falar de dados. Uns e zeros. Isso é o que estamos a criar!
É tudo um jogo de números. O que estamos a fazer é colocar os números num
formato que soe bem.

Bit Depht - refere-se ao número de bits capturado em áudio num determinado


momento.

A 16 bits de áudio, corresponde 65.536 níveis possíveis. Com cada bit de maior resolução, o
número de níveis duplica.
Para 24 bits, corresponde 16.777.216 níveis.

Lembre-se que estamos a falar de uma fatia de áudio congelada num único momento
do tempo.

Agora vamos falar sobre o nosso amigo TEMPO.


É aí que entra a Sample Rate. A taxa de amostragem é o número de vezes que o áudio é
medido (por amostra) por segundo.
ÁUDIO DIGITAL.

Funções áudio no sistema operativo Windows.

16 bits VS 24 bits.
Vamos falar sobre bit depth e sample rate e sobre a forma como estas se traduzem em
requisitos de armazenamento.

Quando eu me aventurei pela primeira vez em áudio digital,


era um mundo muito mais simples. Os produtos que
registavam e geravam áudio digital eram todos de 16 bits.

Os CD´s eram o principal método de distribuição de música, com um bit depth de 16


bits e uma sample rate de 44,1 kHz.

Aos poucos, os produtos começaram a aparecer com uma profundidade de bits maior -
uma "drum machine" de 18 bits passou para 20, depois apareceram processadores de
efeitos de 24 bits.

Os gravadores deram um salto para 24 bit!!

Você também pode gostar