Você está na página 1de 10

Access Consciusness ™ ferramentas:

Também auxília perguntar, sem o pod poc :

O que é isso?
O que faço com isso?
osso mudar isso?
Como mudo isso?
O que é realmente possí!el aqui?
"ue perguntas ten#o aqui?
"ue escol#as ten#o aqui?
"ue contribuiç$o posso ser e receber aqui?
O que mais é possí!el?

%stas perguntas
perguntas podem ser usadas em qualquer momento, principalmente
naqueles de d&!idas e que precisamos tra'er consci(ncia)

*eus sen+mentos o impedem de seguir sua consci(ncia?


 ossa ferramenta fa!orita neste m(s é uma pergunta simples para clarear
o camin#o para uma maior conscien+'aç$o-

.*e eu n$o +!esse sen+mentos sobre isso do que eu me tornaria


consciente .-
 /om dia
di a a todos) "uero ressaltar que sempre antes da seç$o lembrarem
de di'er em pensamento:
."ue contribuiç$o podemos ser um para o outro aqui? .

Aprendi com outro facilitador-% também t(m outras maneiras como:


."ue energia genera+!a meu corpo e o da 0fulana de tal1 podemos ser
uma contribuiç$o 2untos para correr este processo 0nome do processo1
com total facilidade alegria e gl3ria.-
 Anin#a 4/arra de Access:
5embrando que o Access tra' consci(ncia e isso t(m l6 na p6gina seis da
apos+la de /arras, onde consci(ncia é estar presente sem 2ulgar)
Assim sendo ,quando corremos barras, ou outros processos, estamos
mesmo es!a'iando, somos c#eios de barreiras, essas barreiras 0de maneira
simples de esclarecer1 cristali'am em n3s de tal forma que s$o como uma
.forma pensamento., uma en+dade, um outro ser em n3s, e este ao estar
saindo, d3i no 7sico, d6 sensaç$o de ansiedade, emoç8es desencontradas,
e também a !ontade de n$o fa'er mais, é algo t$o real 0parece1 ,que
ac#amos que somos isso- "uando na !erdade somos o sil(ncio, a
plenitude, e nem sabíamos- %nt$o quando !(m esses sen+mentos, c#amar
por consci(ncia-

Todos os pensamentos, sen+mentos, emoç8es calem4se agora por fa!or-


"uanto de consci(ncia eu ten#o?
Como tra'er consci(ncia?
Como me preenc#er de consci(ncia quando a sensaç$o de sen+mentos,
pensamentos e emoç8es, atrapal#am meu dia a dia 0ou essa secç$o1 ?
Tudo que isso se2a podemos destruir e descriar agora por fa!or? %m
deusil#8es de pedacin#os?
9ea##
C%/;T<C=A
 Anin#a 4/arra de Access: essoal, !e2a que pérola de texto-
>64l#e Access)))

 A ansiedade pode ser realmente um presente?

A ansiedade é muitas !e'es !ista como uma condiç$o debilitante- % se n$o


for? % se a ansiedade pode ser apro!eitada como uma possibilidade para
uma !ida plena ao in!és de uma condiç$o que precisa ser gerenciada?
A maioria das pessoas experimentou ansiedade em um ponto em suas
!idas-  um sen+mento de desconforto, uma inquietaç$o, uma sensaç$o
de preocupaç$o que, em casos extremos, pode le!ar a ataques de p@nico-
A ansiedade sempre !em com um componente 7sico como, aumento da
frequ(ncia cardíaca Balta de ar, aperto na 6rea do t3rax, transpiraç$o e s
!e'es n6useas-
O que a maioria das pessoas aprendeu a fa'er é interpretar os sintomas do
corpo- Dma !e' que eles experimentam desconforto, eles concluem que
de!e #a!er algo errado- Esso nunca l#e d6 a possibilidade de descobrir o
que est6 acontecendo !erdadeiramente com !oc( e seu corpo? Toda !e'
que !oc( determina que de!e #a!er algo errado, !oc( n$o pode além do
 2ulgamento nega+!o- >epois de começar a fa'er perguntas , !oc( tem a
possibilidade de se libertar- A crença comum é que se alguém entende o
que est6 acontecendo, ent$o a situaç$o pode ser controlada- ;as, o
controle 26 funcionou?
Controlar os sintomas do corpo ao tentar entender que raramente
funcionam- "uando !oc( tenta se li!rar da ansiedade, !oc( geralmente se
torna ainda mais ansioso- O que seria possí!el se !oc( n$o es+!er mais
controlando a ansiedade, mas us64la como uma força posi+!a em sua
!ida?

"ue presente pode ser a ansiedade?

>or e desconforto s3 s$o criados quando !oc( resiste o que est6


acontecendo- O que !oc( resiste persiste-
% se o que !oc( recon#ece como medo e ansiedade é algo totalmente
diferente do que !oc( interpretou?
F o início, o impulso é sempre combater a ansiedade e tentar li!rar4se
disso- Tudo o que !oc( defende contra, !oc( cria mais de-
F Comece permi+ndo que seu corpo atue- G6 em algum lugar, onde !oc(
tem o espaço para deixar seu corpo em qualquer estado em que é nesse
momento- ermiss$o é uma grande c#a!e para mudar) "uando !oc(
permite, !oc( n$o concorda e alin#a4se % !oc( n$o resiste e reage com o
que est6 acontecendo- Goc( d6 o espaço do corpo para ser-
F $o faça qualquer 2ulgamento nega+!o- $o interprete o que seu corpo
est6 fa'endo- Hespire fundo e Ique com seu corpo- Emagine que !oc( est6
cuidando de uma criança que est6 c#orando- "ue calma !oc( seria para
essa criança? Goc( poderia ser isso so'in#o?
F ergunte) .Corpo o que !oc( est6 me di'endo? "ue informaç8es !oc(
est6 me dando? .
*eu corpo est6 pegando tanta informaç$o o tempo todo- ergunte) . o
que est6 acontecendo é meu ,ou estou percebendo o que as outras
pessoas est$o sen+ndo?. >iga) .Tudo o que n$o é meu, !olte para o
remetente).
F *eu corpo est6 !i!o) =raças a >eus) O que parece medo e ansiedade na
!erdade é a !italidade do seu corpo- *eu corpo est6 l#e dando
informaç8es sobre o que est6 acontecendo ao seu redor sem parar-
"uando !oc( di' que é medo, !oc( n$o cria nada além do medo- *eu
ponto de !ista cria sua realidade-
F %m !e' de resis+r  informaç$o que seu corpo est6 l#e dando, !oc( pode
us64lo) "uando !oc( est6 falando em p&blico e sente ansiedade em seu
corpo, é sua consci(ncia que est6 dando início- O que !oc( c#ama de
medo, é o que !oc( con#ece naquela situaç$o- "uantas pessoas falam em
p&blico pensando: .O#, meu >eus, estou t$o feli' que n$o ten#o que ser o
&nico que est6 falando no palco agora, eu morreria de medo). % !oc( é o
&nico a escol#er essa informaç$o e a fa'er isso *ua-
F Dse a ansiedade) A ansiedade é a !italidade- Com que frequ(ncia !oc(
foi con!idado a ter cuidado quando criança e foi confortado com pala!ras
como .$o ten#a medo)., "uando !oc( esta!a excitado- Goc( aprendeu a
combinar a Isiologia da alegria e da excitaç$o com a interpretaç$o da
ansiedade- "uando !oc( permite a !italidade, toda a sua !ida pode se
expandir- Goc( estaria disposto a usar essa energia para contribuir com
!oc( em !e' de control64la? *e !oc( n$o mais interpret64lo, mas use essa
energia como a !italidade que é, quanto mais energia !oc( teria disponí!el
em sua !ida, seu corpo, suas Inanças, seus relacionamentos? *e !oc( n$o
controla mais, qu$o alegre e relaxado !oc( poderia ser?
"ue alegria e emoç$o est$o l6 para !oc( descobrir além do que !oc(
c#amou de ansiedade? %stes s$o os presentes que seu corpo começar6 a
iden+Icar-
*usanna ;iJermaier é uma psic3loga clínica e um Bacilitador de
Consci(ncia de Go' K Acesso >ireito- Dm autor de best4seller e palestrante
mundial, ela também é a fundadora da sicologia ragm6+ca-
 Anin#a 4/arra de Access:  e o 2ulgamento também é desaIador)
O que é um ponto de !ista?
o que baseio meu 2ulgamento?
Como mel#orar isso?
 *im---podemos 2ulgamento se for pensar ele est6 até na roupa q !c
escol#e pra ir trabal#ar, pra o !alor q !c de!e cobrar na sess$o-- é algo
presente tanto do lado bom "to do lado mal né-- Galores --
"to escol#i ser #onesto ou desonesto--
Lulgo até a pergunta q faço pra ser mais adequada e eIca' --- é o
;atrix--quem sai disso?
%scol#er sen+r e 2ulgamento tb rsrs

 Anin#a 4/arra de Access:


 Adriana, em partes até concordo quando era meu an+go eu- A Access me
trouxe uma consci(ncia, diferente de muitos ensinamentos- T(m muitos
li!ros legais da Access e materiais na internet, quando começamos a
funcionar a par+r do perceber, saber, ser e receber, !c 26 n$o est6 mais na
;atrix, e também n$o !ai se importar com o que est$o pensando de !c, !c
muda muito----é realmente aquelq frase do >r->ain .e se eu es+!er me
di!er+ndo de mais para me importar com 2ulgamentos?.-
Goc( compra as ideias do Access se quiser, este é um ensinamento li!re,
total siga a energia do seu saber e permita, que a permiss$o que l#e trar6
consci(ncia- %stou gostando muito dessa clare'a que aqui t(m, sim muitos
outros ensinamentos tra'em tudo isso, o dinamismo do Access que me
surpreende e sim eu comprei essa ideia-
% cada !e' que percebo que deixem de ser o obser!ador, me pergunto .o
que é isso? .
.Como ter mais consci(ncia aqui? .-
 um treinamento) ;uito di!er+do)
O que mais é possí!el?
 Hodrigo >DHAT%: /C%%;Cs é como !oc( di!ide seu corpo em partes
que n$o consegue controlar- %xiste o corpo 7sico, o corpo mental, o corpo
emocional, o corpo 6urico, o corpo etérico, o corpo Matérico, o corpo
metatérico, o corpo astral, o corpo fantasma, o corpo de lu', o corpo
celes+al, o corpo magné+co, o corpo causal e todos os outros:

6 outros +pos de corpos n$o enumerados aqui- Cada um desses foi


explantado para nos controlar, dominar e manipular- A par+r de agora nos
referimos a todos esses como /C%%;Cs-

"uando os /C%%;CNs est$o funcionando, !oc( ter6 todos esses lugares


onde !( os /C%%;CNs ou percebe os /C%%;CNs como tendo um ponto
de !ista em par+cular- $o necessariamente, mas é o que !oc( comprou
como !erdadeiro, o que !oc( requisita a si mesmo ser-

/C%%;Cs signiIca:

 /odies 0corpos1 P tudo a par+r do G do pescoço para baixo- Os


corpos s$o a forma 7sica-

 eads 0cabeças1 P tudo a par+r do G do pescoço para cima-  o


ponto de !ista que !oc( pensa que tem que ter sobre quem !oc( pensa
ser-  a série de pontos de !ista que !oc( usa para deInir quem !oc( é---
n$o é a realidade-

 Countenances 0feiç8es1 P tudo que !oc( mostra ao mundo e tudo


que !oc( esconde dele, assim como tudo de !alor que esconde de si
mesmo- Dma feiç$o é quando alguém mostra ao mundo uma certa face e
mostra a outra pessoa uma face diferente-

 %ndoQments 0dotes1 P aquilo com o qual !eio  !ida, como cor de


cabelo, cor dos ol#os, e as coisas que tenta tornar reais que nem mesmo
s$o reais- $o se refere somente ao taman#o das partes do seu corpo-
 %ndea!ors 0esforços1 P tudo que acreditamos ter de fa'er para
pro!armos que exis+mos- Os esforços s$o as coisas que !oc( se esforça ou
luta para alcançar ou obter- As coisas que !oc( se empen#a para se tornar,
se empen#a para ser, se empen#a para ter- % se !oc( n$o +!esse de pro!ar
que existe?

 ;atrices 0matri'es1 P s$o todos os lugares em que !oc( est6


trancado nesta realidade, como se esta realidade fosse tudo que existe-  a
ilus$o das realidades que gostamos e compramos- As matri'es s$o as
coisas que l#e mant(m numa faixa !ibracional especíIca P como R$o saia
muito fora da caixa-S Goc( precisa se assegurar de que Icar6 dentro da
caixa- A matri' é a realidade contextual-

 Categoricals 0categ3ricos1 P todas as maneiras em que


categori'amos e pro!amos o correto em nossos pontos de !ista- Os
categ3ricos s$o as categorias a par+r das quais funcionamos na !ida-
Algumas pessoas funcionam a par+r da triste'a- Algumas pessoas
funcionam a par+r de seus pensamentos, como por exemplo, RAinda n$o
dissequei nem assimilei isso apropriadamente- ortanto, n$o !ou soltar
isso porque a min#a mente ainda n$o te!e a c#ance de digerir-S % existem
todos os outros +pos-

Todos esses aspectos afetam seu corpo e como ele aparece aqui agora-

%ssas 6reas também est$o sendo limpas atra!és do processo das /arras- As
/arras começam a eliminar os lugares onde !oc( trancou aquilo, como se
fosse a &nica escol#a- A grande coisa a respeito das /arras é que começam
a l#e dar a conscien+'aç$o da escol#a que é realmente possí!el-

 isso mesmo-  !c falando com esta parte sua- .%u que sou os b#ceems.
 Hodrigo >DHAT%: %u acredito no =ar--- mas Ico curioso e tento
entender em portugues tb- %m muitos casos eles sugerem que façamos
em mais de uma lingua, como no mantra da Access por exemplo- All of life
comes to me Qit# ease, 2o and glor-
 Hodrigo >DHAT%: $o sei se este em especial tem quan+dade deInida,
alguns ele pede UV x por dia por UV dias- Alguns eu gra!o com min#a !o' e
coloco para ou!ir no repeat por UV minutos ou W #ora, durante uma
meditaç$o ou um coc#ilo- >essa forma costumo sen+r resultados  par+r
do UX dia-
 Hodrigo >DHAT%: Tal como recebi---

o!os processos !erbais por =ar >ouglas

Y#o are ou /C%%;CNsN?


Trut# Q#o are ou?
And trut#, Q#o are ou before t#at?
trut#, Q#o are ou before t#at?
trut#, Q#o are ou before t#at?
trut#, Q#o are ou before t#at?
trut#, Q#o are ou before t#at?
and trut# Q#o ou Qill be in t#e future?
%!ert#ing t#at is, ou Qill destro and uncreate it all? Hig#t and Qrong,
good and bad, O> and OC, all <, s#orts, bos and beonds-

All t#e magne+c imprin+ngs t#at t#e Z/ecamexZ Qere in our bod Qill ou
destro and uncreate it All?
Hig#t and Qrong, good and bad, O> and OC, all <, s#orts, bos and
beonds-

Y#at do ou MnoQ #oQ to be or do Qit# our bod and for our bod t#at
ouZ!e ne!er #ad to do or be, because t#e /C%%;CZs did it for ou?
%!ert#ing t#at is, Qill ou destro and uncreate it all? Hig#t and Qrong,
good and bad, O> and OC, all <, s#orts, bos and beonds-

Y#at energ space and consciousness can E be t#at Qould alloQ me and
m bod to create toget#er Qit# total ease? %!ert#ing doesnZt alloQ t#at,
Qill ou destro and uncreate it all? Hig#t and Qrong, good and bad, O>
and OC, all <, s#orts, bos and beonds-

/od, Q#at can Qe be or do to c#ange t#is?


 Hodrigo >DHAT%: %nt$o é assim, nos 6udios e li!ros eles escre!em e

perguntam para n3s, quando n3s fa'emos para n3s mesmos podemos
falar diretamente na primeira pessoa sem perguntar se !amos destruir e
descriar, mas diretamente .eu destruo e descrio isso agora.
 Tal como recebi---

o!os processos !erbais por =ar >ouglas

Y#o Qere ou /C%%;CNsN?


Trut# Q#o are ou?
And trut#, Q#o Qere ou before t#at?
trut#, Q#o Qere ou before t#at?
trut#, Q#o Qere ou before t#at?
trut#, Q#o Qere ou before t#at?
trut#, Q#o Qere ou before t#at?
and trut# Q#o ou Qill be in t#e future?
%!ert#ing t#at is, ou Qill destro and uncreate it all? Hig#t and Qrong,
good and bad, O> and OC, all <, s#orts, bos and beonds-

All t#e magne+c imprin+ngs t#at t#e /C%%;CZs Qere in our bod Qill
ou destro and uncreate it All?
Hig#t and Qrong, good and bad, O> and OC, all <, s#orts, bos and
beonds-

Y#at do ou MnoQ #oQ to be or do Qit# our bod and for our bod t#at
ouZ!e ne!er #ad to do or be, because t#e /C%%;CZs did it for ou?
%!ert#ing t#at is, Qill ou destro and uncreate it all? Hig#t and Qrong,
good and bad, O> and OC, all <, s#orts, bos and beonds-

Y#at energ space and consciousness can E be t#at Qould alloQ me and
m bod to create toget#er Qit# total ease? %!ert#ing doesnZt alloQ t#at,
Qill ou destro and uncreate it all? Hig#t and Qrong, good and bad, O>
and OC, all <, s#orts, bos and beonds-

/od, Q#at can Qe be or do to c#ange t#is?