Você está na página 1de 6

PROPRIEDADES E VISÃO GERAL DAS RESPOSTAS IMUNES

A resposta imune trata-se da reação aos componentes de microrganismos, bem como a


macromoléculas, tais como proteínas e polissacáridos, e pequenos agentes químicos que são
reconhecidos como estranhos, independentemente da consequência fisiológica ou patológica
de tal reação. Sob certas situações, mesmo moléculas próprias podem desencadear respostas
imunes (as chamadas doenças autoimunes).

IMUNIDADE INATA E ADAPTATIVA


A defesa contra microrganismos é mediada pelas reações iniciais da imunidade inata e pelas
respostas tardias da imunidade adaptativa.

A imunidade inata (também denominada imunidade natural ou nativa) fornece a primeira linha
de defesa contra microrganismos. consiste em mecanismos de defesa celulares e bioquímicos
que reagem aos produtos dos microrganismos e células lesionadas, e elas respondem
essencialmente da mesma forma para exposições repetidas. Os mecanismos da imunidade inata
são específicos para estruturas que são comuns a grupos de microrganismos relacionados e
podem não distinguir pequenas diferenças entre os microrganismos. Os principais componentes
da imunidade inata são:

 barreiras físicas e químicas, tais como epitélio e agentes antimicrobianos produzidos nas
superfícies epiteliais;
 células fagocíticas (neutrófilos, macrófagos), células dendríticas e células assassinas
naturais (NK, do inglês natural killer) e outras células linfoides;
 proteínas sanguíneas, incluindo membros do sistema complemento e outros
mediadores da inflamação.

A imunidade adaptativa (/adquirida/específica) reconhece e reage a um grande número de


substâncias microbianas e não microbianas. As características que definem a imunidade
adaptativa são a habilidade de distinguir entre diferentes substâncias (especificidade), a
habilidade de responder mais vigorosamente a exposições repetidas ao mesmo microrganismo
(memória). Os componentes exclusivos da imunidade adaptativa são células denominadas
linfócitos e os seus produtos secretados, tais como anticorpos. Substâncias estranhas que
induzem as respostas imunes específicas ou são reconhecidas pelos linfócitos ou anticorpos
chamam-se antígenos.

Citocinas

Grande grupo de proteínas secretadas que regulam e coordenam muitas atividades das células
da imunidade inata e adaptativa. Todas as células do sistema imune secretam, pelo menos,
algumas citocinas e expressam receptores específicos de sinalização para várias citocinas.

Funções:
 Crescimento e diferenciação de todas as células imunes
 Ativação de funções efetoras dos linfócitos e fagócitos
 Movimento direcionado de células imunes do sangue para os tecidos e dentro dos
tecidos
Quimiocinas: grande subgrupo de citocinas q regulam a migração e o mov cel.

Os mecanismos da imunidade inata fornecem defesa inicial efetiva contra infeções. Entretanto,
muitos microrganismos patogênicos evoluíram para resistir à imunidade inata e sua eliminação
necessita dos mecanismos mais potentes da imunidade adaptativa. A resposta imune inata aos
microrganismos estimula as respostas imunes adaptativas e influencia a natureza das respostas
adaptativas. Por outro lado, as respostas imunes adaptativas frequentemente trabalham
aumentando os mecanismos protetores da imunidade inata, tornando-os mais capazes de
combater efetivamente os microrganismos patogénicos.

TIPOS DE RESPOSTAS IMUNES ADAPTATIVAS


Imunidade humoral

Mediada por moléculas no sangue e secreções mucosas, denominadas anticorpos, que são
produzidos pelos linfócitos B. Os anticorpos reconhecem os antigénios microbianos,
neutralizam-nos e provocam a sua eliminação por vários mecanismos efetores. A imunidade
humoral é o principal mecanismo de defesa contra microrganismos extracelulares e as suas
toxinas, porque os anticorpos secretados podem ligar-se a esses microrganismos e toxinas e
auxiliar na sua eliminação. Os próprios anticorpos são especializados e podem ativar diferentes
mecanismos para combater os microrganismos (mecanismos efetores).

Imunidade mediada por cél

Mediada pelos linfócitos T. Os microrganismos intracelulares, tais como vírus e algumas


bactérias, sobrevivem e proliferam dentro dos fagócitos e outras células do hospedeiro. A
imunidade celular promove a destruição de microrganismos que residem nos fagócitos ou a
morte das células infetadas para eliminar reservatórios de infeção. Alguns linfócitos T também
contribuem para a erradicação de microrganismos extracelulares por meio do recrutamento de
leucócitos que destroem esses patógenos e auxiliando as células B na produção efetiva de
anticorpos.
A imunidade protetora contra um microrganismo normalmente é induzida pela resposta do
hospedeiro ao microrganismo. A forma de imunidade que é induzida pela exposição a um
antigénio estranho é chamada de imunidade ativa, porque o indivíduo imunizado tem papel
ativo na resposta ao antigénio. Indivíduos e linfócitos que não encontraram um antigénio
particular são ditos como sendo inativos (imaturos ou naïve), implicando que eles são
imunologicamente inexperientes. Indivíduos que responderam a um antígeno microbiano e são
protegidos de exposições subsequentes àquele microrganismo são tidos como imunes.

A imunidade também pode ser conferida a um indivíduo pela transferência de soro ou


linfócitos de um indivíduo especificamente imunizado em situações experimentais, um
processo conhecido como transferência adaptativa. O recebedor de tal transferência se torna
imune a um antígeno particular sem nunca ter sido exposto ou ter respondido àquele
antígeno. Portanto, esta forma de imunização é chamada de imunidade passiva. A imunidade
passiva é um método útil para conferir rapidamente resistência, sem ter que esperar pelo
desenvolvimento de uma resposta imune.

Ex: transferência de anticorpos maternos através da placenta para o feto, o que permite aos
recém-nascidos o combate a infeções antes de eles próprios desenvolverem a habilidade de
produzir anticorpos.

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DAS RESPOSTAS IMUNES ADAPTATIVAS


Características Significância funcional
Garante que a resposta imune a um microrganismo (ou antígeno não
microbiano) é direcionada àquele microrganismo (ou antígeno).
As partes dos antígenos que são especificamente reconhecidas por
Especificidade
linfócitos individuais são denominadas determinantes ou epítopos. Os
linfócitos individuais expressam recetores de membrana que podem
distinguir sutis diferenças na estrutura entre epítopos distintos.
Permite que o sistema imune responda a uma grande variedade de
Diversidade antígenos. Isto deve-se à variabilidade nos recetores para antigénios em
distintos clones de céls B e T.
Aumenta a habilidade no combate a infeções repetidas pelo mesmo
microrganismo (respostas imunes secundárias) - respostas maiores e mais
rápidas. A memória imunológica ocorre porque cd exposição a um
Memória antígeno gera células de memória de vida longa e específicas para aquele
antígeno, e são mais numerosas e mais eficientes (ex: anticorpos com
maior afinidade) do que os linfócitos imaturos específicos para o antígeno
que não foram previamente expostos ao antígeno.
Expressão Aumenta o número de linfócitos específicos para antígeno para manter
clonal equilíbrio com microrganismos.
Gera respostas que são ótimas para a defesa contra diferentes tipos de
Especialização
microrganismos.
Permite que o sistema volte ao estado de repouso após eliminar cada
antígeno estranho e esteja preparado para responder a outros antígenos.
Contração e
Todas as respostas imunes normais diminuem com o tempo após a
homeostasia
estimulação pelo antígeno, retornando, assim, ao seu estado de repouso
basal.
Previne a lesão ao hospedeiro durante as respostas aos antígenos
Não reatividade
estranhos. A tolerância é vital para a prevenção de reações prejudiciais
ao próprio
contra as próprias células e tecidos.

COMPONENTES CELULARES DO SISTEMA IMUNE ADAPTATIVO


As principais células do sistema imune adaptativo são linfócitos, células apresentadoras de
antígenos e células efetoras.

Linfócitos:

 reconhecem e respondem a antígenos estranhos (mediadores da imunidade humoral e


celular)
 Linfócitos B – mediadores da imunidade humoral
o Únicas céls capazes de produzir anticorpos
o Reconhecimento de antigénios extracel solúveis  diferenciação em
plasmócitos secretores de anticorpos
 Linfócitos T – mediadores de imunidade cel
o Reconhecem os antigénios dos mo intracel, ligados ao MHC (mas ñ antigénios
solúveis)
o Auxiliam os fagócitos a destruir esses mo ou matam as céls infetadas
o Céls T auxiliares
o Linf T citotóxicos
o Céls T regulatórias

Céls apresentadoras de antigénios: capturam os antigénios e apresentam-nos aos linfócitos


específicos. As APCs mais especializadas são as células dendríticas, que capturam antígenos
microbianos que se originam do ambiente externo, transportam seus antígenos aos órgãos
linfoides e apresentam os antígenos aos linfócitos T imaturos para iniciar as respostas imunes.

Céls efetoras: linfócitos T ativados, fagócitos mononucleares e outros leucócitos.

Linfócitos e APCs são concentrados em órgãos linfoides anatomicamente discretos, onde eles
interagem uns com os outros para iniciar as respostas imunes. Os linfócitos também estão
presentes no sangue; do sangue, eles podem recircular através dos tecidos linfoides e voltar aos
tecidos periféricos para os locais de exposição do antígeno para eliminar este antígeno.
VISÃO GERAL DAS RESPOSTAS IMUNES AOS MICRORGANISMOS
A Resposta Imune Inata Inicial aos Microrganismos
 Bloqueia a entrada de microrganismos e elimina ou limita o crescimento de muitos
microrganismos que são capazes de colonizar os tecidos.
 Barreira epitelial para prevenir a entrada de mo a partir do meio ambiente externo na
pele, pulmões e tratos gastrintestinal e respiratório.
 Inflamação
o processo de recrutamento de leucócitos (++ fagócitos, neutrófilos e monócitos)
e proteínas plasmáticas do sangue, a sua acumulação nos tecidos e a sua
ativação para destruir os mo
o muitas dessas reações envolvem citocinas que são produzidas pelas células
dendríticas, macrófagos e outros tipos de células durante as reações imunes
inatas
 Defesa antiviral
o reação mediada por citocina na qual as células adquirem resistência às infeções
virais e morte das células infetadas por vírus pelas células especializadas do
sistema imune inato, as células NK

A Resposta Imune Adaptativa


O sistema imune adaptativo utiliza três principais estratégias para combater a maioria dos
microrganismos:
 anticorpos - os anticorpos secretados ligam-se aos mo extracel, bloqueiam a sua
habilidade de infetar as céls do hospedeiro e promovem a sua ingestão e subsequente
destruição pelos fagócitos.
 fagocitose - os fagócitos ingerem os microrganismos e matam-nos, e os anticorpos e
células T auxiliares aumentam as habilidades microbicidas dos fagócitos.
 morte celular - os linfócitos T citotóxicos (CTLs) destroem as células infetadas pelos mo
que são inacessíveis aos anticorpos e à destruição fagocítica.