Você está na página 1de 1

12 //SOCIEDADE JORNAL DE NOTÍCIAS

DOMINGO 10/11/13

HENRIQUES DA CUNHA / GLOBAL IMAGENS


COMO NASCEU O SPEAK SOCIAL

Um grupo de amigos que queria mudar a sociedade


A Associação Fazer Avançar, com sede em Leiria, nasceu
há cinco anos, no seio de um grupo de amigos que acre-
dita “na motivação e capacidade dos jovens” como fato-
res diferenciadores para uma mudança real da socieda-
de, refere Raul Testa, diretor de comunicação e marketing.
Atualmente, a associação conta com um corpo de 60 vo-
luntários, que asseguram o desenvolvimento de quatro pro-
jetos-base. Além do Speak, trabalham no Happiness Club,
que promove ações de rua e outras atividades destina-
das a provocar sorrisos e boa disposição nos cidadãos; no
Faz-te à Vida, uma mini-incubadora de apoio às ideias e
projetos dos jovens; e no Eu Desportivo, que divulga as
modalidades desportivas menos conhecidas junto dos mais
novos e tem como objetivo final assegurar que nenhuma
criança de Leiria deixe de praticar desporto. F.P.
Fátima Elhenshiri, egípcia criada na Líbia, ensinava, na quarta-feira à noite, Árabe a uma turma de dez alunos
Francisco Pedro se conjugam as vogais curtas cidiu criar também o Speak
sociedade@jn.pt e longas, a uma turma de 10 Pro, que é pago, mas oferece
alunos. A professora voluntá- um nível de ensino m ais
ria, auxiliada pelo marido, da avançado e ajuda a suportar
O Speak Social, dinamiza- Guiné-Bissau, transborda en- os custos da versão social.
do em Leiria pela Associa- tusiasmo. Ensina o idioma, Neste semestre, o Speak
ção Fazer Avançar (AFA), revela pormenores da cultu- Social é frequentado por 140
assegura aulas grátis de ra e aproveita para aperfei- alunos, com idades entre os
uma dezena de idiomas e, çoar o seu Português. 18 e 83 anos, distribuídos por
em pouco mais de um ano, Esta partilha de conheci- turmas inscritas em 10 idio-

Voluntários já ensinou línguas e cultu-


ras a mais de 800 alunos.
mentos entre docentes e alu-
nos é um dos pontos fulcrais
da iniciativa, premiada já a
mas – Alemão, Árabe, Espa-
nhol, Francês, Inglês, Italia-
no, Mandarim, Polaco, Por-

É
um dos primeiros nível internacional. “Com o tuguês e Russo. As aulas, com
negócios sociais do atrativo das línguas, o Speak duração de uma hora, decor-

ensinam
país, está a crescer Social consegue quebrar bar- rem uma vez por semana, em
de ano para ano, e reiras sociais e criar amizades horário pós-laboral. Os estu-
em breve poderá estender-se entre formadores e forman- dantes apenas pagam uma
a outras cidades do território dos, contribuindo para a ver- joia de inscrição de oito eu-
nacional. O segredo do Speak dadeira integração social”, ros, para os responsabilizar.

línguas à borla
Social está no voluntariado. explica Eduardo Amorim, “É bom saber que podemos
Quarta-feira, 21.30 horas. coordenador do projeto. ensinar qualquer coisa, com-
Na pequena sala do Centro O conceito inovador surgiu preender as diferenças cultu-
Cívico de Leiria, povoada de em fevereiro de 2012, fruto rais e cumprir o nosso dever
fotografias e frases de Eça de de uma experiência-piloto, como cidadãos, dando algo de
Queirós, revê-se o alfabeto que contemplava apenas a nós aos outros”, sintetiza a
árabe. Com a cabeça coberta dimensão de intercâmbio mexicana Lizete Garcia, 31
pelo típico lenço muçulma- cultural e linguístico. Com o anos, a viver há 10 anos em
vSpeak Social, em Leiria, conta hoje com 140 alunos no, Fátima Elhenshiri, 45 aumento da procura e a ne- Portugal e a experimentar
vSegredo do sucesso deste projeto reconhecido anos, nascida no Egito mas cessidade de tornar o serviço pela primeira vez o ensino do
criada na Líbia, explica como autossustentável, a AFA de- Espanhol. v
internacionalmente está na rede de voluntariado
TRÊS HISTÓRIAS //NA PRIMEIRA PESSOA
Sara Castelão, 31 anos, as- A oportunidade de aprender Licenciada em Tradução,
sistente social, tem um fas- uma língua estrangeira sem Marisa Lopes, 29 anos e
cínio pela cultura muçulma- custos e de forma descon- residente em Leiria, sem-
na e há muito anseia visitar traída cativou José Gonçalo. pre nutriu grande interesse
Marrocos. Sabendo deste O engenheiro mecânico, re- pelos diferentes idiomas e
seu gosto, uma amiga ins- sidente na Nazaré, inscre- pela troca de culturas. Há
creveu-a, “por brincadeira”, veu-se no Speak Social, pela dois anos ofereceu-se
nas aulas de Árabe. Fre- primeira vez, para aprender como voluntária para dar
quentou o primeiro semes- Francês. Gostou tanto “do aulas de Alemão. Sente-se
tre, gostou, mas não atingiu conceito e da qualidade” do motivada e muito apoiada
os objetivos a que se tinha trabalho desenvolvido pelos pelos restantes docentes e
proposto. Voltou para o se- professores voluntários que procura arranjar temas in-
Sara Castelão gundo semestre, convenceu José Gonçalo voltou a frequentar as aulas Marisa Lopes teressantes e atuais para
31 ANOS, ASSISTENTE SOCIAL outros amigos a inscreve- 34 ANOS, ENG. MECÂNICO em Leiria, mas desta vez 29 ANOS, ADMINISTRATIVA tornar as aulas mais inte-
ALUNA DE ÁRABE rem-se e está a adorar: ESTUDANTE DE ALEMÃO para estudar Alemão. “É um PROF. VOLUNTÁRIA DE ALEMÃO ressantes. “Todos fazemos
“Este é um modelo com primeiro contacto com a lín- isto com muito gosto”, diz a
“MODELO COM muita dinâmica e abertura,
que permite aprender a lín-
“CONTACTO COM gua muito interessante e
saímos daqui com conheci-
“TODOS FAZEMOS jovem, salientando os re-
sultados positivos alcança-
MUITA DINÂMICA gua, mas também muito da A LÍNGUA MUITO mentos linguísticos e cultu- ISTO COM dos com este método de
E ABERTURA” cultura árabe”. F.P. INTERESSANTE” rais”, afirma. F.P. MUITO GOSTO” ensino. F.P.

Você também pode gostar