Você está na página 1de 9

Contabilidade Financeira II

Estudo das Contas da Classe VI-Gastos e Perdas (i)


Tema II: Estudo das Contas da Classe VI – Gastos e Perdas (1)
 Conceitos e generalidades
 Divisionárias
 Movimentação
 Exemplos práticos

Conceitos de Gastos e Perdas


Constituem gastos e perdas os sacrifícios ou aplicação de bens/serviços que a empresa realize
durante a sua actividade normal (operacional) com o objectivo de produzir rendimentos (receitas).
Também fazem parte desta classe, as perdas e prejuizos eventuais que possam ter lugar durante o
exercício. Tanto os gastos como as perdas reduzem o valor do património.

São exemplos de gastos e perdas, a aplicação de matérias-primas no processo de produção, os


encargos com salários, a saída de mercadorias para venda, perdas por sinistros, desvalorização
monetária, juros sobre empréstimos obtidos, entre outros.

Contas da classe VI- Gastos e Perdas (2º grau)


6.1 Custo dos inventários
6.2 Gastos com o pessoal
6.3 Fornecimentos e serviços de terceiros
6.4 Perdas por imparidade do período
6.5 Amortizações do período
6.6 Provisões do período
6.7 Perdas por redução do justo valor
6.8 Outros gastos e perdas operacionais
6.9 Gastos e perdas financeiros

Descrição e Movimentação das Contas 6.1- Custo dos Inventários Vendidos ou Consumidos, 6.2-
Gastos com Pessoal e 6.3- Forn. e Serviços de Terceiros- Exemplos Ilustrativos

Conta 61- Custo dos Inventários Vendidos ou Consumidos


Serve de contrapartida à saída das existências nela enumeradas que sejam vendidas ou incorporadas
no processo produtivo. Será movimentada pelas saídas ocorridas durante o ano como segue se for
utilizado o inventário permanente, ou poderá ser movimentada somente no fim do ano se for utilizado
o inventário periódico ou intermitente.

 Sistema de Inventário Permanente


No primeiro caso, esta conta, debita-se pela por contrapartida das contas 22 – Mercadorias ou 26 –
Matérias - Primas, auxiliares e materiais ou outras contas de inventários (conforme o caso) e credita-
se por contrapartida da conta 81 – Resultados Operacionais, pela transferência dos gastos para
resultados aquando do encerramento do exercício.

2|P á g i n a
Exemplo nº 1
Suponha que uma determinada empresa que comercializa a mercadoria “M3” e que utiliza o critério
FIFO para a valorização dos seus stocks à saida do armazém, tinha em Março de N stock, 800
unidades de mercadorias, avaliadas em 195,00/cada.

Durante o mês de Abril/N, a referida empresa realizou as seguintes operações com os seus
inventários:

 Dia 5: Compra de 5.000 unidades a 200,00/cada + 17% de IVA e despesas de trabasporte no valor
de 100.000,00.
 Dia 11: Venda de mercadoria 3.500 unidades a 300,00/cada + 17% de IVA.
 Dia 22: Compra de 7.500 unidades a 350,00/cada +17% IVA mais despesas de transporte no valor
de 250.000,00.
 Dia 28: Venda de 5.000 unidades a 450,00/cada +17% IVA.

Considerando todas as compras e vendas a prazo, pede-se:


a) Preenchimento da ficha de armazém.
b) Registo no diario da empresa das operações atrás descritas.
c) Apuramento do custo de vendas do mês.
d) Apuramento do IVA do mês.
e) Apuramento resultado bruto das vendas do mês de Abril/N.

 Sistema de Inventário Intermitente ou Periodico


No caso em que a empresa escolha utilizar o sistema de inventário intermitente ou periodico, a conta
6.1- Custos dos inventários vendidos ou consumidos é movimentada no fim do exercicio, pela
transferência dos saldos iniciais da conta 22- mecadorias/26- matérias-primas, auxiliariais e materiais
(conforme), 21- compras, subtraídos os respectivos inventários finais apurados por contagem física.

Assim, o apuramento do valor da 61- Custo de inventários vendidos ou consumidos é feito utilizando
a seguinte formula:
CIVC = EI + CL - EF
Custo de Inv. Vendidos Existências no Compras Líquidas Existências no
ou consumidos Início do Período do Período Fim do Período
61 = 22 + 21 - 22

Assim, no final do periodo, esta será um movimento semelhante ao caso anterior, ou seja, sera
debitada por contrapartida das contas 21- compras e 22- mercadorias (inventário inicial) e, fixando o
inventário final das existências e credita-se por contrapartida da conta 81 – Resultados Operacionais,
pela transferência dos gastos para resultados aquando do encerramento do exercício

Exemplo nº 2
Considere que a empresa referida no caso anterior utilize o SII (sistema de inventário periódico ou
intermitente) para a avaliação de seus stocks à saída do armazém e que durante o mesmo exercício
apresente os seguintes saldos nas contas do balancete do razão:
 Saldo inicial das mercadorias 750.000,00
 Compras totais do periodo 1.200.000,00+17% IVA
 Vendas do periodo 2.750.000,00+ 17% IVA
 Saldo no final do periodo 350.000,00

Considerando todas as compras e vendas a prazo, pede-se:


3|P á g i n a
a) Registo no diario da empresa das operações atrás descritas.
b) Apuramento do custo de vendas do mês.
c) Apuramento do IVA do mês.
d) Apuramento resultado bruto das vendas do mês de Abril/N.

As Subcontas da Conta 6.1- Custos dos Inventários Vendidos ou Consumidos


 6.1.1 Custo dos inventários vendidos ou consumidos
 6.1.1.2 De mercadorias
 6.1.1.6 De matérias primas, auxiliares e materiais
 6.1.1.6.1 Matérias primas
 6.1.1.6.2 Matérias auxiliares
 6.1.1.6.3 Materiais
 6.1.1.7 Activos biológicos
 6.1.2 Variação da produção
 6.1.2.1 Produtos acabados e intermédios
 6.1.2.2 Subprodutos, desperdícios, resíduos e refugos
 6.1.2.3 Produtos e serviços em curso

Conta 6.2 – Gastos com o Pessoal


Registam-se nesta conta todas as remunerações, de carácter fixo e periódico, atribuídas ao aparelho
humano da empresa (dirigentes e trabalhadores), bem como os encargos sociais da conta empresa
(parte patronal) e os gastos de carácter social, obrigatórios e facultativos. Engloba também os seguros
relativoss ao pessoal como seja o caso de seguros dos ramos de vida, acidentes no trabalho e doenças
profissionais assim como seguros que garantam o benefício de reforma, invalidez ou sobrevivência.

 Movimentação Genérica da Conta


Normalmente, esta conta debita-se pelo processamento de salários e outros encargos com o pessoal,
por contrapartida das contas 462- pessoal, 463- sindicatos, 442- impostos retidos na fonte e 449-
contribuições para o INSS (conforme os encargos suportados pela empresa). E credita-se por
contrapartida da conta 81 – Resultados Operacionais, pela transferência dos gastos para resultados
aquando do encerramento do exercício

Para maior elucidação do exposto anteriormente, veja o exemplo seguinte:

Exemplo nº 3
Considere a seguinte folha de salários de Agosto de N, duma determinada empresa do ramo de
serviços.
 Valor nominal total (base) 400.000,00
 IRPS (retenção na fonte) 10.0%
 INSS- patronal 4.0%
 INSS- trabalhadores 3.0%
 Sindicatos 1.0%
 Seguros de acidentes e doenças profissionais 2.0%

Com base na informação anterior, pretende-se:


a) Contabilização no diário geral do processamento da folha.
b) Pagamento, por cheque, do salário dos trabalhadores.
4|P á g i n a
c) Pagamento, por cheque, dos impostos retidos.
d) Pagamento, por cheque, da contribuição do INSS.
e) Pagamento, por cheque, dos restantes encargos, nomeadamente, sindicatos e seguradoras.

Exemplo nº 4
Processamento e pagamento de remunerações aos empregados. A quantia bruta é de 500.000,00. Os
impostos retidos na fonte são de 55.000,00 (IRPS) e as contribuições para a Segurança Social (INSS),
sao de 15,000,00 e 20.000,00 para trabalhadores e empresa, respexctivamente.

Com base na informação anterior, pretende-se:


a) Contabilização no diário geral do processamento da folha.
b) Pagamento, por cheque, do salário dos trabalhadores.
c) Pagamento, por cheque, dos impostos retidos.
d) Pagamento, por cheque, da contribuição do INSS.
e) Pagamento, por cheque, dos restantes encargos, nomeadamente, sindicatos e seguradoras.

As Subcontas da Conta 62- Gastos com Pessoal


 6.2.1 Remunerações dos órgãos sociais
 6.2.2 Remunerações dos trabalhadores
 6.2.3 Encargos sobre remunerações
 6.2.4 Benefícios pós-emprego
 6.2.5 Ajudas de custo
 6.2.5.1 Ajudas de custo tributáveis
 6.2.5.2 Ajudas de custo não tributáveis
 6.2.6 Indemnizações
 6.2.6.1 Indemnizações – Risco segurável
 6.2.6.2 Indemnizações - Outras
 6.2.7 Seguros de acidentes no trabalho e doenças profissionais
 6.2.8 Gastos de acção social
 6.2.9 Outros gastos com pessoal

6.3 Fornecimentos e Serviços de Terceiros


Esta conta acolhe a débito uma gama bastante diversificada de operações relativas à aquisição de bens
de consumo imediato (isto é, não armazenáveis) e de serviços prestados por terceiros à empresa. Note-
se que estes bens/serviços concorrem de forma indirecta/auxiliar para a realização da actividade
principal da empresa. Exemplo, gastos com água, electricidade, combustíveis, subcontratos, material
de escritório, consultorias, etc.

As divisionárias desta conta são:


 6.3.1 Subcontratos
 6.3.2 Fornecimentos e serviços
 6.3.2.1.1 Água
 6.3.2.1.2 Electricidade
 6.3.2.1.3 Combustíveis
 6.3.2.1.3.1 Gasóleo
 6.3.2.1.3.1.1 Gasóleo – Viaturas ligeiras de passageiros
5|P á g i n a
 6.3.2.1.3.1.2 Gasóleo - Outros
 6.3.2.1.3.2 Restantes combustíveis
 6.3.2.1.3.2.1 Restantes combustíveis – Viaturas ligeiras de passageiros
 6.3.2.1.3.2.2 Restantes combustíveis - Outros
 6.3.2.1.3.3 Lubrificantes
 6.3.2.1.3.3.1 Lubrificantes - Viaturas ligeiras de passageiros
 6.3.2.1.3.3.2 Lubrificantes - Outros
 6.3.2.1.4 Ferramentas e utensílios de desgaste rápido
 6.3.2.1.5 Material de manutenção e reparação
 6.3.2.1.5.1 Material de manutenção e reparação - Viaturas ligeiras de passageiros
 6.3.2.1.5.2 Material de manutenção e reparação - Outros
 6.3.2.1.6 Material de escritório
 6.3.2.1.7 Livros e documentação técnica
 6.3.2.1.8 Artigos para oferta
 6.3.2.2.1 Manutenção e reparação
 6.3.2.2.2 Transportes de carga
 6.3.2.2.3 Transportes de pessoal
 6.3.2.2.4 Comunicações
 6.3.2.2.5 Honorários
 6.3.2.2.6 Comissões a intermediários
 6.3.2.2.7 Publicidade e propaganda
 6.3.2.2.7.1 Publicidade e propaganda – Campanhas publicitárias
 6.3.2.2.7.2 Publicidade e propaganda - Outros
 6.3.2.2.8 Deslocações e estadias
 6.3.2.2.8.1 Deslocações e estadias – Em serviço
 6.3.2.2.8.2 Deslocações e estadias – Outras deslocações
 6.3.2.2.9 Despesas de representação

Movimentação Genérica das Subcontas da Conta 6.3- FST


Geralmente, estas contas debitam-se pela incorrência dos custos, por contrapartida de 1.1-caixa ou
1.2.1-Bancos-DO, quando pagamento for a pronto ou de 4.6.9- Outros credores- Diversos, nas
subcontas correspondentes e creditam-se pela transferência dos seus saldos, por contrapartida de 8.1-
Resultados Operacionais, aquando do apuramento de resultados e encerramento de contas.

Exemplo nº 5
Considere que no dia 5 de Junho N, a empresa XYZ, vocacionada para a prestação de serviços
diversos, recebeu as seguintes facturas de cobrança, referentes aos fornecimentos e serviços prestados
por terceiros α empresa durante o mês anterior:
Nº Doc. Valor Descrição/Fornecedor
206 Factura 5.000,00 Companhia de electricidade
718 Factura 1.750,00 Conumo de água
1295 Factura 25.000,00 Fornecimento de material de escritório
834 Factura 256.000,00 Subcontrato de prestação de serviços, referente a 50% da sua execução.
967 Factura 12.000,00 Advogados e Serviços, Ldª
555 Factura 11.500,00 Técnico de Contas- AJ Consultores
492 Factura 75.600,00 Fornecimentos de combustíveis e lubrificantes

6|P á g i n a
Pretende-se:
a) Contabilização da operações anteriores no DG.
b) Pagamento, por transferência bancária, de todas facturas recebidas.
c) Suponha que se está no fim do exercício, efectue os lançamentos de encerramento das contas
de gastos e perdas do periodo.

Conta 6.4- Perdas por Imparidade do Periodo


Perda por Imparidade- A expressão perda por imparidade é definida pelas Normas Internacionais
de Contabilidade (NCRF 18) como sendo a quantia pela qual a quantia escriturada de um activo
excede a sua quantia recuperável. Este conceito tem aplicação, por exemplo, no cálculo do valor
pelo qual um determinado activo deve estar escriturado.

Assim, conforme as subcontas desta conta, teremos as perdas originadas por:


 6.4.1 Ajustamentos de inventários para o valor realizável líquido
 6.4.2 Investimentos financeiros
 6.4.3 Activos tangíveis
 6.4.4 Activos intangíveis
 6.4.5 Activos não correntes detidos para venda
 6.4.6 Activos tangíveis de investimento
 6.4.7 Activos de exploração e avaliação de recursos minerais
 6.4.8 Contas a receber
 6.4.8.1 Contas a receber – ajustamentos dentro dos limites fiscais
 6.4.8.2 Contas a receber – ajustamentos para além dos limites fiscais

Movimentaçao das subcontas da conta 64:


 Geralmente, estas contas (subcontas) debitam-se pelas perdas registas nos diversos elementos do
activo por contrapartida da conta 39/47- perdas por imparidade acumulada, nas respectivas
subcontas.

 A conta 64- perdas por imparidade credita-se pela redução ou anulação das perdas acumuladas
(se for no mesmo peridodo) por contrapartida da conta 39/47- perdas por imparidade e de 81-
Resultados Operacionais, pela transferencia de saldos, no fim do exercicio.

Exemplo nº 6

1. A empresa DLS, Lda. tem em de 31 de Dezembro de N1, dívidas de clientes no montante de


146.000,00. Deste valor, assume que pode não vira receber 14.600,00 dessas dívidas.

2. Em 31 de Dezembro de N2, a referida empresa constatou que as dívidas que espera não receber
são efectivamente de 9.200,00.

a) Pretende-se que efectue os lançamentos necessários.

Conta 65- Amortizações do Exercicio

7|P á g i n a
Movimentação
 Debita-se pela amortização anual por contrapartida de 38- amortização acumulada nas respectivas
subcontas.

 Credita-se pela transferência de saldos, no final do exercício, por contrapartida de 81- Resultados
Operacionais.

Divisionárias
 6.5.1 Activos tangíveis
 6.5.2 Activos intangíveis
 6.5.3 Activos tangíveis de investimento
 6.5.4 Activos de exploração e avaliação de recursos minerais

Exemplo nº 7
Suponha que a empresa “XYZ, Ldª” apresentou em 31-12-N, os seguintes valores de amortizações do
periodo:
 Activo tangivel……………………………………………………….120.000,00
 Activo Intangivel…………………………………………………….. 18.000,00

Pede-se:
a) Contabilize no diário da empresa em contas apropriadas, amortizações anuais acima referidas.

6.6 - Provisões do período


Regista, no fim do período, a estimativa dos riscos nos diferentes tipos de provisões previstas, que
tenham características de custos operacionais.

Divionarias da conta 66
 6.6.1 Processos judiciais em curso
 6.6.2 Acidentes no trabalho e doenças profissionais
 6.6.3 Impostos
 6.6.4 Reestruturação de negócios
 6.6.5 Contratos onerosos
 6.6.6 Garantias a clientes
 6.6.7 Perdas em contratos de construção
 6.6.9 Outras provisões

Movimentaçao contabilistica
 Estas contas debitam-se pela constituição das provisões nas diferentes categorias, por
contrapartida da conta 48-provisões.

 Creditam-se pela reversão das provisões, por contrapartida da conta 48-provisoes, se se tratar do
mesmo ano. Também creditam-se pela transferência de saldos, por contrapartida da 81-Resultados
Operacionais, pelo encerramento das contas.

Exemplo nº 8
Imaginemos que a Empresa ABC, em 31-12-X0, tem em curso um processo judicial do qual espera
uma sentença desfavoral no valor de 24.000,00.

No dia 10/01/X1, ocorrem, por hipótese, os seguintes factos:


a) Por ter ganho a sentença, não paga nada.
b) Pagamento de 20.000,00

8|P á g i n a
c) Pagamento de 24.000,00.
d) Pagamento de 30.000,00.

Pedido: Registo das operações acima, ssumindo cada uma das hipóteses acima.

9|P á g i n a

Você também pode gostar