Você está na página 1de 32

Termoquímica

Parte 2
Entalpias de mudança de estado
físico
O calor necessário para mudar o estado físico de uma substância é conhecido como:

• Entalpia de fusão ∆Hfus; ENDOTÉRMICO


• Entalpia de vaporização ∆Hvap; ENDOTÉRMICO
• Entalpia de condensação: EXOTÉRMICO
• Entalpia de solidificação: EXOTÉRMICO

Para água:
• Entalpia de fusão ∆Hfus = 333 J/ g
• Entalpia de vaporização ∆Hvap = 2.256 J/g

Exercite: Qual será o calor necessário para fundir 0,5 Kg de gelo?


Qual será o calor necessário para vaporizar esta mesma quantidade de água?

Disciplina de Química Geral


2
Profa. Marcia Margarete Meier
Entalpias de mudança de estado
físico

Disciplina de Química Geral


3
Profa. Marcia Margarete Meier
Entalpias de Rede
Rede:: energia reticular
Lembrando....ligação iônica e a energia de rede

Existe atração entre os íons

Libera ou
Íons gasosos → sólido iônico absorve
energia?
Disciplina de Química Geral
4
Profa. Marcia Margarete Meier
Entalpias de Rede
Rede:: energia reticular

Íons gasosos → sólido iônico -Energia de rede


Libera Energia

sólido iônico → Íons gasosos +Energia de rede


Absorve Energia

Como determinar a Entalpia de Rede?

∆Hrede = Hm (íons, g) - Hm (sólido)


A entalpia de rede de um sólido não pode ser medida diretamente.
Entretanto, podemos obtê-la indiretamente, por outro caminho.

Disciplina de Química Geral


5
Profa. Marcia Margarete Meier
Entalpias de Rede
Rede:: energia reticular
Suponha que queremos saber a entalpia de rede de KCl:
K+(g) + Cl-(g) → KCl (s)

A soma das
variações de
entalpia para um
processo cíclico é
zero.

Conservação da energia
1ª Lei da Termodinâmica

Disciplina de Química Geral


6
Profa. Marcia Margarete Meier
Entalpias de Rede
Rede:: energia reticular
Suponha que queremos saber a entalpia de rede de KCl:
K+(g) + Cl-(g) → KCl (s)

sublimação

atomização

ionização
Afinidade
eletrônica
Inverso da
formação
89 +122 + 418 – 349 + 437 + ∆Hrede = 0
-717 kJ/mol

Este procedimento é conhecido como:


Ciclo de Born-Haber

Disciplina de Química Geral


7
Profa. Marcia Margarete Meier
Entalpias de Rede
Rede:: energia reticular
Suponha que queremos saber a entalpia de rede de NaCl:
Na+(g) + Cl-(g) → NaCl (s)
Entalpias de Ligação
Em uma reação química ligações químicas existentes são quebradas e
novas são formadas.
∆H +)
Energia fornecida para quebrar as ligações dos reagentes (∆
∆H
Energia liberada em função das novas ligações formadas (∆
-)
A força de uma ligação química é conhecida
como: Entalpia de ligação ∆HB.
Bond = ligação
Entalpias de Ligação

Considere um mol de moléculas de metano. Uma das ligações C-H poderia ser quebrada
formando um mol de átomos de hidrogênio e um mol de radicais metila:
CH4(g) → CH3.(g) + H.(g) ∆HB ou D(C-H) = +439kJ/mol
A sucessiva quebra das outras ligações C-H no metano requer diferentes quantidades de
energia:

D(C-H) = +416 kJ/mol

Obs.: Os pontos dos radicais foram omitidos na escrita. Entalpia de ligação média
Entalpias de Ligação

Exercício: Estime a variação de entalpia da reação entre iodoetano gasoso e vapor de água:

CH3CH2I(g) + H2O(g) → CH3CH2OH(g) + HI(g)


Densidade de energia
As variações de entalpia de combustão dá uma medida do calor liberado quando uma
substância queima a pressão constante. Normalmente, a variação de entalpia é referida
simplesmente como calor de combustão.
A variação da entalpia por unidade de massa é chamada de densidade de energia.

Substância Composição Mw(g/mol) ∆Hc kJ/mol ∆Hc kJ/g


típica
Gasolina C8H18 114 -5470 47,98
Óleo diesel C20H42 282 -8090 28,68
Gás natural CH4 16 -890 55,62 Maior
Hidrogênio H2 2 -286 143,0 densidade
de energia
Metanol CH3OH 32 -726 22,68
etanol C2H5OH 46 -1367 29,72

Fonte: Kotz, e col., 2012


Densidade de energia
Calorimetria
Será que toda matéria absorve a mesma quantidade de calor?

Disciplina de Química Geral


14
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria

1 Kg de ferro
1 kg de isopor
Ambos são colocados sobre uma
chapa aquecida e recebem a
mesma quantidade de energia.
Depois de 1 min qual deles
estará com a maior
temperatura?
Disciplina de Química Geral
15
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria

A Capacidade calorífica (C) de um objeto é a


quantidade de calor necessária para aumentar sua
temperatura em 1 K (ou 1oC).
Capacidade calorífica específica de 1 g de substância Isopor / Ferro
Capacidade calorífica molar de 1 mol de substância
Capacidade calorífica
Capacidade calorífica= quantidade de calor transferido Específica (J/g)
massa(g) . Variação da temperatura Ou
Capacidade calorífica
Molar(J/mol)

Experimentalmente: São necessários 209J para aumentar a temperatura de 50 g de


água em 1K.
Disciplina de Química Geral
16
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria

Substância Calor específico


(J/gK
H2O (l) 4,18
CH4(g) 2,20
CO2(g) 0,84
Al(s) 0,90
Fe(s) 0,45
H2O(s) 2,06
H2O(v) 1,92

O alto calor específico da água afeta o clima da Terra.

Disciplina de Química Geral


17
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria
Exercício: A capacidade calorífica específica da água
líquida é 4,18 J/K.g. Calcule a energia necessária para
aquecer 1,0 mol de água de 298 K até 363 K.

Resposta: 4,9 KJ
Exercício: Qual será a temperatura atingida pelas
seguintes substâncias se receberem a mesma
quantidade de energia calculada na questão anterior?
a) Glicerina (congelante) Cs = 2,42x103 J/Kg.K
b) Marmore Cs = 900 J/Kg.K

Disciplina de Química Geral


18
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria

Calorimetria a pressão constante


• As paredes não perdem ou ganham calor;
• O calor não escapa do calorímetro;
• O calor dispendido pela reação é obtido pela
solução, onde se mede a temperatura.

A variação de temperatura ocorrida em um objeto


quando ele absorve certa quantidade de energia é
determinada por sua capacidade calorífica. ∆T

Disciplina de Química Geral


19
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria

1)Exercite:
Calcule a quantidade de calor envolvida ao aquecer 0,5 Kg de água nas seguintes
situações:
a) -50 oC a 0oC?
b) 0 oC a 100oC?
c) 100 oC a 200oC?

Exercite:
Calcule a quantidade de calor envolvida ao aquecer 0,5 Kg de água que está à
-50 oC até 200oC?

Disciplina de Química Geral


20
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria

Capacidade calorífica= quantidade de calor transferido


massa(g) . Variação da temperatura

sistema C= q
q m.∆T
vizinhança

q = C. m . ∆T
universo

∆H = qp
Disciplina de Química Geral
21
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria
Bomba calorimétrica
(calorimetria de volume constante)

Conhecendo Ccal, determina-se qr

qr = -Ccal x ∆T

Disciplina de Química Geral


22
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria

2) Exercício:
Quando um aluno mistura 50mL de 1,0 mol/L de HCl e 50 mL de 1,0 mol/L de NaOH
em um calorímetro de copo de isopor, a temperatura da solução resultante aumenta
21oC para 27,5 oC. Calcule a variação da entalpia para a reação de neutralização,
supondo que o calorímetro perde apenas uma quantidade desprezível de calor, que o
volume total da solução é 100mL, que sua densidade é 1,0 g/mL e que seu calor
específico é 4,18 J/g K.

Disciplina de Química Geral


23
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria
O calor que sai dos sistema é recebido na
vizinhança.
Se uma reação química de combustão
ocorre dentro da bomba preenchida com
oxigênio, este calor causará aumento da
temperatura da vizinhança. Portanto:

qreação = q vizinhança Água e paredes do calorímetro

Capacidade calorífica do
calorímetro, C24
cal

qreação = Ccal.∆T
Disciplina de Química Geral
Profa. Marcia Margarete Meier
Calorimetria
Exercício: Determinando a produção de calor através de um calorímetro
calibrado:

1) Calibração do calorímetro (quanto calor o equipamento absorve)

Suponha que tenhamos fornecido 80,0 kJ de calor para um calorímetro


aquecendo-o eletricamente e que observamos que a temperatura do
calorímetro aumento em 8,40 oC.
Qual a capacidade calorífica do calorímetro? Resposta: 9,52 kJ/K

2) Utilizando o calorímetro calibrado

Se sob condições idênticas, uma reação ocorrendo no calorímetro resulta em


um aumento na temperatura de 20,0oC para 25,2oC, qual será a quantidade
de calor liberada da reação química? Resposta: -50kJ
Disciplina de Química Geral
25
Profa. Marcia Margarete Meier
3) Exercício:
Determine ∆Hor para a reação de combustão do etanol gasoso?

Sabe-se que:
∆Hof etanol(g) = -234,8 kJ/mol
∆Hof CO2(g) = -393,5 kJ/mol
∆Hof H2O(g) = -241,8 kJ/mol

4) Um botijão de gás de uso doméstico contém 13 Kg de butano. A)Qual a energia


liberada na combustão completa de um botijão de butano?
B) Quanta água consegue-se evaporar com um botijão de gás doméstico?
C) Se 13Kg de etanol for utilizada para gerar energia para vaporizar água, qual
combustível (etanol ou butano)conseguirá evaporar mais água?

Dado :
∆Hof butano(g) = -125,7 kJ/mol

Disciplina de Química Geral


26
Profa. Marcia Margarete Meier
Para entregar próxima aula:

Quanto calor deve ser absorvido para aquecer 25,0 g de metanol líquido, CH3OH, de
25,0 oC a seu ponto de ebulição (64,6 oC) e para evaporar então completamente o
metanol nessa temperatura? O calor específico do metanol líquido é 2,53 J/g.K e o
calor de vaporização do metanol é 2,00 x 103 J/g.

Faça um diagrama de temperatura vs. calor para o processo.

Disciplina de Química Geral


27
Profa. Marcia Margarete Meier
Capacidade calorífica de gases

Para os gases, a capacidade calorífica depende se o aquecimento do gás é realizado à


pressão constante ou à volume constante.

Cp Cv
Cp,m = Cv,m +R
Para gases ideais de moléculas lineares: Cv,m = 5/2 R
de moléculas não lineares: Cv,m = 3R

Disciplina de Química Geral


28
Profa. Marcia Margarete Meier
Como chegamos:
Capacidade calorífica de gases

O que esta equação significa?


A capacidade de armazenar calor dos gases é maior quando estão à
pressão constante do que quando estão à volume contante.
Capacidade calorífica de gases

Exercício:

Calcule a temperatura final quando 500J de energia são transferidos como calor a
0,900 mol de O2 a 298 K e 1,00 atm.
a) à volume constante; Resposta: +26,7 K
b) à pressão constante Resposta: +19,1 K

Considere comportamento de gás ideal.

Observe que à pressão constante a temperatura do gás não tanto quanto à volume
constante, apesar da mesma quantidade de energia ter sido transmitida. Por que?
w Para que a pressão se mantenha constante quando
calor é fornecido ao sistema, o volume irá aumentar,
exercendo trabalho sobre a vizinhança.
Portanto, parte da energia fornecida (500J)
transformou-se em trabalho e parte causou aumento
da velocidade de agitação das moléculas.
Variação de Cp em função de T

Variação das capacidades caloríficas molares com a


temperatura
Gás a b (10-3K-1) c(10-5K2)

Br2 37,32 0,50 -1,26

Cl2 37,03 0,67 -2,85

NH3 29,75 25,1 -1,55

O2 29,96 4,18 -1,67

Disciplina de Química Geral


31
Profa. Marcia Margarete Meier
Cp e C v

1) Avalie ∆E para um mol de oxigênio, O2, indo de -20,0 oC até 37oC a volume constante,
nos seguintes casos:
a) Comporta-se como gás ideal com Cv = 20,78 J/mol.K
b) Comporta-se como gás real com Cv = 21,6 + 4,18x10-3 T – (1,67x105)/T2

2) Considere 1 mol de gás ideal a uma pressão inicial de 1,00 atm e temperatura inicial de
273,15 K. Assuma que ele se expande adiabaticamente (sem troca de calor) contra
uma pressão externa de 0,435 atm, até que seu volume se duplique. Calcule o
trabalho a temperatura final e o ∆E do processo.

Disciplina de Química Geral


32
Profa. Marcia Margarete Meier