Você está na página 1de 127

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PARTE TEÓRICA – ASSUNTOS DA PRIMEIRA PROVA


1 – INTRODUÇÃO – ANAMNESE E EXAME FÍSICO
2 – ANATOFISIOLOGIA DA AUDIÇÃO
3 – OTITES MÉDIAS AGUDAS
4 – OTITES MÉDIAS CRÔNICAS
5 – DISACUSAS
6 – LABIRINTOPATIAS – SEMINÁRIO

OBSERVAÇÃO: HÁ QUESTÕES RELACIONADAS A OUTROS ASSUNTOS.

1 - Dos músculos pares abaixo relacionados, qual constitui a própria corda vocal ?
a) Cricoaritenoideo lateral
b) Cricotireoideo
c) Tireoaritenoideo
d) Cricoaritenoideo posterior
e) Nenhum destes músculos

3 - O(s) músculo(s) dilatador(es) da glote:


a) Cricoaritenoideo lateral e ariaritenoideo
b) Cricoaritenoideo posterior e ariaritenoideo
c) Cricoaritenoideo lateral
d) Cricoaritenoideo posterior
e) Cricoaritenoideo lateral e posterior

4 - A rouquidão na Laringite Catarral Aguda é conseqüência de:


a) Paresia das cordas vocais
b) Edema e exsudato mucocatarral
c) Paralisia da corda vocal em posição mediana
d) Edema com exsudato e paralisia bilateral das cordas vocais verdadeiras
e) Edema e paralisia das cordas vocais verdadeiras

49- I- O ádito do antro situa-se na parede posterior do ouvido médio.


II- A janela oval situa-se na parede superior da caixa do tímpano.
III- O orifício timpânico da tuba auditiva situa-se na parede medial (interna) da
caixa do tímpano.
- Escolha a resposta certa:
a- Todas as respostas estão corretas.
b- Só a primeira afirmativa é correta.
c- Só a segunda afirmativa é correta.
d- Só a terceira afirmativa é correta.
e- A primeira e a terceira afirmativas estão corretas.

50- Escolha a afirmativa correta:


a- A perlinfa ocupa o ducto coclear e é semelhante aos líquidos extracelulares.
b- A perilinfa ocupa a rampa timpânica e é semelhante aos líquidos
intracelulares.
c- A perilinfa ocupa o ducto coclear e é semelhante aos líquidos intracelulares.
d- A endolinfa ocupa a rampa vestibular e é semelhante aos líquidos
intracelulares.
e- A endolinfa ocupa o ducto coclear e é semelhante aos líquidos intracelulares.

52- I- O ádito do antro situa-se na parede posterior do ouvido médio.


II- O orifício timpânico da tuba auditiva situa-se na parede anterior da caixa do
tímpano.
III- A janela oval situa-se na parede superior da caixa do tímpano.

- Escolha a resposta certa:


a- Todas as afirmativas estão corretas.
b- Só a primeira afirmativa é correta.
c- A primeira e a segunda afirmativas são corretas.
d- Só a segunda afirmativa é correta.
e- A segunda e a terceira afirmativas são corretas,

60- Tratamento da otite média serosa de repetição associada à obstrução


nasal na criança:
a- Adenoamigdalectomia
b- Antrotomia + adenoidectomia
c- Colocação de tubos de ventilação + adenoidectomia
d- Paracentese bilateral e observação
e- Descongestionantes tópicos e sistêmicos

62- As rampas vestibular e timpânica se comunicam no vértice da


cóclea através do:
a- Crivo espiróide
b- Ducto coclear
c- Ducto semicircular
d- Helicotrema
e- Aditus

64- Com relação ao arco reflexo estapédio-coclear:


I- Ele protege a orelha interna.
II- Ele aumenta a rigidez do sistema de transmissão do som.
III- Ele entra em ação diante sons de alta intensidade.
- Das alternativas acima:
a- A primeira e a segunda estão corretas.
b- A primeira e a terceira estão corretas.
c- A segunda e a terceira estão corretas.
d- Só a terceira está correta.
e- Todas estão corretas.

65- Com relação ao meato acústico externo, as afirmativas são corretas,


exceto:
a- Parede anterior relaciona-se com a ATM.
b- Parede superior relaciona-se com a fossa cerebral média.
c- É cartilagíneo no terço externo.
d- É ósseo nos dois terços internos.
e- É cartilagíneo nos dois terços externos.

67- O efeito de alavanca do bloco martelo-bigorna ocorre porque:


a- A bigorna se articula com a cabeça do estribo.
b- O cabo do martelo é menor do que o ramo longo da bigorna.
c- O cabo do martelo é maior do que o ramo longo da bigorna.
d- O ramo longo da bigorna não está inserido na membrana
timpânica.
e- O martelo não se articula com o estribo.

1- Escolha a afirmativa correta:


a- A perilinfa ocupa o ducto coclear e é semelhante aos líquidos extracelulares.
b- A perilinfa ocupa a rampa timpânica e é semelhante aos líquidos
intracelulares.
c- A perilinfa ocupa o ducto coclear e é semelhante aos líquidos intracelulares.
d- A endolinfa ocupa a rampa vestibular e é semelhante aos líquidos
intracelulares.
e- A endolinfa ocupa o ducto coclear e é semelhante aos líquidos intracelulares.

2- O efeito de alavanca do bloco martelo-bigorna ocorre porque:


a- A bigorna se articula com a cabeça do estribo.
b- O cabo do martelo é menor do que o ramo longo da bigorna.
c- O cabo do martelo é maior do que o ramo longo da bigorna.
d- O ramo longo da bigorna não está inserido na membrana
timpânica.
e- O martelo não se articula com o estribo.

4- Tratamento da otite média serosa associada à obstrução nasal crônica


na criança:
a- Adenoamigdalectomia
b- Antrotomia + adenoidectomia
c- Colocação de tubo de ventilação + adenoidectomia
d- Paracentese bilateral e observação
e- Descongestionantes tópicos e sistêmicos

1 - A atitude cirúrgica mais indicada para um paciente portador de uma complicação


intracraniana de origem otogênica por colesteatoma da mastóide é:
a) Timpanoplastia com mastoidectomia simples
b) Timpanoplastia com mastoidectomia e meatoplastia
c) Mastoidectomia radical
d) Ático-antrotomia da matriz do colesteatoma
e) Drenagem simples da lesão primária

2 - Na Síndrome de Gradenigo encontramos:


a) Paralisia do VI par + otite média crônica + nevralgia do trigêmio
b) Paralisia do III par + mastoidite fistulizada + nevralgia do trigêmio
c) Paralisia facial + nevralgia do trigêmio + mastoidite crônica
d) Otorréia + otalgia com irradiação para o couro cabeludo + abaulamento da região
zigomática
e) Paralisia do II, III, IV e VI pares com otorréia

3 - Os pilares amigdalianos são formados:


a) Pelos músculos faringoestafilino e palatoglosso
b) Pelas pregas glossofaríngeas
c) Pelos músculos pterigóides
d) Pelos músculos elevadores da faringe
e) Pelos músculos estilofaríngeos
4 - Nos primeiros 6 meses de vida pesquisa-se a audição através:
a) Reflexo cefalógiro
b) Reflexo cocleopalpebral
c) Reflexo psicogalvânico
d) Audiometria tonal
e) Nenhum dos testes acima

5 - A disacusia de condução numa prova com diapasão é caracterizada por:


a) Rinne negativo, Weber indiferente
b) Rinne negativo, Weber lateralizado para o lado melhor
c) Rinne negativo, Weber lateralizado para o lado pior
d) Rinne positivo, Weber lateralizado para o lado melhor
e) Rinne positivo, Weber lateralizado para o lado pior

6 - A região que comumente sangra na epistaxe é:


a) Cabeça do corneto inferior
b) Cabeça do corneto médio
c) Terço médio do septo
d) Terço anterior do septo
e) Cauda do corneto inferior

9 - Conduta propedêutica frente a um paciente de 40 anos de idade portador de epistaxe


de repetição, estando sob controle no momento da consulta.

8 - O sinal de Koplik é encontrado na angina:


a- Escarlatina
b- Febre tifóide
c- Angina reumática
d- Sarampo
e- Herpangina

9 - Assinale a alternativa errada em relação à adenoidite aguda:


a- Obstrução nasal
b- Polipnéia
c- Agitação psíquica
d- Secreção nasal
e- Evolução sem complicações

1. São características do papiloma invertido, exceto:


a) Morfologia benigna, apesar do comportamento clínico agressivo.
b) Etiologia relacionada com HPV 6, 11, 16, 18 e 33.
c) O tratamento é cirúrgico sendo as recidivas freqüentes (10 a 50%).
d) Raramente é bilateral.
e) Originado na maioria dos casos no septo nasal.
2. São características do angiofibroma nasofaríngeo juvenil (ANJ), exceto:
a) O suprimento sanguíneo principal do tumor vem da artéria maxilar interna.
b) São achados clínicos do ANJ na TC de seios da face: massa em rinofaringe,
alargamento da fossa pterigomaxilar, erosão do esfenóide e outros.
c) A radioterapia é uma opção terapêutica, porém seu uso é controverso.
d) O tumor cresce, em geral, lentamente progredindo para cavidade nasal e
nasofaringe, sendo o acometimento intracraniano freqüente, em torno de 30% dos
casos.
e) Suspeita-se de ANJ na presença da tríade: obstrução nasal unilateral, epistaxe de
repetição e massa em rinofaringe.

3. Em relação as faringotonsilites, assinale alternativa incorreta:


a) Em relação a sua etiologia podemos afirmar: Viral: 75% (sendo maior nos 3
primeiros anos de vida), Bacteriana: 20 – 30% (maior prevalência dos 5 aos 15 anos).
b) As bactéria mais comum é o Streptococcus pyogenes do grupo A (GAS)
c) Quando causada pelo Streptococcus pyogenes do grupo A (GAS) pode causar:
febre Reumática, glomerulonefrite, escarlatina, infecções invasivas, síndrome do
choque tóxico, e é transmissível.
d) A incidência da Febre Reumática pós Faringotonsilite não tratada está ao redor de
10% na população civil, surgindo de 1 a 4 semanas após a angina.
e) NDA.

4. O tumor maligno que mais frequentemente lança metástases à região nasossinusal é?


a) Ósseo
b) Pulmonar
c) Renal
d) Pele
e) Gástrico

6. Dentre as alterações dentocraniofaciais associadas à respiração oral temos,exceto:


a) Atresia maxilar
b) Face longa
c) Apinhamento dentário
d) Mordida aberta
e) Prognatismo
2 - As vias de infecção nas otites médias agudas são:
a- Tubária e externa (através do meato acústico externo)
b- Tubária, externa e hemática
c- Somente linfática
d- Somente tubária
e- Linfática e tubária

7 - Qual a estrutura responsável pela produção da endolinfa:


a) Órgão de Corti
b) Saco endolinfático
c) Estria vascular
d) Membrana de Reisnner
e) Modíolo
8 - Assinale a alternativa correta:
a) As células cliliadas internas são inervados por neurônios do tipo I
b) As células ciliadas externas são em torno de 120000 a 16000 células.
c) Um neurônio inerva cerca de 10 células ciliadas externas
d) Apenas 5-10 % dos neurônios aferentes inervam as células ciliadas externas
e) Todas estão corretas
9 - Qual o tumor nasossinusal maligno mais comum na cavidade nasal:
a) Carcinoma mucoepidermoide
b) Papiloma invertido
c) Adenocarcinoma
c) Carcinoma epidermoide
e) Estesioneuroblastoma
2 - Paciente apresenta quadro gripal há alguns dias, evoluindo com fortes dores em face,
principalmente pela manhã, rinorréia amarelada e febre. Que conduta seria mais
adequada neste caso?

A) Solicitaria uma tomografia de seios paranasais


B) Provavelmente trata-se de uma Rinossinusite complicada, solicitaria uma CT e
programação cirúrgica e antibióticos
C) Trata-se de um processo viral, solicitaria repouso, ingerir líquidos e uso de
sintomáticos.
D) Descongestionantes e antibioticoterapia VO

10- Paciente A.F.G., sexo masculino, trabalha em serraria, 36 anos, com perda auditiva
progressiva, apresenta otoscopia normal e curva audiométrica abaixo (perda mista
bilateral). Qual a hipótese diagnóstica mais provável ?
a) Neuroma do nervo acústico
b) Otosclerose
c) Otite média serosa
d) Perda auditiva induzida pelo ruído
e) Presbiacusia.

11- Mãe chega em seu consultório percebendo que seu filho de 1 ano não está falando
nada. Qual a conduta mais adequada ?
a) Orientar a mãe e pedir para retornar quando a criança tiver idade para realizar
audiometrias tonal e vocal.
b) Solicitar imediatamente uma audiometria tonal.
c) Realizar exame físico, história clínica e encaminhar para protetização.
d) Realizar uma anamnese e realizar otoemissões.
e) Solicitar uma audiometria do tronco cerebral com sedação.

12- Criança de 8 anos de idade, apresentando perda auditiva neurossensorial progressiva


unilateral e associada a pequenos traumas na cabeça (como cabecear uma bola, por
exemplo). Exame físico normal. Qual a principal suspeita:
a) Síndrome de Mondini
b) Síndrome do aqueduto vestibular alargado
c) Síndrome de Waardenburg
d) Ototoxidade
e) Trauma acústico

3 - Em relação às amigdalites, assinale a alternativa correta:

A) A bactéria mais comum, presente nas amigdalites é o Streptococos viridans.


B) Em raras ocasiões amigdalites podem ocasionar obstrução das vias aéreas
superiores.
C) Mononucleose infecciosa tem como agente etiológico o virus Coxsackie, sendo
caracterizada por esplenomegalia em 50% dos casos e hepatomegalia em 10%.
D) Sinais de Filatow e Pastia são característicos da Herpangina
E) Amigdalite bacteriana é marcada por dores de garganta, febrícula, tosse, coriza,
espirros, astenia e linfonodomegalia difusa.

4 - Durante uma consulta ambulatorial a mãe de uma criança de 3 anos, queixa-se dos
roncos intensos e respiração bucal de seu filho. Nega tratamentos anteriores. Ao
exame você, observa protusão dos dentes incisivos, palato ogival e uma atrofia
maxilar. Qual seria a conduta mais adequada neste caso:

A) Explicar os riscos da respiração bucal e indicar a adenoidectomia


B) Solicitar um Rx de cavum e prescrever um antibiótico (amoxicilina)
C) Sugerir uma videonasofibroscopia e Adenoidectomia a seguir.
D) Avaliar a rinofaringe, exame endoscópico e prescrever corticóides tópicos
E) Encaminhar ao dentista para tratar a respiração bucal.

5 - Contraindicação de adenoidectomia, EXCETO:

A) Fenda palatina
B) Estado febril
C) Hemoglobina < 10 mg/L
D) Hemofilia A
E) Amigdalectomia prévia

8 - Assinale a alternativa verdadeira:

A) Epistaxes posteriores representam 90 % do total de sangramentos nasais


B) A região superior do nariz é irrigada pelas artérias etmoidais, ramos da artéria
maxilar interna.
C) A artéria facial é responsável pelo aporte sangüíneo da pirâmide nasal
C) O sistema carotídeo interno e externo são responsáveis pela irrigação arterial,
sendo o primeiro o mais importante, representando 80 % do total.
D) A região de kiesselbach é suprida por terminações arteriais dos dois sistemas-
tronco, localizando-se próximo às coanas.

9 - Assinale a errada:

A) A parede lateral do nariz é importante por ser local de obstrução de secreções e


tumores
B) O seio maxilar tem intimas relações com a órbita, cavidade oral, fossa pterigóide
e fossa nasal.
C) O seio esfenóide tem sido cada vez mais utilizado como via de acesso a caixa
craniana, por se relacionar às estruturas como sela turcica, nervo óptico, fossa
media, seio cavernoso e clivus.
D) O seio etmóide tem ostios muito estreitos e por isso ser o seio que mais
apresenta rinossinusopatias inflamatórias
E ) A região mais frágil da cavidade nasal localiza-se no etmóide posterior, próximo
a fossa media.

10 - Qual o órgão responsável pela produção da endolinfa:

A) Órgão de Corti
B) Estria Vascular
B) Membrana de Reisnner
C) Saco endolinfático
D) Helicotrema

2.Paciente apresenta quadro gripal há alguns dias, evoluindo com fortes dores em face,
principalmente pela manhã, rinorréia amarelada e febre. Que conduta seria mais
adequada neste caso?
A) Solicitaria uma tomografia de seios paranasais;
B) Provavelmente trata-se de uma Rinossinusite complicada, solicitaria uma CT e
programação cirúrgica e antibióticos;
C) Trata-se de um processo viral, solicitaria repouso, ingerir líquidos e uso de
sintomáticos;
D) Descongestionates e antibioticoterapia VO;
E) Internaria este paciente para melhor avaliação, utilizando vídeo-endoscopia naso-
sinusal e introdução de ATBterapia venosa.

3. O Limite superior do ouvido médio é:


A) Membrana timpânica;
B) Giro basal da cóclea;
C) Canal semicircular superior;
D) Tegmen timpânico;
E) Antro mastóideo.

1. MARQUE A CERTA
(A) A OMC SIMPLES DIFICILMENTE CEDE AO TRATAMENTO
MEDICAMENTOSO NAS AGUDIZAÇÕES
(B) AS Pseudomonas aeruginosas SÃO AS BACTÉRIAS MAIS FREQUENTEMENTE
IMPLICADAS NA PATOGENIA DA OMC COLESTEATOMATOSA AGUDIZADA
(C) A OMC NÃO CAUSA ALTERAÇÕES NA AUDIOMETRIA
(D) A TC DAS MASTÓIDES É EXAME DE POUCA IMPORTÂNCIA NA
TERAPEUTICA ARMADA DA OMC COLESTEATOMATOSA
(E) O COLESTEATOMA É UM TUMOR PRESENTE NAS OTITES MÉDIAS
SECRETORAS

R-B

2. MARQUE A ERRADA
(A) UMA CARACTERÍSTICA DA OMC SIMPLES É O OUVIDO MÉDIO ESTAR
SECO
(B) GOTAS OTOLÓGICAS À BASE DE ANTIBIÓTICOS E CORTICÓIDES PODEM
SER UTILIZADAS NA TERAPÊUTICA DA OMC
(C) MENINGITE, ABSCESSOS E PARALISIA FACIAL SÃO COMPLICAÇÕES DA
OMC COLESTEATOMATOSA
(D) O DIAGNÓSTICO DE OMC É QUASE SEMPRE FEITO ATRAVÉS DE EXAMES
COMPLEMENTARES
(E) A OTORRÉIA FÉTIDA GERALMENTE É CARACTERÍSTICA MARCANTE NO
QUADRO CLÍNICO DA OMC COLESTEATOMATOSA

R-D

31 - (SESPA-PA/NCE-UFRJ-2006). Observe as afirmativas a seguir, em relação às


rinites:
I – Os vírus mais freqüentemente envolvidos no resfriado comum são: Rinovírus,
coronavírus, parainfluenzae e adenovírus.
II – Na rinite gripal os vírus mais freqüentemente envolvidos são: vírus da influenza A,
B e C.
III – Na rinite aguda por corpo estranho os sintomas mais prevalentes são: obstrução
nasal, secreção unilateral abundante e fétida.
Assinale a alternativa correta:
A) Apenas a afirmativa I está correta;
B) Apenas a afirmativa II está correta;
C) Apenas a afirmativa III está correta;
D) Apenas as afirmativas II e III estão corretas;
E) As afirmativas I, II e III estão corretas.

5 - Marque a alternativa correta.


I.. Encontramos alterações pulmonares em praticamente 80% dos pacientes com
laringite por tuberculose;
II. Na paracoccidioidomicose, a laringe é o órgão mais acometido, geralmente de
forma isolada e com evolução lenta;
III. O tratamento da paracoccidioidomicose pode ser realizado com penicilina,
tetracilinas ou macrolídeos por período de pelo menos 2 meses.
A) Alternativas I e II corretas;
B) Alternativas I, II e III corretas;
C) Alternativa I correta;
D) Alternativas I e III corretas;
E) N.d.a

6 - Assinale a alternativa incorreta.


A) A candidíase é a principal causa de laringite fúngica no paciente com SIDA.
B) A infecção orofaríngea por candida ocorre em pacientes HIV positivo e
assintomáticos, enquanto as infecções esofágicas e laríngea geralmente ocorrem
em pacientes com doença avançada (CD4 abaixo de 100);
C) Característicamente, a criança com laringite espasmódica (falsa crupe) acorda à
noite com tosse, estridor e dispnéia moderada de início súbito. Tosse paroxística
pode ser seguida de vômitos, que termina o ataque, sendo a criança geralmente
assintomática durante o dia;
D) A sarcoidose é uma doença granulomatosa crônica que pode afetar qualquer
órgão,
sendo mais comum em mulheres e negros na quinta década de vida, e tem
etiologia
infecciosa pelo Sarcoides fumigatus;
E) Na granulomatose de Wegener as alterações mais comuns são a pneumonite
bilateral (95%), rinossinusite (90%)e doença renal (80%), estando a laringe
acometida em menos de 30% dos casos.

10. Assinale a alternativa incorreta


A) O BERA é um exame objetivo que avalia a integridade da via auditiva central,
sendo utilizado para avaliar possíveis simuladores;
B) No teste de Weber a vibração sempre lateraliza para o lado com perda condutiva;
C) A legislação Brasileira proíbe exposição de trabalhadores a sons com mais de
85dB na sua jornada de 40 hrs semanais;
D) A infecção pelo Herpes vírus simplex e microtromboses são as principais
etiologias da Surdez Súbita;
E) Aplasia de Mondini é a mais comum causa de surdez genética congênita

3. MARQUE A CERTA
a) A OMC SIMPLES DIFICILMENTE CEDE AO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO
NAS AGUDIZAÇÕES
b) AS Pseudomonas aeruginosas SÃO AS BACTÉRIAS MAIS FREQUENTEMENTE
IMPLICADAS NA PATOGENIA DA OMC COLESTEATOMATOSA AGUDIZADA
c) A OMC NÃO CAUSA ALTERAÇÕES NA AUDIOMETRIA
d) A TC DAS MASTÓIDES É EXAME DE POUCA IMPORTÂNCIA NA
TERAPEUTICA ARMADA DA OMC COLESTEATOMATOSA
e) O COLESTEATOMA É UM TUMOR PRESENTE NAS OTITES MÉDIAS
SECRETORAS

R-B

4. MARQUE A ERRADA
a) UMA CARACTERÍSTICA DA OMC SIMPLES É O OUVIDO MÉDIO ESTAR SECO
b) GOTAS OTOLÓGICAS À BASE DE ANTIBIÓTICOS E CORTICÓIDES PODEM
SER UTILIZADAS NA TERAPÊUTICA DA OMC
c) MENINGITE, ABSCESSOS E PARALISIA FACIAL SÃO COMPLICAÇÕES DA
OMC COLESTEATOMATOSA
d) O DIAGNÓSTICO DE OMC É QUASE SEMPRE FEITO ATRAVÉS DE EXAMES
COMPLEMENTARES
e) A OTORRÉIA FÉTIDA GERALMENTE É CARACTERÍSTICA MARCANTE NO
QUADRO CLÍNICO DA OMC COLESTEATOMATOSA

R-D

5. 3.MARQUE A ERRADA
a) NA OTITE MÉDIA AGUDA A MEMBRANA TIMPÂNICA PODE ENCONTRA-SE
PERFURADA AO EXAME OTOSCÓPICO
b) A ANATOMIA DA TUBA DE EUSTÁQUIO NA CRIANÇA A TORNA MAIS
SUSCETÍVEL ÀS OTITES MÉDIAS AGUDAS E SEROSA
c) A TIMPANOTOMIA PARA TUBO DE VENTILAÇÃO É UM TIPO DE
TRATAMENTO NA OTITE MÉDIA AGUDA
d) MASTOIDITE, COLESTEATOMA E TIMPANOSCLEROSE SÃO COMPLICAÇÕES
DAS OTITES MÉDIAS SECRETORAS
e) BAIXO NÍVEL SÓCIOECONÔMICO, TABAGISMO E ALEITAMENTO ARTIFICIAL
SÃO FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O SURGIMENTO DAS OTITES
MÉDIAS AGUDA E SEROSA.

R=C

6. 4.MARQUE A CERTA
a) Staphylococcus aureus É O GERME MAIS IMPLICADO NA PATOGÊNESE DA
OTITE MÉDIA AGUDA
b) A OTALGIA É O SINTOMA MAIS ALARMANTE NA OTITE MÉDIA SEROSA
c) A AMOXICILINA É O ANTIBIÓTICO DE ELEIÇÃO NO TRATAMENTO DA OTITE
MÉDIA AGUDA
d) NA OTITE MÉDIA SEROSA A MEMBRANA TIMPÂNICA ESTARÁ SEMPRE
PERFURADA À OTOSCOPIA
e) NDA

R=C

7. 5. PACIENTE DO SEXO MASCULINO, 05 ANOS DE IDADE, TRAZIDO PELA MÃE


QUE RELATA RINORRÉIA PURULENTA FÉTIDA E OBSTRUÇÃO NASAL À DIREITA,
ALÉM DE TOSSE SECA PIOR À NOITE. INFORMA QUE O QUADRO INICIOU-SE HÁ
01 MÊS. QUAL O DIAGNÓSTICO E O TRATAMENTO?
a) RINOSSINUSITE CRÔNICA – ANTIBIOTICOTERAPIA
b) POLIPOSE NASAL – CIRURGIA
c) CE DE FOSSA NASAL DIREITA – REMOÇÃO DO CE + ANTIBIOTICOTERAPIA E
VASONSTRICTORES NASAIS, SE NECESSÁRIO
d) CE DE FOSSA NASAL - APENAS LAVAGEM NASAL COM SF 0,9%
e) CE DE FOSSA NASAL - RX DA FACE E SINUSECTOMIA

R=C

8. 6.PACIENTE, FEMININO, 24 HORAS APÓS BANHO DE PISCINA ABRIU QUADRO DE


OTALGIA À ESQUERDA. À OTOSCOPIA EVIDENCIOU-SE EDEMA E HIPEREMIA DO
CONDUTO AUDITIVO EXTERNO. QUAL O DIAGNÓSTICO E O TRATAMENTO?
a) SÍNDROME DE HANSAY-HUNT – CORTICOTERAPIA
b) OTITE EXTERNA AGUDA – GOTAS OTOLÓGICAS + ANTIINFLAMATÓRIOS S/N
c) OTITE MÉDIA AGUDA – ANTIBIOTICOTERAPIA SISTÊMICA
d) OTITE EXTERNA AGUDA – ANTIVIRAIS + CORTICÓIDES
e) OMC COLESTEATOMATOSA - CIRURGIA

R=B
9. A OTITE MÉDIA CRÔNICA COLESTEATOMATOSA CLÁSSICA, CARACTERIZA-SE
CLINICAMENTE POR APRESENTAR:.
a) OTORRÉIA FÉTIDA, HIPOACUSIA E ZUMBIDO
b) OTALGIA, HIOACUSIA E PLENITUDE AURAL
c) VERTIGEM, HIPOACUSIA E NÁUSEAS
d) OTORRÉIA FÉTIDA, VERTIGEM E HIPOACUSIA
e) OTORRÉIA FÉTIDA, OTALGIA E ZUMBIDO

R=A

10. QUAIS OS MICROORGANISMOS MAIS IMPLICADOS NA PATOGÊNESE DA OTITE


MÉDIA AGUDA.
a) Streptococcus pyogenes; S. aureus,; Moraxella catarrhalis
b) Streptococcus pneumoniae; Pseudomonas aeruginosa, S. aureus
c) Streptococcus pneumoniae; Haemophilus influenzae; Pseudomonas aeruginosa
d) S. aureus; Haemophilus influenzae; Moraxella catarrhalis
e) Streptococcus pneumoniae; Haemophilus influenzae; Moraxella catarrhalis

R=E

11. PACIENTE, 40 ANOS, MASCULINO, DEU ENTRADA NO PRONTO-SOCORRO COM


MIÍASE NASAL, QUE FOI CONFIRMADA PELO ORL. QUAL A CONDUTA?
a) INTERNAR O PACIENTE E FAZER ANTIBIOTICOTERAPIA SISTÊMICA
b) REMOVER AS LARVAS E LIBERAR O PACIENTE
c) RETIRADA DAS LARVAS, APLICAR IODOFÓRMIO, REALIZAR LAVAGEM
NASAL COM SF 0,9% E PRESCREVER ANTIBIÓTICO SISTÊMICO E TÓPICO,
ALÉM DE ANALGÉSICOS
d) RETIRADA DAS LARVAS, APLICAR ÓLEO CANFORADO. NÃO É NECESSÁRIO
PRESCREVER ANTIBIÓTICO SISTÊMICO E TÓPICO
e) RETIRADA DAS LARVAS, APLICAR IODOFÓRMIO E CONDUZIR O PACIENTE
AO CENTRO CIRURGICO PARA REALIZAR TURBINECTOMIA

R=C
12. PACIENTE, FEMININO, 40 ANOS, COM HISTÓRIA DE OTORRÉIA DE REPETIÇÃO,
DE ODOR FÉTIDO, HIPOACUSIA E ZUMBIDO NO OUVIDO DIREITO HÁ CERCA DE
03 ANOS. À OTOSCOPIA OBSERVOU-SE ÁREAS DE RETRAÇÃO APICAL NA
MEMBRANA TIMPÂNICA E MASSAS ESBRANQUIÇADAS FÉTIDAS NELAS. QUAL O
DIAGNÓSTICO E O TRATAMENTO?
a) OTITE MÉDIA AGUDA – ANTIBIOTICOTERAPIA SISTÊMICA
b) OTITE MÉDIA SEROSA – TIMPANOTOMIA PARA TUBO DE VENTILAÇÃO
c) OTITE MÉDIA CRÔNICA SIMPLES – TIMPANOPLASTIA
d) OTITE MÉDIA CRÔNICA COLESTEATOMATOSA – MASTOIDECTOMIA
e) OTITE EXTERNA CRÔNICA - CANALPLASTIA

R=D

13. QUAIS OS TRATAMENTOS MAIS ADEQUADOS PARA OMS CRÔNICA, OMC


SIMPLES E OMC COLESTEATOMATOSA, RESPECTIVAMENTE?
a) TIMPANOPLASTIA, MASTOIDECTOMIA, TIMPANOTOMIA PARA TUBO DE
VENTILAÇÃO
b) TIMPANOTOMIA PARA TUBO DE VENTILAÇÃO, TIMPANOPLASTIA,
MASTOIDECTOMIA
c) TIMPANOTOMIA PARA TUBO DE VENTILAÇÃO, MASTOIDECTOMIA,
TIMPANOPLASTIA
d) MASTOIDECTOMIA, TIMPANOPLASTIA, TIMPANOTOMIA PARA TUBO DE
VENTILAÇÃO
e) O TRATAMENTO EM TODOS CASOS É CLÍNICO

R=B

14. PACIENTE, 21 ANOS, MASCULINO, DEU ENTRADA NO PRONTO-SOCORRO


REFERINDO TER ENTRADO UM INSETO NO SEU OUVIDO ESQUERDO. O EXAME
CLÍNICO CONFIRMOU A SUSPEITA E O INSETO AINDA ESTAVA VIVO. QUAL A
CONDUTA?
a) INTRODUZIR UM OBJETO PONTIAGUDO NO OUVIDO PARA IMOBILIZÁ-LO E A
SEGUIR REMOVÊ-LO
b) PRESCREVER ANTI-FÚNGICO TÓPICO E REAVALIAR O DOENTE COM 07
DIAS
c) IMOBILIZAR O INSETO COM SOLUÇÃO OLEOSA, REMOVÊ-LO ATRAVÉS DE
LAVAGEM DO OUVIDO OU COM PINÇA JACARÉ, PRESCREVER GOTAS
OTOLÓGICAS S/N
d) IMOBILIZAR O INSETO COM SOLUÇÃO OLEOSA E PRESCREVER GOTAS
OTOLÓGICAS
e) IMOBILIZAR O INSETO COM SOLUÇÃO ÁCIDA, REMOVÊ-LO ATRAVÉS DE
LAVAGEM DO OUVIDO OU COM PINÇA JACARÉ, PRESCREVER GOTAS
OTOLÓGICAS S/N

R=C

15. PACIENTE, 30 ANOS, FEMININA, RELATOU QUE DURANTE FESTEJOS DE SÃO


JOÃO UMA BOMBA EXPLODIU PRÓXIMO DELA E O SEU OUVIDO ESQUERDO
COMEÇOU A APRESENTAR HIPOACUSIA, PLENITUDE E ZUMBIDO
REPENTINAMENTE. PROCUROU UM OTORRINOLARINGOLOGISTA QUE
ATRAVÉS DE UMA AUDIOMETRIA DIAGNOSTICOU UMA DISACUSIA
NEUROSSENSORIAL MODERADA NO OUVIDO ESQUERDO. QUAL O
DIAGNÓSTICO E CONDUTA?
a) SURDEZ SÚBITA – CORTICOTERAPIA, ANTIVIRAL E ACOMPANHAMENTO
b) SURDEZ SÚBITA – ANTIBIOTICOTERAPIA E ACOMPANHAMENTO
c) DISACUSIA DE TRANSMISÃO – CIRURGIA OTOLÓGICA
d) SÍNDROME DE WARDENBURG – CORTICOTERAPIA E ACOMPANHAMENTO
e) NEURINOMA DO ACÚSTICO – TC DAS MASTÓIDES E MASTOIDECTOMIA

R= A

1.Paciente, 45 anos, deu entrada no pronto socorro sangrando pela fossa nasal esquerda. Informa HAS. O
ORL diagnosticou epistaxe posterior vultosa por lesão da artéria esfenopalatina esquerda. Qual a conduta
mais adequada.
a) Tamponamento nasal anterior + alta hospitalar
b) Prescrição de vasoconstrictores nasais + compressa gelada
c) Tamponamento posterior + Prescrição de vasoconstrictores nasais
d) Tamponamento provisório + cirurgia nasal para cauterização da artéria esfenopalatina
e) Turbinectomia + tamponamento nasal

R=D

2. Paciente, feminino, 20 anos, após uso de cotonete no ouvido direito abriu quadro de
otorragia e otalgia no mesmo. À otoscopia evidenciou-se coágulos no cae e pequena
perfuração da mt de aspecto traumática. Qual a conduta?
a) Sintomáticos + acompanhamento ambulatorial
b) Cirurgia (timpanoplastia)
c) Gotas otológicas + tamponamento aural
d) Sintomáticos + timpanoplastia imediata
e) ndn
R=A

3. Paciente apresentando otite média aguda. Qual o microorganismo mais implicado na


patogênese. Qual o antibiótico de eleição.
a) Streptococcus pyogenes - Ceftriaxona
b) Streptococcus pneumoniae - Cefalexina
c) Streptococcus pneumoniae - Claritromicina
d) S. aureus - Clindamicina
e) Streptococcus pneumoniae - Amoxicilina

R=E

4. MARQUE A CERTA
a) A OMC colesteatomatosa facilmente cede ao tratamento medicamentoso
b) Os streptococcus pneumoniae são as bactérias mais frequentemente implicadas
na patogenia da omc colesteatomatosa
c) A OMC apresenta como quadro clínico clássico otalgia, plenitude aural e vertigem
d) A RNM é exame de grande importância na avaliação das complicações
decorrentes da OMC colesteatomatosa
e) O colesteatoma é um tumor presente nas otites médias secretoras

R-D

5. Marque a errada
a) Uma característica da OMC colesteatomatosa é o ouvido médio estar úmido
b) Gotas otológicas à base de antibióticos e corticóides podem ser utilizadas na
terapêutica da OMC
c) Meningite, abscessos e paralisia facial não são complicações da OMC
d) O diagnóstico de OMC é clínico
e) A otorréia fétida geralmente é característica marcante no quadro clínico da OMC
colesteatomatosa

R–C

6.Paciente, 04 anos, veio trazido pela mãe ao ORL, a qual relata que o mesmo fala em alto
volume e ouve TV também em alto volume, desde os 02 anos de idade. Suspeitava de surdez
e queria avaliação. À otoscopia evidenciou-se a presença de bolhas na caixa do tímpano, por
transparência da MT. Realizou-se audiometria que mostrou uma disacusia condutiva. Qual o
diagnóstico e o tratamento?
a) OMA – antibioticoterapia
b) OMC – gotas otológicas
c) Otosclerose – alendronato de sódio
d) OMS – timpanomastoidectomia
e) OMS – timpanotomia para tubo de ventilação

R-E

9. Assinale a alternativa correta


I. Devido à rica drenagem linfática, os cânceres glóticos apresentam metástase cervical
precoce.
II. A rouquidão geralmente é o primeiro sintoma no câncer glótico.
III. A principal manifestação dos tumores subglóticos é a obstrução das vias aéreas com
dispnéia e estridor expiratório.

A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Alternativas I e III corretas.
E) N.d.a

10. Assinale a alternativa incorreta


A) O principal tensor é o músculo cricotireóide, que é inervado pelo n. laringeo recorrente.
B) O único músculo abdutor da prega vocal é o cricoaritenóide posterior.
C) Os adutores são os músculos cricoaritenóide lateral, tireoaritenóide e interaritenóides.
D) Os nervos laríngeos recorrentes têm trajeto diferente. No lado direito, o nervo laríngeo
recorrente faz um arco ao redor da artéria subclávia, enquanto que do lado esquerdo faz
um arco ao redor da crossa da aorta.
E) O nervo vago deixa o crânio através do forame jugular.

2. MARQUE A CERTA
A) OMC colesteatomatosa facilmente cede ao tratamento medicamentoso
B) Os streptococcus pneumoniae são as bactérias mais frequentemente implicadas na
patogenia da omc colesteatomatosa
C) A OMC apresenta como quadro clínico clássico otalgia, plenitude aural e vertigem
D) A RNM é exame de grande importância na avaliação das complicações decorrentes da
OMC colesteatomatosa
E) O colesteatoma é um tumor presente nas otites médias secretoras

3. Tratamento da otite média serosa de repetição associada à obstrução


nasal na criança:
A) Adenoamigdalectomia
B) Antrotomia + adenoidectomia
C) Colocação de tubos de ventilação + adenoidectomia
D) Paracentese bilateral e observação
E) Descongestionantes tópicos e sistêmicos

4. Quais os microorganismos mais implicados na patogênese da otite média aguda.


A) Streptococcus pyogenes; S. aureus,; Moraxella catarrhalis
B) Streptococcus pneumoniae; Pseudomonas aeruginosa, S. aureus
C) Streptococcus pneumoniae; Haemophilus influenzae; Pseudomonas aeruginosa
D) S. aureus; Haemophilus influenzae; Moraxella catarrhalis
E) Streptococcus pneumoniae; Haemophilus influenzae; Moraxella catarrhalis

7. Agente etiológico mais freqüente da Epiglotite Aguda:


A) Staphylococcus aureus
B) Streptococcus e Staphylococcus
C) Haemophilus influenzae
D) Haemophilus e B. flagilis
E) Haemophilus e B. catharralis

8. Em relação à Doença de Menière, assinale a alternativa errada:


A) Tríade sintomática: perda auditiva, zumbido e vertigem
B) Evolução progressiva, através de surtos intermitentes
C) Geralmente é bilateral
D) Pode levar à surdez e à vertigem incapacitante
E) Ocorre com mais freqüência entre os 30 e 50 anos de idade.

12. São complicações das rinites alérgicas, exceto:


A) Otite media secretora
B) Polipose
C) Redução da qualidade de vida
D) Resfriados
E) Sinéquias nasais

13. Rinite caracterizada por piora pela manha, perene, marcada pela eosinofilia nasal e
prick test negativo, podendo estar associada à polipose nasal:
A) Rinite vasomotora
B) Rinite medicamentosa
C) Rinite alérgica
D) RENA
E) Rinite infecciosa

14. Limita-se posteriormente com a cavidade timpânica, exceto:


A) Recesso do facial
B) Aditus ad antrum
C) Células mastóideas
D) Tuba auditiva
E) Eminência piramidal

15. Com relação a anatomia e fisiologia da audição, assinale a alternativa verdadeira


A) A endolinfa é produzida no órgão de Corti
B) A endolinfa é rica em sódio e deficiente em potássio
C) A células ciliadas externas são em torno de 16000 e internas em torno de 3500 e
são respectivamente inervadas pelos neurônios tipo I e tipo II.
D) O microfonismo coclear é determinado pelas células ciliares externas
E) O núcleo do leminisco lateral desempenha papel fundamental na localização do
Som.

16. A disacusia neurossensorial numa prova com diapasão é caracterizada por:


A) Rinne negativo, Weber indiferente
B) Rinne negativo, Weber lateralizado para o lado melhor
C) Rinne negativo, Weber lateralizado para o lado pior
D) Rinne positivo, Weber lateralizado para o lado melhor
E) Rinne positivo, Weber lateralizado para o lado pior

3 - A disacusia neurossensorial numa prova com diapasão é caracterizada por:


a) Rinne negativo, Weber indiferente
b) Rinne negativo, Weber lateralizado para o lado melhor
c) Rinne negativo, Weber lateralizado para o lado pior
d) Rinne positivo, Weber lateralizado para o lado melhor
e) Rinne positivo, Weber lateralizado para o lado pior

17. Assinale a alternativa incorreta.


A) As anginas eritematosas são as mais comuns e correspondem a 90% dos casos
clínicos
B) As anginas de origem viral correspondem a 50% das faringoamigdalites agudas
C) O paciente com faringoamigdalite bacteriana tem como principal sintomatologia
a dor de garganta e disfagia. A maioria dos pacientes irá apresentar mialgia, febre
baixa, associada a coriza hialina e espirros.
D) O principal agente microbiológico das anginas bacterianas é um coco gram
positivo, o estreptococo beta-hemolítico do grupo A
E) A tríade clínica da mononucleose infeciosa é constituída por febre, angina e
poliadenopatia.

18. Assinale a alternativa incorreta


A) A prega vocal é constituída por três camadas, a saber: mucosa, lâmina própria e
muscular.
B) Em adultos, trauma cirúrgico (cirurgia da tireóide, cardíaca, torácica, cervical e de
esôfago) tem sido apontada como principal causa de paralisia de prega vocal.
C) Em paralisias unilaterais com prega vocal na posição paramediana, o principal
sintoma é a disfonia, com voz soprosa.
D) Em paralisias bilaterais com pregas vocais em posição paramediana, o principal
sintoma é a disfonia com voz de aspecto áspero.
E) A investigação complementar nos casos de paralisia de pregas vocais é importante
para tentar identificar possíveis causas tratáveis.

19. Marque a alternativa correta.


I. A angina de Plaut-Vincent é causada por simbiose entre o bacilo fusiforme
(Fusobacterium
plautvincenti) e o Streptococcus pneumoniae, saprófitos normais da cavidade bucal, que
adquirem poder patogênico quando associados.
II. A herpangina tem como principal agente o Coxsackie virus e é caracterizada por angina
eritematosa com erupção vesiculosa em palato mole, úvula e pilar amigdaliano,
poupando
região de mucosa jugal.
III. O tratamento da faringoamigdalite viral baseia-se em medicamentos de suporte e
antibioticoterapia por 7 a 10 dias, preferencialmente com derivados da penicilina.

A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Somente alternativa II correta.
E) N.d.a

2. MARQUE A CERTA
A) OMC colesteatomatosa facilmente cede ao tratamento medicamentoso
B) Os streptococcus pneumoniae são as bactérias mais frequentemente implicadas na
patogenia da OMC colesteatomatosa
C) A OMC apresenta como quadro clínico clássico otalgia, plenitude aural e vertigem
D) A RNM é exame de grande importância na avaliação das complicações decorrentes da
OMC colesteatomatosa
E) O colesteatoma é um tumor presente nas otites médias secretoras

3. Tratamento da otite média serosa de repetição associada à obstrução


nasal na criança:
A) Adenoamigdalectomia
B) Antrotomia + adenoidectomia
C) Colocação de tubos de ventilação + adenoidectomia
D) Paracentese bilateral e observação
E) Descongestionantes tópicos e sistêmicos

4. Quais os microorganismos mais implicados na patogênese da otite média aguda.


A) Streptococcus pyogenes; S. aureus,; Moraxella catarrhalis
B) Streptococcus pneumoniae; Pseudomonas aeruginosa, S. aureus
C) Streptococcus pneumoniae; Haemophilus influenzae; Pseudomonas aeruginosa
D) S. aureus; Haemophilus influenzae; Moraxella catarrhalis
E) Streptococcus pneumoniae; Haemophilus influenzae; Moraxella catarrhalis

5. Dos músculos pares abaixo relacionados, qual constitui a própria corda vocal?
A) Cricoaritenoideo lateral
B) Cricotireoideo
C) Tireoaritenoideo
D) Cricoaritenoideo posterior
E) Nenhum destes músculos

9. Drenagem dos seios paranasais anteriores (frontais, maxilares e etmóides).


anteriores):
A) Meato superior
B) Meato médio
C) Meato inferior
D) Rinofaringe
E) Cavum1.

10. O principal sintoma dos tumores nasossinusais é:


A) Obstrução nasal
B) Epistaxe
C) Rinorreia
D) Deformidade facial
E) Cacosmia

11. Localização mais comum dos osteomas nasossinusais


A) Seio maxilar
B) Meato médio
C) Seio frontal
D) Seio etmoidal
E) Meato superior

19. Marque a alternativa correta.


I. A angina de Plaut-Vincent é causada por simbiose entre o bacilo fusiforme
(Fusobacterium
plautvincenti) e o Streptococcus pneumoniae, saprófitos normais da cavidade bucal, que
adquirem poder patogênico quando associados.
II. A herpangina tem como principal agente o Coxsackie virus e é caracterizada por angina
eritematosa com erupção vesiculosa em palato mole, úvula e pilar amigdaliano,
poupando
região de mucosa jugal.
III. O tratamento da faringoamigdalite viral baseia-se em medicamentos de suporte e
antibioticoterapia por 7 a 10 dias, preferencialmente com derivados da penicilina.

A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Somente alternativa II correta.
E) N.d.a
4 - Não é uma complicação da rinite alérgica:
A) Otite média secretora
B) Palato ogival
C) Diminuição da qualidade de vida
D) IVAS
E) Desvio septal

8 - Com relação ao tumores malignos nasossinusais, assinale a alternativa incorreta:


A) Apresentam sintomatologia inespecífica, apresentando semelhança clínica com
tumores benignos
B) O diagnóstico destes tumores é geralmente feito tardiamente, sendo descobertos
em estágios avançados
C) O seio mais acometido é o seio maxilar
D) O abuso de álcool e o cigarro são fatores de risco para desenvolvimento destes
tumores
E) Os tumores metastáticos nasossinusais mais comuns são os tumores renais.

9 - BCAF, 18 anos apresenta massa obliterando a região posterior nasal e refere


episódios
de epistaxe esporádicos, porém intensos. Qual seria a melhor conduta?
A) Realizar uma videofibroscopia da cavidade nasal e marcar a cirurgia pois trata-se
de pólipo antro-coanal
B) Solicitar uma Tomografia de Seios Paranasais e coletar material para o estudo
anátomo-patológico
C) Realizar e biopsia e encaminhar o paciente a radioterapia
D) Realizar uma arteriografia diagnóstica
E) Solicitar um estudo tomográfico da região implicada e embolizar a tumoração
para a exérese cirúrgica

10 - São características do papiloma invertido, exceto:


A) Morfologia benigna, apesar do comportamento clínico agressivo.
B) Etiologia relacionada com HPV 6, 11, 16, 18 e 33.
C) O tratamento é cirúrgico sendo as recidivas freqüentes (10 a 50%).
D) Raramente é bilateral.
E) Originado na maioria dos casos no septo nasal.
5 - Com relação ao tratamento da Otite Média Aguda (OMA) recorrente:
A) Devem ser usados antibióticos de largo espectro pelo alto índice de bactérias
resistentes.
B) A colocação de tubo de ventilação traz pouco benefício se não for realizado
também adenoidectomia.
C) A quimioprofilaxia deve ser feita com amoxicilina 50mb/kg/dia por 6 a 12
meses.
D) A mudança de hábitos e a correção de fatores ambientais têm importante efeito
na profilaxia.
6 - Qual a fisiopatologia da paralisia facial periférica como complicação da OMA?
A) Coleção purulenta dentro do canal do nervo facial.
B) Bactérias causando infecção direta do nervo.
C) Neurotoxidade e edema.
D) Erosão e destruição óssea, com extensão para o nervo.

7 - Quais os principais micro-organismos que deverão ser cobertos quando iniciarmos o


uso de antibióticos para tratamento de complicações das Otites Médias Crônicas?
A) Streptococcus pneumoniae e Haemophilus influenzae.
B) Moraxella catarrhalis e Haemophilus influenzae.
C) Proteus mirabilis e Pseudomonas aeruginosa.
D) Staphilococcus aureus e Streptococcus pneumoniae.

8 - Marque a alternativa ERRADA:


A) Uma característica da Otite Média Crônica (OMC) Simples é o ouvido estar seco.
B) Gotas otológicas à base de antibióticos e corticóides podem ser utilizadas na
terapêutica da OMC.
C) Meningite, abscessos e paralisia facial podem ser complicações da OMC
Colesteatomatosa.
D) O diagnóstico de OMC é quase sempre feito através de exames complementares.
E) A otorréia fétida geralmente é característica marcante no quadro clínico da OMC
Colesteatomatosa.

1) MARQUE A ERRADA:
a) Obstrução por hipertrofia adenoamigdaliana acentuada é indicação de
adenoamigdalectomia;
b) Na angina de Plaut Vincent o exame físico revela ulceração unilateral da amígdala,
recoberta por pseudomembrana friável, fenômenos de necrose e eliminação de
exsudato de odor fétido;
c) A mononucleose infecciosa apresenta o quadro clínico: angina eritematosa,
adenomegalia cervical acentuada e febre;
d) A causa mais comum de adenoidite é viral;
e) A hipertrofia adenoideana isolada, em nenhuma hipótese, pode afetar o ouvido
médio.

2) A.B.C., 35 anos deu entrada no P.S. do H.G.V. apresentando odinofagia, febre e


otalgia esquerda. À oroscopia evidenciou-se hipertrofia, hiperemia e secreção purulenta
nas amígdalas. Qual o diagnóstico? Qual o nervo envolvido na otalgia?
a) Amigdalite – vago;
b) Laringite – vago;
c) Epiglotite – trigêmio;
d) Amigdalite – glossofaríngeo;
e) Laringite – glossofaríngeo

3) Paciente de 05 anos, procurou o ORL, levado pela mãe que relatava ser o mesmo
portador de hipertrofia adenoideana e, nos últimos meses, só fala e ouve televisão em
alto volume. A otoscopia mostrou ser uma otite média serosa em ambos os ouvidos. A
audiometria revelou curva óssea em torno de 20 dB e aérea em torno de 50 dB
bilateteralmente. Qual o diagnóstico audiométrico?
a) Perda auditiva mista severa bilateral;
b) Perda auditiva condutiva moderada bilateral;
c) Perda auditiva mista severa a direita e Perda auditiva condutiva moderada à
esquerda;
d) Perda auditiva neurossensorial moderada bilateral;
e) Perda auditiva neurossensorial leve severa bilateral.

5) Sobre tonsilite de repetição, assinale a alternativa que melhor corresponde à


indicação
de amigdalectomia:
a) 04 episódios em um ano por 02 anos consecutivos;
b) 05 episódios em um ano, somente;
c) 03 episódios/ ano por 03 anos consecutivos;
d) Todas erradas;
e) Todas corretas.

9) O blastoma benigno mais comumente encontrado na laringe é:


a) Adenoma;
b) Nódulo vocal;
c) Condroma;
d) Papiloma;
e) Mioblastoma.

10) O sintoma mais precoce do câncer das pregas vocais é:


a) Odinofagia
b) Disfagia;
c) Rouquidão;
d) Dispnéia;
e) Espasmo.

11) Paciente submetido a cirurgia de tireodectomia apresentou rouquidão e voz bitonal,


tendo o cirurgião informado que, ao fazer a ligadura da artéria tireóidea, atingiu o
nervo recorrente, pergunta-se: qual artéria foi feita a ligadura?
a) Superior;
b) Média;
c) Inferior;
d) Superior e média;
e) Todas.

12) A paralisia da corda vocal direita sugere:


a) Aneurisma da crossa da aorta;
b) Aneurisma do tronco braquiocefálico;
c) Pericardite adesiva;
d) Estenose mitral;
e) Tumor de bronquiofonte esquerdo.

13) Pode fazer parte do quadro clínico da doença de Menière:


a) Zumbidos;
b) Hipoacusia (condutiva);
c) Disacusia (sensorioneural);
d) Recrutamento;
e) Todas anteriores estão corretas.

14) Em relação à vertigem posicional paroxística benigna.


I. A etiologia é desconhecida em muitos casos, podendo estar relacionada à
traumatismo crânio encefálico, neuronite vestibular, pós-estapedectomia, além
de outros.
II. Caracteriza-se por crises vertiginosas, que duram poucos segundos, relacionados
à posição da cabeça.
III. É uma vestibulopatia rara, com certo predomínio no sexo masculino.

Entre as afirmativas acima:


a) Existe só uma correta;
b) Duas são corretas;
c) Todas são corretas;
d) Nenhuma é correta.

15) Paciente com perda auditiva unilateral lentamente progressiva, acompanhada de


zumbido e episódios de desequilíbrio (sem crises vertiginosas) há dois anos. Neste
caso, a principal hipótese diagnóstica é:
a) Doença de Menière;
b) Neurite vestibular;
c) Neuroma do acústico (schwannoma vestibular);
d) Vertigem posicional paroxística benigna.
e) Síndromes cervicais.

20) Paciente de 35 anos, sexo feminino, comparece ao seu consultório com queixa de
obstrução nasal e rinorreia hialina há 4 dias, fadiga e dificuldade para dormir. Nega
dor facial ou cefaleia. Sem histórico de sintomas alérgicos nasais. Ao exame físico,
evidenciam-se hiperemia e congestão dos cornetos inferiores com presença de
secreção clara. Qual seria sua conduta?
a) Prescreve amoxicilina por 10 dias;
b) Prescreve anti-histamínico e lavagem nasal;
c) Recomenda hidratação, repouso, lavagem nasal e descongestionante;
d) Prescreve corticóide oral e amoxicilina + ácido clavulânico por 10 dias.

1) Paciente de 26 anos procurou o Otorrinolaringologista queixando-se de obstrução


nasal, sobretudo à esquerda. Ao exame rinoscópico e à vídeo-naso-faringoscopia,
diagnosticou-se desvio acentuado do septo nasal para esquerda na região da união
osteocartilaginosa ao nível do meato médio. Quais estruturas do septo nasal
geralmente estão envolvidas nesta patologia?
a) Cartilagem lateral superior, osso próprio nasal, vômer;
b) Cartilagem quadrangular, vômer, osso próprio nasal;
c) Cartilagem septal, vômer e lâmina perpendicular do etmóide;
d) Cartilagem quadrangular, lâmina perpendicular do etmóide, cartilagem lateral
superior;
e) Cartilagem septal, vômer e cartilagem lateral superior.

3) Durante uma cirurgia microendoscópica nasal, o cirurgião abordou a artéria carótida


interna direita. Para tanto, ele chegou até a mesma através de qual dos seios
paranasais?
a) Meato superior;
b) Seio frontal;
c) Seio maxilar;
d) Seio etmoidal.

5) Sobre a angina de Plaut Vincent. Marque a errada:


a) A etiologia é associação bacteriana fusoespiralar;
b) O quadro clínico é disfagia, queda do estado geral e ausência de febre;
c) O exame físico revela hipertrofia, hiperemia e focos purulentos em ambas as
amígdalas;
d) O tratamento é antibioticoterapia parenteral com penicilina, associada a
gargarejos com soluções anti-sépticas.

6) A dor diante de uma acidental mordida e a identificação do sabor doce de um torrão


de açúcar no 1/3 anterior da língua são devidas à estimulação dos nervos,
respectivamente:
a) Hipoglosso e facial;
b) Facial e trigêmio;
c) Glossofaríngeo e facial;
d) Facial e glossofaríngeo;
e) Trigêmio e facial.

1) Marque a certa:
a) De todos os aminoglicosídeos a gentamicina é o de efeito mais grave sobre a
audição e a estreptomicina a mais vestibulotóxica;
b) Ácido etacrínico, furosemida, amicacina e cloroquina são exemplos de drogas
seguras para o aparelho auditivo;
c) Disacusias genéticas são responsáveis por uma parcela insignificante das perdas
auditivas neurossensoriais em crianças;
d) Num paciente portador de surdez, a otoscopia deverá sempre estar alterada;
e) No Brasil, graças ao atuante Ministério da Saúde, o número de portadores de
deficientes auditivos é irrisório, dispensando maiores preocupações.

2) Interprete a audiometria seguinte e responda: Qual(is) o(s) ouvido(s) doente(s)? Qual


o tipo e o grau da surdez ?
3) Paciente apresenta nistagmo posicional sem latência, não-fatigável, sem
tontura e com duração maior do que um minuto à hiperextensão da cabeça.
Esse quadro clínico indica:
a) Vertigem posicional paroxística benigna;
b) Acometimento de vias vestibulares centrais;
c) Intoxicação alcoólica;
d) Schwannoma vestibular;
e) Doença de Menière.

1. Paciente de 50 anos procurou o Otorrinolaringologista queixando-se de epistaxe e


obstrução nasal à esquerda. À rinoscopia anterior e à vídeo nasofaringoscopia
diagnosticou-se ectasia vascular na região anterior do septo e também desvio
acentuado do septo nasal na região da união osteocartilaginosa ao nível do meato médio
à esquerda. Qual o nome dessa zona de hemorragia? Quais estruturas do septo nasal
geralmente estão envolvidas no desvio?
a) Área de Little - Cartilagem lateral superior, osso próprio nasal, vômer;
b) Plexo de Kiesselbach - Cartilagem quadrangular, vômer, osso próprio nasal;
c) Plexo de Kiesselbach - Cartilagem septal, vômer e lâmina perpendicular do
etmóide;
d) Mancha vascular do septo nasal - Cartilagem quadrangular, lâmina perpendicular
do etmóide, cartilagem lateral superior;
e) Área de Little - Cartilagem septal, vômer e cartilagem lateral superior.

3. Paciente, masculino, 65 anos, procurou o ORL, por apresentar surdez no ouvido


esquerdo devido a um CA de nasofaringe. A explicação para a surdez é que o tumor
obstruiu ............... causando desequilíbrio pressórico ............. e, como conseqüência
se
desenvolveu uma otite média serosa.
a) O meato médio – no ouvido interno;
b) A coana – na mastóide;
c) A tuba auditiva – no ouvido médio;
d) A tuba auditiva – no ouvido interno;
e) A fossa nasal – no ouvido externo.

4. Marque a correta.
I – Os músculos do ouvido médio são tensor do tímpano e estapédio.
II – A função do ouvido externo é identificar e orientar a origem da fonte sonora.
III – O sáculo e o utrículo presidem o equilíbrio estático, que dá noção da posição da
cabeça e do corpo no espaço.
a) Todas corretas;
b) I e V erradas;
c) III, IV e V corretas;
d) Todas erradas;
e) Só II errada.

5. Paciente, feminino, 35 anos deu entrada no P.S. referindo odinofagia e febre com
início há dois dias. Ao exame evidenciou-se hipertrofia, hiperemia e secreção purulenta
nas amígdalas palatinas. Qual o diagnóstico?
a) Amigdalite crônica;
b) Laringite aguda;
c) Faringite aguda;
d) Amigdalite aguda;
e) Adenoidite.

6. Um paciente relatou ao médico duas queixas: dor na ponta da língua após tomar café
quente e gosto de sangue na garganta (base da língua). O médico logo compreendeu
quais nervos haviam sido estimulados. Eles são respectivamente:
a) Hipoglosso e facial;
b) Facial e trigêmio;
c) Glossofaríngeo e facial;
d) Trigêmio e glossofaríngeo;
e) Trigêmio e facial.

9) Em um paciente que se queixava de hipoacusia, o exame audiométrico mostrou os


seguintes abaixo. Interprete-os, identificando o(s) ouvido(s) doente(s), o tipo e o
grau da perda auditiva.
AUDIOMETRIA

250 500 1000 2000 3000 4000 6000 8000 Hz


0
10 X>

20 X>

30 X>

40 X>

50 X>

60 X>

70 X>

80 X>

90
100
110
dB

AUDIOMETRIA

250 500 1000 2000 3000 4000 6000 8000 Hz


0
10
20

30
40 < < <

50 < < < < <

60 

70      

80
90
100
110
dB

Legendas:
<<<<< / >>>>> = curva óssea
xxxxx / ooooo = curva aérea

10) Some as afirmações verdadeiras: _________


A - A otoscopia de um paciente com hipoacusia deverá estar sempre alterada;
B - A Suspeita de deficiência na infância surge quando a criança não atende aos
chamados, irrita-se facilmente e tem linguagem deficiente;
C - As emissões otoacústicas (teste da orelhinha) é um exame objetivo, seguro e
garante o diagnóstico de surdez no recém-nascido ou lactente;
D - O tratamento da surdez é geralmente cirúrgico;
E - A meningite, os tumores da orelha média e a estenose do conduto auditivo
externo são causas de surdez condutiva.

21. Qual a complicação mais comum nas septoplastias?

(A) Infecções.
(B) Perfurações.
(C) Alterações olfatóriias.
(D) Deformidades
(E)

22. Qual a técnica que melhor se aplica em desvios caudais?


(A) Killian e Freer.
(B) Metzembaum.
(C) Septoplastia endoscópica.
(D) Septoplastia extracorpórea.
(E)

23. Frente à presença de um pólipo avermelhado ocupando o conduto auditivo externo,


acompanhado de secreção Inflamatória, em uma paciente hipertensa de 50 anos que procurou
o médico com queixas de zumbido e disacusia, deve-se

(A) proceder à biópsia em consultório para afastar malignidade e definir a proposta cirúrgica.
(B) solicitar uma tomografia computadorizada de ossos temporais em contraste.
(C) solicitar dosagem de catecolaminas pela hipertensão arterial sistêmica.
(D) propor, após avaliação audiométrica, timpanomastoidectomia para tratamento de otite
média crônica.
(E)

24. Dentre os paragangliomas, qual apresenta maior chance de metástase?


(A) Timpânico.
(B) Vagal.
(C) Jugular.
(D) Tumor de corpo carotídeo.
(E)

25. No caso de um paraganglioma jugular Fisch C1 em paciente de 55 anos, com boas


condições, a terapia de escolha mais indicada é
(A) cirurgia com objetivo de ressecção completa do tumor.
(B) cirurgia com objetivo de ressecção parcial do tumor.
(C) radiocirurgia com objetivo de controle do crescimento tumoral.
(D) radiocirurgia com objetivo de regressão total do tumor.
(E)

26. Em caso de obstrução nasal, após o exame físico, havendo dúvidas quando ao diagnóstico,
qual é o exame subsidiário mais importante?

(A) Rinometria acústica.


(B) Endoscopia nasal.
(C) Tomografia computadorizada.
(D) Ressonância nuclear magnética.
(E)

27. Em um paciente com queixa de obstrução nasal, após anamnese e a inspeção, é


fundamental realizar qual exame, preferencialmente antes e depois de congestionante tópico
nasal?

(A) Rinoscopia anterior.


(B) Endoscopia nasal.
(C) Tomografia computadorizada
(D) Rinometria acústica.
(E)

28. A rinometria acústica é bastante útil para

(A) quantificar e verificar a resposta da permeabilidade nasal antes e após determinado


estímulo.
(B) indicação cirúrgica a partir dos resultados obtidos.
(C) identificar a causa da obstrução nasal.
(D) todas as alternativas estão corretas.
(E)
29. Quais os principais agentes etiológicos da papilomatose respiratória recorrente?
(A) HIV e HTLV.
(B) HPV 16 e HPV 18.
(C) HPV 6 e HPV 11.
(D) HPV e HSV.
(E)

30. São fatores de risco para a transmissão do human papillomavírus:


I. primogênico;
II. baixa condição socioeconômica;
III. mães portadoras de lesões genitais relacionadas ao HPV;
IV. mães jovens.

Está(ao) correta(s):

(A) as afirmativas I, II e III.


(B) as afirmativas I e II.
(C) as afirmativas II e III.
(D) todas as afirmativas.
(E)

31. São fatores de risco para malignização da papilomatose:

I. papilomatose respiratória recorrente agressiva/recidivante;


II. acometimento de árvore traqueobrônica;
III. radioterapia prévia;
IV. tabagismo.

Está(ão) correta(s):

(A) as afirmativas I, II e III.


(B) as afirmativas I e II.
(C) as afirmativas II e III.
(D) todas as afirmativas.
(E)

2. A ototoxicidade que alguns medicamentos causam pode promover lesão(os) sobre o


ouvido interno. Assinale a alternativa errada.
A) A amicacina lesa as células ciliadas externas da cóclea;
B) A furosemida lesa a estria vascular;
C) A cloroquina lesa as células ciliadas externas da cóclea;
D) A ototoxicidade por AAS é reversível;
E) A estreptomicina é a mais cocleotóxica dos aminoglicosídeos

1. B.G.H, 55 anos, sexo feminino, apresenta quadro de vertigem com duração de


segundos, que aparece geralmente ao girar para o lado direito há 3 meses quase
diariamente. Nega outros sintomas otológicos.
I. EX: oto: ndn, nistagmo semi-espontâneo batendo para direita; Romberg: queda para
direita; Babinski: desvio da marca para direita. Manobra de Dix-Hallpike positivo
para direita.
II. Como podemos diferenciar as vestibulopatia periférica de central neste caso?
Descreva as principais hipóteses diagnósticas. Como é realizada e analisada a
manobra de Dix-Hallpike?
Questão 06 - Caso-
O.B.M.C, 38 anos,
sexo masculino,
branco, natural e
procedente de Porto
Alegre –RS,
metalúrgico, evolui
com hipoacusia
bilateral progressiva
há 5 anos e zumbido.
Nega outros sintomas.
AP: ndn
AF: ndn.
Ao exame: Otoscopia:
normal
Rinoscopia: normal
Oroscopia: normal

Qual o diagnóstico mais provável?


a. PAIR
b. Presbiacusia
c. Otospongiose
d. Ototoxicidade
e. Otite média crônica

Comente sobre a epidemiologia da principal hipótese diagnóstica, fazendo uma correlação com
as características deste paciente.

7. Marque a alternativa correta.


III. I. As células envolvidas na fase tardia da reação de hipersensibilidade da rinite alérgica
são mastócitos e basofilos, promovendo a produção de grande quantidade de IgE e
liberação de mediadores pré-formados, como a histamina e prostaglandinas.
1. A RENA (rinite eosinofílica não-alérgica) está frequentemente associada a quadros de
asma, polipose nasal e hipersensibilidade à aspirina.
2. A rinite alérgica pode aparecer em qualquer idade, mas na maioria dos casos os
sintomas se iniciam após a terceira década de vida.
IV.
a. Alternativas I e II corretas.
b. Alternativas I, II e III corretas.
c. Alternativas II e III corretas.
d. Alternativas I e III corretas.
e. Nda
8. Caso – MSM, 65 anos, sexo seminino, parda, advogada, natural e procedente de São João do
Piauí – PI, refere hipoacusia bilateral lentamente progressiva há aproximadamente 5 anos,
associada a zumbido tipo “cigarra”. Refere que as vezes escuta, mas não entende.
AP: ndn.
A. familiar: ndn.
Ao exame:
Otoscopia: normal; Rinoscopia: normal; Oroscopia: normal

Qual o diagnóstico mais provável?

Considerando a história clínica e a audiometria, qual o tipo de


perda auditiva?
a. Neurossensorial
b. Condutiva
c. Mista
d. Central
e. Nda

7. Marque a alternativa correta.


I. As células envolvidas na fase tardia da reação de hipersensibilidade da rinite
alérgica são mastócitos e basofilos, promovendo a produção de grande
quantidade de IgE e liberação de mediadores pré-formados, como a histamina e
prostaglandinas.
II. A RENA (rinite eosinofílica não-alérgica) está frequentemente associada a
quadros de asma, polipose nasal e hipersensibilidade à aspirina.
III. A rinite alérgica pode aparecer em qualquer idade, mas na maioria dos casos
os sintomas se iniciam após a terceira década de vida.
IV
a. Alternativas I e II corretas.
b. Alternativas I, II e III corretas.
c. Alternativas II e III corretas.
d. Alternativas I e III corretas.
e. Nda

10. Um paciente, 33 anos, sexo masculino, chega ao P.S vítima de politrauma por
acidente motociclístico. Observa-se dispnéia intensa com presença de esforço
respiratório e cianose, além de edema em face e pescoço e equimose cervical com
enfisema subcutâneo. Quais seriam suas primeiras medidas neste paciente e quais os
principais parâmetros a serem observados?

11. Na otite média crônica colesteatomatosa, a lesão ossicular


mais comum é a:
(A) erosão do ramo longo da bigorna.
(B) erosão da platina do estribo.
(C) necrose de um dos ramos do estribo.
(D) fixação do estribo na janela oval.
(E) fixação da cabeça do martelo.

45. O tratamento cirúrgico indicado na otite média secretora é:


(A) timpanotomia com tubo de ventilação.
(B) timpanoplastia simples.
(C) timpanoplastia com mastoidectomia.
(D) mastoidectomia.
(E) antrostomia.

7. B.G.H, 55 anos, sexo feminino, apresenta quadro de vertigem com duração de


aproximadamente 25 minutos, que aparece em crises associadas à zumbido, náuseas e
vômitos. Refere 3 crises no último ano com duração de quatro à cinco dias. Relata
hipoacusia que também piora em épocas de crises.
EX: oto: ndn, nistagmo semi-espontâneo batendo para direita; romberg: queda para
direita; babinski: desvio da marca para direita.
Assinale a alternativa correta em relação à principal hipótese diagnóstica.
a. Vestibulopatia periférica, VPPB.
b. Vestibulopatia periférica, Sind. de Menière.
c. Vestibulopatia periférica, Neuronite vestibular.
d. Vestibulopatia central, AVC.
e. Vestibulopatia central, esclerose múltipla.

8. Marque a alternativa correta.


I. As células envolvidas na fase tardia da reação de hipersensibilidade da rinite alérgica
são mastócitos e basofilos, promovendo a produção de grande quantidade de IgE e
liberação de mediadores pré-formados, como a histamina e prostaglandinas.
II. A RENA (rinite eosinofílica não-alérgica) está frequentemente associada a quadros
de asma, polipose nasal e hipersensibilidade à aspirina.
III. A rinite alérgica pode aparecer em qualquer idade, mas na maioria dos casos os
sintomas se iniciam após a terceira década de vida.

a. Alternativas I e II corretas.
b. Alternativas I, II e III corretas.
c. Alternativas II e III corretas.
d. Alternativas I e III corretas.
e. Nda

10. Marque a alternativa incorreta


a. A otite média com efusão pode ser associada a um declínio ou ausência de
mobilidade da membrana timpânica, caracterizando uma curva tipo B.
b. Até 2 anos de idade, tanto OMA quanto OME são bilaterais em sua maioria. Após os
2 anos, a maioria dos episódios de OMA e OME é unilateral.
c. A disfunção da tuba auditiva definida como extrínseca é resultado de aumento da
pressão extramural, como compressão peritubal secundária a tumor ou adenóide.
d. A PAIR (perda auditiva induzida por ruído) é neurossensorial, quase sempre bilateral
e com grande tendência à progressão mesmo após cessada a exposição ao ruído, devido
à lesão das células ciliadas.
e. Define-se como surdez súbita a perda auditiva de mais de 10 dB em pelo menos 3
frequências, que se instala em um prazo de até 3 dias.

11. Assinale V ou F. Uma alternativa errada anula uma certa.


(V ) As principais células envolvidas na fase imediata da reação de hipersensibilidade
da rinite alérgica são mastócitos, promovendo a produção de grande quantidade de
histamina.
(V ) Os sintomas da rinite alérgica podem aparecer em qualquer idade, sendo mais
freqüente sua instalação na infância e adolescência.
(V ) Resíduos fecais pertencentes aos gêneros Dermatophagoides e Blomia são as
maiores fontes de alérgenos na poeira domiciliar.
(F ) As células envolvidas na fase tardia da reação de hipersensibilidade da rinite
alérgica são mastócitos e basofilos, promovendo a produção de grande quantidade de
IgE e liberação de mediadores pré-formados, como a histamina e prostaglandinas.
(F ) A RENA (rinite eosinofílica não-alérgica) é um quadro com sintomas tipicamente
leves, que geralmente se instala na infância e evolui com sintomas geralmente restritos
ao nariz.

13. Marque a alternativa correta.


I. O ouvido humano é sensível somente aos sons cuja faixa de freqüências situa-se entre
20 e 20.000 Hz, denominada faixa audível.
II. A surdez súbita é caracterizada pela perda de mais de 10dB em três freqüências em
até 03 dias de evolução.
III. Mais de 130 medicamentos disponíveis comercialmente apresentam efeitos
ototóxicos. Por este motivo, quando prescrevemos antibióticos, devemos sempre que
possível, evitar os fármacos da classe dos macrolídeos, dando preferência ao uso de
beta-lactâmicos e aminoglicosídeos.

a. Alternativas I e II corretas.
b. Alternativas I, II e III corretas.
c. Alternativas II e III corretas.
d. Alternativas I e III corretas.
e. Somente alternativa I correta.

14. São características da PAIR, exceto:


a. PAIR é neurossensorial.
b. Quase sempre bilateral.
c. Instalada, é irreversível.
d. Observa-se estabilização da perda auditiva após cessada a exposição.
e. Perda auditiva característica ocorre entre 500 e 2000 Hz, principalmente em 1000 Hz
(entalhe ou gota acústica).

15. As células etmoidais anteriores drenam para:


a. meato inferior;
b. meato médio;
c. meato superior;
d. canal nasolacrimal;
e. coana

17. A epistaxe é uma queixa comum nas unidades de emergência. Apesar de


geralmente apresentar um curso inofensivo, pode colocar a vida do paciente em
risco, dependendo do fator causal e do local acometido. A causa de sangramento
mais comum é o:
a. pólipo nasal sangrante.
b. microtrauma do plexo de Kiesselbach.
c. trauma craniano.
d. tumor de rinofaringe.

18. É INCORRETO afirmar que as fraturas longitudinais do osso temporal se


caracterizam por:
a. hipoacusia de condução por acometimento ossicular freqüente.
b. membrana timpânica normalmente acometida, com otorragia.
c. ocorrência mais freqüente que as transversais, poupando o labirinto.
d. paralisia facial freqüente, imediata e completa por lesão neural.
e. Otoliquorréia, devido ao aparecimento de fístulas liquóricas, menos freqüente que nas
transversais.

4. Caso – MSM, 65 anos, sexo seminino, parda, advogada, natural e procedente de São
João do Piauí – PI, refere hipoacusia bilateral lentamente progressiva há
aproximadamente 5 anos, associada a zumbido tipo “cigarra”. Refere que as vezes
escuta, mas não entende.
AP: ndn.
A. familiar: ndn.
Ao exame:
Otoscopia: normal; Rinoscopia: normal; Oroscopia: normal

Qual o diagnóstico mais provável?


a. Presbiacusia
b. Otosclerose
c. Neuropatia auditiva
d. PAIR
e. Perda genética

01 - Caso- O.B.M.C, 38 anos, sexo masculino, branco, natural e procedente de Porto


Alegre –RS, metalúrgico, evolui com hipoacusia bilateral progressiva há 5 anos e
zumbido. Nega outros sintomas. AP: ndn
AF: ndn.
Ao exame: Otoscopia: normal
Rinoscopia: normal
Oroscopia: normal

A audiometria apresenta uma perda do tipo:


f. Neurossensorial com predomínio em agudos
g. Neurossensorial com predomínio em graves
h. Mista
i. Condutiva com predomínio em agudos
j. Condutiva com predomínio em graves

I. As células envolvidas na fase imediata da reação de hipersensibilidade da rinite


alérgica são mastócitos e basofilos, promovendo a liberação de mediadores pré-
formados, como a histamina e prostaglandinas.
1. A RENA (rinite eosinofílica não-alérgica) está frequentemente associada a
quadros de asma, polipose nasal e hipersensibilidade à aspirina.
2. A RENA apresenta início da apresentação clínica geralmente na infância ou
adolescência.
V.
f. Alternativas I e II corretas.
g. Alternativas I, II e III corretas.
h. Alternativas II e III corretas.
i. Alternativas I e III corretas.
j. Nda

4. Caso – MSM, 65 anos, sexo seminino, parda, advogada, natural e procedente de São
João do Piauí – PI, refere hipoacusia bilateral lentamente progressiva há
aproximadamente 5 anos, associada a zumbido tipo “cigarra”. Refere que as vezes
escuta, mas não entende.
AP: ndn.
A. familiar: ndn.
Ao exame:
Otoscopia: normal; Rinoscopia: normal; Oroscopia: normal

Qual o diagnóstico mais provável?


A. Presbiacusia
B. Otosclerose
C. Neuropatia auditiva
D. PAIR
E. Perda genética

5. M.F.S, 60 anos, sexo masculino, auxiliar de escritório, evolui há 5 semanas com


rouquidão. Ele relaciona o início do quadro a abuso vocal em uma festa. Nega outras
queixas.
AF: n.d.n AP: tabagismo ½ maço / dia há 40 anos.
Oto: ndn RA: ndn orosc: ndn
Qual a conduta inicial neste caso?
a) Prescrever antinflamatórios não-hormonais por 7 dias, hidratação e repouso vocal.
b) Tomografia computadorizada de pescoço com e sem contraste para afastar a
hipótese de neoplasias cervicais.
c) Vídeo-laringoscopia é fundamental neste caso.
d) Bloqueador de bomba de prótons (omeprazol, pantoprazol, etc) devido a alta
probabilidade de laringite por refluxo gastro-esofágico, com reavaliação em 2
meses.
e) Rx cervical para avaliar a coluna aérea e investigar sinais de estreitamento
laríngeo, como o sinal do polegar e da torre de igreja.

5. Assinale a alternativa correta


IV. Devido à rica drenagem linfática, os cânceres glóticos apresentam metástase
cervical precoce.
V. A rouquidão geralmente é o primeiro sintoma no câncer glótico.
VI. A principal manifestação dos tumores subglóticos é a obstrução das vias aéreas com
dispnéia e estridor expiratório.

a. Alternativas I e II corretas.
b. Alternativas I, II e III corretas.
c. Alternativas II e III corretas.
d. Alternativas I e III corretas.
e. N.d.a

6. assinale a alternativa incorreta


a. O principal tensor é o músculo cricotireóide, que é inervado pelo n. laringeo
recorrente.
b. O único músculo abdutor da prega vocal é o cricoaritenóide posterior.
c. Os adutores são os músculos cricoaritenóide lateral, tireoaritenóide e
interaritenóides.
d. Os nervos laríngeos recorrentes têm trajeto diferente. No lado direito, o nervo
laríngeo recorrente faz um arco ao redor da artéria subclávia, enquanto que do
lado esquerdo faz um arco ao redor da crossa da aorta.
e. O nervo vago deixa o crânio através do forame jugular.
VI.
7. Assinale a alternativa incorreta
a. A prega vocal é constituída por três camadas, a saber: mucosa, lâmina própria e
muscular
b. Em adultos, trauma cirúrgico (cirurgia da tireóide, cardíaca, torácica, cervical e
de esôfago) tem sido apontada como principal causa de paralisia de prega vocal.
c. Em paralisias unilaterais com prega vocal na posição paramediana, o principal
sintoma é a disfonia, com voz soprosa.
d. Em paralisias bilaterais com pregas vocais em posição paramediana, o principal
sintoma é a disfonia com voz de aspecto áspero.
e. A investigação complementar nos casos de paralisia de pregas vocais é
importante para tentar identificar possíveis causas tratáveis.

Questão
1 A B C D E
2 A B C D E
3 A B C D E
4 A B C D E
5 A B C D E
6 A B C D E
7 A B C D E
8 A B C D E
9 A B C D E
10 A B C D E

5. Marque a alternativa correta.


I. As células envolvidas na fase tardia da reação de hipersensibilidade da rinite
alérgica são mastócitos e basofilos, promovendo a produção de grande quantidade
de IgE e liberação de mediadores pré-formados, como a histamina e
prostaglandinas.
II. A RENA (rinite eosinofílica não-alérgica) está frequentemente associada a
quadros de asma, polipose nasal e hipersensibilidade à aspirina.
III. A rinite alérgica pode aparecer em qualquer idade, mas na maioria dos casos os
sintomas se iniciam após a terceira década de vida.

a. Alternativas I e II corretas.
b. Alternativas I, II e III corretas.
c. Alternativas II e III corretas.
d. Alternativas I e III corretas.
e. Nda

6. Qual o tipo de perda auditiva


identificado nesta audiometria?
a. Neurossensorial
b. Condutiva
c. Mista
d. Central
e. Nda

7. Marque a alternativa incorreta


a. A otosclerose é uma doença de carater hereditário com aparecimento tardio,
geralmente entre 30 e 40 anos de idade.
b. A presbiacusia geralmente aparece após os 50 anos de idade, tornando-se mais
prevalente conforme o aumento da faixa etária da população, apresentando uma
tendência a perda auditiva unilateral.
c. A disfunção da tuba auditiva definida como extrínseca é resultado de aumento da
pressão extramural, como compressão peritubal secundária a tumor ou adenóide.
d. A PAIR (perda auditiva induzida por ruído) é neurossensorial, quase sempre
bilateral e com grande tendência a estabilizar após cessada a exposição ao ruído.
e. Defini-se como surdez súbita a perda auditiva de mais de 10dB em pelo menos 3
frequências, que se instala em um prazo de até 3 dias.

13. M.F.S, 60 anos, sexo masculino, auxiliar de escritório, evolui há 5 semanas com
rouquidão. Ele relaciona o início do quadro a abuso vocal em uma festa. Nega
outras queixas.
AF: n.d.n; AP: tabagismo ½ maço / dia há 40 anos; Oto, RA e Oroscopia: ndn.
Qual a conduta inicial neste caso?
a. Prescrever antinflamatórios não-hormonais por 7 dias, hidratação e repouso
vocal.
b. Tomografia computadorizada de pescoço com e sem contraste para afastar a
hipótese de neoplasias cervicais.
c. Vídeo-laringoscopia é fundamental neste caso.
d. Bloqueador de bomba de prótons (omeprazol, pantoprazol, etc) devido a alta
probabilidade de laringite por refluxo gastro-esofágico, com reavaliação em 2
meses.
e. Rx cervical para avaliar a coluna aérea e investigar sinais de estreitamento
laríngeo, como o sinal do polegar e da torre de igreja.

14. Assinale a alternativa correta


I. Devido à rica drenagem linfática, os cânceres glóticos apresentam metástase
cervical precoce.
II. A rouquidão geralmente é o primeiro sintoma no câncer glótico.
III. A principal manifestação dos tumores subglóticos é a obstrução das vias
aéreas com dispnéia e estridor expiratório.

a. Alternativas I e II corretas.
b. Alternativas I, II e III corretas.
c. Alternativas II e III corretas.
d. Alternativas I e III corretas.
e. N.d.a

15. Assinale a alternativa incorreta


a. O principal tensor é o músculo cricotireóide, que é inervado pelo n. laringeo
superior.
b. O único músculo abdutor da prega vocal é o cricoaritenóide lateral.
c. Os músculos tireoaritenóide e interaritenóides são músculos adutores.
d. Os nervos laríngeos recorrentes têm trajeto diferente. No lado direito, o nervo
laríngeo recorrente faz um arco ao redor da artéria subclávia, enquanto que do
lado esquerdo faz um arco ao redor da crossa da aorta.
e. O nervo vago deixa o crânio através do forame jugular.

16. Assinale a alternativa incorreta


a. A prega vocal é constituída por três camadas, a saber: mucosa, lâmina própria e
muscular;
b. Em adultos, trauma cirúrgico (cirurgia da tireóide, cardíaca, torácica, cervical e
de esôfago) tem sido apontada como principal causa de paralisia de prega vocal.
c. Em paralisias unilaterais com prega vocal na posição paramediana, o principal
sintoma é a disfonia, com voz soprosa
d. Em paralisias bilaterais com pregas vocais em posição paramediana, o principal
sintoma é a disfonia com voz de aspecto áspero.
e. A investigação complementar nos casos de paralisia de pregas vocais é
importante para tentar identificar possíveis causas tratáveis.

15. (CONESUL/PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE-RS/2008) Sobre a


anatomia da laringe, considere as afirmações a seguir:
I. As cartilagens da laringe são: a cricoide, a epiglote, as aritenoides e cartilagem
tireóide.
II. As falsas cordas vocais estão localizadas na região supraglótica.
III. As regiões supraglótica, glótica e subglótica possuem drenagens linfáticas distintas.
Quais estão corretas?
A) Todas.
B) Apenas I e II.
C) Apenas I e III.
D) Apenas II e III.
E) Nenhuma.

16. (AOCP/ INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS-INES/2009)


Em relação à anatomia da laringe é correto afirmar que:
A) O músculo cricoaritenoideo posterior é constrictor da glote.
B) O músculo cricoaritenoideo lateral é dilatador da glote.
C) O músculo cricotireoideo é inervado pelo nervo laríngeo recorrente.
D) O relaxamento do músculo cricotireoideo distende a corda vocal.
E) O músculo tireoaritenoideo constitui a própria corda vocal.

17. (FESP/PREFEITURA DE ANGRA DOS REIS, RJ/2008) O único músculo


intrínseco da laringe que é inervado pelo nervo laríngeo superior é o:
A) cricoaritenoideo lateral;
B) cricotireoideo;
C) cricoaritenoideo posterior;
D) tireoaritenoideo;
E) interaritenoideo.

4 . (SESAU/RO – 2003) O efeito hidráulico do sistema de amplificação tímpano-


ossicular da orelha média é exercido:
A. Pela relação entre os comprimentos do cabo do martelo e da apófise longa da
bigorna.
B. Pela relação entre a superfície vibrátil da membrana timpânica e a área da platina
do estribo.
C. Pala relação entre a área total da membrana timpânica e a área da platina do
estribo associada à relação entre os comprimentos do cabo do martelo e da apófise longa
da bigorna.
D. Pela relação entre a profundidade da orelha média e a altura do estribo.
E. Pela relação entre o raio a membrana timpânica e a altura do estribo.

8. (Prefeitura de Belo Horizonte-MG – 2006) Em relação à otosclerose, todas as


afirmativas está corretas, EXCETO:
A) O implante coclear está indicado para o tratamento da otosclerose.
B) Em geral, quanto mais cedo o desenvolvimento da doença, mais reservado o
prognóstico.
C) A perda auditiva é lentamente progressiva e afeta, inicialmente, apenas um
ouvido, mas pode evoluir para o acometimento dos dois ouvidos.
D) Em 50% dos pacientes portadores de otosclerose, os focos de otosclerose podem
acometar a janela oval e o estribo, causando hipoacusia condutiva. Em 35%, a
cóclea está acometida (hipoacusia sensorial) e em 15% ocorre uma hipoacusia mista.

9. (FESP-RJ) Ao realizar os testes com diapasão, em um paciente com disacusia


condutiva em orelha esquerda, deve-se encontrar:
A) Rinne negativo à esquerda e Weber indiferente:
B) Rinne positivo à esquerda e Weber indiferente;
C) Rinne negativo à esquerda e Weber lateralizado para a esquerda;
D) Rinne positivo à esquerda e Weber lateralizado para a esquerda;
E) Rinne negativo à esquerda e Weber lateralizado para a direita.

11. Joãozinho entra na biblioteca da Universidade para fazer uma pesquisa sobre
história da medicina. Ao manipular os livros antigos, começa a apresentar crise de
espirros e prurido nasal. Em relação à este caso, pode-se afirmar:
I. As principais células envolvidas na fase imediata da reação de hipersensibilidade
da rinite alérgica são mastócitos, promovendo a produção de grande quantidade de
histamina.
II. Os sintomas da rinite alérgica podem aparecer em qualquer idade, sendo mais
frequente sua instalação na infância e adolescência.
III. Resíduos fecais pertencentes aos gêneros Dermatophagoides e Blomia são as
maiores fontes de alérgenos na poeira domiciliar.

A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Alternativas I e III corretas.
E) N.d.a

8. Paciente com perda auditiva unilateral progressiva, acompanhada de zumbido e


episódios de desequilíbrio (sem crises vertiginosas), há 2 anos. Neste caso, a principal
hipótese diagnóstica é:
A) Doença de Menière;
B) Neurite vestibular;
C) Shwannoma vestibular (neuroma do acústico);
D) Vertigem posicional paroxística benigna;
E) Síndromes cervicais.

9. Na etiopatogenia da otite média colesteatomatosa primária, assinale a alternativa


CORRETA.
A) Restos embrionários epiteliais associados a traumatismos craneoencefálicos;
B) Processos degenerativos associados a abscesso cerebral;
C) Meningites de repetição;
D) Restos epiteliais meníngeos;
E) Pressão negativa na orelha média.

10. Exame considerado “padrão ouro” para o diagnóstico da síndrome da apneia


obstrutiva do sono:
A) Cefalometria;
B) Video-naso-faringo-laringoscopia;
C) Polissonografia;
D) Eletrocadiograma;
E) Eletroencefalograma.

8. A região que mais comumente sangra na epistaxe na infância é:


a. Cabeça do corneto inferior;
b. Cabeça do corneto médio;
c. Terço médio do septo;
d. Terço anterior do septo;
e. Cauda do corneto inferior.

11. Marque a alternativa incorreta em relação à anatomia e fisiologia da laringe.


A) O nervo laríngeo inferior ou recorrente (ramo do nervo vago) inerva todos os
músculos intrínsecos da laringe, exceto o cricotireóideo, que é inervado pelo
laríngeo superior.
B) A prega vocal é constituída por elementos que lhe conferem uma estrutura dupla:
um corpo e uma cobertura. O corpo é formado pelo músculo vocal, que pode ser
considerado rígido no momento da fonação.
C) A cobertura é a mucosa da prega vocal, formada pelo epitélio e pela camada
superficial da lâmina própria (espaço de Reinke). Como são firmemente
conectados ao ligamento e músculo vocal, apresentam pouca elasticidade e
importante característica vibratória.
D) A transição é formada pelas camadas intermediária e profunda da lâmina própria
(ou ligamento vocal).
E) O nervo laríngeo superior, após originar-se no nervo vago, divide-se nos ramos
interno e externo. O ramo externo é motor, e inerva o músculo cricotireóideo.

12. Em relação à fonação:


I. Para manter um corpo em vibração, duas forças antagônicas (trabalhando em
direções opostas) devem agir alternadamente. Para vibração das pregas vocais
estas são as forças de abertura, decorrente da pressão subglótica, e de fechamento,
proveniente da elasticidade da prega vocal e do efeito Bernoulli.
II. De acordo com a teoria de Bernoulli, a velocidade do fluxo é alta em uma região
de estreitamento, criando queda de pressão perpendicular à parede dessa região.
III. Os músculos adutores (aproximam as pregas vocais) são: os cricoaritenóideos
posteriores, os interaritenóideos e o músculo tireoaritenóideo
A. I e II corretas
B. Somente I correta
C. I e III corretas
D. II e III corretas
E. I, II e III corretas

32. A.N.S., 28 anos, foi atendida pelo otorrino apresentando tontura rotatória, náuseas e
vômitos. Estava muito ansiosa, sudoreica e pálida. O ORL diagnosticou ser uma
crise vertiginosa. Qual a conduta a ser aplicada?
A) Acalmar a paciente e os acompanhantes, prescrever ansiolítico (Diazepan) ou
dimenidrato (Dramim), hidratação venosa (s/n) e ao sair da crise investigar a causa
ambulatorialmente;
B) Prescrever um depressor labiríntico (cinarizina) e liberar a paciente;
C) Internar a paciente em UTI e solicitar avaliação neurológica;
D) Acalmar a paciente e os acompanhantes, prescrever antibiótico, dimenidrato
(Dramim) e hidratação venosa (s/n);
E) Explicar à paciente e aos acompanhantes que se trata de uma patologia incurável e
prescrever paliativos.

37. Em relação à Doença de Menière, assinale a alternativa ERRADA:


A) Tríade sintomática: perda auditiva, zumbido e vertigem
B) Evolução progressiva, através de surtos intermitentes
C) Geralmente é bilateral
D) Pode levar à surdez e à vertigem incapacitante
E) Ocorre com mais freqüência entre os 30 e 50 anos de idade.

77.Assinale a alternativa ERRADA em relação à angina de Plaut-Vicent:


A) Disfagia dolorosa unilateral
B) Lesões gengivais
C) Temperatura elevada
D) Odor fétido
E) Necrose

14. (Prefeitura Municipal de Palmas, 2005) Os ramos terminais da artéria carótida


externa responsáveis por epistaxes são:
A) artéria facial e artéria maxilar interna.
B) artéria faríngea ascendente, artéria lingual, artéria maxilar interna e artérias etmoidais.
C) artéria etmoidal anterior e artéria esfenopalatina.
D) artéria facial, artéria maxilar interna e artéria etmoidal anterior e posterior.
E) artéria oftálmica, artéria palatina descendente e artéria maxilar interna.

15. (Prefeitura Municipal de Macapá, 2002) Epistaxes profusas originadas acima do


corneto médio, não controladas por tamponamento, requerem ligadura da artéria
etmoidal anterior e artéria:
A) carótida externa
B) maxilar interna
C) etmoidal posterior
D) esfenopalatina
E) carótida externa

16. Com relação ao tratamento das doenças inflamatórias agudas das vias aéreas
superiores, assinale a alternativa incorreta:
A) No crupe espasmódico, o uso de vapor quente ou frio freqüentemente interrompe o
espasmo laríngeo e a dificuldade respiratória em questão de minutos.
B) Em caso de confirmação de epiglotite, uma via aérea artificial deve ser
imediatamente estabelecida.
C) Em um caso de laringotraqueo-bronquite aguda, o tratamento deve proceder com
nebulização com epinefrina e soro fisiológico, glicocorticóides sistêmicos, anti-
histamínicos e expectorantes.
D) Epinefrina e glicocorticóides são ineficazes no tratamento da epiglotite aguda.
E) As cefalosporinas de 2ª e 3ª geração são os antimicrobianos mais freqüentemente
utilizados no tratamento da epiglotite aguda.

Questão 1 - (CAMAR /CAFAR /CADAR 2005) Considerando-se a mononucleose


infecciosa, é INCORRETO afirmar que:
A) essa doença deve ser suspeitada nas faringotonsilites não-responsivas a antibióticos.
B) essa doença é mais freqüente na adolescência e, por vezes, de caráter epidêmico.
C) o hemograma revela acentuada neutrofilia, com desvio para a esquerda.
D) o uso de ampicilina pode desencadear o aparecimento de rash cutâneo.

Questão 4 - (PREFEITURA MUNICIPAL DE ITU, 2009) É a complicação mais


comum de um episódio de amigdalite aguda:
A) Abscesso peritonsilar.
B) Glomerulonefrite aguda pós-estreptocócica.
C) Febre reumática.
D) Infecções virais.

Questão 5 - (PIAUÍ 2006) É correto afirmar com relação às laringites:


A) na laringite estridulosa ocorre um edema da região supraglótica, mais freqüente em
meninos, que evolui geralmente de forma benigna;
B) as lesões mais freqüentes da laringofaringite por refluxo gastroesofágico são:
alterações da comissura anterior e da epiglote;
C) a epiglotite bacteriana é mais comum em crianças, sendo o Streptococcus ß-
hemolítico o agente mais encontrado;
D) o edema Reinke é angioneurótico hereditário, alérgico, como uma laringite
edematosa aguda;
E) a laringite da tuberculose é uma forma altamente contagiosa, atípica e grave da
doença.

Questão 7 - (EXAME DE ADAPTAÇÃO COMAR 2010) M.R.F. feminino, 21 Anos,


refere odinofagia intensa com febre alta (39,2ºC) há 7 dias, sem melhora com uso de
Diclofenaco e Amoxicilina+Clavulanato. À oroscopia apresenta extensas placas
purulentas em amígdalas com petéquias em palato, presença de linfonodomegalia
cervical bilateral. Hemograma demonstra leucocitose com presença de linfócitos
atípicos. Qual sua hipótese diagnóstica?
A) Mononucleose infecciosa.
B) Linfoma.
C) Toxoplasmose.
D) Faringotonsilite aguda.

Questão 8 - (prefeitura municipal de Niterói) A ulceração de uma das tonsilas


palatinas, recoberta por exsudato pseudomembranoso, cujo agente etiológico é a
associação do bacilo fusiforme com o espirilo caracteriza a angina de:
A) Ludwig
B) Schultze
C) Plaut Vincent
D) Klebs Loefler

Questão 9 - A presença de pseudomembranas aderidas a amígdala, sangrantes à


remoção, invadindo pilares e úvula sugere:
A) Angina de Plaut-Vicent.
B) Monilíase oral.
C) Difteria.
D) Mononucleose infecciosa.
E) Angina de Ludwig

Questão 10 - A angina de Plaut Vincent tem como agente etiológico:

A) corynebacterium e paramixovirus;
B) bacilo fusiforme e espirilo;
C) estreptococo beta-hemolítico e estreptococo de Lancefieldd ;
D) coxsackie B e coxsackie A;
E) Hemophilus influenzae e Proteus vulgaris.

Questão 12 (IEPRO/médico Pref. De Caucaia-2009) É um quadro sugestivo de


angina de Plaut-Vincent:
A) Celulite gangrenosa dos espaços sublingual e submandibular
B) Presença de membranas branco-acinzentadas em amígdalas, pilares e úvula aderentes
à mucosa e que sangram ao se destacar
C) Hiperemia bilateral de pilares e amígdalas, com presença de placas de pus em
amígdalas
D) Processo supurativo agudo do tecido conjuntivo do espaço laterofaríngeo
(E) Disfagia dolorosa unilateral, com ulceração, necrose e odor fétido

Questão 13 - Julgue os itens a seguir:


(I) As faringoamigdalites com maior risco de seqüelas são as de etiologia viral, das
quais as mais comuns são as causadas pelo vírus Epstein Barr.
(II) A seqüela mais comum, em caso de faringoamigdalite estreptocócica, é a doença
reumática e seu acometimento valvar cardíaco.
(III) A etiologia bacteriana mais encontrada é a estafilocócica.
Pode-se afirmar que:
A) Apenas I está correta
B) Apenas II está correta
C) Apenas III está correta
D) Há duas assertivas corretas
E)N.D.A

Questão 14 - Sobre a faringoamigdalite é CORRETO:


(I) não é obrigatória a presença de exsudato amigdaliano
(II) os agentes bacterianos são menos implicados
(III) a presença de membranas amareladas pode indicar uma difteria
(IV) a infecção com herpesvirus causa a herpangina
São verdadeiras:
A) I, II, III, IV
B) I e II
C) I e IV
D) I, II e IV
E) apenas II

Questão 15 - O tratamento da faringoamigdalite microbiana pode utilizar, além de


penicilina, amoxicilina ou eritromicina, nestes casos, o tratamento tem que durar:
A) 5 dias
B) 7 dias
C) 10 dias
D) 14 dias
E) 21 dias

Questão 16 - São consideradas anginas específicas:


A) fuso espirilar e difteróide;
B) luética e virais;
C) difteróide e diftérica;
D) fuso espirilar e luética;
E) lacunares e virais.

Questão 17 (concurso fundação santa casa-médico-espec. ORL) As anginas das


doenças infecciosas costumam manifestar lesões na mucosa oral. A ulceração de
Duguet, localizada no pilar anterior e com forma oval, pode ser encontrada, em
20% dos casos, na angina da:

A) febre reumática.
B) escarlatina.
C) febre aftosa.
D) febre tifóide

Questão 18 (iepro/médico Pref. De Caucaia-2009):


É um quadro sugestivo de angina de Plaut-Vincent:
A) Celulite gangrenosa dos espaços sublingual e submandibular
B) Presença de membranas branco-acinzentadas em amígdalas, pilares e úvula aderentes
à mucosa e que sangram ao se destacar
C) Hiperemia bilateral de pilares e amígdalas, com presença de placas de pus em
amígdalas
D) Processo supurativo agudo do tecido conjuntivo do espaço laterofaríngeo
E) Disfagia dolorosa unilateral, com ulceração, necrose e odor fétido

Questão 01 - (Secretaria de Saúde de Santa Catarina – Médico - Espec.


Otorrinolaringologia 2006) Algumas características anatômicas importantes
observadas radiograficamente nos pacientes com SAHOS (Síndrome da Apnéia/
Hipopnéia Obstrutiva do Sono) incluem:
A) arco mandibular estreito; retrognatia maxilar; altura facial inferior aumentada;
posição mais baixa e anteriorizada do osso hióide.
B) arco mandibular estreito; retrognatia maxilar e mandibular; altura facial inferior
aumentada; posição mais alta e anteriorizada do osso hióide.
C) arco mandibular estreito; retrognatia maxilar e mandibular; altura facial superior
aumentada; posição mais baixa e anteriorizada do osso hióide.
D) arco mandibular estreito; retrognatia maxilar e mandibular; altura facial inferior
aumentada; posição mais baixa e anteriorizada do osso hióide.
E) arco mandibular alargado; retrognatia maxilar e mandibular; altura facial inferior
aumentada; posição mais baixa e anteriorizada do osso hióide.

Questão 06 - (SESPA-PA/NCE-UFRJ-2006). Observe as afirmativas a seguir, em


relação às rinites:
I – Os vírus mais freqüentemente envolvidos no resfriado comum são: Rinovírus,
coronavírus, parainfluenzae e adenovírus.
II – Na rinite gripal os vírus mais freqüentemente envolvidos são: vírus da influenza A,
B e C.
III – Na rinite aguda por corpo estranho os sintomas mais prevalentes são: obstrução
nasal, secreção unilateral abundante e fétida.
Assinale a alternativa correta:
A) apenas a afirmativa I está correta;
B) apenas a afirmativa II está correta;
C) apenas a afirmativa III está correta;
D) apenas as afirmativas II e III estão corretas;
E) as afirmativas I, II e III estão corretas.
Questão 09 - (RJ/ PREF RIO DE JANEIRO FJG). A lavagem otológica para a
retirada de um corpo estranho do meato acústico externo é formalmente
contraindicada quando o paciente apresenta:
A) descamação epitelial
B) bola fúngica
C) obstrução tubária
D) perfuração timpânica

Questão 10 - (PREF RIO DE JANEIRO-RJ/FJG). A massa calcária que se forma


ao redor de um corpo estranho devido a sais insolúveis da secreção nasal é
denominada:
A) rinolito
B) pólipo
C) nódulo
D) papiloma

Questão 13 - (PREF MUN PAULO AFONSO-BA/CONSULPLAN-2008) O


diagnóstico provável em lactente com secreção nasal mucossanguinolenta
unilateral persistente, é:
A) Infecção pneumocócica ou sífilis congênita.
B) Corpo estranho ou difteria.
C) Infecção por Haemophilus influenzae.
D) Infecção estafilocócica.
E) Infecção estreptocócica.

Questão 03 - (SESA-RN-2009) O tratamento cirúrgico da otite média secretora


consiste na timpanotomia com colocação de tubo de ventilação. A região da
membrana timpânica mais adequada para o posicionamento deste tubo é a:
A) superior.
B) central.
C) ântero-superior.
D) ântero-inferior.
E) lateral ao cabo do martelo.

Questão 08 - (Aeronáutica-2006) Na imitanciometria de pacientes com otite média


serosa deve-se encontrar curva do tipo:
A) A
B) B
C) C
D) Ad

Questão 09 - (Aeronáutica-2006) Criança com otite média serosa bilateral e


respiradora bucal. Fez diversos tratamentos medicamentosos, sem melhora, e
apresentou na nasofibroscopia uma vegetação adenoideana que ocupa cerca de
95% da rinofaringe. A conduta adequada deverá ser:
A) Acompanhamento por dois anos, com exames audiométricos seriados.
B) Timpanotomia para colocação de tubo de ventilação bilateral e adenoidectomia.
C) Tratamento com imunomoduladores, associado a timpanoplastia e cauterização da
adenóide.
D) Tratamento com imunossupressores, associado a estapedotomia e banhos tópicos da
rinofaringe com iodo a 4%.

Questão 10 - (CIAAR-2006) Considerando-se o tratamento das otites médias, é


CORRETO afirmar que:
A) A adenoidectomia tem eficácia comprovada na evolução da otite média com efusão,
porém a associação de amigdalectomia não aumenta essa eficácia.
B) A mastoidectomia com descompressão imediata do nervo facial está indicada na otite
média aguda que evolui com paralisia facial.
C) A mastoidite coalescente deve ser tratada com timpanotomia, aspiração e
antibioticoterapia endovenosa.
D) A presença de efusão serosa na orelha média por mais de duas semanas determina a
necessidade de inserção de tubo de ventilação.

Questão 11 - (SESA-RO) São característicos da otite média secretora:


a) Surdez condutiva com perda maior para graves e timpanograma tipo B
b) Surdez condutiva com perda maior para agudos e timpanograma tipo B
c) Surdez condutiva com perda maior para graves e timpanograma tipo C
d) Surdez condutiva com perda maior para agudos e timpanograma tipo C
e) Surdez condutiva com curva plana e timpanograma tipo C

Questão 14 - (Fund. Sta Casa_2007) O exame de otoscopia realizado em um


paciente revelou diminuição da transparência, coloração escura e presença de
bolhas, sugerindo otite média:
A) secretora.
B) colesteatomatosa.
C) tuberculosa.
D) aguda.

Questão 15 - P.L.S., 5 anos, apresenta sinais gripais há alguns dias. Não relata dor,
nem febre. Ao exame mostra obstrução nasal e otoscopia com diminuição da
transparência unilateral, aumento da vascularização e retração timpânica. A
conduta mais indicada é:
A) Prescrever diclofenaco e reavaliar após 24 horas.
B) Prescrever diclofenaco, soro fisiológico nasal e amoxicilina
C) Prescrever betametasona, soro fisiológico nasal e antibiótico
D) Prescrever solução otológica contendo antibiótico e anestésico e soro fisiológico
nasal.

Questão 16 - Assinale a alternativa que relaciona somente fatores de risco para


otite média serosa:
A) Idade acima de três anos, freqüência a creches e baixa renda familiar
B) Obstrução nasal crônica, baixa renda familiar e casa com baixa insolação
C) Rinofaringite aguda atual, aleitamento artificial e frequência a creches
D) Aleitamento artificial, rinofaringite aguda e casa com baixa insolação

Questão 17 - Sobre o tratamento de otite média secretora NÃO se pode afirmar


que:
A) O tratamento clássico consiste em administrar corticosteróides, quando não há
contra-indicação, associado com antibioticoterapia, por 15 dias ou mais, sendo a
amoxicilina (20mg/kg/dia) o antibiótico de escolha.
B) Quando não existe nenhum fator obstrutivo importante como adenóides muito
hipertrofiadas ou outros fatores obstrutivos da tuba auditiva, o tratamento é clínico e
deve durar até 30 dias ou mais.
C) No caso de persistência de efusão mesmo após o tratamento clínico indica-se o
tratamento cirúrgico, que consiste em miringotomia, aspiração da efusão e colocação de
tubo de ventilação (técnica de Armstrong).
D) As opções clínicas disponíveis hoje estão voltadas para as infecções, com
investimentos na prevenção e tratamento (vacinas, antibióticos e antivirais), na terapia
antiinflamatória e anti-histamínica, sendo esta de grande importância.

Questão 18 - Sobre otite média secretora em crianças é correto afirmar que:


A) Tem etiologia viral ou bacteriana.
B) A maior incidência ocorre em crianças de 6 a 13 meses.
C) 80% se resolvem espontaneamente em algumas semanas.
D) O tratamento com gotas otológicas ajudar a evitar a contaminação da orelha média.

1. (Pref. de Tucuruí/PA, 2006) Na epistaxe, o tamponamento nasal posterior está


indicado quando o:
I- tamponamento nasal anterior não foi satisfatório
II- sangramento nasal posterior é visualizado
III- paciente é cardíaco
IV- paciente não quer ser operado
Estão corretas somente as assertivas:
A) I e II.
B) I, III e IV.
C) I e IV.
D) III e IV.

9. Marque a alternativa correta.


I. As células envolvidas na fase tardia da reação de hipersensibilidade da rinite alérgica
são mastócitos e basofilos, promovendo a produção de grande quantidade de IgE e
liberação de mediadores pré-formados, como a histamina e prostaglandinas.
II. A RENA (rinite eosinofílica não-alérgica) está frequentemente associada a quadros
de asma, polipose nasal e hipersensibilidade à aspirina.
III. A rinite alérgica pode aparecer em qualquer idade, mas na maioria dos casos os
sintomas se iniciam após a terceira década de vida.

A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Alternativas I e III corretas.
E) Nda

10. Qual o tipo de perda auditiva


identificado nesta audiometria?
A) Neurossensorial
B) Condutiva
C) Mista
D) Central
E) Nda

11. Marque a alternativa incorreta


A) A otosclerose é uma doença de carater hereditário com aparecimento tardio,
geralmente entre 30 e 40 anos de idade.
B) A presbiacusia geralmente aparece após os 50 anos de idade, tornando-se mais
prevalente conforme o aumento da faixa etária da população, apresentando uma
tendência a perda auditiva unilateral.
C) A disfunção da tuba auditiva definida como extrínseca é resultado de aumento da
pressão extramural, como compressão peritubal secundária a tumor ou adenóide.
D) A PAIR (perda auditiva induzida por ruído) é neurossensorial, quase sempre bilateral
e com grande tendência a estabilizar após cessada a exposição ao ruído.
E) Defini-se como surdez súbita a perda auditiva de mais de 10dB em pelo menos 3
frequências, que se instala em um prazo de até 3 dias.

15. Em relação ao câncer de laringe,


I - Quanto ao SEXO, ocorre com maior frequência em homens de meia idade , em torno
de 5:1
II - Acredita-se que o câncer glótico represente cerca de 55 a 80% dos tumores,
enquanto o subglótico ocupa a faixa em torno de 15 a 50%, sendo que o supraglótico,
um tumor bem menos frequente, varia ao redor de 1 a 5%.
III- O tipo mais frequente de tumor MALIGNO é o carcinoma epidermóide (CEC), que
na laringe responde sozinho por mais de 90% dos tumores laríngeos.

A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Alternativas I e III corretas.
E) Somente alternativa I correta.

17. M.F.S, 60 anos, sexo masculino, auxiliar de escritório, evolui há 5 semanas com
rouquidão. Ele relaciona o início do quadro a abuso vocal em uma festa. Nega outras
queixas.
AF: n.d.n AP: tabagismo ½ maço / dia há 40 anos.
Oto: ndn RA: ndn orosc: ndn

Qual a conduta inicial neste caso?


A) Prescrever antinflamatórios não-hormonais por 7 dias, hidratação e repouso vocal.
B) Tomografia computadorizada de pescoço com e sem contraste para afastar a hipótese
de neoplasias cervicais.
C) Vídeo-laringoscopia é fundamental neste caso.
D) Bloqueador de bomba de prótons (omeprazol, pantoprazol, etc) devido a alta
probabilidade de laringite por refluxo gastro-esofágico, com reavaliação em 2 meses.
E) Rx cervical para avaliar a coluna aérea e investigar sinais de estreitamento laríngeo,
como o sinal do polegar e da torre de igreja.

18. Assinale a alternativa correta


I. Devido à rica drenagem linfática, os cânceres glóticos apresentam metástase cervical
precoce.
II. A rouquidão geralmente é o primeiro sintoma no câncer glótico.
III. A principal manifestação dos tumores subglóticos é a obstrução das vias aéreas
com dispnéia e estridor expiratório.

A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Alternativas I e III corretas.
E) N.d.a

19. Assinale a alternativa incorreta


A) Pólipos são lesões benignas comuns da laringe e caracterizam-se por massas
pedunculadas ou, menos comumente, lesões sésseis, unilaterais em 90% dos casos.
B) Os pólipos não apresentam predileção sexual e ocorrem em qualquer faixa etária,
porém são mais comuns em crianças.
C) Fonoterapia pré-operatória está indicada para ensinar higiene vocal ao paciente
portador de pólipo vocal e a microcirurgia de laringe é o tratamento de escolha.
D) O principal tensor é o músculo cricotireóide, que é inervado pelo n. laringeo
superior.
E) O único músculo abdutor da prega vocal é o cricoaritenóide posterior.

20. Assinale a alternativa incorreta


A) A prega vocal é constituída por três camadas, a saber: mucosa, lâmina própria e
muscular
B) Em adultos, trauma cirúrgico (cirurgia da tireóide, cardíaca, torácica, cervical e de
esôfago) tem sido apontada como principal causa de paralisia de prega vocal.
C) Nódulos são protuberâncias bilaterais crônicas na extremidade livre e superfície
inferior das pregas vocais membranosas.
D) Os nódulos vocais são comuns em crianças da idade escolar. Diz -se que eles
constituem a causa de distúrbios da voz em até 80% das crianças. Eles são mais
comuns em meninos.
E) Nos adultos, os nódulos vocais são mais comuns em homens que em mulheres,
devido à maior proporção glótica.

7. (SESA-RN-2009) São complicações dos tubos de ventilação:


A) Estenose do conduto auditivo externo e otorreia.
B) Colesteatoma e áreas de atrofia na membrana timpânica.
C) Timpanosclerose e otosclerose.
D) Persistência de perfuração da membrana timpânica e ototoxicidade.
E) Cicatrizes da membrana timpânica e disfunção da tuba auditiva.

1. Analise as assertivas em relação à laringotraqueíte aguda (crupe):


I. De causa viral, afeta mais frequentemente meninos < 5 anos, principalmente nos
meses frios e dura de 3 a 7 dias.
II. É dita atípica quando ocorre em crianças maiores de 5 anos, dura mais de 15 dias
ou não responde ao tratamento, devendo nesses casos ser diferenciada de estenose
subglótica ou traqueíte bacteriana.
III. O tratamento consiste em umidificação das vias aéreas superiores e hidratação.
Corticóide parenteral e adrenalina via inalatória podem ser necessários para
regredir o edema. Eventualmente, intubação orotraqueal ou traqueostomia podem
ser necessárias.

Quanto às afirmativas acima:

A) Existe só uma correta;


B) Somente duas são corretas;
C) Todas são corretas;
D) Nenhuma é correta.

4. (PIAUÍ 2006) É correto afirmar com relação às laringites:


A) Na laringite estridulosa ocorre um edema da região supraglótica, mais freqüente em
meninos, que evolui geralmente de forma benigna;
B) As lesões mais freqüentes da laringofaringite por refluxo gastroesofágico são:
alterações da comissura anterior e da epiglote;
C) A epiglotite bacteriana é mais comum em crianças, sendo o Streptococcus ß-
hemolítico o agente mais encontrado;
D) O edema Reinke é angioneurótico hereditário, alérgico, como uma laringite
edematosa aguda;
E) A laringite da tuberculose é uma forma altamente contagiosa, atípica e grave da
doença.

9. Marque a alternativa ERRADA:


A) Uma característica da Otite Média Crônica (OMC) Simples é o ouvido estar seco.
B) Gotas otológicas à base de antibióticos e corticóides podem ser utilizadas na
terapêutica da OMC.
C) Meningite, abscessos e paralisia facial podem ser complicações da OMC
Colesteatomatosa.
D) O diagnóstico de OMC é quase sempre feito através de exames complementares.
E) A otorréia fétida geralmente é característica marcante no quadro clínico da OMC
Colesteatomatosa.

11. Paciente de 15 anos de idade, sexo masculino, refere hipoacusia direita e episódios
esporádicos de otorreia do mesmo lado, que melhora com gotas otológicas. Refere que
começou há 3 anos, após uma gripe muito forte (sic). A principal hipótese diagnóstica é:
A) Otite média aguda de repetição;
B) Otite média crônica (OMC) colesteatomatosa;
C) OMC simples;
D) OMC Supurativa;
E) Otite externa difusa aguda.
12. (Prefeitura Municipal de Blumenau, 2009) Nos quadros de otite média crônica, é
verdadeiro afirmar, EXCETO:
A) É um processo inflamatório da orelha média cuja duração não seja inferior a três
meses com alterações teciduais reversíveis associadas a perfurações amplas e
persistentes da membrana timpânica e à otorreia.
B) É caracterizada como uma condição inflamatória associada a perfurações amplas e
persistentes da membrana timpânica e à otorreia.
C) É um processo inflamatório da orelha média cuja duração não seja inferior a três
meses.
D) É um processo inflamatório da orelha média que pode até prescindir da perfuração
da membrana timpânica e da otorreia crônica para sua caracterização, porém estará
sempre associado a algum dano tecidual irreversível.
E) Pode se apresentar com alterações teciduais irreversíveis focais ou generalizadas da
orelha média associadas a uma membrana timpânica íntegra.

13. (Pref. De Cruzeiro; 2006) A neoplasia maligna mais frequente do nariz e seios
paranasais é:
A) Nasoangiofibroma
B) Melanoma
C) Carcinoma epidermóide
D) Sarcoma
E) Estesioneuroblastoma

15. MSC, 16 anos, sexo masculino, procedente de Açailândia-MA, apresenta quadro de


obstrução nasal pior à esquerda, rinorreia e episódios de epistaxe. Ao exame físico,
apresenta uma massa ocupando a fossa nasal esquerda de coloração rosada. Em relação
a este caso:
(F) Deve-se realizar uma biópsia para identificar o tipo histológico do tumor e
posteriormente programar o tratamento definitivo.
(F) Este quadro é sugestivo de papiloma invertido e o tratamento é essencialmente
cirúrgico.
(V) Deve-se considerar como principal hipótese o nasoangiofibroma e realizar
tomografia. A presença de um tumor com alargamento da fossa pterigo-maxilar e alta
captação de contraste reforçaria o diagnóstico.
(F) O rabdomiossarcoma é o tumor mais prevalente nesta faixa etária e deve ser
considerado como primeira hipótese.
V,V,F,F
F,V,V,F
F,F,V,F
V,F,F,V

6. Em relação à otite média crônica simples, assinale a alternativa ERRADA:


A) Geralmente é secundária à otite média aguda necrosante.
B) A perfuração da membrana timpânica limita-se à porção tensa, com preservação do
ânulo fibrocartilagíneo.
C) Presença de lesões ósseas extensas e em atividade.
D) Raramente secundária à perfurações traumáticas da membrana timpânica.
E) O tratamento definitivo é através da cirurgia.
7. Tratamento da otite média serosa de repetição associada à obstrução nasal na
criança:
A) Adenoamigdalectomia;
B) Antrotomia + adenoidectomia;
C) Colocação de tubos de ventilação + adenoidectomia;
D) Paracentese bilateral e observação;
E) Descongestionantes tópicos e sistêmicos.

5. A cirurgia mais indicada para um paciente portador de uma complicação


intracraniana de origem otogênica por colesteatoma da mastóide é:
A. Timpanoplastia com mastoidectomia (tímpano-mastoidectomia) simples;
B. Timpanoplastia com mastoidectomia (tímpano-mastoidectomia) e meatoplastia;
C. Mastoidectomia radical e meatoplastia;
D. Ático-antrotomia da matriz do colesteatoma
E. Drenagem simples da lesão primária

3. Marque V (verdadeiro) ou F (falso) para as seguintes afirmativas:


( ) Com a inclusão da vacina contra pneumococo no calendário de vacinação, houve
uma marcante redução dos casos de supraglotite na infância.
( ) Nos casos de laringotraqueíte de repetição (3 ou mais episódios de crupe), crupe em
crianças antes dos 6 meses de idade ou depois de 4 anos de idade, devem ser
pesquisadas malformações congênitas na laringe, principalmente estenose subglótica.
( ) Os pacientes com história de disfonia com duração acima de 2-3 semanas
necessitam de avaliação complementar com laringoscopia indireta.
( ) A laringite espasmódica é uma infecção viral, tendo como principal etiologia os
vírus Parainfluenza I e II, mas a criança geralmente não está toxêmica e a resolução é
rápida.
( ) O diagnóstico de supraglotite é clínico. A obstrução respiratória aguda ocorre
devido ao edema da subglote, mais significativo na criança, devido ao menor diâmetro
da cartilagem cricóide.

9. Em relação à fonação:
I. Para manter um corpo em vibração, duas forças antagônicas (trabalhando em direções
opostas) devem agir alternadamente. Para vibração das pregas vocais estas são as forças
de abertura, decorrente da pressão subglótica, e de fechamento, proveniente da
elasticidade da prega vocal e do efeito Bernoulli.
II. De acordo com a teoria de Bernoulli, a velocidade do fluxo é alta em uma região de
estreitamento, criando queda de pressão perpendicular à parede dessa região.
III. Os músculos adutores (aproximam as pregas vocais) são: os cricoaritenóideos
posteriores, os interaritenóideos e o músculo tireoaritenóideo

A) I e II corretas
B) Somente I correta
C) I e III corretas
D) II e III corretas
E) I, II e III corretas

11. Assinale a alternativa incorreta


A) A intubação prévia pode resultar em formação de granuloma, insuficiência fonatória
pós-intubação e paresia nas pregas vocais.
B) O refluxo laringofaríngeo tem sido implicado na patogênese da laringite aguda e
crônica, lesões benignas nas pregas vocais e disfonia de tensão muscular.
C) O estresse psicológico e outros problemas emocionais foram associados ao
desenvolvimento de rouquidão.
D) Várias condições neurológicas são conhecidas por resultar em rouquidão, como
doença de Parkinson, tremor essencial, lesões no tronco encefálico e acidente vascular
cerebral (AVC).
E) O uso abusivo e incorreto da voz é a principal causa do desenvolvimento de uma
disfonia primária.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
FACID - Disciplina: Otorrinolaringologia
6º Período; Professor: Paulo Borges; - Frequência (10/05/2016)

FACULDADE INTEGRAL DIFERENCIAL – FACID/DEVRY


3ª AVALIAÇÃO DE OTORRINOLARINGOLOGIA - TERESINA, 31/05/2016

OBSERVAÇÕES: SOMENTE:
- RINITES E SINUSITES
- URGÊNCIAS EM ORL
- FARINGOTONSILITES
- SÍNDROME DA APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO
- DISFONIAS E LARINGITE

As questões objetivas valem 0,5 pontos e as subjetivas, 1,0 ponto.

ALUNO (A) ___________________________________________________

1. Quais são as principais medidas comportamentais para tratamento da SAOS?

2. Qual a importância do diagnóstico precoce da SAOS?

3. AMSX, 19 anos de idade, procura um otorrino com queixas de odinofagia, anorexia,


febre baixa, coriza e prurido ocular há dois dias. Qual o diagnóstico provável e a
conduta terapêutica?

4. FCS, 50 anos, feminino, deu entrada no pronto-socorro referindo ter entrado uma
formiga no seu ouvido direito. O exame clínico confirmou a suspeita e o inseto
ainda estava vivo. Qual a conduta?

5. Fatores predisponentes da rinossinusite crônica.

6. Diagnóstico diferencial entre faringotonsilites viral e bacteriana.

7. Importância do anel linfático de Waldeyer para o sistema imune.

8. Tratamento de uma criança de dois anos de idade apresentando odinofagia, anorexia,


febre, coriza e conjuntivite há dois dias.
9. Etiofisiopatogenia das rinossinusites.

10. Fatores predisponentes da rinossinusite crônica.

11. Diagnóstico diferencial entre faringotonsilistes viral e bacteriana.

12. OMS, 35 anos, sexo masculino, procurou o atendimento em pronto atendimento


devido a um quadro de rinorreia, cefaleia, obstrução nasal e febre ha 5 dias. Nega
episodios anteriores. O medico do PA pediu um rx de seios paranasais que mostrou
velamento dos seios maxilares e lesão radiopaca em topografia de seio frontal, com
limites bem definidos. Discorra sobre o diagnostico e conduta neste caso.

13. (CIAAR- Médico - Espec. Otorrinolaringologia 2005) Considerando-se a síndrome


da apnéia obstrutiva do sono, é CORRETO afirmar que:
A) A adenoamigdalectomia é a conduta cirúrgica mais frequente na apneia obstrutiva do
sono em crianças.
B) A polissonografia, por ser o exame padrão-ouro, deve ser realizada na avaliação de
todas crianças com suspeita de apneia.
C) As crianças com sintomas clínicos relevantes de apneia obstrutiva apresentam bom
resultado com uvulopalatofaringoplastia (UPFP) a laser.
D) As principais causas de apneia nas crianças são as malformações craniofaciais e a
obesidade.

14. Assinale a alternativa incorreta sobre epistaxe:


A) A epistaxe superior está relacionada às artérias etmoidais e oftálmica
B) A epistaxe posterior está relacionada a ramos nasais da artéria maxilar
C) A artéria palatina maior é oriunda da artéria carótida interna
D) A artéria maxilar emite os ramos nasal lateral posterior e septal posterior

15. Com relação às urgências em Otorrinolaringologia, assinale a correta:


A) Na otite externa aguda, a principal queixa do paciente é otalgia e o principal
tratamento é antibioticoterapia sistêmica e analgesia.
B) Na presença de qualquer corpo estranho inerte no ouvido (grão de feijão, algodão,
conta de colar, esponja, ponta de lápis), a conduta de primeira escolha é sua remoção
através de lavagem com soro fisiológico, pela facilidade e disponibilidade nos serviços
de assistência médica.
C) O tratamento da miíase no ouvido é feito com lavagem e remoção instrumental das
larvas, com boa resposta, não precisando de medicação na maioria dos casos.
D) A maioria dos casos de epistaxe requerem apenas medidas simples, como repouso,
decúbito elevado, compressão digital ou descongestionante tópico nasal.

18. (Prefeitura Municipal de Curitiba, 2009) - A dor de garganta é queixa prevalente em


crianças, sendo motivo de inúmeras consultas em atenção primária e em serviços de
pronto atendimento. Entre as alternativas abaixo, relacionadas a esse tema assinale a
INCORRETA:
A) As faringites com características virais não necessitam de nenhum tratamento
específico.
B) A terapêutica indicada no caso do diagnóstico clínico de faringite estreptocócica é
analgésicos e anti-inflamatórios pelo período de 3 dias.
C) A faringite estreptocócica se relaciona com a ocorrência de febre reumática.
D) A faringite por adenovírus tem clínica muito semelhante à faringite estreptocócica.
E) O sintoma mais frequente em qualquer faringite é a disfagia, seguida de febre de
intensidade variável

19. O diagnóstico mais provável de uma criança que apresenta dificuldade súbita para
respirar e durante a madrugada, estridor inspiratório e tosse metálica, é:
A) Sinusite;
B) Corpo estranho;
C) Asma brônquica;
D) Laringite estridulosa;
E) Refluxo gastroesofágico.

20. Criança de 2 anos de idade chega ao pronto-socorro com história de estridor,


rouquidão, dispneia inspiratória, tiragem supraesternal, febre alta, inflamação da
faringe, epiglote edemaciada e vermelho rubra. Diagnóstico mais provável:
A) Epiglotite;
B) Aspiração de corpo estranho;
C) Laringite estridulosa;
D) Intoxicação exógena;
E) Difteria.

21. (PREF MUN PAULO AFONSO-BA/CONSULPLAN-2008) - O diagnóstico


provável em lactente com secreção nasal mucossanguinolenta unilateral persistente, é:
A) Infecção pneumocócica ou sífilis congênita.
B) Corpo estranho ou difteria.
C) Infecção por Haemophilus influenzae.
D) Infecção estafilocócica.
E) Infecção estreptocócica.

22. (PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA 2003) - A faringoamigdalite da


mononucleose infecciosa se deve a:
A) Estreptococo B hemolítico do grupo A;
B) Vírus Epstein – Barr;
C) Moraxella catarrhalis;
D) Mycoplasma pneumoniae;
E) Coxachie vírus.

23. Assinale a alternativa INCORRETA.


A) Em crianças, o agente causal mais comum da supraglotite aguda é o Haemophilus
influenzae B (epiglotite), ocorrendo mais frequentemente na faixa etária de 2 a 4 anos.
B) A supraglotite aguda em crianças tem evolução rápida, com instalação do quadro
geralmente em 2 a 6 horas.
C) A laringotraqueíte aguda (crupe) pode ser definida como uma infecção bacteriana
subaguda de vias aéreas altas caracterizada por tosse tipo “latido de cachorro”, febre
e estridor.
D) A radiografia cervical na supraglotite aguda evidencia o “sinal do polegar”
(espessamento da epiglote) e o sinal da “torre de igreja” na laringotraqueíte aguda
(estreitamento subglótico).
E) O resfriado comum tem como agentes principais os rinovirus (mais freqüente),
adenovírus (geralmente com maior dificuldade respiratória), picornavirus, entre outros

24. Analise as assertivas em relação à laringotraqueíte aguda (crupe):

I. De causa viral, afeta mais frequentemente meninos < 5 anos, principalmente nos
meses
frios e dura de 3 a 7 dias.
II. É dita atípica quando ocorre em crianças maiores de 5 anos, dura mais de 15 dias
ou não
responde ao tratamento, devendo nesses casos ser diferenciada de estenose
subglótica ou
traqueíte bacteriana.
III. O tratamento consiste em umidificação das vias aéreas superiores e hidratação.
Corticóide parenteral e adrenalina via inalatória podem ser necessários para
regredir o
edema. Eventualmente, intubação orotraqueal ou traqueostomia podem ser
necessárias.

Quanto às afirmativas acima:


A) Existe só uma correta;
B) Somente duas são corretas;
C) Todas são corretas;
D) Nenhuma é correta.

25. Em relação às laringite, é CORRETO afirmar:


A) Na laringite estridulosa ocorre um edema da região supraglótica, mais frequente em
meninos, que evolui geralmente de forma benigna;
B) As lesões mais freqüentes da laringofaringite por refluxo gastroesofágico são:
alterações da comissura posterior e da epiglote;
C) A epiglotite bacteriana é mais comum em crianças, sendo o Streptococcus ß-
hemolítico o agente mais encontrado;
D) O edema Reinke é angioneurótico hereditário, alérgico, como uma laringite
edematosa aguda;
E) A laringite da tuberculose é uma forma altamente contagiosa, atípica e grave da
doença.

26. Assinale a alternativa INCORRETA.


A) As anginas eritematosas são as mais comuns e correspondem a 90% dos casos
clínicos.
B) As anginas de origem viral correspondem a 50% das faringoamigdalites agudas.
C) O paciente com faringoamigdalite bacteriana tem como principal sintomatologia a
dor de garganta e disfagia. A maioria dos pacientes irá apresentar mialgia, febre baixa,
associada a coriza hialina e espirros.
D) O principal agente microbiológico das anginas bacterianas é um coco gram positivo,
o estreptococo beta-hemolítico do grupo A.
E) A tríade clínica da mononucleose infeciosa é constituída por febre, angina e
poliadenopatia.
27. O Streptococcus beta-hemolítico exerce um papel primordial na etiologia da
seguinte angina:
A) de Louis;
B) Herpética;
C) Diftérica;
D) Da escarlatina;
E) Da febre tifóide.

28. No decurso de uma angina aguda, a dor torna-se unilateral e intensa com irradiação
para o ouvido, impossibilitando a deglutição, trisma acentuado, voz anasalada e
ingurgitamento subangulomandibular muito dolorosa à palpação sugere:
A) Angina de Ludwig;
B) Abscesso periamigdaliano;
C) Angina de Plaut-Vincent;
D) Abscesso laterofaríngeo;
E) Abscesso retrofaríngeo.

29. (Prefeitura Municipal de Curitiba, 2009) O Programa de Infecções Respiratórias


Agudas da Organização Mundial de Saúde (OMS) sugere que, na ausência de
padronização, a faringotonsilite por estreptococo beta-hemolítico do grupo A (EBHGA)
deve ser suspeitada e tratada com penicilina quando há:
A) Coriza + hipertrofia amigdaliana;
B) Rouquidão + exsudato purulento.
C) Exsudato na faringe + linfonodomegalia cervical;
D) Edema de pilar anterior;
E) Esplenomegalia associada.

33 - (SESPA-PA/NCE-UFRJ-2006). Observe as afirmativas a seguir, em relação às


rinites:
I – Os vírus mais frequentemente envolvidos no resfriado comum são: Rinovírus,
coronavírus, parainfluenzae e adenovírus.
II – Na rinite gripal os vírus mais freqüentemente envolvidos são: vírus da influenza A,
B e C.
III – Na rinite aguda por corpo estranho os sintomas mais prevalentes são: obstrução
nasal, secreção unilateral abundante e fétida.
Assinale a alternativa correta:
A) apenas a afirmativa I está correta;
B) apenas a afirmativa II está correta;
C) apenas a afirmativa III está correta;
D) apenas as afirmativas II e III estão corretas;
E) as afirmativas I, II e III estão corretas.

34. Analise as assertivas em relação à laringotraqueíte aguda (crupe):


I. De causa viral, afeta mais frequentemente meninos < 5 anos, principalmente nos
meses frios e dura de 3 a 7 dias.
II. É dita atípica quando ocorre em crianças maiores de 5 anos, dura mais de 15 dias
ou não responde ao tratamento, devendo nesses casos ser diferenciada de
estenose subglótica ou traqueíte bacteriana.
III. O tratamento consiste em umidificação das vias aéreas superiores e hidratação.
Corticóide
parenteral e adrenalina via inalatória podem ser necessários para regredir o
edema.
Eventualmente, intubação orotraqueal ou traqueostomia podem ser
necessárias.

Quanto às afirmativas acima:


A) Existe só uma correta;
B) Somente duas são corretas;
C) Todas são corretas;
D) Nenhuma é correta.

35. Em relação às faringotonsilites, assinale a alternativa INCORRETA:


A) Quando causada pelo Streptococcus pyogenes do grupo A (GAS), pode causar: febre
reumática, glomerulonefrite, escarlatina, infeccções invasivas, síndrome do choque
tóxico;
B) A incidência de febre reumática pós-faringite não tratada está ao redor de 10% na
população civil, surgindo de 1 a 4 semanas após a angina;
C) A cultura do exsudato é considerado o exame laboratorial padrão ouro;
D) Somente 2-2,5% das tonsilites em menores de 3 anos de idade são causadas pelo
Streptococcus pyogenes do grupo A;
E) A amigdalite viral é acompanhada de sintomas de resfriado, como coriza, obstrução
nasal e tosse, enquanto que a principal característica de amigdalite bacteriana é a
febre baixa.

36. Indique qual das anginas abaixo apresenta um comprometimento unilateral das
tonsilas palatinas:
A) Angina diftérica;
B) Angina pseudo-membranosa;
C) Angina fuso-espiralar (Plaut-Vincent);
D) Angina flegmonosa;
E) Angina da mononucleose infecciosa.

37. Assinale a alternativa INCORRETA.


A) As anginas eritematosas são as mais comuns e correspondem a 90% dos casos
clínicos;
B) As anginas de origem viral correspondem a 50% das faringoamigdalites agudas;
C) O paciente com faringoamigdalite bacteriana tem como principal sintomatologia a
dor de garganta e disfagia. A maioria dos pacientes irá apresentar mialgia, febre baixa,
associada a coriza hialina e espirros;
D) O principal agente microbiológico das anginas bacterianas é um coco gram positivo,
o estreptococo beta-hemolítico do grupo A;
E) A tríade clínica da mononucleose infeciosa é constituída por febre, angina e
poliadenopatia.

38. Localizadas no rinofaringe e fazendo parte do anel linfático de Waldeyer,


encontramos as seguintes estruturas linfóides:
A) Tonsila palatina e tubária;
B) Tonsila faríngea de Luschka e lingual;
C) Tonsila palatina e faríngea de Luschka;
D) Tonsila tubária e faríngea de Luschka.

39. Todas as alternativas abaixo podem ter o abuso vocal como um fator etiopatogênico,
EXCETO:
A) Edema de Reinke;
B) Disfonia espasmódica;
C) Nódulos vocais;
D) Granuloma de comissura posterior;
E) Pólipo vocal.

40. Agente etiológico mais freqüente da epiglotite aguda:


A) Staphylococcus aureus;
B) Streptococcus e Staphylococcus;
C) Haemophilus influenzae;
D) Haemophilus e B. flagilis.
E) Moraxella catarrhalis.

41. Analise as assertivas em relação à laringotraqueíte aguda (crupe):

I. De causa viral, afeta mais frequentemente meninos < 5 anos, principalmente nos
meses
frios e dura de 3 a 7 dias.
II. É dita atípica quando ocorre em crianças maiores de 5 anos, dura mais de 15 dias
ou não
responde ao tratamento, devendo nesses casos ser diferenciada de estenose
subglótica ou
traqueíte bacteriana.
III. O tratamento consiste em umidificação das vias aéreas superiores e hidratação.
Corticóide parenteral e adrenalina via inalatória podem ser necessários para
regredir o
edema. Eventualmente, intubação orotraqueal ou traqueostomia podem ser
necessárias.

Quanto às afirmativas acima:

A) Existe só uma correta;


B) Somente duas são corretas;
C) Todas são corretas;
D) Nenhuma é correta.

42. São sintomas encontrados em pacientes com laringite, decorrente de refluxo


gastro-sofágico:

I- Tosse
II- Disfonia
III- Pigarro
IV- Sensação de “globo faríngeo”
Estão corretas as assertivas:
A) I e II, apenas;
B) III e IV, apenas;
C) I, II e IV, apenas.
D) I, II, III e IV;

43 - (Pref. Coronel Fabriciano/ MG - FUNRIO; 2008) Em casos suspeitos de


complicações orbitais de rinossinusites é conduta obrigatória:
A) Realizar tomografia computadorizada de seios paranasais.
B) Proceder a drenagem imediata do abscesso.
C) Iniciar antibioticoterapia oral associada à corticoterapia.
D) Realizar swab nasal para cultura e antibiograma.
E) Realizar radiografia de seios paranasais em quatro incidências.

44 - (SECAD/TO CESGRANRIO; 2009) Um paciente apresentou história de gripe,


que evoluiu com secreção nasal amarelada, febre e congestão nasal. Realizou TC
de cavidades paranasais que evidenciou pansinusite. Posteriormente, o caso
evoluiu com exoftalmia, equimose conjuntival e edema de pálpebras, associadas à
paralisia do III, IV e V pares cranianos. Qual complicação de sinusites evidencia
esse quadro?
A) Celulite orbitária
B) Fleimão da órbita
C) Abscesso cerebral
D) Abscesso de pálpebra
E) Tromboflebite do seio cavernoso

45 - (HUAP- UFF; 2009) Assinale a alternativa correta referente à causa mais


comum de complicação orbitária secundária à rinossinusite.
A) Esfenoidite
B) Rinossinusite maxilar
C) Etmoidite anterior
D) Etmoidite posterior
E) Rinossinusite posterior

46 – (EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE MÉDICOS,


DENTISTAS E FARMACÊUTICOS DA AERONÁUTICA, 2006) São causas
freqüentes de epistaxe:
A) Doença ou trauma sobre a mucosa nasal, hipertensão arterial sistêmica e discrasias
sangüíneas.
B) Doença ou trauma sobre a mucosa nasal, nasoangiofibroma e amigdalite aguda.
C) Doença ou trauma sobre a mucosa nasal, discrasias sangüíneas e amigdalite aguda.
D) Discrasias sanguíneas, amigdalite aguda e nasoangiofibroma.

47 - (Sec. Est. Rondônia/RO, 2003) Todas as alternativas abaixo podem ter o abuso
vocal como um fator etiopatogênico, exceto:
A) Edema de Reinke.
B) Disfonia espasmódica.
C) Nódulos vocais.
D) Granuloma de comissura posterior.
E) Pólipo vocal.
48 - (Prefeitura de Olinda/PE, 2008) O refluxo esôfago-laríngeo tem como
apresentação clínica mais evidente sintomas, tais como:
A) Disfonia, sensação de globo faríngeo, tosse crônica mais evidente à noite, halitose e
pigarro.
B) Em geral, apresenta a sintomatologia clássica da doença do refluxo gasto-esofágico.
C) A phmetria é o exame que não nos deixa em dúvida quando há a presença do refluxo.
D) A endoscopia laríngea, feita com telescópios através da videolaringoscopia, é
específica para este diagnóstico.
E) Não há risco de lesão crônica da laringe ou de qualquer outra doença maligna por
ação crônica do ácido neste distúrbio.

49 - (Pref. de Cruzeiro/SP, 2006) Em relação às disfonias é correto afirmar:


A) Os nódulos vocais são sempre tratados cirurgicamente.
B) O refluxo gastroesofágico é causa frequente de disfonia.
C) A paralisia da prega vocal sempre causa prejuízo vocal importante.
D) Na disfonia psicogênica a tosse está alterada.
E) A disfonia é sempre de origem laríngea.

50 - (Pref. de Piracuruca/PI, 2010) A.M.C., 40 anos, professora chega ao


consultório com as seguintes queixas: rouquidão, fadiga vocal, dores na laringe,
perda de voz, freqüência vocal reduzida. A que patologia se refere:
A) Pólipos
B) Nódulos
C) Cisto
D) Sulco Vocal
E) Granuloma

51 - A dispnéia que ocorre em crianças, acompanhada de tosse rouca, respiração


ruidosa, face congesta e cianótica, caracterizam a laringite:
A) Estridulosa
B) Erisipelatosa
C) Herpética
D) Hipertrófica

52 - Criança de 2 anos de idade chega ao pronto-socorro com história de estridor,


rouquidão, dispnéia inspiratória, tiragem supra-esternal, febre alta, inflamação da
faringe, epiglote edemaciada e vermelho rubra. Diagnóstico mais provável:
A) Epiglotite
B) Aspiração de corpo estranho
C) Laringite estridulosa
D) Intoxicação exógena
E) Difteria
53 - O diagnóstico mais provável de uma criança que apresenta dificuldade súbita
para respirar e durante a madrugada, estridor inspiratório e tosse metálica, é:
A) Sinusite
B) Corpo estranho
C) Asma brônquica
D) Laringite estridulosa
E) Refluxo gastroesofágico

54 - Lactente de 18 meses foi atendido na emergência com quadro de 2 horas de


evolução com dispnéia progressiva, rouquidão, tosse touca surgidos durante o
sono. Encontrava-se irritado, agitado, reativo, afebril, com obstrução nasal
moderada, FR= 40ipm, estridor inspiratório, tiragens difusas, MV fisiológico no
hemitórax direito e hemitórax esquerdo. Saturação de O2 = 90%. Qual o
diagnóstico e conduta:
A) Laringotraqueobronquite: nebulização com fenoterol de 20/20 minutos, por 3 vezes e
reavaliar.
B) Epiglotite: oxigenoterapia e ceftriaxone.
C) Laringite aguda: nebulização com oximetazolina.
D) Aspiração de corpo estranho: manobra de Heimilich.
E) Laringite estridulosa: oxigenoterapia sob máscara no colo da mãe e nebulização com
epinefrina.

55 - Assinale a alternativa FALSA:


A) As laringotraqueobronquites são, mais comumente, causadas por agentes virais. Já as
epiglotites são, mais comumente, de etiologia bacteriana.
B) O principal agente etiológico da epiglotite aguda é o Streptococcus agalactiae.
C) O pico de incidência do crupe é aos 2 anos de idade.
D) Um quadro agudo de epiglotite pode evoluir para obstrução total das vias aéreas e
morte em poucas horas.
E) O exame direto (laringoscopia) é o padrão-ouro para o diagnóstico de epiglotite.

56 - Criança de 4 anos apresenta quadro de febre e queda do estado geral, de início


súbito. Em seguida, manifestou sialorréia, disfagia e dispnéia com leve estridor
inspiratório. Pode-se afirmar, pelo quadro apresentado, que o diagnóstico mais
provável e a conduta são:
A) Laringite estridulosa: corticosteróides, anti-histamínico e umidificação
B) Laringite aguda viral: antiinflamatório e inalações com soro fisiológico
C) Epiglotite: antibioticoterapia específica para Haemophilus influenzae
D) Laringotraqueobronquite membranosa: antibioticoterapia parenteral com cobertura
para S. aureus e H.influenzae
E) Rinofaringite bacteriana: amoxicilina associada à AINE

57. Em relação às faringotonsilites, assinale a alternativa INCORRETA:


A) Quando causada pelo Streptococcus pyogenes do grupo A (GAS), pode causar: febre
reumática, glomerulonefrite, escarlatina, infeccções invasivas, síndrome do choque
tóxico;
B) A incidência de febre reumática pós-faringite não tratada está ao redor de 10% na
população civil, surgindo de 1 a 4 semanas após a angina;
C) A cultura do exsudato é considerado o exame laboratorial padrão ouro;
D) Somente 2-2,5% das tonsilites em menores de 3 anos de idade são causadas pelo
Streptococcus pyogenes do grupo A;
E) A amigdalite viral é acompanhada de sintomas de resfriado, como coriza, obstrução
nasal e tosse, enquanto que a principal característica de amigdalite bacteriana é a
febre baixa.

58. Indique qual das anginas abaixo apresenta um comprometimento unilateral das
tonsilas palatinas:
A) Angina diftérica;
B) Angina pseudo-membranosa;
C) Angina fuso-espiralar (Plaut-Vincent);
D) Angina flegmonosa;
E) Angina da mononucleose infecciosa.

59. É correto afirmar com relação às laringites:


A) Na laringite estridulosa ocorre um edema da região supraglótica, mais freqüente em
meninos, que evolui geralmente de forma benigna;
B) As lesões mais frequentes da laringofaringite por refluxo gastroesofágico são:
alterações da comissura posterior e da epiglote;
C) A epiglotite bacteriana é mais comum em crianças, sendo o Streptococcus ß-
hemolítico o agente mais encontrado;
D) O edema Reinke é angioneurótico hereditário, alérgico, como uma laringite
edematosa aguda;
E) A laringite da tuberculose

60. A primeira conduta quando um inseto penetra no ouvido é:


A) Fazer lavagem do ouvido;
B) Retirá-lo com pinça adequada;
C) Retirá-lo com microgancho adequado;
D) Imobilizá-lo.

61. Analise as assertivas em relação à laringotraqueíte aguda (crupe):


I. De causa viral, afeta mais frequentemente meninos < 5 anos, principalmente nos
meses frios e dura de 3 a 7 dias.
II. É dita atípica quando ocorre em crianças maiores de 5 anos, dura mais de 15 dias
ou não responde ao tratamento, devendo nesses casos ser diferenciada de
estenose subglótica ou traqueíte bacteriana.
III. O tratamento consiste em umidificação das vias aéreas superiores e hidratação.
Corticóide
parenteral e adrenalina via inalatória podem ser necessários para regredir o
edema.
Eventualmente, intubação orotraqueal ou traqueostomia podem ser
necessárias.

Quanto às afirmativas acima:


A) Existe só uma correta;
B) Somente duas são corretas;
C) Todas são corretas;
D) Nenhuma é correta.

62. Paciente de 32 anos submeteu-se a cirurgia sob anestesia geral há dois meses e
queixa-se, desde então, de rouquidão e dor ao deglutir. Estes sintomas indicam que a
laringoscopia mostrará:
A) Nódulo vocal.
B) Leucoplasia;
C) Cisto intracordal;
D) Papiloma de prega vocal;
E) Granuloma de prega vocal.

63 - Os alérgenos mais comuns da rinite alérgica :


A) Pelos de animais de estimação
B) Polens
C) Ácaros
D) Fragrâncias (perfumes)
E) Alimentos

64 - As células responsáveis pela fase imediata e tardia da rinopatia alérgica são


respectivamente:
A) Eosinófilo e Linfócitos Th1
B) Mastócito e Plasmócitos
C) Linfócitos Th1 e Eosinófilos
D) Mastócitos e Eosinófilos
E) Eosinófilos e Basófilos

65 - Não é uma complicação da rinite alérgica:


A) Otite média secretora
B) Palato ogival
C) Diminuição da qualidade de vida
D) IVAS
E) Desvio septal

67. Durante uma cirurgia endoscópica nasal, transesfenoidal, para exerése de tumor da
hipófise, o cirurgião deve ter muita destreza e agir com perícia a fim de evitar lesar a
parede lateral do seio esfenóide, visto que a ................. tem um importante segmento
nesta região.
A) Veia jugular interna;
B) Artéria carótida interna;
C) Artéria cerebelar anteroinferior;
D) Dura-mater;
E) Via neural do olfato.

68. Não faz parte do tratamento da sinusite aguda:


A) Lavagem nasal com soro fisiológico;
B) Uso prolongado de vasoconstrictores locais;
C) Antibióticos;
D) Punção e lavagem do seio acometido;
E) Vasoconstrictores sistêmicos.
69. Qual dos seguinte agentes não é frequentemente envolvido na patogênese da
sinusite aguda:
A) Streptococcus pneumoniae;
B) Pseudomonas aeruginosa;
C) Haemophilus influenzae;
D) Staphilococcus aureus;
E) Moraxella catarrhalis.

70. Sobre a rinossinusite crônica, a resposta correta é:


A) O diagnóstico da rinossinusite crônica é feito baseado na história clínica, exame
físico (preferencialmente com endoscopia nasal) e tomografia computadorizada;
B) O diagnóstico da rinossinusite crônica é essencialmente clínico, dispensando
qualquer tipo de exame radiológico;
C) O achado de alterações tomográficas compatíveis com rinossinusite crônica em
pacientes assintomáticos é muito raro e deve ser tratado adequadamente;
D) Em um paciente com história clínica compatível com rinossinusite crônica,
devemos solicitar tomografia computadorizada preferencialmente durante um
período de agudização, pois assim a chance de confirmação do diagnóstico é maior.

71. Assinale a alternativa correta:


A) O raio x de seios paranasais é importante no diagnóstico de sinusite aguda pois
apresenta uma especificidade e sensibilidade em torno de 80%;
B) O diagnóstico de rinossinusite aguda é eminentemente clínico e o tratamento
consiste no reestabelecimento da fisiologia nasal;
C) O principal sintoma da rinossinusite crônica é a cefaleia presente em 90% dos
casos;
D) A tomografia computadorizada não deve ser realizada em casos de suspeita de
rinossinusite crõnica, pois apresenta baixa sensibilidade e especificidade;
E) Atualmente preconiza-se que o tratamento da rinossinusite aguda é apenas com
sintomáticos, pois é uma doença de curso benigno e autolimitada.

73. Assinale a alternativa incorreta.


A) Em crianças, o agente causal mais comum da supraglotite aguda é o
Haemophilus influenzae B (epiglotite), ocorrendo mais frequentemente na faixa
etária de 2 a 4 anos.
B) A supraglotite aguda em crianças tem evolução rápida, com instalação do quadro
geralmente em 2 a 6 horas.
C) A laringotraqueíte aguda (crupe) pode ser definida como uma infecção bacteriana
subaguda de vias aéreas altas caracterizada por tosse tipo “latido de cachorro”,
febre e estridor.
D) A radiografia cervical na supraglotite aguda evidencia o “sinal do polegar”
(espessamento da epiglote) e o sinal da “torre de igreja” na laringotraqueíte
aguda (estreitamento subglótico).
E) O resfriado comum tem como agentes principais os rinovirus (mais freqüente),
adenovírus (geralmente com maior dificuldade respiratória), picornavirus, entre
outros.
75 - No decurso de uma angina aguda, a dor torna-se unilateral e intensa com
irradiação para o ouvido, impossibilitando a deglutição, trisma acentuado, voz anasalada
e ingurgitamento subangulomandibular muito dolorosa à palpação sugere:
A) Angina de Ludwig
B) Abscesso periamigdaliano
C) Angina de Plaut-Vincent
D) Abscesso laterofaríngeo
E) Abscesso retrofaríngeo

76. Em relação às faringotonsilites, assinale a alternativa incorreta:


A) Em relação à sua etiologia, podemos afirmar: Viral: 75% (sendo maior nos 3
primeiros anos de vida), Bacteriana: 20-30% (maior prevalência dos 5 aos 15 anos).
B) A bactéria mais comum é o Streptococcus pyogenes do grupo A (GAS)
C) Quando causada pelo Streptococcus pyogenes do grupo A (GAS), pode causar: febre
reumática, glomerulonefrite, escarlatina, infeccções invasivas, síndrome do choque
tóxico, é transmissível.
D) A incidência de febre reumática pós-faringite não tratada está ao redor de 10% na
população civil, surgindo de 1 a 4 semanas após a angina.
E) NDA

77. Língua em framboesa e rash com uso de ampicilina são características da:
A) Herpangina
B) Angina de Plaut-Vincent
C) Mononucleose Infecciosa
D) Difteria
E) Gengivoestomatite Herpética

78. Criança de 6 anos apresentando processo gripal, evoluindo em poucos dias com
edema e hiperemia periorbitária, sem restrição da movimentação ocular e da acuidade
visual, comparece ao seu consultório. Que alternativa seria a medida mais correta frente
a este caso?
A) Prescreveria amoxicilina e descongestionante e orientaria para retornar em 3 dias ao
consultório para reavaliação;
B) Encaminharia ao oftalmologista, pois não se trata de um caso da sua área;
C) Internaria o paciente, esfriaria o processo com antibióticos EV e submeteria o
paciente a uma sinusectomia;
D) Trata-se de uma sinusite crônica, desta forma a melhor opção seria prescrever
antibióticos com amplo espectro e solicitar o pré-operatorio para cirurgia eletiva em
data oportuna;
E) Solicitaria uma tomografia de seios paranasais e introduziria corticoides e
antibióticos, aguardando a CT para conduta definitiva.

79. (Secretaria de Saúde de Santa Catarina – Médico - Espec. Otorrinolaringologia


2006). Diversos tratamentos cirúrgicos têm sido propostos e sua escolha está
relacionada à gravidade da SAHOS bem como às alterações estruturais nasais,
faríngeas e crânio-faciais encontradas previamente. Os procedimentos faríngeos
realizados são:
A) Avanço maxilo-mandibular.
B) Amigdalectomias, uvulopalatofaringoplastia com cautério ou laser e radiofreqüência
de palato e avanço maxilo-mandibular.
C) Uvulopalatofaringoplastia com cautério ou laser, radiofreqüência de palato e avanço
maxilo-mandibular.
D) Amigalectomia, septoplastia e turbinectomia.
E) Amigdalectomias, uvulopalatofaringoplastia com cautério ou laser e radiofreqüência
de palato.

80 - (Secretaria de Saúde de Santa Catarina – Médico - Espec.


Otorrinolaringologia 2006) São consideradas peças importantes na decisão da
técnica operatória a ser utilizada, influenciando largamente nos resultados obtidos
nos pacientes com ronco e apneia:
A) Escala de Epworth e Stanford, manobra de Muller e polissonografia.
B) A história clínica, Escala de Epworth e Stanford, manobra de Muller.
C) A história clínica, manobra de Muller e polissonografia.
D) A história clínica, Escala de Epworth e Stanford, manobra de Muller e
polissonografia.
E) A história clínica, manobra de Muller e polissonografia.

81. (Fundação Santa Casa – Médico - Espec. Otorrinolaringologia 2007) A


amigdalectomia está indicada quando o paciente apresenta:
A) Apneia do sono, 3 episódios de amigdalite por ano, abcesso periamigdaliano.
B) Deformidade de arcada dentária, apneia do sono, ronco.
C) Apneia do sono, hipertrofia amigdaliana grau IV bilateral, abscesso periamigdaliano
de repetição.
D) 2 episódios de amigdalite por ano, apneia do sono, abscesso periamigdaliano de
repetição.

82. (Secretaria de Saúde do Estado do Ceará – Médico - Espec.


Otorrinolaringologia 2007) Sobre o SAOS, é correto afirmar que:
A) A pHmetria e a endoscopia digestiva alta são, atualmente, exames indispensáveis no
diagnóstico de SAOS na infância
B) A cirurgia UPFP é indicada, em muitos casos, na SAOS, na infância
C) Um dos objetivos da PSG na SAOS na infância é diagnosticar o componente central
da apnéia
D) A fluoroscopia é o exame padrão-ouro para diagnosticar SAOS na infância, embora
ainda seja muito pouco usado no Brasil

84. (CIAAR- Médico - Espec. Otorrinolaringologia 2005) Considerando-se a


síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono, é correto afirmar que:
A) A adenoamigdalectomia é a conduta cirúrgica mais frequente na apneia obstrutiva do
sono em crianças.
B) A polissonografia, por ser o exame padrão-ouro, deve ser realizada na avaliação de
todas crianças com suspeita de apneia.
C) As crianças com sintomas clínicos relevantes de apneia obstrutiva apresentam bom
resultado com uvulopalatofaringoplastia (UPFP) a laser.
D) As principais causas de apneia nas crianças são as malformações craniofaciais e a
obesidade.

QUESTÕES DIVERSAS DE PROVAS:

1- Etiopatogenia da rinossinusite
12-Tratamento da Laringite Catarral Aguda.
13- Cite 5 fatores etiológicos da Laringite Crônica.
14- Sintomatologia geral das Laringites Crônicas.
15- Tratamento da Epiglotite Aguda
16 - Diagnóstico laringoscópico da Laringite Catarral Aguda
17 - Cite 5 causas da Laringite Crônica
18- Laringite Estridulosa. Diagnóstico e tratamento
19 - Quais as características histológicas nas Laringites Crônicas?
20 - Diagnóstico diferencial entre Laringite Estridulosa e Laringite Diftérica.
21 - Diagnóstico da Laringite Catarral Crônica
22 - Epiglotite Aguda. Etiologia, diagnóstico e tratamento.
23 - Diagnóstico e tratamento da Laringite Catarral Aguda
11- Cite 6 fatores predisponentes da Sinusite
12- Microbiologia da Sinusite Aguda
13- Quadro clínico da Sinusite Crônica.
14- Diagnóstico da Sinusite Aguda
15- Tratamento da Sinusite Aguda
16- Principais objetivos do tratamento cirúrgico da Sinusite Crônica
8- Quadro clínico e tratamento da Otomicose.
9- Quadro clínico e tratamento da Otite Externa Aguda Bacteriana
6 - Descreva os fatores predisponentes para Sinusite Crônica.
8 - Laringite catarral crônica da infância. Diagnóstico e tratamento.
2 - Quadro clínico e tratamento da Otite Externa Aguda Bacteriana.
4 - Tratamento da Otite Externa Micótica. Explique.

2. Etiofisiopatogenia das rinossinusites.

3. Fatores predisponentes da rinossinusite crônica.

4. Diagnóstico diferencial entre faringotonsilistes viral e bacteriana.

5. Importância do anel linfático de Waldeyer para o sistema imune.

6. Etiopatogenia da síndrome da apneia-hipopneia do sono

3. Descreva a fisiopatologia das rinossinusites e quais as alterações que estão mais


relacionadas com o surgimento de quadros crônicos e agudos.

1. JMM é aluno de medicina e teve que fazer uma pesquisa sobre história da medicina
na biblioteca, onde manipulou livros antigos. Ao iniciar o trabalho, teve uma crise de
espirros, seguida após alguns minutos de coriza, prurido e espirros. Após poucas horas,
teve outra piora. Refere que sempre tem crises semelhantes quando realiza estas
atividades. Defina a sua hipótese diagnóstica e explique os mecanismos fisiopatológicos
que explicam este quadro. Defina o tratamento recomendado para este caso.

2. Um paciente chegou em seu consultório com queixas nasais de obstrução bilateral,


espirros e coriza. Refere que tudo iniciou durante um episódio de resfriado há 4 meses,
quando teve melhora com o uso de gotas no nariz (cloridrato de oximetazolina). No
início, usava 1 vez ao dia, mas depois necessitou usar cada vez vezes para atringir o
mesmo resultado. Ao exame, observa-se edema e palidez em mucosa nasal. Ele lhe
questiona em relação à etiologia e fisiopatologia do seu quadro. Discorra sobre o
diagnóstico diferencial.

3. Descreva a fisiopatologia das rinossinusites e quais as alterações que estão mais


relacionadas com o surgimento de quadros crônicos e agudos.

4. JKL é portador de discinesia ciliar primária. Ele refere que apresenta infecções
recorrentes em vias aéreas, com rinossinusite crônica intercalada com períodos de
agudização do quadro. Está bastante chateado porque não entende o seu quadro. Como
você poderia explicar as razões para isso acontecer levando em consideração os
principais mecanismos da fisiologia nasossinusal.

5. Na perda auditiva induzida por ruídos, ocorre morte de células ciliadas,


principalmente as externas de regiões próximas da base da cóclea. Posteriormente
ocorrem perdas das células ciliadas internas, também em maior gravidade nesta região.
Quais os prejuízos que você esperaria encontrar, lembrando da função das células e da
distribuição tonotópica dentro da cóclea (seletividade frequencial).

6. Mariazinha foi ao seu consultório referindo que foi agredida por seu marido com um
“tapa” na orelha esquerda. Queixa-se de hipoacusia leve e zumbido desde então. À
otoscopia, observa-se uma perfuração na membrana timpânica. Discuta sobre as
alterações auditivas causadas pela presença de uma perfuração timpânica, discorrendo
sobre os mecanismos de amplificação do ouvido médio.

7. Paciente de 20 anos refere que começou a apresentar obstrução nasal, rinorreia clara,
astenia há 12 dias, mas começou a apresentar, após dois dias, além da obstrução nasal,
rinorreia amarelada e esverdeada, associado a dores faciais em peso. Qual o diagnóstico
e o tratamento adequado para este paciente?

8. Quais são as principais indicações de tratamento cirúrgico para rinossinusite?

9. Cite quatro complicações que a hipertrofia das tonsilas palatinas e faríngeas


(adenóides) podem ocasionar.

10. Cite quatro contraindicações de adenotonsilectomia.

Questão 01-(PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPLOLIS/SC-2008)


Qual das artérias relacionadas abaixo é proveniente do sistema carotídeo interno?
a. (X) artéria etmoidal anterior.
b. ( ) artéria septal posterior.
c. ( ) artéria esfenopalatina.
d. ( ) artéria palatina maior.
e. ( ) artéria maxilar.

Questão 03-(UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ/CEV-2006) Sobre o


suprimento vascular da cavidade nasal é correto afirmar que:
a. O suprimento vascular da cavidade nasal provém exclusivamente de ramos da
carótida externa
b. As artérias etmoidais anterior e posterior são ramos da artéria oftálmica
c. Participam do referido suprimento vascular as artérias nasal lateral posterior e a
septal, que são ramos da artéria etmoidal posterior
d. A drenagem venosa da cavidade nasal dá-se através das tributárias faciais

Questão 04-(MINISTÉRIO DA SAÚDE/CONCURSO PÚBLICO -2005) Com


relação ao etmóide, NÃO é correto afirmar que:
a. A primeira lamela é representada pelo processo uncinado, a segunda pela bula
etmoidal e a terceira é a lamela basal da concha média;
b. A célula de Haller é definida como a pneumatização da célula mais posterior, onde é
aparente um abaulamento do canal óptico no interior do etmóide posterior;
c. Lateralmente ao seio esfenoidal estão localizadas estruturas como a artéria carótida
interna, o nervo óptico e o terceiro, quarto, quinto e sexto nervos cranianos;
d. A inervação sensorial é feita pelo nervo maxilar, ramo do trigêmeo;
e. A drenagem venosa do complexo etmoidal é feita para o seio cavernoso, veias faciais
e tributárias do plexo pterigóideo

Questão 05- (PREFEITURA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS/FESPE -2008)


A artéria esfenopalatina, que participa da irrigação sanguínea da mucosa nasal é
ramo terminal da artéria:
a. oftálmica;
b. etmoidal anterior;
c. etmoidal posterior;
d. maxilar interna;
e. labial.

Questão 06-(PREFEITURA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS/FESPE -2008)


A drenagem do seio frontal é feita para o:
a. meato inferior;
b. meato superior;
c. meato médio;
d. recesso frontoetmoidal;
e. recesso esfenoetmoidal.

Questão 07- (SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SANTA


CATARINA/FEPESE/UFSC-2007) São elementos anatômicos constitutivos do
septo nasal:
a.( ) cartilagem do septo nasal, osso vômer e ossos palatinos.
b.( ) cartilagem lateral, osso vômer e asa maior do osso esfenóide.
c.( ) cartilagem lateral, cartilagem do septo nasal e lâmina perpendicular do osso
esfenóide.
d.( ) cartilagem do septo nasal, asa maior do osso esfenóide e osso vômer.
e.( ) cartilagem do septo nasal, osso vômer e lâmina perpendicular do osso etmóide.

Questão 08- (CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA-


2005) É CORRETO afirmar que o nervo olfatório apresenta fibra
a. aferente somática geral.
b. aferente visceral especial.
c. eferente visceral especial.
d. eferente visceral geral.
Questão 09. (GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ/SESPA-2006) Em relação à
anatomia nasal, NÃO é correto afirmar que:
a. A célula de Onodi é uma variação anatômica do seio frontal;
b. A célula de Haller é uma variação anatômica do seio maxilar;
c. Fazem parte da unidade ostio-meatal: processo uncinado, infundíbulo e óstios dos
maxilares, frontais e etmoidais anteriores;
d. A irrigação arterial é feita pelo sistema carotídeo externo e interno;
e. Na região da válvula nasal há a transição de epitélio estratificado ceratinizado para o
colunar ciliado pseudoestratificado

Questão 01 - (CONESUL/PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE-


RS/2008) Sobre a anatomia da laringe, considere as afirmações a seguir:
I. As cartilagens da laringe são: a cricoide, a epiglote, as aritenoides e cartilagem
tireóide.
II. As falsas cordas vocais estão localizadas na região supraglótica.
III. As regiões supraglótica, glótica e subglótica possuem drenagens linfáticas distintas.
Quais estão corretas?
a) Todas.
b) Apenas I e II.
c) Apenas I e III.
d) Apenas II e III.
e) Nenhuma.

Questão 02 - (PREFEITURA MUNICIPAL DE PACAJÚS/2007) Analise as


afirmativas relacionadas à anatomia da laringe:
I- A laringe é dividida em três regiões: glótica, supraglótica e subglótica.
II- A cartilagem cricoide é o único ponto da via respiratória com esqueleto circular.
III- As cartilagens corniculadas e cuneiformes localizam-se na prega ariepiglótica.
IV- O ramo interno do nervo laríngeo superior é sensitivo.
As afirmativas corretas são:
a) Apenas I e III.
b) I, II, III e IV.
c) Apenas I e III.
d) Apenas II e IV.

Questão 04 - (FEPESE/PREFEITURA MUNICIPAL DE


FLORIANÓPOLIS/2007) Das alternativas abaixo, assinale o músculo intrínseco da
laringe, considerado como sendo abdutor da laringe:
a) digástrico.
b) tireofaríngeo.
c) interaritenoideo.
d) cricoaritenoideo lateral.
e) cricoaritenoideo posterior.

Questão 05 - (CEPERJ/PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAOCARA-RJ/2010)


Sobre o músculo tireoaritenoideo, pode-se afirmar que:
a) Ao se contrair, aproxima as pregas vocais, sendo por isso considerado constrictor da
glote.
b) É um músculo par que se insere no ângulo agudo da cartilagem tireóide e na apófise
vocal das aritenóides.
c) Ao se contrair, provoca a aproximação das cartilagens aritenóides.
d) É considerado músculo dilatador da glote.
e) De acordo com sua ação, pode ser considerado músculo abdutor.

Questão 06 - (IPAD/PREFEITURA DE CARUARU, SECRETARIA MUNICIPAL


DE SAÚDE/2006) O músculo cricotireoideo não é responsável:
a) pelo ajuste fino da frequência fundamental nos tons agudos.
b) pela emissão da voz grave.
c) pelo aumento do comprimento da glote.
d) pelo estiramento da prega vocal.
e) pelo aumento da projeção vocal, juntamente com o tireoaritenoideo.

Questão 07 - (FESP/PREFEITURA DE ANGRA DOS REIS, RJ/2008) O único


músculo intrínseco da laringe que é inervado pelo nervo laríngeo superior é o:
a) cricoaritenoideo lateral;
b) cricotireoideo;
c) cricoaritenoideo posterior;
d) tireoaritenoideo;
e) interaritenoideo.

Questão 08 - (CONESUL/PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE-


RS/2008) Considere os músculos a seguir:
I. Ariaritenoideo.
II. Cricoaritenoideo posterior.
III. Cricotireoideo.
IV. Tireoaritenoideo.
O nervo laríngeo inferior ou recorrente inerva:
a) Todos os listados.
b) Apenas I, II e III.
c) Apenas I, II e IV.
d) Apenas I, III e IV.
e) Apenas II, III e IV.

Questão 09 - (IEPRO/PREFEITURA MUNICIPAL DE CAUCAIA/2009) Lesões


do nervo laríngeo superior implicam em:
a) diminuição da extensão e projeção vocal
b) paralisia da prega vocal em posição mediana
c) paralisia da prega vocal em posição para-mediana
d) paralisia da prega vocal em posição lateral
e) perda da capacidade de emitir sons graves

Questão 10 - Nas assertivas abaixo coloque V para verdadeiras e F para falsas,


com relação à inervação da laringe:
( ) O nervo laríngeo inferior divide-se em cinco ramos e um deles anastomosa-se com
feixes do laríngeo superior, formando a Alça de Galeno.
( ) A inervação da laringe se faz por meio de ramos nervosos procedentes do nervo vago
e do simpático cervical.
( ) O nervo vago dá origem aos nervos laríngeo superior e laríngeo inferior.
A seqüência está correta em:
A) F, F, F
B) F, V, F
C) V, V, V
D) F, V, V
E) V, V, F

Questão 01 - (PM Alagoinhas/BA - 2004) As células etmoidais anteriores drenam


para:
a) meato inferior;
b) meato médio;
c) meato superior;
d) canal nasolacrimal;
e) coana

Questão 02 - (PM São Mateus/ES - 2007) A imunoglobulina presente normalmente


no muco nasal é:
a) IgM
b) IgG
c) IgE
d) IgB
e) IgA

Questão 03 - (PM Niterói/RJ - 2000) As estruturas protetoras encontradas no


vestíbulo nasal são denominadas de:
a) fibrilas
b) vibrissas
c) ragádias
d) flagelos

Questão 04 - (PM Santos/SP - 2005) O ar inspirado pelas narinas chega


normalmente à traquéia com um índice de saturação de vapor d’água em torno de:
(A) 90%
(B) 50%
(C) 30%
(D) 10%
(E) 5%

Questão 05 - A zona responsável pela olfação localiza-se no (a):


a) Meato médio
b) Corneto inferior
c) Coana
d) Teto da fossa nasal

Questão 07 - (PM Ponta Grossa/ PR - 2009) Em relação à resistência que o ar


encontra na via aérea, durante a inspiração, assinale o que for correto.
01) O nariz é responsável por cerca de 2/3 da resistência total da via aérea.
02) O reflexo vasomotor nasal interfere na resistência da via aérea, especialmente na
resistência nasal.
04) O nariz é responsável por cerca de 20% da resistência total da via aérea.
08) O ponto de maior resistência em toda via aérea é a válvula nasal.
16) A cavidade oral, na respiração oral exclusiva, é responsável por cerca de 60% da
resistência total da via aérea.
Somatório: 11

Questão 08 - (SESAPI - 2003) A função mucociliar pode ser avaliada através:


(A) da rinomanometria;
(B) da tomografia computadorizada;
(C) do teste da sacarina;
(D) da radiografia da face;
(E) da rinoscopia posterior.

Questão 09 - (SESPA - 2008) Que fator NÃO é fundamental para a fisiologia


normal dos seios paranasais?
a) patência do óstio dos seios da face
b) função ciliar
c) qualidade das secreções nasais
d) tamanho dos seios da face

Questão 01-(PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS/SC-2007)


Assinalar a alternativa correta. Os canais semicirculares laterais mantêm a
seguinte angulação com o plano horizontal:
a. ( ) 15°
b. ( ) 30°
c. ( ) 45°
d. ( ) 75°
e. ( ) 90°

Questão 02-(PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPILIS/SC-2007)


Assinalar a afirmativa correta. A localização do órgão de Corti no interior da
cóclea é:
a. ( ) sáculo.
b. ( ) utrículo.
c. ( ) rampa média.
d. ( ) rampa vestibular.
e. ( ) rampa timpânica.

Questão 03-(HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS/CESPE-2002) Com


referência à anatomia e à fisiologia coclear assinale a opção correta.
a. A cóclea é dividida em duas escalas (vestibular e timpânica)???????
b. A escala média é preenchida por perilinfa.
c. A membrana de Reissner limita inferiormente a escala média.
d. A endolinfa é rica em potássio e pobre em sódio.
e. O labirinto membranoso é constituído pelas escalas vestibular e timpânica.

Questão 04-(GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO/CESPE UnB-


2008) Com relação à anatomofisiologia do nervo corda tympani, julgue os
próximos itens.
a. ( ) Esse nervo é ramo do terceiro par craniano.
b. ( )Essa estrutura tem fundamental importância para a função da trompa.
c. ( ) O nervo em questão contém fibras parassimpáticas para glândulas salivares.
d. ( ) Tal nervo é responsável pela sensação de paladar em dois terços da metade
correspondente da língua.
e. ( ) Esse nervo carrega a inervação motora para o músculo do estribo.

Questão 05-(PREFEITURA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS/FESPE -2008)


A face posterior do ducto coclear é formada:
a. pela membrana tectória;
b. pela membrana de Reissner;
c. pelo ligamento espiral;
d. pela estria vascular;
e. pela membrana basilar.

Questão 06-(GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ /SESPA-2008). A fronteira


anatômica entre as partes periférica e central da audição é marcada pela entrada
do nervo craniano:
a. VII – Facial.
b. V – Trigêmeo.
c. VIII – Vestíbulo-coclear.
d. X – Vago.

Questão 07-(SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SANTA


CATARINA/FEPESE/UFSC-2007) Assinale a alternativa que indica o traçado
correto da via neural desde a cóclea até a córtex cerebral.
a. Núcleos cocleares, lemnisco lateral, oliva superior, colículo inferior , corpo
geniculado medial.
b. Núcleos cocleares, oliva lateral , lemnisco lateral, colículo superior , corpo
geniculado lateral.
c. Núcleos cocleares, oliva superior, lemnisco lateral, colículo inferior, corpo
geniculado medial.
d. Núcleos cocleares, oliva superior, lemnisco medial, colículo inferior , corpo
geniculado medial.
e. Núcleos cocleares, lemnisco lateral, colículo inferior e corpo geniculado medial.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

9. Em relação à fonação:
I. Para manter um corpo em vibração, duas forças antagônicas (trabalhando em direções
opostas) devem agir alternadamente. Para vibração das pregas vocais estas são as forças
de abertura, decorrente da pressão subglótica, e de fechamento, proveniente da
elasticidade da prega vocal e do efeito Bernoulli.
II. De acordo com a teoria de Bernoulli, a velocidade do fluxo é alta em uma região de
estreitamento, criando queda de pressão perpendicular à parede dessa região.
III. Os músculos adutores (aproximam as pregas vocais) são: os cricoaritenóideos
posteriores, os interarinóideos e o músculo tireoaritenóideo

A) I e II corretas
B) Somente I correta
C) I e III corretas
D) II e III corretas
E) I, II e III corretas

16. A respeito da fisiologia nasal, marque a alternativa correta:


A) O clearance mucociliar é extremamente importante e baseia-se na teoria das duas
camadas de muco: a mais externa, em contato com a fossa nasal, de maior fluidez; e a
mais interna, em contato com os cílios, de menor fluidez.
B) O batimento ciliar e o sistema muco ciliar retém as partículas inaladas e as
transportam em direção a região anterior das fossas nasais, rumo ao septo caudal.
C) Os seios paranasais ditos posteriores, etmóide posterior e esfenóide, drenam para o
meato superior em direção ao recesso esfenoetmoidal, fazendo parte da segunda via de
drenagem.
D) A olfação é realizada nas regiões mais posteriores do nariz, principalmente no
etmóide posterior e esfenóide, motivo pelo qual a hiposmia pode se instalar após a
sinusectomia dos seios nasais posteriores.
E) O fluxo aéreo é controlado pelo tônus dos tecidos eréteis da mucosa nasal, e o
corneto superior é a principal estrutura no controle desse fluxo.

14. Em relação à fisiologia nasossinusal, marque V (verdadeiro) ou F (falso):


(F) O muco nasal possui a fase SOL, camada mais externa e menos viscosa, e a fase
GEL, camada mais interna e de maior viscosidade, em contato íntimo com as células
ciliadas.
(V) Óstios acessórios podem estar presentes nos seios maxilares, mas geralmente têm
pouca importância, uma vez que grande parte do muco sai efetivamente pelo óstio
natural do seio maxilar.
(V) As forças de coesão e viscosidade do muco mantêm o transporte mucociliar mesmo
na presença de obstáculos nas mucosas nasais e paranasais, como corpos estranhos,
espículas ósseas e falhas na mucosa.
(F) O aquecimento do ar inspirado é feito pelo turbilhonamento do fluxo aéreo nasal,
permitindo que o ar adquira a temperatura corporal ao atingir o trato respiratório
inferior.
(V) O ciclo nasal se caracteriza pela alternância de períodos de maior resistência nasal
entre as fossas nasais, e está presente em cerca de 80% da população.

15. Assinale a alternativa correta


I. O nervo laríngeo superior é o responsável principal pela inervação sensitiva da
laringe.
II. O músculo cricoaritenóideo lateral compõe o corpo do músculo vocal,
III. A infiltração profunda da prega vocal por uma neoplasia maligna leva a limitação da
sua mobilidade e é um dos principais fatores que caracterizam a passagem do estágio
precoce para avançado.
A) Alternativas I e II correias.
B) Alternativas I , II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Alternativas I e III corretas.
E) N.d.a

16. Qual a localização do óstio do ducto nasolacrimal?


A) Meato superior;
B) Meato inferior;
C) Meato médio;
D) Processo uncinado.

Questão 01 - (CBM Rio de Janeiro – 2001) A Síndrome Menieriforme pré-


menstrual e ou menstrual, com ou sem disfunção ovariana, são causas ou fatores
exacerbantes das disfunções do ouvido interno. Marque a assertiva que NÃO se
correlaciona com o tema:
a) As modificações cíclicas entre o estrogênio e a progesterona podem resultar em
significante retenção de água.
b) Variações dos níveis hormonais da tireóide influenciam na fisiopatologia vestibular.
c) O aumento dos níveis de PGD 2 e diminuição dos níveis séricos de PGF 2 alfa,
distorcem o “feed back” vestibular.
d) Alterações no metabolismo da glicose são desconcertantes na fisiologia vestibular.
e) O aumento da viscosidade do sangue é prejudicial ao fluxo perene vestibular.

Questão 02 - (CBM Rio de Janeiro – 2001) A situação metabólica mais associada à


disfunção da orelha interna é:
a) a hipercolesterolemia, associada a distúrbios na secreção de insulina.
b) a hipoglicemia reativa associada a distúrbios na secreção de insulina.
c) a hiperglicemia associada a distúrbios na secreção de insulina.
d) a hipertrigliceridemia associada a distúrbios na secreção de insulina.
e) a hiperfosfolipidemia associada a distúrbios na secreção de insulina.

Questão 03 - (PM Santo Agostinho PE – 2008) Com relação à fisiologia coclear, é


correto afirmar:
a) As células ciliadas externas não são responsáveis pelo microfonismo coclear.
b) As células ciliadas externas não são responsáveis pelas otoemissões acústicas.
c) A prestina é uma proteína contrátil presente na célula ciliada externa.
d) A membrana basilar tem freqüência de ressonância constante.
e) O axônio do nervo coclear tem limiar maior para uma freqüência específica.

Questão 04 - (PM São Mateus/ES – 2007) O fenômeno que explica o fato de um


paciente não ouvir sons de pequena intensidade, mas ouvir sons de grande
intensidade tão alto, ou mais alto que as pessoas com audição normal, se
denomina:
a) adaptação
b) recrutamento
c) diplacusia
d) simulação
e) fadiga

Questão 06 - (SESPA – 2008) Na fisiologia da audição, a conexão de ponto a ponto


entre os receptores sonoros e os neurônios que avaliam o sinal é denominada:
(A) tonotopia.
(B) codificação da frequência sonora.
(C) codificação da intensidade.
(D) análise de periodicidade de tempo.
Questão 08 - (PM Duque de Caxias/RJ – 2007) O ouvido humano tolera bem, sem
se ressentir, sons com intensidade de até:
(A) 90 dB;
(B) 80 dB;
(C) 100 dB;
(D) 110 dB.

Questão 09 - (PM São Paulo – 2008) Com relação ao reflexo estapediano, é


incorreto:
a) O músculo extensor do tímpano tem participação
b) Proporciona atenuação seletiva de frequências
c) Exerce função protetora da orelha externa
d) É desencadeado por estímulo sonoro intenso

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PROVAS DA FACID

FACULDADE INTEGRAL DIFERECIAL – FACID/DEVRY


3ª AVALIAÇÃO DE OTORRINOLARINGOLOGIA - TERESINA, 31/05/2016

ALUNO (A) ___________________________________________________

1. WMS, 19 anos, apresenta quadro de obstrução nasal, espirros intermitentes e intensa


rinorreia aquosa. Ao exame, apresentava mucosa nasal edemaciada e esbranquiçada e
alguns pólipos nasais. Apresentava níveis de IgE acima do normal e citológico nasal
com eosinofilia intensa; Prick test negativo. Trata-se, provavelmente, de uma rinite:
A) Vasomotora;
B) Alérgica;
C) Rinite eosinofílica não alérgica;
D) Viral;
E) Idiopática.

2. As células responsáveis pela fase imediata e tardia da rinopatia alérgica são,


respectivamente:
A) Eosinófilos e linfócitos Th1;
B) Mastócitos e plasmócitos;
C) Linfócitos Th1 e eosinófilos;
D) Mastócitos e eosinófilos;
E) Eosinófilos e basófilos.

3. Qual a bactéria que não está frequentemente envolvida na patogênese da sinusite


aguda?
A) Streptococcus pneumoniae;
B) Pseudomonas aeruginosa;
C) Haemophilus influenzae;
D) Staphilococcus aureus;
E) Moraxella catarrhalis.
4. Sobre a rinossinusite crônica, assinale resposta CORRETA:
A) O diagnóstico da rinossinusite crônica é feito baseado na história clínica, exame
físico (preferencialmente com endoscopia nasal) e tomografia computadorizada;
B) O diagnóstico da rinossinusite crônica é essencialmente clínico, dispensando
qualquer tipo de exame radiológico;
C) O achado de alterações tomográficas compatíveis com rinossinusite crônica em
pacientes assintomáticos é muito raro e deve ser tratado adequadamente;
D) Em um paciente com história clínica compatível com rinossinusite crônica,
devemos solicitar tomografia computadorizada preferencialmente durante um
período de agudização, pois assim a chance de confirmação do diagnóstico é maior.

5. (EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE MÉDICOS,


DENTISTAS E FARMACÊUTICOS DA AERONÁUTICA, 2006) - São causas
frequentes de epistaxe:
A) Doença ou trauma sobre a mucosa nasal, hipertensão arterial sistêmica e discrasias
sanguíneas.
B) Doença ou trauma sobre a mucosa nasal, nasoangiofibroma e amigdalite aguda.
C) Doença ou trauma sobre a mucosa nasal, discrasias sanguíneas e amigdalite aguda.
D) Discrasias sanguíneas, amigdalite aguda e nasoangiofibroma.

6. NDP, 21 anos, feminino, deu entrada no pronto-socorro referindo ter entrado uma
formiga no seu ouvido direito. O exame clínico confirmou a suspeita e o inseto
ainda estava vivo. Qual a conduta?
A) Introduzir um objeto pontiagudo no ouvido para imobilizá-lo e a seguir removê-lo.
B) Prescrever anti-fúngico tópico e reavaliar o doente com 07 dias.
C) Imobilizar o inseto com solução oleosa, removê-lo através de lavagem do ouvido ou
com pinças e prescrever gotas otológicas, se necessário.
D) Imobilizar o inseto com solução oleosa e prescrever gotas otológicas.
E) Imobilizar o inseto com solução ácida, removê-lo através de lavagem do ouvido ou
com pinça jacaré, prescrever gotas otológicas se necessário.

7. (SES-TO/CESGRANRIO-2004) - Criança há três dias com obstrução nasal, rinorreia


purulenta e às vezes sanguinolenta unilateral sugere:
A) Rinorréia alérgica;
B) Corpo estranho nasal;
C) Hipertrofia adenoideana;
D) Hipertrofia de conchas nasais;
E) Desvio do septal.

8. Sobre corpos estranhos na orofaringe, assinale a resposta correta:


A) Os CE mais comuns em crianças, nessa região, são moedas, as quais são facilmente
visualizadas à radiografia simples.
B) Devido ao risco que representam às vidas das crianças acometidas, e a dificuldade de
se retirar tais CE, a maioria dos casos é conduzida à retirada no centro cirúrgico, sob
anestesia geral.
C) A radiografia simples nos casos de espinha de peixe está indicada quando o exame
clínico não revela sua presença.
D) Normalmente, tais casos são achados incidentais, ou seja, assintomáticos.
9. Assinale a alternativa INCORRETA.
A) As anginas eritematosas são as mais comuns e correspondem a 90% dos casos
clínicos.
B) As anginas de origem viral correspondem a 50% das faringoamigdalites agudas.
C) O paciente com faringoamigdalite bacteriana tem como principal sintomatologia a
dor de garganta e disfagia. A maioria dos pacientes irá apresentar mialgia, febre baixa,
associada a coriza hialina e espirros.
D) O principal agente microbiológico das anginas bacterianas é um coco gram positivo,
o estreptococo beta-hemolítico do grupo A.
E) A tríade clínica da mononucleose infeciosa é constituída por febre, angina e
poliadenopatia.

10. O Streptococcus beta-hemolítico do grupo A (Streptococcus pyogenes do grupo A)


exerce um papel primordial na etiologia da seguinte angina:
A) de Louis;
B) Herpética;
C) Diftérica;
D) Da escarlatina;
E) Da febre tifóide.

11. Assinale a alternativa CORRETA:


A) O principal agente etiológico das faringoamigdalites em crianças de até 3 anos é o
S. pyogenes.
B) A amigdalite bacteriana não precisa receber tratamento com antibióticos, pois evolui
para cura em 10 dias, aproximadamente.
C) A amigdalite viral é acompanhada de sintomas de resfriado, como coriza, obstrução
nasal e tosse, enquanto que a principal característica de amigdalite bacteriana é a
febre baixa.
D) O principal objetivo do tratamento das amigdalites bacterianas é a profilaxia da febre
reumática.
E) A benzetacil hoje está contraindicada para o tratamento das amigdalites bacterianas
devido à alta resistência bacteriana desenvolvida pelo seu uso indiscriminado.

12. Indique qual das anginas abaixo apresenta um comprometimento unilateral das
tonsilas palatinas:
A) Angina diftérica;
B) Angina pseudo-membranosa;
C) Angina fuso-espiralar (Plaut-Vincent);
D) Angina flegmonosa;
E) Angina da mononucleose infecciosa.

14. (CIAAR- Médico - Espec. Otorrinolaringologia 2005) - Considerando-se a síndrome


da apneia obstrutiva do sono, é CORRETO afirmar que:
A) A adenoamigdalectomia é a conduta cirúrgica mais frequente na apneia obstrutiva do
sono em crianças.
B) A polissonografia, por ser o exame padrão-ouro, deve ser realizada na avaliação de
todas crianças com suspeita de apneia.
C) As crianças com sintomas clínicos relevantes de apneia obstrutiva apresentam bom
resultado com uvulopalatofaringoplastia (UPFP) a laser.
D) As principais causas de apneia nas crianças são as malformações craniofaciais e a
obesidade.

15. Secretaria de Saúde de Santa Catarina – Médico - Espec. Otorrinolaringologia 2006)


- O tratamento da síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) pode ser clínico ou
cirúrgico, e está diretamente relacionado com a determinação do índice de apneia-
hipopnéia por hora (IAH) que classifica a doença em:
A) Leve (IAH 5 a 10);
B) Leve (IAH 5 a 15);
C) Leve (IAH 5 e 20);
D) Leve (IAH 10 a 30);
E) Leve (IAH maior que 30).

16. (Secretaria de Saúde de Santa Catarina – Médico - Espec. Otorrinolaringologia


2006) - Diversos tratamentos cirúrgicos têm sido propostos e sua escolha está
relacionada à gravidade da SAOS bem como às alterações estruturais nasais, faríngeas e
craniofaciais encontradas previamente. Os procedimentos faríngeos realizados são:
A) Avanço maxilomandibular.

B) Amigdalectomias, uvulopalatofaringoplastia com cautério ou laser e radiofrequência


de palato e avanço maxilomandibular.
C) Uvulopalatofaringoplastia com cautério ou laser, radiofrequência de palato e avanço
maxilomandibular.
D) Amigalectomia, septoplastia e turbinectomia.
E) Amigdalectomias, uvulopalatofaringoplastia com cautério ou laser e radiofrequência
de palato.

17. O diagnóstico mais provável de uma criança que apresenta dificuldade súbita para
respirar estridor inspiratório e tosse metálica durante a madrugada é:
A) Sinusite;
B) Corpo estranho;
C) Asma brônquica;
D) Laringite estridulosa;
E) Refluxo gastroesofágico.

18. Criança de 2 anos de idade chega ao pronto-socorro com história de estridor,


rouquidão, dispneia inspiratória, tiragem supraesternal, febre alta, inflamação da
faringe, epiglote edemaciada e vermelho rubra. O diagnóstico mais provável é:
A) Epiglotite;
B) Aspiração de corpo estranho;
C) Laringite estridulosa;
D) Intoxicação exógena;
E) Difteria.

19. (Pref. de Cruzeiro/SP, 2006) - Em relação às disfonias, é CORRETO afirmar:


A) Os nódulos vocais são sempre tratados cirurgicamente.
B) O refluxo gastroesofágico é causa frequente de disfonia.
C) A paralisia da prega vocal sempre causa prejuízo vocal importante.
D) Na disfonia psicogênica a tosse está alterada.
E) A disfonia é sempre de origem laríngea.

20. (Pref. de Piracuruca/PI, 2010) - A.M.C., 40 anos, professora chega ao consultório


com as seguintes queixas: rouquidão, fadiga vocal, dores na laringe, perda de voz,
frequência vocal reduzida. A que patologia se refere?
A) Pólipos;
B) Nódulos;
C) Cisto;
D) Sulco Vocal.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

NÃO FOI REALIZADA

FACULDADE INTEGRAL DIFERECIAL – FACID/DEVRY


PROVA FINAL DE OTORRINOLARINGOLOGIA - TERESINA, 07/06/2016

ALUNO (A) ___________________________________________________

1. (IEPRO/Médico da Pref. De Caucaia-2009) - É um quadro sugestivo de angina de


Plaut-Vincent:
A) Celulite gangrenosa dos espaços sublingual e submandibular;
B) Presença de membranas branco-acinzentadas em amígdalas, pilares e úvula aderentes
à mucosa e que sangram ao se destacar;
C) Hiperemia bilateral de pilares e tonsilas palatinas, com presença de placas de pus em
amígdalas;
D) Processo supurativo agudo do tecido conjuntivo do espaço laterofaríngeo;
E) Disfagia dolorosa unilateral, com ulceração, necrose e odor fétido.

2. O sinal de Koplik é encontrado na angina:


A) Escarlatina;
B) Febre tifoide;
C) Angina reumática;
D) Sarampo;
E) Herpangina.

3. Não faz parte do tratamento da sinusite aguda:


A) Lavagem nasal com soro fisiológico;
B) Uso prolongado de vasoconstrictores locais;
C) Antibióticos;
D) Punção e lavagem do seio acometido;
E) Vasoconstrictores sistêmicos.

4. O colesteatoma primário ocorre quando existem:


A) Restos embrionários epiteliais associados a traumatismos craneoencefálicos;
B) Processos degenerativos associados a abscesso cerebral;
C) Meningites de repetição;
D) Restos epiteliais meníngeos;
E) Pressão negativa na orelha média.

5. (Prefeitura Sta Mª – RS) Sobre a otite média serosa na criança é correto afirmar,
EXCETO:
A) Usualmente é bilateral;
B) Cursa com diminuição da audição;
C) Não é comum o aumento da temperatura axilar acima de 37,5º C;
D) Dificuldade respiratória, roncos e respiração bucal são relatos frequentes dos pais;
E) A otorreia normalmente aumenta com a entrada de água nos condutos auriculares.

6. Qual o agente etiológico mais freqüente da epiglotite aguda?


A) Staphylococcus aureus;
B) Streptococcus e Staphylococcus;
C) Haemophilus influenzae;
D) Haemophilus e B. flagilis.
E) Moraxella catarrhalis.

7. Em relação à Doença de Menière, assinale a alternativa ERRADA:


A) Tríade sintomática: perda auditiva, zumbido e vertigem;
B) Evolução progressiva, através de surtos intermitentes;
C) Geralmente é bilateral
D) Pode levar à surdez e à vertigem incapacitante
E) Ocorre com mais frequência entre os 30 e 50 anos de idade

8. Quais são as principais medidas comportamentais para tratamento da SAOS?

9. Qual a importância do diagnóstico precoce da SAOS?

10. FCS, 50 anos, feminino, deu entrada no pronto-socorro referindo ter entrado uma
formiga no seu ouvido direito. O exame clínico confirmou a suspeita e o inseto
ainda estava vivo. Qual a conduta?

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

FACULDADE INTEGRAL DIFERENCIAL – FACID/DEVRY


1ª AVALIAÇÃO DE OTORRINOLARINGOLOGIA - TERESINA, 06/09/2016

ALUNO (A) ___________________________________________________

1. Qual a diferença do quadro clínico entre a faringotonsilite viral e a bacteriana? Quais


são os resultados dos exames laboratoriais que diferenciam uma da outra? (1,0)

2. Cite quatro indicações e quatro contraindicações de adenotonsilectomia. (1,0)

3. Descreva a etiofisiopatologia das rinossinusites e as alterações que estão mais


relacionadas com o surgimento de quadros agudos e crônicos. (1,0)
4. Qual o tratamento de um paciente de 30 anos de idade com queixas de dores faciais,
obstrução nasal e rinorreia amarelada há 15 dias? (1,0)

5. O sinal de Koplik é encontrado na angina: (0.5)


A) Escarlatina;
B) Febre tifoide;
C) Angina reumática;
D) Sarampo;
E) Herpangina.

6. Não faz parte do tratamento da rinossinusite aguda: (0,5)


A) Lavagem nasal com soro fisiológico;
B) Uso prolongado de vasoconstrictores locais;
C) Antibióticos;
D) Punção e lavagem do seio acometido;
E) Vasoconstrictores sistêmicos.

7. Com relação à fisiologia nasossinusal, assinale a alternativa errada: (0,5)


A) O epitélio das fossas nasais é pseudoestratificado cilíndrico ciliado.
B) A permeabilidade do óstio de drenagem, o transporte ciliar normal e as secreções
fluidas são fundamentais para a manutenção de uma fisiologia nasossinusal adequada.
C) Fibrose cística, síndrome de Kartagener e síndrome dos cílios imóveis alteram a
fisiologia das fossas nasais.
D) Nos seios paranasais, a secreção é drenada para a cavidade nasal por mecanismo
gravitacional.
E) Os seios etmoidais anteriores, maxilares e frontais drenam no meato médio.

8. Não faz parte do complexo osteomeatal: (0,5)


A) Bula etmoidal;
B) Forame esfenopalatino;
C) Concha média;
D) Processo uncinado;
E) Hiato semilunar.

9. Em relação à função do nariz, assinale a alternativa correta: (0,5)


A) Umidificação do ar inspirado;
B) Filtração do ar inspirado;
C) Olfação;
D) Aquecimento do ar inspirado;
E) Todas estão corretas.

10. A respeito da fisiologia nasal, assinale a alternativa correta: (0,5)


A) O fluxo aéreo é controlado pelo tônus dos tecidos eréteis da mucosa nasal, e o
corneto superior é a principal estrutura no controle desse fluxo.
B) O batimento ciliar e o sistema mucociliar retêm as partículas inaladas e as
transportam em direção a região posterior das fossas nasais, rumo ao septo caudal.
C) O aquecimento do ar inspirado é realizado pela ampla superfície mucosa e pela
intensa vascularização, porém esse sistema ainda é deficitário, havendo necessidade da
contribuição dos tecidos linfóides (adenóides) para que o ar chegue à temperatura
adequada na faringe.
D) A olfação é realizada nas regiões mais posteriores do nariz, principalmente no
etmoide posterior e esfenóide, motivo pelo qual a hiposmia pode se instalar após a
sinusectomia dos seios nasais posteriores.
E) O fluxo aéreo é controlado pelo tônus dos tecidos eréteis da mucosa nasal, havendo
importante papel da vascularização nasal.

11. Qual a localização do óstio do ducto nasolacrimal? (0,5)


A) Meato superior;
B) Meato inferior;
C) Meato médio;
D) Recesso esfenoetmoidal;
D) Processo uncinado.

12. Dos músculos pares musculares abaixo relacionados, qual constitui a própria corda
vocal? (0,5)
A) Cricoaritenóideo lateral;
B) Cricotireóideo;
C) Tireoaritenóideo;
D) Cricoaritenóideo posterior;
E) Nenhum destes músculos.

13. Qual o músculo da laringe que recebe inervação motora do nervo laríngeo
superior? (0,5)
A) Músculo cricotireóideo;
B) Músculo ariaritenóideo;
C) Músculos cricoaritenóideos laterais;
D) Músculo cricoaritenóideo posterior;
E) Músculo tireoaritenóideo.

14. Em relação à função da musculatura da laringe, qual(ais), o (s) músculo(s)


dilatador(es) da glote: (0,5)
A) Cricoaritenóideo lateral e ariaritenóideo;
B) Cricoaritenóideo posterior e ariaritenóideo;
C) Cricoaritenóideo lateral;
D) Cricoaritenóideo posterior;
E) Cricoaritenóideo lateral e posterior.

15. Qual o(s) músculo(s) que se insere(m) na apófise muscular da cartilagem aritenóide:
(0,5)
A) Cricoaritenoideo posterior e ariaritenoideo;
B) Tireoaritenóideo;
C) Cricoaritenóideo posterior;
D) Cricoaritenóideo lateral e ariaritenóideo;
E) Cricoaritenoideos lateral e posterior.

16. Assinale a alternativa incorreta em relação à anatofisiologia da laringe. (0,5)


A) O principal tensor é o músculo cricotireóideo, que é inervado pelo nervo laríngeo
recorrente.
B) O único músculo abdutor da prega vocal é o cricoaritenóideo posterior.
C) Os adutores são os músculos cricoaritenóideo lateral e interarinóideo.
D) Os nervos laríngeos recorrentes têm trajetos diferentes. No lado direito, o nervo
laríngeo recorrente faz um arco ao redor da artéria subclávia, enquanto que do lado
esquerdo faz um arco ao redor da crossa da aorta.
E) O nervo vago deixa o crânio através do forame jugular.

Gabarito:

5–D
6–B
7–D
8–B
9–E
10 – E
11 – B
12 – C
13 – A
14 – D
15 – E
16 – A

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

OTITES MÉDIAS AGUDAS/SEROSA, URGÊNCIAS EM OTORRINO E


TUMORES NASOSSINUSAIS

1. Descreva a etiopatogenia da otite média secretora (com efusão).

2. Explique porque os tumores nasossinusais geralmente são diagnosticados


tardiamente.

3. (Pref. de Tucuruí/PA, 2006) Na epistaxe, o tamponamento nasal posterior está


indicado quando o:
I- tamponamento nasal anterior não foi satisfatório
II- sangramento nasal posterior é visualizado
III- paciente é cardíaco
IV- paciente não quer ser operado
Estão corretas somente as assertivas:
A) I e II.
B) I, III e IV.
C) I e IV.
D) III e IV.

4. Paciente de 15 anos de idade, sexo feminino, apresenta epistaxe. As opções abaixo


podem ser utilizadas para o controle do sangramento, EXCETO:

A) Transfusão total de sangue e premarim;


B) Cauterização nasal;
C) Tamponamento nasal anteroposterior;
D) Transfusão de plaquetas;
E) Vasoconstrictor local.
11. Com relação às urgências em Otorrinolaringologia, assinale a correta:
A) Rinorréia amarelada unilateral em crianças é sugestivo de rinossinusite aguda.
B) A origem das epistaxes é posterior nos jovens e anterior nos idosos.
C) Em crianças com bateria de relógio em fossa nasal, a melhor conduta é a internação,
antibiótico EV, corticóide EV e esperar 7 dias para diminuição do edema da mucosa,
facilitando a remoção da mesma.
D) O ATA (ácido tricloroacético) é utilizado para cauterização da mucosa nasal nas
epistaxes, quando é identificado o local do sangramento.

15. Cite cinco causas de obstrução da tuba auditiva, que podem desencadear otite média
aguda.

16. MCA, de 4 anos de idade, sexo feminino, apresenta episódios frequentes de otalgia
e hipoacusia, geralmente associado à obstrução nasal e rinorreia, melhorando com
tratamento clínico. Sua mãe notou que ela não está ouvindo bem nos últimos meses.
Qual a hipótese diagnóstica e os procedimentos propedêuticos que devem ser realizados
nesta paciente?

17. Entre as causas de otite média aguda recorrente, tente-se pesquisado a formação de
biofilme na rinofaringe pelas bactérias. O que se entende por biofilme?

19. Tratamento e cite cinco complicações da otite média secretora.

20. Cite cinco fatores predisponentes e os principais cuidados que devem ser adotados,
ou seja, a profilaxia, para evitar ou diminuir a incidência de otite média aguda em
crianças.

21. Anamnese e exames complementares que podem ser necessários na avaliação de


pacientes portadores de otite média aguda recorrente.

22. Diagnóstico e tratamento de uma criança de 5 anos de idade com otalgia, hipoacusia
e febre (>39º), começando no quarto dia após uma gripe forte (sic).

23. Etiopatogenia da obstrução da tuba auditiva e da otite média aguda.

24. Tratamento de uma criança de 3 anos de idade com otalgia, associado à obstrução
nasal, rinorreia amarelada, tosse produtiva e febre.

25. Explique a etiopatogenia da otite média necrosante.

26. Etiologia e fatores desencadeantes da otite média aguda recorrente.

30. (Pref. São Paulo/SP VUNESP; 2008) Em relação aos tumores malignos dos seios
paranasais, pode-se afirmar que:
A) A disseminação para linfonodos regionais é alta, com metástases linfonodais acima
de 75%.
B) A drenagem linfática é primariamente para linfonodos cervicais profundos e pela
localização central podem envolver linfonodos ipsi e contralaterais.
C) Representam 30% dos tumores de cabeça e pescoço sendo o etmoidal o mais
comprometido.
D) O carcinoma de células escamosas é a neoplasia mais frequente da região
nasossinusal, correspondendo a 75% de todos os tumores dessa localização.
E) Os carcinomas de células escamosas de antro maxilar raramente invadem a órbita.

32. FCS, 50 anos, feminino, deu entrada no pronto-socorro referindo ter entrado uma
formiga no seu ouvido direito. O exame clínico confirmou a suspeita e o inseto
ainda estava vivo. Qual a conduta?

A) Introduzir um objeto pontiagudo no ouvido para imobilizá-lo e a seguir removê-lo.


B) Prescrever anti-fúngico tópico e reavaliar o doente com 07 dias.
C) Imobilizar o inseto com solução oleosa, removê-lo através de lavagem do ouvido ou
com pinças, prescrever gotas otológicas se necessário.
D) Imobilizar o inseto com solução oleosa e prescrever gotas otológicas.
E) Imobilizar o inseto com solução ácida, removê-lo através de lavagem do ouvido ou
com pinça jacaré, prescrever gotas otológicas se necessário.

33. Sobre o tratamento de otite média secretora NÃO se pode afirmar que:
A) O tratamento clássico consiste em administrar corticosteróides, quando não há
contra-indicação, associado com antibioticoterapia, por 15 dias ou mais, sendo a
amoxicilina (20mg/kg/dia) o antibiótico de escolha.
B) Quando não existe nenhum fator obstrutivo importante como adenóides muito
hipertrofiadas ou outros fatores obstrutivos da tuba auditiva, o tratamento é clínico e
deve durar até 30 dias ou mais.
C) No caso de persistência de efusão mesmo após o tratamento clínico indica-se o
tratamento cirúrgico, que consiste em miringotomia, aspiração da efusão e colocação de
tubo de ventilação (técnica de Armstrong).
D) As opções clínicas disponíveis hoje estão voltadas para as infecções, com
investimentos na prevenção e tratamento (vacinas, antibióticos e antivirais), na terapia
anti-inflamatória e anti-histamínica, sendo esta de grande importância.

34. (Prefeitura Sta Mª – RS) Sobre a otite média serosa na criança é correto
afirmar, EXCETO:
A) Usualmente é bilateral.
B) Cursa com diminuição da audição.
C) Não é comum o aumento da temperatura axilar acima de 37,5º C.
D) Dificuldade respiratória, roncos e respiração bucal são relatos freqüentes dos pais.
E) A otorreia normalmente aumenta com a entrada de água nos condutos auriculares

35. (FADESP-2009) Qual dos fatores abaixo não está relacionado com a otite
média secretora?
A) Tumor de rinofaringe
B) Imunodeficiência
C) Infecção do conduto auditivo externo
D) Iinfecção das vias aéreas superiores

36 - (Prefeitura de BH) Em relação às complicações da otite média, todas as


afirmativas estão corretas, EXCETO:
a) Na Trombose do Seio Sigmóide, observa-se febre em picos.
b) A otite média aguda causa mais meningite, mas a otite média crônica gera maior
mortalidade.
c) A Síndrome de Gradenigo se caracteriza por dor retro-orbitária e paralisia do VII par
craniano.
d) Na labirintite bacteriana, a vertigem é severa e geralmente se compensa, mas a perda
auditiva geralmente é permanente e severa.

37 - (prefeitura de SP-2008) Em relação à otite média secretora (OMS), pode-se


afirmar que:
A) A colocação do tubo de ventilação promove a melhora da OMS, facilitando a ação
da gravidade na caixa timpânica, não influenciando a função ciliar no clearance.
B) A adenoidectomia tem comprovada eficácia no tratamento das OMS, porém quando
o volume adenoidiano ultrapassa 50% da luz da rinofaringe.
C) A audiometria é um método para avaliar um grau de perda auditiva e não para o
diagnóstico de efusão (OMS), e a timpanometria para avaliar a função da tuba auditiva e
mobilidade da membrana timpânica, indicando presença de efusão.
D) Este diagnóstico só pode ser confirmado se a efusão da orelha média for estéril, sem
a presença de germes patogênicos.
E) Na orelha média, as trocas dos gases inertes (N2) são reguladas por difusão,
enquanto os gases quimicamente ativos (O2 e CO2) são regulados por perfusão.

38. (SESA-RN-2008) Na otite média secretora, o tipo de perda auditiva e de curva


observados no audiograma e no timpanograma, respectivamente, são:
A) anacusia e A.
B) neural e A.
C) sensorioneural e B.
D) condutiva e B.
E) mista e C.

39. (SESA-RN-2009) O tratamento cirúrgico da otite média secretora consiste na


timpanotomia com colocação de tubo de ventilação. A região da membrana
timpânica mais adequada para o posicionamento deste tubo é a:
A) superior.
B) central.
C) ântero-superior.
D) ântero-inferior.
E) lateral ao cabo do martelo.

40. Sobre corpos estranhos na orofaringe assinale a resposta correta:


A) Os CE mais comuns em crianças, nessa região, são moedas, as quais são facilmente
visualizadas à radiografia simples.
B) Devido ao risco que representam às vidas das crianças acometidas, e a dificuldade de
se retirar tais CE, a maioria dos casos é conduzida à retirada no centro cirúrgico, sob
anestesia geral.
C) A radiografia simples nos casos de espinha de peixe está indicada quando o exame
clínico não revela sua presença.
D) Normalmente, tais casos são achados incidentais, ou seja, assintomáticos.
41. Mulher, 25 anos, chega ao pronto socorro bastante ansiosa e desconfortável
com história de zumbido na orelha direita, sensação de ouvido “tapado” e refere
que algum tipo de “besouro” entrou em sua orelha. Com base no relato da
paciente, avalie as assertivas e assinale a INCORRETA:
A) Deve-se instilar óleo mineral em seu ouvido e retirá-lo com o auxílio de uma pinça
“jacaré” ou com lavagem otológica.
B) O manejo cirúrgico inicial deve ser considerado, pois por se tratar de CE animado,
dificilmente se conseguirá retirá-lo sem causar algum tipo de traumatismo ao
conduto auditivo externo.
C) Se a paciente evoluir com otorréia devido a penetração do CE ou se tratar de miíase
aural, deve-se tratá-la como sendo uma otite média após a remoção do corpo
estranho.
D) Em caso de crianças, tais CE podem necessitar de retirada sob anestesia geral.

42.- (PREF RIO DE JANEIRO-RJ/FJG). A massa calcária que se forma ao redor


de um corpo estranho devido a sais insolúveis da secreção nasal é denominada:
A) Rinolito;
B) Pólipo;
C) Nódulo;
D) Papiloma.

43. (OTORRINOLARINGOLOGIA/ CIAAR-2008). O tratamento de corpo


estranho em fossas nasais deve ser, sempre que possível:
A) Antibioticoterapia e observação.
B) Cirúrgico, por rinotomia.
C) Observação simples.
D) Remoção com sonda de itard ou estilete abotoado e curvo.

44. (SES-GO/UEG-2004) Rinorréia mucopurulenta crônica fétida, associada à


obstrução nasal unilateral em crianças. Diante desse quadro, deve-se pensar em
primeiro lugar em:
A) etimoidite.
B) pólipo de Killian (pólipo antro-coanal).
C) adenoidite.
D) presença de corpo estranho.

45. (PREF MUN PAULO AFONSO-BA/CONSULPLAN-2008) O diagnóstico


provável em lactente com secreção nasal mucossanguinolenta unilateral
persistente, é:
A) Infecção pneumocócica ou sífilis congênita.
B) Corpo estranho ou difteria.
C) Infecção por Haemophilus influenzae.
D) Infecção estafilocócica.
E) Infecção estreptocócica.

46. (SES-TO/CESGRANRIO-2004). Criança há três dias com obstrução nasal,


rinorréia purulenta e às vezes sanguinolenta unilateral sugere:
A) rinorréia alérgica.
B) corpo estranho nasal.
C) hipertrofia adenoideana.
D) hipertrofia de conchas nasais.
E) desvio septal.

47. (RESIDÊNCIA MÉDICA UFRN-2009) A ocorrência de corpos estranhos


localizados nas cavidades nasais, nas orelhas e na orofaringe é motivo de
freqüentes consultas em serviços de emergência. Sobre esse tipo de ocorrência, é
correto afirmar:
A) Nas orelhas, o corpo estranho deve ser retirado com lavagem.
B) Os casos de corpo estranho raramente são assintomáticos.
C) As espinhas de peixe se alojam, mais freqüentemente, no esôfago superior.
D) Corpo estranho alojado na orelha complica com broncoaspiração.

48. (Prefeitura Municipal de Palmas, 2005) Os ramos terminais da artéria carótida


externa responsáveis por epistaxes são:
A) Artéria facial e artéria maxilar interna.
B) Artéria faríngea ascendente, artéria lingual, artéria maxilar interna e artérias
etmoidais.
C) Artéria etmoidal anterior e artéria esfenopalatina.
D) Artéria facial, artéria maxilar interna e artéria etmoidal anterior e posterior.
E) Artéria oftálmica, artéria palatina descendente e artéria maxilar interna.

49. Com relação ao tratamento da Otite Média Aguda (OMA) recorrente:


A) Devem ser usados antibióticos de largo espectro pelo alto índice de bactérias
resistentes.
B) A colocação de tubo de ventilação traz pouco benefício se não for realizado
também adenoidectomia.
C) A quimioprofilaxia deve ser feita com amoxicilina 50mb/kg/dia por 6 a 12 meses.
D) A mudança de hábitos e a correção de fatores ambientais têm importante efeito na
profilaxia.

50. Descreva o tratamento da otite externa aguda micótica.

51. Após acidente automobilístico, um paciente de 40 anos foi encaminhado a um


serviço de pronto atendimento em estado em coma e apresentando otorragia à direita.
Que conduta deverá ser adotada nesse caso?

52. Avaliação clínica e conduta terapêutica em uma criança de cinco anos de idade que
vem apresentando episódios recorrentes de sangramento nasal.

53. Em relação aos tumores malignos nasossinusais, quais os principais fatores de risco,
tipos histológicos, localização e demais fatores epidemiológicos?

54. Discorra sobre os aspectos principais dos seguintes tumores nasossinusais:


granuloma piogênico e hemangioma.

55. Tratamento de miíase no ouvido direito de uma criança de 5 anos de idade, cujas
queixas de otalgia e otorreia começaram há três dias.

56. A.F.F, 56 anos, sexo masculino, merceneiro, evolui há 2 meses com desconforto na
garganta.
AF: n.d.n; AP: tabagismo ½ maço/dia há 40 anos; Oto: n.d.n.; RA: n.d.n; Orosc.:
n.d.n.;
Pescoço: ausência de linfonodos palpáveis.
Laringoscopia: presença de lesão úlcero-vegetante em prega vocal direita, com
diminuição da mobilidade desta prega vocal; Supraglote e Supraglote sem alterações.
Qual seria a principal hipótese diagnóstica e qual a conduta neste caso?

A) Carcinoma espinocelular. Exames para estadiamento: tomografia


computadorizada de pescoço, RX Tórax e EDA.
B) Adenocarcinoma glótico. Exames para estadiamento: tomografia
computadorizada de pescoço, RX Tórax e EDA.
C) Carcinoma espinocelular. Realizar biópsia.
D) Tuberculose laríngea. Realizar biópsia, procurando granuloma caseoso e cultura
para BAAR.
E) Paracoccidiodomicose. Realizar biópsia, procurando o aspecto de roda de leme,
característico da doença.

57. Analise as assertivas abaixo sobre os tumores nasossinusais. Marque V ou F.


Justifique os itens marcados como falso (1,0).
( ) O principal sintoma dos tumores nasossinusais é a obstrução nasal unilateral.
( ) Embora perca para a RNM na avaliação das estruturas ósseas, a TC é superior quanto
à visualização de partes moles, sendo indicada nos casos de limitação da TC.
( ) Papilomas de Vestíbulo consiste em proliferação polipóide de capilares, e tecido de
granulação associado com intensa reação inflamatória.
( ) Cistos Nasoalveolares são originários de epitélio escamoso e comportam-se como em
outras partes do corpo onde surgem (verruga vulgar).
( ) Nasoangiofibroma (Angiofibroma Nasofaríngeo) é uma neoplasia benigna rara da
região posterior da cavidade nasal. Ocorre quase que exclusivamente após a quinta
década de vida. Predomina no sexo masculino quase que exclusivamente

59. (INES/RJ AOCP;2009 -Modificada) É considerado tumor nasal maligno:


(0,5)
I. Papiloma invertido.
II. Displasia fibrosa.
III. Hemangioma.
IV. Adenocarcinoma.

A) Apenas I está correta.


B) Apenas I e II estão corretas.
C) Apenas II e III estão corretas.
D) Apenas IV está correta.
E) I, II, III e IV estão corretas.

60. Diagnóstico e tratamento de um jovem de 15 anos de idade com queixas de otalgia e


hipoacusia à direita e febre há uma semana. Fez uso de amoxicilina associado ao ácido
clavulânico, sem melhora. Ao exame, apresentava a membrana timpânica direita
bastante hiperemiada e congestionada, com edema e abaulamento da mastóide do
mesmo lado.

61. O agente etiológico mais comum na otomicose é:

A) Aspergillus;
B) Mucormicose;
C) Actinomicose;
D) Candida albicans;
E) Dermatófitos.

62. FCS, 50 anos, feminino, deu entrada no pronto-socorro referindo ter entrado uma
formiga no seu ouvido direito. O exame clínico confirmou a suspeita e o inseto
ainda estava vivo. Qual a conduta?

A) Introduzir um objeto pontiagudo no ouvido para imobilizá-lo e a seguir removê-lo;


B) Prescrever anti-fúngico tópico e reavaliar o doente com 07 dias;
C) Imobilizar o inseto com solução oleosa, removê-lo através de lavagem do ouvido ou
com pinças, prescrever gotas otológicas se necessário;
D) Imobilizar o inseto com solução oleosa e prescrever gotas otológicas;
E) Imobilizar o inseto com solução ácida, removê-lo através de lavagem do ouvido ou
com pinça jacaré, prescrever gotas otológicas se necessário.

63. Polipose Nasossinusal. Quadro clínico e exames complementares.


64. Carcinoma Espinocelular do Nariz. Quadro clínico e tratamento.

65. Criança de seis anos de idade, sexo masculino, apresenta episódios freqüentes de
otalgiae hipoacusia, geralmente associado à obstrução nasal e rinorreia, melhorando
com tratamento clínico. Sua mãe notou que o mesmo não está ouvindo bem nos últimos
meses, pois notou que ele só assiste televisão em volume alto e pede frequentemente
para que as pessoas repitam as palavras quando estão conversando com ele. Quais as
condutas propedêutica e terapêutica que devem ser adotadas para este paciente?

66. Um adolescente apresentou epistaxe pela fossa nasal direita. Ao exame evidenciou-
se lesão na área de Little ou plexo de Kiesselbach. Quais as artérias poderão estar
implicadas nesta hemorragia?

67. Sobre a Polipose Nasal: descreva a fisiopatologia, etiologias e sintomatologia.

68. Sobre o Papiloma Invertido: o que é e onde se origina? Descreva a histologia. Qual
o tratamento?
69. Qual o tumor maligno mais comum dos seios paranasais?

70. Durante a realização de um RX de rotina, evidenciou-se tumoração que se


diagnosticou como osteoma. Onde este tumor é mais freqüentemente encontrado?
A) Seio etmoidal;
B) Seio esfenoidal;
C) Seio frontal;
D) Seio maxilar;
E) meato superior.

71. Assinale a alternativa correta em relação aos tumores nasossinusais:


A) A tomografia computadorizada é um exame dispensável quando o paciente
apresenta ressonância magnética (RNM).
B) O adenocarcinoma é o tumor maligno mais comum do seios paranasais e nariz.
C) A localização mais freqüente do angiofibroma nasofaríngeo juvenil é o seio maxilar
e etmóide.
D) O diagnóstico geralmente é precoce devido ao quadro clínico característico dos
pacientes.
E) O tumor maligno de rinofaringe é mais freqüente de origem epitelial, sendo mais
comum é carcinoma indiferenciado. A infecção pelo vírus EBV parece estar
envolvido em sua etiopatogenia, sendo mais comum em pacientes orientais

73. São características do angiofibroma nasofaríngeo juvenil (ANJ), exceto:


A) O suprimento sanguíneo principal do tumor vem da artéria maxilar interna.
B) São achados clínicos do ANJ na TC de seios da face: massa em rinofaringe,
alargamento da fossa pterigomaxilar, erosão do esfenóide e outros.
C) A radioterapia é uma opção terapêutica, porém seu uso é controverso.
D) O tumor cresce, em geral, lentamente, progredindo para cavidade nasal e
nasofaringe, sendo o acometimento intracraniano freqüente, em torno de 30% dos
casos.
E) Suspeita-se de ANJ na presença da tríade: obstrução nasal unilateral, epistaxe de
repetição e massa em rinofaringe.

74.- BCAF, 18 anos apresenta massa obliterando a região posterior nasal e refere
episódios de epistaxe esporádicos, porém intensos. Qual seria a melhor conduta?
A) Realizar uma videofibroscopia da cavidade nasal e marcar a cirurgia pois trata-se
de pólipo antro-coanal.
B) Solicitar uma Tomografia de Seios Paranasais e coletar material para o estudo
anátomo-patológico.
C) Realizar e biopsia e encaminhar o paciente a radioterapia.
D) Realizar uma arteriografia diagnóstica.
E) Solicitar um estudo tomográfico da região implicada e embolizar a tumoração para a
exérese cirúrgica.
75. Paciente, feminino, 20 anos, após uso de cotonete no ouvido direito apresentou
otorragia e otalgia no mesmo. À otoscopia evidenciou-se coágulos no conduto auditivo
externo e pequena perfuração da membrana timpânica de aspecto traumática. Qual a
conduta?
A) Sintomáticos + acompanhamento ambulatorial
B) Cirurgia (timpanoplastia)
C) Gotas otológicas + tamponamento aural
D) Sintomáticos + timpanoplastia imediata
F) Ndn

76. Uma senhora de 30 anos de idade acorda com queixas de barulho e otalgia à direita,
relatando que um inseto penetrou em seu ouvido? Qual sua conduta?

77. Qual a conduta propedêutica para um paciente que refere episódios frequentes de
prurido nos ouvidos?

78. Tratamento da Otite Externa Difusa Aguda. Explique.

80. Paciente procura um serviço de Pronto Atendimento de Otorrino, apresentando


rinorréia purulenta e sanguinolenta, intensa dor facial, tendo iniciado há três dias, com
piora progressiva do quadro clínico. À rinoscopia anterior, visualizou-se larvas de
mosca (miíase) na fossa nasal direita. Qual a sua conduta?

81. Mãe relata que seu filho de 5 anos de idade apresentou 3 episódios de sangramento
nasal (epistaxe) nos últimos 15 dias, melhorando simplesmente com compressas de
gelo no nariz, sendo que o sangramento foi mais acentuado no último episódio,
acontecendo enquanto a criança dormia, e lhe procura na manhã seguinte. Qual a sua
conduta propedêutica e terapêutica?

82. Explique a etiologia da mucocele frontoetmoidal.

83. Paciente refere prurido na orelha direita há 2 dias, seguido de otalgia, hipoacusia e
otorreia, tendo banhado de piscina há 4 dias. Conduta terapêutica.

84. Etiofisiopatogenia da otoantrite (otite média aguda latente).

85. Diferença entre otite externa aguda bacteriana e otite externa aguda
micótica. Principais sintomas e achados clínicos.

86. Principais artérias que irrigam a cavidade nasal

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

FACULDADE INTEGRAL DIFERENCIAL – FACID/DEVRY


2ª AVALIAÇÃO DE OTORRINOLARINGOLOGIA - TERESINA, 04/10/2016

ALUNO (A) ___________________________________________________

1. MCA, de 4 anos de idade, sexo feminino, apresenta episódios frequentes de otalgia e


hipoacusia, geralmente associado à obstrução nasal e rinorreia, melhorando com
tratamento clínico. Sua mãe notou que ela não está ouvindo bem nos últimos meses.
Qual a hipótese diagnóstica e os procedimentos propedêuticos (anamnese, exame físico
e exames complementares) que devem ser realizados nesta paciente?

2. Descreva a etiopatogenia da otite média secretora (com efusão).

4. Descreva a etiopatogenia da mucocele frontoetmoidal.

5. Paciente procura um serviço de pronto atendimento de otorrino apresentando


rinorreia purulenta e sanguinolenta, intensa dor facial, tendo iniciado há três dias, com
piora progressiva do quadro clínico. À rinoscopia anterior, visualizaram-se larvas de
mosca (miíase) na fossa nasal direita. Qual o tratamento?

6. FCS, 50 anos, feminino, deu entrada no pronto-socorro referindo ter entrado uma
formiga no seu ouvido direito. O exame clínico confirmou a suspeita e o inseto
ainda estava vivo. Qual a conduta?
A) Introduzir um objeto pontiagudo no ouvido para imobilizá-lo e a seguir removê-lo.
B) Prescrever antifúngico tópico e reavaliar o doente com 07 dias.
C) Imobilizar o inseto com solução oleosa, removê-lo através de lavagem do ouvido ou
com pinças, prescrever gotas otológicas, se necessário.
D) Imobilizar o inseto com solução oleosa e prescrever gotas otológicas.
E) Imobilizar o inseto com solução ácida, removê-lo através de lavagem do ouvido ou
com pinça jacaré, prescrever gotas otológicas se necessário.

7. (Pref. de Tucuruí/PA, 2006) Na epistaxe, o tamponamento nasal posterior está


indicado quando o:
I- Tamponamento nasal anterior não foi satisfatório.
II- Sangramento nasal posterior é visualizado.
III- Paciente é cardíaco.
IV- Paciente não quer ser operado.
Estão corretas somente as assertivas:
A) I e II;
B) I, III e IV;
C) I e IV;
D) III e IV.

8. Com relação às urgências em otorrinolaringologia, assinale a alternativa correta:


A) Na otite externa aguda, a principal queixa do paciente é otalgia e o principal
tratamento é antibioticoterapia sistêmica e analgesia.
B) Na presença de qualquer corpo estranho inerte no ouvido (grão de feijão, algodão,
conta de colar, esponja, ponta de lápis), a conduta de primeira escolha é sua remoção
através de lavagem com soro fisiológico, pela facilidade e disponibilidade nos serviços
de assistência médica.
C) O tratamento da miíase no ouvido é feito com lavagem e remoção instrumental das
larvas, com boa resposta, não precisando de medicação na maioria dos casos.
D) A maioria dos casos de epistaxe requerem apenas medidas simples, como repouso,
decúbito elevado, compressão digital ou descongestionante tópico nasal.

9. Em relação ao papiloma invertido, assinale a alternativa falsa:


A) É mais frequentemente encontrado na região do meato médio.
B) Tem pico de incidência na infância.
C) Existe predomínio do sexo masculino (3:1).
D) Existe relação conhecida com neoplasia maligna.
E) O tratamento é cirúrgico.

10. Qual o sintoma inicial mais comum nos tumores nasais?


A) Epistaxe;
B) Rinorreia unilateral;
C) Obstrução nasal;
D) Febre de origem indeterminada.

11. MSC, 16 anos, sexo masculino, procedente de Açailândia-MA, apresenta quadro de


obstrução nasal pior à esquerda, rinorreia e episódios de epistaxe. Ao exame físico,
apresenta uma massa ocupando a fossa nasal esquerda de coloração rosada. Em relação
a este caso:
( ) Deve-se realizar uma biópsia para identificar o tipo histológico do tumor e
posteriormente programar o tratamento definitivo.
( ) Este quadro é sugestivo de papiloma invertido e o tratamento é essencialmente
cirúrgico.
( ) Deve-se considerar como principal hipótese o angiofibroma e realizar tomografia. A
presença de um tumor com alargamento da fossa pterigomaxilar e alta captação de
contraste reforçaria o diagnóstico.
( ) O rabdomiossarcoma é o tumor mais prevalente nesta faixa etária e deve ser
considerado como primeira hipótese.

V,V,F,F
F,V,V,F
F,F,V,F
V,F,F,V

13. (UnB, CESPE-2002) - O principal critério para a indicação de uso de tubo de


ventilação é a:
A. Efusão no ouvido médio por mais de três meses, apesar de tratamento com
antibióticos.
B. História de três otites médias agudas em um ano.
C. Perda auditiva neurossensorial progressiva de origem desconhecida.
D. Cultura positiva para Haemophilus influenza de secreção aspirada do ouvido médio.
E. Efusão no ouvido médio imediatamente após dez dias de tratamento clínico.

14. (Prefeitura Sta. Mª – RS) Sobre a otite média serosa na criança é correto afirmar,
EXCETO:
A) Usualmente é bilateral.
B) Cursa com diminuição da audição.
C) Não é comum o aumento da temperatura axilar acima de 37,5º C.
D) Dificuldade respiratória, roncos e respiração bucal são relatos frequentes dos pais.
E) A otorreia normalmente aumenta com a entrada de água nos condutos auditivos
externos.

15. Qual das alternativas abaixo reúne micro-organismos habitualmente causadores de


otite média aguda?
A) Moraxella catarrhalis, Pseudomonas aeruginosa, Stphyfilococcus aureus;
B) Moraxella catarrhalis, Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenza;
C) Streptococcus pyogenes, Moraxella catarrhalis, Haemophilus influenza;
D) Streptococcus pneumoniae, Moraxella catarrhalis, Streptococcus pyogenes;
E) Streptococcus pneumoniae, Moraxella catarrhalis, Staphyfilococcus aureus.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ANATOMOFISIOLOGIA DA AUDIÇÃO, OTITES MÉDIAS CRÔNICAS


SUPURATIVAS, DISACUSIAS, VESTIBULOPATIAS PERIFÉRICAS,
LARINGITES AGUDAS E CRÔNICAS, TUMORES DE LARINGE, SAOS –
SUPERIORMENTE ENCONTRA-SE QUESTÕES DE
1 - ANATOFISIOLOGIA DA AUDIÇÃO, NASOSSINUSAL, DA LARINGE, DA
FARINGE
2 – OTITES MÉDIAS AGUDAS
3 – OTITES MÉDIAS CRÔNICAS
4 – DISACUSAS
5 – LABIRINTOPATIAS
6 – FARINGOTONSILITES
7 – LARINGITES
8 – TUMORES NASOSSINUSAIS
9 – RINOSSINUSITES
10 – URGÊNCIAS EM ORL

1. Em um paciente com otite média crônica, com perfuração da membrana timpânica e


erosão da cadeia ossicular, acontece prejuízo de quais mecanismos de amplificação
sonora? Descreva estes mecanismos.

2. Dona Maria, 70 anos, apresenta quadro de perda auditiva bilateral progressiva há 5


anos. Ela foi ao otorrinolaringologista e recebeu o diagnóstico de presbiacusia.
Considerando que nesta doença observa-se uma perda principalmente nas frequências
mais agudas e, principalmente por lesão nas células ciliadas externas, discorra sobre as
seguintes questões: qual a região da cóclea mais atingida? Quais as funções principais
das células ciliadas externas? Descreva na resposta a teoria da cóclea ativa.

3. Discorra sobre a classificação das disfonias primárias e secundárias. Cite pelo menos
03 exemplos de cada.

4. Assinale a alternativa incorreta:


A) Sulco vocal é uma fenda ou depressão longitudinal uni ou bilateral de pregas vocais.]
B) Dependendo do tamanho do cisto dermóide e grau da disfonia, o seu tratamento pode
ser fonoterapia, cirurgia (exérese da lesão) ou ambas.
C) O microdiafragma ou membrana laríngea corresponde a uma pequena sinéquia em
forma de membrana com 1 ou 2 mm de extensão, geralmente na região posterior da
prega vocal.
D) A vasculodisgenesia corresponde a capilares ingurgitados e de trajetória tortuosa,
paralela ou perpendicular à borda livre.
E) O tratamento do granuloma vocal deve iniciar com tratamento clínico com aplicação
de corticosteróides em spray, controle do refluxo faringolaríngeo e fonoterapia. Cirurgia
nos casos persistentes. A aplicação de toxina botulínica na prega vocal ipsilateral pode
ser uma opção.

5. Em relação ao papiloma fungiforme nasal, assinale a alternativa incorreta:


A) Aspecto de verruga vulgar com projeções digitiformes.
B) Progride para tumor maligno.
C) Geralmente assintomático ou oligossintomático.
D) Tratamento cirúrgico do local de implantação.
E) Tem sua origem quase exclusiva no septo nasal anterior.

6. Nos tumores subglóticos, o diagnóstico é:


A) Precoce, sendo o primeiro sintoma dispneia.
B) Precoce, sendo o primeiro sintoma a disfonia.
C) Tardio, sendo o primeiro sintoma a disfagia.
D) Tardio, sendo o primeiro sintoma a dispneia.
E) Tardio, sendo o primeiro sintoma a disfonia.

7. Assinale a alternativa incorreta:


A) A intubação prévia pode resultar em formação de granuloma, insuficiência fonatória
pós-intubação e paresia nas pregas vocais.
B) O refluxo laringofaríngeo tem sido implicado na patogênese da laringite aguda e
crônica, lesões benignas nas pregas vocais e disfonia de tensão muscular.
C) O estresse psicológico e outros problemas emocionais foram associados ao
desenvolvimento de rouquidão.
D) Várias condições neurológicas são conhecidas por resultar em rouquidão, como
Doença de Parkinson, tremor essencial, lesões no tronco encefálico e acidente vascular
cerebral (AVC).
E) O uso abuso e incorreto da voz é a principal causa do desenvolvimento de uma
disfonia primária. – PARECE QUE É A LETRA E.

8. Em relação à otosclerose, todas as afirmativas estão corretas, exceto:


A) É mais comum em indivíduos caucasianos.
B) Em geral, quanto mais cedo o desenvolvimento da doença, mais reservado o
prognóstico.
C) A perda auditiva é lentamente progressiva e pode evoluir para o acometimento dos
dois ouvidos.
D) Na maioria dos pacientes portadores de otosclerose, os focos de otosclerose podem
acometer a janela oval e o estribo, causando hipoacusia condutiva. Em 35%, a cóclea
está acometida isoladamente (hipoacusia sensorial pura) e em 15% ocorre uma
hipoacusia mista.
E) O sinal de Schwartze é um achado sugestivo, porém encontrado somente em pequena
parcela dos pacientes.

9. Assinale a alternativa correta:


I – Pólipos vocais são lesões de massa, benignas, unilaterais, sésseis ou pediculados,
mais usualmente na metade anterior da prega vocal.
II – Edema de Reinke tem frequente associação ao uso intensivo da voz, abusos vocais
variados e tabagismo.
III – A leucoplasia é uma lesão de aspecto proliferativo, caracterizado por um
crescimento benigno de tecido de granulação hipertrófico.
A) Alternativas I e II corretas;
B) Alterativas I, II e III corretas;
C) Alternativas II e III corretas;
D) Alternativas I e III corretas;
E) N.D.A

10. Assinale a alternativa incorreta sobre epistaxe:


A) A epistaxe superior está relacionada às artérias etmoidais e oftálmicas.
B) A epistaxe posterior está relacionada a ramos nasais da artéria maxilar.
C) A artéria maxilar é oriunda da artéria carótida interna.
D) A artéria maxilar emite os ramos nasal lateral posterior e nasosseptal.

11. Paciente AHM, sexo masculino, 58 anos, com queixa de cefaleia, epistaxe e
obstrução nasal há 2 meses, sendo tratado 3 vezes com antibiótico + corticóide sem
melhora. Evoluiu com abaulamento facial, proptose e confusão mental. Foi realizada
Tomografia computadorizada que evidenciou erosão da placa cribiforme e lâmina
papirácea, tendendo a invadir cavidade craniana e orbitaria. Qual provável diagnóstico
e próximo passo:
A) Mucocele – Biópsia;
B) Estesioneuoblastoma – Radioterapia;
C) Estesioneuroblastoma - Biópsia;
D) Nasoangiofibroma – Cirurgia.

12. Em relação ao nasoangiofibroma juvenil, assinale a incorreta:


A) Tumor histologicamente maligno;
B) Mais frequente em adolescentes do sexo masculino;
C) Origem na parede látero-posterior nasal com inserção na região do forame da artéria
esfenopalatina;
D) Ricamente vascularizado, invadindo estruturas adjacentes.

13. Em relação ao diagnóstico do câncer de laringe, assinale a correta:


A) Tumores glóticos cursam com disfonia, sendo dispneia e disfagia sintomas muito
raros, mesmo em tumores avançados.
B) Tumores supraglóticos cursam com disfagia ou odinofagia, sem alterações vocais
inicialmente.
C) Mutações no gene p53 estão presentes em menos de 50% dos carcinomas
espinocelulares de laringe.
D) Linfonodos metastáticos estão presentes em cerca de 10% dos casos no momento do
diagnóstico.

14. Em relação às afirmações abaixo sobre supraglotite, assinale a correta:


I) Envolve epiglote, aritenóides e pregas ariepiglóticas.
II) A faixa etária mais acometida é de 3 a 8 anos.
III) Doença comum após vacinação.
IV) Na criança, ocorre quadro insidioso, evoluindo com febre, odinofagia e angústia
respiratória.
V) Na criança, pode ocorrer estridor expiratório na posição sentada, pescoço alongado e
boca aberta.
A) Todas estão corretas;
B) I, III, IV estão corretas;
C) I e II estão corretas;
d) II , IV e V estão corretas.

15. O carcinoma espinocelular de seios paranasais é mais comum no seio:


A) Frontal;
B) Etmoidal posterior;
C) Etmoidal anterior;
D) Maxilar.

16. Nos papilomas invertidos:


A) O sintoma mais comum é a obstrução nasal unilateral, seguida de epistaxe e
anosmia.
B) A ressonância magnética é o exame mais importante no diagnóstico e na terapêutica.
C) A malignização ocorre em menos de 5% dos casos.
D) A cirurgia endoscópica deve ser evitada na terapêutica.
E) É mais comum em homens na 5ª década de vida.

17. Paciente de sexo masculino, 2 anos, acorda à noite com tosse, dispneia, estridor
inspiratório e disfonia. A mãe relata que a criança estava bem ao ir dormir, sem
nenhuma das queixas acima. Sobre este quadro clínico, podemos afirmar:
A) A recidiva do quadro é pouco comum no mesmo dia ou dias subsequentes.
B) A resolução costuma ser rápida e espontânea.
C) Na grande maioria das vezes é necessária a introdução de antibióticos para evitar a
recidiva do quadro.
D) Tratamento profilático pode ser feito com anti-histamínicos por período prolongado.
E) A principal é etiologia viral.

18. Paciente com artrite reumatoide, em uso de prednisona 80mg/dia, procura pronto
socorro de otorrinolaringologia devido à dispneia progressiva há 1 semana. Nega
disfonia e tosse. Não sabe referir febre. Relata piora da dispneia aos esforços físicos e
está francamente dispneico. À fibroscopia, nota-se paralisia de prega vocal bilateral. A
melhor conduta é:
A) Pulso de dexametasona;
B) Introdução de metotrexato;
C) Traqueostomia;
D) Cordotomia posterior unilateral;
E) Cordotomia posterior bilateral.

19. Discorra sobre os cornetos nasais e seus meatos (Localização, importância, função,
etc.).

20. Descreva como ocorre o aquecimento, a umidificação e a purificação do ar inspirado


na cavidade nasal. Qual a importância dessas funções?

21. MWG, 20 anos, técnica de manutenção de aeroportuária, apresentou quadro de


perda auditiva bilateral súbita após passar pela pista de decolagem do aeroporto sem uso
de protetor auricular ontem. Ela foi ao otorrinolaringologista e recebeu o diagnóstico de
trauma acústico. Considerando que nesta doença observa-se uma perda principalmente
nas frequências agudas, principalmente entre 3-6KHz, inicialmente por lesão nas células
ciliadas externas, discorra sobre as seguintes questões: qual a região da cóclea mais
atingida? Quais são as funções principais das células ciliadas externas? Descreva na
resposta a teoria da cóclea ativa.

22. Em um paciente com otite média crônica, com perfuração da membrana timpânica e
erosão da cadeia ossicular, acontece prejuízo de quais mecanismos de amplificação
sonora? Descreva estes mecanismos.

23. J.M.V, 22 anos, apresenta quadro de coriza, espirros, obstrução nasal e prurido
frequentes, pelo menos uns quatro dias por semana e que atrapalham seus estudos na
faculdade e o sono. Tem teste cutâneo-alérgico positivo para ácaros e fungos como
reator forte. O quadro teve início ainda na infância e ele tem irmãos e pais com o
mesmo problema. Sugira as opções de tratamento para este paciente.

24. Qual é o diagnóstico desse paciente da questão anterior? Discorra sobre o


diagnóstico diferencial desse caso.

25. Paciente do sexo masculino, 55 anos, tabagista, com história de sensação de corpo
estranho e disfagia há 3 meses. No exame físico, foi identificado linfonodo aumentado
de tamanho e endurecido em cadeia jugulocarotídea direita. Exame de
videolaringoscopia mostrou presença de lesão úlcero-vegetante na laringe.

Qual a provável localização da lesão na laringe? Qual o diagnóstico mais provável?


Quais exames são necessários para a investigação e confirmação diagnóstica? Qual a
principal forma de tratamento?

26. Paciente do sexo feminino, 40 anos, com história de disfonia com voz soprosa, tosse
fraca e engasgos com alimentos há cerca de 2 meses. Apresentou 2 pneumonias nesse
período. Videolaringoscopia mostrou imobilidade de prega vocal esquerda em posição
lateral, com estase salivar em recesso piriforme esquerdo e valécula.

Como proceder na investigação diagnóstica? Qual o topodiagnóstico mais provável?


Explique por que a paralisia de prega vocal é mais frequente no lado esquerdo.

27. Paciente do sexo masculino, 45 anos, agricultor, etilista crônico, refere disfonia
progressiva há 5 meses. Apresenta lesão exofítica em prega vocal direita na
videolaringoscopia. Cite 4 diagnósticos diferenciais. Cite 4 exames importantes para a
investigação diagnóstica.

28. Discorra sobre a divisão interna da laringe e suas particularidades em relação à


vascularização linfática.
.

3. Paciente do sexo feminino, 50 anos, traz em consulta laringoscopia indireta


mostrando paralisia de prega vocal esquerda em posição lateral.
A) Quais sinais e sintomas devem ser pesquisados na anamnese?
B) Cite 5 causas de paralisia de prega vocal.
C) Como proceder na investigação do diagnóstico etiológico?
30. JVC, sexo masculino, 61 anos, tabagista, com história de disfonia persistente há 4
meses. Há 3 semanas, refere dispneia e estridor ao fazer esforço físico ou em decúbito
dorsal, evoluindo com piora há 24 horas, dando entrada no Hospital de Urgência de
Teresina (HUT). Ao exame, apresenta-se com estridor de repouso, tiragem intercostal e
cianose de extremidades. Foi indicado entubação orotraqueal, mas, ao colocar o
laringoscópio, observou-se lesão úlcero-vegetante obstruindo a laringe.
A) Qual a conduta nesse momento?
B) Com base na história clínica e exame físico, qual a provável localização da lesão na
laringe?
C) Cite 5 exames complementares essenciais para a posterior investigação e definição
do diagnóstico desta lesão.
D) Qual o tratamento definitivo?

31. Explique porque os tumores nasossinusais geralmente são diagnosticados


tardiamente.

32. Marque V (verdadeiro) ou F (falso) para as seguintes afirmativas:


( ) O papiloma invertido é um tumor benigno, com boa resposta à excisão cirúrgica e
baixa tendência à recorrência.
( ) As mucoceles são formações císticas benignas, mais comuns no seio maxilar,
muitas vezes achados ocasionais de RX de seios da face. Geralmente sem
sintomatologia, podem ser acompanhadas clinicamente.
( ) A tríade epistaxe de repetição, obstrução nasal unilateral (presente em 80-90% dos
casos) e massa em rinofaringe, em indivíduo jovem do sexo masculino, é sugestiva de
nasoangiofibroma juvenil.
( ) A biópsia de uma massa nasossinusal está contra-indicada na suspeita de tumores
vasculares e encefalocele. Quando indicada, sempre deve ser feito exame de imagem
antes do procedimento, e, para reduzir o risco de sangramento, a biópsia deve retirar
uma quantidade pequena de tecido tumoral, longe das áreas mais vascularizadas.

33. Considerando a fisiologia da laringe, discorra sobre a teoria do corpo e cobertura de


Hirano e sobre o efeito de Bernoulli: (1,0).

34. Marque a alternativa incorreta em relação à anatomia e fisiologia da laringe (0,5).


A) O nervo laríngeo inferior ou recorrente (ramo do nervo vago) inerva todos os
músculos intrínsecos da laringe, exceto o cricotireóideo, que é inervado pelo laríngeo
superior.
B) A prega vocal é constituída por elementos que lhe conferem uma estrutura dupla: um
corpo e uma cobertura. O corpo é formado pelo músculo vocal, que pode ser
considerado rígido
no momento da fonação.
C) A cobertura é a mucosa da prega vocal, formada pelo epitélio e pela camada
superficial da lâmina própria (espaço de Reinke). Como são firmemente conectados ao
ligamento e músculo vocal, apresentam pouca elasticidade e importante característica
vibratória.
D) A transição é formada pelas camadas intermediária e profunda da lâmina própria (ou
ligamento vocal).
E) O nervo laríngeo superior, após originar-se no nervo vago, divide-se nos ramos
interno e externo. O ramo externo é motor, e inerva o músculo cricotireóideo.

35. Em relação à fonação (0,5):


I. Para manter um corpo em vibração, duas forças antagônicas (trabalhando em direções
opostas) devem agir alternadamente. Para vibração das pregas vocais estas são as forças
de abertura, decorrente da pressão subglótica, e de fechamento, proveniente da
elasticidade da prega vocal e do efeito Bernoulli.
II. De acordo com a teoria de Bernoulli, a velocidade do fluxo é alta em uma região de
estreitamento, criando queda de pressão perpendicular à parede dessa região.
III. Os músculos adutores (aproximam as pregas vocais) são: os cricoaritenóideos
posteriores, os interaritenóideos e o músculo tireoaritenóideo

A) I e II corretas
B) Somente I correta
C) I e III corretas
D) II e III corretas
E) I, II e III corretas

36. Marque a alternativa incorreta (0,5)


A) Nas DISFONIAS ORGÂNICAS PRIMÁRIAS, o distúrbio independe do uso
indevido da voz.
B) Nas DISFONIAS ORGÂNICAS SECUNDÁRIAS, o distúrbio vocal ocorre na
ausência de alterações orgânicas significativas.
C) Nódulos vocais são lesões de massa, benignas, bilaterais, de característica
esbranquiçada ou levemente avermelhada.
D) Geralmente, os nódulos vocais se desenvolvem na região anterior das pregas vocais.
E) Nódulos vocais são mais comuns em mulheres jovens adultas (25 a 35 anos) e
também em crianças de ambos os sexos.

37. Marque a alternativa correta (0,5).


I Pólipos vocais são lesões de massa, benignas, unilaterais, sésseis ou pediculados, mais
usualmente na metade anterior da prega vocal.
II Edema de Reinke tem freqüente associação de uso intensivo da voz, abusos vocais
variados e tabagismo
III - A Leucoplasia é uma lesão de aspecto proliferativo, caracterizado por um
crescimento benigno de tecido de granulação hipertrófico.
A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Alternativas I e III corretas.
E) N.d.a

38. Cite 4 causas de disfonia orgânica primária (1,0).

39. AMB, 6 anos de idade, sexo masculino, acordou com febre, tosse rouca, estridor e
dispneia. Segundo sua mãe, o mesmo estava com “resfriado”. Qual o diagnóstico e o
tratamento?

40. MRL, sexo feminino, 8 anos de idade, refere diminuição da audição e episódios
frequentes de secreção purulenta pela orelha direita desde os 4 anos de idade,
melhorando com limpeza e uso de medicamento tópico auricular e, às vezes,
descongestionante nasal e antibiótico sistêmicos, mas recidiva ao banhar de piscina e
ao ficar com “resfriado”. Segundo sua mãe, começou após uma “gripe”. Qual o
diagnóstico e o tratamento?

41. Paciente de 60 anos de idade procurou um serviço de otorrinolaringologia (ORL)


com queixas de odinofagia e febre há 4 dias. No exame ORL de rotina, foi constatado
que o mesmo apresentava perfuração central da membrana timpânica à direita, com
ausência de otorreia e sem queixas otológicas. Qual a sua conduta em relação à
perfuração timpânica? Explique.

42. OMS, 35 anos, sexo masculino, procurou o atendimento em pronto atendimento


devido a um quadro de rinorreia, cefaleia, obstrução nasal e febre ha 5 dias. Nega
episódios anteriores. O medico do PA pediu um rx de seios paranasais que mostrou
velamento dos seios maxilares e lesão radiopaca em topografia de seio frontal, com
limites bem definidos. Discorra sobre o diagnostico e conduta neste caso (1,0).

43. Discorra sobre a divisão interna da laringe e suas particularidades em relação à


vascularização linfática.

44. Marque a alternativa incorreta em relação à anatomia e fisiologia da laringe.


A) O nervo laríngeo inferior ou recorrente (ramo do nervo vago) inerva todos os
músculos intrínsecos da laringe, exceto o cricotireóideo, que é inervado pelo
laríngeo superior.
B) A prega vocal é constituída por elementos que lhe conferem uma estrutura dupla:
um corpo e uma cobertura. O corpo é formado pelo músculo vocal, que pode ser
considerado rígido no momento da fonação.
C) A cobertura é a mucosa da prega vocal, formada pelo epitélio e pela camada
superficial da lâmina própria (espaço de Reinke). Como são firmemente
conectados ao ligamento e músculo vocal, apresentam pouca elasticidade e
importante característica vibratória.
D) A transição é formada pelas camadas intermediária e profunda da lâmina própria
(ou ligamento vocal).
E) O nervo laríngeo superior, após originar-se no nervo vago, divide-se nos ramos
interno e externo. O ramo externo é motor, e inerva o músculo cricotireóideo.

45. Em relação à fonação:


I. Para manter um corpo em vibração, duas forças antagônicas (trabalhando em
direções opostas) devem agir alternadamente. Para vibração das pregas vocais
estas são as forças de abertura, decorrente da pressão subglótica, e de fechamento,
proveniente da elasticidade da prega vocal e do efeito Bernoulli.
II. De acordo com a teoria de Bernoulli, a velocidade do fluxo é alta em uma região
de estreitamento, criando queda de pressão perpendicular à parede dessa região.
III. Os músculos adutores (aproximam as pregas vocais) são: os cricoaritenóideos
posteriores, os interaritenóideos e o músculo tireoaritenóideo
A. I e II corretas
B. Somente I correta
C. I e III corretas
D. II e III corretas
E. I, II e III corretas

46. Paciente do sexo masculino, 53 anos, agricultor, etilista crônico, refere tosse seca e
disfonia progressiva, há 7 meses. Apresenta lesão infiltrativa e ulceração acometendo a
prega vocal direita na videolaringoscopia.
A) Cite 5 diagnósticos diferenciais.
B) Descreva como deve ser feita a investigação diagnóstica (anamnese, exame físico e
exames complementares).
8. MSS, sexo masculino, 66 anos, relata odinofagia e sensação de corpo estranho na
garganta há cerca de 5 meses. Evolui com disfonia, voz abafada, disfagia para sólidos e
otalgia à esquerda há 2 meses.
Exame físico - Oroscopia: sem alterações; Rinoscopia anterior: sem alterações;
Otoscopia: sem alterações; Laringoscopia indireta com espelho de Garcia: lesão
vegetante em laringe; Palpação cervical: linfonodos aumentados de tamanho e
endurecidos em níveis II e III bilateralmente, perda da crepitação laríngea.
A) Qual a hipótese diagnóstica e qual a provável localização da lesão na laringe?
B) Cite 4 fatores de risco associados a essa patologia.
C) Quais exames estão indicados para a investigação e confirmação diagnóstica?
D) Qual o tratamento?

47. Sobre os nódulos vocais, é incorreto afirmar que:


A) Resultam de trauma contínuo sobre a mucosa das pregas vocais decorrente de abuso
ou uso incorreto da voz.
B) São lesões bilaterais.
C) São sempre tratadas com fonoterapia.
D) São mais comuns em mulheres e crianças devido a menor proporção glótica e menor
quantidade de ácido hialurônico no espaço de Reinke destes pacientes.
E) Estão associados a fenda médio-posterior

48. Sobre pólipos vocais, é incorreto afirmar que:


A) Caracterizam-se por massas pedunculadas ou, menos comumente, lesões sésseis,
unilaterais em 90% dos casos, aparecendo na borda livre das CCVV geralmente no terço
posterior.
B) Não há predileção sexual e ocorrem em qualquer faixa etária, porém são raros em
crianças
C) As mulheres tabagistas com algum componente de abuso vocal têm sido apontadas
como um grupo de maior prevalência de pólipos ou degeneração polipóide.
D) Dividem-se em dois principais grupos: pólipos mucosos (gelatinosos ou fibróticos) e
angiomatosos.
E) Os pólipos mucosos resultam de processo inflamatório crônico levando ao acúmulo
de líquido na camada submucosa do conectivo frouxo, conhecido como espaço de
Reinke.

49. Discorra sobre as diferenças entre a laringe do adulto e da criança.

50. A.S.S, sexo masculino, 4 anos, pardo, natural e procedente de Teresina


QP: Dificuldade para respirar
HDA: Há 1 dia, a mãe refere que seu filho apresenta febre de 39º, que cede com uso de
dipirona, mas retorna rapidamente, sendo necessário alternar com ibuprofeno. Além
disso, refere dor e dificuldade para se alimentar. Hoje, evolui com dispneia e voz
abafada.
Antecedente patológico: Criança atópica
Antecedente familiar: Pai tabagista
EXAME FÍSICO:
Regular estado geral, febre 39.5º, dispneica, sudoreica, hipocorada (3+/4+), estridor
inspiratório.
Encontra-se com o tronco arqueado para frente, boca aberta e com sialorreia.
Em relação ao caso acima, descreva a principal hipótese diagnóstica, o agente etiológico
e qual a conduta a ser tomada.

51. Homem de 38 anos, natural e procedente de Barra do Corda-MA, refere história de


disfonia persistente há 3 meses, com períodos de piora, associado à queixa de tosse
seca. Há cerca de 2 semanas, começou a apresentar disfagia para alimentos sólidos e
leve odinofagia. Nega dispneia.
Ex-tabagista, parou de fumar há 2 anos. Trabalha na zona rural. Realizou exame de
videolaringoscopia, que mostrou a presença de edema e hiperemia difusa da laringe,
além de lesão exofítica em supraglote.
I. Descreva 3 diagnósticos diferenciais.
II. Qual exame necessário para fechar o diagnóstico?
III. Quais as sequelas possíveis?
2. Marque a alternativa correta.
I. I. As células envolvidas na fase tardia da reação de hipersensibilidade da rinite alérgica
são mastócitos e basofilos, promovendo a produção de grande quantidade de IgE e
liberação de mediadores pré-formados, como a histamina e prostaglandinas.
1. A RENA (rinite eosinofílica não-alérgica) está frequentemente associada a quadros de
asma, polipose nasal e hipersensibilidade à aspirina.
2. A rinite alérgica pode aparecer em qualquer idade, mas na maioria dos casos os
sintomas se iniciam após a terceira década de vida.
II.
k. Alternativas I e II corretas.
l. Alternativas I, II e III corretas.
m. Alternativas II e III corretas.
n. Alternativas I e III corretas.
o. Nda
p.

53. Marque a alternativa incorreta


a. A otosclerose é uma doença de carater hereditário com aparecimento tardio, geralmente
entre 30 e 40 anos de idade.
b. A presbiacusia geralmente aparece após os 50 anos de idade, tornando-se mais prevalente
conforme o aumento da faixa etária da população, apresentando uma tendência a perda
auditiva unilateral.
c. A disfunção da tuba auditiva definida como extrínseca é resultado de aumento da pressão
extramural, como compressão peritubal secundária a tumor ou adenóide.
d. A PAIR (perda auditiva induzida por ruído) é neurossensorial, quase sempre bilateral e
com grande tendência a estabilizar após cessada a exposição ao ruído.
e. Defini-se como surdez súbita a perda auditiva de mais de 10dB em pelo menos 3
frequências, que se instala em um prazo de até 3 dias.

.
55. Marque a alternativa correta.
I. o ouvido humano é sensível somente aos sons cuja faixa de frequências situa-se entre 20 e
20.000 Hz, denominada faixa audível.
II. A surdez súbita é caracterizada pela perda de 30dB ou mais em três frequências em até 03
dias de evolução.
III. Mais de 130 medicamentos disponíveis comercialmente apresentam efeitos ototóxicos. Por
este motivo, quando prescrevemos antibióticos, devemos sempre que possível, evitar os
fármacos da classe dos macrolídeos, dando preferência ao uso de beta-lactâmicos e
aminoglicosídeos.

a. Alternativas I e II corretas.
b. Alternativas I, II e III corretas.
c. Alternativas II e III corretas.
d. Alternativas I e III corretas.
e. Somente alternativa I correta.

56. São características da PAIR, exceto:


k. PAIR é neurossensorial.
l. Quase sempre bilateral.
m. Instalada, é irreversível.
n. Observa-se estabilização da perda auditiva após cessada a exposição.
o. Perda auditiva característica ocorre entre 500 e 2000 Hz, principalmente em 1000 Hz
(entalhe ou gota acústica).

57. Em relação ao cânce de laringe,


I - Quanto ao SEXO, ocorre com maior freqüência em homens de meia idade , em torno
de 5:1
II - Acredita-se que o câncer glótico represente cerca de 55 a 80% dos tumores,
enquanto o subglótico ocupa a faixa em torno de 15 a 50%, sendo que o supraglótico,
um tumor bem menos freqüente, varia ao redor de 1 a 5%.
III- O tipo mais frequente de tumor MALIGNO é o carcinoma epidermóide (CEC), que
na laringe responde sozinho por mais de 90% dos tumores laríngeos.
a. Alternativas I e II corretas.
b. Alternativas I, II e III corretas.
c. Alternativas II e III corretas.
d. Alternativas I e III corretas.
e. Somente alternativa I correta.

58. A respeito da fisiologia nasal, marque a alternativa correta:


a) O clearance mucociliar é extremamente importante e baseia-se na teoria das duas camadas de
muco: a mais externa, em contato com a fossa nasal, de maior fluidez; e a mais interna, em
contato com os cílios, de menor fluidez.
b) O batimento ciliar e o sistema muco ciliar retém as partículas inaladas e as transportam em
direção a região anterior das fossas nasais, rumo ao septo caudal.
c) Os seios paranasais ditos posteriores, etmóide posterior e esfenóide, drenam para o meato
superior em direção ao recesso esfeno-etmoidal, fazendo parte da segunda via de drenagem.
d) A olfação é realizada nas regiões mais posteriores do nariz, principalmente no etmóide
posterior e esfenóide, motivo pelo qual a hiposmia pode se instalar após a sinusectomia dos
seios nasais posteriores.
e) O fluxo aéreo é controlado pelo tônus dos tecidos eréteis da mucosa nasal, e o corneto
superior é a principal estrutura no controle desse fluxo.
59. M.F.S, 60 anos, sexo masculino, auxiliar de escritório, evolui há 5 semanas com
rouquidão. Ele relaciona o início do quadro a abuso vocal em uma festa. Nega outras
queixas.
AF: n.d.n AP: tabagismo ½ maço / dia há 40 anos.
Oto: ndn RA: ndn orosc: ndn
Qual a conduta inicial neste caso?
f) Prescrever antinflamatórios não-hormonais por 7 dias, hidratação e repouso vocal.
g) Tomografia computadorizada de pescoço com e sem contraste para afastar a hipótese de
neoplasias cervicais.
h) Vídeo-laringoscopia é fundamental neste caso.
i) Bloqueador de bomba de prótons (omeprazol, pantoprazol, etc) devido a alta probabilidade
de laringite por refluxo gastro-esofágico, com reavaliação em 2 meses.
j) Rx cervical para avaliar a coluna aérea e investigar sinais de estreitamento laríngeo, como
o sinal do polegar e da torre de igreja.

III.
60. Assinale a alternativa correta
VII. Devido à rica drenagem linfática, os cânceres glóticos apresentam metástase cervical
precoce.
VIII. A rouquidão geralmente é o primeiro sintoma no câncer glótico.
IX. A principal manifestação dos tumores subglóticos é a obstrução das vias aéreas com
dispnéia e estridor expiratório.

f. Alternativas I e II corretas.
g. Alternativas I, II e III corretas.
h. Alternativas II e III corretas.
i. Alternativas I e III corretas.
j. N.d.a

61. assinale a alternativa incorreta


IV. Pólipos são lesões benignas comuns da laringe e caracterizam-se por massas
pedunculadas ou, menos comumente, lesões sésseis, unilaterais em 90% dos casos
V. Os pólipos não apresentam predileção sexual e ocorrem em qualquer faixa etária, porém
são mais comuns em crianças
VI. Fonoterapia pré-operatória está indicada para ensinar higiene vocal ao paciente portador
de pólipo vocal e a microcirurgia de laringe é o tratamento de escolha.
VII. O principal tensor é o músculo cricotireóide, que é inervado pelo n. laringeo superior.
VIII. O único músculo abdutor da prega vocal é o cricoaritenóide posterior.
IX.
62. Assinale a alternativa incorreta
X. A prega vocal é constituída por três camadas, a saber: mucosa, lâmina própria e
muscular
XI. Em adultos, trauma cirúrgico (cirurgia da tireóide, cardíaca, torácica, cervical e de
esôfago) tem sido apontada como principal causa de paralisia de prega vocal.
XII. Nódulos são protuberâncias bilaterais crônicas na extremidade livre e superfície inferior
das pregas vocais membranosas.
XIII. Os nódulos vocais são comuns em crianças da idade escolar. Diz -se que eles
constituem a causa de distúrbios da voz em até 80% das crianças. Eles são mais comuns
em meninos.
XIV. Nos adultos, os nódulos vocais são mais comuns em homens que em mulheres, devido à
maior proporção glótica.

Gabarito
64. (UFSC HU - Médico - Espec. Otorrinolaringologia 2009) Na apnéia do sono, é
CORRETO afirmar que:
A) O uso de álcool provoca uma redução seletiva na atividade do nervo hipoglosso.
B) Pacientes obesos sempre melhoram com a redução de peso.
C) Na polissonografia é considerada leve quando o IAH é 10-30.
D) A uvulopalatoplastia não está mais indicada como tratamento cirúrgico.
E) A polissonografia não está indicada.

68. Marque a alternativa incorreta


A) A otosclerose é uma doença de carater hereditário com aparecimento tardio,
geralmente entre 30 e 40 anos de idade.
B) A presbiacusia geralmente aparece após os 50 anos de idade, tornando-se mais
prevalente conforme o aumento da faixa etária da população, apresentando uma
tendência a perda auditiva unilateral.
C) A disfunção da tuba auditiva definida como extrínseca é resultado de aumento da
pressão extramural, como compressão peritubal secundária a tumor ou adenóide.
D) A PAIR (perda auditiva induzida por ruído) é neurossensorial, quase sempre bilateral
e com grande tendência a estabilizar após cessada a exposição ao ruído.
E) Defini-se como surdez súbita a perda auditiva de mais de 10dB em pelo menos 3
frequências, que se instala em um prazo de até 3 dias.

69. Marque a alternativa correta.


I. Segundo a teoria de von Békésy, há a formação de uma onda viajante, que se constitui
de movimentos oscilatórios da membrana basilar da base ao ápice. Na base da cóclea a
membrana basilar é propícia à vibração de sons agudos, enquanto que no ápice é mais
propícia à vibração de sons graves.
II. As Células ciliadas internas realizam um processo mecânico (eletromotilidade) ativo
de amplificação necessário para o bom funcionamento da cóclea.
III. A inervação aferente é composta dos neurônios tipo I (90-95%) que inervam as CCE
e pelos neurônios tipo II (5-10%), que inervam as CCI.

A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Alternativas I e III corretas.
E) Somente alternativa I correta.

70. Em relação ao câncer de laringe,


I - Quanto ao SEXO, ocorre com maior freqüência em homens de meia idade , em torno
de 5:1
II - Acredita-se que o câncer glótico represente cerca de 55 a 80% dos tumores,
enquanto o subglótico ocupa a faixa em torno de 15 a 50%, sendo que o supraglótico,
um tumor bem menos freqüente, varia ao redor de 1 a 5%.
III- O tipo mais frequente de tumor MALIGNO é o carcinoma epidermóide (CEC), que
na laringe responde sozinho por mais de 90% dos tumores laríngeos.

A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Alternativas I e III corretas.
E) Somente alternativa I correta.

71. Assinale a alternativa correta


I. Devido à rica drenagem linfática, os cânceres glóticos apresentam metástase cervical
precoce.
II. A rouquidão geralmente é o primeiro sintoma no câncer glótico.
III. A principal manifestação dos tumores subglóticos é a obstrução das vias aéreas
com dispnéia e estridor expiratório.

A) Alternativas I e II corretas.
B) Alternativas I, II e III corretas.
C) Alternativas II e III corretas.
D) Alternativas I e III corretas.
E) N.d.a

72. Assinale a alternativa incorreta


A) Pólipos são lesões benignas comuns da laringe e caracterizam-se por massas
pedunculadas ou,
menos comumente, lesões sésseis, unilaterais em 90% dos casos.
B) Os pólipos não apresentam predileção sexual e ocorrem em qualquer faixa etária,
porém são mais comuns em crianças.
C) Fonoterapia pré-operatória está indicada para ensinar higiene vocal ao paciente
portador de
pólipo vocal e a microcirurgia de laringe é o tratamento de escolha.
D) O principal tensor é o músculo cricotireóide, que é inervado pelo n. laringeo
superior.
E) O único músculo abdutor da prega vocal é o cricoaritenóide posterior.

73. Assinale a alternativa incorreta


A) A prega vocal é constituída por três camadas, a saber: mucosa, lâmina própria e muscular
B) Em adultos, trauma cirúrgico (cirurgia da tireóide, cardíaca, torácica, cervical e de esôfago)
tem sido apontada como principal causa de paralisia de prega vocal.
C) Nódulos são protuberâncias bilaterais crônicas na extremidade livre e superfície inferior das
pregas vocais membranosas.
D) Os nódulos vocais são comuns em crianças da idade escolar. Diz -se que eles constituem a
causa de distúrbios da voz em até 80% das crianças. Eles são mais comuns em meninos.
E) Nos adultos, os nódulos vocais são mais comuns em homens que em mulheres, devido à
maior proporção glótica.

74. AMSX, 20 anos de idade, refere hipoacusia e otorreia constante e fétida à direita
desde criança pequena (sic). A otorreia apresenta curto período de melhora com
medicamentos, mas sempre há um dor fétido no referido ouvido. Qual o diagnóstico?
Descreva o tratamento.

75. Descreva o quadro clínico da otite média crônica supurativa simples.

76. Avaliação de uma paciente do sexo feminino de 55 anos de idade, com queixas
frequentes de tontura nos últimos anos.
77. Cite e descreva uma sucinta etiopatogenia de cinco patologias que podem ocasionar
tontura rotatória (labirintopatia periférica).

78. Em relação ao diagnóstico do câncer de laringe, assinale a correta:


A) Tumores glóticos cursam com disfonia, sendo dispneia e disfagia sintomas muito
raros, mesmo em tumores avançados.
B) Tumores supraglóticos cursam com disfagia ou odinofagia, sem alterações vocais
inicialmente.
C) Mutações no gene p53 estão presentes em menos de 50% dos carcinomas
espinocelulares de laringe.
D) Linfonodos metastáticos estão presentes em cerca de 10% dos casos no momento do
diagnóstico.

79.. Assinale a alternativa incorreta sobre a paralisia do nervo laríngeo superior:


A) Mais rara devido a trajeto curto e mais distante da glândula tireóide.
B) Acarreta imobilidade das pregas vocais, com função de proteção preservada.
C) Fadiga vocal, com perda da tessitura aguda são queixas comuns.
D) Está indicado tratamento fonoterápico.

80. Com relação às urgências em Otorrinolaringologia, assinale a correta:


A) Rinorréia amarelada unilateral em crianças é sugestivo de rinossinusite aguda.
B) A origem das epistaxes é posterior nos jovens e anterior nos idosos.
C) Em crianças com bateria de relógio em fossa nasal, a melhor conduta é a internação,
antibiótico EV, corticóide EV e esperar 7 dias para diminuição do edema da mucosa,
facilitando a remoção da mesma.
D) O ATA (ácido tricloroacético) é utilizado para cauterização da mucosa nasal nas
epistaxes, quando é identificado o local do sangramento.

81. Com relação às urgências em Otorrinolaringologia, assinale a correta:


A) Na otite externa aguda, a principal queixa do paciente é otalgia e o principal
tratamento é antibioticoterapia sistêmica e analgesia.
B) Na presença de qualquer corpo estranho inerte no ouvido (grão de feijão, algodão,
conta de colar, esponja, ponta de lápis), a conduta de primeira escolha é sua remoção
através de lavagem com soro fisiológico, pela facilidade e disponibilidade nos serviços
de assistência médica.
C) O tratamento da miíase no ouvido é feito com lavagem e remoção instrumental das
larvas, com boa resposta, não precisando de medicação na maioria dos casos.
D) A maioria dos casos de epistaxe requerem apenas medidas simples, como repouso,
decúbito elevado, compressão digital ou descongestionante tópico nasal.

82. (UFSC - SEA/SAE 2007) Em relação à presbiacusia, assinalar a alternativa correta.


A) Hipoacusia sensório neural bilateral assimétrica.
B) Caracteriza-se por hipoacusia flutuante e má discriminação vocal.
C) Caracteriza-se inicialmente por alterações neurossensoriais retrococleares
importantes.
D) Ocorre por degeneração do órgão de Corti, iniciando pela espira basal.
E) Os pacientes não se beneficiam com as próteses auditivas.

83. Em relação à otosclerose, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO:


A) É mais comum em indivíduos brancos.
B) Em geral, quanto mais cedo o desenvolvimento da doença, mais reservado o
prognóstico.
C) A perda auditiva é lentamente progressiva e afeta, inicialmente, apenas um ouvido,
mas pode evoluir para o acometimento dos dois ouvidos.
D) Em 50% dos pacientes portadores de otosclerose, a cóclea está acometida
provocando uma perda auditiva sensorial.

84. Ao realizar os testes com diapasão, em um paciente com uma otite média crônica
simples em orelha esquerda, espera-se encontrar:
A) Rinne negativo à esquerda e Weber indiferente;
B) Rinne positivo à esquerda e Weber indiferente;
C) Rinne negativo à esquerda e Weber lateralizado para a esquerda;
D) Rinne positivo à esquerda e Weber lateralizado para a esquerda;
E) Rinne negativo à esquerda e Weber lateralizado para a direita.

85. Marque a alternativa incorreta:


A) A otite média com efusão pode ser associada a um declínio ou ausência de
mobilidade da membrana timpânica, caracterizando uma curva tipo B.
B) Até 2 anos de idade, tanto OMA quanto OME são unilaterais em sua maioria. Após
os 2 anos, a maioria dos episódios de OMA e OME é bilateral.
C) A disfunção da tuba auditiva definida como extrínseca é resultado de aumento da
pressão extramural, como compressão peritubal secundária a tumor ou adenóide.
D) A PAIR (perda auditiva induzida por ruído) é neurossensorial, quase sempre bilateral
e com tendência à estabilizar após cessada a exposição ao ruído.
E). Defini-se como surdez súbita a perda auditiva de mais de 10dB em pelo menos 3
frequências, que se instala em um prazo de até 3 dias.

86. Em relação ao papiloma invertido, assinale a alternativa falsa:


A) É mais frequentemente encontrado na região do meato médio.
B) Tem pico de incidência na infância.
C) Existe predomínio do sexo masculino (3:1).
D) Existe relação conhecida com neoplasia maligna.
E) O tratamento é cirúrgico.

87. Em relação à fisiologia nasossinusal, marque V (verdadeiro) ou F (falso):


(F) O muco nasal possui a fase SOL, camada mais externa e menos viscosa, e a fase
GEL, camada mais interna e de maior viscosidade, em contato íntimo com as células
ciliadas.
(V) Óstios acessórios podem estar presentes nos seios maxilares, mas geralmente têm
pouca importância, uma vez que grande parte do muco sai efetivamente pelo óstio
natural do seio maxilar.
(V) As forças de coesão e viscosidade do muco mantêm o transporte mucociliar mesmo
na presença de obstáculos nas mucosas nasais e paranasais, como corpos estranhos,
espículas ósseas e falhas na mucosa.
(F) O aquecimento do ar inspirado é feito pelo turbilhonamento do fluxo aéreo nasal,
permitindo que o ar adquira a temperatura corporal ao atingir o trato respiratório
inferior.
(V) O ciclo nasal se caracteriza pela alternância de períodos de maior resistência nasal
entre as fossas nasais, e está presente em cerca de 80% da população.
89. (INES - Médico - Espec. Otorrinolaringologia 2009) - Na síndrome da apneia
obstrutiva do sono é INCORRETO afirmar que:
A. O climatério aumenta a chance de ocorrência da apneia.
B. O hipotireoidismo aumenta a chance de ocorrência da apneia.
C. Acredita-se que com o aumentar da idade, o tônus da musculatura faríngea e lingual
está diminuído.
D. O uso do CPAP deve ser encorajado somente após insucesso cirúrgico.
E. A cefalometria é muito útil na investigação diagnóstica topográfica.

90. (IEPRO/Médico da Pref. De Caucaia-2009) - É um quadro sugestivo de angina de


Plaut-Vincent:
A. Celulite gangrenosa dos espaços sublingual e submandibular;
B. Presença de membranas branco-acinzentadas em amígdalas, pilares e úvula aderentes
à mucosa e que sangram ao se destacar;
C. Hiperemia bilateral de pilares e tonsilas palatinas, com presença de placas de pus em
amígdalas;
D. Processo supurativo agudo do tecido conjuntivo do espaço laterofaríngeo;
E. Disfagia dolorosa unilateral, com ulceração, necrose e odor fétido

91. (Prefeitura Municipal de Curitiba, 2009) - A dor de garganta é queixa prevalente em


crianças, sendo motivo de inúmeras consultas em atenção primária e em serviços de
pronto atendimento. Entre as alternativas abaixo, relacionadas a esse tema assinale a
INCORRETA:
A. As faringites com características virais não necessitam de nenhum tratamento
específico.
B. A terapêutica indicada no caso do diagnóstico clínico de faringite estreptocócica é
analgésicos e anti-inflamatórios pelo período de 3 dias.
C. A faringite estreptocócica se relaciona com a ocorrência de febre reumática.
D. A faringite por adenovírus tem clínica muito semelhante à faringite estreptocócica.
E. O sintoma mais frequente em qualquer faringite é a disfagia, seguida de febre de
intensidade variável.

92. (Prefeitura de São Paulo – Concurso Público) - Em relação às otites médias


crônicas, pode-se afirmar que:
A. A presença de pólipo no conduto auditivo, originário da região atical está
frequentemente associada a um colesteatoma;
B. As perdas auditivas decorrentes da perfuração da membrana timpânica independem
do seu tamanho ou posição, dependem apenas da presença ou não de secreção.
C. As erosões ossiculares, atingindo bigorna, martelo e estribo, são características
exclusivas da otite média crônica colesteatomatosa.
D. A timpanosclerose é um processo cicatricial da mucosa que respeita estruturas ósseas
e músculo-tendinosas da orelha média.
E. O colesteatoma primário tem sua origem em uma perfuração marginal da membrana
timpânica que facilita a migração da pele para dentro da caixa do tímpano

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Obs.: A nota da 3ª Avaliação foi atribuída à nota dos seminários


FACULDADE INTEGRAL DIFERENCIAL – FACID/DEVRY
4ª AVALIAÇÃO DE OTORRINOLARINGOLOGIA - TERESINA, 06/12/2016

ALUNO (A) ___________________________________________________

1. As rampas vestibular e timpânica se comunicam no vértice da cóclea através do:


A) Crivo espiróide;
B) Ducto coclear;
C) Ducto semicircular;
D) Helicotrema;
E) Aditus.

2. Com relação ao arco reflexo estapédio-coclear:


I. Ele protege a orelha interna.
II. Ele aumenta a rigidez do sistema de transmissão do som.
III. Ele entra em ação diante sons de alta intensidade.
Das alternativas acima:
A) A primeira e a segunda estão corretas.
B) A primeira e a terceira estão corretas.
C) A segunda e a terceira estão corretas.
D) Só a terceira está correta.
E) Todas estão corretas.

3. Com relação a anatomia e fisiologia da audição, assinale a alternativa verdadeira


A) A endolinfa é produzida no órgão de Corti
B) A endolinfa é rica em sódio e deficiente em potássio
C) A células ciliadas externas são em torno de 16000 e internas em torno de 3500 e são
respectivamente inervadas pelos neurônios tipo I e tipo II.
D) O microfonismo coclear é determinado pelas células ciliares externas.
E) O núcleo do leminisco lateral desempenha papel fundamental na localização do
som.

4. Na otite média crônica colesteatomatosa, a lesão ossicular mais comum é a:


(A) Erosão do ramo longo da bigorna.
(B) Erosão da platina do estribo.
(C) Necrose de um dos ramos do estribo.
(D) Fixação do estribo na janela oval.
(E) Fixação da cabeça do martelo.

5. A conduta cirúrgica mais indicada para um paciente portador de uma complicação


intracraniana de origem otogênica por colesteatoma da mastóide é:
A) Timpanoplastia com mastoidectomia simples.
B) Timpanoplastia com mastoidectomia e meatoplastia.
C) Mastoidectomia radical.
D) Ático-antrotomia da matriz do colesteatoma.
E) Drenagem simples da lesão primária.

6. (Prefeitura de São Paulo – Concurso Público) - Em relação às otites médias crônicas,


pode-se afirmar que:
A) A presença de pólipo no conduto auditivo, originário da região atical está
frequentemente associada a um colesteatoma;
B) As perdas auditivas decorrentes da perfuração da membrana timpânica independem
do seu tamanho ou posição, dependem apenas da presença ou não de secreção.
C) As erosões ossiculares, atingindo bigorna, martelo e estribo, são características
exclusivas da otite média crônica colesteatomatosa.
D) A timpanosclerose é um processo cicatricial da mucosa que respeita estruturas ósseas
e músculo-tendinosas da orelha média.
E) O colesteatoma primário tem sua origem em uma perfuração marginal da membrana
timpânica que facilita a migração da pele para dentro da caixa do tímpano.

7. (UFSC - SEA/SAE 2007) Em relação à presbiacusia, assinalar a alternativa correta.


A) Hipoacusia sensorioneural bilateral assimétrica.
B) Caracteriza-se por hipoacusia flutuante e má discriminação vocal.
C) Caracteriza-se inicialmente por alterações neurossensoriais retrococleares
importantes.
D) Ocorre por degeneração do órgão de Corti, iniciando pela espira basal.
E) Os pacientes não se beneficiam com as próteses auditivas.

8. Qual o tipo de perda auditiva


identificado nesta audiometria?
A) Neurossensorial
B) Condutiva
C) Mista
D) Central
E). Nda

9. Paciente de 05 anos procurou o otorrino, levado pela mãe que relatava ser o mesmo
portador de hipertrofia adenoideana e, nos últimos meses, só fala e ouve televisão em
alto volume. A otoscopia mostrou ser uma otite média serosa em ambos os ouvidos. A
audiometria revelou curva óssea em torno de 20 dB e aérea em torno de 50 dB
bilateteralmente. Qual o diagnóstico audiométrico?
A) Perda auditiva mista severa bilateral;
B) Perda auditiva condutiva moderada bilateral;
C) Perda auditiva mista severa a direita e Perda auditiva condutiva moderada à
esquerda;
D) Perda auditiva neurossensorial moderada bilateral;
E) Perda auditiva neurossensorial leve severa bilateral.

10. (FESP-RJ) Ao realizar os testes com diapasão, em um paciente com disacusia


condutiva em orelha esquerda, deve-se encontrar:
A) Rinne negativo à esquerda e Weber indiferente:
B) Rinne positivo à esquerda e Weber indiferente;
C) Rinne negativo à esquerda e Weber lateralizado para a esquerda;
D) Rinne positivo à esquerda e Weber lateralizado para a esquerda;
E) Rinne negativo à esquerda e Weber lateralizado para a direita.

11. A.N.S., 28 anos, foi atendida pelo otorrino apresentando tontura rotatória, náuseas e
vômitos. Estava muito ansiosa, sudoreica e pálida. O ORL diagnosticou ser uma crise
vertiginosa. Qual a conduta a ser aplicada?
A) Acalmar a paciente e os acompanhantes, prescrever ansiolítico (Diazepan) ou
dimenidrato (Dramim), hidratação venosa (s/n) e ao sair da crise investigar a causa
ambulatoriamente;
B) Prescrever um depressor labiríntico (cinarizina) e liberar a paciente;
C) Internar a paciente em UTI e solicitar avaliação neurológica;
D) Acalmar a paciente e os acompanhantes, prescrever antibiótico, dimenidrato
(Dramim) e hidratação venosa (s/n);
E) Explicar à paciente e aos acompanhantes que se trata de uma patologia incurável e
prescrever paliativos.

12. Paciente apresenta nistagmo posicional sem latência, não-fatigável, sem


tontura e com duração maior do que um minuto à hiperextensão da cabeça.
Esse quadro clínico indica:
A) Vertigem posicional paroxística benigna;
B) Acometimento de vias vestibulares centrais;
C) Intoxicação alcoólica;
D) Schwannoma vestibular;
E) Doença de Menière.

13. Em relação à Doença de Menière, assinale a alternativa errada:


A) Tríade sintomática: perda auditiva, zumbido e vertigem;
B) Evolução progressiva, através de surtos intermitentes;
C) Geralmente é bilateral;
D) Pode levar à surdez e à vertigem incapacitante;
E) Ocorre com mais frequência entre os 30 e 50 anos de idade.

14. Em relação à vertigem posicional paroxística benigna.


I. A etiologia é desconhecida em muitos casos, podendo estar relacionada à
traumatismo crânio encefálico, neuronite vestibular, pós-estapedectomia, além de
outros.
II. Caracteriza-se por crises vertiginosas, que duram poucos segundos, relacionados à
posição da cabeça.
III. É uma vestibulopatia rara, com certo predomínio no sexo masculino.

Entre as afirmativas acima:


A) Existe só uma correta;
B) Duas são corretas;
C) Todas são corretas;
D) Nenhuma é correta.

15. (INES - Médico - Espec. Otorrinolaringologia 2009) - Na síndrome da apneia


obstrutiva do sono é INCORRETO afirmar que:
A). O climatério aumenta a chance de ocorrência da apneia.
B) O hipotireoidismo aumenta a chance de ocorrência da apneia.
C) Acredita-se que com o aumentar da idade, o tônus da musculatura faríngea e lingual
está diminuído.
D) O uso do CPAP deve ser encorajado somente após insucesso cirúrgico.
E) A cefalometria é muito útil na investigação diagnóstica topográfica.

16. Exame considerado “padrão ouro” para o diagnóstico da síndrome da apneia


obstrutiva do sono:
A) Cefalometria;
B) Video-naso-faringo-laringoscopia;
C) Polissonografia;
D) Eletrocadiograma;
E) Eletroencefalograma.

17. Sobre o tratamento da obstrução nasal, é incorreto afirmar que:


A) Os pacientes com ronco e SAOS (síndrome da apneia e hipopneia obstrutiva do
sono) associados à rinite devem ser tratados, em geral, clinicamente, pois ocorre uma
melhora da congestão e da resistência nasal.
B) O tratamento cirúrgico da obstrução nasal, como único tratamento, mostrou redução
na gravidade da SAOS e evidente melhora do ronco;
C) A combinação das cirurgias faríngea e nasal em um só tempo cirúrgico não apresenta
aumento significativo nas complicações pós-operatórias;
D) O tratamento da obstrução nasal, seja clínico ou cirúrgico, deve sempre ser realizado,
pois embora não ocorra melhora da gravidade da SAOS nem do ronco, há uma redução
da resistência nasal e da respiração oral.

18. É correto afirmar com relação às laringites:


A) Na laringite estridulosa ocorre um edema da região supraglótica, mais frequente em
meninos, que evolui geralmente de forma benigna;
B) As lesões mais frequentes da laringofaringite por refluxo gastroesofágico são:
alterações da comissura anterior e da epiglote;
C) A epiglotite bacteriana é mais comum em crianças, sendo o Streptococcus ß-
hemolítico o agente mais encontrado;
D) O edema Reinke é angioneurótico hereditário, alérgico, como uma laringite
edematosa aguda;
E) A laringite da tuberculose é uma forma altamente contagiosa, atípica e grave da
doença.

19. Paciente de sexo masculino, 2 anos, acorda à noite com tosse, dispneia, estridor
inspiratório e disfonia. A mãe relata que a criança estava bem ao ir dormir, sem
nenhuma das queixas acima. Sobre este quadro clínico, podemos afirmar:
A) A recidiva do quadro é pouco comum no mesmo dia ou dias subsequente.
B) A resolução costuma ser rápida e espontânea.
C) Na grande maioria das vezes é necessária a introdução de antibióticos para evitar a
recidiva do quadro.
D) Tratamento profilático pode ser feito com anti-histamínicos por período prolongado.
E) A principal é etiologia viral.

20. Assinale a alternativa incorreta.


A) Em crianças, o agente causal mais comum da supraglotite aguda é o
Haemophilus influenzae B (epiglotite), ocorrendo mais frequentemente na faixa
etária de 2 a 4 anos.
B) A supraglotite aguda em crianças tem evolução rápida, com instalação do quadro
geralmente em 2 a 6 horas.
C) A laringotraqueíte aguda (crupe) pode ser definida como uma infecção bacteriana
subaguda de vias aéreas altas caracterizada por tosse tipo “latido de cachorro”,
febre e estridor.
D) A radiografia cervical na supraglotite aguda evidencia o “sinal do polegar”
(espessamento da epiglote) e o sinal da “torre de igreja” na laringotraqueíte
aguda (estreitamento subglótico).
E) O resfriado comum tem como agentes principais os rinovirus (mais freqüente),
adenovírus (geralmente com maior dificuldade respiratória), picornavirus, entre outros.

QUESTÕES QUE FORAM ESCOLHIDAS MAS NÃO CAÍRAM:

FACULDADE INTEGRAL DIFERENCIAL – FACID/DEVRY


3ª AVALIAÇÃO DE OTORRINOLARINGOLOGIA - TERESINA, 06/12/2016

ALUNO (A) ___________________________________________________

01 – Anatomia e Fisiologia da Audição – Seminário


02 – Otites Médias Crônicas Supurativas – Paulo
03 – Disacusias – Seminário
04 – Vestibulopatias Periféricas – Paulo
05 – Ronco e Apneia Obstrutiva do Sono – Paulo
06 – Laringites Agudas e Crônicas – Seminário

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ANATOMOFIOLOGIA DA AUDIÇÃO

3. Escolha a afirmativa correta:


A) A perilinfa ocupa o ducto coclear e é semelhante aos líquidos extracelulares.
B) A perilinfa ocupa a rampa timpânica e é semelhante aos líquidos
intracelulares.
C) A perilinfa ocupa o ducto coclear e é semelhante aos líquidos intracelulares.
D) A endolinfa ocupa a rampa vestibular e é semelhante aos líquidos
intracelulares.
E) A endolinfa ocupa o ducto coclear e é semelhante aos líquidos intracelulares.

6. Marque a correta.
I. Os músculos do ouvido médio são tensor do tímpano e estapédio.
II. A função do ouvido externo é identificar e orientar a origem da fonte sonora.
III. O sáculo e o utrículo presidem o equilíbrio estático, que dá noção da posição da
cabeça e do corpo no espaço.
A) Todas corretas;
B) I e V erradas;
C) III, IV e V corretas;
D) Todas erradas;
E) Só II errada.
4. (SESAU/RO – 2003) O efeito hidráulico do sistema de amplificação tímpano-
ossicular da orelha média é exercido:
A) Pela relação entre os comprimentos do cabo do martelo e da apófise longa da
bigorna.
B) Pela relação entre a superfície vibrátil da membrana timpânica e a área da platina do
estribo.
C) Pala relação entre a área total da membrana timpânica e a área da platina do estribo
associada à relação entre os comprimentos do cabo do martelo e da apófise longa da
bigorna.
D) Pela relação entre a profundidade da orelha média e a altura do estribo.
E). Pela relação entre o raio a membrana timpânica e a altura do estribo

OTITE MÉDIA CRÔNICA

4. Marque a alternativa ERRADA:


A) Uma característica da otite média crônica (OMC) simples é o ouvido estar seco.
B) Gotas otológicas à base de antibióticos e corticóides podem ser utilizadas na
terapêutica da OMC.
C) Meningite, abscessos e paralisia facial podem ser complicações da OMC
colesteatomatosa.
D) O diagnóstico de OMC é quase sempre feito através de exames complementares.
E) A otorreia fétida geralmente é característica marcante no quadro clínico da OMC
colesteatomatosa.

8. O colesteatoma primário ocorre quando existem:


A) Restos embrionários epiteliais associados a traumatismos craneoencefálicos.
B) Processos degenerativos associados a abscesso cerebral.
C) Meningites de repetição.
D) Restos epiteliais meníngeos.
E) Pressão negativa na orelha média.

SAOS

2. (UFSC HU - Médico - Espec. Otorrinolaringologia 2009) Na apneia do sono, é


CORRETO afirmar que:
A) O uso de álcool provoca uma redução seletiva na atividade do nervo hipoglosso.
B) Pacientes obesos sempre melhoram com a redução de peso.
C) Na polissonografia é considerada leve quando o IAH é 10-30.
D) A uvulopalatoplastia não está mais indicada como tratamento cirúrgico.
E) A polissonografia não está indicada.

LARINGITES

2. Qual o agente etiológico mais frequente da epiglotite aguda?


A) Staphylococcus aureus;
B) Streptococcus e Staphylococcus;
C) Haemophilus influenzae;
D) Haemophilus e B. flagilis.
E) Moraxella catarrhalis.
3. Em relação às afirmações abaixo sobre supraglotite, assinale a correta:
I. Envolve epiglote, aritenóides e pregas ariepiglóticas.
II. A faixa etária mais acometida é de 3 a 8 anos.
III. Doença comum após vacinação.
IV. Na criança, ocorre quadro insidioso, evoluindo com febre, odinofagia e angústia
respiratória.
V. Na criança, pode ocorrer estridor expiratório na posição sentada, pescoço alongado e
boca aberta.

A) Todas estão corretas;


B) I, III, IV estão corretas;
C) I e II estão corretas;
d) II , IV e V estão corretas.

5. (Prefeitura de Olinda/PE, 2008) O refluxo laringo-faríngeo tem como apresentação


clínica mais evidente sintomas, tais como:
A) Disfonia, sensação de globo faríngeo, tosse crônica mais evidente à noite, halitose e
pigarro.
B) Em geral, apresenta a sintomatologia clássica da doença do refluxo gasto-esofágico.
C) A phmetria é o exame que não nos deixa em dúvida quando há a presença do refluxo.
D) A endoscopia laríngea, feita com telescópios através da videolaringoscopia, é
específica para este diagnóstico.
E) Não há risco de lesão crônica da laringe ou de qualquer outra doença maligna por
ação crônica do ácido neste distúrbio.

7. Com relação ao tratamento das doenças inflamatórias agudas das vias aéreas
superiores, assinale a alternativa incorreta:
A) No crupe espasmódico, o uso de vapor quente ou frio freqüentemente interrompe o
espasmo laríngeo e a dificuldade respiratória em questão de minutos.
B) Em caso de confirmação de epiglotite, uma via aérea artificial deve ser
imediatamente estabelecida.
C) Em um caso de laringo-traqueo-bronquite aguda, o tratamento deve proceder com
nebulização com epinefrina e soro fisiológico, glicocorticóides sistêmicos, anti-
histamínicos e expectorantes.
D) Epinefrina e glicocorticóides são ineficazes no tratamento da epiglotite aguda.
E) As cefalosporinas de 2ª e 3ª geração são os antimicrobianos mais freqüentemente
utilizados no tratamento da epiglotite aguda.

8. M.F.S, 60 anos, sexo masculino, auxiliar de escritório, evolui há 5 semanas com


rouquidão. Ele relaciona o início do quadro a abuso vocal em uma festa. Nega
outras queixas.
AF: n.d.n; AP: tabagismo ½ maço / dia há 40 anos; Oto, RA e Oroscopia: ndn.
Qual a conduta inicial neste caso?
A) Prescrever anti-inflamatórios não hormonais por 7 dias, hidratação e repouso vocal.
B) Tomografia computadorizada de pescoço com e sem contraste para afastar a
hipótese de neoplasias cervicais.
C) Vídeo-laringoscopia é fundamental neste caso.
D). Bloqueador de bomba de prótons (omeprazol, pantoprazol, etc) devido a alta
probabilidade de laringite por refluxo gastro-esofágico, com reavaliação em 2
meses.
E) RX cervical para avaliar a coluna aérea e investigar sinais de estreitamento
laríngeo, como o sinal do polegar e da torre de igreja.

9. A rouquidão na laringite catarral aguda é consequência de:


A) Paresia das cordas vocais;
B) Edema e exsudato mucocatarral;
C) Paralisia da corda vocal em posição mediana;
D) Edema com exsudato e paralisia bilateral das cordas vocais verdadeiras;
E) Edema e paralisia das cordas vocais verdadeiras.

18. Analise as assertivas em relação à laringotraqueíte aguda (crupe):


I. De causa viral, afeta mais frequentemente meninos < 5 anos, principalmente nos
meses frios e dura de 3 a 7 dias.
II. É dita atípica quando ocorre em crianças maiores de 5 anos, dura mais de 15 dias ou
não responde ao tratamento, devendo nesses casos ser diferenciada de estenose
subglótica ou traqueíte bacteriana.
III. O tratamento consiste em umidificação das vias aéreas superiores e hidratação.
Corticóide parenteral e adrenalina via inalatória podem ser necessários para regredir o
edema. Eventualmente, intubação orotraqueal ou traqueostomia podem ser necessárias.

Quanto às afirmativas acima:


A) Existe só uma correta;
B) Somente duas são corretas;
C) Todas são corretas;
D) Nenhuma é correta.

VESTIBULOPATIAS

1. Pode fazer parte do quadro clínico da Doença de Menière:


A) Zumbidos;
B) Hipoacusia (condutiva);
C) Disacusia (sensorioneural);
D) Recrutamento;
E) Todas anteriores estão corretas.

5) Paciente com perda auditiva unilateral lentamente progressiva, acompanhada de


zumbido e episódios de desequilíbrio (sem crises vertiginosas) há dois anos. Neste
caso, a principal hipótese diagnóstica é:
A) Doença de Menière;
B) Neurite vestibular;
C) Neuroma do acústico (schwannoma vestibular);
D) Vertigem posicional paroxística benigna.
E) Síndromes cervicais.

DISACUSIAS
2. Marque a certa:
A) De todos os aminoglicosídeos, a gentamicina é o de efeito mais grave sobre a
audição e a estreptomicina é mais vestibulotóxica.
B) Ácido etacrínico, furosemida, amicacina e cloroquina são exemplos de drogas
seguras para o aparelho auditivo.
C) Disacusias genéticas são responsáveis por uma parcela insignificante das perdas
auditivas neurossensoriais em crianças.
D) Num paciente portador de surdez, a otoscopia deverá sempre estar alterada.
E) No Brasil, graças ao atuante Ministério da Saúde, o número de portadores de
deficientes auditivos é irrisório, dispensando maiores preocupações.

6. A disacusia de condução numa prova com diapasão é caracterizada por:


A) Rinne negativo, Weber indiferente.
B) Rinne negativo, Weber lateralizado para o lado melhor.
C) Rinne negativo, Weber lateralizado para o lado pior.
D) Rinne positivo, Weber lateralizado para o lado melhor.
E) Rinne positivo, Weber lateralizado para o lado pior.

7. A disacusia neurossensorial numa prova com diapasão é caracterizada por:


A) Rinne negativo, Weber indiferente.
B) Rinne negativo, Weber lateralizado para o lado melhor.
C) Rinne negativo, Weber lateralizado para o lado pior.
D) Rinne positivo, Weber lateralizado para o lado melhor.
E) Rinne positivo, Weber lateralizado para o lado pior.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
DEPARTAMENTO DE MEDICINA ESPECIALIZADA
2ª AVALIAÇÃO DE OTORRINOLARINGOLOGIA - TERESINA, 02/12/2016

ALUNO (A) ___________________________________________________

1. Como se deve avaliar um paciente de 40 anos de idade com queixas de ronco, pausas
respiratórias durante o sono e sonolência diurna excessiva, sugestivo de apresentar a
síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS)?

2. Sabe-se que a SAOS acomete 2-3% da população infantil, podendo acarretar


complicações diversas, sugerindo várias patologias. Caso o profissional que atende
crianças portadoras desta síndrome não tiver um conhecimento adequado, pode recorrer
a vários tratamentos que pode agravar mais o quadro clínico. Cite cinco características
clínicas que podem sugerir que a criança seja portadora de SAOS e qual o tratamento
mais realizado?

3. Qual a diferença do quadro clínico entre a faringotonsilite viral e a bacteriana? Quais


são os resultados dos exames laboratoriais que diferenciam uma da outra?

4. Descreva a etiologia, o quadro clínico e o tratamento da herpangina (faringotonsilite


específica).

5.. Sobre os nódulos vocais é incorreto afirmar que:


A) Resultam de trauma contínuo sobre a mucosa das pregas vocais decorrente de abuso
ou uso incorreto da voz.
B) São lesões bilaterais.
C) São sempre tratadas com fonoterapia
D) São mais comuns em mulheres e crianças devido a menor proporção glótica e menor
quantidade de ácido hialurônico no espaço de Reinke destes pacientes.
E) Estão associados a fenda médio-posterior.
6. Sobre pólipos vocais é incorreto afirmar:
A) Caracterizam-se por massas pedunculadas ou, menos comumente, lesões sésseis,
unilaterais em 90% dos casos, aparecendo na borda livre das CCVV geralmente no terço
posterior.
B) Não há predileção sexual e ocorrem em qualquer faixa etária, porém são raros em
crianças.
C) As mulheres tabagistas com algum componente de abuso vocal têm sido apontadas
como um grupo de maior prevalência de Pólipos ou Degeneração Polipóide.
D) Dividem-se em dois principais grupos: Pólipos Mucosos (gelatinosos ou fibróticos) e
Angiomatosos.
E) Os Pólipos Mucosos resultam de processo inflamatório crônico levando ao acúmulo
de líquido na camada submucosa do conectivo frouxo, conhecido como Espaço de
Reinke.

7. Cite 04 causas de disfonias orgânicas secundárias e o tratamento mais comumente


indicado para cada uma.

8. Discorra sobre a teoria do corpo e cobertura e efeito de Bernouli.

9. Quanto às epiglotites, é incorreto afirmar:


A) Febre alta, estridor, sialorreia e odinofagia são característicos do quadro clínico em
crianças.
B) O RX lateral de laringe mostra o “sinal do polegar”.
C) Nas crianças, ocorre mais entre 3 e 8 anos.
D) O tratamento com ceftriaxone é importante para evitar a fomação de abscesso de
epiglote, muito comum nas crianças.
E) A introdução da vacina contra H. influenzae do tipo B diminuiu muito a incidência
de epiglotite em crianças.

10. Assinale a correta sobre o crupe viral:


A) Geralmente acomete crianças com mais de 6 anos.]
B) Os principais agentes etiológicos da laringotraqueíte aguda são o Staphylococcus
aureus e o Coxsackie A.
C) Tem início súbito à noite, sem história de resfriado prévio.
D) O sinal da “torre da igreja” é um achado no RX Cervical.
E) Em geral, é causado por uma obstrução supraglótica (edema).
11. Discorra sobre a laringite tuberculosa.

12. Na suspeita de laringite crônica, como deve ser feita a investigação diagnóstica?