Você está na página 1de 72

SINAPI

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA


CONSTRUÇÃO CIVIL

CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA

ATERROS, BASES E SUB-BASES E


IMPRIMAÇÕES

LOTE 3
Versão: 002
Vigência: 09/2017
Última Atualização: 11/2018
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

GRUPO ATERROS, BASES E SUB-BASES E IMPRIMAÇÕES

Fazem parte desse grupo 18 composições, sendo 13 composições de Aterros, Bases e


Sub-bases em solos (estabilizado granulometricamente, predominantemente arenoso, solo
melhorado com cimento e solo-cimento), britas graduadas (simples e tratada com cimento),
Pedra Rachão e Macadame Seco e Concreto Compactado com Rolo; 02 composições de
imprimação com asfalto diluído de petróleo (CM 30) e emulsão asfáltica catiônica (RR-2C) e
03 composições auxiliares de usinagem para Brita Graduada Simples (BGS), Brita
Graduada Tratada com Cimento (BGTC) e para Concreto Compactado com Rolo (CCR)
utilizando brita comercial.

Foram criadas composições específicas para Aterros e Bases e sub-bases, de acordo com
as características e produtividades de cada uma dessas camadas. Também foram criadas
composições para imprimação válidas tanto para Construção de Pavimento Novo como
para Reconstrução/Recapeamento de pavimento já existente.

Os aterros são constituídos pela deposição sobreposta do material proveniente do serviço


de terraplenagem e bota-foras, que são executados para regularizar e ou nivelar um
terreno, dando a forma necessária para posterior utilização e ou ocupação da área.

As atividades para execução de um aterro compreendem, após as atividades de corte,


escavação e o transporte do material (não contemplados nestes cadernos técnicos), o
espalhamento do material pela área a ser aterrada e a compactação.

Conforme as características do solo a ser empregado e as atividades que se desenvolverão


sobre o aterro, é determinada, após ensaios, a energia de compactação e a umidade ótima
em que deve ocorrer a compactação, visando atender as características de projeto. As
composições geradas para este serviço contemplam a seguinte energia:

• 95% do Proctor Normal.

As camadas de revestimento asfáltico são as últimas camadas da estrutura de um


pavimento flexível, que é usualmente composta pelas seguintes camadas, de baixo para
cima: subleito, sub-base, base e revestimento asfáltico (Figura 1). Uma breve descrição da
estrutura que compõe o pavimento e dos serviços é apresentada a seguir.

Página | 1
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

Figura 1: Estrutura típica de um pavimento asfáltico.

O subleito é a plataforma da estrada terminada após a conclusão dos cortes e aterros


(LIED, 2006); é constituída pelo solo natural do terreno onde toda a estrutura do pavimento
será construída. No caso de baixa capacidade de suporte, o reforço do subleito é feito sobre
o subleito, a fim de distribuir melhor e com menor intensidade os esforços ao subleito.

Acima do subleito ou reforço do subleito, pode ser executada a sub-base ou base; o que
determina o nome da camada são as camadas subjacentes a ela. A função das camadas de
base e sub-base é de resistir aos esforços verticais provenientes dos veículos e distribuir de
forma mais homogênea e em menor intensidade às camadas inferiores.

Em termos de Energia de Compactação, de acordo com o material empregado, foram


empregados para execução das Bases e Sub-bases:

• Solo estabilizado granulometricamente e ou predominantemente arenoso: 100% do


Proctor Intermediário;
• Solo estabilizado granulometricamente e ou predominantemente arenoso com
cimento: 100% do Proctor Intermediário;
• Brita graduada simples (BGS): 100% do Proctor Modificado;
• Brita graduada tratada com cimento (BGTC): 100% do Proctor Modificado;
• Concreto compactado a rolo (CCR): 100% do Proctor Modificado.

A imprimação é uma película de material asfáltico executada sobre a superfície acabada de


base e entre camadas de revestimento asfáltico. Têm-se dois tipos de imprimação:

• Imprimação impermeabilizante: feita com asfalto diluído CM-30, tem o objetivo de


aumentar a coesão da superfície pela penetração do material betuminoso,

Página | 2
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

impermeabilizar a camada e aumentar a aderência entre a base e a camada


asfáltica sobreposta.
• Imprimação ligante (Pintura de Ligação): feita com emulsão asfáltica RR-2C, tem o
objetivo de aumentar a aderência entre a base e a camada asfáltica ou entre
camadas de revestimentos asfálticos.

NORMAS E LEGISLAÇÃO

• ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR


12262: Sub-base ou base de brita graduada tratada com cimento. Rio
de Janeiro, 1991.
• ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR
12263: Execução de sub-base ou base estabilizada
granulometricamente. Rio de Janeiro, 1991.
• ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR
12264: Sub-base ou base de brita graduada. Rio de Janeiro, 1991.

BIBLIOGRAFIA

• BALBO, J.T. Pavimentação asfáltica: materiais, projeto e restauração.


São Paulo: Oficina de textos, 2007.

• ______. Pavimentos de concreto. São Paulo: Oficina de textos,


2009.
• BERNUCCI, L.B. et al. Pavimentação asfáltica: formação básica para
engenheiros. Rio de Janeiro: Petrobras: Abeda, 2006.
• Composições DNIT.
• DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM (DER). Secretaria dos
transportes. ET-DE-P00/001: Melhoria e preparo do subleito. São
Paulo, 2005.

• ______. Secretaria dos transportes. ET-DE-P00/002: Reforço do


subleito. São Paulo, 2005.

• ______. Secretaria dos transportes. ET-DE-P00/004: Sub-base ou


base de solo-cimento. São Paulo, 2005.

• ______.. Secretaria dos transportes. ET-DE-P00/008: Sub-base ou


base de brita graduada. São Paulo, 2005.

• ______. Secretaria dos transportes. ET-DE-P00/009: Sub-base ou


base de brita graduada tratada com cimento. São Paulo, 2005.

• ______. Secretaria dos transportes. ET-DE-P00/011: Sub-base ou


base de Macadame seco. São Paulo, 2005.

• ______. Secretaria dos transportes. ET-DE-P00/044: Concreto


Compactado com Rolo para sub-base ou base de pavimento de
concreto de cimento Portland. São Paulo, 2006.

Página | 3
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• DEPARTAMENTO DE INFRAESTRUTURA DO ESTADO DE SANTA


CATARINA (DEINFRA-SC). ES-P 03/15: Pavimentação: Camada de
macadame seco. Florianópolis, 2015.
• DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE
TRANSPORTES (DNIT). Diretoria de Planejamento e Pesquisa.
Coordenação Geral de Estudos e Pesquisa. Instituto de Pesquisas
Rodoviárias. Manual de pavimentação. Rio de Janeiro, 2006.

• ______. Diretoria de Planejamento e Pesquisa. Coordenação Geral de


Estudos e Pesquisa. Instituto de Pesquisas Rodoviárias. ES: Pavimentos
flexíveis – Base estabilizada granulometricamente. Rio de Janeiro,
2009.

• ______. Diretoria de Planejamento e Pesquisa. Coordenação Geral de


Estudos e Pesquisa. Instituto de Pesquisas Rodoviárias. ES: Pavimentos
flexíveis – Base de solo-cimento. Rio de Janeiro, 2009.

• ______. Diretoria de Planejamento e Pesquisa. Coordenação Geral de


Estudos e Pesquisa. Instituto de Pesquisas Rodoviárias. ES: Pavimentos
flexíveis – Base de solo melhorado com cimento. Rio de Janeiro,
2009.

• ______. Diretoria de Planejamento e Pesquisa. Coordenação Geral


de Estudos e Pesquisa. Instituto de Pesquisas Rodoviárias. ES:
Pavimentação – Sub-base ou base de brita graduada simples. Rio de
Janeiro, 2009.

• ______. Diretoria de Planejamento e Pesquisa. Coordenação Geral


de Estudos e Pesquisa. Instituto de Pesquisas Rodoviárias. ES 056:
Pavimento rígido – Sub-base de concreto de cimento Portland
compactado com rolo. Rio de Janeiro, 2013.

• ______. Diretoria de Planejamento e Pesquisa. Coordenação Geral de


Estudos e Pesquisa. Instituto de Pesquisas Rodoviárias. ES-108:
Terraplenagem – Aterros. Rio de Janeiro, 2009.
• RICARDO, H. S.; CATALANI, G. Manual prático de escavação:
Terraplenagem e escavação de rocha. São Paulo: Pini, 2007.

Página | 4
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

COMPOSIÇÕES AFERIDAS
Código Descrição Pág.
03.PAVI.BASE.003/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE ATERRO COM SOLO
6
PREDOMINANTEMENTE ARGILOSO – EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO,
96385 CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.009/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE ATERRO COM SOLO 10
PREDOMINANTEMENTE ARENOSO – EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO,
96386 CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.015/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 14
SOLO ESTABILIZADO GRANULOMETRICAMENTE – EXCLUSIVE
96387 ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.021/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 18
SOLO PREDOMINANTEMENTE ARENOSO – EXCLUSIVE
96388 ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.033/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 22
SOLO MELHORADO COM CIMENTO (TEOR DE 2%) – EXCLUSIVE
96389 ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.034/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 26
SOLO MELHORADO COM CIMENTO (TEOR DE 4%) – EXCLUSIVE
96390 ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.035/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 30
SOLO CIMENTO (TEOR DE CIMENTO IGUAL A 6%) – EXCLUSIVE
96391 ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.036/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 34
SOLO CIMENTO (TEOR DE CIMENTO IGUAL A 8%) – EXCLUSIVE
96392 ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
03.PAVI.DNIT.141/10 USINAGEM DE BRITA GRADUADA SIMPLES , UTILIZANDO BRITA 38
96393 COMERCIAL COM USINA 300 T/H. AF_06/2017
03.PAVI.DNIT.143/10 USINAGEM DE BRITA GRADUADA TRATADA COM CIMENTO, 41
96394 UTILIZANDO BRITA COMERCIAL COM USINA 300 T/H. AF_06/2017
03.PAVI.DNIT.056/13 USINAGEM DE CONCRETO PARA COMPACTAÇÃO COM ROLO, 44
96395 UTILIZANDO BRITA COMERCIAL . AF_06/2017
03.PAVI.BASE.075/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 47
BRITA GRADUADA SIMPLES – EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO, CARGA
96396 E TRANSPORTE. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.081/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 51
BRITA GRADUADA TRATADA COM CIMENTO – EXCLUSIVE
96397 CARGA E TRANSPORTE. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.087/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 55
CONCRETO COMPACTADO COM ROLO – EXCLUSIVE CARGA E
96398 TRANSPORTE. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.095/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 59
PEDRA RACHÃO – EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO, CARGA E
96399 TRANSPORTE. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.105/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE COM 62
MACADAME SECO – EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO, CARGA E
96400 TRANSPORTE. AF_09/2017
03.PAVI.BASE.107/01 EXECUÇÃO DE IMPRIMAÇÃO COM ASFALTO DILUÍDO CM-30. 66
96401 AF_09/2017
03.PAVI.BASE.109/01 EXECUÇÃO DE IMPRIMAÇÃO LIGANTE (PINTURA DE LIGAÇÃO) 69
96402 COM EMULSÃO ASFÁLTICA RR-2C. AF_09/2017

Página | 5
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0020 – Aterro com ou s/compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.003/01
EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE ATERRO COM SOLO

CÓDIGO SIPCI PREDOMINANTEMENTE ARGILOSO – EXCLUSIVE
ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
96385
Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0436

MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA


C 5932 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHP 0,0060
LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5934 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHI 0,0065
LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89035 CHP 0,0027
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014

TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO


C 89036 CHI 0,0098
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014

GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM


C 5921 CHP 0,0027
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHP DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5923 CHI 0,0098
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA ENTRE
C 5901 CHP 0,0059
EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE DE AÇO
PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA ENTRE
C 5903 CHI 0,0065
EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE DE AÇO
PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 73436 CHP 0,0055
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHP
DIURNO. AF_02/2016
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 93244 CHI 0,0069
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHI
DIURNO. AF_02/2016
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0009
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017

Página | 6
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0115
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017

2. Itens e suas características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Trator de pneus: equipamento utilizado em conjunto com a grade disco
com a finalidade de misturar materiais e/ ou revolver o solo com a
finalidade de atender a umidade ótima de compactação.
• Grade de disco: equipamento utilizado em conjunto com o trator de
pneus, formado por um conjunto de discos de aço que revolvem o solo.
• Caminhão pipa: equipamento utilizado para umidificar o solo visando
atender a umidade ótima para a compactação.
• Rolo pé de carneiro: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.

3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;
• Trator de pneus, potência 85 cv, tração 4x4, peso com lastro de 4.675 kg;
• Grade de disco rebocável com 20 discos 24" x 6 mm com pneus para
transporte;

Página | 7
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Caminhão pipa 10.000 l, peso bruto total 23.000 kg, distância entre eixos
4,80 m, potência 230 cv inclusive tanque de aço para transporte de água,
capacidade 10 m3;
• Rolo compactador vibratório pé de carneiro para solos, potência 80 hp,
peso operacional sem/com lastro 7,4 / 8,8 t, largura de trabalho 1,68 m.
• Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110 hp,
peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços


• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de solo
argiloso, a ser utilizado na execução de aterro, compactado com 95% da
energia normal.

5. Critérios de Aferição
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução do aterro.
• Esta composição considera a execução do corpo de aterro com solo
estabilizado granulometricamente.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender a energia de compactação de 95% do
Proctor Normal.
• É considerado na composição o esforço de desumidificar ou umidificar o
material do aterro a fim de garantir que se atinja a umidade ótima de
compactação.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de
remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.

6. Execução
• O solo é transportado entre a jazida e a frente de serviço através de
caminhões basculantes que o despejam no local de execução do serviço
(o transporte não está incluso na composição).
• A motoniveladora percorre todo o trecho espalhando e nivelando o
material até atingir a espessura da camada prevista em projeto.

Página | 8
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Caso o teor de umidade se apresente abaixo do limite especificado em


projeto, procede-se com o umedecimento da camada através do
caminhão pipa.
• Caso o teor de umidade se apresente acima do limite especificado em
projeto, procede-se com a aeração da camada através do trator agrícola
com grade de discos.
• Com o material dentro do teor de umidade especificado em projeto,
executa-se a compactação da camada utilizando-se rolo compactador pé
de carneiro, na quantidade de fechas prevista em projeto, a fim de
atender as exigências de compactação.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não inclusos na composição).

7. Informações Complementares
• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para
execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• SOLO PREDOMINANTEMENTE ARGILOSO: 1,2500;
• SOLO PREDOMINANTEMENTE ARENOSO: 1,1235.

8. Pendências
• Não se aplica.

Página | 9
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: MOVT – MOVIMENTO DE TERRA


Tipo: 0020 – Aterro com ou s/compactação

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.009/01
EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE ATERRO COM SOLO

CÓDIGO SIPCI PREDOMINANTEMENTE ARENOSO – EXCLUSIVE
ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
96386
Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0436

MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA


C 5932 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHP 0,0060
LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5934 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHI 0,0065
LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89035 CHP 0,0027
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014

TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO


C 89036 CHI 0,0098
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014

GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM


C 5921 CHP 0,0027
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHP DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5923 CHI 0,0098
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA ENTRE
C 5901 CHP 0,0057
EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE DE AÇO
PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA ENTRE
C 5903 CHI 0,0068
EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE DE AÇO
PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0033
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0092
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO AÇO
LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL MÁXIMO 8,1 T,
C 5684 CHP 0,0022
IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, LARGURA DE TRABALHO
1,68 M - CHP DIURNO. AF_06/2014

Página | 10
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO AÇO
LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL MÁXIMO 8,1 T,
C 5685 CHI 0,0103
IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, LARGURA DE TRABALHO
1,68 M - CHI DIURNO. AF_06/2014

2. Itens e suas características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Trator de pneus: equipamento utilizado em conjunto com a grade disco
com a finalidade de misturar materiais e/ ou revolver o solo com a
finalidade de atender a umidade ótima de compactação.
• Grade de disco: equipamento utilizado em conjunto com o trator de
pneus, formado por um conjunto de discos de aço que revolvem o solo.
• Caminhão pipa: equipamento utilizado para umidificar o solo visando
atender a umidade ótima para a compactação.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo liso vibratório: equipamento utilizado para compactar o material e
dar o acabamento superficial da camada.

3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;
• Trator de pneus, potência 85 cv, tração 4x4, peso com lastro de 4.675 kg;
• Grade de disco rebocável com 20 discos 24" x 6 mm com pneus para
transporte;

Página | 11
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Caminhão pipa 10.000 l, peso bruto total 23.000 kg, distância entre eixos
4,80 m, potência 230 cv inclusive tanque de aço para transporte de água,
capacidade 10 m3;
• Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110 hp,
peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m;
• Rolo compactador vibratório de um cilindro aço liso, potência 80 hp, peso
operacional máximo 8,1 t, impacto dinâmico 16,15 / 9,5 t, largura de
trabalho 1,68 m;

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de solo


arenoso, a ser utilizado na execução de aterro, compactado com 95% da
energia normal.

5. Critérios de Aferição

• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os


operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução do aterro.
• Esta composição considera a execução de corpo de aterro com solo
predominantemente arenoso.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender a energia de compactação de 95% do
Proctor Normal.
• É considerado na composição o esforço de desumidificar ou umidificar o
material do aterro a fim de garantir que se atinja a umidade ótima de
compactação.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de
remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.

6. Execução

• O solo é transportado entre a jazida e a frente de serviço através de


caminhões basculantes que o despejam no local de execução do serviço
(o transporte não está incluso na composição).

Página | 12
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• A motoniveladora percorre todo o trecho espalhando e nivelando o


material até atingir a espessura da camada prevista em projeto.
• Caso o teor de umidade se apresente abaixo do limite especificado em
projeto, procede-se com o umedecimento da camada através do
caminhão pipa.
• Caso o teor de umidade se apresente acima do limite especificado em
projeto, procede-se com a aeração da camada através do trator agrícola
com grade de discos.
• Com o material dentro do teor de umidade especificado em projeto,
executa-se a compactação da camada utilizando-se rolo compactador de
pneus, na quantidade de fechas prevista em projeto, a fim de atender as
exigências de compactação.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não inclusos na composição).

7. Informações Complementares

• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para


execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• SOLO PREDOMINANTEMENTE ARGILOSO: 1,2500;
• SOLO PREDOMINANTEMENTE ARENOSO: 1,1235.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 13
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.015/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE
COM SOLO ESTABILIZADO GRANULOMETRICAMENTE – M³
CÓDIGO SIPCI
EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO.
96387 AF_09/2017

Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0558


MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5932 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHP 0,0077
LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5934 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHI 0,0083
LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89035 CHP 0,0027
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89036 CHI 0,0133
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5921 CHP 0,0027
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHP DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5923 CHI 0,0133
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5901 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHP 0,0064
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO.
AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5903 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHI 0,0095
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO.
AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 73436 CHP 0,0074
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHP
DIURNO. AF_02/2016
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 93244 CHI 0,0086
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHI
DIURNO. AF_02/2016

Página | 14
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente


ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0010
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0150
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017

2. Itens e suas características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Trator de pneus: equipamento utilizado em conjunto com a grade disco
com a finalidade de misturar materiais e/ ou revolver o solo com a
finalidade de atender a umidade ótima de compactação.
• Grade de disco: equipamento utilizado em conjunto com o trator de
pneus, formado por um conjunto de discos de aço que revolvem o solo.
• Caminhão pipa: equipamento utilizado para umidificar o solo visando
atender a umidade ótima para a compactação.
• Rolo pé de carneiro: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.

3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;

Página | 15
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Trator de pneus, potência 85 cv, tração 4x4, peso com lastro de 4.675 kg;
• Grade de disco rebocável com 20 discos 24" x 6 mm com pneus para
transporte;
• Caminhão pipa 10.000 l, peso bruto total 23.000 kg, distância entre eixos
4,80 m, potência 230 cv inclusive tanque de aço para transporte de água,
capacidade 10 m3;
• Rolo compactador vibratório pé de carneiro para solos, potência 80 hp,
peso operacional sem/com lastro 7,4 / 8,8 t, largura de trabalho 1,68 m.
• Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110 hp,
peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de solo


estabilizado granulometricamente, a ser utilizado na construção de base e
ou sub-base para pavimentação, compactado com 100% da energia
intermediária.

5. Critérios de Aferição
• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/
reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das
diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças
entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de solo
estabilizado granulometricamente.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender grau de compactação de 100% da
energia intermediária.
• É considerado na composição o esforço de desumidificar ou umidificar o
material da base e ou sub-base a fim de garantir que se atinja a umidade
ótima de compactação.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de
remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.

Página | 16
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução
• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base de solo-cimento
deve estar totalmente concluída, limpa, desempenada e sem excessos de
umidade.
• O solo é transportado entre a jazida e a frente de serviço através de
caminhões basculantes que o despejam no local de execução do serviço
(o transporte não está incluso na composição).
• A motoniveladora percorre todo o trecho espalhando e nivelando o
material até atingir a espessura da camada prevista em projeto.
• Caso o teor de umidade se apresente abaixo do limite especificado em
projeto, procede-se com o umedecimento da camada através do
caminhão pipa.
• Caso o teor de umidade se apresente acima do limite especificado em
projeto, procede-se com a aeração da camada através do trator agrícola
com grade de discos.
• Com o material dentro do teor de umidade especificado em projeto,
executa-se a compactação da camada utilizando-se rolo compactador pé
de carneiro, na quantidade de fechas prevista em projeto, a fim de
atender as exigências de compactação.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não inclusos na composição).
• Concluídos os ensaios, realiza-se, nos casos de bases, a imprimação
impermeabilizante com emulsão asfáltica.

7. Informações Complementares

• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para


execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• SOLO ESTABILIZADO GRANULOMETRICAMENTE: 1,2500;
• SOLO PREDOMINANTEMENTE ARENOSO: 1,1235.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 17
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.021/01
EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE

CÓDIGO SIPCI COM SOLO PREDOMINANTEMENTE ARENOSO – EXCLUSIVE
ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO. AF_09/2017
96388
Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0558


MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5932 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHP 0,0077
LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5934 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHI 0,0083
LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89035 CHP 0,0027
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89036 CHI 0,0133
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5921 CHP 0,0027
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHP DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5923 CHI 0,0133
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5901 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHP 0,0061
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO.
AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5903 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHI 0,0098
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO.
AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0044
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0116
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017

Página | 18
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente


ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO AÇO
LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL MÁXIMO 8,1 T,
C 5684 CHP 0,0026
IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, LARGURA DE TRABALHO
1,68 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO AÇO
LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL MÁXIMO 8,1 T,
C 5685 CHI 0,0134
IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, LARGURA DE TRABALHO
1,68 M - CHI DIURNO. AF_06/2014

2. Itens e suas características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Trator de pneus: equipamento utilizado em conjunto com a grade disco
com a finalidade de misturar materiais e/ ou revolver o solo com a
finalidade de atender a umidade ótima de compactação.
• Grade de disco: equipamento utilizado em conjunto com o trator de
pneus, formado por um conjunto de discos de aço que revolvem o solo.
• Caminhão pipa: equipamento utilizado para umidificar o solo visando
atender a umidade ótima para a compactação.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo liso vibratório: equipamento utilizado para compactar o material e
dar o acabamento superficial da camada.
3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;

Página | 19
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Trator de pneus, potência 85 cv, tração 4x4, peso com lastro de 4.675 kg;
• Grade de disco rebocável com 20 discos 24" x 6 mm com pneus para
transporte;
• Caminhão pipa 10.000 l, peso bruto total 23.000 kg, distância entre eixos
4,80 m, potência 230 cv inclusive tanque de aço para transporte de água,
capacidade 10 m3;
• Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110 hp,
peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m;
• Rolo compactador vibratório de um cilindro aço liso, potência 80 hp, peso
operacional máximo 8,1 t, impacto dinâmico 16,15 / 9,5 t, largura de
trabalho 1,68 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de solo


arenoso, a ser utilizado na construção de base e ou sub-base para
pavimentação, compactado com 100% da energia intermediária.

5. Critérios de Aferição
• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/
reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das
diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças
entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de solo
predominantemente arenoso.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender grau de compactação de 100% da
energia intermediária.
• É considerado na composição o esforço de desumidificar ou umidificar o
material da base e ou sub-base a fim de garantir que se atinja a umidade
ótima de compactação.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de
remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.

Página | 20
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução
• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base de solo-cimento
deve estar totalmente concluída, limpa, desempenada e sem excessos de
umidade.
• O solo é transportado entre a jazida e a frente de serviço através de
caminhões basculantes que o despejam no local de execução do serviço
(o transporte não está incluso na composição).
• A motoniveladora percorre todo o trecho espalhando e nivelando o
material até atingir a espessura da camada prevista em projeto.
• Caso o teor de umidade se apresente abaixo do limite especificado em
projeto, procede-se com o umedecimento da camada através do
caminhão pipa.
• Caso o teor de umidade se apresente acima do limite especificado em
projeto, procede-se com a aeração da camada através do trator agrícola
com grade de discos.
• Com o material dentro do teor de umidade especificado em projeto,
executa-se a compactação da camada utilizando-se rolo compactador pé
de carneiro, na quantidade de fechas prevista em projeto, a fim de
atender as exigências de compactação.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não inclusos na composição).
• Concluídos os ensaios, realiza-se, nos casos de bases, a imprimação
impermeabilizante com emulsão asfáltica.

7. Informações Complementares

• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para


execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• SOLO ESTABILIZADO GRANULOMETRICAMENTE: 1,2500;
• SOLO PREDOMINANTEMENTE ARENOSO: 1,1235.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 21
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.033/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE
COM SOLO MELHORADO COM CIMENTO (TEOR DE 2%) – M³
CÓDIGO SIPCI
EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO.
96389 AF_09/2017

Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,1498


MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5932 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHP 0,0077
LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5934 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHI 0,0083
LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89035 CHP 0,0079
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89036 CHI 0,0080
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5921 CHP 0,0079
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHP DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5923 CHI 0,0080
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5901 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHP 0,0058
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO.
AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5903 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHI 0,0101
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO.
AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 73436 CHP 0,0074
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHP
DIURNO. AF_02/2016
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 93244 CHI 0,0086
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHI
DIURNO. AF_02/2016

Página | 22
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente


ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0010
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0150
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 48,1741

2. Itens e suas características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Trator de pneus: equipamento utilizado em conjunto com a grade disco
com a finalidade de misturar materiais e/ ou revolver o solo com a
finalidade de atender a umidade ótima de compactação.
• Grade de disco: equipamento utilizado em conjunto com o trator de
pneus, formado por um conjunto de discos de aço que revolvem o solo.
• Caminhão pipa: equipamento utilizado para umidificar o solo visando
atender a umidade ótima para a compactação.
• Rolo pé de carneiro: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Cimento: material utilizado na execução de bases e sub-bases para
pavimentação.

Página | 23
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;
• Trator de pneus, potência 85 cv, tração 4x4, peso com lastro de 4.675 kg;
• Grade de disco rebocável com 20 discos 24" x 6 mm com pneus para
transporte;
• Caminhão pipa 10.000 l, peso bruto total 23.000 kg, distância entre eixos
4,80 m, potência 230 cv inclusive tanque de aço para transporte de água,
capacidade 10 m3;
• Rolo compactador vibratório pé de carneiro para solos, potência 80 hp,
peso operacional sem/com lastro 7,4 / 8,8 t, largura de trabalho 1,68 m.
• Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110 hp,
peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de solo


melhorado com cimento - 2 %, a ser utilizado na construção de base e ou
sub-base para pavimentação, compactado com 100% da energia
intermediária.

5. Critérios de Aferição

• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/


reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das
diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças
entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de solo
cimento, teor 2%.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender grau de compactação de 100% da
energia intermediária.
• É considerado na composição o esforço de desumidificar ou umidificar o
material da base e ou sub-base a fim de garantir que se atinja a umidade
ótima de compactação.
• É considerado na composição o esforço de misturar o cimento em pista.
• É considerado nos índices dos serventes o transporte manual de sacos
de cimentos entre os estoques e a frente de serviço.

Página | 24
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de


remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base de solo-cimento


deve estar totalmente concluída, limpa, desempenada e sem excessos de
umidade.
• A equipe realiza o transporte dos sacos de cimento, de forma manual,
entre o local de armazenamento e a frente de serviço.
• Os sacos de cimento são distribuídos uniformemente na frente de serviço,
rasgados e previamente espalhados com rastelo pela equipe.
• Após a distribuição do cimento, o trator agrícola com grade de discos
realiza a homogeneização do solo com o cimento.
• Posterior à homogeneização, o caminhão pipa umedece a camada.
• Na sequência, executa-se a compactação da camada utilizando-se rolo
compactador de pneus, na quantidade de fechas prevista em projeto, a
fim de atender as exigências de compactação e realizar o acabamento da
camada.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não estão inclusos na composição)
• Concluídos os ensaios, realiza-se, nos casos de bases, a imprimação
impermeabilizante com emulsão asfáltica.

7. Informações Complementares

• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para


execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• SOLO: 1,2500.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 25
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.034/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE
COM SOLO MELHORADO COM CIMENTO (TEOR DE 4%) – M³
CÓDIGO SIPCI
EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO.
96390 AF_09/2017

Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,1498


MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5932 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHP 0,0077
LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5934 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHI 0,0083
LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89035 CHP 0,0093
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89036 CHI 0,0067
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5921 CHP 0,0093
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHP DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5923 CHI 0,0067
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5901 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHP 0,0058
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO.
AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5903 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHI 0,0101
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO.
AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 73436 CHP 0,0074
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHP
DIURNO. AF_02/2016
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 93244 CHI 0,0086
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHI
DIURNO. AF_02/2016

Página | 26
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente


ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0010
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0150
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 93,0233

2. Itens e suas características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Trator de pneus: equipamento utilizado em conjunto com a grade disco
com a finalidade de misturar materiais e/ ou revolver o solo com a
finalidade de atender a umidade ótima de compactação.
• Grade de disco: equipamento utilizado em conjunto com o trator de
pneus, formado por um conjunto de discos de aço que revolvem o solo.
• Caminhão pipa: equipamento utilizado para umidificar o solo visando
atender a umidade ótima para a compactação.
• Rolo pé de carneiro: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Cimento: material utilizado na execução de bases e sub-bases para
pavimentação.

Página | 27
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;
• Trator de pneus, potência 85 cv, tração 4x4, peso com lastro de 4.675 kg;
• Grade de disco rebocável com 20 discos 24" x 6 mm com pneus para
transporte;
• Caminhão pipa 10.000 l, peso bruto total 23.000 kg, distância entre eixos
4,80 m, potência 230 cv inclusive tanque de aço para transporte de água,
capacidade 10 m3;
• Rolo compactador vibratório pé de carneiro para solos, potência 80 hp,
peso operacional sem/com lastro 7,4 / 8,8 t, largura de trabalho 1,68 m.
• Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110 hp,
peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de solo


melhorado com cimento - 4 %, a ser utilizado na construção de base e ou
sub-base para pavimentação, compactado com 100% da energia
intermediária.

5. Critérios de Aferição

• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/


reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das
diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças
entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de solo
cimento, teor 4%.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender grau de compactação de 100% da
energia intermediária.
• É considerado na composição o esforço de desumidificar ou umidificar o
material da base e ou sub-base a fim de garantir que se atinja a umidade
ótima de compactação.
• É considerado na composição o esforço de misturar o cimento em pista.
• É considerado nos índices dos serventes o transporte manual de sacos
de cimentos entre os estoques e a frente de serviço.

Página | 28
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de


remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base de solo-cimento


deve estar totalmente concluída, limpa, desempenada e sem excessos de
umidade.
• A equipe realiza o transporte dos sacos de cimento, de forma manual,
entre o local de armazenamento e a frente de serviço.
• Os sacos de cimento são distribuídos uniformemente na frente de serviço,
rasgados e previamente espalhados com rastelo pela equipe.
• Após a distribuição do cimento, o trator agrícola com grade de discos
realiza a homogeneização do solo com o cimento.
• Posterior à homogeneização, o caminhão pipa umedece a camada.
• Na sequência, executa-se a compactação da camada utilizando-se rolo
compactador de pneus, na quantidade de fechas prevista em projeto, a
fim de atender as exigências de compactação e realizar o acabamento da
camada.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não estão inclusos na composição)
• Concluídos os ensaios, realiza-se, nos casos de bases, a imprimação
impermeabilizante com emulsão asfáltica.

7. Informações Complementares

• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para


execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• SOLO: 1,2500.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 29
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.035/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE
COM SOLO CIMENTO (TEOR DE CIMENTO IGUAL A 6%) – M³
CÓDIGO SIPCI
EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO.
96391 AF_09/2017

Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,1520


MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5932 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHP 0,0077
LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5934 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHI 0,0089
LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89035 CHP 0,0106
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89036 CHI 0,0059
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5921 CHP 0,0106
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHP DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5923 CHI 0,0059
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5901 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHP 0,0058
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO.
AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5903 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHI 0,0107
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO.
AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 73436 CHP 0,0074
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHP
DIURNO. AF_02/2016
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 93244 CHI 0,0120
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHI
DIURNO. AF_02/2016

Página | 30
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente


ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0010
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0156
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 136,6637

2. Itens e suas características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Trator de pneus: equipamento utilizado em conjunto com a grade disco
com a finalidade de misturar materiais e/ ou revolver o solo com a
finalidade de atender a umidade ótima de compactação.
• Grade de disco: equipamento utilizado em conjunto com o trator de
pneus, formado por um conjunto de discos de aço que revolvem o solo.
• Caminhão pipa: equipamento utilizado para umidificar o solo visando
atender a umidade ótima para a compactação.
• Rolo pé de carneiro: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.

Página | 31
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Cimento: material utilizado na execução de bases e sub-bases para


pavimentação.
3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;
• Trator de pneus, potência 85 cv, tração 4x4, peso com lastro de 4.675 kg;
• Grade de disco rebocável com 20 discos 24" x 6 mm com pneus para
transporte;
• Caminhão pipa 10.000 l, peso bruto total 23.000 kg, distância entre eixos
4,80 m, potência 230 cv inclusive tanque de aço para transporte de água,
capacidade 10 m3;
• Rolo compactador vibratório pé de carneiro para solos, potência 80 hp,
peso operacional sem/com lastro 7,4 / 8,8 t, largura de trabalho 1,68 m.
• Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110 hp,
peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de solo-


cimento – 6%, a ser utilizado na construção de base e ou sub-base para
pavimentação, compactado com 100% da energia intermediária.

5. Critérios de Aferição

• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/


reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das
diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças
entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de solo
cimento, teor 6%.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender grau de compactação de 100% da
energia intermediária.
• É considerado na composição o esforço de desumidificar ou umidificar o
material da base e ou sub-base a fim de garantir que se atinja a umidade
ótima de compactação.
• É considerado na composição o esforço de misturar o cimento em pista.
• É considerado nos índices dos serventes o transporte manual de sacos
de cimentos entre os estoques e a frente de serviço.

Página | 32
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de


remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base de solo-cimento


deve estar totalmente concluída, limpa, desempenada e sem excessos de
umidade.
• A equipe realiza o transporte dos sacos de cimento, de forma manual,
entre o local de armazenamento e a frente de serviço.
• Os sacos de cimento são distribuídos uniformemente na frente de serviço,
rasgados e previamente espalhados com rastelo pela equipe.
• Após a distribuição do cimento, o trator agrícola com grade de discos
realiza a homogeneização do solo com o cimento.
• Posterior à homogeneização, o caminhão pipa umedece a camada.
• Na sequência, executa-se a compactação da camada utilizando-se rolo
compactador de pneus, na quantidade de fechas prevista em projeto, a
fim de atender as exigências de compactação e realizar o acabamento da
camada.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não estão inclusos na composição)
• Concluídos os ensaios, realiza-se, nos casos de bases, a imprimação
impermeabilizante com emulsão asfáltica.

7. Informações Complementares

• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para


execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• SOLO: 1,2500.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 33
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.036/01 EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE
COM SOLO CIMENTO (TEOR DE CIMENTO IGUAL A 8%) – M³
CÓDIGO SIPCI
EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO, CARGA E TRANSPORTE E SOLO.
96392 AF_09/2017

Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,1618


MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5932 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHP 0,0077
LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5934 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHI 0,0089
LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89035 CHP 0,0106
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4, PESO
C 89036 CHI 0,0059
COM LASTRO DE 4.675 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5921 CHP 0,0106
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHP DIURNO. AF_06/2014
GRADE DE DISCO REBOCÁVEL COM 20 DISCOS 24" X 6 MM
C 5923 CHI 0,0059
COM PNEUS PARA TRANSPORTE - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5901 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHP 0,0058
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO.
AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA
C 5903 ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE CHI 0,0135
DE AÇO PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO.
AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 73436 CHP 0,0074
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHP
DIURNO. AF_02/2016
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO PARA
SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL SEM/COM
C 93244 CHI 0,0120
LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHI
DIURNO. AF_02/2016

Página | 34
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente


ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0010
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0184
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 188,2884

2. Itens e suas características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Trator de pneus: equipamento utilizado em conjunto com a grade disco
com a finalidade de misturar materiais e/ ou revolver o solo com a
finalidade de atender a umidade ótima de compactação.
• Grade de disco: equipamento utilizado em conjunto com o trator de
pneus, formado por um conjunto de discos de aço que revolvem o solo.
• Caminhão pipa: equipamento utilizado para umidificar o solo visando
atender a umidade ótima para a compactação.
• Rolo pé de carneiro: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.

Página | 35
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Cimento: material utilizado na execução de bases e sub-bases para


pavimentação.
3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;
• Trator de pneus, potência 85 cv, tração 4x4, peso com lastro de 4.675 kg;
• Grade de disco rebocável com 20 discos 24" x 6 mm com pneus para
transporte;
• Caminhão pipa 10.000 l, peso bruto total 23.000 kg, distância entre eixos
4,80 m, potência 230 cv inclusive tanque de aço para transporte de água,
capacidade 10 m3;
• Rolo compactador vibratório pé de carneiro para solos, potência 80 hp,
peso operacional sem/com lastro 7,4 / 8,8 t, largura de trabalho 1,68 m.
• Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110 hp,
peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de solo-


cimento – 8%, a ser utilizado na construção de base e ou sub-base para
pavimentação, compactado com 100% da energia intermediária.

5. Critérios de Aferição

• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/


reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das
diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças
entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de solo
cimento, teor 8%.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender grau de compactação de 100% da
energia intermediária.
• É considerado na composição o esforço de desumidificar ou umidificar o
material da base e ou sub-base a fim de garantir que se atinja a umidade
ótima de compactação.
• É considerado na composição o esforço de misturar o cimento em pista.
• É considerado nos índices dos serventes o transporte manual de sacos
de cimentos entre os estoques e a frente de serviço.

Página | 36
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de


remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base de solo-cimento


deve estar totalmente concluída, limpa, desempenada e sem excessos de
umidade.
• A equipe realiza o transporte dos sacos de cimento, de forma manual,
entre o local de armazenamento e a frente de serviço.
• Os sacos de cimento são distribuídos uniformemente na frente de serviço,
rasgados e previamente espalhados com rastelo pela equipe.
• Após a distribuição do cimento, o trator agrícola com grade de discos
realiza a homogeneização do solo com o cimento.
• Posterior à homogeneização, o caminhão pipa umedece a camada.
• Na sequência, executa-se a compactação da camada utilizando-se rolo
compactador de pneus, na quantidade de fechas prevista em projeto, a
fim de atender as exigências de compactação e realizar o acabamento da
camada.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não estão inclusos na composição)
• Concluídos os ensaios, realiza-se, nos casos de bases, a imprimação
impermeabilizante com emulsão asfáltica.

7. Informações Complementares

• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para


execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• SOLO: 1,2500.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 37
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0287– Fabricação/Execução de CBUQ/ Pré-misturados

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.DNIT.141/10
USINAGEM DE BRITA GRADUADA SIMPLES, UTILIZANDO M³
CÓDIGO SIPCI
BRITA COMERCIAL COM USINA 300 T/H. AF_06/2017
96393
Vigência: 06/2017 Última atualização: 06/2017

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente

PÁ CARREGADEIRA SOBRE RODAS, POTÊNCIA 197 HP,


C 5944 CAPACIDADE DA CAÇAMBA 2,5 A 3,5 M3, PESO OPERACIONAL CHP 0,0070
18338 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014

PÁ CARREGADEIRA SOBRE RODAS, POTÊNCIA 197 HP,


C 5946 CAPACIDADE DA CAÇAMBA 2,5 A 3,5 M3, PESO OPERACIONAL CHI 0,0019
18338 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014

USINA MISTURADORA DE SOLOS, CAPACIDADE DE 200 A 500


C 95121 CHP 0,0088
TON/H, POTENCIA 75KW - CHP DIURNO. AF_07/2016

GRUPO GERADOR ESTACIONÁRIO, POTÊNCIA 150 KVA,


C 93427 CHP 0,0088
MOTOR A DIESEL- CHP DIURNO. AF_03/2016

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0442

PEDRA BRITADA N. 0, OU PEDRISCO (4,8 A 9,5 MM) POSTO


I 4720 M3 0,4407
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE

PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 a 19 MM) POSTO


I 4721 M3 0,5130
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
PEDRA BRITADA N. 2 (19 A 38 MM) POSTO
I 4718 M3 0,5130
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE

Página | 38
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

2. Itens e suas características

• Pá carregadeira sobre rodas: concha usada como medida padrão para


carregamento de material na usina misturadora e posterior carregamento
da mistura em caminhões basculantes para transporte ao local de
execução;
• Usina misturadora de solos: equipamento destinado à mistura do
material;
• Grupo gerador estacionário: responsável pela geração de energia elétrica
para funcionamento da usina;
• Pedra britada n. 0, ou pedrisco (4,8 a 9,5 mm): material componente da
mistura;
• Pedra britada n. 1 (9,5 a 19 mm): material componente da mistura;
• Pedra britada n. 2 (19 a 38 mm): material componente da mistura.

3. Equipamentos

• Pá carregadeira sobre rodas, potência 197 hp, capacidade da caçamba


2,5 a 3,5 m3, peso operacional 18338 kg;
• Usina misturadora de solos, capacidade de 200 a 500 ton/h, potência
75kw;
• Grupo gerador estacionário, potência 150 kva, motor a diesel.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de brita


graduada simples, a ser obtido para construção de base e ou sub-base
para pavimentação.

5. Critérios de Aferição

Página | 39
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• A composição foi desenvolvida por meio da referência disponível no


DNIT, tendo em vista que não há diferença de produtividade para o
serviço.
• A produtividade da usina utilizada é de 113,18 m3/h.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.

6. Execução

• Após a mistura prévia, o material deve ser transportado, por meio de


caminhões basculantes e depositado sobre a pista, em montes
adequadamente espaçados.
• Todas as operações necessárias ao preparo da mistura final devem ser
realizadas na central, restando apenas o transporte da mistura, já pronta,
para a pista, onde deve ser espalhada com as devidas precauções e de
modo que, após a compactação, apresente espessura, greide longitudinal
e seção transversal do projeto.

7. Informações Complementares

• Esta composição foi construída tomando como base a referência SICRO


6416040.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 40
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0287– Fabricação/Execução de CBUQ/ Pré-misturados

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.DNIT.143/10
USINAGEM DE BRITA GRADUADA TRATADA COM CIMENTO,

CÓDIGO SIPCI UTILIZANDO BRITA COMERCIAL COM USINA 300 T/H.
AF_06/2017
96394
Vigência: 06/2017 Última atualização: 06/2017

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente

PÁ CARREGADEIRA SOBRE RODAS, POTÊNCIA 197 HP,


C 5944 CAPACIDADE DA CAÇAMBA 2,5 A 3,5 M3, PESO OPERACIONAL CHP 0,0069
18338 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014
PÁ CARREGADEIRA SOBRE RODAS, POTÊNCIA 197 HP,
C 5946 CAPACIDADE DA CAÇAMBA 2,5 A 3,5 M3, PESO OPERACIONAL CHI 0,0018
18338 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014
USINA MISTURADORA DE SOLOS, CAPACIDADE DE 200 A 500
C 95121 CHP 0,0088
TON/H, POTENCIA 75KW - CHP DIURNO. AF_07/2016
GRUPO GERADOR ESTACIONÁRIO, POTÊNCIA 150 KVA,
C 93427 CHP 0,0088
MOTOR A DIESEL- CHP DIURNO. AF_03/2016
C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0439
PEDRA BRITADA N. 0, OU PEDRISCO (4,8 A 9,5 MM) POSTO
I 4720 M3 0,4224
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 a 19 MM) POSTO
I 4721 M3 0,4928
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
PEDRA BRITADA N. 2 (19 A 38 MM) POSTO
I 4718 M3 0,4928
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE
I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 88,0000

Página | 41
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

2. Itens e suas características

• Pá carregadeira sobre rodas: concha usada como medida padrão para


carregamento de material na usina misturadora e posterior carregamento
da mistura em caminhões basculantes para transporte ao local de
execução;
• Usina misturadora de solos: equipamento destinado à mistura do
material;
• Grupo gerador estacionário: responsável pela geração de energia elétrica
para funcionamento da usina;
• Pedra britada n. 0, ou pedrisco (4,8 a 9,5 mm): material componente da
mistura;
• Pedra britada n. 1 (9,5 a 19 mm): material componente da mistura;
• Pedra britada n. 2 (19 a 38 mm): material componente da mistura;
• Cimento portland composto CP II -32: material componente da mistura.

3. Equipamentos

• Pá carregadeira sobre rodas, potência 197 hp, capacidade da caçamba


2,5 a 3,5 m3, peso operacional 18338 kg;
• Usina misturadora de solos, capacidade de 200 a 500 ton/h, potência
75kw;
• Grupo gerador estacionário, potência 150 kva, motor a diesel.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de brita


graduada tratada com cimento, a ser obtido para construção de base e
ou sub-base para pavimentação.

5. Critérios de Aferição

Página | 42
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• A composição foi desenvolvida por meio da referência disponível no


DNIT, tendo em vista que não há diferença de produtividade para o
serviço.
• A produtividade da usina utilizada é de 113,80 m³/h.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.

6. Execução

• Todas as operações necessárias ao preparo da mistura final devem ser


realizadas na central, restando apenas o transporte da mistura, já pronta,
para a pista, onde deve ser espalhada com as devidas precauções e de
modo que, após a compactação, apresente espessura, greide longitudinal
e seção transversal do projeto.
• O transporte da mistura pronta deve ser feito em caminhões basculantes
ou outro veículo apropriado, tomando-se precaução para que não haja
perda de umidade;
• O tempo decorrido entre a mistura pronta na central e o início da
compactação não deve ser superior a 1 hora, a menos que, a critério do
projeto, comprovado por ensaios, seja verificada a inexistência de
inconveniente na adoção de tempo maior.

7. Informações Complementares

• Esta composição foi construída tomando como base a referência SICRO


6416042.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 43
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0287– Fabricação/Execução de CBUQ/ Pré-misturados

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.DNIT.056/13
USINAGEM DE CONCRETO PARA COMPACTAÇÃO COM M³
CÓDIGO SIPCI
ROLO, UTILIZANDO BRITA COMERCIAL. AF_06/2017
96395
Vigência: 06/2017 Última atualização: 06/2017

COMPOSIÇÃO

Item Código Descrição Unidade Coeficiente

PÁ CARREGADEIRA SOBRE RODAS, POTÊNCIA 197 HP,


C 5944 CAPACIDADE DA CAÇAMBA 2,5 A 3,5 M3, PESO OPERACIONAL CHP 0,0087
18338 KG - CHP DIURNO. AF_06/2014

PÁ CARREGADEIRA SOBRE RODAS, POTÊNCIA 197 HP,


C 5946 CAPACIDADE DA CAÇAMBA 2,5 A 3,5 M3, PESO OPERACIONAL CHI 0,0074
18338 KG - CHI DIURNO. AF_06/2014

USINA DE CONCRETO FIXA, CAPACIDADE NOMINAL DE 90 A


C 5823 CHP 0,0080
120 M3/H, SEM SILO - CHP DIURNO. AF_07/2016

GRUPO GERADOR DIESEL COM CARENAGEM, POTÊNCIA


C 95872 CHP 0,0080
STANDART ENTRE 250 E 260 KVA - CHP DIURNO. AF_12/2016

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0161

PEDRA BRITADA N. 0, OU PEDRISCO (4,8 A 9,5 MM) POSTO


I 4720 M3 0,1520
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE

PEDRA BRITADA N. 1 (9,5 a 19 MM) POSTO


I 4721 M3 0,3040
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE

PEDRA BRITADA N. 2 (19 A 38 MM) POSTO


I 4718 M3 0,2280
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE

PEDRA BRITADA N. 3 (38 A 50 MM) POSTO


I 4722 M3 0,2280
PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE

I 1379 CIMENTO PORTLAND COMPOSTO CP II-32 KG 120,0000

I 4741 PO DE PEDRA (POSTO PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM FRETE) M3 0,6080

Página | 44
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

2. Itens e suas características

• Pá carregadeira sobre rodas: concha usada como medida padrão para


carregamento de material na usina misturadora e posterior carregamento
da mistura em caminhões basculantes para transporte ao local de
execução;
• Usina de concreto fixa: equipamento destinado à mistura do material;
• Grupo gerador: responsável pela geração de energia elétrica para
funcionamento da usina;
• Pedra britada n. 0, ou pedrisco (4,8 a 9,5 mm): material componente da
mistura;
• Pedra britada n. 1 (9,5 a 19 mm): material componente da mistura;
• Pedra britada n. 2 (19 a 38 mm): material componente da mistura;
• Pedra britada n. 3 (38 a 50 mm): material componente da mistura;
• Cimento portland composto CP II -32: material componente da mistura;
• Pó de pedra: material componente da mistura.

3. Equipamentos

• Pá carregadeira sobre rodas, potência 197 hp, capacidade da caçamba


2,5 a 3,5 m3, peso operacional 18338 kg;
• Usina de concreto fixa, capacidade nominal de 90 a 120 m3/h, sem silo;
• Grupo gerador diesel com carenagem, potência Standard entre 250 e 260
kva.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de concreto


para compactação com rolo, a ser obtido para construção de base e ou
sub-base para pavimentação.

Página | 45
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

5. Critérios de Aferição

• A composição foi desenvolvida por meio da referência disponível no


DNIT, tendo em vista que não há diferença de produtividade para o
serviço.
• A produtividade da usina utilizada é de 124,50 m³/h.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.

6. Execução

• A espessura da camada compactada não deve ser inferior a três vezes a


dimensão máxima do agregado no concreto, podendo ser admitida a
espessura de até 20 cm, desde que os ensaios de determinação da
massa específica demonstrem a homogeneidade do material em toda a
espessura da camada.
• Todas as operações necessárias ao preparo da mistura final devem ser
realizadas na central, restando apenas o transporte da mistura, já pronta,
para a pista, onde deve ser espalhada com as devidas precauções e de
modo que, após a compactação, apresente espessura, greide longitudinal
e seção transversal do projeto.

7. Informações Complementares

• Esta composição foi construída tomando como base a referência SICRO


6416092.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 46
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.075/01
EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE

CÓDIGO SIPCI COM BRITA GRADUADA SIMPLES – EXCLUSIVE CARGA E
TRANSPORTE. AF_09/2017
96396
Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0563

MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA


C 5932 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHP 0,0077
LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA (PRIMEIRA
C 5934 MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, LARGURA DA CHI 0,0084
LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA ENTRE
C 5901 CHP 0,0058
EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE DE AÇO
PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO TOTAL
23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG, DISTÂNCIA ENTRE
C 5903 CHI 0,0103
EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, INCLUSIVE TANQUE DE AÇO
PARA TRANSPORTE DE ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0039
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0122
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO AÇO
LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL MÁXIMO 8,1 T,
C 5684 CHP 0,0077
IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, LARGURA DE TRABALHO
1,68 M - CHP DIURNO. AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO AÇO
LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL MÁXIMO 8,1 T,
C 5685 CHI 0,0084
IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, LARGURA DE TRABALHO
1,68 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
USINAGEM DE BRITA GRADUADA SIMPLES, UTILIZANDO
C 96393 M³ 1,0000
BRITA COMERCIAL COM USINA 300 T/H. AF_06/2017

Página | 47
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

2. Itens e suas Características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo liso: equipamento utilizado para compactar o material empregado no
serviço.
• Brita graduada simples (BGS): material utilizado na execução de bases e
sub-bases para pavimentação.

3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;
• Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110 hp,
peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m;
• Rolo compactador vibratório de um cilindro aço liso, potência 80 hp, peso
operacional máximo 8,1 t, impacto dinâmico 16,15 / 9,5 t, largura de
trabalho 1,68 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de brita


graduada simples, a ser utilizado na construção de base e ou sub-base
para pavimentação, compactado com 100% da energia modificada.
5. Critérios de Aferição

• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/


reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das

Página | 48
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças


entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de brita
graduada simples.
• O volume de material considerado no coeficiente da composição auxiliar
é o volume compactado.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender grau de compactação de 100% da
energia modificada.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de
remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• É considerado na composição que o material empregado no serviço é
usinado, estando pronto para aplicação na obra.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base de brita


graduada simples (BGS) deve estar totalmente concluída, limpa,
desempenada e sem excessos de umidade.
• A BGS é transportada entre a usina de britagem e a frente de serviço
através de caminhões basculantes que a despejam no local de execução
do serviço (o transporte não está incluso na composição).
• A equipe auxilia a distribuição do material ao longo da frente de serviço.
• Na sequência, a motoniveladora percorre todo o trecho espalhando e
nivelando o material até atingir a espessura da camada prevista em
projeto.
• Assim que houver disponibilidade de frente de serviço, executa-se a
compactação da camada utilizando-se rolo compactador liso vibratório,
na quantidade de fechas prevista em projeto.
• Finalizada a compactação com o rolo liso vibratório, inicia-se a rolagem
com o rolo de pneus, na quantidade de fechas prevista em projeto, a fim

Página | 49
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

de atender as exigências de compactação e realizar o acabamento da


camada.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não estão inclusos na composição)
• Concluídos os ensaios, realiza-se, nos casos de bases, a imprimação
impermeabilizante com emulsão asfáltica.

7. Informações Complementares

• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para


execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• BRITA GRADUADA SIMPLES (BGS): 1,2778;
• BRITA GRADUADA TRATADA COM CIMENTO (BGTC): 1,2703;
• CONCRETO COMPACTADO COM ROLO (CCR): 1,2703.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 50
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.081/01
EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE

CÓDIGO SIPCI COM BRITA GRADUADA TRATADA COM CIMENTO –
EXCLUSIVE CARGA E TRANSPORTE. AF_09/2017
96397
Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0657

MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA


(PRIMEIRA MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG,
C 5932 CHP 0,0077
LARGURA DA LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO.
AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA
C 5934 (PRIMEIRA MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, CHI 0,0111
LARGURA DA LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0058
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0129
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0039
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0149
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO
AÇO LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL
C 5684 MÁXIMO 8,1 T, IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, CHP 0,0090
LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHP DIURNO.
AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO
AÇO LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL
C 5685 MÁXIMO 8,1 T, IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, CHI 0,0098
LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHI DIURNO.
AF_06/2014
USINAGEM DE BRITA GRADUADA TRATADA COM
C 96394 M³ 1,0000
CIMENTO, UTILIZANDO BRITA COMERCIAL COM USINA

Página | 51
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente
300 T/H. AF_06/2017

2. Itens e suas Características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Caminhão pipa: equipamento utilizado para hidratar o cimento e para
controle da umidade.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo liso: equipamento utilizado para compactar o material empregado no
serviço.
• Brita graduada tratada com cimento (BGTC): material utilizado na
execução de bases e sub-bases para pavimentação.

3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;
• Caminhão pipa 10.000 l, peso bruto total 23.000 kg, distância entre eixos
4,80 m, potência 230 cv inclusive tanque de aço para transporte de água,
capacidade 10 m3;
• • Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110
hp, peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m.;
• Rolo compactador vibratório de um cilindro aço liso, potência 80 hp, peso
operacional máximo 8,1 t, impacto dinâmico 16,15 / 9,5 t, largura de
trabalho 1,68 m.

Página | 52
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de brita


graduada tratada com cimento, a ser utilizado na construção de base e
ou sub-base para pavimentação, compactado com 100% da energia
modificada.

5. Critérios de Aferição

• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/


reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das
diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças
entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de brita
graduada tratada com cimento.
• O volume de material considerado no coeficiente da composição auxiliar
é o volume compactado.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender grau de compactação de 100% da
energia modificada.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de
remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• É considerado na composição que o material empregado no serviço é
usinado, estando pronto para aplicação na obra.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base de brita


graduada tratada com cimento (BGTC) deve estar totalmente concluída,
limpa e desempenada.
• O caminhão pipa umedece a camada sob a qual irá se executar a base
ou sub-base sem apresentar excessos de água, imediatamente antes do
espalhamento da BGTC.

Página | 53
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• A BGTC é transportada entre a usina de britagem e a frente de serviço


através de caminhões basculantes que a despejam no local de execução
do serviço (o transporte não está incluso na composição).
• A equipe auxilia a distribuição do material ao longo da frente de serviço.
• Na sequência, a motoniveladora percorre todo o trecho espalhando e
nivelando o material até atingir a espessura da camada prevista em
projeto.
• Assim que houver disponibilidade de frente de serviço, executa-se a
compactação da camada utilizando-se rolo compactador liso vibratório,
na quantidade de fechas prevista em projeto.
• Finalizada a compactação com o rolo liso vibratório, inicia-se a rolagem
com o rolo de pneus, na quantidade de fechas prevista em projeto, a fim
de atender as exigências de compactação e realizar o acabamento da
camada.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não inclusos na composição)
• Concluídos os ensaios, realiza-se, nos casos de bases, a pintura de cura
através de imprimação com emulsão asfáltica.

7. Informações Complementares

• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para


execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• BRITA GRADUADA SIMPLES (BGS): 1,2778;
• BRITA GRADUADA TRATADA COM CIMENTO (BGTC): 1,2703;
• CONCRETO COMPACTADO COM ROLO (CCR): 1,2703.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 54
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.087/01
EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE

CÓDIGO SIPCI COM CONCRETO COMPACTADO COM ROLO – EXCLUSIVE
CARGA E TRANSPORTE. AF_09/2017
96398
Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0563

MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA


(PRIMEIRA MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG,
C 5932 CHP 0,0077
LARGURA DA LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO.
AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA
C 5934 (PRIMEIRA MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, CHI 0,0084
LARGURA DA LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG,
C 5901 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHP 0,0056
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHP DIURNO. AF_06/2014
CAMINHÃO PIPA 10.000 L TRUCADO, PESO BRUTO
TOTAL 23.000 KG, CARGA ÚTIL MÁXIMA 15.935 KG,
C 5903 DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 4,8 M, POTÊNCIA 230 CV, CHI 0,0105
INCLUSIVE TANQUE DE AÇO PARA TRANSPORTE DE
ÁGUA - CHI DIURNO. AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96463 CHP 0,0039
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHP DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR DE PNEUS, ESTATICO, PRESSAO
VARIAVEL, POTENCIA 110 HP, PESO SEM/COM LASTRO
C 96464 CHI 0,0122
10,8/27 T, LARGURA DE ROLAGEM 2,30 M - CHI DIURNO.
AF_06/2017
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO
AÇO LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL
C 5684 MÁXIMO 8,1 T, IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, CHP 0,0077
LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHP DIURNO.
AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO
AÇO LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL
C 5685 MÁXIMO 8,1 T, IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, CHI 0,0084
LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHI DIURNO.
AF_06/2014
USINAGEM DE CONCRETO PARA COMPACTAÇÃO COM
C 96395 M³ 1,0000
ROLO, UTILIZANDO BRITA COMERCIAL. AF_06/2017

Página | 55
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

2. Itens e suas Características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Caminhão pipa: equipamento utilizado para a cura do concreto no caso
de CCR.
• Rolo de pneus: equipamento utilizado para compactar o material
empregado no serviço.
• Rolo liso: equipamento utilizado para compactar o material empregado no
serviço.
• Concreto compactado com rolo (CCR): material utilizado na execução de
bases e sub-bases para pavimentação.

3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;
• Caminhão pipa 10.000 l, peso bruto total 23.000 kg, distância entre eixos
4,80 m, potência 230 cv inclusive tanque de aço para transporte de água,
capacidade 10 m3;
• • Rolo compactador de pneus estático, pressão variável, potência 110
hp, peso sem/com lastro 10,8 / 27,0 t, largura de rolagem 2,30 m.;
• Rolo compactador vibratório de um cilindro aço liso, potência 80 hp, peso
operacional máximo 8,1 t, impacto dinâmico 16,15 / 9,5 t, largura de
trabalho 1,68 m.
4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de concreto


compactado com rolo, a ser utilizado na construção de base e ou sub-
base para pavimentação, compactado com 100% da energia modificada.

Página | 56
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

5. Critérios de Aferição

• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/


reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das
diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças
entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de
concreto compactado com rolo.
• O volume de material considerado no coeficiente da composição auxiliar
é o volume compactado.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada considerando atender grau de compactação de 100% da
energia modificada.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de
remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• É considerado na composição que o material empregado no serviço é
usinado, estando pronto para aplicação na obra.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base de concreto


compactado com rolo (CCR) deve estar totalmente concluída, limpa e
desempenada e quando previsto em projeto, deve ser recoberta com
uma película isolante impermeabilizante (não incluso na composição).
• O caminhão pipa umedece a camada sob a qual irá se executar a base
ou sub-base sem apresentar excessos de água, imediatamente antes do
espalhamento do CCR.
• O CCR é transportado entre a usina e a frente de serviço através de
caminhões basculantes que a despejam no local de execução do serviço
(o transporte não está incluso na composição).
• A equipe auxilia a distribuição do material ao longo da frente de serviço.

Página | 57
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Na sequência, a motoniveladora percorre todo o trecho espalhando e


nivelando o material até atingir a espessura da camada prevista em
projeto.
• Assim que houver disponibilidade de frente de serviço, executa-se a
compactação da camada utilizando-se rolo compactador liso vibratório,
na quantidade de fechas prevista em projeto.
• Finalizada a compactação com o rolo liso vibratório, inicia-se a rolagem
com o rolo de pneus, na quantidade de fechas prevista em projeto, a fim
de atender as exigências de compactação e realizar o acabamento da
camada.
• Posterior à compactação procede-se com os ensaios do grau de
compactação (não estão inclusos na composição)
• Concluídos os ensaios, realiza-se, nos casos de bases, a pintura de cura
através de imprimação com emulsão asfáltica.

7. Informações Complementares

• Para efeitos de cálculo do volume de material solto necessário para


execução de um m³ de material compactado, proposto no referido
serviço, o coeficiente de empolamento a ser empregado, a título de
referência, pode ser (conforme o tipo de solo):
• BRITA GRADUADA SIMPLES (BGS): 1,2778;
• BRITA GRADUADA TRATADA COM CIMENTO (BGTC): 1,2703;
• CONCRETO COMPACTADO COM ROLO (CCR): 1,2703.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 58
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.095/01
EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE

CÓDIGO SIPCI COM PEDRA RACHÃO – EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO, CARGA E
TRANSPORTE. AF_09/2017
96399
Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0826

ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,


C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, POTENCIA CHP 0,0113
BRUTA 111 HP - CHP DIURNO. AF_06/2014
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, POTENCIA CHI 0,0123
BRUTA 111 HP - CHI DIURNO. AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO
PARA SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL
C 73436 CHP 0,0022
SEM/COM LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO
1,68 M - CHP DIURNO. AF_02/2016
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO
PARA SOLOS, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL
C 93244 CHI 0,0214
SEM/COM LASTRO 7,4 / 8,8 T, LARGURA DE TRABALHO
1,68 M - CHI DIURNO. AF_02/2016
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO
AÇO LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL
C 5684 MÁXIMO 8,1 T, IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, CHP 0,0031
LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHP DIURNO.
AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO
AÇO LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL
C 5685 MÁXIMO 8,1 T, IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, CHI 0,0205
LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHI DIURNO.
AF_06/2014
PEDRA DE MAO OU PEDRA RACHAO PARA
I 4730 ARRIMO/FUNDACAO (POSTO PEDREIRA/FORNECEDOR, M³ 1,3000
SEM FRETE)

Página | 59
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

2. Itens e suas Características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Escavadeira: equipamento utilizado para distribuir e espalhar o material
utilizado para execução do serviço.
• Rolo pé de carneiro: equipamento utilizado para acomodar o material
empregado no serviço.
• Rolo liso: equipamento utilizado para acomodar e dar o acabamento
superficial da camada.
• Rachão: material utilizado na execução de bases e sub-bases para
pavimentação.
3. Equipamentos

• Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m3, peso


operacional 17 t, potencia bruta 111 hp;
• Rolo compactador vibratório pé de carneiro para solos, potência 80 hp,
peso operacional sem/com lastro 7,4 / 8,8 t, largura de trabalho 1,68 m;
• Rolo compactador vibratório de um cilindro aço liso, potência 80 hp, peso
operacional máximo 8,1 t, impacto dinâmico 16,15 / 9,5 t, largura de
trabalho 1,68 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de rachão,


a ser utilizado na construção de base e ou sub-base para pavimentação.
5. Critérios de Aferição

• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/


reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das
diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças
entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.

Página | 60
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os


operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de
rachão.
• O volume de material considerado na composição é o volume do material
solto.
• A escavadeira é utilizada na composição apenas para executar a tarefa
de espalhamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada de modo a garantir a acomodação do material.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de
remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base em rachão deve


estar totalmente concluída, limpa, desempenada e sem excessos de
umidade.
• O rachão é transportado entre a usina de britagem e a frente de serviço
através de caminhões basculantes que o despejam no local de execução
do serviço (o transporte não está incluso na composição).
• A escavadeira distribui e acomoda uniformemente o rachão até atingir a
espessura de projeto.
• Assim que frentes de serviço vão sendo liberadas, executa-se a
acomodação e travamento do rachão com o emprego do rolo
compactador pé de carneiro, na quantidade de fechas prevista em
projeto.
• Finalizada a acomodação com o rolo pé de carneiro, inicia-se a rolagem
com o rolo liso vibratório, na quantidade de fechas prevista em projeto, a
fim de se realizar o acabamento da camada.
7. Informações Complementares

• Não se aplica.
8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 61
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0056 – Execução de sub-leito, leito, sub-base, base, etc

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.105/01
EXECUÇÃO E COMPACTAÇÃO DE BASE E OU SUB BASE

CÓDIGO SIPCI COM MACADAME SECO – EXCLUSIVE ESCAVAÇÃO, CARGA
E TRANSPORTE. AF_09/2017
96400
Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,1016

MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA


(PRIMEIRA MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG,
C 5932 CHP 0,0109
LARGURA DA LÂMINA DE 3,7 M - CHP DIURNO.
AF_06/2014
MOTONIVELADORA POTÊNCIA BÁSICA LÍQUIDA
C 5934 (PRIMEIRA MARCHA) 125 HP, PESO BRUTO 13032 KG, CHI 0,0181
LARGURA DA LÂMINA DE 3,7 M - CHI DIURNO. AF_06/2014
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5631 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, POTENCIA CHP 0,0139
BRUTA 111 HP - CHP DIURNO. AF_06/2014
ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SOBRE ESTEIRAS,
C 5632 CAÇAMBA 0,80 M3, PESO OPERACIONAL 17 T, POTENCIA CHI 0,0151
BRUTA 111 HP - CHI DIURNO. AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO
AÇO LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL
C 5684 MÁXIMO 8,1 T, IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, CHP 0,0046
LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHP DIURNO.
AF_06/2014
ROLO COMPACTADOR VIBRATÓRIO DE UM CILINDRO
AÇO LISO, POTÊNCIA 80 HP, PESO OPERACIONAL
C 5685 MÁXIMO 8,1 T, IMPACTO DINÂMICO 16,15 / 9,5 T, CHI 0,0244
LARGURA DE TRABALHO 1,68 M - CHI DIURNO.
AF_06/2014
PEDRA DE MAO OU PEDRA RACHAO PARA
I 4730 ARRIMO/FUNDACAO (POSTO PEDREIRA/FORNECEDOR, M³ 1,3000
SEM FRETE)
PO DE PEDRA (POSTO PEDREIRA/FORNECEDOR, SEM
I 4741 M³ 0,1000
FRETE)

Página | 62
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

2. Itens e suas Características

• Servente: empregado que auxilia os operários dos equipamentos na


execução do serviço.
• Motoniveladora: equipamento utilizado para espalhar e nivelar o material
utilizado para execução do serviço.
• Escavadeira: equipamento utilizado para distribuir e espalhar o material
utilizado para execução do serviço.
• Rolo liso: equipamento utilizado para acomodar o material graúdo e fazer
o material fino penetrar nos interstícios.
• Rachão: material utilizado na execução de bases e sub-bases para
pavimentação.
• Pó de pedra: material utilizado na execução de bases e sub-bases de
macadame seco.

3. Equipamentos

• Motoniveladora potência básica líquida (primeira marcha) 125 hp, peso


bruto 13032 kg, largura da lâmina de 3,7 m;
• Escavadeira hidráulica sobre esteiras, caçamba 0,80 m3, peso
operacional 17 t, potência bruta 111 hp;
• Rolo compactador vibratório de um cilindro aço liso, potência 80 hp, peso
operacional máximo 8,1 t, impacto dinâmico 16,15 / 9,5 t, largura de
trabalho 1,68 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar o volume de projeto (geométrico), em metros cúbicos, de


macadame seco, a ser utilizado na construção de base e ou sub-base
para pavimentação.

Página | 63
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

5. Critérios de Aferição

• A execução da base e ou sub-base refere-se tanto à construção/


reconstrução como ao recapeamento do pavimento. Apesar das
diferentes produtividades obtidas para estas situações, as diferenças
entre os custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes.
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da base e ou sub-base.
• Esta composição considera a execução de base e ou sub-base de
macadame seco.
• O volume de material considerado na composição é o volume do material
solto.
• A motoniveladora é utilizada na composição apenas para executar a
tarefa de espalhamento e nivelamento do pó de pedra.
• A escavadeira é utilizada na composição apenas para executar a tarefa
de espalhamento do material.
• A quantidade de fechas executadas pelos rolos compactadores foi
determinada de modo a garantir a acomodação do material e a
penetração do pó de pedra nos interstícios do rachão.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades de
remoção de camada vegetal, limpeza de terreno, corte e escavação. Para
tais atividades, utilizar composição específica de cada serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte de material feito por caminhões basculantes entre as frentes
de serviço.
• Os ensaios e testes feitos durante e após a conclusão do serviço não
estão considerados na composição.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a base ou sub-base de macadame


deve estar totalmente concluída, limpa, desempenada e sem excessos
de umidade.
• Os agregados finos (pó de pedra) e o macadame seco são transportados
entre a usina de britagem e a frente de serviço através de caminhões
basculantes que os despejam no local de execução do serviço (o
transporte não está incluso na composição).
• Inicia-se com a execução da camada de bloqueio, na qual os agregados
finos (pó de pedra) são espalhados e nivelados pela motoniveladora até
atingir a espessura prevista em projeto.
• Finalizada a camada de bloqueio, realiza-se a camada de macadame
seco, na qual a escavadeira distribuiu e acomoda uniformemente o
material até atingir a espessura da camada prevista em projeto.

Página | 64
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

• Na sequência, executa-se a o enchimento da camada de macadame


seco, na qual os agregados finos (pó de pedra) são espalhados e
nivelados pela motoniveladora para que se preencha os vazios da
camada de macadame seco.
• Assim que houver disponibilidade de frente de serviço, executa-se a
acomodação dos materiais com o emprego do rolo compactador liso, na
quantidade de fechas prevista em projeto, para se obter o travamento dos
agregados e realizar o acabamento da camada.

7. Informações Complementares

• Não se aplica.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 65
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0057 – Execução de pavimentações diversas

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.107/01

CÓDIGO SIPCI
EXECUÇÃO DE IMPRIMAÇÃO COM ASFALTO DILUÍDO CM-30. M²
AF_09/2017
96401
Vigência: 09/2017 Última atualização: 09/2017

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0020

ESPARGIDOR DE ASFALTO PRESSURIZADO, TANQUE 6


M3 COM ISOLAÇÃO TÉRMICA, AQUECIDO COM 2
C 83362 MAÇARICOS, COM BARRA ESPARGIDORA 3,60 M, CHP 0,0010
MONTADO SOBRE CAMINHÃO TOCO, PBT 14.300 KG,
POTÊNCIA 185 CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
ESPARGIDOR DE ASFALTO PRESSURIZADO, TANQUE 6
M3 COM ISOLAÇÃO TÉRMICA, AQUECIDO COM 2
C 91486 MAÇARICOS, COM BARRA ESPARGIDORA 3,60 M, CHI 0,0010
MONTADO SOBRE CAMINHÃO TOCO, PBT 14.300 KG,
POTÊNCIA 185 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4,
C 89035 PESO COM LASTRO DE 4.675 KG - CHP DIURNO. CHP 0,0017
AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4,
C 89036 PESO COM LASTRO DE 4.675 KG - CHI DIURNO. CHI 0,0014
AF_06/2014
VASSOURA MECÂNICA REBOCÁVEL COM ESCOVA
C 5839 CILÍNDRICA, LARGURA ÚTIL DE VARRIMENTO DE 2,44 M - CHP 0,0017
CHP DIURNO. AF_06/2014
VASSOURA MECÂNICA REBOCÁVEL COM ESCOVA
C 5841 CILÍNDRICA, LARGURA ÚTIL DE VARRIMENTO DE 2,44 M - CHI 0,0014
CHI DIURNO. AF_06/2014
ASFALTO DILUIDO DE PETROLEO CM-30 (COLETADO
I 41901 KG 1,2000
CAIXA NA ANP ACRESCIDO DE ICMS)

Página | 66
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

2. Itens e suas Características

• Servente: operário que aplica de forma manualmente o material asfáltico.


• Caminhão espargidor: equipamento que acondiciona e mantem o material
asfáltica na temperatura correta para aplicação.
• Trator de pneus: equipamento motriz utilizado em conjunto com a
vassoura mecânica rebocável para remoção de sujeira e detritos da via a
ser imprimada.
• Vassoura mecânica rebocável: equipamento acoplado ao trator de pneus
utilizado para remoção de sujeiras e detritos da via a ser fresada.
• Material asfáltico: do tipo CM-30, utilizado na imprimação
impermeabilizante ou ligante, entre as camadas de base – asfalto.

3. Equipamentos

• Espargidor de asfalto pressurizado, tanque 6 m3 com isolação térmica,


aquecido com 2 maçaricos, com barra espargidora 3,60 m, montado
sobre caminhão toco, pbt 14.300 kg, potência 185 cv;
• Trator de pneus, potência 85 cv, tração 4x4, peso com lastro de 4.675 kg;
• Vassoura mecânica rebocável com escova cilíndrica, largura útil de
varrimento de 2,44 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar a área total, em metros quadrados, de asfalto diluído CM-30, a ser


utilizado para imprimação impermeabilizante.

5. Critérios de Aferição

• A execução da imprimação refere-se tanto à construção/ reconstrução


como ao recapeamento do pavimento. Apesar das diferentes

Página | 67
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

produtividades obtidas para estas situações, as diferenças entre os


custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da imprimação.
• É considerado o uso de vassoura mecânica rebocável acoplada a um
trator de pneus para fazer a limpeza da base ou da camada asfáltica a
ser imprimada.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades para
execução de base, sub-base, reforço de subleito e aplicação de concreto
asfáltico. Para tais atividades, utilizar composição específica de cada
serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte do material asfáltico entre a usina e a obra.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a imprimação asfáltica deve estar


totalmente concluída, limpa, desempenada e sem excessos de umidade.
• A aplicação da emulsão asfáltica é realizada em uma única vez, com
caminhão distribuidor de emulsão asfáltica com barra espargidora de
distribuição.
• Nos locais inacessíveis à barra, a aplicação é realizada em uma única
vez com a mangueira de operação manual para aspersão (caneta).

7. Informações Complementares

• Não se aplica.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 68
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

CADERNO TÉCNICO DO SERVIÇO

1. COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE SERVIÇO

Classe: PAVI - PAVIMENTAÇÃO


Tipo: 0057 – Execução de pavimentações diversas

Código / Seq. Descrição da Composição Unidade


03.PAVI.BASE.109/01

CÓDIGO SIPCI
EXECUÇÃO DE IMPRIMAÇÃO LIGANTE (PINTURA DE M²
LIGAÇÃO) COM EMULSÃO ASFÁLTICA RR-2C. AF_09/2017
96402
Vigência: 09/2017 Última atualização: 11/2018

COMPOSIÇÃO
Item Código Descrição Unidade Coeficiente

C 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,0011

ESPARGIDOR DE ASFALTO PRESSURIZADO, TANQUE 6


M3 COM ISOLAÇÃO TÉRMICA, AQUECIDO COM 2
C 83362 MAÇARICOS, COM BARRA ESPARGIDORA 3,60 M, CHP 0,0004
MONTADO SOBRE CAMINHÃO TOCO, PBT 14.300 KG,
POTÊNCIA 185 CV - CHP DIURNO. AF_08/2015
ESPARGIDOR DE ASFALTO PRESSURIZADO, TANQUE 6
M3 COM ISOLAÇÃO TÉRMICA, AQUECIDO COM 2
C 91486 MAÇARICOS, COM BARRA ESPARGIDORA 3,60 M, CHI 0,0007
MONTADO SOBRE CAMINHÃO TOCO, PBT 14.300 KG,
POTÊNCIA 185 CV - CHI DIURNO. AF_08/2015
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4,
C 89035 PESO COM LASTRO DE 4.675 KG - CHP DIURNO. CHP 0,0017
AF_06/2014
TRATOR DE PNEUS, POTÊNCIA 85 CV, TRAÇÃO 4X4,
C 89036 PESO COM LASTRO DE 4.675 KG - CHI DIURNO. CHI 0,0006
AF_06/2014
VASSOURA MECÂNICA REBOCÁVEL COM ESCOVA
C 5839 CILÍNDRICA, LARGURA ÚTIL DE VARRIMENTO DE 2,44 M - CHP 0,0017
CHP DIURNO. AF_06/2014
VASSOURA MECÂNICA REBOCÁVEL COM ESCOVA
C 5841 CILÍNDRICA, LARGURA ÚTIL DE VARRIMENTO DE 2,44 M - CHI 0,0006
CHI DIURNO. AF_06/2014
EMULSAO ASFALTICA CATIONICA RR-2C PARA USO EM
I 41903 PAVIMENTACAO ASFALTICA (COLETADO CAIXA NA ANP KG 0,4500
ACRESCIDO DE ICMS)

Página | 69
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

2. Itens e suas Características

• Servente: operário que aplica de forma manualmente o material asfáltico.


• Caminhão espargidor: equipamento que acondiciona e mantem o material
asfáltica na temperatura correta para aplicação.
• Trator de pneus: equipamento motriz utilizado em conjunto com a
vassoura mecânica rebocável para remoção de sujeira e detritos da via a
ser imprimada.
• Vassoura mecânica rebocável: equipamento acoplado ao trator de pneus
utilizado para remoção de sujeiras e detritos da via a ser fresada.
• Material asfáltico: tipo RR-2C, utilizado na imprimação impermeabilizante
ou ligante, entre as camadas de base - asfalto, ou asfalto - asfalto.

3. Equipamentos

• Espargidor de asfalto pressurizado, tanque 6 m3 com isolação térmica,


aquecido com 2 maçaricos, com barra espargidora 3,60 m, montado
sobre caminhão toco, pbt 14.300 kg, potência 185 cv;
• Trator de pneus, potência 85 cv, tração 4x4, peso com lastro de 4.675 kg;
• Vassoura mecânica rebocável com escova cilíndrica, largura útil de
varrimento de 2,44 m.

4. Critérios para quantificação dos serviços

• Utilizar a área total, em metros quadrados, de emulsão asfáltica RR-2C, a


ser utilizado para imprimação ligante.

5. Critérios de Aferição

• A execução da imprimação refere-se tanto à construção/ reconstrução


como ao recapeamento do pavimento. Apesar das diferentes

Página | 70
SINAPI - Cadernos Técnicos das Composições de Aterros, Bases e Sub-
bases e Imprimações – Lote 3

produtividades obtidas para estas situações, as diferenças entre os


custos unitários dos serviços obtidos foram irrelevantes
• Para o levantamento dos índices de produtividade foram considerados os
operários que estavam envolvidos diretamente com as atividades para
execução da imprimação.
• É considerado o uso de vassoura mecânica rebocável acoplada a um
trator de pneus para fazer a limpeza da base ou da camada asfáltica a
ser imprimada.
• As produtividades desta composição não contemplam as atividades para
execução de base, sub-base, reforço de subleito e aplicação de concreto
asfáltico. Para tais atividades, utilizar composição específica de cada
serviço.
• As produtividades desta composição não contemplam nos índices o
transporte do material asfáltico entre a usina e a obra.
• Esta composição é válida para trabalho diurno.
• Esta composição não é válida para uso em pavimentação de aeroportos.

6. Execução

• A camada sob a qual irá se executar a imprimação asfáltica deve estar


totalmente concluída, limpa, desempenada e sem excessos de umidade.
• A aplicação da emulsão asfáltica é realizada em uma única vez, com
caminhão distribuidor de emulsão asfáltica com barra espargidora de
distribuição.
• Nos locais inacessíveis à barra, a aplicação é realizada em uma única
vez com a mangueira de operação manual para aspersão (caneta).

7. Informações Complementares

• Não se aplica.

8. Pendências

• Não se aplica.

Página | 71