Você está na página 1de 18

AS ROTINAS EM

CRECHE E JARDIM
C

DE INFÂNCIA
Uma rotina é mais do que saber a hora a que o
bebé come, dorme, toma banho e se vai
deitar. É também saber como as coisas são
feitas… as experiências do dia-a-dia das
crianças são as matérias-primas do seu
crescimento

(Evans & Ilfield, 1982, in Post, J. & Hohmann, M., 2011:193).


Todos os momentos podem ser
pedagógicos no trabalho com
crianças de zero a seis anos
(Craidy e Kaercher,2001)
• Segundo Piaget, se o adulto estiver realmente
empenhado na independência e na autonomia
infantil, precisa reduzir o seu exercício de poder
encontrando um tipo de interação que o leve a
esperar e a observar a criança, a escutá-la e a dar-lhe
espaço na tomada de decisões e na sua execução e
avaliação (in Zabalza, 1998:151).
Rotina promotora de autonomia
• Segundo Pereira (2014), a rotina fomenta o desenvolvimento de
competências sociais (autoestima positiva, auto-organização, curiosidade e
desejo de aprender …) que estão ligadas à construção da autonomia.

• Ajuda as crianças a tornarem-se responsáveis “no ambiente educativo,


construindo comportamentos e atitudes com um sentido gradualmente mais
autónomo” assim como a aprender “a ser, a estar, e a fazer” (Pereira, 2014,
p.13).
A rotina…
• Ao apropriar-se da rotina, a criança será capaz de, autonomamente,
“perseguir os seus interesses, fazer escolhas e tomar decisões, e resolver
problemas […] no contexto dos acontecimentos que vão surgindo”
(Hohmann & Weikart, 2003, p.224).

• É um aspeto bastante importante para impulsionar a autonomia nas crianças,


uma vez que as crianças ao reconhecerem o que vem antes ou depois, mais
facilmente realizam uma tarefa autonomamente.
A rotina em creche vs. Jardim de
Infância
• em creche valoriza-se a atenção personalizada no decorrer de
cada momento de cuidados,

• em jardim-de-infância valoriza-se principalmente a aquisição de


conteúdos temáticos tendo por base as orientações curriculares,
passando a atenção personalizada nos momentos destinados
aos cuidados para segundo plano, e tornando-se por vezes até
inexistente,
As rotinas …
• apesar de as crianças dos 3 aos 5 anos já não
precisarem de mudar a fralda, de dar o comer à boca
ou que as embalem na sesta, não significa que estes
cuidados deixem de ter importância e devam por isso
deixar de existir. Estes momentos são importantes para
estabelecer uma relação com a criança,
independentemente da faixa etária e por isso deve
conter uma componente pedagógica em ambos os
contextos.
Zabalza (1992) define seis pontos-chave relativamente
ao papel desempenhado pelas rotinas em contexto
pré-escolar:

• 1. Marcos de referência;
• 2. Segurança;
• 3. Captação do tempo;
• 4. Captação cognitiva;
• 5. Virtualidades, cognitivas e afetivas;
• 6. Atividades.
1. Os marcos de referência dizem respeito à liberdade de escolha
atribuída às crianças quando já conhecem a rotina, permite, a
adultos e crianças, dedicar as suas energias ao que se está
fazendo, sem preocupação do que virá depois.

2. a segurança sentida ao conhecerem a estrutura da rotina


proporciona às crianças autonomia e libertação da necessidade
de aprender, constantemente, como se processa cada momento
da rotina, permitindo-lhes assim sentirem-se mais donos do seu
tempo e mais seguros, pois sabem o que fazer.
3. A captação do tempo consiste no conhecimento das fases que
marcam uma sequência, como o início e o fim de um
determinado momento, o que acontece antes e depois ou
como as coisas são feitas, desempenhando um papel facilitador
na aprendizagem dos processos temporais.

4. à captação cognitiva, a perceção sensorial dos momentos


completa-se nas rotinas com uma captação cognitiva da
estrutura das atividades planificadas pelas crianças, isto é, a
liberdade de escolha que lhes é atribuída relativamente ao que
querem fazer, possibilita a conquistas afetivas.
5. as virtualidades cognitivas e afetivas advêm das atividades
realizadas ao longo das rotinas, através do seu processo e
envolvimento quer cognitivo, no que toca às aprendizagens
que esta tem implícitas, quer afetivo ou social, no que toca às
interações com os outros.

6. às atividades, importa salientar que cabe ao educador a


gestão das atividades a desenvolver, tendo em conta o Plano
Anual de Atividades e o Projeto Pedagógico de Sala.
Momentos da rotina em contexto pré-
escolar (creche e jardim-de-Infância) :
• O momento de acolhimento/saída - destinado à receção e entrega
das crianças, bem como à partilha/troca de informação entre o
encarregado de educação, ou outro familiar, e a equipa
pedagógica;

• O momento de brincadeira livre/dirigida - destinado às brincadeiras


livres, à apresentação de propostas por parte do educador e/ou à
realização de trabalhos/projetos do interesse das crianças;
Momentos da rotina em contexto pré-
escolar (creche e jardim-de-Infância) :
• O momento de alimentação - destinado às refeições realizadas
dentro do contexto, como o lanche da manhã e/ou da tarde e
o almoço;

• O momento de higiene - destinado aos cuidados de higiene


das crianças, como lavar as mãos, a boca, os dentes, a muda
da fralda ou a realização de necessidades fisiológicas.

• O momento de descanso - destinado à sesta/repouso das


crianças.
• Mesmo com uma estrutura simples, a rotina
Rotina Diária diária torna-se muito significativa, pois através
destes momentos chave, a criança consegue
Acolhimento
prever o que deve fazer: quando chega à

Atividades Planeadas ou Livres sala, após o almoço, …

• A rotina diária é o tipo de rotina mais evidente


Intervalo
em qualquer sala de Creche ou JI. É aquela
Atividades Planeadas ou Livres
que é mais significativa, por se repetir num
Almoço curto espaço de tempo, que qualquer
educador cria, tendo em conta as
Atividades Planeadas ou Livres
necessidades do grupo e o funcionamento

Saída da instituição (Oliveira-Formosinho, 1998).


A rotina diária é importante por três
razões:
1. proporciona “uma sequência planeamento-trabalho-síntese de memória”, ou seja,
ajuda a criança num processo de exploração e decisões acerca da sua
aprendizagem;

2. dá “azo a muitos tipos de interacção”, ou seja, interações de grande ou pequeno


grupo, adulto/criança e criança/criança;

3. proporciona “tempo para trabalhar numa grande variedade de ambientes”, ou


seja, na sala, ao ar livre, … ( Hohmann, Banet e Weikart ,1979).
rotina semanal
• diz respeito aos momentos/tarefas que são realizados em dias específicos da semana,
e que se repetem semanalmente. Muitas das vezes estes momentos-chave da semana
estão ligados às áreas de conteúdo a abordar, podendo cada dia ser dedicado a
uma área específica.

Rotina Semanal
2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira
Atividades de Atividades de Atividades Atividades de Atividades de
Expressão Expressão Plástica Expressão Expressão Motricidade no
Dramática Musical Plástica E Salão
Atividades de
Culinária

Áreas Transversais: Formação Pessoal e Social; Conhecimento do Mundo


• Todos os momentos, sejam eles desenvolvidos nos espaços
abertos ou fechados, deverão permitir experiências múltiplas,
que estimulem a criatividade, a experimentação, a imaginação,
que desenvolvam as distintas linguagens expressivas e
possibilitem a interação com outras pessoas (Craidy & Kaercher,
2001:68)

Você também pode gostar