Você está na página 1de 46

ESTADO DA PARAÍBA

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL


CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS

PORTARIA Nº 001 - DAT/2014


João Pessoa-PB, 13 de outubro de 2014.

Aprova os modelos de documentos e fluxogramas de


procedimentos administrativos, conforme NT –
CBMPB nº 013/2014 que dispõe sobre Procedimentos
Administrativos.

O DIRETOR DE ATIVIDADES TÉCNICAS no uso das atribuições que lhes são conferidas
pelo art. 19 da Lei nº 8.444 de 28 de dezembro de 2007 c/c o art. 2º da Lei nº 9.625 de 27
de dezembro de 2011, RESOLVE:

Art. 1º. Publicar os modelos de documentos e fluxogramas de procedimentos administrativos


a serem adotados pela Diretoria de Atividades Técnicas e Centros de Atividades Técnicas.

Art. 2º. Determinar aos órgãos de Atividades Técnicas a adoção das medidas necessárias
para o fiel cumprimento das prescrições contidas nesta desta portaria.

Art. 4º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação em Boletim Interno da
Corporação.

_______________________________________________
José Carlos de Souza Nóbrega – TC QOBM
Diretor de Atividades Técnicas
PROJETO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO (PCI)

SOLICITAÇÃO ELETRÔNICA
ANÁLISE DE PROJETOS

PCI

PAGAMENTO DA TAXA DO SERVIÇO

ANÁLISE

APROVADO ?
NÃO SIM

LAUDO TÉCNICO DE ANÁLISE ENTREGA PARA EXECUÇÃO

CORREÇÃO DAS PENDÊNCIAS SOLICITAÇÃO ELETRÔNICA


VISTORIA FINAL

VISTORIA FINAL
PROJETO TÉCNICO PARA INSTALAÇÃO E OCUPAÇÃO TEMPORÁRIA (PTIOT) e PROJETO
TÉCNICO PRA OCUPAÇÃO TEMPORÁRIA EM EDIFICAÇÃO PERMANENTE (PTOTEP)

SOLICITAÇÃO ELETRÔNICA
ANÁLISE DE PROJETOS

APRESENTAÇÃO DA
PTIOT/PTOTEP DOCUMENTAÇÃO COM PRAZO
MÍNIMO DE 7 DIAS
ANTECEDENTES AO EVENTO

PAGAMENTO DA TAXA DO SERVIÇO

ANÁLISE

APROVADO ?
NÃO SIM

LAUDO TÉCNICO DE ANÁLISE

CORREÇÃO DAS PENDÊNCIAS

ENTREGA PARA EXECUÇÃO

SOLICITAÇÃO ELETRÔNICA
VISTORIA FINAL

PAGAMENTO DA TAXA DO SERVIÇO

VISTORIA FINAL IMEDIATA


PROCESSO TÉCNICO SIMPLIFICADO (PTS)

A edificação será considerada PTS quando:


a) possuir área até 200 m²;
b) possuir até dois pavimentos, SOLICITAÇÃO ELETRÔNICA
desconsiderando o subsolo quando usado PROCESSO TÉCNICO SIMPLIFICADO
exclusivamente para estacionamento;
c) não possuir manipulação ou
armazenamento de fogos de artificio ou de
outros produtos explosivos ou perigosos;
d) possuir a saída dos ocupantes direta para a PAGAMENTO DA TAXA DO SERVIÇO
via pública;
e) não possuir locais de reunião de público;
f) não possuir produtos radioativos,
explosivos, inflamáveis ou combustíveis;
g) não possuir qualquer tipo de abertura
ENTREGA DAS NOTAS FISCAIS
através de portas, telhados ou janelas, para o REFERENTES ÀS MEDIDAS DE
interior de edificação adjacente. PROTEÇÃO INSTALADAS
(NT CBMPB Nº 007/2014)

EMISSÃO DO AUTO DE CONFORMIDADE IMEDIATAMENTE

FISCALIZAÇÃO POR AMOSTRAGEM

É PTS?
NÃO SIM

LTV COM PRAZO MÁXIMO DE 30 DIAS, VISTORIA


MULTA E CASSAÇÃO DO AUTO DE CONFORMIDADE

APROVADO ?
NÃO SIM

LTV COM PRAZO MÁXIMO DE 30 DIAS

TÉRMINO DO PRAZO TÉRMINO DO PRAZO VISTORIA

APROVADO ?
NÃO SIM

VISTORIA LTV COM PRAZO MÁXIMO DE 30 DIAS,


MULTA E CASSAÇÃO DO AUTO DE CONFORMIDADE

SOLITAÇÃO DE NOVA VISTORIA PELO


APROVADO ? PROPRIETÁRIO E/OU RESPONSÁVEL ANTES DO
NÃO SIM
TÉRMINO DO PRAZO ESTABELECIDO PELO LTV.

INTERDIÇÃO TEMPORÁRIA DAS ATIVIDADES


VISTORIA FINAL OU COMUM

EMISSÃO DO CERTIFICADO DE SOLICITAÇÃO ELETRÔNICA


APROVAÇÃO COM AUTORIZAÇÃO VISTORIA FINAL OU COMUM
PROVISÓRIA COM VALIDADE
CORRESPONDENTE AO CRONOGRAMA DE
CORREÇÃO DAS PENDÊNCIAS DO LTV
PAGAMENTO DA TAXA DO SERVIÇO

PODERÁ SER PRORROGADO, EM ATÉ 120 VISTORIA FINAL OU COMUM


DIAS PELO DIRETOR DE ATIVIDADES
TÉCNICAS MEDIANTE APRESENTAÇÃO
DE REQUERIMENTO E CRONOGRAMA DE
CORREÇÃO DAS PENDÊNCIAS DO LTV

APROVADO ?
NÃO SIM

LTV COM PRAZO MÁXIMO DE 30 DIAS LTV COM APROVAÇÃO DA EDIFICAÇÃO

TÉRMINO DO PRAZO EMISSÃO DO CERTIFICADO


DE APROVAÇÃO¹ NO PRAZO
VISTORIA FINAL OU COMUM MÁXIMO DE 10 DIAS

APROVADO ?
NÃO SIM

LTV COM PRAZO MÁXIMO DE 30 DIAS, MULTA LTV COM APROVAÇÃO DA EDIFICAÇÃO
E CASSAÇÃO DO CERTIFICADO DE APROVAÇÃO

EMISSÃO DO CERTIFICADO
TÉRMINO DO PRAZO DE APROVAÇÃO NO PRAZO
MÁXIMO DE 10 DIAS

VISTORIA FINAL OU COMUM

APROVADO ?
NÃO SIM

INTERDIÇÃO TEMPORÁRIA DAS LTV COM APROVAÇÃO DA EDIFICAÇÃO


ATIVIDADES OU EMBARGO

SOLITAÇÃO DE NOVA VISTORIA PELO EMISSÃO DO CERTIFICADO


PROPRIETÁRIO E/OU RESPONSÁVEL ANTES DO DE APROVAÇÃO NO PRAZO
TÉRMINO DO PRAZO ESTABELECIDO PELO LTV. MÁXIMO DE 10 DIAS
INTERDIÇÃO TEMPORÁRIA DAS ATIVIDADES OU EMBARGO

INTERDIÇÃO TEMPORÁRIA DAS


ATIVIDADES OU EMBARGO

COMUNICAÇÃO AO MINISTÉRIO
PÚBLICO, PREFEITURA MUNICIPAL,
POLÍCIA CIVIL E MILITAR

SOLICITAÇÃO DE NOVA VISTORIA PELO PROPRIETÁRIO


E/OU RESPONSÁVEL RELACIONADA À REGULARIZAÇÃO
DAS PENDÊNCIAS ESTABELECIDAS PELO LTV

VISTORIA FINAL OU COMUM

APROVADO ?
NÃO SIM

MANUTENÇÃO DA INTERDIÇÃO EMISSÃO DO TERMO DE


TEMPORÁRIA DAS ATIVIDADES OU DESINTERDIÇÃO OU DESEMBARGO
EMBARGO

LTV COM APROVAÇÃO DA EDIFICAÇÃO

EMISSÃO DO CERTIFICADO
DE APROVAÇÃO NO PRAZO
MÁXIMO DE 10 DIAS
ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS
DAT/1 – SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO


PROJETO TÉCNICO

MEMORIAL DESCRITIVO

PROTOCOLO Nº:

1. IDENTIFICAÇÃO DA EDIFICAÇÃO
Obra:

Endereço:

Bairro:
Município:
Proprietário:

Projetista:

CREA/CAU nº:
ART/RRT nº:

2. ELEMENTOS ESTRUTURAIS
Estrutura portante (concreto, aço, madeira):

Estrutura de sustentação da cobertura (concreto, aço, madeira):


3. FORMA DE APRESENTAÇÃO

Projeto de Segurança contra Incêndio

Projeto Técnico para Instalação e Ocupação Temporária (PTIOT)


Projeto Técnico para Ocupação Temporária em Edificação Permanente
(PTOTEP)

Conforme NT nº 004/214 e NBRs da ABNT

4. PARÂMETROS DE DIMENSIONAMENTO
Natureza da Ocupação: Área construída (m²):

Altura / nº de pavimentos (m): Risco (MJ/m²):

Marcar com um “X” o sistema preventivo previsto na edificação

5. MEDIDAS DE PROTEÇÃO EXIGIDAS


Acesso de Viatura na Edificação Extintores de Incêndio
Segurança Estrutural contra Incêndio e Brigada de Incêndio
Pânico
Compartimentação Horizontal Iluminação de Emergência
Compartimentação Vertical Detecção de Incêndio
Controle de Materiais de Acabamento Alarme de Incêndio
Saídas de Emergência Sinalização de Emergência
Plano de Intervenção de Incêndio Hidrantes
Mangotinhos Chuveiros Automáticos
Hidrantes Urbanos

Marcar com um x a existência de riscos especiais na edificação

6. RISCOS ESPECIAIS
Armazenamento de líquidos inflamáveis Fogos de artifício
Gás Liquefeito de Petróleo Vaso sob pressão (caldeira)
Armazenamento de produtos perigosos Outros (especificar)

7. DO ACESSO DE VIATURAS
Largura interna da via:
Altura e largura da entrada principal:

As vias devem suportar viaturas com peso de 25.000 Kgf.


Especificar o risco de cada área isolada

8. SEPARAÇÃO DE EDIFICAÇÕES
Distâncias entre edificações isoladas:
9. SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA
Quantidade:
Localização:

Especificar detalhes consideráveis e localização das sinalizações de emergência conforme NT nº


006/2013 (sinalização de orientação e salvamento, equipamentos e complementar de saídas e
obstáculos).
Especificar a sinalização noturna de obstáculos. (quando de sua obrigatoriedade).

DESCRIÇÃO DAS SINALIZAÇÕES

Símbolo /
Quantidade Significado Forma e cor Aplicação
Código
Símbolo:
retangular Escada
Escada de
Fundo: verde descendo à
emergência
Pictograma: esquerda
COD. 16 fotoluminescente

Descrever no campo aplicação à indicação da sinalização utilizada, bem como modificar o símbolo
conforme o sentido a ser sinalizado e tipo de sinalização (equipamentos, orientação e salvamento,
complementares).

9.1 SINALIZAÇÃO POR PAVIMENTO OU SETOR


Pavimento x
Quantidade Material/Equipamento

Pavimento y
Quantidade Material/Equipamento

DIMENSÃO DAS INDICAÇÕES DE SAÍDA (Conforme Tabela A-1 da NT CBMPB nº 006/2013)

Sinal Forma geométrica Cota Distância máxima de visibilidade


10. ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA
Altura do ponto de luz Intensidade máxima do ponto Iluminação ao nível do piso
em relação ao piso (m) de luz cd/m²
Tipo de luminária
Tipo de lâmpada
Potência em Watts
Fluxo luminoso (Lumens)
Ângulo de dispersão
Vida útil do elemento
gerador de luz

10.1 ILUMINAÇÃO POR PAVIMENTO OU SETOR


Pavimento x
Quantidade Material/Equipamento

Casa de Bombas
Quantidade Material/Equipamento

11. DETECÇÃO DE INCÊNDIO


Tipos Instalação Especificações

11.1 DETECÇÃO POR PAVIMENTO OU SETOR


Pavimento x
Quantidade Material/Equipamento

Pavimento y
Quantidade Material/Equipamento

12. ALARME DE INCÊNDIO


Tipo Sirenes Acionadores Especificações
12.1 ALARME POR PAVIMENTO OU SETOR
Pavimento x
Quantidade Material/Equipamento

Pavimento y
Quantidade Material/Equipamento

13. EXTINTORES DE INCÊNDIO


Risco da edificação:
Tipo de extintores:
Capacidade extintora:

13.1 EXTINTORES POR PAVIMENTO OU SETOR


Pavimento x
Quantidade Material/Equipamento

Pavimento y
Quantidade Material/Equipamento

14. SAÍDAS DE EMERGÊNCIA


Ocupação:
Altura:
Características construtivas:
Área do maior pavimento:
Número de saídas:
Número e tipos de escada:
Portas corta-fogo:
Dimensões das saídas:

15. HIDRANTES OU MANGOTINHOS


Quantidade:
Diâmetro de expedição (mm):
Tipo de registro:
15.1 TUBULAÇÃO
Diâmetro (mm):
Material:

15.2 MANGUEIRA
Tipo:
Pressão máxima (Kgf/cm²):
Diâmetro nominal (mm):
Comprimento dos lances (m):

15.3 ESGUICHO
Tipo:
Diâmetro nominal (mm):

15.4 RESERVA TÉCNICA DE INCÊNDIO (RTI)


Tipo de material:
Localização:
Volume (m³):
Volume total do reservatório (m³):
Altura sobre o hidrante mais desfavorável (m):

15.5 BOMBAS DE INCÊNDIO


Tipo:
Vazão (L/min):
Pressão (mca):
Tipo:
Vazão (L/min):
Pressão (mca):
Tipo:
Vazão (L/min):
Pressão (mca):

15.6 HIDRANTE MAIS DESFAVORÁVEL


Vazão (L/min):
Pressão (mca):
15.7 HIDRANTES POR PAVIMENTO OU SETOR
Pavimento x
Quantidade Material/Equipamento

Casa de Bombas
Quantidade Material/Equipamento

16. CHUVEIROS AUTOMÁTICOS


Risco:
Tipo de sistema:
Material:
Número de chuveiros:

16.1 TUBULAÇÃO
Diâmetro (mm):
Material:

16.2 RESERVA TÉCNICA DE INCÊNDIO (RTI)


Tipo de material:
Localização:
Volume (m³):
Volume total do reservatório (m³):
Altura sobre o hidrante mais desfavorável (m):

16.3 BOMBAS DE INCÊNDIO


Tipo:
Vazão (L/min):
Pressão (mca):
Tipo:
Vazão (L/min):
Pressão (mca):
Tipo:
Vazão (L/min):
Pressão (mca):
16.4 CHUVEIROS POR PAVIMENTO OU SETOR
Pavimento x
Quantidade Material/Equipamento

Casa de Bombas
Quantidade Material/Equipamento

17. HIDRANTES URBANOS


Vazão (L/min):

Características:

17.1 HIDRANTES URBANOS POR PAVIMENTO OU SETOR


Quantidade Material/Equipamento

18. PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS (SPDA)

18.1 SUBSISTEMA DE CAPTAÇÃO


Natural Não natural

Altura em Ângulo de
Nível de Altura do Captor –
relação ao Proteção (α)
Proteção Método Franklin
solo (suspiros)

18.2 SUBSISTEMA DE DESCIDAS


Natural Não natural

Espaçamento Seção do material


Nível de Proteção
Médio condutor
18.3 SUBSISTEMA DE ATERRAMENTO
Natural Não natural

Nível de Proteção Seção do material condutor

18.1 SPDA
Quantidade Material/Equipamento

19. CENTRAL DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO OU GÁS NATURAL

Especificar se será utilizado Central de GLP, GN ou que não possui aparelho técnico de queima.

20. COMPARTIMENTAÇÃO

Detalhar localização da compartimentação, proteção das portas, afastamentos das aberturas


(janelas, fachadas, coberta, paredes vizinhas).

21. BRIGADA DE INCÊNDIO


Grau de risco:
Quantidade de Brigadistas:
Nível de Treinamento:

22. MATERIAIS / EQUIPAMENTOS POR PAVIMENTO OU SETOR


Pavimento x
Quantidade Material/Equipamento

Casa de Bombas
Quantidade Material/Equipamento

_______________________________________
Nome do projetista
Graduação
CREA
ANEXO A

DIMENSIONAMENTO DAS SAÍDAS DE EMEGÊNCIA

Especificar detalhes consideráveis e janelas de exaustão de dutos de saída de ar, dutos de ventilação
nas antecâmaras, TRF dos elementos estruturais, métodos de extração de fumaça, entre outros.
ANEXO B

DIMENSIONAMENTO DO SISTEMA DE HIDRANTES

Especificar detalhes consideráveis relacionados ao dimensionamento e características do sistema de


hidrantes, incluindo pressurização e acionamento de bombas de incêndio, caso sejam necessárias,
condições dos abrigos, localização do recalque, entre outros.
ANEXO C

DIMENSIONAMENTO DO SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

Especificar detalhes consideráveis relacionados ao dimensionamento e características do sistema


dos chuveiros automáticos, incluindo pressurização e acionamento de bombas de incêndio, caso
sejam necessárias, localização das válvulas de governo e alarme, condições do recalque, entre
outros.
ANEXO D

DIMENSIONAMENTO DO SPDA

Especificar detalhes consideráveis relacionados à necessidade de instalação do SPDA e execução


do sistema
ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS
DAT/1 – SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS

LAUDO TÉCNICO DE ANÁLISE (LTA) nº _________ /_________

1. EDIFICAÇÃO
Proprietário ou Responsável

CPF nº RG nº
Endereço
Bairro Município
Área Natureza da Ocupação
Altura Risco
Projeto nº
ANÁLISE APROVADA

Considerando o prescrito na Lei Estadual nº 9.625 – Código Estadual de


Proteção Contra Incêndio, Explosão e Controle de Pânico de 27 de dezembro de
2011, Lei Estadual nº 8.444 de 28 de dezembro de 2007, demais Normas Técnicas
do CBMPB, NBRs da ABNT e NRs do MTE em vigor e, com o intuito de obter uma
solução para o caso em questão, solicitamos a correção das irregularidades
constantes no item 2, para que haja continuidade ao processo de Análise Técnica do
Projeto Técnico em questão.
2. IRREGULARIDADES CONSTATADAS
2.1 Documentação – Lei Estadual nº 9.625/2011
Ausência de ART’s de elaboração
Observações:

2.2 Extintores de Incêndio – NBR ABNT 12693


Indicar as unidades extintoras
Quando forem usadas unidades extintoras com Capacidades diferentes de um mesmo
agente, deve ser indicada a capacidade ao lado de cada símbolo
Observações:

2.3 Saídas de Emergência – NBR ABNT 9077


Distância máxima a ser percorrida
Detalhes de degraus
Detalhes de corrimãos
Detalhes de guarda-corpos
Largura das escadas, acessos, rampas e /ou descargas
Detalhe da ventilação efetiva da escada de segurança (quando houver)
Largura das portas das saídas de emergência
Indicar barra anti-pânico (quando houver)
Casa de máquinas do elevador de emergência (quando houver exigência)
Antecâmaras de segurança (quando houver exigência)
Indicar a lotação do ambiente quando se tratar de local de reunião de público, individualizando
a lotação por ambiente
Observações:

2.3.1 Pressurização de Escada de Segurança


Sala do grupo motoventilador
Localização do ponto de captação de ar
Detectores de acionamento do sistema
Localização da Central de Detecção de Incêndio
Localização da fonte alternativa de energia do sistema
Grelhas de Insuflamento
Caminhamento dos dutos
Localização do grupo motogerador
Janela de sobre pressão
Apresentação esquemática do sistema em corte
Acionadores manuais dos motoventiladores na sala do grupo motoventilador e no local de
supervisão predial com permanência humana constante
Elementos de Compartimentação de Riscos da sala do grupo motoventilador
Antecâmara de segurança e indicação da porta estanque quando a sala do grupo
motoventilador estiver localizada em pavimento que possa causar risco de captação de
fumaça de incêndio
Juntar o memorial de cálculo de vazão do sistema de pressurização da escada
Juntar o memorial de cálculo de vazão do sistema de pressurização do elevador de
emergência (quando houver exigência).
Observações:

2.4 Hidrantes – NBR ABNT 13714


Indicar os hidrantes ou mangotinhos
Indicar as botoeiras de acionamento da bomba de Incêndio
Indicar o dispositivo responsável pelo acionamento No barrilete, quando o sistema de
acionamento for Automatizado, bem como, a localização do Acionador manual alternativo da
bomba de incêndio Em local de supervisão predial, e com permanência humana constante
Indicar o registro de recalque, bem como o detalhe Que mostre suas condições de instalação
Quando houver mais de um sistema de hidrantes Instalado, deve ser indicado no registro de
recalque, a qual edificação ele pertence
Indicar o reservatório de incêndio e sua capacidade;
Indicar a bomba de incêndio principal e jockey (quando houver) com indicação de pressão,
vazão e potência
Quando forem usadas mangueiras de incêndio e esguichos com comprimentos e requintes
diferentes, devem ser indicadas as respectivas medidas ao lado do símbolo do hidrante
Deve constar a perspectiva isométrica completa (sem escala e com cotas)
Deve constar o detalhe da sucção quando o reservatório for subterrâneo ou ao nível do solo
Quando o sistema de abastecimento de água for através de fonte natural (lago, lagoa, açude
etc.), indicar a sua localização
Juntar o memorial de cálculo do sistema de hidrantes
Observações:

2.5 Sinalização de Emergência – NT nº 006/2013 – CBMPB


Deve ser lançada uma nota referenciando o atendimento do sistema de sinalização de
emergência de acordo com a NT 006/2013 CBMPB
Observações:

2.6 Iluminação de Emergência – NBR ABNT 10898


Os pontos de iluminação de emergência
Quando o sistema de iluminação de emergência for alimentado por grupo motogerador (gmg)
que não abranja todas as luminárias da edificação e áreas de risco, devem ser indicadas as
luminárias a serem acionadas em caso de emergência
O posicionamento da central do sistema
Fonte alternativa de energia do sistema
Quando o sistema for abrangido por GMG, devem constar em projeto técnico a abrangência,
autonomia e sistema de automatização
Duto de entrada de ar, parede corta-fogo e porta corta-fogo da sala do gmg quando o mesmo
estiver localizado em área com risco de captação de fumaça ou gases quentes provenientes
de um incêndio
Detalhe ou nota em planta da proteção dos dutos quando passarem por área de risco
Observações:

2.7 Detecção e Alarme de Incêndio – NBR ABNT 17240


Localização pontual dos detectores
Os acionadores manuais de alarme de incêndio
Os sinalizadores sonoros e visuais
Central do sistema
Painel repetidor (quando houver)
Fonte alternativa de energia do sistema
Observações:

2.8 Brigadas de Incêndio e Plano de Emergência – NBR ABNT 14276


Indicar existência de Brigada de Incêndio e memorial com quantidade mínima de brigadistas
Observações:

2.9 Compartimentação Horizontal e Vertical – NT Específica


Áreas compartimentadas e o respectivo quadro de áreas
Aba horizontal
Aba vertical
Afastamento de aberturas perpendiculares à parede corta-fogo para compartimentação
Tempo de resistência ao fogo dos elementos estruturais utilizados
Elementos corta-fogo
Parede corta-fogo para compartimentação
Vedador corta-fogo
Selo corta-fogo
Porta corta-fogo
Cortina corta-fogo
Cortina d’água
Vidro corta-fogo
Vidro para-chama
Observações:

2.10 Chuveiros Automáticos (Sprinklers) – NBR ABNT 10897


Localização das bombas do sistema com indicação da pressão, vazão e potência
A área de aplicação dos chuveiros hachurada para os respectivos riscos
Os tipos de chuveiros especificados
Localização dos cabeçotes de testes
Área de cobertura e localização das válvulas de Governo e alarme (vga) e dos comandos
secundários (cs)
Localização do painel de alarme
Locais onde foram substituídos os chuveiros por detectores de incêndio
Constar o esquema isométrico, podendo ser apenas da tubulação envolvida no cálculo
Indicar as especificações dos equipamentos envolvidos no cálculo
Juntar o memorial de cálculo do sistema de espuma e resfriamento
Observações:

2.11 Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas – NBR ABNT 5419


De acordo com NBR ABNT 5419
Ausente
Não possui Anotação de Responsabilidade Técnica (ART)
Sistema em desacordo com projeto de proteção contra incêndio e pânico
Observações:

2.12 Acesso de Viatura na Edificação e Áreas de Risco – NT específica


Largura da Via de Acesso
Indicação se a via de acesso é mão única ou mão dupla
Indicação do peso suportado pelo pavimento da via de acesso em Kgf
Largura e Altura do portão de entrada da via de acesso
Observações:

2.13 Separação entre Edificações – NT específica


Indicar a distância de outras Edificações
Indicar a ocupação
Indicar a carga de Incêndio
Indicar as aberturas nas fachadas e suas respectivas dimensões
Indicar a fachada da edificação considerada para o cálculo de isolamento de riscos e suas
respectivas dimensões
Parede corta-fogo para isolamento de risco
Juntar o memorial de cálculo de isolamento de risco
Observações:

2.14 Segurança Estrutural nas Edificações – NT específica


Constar o Tempo Requerido de Resistência ao Fogo (TRRF) das estruturas em nota ou
legenda e no memorial de construção, independente do tipo de estrutura
Identificar os tipos de Estrutura
Identificar em plantas as áreas das estruturas protegidas com material resistente ao fogo e, se
for o caso, os locais isentos de revestimento
Observações:

2.15 Controle de Materiais de Acabamento – NT – CBMPB nº 009/2014


Indicar os respectivos cortes ou em notas específicas, as classes dos materiais do piso,
parede, teto e forro, correspondentes a cada ambiente
Observações:

2.16 Carga de Incêndio – NT específica


Indicar a carga de incêndio específica para as ocupações
Juntar o memorial de carga de incêndio (quando necessário).
Observações:

2.17 Controle de fumaça– NT específica


Entrada de ar (aberturas, grelhas, venezianas e insuflação mecânica)
Exaustores naturais (entradas, aberturas, grelhas, Venezianas, clarabóias e alçapões)
Exaustores mecânicos
Dutos e peças especiais
Registro corta-fogo e fumaça
Localização dos pontos de acionamento alternativo Do sistema
Localização dos detectores de incêndio
Localização da central de alarme/detecção de Incêndio
Localização da casa de máquinas dos insufladores E exaustores
Localização da fonte de alimentação, quadros e Comandos
Juntar o memorial de dimensionamento e descritivo Da lógica de funcionamento do sistema
de controle De fumaça
Observações:
2.18 Sistema fixo de gases para combate a incêndio – NT específica
Indicar a botoeira alternativa para acionamento do Sistema fixo
Indicar a botoeira de desativação do sistema de Gases
Indicar a central do sistema de detecção e alarme De incêndio
Indicar os detectores de incêndio
Indicar a bateria de cilindros de gases
Indicar as áreas protegidas pelo sistema fixo de Gases
Indicar o tempo de retardo para evacuação do local
Deve constar o esquema isométrico somente da Tubulação envolvida no cálculo
Juntar o memorial de cálculo do sistema de gases Limpos e co2
Observações:

2.19 Armazenamento em silos – NT específica


Indicar o respiro da cobertura de cada silo
Indicar a largura das escadas;
Constar nota no quadro de informações sobre os Sistemas de que os elevadores devem ser
fechados Em poços estanques com paredes resistentes ao Fogo por 2 horas; que as
luminárias, inclusive as de Emergência, da área de risco são à prova de explosão E de pó;
que os transportadores verticais e horizontais São dotados de sensores automáticos de
Movimento, que desligam automaticamente os motores Ao ser detectado o escorregamento
da correia Ou corrente
Indicar nas escadas e elevadores as portas cortafogo (pcf) do tipo pcf-90, com fecho
automático Em todas as aberturas
Indicar o sensor de temperatura localizado entre Os dispositivos de produção de calor e o
secador
Indicar o dispositivo corta-fogo provido de alívio De explosão, no duto de conexão entre os
silos e o Dispositivo de coleta de poeira
Indicar na cobertura a vedação contra pós e contra Água
Indicar o sistema de detecção e de extinção de Faíscas nos dutos de transporte de poeira
Constar em todos os locais confinados ventiladores À prova de explosão, com acionamento
manual ou Automático
Indicar os dispositivos de alívio de explosão nos Equipamentos (dutos, silos de pó, coletores,
etc), Edificações e estruturas onde exista o risco de Explosão de pó
Observações:

2.20 Revenda de GLP – NBR ABNT 15514


Indicação da classe e capacidade de armazenamento
Saídas inadequadas
Dimensões das saídas inadequadas
Ausência de corredor de circulação
Distâncias mínimas de segurança inadequadas
Ausência e/ou quantidade de placas de sinalização de perigo inadequada
Extintores de incêndio inadequados
Sistema fixo inadequado
Observações:

2.20 Central de GLP – NBR ABNT 13523


Localização da central de GLP
Indicar a capacidade dos cilindros, bem como da capacidade total da central
Afastamentos das divisas de terrenos, áreas edificadas no mesmo lote e locais de risco
Local de estacionamento do veículo abastecedor, quando o abastecimento for a granel
Sistema de proteção da central
Localização do botijão e das aberturas previstas para ventilação e forma de instalação
Indicar os equipamentos de proteção contra incêndio (bombas de incêndio, esguichos
reguláveis, canhões monitores, aspersores, registro de recalque, entre outros), se houver
exigência de sistema de resfriamento
Constar o esquema isométrico, podendo ser apenas da tubulação envolvida no cálculo, se
houver exigência de sistema de resfriamento
Juntar o memorial de cálculo do sistema de resfriamento se houver exigência de sistema de
resfriamento
Observações:

2.21 Comercialização, distribuição e utilização de gás natural – NT específica


Indicar os compressores, estocagem e unidades de abastecimento de gás
Indicar as distâncias mínimas de afastamentos previstos na tabela da nbr 12236/94, para
postos que comercializem gás combustível comprimido
Indicar o local de estacionamento do veículo abastecedor quando o gás natural for distribuído
por este meio de transporte
Observações:

2.22 Fogos de artifício – NT – CBMPB nº 001/2012


Deve ser lançada uma nota referenciando o atendimento às distâncias de separação do
comércio à via pública, edifícios habitados e confrontantes de acordo com a NT – CBMPB nº
001/2012 CBMPB
Quantidades de fogos armazenados e suas classificações
Observações:

2.23 Segurança contra incêndio para heliponto e heliporto – NT específica


Sinalização do heliponto conforme previsto na respectiva norma
Indicar a capacidade de carga do heliponto
Observações:

2.24 Produtos perigosos em edificações e áreas de risco – NT específica


Indicar o centro de monitoramento ou a guarita
Indicar a quantidade e o local de armazenamento ou manipulação
Observações:

2.25 Cobertura de sapé, piaçava e similares – NT específica


Especificar qual o tipo de cobertura utilizada
Afastamentos dos limites do terreno e de postos de Abastecimento de combustíveis, gases
inflamáveis, Fogos de artifício ou seus depósitos
Localização de fogões, coifas e similares
Localização da central de GLP (quando houver)
Observações:

2.26 Hidrante urbano – NT – CBMPB nº 003/2012


Posicionamento dos hidrantes
O raio de ação do hidrante;
A vazão dos hidrantes
O traçado da rede de água que abastece os Hidrantes com indicação de seus diâmetros
Observações:

2.27 Túnel rodoviário – NT específica


Indicar a interligação dos túneis paralelos (quando for o caso)
Indicar o sistema de exaustão
Indicar as defensas das laterais do túnel
Indicar os detalhes dos corrimãos
Indicar as áreas de refúgio (quando houver);
Indicar as rotas de fuga e as saídas de emergência
Indicar as medidas de segurança contra incêndio Adotadas
Indicar o sistema de drenagem de líquidos e Bacias de contenção
Indicar o sistema de comunicação interna
Indicar o sistema de circuito interno de televisão
Observações:
2.28 Pátio de contêiner – NT específica
Indicar as áreas de segregação de cargas e respectivas proteções
Observações:

2.29 Subestação elétrica – NT específica


Indicar as áreas destinadas aos reatores, transformadores e reguladores de tensão
Indicar as vias de acesso a veículos de emergência
Indicar as paredes corta-fogo de isolamento de risco utilizadas no local
Indicar a bacia de contenção com drenagem do óleo isolante e a caixa separadora de óleo e
água
Detalhamento do sistema de água nebulizada para os casos de subestação compartilhada
Observações:

2.30 Segurança contra incêndio em cozinha profissional – NT específica


Indicar o caminhamento dos dutos de exaustão
Indicar o sistema fixo de extinção a ser instalado, quando for o caso
Observações:

2.31 Inspeção em instalações elétricas de baixa Tensão – NBR ABNT 5410


Deve constar no quadro resumo das medidas de segurança, nota esclarecendo o atendimento
da respectiva norma
Observações:
OBSERVAÇÕES:

1. A correção das não conformidades acima citadas não implica na pronta


aprovação do projeto, podendo ser encontradas outras irregularidades na reanálise
do mesmo, decorrentes das alterações que vierem a ser introduzidas.

2. Apresentar este laudo quando da solicitação da reanálise.

3. Caso haja discordância do presente laudo de análise do projeto, deverá ser


remetido documento devidamente fundamentado à Diretoria de Atividades Técnicas.

João Pessoa, _____ de ___________________ de __________.

Recebido em ____ de _____________ de _________,

às _____h______min.
______________________________________
Proprietário ou Responsável
____________________________________________ Analista de Projetos
ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS
DAT/2 – SEÇÃO DE VISTORIAS E PARECERES

LAUDO TÉCNICO DE VISTORIA (LTV) nº _________ /_________

1. EDIFICAÇÃO
Proprietário ou Responsável

CPF nº RG nº
Endereço
Bairro Município
Área Natureza da Ocupação
Altura Risco
Projeto nº
VISTORIA APROVADA

2. IRREGULARIDADES CONSTATADAS
2.1 Documentação
Ausência do Certificado de Aprovação
Ausência do Auto de Conformidade
Ausência de ART’s de execução
Ausência de Projeto de Segurança contra Incêndio
Observações:

2.2 Extintores de Incêndio – NBR ABNT 12693

Conforme NBR ABNT 12693


Sistema em desacordo com Projeto de Segurança Contra Incêndio
Ausentes Pressão de trabalho inadequada
Sinalização inadequada Vencido (s)
Insuficientes Obstruído (s)
Altura inadequada Ausência de sinalização
Observações:

2.3 Saídas de Emergência – NBR ABNT 9077


Conforme NBR ABNT 9077
Sistema em desacordo com Projeto de Segurança Contra Incêndio
Larguras mínimas inadequadas
Tipo de escada inadequado
Obstrução por instalações e/ou materiais
Ausência de piso antiderrapante nas escadas e/ou rampas de emergência
Altura do espelho do degrau da escada de emergência inadequado
As portas das rotas de fuga não abrem no sentido do fluxo
Ausência de barra antipânico nas portas de saída
As portas das antecâmaras e/ou escadas não possuem dispositivo que as mantenham
fechadas
Ausência de guarda – corpo
Altura de guarda – corpo inadequada
Os vidros utilizados como guarda-corpo não são de segurança do tipo laminado ou
aramado
Ausência de corrimão (s) nas escadas
Altura de corrimãos inadequada
Afastamento mínimo dos corrimãos à parede inadequado
Os corrimãos apresentam obstruções, arestas ou soluções de continuidade
Espaçamento de longarinas e/ou balaustres inadequado
Ausência de sinalização de orientação e salvamento (portas corta-fogo, orientação das
rotas de saída e/ou identificação dos pavimentos)
Sinalização inadequada
2.3.1 Elevador de Emergência
Ausência de Anotação de Responsabilidade (ART) do elevador de emergência

Sistema em desacordo com Projeto de Segurança Contra Incêndio


A alimentação elétrica do elevador de emergência não está independente do consumo
geral
O elevador de emergência não possui cabine para transporte de macas em edificações
do tipo H-2 E H-3
O painel de comando do elevador de emergência inexistente ou em local inadequado

Não possui chave de comando de reversão


Não possui dispositivo retorno e bloqueio

Não possui duplo comando automático e manual reversível

2.3.2 Escada à Prova de Fumaça Pressurizada


Ausência de Anotação de Responsabilidade (ART) da escada pressurizada
Sistema em desacordo com Projeto de Segurança Contra Incêndio
Sinalização da Escada Pressurizada inexistente e/ou inadequada
A alimentação elétrica da Escada Pressurizada não está independente do consumo
geral
Detectores de fumaça automáticos e manuais inexistentes ou inoperantes
Ausência de acionador manual do sistema de pressurização
Observações:

2.4 Hidrantes – NBR ABNT 13714


Conforme NBR ABNT 13714
Ausente
Sistema em desacordo com Projeto de Segurança Contra Incêndio
Abrigos, registros e/ou mangueiras de incêndio danificados
Ausência dos materiais exigidos nos abrigos (mangueiras de incêndio, esguicho (s),
chaves de mangueira, adaptador storz e /ou tampão)
O sistema de pressurização (bombas de incêndio, reforço ou de pressurização) não
está funcionando
A alimentação elétrica das bombas de incêndio não está independente do consumo
geral
Ausência e/ou obstrução do hidrante de recalque
Hidrante de recalque inadequado quanto à pintura do abrigo, materiais exigidos
(adaptador storz e tampão) e drenagem
Pintura da tubulação aparente da rede de hidrantes inadequada e/ou inexistente
Acessórios hidráulicos (válvulas de retenção, registro de paragem) não estão pintados
na cor amarela
Ausência de Alarme Audiovisual indicativo do uso de qualquer ponto do hidrante
Pressão/vazão inadequados
Ausência de sinalização
Sinalização inadequada
Observações:

2.5 Sinalização de Emergência – NT nº 006/2013 – CBMPB


De acordo com a NT 006/2013 – CBMPB
Ausente
Sistema em desacordo com Projeto de Segurança Contra Incêndio
Inadequada
Altura inadequada
Observações:

2.6 Iluminação de Emergência – NBR ABNT 10898


De acordo com a NBR ABNT 10898
Ausente
Sistema em desacordo com Projeto de Segurança Contra Incêndio
Insuficiente
Alguns pontos de iluminação de emergência não estão funcionando
Observações:

2.7 Detecção e Alarme de Incêndio – NBR ABNT 17240


De acordo com a NBR ABNT 17240
Ausente
Incompatibilidade entre o sinal de acionamento e identificação na central de alarme
Sistema em desacordo com Projeto de Segurança Contra Incêndio
Altura dos acionadores manuais e/ou avisadores sonoros inadequada
Sinalização padrão (cores) inadequada
Alguns acionadores manuais e/ou avisadores sonoros não estão funcionando
As indicações de alarme não estão sendo memorizadas na central
Ausência de sinalização
Sinalização inadequada
Distâncias entre detectores inadequados
Observações:

2.8 Instalações Elétricas de Baixa Tensão – NBR ABNT 5410


Conforme NBR ABNT 5410
Ausente
Os dispositivos de proteção não possuem o selo do INMETRO
Os componentes elétricos não estão isolados
As tomadas não são do tipo, dois polos e um aterramento
Os fios do circuito não tem diâmetro mínimo de 1,5 mm
Não possuir sinalização de advertência em locais de risco
Observações:
2.9 Brigadas de Incêndio e Planos de Emergência – NBR ABNT 14276
Conforme NBR ABNT 14276
Ausente
Ausência de Certificado de Curso de Formação de Brigadistas
Os integrantes não tiveram rendimento mínimo (50%) na avaliação do vistoriador
Número de Brigadistas Insuficientes
Brigada com organização inadequada
Observações:

2.10 Compartimentação Horizontal e Vertical – NT Específica

Conforme NBR ABNT

Ausente

O projeto não contempla compartimentação horizontal e/ou vertical


Distanciamento entre aberturas inadequado
Dimensionamento das paredes inadequado
Cada compartimento não possui, pelo menos, uma saída de emergência independente
Observações:

2.11 Chuveiros Automáticos (Sprinklers) – NBR ABNT 10897


Conforme NBR ABNT
Ausente
Sistema em desacordo com Projeto de Segurança Contra Incêndio
A alimentação elétrica das bombas de incêndio não está independente do consumo
geral
Quantidade de chuveiros inadequada
Sinalização inadequada ou inexistente do disjuntor da bomba e dos procedimentos
O sistema de pressurização (bombas de incêndio, reforço ou de pressurização) não
está funcionando
Ausência e/ou obstrução do hidrante de recalque
Acessórios hidráulicos (válvulas de retenção, registro de paragem, válvulas de governo
e alarme) não estão pintados na cor amarela
Hidrante de recalque inadequado quanto à pintura do abrigo, materiais exigidos
(adaptador storz e tampão) e drenagem
Observações:

2.12 Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas – NBR ABNT 5419


De acordo com NBR ABNT 5419
Ausente

Não possui Anotação de Responsabilidade Técnica (ART)


Sistema em desacordo com projeto de proteção contra incêndio e pânico
Observações:

2.13 Revenda de GLP – NBR ABNT 15514


Indicação da classe e capacidade de armazenamento
Saídas inadequadas
Dimensões das saídas inadequadas
Ausência de corredor de circulação
Distâncias mínimas de segurança inadequadas
Ausência e/ou quantidade de placas de sinalização de perigo inadequada
Extintores de incêndio inadequados
Sistema fixo inadequado
Observações:

2.14 Central de GLP – NBR ABNT 13523


De acordo com NBR ABNT 15514
Ausente
Não apresentar teste de estanqueidade
Sinalização inadequada ou inexistente
Local de armazenagem de cilindro inadequado
Observações:

Considerando o prescrito na Lei Estadual nº 9.625 – Código Estadual de Proteção Contra


Incêndio, Explosão e Controle de Pânico de 27 de dezembro de 2011, Lei Estadual nº 8.444 de 28
de dezembro de 2007, demais normas de segurança supracitadas e, com o intuito de obter uma
solução para o caso em questão, solicitamos a correção das irregularidades constantes no item 2,
no prazo máximo de ____________________, após recebimento deste LTV, sob pena de multa,
interdição e demais sanções estabelecidas pela Lei Estadual nº 9.625, podendo implicar, inclusive,
em responsabilização de natureza criminal. O prazo estabelecido anteriormente pode ser
prorrogado através de requerimento ao Diretor ou Chefe de Atividades Técnicas. Seu processo
pode ser consultado eletronicamente através do sistema de licenciamento do CBMPB.

João Pessoa, _____ de ___________________ de __________.

Recebido em ____ de _____________ de _________,

às _____h______min. ______________________________________
Proprietário ou Responsável Vistoriador
____________________________________________
ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS
DAT/2 – SEÇÃO DE VISTORIAS E PARECERES

NOTIFICAÇÃO Nº _______/________

A(o) ___________________________________________________________________

Endereço: _______________________________________________________________

Considerando o prescrito na Lei Nº 9.625/11 (Código Estadual de Proteção Contra


Incêndio, Explosão e Controle de Pânico) de 27 de dezembro de 2011 e no art. 2º da Lei
Estadual nº 8.444 de 28 de dezembro de 2007, nas NBRs da ABNT e nas Normas
Técnicas do CBMPB, informamos que foi instaurado o procedimento administrativo de
aplicação de multa pelo (a) _________________________________________________
_______________________________________________________________________
_____________________________________________________________________.
O autuado deve apresentar à Diretoria de Atividades Técnicas no prazo máximo
de 15 (quinze) dias sua defesa por escrito, informando a motivo do não cumprimento das
exigências estabelecidas pelo CBMPB, assim como se as irregularidades foram
corrigidas.
Informamos que este procedimento não isenta o autuado de corrigir as
irregularidades.
João Pessoa, em ___ de _____________ de ______.

_____________________________________________________
Vistoriador da DAT
ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS
DAT/2 – SEÇÃO DE VISTORIAS E PARECERES

REQUERIMENTO DE PRORROGAÇÃO DE PRAZO

Anexo: Cronograma de correção das pendências estabelecidas no LTV Nº _____/_______

Considerando o prescrito no § 4º do artigo 15 na Lei Nº 9.625/11, que institui o Código


Estadual de Proteção Contra Incêndio, Explosão e Controle de Pânico, de 27 de dezembro de
2011, EU _____________________________________________________________________,
de CPF nº__________________________________, de R.G _________________________,
venho por meio deste, representando a (o) ___________________________________________,
localizada (o) na ________________________________________________________, de CNPJ
___________________________________________, solicitar a prorrogação do prazo em
_________ dias em virtude da inviabilidade do cumprimento do prazo exigido devido aos seguintes
motivos: ______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________.

______________________________________

Proprietário ou responsável
RG: ________________
CPF: _______________
ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS
DAT/2 – SEÇÃO DE VISTORIAS E PARECERES

TERMO DE INTERDIÇÃO Nº ______/______

A(o) ___________________________________________________________________

Endereço: _______________________________________________________________

Considerando o prescrito na Lei Estadual Nº 9.625 de 27 de dezembro de


2011 – Código Estadual de Proteção Contra Incêndio, Explosão e Controle de
Pânico, na Lei Estadual Nº 8.444 de 28 de dezembro de 2007 e na(s) NT(s)
CBMPB (Normas Técnicas do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba)
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________,
o diretor de Atividades Técnicas do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba vem
notificar a V.S.ª que, após Vistoria Técnica realizada no (a)
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
em ___ de _____________ de ______, localizado (a) na
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________,
foram constatadas as seguintes irregularidades: ___________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________
_________________________________________________________________.
Assim, com o intuito de garantir a segurança dos transeuntes e áreas
residenciais adjacentes ao (s) estabelecimento (s), fica a edificação
INTERDITADA, a partir desta data, até que sejam solucionadas as irregularidades
constatadas.
O não cumprimento desta determinação implicará em responsabilidade
de natureza criminal.

João Pessoa, ____ de _____________ de ______.

_______________________________________________

Vistoriador
ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS
DAT/2 – SEÇÃO DE VISTORIAS E PARECERES

TERMO DE APREENSÃO
Anexo: Lista de Apreensão

Autuado: ______________________________________ RG: _____________________

Testemunha: ___________________________________RG: _____________________

Endereço: _________________________________ Nº: ____ Bairro: _______________

Considerando o prescrito na Lei Nº 9.625/11 (Código Estadual de Proteção Contra


Incêndio, Explosão e Controle de Pânico) de 27 de dezembro de 2011 e no art. 2º da Lei
Estadual nº 8.444 de 28 de dezembro de 2007, nas NBRs da ABNT e nas Normas
Técnicas do CBMPB: ______________________________________________________
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________________,
a Diretoria de Atividades Técnicas realizou a apreensão de ________________________
________________________________________________________, listados em
anexo, armazenados e/ou comercializados de forma irregular e sem autorização do
CBMPB.
Todo os materiais apreendidos são de propriedade do (a) Sr.(a):
_____________________________________________________________, de nº RG:
______________________, CPF nº : ______________________. Os materiais descritos
no Anexo do termo foram apreendidos na
_______________________________________________________________________
_______________________________________________________________ às
__________ horas e _________ minutos e serão transportados para
__________________________________________________________________.

João Pessoa, em ______de ___________ de ______.

__________________________________

Vistoriador

__________________________________

Testemunha

__________________________________

Testemunha
ANEXO

LISTA APREENSÃO

QUANTIDADE TIPO OBSERVAÇÃO


ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS
DAT/2 – SEÇÃO DE VISTORIAS E PARECERES

DENÚNCIA nº _______/_______ Livro: ______ Folha: ______ Data: _____/_____/_____

1. EDIFICAÇÃO
Tipo de denúncia:

Solicitante (opcional):
Endereço:

Bairro: Município:
Área construída: Ocupação:
Nº de pavimentos: Risco:
Trajeto de orientação:
Telefone de contato:
ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS

Marca Holográfica
AUTORIZAÇÃO PROVISÓRIA
EVENTO TEMPORÁRIO

Nº ________/_________ Validade: 30 de setembro de 2014.

AUTORIZO o evento abaixo descrito, estando em acordo com as exigências


contidas na Lei nº 9.625, de 27/12/2011 (Código Estadual de Proteção contra
Incêndio Explosão e Controle de Pânico).

Evento:
Razão Social:
CNPJ/CPF:
Área:
Endereço:
Natureza da Ocupação:

Observações:

 Manter em local visível.


 Qualquer alteração das condições estabelecidas em vistoria acarretará na SUSPENSÃO
desta Autorização.

Registro do Documento (Ex.: 00001)


Local e Data:

Oficial da DAT Diretor da DAT


Vistoriador Diretor da DAT

____________________________________________________________________________
Rod BR 230, Km 29, nº 525, Jardim Veneza, CEP: 58088-200, J. Pessoa-PB, Tel: 3218-5733
Email: datcbmpb@gmail.com
Emergência: 193
ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL
CORPO DE BOMBEIROS MILITAR
DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS

Marca Holográfica
AUTORIZAÇÃO PROVISÓRIA

Nº ________/_________ Validade: 30 de setembro de 2014.

AUTORIZO a edificação abaixo, em decorrência da apresentação de


requerimento de prorrogação de prazo para correção das irregularidades
estabelecidas pelo LTV nº ________/________, firmado pela pessoa
física/jurídica abaixo especificada, em virtude da inviabilidade do cumprimento
no prazo exigido.

Razão Social:
CNPJ/CPF:
Área:
Endereço:
Natureza da Ocupação:

Observações:

 Manter em local visível.


 O não cumprimento das exigências estabelecidas pela Norma Técnica nº 013/2014
implicará em responsabilização de natureza administrativa, civil e/ou criminal.

Registro do Documento (Ex.: 00001)


Local e Data:

Oficial da DAT Diretor da DAT


Visto Administrativo Diretor da DAT

____________________________________________________________________________
Rod BR 230, Km 29, nº 525, Jardim Veneza, CEP: 58088-200, J. Pessoa-PB, Tel: 3218-5733
Email: datcbmpb@gmail.com
Emergência: 193