Você está na página 1de 15

REDE NACIONAL DAS ASSOCIAÇÕES JUVENIS DA GUINÉ-BISSAU

(RENAJ)

ELEIÇÕES GERAIS DOS ÓRGÃOS

Manifesto de Candidatura

Bissau, Dezembro de 2018


PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura
ÍNDICE

1. Contexto
2. Quem Somos?
3. Nossos Princípios
4. Nassa Visão
5. Nossos Propósitos
6. Nossas Motivações
7. Nossas Apostas e Nossas Prioridades
8. Como vamos fazer?
9. Nossas perspectivas
10. Anexo (Breve Relato Bibliográfico do Cabeça de
Lista)

2
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura
1. CONTEXTO

“Depois deste texto ter sido aprovado por unanimidade, a


primeira Assembleia Nacional da nossa história, exprimindo a vontade
soberana do nosso povo, proclama solenemente o Estado da Guiné-
Bissau”
(In) Texto de Proclamação da Independência da Guiné-Bissau

Com o supracitado texto, pela voz do Gneral João Bernardo Vieira, a Guiné-
Bissau constituiu-se Estado a 24 de Setembro de 1973, nas matas de colinas de
Boé, após uma longa e dificil luta de libertação nacional desencadeada pelo
povo guineense, inspirada nos princípios da liberdade, da justiça e de
autodeterminação dos povos.

Com sangue e suor, os combatentes da liberdade da pátria, sob a liderança do


glorioso pai das independências da Guiné e Cabo Verde, Amílcar Lopes Cabral,
combateram o colonialismo português e tornaram a Guiné-Bissau um país livre
e independente. Deram oportunidade aos guineenses de poderem sonhar e
realizar, de pensar pela própria cabeça e andar com os próprios pés, como
profetizou Amílcar.

Duarante a luta de libertação nacional, a juventude guineense demonstrou


bravura e assumiu protagonismo em todas as suas fases até a conquista da
independência, o que equivale dizer que a juventude guineense deu
independência ao país. A conquista da independência era o que para Amílcar
constituía objectivo menor, presidido por um objectivo maior – de criar
melhores condições de vida a todos os guineenses, ou seja, “kumpu Tera”.

Da independência a presente data, o anseio do povo guineense de ver


desenvolvido o país tem constituído cada vez uma miragem, um objectivo
difícil de se alcançar, devido as incessantes crises motivadas pelas crispações
político-partidárias que a Guiné-Bissau conheceu ao longo da sua história.

Perante estas lutas político-partidárias, a juventude guineense, diferente do que


sonhou Amílcar Cabral, sempre viu o seu futuro hipotecado, relegado a um
devir que nunca mais se chega. Como se não bastasse, a crescente captura da
consciência juvenil pelos partidos e actores políticos tem-se propagado,
conduzindo a juventude guineense à uma clara divisão que a cada dia se
cristaliza.

Hoje, apesar de constituir aproximadamente 60% da população guineense, a


juventude enfrenta grandes dificuldades na transição para a independência
política, económica, social e cultural, não sendo capaz de atingir expectativas e
exigências da globalização.

3
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura
Acreditamos que a juventude sendo a categoria social mais importante em
termos demográficos, se este dividendo não for capitalizado, orientado e
investido na transformação positiva do país, pode constituir um risco a própria
sociedade. Para cobrir este vazio, o movimento associativo juvenil surgiu como
alternativa, com o surgimento das organizações e grupos juvenis, servindo de
espaços de socialização, capacitação e de emancipação política, económica,
social e cultural de jovens.

Fundada a 28 de Janeiro do ano 2000, a Rede Nacional das Associações Juvenis


da Guiné-Bissau (RENAJ) foi constituida como Fórum de Concertação,
Coordenação e Apoio às organizações juvenis do país, após uma jornada de
reflexão promovida pelas organizações juvenis com vista a analisar os
principais problemas da juvetude. Ao longo da sua existência, a RENAJ sempre
marcou presença no plano nacional e internacional, e rápidamente se fez
afirmar como a mais proactiva e dinâmica plataforma juvenil do país.

Como resultado de vários factores, o Movimento Associativo Juvenil sofreu


colapsos que acabaram por afectar a capacidade de resposta das organizações
juvenis em fazer face aos desafios prementes: de melhoria de performance
institucional e da capacidade de captação de recursos; da consolidação e
ampliação das redes de parcerias; da redinamização das organizações juvenis
de base local, sectorial e regional; da adopção de novas estratégicas de
intervenção em diferentes momentos da vida do país, entre outros desafios, que
hoje reclamam uma outra capacidade de resposta das organizações juvenis.

Neste exacto e histórico momento, a RENAJ realiza mais uma Assembleia Geral
Ordinária, com vista a legitimação de novos órgãos sociais. Isto acontece num
momento particularmente sensível da vida do país, não só por coincidir com a
realização das eleições legislativas, mas também, porque se realiza num
momento em que a crise democrática e de sucessão de lideranças tem afectado
diferentes estruturas e plataformas juvenis do país.

Nesta esteira, urge construir um projecto de liderança da RENAJ capaz de


promover a unidade, coesão e espírito democrático, assente no pluralismo
ideológico, no debate de idéias e projectos de desenvolvimento institucional,
capaz de responder às demandas e legítimas aspirações de jovens guineenses,
partindo da premissa de estabelecimento de um novo compromisso com as
organizações juvenis e juventude guineense no geral.

4
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura

PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”

2. QUEM SOMOS?

A LISTA “Por Um Novo Compromisso” – é um projecto que parte da premissa


de que é preciso que a RENAJ estabeleça um novo compromisso com
organizações juvenis filiais e a juventude guineense no geral, com vista a
responder às suas demandas e legítimas aspirações, promovendo a unidade,
coesão e espírito democrático dentro da instituição, assente no pluralismo
ideológico, no debate de idéias e projectos de desenvolvimento institucional.
Porém, acreditamos que só será possível uma mudança de paradigmas partindo
da redefinição da missão da RENAJ em função dos hodiernos desafios impostos
pela dinâmica socioplítica, económica e cultural do país, sem se descorar duma
visão holistica e glocal dos fenômenos que afectam mundialmente a população
jovem.

O nosso projecto de liderança surge como resultado duma ampla reflexão


promovida pelos antigos dirigentes, actuais membros dos órgãos sociais, e
escrutinado pelas organizações juvenis filiais da RENAJ, tornando assim
legítimo as nossas visões e aspirações.

Designado -“Por Um Novo Compromisso” – pretende-se que a RENAJ renove


o seu compromisso com a juventude guineense, partindo duma profunda
introspecção dos avanços e recuos verificados ao longo da sua jovem
caminhada. Um renovar de compromisso assente nos valores inalienáveis tais
como: autodeterminação, inalienabilidade, transparência e liberdade.

Definimos como slogan: “Por Uma Juventude Autodeterminada e com


Consciência Inalienável”, porque achamos que urge assumirmos enquanto
jovens as nossas responsabilidades na definição do rumo que o país deve tomar
doravante, o que passa necessáriamente pelo resgate de respeito que outrora
caracterizava a juventude guineense.

5
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura

3. NOSSOS PRINCÍPIOS

O Projecto “Por Um Novo Compromisso” define como princípios


fundamentais e irrenunciáveis:

a) Autodeterminação
b) Inalienabilidade
c) Liberdade
d) Justiça
e) Transparência

4. NOSSA VISÃO

O Projecto “Por Um Novo Compromisso” ambiciona transformar a RENAJ


numa instituição de voluntariado profissional, reconhecida nacional e
internacionalmente, e que sirva as legítimas aspirações de jovens guineenses.

5. NOSSOS PROPÓSITOS?

“Por Um Novo Compromisso” – partimos com`o propósito de estabelecer um


novo contrato com as organizações juvenis filiais e a juventude guineense em
geral, restabelecendo a fé que outrora a juventude depositava na RENAJ,
fazendo um retorno à sua natureza originária de Fórum de Concertação,
Cordenação e Apoio às organizações juvenis.

Nossas aspirações assentam nos desafios emergentes das necessidades de:

a.

Reaproximar a RENAJ às associações juvenis filiais, enquanto seus legítimos


donos e substracto primário da sua actuação, redinamizando as suas estruturas
de base local, sectorial e regional, melhorando as suas capacidades de
intervenção;

b.

Fazer um retorno aos anseios dos fundadores da RENAJ, de ter uma estrutura
que sirva de espaço de concertação, coordenação e de apios às organizações
juvenis, captando recursos e sua consequente afectação à estas, e não ela
própria assumir este protagonismo;

c.

6
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura
Consolidar a democracia interna, promovendo a unidade, coesão e espírito
democrático dentro da instituição, assente no pluralismo ideológico, na
liberdade de expressão e de escolha;

d.

Transformar a RENAJ numa instituição de voluntariado profissional, com


performance reconhecida pelos parceiros nacionais e internacionais, abraçando
novos desafios impostos pelas exigências hodiernas.

6. NOSSAS MOTIVAÇÕES?

Face ao desmoronar dum Estado cuja edificação custou vidas de homens e


mulheres, e face a apatia da mais alta autoridade nacional, a juventude deve ser
vista como válvula de escape para salvar o país do naufrágio em que se
encontra. Daí achamos que a RENAJ enquanto interlocutor da juventude
guineense deve assumir um papel vanguarda na assunção desta
responsabilidade.

Cientes dos desafios e riscos que esta empreitada representa, e face a


necessidade de impulsionar emancipação política, económica, social e cultural
de jovens guineenses, o projecto “Por Um Novo Compromisso” emerge com
com visão clara para dar respostas as seguintes desafios:

Desafio – I | Reforma e refoço da capacidade institucional da RENAJ e


organizações juvenis filiais

Necessidade de reformar a RENAJ tanto de ponto de vista estrutural assim


como funcional, com vista a dar respostas aos seguintes problemas: (i)
existência de um quadro jurídico institucional desajustado com os desafios
actuais; (ii) distanciamento da RENAJ às organizações juvenis; (iii) queda da
dinâmica associativa a nível das estruturas regionais de representação; (iv)
fraco performance no domínio da cultura administrativa; (v) ineficácia na
resposta aos problemas de índole sociopolítico e económico do país.

Desafio – II |Redinamização das organizações juvenis membros da RENAJ e


promoção do Associativismo e Voluntariado

Redinamização das organizações juvenis membros da RENAJ constitui hoje


desafios importantes para revitalização do movimento associativo juvenil.

7
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura
Vários factores concorrem para manutenção do status quo em que se encontra o
processo associativo juvenil, tais como: (i) ausência de instrumentos para uma
intervenção pedagógico e curricular em matéria de associativismo,
voluntariado e problemáticas da educação global; (ii) ausência de regime
jurídico de base em matérias de associativismo e voluntariado; (iii)
insuficiências no domínio programático e a necessidade de melhorar as
capacidades das organizações juvenis; (iii) necessidade de adoptar de forma
efectiva o sistema de Educação Global, com as metodologias da Eduação Não
Formal nos processos educativos da RENAJ, constituem hoje desafios cristais
do movimento associativo juvnil guineense.

Desafio – III | Lobby, Advocacia e Proatividade na defesa dos interesses de


jovens e monitorização das Políticas Públicas

Ausência duma intervenção cívica activa na defesa dos diretos e interesses de


jovens é um dos desafios que, face a conjuntura política e social do país, urge
dar respostas. Ineficácia na adopção das políticas públicas da juventude: (i)
apatia das autotidades governamentais na implementação da Política Nacional
da Juventude; (ii) falta de alinhamento das orientações estratégicas da
organização com o documento da Política Nacional de Voluntariado; (iii)
necessidade de se realizar uma ampla divulgação dos conteúdos da Política
Nacional da Juventude junto das estruturas juvenis de base local, sectorial e
regional; (iv) Pertinência de monitorização do processo da implementação das
políticas públicas do sector da juventude;

Desafio – IV |Emprego Jovem, Empreendedorismo e valorização das novas


Tecnologias de Informação e Comunicação

O desemprego juvenil constitui hoje um dos problemas mais gritantes dos


diferentes Estados africanos. Na Guiné-Bissau, dos 100% de desempregados,
jovens na idade laboral representam 30% do total. Este status é fortemente
motivado pela: (i) falta de mão-de-obra; (ii) baixo rendimento; (iii) inexistência
de fontes de financiamento às pequenas iniciativas geradoras de auto-
suficiência económica de jovens, (iv) Inoperância de programa de reforma e
consequente dificuldade de enquadramento dos jovens formados no sector
público; (iv) inacessibilidade às Tecnologias de Informação e Comunicação
(TIC).

8
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura

Desafio – V |Parcerias e Cooperação para Desenvolvimento Sustentável

Necessidade de reestabelecimeno de antigas relações de parcerias e


estabelecimento de novas no âmbito nacional e internacional.

7. NOSSAS APOSTAS e NOSSAS PRIORIDADES


I. Eixos prioritários

Eixo Prioritário 1. Reforma institucional e refoço da capacidade

A RENAJ deverá ser uma organização de voluntariado juvenil institucional forte, com
um quadro jurídio capaz de acompanhar as suas dinâmicas, reconhecida interna e
internacionalmente.

A reforma estruturofuncional da RENAJ, começando pelo ajustamento do


quadro jurídico institucional, constituirá prioridade número um, e passa
necessáriamente pela - (i) reforma dos estatutos, com vista a sua adequação à
dinâmica e desafios hodiernos; (ii) adopção do Regulamento de Funcionamento
Interno do Conselho Directivo; (iii) adopção do Manual de Procedimento
Administrativo, Financeiro e Contabilístico; (iv) promoção do impulso com
vista a regulação especial das matérias relativas ao processo eleitoral; (v)
institucionalização do Conselho Científico e Pedagógico (CCP); (vi) reforma
institucional da Rádio Jovem (vii) reaproximação da RENAJ às organizações
juvenis filiais; (viii) reorganização estrutural, funcional e do quadro jurídico
legal das estruturas regionais e de representação internacional; (ix) melhoria de
performance no domínio da cultura administrativa; (x) melhoria da capacidade
de resposta aos problemas de índole sociopolítico e económico do país; (xi)
Alinhamento do Plano Estratégico quinquenal da RENAJ aos planos nacionais
de desenvolvimento, Agenda Africana 2063 e Objectivos de Desenvolvimento
Sustentável; (xii) apoio directo aos planos e programas das organizações juvenis
filiais, dinamização e promoção da democracia interna nas suas estruturas.

Eixo Prioritário 2. Redinamização das organizações juvenis membros e


promoção do associativismo e voluntariado

Deverá constituir desafio da RENAJ a curto prazo, a reativação e redinamização das


organizações juvenis filiais, criação das capacidades com vista a melhorar as suas
interveções nas comunidades, e promoção do associativismo e voluntariado.

9
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura
Redinamizar as organizações juvenis membros da RENAJ constituirá desafio
prioritário do projecto “Por Um Novo Compromisso”, visando a revitalização
do movimento associativo juvenil, e será feita mediante: (i) recenseamento e
consequente mapeamento das organizações juvenis em todo país; (ii) criação
dum banco de dados contendo cadastro das organizações juvenis filiais;
(iii)OBS(CCP) capacitação periódica das lideranças e membros das
organizações juvenis filiais; (iv) monitorização e seguimento das organizações
juvenis; (v) advocacia para elaboração, adopção e implementação da Lei do
Associativismo e Voluntariado; (vi)OBS(CCP) criação de instrumentos para
uma intervenção pedagógico e curricular em matéria de associativismo,
voluntariado e problemáticas da educação global; (vii) adovocacia para criação
de regime jurídico de base em matérias de associativismo e voluntariado;
(viii)OBS(CCP) adopção de forma efectiva do sistema de Educação Global, com
as metodologias da Eduação Não Formal nos processos educativos da RENAJ;
(ix) captação e consequente afectação de recursos às organizações de base e
apoio na implementação das suas acções de voluntariado; (iv)
institucionalização da Escola Nacional de Voluntariado enquanto espaço
educativo global.

Eixo Prioritário 3. Lobby, Advocacia e Proatividade na defesa dos interesses


de jovens e monitorização das Políticas Públicas

A RENAJ deverá ser de forma efectiva uma ferramenta da juventude guineense para a
sua afirmação no processo de desenvolvimento sustentável do país, através de lobby e
advocacia junto do poder político na implementação de políticas públicas a favor de
jovens e promoção do Estado de Direito e Democrático.

Um retorno aos ideais que nortearam a criação da RENAJ em 2000, de servir


como instrumento de pressão da juventude guineense face ao poder político
será uma das prioridades presidentes do novo compromisso que se quer
assumir com sociedade e particularmente com os jovens guineenses, e passa
necessariamente pela: (i) reassunção do papel proactivo na defesa dos direitos
de jovens e na promoção do Estado de direito e democrático; (ii) manutenção
da impacialidade e equidistância nos jogos políticos; (iii) advocacia para
finalização do processo de adopção da Política Nacional Juventude (PNJ); (ii)
promoção duma ampla divulgação dos conteúdos integrantes da Política
Nacional Juventude; (iii) participação conjunta e promoção de iniciativas da
mobilização de recursos para efectivação dos programas das políticas da
juventude; (iv) coordenação com outras plataformas juvenis do país do

10
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura
processo de seguimento de implementação das políticas públicas do sector da
juventude.

Eixo Prioritário 3. Empreendedorismo e Empoderamento económico de


jovens

A RENAJ deverá ser uma instituição capaz de promover e incentivar o


empreendedorismo juvenil e criar as condições para que os jovens guineenses possam
económicamente emancipar.

Promoção do empreendedorismo e empodramento económico de jovens


constituirá um dos eixos prioridades do projecto “Por Um Novo
Compromisso”, e será feita mediante: (i) mobilização juvenil e política para
institucionalização dum Banco de Crédito Jovem; (ii) assistência técnica e
financeira aos jovens com pequenas ideias de negócio; (iii) promoção de
iniciativas empreendedoras com base nas novas tecnologias de informação e
comunicação (TIC), advocacia com vista a institucionalização duma política de
emprego jovem; (iv) criação dum cabinete de informação e orientação
profissional de jovens; construção e ou promoção de parcerias com as
instituições de formação técnico-profissional.

Eixo Prioritário 5. Parcerias e Cooperação para Desenvolvimento Sustentável

Para o projecto “Por Um Novo Compromisso”, parcerias e cooperações constituem


factores catalizadores e impulsionadores do desenvolvimento. Assim, a RENAJ será uma
instituição com ampla rede de parcerias a nível nacional e intenacional, desde governos,
organizações não governamentais, organizações subregionais e internacionais.

O projecto “Por Um Novo Compromisso” assegurará o desenvolvimento de


parcerias e cooperações mediante: (i) redefinição das políticas parceria e de
cooperação com o governo e outras intituições parceiras; (ii) promoção de
parcerias com instituições nacionais e internacionais para apoio a Bolsas de
Estudos aos jovens; (iii) melhoria de relacionamento com as instituições
governamentais do país; (iv) Estabelecimento de parcerias específicas com
instituições dos países da sub-região nos domínios da integração científica e
cultural; (v) Reforço da participação da RENAJ nos fóruns da juventude
africana.

11
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura

8. COMO VAMOS FAZER?

I. Principais orientações estratégicas

Orientação. Est 1. Reformas institucionais – mobilizar todas as organizações


juvenis de base local, sectorial e regional à uma profunda reflexão sobre as
causas da fraca dinâmica das estruturas regionais e de representação
internacional, e a partir desta reflexão impulcionar reformas do quadro jurídico-
legal da RENAJ.

Orientação. Est 2. Redinamização do Associativismo e Voluntariado –


repensar o modelo educativo instituido pela RENAJ, procedendo a efectiva
transição para o Sistema de Educação Global, com metodologias de Educação
Não Formal, com base na lógica da Glocalidade (PENSAR global e ATUAR
localmente) tendo sempre assente a idéia do desenvolvimento integral de
jovens.

Orientação. Est 3. Um especial atenção ao preendedorismo e Inovatividade –


uma forte advocacia junto das autoridades governamentais, instituições
financeiras nacionais, regionais e internacionais, com vista a captação de
recursos e sua consequente afectação aos jovens no desenvolvimento das suas
inicitivas empreendedoras.

Orientação. Est 4. Lobby e advocacia – reforço da capacidade de lobby e


advocacia para a efectiva implementação das orientações políticas e estratégicas
contidas no documento da Políticas Nacional de Voluntariado e planos
nacionais de desenvolvimento.

Orientação. Est 5. Redefinição da política de cooperação da RENAJ -


reestruturação consensual do quadro da gestão de parcerias, dinamização da
agenda de participação e representação nos fóruns nacionais, sub-regional e
internacional, marchando sempre na agenda global para o desenvolvimento.

9. NOSSAS PERSPECTIVAS

O projecto“Por Um Novo Compromisso”almeja a curto, médio e longo prazo


tranformar a RENAJ numa instituição de voluntariado profissionalmente
reconhecida, nacional, regional e internacionalmente, capaz de contribuir de

12
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura
forma mais robusta no desenvolvimento sociopolítico, económico, social e
cultural da Guiné-Bissau.

A curto prazo, pretende-se:

A. Proceder a reforma estrutural e funcional da RENAJ, ajustando o


quadcro jurídico-legal em função de novos desafios.
B. Ter uma instituição muito interventiva na defesa dos assuntos de
interesse de jovens e do país.
C. Institucionalizar a Escola Nacional de Voluntariado e o Conselho
Científico e Pedagógico;
D. Reaproximar a RENAJ às suas bases (organizações juvenis filiais e
estruturas regionais)

A médio prazo, pretende-se:

A. Construir uma rede de parceria sólida, capaz de assegurar o


desenvolvimento de projectos, programas e a implemntação do Plano
Estratégico Quinquenal da RENAJ.
B. Reforma institucional da Rádio Jovem;

A longo prazo, pretende-se:

A. Projectar a RENAJ na senda internacioal, e que seja reconhecida como


instituição de defesa e interlocução da juventude a nível nacional e
subregional.

ESTAS SÃO AS BASES DO NOVO COMPROMISSO QUE


PRETENDEMOS ASSUMIR COM AS ORGANIZAÇÕES JUVENIS E A
JUVENTUDE GUINEENSE EM GERAL.

Por um retorno a ideologia cabralista de “pensar pela própria cabeça e andar com
os próprio pés”.

13
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura

10. ANEXO

Breve Relato Bibliográfico do


Cabeça de Lista
que mais tarde viria a transforma-se em
Associação Juvenil para Promoção e Defesa
dos Direitos Humanos (AJPDH). Entre
2014-2018 exerceu a função de Presidente
da Associação Juvenil para Promoção e
Defesa dos Direitos Humanos (AJPDH),
transformando assim no primeiro
presidente da organização que fundou.
Entre 2014-2015 exerceu a função de
Responsável de Departamento de Saúde
SECO DUARTE NHAGA
Sexual e Reprodutiva da RENAJ e
Filho de Duarte António Nhaga e de
apresentador do Progama Radiofónico da
Cristina Mendonça, nasceu em Bissau
mesma instituição na Rádio Jovem - “Nô
(Bandim-Carracol).
Tcholona Kumpanher pa Um Moransa
Fez estudos iniciais na Escola Privada
Mindjor”.
“Povo para Povo” até concluir 4ª Classe.
Desde 2015 a presente data está a exercer a
Prosseguiu com os estudos secundários na
função de Secretário-geral da RENAJ.
Escola de Ensino Básico Unificado Bandim
Igualmente desde o mesmo período vem
Bilá, e concluiu os estudos liceais no Liceu
exercendo como formador da Oficina de
Samora Moisês Machel. Formado em
Técnicas de Elaboração e Gestão de
Enfermagem pela Escola Nacional de
Projectos da Escola Nacional de
Saúde, actualmente é estudante de 4° ano
Voluntariado.
de curso de Direito na Faculdade de Direito
Entre 2016-2017 exerceu a função de
de Bissau.
Responsável de Projectos e Programas da
Desde muito cedo desenvolveu
Associação Académica dos Estudantes da
capacidades de liderança, evidenciando ser
Faculdade de Direito de Bissau (AAEFDB).
um líder nato. Liderou grupos informais de
Entre 2017-2018 exerceu a função de
adolescentes no seu bairo (Bandim), e
Secretário de Assuntos Públicos e
tendo em conta que cedo dedicou-se a vida
Cooperação Internacional da Ordem dos
religiosa, chegou a exercer funções de
Enfermeiros da Guné-Bissau (OE-GB).
dirigente nos grupos da sua comunidade
SECO DUARTE NHAGA é conhecido
religiosa.
pelos jovens e organizações juvenis pelas
Foi membro da Associação de Amigos do
suas aparições públicas nos debates e nas
Centro de Saúde de Bandim (ACESA-
entrevistas nas rádios e TVs. Sua
Bandim), entre 2012 e 2013.
aproximação às organizações juvenis fez
Em 2013, juntamente com mais dois colegas
sementar simpatia de jovens a sua figura .
fundou O Colectivo União e Dinamismo,
Passou toda sua carreira associativa

14
PROJECTO - “Por Um Novo Compromisso”
Moção de Candidatura
ministrando cursos, dando palestras e
conferências as oranizações e grupos
informais de jovens.

VOTE!

15

Você também pode gostar