Você está na página 1de 13

12/03/2019

Prevenção primária e Psicologia da Saude

Psicologia Positiva Carlos Eduardo Seixas

Capacidade de florescer....

Saúde e Comportamento
• Comportamento de saúde: • Comportamentos de risco
comportamento ou habito que prematuro de morte,
promove a saúde, também deficiência e doenças
chamado de imunógeno cronicas:
comportamental. 1. Fumar
• Passatempos, lazer, esportes, 2. Alimentos gordurosos e
lidar com o estresse e manter baixa fibra
uma perspectiva otimista
sobre a vida (BPS) 3. Sedentarismo
• Continuum, dependendo do 4. Alcool e substancias
gênero e características da 5. Tratamentos ineficazes
personalidade;
6. Comportamento violento
- Afetam a curto ou longo prazo a saúde, e lesões involuntárias
comportamentos pro e contra se intercalam
- Bons hábitos elevam ate 8 anos a
estimativa de vida, 30% menos de morte
prematura.

1
12/03/2019

Teorias do comportamento da saúde

Crença de Saude

Comportamento
planejado

Transteórico

Beneficios
percebidos e risco
elevado

1. Modelo de crença de saúde


• Teoria em estágios que identifica quatro crenças
que influenciam as tomadas de decisão
relacionadas a comportamentos de saúde.

a) Suscetibilidade percebida
b) Gravidade percebida de ameaça a
saúde
c) Beneficios e barreiras percebidos
ao tratamento
d) Dicas para a ação.

O que influencia sua eficácia?


• Se considerarem que são • Intervenções educacionais
suscetíveis a condição visando mudar as crenças
• Se acreditarem que esta de saúde aumentam os
condição possa trazer comportamentos de
consequências pessoais serias proteção a saúde;
• Se acreditarem que uma linha • Percepção de barreiras são
de ação disponível irá reduzir determinantes mais
sua suscetibilidade ou importantes;
gravidade da condição • Ponto negativo: concentra-
• Se acreditarem que os custos se muito em atitudes de
de agir desta forma serão risco percebido em vez de
superados pelo benefícios respostas emocionais, que
ocasionados por faze-lo; podem prever o
• Se as influencias ambientais comportamento de forma
incentivarem a mudança mais precisa.

2
12/03/2019

2. Teoria do comporta-
mento planejado
• Prevê a atitude do comportamento
saudável com base em três fatores:
• A melhor maneira de prever se um comportamento
irá ocorrer ou não é medir a ‘intenção
comportamental’: decisão racional de realizar um
comportamento (ATITUDE PESSOAL)
• A NORMA SUBJETIVA é motivação e visões de
outras pessoas frente ao comportamento em
questão;
• O GRAU DE PERCEPÇÃO DE CONTROLE seria a
expectativa de sucesso, capacidade de obter
resultados esperados

• A ênfase no planejamento, acaba sendo mais


precisa para prever comportamentos intencionais
orientados para objetivos com um modelo racional.
• O que tu está disposto a fazer? O que tu planeja
fazer?
• Disposição comportamental: motivação de uma
pessoa em dado momento para envolver-se em
comportamento de risco; função de normas
subjetivas
• Disposição comportamental difere de intenção no
sentido que ela é reativa, em vez de deliberativa
• Comportamentos de risco possuem imagens sociais
claras que influenciam a disposição momentânea
de uma pessoa se comportar de certa forma.

3. Modelo transteórico
• ‘não estou pronto’
• Teoria de estágios que afirma a
passagem/momento da pessoa em
5 estágios característicos;
• Avalia a prontidão da pessoa para agir com um
novo comportamento mais saudável;
• Identifica estratégias e processos para lidar e
orientar os indivíduos;
• Natureza das circunstâncias, conceitualização e
compreensão.

3
12/03/2019

5 estágios da mudança
Prochaska e DiClemente (1982)

Pré
contemplação

Manutenção Estagios 1 e 2 apoio Contemplação


não diretivo;
Estagios 3 e 4 mais
diretivas.

Ação Preparação

1 – Pré Contemplação 2 - Contemplação


• Nenhuma intenção de • Consciência de que
mudar; existe um problema;

• Pouca consciência dos • Racionalização mais


problemas; insight; flexível;

• Racionalização extrema; • Pensam em superá-los;

• Buscam a terapia por • Não agem ainda, não


causa de terceiros, conseguem.
pressionados.

3 -Preparação 4 - Ação
• Intenção X Critérios • Modificação do
comportamentais para a comportamento;
mudança;
• Experiências novas,
• Pode haver um plano e passos concretos;
pretensão de executá-lo;
• Esperança e auto-
• Tentou agir sem sucesso, eficácia;
ou agirá em breve.
• Novos ambientes contra
os problemas.

4
12/03/2019

5 - Manutenção
• Evitar recaídas;

• Período superior à 6 meses;

• Solidificar ganhos da ação;

• Estabilizar mudança de comportamento;

• Prevenção a recaídas.

4. Benefícios percebidos de
comportamentos de risco elevado
• A maioria dos modelos procuram enfocar os riscos
de comportamentos insalubres, em vez dos
benefícios percebidos de comportamento de alto
risco para o individuo;
• Os benefícios do uso de álcool, por exemplo, são
mais prováveis do que os riscos físicos e sociais,
menos prováveis de acontecer;
• Os jovens tendem a avaliar os
prós x contras de seus
comportamentos.

Prevenções:
• Primária: ações que promovam a saúde, prevenindo doenças ou
lesões; caráter basicamente educativo e informativo;
• Secundaria: ações de identificar e tratar uma doença no início de
seu curso, palestras, reuniões, exames de rotina;
• Terciaria: ações para conter e retardar danos a partir de um
avanço da doença. Terapias, reabilitações, tratamentos diversos.

5
12/03/2019

Psicólogos na prevenção primária


• Incentivam médicos e outros colegas da
saúde a aconselharem seus pacientes;
poucas medidas preventivas;
• Incentivar ação em legislações e campanhas
educativas midiáticas;
• Aumentar a vida saudável diminuindo
comportamentos de risco;
• Disparidades em saúde em diferentes
segmentos da população
• Proporcionar acesso universal a serviços
preventivos.
• Prazer é menor em comportamentos de
saúde
• Alivios e gratificações imediatas são difíceis
de eliminar.

AIDS – sexo - preservativo


Malaria – mosquito - mosquiteiros
Cancer – cigarro – hábitos

6
12/03/2019

• Fonte da juventude
• Elixires
• Cremes
• Dispositivos
• Vitaminas
• Longevidade
• Mídia
• Expectativa de vida
saudável = reduzir
quantidade de tempo
que as pessoas
A busca por uma passam em
morbidade
vida saudável! (deficientes, doentes
ou com dor) BPS.

Exercícios

• ‘é o mais perto que podemos chegar da fonte


da juventude’
• Promove bem estar físico e psicológico, além
de desacelerar ou reverter muitos aspectos do
envelhecimento;
• Exercício aeróbico é o mais importante, pois
usa o oxigênio no processo de geração de
energia dos músculos. Trabalha uma grande
quantidade de grupos musculares de forma
rítmica (andar, correr, nadar, pedalar, dançar);
• Flexibilidade dos músculos, força no coração,
manter a densidade óssea, regulação
respiratória, células no sangue.

• Reduz pressão arterial, doenças cardiovasculares,


câncer, colesterol sérico total, arterioscleróide;
• Reduzir taxa de perda de densidade óssea com
minerais ósseos;
• Moléculas-Células de citocinas pro-inflamatórias e
glóbulos brancos no sangue;
• Melhoras no humor, auto confiança, auto estima,
combate ao estresse; memória;
• Ajustamento para os idosos conforme declínios do
funcionamento cardiovascular e respiratório;
• 150min semana
• 60min aeróbicos e
rítmicos continuados.

7
12/03/2019

Idosos e exercícios físicos


• 32% homens e 43% mulheres sedentários
• Mitos associados a prática do exercícios
• Podem acelerar a perda da densidade óssea, combater artrite,
infarto, asma
• Enferrujar ao invés de desgastar;
• Autoeficácia para os exercícios; Automotivação;
• Crenças sobre os benefícios; Falta de informações básicas sobre
benefícios;
• Dificeis, inúteis, perigosos, ser tarde demais;
• Estereótipos etaristas declinantes;
• Época de repouso e relaxamento;
• Se já faziam ou não exercícios antes.

Sono saudável • São os elixir da saúde;


• 20% dos adultos sofrem de
privação do sono;
• Transtornos do sono
• Estresse, horários de trabalho
estudos;
• Aumento do peso corporal, eleva
hormônio do estresse (cortisol),
armazenamento de calorias,
suprime o sistema imunológico,
diabetes, doenças cardiovasculares
e doenças crônicas, efeito adverso
no sistema metabólico, neural e
endócrino;
• Dificuldade de criatividade,
memória, concentração e
comprometimento da neurogenese
e estoques de energia.

Higiene do sono

8
12/03/2019

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101
-81082003000300007 - - - Artigo Sono e envelhecimento

Promovendo
famílias e
comunidades
saudaveis

9
12/03/2019

• Fatores externos que influenciam a saúde do


individuo, o principal é o contexto social da e a
família sobre os comportamentos de risco;
• Nivel de perturbação emocional;
• Criação estruturada e com pais presentes;
• Expectativas sobre os filhos e seus desempenhos
acadêmicos e ocupacionais;
• Conflitos familiares explícitos e criação deficiente;
• Contextos culturais, econômicos e comunitários
• Justiça social, direitos humanos, igualdade ao
acesso a saúde e outros serviços humanos de
qualidade.

Barreiras
familiares

• Pais como modelos de


comportamentos de saúde;
• Aprendizagens vicárias;
• Conflitos parentais
• Inconsistências e rejeições;
• Ausência de orientação;
• Falta de moradia;
• Relacionamentos familiares
difusos e coercitivos;
• Uso de substancias e álcool.

Barreiras do
sistema de saude
• Médicos são orientados a
corrigir condições em vez de
prevenir problemas futuros;
• Questões econômicas
• Planos de saúde
• Diagnóstico e busca de
atendimento tardios;
• Atendimento médico não
regular;
• Gestão de saúde a fim de
reduzir os benefícios a saúde
comportamental.

10
12/03/2019

Barreiras de
comunidade
• Organizações comunitárias e sistemas
de saúde;
• Agenda e inviabilidade de horários;
• Estimulo a exercícios, alimentação e
sonos;
• Pressões sociais (álcool e
universitários)
• Acidentes previsíveis e evitáveis;
• Educação e mudança comportamental,
legislação e fiscalização, tecnologia;
• Reduzir comportamentos de risco.

• Qualquer intervenção planejada envolvendo comunicações


que promovam o aprendizado de comportamentos saudáveis;
• Moldar a opinião publica a respeito de questões de saúde por
meio de campanhas educativas, anúncios, mídia...

Educação para a • Taxas de morbidade e mortalidade ligadas a condições


sociais;
saúde comunitária• Criar uma infraestrutura social que apoie os esforços de cada
membro da comunidade para aumentar sua qualidade de
vida;
• Promover mudanças que sejam mais difíceis individualmente,
atingindo setores mais amplos e com apoio social.

Preceder - Proceder
• Identificação do problema especifico e grupo
• Identificados elementos de estilo de vida e do
ambiente que contribuam com o problema;
• Fatores predisponentes, causas ou reforços a estes
estilos;
• Determinar a possível utilidade da educação para a
saúde e outras intervenções;
• Implementação de programas, avaliação de
eficácia.

11
12/03/2019

Estruturando as mensagens
• Costumam ser estruturadas
em termos dos benefícios Mensagens sob medida
associados a determinada
ação preventiva ou aos custos • características individuais ao invés
de não realizar essa ação; de dar informações amplas e
• Forma de ganhos x Forma de idênticas a todos; personalidade
perdas; atuara como fator de evitação ou
• Mensagens estruturadas em aproximação; motivações
formas de ganhos são eficazes disposicionais;
para promover
comportamentos de Mensagens amedrontadoras
prevenção;
• As de perdas são mais eficazes • níveis médio de medo são
para promover eficazes; podem ativar
comportamentos que enfrentamentos evitativos; ter
impulsionam a detecção de
doenças. capacidade de seguir as
orientações e atingir os objetivos;
podem perturbar mais as pessoas;

Promovendo locais de trabalho saudaveis


• Dimensões: estresse, relação
trabalho-família, prevenção a
violência e relações no trabalho;
• Impacto nas interações sociais;
• Transbordamento de emoções
negativas, frustrações, irritabilidade,
impaciência, retraimento social;
• Dificuldade de equilíbrio entre
papéis-relações familiares e
profissionais;
• Construir uma cultura de trabalho
saudável exige que os empregados
aceitem a responsabilidade por sua
propria saúde e segurança, e
também de seus colegas;
• Triade de segurança: Agirem
saudável – ambiente seguro – fatores
individuais.

• Estresse e esgotamento • Nervosismo


excessivo, físico, mental e • Sofrimentos psicológicos e problemas físicos
crônico provocado por • Estresse e a falta de vontadeCansaço excessivo,
sobrecarga ou excesso físico e mental.
de trabalho;
• Dor de cabeça frequente.
• "queimar até o fim“; uma vida
profissional desgastante e • Alterações no apetite.
sobrecarregada. • Insônia.
• CID 10 como "Sensação de • Dificuldades de concentração.
Estar Acabado" ou "Síndrome • Sentimentos de fracasso e insegurança.
do Esgotamento Profissional". • Negatividade constante.
• Sentimentos de derrota e desesperança.
Síndrome de

• Sentimentos de incompetência.
burnout

• Alterações repentinas de humor.


• Isolamento.
• Fadiga.
• Pressão alta.
• Dores musculares.
• Problemas gastrointestinais.
• Alteração nos batimentos cardíacos.

12
12/03/2019

São dez os estágios de Burnout


1. Dedicação intensificada - com predominância de fazer tudo sozinho e
imediatismo;
2. Descaso com as necessidades pessoais - comer, dormir, sair com os amigos;
3. Aversão a conflitos - não enfrenta o problema e ocorrem as manifestações
físicas;
4. Reinterpretação dos valores - a única medida da autoestima é o trabalho;
5. Negação de problemas - nessa fase os outros são completamente
desvalorizados, tidos como incapazes ou com desempenho abaixo do seu. Os
contatos sociais são repelidos, cinismo e agressão são os sinais mais
evidentes;
6. Recolhimento e aversão a reuniões
7. Despersonalização - tem a percepção de que não controla o que diz ou que
fala, não se reconhece);
8. Tristeza intensa - Vazio interior e sensação de que tudo é complicado, difícil e
desgastante;
9. Colapso físico e mental.
10. Esse estágio é considerado de emergência e a ajuda médica e psicológica se
tornam uma urgência.

Como prevenir Burnout?


• São estratégias que diminuam o estresse e a pressão no trabalho.
Defina pequenos objetivos na vida profissional e pessoal.
• Participe de atividades de lazer com amigos e familiares.
• Faça atividades que "fujam" à rotina diária, como passear, comer em
restaurante ou ir ao cinema.
• Evite o contato com pessoas "negativas", especialmente aquelas que
reclamam do trabalho ou dos outros.
• Converse com alguém de confiança sobre o que se está sentindo.
• Faça atividades físicas regulares. Pode ser academia, caminhada,
corrida, bicicleta, remo, natação etc.
• Evite consumo de bebidas alcoólicas, tabaco ou outras drogas,
porque só vai piorar a confusão mental.
• Não se automedique nem tome remédios sem prescrição médica.

Programas de bem estar • Motivação dos trabalhadores


no local de trabalho em participar;
• Oportunidade de
acompanhamento e feedback;
• Apoio social e motivacional;
• Variedades, lazer, controles,
hábitos, seminários, exames....
• Prevenir é menos oneroso;
1. Serem voluntários;
2. Exames de triagem;
3. Temas relacionados a saúde
de interesse;
4. Confidencialidade de
informações
5. Ser convenientes e ter apoio
da empresa;
6. Oferecer outros incentivos,
prêmios, abonos....

13