Você está na página 1de 92

Africanos e afrodescendentes nas

estantes
a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais

Gustavo Tanus
Gustavo Tanus

Africanos e afrodescendentes nas


estantes
a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais

FALE/UFMG
Belo Horizonte

2017
África que eu não via

Gustavo Tanus

África que não vejo

se estou mentindo, me diga,

está ali,

a sete passos da verdade inventada por outrem,

e aceita passivamente por mim.

como estou aproximadamente a sete mil quilômetros

da origem desta invenção,

como estou a menos de um passo dessa farsa,


Diretora da Faculdade de Letras como sou este passo,
Graciela Inés Ravetti de Gómez
tudo que digam, e dizem,
Vice-Diretor
não replico, duplico, porque parece verdade.
Rui Rothe-Neves
mas ela está logo ali,
Comissão editorial
Elisa Amorim Vieira a dez passos daqui,
Emilia Mendes
e está também aqui,
Fábio Bonfim Duarte
Luis Alberto Brandão sem medida de distância,
Maria Cândida Trindade Costa de Seabra
Reinildes Dias apenas de profundidade.
Sônia Queiroz África que não vejo,
Capa e projeto gráfico não me diga,
Glória Campos
(Mangá Ilustração e Design Gráfico) pois sei que estive mentindo.

Preparação de originais
África que não via,
Gustavo Tanus está viva,
Diagramação bem aqui.
Katryn Rocha
Revisão de provas
Estella Vidotti
ISBN
978-85-7758-320-1 (impresso)
978-85-7758-319-5 (digital)

Endereço para correspondência


LABED – Laboratório de Edição – FALE/UFMG
Av. Antônio Carlos, 6.627 – sala 3108
31270-901 – Belo Horizonte/MG
Tel.: (31) 3409-6072
e-mail: vivavozufmg@gmail.com
site: www.letras.ufmg.br/vivavoz
Sumário

7 Introdução
11 Africanos e afrodescendentes – status:
disponíveis no acervo
15 A biblioteca e a biblioteca pública:
um panorama
19 A Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais
23 Análise do acervo
53 Considerações finais
Introdução

É possível “retomar por conta própria aquilo que se herdou e dar-lhe um


novo sentido, a partir de preocupações diferentes, e em um contexto
diferente”?1 Em que “receber pode consistir em tirar partido daquilo que
se recebe para exercer uma ação prática sobre a realidade presente do
mundo humano”? Se as lutas contra a escravidão haviam sido, num pri-
meiro momento, iniciadas por uma disposição frente às injustiças é com
as pessoas reunidas, com a sociedade organizada, que se ganha força e
voz para questionar o status quo.
Da inconformidade contra os abusos, contra os diversos tipos de
violência sofrida, às revoltas e quilombos, insurgências contra a insti-
tuição da escravidão, das quais Palmares é grande símbolo. Das lutas
do Movimento Negro Unificado ao Quilombhoje. Dos precursores des-
sas lutas, revoltas, sublevações, aos precursores da literatura afro-bra-
sileira2, aos contemporâneos, toma-se um caminho às avessas, partindo
da portaria da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa – atualmente
chamada Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerias, conforme mudança
de denominação publicada no Diário Oficial de Minas Gerais no dia 4
de maio de 2017 –, entrando nessa casa de cultura, e passeando por

FLUSSER. Uma biblioteca verdadeiramente pública, p. 135.


1

Apesar de concordar com o argumento da pesquisadora Yeda Pessoa de Castro que defende que
2

o termo afro-brasileiro, anotado com hífen, denota uma conjugação entre duas culturas, africana e
brasileira, podendo uma cultura subsistir sem a outra, foi decidido não abolir o hífen da palavra e
utilizá-la conforme a regulação pelo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP).
seus corredores, a fim de encontrar publicações sobre/de africanos e Assim, na intenção de buscar esses atores da história e cultura bra-
afrodescendentes. sileiras, autoras e autores negros, foi proposta deste trabalho, realizado
É apenas nos fins do século XIX que o negro brasileiro começa a em 2013, localizar, no acervo da então Biblioteca Pública Estadual Luiz de
ser representado, e em grande parte em trabalhos da história dos estu- Bessa, obras sobre/de africanos e afrodescendentes, ou mesmo que tra-
dos africanistas no Brasil, o que é revelador da pouca importância a ele balharam a temática da história e cultura africana e afro-brasileira,4 com
atribuída. Desde o século XIX os negros foram conquistando lugar nas
3
o intuito de identificar o espaço que esses escritores, e essa temática,
letras, em que diversos escritores, tipógrafos, e outros profissionais do possuem no acervo da biblioteca. É por esse motivo que os números e
texto se inseriram no âmbito da cultura letrada. títulos presentes neste livro correspondem ao acervo do ano da pesquisa.
O Brasil ainda está distante de ser um país em que todos possuam O que um acervo de biblioteca possui em relação às questões edi-
igualdade de oportunidades, acesso igualitário aos bens culturais, porém, toriais? De maneira geral um livro é editado com vistas a um público,
diferente do país de 100 anos atrás, algumas políticas públicas, como a com a intenção de que se torne público-leitor, e o destino final deste livro
Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, vêm começar, agora, no século são as bibliotecas, particulares ou públicas. O acervo escolhido para esta
XXI, a diminuir o nefasto quadro da desigualdade, reparando dívidas que pesquisa corresponde ao acervo da maior biblioteca pública do estado de
o governo e a sociedade brasileira possuem com os cidadãos. Minas Gerais, a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, com apro-
A essa lei soma-se outras políticas federais como o Estatuto da ximadamente 250 mil títulos disponíveis para consulta e empréstimo
Igualdade Racial, que visa “reivindicar a garantia à população negra de domiciliar.
uma efetiva igualdade de oportunidades, a defesa dos direitos étnicos Essa biblioteca foi escolhida em razão da importância desse seu
individuais, coletivos e difusos, e o combate à discriminação e às demais acervo, sua localização central, na capital do estado, e a missão de
formas de intolerância étnica”, ou a Lei de Cotas, Lei nº 12.711, de 29 de guarda da cultura impressa e democratização e popularização do acesso
agosto de 2012, que permite o acesso dos autodeclarados negros, índios a essa cultura. Sendo um local especial, para o leitor interessado em
e pardos às melhores universidades públicas, dentre outras. tomar emprestado, por meio da pesquisa e leitura, outros tantos pon-
A implantação da Lei nº 10.639/03 no cenário brasileiro – que dis- tos de vista, porque, como Jacyntho Brandão declarou em entrevista, “a
põe sobre a inclusão no currículo oficial da rede de ensino fundamental biblioteca não é só um local para empréstimo de livros, mas um espaço
e médio de escolas públicas e privadas, a obrigatoriedade da temática para a operação autêntica de empréstimo de olhos”,5 lugar para o conhe-
história e cultura afro-brasileira – revela uma preocupação com o (re) cimento do outro.
conhecimento das culturas negras para formação da cultura brasileira. Desse modo, o passeio, o trânsito por entre as estantes, permitirá
Isso implica que não é apenas uma reparação de dívida com a população conhecer o acervo da biblioteca, e, tendo constituído um corpus, permi-
negra, senão uma reparação com a sociedade brasileira em geral. tirá partir para a análise das edições, na modesta intenção de destacar o
É ingênuo e até leviano partir do pressuposto de que as leis criam valor que a biblioteca pública mais importante do estado de Minas Gerais
a demanda; sendo uma tardia (antes tarde do que nunca) consagra- possui, como referência, o que implica uma necessidade de manter-se de
ção de lutas que há muito começaram, em embates de diversas ordens,
nos quais pessoas foram duramente aviltadas, torturadas e assassinadas,
Apesar de concordar com o argumento da pesquisadora Yeda Pessoa de Castro que defende que
4

discursos foram calados, vozes silenciadas e letras apagadas. o termo afro-brasileiro, anotado com hífen, denota uma conjugação entre duas culturas, africana e
brasileira, podendo uma cultura subsistir sem a outra, foi decidido não abolir o hífen da palavra e
utilizá-la conforme a regulação pelo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP).
QUEIROZ. Pé preto no barro branco: uma língua dos negros da Tabatinga, p. 18.
3
https://www.ufmg.br/online/arquivos/013519.shtml
5

8 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Introdução 9


maneira a acompanhar o desenvolvimento da sociedade à qual se vin- Africanos e afrodescendentes – status:
cula, buscando identificar as conquistas na representação e falhas desta disponíveis no acervo
mesma sociedade, que também está refletida nos vazios (lacunas?) entre
os livros nas estantes.

Para que a pesquisa fosse exequível dentro do tempo regular, foi feito um
recorte que pudesse ao mesmo tempo adequá-la às condições apropria-
das para sua execução, e condizer com uma emulação de pesquisa reali-
zada por um usuário da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, inte-
ressado numa efetiva implementação da Lei nº 10.639/03 e, que, todavia,
possa ser iniciante nos estudos sobre o tema.
Como o objeto desta pesquisa é parte do acervo da, previamente
chamada, Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, um primeiro recorte
foi feito por meio do uso de descritores, os quais foram: 1) Africana; 2)
Afro-brasileira; 3) Autores africanos; 4) Escritores africanos; 5) Autores
afro; 6) Escritores afro; 7) Cadernos negros; e, 8) Negros.
Os dois primeiros descritores africana e afro-brasileira foram esco-
lhidos por serem modificadores das palavras do gênero feminino, a conter
as artes em geral, e também cultura, história etc. Já a escolha do descri-
tor autores africanos se deveu à existência de uma importante coleção de
mesmo nome, publicada pela Editora Ática, cujo primeiro título surgiu no
final da década de 1970, e o último, no início da década de 1990. De modo
análogo, optei pelo descritor escritores africanos, para complementação
do corpus constituído daqueles que se dedicam à escrita, aqueles que
produzem a obra. Aos descritores cinco e seis foi incluído o afixo afro,
que pode tanto corresponder à palavra afro-brasileiro, quanto a afrodes-
cendente. A escolha de Cadernos negros se explica pela existência, desde
1978, de uma relevante publicação coletiva de autores afro-brasileiros,

10 Africanos e Afrodescendentes nas estantes


cuja periodicidade é, desde o início, regular. O último descritor, negro, corpus utilizando o índice de autores do portal da Literatura Afro-Brasileira
foi decidido para poder abarcar todas as publicações que, de alguma (Literafro), que tem como suporte acadêmico e científico o Núcleo de
maneira, se refiram aos negros. Estudos Interdisciplinares da Alteridade (NEIA), pertencente à Faculdade
Esse talvez não seja o método mais adequado para realizar um de Letras da UFMG.
levantamento exaustivo, porque não resulta na recuperação de uma tota-
lidade, mas sim de um recorte, um olhar falho, que implica omissões, ou O portal Literafro
melhor, vazios na estante, e é, portanto, um olhar mais próprio de um Quase decano, este portal, coordenado pelo professor e pesquisador
usuário da biblioteca que esteja transitando entre o ignorar e o conhecer. Eduardo de Assis Duarte, tem como objetivo a divulgação e o estímulo à
Por isso, desde o princípio não foi interesse partir de uma África e de um pesquisa e reflexão sobre a produção literária de brasileiros afrodescen-
Brasil de nomes próprios, elaborando uma lista ou um rol de nomes de dentes. Sendo espaço de articulação de paratextos,8 configura-se, afi-
autoridades conhecidas, e que, pelas próprias condições dos modos de nal, como espaço de criação de um conceito de literatura afro-brasileira,
representação da sociedade, conseguiram vencer as barreiras da cor, que tendo em vista a ideia de um “lugar rizomático”,9 conceito deleuzeguat-
cria outros impedimentos, como a barreira editorial.6 tarriano aplicável, de modo geral, à cultura, e à própria literatura afro-
No primeiro momento, utilizando os oito descritores, foram recu- -brasileira, como um sistema em que não preexistem conceitos forma-
perados 608 títulos. Com intuito de trabalhar apenas com obras que se dos, um sistema em construção, portanto, aberto a intervenções; uma
referissem, de alguma maneira, à temática em questão, excluiu-se aque- estrutura cujo interesse não está na ligação entre dois pontos, porque
las em cujo título aparece o adjetivo negro com outros sentidos, por qualquer um desses pontos pode se conectar a quaisquer outros, sem
exemplo, as obras O mercado negro, de James Patterson, e O caldeirão remissão ou derivação a uma unidade.10
negro, de Alexander Lloyd, entre outras tantas. Assim, foi feita uma aná- Esse portal consiste de uma base de dados que possui um índice de
lise minuciosa, a fim de excluir as publicações que não se encaixavam nome de autores e autoras afro-brasileiros de diversas épocas. Além das
no recorte. Além disso, houve a preocupação de trabalhar apenas com informações biobliográficas sobre esses autores, a base de dados disponi-
dados que não se repetissem. Para tanto, todos os títulos recuperados biliza fragmentos das obras, amostragem de textos, apresentando-os por
foram agrupados em uma planilha, para que fosse possível visualizá-los meio da disposição de alguns de seus paratextos, mais especificamente
e, assim, excluir aqueles que consistissem de um mesmo exemplar, haja os epitextos, que, segundo Genette, são “todas as mensagens que se
vista que mesmo título pode ser indexado por mais de um descritor ou situam [...] na parte externa de um livro: em geral num suporte midiático
assunto, o que gera a possibilidade de existir uma duplicação nos dados (conversas, entrevistas), ou sob a forma de uma comunicação privada
coletados. Assim, após análise detalhada dos títulos recuperados, o total (correspondência, diários íntimos e outros)”.11
foi reduzido a 356 títulos. 7
Dos 116 autores e autoras listados no índice, em 2013, foram recu-
Após esse levantamento, foi constatada uma lacuna de autores perados 55 nomes, e 349 obras (cf. nota 7). Convém ressaltar que foram
e autoras afro-brasileiros e, assim, optou-se pela complementação do excluídos da recuperação Machado de Assis e Lima Barreto, porque em

O livro Literatura brasileira contemporânea: um território contestado, de Regina Dalcastagnè, aponta que o
6

campo literário no Brasil ainda é bastante homogêneo, dominado por autores oriundos do eixo Rio-São “Paratexto é aquilo por meio de que um texto se torna livro e se propõe como tal a seus leitores, e
8

Paulo, ligados aos espaços privilegiados de produção do discurso, pertencentes à classe média, sendo, de maneira mais geral ao público”. GENETTE. Paratextos editoriais, p. 9.
predominantemente, homens e brancos. http://www.letras.ufmg.br/literafro
9

Decidi contabilizar as obras que têm o mesmo título, mas que constituem edições diferentes, porque
7 10
DELEUZE; GUATTARI. Introdução. In: _____. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia, p. 4.
uma reedição implica modificações na obra. 11
GENETTE. Paratextos editoriais, p. 12.

12 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Africanos e Afrodescendentes – status: disponíveis no acervo 13


uma busca no sistema por autoridade esses autores somam 1001 obras, A biblioteca e a biblioteca pública: um panorama
número muito elevado para inclusão neste trabalho, em função das res-
trições de tempo. Há de se destacar que Machado de Assis figurou como
autor canônico ainda em vida, com representatividade expressa em
grande número de obras contidas no acervo. Já sobre Lima Barreto valerá
dizer que hoje em dia tem seu nome incluído no cânone, mas o autor é
mais conhecido por um único livro, Triste fim de Policarpo Quaresma,
cujo foco é a questão política da transição entre o período imperial e a
primeira república, do que pela sua sensibilidade em perceber os traba-
lhadores suburbanos, em denunciar o preconceito social e racial.
Estabelecido o universo desta pesquisa, os dados coletados serão
tratados no capítulo “Análise do Acervo”, em que constará: uma análise
da Classificação temática das obras; Cronologia das edições; Edições / A origem das bibliotecas remonta à Antiguidade, as quais eram compos-
Reedições; As coleções; Autoria / Gênero: masculino e feminino; Locais tas de textos administrativos, literários e também científicos, em tábuas
de publicação; Coedições e As editoras. de argila. Nesse momento histórico, além das bibliotecas de Ebla, na
Após a definição dessas categorias, parte-se para a análise quan- Síria, a de Assurbanipal, rei da Assíria, e a biblioteca de Pérgamo, a mais
titativa, dentro dos capítulos de análise de dados das edições, com o conhecida delas era a de Alexandria, fundada, no Egito, por Ptolomeu I,
propósito de responder algumas perguntas: dentre autores e autoras no século III a.C, que tinha como objetivo armazenar toda a produção do
que foram recuperados pela busca, quem teve mais títulos incluídos no conhecimento, tendo constituído, assim, um acervo de aproximadamente
acervo? Quais são as editoras que mais apareceram no acervo? Qual foi setecentos rolos de papiro, o que expressava o desejo de concentração
o reflexo da Lei nº 10.639/03 no incremento do acervo? do saber registrado. Durante a Antiguidade e a Idade Média as bibliotecas
Dessa forma, pretende-se verificar a presença e a ausência de afri- eram consideradas um espaço de guarda e preservação dos conhecimen-
canos e afrodescendentes nas estantes da Biblioteca Pública Estadual de tos produzidos pela humanidade, tal como demonstrou Wilson Martins:
Minas Gerais, e ainda, realizar um breve estudo das edições recuperadas “as sandálias macias do monge medieval repetiam, no eco das abóba-
pelo levantamento, objetivando o esboço de uma espécie de catálogo de das, o mesmo som ancestral dos sacerdotes sumerianos da biblioteca de
autores, autoras e obras que constam do acervo dessa biblioteca, conco- Assurbanipal”.13 Mesmo nas bibliotecas universitárias, surgidas no século
mitante a um propósito de desconstrução da ideia corrente de que existe XII, com o advento das universidades europeias, ou nas bibliotecas parti-
pouco material disponível para estudo e pesquisas que possam contribuir culares, dos mosteiros e das ordens religiosas, o acesso aos acervos, em
para propostas efetivas de aplicação da Lei nº 10.639/03.12 todos esses tipos de biblioteca, era restrito a poucos privilegiados.
Com o aperfeiçoamento da imprensa dos tipos móveis e reutili-
záveis pelo alemão Johannes Gutenberg, na segunda metade do século
XV, é rompido o longo monopólio do livro manuscrito e a atividade de
Lei que estabeleceu as diretrizes e bases da educação nacional, incluindo no currículo oficial da
12

Rede de Ensino a obrigatoriedade do “estudo da História da África e dos Africanos, a luta dos negros
no Brasil, a cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, resgatando a
contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política, pertinentes à História do Brasil”. MARTINS. A palavra escrita: história do livro, da imprensa e da biblioteca, p. 71.
13

14 Africanos e Afrodescendentes nas estantes


copistas, concentrados nas ordens religiosas, e no campo da cultura Cada um dos vários tipos de bibliotecas existentes cumpre sua
letrada. 14
O aumento da produção de textos, de temáticas variadas, para finalidade de acordo com a sua missão, objetivo, usuário que atende
além das bíblias sagradas, conduziu a uma necessidade de criação de ou deveria atender e o acervo que ela comporta. Dentre as tipologias
mais espaços de guarda, outras bibliotecas, as quais adentram em um de bibliotecas estão: as Nacionais, responsáveis pela preservação da
novo estágio em sua história, de meras guardiãs ou depósitos a espa- memória nacional; as Populares ou Comunitárias, criadas e mantidas pela
ços de estudo e reflexão de atividades intelectuais. Assim, com a Idade comunidade; as Infantis, voltadas para recreação e para as crianças;
Moderna, a disseminação da informação e o acesso às bibliotecas pas- as Universitárias, direcionadas para as atividades de ensino, pesquisa e
saram a ser ampliados, mesmo que, em um primeiro momento, para extensão das universidades; as Especializadas, dedicadas à reunião e à
uma elite letrada. Conforme Martins, diferentemente das bibliotecas dos organização de documentos específicos de uma área do conhecimento;
períodos anteriores, as bibliotecas modernas são marcadas por quatro as Escolares, voltadas para atividades de ensino de uma escola; e, por
características fundamentais: laicização, democratização, especialização fim, a biblioteca pública, que é toda instituição idealizada, mantida e
e socialização, o que demonstra uma virada na história das bibliotecas. 15
financiada pela comunidade na qual está inserida, por meio de governos
Dessa forma, diante dessas transformações históricas, outro tipo local, regional ou nacional.
de biblioteca entra em cena: a biblioteca pública. A abertura das biblio- Segundo o Manifesto da International Federation of Library
tecas ao grande público efetivou-se a partir da difusão dos ideais das Associations and Institutions (IFLA), publicado em 1994 com o apoio da
revoluções liberais e da Revolução Francesa, que passou a abrir as por- Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura
tas também dos arquivos e museus, considerados instituições de memó- (UNESCO), a biblioteca pública é uma instituição essencial para a pro-
ria indispensáveis para a construção do conceito de nação. A função da moção da paz e bem-estar espiritual nas mentes dos homens e das
biblioteca modificou-se radicalmente ao longo de sua história, de guar- mulheres, vista também como “porta de acesso local ao conhecimento
diã e preservadora do conhecimento para disseminadora de informação, – fornece as condições básicas para uma aprendizagem contínua, para
sendo, hoje em dia, entendida como uma instituição social responsá- uma tomada de decisão independente e para o desenvolvimento cultural
vel pela seleção, armazenamento e disseminação da cultura, sobretudo dos indivíduos e dos grupos sociais”. Dentre as doze diferentes missões
da cultura escrita, tendo em vista suas coleções, que são, sobrema- de responsabilidade dessas instituições culturais, apontadas por aquele
neira, registros escritos do saber e do conhecimento humano e obras da documento, destaco, aqui, algumas delas, que mais dialogam de perto
imaginação. com este trabalho, a saber: assegurar a cada pessoa os meios para evo-
Conforme Briquet de Lemos, o fato de existir uma coleção de livros luir de forma criativa; promover o conhecimento sobre a herança cultural,
não é suficiente para que seja uma biblioteca, mas toda biblioteca cons- o apreço pelas artes e pelas realizações e inovações científicas; possibili-
titui uma coleção de livros, que tem como princípios: tar o acesso a todas as formas de expressão cultural das artes do espetá-
uma intencionalidade política e social, o acervo e os meios para sua culo; fomentar o diálogo intercultural e a diversidade cultural; assegurar
permanente renovação, o imperativo de organização e sistemati-
zação; uma comunidade de usuários, efetivos ou potenciais, com o acesso dos cidadãos a todos os tipos de informação da comunidade
necessidades de informação conhecidas ou pressupostas, e [...] o local, entre outras.
local, o espaço físico onde se dará o encontro entre usuários e os
serviços da biblioteca.16 A biblioteca pública é, portanto, uma instituição social responsável
pela igualdade de acesso para todos, sem restrição de idade, raça, gênero,
BRIQUET DE LEMOS. Bibliotecas, p. 104.
14
status social etc., devendo disponibilizar uma variedade de registros do
MARTINS. A palavra escrita: história do livro, da imprensa e da biblioteca, p. 325.
15

BRIQUET DE LEMOS. Bibliotecas, p. 101.


16
conhecimento, independente do formato, suporte ou assunto. Assim

16 Africanos e Afrodescendentes nas estantes A Biblioteca e a Biblioteca Pública: um panorama 17


deve oferecer todos os gêneros de obras que sejam de interesse da
comunidade a que pertence, bem como literatura em geral, além A Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais
de informações básicas sobre a organização do governo, serviços
públicos em geral e publicações oficiais.17

Dessa maneira, a biblioteca pública atua na comunidade onde se


insere como um centro democrático de informação, visando diminuir
a distância entre aqueles que têm acesso e os que não têm acesso à
informação, assim como a espaços de trocas de ideias, conhecimentos,
conversas, atividades culturais, exposições, lazer e convivência com os
demais membros da sociedade.
Sobre a criação de bibliotecas públicas, há um depoimento de
Mário de Andrade, em que declara a importância delas para o desenvolvi-
mento da cultura brasileira, pela disseminação do hábito de leitura, o que
“criará fatalmente uma população urbana mais esclarecida, mais capaz A Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, mantida e gerenciada pelo
de vontade própria, menos indiferente à vida nacional”. 18
E o autor conti- estado, tem como objetivo principal reunir, preservar e disponibilizar o
nua: “será talvez esse um passo agigantado para a estabilização de uma patrimônio bibliográfico mineiro, constituindo um espaço democrático
entidade racial, que, coitada!, se acha tão desprovida de outras forças de que propicia o livre acesso à leitura informativa e literária, indo, portanto,
unificação”.19 Assim, passa-se a breve história da biblioteca escolhida, e, ao encontro do conceito de biblioteca pública.
posteriormente, para a análise das edições sobre/de africanos e afrodes- Quase sexagenária, a Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa foi
cendentes nas estantes. idealizada pelo governador Juscelino Kubitschek (JK),20 em 1954, para ser
um lugar destinado não só à guarda e preservação de patrimônio biblio-
gráfico, mas também à oferta de serviços bibliotecários a um público que,
todavia, não era um público leitor, oferecendo-se também como espaço
de convivência. Para tanto, o governador criou uma comissão que tinha
como integrantes Cacilda Basílio de Souza Reis, Etelvina Lima,21 Maria
Helena Viana de Lima. Havia um interesse inovador, por parte de seu
idealizador, JK, que ampliou a finalidade da biblioteca, aproximando-a da
ideia de biblioteca moderna, que não está limitada à oferta de subsídios
para que estudantes, secundaristas e universitários, completem sua for-
mação, nem mesmo à disponibilização de obras e documentos a pesqui-
sadores, para que desenvolvam suas pesquisas, mas dotando-a de uma
função cultural democrática.22

Mandato de 1951 a 1955.


20

FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL. Biblioteca Pública: princípios e diretrizes.


17
Bibliotecária e professora, uma dos responsáveis pela fundação da antiga Escola de Biblioteconomia,
21

ANDRADE. Bibliotecas populares, p. 7.


18
atual Escola de Ciência da Informação, da Universidade Federal de Minas Gerais.
ANDRADE. Bibliotecas populares, p. 7.
19
CESARINO. Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa: 50 anos de cultura, p. 23.
22

18 Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Após esta fase de engendramento, foi sancionada, pela Assembleia para consulta, entre livros, revistas, jornais correntes e históricos,26
Legislativa, a Lei nº 1.087, de 2 de junho de 1954, e estava criada a biblio- sendo que, deste universo, apenas no setor de empréstimo há cerca de
teca pública do estado, que abriu provisoriamente suas portas com um 70 mil livros.
acervo inicial de 22 mil volumes, à Rua Saturnino de Brito, em um edifício As obras existentes tratam da produção intelectual de brasileiros e
localizado em frente à Rodoviária.23 O arquiteto Oscar Niemeyer, amigo de estrangeiros, obras de ficção, dispostas nas diversas coleções, como:
do governador e responsável pela maioria dos projetos arquitetônicos Mineiriana, coleção de autores e autoras mineiros e de obras sobre Minas
dos governos, desde os tempos em que JK fora prefeito, foi convidado Gerais; Sala Lúcia Machado de Almeida, que contém coleção de livros
para desenhar o edifício onde seria abrigada a nova biblioteca. Conforme destinados ao público infantil e juvenil; Coleção de Obras Raras, que con-
o projeto inicial, o edifício teria “6 andares, com espaços amplos e convi- tém obras de reconhecida importância histórica; Setor Braille, coleção
dativos, destinados às várias manifestações culturais que, aliadas à lei- de obras vertidas ao sistema Braille ou transformadas em audiolivros,
tura, transformariam a biblioteca numa casa de reflexão e de criação”.24 destinadas ao público com baixa visão e deficientes totais. Todas essas
Entretanto, da criação da biblioteca à ocupação do edifício situado na coleções são intensamente visitadas (pelo público que se transforma em
Praça da Liberdade, houve vários dificultadores, que arrastaram a obra leitor) entre crianças, jovens, adultos, curiosos, pesquisadores, e pessoas
por anos e acarretaram a modificação do projeto original, reduzindo-o com deficiência visual. Eles visitam a Biblioteca na intenção de usufruir
a três andares, dos seis previstos. Para a construção foi utilizada a mão também do espaço, das salas de estudo, dos serviços oferecidos tais
de obra de detentos da Casa de Correção, começando no ano de 1960, como pesquisa na Internet, sala de cursos, teatro e galeria de arte. Aos
tendo durado até o ano seguinte, quando se mudou da sede provisória que não possuem acesso ao acervo, por morarem em local distante ou
para o novo prédio. A mudança deu-se de modo apressado, porque havia por estarem em medida de reclusão, a Biblioteca dispõe dos serviços de
pressão de outros setores do governo para a ocupação do prédio recém- carro-biblioteca, e de caixas-estantes.
-construído, devido a sua boa localização. Em 1961, o nome de Luiz de A localização central da Biblioteca a torna relativamente acessível,
Bessa25 foi incorporado ao nome da biblioteca. via diversas linhas de transporte coletivo que se entrecruzam, e, sendo
Nos anos 2000, a biblioteca incorporou o anexo doado pela rodeada por escolas particulares e uma pública, o Estadual Central, a
Secretaria da Fazenda, que, após ter sido reformado, foi pleiteado pela torna ponto de encontro de jovens estudantes, o que acaba por gerar a
mesma secretaria, o que demandou uma rápida decisão de ocupação. falsa ideia de que a Biblioteca de Minas Gerais seja uma biblioteca escolar.
Hoje, o acervo corrente está alocado neste anexo.
Em consonância aos preceitos do manifesto da IFLA, a Biblioteca
Pública Estadual de Minas Gerais, a maior biblioteca pública do estado,
possui uma função de ser referência às bibliotecas dos 853 municípios do
estado, oferecendo suporte e know-how para todas as bibliotecas públi-
cas do estado. Seu acervo é constituído de cerca de 570 mil exemplares

CESARINO. Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa: 50 anos de cultura, p. 23.


23

CESARINO. Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa: 50 anos de cultura, p. 23.


24

Professor, jornalista nascido em Portugal, em 1894, migrou à cidade de Juiz de Fora, aos 12 anos.
25

Foi redator-chefe dos jornais Estado de Minas e Folha de Minas, organizou o serviço de radiodifusão,
com destaque para a Rádio Inconfidência. Trabalhou como chefe de gabinete do governador Benedito
Valadares, de 1942 a 1945. Morreu em 1968. http://www.cultura.mg.gov.br/component/gmg/page/445-biblioteca-publica-estadual-luiz-de-bessa
26

20 Africanos e Afrodescendentes nas estantes A Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais 21


Análise do acervo

Classificação temática das obras


Percorrendo as estantes da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais,
que se deu por meio de seu software de busca Pergamum, foi encon-
trado um total de 705 títulos, que se dividem entre primeiras edições
e reedições, o que demonstrou, de certa forma, uma variedade signifi-
cativa de títulos, de autores, de local de publicação e editoras. Dessas
publicações, cabe observar que 158 títulos foram classificados, conforme
a Classificação Decimal de Dewey (CDD),27 na classe trezentos, que cor-
responde às Ciências Sociais, Sociologia e Antropologia; e 385 títulos, na
classe oitocentos, atribuída às Literaturas. Na classe correspondente a
História e Geografia, encontram-se 67 títulos, e às Artes, 49 títulos. Ainda
analisando as obras por meio da classificação, vale observar que, dentre
todas elas, 177 correspondem a obras infantis e juvenis; sendo deste sub-
total, 22 encontradas por meio dos descritores e 155, por meio do índice
de autores do portal Literafro. Apresenta-se a classificação temática geral
das obras recuperadas na tabela abaixo:

É um sistema de classificação documentária que organiza todo o conhecimento em dez classes


27

principais que se subdividem. Foi desenvolvido, no ano de 1876, pelo bibliotecário estadunidense Melvil
Dewey, e ainda é utilizado para classificação dos acervos das bibliotecas, sobretudo nas bibliotecas
públicas.
Tabela 1: Representação temática do acervo
ideológicos, pelo simples fato de que ainda hoje não se está liberto dos
Classificação temática/CDD Quantidade
mesmos estereótipos e do mesmo preconceito, a leitura sendo grande
000 Generalidades 9
oportunidade de tratar dessas questões.
100 Filosofia 2 Outro olhar, da perspectiva do negro, por meio das obras dos pró-
200 Religião 15 prios africanos e dos afrodescendentes, é necessário, a perceber tanto
300 Ciências Sociais, Sociologia e Antropologia 158 as obras que tratam mais diretamente dos elementos culturais africanos
400 Línguas 15 e afro-brasileiros, quanto as que versam sobre o racismo, sobre o com-
500 Ciências Puras 4 plexo racial da herança africana, sobre a cor da pele como uma marca
600 Ciências Aplicadas 1 indelével, sobre o emparedamento, condição esta denunciada, por exem-

700 Artes 49
plo, pelo poeta negro Cruz e Sousa.

800 Literatura 385


Cronologia das edições
900 História e Geografia 67
As publicações sobre africanos e afrodescendentes começaram a surgir
Total 705
no final do século XIX, apesar de o negro africano ter sido introduzido
Para efeito do cumprimento da Lei nº 10.639/03, vale observar que no Brasil pelo tráfico de escravos durante mais de três séculos.28 Estas
todas as classes temáticas, na CDD, foram, de certa forma, representa- primeiras publicações, com pouquíssimas exceções, estavam mais liga-
das, o que possibilita um começo para a construção de um arcabouço com das às ideologias e aos estereótipos próprios de uma estética branca
vistas à efetivação dessa lei. Destaca-se a Literatura, que representa 54% dominante, “a uma mentalidade assimilacionista, que [ainda] privilegia
do total das obras recuperadas no acervo; seguida das obras de Ciências a tradição europeia e relega nossos índios e negros ao plano das simples
Sociais, Sociologia e Antropologia, História e Geografia, que correspon- influências, como se nossa cultura os precedesse”.29 Assim, seria mais
dem a um pouco mais de 22%, e os livros dedicados às artes, cerca de provável encontrar, no acervo da biblioteca, estes primeiros livros, que
7% do total. Vale observar que Religião e Línguas, que áreas importantes tratassem de “aspectos ligados às vivências do negro na realidade histó-
para o estudo sobre cultura afro-brasileira possuem um pouco mais de rico-cultural do Brasil”.30 Pelo contrário, por meio do levantamento reali-
2% do total de obras do acervo. zado, constatou-se que curiosamente as obras mais antigas pertencentes
Muito embora seja necessário observar quais são essas obras, seus a esse acervo são literárias, escritas por escritores negros, escritas por
títulos, o que elas dizem, em que época/contexto foram escritas, pode-se afrodescendentes. Observe a tabela abaixo:
dizer que, em princípio, todos os discursos, todas as ideologias deverão
compor os estudos e as leituras sobre história e cultura afro-brasileira.
Assim, acredita-se que para melhor conhecer as questões raciais
no Brasil, há que se elaborar dois olhares. Um deles com vistas a conhe-
cer o preconceito, o racismo, por meio de uma análise histórica. Assim,
o racismo de autores como Nina Rodrigues, tomado à época como prin-
cípios científicos e modernos. De modo semelhante, Monteiro Lobato,
QUEIROZ. Pé preto no barro branco: a língua dos negros da Tabatinga, p. 17.
28
também encontrado no acervo, deverão constar dessa lista de livros
QUEIROZ. Pé preto no barro branco: a língua dos negros da Tabatinga, p. 17.
29

para estabelecimento de uma origem, em que pese os patrulhamentos PROENÇA FILHO. A trajetória do negro na literatura brasileira, p. 161.
30

24 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 25


Tabela 2: Obras mais antigas 1930 22

Autor Título e Data de publicação 1940 24

1950 26
Luiz Gama Primeiras trovas burlescas / 1861
1960 53
Gonçalves Crespo Obras completas / 1897
1970 40
Cruz e Sousa Evocações / 1898
1980 109
Bernardino da Costa Lopes Val de lyrios / 1900 1990 106

Luiz Gama Primeiras trovas burlescas / 1904 2000 267

2010 31
Nascimento Moraes Vencidos e degenerados: [chronica maranhense] / 1910
Total 705

É importante observar que esses escritores fazem parte da base Observe-se que a partir da década de 1930 o número de obras no
de dados do portal Literafro, sendo, portanto, escritores brasileiros afro- acervo começou a aumentar sensivelmente, em relação às décadas ante-
descendentes. Dessa forma, sendo o conceito de literatura afro-brasileira riores. Contudo, apenas na década de 1980 houve um aumento realmente
um conceito novo e em construção, que se constitui ao mesmo tempo em significativo, de aproximadamente 272% quando comparado à década
que reelabora um sentido para a história literária canônica brasileira,31 e anterior. Já na década de 1990 esse número se estabilizou em um pouco
não sendo recente a presença desses escritores e suas obras no acervo mais de uma centena de livros adquiridos. A década de 2000 é a que mais
da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, atesta-se a necessidade se destaca em aquisição de números de obras, 267 no total. Apenas entre
e importância da reformulação do olhar para as obras que já constituem os anos de 2000 e 2002, a biblioteca incorporou 84 obras, que correspon-
o acervo. deu a aproximadamente 80% da década anterior, a de 1990. No ano de
Desde a obra mais antiga até a mais recente, as edições de livros implementação da Lei nº 10.639/03 até o final da década de 2000, 183
sobre/de africanos e afrodescendentes têm aumentado substancialmente obras foram adquiridas, que representa o período em que maior número
no acervo da biblioteca, como se pode observar na tabela abaixo: de títulos foi comprado. Em relação à década de 2010, vale perceber que
nos três primeiros anos já foram incorporadas ao acervo 31 obras, sendo:
Tabela 3: Data de publicação por década 19, com 2010 como ano de publicação; 10 de 2011 e dois de 2012. Desta
Décadas Quantidade forma, é possível perceber um provável reflexo desta lei no incremento
s.d. 2 do acervo da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, o que, de certa
1860 1 forma, corrobora o pressuposto inicial desta pesquisa.
1870 1

1890 2 Edições / Reedições


19-- 11 Com o intuito de conhecer as obras mais editadas disponíveis no
1900 2 acervo, consideraram-se as reedições, que, segundo o dicionário, corres-
1910 2 pondem a uma “edição de uma obra que se distingue das edições anterio-
1920 6 res em virtude de alterações feitas no conteúdo ou na apresentação, ou,

LITERAFRO. Página inicial.


31

26 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 27


ainda, de mudança de editor”.32 Em respeito às questões editoriais, essas
Comunicação do grotesco: introdução à 2. ed. 1972 / 3. ed. 1973 /
3
alterações podem ocorrer por vários motivos, tanto pelo fato da obra estar cultura de massa brasileira 8.ed. 1980

esgotada, ou porque foram observados deslizes.33 Apresenta-se, assim, o


1981 / 4. ed. 1987 / 5. ed.
número de títulos existentes, respeitantes às diferenças entre edições e, A Cor da pele 3
1988
ainda, ressalta-se que constarão aqueles títulos, ou melhor, as edições de
Cururu virou pajé 3 1984 / 2. ed. 1987 / 1999
um mesmo título cuja quantidade foi acima de três. Observe-se a tabela
dois exemplares de 1980 /
Jequitinhonha: poemas 3
abaixo: ed. rev. amp. 1997

O que é racismo 3 9. ed. 1980 / 1981 / 1984


Tabela 4: Obras mais editadas
duas edições de 2003 /
Ponciá Vicêncio 3
Títulos Nº de Edições Datas das Edições gravação de som 200-

1932 / 1945 / 1946 / 1946 4. ed. 1988 / 7. ed. 1992 /


Os Africanos no Brasil 5 Robin Hood: o salteador virtuoso 3
/ 1977 11. ed. 1995

1985 / 8. ed. 1991 / 10.


Casa-grande & senzala: formação da fa- Zumbi 3
1943 / 1954 / 1958 / 1961 ed. 1993
mília brasileira sob o regime da economia 5
/ 1969
patriarcal
Vale observar que as obras que foram reeditadas uma única vez
A Influência africana no português do correspondem a 54, do universo de 705. As outras, apresentadas na
4 1933 / 1935 / 1948 / 1973
Brasil tabela acima, correspondem a 14 obras com três edições, quatro delas

A Onda verde; O Presidente negro 4 1946 / 1950 / 1955 / 1964


com quatro edições, e dois correspondendo a cinco edições.
As obras mais reeditadas foram Os africanos no Brasil, de Nina

Estilos de época na literatura: através de


2. ed. rev. e amp. 1969 / 5. Rodrigues, seguida de Casa-grande & senzala, de Gilberto Freyre. A pri-
4 ed. rev. e aum. 1978 / 7.
textos comentados meira, já citada na seção anterior, é considerada um clássico sobre as
ed. 1983 / 9. ed. 1985
questões da formação racial do Brasil, e configura-se em um estudo sis-
Quarto de despejo: diário de uma fave- três de 1960, correspondendo
4 temático sobre a composição racial, que condena a mestiçagem,34 a partir
lada às 3., 4. e 6. ed. 2008
dos critérios científicos da época em que foi escrito. Já na segunda obra
As Culturas negras no Novo Mundo 3 1937 / 1946 / 1979 essa mestiçagem é vista como algo positivo, o que gerou, desde sua
publicação, opiniões diversas, as favoráveis a tomam como obra respon-
1995 / 2. ed. 2008 / 2. ed.
Irmão negro 3 sável pela complementação da noção de raça pela de cultura.35 Alguns
2011

1965 / 3. ed. 2001 / 4. ed.


intelectuais como Florestan Fernandes e Octávio Ianni – responsáveis por
Made in África: (pesquisas e notas) 3
2002 um novo momento para a sociologia brasileira, intitulada sociologia crí-
O Negro brasileiro 3 1940 / 1951 / 5. ed. 2001 tica – criticam o tratamento dado, nessa obra, ao passado colonial, que
1914 / 2. ed. 1926 / 3. ed. se aproximaria de uma visão idílica, na qual viviam sem conflitos negros
Rei negro: romance bárbaro 3
19--
e brancos, em uma democracia racial.36

DUARTE; FONSECA. Literatura e afrodescendência: no Brasil, p. 3.


34

FERREIRA. Novo dicionário eletrônico Aurélio. Versão digital.


32
CANDIDO. Dez livros para conhecer o Brasil.
35

MORISSAWA. O manuscrito e o processo de edição, p. 12.


33
IANNI. Florestan Fernandes: sociologia crítica militante.
36

28 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 29


Vale destacar também a obra A Influência africana no português do inserida na série Literatura Geral, da Editora Brasiliense. O primeiro livro
Brasil, de Renato Mendonça, em cujas quatro edições consta a primeira, deste volume é composto de crônicas e artigos, como: a “Onda verde”
de 1933, que é considerada um novo marco para o estudo das contribui- das plantações de café no estado de São Paulo, destacando a importância
ções e influências africanas às maneiras de falar e escrever o português, 37
desta onda para a economia brasileira; em o “Dialeto caipira”, no sonho
tendo introduzido e legitimado a participação dos falantes negros africa- de que cresça a jovem língua brasileira, cuja avó é o latim; entre outras
nos na constituição do português brasileiro. 38
A pesquisadora Yeda Pessoa preocupações. Já o segundo livro, O presidente negro, é uma espécie de
de Castro ressalta no prefácio à quinta edição, de 2012, que tal influência, ficção ambientada no ano de 1928, cujo elemento central é a invenção de
ainda hoje encontra certa resistência por parte de filólogos e uma máquina de ver o futuro, o “porviroscópio”, através do qual as per-
linguistas brasileiros. Preferem continuar atribuindo a fatores de sonagens que o criaram podem ver o futuro, trezentos anos à frente. É
ordem extralinguística o afastamento do português do Brasil do de
Portugal, ignorando que, no isolamento territorial de três séculos a interessante notar que o autor, nessa ficção, entre as usanças dos seus
que foi submetido pela Coroa Portuguesa, o Brasil era habitado por estereótipos e preconceitos, vaticina, como por vezes ocorreu nas artes,
um contingente de negros escravizados, superior em número ao de diversas situações do século XXI.
portugueses, e falavam línguas nativas articuladamente humanas.39
A obra Estilos de época na literatura: através de textos comenta-
Além dessa obra, classificada dentro da área Línguas, convém citar dos consta do universo do levantamento realizado não por ser obra que
a obra Les langues négro-africaines et les peuples qui les parlent, de se refira à questão temática dos africanos e afrodescendentes, mas por
1957, do linguísta francês Lilias Homburger (1880-1969), considerado uma ser obra escrita pelo escritor afro-brasileiro Domício Proença Filho, “ensa-
autoridade em línguas africanas; e as obras recentes: Dicionário antoló- ísta, crítico literário, poeta, ficcionista, promotor cultural, consultor edi-
gico da cultura afro-brasileira: português, yorubá, nagô, angola, gêge: torial, administrador educacional e professor”,42 integrante do índice de
incluindo as ervas dos Orixás, doenças, usos e fitoterapia e fitologia das autores do portal Literafro. Vale ressaltar que a obra, cujas edições dis-
ervas, de Eduardo Fonseca Junior; 40
Falares africanos na Bahia: um voca- poníveis no acervo foram publicadas nas décadas de 1960, 1970 e 1980, se
bulário afro-brasileiro, da professora, etnolinguísta e pesquisadora de lín- encontra, hoje, em sua vigésima edição. É uma importante obra didático-
guas africanas Yeda Pessoa de Castro; e os dicionários Novo dicionário -pedagógica dedicada aos estudos de literatura no ensino básico, porque
Banto do Brasil e Dicionário escolar afro-brasileiro, ambos do advogado, contribui para o desenvolvimento do estudo crítico da literatura por meio
compositor, escritor, poeta, contista, sambista, pesquisador da cultura de textos comentados, a fim de constituir uma caracterização dos traços
afro-brasileira e teatrólogo Nei Lopes.41 estilísticos, individuais e de época.
A obra A onda verde / O presidente negro, de Monteiro Lobato, é A sexta obra da tabela 4 é o Quarto de despejo: diário de uma
apontada como a quarta mais reeditada. Esta obra corresponde à reunião favelada, de Carolina Maria de Jesus. Traduzida para 13 línguas e vendida
de dois livros, que formam um volume das obras completas do autor, em mais de 40 países, é uma obra que retrata o “cotidiano do subúrbio ou
do ‘quarto de despejo’ social era registrado nos cadernos que a escritora
recolhia do lixo e que se transformariam nos ‘diários de uma favelada’”.43
SILVA. Apresentação.
37

CASTRO. Prefácio, p. 26.


38 Consta na descrição bibliográfica do sistema de recuperação da Biblioteca
CASTRO. Prefácio, p. 21.
39
Pública Estadual de Minas Gerais que três edições (terceira, quarta e
Jornalista, historiador, filólogo e sociólogo convidado, em 1975, pelos governos de Ghana, Senegal
40

e Nigéria para conhecer a cultura, usos e costumes africanos, regressou ao Brasil e no ano seguinte
fundou, junto com africanos, a Sociedade Yorubana, instituição cujo objetivo é a preservação das
manifestações culturais afro-brasileiras. DOMÍCIO PROENÇA FILHO. Dados biográficos. In: LITERAFRO.
42

NEI LOPES. Dados biográficos. In: LITERAFRO.


41
CAROLINA MARIA DE JESUS. Dados biográficos. In: LITERAFRO.
43

30 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 31


sexta) são do ano de 1960 e uma do ano de 2008. Como foi considerado, As coleções
no início desta seção, para ser constituída uma nova edição há que exis- De acordo com o levantamento, nas descrições de algumas obras apa-
tir alterações em relação à edição anterior. Assim, duas hipóteses foram recem a respectiva série ou coleção na qual se inserem. A Associação
aventadas: ou foi equívoco/distração do bibliotecário ao indexar na base Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) distingue esses dois termos pró-
de dados da biblioteca ou do profissional vinculado à editora. A fim de prios da edição de livros, definindo a série como um “conjunto de itens,
resolver a questão, foram pesquisadas outras edições desse mesmo título sobre um tema específico ou não, com autores e títulos próprios, reuni-
em outros acervos. No Sistema de Bibliotecas da UFMG, foram recupera- dos sob um título comum”47 e a coleção como um “conjunto limitado de
das diversas edições, e apresentam-se: uma terceira edição, publicada itens, de um ou diversos autores reunidos sob um título comum, podendo
pela Edibolso, em 1976; duas oitavas edições, publicadas pela Editora cada item ter título próprio”.48 Em uma definição mais clara, coleção seria
Ática, em 2000 e 2006. 44
Estes exemplos são suficientes para evidenciar “uma obra completa com determinados volumes”, o que implica ter regis-
um problema bastante comum nos meios editoriais que é a confusão, tro de cada volume e um para a coleção propriamente dita, e série, “um
intencional ou não, entre os termos edição e tiragem. 45
Constatou-se que título coletivo que se aplica ao grupo como um todo e volumes infinitos”,49
as três edições de 1960, disponíveis no acervo, correspondem realmente podendo ser atribuído, um registro para cada volume. Para efeito de ilus-
às terceira, quarta e sexta edições. Adita-se a essa constatação que o tração da diferença entre esses termos, dá-se o exemplo de uma coleção
livro de Carolina Maria de Jesus teve uma “vendagem recorde de trinta em especial, Aventuras de Luana, da Editora FTD, escrita por Oswaldo
mil exemplares, na primeira edição, chegando ao total de cem mil livros Faustino,50 na qual foram publicados quatro livros: Luana, a menina que
vendidos, na segunda e terceira edições”.46 viu o Brasil neném; Luana e as sementes de Zumbi; Luana, capoeira e
Para finalizar esta seção, vale destacar algumas obras da área de liberdade; e Luana e as asas da liberdade, em que cada volume, ou título,
Religião: a primeira edição d’O animismo fetichista dos negros bahia- obteve um registro individual. No acervo da biblioteca foram recuperados
nos, de Nina Rodrigues, de 1935; as edições brasileira e francesa d’Os apenas os três primeiros títulos.
cultos de origem africana no Brasil, de Edison Carneiro, ambas de 1959; Em relação ao universo da biblioteca, conforme as descrições
Candomblé e umbanda: caminhos da devoção brasileira, do professor bibliográficas recuperadas, 241 obras pertencem a coleções e, 10 a séries.
Vagner Gonçalves da Silva; Kitábu: o livro do saber e do espírito negro- As coleções que se destacam pelo número de obras no total, apresentam-
-africano, de já citado Nei Lopes; Herói com rosto africano: mitos da -se na tabela a seguir:
África, do psicoterapeuta afro-americano Clyde W. Ford; e Mitologia dos
orixás, do professor e sociólogo Reginaldo Prandi.

Percebe-se que a Editora Ática respeita, ao menos nestes exemplos, as diferenças entre tiragem
44

e edição, haja vista a diferença entre as tiragens, dada pela diferença entre os anos de publicação,
registradas como oitava edição.
Tiragem corresponde ao total de exemplares impressos de uma mesma edição. Não havendo
45
ABNT. NBR 6029, p. 3.
47

modificações no texto, e tendo esgotado todos os exemplares de uma tiragem, uma nova reimpressão ABNT. NBR 6029, p. 2.
48

corresponderá a uma nova tiragem, e não uma nova edição. http://www.isbn.bn.br


49

CAROLINA MARIA DE JESUS. Dados biográficos. In: LITERAFRO.


46
Escritor incluído no Literafro.
50

32 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 33


Tabela 5: As coleções e as editoras
do livro Sincretismo religioso afro-brasileiro, de Waldemar Valente e
Coleção Editora Nº de publicações
Amaro Quintas; Os mitos africanos no Brasil: ciência do folk-lore, de
Brasiliana Companhia Editora Nacional 19 Souza Carneiro; duas edições da obra História da alimentação no Brasil,
Veredas Moderna 12 de Câmara Cascudo, de 1968, que trata da dieta africana; Cor e mobi-
Autores Africanos Ática 9 lidade social em Florianópolis, de Fernando Henrique Cardoso e Octavio
Curupira Ática 8 Ianni; e O negro no Rio de Janeiro: relações de raças numa sociedade em
mudança, de Luís Aguiar da Costa Pinto.
Biblioteca infantil Melhoramentos 6
A segunda coleção em número de obras é a coleção Veredas, da
Jabuti. Vida Saraiva 5
Editora Moderna, que teve início na década de 1980, tendo publicado,
Polêmica Moderna 5
desde então, diversos livros infantis e juvenis, em uma variedade de gêne-
Reencontro Scipione 5
ros e tipos de texto. Essa segunda posição se deve ao fato de o acervo
Retratos do Brasil Civilização Brasileira 5 da biblioteca conter 12 obras, de quatro autores diferentes. Dentre eles,
Biblioteca de divulgação cientifica Civilização brasileira 5 destaca-se a presença de três autores que constam da lista de autores
As bruxas de Grimm FTD 4 do Literafro, são eles: Júlio Emílio Braz, com as obras Crianças na escu-
Bichos da África Melhoramentos 4 ridão, edições de 1991 e 1994, Na selva do asfalto, de 1994, e Sete faces
do terror de 1992; Rogério Andrade Barbosa, com as obras A morte ronda
Contrastes e confrontos Livraria Francisco Alves 4
o Kalahari, de 1992, O Enigma dos chimpanzés, de 1995, e O tesouro de
Diálogo Scipione 4
Olinda, de 1996; e Joel Rufino dos Santos, com as obras Ipupiara, o devo-
Documentos brasileiros Livraria José Olympio 4
rador de índios, de 1985, e O soldado que não era, de 1992.
Girassol Moderna 4
A terceira maior coleção em número de obras no acervo da biblio-
Jabuti Saraiva 4 teca é a Autores Africanos, da Editora Ática, que publicou, desde o final
da década de 1970 e início da década de 1990, 27 autores africanos, prio-
A coleção Brasiliana da Companhia Editora Nacional, lançada logo rizando aqueles dos países que têm o português como língua oficial. Essa
após a Revolução de 1930 e a criação do Ministério da Educação, compõe- coleção foi importante porque trouxe ao conhecimento do público leitor
-se de 387 volumes escritos por autores dos mais variados campos cien- brasileiro diversos autores nascidos no continente africano, cujos países,
tíficos, cujas obras se debruçaram sobre o Brasil. No acervo da Biblioteca naquele período, passavam por diversos conflitos e guerras civis.52 Os
Pública de Minas Gerais encontram-se 19 obras; destacam-se algumas autores publicados pertenciam aos países: Angola, Cabo Verde, Congo,
delas: cinco edições da obra Os africanos no Brasil, de Nina Rodrigues; Costa do Marfim, Guiné, Moçambique, Nigéria, Senegal, Somália e Tunísia.
três edições d’O negro brasileiro, de Arthur Ramos, obra que amplia os No acervo da biblioteca, foram recuperadas, por meio da pesquisa
estudos realizados por Nina Rodrigues, na medida em que se afasta de pelo descritor Autores Africanos, as obras constantes da tabela abaixo:
uma explicação racial em direção aos fenômenos culturais de origem
africana; a tradução brasileira da obra sobre a religião afro-brasileira
Le candomblé de Bahia: (rite nagô), de Roger Bastide;51 duas edições

SAMPAIO. Por uma poética da voz africana: transculturações em romances e contos africanos e em cantos
52

Obra traduzida por Maria Isaura Pereira de Queiroz.


51
afro-brasileiros, p. 48-49.

34 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 35


Tabela 6: A coleção Autores Africanos no acervo Tabela7: Autoria

Autor Título Ano Volume País de origem Autor(a) Quantidade

Manuel Lopes Os flagelados do vento leste 1979 2 Cabo Verde Júlio Emílio Braz 64

Jofre Rocha Estórias do musseque 1980 5 Angola Joel Rufino dos Santos 45

Manuel Ferreira Hora di bai 1980 6 Cabo Verde Rogério Andrade Barbosa 42

Muniz Sodré 17
Orlando Mendes Portagem: romance 1981 9 Moçambique
Adão Ventura 14
Bernard Binlin
Climbie: romance 1982 12 Costa do Marfim
Dadie Edimilson de Almeida Pereira 12

Boaventura Arthur Ramos 11


Dizanga dia Muenhu: contos 1982 16 Angola
Cardoso
Domício Proença Filho 11
O mundo se despedaça:
Chinua Achebe 1983 17 Nigéria John Maxuell Coetzee 11
romance
Cruz e Sousa 10
Agostinho Neto Sagrada esperança 1985 24 Angola
Nei Lopes 9

Ainda sobre essa coleção, é importante ressaltar que ela é uma das Monteiro Lobato 8

responsáveis por apresentar autores africanos aos leitores brasileiros, Nadine Gordimer 7

oferecendo contato com a realidade da produção literária desses países Ruth Guimarães 7

africanos, o que contribui para a diminuição das imagens estereotipadas Edison Carneiro 6

sobre o continente africano. Raymundo Nina Rodrigues 6

De modo geral, toda editora mantém diversas coleções em seu Antônio Callado 5

catálogo. Isso denota conhecimento dos interesses do público leitor ao Autor não identificado 5

mesmo tempo em que ela contribui para a formação desses como lei- Carolina Maria de Jesus 5

tores. Do total de 303 editoras recuperadas por meio do levantamento, Gilberto Freyre 5

vale apontar que 87 mantêm pelo menos um volume de sua coleção no Gonçalves Crespo 5
acervo, e cerca de 40% dessas editoras apresentam mais de um volume Nelson Rodrigues 5
de uma coleção. Abdias do Nascimento 4

Bernardino da Costa Lopes 4


Autoria / Gênero: masculino e feminino Coelho Netto 4
Para a apresentação da autoria ressalta-se que os escritores e escritoras Conceição Evaristo 4
que foram recuperados pelo levantamento, aparecendo apenas uma vez, Edimilson de Almeida Pereira (Secundário) 4
totalizam 219. Aqueles que apareceram mais de uma vez estão repre- Heloisa Pires Lima 4
sentados na tabela abaixo, correspondendo àqueles que tiveram mais de Luis da Câmara Cascudo 4
uma obra sob sua responsabilidade intelectual, seja como autor principal, Ruth Guimarães (Trad.) 4
secundário, organizador, colaborador, tradutor.53

Preferiu-se, nesta tabela, apontar essas diferenças da responsabilidade intelectual, explicitando a


53
função, entre parênteses.

36 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 37


Silvério Gomes Pimenta 4 Domício Proença Filho (Org.) 2

UEMG (Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros) 4 Domício Proença Filho (Sel.) 2

Ana Lúcia Eduardo Farah Valente 3 Eliana Lourenço de Lima Reis 2

Carybé 3 Emanoel Araújo 2

Cecilia Meireles 3 Evaristo de Moraes 2

Domício Proença Filho (Coord.) 3 Fernando Henrique Cardoso 2

Emanoel Araújo (Org.) 3 Florestan Fernandes 2

Luiz Gama 3 Jacques Raimundo 2

Geni Mariano Guimarães 3 Jaime Santana Sodré Pedreira (Secundária) 2

Ivan Cupertino Dutra 3 Jean Paul Sartre 2

Júlio José Chiavenato 2


Júlio Emílio Braz (Secundário) 3
Lilia Moritz Schwarcz 2
Madu Costa 3
Luis Viana Filho 2
Orlando J. Santos 3
Mariana Ramos de Morais 2
Oswaldo Faustino (Coaut.) 3
Mário Filho 2
Reginaldo Prandi 3
Muniz Sodré (Colab.) 2
Renato Mendonça 3
Museu Afro Brasil 2
Walcyr Carrasco 3
Niki Daly 2
Aires da Mata Machado Filho 2
Núbia Pereira de Magalhães Gomes 2
Ana Maria Gonçalves 2
Quilombhoje 2
Anízio Vianna 2

Antônio de Paiva Moura 2 Raymond S. Sayers 2

Arlindo Veiga dos Santos 2 Rita de Cássia Fazzi 2

Camilo Castelo Branco 2 Roberto Conduru 2

Roger Bastide 2
Carlos Correia Santos (Secundário) 2
Rogério Andrade Barbosa (Secundária) 2
Carolina Cunha 2
Rubem Fonseca 2
Chinua Achebe 2
Salgado Maranhão 2
Christopher Hope 2
Solano Trindade 2
Cidinha da Silva 2
Sônia Maria van Dijck Lima (Org.) 2
Clóvis Moura 2
Waldemar Valente 2
Cristina Agostinho 2

Cyana Leahy-Dios 2 É interessante notar que os seis primeiros autores com mais obras
Cyana Leahy-Dios (Trad.) 2 publicadas são escritores que constam do índice de autores do portal
Domício Proença Filho (Colab.) 2 Literafro, e, juntos, são responsáveis por 194 obras no acervo da biblio-
teca. Nessa tabela, destaca-se ainda que desse portal estão representados

38 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 39


31 autores e autoras com 321 obras, como, por exemplo, Domício Proença que as escritoras com mais obras possuem cada uma sete. São elas:
Filho, Nei Lopes, Ruth Guimarães, Cruz e Sousa, Luiz Gama, Carolina Nadime Gordimer e Ruth Guimarães.
Maria de Jesus, Gonçalves Crespo, Abdias do Nascimento, Bernardino da A primeira é uma escritora sul-africana, em cuja literatura denuncia
Costa Lopes, Conceição Evaristo, Cyana Leahy-Dios, Heloisa Pires Lima, a deteriorização social de seu país em épocas do regime do Apartheid,57
dentre outros. Com 11 obras, destaca-se Arthur Ramos, com estudos das uma escritora vencedora do prêmio Nobel de Literatura no ano de 1991.
ciências sociais, e John Maxuell Coetzee, autor sul-africano, bastante pre- Ruth Guimarães, autora integra ao índice do Literafro, é poeta, roman-
miado e ganhador, no ano de 2003, do Prêmio Nobel de Literatura. cista, contista, cronista, jornalista, teatróloga, professora, tendo lecio-
Além dos autores representados nessa tabela, destacam-se um nado Língua Portuguesa por mais de trinta anos em escolas da rede
autor e uma autora, ambos integrantes do Literafro, que foram recupe- pública do estado de São Paulo,58 tradutora, autora de diversos livros
rados pelo levantamento, apenas uma vez. São eles: José do Patrocínio, infantis e pesquisadora de literatura oral no Brasil.59 Das sete obras recu-
escritor e político brasileiro, defensor das causas abolicionistas e um dos peradas pelo levantamento constam: o romance Água funda, de 1949;
fundadores da Academia Brasileira de Letras; 54
Maria Firmina dos Reis, duas edições do Dicionário de Mitologia Grega, 1977/1983; e as tradu-
mulher, bastarda e mulata que viveu em um contexto de extrema segre- ções das obras Buda e Jesus: diálogos, de Carrin Dunne, 1998; Notas do
gação racial e social, considerada a primeira romancista brasileira,55 com subsolo: e outros contos, de Fiodor Dostoievski; e seleção e tradução de
a obra Úrsula: romance original brasileiro, editada no ano de 1859, tendo contos de Alphonse Daudet e Dostoievski, publicados como Os melhores
a biblioteca a quarta edição, de 2004, cujo texto atualizado e o posfácio contos de Alphonse Daudet, 1987; Os melhores contos de F. Dostoieviski,
são de autoria do professor e pesquisador Eduardo de Assis Duarte. 1987. Em sua bibliografia constam mais de duas dezenas de livros, entre
A questão do gênero envolve, como se sabe, um problema social, ficção e não ficção, e quase uma dezena de traduções.
tendo íntima aproximação com o lugar social que é imposto às mulheres. Para apresentação dos gêneros, em relação ao universo da biblio-
Este lugar é regido por aquilo que Pierre Bourdieu chamou de “imensa teca, dos 308 autores, 214 são homens, sendo que 43 estão no Literafro,
máquina simbólica que tende a ratificar a dominação masculina sobre a as mulheres são 76, sendo 15 constam na lista do portal Literafro. Veja-se
qual se alicerça”.56 Até o século XIX, as escritoras estiveram ausentes da a tabela abaixo:
historiografia literária brasileira, porque o lugar da escrita, da literatura,
não comportava as mulheres, e, tendo conquistado este espaço, pau-
latinamente, por meio de lutas, tendo conquistado o direito à escrita,
à publicação, elas vêm, desde então, conquistando, gradualmente, os
espaços nas estantes da biblioteca.
Se em um primeiro momento isso foi um obstáculo a ser superado,
a questão ainda não foi de todo resolvida, haja vista a pequena presença
das autoras, silenciadas ou excluídas, nos compêndios e manuais de his-
toriografia literária. Observe-se a tabela anterior (Tabela 7), para notar

Regime político de segregação racial, em que a minoria étnica branca subjugava a maioria dos
57

cidadãos, cerceando-os da participação política e dos direitos fundamentais.


JOSÉ DO PATROCÍNIO. Dados biográficos. In: LITERAFRO.
54
RUTH GUIMARÃES. Dados biográficos. In: LITERAFRO.
58

MARIA FIRMINA DOS REIS. Dados biográficos. In: LITERAFRO.


55
Ver ALMEIDA; QUEIROZ. Na captura da voz: as edições da narrativa oral no Brasil. SOUZA. Do canto da voz ao
59

BOURDIEU. A dominação masculina, p. 12.


56
batuque da letra: a presença africana em narrativas orais inscritas no Brasil.

40 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 41


Tabela 8: Gênero dos autores
Locais de publicação
Gênero Quantidade
A respeito dos locais de publicação apresenta-se logo abaixo uma
Homem 214
primeira tabela, que corresponde a todas as obras encontradas pelo
Mulher 76 levantamento. Para um total de 705 obras, 683 correspondem às edições
Institucional 18 com apenas uma cidade como local de publicação. Observa-se a tabela
Total 308 abaixo:

As autorias institucionais, como universidades, museus, arquivos, Tabela 9: Local de publicação

bibliotecas etc., são 18 no levantamento realizado por meio dos descri- Local Quantidade

tores (excluído, obviamente, o portal Literafro, porque consideram-se São Paulo 340

escritores e escritoras). Rio de Janeiro 178


Destaca-se o Quilombhoje, que é um grupo de autores da litera- Belo Horizonte 82
tura afro-brasileira, fundado em 1978, cuja proposta congrega o incentivo s.l. / sine loco 10
ao hábito de leitura, a difusão de conhecimentos e informações, desen- Juiz de Fora 9
volvendo e incentivando estudos, pesquisas sobre literatura e cultura
Brasília 7
negras. Este grupo é responsável pela publicação dos Cadernos negros,
Petrópolis 7
obra coletiva de autores afrodescendentes, que reúne textos críticos,
Lisboa 5
referências para pesquisas e fragmento de obras, em diversos gêneros,
Porto 6
como romance, conto, crônica, ensaios e poesia.60
Salvador 6
Os autores Allan da Rosa, Carlos Correia dos Santos, Cuti, Elio
Paris 4
Ferreira, Henrique Cunha Jr., Márcio Barbosa, Paulo Colina, Waldemar
Porto Alegre 3
Euzébio Pereira; e as autoras Conceição Evaristo, Geni Guimarães, Sônia
Fátima da Conceição, que publicaram textos nos Cadernos negros, tive- Buenos Aires 2

ram – com exceção de Esmeralda Ribeiro, Sônia Fátima da Conceição e Campinas 2

Oubi Inaê Kibuko – suas obras como autores individuais recuperadas no Contagem 2

levantamento realizado. Entretanto, desses cadernos, essa importante Florianópolis 2

publicação, apenas três volumes constam do acervo da biblioteca, são João Pessoa 2
eles: Cadernos negros 17: poemas, de 1994; Cadernos negros 21: poe- New York 2
mas afro-brasileiros, de 1998; e Cadernos negros 22: contos afro-brasi- Teresina 2
leiros, de 1999.
Barcelona 1

Belém 1

Bocaiúva 1

Goiânia 1

Maceió 1
DUARTE; FONSECA. Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica.
60

42 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 43


Maranhão 1 Juiz de Fora; Belo Horizonte 1

Mariana 1 Porto; Lisboa 1


Recife 1
Rio de Janeiro; Brasília 1
Sabará 1
Rio de Janeiro; Mogi das
1
São Carlos 1 Cruzes

São Luís 1 Total 22


Uberlândia 1

Total 683 É interessante notar que, desses locais de publicação, Rio de


Janeiro é o mais produtivo para as coedições, compondo seis arranjos:
Nota-se, na tabela acima, que as cidades do Rio de Janeiro e São Brasília / Rio de Janeiro; São Paulo / Rio de Janeiro; Rio de Janeiro /
Paulo são as mais produtivas, em relação às publicações, sendo seguidas Salvador; Rio de Janeiro / São Paulo; Rio de Janeiro / Brasília; e Rio de
pelas cidades mineiras de Belo Horizonte – foram recuperadas quantida- Janeiro / Mogi das Cruzes; correspondendo a 12 obras, ou seja, 54% do
des substanciais de publicações da Mazza Edições – e Juiz de Fora; entre total. Em segundo lugar, está São Paulo, que formou três arranjos, em
elas o sine loco, que significa, na descrição bibliográfica, a indicação da um total de oito publicações, o que corresponde a cerca de 40% do total.
ausência de especificação do lugar de publicação. A coedição cujos locais de publicação foram Florianópolis / Belo Horizonte
corresponde à publicação, pelas editoras Mulheres e PUC-Minas, da
Coedições obra de Maria Firmina dos Reis, já citada na seção anterior desta pes-
As 22 obras que faltam para complementar o total foram publicadas em quisa. A outra coedição mineira corresponde ao arranjo Juiz de Fora /
coedição.61 Para estas, manteve-se a mesma ordenação obtida pelas Belo Horizonte da obra Assim se benze em Minas Gerais, de Edimilson
informações bibliográficas do acervo. Veja-se a tabela abaixo: Pereira de Almeida, poeta, ensaísta, professor e pesquisador da cultura
e da religiosidade afro-brasileiras, integrante do Núcleo de Estudos Afro-
Tabela 10: Locais de publicação – as coedições Brasileiros (NEAB), da UFJF.62
Local Quantidade Vale observar que se encontraram também coedições estrangei-

Brasília; Rio de Janeiro 3 ras. Do arranjo México / Buenos Aires, sob responsabilidade do Fondo de
Cultura Económica, saíram as obras El arte del África Central: escultu-
São Paulo; Brasília 3
ras y máscaras, de William Buller Fagg, 1967; e Las esculturas del África
São Paulo; Rio de Janeiro 3
negra, de Denise Paulme, 1. ed. 1962. As cidades portuguesas compu-
Belo Horizonte; Juiz de Fora 2 seram o arranjo das editoras Lello & Irmão, Porto, e Aillaud e Bertrand,
México; Buenos Aires 2 de Lisboa, que publicou, em 1926, a segunda edição da obra Rei negro:
Rio de Janeiro; Salvador 2 romance bárbaro, de Coelho Neto.

Rio de Janeiro; São Paulo 2

Florianópolis; Belo Horizonte 1

Define-se coedição como edições realizadas em conjunto pelas editoras.


61
EDIMILSON PEREIRA DE ALMEIDA. Dados biográficos. In: LITERAFRO.
62

44 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 45


As editoras de grandes bibliotecas e diversas impressões foram expulsos do Brasil,
Uma definição de editora como uma “casa publicadora, pessoa(s) ou ins- em 1759, pelo marquês de Pombal, que “via na imprensa colonial [...]
tituição responsável pela produção editorial”63 é suficiente para começar uma fonte do poder e da influência [deles]”.67
a entendê-la, mas não para compreender todos os procedimentos que No que diz respeito às restrições oficiais de impressão no país, diz-
envolvem a edição de um livro, que se iniciam primeiro como um projeto -se muito sobre o alvará de D. Maria I, promulgado em 1785, que proibia a
do autor, seu original, que é passado à editora e seus profissionais da edi- instalação de fábricas e manufaturas no Brasil, e, sendo o livro um objeto
ção, que coordenam os processos de editoração – preparação de original, manufaturado, teria sido, por esse documento, proibido. Entretanto, há
diagramação, revisão de provas, impressão, acabamento –, a culminar o registro de uma proibição às “letras impressas”, regulamentada pelo
no objeto livro, que logo passa pelas mãos pelo distribuidor, do livreiro, alvará de 1720, pelo que é possível inferir que, no Brasil, havia alguém
até chegar a uma biblioteca, ser organizado na estante, pelos bibliotecá- imprimindo e, portanto, precisava ser impedido.68
rios, e estar disponível ao leitor. Assim, acredita-se ser importante inter- Avançando um pouco mais na história, omitindo importantes
calar este parágrafo com um breve e, portanto, incompleto histórico da nomes em várias iniciativas de impressão, a chegada da corte portu-
impressão de livros no Brasil, a fim de que se possa retomar a análise, guesa marcaria um novo momento para o Brasil. Foram criadas diver-
com foco nas editoras cujas publicações fazem parte do levantamento, sas instituições, um aparato administrativo que permitisse à corte reger
no acervo da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, dos africanos e seu império. Destacam-se como grandes modificações estruturais que
afrodescendentes. impulsionaram o desenvolvimento do impresso no Brasil, a revogação
Voltando um pouco no tempo, nesse pequeno histórico da impres- do alvará de D. Maria I, em 1808, a criação da Imprensa Régia, e a cria-
são de livros no Brasil, houve, desde os primeiros séculos da colonização ção da Biblioteca Nacional, em 1810. Enquanto a revogação do alvará
portuguesa, um impedimento da metrópole para que aqui se implantasse derrubava os impedimentos formais para a instalação de tipografias no
a impressão. 64
Esse impedimento, diferente do que ocorreu nas colônias Brasil, a criação da imprensa demandava a importação de maquinários
portuguesas da Ásia e da África, fazia parte de um projeto de controle e o desenvolvimento de profissionais do texto, ao mesmo tempo em que
político metropolitano, que não foi suficiente para refrear as necessidades se desenvolvia um sistema de consumo desses impressos. Já a criação
de publicação. Nas Américas espanhola e inglesa quando a administração dessa biblioteca que, no primeiro momento, edificava um lugar para o
se tornou complexa, a tipografia se fez necessária e se desenvolveu; já acervo régio, inaugurava as bibliotecas oficiais no país.
no Brasil, a administração conservou-se simples a ponto de não deman- Dito isto, e sintetizando um pouco mais, avança-se, a propósito,
dar seu desenvolvimento. 65
Registra-se que, ainda no século XVII, a ins- ao Rio de Janeiro do século XIX, a fim de se aproximar de Francisco de
talação da tipografia no Brasil teria sido proposta pelos holandeses, o que Paula Brito, aquele que, nos dizeres de Machado de Assis, foi o “primeiro
não chegou a se efetivar também pelo fato de terem sido expulsos do editor digno desse nome que houve entre nós”.69 Precursor da imprensa
Brasil pelos portugueses.66 negra, Paula Brito foi representativo da manifestação estético-política
O primeiro livro impresso na América portuguesa é datado da pri- afrodescendente, e o primeiro editor de Machado de Assis.70 Justifica-se a
meira década do século XVIII, tendo sido impresso pelos jesuítas. Donos inclusão desta breve apresentação e localização pelo fato de ele constar

ABNT. NBR 6023, p. 2.


63
HALLEWELL. O livro no Brasil: sua história, p. 11.
67

HALLEWELL. O livro no Brasil: sua história, p. 5.


64
HALLEWELL. O livro no Brasil: sua história, p. 21.
68

HALLEWELL. O livro no Brasil: sua história, p. 13.


65
HALLEWELL. O livro no Brasil: sua história, p. 79.
69

HALLEWELL. O livro no Brasil: sua história, p. 12-13.


66
SILVA. Paula Brito: precursor da imprensa negra e do conto brasileiro. In: LITERAFRO.
70

46 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 47


Pallas 5
do índice de autores do portal Literafro, importante base de dados de lite-
Agir 4
ratura afro-brasileira, utilizada para a complementação do corpus deste
Autêntica 4
trabalho. Passemos à análise das editoras.
Edições SM 4
Diferente dos resultados correspondendo aos locais de publica-
Funarte 4
ção (Tabela 9) apresentam-se, como resultado do levantamento, dado o
Museu Afro Brasil 4
número grande de editoras, apenas aquelas que publicaram até quatro
O Cruzeiro 4
obras. Veja-se a tabela abaixo:
Orobó Edições 4

Tabela 11: As editoras Paulinas 4

Editora Nº de obras As quatro primeiras editoras com o maior número de obras no


FTD 32 acervo da Biblioteca Pública são a FTD, Ática, Moderna e Mazza Edições,
Ática 29 com, respectivamente, 32, 29, 25 e 24 livros.
Moderna 25 Relacionada à Ordem Marista da França, a editora FTD imprimiu,
Mazza Edições 24 no Brasil, seu primeiro livro em 1902. Conforme seu projeto, a missão
Nacional 20 da editora é a de “promover o conhecimento e a educação de crianças,
Companhia das Letras 19 jovens e adultos, reconhecendo e privilegiando a formação integral do ser
Civilização Brasileira 16 humano, por meio da produção e oferta de [...] conteúdos educacionais e
Melhoramentos 16 culturais ao mercado”, na forma de livros didáticos, de apoio didático e de
Record 14 literatura.71 Dessas 32 obras, todas são dedicadas aos leitores crianças e
s.n 12 jovens, sendo que 16 são de autoria de Júlio Emílio Braz; oito de Rogério
Scipione 12 Andrade Barbosa; três de Oswaldo Faustino; e uma de cada um destes
Brasiliense 11 autores: Luiz Galdino; Joel Rufino dos Santos; Geni Guimarães; Marcos
José Olympio 11 Rodrigues da Silva; e Márcia Kupstas. Vale ressaltar que apenas estes
Global 10 dois últimos não são autores incluídos no portal Literafro.
Nova Fronteira 10 A editora Ática é uma das grandes do mercado editorial nacio-
Saraiva 9 nal de didáticos. Fundada nos meados da década de 1960, já publicou,
Selo Negro 8 desde então, por volta de 760 autores, de diversas nacionalidades, com
Atual 7 obras dos mais variados gêneros. Desses autores, ademais dos africa-
Círculo do Livro 7 nos que já foram citados, na seção “As coleções”, destaca-se Joel Rufino
DCL 7 dos Santos, com 11 obras publicadas, sendo uma delas de Sociologia, e
Vozes 7 o restante, Literatura Infantil e Juvenil. De Domício Proença Filho foram
Ediouro 6 encontradas no acervo da biblioteca cinco obras vinculadas ao ensino de
Bertrand Brasil 5 Línguas e Literatura. O autor Muniz Sodré, publicado por essa editora,
Cultrix 5

http://www.ftd.com.br/a-ftd.
71

48 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 49


apareceu no acervo com um dicionário vinculado à Comunicação. Por e poesia contemporâneas), Literatura Infantil e Juvenil (coleções interati-
último, destaca-se a obra A integração do negro na sociedade de clas- vas e paradidáticas, livros de imagens).72
ses, de Florestan Fernandes. Diz-se que essa editora já publicou mais de O catálogo dessa editora é formado por obras e escritores que
2.300 títulos, porém não foi possível certificar essa informação. De todo acreditam na construção de uma sociedade baseada na ética, na justiça
modo, observando o número de títulos e autores da editora que constam e na liberdade. Uma editora vinculada não só ao mercado de livros, mas,
do acervo, somando a isso a informação de que, destas obras, vinte delas sobretudo, uma empresa responsável com as questões da cultura brasi-
pertencem às diversas coleções que ela mantém, vê-se sua importância leira, afro-brasileira e a produção intelectual do negro, publicando obras
para a difusão da cultura, reiterando, inclusive, sua importância na difu- para todos os públicos, de ensaios, paradidáticos, literatura, literatura
são das culturas do continente africano. infantil e juvenil. Destaca-se a coleção Griot-mirim, com as obras encon-
A editora Moderna foi fundada por três professores, em fins da tradas no levantamento, Koumba e o tambor diambê e Meninas negras,
década de 1960. Assim como as duas primeiras editoras, ela produz mate- ambas de Madu Costa.
rial de apoio, publica livros didáticos e obras de literatura. Publicou, de Assim, a Mazza Edições além de sua abordagem temática de resis-
Joel Rufino dos Santos, nove obras, todas voltadas ao público jovem, com tência – dirigida por uma mulher, algo que, nestes últimos tempos, não
exceção de Zumbi, biografia desse importante personagem histórico, sím- é raro, mas é incomum – é uma editora que se preocupa com os temas
bolo da resistência dos negros no Brasil. De modo semelhante, todas as relacionados à cultura afro-brasileira. Embora a importância de sua atu-
sete obras de Júlio Emilio Braz encontradas no acervo da biblioteca são de ação no mercado seja indiscutível, foi após a sanção da Lei nº 10.639/03
literatura para jovens, separa-se a Felicidade não tem cor, que trata do que essa editora ocupou efetivamente os espaços das bibliotecas públicas
caminho do preconceito racial e das atitudes preconceituosas do dia a dia. e escolares, o que demonstra um impacto da lei no acervo.
Outros dois autores que foram publicados por essa editora disponíveis no Para adequação a essa lei, e não por ela, convém ressaltar que
acervo são: Júlio José Chiavenato e Ana Lúcia Valente, cujos títulos das a cidade de Belo Horizonte sedia duas editoras, a Mazza Edições e a
obras são, respectivamente, Negro no Brasil: da senzala à abolição, que Nandyala, que se dedicam em publicar obras importantes de autores e
traz a discussão sobre o contexto da abolição da escravatura; e Ser negro autoras, de vários países de África, escritores e escritoras afrodescenden-
no Brasil hoje, livro que se dedica a trabalhar a temática do racismo, bus- tes que trabalham questões ligadas ao que a lei estabelece.
cando responder à pergunta: o que é ser negro no Brasil? Em relação ao
número de publicações vinculadas as coleções, a Editora Moderna ocupa,
dentro levantamento realizado no acervo da Biblioteca Pública do estado,
a primeira colocação, com 22 coleções registradas.
A Mazza Edições, editora mineira, foi fundada em 1981, por Maria
Mazarello, dedica-se à publicação da produção intelectual afrodescen-
dente e de obras que abordam aspectos da cultura afro-brasileira, em
áreas como: Antropologia, Sociologia, História (publicações referentes às
práticas do sagrado, aos movimentos sociais e à formação da historio-
grafia brasileira), Educação (publicações sobre as relações entre escola e
sociedade, material didático e paradidático), Literatura Brasileira (prosa
http://www.mazzaedicoes.com.br
72

50 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Análise do acervo 51


Considerações finais

De acordo com o levantamento das obras no acervo da Biblioteca Pública


Estadual de Minas Gerais, pode-se perceber que as obras do acervo dessa
Biblioteca contemplam todas as áreas do conhecimento. A Literatura
apresenta o maior número de obras, o que atende aos propósitos da
leitura literária, tão necessária, não podendo ser confundida com biblio-
teca especializada ou mesmo escolar. É importante que o acervo da
Biblioteca Pública disponibilize também outros títulos necessários para o
conhecimento da história e cultura distribuídos entre outras áreas, como
a Filosofia, Religião e Línguas. Ainda, observa-se que os livros dedica-
dos à arte africana e afro-brasileira ainda são poucos. De todo o modo,
pela análise das datas das edições, é possível afirmar que a Biblioteca
Estadual de Minas Gerais vem se preocupando mais com uma extensão
temática de seu acervo, visando atender a todas as necessidades.
Foi possível perceber uma dinâmica de publicações em que África
e África / Brasil, africanos e afrodescendentes, são temas e autores de
literatura infantil e juvenil. O que em algumas poucas décadas atrás seria
lugar para a poesia e a prosa – vale lembrar dos Cadernos negros, que
publicaram diversos autores estreantes na literatura – hoje é lugar para
arte dedicada às crianças e aos jovens. É possível que a Lei nº 10.639/03
tenha influenciado a escolha do gênero, mas acredita-se mais na aliança
entre necessidades mercadológicas (os governos são os maiores com-
pradores de livros) e a intenção de modificar a sociedade, a partir dos
pequenos, por meio de arte e literatura.
No acervo da biblioteca encontram-se obras do século XIX e obras de uma sociedade que ainda é desigual em relação às mulheres. Contudo,
editadas mais recentemente, o que demonstra que há, na política de percebe-se que isso está em mudança na sociedade, o que reflete e refle-
aquisição de obras, uma preocupação em atender às necessidades de tirá ainda mais na (re)constituição do acervo. Tal mudança não mais está
seu público leitor. Além disso, vale ressaltar que a Biblioteca incorporou atrelada apenas ao fato de que hoje as mulheres escrevam mais, mas
significativamente um grande número de obras em seu acervo após 2003, também com as novas possibilidades de publicações, pela criação de
sendo possível afirmar que a Lei nº 10.639/03 causou impacto em sua novas editoras. É óbvio que esse espaço é um território conquistado por
coleção. É interessante perceber que há uma quantidade de diferentes meio de lutas, em que vozes se tornaram letras, e estas se tornaram
edições de uma mesma obra no acervo. A compra de uma nova edição de livros. Há, ainda hoje, uma necessidade de que esses livros, cujos títulos
um mesmo título demanda o conhecimento das necessidades dos usuá- têm aumentado significativamente, tornem a ser letras, que amplificam
rios, a fim de que não sejam desperdiçadas as verbas de que se dispõe as vozes. Isso não é apenas possível acontecer por meio das políticas
para a aquisição de livros. Isso implica que essa biblioteca demonstra de aquisição de obras, mas, sobretudo, por meio da mobilização da pró-
sua preocupação na manutenção de um acervo dinâmico e adequado às pria sociedade, pelo interesse pelas letras, pelas palavras e pela voz das
necessidades de informação de cada usuário. mulheres.
Quanto às coleções, salienta-se que se elas desempenham um Aproveitando esse último parágrafo, destaca-se a criação das edi-
papel importante dentro de uma editora, organizando suas escolhas edi- toras Mazza Edições e Nandyala, ambas belo-horizontinas, idealizada por
toriais e definindo seu público, elas são importantes para a constituição mulheres, que poderá modificar o eixo de publicação Rio de Janeiro / São
do acervo da biblioteca, conferindo a ela uma organicidade desejável à Paulo, em relação às temáticas referentes aos africanos e afrodescenden-
instituição. Assim, uma coleção Brasiliana de uma editora que organiza tes, pela missão que assumiram: publicar obras sobre culturas africanas
suas publicações dentro desse tema, com publicações que tratam dos e afro-brasileira, de autores africanos e afrodescendentes.
vários aspectos da vida e da cultura brasileira – destaca-se a inclusão de Para concluir, reitera-se que os dados expostos nesta pesquisa
obras sobre negros na coleção da Editora Nacional – poderá contribuir não são fixos, pois o próprio objeto empírico, o acervo da Biblioteca
para a definição do arranjo dessas publicações no interior da biblioteca, Estadual de Minas Gerais, é tão dinâmico quanto a sociedade pode ser. A
organizando autores e autoras afro-brasileiros, cujas obras tratem sobre Biblioteca, que vem incorporando com regularidade novas obras, títulos,
o Brasil, a uma coleção sobre Brasil, no seio da Brasiliana. De modo novos exemplares em suas estantes, vem adquirindo obras que aumen-
semelhante, talvez fosse possível realocar as obras, na mesma intenção tam a representatividade dos negros, dos africanos, dos afrodescenden-
da coleção Autores Africanos, da Editora Ática, organizando os autores e tes em seu acervo. Pode-se, por fim, dizer que a Biblioteca Pública, a
autoras africanos que estão dispersos na biblioteca, no interior de uma maior biblioteca do estado de Minas Gerais, com a missão de dar acesso
coleção África. aos bens culturais, está em trânsito, buscando adequar-se aos novos
Sobre gênero dos autores, destaca-se a presença de escritores e tempos, às novas e importantes necessidades. Assim, espera-se, a partir
escritoras, com seus vários papeis intelectuais assumidos, como respon- desse passeio pelas estantes dessa Biblioteca, da modesta visibilidade
sáveis intelectuais, colaboradores, organizadores, tradutores, presença que este trabalho conferiu ao acervo, despertar o interesse pelas leituras,
maior do que a de autores entidades, representadas por instituições, que é, talvez, uma das maneiras de se conhecer o outro.
como universidades, bibliotecas, museus e arquivos.
Entre autores e autoras, a mulher ainda assume um espaço menor
quando comparado com os resultados para o gênero masculino, reflexo

54 Africanos e Afrodescendentes nas estantes Considerações Finais 55


Referências
AGÊNCIA BRASILEIRA DO ISBN. [s.d]. Disponível em: <http://www.isbn.bn.br/>. Acesso em: 24
maio 2017.

ALMEIDA, Maria Inês de; QUEIROZ, Sônia. Na captura da voz: as edições da narrativa oral no Brasil.
Belo Horizonte: FALE/UFMG; Autêntica, 2004.

ANDRADE, Mário. Bibliotecas populares. Revista Livro, v. 2, n. 5, p. 7, 1957.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Informação e documentação – referências:


elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

:
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. 6029 Informação e documentação – Livros e folhetos.
Rio de Janeiro: ABNT, 2006.

BERNARDINO, Maria Cleide; SILVA, Joselina da; CARMO, Nicacia Lina do. As bibliotecas públicas e
os suporte para a Lei 10.639/03. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO
E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 24., 2011, Alagoas. Anais... Disponível em: <https://goo.gl/Z4frK8>.
Acesso em: 10 mar. 2013.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. 11. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BIBLIOTECA da Fale já funciona 24 horas, todos os dias. UFMG, Belo Horizonte, 23 out. 2009.
Disponível em: <https://www.ufmg.br/online/arquivos/013519.shtml> Acesso em: 20 out. 2013.

BRIQUET DE LEMOS, Antônio A. Bibliotecas. In: CAMPELLO, Bernadete; CALDEIRA, Paulo da Terra.
Introdução às fontes de informação. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p. 101-121. (Coleção Ciência
da Informação).

CANDIDO, Antonio. Dez livros para conhecer o Brasil. Revista Teoria e Debate, São Paulo, n. 41,
set. 2000. Disponível em: <https://blogdaboitempo.com.br/2013/05/17/antonio-candido-indica-
10-livros-para-conhecer-o-brasil/>. Acesso em: 23 out. 2013.

CASTRO, Yeda Pessoa de. Prefácio. In: MENDONÇA, Renato. A influência africana no português do
Brasil. Brasília: FUNAG, 2012. p. 15-27.

CESARINO, Maria Augusta da Nóbrega (Org.). Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa: 50 anos
de cultura. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais/Superintendência
de Bibliotecas Públicas, 2006.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Introdução. In: _____. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia.
São Paulo: Editora 34, 1995, vol. I. 127 p.

DUARTE, Eduardo de Assis; FONSECA, Maria Nazareth Soares (Org.). Literatura e afrodescendência
no Brasil: antologia crítica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011. 583 p.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário da língua portguesa Aurélio. 3 ed. São
Paulo: Positivo, 2006.

FLUSSER, Victor. Uma biblioteca verdadeiramente pública. Revista Escola de Biblioteconomia, v.


2, n. 9, set. 1980. p. 131-138.

FTD EDITORA. [s.d.]. Disponível em: < http://www.ftd.com.br/a-ftd/>. Acesso em: 07 nov. 2013.

FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL. Biblioteca Pública: princípios e diretrizes. Rio de Janeiro: Fundação
Biblioteca Nacional, Dep. de Processos Técnicos, 2000. (Documentos técnicos; 6).

GENETTE, Gérard. Paratextos Editoriais. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2009. 376 p.
HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil: sua história. São Paulo: Edusp. Queiroz; Editora da

R016.3058 C394

AS896.3 C673w.
326.0981 B552a
Universidade de São Paulo, 1985.

016.3058 C394

A709.05 B588v
B869.35 L864v
Localização

G216v 2008.
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes na Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais
IANNI, Octavio. Florestan Fernandes: sociologia crítica e militante. São Paulo: Editora Expressão

305.80981
Popular, 2004.

2000

2000

2002
KOONTZ, Christie; GUBBIN, Barbara (Org.). Diretrizes da IFLA para bibliotecas públicas. Brasília:

Pa
Briquet de Lemos, 2012.

Movimento Negro
LITERAFRO. Literatura afro-brasileira. Disponível em: <http://www.letras.ufmg.br/literafro>.

Negros – Brasil;

Arte; Arte Afro-


Autor Afro-bra-
sileira; Contos;

Brasil; História
Literatura Bra-

Escravidão no
Acesso em: 08 jul. 2013.

Sul-africana;
Bibliografia;
Assunto/

-brasileira

Literatura
MANGUEL, Alberto. A biblioteca à noite. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

Romance
Gênero

Negros

sileiro
MARTINS, Wilson. A palavra escrita: história do livro, da imprensa e da biblioteca. São Paulo:
Ática, 2002.

MAZZA EDIÇÕES. [s.d.]. Disponível em : <http://www.mazzaedicoes.com.br>. Acesso em: 24 de

Data

2000

2006

2008

2010

2002

1980
maio 2017.

MORISSAWA, Mitsue. O manuscrito e o processo de edição. In: QUEIROZ, Sônia (Org.). Editoração:

Fundação Cultu-

Fundação Cultu-

Fundação Bienal
arte e técnica. 2. ed. rev. e aum. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2008. p. 11-17. (Cadernos Viva Voz).

de São Paulo
ral Palmares

ral Palmares

Best Seller
PROENÇA FILHO, Domício. A trajetória do negro na literatura brasileira. Estudos avançados, São

Editora
Paulo, v.18, n.50, p. 161-193, jan./abr. 2004.

Ediouro
Record
QUEIROZ, Sônia. Pé preto no barro branco: a língua dos negros da Tabatinga. Belo Horizonte:
Editora UFMG, 1998.

SAMPAIO, Neide Aparecida de Freitas. Por uma poética da voz africana: transculturações em

Rio de Janeiro
romances e contos africanos e em cantos afro-brasileiros. 2008. 334 f. Dissertação de Mestrado

São Paulo

São Paulo

São Paulo
(Teoria da Literatura. Literatura, História e Memória Cultural) – Faculdade de Letras, Universidade

Brasília
Local
Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

[s.l.]
SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA. Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa. [s.d.]. Disponível

John Maxwell Coetzee


em: <http://www.cultura.mg.gov.br/>. Acesso em: 24 set. 2013.

Bienal de São Paulo

Flávio Costa Berutti


Kabengele Munan-
Autor Principal
SILVA, Alberto da Costa e. Apresentação. In: MENDONÇA, Renato. A influência africana no português

Januário Garcia
do Brasil. Brasília: FUNAG, 2012. p. 7-9.

ga (Coord.)
SOUZA, Ana Lúcia S.; SOUSA, Andréia L.; PIRES, Rosane de Almeida. Afro-literatura brasileira.

Nei Lopes
Educom Afro. Rio Grande do Sul: PUCRS, 2005. Disponível em: <http://www.pucrs.br/faced/
educomafro/index1.php?p=afro-literatura>. Acesso em: 12 abr. 2013.

SOUZA, Josiley Francisco de. Do canto da voz ao batuque da letra: a presença africana em narrativas

no Brasil: 1980-2005 = 25
orais inscritas no Brasil. 2012. 201 f. Tese (Literatura Comparada. Literatura, História e Memória

bibliográfica sobre o negro

25 anos movimento negro

A abolição da escravidão:
20 contos e uns trocados

years of the black move-

(1888: o negro torna-se


29 Bienal de São Paulo:
Cultural). – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

À espera dos bárbaros


ment in Brazil – 2. ed.
100 anos de produção

igual na lei, mas...)


educativo parceiros
SUAIDEN, Emir José. A biblioteca pública no contexto da sociedade da informação. Ciência da
Informação, Brasília, v. 29, n. 2, p. 52-60, maio/ago. 2000. Disponível em: <https://goo.gl/
nv2ryV>. Acesso em: 01 abr. 2013.

Título

6
58 Africanos e Afrodescendentes nas estantes
Assunto/

60
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura
Companhia das AS896.3 C673w.
7 À espera dos bárbaros John Maxwell Coetzee São Paulo 2006 Sul-africana;
Letras Os
Romance
África; História;
Rogério Andrade
8 ABC do continente africano São Paulo Edições SM 2007 Autor Afro-bra- 960 B238a 2007
Barbosa
sileiro
Arte brasileira; 709.81 N244a
Séc. XX; Influ- 2006
Abdias Nascimento 90 anos, Abdias do Nasci-
9 Rio de Janeiro IPEAFRO 2006 ências africanas; A709.81 N244a
memória viva mento
Orixás; Autor 2006 Bib. Pub./
Afro-brasileiro Patrimonial
Literatura Infan-
808.899282
10 Abre-te, Sésamo! – 2. ed. Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 1993 tojuvenil; Autor
B827a
Afro-brasileiro
Abrir-se um abutre ou Literatura Brasi-
B869.15 V468a
11 mesmo depois de deduzir Adão Ventura Belo Horizonte Imprensa Oficial 1969 leira; Poesia; Au-
Emp
dele o azul tor Afro-brasileiro
Abrir-se um abutre ou Literatura Brasi-
12 mesmo depois de deduzir Adão Ventura Belo Horizonte Edições Oficina 1969 leira; Poesia; Au- B869.15 V468a

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


dêle o azul tor Afro-brasileiro
Negros; Brasil;
Ações afirmativas em
Cidinha da Silva Identidade racial; 370.1934 A185
13 educação: experiências São Paulo Selo Negro 2003
(Org.) Educação; Autora 2003
brasileiras
Afro-brasileira

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

História do Brasil;
Afinal, quem fez a Repú- Joel Rufino dos 981.05 S237a
14 São Paulo FTD 1998 Autor Afro-bra-
blica? Santos 1998
sileiro
A África na sala de aula:
15 visita à história contempo- Leila Maria Gonçalves São Paulo Selo Negro 2005 África; História 960 H557a 2005
rânea
Os Africanos no Brasil – 2. Raymundo Nina Negros; História
16 São Paulo Nacional 1935 981 B823
ed. Rodrigues do Brasil
Os Africanos no Brasil – 2. Raymundo Nina Negros; História
17 São Paulo Nacional 1935 981 B823
ed. Rodrigues do Brasil
981 B823 Brasi-
Os Africanos no Brasil – 3. Raymundo Nina Negros; História
18 São Paulo Nacional 1945 liana Bib. Pub./
ed. Rodrigues do Brasil
Patrimonial
Os Africanos no Brasil – 5. Raymundo Nina Negros; História 305.8960981
19 São Paulo Nacional 1977
ed. Rodrigues do Brasil R696a 1977 Emp
Raymundo Nina Negros; História
20 Os Africanos no Brasil São Paulo Nacional 1932 981 B823 1932
Rodrigues do Brasil
Afrodescendên-
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Selo Negro: cia; Identidade 305.896081


21 Afro-brasileiros hoje Darién J. Davis São Paulo 2000
Geledes racial; Grupos D261a.Pl 2000
sociais
The Afro-brazilian touch:
Arte Negra Bra- A709.81 M296.
22 the meaning of tis artistic Eric Drysdale (Trad.) São Paulo Tenenge 1988
sileira Ad 1988
and historic contribution
61
Assunto/

62
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

B869.35 G963a
Literatura Brasi- Emp
23 Água funda – 2. ed. Ruth Guimarães Rio de Janeiro Editora Globo 1949 leira; Autor Afro- B869.35 G963a
-brasileiro 1949 Bib. Pub./
Patrimonial
Mitologia Iorubá;
Aguemon: um mito Iorubá 808.899282
24 Carolina Cunha São Paulo Martins Fontes 2002 Literatura Infan-
da criação do mundo C972a
tojuvenil
Secretaria
Municipal para Afrodescendên-
Alfabeto negro: a valori-
Assuntos da cia; Identidade 305.8036 A275a
25 zação do povo negro no Cristina Agostinho Belo Horizonte 2000
Comunidade racial; Grupos 2000
cotidiano da vida escolar
Negra de Belo sociais
Horizonte
Afrodescendên-
Alfabeto negro: a valori-
cia; Identidade 305.8036 A275a
26 zação do povo negro no Cristina Agostinho Belo Horizonte Mazza 2001
racial; Grupos 2001
cotidiano da vida escolar
sociais
Literatura Sul- AS896.3 G661c.
27 O Amante da natureza Nadine Gordimer Rio de Janeiro Codecri 1982

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


-africana Pc
Os Amantes de minha mãe: Literatura Sul- AS896.3 H791m.
28 Christopher Hope Rio de Janeiro Record 2009
romance -africana Pc

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Rogério Andrade 808.899282
29 Os Amantes do lago Rotorua São Paulo SM 2005 Infantojuvenil;
Barbosa B238a
Autor Afro-bra-
sileiro
New York Grafic Arte Norte-ame- A709.73 D743a
30 American Negro art Cedric Dover New York 1960
Society ricana 1960

Afrodescendên-
As Americas negras: as
DIFEL: Editora cia; Identidade 305.89607
31 civilizações africanas no Roger Bastide São Paulo 1974
da USP, 1974. racial; Grupos B326a.Po 1974
Novo Mundo
sociais

Literatura Brasi-
808.899282
32 O Amigo inventado José Jorge Letria São Paulo Vale Livros 1994 leira; Literatura
L649a
Infantojuvenil

Literatura Infan-
Rogério Andrade 808.899282
33 O Anel de Tutancâmon São Paulo Melhoramentos 1991 tojuvenil; Autor
Barbosa B238a
Afro-brasileiro

O Animismo fetichista dos Raymundo Nina Civilização Bra- 291.211 R696a


Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

34 Rio de Janeiro 1935 Religião


negros bahianos Rodrigues sileira 1935

Anjo Negro: tragédia em


35 três atos – peça mítica – Nelson Rodrigues Rio de Janeiro Nova Fronteira 2005 Teatro Brasileiro B869.25 R696n
1946

Seção de Livros
Anjo Negro: Vestido de noi- B869.25 R696a
36 Nelson Rodrigues Rio de Janeiro da Emprêsa Grá- 1948 Teatro Brasileiro
va; A mulher sem pecado 1948
fica O Cruzeiro
63
Assunto/

64
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

O Anjo negro de Getulio – Getúlio Vargas; 320.981 N267a


37 David Nasser Rio de Janeiro O Cruzeiro 1966
2. ed. Ciência Política 1966 Emp

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
38 Anjos no aquário – 2. ed. Júlio Emílio Braz São Paulo Atual 1992 Infantojuvenil;
B827an
Autor Afro-bra-
sileiro

Braille; Litera-
tura Brasileira;
Anjos no aquário [braile] – 808.899282
39 Júlio Emílio Braz São Paulo Atual Editora 2003 Literatura Infan-
17. ed. B827an
tojuvenil; Autor
Afro-brasileiro

Antídoto: seminário interna-


Grupo Cultural Cultura afro- 306.40981 A629
40 cional de ações culturais em São Paulo Itaú Cultural 2008
Afroreggae -brasileira 2008
zonas de conflito.

Escravidão e
326.0981 A634
41 Antologia do negro brasileiro Edison Carneiro Rio de Janeiro Globo 1950 Libertação no
1950 Emp
Brasil

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Coletânea; Lite-
Antologia poética do Con-
Adão Ventura ratura Brasileira; B869.08 C744a
42 curso de Poesia Fernando Campinas Komedi 2001
(Colab.) Poesia; Autor 2001
Pessoa
Afro-brasileiro

Literatura Infan-
808.899282
43 Aprendendo a viver Júlio Emílio Braz São Paulo Saraiva 1999 tojuvenil; Autor
B827ap
Afro-brasileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura Bra-
Tear africano: contos afro- Henrique Cunha sileira; Contos;
44 São Paulo Selo Negro 2004 B869.35 C972t
descendentes Junior Autor Afro-bra-
sileiro

Global; Fundação Literatura Brasi-


São Paulo; Rio B869.1082
45 Arcadismo Domício Proença Filho Biblioteca Na- 2006 leira; Poesia; Au-
de Janeiro R843a
cional tor Afro-brasileiro

O Arcebispo negro: ensaio


de uma sintese da vida e 922.2 P644or
46 Benedito Ortiz Petrópolis Vozes 1942 Biografia
obra de D. Silverio Gomes 1942
Pimenta

Ardis da imagem: exclusão


Edimilson de Almeida Mazza Edições; Sociologia; Autor
47 étnica e violência nos dis- Belo Horizonte 2001 301 P436a 2001
Pereira Editora PucMinas Afro-brasileiro
cursos da cultura brasileira

L’ Art préhistorique en Petite Bibliothè- Oceania; Ásia;


48 Friedrich Behn Paris 19-- A709 H673
Europe que Payot África; Arte

709.81 C746a
Arte Brasileira; 2007
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

49 Arte afro-brasileira Roberto Conduru Belo Horizonte Editora C/ Arte 2007 Arte afro-brasi- 709.81 C746a
leira 2007 Bib. Pub./
Patrimonial
65
Assunto/

66
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

709.81 C746a
Arte Brasileira; 2007
50 Arte afro-brasileira Roberto Conduru Belo Horizonte Editora C/ Arte 2007 Arte afro-brasi- 709.81 C746a
leira 2007 Bib. Pub./
Patrimonial

Arte da África: obras-primas


Ethnologisches Mu- Centro Cultural Exposição; Arte A709.6 E84a
51 do Museu Etnológico de Rio de Janeiro 2004
seum Berlin Banco do Brasil Africana 2004
Berlim

África central;
Máscaras africa-
El Arte del África Central: México; Buenos A709.6 F154a.Er
52 William Buller Fagg Hermes; Unesco, 1967 nas; Esculturas
esculturas y máscaras Aires 1967
africanas; Arte
africana

Máscaras africa-
Arte negra na cultura brasi- nas; Influência
53 Iracy Carise São Paulo Artenova 19-- A709.81 C277.Ps
leira: máscaras africanas africana; Arte
Negra Brasileira

Máscaras afri-
Centro Editor de canas; Trabalho A709.6 P156a

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


54 Arte popular africano Miguel Angel Palermo Buenos Aires 1977
América Latina em Metal; Arte 1977
africana

Máscaras africa-
nas; Esculturas A709.6 L368a.Eg
55 Las Artes del África negra Jean Laude Barcelona Editorial Labor 1968
africanas; Arte 1968
africana

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Usos e costumes;
Minas Gerais;
56 Arturos: olhos do rosario Marcelo Pereira Belo Horizonte Mazza Edições 1990 Festas folclóricas; 398 G633a 1990
Cultura Afro-
-brasileira

Literatura Brasi-
Árvore dos Arturos & outros Edimilson de Almeida B869 P4367a
57 Juiz de Fora D’Lira 1988 leira; Poesia; Au-
poemas Pereira 1988
tor Afro-brasileiro

Ascendino Leite;
Escritor mineiro;
Ascendino Leite entrevista Sônia Maria Van Dijck Editora Univer- B928.69 R788a
58 João Pessoa 1997 entrevista;
Guimarães Rosa Lima (Org.) sitária 1997
Biografia; Autora
Afro-brasileira

Ascendino Leite;
Escritor mineiro;
Ascendino Leite entrevista Sônia Maria Van Dijck Editora Univer- B928.69 R7882a
59 João Pessoa 2000 entrevista;
Guimarães Rosa – 2. ed. Lima (Org.) sitária 2000
Biografia; Autora
Afro-brasileira
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Fondo de Cultura Medicina tradi-


Assim se benze em Minas Núbia Pereira de Juiz de Fora; 398 G6331a
60 Económica; 1989 cional; Costume;
Gerais Magalhães Gomes Belo Horizonte 1989
Mazza Edições Folclore

Editora 34;
O Atlântico negro: moderni- São Paulo; Rio UCAM, Centro Negritude; Diás- 305.896 G489b.
61 Paul Gilroy 2001
dade e dupla consciência de Janeiro de Estudos Afro- pora Pm 2001
-Ásiáticos
67
Assunto/

68
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Ministerio da
Atras do muro da noite:
Wilson do Nascimen- Cultura, Fun- Cultura afro- 398.042 B238a
62 (dinamica das culturas afro- Brasília 1994
to Barbosa dação Cultural -brasileira 1994
-brasileiras)
Palmares

Literatura Brasi-
B869 D978a
63 Ave de rapina Ivan Cupertino Dutra [s.l. ] [s.n.] 1985 leira; Autor Afro-
1985
-brasileiro

Literatura Bra-
Domício Proença Filho sileira; Crônica;
64 Aventuras Rio de Janeiro Record 2000 B869.85 B813a
(Coord.) Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
As Aventuras de Pedro 808.899282
65 Júlio Emílio Braz São Paulo Cortez 2004 Infantojuvenil;
Malasartes B827a
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Aventuras no país do pinta- Joel Rufino dos 808.899282
66 Rio de Janeiro José Olympio 2007 Infantojuvenil;

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


-aparece Santos S237a
Autor Afro-bra-
sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Drogas; Juven-
tute; Literatura
Brasileira; Lite- 808.899282
67 Avião: tráfico de drogas Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 1995
ratura Infanto- B827a
juvenil; Autor
Afro-brasileiro

Candomblé;
Axe opo afonja: noticia Instituto Brasi-
Deoscoredes M. dos Cultura afrobra- 398.0981 S237a
68 historica de um terreiro de Rio de Janeiro leiro de Estudos 1962
Santos sileira; Autor 1962
santo da Bahia Afro-asiaticos
Afro-brasileiro

Literatura Bra-
sileira; Crítica e
Bernardino da Costa B869.149 L864.
69 B. Lopes: poesia Rio de Janeiro Agir 1962 interpretação;
Lopes Ym 1962
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Sul- 823.91 C643c.


70 Balada africana Stuart Cloete São Paulo Boa Leitura 19--
-africana Pp Emp

808.899282
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Literatura Brasi- M827b


Banda de cá, banda de lá: Mariana Ramos de
71 Belo Horizonte Espaço Ampliar 2012 leira; Literatura B869.15 M827b
umbanda para crianças Morais
Infantojuvenil Bib. Pub./Infan-
to-Juvenil
69
Assunto/

70
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Negros; História;
Bantos, malês e identidade Identidade Racial; 305.896081
72 Nei Lopes Belo Horizonte Autêntica 2006
negra – ed. rev. e atual. Banto; Malês; Au- L864b 2006
tor Afro-brasileiro

O Barbeiro e o judeu da Literatura Infan-


Joel Rufino dos 808.899282
73 prestação contra o sargento São Paulo Moderna 2007 tojuvenil; Autor
Santos S237b
da motocicleta Afro-brasileiro

Nelson Silva;
O Batuque afro-brasileiro de Osvair Antônio de Juiz de Fora, Batuque Afro-Bra-
74 Funalfa 2003 398.8 O48b 2003
Nélson Silva Oliveira MG sileiro; Cultura
Afro-Brasileira

Batuque, samba and ma-


Cultura afro- A709.81 M514b
75 cumba: drawings of gestu- Cecilia Meireles Rio de Janeiro Funarte 1983
-brasileira; Arte 1983
res and rhythm 1926-1934

Batuque, samba e macum-


Cultura afro- 398.0981 M514b
76 ba: estudos de gesto e de Cecilia Meireles Rio de Janeiro Martins Fontes 2003
-brasileira; Arte 2003
ritmo 1926-1934 – 2. ed.

Batuque, samba e macum-


Instituto Nacio- Cultura afro- A709.81 M514b

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


77 ba: estudos de gesto e de Cecilia Meireles Rio de Janeiro 1983
nal do Folclore -brasileira; Arte 1983
ritmo 1926-1934

Beethoven era 1/16 negro e Companhia das Literatura Sul- AS896.3 G661b.
78 Nadine Gordimer São Paulo 2009
outros contos Letras -africana Pv

Bibliografia afro-brasileira: Bibliografia;


79 estudos sobre o negro – 2. Henrique Losinskas Rio de Janeiro Cátedra 1979 Negro; Cultura 016 A474b 1979
ed. rev. e amp Afro-brasileira

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
80 Bilhetinhos Júlio Emílio Braz Rio de Janeiro Ao Livro Tecnico 1992 Infantojuvenil;
B827b Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
Juiz de Fora, 808.899282
81 Biografia do Negro Gilda Meirelles Franco Editora 2002 leira; Literatura
MG M514b
Infantojuvenil

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Rogério Andrade 808.899282
82 O Boi-de-mamão São Paulo FTD 2005 Infantojuvenil;
Barbosa B238b
Autor Afro-bra-
sileiro

Bonecas negras, cadê? – Negros; Brasil;


Maria Zilá Teixeira de 370.1934 M433b
83 o negro no currículo escolar: Belo Horizonte Mazza 2004 Identidade racial;
Matos 2004
sugestões práticas Educação

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Rogério Andrade 808.899282


84 A Bordadeira de histórias São Paulo FTD 2002 Infantojuvenil;
Barbosa R221b
Autor Afro-bra-
sileiro
71
Assunto/

72
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Joel Rufino dos 808.899282
85 A Botija de ouro São Paulo Ática 1984 Infantojuvenil;
Santos S237bo
Autor Afro-bra-
sileiro

Brasil e África: outro hori- Brasil; África;


José Honório Rodri- Civilização Bra- 327.8106 R696b
86 zonte (relações e política Rio de Janeiro 1961 Política; Relações
gues sileira 1961
brasileiro-africana) Internacionais

Prefeitura Mu- 981 B823 2005


História; América
nicipal de São A709.81 B823
87 Brasileiro, brasileiros Emanoel Araújo São Paulo 2005 do Sul; Brasil;
Paulo, Museu 2005 Bib. Pub./
Arte
Afro Brasil Patrimonial

Literatura Brasi-
88 Broquéis Cruz e Sousa Porto Alegre L&PM 2002 leira; Poesia; Au- B869.149 S725b
tor Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
89 Broquéis; Faróis Cruz e Sousa São Paulo Martin Claret 2002 leira; Poesia; Au- B869.149 S725b
tor Afro-brasileiro

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Braille; Literatura
Fundação Dorina
Broquéis; Faróis [gravação Brasileira; Poesia;
90 Cruz e Sousa São Paulo Nowill para 2011 CD-570 Braille
de som] Autor Afro-bra-
Cegos
sileiro

Buda e Jesus: diálogos – 4. 261.243 D923b.


91 Carrin Dunne São Paulo Pensamento 1998 Religião
ed. Pg 1998

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Joel Rufino dos 808.899282
92 O Burro falante – 6. ed. São Paulo Moderna 1992 Infantojuvenil;
Santos S237b
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
O Caçador de lobisomem,
leira; Literatura
ou, O estranho caso do Joel Rufino dos 808.899282
93 Rio de Janeiro Salamandra 1986 Infantojuvenil;
cussarruim da Vila do Pas- Santos S237ca
Autor Afro-bra-
savento
sileiro

Literatura Bra-
Cada tridente em seu lugar sileira; Crônica; B869 S58655c
94 Cidinha da Silva São Paulo Kuanza 2006
e outras crônicas Autora Afro- 2006
-brasileira

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
95 Cadarços desamarrados Madu Costa Belo Horizonte Mazza Edições 2009 Infantojuvenil;
C837c
Autora Afro-
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

-brasileira

Coletânea; Lite-
Cadernos negros 17: Quilombhoje; A. ratura Brasileira;
96 Esmeralda Ribeiro São Paulo 1994 B869.108 C122
poemas Garibaldi Poesia; Autora
Afro-brasileira
73
Assunto/

74
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Coletânea; Lite-
Cadernos negros, volume Quilombhoje; ratura Brasileira;
97 Quilombhoje São Paulo 1998 B869.15 C114
21: poemas afro-brasileiros A. Garibaldi Poesia; Autores
Afro-brasileiros

Coletânea; Lite-
Cadernos negros, volume ratura Brasileira;
98 Quilombhoje São Paulo. Okan 1999 B869.3082 C763
22: contos afro-brasileiros Poesia; Autores
Afro-brasileiros

Calendário civico brasileiro: Gráfica Editora 370.114 F684c


99 Amaral Fontoura Rio de Janeiro 1970 Educação
(2º semestre) Aurora 1967

Literatura Brasi-
B869 D5411c
100 Caminho: poesias Santiago Dias São Paulo s.n. 1983 leira; Poesia; Au-
1983
tor Afro-brasileiro

Candomblé; Bra-
O candomblé da Bahia: (rito 981 B823 Brasi-
101 Roger Bastide São Paulo Nacional 1961 sil; Cultos; Cultu-
nagô) liana
ra afrobrasileira

Candomblé; Um-
Candomblé e umbanda:
Vagner Gonçalves da banda; Cultura 299.67 S586c
102 caminhos da devoção São Paulo Ática 1994

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Silva Afro-brasileira; 1994
brasileira
Religião

398 C229
Cantando e reinando com Comunidade dos Cultura Afro- 398.098151
103 Belo Horizonte Rona 2006
os Arturos Arturos -brasileira C229 2006 Bib.
Pub./Referência

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

O Canto do Cisne Negro: e Literatura Brasi-


B869.04 C824c
104 outros estudos – 2. ed. rev. Nereu Correa Florianópolis FCC 1981 leira; História e
Emp
e aum Crítica

Negros; Rio
Capitalismo e escravidão no Grande do Sul;
Brasil meridional: o negro Condições econô-
Fernando Henrique 306.362 C268c
105 na sociedade escravocrata Rio de Janeiro Paz e Terra 1977 micas; História;
Cardoso 1977
do Rio Grande do Sul – 2. Escravidão;
ed. Aspectos sociais;
Ciências sociais

Literatura Brasi-
leira; Romance;
106 Capitu: memórias póstumas Domício Proença Filho Rio de Janeiro Artium 1998 B869.35 P964c
Autor Afro-bra-
sileiro

Costumes; Eti-
Secretaria de
André Luís Santana queta; Folclore;
107 Carnaval Ouro Negro Salvador Cultura do Esta- 2009 394.25 C288
Anderson Sotero Cultura Afro-
do da Bahia
-brasileira
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Caroço de dendê: a sabe- Cultura Afro-


doria dos terreiros – como -brasileira; Lite-
Mãe Beata de Ye-
108 ialorixás e babalorixás pas- Rio de Janeiro Pallas 2002 ratura Brasileira; B869.35 B369c
monjá
sam conhecimentos a seus Contos; Autora
filhos – 2. ed Afro-brasileira
75
Assunto/

76
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Carolina e a ostra [livro do 808.899282
109 Júlio Emílio Braz São Paulo Scipione 2003 Infantojuvenil;
professor] B827c Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Escritores Brasi-
Carolina Maria de Jesus: Joel Rufino dos leiros; Biografia;
110 Rio de Janeiro Garamond 2009 B928.69 J58s
uma escritora improvável Santos Autor Afro-bra-
sileiro

Religião; Sermão;
Carta pastoral sobre a edu- Silvério Gomes
111 Petrópolis Vozes 1956 Autor Afro-bra- 252 P644ce 1956
cação da mocidade Pimenta
sileiro

Literatura Bra-
Domício Proença Filho sileira; Ensaios;
112 Um Cartão de Paris Rio de Janeiro Record 1998 B869.85 B813ca
(Coord.) Autor Afro-bra-
sileiro

Escritores Africa-
Cartas d’África e alguma
113 Marques Rebelo Rio de Janeiro Topbooks 2005 nos; Coleção de 808.86 C322
poesia
Cartas

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Cartas pastoraes de D. Religião; Sermão;
Silvério Gomes
114 Silverio Gomes Pimenta, Rio de Janeiro L. Ribeiro 1921 Autor Afro-bra- 252 P644c 1921
Pimenta
arcebispo de Marianna sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Cartilha raizes brasileiras Afrodescendên-


o negro brasileiro, estórias cia; Identidade 305.8036 P324c
115 Everton de Paula Belo Horizonte Candeia 1986
que a história conta e a racial; Grupos 1986
saga encanta... sociais

Literatura Brasi-
Casa da palavra: obra Edimilson de Almeida B869 P4367ca
116 Belo Horizonte Mazza Edições 2003 leira; Poesia; Au-
poética, 3 Pereira 2003
tor Afro-brasileiro

920.71 J58c
Literatura Brasi-
1961
Casa de Alvenaria: diário de Carolina Maria de leira; Memórias;
117 Rio de Janeiro P. de Azevedo 1961 B928.69 J58c
uma ex-favelada Jesus Autora Afro-
1961 Bib. Pub./
-brasileira
Mineiriana

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Rógerio Andrade 808.899282
118 O casaco negro São Paulo Melhoramentos 1998 Infantojuvenil;
Barbosa B238c
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

leira; Literatura
Rógerio Andrade 808.899282
119 O casaco negro São Paulo Melhoramentos 2003 Infantojuvenil;
Barbosa B238c
Autor Afro-bra-
sileiro
77
Assunto/

78
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Casa-grande & senzala: for- Negros; Índios;


mação da família brasileira Escravidão;
120 Gilberto Freyre Rio de Janeiro J. Olympio 1961 981 F894c 1961
sob o regime da economia Brasil; Ciências
patriarcal – 10. ed. Sociais

Casa-grande & senzala: for- Negros; Índios;


mação da família brasileira Escravidão;
121 Gilberto Freyre Rio de Janeiro J. Olympio 1958 981 F894c 1958
sob o regime da economia Brasil; Ciências
patriarcal Sociais

Casa-grande & senzala: for- Negros; Índios;


mação da família brasileira Escravidão;
122 Gilberto Freyre Rio de Janeiro J. Olympio 1969 981 F894c 1969
sob o regime da economia Brasil; Ciências
patriarcal Sociais

Casa-grande & senzala: for- Negros; Índios;


981 D637 Docs.
mação da família brasileira Escravidão;
123 Gilberto Freyre Rio de Janeiro J. Olympio 1943 brasileiros Bib.
sob o regime de economia Brasil; Ciências
Pub./Patrimonial
patriarcal – 4. ed. Sociais

Casa-grande & senzala: for- Negros; Índios;


mação da família brasileira Escravidão;
124 Gilberto Freyre Rio de Janeiro J. Olympio 1954 981 D637
sob o regime de economia Brasil; Ciências

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


patriarcal – 8. ed Sociais

Catálogo: o negro e o índio


Arquivo Público do Negros; Índios; R016.326 A713c
125 na legislação do Maranhão São Luís Sioge 1992
Estado do Maranhão Tema; Catálogo 1992
provincial, 1835-1889

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Costumes; Folclo-
Catopê: o rosário de Bo- Jarbas Siqueira
126 Bocaiúva, MG [s.n] 2011 re; Dança; Cultu- 398 R175c 2011
caiúva Ramos
ra Afro-brasileira

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
127 Cenas urbanas Júlio Emílio Braz São Paulo Scipione 2004 Infantojuvenil;
B827c
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
128 Céu vermelho Júlio Emílio Braz Rio de Janeiro Ao Livro Tecnico 1995 Infantojuvenil;
B827c Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

O Choque das raças, ou, O


Literatura Brasi- B869.35 L796ch
129 presidente negro: romance Monteiro Lobato São Paulo Nacional 1926
leira; Romance 1926
americano do anno de 2228

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

808.899282
130 Cinderela Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 2003 Infantojuvenil;
B827c
Autor Afro-bra-
sileiro

O Cio da terra: (vida e épo- Literatura Sul- AS896.3 C673


131 John Maxwell Coetzee São Paulo Best Seller 1983
ca de Michael K) -africana l.Pa
79
Assunto/

80
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura
896.3 H791b.Pp
132 Cisne negro Christopher Hope Rio de Janeiro Record 1989 Sul-africana;
Emp
Romance

Coleção Autores
Africanos; Litera- CM896.3 D121.
133 Climbie: romance Bernard Binlin Dadie São Paulo Ática 1982
tura Costa-marfi- Pp Emp
nense; Romance

Literatura Brasi-
As Coisas arcas: obra Edimilson de Almeida B869 P4367c
134 Juiz de Fora Funalfa Edições 2003 leira; Poesia; Au-
poética 4 Pereira 2003
tor Afro-brasileiro

Coleção; Museu
Coleção afro-brasileira: Museu Théo Brandão Ministério da Théo Brandão; A708.981 M986c
135 Rio de Janeiro 1987
Coleção afro-brasileira (Maceió) Cultura Cultura Afro- 1987
-brasileira; Arte

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Como as histórias se espa- Rogério Andrade 808.899282
136 São Paulo DCL 2002 Infantojuvenil;
lharam pelo mundo Barbosa B238co
Autor Afro-bra-
sileiro

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Como fazer amor com um Afrodescendên-
negro sem se cansar: e cia; Identidade
305.896081
137 outros textos para o debate Fernando Conceição São Paulo Terceira Margem 2005 racial; Grupos
C744c 2005
contemporâneo da luta anti- sociais; Autor
-racista no Brasil Afro-brasileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Ciências Sociais;
A Comunicação do grotesco:
Comunicação; 302.23 S679c
138 introdução a cultura de Muniz Sodré Petrópolis Vozes 1973
Autor Afro-bra- 1973 Emp
massa brasileira – 3.ed.
sileiro

Ciências Sociais;
A Comunicação do grotesco:
Comunicação; 302.23 S679c
139 introdução a cultura de Muniz Sodré Petrópolis Vozes 1980
Autor Afro-bra- 1980
massa brasileira – 8. ed.
sileiro

Ciências Sociais;
A Comunicação do grotesco:
Comunicação; 302.23 S679c
140 introdução à cultura de Muniz Sodré Petrópolis Vozes 1972
Autor Afro-bra- 1972 Emp
massa brasileira – 2. ed.
sileiro

Livro Didático;
Comunicação em português: Língua Portugue- 469.8 P964c
141 Domício Proença Filho São Paulo Ática 1979
7ª serie sa; Autor Afro- 1979 Emp
-brasileiro

Coletânea; Lite-
Domício Proença Filho ratura Brasileira;
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

142 Concerto a quatro vozes Rio de Janeiro Record 2006 B869.15 C744
(Org.) Poesia; Autor
Afro-brasileiro

Literatura Bra-
Concursos literários do
sileira; Ensaios;
143 Piauí: ensaio & outros estu- Elio Ferreira Teresina FUNDAC 2005 B869.45 C744
Autor Afro-bra-
dos críticos
sileiro
81
Assunto/

82
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura Bra-
Concursos literários do
sileira; Ensaios;
144 Piauí: ensaio & outros estu- Elio Ferreira Teresina FUNDAC 2005 B869.45 C744
Autor Afro-bra-
dos críticos.
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
145 Confissões de Virgínia Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 2008 Infantojuvenil;
B827c
Autor Afro-bra-
sileiro

Congos, moçambiques e
Costumes; Folclo-
marinheiros: olhares sobre Ana Paula Alcântra
146 Uberlândia, MG Composer 2008 re; Dança; Cultu- 398.8 C749 2008
o patrimônio cultural afro- (Org.)
ra Afro-brasileira
-brasileiro de Uberlândia

Constituições de ontem, Joel Rufino dos Legislação; Autor 341.2481 S237c


147 São Paulo Ática 1987
Constituinte de hoje Santos Afro-brasileiro 1987

Universidade do Esta-
do de Minas Gerais Afrodescendên-
Construção de identidade e
Pró-Reitoria de cia; Identidade 305.8960981
148 inclusão social do Afro- Belo Horizonte UEMG, PROPEX 2005
Pesquisa e Extensão racial; Grupos C758 2005

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


-Brasileiro
Núcleo de Estudos sociais
Afro-Brasileiros

Universidade do Afrodescendên-
Construção de identidade e
Estado de Minas cia; Identidade 305.8960981
149 inclusão social do Afro- Belo Horizonte UEMG, PROPEX 2006
Gerais Pró-Reitoria de racial; Grupos C758 2005
-Brasileiro II
Pesquisa e Extensão sociais

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Universidade do Afrodescendên-
Construção de identidade e
Estado de Minas cia; Identidade 305.896081 U58c
150 inclusão social do Afro- Belo Horizonte UEMG, PROPEX 2008
Gerais Pró-Reitoria de racial; Grupos 2008
-Brasileiro II
Pesquisa e Extensão sociais

Universidade do Afrodescendên-
Construção de identidade e
Estado de Minas cia; Identidade 305.896081 U58c
151 inclusão social do Afro- Belo Horizonte UEMG 2009
Gerais Pró-Reitoria de racial; Grupos 2009
-Brasileiro V
Pesquisa e Extensão sociais

Contatos e ressonâncias: li- Literaturas


Angela Vaz Leão
152 teraturas africanas de língua Belo Horizonte PUC Minas 2003 Africanas; Língua 896.09 C759
(Org.)
portuguesa portuguesa

Marco Antonio de La Grupo 3 de Ch862.2 P258c.


153 O Continente negro São Paulo 2009 Literatura Chilena
Parra Teatro Pg

Literatura Infan-
Contos africanos para crian- Rogério Andrade tojuvenil; Contos 808.899282
154 São Paulo Paulinas 2004
ças brasileiras Barbosa Africanos; Autor B238c
Afro-brasileiro

Literatura Bra-
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Márcio Barbosa sileira; Contos;


155 Contos afros São Paulo Quilombhoje 2009 B869.35 C763
(Org.) Autor Afro-bra-
sileiro
83
Assunto/

84
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Rogério Andrade 808.899282
156 Contos ao redor da fogueira Rio de Janeiro Agir 1990 Infantojuvenil;
Barbosa B238c
Autor Afro-bra-
sileiro

Contos crioulos da Bahia


Literatura Bra-
= Creole tales of Bahia =
Núcleo Cultural sileira; Contos;
157 Àkójopò Ìtan Àtenudénu Mestre Didi Salvador 2004 B869.35 D556c
Niger Okàn Autor Afro-bra-
Íran Omo Odùduwà ni Ilè
sileiro
Bahia (Brasíì)

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Imperial Novo 808.899282
158 Contos de arrepiar Júlio Emílio Braz Rio de Janeiro 2008 Infantojuvenil;
Milênio B827c
Contos; Autor
Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Contos de encantos, sedu- Rogério Andrade 808.899282
159 Rio de Janeiro Bertrand Brasil 2005 Infantojuvenil;
ções e outras quebrandos Barbosa B238c
Contos; Autor

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
Contos e lendas afro-brasi- Companhia das leira; Literatura 808.899282
160 Reginaldo Prandi São Paulo 2010
leiros: a criação do mundo Letras Infantojuvenil; P899c
Contos

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Escritos políticos;
Arlindo Veiga dos B869.85 S237c
161 Contra a corrente São Paulo Pátria Nova 1931 Autor Afro-bra-
Santos 1931
sileiro

Contribuição bantu na músi- Cultura Bantu;


162 Kazadi wa Mukuna São Paulo Global 1978 A780.981 K23c
ca popular brasileira MPB; Música

Fundação Biblio- Literatura Brasi-


163 A cor da palavra Salgado Maranhão Rio de Janeiro teca Nacional; 2009 leira; Poesia; Au- B869.15 M311c
Imago tor Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
B869.15 V468c
164 A cor da pele – 4. ed. Adão Ventura Belo Horizonte Edições do Autor 1987 leira; Poesia; Au-
Emp
tor Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
165 A cor da pele – 5. ed Adão Ventura Belo Horizonte Edições do Autor 1988 leira; Poesia; Au- B869 V468c 1988
tor Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
166 A cor da pele Adão Ventura Belo Horizonte Edições do Autor 1981 leira; Poesia; Au- B869 V468c 1981
tor Afro-brasileiro
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Geni Mariano Gui- 808.899282
167 A cor da ternura São Paulo FTD 1998 Infantojuvenil;
marães G963c 1998
Autora Afro-
-brasileira
85
Assunto/

86
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Côr e mobilidade social em


981 B823
Florianópolis: aspectos das Fernando Henrique Negros; Índios;
981 B823 Brasi-
168 relações entre negros e Cardoso; Octavio São Paulo Nacional 1960 Escravidão; Bra-
liana Bib. Pub./
brancos numa comunidade Ianni sil; História
Patrimonial
do Brasil Meridional

Afrodescendên-
Cor, profissão e mobilidade:
João Baptista Borges Pioneira: Vicens- cia; Identidade 305.8960981
169 o negro e o radio de São São Paulo 1967
Pereira -Vives racial; Grupos P436c 1967 Emp
Paulo – 1967
sociais

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
170 A coragem de mudar Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 1993 Infantojuvenil;
B827co
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
171 A coragem de mudar Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 1999 Infantojuvenil;
B827c
Autor Afro-bra-
sileiro

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Literatura Brasi-
Corpo imprevisto & Margem Edimilson de Almeida B869 P4367cor
172 Juiz de Fora D’Lira 1989 leira; Poesia; Au-
dos nomes Pereira 1989
tor Afro-brasileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

B869 P4367co
Literatura Brasi- 1991
Corpo vivido: reunião Pereira, Edimilson de Belo Horizonte; Mazza Edições;
173 1991 leira; Poesia; Au- B869.15 P436c
poética Almeida, Juiz de Fora D’Lira
tor Afro-brasileiro Bib. Pub./Em-
préstimo

Cosme e Damião: a arte


popular de celebrar os A704.948 M779c
174 Maria Lúcia Montes São Paulo Expomus 2011 Arte religiosa
gêmeos [coleção Ludmilla 2011
Pomerantzeff]

Literatura Brasi-
Costura de nuvens: antolo-
175 Adão Ventura Sabará, MG Dubolsinho 2006 leira; Poesia; Au- B869.15 V468c
gia poética
tor Afro-brasileiro

Culinária Afri-
Guilherme Requião 641.5 R126c
176 A cozinha africana da Bahia Salvador Radel 2006 cana; Culinária
Radel 2006
Baiana

Literatura Bra-
sileira; Cultura
808.899282
177 Criança sabida Orlando J. Santos São Paulo Omo Oduwa 2010 Afro-brasileira;
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

S237c
Literatura Infan-
tojuvenil

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
178 Crianças na escuridão Júlio Emílio Braz São Paulo Moderna 1991 Infantojuvenil;
B827c
Autor Afro-bra-
sileiro
87
Assunto/

88
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
179 Crianças na escuridão Júlio Emílio Braz São Paulo Moderna 1994 Infantojuvenil;
B827c
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
180 Cruz e Sousa – 2. ed. Cruz e Sousa São Paulo Global 2001 leira; Poesia; Au- B869.149 S725c
tor Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
Civilização Bra- B869.149 S725c.
181 Cruz e Souza Cruz e Sousa Rio de Janeiro 1979 leira; Poesia; Au-
sileira Yc
tor Afro-brasileiro

Ministério da
Les Cultes d’origine africaine Candomblé; 299.6 C289c.Fs
182 Edison Carneiro Rio de Janeiro Educação e 1959
au Brésil Religião 1959
Cultura,

Afrodescendên-
Cultos afro-brasileiros do Instituto Joaquim cia; Identidade
305.6996 R484c
183 Recife: um estudo de ajus- Rene Ribeiro Recife Nabuco de Pes- 1978 racial; Grupos so-
1978
tamento social – 2. ed. quisas Sociais ciais; Candomblé;
Religião

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Os cultos de origem africana MEC, Biblioteca Candomblé; 299.6 C289c
184 Edison Carneiro Rio de Janeiro 1959
no Brasil Nacional Religião 1959

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

398.098151
Usos e costumes;
M929c 1998
A cultura afro-brasileira Minas Gerais;
Antônio de Paiva 981.51 M929c
185 e a festa do Rosário em Belo Horizonte Imprensa Oficial 1998 Festas folclóricas;
Moura 1998 Diamantina
Diamantina Cultura Afro-
Bib. Pub./Minei-
-brasileira
riana

Bibliografia;
A cultura afro-brasileira em Edição Carranca/
Antônio de Paiva Negro; Minas 016.398 M929c
186 Minas (catálogo bibliográ- Belo Horizonte Comissão Mineira 1987
Moura Gerais; Cultura 1987
fico) de Folclore
Afro-brasileira

Cultura afro-brasileira. n. Suplemento


Suplemento Literário Imprensa Oficial
187 1033 / Suplemento literário Belo Horizonte 1966 literário; Cultura B869 S959
de Minas Gerais de Minas Gerais
de Minas Gerais. Afro-brasileira

Afrodescendên-
Cultura e situação racial no Civilização Bra- cia; Identidade 305.8036 A994c
188 Thales de Azevedo Rio de Janeiro 1966
Brasil sileira racial; Grupos 1966
sociais

Cultura quilombola na Lagoa


Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Escravidão;
da Pedra, Arraias – Tocan-
Emancipação;
tins: rituais, símbolos e rede
Tocantins; Qui- 326.0981 T337c
189 de significados de suas ma- Wolfgang Teske Brasília Senado Federal 2010
lombo; Resis- 2010
nifestações culturais – um
tência; Cultura
processo folkcomunicacional
Afro-brasileira
de saber ambiental
89
Assunto/

90
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Negros; Cultura
As culturas negras no Novo 981 B823 Brasi-
190 Arthur Ramos São Paulo Nacional 1946 Negra; História
Mundo – 2. ed. amp. liana
do Brasil

Negros; Cultura
As culturas negras no Novo Civilização Bra- 305.8 R175c
191 Arthur Ramos Rio de Janeiro 1937 Negra; História
Mundo sileira 1937
do Brasil

Negros; Cultura
As culturas negras no Novo 325.26087 R175c
192 Arthur Ramos São Paulo Nacional 1979 Negra; História
Mundo 1979
do Brasil

As culturas negras no Novo Negros; Cultura


193 Mundo: o negro brasileiro Arthur Ramos São Paulo Nacional 1946 Negra; História 981 B823
III – 2. ed. amp. do Brasil

Literatura Brasi-
leira; Literatura
O curumim que virou gigan- Joel Rufino dos 808.899282
194 São Paulo Ática 1986 Infantojuvenil;
te – 4. ed. Santos S237c Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


leira; Literatura
Joel Rufino dos 808.899282
195 Cururu virou paje – 2. ed. São Paulo Ática 1987 Infantojuvenil;
Santos S237cu Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Joel Rufino dos 808.899282
196 Cururu virou paje São Paulo Ática 1984 Infantojuvenil;
Santos S237c
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Joel Rufino dos 808.899282
197 Cururu virou pajé São Paulo Ática 1999 Infantojuvenil;
Santos S237cu
Autor Afro-bra-
sileiro

Dança negro, ginga a Negros; Dança 793.3 F383d


198 Maria Zita Ferreira Belo Horizonte Mazza Edições 1998
história Afro-brasileira 1998

Fernando Fábio Fiore- Literatura Brasi-


199 Dançar o nome: poemas Juiz de Fora Editora UFJF 2000 B869 F992d 2000
se Furtado leira; Poesia

Literatura Brasi-
808.899282
200 Cadê você, Jamela? Niki Daly São Paulo Edições SM 2009 leira; Literatura
D153w.Pm
Infantojuvenil

Literatura
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Companhia das AS896.3 G661g.


201 De volta a vida Nadine Gordimer São Paulo 2007 Sul-africana;
Letras Pk
Romance

Literatura Brasi-
leira; Romance; B869 G63510d
202 Um defeito de cor – 3. ed Ana Maria Gonçalves Rio de Janeiro Record
Autor Afro-bra- 2007
2007 sileiro
91
Assunto/

92
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

O desafio do escombro:
Fundação Biblio- Literatura guine-
nação, identidades e pós- 869.09 A919d
203 Moema Parente Augel Rio de Janeiro teca Nacional, 2007 ense; História e
-colonialismo na literatura 2007
Garamond Crítica
da Guiné-Bissau

Literatura
Companhia das AS896.3 C673d.
204 Desonra – 2. ed. John Maxwell Coetzee São Paulo 2010 Sul-africana;
Letras Ps
Romance

Literatura Brasi-
B869 D978d
205 Despaisado Ivan Cupertino Dutra Belo Horizonte Orobó Edições 1998 leira; Poesia; Au-
1998
tor Afro-brasileiro

Os deuses africanos no can-


domblé da Bahia = African Orixá; Candom- A709.81 C332d
206 Carybé Salvador Bigraf 1993
gods in the candomblé of blé; Bahia; Arte 1993
Bahia – 2. ed

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
207 Dever de casa Júlio Emílio Braz São Paulo Ícone 1998 Infantojuvenil;
B827d
Autor Afro-bra-
sileiro

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Literatura Irlan-
208 Dezembros selvagens Edna O’Brien Rio de Janeiro Bertrand Brasil 2003 Ir823.91 O13w.Pl
desa

Literatura Brasi-
Marcos Fabrício Lopes Emcomum Estú-
209 Dezlokado Belo Horizonte 2010 leira; Poesia; Au- B869.15 S586d
Silva dio Livre
tor Afro-brasileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
O dia em que o povo Joel Rufino dos leira; Romance;
210 São Paulo Círculo do Livro 1983 B869.35 S2375d
ganhou Santos Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura
Companhia das AS896.3 C673d.
211 Diário de um ano ruim John Maxwell Coetzee São Paulo 2008 Sul-africana;
Letras Ps
Romance

Ministério da Brasil; Limites;


Jose da Natividade
212 Diario resumido Rio de Janeiro Educação e 1938 Fronteira; Autor 981 S162d 1937
Saldanha
Saúde Afro-brasileiro

Dicionário antológico da
cultura afro-brasileira:
português, Yorubá, Nagô, Dicionário;
Eduardo Fonseca R469.396333
213 Angola, Gêge – incluindo as São Paulo Maltese 1995 Yorubá; Nagô;
Junior F676d 1995
ervas dos orixás, doenças, angola; Gêge
usos e fitoterapia e fitologia
das ervas

Dicionário;
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Dicionário da mitologia Mitologia Grega; R292.003 G963d


214 Ruth Guimarães São Paulo Cultrix 1972
grega Autora Afro- 1972
-brasileira

Dicionário;
Dicionário da mitologia Mitologia Grega; R292.003 G963d
215 Ruth Guimarães São Paulo Cultrix 1983
grega Autora Afro- 1983
-brasileira
93
Assunto/

94
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Dicionário; Arte
Dicionário de arte sacra & A704.948 L824d
216 Raul Lody Rio de Janeiro Pallas 2006 Sacra Afro-bra-
técnicas afro-brasileiras 2006
sileira

Dicionário; Co-
R302.203 R112d
217 Dicionário de comunicação Muniz Sodré São Paulo Ática 1987 municação; Autor
1987
Afro-brasileiro

Língua portu-
guesa; Regio-
nalismos; Afro;
Dicionário escolar afro- R469.7 L864d
218 Nei Lopes São Paulo Selo Negro 2006 Negros; Usos
-brasileiro 2006
e costumes;
Dicionário; Autor
Afro-brasileiro

Língua portu-
guesa; Regio-
nalismos; Afro;
Dicionário escolar afro- R469.7 L864d
219 Nei Lopes São Paulo Selo Negro 2006 Negros; Usos
-brasileiro 2006
e costumes;
Dicionário; Autor

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Afro-brasileiro

Dinâmica de
Dinâmica de grupos na Grupo; Lideran-
302.3 G635c
220 formação de lideranças – 8. Ana Maria Gonçalves Rio de Janeiro DP&A 2002 ça; Mobilização
2002
ed. Social; Autora
Afro-brasileira

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
Rogério Andrade 808.899282
221 Dingono, o pigmeu São Paulo Melhoramentos 1997 Infantojuvenil;
Barbosa B238di
Autor Afro-bra-
sileiro

Coleção Autores
Dizanga dia Muenhu: Africanos;. Lite-
222 Boaventura Cardoso São Paulo Ática 1985 Ag896.3 C268d
(contos) ratura Angolana;
Contos

Do outro lado da terra:


Panamá, California, Japão,
Coréa, Man-Chuo-Kuo, Sibé- Relatos de Via-
223 Alexandre Konder Rio de Janeiro Victor 1939 910.4 K82d 1939
ria, Kwantung, Mongolia, gens
china, Indo-China, Malasia,
Ceylão, União sul-africana

Folclore; Minas
Gerais; Cultura
popular; Religião
Núbia Pereira de
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Do presépio à balança: e sociologia;


Magalhães Gomes,
224 representações sociais da Belo Horizonte Mazza Edições 1994 Religião e cultura; 398 G633d 1994
Edimilson de Almeida
vida religiosa Folia de Reis; Ri-
Pereira
tos e cerimonias
fúnebres; Autor
Afro-brasileiro
95
Assunto/

96
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Documentação juridica so-
Bahia. Divisão de Legislação; Escra- R342.81 D637
225 bre o negro no Brasil, 1800- Salvador O Departamento 1989
Bibliotecas vidão; Brasil 1989
1888: indice analitico

Instituto Brasi- Situação política;


Dois caminhos da revolução Moacir Werneck de 320.9673 C355d
226 Rio de Janeiro leiro de Estudos 1962 Política; África;
africana Castro 1962 Emp
Afro-Asiaticos, Angola

José do Patro-
cínio; Bordallo
Dois em um: Bordalo Pi-
Pinheiro; Aboli-
nheiro e José do Patrocí-
cionistas; 1888;
nio – um português e um
Caricaturas e de- 920.02 M986d
227 brasileiro – exposição come- Museu Afro Brasil São Paulo Museu Afro Brasil 2007
senhos humorís- 2007
morativa dos 100 anos de
ticos; Periódicos
morte de Bordalo Pinheiro e
brasileiros; Arte
José do Patrocínio
brasileira; Séc.
XIX; Biografias

Literatura
Dostoiévski, o mestre de Best Seller: Cír- AS896.3 C673m.
228 John Maxwell Coetzee São Paulo 1997 Sul-africana;
São Petersburgo culo do Livro Pg
Romance

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


O drama racial de crianças Racismo; Negro;
305.230981
229 brasileiras: socialização Rita de Cássia Fazzi Belo Horizonte Autêntica 2004 Crianças; Discri-
F287d 2004
entre pares e preconceito minação racial

Drama racial de crianças Racismo; Negro;


305.230981
230 brasileiras: socialização Rita de Cássia Fazzi Belo Horizonte Autêntica 2006 Crianças; Discri-
F287d 2006
entre pares e preconceito minação racial

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Negros; Literatu-
Dramas para negros e pro-
Abdias do Nasci- Teatro Experi- ra; Teatro Negro; B869.2082
231 logo para brancos: antologia Rio de Janeiro 1961
mento mental do Negro Autor Afro-bra- N244d Emp
de teatro negro-brasileiro
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Duas histórias muito engra- Joel Rufino dos 808.899282
232 São Paulo Moderna 2010 Infantojuvenil;
çadas Santos S237d
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
B869 V6171d
233 Dublê de anjo Anízio Vianna Belo Horizonte Maza Edições 1996 leira; Poesia; Au-
1996
tor Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Duula a mulher canibal: um Rogério Andrade 808.899282
234 São Paulo DCL 1999 Infantojuvenil;
conto africano Barbosa B238d
Autor Afro-bra-
sileiro

É de tororó; maracatu; Cultura Afro-


Casa do Estu- 398.0981 B726e
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

235 ensaios de Ascenso Ferreira Hermilo Borba Filho Rio de Janeiro 1951 -brasileira; Arte
dante do Brasil 1951
e Ariano Suassuna Afro-brasileira

Ludens; Funda- Primeira Repú-


Educadores & alunos negros Brasília; Rio de 370.981 M958e
236 Maria Lúcia Muller ção Biblioteca 2008 blica; Alunos
na Primeira República Janeiro 2008
Nacional Negros; Educação

Rosa Luxemburgo Mamíferos; Ele-


237 Elefantes Rio de Janeiro Beta 1977 I599.61 E38 Inf
(Trad.) fante Africano
97
Assunto/

98
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Os elefantes: breve estudo
da sua histoia natural, sua Mamíferos; Ele- 599.61 C318e
238 Richard Carrington Sao Paulo Flaboyant 1963
evolucao e influencia sobre fante Africano 1963
a humanidade

Literatura Brasi-
Eleguá e a sagrada semente 808.899282
239 Carolina Cunha São Paulo Edições SM 2007 leira; Literatura
de cola C972e
Infantojuvenil

Língua portu-
guesa; Regio-
O elemento afro-negro na Editôra Renas- nalismos; Afro; 469.7 R153e
240 Jacques Raimundo Rio de Janeiro 1933
lingua portuguesa cença Negros; Usos e 1933
costumes; Dicio-
nário

Negros; Cultura
O elemento negro: história 325.260981
241 João Ribeiro Rio de Janeiro Record 193- Negra; História
– folklore – linguística R484e
do Brasil

L’ éléphant d’Afrique:
Mamíferos; Ele- 599.61 J43e
242 zoologie, histoire folklore, Albert Jeannin Paris Payot 1947
fante Africano 1947
chasse, protection

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Mamíferos; Ele- 599.61 M524e.F
243 Les éléphantes d’Afrique Frank Hulme Melland Paris Payot 1939
fante Africano 1939

Literatura
Elizabeth Costello: oito Companhia das AS896.3 C673e.
244 John Maxwell Coetzee São Paulo 2004 Sul-africana;
palestras Letras Ps
Romance

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
709.81 B823i
Élon Brasil e as nossas
2008
raízes encantadas = Élon Élon Brasil; Histó-
245 Élon Brasil São Paulo Terceiro nome 2008 A709.81 B823e
Brasil and our enchanted ria da Arte
2008 Bib. Pub./
roots
Patrimonial

Afrodescendên-
cia; Identidade
racial; Grupos
Enciclopédia brasileira da R305.8036 L864e
246 Nei Lopes São Paulo Selo Negro 2004 sociais; Diáspora
diáspora africana 2004
Africana; Enci-
clopédia; Autor
Afro-brasileiro

Literatura
Companhia das AS896.3 G661p.
247 O engate Nadine Gordimer São Paulo 2004 Sul-africana;
Letras Pv
Romance

Literatura Brasi-
leira; Literatura
O enigma dos chimpanzés Rogério Andrade 808.899282
248 São Paulo Moderna 1995 Infantojuvenil;
– 4. ed. Barbosa B238e
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Enquanto houver vida 808.899282
249 Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 1993 Infantojuvenil;
viverei B827e
Autor Afro-bra-
sileiro
99
Assunto/

100
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Entre Orfeu e Xangô: a
Afrodescendên-
emergência de uma nova
cia; Identidade
250 consciência sobre a questão José Jorge Siqueira Rio de Janeiro Pallas 2006 305.8036 S618e
racial; Grupos
do negro no Brasil 1944 /
sociais
1968 / 2006

Classes sociais;
Épuras do social: como
Joel Rufino dos Marginalidade; 305.552 S237e
251 podem os intelectuais traba- São Paulo Global 2004
Santos Pobres; Autor 2004
lhar para os pobres
Afro-brasileiro

Escravidão;
América Latina;
Escravidão africana: Ameri- 306.3 K64a.Pm
252 Herbert S. Klein São Paulo: Brasiliense 1987 Caribe; Tráfico;
ca Latina e Caribe 1987 Emp
Aspectos sociais;
História

380.144 G694e
Escravidão;
Escravidão africana no Bra- 1949
Brasil; Tráfico;
253 sil: das origens à extinção Maurício Goulart São Paulo. Martins 1949 326.0981 G694e
Aspectos sociais;
do tráfico 1949 Bib. Pub./
História
Patrimonial

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Escravidão;
A escravidão africana no
Editora da UnB, Brasil; Tráfico; 380.144 M827e
254 Brasil: das origens à extin- Evaristo de Moraes Brasília 1986
INL Aspectos sociais; 1986
ção – 2. ed.
História

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Escravidão; 981 B823
A escravidão africana
Brasil; Tráfico; 981 B823 Brasi-
255 no Brasil: das origens à Evaristo de Moraes São Paulo Nacional 1933
Aspectos sociais; liana Bib. Pub./
extincção
História Patrimonial

Escravidão e invenção da Escravidão;


São Paulo; Rio Brasiliense; 326.0981 E74
256 liberdade: estudos sobre o João Jose Reis 1988 Emancipação;
de Janeiro CNPq 1988
negro no Brasil Negros; História

História do
Escravos brasileiros do Brasil; Século
Christiano Junior; A770.981 C555e
257 século XIX na fotografia de [s.l.] [s.n.] [s.d.] XIX; Escravos;
Muniz Sodré (Colab.) 1988
Christiano Jr. Fotografia; Autor
Afro-brasileiro

Las esculturas del Africa Mexico: Buenos Fondo de Cultura África; Negro; A730.967 P331s.
258 Denise Paulme 1962
negra Aires Económica Arte; Escultura Eg 1962

Esculturas tradicionais da
África; Negro;
África Ocidental = Traditio- A730.96 S456e
259 Ladislas Segy [s.l.] Grupo Boston 1976 Arte; Máscara;
nal sculpture os Western 1976
Escultura
Africa
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
260 O espelho dourado Heloisa Pires Lima São Paulo Peirópolis 2003 Infantojuvenil;
L732e
Autora Afro-
-brasileira
101
Assunto/

102
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
História da
Estilos de época na literatu-
261 Domício Proença Filho Rio de Janeiro Liceu 1969 Literatura; Autor 809 P964e 1969
ra – 2. ed. rev. e amp.
Afro-brasileiro

História da
Estilos de época na literatu-
262 Domício Proença Filho São Paulo Ática 1978 Literatura; Autor 809 P964e
ra – 5. ed. rev. e aum.
Afro-brasileiro

História da
Estilos de época na literatu-
263 Domício Proença Filho São Paulo Ática 1983 Literatura; Autor 809 P964e
ra – 7. ed.
Afro-brasileiro

História da
Estilos de época na literatu- 809 P964e 9.ed.
264 Domício Proença Filho São Paulo Ática 1985 Literatura; Autor
ra – 9. ed. Emp
Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
265 Estórias da mitologia Domício Proença Filho São Paulo Global 2006 Infantojuvenil;
P964e
Autor Afro-bra-
sileiro

Coleção Autores

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Africanos; Lite- Ag869.3 R672e
266 Estórias do musseque Jofre Rocha São Paulo Ática 1980
ratura Angolana; Pat
Romance

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
Uma estranha aventura em Joel Rufino dos 808.899282
267 São Paulo Liv. Pioneira 1987 Infantojuvenil;
Talalai – 5. ed. Santos S237e
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Uma estranha aventura em Joel Rufino dos 808.899282
268 São Paulo Global 2005 Infantojuvenil;
Talalai Santos S237e
Autor Afro-bra-
sileiro

Afrodescendên-
cia; Identidade 305.8036 M527e
269 Estudos sobre o negro Antonio da Silva Rio de Janeiro J. Olympio 1958
racial; Grupos 1958 Emp
sociais; Nregro

Literatura Bra-
sileira; Poesia;
Bernardino da Costa B869.149 L864.
270 Evocação de B. Lopes Rio de Janeiro São Jose 1959 História e Crítica;
Lopes Yn Emp
Autor Afro-bra-
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

sileiro

Literatura Brasi-
Est.5,5,n.2
271 Evocações Cruz e Sousa Rio de Janeiro Aldina 1898 leira; Poesia; Au-
B869.1 C957e RA
tor Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
Fundacao Catari- B869.149 S729e
272 Evocações Cruz e Sousa Florianópolis 1986 leira; Poesia; Au-
nense de Cultura 1986
tor Afro-brasileiro
103
Assunto/

104
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
273 Fala comigo, pai! Júlio Emílio Braz São Paulo Moderna 1994 Infantojuvenil;
B827f Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Língua por-
tuguesa;
Falares africanos na Bahia: Bahia; Negros;
Yeda Pessoa de 496.03 C355f
274 um vocabulário afro-bra- Rio de Janeiro ABL: Topbooks 2001 Africanismos;
Castro 2001
sileiro Línguas africanas;
Influência sobre o
português

Falcão Negro em perigo: Estados Unidos;


275 a história de uma guerra Mark Bowden São Paulo Landscape 2002 Guerra; Somália; 967.73 B784b.Pn
moderna África

Literatura
Dinamarquesa; 839.8137 D583o.
276 A fazenda africana Isak Dinesen São Paulo Círculo do Livro 1986
Autobiografia; Pj
Quênia

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Literatura Brasi-
leira; Literatura
Felicidade não tem cor – 808.899282
277 Júlio Emílio Braz São Paulo Moderna 1995 Infantojuvenil;
14. ed. B827f 1997.
Autor Afro-bra-
sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
278 Feminino Ivan Cupertino Dutra Belo Horizonte [s.n.] 1991 leira; Poesia; Au- B869 D978f 1991
tor Afro-brasileiro

Literatura Brasi- B869.082 F331


leira; Coletânea; B869.08 F331
279 Fenda: 16 poetas vivos Anelito de Oliveira Belo Horizonte Orobó 2002
Poesia; Autor 2002 Bib. Pub./
Afro-brasileiro Mineiriana

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Joel Rufino dos 808.899282
280 Uma festa no céu – 4. ed. Belo Horizonte Miguilim 1988 Infantojuvenil;
Santos S237f
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura
AS896.3 G661b.
281 A filha de Burger Nadine Gordimer Rio de Janeiro Rocco 1985 Sul-africana;
Pg
Romance

A filha do Doutor Negro – Camilo Castelo Literatura Portu- 869.366 B816f


282 Lisboa A. M. Pereira 1926
6. ed. Branco guesa; Ficção 1926

A filha do Doutor Negro – Camilo Castelo Literatura Portu- 869.366 B816f


Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

283 Lisboa A. M. Pereira 1959


7. ed. Branco guesa; Ficção 1959

Filho nativo: tragédia de um Literatura Norte- 813.5 W952n.


284 Richard Wright São Paulo Nacional 1966
negro americano – 3. ed. -americana Pl Emp

O filho pródigo: peça em Experimental do Literatura Brasi- B869 C2685f


285 Lucio Cardoso Rio de Janeiro 1961
três atos Negro leira; Teatro 1961
105
Assunto/

106
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Tomás de Aquino;
Filosofia política de Santo
Arlindo Veiga dos Ciência Política;
286 Tomás de Aquino – 3.ed. São Paulo Jose Bushatsky 1954 320 S237f 1954
Santos Autor Afro-bra-
melh.
sileiro

Coleção Autores
Africanos; Litera- 869.374 L864f
287 Os flagelados do vento leste Manuel Lopes São Paulo Ática 1979
tura Caboverdia- Emp
na; Romance

Literatura Brasi-
Flôr encarnada (do folk-lore Edições Melhora- 808.899282
288 Autor não identificado São Paulo 19-- leira; Literatura
brasileiro) – 4. ed. mentos B5822
Infantojuvenil

Folclore negro das Alagoas: Negros; Alagoas;


398.0981 D812f
289 Áreas da cana-de-açúcar – Aberlado Duarte Maceió DAC 1974 Cultura Afro-
1974
pesquisa e interpretação -brasileira

O folclore negro do Brasil: Liv. Ed. da Casa Negros; Folclore;


398.0981 R175f
290 demopsicologia e psicanáli- Arthur Ramos Rio de Janeiro do Estudante do 1954 Cultura Afro-
1954
se – 2. ed., il. e rev. Brasil -brasileira

O folclore negro do Brasil: Negros; Folclore;


WMF Martins 398.0981 R175f

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


291 demopsicologia e psicanáli- Arthur Ramos São Paulo 2007 Cultura Afro-
Fontes 2007
se – 3. ed. -brasileira

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
292 A galinha dos ovos de ouro Júlio Emílio Braz São Paulo Scipione 2005 Infantojuvenil;
B827ga
Autor Afro-bra-
sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
Os gêmeos do tambor: (re- Rogério Andrade 808.899282
293 São Paulo DCL 2006 Infantojuvenil;
conto do povo massai) Barbosa B238g
Autor Afro-bra-
sileiro

Gênero e representação Constância Lima


Escritoras brasi-
294 nas literaturas de Portugal Duarte; Marli Fantini Belo Horizonte UFMG, FALE 2002 869.09 G326
leiras; Escritoras
e África Scarpelli (Org.)

Literatura Afri-
A gênese africana: contos, cana; Contos 398.2 F922a.Pa
295 Leo Frobenius São Paulo Landy 2005
mitos e lendas da África Africanos; Mitos 2005
Africanos;

Geonomásticos cariocas de Toponímia; Rio


R910.3 S586g
296 procedência indígena – 2. Júlio Romão da Silva Rio de Janeiro Livraria São José 1962 de Janeiro; Lín-
1962
ed. gua tupi-guarani

Literatura Brasi-
869.169 C981.
297 Gonçalves Crespo: poesia Gonçalves Crespo Rio de Janeiro Agir 1967 leira; Poesia; Au-
Yp Emp
tor Afro-brasileiro
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Gosto de África: histórias de Joel Rufino dos 808.899282
298 São Paulo Global 2005 Infantojuvenil;
lá e daqui – 4. ed. Santos S237g
Autor Afro-bra-
sileiro
107
Assunto/

108
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
O grande dilema de um Larousse do 808.899282
299 Júlio Emílio Braz São Paulo 2004 Infantojuvenil;
pequeno Jesus Brasil B827g
Autor Afro-bra-
sileiro

História da África;
A grande travessia africana Rafael Ávila de Livraria Sá da Descobertas;
300 Lisboa 1946 960 A994g 1946
de Capelo e Ivens Azevedo Costa, 1946. Exploração;
Viagens

Guia brasileiro de fontes


para a história da África, da BRASIL. Departa- Escravidão;
Brasília; Rio de O Arquivo; O
301 escravidão negra e do negro mento de Imprensa 1988 Negros; África; 301 G943 1988
Janeiro Departamento
na sociedade atual: fontes Nacional (Coord.) Brasil; Bibliografia
arquivisticas

História do Brasil;
Heranças do tempo: tra- Ana Cristina Pontes; Minas Gerais; 981.51 H531
Fundação Munici-
302 dições afro-brasileiras em Fernanda Emília de Belo Horizonte 2006 Belo Horizonte; 2006 Belo Hori-
pal de Cultura
Belo Horizonte Moraes (Coord.) Tradição Afro- zonte
-brasileira

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Literatura Brasi-
O herdeiro de Aranda: ver- leira; Literatura
808.899282
303 são intergalatica de Benito Júlio Emílio Braz São Paulo Saraiva 1997 Infantojuvenil;
B827h Inf
Cereno Autor Afro-bra-
sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Catálogo; Arte
Os herdeiros da noite: frag- Emanoel Araújo Pinacoteca do A709.011 H541
304 São Paulo 1995 negra; Artista
mentos do imaginário negro (Org.) Estado 1995
Afro-brasileiro

Mitologia afri-
O herói com rosto africano: 299.6 F699h.Pr
305 Clyde W. Ford São Paulo Selo Negro 1999 cana; África;
mitos da África 1999
Candomblé

Culinária bra-
História da alimentação no Luis da Câmara
306 São Paulo Nacional 1968 sileira; Hábitos 981 B823
Brasil Cascudo
alimentares

Literatura Brasi-
leira; Literatura
A história de Lalo [livro do 808.899282
307 Júlio Emílio Braz São Paulo Saraiva 2002 Infantojuvenil;
professor] B827h Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
308 A história de Lalo – 10. ed. Júlio Emílio Braz São Paulo Saraiva 2002 Infantojuvenil;
B827h
Autor Afro-bra-
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Joel Rufino dos 808.899282
309 Historia de Trancoso São Paulo Ática 1983 Infantojuvenil;
Santos S237h Inf
Autor Afro-bra-
sileiro
109
Assunto/

110
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
Joel Rufino dos 808.899282
310 Historia de Trancoso São Paulo Ática 1985 Infantojuvenil;
Santos S237h
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura
AS896.3 G661m.
311 A história do meu filho Nadine Gordimer São Paulo Siciliano 1992 Sul-africana;
Pf
Romance

709.81 H673
Instituto Walther 1983 Bib. Pub./
Arte; Brasil;
História geral da arte no Moreira Salles, Referência
312 Walter Zanini (Org.) São Paulo 1983 História; Arte
Brasil Fundação Djalma A709.81 H673
Afro-brasileira
Guimarães 1983 Bib. Pub./
Patrimonial

Brasil; História;
Joel Rufino dos
313 Historia nova do Brasil São Paulo Brasiliense 1964 Autor Afro-bra- 981 H673 1964
Santos
sileiro

Futebol; História;
Historia politica do futebol Joel Rufino dos 796.33466
314 São Paulo Brasiliense 1981 Autor Afro-bra-

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


brasileiro Santos S237h 1981
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Histórias africanas para con- Rogério Andrade 808.899282
315 São Paulo Editora do Brasil 2005 Infantojuvenil;
tar e recontar – 7. impr. Barbosa B238h
Autor Afro-bra-
sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
Companhia das 808.899282
316 Histórias da Preta Heloisa Pires Lima São Paulo 2002 Infantojuvenil;
Letrinhas L732h
Autora Afro-
-brasileira

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Companhia das 808.899282
317 Histórias da Preta [braille] Heloisa Pires Lima São Paulo 1999 Infantojuvenil;
Letrinhas L732h
Autora Afro-
-brasileira

Literatura Brasi-
Histórias do Pai João (do Edições Melhora- 808.899282
318 Autor não identificado São Paulo 19-- leira; Literatura
folclore afro-brasileiro) mentos B5822
Infantojuvenil

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
319 Histórias do tio Jimbo Nei Lopes Belo Horizonte Mazza 2007 Infantojuvenil;
L864h
Autor Afro-bra-
sileiro
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Histórias trazidas por um Edimilson de Almeida 808.899282
320 São Paulo Paulinas 2008 Infantojuvenil;
cavalo-marinho – 3. ed. Pereira P436h
Autor Afro-bra-
sileiro
111
Assunto/

112
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura
Companhia das AS896.3 C673s.
321 Homem lento John Maxwell Coetzee São Paulo 2007 Sul-africana;
Letras Ps
Romance

Colelção Autores
Africanos; Litera- 869.39 F383h
322 Hora di bai Manuel Ferreira São Paulo Ática 1980
tura Caboverdia- Emp
na; Romance

Iconografia;
Iconografia dos deuses Fundação Cultu- A709.81 C332i
Deuses Africanos;
323 africanos no candomblé da Carybé Salvador ral do Estado da 1980 1980 Grande
Candomblé;
Bahia Bahia formato
Bahia

Comunicação de
Massa; Teledifu- 302.23 S679i
324 O império do grotesco Muniz Sodré Rio de Janeiro Mauad 2002
são; Brasil; Autor 2002
Afro-brasileiro

Grupos raciais;
A inclusão do negro: uma
Instituto Teotô- Negros; Discri- 305.8960981
325 questão de consciência – 2. Aluísio Pimenta Brasília 2003
nio Vilela minação racial; P644i 2003
ed.
Educação

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Menores; Explo-
ração; Trabalho;
Infância roubada: A explo- Literatura Brasi-
326 ração do trabalho infantil Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 2000 leira; Literatura 331.1 A553i
[braille] Infantojuvenil;
Autor Afro-bra-
sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Menores; Explo-
ração; Trabalho;
Literatura Brasi-
Infância roubada: a explora- 808.899282
327 Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 2001 leira; Literatura
ção do trabalho infantil A553i
Infantojuvenil;
Autor Afro-bra-
sileiro

981 B823
Língua portu-
A influência africana no por- 981 B823 Brasi-
328 Renato Mendonça São Paulo Nacional 1935 guesa; Línguas
tuguês do Brasil – 2. ed. liana Bib. Pub./
Africanas
Patrimonial

Língua portu-
A influência africana no por- Civilização Bra- 469.24 M523i
329 Renato Mendonça Rio de Janeiro 1973 guesa; Línguas
tuguês do Brasil – 4. ed. sileira 1973
Africanas

Língua portu-
A influência africana no 469.24 M539i
330 Renato Mendonça Rio de Janeiro Grafica Sauer 1933 guesa; Línguas
português do Brasil 1933
Africanas

Língua portu-
A influência africana no Livraria Figuei- 469.798 M539i
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

331 Renato Mendonça Porto 1948 guesa; Línguas


português do Brasil rinhas 1948
Africanas

Influência do elemento Gil Vicente;


869.231 V632i.
332 afro-negro na obra de Gil Raul da Costa e Sá São Paulo Saraiva 1948 Teatro; Influência
Ys 1948
Vicente Afro
113
Assunto/

114
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
As injustiças de Clio: o
Negros; Brasil; 305.896081
333 negro na historiografia Clóvis Moura Belo Horizonte Oficina de Livros 1990
História M929i 1990
brasileira

Literatura Bra- B869.35 E92i


Insubmissas lágrimas de sileira; Contos; B869 E92i 2011
334 Conceição Evaristo Belo Horizonte Nandyala 2011
mulheres: (contos) Autora Afro- Bib. Pub./Minei-
-brasileira riana

A integração do negro na Negros; Brasil;


305.8960981
335 sociedade de classes – 3. Florestan Fernandes São Paulo Ática 1978 Classes sociais;
F363i 1978
ed. Sociologia

Negros; Brasil;
A integração do negro na Dominus; Editora 305.8960981
336 Florestan Fernandes São Paulo 1965 Classes sociais;
sociedade de classes USP F363i 1965
Sociologia

Literatura Bra-
sileira; Poesia;
337 Íntima paisagem Cyana Leahy Rio de Janeiro Sette Letras 1997 B869.15 L434i
Autora Afro-
-brasileira

A invenção do ser negro: Negros; Brasil;

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


um percurso das idéias que Gislene Aparecida dos Rio de Janeiro; Condições sociais; 305.896081
338 EDUC; Pallas 2002
neutralizaram a inferiorida- Santos São Paulo Discriminação; S237i 2002
de dos negros Sociologia

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Eduardo de
Inventário analítico da Arquivo da His- Oliveira; Autor
Vera Aparecida Lui R013.3 G963i
339 coleção Eduardo de Oliveira São Carlos, SP toria Contempo- 1984 Afro-brasileiro;
Guimarães 1984
e Oliveira rânea Negros; Brasil;
Catálogo

Inverno verde: novela sobre


Literatura Guia- 823.91 C272g.
340 um estudante negro na Jan Carew Rio de Janeiro Record 1967
nense; Ficção Pm Emp
Moscou de hoje

Literatura Brasi-
Ipupiara, o devorador de Joel Rufino dos 808.899282
341 São Paulo Moderna 1985 leira; Literatura
indios Santos S237i Inf
Infantojuvenil

Literatura Brasi-
808.899282
342 Irmão negro – 2. ed. Walcyr Carrasco São Paulo Moderna 2008 leira; Literatura
C313i
Infantojuvenil

Literatura Brasi-
808.899282
343 Irmão negro – 2. ed. Walcyr Carrasco São Paulo Moderna 2011 leira; Literatura
C313i
Infantojuvenil

Literatura Brasi-
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

808.899282
344 Irmão negro Walcyr Carrasco São Paulo Moderna 1995 leira; Literatura
C313i
Infantojuvenil

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Rogério Andrade Larousse do 808.899282
345 Irmãos Zulus São Paulo 2006 Infantojuvenil;
Barbosa Brasil B238i
Autor Afro-bra-
sileiro
115
Assunto/

116
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Bra-
sileira; Contos; B869 V6171i
346 Itinerário do amor urbano Anízio Vianna Belo Horizonte Orobó 1998
Autor Afro-bra- 1998
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Jambo! – uma manhã com Rogério Andrade 808.899282
347 São Paulo Melhoramentos 2010 Infantojuvenil;
os bichos da África Barbosa B238j
Autor Afro-bra-
sileiro

Jazz; Blues;
O Jazz e sua influência na Rio de Janeiro; A781.65 B224b.
348 Imamu Amiri Baraka Record 1967 Negros; História e
cultura americana São Paulo Pb 1967
Crítica

B869.15 V468j
Literatura Brasi-
Jequitinhonha: poemas – Mulheres Emer- B869 V468j 1997
349 Adão Ventura Belo Horizonte 1997 leira; Poesia; Au-
ed. rev. amp. gentes Bib. Pub./Minei-
tor Afro-brasileiro
riana

Coordenadoria
Literatura Brasi-
Jequitinhonha: poemas do de Cultura do B869.15 V468j
350 Adão Ventura Belo Horizonte 1980 leira; Poesia; Au-
vale Estado de Minas Emp

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


tor Afro-brasileiro
Gerais

Coordenadoria
Literatura Brasi-
Jequitinhonha: poemas do de Cultura do
351 Adão Ventura Belo Horizonte 1980 leira; Poesia; Au- B869 V468j 1980
vale Estado de Minas
tor Afro-brasileiro
Gerais

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Anjo negro: drama em três Fundação Dorina
Literatura Brasi-
352 atos: peça mítica [gravação Nelson Rodrigues São Paulo Nowill para 2012 CD-743
leira; Teatro
de som] Cegos

João Cândido;
João Cândido: o almirante Brasil; Revolta 359.00981 C217c
353 Alcy Cheuiche Porto Alegre L&PM 2010
negro das Esquadras; 2010
História

João Cândido: o almirante Literatura Brasi-


F398.5 A392j
354 negro dos mares e a Revolta Olegário Alfredo [s.l.] [s.n.] 2008 leira; Literatura
2008
da Chibata – 1880-1969 de Cordel

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
355 João e Maria Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 2003 Infantojuvenil;
B827j
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
356 João Ferrugem Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 2004 Infantojuvenil;
B827j Inf
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Autor Afro-bra-
sileiro

Parapsicologia;
357 Jogos extremos do espírito Muniz Sodré Rio de Janeiro Rocco 1994 Autor Afro-bra- 133 S679j 1994
sileiro
117
Assunto/

118
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura
Juventude: cenas da vida na Companhia das AS896.3 C673y.
358 John Maxwell Coetzee São Paulo 2010 Sul-africana;
província II – 2. ed. Letras Ps
Romance

Quilombo Kalun-
Mari de Nasaré Ministério da ga; Goiás; Cultu- 305.8960981
359 Kalunga: povo da terra Brasília 1999
Baiocchi Justiça ra Negra; Cultura B162k 1999
Afro-brasileira

Negros; Religião;
Kitábu: o livro do saber e do Cultos Afro- 299.6 L864k
360 Nei Lopes Rio de Janeiro Editora Senac 2005
espírito negro-africanos -brasileiro; Autor 2005
Afro-brasileiro

Negros; Religião;
Kitábu: o livro do saber e do Editora Senac Cultos Afro- 299.6 L864k
361 Nei Lopes Rio de Janeiro 2005
espírito negro-africanos Rio -brasileiro; Autor 2005
Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
362 Koumba e o tambor diambê Madu Costa Belo Horizonte Mazza Edições 2006 Infantojuvenil;
C837k
Autora Afro-

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


-brasileira

Ladinos e crioulos: (estudos Civilização Bra- Negros; Brasil; 325.260981


363 Edison Carneiro Rio de Janeiro 1964
sôbre o negro no Brasil) sileira Escravidão C289l 1964

Les Langues négro-africai- Línguas Afri-


364 nes et les peuples qui les Lilias Homburger Paris Payot 1957 canas; Negro- 496 H764l 1957
parlent -Africanas

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Bra-
Ô Lapassi & outros ritmos Edimilson de Almeida sileira; Poesia; B869 P4367l
365 Belo Horizonte Editora UFMG 1990
de ouvido Pereira Autor Afro-bra- 1990
sileiro

Literatura Bra-
Geni Mariano Gui- Fundação Nestle sileira; Contos; B869.35 G963
366 Leite do peito: contos São Paulo 1989
marães de Cultura Autora Afro- l Emp
-brasileira

Literatura Bra-
Geni Mariano Gui- sileira; Contos;
367 Leite do peito: contos Belo Horizonte Mazza Edições 2001 B869.35 G963 l
marães Autora Afro-
-brasileira

A leitura como prática Fundação Biblio- Leitura; Bibliote-


Jussara Pereira San-
368 pedagógica: na formação do Rio de Janeiro teca Nacional; 2007 conomia; Autora 028.9 L533 2007
tos (Org.)
profissional da informação Abecin; FNLIJ Afro-brasileira

Livro; Leitu-
A leitura e o leitor integral:
ra; Biblioteca
369 lendo na biblioteca da Cyana Leahy Belo Horizonte Autêntica 2006 027.8 L434 l
Escolar; Autora
escola
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Afro-brasileira

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
370 Lendas da África Júlio Emílio Braz Rio de Janeira Bertrand Brasil 2005 Infantojuvenil;
B827 l
Autor Afro-bra-
sileiro
119
Assunto/

120
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Lendas; Fábulas;
Brasil; Literatura
Lendas e fábulas do Brasil 398.2 G963l
371 Ruth Guimarães São Paulo Cultrix 1968 Infantojuvenil;
– 4. ed. 1968
Autora Afro-
-brasileira

Lendas; Fábulas;
Brasil; Literatura
372 Lendas e fábulas do Brasil Ruth Guimarães São Paulo Círculo do Livro 19-- Infantojuvenil; 398.2 G963 l
Autora Afro-
-brasileira

Lendas e fábulas dos Literatura Brasi-


bichos de nossa América: leira; Literatura
Rogério Andrade 808.899282
373 Argentina, Bolívia, Brasil, São Paulo Melhoramentos 2003 Infantojuvenil;
Barbosa B238le
Costa Rica, Estados Unidos, Autor Afro-bra-
Guatemala, México e Peru sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
374 Lendas negras Júlio Emílio Braz São Paulo FTD 2001 Infantojuvenil;
B827l
Autor Afro-bra-

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


sileiro

Religiosos;
375 Lideres religiosos Ruth Guimarães São Paulo Cultrix 1961 Biografia; Autora 922 G963 l 1961
Afro-brasileira

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Língua portu-
Lingua portuguesa, literatu-
guesa; Reforma 370.981 P964l
376 ra nacional e a reforma do Domício Proença Filho Rio de Janeiro Liceu 1973
Ensino; Autor 1973
ensino
Afro-brasileiro

Análise do
A linguagem literária – 7. Discurso; Noma 401.41 P964 l
377 Domício Proença Filho São Paulo Ática 2001
ed. 4. impr. Linguística; Autor 2001
Afro-brasileiro

B869.15 V448 l
Literatura Brasi-
B869 V468 l
378 Litanias de cão Adão Ventura Belo Horizonte [s.n] 2002 leira; Poesia; Au-
2002 Bib. Pub./
tor Afro-brasileiro
Mineiriana

Literatura; Afro-
descendência;
Literatura e afrodescen-
Eduardo de Assis Brasil; Escritores B869.09 L776
379 dência no Brasil: antologia Belo Horizonte UFMG 2011
Duarte (Org.) Negros; Biogra- 2011
crítica
fia; História e
Crítica
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

O livro das falas, ou, Kalun- Literatura Brasi-


Edimilson de Almeida Zás Gráfica e B869 P4367 li
380 bungu: achados da emoção Juiz de Fora 1987 leira; Poesia; Au-
Pereira Editora 1987
inicial tor Afro-brasileiro
121
Assunto/

122
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
B869.04 S471l
leira; História e
O livro do seminário: Domício Proença Filho B869 S471 l
381 São Paulo Lr Editores 1983 Crítica; Ensaios;
ensaios (Colab.) 1983 Bib. Pub./
Autor Afro-bra-
Mineiriana
sileiro

O livro ilustrado da mito-


logia: lendas e histórias
Mitologia; Mitolo- 292.13 W687i.Pv
382 fabulosas sobre grandes Philip Wilkinson São Paulo Publifolha 2003
gia africana 2003
heróis e deuses do mundo
inteiro – 2. ed.

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
383 Longas cartas para ninguém Júlio Emílio Braz Rio de Janeiro Ediouro 1998 Infantojuvenil;
B827 l Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Luana: as sementes de Aroldo Macedo; 808.899282
384 São Paulo FTD 2007 Infantojuvenil;
Zumbi Oswaldo Faustino M141s
Autor Afro-bra-

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Aroldo Macedo; 808.899282
385 Luana: capoeira e liberdade São Paulo FTD 2008 Infantojuvenil;
Oswaldo Faustino M141c
Autor Afro-bra-
sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
Luana: a menina que viu o Aroldo Macedo; 808.899282
386 São Paulo FTD 2000 Infantojuvenil;
Brasil neném Oswaldo Faustino M141l
Autor Afro-bra-
sileiro

Lucas, o demônio negro: Literatura Brasi- B869.35 C198


387 Sabino de Campos Rio de Janeiro Pongetti 1957
(Romance folclórico baiano) leira; Romance l Emp

Mercado de
O lugar do negro na força Lúcia Helena Garcia Trabalho; Brasil; 331.6396081
388 Rio de Janeiro IBGE 1983
de trabalho de Oliveira Negros; Discrimi- O48 l 1983
nação

Literatura Brasi-
Lugares ares: obra poética, Edimilson de Almeida B869 P4367 lu
389 Belo Horizonte Mazza Edições 2003 leira; Poesia; Au-
2 Pereira 2003
tor Afro-brasileiro

A luta do negro americano:


dez anos de integração
Negros; Estados 305.896073
racial: desde a decisão de
390 Benjamin Muse Rio de Janeiro GRD 1966 Unidos; Segre- M986t.Pt 1966
1954 da Corte Suprema dos
gação Emp
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Estados Unidos da America


do Norte

Literatura Fran-
cesa; Tradutor 843.91 B363m.
391 Madame Ex Herve Bazin São Paulo Abril Cultural 1983
Autor Afro-bra- Pg Emp
sileiro
123
Assunto/

124
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero

Folclore; Negros;
Made in Africa: (pesquisas e Luis da Câmara 398.0981 C336m
392 São Paulo Global 2001 Angola; Brasil;
notas) – 3. ed. Cascudo 2001
Influências Afri-
canas

Folclore; Negros;
Made in Africa: (pesquisas e Luis da Câmara 398.0981 C336m
393 São Paulo Global 2002 Angola; Brasil;
notas) – 4. ed. Cascudo 2002
Influências Afri-
canas

Folclore; Negros;
Made in Africa: (pesquisas Luis da Câmara Civilização Bra- 398.0981 C336m
394 Rio de Janeiro 1965 Angola; Brasil;
e notas) Cascudo sileira 1965
Influências Afri-
canas

A mão afro-brasileira:
significado da contribuição Arte Afro-brasilei-
artística e histórica = The ra; Cultura Afro-
Emanoel Araújo Imprensa Oficial: A709.81 M296
395 hand of the afro-brazilian: São Paulo 2010 -brasileira; Arte
(Org.) Museu Afro Brasil 2010

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


the significance of its artistic Negra; Artista
and historical contribution – Afro-brasileiro
2. ed. rev. e amp.

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Arte Afro-brasilei- 709.81 M296
A mão afro-brasileira: ra; Cultura Afro- 1988
Emanoel Araújo
396 significado da contribuição São Paulo TENENGE 1988 -brasileira; Arte A709.81 M296
(Org.)
artística e histórica Negra; Artista 1988 Bib. Pub./
Afro-brasileiro Patrimonial

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Mapinguari: o devorador de Rogério Andrade 808.899282
397 São Paulo FTD 1999 Infantojuvenil;
cabeças Barbosa B238m
Autor Afro-bra-
sileiro

Danças Afro-
Maracatú do Chico Rei;
-brasileira; Músi- 781.62 M636m
398 Festa das igrejas [gravação Francisco Mignone [s.l.] Alcoa 1993
ca Afro-brasileira; CD
de som]
Gravação

Arlindo Veiga dos Hagiografia; Au- 922.22 M332l.Ps


399 Maria Madalena São Paulo Ed. Anchieta 1948
Santos (Trad.) tor Afro-brasileiro 1948

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Marinho, o marinheiro e Joel Rufino dos 808.899282
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

400 São Paulo Abril 1982 Infantojuvenil;


outras histórias Santos S237m Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Máximas mínimas e outros Literatura Afri-


401 textos: um caminho para Suffit Kitab Akenat São Paulo Landy 2003 cana; Eritréia; 896 A313m.Pb
alguns Poesia
125
Assunto/

126
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
Rocco Jovens 808.899282
402 Megalópolis Júlio Emílio Braz Rio de Janeiro 2006 Infantojuvenil;
Leitores B827m
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
Os melhores contos [de] Domício Proença Filho leira; Antologia; B869.341
403 São Paulo Global 1996
Machado de Assis – 10. ed. (Org.) Contos; Autor A848mel Emp
Afro-brasileiro

Literatura France-
Os melhores contos de Ruth Guimarães
404 São Paulo Círculo do Livro 1987 sa; Contos; Auto- 843.88 D238.Pg
Alphonse Daudet (Org.)
ra Afro-brasileira

Literatura Russa;
Os melhores contos de F. Ruth Guimarães Contos; Tradutora
405 São Paulo Círculo do Livro 1988 891.733 D724.Pg
Dostoieviski (Trad.) Autora Afro-
-brasileira

B869.341
Literatura Brasi-
A848mac
Melhores contos de Macha- Domício Proença Filho leira; Antologia;
406 São Paulo Global 2001 B869.341 A848m

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


do de Assis (Org.) Contos; Autor
2001 Bib. Pub./
Afro-brasileiro
Empréstimo

Literatura Brasi-
407 Memórias de um gato Luiz Carlos Lisboa São Paulo Selo Negro 2001 B869.35 L769m
leira; Ficção

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Escravo; Estados
928.1 W317f.Pr
408 Memorias de um negro Booker T. Washington São Paulo Nacional 1940 Unidos; Negro;
1940
Biografia

Antão de Vascon- Estudantes;


cellos; Empreza Littera- Portugal; Prefácio
409 Memorias do Mata-Carochas Porto 19-- 920.9 V331m
José do Patrocínio ria e Typografica Autor Afro-bra-
(Pref.) sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
410 Menina teimosa Orlando J. Santos São Paulo Omo Oduwa 2011 Infantojuvenil;
S237m
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
411 Meninas negras Madu Costa Belo Horizonte Mazza Edições 2006 Infantojuvenil;
C837m
Autora Afro-
-brasileira

Literatura Brasi-
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

leira; Literatura
O menino de caracóis na Edimilson de Almeida 808.899282
412 Contagem Santa Clara 2001 Infantojuvenil;
cabeça Pereira P436m
Autor Afro-bra-
sileiro
127
Assunto/

128
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Mestre Bimba;
Mestre Bimba: corpo de Capoeira; Brasil; 920.9 B611s
413 Muniz Sodré Rio de Janeiro Manati 2002
mandinga Autor Afro-bra- 2002
sileiro

Literatura
O mestre de Petersburgo Companhia das AS896.3 C673m.
414 John Maxwell Coetzee São Paulo 2003 Sul-africana;
– 2. ed. Letras Pr
Romance

Literatura Brasi-
808.899282
415 Meu negro amor Marcia Kupstas São Paulo FTD 2001 leira; Literatura
K96m
Infantojuvenil

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Meu pai, meu heroi e seus 808.899282
416 Júlio Emílio Braz São Paulo Editora do Brasil 1995 Infantojuvenil;
herois B827m Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Rogério Andrade 808.899282
417 Meu primeiro amor São Paulo DCL 2008 Infantojuvenil;
Barbosa B238m
Autor Afro-bra-

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


sileiro

Literatura Brasi-
808.899282
418 Meu tataravô era africano Georgina Martins São Paulo DCL 2008 leira; Literatura
M386m
Infantojuvenil

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
Nelson Mandela 808.899282
419 Meus contos africanos São Paulo Martins Fontes 2009 leira; Literatura
(Org.) M599
Infantojuvenil

Literatura Brasi-
leira; Literatura
O mexicano [livro do pro- 808.899282
420 Júlio Emílio Braz São Paulo Scipione 1996 Infantojuvenil;
fessor] B827m Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Negros; Iden-
tidade Étnica;
Racismo; Cultura 305.80981
421 Mídia e racismo: ensaios Rosália Diogo Belo Horizonte Mazza Edições 2004
de Massa; Mídia; D591m 2004
Autora Afro-
-brasileira

Literatura Brasi-
leira; Escritores
Edimilson de Almeida B869 F86613mi
422 Mirante Juiz de Fora Edições D’Lira 1999 Mineiros; Poesia;
Pereira (Pref.) 1999
Prefácio Autor
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Afro-brasileiro

Reforma Admnis-
Edições Fundo trativa; Política
Missão do Ministério da Joel Rufino dos 306.40981
423 Rio de Janeiro Nacional de 2002 Cultural Brasil;
Cultura Santos S237m 2002
Cultura Autor afro-bra-
sileiro
129
Assunto/

130
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
Joel Rufino dos 808.899282
424 O mistério de Zuambelê São Paulo Abril Cultural 1983 Infantojuvenil;
Santos S237m
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
O mistério do Homem 808.899282
425 Júlio Emílio Braz Belo Horizonte Lê 1997 Infantojuvenil;
Amarelo B827m Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Candomblé;
Companhia das Deuses Iorubás; 299.62 P899m
426 Mitologia dos orixás Reginaldo Prandi São Paulo 2001
Letras Orixás; Mitologia 2001
Africana

981 B823
Os mitos africanos no Bra- Mitotologia; Áfri- 981 B823 Brasi-
427 Souza Carneiro São Paulo Nacional 1937
sil: ciência do folk-lore ca; Brasil liana Bib. Pub./
Patrimonial

Literatura Brasi-

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


A moça e a serpente; A leira; Literatura
Rogério Andrade 808.899282
428 vingaça de Eraga; O cassolo São Paulo Melhoramentos 1987 Infantojuvenil;
Barbosa B238m
e as abelhas Autor Afro-bra-
sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
A moça e a serpente; A leira; Literatura
Rogério Andrade 808.899282
429 vingaça de Eraga; O cassolo São Paulo Melhoramentos 2002? Infantojuvenil;
Barbosa B238m
e as abelhas Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura
Um monarca da fuzarca: Brasileira;
José do Patrocínio B869.8 M735
430 três versões para um escân- Rio de Janeiro Relume-Dumará 1993 Ficção Histórica;
(Secundário) 1993
dalo na Corte Prefácio Autor
afro-brasileiro

Comunicação de
O monopólio da fala: função
Massa; Teledifu- 302.2345 S679m
431 e linguagem da televisão Muniz Sodré Petrópolis Vozes 1977
são; Brasil; Autor 1977 Emp
no Brasil
Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
Rogério Andrade 808.899282
432 A morte ronda o Kalahari São Paulo Moderna 1992 Infantojuvenil;
Barbosa B238m
Autor Afro-bra-
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
A mosca trapalhona; A Rogério Andrade 808.899282
433 São Paulo Melhoramentos 1987 Infantojuvenil;
tartaruga e leopardo Barbosa B238mo
Autor Afro-bra-
sileiro
131
Assunto/

132
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Literatura
A mosca trapalhona; A Rogério Andrade 808.899282
434 São Paulo Melhoramentos 2002? Infantojuvenil;
tartaruga e o leopardo Barbosa B238mo
Autor Afro-bra-
sileiro

Arte Africana;
Mostra Pan-Africana de arte Solange Oliveira Associação Cul- A709.6 M916
435 São Paulo 2005 Arte contempo-
contemporânea Farkas (Colab.) tural Videobrasil 2005
rânea

O Movimento Negro e o
Cone; Secretaria
Estado (1983-1987): o caso Negros; São
Especial para
do Conselho de Participação Ivair Augusto Alves Paulo; Movimen- 305.8960981
436 São Paulo Participação e 2007
e Desenvolvimento da Co- dos Santos tos Sociais; Movi- S237m
Parceria da Cida-
munidade negra no governo mento Negro
de de São Paulo
de São Paulo

Negros; Belo
O movimento negro em Belo Marcos Antônio Horizonte; Movi- 305.8036 C268m
437 Belo Horizonte Mazza Edições 2002
Horizonte: 1978-1998 Cardoso mentos Sociais; 2002
Movimento Negro

Negros; Con-

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Mulato: negro ~ não-negro Eneida de Almeida 305.8036 R375m
438 São Paulo Altana 2002 dições Sociais;
e/ou branco ~ não-branco dos Reis 2002
Psicologia

Mulheres; Bio-
920.7 G963m
439 Mulheres célebres Ruth Guimarães São Paulo Cultrix 1960 grafia; Autora
1960
Afro-brasileira

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura
AS896.3 G661w.
440 Um mundo de estranhos Nadine Gordimer Lisboa Difel 1958 Sul-africana;
Pa
Romance

Nubia Pereira de Minas Gerais;


Mundo encaixado: significa- Magalhães Gomes, Belo Horizonte; Mazza Edições; Usos e Costumes; 981.51 G633m
441 1992
ção da cultura popular Edimilson de Almeida Juiz de Fora UFJF Autor Afro-bra- 1992
Pereira sileiro

Coleção Autores
O mundo se despedaça: Africanos; Lite-
442 Chinua Achebe São Paulo Ática 1983 N896.3 A177t.Ps
romance ratura Nigeriana;
Romance

Coleção Autores
O mundo se despedaça: Companhia das Africanos; Lite-
443 Chinua Achebe São Paulo 2009 N896.3 A177t.Ps
romance Letras ratura Nigeriana;
Romance

J. Olympio; Mogi
Literatura Brasi-
Rio de Janeiro; das Cruzes: Uni-
444 Mural de ventos Salgado Maranhão 1998 leira; Poesia; Au- B869.15 M311m
Mogi das Cruzes versidade Mogi
tor Afro-brasileiro
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

das Cruzes

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
445 O muro Júlio Emílio Braz São Paulo Paulinas 2003 Infantojuvenil;
B827m Inf
Autor Afro-bra-
sileiro
133
Assunto/

134
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
As musculaturas do Arco do
446 Adão Ventura Belo Horizonte E. Comunicação 197- leira; Poesia; Au- B869 V468m
Triunfo
tor Afro-brasileiro

Arte; Música;
Músicas africanas e indíge- Ruben Caixeta de A780.981 M987
447 Belo Horizonte UFMG 2006 Africana; Indíge-
nas no Brasil Queiroz 2006
na; Brasil

Literatura Brasi-
leira; Literatura 808.899282
448 Mwindo e o dragão Luiz Galdino São Paulo FTD 1988
Infantojuvenil; G149mw
Mitologia Africana

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
449 Na cor da pele Júlio Emílio Braz Rio de Janeiro J. Olympio 2000 Infantojuvenil;
B827n Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
450 Na própria carne Júlio Emílio Braz Rio de Janeiro Thex 2002 Infantojuvenil;
B827na Inf
Autor Afro-bra-

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


sileiro

Literatura Brasi-
leira; Literatura
808.899282
451 Na selva do asfalto Júlio Emílio Braz São Paulo Moderna 1994 Infantojuvenil;
B827na Inf
Autor Afro-bra-
sileiro

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Negros; Brasil;
Identidade Ra-
Joel Rufino dos 305.896081
452 Nação quilombo Rio de Janeiro ND Comunicação 2010 cial; Influências
Santos S237n 2010
Africanas; Autor
Afro-brasileiro

Negros; Brasil;
Identidade Ra-
Joel Rufino dos 305.896081
453 Nação quilombo Rio de Janeiro ND Comunicação 2010 cial; Influências
Santos S237n 2010
Africanas; Autor
Afro-brasileiro

Etnologia; Cultu-
Nas fronteiras do contempo- Mauad; Funda-
ra; Civilização; 306 N241 2001
454 râneo: território, identidade, Muniz Sodré Rio de Janeiro ção Universitária 2001
Autor Afro-bra- Emp
arte,moda, corpo e mídia José Bonifácio
sileiro

981.51 M827t
Nas teias do sagrado: Cultos Afro-brasi- 2010
registros da religiosidade Mariana Ramos de leiros; Candom- 981.51 M827t
455 Belo Horizonte Espaço Ampliar 2010
afro-brasileira em Belo Morais blé; Minas Gerais; 2010 Belo Hori-
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Horizonte Belo Horizonte zonte Bib. Pub./


Mineiriana

Negros; Folclore;
Cultura Afro-
Negras raízes mineiras: os Núbia Pereira de 398.098151
456 Belo Horizonte Mazza Edições 2000 -brasileira; Minas
Arturos – 2. ed. Magalhães Gomes G633n 2000
Gerais; Autor
Afro-brasileiro
135
Assunto/

136
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Negros; Folclore;
Universidade Cultura Afro- 398 G633n 1988
Negras raízes mineiras: os Núbia Pereira de Juiz de Fora,
457 Federal de Juiz 1988 -brasileira; Minas 398.098151
Arturos Magalhães Gomes MG
de Fora Gerais; Autor G633n
Afro-brasileiro

Negros; Con-
O negro: de bom escravo a
458 Clóvis Moura Rio de Janeiro Conquista 1977 dições Sociais; 305.8036 M929n
mau cidadão?
Escravidão

O negro brasileiro: ethno- Negros; Etno-


Civilização Bra- 325.260981
459 graphia religiosa e psycha- Arthur Ramos Rio de Janeiro 1934 logia; História;
sileira R175n 1934
nalyse Brasil

O Negro Brasileiro e o cine- Negros; Cinema; A791.430981


460 João Carlos Rodrigues Rio de Janeiro Pallas 2001
ma – 3. ed. Brasil R696n 2001

Negros; Etno-
O Negro Brasileiro e outros 325.260981
461 Jacques Raimundo Rio de Janeiro Record 1936 logia; História;
escritos R153n 1936
Brasil

Negros; Etno-
O Negro Brasileiro – 2. ed. Companhia Edi-
462 Arthur Ramos São Paulo 1940 logia; História; 981 B823 1940
augmentada tora Nacional

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Brasil

Negros; Etno- 981 B823 Brasi-


463 O Negro Brasileiro – 3. ed. Arthur Ramos São Paulo Nacional 1951 logia; História; liana Bib. Pub./
Brasil Patrimonial

Negros; Etno-
305.8036 R175n
464 O Negro Brasileiro – 5. ed Arthur Ramos Rio de Janeiro Graphia 2001 logia; História;
2001
Brasil

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
João Cândido;
Brasil; Revolta 923.5 C217g
465 O Negro da Chibata Fernando Granato Rio de Janeiro Objetiva 2000
das Esquadras; 2000
História

Literatura Brasi-
O negro da quinta imperial: B869.349 T266n
466 Múcio Teixeira Rio de Janeiro Jornal do Brasil 1927 leira; Romance
Romance histórico 1927
Histórico

Negros; Escra-
O negro e a mineração em 326.0981 G625n
467 Isaias Golgher Belo Horizonte RBEP 1965 vidão; Garimpo;
Minas Gerais 1965
Minas Gerais

Negros; Cultura
Helena Theodoro Unibrade-Centro Negra; Brasil; En- 305.8036 L864m
468 Negro e cultura no Brasil Rio de Janeiro 1987
Lopes de Cultura ciclopédia; Autora 1987
Afro-brasileira

Editôra Civiliza- Negros; Escra-


O negro e o garimpo em Aires da Mata Macha- 326.0981 M149n
469 Rio de Janeiro ção Brasileira, 1964 vidão; Garimpo;
Minas Gerais – 2. ed do Filho 1964
1964. Minas Gerais

326.0981 M149n
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

Negros; Escra- 1943


O negro e o garimpo em Aires da Mata Macha- Livraria José
470 Rio de Janeiro 1943 vidão; Garimpo; 981 D637 Docs.
Minas Gerais do Filho Olympio Editora
Minas Gerais brasileiros Bib.
Pub./Patrimonial

Negros; Artes
792.0981 M538n
471 O negro e o teatro brasileiro Miriam Garcia Mendes São Paulo HUCITEC 1993 Cênicas; Teatro;
1993
Brasil
137
Assunto/

138
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Instituto Nacio-
nal de Estudos Negros; Escravi-
Pedagogicos; dão; Condições
472 O negro em Minas Gerais Edison Carneiro Rio de Janeiro 1956 326.0981 C289n
Centro Brasileiro Econômicas;
de Pesquisas Minas Gerais
Educacionais

Negros; Estados
The Negro in the United Edward Franklin 325.260973
473 New York MacMillan 1957 Unidos; Questão
States Frazier F848n 1957
Racial

Negros; Estados 305.896073


474 O negro jovem da América Samuel D. Proctor Rio de Janeiro Bloch 1967
Unidos; Educação P964y.Pl 1967

Negros; Escra-
305.8960981
475 O negro na Bahia – 2. ed. Luis Viana Filho São Paulo Martins 1976 vidão; Tráfico;
V614n 1976 Emp
Bahia

981 D637
Negros; Escra-
981 D637 Docs.
476 O negro na Bahia Luis Viana Filho Rio de Janeiro J. Olympio 1946 vidão; Tráfico;
brasileiros Bib.
Bahia
Pub./Patrimonial

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


Negros; Etno-
O negro na civilização Casa do Estu- 301.45 R175n
477 Arthur Ramos Rio de Janeiro 1956 logia; História;
brasileira dante do Brasil 1956
Brasil

O negro na cultura america- Negros; Literatu-


305.896073
478 na: sôbre materiais de Alain Margaret Just Butcher Rio de Janeiro Fundo de Cultura 1960 ra; Artes; Estados
B983n.pc 1960
Locke Unidos

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
331.639608151
J83n 1993
O negro na economia Negros; Escravi-
479 Oiliam José [s.l.] [s.n.] 1993 326.0981 J83n
mineira dão; Minas Gerais
1993 Bib. Pub./
Mineiriana

O negro na ficção brasilei- Negros; Literatura


B869.09 R112.
480 ra: meio seculo de historia Gregory Rabassa Rio de Janeiro Tempo Brasileiro 1965 Brasileira; Histó-
Pm Emp
literaria ria e Crítica

Negros; Século
O negro na fotografia brasi- XIX; Obras Ilus- A704.949981
481 George Ermakoff Rio de Janeiro G. Ermakoff 2004
leira do século XIX tradas; História e E71n 2004
Crítica

Negros; Literatura
O negro na literatura bra- B869.09 S274n.
482 Raymond S Sayers Rio de Janeiro O Cruzeiro 1958 Brasileira; Histó-
sileira Ph 1958
ria e Crítica

Negros; Literatura
O negro na literatura bra- B869.09 S274n.
483 Raymond S Sayers Rio de Janeiro O Cruzeiro 1958 Brasileira; Histó-
sileira Ph 1958
ria e Crítica
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

O negro na luta contra a Rio de Janeiro; Negros; Escra- 326.0981 L961n


484 Luiz Luna Cátedra; INL 1976
escravidão – 2. ed. Brasília vidão 1976

Negros; Escra-
Negro na rua: a nova face Marilene Rosa No- São Paulo; vidão; Trabalho 331.11734
485 Hucitec; CNPq 1988
da escravidão gueira da Silva Brasília Escravo; Brasil; S586n 1988
História
139
Assunto/

140
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Negros; Escra-
O negro no Brasil: da senza- vidão; Discri- 305.896081
486 Júlio José Chiavenato São Paulo Moderna 1999
la à abolição minação Racial; C532n 1999
História; Brasil

Negros; Escra-
O negro no Brasil: história e Marcos Rodrigues da. vidão; Brasil;
487 São Paulo FTD 1987 326.0981 S586n
desafios Silva Legislação;
Emancipação

Negros; Brasil;
O negro no Brasil: trabalhos Congresso Afro-
Civilização Bra- Cultura Afro-bra- 305.896081
488 apresentados ao 2º Con- -Brasileiro (2.: 1937: Rio de Janeiro 1940
sileira sileira; Congresso C749 1940
gresso Afro-brasileiro Bahia)
Afro-Brasileiro

Negros; Escra-
O negro no Brasil: da senza- vidão; Discri- 305.8960981
489 Júlio José Chiavenato São Paulo Brasiliense 1980
la à Guerra do Paraguai minação Racial; C532n 1980
História; Brasil

Negros; Futebol;
O negro no futebol brasileiro 796.3340981
490 Mário Filho Rio de Janeiro FAPERJ: Mauad 2003 Atletas Negros;
– 4. ed. M341n 2003
Brasil; Racismo

Africanos e Afrodescendentes nas estantes


A. Bianchard: Negros; Pará;
O negro no Pará sob o regi- 326.098115
491 Vicente Salles Rio de Janeiro Universidade 1971 Amazônia; Escra-
me da escravidão S168n 1971
Federal do Para vidão

O negro no Rio de Janeiro: Negros; Brasil;


Luiz de Aguiar Costa
492 relações de raças numa São Paulo Nacional 1953 Rio de Janeiro; 981 B823
Pinto
sociedade em mudança Relações raciais

Assunto/
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Negros; Brasil;
Abdias do Nascimen- 981.00496 N393
493 O negro revoltado – 2. ed. Rio de Janeiro Nova Fronteira 1982 Congresso; Autor
to (Org.) 1982
Afro-brasileiro

Literatura Brasi-
Balthazar de Godoy
494 Negro velho de guerra São Paulo Editora do Brasil 19-- leira; Literatura B869 M838n
Moreira
Infantojuvenil

A704.949981
Difusão Nacional Negros; Brasil;
495 O negro Jean Baptiste Debret São Paulo 196- D637 Grande
do Livro Litografia
formato

Negros; Con-
dições Sociais; 305.896081
496 Negro, qual é o seu nome? Consuelo Dores Silva Belo Horizonte Mazza Edições 1995
Identidade Racial; S586n 1995
Brasil

A709.81 M986n
2008 Grande For-
Imprensa Oficial Arte Brasileira;
mato Bib. Pub./
497 Negros pintores Museu Afro Brasil São Paulo do Estado de São 2008 Negros na Arte;
Patrimonial
Paulo Catálogo
759.981 M986n
Publicações sobre/de africanos e afrodescendentes...

2008

Literatura Guine-
498 No fundo do canto Odete Costa Semedo Belo Horizonte Nandyala 2010 896.1 S471n
ense; Poesia

Literatura Brasi-
Domingos Bar- leira; Romance; 869.3 C921n
499 Nocturnos – 6. ed Gonçalves Crespo Porto 1942
reira Autor Afro-bra- 1942
sileiro
141
Assunto/

142
nº Título Autor Principal Local Editora Data Localização
Gênero
Literatura Brasi-
leira; Romance;
500 Nocturnos [braille] Gonçalves Crespo Porto Ed. Braille 19-- 869.3 C921n
Braille; Autor
Afro-brasileiro

Literatura Sul-
-africana; Litera-
501 A noite do leopardo Wilbur A. Smith São Paulo Best Seller