Você está na página 1de 5

A Presença de Cristo e a Inteligência Espiritual

JN Darby.

{Notas de um endereço}

Ajuda nas coisas relativas a si mesmo, vol. 2, 1892, páginas 176-186.}

Há dois pontos que estou pensando em dizer uma palavra. Primeiro, a maneira
pela qual a presença do Senhor ordena o caminho e dá caráter ao
testemunho. Segundo, a maneira pela qual o apego pessoal ao Senhor Jesus
Cristo fornece inteligência em tudo. A maneira de obter inteligência espiritual
sobre todas as coisas de Deus é ter Cristo como tudo no coração.

Volto-me ao Antigo Testamento em relação ao primeiro ponto, pois lá você


tem uma história impressionante do total fracasso do homem. Stephen faz
alusão a isso em Atos 7 , provando que o homem, tratado pela lei como
responsável, foi um fracasso inteiro e, na cruz, o homem foi totalmente
rejeitado. O homem está perdido, mas o processo pelo qual ele passa é
descobrir. Para obter uma clara apreensão das coisas divinas, precisamos ver
que estamos perdidos e, se for esse o caso, não estamos em um estado de
provação. Podemos obter o conhecimento do pecado pela lei, mas a coisa
pela qual um homem deve ser informado é que ele está perdido ! "Se alguém
morreu por todos, então todos morreram." Esta é uma posição muito solene
para reconhecer-nos, mas não é a primeira coisa que aprendemos,
aprendemos primeiro o que temos feito Se você perguntar pessoas se eles são
pecadores, eles dizem, nós somos. Todos os pecadores; mas se você diz:
“Você já pecou o suficiente para se perder ?” eles dizem: “Oh, não, espero
que não.” Na morte de Cristo, o homem rejeitou a graça que havia chegado a
ele e Aquele que tinha todas as promessas. eram sem lei, e os judeus
violavam a lei, mas quando Cristo veio, houve um desprezo pela misericórdia.

A condição do homem de Adão era a dos pecadores fora do jardim. Quando


Deus deu a lei, ela foi violada - e quando não havia "justo, nem ninguém",
Deus entra no mundo em amor e o homem o despeja (embora, é claro, ele
tenha cumprido seus próprios propósitos em o mesmo tempo). Isso foi mais do
que pecar contra Ele, foi um ódio positivo. Primeiro você obtém a ilegalidade,
a luxúria e a vontade própria - depois a quebra da lei - e então a rejeição
positiva de Deus vem na graça. A história do homem é encerrada e Deus
começa por si mesmo. Agora não é o que você fez, mas como foi dito a Israel:
"O que Deus operou?" O único relacionamento possível com Deus depende
agora do que Deus operou.

Primeiro, o povo faz um bezerro de ouro - desistindo de Deus: essa é sempre a


primeira coisa que o homem faz. Quando Deus estabelece algo bom, o homem
estraga-o. Leve Adão no jardim do Éden - leve Noé; assim que sai da arca, ele
fica bêbado - então a lei dificilmente é dada antes de ser quebrada. Aaron
também nunca vestiu roupas de glória e beleza após o dia da
consagração. Assim, com Salomão, logo que se estabeleceu no reino, ele
introduz a idolatria - o mesmo com Nabucodonosor, o primeiro grande poder
gentio. Mas é algo distinto quando Deus vem em graça, pois eles a desprezam
por completo. O governo começou por parte de Deus com Noé ( Gên. 9: 5 , 6)
e prosseguiram até a vinda de Seu Filho - eles O rejeitaram, e então tudo
acabou. Houve um pequeno complemento no começo de Atos; mas quando
Estevão, cheio do Espírito Santo, presta testemunho de um Cristo glorificado,
eles rejeitam um Cristo glorificado, como haviam rejeitado a Cristo em
encarnação.

Mas você obtém tudo em que o homem falhou estabelecido novamente em


Cristo - falha no primeiro homem, e Deus glorificou no segundo, onde Ele
havia sido desonrado no primeiro.

No bezerro de ouro, o julgamento do homem realmente terminou: "Sim, ele


assumiu o tabernáculo de Moloch", Stephen cita de Amós. Essa foi a raiz que
produziu frutos tão terríveis depois. Encontra-se em Moisés o que a graça
fez. O Senhor diz a Moisés: " Tu tens achado graça aos meus olhos, eu te
conhecem pelo nome." E Moisés diz: "Considera que esta nação é o teu povo",
ele implora por eles. Lá você obtém os frutos da graça, em contraste com os
efeitos do pecado. Moisés é uma bela figura da graça, mas não como Cristo
era. Deus diz a Moisés que Ele destruirá o povo em um momento, e eles
devem adiar seus ornamentos, para que Ele saiba o que fazer. Mas Moisés diz:
"Se agora encontrei graça aos teus olhos, Senhor, peço-te que meu Senhor vá
entre nós;. "É exatamente isso que precisamos fazer. Por que devo insistir em
ter Deus comigo? Porque, a menos que o tenha comigo em Sua graça, nunca
atravessarei o deserto, com essa carne terrível ao meu redor. por uma
razão: porque eu sou tão mau ; e pela graça Ele pode me ter com Ele, apesar
de todas as minhas enfermidades.Eu digo: Na minha carne não habita nada de
bom; se você não for comigo, nunca vou conseguir através do deserto.

É na separação que Deus lida em graça com Moisés, em conexão com ele sair
do campo - o campo estava deserto, mas Deus estava lá fora. O tabernáculo
não havia sido realmente montado naquela época; então agora, a construção
de Deus não está terminada. Não havia nada estabelecido na terra quando Ele
disse: "Eu edificarei minha igreja"; mas Ele fez estabelecer uma igreja na
terra, responsável, em seu lugar, que falhou por completo - é por isso que
falamos da ruína. O Senhor diz: " Eu edificarei minha igreja, e as portas do
inferno não prevalecerão contra ela"; eles nunca irão contra o
que Ele constrói. Em 1 Coríntios 3Paulo coloca a igreja sob as
responsabilidades dos construtores; mas o homem falha nisso, como ele faz
em tudo. Paulo diz aos anciãos de Éfeso: "Depois da minha partida, homens de
nós mesmos se levantarão, falando coisas perversas". Ele diz: Assim que eu
partir, você verá como tudo será; e nós vimos. Não é uma pedra que Cristo
edifica, mas estará salva na glória. A história da chamada igreja é uma
história de iniqüidade - se você ler a história dos pagãos, não encontrará uma
história como a da igreja.
O que Moisés faz é pegar o tabernáculo e colocá-lo fora do arraial. Qual foi o
efeito disso? O Senhor estava nele; Ele desceu à porta e conversou com
Moisés, como um homem fala a seu amigo. Ele desce na nuvem; temos algo
melhor, porque vamos para a nuvem. Deus se refere a esse discurso face a
face como um favor especial mostrado a Moisés. Quando houve essa
separação, Moisés teve a comunhão como nunca teve no
acampamento. Quando ele estava em cima na montanha, e Deus lhe diz que
Israel tem feito um bezerro de ouro, e diz, vou consumir -los , mas farei
de tiuma grande nação; Moisés diz: Não, sua glória está preocupada nisso. Por
quê? Porque ele identificou o povo de Deus com a glória de Deus; e quando
ele desce do monte, ele identifica a glória de Deus com o povo de Deus e diz
"Mate todo homem, seu irmão" - você obtém o mesmo princípio nos dois
casos. Se vejo o povo de Deus no mal, digo: Você deve ser tratado pela
vara. Moisés estabelece o tabernáculo fora do acampamento, e Deus o
possui. Não havia santo dos santos naquela época - era um local de encontro
com o Senhor. "E aconteceu que todo aquele que buscava o Senhor saiu ao
tabernáculo." Eles procuraram o Senhor, e foi isso que governou o todo. O
bezerro de ouro estava no acampamento; o Senhor estava no tabernáculo,
que não foi então estabelecido em sua plenitude.

Você verá quais eram as comunicações com Moisés neste momento. ( Ex.
33:13 .) "Mostra-me agora o teu caminho, para que eu te conheça." Lá você
obtém conhecimento. Então "para que eu possa encontrar graça aos teus
olhos" - não que ele não tenha encontrado graça, mas ele queria conhecê-la a
todo momento. "Considere que esta nação é o seu povo." Ele nunca esquece o
povo de Deus, embora Deus não os chamasse de Seu povo. A presença de Deus
é a próxima coisa. Moisés deve conhecer o caminho de Deus e ter Sua
presença. (Ver. 16.) Eles procuraram o Senhor quando o tabernáculo foi
estabelecido fora do acampamento, mas Moisés agora quer Sua presença
manifesta. Aqui eu acho que a presença de Deus foi o centro que governou o
todo, que carimbou o caráter da coisa toda, e se você não tem isso, não
tem nada. Foi quando o pecado foi manifestado no arraial que Moisés insistiu
na presença do Senhor. Era o caminho de Deus e a presença de Deus que os
separava de todas as pessoas na terra. Moisés fica mais ousado na fé: "Peço-
te, mostra-me a tua glória". Mas ele não podia ver Sua glória, não havia
expiação então - a nuvem não era Sua glória. Temos aqui dois princípios - um,
o total fracasso do que Deus havia estabelecido, depois obtemos a presença
do Senhor e o descanso do Senhor.

Dois personagens são trazidos aqui, Moisés e Josué. Josué não deixou o
tabernáculo, é aí que a diferença está entre eles. Josué é a figura de Cristo
espiritualmente na cabeça de Seu povo. Devemos estar tão perto do Senhor
quanto Moisés, e o efeito da proximidade de Cristo é amor a todo o povo de
Deus, mesmo que eles dêem errado; mas, ao mesmo tempo, se estou perto de
Cristo, não posso ir com quem está errado. É apenas na medida em que
sabemos como nos separar do vil, que o Senhor diz que seremos como Sua
boca, mas devemos estar perto de Cristo para sermos capazes de fazê-lo de
acordo com Sua mente. Estou falando agora de princípios amplos.
O primeiro ponto que desejei mostrar foi como a presença do Senhor
governava tudo; agora vou mostrar alguns exemplos de apego pessoal a Cristo,
sendo a origem da inteligência. Fiquei muito impressionado com a história de
Mary Magdelene em João 20 . Os discípulos vão para seus próprios lares, mas
não havia lar para Maria sem seu Senhor, e ela fica lá chorando. Embora ela se
vire e veja Jesus, a princípio ela pensa que Ele é o jardineiro. Seu apego a Ele
a deixa sozinha com ele; isso levará à comunhão com os outros,
mas deve haver a alma sozinha com o Senhor. As outras mulheres vieram de
manhã cedo, mas elaveio enquanto ainda estava escuro. Os discípulos tinham
ido para casa, mas isso não faria por Maria; ela não tinha Cristo, e seu coração
não poderia receber nada, se não O pegasse, e ela é a primeira a quem Ele se
revela, e a torna a mensageira da inteligência, pois os discípulos ainda não
conheciam as escrituras. Para ela, ele diz: "Não me toque." Ele não se
importava que outras mulheres o tocassem, mas ele disse a ela: Isso ainda não
é para você: "Mas vá a meus irmãos e diga-lhes: Eu ascendo a meu Pai e a seu
Pai; e a meu Deus e a você. Deus." Esta é a primeira vez que Ele os chama
de irmãos . Maria obteve a verdade dEle; Ele diz aos discípulos, mas é por
MariaEle conta. Lá eu recebo o segredo do conhecimento divino, e assim você
sempre o encontrará. Ela estava errada em um sentido, ao procurar viver
entre os mortos, mas havia esse apego completo a Cristo, e a conseqüência é
que ela recebe a primeira revelação de Cristo. Ela era o vaso do
conhecimento porque estava apegada a Cristo.

Veja a mulher que era pecadora, em Lucas 7 , havia um apego completo a


Cristo, e qual foi a conseqüência do amor dessa pobre criatura
miserável? Havia luz, o conhecimento da salvação completa, enquanto Simão,
que se auto-justificava, deleitado em seu próprio coração, estava em perfeita
escuridão - não acha que o Filho de Deus seja um profeta! Mas a mulher amou
muito, e o Senhor se voltou para ela e disse: "Teus pecados foram perdoados.
Tua fé te salvou; vai em paz". Vemos perdão, salvação e paz, ligados ao apego
daquela pobre criatura a Cristo. Seu coração foi conquistado com confiança e
ela recebe a salvação revelada.

Tome outra instância. Havia Marta e Maria. Marta estava muito preocupada
com muito serviço, mas Maria estava sentada aos pés do Senhor, ouvindo Sua
palavra: exatamente o que Ele queria. E qual é a conseqüência desse
aprendizado? Que ela conhecia a mente dele. Quando Lázaro está morto,
Marta sai na pressa de seu temperamento para encontrar o Senhor, mas logo
volta a chamar Maria, dizendo: "O Mestre veio e te chama". Marta teve a
consciência de que ela não era igual a essa relação com Cristo, então ela vai e
chama sua irmã. Com Marta, não havia como entrar na mente de Cristo, mas
quando vê Maria chorando, fica profundamente comovido e geme de
espírito. Então, quando Ele vem a Betânia, foi essa mesma Maria que
derramou a pomada em Sua cabeça - seu coraçãofez isso. Os discípulos
pensam que é um erro, mas Ele diz: "Deixe-a em paz" - ela sabe tudo sobre
isso. Não era que ela pudesse dizer profeticamente qual era o significado
disso, mas seu coração tinha instinto; ela o ungiu para Seu enterro.

Agora olhe para os discípulos em João 13 . Pedro não podia fazer a pergunta a
Cristo sobre sua traição. Por quê? Porque ele não estava no peito. João não se
colocou no seio de Cristo para obter conhecimento, mas estando lá, ele
conseguiu. Como o apóstolo Paulo expressa: "Temos a mente de Cristo". João
estava no lugar em que podia obter o ouvido de Cristo - Conheça os segredos
de Cristo. Mas agora toda a sabedoria e poder de Deus estão em Cristo, e para
ter o entendimento deles, precisamos ter Cristo; é quando, em nossos
corações, Ele é praticamente tudo , que entramos em Seus segredos. Então
você está no lugar certo, e a coisa certa é feita como Ele faria. Eu nunca
receberei "Mostre-me agora do seu jeito", a menos que eu tenha Cristo - a
menos que ele sejatudo para mim. Se os hábitos que adotamos, ou as coisas
em que estamos caminhando, estão sofrendo com Cristo, ou se são como
Cristo, temos que olhar; porque quando chegarmos ao fim, não haverá vida
senão o que vivemos para Cristo. A vida que vivemos, responde ao Cristo que
encontramos quando termina. Não gostaríamos de ser encontrados sem
cumprir nosso dever, mas a fé torna presentes essas coisas invisíveis, para que
vivamos sobre elas, e vivamos Cristo e podemos dizer: "Para mim, viver é
Cristo, e morrer é ganho".

O Senhor nos deu para encontrar tudo para Ele, amigos amados; Ele é muito
mais cheio de amor por nós do que por Ele. Que Ele leve nossos corações para
mais perto de Si, para que possamos obter os segredos de Sua graça e
sabedoria, e depois sair no Espírito para viver uma vida de santificação
prática a Cristo, sem perder o julgamento de si mesmo!

Você também pode gostar