Você está na página 1de 111

Professor Igor Schmidt

igor.schmidt@acad.pucrs.br

MÁQUINAS DE FLUXO
FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA

INTRODUÇÃO, FUNDAMENTOS E
CLASSIFICAÇÃO
MÁQUINAS DE FLUXO
CONTEÚDO

1 – MÁQUINAS DE FLUXO
1.1 – MÁQUINAS MOTRIZES

1.2 – MÁQUINAS GERATRIZES OU OPERATRIZES

1.3 – VENTILADORES E COMPRESSORES

1.4 – TURBINAS

TURBINAS DE IMPULSÃO (PELTON E TURGO)

TURBINAS DE REAÇÃO (FRANCIS E KAPLAN)

TURBINAS SEGUNDO A DIREÇÃO DO ESCOAMENTO

TURBINAS A VAPOR E TURBINAS A GÁS

1.5 – BOMBAS HIDRÁULICAS

1.6 – BOMBAS VOLUMÉTRICAS

BOMBAS DE DESLOCAMENTO POSITIVO

BOMBAS ROTATIVAS

1.7 – TURBOBOMBAS

BOMBAS CENTRIFUGAS

BOMBAS AXIAIS
PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
REVISÃO DE CONCEITOS

PRESSÃO

𝐹 (𝑁)
𝑃(𝑀𝑃𝑎) =
𝐴 (𝑚𝑚2 )

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
REVISÃO DE CONCEITOS

PRESSÃO

PRESSÃO ACIMA DA ATMOSFÉRICA LOCAL

RELATIVA
ABSOLUTA

ATMOSFÉRICA

VÁCUO

VÁCUO ABSOLUTO

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
REVISÃO DE CONCEITOS

PRESSÃO

PRESSÃO ATMOSFÉRICA NIVEL DO MAR = 1013 mbar

RELATIVA
VÁCUO = - 400 mbar
VÁCUO = 613 mbar

ABSOLUTA
VÁCUO ABSOLUTO = 0 mbar

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
REVISÃO DE CONCEITOS

VAZÃO

O VOLUME POR UNIDADE DE TEMPO QUE ESCOA ATRAVÉS DE DETERMINADA


SEÇÃO TRANSVERSAL DE UM CONDUTO.

𝑚3 𝑚
𝑄 =𝑣 . 𝐴 𝑚2
𝑠 𝑠

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
REVISÃO DE CONCEITOS

MASSA ESPECÍFICA:
É A QUANTIDADE DE MASSA QUE OCUPA UMA UNIDADE DE VOLUME (kg/m³)

VOLUME ESPECÍFICO:
É O VOLUME OCUPADO POR UNIDADE DE MASSA. MUITO IMPORTANTE NO
ESTUDO DE FLUIDOS COMPRESSÍVEIS. (m³/kg)

DENSIDADE:
É A RAZÃO ENTRE A MASSA ESPECÍFICA DESTA SUBSTÂNCIA E A MASSA
ESPECÍFICA DE UMA SUBSTÂNCIA PADRÃO. PARA SUBSTÂNCIAS EM ESTADO
LÍQUIDO OU SÓLIDO, A SUBSTÂNCIA DE REFERÊNCIA É A ÁGUA A 15°C. PARA
SUBSTÂNCIAS NO ESTADO GASOSO É O AR.

PRESSÃO DE VAPOR:
PRESSÃO NA QUAL AO SER ATINGIDA, EM UMA DADA TEMPERATURA
CONSTANTE, INICIA-SE A VAPORIZAÇÃO DO LÍQUIDO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
REVISÃO DE CONCEITOS

VISCOSIDADE:
EXPRIME A RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO INTERNO, ISTO É, A QUALQUER
FORÇA QUE TENDE A PRODUZIR O ESCOAMENTO ENTRE SUAS CAMADAS.
DEPENDE DIRETAMENTE DA TEMPERATURA E NATUREZA DO FLUIDO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
REVISÃO DE CONCEITOS

FLUIDOS COMPRESSÍVEIS:
SÃO AQUELES QUE QUANDO PRESSURIZADOS MODIFICAM SEU VOLUME
ESPECÍFICO.

FLUIDOS INCOMPRESSÍVEIS:
SÃO AQUELES QUE QUANDO PRESSURIZADOS NÃO MODIFICAM
CONSIDERAVELMENTE SEU VOLUME ESPECÍFICO.

ESCOAMENTO LAMINAR:
O ESCOAMENTO LAMINAR TEM COMO CARACTERÍSTICA O MOVIMENTO SUAVE
ENTRE AS CAMADAS DO FLUIDO.

ESCOAMENTO TURBULENTO:
CARACTERIZA POR MOVIMENTOS TRIDIMENSIONAIS ALEATÓRIOS DAS CAMADAS
DO FLUIDO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
INTRODUÇÃO

NA INDÚSTRIA EXISTE UMA SÉRIE DE SISTEMAS E EQUIPAMENTOS QUE


UTILIZAM MÁQUINAS PARA MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE FLUIDOS.
TODOS ESTES PROCESSOS ESTÃO RELACIONADOS COM A ENERGIA E SEUS
PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO.

A ENERGIA CONTIDA NOS FLUIDOS EM MOVIMENTO PODE SER UTILIZADA PARA


ACIONAMENTO DE MÁQUINAS DE FLUXO DENOMINADAS TURBINAS.

A ENERGIA ELÉTRICA GERADA PELAS TURBINAS PODE SER UTILIZADA PARA


ACIONAMENTO DE MOTORES ELÉTRICOS, OS QUAIS PODEM ACIONAR BOMBAS,
VENTILADORES, COMPRESSORES PARA MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE
FLUIDOS COM DIFERENTES FINALIDADES, SEGUNDO O PROCESSO INDUSTRIAL
EM QUE ESTEJA INSERIDO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
INTRODUÇÃO

AS TURBINAS HIDRÁULICAS RECEBEM ENERGIA DO FLUIDO (ÁGUA) QUE TRANSFORMADA EM


ENERGIA MECÂNICA POSSIBILITA SUA TRANSFORMAÇÃO FINAL EM ENERGIA ELÉTRICA.

AS TURBINAS EÓLICAS RECEBEM ENERGIA DOS VENTOS QUE PODE SER TRANSFORMADA EM ENERGIA
MECÂNICA.

AS TURBINAS A VAPOR SÃO MÁQUINAS MOVIMENTADAS PELA ELEVADA ENERGIA CINÉTICA DE


VAPORES EM PROCESSOS DE EXPANSÃO AS QUAIS POSSIBILITAM O ACIONAMENTO DE GERADORES
ELÉTRICOS, BOMBAS, COMPRESSORES, VENTILADORES.

AS BOMBAS E VENTILADORES SÃO MÁQUINAS QUE RECEBEM TRABALHO MECÂNICO ATRAVÉS DE


MOTORES E POSSIBILITAM TRANSPORTAR LÍQUIDOS (BOMBAS) E GASES (VENTILADORES) VENCENDO
DESNÍVEIS ENERGÉTICOS.

OS COMPRESSORES SÃO UTILIZADOS EM PROCESSO FRIGORÍFICOS OU EM INSTALAÇÕES COM GASES


OU AR COMPRIMIDO PARA ACIONAMENTO DE MÁQUINAS E FERRAMENTAS PNEUMÁTICAS.
TRABALHAM COM GASES COM PRESSÕES SUPERIORES ÀS UTILIZADAS EM VENTILADORES, LEVANDO
EM CONSIDERAÇÃO AS MUDANÇAS SIGNIFICATIVAS DA VARIAÇÃO DA MASSA ESPECÍFICA PELAS
MUDANÇAS DE TEMPERATURA E PRESSÃO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
• AS MÁQUINAS DE FLUXO SÃO UTILIZADAS PARA ADICIONAR OU
RETIRAR ENERGIA DE UM FLUIDO.

• PODEM SER DINÂMICAS (TURBOMÁQUINAS) OU VOLUMÉTRICAS:


❑ NAS DINÂMICAS O AUMENTO DA PRESSÃO DO FLUIDO É
CONTÍNUA.
AS MÁQUINAS DINÂMICAS PODEM SER CLASSIFICADAS SEGUNDO A
TRAJETÓRIA PERCORRIDA PELO FLUIDO AO PASSAR PELO ROTOR COMO
RADIAL, AXIAL OU MISTA.

❑ NAS VOLUMÉTRICAS O AUMENTO DA PRESSÃO SE PRODUZ


REDUZINDO O VOLUME DO FLUIDO CONFINADO
HERMETICAMENTE NA CÂMARA DE COMPRESSÃO.
AS MÁQUINAS VOLUMÉTRICAS PODEM SER ALTERNATIVAS COM DESCARGA
INTERMITENTE DO FLUIDO, OU ROTATIVAS COM DESCARGA CONTINUA DO
FLUIDO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO

MÁQUINAS DE FLUXO

DINÂMICAS
VOLUMÉTRICAS
(TURBOMÁQUINAS)

ALTERNATIVAS ROTATIVAS BOMBAS VENTILADORES TURBINAS

• PARAFUSO • HIDRÁULICAS
• CENTRÍFUGAS • CENTRÍFUGOS
• PISTÃO • PALHETA • VAPOR
• AXIAIS • AXIAIS
• DIAFRAGMA • LÓBULOS • GÁS
• MISTAS • MISTOS
• ENGRENAGENS • EÓLICAS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO

TURBOMÁQUINAS

VOLUMÉTRICAS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO

CLASSIFICAÇÃO DAS TURBOMÁQUINAS QUANTO À FUNÇÃO

• MÁQUINAS GERATRIZES (BOMBAS, VENTILADORES E COMPRESSORES)


• MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)

CLASSIFICAÇÃO DAS TURBOMÁQUINAS QUANTO AO FLUIDO CIRCULANTE

• MÁQUINAS HIDRÁULICAS (FLUIDOS INCOMPRESSÍVEIS): BOMBAS, TURBINAS


HIDRÁULICAS, VENTILADORES, HÉLICES MARÍTIMOS.
• MÁQUINAS TÉRMICAS (FLUIDOS COMPRESSÍVEIS): TURBINAS DE GÁS,
TURBINAS A VAPOR, COMPRESSORES, HÉLICES DE AVIÃO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO

CLASSIFICAÇÃO DAS TURBOMÁQUINAS QUANTO AO MOVIMENTO DO FLUIDO

• TURBOMÁQUINAS TANGENCIAIS:
ESCOAMENTO TANGENTE ÀS PÁS.
EX.: PELTON, MICHELL E BANKI
• TURBOMÁQUINAS AXIAIS:
ESCOAMENTO NÃO TEM VELOCIDADE RADIAL SIGNIFICATIVA NO ROTOR.
EX.: HÉLICE, KAPLAN STRAFLO, TUBULAR E BULBO
• TURBOMÁQUINAS RADIAIS:
ESCOAMENTO TEM VELOCIDADE RADIAL SIGNIFICATIVA NA SECÇÃO DE
ENTRADA (T. MOVIDAS) OU DE SAÍDA (T. MOTRIZES) DO ROTOR.
EX.: CENTRÍFUGAS
• TURBOMÁQUINAS MISTAS:
CASO INTERMEDIÁRIO.
EX.: FRANCIS E DÉRIAZ PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
• TRANSFORMAM A ENERGIA RECEBIDA POR UM FLUÍDO EM ENERGIA
MECÂNICA PARA APROVEITAMENTO POSTERIOR
EX.: GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
CLASSIFICAÇÃO DAS TURBINAS HIDRÁULICAS QUANTO A PARCELA DE ENERGIA
TRANSFORMADA PELO ROTOR

• TURBINAS DE JATO LIVRE (OU DE AÇÃO):


SÃO ACIONADAS POR UM JATO DE ÁGUA LIVRE, NÃO RESTRITO, EM
CONTATO DIRETO COM A ATMOSFERA.
EX.: TURBINAS PELTON

• TURBINAS DE JATO FORÇADO (OU DE REAÇÃO):


TODAS AS OUTRAS FABRICADAS EM SÉRIE ATUALMENTE. NELAS, A ENERGIA
CINÉTICA DE PRESSÃO SÃO TRANSFORMADAS EM TRABALHO MECÂNICO NA
PASSAGEM DA ÁGUA PELO ROTOR.
EX.: TURBINAS FRANCIS
PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
CLASSIFICAÇÃO DAS TURBINAS HIDRÁULICAS QUANTO A DISPOSIÇÃO DO EIXO

• HORIZONTAL;
• VERTICAL;
• INCLINADA.

CLASSIFICAÇÃO DAS TURBINAS HIDRÁULICAS QUANTO AO NUMERO DE


ROTORES CONECTADOS AO MESMO EIXO
• SIMPLES:
TURBINAS EM QUE APENAS UM ROTOR É CONECTADO AO EIXO.
• MULTIPLA:
É O TIPO DE TURBINA EM QUE HÁ DOIS OU MAIS ROTORES POR EIXO. OS
CONJUNTOS DE DUAS TURBINAS MONTADAS NO MESMO EIXO SÃO
DENOMINADAS TURBINAS GÊMEAS, GEMINADAS OU DUPLAS.
PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA PELTON DUPLA

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
CLASSIFICAÇÃO DAS TURBINAS HIDRÁULICAS QUANTO A ROTAÇÃO ESPECÍFICA

• TURBINAS LENTAS: ns ≤ 100 RPM


• TURBINAS NORMAIS: 100 RPM ≤ ns ≤ 200 RPM
• TURBINAS RÁPIDAS: 200 RPM ≤ ns ≤ 400 RPM
• TURBINAS EXTRA-RÁPIDAS: 400 RPM ≤ ns
A ROTAÇÃO ESPECÍFICA É UMA VARIÁVEL CARACTERÍSTICA DO FUNCIONAMENTO
DAS MÁQUINAS DE FLUXO, DEFINIDA POR:

𝑛 𝑃
ns = 5/4
𝐻

𝑛𝑠 – NÚMERO ESPECÍFICO DE ROTAÇÃO POR MINUTO [RPM]


𝑛 – NÚMERO DE ROTAÇÃO DA BOMBA [RPM]
𝑃 – POTÊNCIA [kW]
𝐻 – ALTURA ÚTIL OU MANOMÉTRICA [m]
PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA PELTON

TURBINAS DE AÇÃO OU IMPULSÃO, DE JATO E TANGENCIAIS.


PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA PELTON

A TURBINA PELTON É UMA TURBINA HIDRÁULICA DE AÇÃO, ISTO É, FUNCIONA À


PRESSÃO ATMOSFÉRICA, INVENTADA POR LESTER ALLAN PELTON NA DÉCADA DE
1870. É CONSTITUÍDA POR UMA RODA E UM OU MAIS INJETORES, CUJA FUNÇÃO
É TRANSFORMAR A ENERGIA DE PRESSÃO DO ESCOAMENTO EM ENERGIA
CINÉTICA, ORIENTANDO ESSE MESMO ESCOAMENTO PARA A RODA. É MAIS
ADEQUADA PARA GRANDES QUEDAS ÚTEIS (ENTRE OS 350m ATÉ 1100m). ESTE
MODELO DE TURBINA OPERA COM VELOCIDADES DE ROTAÇÃO MAIORES QUE AS
OUTRAS, E TEM O ROTOR DE CARACTERÍSTICA BASTANTE DISTINTAS. OS JATOS DE
ÁGUA PROVENIENTES DOS INJETORES AO CHOCAREM COM AS PÁS DO ROTOR
(EM FORMA DE DUPLA COLHER) GERAM O IMPULSO QUE FAZ COM QUE A RODA
SE MOVA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA PELTON

INJETORES:
O NÚMERO NORMAL DE INJETORES VARIA DE DOIS A SEIS (DEPENDENDO DA
POTÊNCIA), IGUALMENTE ESPAÇADOS ANGULARMENTE PARA GARANTIR UM
BALANCEAMENTO DINÂMICO DO ROTOR. PARA CONTROLAR O ESCOAMENTO
NOS INJETORES, DENTRO DESTES ESTÁ INSTALADA UMA AGULHA. APÓS A ÁGUA
BATER NAS PÁS É RECOLHIDA PARA UM CANAL DE RESTITUIÇÃO, PARA QUE SEJA
REAPROVEITADA.
OS JACTOS DE ÁGUA INCIDEM TANGENCIALMENTE À RODA, MAXIMIZANDO A
PRODUÇÃO DE ENERGIA DA TURBINA. CONTUDO, O ESCOAMENTO NEM SEMPRE
É CONSTANTE, LOGO, PARA ALÉM DA AGULHA, OS INJETORES ESTÃO TAMBÉM
MUNIDOS DE DEFLETORES QUE PERMITEM QUE OS JATOS SEJAM DESVIADOS DA
RODA. ISSO PODE ACONTECER, POR EXEMPLO QUANDO EXISTE UMA QUEDA
BRUSCA DA POTÊNCIA PEDIDA À TURBINA. DESTA FORMA, A AGULHA PODE
FECHAR PROGRESSIVAMENTE DIMINUIR O CAUDAL ESCOADO, EVITANDO ALTAS
SOBREPRESSÕES DEVIDAS A GOLPE DE ARÍETE, OU SOBREVELOCIDADES
INDESEJÁVEIS DE ROTAÇÃO.
PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA PELTON

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA PELTON

RODA:
A RODA PODE SER INSTALADA NA HORIZONTAL OU NA VERTICAL, DEPENDENDO
MUITO DA DIMENSÃO DA RODA. SE FOR UMA TURBINA DE GRANDES
DIMENSÕES BENEFICIARÁ SE FOR HORIZONTAL POIS A ÁGUA QUE CAI DAS PÁS,
DEPOIS DO IMPACTO, IRIA CAUSAR EFEITOS SECUNDÁRIOS POTENCIALMENTE
INDESEJADOS.

LIMITAÇÕES:
UM DOS MAIORES PROBLEMAS DESTAS TURBINAS, DEVIDO À ALTA VELOCIDADE
COM QUE A ÁGUA SE CHOCA COM O ROTOR, É A EROSÃO PROVOCADA PELO
EFEITO ABRASIVO DA AREIA MISTURADA COM A ÁGUA, COMUM EM RIOS DE
MONTANHAS. AS TURBINAS PELTON, DEVIDO A POSSIBILIDADE DE
ACIONAMENTO INDEPENDENTE NOS DIFERENTES BOCAIS, TEM UMA CURVA
GERAL DE EFICIÊNCIA PLANA, QUE LHE GARANTE BOM DESEMPENHO EM
DIVERSAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA PELTON

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA PELTON

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA FRANCIS

TURBINAS DE REAÇÃO, RADIAIS E HELICOIDAIS.


AS TURBINAS DÉRIAZ SÃO SEMELHANTES, PORÉM COM PÁS ORIENTÁVEIS. PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA FRANCIS

A TURBINA FRANCIS É UM TIPO DE TURBINA HIDRÁULICA COM FLUXO RADIAL DE


FORA PARA DENTRO, CONCEBIDA POR JEAN-VICTOR PONCELET POR VOLTA DE
1820 E APERFEIÇOADA PELO ENGENHEIRO NORTE-AMERICANO JAMES FRANCIS
EM 1849.

NESTE TIPO DE TURBINA, A ÁGUA SOB PRESSÃO ENTRA POR UM DUTO CIRCULAR
DE SECÇÃO DECRESCENTE, ONDE É DESVIADA POR UM CONJUNTO DE PÁS
ESTÁTICAS PARA UM ROTOR CENTRAL. A ÁGUA ATRAVESSA A PAREDE LATERAL DO
ROTOR, EMPURRANDO OUTRO CONJUNTO DE PÁS FIXAS NO MESMO, E SAI PELA
BASE DO ROTOR COM PRESSÃO E VELOCIDADE MUITO REDUZIDAS. A POTÊNCIA
MECÂNICA EXTRAÍDA DA ÁGUA É TRANSMITIDA PELO ROTOR A UM EIXO FIXADO
NA BASE OPOSTA. AS PÁS ESTÁTICAS PODEM SER AJUSTÁVEIS.

TURBINAS FRANCIS SÃO AS MAIS COMUNS EM USINAS HIDRELÉTRICAS POR SUA


FLEXIBILIDADE E EFICIÊNCIA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA FRANCIS

• O ROTOR GERALMENTE TEM ENTRE 1 E 10m DE DIÂMETRO;


• SÃO USADAS COM QUEDAS DE ÁGUA DE 10 ATÉ 650m, A VELOCIDADES DE 80
A 1000 RPM;
• A POTÊNCIAS VARIA DE MENOS DE 10 A 750 MWs;
• UMA TURBINA FRANCIS BEM PROJETADA PODE EXTRAIR ATÉ 90% DA ENERGIA
POTENCIAL DA ÁGUA;
• EM GERAL, TURBINAS DE TAMANHO MÉDIO OU GRANDE SÃO INSTALADAS
COM O EIXO VERTICAL.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA FRANCIS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA FRANCIS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA FRANCIS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA FRANCIS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA KAPLAN

TURBINAS DE REAÇÃO, AXIAIS, DE PÁS ORIENTÁVEIS.


AS TURBINAS PROPELLER SÃO SEMELHANTES PORÉM COM PÁS FIXAS. PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA KAPLAN

A TURBINA KAPLAN É UMA TURBINA HIDRÁULICA. INVENTADA POR VIKTOR


KAPLAN. É ADEQUADA PARA OPERAR EM QUEDAS ATÉ 60m. A ÚNICA DIFERENÇA
ENTRE AS TURBINAS KAPLAN E A TURBINA FRANCIS É O ROTOR. ESTE
ASSEMELHA-SE A UM PROPULSOR DE NAVIO (SIMILAR A UM HÉLICE). UM
SERVOMOTOR MONTADO NORMALMENTE DENTRO DO CUBO DO ROTOR, É
RESPONSÁVEL PELA VARIAÇÃO DO ÂNGULO DE INCLINAÇÃO DAS PÁS. O ÓLEO É
INJETADO POR UM SISTEMA DE BOMBEAMENTO LOCALIZADO FORA DA TURBINA,
E CONDUZIDO ATÉ O ROTOR POR UM CONJUNTO DE TUBULAÇÕES ROTATIVAS
QUE PASSAM POR DENTRO DO EIXO.

O ACIONAMENTO DAS PÁS É CONJUGADO AO DAS PALHETAS DO DISTRIBUIDOR,


DE MODO QUE PARA UMA DETERMINADA ABERTURA DO DISTRIBUIDOR,
CORRESPONDE UM DETERMINADO VALOR DE INCLINAÇÃO DAS PÁS DO ROTOR.
AS KAPLANS TAMBÉM APRESENTAM UMA CURVA DE RENDIMENTO "PLANA"
GARANTINDO BOM RENDIMENTO EM UMA AMPLA FAIXA DE OPERAÇÃO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA KAPLAN

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA KAPLAN

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA DE BULBO

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA DE BULBO

AS TURBINAS DE BULBO PODEM SER CONSIDERADAS COMO UMA EVOLUÇÃO DO


TIPO ANTERIOR. O ROTOR POSSUI PÁS ORIENTÁVEIS COMO AS TURBINAS KAPLAN
E EXISTE UMA ESPÉCIE DE BULBO COLOCADO DENTRO DO TUBO ADUTOR DE
ÁGUA. NO INTERIOR DO BULBO QUE É UMA CÂMARA BLINDADA, PODE EXISTIR
SIMPLESMENTE UM SISTEMA DE ENGRENAGENS PARA TRANSMITIR O
MOVIMENTO DO EIXO AO ALTERNADOR E/OU, NOS TIPOS MAIS APERFEIÇOADOS,
NO INTERIOR DO BULBO FICA O PRÓPRIO GERADOR ELÉTRICO.

A TURBINA BULBO DISPENSA A CAIXA EM CARACOL E O TRECHO VERTICAL DO


TUBO DE SUCÇÃO. O ESPAÇO OCUPADO EM PLANTA É PORTANTO MENOR QUE O
DAS TURBINAS KAPLAN. PARA UM MESMO DIÂMETRO DO ROTOR, A TURBINA
BULBO ABSORVE UMA DESCARGA MAIOR QUE AS KAPLAN, RESULTANDO MAIOR
POTÊNCIA A PLENA CARGA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA DE BULBO

UM PONTO A CONSIDERAR NA INSTALAÇÃO DESTE TIPO DE TURBINA É QUE A


LIMITAÇÃO DO DIÂMETRO DO ROTOR E DO BULBO PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS,
OBRIGA À CONSTRUÇÃO DE ALTERNADORES DE PEQUENO DIÂMETRO MAS
MUITO ALONGADOS AXIALMENTE, O QUE, POR SUA VEZ, ACARRETA PROBLEMAS
DE RESFRIAMENTO PARA O GERADOR E DE CUSTO PARA O EIXO E MANCAIS.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINA DE BULBO

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINAS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINAS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
OUTRAS
TURBINAS A VAPOR

TURBINAS A GÁS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOTRIZES (TURBINAS)
TURBINAS EÓLICAS
DARREIUS

SAVONIUS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
VENTILADORES E COMPRESSORES

• OS VENTILADORES E COMPRESSORES SÃO MÁQUINAS MUITO SEMELHANTES


JÁ QUE TRABALHAM COM GASES, CONTUDO, OS VENTILADORES SÃO
UTILIZADOS PARA MOVIMENTAR GASES ENQUANTO QUE OS COMPRESSORES
SÃO UTILIZADOS PARA AUMENTAR A PRESSÃO DOS GASES;

• OS COMPRESSORES CAUSAM UMA VARIAÇÃO SIGNIFICATIVA DA MASSA


ESPECÍFICA DO GÁS;

• OS VENTILADORES SÃO UTILIZADOS PARA VENTILAÇÃO RESIDENCIAL E


INDUSTRIAL, SISTEMAS DE EXAUSTÃO E INSUFLAMENTO DE AR E SISTEMAS DE
CLIMATIZAÇÃO;

• OS COMPRESSORES SÃO UTILIZADOS PARA APLICAÇÕES DE AR COMPRIMIDO


ACIONANDO EQUIPAMENTOS A PRESSÃO DE AR COMO TRANSPORTE
PNEUMÁTICO, ACIONADORES DE ÊMBOLO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
VENTILADORES E COMPRESSORES

• TAMBÉM SÃO UTILIZADOS EM EQUIPAMENTOS DE JATO DE AR COMO


RESFRIADORES OU AQUECEDORES, JATEAMENTO DE AREIA, EQUIPAMENTOS E
MÁQUINAS DE PERCUSSÃO COMO MARTELOS DE AR COMPRIMIDO, OU
TAMBÉM PARA ACIONAMENTO DE MÁQUINAS FERRAMENTAS FIXAS E
PORTÁTEIS COMO FURADEIRAS, APARAFUSADEIRAS;

• OS COMPRESSORES E OS VENTILADORES PODEM SER MÁQUINAS DINÂMICAS


OU VOLUMÉTRICAS;

• ENTRE AS MÁQUINAS DINÂMICAS PODEM TER ROTORES CENTRÍFUGOS,


AXIAIS OU MISTOS;

• OS COMPRESSORES VOLUMÉTRICOS PODEM SER DE ÊMBOLO ONDE O


MOVIMENTO LINEAR DO PISTÃO É PRODUZIDO POR UM SISTEMA BIELA-
MANIVELA;

• TAMBÉM OS COMPRESSORES PODEM SER ROTATIVOS COMO OS DE PALHETAS,


LÓBULOS E DE PARAFUSO. PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
VENTILADORES

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
VENTILADORES E COMPRESSORES

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
• RECEBEM O TRABALHO MECÂNICO, FORNECIDO POR UMA MÁQUINA
MOTRIZ (MOTOR ELÉTRICO, DIESEL) E O TRANSFORMA EM ENERGIA
DE PRESSÃO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS
VOLUMÉTRICAS

ALTERNATIVAS ROTATIVA

PISTÃO DIAFRAGMA PALHETAS LÓBULOS ENGRENAGEM PARAFUSO

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS VOLUMÉTRICAS – ALTERNATIVA DE PISTÃO

• ESTAS BOMBAS SÃO EMPREGADAS PARA TRABALHAR COM ALTAS


PRESSÕES;
• A DESCARGA DO FLUIDO É PULSANTE.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS VOLUMÉTRICAS – ALTERNATIVA DE PISTÃO

• NO SEU MOVIMENTO O ÊMBOLO SE AFASTA DO CABEÇOTE


PROVOCANDO A ASPIRAÇÃO DO FLUIDO ATRAVÉS DE UMA VÁLVULA
DE ADMISSÃO;

• NA ETAPA DE RETORNO O FLUIDO É COMPRIMIDO OBRIGANDO O


FLUIDO A SAIR PELA VÁLVULA DE DESCARGA;

• SEU FUNCIONAMENTO É PULSANTE JÁ QUE O FLUIDO FICA


CONFINADO NO CILINDRO DURANTE A ASPIRAÇÃO. ESTAS BOMBAS
PODEM TER UM OU VÁRIOS CILINDROS;

• A PULSAÇÃO DIMINUI CONFORME AUMENTA O NÚMERO DE


CILINDROS.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS VOLUMÉTRICAS – ALTERNATIVA DE PISTÃO AXIAL (ROTATIVA)

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS VOLUMÉTRICAS – ALTERNATIVA DE DIAFRAGMA

• AS BOMBAS DE DIAFRAGMA POSSUEM UM


DIAFRAGMA COMO PARTE ALTERNATIVA E O
MOVIMENTO ALTERNATIVO DESTE DIAFRAGMA
PRODUZ A AÇÃO DE BOMBEAMENTO;

• O DIAFRAGMA PODE SER ACIONANDO POR


LÍQUIDO OU AR;

• AS BOMBAS SÃO CHAMADAS DE BOMBAS DE


MEMBRANA OPERADAS HIDRAULICAMENTE OU
OPERADAS A AR.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS VOLUMÉTRICAS – ALTERNATIVA DE DIAFRAGMA

• POSSUEM UM DIAFRAGMA ALTERNATIVO EM UMA CÂMARA DE


LÍQUIDO NO LUGAR DO PISTÃO ALTERNATIVO DENTRO DE UM
CILINDRO PARA PRODUZIR A AÇÃO DE BOMBEAMENTO;

• O ARRANJO DAS VÁLVULAS E SEU FUNCIONAMENTO SÃO OS


MESMOS QUE NO PISTÃO OU BOMBAS DE ÊMBOLO;
• A CÂMARA DE LÍQUIDO É FORMADA PELO CORPO FIXO DA BOMBA E
O DIAFRAGMA É MONTADO EM UM LADO DA CÂMARA;

• O DIAFRAGMA É ACOPLADO A UMA PEÇA DE ATUAÇÃO QUE MOVE


O DIAFRAGMA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS VOLUMÉTRICAS – ALTERNATIVA DE DIAFRAGMA

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS VOLUMÉTRICAS – ROTATIVA
• OPERAM PELA AÇÃO UM ROTOR;

• DIFERENTEMENTE DAS BOMBAS DE DESCOLAMENTO POSITIVO


(ALTERNATIVA) ESTAS NÃO APRESENTAM VÁLVULAS QUE PERMITAM
CONTROLAR O FLUIDO NA ASPIRAÇÃO E NA DESCARGA;

• PODEM TRABALHAR COM LÍQUIDOS MUITO VISCOSOS E COM


SÓLIDOS EM SUSPENSÃO;

• CONSEGUEM ATINGIR PRESSÕES MUITO ELEVADAS ATÉ DE 3500 mCA;

• PODEM TRANSPORTAR FLUIDOS TAIS COMO GRAXAS, ÓLEOS


VEGETAIS E MINERAIS, MELAÇO, TINTAS E VERNIZES, ARGAMASSAS E
OUTROS.
PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS DE PALHETAS
• AS BOMBAS DE PALHETAS DESLIZANTES TEM PALHETAS RADIAIS (4 A 8) QUE
PELA AÇÃO CENTRÍFUGA DESLOCAM-SE EM DIREÇÃO A CARCAÇA, SOBRE A
QUAL DESLIZAM;

• O ROTOR É MONTADO EXCENTRICAMENTE E SUA VELOCIDADE É LIMITADA A


300 RPM;

• PARA MOVER GASES SENDO UTILIZADA TAMBÉM PARA BOMBEAMENTO DE


LÍQUIDOS.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS DE PALHETAS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS DE LÓBULOS

• AS BOMBAS DE LÓBULOS SÃO MAIS APROPRIADAS PARA MOVER E COMPRIMIR


GASES, SENDO UTILIZADAS PARA MOVIMENTAR LÍQUIDOS VISCOSOS;

• EXISTE UM LÓBULO MOTOR E OUTRO LIVRE MONTADOS ORTOGONALMENTE;

• A BOLSA DE LÍQUIDO APRISIONADA NA SUÇÃO É CONDUZIDA ATÉ O RECALQUE.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS DE LÓBULOS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS DE ENGRENAGEM

• AS BOMBAS DE LÓBULOS SÃO MAIS APROPRIADAS PARA MOVER E COMPRIMIR


GASES, SENDO UTILIZADAS PARA MOVIMENTAR LÍQUIDOS VISCOSOS;

• EXISTE UM LÓBULO MOTOR E OUTRO LIVRE MONTADOS ORTOGONALMENTE;

• A BOLSA DE LÍQUIDO APRISIONADA NA SUÇÃO É CONDUZIDA ATÉ O RECALQUE.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS DE ENGRENAGEM

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS PARAFUSO

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)

TURBOBOMBAS

RADIAIS
AXIAIS E MISTAS
(CENTRIFUGAS)

• ASPIRAÇÃO SIMPLES • ROTOR ABERTO


• ASPIRAÇÃO DUPLA • ROTOR FECHADO

• ROTOR ABERTO
• ROTOR SEMI-ABERTO • PÁS FIXAS
• ROTOR FECHADO • PÁS VARIAVEIS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
TURBOBOMBAS
CENTRÍFUGA HELICOCENTRÍFUGA AXIAL

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
TURBOBOMBAS
• A ENERGIA É FORNECIDA CONTINUAMENTE AO FLUIDO POR UM
ROTOR, QUE GIRA A ALTA VELOCIDADE AUMENTANDO A ENERGIA
CINÉTICA QUE DEPOIS É TRANSFORMADA EM ENERGIA DE PRESSÃO.

• O MOVIMENTO DO ROTOR
PRODUZ UMA ZONA DE VÁCUO
(NO CENTRO) E OUTRA DE ALTA
PRESSÃO (NA PERIFERIA).

• O LÍQUIDO É ASPIRADO PELA


AÇÃO DO ROTOR QUE GIRA
RAPIDAMENTE DENTRO DA
CARCAÇA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS

• AS BOMBAS CENTRÍFUGAS SÃO AMPLAMENTE UTILIZADAS NA


INDÚSTRIA DE PROCESSOS QUÍMICOS;

• APRESENTAM CAPACIDADE DE 0,5m³/h ATÉ 20.000m³/h E


TRABALHAM COM ALTURAS MANOMÉTRICAS ENTRE 1,5 A 5000mCA
(METROS DE COLUNA DE ÁGUA);

• CARACTERIZAM-SE POR AUSÊNCIA DE PULSAÇÃO EM SERVIÇO


CONTÍNUO;

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS

• APRESENTAM UM ROTOR COM PÁS MONTADO EM UM EIXO


GIRANDO NO INTERIOR DA CARCAÇA;

• O FLUIDO CHEGA AO CENTRO DO ROTOR ATRAVÉS DE UMA BOCA DE


ASPIRAÇÃO SENDO FORÇADO ATRAVÉS DAS PÁS DO ROTOR PARA A
PERIFERIA ONDE ATINGE UMA VELOCIDADE ELEVADA;

• SAINDO DA PONTA DAS PÁS O LÍQUIDO PASSA PARA A VOLUTA ONDE


OCORRE A TRANSFORMAÇÃO DA ENERGIA CINÉTICA EM ENERGIA DE
PRESSÃO;

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS MONO-ESTÁGIO

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS

• AS BOMBAS CENTRÍFUGAS PODEM TRABAHAR COM ÁGUA LIMPA,


ÁGUA DO MAR, CONDENSADOS, ÓLEOS COM PRESSÕES DE ATÉ
160mCA E TEMPERATURA DE ATÉ 140°C;

• NA INDÚSTRIA QUÍMICA E PETROQUÍMICA PODEM SER UTILIZADAS


PARA TRABALHAR COM ÁGUA ATÉ 300°C E PRESSÕES DE ATÉ
250mCA;

• BOMBAS DE PROCESSO PODEM OPERAR COM TEMPERATURAS DE


ATÉ 400°C E PRESSÕES DE ATÉ 450mCA;

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS
• O MATERIAL DA CARCAÇA DEPENDE DO TIPO DE SERVIÇO:
• PARA LÍQUIDOS COM TEMPERATURA DE ATÉ 250°C UTILIZA-SE FERRO
FUNDIDO;
• PARA ÓLEOS, SOLUÇÕES E PRODUTOS QUÍMICOS COM TEMPERATURAS
DE TRABALHO DE ATÉ 450°C UTILIZA-SE AÇO FUNDIDO;
• PARA PRESSÕES ELEVADAS (ACIMA DE 10 MPa) EMPREGA-SE AÇO
FORJADO;
• PRODUTOS QUÍMICOS CORROSIVOS REQUEREM EMPREGO DE BRONZE,
INOX E EM CASOS ESPECIAIS VIDRO OU MATERIAIS PLÁSTICOS;
• O ALUMÍNIO É UTILIZADO PARA BOMBEAR FORMOL.
• O EIXO DA BOMBA CENTRÍFUGA É FABRICADO DE AÇO OU LIGA DE
ALTA RESISTÊNCIA MECÂNICA:
• UTILIZA-SE AÇO SAE 1035, SAE 4414, E SAE 2340, E LIGAS CONTENDO
11 A 13 % DE CROMO.
PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – ROTORES
• OS ROTORES DAS BOMBAS CENTRÍFUGAS PODEM SER FECHADOS OU
ABERTOS.

• OS ROTORES FECHADOS TÊM PAREDES LATERAIS MINIMIZANDO O


VAZAMENTO ENTRE A ASPIRAÇÃO E DESCARGA E SÃO UTILIZADOS
PARA BOMBEAMENTO DE LÍQUIDOS SEM A PRESENÇA DE
PARTICULAS.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – ROTORES
• ROTOR SEMI-ABERTO É FECHADO SÓ NA PARTE TRASEIRA;

• OS ROTORES ABERTOS NÃO APRESENTAM PAREDES LATERAIS;

• AMBOS SÃO UTILIZADOS PARA BOMBEAR LÍQUIDOS VISCOSOS OU


CONTENDO SÓLIDOS EM SUSPENSÃO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – ROTORES
• OS ROTORES DE BOMBAS SÃO FUNDIDOS NUMA ÚNICA PEÇA,
PODENDO SER DE FERRO FUNDIDO, BRONZE OU INOX. TAMBÉM SÃO
FABRICADOS EM MATERIAL PLÁSTICO OU BORRACHA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – DIFUSORES
• O FLUIDO ESCOA ATRAVÉS DE UMA SÉRIE DE PALHETAS FIXAS QUE
FORMAM UM ANEL DIFUSOR PERMITINDO UMA CONVERSÃO MAIS
EFICIENTE DA ENERGIA CINÉTICA EM ENERGIA DE PRESSÃO QUE A
BOMBA DE VOLUTA SIMPLES.

VOLUTA SIMPLES VOLUTA COM DIFUSOR

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – DIFUSORES

• O FLUIDO ENTRA NO CENTRO DA CARCAÇA DEVIDO AO VÁCUO E É


ACELERADO PELAS PÁS DO ROTOR QUE GIRA A ALTA VELOCIDADE;

• PELA AÇÃO DA FORÇA CENTRÍFUGA, O FLUIDO É DESCARREGADO NA


VOLUTA OU NO DIFUSOR, ONDE É DESACELERADO;

• A ENERGIA CINÉTICA É CONVERTIDA EM ENERGIA DE PRESSÃO.


QUANTO MAIOR É O NÚMERO DE PALHETAS MENOR É A PERDA POR
TURBULÊNCIA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – DIFUSORES

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – SUCÇÃO

SIMPLES:
• UTILIZADA EM PEQUENAS UNIDADES.

DUPLA:
• QUANDO HÁ ENTRADAS SIMÉTRICAS EM AMBOS OS LADOS DO
IMPULSOR;
• NESSE CASO HÁ MELHOR DISTRIBUIÇÃO DOS ESFORÇOS
MECÂNICOS, ALÉM DE PROPORCIONAR UMA ÁREA DE SUCÇÃO
MAIOR, O QUE PERMITE TRABALHAR COM UMA MENOR ALTURA
POSITIVA NA SUCÇÃO (NPSH) DIMINUINDO A POSSIBILIDADE DE
CAVITAÇÃO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – DUPLA SUCÇÃO

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – DUPLA SUCÇÃO

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS MULTI-ESTÁGIOS

BOMBAS DE MÚLTIPLOS ESTÁGIOS SÃO EMPREGADAS


QUANDO SE DESEJA VENCER GRANDES ALTURAS
MANOMÉTRICAS (H > 1000m).

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS MULTI-ESTÁGIOS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – CARCAÇA
A CARCAÇA É O COMPONENTE RESPONSÁVEL PELA CONTENÇÃO DO
FLUIDO BOMBEADO BEM COMO, SOB CERTO ASPECTO, PROVÊ AS
CONDIÇÕES PARA A CONVERSÃO DE ENERGIA CINÉTICA DO FLUIDO EM
ENERGIA DE PRESSÃO, PASSO FUNDAMENTAL AO BOMBEAMENTO.

• CARCAÇA EM VOLUTA: SÃO AS MAIS UTILIZADAS PARA BOMBAS DE


SIMPLES ESTÁGIO DEVIDO A SUA BOA EFICIÊNCIA, BAIXO CUSTO E
SIMPLICIDADE MECÂNICA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – CARCAÇA EM VOLUTA
A ÁREA CRESCENTE NOS 360° DA VOLUTA OBJETIVA A COLETA E
ACOMODAÇÃO DA CRESCENTE QUANTIDADE DE LÍQUIDO, POSTO QUE
NA SEÇÃO A, POR EXEMPLO, PRECISAMOS ACOMODAR O FLUIDO
COLETADO ANTERIORMENTE E O FLUIDO QUE ESTARÁ SAINDO DA
PERIFERIA DO IMPELIDOR NESTA SEÇÃO.

VELOCIDADE E PRESSÃO CONSTANTE AO


LONGO DA VOLUTA GARANTINDO O
EQUILÍBRIO DE FORÇAS RADIAIS NO
ENTORNO DA VOLUTA.

À MEDIDA QUE NOS AFASTAMOS DA VAZÃO DE PROJETO, APARECE


UM DESEQUILÍBRIO DE PRESSÕES QUE GERA O EMPUXO RADIAL.
PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – CARCAÇA EM VOLUTA
AS PÁS DO IMPELIDOR IMPRIMEM UM MOVIMENTO DE ROTAÇÃO NO
LÍQUIDO QUE FAZ COM QUE O MESMO SE DESLOQUE EM DIREÇÃO À
PERIFERIA DO IMPELIDOR. ESTE MOVIMENTO DO IMPELIDOR GERA UM
GRADIENTE DE PRESSÃO RADIAL NO INTERIOR DA BOMBA.

A ZONA DE ALTA PRESSÃO CRIADA


NA PERIFERIA É RESPONSÁVEL PELO
TRANSPORTE DO FLUIDO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – CARCAÇA COM PÁS DIFUSORAS
• CARCAÇA COM PÁS DIFUSORAS: SÃO AS PREFERIDAS PARA BOMBAS
DE MULTIESTÁGIO. POSSUEM EFICIÊNCIA LIGEIRAMENTE SUPERIOR,
MAS SÃO MAIS CARAS E DE MECÂNICA MAIS COMPLEXA.

O FLUIDO, AO SAIR DO IMPELIDOR, PENETRA EM UM CANAL DE SEÇÃO


CRESCENTE FORMADO POR PÁS DIFUSORAS FIXAS À CARCAÇA, PROCESSANDO-
SE, ASSIM, A CONVERSÃO NECESSÁRIA DE ENERGIA CINÉTICA EM ENERGIA DE
PRESSÃO.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – CARCAÇA EM DUPLA VOLUTA
• CARCAÇA EM DUPLA VOLUTA: EVENTUALMENTE, EM BOMBAS DE
GRANDE PORTE, PARTICULARMENTE NO QUE CONCERNE À VAZÃO,
UTILIZA-SE, COMO ARTIFÍCIO PARA ATENUAR O EMPUXO RADIAL.
ESTE PROJETO CONSISTE DA SIMULAÇÃO DE DUAS VOLUTAS SIMPLES,
DEFASADAS DE 180° MEDIANTE UM CHINCANA INTERMEDIÁRIA.
NESTE CASO, PARTE DO LÍQUIDO FLUI PELO CANAL INTERNO E PARTE
PELO CANAL EXTERNO NUMA TENTATIVA DE BALANCEAMENTO DO
EMPUXO RADIAL.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – CARCAÇA CONCÊNTRICA E MISTA

• CARCAÇA CONCÊNTRICA: A CARCAÇA CONCÊNTRICA APRESENTA


FORMATO CIRCULAR. APESAR DE SEU BAIXO CUSTO DE FABRICAÇÃO,
TEM APLICAÇÃO REDUZIDA EM VIRTUDE DE POSSIBILITAREM MENOR
EFICIÊNCIA QUE AS CARCAÇAS EM VOLUTA.

• CARCAÇA MISTA: EVENTUALMENTE, PODEM SER ENCONTRADAS


BOMBAS QUE USAM UMA COMBINAÇÃO DE PÁS DIFUSORAS E
VOLUTA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – EIXO E LUVAS DE EIXO

• A FUNÇÃO BÁSICA DO EIXO É TRANSMITIR O TORQUE NA PARTIDA E


DURANTE A OPERAÇÃO DA BOMBA, ASSIM COMO SUPORTAR O
IMPELIDOR E OUTRAS PARTES ROTATIVAS.

• AS LUVAS DE EIXO TÊM POR FUNÇÃO PROTEGER O EIXO DE EROSÃO,


CORROSÃO OU DESGASTE.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – CAIXA DE GAXETAS
• É UMA DAS PARTES MAIS IMPORTANTES DA BOMBA CENTRÍFUGA.
SEU PRINCIPAL OBJETIVO É PROTEGER A BOMBA CONTRA
VAZAMENTOS NOS PONTOS ONDE O EIXO PASSA ATRAVÉS DA
CARCAÇA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – CAIXA DE GAXETAS
• SE SUA PRESSÃO FOR MENOR QUE A ATMOSFÉRICA (BOMBAS
OPERANDO COM ALTURA MANOMÉTRICA DE SUCÇÃO NEGATIVA),
SUA FUNÇÃO É IMPEDIR A ENTRADA DE AR E, CASO CONTRÁRIO,
IMPEDIR A SAÍDA DE LÍQUIDO.

• TEM A FORMA DE UMA CAIXA CILÍNDRICA QUE ACOMODA UM CERTO


NÚMERO DE ANÉIS DE GAXETA EM VOLTA DO EIXO OU DA LUVA DE
EIXO, COMPRIMIDOS PARA O AJUSTE DESEJADO POR UMA PEÇA
DENOMINADA SOBREPOSTA. ESTE AJUSTE DEVE SER TAL QUE HAJA
UM MÍNIMO DE VAZAMENTO DA ORDEM DE 30 A 60 GOTAS POR
MINUTO PARA POSSIBILITAR A LUBRIFICAÇÃO E AUXILIAR O
ARREFECIMENTO DAS GAXETAS.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – SELOS MECÂNICOS
• NOS CASOS CUJAS AS PRESSÕES ENVOLVIDAS SÃO MUITO ELEVADAS E
O VAZAMENTO DEVE SER MÍNIMO, A CAIXA DE GAXETAS NÃO
APRESENTA EFICIÊNCIA DE VEDAÇÃO SATISFATÓRIA, ENTÃO, SUGERE-
SE A UTILIZAÇÃO DE SELOS MECÂNICOS.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – MANCAIS (ROLAMENTOS)
• OS MANCAIS TÊM POR FUNÇÃO MANTER O CORRETO ALINHAMENTO
DO CONJUNTO ROTATIVO EM RELAÇÃO ÀS PARTES ESTACIONÁRIAS,
SOB A AÇÃO DE CARGAS RADIAIS E AXIAIS.

• MANCAIS DE ESFERAS: SÃO OS MAIS USADOS


PARA BOMBAS DE GRANDE PORTE.

• MANCAIS DE ROLOS: SÃO USADOS PARA


DIÂMETROS MUITO GRANDE DE EIXO E
SUPORTAM APENAS ESFORÇOS RADIAIS.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – MANCAIS DE DESLIZAMENTO
• MANCAIS DE DESLIZAMENTO: SÃO MAIS BARATOS E PORTANTO
INDICADOS PARA BOMBAS PEQUENAS OPERANDO COM LÍQUIDOS
LIMPOS. SÃO UTILIZADOS TAMBÉM QUANDO OS MANCAIS DE
ROLAMENTO NÃO SÃO COMUMENTE DISPONÍVEIS (BOMBAS DE ALTA
PRESSÃO E DE MULTIESTÁGIOS). FINALMENTE, OUTRA APLICAÇÃO É
PARA BOMBAS VERTICAIS SUBMERSAS NAS QUAIS O MANCAL É
SUJEITO AO CONTATO COM A ÁGUA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – VANTAGENS
• CONSTRUÇÃO SIMPLES;
• BAIXO CUSTO;
• FLUIDO É DESCARREGADO A UMA PRESSÃO UNIFORME, SEM
PULSAÇÕES;
• A LINHA DE DESCARGA PODE SER ESTRANGULADA (PARCIALMENTE
FECHADA) OU COMPLETAMENTE FECHADA SEM DANIFICAR A
BOMBA;
• PERMITE BOMBEAR LÍQUIDOS COM SÓLIDOS;
• PODE SER ACOPLADA DIRETAMENTE A MOTORES;
• NÃO HÁ VÁLVULAS ENVOLVIDAS NA OPERAÇÃO DE BOMBEAMENTO;
• MENORES CUSTOS DE MANUTENÇÃO QUE OUTROS TIPOS DE
BOMBAS;
• OPERAÇÃO SILENCIOSA (DEPENDE DA ROTAÇÃO).
PROFESSOR - IGOR SCHMIDT
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS CENTRÍFUGAS – DESVANTAGENS

• NÃO SERVEM PARA ALTAS PRESSÕES;


• SUJEITAS À INCORPORAÇÃO DE AR PRECISAM SER ESCORVADAS;
• A MÁXIMA EFICIÊNCIA DA BOMBA OCORRE DENTRO DE UM CURTO
INTERVALO DE CONDIÇÕES;
• NÃO BOMBEIA EFICIENTEMENTE LÍQUIDOS MUITO VISCOSOS.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS AXIAIS

• OS ROTORES AXIAIS SÃO UTILIZADOS PARA TRABALHAR COM


GRANDES VAZÕES E PEQUENAS ALTURAS MANOMÉTRICAS;

• TIPICAMENTE 500 m³/h OU MAIS E ALTURAS MANOMÉTRICAS


INFERIORES A 15mCA;

• OPERAM COM VELOCIDADE MAIORES QUE OS RADIAIS.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS AXIAIS

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBA ROTOR MISTO

• NOS ROTORES DE ESCOAMENTO MISTO OU TIPO TURBINA AS PÁS


TEM CURVATURA DUPLA, (FORMA HELICOIDAL) DESTA FORMA O
ESCOAMENTO É PARCIALMENTE AXIAL E PARCIALMENTE RADIAL;

• OPERAM COM VELOCIDADES MENORES QUE OS AXIAIS;

• TRABALHAM TIPICAMENTE COM CAPACIDADE ACIMA DE 20m³/h E


ALTURA MANOMÉTRICA ATÉ 30mCA.

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
BOMBAS ANALISADAS QUANDO AO TIPO E O NÚMERO DE IMPELIDORES.

Vazão Carga
Tipo de bomba Aplicações
(m3/h) (mCA)
Horizontais, sucção
1000 200/220 serviços gerais
axial.
abastecimento de água;
Horizontais, dupla 1300 voluta simples
130/150 recirculação de água de
sucção radial. 1500 voluta dupla
resfriamento.
Horizontais, múltiplos alimentação de caldeiras;
600 1000/1200
estágio. Serviços de alta pressão.
Vertical, múltiplos extração de água de poços
30000 400
estágio. profundos.

Vertical, simples Esgotamento de tanques abertos,


30000 400
estágio. condições de baixo NPSH disponível
MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT


MÁQUINAS DE FLUXO
MÁQUINAS MOVIDAS (GERATRIZES)
COMPARAÇÃO ENTRE MÁQUINAS DE FLUXO E DE DESLOCAMENTO

PROFESSOR - IGOR SCHMIDT