Você está na página 1de 127

ÍNDICE

POLÍCIA CIVIL
POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Auxiliar Policial de Necropsia

109MA-19
A APOSTILA PREPARATÓRIA É ELABORADA
ANTES DA PUBLICAÇÃO DO EDITAL OFICIAL COM BASE NO EDITAL
ANTERIOR,PARA QUE O ALUNO ANTECIPE SEUS ESTUDOS
ÍNDICE

Noções Básicas de Biologia e Anatomia Humanas


1. Citologia: Estrutura Da Célula, Tipos De Células E Reprodução Celular . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 01
2. Tecidos Do Corpo - Tecidos Fundamentais: Epitelial, Muscular, Conjuntivo E Nervoso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 06
3. Músculos E Ossos: O Músculo E Seu Papel, Músculo Estriado Cardíaco, Músculo Esquelético E Músculo Liso . . . . . . . . . . . . . . . . 07
Esqueleto E Seu Papel, Osso, Tipos De Ossos E Articulações. Esqueleto Humano . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 08
4. Aparelho Digestivo: Digestão Dos Alimentos, Boca, Estômago, Intestino Delgado E Intestino Grosso. Enzimas Digestivas . . . . . . 10
5. Sistema Circulatório: As Partes Do Sistema Circulatório, Coração E Circulação Sangüínea . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
6. Aparelho Respiratório: Pulmões E Troca De Gases . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
7. Sistema Nervoso: Sistema Nervoso Central E Sistema Nervoso Periférico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
8. Sistema Reprodutor: Sistema Reprodutor Masculino E Sistema Reprodutor Feminino . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12

Língua Portuguesa
1. Compreensão de texto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 01
2. Noções gramaticais: ortografia, emprego de letras, uso de maiúscula, separação de sílabas, abreviações, acentuação gráfica, mor-
fologia, classe de palavras (substantivo, adjetivo, pronomes, verbo, advérbio, conjugação), flexão nominal (gênero, número e grau),
flexão verbal (conjunção de verbos regulares e irregulares), sintaxe, concordância do adjetivo com o substantivo, concordância do
predicado com o sujeito, regência verbal e nominal, noções de frase, período, oração, parágrafo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 03
3. Usos da linguagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
4. Voz ativa, passiva e reflexiva. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
5. Pontuação: uso dos sinais de pontuação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44

Matemática
1.Números: Naturais, Inteiros, Racionais E Reais. Adição, Subtração, Multiplicação, Divisão, Potenciação E Radiciação; Divisibilidade,
Mínimo Múltiplo Comum E Máximo Divisor Comum. Números Fracionários E Números Decimais, Dízimas Periódicas . . . . . . . . . . . 01
2.Média Aritmética Simples E Ponderada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
3.Equações Do 1º Grau, Sistema De Equação De 1º Grau, Problemas Do 1º Grau 6.Equações Do 2º Grau . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
4.Razão E Proporção. Regra E Proporção. Regra De Três: Simples E Composta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
5.Porcentagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
6.Equações Do 2º Grau 7.Medidas: Tempo, Comprimento, Massa, Área, Capacidade. Conversão De Unidades . . . . . . . . . . . . . . . . . 30
8.Geometria: Sólidos, Polígonos, Círculos, Proporcionalidade, Congruência, Semelhança, Perímetro E Área De Figuras Planas. Triângu-
los: Relações No Triângulo Retângulo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34
DICA

Como passar em um concurso público?

Todos nós sabemos que é um grande desafio ser aprovado em concurso público, dessa maneira é muito importante o concurseiro
estar focado e determinado em seus estudos e na sua preparação.
É verdade que não existe uma fórmula mágica ou uma regra de como estudar para concursos públicos, é importante cada pessoa
encontrar a melhor maneira para estar otimizando sua preparação.
Algumas dicas podem sempre ajudar a elevar o nível dos estudos, criando uma motivação para estudar. Pensando nisso, a Solução
preparou esse artigo com algumas dicas que irá fazer toda diferença na sua preparação.
Então mãos à obra!

Separamos algumas dicas para lhe ajudar a passar em concurso público!

- Esteja focado em seu objetivo: É de extrema importância você estar focado em seu objetivo, a aprovação no concurso. Você vai
ter que colocar em sua mente que sua prioridade é dedicar-se para a realização de seu sonho.
- Não saia atirando para todos os lados: Procure dar atenção em um concurso de cada vez, a dificuldade é muito maior quando
você tenta focar em vários certames, devido as matérias das diversas áreas serem diferentes. Desta forma, é importante que você
defina uma área se especializando nela. Se for possível realize todos os concursos que saírem que englobe a mesma área.
- Defina um local, dias e horários para estudar: Uma maneira de organizar seus estudos é transformando isso em um hábito, de-
terminado um local, os horários e dias específicos para estar estudando cada disciplina que irá compor o concurso. O local de estudo
não pode ter uma distração com interrupções constantes, é preciso ter concentração total.
- Organização: Como dissemos anteriormente, é preciso evitar qualquer distração, suas horas de estudos são inegociáveis, preci-
sa de dedicação. É praticamente impossível passar em um concurso público se você não for uma pessoa organizada, é importante ter
uma planilha contendo sua rotina diária de atividades definindo o melhor horário de estudo.
- Método de estudo: Um grande aliado para facilitar seus estudos, são os resumos. Isso irá te ajudar na hora da revisão sobre o
assunto estudado, é fundamental que você inicie seus estudos antes mesmo de sair o edital, caso o mesmo ainda não esteja publica-
do, busque editais de concursos anteriores. Busque refazer a provas dos concursos anteriores, isso irá te ajudar na preparação.
- Invista nos materiais: É essencial que você tenha um bom material voltado para concursos públicos, completo e atualizado.
Esses materiais devem trazer toda a teoria do edital de uma forma didática e esquematizada, contendo muito exercícios. Quando
mais exercícios você realizar, melhor será sua preparação para realizar a prova do certame.
- Cuide de sua preparação: Não é só os estudos que é importante na sua preparação, evite perder sono, isso te deixará com uma
menor energia e um cérebro cansado. É preciso que você tenha uma boa noite de sono. Outro fator importante na sua preparação, é
tirar ao menos 1 (um) dia na semana para descanso e lazer, renovando as energias e evitando o estresse.

Se prepare para o concurso público!

O concurseiro preparado não é aquele que passa o dia todo estudando, mas está com a cabeça nas nuvens, e sim aquele que se
planeja pesquisando sobre o concurso de interesse, conferindo editais e provas anteriores, participando de grupos com enquetes so-
bre o mesmo, conversando com pessoas que já foram aprovadas absorvendo as dicas e experiências, analisando a banca examinadora
do certame.
O Plano de Estudos é essencial na otimização dos estudos, ele deve ser simples, com fácil compreensão e personalizado com sua
rotina, vai ser seu triunfo para aprovação, sendo responsável pelo seu crescimento contínuo.
Além do plano de estudos, é importante ter um Plano de Revisão, será ele que irá te ajudar na memorização dos conteúdos estu-
dados até o dia da realização da prova, evitando a correria para fazer uma revisão de última hora próximo ao dia da prova.
Está em dúvida por qual matéria começar a estudar?! Uma dica, comece pela Língua Portuguesa, é a matéria com maior requisi-
ção nos concursos, a base para uma boa interpretação, no qual abrange todas as outras matérias.
DICA

Vida Social!

Sabemos que faz parte algumas abdicações na vida de quem estuda para concursos públicos, sempre que possível é importante
conciliar os estudos com os momentos de lazer e bem-estar. A vida de concurseiro é temporária, quem determina o tempo é você,
através da sua dedicação e empenho. Você terá que fazer um esforço para deixar de lado um pouco a vida social intensa, é importante
compreender que quando for aprovado, verá que todo o esforço valeu a pena para realização do seu sonho.
Uma boa dica, é fazer exercícios físicos, uma simples corrida por exemplo é capaz de melhorar o funcionamento do Sistema Ner-
voso Central, um dos fatores que são chaves para produção de neurônios nas regiões associadas à aprendizagem e memória.

Motivação!

A motivação é a chave do sucesso na vida dos concurseiros. Compreendemos que nem sempre é fácil, e as vezes bate aquele
desânimo com vários fatores ao nosso redor. Porém a maior garra será focar na sua aprovação no concurso público dos seus sonhos.
É absolutamente normal caso você não seja aprovado de primeira, é primordial que você PERSISTA, com o tempo você irá adquirir
conhecimento e experiência.
Então é preciso se motivar diariamente para seguir a busca da aprovação, algumas orientações importantes para conseguir mo-
tivação:
- Procure ler frases motivacionais, são ótimas para lembrar dos seus propósitos;
- Leia sempre os depoimentos dos candidatos aprovados nos concursos públicos;
- Procure estar sempre entrando em contato com os aprovados;
- Escreve o porque que você deseja ser aprovado no concurso, quando você sabe seus motivos, isso te da um ânimo maior para
seguir focado, tornando o processo mais prazeroso;
- Saiba o que realmente te impulsiona, o que te motiva. Dessa maneira será mais fácil vencer as adversidades que irá aparecer.
- Procure imaginar você exercendo a função da vaga pleiteada, sentir a emoção da aprovação e ver as pessoas que você gosta,
felizes com seu sucesso.
Como dissemos no começo, não existe uma fórmula mágica, um método infalível. O que realmente existe é a sua garra, sua
dedicação e motivação para estar realizando o seu grande sonho, de ser aprovado no concurso público. Acredite em você e no seu
potencial.
A Solução tem ajudado há mais de 35 anos quem quer vencer a batalha do concurso público. Se você quer aumentar as suas
chances de passar, conheça os nossos materiais, acessando o nosso site: www.apostilasolucao.com.br
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

1. Citologia: Estrutura Da Célula, Tipos De Células E Reprodução Celular . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 01


2. Tecidos Do Corpo - Tecidos Fundamentais: Epitelial, Muscular, Conjuntivo E Nervoso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 06
3. Músculos E Ossos: O Músculo E Seu Papel, Músculo Estriado Cardíaco, Músculo Esquelético E Músculo Liso . . . . . . . . . . . . . . . . 07
Esqueleto E Seu Papel, Osso, Tipos De Ossos E Articulações. Esqueleto Humano . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 08
4. Aparelho Digestivo: Digestão Dos Alimentos, Boca, Estômago, Intestino Delgado E Intestino Grosso. Enzimas Digestivas . . . . . . . . . . 10
5. Sistema Circulatório: As Partes Do Sistema Circulatório, Coração E Circulação Sangüínea . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
6. Aparelho Respiratório: Pulmões E Troca De Gases . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
7. Sistema Nervoso: Sistema Nervoso Central E Sistema Nervoso Periférico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
8. Sistema Reprodutor: Sistema Reprodutor Masculino E Sistema Reprodutor Feminino . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

5.1.1. Organização celular


1. CITOLOGIA: ESTRUTURA DA CÉLULA, TIPOS DE 5.1.2. Componentes químicos da célula
CÉLULAS E REPRODUÇÃO CELULAR.
Organização celular dos seres vivos. As células são as uni-
A fronteira das células dades básicas da vida; pequenas máquinas que facilitam e sus-
No mundo de hoje, é comum pensarmos em um país como tentam cada processo dentro de um organismo vivo. As células
sendo uma porção de terra delimitada espacialmente das de- musculares se contraem para manter um batimento cardíaco e
mais pela presença de uma fronteira. nos permitem mover-se, os  neurônios  formam redes que dão
Vamos pensar no caso do Brasil. Estamos rodeados de mar origem a memórias e permitem processos de pensamento. As
em metade do nosso território e, na outra metade, fazemos células epiteliais providenciam para formar barreiras superfi-
fronteira terrestre com outros nove países da America do Sul. ciais entre os tecidos e as muitas cavidades em todo o corpo.
Em suas fronteiras, todos os países instalam uma alfândega, que Não só os diferentes tipos de células facilitam funções úni-
é uma repartição governamental de controle do movimento de cas, mas suas composições moleculares, genéticas e estruturais
entradas e saídas das pessoas e de mercadorias para o exterior também podem diferir. Por esse motivo, diferentes tipos de
ou deles provenientes. células geralmente possuem variações no fenótipo, como o ta-
Com as células não é diferente. Cada uma delas tem uma manho e a forma das células. Na imagem abaixo você pode ver
“área de fronteira”, representada pela membrana plasmática diferentes tipos celulares dos seres humanos.
e, nesta área, as células também possuem o seu “posto alfan- A função de uma célula é alcançada através do ponto cul-
degário”, as proteínas. Assim como nas aduanas das fronteiras minante de centenas de processos menores, muitos dos quais
entre os países, essas proteínas são as responsáveis pelo reco- são dependentes uns dos outros e compartilhamproteínas  ou
nhecimento de substâncias vindas de dentro ou de fora da célula componentes moleculares. Apesar das variações fenotípicas e
como, por exemplo, hormônios. funcionais que existem entre os tipos de células, é verdade que
O trabalho realizado por uma célula é semelhante ao que acon- existe um alto nível de similaridade ao explorar os processos
tece em uma fábrica, como a de televisores, por exemplo. Através subcelulares, os componentes envolvidos e, principalmente, a
de portões, dá-se a entrada de diversos tipos de peças destinadas organização desses componentes.
as linhas de montagem. Para a fabricação e a montagem dos apa- Com a maioria dos processos subcelulares sob controle regula-
relhos, são necessários energia e operários habilitados. É preciso, tório preciso de outros processos subcelulares, e com componentes
ainda, um setor de embalagem para preparar a expedição do que é geralmente compartilhados entre diferentes caminhos moleculares
produzido e uma diretoria para comandar todo o complexo fabril e e cascatas protéicas, a organização celular é de grande importância.
manter o relacionamento com o mundo externo. Tudo dentro dos Isso é verdade para cada tipo de célula, com compartimentação de
limites representados pelo muro da fábrica. processos subcelulares, e localização de proteínas, recrutamento e
A célula possui setores semelhantes aos de uma fábrica. Um entrega, garantindo que sejam constantemente repetidos de forma
limite celular, representado pela membrana plasmática, separa eficiente e com resultados precisos.
o conteúdo da célula, o citoplasma, do meio externo. O cito- A nível básico, as células eucarióticas podem ser descritas
plasma, constituído por organoides e hialoplasma (ou citosol), como contendo três regiões sub-celulares distintas; nomeada-
um material viscoso representa o setor produtivo. Um núcleo mente a membrana , o citosol e o núcleo . Contudo, a comparti-
contendo o material genético representa “a diretoria” da célula. mentação celular é ainda mais complicada pela abundância de
organelas específicas.
Os limites da célula viva Apesar de ter apenas vários nanômetros de largura, as
Uma célula viva é um compartimento microscópico, isolado membranas celulares são altamente enriquecidas em receptores
do ambiente por pelo menos uma barreira: a membrana plas- de sinalização, proteínas transmembranares, bombas e canais e,
mática. dependendo da maquiagem, podem recrutar e reter um conjun-
Esta é uma película extremamente fina e delicada, que exer- to de proteínas importantes no campo da mecanobiologia. Em
ce severa “fiscalização” sobre todas as substâncias e partículas muitos casos, esses proteínas interagem com o citoesqueleto ,
que entram e saem da célula. que reside na proximidade da membrana. O citosol, por outro
Dada a relativa fragilidade da membrana plasmática, a lado, abriga organelas celulares, incluindo o complexo golgiense,
maioria das células apresenta algum tipo de envoltório que dá
o retículo endoplasmático (RE),  ribossomos  e numerosas vesí-
proteção e suporte físico à membrana. Entre esses envoltórios
culas e vacúolos. Podem existir proteínas solúveis nesta região.
destacam-se o glicocálix, presente na maioria das células ani-
Enquanto isso, o núcleo abriga o material genético e todos os
mais, e a parede celulósica, presente em células de plantas e de
componentes relacionados à sua expressão e regulação. Embora
algumas algas.
os processos do núcleo não estejam tão bem estabelecidos em
termos de seu papel na mecanobiologia , os achados recentes
Fonte: https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Citolo-
indicam várias conexões importantes, muitas vezes com as vias
gia/cito.php
de sinalização de mecanotransdução que culminam em altera-
ções na expressão gênica.
Cada uma dessas regiões sub-celulares deve funcionar de
forma coerente para a sobrevivência e o funcionamento eficien-
te da célula.

1
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

A organização adequada de organelas, proteínas e outras com mecanismos regulatórios rígidos existentes para controlar
moléculas em cada região permite que os componentes de pro- o tempo ea taxa de síntese. Esses mecanismos regulatórios são
teínas individuais funcionem de forma concertada, gerando efe- complicados e podem envolver loops de feedback, estímulos ex-
tivamente processos subcelulares individuais que culminam em ternos e uma multiplicidade de caminhos de sinalização.
uma função celular global. DNA e RNA são ambos produzidos dentro do núcleo. O DNA
é inteiramente replicado durante a fase s do ciclo celular. Uma
Compartimentalização em células cópia é então passada para cada uma das células filhas. Durante
As células não são uma mistura amorfa de proteínas, lipídios outras fases do ciclo celular, uma quantidade mínima de DNA é
e outras moléculas. Em vez disso, todas as células são constituí- sintetizada, principalmente para o reparo do material genético.
das por compartimentos bem definidos, cada um especializado Embora uma taxa basal de síntese de RNA mantenha a sín-
em uma função particular. Em muitos casos, os processos sub- tese de mRNA ao longo da vida da célula, o mRNA para genes
celulares podem ser descritos com base na ocorrência na mem- específicos só pode ser expresso ou pode ser regulado ou re-
brana plasmática , no citosol ou dentro de organelas ligadas à gulado por baixo, após a detecção de certos sinais mecânicos
membrana, como o núcleo, o aparelho de Golgiense ou mesmo ou químicos. Como resultado, diferentes células têm diferentes
os componentes vesiculares do sistema de tráfico de membrana perfis de mRNA, e isso geralmente é observado através do uso
, como os lisossomos e os endossomas. de tecnologias que exibem os perfis genéticos das células.
A compartimentação aumenta a eficiência de muitos pro- Depois de ser processado e modificado no núcleo, o mRNA
cessos subcelulares concentrando os componentes necessários transcrito é entregue ao citosol para tradução ou síntese pro-
em um espaço confinado dentro da célula. Quando uma condi- teica. Semelhante à síntese de RNA, um nível básico de síntese
ção específica é necessária para facilitar um determinado pro- de proteína é mantido durante toda a vida da célula, porém isso
cesso subcelular, isso pode ser localmente contido de modo a também pode ser alterado quando determinados estímulos indu-
não interromper a função de outros compartimentos subcelu- zem a produção de proteínas específicas, ou quando mecanismos
lares. Por exemplo, os lisossomos requerem um pH mais baixo regulatórios reduzem a produção de outros. Por exemplo, a sínte-
para facilitar a degradação do material internalizado. As bombas se de proteínas é regulada para cima durante a fase G1 do ciclo
de protões ligadas à membrana presentes no lipossoma man- celular, imediatamente antes da fase S. Isto é para garantir que a
tém esta condição. Da mesma forma, uma grande área de su- célula tenha uma concentração suficiente da maquinaria protéica
perfície da membrana é requerida pelas mitocôndrias para gerar necessária para realizar a replicação do DNA e a divisão celular.
eficientemente ATP a partir de gradientes de elétrons em sua Nos procariontes, onde não há compartimentos separados,
tanto a transcrição quanto a tradução ocorrem simultaneamente.
bicamada lipídica. Isto é conseguido através da composição es-
Os lipídios, que são sintetizados no retículo endoplasmático
trutural deste organelo particular.
(RE) ou no complexo golgiensei, são transportados para outras or-
Importante, organelas individuais podem ser transportadas
ganelas sob a forma de vesículas que se fundem com a organela
por toda a célula e isso localiza essencialmente todo o processo
aceitadora. Algumas células também podem usar proteínas trans-
subcelular para regiões onde são necessárias. Isso foi observado
portadoras para transportar lipídios de um local para outro. A sín-
em neurônios, que possuem processos axonais extremamente
tese lipídica também é dinâmica, e pode ser regulada até a proli-
longos e requerem mitocôndrias para gerar ATP em vários locais
feração celular ou durante processos que envolvem a extensão da
ao longo do axônio. Seria ineficiente confiar na difusão passiva membrana plasmática , quando novas membranas são necessárias.
do ATP ao longo do axônio. Localização de Proteínas
A compartimentação também pode ter importantes impli- Para que os processos celulares sejam realizados dentro de
cações fisiológicas. Por exemplo, as células epiteliais polarizadas compartimentos definidos ou regiões celulares, devem existir
, que possuem membranas apicais e basolaterais distintas, po- mecanismos para garantir que os componentes proteicos ne-
dem, por exemplo, produzir uma superfície secretora para várias cessários estejam presentes nos locais e a uma concentração
glândulas. Da mesma forma, as células neuronais desenvolvem adequada. A acumulação de uma proteína em um determinado
redes efetivas devido à produção de dendritos e processos axo- local é conhecida como localização de proteínas.
nais a partir de extremidades opostas do corpo celular. Além O recrutamento de proteínas é essencialmente uma forma
disso, no caso de células estaminais embrionárias, a polarização de reconhecimento de proteínas, possibilitado pela presença de
celular pode resultar em destinos distintos das células filhas. sequências específicas de aminoácidos dentro da estrutura pro-
Com cada organela facilitando sua própria função, eles po- téica. Por exemplo, muitas proteínas ligadas à membrana pos-
dem ser considerados compartimentos subcelulares por direito suem péptidos de sinal que são reconhecidos pelos receptores
próprio. No entanto, sem um fornecimento regular de compo- de sinal que os orientam para o site alvo. O sinal de localização
nentes para o compartimento, os processos e mecanismos que nuclear é um desses exemplos. As proteínas que são destinadas
produzem sua função geral serão impedidos. ao retículo endoplasmático também possuem um péptido sinal.
Com muitas proteínas e componentes moleculares que partici- Em outros casos, as proteínas podem transportar um remen-
pam em múltiplos processos subcelulares e, portanto, exigidos em do de sinal. Isso geralmente consiste em cerca de 30 aminoácidos
vários compartimentos subcelulares, o transporte efetivo da proteí- que não estão presentes em uma sequência linear, mas estão em
na e dos componentes moleculares, seja por difusão passiva ou re- proximidade espacial próxima no espaço tridimensional.
crutamento direcionado, é essencial para a função geral da célula. Curiosamente, a organização de uma célula e suas várias
Em seres eucariontes, a síntese de DNA, RNA, proteínas e regiões desempenham um papel na direção do recrutamento
lipídios é realizada de forma espaciotemporal. Cada molécula é de proteínas para um determinado site. Por exemplo, nas cé-
produzida dentro de organelas ou compartimentos especializados lulas epiteliais, que são polarizadas, a composição proteica na

2
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

membrana apical é muito diferente daquela na membrana ba- Essa comunicação, que é descrita em maior detalhe sob ” si-
solateral. Isto é conseguido através do reconhecimento de se- nalização celular “, permite às células manter a concentração
quências de sinais distintas que visam proteínas para cada uma de proteínas específicas e dentro das regiões corretas, depen-
dessas regiões. Por exemplo, as proteínas da membrana apical dendo dos requisitos de um determinado processo ou estado
são muitas vezes ancoradas ao GPI , enquanto que as proteínas celular. Isso, em última instância, garante que os compartimen-
basolaterais possuem sequências de assinaturas baseadas em tos individuais funcionem de forma eficiente e permite que um
aminoácidos diLeu (N, N-Dimetil Leucina) ou tirosina com base processo subcelular conduza outro. Isso, em última instância,
em aminoácidos. permite que uma célula facilite suas funções primárias de for-
ma eficiente e coerente.
Entrega Direta de Componentes As vias de sinalização podem conter um sinal que se origina
A localização das proteínas pode resultar do reconhecimen- de fora de uma célula ou de vários compartimentos e geralmen-
to de proteínas ou complexos solúveis de difusão passiva; No te envolve a translocação de íons, solutos, proteínas e mensa-
entanto, isso pode não garantir uma concentração suficiente de geiros secundários.
componentes para manter um determinado processo. Isso pode Todas as células possuem receptores de superfície e outras
impedir a sua conclusão, particularmente quando realizada em proteínas para facilitar a detecção de sinais do ambiente ex-
regiões com um volume citoplasmático limitado, como a ponta tracelular. Esses sinais podem ser na forma de íons, moléculas
de um filopodia , ou quando os componentes são rapidamente pequenas, péptidos, tensão de cisalhamento, forças mecânicas,
transferidos. calor, etc. Uma vez que o sinal é detectado pelo receptor de su-
Uma maneira mais eficiente de manter a concentração de perfície, ele é transmitido ao citoplasma geralmente por meio
componentes protéicos é por meio de sua entrega dirigida atra- de mudança conformacional no receptor ou mudança no seu es-
vés da rede do citoesqueleto. tado de fosforilação no lado citosólico. Isso, por sua vez, desen-
O citoesqueleto, composto por filamentos de actina e mi- cadeia uma cascata de sinalização a jusante, que muitas vezes
crotúbulos , abrange toda a célula e conecta a membrana plas- culmina no núcleo. O sinal geralmente resulta em mudança no
mática ao núcleo e outras organelas. Esses filamentos realizam perfil de expressão gênica das células, auxiliando-as a responder
muitos propósitos, desde o suporte estrutural até a célula, para ao estímulo.
gerar as forças necessárias para a translocação celular. Eles tam- Fonte: https://planetabiologia.com/organizacao-celular-
bém podem servir como “trilhas” nas quais as proteínas moto- -dos-seres-vivos/
ras podem transladar enquanto transportam carga de um local
para outro; análogo a um trem de carga que transporta carga ao 5.1.3. Membrana plasmática e transportes
longo de uma rede de trilhos ferroviários. A membrana plasmática, membrana celular ou plasmalema
A entrega de componentes é principalmente facilitada por é um envoltório fino, poroso e microscópico que reveste as célu-
motores moleculares com ATP / GTP, como miosina V ou miosina las dos seres procariontes e eucariontes.
X , Cinesina ou Dineína . Essas proteínas ou homólogos deles fo- É uma estrutura semipermeável, responsável pelo transpor-
ram observados em uma grande quantidade de tipos celulares, te e seleção de substâncias que entram e saem da célula.
incluindo leveduras, célula vegetal e célula animal. Os motores Apenas com o desenvolvimento do microscópio eletrônico
moleculares dineína e cinesina caminham sobre os microtúbulos foi possível a observação da membrana plasmática.
enquanto a miosina caminha nos filamentos de actina. Impera- Funções
tivamente, esses motores caminham de maneira unidirecional, As funções da membrana plasmática são:
embora não necessariamente na mesma direção uns dos outros. • Permeabilidade Seletiva, controle da entrada e saída
O transporte baseado em microtúbulos foi estudado princi- de substâncias da célula;
palmente em células neuronais. Os exons podem ter vários mí- • Proteção das estruturas celulares;
crons de comprimento (às vezes até mesmo medidores de com- • Delimitação do conteúdo intracelular e extracelular,
primento), por isso é necessário transportar proteínas, lipídios, garantindo a integridade da célula;
vesículas sinápticas, mitocôndrias e outros componentes ao lon- • Transporte de substâncias essenciais ao metabolismo
go do axônio. Todos os microtúbulos nos axônios são unidirecio- celular;
nais, com extremidades “menos” que apontam para o corpo da • Reconhecimento de substâncias, graças a presença de
célula e ‘mais’ que apontam para a sinapse. Os motores Kinesin receptores específicos na membrana.
se movem ao longo dessas trilhas para transportar a carga do
corpo da célula para o axônio.
A interrupção do transporte de carga mediada por cinesi-
na está correlacionada com várias doenças neuro-musculares,
como a atrofia muscular espinhal e a atrofia muscular espinhal e
bulbar . Dynein , por outro lado, desempenha um papel impor-
tante no tráfico de carga em dendritos.

Caminhos de comunicação
Com diferentes processos sendo realizados em compar-
timentos subcelulares separados, organizados em diferentes
regiões da célula, a comunicação intracelular é primordial.

3
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

Estrutura e Composição

A membrana plasmática apresenta o denominado “modelo do mosaico fluido”. Ele foi desvendado pelos biólogos estadunidenses
Seymour Jonathan Singer e Garth L. Nicolson, em 1972.
O nome “mosaico fluido” deve-se pela presença de estruturas flexíveis e fluidas, com grande poder de regeneração.
A membrana plasmática é quimicamente constituída por lipídios (glicolipídeos, colesterol e os fosfolipídeos) e proteínas. Por isso,
é reconhecida por sua composição lipoproteica.
Os fosfolipídios estão dispostos em uma camada dupla, a bicamada lipídica. Eles estão conectadas às gorduras e proteínas que
compõem as membranas celulares.
Os fosfolipídios apresentam uma porção polar e outra apolar. A porção polar é hidrofílica e volta-se para o exterior. A porção
apolar é hidrofóbica e voltada para o interior da membrana.
Os fosfolipídios movem-se, porém, sem perder o contato. Isso permite a flexibilidade e elasticidade da membrana.
As proteínas são representadas por enzimas, glicoproteínas, proteínas transportadoras e antígenos. As proteínas podem ser
transmembranas ou periféricas.
• Proteínas transmembranas: atravessam a bicamada lipídica lado a lado.
• Proteínas periféricas: situam-se em apenas um dos lados da bicamada.
As enzimas que estão presentes na membrana plasmática possuem diversas funções catalisadoras, responsáveis por facilitar as
reações químicas intracelulares.
Transporte de Substâncias
A membrana atua como um filtro, permitindo a passagem de substâncias pequenas e impedindo ou dificultando a passagem de
substâncias de grande porte. Essa propriedade é chamada de Permeabilidade Seletiva.
O transporte de substâncias através da membrana plasmática pode ser de modo passivo ou ativo:
O transporte passivo ocorre sem gasto de energia. As substâncias deslocam-se do meio mais concentrado para o menos concen-
trado. São exemplos:
• Difusão Simples - É a passagem de partículas de onde estão mais concentradas para regiões em que sua concentração é menor.
• Difusão Facilitada - É a passagem, através da membrana, de substâncias que não se dissolvem em lipídios, com ajuda das
proteínas da bicamada lipídica da membrana.
• Osmose - É a passagem de água de um meio menos concentrado (hipotônico) para outro mais concentrado (hipertônico).
O transporte ativo ocorre com gasto de energia (ATP). As substâncias deslocam-se de menor para o de maior concentração. São
exemplos:
• Transporte em Bloco:  Endocitose e Exocitose  - Ocorre quando a célula transfere grande quantidade de substâncias para
dentro ou para fora do seu meio intracelular.
• Bomba de Sódio e Potássio - Passagem de íons sódio e potássio para a célula, devido às diferenças de suas concentrações.
Fonte: https://www.todamateria.com.br/membrana-plasmatica/

4
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

5.1.4. Citoplasma e organelas


O citoplasma, localizado entre a membrana celular e o núcleo, é o espaço intra-celular em que as organelas - como complexo de
golgi, mitocôndria e ribossomo - estão dispostas. Apesar de possuírem uma alta diversidade, todas as células compartilham ao menos
três características: apresentam membrana plasmática, citoplasma e material genético (DNA). As células se diferenciam em eucarió-
tica (ou eucariontes) e procariótica (ou procariontes), sendo que a primeira tem núcleo e organelas, enquanto a segunda não possui
núcleo organizado e o material genético não é delimitado por uma membrana.
O citoplasma das células procariontes é constituído por um líquido viscoso composto principalmente por água. Encontramos
também grande quantidade de ribossomos, que são diferentes das células eucariontes. Graças a essas diferenças, alguns antibióticos
conseguem matar as bactérias, que são procarióticas, e praticamente não afetam as células humanas, eucarióticas. No citoplasma das
células eucariontes encontramos estruturas mergulhadas no citosol denominadas organelas e um conjunto de filamentos proteicos
que constituem o citoesqueleto. Segue abaixo a lista com a definição de algumas organelas. 

Esquema de uma célula eucariótica (Foto: Wikicommons )

Citoesqueleto: Possuem filamentos proteicos, como microtúbulos, responsáveis por manterem a forma da célula, resistindo à
compressão. Os microfilamentos mantêm a forma da célula, resistindo à tensão. Os filamentos intermediários são responsáveis pela
ancoragem do núcleo e outras organelas. 
Ribossomos: são formados a partir do RNA ribossômico, realizam a síntese de proteínas. Encontramos ribossomos ligados (ade-
ridos a paredes do retículo endoplasmático rugoso) e ribossomos livres. Nos ribossomos livres ocorre a produção das proteínas que
atuam no citosol. 
Retículo endoplasmático rugoso (RER): como apresentam ribossomos aderidos à sua membrana externa, este retículo também
possui a função de síntese proteica, porém a maior parte das proteínas será secretada. Dentro do RER, na maioria dos casos, ocorre a
ligação do carboidrato com as proteínas produzidas pelo ribossomo, formando glicoproteínas. 
Retículo endoplasmático liso (REL): entre as diversas funções do REL, destacamos a síntese de lipídeos como óleos, fosfolipídeos
e esteroides. Entre as secreções esteroides, podemos destacar os hormônios sexuais (estrogênio e testosterona); Em relação à desin-
toxicação, as enzimas do REL auxiliam este processo tornando algumas drogas mais solúveis facilitando assim seu processo de elimi-
nação. O REL atua também no armazenamento de íons cálcio nas células musculares. 
Complexo de Golgi: a maioria das vesículas produzidas no RER e no REL é enviada para o complexo de Golgi onde sofrerão mo-
dificações e serão enviadas para os seus destinos (permanecem na célula ou são exocitados). Observamos que células secretoras
possuem o complexo de Golgi mais desenvolvido que células não secretoras. 
Lisossomo: são sacos membranosos que possuem enzimas hidrolíticas. As enzimas hidrolíticas são sintetizadas pelo RER e envia-
das para o complexo de Golgi. As células animais utilizam o lisossomo para digerir macromoléculas, entretanto a produção excessiva
de lisossomos pode destruir uma célula por autodigestão. 

5
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

Mitocôndrias: são organelas responsáveis pela produção Interfase


de energia (ATP) a partir de processos metabólicos. As mito- É a fase em que a célula não está se dividindo.
côndrias são encontradas em quase todas as células eucariotas É o período mais longo do ciclo celular, aproximadamente
incluindo as plantas, animais, fungos e a maioria dos protistas. 95% do tempo.
Assim como os cloroplastos possuem material genético próprio.  Neste momento ocorrem diversos fatos que possibilitam a
Cloroplastos: estão presentes em células de plantas e em divisão celular, como: a replicação do DNA, a divisão dos centrío-
alguns organismos fotossintetizantes. São organelas responsá- los e a produção de proteínas.
veis pela produção fotossintética dos carboidratos. Possuem um A interfase é subdividida em três fases: G1, S e G2.
pigmento verde denominado clorofila.  Na fase G1, que antecede a duplicação do DNA, as células
Peroxissomos: possuem enzimas que transferem hidrogê- aumentam de tamanho, produzem RNA e sintetizam proteínas.
nio para o oxigênio formando o peróxido de hidrogênio como Na fase S ocorre a síntese de DNA. A quantidade de DNA no
subproduto que posteriormente será transformado em água. núcleo da célula é replicado. Lembre-se que replicação significa
Essa transferência de hidrogênio tem como principal objetivo o processo de duplicação da molécula de DNA.
quebrar ácidos em moléculas menores entrando assim nas mi- Antes de qualquer divisão celular há duplicação do DNA du-
tocôndrias onde produzirão parte da energia necessária à célula. rante a interfase.
Os peroxissomos encontrados no fígado são os principais res- A fase G2, corresponde ao intervalo entre a síntese de DNA
ponsáveis pela desintoxicação do álcool. e a mitose. A célula continua crescendo e produzindo proteínas.
Fonte: http://educacao.globo.com/biologia/assunto/fisio-
logia-celular/citoplasma-e-organelas.html Tipos de Divisão Celular
Mitose
5.1.5. Divisão celular É o tipo de divisão celular que a célula-mãe, haploide (n)
A divisão celular é o processo pelo qual uma célula-mãe ori- ou diploide (2n), origina 2 células-filhas com o mesmo número
gina células-filhas. de cromossomos da célula-mãe.
Através deste processo as células unicelulares se reprodu- É uma divisão equacional.
zem e as multicelulares se multiplicam. A mitose é realizada quando há reprodução assexuada.
A frequência de divisões celulares varia com o tipo e estado Funções da mitose
fisiológico de cada célula. • Crescimento e regeneração de tecidos;
No organismo humano, por exemplo, algumas células es- • Cicatrização;
tão em constante multiplicação. Um exemplo são as células da • Formação de gametas em vegetais;
epiderme e da medula óssea, que se multiplicam para repor as • Divisões do zigoto durante o desenvolvimento embrio-
células que morrem. nário.
Entretanto, alguns tipos de células mais especializadas como
os neurônios, hemácias e células musculares, nunca se dividem. Meiose
Ciclo Celular É o tipo de divisão celular em que a célula mãe, sempre di-
É o período que se inicia com a origem da célula, a partir ploide (2n), com cromossomos duplos, origina através de duas
de uma divisão celular e termina quando esta se divide em duas divisões sucessivas, quatro células filhas com metade do núme-
células-filhas. ro de cromossomos da célula mãe.
O ciclo celular é dividido em duas etapas: a interfase e a di- É uma divisão do tipo reducional.
visão celular. Funções da Meiose
Nos eucariontes existem dois tipos de divisão celular: a mi- • Formação dos gametas em animais;
tose e a meiose. • Formação dos esporos nos vegetais.
Fonte: https://www.todamateria.com.br/divisao-celular/

2. TECIDOS DO CORPO - TECIDOS FUNDAMENTAIS:


EPITELIAL, MUSCULAR, CONJUNTIVO E NERVOSO.

O corpo humano é formado por 4 tipos de tecidos: epite-


lial, conjuntivo, muscular, nervoso. Vale lembrar que os tecidos
são formados pelo agrupamento de diferentes células, cada qual
com sua função.

Tipos de Tecidos
O corpo humano é formado por 4 tipos de tecidos, a saber:
tecido epitelial, tecido conjuntivo (adiposo, cartilaginoso, ósseo
e sanguíneo), tecido muscular (liso, esquelético e cardíaco) e te-
cido nervoso.
Ciclo Celular: interfase e mitose

6
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

Tecido Epitelial
As funções do tecido epitelial são de revestimento do cor- 3. MÚSCULOS E OSSOS: O MÚSCULO E SEU PAPEL,
po, sensibilidade e secreção de substâncias. Para tanto, esse tipo MÚSCULO ESTRIADO CARDÍACO, MÚSCULO ESQUELÉ-
de tecido é composto por um agrupamento de células justapos- TICO E MÚSCULO LISO.
tas em diferentes formas: cilíndricas, achatadas ou cúbicas.
Curioso notar que nos tecidos epiteliais não há presença de O tecido muscular relaciona-se com a locomoção e outros
vasos sanguíneos. Um exemplo notório de tecido epitelial é a movimentos do corpo.
pele humana, formada pela epiderme (tecido epitelial) e a der- Entre as suas principais características estão: excitabilidade,
me (tecido conjuntivo). contratilidade, extensibilidade e elasticidade.
Os músculos representam 40% da massa corporal. Por isso,
Tecido Conjuntivo em muitos animais o tecido muscular é o mais abundante.
O tecido conjuntivo possui as funções de sustentação, As células do tecido muscular são alongadas e recebem o
preenchimento e o transporte de substâncias; suas fibras são nome de fibras musculares ou miócitos. São ricas em duas pro-
formadas por dois tipos de proteínas: colágeno e elastina. teínas: actina e miosina.
De modo que suas células são bem diversificadas quanto à No estudo do tecido muscular, os seus elementos estru-
forma, tamanho e funções, o tecido conjuntivo é dividido em: turais recebem uma denominação diferenciada. Entenda cada
Tecido Adiposo: Composto de células adiposas que acumu- uma delas:
lam gordura (adipócitos), esse tipo de tecido tem como principal Célula = Fibra Muscular;
função o isolamento térmico do corpo, sendo assim, o maior de- Membrana Plasmática = Sarcolema;
pósito corporal de energia. A partir disso, basta notar que uma Citoplasma = Sarcoplasma;
pessoa magra sente mais frio que uma pessoa gorda, uma vez Retículo Endoplasmático Liso = Retículo Sarcoplasmático
que esta possui mais tecido adiposo que a outra (magra).
Tecido Cartilaginoso: Possui consistência firme, contudo fle- Funções do Tecido Muscular
xível; sua função é de sustentação e revestimento, por exemplo, Movimento do corpo
a orelha, o nariz, a traqueia. Além disso, a cartilagem amortece Estabilização e postura
o impacto dos movimentos na coluna vertebral. Regulação do volume dos órgãos
Tecido Ósseo: Tecido rígido, rico em sais minerais, cálcio e Produção de calor
colágeno o que torna os ossos rígidos e resistentes. Além disso, é O tecido muscular é classificado em três tipos: estriado es-
inervado e irrigado por sangue, sendo sua principal função a sus- quelético, estriado cardíaco e liso ou não-estriado.
tentação do corpo, uma vez que compõe o esqueleto humano. Cada tecido é formado por fibras musculares que possuem
Tecido Sanguíneo: Formado por diversos tipos de células, características morfológicas e funcionais particulares, como ve-
esse tecido possui as funções de defesa do organismo e trans- remos a seguir:
porte de nutrientes. Vale lembrar que o sangue é um tecido lí-
quido, composto de hemácias, leucócitos, plaquetas e plasma. Tecido Muscular Estriado Esquelético
O termo esquelético deve-se à sua localização, pois está li-
Tecido Muscular gado ao esqueleto.
O tecido muscular é formado por células alongadas e especia- O tecido muscular estriado esquelético possui contração
lizadas em contração (proteínas contráteis: miosina e actina); apre- voluntária e rápida.
sentam grande inervação e vascularização, e são divididos em: Cada fibra muscular contém várias miofibrilas, filamentos
Tecido muscular liso (não-estriado): Caracterizado por mo- de proteínas (actina, miosina e outras).
vimentos involuntários, seu nome corresponde à ausência de es- A organização desses elementos faz com que se observem
trias transversais, são exemplos, o útero, a bexiga e o intestino. estriações transversais ao microscópio de luz, o que conferiu o
Tecido muscular esquelético: Recebe esse nome, pois a maior nome estriado ao tecido.
parte desse tecido está junto ao esqueleto; possui células longas, As fibras musculares estriadas esqueléticas possuem forma
presença de estrias transversais e movimentos voluntários. de longos cilindros, que podem ter o comprimento do músculo
Tecido muscular cardíaco: Encontrado no coração, esse tipo a que pertencem. São multinucleadas e os núcleos se situam na
de tecido possui movimento involuntários sendo formado por periferia da fibra, junto à membrana celular.
células longas e cilíndricas além de possuir estrias transversais.
A Fibra Muscular E A Contração
Tecido Nervoso A contração muscular permite a locomoção e os demais
O tecido nervoso é formado principalmente por células ner- movimentos do corpo.
vosas denominadas neurônios. Apresenta células longas e estre- As fibras musculares contraem-se devido ao encurtamento
ladas que possuem a capacidade de transmitir impulsos nervo- das miofibrilas, filamentos citoplasmáticos ricos em proteínas
sos. São exemplos os nervos, o cérebro e a medula espinhal. actina e miosina, dispostas ao longo de seu comprimento.
Fonte: https://www.todamateria.com.br/tecidos-do-corpo- Esses filamentos podem ser observados em microscópio
-humano/ óptico, Nele podem ser observadas a presença de estriações
transversais pela alternância de faixas claras (Banda I, miofila-
mentos de actina) e faixas escuras (Banda A, miofilamentos de
miosina).

7
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

A essa estrutura dá-se o nome de sarcômero, que represen- Ao contrário dos tecidos estriado esquelético e cardíaco, o
ta a unidade funcional da contração muscular. tecido muscular liso não apresenta estriações. Isto porque, os
Uma célula muscular tem entre dezenas e centenas de sar- filamentos de actina e miosina não se organizam no padrão re-
cômeros arranjados na miofibrila. Cada sarcômero é delimitado gular apresentado por células estriadas.
por dois discos transversais, chamados de linhas Z. As células estão unidas por meio de junções do tipo gap e
De forma resumida, a contração muscular refere-se ao des- de zonas de oclusão.
lizamento da actina sobre a miosina. No tecido muscular liso não é encontrado perimísio e nem
Isso porque a actina e miosina formam filamentos organiza- epimísio.
dos que permite o deslizamento de uns sobre os outros, encur-
tando as miofibrilas e levando à contração muscular. Fonte: https://www.todamateria.com.br/tecido-muscular/
No citoplasma da fibra muscular é possível encontrar diver-
sas mitocôndrias, que garantem a energia necessária para a con-
tração muscular e grânulos de glicogênio. ESQUELETO E SEU PAPEL, OSSO, TIPOS DE OSSOS E
As fibras musculares são mantidas unidas devido ao tecido ARTICULAÇÕES. ESQUELETO HUMANO.
conjuntivo. Este tecido permite que a força de contração, gerada
por cada fibra individualmente, atue sobre o músculo inteiro.
Além disso, o tecido conjuntivo nutre e oxigena as células SISTEMA ESQUELÉTICO - ESQUELETO AXIAL.
musculares e transmite a força gerada na contração aos tecidos ESQUELETO APENDICULAR. ARTICULAÇÕES
vizinhos. - Formado pelos ossos do corpo.
- Principais funções: sustentação, proteção e movimentação
Tecido Muscular Estriado Cardíaco do corpo humano.
É o principal tecido do coração.
Este tecido possui contração involuntária, vigorosa e rítmica. O sistema esquelético tem como função proteger, produzir
É constituído por células alongadas e ramificadas, dotadas células sanguíneas, armazenar os minerais, sustentar e locomo-
ver. Ele também é conhecido pelo nome de sistema ósseo e é
de um núcleo ou dois núcleos centrais.
formado por duzentos e seis ossos e estão assim divididos: ossos
Apresentam estrias transversais, seguindo o padrão de or-
da cabeça, ossos do pescoço, ossos do ouvido, ossos do tórax,
ganização dos filamentos de actina e miosina. Porém, não se
ossos do abdômen, ossos dos membros inferiores e ossos dos
agrupam em miofibrilas.
membros superiores.
Diferencia-se do tecido muscular estriado esquelético por
A ciência que estuda os ossos é a osteologia. O crânio
suas estriações serem mais curtas e não tão evidentes.
e a coluna vertebral são estruturas ósseas complexas e
As fibras cardíacas são envolvidas por um envoltório de
extremamente importantes, que ajudam e evoluem ao ponto
filamentos de proteínas, o endomísio. Não há perimísio e nem
em que o homem se desenvolve. A coluna vertebral tem como
epimísio. objetivo dar maior flexibilidade ao corpo humano.
As células estão unidas entre si, através de suas extremida- Os ossos do corpo humano são ligados através das articu-
des, por estruturas especializadas: os discos intercalares. Estas lações. E eles são os responsáveis por darem um apoio para o
junções permitem a adesão entre as fibras e a passagem de íons sistema muscular, fazendo com que o homem possa executar
ou pequenas moléculas de uma célula a outra. diversos movimentos.
Quase metade do volume celular é ocupado por mitocôn-
drias, o que reflete a dependência do metabolismo aeróbico e a
necessidade contínua de ATP.
O tecido conjuntivo preenche os espaços entre as células
e os seus capilares sanguíneos oferecem oxigênio e nutrientes.
Os batimentos cardíacos são controlados por um conjunto
de células musculares cardíacas modificadas, denominado de
marca-passo cardíaco ou nó sinoatrial. A cada segundo, apro-
ximadamente, um sinal elétrico se propaga pela musculatura
cardíaca, gerando a contração.

Tecido Muscular Liso ou Não-Estriado


Sua principal característica é a ausência de estriações.
Presente nos órgãos viscerais (estômago, intestino, bexiga,
útero, ductos de glândulas e paredes dos vasos sanguíneos).
Constitui a parede de muitos órgãos, sendo responsável por
movimentos internos como o movimento dos alimentos através
do tubo digestivo.
Este tecido possui contração involuntária e lenta.
As células são uninucleadas, alongadas e com extremidades
afiadas.

8
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

As principais funções do sistema esquelético são: O esqueleto apendicular é formado:


• Sustentar o organismo; • Pela caixa craniana, que possui diversos ossos impor-
• Proteger os órgãos vitais; tantes do crânio;
• Armazenar os sais, principalmente o cálcio e o fósforo, • Pela coluna vertebral, que são pequenos ossos sobre-
que são fundamentais para o funcionamento das células e de- postos que dão sustentação ao corpo, e onde existe um canal
vem estar presentes no sangue. Uma vez que o nível de cálcio que se conecta à medula nervosa ou espinhal. A sua principal
diminui no sangue, os sais de cálcio são levados para os ossos função é a movimentação;
para suprir a sua ausência; • Pela caixa torácica, que é formada pelo osso esterno
• Ajudar no movimento do corpo; e as costelas. É ela a responsável por proteger os pulmões e o
• Hematopoiética; coração.
• Alguns ossos possuem medula amarela, mais conhe-
cida como tutano. Essa medula é constituída, em sua maioria, Já o esqueleto axial é formado pela:
por células adiposas, que acumulam gorduras como material de • Cintura torácica ou escapular, que é uma estrutura tam-
reserva; bém conhecida como cintura superior. É formada pelas escápu-
• No interior de alguns ossos, como o crânio, a coluna, a las e clavículas;
bacia, o esterno, as costelas e as cabeças dos ossos do braço e da • Cintura pélvica ou inferior, também chamada de bacia,
coxa, existem cavidades que são preenchidas por um tecido ma- tem na sua constituição o sacro, um par de ossos ilíacos e pelo
cio, chamado de medula óssea vermelha, onde são produzidas cóccix.
as células do sangue: hemácias, leucócitos e plaquetas. O esqueleto dos membros também é composto pelas jun-
tas, ou seja, uma ligação existente entre dois ou mais ossos.
Outras estruturas que fazem parte do esqueleto são as articula-
ções. E essas, possuem os ligamentos, que são os responsáveis
por tornar os ossos conectados a uma articulação.
Os ossos começam a se formar desde o segundo mês de
vida intrauterina. Quando nasce, a criança já apresenta um es-
queleto bastante ossificado, mas as extremidades de diversos
ossos ainda possuem regiões cartilaginosas que permitem o
crescimento.
Entre os 18 e 20 anos, essas regiões cartilaginosas se ossifi-
cam e deixam de crescer.

SISTEMA MUSCULAR - ESTRUTURA DOS


MÚSCULOS ESQUELÉTICOS.

- Formado pelos músculos do corpo humano.


- Principais funções: atua na sustentação do corpo, movi-
mentação e equilíbrio da temperatura corporal.

O conjunto de músculos do nosso corpo forma o sistema


muscular. O corpo humano tem aproximadamente 600 múscu-
los diferentes, isso significa que os músculos somam cerca de
50% do peso total de uma pessoa.
Os músculos, aliados aos ossos e articulações, são as estru-
turas responsáveis por todos os movimentos corporais. Andar,
correr, pular, comer, piscar e até mesmo respirar seriam ativida-
des impossíveis sem a ação do sistema muscular.
Os músculos são classificados em 3 categorias:

• Músculo não estriado (músculo liso)


• Músculo estriado esquelético
• Músculo estriado cardíaco

Quais são as principais partes do esqueleto?


O sistema esquelético possui duas partes que podem ser
consideradas principais: o esqueleto apendicular e o esqueleto
axial.

9
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

O sistema digestivo é responsável por conduzir processos


químicos e mecânicos que retiram os nutrientes dos alimen-
tos para serem usados em nosso corpo. A estrutura do sistema
digestório é bastante complexa, formada por diversos órgãos
importantes para a nutrição do nosso organismo. Estes órgãos
transformam os alimentos que ingerimos.

Características do sistema digestivo


O sistema digestório é formado pelo tubo digestório e por
seus órgãos anexos. As principais estruturas presentes neste sis-
tema são: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado,
intestino grosso, glândulas salivares, dentes, língua, pâncreas,
fígado e vesícula biliar.
Todo processo de digestão começa pela boca, que recebe
os alimentos no tubo digestivo. Nossa mastigação é um proces-
so de digestão mecânica. Em seguida, o alimento já mastigado
segue pela faringe até chegar ao esôfago.
O próximo destino do alimento é o estômago, órgão res-
ponsável pela digestão das proteínas. Depois de processado, o
alimento se transforma em quimo e vai para o intestino delgado.
O caminho final das sobras de alimentos sem valor nutri-
Os músculos não estriados apresentam contração lenta e cional passa pelo intestino grosso e segue até a eliminação dos
involuntária, ou seja, são responsáveis por aqueles movimentos resíduos digestivos por meio do bolo fecal.
que ocorrem independentemente da nossa vontade, como os
movimentos peristálticos.
Os músculos estriados esqueléticos são aqueles que se fi-
xam nos ossos através dos tendões (cordões fibrosos), caracte-
rizam-se por contrações fortes e voluntárias. Isso quer dizer que
são responsáveis pelas ações conscientes do nosso corpo, como
andar e fazer exercícios.
O músculo estriado cardíaco, como o próprio nome diz, é o
músculo do coração. É ele o responsável pelos batimentos car-
díacos, suas contrações são fortes e involuntárias.
A principal característica do sistema muscular é a capacida-
de de se contrair e relaxar. Aliás, é o equilíbrio entre esses dois
estados o responsável pelo movimento do corpo como um todo.
Durante a respiração, por exemplo, o diafragma precisa contrair
e relaxar para receber o oxigênio nos pulmões e expelir em se-
guida o gás carbônico.

4. APARELHO DIGESTIVO: DIGESTÃO DOS ALIMEN-


TOS, BOCA, ESTÔMAGO, INTESTINO DELGADO E INTES-
TINO GROSSO. ENZIMAS DIGESTIVAS. Enzimas Digestivas
O processo de digestão é facilitado pelas enzimas digestivas,
como as amilases, que agem sobre o amido; as proteases, que
Sistema Digestivo
atuam sobre as proteínas; e as lípases, que trabalham nos lipídios.
- Composto por boca, faringe, esôfago, estômago, intestinos
(grosso e delgado). Há também outros órgãos que atuam de
Digestão Saudável
forma auxiliar no processo de digestão dos alimentos: glândulas
Para o funcionamento correto do sistema digestivo é preci-
salivares, dentes, fígado e pâncreas.
so que as pessoas mantenham uma alimentação saudável, rica
- Principal função: processo de digestão dos alimentos.
principalmente em fibras e água. Isso ajuda a evitar problemas
Nós, seres humanos, nos alimentamos diariamente para como o velho conhecido intestino preso, por exemplo.
obtermos energia para realizarmos nossas funções vitais e
atividades cotidianas. Nesse processo de captação de energia
e nutrientes um sistema faz toda a diferença: estamos
falando do sistema digestivo, ou sistema digestório, como
é chamado atualmente.

10
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

Outro elemento fundamental no processo de respiração


5. SISTEMA CIRCULATÓRIO: AS PARTES DO SISTEMA é o diafragma, um músculo que fica localizado logo abaixo do
CIRCULATÓRIO, CORAÇÃO E CIRCULAÇÃO SANGÜÍNEA. pulmão e que desempenha papel relevante nos movimentos da
respiração.

SISTEMA CIRCULATÓRIO - SANGUE. ANATOMIA DO A importância dos pulmões


CORAÇÃO E DOS VASOS SANGÜÍNEOS. Os pulmões são órgãos com perfil esponjoso. Eles são reves-
tidos por uma membrana dupla, que recebe o nome de pleura.
- Formado por coração, veias e artérias. Os seres humanos possuem dois pulmões, separados pelo me-
- Principais funções: circulação do sangue pelo corpo huma- diastino, região onde está o coração e outros órgãos e estruturas
no. Neste processo, os nutrientes e o oxigênio são transportados do organismo.
para as células. Os pulmões contribuem de forma significativa para a troca de
O sistema circulatório humano é formado pelo coração, pelo gases do organismo com o meio externo por meio da respiração.
sangue e os vasos sanguíneos. Também conhecido como sistema Eles também ajudam a controlar o nível de oxigênio no sangue.
cardiovascular, essa rede de circulação do corpo é extremamente Estes órgãos medem cerca de 25 cm e têm um peso aproxima-
importante para o funcionamento dos órgãos e para a distribui- do de 700 gramas. O ar que passa pelos pulmões é renovado a todo
ção de nutrientes, hormônios e oxigênio pelo organismo. momento, em um processo denominado ventilação pulmonar.
O principal órgão do sistema circulatório é o coração, res- É fundamental que as pessoas cuidem da saúde dos pulmões
ponsável por bombear o sangue para o corpo. O coração está para que possam ter uma respiração adequada e para prevenir
localizado na cavidade torácica e pesa cerca de 300 gramas. O doenças como o câncer de pulmão. Para cuidar bem desses
órgão é formado por átrio direito, átrio esquerdo, ventrículo órgãos, os médicos recomendam que os pacientes evitem ou
direito e ventrículo esquerdo; e apresenta três camadas funda- deixem o vício do cigarro e de outras drogas, como maconha e
mentais: o pericárdio, o endocárdio e o miocárdio. charutos; e evitem se expor à poluição externa intensa e à con-
Em relação aos vasos, o sistema circulatório tem basica- dição de fumante passivo. Além disso, é recomendado respirar
mente três tipos: as artérias, as veias e os capilares. As artérias profundamente, praticar exercícios aeróbicos, ter uma dieta
são consideradas vasos de paredes que ajudam a transportar o saudável, beber bastante água e fazer a limpeza regular do nariz
sangue do coração para os tecidos do corpo. para prevenir alergias.
As veias são vasos de paredes que transportam sangue dos
tecidos para o coração. Já os capilares arteriais e capilares veno-
sos são ramificações que colaboram com o transporte do sangue
pelo organismo. 7. SISTEMA NERVOSO: SISTEMA NERVOSO CENTRAL
E SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO.

6. APARELHO RESPIRATÓRIO: PULMÕES E TROCA DE SISTEMA NERVOSO - ENCÉFALO E NERVOS CRANIA-


GASES. NOS. MEDULA ESPINHAL E NERVOS ESPINHAIS.

SISTEMA RESPIRATÓRIO - PAREDE TORÁCICA E PUL- - Composto pelo cérebro, medula espinal e diversos nervos.
MÕES. MEDIASTINO. - Principais funções: processamento de informações do am-
- Composto por dois pulmões, duas cavidades nasais, farin- biente (cérebro) e transmissão de impulsos nervosos pelo corpo.
ge, laringe, traqueia e brônquios pulmonares. O cérebro, principal órgão do sistema nervoso, também possui
- Principais funções: processo de respiração (obtenção de a capacidade de armazenar informações, elaborar pensamentos
oxigênio e retirada de gás carbônico). e produzir conhecimentos a partir das informações obtidas. O
cérebro também é muito importante no controle de diversas
O sistema respiratório dos seres humanos é responsável por funções vitais do corpo e no processo da fala.
fornecer oxigênio ao nosso corpo. Ele também atua para retirar O sistema nervoso é um dos mais importantes do corpo hu-
o gás carbônico do organismo. mano. Ele é o responsável por controlar diversos processos vi-
Os principais órgãos do sistema respiratório são os pulmões, tais, como as atividades dos músculos, o movimento dos órgãos,
que desempenham papel estratégico no processo de respiração. os estímulos e os sentidos humanos.
Este sistema também é composto por cavidades nasais, boca, Este sistema é formado por estruturas essenciais, como os
faringe, laringe, traqueia, brônquios e bronquíolos. neurônios e os nervos, dois elementos responsáveis pela coor-
denação motora dos seres humanos. Graças ao sistema nervoso,
Características do sistema respiratório somos capazes de perceber estímulos externos.
O processo de respiração controlado pelo sistema respira- Características do sistema nervoso
tório começa pelas narinas. As cavidades nasais recebem o ar e O principal órgão do sistema nervoso é o cérebro, responsá-
filtram as partículas sólidas e as bactérias. Essas mesmas cavi- vel por controlar todas as funções, atividades, movimentos, me-
dades também são as responsáveis pela percepção dos odores. mórias e pensamentos dos seres humanos. O cérebro é a chave
Depois de passar pelas cavidades nasais, o ar segue para do sistema nervoso e atua para controlar a maioria das funções
a faringe. Em seguida, vai para a laringe, traqueia, brônquios, do organismo.
bronquíolos e pulmões.

11
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

Já o neurônio é considerado a unidade funcional do sistema Epidídimo - é um ducto formado por um canal, ele recebe
nervoso. Os neurônios se comunicam por meio de sinapses e os espermatozoides e os reserva até a maturidade.
propagam impulsos nervosos.
Como é possível perceber, o sistema nervoso é uma grande Canal deferente - responsável por transportar os esperma-
rede de comunicações, movimentos e sensações. Este sistema tozoides do epidídimo até o complexo de glândulas anexas.
está dividido em duas partes: o sistema nervoso central e o sis-
tema nervoso periférico. Glândulas anexas - próstata, vesículas seminais e glândulas
Sistema Nervoso Central – Formado por encéfalo e medula bulbo uretrais. São responsáveis pela produção da secreção que
espinhal. forma o sêmen, trata-se de um fluido que nutri e permite um
Sistema Nervoso Periférico – Formado por nervos e gân- meio de sobrevivência aos espermatozoides, por exemplo, neu-
glios nervosos. tralizando o pH levemente ácido da uretra.

Conheça melhor os órgãos e estruturas do sistema nervoso: O sistema reprodutor feminino também é formado por 6
Cérebro – Órgão volumoso, dividido em duas partes simé- órgãos:
tricas, chamadas de hemisfério direito e hemisfério esquerdo. É
o órgão de maior importância no corpo humano. Lábios vaginais - dobras de tecido adiposo, responsável por
Cerebelo – Responsável por coordenar os movimentos do proteger o interior da vagina.
corpo e o equilíbrio.
Tronco Encefálico – Conduz impulsos nervosos entre o cére- Clitóris - órgão relacionado ao prazer sexual.
bro e a medula espinhal.
Medula Espinhal – Cordão de tecido nervoso que fica loca- Vagina - também funciona como órgão reprodutor e excre-
lizado na coluna vertebral. É responsável por conduzir impulsos tor. A cavidade vaginal recebe o pênis durante o ato sexual e a
nervosos do corpo para o cérebro. uretra elimina a urina.
As estruturas do sistema nervoso são essenciais para uma
vida saudável. Por isso, é recomendável manter uma rotina equi- Útero - é o órgão receptor do óvulo, onde o embrião irá se
librada e passar por consultas regulares com especialistas. desenvolver durante os 9 meses de gestação.

Trompas de falópio - são os órgãos responsáveis pelo trans-


8. SISTEMA REPRODUTOR: SISTEMA REPRODUTOR porte dos óvulos do ovário até o útero.
MASCULINO E SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.
Ovários - glândulas que formam os óvulos de acordo com o
ciclo menstrual, também produz os hormônios sexuais: estróge-
Sistema Reprodutor no e progesterona.
- Formado por:
- Sistema reprodutor masculino: dois testículos, epidídimos, QUESTÕES
canais deferentes, vesículas seminais, próstata, uretra e pênis.
- Sistema reprodutor feminino: trompas de Falópio, dois 1. Acerca dos objetos de estudo das subdivisões da biologia,
ovários, útero, cérvice (colo do útero) e vagina. julgue os próximos itens. A célula, a estrutura conformacional
- Principais funções: responsável pelo processo reprodutivo de suas proteínas e os mecanismos efetivos de defesa são os
dos seres humanos. objetos de estudo da histologia.
C. Certo
Também chamado de sistema genital, o sistema reprodutor E. Errado
humano é constituído por um conjunto de órgãos que formam
tanto o aparelho genital masculino, quanto o aparelho genital 2. Julgue os próximos itens, relativos à parede celular e à
feminino. membrana celular. Uma das desvantagens do modelo mosaico
fluido da membrana celular é que ele impede a movimentação
O sistema reprodutor masculino é formado por 6 órgãos: de proteínas imersas na dupla camada de fosfolipídios.
C. Certo
Pênis - funciona como órgão reprodutor e excretor. A uretra E. Errado
é o canal responsável por eliminar a urina e também transportar
o sêmen. Por ser extremamente vascularizado, esse órgão tende 3. Julgue os próximos itens, relativos à parede celular e à
à ereção quando estimulado. membrana celular.
Na figura abaixo, duas células foram colocadas em meio com
Testículos - são as glândulas que produzem os gametas mas- solução hipotônica. O influxo de água causou o rompimento da
culinos (espermatozoides) e sintetizam a testosterona (hormô- célula I, o que pode ser explicado pela ausência de parede celular,
nio sexual). estrutura muito comum na célula II, que permaneceu intacta.

Bolsa escrotal - é responsável por manter a temperatura e


proteger os testículos de agentes externos.

12
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

C. Certo
E. Errado

4. Em um bairro nobre de determinada cidade no Brasil, houve um assassinato na madrugada fria do mês agosto. A vítima, um homem
de quarenta e dois anos de idade, foi encontrada morta com golpes de faca na região torácica. Sua residência tinha sido saqueada e exibia
sinais de violação, como, por exemplo, uma janela quebrada que estava manchada de sangue. Como havia sinais de que a vítima pudesse ter
resistido ao ataque e revidado até ser imobilizada e morta, amostras biológicas do corpo da vítima foram coletadas pelos investigadores e en-
caminhadas para análise, a fim de se obterem evidências que levassem à identificação do assassino. Uma das amostras de sangue recolhidas
no local do crime promovia aglutinação de hemácias somente na presença de soro anti-B e de soro anti-Rh; outra amostra não apresentava
aglutinação na presença de soros anti-A, anti-B e anti-Rh. Durante a investigação, descobriu-se, ainda, que a vítima sofria de hemofilia e que
uma amostra de sangue de tipo sanguíneo diferente do da vítima apresentava mutação no alelo do fator VIII.
Após vários meses de investigação, os investigadores chegaram a um suspeito, que era portador do tipo sanguíneo A negativo.
Considerando a situação hipotética apresentada e os múltiplos aspectos a ela relacionados, julgue os itens a seguir.
Na ausência de outras evidências que o ligassem ao fato, o suspeito poderia ser liberado, pois seu tipo sanguíneo não é o mesmo
dos tipos sanguíneos encontrados nas duas amostras mencionadas, que correspondem, na ordem em que aparecem no texto, aos
tipos sanguíneos B positivo e O negativo.
C. Certo
E. Errado

5. Acerca do conteúdo e função dos compartimentos celulares, considere:


I. Íons e água atravessam livremente a membrana plasmática celular devido ao seu reduzido peso molecular.
II. Mitocôndrias apresentam uma capacidade autoduplicativa, o que favorece a produção de energia em situações de aumento
de demanda celular.
III. O citoesqueleto celular permite o deslocamento de células, sua duplicação, o aumento da capacidade absortiva e o batimento
ciliar, dentre outras funções.
IV. O DNA da célula animal apresenta dupla fita em hélice e, quando replicado, forma o RNA simples fita.
Está correto o que se afirma APENAS em
A. I e III.
B. II e III.
C. II, III e IV.
D. I e IV.
E. I, II e IV.

6. Um pesquisador esqueceu de rotular amostras de duas células humanas que coletou. A partir da análise de eletromicrografias
eletrônicas, os resultados foram expressos na tabela abaixo.

13
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

As células A e B são, respectivamente 8. A figura ilustra uma possível sequência no processo evo-
A. Célula Caliciforme e Neutrófilo. lutivo celular, a partir de um procarionte ancestral.
B. Hemácia e Plaqueta.
C. Hepatócito e Célula exócrina pancreática.
D. Ovócito e Célula da granulosa ovarianas.
E. Célula da glândula sudorípara e Célula da glândula sebá-
cea.

7. Dados da análise por citometria de fluxo de uma amostra


de células geraram o gráfico abaixo.

Tendo em vista o processo ilustrado e as características das


células mais evoluídas atuais, é correto afirmar que, ao longo do
tempo, houve
A. desenvolvimento de membranas internas, assim como a
internalização de estruturas energéticas.
B. surgimento espontâneo e abrupto de estruturas internas
mais complexas, tais como o núcleo e as organelas.
C. modificações de estruturas já existentes, relacionadas à
captação de luz, tais como as mitocôndrias.
D. a fagocitose e a pinocitose de organelas relacionadas à
respiração, tais como os cloroplastos.
E. mutações genéticas responsáveis pela formação imediata
dos cloroplastos e mitocôndrias.

9. Uma das semelhanças entre os processos de divisão celu-


Considerando os dados representados no gráfico, é correto lar mitótico e meiótico corresponde à existência da etapa anáfa-
afirmar que se em ambos. Porém, na meiose, ocorrem duas etapas anáfases,
A. as poucas células dispostas nos quatro quadrantes do enquanto na mitose ocorre apenas uma etapa anáfase. Tal dife-
gráfico indicam que o volume da amostra foi insuficiente para rença é decorrente da
processamento de análise de dados, desta forma, é recomenda- A. condensação cromossômica no início do processo que
do preparação de nova amostra. ocorre apenas na mitose.
B. o gráfico mostra a intensidade de fluorescência de dois B. existência de duas divisões consecutivas na meiose e de
receptores diferentes, detectados através da utilização de an- apenas uma divisão na mitose.
ticorpos específicos marcados com fluorocromos que emitem C. duplicação cromossômica no início do processo que ocor-
fluorescência a comprimentos de onda iguais. re apenas na meiose.
C. a identificação de células que expressam os dois recepto- D. duplicação da ploidia celular ao final do processo meióti-
res simultaneamente, é a representada no quadrante superior co, enquanto na mitose tal ploidia se reduz.
direito (SD); e as células danificadas ou mortas não alteram as E. formação de duas células filhas diploides na meiose e de
propriedades de tamanho e granulosidade nos gráficos. quatro células filhas haploides na mitose.
D. o gráfico é do tipo histograma e cada ponto significa uma
célula identificada pelo citômetro. Cada quadrante representa a 10. As fotografias mostram nove etapas do desenvolvimen-
quantidade relativa de células de uma amostra, distribuídas de to embrionário humano, desde o óvulo não fecundado (1) até o
acordo com a posição do ciclo celular (G1, S, G2 e M) em que estágio (9) em que ocorre a nidação no útero materno.
cada célula se encontra.
E. a quantificação de células que expressam um dos recep-
tores, é representada nos quadrantes inferior direito (ID) e supe-
rior esquerdo (SE); e de células que não expressam nenhum dos
receptores, é representada no quadrante inferior esquerdo (IE).

14
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

Considerando o esquema acima e aspectos da fisiologia hu-


mana, julgue os itens a seguir.
A ocitocina, hormônio produzido no núcleo paraventricular
(NPV) do hipotálamo, promove as contrações do útero durante
o parto.
C. Certo
E. Errado

12.

Com relação ao desenvolvimento ilustrado, é correto afir-


mar que, na etapa
A. 8, ocorre a formação dos três tecidos embrionários: a en-
doderme, a mesoderme e a ectoderme.
B. 2, ocorre a fecundação com união dos 46 cromossomos
maternos com os 46 cromossomos paternos.
C. 9, ocorre a formação do tubo neural e do sistema nervo-
so, sendo por isso classificada como etapa de nêurula.
D. 6, ocorre a formação do blastocisto, etapa caracterizada
pela presença de uma cavidade embrionária.
E. 4, ocorre a formação de dois blastômeros, classificados
como células-tronco totipotentes.

11. No sistema circulatório humano, o sangue segue um cami-


nho contínuo, que passa duas vezes pelo coração antes de com-
pletar um ciclo.
C. Certo
E. Errado

13. A posição de descrição anatômica (posição anatômica) é


utilizada para descrever a posição do corpo humano, consideran-
do o indivíduo como se estivesse sempre na posição padronizada.
Assinale a alternativa que descreve corretamente essa posição.
A.Posição deitada em decúbito dorsal, com a face fletida,
olhos fechados, membros superiores estendidos, aplicados ao
tronco e com as palmas voltadas para frente, membros inferio-
res unidos, com as pontas dos pés dirigidas para frente.
B.Posição deitada em decúbito ventral, com a face hiperes-
tendida, olhos fechados, membros superiores estendidos, apli-
cados ao tronco e com as palmas voltadas para frente, membros
inferiores unidos, com as pontas dos pés dirigidas para frente.
C.Posição ereta (em pé, posição ortostática ou bípede), com
a face voltada para a frente, o olhar dirigido para o horizonte,
membros superiores fletidos a aduzidos sobre tronco e com as
palmas cerradas, membros inferiores unidos, com as pontas dos
pés dirigidas para frente.
D.Posição ereta (em pé, posição ortostática ou bípede), com
a face voltada para para lateral direita ou esquerda, olhos fecha-
dos, membros superiores abduzidos do tronco e com as palmas
cerradas, membros inferiores abduzidos do quadril.

15
NOÇÕES BÁSICAS DE BIOLOGIA E ANATOMIA HUMANAS

E.Posição ereta (em pé, posição ortostática ou bípede), com ANOTAÇÕES


a face voltada para a frente, o olhar dirigido para o horizonte,
membros superiores estendidos, aplicados ao tronco e com as
palmas voltadas para frente, membros inferiores unidos, com as ___________________________________________________
pontas dos pés dirigidas para frente.
___________________________________________________
14. O corpo humano divide-se em:
___________________________________________________
A.cabeça, tórax, abdome, e membros.
B.cabeça, pescoço, tronco e membros. ___________________________________________________
C.cabeça, tórax, abdome, pelve e membros.
D.cabeça, tórax, abdome, pelve, membros superiores e in- ___________________________________________________
feriores.
E.cabeça, pescoço, tronco, pelve, membros superiores e in- ___________________________________________________
feriores.
___________________________________________________
15. Na posição anatômica o corpo humano pode ser delimi-
___________________________________________________
tado por planos tangentes à sua superfície, os quais, com suas
intersecções, determinam a formação de um sólido geométrico, ___________________________________________________
um paralelepípedo, em
A.plano ventral e dorsal. ___________________________________________________
B.plano cranial e caudal.
C.plano cranial e podálico. ___________________________________________________
D.palno caudal e podálico.
E.plano lateral direito e esquerdo. ___________________________________________________

GABARITO ___________________________________________________

___________________________________________________

1 ERRADO ___________________________________________________
2 ERRADO ___________________________________________________
3 CERTO
___________________________________________________
4 CERTO
5 B ___________________________________________________
6 C ___________________________________________________
7 E
___________________________________________________
8 A
9 B ___________________________________________________
10 E ___________________________________________________
11 CERTO
___________________________________________________
12 CERTO
13 E ___________________________________________________
14 B ___________________________________________________
15 A
___________________________________________________

___________________________________________________

___________________________________________________

___________________________________________________

___________________________________________________

___________________________________________________

16
LÍNGUA PORTUGUESA

1. Compreensão de texto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 01
2. Noções gramaticais: ortografia, emprego de letras, uso de maiúscula, separação de sílabas, abreviações, acentuação gráfica, mor-
fologia, classe de palavras (substantivo, adjetivo, pronomes, verbo, advérbio, conjugação), flexão nominal (gênero, número e grau),
flexão verbal (conjunção de verbos regulares e irregulares), sintaxe, concordância do adjetivo com o substantivo, concordância do
predicado com o sujeito, regência verbal e nominal, noções de frase, período, oração, parágrafo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 03
3. Usos da linguagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
4. Voz ativa, passiva e reflexiva. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
5. Pontuação: uso dos sinais de pontuação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
LÍNGUA PORTUGUESA

A interpretação do texto é o que podemos concluir sobre ele,


1. COMPREENSÃO DE TEXTO. depois de estabelecer conexões entre o que está escrito e a reali-
dade. São as conclusões que podemos tirar com base nas ideias do
autor. Essa análise ocorre de modo subjetivo, e são relacionadas
LEITURA, COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS
com a dedução do leitor.
A interpretação de texto é o elemento-chave para o resultado
Leitura acadêmico, eficiência na solução de exercícios e mesmo na com-
preensão de situações do dia-a-dia.
A leitura é prática de interação social de linguagem. A leitura, Além de uma leitura mais atenta e conhecimento prévio sobre
como prática social, exige um leitor crítico que seja capaz de mo- o assunto, o elemento de fundamental importância para interpretar
bilizar seus conhecimentos prévios, quer linguísticos e textuais, e compreender corretamente um texto é ter o domínio da língua.
quer de mundo, para preencher os vazios do texto, construindo E mesmo dominando a língua é muito importante ter um di-
novos significados. Esse leitor parte do já sabido/conhecido, mas, cionário por perto. Isso porque ninguém conhece o significado de
superando esse limite, incorpora, de forma reflexiva, novos signi- todas as palavras e é muito difícil interpretar um texto desconhe-
ficados a seu universo de conhecimento para melhor entender a cendo certos termos.
realidade em que vive.
Dicas para uma boa interpretação de texto:
Compreensão
- Leia todo o texto pausadamente
A compreensão de um texto é a análise e decodificação do - Releia o texto e marque todas as palavras que não sabe o
que está realmente escrito nele, das frases e ideias ali presentes. significado
A compreensão de texto significa decodificá-lo para entender o - Veja o significado de cada uma delas no dicionário e anote
que foi dito. É a análise objetiva e a assimilação das palavras e - Separe os parágrafos do texto e releia um a um fazendo o seu
ideias presentes no texto. resumo
Para ler e entender um texto é necessário obter dois níveis de - Elabore uma pergunta para cada parágrafo e responda
leitura: informativa e de reconhecimento. - Questione a forma usada para escrever
Um texto para ser compreendido deve apresentar ideias se- - Faça um novo texto com as suas palavras, mas siga as ideias
letas e organizadas, através dos parágrafos que é composto pela do autor.
ideia central, argumentação/desenvolvimento e a conclusão do
texto. Lembre-se que para saber compreender e interpretar muito
Quando se diz que uma pessoa tem a compreensão de algo, bem qualquer tipo de texto, é essencial que se leia muito. Quanto
significa que é dotada do perfeito domínio intelectual sobre o as- mais se lê, mais facilidade de interpretar se tem. E isso é funda-
sunto. mental em qualquer coisa que se faça, desde um concurso, vesti-
Para que haja a compreensão de algo, como um texto, por bular, até a leitura de um anúncio na rua.
exemplo, é necessária a sua interpretação. Para isso, o indivíduo
deve ser capaz de desvendar o significado das construções tex- Resumindo:
tuais, com o intuito de compreender o sentido do contexto de uma
frase. Compreensão Interpretação
Assim, quando não há uma correta interpretação da mensa-
O que é É a análise do que É o que podemos
gem, consequentemente não há a correta compreensão da mesma.
está escrito no texto, concluir sobre o que
Interpretação a compreensão das está escrito no texto.
frases e ideias pre- É o modo como inter-
Interpretar é a ação ou efeito que estabelece uma relação de sentes. pretamos o conteúdo.
percepção da mensagem que se quer transmitir, seja ela simultâ- Informação A informação está A informação está
nea ou consecutiva, entre duas pessoas ou entidades. presente no texto. fora do texto, mas
A importância dada às questões de interpretação de textos de- tem conexão com ele.
ve-se ao caráter interdisciplinar, o que equivale dizer que a compe-
Análise Trabalha com a Trabalha com a sub-
tência de ler texto interfere decididamente no aprendizado em ge-
ral, já que boa parte do conhecimento mais importante nos chega objetividadem, com jetividade, com o que
por meio da linguagem escrita. A maior herança que a escola pode as frases e palavras você entendeu sobre
legar aos seus alunos é a competência de ler com autonomia, isto que estão escritas no o texto.
é, de extrair de um texto os seus significados. texto.
Num texto, cada uma das partes está combinada com as
outras, criando um todo que não é mero resultado da soma das
partes, mas da sua articulação. Assim, a apreensão do significado
global resulta de várias leituras acompanhadas de várias hipóte-
ses interpretativas, levantadas a partir da compreensão de dados
e informações inscritos no texto lido e do nosso conhecimento do
mundo.

1
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÕES Após a leitura atenta do texto, analise as afirmações feitas:


I. O jornalista Jonas Valente está fazendo um elogio à visão
01. SP Parcerias - Analista Técnic - 2018 - FCC equilibrada e vanguardista da Comissão Parlamentar que legisla
sobre crimes cibernéticos na Câmara dos Deputados.
Uma compreensão da História II. O Marco Civil da Internet é considerado um avanço em
todos os sentidos, e a referida Comissão Parlamentar está que-
Eu entendo a História num sentido sincrônico, isto é, em rendo cercear o direito à plena execução deste marco.
que tudo acontece simultaneamente. Por conseguinte, o que III. Há o temor que o acesso a filmes, séries, informações
em geral e o livre modo de se expressar venham a sofrer censura
procura o romancista - ao menos é o que eu tento fazer - é es-
com a nova lei que pode ser aprovada na Câmara dos Deputa-
boçar um sentido para todo esse caos de fatos gravados na tela
dos.
do tempo. Sei que esses fatos se deram em tempos distintos, IV. A navegação na internet, como algo controlado, na visão
mas procuro encontrar um fio comum entre eles. Não se trata do jornalista, está longe de se concretizar através das leis a se-
de escapar do presente. Para mim, tudo o que aconteceu está a rem votadas no Congresso Nacional.
acontecer. E isto não é novo, já o afirmava o pensador italiano V. Combater os crimes da internet com a censura, para o jor-
Benedetto Croce, ao escrever: “Toda a História é História con- nalista, está longe de ser uma estratégia correta, sendo mesmo
temporânea”. Se tivesse que escolher um sinal que marcasse perversa e manipuladora.
meu norte de vida, seria essa frase de Croce.
(SARAMAGO, José. As palavras de Saramago. São Paulo: Companhia Assinale a opção que contém todas as alternativas corretas.
das Letras, 2010, p. 256) A) I, II, III.
B) II, III, IV.
José Saramago entende que sua função como romancista é C) II, III, V.
A) estudar e imaginar a História em seus movimentos sin- D) II, IV, V.
crônicos predominantes.
B) ignorar a distinção entre os tempos históricos para man- 03. Pref. de São Gonçalo – RJ – Analista de Contabilidade
tê-los vivos em seu passado. – 2017 - BIO-RIO
C) buscar traçar uma linha contínua de sentido entre fatos
Édipo-rei
dispersos em tempos distintos.
D) fazer predominar o sentido do tempo em que se vive so- Diante do palácio de Édipo. Um grupo de crianças está ajoe-
bre o tempo em que se viveu. lhado nos degraus da entrada. Cada um tem na mão um ramo de
E) expressar as diferenças entre os tempos históricos de oliveira. De pé, no meio delas, está o sacerdote de Zeus.
modo a valorizá-las em si mesmas. (Edipo-Rei, Sófocles, RS: L&PM, 2013)

02. Pref. de Chapecó – SC – Engenheiro de Trânsito – 2016 O texto é a parte introdutória de uma das maiores peças
- IOBV trágicas do teatro grego e exemplifica o modo descritivo de or-
ganização discursiva. O elemento abaixo que NÃO está presente
Por Jonas Valente*, especial para este blog. nessa descrição é:
A) a localização da cena descrita.
A Comissão Parlamentar de Inquérito sobre Crimes Ciber- B) a identificação dos personagens presentes.
néticos da Câmara dos Deputados divulgou seu relatório final. C) a distribuição espacial dos personagens.
Nele, apresenta proposta de diversos projetos de lei com a D) o processo descritivo das partes para o todo.
justificativa de combater delitos na rede. Mas o conteúdo des- E) a descrição de base visual.
sas proposições é explosivo e pode mudar a Internet como a
conhecemos hoje no Brasil, criando um ambiente de censura 04. MPE-RJ – Analista do Ministério Público - Processual –
na web, ampliando a repressão ao acesso a filmes, séries e ou- 2016 - FGV
tros conteúdos não oficiais, retirando direitos dos internautas e
transformando redes sociais e outros aplicativos em máquinas Problemas Sociais Urbanos
de vigilância. Brasil escola
Não é de hoje que o discurso da segurança na Internet é
usado para tentar atacar o caráter livre, plural e diverso da In- Dentre os problemas sociais urbanos, merece destaque a
ternet. Como há dificuldades de se apurar crimes na rede, as questão da segregação urbana, fruto da concentração de renda
soluções buscam criminalizar o máximo possível e transformar a no espaço das cidades e da falta de planejamento público que
navegação em algo controlado, violando o princípio da presun- vise à promoção de políticas de controle ao crescimento desor-
ção da inocência previsto na Constituição Federal. No caso dos denado das cidades. A especulação imobiliária favorece o enca-
crimes contra a honra, a solução adotada pode ter um impacto recimento dos locais mais próximos dos grandes centros, tor-
trágico para o debate democrático nas redes sociais – atualmen- nando-os inacessíveis à grande massa populacional. Além disso,
te tão importante quanto aquele realizado nas ruas e outros lo- à medida que as cidades crescem, áreas que antes eram baratas
cais da vida off line. Além disso, as propostas mutilam o Marco e de fácil acesso tornam-se mais caras, o que contribui para que
Civil da Internet, lei aprovada depois de amplo debate na socie- a grande maioria da população pobre busque por moradias em
dade e que é referência internacional. regiões ainda mais distantes.
(*BLOG DO SAKAMOTO, L. 04/04/2016)

2
LÍNGUA PORTUGUESA

Essas pessoas sofrem com as grandes distâncias dos locais é possível, adquirindo lentes que custam centavos, transformar
de residência com os centros comerciais e os locais onde traba- o smartphone num supermicroscópio que permite fazer diag-
lham, uma vez que a esmagadora maioria dos habitantes que so- nósticos ainda mais sofisticados.
frem com esse processo são trabalhadores com baixos salários. Tudo isso aliado à democratização do conhecimento, diz To-
Incluem-se a isso as precárias condições de transporte público e pol, fará com que as pessoas administrem mais sua própria saú-
a péssima infraestrutura dessas zonas segregadas, que às vezes de, recorrendo ao médico em menor número de ocasiões e de
não contam com saneamento básico ou asfalto e apresentam preferência por via eletrônica. É o momento, assegura o autor,
elevados índices de violência. de ampliar a autonomia do paciente e abandonar o paternalis-
A especulação imobiliária também acentua um problema mo que desde Hipócrates assombra a medicina.
cada vez maior no espaço das grandes, médias e até pequenas Concordando com as linhas gerais do pensamento de Topol,
cidades: a questão dos lotes vagos. Esse problema acontece por mas acho que, como todo entusiasta da tecnologia, ele prova-
dois principais motivos: 1) falta de poder aquisitivo da popula- velmente exagera. Acho improvável, por exemplo, que os hos-
ção que possui terrenos, mas que não possui condições de cons- pitais caminhem para uma rápida extinção. Dando algum des-
truir neles e 2) a espera pela valorização dos lotes para que es- conto para as previsões, “The Patient...” é uma excelente leitura
ses se tornem mais caros para uma venda posterior. Esses lotes para os interessados nas transformações da medicina.
vagos geralmente apresentam problemas como o acúmulo de Folha de São Paulo online – Coluna Hélio Schwartsman – 17/01/2016.
lixo, mato alto, e acabam tornando-se focos de doenças, como
a dengue. Segundo o autor citado no texto, o futuro da medicina:
PENA, Rodolfo F. Alves. “Problemas socioambientais urbanos”; Brasil A) encontra-se ameaçado pela alta tecnologia;
Escola. Disponível em http://brasilescola.uol.com.br/brasil/problemas-am- B) deverá contar com o apoio positivo da tecnologia;
bientais-sociais-decorrentes-urbanização.htm. Acesso em 14 de abril de C) levará à extinção da profissão de médico;
2016. D) independerá completamente dos médicos;
E) estará limitado aos meios eletrônicos.
A estruturação do texto é feita do seguinte modo:
A) uma introdução definidora dos problemas sociais urba- RESPOSTAS
nos e um desenvolvimento com destaque de alguns problemas;
B) uma abordagem direta dos problemas com seleção e ex- 01 C
plicação de um deles, visto como o mais importante;
C) uma apresentação de caráter histórico seguida da explici- 02 C
tação de alguns problemas ligados às grandes cidades; 03 D
D) uma referência imediata a um dos problemas sociais ur-
04 B
banos, sua explicitação, seguida da citação de um segundo pro-
blema; 05 B
E) um destaque de um dos problemas urbanos, seguido de
sua explicação histórica, motivo de crítica às atuais autoridades.

05. MPE-RJ – Técnico do Ministério Público - Administrati-


va – 2016 - FGV 2. NOÇÕES GRAMATICAIS: ORTOGRAFIA, EMPRE-
GO DE LETRAS, USO DE MAIÚSCULA, SEPARAÇÃO
O futuro da medicina DE SÍLABAS, ABREVIAÇÕES, ACENTUAÇÃO GRÁFICA,
MORFOLOGIA, CLASSE DE PALAVRAS (SUBSTANTIVO,
O avanço da tecnologia afetou as bases de boa parte das ADJETIVO, PRONOMES, VERBO, ADVÉRBIO, CONJUGA-
profissões. As vítimas se contam às dezenas e incluem músicos, ÇÃO), FLEXÃO NOMINAL (GÊNERO, NÚMERO E GRAU),
jornalistas, carteiros etc. Um ofício relativamente poupado até FLEXÃO VERBAL (CONJUNÇÃO DE VERBOS REGULA-
aqui é o de médico. Até aqui. A crer no médico e “geek” Eric To- RES E IRREGULARES), SINTAXE, CONCORDÂNCIA DO
pol, autor de “The Patient Will See You Now” (o paciente vai vê- ADJETIVO COM O SUBSTANTIVO, CONCORDÂNCIA
-lo agora), está no forno uma revolução da qual os médicos não DO PREDICADO COM O SUJEITO, REGÊNCIA VERBAL
escaparão, mas que terá impactos positivos para os pacientes. E NOMINAL, NOÇÕES DE FRASE, PERÍODO, ORAÇÃO,
Para Topol, o futuro está nos smartphones. O autor nos PARÁGRAFO.
coloca a par de incríveis tecnologias, já disponíveis ou muito
próximas disso, que terão grande impacto sobre a medicina. Já FONÉTICA E FONOLOGIA: LETRA E FONEMA
é possível, por exemplo, fotografar pintas suspeitas e enviar as
imagens a um algoritmo que as analisa e diz com mais precisão Fonética
do que um dermatologista se a mancha é inofensiva ou se pode
ser um câncer, o que exige medidas adicionais. A Fonética ocupa-se em analisar os sons produzidos pelo
Está para chegar ao mercado um apetrecho que transforma aparelho fonador e a articulação desses sons de forma isolada.
o celular num verdadeiro laboratório de análises clínicas, reali- Ela descreve e analisa os sons em suas propriedades físicas.
zando mais de 50 exames a uma fração do custo atual. Também

3
LÍNGUA PORTUGUESA

Os sons produzidos na linguagem humana são chamados As vogais podem também ser tônicas ou átonas, dependen-
“fones” ou “segmentos” e podem ser classificados em três gru- do da intensidade com que são pronunciadas. A vogal tônica é
pos: pronunciada com mais intensidade: café, jogo. A vogal átona é
Consoantes – classificadas em: modos de articulação, lugar pronunciada com menor intensidade: café, jogo.
de articulação, vozeamento, nasalidade/oralidade.
Vogais – altura da língua, anterioridade/posterioridade da Semivogais: temos as letras “e”, “i”, “o”, “u”, representadas
língua, arredondamento dos lábios, nasalidade/oralidade. pelos fonemas /e/, /y/, /o/, /w/, quando formam sílaba com
Semivogais - são as vogais ” i ” e “u” (orais ou nasais) quando uma vogal. Exemplo: “memória” a sílaba “ria” apresenta a vogal
assilábicas, as quais acompanham a vogal nos encontros vocáli- “a” e a semivogal “i”.
cos.

Fonologia Quadro de Vogais e Semivogais

É o campo da Linguística que se ocupa dos estudos sonoros


do idioma, estudando o modo como os sons se organizam den-
tro da língua é possível classificá-los em unidades significativas,
chamadas de fonemas.

Letra

Letra é a representação gráfica dos sons. Exemplos: man-


dioca (tem 8 letras); amor (tem 4 letras).

Fonema
Consoantes: fonemas onde a corrente de ar, emitida para
Trata-se do menor elemento sonoro com habilidade de es-
sua produção, tem que forçar passagem na boca. Estes fonemas
tabelecer uma separação de significado entre palavras. Vejamos
só podem ser produzidos com a ajuda de uma vogal. Exemplos:
exemplo de fonemas que marcam a distinção entre os pares de
mato, cena.
palavras: sal – mal, sela – sala.
Encontros Vocálicos
É muito importante saber a diferença entre os fonemas e
as letras. Fonema é um elemento acústico e a letra é um sinal
Ditongos: encontro de uma vogal e uma semivogal na mes-
gráfico que representa o fonema. Nem sempre o número de fo- ma sílaba. Exemplos: cai (vogal + semivogal = ditongo decrescen-
nemas de uma palavra corresponde ao número de letras que te – a vogal vem antes da semivogal); armário (semivogal + vogal
usamos para escrevê-la. = ditongo crescente – a vogal vem depois da semivogal).
Exemplos:
coçar = 5 letras Tritongos: encontro de semivogal + vogal + semivogal na
/k/ /o/ /s/ /a/ /r/ = 5 fonemas mesma sílaba. Exemplo: Paraguai.
máximo = 6 letras Hiatos: sequência de duas vogais na mesma palavra, mas
/m/ /á/ /s/ /i/ /m/ /o/ = 6 fonemas que são de sílabas diferentes, pois nunca haverá mais que uma
vogal na sílaba. Exemplos: co-e-lho, sa-í-da, pa-ís.
acesso = 6 letras
/a/ /c/ /e/ /s/ /o/ = 5 fonemas Encontro Consonantal

chute = 5 letras Acontece quando há um grupo de consoantes sem vogal in-


/x/ /u/ /t/ /e/ = 4 fonemas termediária. Exemplos: pedra, planície, psicanálise, ritmo.

Os fonemas são classificados em vogais, semivogais e con- Dígrafos


soantes.
Vogais: fonemas que vieram das vibrações das cordas vo- Dígrafos são duas letras representadas por um só fonema.
cais onde a produção a corrente de ar passa livremente na cavi- São dígrafos: ch, lh, nh, rr, ss, sc, sç, xc ; incluem-se também am,
dade bucal. As vogais podem ser orais e nasais. an, em, en, im, in, om, on, um, un (que representam vogais na-
Orais: a corrente de ar passa apenas pela cavidade bucal. sais), gu e qu antes de ”e” e ‘i” e também ha, he, hi, ho, hu e, em
São: a, é, ê, i, ó, ô, u. Exemplos: pé, ali, pó, dor.
palavras estrangeiras, th, ph, nn, dd, ck, oo etc.
Nasais: a corrente de ar passa pela cavidade bucal e nasal.
A nasalidade pode ser indicada pelo til (~) ou pelas letras n e m.
Exemplos: mãe, lindo, pomba.

4
LÍNGUA PORTUGUESA

Os dígrafos podem ser: c) É a letra que representa dois fonemas ao mesmo tempo.
- Consonantais: Encontro de duas letras que representam d) É o conjunto de duas letras que representam um único
um fonema consonantal. Os principais são: ch, lh, nh, rr, ss, sc, fonema.
sç, xc, gu e qu.
Exemplos: chave, chefe, olho, ilha, unha, dinheiro, arranhar, 04. Pref. de Cruzeiro/SP - Instrutor de Desenho Técnico e
arrumação. Mecânico – 2016 - Instituto Excelência
Assinale a alternativa em que todas as palavras são exem-
plos de dígrafos:
- Vocálicos: Encontro de uma vogal seguida das letras m ou
a) Quente; Sequência; Cegueira
n, que resulta num fonema vocálico. Eles são: am, an; em, en; b) Aguentar; Carro; Ninho
im, in; om, on e um, un. Vale lembrar que nessa situação, as c) Assar; Banho; Querido.
letras m e n não são consoantes; elas servem para nasalizar as d) Nenhuma das alternativas
vogais.
Exemplos: amplo, anta, temperatura, semente, empecilho, 05. Pref. de Fortaleza/CE - Língua Portuguesa – 2016 - Pref.
tinta. de Fortaleza-CE

Atenção: nos dígrafos, as duas letras representam um só Marginalzinho: a socialização de uma elite vazia e covarde
fonema; nos encontros consonantais, cada letra representa um
fonema. Parada em um sinal de trânsito, uma cena capturou minha
atenção e me fez pensar como, ao longo da vida, a segregação
da sociedade brasileira nos bestializa
QUESTÕES

01. Pref. de Cruzeiro/SP – Instrutor de Desenho Técnico e 01 Era a largada de duas escolas que estavam situadas uma
Mecânico – 2016 - Instituto Excelência do lado da outra, separadas por um muro altíssimo de uma
Sobre fonologia e fonética, observe as afirmativas a seguir: 02 delas. Da escola pública saíam crianças correndo, brin-
I - A fonética se diferencia da Fonologia por considerar os cando e falando alto. A maioria estava desacompanhada
sons independentes das oposições paradigmáticas e combina- e dirigia-se
ções sintagmáticas.
03 ao ponto de ônibus da grande avenida, que terminaria nas
II - A fonética estuda os sons como entidades físico articu-
periferias. Era uma massa escura, especialmente quando
latórias associadas. É a parte da Gramática que estuda de forma
geral os fonemas, ou seja, os sons que as letras emitem. 04 contrastada com a massa mais clara que saía da escola par-
III - À fonologia cabe estudar as diferenças fônicas intencio- ticular do lado: crianças brancas, de mãos dadas com os
nais, distintivas, isto é, que se unem a diferenças de significação; 05 pais, babás ou seguranças, caminhando duramente em di-
estabelecer a relação entre os elementos de diferenciação e reção à fila de caminhonetes. Lado a lado, os dois grupos
quais as condições em que se combinam uns com os outros para não
formar morfemas, palavras e frases.
06 se misturavam. Cada um sabia exatamente seu lugar. Des-
de muito pequenas, aquelas crianças tinham literalmente
Assinale a alternativa CORRETA:
A) As afirmativas I e II estão corretas. 07 incorporado a segregação à brasileira, que se caracteriza
B) As afirmativas II e III estão corretas. pela mistura única entre o sistema de apartheid racial e
C) As afirmativas I e III estão corretas. o de
D) Nenhuma das alternativas. 08 castas de classes. Os corpos domesticados revelavam o
triste processo de socialização ao desprezo, que tende a só
02. Pref. de Caucaia/CE – Agente de Suporte a Fiscalização
09 piorar na vida adulta. [...]
– 2016 - CETREDE
PINHEIRO-MACHADO, Rosana. In http://www.cartacapital.com.br/so-
Assinale a opção em que o x de todos os vocábulos não tem ciedade/marginalzinho-a-socializacao-de-uma-elite-vazia-e-covarde- 3514.
o som de /ks/. html (acesso em 07/03/16).
A) tóxico – axila – táxi.
B) táxi – êxtase – exame. O sistema fonológico da língua portuguesa falada no Brasil
C) exportar – prolixo – nexo. apresenta alguns embaraços (sobretudo para os alunos) quando
D) tóxico – prolixo – nexo. se estão estudando as regras de ortografia. Nesse caso, a palavra
E) exército – êxodo – exportar. ”desprezo” (l. 09) pode ser considerado exemplo desse tipo de
dificuldade para o discente, porque:
03. Pref. de Chapecó/SC - Engenheiro de Trânsito – 2016 A) o fonema [z] em posição intervocálica pode ser represen-
- IOBV tado pelos grafemas S ou Z.
Diga qual destas definições é a que cabe para dígrafo? B) os fonemas [s] e [z] são intercambiáveis quando se si-
a) É a menor unidade sonora distintiva da palavra. tuam na sílaba tônica.
b) É o fonema vocálico que se agrupa com a vogal, numa C) a sibilante sonora [z] se ensurdece quando está entre
sílaba. duas vogais.

5
LÍNGUA PORTUGUESA

D) o fonema [s] em posição mediossilábica tende a desso- Divisão silábica. Classificação das palavras quanto ao
norizar-se. número de sílabas

06. CASSEMS/MS - Técnico de enfermagem – 2016 - MS A cada um dos grupos pronunciados de uma determinada
CONCURSOS palavra numa só emissão de voz, dá-se o nome de sílaba. Na
Língua Portuguesa, o núcleo da sílaba é sempre uma vogal, não
As algas existe sílaba sem vogal e nunca mais que uma vogal em cada
sílaba.
As algas
Para sabermos o número de sílabas de uma palavra, de-
das águas salgadas
vemos perceber quantas vogais tem essa palavra. Mas preste
são mais amadas,
são mais amargas atenção, pois as letras i e u (mais raramente com as letras e e o)
podem representar semivogais.
As algas marinhas
não andam sozinhas, Classificação por número de sílabas
de um reino maravilhoso
são as rainhas. Monossílabas: palavras que possuem uma sílaba.
Exemplos: ré, pó, mês, faz
As algas muito amigas
inventam cantigas Dissílabas: palavras que possuem duas sílabas.
pra embalar Exemplos: ca/sa, la/ço.
os habitantes do mar.
Trissílabas: palavras que possuem três sílabas.
As algas tão sábias Exemplos: i/da/de, pa/le/ta.
são cheias de lábias
se jogam sem medo Polissílabas: palavras que possuem quatro ou mais sílabas.
e descobrem Exemplos: mo/da/li/da/de, ad/mi/rá/vel.
o segredo
mais profundo
que há bem no fundo Divisão Silábica
do mar.
- Letras que formam os dígrafos “rr”, “ss”, “sc”, “sç”, “xs”, e
As algas em seus verdores “xc” devem permanecer em sílabas diferentes. Exemplos:
são plantas e são flores. des – cer
Um pouco de tudo: de bichos, de gente, de flores, de Elias José. São pás – sa – ro...
Paulo: Paulinas, 1982. p. 17.
- Dígrafos “ch”, “nh”, “lh”, “gu” e “qu” pertencem a uma úni-
Considerando as palavras mencionadas em cada alternati- ca sílaba. Exemplos:
va, escolha aquela em que há correspondência entre o número chu – va
de fonemas e o de letras. quei – jo
A) “há”; “de”.
B) “bem”; “mar”. - Hiatos não devem permanecer na mesma sílaba. Exem-
C) “fundo”; “algas”. plos:
D) “que”; “são”. ca – de – a – do
ju – í – z
RESPOSTAS
- Ditongos e tritongos devem pertencer a uma única sílaba.
01 C Exemplos:
02 E en – xa – guei
cai – xa
03 D
04 C - Encontros consonantais que ocorrem em sílabas internas
05 A não permanecem juntos, exceto aqueles em que a segunda con-
soante é “l” ou “r”. Exemplos:
06 B ab – dô – men
flau – ta (permaneceram juntos, pois a segunda letra é re-
presentada pelo “l”)
pra – to (o mesmo ocorre com esse exemplo)

- Alguns grupos consonantais iniciam palavras, e não podem


ser separados. Exemplos:

6
LÍNGUA PORTUGUESA

peu – mo – ni – a Como saber se a avaliação é boa? Primeiro: ela mira no aper-


psi – có – lo – ga feiçoamento do conhecimento e não em um ataque pessoal. A
boa crítica indica aperfeiçoamento. Notamos, no arguidor sin-
Acento Tônico cero, uma diminuição da passionalidade. Refulgem argumentos
e dados. Mínguam questões subjetivas. Há mais substantivos e
Quando se pronuncia uma palavra de duas sílabas ou mais, menos adjetivos. Não digo o que eu faria ou o que eu sou. Indico
há sempre uma sílaba com sonoridade mais forte que as demais. apenas como algo pode ser melhor e a partir de quais critérios.
valor - a sílaba lor é a mais forte. Que argumentos estão bem fundamentados e quais poderiam
maleiro - a sílaba lei é a mais forte. ser revistos. Objetividade é um campo complexo em filosofia,
mas, certamente, alguém babando e adjetivando foge um pouco
Classificação por intensidade do perfil objetivo.
Duas coisas ajudam na empreitada. A primeira é conheci-
-Tônica: sílaba com mais intensidade.
mento. Há um mínimo de formação. Não me refiro a títulos, mas
- Átona: sílaba com menos intensidade.
à energia despendida em absorver conceitos. Nada posso dizer
- Subtônica: sílaba de intensidade intermediária.
sobre aquilo do qual nada sei. Pouco posso dizer sobre o que
Classificação das palavras pela posição da sílaba tônica escassamente domino. A segunda é a busca da impessoalidade.
Critico não por causa da minha dor, da minha inveja, do meu
As palavras com duas ou mais sílabas são classificadas de espelho. Examino a obra em si, não a obra que eu gostaria de ter
acordo com a posição da sílaba tônica. feito ou a que me incomoda pelo simples sucesso da sua exis-
tência. Critico o defeito e não a luz. [...]
- Oxítonos: a sílaba tônica é a última. Exemplos: paletó, Pa- Disponível em:<https://jomalggn.com.br/noticia/insulto-
raná, jacaré. -logo-existo-por-leandro-karnal> . Acesso em: 11 dez. 2017.
- Paroxítonos: a sílaba tônica é a penúltima. Exemplos: fácil,
banana, felizmente. Assinale a alternativa em que a divisão silábica de todas as
- Proparoxítonos: a sílaba tônica é a antepenúltima. Exem- palavras está correta
plos: mínimo, fábula, término. A) In-sul-to; ex-pre-ssão; ques-ti-o-na-men-to.
B) So-cie-da-des; exa-mi-no; o-bra.
C) A-per-fe-i-ço-a-men-to; ques-tõ-es; con-tradi-tó-rio.
Questões D) A-va-li-a-ção; li-ber-da-de; ad-je-ti-van-do.
E) Ar-gui-dor; su-bs-tan-ti-vos; cer-ta-men-te.
01. Câmara de Pará de Minas - MG - Agente Legislativo –
2018 – FUMARC Leia o texto e responda as questões 03 e 04.
A divisão silábica está correta, EXCETO em:
A) cor ren tes O Mirante do Sertão
B) cri pto gra fi a
C) ga fa nho to Parque ambiental que, segundo dados da Sudema, possui
D) im pres cin dí veis aproximadamente 500 hectares de área composta de espécies
de Mata Atlântica e Caatinga, a Serra do Jabre é reconhecida
02. ITEP - RN - Perito Criminal – Químico – 2018 – Instituto pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) como uma das maio-
AOCP
res fontes de pesquisas biológicas do país, pois possui espécies
endêmicas que só existem aqui na reserva ecológica e devem
Insulto, logo existo
ser fruto de estudo para evitar extinção de exemplares raros da
(Leandro Karnal)
fauna e da flora. O Parque possui 1.197 metros de altitude e é
No momento em que eu apenas uso o rótulo, perco a chan- um observatório natural que permite que os visitantes contem-
ce de ver engenho e arte plem do alto toda cobertura vegetal acompanhada de relevos
e fontes de água dos municípios vizinhos. Uma paisagem rica
A crítica e o contraditório são fundamentais. Grande parte em belezas naturais, que atrai a atenção de turistas brasileiros
do avanço em liberdades individuais e nas ciências nasceu do e estrangeiros.
questionamento de paradigmas. Sociedades abertas crescem (...)
mais do que sociedades fechadas. A base da democracia é a li- O Pico do Jabre surpreende por suas belezas, clima agra-
berdade de expressão. Sem oposição, não existe liberdade. dável e uma visão de encher de entusiasmo e energia positiva
Uma crítica bem fundamentada destaca dados que um au- qualquer visitante. Com uma panorâmica de 130 km de visão, de
tor não percebeu. Um juízo ponderado é excelente. Mais de uma onde se pode ver, a olho nu, os Estados do Rio Grande do Norte
vez percebi que um olhar externo via melhor do que eu. Inexiste e Pernambuco, o Mirante do Sertão, título mais que merecido, é
ser humano que não possa ser alvo de questionamento. Horácio um dos lugares mais belos da Paraíba, com potencialidade para
garantia, com certa indignação, que até o hábil Homero poderia se tornar um dos complexos turísticos mais bem visitados do Es-
cochilar (QuandoquebonusdormitatHomerus - ArsPoetica, 359). tado.
A crítica pode nos despertar. (...)

7
LÍNGUA PORTUGUESA

Cenário ideal para os praticantes de esportes radicais, o A) I-ne-le-gi-bi-li-da-de, ex-ce-ção.


Pico do Jabre atrai turistas de todas as partes do país, equipados B) P-te-ro-dác-ti-lo, re-tân-gu-lo.
com seus acessórios de segurança. A existência de trilhas fecha- C) Cons-ti-tu-ci-o-nal-men-te, as-cen-so-ris-ta.
das é outro atrativo para os desportistas, incansáveis na busca D) A-qua-pla-na-gem, pro-jé-teis.
de aventura.
O entorno do Parque Estadual do Pico do Jabre abrange cin- Respostas
co municípios com atividades econômicas voltadas para a agri-
cultura. A turística no meio rural é uma das perspectivas para 01. (B) 02. (D) 03. (C) 4. (E) 05. (D) 06. (B)
o desenvolvimento desta economia. O Parque Estadual do Pico
do Jabre, dentro da malha turística do estado da Paraíba, com ORTOGRAFIA
roteiros alternativos envolvendo esportes, cultura, gastronomia
e lazer, traz benefícios a uma população, com a geração de mais A Ortografia estuda a forma correta de escrita das palavras
empregos. de uma língua. Do grego “ortho”, que quer dizer correto e “gra-
O Parque Ecológico, como atrativo turístico natural desta fo”, por sua vez, que significa escrita.
região, faz surgir novos serviços, tais como mateiros, guias, ta- É influenciada pela etimologia e fonologia das palavras.
xistas, cozinheiros, dentre outros, os quais estão diretamente Além disso, são feitas convenções entre os falantes de uma mes-
ligados ao visitante. Os novos empreendimentos que surgirão, ma língua que visam unificar a sua ortografia oficial. Trata-se dos
vão gerar recursos utilizados para a adequação da infraestrutura acordos ortográficos.
local. Assim, surgirão novos horizontes para a região do entorno
do Pico do Jabre, contribuindo para permanência de sua popula- Alfabeto
ção, que não mais migrará em busca de empregos e melhor qua- O alfabeto é formado por 26 letras
lidade de vida. Com a preservação da natureza, que está pronta Vogais: a, e, i, o, u, y, w.
para despertar uma nova visão desta atividade tão promissora Consoantes: b,c,d,f,g,h,j,k,l,m,n,p,q,r,s,t,v,w,x,z.
que é o turismo no meio rural. Alfabeto: a,b,c,d,e,f,g,h,i,j,k,l,m,n,o,p,q,r,s,t,u,v,w,x,y,z.
(http://www.matureia.pb.gov.br).
Regras Ortográficas
03. Prefeitura de Maturéia/PB - Agente Administrativo –
2016 - EDUCA Uso do x/ch
Assinale a opção em que TODAS as palavras apresentam se-
paração de sílaba escrita INCORRETAMENTE. O x é utilizado:
A) Am-bi-en-tal - pos-su-i - hec-ta-res - Em geral, depois dos ditongos: caixa, feixe.
B) A-tlân-ti-ca - caa-tin-ga - pa-ís - Depois da sílaba -me: mexer, mexido, mexicano.
C) Es-pé-cies - mu-ni-cí-pios -per-ma-nên-cia - Palavras com origem indígena ou africana: xavante, xingar.
- Depois da sílaba inicial -en: enxofre, enxada.
D) A-de-qua-ção - in-can-sá-ve-is - na-tu-rais
- Exceção: O verbo encher (e palavras derivadas) escreve-se
E) Ma-te-i-ro - pro-mis-so-ra - mei-o
com ch.
04. Pref. de Maturéia/PB - Agente Administrativo – 2016
– EDUCA Escreve-se com x Escreve-se com ch
Algumas palavras do texto estão escritas com acento. Quan- bexiga bochecha
to à posição da sílaba tônica, as palavras turística, agradável e
país são RESPECTIVAMENTE: bruxa boliche
A) Paroxítona - oxítona - proparoxítona. caxumba broche
B) Proparoxítona - oxítona - paroxítona. elixir cachaça
C) Paroxítona - paroxítona - proparoxítona.
D) Proparoxítona - paroxítona - paroxítona. faxina chuchu
E) Proparoxítona - paroxítona - oxítona. graxa colcha
lagartixa fachada
05. CEMIG - MG - Técnico de Gestão Administrativa I –
2018 – FUMARC
A divisão silábica está correta, EXCETO em: Uso do h
A) re.ins.ta.la.ção
B) pro.po.si.tal.men.te O h é utilizado:
C) per.nós.ti.co - No final de interjeições: Ah!, Oh!
D) exas.pe.ra.da.men.te - Por etimologia: hoje, homem.
- Nos dígrafos ch, lh, nh: tocha, carvalho, manhã.
06. Fundação Araucária - PR - Assistente Administrativo – - Palavras compostas: sobre-humano, super-homem.
2017 – FAFIPA - Exceção: Bahia quando se refere ao estado. O acidente
Indique a alternativa em que há um erro de separação si- geográfico baía é escrito sem h.
lábica.

8
LÍNGUA PORTUGUESA

Uso do s/z cavaleiro (de cavalos) cavalheiro (educado)


O s é utilizado: descrição (descrever) discrição (de discreto)
- Adjetivos terminados pelos sufixos -oso/-osa que indicam emigrar (deixar o país) imigrar (entrar no país)
grande quantidade, estado ou circunstância: maudoso, feiosa.
- Nos sufixo -ês, -esa, -isa que indicam origem, título ou pro- Palavras homônimas têm a mesma pronúncia, mas signifi-
fissão: marquês, portuguesa, poetisa. cados diferentes.
- Depois de ditongos: coisa, pousa. Exemplos:
- Na conjugação dos verbos pôr e querer: pôs, quiseram.

O z é utilizado: cela (cômodo pequeno) sela (de cavalos)


ruço (pardo claro) russo (da Rússia)
- Nos sufixos -ez/-eza que formam substantivos a partir de tachar (censurar) taxar (fixar taxa)
adjetivos: magro - magreza, belo - beleza, grande - grandeza.
- No sufixo - izar, que forma verbo: atualizar, batizar, hospi- Consoantes dobradas
talizar.
- Só se duplicam as consoantes C, R, S.
Escreve-se com s Escreve-se com z - Escreve-se com CC ou CÇ quando as duas consoantes soam
Alisar amizade distintamente: convicção, cocção, fricção, facção, etc.
- Duplicam-se o R e o S em dois casos: Quando, intervocáli-
atrás azar cos, representam os fonemas /r/ forte e /s/ sibilante, respecti-
através azia vamente: carro, ferro, pêssego, missão, etc. Quando há um ele-
mento de composição terminado em vogal a seguir, sem inter-
gás giz
posição do hífen, palavra começada com /r/ ou /s/: arroxeado,
groselha prazer correlação, pressupor, etc.
invés rodízio
Uso do hífen
Uso do g/j
Desde a entrada em vigor do atual acordo ortográfico, a
O g é utilizado: escrita de palavras com hífen e sem hífen tem sido motivo de
- Palavras que terminem em -ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio: dúvidas para diversos falantes.
pedágio, relógio, refúgio.
- Substantivos que terminem em -gem: lavagem, viagem. Palavras com hífen:
segunda-feira (e não segunda feira);
O j é utilizado: bem-vindo (e não benvindo);
- Palavras com origem indígena: pajé, canjica. mal-humorado (e não mal humorado);
- Palavras com origem africana: jiló, jagunço. micro-ondas (e não microondas);
bem-te-vi (e não bem te vi).
Escreve-se com g Escreve-se com j Palavras sem hífen:
estrangeiro berinjela dia a dia (e não dia-a-dia);
fim de semana (e não fim-de-semana);
gengibre cafajeste
à toa (e não à-toa);
geringonça gorjeta autoestima (e não auto-estima);
gíria jiboia antirrugas (e não anti-rugas).
ligeiro jiló QUESTÕES
tangerina sarjeta
01. SEAP-MG - Agente de Segurança Penitenciário – 2018
Parônimos e Homônimos - IBFC

Há diferentes formas de escrita que existem, mas cujo sig- A ortografia estuda a forma correta da escrita das palavras
nificado é diferente. de uma determinada língua, no caso a Língua Portuguesa. É in-
fluenciada pela etimologia e fonologia das palavras, assim sendo
Palavras parônimas são parecidas na grafia ou na pronúncia, observe com atenção o texto. Agente Penitenciário, Agente Pri-
mas têm significados diferentes. sional, Agente de Segurança Penitenciário ou Agente Estadual/
Exemplos: Federal de Execução Penal. Entre suas atribuições estão: manter
a ordem, diciplina, custódia e vigilância no interior das unida-

9
LÍNGUA PORTUGUESA

des prisionais, assim como no âmbito externo das unidades, A) Vôo, dêem, paranóico, assembléia, feiúra, vêem, baiúca.
como escolta armada para audiências judiciais, transferência de B) Interresistente, superrevista, manda-chuva, paraquedas.
presos etc. Desempenham serviços de natureza policial como C) Antirreligioso, extraescolar, infrassom, coautor, antiaéreo.
aprensões de ilícitos, revistas pessoais em detentos e visitan- D) Préhistória, autobservação, infraxilar, suprauricular, inábil.
tes, revista em veículos que adentram as unidades prisionais,
controle de rebeliões e ronda externa na área do perímetro de 05. MPE-GO - Auxiliar Administrativo – 2018 – MPE-GO
Assinale a opção que completa corretamente as lacunas do
segurança ao redor da unidade prisional. Garantem a seguran-
período abaixo.
ça no trabalho de ressosialização dos internos promovido pelos
pisicólogos, pedagogos e assistentes sociais. Estão subordinados Agora que há uma câmera de ________. isto provavelmente
às Secretarias de Estado de Administração Penitenciária - SEAP, não _____acontecerá, mas _____vezes em que, no meio de uma
secretarias de justiças ou defesa social, dependendo da nomen- noite __________, o poeta levantava de seu banco [...]
clatura adotada em cada Estado.
Fonte: Wikipedia – *com alterações ortográficas. A) investigassâo mas ouve chuvosa
B) investigassâo mais houve chuvoza
Assinale a alternativa que apresenta todas as palavras, reti- C) investigação mais houve chuvosa
radas do texto, com equívocos em sua ortografia. D) investigação mas houve chuvosa
A) atribuições; diciplina; audiências; desempenham. E) investigação mais ouve chuvoza
B) diciplina; aprensões; ressosialização; pisicólogos.
C) audiências; ilícitos; atribuições; desempenham. RESPOSTAS
D) perímetro; diciplina; desempenham; ilícitos.
E) aprensões; ressosialização; desempenham; audiências. 01 B
02 E
02. ELETTROBRAS – LEITURISTA – 2015 – IADES
Considerando as regras de ortografia, assinale a alternativa 03 D
em que a palavra está grafada corretamente. 04 C
A) Dimencionar.
05 C
B) Assosciação.
C) Capassitores. ACENTUAÇÃO
D) Xoque.
E) Conversão. A acentuação gráfica é feita através de sinais diacríticos que,
sobrepostos às vogais, indicam a pronúncia correta das palavras
03. MPE SP – ANALISTA DE PROMOTORIA – 2015 - VUNESP no que respeita à sílaba tônica e no que respeita à modulação
aberta ou fechada das vogais.
Esses são elementos essenciais para estabelecer organiza-
damente, por meio de regras, a intensidade das palavras das
sílabas portuguesas.

Acentuação tônica

Refere-se à intensidade em que são pronunciadas as sílabas


das palavras. Aquela que é pronunciada de forma mais acentua-
da é a sílaba tônica. As demais, pronunciadas com menos inten-
sidade, são denominadas de átonas.
De acordo com a posição da sílaba tônica, os vocábulos com
mais de uma sílaba classificam-se em:
Oxítonos: quando a sílaba tônica é a última: café, rapaz, es-
(Dik Brownie, Hagar. www.folha.uol.com.br, 29.03.2015. Adaptado)
critor, maracujá.
Paroxítonos: quando a sílaba tônica é a penúltima: mesa,
Considerando a ortografia e a acentuação da norma-padrão lápis, montanha, imensidade.
da língua portuguesa, as lacunas estão, correta e respectiva- Proparoxítonos: quando a sílaba tônica é a antepenúltima:
mente, preenchidas por: árvore, quilômetro, México.
A) mal ... por que ... intuíto
B) mau ... por que ... intuito Acentuação gráfica
C) mau ... porque ... intuíto
D) mal ... porque ... intuito - Proparoxítonas: todas acentuadas (místico, jurídico, bélico).
E) mal ... por quê ... intuito - Palavras oxítonas: oxítonas terminadas em “a”, “e”, “o”,
“em”, seguidas ou não do plural (s): (Paraná – fé – jiló (s)).
04. PBH Ativos S.A. - Analista Jurídico – 2018 – IBGP - Também acentuamos nos casos abaixo:
Assinale a alternativa em que todas as palavras estão grafa- - Monossílabos tônicos terminados em “a”, “e”, “o”, segui-
das conforme as regras do Novo Acordo Ortográfico relativas à dos ou não de “s”: (pá – pé – dó)
sistematização do emprego de hífen ou de acentuação.

10
LÍNGUA PORTUGUESA

- Formas verbais terminadas em “a”, “e”, “o” tônicos segui- - 3ª pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos
das de lo, la, los, las: (recebê-lo – compô-lo) ter e vir e dos seus compostos (conter, reter, advir, convir etc.)
- Paroxítonas: Acentuam-se as palavras paroxítonas termi- tem acento.
nadas em: i, is (táxi – júri), us, um, uns (vírus, fórum), l, n, r, x, ps
(cadáver – tórax – fórceps), ã, ãs, ão, ãos (ímã – órgãos).
- Ditongo oral, crescente ou decrescente, seguido ou não de Singular plural
“s”: (mágoa – jóquei) ele tem eles têm

Regras especiais: ele vem eles vêm


ele obtém eles obtêm
- Ditongos de pronúncia aberta “ei”, “oi”, perderam o acento
com o Novo Acordo. → Palavras homógrafas para diferenciá-las de outras seme-
lhantes não se usa mais acento. Apenas em algumas exceções,
Antes agora como:
A forma verbal pôde (3ª pessoa do singular - pretérito per-
Assembléia Assembleia
feito do indicativo) ainda é acentuada para diferenciar-se de
Idéia Ideia pode (3ª pessoa do singular - presente do indicativo). Também o
Geléia Geleia verbo pôr para diferenciá-lo da preposição por.
Jibóia Jiboia Alguns homógrafos:
Apóia (verbo) Apoia pera (substantivo) - pera (preposição antiga)
Paranóico Paranoico para (verbo) - para (preposição)
pelo(s) (substantivo) - pelo (do verbo pelar)
- “i” e “u” tônicos formarem hiato com a vogal anterior,
acompanhados ou não de “s”, desde que não sejam seguidos Atenção, pois palavras derivadas de advérbios ou adjetivos
por “-nh”, haverá acento: (saída – baú – país). não são acentuadas

- Não serão mais acentuados “i” e “u” tônicos formando hia- Exemplos:
to quando vierem depois de ditongo: Facilmente - de fácil
Habilmente - de hábil
Ingenuamente – de ingênuo
Antes agora
Somente - de só
Bocaiúva Bocaiuva Unicamente - de único
Feiúra Feiura Dinamicamente - de dinâmico
Espontaneamente - de espontâneo
Sauípe Sauipe
Uso da Crase
- Acento pertencente aos hiatos “oo” e “ee” foi abolido.
- É usada na contração da preposição a com as formas fe-
Antes agora mininas do artigo ou pronome demonstrativo a: à (de a + a), às
crêem creem (de a + as).
vôo voo - A crase é usada também na contração da preposição “a”
com os pronomes demonstrativos:
- Vogais “i” e “u” dos hiatos se vierem precedidas de vogal àquele(s)
idêntica, não tem mais acento: (xi-i-ta, pa-ra-cu-u-ba). àquela(s)
- Haverá o acento em palavra proparoxítona, pois a regra àquilo
de acentuação das proparoxítonas prevalece sobre a dos hiatos: àqueloutro(s)
(se-ri-ís-si-mo) àqueloutra (s)
- Não há mais acento nas formas verbais que possuíam o
acento tônico na raiz com “u” tônico precedido de “g” ou “q” e Uso do Trema
seguido de “e” ou “i”.
- Só é utilizado nas palavras derivadas de nomes próprios.
Antes agora Müller – de mülleriano
averigúe (averiguar) averigue
argúi (arguir) argui

11
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÕES 02. Pref. De Caucaia/CE – Agente de Suporte e Fiscalização


- 2017 - CETREDE
01. Pref. Natal/RN - Agente Administrativo – 2016 - CKM Indique a alternativa em que todas as palavras devem rece-
Serviço ber acento.
Mostra O Triunfo da Cor traz grandes nomes do pósimpres- A) virus, torax, ma.
sionismo para SP Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil A B) caju, paleto, miosotis .
exposição O Triunfo da Cor traz grandes nomes da arte moder- C) refem, rainha, orgão.
na para o Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo. São 75 D) papeis, ideia, latex.
obras de 32 artistas do final do século 19 e início do 20, entre E) lotus, juiz, virus.
eles expoentes como Van Gogh, Gauguin, Toulouse-Lautrec, Cé-
zanne, Seurat e Matisse. Os trabalhos fazem parte dos acervos 03. MPE/SC – Promotor de Justiça- 2017 - MPE/SC
do Musée d’Orsay e do Musée de l’Orangerie, ambos de Paris. “Desde as primeiras viagens ao Atlântico Sul, os navegadores
A mostra foi dividida em quatro módulos que apresentam europeus reconheceram a importância dos portos de São Francis-
os pintores que sucederam o movimento impressionista e rece- co, Ilha de Santa Catarina e Laguna, para as “estações da aguada”
beram do crítico inglês Roger Fry a designação de pósimpressio- de suas embarcações. À época, os navios eram impulsionados a
nistas. Na primeira parte, chamada de A Cor Cientifica, podem vela, com pequeno calado e autonomia de navegação limitada.
ser vistas pinturas que se inspiraram nas pesquisas científicas Assim, esses portos eram de grande importância, especialmente
de Michel Eugene Chevreul sobre a construção de imagens com para os navegadores que se dirigiam para o Rio da Prata ou para o
pontos. Pacífico, através do Estreito de Magalhães.”
Os estudos desenvolvidos por Paul Gauguin e Émile Bernard (Adaptado de SANTOS, Sílvio Coelho dos. Nova História de Santa Catari-
marcam a segunda parte da exposição, chamada de Núcleo Mis- na. Florianópolis: edição do Autor, 1977, p. 43.)
terioso do Pensamento. Entre as obras que compõe esse conjun-
to está o quadro Marinha com Vaca, em que o animal é visto em No texto acima aparecem as palavras Atlântico, época, Pacífi-
um fundo de uma passagem com penhascos que formam um co, acentuadas graficamente por serem proparoxítonas.
precipício estreito. As formas são simplificadas, em um contorno ( ) Certo ( ) Errado
grosso e escuro, e as cores refletem a leitura e impressões do
artista sobre a cena. 04. Pref. De Nova Veneza/SC – Psicólogo – 2016 - FAEPESUL
O Autorretrato Octogonal, de Édouard Vuillard, é uma das Analise atentamente a presença ou a ausência de acento grá-
pinturas de destaque do terceiro momento da exposição. Intitu- fico nas palavras abaixo e indique a alternativa em que não há
lada Os Nabis, Profetas de Uma Nova Arte, essa parte da mostra erro:
também reúne obras de Félix Vallotton e Aristide Maillol. No au- A) ruím - termômetro - táxi – talvez.
torretrato, Vuillard define o rosto a partir apenas da aplicação B) flôres - econômia - biquíni - globo.
de camadas de cores sobrepostas, simplificando os traços, mas C) bambu - através - sozinho - juiz
criando uma imagem de forte expressão. D) econômico - gíz - juízes - cajú.
O Mulheres do Taiti, de Paul Gauguin, é um dos quadros E) portuguêses - princesa - faísca.
da última parte da mostra, chamada de A Cor em Liberalidade,
que tem como marca justamente a inspiração que artistas como 05. INSTITUTO CIDADES – Assistente Administrativo VII –
Gauguin e Paul Cézanne buscaram na natureza tropical. A pin- 2017 - CONFERE
tura é um dos primeiros trabalhos de Gauguin desenvolvidos Marque a opção em que as duas palavras são acentuadas por
na primeira temporada que o artista passou na ilha do Pacífico, obedecerem à regras distintas:
onde duas mulheres aparecem sentadas a um fundo verde-es- A) Catástrofes – climáticas.
meralda, que lembra o oceano. B) Combustíveis – fósseis.
A exposição vai até o dia 7 de julho, com entrada franca. C) Está – país.
http://agenciabrasil.ebc.com.br/cultura/noticia/2016-05/mostra-o- D) Difícil – nível.
triunfo-da-cor-traz-grandes-nomes-do-pos-impressionismo-para-sp Acesso
em: 29/05/2016. 06. IF-BA - Administrador – 2016 - FUNRIO
Assinale a única alternativa que mostra uma frase escrita in-
“As palavras ‘módulos’ e ‘última’, presentes no texto, teiramente de acordo com as regras de acentuação gráfica vigen-
são ____________ acentuadas por serem ____________ e tes.
____________, respectivamente”. A) Nas aulas de Ciências, construí uma mentalidade ecológica
As palavras que preenchem correta e respectivamente as responsável.
lacunas do enunciado acima são: B) Nas aulas de Inglês, conheci um pouco da gramática e da
A) diferentemente / proparoxítona / paroxítona cultura inglêsa.
B) igualmente / paroxítona / paroxítona C) Nas aulas de Sociologia, gostei das idéias evolucionistas
C) igualmente / proparoxítona / proparoxítona e de estudar ética.
D) diferentemente / paroxítona / oxítona D) Nas aulas de Artes, estudei a cultura indígena, o barrôco
e o expressionismo
E) Nas aulas de Educação Física, eu fazia exercícios para glu-
teos, adutores e tendões.

12
LÍNGUA PORTUGUESA

RESPOSTAS Ponto-e-Vírgula ( ; )
Usamos para:
- separar os itens de uma lei, de um decreto, de uma peti-
01 C
ção, de uma sequência, etc.:
02 A Art. 217. É dever do Estado fomentar práticas desportivas
03 CERTO formais e não formais, como direito de cada um, observados:
I - a autonomia das entidades desportivas dirigentes e asso-
04 C ciações, quanto a sua organização e funcionamento;
05 C II - a destinação de recursos públicos para a promoção prio-
ritária do desporto educacional e, em casos específicos, para a
06 A
do desporto de alto rendimento;
III - o tratamento diferenciado para o desporto profissional
e o não profissional;
PONTUAÇÃO IV - a proteção e o incentivo às manifestações desportivas
de criação nacional.
Pontuação são sinais gráficos empregados na língua escrita - separar orações coordenadas muito extensas ou orações
para demonstrar recursos específicos da língua falada, como: coordenadas nas quais já tenham sido utilizado a vírgula.
entonação, silêncio, pausas, etc. Tais sinais têm papéis variados
no texto escrito e, se utilizados corretamente, facilitam a com- Dois-Pontos ( : )
preensão e entendimento do texto. Usamos para:
- iniciar a fala dos personagens: O pai disse: Conte-me a ver-
Ponto ( . ) dade, meu filho.
Usamos para: - antes de apostos ou orações apositivas, enumerações ou
- indicar o final de uma frase declarativa: não irei ao sho- sequência de palavras que explicam, resumem ideias anteriores:
pping hoje. Comprei alguns itens: arroz, feijão e carne.
- separar períodos entre si: Fecha a porta. Abre a janela. - antes de citação: Como dizia minha mãe: “Você não é todo
- abreviaturas: Av.; V. Ex.ª mundo.”

Vírgula ( , ) Ponto de Interrogação ( ? )


Usamos para: Usamos para:
- marcar pausa do enunciado a fim de indicar que os ter- - perguntas diretas: Onde você mora?
- em alguns casos, junto com o ponto de exclamação: Quem
mos separados, apesar de serem da mesma frase ou oração, não
você ama? Você. Eu?!
formam uma unidade sintática: Maria, sempre muito simpática,
acenou para seus amigos. Ponto de Exclamação ( ! )
Usamos:
Não se separam por vírgula: - Após vocativo: Volte, João!
- predicado de sujeito; - Após imperativo: Aprenda!
- objeto de verbo; - Após interjeição: Psiu! Eba!
- adjunto adnominal de nome; - Após palavras ou frases que tenham caráter emocional:
- complemento nominal de nome; Poxa!
- predicativo do objeto;
- oração principal da subordinada substantiva (desde que Reticências ( ... )
esta não seja apositiva nem apareça na ordem inversa). Usamos para:
- indicar dúvidas ou hesitação do falante: Olha...não sei se
A vírgula também é utilizada para: devo... melhor não falar.
- interrupção de uma frase deixada gramaticalmente incom-
- separar o vocativo: João, conte a novidade.
pleta: Você queria muito este jogo novo? Bom, não sei se você
- separar alguns apostos: Célia, muito prendada, preparou
merece...
a refeição.
- indicar supressão de palavra(s) numa frase transcrita:
- separar o adjunto adverbial antecipado ou intercalado: Al-
Quando ela começou a falar, não parou mais... terminou uma
gumas pessoas, muitas vezes, são falsas.
hora depois.
- separar elementos de uma enumeração: Vendem-se pães,
tortas e sonho.
Aspas ( “ ” )
- separar conjunções intercaladas: Mário, entretanto, nunca
mais deu notícias. Usamos para:
- isolar o nome de lugar na indicação de datas: Londrina, 25 - isolar palavras ou expressões que fogem à norma culta:
de Setembro de 2017. gírias, estrangeirismos, palavrões, neologismos, arcaísmos e ex-
- marcar a omissão de um termo (normalmente o verbo): pressões populares.
Ele prefere dormir, eu me exercitar. (omissão do verbo preferir) - indicar uma citação textual.

13
LÍNGUA PORTUGUESA

Parênteses ( () ) Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, tal-
Usamos para: vez, os homens terão a primavera que desejarem, no momen-
- isolar palavras, frases intercaladas de caráter explicativo to em que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem,
e datas: No dia do seu nascimento (08/08/984) foi o dia mais deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com ou-
quente do ano. tros cantos e outros hábitos, - e os ouvidos que por acaso os
- podem substituir a vírgula ou o travessão. ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora, se
entendeu e amou.
Travessão (__ ) Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos
Usamos para: atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos
- dar início à fala de um personagem: Filó perguntou: __Ma- para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores,
ria, como faz esse doce? caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sen-
- indicar mudança do interlocutor nos diálogos. __Mãe, timentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás
você me busca? __Não se preocupe, chegarei logo. roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em
- Também pode ser usado em substituição à virgula, em ex- cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gar-
pressões ou frases explicativas: Pelé – o rei do futebol – está dênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flo-
muito doente. res agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.
Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado
Colchetes ( [] ) ao vento, - por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na
Usamos para: rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida - e
- linguagem científica. efêmera.
(MEIRELES, Cecília. “Cecília Meireles - Obra em Prosa?
Asterisco ( * ) Vol. 1. Nova Fronteira: Rio de Janeiro, 1998, p. 366.)
Usamos para:
- chamar a atenção do leitor para alguma nota (observação). “...e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ain-
da circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida
QUESTÕES para a primavera que chega” (1º §)

01. CLIN – Auxiliar de Enfermagem do Trabalho – 2015 - No fragmento acima, as vírgulas foram empregadas para:
COSEAC A) marcar termo adverbial intercalado.
B) isolar oração adjetiva explicativa.
Primavera C) enfatizar o termo sujeito em relação ao predicado.
D) separar termo em função de aposto.
A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu
nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para re- 02. PC – CE - Escrivão da Policia Civil de 1ª classe – 2015 –
cebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os VUNESP
habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam Assinale a alternativa correta quanto ao uso da vírgula, con-
pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a prima- siderando-se a norma-padrão da língua portuguesa.
vera que chega. A) Os amigos, apesar de terem esquecido de nos avisar, que
Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da demoraria tanto, informaram-nos de que a gravidez, era algo
terra, nesse mundo confidencial das raízes, - e arautos sutis demorado.
acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espí- B) Os amigos, apesar de terem esquecido de nos avisar que
rito das flores. demoraria tanto, informaram-nos de que a gravidez era algo de-
Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão morado
todos cor-de-rosa, como os palácios de Jaipur. Vozes novas de C) Os amigos, apesar de terem esquecido, de nos avisar que
passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua na- demoraria tanto, informaram-nos de que a gravidez era algo de-
ção. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pe- morado.
los ares, - e certamente conversam: mas tão baixinho que não D) Os amigos apesar de terem esquecido de nos avisar que,
se entende. demoraria tanto, informaram-nos, de que a gravidez era algo
Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inver- demorado.
no, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremen- E) Os amigos, apesar de, terem esquecido de nos avisar
te, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol. que demoraria tanto, informaram-nos de que a gravidez, era
Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as algo demorado.
árvores cobertas de folhas, - e só os poetas, entre os humanos,
sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos
bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem
dançar neste mundo cálido, de incessante luz.
Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não
se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da
sua perpetuação.

14
LÍNGUA PORTUGUESA

03. IPC - ES - Procurador Previdenciário I 2018 - IDECAN RESPOSTAS

01 D
02 B
03 A
04 A
05 A

CLASSE GRAMATICAIS

ARTIGO

Artigo é a palavra que colocamos antes dos substantivos,


com a finalidade de determina-los e especificarmos seu gênero
e número.
Os artigos podem ser:
- definidos: o, a, os, as (Determinam os substantivos de for-
ma particular).
- indefinidos: um, uma, uns, umas (Determinam os substan-
tivos de forma inespecífica).

Exemplos:
Em “Júnior, hoje jantaremos fora!”, a presença da vírgula é
Comprei o carro. (Um carro específico)
obrigatória porque serve para:
Comprei um carro. (Um carro qualquer)
A) Isolar o vocativo.
B) Isolar o adjunto adverbial deslocado.
C) Separar orações coordenadas. Artigo Definido
D) Intercalar expressões explicativas.
Indica um substantivo específico, determinado. Dependen-
04. - IF-MT - Direito – 2018 - IF-MT do da flexão de gênero e de número, assume as formas o, a, os,
O uso adequado da pontuação é fundamental para o bom as.
entendimento do texto. Nos casos abaixo, a vírgula está usada
de forma inadequada em: Observe as possíveis variações de gênero e número:
A) Todos os cidadãos brasileiros, são iguais perante a lei,
conforme a Constituição Federal. O professor me repreendia.
B) Além disso, à noite, fazer caminhada até a minha casa é A professora me repreendia.
inseguro. Os professores me repreendiam.
C) Agora, em relação à tecnologia, os jovens dispõem de
uma série de comodidades, salientou o pesquisador.
Artigo Indefinido
D) “Eu sei, mas não devia” (Marina Colasanti).
E) Ainda havia muito a se deliberar, todavia, considerando o
horário avançado, a reunião foi encerrada. Indica m ser qualquer dentre outros da mesma espécie. De-
pendendo da flexão de gênero e de número, assume as formas
05. EMATERCE - Agente de ATER - Ciências Contábeis – um, uma, uns, umas.
2018 – CETREDE
Analise as duas frases a seguir em relação à ambiguidade. Observe as possíveis variações de gênero e número, usan-
I. Karla comeu um doce e sua irmã também. do o mesmo exemplo anterior:
II. Mataram a vaca da sua tia.
Um professor me repreendia.
Marque a opção CORRETA. Uma professora me repreendia.
A) O problema da frase I pode ser corrigido com uma vír- Uns professores me repreendiam.
gula.
B) As duas frases podem ser corrigidas com o uso de pro- Além das formas simples, os artigos apresentam formas
nome. combinadas com preposições. O artigo definido combina-se
C) Ao colocarmos apenas um verbo, corrigiremos a frase II. com as preposições a, de, em, por, originando, por exemplo, as
D) Apenas a frase I apresenta problema de ambiguidade. formas ao, do, nas, pelos, etc.
E) Uma preposição resolveria o problema da frase II.

15
LÍNGUA PORTUGUESA

Quando o artigo definido feminino (a, as) aparece combi- Gênero


nado com a preposição a, temos um caso que merece destaque
especial: a essa fusão de duas vogais idênticas, graficamente re- De acordo com o gênero (feminino e masculino) das pala-
presentada por um a com acento grave (à, às), dá-se o nome de vras substantiva, são classificadas em:
crase.
Substantivos Biformes: apresentam duas formas, uma para
Exemplo: o masculino e outra para o feminino. Exemplo: médico e médica;
Eles lançaram um alerta à nação. (à = preposição a + artigo namorado e namorada.
definido a)
Substantivos Uniformes: somente um termo especifica os
O artigo indefinido combina-se com as preposições em e dois gêneros (masculino e feminino), sendo classificados em:
de, originando, por exemplo, as formas num, numas, duns, etc. - Epicenos: palavra que apresenta somente um gênero e
refere-se aos animais, por exemplo: baleia (macho ou fêmea).
- Sobrecomum: palavra que apresenta somente um gênero
SUBSTANTIVO
e refere-se às pessoas, por exemplo: criança (masculino e femi-
nino).
Os substantivos nomeiam seres, coisas, ideias. Como pala-
- Comum de dois gêneros: termo que se refere aos dois gê-
vra variável, apresenta flexões de gênero, número e grau. neros (masculino e feminino), identificado por meio do artigo
que o acompanha, por exemplo: “o dentista” e “a dentista”.
Classificação
Número
Substantivo Comum: Designa os seres de uma espécie de
forma genérica: casa, felicidade, mesa, criança, etc. São classificados em:

Substantivo Próprio: Designa um ser específico, determina- Singular: palavra que designa uma única coisa, pessoa ou
do, como: Recife, Mariana, Brasil, etc. um grupo, por exemplo: cama, homem.
Plural: palavra que designa várias coisas, pessoas ou gru-
Substantivo Concreto: Designa seres propriamente ditos pos, por exemplo: camas, homens.
(pessoas, objetos, lugares), independentemente de sua existên-
cia real. Assim sendo, são exemplos: fada, saci, mesa, cinema, Grau
etc.
São classificados em aumentativo e diminutivo:
Substantivo Abstrato: Designa ações qualidades, ou esta-
dos, tomados como seres. Indica coisas que não existem por si, Aumentativo: Indica o aumento do tamanho de algum ser
que são resultado de uma abstração. É o caso de felicidade, po- ou alguma coisa. Divide-se em:
breza, caridade, etc.. - Analítico: substantivo acompanhado de adjetivo que indi-
Formação dos substantivos ca grandeza, por exemplo: menino grande.
- Sintético: substantivo com acréscimo de um sufixo indica-
Substantivo Primitivo: erve de base para a formação de ou- dor de aumento, por exemplo: meninão.
tros substantivos. Exemplo: rosa, pedra, gelo, etc. Diminutivo: Indica a diminuição do tamanho de algum ser
ou alguma coisa. Divide-se em:
Substantivo Derivado: É formado a partir de um substantivo - Analítico: substantivo acompanhado de um adjetivo que
primitivo, como: roseiral, pedregulho, geleira, etc. indica pequenez, por exemplo: menino pequeno.
Substantivo Simples: É formado por um só radical, como: - Sintético: substantivo com acréscimo de um sufixo indica-
janela, livro, trem, etc. dor de diminuição, por exemplo: menininho.

Substantivo Composto: É formado por mais de um radical, ADJETIVO


como em: arco-íris, arranha-céu, etc.
Adjetivo é a palavra que modifica o substantivo, atribuindo-
Substantivo Coletivo: É coletivo o substantivo no singular -lhe um estado, qualidade ou característica.
que designa um conjunto de seres da mesma espécie.
- buquê – de flores Classificação
- alcateia – de lobos
- elenco – de artistas Simples - formado por um só radical. Exemplo: bonita.
- legião – de soldados Composto - formado por mais de um radical. Exemplo: lati-
no-americano.
Primitivo - não deriva de outra palavra. Exemplo: claro, grande.
Derivado - tem origem em outra palavra. Exemplo: tolerante
(vem de tolerar).

16
LÍNGUA PORTUGUESA

Pátrio - é o que se refere a países, estados, cidades, etc. NUMERAL


Exemplo: brasileiro, mineiro, carioca, etc.
O numeral é a palavra que indica, em termos numéricos,
Locução Adjetiva um número exato ou a posição que tal coisa ocupa numa série.

É toda reunião de duas ou mais palavras com valor de uma Classificação


só. Geralmente, as locuções adjetivas são formadas por uma pre-
posição e um substantivo, ou uma preposição e um advérbio. Cardinais: Forma básica dos números, indicam contagem,
Exemplos: medida. Exemplo, um, dois, três…
- dente de cão (= canino)
- água de chuva (= pluvial) Ordinais: Indica ordem de uma sequência. Exemplo, primei-
- pneus de trás (= traseiro) ro, segundo, terceiro…

Fracionários: Indicam a diminuição das proporções numé-


Flexão
ricas, ou seja, representam uma parte de um todo. Exemplo,
meio, terço, quarto, quinto…
Gêneros
Multiplicativos: Determina o aumento da quantidade por
- Adjetivos Uniformes: uma forma para os dois gêneros (femi- meio de múltiplos. Exemplo, dobro, triplo, quádruplo, quíntu-
nino e masculino). Exemplo: alegre. plo…
- Adjetivos Biformes: varia conforme o gênero (masculino e
feminino). Exemplo: dengoso, dengosa. Coletivos: Número exato que faz referência a um conjun-
to de seres. Exemplo: dúzia (conjunto de 12), dezena (conjunto
Número de 10), centena (conjunto de 100), semestre (conjunto de 6),
bimestre (conjunto de 2).
Os adjetivos podem vir no singular ou plural, concordando
com o número do substantivo referido. Assim, a sua formação é
Ordinal Cardinal Ordinal Cardinal
parecida à dos substantivos.
Um Primeiro Vinte Vigésimo
Grau Dois Segundo Trinta Trigésimo

São classificados em: Três Terceiro Cinquenta Quinquagésimo


Quatro Quarto Sessenta Sexagésimo
- Grau Comparativo: utilizado para comparar qualidades. Cinco Quinto Oitenta Octogésimo
Comparativo de Igualdade – Chocolate é tão bom quanto pi- Seis Sexto Cem Centésimo
zza. Sete Sétimo Quinhentos Quingentésimo
Comparativo de Superioridade – Rui é mais esforçado que
Marcos. Oito Oitavo Setecentos Setingentésimo
Comparativo de Inferioridade – Mariana é menos feliz que Nove Nono Novecentos Noningentésimo
Paula. Dez Décimo Mil Milésimo
- Grau Superlativo - utilizado para intensificar qualidades.
PRONOME
Superlativo Absoluto:
Analítico - A casa é extremamente luxuosa.
Sintético - Larissa é organizadíssima. Pronome é a palavra que substitui ou acompanha o subs-
Superlativo Relativo de: tantivo, indicando sua posição em relação às pessoas do discur-
Superioridade - A cidade é a mais bonita da região. so ou mesmo situando-o no espaço e no tempo.
Inferioridade - Este computador é o menos moderno do
escritório. Pronomes Pessoais

Somente seis adjetivos têm o grau comparativo de superio- Retos – têm função de sujeito da oração: eu, tu, ele, nós,
ridade sintético. Veja-os: vós, eles.
Oblíquos têm função de complemento do verbo (objeto di-
bom – melhor reto / objeto indireto) ou as, lhes. - Ele viajará conosco. (elepro-
mau – pior nome reto / vaiverbo / conosco complemento nominal).
grande – maior - tônicos com preposição: mim, comigo, ti, contigo,si, consi-
pequeno – menor go, conosco, convosco;
alto – superior - átonos sem preposição: me, te, se, o, a, lhe, nos, vos,
baixo – inferior os,pronome oblíquo)

17
LÍNGUA PORTUGUESA

Pronomes de Tratamento Aquele (s), aquela (s), aquilo: indicam um tempo distante
em relação ao momento em que se fala. Exemplo: Lembro-me
Dependendo da pessoa a quem nos dirigimos, do seu cargo, bem aquele tempo em que viajávamos de trem.
idade, título, o tratamento será familiar ou cerimonioso: Vossa
Alteza (V.A.) - príncipes, duques; Vossa Eminência (V.Ema) - car- Relação ao espaço
deais; Vossa Excelência (V.Ex.a) - altas autoridades, presidente, Este (s), esta (s), isto: o ser ou objeto que está próximo da
oficiais; Vossa Magnificência (V.Mag.a) - reitores de universida- pessoa que fala. Exemplo: Este é o meu filho.
des; Vossa Majestade (V.M.) – reis, imperadores; Vossa Santida- Esse (s), essa (s), isso: a pessoa ou a coisa próxima daquela
de (V.S.) - Papa; Vossa Senhori (V.Sa) - tratamento cerimonioso. com quem falamos ou para quem escrevemos. Exemplo: Por fa-
vor, poderia passar esse copo?
- Além desses, são pronomes de tratamento: senhor, senho- Aquele (s), aquela (s), aquilo: o ser ou objeto que está longe
ra, senhorita, dona, você. de quem fala e da pessoa de quem se fala (3ª pessoa). Exemplo:
- A forma Vossa (Senhoria, Excelência) é empregada quando Com licença, poderia dizer o preço daquele casaco?
se fala com a própria pessoa: Vossa Senhoria não compareceu à
reunião dos semterra? (falando com a pessoa) Pronomes Indefinidos
- A forma Sua (Senhoria, Excelência ) é empregada quando
se fala sobre a pessoa: Sua Eminência, o cardeal, viajou paraum Empregados na 3ª pessoa do discurso, o próprio nome já
Congresso. (falando a respeito do cardeal) mostra que os pronomes indefinidos substituem ou acompa-
nham o substantivo de maneira vaga ou imprecisa.
Pronomes Possessivo
Classificação Pronomes Indefinidos
Os pronomes possessivos são aqueles que transmitem a
ideia de posse, por exemplo: Esse carro é seu? algum, alguma, alguns, algumas, nenhum,
nenhuma, nenhuns, nenhumas, muito,
Pessoas Verbais Pronomes Possessivos muita, muitos, muitas, pouco, pouca,
poucos, poucas, todo, toda, todos, todas,
1ª pessoa do singular meu, minha (singular); meus, outro, outra, outros, outras, certo, certa,
Variáveis
(eu) minhas (plural) certos, certas, vário, vária, vários, várias,
tanto, tanta, tantos, tantas, quanto,
2ª pessoa do singular teu, tua (singular); teus, tuas quanta, quantos, quantas, qualquer,
(tu, você) (plural) quaisquer, qual, quais, um, uma, uns,
umas.
3ª pessoa do singular seu, sua (singular); seus, suas
(ele/ela) (plural) quem, alguém, ninguém, tudo, nada,
Invariáveis
outrem, algo, cada.
1ª pessoa do plural nosso, nossa (singular); nossos,
(nós) nossas (plural) Pronomes Relativos

2ª pessoa do plural vosso, vossa (singular); vossos, Os pronomes relativos se referem a um substantivo já dito
(vós, vocês) vossas (plural) anteriormente na oração. Podem ser palavras variáveis e invariá-
veis. Essa palavra da oração anterior chamase antecedente: Viajei
3ª pessoa do plural seu, sua (singular); seus, suas para uma cidade que é muito pequena. ercebese que o pronome
(eles/elas) (plural) relativo que, substitui na 2ª oração, a cidade, por isso a palavra
que é um pronome relativo.
São divididos em:
Pronomes Demonstrativos Variáveis: o qual, os quais, a qual, as quais, cujo, cujos, cuja,
cujas, quanto, quantos;
Os pronomes demostrativos são utilizados para indicar algo. Invariáveis: que, quem, quando, como, onde.
Reúnem palavras variáveis (esse, este, aquele, essa, esta, aque-
la) e invariáveis (isso, isto, aquilo). Pronomes Interrogativos

Relação ao tempo São palavras variáveis e invariáveis empregadas para


Este (s), esta (s), isto: indicam o tempo presente em relação formular perguntas diretas e indiretas.
ao momento em que se fala. Exemplo: Esta semana é a última
antes da prova.
Esse (s), essa (s), isso: indicam tempo no passado ou no fu-
turo. Exemplos: Onde você foi esse feriado? / Serei reconhecido
pelo meu esforço. Quando esse dia chegar, estarei satisfeito.

18
LÍNGUA PORTUGUESA

Modos Verbais
Pronomes
Classificação Exemplos
Interrogativos Indicativo: Mostra o fato de maneira real, certa, positiva.
Ex.: Eu falo alemão.
Quanto custa? Subjuntivo: Pode exprimir um desejo e apresenta o fato
qual, quais,
Variáveis quanto, quantos, como possível ou duvidoso, hipotético. Ex.: Se eu tivesse dinhei-
Quais sapatos
quanta, quantas. ro, compraria um carro.
você prefere?
Imperativo: Exprime ordem, conselho ou súplica. Ex.: Des-
canse bastante nestas férias.
Quem estragou
meu vestido?
Formas nominais
Invariáveis quem, que.
Que problema
ocorreu? Temos três formas nominais: Infinitivo, gerúndio e particí-
pio, e são assim chamadas por desempenhar um papel parecido
aos dos substantivos, adjetivos ou advérbios e, sozinhas, não se-
VERBO rem capazes de expressar os modos e tempos verbais.
Exprime ação, estado, mudança de estado, fenômeno da na- Infinitivo
tureza e possui inúmeras flexões, de modo que a sua conjugação
é feita em relação as variações de pessoa, número, tempo, modo,
Pessoal: Refere às pessoas do discurso. Não é flexionado
voz e aspeto.
nas 1ª e 3ª pessoas do singular e flexionadas nas demais:
Os verbos estão agrupados em três conjugações: Estudar (eu) – não flexionado
1ª conjugação – ar: amar, caçar, começar. Estudares (tu) – flexionado
2ª conjugação – er: comer, derreter, beber. Estudar(ele) – não flexionado
3ª conjugação – ir: curtir, assumir, abrir. Estudarmos (nós) – flexionado
Estudardes (voz) – flexionado
O verbo pôr e seus derivados (repor, depor, dispor, compor, Estudarem (eles) – flexionado
impor) pertencem a 2ª conjugação devido à sua origem latina
poer. Impessoal: É o infinitivo impessoal quando não se refere às
pessoas do discurso. Exemplos: caminhar é bom. (a caminhada
Pessoas: 1ª, 2ª e 3ª pessoa, em 2 situações: singular e plural. é boa); É proibido fumar. (é proibido o fumo)
1ª pessoa do singular – eu; ex.: eu viajo
2ª pessoa do singular – tu; ex.: tu viajas Gerúndio
3ª pessoa do singular – ele; ex.: ele viaja
1ª pessoa do plural – nós; ex.: nós viajamos Caracteriza-se pela terminação -ndo. O verbo não se flexio-
2ª pessoa do plural – vós; ex.: vós viajais na e pode exercer o papel de advérbio e de adjetivo.
3ª pessoa do plural – eles; ex.: eles viajam
Exemplo: Ela estava trabalhando quando telefonaram.
Tempos do Verbo
Particípio
Presente: Ocorre no momento da fala. Ex.: trabalha
Pretérito: Ocorrido antes. Ex.: trabalhou Pode ser regular e irregular.
Futuro: Ocorrido depois. Ex.: trabalhará Particípio regular: se caracteriza pela terminação -ado, -ido.
O pretérito subdivide-se em:
- Perfeito: Ação acabada. Ex.: Eu limpei a sala. Exemplo: Eles tinham partido em uma aventura sem fim.
- Imperfeito: Ação inacabada no momento a que se refere à
narração. Ex.: Ele ficou no hospital por dias. Particípio irregular: pode exercer o papel de adjetivo.
- Mais-que-perfeito: Ação acabada, ocorrida antes de outro
fato passado. Ex.: Para ser mais justo, ele partira o bolo em fatias Exemplo: Purê se faz com batata cozida.
pequenas.
Por apresentar mais que uma forma, o particípio é classi-
O futuro subdivide-se em: ficado como verbo abundante. É importante lembrar que nem
- Futuro do Presente: Refere-se a um fato imediato e certo. todos os verbos apresentam duas formas de particípio: (aberto,
Ex.: Participarei do grupo. coberto, escrever).
- Futuro do Pretérito: Pode indicar condição, referindo-se
a uma ação futura, ligada a um momento já passado. Ex.: Iria Tempos Simples e Tempos Compostos
ao show se tivesse dinheiro. (Indica condição); Ele gostaria de
assumir esse compromisso. Tempos simples: formados apenas pelo verbo principal.

19
LÍNGUA PORTUGUESA

Indicativo: Classificação dos Advérbios


Presente - canto, vendo, parto, etc.
Pretérito perfeito - cantei, vendi, parti, etc. Modo: Bem, mal, assim, adrede, melhor, pior, depressa,
Pretérito imperfeito - cantava, vendia, partia, etc. acinte, debalde, devagar, ás pressas, às claras, às cegas, à toa,
Pretérito mais-que-perfeito - cantara, vendera, partira, etc. à vontade, às escondas, aos poucos, desse jeito, desse modo,
Futuro do presente - cantarei, venderei, partirei, etc. dessa maneira, em geral, frente a frente, lado a lado, a pé, de
Futuro do pretérito - cantaria, venderia, partiria, etc. cor, em vão e a maior parte dos que terminam em -mente:
calmamente, tristemente, propositadamente, pacientemente,
Subjuntivo: apresenta o fato, a ação, mas de maneira incer- amorosamente, docemente, escandalosamente, bondosamen-
ta, imprecisa, duvidosa ou eventual. te, generosamente.
Presente - cante, venda, parta, etc.
Pretérito imperfeito - cantasse, vendesse, partisse, etc. Intensidade: Muito, demais, pouco, tão, menos, em exces-
Futuro - cantar, vender, partir. so, bastante, pouco, mais, menos, demasiado, quanto, quão,
tanto, assaz, que (equivale a quão), tudo, nada, todo, quase, de
Imperativo: Ao indicar ordem, conselho, pedido, o fato ver- todo, de muito, por completo, bem (quando aplicado a proprie-
bal pode expressar negação ou afirmação. São, portanto, duas dades graduáveis).
as formas do imperativo:
- Imperativo Negativo (Formado pelo presente do subjunti- Lugar: Aqui, antes, dentro, ali, adiante, fora, acolá, atrás,
vo): Não abram a porta. além, lá, detrás, aquém, cá, acima, onde, perto, aí, abaixo, aon-
- Imperativo Afirmativo (Formado do presente do subjunti- de, longe, debaixo, algures, defronte, nenhures, adentro, afora,
vo, com exceção da 2ª pessoas do singular e do plural, que são alhures, nenhures, aquém, embaixo, externamente, a distância,
retiradas do presente do indicativo sem o “s”. Ex: Anda – Ande a distância de, de longe, de perto, em cima, à direita, à esquer-
– Andemos – Andai – Andem: Abram a porta. da, ao lado, em volta.
Obs.: O imperativo não possui a 1ª pessoa do singular, pois
Tempo: Hoje, logo, primeiro, ontem, tarde, outrora, ama-
não se prevê a ordem, conselho ou pedido a si mesmo.
nhã, cedo, dantes, depois, ainda, antigamente, antes, doravan-
te, nunca, então, ora, jamais, agora, sempre, já, enfim, afinal,
Tempos compostos: Formados pelos auxiliares ter ou haver.
amiúde, breve, constantemente, entrementes, imediatamente,
primeiramente, provisoriamente, sucessivamente, às vezes, à
Infinitivo:
tarde, à noite, de manhã, de repente, de vez em quando, de
Pretérito impessoal composto - ter falado, ter vendido, etc.
quando em quando, a qualquer momento, de tempos em tem-
Pretérito pessoal composto - ter (teres) falado, ter (teres)
pos, em breve, hoje em dia.
vendido.
Gerúndio pretérito composto – tendo falado, tendo vendi-
do. Negação: Não, nem, nunca, jamais, de modo algum, de for-
ma nenhuma, tampouco, de jeito nenhum.
Indicativo:
Pretérito perfeito composto - tenho cantado, tenho vendi- Dúvida: Acaso, porventura, possivelmente, provavelmente,
do, etc. quiçá, talvez, casualmente, por certo, quem sabe.
Pretérito mais-que-perfeito composto - tinha cantado, tinha
vendido, etc. Afirmação: Sim, certamente, realmente, decerto, efetiva-
Futuro do presente composto - terei cantado, terei vendido, mente, certo, decididamente, realmente, deveras, indubitavel-
etc. mente.
Futuro do pretérito composto - teria cantado, teria vendido,
etc. Exclusão: Apenas, exclusivamente, salvo, senão, somente,
simplesmente, só, unicamente.
Subjuntivo: Inclusão: Ainda, até, mesmo, inclusivamente, também.
Pretérito perfeito composto - tenha cantado, tenha vendi-
do, etc. Interrogação: porque? (causa), quanto? (preço e intensida-
Pretérito mais-que-perfeito composto - tivesse cantado, ti- de), onde? (lugar), como? (modo), quando? (tempo), para que?
vesse vendido, etc. (finalidade).
Futuro composto - tiver cantado, tiver vendido, etc.
Ordem: Depois, primeiramente, ultimamente.
ADVÉRBIO
Designação: Eis
São palavras que modificam um verbo, um adjetivo ou ou-
tro advérbio.

20
LÍNGUA PORTUGUESA

Flexão Locuções prepositivas: são formadas por duas ou mais pa-


lavras com o valor de preposição, sempre terminando por uma
São consideradas palavras invariáveis por não terem flexão preposição, por exemplo: Abaixo de, acerca de, acima de, ao
de número (singular e plural) e gênero (masculino, feminino); lado de, a respeito de, de acordo com, em cima de, embaixo de,
entretanto, são flexionadas nos graus comparativo e superlativo. em frente a, ao redor de, graças a, junto a, com, perto de, por
causa de, por cima de, por trás de.
Grau Comparativo: O advérbio pode caracterizar relações
de igualdade, inferioridade ou superioridade. Para indicar esse A preposição é invariável. Porém, pode unir-se a outras pa-
grau utilizam as formas tão…quanto, mais…que, menos…que. lavras e estabelecer concordância em gênero ou em número.
Pode ser: Ex.: por + o = pelo; por + a = pela.
- de igualdade. Ex.: Enxergo tão bem quanto você. Essa concordância não é característica da preposição e sim
- de superioridade. Ex.: Enxergarei melhor que você. das palavras a que se ela se une. Esse processo de junção de
uma preposição com outra palavra pode se dar a partir de dois
- de inferioridade. Ex.: Enxergaremos pior que você.
processos:
Grau Superlativo: A circunstância aparecerá intensificada.
- Combinação: A preposição não sofre alteração.
Pode ser formado tanto pelo processo sintético (acréscimo de
preposição a + artigos definidos o, os
sufixo), como pelo analítico (outro advérbio estará indicando o a + o = ao
grau superlativo). preposição a + advérbio onde
a + onde = aonde
- superlativo (ou absoluto) sintético: Acréscimo de sufixo.
Ex.: Este conteúdo é facílimo. - Contração: Quando a preposição sofre alteração.
- superlativo (ou absoluto) analítico: Precisamos de um ad- Preposição + Artigos
vérbio de intensidade. Ex.: Este conteúdo é muito fácil. De + o(s) = do(s)
De + a(s) = da(s)
Ao empregamos dois ou mais advérbios terminados em – De + um = dum
mente, acrescentamos o sufixo apenas no último. Ex.: Muito fez De + uns = duns
pelo seu povo; trabalhou duro, árdua e ininterruptamente. De + uma = duma
De + umas = dumas
PREPOSIÇÃO Em + o(s) = no(s)
Em + a(s) = na(s)
Palavra invariável que liga dois termos da oração, numa Em + um = num
relação de subordinação donde, geralmente, o segundo termo Em + uma = numa
subordina o primeiro. As preposições estabelecem a coesão tex- Em + uns = nuns
tual e possuem valores semânticos indispensáveis para a com- Em + umas = numas
preensão do texto. A + à(s) = à(s)
Por + o = pelo(s)
Tipos de Preposição Por + a = pela(s)

Lugar: O voo veio de São Francisco. - Preposição + Pronomes


Modo: Os alunos eram colocados em carteiras. De + ele(s) = dele(s)
De + ela(s) = dela(s)
Tempo: Ele viajou por três anos.
De + este(s) = deste(s)
Distância: A vinte quilômetros daqui há um pedágio.
De + esta(s) = desta(s)
Causa: Parou de andar, pois estava com sede.
De + esse(s) = desse(s)
Instrumento: Ela cortou o bolo com uma faca pequena.
De + essa(s) = dessa(s)
Finalidade: A igreja foi enfeitada para o casamento. De + aquele(s) = daquele(s)
De + aquela(s) = daquela(s)
Classificação De + isto = disto
De + isso = disso
As preposições podem ser divididas em dois grupos: De + aquilo = daquilo
- Preposições Essenciais –palavras que só funcionam como De + aqui = daqui
preposição, a saber: a, ante, após, até, com, contra, de, desde, De + aí = daí
em, entre, para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás. De + ali = dali
- Preposições Acidentais –palavras de outras classes grama- De + outro = doutro(s)
ticais que, podem funcionar como preposição, a saber: afora, De + outra = doutra(s)
como, conforme, consoante, durante, exceto, mediante, menos, Em + este(s) = neste(s)
salvo, segundo, visto etc. Em + esta(s) = nesta(s)
Em + esse(s) = nesse(s)

21
LÍNGUA PORTUGUESA

Em + aquele(s) = naquele(s) CONJUNÇÃO


Em + aquela(s) = naquela(s)
Em + isto = nisto É um termo que liga duas orações ou duas palavras de mes-
Em + isso = nisso mo valor gramatical, estabelecendo uma relação (de coordena-
Em + aquilo = naquilo ção ou subordinação) entre eles.
A + aquele(s) = àquele(s)
A + aquela(s) = àquela(s) Classificação
A + aquilo = àquilo
Conjunções Coordenativas: Ligam duas orações indepen-
INTERJEIÇÃO dentes.
É uma palavra invariável, que representa um recurso da lin- -Conjunções Aditivas: Exprimem soma, adição de pensa-
guagem afetiva, expressando sentimentos, sensações, estados
mentos: e, nem, não só...mas também, não só...como também.
de espírito, sempre acompanhadas de um ponto de exclamação
(!).
Exemplo: João não lê nem escreve.
As interjeições são consideradas “palavras-frases” na me-
dida em que representam frases-resumidas, formadas por sons
vocálicos (Ah! Oh! Ai!), por palavras (Droga! Psiu! Puxa!) ou por -Conjunções Adversativas: Exprimem oposição, contraste,
um grupo de palavras, nesse caso, chamadas de locuções inter- compensação de pensamentos: mas, porém, contudo, entre-
jetivas (Meu Deus! Ora bolas!). tanto, no entanto, todavia.

Tipos de Interjeições Exemplo: Não viajamos, porém, poupamos dinheiro.

Mesmo não havendo uma classificação rigorosa, já que a -Conjunções Alternativas: Exprimem escolha de pensamen-
mesma interjeição pode expressar sentimentos ou sensações tos: ou...ou, já...já, ora...ora, quer...quer, seja...seja.
diferentes, as interjeições ou locuções interjetivas são classifi-
cadas em: Exemplo: Ou você casa, ou compra uma bicicleta.

Advertência: Cuidado!, Olhe!, Atenção!, Fogo!, Calma!, De- Conjunções Conclusivas: Exprimem conclusão de pensa-
vagar!, Sentido!, Vê bem!, Volta aqui! mento: logo, por isso, pois (quando vem depois do verbo), por-
Afugentamento: Fora!, Toca!, Xô!, Passa!, Sai!, Roda!, Arre- tanto, por conseguinte, assim.
da!, Rua!, Cai fora!, Vaza!
Agradecimento: Graças a Deus!, Obrigado!, Agradecido!,
Muito obrigada!, Valeu! Exemplo: Estudou bastante, portanto será aprovado.
Alegria: Ah!, Eh!, Oh!, Oba!, Eba!, Viva!, Olá!, Eita!, Uhu!,
Que bom! -Conjunções Explicativas: Exprimem razão, motivo: que,
Alívio: Ufa!, Uf!, Arre!, Ah!, Eh!, Puxa!, Ainda bem! porque, assim, pois (quando vem antes do verbo), porquanto,
Ânimo: Coragem!, Força!, Ânimo!, Avante!, Vamos!, Firme!, por conseguinte.
Bora!
Apelo: Socorro!, Ei!, Ô!, Oh!, Alô!, Psiu!, Olá!, Eh! Exemplo: Não pode ligar, pois estava sem bateria.
Aplauso: Muito bem!, Bem!, Bravo!, Bis!, É isso aí!, Isso!,
Parabéns!, Boa!
Conjunções Subordinativas: Ligam orações dependentes
Chamamento: Alô!, Olá!, Hei!, Psiu!, ô!, oi!, psiu!
uma da outra.
Concordância: Claro!, Sem dúvida!, Então!, Sim!, Pois não!,
Tá!, Hã-hã!
Contrariedade: Droga!, Credo! -Conjunções Integrantes: Introduzem orações subordinadas
Desculpa: Perdão!, Opa!, Desculpa!, Foi mal! com função substantiva: que, se.
Desejo: Oxalá!, Tomara!, Queira Deus!, Quem me dera!
Despedida: Adeus!, Até logo!, Tchau!, Até amanhã! Exemplo: Quero que sejas muito feliz.
Dor: Ai!, Ui!, Ah!, Oh!, Meu Deus!, Ai de mim!
Dúvida: Hum?, hem?, hã?, Ué! -Conjunções Causais: Introduzem orações subordinadas que
Espanto: Oh!, Puxa!, Quê!, Nossa!, Caramba!, Xi!, Meu dão ideia de causa: que, porque, como, pois, visto que, já que,
Deus!, Crê em Deus pai! uma vez que.
Estímulo: Ânimo!, Coragem!, Vamos!, Firme!, Força! Exemplo: Como tive muito trabalho, não pude ir à festa.
Medo: Oh!, Credo!, Cruzes!, Ui!, Ai!, Uh!, Socorro!, Que
medo!, Jesus! -Conjunções Comparativas: Introduzem orações subordina-
Satisfação: Viva!, Oba!, Boa!, Bem!, Bom! das que dão ideia de comparação: que, do que, como.
Saudação: Alô!, Oi!, Olá!, Adeus!, Tchau!, Salve!
Silêncio: Psiu!, Shh!, Silêncio!, Basta!, Calado!, Quieto!, Bico Exemplo: Meu cachorro é mais inteligente do que o seu.
fechado!

22
LÍNGUA PORTUGUESA

-Conjunções Concessivas: Iniciam orações subordinadas que exprimem um fato contrário ao da oração principal: embora, ainda
que, mesmo que, se bem que, posto que, apesar de que, por mais que, por melhor que.

Exemplo: Vou ao mercado, embora esteja sem muito dinheiro.

-Conjunções Condicionais: Iniciam orações subordinadas que exprimem hipótese ou condição para que o fato da oração principal
se realize ou não: caso, contanto que, salvo se, desde que, a não ser que.

Exemplo: Se não chover, irei à festa.

-Conjunções Conformativas: Iniciam orações subordinadas que exprimem acordo, concordância de um fato com outro: segundo,
como, conforme.

Exemplo: Cada um oferece conforme ganha.

-Conjunções Consecutivas: Iniciam orações subordinadas que exprimem a consequência ou o efeito do que se declara na oração
principal: que, de forma que, de modo que, de maneira que.

Exemplo: Estava tão linda, de modo que todos pararam para olhar.

-Conjunções Temporais: Iniciam orações subordinadas que dão ideia de tempo: logo que, antes que, quando, assim que, sempre que.

Exemplo: Quando as visitas chegarem, comporte-se.

-Conjunções Finais: Iniciam orações subordinadas que exprimem uma finalidade: a fim de que, para que.

Exemplo: Estudou a fim de conseguir algo melhor.

-Conjunções Proporcionais: Iniciam orações subordinadas que exprimem concomitância, simultaneidade: à medida que, à
proporção que, ao passo que, quanto mais, quanto menos, quanto menor, quanto melhor.

Exemplo: Ao passo que cresce, sua educação diminui.

QUESTÕES

01. IF-AP – Auxiliar em Administração – 2016 - FUNIVERSA

No segundo quadrinho, correspondem, respectivamente, a substantivo, pronome, artigo e advérbio:


a) “guerra”, “o”, “a” e “por que”.
b) “mundo”, “a”, “o” e “lá”.
c) “quando”, “por que”, “e” e “lá”.
d) “por que”, “não”, “a” e “quando”.
e) “guerra”, “quando”, “a” e “não”.

23
LÍNGUA PORTUGUESA

02. MPE/SP - Oficial de Promotoria I – 2017 - VUNESP a) Os moradores do bairro Matão, em Sumaré (SP), temem
que suas casas desabem após uma cratera se abrir na Avenida
Japão irá auxiliar Minas Gerais com a experiência no en- Papa Pio X. (DÉCIMA)
frentamento de tragédias b) O acidente ocorreu nessa terça-feira, na BR-401 (QUA-
TROCENTAS E UMA)
Acostumados a lidar com tragédias naturais, os japoneses c) A 22ª edição do Guia impresso traz uma matéria e teve a
costumam se reerguer em tempo recorde depois de catástro- sua página Classitêxtil reformulada. (VIGÉSIMA SEGUNDA)
fes. Minas irá buscar experiência e tecnologias para superar a d) Art. 171 - Obter, para si ou para outrem, vantagem ilíci-
tragédia em Mariana ta, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro,
mediante artifício, ardil. (CENTÉSIMO SETÉSIMO PRIMEIRO)
A partir de janeiro, Minas Gerais irá se espelhar na expe- e) A Semana de Arte Moderna aconteceu no início do sécu-
riência de enfrentamento de catástrofes e tragédias do Japão, lo XX. (SÉCULO DUCENTÉSIMO)
para tentar superar Mariana e recuperar os danos ambientais e
sociais. Bombeiros mineiros deverão receber treinamento por 05. ELETROBRAS-ELETROSUL - Técnico de Segurança do
meio da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), Trabalho – 2016 - FCC
a exemplo da troca de experiências que já acontece no Estado
com a polícia comunitária, espelhada no modelo japonês Koban. Abu Dhabi constrói cidade do futuro, com tudo movido a
O terremoto seguido de um tsunami que devastou a costa energia solar
nordeste do Japão em 2011 deixando milhares de mortos e de-
saparecidos, e prejuízos que quase chegaram a US$ 200 bilhões, Bem no meio do deserto, há um lugar onde o calor é extre-
foi uma das muitas tragédias naturais que o país enfrentou nos mo. Sessenta e três graus ou até mais no verão. E foi exatamente
últimos anos. Menos de um ano depois da catástrofe, no entan- por causa da temperatura que foi construída em Abu Dhabi uma
to, o Japão já voltava à rotina. É esse tipo de experiência que o das maiores usinas de energia solar do mundo.
Brasil vai buscar para lidar com a tragédia ocorrida em Mariana. Os Emirados Árabes estão investindo em fontes energéticas
(Juliana Baeta, http://www.otempo.com.br, 10.12.2015. Adaptado)
renováveis. Não vão substituir o petróleo, que eles têm de sobra
por mais 100 anos pelo menos. O que pretendem é diversificar e
No trecho – Bombeiros mineiros deverão receber
poluir menos. Uma aposta no futuro.
treinamento... – (1o parágrafo), a expressão em destaque é
A preocupação com o planeta levou Abu Dhabi a tirar do pa-
formada por substantivo + adjetivo, nessa ordem. Essa relação
pel a cidade sustentável de Masdar. Dez por cento do planejado
também se verifica na expressão destacada em:
está pronto. Um traçado urbanístico ousado, que deixa os car-
Parte superior do formulário
ros de fora. Lá só se anda a pé ou de bicicleta. As ruas são bem
a) A imprudente atitude do advogado trouxe-me danos.
estreitas para que um prédio faça sombra no outro. É perfeito
b) Entrou silenciosamente, com um espanto indisfarçável.
c) Alguma pessoa teve acesso aos documentos da reunião? para o deserto. Os revestimentos das paredes isolam o calor. E a
d) Trata-se de um lutador bastante forte e preparado. direção dos ventos foi estudada para criar corredores de brisa.
(Adaptado de: “Abu Dhabi constrói cidade do futuro, com tudo movido
e) Estiveram presentes à festa meus estimados padrinhos.
a energia solar”. Disponível em:http://g1.globo.com/globoreporter/noti-
cia/2016/04/abu-dhabi-constroi-cidade-do-futuro-com-tudo-movido-ener-
03. CISMEPAR/PR - Técnico Administrativo – 2016 - FAUEL gia-solar.html)

“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignida-


Considere as seguintes passagens do texto:
de e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir
I. E foi exatamente por causa da temperatura que foi
uns para com os outros em espírito de fraternidade. Todo indiví-
construída em Abu Dhabi uma das maiores usinas de energia
duo tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal. Toda
solar do mundo. (1º parágrafo)
a pessoa tem direito ao trabalho, à livre escolha do trabalho,
II. Não vão substituir o petróleo, que eles têm de sobra por
a condições equitativas e satisfatórias de trabalho e à proteção
mais 100 anos pelo menos. (2º parágrafo)
contra o desemprego”.
III. Um traçado urbanístico ousado, que deixa os carros de
fora. (3º parágrafo)
De acordo com a gramática da língua portuguesa, adjetivo é
IV. As ruas são bem estreitas para que um prédio faça
a palavra que qualifica um substantivo. Aponte a afirmativa que
contenha somente adjetivos retirados do texto. sombra no outro. (3º parágrafo)
a) livres, iguais, equitativas, satisfatórias. O termo “que” é pronome e pode ser substituído por “o
b) todos, dever, fraternidade, liberdade. qual” APENAS em
c) trabalho, ter, direito, desemprego. Parte superior do formulário
d) espírito, seres, nascer, livre. a) I e II.
b) II e III.
04. Prefeitura de Barra de Guabiraba/PE - Nível Funda- c) I, II e IV.
mental Completo – 2016 - IDHTEC d) I e IV.
Assinale a alternativa em que o numeral está escrito por e) III e IV.
extenso corretamente, de acordo com a sua aplicação na frase:

24
LÍNGUA PORTUGUESA

06. Pref. de Itaquitinga/PE - Assistente Administrativo – Observe as passagens:


2017 - IDHTEC – … e agora quer começar uma carreira médica. (2° parágrafo);
– … ele tem 80 anos. Isto mesmo, 80. (3° parágrafo);
Morto em 2015, o pai afirma que Jules Bianchi não – Talvez a expectativa de vida não permita… (4° parágrafo).
__________culpa pelo acidente. Em entrevista, Philippe Bian-
chi afirma que a verdade nunca vai aparecer, pois os pilotos As expressões destacadas expressam, respectivamente,
__________ medo de falar. “Um piloto não vai dizer nada se sentido de
existir uma câmera, mas quando não existem câmeras, todos a) lugar, modo e causa.
b) tempo, afirmação e dúvida.
__________ até mim e me dizem. Jules Bianchi bateu com seu
c) afirmação, afirmação e dúvida.
carro em um trator durante um GP, aquaplanou e não conseguiu
d) tempo, modo e afirmação.
__________para evitar o choque. e) modo, dúvida e intensidade.
(http://espn.uol.com.br/noticia/603278_pai-diz-que-pilotos-da-f-1-tem-
medo-de-falar-a-verdade-sobre-o-acidente-fatal-de-bianchi)
08. Ceron/RO - Direito – 2016 - EXATUS
Complete com a sequência de verbos que está no tempo, A lição do fogo
modo e pessoa corretos:
a) Tem – tem – vem - freiar 1º Um membro de determinado grupo, ao qual prestava
b) Tem – tiveram – vieram - frear serviços regularmente, sem nenhum aviso, deixou de participar
c) Teve – tinham – vinham – frenar de suas atividades.
d) Teve – tem – veem – freiar 2º Após algumas semanas, o líder daquele grupo decidiu
e) Teve – têm – vêm – frear visitá-lo. Era uma noite muito fria. O líder encontrou o homem
em casa sozinho, sentado diante ______ lareira, onde ardia um
07. (UNIFESP - Técnico em Segurança do Trabalho – VU- fogo brilhante e acolhedor.
NESP/2016) 3º Adivinhando a razão da visita, o homem deu as boas-vin-
das ao líder, conduziu-o a uma cadeira perto da lareira e ficou
É permitido sonhar quieto, esperando. O líder acomodou-se confortavelmente no
local indicado, mas não disse nada. No silêncio sério que se for-
Os bastidores do vestibular são cheios de histórias – curiosas, mara, apenas contemplava a dança das chamas em torno das
estranhas, comoventes. O jovem que chega atrasado por alguns achas da lenha, que ardiam. Ao cabo de alguns minutos, o líder
segundos, por exemplo, é uma figura clássica, e patética. Mas examinou as brasas que se formaram. Cuidadosamente, selecio-
nou uma delas, a mais incandescente de todas, empurrando-a
existem outras figuras capazes de chamar a atenção.
______ lado. Voltou, então, a sentar-se, permanecendo silen-
Takeshi Nojima é um caso. Ele fez vestibular para a Faculda- cioso e imóvel. O anfitrião prestava atenção a tudo, fascinado
de de Medicina da Universidade do Paraná. Veio do Japão aos 11 e quieto. Aos poucos, a chama da brasa solitária diminuía, até
anos, trabalhou em várias coisas, e agora quer começar uma car- que houve um brilho momentâneo e seu fogo se apagou de vez.
reira médica. 4º Em pouco tempo, o que antes era uma festa de calor e
Nada surpreendente, não fosse a idade do Takeshi: ele tem luz agora não passava de um negro, frio e morto pedaço de car-
80 anos. Isto mesmo, 80. Numa fase em que outros já passaram vão recoberto _____ uma espessa camada de fuligem acinzen-
até da aposentadoria compulsória, ele se prepara para iniciar tada. Nenhuma palavra tinha sido dita antes desde o protocolar
nova vida. E o faz tranquilo: “Cuidei de meus pais, cuidei dos meus cumprimento inicial entre os dois amigos. O líder, antes de se
filhos. Agora posso realizar um sonho que trago da infância”. preparar para sair, manipulou novamente o carvão frio e inútil,
Não faltará quem critique Takeshi Nojima: ele está tirando o colocando-o de volta ao meio do fogo. Quase que imediatamen-
lugar de jovens, dirá algum darwinista social. Eu ponderaria que te ele tornou a incandescer, alimentado pela luz e calor dos car-
nem tudo na vida se regula pelo critério cronológico. Há pais que vões ardentes em torno dele. Quando o líder alcançou a porta
passam muito pouco tempo com os filhos e nem por isso são para partir, seu anfitrião disse:
maus pais; o que interessa é a qualidade do tempo, não a quan- 5º – Obrigado. Por sua visita e pelo belíssimo sermão. Estou
tidade. Talvez a expectativa de vida não permita ao vestibulando voltando ao convívio do grupo.
RANGEL, Alexandre (org.). As mais belas parábolas de todos os tem-
Nojima uma longa carreira na profissão médica. Mas os anos, ou
pos –Vol. II.Belo Horizonte: Leitura, 2004.
meses, ou mesmo os dias que dedicar a seus pacientes terão em
Assinale a alternativa que preenche corretamente as la-
si a carga afetiva de uma existência inteira. cunas do texto:
Não sei se Takeshi Nojima passou no vestibular; a notícia que a) a – ao – por.
li não esclarecia a respeito. Mas ele mesmo disse que isto não te- b) da – para o – de.
ria importância: se fosse reprovado, começaria tudo de novo. E aí
c) à – no – a.
de novo ele dá um exemplo. Os resultados do difícil exame trazem
d) a – de – em.
desilusão para muitos jovens, e não são poucos os que pensam
em desistir por causa de um fracasso. A estes eu digo: antes de
abandonar a luta, pensem em Takeshi Nojima, pensem na força
de seu sonho. Sonhar não é proibido. É um dever.
(Moacyr Scliar. Minha mãe não dorme enquanto eu não chegar, 1996.
Adaptado)

25
LÍNGUA PORTUGUESA

09. IF-PE - Técnico em Enfermagem – 2017 - IF-PE 04 C


Crônica da cidade do Rio de Janeiro 05 B
06 E
No alto da noite do Rio de Janeiro, luminoso, generoso, o
07 B
Cristo Redentor estende os braços. Debaixo desses braços os ne-
tos dos escravos encontram amparo. 08 B
Uma mulher descalça olha o Cristo, lá de baixo, e apontando 09 B
seu fulgor, diz, muito tristemente:
- Daqui a pouco não estará mais aí. Ouvi dizer que vão tirar 10 C
Ele daí.
- Não se preocupe – tranquiliza uma vizinha. – Não se preo-
cupe: Ele volta. CONCORDÂNCIA NOMINAL VERBAL
A polícia mata muitos, e mais ainda mata a economia. Na
cidade violenta soam tiros e também tambores: os atabaques, Segundo Mattoso câmara Jr., dá-se o nome de concordância
ansiosos de consolo e de vingança, chamam os deuses africanos. à circunstância de um adjetivo variar em gênero e número de
Cristo sozinho não basta. acordo com o substantivo a que se refere (concordância nomi-
(GALEANO, Eduardo. O livro dos abraços. Porto Alegre: L&PM Pocket, nal) e à de um verbo variar em número e pessoa de acordo com
2009.) o seu sujeito (concordância verbal). Entretanto, há casos em que
existem dúvidas.
Na construção “A polícia mata muitos, e mais ainda mata
a economia”, a conjunção em destaque estabelece, entre as Concordância Nominal
orações,
Parte superior do formulário O adjetivo e palavras adjetivas (artigo, numeral, pronome
a) uma relação de adição. adjetivo) concordam em gênero e número com o nome a que
b) uma relação de oposição. se referem.
c) uma relação de conclusão.
d) uma relação de explicação. Adjetivos e um substantivo: Quando houver mais de um
e) uma relação de consequência. adjetivo para um substantivo, os adjetivos concordam em gêne-
Parte inferior do formulário ro e número com o substantivo.

10. (IF-PE - Auxiliar em Administração – IF-PE/2016) Amava suco gelado e doce.

A fome/2 Substantivos e um adjetivo: Quando há mais do que um


substantivo e apenas um adjetivo, há duas formas de concordar:
Um sistema de desvinculo: Boi sozinho se lambe melhor... O
próximo, o outro, não é seu irmão, nem seu amante. O outro é - Quando o adjetivo vem antes dos substantivos, o adjetivo
um competidor, um inimigo, um obstáculo a ser vencido ou uma deve concordar com o substantivo mais próximo.
coisa a ser usada. O sistema, que não dá de comer, tampouco dá
de amar: condena muitos à fome de pão e muitos mais à fome Lindo pai e filho.
de abraços.
(GALEANO, Eduardo. O livro dos abraços. Porto Alegre: L&PM Pocket, - Quando o adjetivo vem depois dos substantivos, o adjeti-
2009, p. 81.) vo deve concordar com o substantivo mais próximo ou também
com todos os substantivos.
No trecho “O sistema, que não dá de comer, tampouco dá
de amar”, a conjunção destacada estabelece, entre as orações, Comida e bebida perfeita.
a relação de Comida e bebida perfeitas.
a) conclusão.
b) adversidade. - Palavras adverbiais x palavras adjetivas: há palavras que
c) adição. têm função de advérbio, mas às vezes de adjetivo.
d) explicação. Quando advérbio, são invariáveis: Há bastante comida.
e) alternância. Quando adjetivo, concordam com o nome a que se referem:
RESPOSTAS Há bastantes motivos para não gostar dele.
Fazem parte desta classificação: pouco, muito, bastante, ba-
01 E rato, caro, meio, longe, etc.
02 B - Expressões “anexo” e “obrigado”: tratam-se de palavras
03 A adjetivas, e devem concordar com o nome a que se referem.

26
LÍNGUA PORTUGUESA

Seguem anexas as avaliações. A maioria dos meninos vai…


Seguem anexos os conteúdos. A maior parte dos meninos vai…
Muito obrigado, disse ele. A maioria dos meninos vão…
Muito obrigada, disse ela. A maior parte dos meninos vão…

Sob a mesma regra, temos palavras como: incluso, quite, - Concordância verbal com pronome relativo que: o verbo
leso, mesmo e próprio. concorda com o termo antecedente ao pronome relativo que:

Concordância Verbal Fui eu que contei o segredo.


Foi ele que contou o segredo.
A concordância verbal ocorre quando o verbo de flexiona Fomos nós que contamos o segredo.
para concordar com o sujeito gramatical. Essa flexão verbal é
feita em número (singular ou plural) e em pessoa (1.ª, 2.ª ou 3.ª - Concordância verbal com pronome relativo quem: o verbo
pessoa). concorda com o termo antecedente ao pronome relativo quem
ou fica conjugado na 3.ª pessoa do singular:
Sujeito composto antes do verbo: O sujeito é composto e
vem antes do verbo que deve estar sempre no plural. Fui eu quem contei o segredo.
Fomos nós quem contamos o segredo
João e Paulo conversaram pelo telefone. Fui eu quem contou o segredo.
Fomos nós quem contou o segredo.
Sujeito composto depois do verbo: O sujeito composto vem
depois do verbo, tanto pode ficar no plural como pode concor- - Concordância verbal com o infinitivo pessoal: o infinitivo é
dar com o sujeito mais próximo. flexionado, principalmente, quer definir o sujeito e o sujeito da
segunda oração é diferente da primeira:
Brincaram Pedro e Vítor.
Brincou Pedro e Vítor.
Eu pedi para eles fazerem a tarefa.
Sujeito formado por pessoas gramaticais diferentes: O su-
- Concordância verbal com o infinitivo impessoal: o infinitivo
jeito é composto, mas as pessoas gramaticais são diferentes. O
não é flexionado em locuções verbais e em verbos preposicio-
verbo também deve ficar no plural e concordará com a pessoa
nados:
que, a nível gramatical, tem prioridade.
1.ª pessoa (eu, nós) tem prioridade em relação à 2.ª (tu,
vós) e a 2.ª tem prioridade em relação à 3.ª (ele, eles). Foram impedidos de entender a razão.

Nós, vós e eles vamos à igreja. - Concordância verbal com o verbo ser: a concordância em
número é estabelecida com o predicativo do sujeito:
Casos específicos de concordância verbal
Isto é verdade!
- Concordância verbal com verbos impessoais: como não Isto são verdades!
apresentam sujeito, são conjugados sempre na 3.ª pessoa do
singular: - Concordância verbal com um dos que: o verbo fica sempre
Faz cinco anos que eu te conheci. (verbo fazer indicando na 3.ª pessoa do plural:
tempo decorrido)
Um dos que foram…
- Concordância verbal com a partícula apassivadora se: o Um dos que podem…
objeto direto assume a função de sujeito paciente, e o verbo
estabelece concordância em número com o objeto direto: QUESTÕES

Vende-se ovo. 01. Pref. de Nova Veneza/SC – Psicólogo – 2016 - FAEPESUL


Vendem-se ovos. A alternativa que está coerente com as regras da concor-
dância nominal é:
- Concordância verbal com a partícula de indeterminação A) Ternos marrons-claros.
do sujeito se: Quando atua como indeterminadora do sujeito, o B) Tratados lusos-brasileiros.
verbo fica sempre conjugado na 3.ª pessoa do singular: C) Aulas teórico-práticas.
Precisa-se de vendedor. D) Sapatos azul-marinhos.
Precisa-se de vendedores. E) Camisas verdes-escuras.

- Concordância verbal com a maioria, a maior parte, a meta-


de,...: o verbo fica conjugado na 3.ª pessoa do singular. Porém, já
se considera aceitável o uso da 3.ª pessoa do plural:

27
LÍNGUA PORTUGUESA

02. SAAEB – Engenheiro de Segurança do Trabalho – 2016 Causa consternação conhecer a principal razão citada pelos
- FAFIPA consumidores para deixar de pagar as dívidas: a perda de em-
Indique a alternativa que NÃO apresenta erro de concor- prego, que tem forte correlação com a capacidade de pagamen-
dância nominal. to das famílias.
A) O acontecimento derrubou a bolsa brasileira, argentina Até há pouco, as empresas evitavam demitir, pois tendem
e a espanhola. a perder investimentos em treinamento e incorrer em custos
B) Naquele lugar ainda vivia uma pseuda-aristocracia. trabalhistas. Dado o colapso da atividade econômica, porém,
C) Como não tinham outra companhia, os irmãos viajaram
jogaram a toalha.
só.
O impacto negativo da disponibilidade de crédito é imedia-
D) Simpáticos malabaristas e dançarinos animavam a festa.
to. O indivíduo não só perde a capacidade de pagamento mas
03. CISMEPAR/PR – Advogado – 2016 - FAUEL também enfrenta grande dificuldade para obter novos recursos,
A respeito de concordância verbal e nominal, assinale a al- pois não possui carteira de trabalho assinada.
ternativa cuja frase NÃO realiza a concordância de acordo com a Tem-se aí outro aspecto perverso da recessão, que se soma
norma padrão da Língua Portuguesa: às muitas evidências de reversão de padrões positivos da última
década – o aumento da informalidade, o retorno de jovens ao
A) Meias verdades são como mentiras inteiras: uma pessoa mercado de trabalho e a alta do desemprego.
meia honesta é pior que uma mentirosa inteira. (Folha de S.Paulo, 08.12.2015. Adaptado)
B) Sonhar, plantar e colher: eis o segredo para alcançar seus
objetivos. Assinale a alternativa correta quanto à concordância verbal.
C) Para o sucesso, não há outro caminho: quanto mais dis- A) A mudança de direção da economia fazem com que se
tante o alvo, maior a dedicação. altere o tamanho das jornadas de trabalho, por exemplo.
D) Não é com apenas uma tentativa que se alcança o que
B) Existe indivíduos que, sem carteira de trabalho assinada,
se quer.
enfrentam grande dificuldade para obter novos recursos.
04. TRF – 3ª Região – Analista Judiciário-Área Administra- C) Os investimentos realizados e os custos trabalhistas fize-
tiva – 2017 - FCC ram com que muitas empresas optassem por manter seus fun-
A respeito da concordância verbal, é correto afirmar: cionários.
A) Em “A aquisição de novas obras devem trazer benefícios D) São as dívidas que faz com que grande número dos con-
a todos os frequentadores”, a concordância está correta por se sumidores não estejam em dia com suas obrigações.
tratar de expressão partitiva. E) Dados recentes da Associação Nacional dos Birôs de Cré-
B) Em “Existe atualmente, no Brasil, cerca de 60 museus”, dito mostra que 59 milhões de consumidores não pode obter
a concordância está correta, uma vez que o núcleo do sujeito é novos créditos.
“cerca”.
C) Na frase “Hão de se garantir as condições necessárias à 06. COPEL – Contador Júnior - 2017 - NC-UFPR
conservação das obras de arte”, o verbo “haver” deveria estar Assinale a alternativa em que os verbos sublinhados estão
no singular, uma vez que é impessoal.
corretamente flexionados quanto à concordância verbal
D) Em “Acredita-se que 25% da população frequentem am-
bientes culturais”, a concordância está correta, uma vez que a A) A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou recen-
porcentagem é o núcleo do segmento nominal. temente a nova edição do relatório Smoke-free movies (Filmes
E) Na frase “A maioria das pessoas não frequentam o mu- sem cigarro), em que recomenda que os filmes que exibem ima-
seu”, o verbo encontra-se no plural por concordar com “pes- gens de pessoas fumando deveria receber classificação indicati-
soas”, ainda que pudesse, no singular, concordar com “maioria”. va para adultos.
B) Pesquisas mostram que os filmes produzidos em seis paí-
05. MPE-SP – Oficial de Promotoria I – 2016 - VUNESP ses europeus, que alcançaram bilheterias elevadas (incluindo
alemães, ingleses e italianos), continha cenas de pessoas fuman-
Fora do jogo do em filmes classificados para menores de 18 anos.
C) Para ela, a indústria do tabaco está usando a “telona”
Quando a economia muda de direção, há variáveis que logo como uma espécie de última fronteira para anúncios, mensa-
se alteram, como o tamanho das jornadas de trabalho e o paga- gens subliminares e patrocínios, já que uma série de medidas
mento de horas extras, e outras que respondem de forma mais
em diversos países passou a restringir a publicidade do tabaco.
lenta, como o emprego e o mercado de crédito. Tendências ne-
D) E 90% dos filmes argentinos também exibiu imagens de
gativas nesses últimos indicadores, por isso mesmo, costumam
fumo em filmes para jovens.
ser duradouras.
Daí por que são preocupantes os dados mais recentes da E) Os especialistas da organização citam estudos que mos-
Associação Nacional dos Birôs de Crédito, que congrega empre- tram que quatro em cada dez crianças começa a fumar depois
sas do setor de crédito e financiamento. de ver atores famosos dando suas “pitadas” nos filmes.
Segundo a entidade, havia, em outubro, 59 milhões de con-
sumidores impedidos de obter novos créditos por não estarem
em dia com suas obrigações. Trata-se de alta de 1,8 milhão em
dois meses.

28
LÍNGUA PORTUGUESA

RESPOSTAS Regência de Advérbios: são importantes os advérbios: lon-


ge [de], perto [de] e proximamente [a, de]. Todos os advérbios
01 C terminados em -mente, tendem a apresentar a mesma preposi-
ção dos adjetivos: Compatível [com]; compativelmente [com].
02 D Relativo [a]; relativamente [a]
03 A
Regência Verbal
04 E
05 C É a parte da língua que se ocupa da relação entre os verbos
06 C e os termos que se seguem a ele e completam o seu sentido. Os
verbos são os termos regentes, enquanto os objetos (direto e
REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL indireto) e adjuntos adverbiais são os termos regidos. Os verbos
podem ser:
Regência é a relação de subordinação que ocorre entre um - Verbos Transitivos: Exigem complemento (objetos) para
verbo (ou um nome) e seus complementos. Ocupa-se em esta- que tenham sentido completo. Podem ser: Transitivos Diretos;
belecer relações entre as palavras, criando frases não ambíguas, Transitivos Indiretos; Transitivos Diretos e Indiretos.
que expressem efetivamente o sentido desejado, que sejam cor- - Verbos Intransitivos: Existem verbos intransitivos que pre-
retas e claras. cisam vir acompanhados de adjuntos adverbiais apenas para da-
rem um sentido completo para a frase.
Regência Nominal
Exemplos de regência verbal não preposicionada
Há nomes de sentido incompletos. Substantivos, adjetivos, Leu o jornal.
e, certos advérbios, podem, como no caso dos verbos, precisar Comeu o chocolate.
de um complemento (complemento nominal) para completar Bebeu o vinho.
seu sentido: Sou devoto (nome de sentido incompleto) ao Santo Ouviu a música.
Expedito (compl. Nominal). Estudou a matéria.
Fez o jantar
O substantivo devoto rege um complemento nominal pre-
cedido da preposição (ao). Sendo assim, a relação particular Exemplos de regência verbal preposicionada
entre o nome e complemento, está sempre marcada por uma Procedeu à leitura do livro.
preposição. Pagou ao fornecedor.
Contudo, cabe observar, que certos substantivos e adjetivos Desobedeceu aos mandamentos.
admitem mais de uma regência (mais de uma preposição). Apoiou-se na mesa.
Vejamos alguns nomes com as preposições que as regem: Apaixonou-se por sua melhor amiga.
Meditou sobre a possibilidade.
Acessível [a, para] - acostumado [a, com] - adequado [a] -
admiração [a, por] - alheio [a, de] - aliado [a, com] - amante [de] Quando a regência verbal é feita através de uma prepo-
– amigo [de] - amor [a, de, para com, por] –ansioso [de, para, sição, as mais utilizadas são: a, de, com, em, para, por, sobre.
por] - apto [a, para] - assíduo [a, em] - atenção [a] - atento [a, agradar a;
em] - atencioso [com, para com] - benéfico [a] - benefício [a] obedecer a;
– bom [para] - capacidade [de, para] - capaz [de, para] – cego assistir a;
[a] - certeza [de] - comum [de] - conforme [a, com] - consulta visar a;
[a] - contente [com, de, em, por] - cuidadoso [com] – curioso lembrar-se de;
[de, por] descontente [com] - desfavorável [a] –desrespeito [a] simpatizar com;
- diferente [de] - dificuldade [com, de, em, para] – digno [de] comparecer em;
- dúvida [acerca de, em, sobre] – entendido [em] – essencial convocar para;
[para] – fácil [a, de, para] - facilidade [de, em, para] - fiel [a] - trocar por;
feliz [de, com, em, por] - grato [a] - horror [a, de, por] -– idêntico alertar sobre.
[a] - impaciência [com] – incapaz [de, para] –influência [sobre]
- insensível [a] - intolerante [com] - junto [a, de] - leal [a] - lento
QUESTÕES
[em] – liberal [com] - maior [de] – manifestação [contra] - medo
[de, a] – menor [de] –morador [em] - natural [de] - necessário
01. MPE-GO - Secretário Auxiliar – Goiás – 2018 – MPE-GO
[a] - obediente [a] - ódio [a, contra] - orgulhoso [de, com] - pai-
xão [de, por] – parecido [a, com] - referência [a, por] –propício
[a] - próximo [a, de] - pronto [para, em] - propensão [para] - re- Embora de ocorrência frequente no cotidiano, a gramática
lação [a, com, de, por, para com] - relacionado [com] - rente [a, normativa não aceita o uso do mesmo complemento para ver-
de, com] - responsável [por] - rico [de, em] –satisfeito [com, de, bos com regências diferentes. Assinale a opção em que esse tipo
em, por] - semelhante [a] - suspeito [a, de] - tentativa [contra, de transgressão não ocorre.
de, para, para com] –único [em] - vazio [de]– visível [a] - vizinho A) “Pode-se concordar ou discordar, até radicalmente, de
[a, de, com] – zelo [a, de, por]. toda a política externa brasileira.” (Clóvis Rossi)

29
LÍNGUA PORTUGUESA

B) “Educador é todo aquele que confere e convive com es- mente, e os versos – repetição de um mesmo número de sílabas
ses conhecimentos.” (J. Carlos de Sousa) ou de um número fixo de acentos tônicos e eventualmente re-
C) Vi e gostei muito do filme O jardineiro fiel cujo diretor é petição de uma mesma sonoridade (rima) – facilitavam a me-
um brasileiro. morização. Mais tarde o verso se tornou um meio de enfeitar o
D) A sociedade brasileira quer a paz, anseia por ela e a ela discurso, meio que se desvalorizou pouco a pouco: a poesia con-
aspira. temporânea é rimada, mas raramente versificada. Na verdade
E) Interessei-me e desinteressei-me pelo assunto quase que o valor poético do verso decorre de suas relações com o ritmo,
simultaneamente. com a sintaxe, com as sonoridades, com o sentido das palavras.
O poema é um todo.
02. CODEBA – Analista Portuário – Administrador – 2016 (…)
- FGV Os poetas enfraquecem a sintaxe, fazendo-a ajustar-se às
exigências do verso e da expressão poética. Sem se permitir
Relatórios verdadeiras incorreções gramaticais, eles se permitem “licenças
poéticas”.
Relatórios de circulação restrita são dirigidos a leitores de Além disso, eles trabalham o sentido das palavras em dire-
perfil bem específico. Os relatórios de inquérito, por exemplo, ções contrárias: seja dando a certos termos uma extensão ou
são lidos pelas pessoas diretamente envolvidas na investigação uma indeterminação inusitadas; seja utilizando sentidos raros,
de que tratam. Um relatório de inquérito criminal terá como lei- em desuso ou novos; seja criando novas palavras.
tores preferenciais delegados, advogados, juízes e promotores. Tais liberdades aparecem mais particularmente na utiliza-
Autores de relatórios que têm leitores definidos podem ção de imagens. Assim, Jean Cohen, ao estudar o processo de
pressupor que compartilham com seus leitores um conhecimen- fabricação das comparações poéticas, observa que a linguagem
to geral sobre a questão abordada. Nesse sentido, podem fazer corrente faz espontaneamente apelo a comparações “razoáveis”
um texto que focalize aspectos específicos sem terem a necessi- (pertinentes) do tipo “a terra é redonda como uma laranja” (a
dade de apresentar informações prévias. redondeza é efetivamente uma qualidade comum à terra e a
Isso não acontece com relatórios de circulação mais ampla.
uma laranja), ao passo que a linguagem poética fabrica compa-
Nesse caso, os autores do relatório devem levar em considera-
rações inusitadas tais como: “Belo como a coisa nova/Na pra-
ção o fato de terem como interlocutores pessoas que se inte-
teleira até então vazia” (João Cabral de Melo Neto). Ou, então
ressam pelo assunto abordado, mas não têm qualquer conhe-
estranhas como: “A terra é azul como uma laranja” (Paul Éluard).
cimento sobre ele. No momento de elaborar o relatório, será
Francis Vanoye
preciso levar esse fato em consideração e introduzir, no texto,
todas as informações necessárias para garantir que os leitores
Assinale a alternativa correta quanto à regência verbal.
possam acompanhar os dados apresentados, a análise feita e a
conclusão decorrente dessa análise. A) Chamaram Jean de poeta.
B) “Não obedeço a rima das estrofes”, disse o poeta.
“Relatórios de circulação restrita são dirigidos a leitores de C) Todos os escritores preferem o elogio do que a crítica
perfil bem específico”. D) Passou no cinema o filme sobre aquele poeta que gosto
muito.
No caso desse segmento do texto, a preposição a é de uso E) Eu me lembrei os dias da leitura de poesia na escola.
gramatical, pois é exigida pela regência do verbo dirigir.
04. TJ/SP - Escrevente Técnico Judiciário - 2016 - VUNESP
Assinale a opção que indica a frase em que a preposição “a”
introduz um adjunto e não um complemento. Assinale a alternativa em que o período, adaptado da re-
A) O Brasil dá Deus a quem não tem nozes, dentes etc. vista Pesquisa Fapesp de junho de 2012, está correto quanto à
B) É preciso passar o Brasil a limpo. regência nominal e à pontuação.
C) Um memorando serve não para informar a quem o lê, A) Não há dúvida que as mulheres ampliam, rapidamente,
mas para proteger quem o escreve. seu espaço na carreira científica ainda que o avanço seja mais
D) Quem é burro pede a Deus que o mate e ao diabo que notável em alguns países, o Brasil é um exemplo, do que em
o carregue. outros.
E) O desenvolvimento é uma receita dos economistas para B) Não há dúvida que as mulheres ampliam rapidamente,
promover os miseráveis a pobres – e, às vezes, vice-versa. seu espaço na carreira científica, ainda que, o avanço seja mais
03. Pref. de Florianópolis/SC – Auxiliar de Sala – 2016 - FE- notável em alguns países (o Brasil é um exemplo) do que em
PESE outros.
C) Não há dúvida de que, as mulheres, ampliam rapidamen-
A linguagem poética te seu espaço na carreira científica; ainda que o avanço seja mais
notável, em alguns países, o Brasil é um exemplo!, do que em
Em relação à prosa comum, o poema se define de certas outros.
restrições e de certas liberdades. Frequentemente se confunde D) Não há dúvida de que as mulheres, ampliam rapidamente
a poesia com o verso. Na sua origem, o verso tem uma função seu espaço, na carreira científica, ainda que o avanço seja mais
mneumotécnica (= técnica de memorizar); os textos narrativos, notável, em alguns países: o Brasil é um exemplo, do que em
líricos e mesmo históricos e didáticos eram comunicados oral- outros.

30
LÍNGUA PORTUGUESA

E) Não há dúvida de que as mulheres ampliam rapidamente SINTAXE: ANÁLISE SINTÁTICA, FRASE, ORAÇÃO E PERÍODO
seu espaço na carreira científica, ainda que o avanço seja mais
notável em alguns países – o Brasil é um exemplo – do que em Sintaxe
outros.
A Sintaxe constitui seu foco de análise na sentença, ou seja,
05. MPE-PE - Analista Ministerial - Área Auditoria – 2018 estuda a função dos vocábulos dentro de uma frase.
– FCC A Gramática Tradicional trabalha a Sintaxe sob a forma de
“análise sintática” que, consiste em classificar os vocábulos em
Para onde vão as palavras sujeito, predicado ou outros “termos acessórios da oração” (ad-
junto adverbial, adnominal, aposto).
Como se sabe, a palavra durante algum tempo foi obrigada
a recuar diante da imagem, e o mundo escrito e impresso diante Análise Sintática
do falado na tela. Tiras de quadrinhos e livros ilustrados com um
mínimo de texto hoje não se destinam mais somente a inician- Examina a estrutura do período, divide e classifica as ora-
tes que estão aprendendo a soletrar. De muito mais peso, no ções que o constituem e reconhece a função sintática dos ter-
entanto, é o recuo da notícia impressa em face da notícia falada mos de cada oração.
e ilustrada. A imprensa, principal veículo da esfera pública no
século X I X assim como em boa parte do século XX, dificilmente Frase
será capaz de manter sua posição no século X X I.
Mas nada disso pode deter a ascensão quantitativa da lite- A construção da fala é feita a partir da articulação de unida-
ratura. A rigor, eu quase diría que - apesar dos prognósticos pes- des comunicativas. Essas unidades exprimem ideias, emoções,
simistas - o mais importante veículo tradicional da literatura, o ordens, apelos, enfim, transmitem comunicação. São chamadas
livro impresso, sobreviverá sem grande dificuldade, com poucas frases
exceções, como as das enciclopédias, dos dicionários, dos com-
Exemplos:
pêndios de informação etc., os queridinhos da internet.
Espantoso!
(Adaptado de: HOBSBAWM, Eric. Tempos fraturados. São Paulo: Com-
Aonde vai com tanta pressa?
panhia das Letras, 2013, p. 29-30.)
“O bicho, meu Deus, era um homem.” (Manuel Bandeira)
O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se de
A frase pode ou não se organizar ao redor de um verbo. Na
modo a concordar com o elemento sublinhado na seguinte fra-
língua falada, a frase é caracterizada pela entonação.
se:
A) Entre as várias atrações que (conter) um livro, uma é a de Tipos de frases
tornar-se um obieto do afeto de quem o possui.
B) Se há imagens pelas quais se (deixar) prender um A intencionalidade do discurso é manifestada através dos
espectador, há palavras que encantam um leitor. diferentes tipos de frases. Para tanto, os sinais de pontuação
C) Quando há num livro imagens excessivas, que que as acompanham auxiliam para expressar o sentido de cada
(contaminar) um texto, as palavras saem desvalorizadas. uma delas.
D) A despeito de (haver) nele figuras demais, esse livro in-
fantil atrai também um leitor adulto. Frases exclamativas: são empregadas quando o emissor
E) Aos frequentadores da internet (atrair) sobretudo o volu- quer manifestar emoção. São sinalizadas com ponto de excla-
me de informações que nela circulam. mação:

RESPOSTAS Puxa!
Até que enfim!
01 D
Frases declarativas: representam a constatação de um fato
02 B pelo emissor. Levam ponto final e podem ser afirmativas ou ne-
03 A gativas.
04 E
- Declarativas afirmativas:
05 B Gosto de comida apimentada.
As matrículas começam hoje.
- Declarativas negativas:
Não gosto de comida apimentada.
As matrículas não começam hoje.

Frases imperativas: são utilizadas para emissão de ordens,


conselhos e pedidos. Levam ponto final ou ponto de exclama-
ção.

31
LÍNGUA PORTUGUESA

- Imperativas afirmativas: Termos Essenciais da Oração: sujeito e predicado.


Vá por ali.
Siga-me! Sujeito: aquele que estabelece concordância com o núcleo
- Imperativas negativas: do predicado. Quando se trata de predicado verbal, o núcleo
Não vá por ali. é sempre um verbo; sendo um predicado nominal, o núcleo é
Não me siga! sempre um nome. Então têm por características básicas:
- ter concordância com o núcleo do predicado;
Frases interrogativas: ocorrem quando o emissor faz uma - ser elemento determinante em relação ao predicado;
pergunta na mensagem. Podem ser diretas ou indiretas. - ser formado por um substantivo, ou pronome substantivo
As interrogativas diretas devem ser sinalizadas com ponto ou, uma palavra substantivada.
de interrogação, enquanto as interrogativas indiretas, ponto fi-
nal. Tipos de sujeito:

- Simples: um só núcleo: O menino estudou.


- Interrogativas diretas:
- Composto: mais de um núcleo: “O menino e a menina es-
Escreveu o discurso?
tudaram.”
O prazo terminou? - Expresso: está explícito, enunciado: Ela ligará para você.
- Interrogativas indiretas: - Oculto (elíptico): está implícito (não está expresso), mas se
Quero saber se o discurso está feito. deduz do contexto: Chegarei amanhã. (sujeito: eu, que se deduz
Precisava saber se o prazo terminou. da desinência do verbo);
- Agente: ação expressa pelo verbo da voz ativa: O Everest
Frases optativas: expressam um desejo e são sinalizadas é quase invencível.
com ponto de exclamação: - Paciente: sofre ou recebe os efeitos da ação marcada pelo
verbo passivo: O prédio foi construído.
Que Deus te abençoe! - Agente e Paciente: o sujeito realiza a ação expressa por um
uita sorte para a nova etapa! verbo reflexivo e ele mesmo sofre ou recebe os efeitos dessa
ação: João cortou-se com aquela faca.
Oração - Indeterminado: não se indica o agente da ação verbal: Fe-
riram aquele cachorro com uma pedra.
É o enunciado que se organiza em torno de um verbo ou - Sem Sujeito: enunciação pura de um fato, através do predi-
de uma locução verbal. As orações podem ou não ter sentido cado. São formadas com os verbos impessoais, na 3ª pessoa do
completo. singular: Choveu durante a noite.
As orações são a base para a construção dos períodos, e são
formadas por vários termos. Alguns termos estão presentes em Predicado: segmento linguístico que estabelece concordân-
todas ou na maioria das orações. É o caso do sujeito e predica- cia com outro termo essencial da oração, o sujeito, sendo este
do. Outros termos não tão frequentes, ou têm um uso situacio- o termo determinante (ou subordinado) e o predicado o termo
nal, como os complementos e adjuntos. determinado (ou principal). Têm por características básicas:
apresentar-se como elemento determinado em relação ao
Exemplo: sujeito; apontar um atributo ou acrescentar nova informação ao
A mulher trancou toda a casa. sujeito.
A mulher – sujeito
Tipos de predicado:
trancou toda a casa – predicado
- predicado nominal: seu núcleo é um nome, substantivo,
Amanheceu logo em seguida. (toda a oração é predicado) adjetivo, pronome, ligado ao sujeito por um verbo de ligação. O
núcleo do predicado nominal chama-se predicativo do sujeito,
Sujeito é aquele ou aquilo de que(m) se fala. Já o predicado pois atribui ao sujeito uma qualidade ou característica.
é a informação dada sobre o sujeito. Núcleo de um termo é a pa- - predicado verbal: seu núcleo é um verbo, seguido, ou não,
lavra principal (geralmente um substantivo, pronome ou verbo). de complemento(s) ou termos acessórios).
- predicado verbo-nominal: tem dois núcleos significativos:
Os termos da oração são divididos em três níveis: um verbo e um nome
- Termos Essenciais da Oração: Sujeito e Predicado.
- Termos Integrantes da Oração: Complemento Nominal e Predicação verbal é o modo pelo qual o verbo forma o pre-
Complementos Verbais (Objeto Direto, Objeto indireto e Agente dicado.
da Passiva). Alguns verbos que, tem sentido completo, sendo apenas
- Termos Acessórios da Oração: Adjunto Adnominal, Adjun- eles o predicado. São denominados intransitivos. Exemplo: As
to Adverbial, Vocativo e Aposto. folhas caem.
Outros, para fazerem parte do predicado precisam de ou-
tros termos: Chamados transitivos. Exemplos: José comprou o
carro. (Sem os seus complementos, o verbo comprou, não trans-
mitiria uma informação completa: comprou o quê?)

32
LÍNGUA PORTUGUESA

Os verbos de predicação completa denominam-se intran- Agente da Passiva: complemento de um verbo na voz pas-
sitivos e os de predicação incompleta, transitivos. Os verbos siva. Representa o ser que pratica a ação expressa pelo verbo
transitivos subdividem-se em: transitivos diretos, transitivos passivo. Vem regido comumente pela preposição por, e menos
indiretos e transitivos diretos e indiretos (bitransitivos). frequentemente pela preposição de.
Além dos verbos transitivos e intransitivos, existem os ver-
bos de ligação que entram na formação do predicado nominal, Termos Acessórios da Oração
relacionando o predicativo com o sujeito.
São os que desempenham na oração uma função
- Transitivos Diretos: pedem um objeto direto, isto é, um secundária, qual seja a de caracterizar um ser, determinar os
complemento sem preposição. Exemplo: Comprei um terreno substantivos, exprimir alguma circunstância. São eles:
e construí a loja.
- Transitivos Indiretos: pedem um complemento regido de Adjunto adnominal: termo que caracteriza ou determina os
preposição, chamado objeto indireto. Exemplo: Não se perdoa substantivos. Pode ser expresso: Pelos adjetivos: animal feroz;
ao político que rouba aos montes. Pelos artigos: o mundo; Pelos pronomes adjetivos: muitos paí-
- Transitivos Diretos e Indiretos: se usam com dois objetos: ses.
direto e indireto, concomitantemente. Exemplo: Maria dava ali-
mento aos pobres. Adjunto adverbial:termo que exprime uma circunstância
- de Ligação: ligam ao sujeito uma palavra ou expressão (de tempo, lugar, modo, etc.) ou, em outras palavras, que mo-
chamada predicativo. Esses verbos entram na formação do pre- difica o sentido de um verbo, adjetivo ou advérbio. É expresso:
dicado nominal. Exemplo: A Bahia é quente. Pelos advérbios: Cheguei cedo; Pelas locuções ou expressões
adverbiais: Saí com meu pai.
Predicativo: Existe o predicativo do sujeito e o predicativo
do objeto. Aposto: palavra ou expressão que explica ou esclarece, de-
senvolve ou resume outro termo da oração. Exemplos: David,
Predicativo do Sujeito: termo que exprime um atributo, um que foi um excelente aluno, passou no vestibular.
estado ou modo de ser do sujeito, ao qual se prende por um
verbo de ligação, no predicado nominal. Exemplos: A bandeira O núcleo do aposto é um substantivo ou um pronome subs-
é o símbolo da nação. tantivo: O aposto não pode ser formado por adjetivos. Os apos-
Predicativo do Objeto: termo que se refere ao objeto de um tos, em geral, destacam-se por pausas, indicadas, na escrita, por
verbo transitivo. Exemplo: O juiz declarou o réu culpado. vírgulas, dois pontos ou travessões.

Termos Integrantes da Oração Vocativo: termo usado para chamar ou interpelar a pessoa,
o animal ou a coisa personificada a que nos dirigimos. Exemplo:
São os termos que completam a significação transitiva dos Vamos à escola, meus filhos!
verbos e nomes. Integram o sentido da oração, sendo assim in- O vocativo não pertence à estrutura da oração, por isso não
dispensável à compreensão do enunciado. São eles: se anexa ao sujeito nem ao predicado.
- Complemento Verbal (Objeto Direto e Objeto Indireto);
- Complemento Nominal; Período
- Agente da Passiva.
O período pode ser caracterizado pela presença de uma ou
Objeto Direto: complemento dos verbos de predicação in- de mais orações, por isso, pode ser simples ou composto.
completa, não regido, normalmente, de preposição. Exemplo:
As plantas purificaram o ar. Período Simples - apresenta apenas uma oração, a qual é
chamada de oração absoluta. Exemplo: Já chegamos.
Tem as seguintes características:
- Completa a significação dos verbos transitivos diretos; Período Composto - apresenta duas ou mais orações.
- Geralmente, não vem regido de preposição; Exemplo: Conversamos quando eu voltar. O número de orações
- Traduz o ser sobre o qual recai a ação expressa por um depende do número de verbos presentes num enunciado.
verbo ativo.
- Torna-se sujeito da oração na voz passiva. Classificação do Período Composto

Objeto Indireto: complemento verbal regido de preposição Período Composto por Coordenação - as orações são
necessária e sem valor circunstancial. Representa, o ser a que se independentes entre si, ou seja, cada uma delas têm sentido
destina ou se refere à ação verbal. É sempre regido de preposi- completo.
ção, expressa ou implícita. Exemplo: Entrou na loja e comprou vários sapatos.
Complemento Nominal: termo complementar reclamado Período Composto por Subordinação - as orações
pela significação transitiva, incompleta, de certos substantivos, relacionam-se entre si.
adjetivos e advérbios. Vem sempre regido de preposição. Exem- Exemplo: Espero terminar meu trabalho antes do meu pa-
plo: Assistência às aulas. trão voltar de viagem.

33
LÍNGUA PORTUGUESA

Período Composto por Coordenação e Subordinação - há a b) O sujeito é indeterminado.


presença de orações coordenadas e subordinadas. c) O predicado é nominal.
Exemplo: Enquanto eles falarem, nós vamos escutar. d) Tem verbo de ligação
e) Apresenta predicativo do sujeito.
Orações Coordenadas
02. CISMEPAR/PR – Advogado – 2016 - FAUEL
Podem ser sindéticas ou assindéticas, respectivamente,
conforme são utilizadas ou não conjunções Exemplos: Ora fala, O assassino era o escriba
ora não fala. (oração coordenada sindética, marcada pelo uso Paulo Leminsky
da conjunção “ora...ora”). As aulas começaram, os deveres co-
meçaram e a preguiça deu lugar à determinação. (orações coor- Meu professor de análise sintática era o tipo do
denadas assindéticas: “As aulas começaram, os deveres come- sujeito inexistente.
çaram”, oração coordenada sindética: “e a preguiça deu lugar à Um pleonasmo, o principal predicado da sua vida,
determinação”.) regular como um paradigma da 1ª conjugação.
Entre uma oração subordinada e um adjunto
As orações coordenadas sindéticas podem ser: adverbial,
- Aditivas: quando as orações expressam soma. Exemplo: ele não tinha dúvidas: sempre achava um jeito
Gosto de salgado, mas também gosto de doce. assindético de nos torturar com um aposto.
- Adversativas: quando as orações expressam adversidade. Casou com uma regência.
Exemplo: Gostava do moço, porém não queria se casar. Foi infeliz.
- Alternativas: quando as orações expressam alternativa. Era possessivo como um pronome.
Exemplo: Fica ele ou fico eu. E ela era bitransitiva.
- Conclusivas: quando as orações expressam conclusão. Tentou ir para os EUA.
Exemplo: Estão de acordo, então vamos. Não deu.
Acharam um artigo indefinido em sua bagagem.
- Explicativas: quando as orações expressam explicação.
A interjeição do bigode declinava partículas
Exemplo: Fizemos a tarefa hoje porque tivemos tempo.
expletivas,
conectivos e agentes da passiva, o tempo todo.
Orações Subordinadas
Um dia, matei-o com um objeto direto na cabeça.
As orações subordinadas podem ser substantivas, adjetivas
Na frase “Entre uma oração subordinada e um adjunto ad-
ou adverbiais, conforme a sua função.
verbial”, o autor faz referência à oração subordinada. Assinale a
- Substantivas: quando as orações têm função de substanti-
alternativa que NÃO corresponde corretamente à compreensão
vo. Exemplo: Espero que eles consigam. da relação entre orações:
- Adjetivas: quando as orações têm função de adjetivo. Parte superior do formulário
Exemplo: Os concorrentes que se preparam mais têm um de- a) Oração subordinada é o nome que se dá ao tipo de oração
sempenho melhor. que é indispensável para a compreensão da oração principal.
- Adverbiais: quando as orações têm função de advérbio. b) Diferentemente da coordenada, a oração subordinada é
Exemplo: À medida que crescem, aumentam os gastos. a que complementa o sentido da oração principal, não sendo
possível compreender individualmente nenhuma das orações,
QUESTÕES pois há uma relação de dependência do sentido.
c) Subordinação refere-se a “estar ordenado sob”, sendo
01. Pref. De Caucaia/CE – Agente de Suporte e Fiscalização indiferente a classificação de uma oração coordenada ou subor-
– 2016 - CETREDE dinada, pois as duas têm a mesma validade.
d) A oração principal é aquela rege a oração subordinada,
Dos rituais não sendo possível seu entendimento sem o complemento.

No primeiro contato com os selvagens, que medo nos dá de 03. EMSERH – Auxiliar Operacional de Serviços Gerais –
infringir os rituais, de violar um tabu! 2017 – FUNCAB
É todo um meticuloso cerimonial, cuja infração eles não nos
perdoam. A carta de amor
Eu estava falando nos selvagens? Mas com os civilizados é o
mesmo. Ou pior até. No momento em que Malvina ia por a frigideira no fogo,
Quando você estiver metido entre grã-finos, é preciso ter entrou a cozinheira com um envelope na mão. Isso bastou para
muito, muito cuidado: eles são tão primitivos! que ela se tornasse nervosa. Seu coração pôs-se a bater pre-
Mário Quintana cipitadamente e seu rosto se afogueou. Abriu-o com gesto de-
Em relação à oração “eles são tão primitivos!”, assinale o cisivo e extraiu um papel verde-mar, sobre o qual se liam, em
item INCORRETO. caracteres energéticos, masculinos, estas palavras: “Você será
a) Refere-se a grã-finos. amada...”.

34
LÍNGUA PORTUGUESA

Malvina empalideceu, apesar de já conhecer o conteúdo Todas manhãs ele passava nos bairros dos brancos carregan-
dessa carta verde-mar, que recebia todos os dias, havia já uma do suas enormes gaiolas. Ele mesmo fabricava aquelas jaulas, de
semana. Malvina estava apaixonada por um ente invisível, por tão leve material que nem pareciam servir de prisão. Parecia eram
um papel verde-mar, por três palavras e três pontos de reticên- gaiolas aladas, voláteis. Dentro delas, os pássaros esvoavam suas
cias: “Você será amada...”. Há uma semana que vivia como ébria. cores repentinas. À volta do vendedeiro, era uma nuvem de pios,
Olhava para a rua e qualquer olhar de homem que se cru- tantos que faziam mexer as janelas:
zasse com o seu, lhe fazia palpitar tumultuosamente o coração. - Mãe, olha o homem dos passarinheiros!
Se o telefone tilintava, seu pensamento corria célere: talvez fos- E os meninos inundavam as ruas. As alegrias se intercambia-
se “ele”. Se não conhecesse a causa desse transtorno, por certo
vam: a gritaria das aves e o chilreio das crianças. O homem puxava
Malvina já teria ido consultar um médico de doenças nervosas.
de uma muska e harmonicava sonâmbulas melodias. O mundo
Mandara examinar por um grafólogo a letra dessa carta. Fora em
todas as papelarias à procura desse papel verde-mar e, incons- inteiro se fabulava.
cientemente, fora até o correio ver se descobria o remetente no Por trás das cortinas, os colonos reprovavam aqueles abu-
ato de atirar o envelope na caixa. sos. Ensinavam suspeitas aos seus pequenos filhos - aquele preto
Tudo em vão. Quem escrevia conseguia manter-se incógni- quem era? Alguém conhecia recomendações dele? Quem autori-
to. Malvina teria feito tudo quanto ele quisesse. Nenhum em- zara aqueles pés descalços a sujarem o bairro? Não, não e não. O
pecilho para com o desconhecido. Mas para que ela pudesse negro que voltasse ao seu devido lugar. Contudo, os pássaros tão
realizar o seu sonho, era preciso que ele se tornasse homem de encantantes que são - insistiam os meninos. Os pais se agrava-
carne e osso. Malvina imaginava-o alto, moreno, com grandes vam: estava dito.
olhos negros, forte e espadaúdo. Mas aquela ordem pouco seria desempenhada.[...]
O seu cérebro trabalhava: seria ele casado? Não, não o era. O homem então se decidia a sair, juntar as suas raivas com os
Seria pobre? Não podia ser. Seria um grande industrial? Quem demais colonos. No clube, eles todos se aclamavam: era preciso
sabe?
acabar com as visitas do passarinheiro. Que a medida não podia
As cartas de amor, verde-mar, haviam surgido na vida de
ser de morte matada, nem coisa que ofendesse a vista das senho-
Malvina como o dilúvio, transformando-lhe o cérebro.
Afinal, no décimo dia, chegou a explicação do enigma. Foi ras e seus filhos. ___6___ remédio, enfim, se haveria de pensar.
uma coisa tão dramática, tão original, tão crível, que Malvina No dia seguinte, o vendedor repetiu a sua alegre invasão. Afi-
não teve nem um ataque de histerismo, nem uma crise de cóle- nal, os colonos ainda que hesitaram: aquele negro trazia aves de
ra. Ficou apenas petrificada. belezas jamais vistas. Ninguém podia resistir às suas cores, seus
“Você será amada... se usar, pela manhã, o creme de beleza chilreios. Nem aquilo parecia coisa deste verídico mundo. O ven-
Lua Cheia. O creme Lua Cheia é vendido em todas as farmácias e dedor se anonimava, em humilde desaparecimento de si:
drogarias. Ninguém resistirá a você, se usar o creme Lua Cheia. - Esses são pássaros muito excelentes, desses com as asas
Era o que continha o papel verde-mar, escrito em enérgicos todas de fora.
caracteres masculinos. Os portugueses se interrogavam: onde desencantava ele tão
Ao voltar a si, Malvina arrastou-se até o telefone: maravilhosas criaturas? onde, se eles tinham já desbravado os
-Alô! É Jorge quem está falando? Já pensei e resolvi casar- mais extensos matos?
-me com você. Sim, Jorge, amo-o! Ora, que pergunta! Pode vir. O vendedor se segredava, respondendo um riso. Os senhores
A voz de Jorge estava rouca de felicidade!
receavam as suas próprias suspeições - teria aquele negro direito
E nunca soube a que devia tanta sorte!
André Sinoldi a ingressar num mundo onde eles careciam de acesso? Mas logo
se aprontavam a diminuir-lhe os méritos: o tipo dormia nas ár-
Se a oração escrita na carta estivesse completa, como em vores, em plena passarada. Eles se igualam aos bichos silvestres,
“Você será amada POR MIM”, o termo destacado funcionaria concluíam.
como: Fosse por desdenho dos grandes ou por glória dos pequenos,
a) complemento nominal. a verdade é que, aos pouco-poucos, o passarinheiro foi virando
b) objeto direto. assunto no bairro do cimento. Sua presença foi enchendo dura-
c) agente da passiva. ções, insuspeitos vazios. Conforme dele se comprava, as casas
d) objeto indireto. mais se repletavam de doces cantos. Aquela música se estranha-
e) adjunto nominal. va nos moradores, mostrando que aquele bairro não pertencia
àquela terra. Afinal, os pássaros desautenticavam os residentes,
04. EMSERH – Enfermeiro – 2017 – FUNCAB estrangeirando-lhes? [...] O comerciante devia saber que seus
Assinale a alternativa correspondente ao período onde há
passos descalços não cabiam naquelas ruas. Os brancos se inquie-
predicativo do sujeito:
tavam com aquela desobediência, acusando o tempo. [...]
O embondeiro que sonhava pássaros As crianças emigravam de sua condição, desdobrando-se em
outras felizes existências. E todos se familiavam, parentes aparen-
Esse homem sempre vai ficar de sombra: nenhuma memó- tes. [...]
ria será bastante para lhe salvar do escuro. Em verdade, seu as- Os pais lhes queriam fechar o sonho, sua pequena e infinita
tro não era o Sol. Nem seu país não era a vida. Talvez, por razão alma. Surgiu o mando: a rua vos está proibida, vocês não saem
disso, ele habitasse com cautela de um estranho. O vendedor de mais. Correram-se as cortinas, as casas fecharam suas pálpebras.
pássaros não tinha sequer o abrigo de um nome. Chamavam-lhe COUTO, Mia. Cada homem é uma raça: contos/ Mia Couto - 1ª ed. -
o passarinheiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. p.63 - 71. (Fragmento).

35
LÍNGUA PORTUGUESA

Sobre os elementos destacados do fragmento “Em verdade, c) ... e funciona como escape para as pressões do cotidiano.
seu astro não era o Sol. Nem seu país não era a vida.”, leia as d) A solução para muitos é a reconversão em técnico ...
afirmativas. e) ... que depende das qualidades pessoais de seus mem-
I. A expressão EM VERDADE pode ser substituída, sem alte- bros.
ração de sentido por COM EFEITO.
II. ERA O SOL formam o predicado verbal da primeira ora- 06. MPE/PB - Técnico ministerial - diligências e apoio admi-
ção. nistrativo – 2015 - FCC
III. NEM, no contexto, é uma conjunção coordenativa.
O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,
Está correto apenas o que se afirma em: Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha
a) I e III. aldeia
b) III. Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia.
c) I e II.
d) I. O Tejo tem grandes navios
e) II e III. E navega nele ainda,
Para aqueles que veem em tudo o que lá não está,
05. TRE/RR - Técnico Judiciário - Operação de A memória das naus.
Computadores – 2015 - FCC
É indiscutível que no mundo contemporâneo o ambiente O Tejo desce de Espanha
do futebol é dos mais intensos do ponto de vista psicológico. E o Tejo entra no mar em Portugal
Nos estádios a concentração é total. Vive-se ali situação de Toda a gente sabe isso.
incessante dialética entre o metafórico e o literal, entre o Mas poucos sabem qual é o rio da minha aldeia
lúdico e o real. O que varia conforme o indivíduo considerado é E para onde ele vai
a passagem de uma condição a outra. Passagem rápida no caso E donde ele vem
do torcedor, cuja regressão psíquica do lúdico dura algumas E por isso, porque pertence a menos gente,
horas e funciona como escape para as pressões do cotidiano. É mais livre e maior o rio da minha aldeia.
Passagem lenta no caso do futebolista profissional, que vive
quinze ou vinte anos em ambiente de fantasia, que geralmente Pelo Tejo vai-se para o Mundo
torna difícil a inserção na realidade global quando termina a car- Para além do Tejo há a América
reira. A solução para muitos é a reconversão em técnico, que os E a fortuna daqueles que a encontram
mantém sob holofote. Lothar Matthäus, por exemplo, recordista Ninguém nunca pensou no que há para além
de partidas em Copas do Mundo, com a seleção alemã, Ballon Do rio da minha aldeia.
d’Or de 1990, tornou-se técnico porque “na verdade, para mim,
o futebol é mais importante do que a família”. [...] O rio da minha aldeia não faz pensar em nada.
Sendo esporte coletivo, o futebol tem implicações e signi- Quem está ao pé dele está só ao pé dele.
ficações psicológicas coletivas, porém calcadas, pelo menos em (Alberto Caeiro)
parte, nas individualidades que o compõem. O jogo é coletivo,
como a vida social, porém num e noutra a atuação de um só E o Tejo entra no mar em Portugal
indivíduo pode repercutir sobre o todo. Como em qualquer
sociedade, na do futebol vive-se o tempo inteiro em equilíbrio O elemento que exerce a mesma função sintática que o su-
precário entre o indivíduo e o grupo. O jogador busca o sucesso blinhado acima encontra-se em
pessoal, para o qual depende em grande parte dos companhei- a) a fortuna. (4a estrofe)
ros; há um sentimento de equipe, que depende das qualidades b) A memória das naus. (2a estrofe)
pessoais de seus membros. O torcedor lúcido busca o prazer do c) grandes navios. (2a estrofe)
jogo preservando sua individualidade; todavia, a própria condi- d) menos gente. (3a estrofe)
ção de torcedor acaba por diluí-lo na massa. e) a América. (4a estrofe)
(JÚNIOR, Hilário Franco. A dança dos deuses: futebol, cultura,
sociedade. São Paulo: Companhia das letras, 2007, p. 303-304, com adap- 07. TRF – 3ª Região – Analista Judiciário – Área Administra-
tações) tiva – 2016 – FCC
O museu é considerado um instrumento de neutralização
*Ballon d’Or 1990 - prêmio de melhor jogador do ano – e talvez o seja de fato. Os objetos que nele se encontram reu-
nidos trazem o testemunho de disputas sociais, de conflitos po-
O jogador busca o sucesso pessoal ... líticos e religiosos. Muitas obras antigas celebram vitórias milita-
res e conquistas: a maior parte presta homenagem às potências
A mesma relação sintática entre verbo e complemento, su- dominantes, suas financiadoras. As obras modernas são, mais
blinhados acima, está em: genericamente, animadas pelo espírito crítico: elas protestam
a) É indiscutível que no mundo contemporâneo... contra os fatos da realidade, os poderes, o estado das coisas.
b) ... o futebol tem implicações e significações psicológicas O museu reúne todas essas manifestações de sentido oposto.
coletivas ... Expõe tudo junto em nome de um valor que se presume parti-

36
LÍNGUA PORTUGUESA

lhado por elas: a qualidade artística. Suas diferenças funcionais, a) Prejudica a correção gramatical do período, pois provoca
suas divergências políticas são apagadas. A violência de que parti- truncamento sintático.
cipavam, ou que combatiam, é esquecida. O museu parece assim b) Transforma o aposto em oração subordinada adjetiva ex-
desempenhar um papel de pacificação social. A guerra das ima- plicativa.
gens extingue-se na pacificação dos museus. c) Altera a oração subordinada explicativa para oração res-
Todos os objetos reunidos ali têm como princípio o fato de tritiva.
terem sido retirados de seu contexto. Desde então, dois pontos d) Transforma o segmento grifado em oração principal do
de vista concorrentes são possíveis. De acordo com o primeiro, o período.
museu é por excelência o lugar de advento da Arte enquanto tal, e) Corrige erro de estrutura sintática inserido no período.
separada de seus pretextos, libertada de suas sujeições. Para o se-
gundo, e pela mesma razão, é um “depósito de despojos”. Por um RESPOSTAS
lado, o museu facilita o acesso das obras a um status estético que
as exalta. Por outro, as reduz a um destino igualmente estético,
01 B
mas, desta vez, concebido como um estado letárgico.
A colocação em museu foi descrita e denunciada frequente- 02 C
mente como uma desvitalização do simbólico, e a musealização 03 C
progressiva dos objetos de uso como outros tantos escândalos
sucessivos. Ainda seria preciso perguntar sobre a razão do “es- 04 A
cândalo”. Para que haja escândalo, é necessário que tenha havido 05 B
atentado ao sagrado. Diante de cada crítica escandalizada dirigida
ao museu, seria interessante desvendar que valor foi previamente 06 B
sacralizado. A Religião? A Arte? A singularidade absoluta da obra? 07 C
A Revolta? A Vida autêntica? A integridade do Contexto original?
Estranha inversão de perspectiva. Porque, simultaneamente, a 08 B
crítica mais comum contra o museu apresenta-o como sendo, ele
próprio, um órgão de sacralização. O museu, por retirar as obras
de sua origem, é realmente “o lugar simbólico onde o trabalho ESTRUTURAÇÃO DO TEXTO E DOS PARÁGRAFOS
de abstração assume seu caráter mais violento e mais ultrajan-
te”. Porém, esse trabalho de abstração e esse efeito de alienação São três os elementos essenciais para a composição de um
operam em toda parte. É a ação do tempo, conjugada com nossa texto: a introdução, o desenvolvimento e a conclusão. Vamos
ilusão da presença mantida e da arte conservada. estudar cada uma de forma isolada a seguir:
(Adaptado de: GALARD, Jean. Beleza Exorbitante. São Paulo, Fap.-Uni-
fesp, 2012, p. 68-71) Introdução
Na frase Diante de cada crítica escandalizada dirigida ao mu-
É a apresentação direta e objetiva da ideia central do texto.
seu, seria interessante desvendar que valor foi previamente sacra-
A introdução é caracterizada por ser o parágrafo inicial.
lizado (3°parágrafo), a oração sublinhada complementa o sentido
de
a) um substantivo, e pode ser considerada como interrogati- Desenvolvimento
va indireta.
b) um verbo, e pode ser considerada como interrogativa di- Quando tratamos de estrutura, é a maior parte do texto.
reta. O desenvolvimento estabelece uma conexão entre a introdução
c) um verbo, e pode ser considerada como interrogativa in- e a conclusão, pois é nesta parte que as ideias, argumentos e
direta. posicionamento do autor vão sendo formados e desenvolvidos
d) um substantivo, e pode ser considerada como interroga- com a finalidade de dirigir a atenção do leitor para a conclusão.
tiva direta. Em um bom desenvolvimento as ideias devem ser claras e
e) um advérbio, e pode ser considerada como interrogativa aptas a fazer com que o leitor anteceda qual será a conclusão.
indireta.
São três principais erros que podem ser cometidos na ela-
08.ANAC – Analista Administrativo – 2016 – ESAF boração do desenvolvimento:
Assinale a opção que apresenta explicação correta para a in- - Distanciar-se do texto em relação ao tema inicial.
serção de “que é” antes do segmento grifado no texto. - Focar em apenas um tópico do tema e esquecer dos ou-
tros.
A Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República
- Falar sobre muitas informações e não conseguir organizá-
divulgou recentemente a pesquisa O Brasil que voa – Perfil dos
Passageiros, Aeroportos e Rotas do Brasil, o mais completo levan- -las, dificultando a linha de compreensão do leitor.
tamento sobre transporte aéreo de passageiros do País. Mais de
150 mil passageiros, ouvidos durante 2014 nos 65 aeroportos res- Conclusão
ponsáveis por 98% da movimentação aérea do País, revelaram um
perfil inédito do setor. Ponto final de todas as argumentações discorridas no de-
<http://www.anac.gov.br/Noticia.aspx?ttCD_CHAVE=1957&slCD_ senvolvimento, ou seja, o encerramento do texto e dos questio-
ORIGEM=29>. Acesso em: 13/12/2015 (com adaptações). namentos levantados pelo autor.

37
LÍNGUA PORTUGUESA

Ao fazermos a conclusão devemos evitar expressões como: O texto apresenta como ideia central:
“Concluindo...”, “Em conclusão, ...”, “Como já dissemos antes...”. A) inúmeros questionamentos e dúvidas que demonstram a
falta de informação da autora sobre o modo de punir o serviço
Parágrafo público de má qualidade.
B) questionamentos retóricos que refletem a indignação
Se caracteriza como um pequeno recuo em relação à mar- da autora diante dos desmandos de políticos e de instituições
gem esquerda da folha. Conceitualmente, o parágrafo completo públicas contra os cidadãos que não têm como punir os que de-
deve conter introdução, desenvolvimento e conclusão. viam representá-los.
- Introdução – apresentação da ideia principal, feita de ma- C) a ideia de que o cidadão que não é vândalo tem que ser
neira sintética de acordo com os objetivos do autor. bem tratado pelos políticos e pelos servidores públicos.
- Desenvolvimento – ampliação do tópico frasal (introdu- D) a discussão de que é pelo voto que podemos punir os
ção), atribuído pelas ideias secundárias, a fim de reforçar e dar políticos e seus partidos pelo desrespeito imposto aos cidadãos.
E) a ideia de que abusos contra os cidadãos que não são
credibilidade na discussão.
eleitores ocorrem todos os dias e devem ser punidos.
- Conclusão – retomada da ideia central ligada aos pressu-
02. TRE SP - Analista Judiciário – 2017 – FCC
postos citados no desenvolvimento, procurando arrematá-los.
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanen-
Exemplo de um parágrafo bem estruturado (com introdu-
te desejo de expansaõ
ção, desenvolvimento e conclusão):
Amizade
“Nesse contexto, é um grave erro a liberação da maconha.
Provocará de imediato violenta elevação do consumo. O Estado
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanente
perderá o precário controle que ainda exerce sobre as drogas
desejo de expansão. Por mais completa que pareça ser uma rela-
psicotrópicas e nossas instituições de recuperação de viciados
ção de amizade, ela vive também do que lhe falta e da esperança
não terão estrutura suficiente para atender à demanda. Enfim,
de que um dia nada venha a faltar. Com o tempo, aprendemos a
viveremos o caos. ”
esperar menos e a nos satisfazer com a finitude dos sentimentos
(Alberto Corazza, Isto É, com adaptações)
nossos e alheios, embora no fundo de nós ainda esperemos a
súbita novidade que o amigo saberá revelar. Sendo um exercício
Elemento relacionador: Nesse contexto.
bem-sucedido de tolerância e paciência – amplamente recom-
Tópico frasal: é um grave erro a liberação da maconha.
pensadas, diga-se – a amizade é também a ansiedade e a expec-
Desenvolvimento: Provocará de imediato violenta elevação
tativa de descobrirmos em nós, por intermédio do amigo, uma
do consumo. O Estado perderá o precário controle que ainda
dimensão desconhecida do nosso ser.
exerce sobre as drogas psicotrópicas e nossas instituições de re-
Há quem julgue que cabe ao amigo reconhecer e estimu-
cuperação de viciados não terão estrutura suficiente para aten-
lar nossas melhores qualidades. Mas por que não esperar que
der à demanda.
o valor maior da amizade está em ser ela um necessário e fiel
Conclusão: Enfim, viveremos o caos.
espelho de nossos defeitos? Não é preciso contar com o amigo
para conhecermos melhor nossas mais agudas imperfeições?
QUESTÕES
Não cabe ao amigo a sinceridade de quem aponta nossa falha,
pela esperança de que venhamos a corrigi-la? Se o nosso adver-
01. IFCE – Administrador - 2014
sário aponta nossas faltas no tom destrutivo de uma acusação, o
amigo as identifica com lealdade, para que nos compreendamos
Como processar quem não nos representa?
melhor.
Quando um amigo verdadeiro, por contingência da vida ou
Não somos vândalos. E deveríamos ganhar flores. Cidadãos
imposição da morte, é afastado de nós, ficam dele, em nossa
que respeitam as regras são diariamente maltratados por ser-
consciência, seus valores, seus juízos, suas percepções. Pergun-
viços públicos ineficientes. Como processar o prefeito e o go-
tas como “O que diria ele sobre isso?” ou “O que faria ele com
vernador se nossos impostos não se traduzem no respeito ao
isso?” passam a nos ocorrer: são perspectivas dele que se fixa-
cidadão? Como processar um Congresso que se comporta de
ram e continuam a agir como um parâmetro vivo e importante.
maneira vil, ao manter como deputado, em voto secreto, o pre-
As marcas da amizade não desaparecem com a ausência do ami-
sidiário Natan Donadon, condenado a 13 anos por roubo de di-
go, nem se enfraquecem como memórias pálidas: continuam a
nheiro público?
ser referências para o que fazemos e pensamos.
Se posso ser multada (e devo ser) caso jogue no chão um
(CALÓGERAS, Bruno, inédito)Considere as seguintes afirmações:
papel de bala, por que não posso multar o prefeito quando a
cidade não funciona? E por que não posso multar o governador,
I. No primeiro parágrafo, há a sugestão de que a tolerância e
se o serviço público me provoca sentimentos de fúria e impotên-
a paciência, qualidades positivas mas dispensáveis entre amigos
cia? Como punir o vandalismo moral do Estado? Ah, pelo voto.
verdadeiros, dão lugar à recompensa da incondicionalidade do
Não, não é suficiente. Deveríamos dispor de instrumentos legais
afeto.
para processar quem abusa do poder contra os eleitores – e esse
II. No segundo parágrafo, expressa-se a convicção de que o
abuso transcende partidos e ideologias. […] (
amigo verdadeiro não apenas releva nossos defeitos como tam-
Texto retirado do artigo de Ruth Aquino. Revista Época, 02/09/2103.)
bém é capaz de convertê-los em qualidades nossas.

38
LÍNGUA PORTUGUESA

III. No terceiro parágrafo, considera-se que da ausência oca- B) I e II, apenas.


sional ou definitiva do amigo não resulta que seus valores e seus C) II e III, apenas.
pontos de vista deixem de atuar dentro de nossa consciência. D) I e III, apenas.
E) II, apenas.
Em relação ao texto está correto o que se afirma em:
A) I, II e III. 04. Polícia Civil - AP - Oficial de Polícia Civil – 2017 – FCC
B) I e II, apenas.
C) II e III, apenas. Ações e limites
D) I e III, apenas.
E) III, apenas. Quem nunca ouviu a frase “Conte até dez antes de agir”? Não
é comum que se respeite esse conselho, somos tentados a dar
03. TRE SP - Analista Judiciário – 2017 – FCC livre vasão aos nossos impulsos, mas a recomendação tem sua
utilidade: dez segundos são um tempo precioso, podem ser a
Discussão – o que é isso? diferença entre o ato irracional e a prudência, entre o abismo
e a ponte para um outro lado. Entre as pessoas, como entre os
A palavra discussão tem sentido bastante controverso: tanto grupos ou grandes comunidades, pode ser necessário abrir esse
pode indicar a hostilidade de um confronto insanável (“a discus- momento de reflexão e diplomacia, que antecede e costuma
são entre vizinhos acabou na delegacia”) como a operação ne- evitar os desastres irreparáveis.
cessária para se esclarecer um assunto ou chegar a um acordo Tudo está em reconhecer os limites, os nossos e os alheios.
(“discutiram, discutiram e acabaram concordando”). Mas o que Desse reconhecimento difícil depende nossa humanidade. Dar a
toda discussão supõe, sempre, é a presença de um outro diante si mesmo e ao outro um tempo mínimo de consideração e aná-
de nós, para quem somos o outro. A dificuldade geral está nes- lise, antes de irromper em fúria sem volta, é parte do esforço
se reconhecimento a um tempo simples e difícil: o outro existe, e civilizatório que combate a barbárie. A racionalidade aceita e
pode estar certo, sua posição pode ser mais justa do que a minha. convocada para moderar o tumulto passional dificilmente traz
Entre dois antagonistas há as palavras e, com elas, os argu- algum arrependimento. Cansamo-nos de ouvir: “Eu não sabia o
mentos. Uma discussão proveitosa deverá ocorrer entre os argu- que estava fazendo naquela hora”. Pois os dez segundos existem
mentos, não entre as pessoas dos contendores. Se eu trago para exatamente para nos dar a oportunidade de saber.
uma discussão meu juízo já estabelecido sobre o caráter, a índole, O Direito distingue, é verdade, o crime praticado sob “vio-
a personalidade do meu interlocutor, a discussão apenas servirá lenta emoção” daquele “friamente premeditado”. Há, sim, ate-
para a exposição desses valores já incorporados em mim: quero nuantes para quem age criminosamente sob o impulso do ódio.
destruir a pessoa, não quero avaliar seu pensamento. Nesses ca- Mas melhor seria se não houvesse crime algum, porque alguém
sos, a discussão é inútil, porque já desistiu de qualquer racionali- se convenceu da importância de contar até dez.
zação (Décio de Arruda Tolentino, inédito)
As formas de discussão têm muito a ver, não há dúvida, com
a cultura de um povo. Numa sociedade em que as emoções mais Considere estas orações:
fortes têm livre curso, a discussão pode adotar com naturalidade Os impulsos instintivos são brutais.
uma veemência que em sociedades mais “frias” não teria lugar. A irracionalidade marca os impulsos instintivos.
Estão na cultura de cada povo os ingredientes básicos que tem- Precisamos dominar nossos impulsos instintivos.
peram uma discussão. Seja como for, sem o compromisso com o
exame atento das razões do outro, já não haverá o que discutir: As orações acima estão articuladas, de modo claro, coeren-
estaremos simplesmente fincando pé na necessidade de procla- te e correto, no seguinte período:
mar a verdade absoluta, que seria a nossa. Em casos assim, fa- A) Dado que os instintos sejam brutais, em razão de sua irra-
lar ao outro é o mesmo que falar sozinho, diante de um espelho cionalidade, sendo necessário que nos urge dominá-los.
complacente, que refletirá sempre a arrogância da nossa vaidade. B) Os brutais impulsos instintivos caracterizam-se pela irra-
(COSTA, Teobaldo, inédito)
cionalidade, motivo pelo qual se impõe que os dominemos.
C) Urge que venhamos a dominar aos nossos impulsos ins-
Atente para as seguintes afirmações: tintivos, conquanto marcam nossa brutalidade.
D) O domínio dos impulsos instintivos mais brutais precisam
I. No primeiro parágrafo, expõe-se a condição mínima para a
de se impor diante de sua irracionalidade.
ocorrência de uma discussão, sem que se mencione a ação de um
E) Sendo brutais, os impulsos instintivos cuja a marca é a
entrave inicial que possa dificultá-la.
irracionalidade, impõe-se que sejam dominados.
II. No segundo parágrafo, aponta-se, como elemento fre-
quente em algumas discussões, a intolerância, que não me deixa
05. Polícia Civil - AP - Oficial de Polícia Civil – 2017 – FCC
reconhecer os argumentos da pessoa a quem já julguei.
III. No terceiro parágrafo, estabelece-se uma conexão entre
diferentes culturas e diferentes formas de discussão, concluindo- Ações e limites
-se que um acordo é mais fácil nas contendas mais acaloradas.
Quem nunca ouviu a frase “Conte até dez antes de agir”?
Em relação ao texto, está correto o que se afirma em Não é comum que se respeite esse conselho, somos tentados a
A) I, II e III. dar livre vasão aos nossos impulsos, mas a recomendação tem

39
LÍNGUA PORTUGUESA

sua utilidade: dez segundos são um tempo precioso, podem ser O que é a linguagem
a diferença entre o ato irracional e a prudência, entre o abismo
e a ponte para um outro lado. Entre as pessoas, como entre os É qualquer e todo sistema de signos que serve de meio
grupos ou grandes comunidades, pode ser necessário abrir esse de comunicação de ideias ou sentimentos através de signos
momento de reflexão e diplomacia, que antecede e costuma convencionados, sonoros, gráficos, gestuais etc., podendo ser
evitar os desastres irreparáveis. percebida pelos diversos órgãos dos sentidos, o que leva a
Tudo está em reconhecer os limites, os nossos e os alheios. distinguirem-se várias espécies ou tipos: visual, auditiva, tátil,
Desse reconhecimento difícil depende nossa humanidade. Dar a etc., ou, ainda, outras mais complexas, constituídas, ao mesmo
si mesmo e ao outro um tempo mínimo de consideração e aná- tempo, de elementos diversos. Os elementos constitutivos da
lise, antes de irromper em fúria sem volta, é parte do esforço linguagem são, pois, gestos, sinais, sons, símbolos ou palavras,
civilizatório que combate a barbárie. A racionalidade aceita e usados para representar conceitos de comunicação, ideias,
convocada para moderar o tumulto passional dificilmente traz significados e pensamentos. Embora os animais também se
algum arrependimento. Cansamo-nos de ouvir: “Eu não sabia o comuniquem, a linguagem verbal pertence apenas ao Homem.
que estava fazendo naquela hora”. Pois os dez segundos existem
exatamente para nos dar a oportunidade de saber. Para que serve a linguagem?
O Direito distingue, é verdade, o crime praticado sob “vio-
lenta emoção” daquele “friamente premeditado”. Há, sim, ate- - A linguagem é o traço definidor do ser humano, é a apti-
nuantes para quem age criminosamente sob o impulso do ódio. dão que o distingue dos animais, uma maneira de perceber o
Mas melhor seria se não houvesse crime algum, porque alguém mundo, uma forma de interpretar a realidade e é uma forma
se convenceu da importância de contar até dez. de ação.
(Décio de Arruda Tolentino, inédito)
Linguagem como Expressão do Pensamento
A recomendação de se distinguir entre o ato irracional e a
prudência, no primeiro parágrafo, é retomada nesta outra for- A concepção de língua como expressão do pensamento
está relacionada às chamadas gramáticas normativo-prescritivas
mulação do texto:
que, são todas aquelas gramáticas cujo conteúdo corresponde
A) Não é comum que se respeite esse conselho (1º
a um conjunto de regras que devem ser seguidas e, por isso,
parágrafo).
destinam-se a ensinar os sujeitos a falarem e a escreverem cor-
B) Tudo está em reconhecer os limites, os nossos e os
retamente, sendo considerado como grosseiro, caipira, incapaz
alheios (2º parágrafo).
de aprender todo aquele que viola tais regras.
C) é parte do esforço civilizatório que combate a barbárie
Portanto, as regras da gramática normativo-prescritiva ex-
(2º parágrafo).
pressam uma obrigação de certo e errado. É por isso que, nessa
D) consideração e análise, antes de irromper em fúria sem gramática, a concepção que se tem da língua é aquela que valo-
volta (2ºparágrafo). riza a forma de falar e escrever da “norma culta” ou “variedade
E) atenuantes para quem age criminosamente sob o impul- padrão”, sendo o seu aprendizado reduzido ao aprendizado da
so do ódio (3º parágrafo). normatização da gramática.
RESPOSTAS Linguagem como instrumento de comunicação

01 B A linguagem é concebida como uma ferramenta, emprega-


da para transmitir uma mensagem uma informação, utilizando
02 E
a variedade padrão e desprezando-se as demais variedades lin-
03 E guísticas.
04 B Após a década de 60, no Brasil, a classe popular conquistou
seu direito à escolarização, trazendo, para o ambiente escolar,
05 D padrões culturais e variantes linguísticas diferentes. Ao mesmo
tempo, o regime militar foi implantado no país, buscando o de-
senvolvimento do capitalismo.

3. USOS DA LINGUAGEM. Linguagem como interação

Nesta concepção a língua se constitui em um processo


Tipos de Linguagem ininterrupto, realizado através da interação verbal, social, entre
interlocutores, não sendo um sistema estável de formas norma-
Cada momento social e histórico demanda uma percepção tivamente idênticas.
de língua, de mundo, de sujeito, demonstrando o caráter dinâ- Portanto, os sujeitos são vistos como agentes sociais, pois é
mico da linguagem no meio social em que atua. por meio de diálogos entre os indivíduos que ocorrem as trocas
de experiências e conhecimentos. Como também, a formação
da expressão depende das condições sociais, assim, temos o so-
cial interferindo no individual.

40
LÍNGUA PORTUGUESA

Segundo tal concepção, a preocupação básica do ensino da língua materna torna-se levar o aluno não apenas ao conhecimento
da gramática de sua língua, mas, sobretudo, ao desenvolvimento da capacidade de refletir, de maneira crítica, sobre o mundo que o
cerca e, em especial, sobre a utilização da língua como instrumento de interação social.

Para melhor compreensão das funções de linguagem, torna-se necessário o estudo dos elementos da comunicação.
Antigamente, tinha-se a ideia que o diálogo era desenvolvido de maneira “sistematizada” (alguém pergunta - alguém espera ouvir
a pergunta, daí responde, enquanto outro escuta em silêncio, etc). Exemplo:

Elementos da comunicação
- Emissor - emite, codifica a mensagem;
- Receptor - recebe, decodifica a mensagem;
- Mensagem - conteúdo transmitido pelo emissor;
- Código - conjunto de signos usado na transmissão e recepção da mensagem;
- Referente - contexto relacionado a emissor e receptor;
- Canal - meio pelo qual circula a mensagem.

Porém, com os estudos recentes dos linguistas, essa teoria sofreu uma modificação, pois, chegou-se a conclusão que quando se
trata da parole, entende-se que é um veículo democrático (observe a função fática), assim, admite-se um novo formato de locução,
ou, interlocução (diálogo interativo):
- locutor - quem fala (e responde);
- locutário - quem ouve e responde;
- interlocução - diálogo

As atitudes e reações dos comunicantes são também referentes e exercem influência sobre a comunicação.

Funções da Linguagem

- Emotiva (ou expressiva): a mensagem centra-se no “eu” do emissor, é carregada de subjetividade. Ligada a esta função está, por
norma, a poesia lírica.
- Função apelativa (imperativa): com este tipo de mensagem, o emissor atua sobre o receptor, afim de que este assuma determi-
nado comportamento; há frequente uso do vocativo e do imperativo. Esta função da linguagem é frequentemente usada por oradores
e agentes de publicidade.
- Função metalinguística: função usada quando a língua explica a própria linguagem (exemplo: quando, na análise de um texto,
investigamos os seus aspectos morfo-sintáticos e/ou semânticos).
- Função informativa (ou referencial): função usada quando o emissor informa objetivamente o receptor de uma realidade, ou
acontecimento.
- Função fática: pretende conseguir e manter a atenção dos interlocutores, muito usada em discursos políticos e textos publicitá-
rios (centra-se no canal de comunicação).
- Função poética: embeleza, enriquecendo a mensagem com figuras de estilo, palavras belas, expressivas, ritmos agradáveis, etc.

Questões

01. COMLURB - Engenheiro de Segurança do Trabalho – 2016 - IBFC

Investir na Segurança: Despesa ou Receita

Em se falando de Segurança no Trabalho, nos deparamos com a palavra ACIDENTE. Numa definição abrangente e genérica, po-
demos afirmar que ACIDENTE é um evento indesejável e inesperado que produz desconforto, ferimentos, danos, perdas humanas e
ou materiais. Um acidente pode mudar totalmente a rotina e a vida de uma pessoa, modificar sua razão de viver ou colocar em risco
seus negócios e propriedades.
Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, o acidente não é obra do acaso e nem da falta de sorte. Denomina-se SEGURANÇA,
a disciplina que congrega estudos e pesquisas visando eliminar os fatores perigosos que conduzem ao acidente ou reduzir seus efeitos.
Seu campo de atuação vai desde uma simples residência até complexos conglomerados industriais.
Nos países desenvolvidos medidas preventivas e de Segurança de caráter individual ou coletivo, são aplicadas e praticadas pela
maioria de seus cidadãos, ao passo que nos países em desenvolvimento ainda são largamente inexistentes ou ignoradas. Em alguns
destes países a legislação apresenta certos absurdos como compensação monetária pela exposição ao risco (periculosidade, insalu-
bridade), fazendo com que empregados e empregadores concentrem suas atenções no “custo” da exposição e não na eliminação da
mesma. (...)
http://www.segurancanotrabalho.eng.br/artigos/investir_seg.html - acesso em 25/04/2016

41
LÍNGUA PORTUGUESA

Assinale a alternativa correta. Pensando nas variantes linguísticas, podemos dizer que este texto apresenta:
A) Linguagem regional
B) Linguagem formal
C) Linguagem conotativa
D) Linguagem figurativa

02. CISSUL - MG - Condutor Socorrista – 2017 – IBGP

Sobre o tipo de linguagem utilizada no cartum, assinale a alternativa INCORRETA.


A) Possui linguagem não-verbal.
B) Possui linguagem mista.
C) Possui linguagem verbal.
D) Possui linguagem informal.

03. TRT - 21ª Região (RN) - Analista Judiciário - Área Judiciária – 2017 - FCC

A linguagem dos gestos não desaparece com o aperfeiçoamento da linguagem verbal. (op. cit.)

Mantendo-se a correção, uma nova redação para a frase acima, iniciada por “O aperfeiçoamento da linguagem verbal não”, en-
contra-se em:
A) conduz à linguagem dos gestos ao desaparecimento.
B) corrobora com que a linguagem dos gestos desapareça.
C) acarreta o desaparecimento da linguagem dos gestos.
D) faz a linguagem dos gestos desaparecerem.
E) resulta que a linguagem dos gestos desapareçam.

04. ARTESP - Agente de Fiscalização à Regulação de Transporte - Tecnologia de Informação – 2017 – FCC
Pode ser um saudosismo bobo, mas tenho saudades do tempo em que se ouvia o futebol pelo rádio. Às vezes, era apenas chiado;
às vezes, o chiado se misturava com a narração; às vezes, a estação sumia; sem mais nem menos, voltava, e o jogo parecia tão disputa-
do, mas tão emocionante, repleto de lances espetaculares, que tudo que queríamos no dia seguinte era assistir os melhores momen-
tos na televisão. Hoje todos os jogos são transmitidos pela televisão. Isso é uma coisa esplêndida, mas sepultou a fantasia, a mágica.
Agora, que fique claro: em absoluto falo mal da tecnologia. Ao contrário, o avanço tecnológico, principalmente a chegada da
internet, trouxe muita coisa boa pra muita gente. Lembro que ainda engatinhava no plano do Direito e, se quisesse ter acesso a uma
boa jurisprudência, tinha que fazer assinatura. Hoje, está tudo aí, disponível, à farta, de graça. Somente quem viveu numa época em
que não havia a internet tem condições de dimensionar o nível de transformação e de reprodução do conhecimento humano que ela
representou...
(Adaptado de: GEIA, Sergio. Então chegou a tecnologia... Disponível em: www.cronicadodia.com.br)

Condizente com o gênero crônica, o texto consiste em


A) uma história fantasiosa inspirada em fatos reais, com linguagem cerimoniosa.
B) um registro histórico de fatos de relevo internacional, com linguagem hermética.
C) um relato subjetivo de experiências cotidianas, com linguagem coloquial.
D) uma compilação de opiniões divergentes sobre tema polêmico, com linguagem afetada.

42
LÍNGUA PORTUGUESA

E) uma descrição objetiva da realidade visando noticiar fa- - Ativa: quando o sujeito é agente, isto é, pratica a ação ex-
tos inéditos, com linguagem formal. pressa pelo verbo: Ele fez o trabalho. (ele – sujeito agente) (fez
– ação) (o trabalho – objeto paciente)
05. Pref. de Salvador - BA - Técnico de Nível Médio II – Ope- - Passiva: quando o sujeito é paciente, recebendo a ação
racional – 2017 – FGV expressa pelo verbo: O trabalho foi feito por ele. (O trabalho –
sujeito paciente) (foi feito – ação) (por ele – agente da passiva)
Por que sentimos calafrios e desconforto ao ouvir certos - Reflexiva: Há dois tipos de voz reflexiva:
sons agudos – como unhas arranhando um quadro-negro?
Reflexiva: Será chamada simplesmente de reflexiva, quan-
Esta é uma reação instintiva para protegermos nossa au- do o sujeito praticar a ação sobre si mesmo. Ex.
dição. A cóclea (parte interna do ouvido) tem uma membrana - Carla machucou-se.
que vibra de acordo com as frequências sonoras que ali chegam. - Osbirvânio cortou-se com a faca.
A parte mais próxima ao exterior está ligada à audição de sons - Roberto matou-se.
agudos; a região mediana é responsável pela audição de sons
de frequência média; e a porção mais final, por sons graves. As Reflexiva Recíproca: Será chamada de reflexiva recíproca,
células da parte inicial, mais delicadas e frágeis, são facilmente quando houver dois elementos como sujeito: um pratica a ação
destruídas – razão por que, ao envelhecermos, perdemos a ca- sobre o outro, que pratica a ação sobre o primeiro. Ex.
pacidade de ouvir sons agudos. Quando frequências muito agu- - Paula e Renato amam-se.
das chegam a essa parte da membrana, as células podem ser - Os jovens agrediram-se durante a festa.
danificadas, pois, quanto mais alta a frequência, mais energia - Os ônibus chocaram-se violentamente.
tem seu movimento ondulatório. Isso, em parte, explica nossa
aversão a determinados sons agudos, mas não a todos. Afinal, Formação da Voz Passiva: A voz passiva pode ser formada
geralmente não sentimos calafrios ou uma sensação ruim ao ou- por dois processos: Analítico e Sintético.
virmos uma música com notas agudas.
Aí podemos acrescentar outro fator. Uma nota de violão Voz Passiva Analítica: Constrói-se da seguinte maneira: Ver-
tem um número limitado e pequeno de frequências – formando bo Ser + particípio do verbo principal: A escola será pintada; O
um som mais “limpo”. Já no espectro de som proveniente de trabalho é feito por ele. O agente da passiva geralmente é acom-
unhas arranhando um quadro-negro (ou de atrito entre isopores panhado da preposição por, mas pode ocorrer a construção com
ou entre duas bexigas de ar) há um número infinito delas. Assim, a preposição de: A casa ficou cercada de soldados. Pode aconte-
as células vibram de acordo com muitas frequências e aquelas cer ainda que o agente da passiva não esteja explícito na frase: A
presentes na parte inicial da cóclea, por serem mais frágeis, são exposição será aberta amanhã. A variação temporal é indicada
lesadas com mais facilidade. Daí a sensação de aversão a esse pelo verbo auxiliar (Ser), pois o particípio é invariável.
sons agudos e “crus”. Observe a transformação das frases seguintes:
Ronald Ranvaud, Ciência Hoje, nº 282.
Ele fez o trabalho. (pretérito perfeito do indicativo)
Em São Paulo diz-se “bexigas”, enquanto no Rio de Janeiro O trabalho foi feito por ele. (pretérito perfeito do indicativo)
diz-se “balões”.
Ele faz o trabalho. (presente do indicativo)
Essa diferença é um exemplo de O trabalho é feito por ele. (presente do indicativo)
A) linguagem coloquial. Ele fará o trabalho. (futuro do presente)
B) gíria. O trabalho será feito por ele. (futuro do presente)
C) regionalismo.
D) linguagem erudita. Nas frases com locuções verbais, o verbo Ser assume o mes-
E) arcaísmo. mo tempo e modo do verbo principal da voz ativa. Observe a
transformação da frase seguinte: O vento ia levando as folhas.
Respostas (gerúndio); As folhas iam sendo levadas pelo vento. (gerúndio)
É menos frequente a construção da voz passiva analítica
01. (B) 02. (D) 03. (C) 04. (C) 05. (C) com outros verbos que podem eventualmente funcionar como
auxiliares: A moça ficou marcada pela doença.

Voz Passiva Sintética: A voz passiva sintética ou pronomi-


nal constrói-se com o verbo na 3ª pessoa, seguido do prono-
me apassivador “se”: Abriram-se as inscrições para o concurso;
4. VOZ ATIVA, PASSIVA E REFLEXIVA. Destruiu-se o velho prédio da escola. O agente não costuma vir
expresso na voz passiva sintética.

Dá-se o nome de voz à forma assumida pelo verbo para in- Conversão da Voz Ativa na Voz Passiva: Pode-se mudar a
dicar se o sujeito gramatical é agente ou paciente da ação. São voz ativa na passiva sem alterar substancialmente o sentido da
três as vozes verbais: frase.

43
LÍNGUA PORTUGUESA

Gutenberg inventou a imprensa. (Voz Ativa) 15. Nunca se ouviram queixa dele.
Gutenberg – sujeito da Ativa 16. A casa foi vendida pelo corretor.
a imprensa – Objeto Direto 17. Abraçaram-se com alegria e emoção.
A imprensa foi inventada por Gutenberg (Voz Passiva) 18. Ele fez todo o trabalho em apenas um dia.
A imprensa – Sujeito da Passiva 19. Os dois falaram-se rapidamente.
por Gutenberg – Agente da Passiva 20. Cortaram o cabelo da criança.
21. Carla correu no parque.
Observe que o objeto direto será o sujeito da passiva, o su- 22. O cabelo da criança foi cortado.
jeito da ativa passará a agente da passiva e o verbo ativo assumi-
rá a forma passiva, conservando o mesmo tempo. RESPOSTAS

Os mestres têm constantemente aconselhado os alunos. 01 VPS 12 VPA


Os alunos têm sido constantemente aconselhados pelos
mestres. 02 VR 13 VA
Eu o acompanharei. 03 VPA 14 VA
Ele será acompanhado por mim.
04 VPS 15 VPS
Quando o sujeito da voz ativa for indeterminado, não ha- 05 VA 16 VPA
verá complemento agente na passiva: Prejudicaram-me; Fui 06 VA 17 VR
prejudicado.
07 VPA 18 VA
- Aos verbos que não são ativos nem passivos ou reflexivos, 08 VR 19 VR
são chamados neutros: O vinho é bom; Aqui chove muito. 09 VPS 20 VA
- Há formas passivas com sentido ativo: 10 VA 21 VA
É chegada a hora. (= Chegou a hora.) 11 VR 22 VPA
Eu ainda não era nascido. (= Eu ainda não tinha nascido.)
És um homem lido e viajado. (= que leu e viajou)

- Inversamente, usamos formas ativas com sentido passivo:


Há coisas difíceis de entender. (= serem entendidas) 5. PONTUAÇÃO: USO DOS SINAIS DE PONTUAÇÃO.
Mandou-o lançar na prisão. (= ser lançado)
- Os verbos chamar-se, batizar-se, operar-se (no sentido ci-
PONTUAÇÃO
rúrgico) e vacinar-se são considerados passivos, logo o sujeito é
paciente.
Chamo-me Luís. Pontuação são sinais gráficos empregados na língua escrita
Batizei-me na Igreja do Carmo. para demonstrar recursos específicos da língua falada, como:
Operou-se de hérnia. entonação, silêncio, pausas, etc. Tais sinais têm papéis variados
Vacinaram-se contra a gripe. no texto escrito e, se utilizados corretamente, facilitam a com-
preensão e entendimento do texto.
Exercícios
Ponto ( . )
Identifique as Vozes Verbais usando para Voz Ativa (VA), Usamos para:
Passiva Analítica (VPA), Passiva Sintética (VPS) e Reflexiva (VR): - indicar o final de uma frase declarativa: não irei ao sho-
pping hoje.
01. Alugaram-se todas as casas da vila. - separar períodos entre si: Fecha a porta. Abre a janela.
02. O garoto feriu-se com o canivete. - abreviaturas: Av.; V. Ex.ª
03. O homem é corrompido pela sociedade.
04. Consertam-se aparelhos eletrônicos. Vírgula ( , )
05. Felipe plantou uma rosa. Usamos para:
06. Os meninos admiravam a locomotiva. - marcar pausa do enunciado a fim de indicar que os ter-
07. João foi ferido por Paulo. mos separados, apesar de serem da mesma frase ou oração, não
08. A moça admirava-se no espelho. formam uma unidade sintática: Maria, sempre muito simpática,
09. Não se vê viva alma na praça. acenou para seus amigos.
10. Os pais educam os filhos.
11. Os dois pretendentes insultaram-se. Não se separam por vírgula:
12. O cachorro ficou esmagado pelas rodas do carro. - predicado de sujeito;
13. Eu machuquei o rapaz. - objeto de verbo;
14. Todos comeram uma fatia do bolo.

44
LÍNGUA PORTUGUESA

- adjunto adnominal de nome; - Após interjeição: Psiu! Eba!


- complemento nominal de nome; - Após palavras ou frases que tenham caráter emocional:
- predicativo do objeto; Poxa!
- oração principal da subordinada substantiva (desde que
esta não seja apositiva nem apareça na ordem inversa). Reticências ( ... )
Usamos para:
A vírgula também é utilizada para: - indicar dúvidas ou hesitação do falante: Olha...não sei se
- separar o vocativo: João, conte a novidade. devo... melhor não falar.
- separar alguns apostos: Célia, muito prendada, preparou - interrupção de uma frase deixada gramaticalmente incom-
a refeição. pleta: Você queria muito este jogo novo? Bom, não sei se você
- separar o adjunto adverbial antecipado ou intercalado: Al- merece...
gumas pessoas, muitas vezes, são falsas. - indicar supressão de palavra(s) numa frase transcrita:
- separar elementos de uma enumeração: Vendem-se pães, Quando ela começou a falar, não parou mais... terminou uma
tortas e sonho. hora depois.
- separar conjunções intercaladas: Mário, entretanto, nunca
mais deu notícias. Aspas ( “ ” )
- isolar o nome de lugar na indicação de datas: Londrina, 25 Usamos para:
de Setembro de 2017. - isolar palavras ou expressões que fogem à norma culta:
- marcar a omissão de um termo (normalmente o verbo): gírias, estrangeirismos, palavrões, neologismos, arcaísmos e ex-
Ele prefere dormir, eu me exercitar. (omissão do verbo preferir) pressões populares.
- indicar uma citação textual.
Ponto-e-Vírgula ( ; )
Usamos para: Parênteses ( () )
- separar os itens de uma lei, de um decreto, de uma peti- Usamos para:
ção, de uma sequência, etc.: - isolar palavras, frases intercaladas de caráter explicativo
Art. 217. É dever do Estado fomentar práticas desportivas e datas: No dia do seu nascimento (08/08/984) foi o dia mais
formais e não formais, como direito de cada um, observados: quente do ano.
I - a autonomia das entidades desportivas dirigentes e asso-
- podem substituir a vírgula ou o travessão.
ciações, quanto a sua organização e funcionamento;
II - a destinação de recursos públicos para a promoção prio-
Travessão (__ )
ritária do desporto educacional e, em casos específicos, para a
do desporto de alto rendimento; Usamos para:
III - o tratamento diferenciado para o desporto profissional - dar início à fala de um personagem: Filó perguntou: __Ma-
e o não profissional; ria, como faz esse doce?
IV - a proteção e o incentivo às manifestações desportivas - indicar mudança do interlocutor nos diálogos. __Mãe,
de criação nacional. você me busca? __Não se preocupe, chegarei logo.
- separar orações coordenadas muito extensas ou orações - Também pode ser usado em substituição à virgula, em ex-
coordenadas nas quais já tenham sido utilizado a vírgula. pressões ou frases explicativas: Pelé – o rei do futebol – está
muito doente.
Dois-Pontos ( : )
Usamos para: Colchetes ( [] )
- iniciar a fala dos personagens: O pai disse: Conte-me a ver- Usamos para:
dade, meu filho. - linguagem científica.
- antes de apostos ou orações apositivas, enumerações ou
sequência de palavras que explicam, resumem ideias anteriores: Asterisco ( * )
Comprei alguns itens: arroz, feijão e carne. Usamos para:
- antes de citação: Como dizia minha mãe: “Você não é todo
- chamar a atenção do leitor para alguma nota (observação).
mundo.”
QUESTÕES
Ponto de Interrogação ( ? )
Usamos para:
- perguntas diretas: Onde você mora? 01. CLIN – Auxiliar de Enfermagem do Trabalho – 2015 -
- em alguns casos, junto com o ponto de exclamação: Quem COSEAC
você ama? Você. Eu?!
Primavera
Ponto de Exclamação ( ! )
Usamos: A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu
- Após vocativo: Volte, João! nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para re-
- Após imperativo: Aprenda! cebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os

45
LÍNGUA PORTUGUESA

habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam 02. PC – CE - Escrivão da Policia Civil de 1ª classe – 2015 –
pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a prima- VUNESP
vera que chega. Assinale a alternativa correta quanto ao uso da vírgula, con-
Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da siderando-se a norma-padrão da língua portuguesa.
terra, nesse mundo confidencial das raízes, - e arautos sutis A) Os amigos, apesar de terem esquecido de nos avisar, que
acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espí- demoraria tanto, informaram-nos de que a gravidez, era algo
rito das flores. demorado.
Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão B) Os amigos, apesar de terem esquecido de nos avisar que
todos cor-de-rosa, como os palácios de Jaipur. Vozes novas de demoraria tanto, informaram-nos de que a gravidez era algo de-
passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua na- morado
ção. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pe- C) Os amigos, apesar de terem esquecido, de nos avisar que
los ares, - e certamente conversam: mas tão baixinho que não demoraria tanto, informaram-nos de que a gravidez era algo de-
se entende. morado.
Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inver- D) Os amigos apesar de terem esquecido de nos avisar que,
no, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremen- demoraria tanto, informaram-nos, de que a gravidez era algo
te, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol. demorado.
Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as E) Os amigos, apesar de, terem esquecido de nos avisar
árvores cobertas de folhas, - e só os poetas, entre os humanos, que demoraria tanto, informaram-nos de que a gravidez, era
sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos algo demorado.
bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem
dançar neste mundo cálido, de incessante luz. 03. IPC - ES - Procurador Previdenciário I 2018 - IDECAN
Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não
se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da
sua perpetuação.
Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, tal-
vez, os homens terão a primavera que desejarem, no momen-
to em que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem,
deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com ou-
tros cantos e outros hábitos, - e os ouvidos que por acaso os
ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora, se
entendeu e amou.
Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos
atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos
para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores,
caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sen-
timentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás
roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em
cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gar-
dênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flo-
res agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.
Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado
ao vento, - por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na
rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida - e
efêmera.
(MEIRELES, Cecília. “Cecília Meireles - Obra em Prosa? Em “Júnior, hoje jantaremos fora!”, a presença da vírgula é
Vol. 1. Nova Fronteira: Rio de Janeiro, 1998, p. 366.) obrigatória porque serve para:
A) Isolar o vocativo.
“...e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ain- B) Isolar o adjunto adverbial deslocado.
da circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida C) Separar orações coordenadas.
para a primavera que chega” (1º §) D) Intercalar expressões explicativas.

No fragmento acima, as vírgulas foram empregadas para: 04. - IF-MT - Direito – 2018 - IF-MT
A) marcar termo adverbial intercalado. O uso adequado da pontuação é fundamental para o bom
B) isolar oração adjetiva explicativa. entendimento do texto. Nos casos abaixo, a vírgula está usada
C) enfatizar o termo sujeito em relação ao predicado. de forma inadequada em:
D) separar termo em função de aposto. A) Todos os cidadãos brasileiros, são iguais perante a lei,
conforme a Constituição Federal.
B) Além disso, à noite, fazer caminhada até a minha casa é
inseguro.

46
LÍNGUA PORTUGUESA

C) Agora, em relação à tecnologia, os jovens dispõem de ___________________________________________________


uma série de comodidades, salientou o pesquisador.
D) “Eu sei, mas não devia” (Marina Colasanti). ___________________________________________________
E) Ainda havia muito a se deliberar, todavia, considerando o
horário avançado, a reunião foi encerrada. ___________________________________________________

05. EMATERCE - Agente de ATER - Ciências Contábeis – ___________________________________________________


2018 – CETREDE
Analise as duas frases a seguir em relação à ambiguidade. ___________________________________________________
I. Karla comeu um doce e sua irmã também.
II. Mataram a vaca da sua tia. ___________________________________________________

Marque a opção CORRETA. ___________________________________________________


A) O problema da frase I pode ser corrigido com uma vír-
gula. ___________________________________________________
B) As duas frases podem ser corrigidas com o uso de pro-
nome. ___________________________________________________
C) Ao colocarmos apenas um verbo, corrigiremos a frase II.
D) Apenas a frase I apresenta problema de ambiguidade. ___________________________________________________
E) Uma preposição resolveria o problema da frase II.
___________________________________________________
RESPOSTAS
___________________________________________________
01 D
___________________________________________________
02 B
03 A ___________________________________________________
04 A
___________________________________________________
05 A
___________________________________________________

ANOTAÇÃO ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

47
LÍNGUA PORTUGUESA

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ __________________________________________________

___________________________________________________ __________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

48
MATEMÁTICA

1.Números: Naturais, Inteiros, Racionais E Reais. Adição, Subtração, Multiplicação, Divisão, Potenciação E Radiciação; Divisibilidade, Mínimo
Múltiplo Comum E Máximo Divisor Comum. Números Fracionários E Números Decimais, Dízimas Periódicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 01
2.Média Aritmética Simples E Ponderada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
3.Equações Do 1º Grau, Sistema De Equação De 1º Grau, Problemas Do 1º Grau 6.Equações Do 2º Grau . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
4.Razão E Proporção. Regra E Proporção. Regra De Três: Simples E Composta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
5.Porcentagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
6.Equações Do 2º Grau 7.Medidas: Tempo, Comprimento, Massa, Área, Capacidade. Conversão De Unidades . . . . . . . . . . . . . . . . . 30
8.Geometria: Sólidos, Polígonos, Círculos, Proporcionalidade, Congruência, Semelhança, Perímetro E Área De Figuras Planas. Triângu-
los: Relações No Triângulo Retângulo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34
MATEMÁTICA

Exemplo 3
1.NÚMEROS: NATURAIS, INTEIROS, RACIONAIS E RE- 25-(50-30)+4x5
AIS. ADIÇÃO, SUBTRAÇÃO, MULTIPLICAÇÃO, DIVISÃO, 25-20+20=25
POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO; DIVISIBILIDADE, MÍNI-
MO MÚLTIPLO COMUM E MÁXIMO DIVISOR COMUM. Números Inteiros
NÚMEROS FRACIONÁRIOS E NÚMEROS DECIMAIS, Podemos dizer que este conjunto é composto pelos núme-
DÍZIMAS PERIÓDICAS. ros naturais, o conjunto dos opostos dos números naturais e o
zero. Este conjunto pode ser representado por:
Números Naturais Z={ . . .-3, -2, -1, 0, 1, 2, . . .}
Os números naturais são o modelo matemático necessário Subconjuntos do conjunto :
para efetuar uma contagem. 1)Conjunto dos números inteiros excluindo o zero
Começando por zero e acrescentando sempre uma unida- Z*={...-2, -1, 1, 2, ...}
de, obtemos o conjunto infinito dos números naturais
2) Conjuntos dos números inteiros não negativos
Z+={0, 1, 2, . . .}

- Todo número natural dado tem um sucessor 3) Conjunto dos números inteiros não positivos
a) O sucessor de 0 é 1 . Z-={ . . .-3, -2, -1}
b) O sucessor de 1000 é 1001 .
c) O sucessor de 19 é 20 . Números Racionais
Chama-se de número racional a todo número que pode ser
Usamos o * para indicar o conjunto sem o zero. expresso na forma , onde a e b são inteiros quaisquer, com b≠0
São exemplos de números racionais:
-12/51
-3
- Todo número natural dado N, exceto o zero, tem um ante- -(-3)
cessor (número que vem antes do número dado). -2,333 . . .
Exemplos: Se m é um número natural finito diferente de
zero.
As dízimas periódicas podem ser representadas por fração,
a) O antecessor do número m é m-1 .
portanto são consideradas números racionais.
b) O antecessor de 2 é 1 .
Como representar esses números?
c) O antecessor de 56 é 55.
d) O antecessor de 10 é 9 .
Representação Decimal das Frações
Expressões Numéricas
Temos 2 possíveis casos para transformar frações em deci-
Nas expressões numéricas aparecem adições, subtrações, mais
multiplicações e divisões. Todas as operações podem acontecer
em uma única expressão. Para resolver as expressões numéricas 1º) Decimais exatos: quando dividirmos a fração, o número
utilizamos alguns procedimentos: decimal terá um número finito de algarismos após a vírgula.

Se em uma expressão numérica aparecer as quatro opera-


ções, devemos resolver a multiplicação ou a divisão primeira-
mente, na ordem em que elas aparecerem e somente depois a
adição e a subtração, também na ordem em que aparecerem e
os parênteses são resolvidos primeiro.

Exemplo 1

10 + 12 – 6 + 7
22 – 6 + 7
16 + 7
23

Exemplo 2

40 – 9 x 4 + 23
40 – 36 + 23
4 + 23
27

1
MATEMÁTICA

2º) Terá um número infinito de algarismos após a vírgula, Exemplo 2


mas lembrando que a dízima deve ser periódica para ser núme-
ro racional Seja a dízima 1,1212...
OBS: período da dízima são os números que se repetem, se
não repetir não é dízima periódica e assim números irracionais, Façamos x = 1,1212...
que trataremos mais a frente. 100x = 112,1212... .
Subtraindo:
100x-x=112,1212...-1,1212...
99x=111
X=111/99
Números Irracionais
Identificação de números irracionais

- Todas as dízimas periódicas são números racionais.


- Todos os números inteiros são racionais.
- Todas as frações ordinárias são números racionais.
Representação Fracionária dos Números Decimais - Todas as dízimas não periódicas são números irracionais.
- Todas as raízes inexatas são números irracionais.
1ºcaso) Se for exato, conseguimos sempre transformar com - A soma de um número racional com um número irracional
o denominador seguido de zeros. é sempre um número irracional.
O número de zeros depende da casa decimal. Para uma - A diferença de dois números irracionais, pode ser um nú-
casa, um zero (10) para duas casas, dois zeros(100) e assim por mero racional .
diante . -Os números irracionais não podem ser expressos na forma
, com a e b inteiros e b≠0.

Exemplo: - = 0 e 0 é um número racional .

- O quociente de dois números irracionais, pode ser um nú-


mero racional .

Exemplo: : = = 2 e 2 é um número racional .

- O produto de dois números irracionais, pode ser um nú-


mero racional .

Exemplo: . = = 7 é um número racional .


2ºcaso) Se dízima periódica é um número racional, então
como podemos transformar em fração? Exemplo:radicais( a raiz quadrada de um número
natural, se não inteira, é irracional .
Exemplo 1
Números Reais
Transforme a dízima 0, 333... .em fração
Sempre que precisar transformar, vamos chamar a dízima
dada de x, ou seja
X=0,333 . . .
Se o período da dízima é de um algarismo, multiplicamos
por 10.

10x=3,333...

E então subtraímos:

10x-x=3,333...-0,333...
9x=3
X=3/9
X=1/3

Agora, vamos fazer um exemplo com 2 algarismos de pe- Fonte: www.estudokids.com.br


ríodo.

2
MATEMÁTICA

Representação na reta Semirreta direita, fechada de origem a – números reais


maiores ou iguais a a.

Intervalo:[a,+ ∞[
Conjunto:{x∈R|x≥a}

Semirreta direita, aberta, de origem a – números reais


INTERVALOS LIMITADOS maiores que a.
Intervalo fechado – Números reais maiores do que a ou
iguais a e menores do que b ou iguais a b.

Intervalo:]a,+ ∞[
Intervalo:[a,b] Conjunto:{x∈R|x>a}
Conjunto: {x∈R|a≤x≤b}
Potenciação
Intervalo aberto – números reais maiores que a e menores Multiplicação de fatores iguais
que b.
2³=2.2.2=8

Intervalo:]a,b[ Casos
Conjunto:{x∈R|a<x<b} 1) Todo número elevado ao expoente 0 resulta em 1.

Intervalo fechado à esquerda – números reais maiores que


a ou iguais a a e menores do que b.

Intervalo:{a,b[ 2) Todo número elevado ao expoente 1 é o próprio número.


Conjunto {x∈R|a≤x<b}
Intervalo fechado à direita – números reais maiores que a e
menores ou iguais a b.

3) Todo número negativo, elevado ao expoente par, re-


Intervalo:]a,b] sulta em um número positivo.
Conjunto:{x∈R|a<x≤b}

INTERVALOS IIMITADOS

Semirreta esquerda, fechada de origem b- números reais


menores ou iguais a b. 4) Todo número negativo, elevado ao expoente ímpar, re-
sulta em um número negativo.

Intervalo:]-∞,b]
Conjunto:{x∈R|x≤b}

Semirreta esquerda, aberta de origem b – números reais 5) Se o sinal do expoente for negativo, devemos passar o
menores que b. sinal para positivo e inverter o número que está na base. 

Intervalo:]-∞,b[
Conjunto:{x∈R|x<b}

3
MATEMÁTICA

6) Toda vez que a base for igual a zero, não importa o va- Técnica de Cálculo
lor do expoente, o resultado será igual a zero.  A determinação da raiz quadrada de um número torna-se
mais fácil quando o algarismo se encontra fatorado em números
primos. Veja: 

Propriedades

1) (am . an = am+n)  Em uma multiplicação de potências de


mesma base, repete-se a base e  soma os expoentes.

Exemplos:
24 . 23 = 24+3= 27
(2.2.2.2) .( 2.2.2)= 2.2.2. 2.2.2.2= 27

64=2.2.2.2.2.2=26
2) (a : a  = a ). Em uma divisão de potência de mesma
m n m-n

base. Conserva-se a base e subtraem os expoentes. Como é raiz quadrada a cada dois números iguais “tira-se”
um e multiplica.
Exemplos:
96 : 92 = 96-2 = 94

Observe: 1 1
1
3.5 = (3.5) 2 = 3 2 .5 2 = 3. 5
3) (am)n Potência de potência. Repete-se a base e multipli-
ca-se os expoentes. De modo geral, se
Exemplos:
(52)3 = 52.3 = 56
a ∈ R+ , b ∈ R+ , n ∈ N * ,
então:

n
a.b = n a .n b

4) E uma multiplicação de dois ou mais fatores elevados a O radical de índice inteiro e positivo de um produto indica-
um expoente, podemos elevar cada um a esse mesmo expoente. do é igual ao produto dos radicais de mesmo índice dos fatores
(4.3)²=4².3² do radicando.

5) Na divisão de dois fatores elevados a um expoente, pode- Raiz quadrada de frações ordinárias
mos elevar separados. 1 1
2 2 2 2 2
2
=  = 1 =
3 3 3
Observe: 32
Radiciação
Radiciação é a operação inversa a potenciação De modo geral,

a ∈ R+ , b ∈ R *+ , n ∈ N * ,
se

então:

a na
n =
b nb

4
MATEMÁTICA

O radical de índice inteiro e positivo de um quociente in- 1º Caso:Denominador composto por uma só parcela
dicado é igual ao quociente dos radicais de mesmo índice dos
termos do radicando.

Raiz quadrada números decimais

2º Caso: Denominador composto por duas parcelas.


Operações

Devemos multiplicar de forma que obtenha uma diferença


Operações de quadrados no denominador:

Multiplicação

QUESTÕES
Exemplo
01. (Prefeitura de Salvador /BA - Técnico de Nível Superior
II - Direito – FGV/2017) Em um concurso, há 150 candidatos em
apenas duas categorias: nível superior e nível médio.
Divisão Sabe-se que:

• dentre os candidatos, 82 são homens;


• o número de candidatos homens de nível superior é igual
ao de mulheres de nível médio;
Exemplo
• dentre os candidatos de nível superior, 31 são mulheres.

O número de candidatos homens de nível médio é

Adição e subtração (A) 42.


(B) 45.
(C) 48.
(D) 50.
Para fazer esse cálculo, devemos fatorar o 8 e o 20. (E) 52.

02. (SAP/SP - Agente de Segurança Penitenciária - MSCON-


CURSOS/2017) Raoni, Ingrid, Maria Eduarda, Isabella e José
foram a uma prova de hipismo, na qual ganharia o competidor
que obtivesse o menor tempo final. A cada 1 falta seriam incre-
mentados 6 segundos em seu tempo final. Ingrid fez 1’10” com 1
falta, Maria Eduarda fez 1’12” sem faltas, Isabella fez 1’07” com
2 faltas, Raoni fez 1’10” sem faltas e José fez 1’05” com 1 falta.
Verificando a colocação, é correto afirmar que o vencedor foi:
(A) José
Caso tenha: (B) Isabella
(C) Maria Eduarda
(D) Raoni

Não dá para somar, as raízes devem ficar desse modo. 03. (SAP/SP - Agente de Segurança Penitenciária - MSCON-
CURSOS/2017) O valor de √0,444... é:
Racionalização de Denominadores (A) 0,2222...
(B) 0,6666...
Normalmente não se apresentam números irracionais com (C) 0,1616...
radicais no denominador. Ao processo que leva à eliminação dos (D) 0,8888...
radicais do denominador chama-se racionalização do denomi-
nador.

5
MATEMÁTICA

04. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário - VUNESP/2017) 07. (ITAIPU BINACIONAL - Profissional Nível Técnico I - Téc-
Se, numa divisão, o divisor e o quociente são iguais, e o resto é nico em Eletrônica – NCUFPR/2017) Assinale a alternativa que
10, sendo esse resto o maior possível, então o dividendo é apresenta o valor da expressão

(A) 131.
(B) 121. (A) 1.
(C) 120. (B) 2.
(D) 110. (C) 4.
(E) 101. (D) 8.
(E) 16.
05. (TST – Técnico Judiciário – FCC/2017) As expressões nu-
méricas abaixo apresentam resultados que seguem um padrão 08. (UNIRV/GO – Auxiliar de Laboratório – UNIRVGO/2017)
específico:
Qual o resultado de ?
1ª expressão: 1 x 9 + 2
(A) 3
2ª expressão: 12 x 9 + 3 (B) 3/2
(C) 5
3ª expressão: 123 x 9 + 4 (D) 5/2

... 09. (IBGE – Agente Censitário Municipal e Supervisor –


FGV/2017) Suponha que a # b signifique a - 2b .
7ª expressão: █ x 9 + ▲
Se 2#(1#N)=12 , então N é igual a:
Seguindo esse padrão e colocando os números adequados (A) 1;
no lugar dos símbolos █ e ▲, o resultado da 7ª expressão será (B) 2;
(C) 3;
(A) 1 111 111. (D) 4;
(B) 11 111. (E) 6.
(C) 1 111.
(D) 111 111. 10. (IBGE – Agente Censitário Municipal e Supervisor –
(E) 11 111 111. FGV/2017) Uma equipe de trabalhadores de determinada em-
presa tem o mesmo número de mulheres e de homens. Certa
06. (TST – Técnico Judiciário – FCC/2017) Durante um trei- manhã, 3/4 das mulheres e 2/3 dos homens dessa equipe saí-
namento, o chefe da brigada de incêndio de um prédio comer- ram para um atendimento externo.
cial informou que, nos cinquenta anos de existência do prédio,
nunca houve um incêndio, mas existiram muitas situações de Desses que foram para o atendimento externo, a fração de
risco, felizmente controladas a tempo. Segundo ele, 1/13 des- mulheres é
sas situações deveu-se a ações criminosas, enquanto as demais (A) 3/4;
situações haviam sido geradas por diferentes tipos de displicên- (B) 8/9;
cia. Dentre as situações de risco geradas por displicência, (C) 5/7;
(D) 8/13;
− 1/5 deveu-se a pontas de cigarro descartadas inadequa- (E) 9/17.
damente;
− 1/4 deveu-se a instalações elétricas inadequadas; RESPOSTAS
− 1/3 deveu-se a vazamentos de gás e
− as demais foram geradas por descuidos ao cozinhar. 01.Resposta: B.
150-82=68 mulheres
De acordo com esses dados, ao longo da existência desse Como 31 mulheres são candidatas de nível superior, 37 são
prédio comercial, a fração do total de situações de risco de in- de nível médio.
cêndio geradas por descuidos ao cozinhar corresponde à Portanto, há 37 homens de nível superior.
(A) 3/20. 82-37=45 homens de nível médio.
(B) 1/4.
(C) 13/60. 02. Resposta: D.
(D) 1/5. Como o tempo de Raoni foi 1´10” sem faltas, ele foi o ven-
(E) 1/60. cedor.

6
MATEMÁTICA

03. Resposta: B.
Primeiramente, vamos transformar a dízima em fração
X=0,4444....
10x=4,444...
9x=4 Dos homens que saíram:

Saíram no total

04. Resposta: A.
Como o maior resto possível é 10, o divisor é o número 11
que é igua o quociente.
11x11=121+10=131

05. Resposta: E.
A 7ª expressão será: 1234567x9+8=11111111 Múltiplos

06. Resposta: D. Um número é múltiplo de outro quando ao dividirmos o pri-


meiro pelo segundo, o resto é zero.
Exemplo

Gerado por descuidos ao cozinhar:

O conjunto de múltiplos de um número natural não-nulo


é infinito e podemos consegui-lo multiplicando-se o número
Mas, que foram gerados por displicência é 12/13(1-1/13) dado por todos os números naturais.
M(3)={0,3,6,9,12,...}

Divisores

07.Resposta: C. Os números 12 e 15 são múltiplos de 3, portanto 3 é divi-


sor de 12 e 15.
D(12)={1,2,3,4,6,12}
D(15)={1,3,5,15}
Observações:

- Todo número natural é múltiplo de si mesmo.


- Todo número natural é múltiplo de 1.
- Todo número natural, diferente de zero, tem infinitos
08. Resposta: D. múltiplos.
- O zero é múltiplo de qualquer número natural.

Máximo Divisor Comum


O máximo divisor comum de dois ou mais números naturais
não-nulos é o maior dos divisores comuns desses números.
09. Resposta: C. Para calcular o m.d.c de dois ou mais números, devemos
2-2(1-2N)=12 seguir as etapas:
2-2+4N=12 • Decompor o número em fatores primos
4N=12 • Tomar o fatores comuns com o menor expoente
N=3 • Multiplicar os fatores entre si.

10. Resposta: E.
Como tem o mesmo número de homens e mulheres:

7
MATEMÁTICA

Exemplo: Resposta: A.

Devemos achar o mdc para achar a maior medida possível


E são os fatores que temos iguais:25=32

O fator comum é o 3 e o 1 é o menor expoente. Exemplo2


m.d.c (MPE/SP – Oficial de Promotora I – VUNESP/2016) No aero-
porto de uma pequena cidade chegam aviões de três companhias
aéreas. Os aviões da companhia A chegam a cada 20 minutos,
da companhia B a cada 30 minutos e da companhia C a cada 44
Mínimo Múltiplo Comum minutos. Em um domingo, às 7 horas, chegaram aviões das três
O mínimo múltiplo comum (m.m.c) de dois ou mais núme- companhias ao mesmo tempo, situação que voltará a se repetir,
ros é o menor número, diferente de zero. nesse mesmo dia, às
Para calcular devemos seguir as etapas: (A) 16h 30min.
• Decompor os números em fatores primos (B) 17h 30min.
• Multiplicar os fatores entre si (C) 18h 30min.
(D) 17 horas.
Exemplo: (E) 18 horas.

Resposta: E.

Para o mmc, fica mais fácil decompor os dois juntos.


Basta começar sempre pelo menor primo e verificar a divi-
são com algum dos números, não é necessário que os dois sejam
divisíveis ao mesmo tempo. Mmc(20,30,44)=2².3.5.11=660
Observe que enquanto o 15 não pode ser dividido, continua
aparecendo. 1h---60minutos
x-----660
Assim, o mmc x=660/60=11

Exemplo Então será depois de 11horas que se encontrarão


O piso de uma sala retangular, medindo 3,52 m × 4,16 m, 7+11=18h
será revestido com ladrilhos quadrados, de mesma dimensão,
inteiros, de forma que não fique espaço vazio entre ladrilhos QUESTÕES
vizinhos. Os ladrilhos serão escolhidos de modo que tenham a
maior dimensão possível. 01. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário - VUNESP/2017)
Na situação apresentada, o lado do ladrilho deverá medir No depósito de uma loja de doces, há uma caixa contendo n
(A) mais de 30 cm. bombons. Para serem vendidos, devem ser repartidos em pa-
(B) menos de 15 cm. cotes iguais, todos com a mesma quantidade de bombons.
(C) mais de 15 cm e menos de 20 cm. Com os bombons dessa caixa, podem ser feitos pacotes com
(D) mais de 20 cm e menos de 25 cm. 5, ou com 6, ou com 7 unidades cada um, e, nesses casos, não
(E) mais de 25 cm e menos de 30 cm. faltará nem sobrará nenhum bombom. Nessas condições, o
menor valor que pode ser atribuído a n é
(A) 280.
(B) 265.
(C) 245.
(D) 230.
(E) 210.

8
MATEMÁTICA

02. (EMBASA – Agente Administrativo – IBFC/2017) Con- (A) 8


siderando A o MDC (maior divisor comum) entre os números (B) 6
24 e 60 e B o MMC (menor múltiplo comum) entre os números (C) 4
12 e 20, então o valor de 2A + 3B é igual a: (D) 2
(A) 72
(B) 156 07. (CELESC – Assistente Administrativo – FEPESE/2016)
(C) 144 Em uma excursão participam 120 homens e 160 mulheres. Em
(D) 204 determinado momento é preciso dividir os participantes em
grupos formados somente por homens ou somente por mu-
03. (MPE/GO – Oficial de Promotoria – MPEGO /2017) Em lheres, de maneira que os grupos tenham o mesmo número
um determinado zoológico, a girafa deve comer a cada 4 horas, de integrantes.
o leão a cada 5 horas e o macaco a cada 3 horas. Considerando Neste caso, o número máximo de integrantes em um grupo é:
que todos foram alimentados às 8 horas da manhã de domingo, (A) 10.
é correto afirmar que o funcionário encarregado deverá servir a (B) 15.
alimentação a todos concomitantemente às: (C) 20.
(A) 8 horas de segunda-feira. (D) 30.
(B) 14 horas de segunda-feira. (E) 40.
(C) 10 horas de terça-feira.
(D) 20 horas de terça-feira. 08. (PREF. DE GUARULHOS/SP – Assistente de Gestão Es-
(E) 9 horas de quarta-feira. colar – VUNESP/2016) Para iniciar uma visita monitorada a um
museu, 96 alunos do 8º ano e 84 alunos do 9º ano de certa es-
04. (EMBASA – Assistente de Laboratório – IBFC/2017) cola foram divididos em grupos, todos com o mesmo número de
Um marceneiro possui duas barras de ferro, uma com 1,40 alunos, sendo esse número o maior possível, de modo que cada
metros de comprimento e outra com 2,45 metros de com- grupo tivesse somente alunos de um único ano e que não restas-
se nenhum aluno fora de um grupo. Nessas condições, é correto
primento. Ele pretende cortá-las em barras de tamanhos
afirmar que o número total de grupos formados foi
iguais, de modo que cada pedaço tenha a maior medida
(A) 8.
possível. Nessas circunstâncias, o total de pedaços que o
(B) 12.
marceneiro irá cortar, utilizando as duas de ferro, é:
(C) 13.
(A) 9
(D) 15.
(B) 11
(E) 18.
(C) 12
(D) 13
09. (PREF. DE JAMBEIRO – Agente Administrativo – JOTA
CONSULTORIA/2016) O MMC(120, 125, 130) é:
05. (TJM/SP - Escrevente Técnico Judiciário – VUNESP/2017) (A) 39000
Em um pequeno mercado, o dono resolveu fazer uma promoção. (B) 38000
Para tanto, cada uma das 3 caixas registradoras foi programada (C) 37000
para acender uma luz, em intervalos de tempo regulares: na caixa (D) 36000
1, a luz acendia a cada 15 minutos; na caixa 2, a cada 30 minu- (E) 35000
tos; e na caixa 3, a luz acendia a cada 45 minutos. Toda vez que a
luz de uma caixa acendia, o cliente que estava nela era premiado 10. (MPE/SP – Analista Técnico Científico – VUNESP/2016)
com um desconto de 3% sobre o valor da compra e, quando as 3 Pretende-se dividir um grupo de 216 pessoas, sendo 126 com
luzes acendiam, ao mesmo tempo, esse desconto era de 5%. Se, formação na área de exatas e 90 com formação na área de hu-
exatamente às 9 horas de um determinado dia, as luzes das 3 cai- manas, em grupos menores contendo, obrigatoriamente, ele-
xas acenderam ao mesmo tempo, então é verdade que o núme- mentos de cada uma dessas áreas, de modo que: (1) o número
ro máximo de premiações de 5% de desconto que esse mercado de grupos seja o maior possível; (2) cada grupo tenha o mesmo
poderia ter dado aos seus clientes, das 9 horas às 21 horas e 30 número x de pessoas com formação na área de exatas e o mes-
minutos daquele dia, seria igual a mo número y de pessoas com formação na área de humanas;
(A) 8. e (3) cada uma das 216 pessoas participe de um único grupo.
(B) 10. Nessas condições, e sabendo-se que no grupo não há pessoa
(C) 21. com ambas as formações, é correto afirmar que, em cada novo
(D) 27. grupo, a diferença entre os números de pessoas com formação
(E) 33. em exatas e em humanas, nessa ordem, será igual a
(A) 1
06. (PREF. DE PIRAÚBA/MG – Agente Administrativo – MS- (B) 2
CONCURSOS/2017) Sabendo que a sigla M.M.C. na matemática (C) 3
significa Mínimo Múltiplo Comum e que M.D.C. significa Máximo (D) 4
Divisor Comum, pergunta-se: qual o valor do M.M.C. de 6 e 8 divi- (E) 5
dido pelo M.D.C. de 30, 36 e 72?

9
MATEMÁTICA

RESPOSTAS 05. Resposta: D.

01. Resposta: E.

Mmc(15, 30, 45)=90 minutos


Ou seja, a cada 1h30 minutos tem premiações.
Das 9 ate as 21h30min=12h30 minutos
Mmc(5,6,7)=2⋅3⋅5⋅7=210

02. Resposta: E.
9 vezes no total, pois as 9 horas acendeu.
Como são 3 premiações: 9x3=27

06. Resposta: C.

Para o cálculo do mdc, devemos multiplicar os comuns:


MDC(24,60)=2²⋅3=12

Mmc(6,8)=24

Mmc(12,20)=2²⋅3⋅5=60
2A+3B=24+180=204
Mdc(30, 36, 72) =2x3=6
03. Resposta: D. Portanto: 24/6=4
Mmc(3, 4, 5)=60
60/24=2 dias e 12horas 07. Resposta: E.
Como foi no domingo às 8h d amanhã, a próxima alimenta-
ção será na terça às 20h.

04. Resposta: B.

MDC(120,160)=8x5=40

Mdc=5⋅7=35
140/35=4
245/35=7
Portanto, serão 11 pedaços.

10
MATEMÁTICA

08. Resposta: D. Representemos a média aritmética por .


A média pode ser calculada apenas se a variável envolvida
na pesquisa for quantitativa. Não faz sentido calcular a média
aritmética para variáveis quantitativas.
Na realização de uma mesma pesquisa estatística entre di-
ferentes grupos, se for possível calcular a média, ficará mais fá-
cil estabelecer uma comparação entre esses grupos e perceber
tendências.
Considerando uma equipe de basquete, a soma das alturas
MDC(84,96)=2²x3=12 dos jogadores é:
84/12=7
96/12=8
E 7+8=15
Se dividirmos esse valor pelo número total de jogadores,
09. Resposta: A. obteremos a média aritmética das alturas:

A média aritmética das alturas dos jogadores é 2,02m.

Média Ponderada
A média dos elementos do conjunto numérico A relativa à
adição e na qual cada elemento tem um “determinado peso” é
chamada média aritmética ponderada.
Mmc(120, 125, 130)=2³.3.5³.13=39000

10. Resposta: B.
O cálculo utilizado aqui será o MDC (Máximo Divisor Co-
mum) Mediana (Md)
Sejam os valores escritos em rol:

1. Sendo n ímpar, chama-se mediana o termo tal que


o número de termos da sequência que precedem é igual ao
número de termos que o sucedem, isto é, é termo médio da
Mdc(90, 125)=2.3²=18 sequência ( ) em rol.
Então teremos 2. Sendo n par, chama-se mediana o valor obtido pela mé-
126/18 = 7 grupos de exatas dia aritmética entre os termos e , tais que o número de
90/18 = 5 grupos de humanas termos que precedem é igual ao número de termos que suce-
A diferença é de 7-5=2 dem , isto é, a mediana é a média aritmética entre os termos
centrais da sequência ( ) em rol.
- eles são múltiplos de 2, pois terminam com números pares.
E são múltiplos de 3, lembrando que para ser múltiplo de 3, Exemplo 1:
basta somar os números e ser múltiplo de 3. Determinar a mediana do conjunto de dados:
36=3+6=9 {12, 3, 7, 10, 21, 18, 23}
90=9+0=9
162=1+6+2=9 Solução:
Escrevendo os elementos do conjunto em rol, tem-se: (3, 7,
10, 12, 18, 21, 23). A mediana é o termo médio desse rol. Logo:
2.MÉDIA ARITMÉTICA SIMPLES E PONDERADA. Md=12
Resposta: Md=12.

Média aritmética Exemplo 2:


Média aritmética de um conjunto de números é o valor que Determinar a mediana do conjunto de dados:
se obtém dividindo a soma dos elementos pelo número de ele- {10, 12, 3, 7, 18, 23, 21, 25}.
mentos do conjunto.

11
MATEMÁTICA

Solução: Jogo Número de pontos


Escrevendo-se os elementos do conjunto em rol, tem-se:
(3, 7, 10, 12, 18, 21, 23, 25). A mediana é a média aritmética 1 22
entre os dois termos centrais do rol. 2 18

Logo: 3 13
4 24
Resposta: Md=15
5 26
Moda (Mo) 6 20
Num conjunto de números: , chama-se moda 7 19
aquele valor que ocorre com maior frequência.
8 18
Observação:
A moda pode não existir e, se existir, pode não ser única. a) Qual a média de pontos por jogo?
b) Qual a variância do conjunto de pontos?
Exemplo 1:
O conjunto de dados 3, 3, 8, 8, 8, 6, 9, 31 tem moda igual a Solução:
8, isto é, Mo=8. a) A média de pontos por jogo é:

Exemplo 2:
O conjunto de dados 1, 2, 9, 6, 3, 5 não tem moda.

Medidas de dispersão
Duas distribuições de frequência com medidas de tendência
central semelhantes podem apresentar características diversas. b) A variância é:
Necessita-se de outros índices numéricas que informem sobre o
grau de dispersão ou variação dos dados em torno da média ou
de qualquer outro valor de concentração. Esses índices são cha-
mados medidas de dispersão.

Variância
Há um índice que mede a “dispersão” dos elementos de um Desvio médio
conjunto de números em relação à sua média aritmética, e que é Definição
chamado de variância. Esse índice é assim definido: Medida da dispersão dos dados em relação à média de uma
Seja o conjunto de números , tal que é sua sequência. Esta medida representa a média das distâncias entre
média aritmética. Chama-se variância desse conjunto, e indica- cada elemento da amostra e seu valor médio.
-se por , o número:

Desvio padrão
Isto é: Definição
Seja o conjunto de números , tal que é sua
média aritmética. Chama-se desvio padrão desse conjunto, e in-
dica-se por , o número:
E para amostra

Exemplo 1: Isto é:
Em oito jogos, o jogador A, de bola ao cesto, apresentou o
seguinte desempenho, descrito na tabela abaixo:

Exemplo:
As estaturas dos jogadores de uma equipe de basquetebol
são: 2,00 m; 1,95 m; 2,10 m; 1,90 m e 2,05 m. Calcular:

12
MATEMÁTICA

a) A estatura média desses jogadores. 03. (PREF. GUARULHOS/SP – Assistente de Gestão Escolar
b) O desvio padrão desse conjunto de estaturas. – VUNESP/2016) Certa escola tem 15 classes no período ma-
tutino e 10 classes no período vespertino. O número médio de
Solução: alunos por classe no período matutino é 20, e, no período ves-
pertino, é 25. Considerando os dois períodos citados, a média
Sendo a estatura média, temos: aritmética do número de alunos por classe é
(A) 24,5.
(B) 23.
(C) 22,5.
Sendo o desvio padrão, tem-se: (D) 22.
(E) 21.

04. (SEGEP/MA – Técnico da Receita Estadual – FCC/2016)


Para responder à questão, considere as informações abaixo.
Três funcionários do Serviço de Atendimento ao Cliente de
uma loja foram avaliados pelos clientes que atribuíram uma nota
(1; 2; 3; 4; 5) para o atendimento recebido. A tabela mostra as
QUESTÕES notas recebidas por esses funcionários em um determinado dia.
01. (CRBIO – Auxiliar Administrativo – VUNESP/2017) Uma
empresa tem 120 funcionários no total: 70 possuem curso su-
perior e 50 não possuem curso superior. Sabe-se que a média
salarial de toda a empresa é de R$ 5.000,00, e que a média sala-
rial somente dos funcionários que possuem curso superior é de
R$ 6.000,00. Desse modo, é correto afirmar que a média salarial
dos funcionários dessa empresa que não possuem curso supe- Considerando a avaliação média individual de cada funcioná-
rior é de rio nesse dia, a diferença entre as médias mais próximas é igual a
(A) R$ 4.000,00. (A) 0,32.
(B) R$ 3.900,00. (B) 0,21.
(C) R$ 3.800,00. (C) 0,35.
(D) R$ 3.700,00. (D) 0,18.
(E) R$ 3.600,00. (E) 0,24.

02. (TJM/SP – Escrevente Técnico Judiciário – VU- 05. (UFES – Assistente em Administração – UFES/2017) Con-
NESP/2017) Leia o enunciado a seguir para responder a questão. sidere n números x1, x2, … , xn, em que x1 ≤ x2 ≤ ⋯ ≤ xn . A me-
A tabela apresenta o número de acertos dos 600 candidatos diana desses números é igual a x(n + 1)/2, se n for ímpar, e é igual
que realizaram a prova da segunda fase de um concurso, que à média aritmética de xn ⁄ 2 e x(n + 2)/2, se n for par. Uma prova
continha 5 questões de múltipla escolha composta por 5 questões foi aplicada a uma turma de 24 alunos.
A tabela seguinte relaciona o número de acertos obtidos na prova
com o número de alunos que obtiveram esse número de acertos.
Número de Número de candidatos
acertos
Número de acertos Número de alunos
5 204
0 4
4 132
1 5
3 96
2 4
2 78
3 3
1 66
4 5
0 24
5 3
A média de acertos por prova foi de
A penúltima linha da tabela acima, por exemplo, indica que
(A) 3,57.
5 alunos tiveram, cada um, um total de 4 acertos na prova. A
(B) 3,43 mediana dos números de acertos é igual a
(C) 3,32.
(D) 3,25. (A) 1,5
(E) 3,19. (B) 2
(C) 2,5
(D) 3
(E) 3,5

13
MATEMÁTICA

06. (UFAL – Auxiliar de Biblioteca – COPEVE/2016) A tabela Então, a variância dessa amostra é igual a
apresenta o número de empréstimos de livros de uma biblioteca (A) 4,0
setorial de um Instituto Federal, no primeiro semestre de 2016. (B) 2,5.
(C) 4,5.
(D) 5,5
Mës Empréstimos
(E) 3,0
Janeiro 15
Fevereiro 25 09. (MPE/SP – Oficial de Promotoria I – VUNESP/2016) A
média de salários dos 13 funcionários de uma empresa é de R$
Março 22 1.998,00. Dois novos funcionários foram contratados, um com
Abril 30 o salário 10% maior que o do outro, e a média salarial dos 15
funcionários passou a ser R$ 2.013,00. O menor salário, dentre
Maio 28 esses dois novos funcionários, é igual a
Junho 15 (A)) R$ 2.002,00.
(B) R$ 2.006,00.
Dadas as afirmativas, (C) R$ 2.010,00.
I. A biblioteca emprestou, em média, 22,5 livros por mês. (D) R$ 2.004,00.
II. A mediana da série de valores é igual a 26. (E) R$ 2.008,00.
III. A moda da série de valores é igual a 15.
10. (PREF. DE NITERÓI – Agente Fazendário – FGV/2015) Os
Verifica-se que está(ão) correta(s) 12 funcionários de uma repartição da prefeitura foram subme-
(A) II, apenas. tidos a um teste de avaliação de conhecimentos de computação
(B) III, apenas. e a pontuação deles, em uma escala de 0 a 100, está no quadro
(C) I e II, apenas. abaixo.
(D) I e III, apenas.
(E) I, II e III. 50 55 55 55 55 60
62 63 65 90 90 100
07. (COSANPA - Químico – FADESP/2017) Algumas Deter- O número de funcionários com pontuação acima da média
minações do teor de sódio em água (em mg L-1) foram execu- é:
tadas (em triplicata) paralelamente por quatro laboratórios e os (A) 3;
resultados são mostrados na tabela abaixo. (B) 4;
(C) 5;
(D) 6;
Replicatas Laboratório (E) 7.
1 2 3 4
1 30,3 30,9 30,3 30,5 RESPOSTAS
2 30,4 30,8 30,7 30,4
01. Resposta: E.
3 30,0 30,6 30,4 30,7
S=cursam superior
Média 30,20 30,77 30,47 30,53 M=não tem curso superior
Desvio 0,20 0,15 0,21 0,15
Padrão

Utilize essa tabela para responder à questão. S+M=600000

O laboratório que apresenta o maior erro padrão é o de nú-


mero
S=420000
(A) 1.
M=600000-420000=180000
(B) 2.
(C) 3.
(D) 4.

08. (ANAC – Analista Administrativo- ESAF/2016) Os valo-


02. Resposta:B.
res a seguir representam uma amostra

331546248

14
MATEMÁTICA

03. Resposta: D. 09. Resposta: C.


Vamos chamar de x a soma dos salários dos 13 funcionários
x/13=1998
X=13.1998
M=300 X=25974
Vamos chamar de y o funcionário contratado com menor
valor e, portanto, 1,1y o com 10% de salário maior, pois ele ga-
nha y+10% de y
V=250 Y+0,1y=1,1y
(x+y+1,1y)/15=2013
25974+2,1y=15∙2013
2,1y=30195-25974
2,1y=4221
04. Resposta: B. Y=2010

10. Resposta: A.

M=66,67
Apenas 3 funcionários estão acima da média.

3,36-3,15=0,21 3.EQUAÇÕES DO 1º GRAU, SISTEMA DE


EQUAÇÃO DE 1º GRAU, PROBLEMAS DO 1º GRAU. 6.
EQUAÇÕES DO 2º GRAU.
05.Resposta: B.
Como 24 é um número par, devemos fazer a segunda regra:
Equação 1º grau
Equação é toda sentença matemática aberta representada
por uma igualdade, em que exista uma ou mais letras que repre-
06. Resposta: D. sentam números desconhecidos.
Equação do 1º grau, na incógnita x, é toda equação redutí-
vel à forma ax+b=0, em que a e b são números reais, chamados
Mediana coeficientes, com a≠0.
Vamos colocar os números em ordem crescente Uma raiz da equação ax+b =0(a≠0) é um valor numérico de
x que, substituindo no 1º membro da equação, torna-se igual ao
2º membro.
15,15,22,25,28,30
Nada mais é que pensarmos em uma balança.
Moda é o número que mais aparece, no caso o 15.

07. Resposta: C.
Como o desvio padrão é maior no 3, o erro padrão é propor-
cional, portanto também é maior em 3.

08. Resposta: C.

A balança deixa os dois lados iguais para equilibrar, a equa-


ção também.
No exemplo temos:
3x+300
Outro lado: x+1000+500
E o equilíbrio?
3x+300=x+1500

15
MATEMÁTICA

Quando passamos de um lado para o outro invertemos o sinal Discussão das Raízes
3x-x=1500-300
2x=1200 1.
X=600 1.

Exemplo
(PREF. DE NITERÓI/RJ – Fiscal de Posturas – FGV/2015) A ida-
de de Pedro hoje, em anos, é igual ao dobro da soma das idades
de seus dois filhos, Paulo e Pierre. Pierre é três anos mais velho do Se for negativo, não há solução no conjunto dos núme-
que Paulo. Daqui a dez anos, a idade de Pierre será a metade da ros reais.
idade que Pedro tem hoje.
Se for positivo, a equação tem duas soluções:
A soma das idades que Pedro, Paulo e Pierre têm hoje é:
(A) 72;
(B) 69;
(C) 66;
(D) 63; Exemplo
(E) 60.
Resolução
A ideia de resolver as equações é literalmente colocar na lin-
guagem matemática o que está no texto.
“Pierre é três anos mais velho do que Paulo” , portanto não há solução real.
Pi=Pa+3
“Daqui a dez anos, a idade de Pierre será a metade da idade
que Pedro tem hoje.”

A idade de Pedro hoje, em anos, é igual ao dobro da soma das


idades de seus dois filhos,
Pe=2(Pi+Pa)
Pe=2Pi+2Pa

Lembrando que:
Pi=Pa+3

Substituindo em Pe
Pe=2(Pa+3)+2Pa
Pe=2Pa+6+2Pa
Pe=4Pa+6
Se não há solução, pois não existe raiz quadrada real
de um número negativo.

Pa+3+10=2Pa+3 Se , há duas soluções iguais:


Pa=10
Pi=Pa+3
Pi=10+3=13
Pe=40+6=46
Soma das idades: 10+13+46=69 Se , há soluções reais diferentes:

Resposta: B.
Equação 2º grau
Relações entre Coeficientes e Raízes
A equação do segundo grau é representada pela fórmula
geral: Dada as duas raízes:

Onde a, b e c são números reais,

16
MATEMÁTICA

Soma das Raízes Substituindo em A


A=44-26=18
Ou A=44-18=26

Resposta: B.
Produto das Raízes
Inequação
Uma inequação é uma sentença matemática expressa por
uma ou mais incógnitas, que ao contrário da equação que utiliza
um sinal de igualdade, apresenta sinais de desigualdade. Veja os
Composição de uma equação do 2ºgrau, conhecidas as raízes sinais de desigualdade:

Podemos escrever a equação da seguinte maneira: >: maior 


<: menor
x²-Sx+P=0 ≥: maior ou igual 
≤: menor ou igual 
Exemplo
O princípio resolutivo de uma inequação é o mesmo da
Dada as raízes -2 e 7. Componha a equação do 2º grau. equação, onde temos que organizar os termos semelhantes em
cada membro, realizando as operações indicadas. No caso das
Solução inequações, ao realizarmos uma multiplicação de seus elemen-
S=x1+x2=-2+7=5 tos por –1 com o intuito de deixar a parte da incógnita positiva,
P=x1.x2=-2.7=-14 invertemos o sinal representativo da desigualdade.
Então a equação é: x²-5x-14=0
Exemplo 1
Exemplo 4x + 12 > 2x – 2
(IMA – Analista Administrativo Jr – SHDIAS/2015) A soma 4x – 2x > – 2 – 12
das idades de Ana e Júlia é igual a 44 anos, e, quando somamos 2x > – 14
os quadrados dessas idades, obtemos 1000. A mais velha das x > –14/2
duas tem: x>–7
(A) 24 anos
(B) 26 anos Inequação-Produto
(C) 31 anos
(D) 33 anos Quando se trata de inequações-produto, teremos uma desi-
gualdade que envolve o produto de duas ou mais funções. Por-
Resolução tanto, surge a necessidade de realizar o estudo da desigualdade
A+J=44 em cada função e obter a resposta final realizando a intersecção
A²+J²=1000 do conjunto resposta das funções.
A=44-J Exemplo
(44-J)²+J²=1000
1936-88J+J²+J²=1000
2J²-88J+936=0

Dividindo por2:
J²-44J+468=0
∆=(-44)²-4.1.468
∆=1936-1872=64 a)(-x+2)(2x-3)<0

Inequação-Quociente
Na inequação-quociente, tem-se uma desigualdade de fun-
ções fracionárias, ou ainda, de duas funções na qual uma está
dividindo a outra. Diante disso, deveremos nos atentar ao domí-
nio da função que se encontra no denominador, pois não existe
divisão por zero. Com isso, a função que estiver no denominador
da inequação deverá ser diferente de zero.

17
MATEMÁTICA

O método de resolução se assemelha muito à resolução de temos: 


uma inequação-produto, de modo que devemos analisar o sinal S = S1 ∩ S2
das funções e realizar a intersecção do sinal dessas funções.
Exemplo
Resolva a inequação a seguir:

x-2≠0

Portanto: 
S = { x   R | x ≤ - 1} ou S = ] - ∞ ; -1]

Inequação 2º grau
Chama-se inequação do 2º grau, toda inequação que pode
ser escrita numa das seguintes formas:
x≠2 ax²+bx+c>0
ax²+bx+c≥0
ax²+bx+c<0
ax²+bx+c<0
Sistema de Inequação do 1º Grau ax²+bx+c≤0
Um sistema de inequação do 1º grau é formado por duas ax²+bx+c≠0
ou mais inequações, cada uma delas tem apenas uma variável
sendo que essa deve ser a mesma em todas as outras inequa- Exemplo
ções envolvidas.  Vamos resolver a inequação 3x² + 10x + 7 < 0.
Veja alguns exemplos de sistema de inequação do 1º grau:
Resolvendo Inequações
Resolver uma inequação significa determinar os valores
reais de x que satisfazem a inequação dada.
Assim, no exemplo, devemos obter os valores reais de x que
tornem a expressão 3x² + 10x +7 negativa.

Vamos achar a solução de cada inequação. 

4x + 4 ≤ 0 
4x ≤ - 4 
x ≤ - 4 : 4 

x ≤ - 1 

S1 = {x   R | x ≤ - 1} 

Fazendo o cálculo da segunda inequação temos: 


x + 1 ≤ 0 
x ≤ - 1 

A “bolinha” é fechada, pois o sinal da inequação é igual. 

S2 = { x   R | x ≤ - 1} 
Calculando agora o CONJUTO SOLUÇÃO da inequação S = {x ∈ R / –7/3 < x < –1}

18
MATEMÁTICA

QUESTÕES 06. (UNIRV/GO – Auxiliar de Laboratório – UNIRVGO/2017)


O valor de m para que a equação (2m -1) x² - 6x + 3 = 0 tenha
01. (SAP/SP - Agente de Segurança Penitenciária - MSCON- duas raízes reais iguais é
CURSOS/2017) O dobro do quadrado de um número natural au- (A) 3
mentado de 3 unidades é igual a sete vezes esse número. Qual (B) 2
é esse número? (C) −1
(A) 2 (D) −6
(B) 3
(C) 4 07. (IPRESB - Agente Previdenciário – VUNESP/2017) Em
(D) 5 setembro, o salário líquido de Juliano correspondeu a 4/5 do seu
salário bruto. Sabe-se que ele destinou 2/5 do salário líquido
02. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário - VUNESP/2017) recebido nesse mês para pagamento do aluguel, e que poupou
Um carro parte da cidade A em direção à cidade B pela rodovia 2/5 do que restou. Se Juliano ficou, ainda, com R$ 1.620,00 para
que liga as duas cidades, percorre 1/3 do percurso total e para outros gastos, então o seu salário bruto do mês de setembro foi
no ponto P. Outro carro parte da cidade B em direção à cidade igual a
A pela mesma rodovia, percorre 1/4 do percurso total e para (A) R$ 6.330,00.
no ponto Q. Se a soma das distâncias percorridas por ambos os (B) R$ 5.625,00.
carros até os pontos em que pararam é igual a 28 km, então a (C) R$ 5.550,00.
distância entre os pontos P e Q, por essa rodovia, é, em quilô- (D) R$ 5.125,00.
metros, igual a (E) R$ 4.500,00.
(A) 26.
(B) 24. 8. (SESAU/RO – Técnico em Informática – FUNRIO/2017)
(C) 20. Daqui a 24 anos, Jovelino terá o triplo de sua idade atual. Daqui
(D) 18. a cinco anos, Jovelino terá a seguinte idade:
(E) 16. (A) 12.
(B) 14.
03. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário - VUNESP/2017) (C) 16.
Nelson e Oto foram juntos a uma loja de materiais para constru- (D) 17.
ção. Nelson comprou somente 10 unidades iguais do produto (E) 18.
P, todas de mesmo preço. Já Oto comprou 7 unidades iguais do
mesmo produto P, e gastou mais R$ 600,00 na compra de outros 09. (PREF. DE FAZENDA RIO GRANDE/PR – Professor –
materiais. Se os valores totais das compras de ambos foram exa- PUC/2017) A equação 8x² – 28x + 12 = 0 possui raízes iguais a x1
tamente iguais, então o preço unitário do produto P foi igual a e x2. Qual o valor do produto x1 . x2?
(A) R$ 225,00. (A) 1/2 .
(B) R$ 200,00. (B) 3.
(C) R$ 175,00. (C) 3/2 .
(D) R$ 150,00. (D) 12.
(E) R$ 125,00. (E) 28.

04. (ITAIPU BINACIONAL - Profissional Nível Técnico I - Téc- 10 (PREF.DO RIO DE JANEIRO – Agente de Administração
nico em Eletrônica – NCUFPR/2017) Considere a equação dada – PREF. DO RIO DE JANEIRO/2016) Ao perguntar para João qual
por 2x² + 12x + 3 = -7. Assinale a alternativa que apresenta a era a sua idade atual, recebi a seguinte resposta:
soma das duas soluções dessa equação. - O quíntuplo da minha idade daqui a oito anos, diminuída
(A) 0. do quíntuplo da minha idade há três anos atrás representa a mi-
(B) 1. nha idade atual.
(C) -1. A soma dos algarismos do número que representa, em
(D) 6. anos, a idade atual de João, corresponde a:
(E) -6. (A) 6
(B) 7
05. (UNIRV/GO – Auxiliar de Laboratório – UNIRVGO/2017) (C) 10
Num estacionamento encontram-se 18 motos, 15 triciclos e al- (D) 14
guns carros. Se Pedrinho contou um total de 269 rodas, quantos
carros tem no estacionamento?
(A) 45
(B) 47
(C) 50
(D) 52

19
MATEMÁTICA

RESPOSTAS 07. Resposta: B.


Salário liquido: x
01. Resposta: B.
2x²+3=7x
2x²-7x+3=0
∆=49-24=25

10x+6x+40500=25x
9x=40500
X=4500

Como tem que ser natural, apenas o número 3 convém. Salario fração
y---------------1
02. Resposta: C. 4500---------4/5

Mmc(3,4)=12

4x+3x=336
7x=336
X=48 08. Resposta: D.
A distância entre A e B é 48km
Como já percorreu 28km Idade atual: x
48-28=20 km entre P e Q. X+24=3x
2x=24
03. Resposta:B. X=12
Sendo x o valor do material P Ele tem agora 12 anos, daqui a 5 anos: 17.
10x=7x+600
3x=600 09. Resposta: C.
X=200 ∆=(-28)²-4.8.12
∆=784-384
04. Resposta: E. ∆=400
2x²+12x+10=0
∆=12²-4⋅2⋅10
∆=144-80=64

A soma das duas é -1-5=-6 10. Resposta: C.


Atual:x
05. Resposta:B. 5(x+8)-5(x-3)=x
Vamos fazer a conta de rodas: 5x+40-5x+15=x
Motos tem 2 rodas, triciclos 3 e carros 4 X=55
18⋅2+15⋅3+x⋅4=269 Soma: 5+5=10
4x=269-36-45
4x=188
X=47 4.RAZÃO E PROPORÇÃO. REGRA E PROPORÇÃO.
REGRA DE TRÊS: SIMPLES E COMPOSTA.
06. Resposta: B
∆=-(-6)²-4⋅(2m-1) ⋅3=0 Razão
36-24m+12=0
-24m=-48 Chama-se de razão entre dois números racionais a e b, com
M=2 b 0, ao quociente entre eles. Indica-se a razão de a para b por
a/b  ou a : b. 

20
MATEMÁTICA

Exemplo:  Terceira propriedade das proporções


Na sala do 1º ano de um colégio há 20 rapazes e 25 moças. Qualquer que seja a proporção, a soma ou a diferença dos
Encontre a razão entre o número de rapazes e o número de mo- antecedentes está para a soma ou a diferença dos consequen-
ças. (lembrando que razão é divisão)  tes, assim como cada antecedente está para o seu respectivo
consequente. Temos então:

    
Proporção
 ou    
Proporção é a igualdade entre duas razões. A proporção en-
tre A/B e C/D é a igualdade:
 

Ou

Propriedade fundamental das proporções


Numa proporção:     

 ou  

   
Os números A e D são denominados extremos enquanto os
números B e C são os meios e vale a propriedade: o produto dos Grandezas Diretamente Proporcionais
meios é igual ao produto dos extremos, isto é:
AxD=BxC Duas grandezas variáveis dependentes são diretamente
proporcionais quando a razão entre os valores da 1ª grandeza é
Exemplo: A fração 3/4 está em proporção com 6/8, pois: igual a razão entre os valores correspondentes da 2ª, ou de uma
maneira mais informal, se eu pergunto:
Quanto mais.....mais....

Exercício: Determinar o valor de X para que a razão X/3 es- Exemplo


teja em proporção com 4/6. Distância percorrida e combustível gasto

Solução: Deve-se montar a proporção da seguinte forma: Distância(km) Combustível(litros)


13 1
26 2

. 39 3
52 4
Segunda propriedade das proporções
Qualquer que seja a proporção, a soma ou a diferença dos Quanto MAIS eu ando, MAIS combustível?
dois primeiros termos está para o primeiro, ou para o segundo Diretamente proporcionais
termo, assim como a soma ou a diferença dos dois últimos ter- Se eu dobro a distância, dobra o combustível
mos está para o terceiro, ou para o quarto termo. Então temos:
Grandezas Inversamente Proporcionais

    Duas grandezas variáveis dependentes são inversamente


  ou      proporcionais quando a razão entre os valores da 1ª grandeza é
igual ao inverso da razão entre os valores correspondentes da 2ª.
Quanto mais....menos...
Ou

     ou   

  

21
MATEMÁTICA

Exemplo QUESTÕES
velocidadextempo a tabela abaixo:
01. (DESENBAHIA – Técnico Escriturário - INSTITUTO
Velocidade (m/s) Tempo (s)
AOCP/2017) João e Marcos resolveram iniciar uma sociedade
5 200 para fabricação e venda de cachorro quente. João iniciou com
8 125 um capital de R$ 30,00 e Marcos colaborou com R$ 70,00. No
primeiro final de semana de trabalho, a arrecadação foi de R$
10 100 240,00 bruto e ambos reinvestiram R$ 100,00 do bruto na socie-
16 62,5 dade, restando a eles R$ 140,00 de lucro. De acordo com o que
cada um investiu inicialmente, qual é o valor que João e Marcos
20 50
devem receber desse lucro, respectivamente?
(A) 30 e 110 reais.
Quanto MAIOR a velocidade MENOS tempo??
Inversamente proporcional (B) 40 e 100 reais.
Se eu dobro a velocidade, eu faço o tempo pela metade. (C) 42 e 98 reais.
(D) 50 e 90 reais.
Diretamente Proporcionais (E) 70 e 70 reais.
Para decompor um número M em partes X1, X2, ..., Xn direta-
mente proporcionais a p1, p2, ..., pn, deve-se montar um sistema 02. (TST – Técnico Judiciário – FCC/2017) Em uma empresa,
com n equações e n incógnitas, sendo as somas X1+X2+...+Xn=M trabalham oito funcionários, na mesma função, mas com car-
e p1+p2+...+pn=P. gas horárias diferentes: um deles trabalha 32 horas semanais,
um trabalha 24 horas semanais, um trabalha 20 horas semanais,
três trabalham 16 horas semanais e, por fim, dois deles traba-
lham 12 horas semanais. No final do ano, a empresa distribuirá
um bônus total de R$ 74.000,00 entre esses oito funcionários,
A solução segue das propriedades das proporções: de forma que a parte de cada um seja diretamente proporcional
à sua carga horária semanal.
Dessa forma, nessa equipe de funcionários, a diferença en-
tre o maior e o menor bônus individual será, em R$, de
(A) 10.000,00.
Exemplo (B) 8.000,00.
Carlos e João resolveram realizar um bolão da loteria. Car- (C) 20.000,00.
los entrou com R$ 10,00 e João com R$ 15,00. Caso ganhem o (D) 12.000,00.
prêmio de R$ 525.000,00, qual será a parte de cada um, se o (E) 6.000,00.
combinado entre os dois foi de dividirem o prêmio de forma di-
retamente proporcional? 03. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário – VUNESP/2017)
Para uma pesquisa, foram realizadas entrevistas nos estados da
Região Sudeste do Brasil. A amostra foi composta da seguinte
maneira:
– 2500 entrevistas realizadas no estado de São Paulo;
– 1500 entrevistas realizadas nos outros três estados da Re-
gião Sudeste.

Desse modo, é correto afirmar que a razão entre o número


Carlos ganhará R$210000,00 e Carlos R$315000,00. de entrevistas realizadas em São Paulo e o número total de en-
Inversamente Proporcionais
trevistas realizadas nos quatro estados é de
Para decompor um número M em n partes X1, X2, ..., Xn in-
(A) 8 para 5.
versamente proporcionais a p1, p2, ..., pn, basta decompor este
(B) 5 para 8.
número M em n partes X1, X2, ..., Xn diretamente proporcionais
a 1/p1, 1/p2, ..., 1/pn. (C) 5 para 7.
A montagem do sistema com n equações e n incógnitas, as- (D) 3 para 5.
sume que X1+X2+...+ Xn=M e além disso (E) 3 para 8.

04. (UNIRV/60 – Auxiliar de Laboratório – UNIRVGO/2017)


Em relação à prova de matemática de um concurso, Paula acer-
tou 32 das 48 questões da prova. A razão entre o número de
cuja solução segue das propriedades das proporções: questões que ela errou para o total de questões da prova é de
(A) 2/3
(B) 1/2
(C) 1/3
(D) 3/2

22
MATEMÁTICA

05. (MPE/GO – Oficial de Promotoria – MPEGO/2017) José, 09. (CRBIO – Auxiliar Administrativo – VUNESP/2017) O trans-
pai de Alfredo, Bernardo e Caetano, de 2, 5 e 8 anos, respectiva- porte de 1980 caixas iguais foi totalmente repartido entre dois veícu-
mente, pretende dividir entre os filhos a quantia de R$ 240,00, los, A e B, na razão direta das suas respectivas capacidades de carga,
em partes diretamente proporcionais às suas idades. Conside- em toneladas. Sabe-se que A tem capacidade para transportar 2,2 t,
rando o intento do genitor, é possível afirmar que cada filho vai enquanto B tem capacidade para transportar somente 1,8 t. Nessas
receber, em ordem crescente de idades, os seguintes valores: condições, é correto afirmar que a diferença entre o número de caixas
(A) R$ 30,00, R$ 60,00 e R$150,00. carregadas em A e o número de caixas carregadas em B foi igual a
(B) R$ 42,00, R$ 58,00 e R$ 140,00. (A) 304.
(C) R$ 27,00, R$ 31,00 e R$ 190,00. (B) 286.
(D) R$ 28,00, R$ 84,00 e R$ 128,00. (C) 224.
(E) R$ 32,00, R$ 80,00 e R$ 128,00. (D) 216.
(E) 198.
06. (TJ/SP – Escrevente Técnico Judiciário – VUNESP/2017)
Sabe-se que 16 caixas K, todas iguais, ou 40 caixas Q, todas 10. (EMDEC – Assistente Administrativo – IBFC/2016) Paulo
também iguais, preenchem totalmente certo compartimento, vai dividir R$ 4.500,00 em partes diretamente proporcionais às
inicialmente vazio. Também é possível preencher totalmente idades de seus três filhos com idades de 4, 6 e 8 anos respectiva-
esse mesmo compartimento completamente vazio utilizando 4 mente. Desse modo, o total distribuído aos dois filhos com maior
caixas K mais certa quantidade de caixas Q. Nessas condições, é idade é igual a:
correto afirmar que o número de caixas Q utilizadas será igual a (A) R$2.500,00
(A) 10. (B) R$3.500,00
(B) 28. (C) R$ 1.000,00
(C) 18. (D) R$3.200,00
(D) 22.
(E) 30. RESPOSTAS

01. Resposta: C.
07. (IPRESB/SP – Agente Previdenciário – VUNESP/2017) A
30k+70k=140
tabela, onde alguns valores estão substituídos por letras, mos-
100k=140
tra os valores, em milhares de reais, que eram devidos por uma
K=1,4
empresa a cada um dos três fornecedores relacionados, e os res-
30⋅1,4=42
pectivos valores que foram pagos a cada um deles.
70⋅1,4=98

Fornecedor A B C 02. Resposta: A.


Vamos dividir o prêmio pelas horas somadas
Valor pago 22,5 X 37,5
32+24+20+3⋅16+2⋅12=148
Valor devido Y 40 z 74000/148=500
O maior prêmio foi para quem fez 32 horas semanais
Sabe-se que os valores pagos foram diretamente proporcio- 32⋅500=16000
nais a cada valor devido, na razão de 3 para 4. Nessas condições, é 12⋅500=6000
correto afirmar que o valor total devido a esses três fornecedores A diferença é: 16000-6000=10000
era, antes dos pagamentos efetuados, igual a
(A) R$ 90.000,00. 03. Resposta:B.
(B) R$ 96.500,00. 2500+1500=4000 entrevistas
(C) R$ 108.000,00.
(D) R$ 112.500,00.
(E) R$ 120.000,00.

08. (DPE/RS - Analista - FCC/2017) A razão entre as alturas de 04. Resposta: C.


dois irmãos era 3/4 e, nessa ocasião, a altura do irmão mais alto era Se Paula acertou 32, errou 16.
1,40 m. Hoje, esse irmão mais alto cresceu 10 cm. Para que a razão
entre a altura do irmão mais baixo e a altura do mais alto seja hoje,
igual a 4/5 , é necessário que o irmão mais baixo tenha crescido,
nesse tempo, o equivalente a
(A) 13,5 cm. 05. Resposta: E.
(B) 10,0 cm. 2k+5k+8k=240
(C) 12,5 cm. 15k=240
(D) 14,8 cm. K=16
(E) 15,0 cm. Alfredo: 2⋅16=32
Bernardo: 5⋅16=80
Caetano: 8⋅16=128

23
MATEMÁTICA

06. Resposta: E. A+B+C=4500


Se, com 16 caixas K, fica cheio e já foram colocadas 4 caixa, 4p+6p+8p=4500
faltam 12 caixas K, mas queremos colocar as caixas Q, então va- 18p=4500
mos ver o equivalente de 12 caixas K P=250
B=6p=6x250=1500
C=8p=8x250=2000
1500+2000=3500

Q=30 caixas Regra de três simples

07. Resposta: E. Regra de três simples é um processo prático para resolver


problemas que envolvam quatro valores dos quais conhecemos
três deles. Devemos, portanto, determinar um valor a partir dos
três já conhecidos.

Y=90/3=30 Passos utilizados numa regra de três simples:


1º) Construir uma tabela, agrupando as grandezas da mes-
ma espécie em colunas e mantendo na mesma linha as grande-
zas de espécies diferentes em correspondência.
X=120/4=30 2º) Identificar se as grandezas são diretamente ou inversa-
mente proporcionais.
3º) Montar a proporção e resolver a equação.
Um trem, deslocando-se a uma velocidade média de
400Km/h, faz um determinado percurso em 3 horas. Em quanto
Z=150/3=50 tempo faria esse mesmo percurso, se a velocidade utilizada fos-
se de 480km/h?
Portanto o total devido é de: 30+40+50=120000
Solução: montando a tabela:
08. Resposta: E.
1) Velocidade (Km/h) Tempo (h)
400-----------------3
480---------------- x

X=1,05 2) Identificação do tipo de relação:


Se o irmão mais alto cresceu 10cm, está com 1,50 Velocidade----------tempo
400↓-----------------3↑
480↓---------------- x↑

Obs.: como as setas estão invertidas temos que inverter os


X=1,20 números mantendo a primeira coluna e invertendo a segunda
coluna ou seja o que está em cima vai para baixo e o que está em
Ele cresceu: 1,20-1,05=0,15m=15cm baixo na segunda coluna vai para cima
Velocidade----------tempo
400↓-----------------X↓
480↓---------------- 3↓
09. Resposta: E.
2,2k+1,8k=1980 480x=1200
4k=1980 X=25
K=495
2,2x495=1089 Regra de três composta
1980-1089=891 Regra de três composta é utilizada em problemas com mais
1089-891=198 de duas grandezas, direta ou inversamente proporcionais.

10. Resposta: B. Exemplos:

1) Em 8 horas, 20 caminhões descarregam 160m³ de areia.


Em 5 horas, quantos caminhões serão necessários para descar-
regar 125m³?

24
MATEMÁTICA

Solução: montando a tabela, colocando em cada coluna as 03. (SAP/SP - Agente de Segurança Penitenciária - MSCON-
grandezas de mesma espécie e, em cada linha, as grandezas de CURSOS/2017) Para a construção de uma rodovia, 12 operários
espécies diferentes que se correspondem: trabalham 8 horas por dia durante 14 dias e completam exata-
mente a metade da obra. Porém, a rodovia precisa ser termina-
Horas --------caminhões-----------volume da daqui a exatamente 8 dias, e então a empresa contrata mais
8↑----------------20↓----------------------160↑ 6 operários de mesma capacidade dos primeiros. Juntos, eles
5↑------------------x↓----------------------125↑ deverão trabalhar quantas horas por dia para terminar o traba-
lho no tempo correto?
A seguir, devemos comparar cada grandeza com aquela (A) 6h 8 min
onde está o x. (B) 6h 50min
Observe que: (C) 9h 20 min
Aumentando o número de horas de trabalho, podemos di- (D) 9h 33min
minuir o número de caminhões. Portanto a relação é inversa-
mente proporcional (seta para cima na 1ª coluna).
04. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário – VUNESP/2017
Aumentando o volume de areia, devemos aumentar o nú-
) Um restaurante “por quilo” apresenta seus preços de acordo
mero de caminhões. Portanto a relação é diretamente propor-
com a tabela:
cional (seta para baixo na 3ª coluna). Devemos igualar a razão
que contém o termo x com o produto das outras razões de acor-
do com o sentido das setas.
Montando a proporção e resolvendo a equação temos:

Horas --------caminhões-----------volume
8↑----------------20↓----------------------160↓ Rodolfo almoçou nesse restaurante na última sexta-feira. Se
5↑------------------x↓----------------------125↓ a quantidade de alimentos que consumiu nesse almoço custou
R$ 21,00, então está correto afirmar que essa quantidade é, em
Obs.: Assim devemos inverter a primeira coluna ficando: gramas, igual a

Horas --------caminhões-----------volume (A) 375.


5----------------20----------------------160 (B) 380.
8------------------x----------------------125 (C) 420.
(D) 425.
(E) 450.

05. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário – VU-


Logo, serão necessários 25 caminhões NESP/2017 ) Um carregamento de areia foi totalmente
embalado em 240 sacos, com 40 kg em cada saco. Se fos-
QUESTÕES sem colocados apenas 30 kg em cada saco, o número de
sacos necessários para embalar todo o carregamento se-
01. (IPRESB/SP - Analista de Processos Previdenciários- ria igual a
VUNESP/2017) Para imprimir 300 apostilas destinadas a um cur- (A) 420.
so, uma máquina de fotocópias precisa trabalhar 5 horas por dia
(B) 375.
durante 4 dias. Por motivos administrativos, será necessário im-
(C) 370.
primir 360 apostilas em apenas 3 dias. O número de horas diá-
(D) 345.
rias que essa máquina terá que trabalhar para realizar a tarefa é
(E) 320.
(A) 6.
(B) 7.
(C) 8. 06. (UNIRV/GO – Auxiliar de Laboratório – UNIRVGO/2017)
(D) 9. Quarenta e oito funcionários de uma certa empresa, trabalhan-
(E) 10. do 12 horas por dia, produzem 480 bolsas por semana. Quantos
funcionários a mais, trabalhando 15 horas por dia, podem asse-
02. (SEPOG – Analista em Tecnologia da Informação e Co- gurar uma produção de 1200 bolsas por semana?
municação – FGV/2017) Uma máquina copiadora A faz 20% (A) 48
mais cópias do que uma outra máquina B, no mesmo tempo. (B) 96
A máquina B faz 100 cópias em uma hora. (C) 102
A máquina A faz 100 cópias em (D) 144
(A) 44 minutos.
(B) 46 minutos. 07. (MPE/GO – Oficial de Promotoria – MPEGO/2017) Du-
(C) 48 minutos. rante 90 dias, 12 operários constroem uma loja. Qual o número
(D) 50 minutos. mínimo de operários necessários para fazer outra loja igual em
(E) 52 minutos. 60 dias?

25
MATEMÁTICA

(A) 8 operários. 03. Resposta: C.


(B) 18 operários. ↑Operário ↓horas dias↑
(C) 14 operários. 12--------------8------------14
(D) 22 operários. 18----------------x------------8
(E) 25 operários Quanto mais horas, menos operários
Quanto mais horas, menos dias
08. (FCEP – Técnico Artístico – AMAUC/2017) A vazão de
uma torneira é de 50 litros a cada 3 minutos. O tempo necessário
para essa torneira encher completamente um reservatório retan-
gular, cujas medidas internas são 1,5 metros de comprimento, 1,2
metros de largura e 70 centímetros de profundidade é de: 8⋅18x=14⋅12⋅8
(A) 1h 16min 00s X=9,33h
(B) 1h 15min 36s 9 horas e 1/3 da hora
(C) 1h 45min 16s 1/3 de hora é equivalente a 20 minutos
(D) 1h 50min 05s 9horas e 20 minutos
(E) 1h55min 42s
04. Resposta:C.
09. (CRMV/SC – Assistente Administrativo – IESES/2017) 12,50------250
Trabalhando durante 6 dias, 5 operários produzem 600 peças. 21----------x
Determine quantas peças serão produzidas por sete operários X=5250/12,5=420 gramas
trabalhando por 8 dias:
(A) 1120 peças 05. Resposta: E.
(B) 952 peças Sacos kg
(C) 875 peças 240----40
(D) 1250 peças x----30

10. (MPE/SP – Oficial de Promotoria I – VUNESP/2016) Quanto mais sacos, menos areia foi colocada(inversamente)
Para organizar as cadeiras em um auditório, 6 funcionários, to-
dos com a mesma capacidade de produção, trabalharam por 3
horas. Para fazer o mesmo trabalho, 20 funcionários, todos com
o mesmo rendimento dos iniciais, deveriam trabalhar um total
de tempo, em minutos, igual a 30x=9600
(A) 48. X=320
(B) 50.
(C) 46.
(D) 54. 06. Resposta: A.
(E) 52. ↓Funcionários ↑ horas bolsas↓
RESPOSTAS 48------------------------12-----------480
x-----------------------------15----------1200
01. Resposta: C. Quanto mais funcionários, menos horas precisam
↑Apostilas ↑ horas dias↓ Quanto mais funcionários, mais bolsas feitas
300------------------5--------------4
360-----------------x----------------3

↑Apostilas ↑ horas dias↑


300------------------5--------------3 X=96 funcionários
360-----------------x----------------4 Precisam de mais 48 funcionários

07. Resposta: B.
Operários dias
12-----------90
900x=7200 x--------------60
X=8 Quanto mais operários, menos dias (inversamente propor-
cional)
02. Resposta: D.
Como a máquina A faz 20% a mais:
Em 1 hora a máquina A faz 120 cópias.
120------60 minutos
10-------x 60x=1080
X=50 minutos X=18

26
MATEMÁTICA

08. Resposta: B.
Acréscimo ou Lucro Fator de Multiplicação
V=1,5⋅1,2⋅0,7=1,26m³=1260litros
50litros-----3 min 10% 1,10
1260--------x 15% 1,15
X=3780/50=75,6min
0,6min=36s 20% 1,20
75min=60+15=1h15min 47% 1,47
09. Resposta: A. 67% 1,67
↑Dias ↑ operários peças↑  
6-------------5---------------600     Exemplo: Aumentando 10% no valor de R$10,00 temos: 
8--------------7---------------x

Desconto
No caso de haver um decréscimo, o fator de multiplicação
será:
30x=33600     Fator de Multiplicação =  1 - taxa de desconto (na forma
X=1120 decimal)
    Veja a tabela abaixo:
10. Resposta: D.

Como o exercício pede em minutos, vamos transformar 3 Desconto Fator de Multiplicação


horas em minutos 10% 0,90
3x60=180 minutos 25% 0,75
↑Funcionários minutos↓ 34% 0,66
6------------180
20-------------x 60% 0,40
90% 0,10
As Grandezas são inversamente proporcionais, pois quanto
mais funcionários, menos tempo será gasto.     Exemplo: Descontando 10% no valor de R$10,00 temos: 
Vamos inverter os minutos
↑Funcionários minutos↑
6------------x
20-------------180 Chamamos de lucro em uma transação comercial de com-
20x=6.180 pra e venda a diferença entre o preço de venda e o preço de
20x=1040 custo.
X=54 minutos Lucro=preço de venda -preço de custo

Podemos expressar o lucro na forma de porcentagem de


5.PORCENTAGEM. duas formas:

Porcentagem  é uma  fração  cujo denominador é 100, seu


símbolo é (%). Sua utilização está tão disseminada que a encon-
tramos nos meios de comunicação, nas estatísticas, em máqui-
nas de calcular, etc.
Os acréscimos e os descontos é importante saber porque
ajuda muito na resolução do exercício. (DPE/RR – Analista de Sistemas – FCC/2015) Em sala de
aula com 25 alunos e 20 alunas, 60% desse total está com gripe.
Acréscimo
Se x% das meninas dessa sala estão com gripe, o menor valor
Se, por exemplo, há um acréscimo de 10% a um determinado
valor, podemos calcular o novo valor apenas multiplicando esse possível para x é igual a
valor por 1,10, que é o fator de multiplicação. Se o acréscimo for (A) 8.
de 20%, multiplicamos por 1,20, e assim por diante. Veja a tabela (B) 15.
abaixo: (C) 10.
(D) 6.
(E) 12.

27
MATEMÁTICA

Resolução − Uma partilha seria considerada boa se cada um deles re-


45------100% cebesse uma joia que avaliou como valendo 33,3% da herança
X-------60% toda ou mais.
X=27 As avaliações de cada um dos irmãos a respeito das joias foi
O menor número de meninas possíveis para ter gripe é se a seguinte:
todos os meninos estiverem gripados, assim apenas 2 meninas
estão.

Resposta: C. Assim, uma partilha boa seria se André, Beatriz e Clarice re-
cebessem, respectivamente,
QUESTÕES (A) o bracelete, os brincos e o colar.
(B) os brincos, o colar e o bracelete.
01. (SAP/SP - Agente de Segurança Penitenciária - MSCON- (C) o colar, o bracelete e os brincos.
CURSOS/2017) Um aparelho de televisão que custa R$1600,00 (D) o bracelete, o colar e os brincos.
estava sendo vendido, numa liquidação, com um desconto de (E) o colar, os brincos e o bracelete.
40%. Marta queria comprar essa televisão, porém não tinha con-
dições de pagar à vista, e o vendedor propôs que ela desse um 04. (UTFPR – Técnico de Tecnologia da Informação – UT-
cheque para 15 dias, pagando 10% de juros sobre o valor da ven- FPR/2017) Um retângulo de medidas desconhecidas foi altera-
da na liquidação. Ela aceitou e pagou pela televisão o valor de: do. Seu comprimento foi reduzido e passou a ser 2/ 3 do com-
(A) R$1120,00 primento original e sua largura foi reduzida e passou a ser 3/ 4
(B) R$1056,00 da largura original.
(C) R$960,00 Pode-se afirmar que, em relação à área do retângulo origi-
nal, a área do novo retângulo:
(D) R$864,00
(A) foi aumentada em 50%.
(B) foi reduzida em 50%.
02. (TST – Técnico Judiciário – FCC/2017) A equipe de se-
(C) aumentou em 25%.
gurança de um Tribunal conseguia resolver mensalmente cerca
(D) diminuiu 25%.
de 35% das ocorrências de dano ao patrimônio nas cercanias
(E) foi reduzida a 15%.
desse prédio, identificando os criminosos e os encaminhando às
autoridades competentes. Após uma reestruturação dos proce-
05. (MPE/GO – Oficial de Promotoria – MPEGO/2017)
dimentos de segurança, a mesma equipe conseguiu aumentar
Paulo, dono de uma livraria, adquiriu em uma editora um lote
o percentual de resolução mensal de ocorrências desse tipo de
de apostilas para concursos, cujo valor unitário original é de R$
crime para cerca de 63%. De acordo com esses dados, com tal
60,00. Por ter cadastro no referido estabelecimento, ele recebeu
reestruturação, a equipe de segurança aumentou sua eficácia no
30% de desconto na compra. Para revender os materiais, Paulo
combate ao dano ao patrimônio em
decidiu acrescentar 30% sobre o valor que pagou por cada apos-
(A) 35%.
tila. Nestas condições, qual será o lucro obtido por unidade?
(B) 28%.
(A) R$ 4,20.
(C) 63%.
(B) R$ 5,46.
(D) 41%.
(C) R$ 10,70.
(E) 80%.
(D) R$ 12,60.
(E) R$ 18,00.
03. (TST – Técnico Judiciário – FCC/2017) Três irmãos, An-
06. (MPE/GO – Oficial de Promotoria – MPEGO/2017) Joa-
dré, Beatriz e Clarice, receberam de uma tia herança constituída
na foi fazer compras. Encontrou um vestido de R$ 150,00 reais.
pelas seguintes joias: um bracelete de ouro, um colar de pérolas
Descobriu que se pagasse à vista teria um desconto de 35%. De-
e um par de brincos de diamante. A tia especificou em testa-
pois de muito pensar, Joana pagou à vista o tal vestido. Quanto
mento que as joias não deveriam ser vendidas antes da partilha
ela pagou?
e que cada um deveria ficar com uma delas, mas não especificou
(A) R$ 120,00 reais
qual deveria ser dada a quem. O justo, pensaram os irmãos, se-
(B) R$ 112,50 reais
ria que cada um recebesse cerca de 33,3% da herança, mas eles
(C) R$ 127,50 reais
achavam que as joias tinham valores diferentes entre si e, além
(D) R$ 97,50 reais
disso, tinham diferentes opiniões sobre seus valores. Então, de-
(E) R$ 90 reais
cidiram fazer a partilha do seguinte modo:
− Inicialmente, sem que os demais vissem, cada um deveria
07. (TJ/SP – Escrevente Técnico Judiciário – VUNESP/2017)
escrever em um papel três porcentagens, indicando sua avaliação
A empresa Alfa Sigma elaborou uma previsão de receitas trimes-
sobre o valor de cada joia com relação ao valor total da herança.
trais para 2018. A receita prevista para o primeiro trimestre é de
− A seguir, todos deveriam mostrar aos demais suas avaliações.
180 milhões de reais, valor que é 10% inferior ao da receita pre-
vista para o trimestre seguinte. A receita prevista para o primei-

28
MATEMÁTICA

ro semestre é 5% inferior à prevista para o segundo semestre. 03. Resposta: D.


Nessas condições, é correto afirmar que a receita média trimes- Clarice obviamente recebeu o brinco.
tral prevista para 2018 é, em milhões de reais, igual a Beatriz recebeu o colar porque foi o único que ficou acima
(A) 200. de 30% e André recebeu o bracelete.
(B) 203.
(C) 195. 04. Resposta: B.
(D) 190. A=b⋅h
(E) 198.

08. (CRM/MG – Técnico em Informática- FUNDEP/2017)


Veja, a seguir, a oferta da loja Magazine Bom Preço:
Portanto foi reduzida em 50%
Aproveite a Promoção!
Forno Micro-ondas 05. Resposta: D.
De R$ 720,00 Como ele obteve um desconto de 30%, pagou 70% do valor:
Por apenas R$ 504,00 60⋅0,7=42
Ele revendeu por:
Nessa oferta, o desconto é de: 42⋅1,3=54,60
(A) 70%. Teve um lucro de: 54,60-42=12,60
(B) 50%.
(C) 30%. 06. Resposta: D.
(D) 10%. Como teve um desconto de 35%. Pagou 65%do vestido
150⋅0,65=97,50
09 (CODAR – Recepcionista – EXATUS/2016) Considere
que uma caixa de bombom custava, em novembro, R$ 8,60 e 07. Resposta: C.
passou a custar, em dezembro, R$ 10,75. O aumento no preço Como a previsão para o primeiro trimestre é de 180 milhões
dessa caixa de bombom foi de: e é 10% inferior, no segundo trimestre temos uma previsão de
(A) 30%. 180-----90%
(B) 25%. x---------100
(C) 20%. x=200
(D) 15%
200+180=380 milhões para o primeiro semestre
10. (ANP – Técnico em Regulação de Petróleo e Deriva- 380----95
dos – CESGRANRIO/2016) Um grande tanque estava vazio e foi x----100
cheio de óleo após receber todo o conteúdo de 12 tanques me- x=400 milhões
nores, idênticos e cheios.
Se a capacidade de cada tanque menor fosse 50% maior do Somando os dois semestres: 380+400=780 milhões
que a sua capacidade original, o grande tanque seria cheio, sem 780/4trimestres=195 milhões
excessos, após receber todo o conteúdo de
(A) 4 tanques menores 08. Resposta: C.
(B) 6 tanques menores
(C) 7 tanques menores
(D) 8 tanques menores
(E) 10 tanques menores Ou seja, ele pagou 70% do produto, o desconto foi de 30%.
RESPOSTAS OBS: muito cuidado nesse tipo de questão, para não errar
conforme a pergunta feita.
01. Resposta:B. 09. Resposta: B.
Como teve um desconto de 40%, pagou 60% do produto. 8,6(1+x)=10,75
8,6+8,6x=10,75
1600⋅0,6=960 8,6x=10,75-8,6
Como vai pagar 10% a mais: 8,6x=2,15
960⋅1,1=1056 X=0,25=25%

02. Resposta: E. 10. Resposta: D.


63/35=1,80 50% maior quer dizer que ficou 1,5
Portanto teve um aumento de 80%. Quantidade de tanque: x
A quantidade que aumentaria deve ficar igual a 12 tanques
1,5x=12
X=8

29
MATEMÁTICA

7.MEDIDAS: TEMPO, COMPRIMENTO, MASSA, ÁREA,


CAPACIDADE. CONVERSÃO DE UNIDADES.

Unidades de Comprimento
km hm dam m dm cm mm
Quilômetro Hectômetro Decâmetro Metro Decímetro Centímetro Milímetro
1000m 100m 10m 1m 0,1m 0,01m 0,001m

Os múltiplos do metro são utilizados para medir grandes distâncias, enquanto os submúltiplos, para pequenas distâncias. Para
medidas milimétricas, em que se exige precisão, utilizamos:

mícron (µ) = 10-6 m angströn (Å) = 10-10 m

    Para distâncias astronômicas utilizamos o Ano-luz (distância percorrida pela luz em um ano):
Ano-luz = 9,5 · 1012 km

Exemplos de Transformação

1m=10dm=100cm=1000mm=0,1dam=0,01hm=0,001km
1km=10hm=100dam=1000m

Ou seja, para trasnformar as unidades, quando “ andamos” para direita multiplica por 10 e para a esquerda divide por 10.

Superfície
A medida de superfície é sua área e a unidade fundamental é o metro quadrado(m²).

Para transformar de uma unidade para outra inferior, devemos observar que cada unidade é cem vezes maior que a unidade
imediatamente inferior. Assim, multiplicamos por cem para cada deslocamento de uma unidade até a desejada. 

Unidades de Área
km 2
hm 2
dam 2
m2 dm2 cm2 mm2
Quilômetro Hectômetro Decâmetro Metro Decímetro Centímetro Milímetro

Quadrado Quadrado Quadrado Quadrado Quadrado Quadrado Quadrado


1000000m 2
10000m 2
100m 2
1m 2
0,01m 2
0,0001m 2
0,000001m2

Exemplos de Transformação

1m²=100dm²=10000cm²=1000000mm²
1km²=100hm²=10000dam²=1000000m²

Ou seja, para trasnformar as unidades, quando “ andamos” para direita multiplica por 100 e para a esquerda divide por 100.

Volume
Os sólidos geométricos são objetos tridimensionais que ocupam lugar no espaço. Por isso, eles possuem volume. Podemos encon-
trar sólidos de inúmeras formas, retangulares, circulares, quadrangulares, entre outras, mas todos irão possuir volume e capacidade.
Unidades de Volume
km 3
hm 3
dam 3
m3 dm3 cm3 mm3
Quilômetro Hectômetro Decâmetro Metro Decímetro Centímetro Milímetro

Cúbico Cúbico Cúbico Cúbico Cúbico Cúbico Cúbico


1000000000m3 1000000m3 1000m3 1m3 0,001m3 0,000001m3 0,000000001m3

30
MATEMÁTICA

Capacidade
Para medirmos a quantidade de leite, sucos, água, óleo, gasolina, álcool entre outros utilizamos o litro e seus múltiplos e submúl-
tiplos, unidade de medidas de produtos líquidos. 
Se um recipiente tem 1L de capacidade, então seu volume interno é de 1dm³

1L=1dm³

Unidades de Capacidade
kl hl dal l dl cl ml
Quilolitro Hectolitro Decalitro Litro Decilitro Centilitro Mililitro
1000l 100l 10l 1l 0,1l 0,01l 0,001l

Massa

Toda vez que andar 1 casa para direita, multiplica por 10 e quando anda para esquerda divide por 10.
E uma outra unidade de massa muito importante é a tonelada
1 tonelada=1000kg

Tempo

A unidade fundamental do tempo é o segundo(s).


É usual a medição do tempo em várias unidades, por exemplo: dias, horas, minutos

Transformação de unidades

Deve-se saber:
1 dia=24horas
1hora=60minutos
1 minuto=60segundos
1hora=3600s

Adição de tempo

Exemplo: Estela chegou ao 15h 35minutos. Lá, bateu seu recorde de nado livre e fez 1 minuto e 25 segundos. Demorou 30 minu-
tos para chegar em casa. Que horas ela chegou?

Não podemos ter 66 minutos, então temos que transferir para as horas, sempre que passamos de um para o outro tem que ser
na mesma unidade, temos que passar 1 hora=60 minutos
Então fica: 16h 6 minutos 25segundos

31
MATEMÁTICA

Vamos utilizar o mesmo exemplo para fazer a operação in- 02. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário – VUNESP/2017)
versa. Renata foi realizar exames médicos em uma clínica. Ela saiu de sua
casa às 14h 45 min e voltou às 17h 15 min. Se ela ficou durante
Subtração uma hora e meia na clínica, então o tempo gasto no trânsito, no
Vamos dizer que sabemos que ela chegou em casa as 16h 6 trajeto de ida e volta, foi igual a
minutos 25 segundos e saiu de casa às 15h 35 minutos. Quanto (A) 1/2h.
tempo ficou fora? (B) 3/4h.
(C) 1h.
(D) 1h 15min.
(E) 1 1/2h.

03. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário – VUNESP/2017)


Uma indústria produz regularmente 4500 litros de suco por dia.
Não podemos tirar 6 de 35, então emprestamos, da mesma Sabe-se que a terça parte da produção diária é distribuída em
forma que conta de subtração. caixinhas P, que recebem 300 mililitros de suco cada uma. Nes-
1hora=60 minutos sas condições, é correto afirmar que a cada cinco dias a indústria
utiliza uma quantidade de caixinhas P igual a
(A) 25000.
(B) 24500.
(C) 23000.
(D) 22000.
(E) 20500.
Multiplicação
04. (UNIRV/GO – Auxiliar de Laboratório – UNIRVGO/2017)
Pedro pensou em estudar durante 2h 40 minutos, mas de- Uma empresa farmacêutica distribuiu 14400 litros de uma subs-
morou o dobro disso. Quanto tempo durou o estudo? tância líquida em recipientes de 72 cm3 cada um. Sabe-se que
cada recipiente, depois de cheio, tem 80 gramas. A quantidade
de toneladas que representa todos os recipientes cheios com
essa substância é de
(A) 16
(B) 160
(C) 1600
(D) 16000

Divisão 05. (MPE/GO – Oficial de Promotoria – MPEGO/2017)


João estuda à noite e sua aula começa às 18h40min. Cada aula
tem duração de 45 minutos, e o intervalo dura 15 minutos. Sa-
bendo-se que nessa escola há 5 aulas e 1 intervalo diariamen-
5h 20 minutos :2 te, pode-se afirmar que o término das aulas de João se dá às:
(A) 22h30min
1h 20 minutos, transformamos para minutos :60+20=80mi- (B) 22h40min
nutos (C) 22h50min
(D) 23h
QUESTÕES (E) Nenhuma das anteriores

01. (IPRESB/SP - Analista de Processos Previdenciários- 06. (IBGE – Agente Censitário Administrativo- FGV/2017)
VUNESP/2017) Uma gráfica precisa imprimir um lote de 100000 Quando era jovem, Arquimedes corria 15km em 1h45min.
folhetos e, para isso, utiliza a máquina A, que imprime 5000 fo- Agora que é idoso, ele caminha 8km em 1h20min.
lhetos em 40 minutos. Após 3 horas e 20 minutos de funciona-
mento, a máquina A quebra e o serviço restante passa a ser feito
pela máquina B, que imprime 4500 folhetos em 48 minutos. O Para percorrer 1km agora que é idoso, comparado com a
tempo que a máquina B levará para imprimir o restante do lote época em que era jovem, Arquimedes precisa de mais:
de folhetos é (A) 10 minutos;
(A) 14 horas e 10 minutos. (B) 7 minutos;
(B) 14 horas e 05 minutos. (C) 5 minutos;
(C) 13 horas e 45 minutos. (D) 3 minutos;
(D) 13 horas e 30 minutos. (E) 2 minutos.
(E) 13 horas e 20 minutos.

32
MATEMÁTICA

07. (IBGE – Agente Censitário Administrativo- FGV/2017) Já foram impressos 25000, portanto faltam ainda 75000
Lucas foi de carro para o trabalho em um horário de trânsito in- 4500-------48
tenso e gastou 1h20min. Em um dia sem trânsito intenso, Lucas 75000------x
foi de carro para o trabalho a uma velocidade média 20km/h X=3600000/4500=800 minutos
maior do que no dia de trânsito intenso e gastou 48min. 800/60=13,33h
13 horas e 1/3 hora
A distância, em km, da casa de Lucas até o trabalho é: 13h e 20 minutos
(A) 36;
(B) 40;
(C) 48;
(D) 50;
(E) 60.

08. (EMDEC - Assistente Administrativo Jr – IBFC/2016) 02. Resposta: C.


Carlos almoçou em certo dia no horário das 12:45 às 13:12. O Como ela ficou 1hora e meia na clínica o trajeto de ida e
total de segundos que representa o tempo que Carlos almo- volta demorou 1 hora.
çou nesse dia é:
(A) 1840 03. Resposta:A.
(B) 1620 4500/3=1500 litros para as caixinhas
(C) 1780 1500litros=1500000ml
(D) 2120 1500000/300=5000 caixinhas por dia
5000.5=25000 caixinhas em 5 dias
09. (ANP – Técnico Administrativo – CESGRANRIO/2016) Um
caminhão-tanque chega a um posto de abastecimento com 36.000 04. Resposta:A.
litros de gasolina em seu reservatório. Parte dessa gasolina é trans- 14400litros=14400000 ml
ferida para dois tanques de armazenamento, enchendo-os comple-
tamente. Um desses tanques tem 12,5 m3, e o outro, 15,3 m3, e esta-
vam, inicialmente, vazios.
Após a transferência, quantos litros de gasolina restaram no
caminhão-tanque? 200000⋅80=16000000 gramas=16 toneladas
(A) 35.722,00
(B) 8.200,00 05. Resposta: B.
(C) 3.577,20 5⋅45=225 minutos de aula
(D) 357,72 225/60=3 horas 45 minutos nas aulas mais 15 minutos de
(E) 332,20 intervalo=4horas
18:40+4h=22h:40
10. (DPE/RR – Auxiliar Administrativo – FCC/2015) Rai-
mundo tinha duas cordas, uma de 1,7 m e outra de 1,45 m. Ele 06. Resposta: D.
precisava de pedaços, dessas cordas, que medissem 40 cm de 1h45min=60+45=105 minutos
comprimento cada um. Ele cortou as duas cordas em pedaços
de 40 cm de comprimento e assim conseguiu obter 15km-------105
(A) 6 pedaços. 1--------------x
(B) 8 pedaços. X=7 minutos
(C) 9 pedaços.
(D) 5 pedaços. 1h20min=60+20=80min
(E) 7 pedaços.
8km----80
RESPOSTAS 1-------x
X=10minutos
01. Resposta: E.
3h 20 minutos-200 minutos A diferença é de 3 minutos
5000-----40
x----------200 07. Resposta: B.
x=1000000/40=25000 V------80min
V+20----48
Quanto maior a velocidade, menor o tempo(inversamente)

33
MATEMÁTICA

80v=48V+960 Ângulo Agudo: É o ângulo, cuja medida é menor do que 90º.


32V=960
V=30km/h

30km----60 min
x-----------80

60x=2400
X=40km

08 Resposta: B. Ângulo Obtuso: É o ângulo cuja medida é maior do que


12:45 até 13:12 são 27 minutos 90º.
27x60=1620 segundos

09. Resposta: B.
1m³=1000litros
36000/1000=36 m³
36-12,5-15,3=8,2 m³x1000=8200 litros

10.Resposta: E.
1,7m=170cm Ângulo Raso:
1,45m=145 cm
170/40=4 resta 10 - É o ângulo cuja medida é 180º;
145/40=3 resta 25 - É aquele, cujos lados são semi-retas opostas.
4+3=7

8.GEOMETRIA: SÓLIDOS, POLÍGONOS, CÍRCULOS,


PROPORCIONALIDADE, CONGRUÊNCIA, SEMELHANÇA,
PERÍMETRO E ÁREA DE FIGURAS PLANAS. TRIÂNGU-
LOS: RELAÇÕES NO TRIÂNGULO RETÂNGULO.
Ângulo Reto:
Ângulos
- É o ângulo cuja medida é 90º;
Denominamos ângulo a região do plano limitada por duas - É aquele cujos lados se apoiam em retas perpendiculares.
semirretas de mesma origem. As semirretas recebem o nome de
lados do ângulo e a origem delas, de vértice do ângulo.

Triângulo

Elementos

Mediana
Mediana de um triângulo é um segmento de reta que liga
um vértice ao ponto médio do lado oposto.
Na figura, é uma mediana do ABC.
Um triângulo tem três medianas.

34
MATEMÁTICA

Mediatriz de um triângulo é uma reta do plano do triângulo


que é mediatriz de um dos lados desse triângulo.
Na figura, a reta m é a mediatriz do lado do .
Um triângulo tem três mediatrizes.

A bissetriz de um ângulo interno de um triângulo intercep-


ta o lado oposto

Bissetriz interna de um triângulo é o segmento da bissetriz


de um ângulo do triângulo que liga um vértice a um ponto do
lado oposto.
Na figura, é uma bissetriz interna do .
Um triângulo tem três bissetrizes internas.
Classificação

Quanto aos lados

Triângulo escaleno:três lados desiguais.

Altura de um triângulo é o segmento que liga um vértice a


um ponto da reta suporte do lado oposto e é perpendicular a
esse lado.
Triângulo isósceles: Pelo menos dois lados iguais.
Na figura, é uma altura do .

Um triângulo tem três alturas.

Triângulo equilátero: três lados iguais.


Mediatriz de um segmento de reta é a reta perpendicular
a esse segmento pelo seu ponto médio.

Na figura, a reta m é a mediatriz de .

35
MATEMÁTICA

Quanto aos ângulos - é paralelo a


- Losango: 4 lados congruentes
Triângulo acutângulo:tem os três ângulos agudos - Retângulo: 4 ângulos retos (90 graus)
- Quadrado: 4 lados congruentes e 4 ângulos retos.

- Observações:

- No retângulo e no quadrado as diagonais são congruentes


Triângulo retângulo:tem um ângulo reto (iguais)
- No losango e no quadrado as diagonais são perpendicula-
res entre si (formam ângulo de 90°) e são bissetrizes dos ângulos
internos (dividem os ângulos ao meio).

Áreas

1- Trapézio: , onde B é a medida da base maior,


b é a medida da base menor e h é medida da altura.
2- Paralelogramo: A = b.h, onde b é a medida da base e h
Triângulo obtusângulo: tem um ângulo obtuso é a medida da altura.
3- Retângulo: A = b.h

4- Losango: , onde D é a medida da diagonal maior


e d é a medida da diagonal menor.
5- Quadrado: A = l2, onde l é a medida do lado.

Polígono
Chama-se polígono a união de segmentos que são chama-
dos lados do polígono, enquanto os pontos são chamados vér-
tices do polígono.
Desigualdade entre Lados e ângulos dos triângulos
Num triângulo o comprimento de qualquer lado é menor
que a soma dos outros dois. Em qualquer triângulo, ao maior
ângulo opõe-se o maior lado, e vice-versa.

QUADRILÁTEROS
Quadrilátero é todo polígono com as seguintes proprieda-
des:
- Tem 4 lados.
- Tem 2 diagonais.
- A soma dos ângulos internos Si = 360º
- A soma dos ângulos externos Se = 360º
Diagonal de um polígono é um segmento cujas extremida-
Trapézio: É todo quadrilátero tem dois paralelos. des são vértices não-consecutivos desse polígono.

36
MATEMÁTICA

Teorema de Tales
Se um feixe de retas paralelas tem duas transversais, então a
razão de dois segmentos quaisquer de uma transversal é igual à
razão dos segmentos correspondentes da outra.
Dada a figura anterior, O Teorema de Tales afirma que são
válidas as seguintes proporções:

Número de Diagonais Exemplo

Ângulos Internos 2
A soma das medidas dos ângulos internos de um polígono
convexo de n lados é (n-2).180
Unindo um dos vértices aos outros n-3, convenientemente Semelhança de Triângulos
escolhidos, obteremos n-2 triângulos. A soma das medidas dos Dois triângulos são semelhantes se, e somente se, os seus
ângulos internos do polígono é igual à soma das medidas dos ângulos internos tiverem, respectivamente, as mesmas medi-
ângulos internos dos n-2 triângulos. das, e os lados correspondentes forem proporcionais.

Casos de Semelhança
1º Caso:AA(ângulo-ângulo)
Se dois triângulos têm dois ângulos congruentes de vértices
correspondentes, então esses triângulos são congruentes.

Ângulos Externos

2º Caso: LAL(lado-ângulo-lado)
Se dois triângulos têm dois lados correspondentes propor-
cionais e os ângulos compreendidos entre eles congruentes, en-
tão esses dois triângulos são semelhantes.
A soma dos ângulos externos=360°

37
MATEMÁTICA

3º Caso: LLL(lado-lado-lado) Fórmulas Trigonométricas


Se dois triângulos têm os três lado correspondentes proporcio-
nais, então esses dois triângulos são semelhantes. Relação Fundamental
Existe uma outra importante relação entre seno e cosseno
de um ângulo. Considere o triângulo retângulo ABC.

Neste triângulo, temos que: c²=a²+b²


Razões Trigonométricas no Triângulo Retângulo Dividindo os membros por c²

Considerando o triângulo retângulo ABC.

Como

Todo triângulo que tem um ângulo reto é denominado


triangulo retângulo.
O triângulo ABC é retângulo em A e seus elementos são:

Temos:

38
MATEMÁTICA

a: hipotenusa b) Paralelas: r e s não têm ponto comum ou r e s são


b e c: catetos coincidentes.
h:altura relativa à hipotenusa
m e n: projeções ortogonais dos catetos sobre a hipotenusa

Relações Métricas no Triângulo Retângulo


Chamamos relações métricas as relações existentes entre
os diversos segmentos desse triângulo. Assim:

1. O quadrado de um cateto é igual ao produto da hipote-


nusa pela projeção desse cateto sobre a hipotenusa.

2. O produto dos catetos é igual ao produto da hipotenu-


sa pela altura relativa à hipotenusa.

3. O quadrado da altura é igual ao produto das projeções QUESTÕES


dos catetos sobre a hipotenusa.
01. (IPRESB/SP - Analista de Processos Previdenciários-
VUNESP/2017) Um terreno retangular ABCD, com 40 m de lar-
gura por 60 m de comprimento, foi dividido em três lotes, con-
4. O quadrado da hipotenusa é igual à soma dos quadra- forme mostra a figura.
dos dos catetos (Teorema de Pitágoras).

Posições Relativas de Duas Retas


Duas retas no espaço podem pertencer a um mesmo pla-
no. Nesse caso são chamadas retas coplanares. Podem também
não estar no mesmo plano. Nesse caso, são denominadas retas
reversas.

Retas Coplanares
a) Concorrentes: r e s têm um único ponto comum

Sabendo-se que EF = 36 m e que a área do lote 1 é 864 m²,


o perímetro do lote 2 é

(A) 100 m.
(B) 108 m.
-Duas retas concorrentes podem ser: (C) 112 m.
(D) 116 m.
1. Perpendiculares: r e s formam ângulo reto. (E) 120 m.

2. Oblíquas:r e s não são perpendiculares. 02. (TJ/RS - Técnico Judiciário – FAURGS/2017) Considere um
triângulo retângulo de catetos medindo 3m e 5m. Um segundo
triângulo retângulo, semelhante ao primeiro, cuja área é o dobro
da área do primeiro, terá como medidas dos catetos, em metros:
(A) 3 e 10.
(B) 3√2 e 5√2 .
(C) 3√2 e 10√2 .
(D) 5 e 6.
(E) 6 e 10.

39
MATEMÁTICA

03. (TJ/RS - Técnico Judiciário – FAURGS/2017) Na figura


abaixo, encontra-se representada uma cinta esticada passando
em torno de três discos de mesmo diâmetro e tangentes entre si.

A área do quadrilátero BCQP, da figura acima, é

(A) 25√5.
(B) 50√2.
Considerando que o diâmetro de cada disco é 8, o compri- (C) 50√5.
mento da cinta acima representada é (D) 100√2 .
(A) 8/3 π + 8 . (E) 100√5.
(B) 8/3 π + 24.
(C) 8π + 8 . 06. (SAP/SP - Agente de Segurança Penitenciária - MSCON-
(D) 8π + 24. CURSOS/2017) O triângulo retângulo em B, a seguir, de vértices
(E) 16π + 24. A, B e C, representa uma praça de uma cidade. Qual é a área
dessa praça?
04 . (TJ/RS - Técnico Judiciário – FAURGS/2017) Na figura
abaixo, ABCD é um quadrado de lado 10; E, F, G e H são pontos
médios dos lados do quadrado ABCD e são os centros de quatro
círculos tangentes entre si.

(A) 120 m²
(B) 90 m²
(C) 60 m²
(D) 30 m²

07 . (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário – VUNESP/2017) A


figura, com dimensões indicadas em centímetros, mostra um pai-
nel informativo ABCD, de formato retangular, no qual se destaca a
região retangular R, onde x > y.

A área da região sombreada, da figura acima apresentada, é


(A) 100 - 5π .
(B) 100 - 10π .
(C) 100 - 15π .
(D) 100 - 20π .
(E) 100 - 25π .

05 . (TJ/RS - Técnico Judiciário – FAURGS/2017) No cubo de


aresta 10, da figura abaixo, encontra-se representado um pla-
no passando pelos vértices B e C e pelos pontos P e Q, pontos
médios, respectivamente, das arestas EF e HG, gerando o qua-
drilátero BCQP.
Sabendo-se que a razão entre as medidas dos lados corres-
pondentes do retângulo ABCD e da região R é igual a 5/2 , é
correto afirmar que as medidas, em centímetros, dos lados da
região R, indicadas por x e y na figura, são, respectivamente,

40
MATEMÁTICA

(A) 80 e 64. 11 . (SAP/SP - Agente de Segurança Penitenciária – MSCON-


(B) 80 e 62. CURSOS/2017)
(C) 62 e 80.
(D) 60 e 80.
(E) 60 e 78. Seja a expressão definida em 0< x
< π/2 . Ao simplificá-la, obteremos:
08 . (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário – VUNESP/2017)
O piso de um salão retangular, de 6 m de comprimento, foi total- (A) 1
mente coberto por 108 placas quadradas de porcelanato, todas (B) sen²x
inteiras. Sabe-se que quatro placas desse porcelanato cobrem (C) cos²x
exatamente 1 m2 de piso. Nessas condições, é correto afirmar (D) 0
que o perímetro desse piso é, em metros, igual a
(A) 20 . 12 . (SAP/SP - Agente de Segurança Penitenciária – MSCON-
(B) 21 . CURSOS/2017) Fábio precisa comprar arame para cercar um
(C) 24. terreno no formato a seguir, retângulo em B e C. Consideran-
(D) 27. do que ele dará duas voltas com o arame no terreno e que não
(E) 30 . terá perdas, quantos metros ele irá gastar? (considere √3 =1,7;
sen30º=0,5; cos30º=0,85; tg30º=0,57).
09. (IBGE – Agente Censitário Municipal e Supervisor –
FGV/2017) O proprietário de um terreno retangular resolveu
cercá-lo e, para isso, comprou 26 estacas de madeira. Colocou
uma estaca em cada um dos quatro cantos do terreno e as de-
mais igualmente espaçadas, de 3 em 3 metros, ao longo dos
quatro lados do terreno .
O número de estacas em cada um dos lados maiores do
terreno, incluindo os dois dos cantos, é o dobro do número de (A) 64,2 m
estacas em cada um dos lados menores, também incluindo os (B) 46,2 m
dois dos cantos . (C) 92,4 m
A área do terreno em metros quadrados é: (D) 128,4 m
(A) 240;
(B) 256; Respostas
(C) 324;
(D) 330;
(E) 372 . 01. Resposta: D.

10. (TJ/SP – Escrevente Técnico Judiciário- VUNESP/2017)


A figura seguinte, cujas dimensões estão indicadas em metros,
mostra as regiões R1 e R2 , ambas com formato de triângulos
retângulos, situadas em uma praça e destinadas a atividades de
recreação infantil para faixas etárias distintas.

Se a área de R1 é 54 m², então o perímetro de R2 é, em


metros, igual a

(A) 54 .
(B) 48 .
(C) 36.
(D) 40.
(E) 42 .

41
MATEMÁTICA

96h=1728 O ladao AF e AE medem 5, cada um, pois F e E é o ponto


H=18 Médio
X²=5²+5²
Como I é um triângulo: X²=25+25
60-36=24 X²=50
X²=24²+18² X=5√2
X²=576+324 X é o diâmetro do círculo, como temos 4 semi círculos, te-
X²=900 mos 2 círculos inteiros.
X=30
Como h=18 e AD é 40, EG=22 A área de um círculo é

Perímetro lote 2: 40+22+24+30=116

02. Resposta: B.

A sombreada=100-25π

05. Resposta: C.
CQ é hipotenusa do triângulo GQC.
01. CQ²=10²+5²
CQ²=100+25
CQ²=125
CQ=5√5
A área do quadrilátero seria CQ⋅BC
A=5√5⋅10=50√5

06. Resposta: C
Para saber a área, primeiro precisamos descobrir o x.
Lado=3√2
Outro lado =5√2 17²=x²+8²
289=x²+64
03. Resposta: D. X²=225
Observe o triângulo do meio, cada lado é exatamente a X=15
mesma medida da parte reta da cinta.
Que é igual a 2 raios, ou um diâmetro, portanto o lado esti- 07. Resposta: A.
cado tem 8x3=24 m
A parte do círculo é igual a 120°, pois é 1/3 do círculo, como
são três partes, é a mesma medida de um círculo.
O comprimento do círculo é dado por: 2πr=8π 5y=320
Portanto, a cinta tem 8π+24 Y=64

04. Resposta: E.
Como o quadrado tem lado 10,a área é 100.
5x=400
X=80

08. Resposta: B.
108/4=27m²
6x=27
X=27/6

O perímetro seria

42
MATEMÁTICA

09. Resposta: C. X=6


Número de estacas: x
X+x+2x+2x-4=26 obs: -4 é porque estamos contando duas
vezes o canto
6x=30
X=5
Temos 5 estacas no lado menor, como são espaçadas a Y=10,2
cada 3m 2 voltas=2(12+18+10,2+6+18)=128,4m
4 espaços de 3m=12m
Lado maior 10 estacas Cilindros
9 espaços de 3 metros=27m Considere dois planos, α e β, paralelos, um círculo de centro
A=12⋅27=324 m² O contido num deles, e uma reta s concorrente com os dois.
Chamamos cilindro o sólido determinado pela reunião de
10. Resposta: B.
todos os segmentos paralelos a s, com extremidades no círculo
e no outro plano.

9x=108
X=12

Para encontrar o perímetro do triângulo R2:

Classificação
Reto: Um cilindro se diz reto ou de revolução quando as ge-
ratrizes são perpendiculares às bases.
Quando a altura é igual a 2R(raio da base) o cilindro é equi-
látero.
Oblíquo: faces laterais oblíquas ao plano da base.
Y²=16²+12²
Y²=256+144=400
Y=20

Perímetro: 16+12+20=48
11. Resposta: C.

1-cos²x=sen²x
Área
Área da base: Sb=πr²

12. Resposta: D.

Volume

43
MATEMÁTICA

Cones
Na figura, temos um plano α, um círculo contido em α, um
ponto V que não pertence ao plano.
A figura geométrica formada pela reunião de todos os seg-
mentos de reta que tem uma extremidade no ponto V e a outra
num ponto do círculo denomina-se cone circular.

Área e Volume
Área lateral:
Onde n= quantidade de lados

Classificação Prismas
-Reto:eixo VO perpendicular à base; Considere dois planos α e β paralelos, um polígono R conti-
Pode ser obtido pela rotação de um triângulo retângulo em do em α e uma reta r concorrente aos dois.
torno de um de seus catetos. Por isso o cone reto é também
chamado de cone de revolução.
Quando a geratriz de um cone reto é 2R, esse cone é deno-
minado cone equilátero.

Chamamos prisma o sólido determinado pela reunião de to-


dos os segmentos paralelos a r, com extremidades no polígono
-Oblíquo: eixo não é perpendicular R e no plano β.

Área
Área lateral:
Área da base:
Área total:

Volume

Assim, um prisma é um poliedro com duas faces congruen-


tes e paralelas cujas outras faces são paralelogramos obtidos
Pirâmides ligando-se os vértices correspondentes das duas faces paralelas.
As pirâmides são também classificadas quanto ao número
de lados da base. Classificação

44
MATEMÁTICA

Reto: Quando as arestas laterais são perpendiculares às bases Cubo é todo paralelepípedo retângulo com seis faces qua-
Oblíquo: quando as faces laterais são oblíquas à base. dradas .

Prisma Regular
Se o prisma for reto e as bases forem polígonos regulares, o
prisma é dito regular.
Classificação pelo polígono da base As faces laterais são retângulos congruentes e as bases são
congruentes (triângulo equilátero, hexágono regular,...)

Área
Área cubo:
Área paralelepípedo:
A área de um prisma:
Onde: St=área total
Sb=área da base
-Triangular
Sl=área lateral, soma-se todas as áreas das faces laterais.

-Quadrangular
Volume
Paralelepípedo:V=a.b.c
Cubo:V=a³
Demais:

QUESTÕES

01 . (TJ/RS - Técnico Judiciário – FAURGS/2017) Um cilindro


reto de altura h tem volume V. Para que um cone reto com base
igual a desse cilindro tenha volume V, sua altura deve ser igual a
(A) 1/3h.
(B) 1/2h.
(C) 2/3h.
(D) 2h.
E assim por diante... (E) 3h.

Paralelepípedos 02. (SAP/SP - Agente de Segurança Penitenciária – MSCON-


Os prismas cujas bases são paralelogramos denominam-se CURSOS/2017) Qual é o volume de uma lata de óleo perfeita-
paralelepípedos. mente cilíndrica, cujo diâmetro é 8 cm e a altura é 20 cm? (use
π=3)
(A) 3,84 l
(B) 96 ml
(C) 384 ml
(D) 960 ml

45
MATEMÁTICA

03. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário - VUNESP/2017)


Inicialmente, um reservatório com formato de paralelepípedo
reto retângulo deveria ter as medidas indicadas na figura.

Estando o referido aquário completamente cheio, a sua ca-


pacidade em litros é de:
(A) 0,06 litros.
(B) 0,6 litros.
(C) 6 litros.
(D) 0,08 litros.
(E) 0,8 litros.
Em uma revisão do projeto, foi necessário aumentar em 1 m
a medida da largura, indicada por x na figura, mantendo-se inal- 06. (TJ/SP – Escrevente Técnico Judiciário – VUNESP/2017)
teradas as demais medidas. Desse modo, o volume inicialmente As figuras seguintes mostram os blocos de madeira A, B e C, sen-
previsto para esse reservatório foi aumentado em do A e B de formato cúbico e C com formato de paralelepípedo
(A) 1 m³ . reto retângulo, cujos respectivos volumes, em cm³, são repre-
(B) 3 m³ . sentados por VA, VB e VC.
(C) 4 m³ .
(D) 5 m³ .
(E) 6 m³ .

04. (CÂMARA DE SUMARÉ – Escriturário - VUNESP/2017)


A figura mostra cubinhos de madeira, todos de mesmo volu-
me, posicionados em uma caixa com a forma de paralelepí-
pedo reto retângulo.

Se VA + VB = 1/2 VC , então a medida da altura do bloco C,


indicada por h na figura, é, em centímetros, igual a
(A) 15,5.
(B) 11.
(C) 12,5.
(D) 14.
(E) 16

07. (MPE/GO – Secretário Auxiliar – MPEGO/2017) Um re-


cipiente na forma de um prisma reto de base quadrada, com
Se cada cubinho tem aresta igual a 5 cm, então o volume dimensões internas de 10 cm de aresta da base e 25 cm de al-
interno dessa caixa é, em cm³ , igual a tura, está com 20% de seu volume total preenchido com água,
(A) 3000. conforme mostra a figura. (Figura fora de escala)
(B) 4500.
(C) 6000.
(D) 7500.
(E) 9000.

05. (MPE/GO – Oficial de Promotoria – MPEGO/2017) Fre-


derico comprou um aquário em formato de paralelepípedo, con-
tendo as seguintes dimensões:

Para completar o volume total desse recipiente, serão des-


pejados dentro dele vários copos de água, com 200 mL cada um.
O número de copos totalmente cheios necessários para comple-
tar o volume total do prisma será:

46
MATEMÁTICA

(A) 8 copos RESPOSTAS


(B) 9 copos
(C) 10 copos 01. Resposta:
(D) 12 copos
(E) 15 copos Volume cilindro=πr²h

08. (CELG/GT/GO – Analista de Gestão – CSUFG/2017) figu-


ra a seguir representa um cubo de aresta a.

Para que seja igual a V, a altura tem que ser igual a 3h

02. Resposta: D
V= πr²h
V=3⋅4²⋅20=960 cm³=960 ml

Considerando a pirâmide de base triangular cujos vértices 03. Resposta:E.


são os pontos B, C, D e G do cubo, o seu volume é dado por V=2⋅3⋅x=6x
(A) a³/6 Aumentando 1 na largura
(B) a³/3 V=2⋅3⋅(x+1)=6x+6
(C) a³/3√3 Portanto, o volume aumentou em 6.
(D) a³/6√6
04. Resposta:E.
09. (CRBIO – Auxiliar Administrativo – VUNESP/2017) De São 6 cubos no comprimento: 6⋅5=30
um reservatório com formato de paralelepípedo reto retângulo, São 4 cubos na largura: 4⋅5=20
totalmente cheio, foram retirados 3 m³ de água. Após a retirada, 3 cubos na altura: 3⋅5=15
o nível da água restante no reservatório ficou com altura igual a V=30⋅20⋅15=9000
1 m, conforme mostra a figura.
05. Resposta: C.
V=20⋅15⋅20=6000cm³=6000ml==6 litros

06. Resposta:C.
VA=125cm³

VB=1000cm³

Desse modo, é correto afirmar que a medida da altura total


do reservatório, indicada por h na figura, é, em metros, igual a
(A) 1,8.
(B) 1,75. 180h=2250
(C) 1,7. H=12,5
(D) 1,65.
(E) 1,6. 07. Resposta: C.
V=10⋅10⋅25=2500 cm³
10. (PREF. DE ITAPEMA/SC – Técnico Contábil – MSCON- 2500⋅0,2=500cm³ preenchidos.
CURSOS/2016) O volume de um cone circular reto, cuja altura Para terminar de completar o volume:
é 39 cm, é 30% maior do que o volume de um cilindro circular 2500-500=2000 cm³
reto. Sabendo que o raio da base do cone é o triplo do raio da 2000/200=10 copos
base do cilindro, a altura do cilindro é:
(A) 9 cm
(B) 30 cm
(C) 60 cm
(D) 90 cm

47
MATEMÁTICA

08. Resposta: A. ___________________________________________________


A base é um triângulo de base a e altura a
___________________________________________________

___________________________________________________

___________________________________________________

___________________________________________________

___________________________________________________

09. Resposta: E. ___________________________________________________


V=2,5⋅2⋅1=5m³
Como foi retirado 3m³ ___________________________________________________
5+3=2,5⋅2⋅h
8=5h ___________________________________________________
H=1,6m
___________________________________________________
10. Resposta: D.
Cone ___________________________________________________

___________________________________________________

___________________________________________________

Cilindro ___________________________________________________
V=Ab⋅h
V=πr²h ___________________________________________________
Como o volume do cone é 30% maior:
117πr²=1,3 πr²h ___________________________________________________
H=117/1,3=90
___________________________________________________
ANOTAÇÕES
___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

___________________________________________________ ___________________________________________________

48