Você está na página 1de 4

Como Respirar Corretamente Na

Musculação?
Como respirar corretamente na musculação? Será que faz diferença
respirar corretamente nos exercícios? Um dos mais populares
métodos praticados atualmente é o Treinamento com Pesos, ou
musculação. Tal prática gera diversas dúvidas, como qual carga
utilizar, número de repetições, postura nos exercícios e nosso tema
dessa publicação, a respiração durante o exercício.

Como respirar corretamente na musculação

Ainda existe muita controvérsia com relação a qual forma de


respiração é mais interessante, onde uns dizem que inspirar no
momento da contração é melhor, e outro grupo diz que a expiração no
momento da contração é mais interessante. Mas até que ponto a
respiração pode influenciar no resultado final?

Como respirar corretamente na musculação?

Na literatura sempre existiu um grande conflito com relação a


influência da forma de respirar sobre as demandas cardiovasculares
durante o treinamento com pesos, sendo que encontramos estudo
dizendo que existe um aumento na demanda quando ocorre a
inspiração na fase concêntrica (Coelho & Coelho, 1999), enquanto
outro estudo não encontrou diferenças significativas entre as formas
de respiração durante o exercício (LINSENBARDT et al., 1992).
Como respirar corretamente na musculação
Valsalva!

Uma única recomendação em comum entre os estudos é que não se


deve utilizar a manobra de Valsalva, pois, ela é capaz de ocasionar
um elevado efeito hipertensivo em diferentes modalidades de
exercício físico (Finnof et al., 2003) devendo ser evitada
principalmente por praticantes hipertensos.

Já um estudo de Moraes et al. (2009) avaliaram adultos jovens do


sexo masculino, com experiência anterior em treinamento com pesos
e normotensos para identificar, com segurança, as alterações
cardiovasculares ocasionadas pelo treinamento utilizando diferentes
formas de respiração.

Foi avaliado a alteração na pressão arterial e frequência cardíaca


utilizando inspiração, expiração ou respiração livre na fase concêntrica
do movimento. Os autores não encontraram diferenças significativas
na comparação entre as formas de respiração.

As únicas diferenças encontradas foram entre a 1° e 3³ séries entre as


mesmas respirações, onde todas tiveram um aumento na pressão
arterial com o avançar das séries, algo natural, considerando o esforço
muscular.
Como respirar corretamente na musculação

Moraes et al. (2009) foi pioneiro em utilizar a comparação entre essas


três formas de respiração. Anteriormente, diversos estudos haviam
feito comparações entre formas de respiração, no entanto utilizando
duas formas ou incluindo a manobra de Valsalva.

Podemos mencionar também alguns estudos, como de Linsenbardt et


al. (1992), que utilizando exercício de extensão de joelho e flexão de
cotovelo, com inspiração, expiração e manobra de Valsalva durante a
execução, pôde notar que não houveram diferenças significativas na
pressão arterial entre inspiração e expiração, no entanto, com
manobra de Valsalva os valores de pressão arterial tiveram um
aumento significante.

Comparações

Já o grupo de O’Connor et al.(1989) dividiram sua amostra em três


grupos diferentes: um grupo instruído a realizar o exercício com
manobra de Valsalva; o segundo grupo orientado a não realizar a
manobra; e o terceiro grupo sem qualquer tipo de instrução.

Os valores de PAS e PAD aumentaram significativamente pós-


exercício no grupo que efetuou a manobra de Valsalva, enquanto
diminuíram de forma significativa no grupo instruído a não efetuar a
manobra, não havendo diferença para o grupo sem instrução de
respiração.
Foram realizadas nesse estudo contrações isométricas no
exercício leg press, e os resultados do grupo que não foi instruído
podem ter sido elevados devido à utilização da manobra de Valsalva,
haja vista que não houve qualquer tipo de instrução ou restrição.

Um outro estudo de Finnoff et al. (2003) utilizaram diferentes tipos de


exercícios abdominais com respiração bloqueada e respiração livre. A
PAS e PAD mostraram resultados significativamente maiores quando
os exercícios foram realizados com manobra de Valsalva.

Segundo os autores, indivíduos normotensos, usualmente, têm


aumentos de pressão arterial e frequência cardíaca de 50mmHg
durante a execução exercícios de baixa intensidade, mas esses
valores são significativamente aumentados quando se realiza a
manobra de Valsalva.

Conclusão

De acordo com a literatura encontrada, não são encontradas


diferenças significativas entre inspirar, expirar ou respirar livremente
durante o Treinamento com Pesos.

Os autores são unânimes na indicação de que uma coisa é certa:

Não é interessante praticar a manobra de Valsalva, ou seja, o


importante é respirar durante o exercício e não “trancar” a respiração,
pois, promove aumentos significativos na pressão arterial durante e
após o exercício, o que não ocorre com respiração regular, pois, após
a prática, os níveis de frequência cardíaca e pressão arterial são
reduzidas, até mesmo se encontrando abaixo da pressão arterial
encontrada antes do exercício.