Você está na página 1de 9

MINISTÉRIO DA DEFESA

MS/DR/11.1/C MARINHA DO BRASIL


F-3178/2007
DT-2007/11-06026

ALT ACD PORT. Nº 449 DE 08OUT2015.


Publicada no Bol Tomo I, n° 11/2007, Pág. 8.
PORTARIA No 286/MB, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2007.

Aprova as Normas para Apresentação


Pessoal de Militares da Marinha do
Brasil.

O COMANDANTE DA MARINHA, no uso das atribuições que lhe


confere o art. 4º, da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, resolve:

Art. 1o Aprovar as Normas para Apresentação Pessoal de Militares da


Marinha do Brasil que a esta acompanham.

Art. 2o Esta Portaria entra em vigor na presente data.

Art. 3o Revoga-se a Portaria nº 53/MB, de 27 de fevereiro de 2007.

JULIO SOARES DE MOURA NETO


Almirante-de-Esquadra
Comandante da Marinha
EDSON DA COSTA SOARES
Capitão-de-Corveta (T)
Encarregado da Secretaria e Comunicações
AUTENTICADO DIGITALMENTE
Distribuição:
Lista 1
DAdM (Bol MB)
SDM (Arq MB)
GM-11.1
Arquivo 2
Anexo(3), da Port nº 286/2007 do CM.

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO PESSOAL DE MILITARES DA MB

1 - PROPÓSITO

Padronizar a apresentação pessoal e o aspecto fisionômico dos militares uniformizados e,


quando à paisana, em área sob jurisdição militar.

2 - DO PADRÃO DE CABELO

2.1 - Militares do sexo masculino

2.1.1 - O cabelo deve ser mantido limpo, arrumado e bem apresentado. Considerando a
importância fundamental do exemplo, em todos os escalões de hierarquia, fica estabelecido que o
cabelo deve ser cortado, aparado rente à nuca e no contorno dos pavilhões auriculares. Na parte
frontal, o cabelo deve ser cortado de forma que, puxado sobre a testa, não ultrapasse a linha das
sobrancelhas. A altura da massa de cabelo, medida a partir do couro cabeludo, não deve exceder,
aproximadamente, cinco centímetros. A cor do cabelo deve acompanhar o tom natural e cortes
extravagantes ou excêntricos não são permitidos. As costeletas devem ser mantidas aparadas,
devem acompanhar o corte de cabelo, não podem ultrapassar a linha horizontal de referência que
passa pela região mediana da orelha e devem terminar com um barbear numa linha horizontal. É
vedado aos militares o uso de barba e cavanhaque (Figura 1 do apêndice).
2.1.2 - O uso de bigode é permitido aos Oficiais, Suboficiais e Sargentos, sendo vedado o seu
uso aos militares com graduação inferior a Terceiro-Sargento. O uso de bigode obriga o militar a
mantê-lo perfeitamente simétrico e aparado. Nenhuma parte do bigode poderá estender-se abaixo
da linha do lábio superior, abaixo da linha horizontal que liga os cantos da boca ou além de cerca
de 0,6 cm das comissuras labiais.

2.2 - Militares do sexo feminino

2.2.1 - O cabelo deve ser mantido limpo, arrumado e bem apresentado. Cortes extravagantes ou
extremamente assimétricos não são permitidos. Qualquer corte deve permitir a colocação e o
perfeito caimento do boné ou chapéu. Franjas podem ser usadas, sendo que seu comprimento não
deve ultrapassar a linha das sobrancelhas. A altura da massa de cabelo, medida a partir do couro
cabeludo, não deve exceder, aproximadamente, cinco centímetros (Figura 2 do apêndice). A
tintura dos cabelos deverá ser da mesma cor do cabelo apresentado na identificação da militar e
restringir-se-á às cores naturais do cabelo humano, não sendo permitido cabelos multicoloridos.

2.2.2 - Para efeito de aplicação das presentes Normas, os cabelos das militares são classificados
em curto, médios ou longos e devem seguir os seguintes padrões de arrumação, quando
uniformizadas (Figura 2 do apêndice):

I - Cabelo curto - é considerado cabelo curto aquele cujo comprimento, em caimento natural, não
ultrapasse o limite superior da gola. Os cabelos curtos podem ser usados soltos (Figuras 3 e 4 do
apêndice);

II - Cabelo médio - é considerado cabelo médio aquele cujo comprimento, em caimento natural,
esteja compreendido entre o limite superior da gola e a linha horizontal imaginária que passa
pelos ombros. Os cabelos médios permitem as seguintes arrumações, com o auxílio de grampos
simples, elásticos e redes, os quais devem ser na cor do cabelo:
• em coque, presos próximo à região mediana da parte posterior da cabeça (Figura 5 do
apêndice);
• presos na parte posterior da cabeça (Figura 6 do apêndice); e

-1-
MARINHA DO BRASIL
(Continuação das Normas para Apresentação Pessoal de Militares da MB.....................................)
-------------------------------------------------------------------
• na forma comumente designada por “rabo-de-cavalo”, o qual deve ter início no centro da
parte posterior da cabeça e ter prolongamento descendente em toda sua extensão (Figura 7 do
apêndice); e

III - Cabelo longo - é considerado cabelo longo aquele cujo comprimento, em caimento natural,
ultrapassa a linha horizontal que passa pelos ombros. Os cabelos longos devem ser arrumados
obrigatoriamente em coque (Figura 5 do apêndice).

2.2.3 - Os cabelos curtos, os cabelos presos na parte posterior da cabeça e os arrumados em


coque podem ser usados em qualquer ocasião, com qualquer uniforme.

2.2.4 - Os cabelos arrumados em “rabo-de-cavalo” podem ser usados com os seguintes


uniformes, conforme classificação constante do Regulamento de Uniformes da Marinha do
Brasil (RUMB):

a) Especiais
• Grupo II (Atividade de Apoio), exceto com o uniforme EP4, nas situações cotidianas,
quando no desempenho de atividades internas na Organização em que serve ou estiver destacada.

b) Básicos
• Grupo II (Desfiles Especiais) - com o uniforme Garança, para as musicistas e cantoras da
Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais, durante as apresentações;
• Grupo VI (Cinza, Bege, Mescla e Camuflado) - nas situações cotidianas, quando no
desempenho de atividades internas na Organização em que serve ou estiver destacada, ou nos
deslocamentos entre a residência e o local de trabalho; e
• Grupo VII (Prática de Esporte).

2.2.5 - É vedado o uso de “rabo-de-cavalo” em cerimônias.

2.2.6 - As militares que possuam cabelos volumosos deverão usá-los curtos ou presos em coque.

2.2.7 - Com o uso de boné ou chapéu, as orelhas deverão ficar à mostra e as franjas não deverão
estar visíveis.

2.2.8 - É facultado às militares, quando à paisana, em área sob jurisdição militar, o uso de
cabelos soltos.

3 - DO USO DA MAQUILAGEM

É facultado às militares o uso de maquilagem, desde que discreta, em qualquer ocasião.

4 - DO USO DE TATUAGENS

4.1 - Nos termos do contido no inciso XII do Art.11-A da Lei nº 11.279, de 9 de fevereiro de
2006, com redação dada pela Lei nº 12.704, de 8 de agosto de 2012, é permitido o uso de
tatuagens discretas, assim entendido, como aquelas que se ocultem sob as vestes do Uniforme
Básico do Grupo VI – Cinza, Bege, Mescla e Camuflado (6.4 e 6.7), especificados no inciso
2.1.6 do RUMB.

4.2 - É vedado o uso de tatuagens, mesmo se discretas, ofensivas ou incompatíveis com o decoro
militar e com a tradição naval, tais como as que apresentem símbolos, desenhos ou inscrições
cujas semânticas estejam relacionadas a:
• ideologias terroristas ou extremistas;
-2-
MARINHA DO BRASIL
(Continuação das Normas para Apresentação Pessoal de Militares da MB.....................................)
-------------------------------------------------------------------
• ideias contrárias às instituições democráticas;
• violência e a criminalidade;
• discriminação ou preconceitos de raça, credo, sexo ou origem;
• ideias ou atos libidinosos; e
• ideias ou atos ofensivos às Forças Armadas.

4.3 - Por ocasião das inspeções de saúde, as Juntas Regulares de Saúde deverão registrar, nos
PMI, o uso de tatuagens.

4.4 - O uso de tatuagens fora dos padrões determinados por esta Portaria e do contido na Lei nº
11.279, de 9 de fevereiro de 2006, se constitui em condição incapacitante para ingresso no
Serviço Ativo da Marinha e no Serviço Militar Voluntário, devendo ser observado, ainda, o
contido no Anexo N da DGPM-406. (ALT ACD PORT. Nº 449 DE 08OUT2015)

4.5 - O uso de tatuagens fora dos padrões determinados por esta Portaria se constitui em
condição incapacitante para ingresso no Serviço Ativo da Marinha e no Serviço Militar
Voluntário, devendo ser observado, ainda, o contido no inciso 3.1.5 da DGPM-406.

5 - DO USO DE ACESSÓRIOS

5.1 - Quando uniformizados, deverão ser observadas integralmente as disposições constantes do


RUMB.

5.2 - É vedado o uso de “piercing” e, para os militares do sexo masculino, o uso de brinco.

6 - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

6.1 - O militar que necessitar encobrir lesões fisionômicas poderá, excepcionalmente, usar
barba, bigode, cavanhaque ou cabelo diferente dos padrões estabelecidos, desde que esteja
autorizado pelo seu Comandante. Neste caso, o interessado deverá requerer tal concessão ao
Comandante da OM a que estiver subordinado, juntando ao requerimento o parecer do Serviço
de Saúde. Os militares que tiverem a fisionomia modificada na situação prevista nestas Normas
deverão ser reidentificados pelo Serviço de Identificação da Marinha, considerando o prazo
máximo de trinta dias, contados a partir da data de publicação da concessão.

6.2 - Os casos não previstos nestas Normas serão submetidos à apreciação do DGPM/CGCFN, a
quem competirá decidir.

CELSO LUIZ NAZARETH


Capitão-de-Mar-e-Guerra
Assessor-Chefe de Pessoal
EDSON DA COSTA SOARES
Capitão-de-Corveta (T)
Encarregado da Secretaria e Comunicações
AUTENTICADO DIGITALMENTE

-3-
Apêndice(5) ao Anexo, da Port nº 286/2007 do CM.

PADRÃO DE APRESENTAÇÃO PARA MILITARES DO SEXO MASCULINO

Figura 1

• A altura da massa de cabelo, medida a partir do couro cabeludo, indicado pela linha
pontilhada, não deve exceder, aproximadamente, 5 cm.

• As costeletas não podem ultrapassar a linha horizontal de referência que passa pela
região mediana da orelha, indicada por “A”.

• Quando de seu uso, nenhuma parte do bigode poderá estender-se abaixo da linha do
lábio superior, abaixo da linha que liga os cantos da boca, indicada por “B”, ou além das
linhas indicadas por “C”, cerca de 0,6 cm das comissuras labiais.

-1-
MARINHA DO BRASIL
(Continuação do Apêndice das Normas para Apresentação Pessoal de Militares da MB...............)
-------------------------------------------------------------------

PADRÃO DE APRESENTAÇÃO PARA MILITARES DO SEXO FEMININO

Figura 2

• A altura da massa de cabelo, medida a partir do couro cabeludo não deve exceder,
aproximadamente, 5 cm.

• Cabelo curto - é considerado cabelo curto aquele cujo comprimento, em caimento


natural, não ultrapasse o limite superior da gola, indicada pela linha “D”.

• Cabelo médio - é considerado cabelo médio aquele cujo comprimento, em caimento


natural, esteja compreendido entre o limite superior da gola, indicada pela linha “D”, e a
linha horizontal imaginária que passa pelos ombros, indicada por “E”.

• Cabelo longo - é considerado cabelo longo aquele cujo comprimento, em caimento


natural, ultrapassa a linha horizontal que passa pelos ombros, indicada por “E”.

-2-
MARINHA DO BRASIL
(Continuação do Apêndice das Normas para Apresentação Pessoal de Militares da MB...............)
-------------------------------------------------------------------

PADRÃO DE APRESENTAÇÃO PARA MILITARES DO SEXO FEMININO

Figura 3 - Cabelo Curto

Figura 4 - Cabelo Curto com Boné

-3-
MARINHA DO BRASIL
(Continuação do Apêndice das Normas para Apresentação Pessoal de Militares da MB...............)
-------------------------------------------------------------------

PADRÃO DE APRESENTAÇÃO PARA MILITARES DO SEXO FEMININO

Figura 5 - Coque (com ou sem rede)

Figura 6 - Cabelo Médio Preso (com ou sem rede)

-4-
MARINHA DO BRASIL
(Continuação do Apêndice das Normas para Apresentação Pessoal de Militares da MB...............)
-------------------------------------------------------------------

PADRÃO DE APRESENTAÇÃO PARA MILITARES DO SEXO FEMININO

Figura 7 - “Rabo-de-Cavalo” (com ou sem rede)

CELSO LUIZ NAZARETH


Capitão-de-Mar-e-Guerra
Assessor-Chefe de Pessoal
EDSON DA COSTA SOARES
Capitão-de-Corveta (T)
Encarregado da Secretaria e Comunicações
AUTENTICADO DIGITALMENTE

-5-

Você também pode gostar