Calculadora simplificada

Cássio Filipe Ferreira Santos, Frederico Martins Biber Sampaio, Guilherme Brandão Biber Sampaio, Thiago Siqueira Caires, Victor Moreira Melo DECET - Departamento de Ciência Exatas e Tecnologia UNI-BH – Universidade de Belo Horizonte – Belo Horizonte – MG – Brasil Curso de Ciência da Computação – Introdução à Ciência da Computação
{fredmbs, guilhermebiber}@gmail.com, {cassiokis, thiagocaires88, vic2m_}@hotmail.com

Resumo. Este trabalho apresenta a implementação de uma calculadora simplificada de soma de números binários inteiros, positivos ou negativos, com amplitude de 6 bits. Seu objetivo é essencialmente didático: prover um exemplo prático de construção de um circuito lógico com componentes mecânicos e elétricos simples, como chaves e relés. Os circuitos serão ilustrados amplamente para facilitar a compreensão. Abstract. This paper presents the implementation of a simplified calculator that sum two binary integer numbers, positive or negative, with magnitude of 6 bits. Its goal is essentially didactic: give a practical example of building logical circuits with simples mechanicals and electrics components, such as keys and relays. The circuits will be widely illustrated in order to facilitate understanding.

1

Introdução

Os princípios da computação digital moderna se assentam em idéias e conceitos relativamente simples. O avanço da computação digital está relacionado com a capacidade de utilizar esses princípios simples com implementações cada vez mais condensadas. Ou seja, os chips modernos são compostos por portas lógicas assim como os primeiros computadores da década de 40. O objetivo do artigo é comprovar a simplicidade conceitual da computação digital, assim como descrito por Angelo Guimarães e Newton Lages, em Introdução à Ciência da Computação de 1985, que demonstra como esses conceitos fundamentais podem ser facilmente implementados com componentes triviais como interruptores. Para cumprir esse objetivo, o artigo pretende apresentar a implementação um dispositivo simples de soma e subtração de números binários utilizando-se chaves e relés. O artigo tem como público alvo alunos iniciando o curso de computação e pessoas com interesse em princípios básicos da computação digital. É importante destacar que não é objetivo desse trabalho tratar de questões de alta-tecnologia, mas sim aproximar o leitor dos princípios básicos dos computadores, inclusive com um exemplo prático para solidificar seu caráter didático.

é importante analisar como ocorre o processo de soma. e o “Vem 1” (VE). Segue-se ilustração elaborada por Benito Piropo. Suponha-se um circuito de soma geral. deve ser levado para ser somado à próxima casa de numeração. bastaria unir os circuitos de soma em série. . que deve ser ligado com o “Vai 1” da casa de numeração imediatamente anterior. e o “Vai 1” (VA). para cada bit do número a ser somado. representando os bits da casa de numeração n.2 2 A lógica da calculadora simplificada Para se criar uma calculadora de soma. Cn deve possuir duas saídas: S. n indicando o número da ordem da casa de numeração binária. representando o excedente que deve ser somado à casa de numeração imediatamente posterior. Além disso. chamado nesse artigo apenas de Cn. representado o resultado da soma na casa de numeração n. Cn deve possuir três entradas: A e B. publicada no site Fórum PCs: Exemplo do processo de soma de dois números decimais e binários [PIROPO]. sendo que o excedente da soma de uma casa. chamado de “Vai 1”. Segue-se um exemplo de uma calculadora de números de quatro bits para A + B = S: A3 C3 Ve3 Va2 A2 C2 Ve2 Va1 A1 C1 Ve1 Va0 A0 C0 Ve0 B3 Va3 B2 B1 B0 0 S4 S3 S2 S1 S0 Exemplo de esquema de um circuito de soma de número binário de 4 bits. O processo de soma de dois números é uma repetição da soma de cada casa de numeração. Considerando o circuito Cn de forma genérica.

A tecnologia adotada neste trabalho é extremamente simples e é exatamente esse o objetivo. serão utilizados relés. 3 A tecnologia da calculadora simplificada. no documento intitulado Representação de dados. que servirão de dispositivo de entrada de dados. Um relé pode custar mais de R$5. Para possibilitar esse objetivo. a pessoa que estiver utilizando a calculadora deve determinar a representação correta dos números binários negativos que serão informados por meio de chaves ou interruptores. O objetivo na implementação é utilizar o menor número possível de relés.3 Uma implementação possível para o circuito lógico Cn seria: Circuito geral de soma Cn A 1 1 1 1 0 0 0 0 B 1 1 0 0 1 1 0 0 Ve 1 0 1 0 1 0 1 0 Va 1 1 1 0 1 0 0 0 S 1 0 0 1 0 1 1 0 Circuito lógico de soma (Cn) e sua tabela verdade [PIROPO]. principalmente considerando o alto preço da principal peça. nos casos de “complemento de 1”. variando de acordo com todas as combinações de entradas e saídas da tabela verdade de Cn. Serão utilizadas chaves liga/desliga manuais tipo H. publicado no site da PUC Rio. de memória e de portas lógicas. preço muito maior que muitos circuitos integrados com várias portas lógicas. o relé. A calculadora pode ser adaptada para soma de número negativos pelos métodos de “complemento de 1” e “complemento de 2”. Mesmo não sendo relevante o desenvolvimento dos materiais e equipamentos. Além disso. a calculadora deve possuir uma chave seletora para redirecionar a saída do “Vai 1” da casa de numeração de maior ordem para o “Vem 1” da primeira casa de numeração (ordem 0). Para as portas lógicas que não estão diretamente ligadas às entradas A e B do circuito. como descrito por Rui Mano. Os relés são uma espécie de chave H acionada eletricamente por uma bobina. Nesse caso. qualquer economia de custo ainda é relevante.00 (cinco reais). . foram analisados os estados intermediários de todas as portas lógicas do circuito.

a bobina do relé se torna naturalmente uma porta XOR. Contudo. ele deve ser adaptado. chamado de CCn. Para que o circuito de chaves possa representar essa convenção de tradução. NXOR e NAND. a economia ainda é vantajosa. XOR-NXOR e AND-NAND. Essa técnica dobra o número de portas lógicas do sub-circuito lógico das chaves. pois ele apenas impede ou permite a formação da corrente elétrica. As portas XOR e AND geram sinal de voltagem positiva e as inversoras. Para isso. que cargas negativas representem o número 0 e cargas positivas representem o número 1. Uma característica do relé é que os terminais da bobina têm que possuir voltagens diferentes para que ocorra corrente elétrica para gerar o campo magnético que aciona sua chave H. geram sinal negativo: CCn A B CCn + + - A SXOR + B SXOR SAND SAND - Esquemas do circuito lógico CCn. Isso permite implementar a porta XOR com apenas um relé. no circuito secundário a resposta deve ser 1 e vice-versa. As saídas de cada par de portas lógicas. mesmo considerando que o projeto das placas fica um pouco mais complicado e necessita mais furos e soldas. por convenção arbitrária. basta considerar outro circuito lógico com as portas inversas das que já compõe o sub-circuito CCn. . Supondo-se. se no circuito principal o resultado for 0.4 4 Representação interna de 1 e 0 e o sub-circuito de chaves CCn. pois elas nunca estarão ligadas simultaneamente. o que geraria um curto circuito. A adaptação do circuito de chaves é baseada em dois circuitos em paralelo. podem ser unidas. como o custo de uma chave 4H ou 6H é praticamente o mesmo que uma chave 2H. o circuito de chaves mecânicas não pode representar diretamente a convenção de 0 sendo negativo e 1 sendo positivo. Contudo. um o contrário do outro. independente do sentido. ou seja.

Quando a saída S e a entrada Ve são iguais. As portas AND e OR podem ser implementadas com um único relé. é necessário adaptar o sub-circuito de relés CRn para considerar essa convenção arbitrária de representação dos dígitos binários. NF é equivalente a SAND. Segue-se o esquema da implementação de CRn: CRn CRn SXOR Ve S + SXOR Va Ve SAND Esquema do circuito CRn. a resposta de saída em Va é a mesma que Ve. ligando-se a saída S e a entrada Ve nos terminais da bobina do relé. Quando a saída S e a entrada Ve são diferentes. representando 0 e 1 respectivamente. S SAND Va . conectando-se a entrada SXOR e Ve nos terminais da bobina do relé. A otimização pode ser analisada pelo estudo os estados intermediários de cada porta lógica de CRn: CCn A(00001111) B(00110011) SAND(00000011) SXOR(00111100) →A(0 0 0 0 1 1 1 1) →B(0 0 1 1 0 0 1 1) SXOR(0 0 1 1 1 1 0 0) →Ve(0 1 0 1 0 1 0 1) SAND(0 0 0 0 0 0 1 1) ←Va(0 0 0 1 0 1 1 1) ←S(0 1 1 0 1 0 0 1) CRn S (01101001) and(00010100) SAND(00000011) Va(00010111) Análise de estados do circuito lógico Cn. Com o sub-circuito CCn enviando sinais negativos e positivos. NA é equivalente a Ve e C representa Va. A porta XOR é implementada diretamente.5 5 Sub-circuito de relés CRn. Estão. a resposta de saída em Va é a mesma que a entrada de SAND.

segue-se o esquema do circuito Cn: Cn CCn A + B CRn S A B Ve Circuito Cn. Quando a chave “C-1” estiver ligada. supondo amplitude numérica de seis bits e a chave seletora de complemento de 1 (C-1): C5 C-1 S A S6 B C4 S A B C3 S A B C2 S A B C1 S A B C0 S A B Circuito geral da calculadora simplificada. segue-se o esquema da calculadora simplificada. Va Por fim. já considerando as lâmpadas (led) informativas das entradas A e B e da resposta S. (1) a saída “Va” do C5 vai para a entrada “Ve” de C0 e (2) o led indicador S6 fica apagado. Como o zero de entrada do circuito C0 deve ter voltagem negativa. a chave seletora de “C-1” (complemento de 1). deve ser do tipo 2H. Quando a chave “C-1” estiver desligada.6 6 Circuito Cn e calculadora simplificada Baseado nos sub-circuitos CCn e CRn. usada para subtração. (1) a saída “Va” (Vai1) do circuito C5 se liga ao o led S6. indicador do bit de ordem 6 (sétima casa de numeração) e (2) a entrada “Ve” (Vem1) do circuito C0 se liga com a parte negativa da fonte de energia (indicando zero). .

um único celular moderno tem mais poder de processamento que qualquer computador já implementado com relés. dos princípios básicos dos computadores digitais. Os fundamentos necessários podem ser encontrados nas referências bibliográficas. . 7 Considerações finais As tecnologias apresentadas provavelmente não são aplicadas na construção de calculadoras ou computadores desde a década de 50. O que os componentes semicondutores fazem é possibilitar o controle da passagem da corrente elétrica. Espera-se que o presente trabalho possa ser um instrumento que aproxime o leitor. A abordagem prática e simples do trabalho busca estabelecer a intimidade necessária para criar curiosidade que possa levar a novos conhecimentos e futuras pesquisas na área de circuitos digitais. uma abordagem prática e didática sobre os fundamentos da computação digital”. com funcionamento similar aos interruptores. mesmo que ao longo dos anos tenha ocorrido grandes mudanças nos materiais. mesmo com todo avanço. a tecnologia de semicondutores substituiu as válvulas com grande eficiência e economia. principalmente o aluno do curso de Ciência da Computação.7 Foto da calculadora simplificada. o trabalho conclui com um dispositivo funcional e simples de soma e subtração de números binários. todas essas tecnologias são tipos de chaves tipo liga/desliga. Ou seja. Em meados da década de 60. Como proposto inicialmente. chaves e relés apresentados neste trabalho. em especial na Monografia intitulada “Calculadora simplificada. As válvulas logo substituíram os relés. Os semicondutores ainda são a atual tecnologia dos computadores digitais. elaborada pelos presentes autores. que é trabalho de pesquisa original que este artigo pretende divulgar os resultados. Certamente.

teips.br/~dmlemos/down/SUA/Sistemas. Thiago Francisco. 07 mai. et al. Fórum PCs. Representação de dados. 2008. Curso de Geomática – Microinformática.br/fcardozo/materiais/rchave. Disponível em: <http://pt. Acessado em: 04 de mai. Ângelo Moura Guimarães [e] Newton Alberto de Castilho Lages.puc-rio.php?b=133014>. José Maria Silveira. Disponível em: <http://www. Calculadora simplificada. Colégio Técnico Industrial Prof. Acessado em: 04 de mai. NETO.com. Acessado em: 02 mai. Rio de Janeiro. Guilherme Brandão Biber Sampaio. Representação da Informação.pdf>.com. PIROPO.pdf>. Leonel Caetano. Disponível em: <http://www. PIROPO. Rui. Rodrigo Vogado.html>. MAGELLA. Lei de Moore.Universidade de Uberaba. Geraldo. Benito.forumpcs. 2008. Ministério da Educação e do Desporto. Disponível em: <www.com/museum/Moores_Law/ArticlesPress_Releases/Gordon_Moore_1965_Article.Numeracao. MOORE. 2008.A. Benito. UNIUBE . 2008. 1985.org/wiki/Lei_de_Moore>. a enciclopédia livre.furg.br/coluna. et al.doc>. 2008.. MATERIAIS E DISPOSITIVOS ELÉTRICOS.intel.com. Intel. Acessado em: 04 mai.br/rmano/rd3compl. Geraldo Magella. Disponível em: <ftp://download. Belo Horizonte. GUIMARÃES. Site Rio Datacentro. Mário Alquatti. 2008. Acessado em: 02 mai. Relés e chave fim de curso.forumpcs.cti. Computadores XI: Diagramas Lógicos. Disponível em: <http://wwwusers.php?b=131250>.8 8 Referências SAMPAIO. Cramming more components onto integrated circuits.rdc. . ENGENHARIA ELÉTRICA. Introdução à ciência da computação. MANO. Frederico Biber. 2008. Disponível em: <http://www. Fundação Universidade Federal do Rio Grande. Ângelo de Moura. Gordon E. Ulisses Irineu. Wikipédia. Emerson Soares.wikipedia. Fórum PCs.. Thiago Siqueira Caíres e Victor Moreira Melo. Computadores XII: Aprendendo a Somar. 2008. Acessado em: 02 mai. Cássio Filipe Ferreira Santos. Frederico Martins Biber Sampaio. uma abordagem prática e didática sobre os fundamentos da computação digital. Acessado em: 09 mai. PUC Rio. Delnir Monteiro de. LEMOS.com.br/coluna. Monografia da Disciplina de Metodologia Científica do primeiro período da noite do Curso de Ciência da Computação da UNI-BH. LTC – Livros Técnicos Científicos Editora S.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful