Você está na página 1de 2

Unigranrio

Valéria Cordeiro Pinto


3108296

Contexto Socioantropológico e Filosóficos

1. Quilombo de São José da Serra

Uma das maiores comunidades quilombolas do Estado do Rio de Janeiro é a que se


localiza em São José da Serra em Valença, com formação datada em 1850 é
considerado o mais antigo do estado. Todavia foi somente em novembro de 2015 que
recebeu do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) a Concessão
de Direito Real de Uso, compreendendo uma área total de 476 hectares na Serra da
Beleza.
Oriundo de uma geração de escravos do Congo, da Guiné e Angola, o Quilombo São
José da Serra. O santuário abriga aproximadamente 150 quilombos com uma população
de 200 pessoas. Interessante ressaltar quanto a religiosidade de seus pertencentes que
são católicos apostólicos cristãos e umbandistas.
No que concerne a suas manifestações culturais tradicionais, destaca-se o jongo ou
caxambu. O caxambu nada mais é que uma dança, praticada pelos escravos em dias
santificados, e depois da abolição da escravatura aos dias 13 de maio, ao som de
tambores, chocalhos, cantoria e arrasta pé.
Já quanto a importância social e política do Quilombo pode-se afirmar que se trata de
referência turística e cultural para o distrito de Santa Isabel do Rio Preto e para o
município de Valença. Nos festejos de 13 de maio atrai mais de 3 mil pessoas de várias
cidades do Brasil, bem como do exterior, e, contam não apenas com o jongo, mas
também com rodas de capoeira, de samba, folia de reis e a bênção da fogueira, no meio
do terreiro, ponto alto das celebrações. Importante se faz mencionar sua relevância
étnica e cultural para o carnaval do Rio de Janeiro, de modo que é considerada a matriz
da cultura carnavalesca.
2. Quilombo de Pedra do Sal

Considerada a comunidade mais relevante para a luta abolicionista, ao passo que, trata-
se de zona portuária onde regressava muitos navios negreiros, logo a região ficou
conhecida como Pequena África. Utilizada para tal devido ao seu isolamento geográfico
em referencia a capital.
Importante ressaltar que a Pedra do Sal representa para a comunidade africana um
grande símbolo cultural da religiosidade e memória de seu povo. Em 1987 foi tombado
como patrimônio material do estado do Rio de Janeiro, demonstrando o reconhecimento
político-social da área utilizada culturalmente para dispor oferendas aos orixás.
No tocante a relevância econômica da área destaca-se primordialmente a atividade
portuária. Ademais, este lugar concebeu-se o primeiro terreiro da cidade, centro das
atividades e logo foi matriz das primeiras escolas carnavalescas do Estado do Rio de
Janeiro, sendo este frequentado por personagens relevantes para o samba. De onde
surgiu a escola tradicional de samba Império Serrano.
Como legado social se pode frisar o projeto cultural denominado o Sal do Samba – que
tem como objetivo não somente lutar por reconhecimento latifundiário mas também por
disseminar a cultura quilombola africana através da educação.
Por fim, o quilombo da pedra do sal segue lutando pelo reconhecimento de suas terras
visto que trata-se de latifúndio extremamente relevante economicamente e
estrategicamente, sendo assim, torna-se fruto de muita disputa.

Referencias:
http://www.incra.gov.br/sites/default/files/terras_de_quilombos_pedra_do_sal-rj.pdf
http://www.incra.gov.br/sites/default/files/terras_de_quilombos_sao_jose_da_serra-
rj.pdf