Você está na página 1de 3

C1 – O que é a filosofia? Os problemas e o método.

1. Alguns problemas filosóficos e as disciplinas que os estudam.


Filosofia significava, para os antigos gregos, o amor pelo saber. Origina dos étimos Philos, que
significa amor, e Sophia, amor. E o seu objeto de estudo é o real como um todo.

Na antiguidade, a filosofia abrangia o estudo de todas as áreas do saber, assim, quem se


interessasse por estudos naturais ou matemáticos era conhecido como filósofo. A filosofia era
conhecida como a mãe de todas as ciências - as suas filhas, que se foram separando,
adquirindo autonomia. Mais tarde foi a própria filosofia a especializar-se, subdividindo-se em
várias disciplinas filosóficas, como:

 Ética ou Filosofia Moral – procura responder ao problema de saber como devemos


viver. Ex. Como distinguir uma ação moralmente correta de uma incorreta?
 Filosofia da Religião – analisa os conceitos fundamentais e as crenças religiosas básicas
interrogando-se sobre a sua verdade e justificação. Ex. Deus existe?
 Filosofia politica – em estreita ligação com a ética, reflete sobre a natureza, funções e
legitimidade da autoridade do Estado na usa relação com os cidadãos. Ex. O que é uma
sociedade justa?
 Filosofia do Conhecimento – disciplina que se interroga sobre a natureza, origem,
limite e justificação das nossas crenças. Ex. O que é o conhecimento?
 Lógica – estuda em que condições os nossos argumentos são válidos. Ex. Em que
consiste a validade de um argumento?
 Metafísica – estuda os aspetos mais gerais da realidade. Ex. Será que a vida faz
sentido?

2. Que tipo de problemas estudam os filósofos? O que são problemas


filosóficos?
Os problemas filosóficos são problemas não empíricos e não têm solução cientifica, pois não
podem ser resolvidos através da observação, da experimentação ou do raciocínio matemático.
São caracterizados pela sua generalidade e são abertos, pois a resposta a tais questões
satisfazem todos os entendidos.

3. O método da filosofia.
O método da filosofia é a discussão racional de argumentos, pensar o mais corretamente
possível para tentar encontrar respostas adequadas. Podemos assim afirmar que é o
pensamento critico.

Os filósofos procuram responder a problemas elaborando argumentos para apoiar ou justificar


as respostas dadas.

4. A atitude filosófica.
As principais características da atitude filosófica são:

 A curiosidade.
 O desejo e a necessidade de conhecer.
 A capacidade de transformar em problema o que parece evidente e indiscutível.
 A recusa de aceitar como verdadeiras ideias feitas ou teorias sem antes examinar os
argumentos em que se apoiam.
A isto chama-se uso critico da razão.

C2 – A dimensão discursiva do trabalho filosófico: Noções básicas


de argumentação.
As teorias/teses são respostas, as conclusões a que chegamos através de argumentos.

1. O que é um argumento?
Um conjunto de proposições formado pela proposição defendida – a tese – tem nome de
conclusão, sendo o que as premissas pretendem provar. A proposição ou proposições que a
defendem são as premissas.

1. As proposições são o conteúdo de frases com valor de verdade.


Uma frase só exprime uma proposição quando for declarativa e tiver valor de verdade. Dizer
que tem valor logico verdade significa que pode ser verdadeira ou falsa.

2. O que é clarificar argumentos? A analise e clarificação de argumentos.


Há argumentos que contêm premissas implícitas ou omitidas, sendo que a clarificação desse
argumento não irá ser fácil. Para facilitar esta tarefa há indicadores de conclusão e de
premissa.

Indicadores de conclusão:

 Logo.
 Então.
 Assim.
 Portanto.

Indicadores de premissas:

 Porque.
 Como.
 Devido a.
 Visto que.

3. Argumentos (dedutivos) válidos e sólidos.


1. O que é um argumento válido?
Se as premissas forem verdadeiras, a conclusão também tem de ser verdadeira. Se as
premissas apoiam a conclusão, constroem um argumento válido.

Ex. mau argumento:

1. Todos os animais ladram.


2. Os São Bernardo são animais.
3. Logo, os São Bernardo ladram.

Se todas as proposições forem verdadeiras, mas a conclusão não deriva das premissas,
estamos perante um argumento inválido.

Ex. mau argumento:

1. Alguns futebolistas ganham muito dinheiro.


2. Adrien é futebolista.
3. Logo, Adrien ganha muito dinheiro.

2. O que é um argumento sólido?


Para um argumento ser sólido, tem de ser válido e ambas as premissas e a conclusão têm de
ser verdadeiras.

Ex.

1. Sócrates é homem.
2. Todos os homens são mortais.
3. Sócrates é mortal.

4. A logica ensina-nos a pensar de forma consequente.


O principal objetivo da argumentação é justificar racionalmente a verdade ou a falsidade de
uma afirmação.

5. A lógica é importante para a filosofia porque esta consiste na discussão de


argumentos e de ideias.
A filosofia consiste na argumentação e debate de ideias, sendo importante avaliar as
proposições que as constituem.

1. Proposições universais.
Referem-se a todos os elementos de um tal conjunto.

 Todos os cães ladram.


 Nenhum ser humano é de plástico.

Para as negar basta arranjarmos um exemplo que vá contra a proposição, não podendo utilizar
“nem …”.

 Todos os computadores têm ecrã panorâmico.


 Alguns computadores não têm ecrã panorâmico.

2. Proposições condicionais.
Todas aquelas que podemos representar na forma se x, então y.

 Se eu estudo, então passo de ano.


 Caso deus exista, a vid a faz sentido.

Para as negar basta indicar que, caso a hipótese x aconteça, não implica y.

 Se ganhar o jogo, então pago o jantar.


 Ganhei o jogo, mas não paguei o jantar.