Você está na página 1de 29

PROJETOS

INTERDISCIPLINARES
Guiões para o 8.º ano
26 propostas de trabalho interdisciplinar
Contributo de todas as disciplinas em todos os projetos
Elaborados no âmbito das Aprendizagens Essenciais
Pensados para desenvolver as Áreas de Competências
do Perfil dos Alunos
O que são os Projetos interdisciplinares?

Os Projetos interdisciplinares incluídos nesta publicação são sugestões de ativida-


des que os professores/as escolas podem adotar e desenvolver com os seus alunos
envolvendo as disciplinas de 8.º ano do 3.º ciclo do Ensino Básico, com uma duração
que pode ser tão longa quanto o ano letivo.

Ao definir os Projetos, foram tidos em consideração os seguintes aspetos:


articulação disciplinar, que se concretiza na existência de elos fortes entre dis-
• 
ciplinas que trabalham diretamente ou em simultâneo e em remissões para ou-
tras disciplinas (CD, CN, EF, EV, FQ, Geo, Hist, Ing, LE II, Mat, Port, TIC) quando
existe precedência de conhecimentos ou de procedimentos;
• trabalho colaborativo, espelhado no tipo de atividades apresentadas que po-
dem incluir trabalho entre pares de uma turma, de turmas diferentes da mesma
escola ou mesmo de turmas de escolas distintas;
valores de cidadania, reconhecidos nas orientações curriculares e que são
• 
muitas vezes o mote para a conceção das atividades, pela sua natureza transver-
sal e por conferirem um sentido especial às aprendizagens.

Consequentemente, todos os Projetos têm por base os Princípios, a Visão e os Va-


Título Projetos interdisciplinares – Guiões para o 8.º ano lores definidos no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, que se encontram
8.º ano | 3.º Ciclo do Ensino Básico
representados no esquema conceptual abaixo.
Capa e design Raiz Editora

Junho | 2019 PRINCÍPIOS

DE COMPETÊN Ap
be
r
REAS CIA
S
re
Á

nd
a
•S
Linguagens

iza
e textos

ista

ge
Consciência
e domínio Informação e

m
comunicação

man
do corpo

• In
• Base hu

clusão •
Pensamento
Sensibilidade LORE
VALiberdade S
crítico e
estética e
artística pensamento
criativo
Responsabilidade
e integridade
Cidadania e participação

S u s te n

ade
Excelência e exigência
Bem-estar, Raciocínio e
Curiosidade, reflexão

b il i d
saúde e resolução de
ambiente e inovação problemas

tab

sta
ili d
Saber científico,

•E
Desenvolvimento
técnico e

ad
pessoal e
tecnológico
A Raiz Editora é uma marca

ia
autonomia

e
Relacionamento

ad
interpessoal
registada da Lisboa Editora, S. A.

•C
oe

us

nc e eo
Rua Professor Jorge da Silva Horta, 1 ia e ad
f l ex li d
1500-499 Lisboa i b il i d a d t a bi
Tel.: 21 843 09 10 e • Ad a p

LINHA DO PROFESSOR
In Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória
707 224488
apoioprof@raizeditora.pt
www.raizeditora.pt

Projetos interdisciplinares | 8.º ano 3


Índice
#perigos ou #oportunidades ............................................................. 6
A forma de orientar a ação educativa preconizada neste documento parte também
da definição de Áreas de Competências – «combinações complexas de conhecimen- Bem-vindos, refugiados .................................................................... 8
tos, capacidades e atitudes que permitem uma efetiva ação humana em contextos
diversificados» – que se querem desenvolvidas nos alunos. Canto de andorinha em coração de gato ............................................ 10

As Áreas de Competências do Perfil dos Alunos trabalhadas em cada Projeto são Construir-me! ................................................................................... 12
mencionadas sob a forma de letras, reproduzindo a nomenclatura usada nos docu-
mentos curriculares: E na internet? .................................................................................. 14

Falar de Educação Financeira ............................................................ 16


Áreas de Competências do Perfil dos Alunos Falas a minha língua? ...................................................................... 18

A   B   C   D   E   F   G   H   I   J Festival do Silêncio ........................................................................... 20

Fortalecer a democracia .................................................................... 22

Inventália ........................................................................................ 24
A Linguagens e textos F Desenvolvimento pessoal e autonomia
B Informação e comunicação G Bem-estar, saúde e ambiente Ligações improváveis ........................................................................ 26

C Raciocínio e resolução de problemas H Sensibilidade estética e artística Mecenas e académicos ...................................................................... 28


D Pensamento crítico e pensamento criativo I Saber científico, técnico e tecnológico Medidas extraordinárias ................................................................... 30
E Relacionamento interpessoal J Consciência e domínio do corpo
Memória de brinquedos .................................................................... 32

Mobilidade condicionada .................................................................. 34


De uma forma geral, as propostas apresentadas permitem o desenvolvimento de
todas as competências definidas no Perfil dos Alunos; porém, esse contributo pode Nunca mais! .................................................................................... 36
ser mais ou menos significativo em função das opções metodológicas do(s) profes-
O importante é participar! ................................................................ 38
sor(es).

As Aprendizagens Essenciais para o 8.º ano de escolaridade foram tidas em conta O valor da água ............................................................................... 40
no desenho das atividades, possibilitando aos professores o cumprimento dos obje-
Oceanos de lixo ................................................................................ 42
tivos do currículo em cenários de aprendizagem ativa e integrada, uma vez que são
explorados pontos de contacto entre as áreas de saber específico. Quando as ideias contam .................................................................. 44
Procurou-se, assim, sugerir projetos abrangentes e flexíveis para que sejam adap- Repórteres da Natureza .................................................................... 46
táveis à realidade de cada escola, de cada turma e de cada grupo de professores
envolvido. Ser humano e respeitar a Natureza .................................................... 48

Esperamos que esta publicação seja uma boa ferramenta para o seu trabalho letivo. Sonhar a escola ............................................................................... 50
Foi essa a nossa motivação.
Vai ficar um mimo! ........................................................................... 52

Vais Mandala? ................................................................................. 54


A Raiz Editora
Visite a nossa região! ....................................................................... 56

4 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 5


#perigos ou #oportunidades
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Identificar vantagens e desvantagens das redes sociais para uma DO PERFIL DOS ALUNOS
utilização equilibrada.
Produto final A B C D E
8. ano o  Refletir sobre o modo como as redes sociais mudaram o quotidiano
 Celebração do Dia da Internet Segura, 5 de fevereiro, com a realização de várias da maioria dos cidadãos do Mundo, assim como a sua relação com o
atividades sobre redes sociais. outro. F G H I J

Matemática História
Tecnologias de Informação Cidadania e Desenvolvimento
Conceber, no grupo virtual da comunidade,
Participar no debate de TIC discutindo o Estudar o expansionismo português e as
e Comunicação um espaço para promover o envolvimento
novas rotas de comércio intercontinental
impacto das redes sociais no quotidiano
Organizar a celebração definindo a calenda- dos alunos com as aulas de Matemática: es-
dos indivíduos e a diferença entre «amigos que permitiram o encontro de culturas.
rização das atividades desenvolvidas no âm- clarecimento de dúvidas entre pares; infor-
reais» e «amigos virtuais». Imaginar como teria sido se houvesse in-
bito deste projeto. mações úteis para alunos que tenham fal-
Promover um debate na escola no dia do ternet e redes sociais nesse tempo.
tado; partilha de posts no contexto das
Criar, numa rede social, um grupo fechado,
evento sobre os perigos e as oportunida- aulas e da disciplina. Teatralizar no dia da celebração uma pos-
apenas acessível à comunidade escolar, para
des das redes sociais. Convidar para parti- sível comunicação num chat de uma rede
partilha de informações e de eventos. Partilhar, no mural produzido em TIC, algu-
cipação no debate um membro do gabi- social entre Vasco da Gama, D. Manuel I,
mas capturas de ecrã de diálogos que evi-
Debater no chat dessa rede social, sendo o nete de comunicação da Câmara um marinheiro e um mercador muçul-
denciem cooperação, respeito e responsa-
professor o moderador, os seguintes temas: Municipal, um jornalista, um engenheiro mano, abordando, por exemplo, as dificul-
bilidade, no âmbito do grupo virtual.
– redes sociais existentes e suas característi- informático e pessoas que, por opção, não dades da viagem marítima e os produtos
cas, vantagens e desvantagens; utilizem as redes sociais. encontrados na Índia.
– hashtag: o que significa e como funciona.
Produzir um mural digital para apresentação
no dia da celebração expondo as vantagens
e as desvantagens da utilização de redes so-
ciais.
Ciências Naturais Educação Visual
Procurar grupos ou páginas de associa- Desenvolver trabalhos em diferentes mo- Inglês
ções ambientalistas nas redes sociais e dalidades expressivas representativos dos Produzir um breve dicionário de termos re-
compreender os seus objetivos e iniciati- riscos debatidos em TIC para exposição lacionados com a internet e com as redes
vas, dando ênfase à influência que este no dia celebrativo. sociais (por exemplo, phishing, firewall e
Português tipo de comunicação virtual tem na sua di- Apoiar as teatralizações de Port e de Hist link), com apoio de EV e TIC, para distri-
Visualizar o filme A rede social, realizado por vulgação e na captação de seguidores. construindo cenários e adereços. buição no dia da celebração.
David Fincher. Caracterizar as associações quanto ao nú-
Escrever um possível diário do fundador da mero de seguidores e média de likes em
rede social Facebook, Mark Zuckerberg, e publicações e sugerir razões para as dife-
partilhar no grupo criado. renças encontradas.
Escrever um guião de entrevista a aplicar ao
programador e empresário.
Físico-Química
 erceber a formação de imagens no olho
P
Teatralizar uma hipotética entrevista no dia Educação Física humano e relacionar com a saúde ocular e
da celebração. Geografia Conhecer as regras de ergonomia no uso com as regras de ergonomia estudadas
Pesquisar em grupos ou páginas de redes do computador, em parceria com TIC, e em EF.
sociais sobre os impactes da era digital na partilhar a informação no mural.
 iscutir as consequências oculares de pas-
D
sociedade. Organizar, com FQ, uma aula de relaxa- sar muitas horas em frente a um ecrã e a
Língua Estrangeira II Perceber a origem dos links encontrados e mento e alongamentos para o dia come- importância das pausas.
verificar se a informação é credível, se se morativo.
Pesquisar vídeos na língua estudada que  azer uma apresentação multimédia para
F
alertem para os perigos das redes sociais. trata de fake news ou até mesmo de um Criar um evento na rede social (a aula de exibição no dia celebrativo sobre o funcio-
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

esquema de phishing. relaxamento e alongamentos) e perceber a namento do olho humano, problemas cau-
Escolher os vídeos preferidos dos alunos
Apresentar oralmente no dia do evento as mobilização da comunidade escolar. sados pelo excesso de horas em frente ao
para exibição no dia da celebração.
conclusões, recorrendo a uma animação ecrã e formas de os evitar.
multimédia.

6 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 7


Bem-vindos, refugiados!
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
 Promover a partilha de conhecimentos e ferramentas de diálogo
Produto final A B C D E
8. ano
intercultural para integração de refugiados na comunidade local.
o
 Dinamização do workshop «Refugiados: compreender para integrar» e organiza-  Consciencializar dos desafios que os refugiados enfrentam, incenti-
ção de um jogo de futebol solidário. var o respeito pelo outro e gerar solidariedade na sociedade. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento
Organizar o workshop: definir o programa, Português História
a duração e a sua divulgação. Tecnologias de Informação Visualizar reportagens sobre o acolhimento a Analisar os principais fatores económicos e
Convidar membros de organizações de e Comunicação refugiados. sociais que contribuíram para o aumento
apoio aos refugiados, representantes polí- da emigração na segunda metade do sé-
Criar o blogue «Refugiados: compreender Escrever um guião de entrevista a refugiados
ticos, intervenientes sociais e refugiados culo XIX. Identificar, explicando, as regiões
para integrar» para divulgar o workshop e da comunidade local (um vizinho, um colega)
para participar no workshop. que atraíam maior número de emigrantes
os trabalhos desenvolvidos no âmbito para recolha do seu testemunho sobre o aco-
e as regiões de onde eles saíam, e relacio-
Promover um debate entre os convidados deste projeto, notícias sobre refugiados e lhimento ao chegar a Portugal.
nar com a revolução nos transportes.
sobre os desafios provocados pelos fluxos o jogo de futebol solidário. Explorar, numa atividade de grupo, em con-
migratórios, valorizando: Fazer cartazes, em parceria com EV, sobre
Gravar as entrevistas de Port e criar um junto com Hist, durante o workshop, o signifi-
– o contacto com outras culturas e a im- o tema, para afixação no espaço onde de-
vídeo para exibição no dia do workshop. cado das palavras controlo, incerteza, medo,
portância da diversidade cultural; correrá o workshop.
homogeneização, alienação, participação, di-
– a defesa dos direitos dos cidadãos e da versidade, amor, pertença, integração e aco-
individualidade de cada um, rejeitando lhimento.
a discriminação e os estereótipos.

Educação Física Matemática


Geografia Pesquisar desportistas refugiados. Elaborar, com Port, um inquérito sobre as Inglês
Debater os tipos, as causas e as conse- Organizar um jogo de futebol interescolas migrações e os refugiados para avaliar o Produzir, com EV, durante o workshop, o
quências das migrações nas áreas de par- solidário de acolhimento aos refugiados na conhecimento dos alunos sobre o tema. «Guia de conversação do refugiado», con-
tida e de chegada, analisando os seus região onde se localiza a escola, em que o Recolher, organizar e tratar os dados do in- templando palavras organizadas pelos se-
dados no site da ACNUR. bilhete seja um bem alimentar, uma peça quérito, recorrendo a diferentes represen- guintes temas: alimentação, vestuário, alo-
Prever um espaço no workshop para a cria- de vestuário ou um brinquedo, a entregar tações. jamento, trabalho, transportes e saúde.
ção de um mural onde seja desenhado um a organizações de apoio aos refugiados, Analisar e interpretar os dados recolhidos, Disponibilizar o guia de forma digital, em
mapa com os principais países de origem durante o workshop. apresentando-os no dia do workshop. plataforma adequada, com o apoio de TIC.
e de chegada de refugiados.
Preparar um discurso bilingue de boas-vin-
das, com apoio de Port, para ser procla-
mado no início do jogo de futebol de EF.

Educação Visual
Físico-Química Ciências Naturais
Ilustrar palavras contempladas no «Guia de
 ontribuir para o painel de CN, perce-
C Pesquisar e selecionar casos de espécies
conversação do refugiado».
bendo, por exemplo, de que modo as alte- animais que, devido à variação dos fatores
abióticos do meio, sejam obrigadas a mi- Pesquisar e selecionar fotografias relacio-
rações climáticas contribuem para o au-
grar para locais da Terra que apresentem nadas com refugiados e promover um es-
mento das migrações.
melhores condições de sobrevivência. paço no workshop onde os participantes Língua Estrangeira II
 screver um texto informativo, em con-
E partilhem o que veem e o que sentem ao
Construir o painel «Migrar é sobreviver» Escrever mensagens simples de boas-vin-
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

junto com Port, sobre as consequências olhar para cada uma das fotografias.
durante o workshop. das aos refugiados para afixação no es-
das atividades humanas no clima, sensibili-
Criar uma obra artística que sensibilize paço onde irá decorrer o workshop.
zando para as medidas que devem ser
para a questão dos refugiados.
adotadas, integrando-o no painel.

8 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 9


Canto de andorinha
em coração de gato Objetivos
 Respeitar as emoções dos outros e compreender que estas são
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
expressas de forma verbal e não verbal, reconhecendo os sinais.
Produto final A B C D E
8. ano o  Compreender as emoções que enformam as relações interpessoais e
 Elaboração de uma narrativa digital da obra O Gato Malhado e a Andorinha a importância da individualidade e do respeito pelo outro na preven-
Sinhá: uma história de amor. ção da violência, em contextos relacionais. F G H I J

Português Ciências Naturais História


Explorar a obra O Gato Malhado e a Ando- Construir cadeias alimentares que inte- Enquadrar a obra de Jorge Amado no con-
rinha Sinhá: uma história de amor, de Jorge grem os animais da história (gato, andori- texto histórico do país de origem do autor,
Amado, na biblioteca ou noutro espaço nha, coruja, papagaio, vaca, rouxinol, sapo,
Cidadania e Desenvolvimento para apresentar como introdução à narra-
que se entenda adequado. galinha, cobra-cascavel), de forma a com- tiva digital. Focar os seguintes aspetos:
Ler, em voz alta, uma parte da história todas Realizar um brainstorming sobre a mensa- preender o seu papel nos ecossistemas. – a cultura brasileira enquanto encontro
as semanas, iniciando cada momento da gem da história, recordando os momentos
Refletir sobre a relação amorosa do gato e das culturas portuguesa, africana e ou-
leitura com o recordar do anterior. de discussão antes e depois da sua leitura,
da andorinha no contexto biológico e am- tras.
em Port. Dar ênfase a questões como a in-
Alimentar a curiosidade dos alunos sobre a biental. Que barreiras existirão? – a viagem dos produtos entre continen-
dividualidade, a expressão dos sentimen-
história, levando-os a imaginar e a expres- Apresentar uma reflexão no fim da exibi- tes no século XVI e a origem dos animais
tos, o preconceito, a aceitação de nós e do
sar oralmente o desenrolar dos aconteci- ção da narrativa e reforçar a importância da história.
outro e a violência nas relações.
mentos após cada leitura. das fábulas na transmissão de mensagens,
Escrever pequenas histórias fictícias ou
Gravar, em cada encontro, o áudio da lei- com o apoio de Port e CD.
reais que possam refletir conclusões do
tura do texto e fornecer a TIC.
brainstorming. Ter em atenção o anonimato
Geografia
nas histórias reais.
Realizar um estudo de caso sobre o Brasil
Conceber a mensagem final da narrativa di-
e os seus fatores de identidade (cultura,
gital a partir das reflexões acima referidas. Matemática etnias, técnicas, usos e costumes, língua,
Educação Física Realizar uma sondagem para perceber que arte, religião), fazendo menção à contri-
Desenvolver a expressão corporal, imi- características humanas se associam nor- buição de Jorge Amado, e integrá-lo na
tando os animais da história. malmente aos animais da história. Tratar e introdução de Hist.
organizar os dados.
Contar a história através da dança, dando
enfase à expressão dos sentimentos, gra- Comparar os resultados com as característi-
vando, em vídeo, para a narrativa digital Tecnologias de Informação cas atribuídas pelo autor às personagens.
de TIC. e Comunicação Contribuir para a conceção dos desenhos
Construir a narrativa digital da história das personagens da narrativa de EV e para
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, utili- as coreografias de EF.
zando programas como o PowerPoint ou o Educação Visual
Windows Movie Maker. Desenhar os quatro cenários da história (pri-
Apresentar a narrativa num dia comemora- mavera, verão, outono e inverno), as perso-
Físico-Química tivo (final do período, final do ano letivo ou nagens e outros elementos da história.
 ravar, em ficheiros áudio, o som do canto
G outro que faça sentido). Língua Estrangeira II Usar os cenários como fundo da narrativa
da andorinha, o miar do gato e outros sons Partilhar a narrativa na plataforma de Elaborar dois textos em que as persona- digital de TIC.
produzidos pelos animais da história. In- aprendizagem utilizada pela escola e fazê- gens Vento e Manhã se deem a conhecer.
cluí-los na narrativa de TIC. -la acompanhar por uma pequena sinopse, Construir um guião de uma entrevista a
 aracterizar, através de um software de
C com o apoio de Port. uma personagem da história, imaginando
edição de som, como o Audacity, a intensi- que esta pudesse responder e fornecer Inglês
dade, a altura e o timbre dos sons e esta- detalhes sobre o seu futuro na história.
Construir a versão inglesa da narrativa di-
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

belecer relações com as características das Lançar as questões da entrevista no fim da gital e a respetiva sinopse, fornecendo a
ondas sonoras. apresentação da narrativa, em português TIC os ficheiros para partilha na plataforma
e na língua aprendida, como despedida. da escola.

10 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 11


Construir-me!
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS

Produto final Objetivos A B C D E


8. ano o
 Organização de uma série de palestras sobre o tema «Ser adolescente»  Sensibilizar os alunos para os problemas de saúde mental e física na
F G H I J
no âmbito da criação de um puzzle gigante do corpo humano. adolescência e promover a abertura para a sua discussão.

Tecnologias de Informação Ciências Naturais


Educação Visual
e Comunicação Pesquisar e debater os temas:
Desenhar o Homem de Vitrúvio numa folha Português – Autoimagem e obesidade: a importân-
A4 e dividi-la nas partes consideradas ra- Debater o tema «A importância e a cora-
Analisar e debater o poema, em conver- cia da alimentação e do exercício físico.
zoáveis para formar um puzzle, traçando os gem de partilhar ideias, sentimentos e in-
gência com a lógica de que a imagem cor- – Alterações do corpo na adolescência.
cortes com cores diferentes. Em oito dessas formações, como forma de prevenção da
poral se constrói: anorexia». Concluir, registar dúvidas e elaborar ques-
peças escrever uma pergunta para autorre-
Estou aqui construindo o novo dia tões para os participantes nas palestras.
flexão que resultará das várias pesquisas Criar e gerir um blogue onde os alunos
feitas nas restantes disciplinas. Exemplo: com uma expressão tão branda e descuidada
possam partilhar pensamentos, vivências,
– Que importância têm para mim os ami- que dir-se-ia não estar fazendo nada.
dúvidas, etc., no âmbito do projeto.
gos? E, contudo, estou aqui construindo o novo dia.
Desenvolver, em conjunto com as restan-
– Que importância tem para mim a família? Porque o dia constrói-se; não se espera.
tes disciplinas, as «FAQ da adolescência» e
– Que importância tem para mim o amor? António Gedeão in Máquina de Fogo
disponibilizá-las no blogue.
– Como me vejo? Promover e organizar um conjunto de pa- Físico-Química
– Como me veem os outros? lestras, com sessões de debate sobre o  esquisar e explicar o funcionamento do
P
– O que não quero? tema: «Ser adolescente». Estas palestras olho humano e a formação de imagens.
– Onde me encaixo? realizam-se após a criação do puzzle suge-  ebater sobre a distorção da autoimagem,
D
– Quem sou? rido que induz a reflexão. verificada nas pessoas que sofrem de ano-
Decorar as peças do puzzle, escolhendo os rexia e estabelecer um paralelo com as
materiais mais apropriados.
Educação Física
distorções provocadas pelos espelhos
Pesquisar e debater o tema «Autoimagem
côncavos e convexos.
e deficiências físicas: o apoio dos pares».
Promover um workshop sobre modalida-
des desportivas para pessoas com defi-
ciência, como o boccia ou o goalball.
História Matemática Concluir, registar dúvidas e elaborar ques-
Pesquisar e debater o ideal de beleza femi- Pesquisar o significado de «proporção di- tões para os participantes nas palestras. Inglês
nino no Barroco e sua evolução até ao final vina». Elaborar artigos sobre personalidades do
do século XIX. Apresentar as conclusões Criar o puzzle em tamanho real a partir do meio artístico que tenham tido problemas
no blogue de TIC. desenho em formato A4 do Homem de Vi- relacionados com a anorexia ou com o
Pesquisar sobre o Homem de Vitrúvio de trúvio, feito em EV. consumo de drogas e álcool na adolescên-
Leonardo da Vinci.  cia e apresentar os resultados da pesquisa
no blogue.
Traduzir as perguntas e acrescentá-las no
Geografia
puzzle de EV.
Pesquisar e debater o tema «A moda e a
Cidadania e Desenvolvimento sua influência nos comportamentos du-
Debater o tema da imagem do corpo perfeito – de que é exemplo a campanha 1 – versus a imagem rante a adolescência».
do corpo real – veiculada pela campanha 2. Concluir, registar dúvidas e elaborar ques-
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

Pesquisar sobre a morte de Eliana Ramos e Luisel Ramos, duas irmãs uruguaias, e relacionar a infor- tões para os participantes nas palestras.
Língua Estrangeira II
mação recolhida com o tema debatido, a anorexia nervosa.
Criar um glossário do tema e disponibilizá-
Refletir sobre a influência dos media na autoimagem dos jovens e na noção de corpo ideal. -lo no blogue de TIC.

12 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 13


E na internet?
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
 Reconhecer impactes do desenvolvimento tecnológico na qualidade
Produto final A B C D E
8. ano
de vida das populações.
o
 Criação de uma plataforma digital sob o tema «Ferramentas digitais e o seu  Reconhecer a importância de atuar com responsabilidade e respeito
impacte no desenvolvimento». prevenindo a segurança, em ambientes digitais. F G H I J

Português Geografia
Tecnologias de Informação
Identificar padrões regionais de distribui- Ciências Naturais
e Comunicação Planificar, a partir dos trabalhos das disci-
ção das atividades económicas, enun-
plinas envolvidas, e editar os textos com a Caracterizar formas de exploração dos re-
Criar uma plataforma digital fechada para a ciando fatores responsáveis por essa distri-
finalidade de publicá-los na plataforma di- cursos naturais, indicando as principais
comunidade escolar, para publicação e di- buição, com o apoio de Hist. Aplicar as
gital, assegurando a distribuição da infor- transformações dos recursos, a partir do
vulgação dos trabalhos desenvolvidos nas TIG para localizar, descrever e compreen-
mação e a coerência e coesão textual. trabalho de Geo.
diversas disciplinas envolvidas neste projeto. der essa distribuição.
Elaborar os textos (informativos ou argu- Analisar os impactes ambientais, sociais e
Nomear periodicamente alunos para admi- Apresentar oralmente, com base na ativi-
mentativos) de modo que cumpram os ob- éticos de casos identificados no desenvol-
nistrar a plataforma: publicar os trabalhos e dade prévia, exemplos do impacte da era
jetivos a que se propõem. Utilizar as tecno- vimento e na qualidade de vida das popu-
verificar o respeito pela segurança da infor- digital na sociedade e sua organização
logias de informação mais adequadas para lações humanas; incluir as conclusões na
mação e acessos e das normas legais asso- (por exemplo, o comércio online).
a produção e revisão de textos, com o demonstração de FQ.
ciadas à propriedade intelectual e direitos
apoio de TIC, se necessário.
de autor nos conteúdos produzidos.
Entrevistar o responsável pela escolha e
edição dos conteúdos publicados no site
da escola. Transcrever a entrevista na pla-
taforma.
Matemática
Resolver problemas matemáticos, por Físico-Química
Cidadania e Desenvolvimento exemplo de geometria, usando tecnologia  esquisar sobre as consequências para o
P
digital, nomeadamente aplicações interati- ambiente da emissão de poluentes resul-
Discutir na turma os direitos e os deveres
vas ou a calculadora. Resolver os mesmos tante do desenvolvimento tecnológico e
dos utilizadores da internet.
problemas sem utilização de tecnologia. propor medidas para minimizá-las.
Fazer, em grupo, uma apresentação multi- Fazer um relatório descrevendo compara-
média, focando um subtema associado ao
Língua Estrangeira II  tilizar ferramentas digitais (com o apoio
U
tivamente as experiências.
tema do projeto (plágio, ciberbullying, Elaborar um glossário de palavras ou ex- de TIC) para demonstrar como as altera-
pressões usadas no ciberespaço e traduzi- Analisar as ferramentas usadas e pesquisar ções climáticas são um grande problema
dados pessoais, etc.). Apresentar à turma
-las para a língua estudada. sobre a sua autoria e as permissões de uti- ambiental atual, relacionando com a pes-
e publicar na plataforma.
lização. Acrescentar estas informações no quisa.
Acrescentar à tradução, para melhor com-
relatório.
preensão, uma frase-tipo que use a palavra
ou expressão.

História
Analisar as vantagens da internet quanto à Educação Física
divulgação do saber. Pesquisar, em FITescola, informação sobre
Educação Visual
Planear e apresentar, em grupo, uma aula aptidão física e como desenvolvê-la. Fazer, em grupo, a partir da apresentação
de História sobre um dos inventos ou des- de CD, uma composição de imagens que
Inglês Produzir um programa de atividade física
cobertas do século XIX, a sua divulgação e promova o uso cívico da internet.
adequado – contemplar tempos de estudo,
generalização e as vantagens para o Pesquisar músicas, em língua inglesa, que Reconhecer a importância da autoria do
jogos na internet, atividades com a família,
Homem, usando ferramentas digitais. abordem o ciberbullying. Traduzir a letra. trabalho; justificar, por escrito, o trabalho
ao ar livre, etc.
Comparar os processos de invenção, divul- Interpretar a música – original ou tradu- realizado – significado, inspiração, indivi-
Fazer uma apresentação multimédia com
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

gação e generalização com o que poderia zida. Gravar a interpretação, com o apoio dualidade.
texto, fotografia, vídeo ou áudio a explicar
acontecer hoje em dia. de TIC, utilizando as ferramentas digitais
as atividades sugeridas.
mais adequadas.

14 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 15


Falar de Educação
Financeira ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
Objetivos
A B C D E
8. ano o  Sensibilizar para a importância de decisões informadas sobre o
Produto final dinheiro e consciencializar da relevância de estabelecer objetivos
 Elaboração de um Caderno de Educação Financeira, em papel e digital. e traçar planos que possam ser cumpridos. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento História Físico-Química


Tecnologias de Informação
Debater a importância e o significado de Pesquisar sobre o papel do dinheiro ao  esquisar a composição química das moe-
P
e Comunicação longo da História, os modelos mercantilistas das de euro, dimensões e outras proprie-
ter uma relação saudável com o dinheiro e
Desenvolver, num ambiente digital ade- e o desenvolvimento do capitalismo, bem dades ou curiosidades.
identificar razões para criar um Caderno
quado, a versão digital do Caderno e divul- como sobre o poder de um Estado e as suas
de Educação Financeira.  anusear moedas é uma atividade quoti-
M
gá-la junto da comunidade escolar. reservas monetárias. Organizar uma visita ao
Organizar a elaboração de «O meu Ca- diana, mas identificá-las e verificar trocos
Refletir sobre a informação virtual que consti- Museu do Dinheiro (física ou virtual). será assim tão simples para as crianças
derno de Educação Financeira».
tui as transações multibanco. Questionar o exemplo do Estado português mais pequenas, os idosos ou os invisuais?
Criar situações-problema sobre querer vs.
Contribuir para o Caderno com a análise de do século XVIII: o afluxo de ouro vs. a ri- Contribuir para o Caderno com uma sec-
poder ou supérfluo vs. essencial, usando o
um extrato de movimentos bancários. queza do país, ou de como o País se man- ção informativa.
role play para abordar e aprender a gerir o
Apoiar as pesquisas necessárias às disciplinas. teve pobre apesar das riquezas das colónias.  ançar um desafio de poupança às famí-
L
aspeto emocional das opções financeiras.
Contribuir para o Caderno com uma secção lias, apenas com moedas de baixo valor
Documentar estas situações no Caderno
sobre modelos económicos. (de 1, 2, 5 ou 10 cêntimos), e assim dar im-
da forma mais útil para consulta.
portância a «pequenas poupanças».

Português
Ler o artigo «Ensine ao seu filho as regras Geografia
Ciências Naturais da poupança», com a colaboração de Mat, Língua Estrangeira II
Compreender o que é o PIB e pesquisar o
Discutir a ideia de que uma boa educação e pesquisar outras notícias ou artigos de Refletir sobre a importância das listas de
de vários países, relacionando a sua desi-
financeira nos torna mais capazes de adap- opinião sobre boas práticas financeiras. compras, para evitar gastos supérfluos.
gual distribuição mundial com as ativida-
tação a imprevistos e condicionalismos ex- Contribuir para o Caderno com um glossá- Recolher listas de compras de supermer-
des económicas desenvolvidas e os recur-
ternos. rio de termos financeiros, como orça- cado de várias famílias e analisá-las do
sos naturais disponíveis.
Elaborar uma fábula, com Port, aludindo à mento, crédito, juros, depósito e comissão. ponto de vista de bens essenciais e supér-
Entender o valor do dinheiro e relacioná-
poupança e boa gestão de recursos finan- Preparar uma comunicação oral de 15 mi- fluos. Refletir sobre as estratégias dos su-
-lo com taxas de câmbio.
ceiros, por comparação com o mecanismo nutos a fazer em cada uma das turmas de permercados para incentivar o consumo.
de hibernação e a acumulação sazonal de Contribuir para o Caderno com uma web-
3.º Ciclo da escola, sobre a relevância do Traduzir o nome dos itens das listas.
reservas alimentares no organismo. grafia comentada de sítios de consulta de
Caderno desenvolvido. Dedicar uma secção do Caderno a boas
taxas de câmbio e onde efetuar câmbios.
Incluir a fábula e a explicitação da sua práticas de compras no supermercado,
moral no Caderno. com Port.
Preparar a leitura dramatizada da fábula
para alunos do 1.º Ciclo.
Matemática
Entender os conceitos «literacia financeira» Educação Física
e «literacia matemática» e a sua relação. Avaliar o peso da prática desportiva no or-
Entender o que é um cartão bancário (dé- çamento familiar e de como esta pode não Inglês
bito e crédito) e quais são as semelhanças depender de disponibilidade financeira. Debater o significado de dizer que gastar
Educação Visual e diferenças com o cartão escolar. Enumerar atividades, quer de âmbito des- bem é ter objetivos SMART, sendo SMART
Criar o design para a capa do Caderno. portivo quer de âmbito lúdico e cultural, um acrónimo para o que um bom objetivo
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

Comparar as dimensões desses cartões


Ilustrar o Caderno complementando ou re- que podem ser feitas sem acrescer despesa financeiro deve ser: Specific, Measurable,
com as de um retângulo de ouro.
forçando o sentido dos textos. ao orçamento familiar. Achievable, Relevant e Time based.
Escrever um artigo para o Caderno, com
Contribuir com estas ideias para o Caderno. Contribuir com estas ideias para o Caderno.
as informações e curiosidades trabalhadas.

16 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 17


Falas a minha língua?
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Reconhecer a importância dos valores de cidadania e de respeito DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final pela diferença.
A B C D E
8. ano
 Comemorações de 2019 – Ano Internacional das Línguas Indígenas com produ-  Valorizar a diversidade étnica, cultural e das espécies vegetais e
o animais.
ção de mensagens de divulgação multicultural e multiétnica e criação de página
FAQ (Questões frequentes) na plataforma digital da escola.  Promover a comunicação e as interações entre diferentes culturas. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Educação Física Matemática


Analisar a Expansão marítima portuguesa, Pesquisar jogos, danças ou outras ativida- Pesquisar os padrões utilizados pelos Portu-
com o apoio de Hist, sob o ponto de vista História des físicas de povos indígenas e comparar gueses na Expansão para marcar a chegada
dos direitos humanos: com atividades praticadas em Portugal. a uma terra desconhecida. Conhecer as ca-
Pesquisar os povos que viviam nos locais
– Quais foram os aspetos positivos? Replicar uma das atividades, atendendo às racterísticas e as especificidades.
contactados pelos Portugueses nos sécu-
– Quais os negativos? los XV e XVI: regras, aos movimentos, às estratégias, etc. Responder a FAQ sobre este assunto.
– O que poderia ter sido diferente? – como viviam, como foram submetidos e Organizar uma mostra, para divulgação na Trabalhar pontos de contacto entre o nosso
O que seria diferente, hoje? quem os defendia; escola. património e manifestações do património
Perceber por que razão a UNESCO decidiu – o seu papel na economia portuguesa da Responder a FAQ sobre esta atividade. de povos indígenas quanto a simetria, pa-
criar um ano comemorativo das línguas in- época; drões e figuras geométricas. Produzir uma
dígenas. – como vivem atualmente esses povos. biblioteca com as simetrias, padrões e figu-
Organizar as comemorações do Ano Inter- Encenar um debate quinhentista, com CD, ras geométricas para EV.
nacional das Línguas Indígenas em articu- «Prós e contras da Expansão». Neste de-
lação com TIC, promovendo uma Escola bate participarão duas fações com perso- Ciências Naturais
Amiga dos Direitos Humanos. nagens da época, que apresentarão os ar-
Analisar, com o apoio de Hist, como a
gumentos mais válidos consoante a
ação humana interferiu no ecossistema
opinião que defendam. Educação Visual
Mata Atlântica, desde o século XV. Deba-
Responder a FAQ sobre este assunto. ter os aspetos positivos e os negativos Analisar património cultural e artístico de
dessa interferência, também na perspetiva povos indígenas, com base nos conceitos
Tecnologias de Informação da sobrevivência das comunidades indíge- de volume, cor, textura e ritmo. Reconhecer
nas que aí têm o seu habitat. Divulgar tam- a sua influência no património nacional.
e Comunicação
bém na página dos Global Action Days. Realizar uma composição formal a partir das
Apoiar as disciplinas nos trabalhos a de-
Responder a FAQ sobre este tema. figuras de Mat, com a técnica e o material
senvolver e fazer cumprir as normas de di-
mais adequados. Expor em formato digital.
reitos de autor.
Responder a FAQ sobre este assunto.
Divulgar, através de uma página criada na
plataforma de aprendizagem da escola, as
mensagens e os trabalhos das diversas dis- Geografia
ciplinas para as comemorações. Imaginar, em grupo, situações de intera- Português
Criar uma página de FAQ, sobre o tema, ção com outros povos. Selecionar um as-
Ler a «Carta do Achamento do Brasil», de
na plataforma. peto da cultura portuguesa e apresentá-lo,
promovendo o diálogo e a cooperação
Pero Vaz de Caminha, e reconhecer a tipo- Físico-Química
logia textual. Como se comunicava, no sé-  ompreender como se propaga o som da
C
para preservação da diversidade.
culo XV, ao chegar a locais desconhecidos? voz e que outras fontes sonoras se podem
Responder a FAQ sobre este aspeto.
Conhecer a língua gestual portuguesa e usar na comunicação analisando, por exem-
aprender algumas palavras. plo, cantos étnicos.
Inglês Pesquisar, em grupo, o mirandês ou uma  omparar a velocidade do som com a da
C
Imaginar, em grupo, as situações trabalha- língua indígena: como nasceu, suas carac- luz, em determinado material, e avaliar que
das em Geo – com povos que falam inglês terísticas, etc. Apresentar as conclusões. mensagem, a que é ouvida ou a que é vista,
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

– e traduzir a apresentação. Língua Estrangeira II Responder a FAQ sobre estes assuntos. é recebida mais rapidamente. Comprovar.
Dinamizar a apresentação com diálogos, Escrever mensagens simples e curtas, que Responder a FAQ sobre este assunto.
respostas a FAQ, ou com recursos diversos sejam respostas a FAQ sobre Portugal. In-
(fotografias, vídeos ou outras ferramentas). cluir na apresentação de Ing.

18 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 19


Festival do Silêncio
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
Objetivos
Produto final A B C D E
8. ano
 Refletir sobre a importância da comunicação e do impacto do som e
o do silêncio no Mundo que nos rodeia.
 Realização do «Festival do Silêncio», integrando uma dramatização, um concurso
de bandas e a prática do silêncio.  Valorizar o silêncio como um caminho de autorregulação. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Educação Visual


Físico-Química Geografia
Debater: Pesquisar sobre imagens sonoras e o seu
 esquisar notícias sobre a possibilidade de
P Analisar o mapa da notícia. Localizar a re-
– o significado da palavra potência que re- impacto na publicidade.
desenvolver aviões supersónicos silenciosos. gião num mapa do continente americano
mete para a sexualidade; Debater o impacto do som e do silêncio na
Abordar o significado do estrondo produ- e num mapa-mundo.
– a definição de sexualidade da OMS publicidade e o facto de, em tempos, o vo-
zido pelo Concorde do ponto de vista da in- Identificar questões relacionadas com a (2001); lume do som das emissões televisivas au-
tensidade, altura e timbre do som produzido. poluição sonora e o seu impacte na quali- – o silêncio no contexto da sexualidade. mentar durante os blocos de publicidade,
Debater o tema da poluição sonora, com Geo. dade de vida e bem-estar da população
Dinamizar o Festival com contributos para a sua razão de ser, efeitos e consequên-
 rganizar o «Festival do Silêncio», onde
O local.
reconhecer a existência de regras sociais cias, e por que razão deixou de acontecer.
sejam dinamizadas ações e reflexões sobre o sobre privacidade e intimidade; identificar Selecionar imagens para o Festival que
valor do silêncio. a sexualidade como componente positiva convidem ao silêncio e posicioná-las em
do desenvolvimento pessoal e das rela- vários locais da escola.
ções interpessoais; conhecer e saber utili-
zar os serviços e recursos de saúde sexual
Ciências Naturais disponíveis na comunidade.

Português Analisar criticamente os impactes ambien-


tais, sociais e éticos do projeto da NASA, Educação Física
Pesquisar no dicionário os significados de:
conhecido em FQ, no desenvolvimento Pesquisar sobre a prática do silêncio nos
– potência. No contexto da notícia de FQ,
sustentável e na melhoria da qualidade de desportos de combate e sobre o signifi-
analisar afirmações como: «Avião supersó-
vida das populações humanas. Elaborar cado de Seiza e Mokuso. Dinamizar o Festi-
nico e supersilencioso em potência», «A
mesma potência, uma intensidade sonora
uma lista de prós e uma lista de contras, Matemática val com demonstrações.
também com Geo. Analisar o significado das frases de Pitágo- Mobilizar a comunidade escolar para pro-
totalmente diferente» ou «NASA em toda a
sua potência investe para silenciar». Preparar uma mesa-redonda para apre- ras e Honoré de Balzac, com Port. Pesqui- mover a prática diária de 2 minutos de si-
– silêncio. Refletir sobre o silêncio e a comu- sentar os argumentos listados, no âmbito sar a biografia de Pitágoras. lêncio na primeira aula do dia.
nicação. do Festival, com Hist. Elaborar um questionário a aplicar aos alu-
Decorar a escola para o Festival com frases nos, algum tempo depois de iniciada a
como «Escuta e serás sábio. O começo da sa- prática dos 2 minutos de silêncio, em aten-
bedoria é o silêncio.» (Pitágoras) e «Silêncio: ção plena, à primeira aula do dia, de modo
os nove décimos da sabedoria» (Honoré de a percecionar e identificar efeitos. Inglês
Balzac), com EV. Recolher os dados e tratá-los, em conjunto Organizar uma playlist de músicas subordi-
História com TIC, para apresentar à comunidade nadas ao tema do silêncio. Compreender o
Refletir sobre locais onde é pedido silêncio e
escolar, no âmbito do Festival. significado de cada letra.
porquê. Preparar uma intervenção para o Debater o significado da palavra potência
Festival. pesquisado em Port que remete para Organizar um concurso de bandas para
poder económico e potencial militar de tocar estes temas no Festival.
Trabalhar parte de uma obra dramática de
leitura obrigatória em mímica, com EF, e um Estado.
apresentá-la no Festival. Enquadrar este significado com a notícia,
considerando a História dos Estados Uni- Língua Estrangeira II
dos da América, principalmente a partir da Pesquisar sobre Marcel Marceau e o seu
Tecnologias de Informação
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

2.ª metade do século XIX. contributo para a arte do silêncio.


Fazer, com apoio de TIC, um documentá- e Comunicação
rio sobre a vida e obra deste ator para pro- Apoiar as pesquisas e trabalhos necessá-
jetar no âmbito do Festival. rios às várias disciplinas.

20 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 21


Fortalecer a democracia
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final
Objetivos A B C D E
8. ano o  Elaborar uma campanha de apelo ao voto, sensibilizando os cidadãos para a
importância da participação na democracia com a organização de uma exposição  Valorizar a contribuição pessoal dos cidadãos numa democracia.
de banda desenhada e cartoons.  Alertar para os perigos das doutrinas extremistas e dos fanatismos. F G H I J

Português
Pesquisar e analisar: Educação Visual Geografia
– o significado dos elementos de formação Trabalhar os cartoons de Port utilizando as Identificar e localizar num mapa as re- Ciências Naturais
da palavra «democracia» e da palavra «ex- técnicas de pintura, desenho ou colagem e giões de origem das migrações em massa
Pesquisar e selecionar casos que testemu-
tremismo»; juntar os trabalhos à exposição de CD. na atualidade.
nhem a existência de relações democráti-
– notícias sobre o Charlie Hebdo, jornal satí- Produzir um folheto de apelo ao voto para Perceber as razões que estão na base das cas entre os animais. Discuti-las à luz dos
rico francês, alvo de um atentado terrorista ser distribuído à população, elaborando os migrações em massa. conhecimentos sobre relações de coope-
em 2015; escolher alguns cartoons publica- textos com ajuda de Port. Concluir e integrar as conclusões no fo- ração intraespecífica.
dos por este jornal; lheto e nos trabalhos plásticos.
Criar um convite para visitar a exposição a Concluir e integrar as conclusões no fo-
– o PortoCartoon.
ser distribuído à população. lheto de apelo ao voto e nos trabalhos
Criar duas personagens caricaturadas, plásticos.
uma que represente a democracia e outra
que represente o extremismo, e escrever
um breve diálogo entre elas em que cada
uma defende argumentos diferentes e con-
traditórios.
Matemática
Analisar em Pordata a evolução da partici-
Transformar o diálogo em banda desenhada, Inglês
pação nas eleições (percentagem de votos
em conjunto com EV. Cidadania e Desenvolvimento e de abstenção) do 25 de Abril à atualidade. Construir uma área vocabular sobre o
Pesquisar informação sobre a Grécia Concluir e integrar as conclusões no folheto tema «democracia».
Antiga e o nascimento da democracia. e nos trabalhos plásticos de EV. Escrever um texto de apelo ao voto e in-
Integrar as conclusões nos trabalhos cluí-lo no folheto de sensibilização.
plásticos de EV.
Organizar a exposição de banda dese-
nhada e cartoons.
Físico-Química Convidar um cartoonista português e en-
 esquisar imagens de rostos humanos e
P trevistá-lo, com o apoio de Port.
colocá-las à frente de um espelho côncavo Língua Estrangeira II
História
e de um espelho convexo Construir uma área vocabular sobre o
Pesquisar informação sobre a Revolução tema «democracia».
 omparar as distorções dos rostos com as
C Francesa e a abolição dos privilégios feu-
proporções corretas no desenho do rosto Incluir algumas dessas palavras nos folhe-
dais e sobre o estabelecimento do con-
(aprendidas em EV) e utilizar as imagens tos de sensibilização.
ceito de cidadania moderno e do princípio
distorcidas como inspiração para criar as de igualdade perante a lei.
personagens de Port. Tecnologias de Informação
e Comunicação Pesquisar sobre as eleições para a Assem-
bleia Constituinte realizadas em Portugal
Criar a versão digital do folheto de EV,
em 1821. Quem tinha direito de voto?
utilizando elementos dos cartoons e da
banda desenhada.
O que é o voto universal? Educação Física
Concluir e integrar as conclusões no Organizar uma caminhada de apelo ao
Elaborar a versão digital do convite de EV
folheto de TIC e nos trabalhos plásticos voto, segundo itinerários estabelecidos e
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

para visitar a exposição.


de EV. cumprindo as regras de participação, se-
Enviar o folheto e o convite para listas de gurança e preservação do meio ambiente.
destinatários da comunidade, previamente
elaboradas.

22 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 23


Inventália
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final Objetivos
A B C D E
8. ano
 Organização de uma feira de empreendedorismo «Inventália» e produção de uma  Valorização da criatividade e da iniciativa.
o
publicação sobre invenções históricas e de um catálogo das invenções desenvol-  Resolução de problemas de forma criativa, no desenvolvimento de
vidas. ideias e soluções em diferentes contextos e áreas de aprendizagem. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Tecnologias de Informação Geografia


Debater questões como: O que é um inven- e Comunicação Contribuir para a contextualização histórica
tor? Alguém que alia criatividade, trabalho e Identificar uma necessidade que possa ser do desenvolvimento dos EUA na 2.ª metade
do século XIX, com base na análise de dife-
Físico-Química
sentido prático? Qual é a importância da suprimida com uma invenção que possam
rentes indicadores demográficos e econó-  esquisar sobre a invenção do telefone,
P
criatividade, do trabalho e da persistência desenvolver.
micos, em conjunto com Hist. sobre o som e o que o caracteriza e sobre
no dia a dia? Auxiliar os alunos na concretização das a invenção do fonógrafo, em 1880.
Discutir o sentido de afirmar que viver criati- suas invenções, desenvolvendo planos de Elaborar um mapa dos EUA, a incluir na pu-
blicação de Port.  screver um artigo para a publicação de
E
vamente é estar disposto a «assumir riscos trabalho para a criação de artefactos digi- Port.
para imaginar além do conhecimento exis- tais criativos.
tente, com o objetivo de promover a criativi- Apoiar as pesquisas necessárias a outras
dade e a inovação» (in Perfil dos Alunos). disciplinas.
Colocar os alunos no papel de inventores, Divulgar a Feira em plataformas digitais Matemática
apoiando o processo criativo, em adequadas. Pesquisar sobre a demonstração do teorema Inglês
conjunto com TIC e EV.
de Pitágoras feita por James Abraham
Organizar a Feira de Empreendedorismo Escrever um artigo, em português e em in-
Garfield.
onde os alunos apresentem à comunidade glês, a incluir na publicação a elaborar em
Escrever um artigo para a publicação de Port, sobre o livro A História das Inven-
escolar as suas invenções.
Port. ções. Sugerir a leitura de algumas inven-
Selecionar um júri de professores e/ou fun-
Educação Visual ções consideradas mais curiosas.
cionários da escola, que atribuam prémios e
menções honrosas. Concretizar as suas invenções, favore- Incluir no artigo uma lista de palavras-
cendo a descoberta progressiva de como -chave, em português e em inglês, que ca-
os processos de criação interferem na(s) Educação Física racterize as invenções selecionadas.
intencionalidade(s) dos objetos. Pesquisar sobre o impacto de algumas in-
Elaborar os diplomas a entregar aos parti- venções da 2.ª metade do século XIX nos
História cipantes da Feira com TIC. desportos e práticas desportivas:
– De que forma estão as práticas desporti-
Pesquisar sobre invenções da 2.ª metade
vas dependentes de iluminação?
do séc. XIX, em que se destacaram os EUA:
– 1876 Telefone Bell
– Que importância tem a invenção do alu- Língua Estrangeira II
mínio, em 1854, para desportos como o Contribuir para o artigo sobre o livro A
– 1879 Lâmpada Edison
– 1880 Fonógrafo Edison
Português ténis ou a patinagem? História das Invenções, em colaboração
Preparar a apresentação oral das inven- Escrever um artigo para a publicação de com Ing, com a inclusão de listas de pala-
Investigar sobre James Abraham Garfield,
ções na Feira. Port. vras-chave nesta língua.
presidente dos EUA em 1881, e sobre como
Alexander Graham Bell — inventor do tele- Elaborar uma publicação escolar (ou uma
fone — tentou encontrar uma bala no corpo edição especial do jornal da escola, se
de Garfield com um dispositivo elétrico. existir) subordinada ao tema das inven-
Pesquisar a sua biografia em colaboração ções, com a colaboração de Hist, Mat, EF, Ciências Naturais
com Mat. FQ, CN e Ing.
Caracterizar os recursos energéticos que mais se desenvolveram na 2.ª metade do século XIX.
Escrever um artigo para a publicação de Selecionar uma banda desenhada do Gar-
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

Pesquisar sobre o primeiro poço de petróleo nos EUA, em 1859, caracterizando esta forma de explora-
Port. field a incluir na publicação, no contexto
ção de recursos naturais e o seu impacto enquanto agente poluente.
da nota biográfica sobre James Abraham
Explorar o livro A História das Invenções, Analisar as invenções a apresentar na Feira do ponto de vista energético e poluente, incluindo sobre
Garfield, trabalhada em Hist.
em conjunto com TIC, EV e Mat. isso uma breve consideração, na publicação e na apresentação oral a elaborar em Port.

24 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 25


Ligações improváveis
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Reconhecer a importância da difusão da cultura e da língua portu- DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final guesas no Mundo.
A B C D E
8. ano
 Organização de um portefólio que exprima a relação de Portugal com um outro  Identificar e dar a conhecer os principais testemunhos do património
o natural e cultural de um país.
país do Mundo onde seja ensinada a língua portuguesa, e sua transformação num
painel criativo.  Trabalhar o diálogo intercultural na escola. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Educação Visual Geografia


Organizar um portefólio que mostre a rela- Construir, com a colaboração de todas as Organizar um ciclo de debates em confe- Físico-Química
ção (histórica, linguística, cultural, social, disciplinas, um painel criativo usando uma rência online, com gravação para o portefó-  ontribuir para o debate de Geo com:
C
geográfica, climática) de Portugal com um composição de técnicas de pintura, escul- lio de CD, em articulação com Hist e FQ, – dados sobre a distribuição das áreas ur-
país escolhido a partir da lista de países do tura, desenho, design e/ou fotografia, que com representantes dos diversos países. banas e rurais em cada país e sobre as
Ensino de Português no Estrangeiro. integre um resumo das ideias recolhidas principais indústrias de cada zona;
Debater, em particular, as principais ativida-
no portefólio de CD. – conclusões sobre as características da
Escolher o país-parceiro e a escola que des económicas e a demografia dos países
participará no projeto. Estabelecer os con- Transformar a composição final numa ima- envolvidos. qualidade do ar nessas regiões, consi-
tactos necessários; definir, em conjunto, gem e criar um puzzle com a ferramenta derando a emissão de poluentes prove-
horários e, com o apoio de TIC, os meios Jigsaw Planet. nientes de reações de combustão.
de comunicação adequados.

Tecnologias de Informação
e Comunicação Inglês História
Matemática Selecionar ferramentas digitais de apoio
Elaborar questões para curtas entrevistas a Debater a forma como a circulação de pes-
Organizar o desafio «Ligações imprová- ao projeto (blocos de notas e armazena-
realizar aos alunos do país-parceiro sobre soas, produtos e ideias durante a Expan-
veis», com a resolução do puzzle de EV. mento de ficheiros).
os principais eventos, comemorações e são Marítima portuguesa influenciou os
Definir as regras do desafio, tais como: festividades. hábitos culturais e as atividades económi-
– o puzzle é realizado em grupo (um joga- cas do país-parceiro.
Contribuir para o portefólio de CD e para
dor e uma peça de cada vez);
o painel de EV.
– os membros definem o nível de dificul-
Português Apoiar as disciplinas nos contactos com o
dade que pretendem: no número, na
forma e na rotação das peças; Escrever uma narrativa que, à semelhança país-parceiro, por exemplo com a produ-
– a pontuação depende da dificuldade e de Mar me quer, de Mia Couto, ponha em ção de textos bilingues.
do tempo de conclusão do puzzle. evidência a mistura de culturas resultante da
fusão entre os povos de Portugal e do país- Educação Física
Analisar a relação área/número de peças Construir um guia de percursos pedestres,
-parceiro, expressas nas características físi-
do puzzle e a noção de média a partir dos com propósitos turísticos e com o apoio
cas e psicológicas das personagens.
tempos de cada jogador e da pontuação de Geo, que permita conhecer o contexto
dos grupos. Realizar um momento de leitura coletiva,
em videoconferência, com TIC. natural típico da região, e partilhá-lo com
Partilhar o desafio «Ligações improváveis» o país-parceiro.
com o país-parceiro. Contribuir para o portefólio de CD e para
o painel de EV. Língua Estrangeira II Incluir no guia mapas e orientações deta-
lhadas de atrações e atividades físicas a
Solicitar aos colegas do país-parceiro um
desenvolver e testemunhos/opiniões sobre
pequeno texto onde se expressem opi-
elas, por exemplo, com o apoio da ferra-
niões e preferências quanto às característi-
menta Thinglink. Incluir opiniões de alunos
cas culturais e naturais de Portugal e do
Ciências Naturais seu país. Traduzir os textos e comentá-los.
do país-parceiro que já tenham visitado o
Realizar visitas de estudo a áreas protegidas de Portugal para atividades de fotografia e desenho cien- nosso país, por exemplo, resultantes do
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

Contribuir para o portefólio de CD e para trabalho de Ing.


tífico, documentando e partilhando as características dos ecossistemas estudados.
o painel de EV.
Partilhar, numa abordagem comparativa, informação sobre espécies nativas de Portugal e do país-par- Solicitar o mesmo trabalho ao país-par-
ceiro para integrar no portefólio de CD. ceiro para integrar no portefólio de CD.

26 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 27


Mecenas e académicos Objetivos
 Saber identificar, respeitar e valorizar as capacidades pessoais inatas
e a liberdade criativa. ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Participar em ações de incentivo da criação individual e proteger os DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final interesses dos criadores. Saber transformar ideias criativas em ação
A B C D E
8. ano
 Fundação de Academias (clubes de…) e promoção de programas de mecenato empreendedora.
o
na escola; promoção de estratégias de divulgação à comunidade e de angariação  Reconhecer o direito à educação e à cultura e a importância da
de fundos. aprendizagem ao longo da vida. F G H I J

História Educação Visual Ciências Naturais


Criar uma Associação das Academias, de Fundar, com inspiração no Renascimento, a
Organizar, com EF, a visita a regiões en-
suporte aos programas de mecenato, vi- Academia do Tempo, para saber mais sobre
volventes da escola. Selecionar e caracte-
sando apoiar, com a oferta de materiais de arte, artistas e obras renascentistas ou de
rizar um ecossistema.
trabalho, livros, entradas em museus ou es- outros estilos e épocas.
Fundar a Academia do Jardim no local
petáculos, etc., pessoas «especiais». Recriar as obras estudadas ou fazer origi-
selecionado. Promover iniciativas ao ar
Integrar a Academia do Tempo com EV e nais com essa inspiração. Expor e vender os
livre, para financiamento do Mecenato Educação Física
CD, e caracterizar obras de arte renascen- trabalhos, para conseguir fundos de apoio
dos Atletas de EF, precavendo o menor
tistas. ao Mecenato dos Artistas. Criar o programa Mecenato dos Atletas,
impacte ambiental possível.
Pesquisar sobre «mecenato» no contexto Organizar um museu na escola onde se com vista à promoção de competências fí-
do Renascimento. mostrem os trabalhos realizados no âmbito sicas e destrezas específicas.

Fundar o programa Mecenato dos Artistas deste projeto, mas onde também se divul- Fazer apresentações dos atletas apoiados
visando fomentar a competência criativa de guem obras de outros artistas. na Academia do Jardim.
alunos e outros membros da comunidade. Definir, a pares, na região envolvente da
Geografia escola, percursos de orientação e, com
Participar na Academia do Jardim, ma- base nas características do terreno, sele-
peando a área selecionada em CN. cionar o melhor trajeto e orientar o mapa.
Cidadania e Desenvolvimento Descrever exemplos de impactes das ati-
Físico-Química vidades económicas nos ecossistemas.
Integrar a Academia do Tempo e promo-
 riar o programa Mecenato dos Sábios com
C Apoiar o Mecenato dos Atletas de EF, de-
ver uma sessão de esclarecimento com
o intuito de promover a competência cientí- senvolvendo projetos que visem minimi-
apoio multimédia para responder à ques-
fica, através do incentivo a projetos que zar os impactes negativos das atividades
tão «Como pôr em prática boas ideias?», Português
apliquem e divulguem conteúdos da disci- económicas no ambiente e aumentar as
dando exemplos de como uma boa ideia Pesquisar as características do Humanismo
plina e valorizem a escola melhorando as áreas verdes em contexto urbano.
pode dar origem a uma empresa, uma e dos poetas humanistas.
suas condições – com o apoio de TIC.
ONG, um museu, uma obra.
 ontribuir para a Academia da Razão de
C Analisar poemas de Petrarca, Sá de Mi-
Pesquisar ONG ou outras associações e randa e Camões.
Mat com ateliês científicos de tempos livres,
trocar apoio de voluntariado por apoio ao
para conseguir fundos de apoio ao Mece- Fundar, com inspiração no Humanismo, a
Mecenato dos Artistas.
nato dos Sábios. Academia das Letras, para promoção da
pesquisa, leitura e escrita de textos. Promo-
Inglês ver sessões de leitura para angariar fundos
Criar o programa Mecenato dos Leitores, para o Mecenato dos Leitores de Ing.
Tecnologias de Informação para fomentar a competência leitora – em
Matemática
Fundar a Academia da Razão para promo-
e Comunicação inglês, na outra língua estrangeira estu-
Integrar a Academia da Razão de Mat e pro- dada e em português.
ver a pesquisa e partilha de conteúdos
científicos; projetar e apresentar trabalhos mover workshops sobre pesquisas online, Selecionar textos em inglês a usar na Aca-
que divulguem os conhecimentos adquiri- escolha de palavras-chave, organização e demia das Letras de Port.
dos e apoiem o Mecenato dos Sábios. gestão de informação digital, para recolher Língua Estrangeira II
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

fundos para o Mecenato dos Sábios.


Criar uma folha de receitas e despesas que Pesquisar e selecionar pequenos textos na
sirva os programas de mecenato com or- Apoiar CD, selecionando as tecnologias digi- língua estudada, a usar na Academia das
çamentos dos programas e distribuição de tais mais adequadas para a apresentação e Letras de Port.
receitas pelas despesas previstas. concretização de projetos exemplificativos.

28 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 29


Medidas extraordinárias
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Compreender os ODS e a importância do cumprimento das metas DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final estabelecidas.
A B C D E
8. ano o  Dinamização do concurso «Medidas extraordinárias» com apresentação, numa  Sensibilizar para a necessidade de construir hoje uma sociedade
gala, de casos relevantes no contexto dos Objetivos de Desenvolvimento sustentável que permita às gerações vindouras terem uma boa
Sustentável (ODS) 2016-2030. qualidade de vida. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento História


Organizar, com Geo, o concurso «Medidas Geografia Físico-Química
Selecionar casos que se enquadrem nos
extraordinárias» com apresentação de Organizar, com CD, o concurso «Medidas  elecionar casos que se enquadrem nos
S
ODS 11 e 16, respetivamente Cidades e
casos relevantes de boas práticas relacio- extraordinárias»: ODS 6 e 7, respetivamente, Água potável e
comunidades sustentáveis e Paz, justiça e
nados com os Objetivos de Desenvolvi- – definir o conceito do «Minuto sustentá- saneamento e Energias renováveis e aces-
instituições eficazes.
mento Sustentável (ODS): vel», para apresentação dos casos do Top síveis:
– Exs.: as cidades mais pacíficas; as cida-
– acompanhar a seleção dos casos em 10, a produzir com o apoio de TIC; – Exs.: dureza da água de consumo; efei-
des menos poluentes, revoluções do
cada disciplina; – organizar o dia da gala. tos das chuvas ácidas pelo mundo; ener-
passado e do presente.
– acompanhar, com TIC, a votação dos tra- Selecionar casos que se enquadrem nos gias de emissões zero.
Construir, em grupo, um artigo e disponi-
balhos para a seleção do Top 10 que se- ODS 2, 12 e 14, respetivamente, Acabar  onstruir, em grupo, um artigo e disponi-
C
bilizá-lo à comunidade escolar para ser su-
guirá para uma gala final. com a fome, Produção e consumo sustentá- bilizá-lo à comunidade escolar para ser su-
jeito a votação.
Fazer o acolhimento ao público e a apre- veis e Proteger a vida marinha: jeito a votação.
sentação do evento no dia da gala. – Exs.: tecnologias amigas do ambiente;
preservação dos recursos marítimos.
Construir, em grupo, um artigo e disponibi-
lizá-lo à comunidade escolar para ser su-
jeito a votação. Inglês
Educação Física Selecionar casos que se enquadrem nos
Tecnologias de Informação
Selecionar casos que se enquadrem nos ODS 1 e 17, respetivamente, Erradicar a
e Comunicação ODS 3 e 10, respetivamente, Reduzir as pobreza e Parcerias para a implementação
Apoiar as pesquisas das disciplinas, apli- desigualdades e Vida saudável: dos objetivos:
cando os critérios de validação da informa- – Exs.: litoral vs. interior, no desporto; ativi- – Ex.: projetos de cooperação internacio-
ção online. Matemática dades físicas em meio urbano. nal que integrem países de língua in-
Disponibilizar todos os artigos na plata- Selecionar casos que se enquadrem nos Construir, em grupo, um artigo e disponi- glesa.
forma da escola e selecionar a melhor fer- ODS 8 e 9, respetivamente, Trabalho digno bilizá-lo à comunidade escolar para ser su- Construir, em grupo, um artigo e disponi-
ramenta digital para realização da votação e crescimento económico e Indústria, ino- jeito a votação. bilizá-lo à comunidade escolar para ser su-
para o Top 10. vação e infraestruturas: jeito a votação.
Transmitir em videoconferência a gala – Exs.: obras de engenharia grandiosas;
numa ferramenta de comunicação como o condições de trabalho em empresas.
Skype ou o Gtalk. Construir, em grupo, um artigo e disponi-
bilizá-lo à comunidade escolar para ser su-
jeito a votação. Português Língua Estrangeira II
Selecionar casos que se enquadrem nos Selecionar casos que se enquadrem nos
Ciências Naturais ODS 4 e 5, respetivamente, Educação de ODS 1 e 17, respetivamente, Erradicar a
qualidade e Igualdade de género: pobreza, e Parcerias para o desenvolvi-
Selecionar casos que se enquadrem nos
– Exs.: projetos de educação para o de- mento:
ODS 13 e 15, respetivamente, Ação climá- Educação Visual – Exs.: casos de pobreza e desigualdade
senvolvimento em português; associa-
tica e Proteger a vida terrestre: Contribuir para Mat, com casos que se en- ções civis de defesa da igualdade de gé- na Alemanha, Espanha ou França; parce-
– Exs.: fenómenos climáticos extremos; quadrem no ODS 9: nero; escritoras de língua portuguesa. rias para o desenvolvimento sustentável
áreas protegidas bem-sucedidas.
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

– Ex.: arquitetura sustentável. Construir, em grupo, um artigo e disponi- na indústria automóvel.


Construir, em grupo, um artigo e disponi-
Construir folhetos de divulgação da gala com bilizá-lo à comunidade escolar para ser su- Construir, em grupo, um artigo e disponi-
bilizá-lo à comunidade escolar para ser su-
design inspirado nos símbolos dos ODS. jeito a votação. bilizá-lo à comunidade escolar para ser su-
jeito a votação.
jeito a votação.

30 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 31


Memória de brinquedos
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final  Sensibilizar para a importância de lembrar conquistas e erros do
A B C D E
8. ano
 Organização de uma exposição alusiva ao tema da memória de brinquedos passado, para reflexão no presente e construção ativa de um futuro
o que se entenda melhor.
antigos, integrando um torneio de futebol e uma peça de teatro, bem como
recolha e donativo de brinquedos usados em bom estado.  Valorizar memórias felizes e aprender a construí-las. F G H I J

Português Geografia
Ler a obra O mundo em que vivi, de Ilse Losa, Cidadania e Desenvolvimento Contribuir para o friso cronológico de Hist.
que apresenta uma partilha de memórias. De-
Debater, com Hist, a importância da memó- Perceber a prevalência de brinquedos a pi-
Educação Visual
bater a importância das memórias individuais Recriar o friso cronológico de Hist e inte-
ria, como forma de proteção dos Direitos lhas e feitos com materiais sintéticos a par-
e/ou coletivas. grá-lo na exposição, de modo a servir de
Humanos, a partir da obra lida em Port. tir de determinada altura, trabalhando os
Escrever com CN uma peça de teatro que dados do inquérito de Mat e do friso cro- cenário da peça de teatro escrita em Port.
Organizar uma exposição subordinada ao
evidencie, na evolução dos brinquedos e nológico de Hist. Relacionar este facto com Recriar alguns brinquedos antigos, como
tema «Memórias de brinquedos», com a
dos materiais de que são feitos, questões o desenvolvimento da indústria. bolas de trapos, bonecas de barbas de
contribuição das várias disciplinas.
ecológicas e de impacte ambiental. milho, barquinhos de casca de noz, calei-
Colaborar com CN na recolha de brinque-
Encenar a peça e preparar a sua exibição. dos. doscópios ou aviões de papel, ou outros,
analisando formas e texturas. Contribuir
para a exposição com estas recriações.

História
Ciências Naturais Refletir sobre a importância de ensinar Histó-
Analisar criticamente a evolução dos brin- ria enquanto forma de preservar a memória Tecnologias de Informação
quedos no que respeita ao impacte am- da humanidade e evitar que violações de Di- e Comunicação
biental da sua produção. reitos Humanos se perpetuem ou se repitam,
Apoiar CN na divulgação online da ação
Elaborar, para a exposição de CD, cartazes pela plena consciência do sofrimento cau-
de recolha de brinquedos.
informativos e alertas sobre o tema, apre- sado. Fazê-lo com Ing e LEII, evidenciando Físico-Química
que esta é, necessariamente, uma tarefa de Organizar, selecionar e tratar as fotografias
sentando soluções de gestão sustentável  ontribuir para a exposição de CD, na
C
todos os países. tiradas (com o apoio de Mat), para o friso
de resíduos. parte dedicada aos caleidoscópios, em co-
cronológico de Hist e para a exposição de
Organizar uma ação de recolha de brinque- Criar um friso cronológico ilustrado onde se laboração com Mat. Pesquisar sobre:
CD.
dos na escola (com um slogan associado) assinale a evolução dos brinquedos até aos – a reflexão da luz;
dias de hoje, mas também acontecimentos Escolher um brinquedo antigo e fazer uma
para entregar numa instituição local. – o uso de espelhos planos num caleidos-
históricos relevantes para a nossa memória modelação 3D desse brinquedo.
cópio.
coletiva, com Geo e a partir dos dados do in-
 ecriar caleidoscópios para a exposição,
R
quérito de Mat. Integrar na exposição.
em colaboração com EV.

Matemática
Elaborar um inquérito com o objetivo de re- Educação Física
colher dados de memórias de brinquedos Definir um conjunto de regras adequadas
antigos, recuando até aos avós e bisavós.
Inglês
a um jogo de futebol com uma bola de tra-
Identificar filmes que sirvam o propósito de
Aplicar o inquérito, fotografar os brinque- pos feita pelos alunos em EV.
lembrar violações dos Direitos Humanos,
dos que existam e recolher os dados com Organizar um torneio de futebol com bola
como, por exemplo, o filme Esperança e
TIC.
glória, baseado em memórias de infância de trapos comemorativo da exposição. No Língua Estrangeira II
Explorar padrões resultantes de reflexões do seu produtor, britânico. final, recolher opinião dos jogadores, com- Contribuir para a exposição com as foto-
em espelhos. Contribuir para a parte da ex- parando com o jogo com a bola de futebol grafias selecionadas em TIC, devidamente
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

Visionar o filme, aproveitando para identifi-


posição dedicada aos caleidoscópios. habitual.
car brinquedos antigos, a recriar em EV. catalogadas e identificando na língua estu-
dada os brinquedos registados em Ing.

32 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 33


Mobilidade condicionada
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Perceber as dificuldades com que as pessoas com mobilidade DO PERFIL DOS ALUNOS
condicionada se deparam no dia a dia.
Produto final A B C D E
8. ano
 Identificar barreiras físicas no recinto escolar e nas proximidades da
o escola e encontrar soluções.
 Comemoração do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, 3 de dezembro,
dinamizando a «Semana das Pessoas com Mobilidade Condicionada».  Sensibilizar para a inclusão e ultrapassar a discriminação. F G H I J

Educação Física História


Geografia
Organizar a «Semana das Pessoas com Apoiar a exploração de EF mobilizando
Compreender, a partir da análise feita em Físico-Química
Mobilidade Condicionada»: programar e Geo, de que forma as questões culturais  isualizar o filme A teoria de tudo e escre-
V
fontes de informação geográfica. podem limitar a deslocação de pessoas
calendarizar as iniciativas a desenvolver ver a biografia de Stephen Hawking para
Discutir sobre as barreiras físicas encontra- com mobilidade condicionada como é o
nas disciplinas no âmbito deste projeto. inclusão na apresentação de Hist.
das, propor alterações e apresentá-las à Di- caso da aplicação da calçada portuguesa
Visualizar os vídeos RTP Ensina «Surdos no reção da escola.  ompreender o funcionamento do olho
C
nos passeios que dificulta a circulação de
desporto: novos desafios» e «Surf adap- humano e a forma como o som é produ-
Analisar os principais problemas das cida- cadeiras de rodas.
tado para crianças especiais» e debater as zido e perceber o que pode causar proble-
des ao nível das acessibilidades e discutir a Pesquisar personalidades históricas com li-
dificuldades que os intervenientes sentem mas de visão e de audição.
seguinte afirmação: «Uma cidade que não mitações físicas e escrever biografias para
na prática desportiva.  roduzir folhetos sobre o funcionamento
P
seja acessível não é uma cidade para divulgação em apresentação multimédia.
Explorar o recinto escolar e suas redonde- todos.» do olho humano e a produção do som
zas e sinalizar barreiras físicas (urbanísti- para entrega na semana comemorativa.
cas, arquitetónicas, temporárias ou outras)
que dificultam a acessibilidade de pessoas
com mobilidade condicionada.
Tecnologias de Informação
Realizar provas de obstáculos (por exem- Matemática
plo, de olhos vendados ou com limitação
e Comunicação
Construir um formulário para um inquérito, Recolher, organizar e interpretar os dados
dos membros superiores ou inferiores),
escrito em parceria com Port, para apurar, do inquérito de TIC.
para sensibilização e perceção das dificul- Educação Visual
dades sentidas por indivíduos com mobili- junto das famílias da comunidade local, a Representar em gráficos os resultados e di-
Projetar e construir uma maqueta com a
dade condicionada, utilizando espaços in- quantidade de elementos do agregado fa- vulgá-los durante a semana comemorativa.
proposta de alteração dos locais sinaliza-
teriores da escola. miliar com mobilidade condicionada e Ler o artigo «The World of Blind Mathemati-
dos em EF, de modo a ficarem acessíveis a
principais dificuldades sentidas. cians», da America Mathematical Society,
todos.
com apoio de Ing.
Elaborar sinaléticas informativas de per-
cursos aptos a pessoas com mobilidade Escrever biografias de matemáticos cegos
condicionada no recinto escolar. para inclusão na apresentação de Hist.

Cidadania e Desenvolvimento Inglês


Visualizar o filme brasileiro Sobre Rodas, Construir um mural, na escola, com frases
com direção de Mauro D’Addio, e refletir bilingues de sensibilização para a elimina- Português
sobre as dificuldades sentidas pela ção de barreiras físicas.
personagem na realização de tarefas
Ciências Naturais Ler o livro Wonder: encantador, de R. J. Pala-
Realizar uma visita de estudo a uma área cio, e perceber de que modo as diferenças
básicas.
protegida e recolher informações sobre dos outros podem contribuir para sermos
Discutir a existência de diferentes tipos de melhores seres humanos.
casos de cooperação intraespecífica entre
condicionantes da mobilidade, como a pa-
espécies animais, compreendendo a sua Escrever um guião de entrevista a pessoas
ralisia motora, a surdez e até mesmo a ve-
importância para a sobrevivência dos indi-
Língua Estrangeira II com mobilidade condicionada sobre dificul-
lhice, e sensibilizar para a inclusão através Ler em jornais portugueses notícias sobre
víduos e para a continuidade da espécie. dades sentidas, para aplicação no centro de
da construção de cartazes, com apoio de as dificuldades sentidas por pessoas com saúde ou num lar de idosos local.
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

EV. Sugerir estratégias de cooperação para


mobilidade condicionada. Criar, com TIC, um vídeo com excertos das
melhorar as condições de vida de pessoas
com mobilidade condicionada, em articu- Traduzir para a língua estudada as palavras entrevistas para exibição na semana dinami-
lação com CD, e incluí-las nos cartazes. consideradas mais importantes e enrique- zada.
cer o mural construído em Ing.

34 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 35


Nunca mais!
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Produto final DO PERFIL DOS ALUNOS
 Elaborar um filme/documentário sobre a importância da memória coletiva na Objetivos
A B C D E
8. ano
proteção dos Direitos Humanos.  Sensibilizar os alunos para as consequências das violações dos
o direitos humanos ao longo dos séculos.
 Instituir na escola o «Dia da Memória Coletiva» e assinalá-lo com a apresentação
do filme.  Desenvolver o sentido de dignidade humana e de justiça. F G H I J

Matemática
Cidadania e Desenvolvimento Refletir sobre o significado numérico e so- Físico-Química
Pesquisar sobre: Português cial de minoria. Relacionar a reflexão e a absorção do som
– o significado da palavra «genocídio»; Após as pesquisas de CD, dividir os alunos Discutir o contexto em que uma maioria com o eco e a reverberação.
– o Tribunal Penal Internacional. em grupos de 3 e pedir-lhes que escolham determina medidas estatísticas, como a Melhorar as condições acústicas da sala
Recolher informações sobre o extermínio: o(s) acontecimento(s) a tratar. Cada grupo moda, a média ou a mediana, e o contexto onde vão decorrer as filmagens, recor-
– dos povos indígenas (a partir do século será responsável pela elaboração da parte em que uma maioria pode ser considerada rendo à utilização de materiais absorven-
XV); do filme que diz respeito ao acontecimento uma minoria étnica (em determinados bair- tes e procurar, em conjunto com TIC, as
– do povo cigano; trabalhado. ros a maioria da população é de determi- melhores formas de captação no exterior.
– do povo judeu; Escrever um texto breve que conte a história nada etnia, mas essa mesma população
– da etnia tutsi, no Ruanda; daquele acontecimento e que integre as continua a ser considerada uma minoria).
– do povo igbo, do Biafra; pesquisas feitas em Hist, CD, Geo, Ing e CN.
– da minoria Rohingya. Escolher a forma de contar a história através
Refletir sobre a importância da memória do documentário, teatralizado, em jeito de Educação Física
coletiva na proteção dos Direitos Huma- contador de histórias, usando um estilo mais
nos, em conjunto com Hist. Ciências Naturais Criar e executar coreografias individuais
sério e formal ou recorrendo a várias técni-
ou em grupo que suportem o tema e que
cas em simultâneo. Analisar os impactes nos ecossistemas de
sejam utilizadas na transição entre planos
Escrever o guião final do documentário e catástrofes de origem antrópica como:
de filmagem.
fornecer a TIC. – o uso do agente laranja – agente quí-
mico usado na Guerra do Vietname;
História – o uso de bombas atómicas lançadas
sobre as cidades de Hiroxima e Nagasá-
Pesquisar sobre o comércio de escravos
qui;
nos séculos XVI a XVIII e sobre esse tráfico
– a devastação de florestas e o extermínio
antes e depois dessas datas. Língua Estrangeira II
de povos indígenas.
Refletir sobre a problemática do tráfico de Selecionar pequenas frases ou expressões
Educação Visual Recolher notícias sobre os acontecimentos
significativas nos textos elaborados em
seres humanos à luz dos Direitos Humanos.
Elaborar, em conjunto com Geo, um mapa referidos e fornecer a Port.
Debater, tirar conclusões e fornecê-las a Port, e integrar a sua tradução no docu-
do mundo com foco nas regiões dos con- mentário.
Port.
flitos em análise. Este mapa será o cenário
principal do documentário. Os alunos po-
derão, no entanto, filmar zonas exteriores,
se assim o entenderem.
Inglês
Pesquisar situações de violação de Direitos
Tecnologias de Informação
Humanos vividas ao longo da História em
países anglófonos e fornecer as conclu- e Comunicação
sões a Port. Filmar, individualmente, as cenas que vão
Geografia Selecionar pequenas frases ou expressões constituir o documentário.
Localizar, no mapa de EV, as zonas onde ocorreram os acontecimentos trabalhados em CD e significativas nos textos elaborados em Proceder à montagem do documentário,
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

pesquisar eventuais ruturas entre a população e os recursos naturais. Port, e integrar a sua tradução no docu- inserindo, onde e como se achar perti-
Filmar, com ajuda de TIC, o mapa para mostrar a localização das zonas em foco no documen- mentário. nente, a expressão «Nunca mais!» em por-
tário. tuguês, inglês e na segunda língua estran-
geira.

36 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 37


O importante é participar!
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final  Compreender como a prática de atividade física favorece a saúde e
A B C D E
8. ano
 Organizar o «Dia Aberto do Desporto na Escola» (no Dia Internacional do Des- o bem-estar e influencia o desenvolvimento integral dos jovens.
o
porto para o Desenvolvimento e a Paz, 6 de abril) com diversas atividades,  Sensibilizar para a necessidade de aumentar a prática da atividade
desportivas e outras, para toda a comunidade. física e desportiva, promovendo, entre outros, os clubes locais. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Educação Física Geografia


Investigar, no contexto dos fluxos migrató- Ciências Naturais
Aferir o nível de prática da atividade física e Planificar, com base no inquérito de CD, o
rios, exemplos de atletas que imigraram Procurar na região envolvente da escola
do desporto da comunidade. Analisar, com «Dia Aberto do Desporto na Escola»: work-
para Portugal em busca de condições para um local com condições para praticar ar-
TIC, as respostas. shops, apresentações de modalidades, con-
praticar a sua modalidade e de outros que borismo. A partir de dados recolhidos:
Divulgar os resultados e sensibilizar a comu- ferências, entrega de prémios, etc., com a
emigraram com o mesmo fim. – caracterizar o ecossistema;
nidade para os efeitos negativos para a participação de desportistas, profissionais
Produzir, com Ing e LEII, o memorial «Len- – concluir sobre a influência de agentes
saúde e bem-estar de um estilo de vida se- de saúde e associações desportivas.
das do Desporto», sob a forma de apre- poluentes no local, observando a pre-
dentário; apresentar estratégias para au- Promover e calendarizar competições a sença de indicadores biológicos da po-
mentar a prática da atividade física, desde desenvolver até ao Dia Aberto. Alargar as sentação multimédia.
luição, como os líquenes.
começar por alterar comportamentos até inscrições à comunidade e às associações
Planear e organizar, com EF, a prática de
desenvolver planos próprios de prática des- desportivas locais.
arborismo no Dia Aberto.
portiva. Definir e divulgar planos de treino e apoiar
Distinguir desporto de lazer e amador de os participantes nas modalidades.
Inglês
desporto de competição: promover uma
Fazer cartazes sobre desportos típicos dos
sessão de esclarecimento convidando res-
países de língua inglesa, destacando os
ponsáveis por clubes regionais e atletas.
atletas mais conhecidos. Incluir a pesquisa
de Geo e expor no Dia Aberto.
Físico-Química
Caracterizar, no local escolhido em CN, as
Português reações de combustão/oxidação-redução
Produzir o texto para a apresentação mul- entre os gases libertados por veículos mo-
História timédia, após pesquisa sobre o lema, o torizados e o oxigénio da atmosfera, e re-
Pesquisar sobre o início dos Jogos Olímpi- símbolo e os valores olímpicos. Língua Estrangeira II lacionar esta informação com a presença/
cos da Era Moderna e contextualizar na Eu- Recolher provérbios relacionados com ati- ausência de líquenes.
Pesquisar jogos ou desportos tradicionais
ropa do século XIX, relacionando com a vidade física ou desporto (na internet, na Concluir sobre os efeitos para o ambiente
nos países da língua estudada, fazer a ca-
evolução técnica e científica e com o desen- biblioteca ou consultando familiares) e para a vida humana da emissão de po-
racterização de alguns deles e apresentar
volvimento da História e da Arqueologia. como, por exemplo, «Para ter saúde, luentes.
oralmente no Dia Aberto.
Fazer, com Port e EV, uma apresentação pouca cama, pouco prato e muito sapato». Propor medidas para minimizar esses efei-
multimédia para o Dia Aberto com base na Explicar os provérbios recolhidos e anali- tos, e comunicar as conclusões.
pesquisa feita e subordinada ao lema do sar as variações de língua e os recursos es-
Dia Aberto: «Não precisamos de ser cam- tilísticos usados.
peões olímpicos: o importante é praticar Apresentar oralmente os provérbios no
desporto.» Dia Aberto. Matemática
Investigar sobre o número de desportistas Tecnologias de Informação
federados, em Portugal e sobre que mo-
dalidades têm vindo a ganhar e a perder
e Comunicação
atletas. Elaborar cartazes com a informa- Divulgar, utilizando as ferramentas digitais
Educação Visual ção e expor no Dia Aberto. adequadas, a iniciativa e as atividades, por
exemplo, através de uma infografia.
Reproduzir o símbolo olímpico para a apresentação multimédia usando ferramentas digitais, com Definir, com EF, os espaços necessários
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

o apoio de TIC. para desenvolver as atividades do Dia Criar uma aplicação que permita a inscri-
Aberto, tendo em conta o número de ins- ção nas atividades por alunos e membros
Criar e produzir o símbolo do Dia Aberto que transmita a mensagem pretendida; criar a sinalética
critos e a planta da escola. da comunidade; gerir a aplicação e tratar
a afixar na escola para guiar os participantes.
os dados, com Mat.

38 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 39


O valor da água
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
 Tomar consciência da importância da água enquanto condição
Produto final fundamental para a vida. A B C D E
8. ano o
 Campanha de sensibilização para o valor da água, a divulgar a 22 de março,  Promover soluções para uma gestão sustentável da água.
F G H I J
Dia Mundial da Água, através de exposição.  Fomentar o sentido de responsabilidade na utilização da água.

Geografia História Matemática


Visualizar o excerto do documentário Years Visitar o Museu da Água, em Lisboa. Foto- Analisar uma fatura da água: quantidade
of living dangerously: stress hídrico no grafar os aspetos mais interessantes e cons- de água consumida; quantidade de água
Iémen. truir, com TIC, uma fotorreportagem. gasta, em média, por pessoa do agregado
Localizar no mapa-mundo o Iémen e pes- Relacionar a situação económica e política familiar, por mês. A quantidade de água
portuguesa do século XVIII com a constru- consumida e o valor a pagar são grande- Educação Física
quisar os seus indicadores demográficos.
ção do aqueduto das Águas Livres e a sua zas diretamente proporcionais? Debater, em conjunto com CD, a poupança
Discutir a partir da situação-problema:
importância para o abastecimento de Lis- Contribuir para a exposição com números de água nos balneários tendo como objeti-
– soluções para a gestão pacífica e susten-
boa e para a expressão da grandeza do Rei/ que sensibilizem para a necessidade de vos:
tável dos conflitos entre exploração dos
Estado. Incluir na fotorreportagem. poupar água. – sensibilizar para o facto de que, embora
recursos naturais e a população;
não paguemos a fatura desta água, isso
– intervenção da cooperação internacio-
não significa que não a devamos poupar;
nal na gestão dos recursos naturais.
– incentivar a toma de duches rápidos;
Apresentar as conclusões, com apoio mul- – perceber a utilidade de torneiras tempo-
Português Cidadania e Desenvolvimento
timédia, na exposição. rizadas.
Organizar a celebração do Dia Mundial da
Conhecer os Objetivos de Desenvolvi- Organizar um jogo desportivo coletivo de
Água.
mento Sustentável (ODS) e explorar o obje- sensibilização para o valor da água.
Ler a Carta Europeia da Água e elaborar tivo 6.
textos informativos sobre a importância da
Construir um plano de ação para a diminui-
Ciências Naturais preservação da água.
ção do consumo de água na escola e em
Caracterizar o bioma da zona geográfica Preparar a apresentação oral dos textos no casa, usando, entre outras, ideias que sur-
que inclui o Iémen, identificada em Geo, e dia comemorativo. jam no debate de EF.
reconhecer a influência da falta de água
nos ecossistemas da região.
Relacionar o ciclo da água com o contexto
climático na região considerada. Educação Visual
Tecnologias de Informação
Debater as afirmações: «A água dos aquí- Desenhar, num cartaz, as fases do ciclo da
feros é finita» e «As alterações climáticas e Comunicação Inglês
água, com apoio de CN, utilizando diferen-
provocarão a escassez de água em deze- tes materiais, suportes e técnicas. Pesquisar na internet notícias sobre a crise Escrever duas breves notícias: uma sobre a
nas de países no mundo», reconhecendo provocada pela falta de água na Cidade falta de água no Iémen e outra sobre o
Pesquisar cartazes institucionais de sensi-
no Iémen um cenário do futuro de outras do Cabo, África do Sul, e o «Dia Zero». «Dia Zero», na Cidade do Cabo, partindo
bilização para a poupança da água e de-
regiões do planeta. Contribuir para os Criar um vídeo de sensibilização sobre o dos trabalhos realizados em Geo e TIC.
bater as suas diferenças. Afixar alguns des-
textos elaborados em Port. ses cartazes na exposição. valor da água com os conhecimentos ad- Visualizar os filmes finalistas do We Art
quiridos no âmbito deste projeto. Water Film Festival, juntamente com LE II,
e eleger, após votação, os três preferidos
dos alunos.
Físico-Química Legendar em português os vídeos escolhi-
dos, com apoio de TIC, para exibição na
Explicar o significado de H2O e caracterizar a água do ponto de vista químico, representando a sua or- Língua Estrangeira II exposição.
ganização molecular nas diferentes fases do ciclo da água. Integrar a informação no cartaz de EV.
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

Escrever mensagens curtas sobre a impor-


Discutir a problemática gestão vs. qualidade da água: analisar soluções de gestão sustentável da água, tância da água, a partir dos exemplos
com CD; relacionar as características do solo com a dureza da água de consumo da região, com apoio apresentados nos filmes visualizados em
de Geo; perceber os inconvenientes da utilização das águas duras e formas de as tratar. Ing, e integrá-las no vídeo de TIC.
Desenvolver uma apresentação multimédia com as principais conclusões para exibição na exposição.

40 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 41


Oceanos de lixo
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Compreender que a vida é assegurada por funções vitais que depen- DO PERFIL DOS ALUNOS
dem das interações que estabelecemos com o meio que nos rodeia.
Produto final A B C D E
8. ano o  Compreender que a ação do ser humano tem repercussões no
 Construção de um painel criativo, em três paredes contíguas, com integração de ambiente e nos seres vivos, sendo necessário alterar comportamen-
um jornal de parede, numa iniciativa designada «Oceanos de lixo». tos para nosso bem e do nosso planeta. F G H I J

Ciências Naturais Cidadania e Desenvolvimento Geografia História


Discutir a problemática da poluição dos Fotografar, durante a visita de CN, situa- Identificar as vilas piscatórias e as principais Investigar sobre a influência do mar na
oceanos e dos rios: ções de poluição e associar-lhes legendas espécies pescadas na Zona Económica Ex- nossa H istória, nomeadamente:
– assistir à gravação da palestra Ciência ou slogans. clusiva (ZEE) de Portugal. – a aquisição de novos produtos;
Viva «Limpar o oceano: redução do lixo Discutir a importância da limpeza dos Conhecer a proposta de alargamento da – a evolução dos meios de transporte;
marinho» e discutir sobre artigos subor- areais: plataforma continental portuguesa e discu- – os avanços científicos.
dinados ao tema; – recolher plástico no areal, durante a vi- tir a relação com o desenvolvimento eco- Investigar sobre os objetivos das expedi-
– definir o conceito do painel criativo e do sita; nómico e a interferência do lixo marinho. ções oceânicas do século XVIII e comparar
jornal de parede, de sensibilização e in- – constituir a equipa «Amigos do mar» para Contribuir para o jornal ou para o painel com os das atuais, em particular a expedi-
tervenção ambiental, em conjunto com a recolha regular, nos areais, dos mate- com mapas da ZEE e da plataforma conti- ção Malaspina 2010 que deu a conhecer a
CD, EV e Port. riais necessários ao painel de EV. nental portuguesas. Grande Mancha de Lixo do Pacífico (GMLP).
Realizar uma visita de estudo para conhe- Realizar, como reflexão final do projeto, um Elaborar um artigo para o jornal sobre as
cer alguns ecossistemas marinhos. torneio interturmas com o jogo Sea Dream expedições Malaspina 1789 e 2010, depois
Contribuir para o jornal ou para o painel Team. de realizadas as respetivas visitas virtuais.
com uma representação infográfica das
relações alimentares nos oceanos e carto-
gráfica das cinco grandes correntes oceâ-
nicas de lixo, com o apoio de Geo.
Educação Visual Físico-Química
Construir um painel criativo que repre- Recolher areia, durante a visita de CN, e
Inglês
sente o mar (a sua diversidade e as suas identificar microplásticos, aplicando o que Fazer uma lista de rotinas diárias em que
ameaças) e que ocupe três paredes contí- se aprendeu sobre a solubilidade de sais e se usem embalagens descartáveis.
guas da escola (como se de um oceanário as soluções. Contribuir para o jornal com comporta-
se tratasse). Usar: Fornecer a contagem, tipo e volume de mentos alternativos, nessas rotinas.
Português – o plástico recolhido em CD; microplásticos em 1,5 dm3 de areia a Mat.
Organizar e dinamizar um jornal de parede – gradação de cores para enfatizar a diver-
Construir sequências de objetos desde o
de frequência mensal, integrado no painel sidade de ambientes e de vida;
produto inicial (ex.: um saco de plástico) ao
criativo de EV. – diferentes texturas para transmitir movi-
menor fragmento encontrado na areia.
Recolher poemas sobre o mar, para inte-
mento e profundidade.
Contribuir para o painel de EV. Matemática
grar o painel e/ou o jornal de parede. Estudar a areia e o microplástico (resulta-
dos de FQ) do ponto de vista da relação
entre os seus volumes e o número de uni-
dades de cada tipo estimadas por km2.
Comparar esses valores com os da GMLP,
segundo o artigo analisado em CN.
Educação Física Tecnologias de Informação
Apresentar os valores em notação cientí-
Praticar atividades desportivas de natação, e Comunicação
Língua Estrangeira II fica e associá-los às espécies identificadas
saltos para a água, surf, remo, kayak, polo Pesquisar sobre mudanças estratégicas de em CN que os poderiam consumir.
Recolher vocabulário dos campos lexical e aquático ou kayak-ball, por exemplo. grandes empresas, no sentido de reduzir o
Contribuir para o painel e para o jornal
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

semântico de «mar» na língua em estudo. Experienciar, com apoio de TIC, um mer- uso de plástico, e divulgá-las, em cartazes
com as conclusões mais importantes.
Construir um glossário e publicá-lo no jor- gulho virtual e descrever sensações físicas, no jornal, incluindo as fotografias e os slo-
nal de parede. emoções e observações do meio, contri- gans de CD.
buindo para o painel criativo. Produzir a versão digital do jornal.

42 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 43


Quando as ideias contam
Objetivos ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
 Compreender a existência de «deveres» para com os outros, junta- DO PERFIL DOS ALUNOS
mente com os direitos.
Produto final A B C D E
8. ano
 Intervir e dinamizar o envolvimento na resolução de problemas e
o necessidades locais.
 Dinamização do concurso «Os melhores projetos para o Orçamento Participativo
das Escolas (OPE)». Eleição dos melhores projetos.  Valorizar uma intervenção cívica responsável, em democracia. F G H I J

Matemática Cidadania e Desenvolvimento Geografia Físico-Química


Pesquisar todas as informações para a Debater o funcionamento dos regimes de- Debater a questão das migrações. Perce- Compreender como se propagam o som e
apresentação de ideias para o OPE. mocráticos; definir mecanismos que fiscali- ber se existem imigrantes na nossa escola, a luz e como os seres humanos os detetam.
Apoiar a organização da eleição dos me- zem o funcionamento democrático da es- de onde vêm e porquê.
lhores projetos. Definir e calendarizar o cola, como representantes dos alunos, e Pesquisar sobre o ouvido e olho humanos e
Fazer o levantamento, com FQ, através de por que razão algumas pessoas não ouvem
processo de votação, com a participação Associação de Estudantes, e redigir os seus
inquéritos ou sondagens, de alunos que nem veem. Conhecer as dificuldades que
de toda a comunidade escolar. estatutos.
precisem de apoio específico para uma in- sentem os alunos surdos e invisuais, na es-
Comunicar o resultado da eleição, com o Produzir, em grupo, a Declaração dos Direi- tegração plena, como imigrantes ou alu- cola.
apoio de gráficos, e apresentar os projetos tos e Deveres dos Alunos, com Hist. nos com deficiência.
escolhidos à Direção da escola e à Asso- Analisar condições de iluminação e insono-
Lançar um concurso para eleição dos me- Participar no concurso com projetos que
ciação de Estudantes, numa sessão solene. rização dos vários espaços da escola.
lhores projetos para o OPE; divulgar com o melhorem as condições dos serviços for-
apoio de TIC. Participar no concurso com projetos que
necidos pela escola – por exemplo da can-
colmatem necessidades detetadas.
tina, com a integração de questões religio-
sas nos critérios de escolha das refeições,
articulando com Port.
Educação Visual Português
Preparar, com EF, o local a usar na divulgação Planear e redigir, com Mat e CD o regula- História
dos resultados do concurso, decoração, aces- mento do concurso de projetos para o Entender as alterações que as revoluções li-
sibilidade e sinalização. Decidir as formas e os OPE. Educação Física berais trouxeram à sociedade e aos direitos
materiais mais adequados para o fazer.
Ler O Diário de Anne Frank ou O mundo Participar no concurso com projetos que humanos. Perceber os conceitos por detrás
Apoiar a apresentação dos projetos para o em que vivi, de Ilse Losa, e promover um da democracia: igualdade, liberdade, parti-
melhorem as condições da escola quanto
concurso de ideias para o OPE, sob a forma debate sobre direitos religiosos e culturais. cipação cívica.
à prática de atividades físicas.
de maquetas, cartazes ou outras.
Participar no concurso com projetos que Apoiar a divulgação do concurso com a Conhecer e analisar a Declaração dos Direi-
Participar no concurso com projetos que visem enriquecer a biblioteca escolar, por tos do Homem e do Cidadão, contextuali-
promoção de caminhadas, provas físicas,
visem melhorar as condições dos espaços da exemplo, integrando as minorias religio- zando-a na época. Analisar, comparativa-
campeonatos de jogos tradicionais ou de
escola – a nível artístico, ergonómico, etc. sas. mente, a Declaração Universal dos Direitos
mesa, destacando as vantagens de partici-
par na escolha dos projetos. Humanos.
Participar no concurso com projetos que
visem facilitar e melhorar a participação de
todos os elementos da comunidade escolar
Ciências Naturais Tecnologias de Informação na vida da escola.
e Comunicação Inglês
Discutir, no âmbito da disciplina, a nossa
responsabilidade em tornar o nosso pla- Pesquisar informação sobre o sistema edu-
Divulgar, utilizando as plataformas digitais
neta um lugar em equilíbrio. Analisar a cativo nos países de língua inglesa e per-
mais adequadas, o concurso e os trabalhos
proposta da sociedade civil de Declaração ceber as semelhanças e diferenças em re-
desenvolvidos nas várias disciplinas.
Universal dos Direitos da Mãe Terra e sele- lação ao sistema português.
Participar no concurso com projetos que
Participar no concurso com projetos que
Língua Estrangeira II
cionar os artigos mais relevantes.
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

melhorem as condições da escola relativa- Participar, com Ing, no concurso com pro-
Desenvolver projetos amigos do ambiente, visem melhorar as competências linguísti-
mente a equipamentos eletrónicos. jetos que visem melhorar as competências
realizáveis no espaço escolar, com base cas dos alunos, incluindo uma viagem a
um país anglófono. linguísticas dos alunos, incluindo uma via-
naqueles artigos e apresentar a concurso. gem a um país que fale a língua estudada.

44 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 45


Repórteres da Natureza
Objetivos
 Entender a fotografia não apenas como algo que conta e reporta ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
factos mas também como uma arte que contextualiza e interpreta a DO PERFIL DOS ALUNOS
realidade.
Produto final A B C D E
8. ano o  Desenvolver competências no âmbito da literacia mediática e com-
 Exposição fotográfica das perspetivas dos alunos sobre a Natureza e os diversos preender como os media e a imagem são agentes de construção
elementos que a compõem. social e influência. F G H I J

Educação Visual Tecnologias de Informação Inglês


Explorar os conceitos de plano, ritmo, es- e Comunicação Matemática Organizar e apresentar, no dia do evento,
paço, estrutura, luz-cor, enquadramento e Produzir o making of da exposição em em parceria com LE II e Port, o concurso
Descobrir o significado da afirmação
intencionalidade no contexto da fotografia. vídeo para constar no dia do evento. Best Nature Photography.
«Todas as coisas são números» e pesquisar
Auxiliar as outras disciplinas no registo foto- Construir um site do evento com diversas sobre o matemático que a tornou célebre. Prever a votação, pelos visitantes da exposi-
gráfico dos diversos elementos e conceber a secções, tais como: Objetivo do evento; ção, das melhores fotografias nas categorias:
Registar fotograficamente, com a partici-
organização da exposição, em conjunto com Galeria; Making of; Atividades do dia; Con- – Melhor fotografia;
pação de CN, exemplos de simetria na Na-
CD. No caso de as fotografias incluírem ros- curso Best Nature Photography; Comentá- – Melhor enquadramento;
tureza, como borboletas, trevos e outras
tos, prever o devido consentimento de reco- rios e opiniões. – Melhor jogo de cores;
folhas, o interior de frutos, colmeias ou a
lha de imagens – direitos de imagem. – Mensagem mais relevante.
cabeça de uma coruja.

Cidadania e Desenvolvimento Português Físico-Química


Explorar a página do autor da exposição Convidar um dos fotógrafos premiados no Fazer «Cinema na caixa», na fase inicial do
Photo Ark para recolher informações sobre concurso GENERG – Fotógrafo de Natu- projeto, para compreender os fenómenos Língua Estrangeira II
como organizar uma exposição de acordo reza do Ano a dar uma palestra durante a óticos de formação da imagem numa má- Organizar e apresentar, no dia do evento,
com um critério/propósito (neste caso, a exposição. quina fotográfica. em parceria com Ing e Port, o concurso
proteção da biodiversidade).
Entrevistar o fotógrafo, com apoio de um Dinamizar durante a exposição fotográfica (uma das opções):
Analisar a exposição do ponto de vista das guião, disponibilizando, na página online uma sala para fotografias «buraco de agu- – Mejor Fotografía de la Naturaleza;
características das imagens, escolha dos da exposição, os excertos mais relevantes lha» com explicação dos fenómenos óticos – Beste Naturfotografie;
animais ou organização da galeria, colocan- da entrevista e fotografias do momento. envolvidos na produção da imagem e – Meilleure Photographie de Nature.
do-se no papel do autor nesse processo.
Registar fotograficamente a expressão de mostra do processo de revelação.
Organizar a exposição final com EV. sentimentos provocados, por exemplo,
pela leitura de um livro favorito e realizar,
em grupo, momentos de leitura de ima-
gem, com descrição do que a imagem su-
gere. Contribuir para a exposição.
Ciências Naturais Educação Física
Fotografar elementos de diferentes níveis
História
Investigar, com Hist, sobre o interesse de
de organização biológica: Leonardo da Vinci pela anatomia humana. Pesquisar sobre Leonardo da Vinci, conhe-
– células e tecidos (vegetais e animais): uti- cido pela sua capacidade de mostrar a Na-
Registar fotograficamente:
lizar um microscópio com ligação ao tureza através dos seus desenhos e pintu-
– momentos desportivos (ginástica, jogos
computador para geração de imagens ras (numa época em que não existia
coletivos, danças sociais), enfatizando
das observações; Geografia fotografia).
pormenores da anatomia e da agilidade
– órgãos e conjuntos de órgãos: registos Revisitar a região envolvente da escola, humanas; Contribuir para a exposição com um con-
fotográficos em contexto de atividade identificando aspetos que lhe confiram sin- junto de imagens das obras de Leonardo
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

– momentos de atividade física integrada


laboratorial; gularidade (culturais ou outros). na Natureza. da Vinci mais significativas para o contexto
– organismos, populações e ecossistemas: da exposição, devidamente legendadas e
Registar de forma criativa, em fotografia,
registos fotográficos em contexto de tra- contextualizadas na sua época.
esses elementos, para a exposição.
balho de campo.

46 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 47


Ser humano e respeitar
a Natureza Objetivos
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final  Refletir sobre o dualismo ser humano/Natureza e incentivar a cone-
A B C D E
8. ano
 Realização de debates, de uma exposição, de uma peça de teatro e de uma xão do ser humano com a Natureza.
o
caminhada comemorativos do Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado a 5 de  Sensibilizar para a necessidade de fazer uma exploração sustentável
junho. dos recursos naturais. F G H I J

Português
Ciências Naturais Escrever um texto dramático a partir do
Organizar e programar as iniciativas do dia documentário visualizado e dos argumen-
comemorativo. Geografia tários escritos em CN e em Geo:
Visualizar o excerto do documentário Years Participar no debate de CN: entender os – criar as personagens (indígenas proprie-
of living dangerously: A floresta da Indoné- benefícios do crescimento económico tários das terras, membros do Governo,
sia. para o desenvolvimento de um país e es-
Inglês
empresários, membros de organizações
crever um argumentário a favor do pro- de defesa das florestas, etc.); Pensar e elaborar questões reflexivas que
Dividir os alunos em dois grupos, um defen-
gresso industrial, da criação de emprego e – definir um narrador que interrompe as serão colocadas durante a representação,
sor da Natureza e outro a favor da industria-
do crescimento económico. cenas e coloca questões reflexivas. em conjunto com Port.
lização, e debater, em conjunto com Geo:
– o modo como a desflorestação afeta o Apresentar a peça no dia comemorativo. Ouvir a música Earth song, de Michael
ecossistema e causas e consequências Jackson, perceber a mensagem que ela
da alteração dos ecossistemas; transmite e traduzir a sua letra.
– o desenvolvimento da indústria, a criação Construir um cartaz com a mensagem que
de emprego e o crescimento económico. Matemática a letra transmite para afixação na exposi-
Escrever um argumentário contra práticas Pesquisar a extensão territorial da Indoné- ção.
ambientais destrutivas como as retratadas sia e calcular um valor aproximado da sua
no documentário. área de floresta, nos anos 60 e atualmente. Educação Física
Fazer dois mapas temáticos simples, com Ensaiar uma coreografia para a música
Geo, evidenciando as diferenças, indi- Earth song, trabalhada em Ing.
cando a sua escala e assinalando a capital. Integrar a música e a coreografia no final
Educação Visual
da peça de teatro. Produzir os adereços, os acessórios e os ce-
Tecnologias de Informação nários para a peça de teatro, dividindo o
Organizar uma caminhada para a comuni-
e Comunicação palco ao meio, de modo a representar, de
dade local num parque próximo da escola,
Filmar o debate promovido por CN e pro- um lado, a Natureza e, do outro, o cresci-
a decorrer no dia comemorativo.
duzir um vídeo, para visualização em loop mento económico.
no dia comemorativo. Físico-Química
Pesquisar na internet os direitos e os deve- Identificar os três elementos necessários à
res dos cidadãos face ao ambiente. combustão.
Fazer convites digitais para o dia comemo- Elaborar um cartaz, com apoio de Mat,
rativo, incluir uma pequena lista com os di- sobre a combustão (determinação do História Língua Estrangeira II
reitos e deveres pesquisados anterior- combustível e do comburente e caracteri- Pesquisar a H istória da Indonésia, desde o Decorar a escola com palavras relaciona-
mente e partilhar com a comunidade local zação da reação e da chama) para afixação século XVI até ao século XVIII: De que país das com o ambiente, para as comemora-
em plataforma adequada. na exposição. europeu era colónia? Como era explorada: ções do dia, em conjunto com EV.
que produtos e para que fins? Que sistema
económico nascia?
Relacionar o tipo de exploração dos recur-
sos feito pelos Europeus nos séculos XVII e
Cidadania e Desenvolvimento XVIII com o que o vídeo nos apresenta.
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

Organizar um debate, a realizar-se no dia comemorativo, aberto à comunidade local, sobre o dualismo Fazer uma apresentação multimédia com
destruição da floresta vs. crescimento económico. os resultados da pesquisa e as conclusões
Convidar para participar no debate um associado de uma ONG interventiva no tema, um elemento do do trabalho, para o dia comemorativo.
PAN, um elemento da Câmara Municipal e um empresário.

48 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 49


Sonhar a escola
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
 Aproximar os jovens da escola, fomentado a empatia e o sentido de
A B C D E
8. ano
responsabilidade.
o Produto final  Refletir sobre as condições da escola e promover as mudanças
 Realização um filme demonstrativo da escola que os alunos gostariam de ter. possíveis. F G H I J

Tecnologias de Informação Ciências Naturais


e Comunicação Refletir e debater, em grupo, o tema Geografia
Educação Visual «Como gostaria que fossem as aulas de
Pesquisar na internet sobre escolas consi- Refletir e debater, em grupo, o tema
Refletir e debater, em grupo, o tema: «Como Ciências Naturais (espaço, conteúdos, visi-
deradas modelo. «Como gostaria que fossem as aulas de
gostaria que fossem as aulas de Educação tas de estudo e dinâmicas de aula)». G eografia (espaço, conteúdos, visitas de
Refletir e debater, em grupo, o tema Visual (espaço, conteúdos, visitas de estudo
Registar conclusões e, com EV, esboçar o estudo e dinâmicas de aula)».
«Como gostaria que fossem as aulas de e dinâmicas de aula)».
espaço. Fazer o levantamento das condições físicas
T IC (espaço, conteúdos, visitas de estudo Criar e decorar maquetas dos vários espaços
e dinâmicas de aula)». e económicas da região que justifiquem
da escola, com base nas reflexões e nos es-
opções e apresentar estes dados a TIC e
Captar sons e imagens para o filme. boços das várias disciplinas.
CD.
Produzir o filme, utilizando as ferramentas Elaborar o storyboard do filme.
Registar conclusões e, com EV, esboçar o
de manipulação de som e imagem ade-
espaço.
quadas. Educação Física
Promover, com CD, as mudanças que Refletir e debater, em grupo, o tema
forem possíveis, em conjunto com a Dire- «Como gostaria que fossem as aulas de
ção da escola e com um grupo de profes- Educação Física (espaço, conteúdos, visi-
sores. tas de estudo e dinâmicas de aula)».
História Registar conclusões e, com EV, esboçar o Físico-Química
espaço. Refletir e debater, em grupo, o tema
Recolher exemplos de escolas antigas da
região nos séculos XIX e XX, de modo a «Como gostaria que fossem as aulas de Fí-
Cidadania e Desenvolvimento perceber-se a evolução. sico-Química (espaço, conteúdos, visitas
de estudo e dinâmicas de aula)».
Refletir e debater, em grupo, o tema Refletir e debater, em grupo, o tema
«Como gostaria que fossem os espaços in- «Como gostaria que fossem as aulas de Registar conclusões e, com EV, esboçar o
teriores e exteriores da minha escola?». H istória (espaço, conteúdos, visitas de es- Matemática espaço.
Refletir e debater, em grupo, o tema tudo e dinâmicas de aula)». Refletir e debater, em grupo, o tema
«Como gostaria que fossem as aulas de Ci- Registar conclusões e, com EV, esboçar o «Como gostaria que fossem as aulas de
dadania e Desenvolvimento (espaço, con- espaço. Matemática (espaço, conteúdos, visitas de
teúdos, visitas de estudo e dinâmicas de estudo e dinâmicas de aula)».
aula)». Registar conclusões e, com EV, esboçar o
Registar conclusões e, com EV, esboçar o espaço. Língua Estrangeira II
espaço. Refletir e debater, em grupo, o tema
«Como gostaria que fossem as aulas de
Espanhol/Francês/Alemão (espaço, con-
teúdos, visitas de estudo e dinâmicas de
aula)».
Português Inglês
Registar conclusões e, com EV, esboçar o
Refletir e debater, em grupo, o tema «Como gostaria que fossem as aulas de Português (espaço, Refletir e debater, em grupo, o tema
espaço.
conteúdos, visitas de estudo e dinâmicas de aula)». «Como gostaria que fossem as aulas de
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

Concluir, registar as conclusões e, com ajuda de EV, esboçar o espaço. I nglês (espaço, conteúdos, visitas de es-
tudo e dinâmicas de aula)».
Escrever os textos (que podem ser colocados em voz off do vídeo de TIC que servirão de apoio
às descrições dos espaços. Registar conclusões e, com EV, esboçar o
espaço.

50 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 51


Vai ficar um mimo! Objetivos
 Promover o contacto dos alunos com objetos de arte urbana, refletir ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
sobre o seu significado e aplicar o mesmo conceito na recuperação DO PERFIL DOS ALUNOS
de espaços abandonados.
Produto final A B C D E
8. ano
 Debater transformações necessárias à melhoria do bem-estar coleti-
o vo na comunidade local e na sociedade.
 Recuperação dos espaços da região circundante da escola com arte urbana e
espaços ajardinados.  Comprometer-se com a promoção do bem-estar coletivo. F G H I J

Educação Visual Português


Pesquisar e refletir sobre o conceito de arte Educação Física
Criar os textos para colocar junto dos tra-
urbana: O que é? Para que serve? Como Organizar uma caminhada pela região cir- balhos de EV e a informação a figurar no
surgiu? cundante da escola com o objetivo de de- mapa de Geo. Os textos podem explicar,
Conhecer mais sobre arte urbana e tomar tetar os espaços de possível intervenção. de forma breve, o processo de criação ou
contacto com as obras de alguns artistas. Selecionar as áreas tendo em conta os cri- o significado do trabalho.
térios estabelecidos (área do local, tempo
História
Pesquisar sobre técnicas e materiais utiliza- Escolher poemas que se considerem ade-
de execução, disponibilidade de materiais, Elaborar um texto com a contextualização
dos nos diferentes trabalhos de arte urbana. quados aos espaços a recuperar.
etc.). histórica da região, para integrar no blo-
Elaborar planos de intervenção nas áreas gue de TIC. Preparar a declamação desses poemas
selecionadas em EF e executar os trabalhos Definir a melhor forma de divulgar os es- para apresentar durante a caminhada de
plásticos. paços recuperados pelos alunos, no posto inauguração do percurso de CD.
de turismo local.

Geografia
Mobilizar diferentes fontes de informação
Matemática
geográfica e, em conjunto com TIC, cons- Físico-Química Inglês
truir um mapa da região que inclua os per- Registar, com números, todas as etapas da
Caracterizar, articulando com EV, as ima- Pesquisar sobre arte urbana em Londres intervenção, por exemplo: a área de inter-
cursos estabelecidos pelos alunos em EF.
gens obtidas em diferentes tipos de espe- como fonte de inspiração para os traba- venção, o número de horas necessário
Incluir no mapa, através da utilização de sim- lhos. lhos a desenvolver em EV. para planear e para executar, os quilogra-
bologia e legendagem, a informação prepa-
Ponderar a integração de espelhos no tra- Criar placas de identificação em inglês, mas ou litros de material usado.
rada para o efeito em Port, Ing, Hist e CN.
balho de arte urbana a desenvolver, após destinadas a turistas, dos trabalhos elabo- Descrever a experiência através de núme-
verificar o comportamento da luz nos lo- rados. Esta informação deverá figurar no ros, de forma criativa, e refletindo sobre o
cais a intervencionar. mapa de Geo e junto ao espaço recupe- significado de mensurável e de comensu-
rado. rável.

Cidadania e Desenvolvimento
Debater:
– a arte urbana como forma de valorizar
uma cidadania ativa e positiva, dando Língua Estrangeira II
exemplos a partir das pesquisas feitas Ciências Naturais Tecnologias de Informação
Desenvolver áreas ajardinadas, seleciona- Criar placas de identificação dos traba-
em EV e em Ing; e Comunicação
das após a caminhada promovida por EF e lhos, destinadas a turistas. Esta informação
– a fronteira entre arte e vandalismo, nas
o trabalho desenvolvido em FQ. deverá figurar no mapa de Geo e junto ao Criar o blogue «A minha terra» e acompa-
ruas.
espaço recuperado. nhar passo a passo a execução do projeto.
Conhecer a programação de O Muro, Conhecer o trabalho de Bordalo II e refletir
sobre a sua importância simbólica na de- Incluir registos fotográficos ou de vídeo da
Festival de Arte Urbana de Lisboa.
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

fesa das questões pró-ambientais. produção dos trabalhos, mostrando o


Promover uma caminhada de inauguração «antes» e o «depois».
que inclua a apresentação dos poemas
preparada em Port.

52 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 53


Vais Mandala?
ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
Objetivos DO PERFIL DOS ALUNOS
Produto final  Estabelecer relações entre conhecimentos, emoções e comporta-
A B C D E
8. ano
 Criação de um serviço de envio online de cartões com mandalas e mensagens mentos, através do contacto com diversos universos culturais.
o
positivas e construção de uma mandala decorativa da escola, sensibilizando para  Convocar diferentes conhecimentos, de matriz científica e humanis-
o desenvolvimento sustentável. ta, para o estabelecimento de relações interpessoais saudáveis. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Português


Elaborar o catálogo de mandalas e de fra-
Pesquisar e refletir sobre:
ses/mensagens. Inglês
– a prática da pintura de mandalas, a sua origem e expressão no Ocidente;
– a mandala tibetana; Dar um título a cada mandala do catálogo Criar frases para o catálogo de Port, que
– a forma da mandala e como um círculo é símbolo de unidade; e elaborar um pequeno texto que explique expressem, por exemplo, estados emocio-
– atividades desenvolvidas em círculo ou semicírculo, como, por exemplo, mesas-redondas ou al- o sentido dos títulos. nais.
guns parlamentos e de como é simbólico de todos estarem em posição de igualdade. Criar um guião de construção da mandala,
Desenvolver a ideia de um serviço de envio de mandalas, via e-mail, com mensagens de agradeci- a partir dos registos feitos em Mat.
mento, melhoras, desculpas, convite, saudades, etc. Definir as regras do serviço disponível a toda a
comunidade escolar, em conjunto com Port e TIC.

Tecnologias de Informação
Língua Estrangeira II e Comunicação
Criar uma lista de palavras e frases sim- Compilar as mandalas de Mat, num for-
História ples, para o catálogo de frases disponíveis mato digital adequado para imprimir e co-
para acompanhar as mandalas. lorir. Disponibilizar à comunidade escolar,
Compreender a inspiração clássica da arte
renascentista e analisar a sua expressão na Matemática numa plataforma adequada.
arquitetura. Estudar as simetrias de rotação nas rosá- Colocar em suporte digital o catálogo de
ceas selecionadas em Hist. mandalas e mensagens definido em CD e
Reconhecer as rosáceas como elementos
decorativos e selecionar algumas associa- Criar mandalas geométricas, com com- Ciências Naturais Port. Divulgar o serviço à comunidade es-
passo e régua, abordando a divisão da cir- colar.
das à arquitetura, em particular religiosa, Projetar e construir, em papel de cenário
em conjunto com EV, que possam ser tra- cunferência, e explorar os conceitos de si- ou em tecido, uma mandala que simbolize Apoiar cada uma das disciplinas nas pes-
balhadas em Mat. metria e de rotação, em conjunto com EV, o equilíbrio dinâmico dos ecossistemas, quisas necessárias.
Comparar rosáceas e mandalas. conjugando matemática e arte. usando padrões que simbolizem biodiver-
Registar, num diário, as etapas de constru- sidade ou o meio ambiente, para decorar a
ção das mandalas, incluindo as decisões e escola e sensibilizar para a importância de
opiniões, com EV. um desenvolvimento sustentável.

Educação Física
Físico-Química Contribuir para a reflexão de CD, sobre ati-
Enriquecer a pesquisa feita em Hist, sobre vidades desenvolvidas em círculo, pesqui-
o impacto das rosáceas coloridas na arqui- Geografia sando sobre danças e jogos em círculo.
Educação Visual
tetura e monumentos, compreendendo Contribuir para a elaboração da mandala a Criar um ritual de início e/ou de final da
que o vidro adquire cor a partir da luz do Pesquisar, com CD, o que são mandalas e
desenvolver em CN, a partir da reflexão aula, a partir de uma roda, fazendo uma
Sol que se refrata nele. qual o seu simbolismo enquanto imagem.
sobre: dança ou alguns exercícios de respiração.
Abordar o fenómeno da cor e como a cor Discutir o propósito dos livros de mandalas
– situações de equilíbrio ou rutura entre a Coreografar uma mandala humana, para
de um objeto depende da luz com que o para colorir, em colaboração com CD.
população e os recursos naturais, pela apresentar no dia da inauguração da man-
iluminamos, em conjunto com EV. Iluminar Colorir as mandalas desenhadas em Mat, ação de fatores naturais e humanos;
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

dala decorativa da escola.


as mandalas com luzes de cores diferentes usando diferentes técnicas e materiais. – soluções para a gestão pacífica e susten-
e observar os efeitos. Analisar o impacto visual das mandalas ela- tável dos conflitos entre exploração de
boradas, discutindo o simbolismo da cor. recursos naturais e a população.
Planear a inauguração da mandala decora-
tiva da escola.

54 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 55


Visite a nossa região! Objetivos
 Conhecer e promover a região onde a escola se insere e valorizar a ÁREAS DE COMPETÊNCIAS
comunidade. DO PERFIL DOS ALUNOS
 Agir com vista ao cuidado e à preservação da Natureza e do patri-
Produto final A B C D E
8. ano
mónio material e imaterial.
o
 Elaboração de um «pacote» turístico – folheto, slogan, vídeo promocional e  Promover, com a nossa região, a pertença a uma comunidade global
roteiros turísticos – para promoção da região onde a escola se insere. planetária. F G H I J

Cidadania e Desenvolvimento Geografia Inglês


Debater na turma: O que sabemos sobre a Debater fatores que influenciam o turismo,
região da nossa escola? Como podemos formas de turismo e seus impactes.
Propor a inscrição da escola na comuni- Físico-Química
dade eTwinning, para partilha de conheci- Identificar fontes de poluição sonora na re-
dá-la a conhecer e torná-la património de Reconhecer características culturais e das mentos e contacto com outras culturas gião onde a escola se insere; recorrer a so-
todos? Porque é importante dar a conhecer atividades económicas que conferem sin- (com TIC). nómetros e medir os níveis de poluição so-
a nossa região? gularidade à região da escola. Representá-
Pesquisar escolas inglesas para conhecer nora nesses locais.
Decidir, por brainstorming, como promover -las num mapa a incluir no folheto de Port.
detalhes da sua cultura que possam com- Avaliar criticamente os resultados obtidos
turisticamente a região – slogan, vídeo e fo- Determinar a acessibilidade dos lugares parar-se. e antecipar as consequências nos percur-
lheto informativos, roteiros turísticos, anún- propostos nos roteiros, identificando
cios nos media regionais, etc. Adequar e traduzir a informação do fo- sos dos roteiros; propor alterações de per-
redes de transportes e outros serviços e si-
lheto pensando no que é apelativo para curso, se necessário.
Planear a estratégia de divulgação. mulando redes topológicas; propor altera-
turistas estrangeiros.
ções de percurso, se necessário.
Incluir recomendações meteorológicas e
de indumentária e calçado, nos roteiros, em
função da estação do ano.
Português Ciências Naturais
Criar o slogan e o texto do folheto e anún-
Língua Estrangeira II
Discutir os impactes da exploração e trans-
cios, convocando os conhecimentos sobre Pesquisar escolas de países que falem a
formação dos recursos nos ecossistemas
os tipos de texto publicitário e informativo. língua estudada – se possível não euro-
da região onde a escola se insere e propor
peus – para contactar e conhecer detalhes
Pesquisar obras literárias representativas medidas de promoção da sua sustentabili-
Educação Física da sua cultura que possam comparar-se.
da região e ler e analisá-las. dade.
Em pareceria com Ing, descobrir uma es-
Propor roteiros literários que as integrem. Identificar desportos ou modalidades radi- Explicitar medidas de proteção e conser-
cola, ou região, «geminável» com a nossa!
cais que a região pode oferecer. vação da Natureza e pesquisar informação
Elaborar roteiros de turismo de aventura relativa a Áreas Protegidas em Portugal.
para realização dessas atividades. Propor roteiros turísticos baseados na pro-
Definir e testar os percursos dos roteiros, teção da Natureza ou na utilização de re-
utilizando técnicas de orientação, respei- cursos naturais (Áreas Protegidas, produ-
História tando as regras e preservando o ambiente. ção de energia verde, etc.).
Conhecer a história das instituições locais Matemática
e os edifícios onde funcionam. Pesquisar o Orçamentar o custo de produção do fo-
património edificado (seriá-lo por tipo, lheto atendendo, entre outros, ao valor a
época, etc.) e o património cultural e ima- pagar por direitos de uso de imagens ou
terial e caracterizá-los. textos e à quantidade a imprimir.
Educação Visual Tecnologias de Informação
Elaborar roteiros turísticos culturais basea- Fazer uma estimativa do custo de cada ro-
Refletir sobre as manifestações do patrimó- e Comunicação
dos nos edifícios (por exemplo, «Conhecer teiro e da sua duração e catalogar os rotei-
nio local e projetar o design do folheto, pro-
o Barroco»), incluindo, se possível, outros ros em intervalos que poderão ser quanti- Recolher imagens e sons (com o apoio de
curando, com ele, aliciar para a visita à re-
pontos de interesse – reservas naturais, tativos ou qualitativos. FQ) da região, usando as tecnologias digi-
gião e ao que ela encerra.
PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

PROJETOS 8.º ANO © RAIZ EDITORA

museus, etc. – e outras riquezas regionais – Estudar isometrias em padrões locais, re- tais mais adequadas e eficazes.
gastronomia, folclore e outras manifesta- Colaborar nos roteiros de turismo cultural,
colhidos em calçadas, azulejos, vitrais… Produzir o vídeo promocional e apoiar a
ções. caracterizando as obras de arte no que res-
Usar estes padrões nos materiais turísticos conceção do folheto, em português e in-
peita aos estilos, movimentos, ruturas e in-
promocionais. glês.
tencionalidades.

56 Projetos interdisciplinares | 8.º ano Projetos interdisciplinares | 8.º ano 57

Você também pode gostar