Você está na página 1de 3

O que é um redutor?

O redutor é um acoplamento de engrenagens ou polias


destinada a aumentar a “força” do motor. Você pode imaginar que o
redutor é igual ao câmbio de um carro só que ele só tem uma
marcha. Porque fazer um redutor? A resposta é simples:
Para aumentar a “força” do motor e poder utilizar uma hélice
maior e de passo maior.
A potência de entrada é igual à potência de saída. Se
um motor tem 50 HP antes da redução depois da redução ele ainda
fornece 50 HP para a hélice. Este é o principio da conservação de
energia e é um dos princípios mais fundamentais da natureza, da
Física, do Universo, ele sempre é válido em todo tipo de sistema, é
impossível violar este princípio se você fez algum calculo que
aumentou a potência você errou suas contas.
Eu coloquei isto em vermelho para que você tenha em mente
que isto é sempre válido não há nenhuma exceção a esta regra em
nada do que você possa imaginar. Agora você deve estar pensando
se a potência é a mesma qual é a vantagem do redutor? A vantagem
do redutor é que ele aumenta o torque do motor, ou seja, ele
aumenta a “força” do motor e é isto que importa. Lembre-se que a
potência é dada pela fórmula:
Potência = Torque x Velocidade Angular
Então
P1 = T1. W1
P2 = T2.W2
P1 = P2
Então:
T1.W1 = T2.W2
É aqui que você vê uma coisa interessante do redutor se o
torque T2 aumenta a velocidade angular W2 (o RPM) diminui de
forma que o produto T2.W2 seja constante e igual ao produto
T1.W1, este é o princípio da conservação de energia e como você
verá servirá para explicar vários problemas quando chegarmos parte
prática.
É impossível construir um redutor que aumente o torque e
aumente o RPM ao mesmo tempo, se o torque aumenta o RPM
diminui se o RPM aumenta o torque diminui. Espero que você
acredite nisto e não perca seu tempo tentando imaginar um redutor
que aumente o torque e aumente o RPM porque você não vai
conseguir fazer devido às leis da Física que são sempre válidas em
qualquer ocasião. Para seu conhecimento desde 1640 vários
cientistas tentaram construir algum tipo de máquina que viole o
principio da conservação de energia, a chamada máquina de
movimento perpétuo, todos falharam por um motivo é impossível
fazer esse tipo de máquina.
Resumindo, se você tem um motor “fraco” e quer aumentar a
“força” dele você deve usar um redutor. Se você tem um motor
“forte” e quer aumentar o RPM dele então você deve usar um
“aumentador”
1.4.2 INSTALAÇÃO PROPULSORA COM MOTOR DIESEL
Nos navios de carga de grande porte em que são requeridas
elevadas
potências, a solução mais generalizada é a propulsão directa com motores
diesel de dois tempos lentos, com regimes de funcionamento de 70 a 200
rpm, os quais em regra aumentam à medida que as potências propulsivas
diminuem.

Quando se utilizam motores diesel de média rotação para potências


elevadas, adopta-se a propulsão indirecta, o que implica a adopção de
uma caixa redutora entre estes e a linha de veios onde está montadoo
hélice, por forma a que os limites de rotação deste se situem entre 170 a
225 rpm
Nos navios de média dimensão e também nos navios de pesca,
devido
aos seus próprios condicionalismos, a propulsão efectua-se
normalmente por motores diesel de média rotação que operam
entre 200 e 600 rpm.
Os “HIDROFOILS” e “OVERCRAFTS”, que são embarcações ligeiras
de alta
velocidade, são normalmente propulsionados por motores diesel rápidos
(mais de 600 rpm), os quais também são utilizados em funções auxiliares
nos navios mercantes para a produção de energiaeléctrica.