Você está na página 1de 8

METODOLOGIA CIENTÍFICA

Profº. Ronilson de Souza Luiz

A POSSIBILIDADE DE PENHORA DO
SALÁRIO DO SÓCIO EXECUTADO NO
ÂMBITO DA JUSTIÇA DO TRABALHO,
COMO MEIO DE SALDAR O CRÉDITO
TRABALHISTA

LAÍS CRISTIANE PEREIRA


2

SÃO PAULO
2009

TEMA

O presente trabalho abordará como tema a possibilidade de penhora incidente sobre


conta bancária proveniente de salário de sócio executado, nos autos de uma ação
de reclamação trabalhista, em fase executória, diante da ausência de outros bens
existentes em nome de citados sócios.

Tal estudo faz-se necessário, para poder se obter um novo meio de solução da
execução, caso seja aplicada à interpretação sistemática que possibilita um novo
enfoque sobre a aplicabilidade subsidiária (bem como a sua vedação) do art. artigo
649, IV, do CPC no campo do Direito Processual Trabalhista.

DELIMITAÇÃO DO OBJETO

Considerando as inúmeras dificuldades que os reclamantes têm enfrentado na


Justiça do Trabalho, para receberem os créditos alimentares resultantes de suas
relações de trabalho, ocorreu uma modernização e ampliação nos meios e métodos
jurídico-processuais, para localizar bens em nome dos sócios executados e com isso
saldar a execução trabalhista.

E algumas dessas diversificações, podem ser constatadas como por exemplo, com o
surgimento da penhora via Bacen-Jud (convênio entre o TRT e o Banco Central para
localizar contas correntes, aplicações financeiras ou quaisquer dividendos financeiros
em nome dos sócios executados), expedições de ofícios a diversos órgãos e
Tribunais para localizarem bens existentes em nome dos sócios executados, dentre
outras medidas.

Assim, o presente estudo tem por finalidade avaliar se é possível, dentro do


Ordenamento Jurídico Brasileiro (de uma forma sistemática), se existem
possibilidades contra (e a favor) da aplicabilidade da penhora da conta salário do
sócio executado, ainda que de forma parcial, em decorrência de crédito trabalhista.
3

HIPÓTESE

A importância do tema proposto, cinge-se ao aspecto legal, de poder ser realizada a


penhora de conta salário do sócio executado, nos autos de uma ação trabalhista,
que está em fase executória, quando não existem meios para o reclamante
conseguir obter o percebimento do seu crédito.

Para tanto, iremos analisar os aspectos legais, formais, as possibilidades jurídicas e


alguns entendimentos de Doutrinadores e da Jurisprudência dos Tribunais
especializados acerca do assunto, para podermos responder à indagação: É
possível ou inconstitucional a penhora de conta salário de sócio executado, quando
inexistem outros meios para saldar o crédito trabalhista?

OBJETIVOS

Objetivo Geral

Referido objetivo visa justamente ao se realizar uma pesquisa de interpretação


sistemática, verificar se poderá ser aplicado no âmbito dessa Justiça do Trabalho, a
penhora sobre a conta salário de sócio executado, para saldar o crédito trabalhista,
bem como, os potenciais efeitos dali decorrentes, ou seja, se em nome de uma
maior efetividade do processo, quais efeitos poderão advir de citada penhora poderá
violar direitos do executado, assim como os efeitos decorrentes.

Objetivos Específicos

Como objetivos específicos, poderão ser observados os aspectos


abaixo indicados:
• Analisar de forma sistemática a legislação à respeito da penhora de salário;
• Verificar a constitucionalidade ou não de mencionada medida, assim como as
conseqüências de referida aplicação;
4

• Constatar os entendimentos adotados pelos Doutrinadores, juristas e os


Tribunais sobre mencionada matéria;
• Discutir os aspectos positivos e os contrários a referida penhora.
JUSTIFICATIVA

Para os operadores do Direito, em especial aqueles atuantes perante a Justiça do


Trabalho, que defendem os interesses em nome do Reclamante, tem encontrado
inúmeras dificuldades de obterem o crédito trabalhista do seu cliente, durante a
duração normal de um processo.

Isso porque, geralmente as empresas encerram suas atividades de maneira abrupta,


em outros casos criam-se grupos econômicos difíceis de se constatar
documentalmente, sem mencionar que na maioria das vezes alguns sócios
executados não dispõem de bens livres e desembaraçados de ônus que podem ser
penhorados para que se resolva mencionada execução trabalhista.

Diante dessa forma, com o presente estudo, visamos apresentar mais uma
alternativa a ser adotada em referida execução, que poderá ser um tema de
relevância em citada seara jurídica, bem como poderá contribuir e muito para a
redução do tempo de espera do crédito trabalhista, por parte do obreiro.
5

REVISÃO DA LITERATURA

Como se trata de um tema recente, inexiste legislação específica sobre a questão,


motivo pelo qual se faz necessário realizar de uma forma sistemática, referida
pesquisa, para poder salientar alguns aspectos relevantes nas obras de diversos
autores sobre assuntos próximos e com isso, auxiliar a um maior entendimento
sobre a questão.

Dessa maneira, citada pesquisa iniciar-se-á desde a análise da Carta Constitucional


até artigos recentemente publicados nos mais variados locais de pesquisa (internet,
TCC, Monografias e Jurisprudências).

No entanto, como fundamento de citada pesquisa, ou seja, como fonte de partida


para a pesquisa a ser realizada (e não única) poderemos indicar os seguintes
autores:

• Arnaldo Süssekind, em seu livro “Direito Constitucional do Trabalho“;


• Garrigues, em seu livro “Jusprático laboral e segurança social, 2007”;
• Tarso Fernando Genro, em seu livro “Direito individual do trabalho: uma
abordagem crítica”;
• Coqueijo Costa, em seu livro “Doutrina e jurisprudência do processo trabalhista”.

Frise-se que citadas obras acima indicadas não esgotam a pesquisa a ser realizada,
pelo contrário, mas indicam um norte, no sentido de citados autores informarem com
maior precisão o tema proposto.
6

METODOLOGIA

Como fonte metodológica, utilizaremos pesquisa bibliográfica, composta por livros,


artigos e jurisprudências para se obterem as posições existentes sobre o tema
proposto.
7

BIBLIOGRAFIA

Livros:

CARRION, Valentin. Comentários a Consolidação das Leis do Trabalho. 33ª ed.atual.por


Eduardo Carrion. São Paulo: Saraiva, 2008.

COSTA, Coqueijo. Doutrina e jurisprudência do processo trabalhista. Texas: Editora


Edições LTr, 1978.

GARRIGUES, Jusprático laboral e segurança social. Coimbra Editora: 2007.

GENRO, Tarso Fernando. Direito individual do trabalho: uma abordagem crítica.


Editora LTr, 1985.

LEITE, Carlos Henrique Bezerra. Curso de direito Processual do Trabalho. 5ª ed., São Paulo:
LTr, 2007.

SÜSSEKIND, Arnaldo. Direito Constitucional do Trabalho. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.


8

Você também pode gostar