Você está na página 1de 19

1

O modelo de jogo de Jurgen Klopp


(Um Liverpool no melhor estilo Rock'n'Roll)
Por Gabriel Mieli Fortuce

Licença de uso

Todos os direitos reservados. Este livro não pode ser compartilhado sem o consentimento do
autor.

2
Quem sou eu?

Antes de mais nada gostaria de dizer obrigado por você ter baixado este livro,
ele é feito para quem quer entender como Jurgen Klopp pensa e como sua
equipe executa o jogo, e então poder aplicar as ideias aqui contidas na prática,
tê-lo como uma ferramenta de consulta ou como algo a mais para elevar o seu
QI sobre o jogo de futebol.
Meu nome é Gabriel Mieli Fortuce, sou nascido em 03/08/1995 em Limeira-SP.
Estudo futebol desde os 14 anos no mais alto nível, leio uma infinidade de
livros e artigos todos os dias para passar o mais próximo possível do melhor
que há no futebol para aqueles que me acompanham no Instagram e também
para adquirir cada vez mais conhecimentos para a minha prática como futuro
treinador de futebol.
Como torcedor e estudioso me encanto pelo trabalho deste alemão de estilo
Rock ‘n’ roll que aparece em frente ás câmeras sempre enérgico, desde o seu
início no Borussia Dortmund, quando passei a acompanha-lo e estudar em
profundidade sua linha de trabalho e seu modelo em diferentes circunstâncias,
até a montagem praticamente do zero desta equipe atual do Liverpool, onde fui
a fundo para ser o mais fiel, justo e imparcial possível nesta detalhada análise.
Assisti mais de 50 jogos, li mais de 10 artigos e assisti mais de 50 conferências
de imprensa para trazer o melhor. Espero que você desfrute o máximo que
puder do conteúdo que lerá.

3
O que você encontrará neste livro?

Neste livro você conhecerá a fundo o modelo de jogo de Jurgen Klopp, com
foco na temporada 2018-19
Você irá saber todos os segredos do ataque extremamente rápido e da
sufocante pressão defensiva deste time do Liverpool, também irá entender a
forma magistral como essa equipe transita de maneira extremamente rápida e
efetiva para o campo rival.
Klopp, como bom alemão gosta de um jogo de intensidade. Aqui também vou
te explicar como essa equipe reage de maneira extremamente intensa logo
quando há a perda da posse de bola.
Os Reds fazem muitos gols de bola parada também, principalmente por conta
de Van Dijk, você saberá como isso ocorre. Também saberá a efetiva maneira
da equipe defender-se de bolas paradas rivais.
Desfrutem ao máximo!
Introdução............................................................................................Página 5
Capítulo 1: Organização defensiva......................................................Página 7
Capítulo 2: Transição ofensiva.............................................................Página 10
Capítulo 3: Organização ofensiva........................................................Página 12
Capítulo 4: Transição defensiva...........................................................Página 14
Capítulo 5: Bola parada ofensiva.........................................................Página 15
Capítulo 6: Bola parada defensiva.......................................................Página 17
Conclusão............................................................................................Página 18

4
O modelo de jogo de Jurgen Klopp
(Um Liverpool no melhor estilo Rock'n'Roll)

Introdução
Jurgen Klopp caracteriza-se por ser um treinador enérgico à beira do campo, e
seu estilo de vestir-se, agasalho e tênis, com a barba por fazer encantam. Mas
seu estilo de jogo reflete sua personalidade, por mais estranho que isso
pareça, Klopp gosta que seu time seja o mais enérgico possível, sua pressão
pós perda, e pressão em organização defensiva, além de seu ataque rápido
nos mostram isso.

Este livro vai partir do princípio que a escalação da equipe seja no esquema
tático inicial 4-1-4-1, pois é o esquema utilizado em mais de 90% dos jogos da
temporada 2018-19, claro que houveram variações para o 4-2-3-1,
principalmente quando Sahqiri participa do jogo. Porém o objetivo deste
material é fazer você entender a maneira como a equipe joga na maior parte
das partidas, pois se fôssemos considerar as variações pontuais, que ocorrem
em todo o modelo, eu teria de fazer um livro para falar de cada uma delas.
Na literatura há 2 teorias sobre as fases do jogo, uma coloca que as fases são
as seguintes: Organização defensiva, organização ofensiva, transição
defensiva, transição ofensiva, bola parada ofensiva e bola parada defensiva.
Portanto seis fases.
5
A outra teoria é parecida com a primeira, porém não utiliza a bola parada em
dois momentos, consideram os momentos de bola parada ofensiva e defensiva
como um só.
Como no futebol não há certo nem errado, e não é uma ciência exata isso dá-
nos o direito de escolher qual teoria queremos, e para fazer este livro utilizei a
primeira teoria, na qual sou adepto, portanto este material está dividido em seis
partes, cada uma delas corresponderá a uma fase do jogo do Liverpool.

6
Capítulo 1: Organização defensiva

Esta fase subdivide-se em três, tudo depende do momento do jogo e de onde o


adversário circula a bola.
Pressão posicional: Tudo se inicia por ela, é aplicada durante o tiro de meta
ou quando a bola consegue chegar limpa aos zagueiros adversários após uma
bola longa ganha. Como o próprio nome diz, é o tipo de pressão mais estática
das 3, pois a equipe de Klopp apenas cerca seu rival. Mané e Salah
posicionam-se entre os zagueiros e laterais rivais, qualquer um desses 2
adversários que receber já leva pressão, Firmino fica entre os zagueiros e o
volante mais recuado, cortando esta linha de passe, o resto da equipe
persegue individualmente o rival (geralmente laterais encaixam nos pontas
rivais, zagueiros ficam de olho no centroavante, os meias cercam os volantes
rivais e o volante mais recuado fica na sobra).

Salah e Mané entre os zagueiros e laterais, Firmino entre os zagueiros e o volante rival, o
volante (Henderson ou Fabinho) faz a sobra e o resto da equipe fica nos encaixes individuais.

7
Salah e Mane entre zagueiros e volantes, Firmino (em vermelho) fecha a linha de passe entre a
primeira e a segunda linha, os meias encaixados nos volantes rivais e o volante dos Reds na
sobra.

Pressão em intensidade máxima: Este tipo de pressão é aplicado quando a


bola chega recuada para o goleiro e para os zagueiros vinda dos volantes ou
laterais rivais, ela é extremamente sufocante. O objetivo dela é diminuir o
tempo e o espaço de ação do rival, forçando-o à bola longa. É feita por
encaixes, porém aqui a única ordem para a realização destes é: Marque o rival
que esteja mais próximo de você, incluindo o goleiro.

Aqui o rival não “respira”, cada um deve encaixar no adversário mais próximo e “sufoca-lo”.

8
Pressão em bloco médio- baixo: Quando o rival consegue fugir da pressão e
faz a bola chegar em seu campo ofensivo a equipe de Klopp organiza-se em
um compacto 4-3-3, marcando em zona. Quando a bola está no meio os
pontas ficam a um passo à frente dos meias, quando o rival leva a bola para
um dos lados o ponta correspondente tem a função de pressionar e fechar
linhas de passe, e o extremo do lado oposto descansa e continua adiantado
para iniciar a corrida para um possível contra-ataque. O foco é fechar as linhas
de passe pelo meio e induzir o rival a jogar por fora, onde há menos opções
para agir (a linha lateral diminui a angulação de jogo de quem tem a bola,
portanto é mais difícil de sair de uma pressão por ali do que pelo meio), e então
pressiona-lo com superioridade numérica.

Liverpool em um 4-3-3 bem compacto.

Bola chegou em Ribery pelo lado e ele já está cercado por 3 jogadores do Liverpool.

9
Capítulo 2: Transição ofensiva

O foco da equipe de Anfield nesta fase do jogo é contra-atacar. A maneira que


Jurgen Klopp acredita a ser melhor para isso é fazendo a bola chegar o mais
rápido possível no trio de frente. Portanto a bola longa ocorre frequentemente,
seja em profundidade para Salah e Mané ou então para que Firmino faça o
pivô e gire rápido para acionar os dois pontas, de preferência entrando em
diagonal.

Alisson tem um papel fundamental por aqui, pois o goleiro titular da seleção
brasileira possui uma capacidade incrível em repor a bola com velocidade e
precisão para o trio da frente enquanto o rival está desorganizado por ainda
não ter entrado em organização defensiva.

10
As reposições de Alisson frequentemente ultrapassam o meio de campo e são uma ótima arma
para o contra-ataque do Liverpool.

Após a bola ter chegado no trio da frente as jogadas se desenrolam


esporadicamente, aproveitando o entrosamento de 2 temporadas que
possuem.

11
Capítulo 3: Organização ofensiva

O ataque do Liverpool é chamado de ataque rápido, como o próprio nome diz,


aqui o foco é chegar ao gol o mais rápido possível, dando o máximo de passes
verticais possíveis, lançamentos longos em profundidade também estão
valendo.
As jogadas de Firmino ocorrem tal como falamos na transição ofensiva,
recebendo sempre com o foco de quebrar a linha defensiva adversária ao atrair
um componente da mesma, e então acionar os pontas entrando em diagonal,
aproveitando que jogam no lado oposto aos pés em que mais usam, Salah é
canhoto e joga na direita e Mané é destro e joga na esquerda. Tudo isso fica
claro na imagem abaixo:

Porém nesta fase do jogo o adversário já está em organização defensiva, então


exige-se mais paciência para que as jogadas possam fluir, consequentemente
a participação de mais jogadores também:
Os meias que Jurgen Klopp usa em seu modelo são aqueles que chamamos
de box- to - box, possuem este nome pelo fato de serem muito hábeis em
surgir como elemento surpresa na área ou pegarem a segunda bola vinda de
um cruzamento que não deu certo, e depois retornarem rapidamente para
recompor quando o jogo exigir. Nomes como Wijnaldum, Chamberland, Milner
e Henderson se adequam a este perfil e por isso jogam sempre que possível,

12
porém não possuem tanta visão de jogo, o que os tornam contestáveis por
muitos críticos.

Os 2 meias participando da jogada: Wijnaldum entra na área vindo de trás como elemento
surpresa, enquanto Lallana espera uma possível segunda bola.

Os laterais sobem ao mesmo tempo, gerando muita amplitude no campo,


permitindo viradas de jogo e consequentes avanços no lado oposto
(amplitude), ás vezes trocam de posição com os pontas ou com algum
elemento de meio, e chegam à área de finalização.

Laterais bem abertos, gerando amplitude. Uma arma que Klopp usa constantemente para gerar
espaços nas defesas rivais.

13
Capítulo 4: Transição defensiva

Klopp busca ganhar a bola o mais rápido possível e o mais próximo possível de
onde perdeu, evitando que o rival tenha espaço e tempo para encontrar um
companheiro próximo ou até mesmo de dar um chutão para frente, pois o
objetivo é continuar atacando como se o ataque não fosse interrompido. Assim
o jogador do Liverpool não precisa gastar energia em recomposição, claro que
há momentos em que o rival escapa desta pressão e a recomposição é
obrigatória, mas o objetivo é evitar ao máximo isso. Esta pressão pós perda é
feita através de superioridade numérica, os jogadores que estiverem mais
próximos do rival que roubou a bola devem pressiona-lo até que a posse seja
retomada novamente, portanto frequentemente há situações 3 x 1 ou 2 x 1, o
que dificulta e muito para o rival.

Duelo 2 x 1 após a perda da posse de bola. Objetivo é sempre criar superioridade numérica
para recuperar a bola o mais rápido possível.

14
Capítulo 5: Bola parada ofensiva

A maioria das equipes marcam de maneira mista, ou seja, alguns jogadores


marcam uma determinada zona e outros marcam o homem, o desafio maior
quando se marca assim é fugir do homem. Jurgen Klopp sabe disso então
posta os jogadores responsáveis por atuar dentro da área, inicialmente, de
maneira amontoada, pois assim fica mais difícil de os marcadores rivais
encaixarem em cada jogador dos Reds. No momento em que a bola é lançada
na área os jogadores se redistribuem, e cada um é responsável por ocupar um
espaço predeterminado, e com o adversário já sem controle do homem que
deveria marcar, a bola fica muito mais fácil de ser atacada. Caso a bola seja
rebatida da área há sempre alguém responsável por disputar a segunda bola
ainda próxima à área.

Time inicialmente amontoado, o que dificulta a marcação rival.

A bola é cruzada na área e uma nova distribuição ocorre.

15
No exemplo acima tem-se cinco jogadores na área, um responsável pela
segunda bola, um responsável por uma possível cobrança curta e dois, que
nem aparecem na imagem, para matar um possível contra-ataque rival. Vale
ressaltar que essa disposição pode mudar a depender do jogo ou do
adversário, porém a essência é sempre a mesma. Esta é a fase do jogo mais
mutável dos Reds.

16
Capítulo 6: Bola parada defensiva

Os Reds fazem uma marcação mista, o número de jogadores que marcam o


homem varia de acordo com as características do adversário, assim como a
quantidade de jogadores que marcam o espaço. A vantagem deste tipo de
marcação é de haver possibilidade de os jogadores chave da equipe rival
serem marcados de perto sem terem o poder de mover a equipe marcadora
para um local estratégico da área para gerar espaços em outros, pois há
espaços protegidos por conta de ainda haver marcação zonal. Assim como a
maioria das equipes que de alguma maneira marcam em zona, a equipe do
Liverpool marca em forma de letra “L” com os seus jogadores responsável por
fechar espaços chave de seu próprio gol, o primeiro pau passa a ser onde há
proteção maior, com 2 jogadores dispostos em fila e atrás do jogador mais à
frente desta fila há uma outra fila, formando assim a letra “L”.

Aqui tem-se 4 jogadores marcando homem (preto) e 5 marcando uma zona específica
(vermelho).

Aqui a proporção já é de 3 jogadores marcando homem (preto) para 7 que marcam zona
(vermelho).

17
Conclusão

Se você chegou até aqui, parabéns. Você acaba de descobrir os detalhes por
trás do jogo de um dos treinadores de maior sucesso no mundo e está apto à
leva-lo como influencia para as suas atividades de treinador, analista, e
espectador apaixonado pelo esporte.
Lembre-se de nunca separar as fases do jogo, pois elas são unidas e uma está
totalmente de encontro com a outra, a separação foi feita apenas para fins
didáticos.
Você tem um tesouro em mãos, NINGUÉM no Brasil vai fornecer um material
como este de maneira gratuita, guarde-o e consulte-o sempre quando precisar,
pois ele foi feito de maneira bem prática para isso.
Viva o futebol!

Abraço!

18
Sigam-me nas redes sociais onde posto muitos conteúdos sobre futebol no
mais alto nível, sempre com o propósito de ajudar as pessoas a entenderem o
jogo de em detalhes:

@entrelinhasdojogo.

Se você gosta de desenvolvimento pessoal, e gostaria de entender melhor as


relações entre mente, cérebro e comportamento sigam-me por este Instagram:

@gabrielfortuce

Para contatos profissionais basta chamar-me no direct.

19