Você está na página 1de 2

Você permite que seu filho seja seguro?

Muito se fala que o mundo adulto é recheado de preocupações como: afazeres,


responsabilidades, estresse, trabalho, financeiro, etc. São os ladrões de noites de sono
muitas vezes, mas você já pensou em como seu filho sente essas flutuações? O que no
mundo dele o tenha deixado inseguro, pois sim, ele será o adulto de amanhã, e ele sofre
com o estresse diário, com a falta de segurança e as vezes com depressão e outros
transtornos.

As crianças, principalmente as menores de 6 anos, ainda não conseguem lidar com


as emoções muito bem e algumas situações sociais, o que podem as tornar frágeis e
manipuláveis, tanto física quanto emocionalmente. O que é normal, pois não nascemos
com todas as respostas para as situações, aprendemos conforme vamos as vivenciando,
errando e acertando. Para além, as crianças absorvem tudo o que está ao seu redor, que
vai de uma frase dita aos sussurros entre os pais até algo não dito em palavras, mas pelo
comportamento. Por exemplo: discussões na família, falta de atenção pelo pais, podem
causar grande insegurança nas crianças. Você dá a devida atenção ao seu filho? Se
preocupa com as preocupações dele?

Aos olhos adultos, muitas das coisas que deixam os filhos aflitos nos parece
besteira, e as vezes são, mas para eles não são, e quando os pais não conseguem se
comunicar com os filhos, os mesmos acabam “se virando como podem” com tais
situações, onde geralmente não é a forma mais saudável, apenas a qual eles tinham
disponível. Desta forma, as crianças não tem alguém para dizer o “certo” ou “errado”,
deixando-as inseguras e ansiosas quanto a tais questões.

Como ajudo meu filho a superar a insegurança?

O mais importante é sempre mostrar-se disponível e acessível à criança, estender


a mão, mostrar-se aberto e também mostrar as suas próprias vulnerabilidades. Caso isso
não seja feito, provavelmente, a criança se tornará um adolescente inseguro (no meio do
turbilhão que já é a adolescência) e ainda um adulto inseguro.

Fatores que apontam para uma criança insegura:

Psicóloga Clínica Marjana Thomé Damm


CRP|07/27269
Rua Horizontina, nº 485 Sala 2 – Três de Maio – RS
(55) 9.99643354 / (55) 9.9696-6296
- Acaba sendo dependente no quesito higiene pessoal, acostumado a deixar tudo
na mão dos pais, para que os mesmos façam por ele com alegações do tipo: -Não sei, não
consigo, me ajude (pais acabam fazendo tudo);

- Comportamento emocional instável, onde a irritabilidade, desobediência e


agressividade são pontos altos do comportamento. Comportamento do tipo: pega os
brinquedos e não os guarda; faz “birra” (choro, gritos e se joga no chão) em locais
públicos quando é contrariado; joga ou quebra coisas quando está chateado;

- Durante brincadeiras acaba sempre fazendo o papel de crianças, onde “atua” ou


demonstra ter medo ou ainda repete muitas vezes o mesmo jogo;

- Tem medos irracionais;

- Fala durante a noite, sofre de insônia, pede para dormir com os pais ou no quarto;

- problemas de concentração na escola;

Para (não) finalizar...

Uma criança insegura precisa que seus pais fiquem ao seu lado, lhe dêem apoio,
o que não quer dizer que façam suas vontades. Dar apoio é conversar, explicar
sentimentos, explicar o motivo de se estar triste, de uma forma clara, simples e objetiva,
é tratar da autoestima da criança, que é tão preciosa nestes estágios do desenvolvimento,
pois estes serão à base da criança para a vida adulta e como ela resolverá seus problemas
futuros. Brigar com a criança não traz grandes benefícios, muito menos castigos físicos,
a criança precisa ver os pais como aliados, não como inimigos. A autoestima é
importantíssima na constituição da criança e quando afetada, mesmo depois de adulto é
difícil tratar.

Todos nós já fomos crianças um dia, mas nos esquecemos da importância das
primeiras experiências em nossas vidas, nos esquecemos da importância de que teve tudo
que vivemos nesta etapa.

Caso você não saiba como agir com seu filho, busque ajuda especializada, busque
informações junto aos professores, escola, e a psicólogos(as). Possibilite ao seu filho ser
a melhor versão de si mesmo.

Psicóloga Clínica Marjana Thomé Damm


CRP|07/27269
Rua Horizontina, nº 485 Sala 2 – Três de Maio – RS
(55) 9.99643354 / (55) 9.9696-6296