Você está na página 1de 14

Data do jogo: 07/03/2018

Data de Nascimento: 19/09/1985


Nome: Maria Alice Santos Pinto
Odù de nascimento: Òtùrásé
Òrìsà: Osógiyan
Características do Odù de nascimento
O Odù Òtùrá dota os que estão sob sua regência, de um
caráter ardente e apaixonado, ao mesmo tempo ensina-os a
temperar seus arrebatamentos, proporcionando-lhes
raciocínio e reflexão. A sensibilidade artística é um dos traços
marcantes dos regidos por Òtùrá; mesmo quando não
exercem nenhuma atividade no campo da arte, sabem
apreciá-la. São classicistas em suas preferências, buscando
sempre a perfeição da forma, a harmonia das cores e do ritmo.
Os que nascem sob esse Odù, geralmente são muito delicados
e afáveis e apreciam imensamente a vida social. Corteses no
trato e possuindo uma personalidade agradável e ardente,
fazem muitos amigos facilmente e sabem conservá-los.
Sensibilidade artística, emotividade, compreensão e justiça
são as principais qualidades dos regidos por Òtùrá; vaidade,
orgulho, indiferença, egoísmo e sensualidade podem se tornar
alguns vícios característicos proporcionados por este Odù.
Estas pessoas normalmente podem escolher ou combinar a
ciência e a arte, pois possuem a potência intelectual exigida
pela primeira assim como a sensibilidade requerida pela
segunda. Os regidos por Òtùrá, apesar de sua estabilidade
intima em relação a família e as afeições e amizades, são
ardentes mas inconstantes em suas ações e reações no
mundo exterior. Apaixonam-se por determinadas atividades,
mas mudam de idéia com uma facilidade espantosa. Em
virtude desta perseverança em suas atividades, e do amor ao
conforto e ao luxo, raramente desfrutam de equilíbrio
financeiro em sua vida; antes que um negócio começe a dar
certo, quase sempre o abandonam, saindo em busca de outras
novidades; além de não possuírem instinto aquisitivo,
também não sabem economizar. Este odu governa os rins,
glândulas supra-renais, a região lombar e o sistema
vasomotor. Por esta razão, os regidos por Òtùrá, estão sujeitos
aos cálculos renais, diabetes, suspensão da urina, etc...
Também as nevragias, congestões cerebrais, vertigens e dores
de dente estão entre os problemas que os podem atingir. Os
tipos mais elevados regidos por Òtùrá possuem grande força
espiritual, são compreensivos, justiceiros e equilibrados. Sua
tendência mística é a orientação, isto é, a elevação espiritual
por meio da paz interior.
O Odù Òsé é a fonte de abundância e fertilidade no
mundo. Seu nome em Yorùbá (Òsé), significa sabão e evoca a
idéia de lavar-se, pois, Òsé comanda tudo o que é quebradiço,
quebrado, decomposto, malcheiroso, putrefato, como a
comida estragada e tudo o que se encontra em processo de
decomposição. O Odù possui na verdade, o poder de dobrar o
objeto antes de parti-lo em dois, por este motivo, é
representado esotéricamente, por uma Lua crescente com as
pontas viradas para baixo. Simbolicamente Òsé é associado
com a água fresca. Historicamente a cultura se desenvolveu ao
redor de fontes de água fresca. Ifá ensina que abundância e
fertilidade é a conseqüência do uso formal do poder da
palavra em oração (Gbadura). Ifá ensina a crença de que as
crianças são uma forma de abundância, Òsé inclui o fascínio
pelo erótico como uma expressão do desejo de procriar.
FRASE CHAVE: Òsé cria abundância através da oração. Òsé, na
melhor das hipóteses, o grande odu libertador, aquele que
desperta o iluminador que resolve a vida interior e exterior de
uma pessoa com tal intensidade que as coisas nunca mais são
as mesmas depois de sua atuação. Òsé simboliza uma força
que se manifesta como mudança repentina no padrão de vida,
alterações súbitas de consciência, lampejos de insight,
explosão de idéias e concepções originais. Sem sombra de
dúvida trata-se de um canal em que fluem forças poderosas
em direção à consciência. As mudanças radicais realizadas por
Òsé desorganizam o velho e organizam o novo. Òsé fornece
grande sensibilidade psíquica e força intuitiva além das
barreiras de espaço e tempo e além da sabedoria
convencional. Em seu aspecto negativo, Òsé confere àqueles
que estão sob sua regência uma intensa megalomania, orgulho
exaltado e total incapacidade de fazer alguém ou alguma coisa
progredir, pois neste aspecto é que Òsé é o odu da
decomposição e degeneração, aspectos estes imprescindíveis
ao ciclo da vida. Òsé é o grande transformador, aquele que faz
tudo retornar a sua verdadeira origem, Òfún; “do pó vieste e
ao pó retornarás” é uma frase típica de Òsé. Òsé nos ensina
que a magia pode ser perigosa, pois quando o orgulho e a
presunção, característica de Òsé negativo, atuam em
“ocultistas e magos” que acreditam dominar poderes astrais
quando na verdade esses poderes astrais que os dominam.
As articulações e juntas são provenientes dele e diversas
doenças como os abcessos e a varíola são de sua regência.
Para os fon (jêje), Òsé é a própria representação de Sakpata, a
varíola e está ligado, de forma muito íntima, à Ìyámi Òsòrongá.
Aqui nasceu o hábito de grelhar os alimentos. Nasceram as
árvores, as presas dos elefantes e a galinha d'angola,
nasceram também, os ovos e a prata. Este Odù está em guerra
constante com sua irmã Ireté. Apesar de ser portador de
muita negatividade, pode trazer riqueza e longevidade. Este
Odù criou os ungüentos e os perfumes. Seus companheiros
constantes são o pranto, a tristeza, o sangue e o trabalho, por
isto fala sempre deles. Assinala estado de loucura transitório.
Os regidos por este Odù não são compreendidos pelas demais
pessoas, só eles sabem aquilo que realmente querem. São
espiritualizados e excelentes adivinhos. Possuem um Egun
que lhes fala o que precisam saber, mas sua maior força está
em Orunmilá e Òsun. As mulheres deste Odù possuem uma
dotação especial para a adivinhação através do
Mérìndínlógún. Sendo adivinhos de nascimento, seus olhos
conseguem ver muito além dos outros. São desconfiados e
dificilmente alguém consegue enganá-los. São curiosos e
gostam de se meter no que não é das suas contas, por este
motivo, são propensos a se envolverem com a justiça,
ocasionando sofrimentos para eles mesmos e para outros.
Podem sofrem do coração, do sangue, das pernas do estômago
e, sendo mulher, da barriga. Aqui nasceram os ossários por
isto, este Odù preside às exumações. As pessoas deste Odù são
repudiadas pela própria família que não lhe têm a mínima
consideração nem o menor reconhecimento. Podem ser
traídas pelos melhores amigos. Foi neste Odù que se jogou
búzios pela primeira vez. A mulher não consegue manter
nenhum homem em sua companhia porque eles não
conseguem compreende-la. A pessoa é perseguida por Òsun. A
pessoa não gosta de perder, mas o Odù ensina que às vezes
perdendo se sai ganhando.
Odù de estado emocional: Òsátùrá

Òrìsà: Òsùmàrè

Recomendações do Odù

Não pode ser avarenta.

Cuidado ao ser muito inquieta.

Não pode ser inconformada com tudo.

Tendência a ter comportamento luxuriante.


Odù de relacionamento: Ogbèfun

Òrìsà: Òsányin

Recomendações do Odù

Para ter sorte no relacionamento, deve fazer Orí Gbigbó, com


sua companheira na mesma esteira e com duas pombas, pois
só assim terá um relacionamento duradouro e saudável. Na
noite que fizerem o Orí Gbigbó, devem fazer sexo.
Odù de amor: Ogbèfún
Òrìsà: Yemojá
Recomendações do Odù
Suas tendências profissionais são: Psicologia, Direito,
Segurança pública, Professora, Empresária(pode ser ruim),
Veterinária, Física e Astronomia.
Sua sorte é ao lado de uma mulher de Òsun.
Você é Abikú.
Odù de vitória: Òtùrárosun

Òrìsà: Jagun

Recomendações do Odù

Você é constantemente visitada por Òrìsà.

Precisa cultuar muito Obatalá e Osólufon.

Tem caminho para ser Ìyánifá. Quando fizer Isefá, já deve


começar a aprender a Ciência do Ifá.

Fala de domínio da mulher sobre o homem.

Deve oferecer inhame para Obatalá à cada mudança de


estação do ano.

Deve oferecer comida à Sángò a cada igba rirú ewé


(primavera).

Deve deixar crescer as unhas, para que tenha boa sorte, pois
as leoas são importantes para você.

Tem de dar comida à Ibejì todo ano.

Não há mal, que pelo bem não se vença.

Deve morara em casa que fiquem no alto.

Precisa muito de Òsányin, para ter vida longa.

Deve cozinhar com óleo de girassol.

Deve oferecer um cabrito à Ògún, de ano em ano.


Cuidado com o uso de tanchagem.

Não pode ter pássaros em gaiolas.

Tem que ter Òsun assentada.

Uma das suas plantas de poder é Sálvia.

Deve dar sempre oferendas à Oya.

Tendência a não ouvir conselhos. Fracasso por conta desse


comportamento.

O sangue sempre lhe subirá à cabeça. Deve cultuar muito Orí,


para conseguir controlar-se.
Deve ter grande relação com o pôr do sol.
Odù de prosperidade: Òkanrànworí
Òrìsà: Egungún
Recomendações do Odù
Não pode pensar em dinheiro o tempo todo.

Deve ter sempre banha de Orí em casa e usá-la para hidratar


seu corpo. Desta forma terá prosperidade.

Para ter progresso na vida, deve acender uma fitila feita com
banha de orí, durante 3 dias, com 16 pavios de algodão. Esse
procedimento deve ser feito à cada mudança de estação de
ano. Deve ser entregue à Obatalá.
Odù de Saúde: Òkanrandi
Òrìsà: Ògún
Recomendações do Odù
Tendência a perder a memória.

Tendência a ter doenças relacionadas ao sono.

Tendência a ter dificuldade de aprendizado.

Tendência a ter problemas na tireóide.

Tendência a ter hérnias.

Tendência a desenvolver transtornos mentais.

Tendência à adquirir blenorragia.

Tendência a ter enfermidades cardíacas.

Tendência a adquirir doenças venérias.

Tendência a ter enfermidades ósseas.

Tendência a desenvolver síndrome de pânico.


Odù de proteção: Iretébara

Òrìsà: Orí

Recomendações do Odù

Cuidado com as mulheres que se passam por amigas.

Tendência a perder seu Àse, com quem não merece. Cuidado.

Cuidado com jogos de azar.

Cuidado com desperdício.


Odù de ancestralidade feminina: Owonrinsé
Òrìsà: Obà
Recomendações do Odù
Denuncia heranças em Kadará burukú.

Odù de ancestralidade masculina: Ogbèbara


Òrìsà: Obatalá
Recomendações do Odù
Você é uma reencarnação da família paterna.
Deve fazer oferendas à sua ancestralidade masculina, com
freqüência.

Você tem relação com a ancestralidade chinesa.