Você está na página 1de 7

Roteiro 7: considerações subsequentes com o mesmo antígeno levam a

respostas, chamadas de respostas imunológicas


gerais e imunidade inata secundárias, que são geralmente mais rápidas, mais
acentuadas e mais eficazes na eliminação do antígeno
Introdução à Imunologia do que as respostas primárias.
 Quando os linfócitos são ativados por antígenos, eles
Imunidade é definida como a resistência a doenças, proliferam, gerando muitos milhares de células
mais especificamente às doenças infecciosas. descendentes clonadas, todas com a mesma
especificidade antigênica. Este processo, chamado
 Os mecanismos de defesa do hospedeiro são expansão clonal, aumenta rapidamente o número de
constituídos pela imunidade inata, responsável pela células específicas para o antígeno encontrado,
proteção inicial contra as infecções, e pela imunidade permitindo que alguns linfócitos específicos ao
adquirida, que se desenvolve mais lentamente e antígeno assumam sua função de defesa, e garante que
proporciona uma defesa mais especializada e mais a imunidade adaptativa acompanhe a rápida
eficaz contra as infecções. proliferação dos microrganismos.
 Imunidade Inata (Natural ou nativa): indivíduos  Especialização: O sistema imune responde de
saudáveis, bloquear a entrada de microrganismos e maneiras diferentes a diferentes microrganismos,
eliminar rapidamente os que entram. Primeira linha de maximizando a efetividade dos mecanismos de defesa
defesa é as barreiras epiteliais, células e antibióticos antimicrobianos. Assim, a imunidade humoral e a
naturais presentes no epitélio. Estimulam a resposta imunidade mediada por célula são elicitadas por
adquirida. diferentes classes de microrganismos ou pelo mesmo
 Imunidade Adquirida (especifica ou adaptativa): microrganismo em diferentes estágios de infecção
requer expansão e diferenciação dos linfócitos. (extracelular ou intracelular) e cada tipo de resposta
Existem dois tipos de imunidade adquirida, a humoral imune protege o hospedeiro contra a classe de
que é mediada por anticorpos dos linfócitos B microrganismo.
(anticorpos são secretados na circulação e nos Células do sistema imunológico
líquidos das mucosas, neutralizando e eliminando os
adaptativo:
microrganismos e as toxinas microbianas presentes
 Linfócitos: possuem receptores específicos para
fora da célula do hospedeiro) e a imunidade celular
antígenos diversos. São diferenciados pelas proteínas
mediada por linfócitos T (Alguns linfócitos T ativam
os fagócitos para destruir os microrganismos de superfícies identificadas por painéis de anticorpo
ingeridos pelas células fagocitárias nas vesículas monoclonais designada por CD para um determinado
tipo ou estágio de diferenciação. Os linfócitos B são
fagocíticas, outros linfócitos T destroem qualquer tipo
de célula do hospedeiro que apresente os únicos capazes de produzir anticorpos e logo são
microrganismos infecciosos em seu citoplasma.) responsáveis pela imunidade humoral. Os linfócitos T
reconhecem apenas fragmento peptídicos de proteínas
 A imunidade pode ser induzida em um indivíduo pela
antigênicas ligadas a moléculas do complexo principal
infecção ou pela vacinação (imunidade ativa) ou
de histocompatibilidade (MHC).
conferida a um indivíduo pela transferência de
Linfócitos T CD 8+ são os linfócitos T citotóxicos
anticorpos ou linfócitos de um indivíduo imunizado
por que destroem as células infectadas por
ativamente (imunidade passiva).
microrganismos intracelulares. MHC 1
 Especificidade é a capacidade de distinguir entre
Linfócitos T CD 4+ são as células T auxiliares e
muitos antígenos diferentes
ajudam os Linfócitos B a produzir anticorpos e ingerir
 A diversidade do repertório de linfócitos, que permite
microrganismos. MHC 2
que o sistema imunológico reaja a um vasto número e
Linfócitos R reguladores previnem ou limitam a
a uma variedade de antígenos.
resposta imune.
 Memória: O sistema imunológico desenvolve
Células Natural Killer (NK) matam células do
respostas mais acentuadas e mais eficazes a
hospedeiro. Imunidade Inata.
exposições repetidas ao mesmo antígeno. A resposta à
primeira exposição ao antígeno, chamada de resposta Todos os linfócitos se originam de células-tronco da
imunológica primária, é mediada pelos linfócitos, medula óssea. B amadurece na medula óssea e T no
chamados de linfócitos virgens (ou naive), que timo (Orgãos linfoides geradores).
encontram o antígeno pela primeira vez. Encontros
Quando os linfócitos virgens reconhecem os concentrados na bainha linfoide periarteriolar que
antígenos microbianos e recebem sinais adicionais circunda as pequenas arteríolas, enquanto as células B
desencadeados pelos patógenos, os linfócitos residem nos folículos.
O sistema imunológico cutâneo e o sistema
específicos para o antígeno proliferam e se
imunológico mucoso são coleções especializadas de
diferenciam em células efetoras e células de memória. tecidos linfoides, APC e moléculas efetoras
Os Linfócitos virgens morrem por apoptose e são localizadas no interior e sob o epitélio da pele e tratos
substituídos por novos. gastrointestinal e respiratório (amigdalas e placa de
peyer).
As células efetoras derivam dos virgens e tem a As células B e T, então, migram em direção umas às
função de eliminar os antígenos. São da linhagem dos outras, encontrando-se na periferia dos folículos, onde
linfócitos B e secretam anticorpos chamados as células T auxiliares interagem e ajudam as células
plasmócitos. Células secretoras de anticorpos, B a se diferenciarem em células produtoras de
chamadas plasmoblastos. As células efetoras T CD4+ anticorpos.
(células T auxiliares) produzem proteínas, chamadas  Recirculação dos linfócitos e migração para os
citocinas, que ativam as células B, os macrófagos e tecidos: Os linfócitos virgens recirculam
outros tipos de células. constantemente entre o sangue e os órgãos linfoides
As células de memória, também geradas da progênie periféricos, onde podem ser ativados por antígenos
de linfócitos estimulados pelo antígeno, sobrevivem para tornarem-se células efetoras, e os linfócitos
por muito tempo na ausência do antígeno. Aumentam efetores migram dos tecidos linfoides para os locais
com a idade. de infecção, onde os patógenos são eliminados. Os
 Células apresentadoras de antígenos. (APC) plasmócitos secretam anticorpos no sangue onde se
A pele, o TGI e O TR contêm células apresentadoras ligam a patógenos ou toxinas hematogênica. Os
de antígenos (APC), localizadas no epitélio linfócitos T virgens amadurecem no timo entra na
transportam os antígenos para os tecidos linfoides circulação e depois entram nos linfonodos pelas
periféricos e apresentam aos linfócitos T. vênulas pós-capilares especializadas chamadas
A célula dendríticas são as APC mais eficazes para vênulas endoteliais altas onde podem encontrar
iniciar as respostas de células T. antígenos. Quimiocinas produzidas nas zonas de
APC profissionais: produzem proteínas de superfície células T virgens e apresentadas nas superfícies das
necessárias para ativar os linfócitos T. vênulas endoteliais altas se ligam ao receptor de
Célula dendítica folicular reside nos centros quimiocina CCR7, ligando as células T firmemente
germinativos dos folículos linfoides estimula a às vênulas. As células B irão apresentar quimiocina
diferenciação das células B nos folículos. que se ligam a CXCR5.
 Células efetoras  No linfonodo, se uma célula T encontra um antígeno
Eliminam os microrganismos consistindo em que reconhece especificamente em uma célula
linfócitos e outros leucócitos. dendrítica, aquela célula T forma conjugados estáveis
Participação de granulócitos e macrófagos. com a célula dendrítica e, então, é ativada.
Inata: reconhece os microrganismos diretamente  Células virgens que não encontraram antígenos
eliminando-os. específicos deixam os linfonodos e entram novamente
Adquirida: as substâncias produzidas pelas células B e na circulação. As células efetoras que são geradas
T intensificam a atividade dos macrófagos. mediante ativação de células T migram
Tecidos do Sistema Imunológico preferencialmente para os tecidos infectados por
É formado pelos órgãos linfoides geradores e órgãos microrganismos, onde os linfócitos T desempenham
linfoides periféricos. sua função de erradicar a infecção
 Orgãos linfoides periféricos: incluem o baço, os Visão geral da resposta imunológica
linfonodos e os sistemas imunológicos associados a
aos microrganismos
mucosas. Otimizam a interação entre antígenos, APC  Resposta Imune Inata Inicial: O epitélio serve
e linfócitos. Permite concentração de linfócitos. simultaneamente como uma barreira física e funcional
Linfonodos: agregados nodulares encapsulados de contra infecções, impedindo a entrada de
tecido linfoide. Drena a linfa onde a APC pode microrganismos e interferindo com seu crescimento
identificar os antígenos dos patógenos nos tecidos. através da produção de agentes antimicrobianos
Nos linfonodos, as células B se concentram em naturais. Se os microrganismos forem capazes de
estruturas discretas, chamadas de folículos, atravessar esse epitélio e entrar nos tecidos e na
localizadas na periferia ou córtex. Centro germinativo circulação, eles encontram os mecanismos de defesa
pode estar claro se as células B responderem recente a da imunidade inata, o qual é projetado para reagir
um antígeno. Os linfócitos T são concentrados fora, rapidamente contra os microrganismos e seus
mas adjacentes aos folículos, no paracórtex. produtos. As duas principais reações celulares da
Baço: os antígenos presente no sangue são imunidade inata são a inflamação, que é induzida por
aprisionados e concentrados pelas células dendríticas citocinas e outras moléculas e serve para trazer
e macrófagos no baço. No baço, os linfócitos T estão leucócitos e proteínas plasmáticas ao local de infecção
ou lesão, e a defesa antiviral, que é mediada por montam respostas rápidas e vigorosas para um
interferons tipo I (uma família particular de citocinas) encontro repetido com o antígeno.
e células NK. Estimula a imunidade adaptativa.
 Resposta Imune Adquirida: Anticorpos
secretados ligam-se aos micróbios extracelulares,
IMUNIDADE INATA
bloqueiam sua capacidade de infectar células do
hospedeiro e promovem sua ingestão e subsequente  É a primeira etapa essencial na defesa do
destruição por fagócitos. Fagócitos ingerem os hospedeiro contra infecções.
micróbios e os destroem, e as células T auxiliares  Duas reações: Defesa antiviral e Inflamação que é
aumentam as capacidades microbicidas dos fagócitos. o acúmulo e ativação de leucócitos e proteínas
Células T auxiliares recrutam leucócitos para destruir plasmáticas em infecção e lesão tecidual, atuando
micróbios e intensificam a função de barreira epitelial para matar microrganismos extracelulares e
para expelir microrganismos. Os linfócitos T eliminar tecidos danificados, mediada por células
citotóxicos destroem as células infectadas pelos NK e por citocinas chamadas interferons tipo I.
microrganismos que são inacessíveis aos anticorpos.  O sistema imunológico inato normalmente
Os antígenos proteicos são processados pelas células responde da mesma maneira em encontros
dendríticas para gerar peptídeos que são expostos na subsequentes com um patógeno.
superfície das APC, ligados às moléculas de MHC. As  O sistema imunológico inato reconhece estruturas que
células T virgens reconhecem esses complexos são comuns a diversas classes de microrganismos e
peptídeos-MHC e essa é a primeira etapa na que não estão presentes nas células normais do
inicialização da resposta das células T. hospedeiro. As moléculas microbianas que estimulam
Quando as células T virgens são ativadas pelos a imunidade inata são muitas vezes chamadas de
antígenos e pelos coestimuladores nos órgãos padrões moleculares associados ao patógeno (PAMP,
linfoides, elas secretam citocinas que atuam como do inglês, pathogen-associated molecular patterns),
fatores de crescimento e respondem a outras citocinas para indicar queelas estão presentes em agentes
secretadas pelas APC. Essas células efetoras são infecciosos (patógenos) e são compartilhadas por
reativadas pelos antígenos nos locais de infecção e micróbios do mesmo tipo.
desempenham as funções responsáveis pela  Os componentes da imunidade inata evoluíram para
eliminação dos microrganismos. reconhecer estruturas que geralmente são essenciais
Imunidade humoral: Na ativação, os linfócitos B para a sobrevivência e a infectividade dos
proliferam e então se diferenciam em células microrganismos.
plasmáticas que secretam diferentes classes de  O sistema imunológico inato também reconhece
anticorpos com diferentes funções. As células B moléculas que são liberadas das células danificadas
ingerem os antígenos proteicos, os degradam e ou necróticas. Essas moléculas são chamadas de
expõem peptídeos ligados às moléculas de MHC para padrões moleculares associados ao dano (DAMP, do
o reconhecimento pelas células T auxiliares. As inglês, damage-associated molecular patterns).
células T auxiliares expressam citocinas e proteínas  O sistema imunológico inato não reage contra o
de superfície celular, as quais trabalham juntas para hospedeiro.
ativar as células B. Cada célula B secreta anticorpos
que têm os mesmos sítios de ligação ao antígeno dos
anticorpos de superfície das células (receptores nas  Expressos nos fagócitos, células dendríticas e
células B) que primeiramente reconheceram os muitos outros tipos celulares, incluindo os
antígenos. Os polissacarídeos e os lipídios estimulam linfócitos e as células epiteliais e endoteliais.
a secreção principalmente de uma classe de anticorpos  Presentes na superfície celular, reticulo
chamada de imunoglobulina M (IgM). Os antígenos endoplasmático, endossomas e citosol
proteicos estimulam as células T auxiliares, que  Receptores Tipo Toll (TLR): reconhecem produtos
induzem a produção dos anticorpos de diferentes de uma grande variedade de microrganismos,
classes (IgG, IgA e IgE). A resposta imunológica assim como moléculas expressas ou liberadas por
humoral defende contra os microrganismos de células estressadas ou em processo de morte.
diversas maneiras. Os anticorpos se ligam aos Exemplos de produtos bacterianos que se ligam
microrganismos e os impedem de se desligarem das aos TLRs incluem LPS e ácido lipoteitoico, que
células infectadas, neutralizando assim os são constituintes das paredes celulares de bactérias
microrganismos. Os microrganismos recobertos com Gram-negativas e bactérias Grampositivas,
anticorpos (opsonizados) são alvos para a fagocitose, respectivamente, e flagelina, RNAs de fita dupla.
porque os fagócitos (os neutrófilos e os macrófagos) Moléculas endógenas sinalizam dano celular,
expressam receptores para os anticorpos. A maioria proteínas de choque térmico. Os TLRs 1, 2, 4, 5 e
dos linfócitos efetores induzidos por um patógeno 6 são expressos na membrana plasmática, onde
infeccioso morre por apoptose. A ativação inicial dos eles reconhecem vários PAMPs no meio ambiente
linfócitos gera células de memória de vida longa, as extracelular. os TLRs 3, 7, 8 e 9 são expressos
quais podem sobreviver por anos após a infecção e principalmente dentro das células no retículo
endoplasmático e nas membranas endossomais, em leucócitos e outros tipos celulares que
onde eles detectam vários ligantes ácidos nucleicos promovem a erradicação dos microrganismos.
diferentes que são típicos dos microrganismos,  Fagócitos (neutrófilos e monócitos/macrófagos):
mas não mamíferos. TLR-2 especifico para ♥neutrófilos também chamados de leucócitos
lipoglicanos bacterianos. TLR-3,7 e 8 especificos polimorofnucleares são o primeiro tipo celular a
para ácidos nucleicos virais. TLR-4 especifico para responder à maioria das infecções, particularmente
endotoxina. TLR-5 flagelina e TLR-9 para às infecções bacterianas e fúngicas e, portanto, são
oligonucleotideos CpG não metilados. Ativam as células dominantes da inflamação aguda,
fatores de transcrição que estimulam a produção de ingerem os microrganismos na circulação e entram
genes que codificam citocinas, enzimas e outras rapidamente nos tecidos extravasculares nos locais
proteínas envolvidas nas funções antimicrobianas de infecção, onde também ingerem e destroem
dos fagócitos ativados e das outras células. Os microrganismos. são recrutadas a locais de dano
fatores de transcrição mais importantes são o NF- tecidual na ausência de infecção, onde iniciam a
KB (expressão de citocinas e moléculas de adesão depuração de detritos celulares. Não oferecem
endotelial) e os fatores de resposta ao interferon defesa prolongada. ♥ Monócitos entram nos
que estimula a produção das citocinas antivirais tecidos extravasculares diferenciam-se em células
tipo I. chamadas macrófagos, que, diferentemente dos
 Receptores tipo NOD (NLR) e Inflamassoma: neutrófilos, sobrevivem por longos períodos nesses
receptores que detectam DAMP e PAMP no locais (Sistema fagocitário mononuclear).
citoplasma. O NLRP-3 detecta a presença de Microrganismos e produtos de células danificadas
produtos microbianos, substaâncias que indicam ativam macrófagos a fim de desempenhar essas
dano e morte celular (ATP, cristais de ácido úrico funções ligando-se aos receptores de
K+) e substâncias endógenas depositadas em reconhecimento de padrão discutidos
células e tecidos em excesso (colesterol). O NLRP- anteriormente, incluindo TLR e NLR. Podem ser
3 oligomeriza-se com uma proteína adaptadora e ativados por duas vias diferentes: ativação clássica
uma (pró) forma inativa da enzima caspase-1. Uma de macrófagos (M1) que é induzida por sinais
vez recrutada, a caspase-1 é ativada e cliva uma imunológicos inatos por TLR e pela citocina IFN-
forma precursora da citocina interleucina-1b (IL- Y e ativação alternativa de macrófagos (M2) que
1b) para gerar a IL-1b biologicamente ativa (IL-1 ocorre na ausência de sinais fortes do TLR e é
induz inflamação aguda e causa febre). Esse induzida pelas citocinas IL-4 e IL-3, importante na
complexo citosólico de NLRP-3 (o sensor), um reparação tecidual e no controle da inflamação.
adaptador, e a caspase-1 é conhecido como  Células dendríticas: iniciam a inflamação e
inflamassoma. estimulam as respostas imunes adquiridas. Ao
 Outros receptores: tipo RIG reconhece o RNA detectar microrganismos e interagir com linfócitos,
viral. Receptores de lectina são específicos para especialmente células T, as células dendríticas
glicanos fungicos e para resíduos de manose constituem uma ponte importante entre a
terminal. imunidade inata e a adquirida.
 Mastócitos: Os mastócitos são células derivadas
da medula óssea com grânulos citoplasmáticos
 Barreiras epiteliais: Pele, TG, trato respiratório e abundantes que estão presentes na pele e no
trato geniturinário são protegidas por um epitélio epitélio mucoso. Os mastócitos podem ser ativados
continuo que fornece barreira física e química por produtos microbianos ligando-se aos TLR,
contra as infeções. A camada externa de queratina como parte da imunidade inata, ou por um
na pele bloqueia a penetração microbiana em mecanismo dependente de um anticorpo especial.
camadas mais profundas da epiderme. O muco Os grânulos dos mastócitos contêm aminas
com mucinas prejudica fisicamente a invasão vasoativas, como a histamina, que causam
microbiana. A ação ciliar na arvore brônquica e a vasodilatação e aumento da permeabilidade dos
peristalse no intestino facilita a eliminação de capilares, bem como enzimas proteolíticas que
microrganismos. As células epiteliais produzem podem matar bactérias ou toxinas microbianas
duas famílias de peptídeos: ♥Defensinas: inativas. Os mastócitos também sintetizam e
produzido pelas células epiteliais, neutrófilos, secretam mediadores lipídicos (p. ex.,
células NK e linfócitos T citotóxicos. Sua secreção prostaglandinas) e citocinas (p. ex., TNF), que
é aumentada por citocinas ou produtos estimulam a inflamação. Os produtos dos
microbianos. A ação envolve a toxicidade mastócitos também oferecem defesa contra
direcionada aos microrganismos e a ativação de helmintos e são responsáveis pelos sintomas das
células envolvidas na resposta inflamatória. doenças alérgicas. Possuem receptores de IGE
Catelicidna: produzido pelos neutrófilos e pelas  Células Natural Killer (NK): é um finfócito da
células da barreira epitelial da pele, TGI e TR, imunidade inata. Reconhecem células infectadas e
protegem contra infecções pela toxicidade direta estressadas e respondem destruindo e produzindo
aos microrganismos e ativação de varias respostas IFN-Y que ativa os macrófagos. As células Nk
esvaziam os conteúdos de seus grânulos anticorpo aos microrganismos ricos em
citoplasmáticos no espaço extracelular no ponto de polissacarídeos e nascidos no sangue.
contato com a célula infectada, essas proteínas  Sistema complemento: coleção de proteínas
ativam enzimas que induzem a apoptose. As plasmáticas presentes na circulação e ligadas à
células NK ativadas sintetizam e secretam membrana que são enzimas proteolíticas
interferom-Y que ativa os macrófagos para se envolvidas em uma cascata enzimática. Pode ser
tornarem mais efetivos na morte de ativada por: Via alternativa quando algumas
microrganismos. As citocinas secretadas pelos proteínas do complemento são ativadas na
macrófagos e as células dendríticas que encontram superfície dos microrganismos e não podem ser
microrganismos aumentam a capacidade de células controladas, porque as proteínas reguladoras do
NK de proteger contra infecções, as citocinas são complemento não estão presentes nos patógenos,
IL-15 (desenvolvimento e maturação das células componente da imunidade inata. A Via clássica é
NK), e IFN tipo I e IL-12 que reforçam as funções desencadeada depois que anticorpos se ligam a
das células NK. Os receptores de ativação microrganismos ou antígenos, componente da
reconhecem moléculas de superfície celular imunidade adquirida humoral. A via da lectina
expressas tipicamente em células infectadas com (C2 e C4) é ativada quando uma proteína
vírus e bactérias intracelulares, bem como células plasmática ligante de carboidrato a lectina ligante
estressadas pelo dano ao DNA e transformação de manose liga-se à manose terminal nas
maligna. Os receptores são NKG2D reconhece glicoproteínas da superfície dos microrganismos
moléculas do MHC I e o receptor CD16 especifico que ativa proteínas da via clássica, componente da
para anticorpos imunoglobulina G ligados a imunidade inata. O componente central do
células. Receptores de ativação em células NK complemento é a proteína C3. o fragmento C3b
possuem subunidades de sinalização que contêm (opsonina) se liga a proteínas do complemento na
motivos de ativação de imunorreceptores via superfície bacteriana revestindo os microrganismos
tirosina (ITAM). Os ITAM quando ligados às células fagocitárias para serem ingeridos
tornam-se fosforilados nos resíduos de tirosina e (opsonização). C5a e C3a são quimioatrativos para
promovem a ativação de proteínas tirosina leucócitos no local de ativação do complemento. A
quinases citoplasmáticas e sessas enzimas ativação do complemento culmina na formação de
fosforilam e ativam outras vias de transdução um complexo proteico polimérico que se insere na
levando a exocitose dos grânulos e produção de membrana celular microbiana, perturbando a
IFN-y. Os receptores inibidores de células NK, que permeabilidade da barreira que leva à lise osmótica
bloqueiam a sinalização pelos receptores de ou à apoptose do microrganismo. As três vias
ativação, são específicos para moléculas de MHC operam convertendo C3 presente no meio
classe I próprias, que são expressas em todas as extracelular em C3b que se liga ao microrganismos
células nucleadas saudáveis. Portanto, a expressão na opsonização.
do MHC classe I protege células saudáveis da  Outras proteínas plasmáticas da Imunidade
destruição por células NK. Duas famílias de Inata: A MBL plasmática reconhece carboidratos
receptores inibitórios medeiam a resposta: microbianos e pode recobrir os microrganismos
receptores de células NK imunoglobulinas (KIR) e para que sejam fagocitados, ou ativar a cascata do
receptores em uma proteína chamada CD94 e uma complemento pela via da lectina, conforme
subunidade de lectina chamada NKG2. Esses discutido anteriormente, família das colectinas. O
receotres contem em seus domínios no citoplasma surfactante pulmonar também pertence à família
chamados de imunorrecpetor de tirosina baseado das colectinas, protegendo as vias aéreas das
em motivos inibitórios (ITIM) que se fosforilam infecções. A proteína C-reativa (CRP, do inglês,
quando se ligam a MHC I e promovem a ativação C-reactive protein) é uma pentraxina (molécula de
de proteínas tirosina fosfatases citoplasmáticas que cinco cabeças) que se liga à fosforilcolina dos
removem grupos de fosfatases dos resíduos de microrganismos e opsoniza os microrganismos
tirosina neutralizando a ITAM. para que sejam fagocitados pelos macrófagos, que
 Outras classes de linfócitos: células T Gama expressam um receptor para a CRP. Níveis
Delta estão presentes no epitélio. As células T NK, aumentados dessa proteínas plasmáticas indicam
muitas das quais expressam moléculas de infeçcão (resposta da fase aguda).
superfície encontradas tipicamente nas células NK,  Citocinas da Imunidade Inata: proteínas solúveis
estão presentes no epitélio e nos órgãos linfoides. que servem de mediadoras nas reações
As células B-1 são populações de linfócitos B que imunológicas e inflamatórias, sendo responsáveis
são encontrados principalmente na cavidade pela comunicação entre leucócitos e entre os
peritoneal e em tecidos mucosos. célula B da zona leucócitos e outras células. interleucina, o que
marginal, está presente nas terminações dos significa que essas moléculas são produzidas pelos
folículos linfoides no baço e em outros órgãos, e leucócitos e atuam nos leucócitos. Na imunidade
também está envolvido na rápida resposta do inata, as principais fontes de citocinas são as
células dendríticas e os macrófagos ativados pelo
reconhecimento de microrganismos. Na imunidade migrar entre as células endoteliais, através da
adquirida, uma importante fonte de citocinas são parede do vaso, seguindo,o gradiente de
os linfócitos T auxiliares. As citocinas são concentração desses quimioatrativos até o local
produzidas em pequenas quantidades em resposta a da infecção.
um estímulo externo e se ligam a receptores de alta Deficiências hereditárias nas integrinas e nos ligantes de selectina
afinidade nas células-alvo. Tem ações autócrinas, levam ao recrutamento deficiente de leucócitos aos locais de
infecção e à maior suscetibilidade a infecções. Essas disfunções são
parácrinas e endócrinas. O fator de necrose chamadas de deficiências de adesão leucocitária (LAD).
tumoral (TNF, do inglês, tumor necrosis factor), a 1. Fagocitose e destruição de microrganismos:
interleucina- 1 (IL-1) e as quimiocinas (citocinas Fagocitose é um processo de ingestão de
quimioatrativas) são as principais citocinas partículas com mais de 0,5 mm de diâmetro.
envolvidas no recrutamento de neutrófilos no Receptores de membrana (manose e lectina)
sangue e monócitos aos locais de infecção. O TNF ligam-se aos microrganismos. Microrganismos
e a IL-1 também têm efeitos sistêmicos, incluindo opsonizados com anticorpos e fragmentos do
a indução da febre pela atuação no hipotálamo, e, complemento são capazes de ligar-se avidamente
assim como a IL-6, eles estimulam células do a receptores específicos em fagócitos, resultando
fígado a produzirem diversas proteínas chamadas em uma internalização muito maior. Após ocorre
reagentes de fase aguda, como a proteína C-reativa uma extensão da membrana plasmática do
e o fibrinogênio, que contribuem para o extermínio fagócito ao redor da partícula que logo se fecha e
microbiano. Em altas concentrações o TNF produz forma o fagossoma, ocorre fusão de lisossomas
trombos no endotélio e reduz a pressão arterial. formando fagolisossomas. O fagócito recebe
 Bactérias extracelulares e sinais que ativam enzimas no fagolisossoma,
fungos são combatidos, sobretudo pela resposta essas enzimas são a oxidase fagocitária que
inflamatória aguda, na qual neutrófilos e monócitos converte o oxigênio molecular em ânion
são recrutados ao local de infecção e pelo sistema do superóxido e radicais livres (surto oxidativo ou
complemento. A defesa contra bactérias fagocitadas e respiratório) também chamados de intermediários
intracelulares é mediada por macrófagos, que são reativos do oxigênio, ROS. A óxido nítrico
ativados por receptores tipo Toll e outros sensores, sintase induzida (iNOS) catalisa a conversão da
bem como citocinas. A defesa contra vírus é oferecida arginina em oxido nítrico. As proteases
por interferons tipo I e células natural killer. lisossômicas quebram as proteínas microbianas.
 Inflamação: Os neutrófilos podem liberar conteúdos de
1. Recrutamento de fagócitos aos locais de infecção grânulos microbicidas no ambiente extracelular.
e dano tecidual: Se um agente infeccioso penetra Em resposta a patógenos e mediadores
em um epitélio e entra no tecido subepitelial, os inflamatórios, os neutrófilos morrem, e durante
macrófagos residentes e outras células esse processo eles expelem seus conteúdos
reconhecem o patógeno e respondem produzindo nucleares para formar redes de histonas
citocinas. Essas citocinas são o TNF e a IL-1 (poderosas proteínas antimicrobianas) e outros
quae atuam no endotélio das vênulas e estimulam componentes, que são chamados de Redes
a expressão de E-selectina e P-selectina onde se Extracelulares de Neutrófilos (NET) que
ligam carboidrato ou lectina. Os neutrófilos e os interceptam bactérias e fungos e matam os
monócitos circulantes expressam carboidratos de organismos.
superfície que se ligam fracamente às selectinas.  Defesa Antiviral: Interferons Tipo I (IFN-alfa e
Os neutrófilos ligam-se ao endotélio, o fluxo de beta) induzem a resistência a infecção e replicação
sangue destrói essa ligação, e a ligação se forma virais chamadas de estado antiviral. As células
novamente mais adiante, e assim sucessivamente, dendriticas (plasmocitoide) secretam IFN tipo I que
resultando no “rolamento” dos leucócitos ao se ligam em células não infectadas adjacentes que
longo da superfície endotelial. Os leucócitos inibem a replicação viral e destroem genomas virais.
expressam outro conjunto de moléculas de IFN tipo I aumentam a capacidade das células Nk de
adesão, chamadas de integrinas. No local da matar células infectadas.
infecção, os macrófagos e a células endotelias  Regulação das respostas imunes inatas: Esses
produzem quimiocinas que se ligam às mecanismos reguladores incluem a produção de
glicoproteínas sendo apresentadas em altas citocinas anti-inflamatórias por macrófagos e células
concentrações aos leucócitos que estão rolando dendríticas, incluindo a interleucina-10 (IL-10), que
pelo endotélio. Essas quimiocinas estimulam um inibe as funções microbicidas e pró-inflamatórias de
aumento da afinidade das integrinas dos macrófagos (via clássica de ativação de macrófagos)
leucócitos pelos ligantes do endotélio. A forte e o receptor antagonista de IL-1, que bloqueia as
ligação das integrinas aos seus ligantes ações da IL-1. Retro-alimentação: a sinalização do
interrompe o rolamento dos leucócitos no TLR estimula a expressão de proteínas chamadas
endotélio. O citoesqueleto dos leucócitos é supressores da sinalização de citocina (SOCS, do
reorganizado e as células se espalham na inglês, suppressors of cytokine signaling), que
superfície endotelial os leucócitos começam a
bloqueiam as respostas de células a diversas
citocinas, incluindo IFN.