Você está na página 1de 10

Trituração e método da Cinqüenta Milesimal

Profª
Aluna :
Campus:
Turno:

 INTRODUÇÃO

Os medicamentos Homeopáticos provêm dos reinos vegetal, mineral e animal,


dos produtos de origem química, farmacêutica e biológica, bem como dos preparados
especiais desenvolvidos por Hahnemann. Fungos (reino fungi), bactérias (reino monera)
e protozoários (reino protista) também apresentam importantes fontes de matérias-
primas empregadas na preparação dos medicamentos homeopáticos.
2

 Método de Trituração

Todas as substâncias devem ser inicialmente trituradas. Esse processo deve ser
realizado com plantas frescas, partes de animais, minerais, mesmo com substâncias
líquidas ou solúveis.
O roteiro para essa trituração e preparo das potências cinqüenta milesimais pode ser
encontrado no §270 da 6ª edição do Organon, assim como no Manual de normas
técnicas para farmácia homeopática da ABFH e na Farmacopéia brasileira.
No preparo de medicamentos cinqüenta milesimal, a trituração completa das
substâncias deve ocorrer sempre. Assim, mesmo drogas minerais, como Natrium
muriaticum e Petroleum, devem ser sempre trituradas, ainda que seja possível
solubilizá-las. Uma vez que a qualidade da trituração influencia no resultado final do
medicamento, o tamanho do lote é importante. Assim uma trituração manual pode ser
eficiente, e outras, mecânicas, em volumes maiores podem não ser satisfatórias.

 Método Cinqüenta Milesimal

Após ter constatado a possibilidade de uso da lei dos semelhantes na prática clinica,
Hahnemann passou a utilizar medicamentos semelhantes (homeopáticos) aos sintomas
que desejava tratar, porém em doses reduzidas. Assim passou a diluí-las cada vez mais,
e por fim agitá-las denominando o processo de dinamização.
A dinamização passou por diversas fases ao longo da vida de Hahnemann, quando
ele experimentou várias combinações entre ação de mecânica, meios de atenuação e
posologia.
Em uma importante fase, Hahnemann fixou diluição (atenuação) em 1:100, ou seja,
1 parte do medicamento em 100 partes da substância inerte, a cada passo da
dinamização, fazendo poucas sucussões. Nessa época ele utilizou os medicamentos
centesimais, hoje chamados CH, isto é, centesimais Hahnemannianos.
Hahnemann, concluiu que o meio de atenuação centesimal era suficiente para o
preparo de um medicamento de ação eficaz e suave. Assim, afirma Hahnemann,
“poucas sucussões fracas, aplicas no meio de atenuação de 1:100, resultavam em um
medicamento fraco e suave”, e diversas sucussões fortes sobre o mesmo meio
produziam uma ação terapêutica imediata , mas violenta.
3

Sendo assim, Hahenemamm desenvolveu um novo método de dinamização


conhecido como cinqüenta milesimal ou LM, já que em algarismos romanos a letra L é
igual a 50, e a M, igual a 1000. Não trata só de um método mais aperfeiçoado, mas
também capaz de desenvolver medicamentos suaves e poderosos, que podem ser
utilizados com um risco reduzido, mesmo em pacientes sensíveis.
Pequenos glóbulos feitos de amido e sacarose (microglóbulos) são utilizados neste
método, não como veículo para a administração ao paciente, mas durante a
dinamização, para “dividir” uma gota. Já que esse glóbulo vai “carregar uma parte” da
gota, seu tamanho influencia na quantidade de dinamização que será transferida para
diante.

 Monografia

Insumo Ativo: Natrum carbonicum

 Sinonímia: Natricum carbonicum, Natrii carbonas, Carbonas natricus, Carbonas


sodicus
 Classificação: semipolicresto
 Experimentação patogenética: Hahnemann
 Droga: carbonato de sódio monoidratado – Na2CO3 . H2O
 Solubidade: solúvel em água

Insumo inerte

o Lactose

A lactose utilizada em homeopatia é a obtida do leite de vaca. A lactose é


precipitada após a concentração do soro da Gaseificação do leite à pressão reduzida
e separada por centrifugação e recristalização. Ela deve ser usada pura, livre de
impurezas, como amido, sacarose e glicose. Sua purificação consome 4 L de álcool
etílico para cada 1.000 g. Deve apresentar-se na forma de pó cristalino, branco,
inodoro, com leve sabor doce, e ser acondicionada em recipientes bem fechados,
pois absorve odores rapidamente. A lactose é utilizada nas dinamizações feitas a
partir de substâncias insolúveis (trituração) e na confecção de comprimidos, tabletes
4

e glóbulos inertes. Pode ainda ser impregnada com dinamizações líquidas, para a
obtenção da forma farmacêutica sólida de uso interno chamada "pós".

o Álcool

O álcool utilizado em homeopatia é o álcool etílico bidestilado (etanol) obtido


em alambiques de vidro. Ele deve apresentar-se límpido, incolor, com odor
característico, sabor ardente e isento de impurezas, principalmente aldeídos e álcoois
superiores. Seu acondicionamento deve ser feito em recipientes herméticos, como
bombonas de polietileno que não tenham sido usadas para outros fins, longe do fogo
ou do calor. Quando o álcool contém ferrugem, na maioria das vezes encontra-se
amarelado. Essa ferrugem, em geral, é proveniente de galões de 200 litros em que
ficam estocados. Esse álcool não se presta ao uso homeopático. Hahnemann
utillizava álcool de uva, apresentando o de cereais e o de cana-de-açúcar
caracaterísticas quase idênticas, podendo também ser usados.
O Etanol a 96% é empregado na dinamização de medicamentos preparados na
escala cinquenta milesimal (proporção 1/50.000).
O Etanol a 20% é empregado na passagem da forma sólida (trituração) para a
forma líquida
O Etanol a 70% é usado nas dinamizações intermediárias.

o Água

A água purificada usada em homeopatia é obtida por meio de destilação,


bidestilação, deionização com filtração esterilizante, mili Q e osmose reversa. Ela
deve apresentar-se límpida, incolor, inodora e isenta de impurezas, como amónia,
cálcio, metais pesados, sulfatos e cloretos. Seu acondicionamento é feito em
recipientes bem fechados, em geral bar-riletes de vidro ou PVC, devendo ser
renovada todos os dias, pela manhã. A destilação é o processo mais recomendado
para as farmácias homeopáticas, pois obtemos água teoricamente estéril a baixo
custo. É conveniente acoplar um filtro de carvão ativado, ou de outro material, antes
da entrada de água no destilador, para elevar a vida útil desse aparelho. O destilador
deve ser limpo periodicamente. O processo de deionização exige manutenção
5

dispendiosa e periódica, sendo mais adequado às indústrias farmacêuticas


homeopáticas, pois fornece maior quantidade de água. Além disso, o acúmulo de
material orgânico nas resinas do deio-nizador permite a rápida proliferação de
microrganismos. A título de curiosidade histórica, Hahnemann empregava a água da
chuva ou da neve derretida para a preparação dos medicamentos homeopáticos.
Hoje, não devemos utilizá-las pelo alto índice de poluentes encontrados na
atmosfera.

o Microglóbulos inertes

Microglóbulos inertes são pequeníssimas esferas compostas de sacarose e amido


obtidos industrialmente pelo processo de fabricação semelhante aos glóbulos. Eles
são comercializados na padronização de 63 mg para cada 100 microglóbulos.
Apresentam-se na forma de grãos esféricos, homogéneos e regulares, brancos,
praticamente inodoros e de sabor doce. Devem ser acondicionados em recipientes
bem fechados (frascos de vidro âmbar, por exemplo). Os microglóbulos são
utilizados na preparação de medicamentos na escala cinquenta milesimal.

 Matéria Médica

Experimentado por Hahenmann, Hering e outros. Pessoas que tem hábito de


tomar carbonato de sódio para acidez também experimentaram o remédio.
Dispépticos crônicos que estão sempre arrotando, têm acidez no estômago e
reumatismo; 20 anos depois estarão encurvados, pálidos, sensíveis a frio, friorentos,
agravarão com qualquer corrente de ar; precisarão usar muita roupa; incapazes de
resistir ao frio ou ao calor; o clima terá que ser temperado; irão piorar com as
mudanças climáticas; todos os problemas gotosos reumáticos, digestivos de Natrum
carbonicum pioram com as mudanças de tempo. Um estado de tremor ao menor
ruído, o bater de uma porta; excitação nervosa e palpitação com intensa prostração;
fraqueza nervosa com tremores; fraqueza ao menor esforço mental ou físico;
tremores internos e externos. O crepitar do papel lhe causa extrema irritação,
melancolia e palpitação. Desavenças com familiares e amigos. Aversão ao gênero
humano e à sociedade; aos parentes, aos estranhos; sente uma grande divisão entre si
e os outros; sensível a certas pessoas.
6

Quanto mais carbonato de sódio esses pacientes tomarem, mais flatulentos se


tornarão; estão encurvados; digestão difícil e, por fim, o leite não é digerido de jeito
nenhum, provocando diarreia com fezes não digeridas, lientéricas; o amido também
causa flatulência e solta os intestinos. Muitos sintomas bebendo água gelada quando
está com o corpo quente.
Urina malcheirosa como a de cavalo, por dieta láctea ou rica em vegetais.
Natrum carbonicum provoca erupções nas articulações e nas pontas dos dedos
da mão; também nos dos pés; erupções vesiculares se abrem e formam úlceras nas
articulações ou pontas dos dedos. Bórax, Sepia, Arsenicum e Natrum carbonicum
são os remédios com maior tendência a produzir ulcerações nas pontas e
articulações dós dedos das mãos e dos pés.
Erupções vesiculares no corpo; placas e círculos; a família herpes se relaciona
intimamente a Natrum carbonicum; herpes-zoster, herpes labial, herpes prepucial;
placas do tamanho de uma moeda de l dólar no quadril, coxas e costas. Placas
menores mostram vesículas contendo um soro branco; ardência, dor aguda e
prurido, melhor coçando. A erupção desaparece formando uma crosta que ulcera;
não cicatriza e forma-se uma úlcera. Circulação débil; as feridas supuram. Ardência
nos pés e na pele. Erupções crostosas na pele de origem não vesicular, mas a maioria
das erupções de Natrum carbonicum e Natrum muriaticum é vesicular. Prurido,
picadas, formigamento, que mudam de lugar, erráticas; pele fria; corpo suado.
Exaustão nervosa; física, fraqueza mental e física. Os guarda-livros perdem a
capacidade de somar. Lendo, esquece o assunto da página anterior. A memória não
retém a frase do início ao fim. Esquece o que lê. Segue-se a confusão mental e ele se
trona incapacitado para qualquer trabalho mental. Os homens se cansam tanto com
os pormenores de suas transações financeiras que a confusão mental se instala, eles
estão com esgotamento mental.
Hipersensível ao barulho, principalmente após insolação; precisam proteger-se
quando andam ao sol, mesmo vários dias depois; têm que procurar um lugar fresco
ou escuro; o paciente não usou o remédio adequado durante a crise; Nat-c agrava
tanto com o calor quanto com o frio, mas principalmente com o calor do sol; os
problemas cerebrais não pioram com o frio neste remédio. Fadiga mental crónica
com fraqueza e tremores. Os males físicos agravam com o frio e no inverno; gela
como se não tivesse sangue nas veias, extremidades frias e ele não consegue aquecê-
7

las; joelhos e cotovelos gelados. O corpo e as extremidades pioram no inverno; a


cabeça, no verão.
Tremores ansiosos e sudorese durante as dores.
Todos os sentidos perturbados; hipersensibilidade à luz; dor nos olhos pela luz
forte.
Flatulência e acúmulo de gás nos intestinos; diarreia; fezes amarelas, moles com
tenesmo violento e urgência; uma substância amarela como polpa de laranja nas
fezes; diarréia causada pelo leite. A constipação mais rebelde; fezes duras, escuras,
lisas e aos pedaços. Todos os Natrum acabam com a vontade de evacuar;
incapacidade de expulsar; fezes grandes e duras, grande esforço expulsivo.

 Materiais

a. Gral de porcelana
b. Pistilo de porcelana
c. Espátula
d. Papel de pesagem
e. Balança analítica calibrada
f. Vidro de relógio
g. Bécher
h. Frasco âmbar
i. Micropipeta
j. Dinamizador

 Procedimento

Preparação do 1CH

Insumo ativo: Natrum carbonicum


Insumo inerte: Lactose

Pesou-se 0,1 g do insumo ativo. Logo após, pesou-se 9,9 g de insumo inerte dividido em
3 porções iguais (Porção A: 3,3 g,Porção B : 3,3 g,Porção C : 3,3 g). Colocou –se a
8

porção A de lactose no gral e fechar os poros.Após, Adicionou-se o insumo ativo.


Triturou seis minutos e Raspou 4 minutos por duas vezes, totalizando 20
minutos.Adicionou a porção B de lactose e Repetiu a operação de Triturar seis minutos
e Raspar 4 minutos por duas vezes Sendo assim, Adicionou a porção C de lactose e
Triturou seis minutos e Raspou quatro minutos por duas vezes, totalizando 20 minutos.
Totalizand no final do processo uma hora. Com isso, envasou em frasco âmbar de 15
mL devidamente identificado, Tampou e armazenou. Sendo assim, obteve-se 1 CH.
A partir daí, foi realizado o 2CH, utilizando como insumo ativo o 1 CH e novamente a
lactose como insumo inerte. Então pesou-se 0,1 g do insumo ativo. Logo após, pesou-se
9,9 g de insumo inerte dividido em 3 porções iguais (Porção A: 3,3 g,Porção B : 3,3
g,Porção C : 3,3 g). Colocou –se a porção A de lactose no gral e fechar os poros.Após,
Adicionou-se o insumo ativo. Triturou seis minutos e Raspou 4 minutos por duas vezes,
totalizando 20 minutos.Adicionou a porção B de lactose e Repetiu a operação de
Triturar seis minutos e Raspar 4 minutos por duas vezes Sendo assim, Adicionou a
porção C de lactose e Triturou seis minutos e Raspou quatro minutos por duas vezes,
totalizando 20 minutos. Totalizandovo final do processo uma hora. Com isso, envasou
em frasco âmbar de 15 mL devidamente identificado, Tampou e armazenou. Realizado o
2CH.
Para preparação do 3CH utilizou-se como insumo ativo o 2 CH e novamente a lactose
como insumo inerte. Com isso, pesou-se 0,1 g do insumo ativo. Logo após, pesou-se 9,9
g de insumo inerte dividido em 3 porções iguais (Porção A: 3,3 g,Porção B : 3,3
g,Porção C : 3,3 g). Colocou –se a porção A de lactose no gral e fechar os poros.Após,
Adicionou-se o insumo ativo. Triturou seis minutos e Raspou 4 minutos por duas vezes,
totalizando 20 minutos.Adicionou a porção B de lactose e Repetiu a operação de
Triturar seis minutos e Raspar 4 minutos por duas vezes Sendo assim, Adicionou a
porção C de lactose e Triturou seis minutos e Raspou quatro minutos por duas vezes,
totalizando 20 minutos. Totalizandovo final do processo uma hora. Com isso, envasou
em frasco âmbar de 15 mL devidamente identificado, Tampou e armazenou. E está feito
o 3CH.
Já na preparação do 4 CH, pegou-se 0,1g de 3CH (insumo ativo) e 99,9 ml de
insumo inerte (álcool 20º GL), colocou-se no vidro âmbar e sucussionou-se, obtendo o
4CH.
Para obter o 5CH, utilizou a potência anterior (4CH) como insumo ativo e como
insumo inerte o EtOH 70 °GL. Sendo assim, colocou0,1 mL do insumo ativo em frasco
9

âmbar de 15 mL. Logo após, adicionar 9,9 mL de insumo inerte.Tampou e colocou no


dinamizador. Sucussionou 100 x. Identificou-se e armazenou-se. E foi realizado o 5 CH.

 Preparação da Cinqüenta Milesimal (LM)

Para a preparação da escala cinquenta Milesimal utilizou-se a potência 3CH, onde


pesaram-se 0,063g da droga, armazenando-a em um frasco âmbar e adicionou-se 20
mais 5mL EtOH 96° GL, obtendo-se a solução LM.
Da solução LM, retirou-se 2 gotas e adicionou-se 100 gotas de EtOH no
recipiente e sucussionou 100vezes. E assim , teve-se a solução l LM intermediária.
Pesou-se 0,315g de microglóbulos (o mesmo que 500 microglóbulos) e impregnou-
os com l gota da solução l LM intermediária. Esperou secar e retirou-se l microglóbulo
desta droga que corresponde a l LM e adicionou-se 2 a 3 gotas de água para solubilizar este
microglóbulo e 5ml de EtOH 96° GL. Sucussionou-se e obteve-se a solução 2 LM
intermediária. Repetiu o mesmo processo até Chegar a 4 LM.

 CONCLUSÃO

Através da realização desta prática , pode dizer que não houve dificuldades na
execução da técnica. Sendo importante imprescindível para sua realização seguir
fielmente o que está descrito, para que possamos obter bons resultados.

 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 FONTES, Olney Leite. Farmácia Homeopatia: Teoria e Prática , 2ª


edição, Editora Manole, São Paulo, 2005.
 KENT, James Tyler. Matéria Médica Homeopática.
Buenos Aires: Albatros, 1989. 2v.
10